Page 1

P r é m i o Ta l e n t o 2 0 0 9 Correio de Venezuela

@correiodvzla

@correiodvzla

Caracas, Setembro de 2014

publiCaÇão Nº 573

Ano 14 • Depósito LegAL: 199901DF222 • BsF. 10

Cesário retornA

A VenezueLA

pub

luiz de albuquerque Veloso é o novo cônsul-geral de portugal em Caracas. o novo diplomata chegou a Caracas a 27 de agosto e substituiu no cargo paulo Martins dos Santos, nomeado conselheiro da embaixada de portugal em Moscovo.

pag. 3

emergência acabou, mas os desafios permanecem a crise em portugal não está totalmente debelada. A ministra das Finanças reafirmou no parlamento que, apesar da conclusão do “período de emergência”, o país continua a ter “muitos desafios pela frente” para reduzir o défice a dívida públicos. pag. 18

Desporto

Novo cônsul-geral em Caracas

portugal

Venezuela

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas voltou a demonstrar a relevância da comunidade portuguesa radicada na Venezuela. Está em terras crioulas para encontrar-se com representantes deste sector da sociedade venezuelana. pag. 4

Filho de madeirenses treina o Carabobo Jhonny Ferreira é um treinador de futebol que dirige actualmente o Carabobo Futebol Club. nasceu em Caracas a 5 de Dezembro de 1977. os pais são portugueses, da ilha da Madeira: o pai é de são gonçalo e a mãe é do Caniço.

pag. 37


2 Editorial

Setembro 2014 | Correio da Venezuela

retrospectiva As autoridades venezuelanas detiveram cinco indivíduos suspeitos de extorquir dinheiro a empresários, principalmente portugueses, em Caucagua, no Estado Miranda. Os detidos formavam uma quadrilha conhecida por ‘Los Sindicalistas’ que se dedicava a exercer pressão através de ameaças de morte a construtores civis e comerciantes de diferentes localidades. Esperamos que as autoridades continuem empenhadas nestas acções, pois certamente contribuem e contribuirão para o bem-estar de todos quantos vivem em Venezuela.

dois

1

O BES Sucursal Venezuela aumentou o capital social para 410 milhões de bolívares fortes (48,93 milhões de euros), segundo informação divulgada, na terça-feira, 12 de Agosto, pela instituição bancária em Caracas. De acordo com a mesma informação, “o BES Sucursal Venezuela procedeu, desde o passado 1 de Agosto de 2014, a um reforço do seu capital social, em linha com as sugestões da Superintendência das Instituições do Sector Bancário (venezuelana Sudeban)”. A Comissão Executiva da Casa Mãe, em Portugal, decidiu por unanimidade, aumentar o capital atribuído à sua sucursal venezuelana, em 240 milhões de bolívares (28,64 milhões de euros), tendo-se transferido em efectivo os fundos necessários. Com o referido aumento de capital, o BES Sucursal Venezuela aumenta substancialmente os índices de solvência patrimonial que, antes dessa decisão, já representavam os maiores do Sistema Financeiro Venezuelano, reforçando a solidez nos seus negócios domésticos e que lhe permitem, em consequência, manter uma evolução sólida e positiva para as suas actividades futuras no país.

três

Em tempo de férias é comum dizer-se que “não está cá ninguém”, “anda tudo em viagem”… “agora só quando regressarem”. Pois é, os tempos também não têm permitido que muitos fossem de férias, pelo que há conterrâneos nossos e familiares que continuam a frequentar os

clubes e centros sociais. É com satisfação que verificamos que muitas direcções estão a se esforçar por manter actividades para juntar os associados, de forma que as férias sejam também agradáveis quando se fica em casa. Afinal os clubes têm essa missão intrínseca e, é por isso, também, que existem e que, com tal pretexto, foram criados. Precisamos ocupar os nossos jovens dentro das associações, que reconhecemos adequadas, depois da grande instituição familiar e escolar.

fotoflash

Desde o início dos convénios de cooperação Portugal-Venezuela que o Grupo Lena tem se destacado, não só pela visibilidade da obra em que está envolvido, mas sobretudo pela qualidade do trabalho que tem desenvolvido em Lomas de Guadalupe (Ocumare) e Ciudad Zamora (Cúa). São urbanizações construídas pelo grupo português, com know-how dos seus engenheiros e técnicos, e com alguma mão-de-obra temporária vinda de Portugal. Tudo no quadro da Grande Missão Vivenda. O progresso do projecto é satisfatório para a empresa. Assim considera o seu director-geral executivo, engenheiro Carlos Cardoso Marques. O governo de Venezuela quer acelerar a obra para entrega de alguns apartamentos aos desalojados do edifício da Torre de David, em Caracas. Está tudo a correr bem e os novos moradores já tomaram o seu lugar.

Tem sido relevante a intenção da actual direcção do Centro Português de Caracas em informar os seus associados acerca do andamento das obras da nova propriedade do clube, onde um deslizamento de terras, em Novembro de 2012, atrasou o projecto. Face aos contratempos a equipa de trabalho não desmobilizou, nem sequer voltou atrás. Soube esperar e encontrar uma solução que resolvesse os problemas e que seja,

assim esperam, de consenso. “Não queríamos apresentar-vos apenas o problema, mas também uma solução”, disse Juan dos Santos na primeira de algumas reuniões em que pretendeu esclarecer os sócios do Centro Português sobre o caminho que está a ser seguido.

cinco

O ministro de Transporte Aquático e Aéreo, Luis Graterol, anunciou que o Governo de Venezuela tem realizado reuniões de trabalho com representantes da TAP Portugal para discutir e encontrar uma solução para a transferência de verbas que estão retidas no País, devidas pelas receitas de vendas de passagens aéreas para voos da companhia portuguesa. Nos encontros terão sido debatidas outras questões relacionadas com a actividade aérea, nomeadamente rotas e itinerários e os preços de venda das viagens. Esperamos que estas reuniões sejam produtivas e que solucionem a dívida para com a companhia de bandeira lusitana, que actualmente é uma das mais importantes para a Venezuela, não só pelo movimento de passageiros que proporciona, mas também porque não se tem recusado a aumentar o número de voos que realiza entre os dois países. Isso tem sido visível nos últimos meses e no período forte de férias em que a TAP disponibiliza voos diários entre os aeroportos portugueses de Lisboa, Porto e Madeira para e de Caracas.

Fervor venezuelano Na tarde do primeiro dia do corrente mês teve lugar o cerimonial da ‘Bajada’ da Virgem do Vale para as celebrações dos 103 anos da sua coroação canónica. Repiques de sinos e fogos de artifício anunciaram o início das festividades da Senhora do Oriente Venezuelano e deram lugar às peregrinações que também começaram cedo, pela manhã, nos arredores da Basílica Menor de Nossa Senhora do Vale, no Município García, Estado de Nova Esparta. Sem dívida que se trata de umas das imagens mais veneradas e das celebrações mais importantes das terras crioulas, que em cada ano juntam um número impressionante de pessoas. Esta cerimónia marca o início de uma série de actividades que levaram até à localidade cerca de 40.000 devotos que ali manifestam a sua fé. Uma forma também de alavancar o turismo religioso, já que os visitantes necessitam de apoio e lugares para permanecer e descansar.

Grupo Editorial

www.correiodevenezuela.com Rif.: J-40058840-5

Director Aleixo Vieira Subdirector Agostinho Silva Gerente: Carla Vieira Editor Sergio Ferreira Soares Endereço: Av. Veracruz. Edif. La Hacienda. Piso 5, ofic. 35F. Las Mercedes, Caracas. Telefones: (0212) 9932026 / 9571 Telefax: (0212) 9916448 E-mail: editorial@correiodevenezuela.com

Chefe de redacção Sergio Ferreira Soares |Jornalistas Carla Salcedo Leal, Victoria Urdaneta, Fernando Cámara, Kenner Prieto, Antonio Da Silva |Correspondentes Edgar Barreto (Falcón), Carlos Balaguera (Carabobo), Sandra De Andrade (Aragua), Sandra Rodríguez (La Victoria), Trinidad Macedo (Lara), Silvia K. Gonçalves (Bolívar), Ricardo Santos (Nueva Esparta), Luis Canha (Mérida), Daniela García (Miranda), Antonio Dos Santos (Zulia) |Colaborações Catanho Fernandes, Arelys Gonçalves, Antonio López Villegas, Isabel Idárraga, |Administração Ma.Fernanda Pulido |Publicidade e Marketing Carla Vieira |Paginação Elsa de Sá |Recepção María Albertina De Faría |Fotografia Francisco Garrett |Distribuição Luis Alvarado, Carlos Agostinho Perregil R. |Impressão Cadena Capriles, Operadora La Urbina C.A. Caracas -Venezuela |Tiragem 15.000 exemplares |Fontes de Informação Agência Lusa, Diário de Notícias, Diário de Notícias da Madeira, Ilhapress, Portuguese News Network e intercâmbio com publicações em língua portuguesa.


Correio da Venezuela | Setembro 2014

Venezuela 3

DiplomaCia

Consulado em Caracas tem novo cônsul-geral

assuntos consulares em dia

Sergio Ferreira Soares / LUSA

ficha técnica

O diplomata coordenará a jurisdição que compreende metade do território Este da Venezuela O Consulado Geral de Portugal em Caracas passou a ser gerido, desde 27 de Agosto, por um novo cônsul-geral, Luiz de Albuquerque Veloso. O novo diplomata chegou a Caracas quarta-feira à tarde, 27 de Agosto, e substituiu no cargo Paulo Martins dos Santos, nomeado conselheiro da Embaixada de Portugal em Moscovo. Luiz de Albuquerque Veloso, de 50 anos, licenciou-se em Direito pela Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa. Anteriormente integrou a missão permanente junto da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) e da União Latina. Desempenhou ainda funções diplomáticas nas representações de Portugal em Budapeste, na Santa Sé e junto a Ordem Soberana e Militar de Malta, tendo, no Ministério dos Negócios Estrangeiros, em Lisboa, dirigido os serviços da Administração Consular, na Direcção-Geral dos Assuntos Consulares e Comunidades Portuguesas e da Administração e Protecção Consulares, bem como os serviços do Cerimonial e Deslocações, no Protocolo de Estado. O novo cônsul-geral assumirá funções de coordenação que abrangem os consulados honorários em Los Teques (Miranda), Barcelona (Anzoátegui), Ciudad Guayana (Bolívar) e ilha de Margarita (Nueva Esparta), além de deter a competência consular para os estados de Sucre, Vargas, Guárico, Monagas, Delta Amacuro, Amazonas e Distrito Capital. O cônsul também se encarregará das ilhas do Caribe.

Nome completo: luiz manuel de magalhães de albuquerque Veloso Data de Nascimento: 28 /06/1964 lugar: São Sebastião da pedreira Formação: licenciado em Direito pela Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica portuguesa em lisboa; advogado. início de carreira: admitido em 1989. adido de Embaixada em 1990. Condecorações: ordem Cruzeiro do Sul do Brasil; ordem isabel a Católica de Espanha; ordem ouissam alauíta de marrocos; ordem de mérito da polónia.

Recordando o consulado de Paulo Martins Paulo Jorge Adão Martins dos Santos foi nomeado cônsul-geral de Portugal em Caracas a 6 de Setembro de 2011, 4 meses depois que Isabel Brilhante Pedrosa concluir a sua comissão de serviço. O diplomata, nascido a 2 de Novembro de 1973, em Lisboa, licenciado em Relações Internacionais pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa, chegou a Caracas após exercer diferentes cargos em Windhoek (Namíbia), Sarajevo (Bósnia-herzegovina), Havana (Cuba), Cairo (Egipto), Porto Alegre (Brasil); além de desempenhar funções como Chefe de Divisão das Relações Bilaterais com os Países do Magrebe/Marraquexe e Diálogos do Mediterrâneo. Menos de uma semana depois da chegada a Caracas, Paulo Martins dos Santos se mostraba optimista face ao desafio de assumir as rédeas do Consulado Geral de Portugal em Caracas. O seu principal desafio foi dimensão da comunidade lusitana na Venezuela. “É muito grande e, consequentemente, o seu consulado é complexo. Por esta razão, dei prioridade aos meus funcionários, tirei um tempo para conhecê-los, resolver alguns dos seus problemas e organizá-los, criando um espírito de equipa para melhorar o nosso atendimento e serviço”, declarou na altura. O segundo passo foi conhecer a comunidade. As primeiras semanas da gestão de Martins foram dedicadas a partilhar com as diferentes instituições e organizações que fazem vida na zona, para estabelecer relações que permitirão trabalho em conjunto. Os cônsules honorários e os conselheiros das comunidades também estiveram com Martins Uma das primeiras metas traçadas por Martins ao exercer funções diplomáticas na Venezuela foi a de percorrer o território em toda a sua extensão, para além de contactar

com outras regiões fora do país subordinadas ao seu despacho. O diplomata não se equivocou. Três anos depois, Paulo Martins foi o único Cônsul-geral a visitar, em diversas ocasiões, todas as cidades da sua jurisdição consular. O CORREIO cobriu as deslocações do diplomata desde o início, tendo o primeiro périplo sido efectuado entre 19 e 22 de Janeiro de 2012, à região oriental da Venezuela. A partir desse momento, começou a viajar acompanhado pelo conselheiros das Comunidades Portuguesas, António de Freitas: Caicara del Orinoco, Puerto Ordaz, Ciudad Bolívar (Bolívar); Puerto Ayacucho (Amazonas); Tucupita (Delta Amacuro); Higuerote, Guatire, Valles del Tuy, Los Teques (Miranda); Barcelona, Puerto La Cruz, Clarines (Anzoátegui); Santiago Mariño, La Asunción (Nueva Esparta), El Junquito, Tibrón, Catia La Mar (Vargas); Carupano e Cumana (Sucre); San Juan de Los Morros (Guárico); Maturín (Monagas). Destaque-se a visita à povoação de Santa Elena de Uairén, na fronteira con Brasil. A população de Guatire passou a fazer parte da história consular portuguesa no passado dia 20 de Fevereiro de 2013, ao tornar-se no primeiro local do mundo a usar, offline. o sistema ‘Passaporte Electrónico Português (PEP)’, numa jornada consular promovida a partir do Consulado Geral de Caracas. José Luís Gonçalves, oriundo do Funchal, foi o primeiro português a renovar o passaporte neste tipo de programas, criados com a finalidade de facilitar que os cidadãos portugueses tenham acesso à sua documentação. Destaque-se ainda as visitas realizadas a diferentes centros penitenciários para verificar a situação dos cidadãos portugueses privados de liberdade e a incorporação do pagamento com cartão multibanco na sede consular. Durante o seu período de funções, o Consulado Geral em Caracas bateu o recorde de 57.000 actos consulares realizados (2013), mais 11,6 por cento que no ano anterior. Mais, 2013 foi sinónimo de 22 jornadas em 10 cidades diferentes, dispersas por sete Estados. No que diz respeito ao portal do consulado na Internet, a meta foi mantê-lo actualizado constantemente, e esta parte foi melhorada, pois era necessário manter a comunidade informada de todas as inovações. Para conseguir tal fim, o esforço também se concentrou em ‘atacar’ os meios de comunicação, mantendo boas relações com os jornalistas.

Os Consulados Gerais de Portugal na Venezuela disponibilizam uma lista, por ordem alfabética, de tradutores e intérpretes públicos, cujos contactos podem ser solicitados através dos e-mails mail@caracas.dgaccp.pt (Caracas) e mail@valencia.dgaccp.pt (Valência), mas tal não constitui ou representa qualquer recomendação por parte destes postos consulares.

Consulado Geral em Caracas - Alcina da Conceição Almeida de Garcia - Alcino Gameiro Louro - Ana Maria da Costa Corales - António José Guerreiro Gordinho - Felipe Pereira da Costa - Fernanda L. Almeida De La Roca - Francisco Joaquim de Sousa - Frederico Manuel F. Henriques - Inácio Afonso de Gouveia Pereira - Irene Figueiredo Almeida - Jaime Reis de Abreu - Jerónimo Soto Mast - João Carlos Nascimento Abreu - José Manuel Pereira de Almeida - Maria Amélia da Silva Pita - Maria Fernanda Barreto Portela - Maria Helena Pereira Dias Alves - Mário Gonçalves Bento - Sónia Margarita Fernandez de Abreu - William Batista de Sousa

Consulado Geral em Valência - Heliodoro Jaime Gomes - Alcindo Gameiro Louro - Ana Maria da Costa Corales - Antonio Guerreiro Gordinho - Frederico M. de Freitas Henriques - Francisco Joaquim de Sousa - Irene Figueiredo de Almeida - João Carlos Nascimento de Abreu - João Manuel Freitas Henriques - Maria Fernanda Barreto Portela - Maria Helena Pereira - Dr. Mário Gonçalves Bento

Falcón recebe jornada consular O Cônsul-Geral de Portugal em Valência, João Brito Câmara, levará a cabo uma nova permanência consular na cidade de Punto Fijo, Estado de Falcón, com a finalidade de emitir passaportes e procurar dar resposta a qualquer questão relacionada com actos consulares. As sessões decorrerão a 19 e 20 de Setembro, entre as 10 da manhã e as 5:30 da tarde no Centro Português de Punto Fijo.


4 Venezuela

Setembro 2014 | Correio da Venezuela

DipLomaCia

José Cesário visita Venezuela

FoTograFiaS Com hiSTória

Sergio Ferreira Soares sferreira@correiodevenezuela.com

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas reúne-se com representantes da comunidade. O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Cesário, volta a demonstrar a relevância da comunidade portuguesa radicada na Venezuela para o Governo lusitano: Esta terça-feira, 9, o governante chegou a terras crioulas com a finalidade de manter uma série de encontros com diversos representantes deste sector da sociedade venezuelana. As reuniões estavam marcadas para decorrer ao longo de quartafeira, 10, na sede do Consulado Geral de Portugal, em Caracas, na residência da Embaixada e no Centro Português. O cronograma da visita indicava um encontro com o pro-

fessor Rainer de Sousa às 9:30 da manhã, e, meia hora depois, com os membros do Conselho das Comunidades Portuguesas, formado pelos conselheiros Maria de Lourdes Almeida, Estela Lúcio Pereira, Luís dos Santos Jorge, António de Freitas e Manuel Martins Pereira. Para a 1 da tarde, estava agendada uma deslocação à residência oficial do embaixador de Portugal na Venezuela, para um encontro com o vice-ministro de Relações Externas da Venezuela para a Europa, Calix-

to Ortega. Cerca das 6:30 da tarde, estava prevista a chegada do secretário de Estado ao Centro Português, situado na zona Este de Caracas, onde se reuniria com a direcção do referido centro social, encabeçado por Juan Javier dos Santos; com os representantes do Instituto Português de Cultura, assim como também com representantes de diversas associações. Cesário regressa a Lisboa durante a tarde de quinta, 11 de Setembro.

SerViçoS ConSuLareS

1.200 famílias da Torre de David transferidas para casas da Lena Fernando Cámara fcamara@correiodevenezuela.com

Novas urbanizações habitacionais estão localizadas em Cúa e Ocumare Há três semanas foi iniciada a transladação das 1.200 famílias que se encontram na Torre de David para Lomas de Guadalupe (Ocumare) e Ciudad Zamora (Cúa). Ambas urbanizações foram construídas pelo Grupo empresarial transnacional português Lena, no quadro da Grande Missão Vivenda. O progresso do projecto é satisfatório para a empresa. Assim considera o seu director-geral executivo, engenheiro Carlos Cardoso Marques. “As obras estão avançando a um ritmo muito bom. Estamos

fazendo um esforço adicional para cumprir os objectivos estabelecidos pelo Ministério do Habitat e Vivenda. Em tempos recentes, pediram-nos para antecipar um conjunto de entregas de apartamentos próximo de um mês ou mês e meio porque desejam atribuir essas vivendas entretanto. Alguns apartamentos já foram entregues”, disse o responsável, acrescentando que !quase toda as pessoas que vão viver neles provém da Torre de David e estão sendo trasladadas neste momento”. Segundo Carlos Cardoso Mar-

“O projecto que temos em marcha representa apenas 25%, isto é, 12.500 apartamentos e faltam 37.500”

ques, “algumas pessoas já estão a viver nas casas. São quase 1200 apartamentos, que estão divididos em dois conjuntos residenciais, 600 cada um, em Cúa e Ocumare del Tuy. Isto é muito importante desde o ponto de vista social e político”, observou. Os imóveis dispõem das condições requeridas para que os seus ocupantes disponham dum nível de vida digno e satisfatório. “Essas residências têm todas as comodidades necessárias para viver dignamente. São edifícios de cinco pisos, cada um com quatro apartamentos para um total de vinte. 50% de duas habitações e outros 50% com três. Além disso, possuem uma particularidade que não é comum em residências sociais, que e a inclusão das cozinhas. Somado a isso, terão escolas, os ‘simoncitos’, centros de saúde, parques infantis, segurança, ruas, sinalizações, entre outras cosas”, disse Cardoso.

Vista de Coimbra O fotógrafo Carlos Relvas nasceu na Golegã, a 13 de Novembro de 1838, e faleceu a 23 de Janeiro de 1894. Fernando Cámara Fcamara@correiodevenezuela.com

A imagem desta semana dá pelo nome de ‘Vista de Coimbra’, cidade localizada no Centro de Portugal e na sub-região do Baixo Mondego. Encontra-se a 150 quilómetros do Porto e a 200 de Lisboa. O retrato pertence ao fotógrafo Carlos Relvas e estima-se que tenha sido tirado em 1880. Relvas nasceu na Golegã, a 13 de Novembro de 1838, e faleceu a 23 de Janeiro de 1894. Para além de se dedicar à fotografia, foi toureiro, atirador de pistola e carabina, esgrimista de florete, pau e sabre, entre outras coisas. Casou-se com Margarida Amália Mendes de Azevedo e Vasconcelos, com quem teve quatro filhos. Apenas um deles fez parte da vida pública: José Relvas, político republicano. Alguns dos seus trabalhos foram publicados de forma póstuma na revista Boletim Fotográfico (1900 – 1914), dirigida por Arnaldo Fonseca. Também foi membro da Sociedade Francesa de Fotografia. A sua trajectória permitiu-lhe obter vários prémios no seu país e no estrangeiro: Medalha do Progresso (Viena de Áustria, 1873), Medalha de

Prata (Madrid, 1873), Medalha de Prata (Sociedade Fotográfica de Viena de Áustria 1875), Medalha em Filadélfia (1876), Primeiro Prémio (Cruz de Bronze Dourado – exposição de Amesterdão, 1876), Medalha de Ouro (Exposição do Palácio de Cristal do Porto, 1877) e Medalha de Ouro na Exposição da União Central das Artes Decorativas, no Palácio da Indústria de Paris. Entre as suas imagens mais relevantes encontram-se: Edifícios na zona de Évora (1880), igreja de Nossa Senhora da Conceição, na Golegã; igreja dos Templários, Tomar (1868 – 1871); Janela da Sala Capítulo do Convento de Cristo em Tomar (1868 – 1871), Castelo dos Mouros em Sintra (1880), Palácio da Pena de Sintra (1870 – 1875), Palácio de Monserrate em Sintra (1870 – 1875), entrada e escadaria do Palácio de Sintra (1870 – 1875), Mosteiro dos Jerónimos em Lisboa (1868 – 1870), Claustro do Mosteiro dos Jerónimos (1868 – 1870), Mosteiro de Santa Cruz em Coimbra (1880), Caminho e Palácio de Sub Ripas de Coimbra (1880), Órgão da igreja do Mosteiro de Santa Maria de Lorvão (1880), Mosteiro de Leça de Bailio (1880), entre muitas outras.


Setembro 2014 | Correio da Venezuela

Segurança púbLiCa

uma “vacuna” (espécie de tributo ilegal) para não sequestrar familiares das pessoas em questão. A detenção foi feita por funcionários do comando militar local da Zona de Defesa Integral (Zodi), do Estado de Miranda, organismo

criado em 2012 pelo Governo da Venezuela, ao abrigo da delimitação do território venezuelano em Regiões Estratégicas de Defesa Integral (Redi). Situada a 70 quilómetros a leste de Caracas, Caucágua faz parte do Estado venezuelano de Miranda e, conjuntamente com San José de Rio Chico e Higuerote, é uma das três localidades onde os portugueses mais se manifestam preocupados com a insegurança, e principalmente com os sequestros. O último rapto de um comerciante português, naquela localidade, ocorreu no início do mês de Agosto e envolveu o proprietário de uma loja de bebidas alcoólicas, localizada na estrada que liga as localidades de Caucágua e Higuerote. O comerciante foi interceptado por vários homens armados quando abria a loja e esteve três dias em cativeiro. Um dia depois, dois sargentos da Guarda Nacional Bolivariana (polícia militar) faleceram durante uma troca de tiros com funcionários do Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalísticas (Cicpc, antiga Polícia Técnica Judiciária), quando pretendiam cobrar o resgate.

No momento da detenção a portuguesa tinha uma faixa no abdómen e nas pernas com 20 barras que pesavam, na totalidade 4,16 quilogramas e cujo produto foi identificado como sendo cocaína. A detenção da mulher, que várias fontes dizem ser natural do Porto, teve lugar quando pretendia embarcar no voo da TAP com

destino a Lisboa. Segundo o general Richard López Vargas, comandante da GNB, o novo “modus operandi” dos narcotraficantes consiste em recrutar estrangeiros para o tráfico ilícito de substâncias estupefacientes. A legislação venezuelana prevê até 25 anos de prisão para os delitos de tráfico de droga.

Detidos cinco suspeitos de extorsão a empresários CORREIO/LUSA Editorial@correiodevenezuela.com

Os suspeitos fazem parte de um grupo conhecido como “Los Sindicalistas” As autoridades venezuelanas detiveram cinco indivíduos suspeitos de extorquirem dinheiro a empresários em Caucágua, localidade onde os comerciantes portugueses se queixam frequentemente da criminalidade e de sequestros. Segundo fontes militares, os cinco detidos fazem parte de um grupo conhecido como “Los Sindicalistas” e dedica-se a exercer coa-

ção, com ameaças de morte, sobre empresários da construção civil e comerciantes de várias povoações daquela localidade. De acordo com as mesmas fontes, os suspeitos exigiam alegadamente o pagamento mensal de

Segurança

Lusa detida por tráfico de droga CORREIO/LUSA Editorial@correiodevenezuela.com

Pretendia embarcar de Caracas para Lisboa com cocaína no corpo As autoridades venezuelanas detiveram uma mulher de nacionalidade portuguesa quando se preparava para viajar de Caracas para Lisboa com mais de quatro

quilogramas de cocaína, revelaram à agência Lusa fontes do aeroporto da capital venezuelana. Segundo as mesmas fontes, a portuguesa, identificada como sendo Carla Sofia Pereira Batista, de 37 anos, foi detida na tarde de terça-feira, 26 de Agosto, por funcionários da Unidade Especial Antidrogas, da Guarda Nacional Bolivariana (GNB, polícia militar) no Aeroporto Internacional Simón Bolívar de Maiquetía, a norte de Caracas.

Venezuela 5 soltas O Centro Nacional de Comércio Exterior (Cencoex) publicou uma lista com 30 novas empresas que não marcaram presença na convocatória para verificar o uso correcto de divisas. Segundo o comunicado, publicado no passado dia 7, a entidade convocou 75 empresas que deveriam comparecer na sede entre 1 e 5 de Setembro mas 30 não apareceram. Como sanção, estas companhias verão revogado o Registo de Usuários do Sistema de Administração de Divisas (Rusad) e não lhes será permitida a participação no Sistema Complementar de Aquisição de Divisas (Sicad II).

Haiman El Troudi, ministro de Transporte Terrestre e Obras Públicas, informou que foi demolida, num segundo, a ponte de Santa Cecilia, no passado dia 7 de Setembro. Foi empregue, na demolição da ponte, material de emulsão fabricado com tecnologia 100% venezuelanos por pessoas da Cavim. A carga foi accionada por detonadores LP com 200 conectores de retardamento e fio detonante, o que representa 650 cargas para um total de 44 quilos de explosivos. “Vamos fazer da Francisco Fajardo uma auto-estrada de quatro faixas por sentido”. O Presidente da República, Nicolás Maduro, confirmou, no passado dia 6, vários funcionário do Governo nacional nos seus lugares para a área alimentar. Iván José Bello assumirá a presidência da Corporação de Abastecimento e Serviços Agrícolas (CASA, S.A) e o Tenente Coronel Tito Gómez a presidência da Mercal. Publicidade


6 Venezuela

Setembro 2014 | Correio da Venezuela

BanCa

BES Venezuela realizou aumento de capital social

CORREIO/LUSA

Aumento para 43,93 ME foi realizado em linha com as sugestões da Sudeban O BES Sucursal Venezuela aumentou o capital social para 410

milhões de bolívares fortes (48,93 milhões de euros), segundo informação divulgada, na terça-feira, 12 de Agosto, pela instituição bancária em Caracas. De acordo com a mesma informação, “o BES Sucursal Venezuela procedeu, desde o passado 1 de Agosto de 2014, a um reforço do seu capital social, em linha com as sugestões da Superintendência

das Instituições do Sector Bancário (venezuelana Sudeban)”. A informação, a que a Agência Lusa teve acesso, refere que “nesse sentido, a Comissão Executiva da Casa Mãe, em Portugal, decidiu, por unanimidade, aumentar o capital atribuído à sua sucursal venezuelana, em 240 milhões de bolívares (28,64 milhões de euros), para 410 milhões de bolívares

(48,93 milhões de euros), tendo-se transferido em efectivo os fundos necessários”. “Com o referido aumento de capital, o BES Sucursal Venezuela aumenta substancialmente os índices de solvência patrimonial que, antes dessa decisão, já representavam os maiores do Sistema Financeiro Venezuelano, reforçando a solidez nos seus negócios domésticos e que lhe permitem, em consequência, manter uma evolução sólida e positiva para as suas actividades futuras no país”, afirma. A informação divulgada dá conta que o Banco de Portugal decidiu aplicar uma “medida de resolução” à Casa Mãe, o Banco Espírito Santo SA, com o “propósito de separar os activos problemáticos do resto dos activos e passivos”, integrando-os no “Novo Banco SA”. Trata-se, afirma de um banco “mais forte e mais seguro, adequadamente capitalizado, que garante a completa continuidade da actividade da instituição, sem impactos negativos nos clientes, colaboradores e fornecedores, incluindo a relacionada com a Sucursal de Venezuela”. “O BES Sucursal Venezuela tem mantido contacto permanente com a Sudeban, entidade que confirmou a sã administração e evolução das suas actividades na Venezuela”, conclui. Com uma única sucursal em Caracas, o BES Sucursal Venezuela foi criado em Fevereiro de 2012, como banco universal, e conta com 4.000 clientes.

aViação

TaP negoceia repatriação de capitais CORREIO/LUSA

Estado venezuelano deverá às companhias aéreas internacionais cerca de 3,05 mi milhões de euros As autoridades venezuelanas confirmaram que estão em curso reuniões de trabalho com representantes da TAP-Air Portugal para tratar de aspectos relacionados com a repatriação de capitais em dívida à companhia aérea portuguesa. “Continuamos com as reuniões de trabalho com representantes da TAP. Estamos comprometidos com o transporte aéreo”, anunciou, quinta-feira, 7 de Agosto, através

do Twitter, o ministro do Transporte Aquático e Aéreo venezuelano, Luís Graterol. Segundo fontes do sector, na última reunião, além de dois representantes da empresa portuguesa, participaram também o ministro da Economia, Finanças e Banca Pú-

blica venezuelano, Rodolfo Marco Torres. Além da repatriação de capitais, foram ainda abordados aspectos relacionados com as operações da TAP na Venezuela, rotas, itinerários e preço de venda dos bilhetes aéreos.

A agência Lusa tentou, sem sucesso, contar com representantes da TAP em Caracas, para obter mais pormenores sobre as negociações. Desde 2003 que vigora na Venezuela um apertado sistema de controlo cambial que impede a livre obtenção de moeda estrangeira no país e obriga as companhias aéreas a terem autorização para poderem repatriar os capitais gerados pelas suas operações. Segundo a IATA, a Venezuela “deve actualmente 4,1 mil milhões de dólares (3,05 mil milhões de euros) às companhias aéreas internacionais”, relativos à repatriação dos capitais e lucros correspondentes às vendas de bilhetes de avião desde 2012, a qual tem sido dificultada pelas leis cambiais vigentes. Nessa situação está também a portuguesa TAP e outras 13 transportadoras internacionais.

soltas O Governo venezuelano investirá 300 milhões de bolívares na execução do projecto para desenvolver o turismo na ilha La Tortuga, situada a sul do Mar do Caribe, a 85 quilómetros do Estado de Miranda, e a 140 quilómetros de Margarita. O plano já começou a ser executado e contempla um produto de alta qualidade baseado em normas ambientais, sociais e económicas, refere o Ministério do Turismo. O programa começou com a limpeza e da ilha e a instalação de bóias. Nesta primeira fase, foram instalados 50 módulos de toldos, tratamento de águas, sistema de hidropneumáticos, zona para desperdícios sólidos, trabalhos de paisagismo e passeios.

A Superintendência de Preços Justos (Sundde), encabeçada por Andrés Eloy Méndez, ajustou os preços dos desodorizantes, lâminas e toalhas sanitárias, através da providência administrativa Nº 043/2014. O preço estabelecido pela Sundde é o valor máximo a que se pode vender o produto, e o procedimento contrario poderá ocasionar multas elevadas aos estabelecimentos que não cumpram com estes custos. No caso das toalhas sanitárias, o seu preço vai de Bs. 17,59 (apresentação de oito toalhas), a Bs. 112,57 (apresentação de 100 toalhas). O desodorizante vai de Bs. 12,56 (apresentação de 40grs) a Bs. 82,72 (apresentação de 250ml). Uma sondagem realizada recentemente pela Hinterlaces sobre as acções do Governo nacional para combater o contrabando indicou que 63% dos entrevistados respondeu estar de acordo com as medidas e 33% em desacordo. Foram interrogadas, para este estudo, 1200 pessoas. Desse número, 45% expressou estar a favor das declarações de Nicolás Maduro, que assegurou que o contrabando de alimentos da Colômbia é a principal causa da escassez no país, enquanto 47% expressou que tal afirmação era falsa.


Correio da Venezuela | Setembro 2014

Venezuela 7

IDIomA

Abertas inscrições na ALDI Victoria Urdaneta sferreira@correiodevenezuela.com

A instituição situada em Barquisimeto, Estado de Lara, dá início às actividades dentro de duas semanas. As aulas de português contam com cada vez mais alunos e é por isso que o CORREIO mantém em dia a informação sobre as inscrições, os requisitos e os desafios de aprender um novo idioma. Nesta ocasião, entrevistamos Karina de Oliveira, directora e professora da Academia Lusa de Idiomas (ALDI), que explicou que “agora estamos de férias na ALDI até o dia 15 de Setembro, que vai ser o nosso reinício de actividade. A partir desse dia, as pessoas interessadas podem passar pela nossa instituição para receber a informação”. Para saber mais detalhes, pode

IDIomA

A partir do dia 15 de Setembro, as pessoas interessadas podem passar pela instituição para receber a informação. FOTO: ALDI

dirigir-se à seguinte morada: Carrera 16 entre as ruas 32 e 33. Local 3235. Barquisimeto, Estado de Lara; e o horário de atendimento é das 2:30 às 6:30 pm. Oliveira aproveitou a oportunidade para falar de uma oferta de trabalho para aqueles que desejem dar aulas.

Coordenadas Para entrar em contacto directo com a instituição, pode ligar para o número (0251) 416.99.69. Para além disso, podem ainda visitar o Intagram/Twitter: aldi_idiomas e o Facebook: Aldi Idiomas.

IDIomA

Aulas de português na Casa do Estado de Aragua

Sergio Ferreira Soares

O idioma Português continua a ter espaço na Casa Portuguesa do Estado de Aragua, na cidade de Maracay, o que fica corroborado

com a abertura de inscrições para um novo período académico para o ensino da língua de Camões. A junta directiva e o comité de Cultura estenderam um convite a toda a comunidade para que continue

a aprender esta importante ferramenta. A inscrição custa 250 bolívares para sócios e 700 bolívares para os não associados, enquanto as mensalidades ficam em 350 e 800 bolívares, respectivamente.

Novos Cursos de Português no CP Sergio Ferreira Soares sferreira@correiodevenezuela.com

Até 27 de Setembro, sócios e convidados poderão formalizar a sua participação nas aulas do ano lectivo 2014/2015. A direcção de Cultura do Centro Português (CP), situado na urbanização Macaracuay de Caracas, continua a impulsionar a língua de Camões através do seu curso anual de Língua Portuguesa, que inicia em breve o ano lectivo 2014/2015. Nesse sentido, o director de Cultura, Alberto Viveiros, anunciou que o período de inscrições decorre entre 22 e 27 de Setembro, das 9:00am à 1:00pm e das 2:00pm às 6:00pm. Os interessados em obter mais

informação deverão dirigir-se à direcção de Cultura ou à Administração. As aulas de Português no CP destinam-se a crianças, jovens e adultos. Ao concluir o segundo ano, os adultos estão aptos para o exame do CIPLE (Certificado de Iniciação em Língua Portuguesa) e mais à frente para o DEPLE (Certificado Elementar), ficando com um código interno na Universidade de Lisboa. As aulas são às segundas e quartas ou terças e quintas, das 7:30pm às 9:00pm; para além disso, aos sábados, há cursos segundo o horário estabelecido. A direcção de Cultura recorda que as aulas de Português para sócios dos 7 aos 12 anos de idade são gratuitas, devendo ser pago apenas o valor da inscrição. O CP dispõe também da escola de ‘Português a Brincar’, que ensina o idioma luso a crianças dos 2 aos 7 anos de idade, entre terças e quintas, das 6:00 às 7:00pm, no salão n.º 2 do segundo piso.


8 Venezuela

Setembro de 2014 | Correio da Venezuela

ClubeS

Sócios do CP discutem problemática do terreno Fernando Cámara fcamara@correiodevenezuela.com

Um deslizamento de terras fez com que as obras no clube se tivessem atrasado. Agora é preciso estabilizar as áreas intervencionadas A junta directiva do Centro Português, encabeçada por Juan dos Santos, realizou, na quinta-feira, 14 de Agosto, no Salão Nobre, um fórum informativo sobre as obras e avanços nas áreas de expansão do referido clube social. Os terrenos onde serão construídas as infraestruturas ficam nas proximidades de Cementerio del Este e a primeira estrutura a levantar será o campo de futebol. Em Novembro de 2012, um deslizamento de terras na nova propriedade atrasou os trabalhos. Esse foi o tema principal do encontro. “Por todos os contratempos, que nos roubaram muito tempo, não pudemos apresentar estes dados mais cedo. Não queríamos apresentar a informação a meio caminho. Não queríamos apresentarvos apenas o problema, mas também uma solução”, começou por dizer o presidente do clube, Juan dos Santos. O responsável citou o engenheiro Carlos Rodríguez, representante da empresa Rodríguez & Associados, Engenheiros Consultores, que disse, na altura, “dêem graças a Deus que isto aconteceu agora e não quando tivessem as bancadas e a relva, tudo se teria perdido, e o pior de tudo, perder uma vida humana”. O responsável clarificou ainda que não foram ultrapassados os limites dos vizinhos. Os trabalhos para reparação dos danos foram realizados. “Para travar o movimento de terras, fezse um contraforte de terra. Havia duas opções: Ou trazer terra de fora ou tirá-la do próprio terreno. Obviamente foi a segunda a ser escolhida, e adiantaram-se todos

A maior parte das melhorias foram realizadas na piscina olímpica de 50 metros. FOTO: CORTESIA CP

ClubeS

A zona de quebrada a oeste do terreno tem de ser estabilizada. FOTO: ARQUIVO

os movimentos de terra em cerca de 90%”, ou seja, os próximos movimentos serão de menor envergadura”, explicou Santos. O projecto possui várias fases: A primeira é o campo de futebol, as zonas viárias e as zonas próximas às áreas desportivas; a segunda, o campo de softball; a terceira o estacionamento e as zonas viárias circundantes e as duas últimas as estruturas de cimento armado. O plano proposto Foi consultado o departamento de solos da Universidade Central de Venezuela e concluíram que se devia levantar uma série de pilares. Mas este trabalho não pôde ser feito porque não existem, na Venezuela, as máquinas necessárias para o efeito, pois foram para outros países. O que será feito será umas paredes de 4500 metros para travar a terra e fazer com que haja estabilidade. Esta é uma solução provisória para o problema. O contraforte de terra, que será eliminado no futuro e que vai ser utilizado noutras zonas, não permite que o campo de futebol (a relva

artificial já está comprada) esteja a 100%, o campo de softball está a 90% e a parte urbanística está apenas a 5%. A ideia é que tudo o que seja construído daqui para a frente seja perdurável, ou seja, que não se tenha de destruir nem danificar algo que já esteja pronto. A zona de quebrada a oeste do terreno tem de ser estabilizada, pois a água pode continuar a provocar erosão e danificar estruturas civis e que já estejam prontas. Está também planeada a edificação de: Muros de terra armada para a colocação de relva artificial, as cercas no perímetro do campo de futebol e as drenagens primárias do projecto geral, contemplando ainda a construção de estruturas para os postes de luz, para não destruir o que está feito, e por último, a reflorestação dos locais intervencionados. Devido às férias escolares, muitas pessoas estão fora da cidade. S erão realizados, por isso, mais dois ou três fóruns informativos para que todos os sócios fiquem informados de todas estas situações, para que sejam depois submetidas a votação.

Em 2008, foi tomada a decisão, numa assembleia, de comprar um terreno de quase 10 hectares, do qual se tinha pouco conhecimento em relação à parte geológica.

Centro Português promove melhorias nas instalações Sergio Ferreira Soares sferreira@correiodevenezuela.com

As piscinas do centro social têm nova ‘cara’ desde o mês passado. Nas vésperas do 56.º aniversário do Centro Português, entre os meses de Junho e Agosto, decorreram diversas obras de remodelação nas piscinas, assim como no campo de futebol de salão. Os responsáveis do centro social explicam, em comunicado, que estas obras tiveram como objectivo “continuar a melhorar as instalações e estar na vanguarda”, proporcionando bem-estar aos seus associados e assegurando a máxima comodidade para os seus atletas. A maior parte das melhorias foram realizadas na piscina olímpica de 50 metros: Foi construído um pousa pés nos extremos para

comodidade dos sócios, evitando, para além disso, que aconteçam lesões nos ombros. No ‘T’ azul marinho da parede, criouse um mosaico anti-derrapante com um acabamento texturizado, que servirá para impulsionar na saída de costas. Também foram colocadas as estruturas onde serão enroscados os separadores ao longo da piscina e os mosaicos soltos e partidos foram substituídos. Também foi reparada a junta de dilatação e colocado um mosaico azul marinho à altura dos 25 mts e dos 15 mts no chão, como forma de sinalização em cada um dos corredores. Finalmente, mudaram-se todos os bocais de retorno e aspiração; foram mudadas todas as escadas e âncoras; o tanque foi revestido a pó de mármore; foram mudadas três grades com marcos incluídos; foi usada tinta hipóxica nos azulejos das margens; e os tacos foram reparados.


Correio da Venezuela | Setembro 2014

ClubeS

Centro Marítimo procura renovar-se

Os accionistas deste Centro desfrutaram do Grande Festival da Sopa. FOTO: CORTESIA CMV Sergio Ferreira Soares sferreira@correiodevenezuela.com

A associação lusa de Turumo, Estado de Miranda, promove novas actividades para a comunidade. A junta directiva do Centro Marítimo de Venezuela, situado no sector Turumo, Estado de Miranda, está a tentar regressar à vitalidade que cativou, outrora, tantos portugueses residentes na capital do

país. Por isso, o centro social informou, através da sua página no Facebook, que estão abertas inscrições para diversas actividades, e foi reactivada a venda de novas acções, tanto a portugueses como a locais. Assim, o grupo dirigido por Alfredo Amaral anunciou a abertura de inscrições para aulas de natação, karaté e ginásio, esperando,

Junta Directiva 2014-2015 Alfredo Amaral (presidente) Manuel Ferreira (vice-presidente) Maria Elena Padrón (Secretária)

muito em breve, poder ter também aulas de futsal em diferentes categorias. Informou ainda que todos os domingos, é celebrada uma missa, pelo padre Alexandre Mendonça, às 9:30 da manhã, e anunciou a reabertura do Salão Venezuela. Como parte desta nova dinâmica, o centro social acolheu as festividades de Nossa Senhora da Saúde, no passado 17 de Agosto. A jornada começou às 9 da manhã, com missa e procissão, para dar depois passagem a uma bonita festa com venda de comida e bebida, para além da actuação do grupo folclórico da casa e música ao vivo. Os accionistas deste Centro também desfrutaram do Grande Festival da Sopa, no Salão Luso, no domingo 31 de Agosto. Uma casa com história Há quase 42 anos, um grupo de portugueses sonhou em grande e uniu esforços para levar a cabo a criação de uma instituição na qual pudessem praticar o orgulho que sentiam pela sua terra natal. Foi assim que, com uma visão futurista e com bastante sacrifício, criaram a Associação Desportiva Luso Venezuelana, cuja sede foi estabelecida na urbanização de Turumo. O ‘Centro Luso de Caracas’, como o chamam carinhosamente muitos membros da comunidade lusitana, foi fundado a 18 de Abril de 1972 com propósito de criar uma sede para o Deportivo Português e para o Unión Ciclista Portugal. Fernando Costa Caldas (Tesoureiro) Augusta Manuela de Noronha Gamelas (Relações Públicas e Cultura) Danny Molina (Director de Desporto) Susana Tarasona (Directora Suplente).

Venezuela 9

A cidade de Punto Fijo rendeu tributo a quatro santos lusitanos. FOTO: CORTESIA

Religião

Paraguaná celebrou os santos lusos José Manuel De Oliveira

Comunidade lusa reuniu-se na igreja de Nossa Senhora de Fátima de Caja de Agua A cidade de Punto Fijo, no Estado de Falcón, rendeu tributo, pelo segundo ano consecutivo, a quatro santos lusitanos. Na sexta-feira, 15 de Agosto, dia da Assunção da Virgem Maria, a comunidade lusitana reuniu-se na igreja de Nossa Senhora de Fátima da comunidade de Caja de Agua, no município Carirubana da referida, para assistir a uma Missa Solene em honor de Nossa

Senhora do Monte (Funchal, Madeira), Nossa Senhora dos Anjos (São Miguel, Açores) e Nossa Senhora da Saúde (Continente). A eucaristia foi oficiada pelo padre Mateo Marzano, pároco que nesse dia se despedia do cargo que ocupou durante nove anos. Os fiéis presentes demonstraram a sua devoção e felicitaram os organizadores, que este ano foram a família Abreu Fernandes e os membros do Grupo Folclórico Nova Geração de Paraguana. Já no domingo, 17 de Agosto, na capela do Centro Português de Punto Fijo, o Grupo Folclórico Filhos dos Imigrantes patrocinou uma missa que foi seguida de uma procissão em honra de São Jorge.

ClubeS

Centro Social Madeirense homenageia santos lusos Sergio Ferreira Soares sferreira@correiodevenezuela.com

A associação continua a manter a tradição lusitana

Centenas de pessoas entoaram cânticos e acompanharam a procissão. FOTO: CORTESIA CSM

É já uma tradição que o Centro Social Madeirense de Valência, Estado Carabobo, renda tributo a vários santos como forma de agradecer os favores concedidos, e para

manter vivas as tradições da terra em que nasceram. Assim, o clube anunciou duas festas religiosas para o mês de Setembro. A primeira será em honra ao Bom Jesus da Ponta Delgada e Nossa Senhora do Loreto, marcada para o próximo dia 14, a partir das 12:00, no Salão Madeira. As festividades, que se destacam pela elaboração do tradicional tapete floral, contarão com missa, procissão e fogo de artifício, dando passagem à actuação de grupos folclóricos.

Uma semana mais tarde, o clube promove a festa em honra à Virgem de Coromoto, no dia 26, a partir das 7:00 da noite, também no Grande Salão Madeira. A jornada contará com cerimónias religiosas, grupos de danças, música ‘llanera’ ao vivo e comida crioula. No passado 15 de Agosto, a grande família do clube celebrou as festividades em honra à padroeira da Madeira, uma oportunidade que foi aproveitada para honrar a Mãe de Deus.


10 Venezuela

Setembro de 2014 | Correio da Venezuela

FeStiVidade

Caraquenhos celebram os 100 anos da Ribeira Brava Sergio Ferreira Soares sferreira@correiodevenezuela.com A Quinta da Camacha recebeu mais de mil emigrantes a convite do BCP.

O presidente da Câmara Municipal marcará presença no almoço. A comunidade luso-venezuelana junta uma nova festividade em honra a um dos municípios mais importantes da ilha da Madeira: Ribeira Brava. Trata-se de um almoço impulsionado por um grupo de cidadãos ribeira-bravenses que fazem vida na Venezuela, marcado para 2 de Novembro, no salão Windsor de Banquetes Gales, a partir da 1 da tarde. Esta festa, que tem como objectivo celebrar os 100 anos da criação do concelho, vai contar com a presença do presidente da câmara municipal da Ribeira Brava, Ricardo António Nascimento, e o vereador Rui Ramos Gouveia, que também é presidente do Clube Desportivo da Ribeira Brava. Os organizadores sublinharam esta presença, na procura de estabelecer contactos e apoios para o seu clube. Entre o grupo de cidadãos que

MadeiRa

Millennium BCP juntou mais de mil emigrantes Agostinho Silva DN MADEIRA

impulsiona a iniciativa encontramalém de whisky e vinho. A atracse Elda Garcés, Guillermo Fernanção principal da tarde será a actudes, Paulo de Sousa, Alcindo de ação especial da cantora Andrea Abreu, Ysabel Ferreira, Orlando Imaginario, que vai deleitar os preMacedo, Joaquim Nuno e José sentes com as canções da sua mais Luis Ferreira, entre recente produção outros. O evento discográfica na A atracção conta com o apoio língua portuguesa do Diário de Notí- principal será ‘Andrea Imaginario cias da Madeira e Em Pessoa’. a actuação de do Correio da VeOs interessados Andrea Imaginario em participar este nezuela. A jornada ofereevento deverão socerá aos participantes uma grande licitar o convite através dos númevariedade de aperitivos, assim ros de telefone (0414)331.29.44 / como um almoço com entrada, (0416)630.54.68 / (0412)243.39.25 prato principal e sobremesa, para / (0414)330.72.83.

No arraial participaram emigrantes radicados em várias partes do mundo Numa festa cada vez mais aperfeiçoada e atenta a todos os detalhes, o Millennium BCP voltou a reunir na Camacha um grande número de clientes residentes no exterior. O objectivo da iniciativa dinamizada por Ivo Correia, um dos responsáveis pelo Millennium BCP na Madeira, foi amplamente atingido. O evento

decorreu durante toda a tarde de sexta-feira, 8 de Agosto, na Quinta da Camacha, e foi uma oportunidade de convívio entre os madeirenses que se encontram a viver fora do país que, dessa forma, encontraram no Arraial do Millennium BCP uma oportunidade de rever velhos amigos e partilhar experiências. Foi também a possibilidade de encontrar diferentes gerações de diferentes geografias na ilha, recordando e vivenciando as tradições e as comidas típicas da Madeira. No arraial BCP participaram emigrantes radicados em várias partes do mundo, designadamente na Austrália, África do Sul, Venezuela, Brasil, Curaçau, Arruba, EUA, Canadá, Reino Unido, França, Espanha, Suiça e Luxemburgo.

FeSta LuSo-VenezueLana 2014

Ribeira Brava esteve ‘mucho caliente’ Sergio Ferreira Soares sferreira@correiodevenezuela.com

Sons latinos aqueceram a noite para gáudio das muitas pessoas que marcaram presença no evento O ritmo latino animou todos os presentes, justificando o aplauso das inúmeras pessoas que se deslocaram à Ribeira Brava. Fotos Rui Silva/ASPRESS

‘Caliente’! Será a melhor forma de classificar a quinta edição da Festa Luso-venezuelana que animou a tarde/noite de sábado, 9 de Agosto, prolongando-se até a ma-

drugada de domingo. A festa evidenciou que a rota de crescimento é, de facto, ascendente, tendo ganho novos adeptos que se mostraram bem-dispostos e ávidos por diversão, como ficou bem patente no campo de futebol da Ribeira Brava, local que voltou a saber receber todos os que procuraram a cidade por causa dos ritmos latinos. O evento significou uma homenagem à cultura venezuelana, nomeadamente aos seus hábitos musicais e gastronómicos, num ambiente que foi marcado pela energia e alegria latina. Os artistas convidados para

actuarem na festa mostraram-se muito contentes por terem feito parte deste convívio que serviu de homenagem à cultura latina. O primeiro a subir ao palco foi DJ Tiroloco, encarregue de efectuar o ‘warm up’ da noite. Juan González e Carina Pestana conseguiram pôr toda a gente a dançar com uma aula de zumba. O cantor Hugo Fernándes também admitiu que o seu ‘show’ superou as expectativas com que partiu para o evento. Um dos pontos altos da noite foi da responsabilidade de Ricardo Thompson, cantor que conseguiu colocar o público verdadeiramente ao rubro.


Correio da Venezuela | Setembro 2014

Publicidade 11


12 Venezuela

Setembro de 2014 | Correio da Venezuela

História de Vida

Fernando Cámara fcamara@correiodevenezuela.com

O madeirense, que emigrou aos 11 anos a Caracas, confessa ter trabalhado “em tudo”. José Manuel Figueira é um dos muitos portugueses que chegaram à Venezuela na década de 70. Aos 11 anos de idade, deixou a ilha da Madeira para cruzar o Oceano Atlântico e reencontrar-se com os pais, José de Barros e Maria Cecília Figueira, que nasceram no Estreito de Câmara de Lobos, e com os irmãos. Instalaram-se em El Cafetal, zona da capital, onde se radicaram por mais de 40 anos. Da união dos pais nasceram dez filhos, cinco mulheres e cinco homens: Ascensão, José Leonel, Gilda, Fernando (morreu há 14 anos), Juan Pedro, José Manuel, Margoth, Cecília, Mário Policarpo e Maria Gracia (a única nascida na Venezuela). Actualmente, seis dos irmãos vivem em Caracas e três na Madeira. José Manuel nasceu a 16 de Julho de 1960, no Estreito de Câmara de Lobos, ilha da Madeira, Portugal. Pisou terras venezuelanas pela primeira vez a 18 de Dezembro de 1971, e desde então, nunca mais regressou ao local que o viu nascer. É casado com Yasmín Gamboa, nascida a 15 de Novembro de 1967 em Sincelejo, Colômbia. Têm dois filhos: Grecia, de 26 anos de idade, e José Gregorio Figueira, de 19. Chegou à Venezuela ainda criança, pelo que as memórias que tem são muito escassas. “Não tenho grandes recordações de Portugal, era muito pequeno quando vim. Tenho recordações de rapaz, mas poucas. O campo, mais do que tudo. De resto, pouquinho”, conta. Nessa época, a única maneira de vir para a América era por via marítima, não existia outra forma. “Foi uma viagem de barco muito aborrecida. Era um campónio, sem conhecer nada. Tinha medo, pânico. Vim com a minha tia Cecília.” Os pais vieram primeiro e depois mandaram-no buscar. O ambiente era muito diferente. “A mudança apanhou-me muito nos primeiros dias, porque eu vinha do campo. El Cafetal também era campo mas muito diferente: Calor e mosquitos, mais que tudo. Isso afecta bastante. Para além disso, aqui havia pouca gente, era uma criança estrangeira, não era fácil fazer amigos. Foi difícil. Mas repara que o idioma para mim foi fácil. Em criança, aprende-se mais rápido”, explica.

José Manuel Figueira

“Para mim

a Venezuela

é tudo”

“Fiz de tudo: Vendi ‘parrillita’, hambúrgueres, fui empacotador em supermercados, entre outras coisas. Fiz o que uma pessoa tem de fazer para trabalhar e evoluir.”

Desde muito pequeno que teve de trabalhar, como quase todos os homens da sua geração. “Quando cheguei, um dos meus pais, não recordo qual deles, perguntoume: Vais trabalhar ou estudar? E eu, vendo a necessidade que havia em minha casa, decidi trabalhar. O meu primeiro trabalho foi a vender churros”, relata. O pai e os irmãos escolheram o campo e os viveiros como forma de vida. Ele escolheu outro caminho. “Fiz de tudo: Vendi ‘parrillita’, hambúrgueres, fui empacotador em supermercados, entre outras coisas. Fiz o que uma pessoa tem de fazer para trabalhar e evoluir”. Também foi sócio de uma ‘arepera’, de um restaurante e de uma frutaria. Trabalhou na rede de Supermercados La Hacienda, propriedade dos irmãos Faria da Silva, onde fica hoje o Supermercado Santa Paula. “Aí comecei a trabalhar como empacotador e acabei por ser gerente de sucursal”, assinala. Hoje, trabalha como taxista, ofício ao qual se dedica há mais de 10 anos. Mas vai parar durante um mês e meio. Está a render as férias do padrinho de baptismo num viveiro em El Hatillo. “É uma mudança dura porque são dois tipos de cansaço: O táxi esgota-te mentalmente, e o do viveiro é físico, tão forte que não saí com o carro desde que comecei lá”, acrescenta. O nosso país é o seu lar. “Apesar da situação vivida na Venezuela, eu morro aqui. Para mim, a Venezuela é tudo. É a minha casa. O mais longe que cheguei foi a Margarita. Conheço muito bem as costas venezuelanas. Este é o meu país, não conheço outro. Tenho um grande amor pelo país onde nasci, por Portugal. Mas foi aqui que cresci”, disse. Em 1983, fundou, junto com um grupo de amigos, uma linha de Jeeps que ia a Los Naranjos, e foi onde conheceu a sua esposa, com quem viria a casar a 2 de Julho de 1987. “Conhecemo-nos, houve química, já passaram 31 anos, dois filhos, e aqui estamos. A minha esposa foi de grande ajuda. Felizmente, consegui encontrá-la. Com todos os problemas de um casamento, caímos e levantamonos. Grecia é licenciada em Gestão e José Gregório está a estudar Publicidade e Marketing”, menciona. Grecia, a filha mais velha, foi para o Panamá há menos de duas semanas, o que caracteriza como “difícil, bastante difícil”. Ainda que ambos tenham emigrado, são passos diferentes. “Como diz o ditado: ‘Loro viejo no aprende a hablar’ (equivalente em português: ‘Burro velho não aprende línguas’). Quando somos crianças, a adaptação é mais rápida e fácil. Para um adulto, é mais duro”, aponta.


Correio da Venezuela | Setembro 2014

Publicidade 13


14 Venezuela

Setembro de 2014 | Correio da Venezuela

Cidade

Parque del Este:

Um oásis no meio da urbe

SAbiA qUE?

Carla Salcedo Leal csalcedo@correiodevenezuela.com

Um estudo publicado no Journal of the American College of Cardiology assegura que correr e andar acrescenta anos de vida. Esta conclusão chega após a observação de 55.000 adultos entre os 18 e os 100 anos, durante um período de 15 anos. Os participantes que só corriam não só contavam com inúmeros benefícios na sua saúde (menos 29% de risco de morte e menos 50% de morte por doença cardiovascular), mas também uma média de mais três anos de vida do que as pessoas que não praticavam exercício.

Andar ou correr neste Parque, ou fazer qualquer outra actividade física, torna-se um prazer, devido também ao espectáculo natural oferecido pelas aves todas as manhãs. Apenas o meu círculo mais próximo sabe que há uns cinco meses, no meio do stress dos protestos, sofri uma forte lesão no osso trapézio que se complicou devido a uma contusão não tratada, o que fez com que abandonasse completamente a pouca actividade física que costumava ter. Conduzir era complicado, carregar os sacos de supermercado tornou-se algo impossível, para não falar de estar de pé ou sentada, tudo era incómodo, sem contar com as vezes que acordei o meu marido de madrugada com uma forte dor. Após quase dois meses de terapia, os médicos deram-me autorização para que iniciasse alguma actividade física, só que com algo que não me chamava muito a atenção, que é andar a pé em locais planos. Os primeiros dias foram terríveis, não só pela dor nas costas, mas também pelo conflito mental que era fazer uma coisa a que não estava acostumada, e que não me agradava de todo, eu queria era correr, ou voltar às aulas de

“Não importa a velocidade a que corra, este exercício continua a beneficiá-lo sempre e quando o fizer. Correr entre 30 a 60 minutos por semana (5 a 10 minutos por dia) está associado aos mesmos benefícios de saúde do que correr maratonas ou corridas de longa duração.”

fitness. Assim começou a minha busca por um local em Caracas que fosse ao ar livre mas seguro, plano, e onde pudesse andar sem ter que estar atenta a se tropeçava em algo. Cada dia se tornava mais difícil, até que um dia, por volta das 6 da manhã, deparei-me com o estacionamento perto da avenida Rio de Janeiro, ao nível de Las Mercedes. Esse tornou-se no meu local, mas o desafio não era suficiente, precisava sentir-me ambientada, num local onde o mais importante não fosse o clima, porque chegava uma altura em que o odor pestilento do rio Guaire fazia-me perder totalmente o alento, e, do nada, veio-me à cabeça a ideia de ir para o Parque del Este, um local que não visitava há uns bons anos. Uma quarta-feira bastou Naquela manhã, tinha me levantado um pouco mais tarde do que era habitual, e quando cheguei à Rio de Janeiro, dei-me de conta que não era ali que queria estar, pelo que empreendi caminho rumo ao que hoje é conhecido como Parque Generalíssimo Francisco de Miranda. Era perto das 8:30 da manhã quando cheguei. Nunca pensei que iria gostar tanto, e que a boa

vibração seria tal que não me daria conta de que fiz os 3,4 km na Rio de Janeiro e completei um circuito de 5km sem sentir-me fatigada. Talvez seja o ar ou a luz, mas o certo é que esse lugar tem uma magia, um encanto único que vale a pena experimentar pelo menos uma vez na vida. Neste Parque, a temperatura é sempre agradável devido à quantidade de árvores existente, e, para além disso, há um valor acrescentado: A oportunidade de ter contacto com a Natureza, pois as aves que passam a noite ali iniciam um ritual de saída a partir das 7 da manhã, o que proporciona um verdadeiro espectáculo. Dependendo da hora a que se visite o Parque, é possível desfrutar da saída de garças, papagaios e ‘guacamayas’, sem contar com um sem fim de pequenas aves, e com os brincalhões esquilos, que correm nos jardins em busca de alimento. Ver aquele milagre da Natureza à luz natural, entre diferentes tons de verde e belas flores de várias espécies, o espectáculo de aves que parecem despedir-se dos corredores que ali vão influenciou-me bastante para que este agora seja o meu ginásio. O melhor de tudo é que pago apenas um bolívar para estacionar o carro.


Correio da Venezuela | Setembro 2014

Publicidade 15


16 Saudades da nossa terra

Setembro de 2014 | Correio da Venezuela

Joeiras ao

alto

Marta Caires martavelosacaires@gmail.com

As joeiras, a versão madeirense dos papagaios de papel, foram muitos populares até ao início dos anos 80, até ao céu se encher de fios de telefones e de luz e não haver espaço para as lançar ao vento nos terraços. Hoje quase só aparecem nos concursos promovidos pelas juntas de freguesia e as casas do povo (como em São Roque), algumas já com alterações, construídas por pais e avós, homens acima dos 45 anos, os que nos anos 70 passavam as tardes de Verão a altear joeira. Para se perceber a importância destes brinquedos, é preciso imaginar a Madeira de há 40 anos, quando nem todas as casas tinham electricidade e telefone havia só um, daqueles pretos, na mercearia,

na igreja ou em casa de alguém de posses. Nem sequer havia luz em todos caminhos, o céu estava livre de fios cruzados e os miúdos, que corriam em bandos pelos sítios, tinham poucos brinquedos. Um carrinho na Festa e, mesmo assim, não era para todos. Sem brinquedos e três meses de férias da escola, o remédio era inventar e as joeiras, bem as joeiras eram muito populares. Não se podia dizer que fossem baratas, mas era uma coisa que se fazia com alguma poupança. O mais caro era mesmo o barbante – fio norte – que até se dava o nome de barbante de joeira. O melhor, no entanto, é começar pelo princípio e explicar como é que se fazia uma joeira, os investimentos que implicava e o prazer que dava, depois, tê-la no ar. O investimento, o que custava

dinheiro na venda, era o barbante – quanto mais tivesse mais alto voava a joeira – e o papel de seda às cores, cuja quantidade variava consoante o tamanho. Nesta altura, este papel que se comprava às folhas na mercearia tinha o nome de... papel de joeria. O resto do material arranjava-se em casa: trapos para o rabo, canas vieiras fininhas dos barrancos e milho cozido ou semilhas cozidas para pregar o papel. A qualidade do produto final dependia, depois, da habilidade do construtor. O jeitinho ajudava e uns tinham mais do que outros. Os irmãos mais velhos, primos e até o avô eram ‘mão de obra’ importante. Momento difícil era a junção das três canas. A joeira clássica é um hexágono, mas havia maiores com oito e doze lados mas que só em dias de muito vento con-

seguiam voar. Unir as canas – ou meias canas no caso das joeiras mais pequenas e leves – quase sempre era com ajuda. Um segurava e o outro passava o barbante. Um furo no meio a unir as três canas também ajudava. Depois, gastava-se quase um rolo de barbante a fazer a ‘cama’ onde seria colado o papel. No meio, um reforço redondo. Colado o papel (não esquecer os roncos), juntavam-se as guias de fio que se ligavam ao longo barbante. O rabo era muito importante, servia de contra-peso e levava pedaços de pano, quase sempre de lençóis velhos. Acabada a construção, era ir para o terraço – quase todas as casas da Madeira desse tempo tinham um terraço onde se alteava a joeira e se estendia a roupa – e esperar pelo vento. Um ficava a segurar e o piloto, o que ficava com a

espécie de guiador (um pau onde se enrolava o barbante), dava a ordem para largar. E pronto a joeira estava no ar, primeiro ainda grande, depois mais pequena e até ficar um ponto no céu, em que já não se distinguia as cores do papel. Em certos dias, viam-se no céu, em cada sítio, uma meia dúzia, maiores, mais pequenas, com os rabos compridos a fazer ‘esses’. O pior era quando o azar espreitava, o vento mudava e a joeira acabava enrolada nos poucos fios da luz. O melhor que se podia fazer era salvar o barbante, que era caro e dava para outra. De resto, a joeira morta ficar a rodar, até ser só um esqueleto e o tempo da chuva desfazer o que restava. E os azares aconteciam, mas os rapazes de há 40 anos não desistiam, voltavam a construir e a lançar à sorte as suas joeiras às cores.


Publicidade 17

RIF: J-00235245-0

RIF: J-30487647-5

Correio da Venezuela | Setembro 2014


18 Portugal

Setembro 2014 | Correio da Venezuela

soltas

Portugal

A Câmara de Vila Nova de Poiares pediu ao Governo um auxílio de emergência de um milhão de euros para, no imediato, manter os serviços essenciais do município, disse, terça-feira, 9 de Setembro, o presidente da autarquia, João Miguel Henriques. O autarca adiantou à Lusa que o apoio financeiro, previsto numa linha de apoio transitório de urgência, visa assegurar os serviços básicos essenciais às populações, desde a recolha de resíduos sólidos, iluminação pública, transportes e refeições escolares.

A farmacêutica Bluepharma, de Coimbra, que tem mais de 60 medicamentos no mercado, foi eleita a melhor empresa exportadora nacional nos European Business Award 2014/2015, na categoria “Importação/Exportação”, foi anunciado na terça-feira, 9 de Setembro. Na primeira fase da competição participaram mais de 24 mil empresas de 33 países europeus. A Bluepharma passa assim à fase seguinte, na qual será eleita a melhor empresa europeia nesta categoria.

O Tribunal Judicial de Guimarães condenou, na terça-feira, 9 de Setembro, uma professora do 1.º ciclo a dois anos e dois meses de prisão, com pena suspensa, por ter infligido maus-tratos a dois alunos. A docente, de 38 anos, foi condenada por dois crimes de maus-tratos, ficando a suspensão da pena sujeita à condição de a arguida pagar, no prazo de dois meses, 500 euros à Associação de Apoio à Criança de Guimarães.

AjuDA ExtErnA

Emergência acabou, mas os desafios permanecem CORREIO/LUSA

O país continua a ter “muitos desafios pela frente” para reduzir o défice a dívida públicos, avisa a ministra das Finanças A ministra das Finanças reafirmou, na terça-feira, 9 de Setembro, no Parlamento que apesar da conclusão do “período de emergência”, durante os últimos três anos, o país continua a ter “muitos desafios

pela frente” para reduzir o défice a dívida públicos. “Continuamos a ter muitos desafios pela frente: continuamos a estar numa situação de défice excessivo ainda este ano, temos uma dívida elevada. Isso pede continuidade do esforço, não com a mesma intensidade que teve nos últimos três anos, a fase de emergência já está ultrapassada. Mas isso não significa que esteja tudo resolvido”, afirmou Maria Luís Albuquerque.

A ministra e o vice-primeiro-ministro estavam a ser ouvidos na comissão de acompanhamento das medidas da ‘troika’, para fazer um balanço do programa de assistência externa, concluído em Maio. Paulo Por tas disse ainda que, depois do ciclo da ‘troika’, Por tugal vive “como parceiro europeu sob as regras do Tratado Orçamental” e está ainda em procedimento de défices excessivos. Do lado da oposição, o PS ini-

”Os indicadores demonstram que não valeu a pena destruir 400.000 postos de trabalho”.

O país continua a ter “muitos desafios pela frente”, lembra a governante.

ciou a ronda de questões aos membros do Governo questionando se “valeria a pena empurrar o país para esta tragédia”, concluindo que os indicadores demonstram que “não valeu a pena destruir 400.000 postos de trabalho, nem assaltar o pote”.

FinAnçAS

Descida de impostos “será sempre uma decisão colectiva do Governo” CORREIO/LUSA

Posição sobre a matéria “é muito clara e já foi afirmada pelo senhor primeiro-ministro”, lembra Poiares Maduro O ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional, Poiares Maduro, disse, segunda-feira, 8 de Setembro, na Guarda, que uma

Poiares Maduro inaugurou uma linha de produção da Daimler na Guarda.

eventual descida de impostos “será sempre uma decisão colectiva do Governo no seu todo”. “Como, o quando exacto, qual é o imposto em concreto em que isso será feito, será sempre uma decisão colectiva do Governo no seu todo”, disse o ministro aos jornalistas, na Guarda, à margem da inauguração de uma nova linha de montagem da empresa SODECIA. Poiares Maduro lembrou que a posição do Governo sobre a matéria “é muito clara e já foi afirmada pelo senhor primeiro-ministro”. “Não há nenhum Governo que

Na resposta, o vice-primeiroministro disse ter ficado “estarrecido” com a interrogação do socialista Pedro Marques, e criticou a “amnésia absoluta” e o “denial [negação]” do deputado: “Quem duplicou o valor da dívida em poucos anos foi o PS”.

goste de aumentar impostos. Todos os governos, pelo contrário, gostariam de baixar os impostos. Mais, este Governo reconhece que a carga fiscal em Portugal é elevada, gostaríamos de baixar essa carga fiscal, mas só o iremos fazer com a mesma responsabilidade com que temos agido sempre ao longo destes três anos de Governo”, disse. O ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional assegurou que “é isso que os portugueses podem esperar: quando for responsável baixar a carga fiscal, quando o podermos fazer, é seguramente uma prioridade para este Governo”. Poiares Maduro falava na Guarda onde inaugurou a nova linha de produção de caixas de velocidades da Daimler [FDCT (Front - Dual - Clutch - Transmission) - Daimler], na empresa SOCECIA, que representou um investimento de cerca de 5,5 milhões de euros e permitiu criar 54 postos de trabalho.


Correio da Venezuela | setembro 2014

O Ministério Público acusou um homem de 42 anos pela prática de 74.636 crimes de pornografia de menores agravados através internet, indicou, na terça-feira, 9 de Setembro, a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL). Segundo a PGDL, o arguido, que está prisão preventiva desde Janeiro, tinha no seu computador e nos mais variados ficheiros “um excepcional volume de imagens contendo crianças em actos pornográficos com adultos ou em outras circunstâncias igualmente criminosas”, que eram descarregadas de ficheiros de abuso sexual de crianças e depois as partilhava através da internet.

Portugal 19

O Centro Cultural Português de Maputo e a Universidade Eduardo Mondlane (UEM) realizam a 26.ª edição do Curso de Literaturas em Língua Portuguesa, entre os próximos dias 15 e 19, na capital moçambicana, foi anunciado na terça-feira, 9 de Setembro,. Segundo um comunicado do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua de Portugal enviado à Lusa, o curso deste ano será dedicado ao tema “A Viagem”, apontando as obras “A Odisseia”, de Homero, “As Viagens”, de Marco Polo, “Os Lusíadas”, de Camões, “A Peregrinação”, de Fernão Mendes Pinto, e “As Viagens de Gulliver”, de Jonathan Swift, como “exemplos de obras literárias célebres, recheadas de curiosidade e de espanto, drama e paixão, guerras e conquistas e incríveis proezas”.

Ensino

Portugal tem um professor para cada 10 alunos CORREIO/LUSA

Relatório indica ainda que as turmas nem sempre são pequenas Em Portugal existe um professor a tempo inteiro para cerca de dez alunos, segundo o relatório anual da OCDE “Education at a Glance 2014”, que sublinha que este rácio nem sempre é sinónimo de turmas pequenas. De acordo com o relatório sobre educação divulgado terça-feira, 9 de Setembro, pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), os alunos portugueses têm mais professores a tempo inteiro do que a média dos 34 países da OCDE avaliados. Desde o 1.º ano até ao liceu, as escolas portuguesas surgem sempre com um rácio de um docente para um grupo que ronda os dez estudantes. Já a média da OCDE aponta para que nas escolas do 1.º e 2.º ciclo exista um professor para cada grupo de 16 alunos e, no ensino secundário, haja um docente para cada 13 estudantes. No entanto, este rácio médio varia consoante os países em análise: no México, por exemplo, há um professor a tempo inteiro para 30 alunos; já a Austrália, Bélgica, Indonésia e Portugal, têm “menos de dez alunos”, lê-se no estudo. No entanto, estes números nem sempre são sinónimo de turmas mais pequenas, segundo os responsáveis pelo relatório, que explicam que para formar uma turma é preciso ter em conta variáveis como o número de horas semanais de trabalho de um professor, quanto tempo tem de estar a ensinar e o número de horas que os alunos têm aulas.

O relatório da OCDE dá um caso concreto: tanto nos Estados Unidos como em Israel há um rácio de 15 alunos por professor, mas, depois, nas salas de aula norte-americanas sentam-se 21 estudantes, enquanto das de Israel são 27. Ter poucos alunos por professor é uma das medidas escolhidas por alguns dos países que mais apostam em educação: “Por exemplo, entre os dez países que mais investem por aluno no 2.º e 3.º ciclo, a Dinamarca, Irlanda, Luxemburgo, Holanda, Suíça e Estados Unidos têm os professores com salários mais elevados, depois de 15 anos de experiência, enquanto a Austrália, Finlândia, Luxemburgo e Noruega têm alguns dos rácios mais baixos entre alunos/professores”, refere o estudo.

O relatório recorda, no entanto, um estudo realizado no ano passado sobre o impacto do tamanho das turmas na satisfação profissional dos professores, que concluiu que mais importante do que ter grupos pequenos é não ter grandes problemas comportamentais. Conscientes de que o tamanho das turmas poderá preocupar os pais no momento de escolher a escola, os investigadores foram comparar o ensino público com o privado e perceberam que, em média, nos países da OCDE não existem grandes diferenças - “pode haver menos dois alunos”. No entanto, revela o relatório anual, os estudantes do privado têm, em média, mais uma hora de trabalho de casa semanal do que os alunos que frequentam o ensino público, sendo que no caso de Portugal a diferença ultrapassa a hora e meia Portugal gasta anualmente cerca de 6.200 euros, em média, por por semana. cada aluno que frequenta o ensino público, uma verba abaixo da Na maioria média da OCDE. dos países anaA Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) pegou nos dados de 2011 e comparou quanto investe cada país anualmente por aluno. Contabilizando todos os estudantes desde o ensino básico ao superior, os 34 países da OCDE gastam, em média, 7.370 euros com cada um dos seus alunos, um investimento que vai aumentando ao longo dos anos. Nesta análise, Portugal fica abaixo da média, já que o gasto anual por aluno a frequentar o ensino público não chega aos 6.200 euros. Para os estudantes que chegam ao 1.º ciclo e até saírem para o 3.º ciclo, Portugal investe cerca de 4.660 euros, quando a média da OCDE é de 6.213 euros. Neste quadro, apenas sete países da OCDE investem menos do que Portugal - Eslováquia, Estónia, Republica Checa, Hungria, Chile, México e Turquia. Só quando os alunos chegam ao secundário, o valor por estudante atinge a média da OCDE: quase sete mil euros. No ensino superior, o dinheiro gasto por aluno volta a estar abaixo da média da OCDE: em Portugal, a verba média é de 7.769 euros, enquanto na OCDE é de 10.876 euros.

6.200 euros/ano por aluno

As mulheres lideram na docência.

lisados, os professores passaram a estar mais tempo na sala de aula: em Portugal, o tempo de aula aumentou cerca de 20% entre 2000 e 2012 e em Espanha o aumento foi de 26%. Mas, estar mais tempo na sala pode não ser sinónimo de mais transmissão de conhecimentos, alerta o relatório, chamando a atenção para outro estudo de 2013 da OCDE que revela que, em média, os docentes passam apenas 79% do tempo a ensinar, sendo o resto do tempo para trabalho administrativo e para manter a ordem dentro da sala de aula. Portugal volta a ficar abaixo desta média, com os docentes a terem menos tempo para ensinar e a perder mais tempo para garantir

o bom comportamento dentro da sala. O relatório diz ainda que, em 2012, um em cada três docentes (36%) do liceu tinha pelo menos 50 anos. Nesta análise, os italianos surgem como o grupo dos profissionais mais experientes, já que mais de 60% tinha mais de 50 anos, enquanto Portugal surge entre os mais jovens, com apenas um pouco mais de 25% do total dos docentes a ter 50 ou mais anos. No entanto, o relatório aponta Portugal como um dos quatro países – além da Itália, Japão e Coreia – onde se registou um aumento de, pelo menos, dez pontos percentuais em apenas uma década do grupo de docentes com pelo menos 50 anos. PUB


20 Portugal

setembro 2014 | correio da Venezuela

Portugal

Economia

Pires de Lima critica silêncio da oposição CORREIO/LUSA

Relativamente ao salto registado na competitividade em Portugal O ministro da Economia, Pires de Lima, evidenciou, na segundafeira, 8 de Setembro, que Portugal foi o país na Europa onde a competitividade mais progrediu em 2014, indicadores que não são susceptíveis de variarem em função de comentários descontextualizados, criticando o silêncio da oposição. No final da apresentação do programa +Inovação +Indústria, na Associação Empresarial de Por-

tugal (AEP), em Matosinhos, Pires de Lima foi questionado pelos jornalistas sobre as declarações da directora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, que disse que Espanha é o único país da zona euro a progredir devido às reformas estruturais que começam a dar resultados, tendo inclusivamente apelado aos outros Estados para que “passem das palavras aos actos”. “Não conheço o contexto das declarações que foram proferidas, mas aquilo que sei é que os indicadores de competitividade internacional e que não são susceptíveis de variarem em função desta ou daquela opinião, deste ou daquele comentário descontextualizado, assinalam que Portugal foi o país onde a competitividade mais pro-

grediu em 2014, em toda a Europa”, reiterou. Segundo Pires de Lima, Portugal já estava bem noutros indicadores internacionais, evidenciando que “factos são factos” e que “todos os portugueses” - expressão que fez questão de repetir duas vezes - “se devem sentir satisfeitos por este reconhecimento do trabalho e do esforço” que tem vindo a ser feito. Já durante a sua intervenção durante a apresentação do programa, o governante tinha tecido duras críticas aos partidos da oposição pelo silêncio relativamente aos dados do ‘ranking’ da competitividade conhecidos na passada quarta-feira, que davam conta de um “salto importante pela primeira vez em muitos anos”.

PrEsiDEnciais 2016

Durão Barroso garante não ser candidato a Belém

Pires de Lima congratulou-se com a competitividade do país.

sEgurança PúBLica

Discotecas obrigadas a instalar videovigilância CORREIO/LUSA

CORREIO/LUSA

“Penso que preciso, pelo menos mereço, uma pausa da política e estou muito feliz”, disse o ainda presidente da Comissão Europeia O ex-primeiro-ministro e presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, garantiu, na segunda-feira, 8 de Setembro, em entrevista à BBC, não ser candidato às eleições para a Presidência da República, em 2016. “Não vou concorrer. Há quase trinta anos que estou na política,

só com uma pequena interrupção. Comecei como secretário de Estado quando tinha 29 anos. Estive no Governo em Portugal como ministro dos Negócios Estrangeiros e primeiro-ministro. Fui líder da oposição e agora, há dez anos que sou presidente da Comissão Europeia. Penso que preciso, pelo menos mereço, uma pausa da política e estou muito feliz”, disse Durão Barroso. Durão Barroso, que deixará a presidência da Comissão Europeia em Novembro, disse à estação de televisão britânica que será “um homem livre a 1 de Novembro” e será “muito feliz” com a sua decisão. Em Março deste ano, Durão Barroso já adiantava não ter “qualquer intenção” de se candidatar a Belém quando questionado sobre o seu futuro após a passagem por Bruxelas, numa entrevista à SIC/

Medida aplica-se a estabelecimentos com mais de 100 lugares e tem de ser aplicada até Março Expresso. “São 30 anos, sabe, praticamente sem qualquer interrupção, 30 anos de vida política muito intensa - estes dez últimos anos, então, em crise permanente. Acho que até os meus críticos reconhecem que foram os anos mais difíceis da integração europeia. Este período constituiu os anos mais difíceis, com uma tensão permanente”, declarou Durão Barroso na entrevista à SIC e ao semanário Expresso.

As discotecas e bares com mais de 100 lugares são obrigadas a instalar, até Março do próximo ano, sistemas de videovigilância com captação e gravação de imagens, segundo o novo regime publicado em Diário da República, na passada segundafeira, 8 de Setembro. O diploma que altera a legislação referente aos sistemas de segurança privada dos estabelecimentos de restauração ou de bebidas que disponham de salas ou de espaços destinados a dan-

ça entra em vigor na terça-feira e tem como objectivo “reforçar a segurança de pessoas e bens”. O novo decreto-lei estabelece também a obrigatoriedade dos bares e discotecas com mais de 200 lugares passarem a ter equipamentos de detecção de metais e um serviço de vigilância com recurso a segurança privada com a especialidade de segurança porteiro, medidas de segurança que devem ser adoptadas até Dezembro. Segundo o diploma, estes espaços têm seis meses para adoptar os sistemas de videovigilância, mas os estabelecimentos com menos de 100 lugares têm um ano. A gravação de imagens é obrigatória desde a abertura até ao encerramento do estabelecimento. As imagens devem ser conservadas pelo prazo de 30 dias contados desde a respectiva captação e depois destruídas.


Correio da Venezuela | Setembro 2014

Publicidade 21


22 Portugal

setembro 2014 | Correio da Venezuela

diáspora

CORREIO/LUSA

Estudo mostra que “o país não está a perder para sempre os seus melhores recursos” As emigrações recentes de portugueses são menos definitivas, registando-se frequentes saídas e reentradas no país, o que significa que Portugal “não está a perder os seus melhores recursos para sempre”, disse à Lusa o coordenador de um estudo nacional. “Os movimentos migratórios, hoje, são provavelmente mais rápidos e certamente mais circulares do que eram no passado. Em vez de os portugueses irem lá para fora, passarem uma vida inteira e depois eventualmente virem passar a reforma a Portugal, o que encontramos hoje são muitas saídas de pessoas muito jovens, por vezes muito qualificadas, mas com posteriores reentradas”, afirmou João Peixoto, professor catedrático no Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa (ISEG), coordenador do estudo Remigr, que pretende estudar o fenómeno das migrações portuguesas desde o início do século XXI. Para o responsável, não está em causa “uma perda definitiva, para sempre”. “Nos anos 60, as pessoas emigravam para França e encontravam empregos para a vida toda. Isso hoje já não existe e por isso é normal que os trajectos sejam muito mais precários. As pessoas arranjam trabalho lá fora, ficam lá algum tempo em trabalhos mais ou me-

Estudo

Portugueses emigram mas voltam à origem

Os dados mostram que os não licenciados continuam a ser os que mais saem do país.

nos precários e depois ou vão para outro país ou regressam a Portugal ou mudam de emprego”, explicou. Estes são dados baseados no último recenseamento nacional, de 2011, que “transmitem algum optimismo”. “Grande parte do pânico mais recente em relação às saídas tem a ver com a possibilidade de estas saídas serem definitivas e permanentes e de o

país estar a perder para sempre os seus melhores recursos. Não é isso que nós vemos”, garantiu. Esta é uma realidade que um grupo de investigadores de quatro faculdades nacionais pretende agora aprofundar, num projecto que pretende fazer um «retrato o mais fiel possível”, disse à Lusa João Peixoto. Intitulado Remigr, o projecto

Em cerca de dois meses, o inquérito já reuniu cerca de três mil respostas

ÁfriCA do sul

José Cesário condecora luso-descendente José Luís Silva Correspondente em Joanesburgo - DN MADEIRA

José Nascimento é advogado na África do Sul e membro da HIP Alliance O advogado José do Nascimento, luso-descendente com as suas origens na Madeira, recebeu, no

passado 26 de Agosto, a Comenda da Ordem do Mérito. O secretário de Estado das Comunidades, José Cesário procedeu à imposição das insígnias, perante um vasto número de pessoas da comunidade portuguesa de Joanesburgo. De salientar a presença de representantes das comunidades portuguesa, grega, italiana e cipriota que integram a HIP Alliance, associação que junta estas comunidades na África do Sul e tem José Nascimento entre os seus fundadores.

Ricoca Freire, embaixador de Portugal elogiou as qualidades de José Nascimento, mencionando que a comenda não significa uma passagem ao pedestal ou à prateleira, mas sim responsabilidades acrescidas. O diplomata exortou a um maior entendimento e cooperação entre as pessoas, especialmente, de responsáveis por organizações portuguesas, numa referência às querelas que se vivem na Sociedade Portuguesa de Beneficência (SPB).

é financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia e reúne especialistas em migrações do Centro de Investigação e Sociologia Económica e das Organizações, do ISEG, e do Centro de Estudos Geográficos, do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território, ambos da Universidade de Lisboa; do Centro de Estudos Sociais, da Universidade de Coimbra, e do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia, do ISCTE, do Instituto Universitário de Lisboa. “Queremos apanhar um retrato

da emigração portuguesa tão fiel quanto possível sobre as saídas após a viragem do século”, disse o coordenador, que afirmou que o expectável é que “a maior parte sejam muito recentes”, sendo certo que “as saídas nunca pararam e, agora, aumentaram”. Os dados estatísticos “mostram ainda que os não licenciados continuam a ser os que mais saem do país”, afirmou. Além da emigração dos portugueses, o estudo pretende também perceber “em que medida estas pessoas mantêm relações com Portugal, seja na perspectiva de regresso, de férias, de investir em Portugal ou fazer negócios”, referiu. O projecto está a basear-se nos dados estatísticos disponíveis, nomeadamente o censos de 2011, e num inquérito online, que está disponível na página da internet do projecto, e que pode ser preenchido por qualquer pessoa. Em cerca de dois meses, o inquérito já reuniu cerca de três mil respostas, mas continuará disponível até ao Outono, disse João Peixoto, que conta ter os primeiros resultados provisórios do trabalho no final deste ano. Por fim, o trabalho passa ainda pelo seguimento mais detalhado da realidade em quatro países Reino Unido, França, Brasil e Angola -, onde os investigadores vão contactar as embaixadas, consulados, associações de emigrantes e pontos de encontro. “Os portugueses estão de facto em quase todos os países. A diáspora portuguesa continua a ser gigantesca, continuamos a ir para tudo quanto é lado”, disse. O trabalho deverá estar concluído em meados de 2015.

EsPAnhA

Adolescente lusa sequestrada CORREIO/LUSA

Uma jovem portuguesa, de 15 anos, foi resgatada no sábado, 6 de Setembro, pela Guardia Civil em Espanha, depois de estar uma semana desaparecida na zona de Axarquia, na Andaluzia. Segundo relatou o Correio da Manhã, na segunda-feira, 8 a polícia deteve um dos dois jovens que estiveram com a menor. De acordo com familiares, a jovem foi levada para o hospital, onde esteve durante o dia de ontem a receber assistência, mas os

pais referiram que “ela está bem”. Inicialmente, a jovem acedeu sair de casa com um amigo mais velho, que mais tarde chamou um outro, maior de idade. Desde o início que as autoridades suspeitavam de que a jovem estava longe de casa contra a sua vontade. Os familiares portugueses, que a Guardia Civil não especificou se são emigrantes ou turistas, fizeram vários alertas na internet, mais concretamente nas redes sociais, e a polícia acredita que foi isso que contribuiu para que a jovem fosse localizada.


Correio da Venezuela | Setembro 2014

Publicidade 23


24 Cultura

Setembro 2014 | Correio da Venezuela

Victoria Urdaneta

José Saramago José de Sousa Saramago (Azinhaga, Santarém, Portugal, 16 de Novembro de 1922 - Tías, Lanzarote, Espanha, 18 de Junho de 2010) foi um escritor português que recebeu o Prémio Nobel de Literatura em 1998. Ainda que tenha sido muito bem sucedido, o começo foi difícil. O seu primeiro livro, ‘Terra de pecado’ (1947) não teve a resposta do público que era esperada. O segundo livro, ‘Clarabóia’, foi publicado dois anos depois de ter falecido. Nos 20 anos seguintes à publicação do primeiro livro, deixou os livros de lado, ainda que não tenha abandonado a escrita por completo, já que colaborou como jornalista no Diário de Notícias, revista Seara Nova, Diário de Lisboa, e fez parte da primeira direcção da Associação Portuguesa de Escritores. Traduziu obras de Maupassant, Tolstoi, Baudelaire, entre outros. Foi censurado durante os anos da ditadura de Salazar e em 1974, juntou-se à Revolução dos Cravos. Em 1966, publicou ‘Os poemas impossíveis’, em 1970 ‘Provavelmente alegria’ e em 1975 ‘O ano de 1993’. O grande êxito chegou em 1980, com ‘Levantado do chão’, onde reflectiu sobre as condições de vida dos trabalhadores de Lavre, Alentejo. Em 1982, lança ‘Memorial do convento’, onde retrata as duras condições numa povoação da época medieval, e que foi adaptado como ópera por Azio Corghi, estreada no Teatro de la Scala de Milão, com o título de ‘Blimunda’. Em 1984, saiu ‘O ano da morte de Ricardo Reis’ e em 1986, ‘A jangada de pedra’. Em 1991, foi publicada a novela ‘O evangelho segundo Jesus Cristo’, criando uma polémica sem precedentes pela sua posição em relação ao catolicismo. Em 1995, já a partir da sua residência em Lanzarote, Espanha, publicou o ‘Ensaio sobre a cegueira’, levado ao cinema em 2008, com realização de Fernando Meirelles. Em 1997, saiu ‘Todos os nomes’ e em 2005, ‘As intermitências da morte’.

LiTeraTura

“Temos de trabalhar para que a poesia portuguesa não se perca” Traduções de eugénio de andrade Morada A primeira casa não era ainda a casa: não chega a ser morada. Na outra, mais pequena, onde ninguém perguntava que idade tinha ou se o verão já passara ou o cão mordia, amanhã estava à janela. Essa era a casa, o sol onde ardia. Morada La primera casa no era aún la casa: no llega a ser morada. En la otra, más pequeña, donde nadie preguntaba que edad tenga o si el verano ya pasara o el perro mordía, mañana estaba a la ventana. Esa era la casa, el sol donde ardía. -Com essa nuvem Para que estrela estás crescendo, filho, para que estrela matutina? Diz-me, diz-me ao ouvido, se é tempo ainda, eu e essa nuvem, essa nuvem alta, de irmos contigo. Con esa nube ¿Para qué estrella estás creciendo, hijo, para qué estrella matutina? Me dice, me dice al oído, si hay tiempo aún, yo y esa nube, esa nube alta, de irnos contigo.

Victoria Urdaneta vurdaneta@correiodevenezuela.com

Este é um dos objectivos do escritor José Carlos de Nóbrega de Sousa, que enfatiza a importância da tradução. “A literatura em português é bela e dediquei muito tempo a estudá-la. No entanto, temos de trabalhar para que a poesia portuguesa não se perca. Para isso, não só se deve promover a sua leitura como conseguir cada vez mais traduções e chegar, assim, a um público mais vasto”, afirma José Carlos de Nóbrega de Sousa, escritor luso-venezuelano nascido em Caracas a 4 de Julho de 1964, licenciado em Educação, vertente Língua e Literatura, pela Universidade de Carabobo, com um mestrado em Literatura LatinoAmericana pela Universidade Pe-

ao alcance de um clique Vários dos livros deste autor podem ser encontrados em versão electrónica: SaLMOS COMPuLSiVOS POr La CiuDaD, http://www.letralia.com/ed_let/ salmos Para MaCHuCar Mi COraZÓN: uNa aNTOLOGÍa POÉTiCa De BraSiL, http://letralia.com/transletralia/brasil/index.htm Também podem consultar outros textos no blog www. salmoscompulsivos.blogspot.com

dagógica Experimental Libertador e vencedor do Prémio Nacional do Livro, capítulo centro-ocidental, durante os anos 2006 e 2007. Para Sousa, o idioma português tem muita relevância, com efeito, foi tradutor e autor de prólogos de obras como ‘Las imaginaciones/ El soldado raso’, poemas de Ledo Ivo (Fondo Editorial Fundarte, Alcaldía de Caracas, Caracas, 2014) e de ‘La pasión según G.H’, uma novela de Clarice Lispector (Fondo Editorial Fundarte, Alcaldía de Caracas, Caracas, 2014), e ainda que neste

raízes lusitanas O seu sangue é madeirense, por parte do pai, José do Nascimento de Nóbrega, natural do Caniço, e da mãe, augusta de Sousa, do Funchal. Chegaram à Venezuela nos finais da década de 50 do século passado e estabeleceram-se em Caracas.

É uma arte poder transmitir ao público de outro idioma a mensagem e os sentimentos do texto original”. caso a autora seja brasileira, o que o escritor destaca é “a essência da escrita em português”. Entre os desafios apresentados nesta tarefa, menciona “a musicalidade, especialmente nos sonetos, na medida em que é difícil transpor de um idioma para outro. Para além disso, é uma arte poder transmitir ao público de outro idioma a mensagem e os sentimentos do texto original.” A par deste trabalho, Sousa é docente de pré e pós graduação da Universidade de Carabobo.


Correio da Venezuela | Setembro 2014

Cultura 25

MúSiCa

Victoria Urdaneta

Um luso-descendente muito ‘crioulo’ Suma cumlaude Este trovador e investigador é também Técnico Superior Universitário em Educação integral com menção honorífica Cumlaude pela iUTiRLa e Professor de Educação integral com menção Suma Cumlaude pela Universidade Pedagógica Experimental Libertador, em Margarita, Nueva Esparta.

Ópera Digital Trata-se de uma ópera com música de Giuseppe Verdi e libreto de Francesco Maria Piave, Giuseppe Montanelli e Arrigo Boito, baseada numa peça de teatro de Antonio García. Dadas as dificuldades com a trama original, foi representada uma versão revista no Teatro de La Scala de Milão em 1881. Data: Terça, 9 de Setembro de 2014. Hora 3:00 p.m. Local: Centro Cultural Trasnocho, Paseo Las Mercedes, Caracas.

apontamentos de uma viagem Quatro fotógrafos venezuelanos mostram a Itália de uma forma diferente e original, longe dos estereótipos, com a curadoria de dois italianos, Salvatore Elefante e Luca Pagliari. Os encarregados de recrear o país europeu são Marco Aguilar, Carlos Arvelaiz, José Carlos Fernández e Óscar Lucien. Data: Até 28 de Setembro Local: Calle California, Residencias Sonora, PB-1. Las Mercedes, Caracas.

Malí em concerto Marianne Malí apresenta o seu primeiro trabalho a solo no ciclo de concertos ‘Noches de Guataca’, uma interessante proposta musical. A cantora valenciana foi a vencedora do Festival Novas Bandas do ano 2005, quando integrava o grupo Mochuelo e lança agora no mercado discográfico ‘Blues Live SexyOn Vol1’. Data: 10 de Setembro às 8:00 pm. Local: Espacio Plural, Centro Comercial Ciudad Tamanaco, Nivel Trasnocho.

Victoria Urdaneta vurdaneta@correiodevenezuela.com

Ernesto da Silva canta música tradicional venezuelana e é conhecido como ‘El Ciclón de Margarita’. Ernesto da Silva nasceu na paróquia San Juan, em Caracas, mas a mãe (natural do Estado Zulia), levou-o, junto com os irmãos, aos 4 anos de idade, para o município Antolín del Campo, no Estado Nueva Esparta. “Ela incentivou-me a estudar canto porque queria que me dedicasse a isso. Nessa altura tinha 5 anos, e ainda que no início não quisesse, depois acabei por adorar”, confessa, entre risos. “Aos 8, inscrevi-me numa escola de canto tradicional chamada San Martin de Porres, dirigida pelo sociólogo Jesús Bellorín, mais conhecido como ‘El pollo de Nueva Esparta’, e saí aos 16 anos como professor de música tradicional.” A par da participação em escolas especializadas, Silva também se

formou com cultores conhecidos como Alberto ‘Beto’ Valderrama Patiño e Epifanio Ramón Arismendi, conhecido como o ‘Maestro Moncho’, que lhe ensinou a arte do ‘galerón’. “Com eles, aprendi a compor versos de arte menor e maior, quartetos, redondilhas, quintilhas, sextilhas, serventesio, décimas, lira, oitava real e muito mais, e sobretudo a valorizar a imensa riqueza da cultura venezuelana.”

Foi precisamente essa música que lhe permitiu ultrapassar fronteiras para participar em encontros internacionais da décima e do verso improvisado, conhecendo países como Espanha, México, Uruguai, Cuba, Panamá e Porto Rico, para além de ter percorrido a geografia da Venezuela. A juntar a isto, guarda a experiência de ter partilhado o palco com artistas que cantam em português, como Paulo de Freitas Mendoza e Yadir Oliveira, “brasileiros que cantam décima, e foram vivências muito enriquecedoras”. Produções discográficas Silva tem na sua carreira duas produções musicais, uma gravação

com os Topotopos de Margarita, intitulada ‘Al Guanaguanare’, em homenagem a um cultor margaritenho chamado Jesús Ávila e editada pelo Centro Nacional do Disco, uma instituição adscrita ao Ministério do Poder Popular para a Cultura que tem como objectivo difundir a cultura venezuelana; a outra produção, chamada ‘Riqueza musical del estado Nueva Esparta’, foi editada pela Fundação Bigott, dedicada desde 1981 à promoção e apoio da cultura popular venezuelana de raiz tradicional. “Nela encontrarão a ‘jota’, o ‘polo’, a ‘malagueña’ e os diferentes estilos da décima como a gaita antilhana, a gaita margaritenha, o gaitão e até o ‘punto cruzao’”.

Vivências com os avós

Destacável

Muitas são as vivências que vêm à mente de Ernesto da Silva quando se trata dos seus avós paternos, ambos madeirenses: Joaquim da Silva, que morreu com quase 100 anos de idade, e Joaquina Ferreira, aos 90. “O meu avô dedicou-se à construção, e nos tempos livres tocava acordeão, e eu divertia-me muito a ouvi-lo, aquele instrumento era como que uma ligação à sua terra. Também gostava de dominó e foram muitas as tardes que passámos a jogar. a minha avó cozinhava muito bem, a sua forma de preparar o bacalhau era deliciosa, incluía sempre batatas cozidas a vapor nos pratos que confeccionava, azeitonas pretas, vinho do Porto... através dos pratos típicos de Portugal, ela expressava o seu amor pelas suas raízes e pela sua família”, recorda Silva, que herdou o nome do pai. “Lembro-me que tinham uma casa de três andares chamada Villa Cecilia e que ficava em frente ao Parque Central, em baixo ficava a padaria, em cima uma pensão, que a minha avó geria, e mais em cima, o andar onde vivíamos.”

Partilhou o palco com artistas que cantam em português, como Paulo de Freitas Mendoza e Yadir Oliveira, brasileiros que se dedicam à décima.


26 cultura

Setembro de 2014 | correio da Venezuela

MúSica

Sergio Ferreira

Zipi Y Zape Y El club De La canica Quando os travessos gémeos Zipi e Zape são enviados ao Centro Re-educacional Esperanza, descobre, que mais que um colégio, esse lugar é uma cadeia para crianças onde brincar está proibido. Ali fundam o Clube da Canica, a resistência infantil que desafia a autoridade dos adultos. Graças à sua inteligência, à sua valentia e à sua inquebrantável fé na amizade, Zipi, Zape e o resto do clube descobrirão um misterioso segredo que se oculta no colégio e viverão a aventura mais emocionante das suas vidas.

Rodencia Y El Diente De La Princesa Reza uma lenda antiga que dentro dum imenso e selvagem bosque, existe um fantástico reino: Rodencia, um lugar habitado por criaturas maravilhosas e mágicos poderosos. Edam, um torpe aprendiz de mágico, unirá a segura ratinha Brie; e acompanhados dos maiores guerreiros do reino iniciarão uma viagem, na qual enfrentarão os mais surpreendentes perigos para obter um mágico e legendário poder para assim derrotar as obscuras forças comandadas pelo malvado feiticeiro Rotex, que ameaça invadir o reino de Rodencia.

El Planeta De Los Simios Dez anos depois do colapso da civilização humana pela acção do vírus ALZ-113, uma nação de macacos geneticamente evoluídos, liderados por Caesar, é confrontada por um grupo de humanos sobreviventes, que precisam da energia de uma barragem localizada no espaço dominado pelos símios. Este conflito entre macacos e humanos irá definir qual será a espécie dominante da Terra.

Sandra e Ricardo gravam com Oscar D’León Victoria Urdaneta vurdaneta@correiodevenezuela.com

O duo lusovenezuelano lança o seu quinto álbum. Os irmãos Sandra e Ricardo Rodríguez continuam a digressão nacional e internacional no âmbito da celebração de 20 anos de carreira artística. Entre os eventos planeados estão os Concertos Sinfónicos ‘Venezuela e Portugal unidos pela música’, que já apresentaram em Maracay, Valência e Los Teques. Adicionalmente, são imagem comunicacional do Club Sport Marítimo e lançaram no mercado discográfico o seu quinto álbum “que partilhamos com Oscar D’León ‘El Sonero del mundo’. Foi um sonho tornado realidade, cantar junto com um artista e reconhecido artista venezuelano que admiramos

Oiça o tema ‘Un canto para ti hermano- Oye mi canto’ pode ser ouvida em https://soundcloud.com/sandraricardo-rodr-guez/un-cantopara-ti-hermano-oye-mi-canto. O tema foi composto por Sandra Rodríguez, Ricardo Rodríguez, Stabilito, Oswaldo Ponte e Oscar D León, com os arranjos musicais de Luís Romero e o som esteve a cargo do engenheiro Jacques Mottet. arranjos musicais do excelente e querido produtor Luis Romero”, cujo estúdio serviu de laboratório para criar cada canção.

muito desde pequenos, e o nosso querido Oswaldo Ponte, que aceitaram, com muito amor, a nossa homenagem à Venezuela e a Portugal, um carinho musical para todos os venezuelanos e portugueses no espaço geográfico onde se encontrem”, expressa Sandra, que dedica o álbum “à nossa gente: portugueses e venezuelanos.” Entre os músicos participantes estão reconhecidas figuras como

Alejandro “Nené” Quintero (Guitarras), Henry Paul Díaz (guitarras, ‘Cuatro’ porto-riquenho, baixo), Randy Ventura (percussão), Gustavo Aranguren (trompete) e Héctor Velásquez (trombone). O disco também inclui peças com Vânia Fernandes, Xarabanda, Aquiles Baez, Toña Granados, Eduardo Osorio, “entre outros amigos musicais que fomos conhecendo ao longo do tempo, produção com

Vozes da rádio O meio radiofónico é outra plataforma utilizada pelo duo. Sandra faz parte desse meio desde 2001, e actualmente ocupa-se da condução e da produção de ‘Vuelo Musical’, transmitido pela Victoria 103.9fm e Supernova 103.9 fm. Enquanto Ricardo trabalha sob as ondas hertzianas desde 2007 em diversos programas e desde 2010 tem estado na condução e produção de ‘Cien por ciento Portugal’, transmitido pela Galáctica 93.7 fm, pela mão de José Roberto Moniz, e ‘Gaiteando por Galactica’, celebrando as tradições de Natal.

MúSica

Jean de Oliveira impulsiona digressão ‘No más violencia’ Sergio Ferreira Soares sferreira@correiodevenezuela.com

As bandas Candy 66 e Elefreak actuam em vários estados do país Desde o ano passado que o ‘hard rock’ dos Candy 66 e dos Elefreak percorre o país em conjunto para transmitir uma mensagem a favor da paz. A digressão ‘No más violencia’ arrancou a segunda parte com datas agendadas para o Oriente do país. O percurso, que começou a 2 de Agosto em Maturín, inspirou-se na situação sociopolítica que o país viveu nos últi-

mos meses. Jean de Oliveira, luso-descendente e vocalista dos Candy 66, conta que quando a situação dos protestos no país esteve mais dura, decidiram tirar uma foto cada um com uma camisola com a frase ‘No más violencia’ (‘Mais violência não’). “Começou com a ideia simples de enviar uma mensagem, ainda que não chegássemos a muita gente, porque estamos conscientes de que, ao ser uma banda rock, não chegamos ao público de forma massiva, mas a intenção era contribuir com algo. Depois, ocorreu-nos fazer uma digressão motivada pelo mesmo objectivo, e através disso criámos o tema ‘No

Los jóvenes que integran las bandas hacen un llamado a la paz. FOTO: CORTESIA

más violencia’, que a acompanha, e é, com efeito, o mais recente trabalho dos Candy, ainda que não deverá fazer parte do próximo disco”, explicou o jovem talento. O single ‘No más violencia’ já conta com um videoclip dirigido por Cristian Moreno. Estas bandas estão unidas pelo facto de se orientarem para fazer rock e desfrutarem dele em palco.

cronograma

Para além de terem tocado em Puerto La cruz, Barquisimeto, acarigua, Valência e caracas os grupos candy 66 e Elefreak levam a sua digressão a 19 de Setembro em Maracaibo e a 27 em Mérida.


Correio da Venezuela | Setembro 2014

Banquetes

Gales

Salón Majestic Gretchen e Joel unidos pelo matrimónio Fernando Cámara Fotografía: Luis Tovar Foto Estudio

Na noite do passado sábado, 16 de Agosto, o Salão Majestic de Banquetes Gales recebeu a celebração da união matrimonial de Gretchen Hummel com Joel Abreu, na companhia de familiares e amigos. A Igreja de Nuestra Señora Caridad del Cobre, situada na urbanização Santa Paula de El Cafetal, foi a escolhida para a realização da cerimónia religiosa, onde os padrinhos dos noivos, Karina Giuliano, Alberto Hummel e José Melín Abreu, deram as respectivas bênçãos e desejaram uma longa vida de amor e união. Na entrada do salão, as boas-vindas aos mais de 200 convidados foram dadas pelos pais do noivo, Manuel Melín Abreu

e Rosario de Fátima de Abreu, acompanhados pelos pais da noiva, Carlos Alberto Hummel e Rosa Elvira Salas. O início da recepção foi animado por um saxofonista, que se encontrava na pista de baile, enquanto que a Orquestra Luis Morillo esteve a cargo da música ambiente. O tema da festa foi subordinado ao futebol e cada mesa foi identificada com a bandeira duma equipa de futebol: Chelsea, Barcelona, Real Madrid, Sporting de Portugal, Porto, Paris Saint Germain, Manchester United, Arsenal, Juventus, Manchester City, Benfica, entre outros. Por volta das 2 da manhã, teve lugar a actuação do grupo de tambores “Caña y Miel”. Seguiu-se ainda a apresentação dum grupo de “zanqueros”. O bolo dos noivos foi obra da pasteleira Gracia Almeida.

Publicidade 27


28 Cultura

Setembro 2014 | Correio da Venezuela

BELEzA

Victoria Urdaneta

Luso-descendente concorre ao título de Senhorita Desporto tel Alba Caracas. Este ano, o concurso inclui um reality show, que será transmitido a partir de 13 de Setembro pelo sinal do Canal I, onde, para além de se mostrarem bonitos corpos, também serão dados conselhos e alimentação e exercícios físicos. O presidente da Fundação Desporto em Acção e da Organização Senhorita e Mister Desporto Venezuela, Bruno Caldieron, assegurou que este certame aposta em algo mais do que a frivolidade a que por vezes se assiste neste tipo de espectáculos.

Sergio Ferreira Soares sferreira@correiodevenezuela.com

Aventuras congeladas A peça inspirada no filme ‘Frozen’ conta com uma vistosa montagem que inclui mais de 35 actores em palco, efeitos especiais e música ao vivo. Em palco, a dupla da cantora argentina Violetta, junto com 20 bailarinos, interpretará temas como ‘Libre Soy’, ‘Y si hacemos un muñeco’ e ‘La puerta del amor’. A digressão nacional passará, a 10 de Outubro, por Cumaná, a 11 por El Tigre, a 12 por Ciudad Bolívar, a 19 por Maracay, a 24 por Mérida e a 25 por San Cristóbal. Data: sábado 6 de Setembro às 6:00 pm; e domingo, 7, às 2:00 pm e 6:00 pm Local: calle Bella Vista, Anfiteatro El Hatillo

Microteatro Nesta modalidade, os espectadores presenciarão seis peças por noite. Entre cada uma, haverá um intervalo de 15 minutos, e assim poderão passar para outra sala para desfrutar de outra sessão diferente. Os bilhetes estão à venda nas bilheteiras do teatro e vale a pena sublinhar que às quartas e quintas, há uma promoção de 2x1 para estudantes e idosos.

Obras para todos os gostos -‘La culomántica’. Guião e direcção: José Simón Escalona -‘Yo Madonna’. Guião: Julie Restifo. Direcção: Jan Vidal -‘Traicionables’. Direcção: Jonathan Montenegro. Guião: Magly Bello -‘En el mar la vida es más sabrosa’. Guião: Gladys Prince -‘Vías Cruzadas’. Guião: Indira Páez. Direcção: Dairo Piñeres -‘Baño sin rebaño’. Direcção: Manuel Bastos -‘Me iría demasiado’. Direcção: Francisco Denis -‘Corazón Delator’. Guião: Edgar Allan Poe. Adaptação e direcção: César Sierra.

Andrea Bausano representa o Estado de Mérida na competição nacional de beleza A figura de Andrea Bausano tem passado por algumas passerelles de Caracas nos últimos anos. Mas as aspirações desta jovem de 21 anos de idade são maiores. Foi por isso que, na noite de 13 de Agosto, a luso-descendente deu um passo firme no restaurante Ganadero Grill, do Centro Comercial San Ignacio, a Este de Caracas, onde marcaram presença diferentes personalidades para a entrega das faixas e cachecóis às raparigas e rapazes que participam este ano no concurso de Senhorita e Mister Desporto 2014. Durante a jornada, animada por Oriana Grazia e Antonieta Suárez, a luso-descendente Andrea Bausano recebeu a faixa de Senhorita Desporto Mérida, na modalidade de Atletismo, o que lhe assegura um lugar na gala final marcada para o mês de Novembro, no Salão Bicentenário do Ho-

Sete anos na moda caraquenha Nascida a 3 de Novembro de 1992 no Estado de Miranda, há já sete anos que Andrea Bausano frequenta as principais passerelles juvenis na capital do país. “Foi a minha tia foi quem me despertou essa curiosidade e me ajudou a entrar na academia Matisse, e daí

Apoiar Andrea no concurso A Organização relançou a sua página na Internet, www. fundaciondeportesenaccion.org, onde poderá saber mais sobre Andrea e os demais aspirantes a Senhorita Desporto e Mister Desporto Venezuela. Também pode demonstrar o seu apoio a esta luso-descendente através do Facebook “Srta Deporte Venezuela” e do Instagram “@SRTAMRDEPORTEVzLA”.

CLuBES

Eleitas Senhorita e Mini Madeira 2014 José Manuel De Oliveira

Centro Português de Punto Fijo ofereceu uma produção musical baseada no filme Frozen dia Região Autónoma da Madeira. No final da jornada resultaram eleitas, como Senhorita

Madeira, a jovem Angélica Fátima Gonçalves Freire, de 17 anos de idade, e como Mini Madeira a menina María Isabel Da Silva, de 8 anos. Tanto as jovens como as meninas participantes realizaram vários desfiles com trajes e efectuaram provas de talento, sendo o principal o desfile em traje típico da ilha da Madeira. O jurado, que teve a seu cargo o difícil labor de avaliar e eleger as vencedoras, esteve conformado por três membros

comecei a minha carreira como modelo”, conta. Neta de portugueses – os avós são naturais da Madalena do Mar, Madeira -, tem tido pouco contacto com a comunidade lusa que vive no país, no entanto, reconhece as suas aptidões. “Vejo que são muito trabalhadores, empreendedores e gente muito alegre”, e confessa que gostava de conhecer a terra dos avós. Gosta de dança e de representação e integrou diversas peças de homenagem às suas raízes. “Participei em grupos folclóricos desde muito pequena e hoje estou a aprender piano”, um instrumento que a apaixona e no qual quer especializar-se. As aspirações desta jovem talentosa levaram-na a participar, em 2011 , no ‘Astrozodiacal’, onde partilhou o cenário com mais de 100 pessoas com experiências na moda, na animação e na passerelle. Adquiriu conhecimentos nas aulas de Levy Rossel (actor e director de teatro), Mery Cortes (coreógrafa), Gabriel Ceballos (expressão corporal) e Mary Varela (maquilhagem). “Quero seguir esta profissão até onde puder. Chegar à Europa e converter-me numa grande modelo profissional. Planeei entrar numa academia de dança, estudar representação, inglês, canto, entre outras actividades, para ser uma modelo completa”, confessou a jovem ao CORREIO na altura. Às novas gerações que, como ela, querem entrar nas passerelles, a modelo mirandina deixa uma mensagem: “Se é o que verdadeiramente gostam como profissão, têm de ter esperança, paciência, constância e amor à carreira”.


Correio da Venezuela | Setembro 2014

Publicidade 29


30 Opinião

Setembro de 2014 | Correio da Venezuela

O CORREIO da Venezuela não pode ser considerado responsável e/ou patrocinador das opiniões que são expressas neste espaço.

CróniCaS de LiSbOa

O Fim do Capitalismo Popular

Serafim Marques lusitano.ser@gmail.com

Aquando das privatizações das empresas nacionalizadas em 1975, os governos de então incentivaram os pequenos aforradores e os próprios empregados, a adquirirem acções dessas empresas, nas quais se incluíam alguns bancos, vários já desaparecidos por fusão ou aquisições de outros. Criaram, para esse objectivo, condições preferenciais, incluindo benefícios fiscais, para os pequenos accionistas e trabalhadores. A partir daí, muita gente, com pequenas poupanças, passaram a ser “donos” (accionistas) de grandes empresas e bancos e se alguns, mais conservadores, se limitavam a receber os dividendos que entretanto iam sendo distribuídos, embora não insensíveis às variações do valor de cotação dessas acções, outros adquiriram o “vício” do jogo da bolsa e deixaram-se contagiar por ganhos de mais-valias na compra e venda naquele que deveria ser um mercado perfeito, a Bolsa de Valores Mobiliários, mas não o é, porque ali se “joga” muito do actual poder do “dinheiro fácil e transnacional”. O sobe e desce do valor dos títulos cotados, na maioria das situações, não reflecte o valor patrimonial da respectiva empresa mas resulta de vários tipos de “jogos e manipulações”, por vezes pouco

claras que até aos mais “experts” na matérias escapam. É claro que sendo as acções uma parte de capital duma empresa, os reveses nos seus negócios reflectem-se no seu valor de cotação ou mesmo na falência, com a consequente perda dos valores investidos pelos accionistas, de outros credores, dos empregados, do Estado, etc. Se nalguns casos houve erros de gestão ou mesmo gestão danosa e crimes económicos, onde a ganância dos homens e a falta de ética se sobrepuseram a todos os outros valores, nalguns casos são as naturais consequências dos riscos inerentes aos negócios e das crises, por vezes cíclicas e de que o capitalismo precisa para “viver”, que levam à falência. A diversificação em áreas de negócios, com participações de capital que mais parecem uma teia (ou polvo, este no mau sentido), e a globalização, incluindo-se o incontrolável poder do “mundo financeiro”, torna os negócios cada vez mais incertos e, por isso, de maiores riscos. Se assim não fosse, por que razão as diversas entidades envolvidas na regulação e fiscalização, não detectaram os enormes buracos que têm ocorrido, no estrangeiro e em Portugal, estes de terríveis con-

sequências para todos nós, para uns de forma directa e para outros de forma indirecta, porque as crises ocorridas nos bancos portugueses e empresas com interdependência aos mesmo, afectaram-nos a todos, incluindo a imagem do nosso país junto dos mercados financeiros estrangeiros, aqueles que nos emprestam dinheiro, mas que, face a essa imagem de crise, acabam por cobrar um juro tão alto quanto possível, para “compensar” os riscos que correm com esses financiamentos. Até a odiada “Troika”, maioritariamente constituída por jovens tecno-burocratas e sem experiência, não foi capaz de detectar a real situação patrimonial em que se encontrava o BES (Banco) e o GES (Grupo Espírito Santo), ligados umbilicalmente e “alimentados” com balões de oxigénio que, mais cedo ou mais tarde, rebentariam. E são tantas as entidades que têm por missão verificar todo o sistema financeiro (BdP, CMVM, Accionistas de referência - alguns eles próprios bancos, os Auditores, a AT-Autoridade Tributária, etc.). É que um banco, embora seja uma empresa com fins lucrativos, e apesar da “inveja” de muita gente, que nem sequer pensa que o mundo não funcionaria sem bancos e sem

dinheiro, é mau sinal quando não tem lucros, é muito diferente das outras empresas, porque, além da prestação de diversos serviços bancários, são os bancos que “produzem e vendem dinheiro”, ainda por cima que não é deles, pelo que é um negócio assente na confiança dos seus credores (depositantes, prestamistas, etc.). Lembremo-nos que são os bancos as entidades que criam dinheiro, este um “papel físico ou escritural/virtual” representativo duma parte: i)da riqueza presente, fruto dum rendimento ou de ganhos obtidos no passado, por exemplo as poupanças, a venda dum património, etc; ii) da riqueza futura, porque a obtenção dum empréstimo permite ao devedor usufruir de algo que terá que pagar no futuro e, como tal, gerar a respectiva riqueza para liquidar a dívida que contraiu junto do seu banco e este, se os capitais forem insuficientes, refinanciar-se-á junto do banco emissor das notas, neste caso o BCE que, sabe-se agora, se preparava para “asfixiar” o BES se o BdP não tivesse criado o Novo Banco naquele fim de semana apenas com a “carne limpa” do banco mau, para aquele transitando o “lixo tóxico” e os accionistas e outros devedores e credores (...)

finançaS peSSOaiS inStantâneaS

Transferências de dinheiro à volta do mundo

Isabel Idárraga isabel.idarraga@gmail.com

Karina é uma comunicadora social feliz com a sua profissão. É apresentadora dum programa de rádio e professora universitária. Não domina os temas relacionados com finanças mas recentemente foi informada que é a beneficiária de uma apólice de vida que possuía a sua tia mais querida, que acaba de falecer. Para receber os fundos, deve abrir uma conta nos Estados Unidos e não faz ideia como é que se realiza este tipo de instrumentos. Actualmente, a maioria das operações financeiras à volta do mundo são efectuadas por via electrónica e os pagamentos mediante cheques decresceram por

ser menos eficientes e mais dispendiosos. Quase todas as transacções bancárias internacionais são realizadas através de transferências electrónicas e grande parte das que se levam a cabo dentro dos EUA também são realizadas por este meio. Para fazer transferências entre entidades financeiras situadas nos Estados Unidos, é utilizado o código ABA, também chamado código de rota. Foi criado pela American Bankers Association e serve como mecanismo de identificação de bancos ante o Banco da Reserva Federal (FED). Está conformado por nove dígitos e aparece na parte inferior dos cheques e outros

documentos financeiros nos Estados Unidos. Para enviar dinheiro dum país a outro utiliza-se a transferência de dinheiro SWIFT, que surgiu em 1974 com a fundação da Society for Worlwide Interbank Financial Telecommunication, a qual atribui códigos internacionais aos bancos do mundo e sua s diferentes agências. Este consta de 11 caracteres alfanuméricos dos quais, os primeiros quatro identificam a instituição financeira e os dois seguintes o país. Com o objectivo de facilitar a realização de pagamentos internacionais dentro dos países membros da União Europeia, foi criado o código IBAN (International Bank

Account Number), estabelecido pelo Comité Europeu de Padrões Bancários. O mesmo acrescenta, antes de cada número de conta, quatro caracteres: duas letras que identificam o país e dois dígitos de controlo para evitar erros de transcrição. As transferências bancárias electrónicas foram criadas para aumentar a segurança das operações, diminuir os custos financeiros e acelerar a recepção dos fundos. Para que uma transferência deste tipo seja levada a cabo com sucesso, é fundamental conhecer cada um dos dados necessários e assegurar-se de que sejam correctos antes de executar a transacção.


Correio da Venezuela | Setembro 2014

Publicidade 31


saúde em día

32 MISCELÂNIA

Setembro 2014 | Correio da Venezuela

Orégãos, um aliado contra a gastroenterite Sergio Ferreira Soares

Os orégãos são uma erva aromática que não pode faltar na cozinha italiana. E segundo um estudo da Universidade do Arizona, a substância que dá sabor e aroma aos orégãos poderá também ser a chave para combater o norovírus: Um vírus que pode provocar gastroenterite. O carvacrol, um componente muito importante no óleo de orégãos, é a substância que, de acordo com as experiências feitas, actua directamente sobre a cápside do vírus, uma capa dura de proteínas que envolve o vírus e provoca a sua decomposição, o que lhe permite entrar na sua parte interna e matá-lo. “O carvacrol poderia ser potencialmente utilizado como um alimento desinfectante, e, possivelmente, como um desinfectante de superfícies, especialmente em combinação com outros anti-micróbios”, explicou a responsável pelo estudo, Kelly Bright, num comunicado de imprensa difundido pela instituição académica. “Temos muito trabalho para fazer de forma a avaliar o seu potencial, mas o carvacrol tem uma forma

única de atacar o vírus”, acrescentou. A responsável assinalou ainda que é um desafio trabalhar com a forma humana de norovírus, pois é resistente à maioria dos anti-micróbios, como o peróxido de hidrogénio, cloro, amoníaco e álcool. “Trata-se

de um vírus muito difícil”, disse Kelly Bright. O “norovírus pode sobreviver durante semanas e inclusive meses no ambiente”. A investigação foi levada a cabo utilizando a forma do vírus em ratos, que se considera a mais semelhante na sua resistência aos agentes antimicróbios e desinfectantes. Foi

descoberto que o óleo de orégãos teve uma eficácia limitada, mas o carvacrol resultou numa redução de quase 10 mil vezes na infecção viral, com 99.99% de efectividade contra o vírus. Se bem que a acção do carvacrol é mais lenta que a de muitos desinfectantes, como a

lixívia, que actuam em questão de minutos, ou inclusive segundos. A boa notícia é que, devido à acção que tem sobre as proteínas externas do vírus, é pouco provável que o norovírus desenvolva resistência. Para além disso, é seguro, não corrosivo, e não produz nenhum gás ou sub-produto perigoso.

Pensa Verde Carla Salcedo

Movimento ‘Cultive você mesmo’ em crescimento Nos últimos anos, inúmeros países empreenderam uma cruzada contra o consumo excessivo de certos produtos, abrindo caminho a um movimento que foi crescendo com força, sob o nome de ‘Faça você mesmo’, ou ‘Cultive você mesmo’. Já ouviu falar? Se visitou a Europa, ou algumas zonas dos Estados Unidos, provavelmente sabe a que me refiro. Segundo um estudo da National Gardening Association (NGA), dos EUA, os produtos colhidos em hortas próprias adquiriram uma popularidade nunca antes vista, registando importantes números em 2013, e já este ano, do que já se pôde ver em alguns números provisórios. Esta instituição enfatiza que o movimento ‘Cultive você mesmo’ fez com que os americanos dos EUA tivessem gasto, em 2013, cerca de 3,5 mil milhões de dólares em sementes, terra para vasos, produtos para o crescimento e desenvolvimento

Sabia que…?

segredos de cozinha

Carla Salcedo

Rir faz bem à saúde Quantas vezes ouviu que o riso é o melhor exercício que existe? E na realidade, quantas vezes o praticou? Pois bem, um estudo realizado recentemente confirmou muitas das teorias existentes sobre o riso, mas sobretudo todo o facto de que o riso eleva o cérebro a um estado elevado de meditação e êxtase. Precisa de mais razões para rir? Temos mais, para além de que pode ajudar a melhorar a memória. Rir também ajuda a reduzir os efeitos do stress no corpo humano, minimizando as consequências negativas que este sentimento produz no corpo. Como é que isto acontece? Acontece que o stress produz cortisol, uma hormona que aumenta o açúcar no sangue, suprime o sistema imunológico e pode afectar negativamente a memória e a

das plantas, e outras ferramentas. Ou seja, um em cada três lares nos Estados Unidos cultiva grande parte do que consome. Além disso, os alimentos cultivados aumentaram em 43%, enquanto o apoio comunitário em relação à jardinagem aumentou até 200%. Este estudo também permitiu conhecer aspectos mais profundos do movimento, como a razão de as pessoas terem aderido, e os especialistas chegaram à conclusão de que é precisamente porque os produtos cultivados em casa sabem melhor do que aqueles que são comprados no mercado, para além de serem mais baratos, e muito mais saudáveis, na opinião dos entrevistados, que também acrescentaram que as tarefas agrícolas funcionam, em grande parte, como uma terapia ocupacional para livrar-se do stress, ansiedade e tristeza, para além de melhorar o aspecto das casas.

Perna de Porco com mel Receita por: Ângelo Edgar Moniz Prato elaborado por: Cozinheiro Fábio Jardim - Four Views Hotels

Ingredientes

capacidade de aprendizagem das pessoas mais velhas, e para além disso contribui para uma série de problemas de saúde, como a tensão alta, diabetes e doenças do coração, e o humor combate muito bem essa hormona.. Rir ou simplesmente desfrutar de um pouco de humor aumenta a libertação de endorfinas e a dopamina no cérebro, o que proporciona uma sensação de prazer e recompensa, e é ali que se produzem as alterações neuroquímicas positivas, que são muito benéficas porque fazem com que o sistema imunológico funcione melhor. Para além disso, também ampliam a memória e a recordação. Mas se não lhe basta, cada vez

que você ria, mais de 200 músculos movem-se no corpo, o que na realidade é um bom exercício, o que ficou comprovado ao longo dos anos, assim como o facto de que as pessoas alegres são mais bem aceites na sociedade do que as que não são. Por último, e se por acaso restam dúvidas para ter sempre um sorriso, os estudiosos da matéria asseguram também que quem mais ri, mais longevidade pode vir a ter, e se formos para o campo da psicologia, o efeito que um sorriso tem em quem o recebe pode abrir muitas mais portas do que quem tem uma expressão negativa ou neutra. Não duvide mais, e comece a rir.

∙ 800gr de perna de porco ∙ 1 dl de vinho branco ∙ 2 colheres (sopa) mel ∙ 0.5 dl azeite ∙ Sal e pimenta q.b.

Preparação

1

Corte a carne em pequenos cubos e reserve.

2

De seguida misture o vinho com o mel e o azeite e regue a carne.

3

Tempere com sal e pimenta e deixe marinar durante 1 hora.

4

Depois de marinado escorra a carne e coloque a grelhar.

5

Sirva com arroz de ervilhas.


Publicidade 33

J-00360930-7

Correio da Venezuela | Setembro 2014

4ta. Transversal, entre A. Andr茅s Bello y Alfredo Jhan. Urbanizaci贸n Los Palos Grandes, Caracas, ZP 1060


34 Desporto

Setembro de 2014 | Correio da Venezuela

Portugal

QuAlifiCAção Euro2016

Portugal envergonhado em casa pela Albânia CORREIO / LUSA

Um golo de Balaj, no início da segunda parte, castigou os lusos por um jogo de parca inspiração e inexistente capacidade de finalização Portugal entrou com pé esquerdo na qualificação para o Euro2016 de futebol, no domingo, 7 de Setembro, com uma surpreendente derrota por 1-0, frente a Albânia, numa partida em que acabou por merecer o ruidoso coro de assobios com que terminou o jogo. Um golo de Balaj, no início da segunda parte, castigou os lusos por um jogo de parca inspiração e inexistente capacidade de finalização, que tornou ainda mais relevante a ausência do lesionado Cristiano Ronaldo. Depois da pobre exibição, que valeu a Paulo Bento muitos lenços brancos agitados nas bancadas, Portugal vê a sua margem de erro para esta fase de qualificação diminuir substancialmente, tendo a seguir um teste de fogo, na visita à Dinamarca. Da tão propalada renovação que muitos clamavam a Paulo Bento para a equipa nacional, no primeiro jogo após a desilusão do Mundial do Brasil, o seleccionador introduziu algumas alterações

no seu habitual “onze”, deixando Miguel Veloso e Raul Meireles no banco e apostando em William Carvalho e André Gomes para as manobras da intermediária. A mexida deu um pouco mais de solidez ao meio campo nacional, mas retirou-lhe alguma criatividade que se repercutiu na produtividade da frente de ataque, na qual a ausência de Cristiano Ronaldo foi bem evidente. As crónicas dificuldades na finalização da “equipa das quinas” vieram ao de cima desde os instantes iniciais. Os lusos não sentiram dificuldades em assumir a iniciativa de jogo, mas nos momentos cruciais,

em frente à baliza albanesa, nunca tiveram a inspiração necessária. Ainda antes do quarto de hora, Nani, que surgiu como capitão na ausência de CR7, espelhou isso mesmo, não conseguindo ser eficaz no desvio após passe de João Moutinho. O número de 17 de Portugal foi, ao longo do jogo, um dos mais inconformados, mas faltou-lhe companhia à altura na frente de ataque. Éder foi quase sempre anulado pelos albaneses e Vieirinha, além de um remate de cabeça, perdeuse em deambulações inconsequentes.

Além da desinspiração de Portugal, a Albânia justificava o arrastar nulo com uma postura defensiva irrepreensível e uma atitude aguerrida, que, mesmo sendo inconsequente no ataque, conseguiu manter o empate até ao intervalo. Paulo Bento tentou imprimir maior dinâmica na equipa no regresso do descanso, apostando em Ivan Cavaleiro para o lugar de Vieirinha. No entanto, acabou por ser Albânia, número 67 do “ranking” da FIFA, a entrar melhor na etapa complementar. Depois uma primeira ameaça, com um cruzamento venenoso, Balaj, na jogada seguinte,

imprensa mundial fala de surpresa e vergonha Surpresa e vergonha são algumas das palavras utilizadas pela imprensa desportiva estrangeira para classificar a derrota, por 1-0, de Portugal frente à Albânia no primeiro jogo de apuramento para o Europeu de futebol de 2016. o jornal espanhol AS fala em “Vergonhosa derrota de Portugal frente à Albânia”, considerando que, no primeiro jogo do Grupo i, a equipa orientada por Paulo Bento protagonizou “uma das suas piores exibições”. o também espanhol El País refere que Portugal protagonizou “outro fiasco” e entende que “a impotência demonstrada pela seleção de Paulo Bento no Mundial do Brasil voltou a repetir-se no primeiro jogo de qualificação para o Euro2016”. Com o título “Portugal começa muito mal” o diário desportivo francês l’Equipe fala em surpresa total em Aveiro “onde Portugal perdeu pela primeira vez com a Albânia” e considera que “a caminhada lusitana para o Euro começou muito mal”. Na Dinamarca, o Sporten entende que “Houve uma grande surpresa” no Grupo i “quando os favoritos portugueses perderam 0-1 em casa com a Albânia”. os dinamarqueses são os próximos adversários de Portugal no Grupo i, depois de domingo terem vencido a Arménia por 2-1, num encontro em que estiveram a perder por 1-0. Na Albânia, o sítio de informação desportiva Sport.albeu dá, naturalmente, grande destaque à prestação da selecção orientada pelo italiano Giovanni de Biasi, dedicando uma foto galeria ao encontro de domingo. logo após o jogo, o Sport.albeu falou com Bekim Balay, que num curto vídeo dedica o golo apontado aos 52 minutos “à família e a todos os albaneses”.

“gelou” o municipal de Aveiro com um remate pleno de oportunidade aproveitando a displicência dos centrais portugueses, que hesitaram na marcação ao avançado albanês. Com o estádio incrédulo, Paulo Bento não demorou a tentar inverter o inusitado resultado, lançado, primeiro Ricardo Horta para o lugar de William Carvalho e, mais tarde, abdicando do central Ricardo Costa rendido por Miguel Veloso. Face às mexidas e perante o natural recuo do adversário, Portugal intensificou a pressão sobre Albânia. Nani tentou de todas as formas chegar ao empate, nomeadamente numa cabeçada desastrada em posição privilegiada (76), mas foi o estreante Ricardo Horta, pouco antes, quem esteve mais perto de marcar com um remate de longe devolvido pela quina da baliza (70). Com o avançar do cronómetro as investidas lusas deixavam de ter coerência que se impunha para se resumirem em desesperadas tentativas de inverter a desvantagem, não raras vezes travadas por uma barreira de voluntariosos albaneses. Fábio Coentrão e Ricardo Horta ainda tentaram inverter o desastre com remates de longe, mas com uma pontaria condizente à pálida exibição lusa, que terminou o jogo debaixo de um coro de assobios e com lenços brancos para Paulo Bento. Portugal, que ocupa a última posição do grupo, visita a 14 de Outubro a Dinamarca, no mesmo dia em que a Sérvia – que ainda não se estreou – recebe a Albânia.


Correio da Venezuela | Setembro 2014

Publicidade 35


36 Desporto

Setembro 2014 | Correio da Venezuela

Venezuela

Futebol

Daniel Da Silva voltou aos relvados

soltas

Fernando Camara Fcamara@correiodevenezuela.com

Uma lesão no joelho afastou o médio-campista luso-descendente da competição durante mais de um ano Daniel Da Silva regressou aos relvados após um interregno de 455 dias. Uma rotura de ligamentos no joelho direito, sofrida em Barinas, a 22 de Maio de 2013, constituiu a razão do afastamento. Em 20 de Agosto último, o jogador foi titular e jogou durante 68 minutos contra o Estudiantes de Caracas na Copa Venezuela. Cabe recordar que, quatro dias depois jogou os últimos 22 minutos ante o Tucanes de Amazonas. O processo de recuperação foi muito duro. Para um futebolista, estar lesionado durante mais de um ano é doloroso. “Na verdade, foi uma etapa da minha vida bastante intensa, na qual tive de passar por momentos muito duros. Mas, com a ajuda da família e das pessoas mais próximas, fui levando a coisa”, disse. Já olha em frente, virou a página, e concentra-se na recuperação da forma de forma a alcançar a plena condução física. “Graças a Deus, depois de um ano e dois meses pude disputar uma partida oficial. Estou muito contente porque não foi fácil o período de recuperação, pois tive que pôr mui-

O piloto venezuelano Pastor Maldonado (Lotus) terminou em 14.ª lugar o Grande Prémio de Itália de F1, referente à 13.ª proba do Mundial, que se disputou em Monza no passado, domingo 7 de Setembro, e que foi ganha pelo inglês Lewis Hamilton (Mercedes). “Foi um dia sem muita acção, mas bom para chegar à meta. Efectuei uma boa saída e uma primeira volta forte, o que me deu uma boa posição e fui capaz de adiantar-me aos Sauber”, explicou Maldonado, único venezuelano a vencer um Grande Prémio de Fórmula Um, o de Espanha de 2012, disputado no circuito de Montmeló, em Barcelona. “Estávamos correndo com um ritmo consistente e sem qualquer medo dos carros que seguiam na nossa perseguição”, acrescentou o piloto.

Os jogadores portugueses venceram na final, disputada no Estádio dos Coqueiros

trajectória os primeiros passos no mundo do futebol foram dados no Colégio San Agustín de el Paraíso. Aqui passou pelas mãos de José Hernández (o seu actual Dt), Francesco Stifano (treinador do Portuguesa), Jhonny Ferreira (estratega do Carabobo FC), enrique Maggiolo (categoria sub-18 do Atlético Venezuela, entre outros. Aos 15 anos, participou no Sul-americano sub-15 de Santa Cruz de la Sierra, bolívia. Quando voltou ao país, estagiou com o conjunto sub-17 do Caracas Fútbol Club e ficou. Aqui completou a sua formação e jogou até à temporada 2010-11. Na época seguinte, foi cedido ao Atlético Venezuela, que havia descido à segunda divisão. teve um papel muito importante no regresso da equipa à primeira categoria. o seu contrato com os ‘Rojos del Ávila’ terminou e decidiu assinar pela equipa nacional. Hoje em dia é um dos jogadores mais antigos da jovem colectividade, a qual foi fundada em 2009. Agora trabalha arduamente para recuperar o nível anterior e relançar a carreira.

Quando a minha viu que podia estar bem, que entrei na convocatória, foi gratificante para eles (a minha família) porque vivem o meu dia a dia, vivem as mesmas emoções que eu” to da minha parte. Também com a ajuda do corpo médico da equipa, com o fisioterapeuta Carlos Gil, fizemos um duro trabalho com duplo e triplo turno em distintos lugares: campo ou consultório. Todo isso me permitiu treinar a par dos meus companheiros. Sei que tenho muitas coisas para melhorar no capítulo do físico já que não é fácil estar a par do grupo. O ritmo futebolístico não se agarra da noite para o dia. E estou mentalizado em ser o mesmo de antes, o daquela pré-temporada em Barinas”, relatou. A etapa entre a recuperação e possuir o ritmo futebolístico adequado requer um tempo prudencial, ou seja, não é algo que se produza de um momento para o outro. “Não foi fácil. O que

mais custa é a parte física. Não é o e mesmo que trabalhar a par do grupo, por fora com o fisioterapeuta e o preparador físico, com os companheiros nos treinos e nas partidas, ir ao choque, entre outras coisas. Quem não está no mundo do futebol poderá não o entender, mas são coisas que pouco a pouco vou melhorar e reconquistar essa parte física”, explicou. O treinador da equipa, José Hernández, tem sido um suporte em todo momento. “O professor sempre me deu o seu voto de confiança e de apoio. O que me disse foi que desfrutasse do encontro, que me soltasse para jogar”, disse. A sua família tem sido vital para superar tudo o que teve de viver neste périplo.

No passado dia 6, Miguel Cabrera alcançou os resultados de Andrés Galarraga, com 30 encontros com dois ou mais quadrangulares. Até agora, o atleta oriundo de Maracay tem 28 jogos, dois ‘jonrones’ e duas de três batidas de volta completa. A juntar a isso, alcançou a sua 11.ª temporada com pelo menos 20 ‘bambinazos’. Uma operação conjunta entre o Instituto Nacional de Hipódromos (INH), a Comissão Presidencial para Refúgios Dignos (Copredig), a Guarda Nacional e outros organismos desocupou totalmente, na tarde do dia 5, aTribuna A do Hipódromo de La Rinconada, em Caracas, que estava ocupada por desalojados desde Dezembro de 2010. O director geral do INH, Fernando Valentino Monsantos, disse, em conferência de imprensa, que o espaço será encerrado para recuperação e para colocá-lo apto para a Série Hípica do Caribe, que decorre em Dezembro no ovalo da capital. No passado fim-de-semana, o INH abriu de novo ao público a tribuna C, para a Gala Hípica de Caracas. O Instituto espera fazer um grande investimento para reparar ambos os espaços para os adeptos.


Correio da Venezuela | Setembro 2014

Perfil

Jhonny Ferreira: um lusodescendente em terras valencianas

Desporto 37 soltas

Fernando Camara Fcamara@correiodevenezuela.com

A Austrália bateu a Venezuela por 3-2 sobre Venezuela na 5.ª jornada do XVIII Campeonato Mundial de Voleibol, Polónia 2014, que se leva a cabo neste país europeu até o próximo 21 de Setembro. Com o marcador empatado, os australianos forçaram um quinto set ao vencer pelos parciais de 25-16. No set decisivo, os oceânicos impuseram-se por 15- 9, deixando a ‘vinotinto’ fora do torneio. Venezuela despediu-se da prova com 1 vitória e 4 derrotas.

Antes de chegar à equipa granate, foi assistente técnico de Ceferino Bencomo no Caracas FC. Jhonny Ferreira é um treinador de futebol que dirige actualmente o Carabobo Futebol Club. Nasceu em Caracas a 5 de Dezembro de 1977. Os pais são portugueses, da ilha da Madeira: O pai é de São Gonçalo e a mãe é do Caniço. Começou a jogar futebol em criança, completou o processo de formação, mas não chegou a ser profissional. “Comecei a jogar no Colégio Santo Tomás de Aquino. Fiz todas as categorias jovens. Daí passei ao Santo Tomás de Villanueva e tive oportunidade de conviver com Lino Alonso, com quem criei uma bonita amizade e hoje em dia conversamos muito diariamente. Depois, estudei no José Rafael Pacheco e fiz o bacharelato”. Os seus primeiros passos como treinador foram dados com crianças. “Tínhamos uma equipa de futebol de salão, conseguimos fundar a primeira equipa de futebol do colégio, e entrámos na liga do distrito. Fui um jogador amador, fui me ligando à instituição e comecei a treinar os juvenis. Passei para o San Agustín de El Marqués, onde fiquei uns tempos, e depois saltei para o San Agustín de El Paraíso, finalizando assim todo o meu percurso pelo futebol base”, contou. Chegou ao Caracas Futebol Club em 2010. Ceferino Bencomo, director técnico do conjunto da capital nessa altura, chamou-o para que fosse o seu assistente técnico. “Digo sempre que essa época foi a minha pós-graduação, pelo que acabas por ficar preparado. No futebol base, o treinador ensaia e comete erros que acaba por corrigir com o tempo. Em Caracas, trabalhei com o futebol profissional, é muito diferente do que trabalhar com crianças, e o mesmo desporto tem diferentes formas e conceitos. A minha passagem ali foi uma aprendizagem total, e estarei eternamente grato a Ceferino”, disse. Saiu dos ‘Rojos del Ávila’ na

Dado Ferreira preparou-se em quatro países: Portugal, Brasil, Argentina e Espanha. Em 2009, estive com o Marítimo da Madeira”

Como típica família portuguesa, o futebol faz parte da nossa vida diária. O meu pai é adepto do futebol de todos os níveis.” campanha de 2012-13. Na temporada seguinte, Bencomo tomou as rédeas da selecção nacional sub15, e foi contratado pelo Carabobo para que fosse o estratega da equipa. Um passo grande no seu trajecto. “Como assistente técnico, fui um treinador que gostava de trabalhar no campo. Em Caracas, pude exercer vários exercícios no terreno de jogo, desde conceptuais a trabalhos tácticos específicos. Acho que a maior diferença é a hora de tomar decisões, o que significa ser o técnico principal, e foi isso que me custou um pouco mais, por tudo o que abarca. Não é só gerir um plantel de jogadores, é também fazer andar os trabalhos, o corpo técnico, estar atento a qualquer situação que se possa viver diaria-

mente e os diferentes micro ciclos, sejam semanais ou mensais. Já estou completamente adaptado, sendo muito comunicativo com os jogadores e com todas as pessoas que estão na instituição. É um trabalho duro porque acaba com a vida social, porque te embrenhas totalmente nisto”, relatou. O passo que deu com a equipa granate foi satisfatório. “É uma aprendizagem importante. Estrear com o Carabobo leva-me a uma aprendizagem ainda maior, por tudo o que significa, o que era no momento em que agarrámos a equipa, com muita humildade, e no que a pudemos transformar. Uma equipa que pode ir a qualquer campo e tem o respeito que merece. O carinho das pessoas foi

impressionante, desde o dia em que chegámos até hoje”, assinalou. Não segue nenhuma filosofia específica. Antes pensa que deve evoluir com o passar do tempo. “O futebol é algo muito complexo, tem tantas variáveis que é difícil adaptar-se a uma filosofia especifica. Sou do tipo de treinadores que pensa que a profissão exige uma preparação constante. Há que preparar-se diariamente para poder transmitir os conhecimentos correctos aos jogadores. Agarrome a isso. Acho que observamos os técnicos venezuelanos, vemos gente de muito bom nível que se prepara. Por isso, vemos como o futebol venezuelano se profissionalizou tanto. Desde César Farías a Chita Sanvicente, deixam uma marca porque procuram evoluir, porque procuram preparar-se. Indistintamente, penso que o ideal é não ficar pelos conhecimentos prévios”, expôs. Em Portugal, o futebol é uma paixão. Na sua casa, também o é. Isso influenciou a sua vida. “Como típica família portuguesa, o futebol é parte da nossa vida diária. O meu irmão foi futebolista amador. O meu pai é adepto do futebol de todos os níveis. Desde pequeno que via uma bola e isso marca porque faz parte do nosso crescimento”, expressou.

O venezuelano Gregor Blanco tinha uma marca de 306 jogos sem cometer um erro, era a mais longa entre todos os ‘jardineiros’ da Liga Nacional. No dia 5, não conseguiu uma linha de Bryan Holaday, receptor dos Tigres de Detroit. O último ‘pecado’ cometido pelo crioulo remonta a 3 de Julho de 2012. A suspensão partida levou à perda de controlo do bólide na primeira curva e marcou o abandono prematuro de Johnny Amadeus Cecotto da 18.ª prova do GP2 Series que se disputou no domingo, 7 de Setembro, no circuito italiano de Monza. Johnny partiu da 10.ª posição na corrida curta e ao apagarem-se os semáforos teve uma boa reacção ao melhorar um par de posições, mas ao chegar à primeira curva foi embatido na parte traseira pela máquina de Nathanael Berton. Contudo, antes de completar a primeira volta, a suspensão traseira do bólide de Cecotto cedeu, levando o piloto a perder o controlo para de imediato embater no auto de Berthon na metade da curva Parabólica.


38 Desporto

Setembro 2014 | Correio da Venezuela

Venezuela

GiNÁSTiCa

Katriel de Sousa na selecção nacional Carla Salcedo Leal csalcedo@correiodevenezuela.com

A jovem ginasta recebeu os convites internacionais da delegação, e viajará até à China para participar no Mundial. A ginasta Katriel de Sousa Sierra está cada vez mais próximo de alcançar os seus sonhos, como confirmou ao CORREIO numa entrevista recente, na qual falou da sua entrada como reforço na selecção nacional de Ginástica da Venezuela, chamada que lhe deu a oportunidade de participar nas pré-classificações para os Jogos Pan-americanos do Canadá 2015, a realizar-se em Toronto. Entre a sua atarefada agenda de treinos, Katriel narrou as experiências vividas este ano, que correspondem a mais um passo para alcançar as suas metas. “Já nos classificámos como equipa aqui na Venezuela, para representar o país nos Jogos de Toronto 2015. Agora

vêm as classificações oficiais, mas foi uma experiência muito especial, porque partilhei com vários atletas de nível pan-americano, que foram durante anos a minha inspiração, e isso impulsiona-me a seguir os seus passos e a seguir em frente para cumprir o meu sonho”, adiantou a ginasta, o mais jovem membro do grupo até agora. No início do mês de Julho, Katriel também recebeu uma chamada que a apanhou de surpresa, quando a delegação tricolor a convidou a participar no Festival Panamericano, celebrado no México. “Essa experiência abriu-me muitas portas, conheci muita gente grande deste desporto, ginastas e professores, fiz muitos contactos e puderam ver a minha participação, o que é muito positivo, e depois chamaram-me, voltaram a convidar-me. A minha família, a minha treinadora, todos estamos muito felizes, porque ainda que tudo tenha sido muito rápido, sinto que o meu sonho está a tornar-se realidade. Faço parte da selecção nacional, e agora vou para a China”, adiantou a luso-venezuelana. Em menos de um mês, a ginasta vai entrar num avião rumo à China a fim de participar o Mundial de Gi-

nástica, o que a mantém ocupada. E como se não bastasse, também foi convocada para as eliminatórias dos Centro-Americanos, que se realizarão em Novembro, na cidade de Veracruz, México. “A verdade é que estou a treinar muito, sem descanso, todos os dias, mas estou muito contente. Esta é a minha primeira competição importante internacional, e em princípio vou como reforço, porque continuo a ser a mais pequena da equipa, e o objectivo é que a equipa se classifique, equipa em que está Jessica López, que é quem tem mais possibilidades de subir ao pódio. Em princípio, aqui na Venezuela faz-se umas testes para ver quem vai passar em cada aparelho, mas tenho muitas expectativas porque para os Pré-Pan-Americanos participei em três aparelhos e as minhas três participações somaram pontos à equipa, pelo que acho que se continuar a treinar muito, posso passar com qualquer dos quatro aparelhos que domino”, adiantou, entusiasmada. E é com fé em Deus e o seu talento que Katriel agradece a chamada para a selecção nacional, na qual teve, além disso, oportunidade de partilhar com aquela é um

MaDeira

Futebol de salão e nostalgia Agostinho Silva DN MADEIRA

O torneio relâmpago, restringido a maiores de 45 anos dentro do campo, contagiou a gente de todas as idades Três das equipas que antigamente fizeram furor no Largo da Achada, e uma formação da A.D. Camacha em Caracas, reviveram na última sexta-feira, 29 de Agosto, outros tempos na vila camachen-

se. O torneio relâmpago, restringido a maiores de 45 anos dentro do campo, contagiou a gente de todas as idades que se concentrou no Largo da Achada. Uma jornada

nostálgica dentro e fora de campo que remexeu algumas emoções e provocou o desejo de ver repetida a iniciativa. Sexta-feira a organização este-

CoMuNiDaDe

Centro Marítimo organiza almoço em honra do Benfica Fernando Cámara

dos seus grandes exemplos a seguir, Jessica López, que teve oportunidade de deixar bem alto o nome da Venezuela em competições internacionais, e que se converteu numa referência da disciplina, no desporto nacional.

ve a cargo da Secção Desportiva da Casa do Povo da Camacha que aceitou o repto de um grupo de camachenses a residir em Caracas, e que na Venezuela fazem questão de envergar a camisola da A. D. Camacha nos torneios de futsal. O primeiro jogo do torneio relâmpago opôs precisamente os “venezuelanos” da A. D. Camacha a uma representação dos Unidos. Passou à final a equipa emigrante, liderada por Gilberto Gonçalves, após o desempate por grandes penalidades. O segundo jogo também foi renhido, com o Dinamo 84 a sucumbir perante o Flamengo. Nos jogos finais, o Dinamo 84 bateu facilmente os Unidos já com poucos recursos, enquanto Flamengo e AD Camacha/Caracas protagonizaram a disputa do primeiro lugar de forma aguerrida, com o Flamengo a superiorizar-se e a sagrar-se primeiro campeão desta jornada nostálgica, que teria uma espécie de prolongamento na magnífica Casa dos Salgados.

Salão Luso foi o local escolhido para realizar a iniciativa No próximo domingo, 14 de Setembro, pelo meio-dia, no Centro Marítimo da Venezuela em Turumo, Estado de Miranda, será organizado um almoço-convívio em honra do Sport Lisboa e Benfica Venezuela. O Salão Luso foi o local escolhido para a realização desta iniciativa, na qual participarão os grupos musicais: “Tres lusitanos” e “Melodías de Siempre” do Centro Marítimo da Venezuela. Estima-se que o evento venha a terminar entre as seis e as sete da tarde. Segundo a organização, o almoço está aberto tanto a sócios como qualquer outra pessoa interessada em participar neste evento. A organização está a cargo dos membros do grupo Amigos do Benfica: Manuel Pereira, Manuel Gomes, Fernando Ferreira, José Manuel Ferreira, Alfredo Amaral, Manuel Farinha, António Barbosa e Manuela de Ornelas. A iniciativa terá lugar na seguinte morada: Av. principal de Turumo, Urbanización Turumo, Edo Miranda, Caracas (a 5 minutos de La Urbina). Mais informação poderá ser obtida através dos seguintes números de telefone: (+58-212) 244.1937 / 2441437.


Setembro 2014 | Correio da Venezuela

Desporto 39

CluBeS

CP realiza Torneio de Ténis de Mesa CluBeS

Centro de Barinas realiza actividades desportivas Fernando Cámara

Sócios do clube podem competir ou passar bons momentos de lazer a jogar Futebol, Softball e Bolas Crioulas O Centro Português de Barinas está a desenvolver na actualidade várias modalidades desportivas para providenciar momentos de lazer aos seus sócios, entre as quais se destacam o Futebol, Bolas Crioulas e Softball. Para o futebol estão disponíveis diversas categorias: ‘Semillitas’, pré-infantil, Infantil C - B

- A e Primeira Categoria, cujas equipas estão a disputar o campeonato estadual. Em termos de classificação, as diferentes equipas encontram-se actualmente posicionadas da seguinte forma: ‘Semillitas’, 4.º lugar de 9; pré-infantil, 6.º lugar de 16, Infantil C - B - A: 2.º lugar de 19, 7.º lugar de 18 e 9.º lugar de 14, respectivamente, e primeira categoria: 4.º lugar de 22 equipas. Sublinhe-se que José Manuel Rey tem participado em vários treinos das categorias jovens. O clube promove um torneio interno de softball, destinado a pessoas maiores de 55 anos de idade, e que se chama “Liga Súper Light”. A lista de equipas participantes: Los Blancos, La Billo’s Caracas Boys, Súper Combo Los Tropicales, Los Máster de Maracaibo, Riverside de

CluBeS

Centro Social Madeirense promoveu Torneio de Softball Fernando Cámara

O Centro Social Madeirense, promoveu, na passada sexta-feira, 29 de Agosto, o Torneio de Softball COPA NAVIDAD 2014 com o Torneio Interno “Copa Paulino Ramos” , no qual a máxima autoridade da Instituição lançou a primeira Bola. O responsável do clube recebeu uma placa que continha a seguinte inscrição: “Homenagem feita em

agradecimento pelo inestimável apoio às iniciativas desportivas que engrandecem o espírito da nossa instituição”, e assinada por José Barbosa, presidente da Comissão de Softball e por Oswaldo Zavarce, Tesoureiro da referida Comissão. Refira-se que o Comité de Desporto convidou todas as crianças entre os 4 e os a 14 anos para se inscreverem ‘Escuela de Béisbol Menor’.

Barinas e Los Melódicos. Também existem conjuntos masculinos dedicados ao jogo de Bolas Crioulas, embora o seu campeonato ainda não tenha começado. Em relação à Liga Interna Super Light, refira-se que o Riverside de Barinas sagrou-se campeão, tendo os lugares seguintes da classificação sido ocupados pelo Super Combo Los Tropicales, Los Melódicos, La Billo’s Caracas Boy e, por último, o Los Blancos. No sábado, 13 de Setembro, será inaugurada a Copa Navidad da Liga Super Light, que terminara a 15 de Dezembro com “frías” e “ternera a la llanera”. Cabe destacar que o clube dispõe de dois campos de futebol naturais, um de softball e dois de bolas crioulas, além de um outro para a prática do voleibol.

Fernando Cámara

Dois a três membros por esquipa, e com três categorias distintas A Direcção de Desporto do Centro Português, em Caracas, promove, a 27 de Setembro, um Torneio Relâmpago de Ténis de Mesa, no campo ‘frontón / Madeirabol’, unicamente para sócios, e com equipas de dois a três membros. As inscrições arrancaram a 28 de Agosto e terminam a 24 de Setembro. As categorias são as seguintes: Benjamin – Alevin (2004-2005, 2002-2003); Infantil – Cadete (2000-2001, 1998-1999); Juvenil – Libre (desde 1997 em diante, sem limite de idade). As equipas deverão apresentar-se devidamente equipadas, sendo que a utilização dos jogadores fica a cargo do treinador, capitão ou delegado. Contudo, terão que identificar quais os jogadores que participarão nos

jogos individuais e de pares. Serão disputados ao melhor de três encontros, sem possibilidade de efectuar alterações em nenhum momento depois de notificar na lista a apresentar antes do primeiro jogo. A sequência levada a cabo da seguinte forma: 1.- Jogo de pares, 2.- Jogo Individual, 3.Jogo individual. Vencerá o jogo a equipa que some dois 2 pontos, como mínimo, e 3 como máximo, avançando na fase de eliminação directa por equipas, que se disputará a três sets, e na qual se utilizarão duas mesas para a realização da competição. O saque é livre na vertente individual, enquanto que na de pares a bola deverá passar a linha do meio. Assim, cada jogo será para quem chegar primeiro a onze pontos e dois de vantagem. O jogador perderá o ponto se tocar na mesa com a sua mão livre. O formato é de chaves e a final de eliminatória simples. Como dato relevante: Se um dos jogadores abandonar a partida, não há direito a troca e, em consequência, a equipa perderá.


imagens da semana Cada venezuelano produz 10 toneladas de CO2 por ano Cerca de 10 toneladas de CO2 por ano é quanto produz cada venezuelano, segundo um estudo da Universidade de Los Andes (ULA) citando dados o Banco Mundial, do Ipcc - Grupo Intergovernamental de Especialistas Sobre as Alterações Climáticas das Nações Unidas; a Comissão Económica para a América Latina e o Caribe (Cepal) e a Organización Internacional das Madeiras Tropicais (Oimt). A crifa coloca a Venezuela entre os 20 países que emitem maiores quantidades de dióxido de carbono (CO2) por pessoa. “Foram registadas 200 milhões de toneladas de CO2 por ano apenas originadas por combustíveis de fósseis, mais outros 100 milhões de toneladas emitidas pela desflorestação na Venezuela”, explicou Julio Centeno, um dos docentes da ULA envolvidos no estudo, acrescentando que o problema transcende mundialmente quando os níveis de CO2 e de outros gases de efeito de estufa aumentado até elevar a temperatura do planeta até um 1 grau centígrado em comparação com a época pré-industrial, que vai desde 1880 a 1920.

eles respondem

P r ê m i o Ta l e n t o C o m u n i c a ç ã o S o c i a l 2 0 0 9

#EncuestaDelDía Algunos adoran Portugal por sus paisajes, mientras que otros lo hacen por su comida... Hay quienes se enamoran de su gentilicio y otros que se apasionan por su idioma... Cuéntanos desde tu punto de vista ¿Por qué te sientes atraíd@ por #Portugal? ¿Qué tienen esas tierras que no tenga ningún otro lugar en el mundo?

“Até amanhã camaradas” e “Quarta Divisão” nomeados para Melhor Filme

Carminda Tavares Libras Porque lo amo, lo adoro. Aí tenho minhas raizes e toda minha familia aí naçi lo quero mucho. tem muitas paisagens bonitas do norte al sul desse país mi país Ricardosilvapt EL FUTBOL y el frango churrasco

Correio de Venezuela / @correiodvzla

As longas-metragens “Até Amanhã Camaradas” e “Quarta Divisão”, ambos do realizador Joaquim Leitão, estão entre as cinco obras nomeadas para Melhor Filme dos Prémios Sophia 2014 pela Academia Portuguesa de Cinema, anunciou a entidade, em Lisboa, no passado 9 de Setembro. Os nomeados, em cerca de vinte categorias, escolhidos pelo júri da Academia Portuguesa das Artes e Ciências Cinematográficas (Academia Portuguesa de Cinema), foram divulgados numa conferência de imprensa realizada na Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema, com a presença do presidente, o produtor Paulo Trancoso. Lançados em 2012, os prémios visam distinguir os profissionais do cinema nacional pelos próprios pares, neste caso, a Academia, fundada em 2011, composta por mais de uma centena de membros, desde realizadores, atores e directores de fotografia.

Roxana Teles Hermoso país

Fashionamalia Amo Portugal, por todo.. Es un gran país y aunque no tienen petróleo, sus habitantes viven mejor, que uno que yo conozco… viva Portugal, su gente, su idioma, su gastronomía, sus paisajes (…) hasta sus politicos que vivan… Un país con democracia y con bajo índice de criminalidad. Portugal es único lili_de_nobrega La magia de pertenecer al primer mundo... gastronomia. Paisajes. Gentilicio... su idioma. Todo es magico ya que precede lo que somos en america... esa es lo que atrae de europa. De ahi vienen nuestros origenes tasdan91 Saudades da terra onde eu nasci...cresci...estudei..vivi...y me enamorei... Y pela “mourrinha” como dizia Júio Iglesias...

Correio da Venezuela 573  

Edición 573

Correio da Venezuela 573  

Edición 573

Advertisement