Page 1

P r é m i o Ta l e n t o 2 0 0 9 Correio de Venezuela

@correiodvzla

Sábado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017

@correiodvzla

EDIÇÃO N° 701 • ANO 17 • DEPÓSITO LEGAL: 199901DF222 • BS. 500

Oposição crioula em Portugal espera cinco mil votos em consulta popular simbólica /P.4

LÍNGUA

Centro Portugués comemorou graduações do curso de língua portuguesa /P.8

COMUNIDADE

Centro Portugués de Punto Fijo celebrou Dia da Madeira no estado Falcón /P.9

PORTUGAL

Seguradoras pagam 18,8 milhões em indemnizações para Pedrógão /P.13

CULTURA

Michelle estreia-se como protagonista /P.19

DESPORTO

Arranca campanha para a Assembleia Constituinte /P.5

Portugal perde final no Euro sub-19 /P.25

Cancelada Visita da Virgem Peregrina a Caracas A informação foi confirmada pelo padre LuisMartínez da Diocese de Maracay e o Padre Alexandre Mendonça da Diocese de Caracas, que informaram que, devido à proteção que a imagem requer e à instabilidade de execução do cronograma inicial, tiveram que tomar a decisão de eliminar a peregrinação na cidade capital.. /P.7

UE

Estudantes venezuelanos convidados a conhecer Parlamento Europeu O programa desta visita contará com um encontro com os deputados que integram a Delegação à Assembleia Parlamentar Euro-Latino-Americana e a Delegação para as relações com o Mercosul. /P.6 PUB

BES

Chumbadas propostas que podiam alargar a emigrantes solução do papel comercial Propostas de alteração do PSD, CDS e BE à legislação que enquadra a solução para o papel comercial, e que poderiam alargar o âmbito desta a outros lesados, nomeadamente emigrantes, foram chumbadas na votação parlamentar na especialidade. /P.10


2 Editorial

Sábado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017 | Correio da Venezuela

cartas do leitor Boa iniciativa da Embaixada

Para “inglês ver”?

Vejo com bons olhos a iniciativa da Embaixada de enviar um representante da área social ao nosso país. Parece-me uma forma correta de se solidarizar com a comunidade, pois assim pode verdadeiramente tomar conhecimento sobre a forma como a colónia portuguesa vive na Venezuela. Espero que não passe de uma simples visita oficial e que as propostas não fiquem no papel e passem das palavras aos atos. O ideal seria que as nossas autoridades aproveitassem esta informação para ajudar os que mais precisam porque é motivador que pelo menos se interessam em nos ouvir. E ouvir-nos a nós, que estamos mais longe, já é muito bom, pois não é só na capital que estão os problemas, e é mesmo nas localidades mais pequenas que crise bate mais forte. Após esta visita, gostava muito que a Embaixada e os Consulados Honorários oferecessem estatísticas oficiais sobre os carenciados ao nível nacional para que todos estejamos a par e fizesse mesmo um plano de ação para que o governo português pudesse ajudar as pessoas com baixos recursos.

Os portugueses e lusodescendentes não estamos alheios a tudo o que se passa na Venezuela. É bom ver que as autoridades estão a par da realidade do interior, porque é preciso ter em conta que a comunidade não reside apenas em Caracas e nos centros portugueses. Pelo contrário, é nos lugares mais inóspitos que há conterrâneos que precisam de mais ajuda. Na verdade, espero que estas visitas não sirvam só para “inglês ver”, e que os factos sejam verdadeiramente reconhecidos. Apercebo-me que as pessoas criam muitas ilusões com este tipo de visitas. Veremos! É neste tipo de situações que mais precisamos que ponham em prática os seus cargos, que existem para que trabalhem em prol da nossa comunidade, que tanto precisa! Elsa Gouveia

Lourdes Almeida

Passagens absurdamente caras

Livres! Sou venezuelana filha de madeirenses e fico feliz com o facto de perceber que há muita gente disponível para participar nas manifestações a favor da paz na Venezuela. Lembro-me que em vigílias e eventos do género que se realizavam na Madeira antes não havia muita gente, mas agora as ruas enchem e as pessoas que vieram da Venezuela sentem-se livres de se manifestarem se se arriscarem a levar um tiro! Eu também tenho feito isso com muita honra! Aqui somos livres! Viva Venezuela! Ana Abreu

Envie-nos a sua carta ou comentário para: correio.prensa@gmail.com

As passagens aéreas estão absurdamente caras, de tal forma que não se conseguem comprar. Até há alguns anos, a minha família e eu podíamos viajar de férias para a ilha da Madeira para visitar os nossos familiares. Hoje, é impossível. Muitos falam da dívida em divisas, mas eu acho que isto é um complot das linhas aéreas, que se aproveitam da grave crise que vivemos na Venezuela para praticar preços exorbitantes nas passagens aéreas. Quando tentamos comprar uma passagem, o site apresenta-te imediatamente o valor em euros, mas os nossos salários não são em euros… E se tentas fazer o câmbio nas centenas de sistemas de câmbio que temos, o resultado é o mesmo, bilhetes excessivamente caros. Para além disto, já sabemos que o sistema de aquisição de divisas não cobre a vaga de viajante para cobrir as despesas no exterior. Então, estamos praticamente impossibilitados de viajar. O que me parece irónico é que leio muitas vezes que os representantes da TAP garantem que não vão deixar a Venezuela e que vão continuar a apoiar a comunidade. Mas como?Que tipo de apoio é este?É que nem sequer se consegue comprar uma viagem para Portugal… Nem pela própria TAP! Mas se for outro destino, as viagens são muito mais acessíveis! Fernando Santos

fotoflash A construção do Santuário consagrado à Virgem de Fátima em Carrizal continua a congregar apoios da Comunidade Portuguesa que meteu ombros à iniciativa. Uma obra de grande dimensão que precisa ainda da ajuda de todos para poder estar concluída de acordo com o projecto dos seus promotores que, sabemos, contam com o suporte de milhares de fiéis, portugueses e luso-descendentes, que ao longo dos últimos anos têm dado o seu contributo e propagado as suas iniciativas. É assim que se têm recolhido as receitas, numa demonstração inequívoca de que a obra se quer colectiva e símbolo da fé de uma comunidade crente que acredita em valores superiores.

Uma obra de grande dimensão

Grupo Editorial

www.correiodevenezuela.com Rif.: J-40058840-5

Diretor Aleixo Vieira Gerente: Sergio Ferreira Soares Endereço: Av. Veracruz. Edif. La Hacienda. Piso 5, ofic. 35F. Las Mercedes, Caracas. Telefones: (0212) 9932026 / 9571 Telefax: (0212) 9916448 E-mail: editorial@correiodevenezuela.com Site: www.correiodevenezuela.com

Chefe de redação Sergio Ferreira |Jornalistas Ommyra Moreno, Victoria Urdaneta, Kenner Prieto, Antonio Da Silva |Correspondentes Edgar Barreto (Falcón), José Manuel De Oliveira (Falcón), Carlos Balaguera (Carabobo), Sandra Rodríguez (Aragua), Trinidad Macedo (Lara), Silvia K. Gonçalves (Bolívar), Mariana Santos (Nueva Esparta), Luis Canha (Mérida), Carlos Marques (Mérida), Daniela García (Miranda), Antonio Dos Santos (Zulia) |Colaborações Catanho Fernandes, Sónia Gonçalves, Arelys Gonçalves, Antonio López Villegas, Isabel Idárraga, Serafim Marques, António Delgado, Daniel Bastos |Publicidade e Marketing Sergio Ferreira |Paginação Elsa de Sá |Fotografia Francisco Garrett |Administração Jesús Quijada, M. Liliana Batista |Distribuição Luis Alvarado, Carlos A. Perregil R. |Impressão Impresiones Newsprinter. Caracas -Venezuela |Tiragem 15.000 exemplares |Fontes de Informação Agência Lusa, Diário de Notícias, Diário de Notícias da Madeira, Ilhapress, Portuguese News Network e intercâmbio com publicações em língua portuguesa.


Correio da Venezuela | Sรกbado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017

Publicidade 3


4 Venezuela

Sábado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017 | Correio da Venezuela

POLÍTICA

Oposição venezuelana em Portugal espera alta adesão em consulta popular simbólica AGÊNCIA LUSA

A oposição venezuelana em Portugal prevê que cinco mil concidadãos acorram este domingo aos oito centros de votação espalhados no país e votem contra o Presidente Nicolas Maduro e o seu projeto para rever a Constituição da Venezuela. “Estamos à espera de cinco mil eleitores, este é um número aproximado, claro, dos quais três ou quatro mil só na Madeira”, disse em declarações pelo telefone à agência Lusa Christian Hohn, presidente da Associação Civil de Venezuelanos em Lisboa -- Venexos. O mesmo responsável estima que existam atualmente cerca de 20 mil cidadãos venezuelanos com direito de voto a viver em Portugal e admite até que o número de cinco mil eleitores previstos para votar nesta consulta popular possa ser ultrapassado, com a campanha de divulgação do evento nas redes sociais e através dos meios de comunicação. “Na Madeira saímos em muitos jornais”, apontou. “Esta é uma consulta pública à qual estão a ser chamados os venezuelanos no país e em todo o mundo. Neste momento existem 589 pontos de votação em 142 países”, indicou ainda Christian Hohn. A oposição venezuelana organiza no domingo uma consulta popular simbólica contra o Presidente Nicolas Maduro e o seu projeto para rever a Constituição, após mais de três meses de manifestações violentas no país. Os apoiantes do chefe de Es-

tado estão atualmente em campanha eleitoral para a escolha, a 30 de julho, dos 545 membros da Assembleia Constituinte, que terá como missão rever a Constituição em vigor. O projeto é firmemente rejeitado pela oposição, que o vê como uma forma de contornar a Assembleia Nacional, dominada desde 2016 pela oposição. Como parte da contestação, a oposição realiza no domingo uma consulta popular simbólica sobre a Assembleia Constituinte, em 1.600 mesas de voto em todo o país, e múltiplas manifestações e bloqueios estão previstos. Apresentado como um ato de “desobediência civil”, o voto acontece sem o aval das autoridades. De acordo com a empresa de sondagens Datanalisis, cerca de 70% dos venezuelanos opõe-se à Assembleia Constituinte e 80% critica a gestão do chefe de Estado.

Na consulta popular organizada para este domingo, os eleitores venezuelanos irão ser chamados a responder “sim” ou “não” a três perguntas. A primeira pergunta é se o eleitor “rejeita e desconhece a realização de uma [Assembleia] Constituinte proposta por Nicolás Maduro, sem a aprovação prévia do povo da Venezuela”. A segunda se “exige às Forças Armadas nacionais e a todos os funcionários públicos que obedeçam e defendam a Constituição do ano de 1999 e apoiem as decisões da Assembleia Nacional”. E terceira questiona se o eleitor “aprova que se proceda à renovação dos poderes públicos, de acordo com o estabelecido na Constituição e à realização de eleições livres e transparentes, assim como à formação de um governo de união nacional para restituir a ordem constitucional”.

POLÍTICA

Consulado informa que plebiscito de domingo não tem rigor eleitoral, auditoria ou registo

DN MADEIRA

O Consulado da Venezuela na Madeira emitiu um comunicado dirigido aos órgãos de comunicação social da Região, onde aborda a questão das eleições de 30 de Julho, para eleger os representantes da nova Assembleia Nacional Constituinte, e ao mesmo tempo se refere ao plebiscito agendado para o próximo domingo. No texto, assinado pelo cônsul geral Felix Mendez Correa, é referido que “é importante destacar que este domingo, 16 de Julho, a oposição convocou um plebiscito sem rigor eleitoral, sem auditoria e sem registo”. A nota informativa refere, ain-

da, que no dia 12 de Julho passado, a presidente do Conselho Nacional Eleitoral (CNE), Tibisay Lucena, explicou ao corpo diplomático acredito na Venezuela, “o procedimento que irá reger as próximas eleições a efectuar-se a 30 de Julho para eleger os representantes da nova Assembleia Nacional Constituinte”. Segundo o nota consular, “a presidente do CNE anunciou também um conjunto de medidas técnicas, organizacionais e logísticas para garantir o direito ao sufrágio, e informou que se articulou com a Força Armada Nacional Bolivariana e Tribunal Supremo de Justiça e Defesa do Povo as acções pertinentes para garantir o direito político” dos venezuelanos.

ACTUAL

MPT-Madeira solidário com consulta popular na Venezuela DN MADEIRA

O MPT-Madeira emitiu uma nota de imprensa onde manifesta a sua solidariedade com a consulta popular na Venezuela. O partido realça a importante de uma consulta popular, “contemplada como ferramenta na

Constituição Nacional Venezuelana, para que os seus cidadãos em todo o mundo decidam por quem querem ser presididos, quando houver novo acto eleitoral oficial na Venezuela”. Esta consulta popular, adianta o MPT, “poderá projetar os destinos daquele país e desta forma, também esta-

remos solidários com os observadores externos que participarão no controlo desta consulta, ao qual o eurodeputado pelo Partido da Terra José Inácio Faria, já está associado”. Neste sentido, acrescenta a nota, “o Partido da Terra Regional marcará presença com uma delegação nos locais identi-

ficados na região, onde a consulta popular se vai realizar (Funchal, Santa Cruz e Ribeira Brava) de forma a podermos verificar e acompanhar a normalidade deste ato democrático, aqui na Madeira”.

Por último, o partido apela “a todos os cidadãos com nacionalidade venezuelana para poderem exercer o seu direito de voto, contribuindo assim para uma verdadeira democracia participativa”.


Correio da Venezuela | Sábado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017

POLÍTICA

Venezuela “não se deixa intimidar por ameaças de outros países”

Venezuela 5

ELEIÇÕES

Arranca campanha para a Assembleia Constituinte

AGÊNCIA LUSA

O Presidente Nicolás Maduro reiterou, na terça-feira, que a Venezuela não se deixará intimidar por ameaças de outros países e pediu aos Estados Unidos para respeitarem a eleição de uma Assembleia Constituinte. “Ninguém bloqueará a Venezuela. A Venezuela é um país soberano e não se deixa intimidar. Isso [Assembleia Constituinte] é um problema dos venezuelanos. Se queremos ter alcaides, temos. Se queremos ter governadores, temos”, declarou, a partir do palácio presidencial de Miraflores. “Nenhum governo nos pode dizer o que podemos, ou não, fazer. Jamais nos renderemos. A Venezuela vencerá com a sua Constituinte e o imperialismo engolirá as suas palavras”, frisou, numa intervenção transmitida pela televisão estatal venezuelana. Maduro reagia às declarações do senador republicano norte-americano Mario Rubio sobre a imposição de “sanções severas” contra a Venezuela, caso seja aprovada a Assembleia Constituinte. “É possível uma reconciliação na Venezuela se Maduro optar por esse caminho. Mas que espere severas sanções dos Estados Unidos se se der a Assembleia Constituinte”, escreveu Rubio na conta na rede de mensagens instantâneas Twitter. O objetivo da oposição venezuelana, que contesta a eleição da Assembleia Constituinte, “não é a vingança”, afirmou o senador. “Os protestos terminarão se o Governo de Maduro regressar à ordem constitucional, libertar e

AGÊNCIA LUSA

conceder amnistia a todos os presos políticos, suspender a Constituinte e realizar eleições supervisionadas”, explicou. No domingo, o Governo venezuelano iniciou a campanha para o escrutínio de 30 de julho, quando serão eleitos os 545 membros da Assembleia Constituinte, promovida por Maduro. Para o Presidente venezuelano, a Assembleia Constituinte vai redigir uma nova Constituição, que deverá traduzir um “grande diálogo nacional e social, acabar com a corrupção e a burocracia, centrada em ganhar a paz e isolar os violentos”. A nova Constituição deverá determinar a manutenção dos programas sociais conhecidos como “missões” criadas pelo falecido líder socialista Hugo Chávez, antecessor de Maduro, em matéria de habitação social, educação, saúde e cultura. Os eleitos deverão promover novas formas de democracia par-

ticipativa, social e politicamente, além de dar valor constitucional às comunas e conselhos comunais. A oposição acusou o Governo de avançar com um “processo fraudulento”, sem uma consulta popular sobre as bases, já que apenas a população pode convocar uma Assembleia Constituinte. Os opositores da medida alegaram que o regime pretende usar a Assembleia Constituinte para concluir a instauração de uma ditadura, acabar com a divisão e autonomia de poderes e perseguir os dissidentes. A convocatória para a eleição de uma Assembleia Constituinte, feita a 01 de maio último por Maduro, intensificou os protestos da oposição, que se realizam desde abril, depois de o Supremo Tribunal ter divulgado duas sentenças que limitavam a imunidade parlamentar e em que aquela instância assumia as funções do parlamento.

Pelo menos 13 pessoas ficaram feridas na sequência do ataque ao parlamento, em Caracas, por civis armados afetos ao regime, mantendo-se os deputados, funcionários e jornalistas fechados no edifício. Cinco deputados figuram entre os feridos resultantes do ataque, que ocorreu durante uma sessão especial comemorativa do 206.º aniversário do Dia da Independência. O ataque foi precedido por uma visita do vice-presidente da Venezuela, Tarek El Aissami, que, conjuntamente com vários membros do Governo venezuelano, e cerca de 300 de apoiantes, entrou no parlamento para realizar um ato no salão Elíptico, onde está a ata da Independência da Venezuela. “Estamos nas instalações de um poder do Estado, sequestrado pela mesma oligarquia que traiu a Bolívar (Simón)”, disse, num discurso em que defendeu

a convocatória a uma Assembleia Constituinte feita pelo Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. A visita de El Aissami foi feita sem informação prévia à mesa da Assembleia Nacional, onde a oposição é maioritária. À saída as portas do parlamento ficaram abertas permitindo a entrada dos ‘coletivos’ [denominação por que são conhecidos os grupos de civis armados afetos ao regime] que lançaram engenhos explosivos e ameaçando sequestrar os deputados. O Presidente Nicolás Maduro condenou o ataque ao parlamento venezuelano, durante o qual pelo menos 13 pessoas ficaram feridas e ordenou que esses “factos estranhos” sejam investigados. “São factos estranhos, sempre estranhos. Eu condeno absolutamente esses factos. Não serei nunca cúmplice de nenhum facto de violência. Eu os condeno e ordenei que sejam investigados e que se faça justiça”, disse.

ACTUAL

PCP solidário com Maduro AGÊNCIA LUSA

O PCP associou-se à campanha de solidariedade com a “revolução bolivariana” da Venezuela, liderada por Nicolas Maduro, contra a “escalada de ingerência externa” e “ameaça de novas sanções” pelos Estados Unidos. O PCP denuncia, em comuni-

cado, “a escalada de ingerência externa e a ameaça de imposição de novas sanções e medidas de autêntica guerra económica”, nomeadamente pelos Estados Unidos, contra a Venezuela, e apela “à mais firme condenação” dessas práticas “violadoras do direito internacional”. Os comunistas alertam para

as “gravíssimas consequências” do “plano golpista” contra o povo venezuelano, “assim como para os emigrantes portugueses”. O PCP afirma que esta “violenta investida golpista” contra Caracas é uma “contraofensiva lançada pelo imperialismo” para “reverter os avanços e conquistas” -- “democráticas e progressistas” -- con-

seguidas pelos países da América Latina como a Venezuela. No comunicado do gabinete de imprensa, o PCP “reafirma a

solidariedade com o povo”, com o Governo de Nicolas Maduro e as “forças patrióticas, progressistas e revolucionárias”.


6 Venezuela

Sábado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017 | Correio da Venezuela

INSEGURANÇA

Comerciantes fecharam as portas em protesto contra falta de segurança

INSEGURANÇA

Cidades da América Latina lideram taxas de homicídios no mundo

AGÊNCIA LUSA

Dezenas de comerciantes, entre os quais vários portugueses, fecharam os seus estabelecimentos comerciais em San Juan de Los Morros, no estado venezuelano de Guárico (150 quilómetros a sul de Caracas), em protesto contra a falta de segurança. “Há estabelecimentos que são assaltados diariamente e não vemos soluções, da parte das autoridades, em matéria de segurança”, explicou, por telefone, um comerciante português à agência Lusa. “Nós, os comerciantes e empresários fechámos devido à insegurança que vivemos nos nossos estabelecimentos, exigindo que as autoridades tomem as acções pertinentes”, explicam avisos colocados nas portas de várias lojas. Segundo fontes da comunidade portuguesa naquela localidade, além dos estabelecimentos comerciais, também os clientes, os transeuntes e os autocarros de passageiros são vítimas da insegurança que tem aumentado nos últimos tempos. Nos últimos meses, a insegurança tem aumentado na Venezuela, tanto em povoações pequenas como em grandes cidades, como Caracas, a capital do país.

AGÊNCIA LUSA

Em La Campiña, nas proximidades do Ministério de Energia e Minas e dos escritórios da estatal Petróleos da Venezuela, há relatos de que, apesar da presença de funcionários da Guarda Nacional Bolivariana (polícia militar), motociclistas armados entram nos estabelecimentos comerciais e roubam a proprietários e a clientes. Os proprietários de um super-

mercado foram obrigados a cercar o estabelecimento com grades e a limitar o acesso dos clientes, devido a uma tentativa de pilhagem. “Um dia, saí do supermercado, tinha conseguido comprar arroz e açúcar e, pelo caminho, dois homens numa motocicleta, armados, obrigaram-me a dar-lhe a bolsa com as compras”, disse Aida Fernández à agência Lusa.

A América Latina e as Caraíbas concentram apenas 8% da população global, mas respondem por mais de 33% dos homicídios do mundo, segundo um estudo divulgado pelo Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (UNIC Rio). Citando um relatório recente da Organização Mundial da Saúde (OMS), o estudo refere que em 2015 ocorreram cerca de 468 mil homicídios no mundo, e a região das Américas concentrou globalmente as maiores taxas, de 32,9 para cada 100 mil habitantes. Na América Latina e Caraíbas, o país com maior número de mortes é as Honduras, que regista 85,7 assassínios para cada 100 mil habitantes, seguido por El Salvador (63,2), Venezuela (51,7), Colômbia (48,8) e Belize (37,2). “O homicídio na América Latina não é monocausal. Não ocorre em função de um só fator de ris-

co”, disse Robert Muggah, especialista em segurança e desenvolvimento ao Unic Rio. “No entanto, alguns fatores se destacam (...) A América Latina tem altas taxas de desigualdade. As cidades são extremamente desiguais, e há forte associação entre desigualdade e violência”, completou. O Brasil aparece em nono lugar da lista, com 30,5 homicídios para cada 100 mil habitantes. O estudo recorda que em Maio, a Comissão Económica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) demonstrou que o ritmo de declínio da desigualdade nos países latino-americanos desacelerou entre 2012 e 2015, facto que contribui para o aumento da violência. No entanto, existem países de baixo rendimento renda como a Bolívia, por exemplo, que registam altas desigualdades e baixas taxas de homicídio (13,6 a cada 100 mil habitantes, segundo o relatório da OMS).

EURODEPUTADA

Liliana Rodrigues convida estudantes venezuelanos a conhecer Parlamento AGÊNCIA LUSA

A eurodeputada madeirense Liliana Rodrigues endereçou um convite a 20 estudantes venezuelanos, que se encontram a frequentar a Universidade da Madeira, para se deslocarem ao Parlamento Europeu, em Bruxelas. O grupo parte em breve para a Bélgica, sendo que o objectivo da eurodeputada é “colocar estes jovens em contacto com o contexto político nacional e europeu, contribuindo para o seu esclarecimento acerca de uma realidade política bastante distinta daquela de onde provêm e na qual pode-

rão e deverão tornar-se cidadãos activos do projecto europeu”. Segundo nota enviada à imprensa, o programa desta visita contará com um encontro com os deputados que integram a Delegação à Assembleia Parlamentar Euro-Latino-Americana e a Delegação para as relações com o Mercosul, onde serão recebidos pelo seu Presidente, o deputado socialista Francisco Assis. No que diz respeito à realidade venezuelana, Liliana Rodrigues assume que “a repressão do Governo não abranda e não acreditamos numa investigação imparcial para apurar responsabili-

dades”. A eurodeputada, tanto no Parlamento Europeu, como em diversas reuniões com associações de imigrantes e movimentos de activistas venezuelanos, tem procurado defender o respeito pela liberdade e pelo Estado de direito na Venezuela e a implementação de medidas com vista à integração desta comunidade na Região Autónoma da Madeira. “Foi no sentido de garantir a segurança dos emigrantes europeus na Venezuela e a salvaguarda dos seus bens que interpelei a Comissão Europeia em Abril”, refere Liliana Rodrigues. “Não basta substituir o Governo, é preciso

também neutralizar a oligarquia criminal que o acompanha e domina a Venezuela”, assume. Para que isso suceda,“a oposição deverá unir-se em torno de objectivos muito específicos”, como tentar “persuadir o Governo a aceitar a ajuda humanitária” para, numa

segunda fase, “exercer pressão sobre o Governo para a realização de eleições, a libertação dos presos políticos e o apoio a reformas macroeconómicas específicas que permitam à Venezuela controlar a inflação e estabilizar a moeda”.


Correio da Venezuela | Sábado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017

Cancelada Visita da Imagem Peregrina a Caracas

Comité organizador toma decisão devido aos protestos nas ruas na capital Sergio Ferreira

Após semanas à espera de uma informação oficial sobre a visita da Imagem Peregrina da Virgem de Fátima à cidade de Caracas, Distrito Capital, na quinta-feira 13 de julho o CORREIO soube que o Comité Organizador decidiu suspender a iniciativa devido a protestos de rua que foram marcados nos últimos dias na capital venezuelana. A informação foi confirmada pelo padre LuisMartínez da Diocese de Maracay e o Padre Alexandre Mendonça da Diocese de Cara-

Santuario de Betania e San Pedro de Los Altos recebem Virgen de Fátima

Ommyra Moreno Suárez

cas, que informaram que, devido à proteção que a imagem requer e à instabilidade de execução do cronograma inicial, tiveram que tomar a decisão de eliminar a peregrinação na cidade capital. Recorde-se que, em teoria, a imagem chegaria a Caracas no dia 30 de julho, data em que, posteriormente, foi a eleição da Assembleia Nacional Constituinte, estando prevista que a mesma se mantivesse no Distrito Capital até ao dia 7 de agosto, para posteriormente sair em direção a Guarenas-Guatire, no Estado Miranda. Os interessados em assistir a algum ato com a Virgem Peregrina nas proximidades podem fazê-lo em Los Teques de 15 a 30 de julho ou em Guatire entre os dias 8 e 9 de agosto, onde se mantém o cronograma. A organização expressou um

pedido de desculpas à comunidade e expressou esperar poder reestruturar o cronograma, co a finalidade de incorporar a visita de Nossa Senhora a Caracas antes do seu regresso a Portugal. Reações diversas Depois de ter sido divulgada a notícia através das redes sociais do CORREIO, surgiram vários comentários por parte dos paroquianos, que esperavam ansiosos o cronograma final. @Fatimacrm: Não é justo. Caracas necessita da sua visita. @fatiusc__: Que pena. Oxalá isto no nosso se país se resolva e Deus permita que a nossa virgem venha a Caracas @inesma1411: E onde ficou a confiança na proteção de Nossa Senhora?? Deus diz que não devemos ter medo.

Venezuela 7

No dia 15 de julho, a comunidade portuguesa de San Pedro de los Altos, Estado Miranda, recebe a Imagem Peregrina da Virgem de Fátima, no âmbito das comemorações do Centenário das Aprições. A eucaristia de receção realiza-se às 17h00, seguida por uma vigília até às 12h00, dentro da igreja da paróquia San Pedro Apóstol. No domingo 16 de julho, os locais poderão despedir-se da imagem com uma celebração eucarística que tem lugar às 7h00. No domingo 23 de julho, a imagem chega ao Santuário de Betania, localizado em Cúa, estado Miranda. Às 8h30, espera-se a chegada da Virgem à antiga paragem “La Peñita”, onde será recibida con um ato de boas-

-vindas por parte do comité de receção. Desta forma, dá-se início à peregrinação em Los Valles del Tuy, Estado Miranda. Às 9h00, os paroquianos reunemse para a procisão no adro do santuário, que será acompanhada pelo sanro terço. Às 10h00, realiza-se a missa solene, presidida pelo monsenhor Ovidio Pérez Morales, bispo emérito da Diocese de Los Teques. Se seguida, às 11h00, terá lugar no santuário, um concerto em honra de Nossa Senhora de Fátima, pela Coral Betania. Às 12h00, o Grupo de Teatro Os Pastorinhos apresentam umapeçade teatro dedicada às aparições de Fátima na Cova de Iria, em portugal. Por seu lado, a Fundación Cultural Grupo Folclórico Cantinhos da Madeira entretém o público com o melhor do folclore português. A despedida da imagem peregrina será às 16h00.

Casa Portuguesa Venezolana recebeu Nossa Senhora de Fátima Ato de fé começou às 9h00 com a chegada da Virgem ao centro social, localizado no município de San Diego Ommyra Moreno Suárez

No dia 30 de junho, a Casa Portuguesa Venezolana recebeu

a imagem peregrina da Virgem de Fátima, que chegou ao Estado de Carabobo no dia 17 de junho integrado num tour pelo nosso país no âmbito das comemorações do Centenário das Aparições. O ato de fé teve início às 9h00 com a entrada da Virgem no centro social, localizado no município de San Diego do Estado de Carabobo. Às 10h00, foi realizada uma dramatização da primeira

aparição da Virgem de Fátima na Cova de Iria, Portugal, seguida de uma eucaristia de boas-vindas Às 14h00, teve lugar a hora santa e o Terço da Divina Misericórdia, a cargo da Confraria da Michelena. Às 16h00, os peregrinos reuniram-se novamente para uma hora santa, seguida pelo Santo Rosário e celebração da eucaristia. Às 19h00, atividades religiosas culminaram com a tradicional procissão de velas que acompanhou

a imagem da Virgem até à Igreja

da Esmeralda da localidade.


8 Venezuela

Sábado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017 | Correio da Venezuela

CLUBES

Centro Portugués de Caracas comemorou graduações do curso de língua portuguesa

No ato, estiveram presentes os 491 estudantes que fizeram os diferentes cursos, desde iniciação até ao nível avançado Ommyra Moreno Suárez

No dia 9 de julho, o Salão Nobre daAsociación Civil Centro Portugués, em Caracas, vestiu-se

de gala para o Ato de Graduação do curso de Língua e Cultura Portuguesa 2016-2017. No evento, estiveram presentes os 491 estudantes que fizeram os diferentes cursos, desde iniciação até ao nível avançado. O evento foi conduzido por Olga Gomes. O ato contou com a presença da Junta Directivadel centro social, do presidente da Asociación Venezolana de Enseñanza de Lengua Portuguesa, David Pinho; e doCoordenador de Ensino de Português na Venezuela, Rainer

Sousa.Em declarações, as autoridades destacaram o crescente interesse pelos cursos de língua portuguesa, não apenas no clube capitalino, mas também noutros centros e instituições ao nível nacional. Da mesma forma, se vincou a importância que têm estas iniciativas para preservar a cultura lusitana entre as novas gerações. De seguida, os alunos foram chamados para a entrega de certificados enquanto eram recebidos com aplausos dos seus professores e familiares.

CLUBES

Centro Luso Venezolano de Araure convida a uma nova “Fiesta Retro” Desta forma, o clube continua a promover iniciativas que permitem o encontro da comunidade lusovenezuelana da região Ommyra Moreno Suárez

No sábado dia 15 de julho, às 20h00, o Centro Social Luso Venezolano de Araure, localizado

no Estado Portuguesa, reúne os seus sócios mais uma vez para a Fiesta Retro. O evento realiza-se no salão Páez do centro social, localizado no quilómetro 4, vía Barquisimeto, setor Los Malabares de Araure, Estado Portuguesa. Os presentes poderão reviver os melhores clássicos da música pop rock com a apresentação ao vivo de Eddy Castro e a sua banda, que prometem fazer dançar o público com um repertório especial dedicado aos êxitos dos anos 70. As entradas estarão à

venda nos escritórios do clube e estão limitados a um máximo de 400 pessoas. Desta forma, o clube continua a promover iniciativas que permitam o encontro da comunidade luso-venezuelana da região.

CLUBES

Atividades culturais e desportivas no CSM

A informação referente às atividades que oferece o centro social pode ser solicitada na Casa Santana, localizada nas instalações do clube Ommyra Moreno Suárez

No dia 8 de julho, o Centro Social Madeirense, através da Junta Diretiva e da Comissão de Patinagem Artística, recebeu o Primeiro ‘Invitacional’ de Iniciação e Escola Formativa de patinagem, artística nas instalações do salão Madeira do centro social, localizado no município San Diego do Estado Carabobo. No encontro, participaram sete clubes de patinagem de várias regiões do país, nomeadamente o Clube de Patinagem do Centro Social Madeirense; a Academia de Patinaje Artístico Soiret DC de Caracas; Guerrero Roller Skate; Panteras San Diego; Vargas Roll line; Patinaje Artístico Skate Stars Club de Maracay, Estado de Aragua, e o Clube de Patinagem Artístico Sobre Rodas do Estado Carabobo. A iniciativa teve início às 10h00 com atos protocolares rigorosos e as palavras de boas-vindas, a cargo de Mayza Gomez, presidente da Comisión de Patinaje Artístico do Centro Social Madeirense. Seguidamen-

te, foram apresentados todos os atletas deliciando todos os presentes com os seus executivos individualmente ou em grupo. Por volta das 18h00, o júri, constituído por Ana María Rodríguez, Daniel Mireles e Rafael Suarez, deliberou em reunião conjunta com os treinadores e delegados de cada um dos clubes de patinagem participantes, outorgando a medalha correspondente de participação de todos os atletas, que sem sombra de dúvidas ofereceram a este evento brilho e cor em cada uma das suas apresentações. Por seu lado, o presidente da Junta Diretiva do Centro Social Madeirense, Sidónio Pestana, agradeceu e felicitou os membros da Comissão de Patinagem, assim como a todos os clubes de patinagem que participaram no evento, por «darem uma maravilhosa prova de talento, disciplina, entrega, profissionalismo e acima de tudo amizade, que ficará sempre na memória da grande família madeirense», disse. Como uma forma de fomentar a saúde através do desporto, o Centro Social Madeirense anunciou a abertura do MAFIT Centerem no segundo andar do edifício principal para oferecer aos seussócios um sem-número de atividades de treino físico funcional. No âmbito da inauguração, os instrutores do centro levaram a cabo sessões de zumba, insanidade, fitcombat e uma exibição de karaté realizada no salão Madeira.


Correio da Venezuela | Sábado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017

INICIATIVAS

Lusodescendente impulsiona projeto de leitura Projeto começou em maio com o apoio da Comissão de Cultura, Desporto e Turismo do Conselho Municipal de Carrizal

Venezuela 9

CLUBES

Centro Portugués de Punto Fijo comemorou Dia da Madeira

Ommyra Moreno Suárez

A lusodescendente Diana de Gouveia está a apoiar uma iniciativa dedicada à estimulação da leitura infantil na Unidade Educativa VíctorPadilla, localizada no município Carrizal do Estado Miranda. O projeto começou no passado mês de maio com o apoio da Comissão de Cultura, Desporto e Turismo do Conselho Municipal de Carrizal, presidida pelo edil Manolo Blanco. «Esperamos que o mesmo se realize também nas férias e que esta etapa arranque na primeira quinzena de agosto; se as condições do país assim o permitirem», referiu Blanco, que também explicou que o objetivo é que se mantenha o projeto de forma permanente. Com este programa-piloto,

Ommyra Moreno Suárez

que em princípio se destina aos estudantes da primária, um total de cem alunos já beneficiaram do programa. «Os resultados até agora têm sido positivos, as crianças têm-se mostrado muito interessadas e participativas em todas as sessões e tenho trabalhado com elas temas como contos e lendas

venezuelanas. No ano letivo de 2017-2018, vamos visitar outras instituições», afirmou De Gouveia. Como publica o Diario Avance, as escolas que queiram integrar o projeto devem contactar o Conselho Municipal de Carrizal, na rés-do-chão, sala 1, em frente da autarquia, para formalizar o seu pedido.

CLUBES

O Centro Portugués de Punto Fijo, localizado no Estado Falcón, comemorou o Dia da Madeira e das Comunidades Madeirenses no dia 1 de julho. O evento teve início às 17h30 com um ato protocolar e a entoação de hinos nacionais da Venezuela, Portugal e da Região Autónoma da Madeira. Depois, os sócios reuniram-se para a celebração da missa solene. Durante o evento, os presen-

tes puderam desfrutar do arraial, que ofereceu uma grande variedade de pratos, bebidas e sobremesas tradicionais da gastronomia portuguesa. A animação musical esteve a cargo de um cantor de música portuguesa e de um grupo folclórico que entreteve os presentes com os seus números coreográficos originais. A ocasião também foi propícia para a eleição da Princesa, Mini e Senhorita Madeira 2017, um evento criado para exaltar a beleza das meninas e jovens do clube.

CLUBES

Centro Luso Larense celebra São João Casa Portuguesa recebe

a exposição “Viviendo el paisaje venezolano en presente y futuro”

Durante o evento, os presentes puderam desfrutar do arraial, que ofereceu uma grande variedade de pratos, bebidas e sobremesas tradicionais da gastronomia portuguesa

Ommyra Moreno Suárez

Ommyra Moreno Suárez

No dia 24 de junho, durante a noite, o Centro Luso Larenserealizou diversas atividades para comemorar o Dia de São João. A iniciativa teve lugar nas instalações do centro social, localizado na via rápida de El Manzanoda cidade de Barquisimeto, Estado Lara. No local, os sócios e os seus familiares puderam degustar as tradicionais sardinhas grelhadas, assim como outros pratos da

gastronomia portuguesa, como espetadas e caldo verde. A animação musical esteva a cargo do DJ Alejandro Rojas e do grupo de tambor “Lara, Cumaco y Costa”, que entreteve os presentes com um vasto repertório em homenagem a este santo, venerado em diferentes países. À meia-noite,

os presentes aproximaram-se das tradicionais fogueiras, que se costumam acender para que mais atrevidos as saltem, não importando a idade, que sejam crianças, adolescentes ou adultos, o que que importa é cumprir o ritual para honrar o santo padroeiro.

A Casa Portuguesa do Estado Aragua recebe nas suas instalações a exposição “Viviendo el paisaje venezolano en presente y futuro”, do artista Juan Andara Nieto, que foi inaugurada na quarta-feira dia 14 de junho na presença dos sócios e da Junta Diretiva do clube liderado por David Alcaria. A exposição, que estará patente ao público até ao próximo dia 28 de agosto, engloba uma mostra de paisagens, inspirada na beleza e riqueza da Venezuela. «Uma forma de honrá-la e agradecer-lhe portanto o que nos tem dado e nos continua a oferecer», comentou

Andara. «Venezuela com os seus solos generosos nos fala com as suas cores. Nestes momentos que vivemos é quando temos que assistir à certeza de que o nosso país está cheio de maravilhas. Por muito forte que seja a situação, não devemos permitir que isto seja esquecido. Hoje as minhas lembranças voam para o tempo em que trabalhei no campo, com os agricultores de Portuguesa e Barinas, lhes prestava apoio no que se refere ao controlo biológico de pragas. Vivi com plenitude a generosidade da nossa terra (…). A Arte nos une, nos comove, nos emociona», explicou o artista.


10 Venezuela

Sábado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017 | Correio da Venezuela

BANCA

Ministro diz que Estado não deve pagar perdas dos clientes da sucursal externa do BES na Madeira

BANCA

Chumbadas propostas que podiam alargar a emigrantes solução do papel comercial do BES Alterações desejadas por PSD, CDS e BE não passaram na votação da especialidade AGÊNCIA LUSA

AGÊNCIA LUSA

O ministro das Finanças disse hoje que o Governo apoia uma solução para os lesados do BES e prestará uma garantia pública, criticada pelo PSD, porque as autoridades de supervisão estatais falharam na proteção desses investidores. “O sistema de supervisão e de regulação não funcionou”, tendo permitido vendas fraudulentas de produtos financeiros (’misselling’), disse hoje Mário Centeno perante os deputados, justificando o envolvimento do Governo no mecanismo de compensará parcialmente os lesados do papel comercial vendido pelo BES, nomeadamente através da prestação de uma garantia estatal que poderá levar o Orçamento do Estado a assumir perdas de futuro. Já questionado por deputados do CDS e PSD sobre o facto de haver lesados que não são abrangidos por esta solução - caso de clientes que comparam papel comercial no sucursal exterior do BES na Madeira ou os lesados emigrantes, que comparam outro tipo de produtos financeiros do BES -, o responsável pelo Ministério das Finanças disse que “o Estado não se pode substituir a todas as perdas” e que “a ação do Estado tem de ser equilibrada”. “As garantias públicas só devem ser utilizadas na medida em que consigam ser justificadas pelas próprias responsabilidades do Estado já existentes”, afirmou Centeno. Também o secretário de Estado das Finanças defendeu perante os deputados o mecanismo de compensação criado, tendo reiterado que o Governo decidiu promovê-

-lo porque é hoje sabido que o Estado falhou na proteção dos investidores. “Há responsabilidade pública, porque o Estado em sentido lato devia ter feito coisas que não fez (...). O Estado falhou”, disse Mourinho Félix. Segundo o secretário de Estado, em causa estão falhas nas autoridades e entidades de supervisão estatais, “umas vezes por não estarem preparadas para o fazer, outras por não terem enquadramento legal”. Ainda quanto à garantia pública, muito criticada pelo PSD, através do deputado Leitão Amaro, o ministro considerou que o risco de execução dessa garantia é reduzido. “A expectativa que existe é de que esta garantia não venha a acumular-se às obrigações do Estado nesta matéria”, acrescentando ainda que avalia que “esse risco é muito menor do que a perda de confiança que está subjacente a estas práticas”. Também o secretário de Estado afirmou que “a garantia não significa despesa” e disse acreditar que, mesmo que seja executada, no final o fundo de indemnizações conseguirá dinheiro para pagar ao Estado. Em abril, o Governo enviou ao parlamento a proposta de lei n.º 74/XIII/2 que visa a criação de uma nova figura jurídica, os fundos de recuperação de créditos, com vista a indemnizar parcialmente os 2.000 clientes que investiram, aos balcões do Banco Espírito Santo (BES), 434 milhões de euros nas empresas Espírito Santo Financial e Rio Forte, e cujo investimento perderam com o colapso do Grupo Espírito Santo (no verão de 2014). O mecanismo para compensar os lesados do papel comercial do

BES foi acordado ao longo de mais de um ano por um grupo de trabalho constituído por Associação de Indignados e Enganados do Papel Comercial, Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), Banco de Portugal, ‘banco mau’ BES e Governo, através do advogado Diogo Lacerda Machado. A solução acordada propõe que os lesados recuperem 75% do valor investido, num máximo de 250 mil euros, isto se tiverem aplicações até 500 mil euros. Já acima desse valor, irão recuperar 50% do valor investido. Quanto ao pagamento, este será feito pelo fundo de recuperação de crédito, pelo que é necessário aprovar legislação para esse efeito. O objetivo é que este fundo pague 30% da indemnização aos lesados logo após a assinatura do contrato de adesão à solução. O restante valor será pago aos lesados em mais duas parcelas, em 2018 e 2019. Como o fundo não terá dinheiro, terá de se financiar junto da banca, estando mesmo previsto na proposta legislativa que o Estado preste uma garantia pública para que o fundo consiga financiar-se. Além disso, a legislação também refere outro mecanismo de financiamento, com intervenção mais direta pelo Estado. “Em alternativa à celebração de um contrato de financiamento, e sendo isso também indispensável ao cumprimento de determinadas obrigações legais e contratuais do fundo de recuperação de créditos perante os participantes, o Estado pode ainda assegurar aos participantes a satisfação dos créditos pecuniários correspondentes”, refere o ponto 2 do artigo 70.º do documento.

Propostas de alteração do PSD, CDS e BE à legislação que enquadra a solução para o papel comercial, e que poderiam alargar o âmbito desta a outros lesados, nomeadamente emigrantes, foram ontem chumbadas na votação parlamentar na especialidade. A proposta do Governo, que chegou em abril ao parlamento com vista a criar os fundos de recuperação de crédito, veículo essencial para avançar com a indemnização aos mais 2.000 clientes que perderam 400 milhões de euros com a compra de papel comercial ao BES, foi nas últimas semanas criticada por associações de lesados bancários que consideravam que era feita à medida do caso dos clientes do papel comercial, deixando outros de fora. Isso mesmo foi transmitido, no parlamento, no início de julho, por três associações de lesados com produtos financeiros adquiridos aos balcões do BES e do Banif. Quanto à proposta inicial do Governo, esta referia que a lei se aplicava “aos fundos que visem a recuperação de créditos detidos por investidores não qualificados emergentes ou relacionados com a subscrição de valores mobiliários representativos de dívida, sujeitos à lei portuguesa”. Isto, desde que quem vendeu os produtos tenha sido uma entidade depois objeto de resolução (ou entidades com relação de grupo), a entidade que emitiu fosse diferente da que comercializou e estivesse insolvente ou em difícil situação financeira aquando da comercialização, não sendo essa informação conhecida dos investidores. Após audições no parlamento, os grupos parlamentares apresentaram propostas de alteração à lei, várias tentando dar maior abrangência ao diploma, que hoje foram votadas na comissão parlamentar de Orçamento e Finanças.

Deputados madeirenses do PSD tentaram passar alteração A proposta dos deputados sociais-democratas da Madeira Rubina Berardo, Sara Madruga da Costa e Paulo Neves pretendia acrescentar no artigo 2.º que os produtos que motivavam a criação do fundo de recuperação tinham de estar sujeitos “a lei portuguesa ou comercializados em território nacional”. Pretendiam também que a lei fosse igualmente “aplicável a fundos que visassem a recuperação de créditos detidos por investidores não qualificados emergentes ou relacionados com a subscrição de valores mobiliários representativos de dívida ou capitais comercializados fora do território nacional, desde que a cidadãos de nacionalidade portuguesa por intermediário financeiro cuja sede se localize em Portugal”. Também o CDS queria que, no artigo 2.º, os produtos em causa fossem os “sujeitos à lei portuguesa ou comercializados em território nacional”, proposta muito semelhante à do BE. Estas propostas acabaram por não passar, tendo vingado a alteração do PS, que refere que os produtos em causa, para os quais é possível criar fundos de recuperação de créditos, têm de ser “sujeitos à lei portuguesa, sempre que comercializados por instituições de crédito com sede em território nacional”. Ou seja, os produtos devem ser sujeitos a lei portuguesa e comercializados num banco com sede em Portugal, segundo a versão final aprovada por PS e PCP, com abstenções do PSD e votos contra do BE, CDS e da deputada do PSD da Madeira Rubina Berardo. Segundo disse à Lusa Rubina Berardo, isto impede que emigrantes que compraram produtos em sucursais exteriores do BES, tal como a sucursal exterior da Madeira (muito usada por emigrantes da Venezuela), fiquem de fora desta solução.


Correio da Venezuela | Sรกbado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017

Publicidade 11


12 Portugal

Sábado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017 | Correio da Venezuela

POLÍTICA

O líder do PSD insistiu nas críticas à incompetência do Governo

na distribuição da ajuda às vítimas - os donativos de 13,3 milhões - que lhe valeram a frase do ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, de que não sabe do que fala. O Estado “falhou quando a tragédia aconteceu” em junho e continua “a chegar atrasado, a demorar” na chegada da ajuda, afirmou Passos, atacando ainda as sucessivas visitas de ministros a Pedrógão Grande. “Chega a ser indecoroso a forma como, à vez, os ministros se passeiam à frente das TV naquele cenário”, acusou. De resto, lembrou que o PSD defendeu um processo rápido para indemnizar os familiares das vítimas dos incêndios e que, passado um mês, nada foi ainda decidido pelo executivo. Os incêndios de junho iniciados em Pedrógão Grande provocaram 64 mortos e mais de 200 feridos e consumiram mais de 53 mil hectares. Os fogos da região Centro afetaram aproximadamente 500 habitações, quase 50 empresas e os empregos de 372 pessoas. Os prejuízos diretos dos incêndios ascendem a 193,3 milhões de euros, estimando-se em 303,5 milhões o investimento em medidas de prevenção e relançamento da economia.

explicou que, “nos primeiros 10 dias após ter sido dado como controlado aquele incêndio, foi feito um levantamento exaustivo daquilo que era necessário para reabilitar e reconstruir aqueles territórios”. Já durante esse período, o Go-

verno prestou apoio às populações “do ponto de vista social, de saúde e até do ponto de vista da alimentação dos animais” e traçou um plano de ação calendarizado que prevê que “durante o mês julho [sejam disponibilizados] recursos relativos ao apoio às empresas, à agricultura e às florestas”. Passos Coelho também lamentou que, um mês depois do incêndio de Pedrógão Grande, o Estado “ainda não conseguiu colocar” o dinheiro proveniente da solidariedade dos portugueses ao serviço das populações afetadas. O ministro Pedro Marques respondeu a esta crítica e disse que o Governo constituiu um fundo para centralizar e coordenar todos os apoios recebidos “através da solidariedade dos portugueses”, mas que “era o que faltava” o executivo “obrigar as pessoas a canalizar o apoio para o fundo A ou para o fundo B”. Os incêndios de junho iniciados em Pedrógão Grande provocaram 64 mortos e mais de 200 feridos e consumiram mais de 53 mil hectares. Os fogos da região Centro afetaram aproximadamente 500 habitações, quase 50 empresas e os empregos de 372 pessoas. Os prejuízos diretos dos incêndios ascendem a 193,3 milhões de euros, estimando-se em 303,5 milhões o investimento em medidas de prevenção e relançamento da economia.

Passos diz que Costa utiliza os incêndios para fugir de prestar contas AGÊNCIA LUSA

O líder do PSD respondeu às acusações de “aproveitamento político” do primeiro-ministro, dizendo que António Costa está a instrumentalizar os incêndios de Pedrógão Grande para não prestar contas do está a fazer. “Não podemos permitir que o Governo vá instrumentalizando, que é o que vem acontecendo, o que ocorreu de trágico [nos incêndios de junho], para depois não estar disponível para prestar contas sobre aquilo que faz, mas sobretudo o que não faz”, disse Pedro Passos Coelho, à entrada para convenção autárquica distrital do PSD de Viana do Castelo, em Valença. Para Passos Coelho, o Governo “talvez preferisse não ter oposição”, nem que estes assuntos sejam discutidos publicamente, acusando ainda o executivo de “estar muito

lento a responder às necessidades das pessoas” afetadas pelos incên-

dios que fizeram 64 mortos e mais de 250 feridos.

POLÍTICA

Governo acusa Passos Coelho de “falar do que não sabe” AGÊNCIA LUSA

O ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, acusou o líder do PSD, Pedro Passos Coelho, de “falar do que não sabe” relativamente aos apoios disponibilizados pelo Governo na sequência do incêndio em Pedrógão Grande. Em declarações aos jornalistas à margem de um evento no aeroporto de Lisboa, Pedro Marques respondeu às críticas de Pedro Passos Coelho, que acusou o executivo de “incompetência” e deu o exemplo do incêndio que deflagrou em junho em Pedrógão Grande e que fez mais de 60 mortos, considerando que “nem quando os portugueses lhe oferecem o dinheiro para poder ajudar, mostra competência para lhes poder acudir de facto”. O ministro do Planeamento, por seu lado, entende que “o líder do PSD nesta matéria desta tragédia de Pedrógão Grande tem-se pautado por repetidamente fazer aproveitamento político de uma situação muito dura e ainda por cima

falando do que não sabe”. Pedro Marques disse que “parece que há um desconhecimento tão grande” da parte de Pedro Passos Coelho que “nem sabe que já estão a ser reconstruídas habitações no terreno neste momento”,

recordando que há já cinco obras de recuperação de habitações no terreno e que “para a semana estarão muitas mais”. O governante, que está envolvido nos trabalhos de reabilitação das áreas afetadas pelo incêndio,


Correio da Venezuela | Sábado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017

INCÊNDIOS

Publicado regulamento de fundo de apoio às populações afectadas pelos incêndios

Portugal 13

INCÊNDIOS

Seguradoras pagam 18,8 milhões em indemnizações para Pedrógão

AGÊNCIA LUSA

O regulamento de funcionamento do Fundo REVITA, com regras de apoio às populações e à revitalização de Castanheira de Pêra, Figueiró dos Vinhos e Pedrógão Grande, que sofreram incêndios, foi publicado e pode ser consultado em www.fundorevita.pt. Segundo indicou à agência Lusa fonte oficial do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, o regulamento de funcionamento do Fundo Revita, hoje tornado público, estabelece os critérios de prioridade de intervenção e os critérios para a adesão ao fundo. O regulamento permite, através de um termo de adesão, efetivar a adesão destas entidades ao Fundo. O decreto-lei que cria o Fundo REVITA prevê a celebração de protocolos com entidades privadas não lucrativas que detenham experiência para a concretização e execução da revitalização das áreas afetadas, promovendo a colaboração com outros instrumentos de apoio à região no domínio solidário. “O objetivo do Fundo é a gestão eficiente, coordenada e transparente dos apoios alocados a este Fundo, na sua afetação aos que deles necessitam, promovendo um reforço da celeridade em todo o processo de revitalização das áreas afetadas”, segundo o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social. O Fundo Revita surgiu em resultado dos incêndios de grandes proporções que afetaram os

concelhos de Castanheira de Pêra, Figueiró dos Vinhos e Pedrógão Grande em junho, tendo provocado 64 mortos e mais de 250 feridos, bem como sérios prejuízos materiais. “Os portugueses, num enorme esforço nacional de solidariedade, procuraram atenuar os prejuízos patrimoniais sofridos pelas populações destes concelhos, o que se traduziu em numerosos donativos destinados à reconstrução das habitações e da vida das pessoas afetadas pelos incêndios. A este esforço nacional, juntou-se o apoio financeiro de várias entidades internacionais”, indica o ministério. Neste contexto, o Governo decidiu criar o REVITA, um fundo de âmbito social, com o objetivo de gerir os donativos entregues no âmbito da solidariedade demonstrada, em estreita articulação com

os municípios de Castanheira de Pêra, Figueiró dos Vinhos e Pedrógão Grande. Um decreto-lei de 07 de julho último determina que a gestão do Fundo fique a cargo de um Conselho de Gestão constituído por um representante do Instituto da Segurança Social, um representante das câmaras municipais de Castanheira de Pêra, Figueiró dos Vinhos e Pedrógão Grande (Fernando José Pires Lopes) e um representante das instituições particulares de solidariedade social e associações humanitárias de bombeiros, a nível distrital (Joaquim Guardado). Em entrevista à RTP, na sexta-feira à noite, o secretário de Estado da Coesão e Desenvolvimento, Nelson Souza, afirmou que “até final de julho” as verbas doadas pelos portugueses chegarão às vítimas dos incêndios.

Morreu Américo Amorim, o homem mais rico de Portugal O empresário Américo Amorim morreu, esta quinta-feira, na sequência de complicações de saúde que o afectavam há algum tempo, soube o Jornal de Notícias (JN). O empresário, que faria 83 anos no próximo dia 21, ficaria conhecido como o “rei da cortiça” graças ao império que entretanto criou. A Corticeira Amorim é hoje a maior empresa mundial de pro-

dutos de cortiça. Américo Amorim era o homem mais rico de Portugal e a sua fortuna aumentou para 4,4 mil milhões de dólares (4,09 mil milhões de euros) em 2017, segundo a lista das pessoas mais ricas do mundo divulgada pela revista “Forbes”. Américo Amorim, 82 anos, ocupava no ano passado a oposição 369 da lista e este ano surgia na posição 385, uma descida de 16

lugares, apesar de a sua fortuna ter aumentado de 4,1 mil milhões de dólares para 4,4 mil milhões de dólares.

AGÊNCIA LUSA

As seguradoras vai pagar indemnizações no valor de 18,8 milhões de euros, depois de um “primeiro apuramento de danos” nas zonas afectadas pelos incêndios de junho, na zona Centro, mas esse valor ainda pode aumentar. Em comunicado, a Associação Portuguesa de Seguradores (APS) referiu ter realizado um “primeiro apuramento dos danos cobertos por contratos de seguro, consequência dos trágicos incêndios do passado mês de junho na zona Centro do país, sobretudo nos concelhos de Pedrógão Grande, Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos”. Foi registada a participação de 423 sinistros cobertos por apólices de seguros, o que se traduz num “valor agregado de danos (pagos ou provisionados) da ordem dos 18,8 milhões de euros”. “A grande maioria destas indemnizações é suportada por seguros de multirriscos comércio e indústria”, ao incluir 26 processos abertos e 11,9 milhões de euros de danos apurados”, segundo a associação. Neste processo estão ainda seguros multi-riscos habitação, que abrangem 285 processos, num total de 3,3 milhões de euros de danos. “Foram ainda participados 21 sinistros por acidentes de trabalho e acidentes pessoais cobertos por apólices de seguro, com 1,5 milhões de euros de danos apurados e 15 sinistros ao abrigo

de apólices de seguros de vida, correspondendo-lhes cerca de 919 mil euros de valores pagos ou provisionados, à data da recolha da informação”, lê-se ainda o comunicado. “É possível que estes números venham ainda a subir, pelo que a informação agora prestada deve ser considerada provisória”, segundo a APS, que recordou que as habitações com seguro de cobertura de risco de incêndio ficam isentas de franquias contratuais. Serão ainda calculadas as indemnizações devidas nos termos gerais para estas habitações se houve casos de infra-seguro (seguro feito por valor inferior ao valor da habitação, na denominada regra proporcional). Dois grandes incêndios começaram no dia 17 de junho em Pedrógão Grande e Góis, tendo o primeiro provocado 64 mortos e mais de 200 feridos. Foram extintos uma semana depois. Estes fogos terão afectado aproximadamente 500 habitações, 169 de primeira habitação, 205 de segunda e 117 já devolutas. Quase 50 empresas foram também afectadas, assim como os empregos de 372 pessoas. Os prejuízos directos dos incêndios ascendem a 193,3 milhões de euros, estimando-se em 303,5 milhões o investimento em medidas de prevenção e relançamento da economia. Mais de dois mil operacionais estiveram envolvidos no combate às chamas, que consumiram 53 mil hectares de floresta.


14 Portugal

Sábado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017 | Correio da Venezuela

EMPRESAS

TAP retoma 17 anos depois voos directos para Abidjan e inaugura para Acra/Lomé AGÊNCIA LUSA

A companhia aérea portuguesa TAP vai retomar na segunda-feira as ligações aéreas diretas entre Lisboa e Abidjan e inaugurar o voo Acra/Lomé, com ambas as operações esgotadas, disse hoje à agência Lusa fonte da transportadora. Para Abidjan, cujas ligações aéreas foram suspensas em 2000 na sequência da instabilidade política e militar que então se viveu na Costa do Marfim, a TAP prevê cinco voos semanais durante o verão e quatro no inverno, utilizando aviões Airbus 320 ou 321. Em 2000, 11 anos após dar início às operações com duas frequências semanais com Abidjan, via São Tomé, a TAP optou por suspender as ligações aéreas face ao que já então se vislumbrava conflito político-militar na Costa do Marfim, que decorreu entre 2002

e 2004. A inauguração da embaixada marfinense em Lisboa ocorreu 27 anos depois de Portugal ter aberto

a embaixada em Abidjan, a 22 de novembro de 1989, dois dias antes da única visita de um chefe de Estado português à Costa do Marfim

(pelo então Presidente Mário Soares), e 40 anos após o estabelecimento de relações diplomáticas, a 29 de janeiro de 1975.

POLÍTICA

Presidente da República já deu posse a oito novos secretários de Estado AGÊNCIA LUSA

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, deu posse a oito novos secretários de Estado, numa cerimónia no Palácio de Belém, em Lisboa, que oficializou a maior mudança até agora na composição do atual Governo. Os novos governantes tomaram posse na presença do primeiro-ministro, António Costa, e da maioria dos ministros do XXI Governo, numa cerimónia realizada na Sala dos Embaixadores do Palácio de Belém, em Lisboa e de que durou perto de sete minutos. Tomaram posse os seguintes secretários de Estado: Ana Paula Zacarias (Assuntos Europeus), Eurico Brilhante Dias (Internacionalização), Tiago Antunes (Presidência do Conselho de Ministros), Maria de Fátima Fonseca (Administração e Emprego Público), António Mendonça Mendes (Assuntos Fiscais), Ana Teresa Lehmann (Indústria) e Miguel João de Freitas (Florestas e Desenvolvimento Rural), Ana Pinho (Habitação).

Esta foi a terceira e maior recomposição do XXI Governo, que está em funções desde 26 de novembro de 2015, e alterou os titulares de sete secretarias de Estado de cinco ministérios, e criando ainda uma nova Secretaria de Estado da Habitação, na dependência do ministro do Ambiente. Assistiram a esta cerimónia 14

dos 17 os ministros do executivo estiveram ausentes o ministro Adjunto, Eduardo Cabrita, o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino - e também os secretários de Estado exonerados, com exceção de Fernando Rocha Andrade, que tutelava os Assuntos Fiscais. No final da cerimónia, após

cumprimentar os novos governantes, o primeiro-ministro, António Costa, atravessou a sala dirigindo-se aos ex-secretários de Estado presentes, que cumprimentou, começando por Margarida Marques, a quem deu dois beijinhos e disse “muito obrigado”. As nomeações dos novos governantes e respetivas exonerações fo-

A ligação a Abidjan regressa assim ao portfólio da TAP com o objetivo de “reforçar o posicionamento estratégico [da companhia] no continente africano”, acrescentou a fonte. O regresso das ligações aéreas entre os dois países foi abordado em junho de 2016, durante a visita oficial a Portugal do primeiro-ministro marfinense, Daniel Duncan, altura em que também foi inaugurada a embaixada da Costa do Marfim em Lisboa, na reunião que manteve com o homólogo português, António Costa. Integrada na mesma estratégia está também o início das operações da transportadora aérea portuguesa para Lomé (Togo), onde chegará depois de uma escala na vizinha Acra (Gana) e terá quatro frequências semanais. O Aeroporto Internacional de Lomé-Tokoin tem uma capacidade de tráfego de dois milhões de passageiros por ano. Destino de negócios e casa de muitos residentes nos países europeus, o Togo é um destino estratégico para a TAP e para o seu hub em Lisboa, plataforma privilegiada de acesso na Europa aos continentes africano e americano. A inclusão de Lomé na Rede da TAP vem reforçar o seu posicionamento estratégico em África.

ram divulgadas na quinta-feira no portal da Presidência da República, após a reunião semanal do chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, com o primeiro-ministro, António Costa, no Palácio de Belém. Este “ajustamento” no Governo, como o definiu o primeiro-ministro, envolve cinco ministérios: Negócios Estrangeiros, Presidência e Modernização Administrativa, Finanças, Economia, e Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural. Na Secretaria de Estado dos Assuntos Europeus, a diplomata Ana Paula Zacarias substitui Margarida Marques, antiga líder da Juventude Socialista (JS) no início da década de 1980 e que foi cabeça de lista do PS pelo círculo de Leiria nas últimas eleições legislativas. Na Secretaria de Estado da Internacionalização, o deputado socialista Eurico Brilhante Dias, que foi porta-voz do PS durante a liderança de António José Seguro, assume a pasta até agora ocupada por Jorge Costa Oliveira, um dos três governantes que se demitiram na sequência do caso das viagens pagas pela Galp ao Euro2016. Tiago Antunes, professor universitário de Direito, substitui Miguel Prata Roque como secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros, e Maria de Fátima Fonseca, até aqui diretora na Câmara Municipal de Lisboa, entra para a Secretaria de Estado da Administração e do Emprego Público, substituindo Carolina Ferra.


Correio da Venezuela | Sábado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017

BANCA

Portugal 15

BANCA

Assembleia da República aprova na especialidade fundos que permitirão indemnizar lesados do BES

Governador do Banco de Portugal diz que venda do Novo Banco é o melhor para o país

AGÊNCIA LUSA

O governador do Banco de Portugal voltou a dizer, no parlamento, que a venda do Novo Banco à Lone Star é a solução mais vantajosa, acima de outras alternativas, e garantiu que será “neutra” para as finanças públicas. “O alinhamento de interesses [entre vendedor, o Fundo de Resolução, e o comprador] e as cláusulas de salvaguarda previstas no contrato permitem augurar um resultado melhor do que aquilo que poderíamos contemplar em cada uma das alternativas”, disse hoje Carlos Costa, numa audição na comissão parlamentar de orçamento e finanças. O governador recordou ainda que o Fundo de Resolução, o dono do Novo Banco, pertence aos sistema bancário - e não ao Estado, apesar de ser gerido pelo Banco de Portugal - e que o que aconteceu é que como não tinha dinheiro para capitalizar o Novo Banco pediu empréstimo ao Estado, a ser pago em cerca de 30 anos. “Tenho a certeza [que a operação] será neutra do ponto de vista de finanças públicas”, afirmou, considerando ainda que será “positiva” em termos “de bens intangíveis públicos”, já que melhora a imagem do país e do sistema financeiro. Carlos Costa está hoje, no parlamento, a explicar o negócio da venda do Novo Banco, já acordado com a Lone Star mas ainda não concretizado, por faltar o cumprimento de algumas condições, como a troca de dívida. O Novo Banco foi criado aquando da resolução do Banco Espírito Santo (BES), em 03 de agosto de 2014, como banco de transição, sendo detido na totalidade pelo Fundo de Resolução. O primeiro processo de venda do Novo Banco, em 2015, falhou. Já este ano, apesar de terem sido faladas de alternativas à venda, caso da nacionalização ou partilha de activos entre outros bancos do sistema, acabou por ser assinado um contrato de promessa de compra e venda entre o Fundo de Resolução e o fundo norte-americano Lone Star em 31 de março. Segundo este, é alienado 75% do Novo Banco à Lone Star, mantendo o Fundo de Resolução

A criação dos fundos de recuperação de crédito, veículo essencial para avançar com a indemnização aos mais 2.000 clientes que perderam 400 milhões de euros com a compra de papel comercial, foi aprovada, na especialidade, no parlamento. A legislação que enquadra a solução para os clientes lesados do papel comercial vendido pelo BES foi hoje votada em comissão parlamentar, artigo a artigo, indo a plenário para votação na próxima semana. O primeiro ponto da legislação que cria e regula os fundos de recuperação de crédito, veículo essencial para pôr em prática a solução que indemnizará parcialmente os mais 2.000 clientes, foi aprovado por PS, PCP e Bloco de Esquerda, com abstenção do PSD e CDS-PP. A partir daí, a legislação sofreu várias alterações, tendo em conta as propostas dos grupos parlamentares. Esta legislação visa dar corpo ao mecanismo que compensará parcialmente os 2.000 clientes que investiram 434 milhões de euros em papel comercial das empresas Espírito Santo Financial e Rio Forte, comprado aos balcões do BES, e cujo investimento perderam com o colapso do Grupo Espírito Santo (no verão de 2014). Este mecanismo foi acordado ao longo de mais de um ano por um grupo de trabalho constituído por Associação de Indignados e Enganados do Papel Comercial, Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), Banco de Portugal, ‘banco mau’ BES e Governo, através do advogado Diogo Lacerda Machado. A solução propõe que os lesados recuperem 75% do valor investido, num máximo de 250 mil euros, isto se tiverem aplicações até 500 mil euros. Já acima desse valor, irão recuperar 50% do valor investido. Quanto ao pagamento, este será feito pelo chamado fundo de recuperação de crédito, devendo esse pagar 30% da indemnização aos lesados logo após a assinatura do contrato de adesão à solução. O restante valor será pago aos lesados em mais duas parcelas, em 2018 e 2019.

Como o fundo não terá dinheiro, terá de se financiar junto da banca, estando mesmo previsto na proposta legislativa que o Estado preste uma garantia pública para que se consiga financiar-se. Além disso, a legislação também refere outro mecanismo de financiamento, com intervenção mais directa pelo Estado. “Em alternativa à celebração de um contrato de financiamento, e sendo isso também indispensável ao cumprimento de determinadas obrigações legais e contratuais do fundo de recuperação de créditos perante os participantes, o Estado pode ainda assegurar aos participantes a satisfação dos créditos pecuniários correspondentes”, refere o ponto 2 do artigo 70.º do documento. De acordo com informações recolhidas pela Lusa, o que se passará é que na celebração do contrato de adesão será concedida aos clientes lesados uma garantia estatal que assegura que receberão as segunda e terceira tranches da indemnização acordada. Ou seja, se nessa altura o fundo não tiver dinheiro para pagar, cada cliente lesado pode accionar essa garantia e o Estado paga-lhes directamente, ficando depois o fundo em dívida perante o Estado. O PSD opõe-se à garantia pública por considerar que, mais uma vez, serão os contribuintes a serem chamados a pagar. Em Maio, 1.900 lesados do papel comercial, o equivalente a 97% do total, manifestaram interesse por escrito em aderir à solução.

Mesmo após aprovada a legislação dos fundos de recuperação de crédito, a execução da solução para os lesados do papel comercial ainda demorará a acontecer, uma vez que é preciso escolher a equipa que irá fazer a gestão do fundo e realizar uma assembleia-geral. A solução para lesados do papel comercial foi uma promessa política do actual primeiro-ministro, António Costa, que se envolveu pessoalmente no processo. Já o PS, pelo deputado João Paulo Correia, considerou esta solução essencial “para reforçar a confiança dos portugueses e famílias no sistema financeiro” e, sobre a garantia de Estado, afirmou que, “se não fosse encontrada esta solução, se não houvesse acordo, significava que se mantinham acções contra o Estado”, pelo que no futuro os contribuintes podiam ser chamados a pagar. Já o Bloco de Esquerda, por Mariana Mortágua, disse que a ideia de que esta solução iliba os responsáveis é “errada”. Além disso, afirmou, “abdicar de processos judiciais não é equivalente a ilibar o Banco de Portugal”. Mariana Mortágua ainda assim manifestou “desconforto” com a lei, por não abranger mais casos de lesados e ser mais clara, e criticou o processo no parlamento, considerando que deveria o Governo ter enviado a proposta mais cedo, de modo a ser mais trabalhada e permitir uma proposta “mais lata”.

AGÊNCIA LUSA

25%. A Lone Star não pagará qualquer preço, tendo acordado injectar 1.000 milhões de euros no Novo Banco para o capitalizar, dos quais 750 milhões entrarão quando o negócio for concretizado e os outros 250 milhões até 2020. Já o Fundo de Resolução ficou com a responsabilidade de compensar o Novo Banco por perdas que venham a ser reconhecidas com os chamados activos ‘tóxicos’ e alienações de operações não estratégicas, caso ponham em causa os rácios de capital da instituição, no máximo de 3,89 mil milhões de euros. A concretização do negócio de venda do Novo Banco ainda está sujeita a três condições: as autorizações da Direção-Geral da Concorrência da Comissão Europeia, a nível de ajudas estatais, e do Banco Central Europeu, mas também a troca de obrigações seniores do Novo Banco. O Governo, através do secretário de Estado das Finanças, anunciou recentemente que prevê concluir o processo de venda do Novo Banco até novembro, após o processo de troca de obrigações, que disse esperar fechar até ao final do verão. Mourinho Félix afirmou ainda que o plano de negócio aprovado com a Comissão Europeia envolve uma reestruturação do banco “para que seja viável”, mas disse que a dimensão desses cortes está “em discussão entre o comprador e a autoridade de resolução”. O Novo Banco já tem vindo a fazer redução da estrutura, com vendas de activos, saídas de milhares trabalhadores e fechos de agências. A Comissão Europeia aprovou esta semana a operação de venda do Novo Banco à Lone Star à luz das regras comunitárias de concentrações, mas o processo necessita ainda de um consentimento separado, a nível das regras de ajudas de Estado. “Estão criadas as condições no plano de restruturação, equipa adequada, ‘business plan’ - para o comprador ser bem-sucedido [na recuperação do Novo Banco] e o Fundo de Resolução irá recuperar a sua parte de capital e aí será mais bem sucedido no que diz respeito à minimização de perdas”, afirmou.


16 Publicidade

Sรกbado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017 | Correio da Venezuela


TEATRO

Ommyra Moreno Suárez

RECOMENDAÇÕES

Correio da Venezuela | Sábado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017

Cultura 17

Trasnocho Cultural

“Dos Manzanas”

Teatro Santa Rosa de Lima-Caracas

Centro Cultural Santa Fe

Sob a direção de Carlos Díaz, ganham vida três monólogos escritos juntamente a Franca Rame em torno da condição da mulher. Esta seleção quer oferecer uma progressão dramática, para além de cronológica, do discurso de Rame-Fo sobre a luta da mulher por recuperar a sua dignidade. Nestes textos, o discurso destaca o social, tornando-se mais duro e\dramático ao abordar temas como a violação e a tortura.

A peça cómica “Dos Manzanas”, sob a direção de Marcos Gámez, aborda o tema da infidelidade aos pares, como é o caso de Roger e Matías, que são donos de uma fazenda chamada “Dos Manzanas”. A mãe de Roger faz o possível para que eles se separem, originando assim uma quantidade de situações lamentáveis que envolve estes personagens controversos.

SHOWBIZZ

Daniel de Sousa fala da situação da Venezuela

TV

Albi de Abreu confirma participação na série“La querida del Centauro” Lusodescendente reside agora no México e esta é a primeira vez que trabalha num projeto produzido no país azteca Ommyra Moreno Suárez

CINEMA

Ommyra Moreno Suárez

RECOMENDAÇÕES

O ator luso-venezuelano Albi de Abreu confirmou a sua participação na segunda temporada da série de Telemundo “La querida del Centauro”, onde interpreta o papel de “loco”, um dos melhores amigos do “Centauro”, interpretado por

Humberto Zurita. Atualmente, o lusodescendente está a residir no México e é a primeira vez que trabalha num projeto produzido no país azteca. «Estou feliz por participar nesta produção, onde há muitos confrontos, um enredo muito interessante, um investimento maior em termos de logística, com mais qualidade na produção, mais qualidade de afetos, de ação, etc», expressou o ator numa entrevista para Debate. A personagem de Albi, conhecida como “loco”, é um narcotraficante com uma personalidade jocosa que transmite um lado cómico ao dramático. O “loco” é um papel

que entra basicamente para dar um pouco de diversão à história, ao drama do Centauro (Humberto Zurita). O ‘Loco’ é o seu melhor amigo, conheceu-o na cadeia, vem ajudá-lo a se relaxar e a pensar com mais qualidade. «A minha personagem é um narco muito divertido, com muitas loucuras, com uma forma diferente de fazer as coisas. Põe um pouco de sarcasmo às coisas, o lado simpático contrasta com a atitude do Centauro e isto faz com que se tenha criado um bom relacionamento», comentou o lusodescendente ao diário mexicano.

La Vida Bohème apresenta-se no dia 13 de julho na cidade de Chicago, Estados Unidos Ommyra Moreno Suárez

Daniel de Sousa, guitarrista e vocalista da banda venezuelana La Vida Bohème, mostrou-se nostálgico pela situação que atualmente o país atravessa. «É a forma mais horrível de acordar (…). Ainda mais sabendo que a tua família está lá, que não há comida, ver as contestações, as manifestações e darmo-nos conta que de repente parece que o país teve um retrocesso de 150 anos. O

único que podemos fazer, da nossa parte, pelo menos por agora, é tentar deixar uma mensagem, fazer eventos de caridade e tentar enviar coisas, alimentos, medicamentos», expressou De Sousa, numa entrevista a HOY. Há três anos, o lusodescendente e os seus colegas Henry D’Arthenay (guitarra e vocalista principal), Rafael Pérez (guitarra e vocalista), Daniel de Sousa (guitarra e vocalista) e Sebastián Ayala (baterista e vocalista), decidiram mudar-se para a cidade do México, o que lhes permitiu internacionalizarem-se e levar a sua música a vários países, incluindo os Estados Unidos e diversos países da América Latina. La Vida Bohème apresentou-se no dia 13 de julho na cidade de Chicago, EEUU.

“Atómica”

“Dunkerque”

Basada na novela gráfica “The Coldest City” de Antony Johnston, David Leitch apresenta-se como diretor do filme “Atómica”, que segue Lorraine Broughton, interpretada por Charlize Theron, que é uma das melhores espias do MI6. Broughton embarca numa missão que consiste em encontrar a culpada de um crime, assim como por recuperar uma lista com os nomes de vários agentes duplos. Para tal, é enviada à cidade de Berlim juntamente com David Percival, interpretado por James McAvoy.

O filme de suspense e ação, do director Christopher Nolan, acompanha os soldados aliados da Bélgica, o Império Britânico, Canadá e França, que estiveram rodeados pelo exército alemão e foram evacuados numa batalha feroz durante a Segunda Guerra Mundial. Apanhados na praia com o mar pelas costas, enfrentam uma situação impossível enquanto o inimigo se aproxima. O filme relata a Operação Dinamo, também conhecida como o milagre de Dunkerque.


18 Publicidade

Sรกbado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017 | Correio da Venezuela


MODA

Ommyra Moreno Suárez

RECOMENDAÇÕES

Correio da Venezuela | Sábado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017

Quando falamos de tendências de calças, tudo indica que vão começar a usar-se demasiado largas, assim como a boca-de-sino e que comecem a ficar largas desde a zona das ancas. A proposta que fez com que as tendências dos anos 90 regressassem foi da responsabilidade da marca Y/Project, que as vende a 400€ e da Victoria Beckham, devido à sua coleção

Resort 2018, cujos desenhos tiveram tanta recetividade que agora são infinitas as marcas que optaram por seguir a mesma linha e incorporá-los às suas coleções. Embora o normal seja acreditar que as calças largas não favorecem as pessoas de estatura baixa, na verdade estas criam um efeito ótico de cintura alta que dá a ideia de maior estatura. Contudo, na hora

de comprar um par de calças deste género é preciso ter em conta que a largura das pernas deve estar de acordo com a largura das calças e a estrutura corporal para não parecer desproporcional. Outra recomendação para um conjunto mais elegante e sofisticado ao usar calças extralargas é que se usam com tacões, em especial do tipo “stiletto”.

Cultura 19

Das calças skinny às bocas-de-sino demasiado largas SHOWBIZZ

Marjorie revelou detalhes da doença do seu filho

TV

Michelle de Andrade streia-se como protagonista A negligência médica e o empoderamento da mulher serão alguns dos temas que dão forças ao enredo da novela Ommyra Moreno Suárez

Ommyra Moreno Suárez

ARTES

RECOMENDAÇÕES

A lusodescendente Michelle de Andrade e o ator venezuelano José Ramón Barreto protagonizam o mais recente dramático de Venevisión “Para verte mejor”, uma obra original da escritora Mónica Montañés, que será estreada este

mês de julho. «É uma proposta distinta, onde há vários pares com amores impossíveis, que convivem num mesmo edifício, e onde um vilão, que todos acreditam ser santo, converterá as suas vidas, já complicadas, num verdadeiro pesadelo (…). A história é romântica com muito sentido do humor, como todas as coisas que eu escrevo, mas acrescentando-lhe um toque muito forte de suspense e até de pânico, penso que esta mistura de elementos é o que torna a telenovela diferente. E ainda vai ter as pessoas coladas ao ecrã porque tem um ritmo vertiginoso», adiantou Montañés.

A negligência médica e o empoderamento da mulher serão alguns dos temas que dão forças ao enredo da novela. «Induzirá à reflexão, porque são abordados muitos temas, como os problemas de cirurgias plásticas feitas por irresponsáveis, assim como o facto de nos ocupar-nos dos cães e dos gatos da rua e o empoderamento da mulher terá muitíssima força, porque os personagens femininos também a acompanham no elenco Luis Gerónimo Abreu, Sonia Villamizar, Dora Mazzone, AroldoBetancourt, Maria Antonieta Duque, Rafael Romero, Eulalia Siso, Félix Loreto, PatriciaSchwarzgruber e Adrián Delgado.

Lusodescendente explicou que o bebé de cinco meses deixou de respirar por aproximadamente três minutos Ommyra Moreno Suárez

A atriz luso-venezuelana Marjorie de Sousa revelou os detalhes da doença que acomete o seu filho Matías, após vários exames médicos apresentados pela atriz há uns anos perante os tribunais da cidade do México. «Devemos aplicar a fórmula no seio direito e estar em supervisão 24 horas, pois

sofre um quadro de refluxo severo. E por esse motivo durante três vezes tem tido situações de emergência porque para de respirar», confirmou De Sousa na sentença realizada no dia 9 de junho. Há algumas semanas, os media escreveram que o filho da lusodescendente, fruto da sua relação com o ator argentino Julián Gil, apresenta uma condição conhecida como espasmos soluçantes, que deixou o bebé de cinco meses sem respirar por aproximadamente três minutos. «Chamamos os paramédicos porque não conseguíamos tirá-los dessa situação, pelo que tenho contratadas só duas enfermeiras que mudam turnos para o manter em ótimas condições», assinalou a atriz.

“SIEM. Código variable”

“Leitmotiv”

Hacienda La Trinidad

Alianza Francesa – sede Chacaíto

O Hacienda La Trinidad acolhe a exposição de Gregorio Siem, uma mostra constituída por 16 obras de meio porte, dentro da galeria, e duas de grande formato, que serão colocadas os espaços exteriores e nos jardins. Através das suas coloridas peças, com um tratamento de cor e do movimento com base na ciência da arte e a arte ótica, Siem procura encarnar o mistério, segundo o qual «a vida é uma transformação».

As instalações da Alianza Francesa em Chacaíto recebem a exposição Leitmotiv, composta por obras do artista plástico Fabián Dagor. Através desta mostra, Dagor procura apresentar a sua evolução e o carater particular das suas invenções e desconstruções tipográficas, oferecendo ao público um foco reflexivo e antológico. O artista partilha a sua visão do mundo, traçada pela sua experiência como autodidata do grafiti tradicional.


20 Publicidade

Sรกbado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017 | Correio da Venezuela


Correio da Venezuela | Sábado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017

Opinião 21

PALAVRAS

TAP, uma companhia bandeira da Lusofonia

DANIEL BASTOS

A TAP Portugal, fundada em 1945 com o nome Transportes Aéreos Portugueses, detentora de um percurso que se se confunde com a história mais recente de Portugal, assume-se há 72 anos como a maior companhia aérea de bandeira nacional, Esta ligação indissociável entre o percurso da TAP e o do país, desde o Estado Novo e a transição para a Democracia, até aos dias de hoje, impulsionou a empresa de bandeira este Verão a promover um conjunto de ações programadas que celebram a sua longa história que cruza os céus em nome de Portugal. Entre estas ações, destacam-se a recente

apresentação do seu moderno avião Airbus A330 batizado de “Portugal” com um emblemática pintura “ à moda antiga”, a recordar as décadas entre os anos 50 e 70. As iniciativas programadas decorrem num período decisivo para a companhia área portuguesa, que tem que se modernizar, e simultaneamente cimentar um modelo de sustentabilidade económico-financeira e de equilíbrio público-privado, capaz de garantir que a TAP continue um veículo essencial na aproximação e ligação de Portugal ao Mundo, e em particular à Lusofonia, aos Emigrantes e Luso-descendentes.

A ligação ao espaço lusófono e as às comunidades portuguesas, marca do passado e dos valores identitários da maior companhia aérea nacional, parecem estar igualmente consagrados na visão estratégica da nova estrutura acionista da TAP que desde fevereiro de 2016 passou a ser controlada maioritariamente pelo Estado Português. A abertura e inauguração a 10 de junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, de uma rota de longo curso para Toronto, no Canadá, com cinco voos por semana, é sinal evidente de uma aposta estratégica na América do Norte, um imen-

so território onde vivem e trabalhos muitos milhares de portugueses e luso-descendentes. O futuro e a sustentabilidade da TAP passam necessariamente pela prossecução de uma estratégia de consolidação, reposicionamento e expansão da maior e mais prestigiada companhia aérea nacional nas ligações aos espaços lusófonos, através da criação de novas rotas que aumentem os valores de tráfego, as taxas de ocupação e a projeção além-fronteiras das potencialidades de Portugal e da Lusofonia.

HERANÇAS E PARTILHAS

Em Portugal, os terrenos abandonados podem ser arrendados compulsivamente pelo Estado ANTÓNIO DELGADO

Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Governo Português avançou rapidamente com algumas medidas para a reforma da floresta portuguesa.A criação do Banco Público de Terras está integrada nessa iniciativa e prevê um arrendamento ‘à força’ dos terrenos abandonados e a gestão

das parcelas sem dono conhecido. Outra das principais medidas está no destino das parcelas de terreno abandonadas que deverão passar a ser penalizadas com impostos. Mais tarde, estes terrenos poderão ser “forçados” a integrar o Banco Público de Terras e dados de ar-

rendamento. A renda será paga apenas depois de ser recuperado o investimento feito na parcela. Por outro lado, os terrenos sem proprietário conhecido no cadastro florestal também serão integrados no Banco Público e geridos pelo Estado, sem a possibilidade de serem

vendidos. Portanto, torna-se cada vez mais importante procurar saber se possui terrenos nestas condições, ou se porventura herdou alguns terrenos que possam estar nestas circunstâncias. Convém fazer um levantamento e procurar regularizar a situação para evitar problemas.

O CORREIO da Venezuela não pode ser considerado responsável e/ou patrocinador das opiniões que são expressas neste espaço.


22 Publicidade

Sรกbado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017 | Correio da Venezuela


Correio da Venezuela | Sábado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017

Miscelânea 23 ---SABIA QUE?---

---SAÚDE EM DIA---

Curiosidades sobre as caixas automáticas

Resfriados podem levar a ataques de asma Sergio Ferreira

Um grupo de cientistas do Instituto Nacional do Coração e dos Pulmões do Colégio Imperial de Londres localizou uma molécula que poderá desencadear ataques de asma potencialmente mortais provocados pelos resfriados. A descoberta poderá significar um objectivo para a elaboração de novos medicamentos para tratar esses ataques. A maioria dos ataques de asma (entre 80 a 90 por cento) é provocada por um vírus que infecta as vias respiratórias, na maior parte dos casos, o rinovírus, a principal causa do resfriado comum. Os investigadores descobriram que uma molécula específica chamada IL-25 poderá ter um papel fundamental nos ataques de asma provocados pelos resfriados. “A nossa investigação demonstrou pela primeira vez que as células que revestem as vias respiratórias dos asmáticos são mais propensas a produzir uma molécula pequena chamada IL-25, que parece desencadear uma série de eventos que provocam os ataques”, explicou um dos

máquinas noutras localidades da capital britânica. Por outro lado, o escocês James Goodfellow, que tinha desenvolvido os cartões de plástico para esta mesma finalidade e o número de identificação pessoal, reclamou também a paternidade da invenção. Entre as curiosidades que contornam esta máquina, sabemos que os clientes de caixas automáticas gastam em média 20 a 25% mais do que os não as utilizam. Em 1994, já se contabilizavam 8,3 milhões de transações nas caixas automáticas dos Estados Unidos. Ainda, diversos estudos têm demonstrado que o dia mais comum para a utilização de caixas automáticas é a sexta-feira. Ainda, para fazer frente à procura desmedida, a cada cinco minutos se instala uma nova máquina nos Estados Unidos.

Ommyra Moreno

autores principais do estudo, Nathan Bartlett, num comunicado divulgado pela revista Science Translational Medicine. “Ao ter esta molécula como objectivo principal, podemos descobrir um tratamento novo, que é muito necessário, para controlar essa reacção, que é uma potencial ameaça à vida dos que sofrem de asma”, acrescentou. Para realizar este estudo, os investigadores compararam as células dos pulmões de pessoas com asma e as de pessoas que não têm asma. Quando havia uma infecção por rinovírus, as células dos pulmões das pessoas com asma produziam cerca

de 10 vezes mais IL-25 que as células dos pulmões das pessoas sem asma. “Os ataques de asma continuam a ser um grande problema de saúde”, disse outro dos autores do estudo, Sebastian Johnston. “Os medicamentos existentes que contêm esteroides que se inalam são muito eficazes para controlar os sintomas regulares de asma, mas durante um ataque, os sintomas pioram e podem levar o paciente ao hospital. “Os próximos passos consistem em provar o bloqueio da IL-25 em humanos, e investigar outras possíveis vias que possam ser importantes nos ataques de asma”, acrescentou.

A caixa automática tem a sua origem em Londres a 27 de junho de 1967, quando uma sucursal do banco Barclays decidiu abrir a sua primeira caixa, inventada por John Sheperd-Barron, que teve a ideia quando num sábado, como o banco estava fechado ficou sem dinheiro durante o fim de semana. Foi assim que decidiu idealizar uma máquina onde se podia introduzir um cheque e esta dava dinheiro. Estas primeiras máquinas não funcionavam com cartões, mas com cheques com um composto radioativo de carbono-14. A máquina solicitava, para além do código de segurança de quadro dígitos, um bilhete de dez libras esterlinas. Após o descobrimento, tomou-se a decisão de instalar seis

---PENSA VERDE---

Insectos milenários

---CULINÁRIA---

Sopa de Feijão Verde Sergio Ferreira

Ainda que a maioria das pessoas não goste de insectos, a importância destes pequenos seres é vital na existência da humanidade. Eles são capazes de manter um equilíbrio importante entre as espécies, inclusive a humana, tornando possível que o mundo continue a avançar como tem feito até agora. Por isso, nesta oportunidade, trazemos o assunto à discussão, já que a origem destes pequenos animais, muitas vezes indesejáveis, foram alvo de um estudo realizado por 100 investigadores de 16 países, no âmbito do projecto 1KITE (1000). Foi dado a conhecer que os primeiros insectos que habitaram a Terra viveram há 480 milhões de anos, surgindo quase ao mesmo tempo que apareceram as plantas terrestres, mas não foi senão quase oito milhões de anos depois que os insectos desenvolveram a sua capacidade de voar. Os investigadores clarificaram que os primeiros insectos tinham, provavelmente, um aspecto semelhante aos peixes de prata, os ‘Lepisma

Saccharina’, e por esse motivo, há uns 400 milhões de anos, os antepassados dos que hoje conhecemos como libélulas ou cavalinhos do diabo começaram a desenvolver as suas asas, o que lhes deu a possibilidade de voar longas distâncias e chegar a novos espaços. Uma das coisas mais insólitas é que o que hoje conhecemos como libélulas tinham asas que mediam cerca de 70 centímetros de ponta a ponta, contavam com umas mandíbulas muito fortes, e mudaram de aspecto justamente quando as plantas

terrestres começaram a ganhar altura, o que lhes permitiu adaptar-se rapidamente às mudanças do meio ambiente. A investigação liderada pelo cientista alemão Bernhard Misof confirma que enquanto a crise na biodiversidade desencadeou extinções em massa noutros grupos de seres vivos, como os dinossauros, os insectos sobreviveram a diversas situações, adaptando-se às que iam surgindo, e não é em por acaso que representam o grupo de seres vivos maior do Planeta.

Ingredientes 400gr de feijão verde / 1 cebola grande / 3 colheres sopa de azeite / 350gr de batatas / 2 tomates médios / 1 ramo salsa picada / 3 colheres sopa de natas / 1 gema de ovo / 2 fatias de presunto / Sal e pimenta Preparação 1. Aloure a cebola no azeite. 2. Depois acrescente cerca de 1 litro de água, as batatas, o tomate e a salsa. 3. Depois de tudo cozido rale.

4. Em seguida, adicione a água suficiente para a sopa ficar aveludada e deixe ferver. 5. Junte o feijão verde cortado na diagonal e muito fino, tempere com sal e pimenta. 6. Quando estiver cozido, retire do lume. 7. À parte desfaça a gema com as natas e acrescente à sopa. 8. Leve ao lume sem deixar ferver. Guarneça com as tiras de presunto e feijão encarnado. 9. Acompanhe com fatias de pão frito em azeite.


24 Publicidade

Sรกbado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017 | Correio da Venezuela


26 Desporto

Quinta-feira 30 de Outubro a Quarta-feira 6 de Novembro de 2014 | Correio da Venezuela Correio da Venezuela | Sábado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017

Desporto 25

FUTEBOL

Portugal perde final frente a Inglaterra no Euro sub-19

FUTEBOL

AGÊNCIA LUSA

A seleção portuguesa de futebol de sub-19 perdeu hoje a final do Campeonato da Europa da categoria frente a Inglaterra, por 2-1, em Gori, na Geórgia. Suliman deu vantagem aos ingleses, aos 50 minutos, Sterling, aos 56, igualou para Portugal, com um golo na própria baliza, e Nmecha, aos 68, assinou o tento que garantiu aos britânicos o primeiro título continental em sub-19. Portugal somou a terceira derrota em finais da competição, depois dos desaires em 2014 e 2003, e falhou a oportunidade de vencer pela primeira vez a prova sucessora do torneio de sub-19, que a equipa das ‘quinas’ venceu em 1994 e 1999.

Anteriormente, uma exibição muito segura, coroada com um golo feliz de Gedson Fernandes, permitiu a Portugal vencer a Holanda por 1-0 e qualificar-se para a final do Europeu de futebol de sub19, em Tbilissi, na Geórgia. O tento do médio benfiquista, aos 24 minutos, num lance em que o guarda-redes holandês Bijlow poderia ter feito mais, ‘escreveu’ justiça, já que o ‘onze’ de Hélio Sousa foi muito mais forte, perante uma Holanda que raramente ultrapassou a defesa lusa. A formação holandesa até entrou mais forte e assustou duas vezes, num remate de Dilrosun (quatro minutos) e num cabeceamento de Nunnely (cinco), mas Portugal respondeu de pronto, com remates, ao lado, de Quina (oito e 12) e

FUTEBOL

Benfica confirma negociações por Nelson Semedo

AGÊNCIA LUSA

O Benfica, campeão português de futebol, confirmou estar em negociações com o FC Barcelona para a transferência do lateral direito português Nelson Semedo, mas assegurou que ainda

não estão concluídas. “A Sport Lisboa e Benfica -Futebol, SAD informa (...) que se encontra em negociações com o Futbol Club Barcelona para a transferência dos direitos do atleta Nelson Cabral Semedo, as quais ainda não foram concluí-

Conté (nove). O equilíbrio instalou-se e o jogo ‘afastou-se’ das balizas, até que, aos 24 minutos, Portugal adiantou-se no marcador, por Gedson Fernandes, que fugiu pela esquerda, fletiu para o centro e rematou de pé direito, com Bijlow a não segurar. A Holanda sentiu o golo e não conseguiu reagir, enquanto Portugal tranquilizou e passou a controlar as operações, com a emoção a voltar apenas nos descontos, com Diogo Costa a salvar perante o isolado Kongolo e Mesaque Dju a cabecear ao lado. O conjunto das ‘quinas’ entrou muito bem na segunda parte e João Filipe quase aumentou, aos 47 minutos, a vantagem da equipa lusa, que, com recuperações de bola perto da área contrária, voltou a criar perigo por Gedson e Dju.

das. Mais se informa que o atleta está autorizado a submeter-se a exames médicos sob a orientação do Futbol Club” Barcelona, lê-se num comunicado enviado à Comissão do Mercado dos Valores Mobiliários (CMVM). Na quinta-feira, o FC Barcelona anunciou ter chegado a acordo com o Benfica para a contratação de Nelson Semedo. “O FC Barcelona e o Benfica chegaram a um acordo para a transferência de Nelson Semedo, apenas dependente dos exames médicos, a serem realizados na sexta-feira, em Barcelona”, escreveu o clube catalão na sua página na Internet. O contrato com o jovem internacional português, 23 anos, deverá ter validade de cinco anos e, de acordo com diversos jornais espanhóis, deverá rondar os 30 milhões de euros, mais cinco por objetivos.

Presidente do Marítimo antevê dificuldades na Liga Europa, mas promete luta DIÁRIO DE NOTÍCIAS DA MADEIRA

O presidente do Marítimo, Carlos Pereira, disse esperar dificuldades na terceira pré-eliminatória da Liga Europa de futebol, em que os insulares vão defrontar os israelitas do Beitar Jerusalém ou os búlgaros do Botev Plovdiv. As deslocações são a maior preocupação para o dirigente, que só vai conhecer o adversário no dia 20 de julho, quando as duas equipas se defrontarem na segunda mão da segunda pré-

-eliminatória. “O grau de dificuldade é elevado, principalmente pelas deslocações que teremos de fazer, para mais sem sabermos onde, pois o tempo que haverá para a prepararmos será curto”, afirmou à MarítimoTV. Ainda assim, Carlos Pereira está confiante que a formação ‘verde rubra’ tem qualidade suficiente para se qualificar para o ‘play-off’. “Temos equipa para chegar mais longe e é por isso que vamos lutar e estou confiante no valor da equipa e da equipa técnica”, vincou.

FUTEBOL

Sporting de Braga confirma contratação de antigo guarda-redes do União da Madeira

AGÊNCIA LUSA

O Sporting de Braga confirmou a contratação de André Moreira nas redes sociais, depois de o guarda-redes português ter integrado a pré-época futebolística do Benfica. “Temos Guerreiro! Bem-vindo, André Moreira”, lê-se nas páginas dos bracarenses, sem especificar

a ligação ao guarda-redes de 21 anos dos quadros do Atlético de Madrid. Depois de ter chegado a sénior no Ribeirão, no qual cumpriu a formação, o internacional sub21 assinou pelos ‘colchoneros’, que o cederam, por empréstimo, a Moreirense, União da madeira e Belenenses, nas últimas três temporadas.


26 Publicidade

Sรกbado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017 | Correio da Venezuela


26 Desporto

Quinta-feira 30 de Outubro a Quarta-feira 6 de Novembro de 2014 | Correio da Venezuela Correio da Venezuela | Sábado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017

FUTEBOL

Talentos Vinotinto presente no futebol português

CLUBES

Centro Social Luso Venezolano de Araure promove plano de férias desportivas Iniciativa terá lugar nos espaços do clube, localizado no quilómetro 4, via Barquisimeto, setor Los Malabares de Araure Ommyra Moreno Suárez

O Centro Social Luso Venezolano de Araure, através da Direção de Desporto e da Comissão de Natação, realiza a segunda edição do Plano de Férias Desportivas. A iniciativa terá lugar nas instalações do clube, localizado no quilómetro 4, via Barquisimeto, setor Los Malabares de Araure, Estado Portuguesa.

Na segunda divisão, o avançadoJhonderCádiz será o reforço do Moreirense depois de ter jogado com o União Madeira e o Nacional Ommyra Moreno Suárez

Na próxima temporada 2017/2018, são varios os talentos

venezuelanos que serão convocados pelos clubes, alguns como parte integrante da sua experiência fora das nossas fronteiras, enquanto que outros continuarão em equipas diferentes. Isto mesmo deu a conhecer o site de futebol venezuelano La Vinotinto. Entre eles, está o defesa de meio JesúsHernández, que terá a sua estreia depois de chegar a um acordo com cedência por um ano com opção de compra ao Belenenses da primeira divisão portuguesa.

Na segunda divisão, o avançado JhonderCádiz será o reforço do Moreirense após ter jogado com o União da Madeira e o nacional. Por seu lado, Breitner Da Silva deixa após duas temporadas o União da Madeira e sai como avançado para o Leixões da segunda divisão portuguesa. O extremo JhonMurillo aumentou o seu protagonismo na temporada passada pelo que termina a sua concessão com o Tondela e regressa ao Benfica.

FUTEBOL

Centros lusos marcam presença no Torneio Élite 2017 Torneio tem lugar no campo sintético “El Cuadradito”

O Centro Luso Larense, nas suas categorias sub 9 e sub 10, juntamente com o Madeira Club Lara, na categoria sub 11, confirmaram a sua participação no Torneio Élite 2017, que

que tem lugar no campo sintético do Complexo Desportivo “El Cuadradito” de Cabudare, Estado Lara. A data de abertura será anunciada nos próximos dias, pois foi alterada devido às

Desporto 27

manifestações. O canal ‘Somos Televisión’ será responsável por transmitir os jogos através das plataformas de televisãoatravés de subscrição a Intercable e Netuno, abrangendo assim grande parte do centro-ocidente. Desta forma, os clubes luso-venezuelanos marcam presença nos torneios desportivos da localidade. Importa destacar que as equipas do Centro Luso Larensee o Madeira Club Lara destacaram-se pela sua ótima prestação em várias categorias integradas na recente Liga OrdanAguirre, dedicada às categorias menores de futebol regional.

O plano de férias terá uma duração de duas semanas, começando no próximo dia 18 de julho e culminando no dia 28, num horário compreendido entre as 8h00 e as 12h30. O programa destina-se a crianças com idades compreendidas entre os oito anos e adolescentes, que terão a oportunidade de se desenvolverem através do desporto com treinos diários de vólei e basquetebol, assim como práticas de natação que se realizam durante todo o plano de férias. O custo de participação é de 25 mil bolívares e podem participar tanto sócios como não-sócios. As pessoas interessadas poderão formalizar a sua inscrição nos escritórios do centro social. Para mais informações, pode contactar-nos através dos números 0424 5333879/0414 5172816.


28 Publicidade

Sรกbado 15 a Sexta-feira 21 de Julho de 2017 | Correio da Venezuela

Correio de Venezuela 701  

Edición 701

Advertisement