Issuu on Google+

Revista

Rua Cincinato Braga, 277 - Bela Vista - CEP 01333-011 - São Paulo

s do nv ia se ail em

ue

ra

50 0m il Ibi rap

no

cip

rti

Fiz e

mo s

his tór ia

tes an

7m il

pa

ate n

dim

en tos

Vir a

il m 20

da

da

Sa

úd

e

ANO 7 - EDIÇÃO 1


ÍNDICE índice

taques

des

EDITORIAL

3

ESPAÇO DO LEITOR

4

DÚVIDAS

5

Secretaria ENTREGA DE LTT

6

Entrevista PROF. LEONARDO PLACUCCI

8

Ciência e Tecnologia VIDEOGAME NA REABILITAÇÃO

12

Profissões POSTURA NO TRÂNSITO

14

Especial VIRADA DA SAÚDE

18

Saúde Pública CENTRO DE REABILITAÇÃO EM S. CAETANO

26

Importante saber ZENILDO CONDENADO PELA JUSTIÇA

29

Jurídico VITÓRIA CONTRA CURSOS IRREGULARES

30

Notas CARBOXITERAPIA

32

Notas

33

Informações ÚTEIS

35

08 14 18

Arte: Bruna Amaro

SUPERAÇÃO Prof. Leonardo Placucci ensina que o estudo, o trabalho e a alegria de viver superam todas as dificuldades

TRÂNSITO Com a ajuda de exercícios simples, é possível passar horas e horas no trânsito sem estresse e cansaço

VIRADA DA SAÚDE Evento, com 20 mil pessoas ao Ibirapuera, contribuiu para que senadores repensassem o Ato Médico


CREFITO-3 Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Terceira Região Serviço Público Federal Área de Jurisdição: Estado de São Paulo Rua Cincinato Braga, 277 - Bela Vista São Paulo - SP - CEP 01333-011 www.crefitosp.gov.br GESTÃO 2008 / 2012 DIRETORIA Presidente: Prof. Dr. Augusto Cesinando de Carvalho Crefito-3 nº 6.076 – Ft Diretora–Secretária: Dra. Osmari Virgínia de Mendonça Andrade Crefito-3 n° 2.356 - TO Diretora Tesoureira: Dra. Regina Aparecida Rossetto Guzzo Crefito-3 n° 1.659 - TO COMISSÃO DE ÉTICA E DEONTOLOGIA DA FISIOTERAPIA (CEDF) Presidente: Dr. Elias Ferreira Porto Crefito-3 nº 34.739 – Ft Secretária: Dra. Anice de Campos Pássaro Crefito-3 nº 24.093 – Ft Vogal: Dr. Marcus Vinícius Gava Crefito-3 nº 9.015 – Ft COMISSÃO DE ÉTICA E DEONTOLOGIA DA TERAPIA OCUPACIONAL (CEDTO) Presidente: Dra. Danielle dos Santos Cutrim Garros Crefito-3 n° 6.155 - TO Secretária: Dra. Osmari Virgínia de Mendonça Andrade Crefito-3 n° 2.356 - TO Vogal: Dra. Maria Cândida de Miranda Luzo Crefito-3 n° 4.906 - TO COMISSÃO DE TOMADA DE CONTAS (CTC) Presidente: Dr. Elias Ferreira Porto Crefito-3 nº 34.739 – Ft Secretário: Dr. Neilson S. G. Palmieri Spigolon Crefito-3 nº 15.577 - Ft Vogal: Dra. Danielle dos Santos Cutrim Garros Crefito-3 nº 6.155 - TO DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO (DEFIS) Coordenador: Dr. Neilson S. G. Palmieri Spigolon SECRETARIA GERAL Coordenadores: Ailton Alves Ferreira Elza Martinhão ASSESSORIA JURÍDICA Dra. Adriana Clivatti Moreira Gomes OAB SP nº 195660 CONTABILIDADE Contadora: Cíntia Mieko Kusaba Pasqualini CRC – 1SP n° 213203/O-0 COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO (CPL) Presidente: Dr. Rubens Fernando Mafra OAB SP n° 280695 Secretária: Linda Magali Abdala Santos Vogal: Samuel Clementino da Costa ASSESSORIA E ANÁLISE TÉCNICA (AATEC) Dr. Carlos Henrique Bruxelas Dra. Fernanda Onaga ouvidoria@crefitosp.gov.br DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO Editora Responsável: Francine Altheman – MTb 42.713/SP francine@crefitosp.gov.br Redação: Lúcia Passafaro Peres – MTb 01790/SC Estagiários: Paulo Cabral / Juliana Menezes Diagramação / Arte final: Tommy Pissini Estagiários: Bruna Amaro / Felipe Acquesta Secretária: Daiana Veronez Impressão: Plural Indústria Gráfica Tiragem: 80 mil exemplares

leitor AOao LEITOR

Fazendo a Virada Estamos em um momento especial para as profissões da saúde. Conseguimos fazer com que os senadores reavaliassem a aprovação do Projeto de lei do Ato Médico. Hoje, o projeto segue em tramitação, na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania e, graças à reunião realizada com o senador Romeu Tuma, este solicitou que o projeto ainda seja analisado pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte. São grandes avanços que demonstram que não podemos ficar parados esperando que os outros façam por nós. Cada profissional da saúde deve fazer a sua parte. Os Conselhos da Saúde deram as mãos e fizeram acontecer mobilizações, envio de cerca de 500 mil emails aos senadores e a Virada da Saúde, que foi um grande marco na história dessas profissões. Esse evento demonstrou o espírito de cooperação que existe em todas elas: Biomedicina, Enfermagem, Farmácia, Fonoaudiologia, Fisioterapia, Óptica e Optometria, Psicologia, Terapia Ocupacional e Serviço Social. É por isso que a Virada da Saúde é a capa desta edição. Você vai ver como esse evento mobilizou as pessoas, como atendeu a população, através dos estandes de check-up, e como mudou a história da tramitação do Projeto de lei do Ato Médico no Senado. Você vai  ler também a história de vida de um homem que superou várias barreiras e consegue, apesar das dificuldades, levar uma vida plena e feliz, aos 80 anos. É o reitor da UniSantanna, Prof. Leonardo Placucci, que venceu a miséria na infância, fez quatro faculdades, sofreu um AVC, que o deixou quase sem movimentos, e continua a trabalhar na administração da Universidade que fundou, com a mesma disposição e empenho. A Revista do Crefito-SP ainda traz uma matéria sobre o uso do videogame na reabilitação. Muito interessante perceber que uma “brincadeira” pode ser a motivação para um tratamento. Tem também a reportagem sobre postura no trânsito, em que mostramos que a Fisioterapia e a Terapia Ocupacional podem ajudar taxistas e motoristas, que passam cerca de 14 horas no trânsito das grandes cidades, a relaxar, a ter menos dores, a ter qualidade de vida dentro de seu próprio automóvel. Tem o Centro de Reabilitação de São Caetano, que tem atendido a população daquela cidade com excelência. E ainda mostramos uma importante vitória judicial do Crefito-SP contra os cursos irregulares de Fisioterapia e Terapia Ocupacional. Boa leitura!


LEITOR leitor

Olá, sou estudante de Fisioterapia na Faculdade de Pindamonhangaba (FAPI). Estou cursando o 5º semestre e gostaria de receber a Revista do Crefito-SP. Li alguns exemplares e adorei as matérias. Achei interessante e complementam o meu aprendizado, me auxiliando também em pesquisas para a faculdade.

Sou aluna do 6º semestre de Fisioterapia do Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio, em Itu (SP). Gostaria de saber como faço para receber a Revista do CrefitoSP em minha residência, pois leio sempre na faculdade e, além de informar sobre as atualidades em nossa profissão, os assuntos são ótimos, podendo me auxiliar na árdua tarefa do TCC.

Jacqueline Costa de Barros Estudante de Fisioterapia

Camila Zanoni Estudante de Fisioterapia

Jaqueline, a partir desta edição, você estará recebendo o seu exemplar da revista do Crefito-SP.

Camila, a partir desta edição, você estará recebendo o seu exemplar da revista do Crefito-SP. Última edição

Me formei recentemente em Fisioterapia em Fernandópolis. Na época de graduação sempre recebia um exemplar da Revista do Crefito-SP da coordenação do curso de Fisioterapia. Porém, ao me formar, mudei para Minas Gerais, mas gostaria de continuar tendo acesso à Revista do Crefito-SP, pois acho a revista muito informativa e interessante para nós, profissionais de Fisioterapia e Terapia Ocupacional. Gustavo S. Ferreira Fisioterapeuta

Gustavo, a partir desta edição, você estará recebendo o seu exemplar da revista do Crefito-SP.

Fale com a gente

Gostei muita da última Revista do Crefito-SP. Gostaria de saber qual é a opinião do Crefito sobre o curso de Fisioterapia em Oncologia, pois tenho interesse em realizar essa especialização. Bianca Galvão Nastari Valentim Fisioterapeuta

Bianca, vamos inserir nas próximas pautas da Revista do CrefitoSP uma matéria sobre Fisioterapia em Oncologia. Aguarde!

Envie sugestões, críticas e elogios para a Revista do Crefito-SP. As cartas ou emails devem conter, obrigatoriamente, nome completo do profissional, número de inscrição no Crefito ou, se for estudante, nome da instituição de ensino, telefone e email para contato (caso não deseje a publicação, basta colocar esta informação). Por motivos de espaço ou de clareza, as cartas ou emails recebidos poderão ser publicados resumidamente ou não ser publicados, mas todos serão respondidos.

//Contato Para se corresponder com o Departamento de Comunicação do Crefito-SP Email: dveronez@crefitosp.gov.br / Cartas: Departamento de Comunicação - Rua Cincinato Braga, 277 9º andar - Bela Vista - São Paulo / SP - CEP 01333-011

[4]

abril

2010


DÚVIDAS dúvidas

A partir desta edição, a Revista do Crefito-SP abre espaço para esclarecer as dúvidas mais frequentes dos profissionais. Participe! por Francine Altheman

Crefito é diferente de Sindicato e ambos são diferentes de Associação O que é um Crefito? O Crefito é um órgão de fiscalização do exercício da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional e foi criado pela lei (Lei Federal nº 6.316/1975). A fiscalização visa à estimular a qualidade assistencial prestada à população nessas áreas. O Conselho faz mais pela sociedade, livrando-a da ação nociva do mau profissional, averiguando a capacidade de atendimento e o respeito às normas reguladoras, com especial atenção aos leigos que exercem a Fisioterapia e a Terapia Ocupacional ilegalmente, pois isso implica risco à vida. O que é uma associação? Uma associação nasce na própria categoria e se volta para objetivos políticos e científico-culturais, como promoção de congressos e eventos. O que é o Sindicato (Sinfito)? Um sindicato nasce na categoria profissional e suas ações são voltadas para as questões trabalhistas. O piso salarial do fisioterapeuta e do terapeuta ocupacional (R$ 1.560 atualmente) é estabelecido pela Convenção Coletiva de Trabalho, que tem como partes o Sindicato dos Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais/SP (Sinfito) e o Sindicato dos Hospitais, Clínicas, Casas de Saúde, Laboratórios de Pesquisas e Análises Clínicas/SP. O Crefito-SP não participa dessa convenção. Assim, as questões trabalhistas devem ser levadas diretamente ao Sinfito e às delegacias regionais do trabalho, que são responsáveis pelo cumprimento das normas trabalhistas.

O Crefito-SP tem ido muito além da mera fiscalização profissional. Realiza campanhas pela empregabilidade, promove ações judiciais em prol da classe e se esforça para coibir a prática ilegal da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional. Também faz ações políticas junto às Câmaras Municipais para incluir os profissionais nos Programas de Saúde dos Municípios. O Conselho tem lutado contra os abusos dos Planos de Saúde quanto aos valores pagos pelos serviços prestados e ainda entrou contra a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) visando a obrigá-la a estabelecer o rol de procedimentos e honorários dignos aos fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais.

//na intenet www.sinfitosp.org.br (11) 3337-6755 / 3362-3828 www.crefitosp.gov.br Envie sua sugestão ou dúvida para ouvidoria@crefitosp.gov.br

revista

do

crefito - sp

[5]


Crefito-SP+universidades = A entrega da LTT na colação de grau é uma parceria que funciona há 4 anos

e

Fotos: Arquivo Crefito-SP

m 2010, o Crefito-SP confirma o sucesso da entrega da Licença Temporária de Trabalho (LTT) na colação de grau, evitando burocracias, filas e tempo de espera na secretaria do Conselho. Os formandos de Fisioterapia e Terapia Ocupacional estão recebendo, junto com o sonhado certificado de conclusão de curso, a LTT, que os habilita a exercer a profissão. Assim, eles saem da formatura direto para o

[6]

abril

2010

mercado de trabalho. O presidente do Crefito-SP na época, Prof. Dr. Gil Lúcio Almeida, foi pessoalmente em boa parte das colações de grau para entregar a LTT e homenagear os melhores alunos do curso. “É gratificante ver os profissionais exibirem com orgulho a sua carteira profissional. Sinto-me feliz em participar e sentir essa energia radiante que emana de cada formando”, conta Dr. Gil.


= recém formados satisfeitos

2006

Crefito-SP desenvolve e implementa o W-Gov, um sistema de gerenciamento que permite, entre outras facilidades, o pré-cadastro dos formandos pela própria Instituição de Ensino Superior (IES), possibilitando a emissão rápida e sem burocracia das LTTs.

2010

O Crefito-SP entregou 2.270 LTTs nas colações de grau e teve adesão de 90% das universidades. Para este grandioso trabalho, o Crefito-SP conta com o fundamental apoio dos coordenadores e das secretarias dos cursos de Fisioterapia e Terapia Ocupacional.

//na intenet Mais fotos em: www.crefitosp.gov.br revista

do

crefito - sp

[7]


cima Às vezes estamos sem rumo, mas alguém entra em nossa vida e se torna o nosso destino.

por Lúcia Passafaro Peres

Prof. Leonardo Palucci

v

encer as privações da vida é motivo de admiração. Mais ainda é transformar essas privações em benefício às outras pessoas. Nascido em São José do Rio Pardo, cidade do interior de São Paulo com pouco mais de 50 mil habitantes, e filho de lavradores analfabetos, Leonardo Placucci não tinha acesso à educação. Apesar disso, foi professor, administrador de escolas e hoje é reitor da UniSantanna, a qual fundou em 1970, propiciando o acesso da população a cursos superiores na zona norte de São Paulo. Há 15 anos, sofreu um AVC, caracterizado por ele de “mortal”, que o fez parar na cama, quase sem movimentos. Com a ajuda das sessões de fisioterapia, que ainda faz três vezes por semana, conseguiu ir para a cadeira de rodas. Hoje, aos 80 anos, trabalha diariamente na administração da universidade, muitas vezes até de madrugada. A aproximação da fisioterapia e a experiência na cadeira de rodas moveram Leonardo a criar a graduação em Fisioterapia da UniSantanna, oferecer serviços de reabilitação gratuitos à população, fazer parcerias com programas de inserção de deficientes no mercado de trabalho e transformar o campus em local adaptado às pessoas com dificuldade de mobilidade.

Fotos: Arquivo Pessoal

Volta por


Em entrevista à Revista do Crefito-SP, Leonardo conta um pouco de sua trajetória, de seu pioneirismo e também sobre o amor que adquiriu pela Fisioterapia.

Crefito-SP: O senhor teve uma infância humilde, não tinha muito acesso à educação, e hoje trabalha exclusivamente com educação. Como foi esse percurso? Leonardo Placucci: Eu sou filho de lavradores analfabetos. Comecei trabalhando com seis anos e meio de idade como aprendiz de sapateiro e fiquei como sapateiro até vir para São Paulo, em 1941. Aqui em São Paulo eu continuei trabalhando em sapatarias, em fábricas de calçados. Nessa altura eu então fui guiado, não orientado, a procurar escola. Acabei sendo levado para fazer o curso de admissão. A empresa que fazia admissão levava os primeiros colocados para os melhores colégios. Eu fui classificado e passei a estudar no colégio estadual da Maria Zélia, no Belenzinho. Entrei depois no curso superior. Fiz Pedagogia, Administração de Empresas e Direito. E, nesse meio, também acabei fazendo Jornalismo. Também acabei assumindo o Colégio Neolatino. Segurei até onde pude. (Leonardo conta que o colégio já enfrentava antes dificuldades financeiras e que na década de 60 e 70 muitas escolas particulares estavam na mesma situação). Então vendo que estava ameaçado a sucumbir, eu pensei em criar uma alternativa de vida, de sobrevivência. Então pensei em fundar uma faculdade. Começou com a Faculdade de Administração e Ciências Econômicas Santanna, em 1970. Em 1971 eu fundei a faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Santanna. Depois eu assumi a mantença da Faculdade de

Abandonado em São Paulo pelo tio Quando era menino, um tio de Leonardo esteve em São José do Rio Pardo e o chamou para ir a São Paulo visitar um casal de tios. O pai concordou caso o tio pagasse a passagem. “Aquele garoto descalço pensar em falar de São Paulo, essa cidade monstro; fiquei alucinado”. Depois de algum tempo em São Paulo, Leonardo descobriu que o tio havia voltado para a sua cidade Natal e o deixado lá com o casal de tios. “E me largou sem falar nada. Eu fiquei abandonado na casa da minha tia. Aí eu tive que me virar, arranjar o primeiro emprego”. Assim, Leonardo trabalhou em sapataria, em fábrica de calçados, depois como funcionário público municipal. Tornou-se professor normalista e, depois de concluir o curso de Pedagogia, passou a lecionar no ensino superior. Economia, Finanças e Administração de São Paulo, do meu querido e saudoso amigo Derville Allegretti. Juntei com as duas Santannas e fiz as faculdades integradas Santanna. E acabei fundando a Unisantanna, que existe até hoje. Aí está uma história da Santanna e da minha vida também.

Crefito-SP: Como o senhor foi parar em uma cadeira de rodas? Leonardo Placucci: Eu tive um AVC mortal. Isto foi em 4 de março de 1995. E, praticamente morto, sem ter nenhum movimento, eu comecei a fazer o trabalho de fisioterapia. Com um trabalho constante, fui conseguindo obter os primeiros movimentos, tanto do braço como das pernas, que estavam completamente aleijados. Eu estava na cama e fui levado para a cadeira de rodas, com essa pequena melhora. Hoje, com o auxílio da fisioterapia, eu consigo caminhar um pouco com a minha bengala e ter alguns movimentos que eu readquiri. Daí eu ser um fã incondicional da Fisioterapia. E o que acontece? A Santanna não tinha entre os cursos superiores cursos de Saúde, como o de Fisioterapia. E eu, com essa paixão adquirida, acabei instalando os cursos de Fisioterapia, Enfermagem e Educação Física e Radiologia. Crefito-SP: A Unisantanna tem programas de atendimento de reabilitação à população e importou o método biofeedback, do Bernard Brucker. Isto também foi influência de seu maior contato com a fisioterapia após o acidente? Leonardo Placucci: Quando eu tive esse acidente mortal, meu amigo, João Carlos Martins, pianista e compositor, ao saber através da imprensa que eu estava em uma cadeira de rodas, me ligou, perguntando meio assustado: “O que é que houve, Leonardo?” Contei para ele >> revista

do

crefito - sp

[9]


>> do AVC. E ele falou sobre o proble-

Método Brucker para o Brasil Após ser tratado em Miami pelo neurocientista Dr. Bernard Brucker, criador de um método direcionado a pacientes com lesões no sistema nervoso central, Leonardo resolveu levar a tecnologia para o Brasil. Assim, criou o Centro de Reabilitação Dr. Bernard Brucker na UniSantanna em 1997, o único no Brasil a ter a autorização e supervisão do neurocientista. O método, baseado na técnica biofeedback, foi fundado a partir da experiência de 30 anos de Brucker com pacientes que tiveram lesão medular, trauma cranioencefálico, Acidente Vascular Encefálico (AVE ou AVC) ou paralisia cerebral. Brucker criou um equipamento junto a um bioengenheiro que, através de eletrodos acoplados no corpo do paciente, transmite a uma tela um gráfico dos comandos cerebrais que chegam à musculatura.

[10]

abril

Percebendo as alterações desse gráfico, o paciente consegue com mais facilidade aumentar a intensidade daquele comando do cérebro. A partir desses avanços, o fisioterapeuta trabalha a musculatura que ficou “mais conectada”. “É uma técnica que precisa muito da fisioterapia. Na verdade, ela é um complemento da reabilitação, que faz com que o paciente consiga ficar o mais funcional possível”, diz a fisioterapeuta-chefe do Centro de Reabilitação, Dra. Maria Eugênia de Biase, que fez um treinamento de seis meses com o Dr. Brucker nos Estados Unidos para a sua implantação na UniSantanna. Até 2008, ano de seu falecimento, Dr. Brucker vinha anualmente ao Brasil, duas ou três vezes, para acompanhar o trabalho do Centro de Reabilitação, reavaliar os pacientes e orientar os profissionais.

2010

ma do assalto que teve na Bulgária, quando recebeu uma pancada na cabeça e perdeu o movimento da mão. Na época, João Carlos Martins fez fisioterapia e foi para os Estados Unidos, à escola superior do Dr. Bernard Brucker, que tem lá um centro de reabilitação. E ele disse assim para mim: “Eu vou te mandar para lá e você vai voltar jogando bola”. Não estou jogando bola, mas estou jogando muita coisa. Fui atendido em Miami pelo Dr. Bernard Brucker (veja Box). Fiz amizade com ele e um dia, de repente, eu disse: “Dr. Bernard, eu vou montar um centro de reabilitação igual ao seu”. Olha só: o cara está dependendo de ser tratado e vai falar para o homem que vai fazer igual. Ele disse: “OK.” É um americano, né. Eu peguei o OK dele e não soltei mais.

Falar em fundar faculdade era loucura nos anos 70. Eu fui chamado de louco, atrevido, e tudo mais. Mas passei por tudo isso e acabei fundando a primeira faculdade da zona norte de São Paulo


Como é que eu ia pensar um dia em fazer isso? Nunca. Nem sonhar, né? E de repente somos levados

Assinamos o contrato, fazendo ele vir aqui duas vezes por ano acompanhar o Centro, e ele tornou-se meu amigo. E eu acabei fundando aqui o Centro de Reabilitação Dr. Bernard Brucker, em homenagem a ele. Então são essas loucuras que acontecem na vida. A gente não é levado a fazer, acontece porque o mundo empurra a gente.

Crefito-SP: De qualquer forma, o senhor soube transformar este acidente em benefícios... Leonardo Placucci: Veja você, não somos preparados para isso, é a mão de Deus que empurra. Agora tem uma coisa: em que

pese tudo o que eu passei e estou passando ainda, eu me sinto hoje melhor em todos os sentidos, se comparar quando eu tinha 30, 40 anos. Fico pensando: isso aí é uma benção de Deus. Porque penso nos meus amigos do meu tempo, da minha idade: um já morreu, o outro está inválido, o outro está encostado e eu, levando essas pancadas, continuo ativo, trabalhando, dirigindo a escola que eu fundei, participando. Pergunte para os meus funcionários qual foi o dia que eu não estive aqui, seja sábado, domingo e feriado. Eu estou todos os dias aqui, sem hora para sair. Meia noite, uma hora, até quando der. Teimoso, né? Teimoso.

Com a ajuda da fisioterapia e da terapia ocupacional, Leonardo conseguiu sair da cama após o AVC. No início, as sessões eram diárias. Hoje são realizadas três vezes por semana. A mesma fisioterapeuta, Dra. Lucíola Teresinha Nunes, o acompanha há 15 anos. revista

do

crefito - sp

[11]


Videogamee

Uso do Nintendo Wii complementa sessões de fisioterapia e terapia ocupacional e motiva pacientes a praticarem exercícios Por Paulo Cabral

j

ogar boliche, praticar tênis, lutar boxe ou fazer yoga. Para realizar essas tarefas você pode ficar em um só lugar ou não sair de sua casa. Com controles e sensores que captam o movimento de quem está jogando, alguns jogos do Nintendo Wii obrigam que jogadores exercitem braços e pernas. Desse modo o videogame além de entreter, também ajuda na reabilitação de pacientes que necessitam de fisioterapia e terapia ocupacional. E é com esse último objetivo que o Wii foi implantado na Clínica de Fisioterapia da Universidade Cidade de São Paulo (Unicid) em 2008. Dr. Fábio Navarro Ciryllo é fisioterapeuta há 10 anos e trabalha na clínica desde 2006. Foi ele que teve a ideia de implantar o Wii nas sessões de fisioterapia, após participar do Congresso Mundial de Fisioterapia em 2007 e realizar um estágio na Universidade de Mcgill, no Canadá, conhecendo assim alguns recursos de realidade virtual usados no processo de reabilitação.

er

Sensores e Movimento Entenda como o Wii auxilia na reabilitação

1

AS VANTAGENS

[12]

abril

2010

Vitor Amaro, 74 anos, utiliza há 1 ano o videogame na reabilitação

Arte: Bruna Amaro

Mas qual é o diferencial do Wii no processo de reabilitação? A motivação. “Nem sempre fazer fisioterapia é fácil, principalmente para pessoas que ficam em longos períodos de recuperação. Com uso do Wii, o paciente encara essa tarefa de outra forma”, conta Dr. Fábio. Ainda de acordo com o fisioterapeuta, todos até agora aprovaram o uso do videogame nas sessões, independente da faixa etária ou experiência com jogos virtuais. Apesar das vantagens é importante ressaltar que as sessões de fisioterapia com o Nintendo Wii são utilizadas como um estímulo a mais aos pacientes. “Em nenhum momento a sessão convencional foi substituída. O paciente faz a fisioterapia normalmente e após 15 minutos de espera, ele utilizá o sistema com o videogame”, salienta Dr. Fábio. Os exercícios realizados com o Wii duram no máximo dois períodos de 15 minutos e sempre são supervisionados por um profissional, evitando quedas ou acidentes com pacientes que possuem falta de equilíbrio.

Após o AVC tenho falta de equilíbrio e o uso do videogame me ajudou bastante”

Como funciona o Wii Sports Os jogos do Wii Sports possibilitam o exercício dos membros superiores (ombro, cotovelo e punho) e as modalidades mais utilizadas pelos pacientes, de acordo com Dr.Fábio, são tênis, boxe e boliche. O sensor do videogame capta os movimentos que a pessoa realiza com o controle em mãos.

“Nem sempre fazer fisioterapia é fácil. Com o uso do Wii, , o paciente encara essa tarefa de outra forma”, Dr. Fábio Ciryllo.


reabilitação Foto: Paulo Cabral

reabilitação Vitor Amaro usa a plataforma Balance Board na reabilitação

Pacientes motivados

1 avezes2

por semana o Wii é usado como complemento na fisioterapia

Como funciona o Wii Fit Já o Wii Fit utiliza o equipamento Balance Board, uma plataforma similar a uma balança com sensores que captam o movimento. Os jogos do Wii Fit trabalham no fortalecimento dos membros inferiores e na melhora da postura da coluna. Como também auxilia no recondicionamento do equilíbrio, a plataforma é utilizada em pacientes que sofreram Acidente Vascular Cerebral (AVC) ou Acidente Vascular Encefálico (AVE).

Os Jogos No Nintendo Wii não existem jogos voltados para a reabilitação dos movimentos. Os games são adaptados pelos fisioterapeutas para serem usados nos exercícios físicos com os pacientes.

Achei excepcional esse método de reabilitação” Walter Oschavit, 61 anos, falando sobre o uso do Wii na fisioterapia.

Casos como o dos senhores Vitor Amaro, de 74 anos, e Walter Oschavit, de 61, são ideais para o uso do Wii Fit. Ambos sofreram AVC e há um ano participam da reabilitação com o videogame na Clínica de Fisioterapia da Unicid. Vitor abre um sorriso ao comentar sobre as sessões de fisioterapia que utilizam o Nintendo Wii. “Após o AVC tenho falta de equilíbrio e o uso do videogame me ajudou bastante, além de ser uma maneira de lazer e treino para o raciocínio”, comenta. Walter possui opinião semelhante e também demonstra alegria ao falar sobre o assunto. “Achei excepcional esse método de reabilitação. Tenho dificuldade de equilíbrio, mas após o uso do videogame, melhorei bastante. São duas sessões por semana, mas por minha vontade, eu praticava todo dia. Porém, tenho que dar lugar para outros praticarem também”, fala, com bom humor. Dr. Fábio pontua qual o principal diferencial da plataforma Wii Fit. “O paciente está concentrado no jogo, no entretenimento, mas ao mesmo tempo estamos com enfoque na ação dele que é a melhora do equilíbrio”. revista

do

crefito - sp

[13]


Trânsito É possível passar horas e horas no trânsito sem sofrer as consequências do estresse e do cansaço de forma tão intensa. Saiba como

e

ngata a primeira, acelera, freia, engata, acelera, freia... buzinas, motos, roncos de motores, freadas bruscas. Essa é a rotina de cerca de 5 milhões de motoristas, sendo que 32 mil são taxistas, que rodam no trânsito caótico da cidade de São Paulo. Diante desse acentuado estresse mental e físico diário, motoristas estão propensos a desencadear diversas reações às ameaças que o ambiente desgastante lhes impõe, entre elas dor, mau humor, fadiga e perda de ânimo. As principais reclamações dos taxistas, além do cansaço, são as dores musculares, principalmente nos braços e nas pernas. “Depois de 12 horas dirigindo direto, já começa a pesar, a doer e não me sinto mais em condições de prosseguir”, conta o taxista Raimundo Messias Nunes, que trabalha há 20 anos no ramo. Essas dores nos membros relacionada com movimentos que são constantemente repetidos, como mudar a marcha e manejar o volante, e com o mau posicionamento no carro, podem gerar a conhecida Lesão por Esforço Repetitivo (LER/DORT). “A relação entre postura (inadequada) e dor ou lesões foi estabelecida há décadas e

[14]

abril

Por Francine Altheman

é apoiada por milhares de estudos sobre o assunto. Dependendo da origem do problema, que tende a ser multifatorial, existem diferentes alternativas de controle, dentre elas, a escolha de produtos mais ergonômicos ou adequações ergonômicas em produtos já disponíveis, ajustes organizacionais na rotina de trabalho, realização de exercícios adequados, reeducação postural supervisionada e orientação postural”, destaca a professora da UFSCar, Dra. Helenice Jane C. Gil Coury, fisioterapeuta que atua na área de Ergonomia e de Fisioterapia Preventiva. 2010

Eu faço exercícios de vez em quando e não me sinto cansado todos os dias. Mas nos finais de semana, quando estou de folga, o corpo fica dolorido por causa do acúmulo de cansaço ao longo da semana” Francisco Wilton de Oliveira, taxista há 10 anos


Fotos: www.sxc.hu

?!?! Relaxe... Segundo o Ministério da Saúde, a LER/DORT atinge 310 mil paulistanos e é a segunda maior causa entre os afastamentos no trabalho. No entanto, o que deve ser levado em conta é que taxistas dependem de seu trabalho para viver e não têm como se afastar para tratamentos. Neste caso, a melhor forma de minimizar os problemas é tentar utilizar mecanismos para controlar o estresse, prevenir problemas e melhorar a qualidade do desempenho no trabalho.

Passo 16 horas por dia trabalhando. Sinto muito cansaço, dores nas pernas e nas costas. Acho que meia hora de exercícios por dia faria com que eu me sentisse melhor” Antônio Sebastião Rodrigues, taxista há 22 anos revista

do

crefito - sp

[15]


EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO

AS VANTAGENS

14

horas

Essa é a média de tempo que um taxista passa no trânsito por dia

Depois de 12 horas no trânsito, não me sinto mais em condições de prosseguir” Raimundo Messias Nunes, taxista há 20 anos

Exercícios para os motoristas

O Crefito-SP, com a consultoria de fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais, deve produzir um panfleto que vai trazer, de forma simples e objetiva, informações sobre prevenção e educação postural no trânsito. “É possível amenizar os problemas que decorrem de horas e horas ao volante criando alternativas de compensação física e mental”, ressalta a terapeuta ocupacional Dra. Eliane Cukierman, especialista em Ergnomia e Terapia da Mão e diretora da Equilibryum Reabilitação e Consultoria em Saúde. De acordo com Dra. Helenice, o problema é amplo e complexo, mas existem pequenas medidas que podem contribuir para reduzir o desconforto físico durante longos períodos no trânsito. Ela sugere medidas preparatórias, como ajustes no banco, na direção e nos espelhos, sempre que necessário, e antes de colocar o carro em movimento, e exercícios que podem ser realizados apenas quando o carro encontrar-se parado no trânsito (veja quadro ilustrativo). “Os exercícios têm o objetivo de melhorar a circulação de retorno nos membros inferiores, que tende a ficar reduzida durante a postura estática prolongada. Os exercícios também trazem alívio, porque promovem alternância postural no espaço confinado do carro. Outros trazem relaxamento, por meio de respirações mais profundas”, completa.

Atenção! Esses exercícios devem ser realizados SOMENTE quando o carro estiver parado, para evitar acidentes

1

[16]

2

Levantar os calcanhares do chão, mantendo as pontas dos pés apoiadas Levantar e abaixar 10x ambos os calcanhares abril

2010

Levantar uma das pernas em direção ao peito e abaixá-la. Fazer o mesmo com a outra perna Repetir 5x com cada perna

3

Dobrar corpo para a frente em direção ao volante e um pouco para trás, forçando levemente contra o banco Repetir 5x cada movimento


Ergonomia, fadiga e estresse

4

Desencostar levemente do encosto do banco e girar os ombros em círculos para a frente e para trás Repetir 5x cada movimento lentamente

duros com o tempo, exigindo maior esforço”, salienta Dra. Eliane. Dirigindo por longos percursos ou presos em engarrafamentos, motoristas também estão sujeitos a todo tipo de estresse, que afeta o seu humor e sua atenção ao volante. “Os problemas vão além das dores musculares. Fadiga e estresse estão também presentes, afetando o desempenho, conforto e até mesmo a segurança. Assim, pequenas pausas e variação na atividade

5

Girar a cabeça lentamente em um movimento amplo para o lado direito e depois para o lado esquerdo Fazer 5x cada lado

ajudam a recobrar a disposição e a atenção ao trânsito”, explica Dra. Helenice. Dra. Eliane recomenda atitudes simples que ajudam a combater o estresse, o cansaço e para se preparar para um novo dia de trabalho. “Bom sono, escolha de local adequado e escuro para dormir, realizar atividades físicas e de lazer, ter uma alimentação e hidratação adequadas e respeitar as necessidades fisiológicas, para evitar problemas recorrentes no sistema gastro-urinário”.

6

Respirar profundamente pelo nariz e soltar o ar bem lentamente pela boca Abaixar os ombros enquanto sopra Repetir 3 vezes

revista

do

crefito - sp

[17]

y Pissini Arte: Tomm

Além de orientar posturas adequadas, terapeutas ocupacionais e fisioterapeutas são profissionais preparados para fazer uma avaliação ergonômica do carro, fundamental para evitar dores e fadigas. “É importante observar a distância do câmbio, diâmetro e rigidez do volante, acesso aos painéis, posicionamento dos pedais e principalmente condições de manutenção, que, na verdade, é o maior agravante de sobrecarga, pois pedais e controles ficam mais


Fotos: Crefito-SP

Virada ESPECIAL da Saúde

7mil pessoas 500 emails

mil

Cerca de 7 mil pessoas foram atendidas nos estandes de check-up gratuito do Parque do Ibirapuera

já foram enviados para os senadores solicitando que não aprovem o PL do Ato Médico

A Virada da Saúde vai ficar na história. População, profissionais e estudantes deram as mãos no Ibirapuera e, em coro, disseram sim à saúde e à qualidade de vida e não ao PL do Ato Médico Por Francine Altheman Colaborou Paulo Cabral

n

ão precisava dizer nada. Bastava tão somente olhar as filas imensas, o Espaço Arena do Parque Ibirapuera lotado, a emoção e a alegria das pessoas, que em uma só voz gritavam não ao Projeto de Lei do Ato Médico. Por isso, o dia 27 de fevereiro de 2010 ficou na história das profissões da saúde. O evento, conhecido como Virada da Saúde, recebeu cerca de 20 mil pessoas durante todo o dia, que passaram pelos estandes de check-up da saúde e assistiram aos shows no palco.

[18]

mi

abril

Antes das 10 horas, as tendas de atendimento já estavam lotadas. Jovens, adultos, idosos, cadeirantes e atletas receberam atendimento gratuito nos estandes dos Conselhos da Saúde, com avaliação postural, quiropraxia, cardiopulmonar, antitabagismo, pilates, teste de memória, exame visual, instruções preventivas de mama, auriculoterapia, teste de diabetes, entre outros. A Virada da Saúde contou também com uma extensa programação cultural, com basquete interativo do Magic 2010

Hands (ADD), apresentação de dança da APAE, grupo de stand up comedy Sustentáculos e show de Zeca Baleiro.  Os presidentes e representantes dos Conselhos da Saúde também subiram ao palco para falar sobre o andamento da tramitação do projeto e solicitar que a população não deixe de exercer a cidadania, pedindo que os senadores votem contra o projeto de lei do Ato Médico.  Mas o melhor testemunho foi dado pelas pessoas que foram ao evento. Uma senhora com cer-


Virada ESPECIAL da Saúde

il! Sou eleitor e como cidadão, peço ao senador que vote não. Por que o projeto do Ato Médico ata minhas mãos, fere a constituição”

O PL do Ato Médico acaba com a autonomia dos profissionais da saúde, pois submete a prática de seus atos privativos ao “crivo” dos médicos...

O que é esse tal de Ato Médico?

... torna crime a prática de vários atos que os profissionais da saúde estão exercendo há muito tempo...

... impede o surgimento e a regulamentação de outras profissões da saúde.

Jingle da Virada da Saúde

ca de 60 anos interrompeu uma entrevista que Dr. Gil Lúcio Almeida, do Crefito-SP, dava a um jornal para dizer: “Olhe a alegria dessas pessoas sendo atendidas por vocês. Somente um deputado ou um senador louco pode querer tirar isso de nós”. Estiveram presentes caravanas de diversas cidades do interior do Estado, entre elas Sorocaba, Campinas, São José dos Campos, Bauru, São José do Rio Preto, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, entre ou-

tras. “Depois da Virada da Saúde os senadores certamente saberão corrigir o desserviço prestado à saúde do brasileiro pela maioria dos deputados federais”, ressalta Dr. Gil. Continue participando. Entre no site www.atomediconao.com.br e envie carta aos senadores solicitando que não aprovem o Projeto de lei do Ato Médico da forma como está. Ajude a organizar caminhadas cívicas em todas as cidades do Brasil em favor do livre acesso da população aos serviços de saúde.

O PL nº 7703/2006, conhecido como Ato Médico, estabelece a presença obrigatória de um médico, em alguns casos, para que os profissionais da saúde possam socorrer a população. Ele tira a autonomia dos profissionais da saúde, torna crime a prática de vários atos que eles estão exercendo há muito tempo e  retira do usuário a liberdade de escolha pelo tratamento. O objetivo da Virada da Saúde foi mostrar à população e aos profissionais que eles devem exercer a cidadania, conhecendo o Projeto de lei e entendendo o quanto ele é prejudicial a todos. Por isso, foi passado um abaixo-assinado contra o referido projeto, que será encaminhado ao Senado, solicitando que os senadores votem contra. revista

do

crefito - sp

[19]


Virada ESPECIAL da Saúde Atletas também se apresentam no evento A Virada da Saúde contou com a apresentação de uma equipe de basquete de ponta. A ADD Magic Hands é um time profissional de atletas cadeirantes. Criada em 1997, a Magic Hands incorporou-se a ADD (Associação Desportiva para Deficientes) e seus atletas integraram a Seleção Brasileira de Basquete em Cadeira de Rodas nas Paraolimpíadas em 2004 e 2008. A apresentação foi coordenada pelo preparador físico da equipe, Prof. Neto Corrêa, que atuou na mesma função na Portuguesa de Desportos. Atual campeão paulista e vice-campeão brasileiro, Prof. Neto conta qual o segredo do sucesso da equipe ADD Magic Hands. “Nós somos a única equipe no Brasil que realmente possui preparador físico. As outras possuem auxiliar técnico que também realiza esse trabalho”, ressalta Neto.

Um dos pontos críticos desse projeto, e o mais complicado, é a concepção de saúde que foi colocada nele. Ele traz uma concepção de doença. Não trabalha a integralidade da saúde. Ele rompe com a concepção construída na reforma sanitária” Mônica Albuquerque Diretora do Conselho Regional de Serviço Social/SP

Se o Projeto de Lei do Ato Médico for aprovado representará um retrocesso para a saúde de todos. O Ato Médico fará com que ocorra o retorno do modelo falido dos serviços de saúde”. Isabel Gonçalves Presidente do Conselho Regional de Fonoaudiologia/SP

10h 11h 11h 14h 14h 14h 14h 30

Começa o atendimento nas tendas dos Conselhos de Saúde. No palco, o apresentador começa o evento

[20]

Jogo da quipe de basquete ADD Magic Hands, formada por cadeirantes, se apresenta na quadra do Ibirapuera

O Grupo de dança da APAE se apresenta no palco e encanta o público

abril

2010

10

Mônica Albuquerque iniciou os depoimentos dos representantes dos Conselhos de Saúde, ressaltando os pontos críticos do projeto de lei do Ato Médico

Isabel Gonçalves, alerta sobre a possibilidade de retorno do modelo falido dos serviços de saúde se o Ato Médico for aprovado

20

O grupo de stand-up comedy Sustentáculos interage e diverte o público da “Virada da Saúde”.

40

O presidente do Conselho Regional de Biomedicina, Marco Antônio Abrahão, fala sobre a inviabilidade do SUS se o Ato Médico virar lei


Virada ESPECIAL da Saúde Somos a favor de que todos tenham a sua lei, mas que ela não venha cercear o direito do outro. Que a população tenha direito de escolher o profissional e o procedimento que ela quer ter”.

Vamos ficar juntos, vamos entupir as caixas lá do senado. Esse projeto inviabiliza o SUS e nós temos que estar juntos contra isso. O importante é isso. Conscientizar os senadores que esse projeto precisa ser rejeitado”.

Cleide Mazuela Canavezi Vice-presidente do Conselhos Regional de Enfermagem/SP

Marco Antonio Abrahão Presidente do Conselho Regional de Biomedicina/SP

O PL do Ato Médico cria uma nova hierarquia entre os profissionais da saúde, fazendo com que muitos procedimentos tenham prevalência sobre outros. Como se uma profissão reunisse todo o conhecimento e fosse superior às outras. Isso nós não podemos aceitar.”

Nós estamos aqui para garantir um direito constitucional adquirido com sangue, suor e lágrimas. Eu gostaria de ceder esse microfone a cada um de vocês, para que tivessem a chance de protestar aqui”. José Eduardo de Moura

Marilene Proença Presidente do Conselho Regional de Psicologia/SP

Presidente do Conselho Regional de Óptica e Optometria/SP

Estamos aqui hoje não para uma luta corporativista, se não para defender a vida e a vida estendida com qualidade. Existe algo comum em todos nós. Madre Teresa de Calcutá certa vez nos ensinou que quando estendemos a mão ao outro, agradamos a nós mesmos. É por isso que dá tanto prazer ser um profissional da saúde”.

A gente só melhora a qualidade de vida com equipe integrada, formada por todos os profissionais de saúde. O nosso objetivo não é o poder, o nosso objetivo é a saúde. Melhorar a qualidade de vida da população.” Raquel Rizzi Presidente do Conselho Regional de Farmácia/SP

Prof. Dr. Gil Lúcio Almeida Presidente do Crefito-SP (atualmente afastado)

14h 15h 15h 15h 15h 15h 17h 50

José E. Moura declara que o Ato Médico fere vários artigos da Constituição e canta o jingle da campanha contra o Projeto de Lei

10

Gil Lúcio Almeida agradece a participação de todos os Conselhos de Saúde na luta contra o Ato Médico

Raquel Rizzi fala sobre o direito do livre exercício da profissão, que está garantído na Constituição, poder ser cerceado pelo Ato Médico

20

Cleide M. Canavezi defende o direito da população escolher o profissional e o procedimento que deseja ter

30

Marilene Proença lembra que a “Virada da Saúde” é uma manifestação importante, mas é necessário que a luta contra o Ato Médico continue

50

O cantor Zeca Baleiro encerra o evento agitando o público

revista

do

Encerramento do evento

crefito - sp

[21]


Virada ESPECIAL da Saúde População pôde Estandes ofereceram conhecer melhor

atendimentos gratuitos

por Lúcia Passafaro Peres

“q Semana que vem eu serei obrigada a ir ao médico para poder fazer RPG. Acho isso errado. Se já temos especialistas nesse assunto, por que eu tenho que ir antes ao médico?” (Merci Motta, administradora de empresas aposentada)

[22]

Iniciativa mostrou importância do acesso direto aos profissionais abril

2010

serviços prestados por profissionais da saúde

uando minha filha vier me buscar, não vai nem acreditar. Fiquei impressionada”, disse a dona de casa Geralda Mariana de Souza, logo após ser atendida pelos fisioterapeutas quiropraxistas da Virada da Saúde. Quando saiu de casa, Geralda não conseguia nem amarrar o tênis, de tanta dor que sentia nas costas. “Botaram minha coluna no lugar. Saí sem dor nenhuma”, contou. Ela não concorda com o fato de ter de passar obrigatoriamente por um médico antes de ser tratada por outro profissional da saúde, pois considera que o acesso ao tratamento ficaria muito mais demorado e difícil. “Tem que fazer movimentos. A população está respondendo. É só olhar quanta gente tem aqui”.


“A população está respondendo. É só olhar quanta gente tem aqui” (Geralda Mariana de Souza, aposentada)

A administradora de empresas aposentada Merci Motta, que faz tratamento de Reeducação da Postura Global (RPG) também comentou sobre o projeto de lei do ato médico “Semana que vem eu serei obrigada a ir ao médico para poder fazer RPG. Acho isso errado. Se já temos especialistas nesse assunto, por que eu tenho que ir antes ao médico?”. Conselhos de Biomedicina, Enfermagem, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Psicologia, Terapia Ocupacional e Óptica e Optometria instalaram estandes no parque. O objetivo foi mostrar à população como o acesso direto aos serviços dos profissionais da saúde pode viabilizar o tratamen-

Atividades Realizadas >> Biomedicina O estande do Conselho Regional de Biomedicina – 1ª Região (CRBM-1) ofereceu serviços como medição de glicemia e medição da circunferência da cintura e quadril, que pode estar associada a patologias.

to de várias doenças e prevenir o seu aparecimento. Para muitos, o evento proporcionou o primeiro contato com esses profissionais. “O atendimento foi ótimo. Descobri que estou precisando de óculos. É a primeira vez que estou fazendo exame de vista”, contou dona Francisca Arlinda de Próspero, aposentada. A professora Francislaine Vieira de Aguiar, que estava no parque com sua filha Samara, 4, passou pelo estande da Fonoaudiologia e foi orientada a fazer um acompanhamento de prevenção para sua filha. “Temos que ter o nosso livre arbítrio. Acho que podemos ir direto ao profissional que sentimos necessidade de consultar no momento”.

>> Enfermagem No estande do Conselho de Enfermagem do Estado de São Paulo (Coren-SP) os profissionais treinaram com a população a massagem cardíaca, que faz parte dos primeiros socorros, deram orientações de prevenção do câncer de mama e do câncer de colo do útero e aplicaram a auriculoterapia. Também fizeram atividades voltadas aos enfermeiros, auxiliares e técnicos, como a demonstração do simulador pediátrico. >> Fonoaudiologia O Conselho Regional de Fonoaudiologia do Estado de São Paulo (CRF-SP) realizou oficinas de voz, de Língua Brasileira de Sinais (Libras) e de narração de histórias. Os profissionais também avaliaram a voz das pessoas e deram orientações. >> Psicologia O Conselho Regional de Psicologia do Estado de São Paulo (CRP-SP) focou-se na mobilização política. Entregou materiais informativos sobre o Projeto de lei Ato Médico, camisetas, viseiras, tirou dúvidas e realizou um abaixo-assinado, que reuniu 2.500 assinaturas. >> Terapia Ocupacional Os terapeutas ocupacionais do estande do Crefito-SP aplicaram o teste de sensibilidade nas mãos. Também apresentaram à população vários tipos de órteses e de adaptações que podem ajudar pessoas com alguma deficiência ou restrição de movimento ao realizarem as atividades diárias. >> Óptica e Optometria O estande do Conselho de Óptica e Optometria do Estado de São Paulo ofereceu o exame de acuidade visual para detectar erros de refração. >> Fisioterapia O atendimento de fisioterapia do CrefitoSP foi dividido em quatro estandes: o de avaliação postural, o de avaliação cardiorrespiratória, o de quiropraxia e o de pilates, mostrando a diversidade de áreas de atuação do fisioterapeuta e as suas especializações. revista

do

crefito - sp

[23]


Virada ESPECIAL da Saúde

Representantes da saúde

discutem ato médico com senadores

Projeto passará também pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte

r

epresentantes de conselhos profissionais de diversas áreas da Saúde têm se reunido com senadores do Estado de São Paulo para discutirem sobre o Projeto de lei do Ato Médico. Os senadores estão debatendo o substitutivo ao projeto original no Senado (SCD 268/2002) e o substitutivo aprovado pela Câmara dos Deputados em outubro de 2009, o PL 7.703-C/2006. A pedido dos conselhos das profissões de saúde, durante reunião em 12 de janeiro, o senador Romeu Tuma conseguiu a aprovação pelo Senado, em 23 de março, para que o projeto também seja debatido na Comissão de Educação, Cultura e Esporte. “É uma grande vitória para o movimento contra esses projetos, uma vez que a Comissão de Educação, no passado, manifestou-se contrária à aprovação de qualquer regramento que restrinja a autonomia dos profissionais da saúde e o livre acesso da população a esses serviços”, diz Dr. Gil Lúcio Almeida, presidente do Crefito-SP (atualmente afastado). Atualmente os projetos estão sendo analisados pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado, cujo relator é Antônio Carlos Valadares. Os conselhos das profissões da saúde também se reuniram com o senador Eduardo Suplicy em 26 de fevereiro. Suplicy afirmou na reunião que estudará a viabilidade de emendas ao projeto para impedir a restrição dos atos privativos dos profissionais da saúde.

Senador Suplicy recebe os representantes dos Conselhos da Saúde

Suplicy disse que estudará viabilidade de emendas para garantir autonomia dos profissionais

[24]

por Lúcia Passafaro Peres

abril

2010


Tuma fez requerimento para que o projeto passasse por Comissão de Educação

Profissões Representadas nas Reuniões Biologia Biomedicina Enfermagem Farmácia Fisioterapia e Terapia Ocupacional Psicologia Óptica e Optometria Serviço Social

//na intenet Saiba mais no site www.atomediconao.com.br

revista

do

crefito - sp

[25]


São Ca Fisioterapia

São Cae

O Centro Municipal de Reabilitação Dr. José Ventura Nascimento atende gratuitamente pacientes que necessitam de melhora na qualidade de vida por Paulo Cabral

a

proximadamente quatro mil pacientes em 2009. A meta para 2010 é chegar aos cinco mil. Cerca de 150 atendimentos por semana, somente no setor de neurologia. Esses são os números do Centro Municipal de Reabilitação Dr. José Ventura Nascimento, em São Caetano do Sul, parte do Centro Clínico de Saúde Integral (CCSI) da Universidade Municipal de São Caetano do Sul – USCS, que atende nas áreas de ortopedia, traumatologia, reumatologia, geriatria, uroginecologia e neurologia adulto e infantil, com tratamentos fisioterapêuticos em hidroterapia, cinesioterapia, eletrofototerapia e termoterapia. Em breve, o Centro contará também com o trabalho de terapeutas ocupacionais.

São Ca O ATENDIMENTO

Para receber tratamento no Centro Municipal de Reabilitação Dr. José Ventura Nascimento, os pacientes são encaminhados pela prefeitura de acordo com as necessidades específicas de cada um. A fisioterapeuta Dra. Carla Mazziteli é supervisora de estágio na área de neurologia. Ela elogia não só a qualidade de atendimento oferecido, mas também destaca a importância da excelente estrutura física do local. “Temos tudo o que precisamos em espaço e equipamentos, principalmente na área de neurologia”, diz Dra. Carla. Um dos pacientes atendidos é a senhora Idalina de Jesus dos Santos, de 77 anos. Consequência de um desmaio ocasionado por queda de pressão, ao sair de um banco, Idalina quebrou uma vértebra e teve seus movimentos prejudicados.

[26]

abril

Após realizar sessões de fisioterapia no setor de neurologia, Idalina abre um sorriso ao comentar sobre sua melhora e a importância do atendimento que recebeu dos fisioterapeutas. “Agora já faço minha comidinha e já lavo minha roupa. Antes eu dependia de outras pessoas para tudo, para comer, para tomar banho. O Centro Municipal de Reabilitação foi muito bom para mim. Agradeço as pessoas que estão aqui comigo”, relata, emocionada e feliz com o progresso que obteve em sua reabilitação. Felipe Cinacchi é um dos estagiários que prestam atendimento no Centro. Há um mês estagiando no local, Cinacchi só elogia. “Esse Centro possibilita que muitas pessoas tenham acesso aos serviços de fisioterapia. É importante tentar melhorar a vida da população que precisa disso”.

2010

Rosa Kamel faz estágio desde fevereiro deste ano e também faz parte da equipe de estagiários da fisioterapia. Ela explica como funciona o sistema de atendimento: “Primeiro fazemos a triagem do paciente. Depois os supervisores organizam o atendimento e colocam na agenda os horários que cada um deve realizar, de acordo com a disponibilidade dos estagiários”. Ela lembra ainda que a cada 15 dias os estagiários participam de aulas de primeiros-socorros.


fisioterapia

aetano do Sul aetano do Sul de ponta em Fotos: Paulo Cabral

tano do Sul

Ensino, Pesquisa e Extensão

qualidade

Estagiários realizam atendimentos supervisionados em cada setor do Centro de Reabilitação

“É importante tentar melhorar a vida da população”

Felipe Cinacchi, estagiário

Antes eu dependia de outras pessoas para tudo, para comer, para tomar banho. O Centro Municipal de Reabilitação foi muito bom para mim” Idalina de Jesus, paciente do setor de neurologia

O Centro Municipal de Reabilitação Dr. José Ventura Nascimento possui oito supervisores e três professores que garantem a qualidade do atendimento e o aprendizado correto do estagiário em sua função. Alunos que realizam o estágio adquirem uma bolsa de estudos no valor de 70% da mensalidade do curso. Isso só é possível devido a uma parceria realizada entre a USCS, Centro de Integração Empresa Escola (CIEE) e a prefeitura do Município. Como existe esse serviço que é prestado aos munícipes, a Prefeitura, pelo contrato que possui com o CIEE, nos fornece essas bolsas de estudo”, esclarece Dr. Carlos Eduardo Panfílio, coordenador do CCSI e do curso de Fisioterapia da USCS. Para Dr. Panfílio, o modelo utilizado no Centro Municipal de São Caetano é um pilar sustentado por três colunas: ensino, pesquisa e extensão. “O ensino é praticado através das atividades curriculares; a extensão, com o atendimento fornecido por nossos alunos, que são estagiários; e, por fim, a pesquisa, em que analisamos os dados dos atendimentos”, ressalta. revista

do

crefito - sp

[27]


ESTÁGIO REMUNERADO Veja como funciona o processo de inclusão do aluno

5

Os alunos passam por um período de estágio probatório de 1 a 3 meses

3

A escolha para decidir quem realizará o estágio no Centro é o critério de notas e faltas durante o curso de fisioterapia.

Estudante da universidade que realiza estágio no Centro

LOCALIZAÇÃO E PRATICIDADE

O aluno pode ficar na área de atendimento ou realizar outros trabalhos de acordo com o ano cursado

Arte: Tommy Pissini

7

6 Após o período de observação, o aluno é efetivado e passa a ter direito a bolsa de estudo, no valor de 70% de desconto da mensalidade do curso

Durante esse período, o aluno passa pela prática-assistida

fisioterapia

4

2

Para obter as bolsas de estudo, os candidatos devem estudar na universidade e comprovar residência no múnicipio de São Caetano do Sul

São Caetano do Sul. Município de São Paulo que possui 152.093 habitantes. Desses, aproximadamente 18 mil pessoas foram atendidas no Centro Clínico de Saúde Integral (CCSI) só durante o ano de 2009. Em local de fácil acesso (próximo ao Terminal Rodoviário de São Caetano do Sul e da Estação São Caetano da CPTM), o CCSI fica localizado no campus II da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS) e atende gratuitamente a população nas áreas de Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Nutrição e Fisioterapia.

qualidade

1

Os candidatos devem requerer o estágio no Centro, na própria Universidade. É um processo interno

//na intenet Para mais informações sobre o CCSI e o Centro Municipal de Reabilitação

comunic@uscs.edu.br /Fone: (11) 4239-3259

[28]

abril

2010


Condenados!

Ex-presidente Zenildo e outros dirigentes terão que devolver o dinheiro desviado ao Crefito-SP

z

enildo Gomes da Costa, ex-presidente Crefito-SP, e outros membros da antiga gestão (1990-2004) foram condenados pelo Tribunal de Contas da União (TCU), em 10 de março, a devolver aos cofres do Conselho o dinheiro desviado para uso pessoal durante o período de janeiro de 2003 a março de 2004. O prejuízo, calculado pelas autoridades em R$ 4,5 milhões, foi provocado por um esquema de reembolso irregular de diárias. Como há indícios de que o esquema foi realizado durante outros anos do mandato do ex-dirigente, a atual gestão do Crefito-SP acredita que o prejuízo seja bem maior. De acordo com o relatório do TCU, Zenildo recebeu o equivalente a 312,5 diárias durante o ano de 2003, o que significa que teria passado finais de semana e feriados na sede do Conselho. O relatório também informa que, no período de 180 dias, a então tesoureira Maria Aparecida Bevilacqua recebeu 244 diárias e o chefe de setor de Contabilidade na época, Éber Emanoel

Viana Serafim, 241. O que, segundo o relator do processo, o procurador Dr. Marcos Bemquerer Costa, “é totalmente dissociado da realidade”. Em sua defesa, Zenildo alega ter deixado para a administração seguinte os documentos referentes às viagens realizadas. Porém, o Ministério Público Federal verificou que os documentos haviam sido destruídos a mando do ex-presidente na véspera de ele deixar o mandato. “Não encontramos nenhum documento fiscal, apenas picotadores de papel e computadores formatados”, conta o presidente do Crefito-SP, atuamente afastado, Dr. Gil Lúcio Almeida. “Identificamos algumas irregularidades, como cheques de funcionários que recebiam 40 ou 50 diárias por mês, as quais encaminhamos às autoridades competentes”, diz. Em 2009, membros da antiga administração do Crefito-SP, também foram condenados pelo TCU a devolver o dinheiro recebido de diárias durante o ano de 2000. Zenildo foi presidente do Crefito de março de 1990 a março de 2004.

O prejuízo aos cofres do Crefito-SP, somente no período de 2003 e 2004, foi calculado em R$ 4,5 milhões”

Raio-X De acordo com as investigações do Ministério Público Federal, o esquema funcionava assim:

Zenildo emitia cheques nominais do Conselho a alguns empregados, como pagamento de supostas diárias, mas não preenchia o valor

Os empregados eram orientados a endossá-los, assinando no verso, e os devolviam ao então chefe do setor de Contabilidade, Éber Araújo

Zenildo preenchia os valores dos cheques, assinava e encaminhava- os para o setor Contábil-Financeiro para a liberação dos pagamentos

Éber descontava os cheques e depositava parte dos valores ao suposto beneficiário, repartindo o restante com os integrantes do esquema fraudulento

Fonte: Relatório do TCU – TC 016.898/2005-1 revista

do

crefito - sp

[29]


Crefito consegue vitória judicial

contra cursos irregulares por Juliana Menezes

Fotos: Arquivo Pessoal

i

magine estudar anos e des- tes em medicina tradicional chinecobrir, ao receber o diploma, sa, reabilitação física (massoterapia que não pode exercer a pro- e acupuntura). O juiz federal César fissão que escolheu. Essa situação de Moraes Sabbag decidiu em favor acontecia em Ribeirão Preto, inte- do Conselho, proibindo a instituirior de São Paulo. Alunos da Escola ção de ensino Ana Néri de oferecer Técnica de Reabilitação Física e de os cursos. A escola poderá recorrer Acupuntura Ana Néri, ao se formar, da decisão. não obtinham o direito à licença Os profissionais formados em profissional, já que as atividades cursos irregulares atuam no mercaque eles deveriam desempenhar do na ilegalidade. são exclusivas dos profissionais Outra especialidade do fisioterapeucom nível supeta é a quiroprarior em Fisioteraxia, de acordo pia. com a resolução Por isso, o CreCoffito n°220, Sempre sonhei em fito-SP passou a de 23 de maio mover um prode 2001. Tramientrar numa boa cesso contra a esta na Câmara faculdade e procurei cola que oferecia dos Deputados saber se o meu curso cursos técnicos o Projeto de lei era reconhecido pelo profissionalizanque pretende MEC” criar a profissão de quiropraxia, Carolina Cordeiro Barbosa, 21 anos, mas o fisiotera6° semestre de fisioterapia UniSant’Anna peuta continua sendo o profissional mais bem preparado e regulamentado para cuidar dos distúrbios dos movimentos. Quanto às técnicas da medicina tradicional chinesa, o juiz entendeu que, apesar da escola mencioná-las como forma de apelo comercial, não se pode vendê-la. Fica esclarecido que o CrefitoSP é uma autarquia pública federal e tem plenos poderes na fiscalização e na boa conduta dos profissionais de fisioterapia e te-

[30]

abril

2010

A escola técnica Ana Néri, de Ribeirão Preto, fica proibida de oferecer cursos na área de reabilitação física

Antes de entrar, consultei se o meu curso era autorizado pelo MEC. Faço estágio na faculdade e percebo como uma boa estrutura é importante” Santiago Scarcelli, 22 anos, 8° semestre de fisioterapia UniSant’Anna


Sempre fiquei preocupada em conseguir ter a licença profissional e trabalhar na minha área depois de formada.” Priscila Masullo Dib, 21 anos, 5° semestre de fisioterapia Unicid

rapia ocupacional, os quais detêm conhecimento técnico e amparo científico. O aluno formado num curso irregular poderá entrar com o processo para ser ressarcido dos valores pagos à instituição de ensino, sendo amparado e respaldado pelo Código de Defesa do Consumidor. O mercado da educação no país é um dos que mais cresce. Todo ano surgem novas escolas e faculdades, cursos são criados e vagas são ampliadas. Cabe aos alunos cautela na hora de procurar um curso para não ter surpresas ao entrar no mercado de trabalho, principalmente na área da saúde, em que existe toda uma regulamentação para se exercer a profissão. A instituição de ensino deve ter autorização para funcionar e o curso tem que ser reconhecido pelo MEC.

“A reabilitação clínica é um ato privativo dos fisioterapeutas” Dra. Adriana Clivatti, chefe do Departamento Jurídico do Crefito-SP

Minha faculdade tem professores qualificados, laboratórios que funcionam muito bem e tem um convênio com uma clínica no Tucuruvi.” Naira Mariana da Silva, 20 anos, 7° semestre de fisioterapia Universidade Metodista

Saiba mais

No site do crefito, www.crefito.gov.br, a população pode consultar se o profissional fisioterapeuta e terapeuta ocupacional é devidamente registrado e habilitado e ainda se os consultórios e empresas estão devidamente regulamentadas para o funcionamento. Profissionais, clínicas e instituições de ensino que atuam irregularmente podem ser denunciados. No site do MEC, www.mec.gov.br, é possível consultar um cadastro atualizado da educação superior e técnica, cursos e instituições reconhecidas em todo o país.

revista

do

crefito - sp

[31]


NOTAS notas Carboxiterapia

A técnica está em discussão no Coffito e Crefito-SP

O que é? A carboxiterapia é um tratamento estético para combate de celulite, estrias e flacidez, que consiste na aplicação, com injeção, de gás carbônico por meio de infusão nos tecidos com pressão controlada. As literaturas científicas e técnicas, bem como estudos comprobatórios da técnica de carboxiterapia em humanos, disponíveis no Sistema Mundial de Informações, são escassos. Os poucos achados da literatura não trazem resultados em humanos que possam acusar a sua eficácia e possíveis efeitos colaterais.  Além disso, o gás carbônico, embora seja uma gás natural na atmosfera, é considerado uma droga terapêutica, sendo produzido por indústrias farmacêuticas. O produto, para ser comercializado, necessita de aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A administração medicamentosa ao paciente pelo fisioterapeuta ou terapeuta ocupacional não tem respaldo legal.

Difundida no Brasil recentemente e ganhando espaço nos tratamentos estéticos, a carboxiterapia ainda está em discussão entre os profissionais da saúde. Não há nenhuma legislação que proíba ou permita o uso da carboxiterapia pelo fisioterapeuta ou terapeuta ocupacional. No entanto, consta na Resolução Coffito nº 10 que a esses profissionais não é permitido praticar ato cirúrgico, que pode ser entendido como processo invasivo. O tema é polêmico. O Crefito-SP vem estudando o assunto e, em 2009, realizou uma consulta pública entre os profissionais, que demonstrou que uma porcentagem muito pequena de fisioterapeutas está envolvida com a técnica. Assim o parecer do Conselho foi desfavorável à utilização da carboxiterapia. O resultado da consulta e o parecer foram enviados ao Coffito. O Crefito-SP aguarda o parecer conclusivo do Conselho Federal a respeito do uso dessa técnica.

Zelar pelo paciente Todo profissional tem por obrigação conhecer os preceitos éticos de sua profissão, bem como mensurar sua capacitação técnica, sendo de rigor e fundamental o regramento contido nas Resoluções Coffito nº 8 e nº 10 (Código de Ética).   Cada profissional é responsável por seus procedimentos e por eles responderá caso resulte em danos aos pacientes decorrentes da atividade profissional.

[32]

abril

2010


Congresso de acupuntura no teatro Juca Chaves

Terapeutas ocupacionais nos Programas de Saúde de São Paulo

A Associação dos Fisioterapeutas Acupunturistas do Brasil (AFABrasil), através da seccional São Paulo, realiza o III Congresso de Acupuntura AFA Brasil e a I Jornada AFA- SP. O evento será realizado no teatro Juca Chaves nos dias 22 e 23 de maio. O congresso é voltado para profissionais fisioterapeutas acupunturistas, pois estarão em discussão assuntos relevantes à profissão, como a regulamentação do profissional de acupuntura, a atuação da acupuntura no tratamento da insônia, a atuação da acupuntura na angiologia, entre outros. Serão entregues certificados para os participantes. Estacionamento no local. Participam da organização do evento a CR turismo, CEATA, CIEFATO, Casa da Terra, CETN, Dux, Bioaccus, Fisioterapeutas plugadas, Wickbold.

O projeto de lei nº 456/2009, que dispõe sobre a inclusão de terapeutas ocupacionais nas equipes multidisciplinares e multiprofissionais em programas de assistência à saúde no município de São Paulo, foi aprovado em primeira votação na Câmara Municipal. Entre os objetivos almejados pelo autor do projeto, vereador Goulart, está a otimização dos serviços de saúde na cidade de São Paulo, “uma vez que os terapeutas ocupacionais podem prevenir o aparecimento de doenças, reduzir as prevalências e tratar as patologias com alto índice de incidência na população”, ressalta o vereador. Ano passado, quando o projeto de lei nº 173/2007, que inclui fisioterapeutas nesses programas, foi aprovado e sancionado pelo prefeito Gilberto Kassab, o Crefito-SP prontamente articulou junto ao vereador Goulart e à Câmara de Vereadores o substitutivo ao projeto, incluindo também os terapeutas ocupacionais. O Conselho acompanha essa tramitação e está certo de que o projeto será aprovado nas demais votações e sancionado pelo prefeito.

//na intenet Inscrições e informações www.afasp.com.br/congresso.htm Telefone (11) 9200-4887 (11) 8473-1497 Endereço João Cachoeira n°899-segundo piso, Itaim Bibi, São Paulo

revista

do

crefito - sp

[33]


Conadi começa em setembro

Fisioterapia em animais

O 3° Congresso Nacional de Diversidade e Inclusão Tecnológica e Trabalho (Conadi) será realizado em São José dos Campos, de 15 a 17 de setembro. O Conadi abordará assuntos relacionados à inclusão social, tecnológica e diversidade voltados à emancipação do trabalho. As propostas surgidas nas discussões serão encaminhadas aos governantes. O público-alvo são estudantes, profissionais da educação, saúde, recursos humanos, serviço social, sociologia, engenharias, arquitetura, políticas públicas, direito e toda a comunidade. Na programação estão em pauta assuntos como trabalho na pós- modernidade, emancipação/trabalho e desafios tecnológicos.

A prática da fisioterapia no tratamento de animais tem gerado dúvidas quanto à habilitação do profissional que atua nesse segmento. A discussão gira em torno da definição de a que ramo essa atividade estaria vinculada, se sob a tutela da fisioterapia ou da medicina veterinária. A grade curricular da formação do fisioterapeuta não contém disciplinas que o habilitem a exercer fisioterapia em animais e não há qualquer curso em que o fisioterapeuta possa praticar esse tipo de tratamento. Além disso, as normas do Coffito (Resolução nº 8/78) reforçam a vertente de que a fisioterapia é um trabalho voltado para o ser humano. Até o momento, a modalidade em questão situa-se no campo da medicina veterinária e os ministrantes do curso e alunos são médicos veterinários. Assim, o Crefito-SP emitiu um parecer dizendo que “o fisioterapeuta é um profissional de nível superior que tem capacidade técnico-científica para o entendimento das ciências biológicas e moleculares e da saúde. Entretanto, está impedido de exercer a fisioterapia veterinária por aspectos legais”. O parecer foi encaminhado ao Conselho Federal e aguarda parecer conclusivo.

//na intenet Inscrições e informações www.congressoconadi.com.br Telefone (12)3905-4401 Endereço Núcleo do Parque Tecnológico de São José dos Campos Rodovia Presidente Dutra, Km 138 Eugênio de Melo, São José dos Campo

[34]

abril

2010


INFORMAÇÕES informações Novo sistema de telefonia

Uma nova e moderna TECNOLOGIA de comunicação na área de TELEFONIA está sendo implantada na nova sede do CREFITO-SP. É o sistema VOIP, em que é possível efetuar e receber chamadas pela INTERNET. Por isso, o sistema de telefonia do CONSELHO está em fase de implantação e TRANSIÇÃO e alguns transtornos e inconvenientes podem ocorrer nesse PERÍODO. Pedimos DESCULPAS pelos transtornos causados aos PROFISSIONAIS que tentam entrar em contato com o Conselho.

//na intenet Email ouvidoria@crefitosp.gov.br Novo Telefone da Sede (11) 3252-2255 Endereço Rua Cincinato Braga, 277 Bela Vista - CEP 01333-011 São Paulo-SP

SUBSEDES Os profissionais do interior do Estado devem entrar em contato com a subsede mais próxima de sua cidade: Campinas (19) 3295-9361 Marília (14) 3454-4827 Presidente Prudente (18) 3916-6919 São José do Rio Preto (17) 3212-9381 Ribeirão Preto (16) 3635-8307 Santos (13) 3225-7670 São José dos Campos (12) 3911-9022


Virada da Saúde São Paulo fez história em defesa da saúde da população

20 mil pessoas LOTARAM O IBIRAPUERA

27 de fevereiro de 2010 um marco histórico para as profissões da saúde. Uma multidão saiu para defender o

livre acesso

da população aos serviços dos profissionais da saúde e pedir aos

senadores que mantenham o direito

desses profissionais de socorrer, com autonomia, a vida da população.

SAIBA COMO DEFENDER A SUA SAÚDE

visite o site www.atomediconao.com.br e saiba mais


Revista CrefitoSP - Ano 7 Edição 1