Page 1

P r é m i o Ta l e n t o 2 0 0 9 Correio de Venezuela

@correiodvzla

@correiodvzla

Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015

publicaÇão Nº 613

Ano 15 • Depósito Legal: 199901DF222 • BsF. 20

Língua Portuguesa como meio de estratégia

Pag.4

pub

Não são sem-abrigo a pedir dinheiro na rua, mas estão na rua pela mesma razão, porque precisam de dinheiro, do deles, investido nos produtos ‘tóxicos’ do Banco Espírito Santo e que não foram cobertos pela garantia do Banco de Portugal.

Pag. 4

José Luís Peixoto em Caracas Um dos escritores mais interessantes das últimas duas décadas em Portugal, vem a Caracas ao aniversário do Instituto Português da Cultura. Um momento alto na vida da instituição e de abordagem da obra do escritor que já está traduzido em 20 países. Pag. 11

Desporto

Está alevantar algumas dúvidas a forma como foi lançada a campanha de promoção de um voo charter entre Caracas e a Madeira que foi colocado no mercado venezuelano por uma agência de viagens da ilha da Madeira.

Lesados do BES alargam protestos ao Funchal

Cultura

Voo ‘charter’ para a Madeira foi anulado

Portugal

Venezuela

A Língua Portuguesa continua a despertar o interesse de muitas pessoas em Venezuela. No último encontro de Professores de Português prosseguiu o debate e a vontade de aumentar os meios para a sua difusão. A proximidade do Brasil, em termos de negócios e considerando uma estratégia política para o futuro, foi uma nota saliente do último debate. Pag. 16

Organização apela às delegações para se unirem aos trabalhos de preparação Está cada vez mais próxima a data dos jogos Nacionais Feceporven 2015, que desta vez decorrem no Centro Português de Guayana.

Pag. 31


2 Editorial

Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015 | Correio da Venezuela

retrospectiva O Encontro de Professores de Português continua a ser uma iniciativa de grande interesse nesta comunidade de língua lusófona. Uma excelente organização, que contou com um debate franco e aberto, valoroso e inquietante, abrindo-se a todos com uma atraente diversidade que alimenta o prosseguimento de iniciativas deste género em Venezuela. O evento foi organizado pela Coordenação do Ensino do Português da Embaixada de Portugal (a cargo de Rainer Sousa),em aliança com o Instituto Camões (representado pela leitora Sofia Saraiva), a Editorial Lidel, o Centro de Língua Portuguesa e o CORREIO de Venezuela, comprometido

dois

1

Os Portugueses que vivem em Venezuela receberão nos próximos dias a visita do Secretário de Estado das Comunidades do Governo de Lisboa. Sempre uma boa oportunidade para conversarmos sobre questões institucionais e sobre outras matérias que preocupam os que vivem por estes lados, a contas com alguns problemas cujas soluções têm e devem ser encontradas em ambiente de franca cooperação. Referimo-nos aos lesados pelo papel comercial e outros investimentos financeiros no grupo do ex-Banco Espírito Santo, cuja resolução continua adiada e sem respostas consistentes da parte de quem deve explicações. Todos os dias, na imprensa portuguesa, surgem notícias, umas animadoras, outras nem por isso, mas que apenas entretêm quem procura reaver os investimentos feitos, a maioria resultados de uma vida de trabalho colocada à guarda de uma entidade bancária menos séria e que actuou à revelia da autoridade bancária nacional. Sobretudo, por isto, compete ao Governo contribuir para uma solução que satisfaça as mínimas pretensões dos aforradores e investidores. Outra questão em foco, e sobre a qual deveremos ouvir a opinião do Governo de Lisboa, diz respeito aos transportes aéreos regulares entre Portugal e a Venezuela. Todos sabemos que o processo de venda da maioria do capital da companhia aérea TAP está numa fase conclusiva. Sabemos também que a empresa passará a reger-se por uma filosofia de mercado mais aberto e de economia de escala, mas sujeita a algumas obrigações que privilegiam as ligações com as comunidades emigrantes. A questão é saber se esta livre concorrência, à qual não nos opomos, não será prejudicada pelo ambiente económico na Venezuela, onde a companhia aérea portuguesa tem 100 milhões de euros retidos em receitas que não tem podido levar para Portugal. Sem intervenção do Governo da República, é fácil ver que os novos donos da TAP farão o que se vislumbra como mais racional: procurar diminuir as frequências ou até esquecer os voos entre Portugal e Venezuela. Outra questão que se pedirá a atenção de José Cesário será certamente para a data das próximas eleições para o Conselho Permanente das Comunidades Portuguesas. Questão que o secretário de Estado já está alertado.

com a promoção da cultura e o desenvolvimento da comunidade luso-venezuelana. Desta vez verificámos a inclusão do Instituto Brasil-Venezuela, o que afirma que no grande mercado da América Latina é pela língua que essa expansão poderá, também, trazer resultados interessantes. Se hoje se valoriza essa forma de relacionamento como pressuposto para o intercâmbio profissional e até económico entre as nações, acreditamos que no futuro, ao nível de Ensino e da Cultura, todo o ambiente de miscigenação cultural que a Epopeia dos Descobrimentos Portugueses espalhou pelo mundo conseguirá envolver e criar valor e maior entendimento entre estes Povos.

três

O XII Encontro de Folclore Português Continental realizado no Centro Marítimo deTurumo foi uma bonita festa portuguesa. Teve menos grupos do que o esperado. Alguns problemas de última hora não permitiram a presença de dois dos grupos inscritos. Ficámos pelos quatro representantes da cultura e da animação folclórica do nosso povo, que é uma das formas mais genuínas do entretenimento dos lusitanos. Tem resistido ao longo dos anos, às modas e a outras ofertas artísticas que, felizmente, encontramos cada vez mais na Comunidade e nos centros sociais portugueses. É verdade que a situação económica, de uma maneira geral, não se proporciona a muitas festas, porque o País é grande e as deslocações, pela sua especificidade e necessidade de controlo, também são dispendiosas. Esperamos que este festival, embora com poucos, mas vivido em cada momento com muita garra e empenho por parte dos que lá pisaram o palco, seja um incentivo e bálsamo para os que desta vez ficaram em casa e que, certamente, em próximas iniciativas, irão fazer o possível por participar. Estes festivais permitem momentos de fraternidade e de enriquecimento cultural. É o que deixamos, sobretudo aos mais novos que, felizmente, continuam muito arreigados às suas raízes familiares.

fotoflash

Os Jogos da Feceporven estão lançados e no campo organizativo há grande empenho das pessoas envolvidas nesta grande iniciativa desportiva da comunidade portuguesa em Venezuela. Contudo, há demoras nas confirmações dos participantes, o que começa a complicar os trabalhos da organização que poderá ver-se, de um dia para outro, com um volume de adesões inesperadas. Como tem acontecido em jogos anteriores a organização solicita aos interessados, e muitos já manifestaram vontade em estar presentes, que formalizem as suas inscrições, de forma a evitar estrangulamentos de última hora que, necessariamente, poderão reflectir-se na qualidade da organização que tem sido muito satisfatória nos últimos anos, graças à vontade e trabalho de muitos dirigentes desportivos que dedicam a esta iniciativa o que sabem fazer de melhor para que tudo decorra em paz e com resultados verdadeiros e justos.

Grupo Editorial

www.correiodevenezuela.com Rif.: J-40058840-5

Director Aleixo Vieira Subdirector Agostinho Silva Gerente: Carla Vieira Editor Sergio Ferreira Soares Endereço: Av. Veracruz. Edif. La Hacienda. Piso 5, ofic. 35F. Las Mercedes, Caracas. Telefones: (0212) 9932026 / 9571 Telefax: (0212) 9916448 E-mail: editorial@correiodevenezuela.com

Chefe de redacção Sergio Ferreira Soares |Jornalistas Carla Salcedo Leal, Victoria Urdaneta, Fernando Cámara, Kenner Prieto, Antonio Da Silva |Correspondentes Edgar Barreto (Falcón), Carlos Balaguera (Carabobo), Sandra De Andrade (Aragua), Sandra Rodríguez (La Victoria), Trinidad Macedo (Lara), Silvia K. Gonçalves (Bolívar), Ricardo Santos (Nueva Esparta), Luis Canha (Mérida), Daniela García (Miranda), Antonio Dos Santos (Zulia) |Colaborações Catanho Fernandes, Arelys Gonçalves, Antonio López Villegas, Isabel Idárraga, Shary Do Patrocinio, Serafim Marques, António Delgado |Publicidade e Marketing Carla Vieira |Paginação Elsa de Sá |Fotografia Francisco Garrett |Administração Yenny Ávila |Distribuição Luis Alvarado, Carlos Agostinho Perregil R. |Impressão Grupo Últimas Noticias. Caracas -Venezuela |Tiragem 15.000 exemplares |Fontes de Informação Agência Lusa, Diário de Notícias, Diário de Notícias da Madeira, Ilhapress, Portuguese News Network e intercâmbio com publicações em língua portuguesa.


Correio da Venezuela | Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015

Publicidade 3


4 Venezuela soltas Protecção Civil Mérida enviou técnicos socorristas e maquinaria a Guasdualito

Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015 | Correio da Venezuela

Madeira

Charter Caracas-Funchal envolto em alegada fraude Sergio Ferreira Soares

No passado 6 de Julho, a Protecção Civil do Estado de Mérida enviou pessoal técnico socorrista, alimentos não perecíveis e equipamentos gerais para apoiar os trabalhos de apoio à população de Guasdualito, município Páez do Estado de Apure, afectada por inundações depois das fortes chuvas das últimas semanas. A unidade conta com maquinaria pesada da Grande Missão Bairro Novo, Bairro Tricolor, que apoiará os trabalhos de reabilitação de vias, pontes e diques impactados pela subida dos rios Arauca e Sarare.

3.600 funcionários atendem contingências em Táchira Cerca de 3.600 funcionários mantêm-se activos atendendo às contingências que se apresentaram no Estado de Táchira, onde há mais de um mês persistem chuvas intensas. Entrevistados na passada segunda-feira, no programa Primeira Página, que transmite o canal privado Globovisión, o governador da entidade andina, José Gregório Vielma Mora, reiterou que as famílias afectadas pelas chuvas, especialmente da paróquia Francisco Romero Lobo e da localidade La Florida, recebem assistência médica e alimentar.

400 Famílias serão as primeiras a habitar o complexo da GMVV que se construirá em Guatire Serão cerca de 400 as famílias as primeiras habitantes do complexo urbanístico que construirá a Grande Missão Vivenda Venezuela, em Guatire, Estado Miranda, anunciou o ministro para a Vivenda e Habitat, Ricardo Molina, no programa televisivo ‘Viviendo Venezolano’, transmitido pela Venezolana de Televisión no dia 5 de Julho. Molina assinalou que este complexo será construído numa área de 8,7 hectares e é uma das 107 áreas a viver decretadas por Chávez.

Ex-comercial da agência promotora da iniciativa revelou ao CORREIO que o voo foi cancelado Um grupo de emigrantes portugueses radicados na Venezuela tem vindo a alertar a comunidade quanto a uma possível fraude na venda de passagens aéreas para o charter que pretendia ligar Caracas e o Funchal, na Madeira. Contactada pelo CORREIO, a agora ex-representante da Inedit Wave Travel Agency, Lucía Vieira, assegurou que devido a algumas dúvidas de carácter profissional, decidiu deixar a empresa para a qual vinha trabalhando há algum tempo. “No passado dia 22 de Junho decidi deixar de trabalhar como comercial da Inedit Wave Travel Agency; empresa para a qual trabalhei durante quatro meses com muito afinco e dedicação. Vim a saber que nunca houve um contrato com a empresa White de Fletajes, apenas informação, mas nada foi formalizado”, explicou a ex-representante da iniciativa, acrescentando que entre as razões para terminar o seu vínculo com a empresa madeirense encontra-se o cancelamento do voo charter, no dia 8 de Junho, devido ao número de pas-

Faça a sua reclamação Se é uma das pessoas afectadas por esta iniciativa, pode reclamar os seus direitos entrando em contacto com a agência em Portugal através dos telefones (00351) 291 638 094 / 291 625 219 / 918 732 513 / 962 012 206. Também poderá utilizar o seguinte endereço de correio electrónico a: comercialmadeira@ineditwave-travel.pt. sageiros ser muito baixo, e à “falta de transparência neste assunto”. Extra-oficialmente foi possível apurar que os representantes da agência asseguravam aos passageiros que os conselheiros das Comunidades Portuguesas podiam ‘assinar’ as passagens, para que desta forma pudessem ser requeridas as divisas junto das instituições bancárias venezuelanas. Recordemos que para processar a vaga de viajante, deve-se estar na posse da passagem aérea ou uma passagem electrónica com selo colocado na Venezuela pela companhia aérea.

A sequência dos factos A 13 de Março deste ano, o CORREIO noticiou a iniciativa da realização de um novo voo charter entre Caracas e Funchal, durante os meses de Julho e Agosto, na sequência do contacto feito por Lucía Vieira junto da nossa sede, em Caracas, em 9 de Março, solicitando a divulgação da iniciativa em termos informativos. Tendo por base a informação transmitida à nossa redacção, foi na altura noticiado que a referida iniciativa privada, a ser promovida pela Inedit Wave Travel Agency, seria responsável pela rea-

lização de voos nos a 15 de Julho e 27 de Agosto, entre o Funchal e Caracas, num avião A-310 com capacidade para 237 passageiros, dos quais 225 lugares seriam em classe económica, com um custo de 1250 euros por pessoa, e os restantes 12 em classe executiva, com um preço de bilhete de 2500 euros. A 19 de Maio seguinte, o CORREIO foi de novo contactado por Lucía Vieira, com o intuito de solicitar o fornecimento do contacto de David Pinho, representante de ‘viajes Pinho’, para lhe apresentar o voo charter e promover a angariação do maior número de passageiros possível. A 9 de Junho passado, a então comercial da Inedit Wave Travel Agency contactou novamente o semanário para informar que se encontravam a redireccionar os passageiros para outras companhias aéreas. “Lamentavelmente, tivemos que cancelar o charter já que não conseguimos encher o avião. Lamentavelmente, o dia 10 de Abril alterou o destino deste voo. Tivemos muitos cancelamentos. No próximo ano voltaremos a tentar, e esperamos que todo corra bem”, indicou Lucía Vieira. A 30 de Junho último, contactada pelo CORREIO, a representante da agência de viagens explicou que a ruptura de relações com a empresa ficou-se a dever a algumas dúvidas insanáveis referentes à iniciativa. “É lamentável para todos, principalmente para os clientes, que acreditaram neste charter. Lamentável para todas as pessoas que envolvi, directa ou indirectamente, que me deram todo o seu apoio incondicionalmente”, argumentou Lucía Vieira, acrescentando que agora o seu trabalho é “salvaguardar o dinheiro dos clientes ou as passagens aéreas, para os que assim o desejem”.

Banca

Lesados do BES alargam protestos ao Funchal Paula Henriques DN MADEIRA

Protesto começou junto à agência perto da Loja do Cidadão e foi ao Banco de Portugal Não são sem-abrigo a pedir dinheiro na rua, mas estão na rua pela mesma razão, porque precisam de dinheiro, do deles, investido nos chamados produtos ‘tóxi-

cos’ do Banco Espírito Santo e que não foram cobertos pela garantia do Banco de Portugal ou assegurados pelo Novo Banco. Porque se consideram lesados/roubados, um grupo de ex-emigrantes na Venezuela esteve, no passado 3 de Julho, na rua para reclamar soluções, chorando literalmente pela devolução de poupanças de uma vida. Maria Costa de Sousa não esconde as lágrimas. “Eu guardei o dinheiro para a minha velhice e agora estou sem dinheiro”, chora, alegando que confiou no banco, e

que lhe disseram que o investimento em papel comercial era 100% garantido. “Necessitamos do nosso dinheiro! Por favor, ouçam-nos! Sr. Governador do Banco de Portugal tenha compaixão!” Quando investiu estava na Venezuela. Lá cerca de outras 300 famílias foram afectadas. Há outras em outros países, refere Manuel Silva, referindo a África do Sul e a França, onde também foram feitos investimentos. “Não pode ser que as pessoas que fizeram isto não estejam presas ainda. Necessitamos

de justiça, necessitamos do nosso dinheiro e vamos continuar com isto”. Esta foi a primeira manifestação na Madeira, não será a única. Contou com uma dúzia de pessoas. Há muitas mais afectadas, gente com vergonha de dar a cara ou com relações a empresas e negócios e que por isso prefere manter-se longe dos holofotes, disse este participante. “Continuaremos até haver soluções”, garante. A polícia esteve no local a proceder à identificação dos participantes.


Correio da Venezuela | Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015

Telefones.: (0058212) 2650608/ 2670853

2ª a 6ª feira, das 08h às 22h Sábados, das 10h às 20h

Publicidade 5


6 Venezuela

Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015 | Correio da Venezuela

Madeira

Independência venezuelana assinalada no Funchal

Fotografias com história

Amália Rodrigues Fernando Cámara

Na cerimónia, no Jardim Municipal, estiveram autoridades civis, militares, partidárias e populares. Foto Rui Silva/Aspress

Fcamara@correiodevenezuela.com Francisco José Cardoso DN MADEIRA

Cônsul na Madeira acredita que se os EUA respeitarem a soberania, tudo voltará ao normal A cerimónia “simples mas importante” dos 204 anos da independência da Venezuela foi realizada, no passado 3 de Julho, pelo meio-dia, no Jardim Municipal do Funchal, junto ao busto de Simón Bolívar, o ‘pai’ da fundação daquela República Bolivariana, na presença de várias entidades civis e militares, bem como de luso-venezuelanos radicados na Madeira. O Cônsul Félix Méndez Correa salientou que apesar das muitas dificuldades que o país atraves-

sa neste momento, lembrou que nunca deixou de ser uma história de luta, pelo que acredita que tal como na altura da luta pela independência face ao poder espanhol a crise actual contra o “poder económico” externo, nomeadamente dos Estados Unidos da América, será mais uma para vencer. Embora a data oficial da independência se assinalasse dois dias depois, 5 de Julho (de 1811), foi um dia simbólico, notório também nas vozes do coro que se ouviram dos presentes aquando da passagem do Hino Nacional da Venezuela no pequeno altifalante colocado em cima da escultura em bronze. Félix Correa salientou que na Madeira haverá cerca de 500 venezuelanos que têm apenas uma nacionalidade, uma vez que a maioria dos que cá residem têm a dupla nacionalidade permitida por uma lei da década de 1990. Recusou inclusive a ideia de que haja um êxo-

do de venezuelanos para a Europa, no caso, para a Madeira, garantindo que a maioria dos que saem voltam para a pátria amada. Como referido, num momento em que o país atravessa mais uma crise, e perspectivando-se um reatar de relações diplomáticas entre dois vizinhos históricos - Cuba e EUA - o Cônsul acredita que tais passos nas boas relações entre Estados desavindos há décadas, poderão também repercutir-se e acontecer algo semelhante com o seu país, desde que os norte-americanos respeitem a soberania e a autodeterminação do seu povo. Félix Correa foi ainda mais longe ao garantir que o desejo da Venezuela é garantir liberdades, inclusive a da imprensa, como direito fundamental, mas um Estado que tem estado sob ataque de forças externas e imperialistas, obrigam a que o povo continue a luta semelhante à de Simón Bolívar.

Embaixada comemorou 204° aniversário em Lisboa No quadro das celebrações do 204.° aniversário da Independência Nacional, a Embaixada a República Bolivariana da Venezuela em Portugal promoveu um conjunto de actividades comemorativas no passado domingo, 5 de Julho. Os actos foram iniciados com a deposição de uma oferenda floral ante o monumento do Libertador Simón Bolívar, na Avenida da Liberdade, em Lisboa. Durante a cerimónia, que foi presidida pelo Embaixador Lucas Enrique Rincón Romero, foi observado um minuto de silêncio em honra dos insignes

fundadores da pátria. Posteriormente, o chefe da missão diplomática depositou a oferenda ante a estátua do pai da pátria, enquanto a banda do Exército Português procedia a interpretação dos hinos nacionais da Venezuela e de Portugal. O presidente da Junta de Freguesia Santo António, Vasco Morgado, ofereceu uma coroa de flores que também, foi colocada junto ao monumento do Libertador. A esta actividade assistiram embaixadores do Grupo Latino-americano (GRULA), representantes de missões diplomáticas acreditadas

em Lisboa, autoridades civis, militares e eclesiásticas de Portugal, deputados, membros de partidos políticos, representantes da Casa da América Latina, a tripulação do navio Negra Matea, assim como grupos de solidariedade e público em geral. Sergio Ferreira Soares

A imagem desta semana mostra Amália Rodrigues, que ficou conhecida como a rainha do fado em Portugal. Nasceu em Lisboa a 23 de Julho de 1920 e faleceu na mesma cidade a 6 de Outubro de 1999. Foi ela em quem levou o fado ao resto do mundo. Gravou mais de 170 discos durante toda a sua carreira. Foi ainda catalogada como uma grande embaixadora cultural do seu país. Durante mais de quatro décadas, marcou os palcos e a música. Entre as décadas de 50 e 70 do século passado tornou-se famosa internacionalmente. Mas a sua ligação com o ditador António de Oliveira Salazar obrigou-a a retirar-se da vida pública depois da Revolução dos Cravos, em 1974. Amália não cantou apenas em português. Também o fez em espanhol, inglês, italiano e francês, e fez concertos em locais como o Olympia de Paris, o Auditório Nacional de Madrid o no Voces de Iberoamérica de Guadalajara. Amália era a quinta de nove irmãos. Foi a freguesia da Pena, em Lisboa, que a viu nasceu. Os pais eram Albertino de Jesus Rodrigues e Lucinda da Piedade Rebordão. Viveu numa família numerosa e de origem humilde. O pai era sapateiro e tocava cornetim numa banda. Os pais mudaram-se para a capital mas regressaram ao campo devido à falta de trabalho. Amália foi deixada em Lisboa com os avós maternos quando tinha apenas 14 meses de vida. Um tempo depois da queda

de Salazar e do restabelecimento da democracia, Amália publicou um single chamado ‘Meu amor é marinheiro’. Esta canção aludia à Revolução dos Cravos... Amália teve de retirar-se da vida pública porque foi acusada de colaborar com a ditadura. Apareceu meses depois numa gala da Unicef em Paris, em 1975. Estas acusações detiveram a sua carreira mas recebeu diversas homenagens, como a condecoração da Ordem do Infante D. Henrique, por parte do então Presidente da República, Mário Soares. Durante esse tempo, atravessou problemas económicos que a obrigaram a vender parte do seu património. Em 1989, o Papa João Paulo II recebeu-a no Vaticano. Em 1990, foi condecorada com a legião de honra da Ordem das Artes e das Letras de França, distinção que recebeu das mãos do Presidente François Mitterrand. Durante os anos seguintes, viu morrer Alain Oulman, o seu amigo o poeta David MourãoFerreira e o seu marido, César Seabra, com quem esteve casada 36 anos. A 10 de Fevereiro de 1999, pouco antes da sua morte, ficou a saber da morte da sua amiga Maluda, pintora, o que a afectou profundamente. Amália Rodrigues morreu a 6 de Outubro de 1999, aos 79 anos, devido a um problema de coração, alguns dias depois de voltar à sua casa de campo no Alentejo. O Presidente português à época, Jorge Sampaio, decretou três dias de luto nacional, quatro dias antes das eleições legislativas, e os partidos decidiram suspender o último dia de campanha eleitoral. Foi enterrada no cemitério dos Prazeres, em Lisboa.


Correio da Venezuela | Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015

Publicidad 7


8 Venezuela

Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015 | Correio da Venezuela

clubes

S.D.M. na América Latina com força renovada Margarita

DN Madeira / CORREIO

Concessionária do CINM realiza acção promocional até dia 10 na Colômbia e no Peru O Centro Internacional de Negócios da Madeira (CINM) está, desde ontem e até ao dia 10 de Julho, a ser promovido, em dois países da América Latina, mais precisamente na Colômbia e no Peru. A Venezuela também está no horizonte das acções promocionais agendadas pela Sociedade de Desenvolvimento da Madeira (S.D.M.), acção a realizar até ao final do ano, bem como aos Estados Unidos da América. E desta vez, os representantes da S.D.M. e das empresas do CINM nesta missão, vão com um trunfo ainda mais solidificado, uma vez que já está garantido que o IV Regime de benefícios fiscais está oficialmente e definitivamente em vigor, após publicação no Diário da República. A Lei 64/2015, de 1 de Julho, que aprova o novo regime do CINM passa a permitir o licenciamento e instalação de novas entidades no âmbito institucional da zona franca, após acordo entre o Estado e a Comissão Europeia. Este permite às sociedades licenciadas para operar no âmbito do CINM o benefício de uma taxa reduzida de IRC de 5% com garantia de aplicação de benefícios fiscais até 31 de Dezembro de 2027. Além disso, as entidades poderão beneficiar de “isenção de retenção na fonte no pagamento

de dividendos, entre outras isenções e reduções fiscais, para além das disposições gerais constantes do regime português, incluindo o regime de ‘participation exemption’”, frisa uma nota da S.D.M. a este propósito. É com estes trunfos que reforçam a “atractividade, credibilidade e estabilidade do CINM como praça de negócios vocacionada e eficaz para a estruturação e desenvolvimento de operações internacionais e para a atracção de investimento directo estrangeiro”, que a concessionária iniciou ontem a missão aos dois países sul-americanos, tal como já havia feito em Maio em França e no Reino Unido e em Junho na África do Sul. De realçar que no CINM estão sedeadas empresas de cerca de 70 países diferentes, a procura de novos mercados distintos dos habituais, economias evoluídas como as da União Europeia ou da OCDE, o facto de a Colômbia e o Peru, duas economias emergentes. “No caso da Colômbia, trata-se do regresso a um país que evidencia um constante crescimento económico, gerador de um conjunto de empresas exportadoras de grande dimensão que procuram condições competitivas para a internacionalização das suas operações, em especial no quadro da União Europeia, justificava a S.D.M. recentemente. “Já a visita ao Peru, um mercado que constitui uma das apostas mais recentes da S.D.M., decorre da confirmação do país como uma economia em franca expansão e da recente entrada em vigor do Tratado de Dupla Tributação com Portugal. As vantagens resultantes da celebração do Tratado, conjugadas com os benefícios do

novo regime fiscal do CINM, proporcionam boas oportunidades de investimento às empresas peruanas com operações internacionais”, acrescenta. A acompanhar a o Membro da Comissão Executiva da sociedade que explora o CINM, Roy Garibaldi, estão representantes de três sociedades de ‘management’ que se inscreveram para o efeito. Até final do ano, a S.D.M., deverá ainda visitar outros países, “cujos mercados têm vindo a demonstrar interesse na Madeira nos últimos anos, bem como uma acção contínua no mercado nacional” através do escritório próprio em Lisboa, onde também “um número crescente de empresas portuguesas tem vindo a instalar-se no CINM com o objectivo de optimizar os seus processos de internacionalização”, refere outra nota.

A Venezuela também está no horizonte das acções promocionais agendadas pela Sociedade de Desenvolvimento da Madeira, acção a realizar até ao final do ano, bem como aos Estados Unidos da América.

Consulado Honorário recebeu fórum económico e turístico de Portugal Mariana Santos

Representantes da Embaixada lusa deslocaram-se à região insular para disponibilizar informação sobre Portugal O Consulado Honorário de Portugal na ilha de Margarita, Estado Nueva Esparta, acolheu, no passado 2 de Julho, um Fórum Económico e Turístico de Portugal promovido pela Embaixada de Portugal na Venezuela, que é liderada por Fernando Teles Fazendeiro, e pelo Conselheiro Económico, Carlos Nunes Pinto, em resposta a um convite realizado pela Cônsul Honorária de Portugal em Margarita, Gloria Santos. Teles Fazendeiro dirigiu palavras de agradecimento à Cônsul pelo convite, enquanto que Nunes Pinto realizou uma exposição muito breve sobre a situação económica de Portugal. O Conselheiro Económico da Embaixada explicou aos presentes as novas oportunidades de trabalho que existem em Portugal. O também representante da AICEP, aproveitou a oportunidade para mostrar à comunidade lusitana radicada nas ilhas de Margarita, Coche e Cubagua um vídeo demonstrativo das estru-

turas arquitectónicas e das paisagens de Portugal como uma convite para conhecer este país europeu. “Portugal é um país que tem grandes profissionais. Está catalogado como o nono país menos restritivo para fazer negócios e oferece novas possibilidades de trabalho. A taxa de imposto actualmente é de 3%”, argumentou Carlos Pinto, que depois se prontificou a responder a qualquer dúvida dos presentes relativamente à crise venezuelana. José Azevedo, que reside há quase 50 anos na Venezuela, perguntou porque é que produtos como o azeite de oliva e o bacalhau estão há mais de um ano sem aparecer no mercado venezuelano, ao que o conselheiro respondeu: “O azeite de oliva e o bacalhau tratado em Portugal costuma estar à venta em diversos comércios portugueses. No entanto, devido à crises que afecta este país, é mais complicado exportar produtos básicos portugueses”. “Portugal é um país economicamente unido à União Europeia. Há uma livre circulação de pessoas e de produtos. En Portugal no se entra con la mercaduría y hay una alta visión tecnológica para un espacio centralizado en industrias electroquímicas y telecomunicaciones” explicó Pinto. “As visitas a Portugal quase que duplicam o número da população do país, massificadas em 2014 quando nos visitaram 16 milhões de pessoas”.


Correio da Venezuela | Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015

Publicidad 9


10 Venezuela

Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015 | Correio da Venezuela

Idioma

Entregues prémios do Concurso 10 de Junho

Idioma

Ricardo Salomão lidera conferência em Valência

Fernando Câmara

Os vencedores receberam diferentes livros no Colégio Nossa Senhora de Fátima O ensino da cultura, da língua e da história portuguesa continua a crescer de forma notável na Venezuela. No passado dia 6, foram entregues no Colégio Nossa Senhora de Fátima, situado na urbanização San Bernardino de Caracas, os prémios aos vencedores do Concurso 10 de Junho. O evento foi conduzido por Rainer Sousa, coordenador do ensino do português da embaixada de Portugal na Venezuela. Foram galardoados os três melhores desenhos. O primeiro lugar foi para Alejandro Sosa; o segundo para Sofía Guzmán e o terceiro foi entregue a Noelia Cabrices. O vencedor recebeu um livro de gramática e um dicionário e o segundo e o terceiro um livro de história interactivo com desenhos e caricaturas. Rainer de Sousa não escondeu a sua felicidade pelos resultados obtidos e pela grande participação. “Estou satisfeito. É a segunda vez que fazemos o Concurso 10 de Junho, que como se sabe é Dia de Portugal”, comentou. O tema deste ano foi um personagem da história de Portugal. “Aqui podemos ver que muitos se

Idioma

Carlos Balaguera

inclinaram por Fernando Pessoa, Vasco da Gama e D. Afonso Henriques, que foi o primeiro Rei de Portugal. É importante que os alunos luso-venezuelanos e os venezuelanos tenham contacto com a histó-

ria e cultura lusitana. Agradecemos muito à Porto Editora por nos ter apoiado com livros adaptados para crianças e jovens”, sublinhou. Este concurso chegou para ficar, com o objectivo de mostrar tudo o que se refere a Portugal em diferentes áreas. “Vamos realizá-lo todos os anos. Este ano tive a ideia de sublinhar o tema da história, sou um apaixonado por esta área. A ideia é que os mais pequenos sintam a curiosidade e gostem da história portuguesa”, explicou. Foram dadas três semanas aos participantes para que pudessem fazer os seus desenhos. “Começava uns dias antes do 10 de Junho e terminava depois de 1 de Julho, também para que abarcasse o Dia da Madeira”.

Centro Social Madeirense entrega certificados a 53 alunos Carlos Balaguera

Na cerimónia dos alunos demonstraram os conhecimentos assimilados ao longo do curso O idioma lusitano continua a

Professor catedrático convidado pelo Instituto Camões baseou a sua alocução em “Português Língua de herança” O Consulado Geral de Portugal em Valência, em parceria com o Instituto Camões e a Fundação Luso-Venezuelana Camões, promoveram, na sede consular valenciana, a conferência “Português - Língua de herança”, na noite da passada segunda-feira, 29 de Junho. A conferência teve como orador o professor catedrático Ricardo Salomão, que também foi o convidado especial do II Encontro de Professores de Língua Portuguesa na Venezuela. O conceituado docente universitário aproveitou a conferên-

crescer no Centro Social Madeirense de Valência, no Estado de Carabobo, e a prova está na entrega de certificados a 53 alunos que integram a escola do clube. O acto foi realizado no passado 2 de Junho. O mestre de cerimónia Leonel Monis deu início ao acto convidando ao estrado o presidente do Centro Social Madeirense, Paulino Dos Ramos, o representante do Consulado Geral de Portugal em Valência, Manuel Moreira, a presidente da Fundação Camões, Rita Fernandes, a professora da escola do clube, Adelina Dos Santos Gomes; o director de Cultura e Emigração, João Andrade, e a presidente de Cultura, Sandra Rodrigues. Seguidamente o Coral Marlene de Dos Ramos do Centro Social Madeirense, inter-

cia para explicar as razões pelas quais é importante aprender o Português, tendo ainda salientado que se trata de uma língua que regista um dos maiores crescimentos em termos de falantes. De igual modo, explicitou as diferenças da gramática como modelo: gramática descritiva, normativa, implícita e explicita. O catedrático também falou sobre a classificação de História/ origem: língua de herança de emigrante, Língua de herança indígena e língua de herança colonial, enfatizando sobre a importância de falar Português nas mais diversas actividades. “É uma questão da cultura”, assegurou. Os professores que marcaram presença no evento, assim como algumas personalidades representantes de diversas colectividades lusitanas do Estado de Carabobo, tiveram a oportunidade de trocar experiências e esclarecer dúvidas, com a finalidade de continuar a trabalhar em prol do crescimento da língua lusa em terras venezuelanas.

pretou os hinos da Venezuela e de Portugal. O mestre de cerimónia chamou os alunos para receberem o certificado nos diferentes níveis. “Hoje temos a responsabilidade de fazer a entrega dos certificados nos diferentes niveles de ensino do idioma Português. Este ano aumentou o número de alunos, que quase dobrou, sentindo-se neles a preocupação para aprender a língua portuguesa. Tenho que os felicitar pelo entusiasmo que demonstraram ao longo do ano, logrando em cada nível uma preparação elevada. Isto enche-me de satisfação e podem contar com todo o meu apoio para que continuarem a enriquecer os seus conhecimentos e poder dizer com orgulho, ‘Eu entendo e falo o idioma português”.


Correio da Venezuela | Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015

Venezuela 11

Efemérides

Dia da Madeira foi celebrado por toda a Venezuela Fernando Cámara / Fiorella Paraliticci

Valência, Ciudad Guayana, Maracay e Caracas não deixaram a data passar em claro

Cultura

José Luís Peixoto visita o país a convite do IPC

Como manda a tradição, a comunidade madeirense radicada na Venezuela celebrou o Dia da Madeira com um grande número de actividades que se passearam desde os actos protocolares até aos arraiais e festividades. Não é de surpreender que as iniciativas tenham sido realizadas em diversos cantos do país, tendo em conta que segundo estimativas oficiais, 85% dos portugueses radicados na Venezuela são naturais da Pérola do Atlântico. A 1 de Julho celebra-se o Dia da Madeira e das Comunidades Madeirenses, e ainda a conquista da Autonomia tal como foi consagrado na Constituição da República portuguesa aprovada em 1976. Actividades diversas em Valência O Centro Social Madeirense celebrou o Dia da Madeira, como é hábito, em grande estilo, no passado 1 de Julho com a realização de diversas actividades, nomeadamente actos protocolares, com a interpretação dos hinos da Venezuela, de Portugal, da Madeira, de Carabobo, de San Diego, e da União Europeia, cada um acompanhado pelo içamento da respectiva bandeira, por parte de dirigentes da instituição e representantes do município e funcionários do Consulado de Portugal em Valência. Posteriormente foram depositadas oferendas florais em frente das estátuas de João Gonçalves Zarco e de Simón Bolívar. A jornada prosseguiu com um convívio que contou com a presença do director de despacho da Alcaldía de San Diego, Ernesto Abbas, representantes do governo português, presidente da casa Portuguesa de Valência, Carlos Rodrigues e, dirigentes do Centro Social Madeirense, encabeçados pelo seu presidente, Paulino Ramos. Ramos aproveitou a oportunidade para agradecer o apoio dos associados e do público em general

Victoria Urdaneta

O escritor participará no aniversário, segundo confirmou João da Costa, presidente do Instituto.

presente no evento, tendo apelado à união de todos para assegurar o bem-estar da organização social. “Devemos unir-nos e trabalhar como uma família, esquecendo o passado e olhando para o futuro, pois só assim poderemos fazer deste Centro Social o melhjor do país”, declarou. Finalmente, ao cair da tarde, o Salão Madeira foi palco de uma recepção na qual foram servidas bebidas, comidas num elegante ambiente. Sandra e Ricardo actuaram em Aragua Já na Casa Portuguesa do Estado de Aragua teve lugar uma grande festa no Salão Principal, a partir das 8:30 da noite, que teve como orador o Cônsul Honorário Marcelino de Canha. Os convidados puderam apreciar música folclórica portuguesa e a actuação de Sandra e Ricardo. Foi ainda promovido um convívio entre sócios e convidados, que contou com um brinde de vinho Madeira. O evento também contou com a presença da junta directiva da instituição e destacadas personalidades da cidade jardim. O

presidente do clube, David Alcaria, mostrou-se satisfeito pelo êxito do evento e pelo grande número de pessoas que se associou ao mesmo. Grande festa em Guayana Também no Centro Português Venezuelano de Guayana foi realizada uma festa, desta feita no domingo, 5 de Julho, no Salão Lusitano do clube. Este evento foi organizado pelo Comité de Damas, tendo sido oferecidos aos sócios e demais comidas e bebidas típicas, música, entre outras surpresas. O tradicional arraial madeirense invadiu o CP Também a 5 de Julho foi realizado o Tradicional Arraial da Madeira no Centro Português, de Caracas, onde sócios e convidados puderam desfrutar de distintas iguarias madeirenses, como a carne de vinda d’ alhos, atum com milho frito, sopa de trigo, espetadas, entre outras iguarias, enquanto apreciavam as actuações de vários grupos musicais contratados para amenizar o recinto.

João da Costa, presidente do Instituto Português de Cultura, IPC, confirmou que o escritor e poeta José Luís Peixoto (Galveias, Ponte de Sor, 1974) “aceitou o convite para a gala de aniversário que decorre em Novembro deste ano”. Costa sublinha que se trata de “um dos escritores contemporâneos mais traduzidos na actualidade, e teremos a oportunidade de partilhar com ele”. O evento servirá também para conhecer os planos ou próximas publicações deste licenciado em Línguas e Literaturas Modernas (inglês e alemão) pela Universidade Nova de Lisboa, assim como as suas motivações e os escritores que deixaram marca no seu percurso literário. Por exemplo, José Saramago (Santarém, Portugal, 16 de Novembro de 1922 - Lanzarote, Espanha, 18 de Junho de 2010), que lhe fazia recomendações sobre esta arte. Outro admirado por Peixoto

é William Faulkner, pois nas suas histórias há traços do escritor dos Estados Unidos e se resta alguma dúvida, há apenas que observar a tatuagem que tem num dos braços: “Yoknapatawpha”, pelo condado fictício onde decorrem muitas das novelas do vencedor do Prémio Nobel de Literatura e duas vezes do Prémio Pulitzer. Reconhecimentos Peixoto recebeu o Prémio Literário José Saramago, em 2001, pela novela Nenhum Olhar, e a este somam-se outros nacionais e internacionais. Vale a pena ressaltar que há já um galardão com o seu nome, Prémio Literário José Luís Peixoto, da Câmara Municipal de Ponte de Sor, que este ano promove a nona edição do concurso dirigido a cidadãos de nacionalidade portuguesa ou residentes em países de língua oficial portuguesa com a finalidade de “incentivar a criatividade literária entre os jovens, assim como o gosto pela leitura.”

20

É o número de idiomas para os quais os seus livros foram traduzidos.

O público que deseje ler em espanhol as histórias de Peixoto pode começar por estes títulos publicados pela El aleph: ‘Una casa en la oscuridad’, ‘Cementerio de pianos’, ‘Libro’ ‘Nadie nos mira’.


12 Portugal breves Mercadoria movimentada no Porto de Sines aumenta mais de 25% O Porto de Sines anunciou, no passado 6 de Julho, ter movimentado 21,8 milhões de toneladas de mercadorias no 1.º semestre deste ano, o que representa um crescimento superior a 25% face a período homólogo de 2014. A Administração dos Portos de Sines e do Algarve (APS), em comunicado divulgado segunda-feira, realçou que “todos os segmentos de carga” contribuíram para este “novo máximo”. “Todos eles tiveram um comportamento positivo, o que na prática significa dizer que todos os terminais especializados do Porto de Sines cresceram”, continuou.

IGCP espera emitir pelo menos 5.000ME no terceiro trimestre O IGCP anunciou, em 7 de Julho último, que espera angariar, durante o terceiro trimestre, pelo menos 5.000 milhões de euros, através de emissões de curto prazo até 4.000 milhões e com pelo menos uma emissão de longo prazo até 1.000 milhões. A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública divulgou as linhas de actuação para o terceiro trimestre, no âmbito do programa de financiamento de 2015, prevendo “emissões de Obrigações do Tesouro (OT), através da combinação de sindicatos e leilões”.

Alargado pagamento de dívidas à Segurança Social As pessoas colectivas com dívidas à Segurança Social vão poder fazer o seu pagamento em 150 prestações, face às anteriores 120, a partir de quartafeira, 8 de Julho, mas mediante alguns requisitos, segundo um diploma publicado. Esta alteração já tinha sido aprovada pelo Conselho de Ministros a 28 de Maio, mas só a 7 de Julho o diploma foi publicado em Diário da República, para entrar em vigor no dia seguinte.

Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015 | Correio da Venezuela

Crédito

Malparado das famílias e das empresas volta a subir em Maio CORREIO/LUSA

Segundo dados do Banco de Portugal, o crédito malparado das famílias e das empresas subiu para os 18.850 milhões de euros O crédito malparado das famílias e das empresas voltou a subir em Maio, totalizando os 18.850 milhões de euros e representando cerca de 9% do total dos empréstimos concedidos, divulgou o Banco de Portugal (BdP), no passado 7 de Julho. Segundo o banco central, o crédito malparado das famílias subiu em Maio para os 5.440 milhões de euros e o das empresas aumentou para os 13.410 milhões de euros, representando 9,08% dos 207.410 milhões de euros emprestados nestes dois sectores. No que diz respeito às famí-

O crédito malparado nas famílias atingiu um novo máximo em percentagem do total. FOTO DR

lias, dos 122.176 milhões de euros emprestados, 5.440 milhões eram considerados créditos vencidos, representando 4,45% do total. Este é um novo máximo do crédito malparado nas famílias em percentagem do total, depois de em Abril ter atingido os 5.435 milhões de euros, o que representava 4,44% do total de 122.298 milhões concedidos pela banca a particulares. O crédito de cobrança duvidosa na habitação, em percentagem

do total do crédito concedido para este fim, também subiu de 2,52% em Abril para 2,53% em Maio, atingindo os 2.540 milhões de euros. Por outro lado, os dados do BdP mostram que o malparado desceu no crédito ao consumo (em percentagem do total emprestado), de 10,89% em Abril para 10,79% em Maio, representando 1.311 milhões de euros do total de 12.146 milhões concedidos. Já quanto ao crédito a particulares para outros fins, os números

do regulador dão conta de uma ligeira subida do crédito de cobrança duvidosa, de 16,22% em Abril para 16,25% em Maio, totalizando 1.589 milhões de euros dos 9.778 milhões concedidos. No caso das empresas, o crédito malparado também aumentou para 15,73% em Maio (13.410 milhões de euros), quando em Abril representava 15,55% (13.262 milhões de euros) do total dos empréstimos concedidos a empresas. Desde Fevereiro do ano passado que o crédito malparado para as empresas ultrapassou os 10% do total concedido e durante um ano alcançou novos máximos, ultrapassando em Fevereiro os 15% do total de créditos concedidos. No caso das empresas de construção, o crédito malparado ultrapassou em Maio os 31,4% dos empréstimos concedidos pela banca, atingindo os 4.632 milhões de euros (do total de 14.753 milhões). No mês anterior, o malparado das empresas de construção representava 30,7% do total: 4.541 milhões de euros do total de 14.765 milhões de euros concedidos.

OCDE

Despesas de saúde privada em Portugal e na Grécia com o maior crescimento CORREIO/LUSA

De acordo com dados do relatório “Estatísticas de Saúde 2015” da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico As despesas de saúde privada em Portugal e na Grécia tiveram o maior crescimento da área da OCDE desde 2009 a 2013, signifi-

cando já um terço da despesa total em saúde, segundo um relatório divulgado a 7 de Julho. As “Estatísticas de Saúde 2015” da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) mostram que a despesa de saúde continuou a tendência decrescente em Portugal, Grécia e Itália no ano 2013. “A maioria dos países membros da OCDE da União Europeia indicou gastos com a saúde per capita abaixo dos níveis de 2009. Fora da Europa, estas despesas aumentaram a uma taxa de 2,5% ao ano desde 2010”, refere a OCDE. Três quartos dos gastos com a saúde continuam a ser financiados por fontes públicas nos países da

Na OCDE, três quartos dos gastos com a saúde continuam a ser financiados por fontes públicas. FOTO DR

OCDE, “mas as medidas de contenção de custos tomadas por alguns estados levaram a um aumento do consumo privado”, seja através de seguros de saúde ou de pagamentos directos pela família. “Na Grécia e em Portugal, a par-

ticipação das despesas de saúde privada cresceu quatro pontos desde 2009, o que representa o maior aumento na área da OCDE, e significa que um terço da despesa total em saúde estava foi financiado por fontes privadas em 2013”.


Correio da Venezuela | Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015

Economia

Défice da balança comercial aumentou após três anos de queda CORREIO/LUSA

A evolução desfavorável verificada no comércio Intra-União Europeia foi decisiva para o défice da balança comercial O défice da balança comercial aumentou em 2014, após três anos de diminuição, com as exportações a registarem uma subida homóloga de 1,8% e as importações a crescerem 3,2%, divulgou o Instituto Nacional de Estatística (INE), em 7 de Julho último. Os resultados preliminares do comércio internacional em 2014 mostram que o saldo das transacções comerciais de bens com o exterior atingiu um défice de 10.676,7 milhões de euros, o que significa um aumento de 966,8 milhões de euros face a 2013. A evolução desfavorável verificada no comércio Intra-União Europeia (UE) foi decisiva para o défice da balança comercial, já que o saldo da balança Extra-UE de bens registou uma evolução positiva. No comércio Intra-UE, as exportações cresceram 2,7% e as importações 7,1%, registando-se aumentos de 1,8% e 6,6%, respectivamente, para os países da zona euro. O peso relativo dos países terceiros nas exportações totais de

Portugal 13 breves Acidentes com bicicletas aumentaram quase 9% em 2014 Quatro por cento dos acidentes rodoviários envolveram bicicletas em 2014, ano em que os desastres com este tipo de veículos aumentaram quase nove por cento, segundo um relatório da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR). O relatório da ANSR sobre a sinistralidade rodoviária em 2014, divulgado na sua página da internet, adianta que se registaram 1.914 acidentes com bicicletas no ano passado, mais 152 do que em 2013, quando ocorreram 1.762.

A venda de bens ao estrangeiro totalizou 48.177,1 milhões de euros. FOTO DR

Portugal, contrariamente à evolução dos anos anteriores, diminuiu em 2014 para 29,1% (-0,6 pontos percentuais face a 2013). A venda de bens ao estrangeiro totalizou 48.177,1 milhões de euros, enquanto as compras atingiram 58.853,8 milhões de euros. Os maiores défices verificaramse com Espanha, Alemanha e Itália, enquanto os maiores excedentes registaram-se com Angola, França e Estados Unidos da América. Espanha continuou a ser o país com maior peso nas transacções comerciais de bens, tanto a nível de exportações (23,5%) como de importações (32,5%), tendo França superado a Alemanha como segundo maior cliente externo. No seu conjunto, representaram 46,9%

As máquinas e aparelhos, veículos e outro material de transporte e combustíveis minerais mantiveram-se no topo da lista de produtos exportados das exportações. Espanha, Alemanha e França foram igualmente os principais fornecedores de bens, sendo responsáveis por 51,9% das importações em 2014. As máquinas e aparelhos, veículos e outro material de transporte e combustíveis minerais mantiveram-se no topo da lista de produtos exportados, enquanto os combustíveis minerais e as máquinas e aparelhos continuaram a ser

os mais importados. Tanto as exportações como as importações de combustíveis minerais diminuíram, reflectindo a redução dos preços nos mercados internacionais e a paragem das refinarias nacionais, para trabalhos de manutenção, no início de 2014. Devido ao acentuado decréscimo das importações de combustíveis minerais, o maior excedente comercial passou a registar-se nas trocas de bens com Angola.

Número de clientes no mercado livre do gás cresce 45% no 1.º trimestre O número de clientes no mercado liberalizado de gás natural totalizava no final do primeiro trimestre cerca de 886 mil, um acréscimo de 45% face ao período homólogo, de acordo com a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE). No final de Março, restavam cerca de 490 mil consumidores no mercado regulado, que representam apenas cerca de 7% do consumo em Portugal continental, uma vez que os fornecimentos a grandes clientes são realizados em regime livre desde Março de 2013.


14 Portugal

Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015 | Correio da Venezuela

Ensino superior

Fenprof quer fim da divisão entre universitário e politécnico CATANHO FERNANDES

Federação defende que o sistema de ensino superior nacional passe a funcionar num modelo unitário A Fenprof apresentou, segundafeira, 6 de Julho, um conjunto de propostas para discussão pública, no qual defende que o sistema de ensino superior nacional passe a funcionar num modelo unitário, ao invés do modelo binário dividido entre universidades e politécnicos. “Esta divisão tem criado uma hierarquia que é percepcionada na sociedade como havendo um sistema mais para as elites [as universidades], e um sistema mais de segunda categoria, que seria o politécnico. Isto tem sido muito negativo para o país. Nós desde há muito tempo que vimos defendendo que o sistema devia ser unitário, apesar de diversificado. Os públicos são diversos, os objectivos formativos são diversos. Essa diversidade deve continuar a existir, mas nada obriga a que isso só possa ser feito a partir de uma divisão quase estanque entre os dois subsistemas”, disse o

Óbito

Valdis Dombrovskis assegura que “estabilidade da zona euro não está em questão”. FOTO DR

‘Grexit”

Bruxelas considera Portugal entre os países bem protegidos CORREIO/LUSA

A Fenprof acusa o Governo de ter “procurado acentuar as diferenças”. FOTO DR

dirigente da Fenprof João Cunha Serra. O sindicalista falava numa conferência da Federação Nacional dos Professores (Fenprof ) em Lisboa, convocada para apresentar as propostas que a federação quer levar universidades, politécnicos, alunos, entre outros, a discutir, estando já previsto pedir a marcação de reunião com o Conselho de Reitores das Universidades Portugue-

Morreu Maria Barroso CATANHO FERNANDES

Mulher do ex-Presidente da República Mário Soares estava internada, em estado grave, desde 26 de Junho Maria Barroso, mulher do exPresidente da República Mário Soares, morreu, na terça-feira, 7 de Julho, aos 90 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, onde estava internada, em esta-

sas (CRUP) e com o Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP) para discutir a proposta formalizada. A Fenprof acusa o Governo de ter “procurado acentuar as diferenças” entre os dois subsistemas, e de querer transformar o ensino politécnico -- sobretudo as instituições com menos procura -- em instituições de “ensino pós-secundário, ensino profissional”.

do grave, desde 26 de Junho, disse fonte do hospital. Internada devido a uma queda, foi-lhe depois diagnosticado um derrame intra-craniano e entrou em coma no mesmo dia. Maria Barroso casou com Mário Soares em 1949, de quem tem dois filhos, João e Isabel. Actriz, foi uma das fundadoras do Partido Socialista, liderado por Mário Soares, em 1973. Um dos seus últimos cargos públicos foi a presidência da Cruz Vermelha Portuguesa, tendo também dirigido a associação Pro Dignitate, que ajudou a fundar. Diplomou-se em Arte Dramática na escola de Teatro do Conservatório Nacional e licenciou-se depois em Ciências Histórico-Filosóficas, na Faculdade de Letras de Lisboa, onde conheceu Soares.

Valdis Dombrovskis defendeu que a Europa dispõe hoje dos meios para proteger “as economias mais vulneráveis” A Comissão Europeia de fendeu, na segunda-feira, 6 de Julho, que a “estabilidade da zona euro não está em questão” e que existem actualmente as “ferramentas necessárias” para prevenir que a instabilidade financeira se propague a outros Estados-membros do euro, como Portugal. Numa conferência de imprensa em Bruxelas, no dia seguinte à vitória do ‘Não’ no referendo na Grécia, o vicepresidente da Comissão responsável pelo euro, Valdis Dombrovskis, questionado sobre o risco de a situação na Grécia afectar países como Portugal e Irlanda, que também estiveram sob programa de assistência, defendeu que a Europa dispõe hoje dos meios para proteger “as economias mais vulneráveis” e observou que, para já, “as reacções dos mercados foram muito limitadas”. “Temos todas as ferramentas necessárias para garantir a estabilidade financeira da zona euro, e o Eurogrupo e as autoridades

da zona euro estão prontas a recorrer a essas ferramentas para impedir que a instabilidade financeira se propague”, disse. Sustentando que “a estabilidade da zona euro não está em questão”, o comissário do euro lembrou que, “a 27 de Junho, o Eurogrupo reiterou que as autoridades da zona euro estão prontas a fazer o que for necessário para garantir a estabilidade da zona euro”, e comentou que a arquitectura montada na sequência da crise permite encarar a situação com confiança. “Temos tudo o que necessitamos para gerir a situação. Temos uma união bancária para garantir a estabilidade do sector financeiro, temos um mecanismo europeu de estabilidade com um poder de fogo de 500 mil milhões de euros para ajudar as economias mais vulneráveis, temos governação económica e orçamental mais forte, e o Banco Central Europeu está a fazer uso pleno das suas ferramentas para assegurar a estabilidade”, disse. Sobre este, Valdis Dombrovskis lembrou que o Tribunal de Justiça da UE confirmou recentemente a legalidade do programa de compra de dívida pública por parte do BCE, que está “a monitorizar atentamente a situação”. Os gregos rejeitaram no domingo por ampla maioria as propostas dos credores internacionais, abrindo caminho à incerteza sobre a permanência da Grécia na zona euro.


Correio da Venezuela | Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015

Publicidade 15


16 Venezuela

Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015 | Correio da Venezuela

Idioma

Realizado com êxito II Encontro de Professores de Português

Victoria Urdaneta Fernando Cámara

Reuniu especialistas de todo o país para gerar propostas concretas. O II Encontro de Professores de Língua Portuguesa de Venezuela realizou-se no passado dia 4 de Julho, no auditório do Instituto Universitário Tecnológico Américo Vespucio, IUTAV, situado em Caracas, onde mais de 40 participantes ouviram teorias, partilharam opiniões e geraram propostas, fruto de três mesas de trabalho. O evento foi organizado pela Coordenação do Ensino do Português da Embaixada de Portugal (a cargo de Rainer Sousa),em aliança com o Instituto Camões (representado pela leitora Sofia Saraiva), a Editorial Lidel, o Centro de Língua Portuguesa e o CORREIO, comprometido com a promoção da cultura e o desenvolvimento da comunidade luso-venezuelana. Foi notável a diversidade de pessoas que se apresentaram no II Encontro de Professores, no que diz respeito à proveniência, nacionalidade, idade ou experiência laboral, o que propiciou a discussão e demonstrou que as diferenças podem ser superadas quando todos lutam por um mesmo objectivo, que nes-

ESTUDANTES PROACTIVOS “A tecnologia é uma grande ferramenta” A esta jornada também assistiram estudantes, que deram a conhecer os seus pontos de vista, como foi o caso de Sonlly Contreras, que frequenta o terceiro ano do curso de Idiomas Modernos na Universidade Central de Venezuela, e para além disso ensina o idioma português através do Skype, um programa com inúmeros utilizadores que permite comunicações de texto, voz e vídeo através da Internet (VoIP). Tal como comprovou esta jovem, “a tecnologia é uma grande ferramenta, tem muitas vantagens quando se trata de aprender um idioma, sobretudo para quem não tem muito tempo ou que se encontre em locais distantes.” “Aprender requer técnica e motivação” María de Los Ángeles Marval é estudante da ALDI e já viajou duas vezes ao Brasil para conhecer mais de perto a sua cultura. “A primeira vez fui no âmbito de uma Jornada Mundial da Juventude com o Papa Francisco, em 2013, e a segunda foi no Carnaval de 2014, duas experiências muito diferentes mas desfrutei muito de ambas”. No que diz respeito ao processo de aprendizagem, Marval considera que “os alunos devem comprometer-se para conseguir os resultados desejados: Ouvir programas em português, provar a comida, comunicar com as pessoas... porque aprender requer técnica e motivação.”


Correio da Venezuela | Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015

OPINIÕES EM SINTONIA “A língua é uma porta para a cultura” O alcance do idioma é um tema destacado por Milagros García, professora da Academia Lusa de Idiomas, ALDI, situada em Barquisimeto, Estado de Lara. “A língua é uma porta para a cultura e por isso aprender português permite conhecer tudo o que há em países como por exemplo Portugal ou Brasil, o que me interessou tanto que cheguei a viver um bom tempo lá para fazer estudos de pós-graduação e terminei a gostar muito das pessoas, a sua forma de ser, as expressões, costumes e paisagens”, explica García, que além disso tem a experiência da docência universitária no campo da investigação. “Gostamos de fazer isto, é o nosso trabalho” O professor do Centro Social Virgem de Fátima de Guatire, San Agustín del Paraíso e Colégio Fátima de San Bernardino, Alberto Andrade, mostrou a sua satisfação pelo acontecimento. “É um passo adicional do que nós fazemos, dia a dia ou semana a semana. Isso depende de cada um no ensino do português. É o que gostamos. Isto dá-nos a oportunidade de confraternizar, de conviver com outros professores, actualizar muita informação e aprender e passar um dia agradável. Nem tudo é só dar aulas, nem tudo é trabalho. É de tudo um pouco”, disse. Apesar da situação do país, não pára o seu trabalho. “É necessário, é difícil no processo. Difícil pelas dificuldades que existem na Venezuela, mas não impossível. Já temos a associação. Há cada vez mais sítios onde se ensina o português e cada dia há mais necessidade de abertura de novos espaços. Há

muitas pessoas que querem aprender outro idioma e não é por isso que vamos deixar de fazer o nosso trabalho. É complicado mas é necessário. Faz-se o que se pode”, assinalou. Considera que um encontro por ano é suficiente. “Acho que uma vez ao ano é suficiente. É perfeito assim”, apontou.

“É uma iniciativa muito bonita com professores de diferentes partes do país” Paola Turco, professora do Instituto Cultural Brasil - Venezuela, considera que se trata de um encontro excelente. “É uma iniciativa

muito bonita com professores de diferentes partes do país e que não só dominam o português europeu mas também o português do Brasil. Nestes encontros, trocam-se ideias, propostas para melhorar as nossas condições de trabalho”, sublinhou. Tal como vários dos seus colegas, pensa que o ensino do português aumentou bastante. “O nosso trabalho também, desde há dois anos. Isto motiva-nos mais e ajuda-nos a adquirir ferramentas para melhorar a nossa forma de dar a aula”, comentou. Coincide com Enrique de Sa no facto de considerar que este tipo de acontecimentos devem fazer-se de forma menos espaçada. “Um encontro por ano considero que é pouco. Deveriam ser dois ou três encontros”, defendeu.

ta oportunidade foi o ensino e difusão da língua portuguesa. De acordo com Sousa, “o avanço foi notável e isto é fruto do trabalho em equipa para conseguir uma meta comum. Devemos permanecer unidos para alcançar grandes resultados, tanto os professores orientados para o Brasil como os

de Portugal, os representantes das escolas, clubes e institutos, assim como os funcionários”, cuja representante este ano foi Melvy Singer, do Ministério para a Educação. Ricardo Salomão O conferencista convidado foi Ricardo Salomão, doutor em Estu-

“O encontro foi bastante produtivo” Enrique de Sa trabalha na Escola de Idiomas da Universidade Central de Venezuela e no Colégio Caracas. Vê de forma positiva o evento realizado no passado dia 4. “Foi bastante produtivo, foi bastante interessante. Acho que estamos num momento de avanço, de

Venezuela 17

concretizar os projectos para a Associação de Professores e para o crescimento do ensino da língua portuguesa na Venezuela”, comentou. Vê com agrado o crescimento do ensino da língua. “Foi impressionante. Ouvi um comentário de alguém que dizia que isso está a acontecer pela necessidade de sair para Portugal ou para o Brasil mas não acho que seja de todo correcto. Sinto que o venezuelano está a dar-se de conta que é importante aprender outras línguas que não seja apenas o inglês. É necessário. Também acho que faz parte de um mundo globalizado”, explicou. É da opinião que estes encontros deveriam realizar-se de forma mais seguida. “Acho que deveria fazer-se a cada três meses para fazer a supervisão dos projectos e acordos, para além de produzir uma dinâmica de trabalho importante e que os professores estejam sempre nessa dinâmica e fazer isto com uma unidade sólida”, apontou.

“O idioma é muito mais do que gramática” João da Costa, professor do Centro Português em Caracas com 20 anos de experiência, conhece muito bem as arestas do ensino do português como língua estrangeira e assegura que “o idioma é muito mais do que a gramática, é história, música, literatura... e é precisamente disso que nos encarregamos no Instituto Português de Cultura”, diz Costa, que também é presidente do IPC, e aproveitou a ocasião para convidar à participação nos eventos que se realizam ao longo do ano, especialmente em Junho (no âmbito do Dia de Portugal) e em Novembro (mês de aniversário do Instituto).

“A palestra de Ricardo Salomão foi muito boa” A leitora do Instituto Camões e professora da Escola de Idiomas da UCV, Sofia Saraiva, ressalta a importância dos encontros de professores. “É um êxito para a continuidade do ensino do português na Venezuela. As mesas de trabalho são sempre uma oportunidade importante dos Portugueses com especialidade em Linguística Aplicada, reconhecido docente e investigador da Universidade Aberta. Nesta oportunidade, aprofundou o tema “Língua e Cultura: Da aula à sociedade”, que encerra o ciclo de temas que foram abordados noutros locais, como “Português: Língua de herança”,

para que as pessoas mostrem as suas dúvidas, opiniões, entre outras coisas. Para além disso, foi muito boa a palestra do doutor Ricardo Salomão, foi muito interessante. Conseguiu-se essa dinâmica entre os professores que se reúnem tão poucas vezes. Estas iniciativas são muito positivas”, apontou. Vê numa curva ascendente o ensino da língua portuguesa. “Há um crescimento claro, por circunstâncias diversas, sem importar quais. A presença de Rainier (Sousa) faz com que haja uma figura importante no que diz respeito ao ensino do português e as pessoas sabem a que porta bater, é uma grande conquista da coordenação. O ensino aumentou e acho que continuará assim”, explicou. Para esta responsável, está bem assim a periodicidade em que se realiza o encontro. “Uma vez por ano vamos realizando o balanço do que se conseguiu nesse período de tempo. Aumentar a frequência será talvez forçado. Acho que esta periodicidade é perfeita”, apontou. “Português no mundo”, “Ciências da linguagem e ensino aprendizagem do português” e “O valo económico do português”. Na opinião deste perito, “estes encontros são muito produtivos porque fomentam o estudo da língua de diferentes pontos de vista e, o que é mais importante, a relação que tem com a sociedade,

Ricardo Salomão O conferencista convidado foi Ricardo Salomão, doutor em Estudos Portugueses com especialidade em Linguística Aplicada, reconhecido docente e investigador da Universidade Aberta. Nesta oportunidade, aprofundou o tema “Língua e Cultura: Da aula à sociedade”, que encerra o ciclo de temas que foram abordados noutros locais, como “Português: Língua de herança”, “Português no mundo”, “Ciências da linguagem e ensino aprendizagem do português” e “O valo económico do português”. Na opinião deste perito, “estes encontros são muito produtivos porque fomentam o estudo da língua de diferentes pontos de vista e, o que é mais importante, a relação que tem com a sociedade, as expressões que nascem das pessoas, a evolução que se observa dia-a-dia”. Ricardo Salomão dissertou também sobre os desafios que se impõem na actualidade em matéria linguística, “como as mudanças, que não devem ver-se como prejudiciais mas como enriquecedoras, e é aqui que a adaptabilidade é necessária”.

“Interessante e estratégico” O primeiro tenente Jorge Correa, professor na Escola de Idiomas Generalíssimo Francisco de Miranda, adscrita à Universidade Militar Bolivariana de Venezuela, afirma que “a proximidade geográfica e os laços com o Brasil, assim como os acordos com Portugal, impulsionam o desenvolvimento da língua lusitana no nosso país”. Sublinha “o interessante e estratégico que é o idioma português. Por isso, a força militar está muito motivada e participa activamente nas aulas da instituição, junto com os alunos civis, a quem também se abriram as portas da escola.”

as expressões que nascem das pessoas, a evolução que se observa diaa-dia”. Ricardo Salomão dissertou também sobre os desafios que se impõem na actualidade em matéria linguística, “como as mudanças, que não devem ver-se como prejudiciais mas como enriquecedoras, e é aqui que a adaptabilidade é necessária”.


18 Portugal

Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015 | Correio da Venezuela

Diáspora

União Europeia

Portugal regista a taxa mais alta de população emigrada CORREIO/LUSA

Segundo o estudo “Três Décadas de Portugal Europeu”, que faz um balanço da integração europeia desde 1986 Com mais de cinco milhões de pessoas de origem portuguesa espalhadas pelo mundo, Portugal apresenta actualmente a taxa de população emigrada mais elevada da União Europeia (UE28) e é o sexto país em número de emigrantes. Segundo o estudo “Três Décadas de Portugal Europeu”, que faz um balanço da integração europeia desde 1986, as sucessivas vagas de portugueses que partiram rumo às Américas (Brasil, Venezuela, EUA ou Canadá), à Europa (França, Alemanha, Luxemburgo, depois Suíça, Es-

Mais de cinco milhões de pessoas de origem portuguesa residem no estrangeiro. FOTO DR

panha ou Reino Unido) ou às ex-colónias (agora Angola ou Moçambique) terão acumulado mais de dois milhões de emigrantes e espalhado pelo mundo e mais de cinco milhões de pessoas de origem portuguesa neste período. O número de novos emigrantes já ultrapassa os 50 mil, ultrapassando desde 2011 a chegada de imigrantes, cujo valor caiu de um máximo de 80 mil em 2002 para menos de 20 mil em 2013. Em 2012, Portugal regista mesmo a segunda taxa de imigração mais reduzida da UE, refere o trabalho, coordenado por Augusto Mateus e que foi apresentado em Lisboa, na quartafeira, 8 de Julho. A evolução das taxas de emigração e imigração reflecte o impacto da crise financeira em países como Irlanda, Espanha, Grécia e Portugal que estão entre os Estados-membros em que a taxa de emigração mais subiu e a taxa de imigração mais caiu desde 2008. Vivem hoje no país mais meio milhão de pessoas do que à data de adesão à CEE, mas após registar um máximo populacional de 10,6 milhões em 2008/2010, a população regrediu uma década encontrando-se agora abaixo dos 10,5 milhões. As projecções europeias para 2013/2080, apontam para um cenário em que Portugal terá

Empreendedorismo

Alto Comissariado para as Migrações lança concurso para emigrantes CORREIO/LUSA

Programa vai seleccionar até 240 projectos de cidadãos e luso-descendentes com residência no estrangeiro O Alto Comissariado para as Migrações (ACM) lançou um concurso de ideias para valorizar o empreendedorismo emigrante, que come-

çou a aceitar candidaturas desde terça-feira, 7 de Julho. Segundo um comunicado do ACM enviado à Lusa, o Concurso de Ideias VEM - Valorização do Empreendedorismo Migrante pretende distinguir projectos de capacitação dos emigrantes no “desenvolvimento de competências de gestão” e apoiar aqueles “que têm projectos para a criação de negócios em Portugal”. Incluído no Plano Estratégico para as Migrações, o concurso aceita candidaturas entre 7 de Julho e 7 de Setembro e seleccionará “até 240 projectos” de cidadãos

portugueses e luso-descendentes residentes no estrangeiro, que, inicialmente, “beneficiarão de apoio técnico” para desenvolver o plano de negócio e, se eleitos finalistas, poderão obter “até 20 mil euros de financiamento”. No comunicado, o alto comissário para as Migrações, Pedro Calado, adianta que vão ser criados também Projectos Locais de Capacitação, com o objectivo de dar “novas valências aos portugueses que estão fora do país e, em especial, aos que querem regressar, para desenvolver o seu projecto profissional em Portugal”.

ACM seleccionará até “até 240 projectos”. FOTO DR

menos de dez milhões de habitantes até 2030, menos de nove milhões até 2050 e perderá um quarto da sua relevância na população europeia até 2060, evoluindo em linha com a Grécia. O saldo natural (diferença entre nascimento e mortes) estreitou-se, até passar a ser negativo em 2007, e desde 2011, o saldo migratório (diferença entre imigrantes e emigrantes) acentuou também a tendência negativa. Em 2012/2012, o país já perdia cinco a seis habitantes por cada mil. A população estrangeira, que chegou a multiplicou por mais de cinco vezes desde 1986 e superou um máximo de 450 mil em 2009, recuou mais de 50 mil desde a crise financeira. Na altura em que Portugal aderiu à CEE, a maioria dos estrangeiros era oriunda das ex-colónias, nomeadamente de Cabo Verde, mas hoje um em cada cinco estrangeiros é oriundo dos PALOP (Países de Língua Oficial Portuguesa), outro do Brasil e outro de Leste. No contexto do programa de assistência financeira, Portugal foi o nono Estado-membro na UE28 que mais perdeu população (-1%), atrás da Grécia e da maioria dos países do alargamento que encolhem há mais de duas décadas, como Hungria, Bulgária, Roménia, Letónia, Lituânia ou Estónia.


Correio da Venezuela | Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015

Publicidade 19


20 História de Vida

Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015 | Correio da Venezuela

Arturo Pinto de Abreu:“A vida deve ganhar-se dignamente”

Victoria Urdaneta

Nascido em Portugal, criado e formado na Venezuela, tem de abandonar o país devido à situação que aqui se vive e estabelecer novo lar em Espanha. Os transeuntes de Sabana Grande dão as boas vindas à manhã com um café fumegante preparado por Arturo Pinto de Abreu, no local onde trabalha há muitos anos. Quem poderia imaginar que junto a essa máquina de café aconteceram vários dos seus melhores momentos, como o dia em que decidiu que ficaria na Venezuela ou quando conheceu a mulher que pouco tempo depois se tornaria sua esposa, mas esse capítulo contaremos mais à frente, agora vamos ao início... Os seus pais (Manuel Pinto e Maria José) eram do Curral das Freiras, uma freguesia do concelho de Câmara de Lobos, a mesma zona onde nasceu e cresceu. “Saí da minha terra com 17 anos de idade, já que o meu pai não queria que eu fosse para a tropa, porque depois dos 18 tínhamos de servir no exército. Nessa altura, a situação era muito difícil e os homens da família tiveram de emigrar enquanto a minha mãe e as minhas irmãs ficaram em Portugal. O meu pai foi

para o Curaçau e o meu destino foi a Venezuela.” A bordo do Auriga Veio no transatlântico Auriga, inscrito na matrícula naval de Nápoles, propulsionado por duas máquinas alternativas de tripla expansão, com uma potência total de 5 mil cavalos, navegando a uma velocidade de 14 nós com bom tempo. O navio passou ao serviço da Venezuela e da América Central a 22 de Janeiro de 1951 e passou muitos anos a transportar emigrantes para novos horizontes. “Passei oito dias no barco, foi uma viagem muito longa, esgotante. Para além disso, no trajecto pensava no futuro, em todas as metas que conseguiria, mas também na falta de experiência. São esses momentos que se alguém te aconselha, torna-se muito importante para enfrentar a vida. Felizmente Deus sempre nos guia e isso dava-me muita segurança”. Foi recebido no porto de La Guaira por um dos seus irmãos e um cunhado. Viveu em La Pastora, depois em El Cementerio, Prado de

María, Las Acacias e Sabana Grande. Trabalhou desde o primeiro dia neste país. “Primeiro lavrei a terra, depois empregaram-me num supermercado e deram-me a tarefa de arrumar frutas, mas eu esforçava-me por fazer de tudo porque desde muito pequeno sabia que a vida deve ganhar-se dignamente. Trabalhávamos 15 horas por dia, não tínhamos dias livres, sem sequer na Semana Santa, meio do ano ou 24 de Dezembro, porque todos os dias eram bons para receber os clientes, limpar o espaço ou tratar dos pedidos.”

“Emigrar é um desafio muito duro” Regressou a Portugal quando tinha 26 anos, na década de 60, quando o pai morreu. Nessa altura quis ficar lá mas a tropa foi de novo um obstáculo porque tinha de apresentar-se e servir. Pelo que regressou, mas sempre com a nostalgia no coração. “É que saímos muito jovens, deixamos os amigos e a família. Por isso digo aos venezuelanos que emigrar é demasiado difícil. Podes construir um lar longe da tua terra, mas sofremos e trabalhamos muito”. Ainda assim, Arturo aprendeu a amar os dois países. “Emociono-me cada vez que ouço o hino nacional de Portugal ou alguma canção de lá e também quando tocam o da Venezuela. Acabas com o coração apertado.”

Passei oito dias no barco, foi uma viagem muito longa, esgotante. Para além disso, no trajecto pensava no futuro, em todas as metas que conseguiria, mas também na falta de experiência. São esses momentos que se alguém te aconselha, torna-se muito importante para enfrentar a vida. Felizmente Deus sempre nos guia e isso dava-me muita segurança” Amor à primeira vista A personagem que entra nesta cena é uma jovem proveniente da Ponta do Sol, Madeira. O pai faleceu quando ela tinha 4 anos e a mãe tomou as rédeas da família. Decidiram mudar-se para o Curaçau e a jovem veio à Venezuela para visitar um irmão que já estava em Maracay. Casualmente, ficou no mesmo edifício onde se encontrava o negócio do senhor Arturo, e ao chegar, viu-o. Ele estava a traba-

lhar com a máquina de café e nesse instante, a vida dos dois mudou: Foi amor à primeira vista. “Ela era solteira, muito linda, de grande coração e com bons sentimentos. Começou uma amizade e pouco tempo depois casámo-nos e tivemos dois filhos. Lembro-me perfeitamente daquele dia como se tivesse sido ontem, era 19 de Janeiro de 1969 e quando ela entrou na igreja eu estava emocionado”. O seu lar em Portugal esteve sempre presente, desde a comida até à música, “tanto por nós como pela minha sogra, que sempre quis viver ao lado da filha e isso pareceume o melhor. Foi como uma mãe para mim, tinha um carácter muito tranquilo, nunca se queixava, tratava com muito carinho os nossos filhos e tenho belas recordações dela”. Muitos anos depois, a sua sogra faleceu e a esposa apresentava altos e baixos na saúde, mas assume-o com grande espírito.


Correio da Venezuela | Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015

Publicidade 21


22 Cultura

Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015 | Correio da Venezuela

Folclore

Grupo Os Lusíadas vence Encontro Continental

Resultados por categorias Madrinha 1. Grecia Pacheco - Grupo Folclórico do Centro Sociocultural Virgem de Fátima (508 pontos)

Traje típico

1. Associação Cultural Grupo Folclórico Os Lusíadas (285 pontos) 2. Grupo Folclórico do Centro Sociocultural Virgem de Fátima (273 pontos) 3. Grupo Folclórico do Centro Luso Venezuelano de Los Valles del Tuy (270 pontos)

Kenner Prieto kprieto@correiodevenezuela.com

O grupo folclórico caraquenho conseguiu o primeiro lugar nas categorias Traje Típico, Expressão Etnográfica e Coreografia, tornandose no grande vencedor da jornada. A Associação Cultural Grupo Folclórico Os Lusíadas conquistou o primeiro lugar no XII Encontro de Folclore Português Continental, que decorreu no passado domingo, dia 5, no Centro Marítimo de Venezuela, situado no sector Turumo do Estado de Miranda. Um total de quatro grupos participou na nova edição desta iniciativa, que foi organizada, desta vez, pelo Grupo Folclórico Internacional Luso do Centro Marítimo de Venezuela. Passava pouco das três da tarde quando o chefe de redacção do CORREIO de Venezuela, Sérgio Ferreira, subiu ao palco para dar início

Expressão Etnográfica

1. Associação Cultural Grupo Folclórico Os Lusíadas (558 pontos) 2. Grupo Folclórico do Centro Sociocultural Virgem de Fátima (551 pontos) 3. Grupo Folclórico Renascer Lusitano (528 pontos)

Voz Masculina 1. Grupo Folclórico do Centro Sociocultural Virgem de Fátima (280 pontos) 2. Grupo Folclórico Renascer Lusitano (225 pontos) 3. Associação Cultural Grupo Folclórico Os Lusíadas (200 pontos)

Voz Feminina formal ao evento, com as notas dos hinos nacionais da Venezuela e de Portugal. Depois de uma abertura dedicada ao coração de Viana, o animador chamou ao palco as madrinhas dos diferentes grupos participantes para a primeira competição da jornada. O primeiro grupo a subir ao palco para apresentar as suas danças foi o Grupo Folclórico Renascer Lusitano, seguido do grupo do Centro Luso Venezuelano de Los Valles del Tuy. Depois de uma breve pausa,

chegou a vez da Associação Cultural Grupo Folclórico Os Lusíadas e do grupo proveniente do Centro Sociocultural Virgem de Fátima de Guatire, Estado de Miranda. Os membros dos grupos e o público em geral desfrutaram da tradicional ‘Hora Loca’ enquanto o júri decidia o desempate do primeiro lugar em três categorias. Os organizadores entregaram reconhecimentos aos membros do júri e a alguns colaboradores que tornaram possível este Encontro.

1. Grupo Folclórico Renascer Lusitano (261 pontos) 2. Associação Cultural Grupo Folclórico Os Lusíadas (260 pontos) 3. Grupo Folclórico do Centro Luso Venezuelano de Valles del Tuy (236 pontos)

Grupo Musical 1. Grupo Folclórico do Centro Sociocultural Virgem de Fátima (281 pontos) 2. Associação Cultural Grupo Folclórico Os Lusíadas (280 pontos) 3. Grupo Folclórico Renascer Lusitano (270 pontos)

Coreografia 1. Associação Cultural Grupo Folclórico Os Lusíadas (810 pontos) 2. Grupo Folclórico do Centro Sociocultural Virgem de Fátima (805 pontos) 3. Grupo Folclórico do Centro Luso Venezuelano de Los Valles del Tuy (660 pontos)


Correio da Venezuela | Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015

Cultura 23 Victoria Urdaneta

Assim “conheci” Pessoa Conhecemos dados biográficos de muitos escritores portugueses mas agora é a vez de os leitores falarem dos seus favoritos, e como esta é uma coluna de opinião, acho prudente começar por mim e contar como “conheci” o grande Fernando Pessoa. Era pequena e em casa tínhamos uma biblioteca enorme porque na minha família a leitura é um valor muito grande, mas curiosamente foi numa telenovela brasileira, ‘O Clone’, onde ouvi pela primeira vez vários dos seus poemas, e fiquei maravilhada. Recitava-os o excelente actor Osmar Prado, que interpretava um interessante personagem chamado Lobato. Um deles era ‘Na Noite Terrível’, do heterónimo Álvaro de Campos, e nunca esqueci aquelas palavras, talvez demasiado profundas para a minha idade na altura mas que me fizeram reflectir e que agora entendo perfeitamente: “Se em certa altura/Tivesse voltado para a esquerda em vez de para a direita; / Se em certo momento/ Tivesse dito sim em vez de não, ou não em vez de sim; / Se em certa conversa/ Tivesse tido as frases que só agora, no meiosono, elaboro —/ Se tudo isso tivesse sido assim, / Seria outro hoje, e talvez o universo inteiro/ Seria insensivelmente levado a ser outro também”. Também me fascinou ‘Poema em linha recta’, do mesmo heterónimo, que enfrenta essa sociedade que julga demasiado sem ver os seus próprios erros. “Toda a gente que eu conheço e que fala comigo/ Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho, / Nunca foi senão príncipe - todos eles príncipes na vida... / Quem me dera ouvir de alguém a voz humana/ Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia; /Que contasse, não uma violência, mas uma cobardia! /Não, são todos o Ideal, se os oiço e me falam. / Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil? /Ó príncipes, meus irmãos, /Arre, estou farto de semideuses! / Onde é que há gente no mundo? ”


24 Cultura

Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015 | Correio da Venezuela

Teatro

Victoria Urdaneta

Literatura, tango e filosofia Filosofia na Cidade é uma fundação educativa e cultural que promove a filosofia e a reflexão, e que esta semana oferece o debate “De tango e filosofia”, o qual será liderado por Alfredo Vallota, professor universitário, articulista e locutor argentino radicado na Venezuela. A entrada é livre. Caso pretenda obter mais detalhes sobre este evento, visite o sítio da Internet www.filosofiaenlaciudad.org Data: 9 de Julho, às 19h00 Lugar: Sala Experimental do Centro Cultural Chacao, Avenida Tamanaco, Caracas.

Kumañí Uma boa opção para desfrutar é o concerto oferecido pelo ensamble Kumañí, que está integrado por Pedro Higuerey (oboé), Marlon Marcano (violino e bandolina), Daniel Hernández (baixo eléctrico), Erasmo Villarroel (percussão), Héctor Oropeza (quatro e guitarra), Claudia Macero e Hermes Villarroel (cantantes), acompanhados por músicos convidados como Yérrika Rambert, segundo lugar no Festival Nacional da Voz Universitária e Canção Inédita, 2014. Data: 9 de Julho, as 19h00 Lugar: Sala José Félix Ribas, Teatro Teresa Carreño, Caracas.

Arte e arquitectura A cidade é o tema principal de um ciclo de fóruns organizados pelo Centro Cultural Chacao e Backroom Caracas, com o objectivo de relacionar a arte, a arquitectura e o desenvolvimento social na área do Urbanismo. A oradora convidada é Larry Black, da William McDonough + Partners, especialista em indústrias relacionadas com o ambiente, tratamento de lixos e reciclagem, energia, entre outras áreas. A entrada é gratuita. Data: 7 de Julho, às 11h00. Lugar: Centro Cultural Chacao, avenida Tamanaco, El Rosal, Caracas.

Grupo Colibri lança ‘Aladino y su Lámpara Maravillosa’ Fernando Cámara

O colectivo teatral é dirigido por José Manuel Ascensao As Mil e Uma Noites invadiram o Teatro Escena 8 com a estreia da peça musical infantil ‘Aladino Y Su Lámpara Maravillosa’, produzida pelo Grupo de Teatro Colibri. As apresentações começaram no passado sábado, 4 de Julho, e são aos sábados, às 5:30 pm e aos domingos às 4:30. Conta com direcção e produção geral de José Manuel Ascensão e foi escrita por Carmelo Castro. O elenco é formado por um grupo de crianças e pelos e actores Victor Hugo Gomes como o Génio Shandal; Ramphis Sierra no papel de Hafí; Joselyn Ascensao como Dirhem; Luis Serrano, que encarna Dan Dán e Tormenta; Jhonathan Romero que interpreta Úmar; Marilyn Ascensao como Marchana, Luis Ledrick como Ibrhaim; com a participação dos bailarinos Dayana Ferreira, Luis Ledrick, Ramphis Sierra e

Anastasia. A música da obra é de Javier Blanco; a iluminação está nas mãos de José Manuel Ascensao e Guillermo Finol; as coreografias são de Ramphis Sierra. Como assistente de produção aparece Luis Serrano, e na assistência de Direcção Víctor David Guzmán. O design da roupa é da responsabilidade de Rocío Amarillo e a coordenação de guarda-roupa de Altagracia Martínez. A realização da cenografia é de Freddy Salazar.

A história da peça de teatro reza assim: Aladino e o seu amigo Maymún, muito famintos, são surpreendidos pelo príncipe Ibrahim, que vai a caminho do palácio com intenções de tornar sua esposa qualquer das três filhas da sultana Marchana e desta forma transformar-se no novo sultão da cidade de Rambambum, mas o seu camelo, Tormenta, parou e nega-se a andar. Aladino, a troco de uma moeda de outro, consegue com que o camelo se levante e continue rumo ao palácio. Com a moeda, Aladino e Maymún vão comer ao mercado, onde se encontram com diversos personagens: O vendedor de tapetes, o sapateiro, a malabarista, o futurologista, a vendedora de papel, a fruteira, o tira-dentes, o guitarrista árabe e finalmente com Hafí, um velho mago e vendedor com a lamparina maravilhosa, prometendo fortuna para quem a compre. Aladino compra-a com a sua moeda de ouro, com protestos de Maymún. Aladino conhece a princesa Suhail, sem que saiba de quem se trata.

Música

Rodrigo Gonçalves empreende digressão pelos Estados Unidos Fernando Cámara

O vocalista do grupo Viniloversus promove o seu novo single durante todo o mês de Julho. ‘Rodrigo Solo’, conhecido tradicionalmente no campo musical venezuelano como Rodrigo Gonçalves, promove uma série de concertos durante este mês nos Estados Unidos para promover o seu mais recente álbum, ‘No Estás Solo’, do qual foi retirado o single ‘Tal vez no se hunda el barco’, feat Linda Briceño & ViniloVersus.

A digressão começa em Nova Iorque esta quinta-feira, 9, onde é um dos convidados especiais para a Latin Alternative Music Conference (LAMC), que junta o mais representativo da indústria musical alternativa da América Latina, Espanha e Estados Unidos. Será uma semana completa com conferências, encontros com executivos e imprensa especializada, incluindo uma série de showcases exclusivos em redor do evento. Serão duas as actuações de Rodrigo em Nova Iorque, como preâmbulo para as suas apresentações nas cidades de Filadélfia no dia 12, continuando em Washington DC a 13, para finalizar em Mia-

Victoria Urdaneta

“Do divino ao profano” Os comediantes Catón Pisani e Neomán Rincón apresentam um espectáculo intitulado “De lo Divino a lo Profano”, no qual interpretarão personagens com características muito diferentes com a finalidade de representar os extremos que se experimentam na sociedade venezuelana. O ‘stand up comedy’ incluirá o elemento musical e até momentos com ventríloquos, não faltando ironia de modo a que, mais uma vez, o humor possa triunfar sobre o palco. Data: Mês de Julho, quartas e quintas-feiras, às 20h00 Lugar: Teatrex El Hatillo.

O cenário ilumina-se com Ballet A semifinal e a final da quinta edição do Concurso Internacional de Ballet Clássico (CIBCCaracas) vão ser realizadas em breve. Neste evento participam os alunos mais destacados das escolas de ballet provenientes de diversos estados da Venezuela, que se esforçaram não apenas para conquistar o valioso galardão, como também para elevar em alto o nome das instituições que representam. Data: 10 de Julho, às 18h00. Dias 11, às 17h00. Lugar: Centro Cultural Chacao, Avenida Tamanaco, Caracas.

Dança para crianças

mi nos dias 23 e 26 de Julho. Nesta última cidade, fará uma exibição das suas obras de arte, junto com as actuações ao vivo. O álbum ‘No Estás Solo’ explora novos territórios sonoros para Rodrigo, que brinca com vários géneros.

A Academia de Baile Tatiana Reyna, fundada há mais de 40 anos, juntamente com a Companhia Pré-Juvenil Tatiana Reyna, formada recentemente, apresentam o espectáculo “Pequeno mundo”, no qual mais de 175 alunas vão bailar ao ritmo do flamenco, ballet, dança árabe e jazz, sob a direcção artística e geral de Ethel Deutsch. Para mais informações, contacte os organizadores pelo número de telefone 0212- 7305799. Data: 11 e 12 de Julho de 2015, às 12h30 e 15h00. Lugar: Edifício Fedecámaras, PB, Teatrex, El Bosque, Caracas.


Correio da Venezuela | Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015

Publicidade 25


26 Opinião

Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015 | Correio da Venezuela

JURIDICAMENTE FALANDO DE PORTUGAL

O Estado Português pode tomar posse de terras abandonadas ou sem dono conhecido Antonio Delgado

O tema deste artigo já mereceu referência neste espaço. Todavia, nunca é demais alertar as pessoas (especialmente quem reside no estrangeiro) que possuem terrenos em Portugal que estejam em seu nome ou que ainda pertençam aos seus pais, avós ou outros familiares e desconhecem a sua localização, confrontações, área, etc. Muitos dos assuntos que são tratados pelo nosso escritório de advocacia LEGACIS dizem respeito à pesquisa, regularização, registo e negociação de prédios rústicos e urbanos. As pessoas que nos contactam a partir do estrangeiro muitas vezes nem imaginam o património que possuem ou que lhes foi deixado pelos seus familiares e que agora, por sucessão, lhes pertence. Acaba por se

descobrir quais os prédios lhes foram deixados, onde se localizam, quais os artigos matriciais, entre outras informações até então desconhecidas. A respeito deste assunto, convém realçar que, em Portugal, o Ministério da Agricultura e do Mar enviou para a Assembleia da República um projecto de lei que defende a transferência das propriedades agrícolas ou florestais sem dono conhecido ou abandonadas para o domínio do Estado. O processo começa com a identificação destas terras, uma tarefa à escala nacional que envolve departamentos do Ministério da Agricultura, câmaras municipais, juntas de freguesia e uma rede de gestores operacionais da Bolsa de Terras, como associações de agri-

cultores dispersas pelo país. Depois de identificada uma terra nas condições previstas pela lei, faz-se a publicidade sobre a intervenção que se vai realizar nesse terreno e concede-se 90 dias para as pessoas reclamarem a sua titularidade – a publicitação faz-se à escala local, em sede nacional e envolve os consulados portugueses no estrangeiro. Após estes 90 dias, as terras entram numa “Bolsa de Terras” podendo ser arrendadas. Se entretanto os legítimos donos aparecerem e comprovarem através de documentos ou outros meios de prova que são donos dos terrenos, têm direito a receber o montante correspondente às rendas e/ou a outros proveitos entretanto recebidos pelo Estado. Mas também vão

ter de pagar o valor das despesas e/ou benfeitorias necessárias que foram realizadas no prédio. Na eventualidade destas terras permanecerem sem dono, são inscritas no Sistema de Informação de Bolsa de Terras, condição suficiente para que a sua matriz seja registada em favor do Estado. Mas só no final de um período de 18 anos é que o Estado ficará dono dos terrenos, podendo vendê-los ou onera-los definitivamente. Assim, para evitar correr o risco de ver o seu património ser apropriado por terceiros, convém tomar todas a cautelas. Aconselhamos que faça um levantamento de todos os terrenos que possam estar em seu nome ou em nome dos seus antepassados a fim de regularizar a sua situação.

uma ou de outra maneira estamos esperando que algo aconteça. Que sabemos que vai suceder, mas ainda não ocorre. Já não há rostos que ocultar, as máscaras já não existem, o cinismo já é directo e de frente. “Como eu não pude ter, tu também não o terás”, parece dizer em intervenção das “altas autoridades”. Cada cadeia é uma promessa. São 16 anos delas. Uma delas das frases mais mencionadas é: “Vamos a…”. E a outra é: “Não há”. A dor, a esperança ou quiçá o desespero, a fatiga, cami-

nham já pelas costas, igual ocorre com a paciência que se esgota inexoravelmente. Cada manhã é um despertar que nos restinga na cara que até agora nem tudo continua igual, está pior. Não há limites para o descaramento do regime. Nunca o teve. É a única saída que lhes resta. As “ingerências externas” estão proibidas. “Temos pátria” é um slogan já demasiado gasto como para não se rir dele. Creio que se aproxima o momento.

ALTA TRIBUNA

Apenas se vive uma vez Antonio López Villegas

Parece o título de um filme da saga James Bond. Creio que também o é. Mas na realidade o que me refiro não é precisamente ao cinema mas sim à vida em si. E todos os pensadores, sábios, piadas, mensagens, provérbios, referemse a este facto de uma maneira taxativa: “A vida é para ser vivida”. Não é o que se planeia, é o que nos ocorre diariamente. Com os seus altos e baixos, as suas emoções, os seus bemóis, as suas curvas, as suas surpresas boas a más. Na Venezuela, cada um destes

momentos é vivido mas exacerbadamente. Os altos e baixos são mais baixos os altos: a escassez, a falta de abastecimento, o delito, a corrupção. As emoções, nem falar delas: o medo, a raiva, a impotência, a vingança, o ressentimento. Sabemos a que horas saímos mas não quando vamos a chegar. E se o faremos. Os bemóis nem se diga. Em todas as ordens. Mais é o que desce do que o que sobe. Especialmente a qualidade de vida de todos. Com especial ênfase nos mais necessitados. Todos de

O CORREIO da Venezuela não pode ser considerado responsável e/ou patrocinador das opiniões que são expressas neste espaço.


Correio da Venezuela | Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015

Publicidade 27


saúde em día

28 MISCELÂNIA

Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015 | Correio da Venezuela

Apneia do sono associada a risco de osteoporose As pessoas que sofrem de apneia obstrutiva do sono são duas vezes mais propensos a desenvolver osteoporose que pessoas sem a doença, de acordo com um estudo de base populacional em Taiwan. Os resultados do estudo foram publicados no passado 15 de Abril no Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism. A equipa da Divisão de Endocrinologia e Metabologia do Chi Mei Medical Center, em Taiwan, avaliou dados de 1.377 pacientes com apneia do sono identificados

a partir de um banco de dados do Seguro Nacional de Saúde de Taiwan. Eles foram diagnosticados com apneia entre 2000 e 2008 e acompanhados até o fim de 2011. Os pesquisadores compararam essa amostragem com um grupo de 20.655 pacientes sem apneia obstrutiva do sono. Os pesquisadores descobriram que pessoas com apneia tem uma taxa de incidência 2,52 vezes maior de desenvolver osteoporose, quando comparados com aqueles que não possuem a doença. Além disso, os auto-

Pensa Verde Carla Salcedo

res descobriram que pacientes mais velhos e do sexo feminino tiveram o maior risco para a osteoporose, quando comparados com pacientes do sexo masculino e mais jovens. Embora o mecanismo exacto permaneça pouco claro, os autores mencionam estudos anteriores que demonstraram que a falta de respiração repetitiva decorrente da apneia, bem como a presença de agentes inflamatórios no organismo, podem afectar o metabolismo ósseo e induzir a osteoporose.

Restam-nos apenas duas florestas

Definitivamente está mais do que provado que o ser humano é o grupo mais destrutivo da história do Universo. Nada se compara à nossa passagem pela Terra em todo o Universo, nem os próprios buracos negros que engolem tudo à sua passagem. Uma das mostras mais lamentáveis disso mesmo é que actualmente restam apenas dois grandes fragmentos de floresta intacta em toda a Terra. Talvez não lhe pareça assim tão grave de que ‘brilhem’ na Terra apenas as florestas do Congo e do Amazonas, mas por detrás disso existe uma crua realidade de desaparecimento de espécies, tanto de plantas como de animais, graças à desfragmentação paulatina das florestas. Esta situação foi dada a co-

Sabia que…?

nhecer através de um estudo realizado por uma equipa de 24 cientistas de todo o Mundo, e publicado na revista Science, que não desperdiçou a oportunidade de alertar para os irreversíveis e perigosos riscos que o Planeta corre com esta situação. Segundo assinala o autor principal do estudo, Nick Haddad, investigador da Universidade Estatal da Carolina do Norte nos Estados Unidos, “70% das terras florestais encontram-se a meio quilómetro das margens da floresta”. Isso significa que quase não há florestas que possam realmente considerar-se selvagens, e por isso as espécies selvagens são as mais afectadas. Os resultados de sete experiências realizadas para comprovar esta situação, que tiveram lugar nos cinco continentes durante décadas, foram chocantes, já que os habitats fragmentados podem reduzir a sua diversidade vegetal e animal de 13 a 75%, situação que pinta um panorama bastante feio para a preservação da humanidade, pela destruição e o desequilíbrio ecológico que esta redução implicaria.

segredos de cozinha

Carla Salcedo

Bolo de nozes

Conheça o sabor “Umami” Doce, salgado, amargo e ácido são os sabores que você acredita que tem a capacidade de distinguir com o seu paladar. Mas o certo é que assim como os sentidos, os sabores também são cinco, e o quinto vai parecer-lhe bem estranho, provavelmente vai custar-lhe acreditar que existe. Trata-se do sabor “Umami” e foi descoberto por um cientista japonês de nome Kikunae Ikeda, professor da Universidade Imperial de Tóquio, que o descreveu como o sabor mais difícil ... de descrever. Não havendo uma descrição específica, é possível, no entanto listar, os efeitos que tem no nosso corpo, e especificamente sobre o sistema nervoso. O sabor “Umami” não só ajuda a salivação como também produz na língua uma sensação aveluda-

Receita por: Teresa Maria Caires Prato elaborado por: Chefe David Silva - Four Views Hotels

Ingredientes

da, que estimula a garganta, o paladar e parte posterior da boca. E como se não bastasse, se algo que lhe sabe bem, o “Umami” encarrega-se de que saiba muito melhor, já que é ele que faz o sabor agradável de uma grande quantidade de alimentos. A nossa língua pode degustar o “Umami” desde que somos muito pequenos em alimentos como o leite materno, que o contém em amplas quantidades. E à medida que nos vamos desenvolvendo, aparece nos outros tipos de alimentos, como nos peixes, mariscos, carne curada, e em verduras como os cogumelos, tomates, couve, espinafres e outros. Os

produtos fermentados e inclusive o chá verde também nos brindam esse sabor, que se bem que é certo que não são agradáveis para todos, grande parte da população desfruta dos mesmos. O glutamato monosódico junto com o ribonucleótido GMP favorece este sabor, que também proporciona aos idosos uma oportunidade de continuar a desfrutar do sabor dos seus alimentos favoritos, já que os ajuda a recuperar o sentido do gosto, e com ele, o apetite. E então? Será que tem o “Umami” activado no seu organismo? Com que alimento se activa mais rápido este sabor?

» 250gr de miolo de noz » 250gr de açúcar » 6 ovos » 1 colher (sopa) de pão ralado

Preparação

1

Batem-se as gemas com o açúcar e juntam-se as nozes moídas e envoltas em pão ralado.

2

Por fim deitam-se as claras em castelo.

3

Ligam-se sem bater.

4

Coze no forno moderado durante pelo menos uma hora.

5

Se desejarmos pode-se substituir as nozes por amêndoas, ou então metade nozes e metade amêndoas.


Correio da Venezuela | Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015

Publicidade 29


26 30 Desporto

Outubro a 15 Quarta-feira de Novembro | Correio da Venezuela Quinta-feira 930a de Quarta-feira de Julho de6 2015 | Correiode da2014 Venezuela

Portugal

Futebol de praia

Portugal procura vencer segundo título mundial CORREIO/LUSA

Competição ocorre pela primeira vez em solo português, entre 9 e 19 de Julho, em Espinho Campeão em 2001, Portugal vai tentar este ano conquistar o segundo título Mundial no futebol de praia, na primeira vez em que a competição ocorre em solo português, entre 9 e 19 de Julho, em Espinho. Com 14 participações em 17 edições da competição - o Brasil é o único totalista -, a selecção que recentemente ficou em terceiro lugar nos I Jogos Europeus, em Baku, parte para o sétimo Campeonato do Mundo organizado pela FIFA com aspirações a recuperar em Espinho um troféu que lhe foge há 14 anos. Nesse ano, nas areias da Costa do Sauípe, em São Salvador, Brasil, a equipa portuguesa pôs fim a seis anos de domínio da selecção brasileira, que, de resto, nem ao pódio chegou. Hernâni, antigo jogador do Benfica e do Vitória de Setúbal, foi considerado o melhor jogador do torneio e Alan, o único jogador ainda internacional desse grupo de históricos campeões, o melhor marcador, com 10 golos.

O capitão da selecção portuguesa, Madjer, figura de proa na chegada à final em 2005, edição em que foi eleito o melhor jogador do torneio e também o máximo goleador (12 golos), repetiu a dupla distinção em 2006, agora com 21 golos apontados, alcançando o terceiro troféu de mais golos marcados num Mundial em 2008, com mais 13 remates bem-sucedidos. De resto, Madjer - desde que a FIFA organiza a competição - é o melhor marcador do torneio, com 79 golos, distribuídos por 33 jogos, o mesmo número de participações de Alan. Numa edição em que poderão ser atingidos números histó-

ricos, na calha está a chegada ao milhão de espectadores, depois de o Mundial em 2013, no Taiti, ter colocado o máximo em cerca de 951 mil, sendo que também pode ser apontado o golo 2.000. Madjer, autor do tento 1.500, em 2011, em Itália, é um dos candidatos, abrindo-se a competição em Espinho com 1.766 golos no total. O estádio em Espinho, com capacidade para 3.300 lugares sentados, em plena Praia da Baía, será o epicentro de toda a competição e para aonde vão confluir todos os adeptos da modalidade e da selecção nacional, tendo-se registado uma boa procura de ingressos nos

Mais de metade das equipas tem novo treinador Apenas oito das 18 equipas que vão disputar a I Liga portuguesa de futebol mantiveram os treinadores da época que findou, num ‘plantel’ que terá dois estrangeiros e o mesmo número de estreias no

Olympiacos anuncia contratação de Marco Silva O Olympiacos, actual campeão grego de futebol, anunciou, no passado 7 de Julho, a contratação do treinador português Marco Silva, ex-Sporting, que assim sucede ao também técnico português Vítor Pereira no comando técnico da equipa grega. “O Olympiacos anuncia o treinador Marco Silva como novo treinador da equipa de futebol”, pode ler-se no site oficial do clube. Depois de três épocas ao serviço do Estoril-Praia, Marco Silva orientou o Sporting na temporada 2014/2015, tendo ao serviço dos ‘leões’ conquistado a Taça de Portugal.

Lufinha estabelece novo recorde mundial de maior viagem de kitesurf

Primeira Liga

CORREIO/LUSA

breves

escalão principal. FC Porto, Nacional, Marítimo, Rio Ave, Moreirense, Estoril-Praia, Boavista e Académica resistiram ao ‘defeso’ e mantêm a aposta em Julen Lopetegui, Manuel Machado, Ivo Vieira, Pedro Martins, Miguel Leal, Fabiano Soares, Petit e José

Viterbo, respectivamente. Os ‘dragões’ são, de resto, a excepção entre os seis emblemas lusos que vão disputar as competições europeias desta época, já que Benfica, Sporting, Sporting de Braga, Vitória de Guimarães e Belenenses mudaram os respectivos

dias anteriores ao início da competição. Os 32 jogos das 16 selecções presentes em Espinho vão ser transmitidos para mais de 180 países, que, na final, verão o troféu de 48 cm e com 4,99 kg de peso ser erguido pelos novos campeões. À entrada para a edição 2015 do Campeonato do Mundo, o “ranking” da FIFA é liderado pelo Brasil (110 pontos), seguido de Portugal (67) e da Rússia (50). Recorde-se que os russos venceram os dois últimos Mundiais, em Itália (2011) e no Taiti (2013) e que no mês passado ganharam a medalha de ouro nos Jogos Europeus.

‘timoneiros’. A Segunda Circular, em Lisboa, foi o epicentro de um ‘terramoto’ que agitou o futebol luso, com Jorge Jesus a colocar termo a seis anos de ligação ao bicampeão Benfica e a rumar ao rival Sporting, clube no qual irá substituir Marco Silva, que foi despedido após liderar os ‘leões’ à conquista da última Taça de Portugal. Com a saída de Jesus, as ‘águias’ resgataram Rui Vitória ao Vitória de Guimarães, abrindo espaço à promoção de Armando Evangelista como técnico principal dos vimarenenses, ele que será um dos estreantes na I Liga, depois de dois anos e meio à frente da equipa B minhota.

O português Francisco Lufinha bateu, no passado 6 de Julho, o recorde mundial de maior viagem de kitesurf sem paragens, superando a anterior marca de 564 quilómetros, que já detinha. O velejador luso embarcou nesta aventura às 16:30 de domingo, no Cais das Colunas, em Lisboa, e conta já com mais de 28 horas de viagem ‘non-stop’. Lufinha continuou a viagem com o objectivo de colocar o novo recorde o mais longe possível, mas não conseguiu chegar até à Madeira de kitesurf, pois o resto da viagem foi realizada na embarcação de apoio.

Nani assina por três temporadas com o Fenerbahçe O português Nani assinou um contrato de três temporadas com o Fenerbahçe, que vai pagar seis milhões de euros ao Manchester United pela transferência, anunciou o vicecampeão turco de futebol, na segunda-feira, 6 de Julho. De acordo com o comunicado do clube, o extremo internacional português, de 28 anos, assinou um contrato válido até 2018. Em 2007/08, o Manchester United pagou 25 milhões ao Sporting por Nani, que regressou a Alvalade por empréstimo dos ‘red devils’.


Correio da Venezuela | Quinta-feira 9 a Quarta-feira 15 de Julho de 2015

Jogos Feceporven 2015

Organização apela às delegações para se unirem aos trabalhos de preparação

Carla Salcedo Leal csalcedo@correiodevenezuela.com

A três meses da realização dos Jogos, os organizadores convidam os clubes a juntarse às actividades de preparação.

Está cada vez mais próxima a data dos jogos Nacionais Feceporven 2015, que desta vez decorrem no Centro Português Venezuelano de Guayana, no mês de Outubro. É por isso que desde o princípio do ano os organizadores têm estado a trabalhar para poder oferecer um bom evento aos atletas que participem nesta contenda, e dada a distância que todas as delegações terão de percorrer para chegar ao local da competição, a organização pediu para adiantar as reuniões a fim de conseguir a melhor logística

possível. No próximo dia 11, realiza-se o segundo encontro de comissões na sede do clube anfitrião, com o único propósito de definir quais os clubes que participarão e quantos atletas em cada categoria. “Estamos a trabalhar em toda a logística para que todos os participantes desfrutem do melhor evento possível, mas isso só será conseguido com o apoio das delegações, pelo que precisamos saber quantas são, e em que categorias vão participar. É por isso que precisamos do compromisso dos clubes para levar

a cabo uma boa logística, entendendo sempre que a situação económica é um dos factores que mais atrasa os preparativos, mas confiamos que a comunidade vai responder. Sabemos que a situação do país mudou mas estamos a fazer os esforços necessários para levar os jogos por diante, e ao ter a aceitação da participação das comissões por parte da junta directiva de cada clube, então poderemos fazer importantes anúncios”, disse ao CORREIO Víctor Vieira, presidente da Feceporven e do Centro Português Venezuelano de Guayana. Ao contrário de anos anteriores, os organizadores procuram resolver a maior quantidade de compromissos possível antes do período de férias, a fim de combater a inflação e outros contratempos. Foram tidas em conta medidas especiais para arranjar diversos tipos de alojamento para todos os bolsos, com tarifas especiais para as delegações, que desde há uns meses se foram distribuindo nos clubes. Os Jogos realizam-se entre 9 e 12 de Outubro em Puerto Ordaz.

Futebol

Jhonder Cádiz vai jogar no União da Madeira Fernando Cámara

Jogador foi cedido por empréstimo de um ano com opção de compra O Caracas Fútbol Club anunciou a cedência, com opção de compra, do avançado Jhonder Cádiz ao União da Madeira, que milita na primeira divisão de Portugal. O anúncio foi feito no passado 3 de Julho, através de um comunicado que indicou que o empréstimo vigora até 30 de Junho de 2016, data limite para que o clube madeirense exerça o direito de opção. Cádiz chegou ao clube da Cota 905 em 2013, proveniente do Deportivo Petare. Na primeira temporada, jogou na equipo B, tendo

depois conseguido um lugar no plantel principal. Na última campanha, disputou muitas partidas como juvenil e acompanhou regularmente Edder Farías no ataque. Também se estreou nas competições internacionais ao actuar em jogos da Copa Sul-americana contra o Inti Gás, do Peru, e Deportivo Capiatá, do Paraguai. O jogador teve assim uma passagem curta pelo ‘Rojo’, mas serviu para catapultar a sua carreira. “O

professor Saragó sempre nos diz que se vais deixar o Caracas FC, tem que ser para o exterior, não há outra opção. Este clube é uma grande montra para todos nós e por isso o grande número de jogadores que tiveram a oportunidade de sair daqui. Sinto-me muito contente e orgulhoso porque agora me toca a mim representar o ‘Rojo’ na Europa”, disse o jogador citado pelo departamento de imprensa do clube da capital. Na

temporada anterior jogou durante muitos minutos. “Jogar muito ajuda a que outras equipas te vejam e isso passou-se no meu caso, graças a Deus. Estou contente porque vou para Portugal este domingo [12 de Julho] e quero chegar com toda a vontade possível para enfrentar o campeonato”, acrescentou. A notícia da cedência foi recebida com surpresa. “Não sabia de nada. Eu estava na concentração da equipa em Margarita e telefonou-me Pablo Martínez, o meu representante, e disse-me que havia um clube interessado em mim que estava subindo para a primeira divisão e que está fazendo as coisas bem. Aí foi quando tomei a decisão de dar este grande passo”, contou. As negociações pelo avançado decorreram entre a direcção do clube e a empresa do seu agente, a Soccer Sport Group, e culminaram com um saldo positivo.

Desporto 31 breves Venezuela com medalha de bronze no Mundial de Softbol Canadá 2015 A selecção venezuelana de softbol masculino conseguiu a medalha de bronze do Campeonato Mundial Canadá 2015, que terminou no passado domingo, 5 de Julho, na cidade de Saskatoon, situada na parte central da província de Saskatchewan. Os venezuelanos terminaram com um balanço de oito vitórias e três de rotas. Na fase de grupos, os crioulos ganharam cinco e perderam duas; e na ronda semi-final, venceram três partidas e perderam uma, o que lhes dava acesso a disputar a final. Esse encontro foi disputado contra o local, Canadá, que acabou por ficar com o ceptro.

Canoagem nacional termina preparação para Pan-americanos A selecção venezuelana de canoagem, nas suas modalidades de slalom e velocidade, termina este fim-de-semana a sua intensa preparação na Europa com vista à preparação para os XVII Jogos Pan-americanos Toronto 2015, que se realizam na cidade norte-americana de 10 a 26 de Julho. Segundo uma nota de imprensa do Ministério para a Juventude e o Desporto, a equipa de velocidade realiza um acampamento em Racice, na República Checa.

Chile é o campeão da Copa América 2015 A selecção de futebol do Chile sagrou-se campeã da Copa América, ao derrotar a Argentina, no Estádio Nacional de Santiago, no passado dia 4 de Julho. Depois de 120 minutos nos quais o marcador se manteve a zeros, os penáltis decidiram o jogo, que deu ao Chile o título pela primeira vez. Nas semi-finais, o conjunto austral derrotou o Peru por 2-1 e os gaúchos golearam o Paraguai por 6-1. Na passada sexta-feira, os incas venceram por 2-0 aos guaraníes.


imagens da semana

eles respondem

P r ê m i o Ta l e n t o C o m u n i c a ç ã o S o c i a l 2 0 0 9

#ENCUESTA Desde el CORREIO da Venezuela extendemos una especial felicitación a la Asociación Cultural Grupo Folklorico Os Lusiadas, que hace minutos se tituló como la agrupación vencedora del XII Encuentro de Folklore Portugués Continental, realizado en las instalaciones del Centro Maritimo de Vzla. Igualmente, la felicitación es extensiva a las otras tres agrupaciones participantes y al grupo organizador, por brindarnos una digna demostración de folklore y cultura lusitana. El próximo año la cita será en el Centro Socio Cultural Virgen de Fatima de Guatire, estado Miranda. ¡Felicidades a todos! ¡Gracias por hacernos sentir orgullosos de ser portugueses en tierras de Simón Bolívar! Y tú: ¿Qué opinas sobre los resultados?

Milhares de pessoas afectadas pelo mau tempo em três regiões

Fatima Melo: Felicitaciones

Bibliotecas de Portugal e Brasil vão divulgar escritores dos dois países

Correio de Venezuela / @correiodvzla

Maria Ercilia Couto: Pois a mim nao me gusta pois foram a apresemtarse no matrimonio de my hijo y nam me gustou pois erao muitos pequenos Horacio Da Corte: Pequeños en tamaño y grandes en agrupación gracias por su comentario Jorge Luis Jaen Martinez: Felicidades Gflv Ng Dp: Felicidades a todos y que Viva el Folclore Luso Gloria Barreiro de Vieira: Muchas felicidades Joselin Gomes: Orgullosa del grupo lo hicieron excelente y orgullosa d mi mama por ese 2do lugar en voz femenina

Correio da Venezuela 613  

Edición 613

Correio da Venezuela 613  

Edición 613

Advertisement