Page 1

P r é m i o Ta l e n t o 2 0 0 9 Correio de Venezuela

@correiodvzla

@correiodvzla

Agosto de 2016

Edição n° 660 • Ano 16 • Depósito Legal: 199901DF222 • Bs. 100

Fogo desceu anfiteatro da cidade do Funchal

portugal

Conselheiros da Diáspora Madeirense ajudam na reconstrução Os novos membros do Conselho da Diáspora Madeirense tiveram uma primeira reunião, aberta aos que ainda estavam na ilha, onde acertaram alguns pontos que gostariam ver implementados com a ajuda dos Governos Regional e da República, para cooperar no apoio às populações atingidas pelos fogos que têm assolado a ilha. /P.12-13

cultura

Foi uma tarde e uma noite de tragédia no Funchal. O lume que ardia algumas serras das zonas altas da capital madeirense apanhou vento a favor e destruiu diversas casas de habitação em freguesias mais baixas e até no centro da cidade. Há três mortes a lamentar. Cerca de um milhar de desalojados na primeira noite e mais de 200 casas inabitáveis. Mas o Funchal já renasceu e retoma a sua vida normal. / P.12-13

Portugal e Venezuela retomam convénios Emigrantes na Assembleia Regional só após Revisão Constitucional A Comissão de Acompanhamento dos convénios económicos entre Portugal e Venezuela voltou a reunir-se no mês passado. No terreno continuaram entretanto os trabalhos e verifica-se que todos os programas estão a correr bem. Depois da reunião de Lisboa juntam-se novos desafios: o ensino do Português nas universidades crioulas e a criação de empresas mistas para a extração mineral. /P.5 pub

O Fórum Madeira Global, que se realizou no Funchal esta semana, abordou a questão da representatividade da Diáspora Madeirense na Assembleia Legislativa da Região Autónoma. O próprio Governo concorda, mas para isso será necessário rever o Estatuto Regional e a Constituição Portuguesa. /P.4

Nuno Gomes: «O meu sonho é fazer o meu primeiro filme na Venezuela» No passado mês de junho, nos Prémios Heat 2016, juntamente com a dupla venezuelana Chino y Nacho, conseguiu distinguir-se na categoria de “Melhor Vídeo do Ano” com o tema “Me voy enamorando”, que conta já com mais de 440 mil visualizações no Youtube. Com uma produtora e mais de 70 vídeos musicais sob a sua direção, o luso-venezuelano Nuno Gomes conseguiu posicionar-se como um dos melhores especialistas em audiovisuais do país. /P.15


2 Editorial

Agosto de 2016 | Correio da Venezuela

retrospetiva

1

fotoflash

Os incêndios florestais que dizimaram a Floresta Portuguesa tiveram uma incidência particular, infelizmente, na ilha da Madeira, onde a tragédia chegou no decorrer da semana passada. Impiedoso, e na boleia implacável de mãos criminosas, o vento soprou forte de Nordeste pelo anfiteatro funchalense abaixo arrastando consigo o lume devastador que queimava as serras e depois destruiu várias casas das zonas altas das freguesias de São Roque, Monte, Imaculado Coração de Maria, Santa Luzia, Santa Maria Maior e São Gonçalo, até chegar à zona histórica de São Pedro, já dentro da cidade, onde os prejuízos são também importantes. Mas pior que tudo foram algumas vidas que se perderam, em locais de pior acesso e onde o lume avançou como que levado por rastilho incontrolável. O dia 9 de Agosto é mais um dia de memórias tristes, tal como o 20 de Fevereiro de 2010, em que os prejuízos e danos pessoais e materiais foram, infelizmente, maiores. A Natureza é assim, e na vida de um ilhéu, estas coisas acontecem com uma frequência maior. A água e o fogo são elementos essenciais, mas por vezes muito traidores, nomeadamente quando as populações não estão avisadas e não tomam as precauções devidas. Quem vive numa ilha sabe que estas coisas acontecem ciclicamente e têm efeitos ainda piores quando as populações minimizam os perigos e esquecem o rigor que todos precisam colocar no seu trabalho e na observância de medidas essenciais de prevenção. Uma desgraça deixa um rasto de morte e de destruição, mas deixa também muitas lições e ensinamentos que são necessários ser absorvidos com a humildade que caracteriza o Povo Ilhéu. Os Madeirenses já se levantaram, já deitaram mãos ao trabalho. Melhor, ainda não se deitaram depois dessa noite negra. Ao nascer do Sol já estão no terreno. Entre o espanto e o choro, com a dor a cortar corações, ganharam força para limpar e prosseguir. Agora há que fazer contas e reconstruir. O Presidente da República e o Governo da República chegaram à Madeira nos dias seguintes. Levaram a solidariedade dos Portugueses, também com os seus campos a arder e a notícia de que ninguém ficará sem casa e que as vidas serão reconstruídas. Por toda a Diáspora a solidariedade estende-se e as iniciativas de recolha de apoios multiplicam-se a favor dos desalojados madeirenses que se contam por mais de um milhar em cerca de 250 habitações destruídas e de algumas outras também afetadas pelo fogo. A Madeira e os Madeirenses não esmorecem e já se lançaram na reconstrução. A ilha está linda como sempre, os pontos turísticos e nomeadamente os hotéis continuam a receber os turistas e os visitantes que não deixaram de chegar à ilha. A hospitalidade tradicional do povo ilhéu, o mesmo que não disfarça as cicatrizes da tragédia, mas que tem a vontade hercúlea que move montanhas, mostra-se com o mesmo sorriso nos lábios. Quem chegar à Madeira nos próximos dias pouco se aperceberá dos efeitos da devastação do fogo, salvo nas zonas queimadas, pois os postais serão preservados e rapidamente reabilitados. Há um trabalho em curso que terá resultados visíveis a breve prazo. A Madeira conta com todos para ultrapassar mais esta fase menos boa da sua vida.

2

Decorreu na ´Pérola do Atlântico´, no início da semana passada, o Fórum Madeira Global, uma iniciativa do Governo Regional através do Centro das Comunidades Madeirenses e das Migrações, que teve por principal objectivo a discussão e debate de questões relacionadas com a Emigração, com foco particular na vida dos Madeirenses e seus descendentes na Diáspora. Terra de Emigração por excelência, com cerca de quatro vezes a sua população permanente fora do arquipélago, a Madeira continua a dar grande importância às matérias que envolvem os Emigrantes, em diversas circunstâncias, que não só e apenas, as que são favoráveis a um maior entrosamento das atividades económicas e financeiras desses filhos da terra, quando resolvem investir no retorno ao seu País. E basta olharmos para a situação que se vive na Venezuela para podermos ter ideia de que nem tudo são rosas no caminho dos Emigrantes. Nem nunca foram,

aliás. Basta atentarmos um pouco na história de muitos dos que partiram para além-mar, porque existe um manancial de histórias de sucesso que começaram com muitos amargos de boca. E há ainda, sejamos sinceros, os que agora precisam de ajuda de alguém, e aos quais a Comunidade não pode negar. Durante o Fórum Madeira Global foi nomeado ainda o Conselho da Diáspora Madeirense, constituído por 21 conselheiros que representam diversas áreas geográficas, e que servirá de elemento de ligação entre o Governo Regional da Madeira e os Madeirenses que vivem fora do arquipélago. Neste Fórum foram ainda anunciadas algumas resoluções do Governo Regional da Madeira, nomeadamente a criação do ‘Investe Madeira’, um gabinete de apoio aos Emigrantes que pretendam investir na Região Autónoma, ao jeito da já existente ‘Loja do Cidadão’ cujo principal objectivo é desmaterializar muita da burocracia que hoje enfrentam os empresários que pretendem investir em Portugal.

Os fogos florestais e urbanos que assolaram a ilha da Madeira na semana passada levaram ao cancelamento de alguns dos tradicionais arraiais da terra natal de muitos Portugueses que hoje vivem em Venezuela. O Arraial de Nossa Senhora do Monte foi o mais duramente atingido pelas medidas que foram decididas pela Câmara Municipal do Funchal e pelos respectivos párocos das freguesias afetadas pelos incêndios. Foi apenas celebrado o evento religioso, com Procissão em Honra de Nossa Senhora do Monte, Padroeira da Ilha da Madeira. A própria Igreja Paroquial do Monte ficou no meio de dois focos de fogo que desceram pelas encostas abaixo e que levaram a destruição a outras freguesias em cota inferior, onde se registou a destruição de dezenas de habitações, e, infelizmente, as três mortes ocorridas no 9 de agosto. No cortejo religioso viam-se muitos dos que ficaram sem casa e sem haveres e também, como, habitualmente, centenas de emigrantes que chegam à ilha no mês de Agosto. Um momento de grande Devoção, Fé e Esperança na Nossa Senhora do Monte.

Grupo Editorial

www.correiodevenezuela.com Rif.: J-40058840-5

Director Aleixo Vieira Subdirector Agostinho Silva Gerente: Sergio Ferreira Soares Endereço: Av. Veracruz. Edif. La Hacienda. Piso 5, ofic. 35F. Las Mercedes, Caracas. Telefones: (0212) 9932026 / 9571 Telefax: (0212) 9916448 E-mail: editorial@correiodevenezuela.com

Chefe de redacção Sergio Ferreira Soares |Jornalistas Ommyra Moreno, Carla Salcedo Leal, Victoria Urdaneta, Kenner Prieto, Antonio Da Silva |Correspondentes Edgar Barreto (Falcón), José Manuel De Oliveira (Falcón), Carlos Balaguera (Carabobo), Sandra Rodríguez (Aragua), Trinidad Macedo (Lara), Silvia K. Gonçalves (Bolívar), Mariana Santos (Nueva Esparta), Luis Canha (Mérida), Carlos Marques (Mérida), Daniela García (Miranda), Antonio Dos Santos (Zulia) |Colaborações Catanho Fernandes, Sónia Gonçalves, Arelys Gonçalves, Antonio López Villegas, Isabel Idárraga, Serafim Marques, António Delgado, Carla Angarita |Publicidade e Marketing Carla Vieira |Paginação Elsa de Sá |Fotografia Francisco Garrett |Administração Cindy Calabria |Distribuição Luis Alvarado, Carlos Agostinho Perregil R. |Impressão Grupo Últimas Noticias. Caracas -Venezuela |Tiragem 15.000 exemplares |Fontes de Informação Agência Lusa, Diário de Notícias, Diário de Notícias da Madeira, Ilhapress, Portuguese News Network e intercâmbio com publicações em língua portuguesa.


Correio da Venezuela | Agosto de 2016

SUCESORA DE

Publicidade 3

RIF. J-00235245-0


4 Venezuela

Agosto de 2016 | Correio da Venezuela

FÓRUM MADEIRA GLOBAL DECORREU NO FUNCHAL

Emigrantes madeirenses querem ter deputados na Assembleia Regional É igualmente importante que os emigrantes, em especial os de segunda e terceiras gerações, participem na vida política das comunidades em que se inserem DIÁRIO de Notícias da Madeira

ECONOMIA

Governo cria INVESTE Madeira para facilitar negócios da Diáspora

CORREIO de Venezuela CORREIO de Venezuela

A maioria parlamentar na Assembleia Legislativa da Madeira (ALM) está disposta a propor numa próxima revisão do Estatuto Político-Administrativo da Região Autónoma a inclusão de deputados regionais que representem a Diáspora Madeirense. Miguel Albuquerque, presidente da Região, respondeu que sim aos que se manifestaram por tal inclusão, e tal como Adolfo Brazão, presidente da Comissão Política Geral da ALM, diz que é necessário voltar à carga na revisão do Estatuto e derrubar muros que persistem em Lisboa. Em causa estão as objeções dos políticos nacionais e do Tribunal Constitucional a que tal se concretize. Mas Albuquerque não tem dúvidas: “É óbvio que as comunidades deveriam estar representadas” na ALM. É igualmente importante que os emigrantes, em especial os de segunda e terceiras gerações, participem na vida política das comunidades em que se inserem. O presidente do Governo Regional defendeu que isso é muito relevante para as próprias comunidades e para a Madeira. São os interesses de ambas que são defendidos. A discussão ocupou boa parte do primeiro e único dia de trabalhos do Fórum Madeira Global, que se reuniu na cidade do Funchal, no dia 8 de Agosto, e que foi abruptamente interrompido devido aos incêndios que atingiram a cidade. José Nascimento, advogado descendente de madeirenses na África do Sul, disse que a reivindicação de as comunidades estarem representadas politicamente na Madeira, já tem 24 anos e revelou que, no País em que nasceu, os madeirenses participam politicamente. Mas, ainda assim, gostaria de ver a representatividade dos emigrantes aumentar, nomeadamente no parlamento nacional: “Gostaria de ver o círculo eleitoral no dobro”, disse referindo-se á representatividade na Assembleia da República, em Lisboa. São apenas quatro deputados, que representam cinco milhões de emigrantes: “Um terço dos portugueses”, lamentou. De um ponto de vista histórico e sociológico, há uma razão para a fraca participação política dos emigrantes madeirenses, nas terras

que os acolheram: trabalho. Como destacaram vários dos membros do painel, intitulado ‘Política em Madeirense’, os emigrantes foram para trabalhar e essa foi a sua grande aposta. Algo afirmado por Ana Cristina Monteiro, advogada nascida e formada na Venezuela, mas há nove anos a residir na Madeira. Paulo Porto, outro advogado, residente em São Paulo, lembrou os conselhos que o pai lhe dava, no sentido de deixar “a política para os políticos”. Nessa altura, o Brasil, tal como Portugal, que haviam deixado, vivia sob uma ditadura, que em muito condicionava a percepção do que deveria ser a intervenção na sociedade. “A Madeira só tem a ganhar com esta caminhada conjunta”, afirmou Sérgio Marques, secretário regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus, que tem a tutela do Centro das Comunidades Madeirenses e Migrações, entidade que organizou o Fórum madeira Global, referindo-se aos encontros, que juntam os madeirenses residentes na ilha e os que vivem no estrangeiro. O governante, que tem a tutela da emigração, lembrou que o Fórum Madeira Global nasceu por sugestão dos emigrantes durante o Encontro realizado na Madeira, no ano passado. Sérgio Marques afirmou que os conterrâneos emigrados “valorizam a Madeira tornando-a verdadeiramente Global”. Emigrantes criaram instituições

de solidariedade Há muitos emigrantes a passar dificuldades e que, por uma razão ou outra, não procuram ajuda, sendo conhecidos casos de quem viva na rua, mas também idosos que, sem pensão de reforma ou velhice, nem ajuda de familiares, dependam do apoio das várias casas portuguesas criadas ao longo de décadas. Esses e tantos outros foram os testemunhos deixados pelos participantes no Fórum Madeira Global. No debate sobre a solidariedade social participaram a secretária regional da Inclusão e Assuntos Sociais, Rubina Leal, e os emigrantes Lucinda Viveiros (Venezuela), Ivo Sousa (África do Sul) e José Leonel Teixeira (Estados Unidos da América). Precisamente este último foi o que revelou que a comunidade que conhece é a que menos problemas sente no dia-a-dia, mas também ficou claro que dado o sistema de saúde e de seguros como está feito, só quem pode pagar é que beneficia de serviços, reconhecendo o papel pouco social que as casas desempenham no apoio social. Lucinda Viveiros, por seu lado, salientou o papel decisivo, embora menor do que gostariam, no apoio sobretudo aos idosos. “Temos um lar que mantém a comunidade unida, mas infelizmente não cabe toda a gente”, frisou. “Precisávamos de mais espaço, por isso seria muito bom ter o Governo uma verba mensal para ajudar o lar, em vez de pagar viagens às pessoas virem à Madeira.

Faz mais falta essa verba”, pediu. Ivo Sousa começou por lembrar que a Academia do Bacalhau, que teve o seu início há 48 anos na África do Sul, é o “braço direito” do Lar Santa Isabel, que alberga muitos idosos emigrantes naquele país. Rubina Leal garantiu que da parte da Região, “qualquer emigrante que procure os serviços (Gabinete de Apoio ao Emigrante ou dependência da Segurança Social) têm apoio directo”, salientando contudo que este ano apenas oito o fizeram. A governante reconheceu as dificuldades com a falta de respostas da parte da Venezuela quando há pedidos de cá para os processos de reformas dos emigrantes, mas assegurando que não ficam sem apoio. Problemas não faltam e soluções também não faltarão. Por exemplo, no debate falou-se da falta de registo ou de recenseamento de muitos emigrantes após anos de estadia nos países de acolhimento, muitos nunca mais se preocupam com a nacionalidade portuguesa. Na Venezuela, por exemplo, quem tem dinheiro compra medicamentos, um problema recente, mas quem não pode deveria conseguir socorrer-se da mala diplomática ou de ajudas vindas de Portugal, sobretudo aqueles com doenças crónicas. “Há uma pobreza envergonhada”, todos reconhecem, mas esse modo de estar deve acabar. Mas o maior problema é mesmo a falta de critério e plano, o que pode mudar com este tipo de debates.

O Governo Regional, “dentro de pouco tempo”, vai operacionalizar a agência de investimento externo chamada ‘INVESTE Madeira’. A novidade foi avançada por Eduardo Jesus, secretário regional da Economia, no Fórum Madeira Global, na conferência ‘Fiscalidade e Investimento’. A ideia é de ter uma agência vocacionada para dar uma resposta imediata, muito concreta às situações que as pessoas colocam. “Alguém que pretenda fazer um investimento na Madeira com determinadas características, hoje já se pode dirigir ao Governo, através da nossa secretária na Direcção Regional da Inovação, onde é acolhida e todas estas questão são respondidas no momento. Entendemos que tudo isto tinha de ter um corpo diferente e uma presença diferente e por isso evoluímos para a agência e que será o elemento que comunica tudo isto e recebe os interessados”. Mais consulados que estejam à altura de servir a comunidade emigrante, o ensino contínuo da língua portuguesa nos países acolhedores, o incentivo de pesquisas e a continuação de programas já existentes, a criação de um programa de intercâmbio de estudo e até apoio moral. São alguns dos pedidos que vieram de emigrantes madeirenses a viver em países como África do Sul, Brasil, EEUU e Venezuela e foram ontem apresentados no evento. Aos testemunhos, Eduardo Jesus, adiantou que estão a ser criadas condições para responder às preocupações “legítimas” da diáspora madeirense, lembrando as visitas às comunidades emigrantes que o Governo Regional tem vindo a realizar. “Ainda há umas semanas, o secretário dos Assuntos Parlamentares esteve na Venezuela, deixando uma mensagem de esperança do Governo e dizendo aos que vivem tempos difíceis que estamos cá”, ressalvou. O secretário adiantou que “pela mesma razão que levou que as pessoas emigrassem, também a Madeira procura o investimento externo” porque “somos muito pequenos” e o que “falta cá dentro, temos de procurar lá fora”.


Correio da Venezuela | Agosto de 2016

Venezuela 5

X reunião da comissão de acompanhamento Portugal-Venezuela

Venezuela elogia cooperação e diz que Portugal é “modelo” de relações Ambas as delegações, portuguesa e venezuelana, realizaram as mesas de trabalho num ambiente de amizade Sergio Ferreira Soares

A Venezuela elogiou a “solidez” da cooperação entre Lisboa e Caracas, sublinhando que Portugal “é modelo” de relações bilaterais, “respeito e reconhecimento mútuo”, o que tem permitido “solucionar” dificuldades normais no relacionamento entre Estados. “Este é um modelo de relação que flui ao mais alto nível de respeito e reconhecimento mútuo”, afirma um comunicado do Ministério de Relações Exteriores (MRE) da Venezuela, citando palavras do vice-ministro venezuelano de Cooperação Económica, Ramón Gordils. As declarações de Gordils tiveram lugar no âmbito na X Comissão Mista de Acompanhamento do Acordo Complementar de Cooperação Bilateral que foi instalado na passada quinta-feira, 28 de julho, em Lisboa, para avaliar e dar continuidade a iniciativas e projetos conjuntos. Segundo o ministério venezuelano, a instalação teve lugar na sede do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal e foi presidida por Ramón Gordils, que também é presidente do Banco de Comércio Exterior da Venezuela, e pelo secretário de Estado da Internacionalização, Jorge Oliveira. Ramón Gordils destacou a importância das relações bilaterais entre ambos os países, “fazendo referência não só à cordialidade ao respeito mútuo que sempre têm sido mantido entre ambas nações, mas também a colocação em marcha de diversos projetos de cooperação”. “A nossa relação pode ilustrar-se em dois projetos em particular como

Governo sem informação de “qualquer movimento anormal” dos portugueses na Venezuela O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, afirmou que o Governo português não “tem informação de qualquer movimento anormal” na comunidade portuguesa e lusodescendente na Venezuela devido à crise económica e política naquele país. “A generalidade da comunidade portuguesa que reside na Venezuela já o faz há várias gerações e sente a Venezuela como uma sua pátria. Não temos informação de qualquer movimento que pudesse ser considerado anormal”, afirmou o chefe da diplomacia portuguesa, quando questionado sobre se o Governo tem informação sobre portugueses que estejam a regressar daquele país da América Latina por causa da crise.

é a modernização do porto de La Guaira (norte de Caracas) e a massificada inclusão tecnológica (computadores portáteis) dos nosso jovens e crianças. Nesses dois extremos podemos ver o quão importante é este trabalho conjunto”, disse. Por outro lado destacou ainda a “solidez das relações bilaterais”, que tem permitido “resolver algu-

mas dificuldades” que “é normal que ocorram em qualquer relação entre Estados, que têm sido solucionadas, mantendo em todo o momento a boa vontade e disposição. “A peculiaridade desta comissão é o especial valor e apoio que levamos nas relações com Portugal e como tempos superado algumas dificuldades, o que nos tem leva-

do a propor novas experiências e a consolidar projetos que já estão encaminhados e se incorporam nestas reuniões, que demonstram ainda a permanente cooperação”, explica o comunicado. Segundo o MRE, o secretário de Estado da Internacionalização português “mostrou-se agradecido pela presença da delegação venezuelana no país, para impulsionar e acompanhar todos os projetos alcançados no quadro da cooperação bilateral”. “As relações que temos com o povo do Governo da Venezuela são estreitas, e continuarão a ser, são de suma importância para o Governo de Portugal e isso não vai mudar, acompanhamos de perto o que ocorre no país, em todos os aspetos”, disse. Citando Jorge Oliveira, o comunicado refere que para Portugal este tipo de comissões servem para conversar e trabalhar em conjunto sobretudo “quando se tem o nível e o volume de relações comerciais e económicas que temos”. “É normal que surjam algumas dificuldades, mas para isso estamos aqui. Também para propor novas oportunidades de investimento, tanto para a Venezuela como para Portugal”, afirmou Jorge Oliveira. Ambas as delegações, portuguesa e venezuelana, realizaram as mesas de trabalho num ambiente de amizade e cordialidade, refere o comunicado. “Durante as reuniões está a ser avaliada a cooperação bilateral em matéria industrial, transporte, obras públicas, petróleo, energia elétrica, ciência e tecnologia, a fim de impulsionar planos de cooperação conjunta e projetos enquadrados na Agenda Económica Bolivariana”.

consulados

Lusos em Falcón receberão jornada consular Evento realiza-se nas instalações do Centro Português de Punto Fijo Ommyra Moreno Suárez

Os lusos a residir o Estado Falcón receberão na próxima sexta-feira dia 9 e sábado 10 de setembro, a partir das 8h00 até às 17h00, uma jornada consular onde serão atendidas as inquietações da comunidade e poderiam realizar os seus trâmites de na-

cionalidade portuguesa. A iniciativa é organizada pelo Consulado Geral de Portugal em Valencia. A jornada realiza-se nos espaços do Centro Português de Punto Fio, localizado na avenida Raul Leoni. Os interessados em solicitar o passaporte português devem levar o seu “Bilhete de Identidade” ou “Cartão de Cidadão”.

Para mais informações, pode comunicar-se através dos números 0269-

2454866/0269-9354025 ou pelo correio eletrónico cppf09@gmail.com.

regiões

Conselheiros organizam visita ao Estado Falcón  Debates terão lugar no Centro Português em Punto Fijo Ommyra Moreno Suárez

Os Conselheiros das Comunidades Portuguesas eleitos pelo círculo eleitoral “Venezuela/Ocidente” (área consular de Valencia), Fátima De Pontes e Leonel Moniz da Silva, organizarão uma visita oficial às comunidades portuguesas residentes no estado venezuelano de Falcón nos próximos dias 9 e 10 de setembro de 2016, sexta e sábado. Durante esta visita oficial, os Conselheiros participarão e terão contactos com a comunidade portuguesa local, o movimento associativo luso-falconiano e a rede empresarial com gestão portuguesas, incluindo as direções da delegação regional da “Mulher Migrante Falcón”, dirigentes do Centro Português em Punto Fijo, dirigentes dos grupos folclóricos “Encantos de Portugal”, “Filhos dos Emigrantes” e “Nova Geração da península de Paraguaná” e ainda representantes das comissões pastorais dedicadas ao louvor da “Virgem de Fátima”. Também participarão num debate com jovens luso-falconianos e em reuniões de trabalho com personalidades portuguesas e venezuelanas locais. Ainda, participarão em entrevistas no canal de televisão regional “Falconia TV”, no espaço de rádio “Portugal 92.1 FM” do locutor português Mário Joaquim Pereira e no programa televisivo do jornalista luso Edgar Barreto. Os debates terão lugar no Centro Português, em Punto Fijo. Recorde-se que os Conselheiros eleitos pelo círculo eleitoral “Venezuela/Ocidente”participaram nas eleições gerais para o Conselho das Comunidades Portuguesas 2015/2019. Candidataram-se pela única lista “Somos Portugalidade” e obtiveram um resultado eleitoral de 100% (448 votos).


6 Venezuela

Agosto de 2016 | Correio da Venezuela

Beneficência

Empresas

Situação do país não tem sido impedimento para que estas associações continuem com as suas atividades

 Um espaço ameno e muito bem decorado, com raízes lusas e de vapital 100% local, mistura o conceito de mercearia com um vitrina do melhor dos artesãos gastronómicos do país

Academias asseguram compromisso com os mais necessitados Ommyra Moreno Suárez

Apesar das dificuldades, as academias do bacalhau e da espetada continuam a trabalhar em prol dos venezuelanos mais necessitados. Desde as suas sedes, em vários estados do país, as amigas e os compadres têm sido obrigadas a sortear a escassez e reinventar as suas habituais tertúlias com novas propostas que permitam angariar os fundos necessários para continuar com as ajudas através das quais têm conseguido ajudar um sem-número de instituições de beneficência e casos especiais em que os beneficiários padecem alguma doença crónica e não tem como suportar os tratamentos médicos. Em Caracas, a Academia do Bacalhau, presidida por José Luís Ferreira, continua com as suas tertúlias mensais, que têm contado com uma participação massiva de compadres, o que significou uma importante colaboração para a instituição, que se responsabiliza por realizar um contributo fixo mensal no Lar Padre Joaquim Ferreira, entre outros casos pontuais que chegam à sede da academia à procura de apoio. Na passada terça-feira, a tertúlia, correspondente ao mês de agosto, teve lugar no Salão Gales, localizado no Centro Comercial Cidade Tamana-

co, a Este da cidade capital. À convocatória, assistiram um total de 120 compadres, que puderam desfrutar de um jantar composto por bacalhau e o vinho tradicional da associação. No seu discurso, José Luís Ferreira agradeceu aos presentes e a colaboração dos compadres em cada tertúlia. Ainda assim, assegurou que a academia vai continuar em frente, trabalhando com o mesmo empenho. No Estado Aragua, a Academia da Espetada Maracay comemou o seu 13º aniversário com uma comemoração especial, que teve lugar no Restaurante Rodeo Grill, localizado na Avenida Intercomunal Turmero-Maracay, na passada segunda-feira dia 8 de agosto. Os presen-

tes desfrutaram de uma agradável tarde, ambientada musicalmente, enquanto degustaram de tradições como espetada de carne e frango, acompanhadas da sangria tradicional da academia. Há alguns dias, as amigas da academia, liderada por Ana María de Abreu, levaram a cabo uma jornada de doativos a uma família de baixos recursos e à Fundação Martín, que se encarrega de oferecer apoio a crianças com paralisia cerebral. Por seu lado, a Academia da espetada de Caracas realizou uma nova campanha humanitária intitulada “Uma ‘ñapita’ para uma criança”, através da qual entregaram uma doação de bens essenciais à Casa Hogar Domingo Savio em Caracas.

Beneficência

Sociedade de Damas Portuguesas já tem data para almoço de outono A instituição continua a promover os seus diferentes programas de apoio para os mais necessitados Ommyra Moreno Suárez omoreno@correiodevenezuela.com

A Sociedade de Beneficência de Damas Portuguesas preara-se para realizar o seu tradicional almoço de outono, que foi marcado para o domingo 16 de outubro na sede da associação, localizada na urbanização Macaracuay, a Este da cidade capital. A iniciativa será realizada para angariar fundos em benefício do Lar Padre Joaquim Ferreira. O evento contará com uma variedade de propostas gastronómicas da cozinha portuguesa, tanto da ilha da Madeira como do Continente, entre elas atum frito, milho frito e fei-

joada, entre outros. Recorde-se que a Sociedade de Damas, umas das instituições com maior tradição na comunidade luso-venezuelana, é constituída por 28 mulheres, que têm a função de concretizar uma série de iniciativas em prol dos mais necessitados. Atualmente, as damas estão a elaborar uma lista de medicinas, com a qual esperam realizar uma recolheita entre as autoridades lusas e a comunidade para ajudar os pacientes que estão a fazer tratamentos médicos e não conseguem os medicamentos. Da mesma forma, na lista também serão incluídos os medicamentos indispensáveis para o bem-

-estar das pessoas da terceira idade que residem no Lar Padre Joaquim Ferreira. Neste sentido, a presidente da associação, Fátima de Pontes Pita, deixou um apelo à comunidade para que doem medicamentos que tenham nas suas casas e que não necessitem, especialmente os de doenças crónicas. O próximo evento organizado pela Sociedade de Beneficência de Damas Portuguesas será o Almoço de São Martinho, que se realizará no dia 20 de novembro. Embora só se vão realizar quatro eventos de angariação de fundos por ano, a instituição está aberta diariamente para receber qualquer tipo de contribuição.

Jota’s Gourmet abre as suas portas em Caracas

Sergio Ferreira Soares

Na passada quinta-feira 28 de julho, as suas portas o “Jota’s Gourmet”: o novo espaço gourmet no sector Altamira Sul, localizado a este de Caracas, que oferece um delicioso encontro de culturas e sabores num espaço ameno e muito bem decorado. Trata-se de um projeto inovador do lusodescendente José Caldeira, que pretende juntar neste local uma ampla seleção de produtos venezuelanos e algumas opções importadas, com excelentes preços e um serviço extraordinário. «Jota’s Gourmet resulta de três anos de trabalho que vai desde o conceito do local até a procura dos melhores produtos de artesãos gastronómicos. Acreditamos que é o momento perfeito para investir no país e apoiar os estão a desenvolver novos sabores. É por isso que na área da mercearia, para além da charcutaria e carnes pré-embaladas, azeite, conservas e enlatados contamos com uma seleção de produtos nacionais que inclui chocolates gourmet misturados com ingredientes não tradicionais, cremes para untar, azeites, bolachas, pães e bebidas com ingredientes tão venezuelanos como o coco, a ‘sarrapia’ ou o ‘aji dulce’», explicou o diretor do restaurante. Para além da área de mercearia, Jota’s Gourmet oferece um menú de sandes, wraps e saladas gour-

met idealizadas pelos nossos colaboradores, os chefes Carlos Aguirre e Carlos Contreras, para além do tradicional e das sobremesas. «A nossa meta é converter-nos na melhor opção da zona, pela qualidade e variedade dos nossos produtos, mas também pela nossa atenção. Neste momento, oferecemos serviços dentro do local e sabores a todos os escritórios e vizinhos da zona», acrescentou Caldeira. Sobre os valores da Portugalidade, o diretor de Jota’s Gourmet explicou que estão presentes desde o preciso momento em que idealizaram o projeto. «A minha família, proveniente da ilha da Madeira, ensinou-me o valor do trabalho e a importância de oferecer um serviço de qualidade ao cliente. A proximidade que carateriza o português e a sua boa disposição para colocar o seu grau de areia para o desenvolvimento da Venezuela são sem sombra de dúvidas alguns dos nossos valores mais apreciados. Esta é uma casa não só de portugueses mas de todos os venezuelanos que queiram desfrutar de um lugar ameno e diferente. São todos bem-vindos», afirmou José Caldeira. Jota’s está ocalizado em Primera Avenida Sur com Av. José Félix Sosa, Altamira Sur, em frente à Torre Británica, e abre de segunda a sexta das 8h00 às 18h30 e aos sábados das 8h00 às 15h00. Conta com estacionamento próprio.

Segue a pista Está a par das novidades deste espaço através de @jotasgourmet em Facebook, Instagram e Twitter


Correio da Venezuela | Agosto de 2016

clubes

Caracas, Miranda e Valencia comemoram Nossas Senhoras do Monte e da Saúde Sergio Ferreira Soares

Uma vez mais, a Associação Civil Centro Português, localizada no setor Macaracuay do este de Caracas, promoveu uma festa com o melhor estilo luso, com a finalidade de ressaltar os costumes e a idiossincrasia do povo ibérico. Tratou-se do arraial em honra a Nossa Senhora do Monte e Nossa Senhora da Saúde, que teve lugar no passado domingo, dia 14 de agosto. A jornada iniciou-se às 12h00 com a tradicional missa, dirigida pelo Padre Alexandre Mendonça, para posteriormente dar lugar à festividade que incluiu a venda de alguns pratos e bebidas típicas de Madeira e Continente, assim como também a apresentação de grupos folclóricos e músicas de dança. Por sua vez, o Centro Madeirense levará a cabo, no próximo sábado dia 20 e domingo 21 de agosto, as “Festas de Nossa Senhora do Monte - Fé, Tradição e História”. As comemorações iniciam-se no sábado, a partir das 19h30, com a apresentação de shows musicais, um bazar madeirense e um encontro de despiques, um género popular na ilha de Madeira, característico pelo seu canto impro-

Venezuela 7

clubes

Abertas inscrições para curso de português no Centro Luso Larense  O programa contempla contexto gramatical, compreensão e pronúncia, entre outros tópicos Ommyra Moreno Suárez

visado. No domingo 21 de agosto, a partir das 16h00, realiza-se a missa, seguida por uma procissão com os fiéis pelos espaços do centro social. Às 16h00, terá lugar uma festa, a qual será animada por grupos folclóricos, que aproveitarão oportunidade para enaltecer o melhor da ilha da Madeira com as suas danças populares. A jornada termina às 21h00 com um espetáculo de fogo-de-artifício e ba-

lões de desejo. Finalmente, o Centro Marítimo de Venezuela também vai honrar Nossa Senhora da Saúde com uma grande festividade que incluirá o grupo venezuelano “La Quinta Escala”, para além de degustar uma grande variedade de pratos e bebidas típicas lusas. O encontro é domingo dia 21 de agosto, a partir das 12h00, no clube localizado no sector de Turumo do Estado Miranda.

No Estado Lara, já estão abertas as inscrições para o curso de língua e cultura portuguesa 20-162017. A professora Angi de Oliveira é a responsável pela iniciativa, que se desenvolve nos espaços do Salão de Cultura do Centro Luso-larense, localizado no sector El Manzano de Barquisimeto. Por sua parte, De Oliveira assegura que se trata de uma proposta que procura recuperar os valores e a cultura lusa no país. «O curso de português surge após a necessidade de recuperar as tradições de Portugal e, sobretudo, como um meio de preservar a língua portuguesa», assinalou. O curso, que será dividido em três níveis (A1, A2 e A3), terá uma duração aproximada de oito meses e nele poderão participar crianças com idades compreendidas entre

os 10 e os 16 anos, assim como adultos maiores de 16 anos. Serão aceites até 15 alunos por seção. A modalidade regular terá lugar às segundas-feiras e às quartas-feiras ou terças e quintas, entre as 24 e as 15h30 e das 15h30 e as 17h00. Já a modalidade intensiva se irá realizar de segunda a sexta entre as 14h00 e as 15h30 e as 15h30 e as 15h00 O programa contempla o contexto gramatical, compreensão de leitura, pronúncia e uma série de exercícios para preparar os estudantes com vista aos examens Caple. Os interessados em se inscreverem devem enviar e-mail com os seus dados pessoais para alis. dom89@gmail.com ou comunicar-se através do contacto telefónico 0416 6615999. A mensalidade é de 5 mil bs para sócios, 6 mil para não-sócios, com um acrescento de 3 mil para a inscrição, aplicável apenas a não-sócios.

clubes

Clubes

Centro Português Venezuelano de Guayana deu posse à direção 2016-2018

Comunicado do Centro Social Madeirense de Valencia

Ommyra Moreno Suárez

A junta diretiva do Centro Português Venezuelano de Guayana, correspondente ao período 2016-2018, foi empossada na passada quarta-feira num evento que contou com a presença dos sócios do clube e vários representantes de instituições lusos da região. A tomada de posse realizou-se após um processo eleitoral que se realizou no passado dia 10 de julho, de onde resultou vencedor Víctor Vieira como presidente; Francisco de Freitas Gonçalves como vice-presidente; Alexandre Andrade como primeiro secretário; Pedro José Rodríguez como segundo secretário; Benito Martínez Marcano como primeiro tesoureiro; Pablo Rondón como segundo tesoureiro; Wuener Caraballo como primeiro vogal; Daniel Marín como segundo vogal; e

António Costa como terceiro vogal. Igualmente, ficamos a saber que a Mesa de Assembleia foi constituída por Domingo Quijada como presidente; Ilda Nogueira como vice-presidente; Irvin Gonzáles como primeiro secretário; e Arnaldo Carvajal como segundo secretário. O conselho fiscal é constituído por Maira Elena Marcano como comissária; Giancarlos Torres como comissária suplente; e

Pedro Barros como secretário. Logo após da tomada de posse, os novos membros da direção deixaram umas palavras aos presentes e prometeram velar pela manutenção e crescimento das instalações do clube. Ainda assim, fizeram um apelo a todos os sócios para que participem ativamente nas assembleias, onde se discutirão temas relacionados com o futuro do centro social.

A Junta Diretiva do Centro Social Madeirense, juntamente com o Comité de Cultura e Imigração, e com o aval do Conselho Fiscal, realizou uma investigação exaustiva sobre a situação da Escola e o Grupo Folclórico Português, detetando que estavam a funcionar sem a aprovação da Junta Diretiva anterior, pois não a mesma não constava das actas de reunião da Junta Diretiva. Por outro lado, a existência de um segundo grupo folclórico tinha causado divisão e até um ambiente hostil entre alguns dos sócios que desenvolviam a atividade folclórica da Associação, violando o artigo 3 dos estatutos vigentes e o Código de Ética, onde se especifica que devem respeitar e reforçar os valores de união, amizade e fraternidade.

Em reunião realizada no dia 28/07/2016, onde estavam os representantes da Junta Diretiva, Conselho Fiscal, Comité de Cultura e Imigração, Grupo Folclórico e os diretores da Escola e Grupo Folclórico Português, foi exposto aos presentes e explicada a situação, convidando-os a unir-se em família, constituindo um único Grupo Folclórico e recuperando assim os valores anteriormente assinalados de união, amizade e fraternidade. Acreditamos veemente que a Solução é a Unidade e continuaremos a trabalhar para reunificar a divisão e fomentar a amizade entre todos os sócios da nossa associação. Convidamos todos a trabalhar unidos pelo bem comum, em prol do sucesso do nosso Centro Social Madeirense.


8 Portugal

Agosto de 2016 | Correio da Venezuela

telecomunicações

Operadoras obrigadas a disponibilizar vários tipos de fidelização Obrigatoriedade legal e efectiva para toda a oferta comercial começa a partir de terça feira, 16 de Agosto

economia

Turismo com reforço da promoção Passar a imagem lá para fora de normalidade no sector é o objectivo Francisco José Cardoso Diário de Notícias da Madeira

Agência Lusa

As operadoras de telecomunicações são obrigadas a partir de terça feira a oferecer contratos sem qualquer tipo de fidelização ou com seis e 12 meses de fidelização para toda a oferta comercial, em opção aos 24 meses. Algumas alterações à Lei das Comunicações Eletrónicas, relativas à fidelização, entraram em vigor a 17 de julho, mas só a 16 de agosto é que entram em vigor determinados aspetos, como a obrigação de disponibilizar ofertas sem fidelização e com fidelização por 12 e seis meses, sendo que esta última possibilidade não existia nas ofertas dos operadores. As operadoras já disponibilizaram ofertas sem fidelização e com fidelização a 12 e a 24 meses (período máximo), se bem que a DECO salienta que um dos problemas era o facto de ou não se conseguir encontrar ofertas com 12 meses nos canais de comunicação das operadoras ou quando se encontravam diziam respeito a ofertas pouco interessantes para o consumidor, aplicando-se apenas ao serviço de telefone fixo, por exemplo, e obrigando os consumidores a terem sempre que optar por períodos de fidelização de 24 meses se quisessem ter outros serviços. Já as ofertas de fidelização a seis meses não existiam, mas a par-

tir de agora as operadoras passarão também a disponibilizar esta opção. O coordenador do departamento de estudos e apoio ao consumidor da DECO, Paulo Fonseca, explicou anteriormente à Lusa que o que a alteração da Lei das Comunicações Eletrónicas faz “é obrigar todas as operadoras, para toda a sua oferta comercial, a disponibilizar vários tipos de fidelização”. Ou seja, têm de oferecer contratos sem qualquer tipo de fidelização ou contratos com seis e 12 meses de fidelização, em opção à fidelização máxima de 24 meses, o que não acontecia até agora. Paulo Fonseca destacou também a maior transparência nos contratos e que na fidelização “o ónus é totalmente colocado no operador”, sendo que se o consumidor não tiver qualquer informação sobre o período de fidelização não pode ser cobrado nada pela rescisão antecipada do contrato. Os avanços estendem-se ainda à fixação de critérios e limites para os custos da rescisão antecipada, passando a ser proibidos entraves injustificados na mudança para outro operador. “Se eu celebro um contrato em que não há qualquer vantagem que me é atribuída ou uma subsidiação do equipamento que me foi disponibilizado ou promoção da qual efetivamente beneficie, não pode existir fidelização”, exemplificou.

Além disso, há proporcionalidade, uma vez que os encargos para o assinante, decorrentes da resolução do contrato por sua iniciativa, não podem ultrapassar os custos que o fornecedor teve com a instalação da operação, têm que ser proporcionais à vantagem que lhe foi conferida e não podem corresponder automaticamente à soma do valor das prestações vincendas à data da cessação, ou seja, aos antigos 24 meses. A Anacom - Autoridade Nacional de Comunicações passa também a ter maior responsabilidade no controlo e monitorização do período de fidelização, podendo interferir, pedir justificação e eventualmente sancionar um operador. Quanto à refidelização, que até agora não estava regulamentada, passa a estar limitada e só pode existir até um limite de 24 meses se as alterações contratuais implicarem a atualização dos equipamentos ou infraestruturas tecnológicas, sempre com a ideia de vantagem para o consumidor, o que significa que um mero aumento de velocidade no canal ou na internet não é refidelização. Ora, acabam assim as situações em que um consumidor “estava há quatro, cinco, seis anos preso a um contrato sem perceber como ou sem ter uma vantagem objetiva relativamente a esse período de refidelização”.

O secretário regional da Economia, Turismo e Cultura convocou hoje o sector do turismo para serem comunicadas as acções que se seguem para passar a imagem de normalidade, evento em que contou com o apoio da secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho. “Viemos constatar junto do sector o conjunto de medidas que podemos fazer, nomeadamente para mostrar ao mundo, neste momento, que a situação na Madeira é de completa normalidade”, disse Ana Mendes Godinho, aproveitando para apelar a uma sala bem composta (a reunião foi convocada a meio do dia) que o trabalho terá de ser feito em conjunto. “Tive a oportunidade de verificar que vindo do Aeroporto até aqui, se eu não soubesse o que tinha acontecido, não tinha dado por nada”, frisou. “De facto a situação é de completa normalidade e é isso que todos temos de trabalhar em conjunto para, cada vez mais, passarmos esta mensagem”. Durante a reunião a governante salientou que foram verificadas um conjunto de informações partilhadas entre todos, por forma a que a mensagem que passa lá fora aos meios de comunicação social, aos operadores turísticos e aos turistas tenha o mesmo registo, com informação fidedigna de como está neste momento a Madeira. Refira-se que o impacto das notícias sobre o evento podem

ter um impacto negativo no sector económico mais importante da Região, pelo que esta reacção ainda em cima do acontecimento, pode ser estranha a muita gente, mas a verdade é que quanto mais rápido passar esta ideia de normalização, menor impacto terá. Já o secretário regional Eduardo Jesus salientou a “profunda articulação que estamos a desenvolver com o Turismo de Portugal”, espelhado na deslocação da secretário de Estado do Turismo para uma reunião com carácter de urgência. “Há um conjunto de iniciativas que passam pela intensificação da comunicação no que diz respeito à normalidade que se trouxe para este sector”, garante o governante. Aliás em menos de 24 horas não havia um único estrangeiro que não estivesse devidamente alojado num hotel, seja no de origem seja numa alternativa”, frisou. Eduardo Jesus também tem do Governo português, através do Turismo de Portugal, a disponibilização de uma linha directa à reconstrução daquilo que foi danificado neste sector, destacando que isso são “boas notícias”, embora o valor exacto da linha de apoio ainda não esteja definida. “Esse valor ainda não está calculado, porque é preciso inventariar os valores”, destaca. “Não interessa estar a atirar valores para o ar e, depois, daqui a dias quando calcularmos tudo devidamente virmos a aferir que não é suficiente. É um trabalho de inventariação séria que está a ser feito e os valores serão anunciados quando for oportuno”.


Correio da Venezuela | Agosto de 2016

promoção

Vinhos do Alentejo vão estar no Brasil em setembro para estabilizar quebra das exportações Atualmente, a CVRA conta com cerca de “100 agentes económicos a exportar vinhos do Alentejo” para o mercado brasileiro. Agência Lusa

Cerca de 20 produtores do Alentejo promovem em setembro os seus vinhos no Brasil, mercado que nos primeiros sete meses do ano representou quase cinco milhões de euros de vendas, com o objetivo de estabilizar a quebra das exportações. “Cerca de 20 produtores do Alentejo vão apresentar os seus vinhos nos dias 08, 12, 15 e 20 de setembro, em mais uma edição das provas de vinho anuais no Brasil, desta vez nas cidades brasileiras de Porto Alegre, Rio de Janeiro, Vitória e São Paulo”, segundo a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA). “A estratégia de promoção dos Vinhos do Alentejo no Brasil passa por marcar presença frequente na

imprensa brasileira” e nos “eventos marcantes” das principais cidades daquele país da América do Sul, disse fonte oficial da CVRA. “As metas dos Vinhos do Alentejo passam pela estabilização do decréscimo que se tem notado no início de 2016. Não gostaríamos de terminar o ano com uma descida superior a 25%, tendo como expetativa um pequeno aumento das exportações no segundo semestre”, adiantou a mesma fonte. As exportações de vinho da região alentejana para o Brasil (mercado que tem um peso de 25% nas vendas totais ao exterior) caíram 27% nos primeiros seis meses em volume, nomeadamente por duas razões. Segundo a CVRA, “a primeira prende-se diretamente com desvalorização do real em relação ao dólar

em 2015 e que se vem refletindo em 2016”, e a segunda “tem a ver com o aumento de impostos e, em especial, com o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)”, onde se enquadra o vinho.

ensino

“Os vinhos importados que pagavam um teto de 0,73 reais para valores de até 70 dólares passaram, a partir de 2015, a pagar 10% de IPI. Aguarda-se, no entanto, que o Governo brasileiro possa alterar a

Portugal 9

situação tributária até final do ano”, adiantou a mesma fonte. Nos primeiros sete meses do ano, foram exportados mais de 1,2 milhões de litros de vinhos do Alentejo para o Brasil, “período em que representou o maior mercado de exportação”, totalizando em vendas quase cinco milhões de euros. “O investimento da CVRA na promoção de vinhos do Alentejo no Brasil será de 401 mil euros” este ano, adiantou. Atualmente, a CVRA conta com cerca de “100 agentes económicos a exportar vinhos do Alentejo” para o mercado brasileiro. Questionada sobre o que está a ser feito para contornar a quebra das vendas para Angola, fonte oficial da CVRA disse que a estratégia passa “fundamentalmente” por “diversificar mercados”. No entanto,”também temos alguns produtos a venderem melhor para o Brasil, ou seja, a vender vinhos de gamas mais altas e com valores também mais altos”, acrescentou. Entre janeiro e junho, a China, Rússia e Japão foram os mercados fora da União Europeia que mais cresceram. Os vinhos do Alentejo juntam 1.900 produtores de uvas e 235 empresas que comercializam vinhos com a garantia de origem e qualidade atestada pela CVRA. A área de vinha aprovada para produção de vinhos DOC Alentejo e Regional Alentejano totaliza 22.315 hectares. A área de vinhos DOC Alentejo é de 15.445 hectares.

empreendedora

Portugal recebe do programa Erasmus+ Jovem cria queijo com água mais de 15 MEuro para o ensino superior mineral azeda das Furnas Agência Lusa Agência Lusa

Portugal deve receber em 2016 cerca de 15,7 milhões de euros do orçamento do programa Erasmus+ só para o desenvolvimento de ações no ensino superior, em que se insere o projeto de mobilidade Erasmus. Com um valor parecido aos da Bélgica, República Checa e Grécia, Portugal vai usar cerca de 13,759 milhões de euros para ajudar os estudantes que participam e vão participar, este ano, nos projetos para o ensino superior do Erasmus+, de acordo com o relatório de trabalhos para 2016 do programa. A Comissão Europeia, executante máximo do programa Erasmus+, está a apostar mais em 2016, pois estabeleceu um valor de 2,214 mil milhões de euros para a sua execução a nível global, mais do que os 2,074 mil milhões de euros de 2015. Ainda no domínio do ensino superior, a Alemanha é o país que re-

cebe o maior montante: mais de 75 milhões de euros. França, com 62 milhões, Itália com 59 milhões, Espanha com quase 58 milhões e Reino Unido, a receber 53 milhões, são os países que mais recebem para desenvolver ações relacionadas com o ensino superior. O Erasmus+, dirigido pela Comissão Europeia, é um programa dividido em várias áreas chave, cujas ações pretendem incentivar o desenvolvimento do capital social entre

os participantes, jovens e adultos, uma melhor formação mais forte e a sua participação ativa na sociedade. O programa O Erasmus+ foi desenvolvido de acordo com objetivos da Estratégia 2020 e aplica-se ao período 2014-2020, mas baseia-se na evolução de vários projetos executados ao longo de mais de 25 anos. No total, o programa que foi criado para o período 2014-2020 dispõe de um envelope financeiro de 16,454 mil milhões de euros.

Uma jovem de 17 anos criou uma unidade que está a produzir um queijo de forma artesanal, tendo como ingredientes o leite e a água mineral azeda do vale das Furnas, na ilha de São Miguel, Açores. “Não queríamos produzir mais um queijo, mas sim um produto único. Há milhares de queijos no mundo e decidimos dar um toque de genuinidade ao nosso”, disse hoje à agência Lusa Paula Rego, a jovem empreendedora da freguesia das Furnas, concelho da Povoação. A jovem estudante afirmou que para se chegar à água mineral adequada para o fabrico do Queijo do Vale foram testadas cinco opções, num processo que contou com o apoio técnico e científico do Instituto de Inovação Tecnológica dos Açores (INOVA). Existem várias dezenas de águas minerais no vale das Furnas, um dos locais turísticos mais procurados dos Açores,

onde se realizam os tradicionais cozidos no solo, com recurso a fluxos geotérmicos. Paula Rego adiantou que esta foi a forma encontrada de gerar uma mais-valia para a exploração agrícola da família, face às dificuldades que os produtores estão a enfrentar na sequência do fim das quotas leiteiras por parte da União Europeia. Paula Rego explicou que o Queijo do Vale tem cinco variedades - meia cura, amanteigado, com orégão, tomilho e alho - nos formatos de 250 gramas, 500 gramas e um quilo.


10 Portugal

Agosto de 2016 | Correio da Venezuela

madeira

Recuperar a normalidade na economia é crucial Ministro da Economia esteve no Funchal onde prometeu ser solidário com dinheiro para a economia regional Francisco José Cardoso Diário de Notícias da Madeira

Numa visita, também ela relâmpago, ao Funchal, o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, anunciou hoje a disponibilização de uma linha de crédito imediata de 10 milhões de euros, através do Turismo de Portugal, não se comprometendo com montantes para outras áreas de negócios, sobretudo porque dependerão da activação de outras áreas e de fundos comunitários, que não estão directamente sob sua tutela. Depois de se reunir com o secretário regional da Economia, Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, com quem também fez uma visita à zona de São Pedro fortemente atingida pelos incêndios desta semana, o governante seguiu para o quartel dos Bombeiros Municipais do Funchal, passando pelo RG3, e sempre acompanhado desta feita pela comitiva camarária, com o presidente da Câmara, Paulo Cafôfo, o ministro garantiu no Hotel Jardins Quinta do Lago (também evacuado na noite de terça-feira passada), que será disponibilizada uma verba de mais de 10 milhões de euros para a recuperação imediata das empresas do ramo. “Está ainda a ser feito o apuramento, mas estamos a falar de mais de uma dezena de milhões de euros, um montante elevado, mas entre os vários instrumentos temos que ver qual é o montante necessário, mas para isso também é preciso esse apuramento das perdas”, salientou. O ministro garantiu que serão postas “as linhas de crédito a funcionar não nesta semana ainda, mas na próxima semana”, disponibilizando o financiamento necessário às empresas, que é “muito importante para a rapidez de resposta”, prometeu. Depois ainda seguiu para uma reunião de cerca de uma hora com a direcção da Associação Comercial e Industrial do Funchal, liderada por Cristina Pedra Costa, onde viu empenho e solidariedade de todo o sector empresarial em encontrar soluções imediatas que não prejudiquem mais a economia regional. Em todos estes encontros, os responsáveis também falaram da necessidade de todas estas promessas chegarem a quem mais precisa, no caso as empresas, embora o foco primordial esteja nas pessoas que perderam os seus pertences na calamidade que atingiu a ilha (leia

das declarações na coluna ao lado). Aliás, como ficou claro, ainda há muito trabalho de recolha de informações sobre os prejuízos causados às pessoas e bens, mas também às das empresas afectadas. Uma coisa é cer ta, por onde passou o fogo, deixou estragos em empresas de todas as actividades económicas da Madeira, desde o turismo ao comércio, da indústria aos transportes, da construção à agro-pecuária. Manuel Caldeira Cabral leva para Lisboa - depois de ter estado de férias no Porto Santo durante os dias de incêndios na Madeira - uma ‘mala’ cheia de preocupações, pedidos, soluções e ideias para resolver os problemas que quatro dias de incêndios causaram à economia madeirense. O primeiro “trabalho de emergência, uma primeira resposta” tinha de ser dada às pessoas afectadas, desalojadas ou evacuadas. “Agora há um trabalho de normalização, uma mensagem que deve passar para o exterior para quem quiser vir à Madeira, onde tudo está a funcionar bem”, e depois há um trabalho de solidariedade na recuperação económica seja para o turismo, seja para outras actividades”, assegurou. Secretário da Economia agradece empenho “Tivemos a oportunidade falar sobre os mecansimos possíveis para apoiar a reconstrução da Madeira, nomeadamente no que diz respeito à parte económica, e estou a falar no tecido empresarial, sabendo as consequências que existiram não só no turismo mas nos outros sectores de actividade produtiva”, resumiu o secretário regional da Economia, Turismo e Cultura. Da reunião que durou cerca de 30 minutos numa zona reservada do Castanheiro Boutique Hotel (uma das unidades evacuadas na noite de terça-feira passada), saiu a garantia que nas áreas em que o ministro da Economia tem a tutela - apoio à inovação, ao empreendedorismo, às ‘startups’, etc. -, serão “estudadas as soluções e apoios, que carecerão da conclusão de um levantamento a que nos propusemos fazer até terça-feira para podermos começar as conversas em Lisboa já na quarta-feira”, destacou. “Temos andado no terreno junto de todas as empresas afectadas por este incêndio, a aferir da dimensão, mas há que ter algum cuidado

quando se fala em valores [dos prejuízos], porque é uma equeação que combina várias variáveis, uma delas tem a ver com as indemnizações dos seguros”, salientou a propósito de uma solução financeira viável. Paulo Cafôfo diz que normalidade está a voltar “Aproveitamos para agradecer, em nome dos madeirenses e dos funchalenses em particular toda a ajuda que tem sido manifestada para a recuperação”, disse o presidente da Câmara do Funchal. “Sabemos que fomos afectados por estes incêndios que, neste momento, estão tecnicamente extintos, que a vida nos quartéis de bombeiros também regressa à normalidade, mas a verdade é que a normalidade da vida das pessoas e de algumas empresas ainda decorre”. Paulo Cafôfo destacou o caso do turismo ao lembrar que todo o seu potencial está “praticamente intacto e inalterável”, lembrando que esta é “uma mensagem positiva, que apesar da catástrofe e dos transtornos na ilha, o sector empresarial, nomeadamente o turismo que é a nossa fonte económica de maior suporte, irá manter-se forte e a crescer”. O autarca sentencia:“O que queremos é olhar para a frente, continuar com a excelência dos nossos fantásticos hotéis, que colocam o Funchal no top-10 das cidades com melhor reputação hoteleira e essa reputação está intacta. É esta qualidade que se quer manter e que se mantém como é notório para quem quiser visitar a Madeira e o Funchal, uma das melhores cidades para se poder visitar.” Cristina Pedra Costa pede atenção às coimas “Todos os sectores de actividade económica foram afectados, em termos empresariais, e com as linhas de crédito e outras que tivemos a oportunidade de solicitar ao Governo da República, aconselhamos todos os empresários que tiveram situações de danos que venham à ACIF, que nós iremos, como sempre, fazer o acompanhamento global de todos os processos”, disse a presidente da Direcção da ACIF. Danos patrimoniais sim, mas é preciso lembrar que a “segurança das pessoas e das vidas, os danos públicos e privados” foram de grande dimensão, disse Cristina Pedra Costa, que na reunião tida na sede da associação à Rua dos Aranhas

pediu ao ministro que seja o porta-voz junto do primeiro-ministro do facto de muitas empresas não terem conseguido cumprir os prazos de envio e pagamento do IVA mensal (10 de Agosto e hoje), causado por

várias situações decorrentes dos incêndios, o que a não ser tido em conta, pode levar a que haja empresas a terem de pagar cimas que podem chegar a 30% do valor do imposto.

madeira

Marques: “Futuro da Madeira passa pelos emigrantes” Victor Hugo Diário de Notícias

O Secretário Regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus considera que “o futuro da Madeira” passa também pelos “emigrantes”. Sérgio Marques entende que a comunidade madeirense radicada no estrangeiro “já deu muito à Região”, todavia o papel da diáspora não se esgota onde atualmente residem, destacou o antigo eurodeputado. “Todos são importantes. Ninguém se sinta excluído”, declarou durante a sessão oficial de abertura do Dia do Emigrante que se realizou na freguesia da Ilha e onde também esteve Bruno Pereira, director regional dos Assuntos Europeus. “Precisamos de todos para avançarmos”, sublinhou o tutelar da pasta da emigração realçando “a lógica da inclusão ou comunitária”, como classificou. Antes o número dois do Governo Regional aplaudira a onda solidária que assistiu nos últimos dias, em especial para os que foram diretamente afetados pelos fogos da última semana, não só na cidade do Funchal, mas igualmente na Ponta do Sol e na Calheta, vincou. “É este sentido de solidariedade que tem de existir numa grande comunidade como é a madeirense,

composta também por aqueles que partiram em busca de uma vida melhor”, assinalou. “A Madeira é maior, é mais global, é mais influente e projecta-se melhor no mundo, através do contributo dos nossos conterrâneos que estão fora”, expressou, tendo a seu lado o presidente da Casa do Povo, entidade organizadora do evento que anualmente acontece por esta ocasião. António Trindade referiu que, dos 13 anos que a edição completou, “esta foi, se calhar, das mais difíceis de montar”, no entanto, explicou que a insistência da coletividade nortenha em querer assinalar o Dia do Emigrante prende-se com o facto de querer “referenciar” a localidade do município de Santana. “Só se realiza com boa vontade e com entusiasmo de uma equipa, porém “não é um evento de A, B ou C, é dos emigrantes, é das pessoas da Ilha e dos madeirenses”, concluiu.


J-30891864-4.

Correio da Venezuela | Agosto de 2016

Competencia a la altura de sus expectativas Esta es nuestra marca.

www.novobanco.com.ve

Publicidade 11


14 Publicidade

Agosto de 2016 | Correio da Venezuela


Correio da Venezuela | Agosto de 2016

Entrevista

Nuno Gomes: «O meu sonho é fazer o meu primeiro filme na Venezuela» Numa visita ao CORREIO, lusodescendente fala sobre o seu trabalho e os seus projetos futuros Ommyra Moreno Suárez

Com uma produtora e mais de 70 vídeos musicais sob a sua direção, o luso-venezuelano Nuno Gomes conseguiu posicionar-se como um dos melhores especialistas em audiovisuais do país. O vídeo para a música “Amanecer”, do cantor venezuelano Victor Drija, foi a rampa de lançamento que o levou até à arte de contar histórias em três ou quatro minutos. A sua paixão pelos audiovisuais advém do seu desejo de «desfrutar todos os dias de uma nova aventura, pois todos os dias é um set distinto e uma história nova para contar». No passado mês de junho, nos Prémios Heat 2016, juntamente com a dupla venezuelana Chino y Nacho, conseguiu distinguir-se na categoria de “Melhor Vídeo do Ano” com o tema “Me voy enamorando”, que conta já com mais de 440 mil visualizações no Youtube. «“Me voy enamorando” marcou um antes e um depois na minha carreira, levando-me a patamares onde não esperava chegar tão rápido, mas trabalho sempre a pensar que tenho que continuar a trabalhar com esforço». Sob a premissa de “não cair em clichés” e utilizar inteligentemente os recursos, o lusodescendente assumiu por mais de dez anos o compromisso de desenvolver histórias inovadoras para oferecer um conteúdo distinto do que o público está habituado a ver». Ao nível criativo, sempre é um desafio porque estás

perante uma audiência que já viu de todo. Mas a verdade é que não há desculpas para não fazer alguma coisa com qualidade. Qualquer pessoa que tenha dinheiro pode destacar-se como produtor e dirige. Mas se é uma pessoa com baixos recursos é porque tem valor. O verdadeiro desafio é conseguir fazer grandes peças com orçamentos muito limitados», destaca. Atualmente, dedica-se exclusivamente ao seu trabalho como diretor na sua produtora Compostela Films & Arts, que representa um projeto que tem desde os seus 14 ano, quando fazia curta-metragens com os seus amigos e o noticiário do colégio. O nome, comenta Nuno, vem do misticismo e da magia que envolve o caminho de Santiago de Compostela. Embora tenha estado por detrás de grandes produções audiovisuais para artistas de reconhecimento internacional, assegura que a fama não o embeleza. «Sinto que é um tema que nos ajudará a crescer como indústria. Um artista pode apostar as suas últimas poupanças numa peça, o que acredita que poderá mudar a vida, sendo a minha responsabilidade que o material seja diferente, atrativo e ao gosto das pessoas. É um desafio, mas nunca há que virar as costas a ninguém», explica. Ao se referir ao seu trabalho, define-o como uma combinação entre a paixão e a perseverança. Para além do mais, assegura que o seu

trabalho vai mais além do ecrã e que é também um compromisso não só com o ciente mas também com o público. «Uma pessoa não tem noção da responsabilidade que tem como realizador de audiovisuais, pois pode mudar vidas e até inspirar outros realizadores. Não sabemos bem o que se aspira quando se realiza uma peça, por isso é preciso ter muito cuidado porque sem querer se pode incitar a coisas negativas. Eu posso

recursos para o fazer. Eu penso que não precisas uma nave espacial a sobrevoar a Venezuela, acredito que vai muito mais além disso. O conteúdo tem muito que ver com o que leva a cabo um material de qualidade sem tanta parafernália de produção». Nuno Gomes começou no campo publicitário como parte da produtora Demoor Movie, onde durante sete anos obteve a experiência necessária para continuar o seu caminho

RESPOSTAS RÁPIDAS Uma festa: O ano novo da Madeira. Um prato: Francesinha. Uma canção: Força, de Nelly Furtado. Uma frase: Não há gente como a gente. Um lugar: Braga. levá-lo à audiência, a nível dramático, numa premissa de reflexão social, mas nunca utilizá-lo como chantagem emocional, por me parecer imoral e antiético», disse. Dos vídeos musicais ao cinema Apesar do seu êxito na indústria dos vídeos musicais, Gomes assegura que não se cataloga e que gostaria de experimentar noutros géneros audiovisuais. «Sinto que a área da ciência na Venezuela não se tem explorado muito, talvez porque pensamos que são necessários muitos

como diretor da sua própria companhia. Contudo, afirma que o seu grande sonho seja orientado para a direção da largo-metragens. «Adoraria fazer uma Ópera Prima, mas quero executá-la da melhor maneira. Quero levar o meu tempo. Sou das pessoas que pensa que há que esperar para que as coisas aconteçam, trabalho e esforço-me para as conseguir, mas sim forçá-las». «Não tenho pressa, o tempo de Deus é perfeito. Para além do mais, é preciso preparar-se para o mundo do cinema que é totalmente diferen-

Cultura 15

te do mundo da publicidade e dos videoclips. É uma entidade própria que tem a sua própria língua, a sua própria dinâmica. É preciso cometer muitos erros antes de lançar-se e fazer um filme. Para além do mais, quero fazer a minha Ópera Prima na Venezuela. O meu sonho é fazer o meu primeiro filme na Venezuela». «Sou um venezuelano orgulhoso, mas também levo a bandeira de Portugal para todo o lado» De pai luso-brasileiro, de origem madeirense e de mãe portuguesa, proveniente da cidade do Porto, Nuno mostra-se orgulhoso das suas raízes lusas enquanto comenta que foram os princípios incutidos em casa que o levaram a construir a sua ética profissional. «Tenho uma ligação muito forte e muito próxima com Portugal porque todas as férias a minha mãe me levava lá e foi assim que aprendi a falar a língua e a respeitar os valores e a cultura daquele país. O meu avô era carpinteiro e acredito que ali comecei a desenvolver o meu lado artístico. Adoraria filmar em Portugal, tem lugares espetaculares», assegurou. Ao perguntar-se sobre os princípios como lusodescendente que lhe permitiram chegar longe na sua carreira profissional, o jovem não tem medo de afirmar que o trabalho, a persistência, a perseverança e sobretudo os valores familiares têm sido determinantes no seu quotidiano. «Os meus pais me incutiram bons princípios, a conseguir as coisas com esforço próprio e não com cunhas ou amiguismos. Ajudar as pessoas e ser solidário com os que necessitam. Fazer as coisas honradamente e sempre de forma verdadeira», explicou. Para finalizar o encontro, Gomes destacou o valor da união familiar dentro da cultura lusa: «têm essa ideia de que o meu problema é o teu problema porque no meio está o amor familiar e não um interesse pelo meio. Sinto-me orgulhoso de dizer que na minha casa não faltam esses valores».


16 Cultura

Agosto de 2016 | Correio da Venezuela

tv Ommyra Moreno

As cegonhas: A história que nunca foi contada As cegonhas entregam os bebés… ou pelo menos costumavam fazê-lo. Agora são entregues através do gigante mundial de Internet Cornerstore. Junior, a melhor cegonha repartidora da empresa, está quase a ser promovida quando ativa a máquina de fazer bebés por acidente e produz uma adorável e saudável bebé não programada. O filme conta com as vozes de Andy Samberg, Kelsey Grammer, Keegan-Michael Key e Jordan Peele.

Todos os caminhos vão dar a Roma Maggie é uma mãe solteira e professora universitária de Nova York. Num esforço por voltar a contactar Summer, a sua problemática filha adolescente, decide ir para Nova Iorque, para o povo da Toscana, local que visitava muito quando era jovem. Na sua chegada, Maggie encontra Luca, um antigo e aventureiro amante que continua solteiro e vive com a sua mãe de 80 anos, Carmen. Summer (que desconsidera o seu noivo nova-iorquino) e Carmen (que planeia um casamento com o seu verdadeiro amo em Roma contra a vontade do filho) roubam o carro de Luca e vão para a capital italiana. Maggie e Luca saem rapidamente atras deles para os procurar, numa viagem que permitirá ao casal passar mais tempo juntos e mudar a opinião tinham um do outro.

A chefe

MIchelle Darnell (Melissa McCarthy) é, para além da mulher mais rica da América, uma implacável mulher de negócios. Após ter sido culpada de tráfico de influências, perde tudo e vai parar À cadeia. Quando sai da prisão, terá que recomeçar do zero. Disposta a converter-se na empresária favorita dos Estados Unidos, Darnell vai ver-se obrigada a trabalhar com uma antiga empregada a quem destratava e com uma filha desta, Girl Scout, que lha dá a ideia de se dedicar ao império do brownie. Todos estão dispostos a perdoa-la rapidamente. Bem Falcone dirige esta comédia que escreveu com a sua mulher e protagonista do filme, Melissa McCarthy.

Michelle de Andrade protagoniza telenovela “Para Verte Mejor”

Moda Ommyra Moreno

A produção divide-se em cinco temporadas de 24 episódios cada uma juvenil “A Puro Corazón”. A equipa de produção será liderada por José Alcalde que recentemente foi constituído diretor geral do projeto, que conta com Sandra Rioboo como produtora executiva e Romina Peña na produção geral. “Para Verte Mejor” é uma proposta que procura introduzir a modalidade de gravação de uma telenovela por temporadas, ou seja, uma produção que contempla 120 capítulos que se dividem em cinco temporadas de 24 episódios cada uma. Da mesma forma, através do programa “Portadas”, ficamos a saber que brevemente será feito um casting para uma personagem muito particular cujo nome será “ladrona”.

Ommyra Moreno Suárez

A atriz luso-venezuelana Michelle de Andrade será a protagonista da nova produção de Venevisión “Para Verte Mejor”, escrita por Mónica Montañés. A notícia foi tornada pública logo após a renúncia de Sheryl Rubio ao projeto. Na telenovela, De Andrade encarna a “Ana De Los Ángeles” e José Ramón Barreto a “Guillermo Luis”, como o par protagonistas que encabeça o elenco de primeiras figuras da atuação que deram vida a este dramático estelar que está numa fase de pré-produção e cujas gravações começam no próximo mês de setembro. O casal já se tinha apresentado anteriormente na série

música

CBK estreia videoclip de “Eres para mí”

teatro

Valentina de Abreu faz o seu debut na obra “Me Trans-formé em Mamá”  Desta forma, a lusodescendente continua a demonstrar o seu talento e versatilidade artística Ommyra Moreno Suárez

A atriz luso-venezuelana Valentina de Abreu continua a somar êxitos à sua carreira, desta vez como parte do elenco da obra “Me Trans-formé en Mamá”, escrita e dirigida por Daniel Alfonso Roja e produzida por Rafael Milano e Isaac D’Lima. À lusodescendente, a acompanham Diego Kapeky, Isaac D’Lima e Melisa Rauseo, que têm recebido elogiosos comentários do público e da crítica especializada. “Me Trans-formé en Mamá” mostra uma realidade que existe a nível mundial. Muitas pessoas nascem num corpo por engano e ao se resignar à forma

como se sentem são chamadas de transgéneros, enquanto que outras se transformam, mantendo o seu sexo de nascimento, sendo denominadas de travestis. Ambas personalidades vivem conflitos sociais que serão aflorados de forma respeitosa e frontal pelo escritor e diretor da peça. Em paralelo, De Abreu participa na peça “Um Mundo Al Revés”, que se apresenta de terça a domingo no Microteatro Infantil, no Teatro Urban Cuplé do Centro Comercial Ciudad Tamanaco. As entradas podem ser adquiridas através da página web ticketmundo.com ou nas bilheteiras no teatro.

Ommyra Moreno Suárez

A dupla musical CBK, da qual faz parte a cantora luso-venezuelana Karen de Abreu, estreou na passada sexta-feira 12 de agosto o vídeo musical da música promocional “Eres para mí”, um excecional e contagioso tema que está entre o pop tradicional com ares de balada e o pop latino. Na oportunidade, CBK conta com a participação do cantor e autor venezuelano Gabriel Parisi, como convidado para o seu regresso, sendo que prometem grandes surpresas e novos projetos. O vídeo, dirigido pelo colombiano Juanpa Ruíz e produzido por Rubik Films, foi filmado no Junko Country Club, no Parque Cultural Tiuna El Fuerte e Placivel, ou seja, entre a cidade de Caracas e o Estado Aragua. A letra de “Eres para mí” foi realizada por Gabriel Parisi, enquanto que a música é de Max izzolante e Frank Santofimio, sob a produção de Juan Miguel Dell’Orco.

Porque vestimos roupa de “marca”? Ao abrir o vestuário, todas as peças de roupa têm algo em comum: a etiqueta. De facto, esse pequeno pormenor é tão importante que decide o preço do produto mais do que a qualidade do tecido. É por isso que a roupa de marca não deixa de ser objeto desejado por muitas pessoas, pois por um lado podemos pensar que estas consideram que estas lhes atribui um certo “status”, enquanto que, por outro lado, podemos pensar que se trata de roupa com mais qualidade. A forma como nos vestimos transmite uma mensagem direta sobre nós, transmite informação sobre determinados aspetos da personalidade. Dai a importância de nos vestirmos de forma adequada consoante a circunstância. Por exemplo, quando uma pessoa vai a uma entrevista de emprego, deve vestir uma roupa adequada e que seja benéfica para a entrevista, consoante o cargo que aspira. Vestirá de forma diferente se se tratar de uma entrevista para trabalhar numa discoteca ou se tratar de uma entrevista para um trabalho numa empresa de advogados. Evidentemente, a roupa de marca tem muito a ver com esta teoria, pois no passado era considerada algo exclusivo que fazia ter “status” de pessoa com mais possibilidades que outras, mas hoje em dia isso não é bem assim. Hoje em dia, a roupa de marca já não é tão exclusiva pois foram introduzidos no mercado novas opções para todos os orçamentos, com peças semelhantes às de marca e que conseguem competir muito bem, tanto em qualidade como em desenho. O gosto por este tipo de peças tem muito a ver com “sentir-se identificado com a marca” ou com o conceito da “primeira impressão” que uma pessoa desconhecida tem sobre nós à primeira vista, o que depende da nossa aparência física e, portanto, da nossa maneira de vestir. Para além do custo, as diferenças nas preferências dos homens e das mulheres têm um papel fundamental na eleição da roupa.


Correio da Venezuela | Agosto de 2016

CLUBES

Gratidão-Alianza Francesayo A Alianza Francesa, sediada em La Tahona, apresenta a mostra pictórica denominada “Gratidão”, que conta com cinco obras de cinco artistas estudantes de francês na referida sede. Nesta ocasião, Cristmerby Delgado, Lucia Varela, Mario Popoli, Marco A. Salas R e Marco A. Salas Méndez reúnem-se para oferecer o melhor do seu trabalho a toda a comunidade. A mostra conta com mais de 20 peças pictóricas e escultóricas de um amplo leque de estilos e técnicas. Local: Calle La Solera, Centro Comercial La Tahona, local L-3, Mezzanina Urb. La Tahona. Coordenadas: www.afcaracas.org

Festival de fotografia O festival de fotografia da Venezuela, Méridafoto, realiza a sua quarta edição de 28 de setembro a 30 de outubro. O encontro consiste em apresentar mais de dez exposições, para além de ateliês e palestras, que podem ser assistidas pelo público durante os primeiros três dias do festival. Entre os artistas convidados, como o recente Prémio Camilo Carvalho, Menção Especial do Mérdafoto 2015, assim como o mexicano Gerardo Montiel Klint. O período de inscrições para o encontro teórico terá lugar nos dias 29 e 30 de setembro e no dia 1 de outubro, continuando aberto na web do festival: www.meridafoto.com.

Waiku: Onde a água cai

Andrea Santolaya desenvolve um trabalho que se mantém em profundidade entre a reportagem fotográfica, o retrato e a investigação de campo, assumida no sentido mais clássico da metodologia antropológica e a sociológica. O resultado encontra-se solto em séries construídas através da narração de histórias da intimidade, relatos do quotidiano, mitos de origem ou argumentos dos rituais que vão tecendo o percurso existencial. Data: até 17 de setembro Local: Avenida Orinoco con calle Jalisco de Las Mercedes. Caracas. Coordenadas: info@galeriafreites. com

Centro Social Madeirense apresentou-se no ciclo de concertos Viva El Canto Coral Carabobo

Teatro Ommyra Moreno

O evento teve lugar no Salão Doral do Hotel Lidotel de Naguanagua Tu no sabes quién soy yo

Ommyra Moreno Suárez

O grupo coral Marlene Dos Ramos do Centro Social Madeirense apresentou-se na passada segunda-feira 1 de agosto no marco d 4º ciclo de concertos Viva El Canto Coral Carabobo, em homenagem a César Alejandro Carrillo. O evento teve lugar no Salón Doral do Hotel Lidotel de Naguanagua, em Valencia, Estado Carabobo. O encontro começou com um concerto inaugural no passado dia 31 de julho, realizado no espaços da Igreja Nossa Senhora de Begoña, em Naguanagua. Cantarte Coro de Câmara foram os responsáveis pela iniciativa, que foi propícia para comemorar o seu 25º aniversário. Na segunda-feira 1 de agosto, a

partir das 18h00, apresentaram-se o Grupo Coral Cantonuevo, dirigido por Ana Cristina Pérez, Coro Voces Claras UC- Coro de Voces Femeninas Coral Filarmónica Federico Núñez Corona, dirigido por Carlos Guevara; Coral Marlene de Dos Santos del Centro Social Madeirense, dirigido por Luis Raúl Zavaleta; e Coro Protocolar UAM, dirigido por Jesús Castro; Coral FACE-UC, dirigida por Henry

Herrera. Na terça-feira 2 de agosto, o ciclo de concertos finalizou com as apresentações de Arvo´s Ensamble, dirigido por Erick Osuna; Coral Jesús Paiva, dirigida por Ingrid García; Coral Grupo Químico, dirigido por Hugo Lino Jiménez; Guacara Ensamble, dirigido por Germán Figueredo; a a Coral Polifónica UCNA, dirigida por Sergio García.

FOLKLORE

Saudades comemora 11 anos a realçar o melhor do folclore luso  O evento oferecerá música e gastronomia tradicional Ommyra Moreno Suárez

No âmbito das comemorações do seu 11º aniversário, o Rancho Folklórico da Casa Portuguesa Venezolana do Estado de Carabobo vai realizar uma comemoração no próximo domingo dia 28 de agosto, a partir das 12h00, nas instalações do centro social, localizado na Avenida Don Julio Centeno de Valencia. A entrada no evento será totalmente gratuíta. Os presentes poderão desfrutar de um espetáculo onde o grupo,

soltas

Ommyra Moreno

Cultura 17

juntamente com outros convidados, poderá enaltecer com os seus números musicais o melhor do folclore das diversas regiões de Portugal. Da mesma forma, no local, vão ser disponibilizadas várias opções gastronómicas e bebidas tradicionais. Recorde-se que o grupo luso-venezuelano foi fundado a 24 de agosto de 2005 por um grupo de portugueses e descendentes que desejam integrar os seus membros, a comunidade local, as tradições e as expressões culturais de Portu-

gal. Aualmente, o rancho folclórico “Saudades” da Casa Portuguesa do Estado Carabobo conta com 38 membros de origem portuuesa. Também integram este grupo pessoas de origem espanhol (galegos), italianos, colombianos, ucranianos e venezuelanos. Importa destacar que os atuais conselheiros das Comunidades Portuguesas, Fátima de Pontes e Leonel Moniz, assim como Wassil Bondarenko, Raúl Bejarano e Lourdes de Lucía, entre outros, fizeram parte deste grupo folclórico.

Centro Português retoma tardes de cinema infantil

Festival da canção leva-se a cabo em outubro

“Solo pa’ ellas” apresentou-se em Araure

 Pelo terceiro ano consecutivo, a Direção de Cultura da Associação Civil Centro Português, localizada no sector de Macaracuay da zona este de Caracas, traz as “Tardes de Cinema Infantil” para entreter os mais pequenos do clube. Na atividade, que será levada a cabo no “Cantinho da Cultura”, todas quintas-feiras entre o dia 28 de julho e o dia 08 de setembro, a partir das 18h00, serão oferecidas pipocas aos menores de doze anos.

 A Federação do Centros Portugueses de Venezuela anunciou a data para a realização do Festival da Canção, que se realiza no próximo sábado dia 12 de outubro nas instalações da Casa Portuguesa do Estado Aragua, em Maracay. No encontro, espera-se a participação de pelo menos seis clubes luso-venezuelanos, que deverão enviar os seus representantes, os quais terão a tarefa de entreter o público com a sua voz.

 O Salón Páez do Centro Social Luso-venezuelano, localizado em Araure, Estado de Portuguesa, foi o cenário que recebeu, na passada sexta-feira 5 de agosto, o espetáculo humorístico “Sólo pa’ellas”. Trata-se de um show protagonizado por Arturo Rodríguez “El Duro”; Jordy González “El Consentido”; Napoleón Rivero “El Gordo” e Juan Carlos Barry “El Machazo”. Adicionalmente, os sócios puderam desfrutar de um repertório musical.

O exitoso stand up de Erika de la Veja “Tú no sabes quién soy yo” chega à Venezuela, Caracas (09/09/2016), Maracaibo (10/09/2016) e Valencia (11/09/2016), que será apresentado n Teatro Santa Rosa de Lima, na Aula Magna da URU e no Hotel Hesperia, respetivamente. Esta ronda é constituída por três datas em que Erika visitará as cidades referidas anteriormente, apresentando aos presentes uma comédia que os fará rir às gargalhadas com as suas saídas e picardias. O guião deste stand up é original de Erika de la Vega.

Hansel e Grettel na casa dos doces Nesta versão, realizada por Carlos Torres, do tradicional conto de Hadas dos irmãos Grimm; Hansel e Grettel são adolescentes que vivem com o seu pai e a sua nova mulher. A mãe das crianças já não está neste plano e eles sofrem de maus-tratos por parte da madrasta, que lhes dificulta imenso a vida. A madrasta engendra um plano maquiavélico para se ver livre dos miúdos, levando-os para o profundo bosque, para que se percam. Contudo, Hada e Munin, seres fantásticos do bosque, os ajudam a sair airosos desta armadilha. Nesta quinta temporada, terá oito semanas de exibições, tendo começado a 28 de julho e se prolongando até 15 de setembro, às terças, quartas e quintas às 16h30, no teatro UrbanCuple.

Humor sin escassez “Humor sin escassez” é uma obra teatral de género Comédia que, ao estilo stand up nos apresenta a escassez de certos produtos que humanamente estão a desaparecer, como é o caso da poesia nas canções, os homens fieis e esteticamente belos, os trabalhos improvisados e muitas ocorrências que alheias da política de um país procura gargalhadas genuínas do público para quem se dirige. A peça é a representação do dia-a-dia do latino corrente, nomeadamente do venezuelano sorridente e jocoso que de todas as situações faz uma anedota. A peça apresenta-se aos domingos às 20h00 nos espaços do El Teatro Bar.


18 Opinião

Agosto de 2016 | Correio da Venezuela

palavras Jurídicas

Como investir na Madeira? Já pensou na Zona Franca?

Ana Cristina Monteiro Advogada Obteve o título de advogada em Caracas – Venezuela, pela Universidade Santa Maria no ano de 1996, e está inscrita no Instituto de Previsión Social del Abogado de Caracas. Obteve equivalência do título de Licenciada em Direito no ano 2011 pela Universidade de Lisboa, e está inscrita no Conselho Regional da Madeira da Ordem dos Advogados. Escritório localizado no centro do Funchal, especificamente na Rua do Bom Jesus, 8-9 – Centro Comercial Europa, 3º. Andar - Sala 304. 9050-028 Funchal Contactos telefónicos: 291 644 784 – Fax: 291 644 784 // Móvel: 968 527 808 E-mail: anacristinamonteirom@gmail.com / anamonteiro-53773m@adv.oa.pt

A Madeira, como parte integrante de Portugal, beneficia da larga rede de Acordos para evitar a Dupla Tributação celebrados por Portugal. No âmbito do Centro Internacional de Negócios da Madeira, as empresas licenciadas beneficiam de um dos regimes fiscais mais vantajosos da União Europeia (5% de imposto sobre os lucros), garantido até 2027. Na Região Autónoma de Madeira foi criada no ano de 1984, a Zona Franca de Madeira (ZFM), também conhecida como Centro Internacional de Negócios da Madeira (CINM), com o objetivo principal de promover o investimento estrangeiro na região através de benefícios fiscais e baixas taxas de impostos. Em linhas gerais, a última alteração do regime manteve os mesmos princípios de 1984, manteve de forma permanente a taxa de impostos do 5% até 2027 y eliminou a inclusão das empresas do sector agrícola neste sistema. Dentro das atividades económicas que podem ser beneficiadas deste regime especial estão incluídas as atividades industriais

transformadoras, produção e distribuição de eletricidade, gás e água, comerciais, imobiliárias e de alugueres, de transporte, educação e gestão de participações sociais de natureza não financeira. E, no lado oposto, foram excluídas as entidades que exerçam atividades intragrupo, as entidades que exerçam atividades nos setores siderúrgico e das fibras sintéticas, consultoria para negócios, atividades financeiras e de seguros, agrícola e empresas consideradas em dificuldades ou sujeitas a uma injunção de recuperação. Às entidades devidamente licenciadas a partir de 01-01-2015 e até 31-12-2020, para o exercício de atividades industriais, comerciais, de transportes marítimos e aéreos e serviços de natureza não financeira, consagra-se um regime especial de taxa reduzida de tributação, passando a tributar-se os rendimentos em IRC até 31 de dezembro de 2027, à taxa de 5%, e não a 21%. Na zona franca industrial, mantém-se a dedução de 50 por cento à coleta do IRC, desde que preencham, pelo menos, duas das se-

guintes condições: - Contribuam para a diversificação da economia regional, nomeadamente através do exercício de novas atividades de elevado valor acrescentado; - Promovam a contratação de recursos humanos altamente qualificados; - Contribuam para a melhoria das condições ambientais; - Criem, pelo menos, 15 postos de trabalho, que devem ser mantidos durante um período mínimo de cinco anos. Para beneficiar do regime especial, as entidades devem dar início às suas atividades no prazo de 6 meses (12 meses no caso de atividades industriais e de transportes marítimos ou aéreos), devendo ainda criar entre 1 a 5 postos de trabalho nos 6 primeiros meses de atividade e realizar um investimento mínimo de €75.000 na aquisição de ativos fixos tangíveis ou intangíveis nos 2 primeiros anos, ou, criar 6 ou mais postos de trabalho nos 6 primeiros meses de atividade. Por outro lado, os sócios ou acionistas das entidades sujeitas a este

regime gozam de uma isenção sobre os lucros colocados à sua disposição por essas sociedades, sujeitos à aplicação da taxa reduzida de 5%, e aos que derivem de rendimentos no estrangeiro salvo quando incluam operações com entidades sujeitas a um regime claramente mais favorável; também se isenta os juros e outras formas de remuneração de suprimentos, abonos ou adiantamentos de capital por si feitos à sociedade ou devidos ao não levantamento de lucros ou remunerações. Convém tomar em atenção que esta isenção não pode ser usufruída por sócios residentes em regime fiscal mais favorável e em determinadas circunstâncias por sócios residentes em Portugal. Os eventuais benefícios que sejam concedidos às entidades licenciadas ora referidas em quanto a imposto do Selo, IMI, IMT, derramas regional e municipal e taxas ficam sujeitos à limitação de 80% relativamente a cada um destes tributos e a cada ato ou período a eles sujeitos. Espero esta informação tenha sido útil.

Finanças pessoas instantâneas

Planear em férias as compras para o próximo ano escolar

Isabel Idárraga isabel.idarraga@gmail.com

Raquel costuma descansar na época de férias escolares para desfrutar de uns dias de lazer junto com o marido e os filhos. Durante o ano escolar, as crianças trabalham muito, têm excelentes notas e sonham com essas duas semanas nas quais vão com os pais a um local que não conheçam. Raquel, fiel ao seu estilo de vida, organiza tudo com antecipação. Nesta época, planeia comprar os materiais escolares, o que lhe permite poupar dinheiro, tempo e angústias. A planificação é uma ferramenta poderosa em todos os aspectos da vida das pessoas, no entanto, é pouco valorizada por quem vive para o curto prazo. No campo das finanças pessoais, a planificação é o processo median-

te o qual se tomam decisões no presente, considerando a situação actual, para alcançar objectivos no futuro. Um exemplo são os pais que preparam um orçamento de materiais e uniformes escolares e todos os anos fazem as compras com antecipação. A falta de programação leva as pessoas a agir sem medir as consequências dos seus actos e, geralmente, quando se dão de conta dos erros cometidos, é muito tarde para emendar ou os custos são muito elevados. A ausência de organização impede a preparação para o amanhã. Lamentavelmente, há pais que, se bem que oferecem aos seus filhos umas férias espectaculares todos os anos, são capazes de esquecer a compra dos uniformes, o que

os obriga a faltar aos primeiros dias de aulas. Nas finanças pessoais, não planificar acarreta perda de dinheiro, fruto de compras de última hora ou realizadas de forma compulsiva. A senhora que se dá conta às 6 pm do dia anterior ao início das aulas que os uniformes que ficaram do ano passado não servem aos filhos, sai para comprar com urgência. Não tem tempo de rever preços, qualidade e variedade. Acaba por comprar o primeiro que encontra, ainda que isso afecte o orçamento familiar. O exercício da planificação permite estabelecer prioridades e identificar os factores internos e externos que podem incidir na concretização dos objectivos. Uma mãe de crianças em idade escolar sabe que

quanto mais cedo comprar os materiais escolares e uniformes, mais variedade de produtos e melhor relação qualidade/preço irá encontrar. Poderá fazer as compras agrupadas e para além disso, evitar o congestionamento provocado por quem deixa tudo para a última da hora. Cada vez que os seus filhos terminam as aulas e antes de começar as férias, Raquel revê o que serve e o que não, separa o que pode trocar com outras mães que fazem esta tarefa cedo como ela, oferece outra parte, e prepara a lista do que lhe faz falta. Aproveita este momento para adquirir o que precisa e, antes de sair em passeio com a sua família, sabe que pode esquecer o tema do material escolar até ao próximo ano.

O Correio de Venezuela não pode ser considerado responsável ou patrocinador das opiniões expressas neste espaço


SAÚDE EM DIA

Correio da Venezuela | Agosto de 2016

Os sumos de cola são perigosos para a saúde Sergio Ferreira Soares

Beber sumos de cola não é inofensivo para o organismo: para além de engordar, podem causar diabetes ou envelhecimento prematuro. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que não se consoma mais de 25 gramas de açúcar livres ou acrescentados (diferentes dos que contêm naturalmente as frutas e as verduras), o que equivale a seis colheres de café. Na verdade, a recomendação procurar acabar com a epidemia da obesidade e o diabetes que nos rodeia. Mas, na realidade, esses 25 gramas são uma quantidade ínfima quando comparada com o açúcar que consomes diariamente: não é somente o que acrescentas ao café, mas também o “invisível” que ingeres na maioria dos alimentos diariamente. Uma lata de sumo com 330 mililitros tem 35 gramas de açúcar, o equivalente a cinco torrões: dez gramas mais do máximo recomendado pela OMS. Um estudo espanhol da professora da Universidade de Navarra Nerea Martín Calvo indica que o

consumo de quatro ou mais bebidas carbonatadas açucaradas à semana eleva nas crianças e nos adolescentes um 246 por cento o risco de apresentar obesidade. A investigação, premiada pelo Colégio Oficial de Médicos de Guipúzcoa, indica: «cada consumo em excesso deste tipo de bebidas multiplica por 1,69 o risco de obesidade». Uma análise realizada pela American Diabetes Association conclui que tomar um ou dois sumos açucarados por dia é capaz de aumentar em 26% o risco de diabetes tipo 2 em comparação com aqueles indivíduos que não tomam bebidas açucaradas ou

Curiosidades sobre os bebés

Os bebés não podem saborear o sal. Apesar de nascerem com um paladar bastante apurado, não são capazes de distinguir o sabor salgado até terem aproximadamente quatro meses. Os outros dos sabores, pelos vistos, conseguem diferenciá-los tão bem como os adultos, especialmente o doce e o amargo. Curiosamente, alguns estudos indicam que os bebés contam com mais papilas gustativas do que os adultos. Não são capazes de produzir lágrimas. A razão é que os canais lacrimais não são completamente funcionais até que o bebé tenha entre 3 e

Pensa Verde

Mitos da ecologia Sergio Ferreira Soares

as tomam de forma esporádica. A mesma investigação associa o consumo destas bebidas com aumentos de peso e com o risco de sofrer síndromes metabólicos. Para além do mais, os sumos não só engordam. Segundo um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition, aumentam de forma significativa a acumulação de gorduras à volta do fígado, o que pode causar diabetes e resistência à insulina. O estudo revela que as pessoas que bebiam sumos de forma regular todos os dias durantes seis meses sofriam de um aumento de 132-142% de gordura no fígado.

sabia que...?

Ommyra Moreno

Miscelânea 19

12 meses. Afortunadamente, os seus olhos se irritam de forma natural graças às lágrimas basais, que são as que se produzem de forma constante para os mante húmidos. Têm mais ossos do que os adultos. Efetivamente, um bebé tem muitos mais ossos do que um adulto: aproximadamente 300 contra 206. O exemplo mais claro é o crânio, que começa a ser uma amálgama de ossos separados (o que facilita o parto) que depois de dois anos aproximadamente acabam pode se unir formando uma única estrutura óssea. Recordam os sabores. Os recém-nascidos não podem degustar o sal, mas sim outros sabores. E começam

a degustá-los já no útero materno, a partir do quinto mês de gestação. Acredita-se que o sabor do líquido amniótico é afetado pelos alimentos ingeridos pela mãe, o que por sua vez afeta as preferências pelos sabores que o bebé mostra após o nascimento. De certa forma que se, uma mamã grávida gosta de alho, é provável que o bebé goste também, ou então tu gostes de alho porque a tua mãe quando estava grávida comia muito alho.

A reciclagem de resíduos pode consumir mais energia do que a que poupa? É verdade que há que utilizar uma certa energia para isto, mas a energia que se utiliza para processar novos produtos derivados de matérias-primas é dez vezes superior à energia consumida pelos serviços de reciclagem. A mudança climatérica aumenta a temperatura só levemente? Nos últimos dez anos, as mudanças climatéricas têm feito aumentar as temperaturas num alto nível em todo o planeta. Desde a última onda glaciar, a temperatura média global aumentou uns cinco graus, aproximadamente. É ecológico e natural aquecer-se com fogo ao ar livre? Este pode ser um processo muito natural, mas muito contaminante, se se queimam madeiras, estas deixam pequenos resíduos que contaminam o ar e pode ser nocivo para a saúde. As garrafas de cristal são as que menos contaminam? É do conhecimento geral que as garrafas de plástico são muito poluidoras para o planeta pelo tipo de material, contudo as garrafas de cristal não são as que menos

contaminam, já que o processo de fabrico e de reciclagem de uma só garrafa pode gerar até 354 gramas de dióxido de carbono. É mais ecológico alimentar-se à base de peixe do que de carne? É do conhecimento geral que a indústria das carnes consome grandes quantidades de água e que consome a vida de milhões de animais, mas tão pouco está comprovado que o uso de peixe seja a melhor alternativa. Deixar uma ventoinha acesa arrefece o quarto? Se está uma onda de calor especialmente no verão e pensas que deixar a ventoinha acesa mantem o clima frio, estás enganado pois o movimento que produzem as ventoinhas após muitas horas em funcionamento pode aumentar a temperatura. É mais ecológico lavar a louça a mão ou recorrer à máquina de lavar louça? Neste caso, tudo dependerá do tipo de máquina de lavar louça que utilizes e a quantidade de utensílios, da mesma forma que o processo de lavagem à mão pela quantidade de água que se gasta.

segredos de cozinha

Frango delicioso Rubina Sousa

Nascem cobertos de pelo. Alguns bebés nascem com apenas umas finas madeixas na cabeça, mas não estamos a falar disto. À medida que se desenvolvem no útero, todo o corpo do bebé é coberto de uma fina camada de pelo. Os especialistas em desenvolvimento fetal acreditam que este pelo ajuda os bebés a regularizarem a sua temperatura corporal enquanto estão no útero. Este elo cai ao longo das primeiras semanas de vida após o parto. Os bebés recém-nascidos respondem bem ao toque, pois este estimula a produção de hormonas que produzem o crescimento e ajuda o corpo a reagir melhor. Num estudo, foi demonstrado que se os bebés prematuros forem estimulados mediante o toque, aumentavam o peso em 47%.

Ingredientes Coxas e pernas de frango | 2 iogurtes naturais | 1 pacote natas | 1 sopa cebola |Pimenta

Preparação Põe-se a marinar as pernas e as coxas de frango (dá-se uns golpes) de um dia para outro com todos estes ingredientes. No dia seguinte vai ao forno a 180º


20 Desporto

Agosto de 2016 | Correio da Venezuela

I Liga

Jogos OlímpicoS

Benfica, Sporting, FC Porto e Vitória de Setúbal irmanados na liderança da I Liga

Portugal goleado pela Alemanha e eliminado no futebol

Em Moreira de Cónegos, Moreirense e Paços de Ferreira empataram a 1-1

Portugal foi eliminado nos quartos de final do torneio de futebol dos Jogos Olímpicos Rio2016, ao perder com a Alemanha, por 4-0, em jogo disputado no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, no pasado sábado 13 de agosto. Serge Gnabry, aos 45+1 minutos, Matthiass

DIÁRIO DE NOTÍCIAS DA MADEIRA

O tricampeão nacional Benfica arrancou a I Liga de futebol com um triunfo em casa do Tondela, por 2-0, e tal como os rivais Sporting e FC Porto, que venceram Marítimo e Rio Ave, respetivamente, somou os primeiros três pontos. Lisandro López, aos 39 minutos, colocou a equipa ‘encarnada’ em vantagem e André Horta, aos 90+2, já com o Tondela sem o seu treinador Petit, que viu ordem de expulsão e assistiu ao resto do encontro na bancada, consolidou o triunfo com um grande golo. O Sporting arrancou o campeonato com um triunfo em Alvalade frente ao Marítimo, por 2-0, num encontro em que apenas o central uruguaio Coates e o costa-riquenho Bryan Ruiz conseguiram superar o inspirado guarda-redes da formação insular Gottardi. Coates, aos 21 minutos, e Bryan Ruiz, aos 60, foram os marcadores dos golos sportinguistas, num encontro em que Gottardi ‘brilhou’ na baliza do Marítimo e evitou que os ‘leões’ alcançassem

um resultado mais desnivelado. Em Moreira de Cónegos, Moreirense e Paços de Ferreira empataram a 1-1 e marcaram passo na estreia dos seus treinadores na I Liga, respetivamente Pepa e Carlos Pinto, numa partida que pecou pela monotonia típica de início de época. O Paços de Ferreira chegou à vantagem por Welthon, aos 41 minutos, mas o Moreirense empatou por Fati, aos 71, arrastando-se depois o jogo até ao final em que a exceção foram duas ‘sacudidelas’ na tentativa de

desfazer o empate. O Vitória de Setúbal arrancou o campeonato com um triunfo caseiro frente ao Belenenses, por 2-0. No Estádio do Bonfim, André Claro, aos 10 minutos, e Frederico Venâncio, aos 49, assinaram os golos dos setubalenses, que somam três pontos, tal como FC Porto, Benfica, Sporting e Boavista. O Belenenses ficou reduzido a 10 jogadores aos 67 minutos, por expulsão do defesa João Diogo, por acumulação de cartões amarelos.

Jogos OlímpicoS

Patrícia Mamona selou quarto diploma de Portugal DIÁRIO DE NOTÍCIAS DA MADEIRA

Patrícia Mamona classificou-se esta madrugada no sexto lugar da final do triplo salto dos Jogos Olímpicos Rio2016, com a marca de 14,65 metros, um novo recorde nacional, numa prova conquistada pela colombiana Caterine Ibarguen. Ao quinto ensaio, no Estádio Olímpico do Rio de Janeiro, a atleta do Sporting tirou sete centímetros à marca (14,58 metros) que lhe deu o título europeu, a 10 de julho, num concurso que fechou com 14,59. A medalha de ouro foi conquistada para Caterine Ibarguen, com 15,17 metros, seguida pela venezuelana Yulmar Rojas, com 14,95, e

pela cazaque Olga Rypakova, com 14,74. Patrícia Mamona disse estar orgulhosa por ter feito a prova da sua vida no triplo salto dos Jogos Olímpicos Rio2016. “Foi a prova da minha vida”, afirmou Patrícia Mamona, após a prova em que conseguiu um novo recorde nacional, com 14,65 metros. Apesar do sexto lugar, a atleta do Sporting acreditou sempre que podia chegar a uma medalha, mas, mesmo não conseguindo, disse estar “muito orgulhosa” do seu trabalho e do trabalho do treinador. Patrícia Mamona acredita que este resultado é, em termos relativos, melhor do que o título europeu, porque fez a sua melhor marca.

DIÁRIO DE NOTÍCIAS DA MADEIRA

Gintter, aos 57, Davie Selke, aos 75, e Max Philipp, aos 87, marcaram os golos que qualificaram a Alemanha e impediram Portugal de repetir a presença nas meias-finais, como sucedeu em Atlanta96. Rui Jorge, presente como jogador nessa edição, não sofria uma derrota em jogos oficiais desde outubro de 2011.

Mundial2018

Estádio do Algarve vai receber o Portugal-Letónia DIÁRIO DE NOTÍCIAS DA MADEIRA

O estádio do Algarve vai receber a 13 de novembro o encontro entre Portugal-Letónia, da quarta jornada do Grupo B de apuramento para o Mundial de futebol 2018, anunciou a Federação Portuguesa de Futebol (FPF). A receção à Letónia será a segunda partida de qualificação para o Mundial2018 que a seleção campeã europeia disputará em casa, depois de o jogo com Andorra, agendado para 07 de outubro, em Aveiro. Em declarações ao sítio da FPF, o vice-presidente da Câmara de Faro, Paulo Santos, mostrou-se bastante satisfeito com a escolha do palco para o encontro com a Letónia. “O estádio do Algarve é muito acolhedor e consideramos esta

decisão da FPF muito acertada, porque nos vai permitir combater um pouco a sazonalidade do turismo algarvio. Com certeza, vai chamar muita gente à nossa região. Temos feito um trabalho profundo na rentabilização desta infraestrutura”, afirmou o autarca de Faro, que reparte a gestão do estádio com o município de Loulé. Portugal inicia a qualificação para o Mundial2018 a 06 de setembro, na Suíça, e recebe a seleção de Andorra, 07 de outubro em Aveiro. Na terceira jornada do Grupo B de apuramento, a seleção portuguesa visita a 10 de outubro as Ilhas Faroé. Depois de uma paragem de mais de quatro meses, Portugal recebe a Hungria, a 25 de março de 2017, na quinta jornada do grupo.


Correio da Venezuela | Agosto de 2016

Desporto 21

clubes

FC Porto na Venezuela aprovou uma doação à Missão Católica Portuguesa Donativo tem como objetivo dar um pouco mais de segurança à igreja portuguesa na cidade-capital venezuelana

clubes

Acaba Torneio Taça Portugal no Centro Luso Larense Ommyra Moreno Suárez

Correio da Venezuela

Nem tudo é “bola, golos, xutos e pontapés” na sede portista luso-venezuelana. Muitas vezes e com a mão no coração, os adeptos da Invicta Cidade sabem acionar a solidariedade para ajudar quem mais precisa. “Foi na Missão Católica Portuguesa em São Bernardino (Caracas) que, graças ao completo apoio do Reverendo Cónego Alexandre Mendonça, os portistas na Venezuela tiveram o seu primeiro espaço associativo lá nos anos de 1998 a

1999, antes de reativar a casa oficial que conhecemos hoje e que tenho a honra de presidir”, informou o Presidente da Direção, Alvarinho Sílvio Moreira. Nesses anos, nos finais do seculo 20, os “azuis e brancos” na Venezuela costumavam reunir-se no complexo paroquial para festejarem o seu Santo Padroeiro popular antes de se mudarem para a zona residencial de Los Dos Caminos, em Caracas. “ Nestes últimos tempos, a Missão Católica Portuguesa foi objeto de vários roubos e assaltos, razão

pela qual o conselho pastoral decidiu aumentar a proteção e vigilância do espaço de culto. “A Direção da Casa do FC Porto na Venezuela, em nome dos nossos quase 250 sócios, aprovou uma doação de 100.000 bolívares para colaborar com os gastos de dispositivos anti-assaltos como um cerco elétrico de “alambrada” com o propósito de dar um pouco mais de segurança à nossa igreja portuguesa na cidade-capital venezuelana. A nossa casa portista deu mais um passo em frente na solidariedade e aportou o seu grãozinho de arreia”, finalizou o Presidente.

A final do Torneio Taça Portugal foi realizada no passado dia 23 de julho, após três meses de jogos de bolas ‘criollas’ nas categorias masculino e feminino. O evento desportivo teve lugar nos campos do Centro Luso Larense em Barquisimeto. Contadoras, Pausides 60, Aproupel, Caricoa, Hispaven. Compabeer, Rines, Hidolara, Administradoras e Luso foram as equipas que par ticiparam na categoria feminina. Contadores, Upel, Auto partes, Impulso, Seniat, Polibarq, Pauside 60, Rines Carwil, Hidrolara e Luso foam as que particiaram na masculina. Na categoria feminina, a equipa campeã foi Rines Carwil. Hidrolara

foi subcampeã. O terceiro lugar foi para a equipa Contadoras. Rossana Castellanos, da equipa Hidrolara, foi constituída Campeã Boche Aire. Xiomara Colombo, da equipa Rines, foi premiada como Campeã Arrime. Finalmente, Maritza González, da equipa Administradoras, levou o título de Campã Boche Rastrero. Na categoria masculina, a equipa campeã foi o Seniat. Rines figurou-se como subcampeã. Contadores conseguiu o terceiro lugar. Danny Hernández, da equipa Seniat, foi Campeão Boche Aire. Eduardo Aire, da equipa Pausides 60, obteve o título de Campeão Arrime. Finalmete, Jhon Castillo, da equipa Pausides 60, foi premiado na categoria como Campeão Boche Rastrero.

clubes clubes

Sporting Clube da Venezuela comemorou terceiro aniversário com campeonato de Futsal O encontro desportivo contou com a participação de mais de 200 atletas Ommyra Moreno Suárez

A Associação Civil Sporting Club de Venezuela comemorou o seu terceiro aniversário no passado sábado 30 de julho com um campeonato de Futsal entre clubes, que teve lugar nas instalações do Centro Marítimo de Venezuela, localizado em Turumo, Estado de Miranda. No torneio, disputado nas primeiras categorias e +45 Máster, participaram mais de 200 atletas provenientes da Casa Portuguesa do Estado Araua, Centro Social Madeirense, Deportivo Portugués, Centro Marítimo de Venezuela e Sporting Club de Venezuela.

Na categoria primeiras, os jogadores da Casa Portuguesa do Estado Aragua conseguiram ser campeões, Sporting de Venezuela vice-campeões e o Deportivo Portugués conseguiu o terceiro lugar da competição. Na categoria +45 Máster, o Sporting de Venezuela foi campeão da categoria; o Centro Marítim de Venezuela foi classificado em segundo lugar e o Deportivo Portugués obteve o terceiro lugar na categoria. Importa destacar que o evento desportivo foi transmitido em deferido por Meridiano Televisión no programa Futsal TV, que é feito pelo lusodescendente Antonio da Silva.

Desporto cresce no Centro Marítimo da Venezuela Os sócios da instituição desfrutam de uma grande variedade de atividades Sergio Ferreira Soares

Uma vez mais, o Centro Marítimo da Venezuela demonstra o caráter desportivo que a instituição tem tido desde as suas origens, quando noutra época, sob o nome de Associação Deportiva Luso Venezolana, oferecia aos seus sócios um amplo cronograma de atividades e disciplinas desportivas. Nesta ocasião, Alfredo Amaral e a sua equipa de trabalho anunciaram a ativação de diferentes iniciativas, que procurar impulsionar o desporto na comunidade luso-venezuelana e oferecer aos sócios opções de entretenimento na comodidade das suas instalações. Prova disto são as Aulas de

Natação, distribuídas de forma contínua durante todo o ano e destinadas aos mais pequenos da casa. As sessões terão lugar às terças e quintas, a partir das 14h30. Os pais podem inscrever os seus filhos a partir dos seis meses de idade. O custo da inscrição é de 3.000 bolívares e as mensalidades têm o mesmo valor. A instituição oferece Aulas de Karaté de segunda a sexta a partir das 17h30 e rotinas de ginásio de segunda a sexta entre as 7h00 e as 19h00. Não menos importantes são as aulas de Futebol, área forte da instituição, sendo que estas se realizam à tarde das sextas, sob a tutela do coordenador desportivo Joaquim Esteves.


22 Publicidade

Agosto de 2016 | Correio da Venezuela


Correio da Venezuela | Agosto de 2016

Publicidade 23

Banquetes

Gales Salão Majestic Karina e Gianfranco unem as suas vidas em matrimónio Ommyra Moreno Suárez Fotos: Arras Films

Karina Vieira e Gianfranco Pecorella protagonizaram uma romântica festa com uma elegante receção realizada na passada quinta-feira dia 27 de maio no Salão Majestic de Banquetes Gales, localizado no Centro Comercial Ciudad Tamanaco, em Caracas. Os pais da noiva, provenientes da ilha da Madeira (Câmara de Lobos), Maria Fernanda de Vieira e Juan Manuel Vieira, juntamente com os pais do noivo, Santino Pacorella e Julia Ramos de Pecorella, deram início às comemorações com umas emocionantes palavras de boas-vindas e uma

mensagem de felicitações aos noivos pelo seu enlace matrimonial. A noiva vestiu um elegante vestido de corte sereia com acessórios a tom. Por sua vez, o noivo vestiu um elegante traje que lhe dava um ar sofisticado para esta data especial. A decoração do salão, em tons laranja com elementos modernos e elegantes, foi inspirada nos gostos de ambos os cônjuges, tendo em conta as raízes portuguesas, canárias e italianas. O ambiente musical esteve a cargo da orquestra CINEMA. O Grupo Folclórico do Centro Português também esteve presente na cerimónia, oferecendo um espetáculo que encantou os presentes.


24 Publicidade

Agosto de 2016 | Correio da Venezuela

Correio de Venezuela 664  

Edición 664

Correio de Venezuela 664  

Edición 664

Advertisement