Page 1

P r é m i o Ta l e n t o 2 0 0 9 Correio de Venezuela

@correiodvzla

@correiodvzla

Junho de 2015

publicaÇão Nº 611

Ano 15 • Depósito Legal: 199901DF222 • BsF. 20

Dia da Madeira celebra unidade insular

pub

O Lar Padre Joaquim Ferreira, nos arredores de Caracas, onde são apoiados algumas dezenas de idosos da Comunidade tem falta de meios para poder desempenhar cabalmente a sua missão. Os responsáveis lançaram um apelo ao Estado Português. Pag. 8

Nesta edição abordam-se três casos de homicídios de Portugueses ou descendentes. Casos recentes que engrossam o número de lápides com nomes nacionais nos cemitérios do País. Uma guerra que a Venezuela não consegue ganhar. Reportamos ainda o recuo dos negócios em Higuerote, face à ameça dos criminosos. Pag. 10

Professores de Português têm II Encontro O ensino do Português continua a ter grande destaque entre a comunidade e entre os muitos venezuelanos que pretendem habilitar-se com um curso da língua de Camões. Para o próximo dia 4 de Julho está marcado o II Encontro dos Professores de Língua Portuguesa. Pag. 8

Perfil

Segurança Pública continua no vermelho

Língua

Lar Padre Joaquim Ferreira pede socorro

Venezuela

Comunidade

Nos primeiros dias do mês de Julho, a Madeira agita as atenções dos Portugueses que vivem em Venezuela. O programa de comemorações que publicamos nesta edição, mostra que o ‘Dia da Madeira’ continua vivo e a efeméride está para durar e perdurar a celebração da unidade dos ilhéus que conformam a maioria dos lusitanos que vivem em terras de Bolívar. Pag. 4

Talento luso brilha no mundo dos audiovisuais Jhon da Silva é um nome da nova geração que está a dar cartas nos negócios dos audiovisuais: fotografia, cinema e televisão. A sua empresa é um caso de sucesso, a que não está alheio o talento deste jovem nascido em Venezuela de famílias lusitanas. Pag. 12


2 Editorial

Junho de 2015 | Correio da Venezuela

retrospectiva

fotoflash

Durante a recente visita do Presidente da Câmara Municipal do Funchal e do Bastonário da Ordem dos Técnicos de Contas de Portugal a Caracas, os responsáveis do Lar Padre Joaquim Ferreira, solicitaram a ajuda e apoio financeiro do Estado Português para garantirem o serviço de apoio aos idosos da comunidade que procuram aquele serviço. Criado há mais de uma década, em Los Anaucos, nos arredores da capital venezuelana, o Lar tem cumprido a sua missão de acolher idosos, uns pagantes, porque as famílias têm possibilidades económicas para tal, e outros não pagantes,

dois

1

Continua bem vivo o espírito patriótico entre as Comunidades Portuguesas espalhadas pelo Mundo. No passado 10 de Junho, as bandeiras e o Hino Nacional da Pátria de Camões marcaram uma vez mais o Dia que celebra a Pátria onde quer que se encontre um Português. Em Venezuela também foi assim, e a efeméride continua a ser assinalada com respeito e alegria, com saudade e paixão, dois sentimentos que se envolvem numa mescla de reflexão e de futuro. Sentir a Pátria fora de casa tem uma intensidade que só pode ser medida por quem já passou por tal circunstância. No dia de todos os pensamentos, os que nos unem e também os que nos desunem, passamos em revista o passado, analisamos o presente e prometemos mais confiança para o futuro. Tem sido assim ao longo dos anos. Nada muda, nem pela tecnologia. O nosso pensar cai no passado, pelo nariz passam os cheiros das terras, pelos olhos os álbuns que nos recordam o passado, mas na cabeça persiste a confiança no futuro que compacta e consolida o espírito e esta razão de sobrevivência e empenho que nos coloca entre os melhores empreendedores.

Estamos em tempo de férias. Por motivos conhecidos, em que a limitação dos gastos em divisas é o maior impedimento, este ano muitos ficarão em Venezuela, e não viajarão a Portugal ou outros sítios no estrangeiro, onde eventualmente, passariam alguns dias de descanso. Por tal motivo é acertado que procuremos conhecer um pouco mais de Venezuela, de saber que aqui, mesmo em Caracas, há motivos que de distrac-

sem parentes ou vindos de famílias pobres e sem rendimentos, a todos dispensando o melhor carinho e acolhimento. O Lar foi criado com comparticipações da Academia do Bacalhau e da Associação de Beneficência das Damas Portuguesas, que conseguiram reunir receitas de diversos eventos e doações, inclusive do Governo da República Portuguesa e do Governo Regional da Madeira, e colocar de pé uma obra que muito honra a comunidade e perpetua a memória de todos quantos estão envolvidos nesta obra, nomeadamente o saudoso empresário Maurílio dos Santos, falecido em Dezembro de 2011. O Lar Padre Joaquim Ferreira é uma bandeira da Comunidade Portuguesa em Venezuela e tem sido

ção e de desfrute para os tempos livres dos nossos filhos e também dos pais que na correria do dia-a-dia, não valorizam algumas da principais atrações da cidade capital. Na página do CORREIO de Venezuela na Internet, numa das edições de Junho, os nossos leitores encontram algumas sugestões e estamos certos de que muitas outras existirão em todo o País para tornar as nossas férias alegres e interessantes do ponto de vista de descoberta e

a bóia de muitas famílias de emigrantes que ali acorrem para colocar sob a melhor protecção os seus pais e avós. Há toda uma obra social por detrás desta instituição que convém não desmerecer, pois todos somos, ao fim e ao cabo, potenciais candidatos a um lugar em Los Anaucos. Contudo, mais que a obrigação de mantermos de pé e em pleno funcionamento a instituição, devemos ser claros e exigentes com o Governo da República Portuguesa e procurar sensibilizar os governantes de Lisboa para um apoio que faz todo o sentido e que se coaduna com propósitos sempre defendidos de coesão nacional e de apoio aos que criaram riqueza e contribuíram para o desenvolvimento do País.

três

de conhecimento desta Pátria que nos acolhe com tanto carinho. De resto, num desafio à imaginação e instinto criativo de todos, podemos organizar grupos e procurar desvendar o que a Natureza reserva nesta terra, mesmo que sejam necessários redobrados cuidados e muita atenção a agentes desestabilizadores e/ou marginais.

A marcação das eleições para o Conselho das Comunidades Portuguesas (CCP) para Setembro próximo, possivelmente para o dia 6, segundo o secretário de Estado José Cesário, está a esbarrar com a oposição de muitos sectores das comunidades em Venezuela e noutros países onde vivem Portugueses e onde se organizarão listas candidatas. O Conselho das Comunidades Portuguesas é o órgão de consulta do Governo Português em matéria de emigração. A oposição resulta sobretudo do pouco tempo que medeia até à data provável do acto eleitoral, na medida em que muitos eleitores estão de férias e outros não estão recenseados para exercerem o seu direito de voto. Para os críticos a data ideal seria no próximo ano, se quisermos ter umas eleições bem preparadas, com candidatos bem escolhidos e com o maior número possível de eleitores. É que a questão da representatividade desses conselheiros tem sido, ao longo dos anos, um defeito apontado em diversas vezes. E nada se ganha com listas feitas à pressa, nem com eleitos por número de votantes pouco expressivo. Esperemos que a ponderação exerça mais força que a vontade político-partidária de quem governa em fim de mandato. Afinal, para bem de todos, é preciso que tenhamos representantes fortes e com mandato expressivo. Se assim não for, as Comunidades Portuguesas correm o risco de terem conselheiros eleitos junto do Governo de Lisboa afectos a grupos restritos.

Grupo Editorial

www.correiodevenezuela.com Rif.: J-40058840-5

Director Aleixo Vieira Subdirector Agostinho Silva Gerente: Carla Vieira Editor Sergio Ferreira Soares Endereço: Av. Veracruz. Edif. La Hacienda. Piso 5, ofic. 35F. Las Mercedes, Caracas. Telefones: (0212) 9932026 / 9571 Telefax: (0212) 9916448 E-mail: editorial@correiodevenezuela.com

Chefe de redacção Sergio Ferreira Soares |Jornalistas Carla Salcedo Leal, Victoria Urdaneta, Fernando Cámara, Kenner Prieto, Antonio Da Silva |Correspondentes Edgar Barreto (Falcón), Carlos Balaguera (Carabobo), Sandra De Andrade (Aragua), Sandra Rodríguez (La Victoria), Trinidad Macedo (Lara), Silvia K. Gonçalves (Bolívar), Mariana Santos (Nueva Esparta), Luis Canha (Mérida), Daniela García (Miranda), Antonio Dos Santos (Zulia) |Colaborações Catanho Fernandes, Arelys Gonçalves, Antonio López Villegas, Isabel Idárraga, Shary Do Patrocinio, Serafim Marques, António Delgado |Publicidade e Marketing Carla Vieira |Paginação Elsa de Sá |Fotografia Francisco Garrett |Administração Yenny Ávila |Distribuição Luis Alvarado, Carlos Agostinho Perregil R. |Impressão Grupo Últimas Noticias. Caracas -Venezuela |Tiragem 15.000 exemplares |Fontes de Informação Agência Lusa, Diário de Notícias, Diário de Notícias da Madeira, Ilhapress, Portuguese News Network e intercâmbio com publicações em língua portuguesa.


Correio da Venezuela | Junho de 2015

Festividades

Dia de Portugal foi celebrado por toda a Venezuela Fernando Câmara Sergio Ferreira Carlos Balaguera José Manuel de Oliveira

O Dia de Portugal, de Luís de Camões e das Comunidades Portuguesas foi celebrado, como é costume, na passada quarta-feira, 10 de Junho. Como também é habitual, as entidades e associações lusitanas na Venezuela não deixaram passar em claro tão importante ocasião e celebraram o dia com a promoção de uma grande variedade de iniciativas. Os actos oficiais deste ano foram levados a cabo na capital. O Embaixador de Portugal na Venezuela, Fernando Manuel Teles Fazendeiro, ofereceu uma recepção na sua residência oficial que teve como convidados os directores de instituições lusitanas assim como representantes de diferentes delegações diplomáticas e do Governo venezuelano. Um pouco mais tarde, pelas da quatro tarde, o Centro Português deu início aos seus actos protocolares com a deposição de uma oferenda floral na praça Luís Vaz de Camões, situado em frente ao Centro Comercial Express Macaracuay. Acto seguido, foram içadas as bandeiras ao som a interpretação, que ficou a cargo da Coral do Centro Português, dos hinos de Portugal e da Venezuela. Após a Missa Solene de Acção de Graças, os convidados passaram à Galeria Centro Português para descerrar a fotografia do ex-presidente Juan Javier Dos Santos e colocar uma placa comemorativa dos membros da Junta Directiva, Mesa da Assembleia e Conselho Fiscal do período de gestão anterior. O convidado de honra, Angel Manuel Oropeza, foi encarregado de presidir todas estas actividades. Por volta das 5 da tarde foi inaugurada a Exposição “A Grandeza do Passado”, iniciativa do CORREIO da Venezuela que procura ressaltar a história lusitana em terras venezuelanas, como forma de render homenagem aos membros da nossa comunidade. Finalmente, o Salão Nobre acolheu o acto protocolar oficial do Dia de Portugal e do 57.º Aniversário do Centro Português.

Venezuela 3 Barquisimeto O Centro Luso Larense realizou um acto protocolar em Plaza Bolívar da cidade de Barquisimeto, Estado de Lara, que teve como orador convidado Antonio Neves Rodríguez, co-fundador e primeiro vicepresidente do referido centro social. Depois do discurso, que exaltou os valores portugueses e os esforços realizados pelos lusitanos em terras venezuelanas, seguiu-se um almoço e um brinde no clube, que contou com a presença do Cônsul Honorário, Pedro Ferreira. A banda da polícia estadual interpretou os hinos da Venezuela e de Portugal, além de vários temas de música venezuelana.

Teatro Teresa Carreño

Puerto Ordaz

A Orquestra Sinfónica da Venezuela, dirigida pelo luso-descendente Joshua Dos Santos, deu um concerto na Sala José Félix Ribas do Teatro Teresa Carreño para comemorar o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, na passada sexta-feira, 12 de Junho, numa promovida pela Embaixada de Portugal em Caracas. O concerto também contou com um solista convidado, o pianista António Rosado. O programa do concerto contemplou três peças: Sinfonia para cordas em Si bemol maior, Concerto No.3 para Piano e Orquestra de João Domingos Bomtempo e Fuga com Pajarillo de Aldemaro Romero.

O Consulado de Portugal em Ciudad Guayana organizou uma velada para celebrar o Dia de Portugal, no Salão Principal do Centro Português Venezuelano de Guayana. A Orquestra Sinfónica de Ciudad Guayana encarregou de amenizar a ocasião. O Cônsul Honorário de Portugal no Estado de Bolívar, Victor Vieira, agradeceu a presença de todos e destacou a tenacidade do povo português para superar as adversidades e converter-se numa nação de exemplo quanto ao amor pelo trabalho. A Junta Directiva do Centro também entregou um reconhecimento póstumo a João Capelinha, o qual é considerado como um elementochave no crescimento da organização durante mais de dez anos.

Punto Fijo O Grupo Folclórico Luso Venezuelano Nova Geração de Paraguaná depositou uma oferenda floral na Praça Bolívar da cidade de Punto Fijo, Estado de Falcón. O acto começou com a interpretação dos hinos nacionais da Venezuela e de Portugal, acompanhado com o içamento das bandeiras de ambos países. Acto seguido, um casal do grupo depositou uma oferenda floral junto da estátua do Libertador Simón Bolívar. Usou da palavra José Manuel De Oliveira, presidente do grupo, que proferiu um breve mas emotivo discurso ressaltando as bondades da nação lusitana e dos seus emigrantes espalhados pelo mundo.

Aragua A Casa Portuguesa do Estado de Aragua aproveitou o Dia de Portugal para entregar a Ordem Heróis do Mar, num acto realizado na sexta-feira, 12 de Junho, no salão Luís Vaz de Camões, onde se reuniram, a partir das 8 da noite, diversas personalidades que puderam desfrutar da apresentação do grupo Coral CPA, de grupos de bailes nacionais e da actuação da fadista Liliana Farías.

Valência O Consulado Geral de Portugal de Valência, Estado de Carabobo, também promoveu celebrações. Os actos iniciaram-se com a cerimónia de içar de bandeiras na sede consular, e prosseguiu na Igreja de San Antonio de Prebo, onde pelas 10 da manhã, o padre Pedro Freitas, acompanhado pelos padres lusos-descendentes Juan Dionisio e José Luis Nunes, realizaram a missa pelo dia de Portugal, sendo acompanhados nos cânticos pela voz de Fátima Pontes. Já de noite, o Consulado Geral de Portugal em Valência ofereceu uma recepção oficial. O Cônsul Geral João Pedro Brito Câmara deu as boas-vindas a diversas personalidades, entre as quais se destacaram os presidentes do Centro Social Madeirense, Paulino Dos Ramos, e da Casa Portuguesa de Valência, Carlos Rodrigues; o presidente da Casa Portuguesa do Estado de Aragua, David Alcarias; o presidente da Academia do Bacalhau de Valência, Manuel Mouta; o Presidente da Câmara Portuguesa, Tiago Da Silva; a presidente da fundação Camões, Rita Fernandes. O acto começou com os hinos da Venezuela e de Portugal, interpretados pelo grupo Coral Marlene de Dos Ramos do Centro Social Madeirense. Seguiu-se a intervenção do Cônsul Geral. Finalmente, o diplomata conviduo aos presentes para a inauguração da exposição “Remembranzas de un testimonio”.


4 Venezuela

Junho de 2015 | Correio da Venezuela

Dia de Madeira

Madeirenses celebram o seu dia Fernando Cámara

Distintas personalidades da comunidade portuguesa falam sobre a importância desta celebração Comunidade

Tudo a postos para a celebração do Dia da Madeira Fernando Câmara

Comemoração decorrerá ao longo de dois dias no Centro Português, em Caracas O Dia da Madeira é festejado a 1 de Julho e assinala o momento no qual Portugal concede autonomia ao arquipélago, em 1976. É uma comemoração que não se celebra apenas na Pérola do

Atlântico: Também é celebrado pelos cidadãos madeirenses que vivem espalhados pelo mundo. O Centro Português, em Caracas, prepara-se para acolher, como de costume, as celebrações oficiais da Comissão Pró Celebração do Dia da Região Autónoma da Madeira na Venezuela. Este ano, o programa de festas conta com diversas actividades para desfrute dos participantes, e conta com a presença de Rubina Leal, secretária regional dos Assuntos Sociais e da Inclusão, do Governo da Madeira.

Programa Domingo 28 de Junho. Sala Principal à 1:00 pm. Almoço com o espectáculo de Álex Gonçalves “Con todo respeto”. Actua também Carlos Kanto e a sua banda. Quarta 1 de Julho. Actos comemorativos do Dia da Região Autónoma da Madeira e das Comunidades Madeirenses. - Ofertas florais ao Libertador Simón Bolívar e Luís de Camões, pelas 5:30 pm, no CP. - Missa de Acção de Graças oficiada pelo padre Alexandre Mendonça, na capela do CP, às seis da tarde. - Concerto da Orquestra Sinfónica de Venezuela, com o grupo coral do CP e o tenor venezuelano Robert Girón. Sala principal, às 7:30 pm.

As celebrações do Dia de Portugal, que têm lugar a 10 de Junho, servem para juntar a comunidade portuguesa radicada na Venezuela, mas o mesmo também acontece quando chega a comemoração do Dia da Madeira, 1 de Julho. Isto acontece porque no caso da Venezuela, a grande maioria dos membros da comunidade é oriundo da Pérola do Atlântico. O dia celebra a conquista da autonomia do arquipélago, através da Constituição da República aprovada em 1976. Esta comemoração é realizada, sob várias formas, na região autónoma e em outros paises.

Pedro Ferreira Cônsul honorário de Barquisimeto

Como celebrarão o Dia da Madeira em Barquisimeto? Como sempre, celebra-se todos os anos a festa no clube. Organizase sempre como apoio com uma oferenda floral na Plaza Bolívar e uma festa. Porque é importante o Dia da Madeira? Porque é um marco na ilha e para o seu povo, como comunidade. Além disso, os madeirenses também são portugueses. Não há uma razão para que exista uma divisão entre continentais e madeirenses, somos um mesmo povo.

Marcelino de Canha

Cônsul Honorário de Portugal em Maracay Como celebrarão o Dia da Madeira em Maracay? Nós fazemos um acto protocolar na Casa Portuguesa de Aragua, no qual são dirigidas umas palavras aos madeirenses. Recordamos os nossos costumes e tradições. Porque é importante o Dia da Madeira? É muito importante por vários factores, mas principalmente pela força dos naturais da Madeira, que representamos 80% dos portugueses que vivem na Venezuela.

Gil Andrade - Presidente do Centro Português Como celebrarão o Dia da Madeira em Caracas? O clube organiza um almoço comemorativo organizado pelo Comité do Dia da Madeira. Somando a isso, a 5 de Julho celebramos no nosso clube o Arraial da Madeira, o qual está dirigido a todos os nossos sócios, para que passem esse dia junto com as suas famílias. Porque é importante o Dia da Madeira? É um dia muito especial pela nostalgia que representa. Saí de lá há muitos anos e sinto nostalgia quando penso na minha terra.

Víctor Vieira

Presidente do Centro Português Venezuelano de Guayana Como celebrarão o Dia da Madeira em Guayana? No dia 5 de Julho já está reservado para isso. É um dos dias quando mais pessoas vêm cá. Por causa da música, da comida, dos costumes, tradições, entre outros coisas. Há uma comissão que se encarrega disso. As pessoas saem com a família. Inclusivamente, sócios que são venezuelanos juntam-se a este dia até pessoas madeirenses que não são sócios comparecem no programa que temos todos os anos.

Pedro Gonçalves - Cônsul Honorário de Portugal em Los Teques Como celebrarão o Dia da Madeira em Los Teques? Temos previsto levar a secretária regional dos Assuntos Sociais ao Santuário da Virgem de Fátima e para conhecer a Casa da Calheta. Em la Plaza de Portugal, faremos uma oferenda floral cedo. Porque é importante o Dia da Madeira? Muitos portugueses lograram vencer em distintos âmbitos da sociedade, na música, no desporto, na política, entre muitos outros, pelo que é importante celebrar o Dia da terra que os viu nascer.


Correio da Venezuela | Junho de 2015

Publicidade 5


6 Venezuela

Junho de 2015 | Correio da Venezuela

visita

visita

Paulo Cafôfo quer emigrantes Questões fiscais em na capital na “melhor cidade para viver” debate venezuelana Agostinho Silva, em Caracas asilva@dnoticias.pt

O presidente do Funchal e o Bastonário dos Técnicos Oficiais de Contas trazem novidades fiscais que poderão interessar à comunidade portugesa O presidente da Câmara do Funchal estreou-se este fim-desemana na Venezuela com uma mensagem emocionada, primeiro em gratidão pelo contributo das comunidades à Madeira, depois ao confessar-se positivamente surpreendido com aquilo que já viu nesta sua primeira incursão a Caracas. Paulo Cafôfo assumiu, sem rodeios, querer explorar “de forma positiva” a emigração madeirense no mundo. “O Funchal quer ser a melhor cidade para viver, até 2020, em Portugal” e para isso precisa também do contributo dos madeirenses que residem fora da ilha. O autarca dirigia-se às centenas de emigrantes que domingo participavam num almoço no Centro Português, em Caracas, numa ini-

ciativa conjunta do DIÁRIO de Notícias da Madeira e da Câmara LusoVenezuelana de Comércio, Turismo e Afins (CAVENPOR). Para além da Câmara do Funchal (CMF), viajaram de Portugal representantes da Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas (OTOC) e da Caixa Geral de Depósitos (CGD). O Salão Nobre do clube engalanou-se para um evento promovido pelo nosso jornal em estreita colaboração com José Luis Ferreira, presidente honorário da CAVENPORT. As centenas de convivas começaram por ouvir Paulo Cafôfo definir a sua presença em Caracas como “uma visita de afectos e de memória”, numa alusão a familiares que já vão na segunda e terceira gerações.

A outra realidade no Mercado de Chacao Paulo Cafôfo aproveitou a manhã de domingo 31 de Maio para uma visita sem aviso prévio ao Mercado de Chacao, uma estrutura onde dezenas de comerciantes madeirenses desenvolvem a sua actividade. O autarca foi reconhecido por vários populares, acercando-se para cumprimentá-lo e até aconselhálo sobre a governação do Funchal e da Madeira. À tarde, Cafôfo participou na missa celebrada pelo padre Alexandre Mendonça.

visita

‘El Hatillo’ e Academia do Bacalhau na despedida de Paulo Cafôfo Paulo Cafôfo, presidente da Câmara do Funchal, teve uma despedida apoteótica da Venezuela, com uma homenagem da Academia do Bacalhau de Caracas e um encontro com o ‘alcalde’ do município de El Hatillo. O autarca regressa hoje ao Funchal. “Nunca senti tanto Portugal como o senti aqui na Venezuela”, confessou o autarca na noite de terça-feira, durante o encontro da Academia do Bacalhau de Caracas, onde Paulo Cafôfo foi homenageado pelo presidente José Luis Ferreira e restantes ‘compadres’ daquela organização. A Academia do Bacalhau de

Caracas é uma das seis dezenas de academias espalhadas pelo mundo, sendo a que maior número de membros tem registado (mais de 400). Para além dos momentos de lazer que proporciona, as academias destacam-se pelo facto de proporcionarem ajudas concretas a diversos necessitados, em todo o mundo. No caso da Academia do Bacalhau de Caracas, onde pontificam membros com estatuto social e empresarial de elevado destaque, o principal beneficiado é o Lar de Idosos Pe. Joaquim Ferreira, cujo funcionamento é financiado pelos empresários que integram a

academia caraquenha. Na última tertúlia, realizada terça-feira no Salão Gales, na capital venezuelana, a Academia do Bacalhau de Caracas prestou uma homenagem ao presidente da Câmara do Funchal e ao Bastonário da Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas (OTOC). O autarca madeirense aproveitou para evocar as capacidades da comunidade portuguesa, por saber adaptar-se às especificidades da Venezuela e por “fazerem” Portugal nesta latitude. “A nossa riqueza são os portugueses e tudo aquilo que fazemos pelo mundo”, disse o autarca.

O Bastonário dos Técnicos Oficiais de Contas traçou segunda-feira, em Caracas, o retrato actual da política fiscal portuguesa, levantando dúvidas em relação ao retorno que deve ser exigido à tributação que tem recaído sobre a maioria dos portugueses. Domingues Azevedo falava perante uma plateia de portugueses e luso-venezuelanos, desde empresários a representantes de organismos inseridos na Comunidade lusa da Venezuela. O presidente da Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas (OTOC) foi o principal impulsionador da conferência “A Política Fiscal em Portugal”, na qual participaram também o presidente da Câmara do Funchal e a responsável pela Direcção Internacional de Negócios da CGD. Durante a sua intervenção em que retratou a política fiscal portuguesa, Domingues Azevedo escalpelizou o “papel fundamental dos Técnicos Oficiais de Contas” e convidou a comunidade de empresários portugueses no estrangeiro a se debruçarem sobre as oportunidades de negócios com o quadro fiscal actual. No seu estilo habitual, de frontalidade ‘sem papas na língua’, o Bastonário da OTOC mostrou-se crítico em relação à carga tributária que incide sobre a maioria das famílias portugue-

sas. Nesse capítulo, comparou a carga fiscal em Portugal com a de outros países. Advertiu que essa comparação só pode ser feita em função do retorno que esse esforço fiscal tem para os contribuintes de cada país. Por isso questiona se os 34,4% de carga fiscal actual dos portugueses têm uma aplicação efectiva na melhoria das condições de vida das famílias lusas, quando há poucos anos esse volume fiscal era pouco mais de 29%. O presidente da OTOC referiu-se ainda outros aspectos transversais à fiscalidade, como é o caso do mau funcionamento dos tribunais, sobretudo devido à longa espera por decisões judiciais definitivas, nos conflitos que opõem o contribuinte ao Estado português. Salvaguardou, por outro lado, que todos devem estar conscientes para não vangloriarem eventuais fugas aos impostos, porque inevitavelmente esse fenómeno acaba sempre por agravar os outros contribuintes. O presidente da Câmara do Funchal também foi um dos oradores da conferência promovida pela OTOC, em Caracas. Paulo Cafôfo defendeu que agora há que começar a falar de “crescimento económico”, após a “saturação fiscal” dos últimos anos.

CGD com novo responsável O Escritório de Representação da CGD em Caracas tem um novo responsável. Trata-se de José Damas Branco, que substitui Irene Coelho Alves, e que nos últimos dois anos esteve à frente da Direcção Comercial da Caixa Geral de Depósitos na Madeira. O novo ciclo da CGD em Caracas justificou a deslocação de vários elementos da Direcção Internacional de Negócios, chefiada por Ana Vinagre. A equipa da CGD participou nos últimos dias em vários eventos, incluindo o almoço de domingo no Centro Português e ainda na conferência de segunda-feira no Hotel Pestana.


Correio da Venezuela | Junho de 2015

Publicidade 7


8 Venezuela

Junho de 2015 | Correio da Venezuela

Instituições

Lar Joaquim Ferreira pede apoio financeiro a Lisboa

Beneficência

Academias trabalham em prol da sociedade Fernando Cámara

A Academia da Espetada de Caracas realizou a tertúlia do sexto aniversário

Agostinho Silva DN-MADEIRA

O pedido de ajuda ao governo português visa colmatar as grandes dificuldades por que passa a instituição O Governo da República, que nos últimos dias visitou a Região, já deverá estar ao corrente do apelo do Lar de Idosos Pe. Joaquim Ferreira, nos arredores de Caracas, para que esta instituição de solidariedade seja integrada na lista de apoios oficiais do Estado português. A informação foi confirmada ao DIÁRIO por José Luís Ferreira, um dos principais dirigentes associativos da comunidade portuguesa na Venezuela. O pedido de ajuda ao governo português visa colmatar as grandes dificuldades por que passa o Lar Pe. Joaquim Ferreira, em Los Anaucos, e que acolhe idosos da comunidade portuguesa. O Lar Pe. Joaquim Ferreira beneficiou de vários apoios para a sua construção, incluindo do Estado português e da Região Autónoma da Madeira, mas os custos de funcionamento continuam a ter a acção benemérita de várias associações luso-venezuelanas como única fonte de financiamento. É o caso da Academia do Bacalhau de Caracas e a Associação de Beneficência das Damas

O Bastonário da OTOC entregou um donativo.

Portuguesas. Na terça-feira, 2 de Junho, o Lar Pe. Joaquim Ferreira recebeu a visita do presidente da Câmara Municipal do Funchal e do Bastonário da Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas. Uma oportunidade que gerou vários momentos de emoção, sobretudo no contacto momentâneo com vários idosos que ali estão internados. Numa curta alocução, o autarca funchalense elogiou o trabalho das várias instituições que apoiam o Lar de Idosos e confessou-se impressionado com o trabalho ali desenvolvido, nos vários níveis de acolhimento aos 57 idosos portugueses, na sua maioria oriundos da Madeira. Se o Estado português decidir apoiar, o Lar de Ido-

sos estará em condições de acolher muitos mais idosos, já que as suas modelares instalações assim o permitem. Donativo da OTOC O Bastonário da Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas aproveitou a visita para entregar um donativo da OTOC, um gesto que foi muito apreciado pelos responsáveis. Numa declaração de circunstância, após ter visitado as instalações, Domingues Azevedo emocionou-se quando louvava e incentivava os empresários e instituições luso-venezuelanos a continuarem aquela louvável obra, em prol de uma faixa da nossa comunidade — os idosos — que normalmente é esquecida.

Beneficência

Sociedade de Damas elegeu Junta Directiva Fernando Cámara

Durante o bingo aniversário foi revelado que se mantém os mesmos membros do período anterior

A Sociedade de Beneficência de Damas Portuguesas ratificou a grande parte da sua Junta Directiva, na passado quinta-feira, 21 de Maio, aquando da realização do tradicional Bingo Aniversário nas instalações do Salão Nobre do Centro Português, de Caracas. O evento, que contou com uma grande participação de pessoas, foi

propícia para repartir uma grande variedade de prémios entre todos os assistentes, em agradecimento pelo apoio que têm dado durante todo o ano. Os membros da junta que dirigirá os destinos desta associação vão ficar em funções até 2016. Apenas foi registada uma alteração: o a troca de papéis entre a secretária e a vice-secretária.

As Academias do Bacalhau e da Espetada na Venezuela continuam a promover actividades com o objectivo de contribuir com o seu grãozinho de areia, através da beneficência, para a sociedade. A Academia da Espetada de Caracas realizou a tertúlia do sexto aniversário no passado domingo, 7 de Junho, no salão Majestic da Sala de Banquetes Gales, no Centro Comercial Ciudad Tamanaco, pelo meio-dia. O grupo musical Alma Llanera, proveniente do Estado de Guárico, animou a tarde; depois foi a vez de Orlando de Freitas, com uma actuação com música portuguesa para dançar, e os Lusomanía e Grupo de Samba de Simone encerraram o evento. Sílvia Henriques, presidente

da instituição, não conseguiu esconder a felicidade pelo êxito do evento: “Fiquei muito satisfeita, o salão estava cheio, a comida estava deliciosa e recebemos muitas felicitações por parte dos participantes”, comentou. Por seu turno, a Academia do Bacalhau de Los Altos Mirandinos organizou, no salão Arcade do Restaurante Frango’, a tertúlia correspondente ao mês de Junho, no passado dia 6, sábado. O evento foi animado musicalmente pelas artistas Luisana Andrade, Milú de Almeida e Antonio Fuiza, acompanhados pelo conjunto Guitarras de Lisboa. A Academia da Espetada de Maracay levou a cabo a tertúlia ‘Noite no México’, que serviu para homenagear os pais no passado dia 8 de Junho, pelas 7:30 da noite, no restaurante Los Jardines, na Urbanização La Barraca de Maracay. Entretanto, a Academia do Bacalhau de Valência organizou a tertúlia do mês no dia 15, no restaurante Xacobeo da Hermandad Gallega, pelas oito da noite.

Idioma

II Encontro de Professores de Português a 4 de Julho Sergio Ferreira Soares

Evento contará com um especialista em língua portuguesa que se desloca ao país O II Encontro de Professores de Português como Língua Estrangeira será realizado no próximo 4 de Julho no Instituto Universitário Tecnológico Américo Vespucio, em Caracas. O coordenador do Ensino da Língua Portuguesa na Venezuela e representante do Instituto Camões, Rainer Sousa, revelou que o evento contará com um especialista em língua portuguesa que se desloca ao país com a missão de promover pelo menos cinco debates em

quatro dias. As conferências poderão vir a ser realizadas na Universidade Central da Venezuela; Universidade de Carabobo ou no Consulado Geral de Portugal em Valência; o Instituto Brasil-Venezuela; e a Associação Civil Centro Português, em Caracas. No entanto, o programa final será anunciado nos próximos dias. Como parte das iniciativas do Instituto Camões e da Coordinação do Ensino da Língua Portuguesa na Venezuela, estão a sendo promovidas diferentes acções de formação para os professores de língua portuguesa na Venezuela. Espera-se que em Julho sejam divulgadas novas datas do curso, ministrado pela professora Rubena St. Louis, intitulado “Producción de Materiales en lengua extranjera”.


Correio da Venezuela | Junho de 2015

Publicidad 9


10 Venezuela

Junho de 2015 | Correio da Venezuela

Catia

Sarria

Acusado homem pelo homicídio Luso-descendente assassinado em Caracas de José Enrique Maia Sardinha CORREIO / Lusa

O pedido de ajuda ao governo português visa colmatar as grandes dificuldades por que passa a instituição

Sergio Ferreira Soares

Comerciante foi sequestrado a 8 de Julho de 2014 em Catia e assassinado posteriormente O Ministério Público acusou, na passada segunda-feira, 8 de Junho, o cidadão venezuelano Yanfranco Salas Zambrano, de 32 anos, por co-autoria no rapto e posterior assassinato do comerciante português José Enrique Maia Sardinha, ocorrido no ano passado em Catia, paróquia de Sucre do município Libertador, Distrito Capital. Recorde-se que a 12 de Julho de 2014 foram encontradas partes do corpo da vítima em San Martín, paróquia San Juan. No texto da acusação enviado ao Tribunal 25.° de Controlo do AMC, a representante do Ministério Público solicitou a admissão da acusação, o julgamento do arguido e a manutenção da medida de coacção de prisão preventiva deste, que se encontra em reclusão no Centro Penitenciário Metropolitano Yare III, no Estado de Miranda. Na madrugada de 8 de Julho do ano passado, o comerciante, em companhia de dois trabalhadores,

preparava-se para abrir o seu negócio situado em Catia, quando foi surpreendido por vários homens armados, que golpearam as outras duas pessoas. Horas mais tarde, os raptores contactaram os familiares da vítima exigindo uma elevada quantia de dinheiro em troca da sua libertação. Na sequência de diligências e perícias de investigação coordenadas pelo Ministério Público, foi possível determinar a participação de Salas Zambrano nos factos. Foi assim que acabou por ser detido a 3 de Abril deste ano, na paróquia El Recreo, por elementos do Corpo

de Investigações, Científicas Penais e Criminalísticas, no cumprimento de um mandado de captura solicitado pela procuradora. Cabe destacar que no momento da detenção do agora arguido, os agentes do referido corpo de investigação criminal apreenderam uma cédula de identidade de outra pessoa. Por este caso vão também a julgamento outros três homens, acusados dos crimes de homicídio qualificado, sequestro agravado, e associação criminosa. Também estes se mantém o estatuto de reclusos no citado centro de reclusão de Miranda.

Caracas

Assassinada proprietária de hotel CORREIO/LUSA

El Universal noticiou que a portuguesa terá sido estrangulada e atacada com uma arma branca Uma mulher portuguesa de 79 anos foi assassinada em Caracas, dentro do hotel do qual era proprietária, informaram, na segundafeira, 7 de Junho, fontes da comunidade portuguesa local à agência Lusa. Radicada há mais de 50 anos

na Venezuela, Maria Elia Dias de Prieto foi encontrada morta no sábado anterior, por um dos inquilinos do hotel Dias e Silva, que a tentara localizar, depois de não ter tido resposta, ao pedido de abertura da porta do hotel do centro de Caracas, como acontecia todos os dias. O diário venezuelano El Universal noticiou entretanto que a portuguesa terá sido estrangulada e atacada com uma arma branca, “por indivíduos que entraram no seu quarto”. “Era uma anciã muito frágil”, disse uma familiar da vítima ao jornal venezuelano. “Não é justo que lhe tenham feito algo tão cruel”. Segundo a imprensa vene-

zuelana, as autoridades suspeitam que a portuguesa tenha sido assassinada por alguém conhecido, que sabia localizar o seu quarto e tinha conhecimento da existência de valores, tendo desaparecido dinheiro e a chave de uma casa da qual era proprietária, entre outros valores. A investigação do homicídio está a cargo do Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalísticas da Venezuela. Maria Elia Dias de Prieto tinha dois filhos, residentes em Portugal, mas insistia em permanecer na Venezuela, por querer “retribuir” o bom acolhimento recebido, quando emigrou para Caracas.

Um luso-descendente foi hoje assassinado a tiro em Caracas por desconhecidos que teriam tentado roubar a sua viatura, noticiou a emissora venezuelana Unión Rádio. A vítima, identificada como sendo Carlos Rodríguez, de 48 anos de idade, foi intercetada por homens armados depois de sair de casa, em Sarria (centro), para ir ao Consulado Geral de Portugal em Caracas, para tratar de documentos.

“Ele estava a tratar dos papéis porque queria ir embora”, explicou um sobrinho à Unión Rádio. O cadáver foi localizado na Cota Mil, uma autoestrada do norte de Caracas, que liga o centro com o leste da capital venezuelana. Carlos Rodríguez era casado e deixa dois filhos, de 24 e 21 anos. Fontes não oficiais dão conta que a viatura do lusodescendente foi localizada pelas autoridades em Pinto Salinas, um bairro do centro de Caracas. O caso está a ser investigado pelo Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalísticas (Cicpc, antiga Polícia Técnica Judiciária). A insegurança é apontada pelos analistas e pelos próprios cidadãos como uma das principais preocupações dos venezuelanos, afetando por igual tanto a nacionais como a estrangeiros radicados no país.

Higuerote

Comerciantes lusodescendentes receiam abrir portas devido à insegurança na Venezuela CORREIO / LUSA

Os estabelecimentos comerciais estão a reduzir o horário de funcionamento Habituada a lidar frequentemente com a criminalidade, a comunidade portuguesa radicada em Higuerote, sobretudo os comerciantes, estão cada vez mais preocupados com a insegurança, temendo abrir os estabelecimentos comerciais em horas e dias de pouca afluência. Higuerote é uma pequena população costeira do Estado venezuelano de Miranda, localizada 110 quilómetros a leste de Caracas, e muito procurada durante a época balnear e aos fins de semana.

“Isto está cada vez mais perigoso. Durante a semana, como há pouco movimento, alguns comerciantes abrem tarde e fecham cedo, e às vezes nem abrem, porque já assaltaram praticamente quase todos os estabelecimentos”, disse um comerciante. Francisco Freitas explicou que ele próprio foi interceptado por vários desconhecidos, quando regressava a casa. Obrigaram-no a entrar noutra viatura e exigiram dinheiro para o deixarem ir em liberdade. “Foram várias horas de angústia, mas tudo terminou em bem”, explicou, recusando-se a avançar com mais pormenores. Segundo vários comerciantes, os estabelecimentos comerciais de venda de bebidas alcoólicas e de roupa de praia estão a reduzir o horário de funcionamento devido à baixa afluência de clientes.


Correio da Venezuela | Junho de 2015

Publicidade 11


12 Venezuela

Junho de 2015 | Correio da Venezuela

Perfil

Fernando Câmara

Há cinco anos que é CEO (Director Executivo) de uma multinacional publicitária. Antes fez outras coisas A comunidade portuguesa conseguiu deixar marca em diferentes áreas da sociedade venezuelana. Inclusive a publicidade tem tido a influência de lusos ou de luso-descendentes. É o caso de Jhon da Silva, proprietário da empresa Lo que Nos Gusta. Tem quase 20 anos de carreira nesta área profissional. Jhon da Silva nasceu em Caracas a 10 de Fevereiro de 1977. Os pais e os cinco irmãos mais velhos são de São Martinho, em Câmara de Lobos, na ilha da Madeira. “Nós somos de Antímano, fomos criados aí, metade da minha infância foi lá. Depois mudámo-nos para Montalbán. Ou seja, foi por essa zona do oeste da capital. Os meus pais tinham os seus negócios por aí”, comentou Jhon da Silva. Parte dos seus estudos foi feita perto de casa. “Eu fiz a primária no San José de Tarbes. Depois fiz a secundária no Liceu Bicentenário. Depois estudei Publicidade e Marketing no Instituto Técnico e Marketing e Negócios na Universidade Metropolitana”, disse. Há cinco anos que é CEO (Director Executivo) de uma multinacional publicitária. Antes fez outras coisas. “Eu trabalho desde os 8 anos com a minha família num supermercado que o meu pai tinha. Depois fui trabalhar com o meu irmão como empregado de mesa e até aos 17 estive no ramo do comércio. Comecei a trabalhar em publicidade na empresa Walter Thompson, que é de Londres. Em 1996, tornei-me independente, ainda que continue a trabalhar com esse grupo. Actualmente, sou CEO e gerente geral da Divisão de Meios”, contou. Mas não é a única coisa que faz. “Divido-me entre as minhas duas empresas. É 50% do tempo para cada uma delas. Graças a Deus ficam no mesmo edifício, e isso ajuda a que possa fazê-lo”, apontou. A família ajudou-o de diferentes formas quando entrou no mundo do trabalho. “Eu tenho a sorte de ter cinco irmãos mais velhos que me ajudaram a impulsionar a possibilidade de estudo. Eles não tiveram a mesma sorte que eu, ou seja, sofreram por não terem considerado o estudo como uma alternativa. Eu fui uma espécie de mistura entre a visão dos

Jhon da Silva: Entre a publicidade, a fotografia e o cinema

meus irmãos e a dos meus pais. Quando comecei na publicidade, trabalhava com o meu irmão e tinha um salário, mas fui para uma companhia como ajudante onde não tinha salário. Isso era inconcebível em casa, não era compreendido pelos meus pais o facto de não seguir os negócios familiares. Mas apoiaram-me e entenderam que podia ser também uma forma de vida. Os meus pais estão muito orgulhosos do que se fez aqui. Há pouco aconteceu a inauguração da exposição (de fotografia) e a minha mãe estava impressionada. É uma forma diferente de ganhar a vida, porque eles estavam no ramo da transacção de produtos e eu es-

Foi a vontade de trabalhar do português que trazemos no sangue que fez com que tivéssemos um produto novo e inovador”.

tou no dos serviços”, explicou. Em 1996, surgiu a ideia de criar Lo que Nos Gusta. “Surge por altura de 1996. Nesse momento, era vice-presidente e director de investigações da MindShare para a Venezuela. Estava submerso numa série de viagens por toda a América Latina, ia a muitos países para reuniões, fazia até duas viagens por mês. Levou-me a muito esgotamento mental. Sou muito tecnológico e na Venezuela havia apenas 200 mil pessoas ligadas à Internet. Eu tinha muita vontade de fazer uma agência digital. Nessa companhia, não havia muito interesse de envolvimento na parte digital nessa altura, porque não o

viam como algo atractivo. Então decidi sair do trabalho, de fazer viagens, e dediquei-me a pensar em como fazer uma agência digital. É aí que nasce Imán, que foi a minha primeira agência, onde criámos o conceito de fazer publicidade pela Internet num mundo onde não se falava disso, nem de plataformas sociais. O conceito foi bem recebido e foi uma oportunidade. A ideia era publicitar marcas através de plataformas digitais”, relatou. Depois deu-se a expansão. “Dois anos depois, criámos outra agência, La Web, dedicada a plataformas sociais e tecnológicas. Graças a Deus tivemos um grande êxito no país. Criei-a com o meu sócio, Juan Carlos. Ambas as agências cresceram em conjunto com o crescimento da Internet e dos consumidores”, assinalou. Actualmente, tem o escritório em Chuao, no Cubo Negro. Antes disso, estiveram em Los Palos Grandes. A sua empresa tem clientes como Banesco, Domino´s Pizza, Nestlé ou Empresas Polar e tem à sua responsabilidade 100 pessoas. E imaginavam, no início, ter o crescimento que conseguiram. “Dizer que não seria mentira. Desde o início que pensámos nisso. O que não imaginávamos era que fosse acontecer tão rápido porque nos últimos anos houve muitas particularidades em plena crise e para além disso, com a situação actual e um contexto como o nosso, era complicado. Mas acho foi a vontade de trabalhar do português que trazemos no sangue que fez com que tivéssemos um produto novo e inovador”, contou. A fotografia é outra das suas paixões. “Há 10 anos que faço fotografia, estudei na Oficina de Roberto Mata. Gosto de fotografia documental. Comecei a assumir a fotografia como parte da minha vida e tento fazê-lo com a maior seriedade possível. Há seis anos que fotografo a Península de Paria. Numa selecção que fiz de fotos que tirei lá, fiz uma mostra que se chama Portas de Paria, que é uma observação das fachadas das casas, das texturas e das cores, com 13 fotos. Está aqui no escritório e também pode ser vista no meu sítio da Internet, em www.jhondasilva.com”. Mas o luso-descendente tem outras coisas para expor. “Tenho três trabalhos pendentes, um que se chama Seres e Estares. Com uma imagem dessas ganhei um prémio nacional de fotografia no Estado de Aragua, que é também um trabalho em Paria. Estou a fazer um trabalho sobre os alimentos, como se produzem e como é o processo. E por último um trabalho sobre os jogos tradicionais e as reacções das pessoas”.


Correio da Venezuela | Junho de 2015

Publicidade 13


14 Portugal

Junho de 2015 | Correio da Venezuela

Prevenção

Mais de 2 mil desempregados no apoio contra fogos florestais CORREIO/LUSA

Este verão a iniciativa vai beneficiar 2.200 pessoas, que vão receber 419 euros com subsídios de refeição e transporte Mais de 2 mil desempregados vão este verão trabalhar na prevenção de fogos florestais, numa altura em que a GNR já prendeu mais pessoas pelo crime de incêndio do que em todo o ano passado. “Este ano, o número de detenções pelo crime de incêndio florestal é superior ao de todo o ano passado, e ainda não entrámos na fase charlie” (considerada a mais crítica), disse, no passado 23 de Junho, o secretário de Estado da Administração Interna, João Pinto de Almeida. Até

A GNR já prendeu mais pessoas este ano pelo crime de incêndio do que em 2014. FOTO DR

agora, precisou, foram instruídos 38 processos. O responsável falava numa cerimónia que juntou também os ministros da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, Pedro Mota Soares, e da Agricultura e do Mar, Assunção Cristas, destinada a

reeditar um protocolo que se tem celebrado nos últimos anos e que visa empregar na limpeza e vigilância das florestas desempregados de longa duração. Este verão a iniciativa vai beneficiar 2.200 pessoas (que vão receber

419 euros com subsídios de refeição e transporte) e custa ao Estado 6.5 milhões de euros. Desde 2012, quando começou, até agora já envolveu quase três mil desempregados, de todas as regiões do país. É “um trabalho social a juntar ao já organizado na prevenção e combate aos incêndios”, disse o secretário de Estado, evidenciando o trabalho de prevenção e sensibilização da GNR junto das populações para a limpeza de matas. Das pessoas contactadas pela GNR, disse, 70 por cento fizeram voluntariamente essa limpeza. Mas além da valorização e protecção da floresta a iniciativa permite, acrescentou Pedro Mota Soares, reinserir as pessoas no mercado de trabalho e evitar a marginalização. Dá-se preferência, explicou, a desempregados de longa duração, beneficiários do rendimento social de inserção, “os mais excluídos e os com mais dificuldades em regressar ao mercado de trabalho”. Além de que, disse Assunção Cristas, “tudo o que se possa fazer para juntar esforços” na defesa da floresta “é de louvar”, e o balanço do ano passado “é muito positivo”. O Governo já tinha dito na segunda-feira (através de um comunicado) que o protocolo “Trabalho Social pelas florestas” pretende valorizar e proteger a floresta e melhorar os níveis de empregabilidade e promover “a reinserção no mercado de trabalho dos cidadãos que se encontrem em situação de desemprego, através do desenvolvimento de trabalho socialmente necessário”.

Privatização da Tap

“Processos em tribunal não perturbaram venda” CORREIO/LUSA

Supremo Tribunal Administrativo indeferiu na segundafeira, 22 de Junho, uma providência cautelar O ministro da Economia, António Pires de Lima, disse, no passado 23 de Junho, em Luanda, que as providências cautelares em torno da privatização da TAP não perturbaram o processo, com a assinatura do contrato com o agrupamento vencedor agendada para a data estipulada.

“Temos de respeitar todas as providências que sejam postas relativamente ao tema da TAP, por um conjunto de cidadãos ou por quem muito bem entenda. Mas a verdade é que a existência destas providências não tem perturbado o processo”, disse o ministro, à margem de uma visita oficial que está a fazer a Luanda. O Supremo Tribunal Administrativo (STA) indeferiu na segundafeira a providência cautelar apresentada pela Associação Peço a Palavra contra o caderno de encargos da privatização da TAP. A 3 de Junho, e já depois de colocar uma nova providência cautelar, agora contestando o decreto-lei que aprovou a privatização da TAP, a Associação Peço a Palavra anun-

Governo aprovou a venda de 61% do capital social da TAP ao consórcio Gateway. FOTO DR

ciou que o processo estava suspenso por decisão do STA. A 11 de Junho, o Governo aprovou a venda de 61% do capital social da TAP ao consórcio Gateway, do empresário norte-americano David Neeleman e do empresário português Humberto Pedrosa - um

dos dois finalistas do processo de privatização da transportadora aérea portuguesa, sendo o candidato preterido Germán Efromovich. A assinatura do contrato com o agrupamento vencedor estava agendada, pelas 09:00, na quartafeira, 24 de Junho.

Saúde

Cancro e doenças pulmonares associados ao tabaco estão a aumentar em Portugal CORREIO/LUSA

Quem o diz é a coordenadora da comissão de tabagismo da Sociedade Portuguesa de Pneumologia O cancro e a doença pulmonar obstrutiva crónica associados ao consumo de tabaco estão a aumentar em Portugal, disse à agência Lusa Ana Maria Figueiredo, coordenadora da comissão de tabagismo da Sociedade Portuguesa de Pneumologia. “Há apenas uma diminuição da incidência das doenças cardiovasculares associadas ao tabagismo devido às novas tecnologias, mas a incidência de cancro está a aumentar, tendose registado nos últimos dois anos um aumento de 23 para 25% no número de fumadores”, sublinhou a médica. Ana Maria Figueiredo, que falava a propósito do Congresso de Pneumologia do Centro, que se realizou, entre 25 e 26 de Junho, em Viseu, salientou que se regista um aumento de fumadores em idades mais jovens e que o número de mulheres fumadoras se aproxima dos homens. Ao longo de dois dias, cerca de 250 participantes analisaram e debateram as “perigosas alternativas” ao tabaco e rastreio no cancro do pulmão. Segundo a especialista, verifica-se um aumento do cancro do pulmão e de outros tumores associados ao consumo de tabaco. A coordenadora da comissão de tabagismo da Sociedade Portuguesa de Pneumologia defende uma legislação mais restritiva sobre o tabaco, sem excepções, referindo que “nos países com legislação mais restritiva existem menos jovens a iniciarem-se no tabagismo”.


Correio da Venezuela | Junho de 2015

Publicidade 15


16 PUBLICIDADE

Junho de 2015 | Correio da Venezuela

Investimentos devem ser bem ponderados e analisados todos os factores de risco O advogado Fernando Ramos Gomes tem 15 anos de actividade e um conhecimento profundo dos problemas que afectam a comunidade emigrante Os emigrantes que pretendam investir na sua terra natal devem ter em conta factores importantes e interessantes do meio em que irão aplicar o seu dinheiro, nomeadamente na escolha das actividades ou tipo de negócio a que querem se dedicar. São os chamados factores de risco que, na maior parte das vezes contribuem para o sucesso, ou não, dos projectos. O aviso é do advogado Fernando Ramos Gomes, director da empresa ‘Spontaneus Charges – Serviço de Assessoria e Consultadoria. Lda.’, com sede na cidade do Funchal, que desde há 15 anos se dedica à assessoria a pessoas, famílias e empresários, que estando fora do País, com pouco conhecimentos da legislação em vigor, pretendem actualizar os seus registos ou despachar processos que necessitem da ajuda de quem está mais identificado com as leis do País e as rotinas dos departamentos públicos. Antes de mais qualquer diligência os potenciais investidores devem fazer um estudo sobre o tipo de negócio que pretendem montar, analisando, nomeadamente, a concorrência existente, as potencialidades do mercado e outros elementos que possam contribuir para uma maior competitividade e sustentabilidade da indústria ou comércio que pretendem criar. O dr. Fernando Ramos Gomes cita, por exemplo, o caso das padarias ou pastelarias com venda de pão, que já saturaram o mercado da

ilha da Madeira, e que já não são um negócio interessante. Aliás, refere a propósito, verificaram-se recentemente diversas falências e abandonos de negócios desse tipo, porque não foram rentáveis, embora tivessem sido montados adentro de parâmetros modernos e com tecnologia adequada. Por outro lado, lembra o advogado e consultor, que não é facto assumido que um negócio de sucesso em Venezuela, por exemplo, possa ter o mesmo sucesso na ilha da Madeira, em particular, ou em Portugal, em geral. Há que atender até a factores culturais, em que os hábitos da população, até mesmo a grande amplitude térmica entre o Verão e o Inverno, condicionam comportamentos e daí há de criar projectos adequados e apelativos aos terrenos e às pessoas com quem os investidores irão lidar. Numa primeira análise, e no caso da Região Autónoma da Madeira, o dr. Fernando Ramos Gomes considera que o negócio da animação turística tem ainda um grande caminho para percorrer e há, neste segmento de actividade de apoio aos turistas que visitam as ilhas, muito a fazer. A animação turística resume-se, em traços gerais, a criar programas que ocupem os turistas. Hoje o nacional ou estrangeiro que visita a Madeira e o Porto Santo já não é apenas aquele visitante que se contenta com a contemplação da Natureza, que absorve cada mo-

mento de uma panorâmica e a vislumbra demoradamente até fixar na sua memória fotográfica a beleza que se proporciona aos seus olhos. O visitante moderno procura actividade, descoberta e contacto com as coisas e as pessoas do local que visita. Muitas vezes já tem um programa estudado, que recolhe facilmente na Internet, e está determinado naquilo que quer ver ou pretende experimentar. O que é necessário é ser criativo e apresentar opções. Na Madeira foram criadas já algumas empresas de animação turística, nomeadamente iniciativa de jovens empresários, alguns filhos de emigrantes, que trouxeram mais-valia à oferta turística e que exploram segmen-

tos como o náutico, os passeios na natureza, motorizados ou não, a realização de eventos e de percursos de aventura e descoberta que resultam da criação de roteiros que aprofundam o conhecimento dos mais jovens. O dr. Fernando Ramos Gomes considera que é neste capítulo que os investimentos poderão progredir ainda muito, levando mais ideias para as ilhas, onde nos últimos anos se construíram algumas novas áreas balneares sem contudo se retirar o melhor proveito dessas construções e investimentos públicos. Agora terá de ser a iniciativa privada a fazer o seu trabalho. E é para isso, também, que foi criada a empresa ‘Spontaneus

Charges – Serviço de Assessoria e Consultadoria. Lda.’ Com sede na cidade do Funchal, na Rua António José de Almeida, 9, 1º andar, Sala E (9000-062 Funchal), numa localização muito fácil, próximo da Sé Catedral, frente à Assembleia Legislativa da Madeira. A ‘Spontaneus Charges’ e os seus consultores estão aptos a analisar casos e intenções de negócio, a fornecer soluções adequadas à dimensão de cada um, e a acompanhar toda a montagem e desenvolvimento dos projectos com auditoria de profissionais especializados com quem tem convénios de cooperação, por forma a garantir aos seus clientes o melhor sucesso das suas aplicações.

Legalização de um divórcio no estrangeiro Divorciei-me no estrangeiro, como regularizo a minha situação em Portugal? Quando um cidadão português se divorcia no estrangeiro o mesmo tem de ser transcrito no registo civil português, para produzir efeitos em Portugal. Estamos perante uma situação em que é requerido o reconhecimento de sentença estrangeira, a não ser que se trate de um divórcio que teve lugar num Estado membro da União Europeia. Nestes casos é desnecessário o reconhecimento da sentença proferida

em outro Estado membro no âmbito de um processo de divórcio. Porém, quando a decisão seja tomada num país extracomunitário, é necessário que a sentença seja revista e confirmada através do processo especial de reconhecimento de sentença estrangeira. O Tribunal competente para a revisão e confirmação é o Tribunal da Relação da área em que esteja domiciliada a pessoa contra quem se

pretende fazer valer a sentença. No entanto, se essa pessoa tiver domicílio em país estrangeiro e não se encontrar em território português, é competente o Tribunal da Relação de Lisboa. O Tribunal confirmará se não houver dúvidas da autenticidade do documento de que conste a sentença, se não houver recurso da decisão, se não estiver em curso, nem tiver sido julgado processo semelhante em Portugal, se o réu

tiver sido regularmente citado para a acção de divórcio, se a decisão foi proferida num Tribunal competente e a matéria não for da exclusiva competência dos Tribunais portugueses e, por fim, se a decisão não for incompatível com os princípios do Estado português. Uma vez revista e confirmada a sentença é apresentada no registo civil português para transcrição, ficando o cidadão divorciado, também, perante a Lei Portuguesa.


Correio da Venezuela | Junho de 2015

PUBLICIDADE 17

Candidatura de filhos de emigrantes a Universidades Portuguesas O meu filho terminou a escolaridade na Venezuela. Pretendo que ele se candidate a uma Universidade Pública Portuguesa. Ele pode candidatar-se ? Sim, o seu filho pode candidatar-se a uma Universidade Pública Portuguesa. No âmbito do concurso nacional de acesso e ingresso no Ensino Superior público português, na primeira fase, existem diversos contingentes especiais, para além do contingente geral, aos quais são afectadas determinadas percentagens de vagas. Para os candidatos emigrantes portugueses que com eles residam, foi criado um contingente especial com 7% das vagas fixadas do concurso nacional. Para o efeito de candidatura ao ensino universitário público no âmbito do contingente especial para a emigração é considerado emigrante português o nacional que tenha residido, pelo menos, dois anos, com carácter de permanência, num país estrangeiro onde tenha exercido uma actividade remunerada. Por sua vez é considerado familiar de emigrante português o cônjuge

Não, os bens ou valores monetários a favor dos descendentes estão isentos de impostos. Se receber uma herança, ou uma doação pode ter de suportar encargos fiscais, por exemplo, o imposto de selo. Os bens ou valores monetários a favor do cônjuge ou unido de facto, descendentes e ascendentes estão isentos do pagamento do imposto de selo.

ou a pessoa que com ele viva em união de facto ou em economia comum, o parente ou afim em qualquer grau da linha recta e até ao 3.º grau da linha colateral que com ele tenha residido, com carácter de permanência, no estrangeiro, por período não inferior a dois anos e que não tenha a idade superior a 25 anos em 31 de Dezembro no ano da candidatura. Assim sendo, podem concorrer às vagas deste contingente especial, os estudantes que tenham as seguintes condições: • Sejam emigrantes portugueses ou familiares que com eles residam; • Apresentem a sua candidatura no prazo máximo de três anos após o regresso a Portugal; • Tenha obtido no país estrangeiro de residência um diploma de curso do ensino secundário desse país ou a titularidade de um curso de ensino secundário português. • À data da conclusão do curso

do ensino secundário residam há, pelo menos, dois anos, com carácter de permanência, em país estrangeiro; • Não sejam titulares de um curso superior. Os estudantes que pretendam candidatar-se às vagas deste contingente especial do ensino superior público têm que realizar uma candidatura online ao concurso nacional. Posteriormente, juntamente com a cópia do relatório da realização da candidatura online, devem entregar num gabinete de acesso ao ensino superior, em Portugal, um documento comprovativo da situação de emigrante ou de seu familiar, emitido por autoridade diplomática ou consular portuguesa; um documento comprovativo das classificações obtidas nos exames nacionais do ensino secundário correspondentes às provas de ingresso exigidas para ingresso ao curso a que se concorre; um docu-

Isenção de Imposto de Selo Os restantes beneficiários, se os houver, da herança ou da doação, independentemente do grau de afinidade ou parentesco, mesmo

os irmãos, pagam 10% sobre os bens recebidos O cabeça de casal, o cônjuge ou o filho mais velho, tem de co-

tos portugueses nos gabinetes de acesso ao ensino superior, o candidato deve apresentar o documento original certificado pela entidade que o emitiu e a respectiva cópia. Por sua vez, na instrução do processo de candidatura com documentos estrangeiros, o candidato deverá apresentar o documento original autenticado pelos serviços de educação do respectivo país e reconhecido por autoridade diplomática ou consular portuguesa. Tratando-se de documentos públicos, os mesmos podem ser apresentados com a oposição da Apostila pela autoridade competente do estado de onde é originário o documento.

municar o falecimento no Serviço de Finanças da área de residência do autor da sucessão, o falecido. Aí preenche o modelo 1 do imposto

de selo e identifica o autor da sucessão, a data e o local da morte, os sucessores, relações de parentesco e a relação de bens da herança. A declaração deverá ser entregue até 3 meses a contar do início do mês seguinte à data da morte. Os bens recebidos pelo cônjuge, unido de facto, ascendentes e descendentes não pagam imposto, mas têm de ser declarados ao fisco.

gação. Se a procuração tiver sido conferida também no interesse do procurador ou de terceiro, as procurações irrevogáveis, não pode ser revogada sem acordo do interessado, salvo ocorrendo justa causa. As procurações que devam ser utilizadas em Portugal, encontrando-se o representado em país estrangeiro, serão outorgadas junto dos agentes consulares portugueses no país da sua residência, os quais, excepcionalmente, desempenham funções notariais ou junto das competentes entidades locais. Os documentos passados no estrangeiro, em conformidade com a lei local, são admitidos para instruir actos notariais, independentemente da prévia legalização. No entanto, se houver dúvidas fundadas sobre a sua autenticidade poderá se exigida a sua legalização.

Consideram-se legalizados, os documentos autênticos passados no estrangeiro, conforme a lei desse país, desde que a assinatura do funcionário público esteja reconhecida por agente diplomático ou consular português no estado respectivo e assinatura deste agente esteja autenticada com o selo com o selo branco consular respectivo. No entanto, tratando-se de documentos emanados de países signatários da Convenção de Haia, a legalização dos documentos será feita por apostila. O documento escrito em língua estrangeira deve ser acompanhado da tradução correspondente, realizada por notário português, pelo consulado português no país de origem do documento, pelo consulado desse país me Portugal ou, ainda por tradutor idóneo.

Recebi uma herança por morte da minha mãe. Pago imposto de selo? E como se processa o participação do falecimento?

Vou vender um apartamento em Portugal. Não tenho disponibilidade para ir à escritura posso ser representado por alguém? Sim, pode atribuir a alguém os poderes representativos para representá-lo na escritura pública de compra e venda do apartamento, através da outorga de uma procuração. A procuração é o acto pelo qual alguém atribui a outrem, voluntariamente, poderes representativos. O negócio jurídico realizado pelo representante em nome do representado, nos limites dos poderes que lhe competem, produz os efeitos na esfera jurídica deste último. A procuração é livremente revogável pelo representado, não obstante convenção em contrário ou renúncia ao direito de revo-

mento comprovativo da titularidade do curso do ensino secundário obtido no país de emigração, e respectiva classificação; uma declaração, emitida pelos serviços oficias de educação do país de emigração, atestando a habilitação secundária de que são titulares, obtida nesse país, é suficiente para aí ingressar no ensino superior oficial ou certificado de equivalência ao ensino secundário português emitido pela entidade nacional competente e ainda um documento comprovativo da satisfação dos pré requisitos que exigem a realização de provas de aptidão física, funcional ou vocacional. Na apresentação de documen-


18 Portugal

Junho de 2015 | Correio da Venezuela

Diáspora

Comunidades

Novo portal das migrações entrou em funcionamento O cantor já foi por diversas vezes a Portugal. FOTO DR

Música

Shawn Desman quer ter sucesso em Portugal CORREIO/LUSA

Cantor lusodescendente está a ter algum sucesso no Canadá e quer apresentar o seu trabalho aos portugueses

O novo portal pode ser acedido em www.acm.gov.pt. FOTO DR

CORREIO/LUSA

Apoio a imigrantes em Portugal e também a emigrantes portugueses que queiram regressar ao país O Novo Portal das Migrações, que reúne informação e fornece apoio a imigrantes em Portugal e também a emigrantes portugueses que queiram regressar ao país, entrou em funcionamento na manhã segunda-feira, 22 de Junho. Trata-se de uma iniciativa do Alto-Comissariado para as Migrações que contou com a colaboração de diversos ministérios e outras instituições e entidades para cruzar e tornar acessível o máximo de informação útil a quem quiser trabalhar, estudar, viver ou investir em Portugal, o novo portal (www.acm.

gov.pt) nasce após uma gestação de nove meses e pretende-se que seja “um ponto de partida para os migrantes”, indicou o Alto-Comissário, Pedro Calado. “Este novo portal corresponde à ideia de pôr os migrantes no centro da informação. Quem o consultar, escolhe o seu perfil, de acordo com nacionalidade e o que quer fazer em Portugal, e o que lhe aparece é toda a informação adequada a esses critérios”, explicou. A partir de agora, imigrantes e emigrantes têm à sua disposição uma série de recursos num site em que até a legislação está descodificada, em formato de perguntas e respostas, e existem consultores disponíveis para atender cada caso através de uma linha de apoio ao migrante e de uma caixa de correio electrónico onde se lê “Olá, em que posso ajudar?”. Logo na página de entrada, existe uma ferramenta de pesquisa pelos temas mais procurados pelos migrantes, como vistos e autoriza-

ções de residência, impostos e bolsa de emprego, entre outros. “Sou português. Como regressar a Portugal?”; “Que tipos de autorização de residência existem?”; “Fui vítima de discriminação. O que fazer?”; “O que são as Associações de Imigrantes e o que fazem?”; “Onde estão as principais comunidades de imigrantes em Portugal?”; e “Como posso aprender português?” são algumas das perguntas a que este novo portal responde. Nesta primeira fase de funcionamento, o portal está disponível em português e inglês, mas, segundo Pedro Calado, em breve haverá também uma versão em mandarim e outra em russo. O Alto-Comissário para as Migrações revelou ainda que também estará disponível um novo site da Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial (CICDR), também durante o dia desta segunda-feira, que permitirá “não só apresentar queixas online, como acompanhar a evolução das mesmas”.

O cantor luso-canadiano Shawn Desman disse à agência Lusa, no passado 21 de Junho, que espera ter em Portugal o sucesso que tem no Canadá, mas para tal necessita que o “convidem para um grande espectáculo”. “Quando me quiserem em Portugal para um grande espectáculo, lá estarei, adorava. Falta alguém fazer o convite”, afirmou Shawn Desman de 32 anos, em Toronto, no Canadá. O cantor já foi por diversas vezes a Portugal, e na última, há cinco anos, actuou no Faial (Açores) e mostrou saudades do seu início de carreira, em que interpretava muitos dos temas em português, quando também lançou alguns álbuns que tiveram alguma receptividade no mercado português. “Espero voltar aos Açores quando os meus filhos forem mais velhos. É lindo e espectacular”, sublinhou. Shawn Fernandes como era conhecido no início da carreira, adoptou o pseudónimo artístico de Desman, porque quando

era mais novo os seus amigos referiam-se a ele como ‘Dez man’. Shawn é irmão de Danny Fernandes, outro cantor luso-descendente que tem feito muito sucesso no Canadá. “Tenho muito orgulho em ser luso-descendente. Os meus pais continuam a dar importância a esses valores de uma família típica portuguesa. Estou sempre com a minha família, pois a família vem em primeiro lugar”, realçou. O luso-canadiano, vencedor em 2006 de um Juno Award (Prémios de Música do Canadá) na categoria de R&B ‘recording soul’ do ano, tem editados três álbuns que chegaram a atingir o ouro e a platina no Canadá. O próximo trabalho a ser editado, “Obsession” será lançado em Setembro de 2015. Shawn Desman não esconde as suas raízes, recordando que quando pisou o palco pela primeira vez, com nove anos de idade, nunca mais parou. “Significa tudo para mim ser luso-canadiano. Espero dar continuidade ao que os meus pais me ensinaram a mim, dando os mesmos valores aos meus filhos. Tem tudo a ver com a família. Natal, Páscoa, dia de Acção de Graças, uma grande reunião de família, com muita comida, e a manutenção das tradições. Não troco isto por nada no mundo”, salientou. O cantor não esquece a comunidade portuguesa no Canadá, considerando que foi graças a ela que conseguiu a carreira que tem hoje. “São um mundo”, concluiu.


Correio da Venezuela | Junho de 2015

Residentes no Estrangeiro

Publicidade 19

AQUI TAMBร‰M SOMOS PORTUGAL.

ESCRITร“RIO DE REPRESENTAร‡รƒO DA VENEZUELA Avenida Eugรฉnio Mendoza cruce com Calle Josรฉ Angel Lamas ;VYYL3H*HZ[LSSHUH7PZV6ร„JPUH)3H*HZ[LSSHUH*HYHJHZ ;LSM!c-H_!c,THPS!*HYHJHZ'JNKW[ Horรกrio de atendimento:ยกHยกMLPYHOnZO

Hร UM BANCO QUE O APROXIMA DE PORTUGAL. A CAIXA. COM CERTEZA.

(*HP_H.LYHSKL+LW}ZP[VZ:(tH\[VYPaHKHWLSV)HUJVKL7VY[\NHS


20 Cultura

Junho de 2015 | Correio da Venezuela

Folclore

XII Encontro de Folclore Português Continental adiado para 5 de Julho Fernando Cámara

O local mantém-se o mesmo: Centro Marítimo de Venezuela. O XII Encontro de Folclore Português Continental, que estava marcado para o próximo dia 21 de Junho, mudou de data e deverá realizar-se a 5 de Julho. O adiamento foi confirmado pela directora do Grupo Folclórico Internacional Luso Centro Marítimo de Venezuela, Fátima Carreira, explicando que o local continua o mesmo: Centro Marítimo de Venezuela. O evento terá início pelas 10 da manhã e será dedicado ao ‘Coração de Viana do Castelo’. São oito os grupos participantes neste evento. O custo da entrada é de 300,00 Bolívares. O público poderá ainda desfrutar de comidas e bebidas típicas portuguesas.

Grupo Folclórico Amizade da Casa Portuguesa do Estado de Aragua Fundação: 16 de Setembro de 1984 Sede: Maracay. Director: Nelson Gonçalves O Grupo Folclórico foi fundado por José da Silva Mariano, apoiado pela junta directiva naquela altura, quando apresentou a ideia desta iniciativa.

Danças e Cantares do Centro Português Ano de fundação: 1996 Director: António Granja. Em 1996, o grupo actua pela primeira vez no salão nobre do Centro Português. Desde essa data tem representado com honra esta colectividade portuguesa.

Grupo Folclórico Centro Luso Venezuelano de Los Valles del Tuy Fundação: 28 de Março de 2008. Sede: Valles del Tuy, Estado de

Miranda Director: José Da Corte

Teatro

Grupo Folclórico Renascer Lusitano

Rancho Folclórico Costumes e Tradições de Portugal

Fundação: 4 de Novembro de 2004 Sede: Caracas, Distrito Capital Directora: Florinda Marques O grupo tem participado em todos os festivais e encontros.

Fundação: 25 de Abril de 2009 Sede: San Juan de Los Morros. Director: José Duarte Macedo O Rancho foi fundado por Zélia Abreu de Sá e José Macedo.

Associação Cultural Grupo Folclórico Os Lusíadas

Grupo Folclórico Centro Sociocultural Virgem de Fátima

Fundação: 27 de Outubro de 1988 Sede: Boleita, Caracas. Director: Fernando Neto A Associação foi representante da Venezuela no exterior, tanto nas ilhas dos Açores como da Madeira.

Fundação: 27 de Junho de 2003 Sede: Guatire, Estado de Miranda Directora: Ana Marlene Fernandes O Grupo Folclórico foi criado com a finalidade de resgatar os valores e tradições portuguesas na região.

Grupo Folclórico Duas Pátrias Fundação: 9 de Setembro de 1995. Directora: Mónica da Silva

Um dos objectivos que presidiram à criação deste grupo folclórico foi dotar o clube do seu próprio

Com o passar do tempo, foi se estabelecendo como um dos grupos folclóricos mais importantes da comunidade lusitana.

agrupamento desde género. O grupo conta com repertórios continentais e insulares.

Artes

“Vengo por el aviso” pôs a família do CP a rir

Criada plataforma para artistas lusos

Sergio Ferreira Soares

Sergio Ferreira Soares

Peça representará o clube a 25 de Junho no Festival de Teatro Interclubes

A iniciativa, desenvolvida por Mirateca Arts, podría ver luz en las próximas semanas

As gargalhadas apoderaram-se do Salão Nobre do Centro Português, em Caracas, nas noites de 28 e 29 de Maio, quando o grupo de Teatro LusoScena apresentou a sua peça “Vengo por el aviso”. Tratou-se da primeira apresentação que precede a actuação ante o jurado do XXIII Festival de Teatro Interclubes, que terá lugar na quinta-feira, 25 de Julho. A peça, que resulta de um origi-

nal de Marc Camoletti, dirigida por Greymar Hernández, conta com as actuações de María José Nunes, Natalia Perdomo, Betty de Castro, Sara Pereira, Halsyn Ortíz, Joao Fernández, Roberto Suarez e Michael Suarez. É um história de humor, confusões e enredos, onde vários corpos quase desnudos dão o mote ao a um encontro.

A diáspora portuguesa poderá vir a dispor de uma nova plataforma que visa congregar todos os artistas de origem lusitana. Trata-se da iniciativa “Artistas Lusos”, que está a ser desenvolvida por Mirateca Arts, e que deverá ser apresentada nas próximas semanas. “Artistas Lusos é uma plata-

forma ‘online’ que procura reunir e demonstrar o trabalho de todos os artistas descendentes de portugueses” explica-se no sítio da Internet, no qual se acrescenta que o projecto é destinado a “pessoas que praticam uma das belas-artes, especialmente das artes plásticas ou dos seus prolongamentos actuais; Pessoas que interpretem obras musicais, teatrais, cinematográficas ou coreográficas; Pessoas que, dedicando-se a uma arte, libertam-se das pressões burguesas”. Para poder participar neste iniciativa, é necessário ser português, entendo-se estes como: “Quem exprime a noção de lusitano ou relativo a Portugal; ou É descendente de Portugueses”.

Victoria Urdaneta

Divorciemo-nos, querida Esta semana podem assistir à comédia escrita por Enrique Salas e dirigida por Elba Escobar, com a produção de Adrián Matos. O elenco está encabeçado por Jean Carlo Simancas, juntamente com Josué Gil, Alejandra Pulido e Asdrúbal Blanco. A peça aborda o tema da vida em casal e convida a reflectir sobre as suas satisfações e desafios, desde uma perspectiva divertida. Data: 26 e 27 de Junho, às 20h00. Dia 28, às 19h00. Lugar: Teatro Escena 8, Calle La Guairita com Calle Hípica, Las Mercedes, Caracas.

Alicia no país das maravilhas Beatriz Sojo, Andrés Gutierrez, Neomar Fagundez, Jonattan Sierraalta e Karlyn Alquinzones dão vida a uma obra inspirada no clássico do escritor e matemático britânico Charles Lutwidge Dodgson, melhor conhecido por Lewis Carroll, que deixa uma mensagem de amizade, perseverança e humildade. A versão e direcção está a cargo de Daniel García e a produção de Roberlein Rosales Data: 27 e 28 de Junho, às 17h00 Lugar: Teatro Santa Fe, Torre del Colegio de Médicos, Santa Fe Norte, Caracas.

O beijo da mulher aranha Humberto Ortiz foi o encarregado de adaptar e realizar a versão desta história, na qual actuam Francisco Salazar, Jhonny Rivas e Arnaldo Mendoza. A direcção geral é um trabalho de Humberto Ortiz, a produção executiva de Tatiana Da Gama, a produção artística de Karla Fermín e o desenho de vestuário de Omar Borges. Data: Dias 27 e 28 de Junho, às 19h00. Lugar: Teatro Santa Fe, Torre del Colegio de Médicos. Av. José María Vargas. Santa Fe Norte, Caracas.


Correio da Venezuela | Junho de 2015

Publicidad 21


22 Cultura

Junho de 2015 | Correio da Venezuela

Música

Rodrigo Gonsalves lança primeiro álbum a solo Sergio Ferreira Soares

O disco ‘No Estás Solo’ faz parte de uma campanha de solidariedade de luta pelo respeito pelos Direitos Humanos na Venezuela. Depois de ter sido reconhecido nos palcos venezuelanos e pela Academia Latina de Gravação com o seu projecto de rock Viniloversus, Rodrigo Solo lança o seu primeiro disco a solo, ‘No Estás Solo’, na iTunes Store. No novo trabalho, deixa de lado a distorção e apresenta-nos um disco muito mais universal, com uma banda de primeira, guitarras acústicas e um som mais próximo do universo de Robbie Draco Rosa, Jorge Drexler e Damon Albarn. O disco ‘No Estás Solo’ faz parte

de uma campanha de solidariedade de luta pelo respeito pelos Direitos Humanos na Venezuela. No passado dia 18, ‘No Estás Solo’ foi lançado em exclusivo e a nível mundial na iTunes Store.

Música

Tan Frío el Verano estreia segundo disco de longa duração Sergio Ferreira Soares

A partir de Buenos Aires, a banda crioula lança ‘Otoño’ no mercado. O colectivo audiovisual venezuelano, agora radicado na Argentina, Tan Frío el Verano, apresenta ao público o seu segundo disco de longa duração, intitulado ‘Otoño’. A partir de Buenos Aires, o grupo reconfigura-se, mantendo Rafael García (programação, sequências, synths, melodia, vocoder, composição de temas), Carlos Sánchez (baixo, guitarras, synths, trompete, arranjos), Diego Blanco (VJ, design gráfico, arranjos) e Luis Edgardo Herrera (direcção de arte, cinema) da sua formação original, ao mesmo tempo que se juntam outros talentos venezuelanos ra-

dicados na Argentina, como John Guarenas (synth, vozes, vocoder, arranjos), Humberto Isea (guitarras, vozes) e Carlos Astros (bateria). Seguindo a história plasmada no seu EP ‘Invierno’ (2010) e depois em ‘Primavera’ (2012), a prévia produção discográfica que os levou ao palco de importantes festivais como o South By Southwest em Austin, Texas, para além de uma pré-nomeação para os Latin Grammys como Melhor Design de Capa e Melhor Engenharia de Gravação e contar com a distribuição em diferentes países graças ao selo sul-coreano Onion Records, o grupo regressa ao mundo da música com ‘Otoño’, um álbum que marca uma mudança significativa no som da banda, entrando nas águas do IDM Experimental, do Glitch e algo de Industrial, géneros que diferem do pós-Rock que os deu a conhecer.

Nesse mesmo dia, foi lançado em Miami com uma exposição na galeria El Autobús, em Wynwood, onde Rodrigo apresentou o seu trabalho como artista plástico e ilustrador, desvelando obras que

inspiraram e foram inspiradas pelo disco. O álbum foi composto totalmente por Rodrigo Solo, com a excepção de ‘Alma Perpetua’, uma canção tributo a Cayayo Troconis, escrita pelo icónico músico do rock venezuelano proveniente das bandas Dermis Tatú e Sentimiento Muerto. Também contou com a participação de uma série de novos e reconhecidos músicos venezuelanos, como a trompetista Linda Briceño e os membros de Viniloversus. A produção deste projecto gerou um som à Mark Ronson tropical. Rodrigo revela-nos que “é um álbum que teve a sorte de se fazer com grandes músicos. Estou muito contente com o resultado final, é uma grande colaboração artística, um novo desafio”. É um álbum expansivo e imprevisível que resulta de uma grande liberdade no uso do ensamble, texturas e sons, cinematográfico por momentos.

Música

Andrea Imaginario actua no Club Táchira Fernando Cámara

Será a primeira vez que o clube ‘gocho’ acolhe uma actividade cultural lusa. A cantora de fado Andrea Imaginario actua no dia 27 de Junho, sábado, no Club Táchira, situado na urbanização Bello Monte, município Baruta, Estado de Miranda. Será a primeira vez que o clube ‘gocho’ acolhe uma actividade cultural lusitana. O director de Cultura, Carlos Mayorga, contactou a cantora para o evento. “Ele ligou-me há várias semanas, umas quatro mais ou menos. Eu trabalho na Escola de Arte da Universidade Central de Venezuela e ele estuda lá. Está a fazer um projecto de serviço comunitário. Um dos meus membros da banda é tachirense. Fui ao clube, falei com o presidente. Estamos contentes”, contou. Uns dias antes, a fadista apre-

senta-se no Teatro BOD. “Haverá algumas mudanças. É uma proposta semelhante. É um pedido do director de Cultura do Club Táchira. A ideia é difundir o fado entre a comunidade venezuelana e o concerto no Club Táchira faz parte dessa ideia”, disse. A proposta do centro social andino não a surpreendeu. “Não, é sempre interessante e uma novidade tocar num sítio diferente. Comecei a cantar fado para o público em geral. Já tinha cantado com a Companhia Nacional de Teatro, na UCV, entre outros lugares”, apontou. Tem uma ligação importante à comunidade portuguesa. “Faço parte dela e o seu apoio tem sido fundamental. O IPC, o CP, entre outros clubes. O concerto do BOD está a ser apoiado pela Excelsior Gama. Todo este apoio faz-nos sentir como uma família”, assinalou. Por seu turno, a instituição andina tem uma nova junta directiva e quer ampliar o leque de opções culturais para os seus sócios.

Victoria Urdaneta

Schola Juvenil de Venezuela Esta agrupamento de jovens entre os 14 e os 25 anos de idade, sob a direcção de Luimar Arismendi, oferece um concerto de entrada livre para deslumbrar com obras corais desde o barroco até à actualidade. A Schola iniciará em breve uma digressão pela Catalunha, Alpes Franceses e Hungria, para apresentar-se no Festival Internacional de Coros de Barcelona, XIX Europa Cantat, Festival Choralp e no Concurso Internacional de Coros de Cantonigrós. Data: 28 de Junho, às 17h00

Arte para crianças

Plastinarte planeou diversas actividades para o fim de semana, sendo uma delas dirigida a crianças com mais de 2 anos. Para reservar lugares, basta telefonar para o número 0212941 9648. A partir dos 6 anos poderão assistir ao evento de domingo e nesse dia também há um workshop para pais, no quadro da exibição Nenias, do desenhador germano-venezuelano Gerd Leufert. Data: 27 de Junho, às 11h30. Dia 28, às 11h30. Lugar: Dia 27 na Livraria Sopa de Letras, Hacienda La Trinidad; e dia 28 no Centro de Arte Los Galpones, Los Chorros; e Parque Caballito, Altamira.

Vintage Market A moda volta às praças, desta vez por iniciativa do Vintage Market, que trará artigos, produtos, acessórios, calçado e roupas de outras épocas, que resultam muito interessantes para coleccionadores e desenhadores, ainda que o público em geral também costume desfrutar muito. A entrada é livre e para mais informação podem segui-los pelo twitter: @Unvintagemarket. Fecha: 28 de Junho, entre as 10h00 e as 18h00 Lugar: Plaza Sucre de El Hatillo, Frente ao Restaurante El Cine, atrás do C.C. Paseo El Hatillo.


Correio da Venezuela | Junho de 2015

Publicidade 23


24 Opinião

Junho de 2015 | Correio da Venezuela

Finanças pessoais instantâneas

Sente-se incomodado com o que faz com o seu dinheiro?

Isabel Idarraga

Emília, jovem profissional, partilha impressões acerca do bom uso do dinheiro com a sua amiga Marisol. Reconhece que tem problemas por gastar mais do que pode e contrair dívidas que excedem a sua capacidade de pagamento. O último susto foi tão grande que prometeu a si própria ser mais racional na gestão dos seus recursos, os quais são suficientes para ter liberdade financeira, isto é, permitem-lhe satisfazer todas a suas necessidades e guardar para as emergências, poupanças, investimentos, protecção e reforma. Por todo o lado encontramos pessoas que admitem desconhecer o montante dos seus gastos e não poupam por pensar que não ganham o suficiente para tal. Inclusivamente, ao fazer a lista das despesas mensais, surpreendem-se ao

reparar que estas são inferiores, por uma boa diferença, das seus rendimentos e ignoram para onde foi o resto. Encontramos os que não querem falar do tema porque se consideram incapazes de corrigir a sua situação financeira por acreditar que não têm remédio. Se é verdade que muitos se sentem incómodos, também lhes assusta avaliar a sua realidade por supor que o procedimento é difícil e por temer ao resultado. Não é tão complicado se começarem pelo princípio, como fazer uma lista dos rendimentos e despesas. Com esta lista conhecerão para onde vai o dinheiro, identificarão quanto destinam para pagar dívidas, o montante para fazer face às suas necessidades básicas como alimentação, casa, transportes, saúde, educação, entretenimento e, muito importan-

te, a soma das compras compulsivas. É necessário fazer umas perguntas: Para onde queres ir? Que queres ter em cinco anos? Em 20 anos? O que ocorrerá se amanhã não puder continuar a trabalhar? De que viverás quando tenhas 70 anos? Interrogações deste tipo obrigam a um reflexão atenta e, quando as respostas não são promissoras, geram motivação para mudar. É tempo de fazer uma lista com as metas que se desejam alcançar, as quais servirão de norte quando se trata de gerir os recursos. Depois surge o momento mais difícil, o da acção e é que a maioria dos planos fracassam pela ausência de movimento. Boa parte das pessoas admitem não estar satisfeitas com a forma como gerem as suas finanças pessoais não tomam

medidas para as modificar. Os que se atrevem a ir mais além, elaboram um orçamento mensal, elimina os gastos supérfluos, guardam os cartões de crédito, estabelecem metas e esforçam-se por as alcançar. Emilia sentiu a gratificação de quem decide optar pela mudança. Sabe que usar o dinheiro com seriedade é a diferença entre contar com poupanças e não poder assumir o gasto de uma emergência como um dente partido. Quem cuida das suas finanças, tem as apólices de seguro adequadas que cobrem a sua família ante a sua ausência definitiva, conta com protecção para cobrir gastos médicos, constrói um património para ter uma velhice tranquila. Certamente, vale a pena dedicar um tempo a avaliar onde estás.

juridicamente falando de portugal

Nacionalidade para netos de portugueses

Antonio Delgado

A partir de agora os netos de Portugueses já podem adquirir directamente a nacionalidade portuguesa. É o que resulta da Aprovação do Projecto-Lei 382/XII - Nacionalidade Portuguesa originária estendida aos netos de portugueses nascidos no estrangeiro A aquisição da nacionalidade Portuguesa tem sido uma das áreas jurídicas mais abordadas pelo nosso escritório, sendo este um tema que merece uma especial atenção e dedicação no âmbito do Programa de internacionalização LEGACIS-Advogados Global Law Office. Tem sido muito o interesse demonstrado nesta matéria. Ser cidadão Português é ser cidadão de um dos mais velhos países do Mundo e ser, ao mesmo tempo, cidadão da União Europeia, com to-

das as vantagens associadas. É esta realidade que justifica que milhares de cidadãos, de qualquer parte do mundo, continuem a solicitar a aquisição da nacionalidade portuguesa. E a partir de agora abrem-se as portas e torna-se mais acessível a concessão da nacionalidade portuguesa directamente aos netos de portugueses. Há muito que se aguardava por esta decisão: O Projecto Lei 382/XII foi aprovado no Parlamento português no passado dia 29-05-2015 e passa a estender a possibilidade de aquisição directa da nacionalidade portuguesa originária aos netos de portugueses nascidos no estrangeiro. Depois dos netos de Portugueses a nacionalidade também poderá ser concedida aos filhos dos netos (bisnetos) e às gerações

que se seguirem. Contudo, a atribuição da nacionalidade portuguesa originária a netos de portugueses ficará dependente do preenchimento de três requisitos por parte do requerente: demonstrar que tem conhecimentos suficientes da língua portuguesa, ter contactos regulares com o território português e não ter qualquer condenação pela prática de crime punível com pena de prisão de máximo igual ou superior a três anos, segundo a lei portuguesa. De realçar que a entrada em vigor desta alteração depende da entrada em vigor das alterações ao Regulamento da Lei da Nacionalidade, as quais deverão ser implementadas pelo Governo após a publicação da lei que resultará do

Projecto Lei n.º 382/XII. Todavia, iremos tentar fornecer todas as respostas e prestar os esclarecimentos que nos forem solicitados para que se possa adiantar os processos. Mas uma coisa é certa: o processo para adquirir a nacionalidade portuguesa originária torna-se a partir de agora bastante mais acessível aos milhares de portugueses que pretendam beneficiar destas alterações e procurem adquirir a nacionalidade portuguesa. Basta reunir os requisitos exigidos, obter a documentação necessária e proceder ao registo junto de uma conservatória do registo civil. Tratase de um processo que poderá ser tratado pelo próprio ou pelos seus representantes legais ou por um procurador ou advogado que o represente em Portugal.

O CORREIO da Venezuela não pode ser considerado responsável e/ou patrocinador das opiniões que são expressas neste espaço.


Correio da Venezuela | Junho de 2015

Publicidade 25


saúde em día

26 MISCELÂNIA

Junho de 2015 | Correio da Venezuela

Que devo beber se estou de dieta?

Pensa Verde

Correio da Venezuela

O perigo de uma extinção em massa

As dietas de emagrecimento não só podem ser afectadas por o que comes, como também por aquilo que bebes: as bebidas, começando pelas alcoólicas, são uma fonte importante de calorias. O álcool, de facto, é o segundo alimento que mais engorda, pois cada grama de álcool contribui umas sete calorias, quase tantas como a gordura pura. Um gin-tonic contribui umas 350 calorias; um copo grande de cerveja, 100, e calcula-se que um bebedor médio de vinho (dois copos por dia) consuma 2.000 calorias extra por mês. O pior é que as do álcool são calorias vazias, sem nenhum valor nutricional. Além disso, o álcool que ingeres reduz a quantidade de gordura que o corpo queima para obter energia, porque o organismo não armazena o álcool e converte-te numa prioridade desfazer-se dele. Outro problema com o álcool é que costumamos ingeri-lo com outros produtos hipercalóricos, como batatas fritas ou frutos secos. Por isso, se segues uma dieta de emagrecimento, afasta o álcool. Em troca, incorpora bebidas como as que se seguem: Água: A água tem exactamente zero calorias. Qualquer dieta alimentar deveria incluir entre um litro e meio e dois litros de

agua por dia. Além de te hidratar e contribuir para que o teu organismo realize diversos processos, a água ajudar-te-á a ter uma momentânea sensação de saciedade, que se multiplica quando se acompanha com fibra. Infusões: são também muito recomendáveis nas dietas. Em primeiro lugar porque hidratam sem contribuir com calorias, mas algumas delas podem ajudar a emagrecer, a limpar o organismo de toxinas e a estimular a produção de urina. Café: As calorias no café são quase nulas: uma chávena de 200 ml apenas supõe 10 calorias. O problema é que em raras ocasiões se toma apenas uma. Se a tomas com leite, é melhor que este seja desnatada (100 ml dão 35 calorias, face às 45 da semi-desnatado e as 65 do completo). Cerveja sem álcool: O contri-

Sabia que…? Carla Salcedo

O que sabe sobre o seu cérebro? Se ficou maravilhado com tudo o que leu, na nossa edição anterior, sobre o cérebro, prepare-se para descobrir coisas ainda mais curiosas, que inclusive permitirão estimular mais este órgão vital. Um estudo através do qual se examinou um grupo de estudantes em Nova Iorque demonstrou que aqueles que comiam comidas que não têm sabores artificiais, conservantes e colorantes tinham mais 14% nas pontuações das provas de coeficiente intelectual que os estudantes que comiam produtos com estes aditivos, pelo que se determinou que a alimentação afecta directamente o cérebro. Saiba também que os seres humanos têm uma curiosidade inata, pelo que quando não estamos a estimular o nosso cérebro, o aborreci-

mento surge de seguida, o que não é mais do que a falta de estimulação cerebral. É por isso que quando se aprendemos coisas novas, não nos aborrecemos. Não é por acaso que há um estudo que mostra que quando as pessoas estão a aprender coisas novas, o cérebro muda

buto calórico da cerveja oscila entre as 45 calorias das tradicionais e as 17 calorias das variedades sem álcool. As pessoas que seguem uma dieta de emagrecimento podem consumir cerveja de forma muito moderada, o que se traduz numa cerveja por dia. E for sem álcool, ainda melhor. Vinho: Muitos estudos proclamam os benefícios para a nossa saúde cardiovascular dos flavonóides contidos em algumas bebidas fermentadas, como a cerveja, o vinho ou a sidra. No entanto, como já sabes, o álcool é um fonte de calorias vazias. Batidos: Como no caso dos sumos, descarta os batidos de origem industrial, que têm um elevado conteúdo de açúcares, e opta por faze-los em casa com leite desnatada. Morangos, maças, melões e framboesas são uma opção nutritiva e deliciosa.

Carla Salcedo Leal

Ainda que sempre tenha achado que neste tipo de notícias temos de ser muito cuidadosos, o certo é que recentemente um grupo de peritos das universidades de Standford, Nacional Autónoma de México e a da Florida (EUA) pediram que fossem tomadas “medidas rápidas” para conservar as espécies ameaçadas, as suas populações e habitats, pelo facto de estarmos cada vez mais próximo do que se conhece como extinção em massa. A extinção em massa mais conhecida da história foi há 66 milhões de anos, com o desaparecimento dos dinossauros, que, apesar de ter permitido a continuidade da existência, mudou completamente a evolução do mundo. Nesta oportunidade, essa extinção em massa afectará directamente a vida humana, segundo confirma-

ram os investigadores. Os cientistas asseguram que bastam três gerações para perdermos muitos dos benefícios da biodiversidade, tal como assinala o professor do Stanford Woods Institute for the Environment e um dos autores do estudo, Paul Ehrlich, que coincide com outros colegas em que as taxas de extinção chegaram a níveis sem precedentes desde o desaparecimento dos dinossauros, já que inclusive nas estimativas mais conservadoras, as espécies do nosso planeta estão a desaparecer umas 100 vezes mais rápido do que seria normal num período entre extinções em massa. Muitas destas alterações bruscas devemse ao constante crescimento da população, o consumo per capita e a desigualdade económica, o que alterou ou destruiu habitats naturais.

segredos de cozinha

Chambão de Cabrito da Serra Receita de: Chefe Octávio Freitas Four Views Hotels

Ingredientes

muito rapidamente. As pessoas que aprendem a fazer malabarismos mostraram um mudança estrutural no cérebro em apenas sete dias, e não é de estranhar que já se tenha comprovado que as crianças que têm aulas de música mostram um aumento significativo na capacidade de aprender, ao contrário de quem não tem contacto com a música. Talvez também desconheça que no seu cérebro existe uma área determinada para a detecção de rostos. Trata-se da amígdala, zona que tem a capacidade de ler o rosto de alguém, mas que sobretudo está encarregada de procurar as pistas necessárias para saber com se sentem. Para terminar, contamos-lhe que a capacidade de aprender e recordar coisas novas (memória declarativa) processa-se numa parte diferente do cérebro da zona que armazena as recordações de como fazer algo. É por isso que não deve ficar frustrado por não aprender com tanta facilidade novos processos.

42 kg de chambão de cabrito 1 l Madeira Boal 10 anos 300 gr figos secos Turcos 1 kg. batata doce1 kg abóbora amarela 150 gr. talos de cebola 150 gr. alhos secos 500 gr. tomate cacho

maduro 60 ml vinagre de vinho tratado 100 gr. Mel de Cana segurelha q.b. alecrim q.b. tomilho limão q.b. anis fresco q.b. flor de sal q.b. pimenta q.b.

Preparação

Embeleze o Chambão sem retirar o osso e tempere com Mel de Cana, ervas aromáticas, sal e pimenta a gosto e deixe marinar durante 24h.

1 2

Aloure o Cabrito com a sua própria gordura, leve ao forno a 160 Graus durante 60m.

Num tacho faça alourar os talos de cebola, alhos e o tomate maduro, junte a carne previamente cozinhada no forno usando os sucos do tabuleiro e cubra este preparado com vinho Madeira Boal 10 anos deixando cozinharem neste processo mais 2h em lume Brando, finalize este preparado com o toque de Vinagre de Vinho Tratado.

3

4

Lave a batata-doce, cubra-a com sal grosso e leve a assar durante 35m a 180 Graus.

5

Corte a abóbora amarela aos cubos e os figos em metades temperando com sal, azeite e anis e asse-os 12m a 180 graus

6

Corte a batata doce às rodelas sobrepondo o preparado anterior e os rebentos de favas ao natural.

7

Apresente o Preparado embelezando com flores “Amores-perfeitos” e um toque de Flor de Sal ao Natural.


Publicidade 27

J-00360930-7

Correio da Venezuela | Junho de 2015

4ta. Transversal, entre A. Andr茅s Bello y Alfredo Jhan. Urbanizaci贸n Los Palos Grandes, Caracas, ZP 1060


26 28 Desporto

Quinta-feira 30|de Outubro a Quarta-feira 6 de Novembro de 2014 | Correio da Venezuela Junho de 2015 Correio da Venezuela

Portugal

Futebol

Antigos jogadores abraçam novas profissões e marcam mudança de mentalidade CORREIO/LUSA

Em muitas áreas da sociedade portuguesa é hoje possível encontrar antigos futebolistas em busca de um novo sucesso Da medicina à gestão de empresas, da economia à engenharia, de comissário de bordo a conselheiro financeiro, em muitas áreas da sociedade portuguesa é hoje possível encontrar antigos futebolistas em busca de um novo sucesso. Em declarações à agência Lusa, Joaquim Evangelista exibe a nova face do futebolista nacional. “Há uma mudança de mentalidade: a de que o futebol não garante o emprego e de que temos de estar preparados para outras actividades. É também um alerta para os pais que vêem no futuro dos filhos futebolistas a resolução dos seus problemas”. Para o presidente do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF), “é preciso ter a coragem de lhes dizer que na maioria dos casos encaminham os filhos para um beco sem saída”, considerando um imperativo, “uma preparação para a globalização em todas as suas dimensões”. Considerando que “a maioria

Joaquim Evangelista exibe a nova face do futebolista nacional. FOTO DR

dos clubes, dirigentes e treinadores limita-se a promover o jogador só na sua dimensão desportiva”, Joaquim Evangelista frisa que “são estes, por influência da família ou de modo próprio, que, ao arrepio da cultura desportiva instalada, apostam na sua formação”. Aos 43 anos, Albertino Alves (Salgueiros, Académica, Marítimo, entre outros, terminou a carreira em 2012/13), é osteopata mas foi pelo curso de Educação Física, em Coimbra, que começou a traçar o seu futuro, motivado pelo então presidente da ‘Briosa’, Fausto Correia, que lhe ensinou ser “um curso, uma enxada para a vida”.

Com a saída para o Marítimo deixou Coimbra e a faculdade para trás, mas por pouco tempo. A osteopatia - então uma aposta incerta por ser desconhecida no país - foi “amor à primeira vista”, confessa Albertino, orgulhoso da opção feita e que lhe permite ter uma vida longe dos estádios, ainda que a osteopatia, frise, “tenha lugar no futebol”. Hoje um activo atleta de provas de estrada, Albertino não se imagina a voltar ao futebol, “a menos que seja um projecto aliciante”, mas sempre nas actuais funções. Já João Tomás, de 40 anos, (Académica, Benfica, Bétis, Catar, Emirados Árabes Unidos e Angola,

entre outros, finalizou a carreira em 2012/13) frequenta a Escola Superior Desporto e Lazer de Melgaço para concretizar um sonho que começou na faculdade, em Coimbra. Precipitado o final de carreira a meio do contrato em Angola, foi por uma questão de “orgulho pessoal” que retomou os estudos determinado a acabar a licenciatura que lhe permitirá poder trabalhar a parte física dos atletas de elite. “Não me esqueci do futebol, mas acho ser mais importante chegar a um cargo, enquadrado numa estrutura, já qualificado”, explicou João Tomás, que em Setembro vai procurar cumprir mais de 700 km em menos de 55 horas numa prova de todo-o-terreno, naquela que foi a sua primeira grande paixão, as bicicletas. Para Renato Assunção, de 42 anos (Salgueiros, Sporting, Setúbal, Leixões, Leiria, entre outros, terminou a carreira em 2008/09), foram os negócios de família - restauração e tabacarias - a definir-lhe o rumo pós-futebol. “Nunca tendo estado na gerência, era um mundo que conhecia e onde me sentia à vontade”, conta Renato, que há três anos passou a dedicar-se em exclusivo às quatro tabacarias que hoje possui. “Sim tenho uma vida estável, uma vida preenchida, que me ocupa bastante mas, claro, o futebol está sempre dentro de nós e um regresso só acontecerá se for aliciante em todos os sentidos”, confessou.

Itália

Paulo Sousa vai treinar a Fiorentina CORREIO/LUSA

Paulo Sousa rescindiu amigavelmente o contrato com os suíços do Basileia O português Paulo Sousa vai treinar a equipa principal da Fiorentina, anunciou, no passado 21 e Junho, o clube italiano de futebol,

sem divulgar mais pormenores sobre a contratação. “A Fiorentina anuncia ter chegado a acordo com Paulo Sousa, que vai tornar-se seu treinador”, refere uma nota divulgada no sítio do clube na internet. Paulo Sousa rescindiu amigavelmente o contrato com os suíços do Basileia, que só terminava em 2017. O técnico português sagrou-se este ano pela segunda vez campeão, desta feita na Suíça, depois ter conseguido o mesmo feito em

Israel ao serviço do Maccabi Telavive. Paulo Sousa enquanto técnico passou pelos escalões de formação da selecção portuguesa, por Inglaterra (Swansea, Leicester e Queens Park Rangers), Hungria (Videoton), Israel (Maccabi Telavive) e agora Suíça (Basileia). Antigo futebolista de Benfica e Sporting, de 44 anos, Paulo Sousa brilhou enquanto jogador ao serviço da Juventus e Borussia Dortmund, clubes nos quais conquistou duas Ligas dos Campeões.

O antigo futebolista de Benfica e Sporting mudou-se para Itália. FOTO DR

soltas O FC Porto vai realizar parte do estágio de pré-temporada na Holanda e na Alemanha, anunciou o clube da I Liga portuguesa de futebol na sua ‘newsletter’ diária. Os ‘dragões’ vão trabalhar em Horts, na Holanda, de 10 a 18 de Julho, regressando depois ao Porto, onde vão trabalhar no centro de treinos do Olival até 24 do mesmo mês. Nesse dia, o FC Porto viaja para a Alemanha, onde estagiará até 31 em Marienfeld, disputando posteriormente a Colónia Cup, na qual defrontará o Valência e o Stoke City.

O clube andorrenho Lusitanos vai defrontar os ingleses do West Ham na primeira pré-eliminatória da Liga Europa de futebol, ditou o sorteio realizado em Nyon, na Suíça, no passado 21 de Junho. Criado por imigrantes portugueses em Andorra, o Lusitanos, que equipa com as cores da seleção portuguesa e cujo símbolo é idêntico ao da Federação Portuguesa de Futebol, ficou com a ‘fava’ do West Ham, equipa mais conhecida no sorteio. A primeira ronda de qualificação da Liga Europa joga-se a 2 e 9 de Julho, enquanto a segunda pré-eliminatória se joga a 16 a 23. O Marítimo vai realizar um jogo particular com o Nantes, da I Liga francesa 1 francesa de futebol, incluído na pré-temporada 2015/2016, anunciou o clube da I Liga portuguesa. Esta viagem a França anula a digressão a Itália, anunciada há alguns dias, e a partida com o Nantes será disputada no Stade de la Beaujoire, a 2 de Agosto, uma semana antes do início do campeonato francês. O Nantes, orientado por Michel Der Zakarian, começa os trabalhos da nova temporada no final da corrente semana. O plantel ‘verde rubro’ inicia os trabalhos de pré-época a 6 de Julho, no Funchal, deslocando-se no dia 25 para Lousada, onde irá realizar um estágio competitivo, com jogos frente ao Santa Clara, Desportivo das Aves, Fafe, Arouca e Moreirense.


Correio da Venezuela | Junho de 2015

Publicidade 29


26 30 Desporto

Quinta-feira 30|de Outubro a Quarta-feira 6 de Novembro de 2014 | Correio da Venezuela Junho de 2015 Correio da Venezuela

Venezuela

Futebol

Centro Social de Acarigua e Portuguesa FC criam aliança Fernando Cámara

O pentacampeão da Venezuela usará as instalações do clube social. O plantel do Portuguesa FC mudou-se para as instalações do Centro Social Luso Venezuelano, que conta com dois campos de futebol em óptimas condições para o trabalho que o corpo técnico procura aperfeiçoar. O relvado do Estádio General José Antonio Páez está a ser recuperado e precisa de descanso para que atinja o seu estado óptimo. Ambas as instituições chegaram a um acordo importante, “dando cumprimento à nossa intenção de irmandade com o pentacampeão, nós estamos nesta firma aliança desportiva para ver o fruto do futebol no Estado Portuguesa. É motivo de orgulho que o clube vermelho e negro venha usar os nossos campos para desenvolver o desporto”, disse o presidente do

CSLV Orlando Alvarado ao departamento de imprensa do Portuguesa FC. Alvarado acrescentou ainda que “a direcção do Centro Social Luso Venezuelano está agradecida por ter sido tida em conta, em primeiro lugar, e em segundo, de poder cooperar no bom sentido

nesta bonita aliança que certamente deixará frutos proveitosos para o desenvolvimento do futebol jovem. Sabemos que este desporto é ponta de lança no nosso Estado e estamos certos que nos ajudarão com o crescimento do futebol que faz vida nas nossas instalações.”

A meta de uma das equipas de futebol mais antigas da Venezuela é contribuir com conhecimentos para as categorias jovens do clube. Inclusive está prevista a realização de ‘clínicas’ e palestras em prol da melhoria e crescimento deste desporto.

Maracay

Mais de 300 ciclistas celebraram Dia de Portugal Fernando Cámara

Seis categorias formaram parte da competição O Clássico Ciclista Dia de Portugal, Luís Vaz de Camões e das Comunidades Portuguesas, ocupou as ruas de Maracay com a presença de 300 ciclistas, no passado domingo, 14 de Junho. O evento foi organizado pela Casa Portuguesa de Maracay. O clube social lusitano realizou esta actividade em conjunto com a associação de ciclismo do Estado e com o patrocínio de “A y M Bike”. Os comités de Cultura, Desporto e Juvenil encarregaram-se de levar a cabo a actividade.

“Assim se consolidou o retorno desta actividade que era do quotidiano do clube português e que voltou à cena no passado mês de Abril no quadro da celebração do 50.° Aniversário”, disse Antonieta Rabicho, da Secretaria de Cultura

do clube, ao diário El Aragüeño. Por outra lado, Manuel Moniz, da Secretaria Juvenil, disse que o clube “está concentrado em realizar estas jornadas mais contínuas para oferecer à comunidade araguenha um espaço para a recria-

ção e o lazer dentro de mesma cidade.” A competição foi realizada no circuito da avenida Casanova Godoy entre as localidades de El Tierral, UBA e Los Olivos Viejos. Os participantes vieram de estados como Barinas, Guárico, Portuguesa, Distrito Capital, Carabobo, Anzoátegui, Portuguesa, Miranda, Apure e Aragua, como anfitrião, calibraram acções nas categorias Master A, B, C, D, Damas e Juvenil masculino. Ángel Hurtado, presidente da Associação araguenha de Ciclismo, destacou que para o excelente desempenho da corrida de ciclismo com a intervenção dos qualificados comissários Felipe Viloria e Carlos Martínez Viloria, além do apoio incondicional dos corpos de segurança do Estado.

soltas Como para alcançar a superação, manter a constância, a determinação e uma luta diária para fazer face às adversidades e conquistar as metas desejadas são alguns dos exemplos deixados pelos atletas com incapacidades diversas aos estudantes da Unidade Educativa Nacional Liceu Agustín Aveledo, situado na parróquia La Pastora, Caracas, durante um workshop sobre desporto paralímpico. Segundo uma nota de imprensa da Fundação Gigantes em Acção, Inés Solórzano, Yadira Soturno, Yomaira Cohen e Marcos Castillo foram os desportistas encarregados de relatar os seus testemunhos de vida.

O Ministério de Educação vai impulsionar a prática da ginástica artística nas escolas públicas do país como parte das medidas para assegurar a qualidade do sistema educativo nacional. Para tal, desde o passado 19 de Junho que começaram a ser realizadas demonstrações de ginástica nos espaços abertos das escolas para que os pais, professores e estudantes possam participar nestas actividades desportivas. A vice-ministra da União com o Povo e Comunidades Educativas do Ministério da Educação, Soraya El Achkar, indicou que estas demonstrações vão chegar, nos próximos meses, a todos os estados do país, sendo que posteriormente, revelou, “iremos a um grande festival com todos as crianças e jovens da pátria”. Nos XVII Jogos Pan-americanos, que se realizarão na cidade de Toronto, Canadá, entre 10 e 26 de Julho, a Venezuela estima que entre 16 e 20 dos seus atletas venham a qualificar-se para os Jogos Olímpicos de Rio 2016 através da obtenção de bons resultados nas modalidades que dão acesso a lugares para o maior evento desportivo mundial. Neste sentido, o Comité Olímpico Venezuelano está confiante que o país vai alcançar os melhores resultados nos Pan-americanos, que conta com a participação de 382 atletas nacionais.


Correio da Venezuela | Junho de 2015

Publicidade 31


imagens da semana

eles respondem

P r ê m i o Ta l e n t o C o m u n i c a ç ã o S o c i a l 2 0 0 9

Eleições parlamentares realizam-se a 6 de Dezembro

#ENCUESTA El Correio celebró por todo lo alto el Día de Portugal, de Camões y de las Comunidades Portuguesas, con la inauguración de nuestra Exposición 15° Aniversario “A Grandeza do Passado” en el Centro Portugués de Caracas. Una iniciativa que queremos llevar a todos los rincones de Venezuela para agradecer el apoyo que nos ha brindado la comunidad en todo este tiempo y que juntos de mostremos el orgullo de ser portugués. Ahora bien, queremos conocer tu opinión y que seas el protagonista: ¿Por qué sientes orgullo de ser portugués? #Exprésate #Opina #Participa #OrgulhoPortugues Orlando Andrade orgulloso por los valores familiares heredados y transmitidos de generacion en generacion de honradez, responsabilidad, integridad, amor al trabajo y a la familia , respeto a los demás, generosidad, rectitud, etc. Presentes en la mayoría de nuestros compatriotas y escaso en otros grupos.Nao há gente como a gente.

Eusébio Cup disputa-se no México, a primeira vez fora do estádio da Luz

Cristian Dos Ramos Porque senhores, não há gente como a nossa, com certeza que não há Emoticono smile Maria Lucia Baptista de Freitas Nao a gente como a nosa ,trabailadora ,pais de familia ,gente honesta y luchadora viva Portugal .

Correio de Venezuela / @correiodvzla

Ramon Villarroel Mis abuelos y mis tatarabuelos y pare de contar son de la isla de madeira ... Que la virgen del fatima cubra con su manto a portugal AMEN.. Que viva PORTUGAL... luisbdenobregateixeira Buen dia felicitaciones a todos los portugueses en este dia de portugal de camôes de las comunidades .sinto muito orgulho de haver nascido en portugal de ter estudado en portugal de ter servido nas forzas armadas portuguesas no ultramar e de pertencer ao que melhor tem o nosso pais..... a sua gente bem haja. jorge2santos1965 Estoy orgulloso por lo que representa Portugal en la História, desde Viriato hasta Cristiano Ronaldo, somos emprendedores, nuestra lengua se habla en Europa, Africa, America del Sur, Asia y Oceanía, que más ejemplo podemos tener de lo emprendedor que somos los Portugueses.

Correio da Venezuela 611  

Edición 611

Correio da Venezuela 611  

Edición 611

Advertisement