Page 1

SUELI FANIZZI

OLGA GIL

1

ÂNGELA GIL

BNCC

DIVIRTA-SE COM ESTE LIVRO USANDO O CELULAR!

É MUITO SIMPLES! COM A AJUDA DE UM ADULTO, BAIXE O APLICATIVO PORTA ABERTA PARA O MUNDO NA APP STORE OU NO GOOGLE PLAY.

MANUAL DO PROFESSOR

COM O APLICATIVO ABERTO, APONTE A CÂMERA DO CELULAR PARA A CAPA DO LIVRO.

ATENÇÃO! SE NECESSÁRIO, PERMITA QUE O APLICATIVO UTILIZE A CÂMERA DO CELULAR.

AGORA É SÓ PASSEAR PELA CENA E FAZER ALGUMAS DESCOBERTAS. BOA DIVERSÃO!

CIÊNCIAS PORTA ABERTA_LP_CIE3.indd 2

8/12/19 2:25 PM


CIÊNCIAS MANUAL DO PROFESSOR ÂNGELA BERNARDES DE ANDRADE GIL Licenciada em Letras pela Universidade de Taubaté (SP). Professora de Língua Portuguesa e de Ciências no Ensino Fundamental das redes pública e privada. Diplomada no curso Ensino e aprendizagem de Ciências Naturais, História e Geografia no Ensino Fundamental l e na Educação Infantil pelo Instituto Superior de Educação Vera Cruz – Cevec – Centro de Estudos Educacionais.

OLGA REGINA DE ANDRADE GIL SANTOS Mestranda no Programa de Educação e Currículo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Pós-graduada em Psicopedagogia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Experiência como coordenadora e diretora pedagógica na rede privada. Licenciada em Letras pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras Dom Domênico.

SUELI FANIZZI Professora adjunta da Universidade Federal de Mato Grosso – Instituto de Educação – Departamento de Ensino e Organização Escolar. Doutora e mestre em Educação – Ensino de Ciências e Matemática pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. Licenciada em Pedagogia pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo.

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-001-003.indd 1

5/29/19 16:26


Porta Aberta para o mundo – Ciências – 3o ano (Ensino Fundamental - Anos iniciais) Copyright Š Ângela Bernardes de Andrade Gil, Olga Regina de Andrade Gil Santos e Sueli Fanizzi, 2019 Diretor de conteúdo e negócios Diretora editorial adjunta Gerente editorial Editora Editores assistentes Assessoria Coordenador de produção editorial Gerente de arte Coordenadora de arte Projeto gråfico e capa Ilustração de capa Personagens Supervisora de arte Editora de arte Diagramação Tratamento de imagens Coordenadora de ilustraçþes e cartografia Ilustraçþes

Coordenadora de preparação e revisão Supervisora de preparação e revisão Revisão

Supervisora de iconografia e licenciamento de textos Iconografia Licenciamento de textos Supervisora de arquivos de segurança Diretor de operaçþes e produção gråfica

Ricardo Tavares de Oliveira Silvana Rossi Júlio Natalia Taccetti Luciana Leopoldino Aline Tiemi Matsumura, Patricia Tierno Fuin Alice Kobayashi, Carla Daniela Araújo, Maria da Graça Câmara Marcelo Henrique Ferreira Fontes Ricardo Borges Daniela Måximo Sergio Cândido Maurenilson Freire Mascoteria Isabel Cristina Corandin Marques Dayane Santiago Martins Ponto Inicial Design Gråfico Ana Isabela Pithan Maraschin, Eziquiel Racheti Marcia Berne Bentinho, Biry Sarkis, Danillo Souza, Dayane Raven, Dawidson França Edde Wagner, Estúdio Lab307, Estúdio Ornitorrinco, Fabio Eugenio, Jurandir, Leo Teixeira, Lettera Studio, Marcel Borges, Marciano Palåcio, Marcos Machado, Mauro Souza, Mw Editora E Ilustraçþes, Peterson Mazzoco, Roberto Zoellner Lilian Semenichin Maria Clara Paes Ana Lúcia Horn, Carolina Manley, Cristiane Casseb, DesirÊe Aguiar, Edna Viana, Giselle Mussi de Moura, Jussara R. Gomes, Kåtia Cardoso, Lilian Vismari, Lucila V. Segóvia, Miyuki Kishi, Renato A. Colombo Jr., Solange Guerra, Yara Affonso Elaine Bueno Ana Paula de Jesus, Elizete Moura, Roberta Montenegro Bårbara Clara, Erica Brambila Silvia Regina E. Almeida Reginaldo Soares Damasceno

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Gil, Ângela Bernardes de Andrade Porta aberta para o mundo: ciências 3/ Ângela Bernardes de Andrade Gil, Olga Regina de Andrade Gil Santos, Sueli Fanizzi. – 1. ed. – São Paulo: FTD, 2019. ISBN 978-85-96-02323-8 (aluno) ISBN 978-85-96-02324-5 (professor) 1. Ciências (Ensino Fundamental) I. Santos, Olga Regina de Andrade Gil. II. Fanizzi, Sueli. III. Título. 19-25920

CDD-372.35 Ă?ndices para catĂĄlogo sistemĂĄtico:

1. CiĂŞncias : Ensino Fundamental 372.35 Maria Alice Ferreira – BibliotecĂĄria – CRB-8/7964 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Envidamos nossos melhores esforços para localizar e indicar adequadamente os crĂŠditos dos textos e imagens presentes nesta obra didĂĄtica. No entanto, colocamo-nos Ă disposição para avaliação de eventuais irregularidades ou omissĂľes de crĂŠdito e consequente correção nas prĂłximas ediçþes. As imagens e os textos constantes nesta obra que, eventualmente, reproduzam algum tipo de material de publicidade ou propaganda, ou a ele façam alusĂŁo, sĂŁo aplicados para fins didĂĄticos e nĂŁo representam recomendação ou incentivo ao consumo. Reprodução proibida: Art. 184 do CĂłdigo Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. Todos os direitos reservados Ă  EDITORA FTD. Â?çãÂ?å ­

Ă´    () ()Â Â?Â?()  

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-001-003.indd 2

Rua Rui Barbosa, 156 – Bela Vista – São Paulo – SP CEP 01326-010 – Tel. 0800 772 2300 Caixa Postal 65149 – CEP da Caixa Postal 01390-970 www.ftd.com.br central.relacionamento@ftd.com.br

www.twosides.org.br

5/29/19 16:26


SUMÁRIO CONHEÇA O PORTA ABERTA PARA O MUNDO .......................................................... IV PILARES DA COLEÇÃO ..................................................................................................... VI PERSONAGENS DA COLEÇÃO ..................................................................................... VIII ORGANIZAÇÃO DA COLEÇÃO ..........................................................................................X ORIENTAÇÕES GERAIS DE CIÊNCIAS.................................................................... XVIII 1. POR QUE ENSINAR CIÊNCIAS DA NATUREZA? ......................................... XIX 2. FUNDAMENTOS PEDAGÓGICOS DA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR .............................................. XXI 3. PROPOSTA METODOLÓGICA ......................................................................... XXII 3.1 3.2 3.3 3.4 3.5 3.6 3.7 3.8

Organização de conteúdos............................................................................. XXIII O trabalho com textos, imagens e atividades................................................ XXIII Linguagem científica ........................................................................................ XXV Tecnologias da informação e comunicação (TIC) ........................................... XXV Experimentos ...................................................................................................XXVI Articulação entre as áreas de conhecimento ................................................XXVI Integração com outras áreas do conhecimento científico ......................... XXVII Competências socioemocionais ..................................................................XXVIII

4. AVALIAÇÃO ..........................................................................................................XXIX 5. AFINAL, COMO ENSINAR?............................................................................ XXXII 5.1 Estratégias de ensino de Ciências da coleção ............................................XXXIII 6. QUADRO DE CONTEÚDOS – 1o AO 5o ANO ................................................. XLIV SUGESTÕES DE LEITURA PARA O PROFESSOR ................................................... XLVI REFERÊNCIAS.................................................................................................................XLVII O LIVRO DO 3o ANO .......................................................................................................XLIX 1. MATRIZ ARTICULADORA PARA O PLANEJAMENTO ...............................XLIX 2. SUGESTÃO DE PROJETO – 3o ANO ............................................................... LVIII 2.1 Projeto integrador: Diferentes sons................................................................................LVIII CONHEÇA SEU MANUAL EM U .................................................................................. LXIII ORIENTAÇÕES ESPECÍFICAS PARA O 3o ANO ......................................................... 10

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-001-003.indd 3

6/3/19 18:31


CONHEÇA O PORTA ABERTA PARA O MUNDO PORTA ABERTA PARA O MUNDO é uma coleção do 1o ao 5o ano que contempla as seguintes disciplinas: Língua Portuguesa, Matemática, Ciências, História e Geografia. Os conteúdos e conceitos desta coleção são trabalhados de forma integrada, dinâmica e criativa, apoiando o aluno no processo de ensino e de aprendizagem. Conheça a seguir a coleção PORTA ABERTA PARA O MUNDO – CIÊNCIAS que auxilia o aluno no entendimento e na compreensão de informações, bem como no desenvolvimento de diferentes habilidades.

IV

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-004-043.indd 4

5/29/19 16:26


Ao final de cada livro há um Material complementar com cartonados e adesivos para o uso em atividades do livro. Esses são recursos lúdicos que também ajudam os alunos a construir seus conhecimentos. UNIDADE 5 » PÁGINA 59

Adesivos

MATERIAL COMPLEMENTAR Ambiente natural GABRIELA VASCONCELOS

ATIVIDADE 1

Ambiente modificado

Lição de casa

UNIDADE 7 » PÁGINAS 72 E 73 ATIVIDADE 2

Cartonados

COM O TEMPO, OS CELULARES FORAM MODERNIZADOS E PASSARAM A TER MAIS FUNÇÕES: TIRAR FOTO, ENVIAR MENSAGENS DE TEXTO E DE VOZ, FAZER E RECEBER LIGAÇÕES, JOGAR.

QUASE 100 ANOS APÓS ESSA INVENÇÃO, SURGIU O TELEFONE MÓVEL. OS PRIMEIROS APARELHOS SÓ FAZIAM E RECEBIAM LIGAÇÕES.

OS TELEFONES PASSARAM POR MUDANÇAS E FOI POSSÍVEL REALIZAR LIGAÇÕES DIRETAS.

OS PRIMEIROS TELEFONES NÃO FAZIAM LIGAÇÕES DIRETAS. A TELEFONISTA DA CENTRAL TELEFÔNICA FAZIA AS CHAMADAS.

CENTO E TRINTA E TRÊS

D3-CIE-F1-1085-V1-AD-LA-M19.indd 133

MATERIAL DE APOIO AO PROFESSOR A coleção apresenta materiais variados que podem apoiar o trabalho do professor em sala de aula. • 1o ano: Higiene pessoal / Regras de convivência. • 2 ano: Plantas / Atitudes do bem. o

• 3o ano: Animais / Som (saúde auditiva). • 4o ano: Relações alimentares / Rotação e translação. • 5o ano: Fases da Lua / Ciclos da água.

133

4/22/19 5:27 PM

Para cada ano, há também o livro Lição de casa que traz: • Orientações para a família ajudar o aluno nas tarefas escolares. • Atividades sistematizadoras que apoiam o aluno na aprendizagem.

FTD digital com: • Jogos (tabuleiro, regras e peças). • Textos e experimentos complementares. • Vídeos de formação para o professor. • Atividades para imprimir. • Objetos educacionais digitais: vídeos, imagem animada, infográfico etc.

Cartazes V

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-004-043.indd 5

5/29/19 16:26


PILARES DA COLEÇÃO Os Anos Iniciais do Ensino Fundamental compõem uma fase importante de ensino para as crianças. Nessa etapa, elas interagem, fazem descobertas, entram em contato com novos conhecimentos. Além disso, podem utilizar e valorizar seus conhecimentos sobre o mundo social, físico e cultural por meio de diversas práticas. Diante disso, entendemos que as crianças estão no mundo interagindo e construindo saberes, são digitais, pensam de forma crítica e precisam lidar cada vez mais com os próprios sentimentos e emoções. Para apoiar a formação plena do aluno, a coleção PORTA ABERTA PARA O MUNDO apoia-se em pilares fundamentais, como destacamos a seguir.

VI

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-004-043.indd 6

5/29/19 16:26


1 3

DIVERSIDADE Este pilar valoriza a identidade brasileira formada por uma pluralidade de culturas, etnias, crenças e saberes. A diversidade nesta coleção considera cada aluno como indivíduo com particularidades e necessidades próprias e valoriza a interação entre os indivíduos.

LEITURA A leitura possibilita o desenvolvimento de importantes habilidades e competências. Por meio dela, o aluno poderá aplicar o que aprendeu em novos contextos comunicativos. Desenvolver a capacidade leitora envolve práticas abrangentes, pois o aluno necessita de um amplo esquema para obter, avaliar e utilizar informações, além de acionar estratégias de seleção, antecipação, inferência e verificação. Nesta coleção, a leitura vai desde o entretenimento/da fruição até a construção do conhecimento e o desenvolvimento do senso crítico, tornando a pessoa que lê um ser mais reflexivo e capaz de desfrutar o prazer que a leitura proporciona para enfrentar os desafios do mundo.

4

2

CIDADANIA É importante que os alunos se posicionem com atitudes que favoreçam a convivência e uma visão de mundo em que eles sejam capazes de enfrentar situações do mundo atual, exercendo desde cedo a cidadania. Para auxiliar nesse processo, a coleção aborda, de forma contextualizada, diferentes temas contemporâneos para o aluno refletir e atuar de forma ética e colaborativa.

SISTEMATIZAÇÃO A sistematização está presente em muitos aspectos e momentos da vida cotidiana, como o uso de agenda para organizar as tarefas, combinados da rotina da família, reuniões de trabalho etc. No ambiente escolar, a sistematização também perpassa muitos ambientes e situações de aprendizagem. Nesta coleção, a sistematização está destacada em três momentos: • Seção Vamos recordar? (com atividades certificadoras); • Unidade 9 – De tudo um pouco (com atividades diagnósticas); • Lição de casa (com atividades sistematizadoras). Essas propostas possibilitam ao aluno a reelaboração do pensamento, a construção de sentido para suas vivências, a reflexão crítica acerca do que foi aprendido, a organização de dados, práticas e conceitos estudados etc.

VII

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-004-043.indd 7

5/29/19 16:26


PERSONAGENS DA COLEÇÃO Além dos pilares, a coleção apresenta personagens animais em cada disciplina, pois entendemos que a relação das crianças com animais é muito significativa, pois ajuda a desenvolver muitas habilidades sociais. A identificação com esses personagens pode despertar nas crianças o interesse por ler os conteúdos apresentados nos livros. Cada animal marca três importantes momentos do livro: #Se liga: chama o aluno para se ligar nas dicas de leitura, visitas a museus, músicas, filmes etc. #Você sabia?: convida o aluno a ler uma informação nova ou relembrar. Vamos recordar?: personagem aparece virando a página final da Unidade para simbolizar que o conhecimento não acaba ali, vai continuar em outras unidades do livro e em outras situações da vida.

O animal-personagem terá um papel importante para manter o equilíbrio da coleção, pois apresenta características semelhantes às da disciplina que representa. Cada personagem-animal do Porta Aberta para o mundo poderá propagar os conhecimentos e ter uma função para a construção de saberes entre as disciplinas.

VIII

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-004-043.indd 8

5/29/19 16:26


Foram escolhidos animais brasileiros que fizessem refletir os pilares da coleção.

TARTAURGA-DE-PENTE CIÊNCIAS

TUIUIÚ GEOGRAFIA

ONÇA-PINTADA LÍNGUA PORTUGUESA

PAPAGAIO-VERDADEIRO HISTÓRIA

TATU-BOLA MATEMÁTICA

CIDADANIA

DIVERSIDADE

LEITURA

SISTEMATIZAÇÃO

• É solidário. • Vive em grupo. • Tem ação para o bem de outro. • Faz valer seus direitos na natureza ou no ambiente em que vive. • Ajuda ou é essencial para outro animal ou bioma.

• Está em diferentes biomas. • Tem fácil adaptação ao ambiente. • Identifica-se com diferentes grupos. • Apresenta facilidade para viver e se adaptar a diferentes ambientes.

• É estratégico. • É atento a procedimentos. • Descobre caminhos, segue pistas e é curioso.

• Faz conexões com ambientes e outros animais. • Constrói e organiza seu ninho, o ambiente. • É metódico.

IX

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-004-043.indd 9

5/29/19 16:27


ORGANIZAÇÃO DA COLEÇÃO PERSONAGEM DE CIÊNCIAS

TARTARUGA-DE-PENTE • As tartarugas-de-pente adultas são encontradas principalmente nos recifes de coral tropicais. Elas são consideradas as mais tropicais de todas as tartarugas marinhas, porque vivem em mares tropicais e sub-tropicais. • Por serem uma espécie altamente migratória, as tartarugas-de-pente têm sido encontradas em muitos hábitats, desde o mar aberto até lagoas e manguezais. Outro fato de destaque é que as fêmeas voltam para se reproduzir na praia onde nasceram. Elas acasalam-se a cada dois anos, em lagoas isoladas e rasas perto das praias. Após o acasalamento, as fêmeas deslocam-se para a praia durante a noite, cavam um buraco usando as barbatanas traseiras, põem os ovos no ninho e cobrem com areia. Alguns ninhos podem conter cerca de 140 ovos! Após muitas horas nesse processo, as fêmeas retornam para o mar. Esse é o único momento em que as tartarugas-de-pente deixam o oceano. • No Brasil, as áreas prioritárias de reprodução são o litoral norte da Bahia e de Sergipe e o litoral sul do Rio Grande do Norte. O número de ninhos no Brasil é de aproximadamente 2 200 por temporada de desova.

Nome científico: Eretmochelys imbricata Grupo: Réptil Hábitos alimentares: Esponjas, anêmonas, lulas e camarões Hábitat: Mares tropicais do Atlântico, Índico e Pacífico Tamanho: até 110 cm de comprimento curvilíneo de carapaça

X

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-004-043.indd 10

5/29/19 16:28


A tartaruga-de-pente e a relação com Ciências Buscamos na tartaruga-de-pente características que refletissem os pilares da coleção Porta aberta para o mundo – Ciências.

DIVERSIDADE A tartaruga-de-pente representa a diversidade, porque é um animal altamente migratório e encontrado em muitos hábitats. Suas ações contribuem para o bem de outros animais e a manutenção dos biomas.

CIDADANIA A tartaruga-de-pente faz valer seus direitos na natureza quando volta para desovar no mesmo lugar em que nasceu. Também destacamos a facilidade de adaptação aos ambientes e o cuidado no processo de desova.

SISTEMATIZAÇÃO Quando voltam para a praia em que nasceram para reproduzir, as tartarugas-de-pente revelam um modo de sistematização. O processo de desova na praia também. Com isso, sistematizar garante a fluidez de todo o processo de vida e aprendizagem.

Tartaruga-de-pente e o conceito disciplinar A tartaruga-de-pente é o personagem que representa a disciplina de Ciências! Ela é um animal relacionado a dois conceitos disciplinares muito valorizados: conservação e preservação ambiental. Isso porque é uma espécie criticamente ameaçada de extinção no Brasil. A principal ameaça acontece na coleta de ovos e no abate de fêmeas, principalmente para exploração e comércio do casco como matéria-prima na produção de pente e outros utensílios.

LEITURA As tartarugas-de-pente seguem um padrão no processo de criação do seu ninho: cavam um buraco, colocam os ovos, cobrem com areia, voltam para as águas. Esses padrões, que podemos denominar procedimentos, acontecem no processo de leitura, pois observa-se o texto como um todo, cria-se uma estratégia de leitura específica, volta-se ao início do texto para retomada de informação e estabelecer conexões.

XI

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-004-043.indd 11

5/29/19 16:28


UNIDADES, CAPÍTULOS, SEÇÕES E BOXES ABERTURA DE UNIDADE

Cada volume está organizado em 9 unidades com capítulos, seções e boxes. A última Unidade é sempre de revisão e organizada por um tema que conduz o aluno na realização das atividades.

As páginas de abertura das unidades apresentam questões que possuem o objetivo de levantar os conhecimentos dos alunos sobre o tema a ser desenvolvido. Essas páginas trazem, também, imagens que cumprem as funções de ilustrar, atrair e interagir com o aluno. A interatividade que a imagem e as questões da abertura de unidade trazem podem motivar os alunos a estabelecer relações com o tema em estudo. Para tanto, orientamos o professor a solicitar aos alunos que observem as imagens, reflitam sobre elas e as interpretem. Essa estratégia tem como objetivo envolver e iniciar os alunos em seus estudos de Ciências.

XII

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-004-043.indd 12

5/29/19 16:28


CAPÍTULOS A estrutura em capítulos ajuda a organizar os estudos dos assuntos de Ciências. Neles há textos-conceito que devem ser lidos e interpretados com os alunos. Também são propostas atividades variadas a serem feitas individualmente, em grupo, em dupla, oralmente, usando algum recurso tecnológico etc. Dessa forma, o professor tem subsídios para apresentar questionamentos a respeito da vivência do aluno ou aplicar exercícios de fixação e aprofundamento referentes aos conteúdos trabalhados.

Box conceito Os principais conceitos estudados são apresentados em box destaque para facilitar o estudo e a retomada de conceitos para realizar atividades.

O que você tem para contar? Esta seção inicia cada capítulo e propicia aos alunos um espaço para trazer alguma experiência pessoal ou um momento de sensibilização acerca de conteúdos a serem estudados. Esse é um recurso da coleção que permite ao professor e aos alunos explorar suas ideias, seus saberes e crenças a partir de seu mundo familiar, social e por meio de fatos que tenham ocorrido em sua cidade, seu bairro ou com a família. Ao ouvir sobre o universo do aluno, o professor tem mais chance de perceber o conhecimento dele e a interpretação do mundo que o rodeia.

XIII

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-004-043.indd 13

5/29/19 16:28


PORTA PARA A CIDADANIA Esta seção trabalha com valores que envolvem a cidadania e a convivência. São trazidos temas contemporâneos sobre reciclagem, sustentabilidade, ética e inclusão para trazer aos alunos informações e permitir a reflexão. A apresentação de atividades individuais, em duplas e em equipe permite aos alunos que interajam, cultivando a cooperação e a socialização. Entre as atividades propostas, há a organização de campanhas sociais, a confecção de murais e a elaboração de pesquisas que ampliam o conhecimento e despertam a curiosidade e a resolução de situações-problema.

XIV

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-004-043.indd 14

5/29/19 16:28


#Se liga O objetivo da seção é indicar livros, sites, vídeos, museus etc. e chamar o aluno para ficar ligado na leitura. Todas as indicações trazem uma breve sinopse. Por meio dessa seção, o professor pode desenvolver trabalhos com roda de leitura, valorizando a proficiência leitora.

AGORA É A SUA VEZ! A seção tem como objetivo promover o ensino de procedimentos, como observar, comunicar hipóteses, manipular experimentos, redigir relatórios científicos, entre outros. Os alunos podem realizar pesquisas, investigar e experimentar diferentes práticas que envolvem saberes sociais e científicos. No Material complementar há fichas de registros para os alunos destacarem e preencherem durante a realização da atividade proposta. Ao final, os alunos podem fazer uma autoavaliação usando o quadro que indica objetivos atitudinais e procedimentais. Esse é um momento muito rico que auxilia os alunos a refletir sobre si mesmos e sua aprendizagem.

XV

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-004-043.indd 15

5/29/19 16:28


PORTA PARA LEITURA E ESCRITA A seção foi criada para proporcionar aos alunos o contato com diversos tipos de textos – contos, letras de música, poemas, quadrinhas, textos jornalísticos –, com o objetivo de apresentar temas da área de Ciências por meio de diferentes linguagens e formas de expressão. As questões propostas poderão ser trabalhadas de diversas formas, mas o registro escrito, que também envolve interpretação de texto, é valorizado.

ÍCONES

ATIVIDADE EM DUPLA

ATIVIDADE EM GRUPO

As atividades do livro são orientadas por ícones, que indicam como elas devem ser realizadas. Esse recurso auxilia os alunos a fazer leitura de símbolos e se planejarem para as atividades.

Atividades que podem ser feitas em duplas, para que os alunos discutam ideias e soluções acerca de questões mais complexas e, na elaboração conjunta de uma resposta, trabalhem o respeito à opinião do outro e a comunicação.

Atividades que podem ser feitas em grupo, proporcionando momentos de discussão e elaboração de respostas coletivas. Essa abordagem promove a comunicação oral, a discussão, a reflexão, a resolução de questões mais complexas de forma compartilhada e o respeito às ideias e opiniões de outras pessoas.

XVI

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-004-043.indd 16

5/29/19 16:28


#Você sabia? Despertar ou mesmo resolver uma curiosidade é um momento importante para as crianças. Nesta seção são apresentadas informações, curiosidades e complementos que ampliam o repertório dos alunos, retomam algo que eles já conhecem ou mesmo abrem portas para que continuem investigando e pesquisando sobre o assunto em outras fontes confiáveis. Esse momento de leitura pode ser feito em grupos ou individualmente. A seção não apresenta atividades específicas, pois acreditamos que o professor tem autonomia para utilizá-la como melhor couber no seu planejamento. A leitura por fruição também é valorizada aqui.

VAMOS RECORDAR? Visando apoiar a avaliação processual, esta seção foi organizada para que os alunos possam fazer a revisão de conceitos da Unidade. As atividades são certificadoras e dão parâmetro para o professor do quanto o aluno avançou na aprendizagem. É uma seção que encerra cada Unidade. Como complemento a ela, alunos e professor têm a Unidade 9 – De tudo um pouco (atividades diagnósticas e relacionadas a contextos) e Lição de casa (atividades certificadoras).

Glossário O objetivo da seção é sanar dificuldades e enriquecer o vocabulário dos alunos. Ao lado do texto aparecem palavras, possivelmente desconhecidas, e o significado contextualizado delas.

ATIVIDADE ORAL Atividades para serem respondidas oralmente, propiciando momentos de partilha entre todos os alunos da sala de aula. Por meio delas, os alunos podem desenvolver a habilidade de falar em público, debater, expor suas ideias e aprender a respeitar e a ouvir os demais componentes de seu grupo.

ATIVIDADE OU CONTEÚDO QUE ENVOLVE USO DE TECNOLOGIA. Trabalha as novas mídias e tecnologias digitais, apresentando possibilidades para o uso responsável da internet. Com foco no letramento digital, é um recurso a mais de aprendizagem, de forma que o aluno tenha a possibilidade de entrar em contato com um mundo cada vez mais tecnológico, de maneira crítica e ética.

XVII

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-004-043.indd 17

5/29/19 16:28


6.

QUADRO DE CONTEÚDOS – 1o AO 5o ANO 1o ano

2o ano

3o ano

4o ano

5o ano

Quanta gente

Onde vivemos?

Percebendo os sons do ambiente

Um mundo que não enxergamos

Comer bem, que mal tem?

UNIDADE

1

UNIDADE

2

• Semelhanças e diferenças físicas. • Características físicas pessoais. • Histórias familiares. • Direitos das crianças e adolescentes.

Corpo em movimento • Partes do corpo. • Movimentos do corpo. • Cuidados com o corpo e hábitos de higiene. • Prevenção de acidentes.

• Seres vivos e componentes não vivos. • Ambientes aquático e terrestre. • Ambiente natural e modificado. • Sol: fonte de luz e calor.

Vamos falar sobre nós? • Semelhanças e diferenças entre os seres humanos. • Antepassados. • Deficiências e algumas medidas de acessibilidade. • Diversidade e inclusão.

UNIDADE

3

UNIDADE

4

Ai, que fome! • Alimentos saudáveis. • Escolha dos alimentos. • Higiene dos alimentos.

O meu e o seu ambiente • Conceito de ambiente. • Cuidados com os ambientes. • A higiene dos ambientes e a saúde.

Como nós somos? • Partes do corpo. • Esqueleto e músculos do corpo humano. • Os sentidos e órgãos dos sentidos. • Sistema braile.

• Sons naturais e produzidos pelo ser humano. • Tipos de instrumentos musicais. • A voz. • A audição e a orelha. • Saúde auditiva. • Poluição sonora.

Percebendo a luz

• O que são microrganismos. • Microrganismos e o ambiente. • Decomposição. • Microrganismos e os seres humanos.

Nada de ficar doente!

• Objetos opacos, transpa- • Doenças causadas rentes e translúcidos. por vírus, bactérias, • Espelhos e a reflexão da luz. protozoários e fungos. • Luz e sombras. • Verminoses. • A luz e as cores. • Prevenção de doenças. • Decomposição da luz. • A luz e a visão. • Saúde visual. • Deficiência visual.

Seres humanos e os outros animais • Diversidade animal. • Animais: locomoção, alimentação e cobertura do corpo. • Vertebrados e invertebrados. • Fases do desenvolvimento dos seres humanos e dos outros animais.

Como os seres vivos se alimentam • Nutrição dos seres vivos. • Fotossíntese. • Seres produtores, consumidores e decompositores. • Cadeia e teia alimentar.

Mundo animal

É pé de quê?

Seres vivos no ambiente

• Animais terrestres e aquáticos. • Características dos animais (corpo, locomoção, alimentação: carnívoros, herbívoros, onívoros). • Animais domésticos e silvestres.

• Germinação de sementes. • Dispersão de sementes. • Partes das plantas. • Recuperação da vegetação nativa.

• Fluxo de energia. • Ciclo da matéria. • Relações alimentares. • Outros tipos de relações entre os seres vivos.

• Origem dos alimentos. • Nutrientes dos alimentos. • Função dos alimentos no corpo: energéticos, construtores e reguladores. • Alimentos naturais e processados. • Alimentação equilibrada. • Distúrbios nutricionais: fome e desnutrição, obesidade.

Como funciona o corpo humano? • Células. • Tipos de células. • Tecidos, órgãos, sistema e organismo. • Sistema digestório. • Sistema respiratório. • Sistema cardiovascular. • Sistema urinário.

Água é vida! • Ciclo da água. • Mudança de estado físico da água: vaporização, condensação, solidificação e fusão. • Tratamento da água. • Tratamento do esgoto. • Saneamento básico. • Água e geração de energia.

Estamos cuidando do nosso planeta? • Recursos renováveis e não renováveis. • Poluição da água. • Poluição do ar. • Poluição do solo. • Resíduos sólidos.

XLIV

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-044-064.indd 44

5/29/19 16:26


UNIDADE

5

1o ano

2o ano

3o ano

4o ano

5o ano

Além da moradia e da escola

O mundo das plantas

Que chão é esse?

Misturas por toda parte

O que é sustentabilidade?

• Misturas homogêneas e heterogêneas.

• Resíduos sólidos.

• Separação de misturas: catação, filtração, decantação e evaporação.

• Os 5 Rs da sustentabilidade.

• Ambientes aquáticos e terrestres.

• Plantas terrestres e aquáticas.

• Definição de solo.

• Ambientes naturais e modificados.

• Partes das plantas e suas funções.

• Composição do solo.

• As plantas na alimentação dos seres humanos.

• Formação do solo. • Usos do solo.

• Saneamento básico.

• Desenvolvimento e ciclo de vida das plantas. • Características das plantas e sua relação com o ambiente. UNIDADE

6

Passa o tempo • Os períodos do dia: manhã, tarde e noite. • Semanas, meses e anos. • Calendário.

Do que são feitos os objetos?

Sem solo não há vida!

• Objetos e seus materiais.

• O solo e os seres vivos. • Degradação do solo.

• Características dos materiais.

• Matéria e massa.

• Composição dos objetos e sua fabricação.

• Conservação do solo.

• Estados físicos da matéria.

• Volume.

• Origem dos materiais e suas propriedades.

• Mudanças de estados físicos.

• Densidade.

• Acidentes domésticos.

• Transformações físicas. • Transformações químicas.

UNIDADE

7

UNIDADE

8

Como era? Como ficou?

A passagem do tempo

• Objetos: para que servem e do que são feitos.

• Períodos do dia: manhã, tarde e noite.

• Formato e superfície da Terra.

• Mudanças dos objetos ao longo do tempo.

• Movimento aparente do Sol no céu e projeções de sombras.

• Representações da Terra.

• Medida de tempo: hora

• Hidrosfera.

• Tipos de relógio.

• Atmosfera.

O que tem no céu?

Propriedades dos materiais e energia

Os materiais se transformam

Podemos viver sem ar, água e solo?

Planeta terra, nossa casa!

• Água: líquida, sólida e vapor.

Olhando para o céu

A Terra não está parada!

• Peso e gravidade.

• Elasticidade. • Energia.

Um Universo cheio de estrelas

• Movimentos da Terra.

• Sol.

• Movimentos aparente do Sol.

• Lua.

• Estações do ano.

• Cartas celestes.

• Constelações e galáxias.

• Instrumentos de localização: mapa, bússola, gnômon, GPS.

A marcação do tempo

Avanços tecnológicos

• Os astros do céu noturno e do céu diurno.

• Ar, água e solo.

• Céu diurno e noturno.

• Fases da Lua.

• Tratamento da água.

• O Sol.

• Consumo de água.

• Estrelas, planetas e satélites.

• Medidas de tempo: mês, semana, dias, horas.

Instrumentos para ver de perto, de longe e para registro de imagens:

• O planeta Terra.

• Composição do ar.

• Rotação e translação.

• Calendários.

• A luneta e o telescópio.

• Formas de uso do solo.

• Seres de hábitos diurno e noturno.

• O microscópio. • A máquina fotográfica. • Satélites. • Dos óculos aos ciborgues. • Da roda aos foguetes. • Drone

XLV

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-044-064.indd 45

5/29/19 16:26


O LIVRO DO 3 ANO o

1.

MATRIZ ARTICULADORA PARA O PLANEJAMENTO A seguir, apresentamos uma matriz articuladora que apoia o planejamento do 3o ano. Essa matriz traz indicação, por Unidade, de: objetivos e conteúdos, código da habilidade (ou indicação da competência) e recursos didáticos disponíveis. Além disso, há sugestão de planejamento bimestral e trimestral. O planejamento é uma sugestão e considera a média de 9 semanas e 3 aulas semanais de Ciências para o planejamento bimestral e a média de 12 semanas e 3 aulas semanais de Ciências para o planejamento trimestral. Nesta sugestão, considerou-se 1o bimestre com 11 semanas e o 1o trimestre com 14 semanas. Cabe salientar que o professor poderá usar os recursos didáticos disponíveis, otimizar algumas práticas, realizar estudos do meio e incentivar trabalhos em grupo, visando flexibilizar seu planejamento.

RECURSOS DIDÁTICOS

BNCC Códigos de habilidades ou competências da BNCC que são trabalhadas na Unidade. Essas habilidades e seu texto também são indicadas na parte em U.

CONTEÚDOS E OBJETIVOS Lista dos principais objetivos e conteúdos da Unidade.

Indicação de cartazes, objetos digitais, lição de casa e atividades de revisão da Unidade 9 que podem ser utilizados.

PLANEJAMENTO BIMESTRAL

3

Sugestão de organização do conteúdo por bimestre.

o

ANO

PLANEJAMENTO TRIMESTRAL Sugestão de organização do conteúdo por trimestre.

XLIX

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-044-064.indd 49

6/4/19 4:04 PM


MATRIZ ARTICULADORA – 3O ANO UNIDADE

OBJETIVOS • Estimular a percepção dos sons do ambiente. • Diferenciar o som produzido por diferentes tipos de instrumentos musicais.

1.

PERCEBENDO OS SONS DO AMBIENTE

• Discutir os efeitos da poluição sonora.

• Saúde auditiva.

• Discutir como cuidar da saúde auditiva.

BNCC • (EF03CI01) • (EF03CI03)

• Tipos de instrumentos musicais. • A voz.

• Estudar as propriedades da luz com relação a objetos opacos, transparentes e translúcidos.

PERCEBENDO A LUZ

• Sons naturais e sons produzidos pelo ser humano.

• Explicar a produção da voz e a audição.

• Identificar que a luz é necessária para ver o mundo.

2.

CONTEÚDOS

• A audição e a orelha. • Poluição sonora.

• Objetos opacos, transparentes e translúcidos.

• (EF03CI02) • (EF03CI03).

• Espelhos e a reflexão da luz.

• Resgatar como se dá a formação de sombras.

• Luz e sombras.

• Explorar a reflexão da luz em espelhos e outras superfícies planas.

• Decomposição da luz.

• Demonstrar o fenômeno da decomposição da luz.

• Saúde visual.

• A luz e as cores. • A luz e a visão. • Deficiência visual.

• Discutir os cuidados com a saúde visual. • Comentar avanços da tecnologia no campo da deficiência visual.

L

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-044-064.indd 50

5/29/19 16:26


RECURSOS DIDÁTICOS

PLANEJAMENTO BIMESTRAL

PLANEJAMENTO TRIMESTRAL

Cartaz • Cuidados com o som Objetos digitais: • O aprendiz de pajé Lição de casa: • Lições 1 e 2 Unidade 9: • Atividades 1 a 6 (p. 175 e 176)

1

1o

o

BIMESTRE

TRIMESTRE

Tempo médio previsto: 33 aulas

Tempo médio previsto: 42 aulas

Lição de casa:

Conteúdo:

Conteúdo:

• Lições 3 a 6

• Unidade 1: Cap. 1.e 2

• Unidade 1: Cap. 1 e 2

• Unidade 2: Cap. 1, 2, 3 e 4

• Unidade 2: Cap. 1, 2, 3 e 4

Unidade 9:

• Unidade 3: Cap. 1, 2 e 3

• Atividades 1 a 4 (p. 177 e 178)

LI

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-044-064.indd 51

6/4/19 4:05 PM


CONHEÇA SEU MANUAL EM U

OBJETIVOS DA UNIDADE Relação dos objetivos de aprendizagem para o trabalho com a Unidade. Serve de instrumento para o planejamento das aulas e pode auxiliar na avaliação do trabalho realizado.

UNIDADE

Objetivos da Unidade • Compreender que os problemas de higiene ambiental interferem na qualidade de vida das pessoas.

O MEU E O SEU AMBIENTE

• Identificar os cuidados com a higiene ambiental no cotidiano. • Constatar a possibilidade de ação visando à manutenção de um ambiente saudável.

CONTEÚDOS Relação dos principais conteúdos e conceitos trabalhados na Unidade.

DONA C FORA, LUST NÃO HA A SOBRINHA APARECIAM DONA C VIVER N COMPLICAD

• Desenvolver ações de intervenção para melhorar a qualidade de vida individual, coletiva e socioambiental.

Conteúdos • Conceito de ambiente. • Cuidados com a higiene dos ambientes. • A higiene dos ambientes e a saúde. BNCC

BNCC Indicação de habilidades ou competências da Base Nacional Comum Curricular – BNCC contempladas no livro do aluno e/ ou no Manual do Professor.

ORGANIZE-SE Lista de materiais que serão utilizados em atividades propostas em cada Unidade.

Esta Unidade amplia o conceito de higiene para além dos cuidados pessoais. A observação, a análise e a reflexão sobre as condições de seu entorno visam que os alunos problematizem e busquem soluções que contribuam para a manutenção da saúde, bem-estar e para a sustentação socioambiental. Competência da BNCC contemplada: 5. Construir argumentos com base em dados, evidências e informações confiáveis e negociar e defender ideias e pontos de vista que promovam a consciência socioambiental e o respeito a si próprio e ao outro, acolhendo e valorizando a diversidade de indivíduos e de grupos sociais, sem preconceitos de qualquer natureza. 8. Agir pessoal e coletivamente com respeito, autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, recorrendo aos conhecimentos das Ciências da Natureza para tomar decisões frente a questões científico-tecnológicas e socioambientais e a respeito da saúde individual e coletiva, com base em princípios éticos, democráticos, sustentáveis e solidários.

GUARDAR OS

BEM-VINDO À BOTA DA CARLOTA

42

2

QUARENTA E DOIS

D3-CIE-F1-1085-V1-U04-LA-M19.indd 42

4/22/19 1:29 PM

D3-CIE-F1-1085-V1-U04-LA-M19.indd 43

Organize-se • Agendar a observação do pátio antes e depois do intervalo – p. 47. • Cartolina ou papel kraft – p. 49.

42

D2-CIE-F1-1085-V1-U04-MPE-M19.indd 42

5/4/19 2:35 PM

LXIII

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-044-064.indd 63

6/3/19 10:00


Auxiliando seu trabalho

MORADIA: AMBIENTE DE TODOS NÓS

VIVÊNCIA

Leia o texto da página 45. Após a leitura, comente com os alunos que atualmente é comum que as famílias morem em apartamentos. Pergunte qual dos ambientes citados não existe em apartamentos e aguarde que mencionem o quintal. Indague: “Todas as casas possuem todos os ambientes mencionados?”. É importante que percebam a diversidade de formas de morar e que nem mesmo todas as casas têm os ambientes definidos dessa forma.

UMA MORADIA PODE TER DIFERENTES AMBIENTES: QUARTO, SALA, COZINHA, BANHEIRO, QUINTAL E LAVANDERIA, POR EXEMPLO.

1. DESTAQUE OS ADESIVOS DA PÁGINA 131 E COLE O NOME DE CADA UM DOS AMBIENTES DESSA MORADIA.

EVE EM ALGUM

Quarto

Quarto Banheiro

ES?

etação; a imagem 2

1. Auxilie os alunos a encontrar a página 131 e os adesivos que devem ser usados nessa atividade. Antes de propor a colagem, se considerar necessário, trabalhe os nomes dos ambientes no quadro para que todos possam realizar a proposta com mais autonomia.

TIPOS DE CLA UDIA

VOLTA.

MA RIA NNO

S E AS FLORESTAS JOÃO PRUDENTE/PULSAR IMAGENS

Atividade complementar

Forneça uma folha avulsa aos alunos e peça que desenhem e escrevam sobre a moradia deles. a) minha casa tem: quarto(s) sala(s) cozinha banheiro(s) lavanderia quintal b) “Há outros ambientes que não foram citados acima? Quais?” c) “Qual ambiente você prefere? Por quê? Desenhe esse ambiente.”

Cozinha Lavanderia

Sala

A sala é o ambiente onde se assiste à TV, se interage com a família, se brinca etc. A cozinha é o ambiente onde se preparam os alimentos, se fazem as refeições. Os quartos são os

PO COM ÁRVORES E UMA DE MINAS GERAIS, .

2.

4/22/19 2:21 PM

D3-CIE-F1-1085-V1-U04-LA-M19.indd 45

Arte

Apresente aos alunos uma versão da obra de Van Gogh Quarto em Arles, disponível em: <http://livro.pro/6d6vr6>. Acesso em: 18 fev. 2019. Pergunte: “O que o artista representou nessa obra?”, “Qual o elemento do quadro que mais chama sua atenção?”, “Esse quar-

45

4/22/19 16:34

Articulação com to tem alguma semelhança com seu quarto?”, “Há alguma cor que, na sua opinião, se destaca no quadro?”, “Há objetos que aparecem em dupla no quarto, quais são eles?”. Proponha, então, aos alunos que façam um desenho mostrando seu quarto. Programe uma atividade para que apresentem o resultado de seu trabalho aos colegas.

Leitura • FRANÇA, Mary; FRANÇA, Eliardo. A casa feia. São Paulo: Editora Ática, 2015. O gato construiu uma casa, mas cada amigo observa a falta de alguma coisa e com as sugestões que o gato recebeu a casa ficou linda.

45

D2-CIE-F1-1085-V1-U04-MPE-M19.indd 45

ARTICULAÇÃO COM... Sugestão de possíveis trabalhos interdisciplinares ou indicação de quando uma atividade permite articulação com outros componentes curriculares ou temas contemporâneos.

ATIVIDADE COMPLEMENTAR Sugestões de atividades complementares que podem ser aplicadas como forma de ampliar o conhecimento sobre os assuntos estudados na Unidade.

Sugestão para o aluno

PARA QUE SERVE CADA UM DESSES AMBIENTES?

ambientes onde as pessoas geralmente descansam, dormem. O banheiro é o ambiente onde se realiza a higiene pessoal, como tomar banho, escovar os dentes etc. QUARENTA E CINCO A lavanderia é o ambiente onde se lavam e secam as roupas.

AUXILIANDO SEU TRABALHO Apresenta comentários sobre o tema abordado e sugestões de como conduzir os trabalhos em sala. Trata-se de uma importante ferramenta de apoio no dia a dia do seu trabalho como educador.

5/4/19 2:35 PM

SUGESTÃO PARA O PROFESSOR / SUGESTÃO PARA O ALUNO Sugestões de sites, livros, jogos, vídeos, objetos digitais, textos complementares etc. para ampliar o conhecimento ou contextualizar um tema ou conceito estudado.

LXIV

D2-CIE-F1-1085-V3-MPGE-G20-044-064.indd 64

5/29/19 16:27


CIÊNCIAS ÂNGELA BERNARDES DE ANDRADE GIL Licenciada em Letras pela Universidade de Taubaté (SP). Professora de Língua Portuguesa e de Ciências no Ensino Fundamental das redes pública e privada. Diplomada no curso Ensino e aprendizagem de Ciências Naturais, História e Geografia no Ensino Fundamental l e na Educação Infantil pelo Instituto Superior de Educação Vera Cruz – Cevec – Centro de Estudos Educacionais.

OLGA REGINA DE ANDRADE GIL SANTOS Mestranda no Programa de Educação e Currículo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Pós-graduada em Psicopedagogia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Experiência como coordenadora e diretora pedagógica na rede privada. Licenciada em Letras pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras Dom Domênico.

SUELI FANIZZI Professora adjunta da Universidade Federal de Mato Grosso – Instituto de Educação – Departamento de Ensino e Organização Escolar. Doutora e mestre em Educação – Ensino de Ciências e Matemática pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. Licenciada em Pedagogia pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo.

1 D3-CIE-1085-V3-PIN-LA-M19.indd 1

D2-CIE-F1-1085-V3-PIN-MPE-M19.indd 1

13/05/19 18:57

5/29/19 15:36


Porta Aberta para o mundo – Ciências – 3o ano (Ensino Fundamental – Anos iniciais) Copyright © Ângela Bernardes de Andrade Gil, Olga Regina de Andrade Gil Santos e Sueli Fanizzi, 2019 Diretor de conteúdo e negócios Diretora editorial adjunta Gerente editorial Editora Editoras assistentes Assessoria Coordenador de produção editorial Gerente de arte Coordenadora de arte Projeto gráfico e capa Ilustração de capa Personagens Supervisora de arte Editora de arte Diagramação Tratamento de imagens Coordenadora de ilustrações e cartografia Ilustrações

Coordenadora de preparação e revisão Supervisora de preparação e revisão Revisão

Supervisora de iconografia e licenciamento de textos Iconografia Licenciamento de textos Supervisora de arquivos de segurança Diretor de operações e produção gráfica

Ricardo Tavares de Oliveira Silvana Rossi Júlio Natalia Taccetti Luciana Leopoldino Aline Tiemi Matsumura, Patricia Tierno Fuin Alice Kobayashi, Belisa Monteiro, Carla Daniela Araújo, Maria da Graça Câmara Marcelo Henrique Ferreira Fontes Ricardo Borges Daniela Máximo Sergio Cândido Daniel Wu Mascoteria Isabel Cristina Corandin Marques Dayane Santiago Martins Débora Jóia, Ponto Inicial Design Gráfico Ana Isabela Pithan Maraschin, Eziquiel Racheti Marcia Berne Artur Kenji, Avalone, Bentinho, Biry Sarkis, Bourdiel, Danillo Souza, Dnepwu, Estúdio Ampla Arena, Estúdio Lab 307, Estudiomil, Estúdio Ornitorrinco, Fabiana Faiallo, Fábio Eugênio, ilustra cartoon, Izomar, Léo Fanelli/ Giz de Cera, Héctor Gómez, Maal Ilustra, Murilo Gomes da Silva, MW Editora e ilustrações, Peterson Mazzoco, Renato Bassani, Ricardo Montanari, Roberto Zoellner, R2 Editorial, Sandro Castelli, Sidney Meireles/ Giz de Cera Lilian Semenichin Maria Clara Paes Ana Lúcia Horn, Carolina Manley, Cristiane Casseb, Desirée Aguiar, Edna Viana, Giselle Mussi de Moura, Jussara R. Gomes, Kátia Cardoso, Lilian Vismari, Lucila V. Segóvia, Miyuki Kishi, Renato A. Colombo Jr., Solange Guerra, Yara Affonso Elaine Bueno Ana Paula de Jesus, Elizete Moura, Roberta Montenegro Bárbara Clara, Erica Brambila Silvia Regina E. Almeida Reginaldo Soares Damasceno

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Gil, Ângela Bernardes de Andrade Porta aberta para o mundo: ciências 3/ Ângela Bernardes de Andrade Gil, Olga Regina de Andrade Gil Santos, Sueli Fanizzi. – 1. ed. – São Paulo: FTD, 2019. ISBN 978-85-96-02323-8 (aluno) ISBN 978-85-96-02324-5 (professor) 1. Ciências (Ensino Fundamental) I. Santos, Olga Regina de Andrade Gil. II. Fanizzi, Sueli. III. Título. 19-25920

CDD-372.35 Índices para catálogo sistemático:

1. Ciências : Ensino Fundamental 372.35 Maria Alice Ferreira – Bibliotecária – CRB-8/7964 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Envidamos nossos melhores esforços para localizar e indicar adequadamente os créditos dos textos e imagens presentes nesta obra didática. No entanto, colocamo-nos à disposição para avaliação de eventuais irregularidades ou omissões de crédito e consequente correção nas próximas edições. As imagens e os textos constantes nesta obra que, eventualmente, reproduzam algum tipo de material de publicidade ou propaganda, ou a ele façam alusão, são aplicados para fins didáticos e não representam recomendação ou incentivo ao consumo. Reprodução proibida: Art. 184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. Todos os direitos reservados à EDITORA FTD. Produção gráfica

Avenida Antônio Bardella, 300 - 07220-020 GUARULHOS (SP) Fone: (11) 3545-8600 e Fax: (11) 2412-5375

2

D3-CIE-1085-V3-PIN-LA-M19.indd 2

D2-CIE-F1-1085-V3-PIN-MPE-M19.indd 2

Rua Rui Barbosa, 156 – Bela Vista – São Paulo – SP CEP 01326-010 – Tel. 0800 772 2300 Caixa Postal 65149 – CEP da Caixa Postal 01390-970 www.ftd.com.br central.relacionamento@ftd.com.br

www.twosides.org.br

5/23/19 13:55

5/29/19 15:36

D3-CIE-1


/19 13:55

APRESENTAÇÃO OLÁ, QUERIDO(A) ALUNO(A)! PREPARAMOS ESTA COLEÇÃO COM MUITO CARINHO PARA ABRIR AS PORTAS DO UNIVERSO CIENTÍFICO A VOCÊ E SEUS COLEGAS. APRENDER CIÊNCIAS SIGNIFICA OBSERVAR, PESQUISAR E INVESTIGAR, COM ATENÇÃO, QUESTÕES QUE ENVOLVEM OS FENÔMENOS DA NATUREZA E OS SERES VIVOS EM CONSTANTE RELAÇÃO COM O AMBIENTE. DESSA FORMA, REFLETIR E DISCUTIR SOBRE ESSAS QUESTÕES, FAZER EXPERIMENTOS, TESTAR E COMPROVAR HIPÓTESES SERÃO AÇÕES IMPORTANTES PARA A SUA APRENDIZAGEM.

DANIEL BOGNI

UM ABRAÇO, ÂNGELA, OLGA E SUELI

D3-CIE-1085-V3-PIN-LA-M19.indd 3

D2-CIE-F1-1085-V3-PIN-MPE-M19.indd 3

13/05/19 18:58

3

5/29/19 15:36


CONHEÇA CONHEÇA SEU SEU LLIIVRO VRO VOCÊ CONHECE A

TARTARUGA-DE-PENTE? ELA É UM ANIMAL QUE VIVE NA ÁGUA. CABEÇA ALONGADA

A TARTARUGA-DE-PENTE É UMA ESPÉCIE ENCONTRADA EM DIFERENTES AMBIENTES, DESDE MARES ATÉ LAGOAS.

BOCA EM FORMA DE BICO CURVO

CORPO COBERTO POR UM CASCO

4

D3-CIE-1085-V3-PIN-LA-M19.indd 4

D2-CIE-F1-1085-V3-PIN-MPE-M19.indd 4

FIQUE LIGADO, A TARTARUGA-DE-PENTE VAI APARECER EM DIFERENTES MOMENTOS E SER A SUA COMPANHEIRA EM MUITAS DESCOBERTAS!

OS MEMBROS ADAPTADOS PARA NATAÇÃO

É CONSIDERADA A MAIS TROPICAL DE TODAS AS TARTARUGAS-MARINHAS.

13/05/19 18:59

5/29/19 15:37

D3-CIE-1


/19 18:59

AGORA, VAMOS CONHECER A ORGANIZAÇÃO DO SEU LIVRO! UNIDADE

1. Pinte os quadrinhos com as cores correspondentes:

SERES HUMANOS E OS OUTROS ANIMAIS

criança. idoso. animal com penas. animal com pelos.

2. Você já passeou com algum

NA ABERTURA DE UNIDADE VOCÊ VAI EXPLORAR IMAGENS, TROCAR IDEIAS E RESOLVER DESAFIOS.

idoso? Conte como foi.

085-CIE-V3-U01-LA-F001 Grande (para página dupla de abertura de unidade). Foto de um grupo musical infantil nacional. Pode ser de uma apresentação ou cena de um clipe. O grupo deve tocar instrumentos musicais e os instrumentos devem estar bem visíveis. É importante que apareçam, pelo menos, 3 instrumentos bem visíveis, sem pessoas ou objetos na frente dos instrumentos. Sugestões: Grupo Triii, Banda Trupicada, Tiquequê, Strombolica, Palavra Cantada, Música de Brinquedo (álbum infantil do Pato Fu), Grupo Parampampam, Banda Estralo. AVM imagem deve ter informação completa (local e data da VD apresentação ou identificação do clipe).

AM

PHOTO 12 / ALAMY / FOTOARENA / EDITORIA DE ARTE

Resposta pessoal.

AZ

VM

Cena do filme Up – Altas Aventuras. Direção: Pete Docter e Bob Peterson. Pixar. Estados Unidos, . VM

44

QUARENTA E QUATRO

QUARENTA E CINCO

D3-CIE-F1-1085-V3-U03-LA-M19.indd 44

14/05/19 15:07

D3-CIE-F1-1085-V3-U03-LA-M19.indd 45

COMO O SOLO É FORMADO

45

5/15/19 18:38

V A M O S

R E C OR D A R ? ZIRALDO

1. Observe a tirinha e responda.

porque, com o tempo, os solos passam por mudanças.

Os solos se formam a partir de rochas, em um processo que leva muitos anos para acontecer.

X

Que deve ter música na festa. Que não deve ter música durante a festa. Que uma caixa de som deve rolar pela escada.

b) O que representam as palavras que aparecem no último quadrinho? Elas representam o som emitido pela caixa que rola pela escada.

2. Destaque os adesivos da página 209 e cole-os nos espaços correspondentes ao tipo de instrumento.

Adesivo do trompete ou saxofone.

Adesivo do violino.

Praia com rochas em Morro de São Paulo, Cairu, Bahia, .

Instrumento de corda.

# SE LIGA Adesivo do trompete ou saxofone.

O solo e a vida, de Rosicler Martins Rodrigues, Editora Moderna. Esse livro pode ajudá-lo a aprender um pouco mais sobre a importância do solo para os seres vivos e sobre a necessidade de conservar esse recurso tão importante. NOVENTA E TRÊS

93

24

Instrumento de sopro.

Adesivo do tambor. Instrumento de percussão.

Instrumento de sopro.

VINTE E QUATRO

D3-CIE-F1-1085-V3-U01-LA-M19.indd 24

13/05/19 16:33

13/05/19 16:52

#SE LIGA P ORTA

VEJA AS DICAS DE LIVROS, SITES, VÍDEOS, MUSEUS E OUTROS.

DESCUBRA O QUE SIGNIFICAM OS ÍCONES QUE APARECEM NO SEU LIVRO: ATIVIDADE EM DUPLA.

ATIVIDADE ORAL.

ATIVIDADE EM GRUPO.

ATIVIDADE OU CONTEÚDO QUE ENVOLVE USO DE TECNOLOGIA.

Música indígena

PORTA PARA LEITURA E ESCRITA ABRA ESSA PORTA E DESCUBRA COMO A LEITURA E A ESCRITA PODEM AMPLIAR SABERES.

BATEU DÚVIDA SOBRE ALGUMA PALAVRA? O SIGNIFICADO PODE ESTAR NO GLOSSÁRIO.

Faça a leitura compartilhada do texto que explica a importância da música para os povos indígenas.

A floresta também canta [...] A música indígena é transmitida dos mais velhos para as crianças de forma oral. Ela pode estar ligada a momentos especiais, como festas, rituais, narrativas míticas e também ao dia a dia da aldeia! Os povos também cantam para brincar, caçar, pescar e construir as suas malocas. Os cantos e sons indígenas têm o poder de mexer com a gente, transmitindo emoções, ideias e outra percepção de mundo. Os indígenas tocam seus instrumentos com diferentes técnicas, algumas delas muito difíceis de serem reproduzidas por nós. MIRIM POVOS INDÍGENAS DO BRASIL. A floresta também canta. Disponível em: <https://mirim.org/floresta-tambem-canta>. Acesso em: 27 fev. 2019.

Malocas: moradias típicas das culturas indígenas.

Criança indígena da etnia Sateré-Mawé tocando buzina de taquara, Aldeia Inhaã-Bé, Igarapé do Tiú, Floresta Amazônica, Manaus, Amazonas, .

1. Circule no texto os momentos em que a música indígena está presente.

Os alunos devem circular: festas, rituais, narrativas míticas, brincar, caçar, pescar e construir as suas malocas. Também pode ser circulados “momentos especiais” e “dia a dia da aldeia”. QUINZE

D3-CIE-F1-1085-V3-U01-LA-M19.indd 15

D2-CIE-F1-1085-V3-PIN-MPE-M19.indd 5

SCRITA UR A E E LEIT

FABIO COLOMBINI

ÍCONES

A PAR

NATYKACH NATALIIA/SHUTTERSTOCK.COM; PERSONAGENS: MASCOTERIA

D3-CIE-F1-1085-V3-U05-LA-M19.indd 93

D3-CIE-1085-V3-PIN-LA-M19.indd 5

É HORA DE REVER OS PRINCIPAIS ASSUNTOS DA UNIDADE.

a) O que o Menino Maluquinho quis dizer com “tem que rolar um som”?

O QUE VOCÊ TEM PARA CONTAR? COMPARTILHE O QUE VOCÊ SABE, PENSA OU VIVEU.

VAMOS RECORDAR?

• Será que há milhões de anos o solo desta praia já era como vemos na fotografia? Há milhões de anos o solo desta região devia ser diferente

WAGNER TAVARES/PULSAR IMAGENS

EM CADA CAPÍTULO VOCÊ VAI APRENDER COM OS DIFERENTES CAMINHOS DAS CIÊNCIAS!

O QUE VOCÊ TEM PARA CONTAR?

15

13/05/19 16:33

5/15/19 20:29

5

5/29/19 15:37


AGORA É A SUA VEZ!

As garrafas serão cortadas pelo professor.

• 2 copos transparentes feitos com a parte inferior de garrafas PET • 2 funis de plástico feitos com a parte superior das garrafas PET

AS NOVIDADES EM CIÊNCIAS, DESCOBERTAS E INOVAÇÕES CIENTÍFICAS SÃO APRESENTADAS NESTA SEÇÃO.

Microfotografia nada mais é que usar lentes poderosas para flagrar coisas que passam invisíveis até ao olhar mais atento. Células, micróbios, ou os detalhes da ponta da pata de um inseto, por exemplo, são pequenos demais para darem as caras longe de um microscópio, mas escondem uma beleza ímpar. [...] Tudo é possível graças ao auxílio de equipamentos superpotentes, como lentes especiais e técnicas como empilhamento de foco, reflexão de luz e fluorescência. [...]

Primeira etapa Material

AVANÇOS DA CIÊNCIA

Microfotografia do solo O estudo do solo é importante para avaliar sua fertilidade para o cultivo de plantas, por exemplo. Uma das maneiras de analisar a composição do solo é por meio de micrografias. O texto a seguir descreve o que são e como são feitas.

Guilherme Eler. 10 fotos microscópicas que mostram o mundo visto (bem) de perto. Superinteressante. Disponível em: <https://super.abril.com.br/ciencia/ 10-fotos-microscopicas-que-mostram-o-mundo-visto-bem-de-perto/>. Acesso em: 21 fev. 2019.

• 2 filtros de papel • 2 amostras de solo (um arenoso e outro argiloso)

BLUECRAYOLA/SHUTTERSTOCK.COM

AQUI VOCÊ VAI REALIZAR ATIVIDADES PRÁTICAS E EXPERIMENTOS.

Permeabilidade dos solos A água pode atravessar um solo com maior ou menor facilidade dependendo das partículas que o compõem. Há solos que retêm mais água – são pouco permeáveis. E há solos mais permeáveis – a água flui melhor por eles. Neste experimento, vamos comparar a passagem da água em dois tipos de solos.

ESTÚDIO LAB307

AGORA É A SUA VEZ!

• 2 copos com água até a metade • Tiras de fita-crepe ou etiquetas • 2 cronômetros • Régua

Imagem de grãos de areia obtida por meio de um equipamento de fotomicrografia. 100 CEM

102 CENTO E DOIS

D3-CIE-F1-1085-V3-U05-LA-M19.indd 100

TA P OR

PORTA PARA A CIDADANIA

D3-CIE-F1-1085-V3-U05-LA-M19.indd 102

13/05/19 16:53

A PARA

CIDADA

NIA Os proprietários da fazenda buscaram ajuda para recuperar a área desmatada do terreno e plantaram mudas de diversas espécies vegetais. Em dez anos, a paisagem mudou drasticamente: as árvores cresceram, muitos animais voltaram a habitar a área e as nascentes dos rios ressurgiram.

De muda em muda se faz uma nova paisagem Observe as fotografias que mostram a Fazenda Bulcão em dois momentos.

1. Após a plantação das mudas, quais elementos naturais ressurgiram no local? Os animais e as nascentes dos rios.

ARQUIVO INSTITUTO TERRA

PODEMOS TRANSFORMAR A VIDA EM SOCIEDADE POR AÇÕES DE CIDADANIA.

13/05/19 16:53

2. Em grupo, discutam formas de como ajudar a preservar o meio ambiente por meio do plantio de árvores. Depois, em uma folha avulsa, produzam um texto com as principais dicas do grupo. Resposta do grupo.

FIQUE SABENDO #VOCÊ SABIA?

Dispersão sem sementes

1085-CIE-V3-U04-LA-F033

MA

NG

RO

VE T

R E E/S

H U T TE R STO C K.

COM

EDSON SATO/PULSAR IMAGENS

ARQUIVO INSTITUTO TERRA

Fotografia da Fazenda Bulcão em Aimorés, Minas Gerais, .

NEARBIRDS/SHUTTERSTOCK.COM

Algumas plantas não produzem sementes e sua dispersão ocorre de outras formas. Por exemplo, as samambaias em fase reprodutiva apresentam pequenos pontos escuros na parte inferior das suas folhas. Esses pontos contêm esporos, que são pequenas estruturas reprodutivas. Ao cair no solo, os esporos podem formar novas plantas. É importante salientar que os esporos não são pequenas sementes, como muitas pessoas imaginam.

60 cm

Folhas de samambaia.

Detalhe da parte inferior de uma samambaia, mostrando os esporos, que são as estruturas reprodutivas.

Fotografia da mesma fazenda em . 84

OITENTA E QUATRO

OITENTA E CINCO

D3-CIE-F1-1085-V3-U04-LA-M19.indd 84

13/05/19 16:37

D3-CIE-F1-1085-V3-U04-LA-M19.indd 85

85

5/15/19 19:05

#VOCÊ SABIA? QUER SABER MAIS SOBRE ALGUM ASSUNTO ESTUDADO? VEJA AQUI!

UNIDADE

DE TUDO UM POUCO Centro de reciclagem.

DE TUDO UM POUCO NA ÚLTIMA UNIDADE, VOCÊ COLOCARÁ EM PRÁTICA UM POUCO DE TUDO O QUE CONHECEU.

Planetário. Observatório.

MATERIAL COMPLEMENTAR NO FINAL DO LIVRO, VOCÊ VAI ENCONTRAR PEÇAS DESTACÁVEIS E ADESIVOS PARA USAR NAS ATIVIDADES.

172 CENTO E SETENTA E DOIS

D3-CIE-F1-1085-V3-U09-LA-M19.indd 172

6

D3-CIE-1085-V3-PIN-LA-M19.indd 6

D2-CIE-F1-1085-V3-PIN-MPE-M19.indd 6

5/15/19 19:39

5/15/19 20:29

5/29/19 15:37

D3-CIE-1


/19 20:29

UNIDA D E

1

No Sumário, o fio tracejado que acompanha as imagens é uma sugestão de organização bimestral dos conteúdos. A Matriz articuladora do Manual do professor traz mais sugestões para o planejamento específico por bimestre e por trimestre.

PERCEBENDO OS SONS DO AMBIENTE | 10

1. OS SONS À NOSSA VOLTA .......................................................................................................................

O som dos instrumentos..................................................................................................................................... PORTA PARA LEITURA E ESCRITA • Música indígena ................................................................. AGORA É A SUA VEZ! • Objetos que vibram! ........................................................................................ A voz .............................................................................................................................................................................

2. A AUDIÇÃO E O SOM ...................................................................................................................................

Saúde auditiva .........................................................................................................................................................

VAMOS RECORDAR? ............................................................................................................................................. UNIDA D E

2

12 13

15 18 20

21 23

24

PERCEBENDO A LUZ | 26

1. A LUZ E OS OBJETOS ...................................................................................................................................

28

2. A LUZ E A SOMBRA ........................................................................................................................................ 3. A LUZ E AS CORES .........................................................................................................................................

33

Objetos opacos, transparentes e translúcidos ...................................................................................... Espelhos e a reflexão da luz..............................................................................................................................

AGORA É A SUA VEZ! • Decompondo a luz ...........................................................................................

4. A LUZ E A VISÃO ..............................................................................................................................................

30 31

34 36 37

Como enxergamos ................................................................................................................................................ Saúde visual ............................................................................................................................................................. PORTA PARA A CIDADANIA • Alguns cuidados com a visão ....................................................... AVANÇOS DA CIÊNCIA • Tecnologias e as deficiências visuais ...................................................

40 42

VAMOS RECORDAR? .............................................................................................................................................

43

UNIDA D E

3

38 39

SERES HUMANOS E OS OUTROS ANIMAIS | 44

1. A DIVERSIDADE DE ANIMAIS...............................................................................................................

46

2. AGRUPANDO OS ANIMAIS......................................................................................................................

52

3. ANIMAIS: NASCIMENTO E DESENVOLVIMENTO................................................................

59

Locomoção................................................................................................................................................................ Alimentação .............................................................................................................................................................. Cobertura do corpo .............................................................................................................................................. Animais vertebrados e animais invertebrados ........................................................................................

Fases da vida dos animais ................................................................................................................................... Fases da vida do ser humano ............................................................................................................................ PORTA PARA LEITURA E ESCRITA • Como as crianças indígenas aprendem? ................... VAMOS RECORDAR? .............................................................................................................................................

D3-CIE-1085-V3-PIN-LA-M19.indd 7

D2-CIE-F1-1085-V3-PIN-MPE-M19.indd 7

47 48 49 54

61 64

68 70

5/16/19 13:36

7

5/29/19 15:38


UNIDA D E

4

É PÉ DE QUÊ? | 72

1. PARTES DAS PLANTAS ................................................................................................................................ 2. GERMINAÇÃO DAS SEMENTES ...........................................................................................................

PORTA PARA LEITURA E ESCRITA • A cultura de cuidado com a natureza ........................ 3. DISPERSÃO DAS SEMENTES ................................................................................................................. PORTA PARA A CIDADANIA • De muda em muda se faz uma nova paisagem........................

74 77 79 81 84

VAMOS RECORDAR? .............................................................................................................................................

86

UNIDA D E

5

QUE CHÃO É ESSE? | 88

1. O QUE É O SOLO?............................................................................................................................................ 2. COMO O SOLO É FORMADO ..................................................................................................................

90 93

PORTA PARA LEITURA E ESCRITA • Chapada dos Guimarães já esteve debaixo 96 d’água: mito ou verdade? ............................................... Classificação dos solos ....................................................................................................................................... 98 AGORA É A SUA VEZ! • Permeabilidade dos solos ............................................................................. 100 AVANÇOS DA CIÊNCIA • Microfotografia do solo ............................................................................ 102 3. DIFERENTES USOS DO SOLO ............................................................................................................... 103 Plantação ................................................................................................................................................... 103 PORTA PARA A CIDADANIA • Dia Mundial do Solo................................................................................ 105 Extração de minérios e petróleo......................................................................................................... 106

VAMOS RECORDAR?.............................................................................................................................................. 110 UNIDA D E

6

SEM SOLO NÃO HÁ VIDA! | 112

1. O SOLO E OS SERES VIVOS .................................................................................................................... 2. DEGRADAÇÃO DO SOLO...........................................................................................................................

114 117 AGORA É A SUA VEZ! • Erosão do solo .......................................................................................................... 120 Os resíduos e o solo ................................................................................................................................ 122 PORTA PARA LEITURA E ESCRITA • O que é uma mineradora de ferro? ................................ 124

3. CONSERVAÇÃO DO SOLO........................................................................................................................

125 PORTA PARA A CIDADANIA • Dia Nacional da Conservação do Solo........................................... 129

VAMOS RECORDAR? ............................................................................................................................................. 130

8

D3-CIE-1085-V3-PIN-LA-M19.indd 8

D2-CIE-F1-1085-V3-PIN-MPE-M19.indd 8

5/15/19 18:05

5/29/19 15:38

D3-CIE-1


/19 18:05

UNIDA D E

7

PLANETA TERRA, NOSSA CASA! | 132

1. O FORMATO E A SUPERFÍCIE DA TERRA .................................................................................... Representando a Terra ........................................................................................................................................

2. A ÁGUA NO PLANETA TERRA.................................................................................................................

134 135

139 PORTA PARA A CIDADANIA • A valiosa água potável..................................................................... 142 A água líquida ........................................................................................................................................................... 143 Água sólida ................................................................................................................................................................ 144 Vapor............................................................................................................................................................................. 144 3. A CAMADA DE AR QUE ENVOLVE A TERRA ............................................................................... 146 AGORA É A SUA VEZ! • Percebendo a existência do ar ........................................................................... 148 VAMOS RECORDAR?.............................................................................................................................................. 150 UNIDA D E

8

OLHANDO PARA O CÉU | 152

1. O CÉU .........................................................................................................................................................................

154

2. OS ASTROS NO CÉU ......................................................................................................................................

156

Céu diurno ................................................................................................................................................................. Céu noturno .............................................................................................................................................................. Estrelas ....................................................................................................................................................... Planetas ...................................................................................................................................................... Satélites naturais.....................................................................................................................................

3. COMO SURGEM O DIA E A NOITE? ..................................................................................................

154 155

158 160 162

164 PORTA PARA LEITURA E ESCRITA • A dança dos astros .................................................................. 166 4. SERES VIVOS DO DIA E DA NOITE ................................................................................................... 168 Seres de hábitos diurnos ....................................................................................................................... Seres de hábitos noturnos....................................................................................................................

168 169

VAMOS RECORDAR? .......................................................................................................................................... 170 UNIDA D E

9

DE TUDO UM POUCO | 172

REFERÊNCIAS .......................................................................................................................................................................... 191 MATERIAL COMPLEMENTAR....................................................................................................................................... 193 A última unidade deste volume é de revisão de conteúdos e pode ser trabalhada em conjunto com outras unidades, conforme seu planejamento.

D3-CIE-1085-V3-PIN-LA-M19.indd 9

D2-CIE-F1-1085-V3-PIN-MPE-M19.indd 9

5/15/19 18:06

9

5/29/19 15:38


UNIDADE

Objetivos da Unidade • Estimular a percepção dos sons do ambiente.

PERCEBENDO OS SONS DO AMBIENTE

• Diferenciar o som produzido por diferentes tipos de instrumentos musicais. • Explicar a produção da voz e a audição. • Discutir os efeitos da poluição sonora. • Discutir como cuidar da saúde auditiva.

Conteúdos

Ukulele

• Sons naturais e sons produzidos pelo ser humano. • Tipos de instrumentos musicais. • A voz e as pregas vocais. • A audição e a orelha. • Saúde auditiva. • Poluição sonora. BNCC

Esta Unidade discute o som em nosso cotidiano. Ela estimula os alunos a perceberem os sons do ambiente, levando-os a diferenciar os sons naturais dos sons artificiais. São estudadas a música e a produção de sons por diferentes instrumentos musicais. É discutida a audição nos contextos da pessoa com deficiência auditiva e da poluição sonora, ressaltando os cuidados com a saúde auditiva. (EF03CI01) Produzir diferentes sons a partir da vibração de variados objetos e identificar variáveis que influem nesse fenômeno. (EF03CI03) Discutir hábitos necessários para a manutenção da saúde auditiva e visual considerando as condições do ambiente em termos de som e luz.

Berrante.

10

DEZ

D3-CIE-F1-1085-V3-U01-LA-M19.indd 10

13/05/19 16:33

Organize-se • Assadeira de metal, pote de vidro sem tampa, elástico, saco plástico fino, corante, colher de pau, colher pequena e copo com água – p. 18 e 19. • Revistas e jornais – p. 25.

10

D2-CIE-F1-1085-V3-U01-MPE-M19.indd 10

6/3/19 10:12

D3-CIE-F1


05/19 16:33

1. Nomeie cada instrumento

Auxiliando seu trabalho

usando os adesivos da página 209.

Explore com os alunos a imagem e os instrumentos representados. Questione se alguém sabe tocar algum instrumento musical. Proponha as seguintes perguntas: “Qual a diferença entre som e música?”, “E entre som e ruído?”, “Poderiam dar exemplos?”, “Quando um som se torna ruído?”. Dê um tempo para que respondam e ao final faça uma discussão sobre as hipóteses apresentadas pela turma observando que elas serão respondidas ao longo da Unidade.

2. Você conhece o nome desses

Pandeiro.

instrumentos e o som que eles emitem? emitem Resposta pessoal.

1. Peça aos alunos que destaquem os adesivos da página 209 e colem nas páginas de abertura. Verifique se eles têm alguma dificuldade para identificar e nomear cada um dos instrumentos mostrados e ajude-os.

EDITORIA DE ARTE

FOTOS: ÊNIO RODRIGUES

2. Esta atividade permite que você avalie o conhecimento prévio dos alunos sobre esses instrumentos musicais e o som que eles produzem.

Timba.

Francisca, Lourdes, Malu e João são idosos que participam de um grupo de musicalização e tocam diferentes instrumentos musicais. ONZE

D3-CIE-F1-1085-V3-U01-LA-M19.indd 11

11

13/05/19 16:33

Anotações

11

D2-CIE-F1-1085-V3-U01-MPE-M19.indd 11

5/29/19 15:46


Auxiliando seu trabalho

OS SONS À NOSSA VOLTA

Conduza a pergunta inicial em uma roda de conversa. Ela auxilia o aluno a perceber a relação de algumas sonoridades com suas experiências e memórias afetivas. Oriente os alunos a fazerem um desenho a esse respeito. Os relatos poderão ser feitos à turma por meio da apresentação e explicação dos desenhos. Deixe que eles exponham suas opiniões e vivências, estimulando a escuta e o respeito mútuo. Para que os alunos possam exercitar a percepção do ambiente atentando para a quantidade de sons que os cercam, peça que fechem os olhos por alguns minutos e identifiquem os sons do ambiente. Comente que a todo momento ouvimos diversos sons sem que prestemos atenção neles. Faça uma lista na lousa do que foi escutado pelos alunos e, com a turma, identifique os sons provenientes da natureza e os sons artificiais. Peça aos alunos que complementem esses grupos de sons. O canto dos pássaros, a voz humana, o trovão e o barulho da chuva são exemplos de sons da natureza. O som dos carros, do ventilador, da campainha e da música tocada no rádio são exemplos de sons artificiais.

O QUE VOCÊ TEM PARA CONTAR? • Quais os sons de que você mais gosta? Quais as sensações que esses sons provocam em você? Respostas pessoais. Estamos cercados de sons por todos os lados. Alguns nos acalmam e outros nos incomodam. Existem sons naturais do ambiente e sons gerados pelas atividades humanas.

1. Qual imagem apresenta uma situação de produção de som por atividade hu. LUIZSOUZA/SHUTTERSTOCK.COM

mana? Assinale com

ERNESTO REGHRAN/PULSAR IMAGENS

Ondas do mar em praia no Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, .

X

Máquinas em obras em Foz do Iguaçu, Paraná, . 12

DOZE

D3-CIE-F1-1085-V3-U01-LA-M19.indd 12

Atividade complementar Pergunte se o silêncio absoluto é possível e peça aos alunos que reflitam a respeito. Deixe que eles manifestem suas opiniões e comente sobre o experimento do compositor John Cage (1912-1992). Ele gostaria de saber qual seria a sensação de vivenciar o silêncio absoluto. Então, ele construiu uma câmara à prova de sons, ou seja, isolada acusticamente. Após alguns minutos dentro dessa câmara, Cage

13/05/19 16:33

podia escutar seus batimentos cardíacos, sua respiração, e, assim, ele chegou à conclusão de que o silêncio absoluto, para o ser humano, não existe. Peça aos alunos que tapem os ouvidos e fechem os olhos por alguns instantes, prestando atenção nos sons que eles conseguem escutar, mesmo de ouvidos tapados. Provavelmente eles escutarão as batidas do coração.

12

D2-CIE-F1-1085-V3-U01-MPE-M19.indd 12

6/3/19 10:13

D3-CIE-F1-


05/19 16:33

Auxiliando seu trabalho

O som dos instrumentos

Explique à turma a diferença entre som e música. O som é um fenômeno físico produzido pela vibração sonora e percebido por suas características, como timbre, altura (grave e agudo) e intensidade (forte e fraco). Para que ele seja considerado música, é preciso que tenha ritmo, harmonia e uma melodia. Leia o texto com a turma e discuta a importância e a presença da música em nossas vidas. Ela está presente nos mais diversos contextos, como casamentos, formaturas e aniversários, bem como em momentos do nosso dia a dia. Pergunte aos alunos se a música é capaz de alterar nosso humor. Ouça as respostas solicitando que eles deem exemplos. Explique aos alunos que a música está relacionada à nossa afetividade, a nossas emoções e nossa motivação e que ela tem o poder de comunicar uma mensagem mesmo sem o uso da palavra, por meio de uma comunicação não verbal.

JUNIOR CARECA / FOTOARENA

A música é uma arte que está presente na vida dos seres humanos em diferentes momentos. Existem cantigas de ninar, músicas para dançar, músicas que marcam eventos, músicas que acompanham as cenas dos filmes, por exemplo. A música pode ser cantada ou produzida por instrumentos musicais. Eles produzem sons de diferentes formas. O formato e o material do qual o instrumento é feito e a maneira como é tocado também influenciam no som emitido por ele.

Orquestra Petrobras Sinfônica, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, . Durante a apresentação de uma orquestra, é possível ouvir os sons de diferentes instrumentos musicais.

1. Ajude o aluno a expressar sua preferência musical, como samba, rock, sertanejo, entre outras. Talvez os alunos dessa faixa etária saibam apenas cantar a letra da canção preferida sem saber que tipo que é. Aceite todas as respostas que eles derem. Sobre orquestra, consulte o site <http://livro.pro/ ep7b2r>. Acesso em: 7 maio 2019.

1. Qual é o tipo de música de que você mais gosta? Resposta pessoal.

2. Você ou alguém da sua família toca algum instrumento Resposta pessoal.

ÊNIO RODRIGUES

musical? Qual?

Leda,  anos, aprendeu a tocar pandeiro em aulas de musicalização. TREZE

D3-CIE-F1-1085-V3-U01-LA-M19.indd 13

13

2. No caso de algum aluno não tocar e não conhecer ninguém que toque algum instrumento musical, peça a ele que pense em qual instrumento ele gostaria de tocar.

13/05/19 16:33

Anotações

13

D2-CIE-F1-1085-V3-U01-MPE-M19.indd 13

6/3/19 10:15


Auxiliando seu trabalho

3. Observe a imagem da página anterior e cite alguns

3. Explique aos alunos que em uma orquestra há diferentes grupos de instrumentos tocando juntos e uma quantidade expressiva de músicos — variando de 80 a 100 instrumentistas. Ela possui um maestro para dar ritmo e sincronia ao grupo e uma posição definida para os grupos de instrumentos e músicos visando o melhor aproveitamento acústico dos instrumentos. O primeiro violonista, também um elemento da orquestra que pode ser destacado aos alunos, fica sempre à esquerda do maestro e o auxilia repassando informações aos demais instrumentistas. Se achar oportuno, apresente à turma o maestro e compositor brasileiro Heitor Villa-Lobos.

exemplos de instrumentos utilizados em uma orquestra.

ÊNIO RODRIGUES

Espera-se que os alunos citem instrumentos como: violino, violoncelo, bateria, flauta etc.

4. Circule o nome do instrumento que produz som com

Valdenete,  anos, tocando gaita, um instrumento de sopro.

IASH

A/SH

Sugestão para o professor

AG C U

UT TE

RSTO

ESTA/S

CK.CO

HUT T

M

ERSTO

CK.CO

M

o ar soprado pelo instrumentista.

Violino

SASHK

IN/SH

UTTER

STOCK .C

OM

Saxofone

AYZEK/SHUTTERSTOCK.COM

Vídeo • HEITOR Villa-Lobos: compositor e educador brasileiro. Produzido por TV Escola. Brasil, 2011. Disponível em: <http://livro.pro/a9u64t>. Acesso em: 29 mar. 2019. Neste vídeo há informações sobre a vida do compositor Heitor Villa-Lobos e a importância dela para a educação musical em escolas públicas.

Ta m b o r 14

Tr o m p e t e

CATORZE

D3-CIE-F1-1085-V3-U01-LA-M19.indd 14

Atividade complementar Conte passagens da biografia de Heitor Villa-Lobos (1887-1959) aos alunos e apresente-os a uma de suas obras mais famosas: Trenzinho caipira. Ela se caracteriza por imitar o som de uma locomotiva com os instrumentos da orquestra. Comente que anos depois essa melodia recebeu uma letra (composta por Ferreira Gullar) e com isso surgiram versões populares de vários intérpretes da música

13/05/19 16:33

brasileira. Se possível, apresente essa obra aos alunos por meio do vídeo disponível em: <http://livro. pro/h72ukh> (acesso em: 21 mar. 2019) para que eles possam visualizar os diversos instrumentos musicais e o arranjo de uma orquestra. Oriente os alunos para que durante o vídeo eles tentem identificar e individualizar os sons dos instrumentos que compõem essa obra.

14

D2-CIE-F1-1085-V3-U01-MPE-M19.indd 14

6/3/19 10:20

D3-CIE-F1


05/19 16:33

RA A A E ESCRITA R P U T A I P ORT LE

Auxiliando seu trabalho Porta para leitura e escrita

Utilize o texto para apresentar um aspecto do universo da cultura indígena aos alunos: a relação com a música. Faça a leitura do texto com a turma. Reforce o conceito da palavra maloca e explique o significado do termo “narrativas míticas” presente no texto: são histórias criadas por diversos povos para explicar sua origem, o modo como veem o mundo e os fenômenos naturais, geralmente passadas oralmente de uma geração a outra, dos mais velhos aos mais novos do grupo. Converse com os alunos sobre o tema desta seção, avaliando se algum deles conhece ou já teve contato com alguma música indígena.

Música indígena Faça a leitura compartilhada do texto que explica a importância da música para os povos indígenas.

A floresta também canta [...] A música indígena é transmitida dos mais velhos para as crianças de forma oral. Ela pode estar ligada a momentos especiais, como festas, rituais, narrativas míticas e também ao dia a dia da aldeia! Os povos também cantam para brincar, caçar, pescar e construir as suas malocas. Os cantos e sons indígenas têm o poder de mexer com a gente, transmitindo emoções, ideias e outra percepção de mundo. Os indígenas tocam seus instrumentos com diferentes técnicas, algumas delas muito difíceis de serem reproduzidas por nós. MIRIM POVOS INDÍGENAS DO BRASIL. A floresta também canta. Disponível em: <https://mirim.org/floresta-tambem-canta>. Acesso em: 27 fev. 2019.

Sugestão para o aluno FABIO COLOMBINI

Objeto digital O aprendiz de pajé

Descrição: Os personagens Rabeca e Cavaquinho contam a história do índio Raoni, que aos seis anos entrou em uma escola para virar pajé, como seu tio. (Amazônia)

Malocas: moradias típicas das culturas indígenas.

Criança indígena da etnia Sateré-Mawé tocando buzina de taquara, Aldeia Inhaã-Bé, Igarapé do Tiú, Floresta Amazônica, Manaus, Amazonas, .

1. Circule no texto os momentos em que a música indígena está presente.

Os alunos devem circular: festas, rituais, narrativas míticas, brincar, caçar, pescar e construir as suas malocas. Também pode ser circulados “momentos especiais” e “dia a dia da aldeia”. QUINZE

D3-CIE-F1-1085-V3-U01-LA-M19.indd 15

Atividade complementar Para ampliar a discussão sobre a música indígena, compartilhe com os alunos um pouco da história do povo Guarani e sua relação com a música. O site a seguir traz informações e cânticos dessa etnia para serem compartilhados e discutidos com os alunos.

15

13/05/19 16:33

• O CÂNTICO das crianças. Fundação Nacional do Índio (Funai). Disponível em: <http:// livro.pro/9itvv9>. Acesso em: 29 mar. 2019. Oriente os alunos a perceberem os diferentes sons, instrumentos musicais e vozes presentes nos cânticos. Pergunte a eles se os instrumentos usados são de corda, percussão ou sopro e se as vozes que entoam os cânticos são de

pessoas adultas ou crianças. Observe o predomínio de instrumentos de sopro e percussão. Comente com os alunos que em muitos cânticos é possível observar que o próprio corpo do indígena é usado como instrumento musical, estimulando-os a perceber como a batida dos pés no chão, por exemplo, ajuda a marcar o ritmo do cântico e a melodia dos instrumentos.

15

D2-CIE-F1-1085-V3-U01-MPE-M19.indd 15

6/3/19 10:39


Auxiliando seu trabalho

Tipos de instrumentos musicais Os instrumentos de corda têm como princípio a vibração de cordas para produzir sons.

VIKTORIA KAZAKOVA/SHUTTERSTOCK.COM

Alguns instrumentos de corda são: violão, violino, harpa, violoncelo e guitarra.

SVITLANA VARFOLOMIEIEVA/SHUTTERSTOCK.COM

Nos instrumentos de sopro, o som é produzido pela vibração de uma coluna de ar, que é soprada por quem toca.

EDITORIA DE ARTE

Os sons são vibrações que precisam de um meio material para se propagar, como o ar, a água ou até uma parede. Os instrumentos musicais produzem vibrações que são propagadas pelo ar. Quando essas vibrações atingem nossas orelhas, escutamos os sons. Podemos agrupar os instrumentos musicais pela maneira como eles produzem os sons. Para ampliar a discussão sobre os tipos de instrumentos, trabalhe o piano com os alunos. Explique a eles que o piano é um instrumento de cordas, podendo também ser classificado como instrumento de percussão, já que o som é produzido quando as peças de madeira batem nas cordas. As cordas ficam esticadas e presas em uma estrutura de madeira ou metal. As teclas brancas e pretas do piano comandam os martelos que tocam essas cordas. Para explorar o som do piano e de alguns outros instrumentos, assista com a turma ao vídeo de The Piano Guys tocando a canção What makes you beautiful, de One Direction, disponível em: <http://livro.pro/yjydq3> (acesso em: 29 mar. 2019). Ele demonstra como se pode fazer música em um piano de forma bastante inusitada, utilizando-o como um instrumento de cordas e percussão ao mesmo tempo. Nas conversas sobre o vídeo, pergunte aos alunos quais sons de instrumentos os músicos produziram utilizando apenas o piano. No vídeo é possível escutar o som de violoncelo, baixo, tambor, piano e harpa.

Alguns instrumentos de sopro são: saxofone, tuba, clarinete, trompa e trompete. 16

DEZESSEIS

D3-CIE-F1-1085-V3-U01-LA-M19.indd 16

Atividade complementar Construir instrumentos musicais utilizando materiais recicláveis é uma forma de aprender sobre os sons de alguns instrumentos e, ainda, de estimular a sustentabilidade. Acesse o Confira o passo a passo para fazer instrumentos musicais reciclados no site disponível em: <http://livro.pro/p87jdb> (acesso em: 29 mar. 2019) e confeccione com os alunos os instrumentos propostos. Posteriormente,

5/15/19 18:19

proporcione um momento em que possam experimentar as possibilidades sonoras de cada instrumento construído e explique a eles que todos os três são instrumentos de percussão, apesar de produzirem sons muito diferentes.

16

D2-CIE-F1-1085-V3-U01-MPE-M19.indd 16

6/3/19 10:42

D3-CIE-F1


15/19 18:19

Atividade complementar

Nos instrumentos de percussão, o som é obtido por meio de percussão, batidas, raspagem, agitação com a mão ou com baquetas que tocam em objetos diversos. Essas ações fazem com que o ar vibre, produzindo som.

VIKTORIA KAZAKOVA/SHUTTERSTOCK.COM

Para aproximar os alunos de um instrumento de percussão, proponha uma oficina para a construção de um pau de chuva, instrumento de origem indígena cujo som se assemelha ao barulho da chuva. Seguir o passo a passo apresentado no texto Como fazer pau de chuva, disponível em: <http:// livro.pro/o7pg49> (acesso em: 29 mar. 2019). O pau de chuva é muito usado por povos indígenas, principalmente em rituais de cura, e acabou sendo incorporado ao instrumental da música popular brasileira (MPB). Para conhecer seu uso na música brasileira, buscar por vídeos e shows musicais de Naná Vasconcelos, grande músico brasileiro, eleito por oito vezes o maior percussionista do mundo. Em suas apresentações é possível observar o uso de diversos instrumentos de percussão.

A bateria, o xilofone, os tambores, as castanholas, o afoxé e os maracás são instrumentos de percussão.

1. Você já viu ou tocou algum instrumento de corda, sopro ou percussão? Quais? Respostas pessoais.

Sugestão para o aluno Leitura • IACOCCA, Michele; MICHELINI, Carolina. Soltando o som. São Paulo: Moderna, 2015. O livro desperta a consciência sonora das crianças, seja mostrando como os antigos povos lidavam com os sons e a simbologia da música, seja tratando do surgimento dos instrumentos, das composições musicais e dos grandes compositores, como Beethoven e Mozart.

# SE LIGA Orquestra – uma introdução para crianças,, de Robert Levine, tradução de Luciano Vieira Machado, Editora Panda Books. Esse livro apresenta as características de diversos instrumentos tocados em uma orquestra. Durante a leitura, também é possível ouvir diversas músicas executadas por uma orquestra que estão no CD que acompanha o livro. Apesar de a ABNT determinar outra regra, optamos por usar a ordem direta do nome dos autores nas referências desta obra para apoiar o processo de leitura do aluno nos DEZESSETE anos iniciais do Ensino Fundamental, que está em processo de letramento e alfabetização.

D3-CIE-F1-1085-V3-U01-LA-M19.indd 17

17

5/15/19 18:20

Anotações

17

D2-CIE-F1-1085-V3-U01-MPE-M19.indd 17

5/29/19 15:46


AGORA É A SUA VEZ!

Auxiliando seu trabalho Agora é a sua vez!

Leia o texto com os alunos. Explique à turma que tudo que emite som vibra e que isso também ocorre quando falamos ou cantamos. Para que eles sintam essa vibração ao falar, peça que coloquem uma das mãos na base do pescoço e pronunciem as vogais. Explique a eles que isso ocorre porque o som se propaga por meio de vibrações. Diga que esse processo é semelhante ao que ocorre quando se joga uma pedra na água: a pedra seria a fonte de som e as ondas produzidas por ela na água seriam correspondentes às ondas sonoras. Comente que nos dois casos as ondas se propagam para longe da pedra/ fonte do som. No caso do som, nós só o escutamos quando as ondas propagadas atingem as nossas orelhas. Para ampliar a discussão, explique aos alunos que os animais também vocalizam para que possam se comunicar sinalizando situações de perigo, para atração de parceiros reprodutivos, delimitação de território, entre outros motivos. Os textos sugeridos a seguir trazem mais informações a respeito.

Objetos que vibram! Você já sentiu, em locais em que o som está muito alto, os objetos vibrarem?

Material • • • • • • • •

Assadeira de metal Pote de vidro sem tampa Elástico Saco plástico fino Corante Colher de pau Colher de sobremesa Copo com água

Como fazer 1

Feche o pote de vidro com um pedaço do saco plástico.

ILUSTRAÇÕES: PETERSON MAZZOCO

2 Deixe o plástico bem esticado e prenda-o com o elástico. CORES-FANTASIA

FORA DE ESCALA

Sugestões para o professor Leituras • ARAGUAIA, Mariana. Comunicação em anfíbios anuros (sapos, rãs e pererecas). Mundo Educação. Disponível em: <http://livro.pro/ x6q62o>. Acesso em: 29 mar. 2019. • WRIGHT, Loisa. Estudo revela que golfinhos usam nomes para se comunicar. WD Brasil, 2018. Disponível em: <http://livro.pro/zgb8mw>. Acesso em: 29 mar. 2019.

18

DEZOITO

D3-CIE-F1-1085-V3-U01-LA-M19.indd 18

Atividade complementar Aproveite para verificar se os alunos conhecem os nomes mais comuns da vocalização dos animais. Pergunte a eles qual o nome que damos à vocalização de animais como gato, cachorro, cavalo, vaca, serpente, onça, leão, ovelha, sapo etc. Esta atividade pode ser feita por meio de uma brincadeira com a turma. Segue lista das respostas: o gato mia,

13/05/19 16:33

o cachorro late, o cavalo relincha, a vaca muge, a serpente sibila, a onça esturra, o leão ruge, a ovelha bale (advindo do balido) e o sapo coaxa.

18

D2-CIE-F1-1085-V3-U01-MPE-M19.indd 18

6/3/19 10:44

D3-CIE-F1


05/19 16:33

Auxiliando seu trabalho

3 No copo com água, misture o corante.

Faça a montagem do experimento com os alunos. Organize grupos para realizar as discussões e o registro dos resultados na ficha de registro da página 193. Se achar oportuno, providencie materiais em quantidade suficiente para que os experimentos possam ser realizados em cada grupo, pelos próprios alunos. Durante a montagem avise a turma que o plástico que será fixado na tampa do pote de vidro tem de estar muito bem esticado para que vibre com a onda sonora. Finalizado o experimento, peça aos alunos que, em seus grupos, discutam o resultado observado e os motivos que o explicam — “Por que o som da batida da colher na assadeira fez o líquido vibrar?”. Peça aos alunos que redijam o resultado e uma possível explicação para esse fenômeno. Solicite que cada grupo apresente suas anotações à turma visando uma discussão coletiva. Aproveite esse momento para corrigir a redação dos alunos sobre os resultados observados e a explicação do fenômeno.

ILUSTRAÇÕES: PETERSON MAZZOCO

4 Com a colher de sobremesa, coloque um pouco da água colorida em cima do plástico no pote de vidro, tomando cuidado para não derramar.

5 Segure a assadeira de metal perto do pote.

Refletir e avaliar

• O que você acha que vai acontecer quando bater na assadeira de metal Neste momento, oriente os com a colher de pau, provocando um barulho bem alto? alunos a levantar hipóteses 6 Bata na assadeira com a colher de pau e observe.

sobre os resultados do experimento e a registrá-las.

• Faça seu registro sobre a atividade na ficha de registro da página 193.

DEZENOVE

D3-CIE-F1-1085-V3-U01-LA-M19.indd 19

Resultado observado: ao batermos com a colher na assadeira de metal, o líquido com o corante se movimenta sobre o plástico. Comente que, em um relatório de pesquisa, esse momento serve apenas para descrever o que foi observado, sem que se faça qualquer tipo de julgamento ou tentativa de explicação.

Preencher a ficha de autoavaliação é um momento importante para que os alunos reflitam sobre o aprendizado durante a atividade proposta. A ficha pode compor o portfólio do aluno ou ainda ser enviada aos pais e responsáveis para acompanhamento conjunto.

19

13/05/19 16:33

Discussão e explicação dos resultados: quando a colher bate na assadeira, ela gera uma vibração sonora que se propaga pelo ar e chega até o experimento provocando a vibração do plástico. Como essa vibração gera a sua movimentação, o líquido que está em sua superfície também se movimenta.

19

D2-CIE-F1-1085-V3-U01-MPE-M19.indd 19

5/29/19 15:47


Auxiliando seu trabalho

A voz

Explique aos alunos que a onda sonora precisa de um meio para se propagar que pode ser sólido, líquido ou gasoso (o ar, por exemplo). Com isso você pode perguntar aos alunos se o som consegue se propagar fora do planeta Terra, no espaço. Escute as opiniões da turma e pergunte se eles já viram filmes de guerras espaciais com barulhos de tiros e explosão no espaço. Explique a eles que no espaço o som não se propaga e, por isso, se nele houver uma explosão, por exemplo, não haverá nenhum tipo de propagação do som e essa explosão será silenciosa.

O ser humano é capaz de falar, cantar, rir, chorar, ou seja, pode se expressar por meio de sons. Algumas estruturas, como os pulmões, a laringe, as pregas vocais, a língua, a boca, o nariz e os dentes são essenciais nesse processo.

ALAMY / FOTOARENA

Laringe: órgão situado na região do pescoço, onde se localizam as pregas vocais. Pregas vocais: duas membranas localizadas na laringe. Quando o ar sai dos pulmões e passa pela laringe e pelas pregas vocais, conseguimos emitir sons, que são modificados pelos movimentos da língua e da boca. As pregas vocais variam de pessoa para pessoa e também ao longo da vida. Essa é uma das razões por que as vozes podem ser tão diferentes.

Sugestão para o professor Leitura • SILVA JÚNIOR, Joab Silas da. Por que o som não se propaga no espaço? Mundo Educação. Disponível em: <http://livro.pro/sx23i4> Acesso em: 21 mar. 2019. Este site traz explicações sobre a necessidade de um meio à propagação do ar e aproveita para comentar alguns erros cometidos em filmes que retratam o espaço sideral.

Sugestão para o aluno

As pessoas têm a voz diferente umas das outras. Coral de crianças, .

Vídeo • PRODUÇÃO de som. Produzido por Khan Academy Brasil. Brasil, 2015. Disponível em: <http://livro.pro/74yrft>. Acesso em: 29 mar. 2019. Esta animação traz uma explicação muito didática e compatível com a faixa etária dos alunos sobre a propagação do som. Se possível, apresente-a à turma no fechamento da discussão sobre os resultados e explicação do experimento.

1. Você conhece sons produzidos pelos animais? Cite alguns deles. Respostas pessoais. Espera-se que os alunos citem alguns sons produzidos por animais, como: miado, latido, rugido etc.

20

VINTE

D3-CIE-F1-1085-V3-U01-LA-M19.indd 20

5/15/19 18:21

Anotações

20

D2-CIE-F1-1085-V3-U01-MPE-M19.indd 20

5/29/19 15:47

D3-CIE-F1


15/19 18:21

Auxiliando seu trabalho

A AUDIÇÃO E O SOM

Leia o texto com os alunos. Reforce que o som chega em nossas orelhas por meio de vibrações sonoras. Ao ser produzido, ele faz com que o ar ao seu redor vibre (movimentando-se para a frente e para trás) e com isso ele faz vibrar a camada de ar que está logo a sua frente e assim sucessivamente até que a vibração chegue a nossas orelhas. Nossas orelhas são compostas de uma parte externa, a orelha externa, responsável por captar os sons do ambiente. As vibrações atingem uma estrutura chamada de membrana timpânica, que transmite as vibrações para um conjunto de estruturas chamada de orelha média. Essas vibrações são transmitidas da orelha média para a orelha interna, onde essas vibrações são transformadas em informações e levadas até o cérebro, que interpreta e diferencia os sons. Com apoio da imagem do livro do aluno, explique o caminho que a vibração sonora percorre até chegar ao nervo auditivo, observando a função de cada estrutura identificada na imagem. Explique aos alunos que o som é captado pela orelha, que funciona como um funil, concentrando a captação dos sons do ambiente. As vibrações sonoras são direcionadas para o meato acústico externo, onde são amplificadas, passando pela membrana timpânica, ossículos da audição e cóclea, (em formato de caracol) até chegarem ao nervo coclear.

O QUE VOCÊ TEM PARA CONTAR? • Como você sabe que há um carro passando pela rua, mesmo sem vê-lo? Espera-se que os alunos citem que o barulho do motor possibilita perceber a passagem do carro, sem vê-lo.

As orelhas são os órgãos responsáveis pela audição.

Internamente, a orelha contém várias estruturas responsáveis pela audição; algumas delas vibram com a passagem do som. Essas vibrações chegam às partes mais internas da orelha e estimulam um nervo, que encaminha as informações sonoras ao cérebro. Nervo: tecido que transmite informações das diversas partes do corpo para o cérebro e do cérebro para as diversas partes do corpo.

nervo coclear

MAAL ILUSTRA

Estruturas que compõem a orelha humana

orelha CORES-FANTASIA FORA DE ESCALA

membrana timpânica orelha externa Ilustração produzida com base em: Gerard J. Tortora e Bryan H. Derrickson. Principles of anatomy and physiology. 13. ed. Hoboken: Wiley, 2012. p. 658.

VINTE E UM

D3-CIE-F1-1085-V3-U01-LA-M19.indd 21

Comente que a parte externa de nossa orelha, além de facilitar a captação dos sons, funciona como proteção do sistema auditivo em função da presença de pelos e de secreções e que tanto os pelos como a cera protegem a orelha da entrada de agentes estranhos e microrganismos.

21

5/15/19 18:25

Explique aos alunos que, além de captar os sons do ambiente, nossa orelha é responsável por nosso equilíbrio, noção de localização e orientação no espaço. O equilíbrio é conhecido como nosso sexto sentido. Essa percepção está relacionada à presença de alguns fluidos em nossa orelha interna e à forma como eles se movimentam em função de nossas ações.

21

D2-CIE-F1-1085-V3-U01-MPE-M19.indd 21

6/3/19 10:50


Auxiliando seu trabalho

O formato de concha das orelhas ajuda a captar os sons dos ambientes.

ÊNIO RODRIGUES

ILIKESTUDIO/SHUTTERSTOCK.COM

1. Espera-se que os alunos infiram que a rapidez na transmissão da mensagem e o fato de ser sussurrada interferiram na fidelidade da transmissão. Esta brincadeira popular trabalha com a percepção auditiva, a oralidade, a concentração e a memória. Auxilie os alunos na brincadeira e na escolha das frases que serão comunicadas. Anote, em uma folha avulsa, a frase que será usada para iniciar a comunicação pelo “telefone sem fio” para que seja possível fazer a comparação com a frase pronunciada pelo último aluno da fila. Comente sobre a importância da atenção no processo de escuta e na transmissão das informações, pois o desafio desta brincadeira é fazer com que a mensagem chegue ao último da fila sem qualquer alteração.

1. Vamos brincar de telefone sem fio?

Ilda,  anos, tocando agogô.

a) Junte-se a seis colegas e sentem-se um ao lado do outro. O primeiro da fila fala uma frase curta na orelha do colega que está ao seu lado. Em seguida, o colega que escutou a frase repete o que ouviu na orelha do outro colega que está ao seu lado. E assim por diante. Quando a mensagem chegar ao último da fila, ele fala em voz alta o que escutou.

Atividade complementar Para ampliar a brincadeira, divida os alunos em duplas e construa com eles telefones de plástico para que possam verificar a propagação do som em um meio sólido. Cada dupla precisará de dois copos plásticos, um alfinete e um pedaço longo de barbante. Para entender a montagem deste brinquedo, consulte o passo a passo no site: <http://livro.pro/8nqfma>. Acesso em: 31 mar. 2019.

b) A frase que foi repetida pelo último da fila é a mesma que foi falada no início? Explique. É possível que a mensagem tenha se alterado durante o processo de transmissão de um aluno a outro.

c) Escreva a frase inicial e a frase final. Resposta pessoal.

d) O que vocês acham que ocorreu durante a comunicação? 22

Resposta pessoal. Espera-se que os alunos infiram que a rapidez na transmissão

VINTE E DOIS da mensagem e o fato de ser sussurrada interferiram na fidelidade da

transmissão.

D3-CIE-F1-1085-V3-U01-LA-M19.indd 22

13/05/19 16:33

Anotações

22

D2-CIE-F1-1085-V3-U01-MPE-M19.indd 22

6/3/19 10:51

D3-CIE-F1


05/19 16:33

Auxiliando seu trabalho

Saúde auditiva SYDA PRODUCTIONS/SHUTTERSTOCK.COM

É comum vermos pessoas com fones de ouvidos, mas, se o volume estiver sempre muito alto, ele poderá danificar as estruturas internas das orelhas. Para não prejudicar a audição, é necessário manter alguns cuidados, como dar preferência a fones de ouvido higienizados que ficam externos à orelha, ouvir música com volume alto, fazer uma pausa a cada hora de música para O uso inadequado ou excessivo de fones de descansar a orelha. ouvido pode levar a problemas de audição. A poluição sonora é um dos grandes males da atualidade. Os ruídos causados pelo tráfego de veículos, pelas propagandas sonoras, pelos helicópteros e máquinas se misturam e nos deixam cansados ao final do dia. O silêncio é fundamental para a saúde auditiva e para a saúde em geral.

Leia o texto com os alunos. Pergunte se eles costumam usar fone de ouvido e ouvir música alta. Reforce os cuidados necessários ao usar um fone de ouvido, ampliando a discussão para os cuidados com a saúde auditiva. Aproveite para apresentar o cartaz com o título Cuidado com o som e explore exemplos de diferentes ruídos e intensidades sonoras classificados de acordo com a tolerância acústica do ser humano. Comente com a turma sobre a limpeza das orelhas. Explique aos alunos que a cera é uma proteção da orelha contra poeira, sujeira e microrganismos, funcionando também como lubrificante. Quando esse sistema de limpeza não funciona bem, a cera pode se acumular na orelha, endurecer e até bloquear o meato acústico externo. A introdução de hastes flexíveis com pontas de algodão na orelha não é indicada pelos médicos, pois pode provocar esse tipo de obstrução. Embora as hastes retirem pouca quantidade de cera da orelha, eles empurram a cera para dentro dela, contra a membrana timpânica. Essa limpeza também pode criar pequenos machucados no meato acústico externo, facilitando a ocorrência de otites bacterianas. Diante disso, comente com os alunos que é importante limpar apenas em volta da orelha externa, sem entrar no meato acústico externo. Essa função pode inclusive ser feita com toalha, após o banho.

ROBERTO ZOELLNER

1. Observe as imagens abaixo. Contorne o ambiente com poluição sonora.

VINTE E TRÊS

D3-CIE-F1-1085-V3-U01-LA-M19.indd 23

23

13/05/19 16:33

Sugestões para o professor Leituras • BRITES, Alice Dantas. Poluição sonora: quando o som vira barulho. Educação – Uol. Disponível em: <http://livro.pro/5ob9i8>. Acesso em: 31 mar. 2019. O texto explica a diferença entre som e barulho, os mecanismos de proteção da nossa orelha aos ruídos e os efeitos provocados pela poluição sonora à saúde humana.

• SOUZA, Fernando Pimentel. A poluição sonora ataca traiçoeiramente o corpo. Disponível em: <http://livro.pro/giyjam>. Acesso em: 31 mar. 2019. O artigo aborda sobre a nossa tolerância e aparente adaptação à poluição sonora e a influência disso no nosso organismo, podendo gerar estresse, insônia, problemas auditivos e emocionais, entre outros.

Sugestão para o aluno Leitura • FONES de ouvido ameaçam audição das crianças. Aparelho auditivo. Disponível em: <http://livro.pro/ shsz6k>. Acesso em: 22 mar. 2019. O texto complementa o assunto tratado no livro do aluno.

23

D2-CIE-F1-1085-V3-U01-MPE-M19.indd 23

6/3/19 10:54


Auxiliando seu trabalho Vamos recordar?

V A M O S

2. Instrua os alunos a destacar os adesivos da página 209 e verifique se eles ainda têm dificuldade para identificar os instrumentos.

R E C OR D A R ? ZIRALDO

1. Observe a tirinha e responda.

3. Não é esperado neste momento do aprendizado que os alunos citem todas as estruturas do aparelho auditivo. 5. Após a realização da atividade, peça aos alunos que compartilhem suas respostas com a turma. Esse é um bom momento para verificar se eles adquiriram o conhecimento necessário para preservar a sua saúde auditiva.

a) O que o Menino Maluquinho quis dizer com “tem que rolar um som”? X

Que não deve ter música durante a festa.

Sugestão para o professor

Que uma caixa de som deve rolar pela escada.

Texto complementar O texto abaixo poderá lhe dar subsídios à retomada da diferença entre sons naturais e artificiais e das discussões sobre ruídos e poluição sonora com a turma. [...] De acordo com Cheryl Tipp, curadora de sons naturais da Biblioteca Britânica, os sons são extremamente evocativos e têm o poder de transportar nossas mentes para outros lugares — e até para momentos específicos de nossas vidas. E é esse poder que nos ajuda a relaxar, fazendo com que as nossas preocupações fiquem em segundo plano, nos levando para bem longe do ambiente caótico no qual nos encontramos. Uma das razões disso é que, normalmente, quando escutamos determinado som, imaginamos o local no qual ele é produzido — como um bosque cheio de árvores, uma praia deserta ou uma cabana isolada do mundo barulhento —, e associamos memórias e experiências a esses ruídos. [...]

Que deve ter música na festa.

b) O que representam as palavras que aparecem no último quadrinho? Elas representam o som emitido pela caixa que rola pela escada.

2. Destaque os adesivos da página 209 e cole-os nos espaços correspondentes ao tipo de instrumento.

Adesivo do trompete ou saxofone.

Adesivo do violino. Instrumento de corda.

Adesivo do trompete ou saxofone.

24

Instrumento de sopro.

Adesivo do tambor. Instrumento de sopro.

Instrumento de percussão.

VINTE E QUATRO

D3-CIE-F1-1085-V3-U01-LA-M19.indd 24

Esses barulhos estão associados aos chamados “ruídos brancos” — ou seja, ruídos resultantes da combinação simultânea de sons de todas as frequências e que se sobrepõem aos barulhos do ambiente e desviam a nossa atenção de um som específico [...]. Entre os mais comuns, além dos que já mencionamos — como o do vento, ondas e da

13/05/19 16:33

chuva —, estão o de água corrente, grilos, pássaros e madeira queimando na lareira. [...] [...] RINCON, Maria Luciana. Por que os sons da natureza são tão relaxantes? MegaCurioso, 2014. Disponível em: <https://www.megacurioso.com.br/medicina-epsicologia/46803-por-que-os-sons-da-natureza-sao-taorelaxantes.htm>. Acesso em: 31 mar. 2019.

24

D2-CIE-F1-1085-V3-U01-MPE-M19.indd 24

5/29/19 15:47

D3-CIE-F1


05/19 16:33

Parada para avaliação

3. Qual é o órgão responsável pela audição humana?

Organize uma brincadeira de roda com os alunos conhecida como Yapo (veja detalhes na Sugestão para o professor abaixo), trabalhando o canto, o ritmo, a coordenação motora e a produção de sons com o corpo. Faça uma grande roda com toda a turma e explique a música e os gestos que compõem a brincadeira. Ao longo da brincadeira você pode fazer algumas variações, acelerando o ritmo da música ou silenciando a roda, mantendo a brincadeira somente com os gestos, avaliando a capacidade dos alunos em manter o ritmo e a sincronia dos gestos. Ao final desta dinâmica, organize uma roda de conversa para a retomada colaborativa dos assuntos discutidos na Unidade. À medida que os alunos forem levantando os pontos e conceitos trabalhados, faça a sistematização das contribuições na lousa de modo que ela fique visível para todos. Aproveite esse momento para retomar as hipóteses iniciais manifestadas pelos alunos nas atividades do início da Unidade. Confronte-as com os conteúdos desenvolvidos ao longo da Unidade visando a detecção de erros e a complementação das informações.

A orelha.

4. Escreva alguns órgãos importantes na produção da voz humana. Espera-se que os alunos citem os pulmões, as pregas vocais, a língua e a boca.

5. Escreva dois hábitos positivos relacionados à saúde auditiva. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos citem atitudes como: dar preferência a fones de ouvido que ficam externos à orelha, não ouvir música com volume alto, fazer uma pausa a cada hora de música para descansar orelha.

6. Procure em revistas e jornais uma imagem que represente sons produzidos por atividades humanas. Cole-a no espaço abaixo. Resposta pessoal.

Sugestão para o professor

25

Vídeo • YAPO. Produzido por Palavra cantada. Disponível em: <http://livro. pro/67pxiq>. Acesso em: 31 mar. 2019. O vídeo mostra como realizar a brincadeira Yapo.

D3-CIE-F1-1085-V3-U01-LA-M19.indd 25

13/05/19 16:33

Anotações

25

D2-CIE-F1-1085-V3-U01-MPE-M19.indd 25

6/3/19 10:56


Profile for Editora FTD

porta aberta ciencias  

porta aberta ciencias