Issuu on Google+

Revista

ANO 7 - EDIÇÃO 3

Rua Cincinato Braga, 277 - Bela Vista - CEP 01333-011 - São Paulo

Um

marco! É o aniversário da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional Declare o seu amor pela sua profissão e comemore conosco!

Veja as realizações do Crefito-SP em infraestrutura, gerenciamento, divulgação e defesa dos profissionais


dice ÍNDICE

ín

ao

taques

EDITORIAL

3

ESPAÇO DO LEITOR

4

DÚVIDAS

5

RECEPÇÃO MELHOR ATENDIMENTO AOS PROFISSIONAIS

6

SEJA CIDADÃO EXIJA O SEU DIREITO

7

UBS EM SANTA BRANCA SAUDÁVEL E DE BAIXO CUSTO

8

GESTÃO 2009 FOI O ANO DE CONSOLIDAÇÃO DO CREFITO-SP

14

13 DE OUTUBRO HOMENAGEM

18

13 DE OUTUBRO DECLARE O SEU AMOR PELA PROFISSÃO

20

FISIO E TO COM ANIMAIS O MELHOR AMIGO DO PACIENTE

24

AFASIA MAIS QUE PALAVRAS

30

AFESP FISIOTERAPEUTAS GANHAM FORÇA

32

NOTAS

33

Informações ÚTEIS

35

CREFITO-3 Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Terceira Região Serviço Público Federal Área de Jurisdição: Estado de São Paulo Rua Cincinato Braga, 277 - Bela Vista São Paulo - SP - CEP 01333-011 www.crefitosp.gov.br GESTÃO 2008 / 2012 DIRETORIA Presidente: Prof. Dr. Gil Lúcio Almeida Crefito-3 nº 18.719 – Ft Vice-Presidente: Prof. Dr. Augusto Cesinando de Carvalho Crefito-3 nº 6.076 – Ft Diretora–Secretária: Dra. Osmari Virgínia de Mendonça Andrade Crefito-3 n° 2.356 - TO Diretora Tesoureira: Dra. Regina Aparecida Rossetto Guzzo Crefito-3 n° 1.659 - TO COMISSÃO DE ÉTICA E DEONTOLOGIA DA FISIOTERAPIA (CEDF) Presidente: Dr. Elias Ferreira Porto Crefito-3 nº 34.739 – Ft Secretária: Dra. Anice de Campos Pássaro Crefito-3 nº 24.093 – Ft Vogal: Dr. Marcus Vinícius Gava Crefito-3 nº 9.015 – Ft COMISSÃO DE ÉTICA E DEONTOLOGIA DA TERAPIA OCUPACIONAL (CEDTO) Presidente: Dra. Danielle dos Santos Cutrim Garros Crefito-3 n° 6.155 - TO Secretária: Dra. Osmari Virgínia de Mendonça Andrade Crefito-3 n° 2.356 - TO Vogal: Dra. Maria Cândida de Miranda Luzo Crefito-3 n° 4.906 - TO

Ilustração - Bruna Amaro

08 18 24

ops!

erramos !!!

SAÚDE COM BAIXO CUSTO Ao aplicar o conceito de saúde em sua plenitude, fisioterapeuta de UBS do interior consegue reduzir dor dos pacientes e uso de medicamentos

13 DE OUTUBRO Receba a homenagem do Crefito-SP. Monte o seu paper toy e abrace os seus pacientes

MELHOR AMIGO DO PACIENTE Animais ajudam nas sessões de fisioterapia e terapia ocupacional

A matéria Mais espaço na UTI (pág. 6) menciona o prazo de 180 dias para regularizar o funcionamento das Unidades de Terapia Intensiva, de acordo com a Resolução da Anvisa nº 7/2010. Na verdade, este prazo é aplicável à disponibilização do serviço de assistência de terapia ocupacional. O prazo para regularizar os serviços de fisioterapia é de três anos.

COMISSÃO DE TOMADA DE CONTAS (CTC) Presidente: Dr. Elias Ferreira Porto Crefito-3 nº 34.739 – Ft Secretário: Dr. Neilson S. G. Palmieri Spigolon Crefito-3 nº 15.577 - Ft Vogal: Dra. Danielle dos Santos Cutrim Garros Crefito-3 nº 6.155 - TO DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO (DEFIS) Coordenador: Dr. Neilson S. G. Palmieri Spigolon SECRETARIA GERAL Coordenadores: Ailton Alves Ferreira Elza Martinhão ASSESSORIA JURÍDICA Dra. Adriana Clivatti Moreira Gomes OAB SP nº 195660 CONTABILIDADE Contadora: Cíntia Mieko Kusaba Pasqualini CRC – 1SP n° 213203/O-0 COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO (CPL) Presidente: Dr. Rubens Fernando Mafra OAB SP n° 280695 Secretária: Linda Magali Abdala Santos Vogal: Samuel Clementino da Costa ASSESSORIA E ANÁLISE TÉCNICA (AATEC) Dr. Carlos Henrique Bruxelas Dra. Fernanda Onaga ouvidoria@crefitosp.gov.br

Revista do Crefito-SP - edição 2 de 2010 Na seção Dúvidas (pág. 5) a anuidade é citada como um imposto. Porém, a anuidade é uma espécie de tributo. O seu recolhimento legalmente é obrigatório, nos termos do artigo 3º do Código Tributário Nacional. Qualquer pessoa que trabalhe sem o devido pagamento da anuidade está infringindo o artigo 15 da Lei Federal nº 6.316/75, que estabelece ser o pagamento da anuidade condição de legitimidade do exercício da profissão.

sorte A boa

des

DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO Editora Responsável: Francine Altheman – MTb 42.713/SP francine@crefitosp.gov.br Redação: Lúcia Passafaro Peres – MTb 01790/SC Estagiários: Paulo Cabral / Juliana Menezes Designer / Infografista: Tommy Pissini Estagiários: Bruna Amaro / Giuliano Gusmão Secretária: Daiana Veronez Impressão: Plural Indústria Gráfica Tiragem: 80 mil exemplares

leitor AO LEITOR

Chegou o nosso dia e é hora de celebrar. Motivos? Acreditamos que temos vários. Para simbolizar nossas conquistas, colocamos no meio da revista um paper toy. Gaste um tempinho para montá-lo e mantenha-o na sua escrivaninha abraçando seus pacientes e clientes. Se vai dar sorte? Lembre-se que a boa sorte existe para todos, mas é preciso dar oportunidades para que ela se materialize. Invista e acredite em você. Os incrédulos riram quando dissemos que iríamos construir uma casa digna da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional. Até entendíamos a descrença, dado o histórico de décadas do Crefito-SP sem realizações. Mas acreditamos e criamos as oportunidades para a boa sorte. Veja nesta edição matéria sobre o patrimônio que edificamos a partir do pó. Ele é seu e foi feito para você. Para nós, simboliza o muito que se pode fazer com o pouco de cada um. Com ele ganhamos projeção, respeito e admiração de outros profissionais e da sociedade. O Crefito-SP apresenta um modelo de administração pública que otimiza o tempo, evita a burocracia e diminui drasticamente o uso de papel.  Da ponta de seus dedos, ligados na web, você poderá encontrar seus colegas de turma, armazenar seus documentos e ajudar na gestão do Crefito-SP. Mas queremos e podemos muito mais. Veja nesta edição o quanto você pode fazer, simplesmente orientando os seus pacientes sobre como garantir o acesso gratuito aos serviços de fisioterapia e terapia ocupacional. Para representar os benefícios de nossa atuação, escolhemos apresentar um projeto que vem sendo implementado com sucesso em uma pequena cidade do interior (veja na página 8). São exemplos como esse que dignificam a nossa atuação. Você verá também declarações de amor de seus colegas a nossas profissões. Faça também a sua declaração de amor e deixe-a registrada no site do Crefito-SP. 

FELIZ DIA DO FISIOTERAPEUTA E DO TERAPEUTA OCUPACIONAL


itor LEITOR

vidas DÚVIDAS

le

revista do crefito-sp .outubro.2010

com a gente

[4]

Envie sugestões, críticas e elogios para a Revista do Crefito-SP. As cartas ou emails devem conter, obrigatoriamente, nome completo do profissional, número de inscrição no Crefito ou, se for estudante, nome da instituição de ensino, telefone e email para contato (caso não deseje a publicação, basta colocar esta informação). Por motivos de espaço ou de clareza, as cartas ou emails recebidos poderão ser publicados resumidamente ou não ser publicados, mas todos serão respondidos.

Revista do Crefito-SP edição 2 de 2010

Recebi o último exemplar da Revista Crefito-SP e quero parabenizar a equipe pelas excelentes matérias publicadas. Sou graduada pela Faculdade de Ciências Humanas, Saúde e Educação de Guarulhos, mas por ter recebido uma proposta de trabalho em outra área, optei por não tirar meu Crefito. Entretanto, depois de quase cinco anos, decidi que seria um bom momento para apostar novamente na minha área e tenho encontrado alguns obstáculos no caminho. Minha sugestão de reportagem é justamente sobre isso, dicas sobre: Como voltar a atuar na fisioterapia depois de algum tempo de afastamento? Como elaborar um currículo? Por onde recomeçar? Para um profissional já graduado, é interessante voltar a estagiar? Por quê? Quais os cursos de recolocação na área? Onde posso encontrá-los? Enfim, uma cartilha não só para os que estão afastados, como é meu caso, mas também um guia para os recém-formados. Dra. Claudia Ribeiro Calado Fisioterapeuta

Prezada Dra. Claudia Agradecemos sua sugestão de pauta e vamos providenciar uma matéria a respeito para as próximas edições.

Marcia Faria Estudante de Fisioterapia

Estudo na Unesp e estou no 2º ano de Terapia Ocupacional. Primeiramente, queria parabenizar pela revista, pois sempre tem matérias interessantes  que me ajudam nas pesquisas da faculdade, e gostaria de receber a revista do Crefito-SP. Gheisa Gumieri Estudante de Terapia Ocupacional

Faço o 4º período de Fisioterapia e tive a oportunidade de ler os artigos da revista do Crefito-SP. Gostei muito do conteúdo e gostaria de receber os exemplares.

Cristiane Poltronieri Estudante de Fisioterapia

Sou estudante do 4º período de  Fisioterapia da Unifev (Centro Universitário de Votuporanga) e gostaria de parabenizá-los pela Revista Crefito-SP. Tive oportunidade de ler algumas matérias e achei muito interessante. Gostaria de saber como posso receber esta revista, pois ela irá me ajudar muito nos trabalhos, além de  me dar muitas informações. Janaina Ferreira Estudante de Fisioterapia

Ficamos felizes em saber que a revista está sendo útil para os estudantes de Fisioterapia e de Terapia Ocupacional. Estamos enviando os exemplares solicitados.

//Contato: Para se corresponder com o Departamento de Comunicação do Crefito-SP

Email: dveronez@crefitosp.gov.br / Cartas: Departamento de Comunicação Rua Cincinato Braga, 277 - 9º andar - Bela Vista - São Paulo / SP - CEP 01333-011

Comissões de Ética

A Revista do Crefito-SP traz nesta edição esclarecimentos sobre as Comissões de Ética e Deontologia da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional O que são a CEDF e a CEDTO? A Comissão de Ética e Deontologia da Fisioterapia (CEDF) e a Comissão de Ética e Deontologia da Terapia Ocupacional (CEDTO) são os órgãos responsáveis pela condução dos processos éticos do Conselho, pois compete a estes julgar infrações de cunho ético e aplicar as penalidades cabíveis e previstas em leis e resoluções. As penalidades podem ser advertência, repreensão, multas, suspensão do exercício profissional e até mesmo sua perda em definitivo. Os processos instaurados são instruídos por comissões sindicantes nomeadas pelas Comissões de Ética a cada caso e, ao final, encaminhados à plenária para julgamento, sempre garantindo ao profissional denunciado o amplo direito de defesa. Posso divulgar título de especialista? Sim. No entanto, o artigo 8º, inciso XIX, do Código de Ética (Resolução Coffito nº 10/1978) diz que é vedado ao fisioterapeuta e ao terapeuta ocupacional divulgar títulos que não possua. Além disso, as Comissões recomendam que o profissional verifique se o título é realmente uma especialidade ou apenas uma técnica, pois o profissional não pode divulgar uma técnica como se fosse uma especialidade. Lembre-se: o profissional deve solicitar o registro da especialidade no Crefito-SP antes de divulgá-la. O mesmo vale para os certificados de especialização Lato sensu e Stricto sensu.

? ? ?? ?

?

Posso elaborar diagnóstico e fornecer laudos? Sim. Os profissionais podem e devem realizar o diagnóstico fisioterapêutico ou terapêutico ocupacional, compreendido como a avaliação física-funcional. Quanto aos laudos, somente devem ser assinados pelo fisioterapeuta ou terapeuta ocupacional quando o mesmo avaliar o paciente e o serviço for efetivamente prestado. Não se admite a comercialização de laudos ou atestados, que é passível de punição ética e de outros órgãos controladores.

Como faço para denunciar o exercício ilegal das profissões? As denúncias podem ser feitas pessoalmente, na sede do Conselho, por carta ou ainda por meio do site do Crefito-SP, na área Ouvidoria e Denúncias (http:// www.crefito.com.br/app_site/webgovouvi.asp), onde estão as instruções. Os artigos 7º, inciso XII, e 8º, inciso II, do Código de Ética deixam claro que é obrigação do fisioterapeuta e do terapeuta ocupacional levar ao conhecimento do seu Conselho informações sobre atos ilícitos de profissionais. O Código de Ética ainda veda a conivência do fisioterapeuta ou terapeuta ocupacional com o exercício ilegal das profissões. O fisioterapeuta ou terapeuta ocupacional que incorrer em qualquer infração estará sujeito a penalidades, bem como qualquer pessoa que exerça as atividades privativas desses profissionais sem possuir a devida habilitação.

//Na internet:

www.crefitosp.gov.br Contato ou dúvidas:

Posso deixar de atender as intimações do Crefito? É proibido ao fisioterapeuta e ao terapeuta ocupacional deixar de atender convite ou intimação do Conselho para depor em processos ou sindicância ética profissional, ou qualquer outra notificação do Crefito em matéria de sua competência. As faltas serão apuradas e sofrerão as penalidades cabíveis. Posso prestar assistência gratuita e fixar tabela de honorários fora do recinto? Não é permitido ao fisioterapeuta ou terapeuta ocupacional fixar tabelas de honorários fora de seu consultório ou clínica, bem como promover divulgação dos seus serviços de forma incompatível com a dignidade da profissão, que implique concorrência desleal. No mesmo sentido, é vedado ao fisioterapeuta ou terapeuta ocupacional prestar serviço gratuito ou a preço ínfimo, ressalvadas as exceções previstas no Código de Ética das profissões.

(11) 3252-2280 ouvidoria@crefitosp.gov.br

revista do crefito-sp .outubro.2010

Fale

Gostei muito da matéria sobre mais espaço na UTI. É muito bom saber que estamos conquistando cada vez mais nossos direitos. A ampliação de mercado para o fisioterapeuta alegra a nós, estudantes, pois sabemos que o mercado de trabalho está expandindo. A cada edição da revista fico mais maravilhada com o número de informações.

[5]


d

revista do crefito-sp .outubro.2010

Fotos - Paulo Cabral

por Paulo Cabral

[6]

esde o mês de agosto, quem visita a sede do Crefito-SP já pode conferir as mudanças na recepção do edifício, visando o melhor atendimento ao profissional. Além de um espaço de convivência externo, foi criado um lounge para que a pessoa possa ser atendida com maior conforto e comodidade. Agora, todos os visitantes devem se identificar ao recepcionista. Isso permite um maior controle de acesso e

Mais segurança e conforto na sede do Conselho

direito! a

aperfeiçoamento da segurança no edifício. Durante o atendimento, o profissional aprende a resolver suas solicitações via web. “Em sua área no site do Crefito-SP, ele encontra os arquivos de sua turma de faculdade e aprende a armazenar e utilizar seus documentos pessoais”, diz o presidente do Conselho, Prof. Dr. Gil Lúcio Almeida. É o Crefito-SP ensinando os profissionais a viver sem o uso do papel.

Reformas trouxeram um ambiente mais agradável ao visitante

campanha publicitária do Crefito-SP, que está no ar desde maio, orienta os cidadãos que exijam o atendimento adequado de saúde, pois este é um direito constitucional. Para exigir o seu direito, a melhor maneira é recorrer ao Ministério Público Federal (MPF). Quando elegemos um representante, celebramos um compromisso mútuo de respeitar a Constituição Federal (CF). O eleitor concorda em cumprir a sua parte e pagar os impostos. Lembre-se que para cada 100 dias corridos de trabalho, em média 44 são para pagar impostos. Por outro lado, o eleito assume o compromisso de ofertar ao cidadão vários serviços. Entre esses, a CF estabelece que o Estado deve prover os serviços de saúde a todos os cidadãos (artigos 6º e 196). No entanto, um em cada quatro brasileiros, descrente com a qualidade dos serviços de saúde ofertados pelo Estado no Serviço Único de Saúde (SUS), gasta seus próprios recursos para ter um plano de saúde. Os outros três em cada quatro não têm dinheiro para pagar esses planos e se sujeitam às filas e à baixa qualidade dos serviços ofertados pelo SUS. Nesse jogo, o eleitor acaba sendo a vítima da incapacidade do Governo em gerir os recursos arrecadados dos eleitos. A omissão de cada brasileiro em fazer valer

//Na internet:

O Ministério Público garante o respeito às normas que protegem o cidadão

os seus direitos é a responsável pela quebra de contrato do eleito. O livre acesso aos serviços gratuitos de saúde, como os de fisioterapia e terapia ocupacional, é direito do cidadão e dever do Estado. Portanto, basta que cada um faça a sua parte para que a engrenagem funcione. O cidadão lesado pode e deve recorrer ao Ministério Público, que tem legitimidade para acionar o Poder Judiciário e fazer com que o Estado cumpra as suas obrigações constitucionais. Assim, a campanha do CrefitoSP tem como objetivo mostrar para a população que ela pode e deve fazer a diferença, através do exercício da cidadania. Ao agir assim, o cidadão ajuda no desenvolvimento do Estado Democrático de Direito. Ganham a sociedade e o indivíduo, que terão uma vida melhor e com bem-estar; lucra a economia, que terá trabalhadores mais saudáveis. Ganha o Estado, que vai gerenciar com eficiência os recursos de saúde, reduzindo os alarmantes custos com exames e medicamentos. No site do Crefito-SP você pode sanar as principais dúvidas sobre como acionar o Ministério Público. Além disso, lá você encontra um modelo de representação para ser preenchido e levado ao Ministério Público. Prof. Dr. Gil Lúcio Almeida Presidente do Crefito-SP

www.crefitosp.gov.br www.pgr.mpf.gov.br (Ministério Público)

revista do crefito-sp .outubro.2010

aos profissionais

Nova sede do Crefito-SP implementa mudanças em sua recepção

Fotos - Reprodução

Melhor atendimento

Seja cidadão, exija o seu

[7]


Fotos - Secetaria de Saúde de Santa Branca

custo

Com exercícios em grupo e acupuntura, programa de reabilitação da UBS de Santa Branca reduziu a dor nos pacientes e o consumo de medicamentos

Saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não meramente a ausência de doenças ou enfermidades”

a

Organização Mundial de Saúde (OMS)

por Lúcia Passafaro Peres pesar de a definição de saúde da OMS, acima, existir desde 1948, ainda são poucos que a seguem ao pé da letra. Porém algumas iniciativas têm mostrado que esse conceito amplo de saúde, quando aplicado, pode trazer resultados surpreendentes. Um dos exemplos é a ação do fisioterapeuta e acupunturista Dr. Rodrigo Fortes, que aplica desde 2007 na Unidade Básica de Saúde de Santa Branca (SP), com 14 mil

habitantes, um modelo de reabilitação coletivo, não só focado nos aspectos físicos da doença, mas também nos emocionais e sociais. Sete meses após o início do programa, o quadro doloroso que atingia 84% dos pacientes caiu para 36%. A proporção de pacientes que tomavam anti-inflamatórios regularmente reduziu de 56% para 12,6% e a de pacientes que faziam uso constante de analgésicos reduziu de 55,2% para 13,8%.

revista do crefito-sp .outubro.2010

revista do crefito-sp .outubro.2010

[8]

Saudável e de baixo

Hoje dois grupos de 60 pessoas participam da reabilitação coletiva em um centro comunitário de lazer

>> [9]


Fotos - Secetaria de Saúde de Santa Branca

O programa, chamado Núcleo de Reabilitação Física, Mental e Social (NRF), tinha como primeiro objetivo reduzir as grandes filas do ambulatório. De acordo com pesquisa* desenvolvida em 2007 em 22 UBSs do interior de São Paulo, 77% dos pacientes entrevistados procuram atendimento pelo mesmo motivo de consultas anteriores, o que contribui para o aumento das filas. Assim, todas as pessoas que procuravam a reabilitação em Santa Branca começaram a passar por uma triagem constando anamnese, exame físico e hemograma completo. Se aprovadas, passavam pela avaliação fisioterapêutica, psicológica e social para então iniciarem a reabilitação coletiva. De acordo com seu quadro clínico, eram também dirigidas ao tratamento de acupuntura com fisioterapeuta ou a outros especialistas.

O Núcleo de Reabilitação Física e Mental de Santa Branca baseia-se em conceito amplo de saúde, que engloba bem-estar físico, mental e social

Atividades competitivas estimulam pacientes a lutar contra obstáculos do dia a dia

CONSCIENTIZAÇÃO

[10]

No tratamento coletivo, dois grupos de 60 pacientes realizam duas vezes por semana exercícios terapêuticos como alongamento, fortalecimento muscular e exercícios proprioceptivos, todos prescritos por fisioterapeuta e monitorados por uma equipe multidisciplinar que engloba clínico geral, psicólogo, nutricionista, assistente social, educador físico e auxiliares de enfermagem. Para a cinesioterapia, os pacientes são divididos em grupos menores de acordo com o problema apresentado. Eles também participam da “Escola da Saúde”, uma série de

palestras com especialistas da área a cada 45 dias. Além do trabalho desenvolvido pela equipe de saúde, também a socialização entre os integrantes proporciona qualidade de vida. Ao praticar uma atividade fora do ambiente de trabalho ou da rotina, os pacientes se descontraem, trocam experiências e comentam sobre a dor. “Eles têm necessidade de externar, de falar para alguém como está doendo”, diz Dr. Rodrigo. Além disso, os pacientes observam a melhora dos colegas e percebem que eles também podem conseguir.

14mil habitantes possui o município de Santa Branca (SP), situado a 79 Km da capital

“Mostramos ao paciente que ele é responsável sobre a sua saúde”, Dr. Rodrigo Fortes fisioterapeuta e acupunturista que implantou o programa coletivo de reabilitação

*Caracterização da clientela fisioterapêutica em unidades básicas de saúde: abordagem macrorregional. Autores: Laís Helena Carvalho Marino; Neuseli Lamari; Fernando Batigália; Domingo Marcolino Braile. THS Arantes Editora, 2007.

Divulgação Por ser um método de baixo custo e eficiente, o modelo de reabilitação implantado em Santa Branca têm atraído a atenção de administrações de outros municípios e da mídia da região. Dr. Rodrigo Fortes também procura agora fazer a validação científica do método e trocar experiências com pessoas interessadas em pesquisar essa área. “É preciso fazer cada vez mais ciência. É assim que caminha a Fisioterapia”, diz.

revista do crefito-sp .outubro.2010

revista do crefito-sp .outubro.2010

O GRUPO

As orientações recebidas durante a participação do grupo ajudam o paciente a adquirir um estilo de vida mais saudável, diminuindo a probabilidade de novas doenças. “Mostramos ao paciente que ele é responsável sobre a sua saúde”, ressalta Dr. Rodrigo. Essa conscientização vem trazendo grandes melhoras na vida dos integrantes. As pesquisas mostraram que depois de sete meses de tratamento em grupo, a proporção de pacientes com queixa de depressão caiu de 63% para 13%, a dos que consumiam bebidas alcoólicas frequentemente caiu de 15% para 1,2% e a de pacientes com renda maior que dois salários mínimos aumentou de 52% para 67%, o que indica também reflexos no quadro social. As mudanças foram percebidas até no comportamento dentro da casa dos pacientes. Os casos de alcoolismo nas famílias diminuíram de 43% para 37%. “Eles se transformam em agentes promotores de saúde”, diz Dr. Rodrigo Fortes, que enfatiza a importância do caráter educador do programa.

[11]


Resultados INÍCIO DO PROGRAMA

Neusa Nascimento Oliveira, 62 anos aposentada

[12]

84%

36%

CONSUMO DE ANTI-INFLAMATÓRIO

56%

12,6%

CONSUMO DE ANALGÉSICOS

55,2%

13,8%

AUMENTO DA RENDA

52%

67%

QUEIXA DE INSÔNIA

68%

21%

63%

13%

QUEIXAS DE TRISTEZA E DEPRESSÃO

Tomava muitos remédios, para a pressão, para dormir, antiinflamatórios e analgésicos. Agora tenho bem menos dor e não sofro mais de insônia”

Joana Alves André 71 anos, aposentada

Uso de medicamentos

Nº de doses consumidas diariamente pelo total* de pacientes

528

A médio e longo prazo, o uso de técnicas não medicamentosas no manejo da dor crônica pode determinar a redução do risco de doenças em órgão vitais como rim, fígado e coração, sobrecarregados quando os medicamentos são utilizados de forma isolada e indiscriminada no tratamento”

Dr. Rodrigo Fortes

Início do programa

347

7 meses depois

Arte - Bruna Amaro

revista do crefito-sp .outubro.2010

Baixo custo: em um mês de tratamento, são gastas cerca de 40 agulhas por paciente, o equivalente a R$2,80

PACIENTES COM DOR ARTICULAR

181 5.430 doses doses *120 pacientes entrevistados

economizadas em um dia

economizadas em um mês

revista do crefito-sp .outubro.2010

Ao passar pela triagem, muitos pacientes de Santa Branca são encaminhados primeiro ao tratamento de acupuntura para reduzir a dor. Com a melhora do quadro, são liberados para participar do grupo de reabilitação. A recuperação dura em média 90 dias de tratamento.

Estava em tratamento há quatro anos por causa de inflamação na coluna. Não subia escada, nem serviço de casa fazia mais. Há um ano tomava remédio para depressão. Depois de seis meses no grupo de reabilitação, já senti os resultados. Hoje não tenho mais nada. Ganhei uns dez anos de juventude. Todos ficam bobos de ver como estou bem. Ando o dia inteiro, aproveito a vida!”

Fotos - Secetaria de Saúde de Santa Branca

Acupuntura

7 MESES DEPOIS

[13]


2009

O ano da consolidação do Crefito-SP

por Francine Altheman e Paulo Cabral - Colaboração Magali Abdala

d

esde 2004, o Crefito-SP tem uma administração preocupada com a eficácia de sua gestão. O conselho tem investido na reconstrução de sua infraestrutura e da fiscalização, além de transformar o trabalho, antes burocrático e cartorial, em um sistema totalmente informatizado, automatizando suas atribuições e abolindo o uso do papel. Não é à toa que tem alcançado índices não vistos

nem nas maiores empresas privadas do país. O resultado desse trabalho é o reconhecimento cada vez maior das profissões de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, tanto pela população quanto pelo poder público. Apresentamos a seguir as conquistas e evoluções de alguns setores do Crefito-SP no ano de 2009. Essa é a nossa prestação de contas pra você!*

>> Infraestrutura

>> Gerenciamento

R$ 40 milhões

O DeFis, em

conjunto com o Departamento de Tecnologia da Informação, entrou na era da automatização de seus procedimentos, com seu trabalho realizado via web. O números apresentados em 2009 mostram que as práticas irregulares e denúncias estão diminuindo, devido ao trabalho eficaz da fiscalização em anos anteriores, coibindo atuações ilegais.

Notificações

1.911 2009 – 1.453 2008 –

das quais foram regularizadas (86,16%) Diminuição de 23,96% no número de notificações.

Denúncias

879 2009 – 461 2008 –

Diminuição de 47,77% no número de denúncias recebidas.

Patrimônio

R$ 10 milhões R$ 110 mil 2004

2008

2009

Superávit

R$ 2.1 milhões R$ 1.8 milhões

Sede

2008

12.352 10.594

2009

Subsedes (soma das 7)

17.984 17.152

Calçada Mão da Fama

Os 40 profissionais que se destacaram ao longo de 40 anos das profissões receberam uma homenagem ao ter o seu nome e um molde de sua mão na calçada da nova sede do Conselho.

Atendimento presencial

Em um ano, o atendimento presencial teve redução de 14,23% na sede e de 4,62% nas subsedes. É o efeito do atendimento via web.

2008

Arrecadação

2009

20% do que você paga para o Crefito-SP

vai direto para o Conselho Federal

Arte - Tommy Pissini

Ano

Crefito-SP

Crefito-SP

R$ 9.700.912

R$ 10.189.150

Fiscalização

Inauguração da nova sede

equipada com notebooks e internet banda larga móvel, integrando o Defis ao sistema de gerenciamento via web

VOIP

Novo sistema de telefonia via VOIP, uma moderna tecnologia de comunicação, que permite efetuar e receber chamadas pela internet

[14] *Os valores e referenciais tomam como base o exercício da gestão até 31 de dezembro de 2009.

No dia 26 de novembro de 2009, o Crefito-SP abriu as portas de sua nova sede, no coração da cidade de São Paulo. Moderna e equipada com o que há de melhor em tecnologia da informação, possui 2.400 metros de área construída, distribuídos em 12 andares.

Em conjunto com o Departamento de Tecnologia da Informação, a SeGer tem feito um gigantesco trabalho de digitalização e informatização de documentos, abolindo definitivamente a burocracia e o uso do papel (veja box na página 16). A meta é diminuir cada vez mais o atendimento presencial, para que todo o processo de inscrição seja feito via web.

Número de profissionais ativos

42.609 2009 – 50.576 2008 –

52.802 48.705

Profissionais ativos hoje

Fisioterapeutas

Coffito

R$ 2.425.228 2008

Coffito

R$ 2.547.287 2009

4.097

Terapeutas Ocupacionais

revista do crefito-sp .outubro.2010

revista do crefito-sp .outubro.2010

Secretaria Geral

[15]


Foto - Paulo Cabral

e d ú a s a d a d Vira 20mil participantes 500 mil emails enviados 7 mil atendimentos

[16]

Como funciona o sistema O armazenamento digital é feito no Data Center e segue os padrões da GED, utilizando normas para a captação de documentos, armazenamento de dados, catalogação, recuperação e segurança de informações, em um equipamento a prova de falhas. Desde de junho os registros iniciais de fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais já são digitais, possibilitando que o profissional não precise deixar nenhum tipo de papel para solicitar a LTT. É o Crefito-SP melhorando a vida dos profissionais e trabalhando com responsabilidade ambiental.

caixas eram necessárias para arquivar cerca de 35% dos prontuários

Palestras e audiências sobre saúde para a população: mais uma ação em prol da empregabilidade

Revista do

Crefito-SP 3 edições distribuídas 240 mil leitores

minutos era o tempo gasto para localizar um documento no arquivo

segundos é o tempo hoje gasto para localizar um prontuário

Campanha pela Empregabilidade e Remuneração

>> Divulgação das Profissões

60

10

Fotos - Arquivo Pessoal

630

Arte - Tommy Pissini

Os funcionários do Crefito-SP passaram por um treinamento para realizar os processos do trabalho, que incluem a preparação dos documentos, a digitalização feita em equipamentos modernos adquiridos para esse fim e a preparação do prontuário para descarte, que deverá ocorrer após publicação de portaria no Diário Oficial da União (DOU).

Assessoria de imprensa

Cartazes no metrô, outdoors, folhetos distribuídos em diversos locais e vídeo em homenagem ao 13 de outubro

Mais de 280 matérias publicadas em jornais, revistas, TVs, rádios e internet sobre Fisioterapia e Terapia Ocupacional

- O Presidente do Crefito-SP, Prof. Dr. Gil Lúcio Almeida, falou para mais de 110 mil pessoas em palestras e audiências públicas sobre saúde no Brasil - Projeto de inclusão de fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais nos Programas de Saúde dos municípios proposto e aceito em mais de 100 cidades - Ações judiciais em prol das profissões: observância da carga horária de 30 horas, respeito às atividades privativas de cada profissional, cujas competências também vem sendo defendidas em ações próprias; ações contra cursos profissionalizantes relacionados à reabilitação; entendimentos com a Anvisa; atuação em face da ANS na busca de implementar um amplo rol de procedimentos; trabalho conjunto com o Ministério do Trabalho para coibir as ofensas às leis trabalhistas

revista do crefito-sp .outubro.2010

Agilidade e praticidade. O Crefito-SP terminou de digitalizar, no final de setembro, todos os seus prontuários, e atingiu a meta de abolir definitivamente o uso do papel. Em nove meses, 61 mil cadastros foram transformados em arquivos digitais. Para realizar o procedimento, o Conselho optou pela Gestão Eletrônica de Documentos (GED), uma tecnologia que possibilita o gerenciamento de documentos em formato digital de forma segura. Essa prática traz uma série de benefícios. Dentre eles, a economia de espaço físico, a preservação do meio ambiente e a praticidade para consulta dos dados do profissional, o que agiliza o atendimento. Além disso, a partir de agora os formandos dos cursos de Fisioterapia e Terapia Ocupacional recebem, junto com a Licença Temporária de Trabalho (LTT), o registro no formato digital, sem necessidade dos documentos que antes ficavam em pastas no Conselho.

Mão de obra

A efetiva mobilização dos profissionais contra o projeto de lei do Ato Médico

Fotos - Reprodução

revista do crefito-sp .outubro.2010

Digitalização de processos realizados pelo Crefito-SP tornou a vida do profissional mais fácil

Diversos atos contra o Ato Médico foram realizados em 2009

Ato Médico

Prontuários arquivados em prateleiras tornavam o atendimento ao profissional mais demorado

Menos papel e mais tecnologia

Fotos - Arquivo Pessoal

>> Defesa das Profissões

>> Gerenciamento

[17]


13 de outubro

[18]

trô, nos ônibus, em salas de cinema e ainda ouvir nossa mensagem na Rádio Capital. Especialmente para você, profissional, preparamos paper toys, bonequinhos fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais. Você pode recortá-los e montá-los, para enfeitar sua clínica, consultório ou mesmo sua residência. Parabéns Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional!

revista do crefito-sp .outubro.2010

Arte - Tommy Pissini

revista do crefito-sp .outubro.2010

41 anos. Essa é a idade que a Fisioterapia e a Terapia Ocupacional completa neste 13 de outubro. Ainda muito jovens, essas profissões já fazem a diferença na vida das pessoas. Porque são as mãos de fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais que cuidam da saúde de todos nós. A homenagem do CrefitoSP este ano está na TV e no rádio. Você pode ver nossos vídeos na Rede TV, no me-

[19]


o am r

revista do crefito-sp .outubro.2010

Ar t

e-

Tom

my

Pi s

sin

i

se

[20]

No mês em que se comemora os 41 anos da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional, profissionais das mais diversas áreas declaram seu amor pela profissão

Sempre pratiquei esportes. Surgiam as contusões e quem me reabilitava era o fisioterapeuta Dr. José Fernando Ramazotti, que despertou em mim o desejo de ser um profissional que contribui para o bem-estar das pessoas. Mesmo enfrentando grandes dificuldades para chegar até o tão sonhado diploma, agradeço a Deus e a todas as pessoas que tanto me ajudaram nessa caminhada!”

Amo  a fisioterapia por ser uma profissão  que me dá a oportunidade de contato maior com o paciente para entendê-lo como um ser único e assim tratá-lo de maneira eficaz e não apenas com aplicação de protocolos. E ainda compreender que é necessário atuação em novas áreas. Ser fisioterapeuta me proporcionou tudo isso”

José Ricardo de Carvalho Zanatta Fisioterapeuta, especialista em Acupuntura

Kelly Ferrarezi Fisioterapeuta, atua na área de medicina do sono

Há 15 anos escutei que era esta a profissão do futuro e vejo que hoje é a profissão do presente. O grande desafio das ciências da saúde na atualidade é aumentar a expectativa de vida, livre de incapacidades. É hora de mostrar que cuidar da saúde funcional das pessoas é sinônimo de um Brasil mais sustentável, mais forte e com mais qualidade de vida” Eduardo Santana de Araújo Fisioterapeuta, atua na área de saúde pública/epidemiologia e no grupo CIF-Brasil

Ser terapeuta ocupacional me traz o privilégio de ter as atividades como constituintes de uma relação de cuidado que me possibilita proporcionar ao paciente a criação de coisas, obras nas quais ele possa imprimir sua singularidade. É uma forma de cuidado que pode levar o paciente a (re)encontrar condições de hospitalidade e acolhimento, portanto, de saúde, para ser quem é e fazer a partir do si mesmo em meio a outras pessoas” Marisa Takatori Terapeuta ocupacional da área de neurologia

Eu amo minha profissão porque a terapia ocupacional oferece novas possibilidades a quem a vida deu caminhos diferentes!” Elisa Ferrari Reis Terapeuta ocupacional, atua no atendimento de crianças e adolescentes com paralisia cerebral

revista do crefito-sp .outubro.2010

eu

[21]


eu

o m a ser Ar te

- Tom

my P

issini

Eu amo ser fisioterapeuta por poder ajudar o próximo, promover a saúde, o conforto e o bem-estar. Por reabilitar. Amo ver que as minhas mãos fazem verdadeiros milagres e trazem de volta aquilo que parecia perdido. São muitas horas trabalhadas, noites em claro, finais de semana longe de casa, que são recompensados com um simples sorriso ao ver uma conquista”

Amo ser fisioterapeuta porque não existe sensação melhor do que a de ajudar uma pessoa que necessita. É recompensador quando um paciente agradece por você ter sido o seu anjo da guarda. Podemos mudar o rumo de uma história em poucas sessões. Ser fisioterapeuta é descobrir no toque das nossas mãos a força exata para intervir na dor, a mobilidade necessária para transformar o que parecia impossível”

Ser fisioterapeuta é mudar o rumo da história de alguém... Saber que através de nossas mãos e conhecimento podemos propiciar uma melhor qualidade de vida e, no final, receber grandiosas recompensas, como um sorriso, um obrigado” Elisa Stellzer Gonçalves Arias Fisioterapeuta, especialista em Dermato-Funcional e Onco-Funcional

Lígia Funes Gonçalves Fisioterapeuta da área de ortopedia postural

[22]

Decidi cursar fisioterapia porque queria algo mais. Queria acompanhar de perto a reabilitação do paciente, caminhar com ele, descobrir caminhos e alternativas, lutar pela sua qualidade de vida. Poético isso, não? Mas é exatamente assim que tenho trabalhado até hoje, com poesia e muita perseverança! O sorriso de uma mãe, o beijo de uma criança, o olhar de carinho de um pai agradecido... tudo isso vale a pena” Nilcea Helena Custódio Trigo Fisioterapeuta da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Barueri

Amo ser fisioterapeuta porque posso trabalhar para minimizar ou até eliminar a dor dos meus pacientes, reabilitar sua capacidade funcional e assim deixá-los satisfeitos e felizes. A consequência disso? Receber aquele abraço caloroso de agradecimento e a satisfação do dever cumprido” Carla Barrufi Negri Fisioterapeuta, especialista em Traumato-Ortopédica

Quando uma profissão permite o retorno de satisfação do cliente, principalmente no que se diz respeito à melhoria da qualidade de vida, focando a saúde física, psíquica e social, traz ao profissional da área uma certeza de conquista dos objetivos propostos, incentivando ainda mais a busca de um contínuo aperfeiçoamento. É por isso que eu amo a fisioterapia” Camila Granusso Fisioterapeuta, especialista em Dermato-Funcional

//Na internet: Confira mais depoimentos no site: www.crefitosp.gov.br

Eu amo ser terapeuta ocupacional porque através das atividades auxilio as pessoas a recuperarem ou adquirirem independência. Acredito que o domínio de nossos desejos e atitudes e a capacidade de realizá-los fazem o homem dono de suas ações, tornando-se agente de sua vida e de seu processo de reabilitação. E, para ajudar nesse processo, eu, terapeuta ocupacional, tenho que dar tudo de mim: competência, compreensão, dedicação e muita criatividade” Eliane Cukierman Terapeuta Ocupacional, atua nas áreas de terapia da mão, ergonomia e consultoria de empresas

revista do crefito-sp .outubro.2010

revista do crefito-sp .outubro.2010

Priscila Yamasaki Fisioterapeuta da área cardiorrespiratória hospitalar

[23]


amigo O melhor

As primeiras teorias sobre a influência positiva dos animais no tratamento de doenças foram formuladas em 1792, quando o comerciante William Tuke utilizou animais no centro inglês York Retreat, instituição que fundou para cuidar de pacientes com distúrbios neurológicos e doenças mentais. Desde então, a aplicação do método vem crescendo em todo o mundo e se expandido para várias áreas da saúde. Apesar de ser uma terapia complementar, não substituindo o tratamento tradicional de fisioterapia ou terapia ocupacional, a TAA ajuda o paciente a ter mais estímulo no trabalho de recuperação. É indicada para pessoas de todas as idades, com ressalva aos pacientes imunodeprimidos, de estado moderado a grave. Os animais são rigorosamente selecionados e adestrados. Além de estarem com a saúde em dia, precisam ser calmos e não podem reagir agressivamente aos estímulos.

do paciente

Animais são usados como estímulo em sessões de fisioterapia e terapia ocupacional

Elida Pinaffi, com a bernese Flora, no asilo Recanto da Vovó

j

por Juliana Menezes

[24]

por Animais (TAA) e a Atividade Assistida por Animais (AAA) são exemplos de como essa relação pode proporcionar muitos benefícios às pessoas. O trabalho desenvolvido com cães e cavalos vem crescendo no país e conquistando ótimos resultados.

A FISIOTERAPIA COM A AJUDA DOS CÃES Muitas atividades são feitas com o auxílio do cão. Através dos lançamentos de diferentes objetos para o cão buscar, são trabalhados os membros superiores. Também podem ser exercitados os membros inferiores, quando o paciente chuFotos - Juliana Menezes

revista do crefito-sp .outubro.2010

á faz tempo que o melhor amigo do homem, o cão, é tratado como membro da família. O que pouca gente sabe é que alguns animais podem atuar como coterapeutas em sessões de fisioterapia e terapia ocupacional. A Terapia Assistida

Idosas do asilo Recanto da Vovó numa sessão de TAA

A terapia e atividade assistidas por animais (TAA e AA) são atividades multidisciplinares e envolvem profissionais de várias áreas da saúde como psicólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, entre outros.

Doralice Melo com a pug Filó

A fisioterapia assistida por cães em idosos é realizada com o objetivo de prevenir e retardar as alterações musculoesqueléticas próprias do processo de envelhecimento

ta bolas com diferentes tamanhos e pesos. Nesse caso, o objetivo é conseguir equilíbrio, força e coordenação. Quando o paciente faz a escovação dos pelos do animal são trabalhados força, equilíbrio de tronco e os membros superiores. Os pacientes sentados levantam as pernas para o cão passar por baixo, possibilitando um fortalecimento dos membros inferiores, o que eles chamam de túnel. A fisioterapia assistida por cães em idosos é realizada com o objetivo de prevenir e retardar as alterações musculoesqueléticas próprias do processo de envelhecimento, visando uma melhor qualidade de vida. Acaba ocorrendo uma melhora também no estado psicológico, diminuindo os casos de depressão comuns nessa faixa etária. “O diferencial dessa terapia é a motivação. A vontade com que o paciente faz a fisioterapia quando os cachorros estão presentes é bem maior”, diz Dr. Vinícius Fava Ribeiro, que desenvolve o trabalho com cães junto a idosos que vivem no asilo Recanto da Vovó em Cotia (SP), e com crianças autistas no Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo. Dr. Vinicius foi pioneiro na união da TAA à fisioterapia. A pesquisa desenvolvida no ano de 2002, com idosos institucionalizados, foi orientada pela fisioterapeuta professora Dra. Claudinéa Yamashiro, que desde então trabalha na área.

revista do crefito-sp .outubro.2010

MULTIDISCIPLINAR

[25]


Ajuda dos cães A rotina de exercícios executados pelos idosos

Flora é uma bernese

Fotos - Juliana Menezes

mountain dog, tem cinco anos e foi doada para o Dr. Vinicius Fava Ribeiro

Filó é uma pug , tem um

Dr. Vinicius com a paciente Maria Faria

ESTÍMULO PARA O PACIENTE A TAA é uma terapia complementar, não substitui o tratamento tradicional, mas ajuda o paciente a ter mais estímulo no trabalho de recuperação.

ano e meio, foi abandonada em uma clínica veterinária. Por ser dócil e calma, hoje ajuda na TAA

Variação

Variação do exercício da figura 4, desta vez em pé. Trabalha fortalecimento de membros inferiores e equilíbrio

A escolha

Arte - Tommy Pissini

Idosa escolhe um dos cães para os exercícios

Passagem

Contato

O cão é levado até a idosa, que deve escolher um comando para o cão realizar

Passagem de objeto, o qual o cão tenta pegar. O objetivo é trabalhar diferentes movimentos de tronco e membros superiores

Túnel

Túnel com os membros inferiores

//Na internet: Confira a infografia animada em

[26]

Dra. Claudinéa afirma que o convívio com os cães traz benefícios aos pacientes. “Tudo o que temos dificuldade em fazer ou ganhar na fisioterapia convencional conseguimos com a TAA”, diz ela, que também trabalha com idosos na instituição Vivência Feliz, em São Paulo. As pessoas estão despertando para a importância do convívio com os animais, afinal de contas essa relação pode fazer bem à saúde. Um estudo publicado no American Journal of Cardiology (EUA) demonstrou que o con-

vívio com animais ajuda a controlar o estresse e reduz o risco de problemas cardiovasculares. Pesquisas médicas na Austrália também concluíram que donos de bichos de estimação se consultam com menor frequência em clínicos gerais e necessitam de menos medicação que as outras pessoas. Uma das principais barreiras para a terapia crescer no Brasil ainda é a falta de produção científica na área. “Existem poucas pesquisas nacionais de grande impacto”, lamenta o fisioterapeuta Dr. Vinicius.

A AJUDA DOS CÃES NA TERAPIA OCUPACIONAL O diferencial dessa terapia é a motivação. A vontade com que o paciente faz a fisioterapia quando os cachorros estão presentes é bem maior” Dr. Vinicius fisioterapeuta

Na terapia ocupacional o animal ajuda os pacientes na realização dos treinos de Atividades de Vida Diária (AVDs). Um exemplo é o ato da escovação dos pelos, quando são treinadas coordenação motora fina e de abdução da mão, força muscular e flexão dos membros superiores. Com portadores de Alzheimer é possível trabalhar a memória. Pesquisa científica divulgada em

2006 no The American Journal of Occupational Therapy mostra benefícios que a inclusão dos animais às sessões de terapia ocupacional trouxeram também às crianças autistas. Segundo a terapeuta ocupacional do projeto Pêlo Próximo, Dra. Luciana Pellagaggi, a utilização do animal desperta a curiosidade dos autistas com dificuldade na comunicação visual e com grande aversão ao toque. Os animais fazem com que o autista saia do seu mundo e se conecte com nossa realida-

de. “Os ganhos são enormes, sendo mais uma vez o animal um facilitador”, diz Dra. Luciana. O projeto carioca Pêlo Próximo realiza visitas em instituições com crianças especiais ou idosos, escolas, orfanatos e hospitais. A entidade tem em sua equipe de “terapeutas” vinte cães e duas aves calopsitas. Como os estudos na área são escassos, Dra. Luciana considera importante que os estudantes entrem em contato com o assunto já durante a graduação.

revista do crefito-sp .outubro.2010

revista do crefito-sp .outubro.2010

www.crefito.com.br/imp/revista/fisiocomanimais.html

[27]


Eu indico a equoterapia porque minha filha melhorou muito. Isabelly está mais concentrada e realiza atividades que antes não executava” Allyne Cassiano com a sua filha Isabelly, 3 anos, que frequenta sessões de equoterapia desde o início do ano

[28]

Segundo a terapeuta ocupacional Dra. Silvia Salgado, do Colégio Paulicéia, que desenvolve trabalho no Gati, a disposição das crianças nas sessões com os cavalos é grande. “O animal traz motivação e interesse. Além disso, é possível desempenhar um trabalho global, trabalhando o cognitivo, o motor e o psicossocial”, diz. A equoterapia é indicada para o tratamento dos mais diferentes distúrbios como autismo, síndrome de down, déficit de atenção, atraso psicomotor, paralisia cerebral, entre outros. Mas a procura maior ainda é para o tratamento de doenças relacionadas à área motora. O exercício sobre o cavalo possibilita ao paciente ganho de força muscular e equilíbrio de tronco. Quando se está em pé no animal é possível fortalecer a musculatura dos membros inferiores. Durante as sessões de equoterapia os pacientes são acompanhados pelos profissionais e o cavalo tem a monitoria de um instrutor de equitação, com curso voltado à equoterapia. Os cavalos devem ser castrados, ter mais de seis anos, além de apresentarem uma andadura correta para a atividade.

Exercício sobre o cavalo A terapia proporciona ganho de força muscular e equilíbrio de tronco ao paciente

O pônei é usado na equoterapia somente para a aproximação ou equitação lúdica Músculos trabalhados MEMBROS SUPERIORES

Deltoide, bíceps, tríceps, peitoral, movimento de abdução

DORSO

Grande dorsal,

romboide, redondo da escápula, levantador da escápula,trapézio

Músculos abdominais (reto,oblíquo)

MEMBROS INFERIORES

Adutores e flexores

da coxa, movimento de adução

Extensores dos

dedos,tibial anterior (panturrilha),movimento de plantiflexão

A terapia é indicada a partir dos dois anos de idade, porque nessa faixa etária já se tem condições físicas para os exercícios. A contraindicação existe para quem apresenta alguma luxação de quadril ou escoliose acima de 30°. Segundo a fisioterapeuta Dra. Paula Moreira, no caso dos portadores da síndrome de down é necessário fazer um exame de imagem para saber se existe alguma instabilidade atlanto axial. Foi buscando os benefícios da equoterapia que Allyne Cassiano, 25, começou a levar sua filha Isabelly Cassiano de Oliveira, 3, todas as segundas para o tratamento no Gati. A menina possui atraso psicomotor e frequenta o grupo desde o começo do ano. “Foi essencial para o desenvolvimento da Isabelly. Em três meses ela já estava andando”, comemora Allyne. Além da equoterapia semanal, com sessões de 45 minutos, Isabelly frequenta a fonoaudióloga e faz fisioterapia tradicional. “Eu indico a equoterapia porque minha filha melhorou muito. Isabelly está mais concentrada e realiza atividades que antes não executava”, afirma a mãe.

revista do crefito-sp .outubro.2010

Esse método utiliza o cavalo como facilitador para o tratamento de pessoas portadoras de necessidades especiais e deficiência, através de uma abordagem interdisciplinar nas áreas de equitação, saúde e educação. De acordo com a literatura médica européia, o grego Hipócrates (458377 a.C.), “pai da medicina”, já usava o animal para ajudar na recuperação da saúde de seus pacientes. No Brasil, a terapia ganhou força com a fundação da Associação Brasileira de Equoterapia (Ande), em 1989. “A equoterapia é usada como um tratamento complementar, não substitui a fisioterapia tradicional. Em pacientes que não andam, por exemplo, o passo do cavalo traz uma sensação dessa ação, pelo movimento tridimensional”, diz a fisioterapeuta Dra. Paula Moreira Clemente, membro do Grupo de Abordagem Terapêutica Integrada (Gati). Coordenado pela psicopedagoga Dra. Liana Pires, que trabalha com animais há vinte anos, o Gati oferece um trabalho multiprofissional nas áreas de equoterapia e a chamada pet terapia, a TAA com os cães.

A paciente Lúcia Hortência Pissani, 5 anos, durante sessão de equoterapia no Gati

Allyne Cassiano

Arte - Tommy Pissini

revista do crefito-sp .outubro.2010

A EQUOTERAPIA

A equoterapia é considerada recurso terapêutico da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional pelo Coffito através da Resolução nº. 348, de 27 de março de 2008. Também é reconhecida como método terapêutico desde 1997 pelo Conselho Federal de Medicina.

Fotos - Juliana Menezes

RECONHECIMENTO

[29]


palavras palavras

Fotos - Lúcia

Passafaro

Maispalavras que palavras

nte de e a assiste no grupo, r Saliba Filho s o n a 6 á ireto na, h Davi Fortu cerda. Ao fundo, o d a La n a li Ju la u a

Organização usa o teatro para ajudar afásicos a ampliar sua comunicação e ganhar autoestima

Familiares e acompanhantes também participam das atividades

por Lúcia Passafaro Peres

[30]

Em 1988, Nicholas Wahba sofreu um acidente de carro ao pegar uma carona. “Saí do hospital sem falar absolutamente nada”, lembra. Cerca de um ano depois, já com auxílio da fonoaudiologia, entrou no grupo de teatro Atíria, onde permaneceu cinco anos. Com a evolução de sua fala, o diretor Helio Braga propôs que interpretasse o papel de Cleonte na peça O Burguês Fidalgo, de Molière. Nicholas quis desistir ao descobrir o tamanho do texto, porém o diretor o encorajou a continuar. O aluno decorou o texto e se surpreendeu com seu desempenho no final. Para levar a outros afásicos os benefícios do teatro, Nicholas, junto à fonoaudióloga Fernanda Papaterra Limongi, iniciou em 2002 um grupo que se transformaria na atual Ser em Cena. Especializou-se na área e fez cursos de palhaço e mímica com diversos professores. Hoje, ex-afásico, é coordenador da Ser em Cena e está montando um quarto grupo para jovens.

Piadas em Quadrinho, baseada na obra do argentino Joaquìn Lavado, o Quino, é a peça mais recente do grupo

Nicholas, ex-afásico, com o quadro que comprou aos oito anos de idade

consciente. “É importante que o cuidador perceba que o paciente consegue se comunicar, mas não necessariamente da forma que ele espera”, diz a fisioterapeuta Dra. Dulcemar Batista Alves, que atua no grupo de afasia do Lar Escola São Francisco, instituição parceira da Ser em Cena. As situações constrangedoras vividas por muitos afásicos podem gerar angústias e afastamento do convívio social. O diretor Saliba explica que o teatro explora outras formas de se comunicar e de observar os acontecimentos do dia a dia. “Então o ator começa a compreender o mundo melhor, a ser menos vítima. E como aqui a gente brinca muito, eles se tornam menos sensíveis nesse ponto de querer recuar ou não participar”, diz. O trabalho em grupo resulta também em espetáculos, apresentados em teatros como Bibi Ferreira, Teatro Imprensa e Tuca Arena – PUC. As peças vêm emocionando muita gente e contribuindo para ampliar na sociedade o conhecimento sobre a realidade dos afásicos e para diminuir o preconceito. Além disso, as apresentações têm atraído alguns apoios. Hoje a organização se mantém por doações de pessoas físicas e jurídicas.

revista do crefito-sp .outubro.2010

COMO SURGIU?

Foto - Divulgação

revista do crefito-sp .outubro.2010

f

isioterapeutas e terapeutas ocupacionais que atendem pessoas com lesão cerebral causada por AVC ou outros acidentes sabem que, além da restrição de movimento, a dificuldade de comunicação é um grande empecilho para elas. Muitas vezes esses pacientes se deparam com a impaciência e incompreensão dos outros devido à fala alterada. Pedir um café na padaria, por exemplo, pode ser uma complicação. Com o objetivo de ajudar na comunicação dessas pessoas e de levar à população mais informações sobre a afasia, como é chamado esse distúrbio da fala, foi fundada a Ser em Cena, há oito anos. Cerca de 70 afásicos, divididos em três grupos, praticam teatro na organização, fortalecendo a comunicação, a autoestima, e assim, o convívio em sociedade. As atividades, guiadas pelo diretor teatral Saliba Filho, e acompanhadas por profissionais de diversas áreas da saúde, envolvem mímica, canto, dança e muito bom-humor. Os familiares e acompanhantes também participam das atividades. Esse contato com o grupo auxilia as pessoas que convivem com o afásico a entender a sua nova situação e aprender a lidar com ela de uma forma mais

[31]


tas NOTAS

Foto - sxc.hu

no

FISIOTERAPEUTAS DE SÃO PAULO GANHAM NOVA FORÇA Afesp foi fundada para representar os profissionais em todo o Estado

[32]

cação dos fisioterapeutas no Estado, organizando eventos culturais relacionados à profissão. Na sede da Afesp, em São Paulo, o associado pode realizar cursos de aperfeiçoamento em diversas áreas da Fisioterapia. Futuramente serão oferecidos cursos de especialização Lato sensu, através de acordos com instituições de ensino superior. Uma biblioteca com um acervo de dois mil livros para consulta dos profissionais associados também foi criada no local. A Afesp também vai oferecer assessoria jurídica e contábil, adesão diferenciada a planos de saúde, descontos em seguros nas diversas áreas e futura comercialização de equipamentos, com condições especiais para os associados. Estudantes também podem se associar e usufruir de todos os benefícios. Inscrições e informações: www.afesp.org.br Telefone: (11) 5591-2255 Endereço: Rua Cincinato Braga, 59, 4º andar – São Paulo Profissionais e estudantes podem se associar gratuitamente por enquanto.

Fotos - sxc.hu

É importante para todo profissional ter o apoio de uma associação, um lugar para discutir ideias, fazer cursos de reciclagem, além de contar com outros benefícios que só a atuação coletiva proporciona. Com esse intuito, foi criada a Associação de Fisioterapeutas do Estado de São Paulo (Afesp), para se tornar um grande polo representativo para os fisioterapeutas do nosso Estado. Fundada em 28 de agosto de 2009, a Afesp tem como principal missão  somar forças e representar as aspirações dos participantes junto ao Poder Público e à iniciativa privada. “Nosso objetivo é efetivar um órgão representativo no Estado, que abra frentes de trabalho”, afirma o presidente eleito da Associação, o fisioterapeuta Dr. Carlos Henrique Bruxelas de Freitas Filho. Constituem finalidades da Afesp trabalhar por melhor remuneração da categoria e maior reconhecimento da profissão na sociedade, através de implementação de ações judiciais junto ao Poder Judiciário, a fim de se atingir  regulamentação profissional com diretrizes legais mais claras. Além disso, a entidade também deseja fomentar a qualifi-

ENCONTRO DE FISIOTERAPIA DERMATO-FUNCIONAL EM FORTALEZA A cidade de Fortaleza (CE) será sede do III Congresso Norte e Nordeste de Fisioterapia Dermato-Funcional, que será realizado no período de 18 a 20 de novembro junto com a II Expofisio de Dermato-Funcional e o I Fórum sobre a titulação de especialista em Dermato-funcional. O Crefito-6 e a Associação Brasileira de Fisioterapia Dermato-funcional (Abrafidef) participam da realização do Congresso. Além de contar com uma extensa programação científica, o evento tem a finalidade de divulgar a associação nas regiões norte e nordeste e as no-

vas diretrizes para obtenção do título de especialista, estimulando assim o aprimoramento profissional. Está confirmada a presença dos seguintes palestrantes: Dr. Oscar Ronzio (Argentina), Dra. Patrícia Froes (RN), Dra. Bernadete Pitta (PE), Dra. Mariane Altomare (RJ), Dra. Elaine Guirro ( SP), Dra. Maria Silva Campos (SP), Dra. Ana Christina Henriques (CE), Dra. Renata Bessa (CE), Dr. Flávio Feitosa (CE), Dr. Olavo Ximenes (CE) e Dra. Cristina Santiago (CE). Informações e inscrições: www.abrafidef.org.br

revista do crefito-sp .outubro.2010

revista do crefito-sp .outubro.2010

por Juliana Menezes

[33]


ações INFORMAÇÕES

inform

Novo sistema de telefonia

Fotos - sxc.hu

Uma nova e moderna TECNOLOGIA de comunicação na área de TELEFONIA está sendo implantada na nova sede do CREFITO-SP. É o sistema VOIP, em que é possível efetuar e receber chamadas pela INTERNET. Por isso, o sistema de telefonia do CONSELHO está em fase de implantação e TRANSIÇÃO e alguns inconvenientes podem ocorrer nesse PERÍODO. Pedimos DESCULPAS pelos transtornos causados aos PROFISSIONAIS que tentam entrar em contato com o Conselho.

revista do crefito-sp .outubro.2010

TERAPIA OCUPACIONAL NOS PRESÍDIOS

[34]

As penitenciárias federais agora têm atendimento na área de terapia ocupacional. A medida passou a valer desde 24 de maio, data da publicação da portaria nº 287, de 14 de maio de 2010, do Departamento Penitenciário Nacional. Segundo a portaria, o atendimento fica sob a responsabilidade de um terapeuta ocupacional. A nova normativa veio acrescentar os artigos 66-A, 66-B, e 66-C, à portaria n°63, de 08 de abril de 2009. O terapeuta ocupacional desempenhará funções como: atuar na

promoção e na gestão de projetos de qualificação profissional; planejar, acompanhar e supervisionar ações ligadas à oferta e execução do trabalho pelo interno; realizar ações de reabilitação; acolher os usuários bem como suas famílias e humanizar a atenção a Educação, Saúde, Trabalho e Psicosocial, entre outras áreas. A sala destinada ao atendimento terapêutico ocupacional deverá contar com os materiais necessários ao exercício da atividade e ao bom atendimento do preso.

//Contato:

Email SeGer srp@crefitosp.gov.br / sre@crefitosp.gov.br Financeiro financeiro@crefitosp.gov.br Ouvidoria ouvidoria@crefitosp.gov.br

SUBSEDES Os profissionais do interior do Estado devem entrar em contato com a subsede mais próxima de sua cidade:

Novo Telefone da Sede (11) 3252-2255 Endereço Rua Cincinato Braga, 277

Campinas (19) 3295-9361 Marília (14) 3454-4827 Presidente Prudente (18) 3916-6919 São José do Rio Preto (17) 3212-9381 Ribeirão Preto (16) 3635-8307 Santos (13) 3225-7670 São José dos Campos (12) 3911-9022

Bela Vista - CEP 01333-011 São Paulo-SP


13 de outubro

41 anos de

fisioterapia e terapia ocupacional Veja a homenagem do Crefito-SP na programação da Rede TV

crefitosp.gov.br

www.


Revista CrefitoSP - Ano 7 Edição 3