Page 1

P r é m i o Ta l e n t o 2 0 0 9 De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017

EDIÇÃO N° 709 • ANO 17 • DEPÓSITO LEGAL: 199901DF222 • BS. 500

DIPLOMACIA

“Portugal tem sempre uma posição construtiva relativamente ao objetivo de encontrar soluções que consolidem a democracia, devolvam tranquilidade e forneçam perspetivas para a nossa comunidade em termos de futuro”, acentuou. /P.5

Carlos Nuno Almeida de Sousa Amaro é o novo Embaixador luso O diplomata substitui Fernando Teles Fazendeiro, que vai agora para România. Recorde-se que, previamente, Augusto Santos Silva garantiu no parlamento que não haveria interrupção entre a saída do embaixador colocado em Caracas e a entrada do seu sucessor. /P.4 PUB

BILATERAL

Chanceleres de Venezuela e Portugal encontram-se nos EUA Os altos funcionários abordaram temas de interesse para ambas as nações como o avanço dos convénios de cooperação bilateral que algumas empresas lusas realizam em terras venezuelanas e a possível planificação de uma nova reunião da Comissão Mista. /P.5

COMUNIDADE

O escritório de representação na cidade de Caracas, capital crioula, fechou as suas portas em finais de agosto. Po r t u g u e s e s a r e s i d i r n a Ve n e z u e l a m o s t r a r a m - s e incomodados com a decisão tomada pela direção do Banco em terras ibéricas. /P.4

Costa: Portugal empenhado numa posição construtiva para a Venezuela COMUNIDADE

BPI fecha Escritório de Representação na Venezuela

Lesados do BES exigem solução semelhante à dos clientes nacionais /P.7

MADEIRA

@correiodvzla

500 recorreram ao Gabinete do Emigrante da Venezuela /P.14

VENEZUELA

@correiodvzla

Portugal poderia acompanhar diálogo político /P.6

PORTUGAL

Correio de Venezuela

Retorno de emigrantes aumenta alunos por turma /P.15


2 Editorial

De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017 | Correio da Venezuela

cartas do leitor Exonerar equivalências

Ao BPI: Nem todos podem viajar

Um dos requisitos para a tramitação da nacionalidade portuguesa é a certidão de nascimento do solicitante em dia, equivalentes para Portugal, e traduzida para a língua portuguesa, mas como todos sabemos é praticamente impossível obter uma entrevista na Internet na página do MPPRE, pois por agora não estão a dar entrevistas. Recentemente, o Governo do Perú anunciou a exoneração das equivalências nos títulos universitários dos venezuelanos que emigram para o Perú, o que quer dizer que os venezuelanos que emigram para o Perú já não têm que pedir equivalência dos seus títulos universitários antes de se ir embora, nem têm de passar pelo problema de pernoitar semanas à espera e que o site do MPPRE lhes dê uma entrevista. Isto me fez pensar: E que se várias pessoas assinarmos uma petição a pedir aos Consulados de Portugal na Venezuela a exoneração das equivalências nas certidões de nascimento para os que estão a pedir a nacionalidade portuguesa? Por exemplo, os lusodescendentes que estamos a fazer este trâmite e que vivemos em Miranda e Distrito Capital poderíamos nos organizar e reunir-nos um dia para assinar a petição e fazê-la chegar ao Cônsul de Portugal em Caracas. E o mesmo poderia ser feito pelos lusodescendentes que vivem nas diferentes regiões do país, a quem faríamos chegar petições assinadas pelos Cônsules das suas regiões (Maracaibo, Valencia, Maracay, etc). Este ano, já fui várias vezes ao Consulado de Portugal em Caracas e sempre que vou este está cheio de gente à procura de informação e a tratar de pedidos de nacionalidade. Acredito que a grande maioria dos que estamos a tratar dos pedidos de nacionalidade é para emigrar da Venezuela. O Consulado tem agilizado o processo para os seus trâmites e é mais rápido agora mas o que nos tem incomodado é o problema de não poder pedir equivalências da certidão de nascimento. Seria mais cómodo uma passagem de ida e volta para Portugal e depois ir à sede de Caracas do MPPRE para pedir equivalência dos papeis através de “casos especiais” e, de seguida, conseguir a nacionalidade diretamente através de Portugal. Mas emigrar dessa forma é mais custoso, e em contrapartida se se pede a nacionalidade estando aqui na Venezuela pode-se comprar uma passagem de avião apenas de ida e assim poupamos uma quantidade considerável de dinheiro e já não estamos em 2012 quando um dólar valia 15 Bs. Acredito que se nos unirmos umas 50 ou 100 pessoas para assinar uma petição e fazê-la chegar aos Cônsules, poderiam ao menos considerar exonerar o processo da equivalência para os processos.

É lamentável que o BPI tenha decidido fechar a sua agência de representação em Caracas. O encerramento das suas agências prejudica todos os clientes, pois vocês sabem muito bem que nós emigrantes vivemos neste desastre de país. É a única fonte de representação para solucionar qualquer situação que se pode apresentar. Nem todos podem viajar. No meu caso, tenho compromissos com o banco, como resolvo e os cumpro? Para além do mais, nem todos temos a possibilidade nem a situação é propícia para viajar com esta loucura de controlo cambiário e a legalidade de possuir ou transportar dinheiro em moeda estrangeira. Parece-me que devem ter este assunto como prioridade para aqueles que não têm dinheiro nem representantes para resolver assuntos assumidos onde existem contratos e prestações com o banco. Tenham consideração e um pouco mais de sanidade e respeito com os seus clientes. Coloquem-se na pele dos seus clientes.

Paola

Odilia Dos Reis

Envie-nos a sua carta ou comentário para: correio.prensa@gmail.com

fotoflash O Banco BPI, agora controlado pelo banco CaixaBank, que detém mais de 80% do capital, fecha o Escritório de Representação em Caracas, cortando – na pior altura– a única ligação física entre a comunidade lusa a residir na Venezuela e a instituição. Os portugueses e os lusodescendentes que têm conta no BPI estão justamente revoltados porque, para tratar de um assunto com o banco que não possa ser resolvido via e-mail, telefone, fax ou Internet, estes teriam que voar até Portugal. E, como se não fosse perfeitamente absurda esta questão, se alguém se aventurar a comprar uma viagem, enfrenta o ridículo de encontrar viagens absurdamente caras… Para colmatar, no site do BPI, nos “Contactos”, o banco informa, em “O BPI no Exterior”, que o Escritório de Representação em Caracas está em funcionamento, induzindo o cliente em erro e fazendo mesmo com que este possa deslocar-se até ao local em vão, à procura de algum esclarecimento ou com o intuito de tratar de alguma diligência. Lamentável… De referir, ainda, que em Portugal, um pouco por todo o país, o banco já fechou mais de cem balcões e, se a informação no site está correta, terá ainda abertos sucursais ou escritórios de representação no exterior, nomeadamente nos Estados Unidos da América, em Espanha, França, Suíça e África do Sul.

Grupo Editorial

www.correiodevenezuela.com Rif.: J-40058840-5

Diretor Aleixo Vieira Gerente: Sergio Ferreira Soares Endereço: Av. Veracruz. Edif. La Hacienda. Piso 5, ofic. 35F. Las Mercedes, Caracas. Telefones: (0212) 9932026 / 9571 Telefax: (0212) 9916448 E-mail: editorial@correiodevenezuela.com Site: www.correiodevenezuela.com

Chefe de redação Sergio Ferreira |Jornalistas Ommyra Moreno, Victoria Urdaneta, Kenner Prieto, Antonio Da Silva |Correspondentes Edgar Barreto (Falcón), José Manuel De Oliveira (Falcón), Carlos Balaguera (Carabobo), Sandra Rodríguez (Aragua), Trinidad Macedo (Lara), Silvia K. Gonçalves (Bolívar), Mariana Santos (Nueva Esparta), Luis Canha (Mérida), Carlos Marques (Mérida), Daniela García (Miranda), Antonio Dos Santos (Zulia) |Colaborações Catanho Fernandes, Sónia Gonçalves, Arelys Gonçalves, Antonio López Villegas, Isabel Idárraga, Serafim Marques, António Delgado, Daniel Bastos |Publicidade e Marketing Sergio Ferreira |Paginação Elsa de Sá |Fotografia Francisco Garrett |Administração Jesús Quijada, M. Liliana Batista |Distribuição Luis Alvarado, Carlos A. Perregil R. |Impressão Impresiones Newsprinter. Caracas -Venezuela |Tiragem 15.000 exemplares |Fontes de Informação Agência Lusa, Diário de Notícias, Diário de Notícias da Madeira, Ilhapress, Portuguese News Network e intercâmbio com publicações em língua portuguesa.


Correio da Venezuela | De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017

Publicidade 3


4 Venezuela

De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017 | Correio da Venezuela

BANCA

BPI fecha escritório de representação em Caracas SERGIO FERREIRA SOARES

Uma notícia lamentável para os clientes na Venezuela do Banco Português de Investimento (BPI): o escritório de representação na cidade de Caracas, capital crioula, fechou as suas portas em finais de agosto. A referida sede, que se localizava no Centro Coinada da avenida San Felipe, em La Castellana – Chacao, tem desde a altura uma folha afixada na sua entrada onde garante: “Por questões operacionais, o escritório está encerrada momentaneamente. Pode contactar o seu gestor de conta na sua sucursal em Portugal ou, caso prefira, enviar um e-mail com os seus dados pessoais para bancobpi@mail. bancobpi.pt solicitando que o seu gestor de conta em Portugal entre em contacto consigo”. O CORREIO tentou entrar em contacto com o banco através do referido correio eletrónico mas não obteve qualquer resposta. Da mesma forma, foi enviado um pedido de entrevista a Miguel Andrade, que atuou como representante da instituição bancária na Venezuela, mas não foi respondida a solicitude; motivo pelo qual pouco se sabe oficialmente sobre a decisão. Após termos dado a conhecer a notícia, portugueses a residir na Venezuela que têm compromissos assumidos com a instituição financeira mostraram-se incomodados com a decisão tomada pela direção do Banco em terras ibéricas. «Se nós, imigrantes, fomos bons clientes para estes bancos há algum tempo, porque é que agora não são capazes de manter um serviço medianamente decente? Fechar por completo a oficina de atendimento é muito grave», expressou Hersilia Barbosa. «Isto não é forma de atender os

seus clientes. Resolvam o quanto antes o problema: precisamos de uma solução. Deixam os seus clientes muito mal, sem poder levantar o seu dinheiro e dizem-nos que nos vão enviar um cartão de multibanco por correio, mas este não chega a ninguém. Sejam sérios, por favor! Nem todos podemos pagar uma viagem para resolver este assunto. Resolvam isto em Caracas. Não é justo o que estão a fazer», disse Eugénia Maria Vieira Rodrigues, apoiada por Sandra Matos: «Não deviam fechar a agência. Ainda há muita comunidade portuguesa aqui». «Não estou de acordo. As pessoas não podem ir para Portugal; então conseguem ter o dinheiro preso. São uns abusadores», afirmou indignada Iliani Da Costa Camara. Exigências semelhantes foram as de Leonardo Pereira: «Como cliente, peço uma resposta séria à agência do BPI em Caracas, pois somos muitos afetados. É uma medida sem aviso prévio e exigimos como tal uma solução». Por seu lado, Zonia De Freitas assegura que a situação que está a acontecer na Venezuela merecia uma atenção especial por parte dos bancos lusitanos no país.

CASO DA SEMANA

Delinquente que tentava roubar carro de cidadão luso é abatido SERGIO FERREIRA SOARES

Um presumível delinquente foi abatido após ter enfrentado com tiros polícias da Brigada Motorizada da Polícia de Aragua, no dia 21 de setembro, após ter roubado o carro a um comerciante português. O acontecimento teve lu-

gar em La Victoria, município José Félix Ribas do Estado Aragua, por volta das 9h30. O falecido foi identificado como José Enrique Rodríguez, de 51 anos de idade, aliás “El Enriquito” ou “El Veterano de La Victoria”. Rodríguez e o seu amigo “El Negrito” estavam a ir a pé para o

DIPLOMACIA

Novo Embaixador de Portugal na Venezuela assume funções

«Muitos não podem viajar e têm que resolver as suas operações dos bancos por aqui, com pessoal atento e disponível para resolver as necessidades dos seus clientes. Uma pessoa não pode apanhar um autocarro para Portugal, como se fosse ali na esquina. Por favor… Não é forma de deixar os clientes, à deriva», argumentou a cidadã lusa. Luis de Nobrega Teixeira questiona-se onde pode reclamar o que é seu, pois «se já não temos possibilidades de viajar para o nosso país ou temos poucas, devido aos preços praticados, quanto mais para ir ao banco». Por outro lado, Joao Nunes questiona o que aconteceria com a estabilidade do banco se todos os que vivem na Venezuela fechassem a conta. Opinião diferente tem Mauricio Vieira, que garante que o BPI não tem culpa da situação do país e muito menos do governo que elegeram. Roberto Camara diz que a importância de uma representação incide no facto de haver trâmites que não podem ser feitos pela Internet. Hector Goncalves questiona se não deve ter em conta que existem muitas pessoas maiores que precisam de dar apoio à agência para tratar de burocracias.

Na semana passada, chegou a Caracas o novo Embaixador de Portugal na República Bolivariana da Venezuela, Carlos Nuno Almeida de Sousa Amaro, que em virtude do artigo 135, letra a), da Constituição lusitana foi nomeada para tal cargo pelo Decreto número 59/2017 do Presidente de Portugal, publicado no Diário da República. O ministro ‘plenipotenciario’ de segunda classe substitui assim Fernando Teles Fazendeiro, que vai agora para Bucarest, România. Recorde-se que, previamente, nos finais do mês de junho, o ministro dos Assuntos Exteriores luso, Augusto Santos Silva, garantiu no parlamento que não haveria interrupção entre a saída do embaixador colocado em Caracas e a entrada do seu sucessor. «A posto

de România pode esperar o tempo que seja necessário, enquanto que os portugueses e lusodescendentes na Venezuela não podem correr risco de descontinuidade», assegurou o ministro. O novo embaixador de Portugal na Venezuela nasceu a 17 de fevereiro de 1958 na cidade de Lisboa e é Licenciado em Artes pela Universidade do Cabo, para além de ter uma licenciatura em Relações Internacionais pela Universidade da África do Sul. A sua carreira no Ministério dos Negócios Estrangeiros português iniciou no ano de 1988 na Embaixada, para posteriormente se desempenhar na Dirección de Servicios de visados da Dirección General de Asuntos Consulares em 1889 e na Dirección de Servicios de Protección Consular da Dirección General de Asuntos Consulares em 1990.

setor 5 de Las Mercedes quando se aperceberam que em frente a uma vivenda da referida urbanização estava estacionado um carro Chavrolet, modelo Grand Vitara, de cor vermelha, matrícula AA551NH, propriedade de um cidadão português e dono de uma conhecida ‘licoraria’. De seguida, ameaçaram com armas o lusitano, que se viu obrigado a entregar o seu carro. Uma vez que se apoderaram do carro, os ladrões começaram a fugir a toda a velocidade pelo centro de La Victoria e, depois, meteram-se pela Avenida Interindustrial, en-

quanto que foi feita denúncia a uma comissão policial que fazia trabalhos de patrulha. Com a intenção de burlar o anel de segurança, os dirigentes foram até à urbanização Guaricarima, junto à autoestrada regional do Centro, derrubando pelo menos um portão e causando medo entre os moradores da zona. Dali, foram até uma ruela rodeada de ervas daninhas, descendo violentamente a unidade. “El Enriquito” preferiu enfrentar os corpos policiais utilizando a arma que tinha em mãos, enquanto que o seu colega

conseguiu fugir. No local, foi encontrada uma espingarda e recuperou-se o carro. Ao local, acorreram funcionários da Divisão de Criminalísticas do Estado Aragua, iniciando averiguações rigorosas.

SERGIO FERREIRA SOARES


Correio da Venezuela | De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017

BILATERAL

Ministros dos Negócios Estrangeiros da Venezuela e Portugal encontram-se na ONU SERGIO FERREIRA SOARES

O ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, manteve um encontro com o seu homónimo luso, Augusto Santos Silva, na quarta-feira 20 de setembro em Nova Iorque, Estados Unidos, no âmbito do 72º Período Ordinário de Sessões na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Arreaza deu a conhecer o encontro através da sua conta Twitter (@jaarreaza), onde publicou imagens da reunião com o representante do governo português. Soube-se que os altos funcionários governamentais abordaram temas de interesse para ambas as nações como o avanço dos convénios de cooperação bilateral que algumas empresas lusas realizam em terras venezuelanas e a possível planificação de uma nova reunião da Comissão Mista de seguimento para os acordos Portugal-Venezuela.

Venezuela 5

DIPLOMACIA

Costa: “Portugal está empenhado numa posição construtiva sobre a Venezuela” CORREIO / LUSA

Da mesma forma, Jorge Arreaza manteve reuniões com os chanceleres do Reino Unido e Bolívia. Estas reuniões são parte do encontro do Movimento de Países Não Alienados (MNOAL) realizado em Nova Iorque. Nesse sentido, o

Ministro das Relações Estrangeiras disse: «É a união de todos os que estamos envolvidos mas com a paz, o direito internacional, com as boas relações entre os países, com a protecção dos nossos povos e da mãe natureza».

MNE

O primeiro-ministro elogiou a defesa que o Presidente dos Estados Unidos fez da reforma das Nações Unidas, mas demarcou-se de estilos de confrontação face à Venezuela, contrapondo que Portugal está empenhado numa posição diplomática construtiva. “Acho que as posições mais importantes assumidas pelo Presidente Trump foram sobre a reforma das Nações Unidas e sobre a reafirmação do compromisso dos Estados Unidos em relação ao financiamento da ONU, reconhecendo a sua importância”, sustentou. Já sobre as ameaças deixadas por Trump aos governos da Venezuela e da Coreia do Norte, o primeiro-ministro contrapôs que, no caso particular do Governo de Caracas, “as posições da União Europeia têm sido muito claras”. Depois, referiu-se em concreto

à posição do Governo português sobre a situação conturbada que se vive na Venezuela. “Portugal tem sempre uma posição construtiva relativamente ao objetivo de encontrar soluções que consolidem a democracia, devolvam tranquilidade e, sobretudo, forneçam perspetivas para a nossa comunidade em termos de futuro. A Venezuela é um país amigo, para quem desejamos o melhor e com quem estamos disponíveis para trabalhar para o melhor”, acentuou.

UE Embaixada tem instruções para apoiar detidos de origem portuguesa PE defende sanções RENASCENÇA / CORREIO

O ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva, apela às famílias dos quatro detidos de origem portuguesa na Venezuela para formalizar um pedido de ajuda. Só assim será possível apoiar Vasco da Costa, Dany Abreu, Jorge de Castro e Juan Miguel de Sousa. Vasco da Costa, de 58 anos, está preso há mais de três anos. Dany Abreu, de 33 anos está preso há mais de dois anos e meio. Jorge de Castro, de 46 anos, está preso há 10 meses. Os três têm dupla nacionalidade - são venezuelanos e portugueses. Juan Miguel de Sousa, de 53 anos, é lusodescendente. Vasco e Dany estão detidos contra acusações de terrorismo e alegada tentativa de levar a cabo atentados com recurso a explosivos. Jorge e Juan estão presos por terem criticado o Governo de Nicolás Maduro na rede social Twitter.

Os quatro são considerados presos políticos por várias organizações internacionais. Numa breve entrevista à Renascença, Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros, diz que “a embaixada tem instruções para dar apoio” mas relembra que é necessário formalizar o pedido de ajuda. No entanto, o chefe da diplomacia portuguesa frisa que nos casos de dupla nacionalidade, a protecção consular funciona em moldes diferentes da salvaguarda devida aos cidadãos portugueses no estrangeiro. Augusto Santos Silva assegura que Portugal, em conjunto com os parceiros europeus, tem feito campanha para que a Venezuela liberte os opositores políticos, um passo fundamental para repor o funcionamento regular das suas instituições. “É preciso considerar que os duplos nacionais estão sujeitos à jurisdição do país em que residem. E

portanto, no caso dos luso-venezuelanos eles são sujeitos que se enquadram no Direito venezuelano. O que quer dizer que os mecanismos de protecção consular são diferentes daqueles que são activados se se tratar de nacionais portugueses no estrangeiro. Estas pessoas não estão no estrangeiro, visto que são também nacionais desse país. De qualquer modo, a nossa posição é sempre a mesma. É preciso que haja solicitação das respectivas famílias, havendo nós fornecemos a protecção consular devida” ” assegurou. “A visita da representação diplomática aos detidos depende da autorização das autoridades prisionais da Venezuela. Essa visita foi solicitada e aguardamos a autorização. Mas a instrução que a embaixada tem é a de apoiar, como digo, é preciso que haja um pedido formal das famílias para o caso dos duplos nacionais” disse Santos Silva.

contra responsáveis pelas “violações” dos DDHH CORREIO / LUSA

O Parlamento Europeu (PE) pediu à UE que analise a possibilidade de proceder ao congelamento de bens e à imposição de restrições de acesso ao território europeu de todas as pessoas envolvidas em graves violações dos direitos humanos na Venezuela. Os eurodeputados rejeitam a eleição de uma Assembleia Constituinte na Venezuela, em 30 de julho, uma vez que “esta constitui uma violação da separação de poderes e do respeito pelo direito dos cidadãos a expressarem livremente as suas opiniões políticas, através de instituições legítimas e democraticamente eleitas”. O PE “não reconhece estas eleições ou quaisquer ações ou deci-

sões tomadas pela recém-criada assembleia, devido à sua falta de legitimidade”, diz um relatório sobre as relações políticas da UE com a América Latina, hoje aprovado em plenário por 526 votos a favor, 96 contra e 59 abstenções. A assembleia europeia lamenta o contexto de violência que provocou numerosos mortos e feridos e manifesta a sua preocupação com a “perseguição ilegal e a repressão dos deputados democraticamente eleitos à Assembleia Nacional”. Os eurodeputados apoiam plenamente as investigações do Tribunal Penal Internacional relativas aos “numerosos crimes e atos de repressão perpetrados pelo regime venezuelano” e exortam a UE a desempenhar um papel ativo a este respeito.


6 Venezuela

De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017 | Correio da Venezuela

POLÍTICA

CRISE

Portugal poderia acompanhar Lusodescendentes diálogo entre Governo e Oposição apreensivos com restrições fronteiriças dos EUA à Venezuela

AGÊNCIA LUSA SERGIO FERREIRA SOARES

Após os últimos encontros mantidos entre representantes do Governo e da oposição venezuelana, perante a presidência do presidente da República Dominicana, Danilo Medina, e o chefe do Governo de Espanha, José Luis Rodríguez Zapatero, soubemos que Portugal está entre os possíveis países que se unirão ao México, Chile, Bolivia eNicaraguano acompanhamento de um eventual diálogo entre as partes

políticas. Segundo declarou o Governador do Estado Miranda, Henrique CaprilesRadonski, dirigentes iriam avaliar se França, Portugal ou a Grécia se assumiriam como acompanhantes. «O governo de Maduro depende da comunidade internacional para sortear a dura crise económica. A fenda que se abre é pela incorporação de governos democráticos da América em igualdade de condições. O Governo nomeia dois, nós dois, as Nações Unidas atrás, a Igreja atrás, mais a incorporação da

União Europeia», expressou. Os enviados do presidente Nicolás Maduro e da oposição, com o presidente do Parlamento Julio Borges a liderar, a encontrar-se cara a cara no dia 26 de setembro na República Dominicana. «Vamos avançar com a definição de uma agenda dos grandes problemas da Venezuela. Acordamos uma comissão de países que será uma espécie de comissão de seguimento que integram o México, Chile, Bolívia eNicarágua», conforme anunciou Medina em declarações aos jornalistas.

POLÍTICA

Marcam novo encontro para avaliar reinício de diálogo SERGIO FERREIRA SOARES

Representantes do Governo e da oposição venezuelanos decidiram marcar um novo encontro a 27 de setembro, na República Dominicana, para avaliar o possível reinício do diálogo entre ambas partes. Em declarações aos jornalistas, após dois dias de reuniões com as duas delegações venezuelanas, o Presidente da República Dominicana, Danilo Medina, anunciou que México, Chile, Bolívia e Nicarágua vão integrar a comissão de países que vão mediar o processo de diá-

logo na Venezuela. Além da avaliação de uma possível reativação das mesas de diálogo, criadas em outubro do ano passado e suspensas três meses depois, as duas delegações venezuelanas deverão também “tratar os grandes problemas” do país, afirmou. O representante do Governo venezuelano, Jorge Rodríguez, sublinhou “esta foi a primeira vez que se esteve mais perto de um acordo”. “O diálogo impõe-se no processo de paz. É um diálogo de paz que se instala para que a Venezue-

la possa resolver os seus assuntos, entre venezuelanos e venezuelanas”, declarou. Em comunicado, a coligação da oposição venezuelana Mesa de Unidade Democrática (MUD) divulgou as condições exigidas, durante as reuniões na República Dominicana, para uma possível negociação com o Governo do Presidente Nicolás Maduro. Entre essas condições, está “a renovação equilibrada” do Conselho Nacional Eleitoral e o estabelecimento de um calendário eleitoral com garantias de justiça.

A decisão do Presidente Donald Trump de restringir a entrada de venezuelanos aos EUA está a causar apreensão entre os lusodescendentes na Venezuela principalmente os que não têm dupla nacionalidade e que possuem investimentos e propriedades em Miami. “Tenho ido, frequentemente aos EUA, sobretudo a Miami, mas também a Orlando e a Nova Iorque, tenho lá algumas propriedades que comprei, uma casa que alugo e estou apreensivo, surpreendido, porque sou uma pessoa que trabalha e muito, e que acreditava que os meus investimentos estariam garantidos lá”, disse um lusodescendente à Agência Lusa. Firmino Ferreira, 39 anos, diz-se “dececionado” e considera que “o mundo está ficando incompreensível”. Por outro lado, José Manuel Bettencourt, 40 anos, ficou “abananado” com a notícia, mas espera que ainda possa ir aos EUA, “de tempos a tempos, como tenho feito até agora”, antes que o passaporte venezuelano caduque. “ Vou com frequência aos EUA a cada seis meses, há pouco comprei casa e tenho alguns investimentos. O meu passaporte, com visto, está em vigor até começos de 2019. Espero que até lá as coisas tenham evoluído positivamente”, disse o emigrante que tem dupla nacionalidade mas não tem os papeis portugueses em ordem. Além disso, a sua mulher é

apenas venezuelana. “Temos um menino e uma menina que queríamos que estudassem nos EUA, porque achámos que teriam uma educação com qualidade, mas agora anunciam isto e nem sabemos que pensar, estamos apreensivos e com um sonho quase desfeito”, disse. A Agência Lusa contactou vários dirigentes associativos e membros da comunidade portuguesa na Venezuela. Nos contactos, os dirigentes da comunidade admitem que as medidas migratórias norte-americanas possam afetar lusodescendentes, mas ainda é cedo para medir a dimensão das consequências. O Presidente dos EUA, Donald Trump assinou, domingo, um decreto com restrições para a entrada de cidadãos de oito países, Chade, Irão, Líbia, Coreia do Norte, Somália, Síria, Venezuela e o Iémen. As restrições vão de proibição total até condicionantes mais direcionadas e entram em vigor a 18 de outubro. Em resultado deste decreto, os vistos válidos não serão renovados. No caso da Venezuela as restrições estão dirigidas contra empregados públicos e familiares diretos, especificamente os relacionados com os ministérios de Relações Interiores e Exteriores, assim como do Serviço Administrativo de Identificação, Migração e Imigração, do organismo policial Corpo de Investigação Científica, Penal e Criminalísta (CICPC) e do Serviço Bolivariano de Inteligência (SEBIN, serviços secretos).


Correio da Venezuela | De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017

BANCA

Lesados do BES na Venezuela e África do Sul querem solução igual à dos clientes nacionais

Venezuela 7

CLUBES

CSM homenageou Bom Jesus da Ponta Delgada e Nossa Senhora do Loreto

DN MADEIRA

A recém-criada Associação de Lesados do BES da Venezuela e África do Sul reclama para si uma solução igual à encontrada para os clientes nacionais e vai esta segunda-feira reivindicar a criação de um fundo. Na reunião da passada segunda-feira em São Bento – onde a comitiva foi recebida por Mariana Melo Egídio, assessora do gabinete do primeiro-ministro – a associação pediu a mesma solução aplicada aos lesados do BES aprovada em Julho no Parlamento, ou seja, a criação de um fundo de recuperação de crédito. A solução adoptada pelo Governo e reguladores para ressarcir os clientes que compraram papel comercial aos balcões do BES propõe aos lesados a recuperação de 75% do valor investido, até um máximo de 250 mil euros, no caso de aplicações até 500 mil euros. Acima deste valor, podem recuperar metade do investimento. O fundo de recuperação de crédito trata das indemnizações. Quando foi aprovado, o diploma já previa a possibilidade de esta solução ser alargada aos emigrantes, pelo que a associação espera agora negociar com o Estado um adiantamento do dinheiro investi-

SERGIO FERREIRA SOARES

do e, segundo fonte próxima, recuperar o resto em tribunal. Neste momento, a associação conta com cerca de 150 associados, incluindo lesados do BES e do Banif. Em causa, nesta reunião, estiveram as perdas que a comunidade portuguesa na Venezuela e África do Sul sofreu com o colapso do BES, depois de terem comprado produtos financeiros nas sucursais exteriores do banco que nunca foram reembolsados. Entre outros produtos, estes clientes investiram dinheiro em papel comercial da ESI e Rio Forte, vendido pelo BES, mas ficaram de fora da solução negociada com o Governo por estes títulos terem sido adquiridos em sucursais exter-

nas do BES, caso da da Madeira. Há ainda outros produtos vendidos pelo BES que fizeram estes clientes perder dinheiro, como títulos de outras empresas do Grupo Espírito Santo, caso da Escom (que actuava sobretudo em Angola). Muitos destes clientes agora juntos na Associação de Lesados da Venezuela e da África do Sul também perderam dinheiro no resgate do Banif. Em 3 de Agosto de 2014, o Banco de Portugal aplicou uma medida de resolução ao BES, tendo então sido criado o Novo Banco. Com a resolução do BES, clientes com produtos financeiros não protegidos sofreram perdas significativas, de muitos milhões de euros.

O Centro Social Madeirense de Valencia, Estado Carabobo, recebeu uma das suas festas mais tradicionais e que conta com maior adesão entre os seus associados: trata-se da celebração em honra do Bom Jesus da Ponta Delgada e Nossa Senhora do Loreto, que teve lugar no passado domingo 24 de setembro. Como todos os anos, o protagonismo o teve a elaboração do tapete floral, que reuniu sócios de todas as idade para enfeitar o clube com originais figuras alusivas à celebração. A iniciativa iniciou-se com a missa solene em honra ao Bom Jesus e Nossa Senhora do Loreto, no Oratório Nossa Senhora do Monte, seguida por uma procissão que levou os peregrinos por

um percurso pelos corredores do centro social. A festa iniciou-se às 18h00 no Salón Madeira, com a apresentação de grupos folclóricos e musicais. A atividade, organizada pela Junta Diretiva, o Comité de Eventos e Festejos, o Comité de Cultura, o Comité de Damas e Beneficencia e a Comisión de Capilla, pôs à disposição dos assistentes uma grande variedade de comidas e bebidas tradicionais para o usufruto de todos. Na passada sexta-feira, 15 de setembro, o salão Madeira do referido centro social recebeu a Festa em Honra à Nossa Senhora de Coromoto. A iniciativa, que se iniciou com uma missa e procissão, ofereceu aos presentes danças nacionalistas e música ‘llanera’ ao vivo, para além de comida crioula.

CLUBES

CONSULADOS

Maracaibo e Barquisimeto recebem jornadas consulares SERGIO FERREIRA SOARES

Uma vez mais, diferentes cidades venezuelanas vão ver-se beneficiadas pelas permanências consulares que são empreendidas constantemente pelos consulares gerais de Portugal em Caracas e Valencia, com a finalidade de se aproximar aos núcleos de portugueses no interior do país. Apesar das novas jornadas estarem orientadas para a renovação de cartões de cidadão e passaporte eletrónico português, os cônsules gerais e honorários que marcarão presença nas diferentes

localidades se mostram sempre abertos a proporcionar outras informações de interesse como as relativas a estudos em terras ibéricas, programas sociais e outro tipo de trâmites de documentos. A cidade de Maracaibo, Zulia, receberá uma nova jornada consular na segunda 16, terça 17, quarta 18 e quinta 19 de outubro, entre as 8h00 e as 17h00 nas instalações do Consulado de Portugal na capital zuliana, localizado na Avenida 20 com Calle 73, edifício Torre 2073, piso 4, oficina 1-04 (ao lado do centro comercial “El Montieco”, edifício onde está o banco “Provincial”).

Para mais informações, entre em contacto através dos número telefónico (0261) 3229691 / ou envie um e-mail para: maybellineconsuladomcbo@hotmail.com. A cidade de Barquisimeto, Lara, receberá uma nova jornada consular na sexta 3 e no sábado 4 de novembro, entre as 8h00 e as 17h00, nas instalações do Consulado de Portugal na capital larense, localizada na Avenida Morán, entre Carreras 23 e 24, Residencias Adicora. Para mais informações, entre em contacto para o número (0251) 2522131 ou envie um e-mail para: conportbarq@hotmail.com.

Centro Portugués promove novas atividades OSCAR SAYAGO

No dia 21 de setembro, a Asociación Civil Centro Portuguésrealizou uma missa pela paz: uma iniciativa que procura comemorar o Dia Mundial da Paz no espaço luso. Já é o quinto ano consecutivo que se comemora esta tradição no clube localizado em Macaracuay, Estado de Miranda; assim como em anos anteriores se realizaram atividades em família, tais como petições escritas para serem penduradas na árvore dos desejos e orações à sagrada mãe Maria. Ainda, no passado dia 19 de setembro, iniciaram-se as inscrições para a “Fiesta de las Quin-

ceañeras 2017”. No evento, que se realiza graças à Junta Diretiva do Centro Portugués com a colaboração da Comissão de Damas, podem participar todas as jovens que tenham 15 anos ou que estejam próxima a fazê-los. O encerramento das inscrições será na sexta 6 de outubro e os horários de atendimento fazem-se em dois turnos: na parte da manhã entre as 10h00 e as 13h00 e na parte da tarde entre as 14h00 e as 19h00. As jovens interessadas terão que se aproximar do escritório de atendimento ao sócio, localizado no rés-do-chão e devem preencher o formulário de inscrição. A festa realiza-se a 4 de novembro no Salão Nobre.


8 Venezuela

De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017 | Correio da Venezuela

IDIOMA

Abertas inscrições para os Cursos de Língua e Cultura Portuguesa 2017-2018 OSCAR SAYAGO

Da mesma forma que o inglês, a língua portuguesa está a ter mais importância na comunidade internacional e no campo empresarial. O português é uma das línguas mais faladas no mundo; tanto assim é que existe a Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), que é constituída por 13 países, sendo que internacionalmente se somam 273 milhões de pessoas que falam a língua de Camões, segundo números da cadeia de televisão TVI 24. Desde a década de 50, a comunidade portuguesa tem tido um grande impacto na Venezuela, pois tem representado uma das colónias europeias mais numerosas no país, provenientes maioritariamente da Madeira, Aveiro e Porto. Devido a isto, diferentes associações portuguesas disponibilizam cursos básicos da sua língua natal. «Há um aumento significativo de alunos nos nossos cursos», garantiu David Pinho, presidente da Asociación Venezolana de Enseñanza de la Lengua Portuguesa (Avelp). Recorde-se que as crianças que acabam com aprovação qualquer um dos cursos podem certificar-se na língua portuguesa; enquanto que os jovens de 18 anos ou maiores teriam que se deslocar até à Universidade Central de Venezuela (UCV) para fazer um exame. Centro Portugués de Caracas A Asociación Civil Centro Portugués, localizada na urbanização Macaracuay, em Caracas, anunciou que já estão abertas as inscrições para os Cursos de Língua e Cultura Portuguesa, correspondentes ao período académico 2017-2018, que se inicia na próxima segunda-feira 2 de outubro. As inscrições, que no ano passado bateram um record de 604 participantes, destinam-se a sócios e não-sócios a partir dos sete anos de idade. As inscrições começam no domingo 17 d setembro, num horário compreendido entre as 10h00 às 12h00 e das 14h00 e as 18h00, e no sábado 23 de setembro das 9h00 às 12h00, e das 14h00 às 17h00. Destina-se aos sócios, não-sócios e aos que já estão no curso. Os não-sócios que entrem pela primeira vez podem inscrever-se na sexta 22 de setembro, das 14h00 às 18h00 e sábado 23 de setembro das 9h00 às 12h00 e das 14h00 às 18h00. Para mais informações sobre custos e horários das aulas, visitar o site www.centropor-

nos de primeiro nível, tanto para jovens como adultos, realizando-se entre as 17h00 e as 18h30. Para os alunos de segundo nível, são das 19h00 às 120h30. Para poder inscrever-se, é preciso uma fotocópia da ‘cédula’ e uma foto tamanho BI. Para mais informações, visite o Instagram @Centrolusovenezolano, envie um e-mail para centrolusovenezolano@hotmail.com ou ligue para 0212-3517651. Colegio Nuestra Señora de Fátima O Colegio Nuestra Señora de Fátima, localizado na paróquia de San Bernardino, no Município Libertador, começa a jornada do curso de Línguas e Cultura Portuguesa, previsto apenas para os sábados. O curso está aberto a crianças, jovens e adultos, constando de três níveis para os maiores e cinco para os mais pequenos. O custo é de 18 mil Bs tanto no que se refere à mensalidade como a matrícula para os alunos. Para concretizar a inscrição, é necessário duas fotos de tamanho BI e cópia da ‘cédula’. Para mais informações, contactar através do número 0212-5778809.

tugues.com ou então entrar em contacto através do número de telefone (0212) 985.25.28, extensão 143, de segunda a sexta, das 9h00 às 18h00. Colegio San Agustín El Paraíso O Colegio San Agustín El Paraíso, localizado na paróquia do município Libertador, Distrito Capital, anunciou a abertura das inscrições para os seus Cursos de Língua e Cultura Portuguesa, período 2017-2018, a partir do dia 21 de setembro até ao dia 20 de outubro- O curso destina-se a crianças e adultos a partir dos 5 anos, tanto para alunos do colégio como para externos da instituição e conta com duas modalidades: um curso intensivo que dura aproximadamente 5 meses, ou um ano letivo que começa no mês de outubro. Os horários de atendimento ao público são das 7h00 às 8h00 e das 12h00 às 14h30. Centro Social Madeirense O Centro Social Madeirense de Valencia, localizado em San Diego, Estado Carabobo, iniciou os seus cursos de língua e cultura portuguesa no dia 5 de setembro, destinado a maiores de dez anos. As aulas de nível básico serão às terças e quintas, das 17h00 às 18h20; o intermédio, às quartas e sextas, das 17h00 às 18h20 e das 18h30 às 19h50 da tarde, respetivamente; e o avançado às terças e quintas das 18h30 às 19h50 da tarde, respetivamente. A inscrição tem um custo de 7.000 Bs e a mensalidade para sócios é de 10.000 Bs, enquanto que, para não-sócios, é de 15.000 Bs. Ainda, o clube realizará um curso intensivo de nível básico de terças a sextas, das 15h30 às 16h50,

a argo da professora Desirée Cardenas. O período académico para esta modalidade será de setembro de 2017 a fevereiro de 2018. A mensalidade para os sócios é de 20.000 e, para os não-sócios, é de 30.000. Os não-sócios devem apresentar uma carta de endosso de um sócio, que deve assinar o formulário para formalizar a inscrição. Para mais informações, podem recorrer aos escritórios do Comité de Cultura de terças a sábado entre as 12h00 às 20h00. Centro Portugués de Punto Fijo A Asociación Mulher Migrante Venezuela promove mais uma vez o curso de língua e cultura portuguesa no Centro Portugués de Punto Fijo, Estado Falcón. A iniciativa, que tem início a 16 de outubro, tem um total de 60 horas para jovens entre os 12 e os 17 anos e adultos a partir dos 18 anos de idade. Para mais informações sobre custos, podem entrar em contacto através dos números 04123297785 ou enviar um e-mail para contacto@mulhermigrante.org.ve A 21 de setembro, tem lugar a entrega dos certificados aos alunos que aprovaram o curso de 2016-2017, assim como a abertura do novo ano académico. Vai realizar-se também um curso específico para os docentes. Centro Luso de Margarita O curso de língua e cultura portuguesa do Centro Luso Venezolano de Margarita, Estado Nueva Esparta, também vai iniciar, durante a primeira semana de outubro, com o apoio da Associação Mulher Migrante Venezuela. O curso tem início a 16 de outubro e tem uma duração de 60 horas,

destinando-se a jovens entre os 12 e os 17 anos de idade e adultos a partir dos 18 anos. Para mais informações sobre os custos, os interessados podem entrar em contacto através do correio eletrónico contacto@mulhermigrante.org.ve Centro Portugués Venezolano de Guayana Estão já abertas as inscrições para o curso de língua e cultura portuguesa no Centro Portugués Venezolano de Guayana, no Estado Bolívar. O curso tem uma duração de um ano escolar: já as inscrições estão abertas tanto para os novos alunos como os que já frequentam. O curso destina-se a crianças, jovens e adultos. É para sócios e não-sócios e tem quatro níveis. As aulas têm lugar às quartas das 16h00 às 19h00 e aos sábados das 8h30 às 12h00 (estes horários estão sujeitos ao número de participantes). Para formalizar a inscrição e obter mais informações, devem dirigir-se à área administrativa. Centro Luso de Catia la Mar O Centro Luso Venezolano de Catia la Mar, Estado de Vargas, abre as suas portas ao curso de Línguas e Cultura Portuguesa a todas as pessoas que estejam interessadas a expandir os seus conhecimentos. As inscrições já estão abertas e terminam na primeira semana de outubro: só de podem inscrever 40 alunos por nível. O ano académico começa no dia 4 de outubro. O custo da inscrição no curso para os sócios é de 15.000 bolívares mensais. Para os não-sócios, tanto a inscrição como a mensalidade têm um custo de 18.000 bolívares. O curso destina-se a jovens e adultos, tendo dois níveis. As aulas realizam-se às quartas para os alu-

Amigos de Nuestra Señora de Fátima de Los Altos Mirandinos A Asociación Civil Amigos de Nuestra Señora de Fátima, localizada no Sector la Rosaleda de los Altos Mirandinos, vai dar continuidade aos seus já tradicionais cursos. Este ano, para além de ter cursos para jovens e adultos, vai implementar um novo curso para crianças. As aulas vão ter lugas às quintas-feiras das 17h00 às 21h00. O curso terá três níveis e uma duração de um ano escolar. Para formalizar a inscrição, são necessárias duas fotos tipo BI e uma cópia da ‘cédula’ ou da certidão de nascimento, no caso das crianças. Para mais informações sobre custos, pode contactar o número 02125150007. Cancelado curso em Guatire Segundo informações dadas por David Pinho, coordenador do ensino da língua portuguesa na Venezuela, pudemos saber que o Centro Sócio-cultural Virgem de Fátima, localizado no setor Castillejo de Guatire, Estado Miranda, não vai administrar o já habitual Curso. Planificam curso para Barcelona Boas notícias para a comunidade portuguesa no Estado de Anzoátegui: a Asociación Mulher Migrante Venezuela anunciou que atualmente está a planificar a próxima abertura de um Curso de Língua e Cultura Portuguesa para a cidade de Barcelona, na zona Oriente do país. A informação foi confirmada pela presidente da mencionada associação e também Conselheira das Comunidades Portuguesas, María de Lourdes Almeida, que fez saber, ainda, que existem planos de expansão para outras cidades do país.


Correio da Venezuela | De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017

Publicidade 9


10 Portugal

De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017 | Correio da Venezuela

FMI

Portugal pagou menos 213 milhões de euros em juros à ‘troika’ até Agosto AGÊNCIA LUSA

Portugal pagou 1.161,2 milhões de euros em juros à ‘troika’ até agosto, menos 213,1 milhões em termos homólogos, devido à extensão da maturidade de parte do empréstimo e aos reembolsos antecipados ao FMI. O Estado reduziu também o pagamento em comissões no âmbito do PAEF para 11 milhões de euros nos primeiros oito meses deste ano, menos 4,9 milhões de euros (30,8%) do que os 15,9 milhões de euros pagos até agosto de 2016. Os encargos do Estado com a dívida pública totalizaram 5.137,5 milhões de euros, menos 79,1 milhões de euros (1,5%) do que os 5.216,6 milhões de euros pagos até agosto de 2016, segundo a síntese de execução orçamental referente aos primeiros oito meses deste ano

COMUNICADO

Associações de militares lamentam “silêncio” do Presidente sobre pedido de audência AGÊNCIA LUSA

As associações profissionais de militares afirmaram estranhar o “silêncio” do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, perante um pedido de audiência que endereçaram a Belém em julho passado sobre o caso de Tancos. Em comunicado conjunto, a Associação de Oficiais das Forças Armadas, a Associação Nacional de Sargentos e a Associação de Praças afirmam que pediram no passado dia 10 de julho uma audiência “com carácter de urgência, a propósito do caso de Tancos, tendo presente que o mesmo representa além de tudo mais um sintoma do grave estado em que se encontram as Forças Armadas quanto a pessoal, material

carreiras, estatuto, apoio social, saúde”. “Porém, não logrou o Comandante Supremo das Forças Armadas Portuguesas ouvir as razões e motivos das APM [Associações Profissionais Militares] e dos seus associados, nem explicar ou responder porque não o logrou fazer”, afirmam, no comunicado, hoje divulgado. As associações profissionais de militares “merecem mais que um ensurdecedor silêncio e estranham a aparente ambivalência e indiferença, entre um Presidente da República sempre atento e pronto a todos ouvir” e, por outro lado, “um Comandante Supremo das Forças Armadas que “não ouve, não percebe nem aconselha os seus subordinados”, lê-

-se, no documento. Afirmando-se “sempre prontas e dispostas a ouvir e a dialogar, as associações profissionais de militares recusam ser votadas “ao marasmo”. O furto de material de guerra nos paióis nacionais de Tancos foi divulgado pelo Exército no passado dia 29 de Junho.

divulgada pela Direção-Geral de Orçamental (DGO). “O decréscimo da despesa com juros e encargos da dívida direta do Estado (-1,5%) justifica-se, sobretudo, com a redução dos juros relativos aos empréstimos obtidos ao abrigo do Programa de Assistência Económica e Financeira (PAEF), na sequência da extensão da maturidade do empréstimo do Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira (MEEF) e das amortizações do empréstimo do Fundo Monetário Internacional (FMI) ocorridas no final de 2016 e no início de 2017”, afirma a DGO. A entidade realça ainda a diminuição dos juros associados a Certificados de Aforro (CA) e Certificados do Tesouro (CT), devido ao fim do pagamento de prémios extraordinários de duas séries de CA, com “impacto nos juros suportados desde abril”. Em sentido contrário, a DGO refere o aumento dos juros com Obrigações do Tesouro (OT), “em virtude da alteração do seu perfil intra-anual (com um peso maior dos juros cujo pagamento incide nos meses de abril e julho), bem como dos juros associados a ‘Outros instrumentos’, na sequência do pagamento do primeiro cupão de uma série de obrigações emitida, em 2016, ao abrigo do programa Medium Term Note”.

BRILHANTE DIAS

Governo aprova até ao fim de 2017 programa para internacionalizar economia AGÊNCIA LUSA

O Governo vai aprovar até ao final deste ano um programa para a internacionalização da economia portuguesa, documento que em Outubro recolherá contributos das associações empresariais e que se pretende pôr em prática no início de 2018. Este calendário foi apresentado aos jornalistas pelo secretário de Estado Eurico Brilhante Dias no final de mais uma reunião do Conselho Estratégico para a Internacionalização da Economia Portuguesa, que se realizou em São Bento e foi presidida pelo primeiro-ministro, António Costa. De acordo com Eurico Brilhante Dias, durante a reunião, que durou cerca de duas horas e meia, o Governo apresentou às associações empresariais um documento

de trabalho sobre o “Programa Internacionalizar”, com o qual se pretende articular os sectores privado e público numa estratégia para aumentar as exportações nacionais e a captação de investimento directo estrangeiro. “O documento base apresentado teve um acolhimento muito favorável por parte das associações empresariais. Entramos agora numa segunda fase em que, durante o mês de Outubro, as associações empresariais darão os seus contributos para enriquecer o documento”, referiu o secretário de Estado para a Internacionalização. Concluída a fase de recolha de contributos por parte do sector empresarial, segundo Eurico Brilhante Dias, será então levada a Conselho de Ministros, até ao final deste ano, a versão final do “Programa Internacionalizar”.


Correio da Venezuela | De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017

ECONOMIA

Confiança dos consumidores portugueses atinge máximo desde 2007

BDP

Carlos Costa diz que há tentações de reduzir independência dos bancos centrais

AGÊNCIA LUSA

AGÊNCIA LUSA

A confiança dos consumidores portugueses atingiu este ano o máximo da última década, com Portugal a destacar-se entre 15 Estados europeus inquiridos pelo ‘Observador Cetelem Consumo 2017’ ao registar a maior subida deste indicador. Com conclusões globais apontando para uma “crescente confiança entre os consumidores” europeus -- que, “depois de um período de forte retração”, começam a sentir “maior otimismo, seja este de cariz mais económico ou social” - o estudo destaca Portugal como “exemplo paradigmático desse maior otimismo, ao ser, entre os Estados europeus inquiridos, aquele onde se registou o maior aumento da confiança”. “Desde 2007 que os portugueses não estavam tão confiantes na situação do país”, refere, especificando que, numa avaliação de um a dez, o resultado obtido em Portugal foi de 4,6 pontos, mais

1,1 pontos face a 2016. Apesar de representar uma evolução face ao passado, quando Portugal “se encontrava destacado no último lugar entre os países europeus inquiridos”, o resultado deste ano é ainda um valor negativo e que fica abaixo do resultado médio global de 4,9 pontos dos vários Estados europeus participantes. Segundo o trabalho, as matérias que merecem maior confiança dos portugueses são a situação habitacional do país (que merece a menção de 41% dos inquiridos), a influência do país no mundo (30%) e o sistema educativo nacional (27%). A segurança nacional é outro aspeto “muito valorizado” pelos portugueses, com 39% de menções, sendo que, neste caso, “apenas os dinamarqueses se mostram mais seguros, com 58% de respostas positivas, enquanto os austríacos obtêm o mesmo valor que Portugal”. Em sentido inverso, os aspetos que maior preocupação motivam

junto dos consumidores portugueses são os perigos ambientais, com 19% de respostas, o sistema de pensões (14%) e o estado das finanças públicas (13%), destacando-se neste aspeto os portugueses como “os mais desconfiados quanto à saúde financeira do Estado”. O ‘Observador Cetelem Consumo na Europa: Novos Caminhos para a Confiança 2017’ foi realizado em 15 países - Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Dinamarca, Espanha, França, Hungria, Itália, Polónia, Portugal, República Checa, Roménia, Reino Unido e Eslováquia -- com 800 inquiridos por país, exceto em França, onde foram ouvidos 1.000 indivíduos. A Dinamarca ocupa o primeiro lugar da tabela, com 6,3 pontos, mais 0,4 pontos do que em 2016, sendo a progressão semelhante na Alemanha, cuja pontuação foi de 6,1 pontos. A Bulgária é o país com piores resultados entre os 15 Estados, com uma pontuação de 3,1 pontos.

Portugal 11

O governador do Banco de Portugal disse que há tentativas de pôr em causa a independência dos bancos centrais, mas que isso não é exclusivo de alguns países, mas uma tentação comum face às entidades que guardam o “tesouro”. “As tentações de reduzir a independência não são uma característica só dos países do Sul. (...) Onde está o tesouro, há sempre tentações de o tirar”, disse o governador do Banco de Portugal (BdP), Carlos Costa, na abertura de uma conferência em Lisboa sobre gestão de risco nos bancos centrais. Sobre o tema da conferência, Carlos Costa considerou que os bancos centrais não podem evitar o risco no mandato que levam a cabo - como criadores de regulação, reguladores e responsáveis da estabilidade monetária e financeira -, e que a “arte” do banco central é a de saber “lidar com o risco sem pôr em causa a estabilidade financeira e a estabilidade monetária”. Para isso, disse, é necessário desenhar um quadro de gestão de riscos que seja “um pilar de confiança” para prevenir que o balanço do banco central chegue a um ponto “disrupção” e a crise surja. Carlos Costa considerou que, depois de um período de crise, em que os bancos centrais tiveram de lidar com preocupações imediatas, estes têm agora de pensar nas melhores práticas para fazer a sua própria gestão de riscos, nomeadamente porque

os balanços dos bancos centrais estão maiores e mais complexos no pós-crise, até pelas políticas levadas a cabo no período de crise aguda para a tentar minimizar. Helena Adegas, ex-chefe do Departamento de Gestão do Risco do Banco de Portugal, também falou da independência dos bancos centrais na sua intervenção nesta conferência, para considerar que há uma relação “sensível” que precisa de ser tratada com cuidado, nomeadamente quando o banco central de um país investe em dívida pública do próprio país. “Se o banco central investe em dívida pública, é ao mesmo tempo investidor e fazedor de política. Neste contexto, a independência do banco central ainda se torna mais importante”, afirmou. A atual diretora do Banco de Portugal, mas do Departamento de Mercados e Gestão de Reservas, considerou ainda que é fundamental que, dentro do banco central, o Departamento de Gestão de Risco seja independente dos outros, reportando diretamente ao Conselho de Administração. Um dos princípios da União Europeia é a independência dos bancos centrais face ao governo e outras entidades públicas, sendo o objetivo evitar que usem o poder do banco central, nomeadamente na política monetária, de modo distorcido. Para isso, o banco central tem autonomia orçamental e o governador dificilmente pode ser demitido do cargo, tendo a demissão de ser justificada com incapacidade ou falha grave, apesar de ser difícil definir o que isto significa.


12 Portugal

De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017 | Correio da Venezuela

GEP

Mais de 40% da população em idade ativa tem 55 e mais anos AGÊNCIA LUSA

Cerca de 3,6 milhões de pessoas com 55 e mais anos integravam o mercado de trabalho no segundo trimestre, representando 40,2% da população em idade ativa, revelou o Gabinete de Estratégia e Planeamento do Ministério do Trabalho. Segundo uma nota técnica divulgada pelo Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP), que tem por base as estimativas do Inquérito ao Emprego do Instituto Nacional de Estatística (INE), o peso da população em idade ativa com 55 e mais anos aumentou 0,6 pontos percentuais face ao trimestre homólogo. “As estimativas do Inquérito ao Emprego confirmam a tendência gradual para o envelhecimento da população em idade ativa, em particular nos últimos anos”, lê-se no documento. A maior parte da população mais velha em idade ativa tinha entre 55 e 64 anos (15,5%), seguindo-se a população com 65 a 74 anos (12,7%) e por fim a população com

AUTÁRQUICAS

75 ou mais anos (12%). Do total da população em idade ativa com 55 e mais anos (3,6 milhões), mais de um milhão estava a trabalhar, constituindo 21,6% da população empregada em Portugal, revela a nota do GEP.

“A população empregada com 55 e mais anos foi estimada em 1.027,6 mil” no segundo trimestre de 2017, dos quais 565,1 mil são homens (55%) e 462,5 mil mulheres (45%), lê-se no documento. Face ao mesmo trimestre de

2016, houve um aumento de 9,1% do número de pessoas com 55 e mais anos a trabalhar, excedendo o crescimento da população empregada com idade entre os 15 e os 64 anos, cuja subida foi de 2%. Por outro lado, de acordo com

Marcelo apelo aos eleitores para que não se abstenham nas eleições de 01 outubro

o GEP, havia no segundo trimestre 75,5 mil desempregados com 55 e mais anos. O gabinete do Ministério do Trabalho faz ainda uma análise à informação estatística publicada todos os meses pela Segurança Social, para aferir o peso relativo da população mais velha nas várias prestações contributivas. Segundo a análise, entre 2007 e 2016, a população com 55 e mais anos representou 21% dos beneficiários que, em cada ano, recebeu pelo menos uma prestação de desemprego. “Essa proporção apenas se alterou nos anos da crise (2009 a 2013), em que desceu para cerca de 18%”, dado o aumento do desemprego nas outras faixas etárias. Analisando por mês, o peso sobe para mais de 30% devido a uma maior permanência no desemprego, em consequência dos períodos de concessão mais alargados para as pessoas mais velhas. Em junho, por exemplo, 32,5% dos beneficiários de prestações de desemprego (mais de 62 mil) tinham 55 e mais anos. Quanto ao subsídio de doença, em 2016, a população com 55 e mais anos representou 18,2% no total de beneficiários desta prestação social. Por mês, a proporção aumenta para mais de 25%, em média. Em junho, mais de 34 mil pessoas estavam a receber subsídio de doença. A população com 55 e mais anos representou ainda 15,6% dos beneficiários do Rendimento Social de Inserção (RSI) em 2016.

AGÊNCIA LUSA

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, apelou aos eleitores que “usem a arma do voto” e não se abstenham nas eleições autárquicas, marcadas para o próximo dia 01 de outubro. “Espero, e apelarei a isso no final da campanha, que não haja muita abstenção” porque “quem não usa a arma do voto, acaba por desperdiçar essa arma”, frisou o presidente da República. Marcelo Rebelo de Sousa falava aos jornalistas durante uma visita que hoje efetuou a Serralves, no Porto, onde decorre até domingo a Festa do Outono, que inclui atividades criativas e educativas, com entrada gratuita. “É bom para a Democracia que quando se trata de escolher aqueles que estão mais próximos do povo, que são as juntas, as assembleias de freguesia, as câmaras e as assembleias municipais, que as pessoas se interessem, porque se se desinteressam depois não se podem queixar dos autarcas”, referiu. Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que quem não vai votar, depois não tem autoridade para dizer “olha afinal, se eu tivesse votado, tinha sido diferente”.


Correio da Venezuela | De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017

Publicidade 13


14 Madeira

De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017 | Correio da Venezuela

500 recorreram ao Gabinete do Emigrante da Venezuela O Governo estima que 1.100 pessoas já tenham beneficiado da acção do Gabinete. O número de quatro mil emigrantes estabilizou, mas não significa que sejam sempre os mesmos ÉLVIO PASSOS / DN MADEIRA

Criado pela Resolução do Conselho de Governo 354/2017 de 1 de junho, o Gabinete de Apoio aos Emigrantes Madeirenses regressados da República Bolivariana da Venezuela já foi procurado por meio milhar de pessoas. Aproximadamente 250 dirigiram-se fisicamente ao Gabinete e outras tantas recorreram aos serviços através de telefone. Os números são revelados ao DIÁRIO pelo Gabinete de Sérgio Marques, secretário que tem a tutela das comunidades madeirenses. O Gabinete de Apoio ao Emigrante da Venezuela, propriamente dito, é

coordenado por Gonçalo Nuno Santos, que, durante muitos anos, foi responsável pelo Centro das Comunidades no Governo Regional. No entanto, apesar da procura direta ter sido de 500 pessoas, o executivo estima já terem sido diretamente beneficiadas cerca de 1.100 pessoas.

Neste momento, o número de emigrantes e descendentes, regressados há pouco tempo da Venezuela, terá estabilizado nos quatro mil. Mas nem todos se mantêm. Além deste número ser dinâmico, muitas das pessoas que o compõem vão mudando. Ainda que continuem a chegar emigrantes e familiares,

existem outros que vão partindo, por exemplo, para Espanha, onde a língua é a mesma que a falada na Venezuela. Cem inscritos procuram casa na Investimentos Habitacionais O Gabinete é interdepartamental, no que respeita ao Governo Regional, mas não se esgota neste.

Retorno de emigrantes aumenta número de alunos por turma AGÊNCIA LUSA

Na Região Autónoma da Madeira, em dois anos, cerca de três centenas de jovens estudantes vindos da Venezuela matricularam-se nos diferentes estabelecimentos de ensino regionais. Contudo, este revela-se ainda insuficiente, segundo a tutela da Educação, para «compensar a redução da natalidade que acontece na Região, já que no todo não tem um impacto com grande significado». Contudo, o responsável pela pasta, Jorge Carvalho, admite que a entrada destes alunos «fez aumentar o número de alunos em algumas turmas, nomeadamente nas turmas – normalmente reduzidas – da disciplina de PLNM (Português Língua não Materna)». Dados recolhidos junto da Secretaria Regional da Educação indicam que, «no ano letivo 2016/2017, foram integrados nos estabelecimentos de ensino da rede regional 197

alunos provenientes da Venezuela e, para o ano letivo 2017/2018, até à presente data, estão matriculados cem novos alunos provenientes daquele país da América Latina». Valores novos, mas esperados na tutela da Educação face ao número de emigrantes que regressaram à Madeira nos últimos meses por via das grandes dificuldades que as famílias madeirenses enfrentavam. Sabe-se, agora, que os estabelecimentos de ensino que registam o maior número de alunos matriculados são as escolas Básicas e Secundárias da Calheta, com 16 alunos no ano letivo 2016/17 e 18 novos alunos em 2017/18; Padre Ângelo Augusto da Silva, com nove alunos no ano letivo 2016/17 e oito novos alunos em 2017/18; e ainda a Escola dos 2.º e 3.º Ciclos do Caniço, que regista oito alunos no ano lectivo 2016/17 e sete novos alunos em 2017/18. Na verdade, em todos os conce-

lhos da Região há alunos provenientes da Venezuela,pois estes estão dispersos pelas diferentes escolas básicas do 1.º Ciclo. Ainda que a tutela não os enumere, faz

referência às áreas geográficas: «Os concelhos que registam maior número de alunos são Funchal, Calheta e Ribeira Brava, seguidos por Santa Cruz, Ponta do Sol e Câ-

Existem representantes de instituições externas, tanto de índole associativa, como oficial. São os casos do serviço de Estrangeiros e Fronteiras, a Segurança Social e os Registos e Notariado, entre outros. O Gabinete, quando recebe uma solicitação, tenta dar encaminhamento de forma a ser obtida uma resolução o mais rápido possível, respeitando sempre a legalidade, mas tentando agilizar procedimentos. No que diz respeito a entidades regionais, os números apurados pelo Gabinete apontam para 830 processos existentes atualmente no Instituto de Emprego da Madeira, havendo a registar um acréscimo de 100 durante o verão, mas, ao mesmo tempo, a saída de várias pessoas, ou por terem encontrado trabalho ou por decidirem rumar a outras paragens. Na Investimentos Habitacionais da Madeira, estão inscritas 100 pessoas e nas várias escolas da Região são 300 os alunos com origem na Venezuela. Com igual proveniência estão inscritos, do Serviço Regional de Saúde, 749 pessoas. Uma ds próximas grandes iniciativas do Gabinete é a reunião plenárias, agendada para outubro, e a prossecução dos contactos com o Governo da República. Além dos emigrantes de que a Região tem conhecimento oficial, existem muitos outros que, tendo nacionalidade portuguesa e não procurando qualquer ajuda, não constam das estatísticas.

mara de Lobos. De resto, os maiores constrangimentos prendem-se com a «aquisição da equivalência das habilitações académicas adquiridas na Venezuela», sobretudo para fins de prosseguimento de estudos no ensino superior e para ingresso no mercado de trabalho, especialmente quando não existem documentos comprovativos das habilitações adquiridas naquele país ou com a entrega de documentos não autenticados, conforme exigido pela legislação. Neste contexto, a secretaria de Jorge Carvalho explica que os estabelecimentos de educação e de ensino da rede regional «foram instruídos no sentido de, independentemente da situação relativamente à documentação, procederem à aceitação e integração imediata dos alunos oriundos da Venezuela». Acresce o facto de, com o objetivo de facilitar as aprendizagens dos alunos provenientes da Venezuela, falantes da língua castelhana, os estabelecimentos de ensino da rede regional proporcionarem a frequência na disciplina de Português Língua não Materna (PLNM), tendo ainda sido criadas Unidades de Formação de Curta Duração (UFCD) de Português para falantes de outras línguas.


Correio da Venezuela | De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017

Emigrantes da Venezuela obrigam Segurança Social a fazer contas DN MADEIRA

O Governo Regional da Madeira já coligiu mais pormenorizadamente os dados referentes aos emigrantes da Venezuela que regressaram dada a grande instabilidade naquele país. Se há uns meses o número apontado era de cerca quatro mil regressos, agora confirma-se, já que mais dados foram cruzados e houve pais que inscreveram os filhos na escola. “Há muitas pessoas que regressaram e que têm uma rede familiar de apoio, se não recorrerem às instituições públicas e organismos do Estado, não temos como sinalizá-las”, refere fonte do gabinete do Secretário Regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus. Entre julho e agosto os casos contabilizados estavam entre os 3 400 a 3 500, por isso, agora, “andarão nos quatro mil”.

Ao Gabinete de Apoio ao Emigrante da Venezuela (GAEV) têm chegado várias situações que o Governo regional tenta resolver, como

por, exemplo o reconhecimento de competências académicas e os pedidos de nacionalidade da 2ª e 3ª geração de emigrantes na Ve-

Administração Pública Regional reduziu passivo em 156,2 milhões de euros face ao início do ano AGÊNCIA LUSA

O passivo acumulado da Administração Pública Regional reduziu 156,2 milhões de euros face ao início do ano, fixando-se nos 354,9 milhões de euros no final do mês de agosto de 2017. Face ao registado até julho, registou-se um decréscimo de 38 milhões de euros, explicado em grande medida pelo pagamento de encargos obrigatórios com as SCUTS. Os pagamentos em atraso apurados até ao final de agosto de 2017 mantiveram-se nos 22,3 milhões de euros, registando uma diminuição de 22,0 milhões de euros face ao início do ano. Por seu turno, o saldo global consolidado, em contabilidade pública, dos organismos com enquadramento no perímetro da Administração Pública Regional, é deficitário em 152,6 milhões de euros.

Se aos valores da execução orçamental consolidada excluirmos os pagamentos de dívidas de anos anteriores, que totalizaram 137,5 milhões de euros, verificamos que o saldo primário é positivo em 122,3 milhões de euros e o saldo global é negativo em -15,3 milhões de euros.

Por seu turno, o saldo global registado no final agosto de 2017 pelo subsetor do Governo Regional − na ótica da Contabilidade Pública −, foi de -152,8 milhões de euros, o que representa uma variação de -157,2 milhões de euros face ao período homólogo de 2016, explicado pelo aumento das despesas com Juros e outros encargos, em virtude da concretização, em março, da operação de reestruturação de swaps de empresas públicas da Região , a par do pagamento de juros de mora no âmbito de acordos de regularização de dívida, no valor de 34,2 milhões de euros, e do comportamento da receita efetiva, que diminuiu 12,7%, influenciada negativamente pela evolução registada ao nível da componente corrente (-14,2%) e positivamente pela variação evidenciada ao nível da componente de capital (2,6%).

nezuela. Há, também, cerca de 10 casos de reformados que têm exigido um rigoroso apuramento dos factos.

Madeira 15 Estas pessoas eram pensionistas na Venezuela, mas regressaram à Madeira porque o Estado venezuelano deixou de lhes pagar. Como, em Portugal, não é possível atribuir prestações sociais quando existem rendimentos de pensões de outros países, o GAEV está a analisar, juntamente com a Segurança Social, uma forma de poderem receber o Rendimento Social de Inserção ou uma pensão de sobrevivência. Por outro lado, os pedidos de habitação social dos emigrantes obrigam a um equilíbrio fino, pois há requerimentos da comunidade local e “ninguém pode sair prejudicado”, referem-nos do gabinete do Secretário Regional. Os 100 pedidos que já foram feitos por emigrantes regressados estão ser cruzados com os já existentes para que não haja casos de “injustiça”. Também o Centro de Emprego local recebeu mil inscrições de emigrantes que procuram trabalho. Recorde-se que a Venezuela, liderada por Nicolás Maduro, vive uma situação de caos social. Há falta de um pouco de tudo, desde medicamentos a comida, a inflação galopante, que o FMI estima que será de 2 000% em 2018, leva a que os salários não passem de molhos de notas quase sem valor.

Contratos de compra e venda de imóveis decresceram na Região Autónoma da Madeira AGÊNCIA LUSA

Em 2016, o número de contratos de compra e venda de imóveis (3 466) registou um decréscimo de 5,7% face ao ano anterior, tendo o valor médio dos prédios transaccionados, contrariamente, crescido 42,1%, passando de 67,1 mil euros em 2015 para 95,4 mil euros em 2016. Os dados disponibilizados há pouco pela Direcção Regional de Estatística da Madeira referem ainda que, no que respeita aos contratos de mútuo com hipoteca voluntária, o número de contratos celebrados cresceu 7,3% entre 2015 (750) e 2016 (805), no

entanto verificou-se uma diminuição no valor médio dos prédios hipotecados em cerca de 62,2 mil euros (196,1 mil euros em 2015; 133,9 mil euros em 2016). O crédito hipotecário concedido a pessoas singulares por habitante atinge, em 2016, o valor de 263 euros, indiciando um acréscimo anual de 16,7%. A DREM disponibiliza hoje no seu portal a Série Retrospectiva das Operações sobre Imóveis actualizada com os dados de 2016. Faz-se notar que esta série foi reestruturada e ampliada em número de anos, permitido a partir desta edição o acesso em linha aos dados, desde 1971.


16 Publicidade

De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017 | Correio da Venezuela


TEATRO

Ommyra Moreno Suárez

RECOMENDAÇÕES

Correio da Venezuela | De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017

Cultura 17

#LosClownBrothers

Locutoras

Centro Cultural BOD

Centro Cultural BOD

Sob a interpretação de Juan Andrés Belgrave e Cheo Mora, #LosClownBrothers apresentam-se para prestar homenagem às rotinas de reconhecidos palhaços como David Larible, Abbott e Costello, The Umbilical Brothers, Hugh Laurie, entre outros. Juan Belgrave, desde muito pequeno iniciou-se nas tabelas. Tem-se desenvolvido como ator cómico. A partir do ano 2005, faz parte do elenco de IMPROVISTO.

Tania Sarabia e Hilda Abrahamz encarnam as atrizes Visitación e Altagracia, duas reconhecidas locutoras da emissora Radio Calabozo. No seu programa “La hora de la verdad” abordam diversos temas, que vão desde a leitura das cartas de tarotaté receitas de cozinha. Contudo, a secção mais importante do programa é a Entrevista e, neste caso concreto, o espaço prepara-se para receber duas convidadas famosas.

SHOWBIZZ

Marjorie de Sousa procura um lugar na música regional mexicana

SERGIO FERREIRA SOARES

TV

Albi de Abreu participa em novo‘drama da época’ SERGIO FERREIRA SOARES

CINEMA

Ommyra Moreno Suárez

RECOMENDAÇÕES

Uma vez mais, Albi De Abreu dá que falar no mundo dos espetáculos, desta vez pela sua participação em “La Bandida#”, a nova série de TV Azteca e Sony Pictures Television Latin America que narra a vida de Graciela Olmos, dona do bordel mais importante da Cidade do México nos meados do século XX. Sony anunciou durante o mês de

agosto a produção do referido drama da ápoca, que narrará a história da famosa revolucionária. A ficção terá 62 episódios gravados no México, sob a direção de Mauricio Cruz (a rainha do sul) e Rodrigo Ugalde (BlueDemon). Está escrita por Carlos Quintanilla e Adriana Pelussi, e será protagonizada por Sandra Echeverría juntamente com Ianis Guerrero, Albi de Abreu e IvánArana. Angélica Guerra, VP sénior e diretora geral de Sony Pictures Latam &

US Hispanic, comentou que La Bandida «é daquelas histórias onde a realidade supera a ficção, pois a vida de Graciela Olmos está cheia de tantos tournés maravilhosos que, por momentos, pareceria que os tivéssemos inventado». «Recriar o México da época da revolução, com os seus vestuários, locais e magia visual tem sido um deleite para a produção, acrescentou. Este drama da época baseia-se na vida de Graciela Olmos, uma criança rebelde que se recursou a aceitar o destino que tinha pela frente e acabou convertida num ícone, dona do bordel mais importante de Cidade de México. Nem nos seus sonhos mais remotos imaginou que os obstáculos da vida a levariam a se converter numa das mulheres mais influentes da cultura e a política mexicanas.

Após um longo período de ausência devido ao nascimento do seu primogénito, a atriz Marjorite de Sousa poderia regressar ao mundo dos espetáculos mas desta vez não o fará nas telenovelas como costuma acontecer: agora inovará em género regional mexicano pela mão de JuliónÁlvarez, para cantar em concertos nacionais e ‘palenques’. A informação foi divulgada pelo diário “¡Basta!”, onde Verónica Guerra Rodríguez, maquilhadora da artista, garantiu que a venezuelana está a planear entrar no mundo do cântico. «Marjorie é uma velha chingona, está a eleger temas e em reuniões de trabalho para montar o seu show. Empresas especializadas já lhe ofereceram organizar um tourné pelo México nos inícios

de 2018. Ela é uma mulher independente que, desde adolescente, sempre tem trabalhado; o que tem poupado acabou e a pensão que logo receberá para o seu filho é coisa aparte». «Ela não quer fazer figura de parva e a empresa que está interessada nela como cantora quer que se prepare vocalmente, e que ensaie o reportório de música tradicional mexicana com mariachi e com banda», acrescentou Guerra. A maquilhadora também vincou que Marjorie deseja ter um trabalho logo para que Julián Gil não acredite que ele esteja perto do apoio que ele dá a Matias. Recorde-se que a luso-venezuelana tem atravessado dificuldades depois do juiz que estava com o caso, que declara que Gil deve dar ao filho 10% dos seus rendimentos, quando De Sousa exigiu 20% em várias oportunidades.

My Little Pony: O filme

The House

O filme animado, baseado nos brinquedos Hasbro, narra a travessia que deverão fazer os valentes póneis Twilight Sparkle, Applejack, Fluttershy, Pinkie Pie, Rainbow Dash y Rarity, que tentam salvar o seu habitat mobilizendo-se até à terra mágica de Equestria, onde vão encontrar aventuras e uma missão juntamente com os seus novos amigos. As vozes são interpretadas por Kristin Chenoweth, Emily Blunt, Michael Peña, Uzo Aduba, Liev Schreiber, Taye Diggs, Sia Furler e Zoe Saldana.

O filme conta a história de um casamento que depois de ter gasto todas as poupanças veem-se aflitos no momento de pagar a universidade das suas filhas. Para evitar isto, decidem abrir um casino ilegal no sótão de casa para voltar a ter dinheiro. Os seus amigos veem-se envolvidos quando o casal lhes pede que façam parte do negócio pouco comum. O filme é dirigido por Andrew J. Cohen, protagonizado por Will Ferrell, Amy Poehler e Allison Tolman.


18 Publicidade

De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017 | Correio da Venezuela


MODA

Ommyra Moreno Suárez

RECOMENDAÇÕES

Correio da Venezuela | De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017

Este ano, para a temporada de Outono/Inverno, o Instituto da Cor Pantone propôs os tons que marcaram os conjuntos nos próximos meses, entre eles está o Grenadinee oAutumn Maple. Desde já, as vitrinas unificam-se com a tendência e oferecem diversos conjuntos e acessórios com essas cores como protagonistas. Entre as peças predominantes para a

temporada, estão os botins, um básico imprescindível, que é preferido graças à sua versatilidade e por se tratar de m calçado que faz destacar a figura estilizada. Por seu lado, os sweteroversizecontinuam a ganhar força, não só porque são muito cómodos e acolhedores mas porque também favorecem todo o tipo de figuras. Entre os tecidos, o veludo

faz parte dos favoritos para o outono/inverno, desta vez com uma proposta para ocasiões casuais, sendo que pode combinar perfeitamente com jeans. Das décadas passadas, regressam os coletes e os chokers continuam a ganhar força, não só porque são muito cómodos e agasalhadores como também por favorecerem todo o tipo de figuras.

Cultura 19

Grenadine e Autumn Maple serão as cores para o outono/inverno 2017 MÚSICA

“Fumaça Preta” apresentamnovo disco em Espanha

CINEMA

Portugal e Venezuela presentes no Festival de Cinema Latino-americano Sergio Ferreira Soares

Ommyra Moreno Suárez

ARTES

RECOMENDAÇÕES

O Instituto Americano de Cinema (AFI, siglas inglesas) abre as suas portas para realizar o Festival de Cinema Latino-americano 2017, que oferece o melhor da cinematografia da América Latina com a participação de Espanha e Portugal. A edição 28ª terá lugar no AFI SilverTheatre&CultureCenter entre os dias 14 de setembro e 4 de outubro, contando com mais de 40 filmes vencedores de prémios e êxitos de bilheteira locais. Portugal e Venezuela terão uma participação com destaque, com filmes provenientes de Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Republica Dominicana, Equador, El Salvador, Guatemala,

Honduras, México, Paraguai, Perú, Espanha, UruguaiePuerto Rico. “La Soledad”, de Venezuela, apresenta um enredo intimista, intrigante e profundo sobre a realidade de um país. “José” procura uma vida melhor para a sua família, enquanto enfrenta diariamente os obstáculos de uma sociedade submersa na crise económica. Obrigado a abandonar o quanto antes a vila onde mora e procurar um novo lar, tenta encontrar umas moedas de ouro que estariam enterradas nesta casa, embora escoltadas por espíritos ancestrais que a protegem. “La Soledad” é uma produção de La Faena eAlfarería Cinematográfica, desenvolvida com o apoio da BiennaleCollege Cinema de Ve-

necia. Foi filmada em Caracas com pós-produção na Argentina e Nova Iorque, em coprodução com Ardimages UK. Por seu lado, “Joaquim”, coprodução entre REC Produtores Associados (Brasil) e Ukbar Filmes (Portugal), onde também participa como sócia WandaFilms, desmitifica a figura do herói nacional brasileiro Tiradentes e resgata a “cruel” colonização portuguesa que deixou marcas “terríveis” no país sul-americano. Trata-se de uma “poesia ficcional” onde se aborda uma passagem determinante na vida de Joaquim José da Silva Xavier, que protagonizou a primeira tentativa de independência de Portugal. É um filme político onde se aborda a conquista portuguesa no Brasil.

Sergio Ferreira Soares

A formação que lidera o luso-venezuelano Alex Figueira, que se esconde sob o nome de “Fumaça Preta”, continua a dar que falar ao anunciar o seu regresso a piso espanhol com cinco apresentações durante o mês de setembro. Sevilha, Madrid, Oviedo, Pamplona e Barcelona foram as cidades eleitas, onde darão lugar a um som psicadélico com corantes tribais e tropicais. A turnê surge para promover o seu novo álbum “Impuros Fanáticos”, gravado no Barracão SoundLaboratory, onde o grupo toca ritmos africanos, música tribal e rock psicadélico. Os participantes irão apreciar a energia explosiva, a força e o delírio de influências díspares que satisfazem o público a cada apresentação. A mesma tem início na terça 19 de setembro na Sala X de Sevilla e

prossegue no dia seguinte, quarta-feira 20 de setembro, no MobyDick Club de Madrid. Depois, na quinta-feira 21 de setembro, ocupam as instalações de Lata de Zinc em Oviedo; na sexta-feira 22 de setembro, a Cavas Disco de Pamplona; e no sábado 23 de setembro encerram em grande percorrendo o BAM Festival de Barcelona. Fumaça Preta é um projeto português-venezuelano-inglês que surge numa estudo analógico localizado atrás de uma casa em Amsterdão, onde toda a experiência musical era permitida. Alex Figueira, percussionista de origem luso-venezuelana, convidou os seus velhos amigos Stuart Carter (guitarra, sintetizador e órgão) e James Porch (baixo), a criar música sem restrição, o que resultou numa mistura de psicodeliafunk, acidhouse, música concreta, sons africanos e ritmos latinos.

“Visionario Americano”

“Somos”

Centro Cultural Chacao

Hacienda La Trinidad

A exposição fotográfica “Visionario Americano. Vida y tiempos de John F. Kennedy” está patente nos espaços de La Caja 1 do Centro Cultural Chacao, em parceria com a Embaixada dos Estados Unidos e com a colaboração de Wiener Schiller Productions e John F. Kennedy Presidential Library. No local, os espetadores poderão fazer um apanhado visual pelos acontecimentos na vida do ex-presidente dos Estados Unidos.

O fotógrafo venezuelano Ricardo Arispe apresenta a exposição individual “Somos”, juntamente com Carmen Araujo Arte, em parceria com a Hacienda La Trinidad Parque Cultural. A mostra estará disponível nas salas do Secadero 3. Através de signos, imagens e discursos referenciais, Arispe propõe uma reflexão sobre a crise política venezuelana nalguns dos seus aspetos mais reveladores.


20 Publicidade

De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017 | Correio da Venezuela


Correio da Venezuela | De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017

Opinião 21

“CRÓNICAS DE LISBOA”

Para Que Servem as Tempestades ?

SERAFIM MARQUES

Um jovem caminhava num bosque, com o seu pai e foram surpreendidos por uma tempestade. Abrigados, como puderam, ficaram em silêncio meditativo, observando a força da natureza. – Pai, para que servem as tempestades? Surpreendido pela pergunta do filho, o pai demorou algum tempo a responder, pois a questão era profunda e ele nunca tinha pensado nisso. – Servem para testar a resistência, a coragem e a força dos homens. Servem também para purificar e renovar a natureza, pois também nela só os mais fortes resistem. Já pensaste que o vento abana as árvores para que se libertem das folhas e dos ramos mortos? – Uhm…. – No que diz respeito aos humanos, alguns resistem e ficam mais fortes, mas outros deixam-se abater e ficam revoltados contra todos e contra a própria mãe natureza. E o silêncio voltou à “gruta”, só quebrado pelo barulho do vento e das árvores que iam caindo, porque estavam frágeis e não resistiam à “lei” e força da natureza. Com a bonança, o pai retomou. – Sabes filho, a natureza, não se queixa do mal que lhe fazemos. Vinga-se e zanga-se connosco, quando a agredimos. A natureza, ralha connosco, quando lhe faze-

mos mal. As tempestades são a expressão mais violenta que a natureza utiliza para nos castigar das nossas agressões para com ela. E, sabes, tem muitas formas de o fazer e, infelizmente, cada vez com mais frequência. Por vezes, os humanos ficam impotentes de lutarem contra a sua força e só lhes resta esperaram que a fúria acabe. Este pensamento ocorreu-me, num meu despertar, talvez porque no meu subconsciente se tenha albergado algum facto recente que testou a minha inteligência emocional e também porque têm ocorrido muitas situações de calamidades, algumas por negligência humana, com muitas vidas humanas perdidas. Incêndios, quedas de árvores mortíferas, tufões, destruição da natureza, etc. Contudo, e involuntariamente, a minha memória recuou cerca de sessenta anos e trouxe-me, qual filme vivo e nítido, um episódio da minha infância rural. Era Agosto, mês de trovoadas frequentes e, naquele fim de dia, a minha mãe, eu, com nove ou dez anos de idade, e o meu irmão mais velho dois anos, (os outros três mais novos ficaram na aldeia entregues a si próprios – cada um a guardar o outro abaixo) apanhávamos feijoeiros secos, antes que a trovoada descarregasse uma bátega de chuva e os estragasse. – Filho, pega neste molho e

põe-te a caminho, antes que comece a chover, pois vem aí uma forte trovoada que eu e o teu irmão ainda ficamos mais um pouco. Mas a trovoada e a chuva apanharam-me a meio do caminho e não hesitei em me abrigar numa casa-palheiro ali mesmo ao lado do caminho para a aldeia. Entrei, molho dos feijoeiros para o chão, e deitei o meu corpito cansado na palha de centeio e, indiferente aos trovões e relâmpagos, adormeci que nem um anjo, talvez protegido por Santa Bárbara, não fosse ali cair um raio. Já a tarde tinha caído, andava meia aldeia à minha procura e acabaram por me assustar e interromper o meu sono profundo, aconchegado na palha de centeio ali guardada, ao abrirem a porta da casota. Ainda “dorminhoco” e meio estranho com o opúsculo e o cheiro a terra molhada, senti-me herói por minutos, apesar de por ali não haver raptores de crianças, mesmo que as destinassem à escravatura ou a serem vendidas em feiras pelos ciganos, assim nos iam assustando, que nómadas, porque a lei da época não lhes permitia “sedentarizar” nos povoados, percorriam as aldeias à procura de meios de subsistência, ora pedindo, ora negociando ou roubando os parcos meios de subsistência, de gentio ainda mais pobre do

que os aldeões. As trovoadas, na minha aldeia beirã, em terras de Viriato, eram um espectáculo único, porque o palco também o era. Belo e assustador, punham em sentido os mais corajosos, que se refugiavam nas preces a Santa Bárbara (só nos lembramos de Santa Bárbara, quando troveja – provérbio popular que significa que só perante o perigo nos lembramos da prevenção/precaução). As tempestades, podem moldar-nos com uma estrutura física e mental de aço, por fora, mas de extrema sensibilidade interior, porque elas nos trazem mensagens que só passam despercebidas aos insensíveis. Por vezes, são acompanhadas de dor, para nós e para outros que, acobardados, tentam mostrar-se fortes, mais por medo, porque são mais frágeis do que mostram. Outros, esses cobardes, sacodem as suas responsabilidades. Nos incêndios florestais, o horror e a incompetência e a negligencia repete-se anos após ano e não aprendemos nada. A memória pelo mortos deste Verão merece que se atalhe caminho no combate a uma “tempestade” que não escolhe vítimas inocentes. Para que servem as tempestades? Também para aprendermos com elas, quase sempre com elevadas perdas materiais, financeiras e HUMANAS.

PALAVRAS

Onde param os donativos dos emigrantes para as vítimas dos fogos na região Centro? DANIEL BASTOS

No início do mês de setembro, a imprensa nacional repercutiu nas páginas de vários órgãos de informação declarações do autarca de Pedrógão Grande, Valdemar Alves, a solicitar que o Ministério Público investigasse para onde foram canalizadas as verbas recolhidas por várias entidades para as vítimas do incêndio que assolou a região em junho. A suspeita de que terá sido desviada parte das verbas recolhidas para as vítimas, suspeição igualmente partilhada pelos autarcas de Castanheira de Pera e de Figueiró de Vinhos, levou os mesmos a manifestarem inclusive

receios de desvio de donativos de contas abertas no estrangeiro por parte de emigrantes. Esta falta de transparência, aludida pelos autarcas dos concelhos da região Centro atingidos pelos incêndios, motivou mesmo uma intervenção pública do Presidente da República, a pedir esclarecimentos sobre os donativos arrecadadospara apoiar as vítimasdos incêndios. Na esteira das palavras do mais alto magistrado da Nação é preciso explicar aos portugueses“de onde veio o dinheiro, quem é que o está a gerir, como e quanto”, incumbência que entretanto

começou a ser esclarecida por várias entidades públicas e privadas envolvidas nas campanhas de solidariedade em prol das vítimas dos fogos. No caso específico das inúmeras campanhas solidárias dinamizadas pelas comunidades portuguesas para com as vítimas dos incêndios, abundam felizmente vários exemplos de transparência e entreajuda. Ainda no fim-de-semana passado, o movimento “Canada For Portugal”, um movimento que reúne empresários, meios de comunicação social e associações portuguesas de Ontário no Canadá, entregou pessoalmente

através do comendador Manuel da Costa, um dos mais ativos e beneméritos empresários portugueses em Toronto, mais de cem mil dólares ao autarca de Pedrógão Grande. Este envolvimento direto das comunidades portuguesas é indubitavelmente a forma mais adequada de demonstrar a entreajuda e transparência destas campanhas, acrescentando ainda a vantagem de potenciar o conhecimento sobre a realidade das pessoas para com quem os portugueses no estrangeiro expressam a sua solidariedade.

O CORREIO da Venezuela não pode ser considerado responsável e/ou patrocinador das opiniões que são expressas neste espaço


22 Publicidade

De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017 | Correio da Venezuela


Correio da Venezuela | De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017

---SAÚDE EM DIA---

Miscelânea 23 ---CURIOSIDADES---

Cuidado com a saúde ao viajar

A fotografia

Hermes Pardini / CORREIO

As férias mexem com os itinerários turísticos, dentro e fora do país. Mas antes de colocar um pé na autoestrada é essencial que o viajante procura o médico para avaliar as suas condições de saúde. Realizar exames de rotina, atualizar o livro de vacinas e levar medicamentos são medidas importantes para evitar situações desagradáveis durante a viagem. Os exames recomendados antes de viajar são procedimentos simples, de rotina, mas que podem prevenir o aparecimento de situações desagradáveis. «A consulta médica antes de viajar é a garantia de que a pessoa está a viajar em boas condições de saúde e com as recomendações médicas adequadas em caso de identificação de algum risco. Exames de fezes, urina e sangue, por exemplo, são essenciais. Ainda, de acordo com a situação de saúde do paciente, alguns exames podem ser importantes, como a radiografia e o ultrassom, e nos casos de pacientes crónicos como diabéticos, obesos, hipertensos e cardiopatas, são necessários cuidados e orientações específicas

patitis B e as meningitis B y ACWY devem estar em dia, de acordo com a recomendação para a vacinação por idade. Também existem vacinas recomendadas para regiões específicas, devido ao risco de contaminação para o viajante ou o risco de que este apanhe uma doença no destino, como as vacinas Febre tifóidea, cólera, encefalite japonesa e raiva. A alimentação também é outroponto que merece a atenção do viajante. É sempre importante que a pessoa pesquise sobre os hábitos alimentares dos destinos para que possa antecipar-se sobre a cultura alimentária local e, assim, poder programar que alimentação poderá ter.

---PENSA VERDE---

Conselhos para levar a ecologia ao dia-a-dia das crianças CORREIO da Venezuela

Os futuros líderes, que terão nas suas mãos o poder e a responsabilidade de tomar as decisões necessárias para preservar o planeta, são as crianças de hoje. Como tal, ensinar-lhes sobre a importância de preservar o meio-ambiente é essencial. Tenha uma horta em casa: Trata-se de um processo muito simples, inclusive para quem vive num apartamento e não tem muito espaço. E é também uma forma educativa de ensinar a vertente ecológica aos mais pequenos, aplicando de uma forma prática. Tudo começa separando os resíduos dos alimentos orgânicos. No final do processo, as crianças podem regar as plantas com o “sumo” que daí resulta. Dê à criança uma planta para que este lhe dê um nome: Não é preciso ter uma horta em casa para animar uma criança e a incentivar a cuidar de uma planta. Experiências como a dos feijões que saem do algodão ou usar um vaso pequeno para plantar uma erva aromática, como menta, manjericão ou inclusive cereja, podem ser muito divertidas e ricas em

o aparelho para a casa Kodak, revelavam-se as fotos e devolvia-se ao doto novamente carregado. A sua utilização expandiu-se e, durante a Guerra Civil Espanhola, o fotógrafo Robert Capa converteu-se no fotógrafo de guerra mais famoso do século XX. A sua saída mais conhecida é “El soldado caído”, onde Capa consegue capturar o momento onde um membro da milícia Federico Borrellmorre num tiroteio pelo franco-atirador em Cerro Muriano, na frente Córdoba. Nos processos psicológicos, a fotografia também tem sido tema de estudo. Na Universidade de Nova Iorque, o professor de psicologia Arthur Aron conseguiu demonstrar que o facto de ver uma fotografia de uma pessoa que amamos reduz a dor em 44%.

Ommyra Moreno

antes da viagem. «Os medicamentos já utilizados pelos pacientes devem ser tomados durante o período em que está fora e é importantíssimo levar a receita médica», alerta a Dra. MarianeTarabal, médica Check-up do Grupo Hermes Pardini. O livro de vacinas é um documento importante e deve manter-se atualizado. Como tal, especialistas advertem que, ao programar uma viagem, é preciso verificar se há vacinas obrigatórias, de acordo com os locais a serem visitados. As vacinas básicas do calendário de vacinas como o Sarampo, Caxumba e Rubéola (triplo viral), Difteria, Tétano e Coqueluche (DTP), Poliomielitis, Hepatitis A, He-

aprendizagem para os mais pequenos. Consciência, alimentação e informação juntas: Manter uma alimentação mais sã e de forma regular é um desafio para as famílias com crianças. Mas a partir da alimentação uma criança pode aprender sobre o ciclo de vida no planeta, sobre a importância da água, da terra, das plantas e dos insetos polinizadores, entre tantas outras coisas. Frequente parques e praças: Brincar ao ar livre é legal e a cidade está cheia de espaços verdes para convívios em família. Então, no fim-de-semana, organize um piquenique

em família e vá até ao parque ou praça mais próximos. Desfrute dos últimos dias da semana para conhecer novas praças e parques perto da sua casa. Deixe que a criança brinque e se suje: Sim, na terra há micróbios, mas a ciência indica que o contacto com este tipo de sujidade desempenha um papel fundamental no desenvolvimento do sistema imunológico da criança. Seja exemplo: o exemplo é o seu maior aliado quando o assunto é ensinar qualquer coisa aos mais pequenos; sustentabilidade, ecologia e respeito ao meio ambiente também.

Sem dúvida, a fotografia é uma das formas de expressão artística mais populares do mundo, graças ao facto de qualquer pessoa poder utilizar esta ferramenta e reproduzi-la através de diversas formas. A fotografia, tal como hoje em dia a conhecemos, nasce nos finais de 1839, sendo batizada inicialmente com o nome de heliografia. O primeiro conjunto de fotografias eram expostas em placas metálicas à luz do sol. Foi só em 1888, quando Eastman Kodak Company, sob o slogan “Você carrega no botão, nós fazemos o resto”, pôs no mercado uma câmara carregada com um rolo de cem fotos e pronta a usar. O procedimento consistia em enviar

---CULINÁRIA---

Coelho em vinha e alhos

Ingredientes: 1 coelho; 3 dentes de alho; 100 g de pão às rodelas; azeite; 2 cebolas médias; 2 colheres de manteiga; 2 colheres de azeite; 1 dl de vinho do Porto; sal Preparação: Tempera-se o coelhocomalho e sal. Frita-se as fatias de pão e colocamo-las no forno numa ban-

deja, cobrindo-o. Sobre o pão, dispomos o coelho, que se cobre com a cebola cortada em rodelas finas. Deita-se manteiga por cima e rega-se com azeite. Leva-se ao forno e, quando esteja quase cozido, retira-se, rega-se com vinho do Porto ou vinho branco e volta-se a meter no forno para acabar de cozer.


24 Publicidade

De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017 | Correio da Venezuela


26 Desporto

Quinta-feira 30 de Outubro a Quarta-feira 6 de Novembro de 2014 | Correio da Venezuela Correio da Venezuela | De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017

Desporto 25

FUTEBOL

Liga de clubes apresenta lucros e altera estatutos sem votos contra FUTEBOL

Confederação de Desporto de Portugal repudia clima de crispação entre clubes AGÊNCIA LUSA

AGÊNCIA LUSA

As duas assembleias gerais da Liga Portuguesa de Futebol Profissional aprovaram um relatório e contas da época 2016/17 com 2,5 milhões de lucro e um conjunto de alterações aos estatutos, sendo que nenhuma das votações mereceu qualquer voto contra. “É um ciclo positivo em termo económico-financeiros da Liga. Continua o crescimento. A Liga foi intervencionada e cumpre com rigor o plano de reorganização que fez junto de credores, bancos, autoridade tributária e fornecedores”, regozijou-se Mário Costa, presidente da Assembleia Geral. Pedro Correia, diretor executivo coordenador da Liga, acrescentou que “o resultado operacional de 2,5 milhões está 13 por centro acima do planeado”, sendo o que o mesmo foi “aprovado por unanimidade, tal como o relatório de atividades”. Mário Costa revelou ainda que “todas as propostas de alteração dos estatutos foram aprovadas na especialidade favoravelmente,

sem qualquer voto contra”, recordando que algumas das questões visaram “repor a legalidade em alguns pormenores dos estatutos”. O presidente da Liga passa a ter voto de qualidade, uma vez que a direção tem, atualmente, 10 elementos, número par. Paralelamente, a partir do próximo mandato, o conselho jurisdicional vai passar de 11 membros para sete e o conselho fiscal de cinco para três. “Tendo em conta boas praticas gestão” foi decidido ainda que o orçamento deve ser aprovado até 30 de junho e as contas do ano anterior até 30 de setembro. O fundo de equilíbrio financeiro passa a ter um máximo definido - não existia até ao momento - de um milhão de euros, sendo que valor superior deve ser decidido em assembleia geral. Foi ainda criado um fundo de infraestruturas para a II Liga no valor de 500.000 euros. A partir de agora, e para que todos os clubes venham à Liga com todos os dossiers “bem estudados”, as propostas para serem

votadas em assembleia geral devem ser entregues até três dias antes das mesmas, pelo que não podem ser apresentadas durante a mesma - isso não inibe o facto de serem discutidas e alteradas. A LPFP passa a ter como um dos seus princípios a formação, dando seguimento a atividades que já existem de pós-graduação e informações aos membros das sociedades desportivas. Também passa a ser regulada a “obrigatoriedade de criação de grupos de trabalho, um dos princípios basilares da participação das sociedades desportivas na vida do organismo”, como referiu Sónia Carneiro, diretora executiva jurídica. Foram ainda corrigidos vários “pormenores e clarificações para maior transparência e rigor, mesmo contabilísticos”. “A Liga e a sua direção trabalham para recuperar a sua imagem e [vida] financeira. Com sustentabilidade. Realço o facto de em todas as decisões não ter havido um único foto contra”, concluiu Mário Costa.

A Confederação de Desporto de Portugal (CDP) repudiou as “sucessivas intervenções” que têm fomentado um clima de crispação entre clubes de futebol, manifestando-se “disponível para apoiar e trabalhar” em iniciativas que combatam essa tendência. “Repudiamos as sucessivas intervenções que têm vindo a destruir o relacionamento entre clubes e a fomentar crescente tensão e desrespeito pelas regras da convivência e dos valores desportivos, além de uma inaceitável desconfiança na arbitragem”, refere a CDP, em comunicado de três pontos. A instituição liderada por Carlos Paula Cardoso reagia a um artigo do presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), que alertou hoje para os “sinais de alarme” decorrentes da “apologia do ódio” e de um “constante tom

de crítica em relação à arbitragem”, instando à ação dos clubes e Estado. “Total apoio às preocupações expressas pelo presidente da FPF quanto aos sinais de alarme sobre o clima que tem vindo a ser criado em torno das competições de futebol”, reforçou o organismo. A CDP manifestou, por isso, a sua “disponibilidade para apoiar e trabalhar nas iniciativas que as entidades associativas e as entidades públicas entenderem desenvolver no sentido de ser ultrapassada a presente situação”. A instituição congratulou-se ainda pelo a nomeação de Fernando Gomes para membro da Comissão Executiva da FIFA. “Representa o reconhecimento do saber e das capacidades do presidente da FPF e constituiu um estímulo para que os responsáveis portugueses venham a ultrapassar as dificuldades que atualmente enfrentam”, conclui.

FUTEBOL

Jogo Portugal-China em 2019 em Macau assinala relações diplomáticas AGÊNCIA LUSA

Os 40 anos do restabelecimento das relações diplomáticas entre Portugal e a China e os 20 anos da transferência de Macau vão ser assinalados, em 2019, com um jogo de futebol entre as duas seleções, anunciou o Governo de Macau. Em comunicado, o gabinete do secretário para os Assuntos

Sociais e Cultura revelou que as duas datas redondas, que coincidem em 2019, vão ser celebradas “através do desporto, nomeadamente de um jogo entre as seleções chinesa e portuguesa a realizar em Macau”. O jogo foi anunciado durante um encontro do secretário Alexis Tam com o ministro da Educação português, Tiago Brandão Rodrigues, na quarta-feira.


26 Desporto

De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017 | Correio da Venezuela

RANKING FIFA

Venezuela e Portugal escalam posições ranking do mês de setembro, desbancando a Seleção Argentina do terceiro lugar. Para tal, a equipa das Quinas beneficiou dos trunfos sobre as IslasFeroe (5-1) eHungría (1-0), referentes à classificação para o Mundial 2018. A Alemanha destronou o Brasil da cimeira do ranking da FIFA graças às suas vitórias sobre a República Checa e Noruega nas eliminatórias mundiais. A seleção de Messi desceu um lugar depois de ter empatado nos dois últimos jogos perante o Uruguai e a Venezuela. Bélgica escalou quatro postos para o quinto. Polónia, Suíça, França, Chile eColômbia completam o ranking dos dez primeiros do que a Espanha continua fora, embora a escassos pontos de chilenos e colombianos. O Perú continua a dar que falar e escalou já até ao 12º lugar, enquanto o México manteve o lugar número 14º na classificação.

SERGIO FERREIRA SOARES

Boas notícias para os seguidores do futebol português e venezuelano: as seleções nacionais de ambas as nações conseguiram escalar posições no ranking mundial da Federación Internacional de Futbol Asociation (FIFA), após o bom desempenho registado nos seus últimos encontros das eliminatórias do Mundial daRússia 2018. Com 525 pontos, mais quatro do que no mês anterior, a Vinotinto subiu um escalão no ranking correspondente ao mês de setembro para se colocar no lugar 68. A seleção dirigida por Rafael Dudamelsomou dois pontos nos seus dois últimos jogos ao empatar sem golos perante a Colômbia em Pueblo Nuevoe 1-1 perante a Argentina no dia 5 de setembro no Monumental de Buenos Aires. Portugal, com 1386 pontos,saltou três escalões no

FUTEBOL

Benfica envolvido nas negociações pelo Fariñez

FUTEBOL

Mário de Nóbrega assina com União por duas temporadas

SERGIO FERREIRA SOARES

SERGIO FERREIRA SOARES

O diário português “A Bola” reportou que o Benfica está diretamente envolvido nas negociações pelo guarda-redes venezuelano Wuilker Fariñez entre o clube Milionários de Colômbia e o Caracas Fútbol Club (CFC). O guarda-redes chegará a Millonarios em janeiro

de 2018, clube em que o Benfica teria assinado um acordo pelos direitos do guarda-redes crioulo. O médio luso publicou que «o Benfica garantiu os direitos económicos do guarda-redes Wuilker Fariñez», confirmando que a operação inclui um pagamento de 900 mil dólares «por 75% do passe do jovem venezuelano». O Benfica teria mostrado o seu interesse pela

assinatura do guarda-redes titular da seleção venezuelana desde o passado mundial sub-20 de Correia do Sul. Fizeram saber que Fariñez era observado há algum tempo pelo grupo de escoteiros da Águilas. A esquadra de Rui Vitória decidiu-se pela guarda após as suas atuações na passada dupla data de eliminatórias com a Vinotinto.

O guarda-redes Mário de Nóbrega foi promovido da equipa B e agora passa a trabalhar no plantel orientado por Paulo Alves. O guarda-redes luso-venezuelano, de 21 anos, dá assim um passo importante na carreira, assina por duas épocas, e passa a integrar a equipa principal dos unionistas. No plano oposto, Rodrigo Miranda vai representar o União B no resto da temporada, segundo anunciou o clube azul-e-amarelo. O plantel unionista treinou por duas vezes, ambas no seu complexo, no Vale Paraíso. Paulo Alves continua a preparar a deslocação

à Sertã para o jogo a contar para a 2.ª eliminatória da Taça de Portugal. A equipa atravessa uma fase de menor fulgor e os resultados estão longe do esperado, num cenário bem diferente daquele que se verificou numa fase inicial da temporada. Nesse sentido, o jogo frente ao Sertanense é visto igualmente como a oportunidade para retomar o caminho dos bons resultados, primeiramente com o objectivo de carimbar o passaporte para a ronda seguinte da Taça de Portugal, mas tendo também em vista aumentar os níveis de confiança para os desafios seguintes no campeonato.


26 Desporto

Quinta-feira 30 de Outubro a Quarta-feira 6 de Novembro de 2014Correio | Correio Venezuela| De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017 dada Venezuela

Desporto 27

FUTEBOL

Sportinguistas reúnem-se no Centro Portugués No próximo dia 1 de outubro, os amigos dos fanáticos do clube lusitano comemoram em grande o futebol OSCAR SAYAGO

No próximo mês de outubro, a Asociación Civil Centro Portuguésvai dar grande credibilidade ao futebol quando os fanáticos Sporting Club de Portugal se reunirem para desfrutar de uma tarde diferente. Os presentes poderão deliciar-se com um grande buffet, seguido de um clássico entre o Sporting Clube de Portugal e o Futebol Clube do Porto: equipas que estão a passar por um grande momento nas suas ligas, pois estão empatadas no primeiro lugar na tabela da classificação.

TALENTO

Para além de desfrutar de um bom futebol, vai ser feito um reconhecimento especial a Albino Rodríguez pelo seu esforço e dedi-

cação ao longo da sua carreira em tudo o que tem a ver com as atividades desportivas sportinguistas que tê acontecido na Venezuela.

Ainda, os organizadores têm preparadas várias surpresas para quem assistir: vão ser distribuídos várias prendas e haverá vários sorteios

para os presentes, para desta forma se encerre em grande uma tarde cheia de gratos momentos e em família. O objetivo deste evento é estreitar laços e começar uma tradição de reunião cada vez que haja um clássico ou um evento de destaque na comunidade portuguesa. O evento realiza-se no Bar A Nau do Centro Portugués, entre as 12h00 e as 17h00. Todos os sportinguistas estão convidados ao evento: a entrada é grátis, só têm que se inscrever numa listagem à entrada do evento. Para mais informações, está disponível o contacto telefónico (0414)237.03.07. A iniciativa é organizada por Arturo Ferreira,diretor de Desporto doCentro Portugués; Fernando Campos,ex-presidente do Centro Portugués;Joaquin Esteves, diretor desportivo da Academia de Futebol Sporting de Venezuela; e Armando Oliveira,responsável da Área Logística do evento.

CLUBES

Atletas do Centro Norberto Ribeiro destaca-se no Campeonato de Parapente no Brasil Portugués destacam-se SERGIO FERREIRA SOARES

A Asociación Civil Centro Portugués comemorou o êxito conseguido pelo seu atleta Norberto Ribeiro, que conseguiu o lugar número 69º na quarta parada da Copa del Mundo de Parapente, realizada na localidade de Pico do Gavião do Brasil entre os dias 2 e 9 de setembro. Este evento contou com a participação de mais de cem pilotos de 27 países. A representação da Venezuela da categoria OPEN, que por enquanto se mantém no sexto lugar, prepara-se agora para a quinta parada que terá lugar na localidade de Bototillo, Guayaquil, Equador, no mês de novembro de 2017. Recorde-se que, previamente, Ribeiro destacou-se no Campeonato Nacional de Parapente Trujillo 2017, obtendo o terceiro lugar da categoria Sport, para além de obter a décima posição na tabela geral e segundo lugar da sua categoria no Open Andes 2017. Igualmente, no mês de novembro de 2016, o também licenciado em administração participou no Open de Nirgua, onde finalizou o primeiro na categoria Sport e décimo-quarto na classificação geral.

em competições

SERGIO FERREIRA SOARES

A Junta Diretiva e a Direção de Desportos da Asociación Civil Centro Portugués expressaram o seu sentimento de orgulho pelos resultados obtidos pelos seus atletas nas últimas competições de natação realizadas na Venezuela. Crianças e jovens da instituição participaram no Nacional Abierto e no Nacional de Masificación; eventos em que subiram ao pódio em diferentes ocasiões. Durante o Nacional Abierto, realizado no Parque Naciones Unidas de Caracas entre os dias 6 e 9

de setembro, a equipa de Natación Juvenil do centro social enfrentou os melhores nadadores do país, destacando-se na sétima posição do campeonato com apenas oito nadadores. No relevo de estilo, nadadores do clube obtiveram medalha de prata na categoria 4x100 masculino, para além de medalhas de ouro, prata e bronze nas finais. Por seu lado, a equipa infantil participou no Nacional de Massificação celebrado na Cidade de Barquisimeto, Estado Lara, de 19 a 22 de agosto, conseguindo a posição número 15º entre mais de 80 equipas e 600 nadadores.


28 Publicidade

De 26 de setembro a 2 de outubro de 2017 | Correio da Venezuela

Correio de Venezuela 709  

Edición 709

Correio de Venezuela 709  

Edición 709

Advertisement