Page 1

P r é m i o Ta l e n t o 2 0 0 9 Correio de Venezuela

@correiodvzla

Janeiro de 2015

@correiodvzla

publicaÇão Nº 590

Ano 15 • Depósito Legal: 199901DF222 • BsF. 15

A Comunidade Lusitana contada em painéis A aprendizagem do Português cativa um número crescente de pessoas em Venezuela, luso-descendentes e não, que atribuem ao conhecimento do idioma de Camões a maior relevância. Por circunstância várias. Mas todas interessantes e que nos orgulha. Pag. 10-11 pub

Folia do Carnaval nos clubes e centros Pag. 8

Pag. 4

Desporto

Língua Portuguesa em alta no Ensino

Espectáculos

Língua

A exposição que será inaugurada a 2 de Fevereiro espelha e reflecte uma realidade que enobrece todos os Portugueses e a Venezuela. É a história da vontade e da ambição e de um País que cresceu e progrediu com a ajuda daqueles que tão bem acolheu no seu regaço.

Kimberly dos Ramos volta ao ‘Top Chef Estrellas’ A actriz luso-descendente continua a brilhar na Televisão, desta feita com o regresso a um programa de grande audiência e com um tema que está em moda em todo o mundo: a cozinha. Continuamos a vê-la no ‘Top Chef Estrellas’ no canal Telemundo. Pag. 20

Feceporven reúne-se para planear os jogos de 2015 Os jogos terão como sede o Centro Português Venezuelano de Guayana, começam a 9 de Outubro e terminam a 12. O objectivo da reunião é enquadrar a logística do evento e a deslocação de cada uma das delegações que marcará presença no evento.

Pag. 30


2 Editorial

Janeiro de 2015 | Correio da Venezuela

retrospectiva O ano de 2015 não mudou as temíveis perspectivas que em 2014 se ofereciam a quem vive em Venezuela. A violência, o ambiente de recessão económica e a queda do preço do petróleo não alimentam o optimismo que gostaríamos de compartilhar. Defendemos desde há muito que o pessimismo não deve ser o estado apropriado, mas a verdade é que os factos não nos libertam da ansiedade em que temos vivido nos últimos meses ou, até, nos últimos anos. A onda de sequestros continua a ser a maior ameaça ao desempenho de um dia-a-dia normal, com reflexos em toda a actividade global, agravada pela falta de confiança dos investidores, pelas fugas para o estrangeiro e pela pouca vontade de lutar contra um inimigo que usa armas desiguais. O banditismo prolifera num País dizimado pela violência, em que nem o reforço e o esforço das diversas corporações policiais conseguem deter. É mau que nesta reflexão de início de ano se traga novamente para estas páginas um assunto que está a ser de sumário permanente, numa abordagem continuada, com poucas respostas, com muitas vítimas e um enquadramento de guerra civil que nos aponta ao resguardo das zonas públicas e na preocupação de que todas as horas são de risco e de ansiedade permanente. Até quando?

dois

1

4 três

Prossegue a distribuição dos computadores pessoais ‘Canaima’ nas escolas de Venezuela e a cadeia ‘Central Madeirense’ abriu mais um estabelecimento. São dois factos que mostram que os Portugueses continuam com papel relevante neste País, a trabalhar de corpo inteiro para o progresso e desenvolvimento de Venezuela. As duas marcas, sem desprimor para as demais, são pontos cintilantes deste mister de trabalhar para o bem de todos, de encontrar, em cada passo, algo que contribua para o desenvolvimento e crescimento do Povo e da Terra Venezuela, fazendo desta a nossa casa, como aliás sempre tem acontecido e sempre nos têm permitido. Neste caminho que se faz caminhando os passos andam certos, mas a estrada é longa. Estamos a percorrê-la, com a humildade que nos caracteriza, atentos ao que à volta se passa, com alguma preocupação, mas com a determinação de que o sucesso da Venezuela será também o sucesso de todos quantos trabalham nesta terra onde se dignifica o legado de antepassados e se deve honrar a Pessoa Humana e a Família.

fotoflash

O futebolista português Cristiano Ronaldo é, sem dúvida, a personalidade incontornável deste início do ano. Sobretudo na Diáspora portuguesa, um espaço em abstracto, onde se convencionou chamar a terra dos que partiram, dos que sentem a alma portuguesa em paragens de além-mar. O desportista, nascido na ilha da Madeira, está hoje projectado em todo o mundo. No final do ano passado foi inaugurada na cidade do Funchal uma estátua do CR7 – um caso raro, já que no País não existe qualquer jovem de trinta anos de idade que esteja moldado em bronze numa praça de grande circulação de pessoas. Neste início de ano ganhou a sua terceira ‘Bola de Ouro’ europeia e poucos dias depois, num ritmo avassalador de reconhecimentos ao seu mérito, foi eleito, em Lisboa, o ‘Futebolista do Século’ ultrapassando dois nomes míticos do desporto-rei lusitano: Eusébio Ferreira da Silva e Luís Figo. CR7 é o exemplo de que o trabalho e a ambição estão de mãos dadas e são meios incontestáveis para quem quer vencer na vida. Toda a sua carreira é de porfiar constante, na busca do excelente, com vontade e humildade. E esse mérito é reconhecido em todo o mundo, onde o seu nome é uma marca de relevo. A sua ligação a Portugal, em geral, e à ilha da Madeira, em particular, são momentos importantes para a visibilidade que ambos pretendem para chamar até lá os turistas ou aqueles que estão interessados em conhecer a terra do ‘craque’. Mais palavras, para quê?! Obrigado Cristiano Ronaldo.

A Federação de Centros Portugueses da Venezuela (FECEPORVEN) já está a preparar os próximos Jogos Desportivos que, anualmente, reúnem muitas centenas de compatriotas e luso-descendentes. É um exemplo que registamos com muito prazer. Fazemos votos que seja contagiante e que desperte outras organizações para iniciativas semelhantes, de convívio, de intercâmbio e de fraternidade, reapertando laços e aproximando os que, por objectivos similares, se encontram em Venezuela. E alertamos a todos, porque através desta união se consolidará a força que devemos ter para ganhar novos desafios, para não deixar os braços cair, para não desanimar. É nestas ocasiões que os nossos países precisam de nós. Porque se trabalharmos juntos, em Portugal e em Venezuela, estaremos a contribuir para que os problemas se resolvam. Parados só contribuiremos para que os problemas ganhem dimensões inadequadas e insolúveis.

A exposição que o CORREIO de Venezuela inaugurará no próximo dia 2 de Fevereiro no Consulado-Geral de Portugal em Caracas pretende contar a História da Emigração Lusitana em terras bolivarianas. Recorda e homenageia aqueles que decidiram um dia deixar a terra natal e optar por um caminho de progresso, com honra e ambição, com trabalho e respeito pela terra que os adoptou e a dignidade de quem não se poupa a esforços para alcançar, mas também partilhar, o pão de cada dia. Foi com esse sentimento misto de dedicação e sucesso que os Portugueses viveram largas décadas em Venezuela. O ciclo não se encerrou, nem sequer foi suspenso, porque caminhamos pela mesma estrada, não obstante as mudanças de mentalidades e de equipamentos. O propósito é comum a dois Povos que se entrelaçaram desde muito cedo, cultivando amizade, partilhando família, e, também o sabor doce do êxito ou o travo amargo da angústia. Tudo está espelhado e reflectido na exposição que o CORREIO apresenta, na qual se recorda os que nos antecederam na Imprensa Portuguesa editada em Venezuela, e da qual nos assumimos, sem complexos, como continuadores. E vamos continuar, na palavra escrita e em todas as plataformas que hoje a tecnologia proporciona e nos leva a um contacto mais rápido com todos. O conhecimento é a grande ferramenta do presente e do futuro. Em todos os campos. Contudo, esta preparação, eventualmente académica ou profissional, não pode esquecer o passado, nem o relegar para um mero assunto de arquivo. Exemplos que são lições que ajudam a consolidar os caminhos do presente e a traçar as estradas do futuro.

Grupo Editorial

www.correiodevenezuela.com Rif.: J-40058840-5

Director Aleixo Vieira Subdirector Agostinho Silva Gerente: Carla Vieira Editor Sergio Ferreira Soares Endereço: Av. Veracruz. Edif. La Hacienda. Piso 5, ofic. 35F. Las Mercedes, Caracas. Telefones: (0212) 9932026 / 9571 Telefax: (0212) 9916448 E-mail: editorial@correiodevenezuela.com

Chefe de redacção Sergio Ferreira Soares |Jornalistas Carla Salcedo Leal, Victoria Urdaneta, Fernando Cámara, Kenner Prieto, Antonio Da Silva |Correspondentes Edgar Barreto (Falcón), Carlos Balaguera (Carabobo), Sandra De Andrade (Aragua), Sandra Rodríguez (La Victoria), Trinidad Macedo (Lara), Silvia K. Gonçalves (Bolívar), Ricardo Santos (Nueva Esparta), Carlos Márques (Mérida), Daniela García (Miranda), Antonio Dos Santos (Zulia) |Colaborações Catanho Fernandes, Arelys Gonçalves, Antonio López Villegas, Isabel Idárraga, Shary Do Patrocinio, Serafim Marques, António Delgado |Publicidade e Marketing Carla Vieira |Paginação Elsa de Sá |Fotografia Francisco Garrett |Distribuição Luis Alvarado, Carlos Agostinho Perregil R. |Impressão Grupo Últimas Noticias. Caracas -Venezuela |Tiragem 15.000 exemplares |Fontes de Informação Agência Lusa, Diário de Notícias, Diário de Notícias da Madeira, Ilhapress, Portuguese News Network e intercâmbio com publicações em língua portuguesa.


Correio da Venezuela | Janeiro de 2015

Venezuela 3

Comércio

Governo fiscaliza grossistas e distribuidores de produtos CORREIO/LUSA

Medida foi anunciada pelo Presidente Nicolás Maduro, no passado 22 de Janeiro O Presidente Nicolás Maduro anunciou, no passado 22 de Janeiro, ter ordenado uma “acção de fiscalização” dos grossistas e distribuidoras de alimentos, um sector onde existem importantes investimentos de portugueses, para “regularizar” o abastecimento de produtos no país. “Vamos efectuar uma acção de fiscalização de todas as distribuidoras e grossistas deste país. Vamos

dar-lhes um aperto de mão, quem quiser trabalhar, (será) bem-vindo, mas quem quiser sabotar, será apertado com a lei”, disse. Nicolás Maduro falava no parlamento venezuelano, durante a sessão anual de apresentação da acção executiva. “Vamos à rua com o povo, revistar tudo, regularizar tudo e estabelecer níveis de controlo para que respeitem o abastecimento”, frisou. O Presidente venezuelano acusou os distribuidores de ter terem desencadeado uma “guerra dirigida a esconder os produtos para irritar o povo” e de terem uma campanha psicológica de desestabilização. Lembrou também que entre 7 e 10 de Janeiro, as vendas efectuadas correspondem a cerca de mês e meio num período normal, justifi-

Vamos à rua com o povo, revistar tudo, regularizar tudo e estabelecer níveis de controlo para que respeitem o abastecimento”

Detido venezuelano que pretendia transportar 6,41kg de cocaína para Portugal

cando assim a “guerra psicológica” encetada por alguns grupos numa altura em que a reposição de produtos nas lojas é mais lenta devido ao período de férias do natal. Nicolás Maduro agradeceu também “em nome do Governo bolivariano a atitude de consciência, de paciência e de amor à paz” dos venezuelanos que se mantiveram calmos perante a escassez de produtos. Na Venezuela são cada vez mais frequentes as queixas dos cidadãos por dificuldades para conseguir,

no mercado local, alguns produtos essenciais como o detergente, o açúcar, o leite em pó, óleo vegetal, café, farinha de milho pré-cozida, papel higiénico, lâminas de barbear e fraldas descartáveis para crianças, entre outros. Segundo o canal estatal Venezuelana de Televisão, a Associação Nacional de Supermercados e Afins (Ansa, presidida por portugueses) tem 71.000 estabelecimentos comerciais na Venezuela, representando quase 80% da distribuição nacional de produtos.

Casal venezuelano pretendia apanhar voo da TAP com 7,27 quilos de cocaína

CORREIO/LUSA CORREIO/LUSA

O Ministério Público (MP) da Venezuela informou, a 23 de Janeiro, que foi detido em Caracas um homem de 26 anos que transportava 6,41 quilos de cocaína e que tentava apanhar um voo da TAP com destino ao Porto. Segundo o MP, o detido, o venezuelano David Alberto Vielma Paredes, foi presente a um juiz, tendo sido acusado do “delito de tráfico ilícito de substâncias estupefacientes na modalidade de transporte”. “Adicionalmente, o procurador solicitou a confiscação dos bens, bloqueio e imobilização das contas do acusado, assim como a proibição de alienar móveis e imóveis, que foi ordenada pelo juiz”, explica um comunicado do MP. A investigação preliminar dá conta de que, em 14 de Janeiro último, David Alberto Vielma Paredes tentava entrar num voo da

TAP quando foi detido por funcionários da Guarda Nacional Bolivariana (polícia militar). A detenção teve lugar depois de as autoridades sentirem um

“forte cheiro” na sua bagagem e detectarem um duplo fundo na sua mala, onde estava alojada a cocaína, quando passou pela máquina de raio X.

As autoridades aeroportuárias venezuelanas detiveram, terçafeira, 27 de Janeiro, um casal que pretendia apanhar um voo da TAP para Lisboa com 7,270 quilogramas de cocaína. A detenção ocorreu no Aeroporto Internacional Simón Bolívar de Maiquetía, a norte de Caracas, e foi efetuada por oficiais da Guarda Nacional Bolívariana (GNB, polícia militar). Segundo o comandante geral da GNB, Nestor Luís Reverol Torres, a “droga encontrava-se oculta em faixas coladas aos corpos, em involucros feitos com preservativos”. “A cidadã Naller Alejandra Lugo Cribollo transportava 46 involucros, com um peso total de 3.710 gramas e o indivíduo Ângelo Franck Rondón tinha 44 involucros com 3.560 gramas”, disse o

comandante geral da GNB. Os detidos pretendiam entrar no voo TP-174, com destino a Lisboa, de onde tencionavam viajar para Paris, acrescentou o oficial. O Ministério Público venezuelano foi notificado das duas detenções.


4 Venezuela

Janeiro de 2015 | Correio da Venezuela

Eventos

Clubes

CORREIO da Venezuela inaugura a Novos corpos directivos exposição “A Grandeza do Passado” tomam posse no Centro Português

Kenner Prieto

No quadro do 15.° Aniversario do CORREIO da Venezuela, será inaugurada a exposição “A Grandeza do Passado”, na segunda-feira, 2 de Fevereiro, nas instalações do Consulado Geral de Portugal em Caracas. Trata-se duma iniciativa que procura resgatar a história luso-venezuelana e promover uma consciência sobre a importância de apoiar as instituições que operam no seio da comunidade lusa. A iniciativa conta com apoio do Cônsul Geral de Portugal na capital, Luiz de Albuquerque Veloso, e o patrocínio das empresas Automercados Plaza’s, Rancilio, Grupo Giorgio, Alimentos Munchy, Santander Totta e Central Madeirense. “Nos últimos meses de cada ano, realizamos sempre uma festa de aniversário para agradecer à comunidade lusitana radicada no país pelo seu apoio constante. No entanto, nesta ocasião quisemos alterar a forma de festejar e decidimos investir nesta exposição que se traduz em vários anos de trabalho. O objectivo é claro: salvaguardar a história luso-venezuelana e fazer com que a comunidade se sinta orgulhosa de tudo o que se tem conseguido”, explicou Carla Vieira, gerente geral do semanário. Quanto à duração da exposição, Carla Vieira explicou que, durante o corrente ano, o objectivo é levá-la às principais cidades onde fazem vida os portugueses radicados na Venezuela. “Já temos um cronograma planeado e apenas falta acertar as datas com as instituições nas quais será inaugurada. Esperámos levá-la aos estados de Carabobo, Miranda, Aragua, Mérida, Lara, Anzoátegui, Nueva Esparta, Zulia e Falcón, apoiandonos consulados honorários e centros sociais”, disse a gerente geral do CORREIO, adiantando já está agendado “inaugurá-la no dia 10 de Junho na Associação Civil Centro Português, em Caracas, e durante o mês de Outubro no Centro Português Venezuelano de Guayana, no quadro dos Jogos da Federação de Centros Portugueses da Venezuela”. Por seu turno, o chefe de redacção do CORREIO da Venezuela, Sergio Ferreira, recordou que o conteúdo da exposição é o corolário de mais de um ano de trabalho.

Fernando Cámara

“É uma mostra muito interessante, composta por 24 painéis e alguns objectos antigos trazidos pelos portugueses nas suas viagens para a Venezuela e que hoje pertencem à Fundação Museu Correio da Venezuela”, descreveu. “Como é do conhecimento público, o Correio encarregou-se de criar uma grande base de dados com tudo o que é relacionado com Portugal na Venezuela. Por isso, encaramos como sendo um grande compromisso inaugurar esta exposição e partilhar com todos o que durante tanto tempo temos guardado como o nosso tesouro mais prezado”, explicou jovem jornalista, também é o responsável pela investigação realizada para a realização da exposição. “Esta é a nossa forma de agradecer aos leitores por todo o apoio que nos dão edição após edição. Pensamos que nesta mostra espelha-se o êxito da comunidade lusitana após tantos anos de trabalho e sacrifícios. Esforços que poucas vezes são exaltados, mas aos quais nós queremos dar um espaço de honra, já que nos sentimos orgulhosos da nossa gente, do que conseguiram e do desenvolvimento que têm dado à Venezuela”, acrescentou Sérgio Ferreira, observando “que pouco a pouco os portugueses converteram-se numa peça fundamental da sociedade venezuelana e isso é o que queremos demonstrar através desta exposição”. O CORREIO convida todos os

Correio oferece novas plataformas Facebook: El Correio Fan Page: Correio de Venezuela Twitter: @correiodvzla Instagram: @correiodvzla Pinterest: correiodvzla Youtube: Correio da Venezuela Google+: Correio da Venezuela seus leitores e amigos a visitar o seu novo portal na Internet, que se mantém no mesmo endereço www.correiodevenezuela.com - e desfrutar das inovações que foram introduzidas nos últimos meses. Trata-se de um novo site, que continua gratuito e com actualização diária, disponível nas versões web, tablet e móvel, nas quais o leitor pode seleccionar o idioma em que deseja ler as notícias. Novas secções, vídeos, galerias de fotografias e até uma área de descargas, são apenas algumas das opções com as que o mídia aposta para manter mais informada que nunca a comunidade lusovenezuelana. Destaque para a zona especial “Directório da Comunidade”, que tem por objectivo converter-se numa base de dados com toda a informação necessária para contactar as mais diversas instituições, clubes e associações lusovenezuelanas.

Realizada assembleia para aprovar orçamento elaborado para o novo período Os novos corpos directivos do Centro Português, em Caracas, tomaram posse para o período 2014-2015, no passado 14 de Dezembro, no Salão Nobre desta associação civil. No acto marcaram presença os novos representantes da Junta Directiva, Mesa da Assembleia e Conselho Fiscal do centro social, acompanhados pelos respectivos familiares e um grande número de sócios que se associaram à ocasião para prestar apoio e felicitar os dirigentes.

“Um dos propósitos será velar para que não se faça nada que afecte os sócios negativamente”.

Recorde-se que as eleições, que contaram com uma única candidatura, liderada por Gil Énio Andrade, foram realizadas a 7 de Dezembro. “Este novo período vem marcado pela austeridade e pela administração dos recursos económicos da nossa instituição. Não podemos desconsiderar a situação que o país está atravessando, pelo que um dos nossos trabalhos será mantermo-nos vigilantes no próximo ano para lograr o nosso objectivo, que sempre tem sido e deve ser, manter as instalações do nosso clube, como uma tacinha de prata para os nossos sócios”, disse Gil Andrade no discurso da tomada de posse, assegurando que um dos seus propósitos será velar para que não se faça nada que afecte os sócios negativamente.


Correio da Venezuela | Janeiro de 2015

Telefones.: (0058212) 2650608/ 2670853

2ª a 6ª feira, das 08h às 22h Sábados, das 10h às 20h

Publicidade 5


6 Venezuela

Janeiro de 2015 | Correio da Venezuela

Eventos

Festa das Fogaceiras com casa cheia Sergio Ferreira Soares sferreira@correiodevenezuela.com

O presidente da câmara municipal de Santa Maria da Feira marcou presença na celebração Como já é uma tradição há 15 anos, no passado dia 25 a Associação Civil Amigos de Terras de Santa Maria da Feria levou a cabo mais uma edição da Festa das Fogaceiras, iniciativa que voltou a contar com um grande apoio por parte dos membros da comunidade lusitana da capital, que encheu por completo o salão nobre do Centro Português. A jornada teve inicio às 11:30 da manhã com a tradicional celebração eucarística, oficiada

pelo padre Alexandre Mendonça, pároco da Missão Católica Portuguesa em Caracas. Posteriormente, deu passagem a uma bela procissão, encabeçada pela cruz, o círio, as fogaceiras, as fogaças do voto, o tabuleiro de cravos e velas, o castelo da localidade, os confrades das fogaças e os estandartes das freguesias. A Banda Show Francisco de Miranda ficou encarregue de acompanhar São Sebastião no seu percurso pela via principal interna do centro social. Depois do meio-dia, começou a segunda parte da celebração: O grande almoço dançável no salão nobre, que iniciou como sempre com o canto das Fogaceiras, a cargo de António Reis e António Prazeres. Posteriormente, deu-se passagem a um bonito openning a cargo do Grupo Folclórico de Danças Internacionais Duas Pátrias, que apresentou canções

crioulas e lusitanas. A conselheira das Comunidades Portuguesas María de Lourdes Almeida recebeu uma grande ovação ao cantar ao vivo uma canção que reflecte o sentimento emigrante dos portugueses na Venezuela. Os discursos oficiais estiveram a cargo do embaixador de Portugal na Venezuela, Fernando Teles Fazendeiro; do presidente da Associação Civil Amigos de Terras de Santa Maria da Feira, Rodrigo Ferreira; e do presidente da câmara municipal de Santa Maria da Feira, Emídio Sousa. Também marcaram presença no palco Ernesto Cardoso, Simão Rocha, Manuel Moutinho e Emídio Sousa, membros da associação organizadora, para entregar o reconhecimento ao Feirense do Ano, que nesta ocasião recaiu sobre o professor doutor Joaquin Marta Sosa. A tradição indica que estas celebrações devem-se a uma pro-

Comunidade

Vicentinos comemoraram o seu santo padroeiro Fernando Cámara

Devido à situação do país não foi promovido o habitual convívio da confraria A Confraria de São Vicente realizou, no passado sábado, 24 de Janeiro, a sua reunião anual com a celebração de uma missa oficiada pelo sacerdote Alexandre Mendonça, na sede da Missão Católica Portuguesa, situada na urbanização San Bernardino de Caracas, ocasião que serviu para celebrar o dia do santo padroeiro da localidade situada na ilha da Madeira. A missa começou com a entrada dos membros da confra-

ria, que ostentavam o tradicional traje, com a cruz e as duas velas. Acto seguido, foi entoado o canto de entrada, proferida a saudação inicial, o acto penitencial, o Senhor, tem piedade; a reza da Glória e a oração colectiva. Depois foi realizada liturgia da palavra com as duas leituras e o salmo responsorial; seguido do Evangelho com a sua respectiva homilia, credo e a oração dos fiéis. A Liturgia da Eucaristia contou com o recebimento das oferendas por parte do Padre Mendonça, entre as quais se encontravam duas garrafas de vinho, hortaliças e pão. Inclusivamente foram entoados os hinos da Venezuela e de Portugal. Para encerrar a missa, os fiéis foram convidados a comungar, acompanhando pre-

A jornada teve inicio às 11:30 da manhã com a tradicional celebração eucarística, oficiada pelo padre Alexandre Mendonça

Clubes

Centro Marítimo reinaugura Salão Venezuela Sergio Ferreira Soares

Este ano, esperam promover diversas actividades e festividades viamente o Pai Nosso a canção “Santo” e os ritos de despedida. Os fiéis realizaram a habitual procissão pelos espaços da igreja. No local foram colocadas as bandeiras do município de São Vicente e da Ilha da Madeira. Os membros da confraria agradeceram a todos os presentes por se terem associado à jornada.

messa dos habitantes do município Santa Maria da Feira ao mártir São Sebastião, para que os libertasse de uma peste que estava a cobrar muitas vidas durante a época medieval; em troca, os fieis comprometeram-se a celebrar anualmente a festividade. Um dos símbolos da cele bração é a ‘fogaça’, um pão doce típico da zona, onde se fazem as quatros torres que representam o reconhecido castelo de Santa Maria da Feira. Naquela época, este pão era distribuído pelos pobres.

Os sócios do Centro Marítimo de Venezuela, situado no sector Turumo do Estado de Miranda, assistiram com grande alegria à reinauguração do Salão Venezuela, na tarde do dia 7 de Dezembro. Sócios, familiares e amigos da instituição acompanharam a junta directiva na reabertura deste espaço que

sempre se caracterizou por ser muito concorrido no clube lusitano. Desta forma, o presidente do Centro Marítimo de Venezuela, Alfredo Amaral, acompanhado por Fernando Ferreira, María Elena Padrón, Fernando Costa, Manuela de Noronha, Danny Molina e Susana Tarasona, continua a promover as melhores condições do centro social com a finalidade de proporcionar bem-estar a todos os seus associados. Este ano, esperam promover diversas actividades e festividades tradicionais lusitanas, que certamente contarão com a participação de um grande número de pessoas.


Correio da Venezuela | Janeiro de 2015

Publicidade 7


8 Venezuela

Janeiro de 2015 | Correio da Venezuela

Clubes

Tudo pronto para festejar o Carnaval Fernando Cámara

A festa do Rei Momo será celebrada em grande durante a quadra que se aproxima Com Janeiro a chegar ao fim, também termina o recesso que habitualmente se observa no início de cada ano após as festas natalícias. A atenção vira-se depois para o Carnaval, a primeira festa que surge no calendário. A quadra carnavalesca é um momento festivo que se celebra imediatamente antes da Quaresma cristã e a sua comemoração varia dependendo do ano, oscilando entre os meses de Fevereiro e Março. Cumprindo a tradição, os venezuelanos celebram o Carnaval em grande. E os portugueses também, como se pode constatar, anualmente, em vários clubes lusitanos através dos programas de actividades que planeiam para comemorar o Rei Momo. Festa temática em Valência O Centro Social Madeirense realizará, a 14 de Fevereiro, uma festa para adultos sob o signo dos anos 60, 70 e 80, e na qual cada pessoa terá que marcar presença com um disfarce relacionado com uma destas décadas. No dia seguinte, será a vez das crianças desfrutarem da sua celebração. No recinto haverá colchões insufláveis, pinturas para os rostos e, claro, o ambiente será animado

musicalmente. E durante todo o fim de semana será promovida uma ‘piscinada’. Cabe recordar que está permitida a entrada a sócios e a um máximo de cinco convidados. Dias antes, mais especificamente, entre sábado 7 e domingo 8 de Fevereio, a partir das 3:00 pm, o Comité de Cultura promoverá o evento “El Bazar del Día de los Enamorados”. Paralelamente, será realizado o Torneio de Casino para os sócios da instituição. Festas, ‘piscinada’ e comparsas em Aragua A Casa Portuguesa do Estado Aragua também preparou um programa de eventos e iniciativas para celebrar a quadra carnavalesca. Assim, no domingo, 15 de Fevereiro, será promovida a festa de Carnaval que contará com um espectáculo de bonecos, um concurso infantil de disfarces e música ambiente. Para segunda-feira, 16, será realizada a festa dos adultos que contará com a animação musical da ‘miniteca’ My Way, além da entrega de prémios para os melhores disfarces individuais. De igual modo, será apresentada a comparsa habitual da quadra. O evento começa a partir das oito da noite. No último dia, terça-feira, 17, será promovida uma ‘piscinada’ para o desfrute de todos os accionistas. Actividades diversas em Guayana O Centro Português Venezuelano de Guayana, sediado no Estado de Bolívar, promoverá durante os dia de Carnaval diversas actividades na área das piscinas do clube.

A instituição, que é dirigida pelo Cônsul Honorário de Portugal para a região e também presidente da Federação de Centro Portugueses da Venezuela, Victor Vieira, oferecerá ao público diversas iniciativas, como ‘bailoterapia’, concursos para as famílias e crianças, gincana, entre outras opções. Carnaval: Uma celebração com história O carnaval combina elementos como disfarces, desfiles e festas dentro de portas ou nas ruas. Apesar das grandes diferenças que a sua celebração apresenta em todo o mundo, a sua característica comum é a de ser um período de permissividade e algum descontrolo. Reza a história, em jeito de lenda, que esta comemoração tem origem em festas pagãs, como as que se celebravam em honra a Baco, o deus do vinho, divindade romana, ou as festas que se realizavam em honrado touro Apis, no antigo Egipto. Ainda de acordo com vários historiadores, o Carnaval remonta às antiga Suméria e Egipto, onde há mais de 5.000 anos, celebrações muito semelhantes às época do Império Romano eram celebradas. Terão sido levadas para a Europa, tendo os portugueses e os espanhóis as levada por seu turno para a América, a partir do século XV. O carnaval está associado principalmente com os países de tradição católica e em menor medida com os cristãos ortodoxos orientais; as culturas protestantes usualmente não celebram o Carnaval ou possuem tradições alteradas, como é o caso do Carnaval dinamarquês. Segundo o livro do Guinness

dos Recordes, a maior celebração de Carnaval do mundo é a do Rio de Janeiro. Mas o Brasil não é o único país do mundo onde se festeja o Carnaval em grande. Os carnavais de Santa Cruz de Tenerife e Cádiz, em Espanha; Colónia, na Alemanha;

clubes

CP não terá comparsas no Carnaval A tradição será substituída por uma festa dançável e um concurso de disfarces

O Centro Português (CP), situado na urbanização Macaracuay, na cidade de Caracas, já tem pronto o programa para o Carnaval 2015. A surpresa para muitos é que, depois de um fracassado processo de inscrições, a associação decidiu não

levar a cabo a tradicional competição de Comparsas. No entanto, de 13 de Fevereiro a 18 de Março está prevista uma série de actividades para desfrute de todos os sócios. A eleição da princesa e princesita está marcada para dia 13, no

Salão Nobre, a partir das sete da noite. Será o único evento do dia referente ao Carnaval e o único no qual será permitida a entrada de convidados. De sábado até terça, apenas os sócios poderão entrar nas instalações.

Oruro, na Bolívia; Veneza, em Itália; Barranquilla e Pasto, na Colômbia; Veracruz e Mazatlán no México; e os de Callao, na Venezuela, entram nessa lista. Outro dado curioso é que os carnavais mais longos são os de Montevideu, na capital de Uruguai, que dura 41 dias; e os de Gualeguay e Gualeguaychú, em Entre Ríos, Argentina, já que duram desde o primeiro fim de semana de Janeiro até o primeiro fim de semana de Março. Na Venezuela, a tradição do Carnaval chegou com a colonização espanhola. Foi no século XVIII que começou a celebrar-se em Caracas de maneira mais refinada, com carroças, comparsas, entre outros motivos e adereços. As zonas da Venezuela onde se vive com mais intensidade são Puerto Cabello, San Diego, Barquisimeto, Carúpano, Maturín, Mérida e El Callao.

Nestes dias, haverá colchões insufláveis nas piscinas e Dj’s que terão a seu cargo a animação musical. Na segunda-feira haverá uma festa dançável, que também contará com um concurso de disfarces para adultos, no Salão Nobre, a partir das 8 da noite. No entanto, o Carnaval não será o único evento a ocupar o CP durante esses dias. Durante o mês de Fevereiro, será efectuada a pré-selecção do bazar do Dia da Mãe e a recolha de garrafas de plástico para a Fundana.


Correio da Venezuela | Janeiro de 2015

Publicidad 9


10 Venezuela

Janeiro de 2015 | Correio da Venezuela

Idioma

Solidariedade

A lusofonia enche as salas Instituições de

beneficência planeiam novas actividades Fernando Câmara Sergio Ferreira

Academia da Espetada de Caracas e Academia do Bacalhau de Valência já têm planos definidos Victoria Urdaneta

O Colégio Caracas organizou uma feira sobre os países de língua portuguesa ‘A minha Pátria é a Língua Portuguesa’, expressou o célebre escritor Fernando Pessoa, e é precisamente esse o espírito dos alunos, professores e dirigentes do Colégio Caracas, situado em Mariche, Estado de Miranda, que organizaram, pela segunda vez, uma feira onde se exaltaram as características e os valores de todos os países unidos pelo idioma Português. Participaram no evento Rainer Sousa, Coordenador de Idiomas da Embaixada de Portugal na Venezuela, junto com Sofia Saraiva, Leitora do Instituto Camões. Sousa afirmou que “a iniciativa é tão positiva que oxalá todos os colégios fizessem o mesmo porque dava uma visão mais ampla do mundo, entre outras coisas, porque demonstram que a lusofonia é muito mais do que apenas Portugal, estende-se por todos os continentes, fruto da expansão marítima dos portugueses na história.” Por seu turno, Saraiva ressalta que a concepção que o Colégio Caracas tem do idioma Português “é novidade, não só porque é incorporado no pensum de estudo como também é assumido com muita paixão, dedicação e alegria”. Como professora de Português na Universidade Central de Venezue-

Estudantes motivados Wendy Manzera, que recebeu vários prémios em Dezembro pelo postal de Natal (um conjugador de verbos, um dicionário especializado...), ressaltou “o entusiasmo que tivemos para as fazer as coisas, manter o objectivo e aprofundar esta matéria de que tanto gosto. Estou muito contente e espero que se realize todos os anos.” Gilbert Martínez, estudante do 4.º ano, foi um dos participantes na feira e manifestou o seu agrado por ter participado. “Gostei muito porque conseguimos explicar às crianças a importância de todos os países lusófonos e eles ouviram-nos com atenção. Aproveito a ocasião para agradecer a presença do CORREIO, que sempre nos acompanha nas nossas actividades, ao professor Enrique, que nos ensina dia a dia com muita paciência, e aos professores Saraiva e Sousa, sempre atentos.” Jesús Peláez afirma que “é muito boa a ideia de conhecer pessoas da embaixada de Portugal, partilhar com o CORREIO e com todos os companheiros. Aspiro a um dia poder viajar até Portugal e pôr em prática tudo o que nos ensinou o nosso professor Enrique sobre o idioma, a cultura, a gastronomia, a música e os costumes dos países que falam Português.”

Multiplicar a experiência Os eventos de idiomas são apoiados pela directora da escola, Ana Lourdes Fernández, e pelo coordenador do bacharelato, Marcos Tovar. Para mais detalhes sobre as actividades a fim de implementá-las nas vossas instituições, é possível comunicar com o professor Enrique de Sá através do email enrique.desa.ucv@gmail.com. la, está interessada no positivo impacto pedagógico que este método exerce nos estudantes. “É muito importante porque aprendem de uma forma muito interessante; o facto de fazerem pesquisa, descobrir novos aspectos do país, reproduzi-los de uma forma divertida e partilhando com os seus companheiros é algo que deixa muito a nível individual e colectivo.” Venezuelanos interessados “A grande maioria dos jovens que estão a estudar português é venezuelana, sem relação alguma com a cultura lusa, pelo que é mais apelativo que tenham tanto ânimo para aprender a língua”, assinala Enrique de Sá, professor de

Português e Inglês na instituição e promotor de eventos relacionados com estas matérias, no 4 .º e no 5.º ano do bacharelato (secundário). Sublinha que se trata de uma “população estudantil de escassos recursos, habitantes dos bairros de Petare, e esta é uma oportunidade para expandirem os seus conhecimentos sobre outro idioma e sobre cultura geral”, acrescentando que pelos poucos meios que possuem, tem mais mérito o esforço realizado para levarem comidas típicas, pratos muito bem apresentados, imagens do país expostas em cartazes, posters, artigos decorativos, música alusiva à região seleccionada, entre outros elementos que ambientaram os stands.

As instituições de beneficência lusitanas continuam a realizar um trabalho importante para ajudar os mais necessitados. De entre as muitas que se dedicam a esta causa, duas delas, a Academia da Espetada de Caracas e a Academia do Bacalhau de Valência, já programaram várias iniciativas para levar a cabo no início deste ano. Assim, a Academia da Espetada vai iniciar as suas actividades deste ano com a realização da primeira tertúlia, a qual foi agendada para a ‘octavita’ de Carnaval, a 23 de Fevereiro, a partir das sete da noite, num local a definir. Contudo, antes será realizada a “Campanha do dia da amizade”, que consistirá na entrega de brinquedos em diversas lares. A sua directora, Sílvia Henriques, lembrou que a Academia, em Dezembro do ano passado, “logrou todos os seus objectivos ao visitar todas as casas e lares que foram colocadas no plano”. “ Agradeço às autoridades, consulado e embaixada portuguesa, por todo o apoio prestado ao longo de todo este tempo. Também peço à comunidade a maior colaboração possível, como a todas as amigas que se juntem a nós. Não importa a nacionalidade nem de onde venham. Desde que sejamos muitas, melhor ainda”. Compadres continuam a lutar em Valência A Academia do Bacalhau de Valência realizará a sua primeira tertúlia na segunda-feira, 26 de Janeiro, no Salão Madeira do Centro Social Madeirense, a partir das

oito da noite. O custo da entrada é de 1.500 compadres. O presidente desta instituição, Manuel Mouta, foi reeleito para um novo mandato, período 2015, ainda que se mantenha na instituição desde há muito tempo. Esta associação também está dirigida aos mais necessitados. Ao longo do ano, vão recebendo cartas a pedir ajuda de índole diversa e depois decidem quem serão os destinatários dos seus donativos: “Ajudamos com distintas coisas: Alimentos, medicinas, entre outras coisas” O ano passado foi complicado. “Foi difícil por causa da questão das ‘guarimbas’, pois não pudemos realizar duas actividades que tínhamos planeadas”, comentou Mouta. “Apesar disso, posso qualificar como positivo para nós porque pudemos fazer a nossa contribuição à sociedade”, indicou. Instituição lusa mais antiga promove mais caridade A Sociedade de Beneficência de Damas Portuguesas, dirigida por María Eugenia Lovera de Freitas, vai iniciar, em breve, as suas actividades com os seus já tradicionais encontros para a recolha de fundos destinados às obras sociais que apoia. A primeira actividade será o “Almoço de Primavera”, marcado para 15 de Março, a partir da uma da tarde, na Quinta Lelly de Macaracuay, sede da organização, onde os presentes poderão desfrutar de um tradicional “Cozido à Portuguesa”. A iniciativa seguinte é o Bingo 46° Aniversário, marcado para 21 de Maio no Centro Português. Já no mês de Outubro, no dia 4, decorre o Almoço de Outono, na sede da organização. Para finalizar os eventos de 2014, a Sociedade de Damas tem agendado o Almoço de São Martinho, no dia 22 de Novembro. Quem estiver interessados em participar nalguma destas actividades deverá contactar a Sociedade de Beneficência de Damas Portuguesas através do número 256.22.39.


Correio da Venezuela | Janeiro de 2015

idioma

clubes

Mais aulas de Português em Guatire

Casa Portuguesa de Aragua celebra São Valentim e Virgem del Valle

Victoria Urdaneta

No presente ano académico, o número de alunos cresceu mas do dobro. “Estou muito contente e entusiasmada por aprender Português neste curso”, disse Johana, uma adolescente muito extrovertida que herdou o amor pelo idioma luso do seu pai (que é português) e o amor pelo estudo da sua mãe (descendente de canários). Ela participa em cada aula no Centro Sociocultural Virgem de Fátima situado em Guatire, e, apesar da sua curta idade, sabe que a língua de Camões é muito importante, “não só para utilizá-la num futuro quando iniciar um curso universitário, mas a partir de agora como aprendizagem pessoal. Também gosto muito do facto de conviver com outras pessoas e ouvir as recomendações do professor.” Para além disso, tem bem vincado o desejo de regressar a terras portuguesas mas desta vez a falar com mais desenvoltura. “Quero voltar. A primeira vez que fui fiquei encantada, ainda que fosse muito pequena, pude apreciar a beleza do país, a sua organização, a sua limpeza... realmente adoraria ir de novo e com mais ferramentas.” Por seu turno, Ana Luz Pérez deseja aprender a língua porque

Venezuela 11

Fernando Cámara

Duas festividades com 10 dias de diferença entra uma e a outra. a considera parte de uma cultura que já conhece e aprecia graças ao seu esposo. “Entendo bem mas isso não é suficiente. Acho que falar a língua é uma forma de aprofundar mais os costumes que me parecem tão belos, com efeito, o meu marido está muito orgulhoso do seu país, de ter uma família tão unida que convive sempre e que se reúne em cada ocasião especial para falar das suas histórias em redor da mesa, desfrutando de pratos muito ricos e até vendo o canal de televisão RTP.” Sobre o desenvolvimento do curso dado em Guatire, assinala que “ainda que as instalações sejam bastante modestas, as aulas são muito dinâmicas, o professor torna-as divertidas, não as torna pesadas, seguimos um guia muito completo que é o livro mas também temos outras ferramentas.” Outra estudante, Michelle Espejo, assegura que “aprender Português é algo que serve para muitas

coisas, principalmente como meta pessoal e depois como complemento para o curso.” No seu caso (a área da medicina), permite-lhe expandir o seu campo de trabalho e estudo. “Se chegar a dominar o Português, poderei concorrer para postos de trabalho que neste momento estão disponíveis em países como o Brasil, por exemplo”, acrescenta Espejo, que afirma estar “muito emocionada pelo que aprendo cada semana, é um pouco difícil estudar tudo o que desejaria devido a outras obrigações, mas fazendo um esforço sei que poderei conseguir.” No Centro Sociocultural Virgem de Fátima situado em Guatire, Estado de Miranda, são oferecidos cursos de Português como língua estrangeira ministrados por Alberto Andrade. “Aqui há três grupos de estudantes: O nível de Iniciação, o Intermédio e o Avançado, cada um com uma média de 16 participantes”, afirma Andrade.

Depois do intervalo das duas primeiras semanas do ano, os clubes portugueses na Venezuela começaram a planear as suas actividades, pelo menos para o mês do Fevereiro. Um deles é a Casa Portuguesa do Estado de Aragua. Na terça-feira, 3 de Fevereiro, a Virgem del Valle visitará o clube e será realizada uma missa em conjunto com a Virgem de Fátima. Decorre no Salão Principal a partir das seis da tarde. Dez dias depois, na sexta, dia

13 de Fevereiro, celebra-se o Dia dos Namorados, com um jantar que contará com a apresentação do grupo musical Ancora, no Salão Principal, a partir das 8 da noite. Poderão entrar no recinto 220 casais e as reservas das entradas terão de ser feitas na administração do clube. Vale a pena recordar que a Casa Portuguesa do Estado de Aragua tem mais de 1700 sócios que, somado aos seus familiares, supera as 7000 pessoas. O clube possui instalações de todo o tipo: Desportivas (ténis, futebol, usos múltiplos, ginásio e piscinas); recreativas (biblioteca, salão de pool, sala de dominó, entre outras) e de festa (Salão Madeira, São Luís Vaz de Camões, Salão Infantil e Fernando Pessoa).

clasificado

Por motivo de viaje vendo  Casa en el Este de Barquisimeto  Negocio en el Centro de la Ciudad, ramo charcutería muy rentable  Carros modelos nuevos Información 0424 524 18 61


14 Portugal

Janeiro de 2015 | Correio da Venezuela

Açores

Redução nas Lajes pode provocar vaga de cinco a dez mil emigrantes Estudos admitem queda do Produto Interno Bruto da ilha Terceira entre 8,8 e 12% CORREIO/LUSA

A redução da presença norteamericana nas Lajes pode provocar a emigração de cinco a dez mil pessoas na ilha Terceira num curto período de tempo se não se criarem alternativas de emprego, segundo estudos da Universidade dos Açores. “Isto obriga, dentro das estimativas, a uma emigração de 5500 pessoas, dentro das expectativas melhores, ou de dez mil pessoas, se de facto houver muito emprego informal actualmente”, adiantou à Lusa Tomaz Dentinho, economista e docente da Universidade dos Açores. Segundo o professor, foram realizados até ao momento três estudos pela academia açoriana, dois coordenados pelo próprio, num modelo de interacção espacial, e um por Mário Fortuna, num modelo de equilíbrio geral. O estudo do economista Mário Fortuna aponta para uma quebra no Produto Interno Bruto da ilha Terceira na ordem dos 8,8%, enquanto os de Tomaz Dentinho estimam um impacto entre 10 a 12% do PIB. Nestes três casos é considerado apenas o “emprego formal”. As estimativas passam para o dobro se for tido em conta também o emprego indirecto que se gera com a Base das Lajes, em que as pessoas não descontam para a Segurança Social e não estão inscritas em centros de emprego. Numa ilha com 55 mil habitantes, a emigração de cinco a 10 mil corresponderá a uma redução de 10 a 20% da população da ilha, o que, segundo o economista, terá um efeito multiplicador, tendo em conta que uma população menor não terá uma classe empresarial com capacidade para reagir e arrisca-se a perder algumas valências e actividades. Para Tomaz Dentinho, perante a redução militar norte-americana nas Lajes, e se não forem criadas alternativas, as pessoas ou vão ficar na miséria ou vão emigrar, o que é possível que aconteça, tendo em conta o historial de emigra-

População da Terceira vai ressentir-se com a redução da presença dos EUA na ilha. FOTO DR

ção de açorianos para os Estados Unidos da América e Canadá. “O ritmo a que isto acontece depende muito de haver possibilidade de emprego fora e também do ritmo do sistema de apoio que houver. Agora, num prazo de 10 ou de cinco anos, conforme estas atenuantes, a população da ilha Terceira passará eventualmente a ser 10 a 20% menor”, frisou. O economista defendeu que é possível travar este cenário arranjando alternativas de emprego na ilha, mas para isso considerou que é necessário renegociar o Acordo de Cooperação e Defesa entre Portugal e os Estados Unidos, que tem, por exemplo, “muitas restrições ao tráfego civil”. “É preciso alguma criatividade, atrair investimento e acabar com regras que limitam esse investimento”, salientou. Tomaz Dentinho sugeriu como exemplo a utilização da Base das Lajes para fins civis e a atracção de companhias áreas de baixo custo para a ilha Terceira. Também o Porto da Praia da Vitória, que se encontra perto da base, pode ser potenciado, segundo o economista, mas para isso é preciso existir concorrência entre os diferentes portos dos Açores. “O facto de existir uma entidade portuária comum à região faz com que os portos não compitam entre si, portanto, naturalmente, a Terceira pode ficar sempre abaixo

ou acima de uma decisão qualquer que favorece um outro porto”, justificou. Desde o fim da Guerra Fria que o número de trabalhadores portugueses na Base das Lajes tem vindo a cair, mas sempre de forma gradual e nunca com a dimensão prevista para este ano, incluindo também o trabalho indirecto. Até ao Outono, os Estados Unidos pretendem reduzir os actuais 803 trabalhadores portugueses para um máximo de 370, mas as estimativas de sindicatos e autarquias apontam para a perda de 1500 postos de trabalho, quando contabilizado também os empregos indirectos. Por outro lado, o plano dos Estados Unidos para a utilização de infra-estruturas das Lajes, após o processo de reestruturação pode condicionar a utilização civil do espaço se o Estado português não impuser condições, segundo alertam os trabalhadores portugueses da base. “Do conhecimento que temos em termos de infra-estruturas, não estamos a ver os americanos a concentrarem-se numa pequena área geográfica da base. O que nós vemos é que eles mantêm a utilização de um edifício num determinado ponto, um outro edifício num outro ponto qualquer...”, frisou João Ormonde, da Comissão Representativa dos Trabalhadores portugueses na Base das

Isto obriga, dentro das estimativas, a uma emigração de 5500 pessoas, dentro das expectativas melhores, ou de dez mil pessoas, se de facto houver muito emprego informal actualmente”

É preciso alguma criatividade, atrair investimento e acabar com regras que limitam esse investimento”

Lajes (CRT), admitindo que isso possa “condicionar a utilização do Estado português do espaço e das infra-estruturas sobrantes”. Qualquer intervenção nas infra-estruturas na base das Lajes, sejam obras de remodelação ou a demolição de edifícios, exige autorização do Ministério da Defesa português, ao abrigo do Acordo de Cooperação e Defesa entre Portugal e os Estados Unidos. No entanto, os trabalhadores temem que a escolha dos edifícios que os Estados Unidos pretendem manter ou dispensar possa ser feita de forma unilateral, à semelhança do que foi anunciado para a parte laboral. “A questão não foi colocada como um plano concertado e isso retira à parte portuguesa a oportunidade de participar nesse próprio plano. São os americanos que ditam unilateralmente quais são as infra-estruturas que querem e não querem e resta a Portugal ficar com aquilo que os americanos não querem”, alertou o membro da CRT. Para João Ormonde, a reestruturação da base “nunca pode ser feita sem ser negociada ponto a ponto com o Estado português, quer em matéria laboral, quer em matéria de infra-estruturas”. Com a redução da presença norte-americana, as infra-estruturas que deixam de ser utilizadas pela Força Aérea dos Estados Unidos terão de ser cedidas ao Estado português ou demolidas, no entanto, Roberto Monteiro, presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória, alertou para a necessidade de avaliar a utilidade dos edifícios. Para o autarca, as infra-estruturas que estão dentro da base “só deverão ser recebidas caso existam projectos objectivos e identificados que sejam reprodutivos na perspectiva de criar emprego sustentável e riqueza”, já que são “quantificadas como contrapartida”. “Não há aqui a ilusão de que o património é entregue a título gratuito”, sublinhou. Dentro da base, os norte-americanos deverão adaptar camaratas para os 165 militares norte-americanos que continuarão destacados na Terceira com comissões de um ano e sem direito ao acompanhamento de familiares. No entanto, fora do perímetro da base, os Estados Unidos construíram cerca de 600 apartamentos que deixarão de ter utilidade. O destino destes apartamentos ainda não está claro, segundo Roberto Monteiro, mas existe a possibilidade de serem cedidos ou afectados ao Governo Regional dos Açores ou ao município, em caso de devolução ao Estado português.


Correio da Venezuela | Janeiro de 2015

Responsabilidade social

Cerca de 30% dos bens apreendidos pela ASAE são doados a instituições 86% desses bens doados referem-se a vestuário e 14% à área alimentar CORREIO/LUSA

Cerca de 30% do total de produtos alimentares e têxteis apreendidos pela Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) são doados a instituições de solidariedade, disse à Lusa o inspector-geral, admitindo que é necessário “um reforço da responsabilidade social”. Segundo Pedro Portugal Gaspar, 86% desses bens doados referem-se a vestuário e 14% à área alimentar. As instituições podem inscrever-se no site da autoridade. Os restantes 70% do total de bens apreendidos são destruídos por já não apresentarem condições. O responsável da ASAE considerou que “tem que ser feito um esforço para tentar crescer dentro desta margem dos 70%, sem perder os padrões de qualidade”. “Há certas situações no vestuário contrafeito em que, possivelmente, com um pouco mais

70% do total de bens apreendidos são destruídos.

de empenho dos beneficiários em retirar as marcas, descravar as etiquetas e saber ocultar melhor, talvez conseguíssemos crescer um pouco mais nesse quadro da doação”, explicou. Só quando as instituições assumem a responsabilidade de ocultar a marca é que os produtos são entregues, “para que não haja qualquer utilização, ainda que por via indirecta, dessa mesma marca,

já não com um objectivo comercial, mas em que o beneficiário também pode vir a dizer que tem as calças de ganga da marca x ou y”. Durante o primeiro semestre deste ano foram doados 1.848 quilogramas de produtos alimentares e 11.558 unidades de peças de vestuário, calçado e outros, material que foi distribuído por mais de 20 instituições de cariz

Tecnologia

30% dos portugueses não usaram Internet em 2014 CORREIO/LUSA

Uma proporção de 30% dos portugueses nunca utilizaram a Internet este ano, uma descida para metade face aos dados de 2006 mas a quinta maior taxa da União Europeia (UE), segundo dados divulgados pelo Eurostat. Segundo o gabinete oficial de estatísticas da UE, 51% dos portugueses usam a Internet quotidianamente ou quase todos os dias, contra apenas 22% em 2006, números que comparam com – respectivamente – 65% e 31% na média europeia.

A média da UE de pessoas que não utilizaram este ano a Internet é de 18%, que compara com 43% de 2006. Em 2014, Portugal é o Estado-

membro com a quinta mais elevada taxa de pessoas que nunca utilizaram a Internet, depois da Roménia (39%), Bulgária (37%), Grécia (33%) e Itália (32%). Os países com menores taxas de não utilização da Internet são a Dinamarca (3%), o Luxemburgo (4%), a Holanda (5%), a Finlândia, Suécia e Reino Unido (6% cada). Em relação à utilização quotidiana da Internet, os valores variam em os 32% na Roménia e os 87% no Luxemburgo, tendo sido registada uma subida de pelo menos 20% em todos os Estadosmembros, fase a 2006.

social. O número de apreensões ao nível da contrafacção desses primeiros seis meses é cerca de seis vezes maior do que o do período homólogo de 2013, tendo-se passado de 1.340.566 euros para 8.049.501 euros. “A ASAE tem-se empenhado na doação de material apreendido, sensibilizando e desenvolvendo as diligências para a sua doação, em detrimento da sua destruição, após decisão judicial”, afirmou Pedro Gaspar, acrescentando que “há ainda um caminho para percorrer de reforço da responsabilidade social para alargar as doações”. Já na área da segurança alimentar, no primeiro semestre foram apreendidos “17,3 toneladas de peixe, 1,4 milhões de ovos e 54,4 mil litros de vinho”. No caso dos alimentos há quatro possíveis fins: “devolução ao meio natural, entrega a instituições de solidariedade social para consumo humano, doação a canis ou jardim zoológico para consumo animal e destruição”. Quando se trata de espécies pescadas, por desrespeito das normas marítimas, como, por exemplo, a amêijoa, se os animais

Portugal 15 ainda estão vivos e há condições para assegurarem o seu próprio desenvolvimento devem ser devolvidos ao meio natural. Caso já não seja possível mas estejam em condições para ser utilizados para alimentação, devem ser doados. Os produtos alimentares apreendidos por “fraude económica, em que os operadores identificam erradamente um espécime por outro para serem comercializados por um valor mais elevado ou porque não têm a documentação e a respectiva registabilidade dos produtos”, são entregues a instituições para consumo humano. Se não puderem ser consumidos até por animais, são destruídos. Para que seja possível oferecer alimentos têm que estar asseguradas condições de saúde pública: “Só são doados depois de os veterinários ou os delegados de saúde verificarem e garantirem as condições dos bens”, esclareceu o inspector-geral. Segundo fonte do Jardim Zoológico de Lisboa, a ASAE envia sobretudo carne, peixe e hortícolas, “bens crus e não cozinhados ou temperados, cuja quantidade varia bastante, e a entrega é feita de forma esporádica”. Desde 2012 que o Banco Alimentar Contra a Fome recebe alimentos como peixe, legumes, frutas, cereais, azeite ou óleo, tendo até ao final de Outubro deste ano obtido 1.266,2 quilogramas de produtos doados. A presidente, Isabel Jonet, confirmou as doações, referindo, contudo, que “são pouco expressivas, não chegam a representar 1%” dos bens recebidos.

Até final de 2016

Governo vai abrir 300 Espaços do Cidadão em postos dos CTT CORREIO/LUSA

O Governo assinou, a 20 de Janeiro, um protocolo com os CTT para instalar 300 Espaços do Cidadão por todo o país, 200 dos quais serão criados até ao final do ano. Os restantes 100 espaços previstos nas instalações dos CTT – Correios de Portugal vão abrir em 2016. Na cerimónia de assinatura do protocolo entre a Agência para a Modernização Administrativa e os CTT, em Lisboa, o ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, sublinhou que a criação de Espaços do Cidadão

visa “simplificar a relação dos cidadãos com a Administração Pública e aproximar a Administração Pública dos cidadãos”. O governante lembrou que a partir de Maio deste ano todos os serviços da Administração Pública vão trabalhar em cooperação, permitindo a “dispensa de apresentação de documentos por parte dos cidadãos relativamente a informação já retida pela Administração Pública”. A situação de “via-sacra na Administração Pública”, em que os cidadãos eram obrigados a recolher entre os serviços certificados a comprovar a sua situação, vai deixar de acontecer.


16 Portugal

Janeiro de 2015 | Correio da Venezuela

soltas

Arquitectura

A quota de pesca global para Portugal vai aumentar 18% em 2015, face a ao ano passado, anunciou, recentemente, em Bruxelas, a ministra da tutela, Assunção Cristas. Segundo a ministra, é nos carapaus que se regista a maior subida, de 67%, tendo sido ainda negociado entre os ministros das Pescas dos 28 um aumento de 14% no tamboril, de 10% no biqueirão e de 15% no lagostim. Já os totais admissíveis de capturas de pescada nas águas ibéricas foram reduzidos em 15%.

Os medicamentos vão estar mais baratos a partir de 2 de Março, altura em que terão de ter sido escoadas as embalagens com preços antigos, uma descida que resulta da revisão anual de preços, segundo o Infarmed. De acordo com este organismo, que regula o sector do medicamento, os novos preços entraram em vigor no primeiro dia deste ano, mas é possível que existam no mercado embalagens com o preço antigo, pelo menos até 2 de Março. A descida acontece porque os preços dos medicamentos mudaram nos países de referência para Portugal: Espanha, França e Eslovénia. O novo edifício do Museu dos Coches, em Lisboa, abrirá ao público a 22 de Maio, data em que o museu celebra 110 anos, revelou, em meados de Janeiro, o secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier. Falando numa audição parlamentar, afirmou que pretende inaugurar o novo Museu dos Coches, localizado também em Belém, naquela data, depois de vários adiamentos e anúncios de uma abertura. Sobre a gestão do museu, Jorge Barreto Xavier admitiu que “a sustentabilidade não é evidente”, mas a tutela quer “garantir que isso aconteça”.

Portugal tem 19 projectos nomeados para Prémio Mies van der Rohe 2015 Comissão Europeia, que divulgou a lista dos 420 candidatos seleccionados CORREIO/LUSA

Portugal tem 19 projectos nomeados para o Prémio de Arquitectura Contemporânea da União Europeia Mies van der Rohe 2015, anunciou a Comissão Europeia, que divulgou a lista dos 420 candidatos seleccionados. A Comissão Europeia e a Fundação Mies van der Rohe divulgaram a lista dos candidatos que será depois reduzida a um grupo de finalistas ao galardão, a anunciar no final de Janeiro de 2015, cujos vencedores serão conhecidos em Maio. O prémio, no valor de 60 mil euros, instituído em 1987 pela Comissão Europeia e pela Fundação Mies van der Rohe, com sede em Barcelona, é considerado “um dos galardões de maior prestígio” na área da arquitectura, destaca o comunicado da Comissão Europeia. De acordo com a mesma fonte, 19 dos projectos candidatos estão construídos em Portugal: a remodelação da sede do Banco de Portugal em Lisboa (do arquitecto Gonçalo Byrne), o percurso pedonal da Baixa Pombalina ao Castelo de São Jorge, também em

O Prémio Mies van der Rohe é bienal e distingue projectos de arquitectura.

Lisboa (Falcão de Campos), a Torre de Palma Wine Hotel, em Monforte, Portalegre (João Mendes Ribeiro), a residência Casa no Tempo, em Montemor-o-Novo (atelier Aires Mateus & Associados), o Centro de Artes Contemporâneas de Ribeira Grande, Açores (João Mendes Ribeiro), o Hotel Quinta do Lobo Branco, em Penafiel, (Atelier AndRé - Bruno André/ Francisco Salgado Ré). Estão igualmente nomeados o projecto de ampliação do Museu Marítimo de Ílhavo (ARX Arquitectos - Nuno Mateus/José Mateus), a Casa da Bouça das Cardosas, em Paredes de Coura (Atelier da Bouça - Filipa Guerreiro/ Tiago Correia), a Adega Alves de Sousa, na Cumeeira, Santa Marta de Penaguião

(António Belém Lima), a reabilitação do Museu Nacional Machado de Castro, em Coimbra (Gonçalo Byrne), o Data Center da Portugal Telecom na Covilhã (João Luís Carrilho da Graça), os edifícios centrais do Parque Tecnológico de Óbidos (Jorge Mealha), e o Centro de Remo de Alta Competição em Vila Nova de Foz Côa (Álvaro Fernandes Andrade). Na lista de nomeados estão também o Museu da Oliveira e do Azeite, em Mirandela (Manuel da Graça Dias/Egas José Vieira), o Centro Cultural de Castelo Branco (Josep Lluis Mateo), a Casa Pátio, em Grândola (Atelier Promontório - João Luís Ferreira/João Perloiro/ Paulo Perloiro/Paulo Martins Barata/Pedro Appleton), a moderniza-

ção da Escola Lima de Freitas, em Setúbal (Ricardo Carvalho/Joana Vilhena), o pavilhão multiusos de Viana do Castelo (Eduardo Souto de Moura), a residência E/c, em São Roque do Pico, Açores (Atelier SAMI). De acordo com a organização, da totalidade dos 420 candidatos, 27 por cento das propostas são da área da habitação, enquanto 24 por cento estão ligadas à cultura, cinco por cento a escritórios e 33 por cento a desporto, comércio, edifícios governamentais, transporte e tipologias urbanas. O Prémio Mies van der Rohe é bienal e distingue projectos de arquitectura construídos nos dois anos que precedem a sua atribuição.

Eurobarómetro

Lusos são que mais fazem deslocações diárias a pé O carro continua a ser o meio de transporte mais usado pelos europeus (por 54% dos inquiridos) CORREIO/LUSA

O carro é o meio de transporte que os portugueses mais usam no dia-a-dia, mas Portugal é também dos países onde as deslocações a pé são mais comuns, com 23% dos inquiridos a dizer que fazem as viagens diárias deste modo.

A Comissão Europeia publicou, em Dezembro último, um Eurobarómetro sobre a qualidade dos transportes na União Europeia. Segundo o relatório, que se baseou em 28 mil inquéritos feitos pessoalmente, o carro continua a ser o meio de transporte mais usado pelos europeus (por 54% dos inquiridos), seguido pelo transporte público (19%) e por caminhar (14%). A conveniência é o primeiro factor na escolha do meio de transporte (61%), seguindo-se a rapidez (31%) e só depois o preço (12%) Em Portugal, à semelhança da

23%

dos inquiridos lusos fazem as viagens diárias a pé. média europeia, o carro também é o meio de transporte mais comum num dia típico, ainda que não chegue a metade dos inquiridos (47%). Os restantes disseram que usam, para as deslocações diárias, sobretudo o transporte pú-

blico (24%) e andam a pé (23%). Se no uso do transporte públicos, Portugal já surge no grupo de países em que este meio é mais comum, nas deslocações diárias a pé está mesmo no topo. Os 23% de inquiridos portugueses que dizem que fazem a pé as deslocações diárias estão ao mesmo nível da percentagem da Roménia, que só é superada, ligeiramente, pelos 25% tanto de Espanha como da Bulgária. Já o comboio e a mota são usados, cada, apenas por 2% dos inquiridos portugueses e a bicicleta por uns residuais 1%.


Correio da Venezuela | Janeiro de 2015

Publicidade 17


18 Portugal

Janeiro de 2015 | Correio da Venezuela

Diáspora

Canadá

Estados Unidos

Identidade de ‘Little Portugal’ Atuneiros açorianos foram recrutados em risco de desaparecer para a Batalha de Pearl Harbor

CORREIO/LUSA

A zona entre as ruas Bathurst e Dufferin é conhecida desde os anos 1970 como ‘Little Portugal’, mas essa identidade está a pouco e pouco a perder-se Em Toronto, na província canadiana de Ontário, a zona entre as ruas Bathurst e Dufferin é conhecida desde os anos 1970 como ‘Little Portugal’, mas essa identidade está a pouco e pouco a perder-se. Fernando Abreu, 52 anos, um dos proprietários da Churrasqueira do Sardinha, localizada no 1130 da Dundas St W, mesmo no centro de ‘Little Portugal’, disse à agência Lusa que actualmente há menos portugueses do que se verificava “há uns anos atrás. “Muitos mudaram-se para o norte de Toronto, e mais recentemente abriram alguns estabelecimentos canadianos e de outras nacionalidades aqui no ‘Little Portugal’, mas a Dundas continua a ser o nosso Pequeno Portugal”, afirmou o emigrante, natural do distrito de Viseu e desde 1991 no Canadá. Uma parte de ‘Little Portugal’ está incluída no círculo eleitoral da Davenport, que reelegeu recentemente a vereadora Ana Bailão (Bairro 18) e que nas eleições provinciais do passado verão elegeu então a deputada Cristina Martins. Calcula-se que existam actualmente no Canadá cerca de 550 mil portugueses e luso-descendentes, estando a grande maioria localizada na província do Ontário. E é em ‘Little Portugal’ que os que procuram ou têm saudades de produtos portugueses saciam o desejo. Fernando Abreu reconhece, orgulhoso que a zona “é praticamente uma cidade portuguesa no centro de Toronto”. “Não há de tudo, mas é quase como se estivesse em Portugal”, justificou, explicando que no seu estabelecimento de ‘take out’ aber-

CORREIO/LUSA

É em ‘Little Portugal’ que os que procuram ou têm saudades de produtos portugueses saciam o desejo.

to há 11 anos, a grande especialidade é o tradicional frango assado. Praticamente ao lado, no 1209 da Dundas St W, fica a Caldense Bakery, umas das primeiras padarias e pastelarias na área. A empregada mais antiga, com 24 anos de serviço, Isabel da Silva, 39 anos, disse que os canadianos gostam muito dos doces portugueses, nomeadamente o bolo-rei. “Ainda hoje vendi três ou quatro bolos-rei a canadianos que são casados ou têm familiares portugueses”, exemplificou. A emigrante, natural de Braga, também nota a progressiva diminuição da presença portuguesa, considerando que a zona “está mudada”, constatando o envelhecimento da população, com os mais novos a afastarem-se da zona, devido aos elevados valores imobiliários: uma casa pode custar, em média, 1 milhão de dólares canadianos (700 mil euros). No ‘Little Portugal’, pode-se também encontrar os tradicionais enchidos portugueses, embora fabricados no Canadá devido à legislação em vigor. Trata-se do “Pavão Meats and Deli”, no 1435 da Dundas St W, de que Luís Pavão, 38 anos, é um dos proprietários. “Quem aqui entra, sabe que estamos num Pequeno Portugal. Oferecemos à comunidade um pouco que todo o nosso país oferece, tentamos ir às diferentes regiões, passando pelos Açores, Madeira e continente”, explicou, acrescentando que, entre várias especialidades, apresenta o chouriço micaelense,

Quem aqui entra, sabe que estamos num Pequeno Portugal. Oferecemos à comunidade um pouco que todo o nosso país oferece, tentamos ir às diferentes regiões, passando pelos Açores, Madeira e continente”, as tripas à moda do Porto, o pé de torresmo caseiro, a morcela e a farinhota (pequena farinheira). Uma historiadora e um sociólogo, ambos luso-descendentes, explicaram à Lusa as origens do ‘Little Portugal’. “Foi criado por necessidade, porque os portugueses não falavam nem sabiam ler inglês. Queriam os produtos a que estavam habituados em Portugal”, disse Susana Miranda, 40 anos, uma das responsáveis do Projecto de História Luso-canadiana, e filha de emigrantes naturais da Lourinhã, distrito de Lisboa. “Podiam comprar o tradicional bacalhau ou outros produtos importados, ou então podiam ir ao salão do bilhar à procura de trabalho, tinham necessidades do dia-adia, e o ‘Little Portugal’ cresceu por esses motivos”, afirmou

Os detalhes deste episódio constam de um documentário, editado em DVD, em versão bilingue, designado “Portuguese in California”, Quarenta e sete embarcações de pesca de atum (atuneiros) com emigrantes açorianos em San Diego, na Califórnia, bem como os 600 tripulantes foram recrutados pela marinha de guerra dos EUA em 1942, após o ataque japonês a Pearl Harbor. Os detalhes deste episódio constam de um documentário, editado em DVD, em versão bilingue, designado “Portuguese in California”, do jornalista Nelson Ponta-Garça, que vive nos EUA e possui a sua própria produtora, a “NPG Productions”. Nelson Ponta-Garça, cujos pais são naturais da ilha de São Jorge, nos Açores, explicou à agência Lusa que os atuneiros, que sustentavam uma considerável indústria em San Diego, foram convertidos em barcos de guerra na sequência do ataque de Pearl Harbor, durante a II Guerra Mundial. “A 15 de Fevereiro de 1942,

dois meses depois de os aviões militares japoneses bombardearem a frota do Pacífico dos EUA, em Pearl Harbor, a marinha [norte-americana] requisitou os atuneiros para serviço militar. Cerca de 600 pescadores de descendência portuguesa voluntariaram-se para prestar serviço militar”, afirmou. De acordo com Nelson PontaGarça, após a sua utilização na guerra, 16 destas embarcações foram convertidas para integrar as patrulhas costeiras norteamericanas. O jornalista afirmou que, actualmente, nenhum destes barcos ligados à pesca do atum permanece no activo. Alguns estão em museus e outros foram entretanto abatidos. Os emigrantes açorianos, que representam 90% da comunidade portuguesa radicada na Califórnia, instalaram-se, predominantemente, em localidades como Silicon Valley, San Joaquim, Los Angeles, San Diego, Sacramento e San Francisco. Nelson Ponta-Garça recorda que os primeiros açorianos começaram a chegar à Califórnia integrando tripulações baleeiras e, a partir de 1857, San Diego desempenhou mesmo um papel muito importante na caça à baleia. A indústria atuneira em San Diego, que começou no quintal de um emigrante açoriano, chegou a assegurar dois mil postos de trabalho portugueses, conta ainda o jornalista.

Tripulantes foram recrutados pela marinha de guerra dos EUA em 1942.


Correio da Venezuela | Janeiro de 2015

Publicidade 19


20 Cultura

Janeiro de 2015 | Correio da Venezuela

Espectáculos

Victoria Urdaneta

‘Sr. Ódio e Sr. amor’ Oswaldo Maccio é o autor e director da obra, com a produção de Teatro La Bacante e um elenco formado por Citlalli Godoy, Gabriel Agüero, Orlando Paredes, Kimberling Longueira e Yonathan Bastidas. A peça dá vida a um personagem solitário e de mau carácter que se inteira da chegada de um novo vizinho, o Sr. Amor, a quem não quer ter por perto, sem suspeitar que mudará a sua vida. Data: Janeiro e Fevereiro de 2015, sábados e domingos, às 3:00pm Local: Trasnocho Cultural.

‘De mutuo desacuerdo’ Ana María Simón e Sócrates Serrano dão vida a uma obra dirigida por Miguel Ferrari que mostra a história de um casal recém-divorciado, Sandra e Ignacio, cujo filho em comum não aceita a nova situação. Certos episódios escolares do seu filho obrigam-nos a se encontraram mais do que desejavam, desencadeando uma série de situações que, com humor, deixam importantes mensagens. Data: De 30 de Janeiro de 2015. Sexta, às 9:00 pm; sábados e domingos, às 8:00 pm. Local: Trasnocho Cultural.

‘Por todos los medios’ O stand up comedy continua a ocupar os lugares favoritos do público venezuelano. Por isso, regressa aos palcos uma das actuações mais bem sucedidas de Luis Chataing, onde incluirá novas situações sobre o palco, a participação da comediante Jean Mary e a utilização do audiovisual para mostrar tudo aquilo que faz no dia a dia na rádio e na televisão. Data: 10, 17 e 24 de Fevereiro de 2015, às 8:00 pm Local: Centro Cultural BOD, Calle Chaguaramos con Av. Eugenio Mendoza, La Castellana, Caracas.

Marjorie de Sousa “sobe como a espuma” A actriz venezuelana continua a conquistar o público hispânico. Sergio Ferreira Soares

A actriz venezuelana Marjorie de Sousa continua a “subir como a espuma”, dando passos firmes no mundo do espectáculo hispânico: Depois de sofrer de um princípio de bronquite, regressou às gravações da ‘Hasta el fin del mundo’ e continua a demonstrar um interesse crescente pela música. A telenovela protagonizada por Marjorie de Sousa e David Zepeda terminará muito depois do que estava planeado. Para o produtor, Nicandro Díaz, isto significa um desafio e explica que a razão que o obriga a enfrentá-lo não é outra senão o atraso nas gravações de ‘Lo Imperdonable’, projecto que ocuparia o seu lugar no programação. Inicialmente, o projecto de Diáz estava marcado para terminar nos últimos dias de Janeiro, mas agora sabe-se que será só em Março, quando terminarem as gravações no foro. O público não

Victoria Urdaneta

‘Con ojos de niño’ Há quatro anos que esta mostra dá a conhecer os trabalhos que as crianças realizam nos ateliers da Plastilinarte. Desta vez poderão ser apreciados quase 50 obras que depois de 22 de Fevereiro serão enviadas para a República Checa, para participar na Exibição Internacional de Arte Infantil de Lídice, um espaço onde a Plastilinarte participou várias vezes e com êxito. A entrada é livre. Data: De terça a sexta, das 9:00 am às 5:00 pm Local: Museu da Estampa e do Desenho Carlos Cruz-Diez. Avenida. Bolívar, Parque Vargas.

Feira do Livro recebeu como era esperado o casal de Pedro Fernández e Marjorie de Sousa. Fernández abandonou repentinamente o projecto e agora o produtor vê-se obrigado a alargar a trama. Mas os fãs da telenovela conseguiram ver que cada desafio foi superado com êxito. Por outro lado, Marjorie de Sousa continua com vontade de lançar uma produção discográfica, ao terminar as gravações da telenovela. Depois de divulgar nas redes sociais a sua interpretação do tema ‘Como la flor’, não descarta gravar no mencionado projecto um tema da falecida Selena. “Sou muito fã da sua música, e lastimo que não

a tenhamos como connosco, mas é uma estrela à mesma, que nunca morre, que nunca se apaga”, expressou a actriz à Televisa. “É uma espinha que tenho há muito tempo, quero, quando terminar a novela, voltar a ter aulas e preparar-me para isso e é um sonho que quero cumprir”, finalizou. A venezuelana não esconde o seu gosto pela música regional mexicana, em especial pelos temas de Julión Álvarez, e não descarta ser uma das mulheres que canta este tipo de música, ainda que assegure que prefere entrar no género pop. Para já, concentra-se em terminar o seu projecto no pequeno ecrã.

Para encerrar o mês, vai realizarse uma feira do livro que incluirá workshops “a céu aberto” no Parque Generalísimo Francisco de Miranda (anteriormente chamado Parque del Este). Esta iniciativa tem origem na Argentina e o seu principal objectivo é promover a leitura através de diferentes estratégias, como a exposição de obras, workshops, conversas, fotografias, entre outras. A entrada é livre. Data: Sábado 31 de Janeiro de 2015, a partir das 12pm Local: Parque Generalísimo Francisco de Miranda, Concha Acústica.

Espectáculos

Kimberly dos Ramos em programa de cozinha na TV Sergio Ferreira Soares

A actriz venezuelana Kimberly dos Ramos continua a conquistar um lugar no coração dos seus fãs hispanos: Como se não fosse suficiente o êxito que teve na telenovela ‘Tierra de Reyes’, agora a lusodescendente participa na segunda temporada de Top Chef Estrellas, da Telemundo. O programa é transmitido todos os domingos às 9pm, com apresentação da perita em restaurantes colombiana Ingrid Hoffmann. Nesta ocasião, a divertida com-

petição porá à prova as habilidades culinárias de nove figuras do mundo artístico: Sissi Fleitas, Maripily Rivera, Henry Santos, Gabriel Coronel, Fabián Ríos, Judith Grace, Don Pedro Rivera, Gabriela Vergara e o boxeador Fernando Vargas competem com Kimberly dos Ramos com a finalidade de ganhar $100,000 ,que serão entregues às suas organizações de beneficência favoritas. No começo de cada episódio, as celebridades enfrentarão o desafio Prova de Fogo, do qual sairão

seleccionados os dois melhores concorrentes, que por sua vez se tornarão capitães da equipa na Prova Eliminatória no desafio seguinte. Quem obtiver a avaliação mais baixa tornar-se-á assistente de cozinha. Durante a última semana será pedido aos finalistas um menu completo para que o júri determine quem será o vencedor.

A arte de improvisar Os actores da Improvisto darão um workshop para ensinar, em cinco sessões, os “segredos” do improviso. Para mais informação, pode contactar pelo número de telefone (0212) 7937015. Este grupo apoia o público adolescente desde 2005 e está há mais de 20 temporadas em cima do palco, criando histórias que o público sugere. Data: De 26 a 30 de Janeiro de 2015, das 5:30 pm às 8:00 pm Local: Centro de Formação Contínua do Ateneu de Caracas, avenida La Salle, Quinta La Colina, urb. Colinas de Los Caobos.


Correio da Venezuela | Janeiro de 2015

Publicidade 21


22 Cultura

Janeiro de 2015 | Correio da Venezuela

musica

Victoria Urdaneta

Concursos literários A literatura é um universo criativo, onde se podem criar histórias e para além disso receber um prémio por isso, através de concursos, como damos conta nesta edição: PRÉMIO LITERÁRIO GLÓRIA DE SANT’ANNA – POESIA. Organizado pelo Grupo de Acção Cultural de Válega (GAC) em colaboração com várias entidades patrocinadoras e a família de Glória de Sant’Anna, está aberto para a 3ª edição. Este é o momento perfeito para escrever, pois a fecha limite das inscrições é 6 de Março. Para mais informações sobre o regulamento, tem à sua disposição o link http://www.dglb.pt/sites/ DGLB/Portugues/premios/Documents/PremioLITERARIO-REGULAMENTO%202015.pdf. Está também aberta a convocatória para o PRÉMIO INTERNACIONAL BOOKS & MOVIES - MUNICÍPIO DE ALCOBAÇA, instituído pela Câmara Municipal de Alcobaça. Destina-se a “estimular, divulgar e premiar a criatividade no âmbito da literatura e do filme de viagens”. A data limite para as candidaturas é 31 de Março de 2015. Para saber mais pormenores, siga o link http://cms.cm-alcobaca. pt.vf-host.com/upload_files/ client_id_1/website_id_2/Autarquia/Camara_Municipal/ Regulamentos/Patrim%20 Tu r i s m o % 2 0 C u l t u r a % 2 0 Ciencia/R egulamento%20 do%20Pre%CC%81mio%20 Internacional%20Books%20 &%20Movies%20-%20 Munici%CC%81pio%20de%20 Alcobac%CC%A7a.pdf. O 3º PRÉMIO LITERÁRIO AICL LUSOFONIA 2015, promovido pela Associação Internacional dos Colóquios da Lusofonia em parceria com a Editora Calendário de Letras, “visa promover e divulgar a Açorianidade e a língua portuguesa”. Os trabalhos a concurso deverão ser entregues até ao dia 30 de Junho de 2015. O regulamento está em http:// blog.lusofonias.net/wp-content/uploads/2014/10/premioliterario-acorianidade2015.pdf.

Amélia Muge apresenta novo álbum constituído por poemas de Amália Rodrigues

A vida... segundo José Saramago Leia dez das frases mais contundentes do célebre escritor português Victoria Urdaneta

S

Amélia Muge gravou 16 novos temas, “nunca musicados”, à exceção de “Sou filha das ervas” Correio / Lusa

Amélia Muge apresenta o seu mais novo trabalho, “Amélia com versos de Amália”, constituído exclusivamente por poemas de Amália Rodrigues, na próxima sexta-feira, em Lisboa, na Culturgest. Amélia Muge gravou 16 novos temas, “nunca musicados”, à exceção de “Sou filha das ervas”. Além de Amélia Muge, os outros dois compositores são José Mário Branco e o grego Michales Loukovikas, que “era o parceiro ideal para levar as palavras de Amália até ao Oriente”, disse a cantora e compositora à Lusa. Referindo-se a José Mário Branco, Amélia Muge destacou a “sua poderosa capacidade em dar às palavras uma dimensão maior, a partir de uma visão musical muito conhecedora e muito abrangente”. No palco da Culurgest, Amélia Muge afirmou que irá exclusivamente interpretar poemas de Amália, juntando outros aos que incluiu no CD. “O palco é sempre outra coisa. Os temas terão outra respiração, vão explicitar coisas menos evidentes no CD, vão reorganizar-se em

torno das muitas histórias que têm para contar”, adiantou. “No palco vai haver outras [canções]. Mas tudo vai girar à volta das palavras de Amália, cantadas e projetadas em termos de imagem”, acrescentou. Amélia Muge disse à Lusa que, quando o livro “Versos”, de Amália Rodrigues, foi publicado em 1997, ficou “logo deslumbrada com esta Amália desconhecida”. Referindo-se à escrita da fadista, Amélia Muge afirmou: “A diversidade temática vai para lá da existente no próprio fado. As suas palavras são de todo o lado, e evocam uma enorme variedade de mundos sonoros e musicais”. “Amália é também única, porque é uma herdeira fabulosa da poesia popular de raiz oral mas, ao mesmo tempo, sente-se nas suas palavras uma influência dos poetas que cantou, o que a leva a um registo poético muito pessoal pois nela as influências, mesmo mais eruditas, nunca a levam a deixar esse chão de palavras tão ancestral. Placentar, diria”, declarou. Todos os poemas para o CD, editado em finais do ano passado, foram escolhidos por Amélia

Muge, que não editava desde “Periplus, Deambulações Luso-Gregas” (2012), feito em parceria Loukovikas. “Os poemas foram escolhidos por mim. No caso do Michales, foram-lhe atribuídas temáticas ligadas ao ‘tempo’ e ao ‘olhar’, que poderiam ganhar, como ganharam, essa dimensão do ‘longe’ e do ‘outro’, tão bem expresso nos modos orientais que ele escolheu”, afirmou, e, “no caso do Zé Mário, são temas muito ligados a declarações de princípios, que necessitavam de uma carga intencional muito particular”. Loukovikas musicou, por exemplo, “Os teus lindos olhos pretos” e “O tempo dantes corria”. José Mário Branco assina as composições de “Tenho dois corações”, “Quero cantar para a lua” e “Carta a Vitorino Nemésio”. Os restantes onze temas foram compostos por Amélia Muge, entre eles “Meu coração sem direito”, “Ai de mim sou filha das ervas” e “Faz pena”. Na Culturgest, em palco, além de Amélia Muge, vão estar os músicos António Pinto, Catarina Anacleto, Daniel Salomé, Ivo Costa, Manuel Maio, António Quintino e Carisa Marcelino.

aramago nasceu em Santarém, a 16 de Novembro de 1922, e faleceu em Lanzarote (Espanha), a 18 de Junho de 2010. Foi laureado com o Prémio Nobel da Literatura (1998) e estas são algumas da suas palavras: 1. “Aprendi a não tentar convencer ninguém. O trabalho de convencer é um falta de respeito, é uma tentativa de colonização do outro”. 2. “Só se nos detivermos a pensar nas pequenas coisas chegaremos a compreender as grandes”. 3. “O homem mais sábio que conheci em toda a minha vida não sabia ler nem escrever”. 4. “A nossa única defesa contra a morte é o amor”. 5. “Que classe de mundo é este que pode mandar máquinas a Marte e não faz nada para deter o assassinato de um ser humano?” 6. “A viagem jamais termina. Só os viajantes terminam. E também eles podem subsistir em memória, em recordação, em narração... O objectivo de uma viagem é só o início de outro viagem”. 7. “As três enfermidades do homem actual são a falta de comunicação, a revolução tecnológica e a sua vida centrada no triunfo pessoal”. 8. “Agora não há dúvida de que a busca incondicional do triunfo pessoal implica a solidão profunda. Essa solidão da água que não se move”. 9. “Dentro de nós existe algo que não tem nome e isso é o que realmente somos”. 10. “Há personagens de novela que estão más vivos que alguns que andam por aí”.


Correio da Venezuela | Janeiro de 2015

Publicidade 23


24 Opinião

Janeiro de 2015 | Correio da Venezuela

Espaço dos imigrantes

Autobiografia de um Imigrante: Charles Peter Shary Do Patrocinio

Esta é a primeira de uma série de onze memórias de imigrantes portugueses e luso-americanos nos Estados Unidos, recolhidas pelo professor Francisco Cota Fangundes no seu ensaio “A experiência imigrante dos portugueses nos Estados Unidos através das suas autobiografias”. Uma obra sem grandes pretensões que não a de reunir em papel as vidas dos seus

compatriotas descrevendo particularidades da época. A história de Charles Peter é de um imigrante português nascido em 1835, no Faial (Açores) que abandonou a sua ilha aos dez anos de idade a abordo do New London, comandado pelo capitão Christopher Pendleton Jr com destino à Califórnia, Estados Unidos, com a esperança posta num metal muito prezado para a época. Segundo Fangundes, a vida deste homem foi pouco conhecida entre a colónia lusitana da Califórnia, apesar do status que alcançou entre os arredores de Jackson e comunidades vizinhas por ser um dos

mais longevos dos ‘forty-niners’, como se chamava aos imigrantes chegados em 1849 por causa da Febre do Ouro da Califórnia. Uma das suas façanhas foi seguir a rota do Cabo de Hornos até Sacramento, cidade à qual chegou por volta de 1850, para depois estabelecer-se em Jackson onde a sorte lhe sorriu definitivamente em 1865 com o descobrimento da sua mina de quartzo, a “Good Hope”. Não obstante, o próprio Peters resenha na sua auto-biografia que parte dos seus infortúnios financeiros foram produto dos processos legais por reclamação de propriedades situadas em zo-

nas de ouro, prática muito comum para a época pelo valor que representava o solo. Outra das razões que levariam Peters à pobreza terá tido a ver com a má gestão da sua mina e com o facto de não ter conseguido os fundos necessários para escavar em maior profundidade, segundo indicaram jornais da época. A sorte não melhoraria nos anos seguintes. Em 1866, a sua esposa, Lydia Parkinson, morreu no parto do único filho do casal, Charles J. Peters, que faleceu em 1909. É assim como Peters se entrega à solidão de uma cabana situada muito perto da sua mina e pouco

depois emergem os problemas mentais e físicos do velho pioneiro, umas das possíveis causas do seu afogamento num rio próximo da sua morada. A Autobiografia de Charles Peters foi publicada 14 anos depois da sua morte graças à sua decisão, em vida, de colaborar com o escritor T. R. Jones para escrever juntos a sua história. O texto compreendia referências à infância de Peters nas ilhas dos Açores, a sua paixão pela caça da baleia e fundamentalmente dos seus primeiros anos como mineiro de faca nas suas botas, pistola e vaso pendurados à cintura e uma garrafa no seu bolso.

Crónicas de Lisboa

O Vazio do Pós Festas Natalícias Serafim Marques

Neste Natal, S. Pedro bafejounos com temperaturas amenas e soalheiras, mais parecendo uma primavera extemporânea. Então o dia pós Natal foi um dia radiante de sol, permitindo a muitos cidadãos e muitos turistas usufruírem desse privilégio. Fui daqueles que ousei deixar o meu bairro, onde parecia pairar um “ar de tristeza” e viajar até à beira-rio (mar), onde poderia encontrar, o sol de inverno e espraiar os já muito vistos horizontes, mas sempre diferentes porque diferente é sempre o nosso estado de alma. Escolhi um dos destinos e a opção tomada recomendava mesmo a utilização dos transportes públicos, em vez do automóvel. Planeei, sem grande rigor, o percurso que iria fazer, tentando descobrir coisas novas, apesar dos cinquenta e dois anos a viver na cidade, e revisitar espaços renovados que

vão embelezando a cidade, sem , contudo, esta deixar de exibir muitas das coisas que nos deveriam envergonhar, como seja prédios devolutos e a ameaçar ruínas em zonas nobres e turísticas, cenários idênticos a muitas das nossas vilas e cidades, cujos centros históricos mais parecem ruínas duma qualquer guerra ou bombardeamentos. Fiquei surpreendido com a imensidão de gente, de várias idades e nacionalidades que passeavam pela zona ribeirinha e pela baixa da cidade e eu, turista solitário na minha cidade, ia observando, como se fosse a primeira vez, e fotografando, ao mesmo tempo que sentia alegria, mas também uma certa vergonha pelas coisas feias que ofuscam as nossas belezas. Cansado e porque estava na hora do regresso a casa, preparava-me para esperar pelo autocarro, quando deparei com um antigo colega da faculdade que, como eu, tinha descido até à baixa para matar saudades dos tempos em que ali trabalhávamos, porque era ali o centro de negócios da cidade, hoje deslocado

para várias zonas novas, deixando a baixa numa espécie de cidade morta. Depois do olá como estás e tens passado, logicamente teria que vir à baila o tema das festas de Natal e notei um certa tristeza na voz do meu amigo. Desafiei-o a abrir-se e, então, lá foi dizendo que, afinal, este dia de Natal tinha sido complicado para ele e quase que se arriscou a passar o dia sozinho, porque esta nova realidade dos modelos de famílias alterouse profundamente, isto é, famílias reagrupadas, monoparentais, uniões de facto, etc., que obriga os diversos elementos (netos, filhos, genros, noras, sogros, ex-sogros, novos cônjuges, etc.) a gerirem, às vezes com dificuldade, as presenças nos diferentes lares, por força dos cruzamentos conjugais e familiares, por vezes, geradores de conflitos familiares, porque a homogeneidade tornou-se mais difícil. Em muitas ceias ou almoços de Natal o stress pode ser difícil de gerir e nalguns emergem conflitos latentes. Mas voltando aquilo que o meu amigo ia contando, dizia ele que o que o salvou da solidão em dia de Natal foi

lembrar-se de que um seu amigo, também ele divorciado, tinha um problema semelhante porque desejava almoçar com os seus filhos adolescentes e não o podendo fazer na casa da sua ex-mulher, já a viver uma nova relação, também não o poderia fazer na casa onde vive com a nova companheira, porque os filhos não aceitam essa relação. Tinha que encontrar um restaurante aberto no dia de Natal e, para isso, percorreu, uns dias antes, uma parte significativa da cidade à procura dum que estivesse aberto nesse dia e ali pudesse levar os filhos para o almoço de Natal. Acabou por encontrar um, bastante simples, e lá foram os quatro almoçar, cumprindo um dever paternal. Depois da despedida dos filhos, ficaram ambos os amigos a falar dos velhos tempos, mas o tema natal também foi abordado. Desabafou-lhe o amigo que a refeição lhe “caiu mal”, talvez porque as lágrimas invisíveis, aquelas que são geradas na alma, lhe “azedaram” o estômago, porque, disse com mágoa, o almoço não terá despertado entusiasmo nos

filhos, porque as roturas familiares, por divórcio, são feridas difíceis de sarar. Continuou o meu amigo a dizer que no período de Natal, com um stressante frenesim, tentamos fazer crer, aos outros e a nós mesmos, que é a festa da alegria, da família, do amor, do perdão, da solidariedade, etc. Pura hipocrisia, porque é um período para dar largas ao consumismo, ao materialismo, às gulas gastronómicas e ao faz de conta de falsos perdões e amizades, porque o espírito genuíno do Natal assenta noutros valores que se foram perdendo. Como disse o Papa Francisco, há católicos incoerentes, porque se dizem cristãos, mas vivem como pagãos, porque o Natal está transformado numa festa pagã, pois não assenta nos valores originais da família, muito bem “retratada” pelo presépio, paradoxalmente, agora muito na moda, talvez para contra balançar essa carga pagã do Natal, mesmo nos seio dos cristãos. Acabei por compreender a tristeza revelada pelo meu amigo, que só é uma doença se ela for causa e efeito em simultâneo.

O CORREIO da Venezuela não pode ser considerado responsável e/ou patrocinador das opiniões que são expressas neste espaço.


Correio da Venezuela | Janeiro de 2015

Publicidade 25


saúde em día

26 MISCELÂNIA

Janeiro de 2015 | Correio da Venezuela

Azeite melhora saúde do coração Correio da Venezuela

Vinte mililitros de azeite por dia, consumidos durante seis semanas, são quanto basta para provocar um decréscimo de biomarcadores característicos da doença coronária. A conclusão é revelada pelo projecto pan-europeu “Azeite+Global”, que integrou cientistas portugueses, escoceses e alemães, tendo sido liderado por investigadores do iBET - Instituto de Biologia Experimental Tecnológica - em colaboração com a Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa, naquele que é o primeiro estudo que avaliou o efeito

de um alimento ao nível de biomarcadores de natureza proteica característicos de doença. “A integração de azeite na alimentação diária pode ter um impacto importante na redução do risco associado a doença cardiovascular”, refere Maria do Rosário Bronze, investigadora do iBET e Professora da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa. “Os resultados obtidos permitem explicar efeitos benéficos para a saúde, associados ao consumo de azeite. É mais uma prova da importância da dieta mediterrânica, em que o azeite é a principal fonte de gordura”, reforça outra das investigadoras do iBET envolvida no projecto, Sandra Silva.

O estudo que teve como base um ensaio clínico que envolveu 69 pessoas que não eram consumidores habituais de azeite, avaliou o impacto do consumo em indivíduos saudáveis de uma população Escocesa. Estes indivíduos foram divididos em dois grupos, de forma aleatória. Um dos grupos consumiu azeite com baixo teor em compostos fenólicos, enquanto o outro ingeriu azeite com elevado teor destes compostos. Ambos os grupos consumiram 20 mililitros de azeite cru por dia, ao longo de 6 semanas. Durante este período, procedeu-se à análise de urina e foi avaliada a variação de péptidos biomarcadores de várias doenças, entre as quais a doença das artérias coronárias. A metodologia aplicada, desenvolvida e validada pela empresa alemã Mosaiques Diagnostics, permite o diagnóstico precoce numa fase ainda assintomática de doença. As conclusões do estudo mostraram que, para ambos os grupos, houve um decréscimo significativo dos biomarcadores característicos da doença das artérias coronárias.

Pensa Verde Carla Salcedo Leal

Destinos turísticos que podem desaparecer Planear as férias pode ser um pouco entediante, sobretudo se tiver de enquadrar o orçamento e os gostos de todo o grupo familiar. Nesta oportunidade, pareceunos pertinente trazer à discussão uma lista de locais turísticos que estão em perigo de desaparecer devido às alterações climáticas, e possivelmente nessa lista poderá encontrar um dos locais que tanto quer conhecer. Vale a pena destacar que estes locais foram catalogados muitas vezes como os mais belos do mundo, e no entanto, ainda que grandes empresas estejam a trabalhar na zona, não se pode parar a deterioração, que culminará no

seu desaparecimento. Iniciamos a contagem com o glaciar Athabasca, em Alberta, Canadá, uma dessas maravilhas que se tornou num dos destinos turísticos favoritos na América do Norte, devido à sua extensão de 6 quilómetros quadrados. Não obstante, o glaciar está a derreter-se e os peritos asseguram que nos últimos anos, perdeu 2x2 metros por ano. Os Alpes Suíços é outro local a visitar, e a parte francesa está em perigo, estando a perderse pelo menos 3% do gelo por ano, e acredita-se que em 2050 já terá desaparecido. As ilhas Seychelles, apesar de não serem tão comerciais, são um desses paraísos na terra, um arquipélago de 115 ilhas no Oceano Índico onde encontrará numerosos resorts de luxo. O problema é que as ilhas estão em constante erosão e já se perdeu boa parte do coral. Em cerca de 50 anos, estará tudo perdido debaixo das suas águas, algo parecido ao que se prevê que acontecerá com as Maldivas dentro de 100 anos.

segredos de cozinha

Pato assado Receita por: Raul António Pinto Soares Prato elaborado por: Chefe David Silva - Four Views Hotels

Ingredientes

Sabia que…? Carla Salcedo

O calendário do céu 2015

Quantos de nós gostamos de olhar para o céu? Como certamente somos muitos a gostar, que melhor do que ter à mão um calendário dos eventos mais importantes que os nossos céus registarão em 2015? O percurso começa a 6 de Fevereiro, quando com a ajuda de uns binóculos ou de um telescópio poderemos ver as quatro maiores luas de Júpiter, que estarão no ponto de maior proximidade com a Terra. Mais de um mês depois, a 20 de Março, no Atlântico, perto da Gronelândia e da Sibéria, poderá ser

apreciado um eclipse total do Sol, que chegará à Europa e a parte de África, pelo que valerá a pena um passeiozinho por Portugal nesses dias. A 4 de Abril é a vez da Lua, que terá um eclipse total durante apenas 5 minutos, tornando possível que este seja o eclipse lunar mais breve que registado desde 1856. No entanto, provavelmente por cá só conseguiremos ver as fotos, porque o melhor lugar para ver este evento será a Austrália. A 23 de Maio, Saturno alcançará

o ponto de maior proximidade com a Terra, o que aumentará notavelmente a luz solar, e com um telescópio simples, será possível observar os anéis e as luas maiores deste planeta. Mas será a 28 e 29 de Julho que terá lugar um dos eventos favoritos deste lado do Planeta: Uma chuva de meteoritos, produzidos pelos cometas Marsden e Kracht. A 12 de Agosto é a vez das Perseidas, restos do cometa Swift-Tuttle. Esta particular chuva poderá ser vista com facilidade numa noite clara, pelo menos 60 avistamentos por hora. Setembro arranca com a proximidade de Neptuno. Poderemos ver um ponto azul no meio do céu estrelado, e depois, a 13 de Setembro, haverá um eclipse parcial solar que se verá a partir da Antárctida e dos países mais baixos de África. Em Outubro, de 6 a 10, haverá outra chuva de meteoritos, desta vez as dracónidas. É recomendado esperar por maior densidade na noite de 8. A 28 ocorre um evento especial, a formar-se um triângulo perfeito entre Vénus, Júpiter e Marte, para dar passagem, a 5 e 6 de Novembro, às táuridas, outra chuva de pó de um asteróide, que contará com uns 10 avistamentos por hora.

1 pato com 2Kg 1 colher (sopa)de estrela de anis 3 paus de canela 1 pitada de noz moscada 40g de brócolos 35g de cenoura 2 laranjas 1 raminho de alecrim / Sal q.b.

Preparação

1 2 3

Lave bem o pato, pique um pouco com um garfo e depois tempere com sal. Deixe tomar gosto, entre 20 a 30 minutos. Coloque num tabuleiro e regue com as especiarias e dentro da cavidade do pato coloque um raminho de alecrim.

4

Leve ao forno durante 40 minutos a 180º.

5

Regue com sumo de uma das laranjas e aumente para 220º.

6

Retire a casca à laranja e corte-a em tirinhas.

7

Descasque as cenouras e corte-os em pedaços.

8

Separe os brócolos em raminhos e coza todos os legumes em água fervente com sal.

9

Em primeiro coza a cenoura e depois os binóculos.

10

Corte a laranja restante ao meio.

11

Sirva o pato com os legumes e decore com a laranja.


Publicidade 27

J-00360930-7

Correio da Venezuela | Janeiro de 2015

4ta. Transversal, entre A. Andr茅s Bello y Alfredo Jhan. Urbanizaci贸n Los Palos Grandes, Caracas, ZP 1060


26 28 Desporto

Quinta-feira 30 de Outubro Quarta-feira 6 de Novembro de 2014 | Correio da Venezuela Janeiro de 2015 | Correio daaVenezuela

Portugal

Futebol francês

Leonardo Jardim já ganhou o cognome de ‘Arquitecto’ Edmar Fernandes DN MADEIRA

Rei em França, o técnico português nascido em Caracas mantém o Mónaco na corrida por quatro provas

Leonardo Jardim está em grande destaque no campeonato gaulês. AS Monaco só sofreu um golo nos últimos 12 jogos.

A campanha do AS Monaco merece ser alvo de estudo. Privado dos jogadores que davam asas ao sonho de alcançar sucessos desportivos, nomeadamente Falcao e James Rodriguez, o português Leonardo Jardim, natural de Caracas, que tem na sua equipa técnica os conterrâneos Nelson Caldeira e António Vieira, conseguiram encontrar uma fórmula para garantir triunfos. O segredo, segundo publicação feita, recentemente, no jornal beIN Sports, foi a percepção rápida de que teria de abdicar de uma postura ofensiva por outra, que tem sido produtiva, assente num enorme

rigor táctico e defensivo. Depois de perder as jóias da coroa monegasca logo no final da pré-temporada, a equipa ficou, naturalmente, desprovida de automatismos e acabou por efectuar uma péssima entrada no campeonato: à quinta jornada contabilizava somente cinco pontos. Aos poucos, Leonardo e seus pares reinventaram o modelo de jogo. Perceberam que o sucesso teria de ser alcançado à custa de maior transpiração e menor inspiração em função da menor qualidade do plantel relativamente à época anterior. E provaram que podem conseguir vitórias sem estrelas. O último desaire aconteceu a 29 de Novembro, no reduto do Rennes. Desde então contabilizaram 10 vitórias e 2 empates, sendo que uma destas igualdades acabou por ser bem saborosa, já que no final o Mónaco eliminou o comandante do campeonato gaulês, o Lyon, no estádio deste, após o desempate por grandes penalidades. Por esta e por outras é que Leonardo Jardim é um dos treinadores mais elogiados do futebol francês. E até já ganhou já ganhou o cognome de Arquitecto do Principado, como refere o artigo publicado pelo BeIN Sports.

11 jogos sem sofrer golos À falta de ‘craques’ à escala internacional, Leonardo Jardim construiu uma defesa de autêntico ‘betão’. Só assim se explica que na fantástica caminhada de 12 jogos sem perder tenha conseguido manter inviolável a sua baliza em 11 partidas. O único golo sofrido até ao momento foi precisamente frente ao Lyon, para a Taça de França. Defender bem e concretizar as poucas investidas atacantes que o grupo produz tem sido a chave do sucesso. Hoje, de resto, ninguém acreditaria que o Mónaco estivesse a discutir as quatro competições: 5.º lugar no campeonato, semi-finalista da Taça da Liga, oitavos-definal da Taça de França e oitavosde-final da Liga dos Campeões. Ou seja, se bem que ainda esteja distante de conquistar títulos, já conquistou a simpatia dos críticos do futebol gaulês, que têm a noção de que com poucos ovos o madeirense fez uma omolete de grande qualidade. Ninguém duvida de que seria difícil a qualquer outro treinador ter realizado um trabalho semelhante ao do madeirense e até há quem garanta que só Leonardo conseguiria ter o mesmo grau de sucesso num Mónaco em reconstrução financeira e desportiva.

História

Benfica retira estrutura em volta da estátua de Eusébio CORREIO/LUSA

O Benfica anunciou, na terçafeira, 27 de Janeiro, a remoção da estrutura de protecção em volta da estátua do antigo futebolista Eusébio, nas imediações do Estádio da Luz, em Lisboa. “Começaram esta terça-feira de manhã os trabalhos de remoção da estrutura de protecção da estátua de Eusébio da Silva Ferreira, no Estádio da Luz. Após esta intervenção, que se prevê concluída até ao final do dia, a estátua do King será ‘devolvida’ aos adeptos”, lê-se no sítio oficial dos ‘encar-

nados’ na Internet. Após a morte de Eusébio, a 5 de Janeiro de 2014, aos 71 anos, muitos adeptos de vários clubes rumaram à estátua do ‘pantera negra’ e ali deixaram inúmeras recordações, que levaram o Benfica a erguer esta protecção. “Terminado o ano de luto decretado pelo Benfica, os cachecóis e todas as demais lembranças serão posteriormente colocados numa área específica para o efeito no Museu Benfica - Cosme Damião”, assegura o clube. As mesmas estão a ser retiradas por técnicos do centro de reserva, conservação e restauro.

A estátua de Eusébio, nas imediações do Estádio da Luz.

soltas

Mordovia Saransk anunciou, a 26 de Janeiro, a contratação do avançado português Yannick Djaló, por empréstimo do Benfica até ao final da temporada. “O avançado português Yannick Djaló vai jogar no Mordovia por empréstimo até ao final da temporada”, refere o clube, que milita no escalão máximo do futebol russo, no seu sítio oficial. O avançado português esteve a trabalhar no clube russo à experiência e convenceu os responsáveis a avançar para a sua contratação. O Comité Executivo da UEFA anunciou, no passado 26 de Janeiro, a cidade de Lisboa como anfitriã da fase final da UEFA Futsal Cup de 2015, a realizar em abril, acolhendo assim a candidatura apresentada pelo Sporting. Segundo pode ler-se no site da UEFA, a candidatura apresentada pelo Sporting foi a escolhida, entre quatro, para organizar a fase final da competição, que será disputada pela terceira vez na capital portuguesa e que dará a conhecer o campeão europeu da modalidade em 2015. Além do Sporting, anfitrião da prova, vão disputar a fase final da competição os espanhóis do FC Barcelona, atuais detentores do troféu, os russos do Dina Moskva, estreantes na competição, e os cazaques do Kairat Almaty. O médio ofensivo internacional colombiano do Real Madrid afirma que não percebe porque existem tantas dúvidas a rodear a atribuição deste prémio ao astro português. James Rodríguez considera que é impressionante ver o trabalho de Cristiano Ronaldo fora das quatro linhas. «Cristiano é excelente, dentro de campo e fora dele. Para mim, ele mereceu a Bola de Ouro pelo que conquistou em 2014, mas ainda assim ele é completamente modesto. Temos uma relação muito boa», disse o colombiano em entrevista ao site oficial da FIFA. As dúvidas têm-se acumulado, mas grande parte do mundo do futebol dá como justa a Bola de Ouro a Ronaldo.


Correio da Venezuela | Janeiro de 2015

Publicidade 29


26 30 Desporto

Quinta-feira 30 de Outubro Quarta-feira 6 de Novembro de 2014 | Correio da Venezuela Janeiro de 2015 | Correio daaVenezuela

Venezuela

Desportos

Clubes

Fernando Cámara

diversificada

Feceporven reúne-se para C. S. Madeirense disponibiliza planear os jogos de 2015 oferta desportiva O Centro Social Madeirense conseguiu a maior quantidade de medalhas na última edição. A Federação de Centros Portugueses da Venezuela marcou para o dia 27 de Fevereiro, sábado, a reunião para planificação e organização da 15.ª edição dos Jogos Feceporven, reunião que decorre na Casa Portuguesa do Estado de Aragua. Os jogos terão como sede o Centro Português Venezuelano de Guayana, começam a 9 de Outubro e terminam a 12. O objectivo da reunião é enquadrar a logística do evento e a deslocação de cada uma das delegações que marcará presença no evento. É esperada a presença de todos os directores desportivos de todos os clubes portugueses no país. O presidente da Feceporven, Víctor Vieira, comentou que a data cai “como anel do dedo”, porque o 12 de Outubro é feriado, e permitirá que a competição dure mais dias, tendo, assim, uma duração superior a anos anteriores. Acrescentou ainda que a sede

é rotativa, e por razões de logística, o clube anfitrião tem tudo para ganhar porque possui “tudo mais próximo”, a maior quantidade de atletas e a vantagem de “jogar em casa”. Apontou ainda que a reunião irá decorrer na Casa Portuguesa do Estado de Aragua porque é um lugar central para todos os envolvidos. Os clubes participantes na reunião serão: Associação Civil Centro Português, Centro Marítimo de Venezuela, Casa Portuguesa do Estado de Aragua, Casa Venezuelana Portuguesa de Valência, Centro Social Luso Venezuelano de Los Valles del Tuy, Centro Atlântico Ma-

deira, Centro Sociocultural Virgem de Fátima de Guatire, Centro Luso Venezuelano do Estado Vargas, Centro Social Luso Venezuelano de La Victoria, Centro Social Luso Venezuelano de Acarigua, Centro Social Madeirense de Valência, Centro Português Venezuelano de Guayana, Centro Luso Larense de Barquisimeto e Centro Português de Punto Fijo. Vale a pena recordar que a última edição passada dos jogos, em 2013, foi ganha pela instituição anfitriã, o Centro Social Madeirense. Dois anos antes, a Casa Portuguesa de Aragua conseguiu o mesmo na sua sede.

Desporto

Já começou o Torneio de Bowling do CP Fernando Cámara

Um total de 14 equipas dará, até Fevereiro, o melhor para chegar ao título de campeão. O Torneio de Bowling Centro Português ‘Copa Cidade de Lisboa 2015’ arrancou no passado dia 12 de Janeiro com a participação de 14 equipas, que foram divididas em dois grupos de sete cada. O

primeiro grupo joga às segundas e quartas e o segundo às terças e quintas. O primeiro grupo é composto pelos seguintes conjuntos: Parampampan, 1 Tri – p – o, Vino Tinto, Ta´ de Pin – ga, Locos de Bola, 2 Portu y 1 Gocho y Xavi. O segundo é formado por Triple A, Bate Forte, Pin 10, Inst. Industriales Veracruz, Los Aliados, Talleres del Arte e Power Ball. A copa joga-se a partir das 7:00pm de segunda a quinta, e a final está prevista para 28 de Fevereiro, a partir das 8:00pm. Vale a pena recordar que a

equipa Triple A venceu a final do Torneio de Bowling Verão 2014, a 19 de Junho do ano passado. O campeonato constou de seis linhas e participaram seis equipas. A Copa 56.º Aniversário Centro Português teve como vencedor individual masculino Miguel Calderón, que conseguiu derrubar 3561 pinos em 16 linhas jogadas. Na Categoria Sénior, Joaquín Ricardo Cifuentes, do Club Táchira, foi campeão com 3569, e na 2.ª. Categoria Feminino a campeã foi Carelyn Núñez, do Club Táchira, com 3038 pinos derrubados.

Fernando Cámara

Instituição social situada em Valência apresenta uma vasta gama de opções para todos os gostos dos sócios O Centro Social Madeirense, situado no sector San Diego do Estado de Carabobo, tem se caracterizado por ser um clube que promove regularmente o deporte em geral. Prova disso são as suas instalações que acolhem a prática de diferentes modalidades e facilitam o desfrute dos sócios, com um plano de trabalho e de custos controlados. Neste sentido, o centro valenciano comunicou aos sócios, através das redes sociais, que estão disponíveis para o usufruto de todos diversas actividades e classes oferecidas em várias modalidades desportivas. Assim, os treinos de futebol estão a decorrer entre segunda e sexta-feira, das três e meia da tarde às oito da noite, nas categorias sub-6, sub-8, sub-10, sub-12, sub14, sub-16 e sub-18. O ténis dispõe de uma dinâmica semelhante. As práticas também são de segunda a sexta-feira, mas decorrem num horário que se estende praticamente durante todo o dia, das seis da manhã às

dez da noite. Já o ténis de mesa, decorre entre segunda e quintafeira, das sete às nove da noite. No voleibol, a prática é realizada nos mesmo dias mas entre as seis da tarde e as dez da noite. Os treinos de natação decorrem entre terça e sexta-feira, das duas da tarde às nove da noite e aos sábados, das 10 da manhã às 12 do meio-dia. Refira-se que aos sábados é só para crianças com idades compreendidas entre dois e os cinco anos. As categorias oferecidas são: ‘Aqua Baby’, ‘Escuelita’, Pré-Infantil, Desenvolvimento (Novatos), Massificação e Especialização (Federados) e Master. O Karáte-do é praticado às terças e quintas-feiras das três da tarde às sete da noite e aos sábado das 10 da manhã às 12 do meio-dia. Com o beisebol jovem também acontece algo semelhante, já que as práticas apenas têm lugar às terças e quintas-feiras, das quatro às seis da tarde. Estes dias são os mesmos para o basquetebol, mas Etas práticas ocorrem entre as seis da tarde e as dez da noite, e são destinadas apenas para maiores de 35 anos. Este ano, o clube abriu duas novas disciplinas: bailoterapia e patinagem artística. A primeira pode ser desfrutada de segunda a quarta-feira, das cinco e meia às seis e meia da tarde. Já a segunda decorre de segunda a quinta-feira das cinco da tarde às oito da noite. As tarifas não diferem muito entre as distintas modalidades.


Correio da Venezuela | Janerio de 2015

Tony Carlos Gomes

“Cheguei ao futebol por paixão” Fernando Cámara

Desde há três anos que o técnico lusodescendente orienta as camadas jovens do Estudiantes de Caracas. Tony Carlos Gomes é um nome bem conhecido no futebol jovem da Venezuela. Em 16 anos de percurso como treinador, formou crianças no Centro Português e na academia Talentos Franco Rizzi. Actualmente, o técnico trabalha com as categorias infantil A e B da Liga Colegial, acumulando a coordenação nacional das Olimpíadas Especiais em Futsal. Nasceu em Caracas, a 1 de Julho de 1980, e cresceu na urbanização Los Dos Caminos. Estudou, na Primária, na Escola Santa Gema de Los Palos Grandes, e fez o Secundário, no Colégio Los Próceres de Los Chorros. Por fim, licenciouse em Administração pela Universidade Santa María. Aos 18 anos, começou a carreira de treinador, mais especificamente como monitor, no Centro Português, em Caracas. Aqui permaneceu durante oito anos. “Cheguei ao futebol por paixão. Estar no CP foi uma boa experiência e aprendi muito porque era apenas um rapaz que estava a trabalhar como monitor. Foi o meu começo, e tive professores que me ensinaram muitas coisas. Mas ali foi só futebol de salão”, disse. Ainda no conhecido clube lusitano, passou a trabalhar na empresa Futsal Goal, situada na urbanização Macaracuay de Caracas, que possui campos de futebol – de salão e de relva artificial para arrendamento. “Um amigo levoume lá como chefe operações. Comecei com um cargo na gerência mas sempre tinha aquela ‘pica’ para orientar, de estar no campo. Nessas instalações funcionava a escola de Franco Rizzi e comecei com ele”, recordou. Aqui permaneceu durante quatro anos. “Foi uma experiência espectacular. Pude orientar em Camp Nou. Eles são uma ‘filial’ do Barcelona”, indicou. Depois passou a integrar a estrutura das camadas jovens do Estudiantes de Caracas. “Entrei num projecto ambicioso através de um

pai que tem o seu filho aqui. Faloume sobre o projecto e que passava por levar uma equipa à segunda divisão. Estavam procurando treinadores para a escola e falei com o professor Rafael González, que é o director. Fizeram-me uma entrevista e fiquei. Comecei com um plano de férias com a gente do Real Madrid. Esse foi o meu período de provas e fiquei. Já estou há três anos e desfruto muito já que gosto muito de formar e trabalhar com as crianças”, explicou. O Estudiantes de Caracas apresneta um crescimento importante tendo em conta o curto tempo de existência que possui. “Encontrei uma boa organização, com espaços para poder treinar, cómodos e aptos. No futebol nacional, estamos carentes disto. Isso era o que faltava a Franco Rizzi, não ter uma sede própria. Aqui, a comodidade de ter um campo em bom estado, um sítio fixo para treinar, foi o que me fez aproximar mais da instituição”, ex-

Joguei futebol no Don Bosco até aos 14 anos. Depois passei ao futebol de salão. Fui guarda-redes da selecção do Centro Português durante muitos anos. Quero dizer, sempre estive em ambos e adaptei-me bem”.

Desporto 31 pressou. Para o técnico resultou complicado passar do futebol de salão para o futebol de campo. “Joguei futebol no Don Bosco até aos 14 anos. Depois passei ao futebol de salão. Fui guarda-redes da selecção do Centro Português durante muitos anos. Quero dizer, sempre estive em ambos e adaptei-me bem”, apontou. Desde 2006 que é o coordenador nacional das Olimpíadas Especiais em futebol de salão. “É por um amigo, Doménico Carnevale, que ocupo esse cargo. Envolvi-me como voluntário nas instalações do Polideportivo Santa Paula, em El Cafetal. Tem sido uma das melhores experiências da minha vida. Ver crianças com incapacidade intelectual jogar num campo, e se transformem. No princípio, pensas que não podem desenvolver essa capacidade mas depois dás-te conta que podem faze-lo. Fui aos Jogos Olímpicos de Xangai 2007, onde ficámos em terceiro. Na Copa América 2007, que se realizou no país, formei parte do comité organizador e no Paraguai, fui como director técnico. Trabalha-se por níveis, os mais baixos são o Síndrome de Dawn ou o autismo, e usa-se futebol 5, futebol 7 ou futebol 11”, disse. Ser professor foi o impulso para ser treinador. “A expectativa de ensinar o que se aprendeu, de transmitir o que se sabe às crianças. Prefiro trabalhar com crianças do que com pessoas adultas porque podes formar e corrigir, inclusivamente amoldando. Os adultos pensam que sabem tudo”, comentou. Ainda que as coisas não tenham sido fáceis nos primeiros tempos. “No futebol custou-me porque no início é estranho. Mas, pouco a pouco, vais-te acostumando”, explicou. Os seus pais são naturais da Ilha da Madeira, mais precisamente da freguesia da Calheta. “Já estive lá entre seis a sete vezes. A família da minha esposa também é portuguesa, da zona do Porto”, revelou. Com a Pérola do Atlântico, tem um laço especial. “Gosto para passear (sorrisos)”, reconhecendo que está acostumado a Caracas, ao movimento da cidade. Mas Sempre que tenha a possibilidade de ir, vai faze-lo, até porque os seus avós maternos residem na ilha. Assim que, “cada vez que existe a oportunidade de viajar, vamos para visitar a família”, contou. As raízes lusitanas são essenciais para a sua vida. “Em casa, a Virgem de Fátima é fundamental, como também a comida; o bolo preto, o milho e o bacalhau e os domingos familiares. A família da minha mulher prefere o bacalhau e a minha a carne vinha d’ alhos”, acrescentou.


imagens da semana

eles respondem

P r ê m i o Ta l e n t o C o m u n i c a ç ã o S o c i a l 2 0 0 9

#Opina / Luís Figo anunció su intención de presentarse como candidato a la presidencia de la FIFA, para hacer frente a Joseph Blatter, que lleva 17 años en el cargo. La candidatura de Figo se suma así a la del ex-jugador del Paris Saint-Germain, David Ginola; el candidato independiente, Jerome Champagne; el vicepresidente de la Confederación Asiática de Fútbol, Prince Ali; el mandamás del fútbol holandés, Michael Van Praag; y el ya mencionado actual presidente de la FIFA. El lusitano asegura que quiere eliminar la palabra “escándalo” de la Federación ¿Qué opinión te merece esta noticia?

Teresa Carreño acolheu Teatro de Fantoches da China

alejandramillan06 me parece excelente fuera ese poco de viejos necesitamos gente joven

Jardim deixa em aberto decisão de assumir lugar de deputado e candidatura a Belém

Correio de Venezuela / @correiodvzla

angelasvv Excelente noticia .... Quien podría ser si no el !!! Hombre preparado y conoce perfectamente el mundo del fútbol , el cual no es del todo un mundo perfecto y con una carrera intachable y llena de logros Ygoncalvesm No digo que el señor Blatter lo haya hecho mal pero ya es hora de un cambio... Hay que renovar y Figo sería la persona correcta, entendería bien el cargo porque es un excelente profesional, demostró ser uno de los mejores futbolistas de Portugal y de la historia, le daría un toque de frescura que sin duda le hace falta a la FiFA. Manueljoes Se viene el recambio, Blatter aporto lo que tenia que aportar, se vendrán nuevas ideas al fútbol mundial... Suerte Crack! Lucibellmagalhaes Lo maximo Luis figo mariadiva.desousa1 Excelente! inespita84 Buenisima !!!

Correio da Venezuela 590  

Edición 590

Correio da Venezuela 590  

Edición 590

Advertisement