Page 1

www.correiodevenezuela.com

Rif.: J-40058840-5

Pré m i o Ta le n to d a C o m u n i ca çã o S o c i a l 2 0 0 9 O jornal de comunidade luso-venezuelana • Caracas, 29 de Junho a 5 de Julho de 2012 • Publicação Semanal Nº 461

Artigos novos em caixa pagam taxa na Alfândega Os emigrantes oriundos de países terceiros devem assim ter cuidado com os artigos pessoais que transportam, porque se forem novos e estiverem embalados podem ser taxados ao passar na Alfândega. A regra é desconhecida de muitos passageiros . //P.4

Ano 12 • Depósito Legal: 199901DF222 • BsF. 5,00

Estamos orgulhosos!

Câmara do Funchal e Estado de Falcón aprofundam cooperação

Representantes da empresa portuguesa Vecofabril visitaram o Estado de Falcón com a intenção de iniciar uma cooperação em áreas de salubridade e ambiente em meios urbanos. //P.4

CICPC capturou ‘El Portugués’ O luso-descendente tem um amplo registo policial devido a delitos de tráfico e consumo de substâncias ilícitas em 2010, para além de estar implicado, uns 20 sequestros e 10 homicídios. //P.4

Guatire acolhe IX Encontro de Folclore Português Continental

No próximo domingo, 1° de Julho, leva-se a cabo o IX Encontro de Folclore Português Continental, que terá início pelas duas da tarde nas instalações do Santuário Virgem de Fátima, na urbanização Castillejo de Guatire, no Estado de Miranda. //P.20

especial

Orgulho madeirense celebrado a 1 de Julho pub

‘A Toda Vida’ vai tentar travar a insegurança

desporto

//P.16

A selecção portuguesa falhou na quarta-feira, 27 de Junho, a passagem à final do Euro2012 ao perder com a Espanha no desempate através de grandes penalidades, após um nulo que persistiu 120 minutos. Os lusos regressam mais cedo a casa, mas de cabeça bem levantada. //P.28

Ferreira e Gonçalves cumprem desafio

//P.30

Para a execução da Grande Missão ‘A Toda Vida’ conta-se com o apoio dos governadores e alcaides, excepto o do Alcaide Maior de Caracas, suplantado na iniciativa presidencial pela Chefe de Governo do Distrito Capital. O presidente desmontou, desde o Palácio de Miraflores, os seis eixos da missão . //P.3


2 a semana

29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

Editorial

Clasificação

Dever de cidadania O Presidente Chávez anunciou a implementação de mais um plano de combate à insegurança pública. É a sexta tentativa em 14 anos de governo, sem que ao longo de todo este tempo se tenha verificado uma queda dos números frios e trágicos das estatísticas que, semanalmente, apontam a Venezuela como um dos países mais violentos do mundo, em termos de violência urbana. Este é, na verdade, um dos maiores problemas da sociedade venezuelana, que atormenta todos os cidadãos e que se reflecte de forma continuada e tormentosa na vida de todos. Não só pelas vidas que são ceifadas, na ordem das dezenas, em cada semana, mas também pela ameaça constante e o amedrontamento em que vive quem pretende ter uma vida normal. A violência urbana na Venezuela, ou a insegurança pública, se quisermos assim denominar, não é um problema novo, nem sequer dos últimos tempos. É uma questão transversal na vida de todos os Estados e de todo o País. Convenhamos que o problema perdurou, já que os governantes dos últimos anos atacaram a questão apenas pelo lado judicial e repressivo, quando na verdade, o que faz falta é uma sociedade instruída e bem formada, com sentido cívico e de responsabilidade pelos direitos de cada um, tolerante e que encare em plenitude a liberdade que deve usufruir um cidadão que vive e é governado por um regime democrático. O programa de combate à criminalidade que Hugo Chávez apresentou recentemente à Nação prevê uma diversidade de normas, em seis pontos fundamentais, que são como a cartilha de um plano que pretende humanizar a sociedade venezuelana, e, antes de mais, incutir-lhe o respeito pela pessoa humana, pela sua liberdade e pelos seus direitos constitucionais. O plano não desagrada. Antes pelo contrário. Todos estamos de acordo quando em causa está ganhar segurança e castigar aqueles que não cumprem deveres básicos de cidadania. A questão que se coloca é a oportunidade em que surge e a força com que aparece. Já deveria ter sido anunciado, com mais empenho e objectividade, de forma a evitar o arrastar de uma situação que enfraquece as instituições e abala a confiança. Se há coisas que os venezuelanos de uma maneira geral estão de acordo, é com medidas para acabar com a insegurança pública. O que não estão de acordo é com a demagogia que, muitas vezes, sugere o lançamento de tais medidas, porque são fáceis de activar sentimentos extremados de aplauso e de repulsa. É que, algumas vezes, não encontram no terreno, no campo da execução, a mesma força e o mesmo arrojo. Contudo, há uma certeza que desde já nos deixa satisfeitos: a abrangência das medidas do programa “Gran Misión – A Toda Vida”. São capazes de dar resposta a um primeiro ataque ao problema, porque o momento é também de prova da força do Poder Executivo, num momento de eleições. E porque não há grandes discordâncias quanto aos objectivos, o trabalho será, eventualmente, avaliado na hora da votação. Da nossa parte, independentemente de bandeiras, sabemos que os Venezuelanos saberão premiar os projectos que garantam uma melhor eficácia no combate a este inimigo comum que corrói a sociedade venezuelana. Uma melhor segurança obtém-se com meios modernos de combate, instrução e formação das bases, peritos e polícias melhor preparados e mais empenhados. Há que mostrar aos jovens de hoje, homens de amanhã, o valor da vida humana e o respeito que devemos ter para todos. Não é impossível respeitar as diferenças, nem as condições sociais. O que se exige é o integral dever de cidadania. Afinal, é tão simples…

www.correiodevenezuela.com Rif.: J-40058840-5

Director Aleixo Vieira Subdirector Agostinho Silva Gerente: Carla Vieira Editor Sergio Ferreira Soares Endereço: Av. Veracruz. Edif. La Hacienda. Piso 5, ofic. 45H-3. Las Mercedes, Caracas. Telefones: (0212) 9932026 / 9571 Telefax: (0212) 9916448 E-mail: correio@cantv.net

Muito Bom A visita de representantes do Município do Funchal ao Estado de Falcón, com a finalidade de aprofundar o convénio de cooperação entre as duas entidades quanto às áreas de salubridade ambiente. Mais do que uma demonstração do excelente momento das relações luso-venezuelanas, o encontro significa também um merecido reconhecimento do trabalho que a autarquia madeirense vem realizando nestes áreas e a sua capacidade para honrar compromissos. Um acordo que deve servir de incentivo para que a cooperação entre os dois países continue a crescer nestas e noutras áreas.

Muito Mau A captura de um luso-descendente implicado, como autor material, em pelo menos 20 sequestros e 10 homicídios. O jovem havia-se convertido no delinquente mais procurado da região de los Altos Mirandinos, e o quinto a nível nacional. Possui também um amplo registo policial pelos delitos de tráfico e consumo de substâncias ilícitas. Esperemos que a imagem de toda uma comunidade trabalhadora e honesta não seja prejudicada por este caso e que os corpos de segurança continuem a trabalhar para acabar com flagelos como este, que já não conhecem fronteiras.

Fotoflash

A Governação do Estado de Carabobo reconheceu o trabalho que vem sendo realizado pela comunidade lusitana ao atribuir a Ordem Sol de Carabobo, na sua primeira classe, a três personalidades com raízes lusas: o Cônsul Geral de Portugal em Valência, António José Crhystêllo Tavares, o Vice-reitor Administrativo da Universidade de Carabobo, José Ángel Ferreira G.; e a presidente da secção da Câmara Venezuelana Portuguesa da região, Fátima Da Ponte (que surgem na fotografia juntamente com os restantes agraciados). Uma honra bem merecido graças aos esforços empreendidos desde as respectivas frentes e de um trabalho incansável em prol da comunidade lusitana e da população em geral.

Chefe de redacção Sergio Ferreira S. |Jornalistas Carla Salcedo Leal, Andrea Guilarte, Silvia Di Frisco |Correspondentes Edgar Barreto (Falcón), Carlos Balaguera (Carabobo), Trinidad Macedo (Lara), Silvia K. Gonçalves (Bolívar), Sandra Rodriguez (Aragua), Ricardo Santos (Nueva Esparta), Luis Canha (Mérida), Antonio Dos Santos (Zulia) |Colaborações Raúl Caires, Catanho Fernandes, António da Silva, Arelys Gonçalves, Victoria Urdaneta, Nathalie Mendonca, Shary Do Patrocinio, Fernando Urbina, Antonio López Villegas, David Rodríguez, Luis Jorge |Administração Ma.Fernanda Pulido, Sharlot Rodríguez |Publicidade e Marketing Carla Vieira, Gloria Cadavid |Paginação Elsa de Sá |Fotografia Silvia Di Frisco, Francisco Garrett |Secretariado Anaís Salazar |Distribuição Luis Alvarado, Carlos Agostinho Perregil R. |Impressão Cadena Capriles, Operadora La Urbina C.A. Caracas -Venezuela |Tiragem deste número 15.000 exemplares |Fontes de Informação Agência Lusa, Diário de Notícias, Diário de Notícias da Madeira, Ilhapress, Portuguese News Network e intercâmbio com publicações em língua portuguesa.


actual 3

29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA Joel Melin Abreu jmabreu@correiodevenezuela.com

A Grande Missão A Toda Vida, decretada na passada terça-feira, 24 de Maio, é o sexto plano de segurança pública de alcance nacional a ser lançado pelo Governo de Hugo Chávez desde que assumiu a presidência em 1999. De acordo com um documento divulgado pelo Governo, a missão define-se como “uma articulação entre medidas de prevenção e de controlo penal ajustado ao direito”. O nome inicialmente atribuído ao projecto era “Grande Missão Segurança”, segundo anunciou o Chefe de Estado a 13 de Janeiro último, mas decidiu rebaptizá-lo face à sua enfermidade e ante o clamor do povo venezuelano. Para a execução do plano de segurança conta-se com o apoio dos governadores e alcaides, excepto o do Alcaide Maior de Caracas, suplantado na iniciativa presidencial pela Chefe de Governo do Distrito Capital. O presidente desmontou, desde o Palácio de Miraflores, os seis eixos da missão. Prevenção Integral e Convivência Solidária.

Está destinado a fomentar o respeito aos direitos do próximo mediante a educação, com o propósito de que as novas gerações amadureçam evitando condutas violentas na sociedade.

Fortalecimento dos órgãos de segurança pública.

Em cada região do país será formado um “comando estratégico integrado” no qual participarão os chefes estatais da Guarda do Povo, Cicpc, polícia regional e dos municípios com maior índice criminal, assim como também representantes do circuito judicial, a Procuradoria e Provedoria. Em cada estado deverá ser criada uma secretaria técnica e uma sala de acompanhamento que permita

Presidente Chávez lança novo plano de segurança Projecto prevê a entrega de “compensação monetária para os sobreviventes da violência grave intencional”

tuto autónomo adstrito ao Ministério de Relações Interiores. Também se perspectiva a criação de métodos alternativos de justiça, entre as quais os Tribunais Municipais, que começarão em 79 municípios com a criação das Casas de Justiça Municipais. Os agentes da polícia judicial serão submetidos a provas psicotécnicas e serão treinados no uso progressivo e diferenciado da força. Além disto, o Governo vai dar ênfase à identificação e detenção dos suspeitos em casos de homicídios e sequestros. Modernização do Sistema Penitenciário.

Neste capítulo inova-se com os planos para a construção de novas cadeias com capacidade máxima para 800 pessoas, em função das necessidades. Também acolhe algumas das propostas lançadas pela Comissão Presidencial para o Controlo de Armas, Munições e Desarmamento, referentes à destruição de armas que estão nas salas de provas das polícias, a marcação de munições e a auditoria das armas dos corpos de segurança.

Sistema de Atenção Integral às Vítimas da Violência.

Reacções da oposição Antonio Ledezma

“Este último anuncio é uma mensagem que segrega muitos municípios. Chávez fala em dar segurança a 79 municípios e na Venezuela há 335 municípios no território nacional. Isto é, apenas 24% que será objecto da atenção prioritária por parte da Polícia Nacional, ficando de fora, segundo o seu novo plano de segurança, 76% do país. O presidente está brincando com a vida dos venezuelanos”. monitorizar o comportamento criminoso. Simultaneamente, prevê-se a extensão da cobertura do sistema telefónico 171, assim como a instalação de câmaras de videovigilância em espaços públicos onde se verifica

Capriles Radonski

“O primeiro responsável em matéria de segurança em qualquer país é o Governo e o seu presidente e eu assumo colocar-me à frente deste problema. Os venezuelanos merecem um Governo comprometido com a nossa segurança, que defenda as nossas vidas. Em quase 14 anos não conseguiram vencer a violência, que aumentou a cada ano. Está claro que com este Governo os venezuelanos não vão ter segurança”.

um maior movimento de pessoas dos municípios considerados prioritários pelos seus índices de crime e nas vias rápidas mais importantes do país. Transformação do Sistema

Judicial e Penal.

O plano assume uma refundação do Cicpc, o qual se dedicará exclusivamente à investigação criminal. As funções de medicina legal e ciências forenses serão atribuídas a um insti-

O projecto perspectiva a criação de um registo das pessoas que foram vítimas de actos violentos, assim como a de um sistema de compensação monetária para sobreviventes da violência grave e intencional. O documento não indica os montantes que se prevê atribuir a este programa nem quais os delitos que serão tomados em conta.

Criação e Socialização do Conhecimento para a Convivência e Segurança.

Como último ponto, o governo comprometeu-se a realizar campanhas para fomentar o conhecimento massivo dos parâmetros a seguir em busca da convivência em harmonia e a segurança pública. pub


4 venezuela

29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

Artigos em caixa Funchal e Falcón aprofundam cooperação pagam taxa Representantes de uma empresa portuguesa visitaram o Estado de Falcón com a intenção de iniciar uma cooperação em áreas de salubridade e ambiente em meios urbanos

na Alfândega Raquel Gonçalves / DN MADEIRA

Raul caires sergio ferreira

No quadro do protocolo assinado, em Fevereiro passado, entre o presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Albuquerque, e a governadora do Estado de Falcón, Stella Lugo de Montilla, responsáveis da entidade venezuelana reuniram-se com representantes de uma empresa madeirense com a finalidade de aumentar a cooperação em matéria ambiental e recolha/tratamento de lixos. Num primeiro encontro, levado a cabo há duas semanas em Portugal, o presidente da Corpofalcon, coronel José Contreras Gil, trocou ideias com responsáveis da Câmara Municipal do Funchal e com empresas responsáveis pelas áreas de salubridade nesta cidade madeirense. Na semana seguinte, o alcaide do Município de Carirubana, Alcides Goitía, e o presidente de Corporación Falconiana de Turismo, José Luis Naranjo, viajaram até Lisboa para reunir-se com empresários interessados em investir no desenvolvimento do Centro de Convenções de Paraguaná e no sector turístico. Este projecto que está sendo impulsionado pela Alcaldía de Carirubana, com o apoio da Governação do Estado de Falcón e de Corfaltur, pretende oferecer espaços para conferências e congressos, zonas para arrendamento, um auditório e outros serviços. “Além das nossas atracções naturais, da nossa Zona Livre, da posta em pousadas e restaurantes, confiamos em Paraguaná como o sítio ideal para grandes encontros como congressos de diferentes grémios profissionais, actividades educativas para público nacional e internacional e muito mais”, comentou. Durante a sua visita a Lisboa, Goitía reuniu também com o Embaixador da Venezuela em Portugal, Lucas Rincón, com quem trocou ideias para possíveis eventos relevantes susceptíveis de virem a ser realizados nesse Centro de Convenções,

tendo em conta o projecto gás, temas petrolíferos, que resultam de interesse para autoridades locais e estrangeiras, e inclusivamente apresentou como potencial cenário para tratar de temas da Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América (ALBA). Finalmente, na passada segunda-feira, 25 de Junho, dois representantes da empresa portuguesa Vecofabril deslocaramse à Venezuela para iniciar o levantamento de informação e de um estudo dos terrenos no Estado de Falcón para dar início a um intercâmbio na área de recolha e tratamento de resíduos sólidos/lixos. Recorde-se que a Câmara

Municipal do Funchal (CMF) começou, em Março deste ano, a partilhar com a Governação de Falcón, a sua experiência em áreas como a recolha selectiva de resíduos sólidos e educação ambiental, através de acções de formação ministradas por dois técnicos da autarquia que se deslocaram à Venezuela para o efeito. “O Estado de Falcón está empenhado em desenvolver um programa de recolha e tratamento de resíduos sólidos e também em criar as bases de uma cultura ambiental entre a população e o nosso ‘knowhow’ nestas áreas impressionou a governadora Stella Lugo”, disse então o presidente da CMF.

Fátima Afonso ainda não acredita no que aconteceu e diz não aceitar a forma como foi tratada na sua terra. Emigrante na Austrália há vários anos, veio à Madeira passar férias e foi surpreendida por ter de pagar uma taxa, correspondente ao IVA, de um computador portátil pessoal que foi comprado na Austrália. Fátima explica que o seu anterior computador avariou 10 dias antes da viagem e que decidiu comprar um novo. Naquele país o governo permite que o IVA dos produtos comprados nos dias que antecedem uma viagem seja depois devolvido aos compradores no aeroporto. No entanto, garante que não foi isso que motivou a compra, mas sim a necessidade do computador para as suas comunicações pessoais. Como ia viajar, achou por bem manter o computador na caixa, que garantia uma melhor protecção e permitia um transporte mais confortável. Não teve qualquer problema nos vários aeroportos por onde passou, mas o mesmo não aconteceu no aeroporto do Madeira. Embora seguisse pela via verde por considerar não ter nada a declarar, Fátima Afonso foi seleccionada para o controlo na Alfândega, onde admitiu trazer consigo um computador. A emigrante diz que o funcionário que a atendeu nem a deixou ligar o computador para demonstrar que era seu, dado que já tinha instalado programas, gravado fotografias e outros dados pessoais. Fátima Afonso diz que foi tratada com arrogância e obrigada a pagar na sua terra algo

de que o Governo australiano a isentou. “Disseram-me que o país estava em crise e que o Estado precisava. Mas então sou eu que vou pagar a crise? Trago o dinheiro para gastar na minha terra e não para pagar multas à Alfândega.” A emigrante não entende a forma aleatória da revista aos passageiros em ‘linha verde’, e diz mesmo que na Alfândega lhe disseram que tinha tido azar. Lamenta ainda que a tenham retido durante mais de uma hora, quando tinha a mãe numa cadeira de rodas à espera no exterior. Entretanto, fontes ligadas ao processo tributário explicaram ao DIÁRIO que, neste caso, a Alfândega actuou de forma correcta e que a taxa só não seria aplicada se o referido computador viesse numa mala própria e não na embalagem de compra. Porque ainda embalado e porque proveniente de um país terceiro está sujeito a uma taxa de importação, porque se entende que o produto pode ser transaccionado. Evitar problemas

Os emigrantes oriundos de países terceiros devem assim ter cuidado com os artigos pessoais que transportam, porque se forem novos e estiverem embalados podem ser taxados ao passar na Alfândega. A regra é desconhecida de muitos passageiros, o que, aliás, fez com que Fátima Afonso tivesse, ela própria, denunciado que trazia um computador novo, tendo mostrado a factura e, inclusive, a devolução do dinheiro do IVA que lhe tinha sido concedido no aeroporto da Austrália. Resultado teve de pagar 275,50 euros.

Cansaço e emoção originam tensão Depois de a 10 de Junho, Olavo Manica, presidente do Clube Social das Comunidades Madeirenses, ter denunciado maus tratos a emigrantes por parte dos serviços da Alfândega, a qual foi na altura confrontada com as acusações, finalmente aquele serviço enviou à comunicação social uma reacção, assinada pelo director da Alfândega do Funchal, Paulo Matias, com o título “Alfândega do Funchal trata bem os emigrantes madeirenses”. Na nota é salientado que “os emigrantes madeirenses e os luso-descendentes que chegam ao Aeroporto da Madeira provenientes da Venezuela e África do Sul são passageiros de países terceiros à União Europeia (UE) e, como tal, estão sujeitos a desembaraço aduaneiro”. A Alfândega do Funchal assegura no Aeroporto da Madeira o controlo desta fronteira externa da UE para fins fiscais, económicos e de protecção da sociedade, agindo com o mesmo rigor e correcção das outras alfândegas de Portugal e dos demais Estados-membros.


29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

publicidade 5


6 veneziela

29 de Juhno a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

Campo de futebol avança no CP Carla Salcedo Leal csalcedo@correiodevenezuela.com

Uma das obras de maior envergadura que um dos clubes portugueses na Venezuela está a levar por diante é a construção de campos de futebol. O Centro Português em Caracas abre o campo às novas gerações do futebol da casa, numa zona que também irá dispor de um espaço para as famílias puderem desfrutar de um dia de piquenique. O arquitecto Juan Manuel da Silva e o engenheiro Andrés Marcano estão atentos a cada detalhe da tão esperada obra, pelo que o CORREIO conversou com Marcano sobre as principais inquietações dos sócios. As fortes chuvas registadas em Caracas durante os últimos deixaram muitos sócios em alerta, com a preocupação centrada no prazo de conclusão da obra. “Toda a obra com movimentos de terra tem drenagens provisórias, e ainda que existam certas dificuldades em meses de chuva, porque o terreno fica muito empapado e as máquinas não trabalham com o rendimento adequado, não é esse o caso desta obra, onde iniciámos a segunda etapa paralelamente à primeira porque há um poste atravessado

A primeira etapa da obra está adiantada em cerca 60%, enquanto a segunda etapa já vai em cerca de 40%

VISITA À OBRA O Centro Português disponibilizou um autocarro que fará quatro rondas de visitas ao terreno com o engenheiro encarregado, Andrés Marcano, para tirar eventuais dúvidas. O ponto de encontro para estas rondas é a ‘fonte de soda’, junto à camioneta, e os horários de saída são os seguintes: Sábados 30 de Junho e 7 de Julho, às 10pm e às 4pm, e os domingos 1 e 8 de Julho, à 1pm e às 4pm.

no meio do que será o campo, e não nos terem dado as devidas licenças para removê-lo atrasou-nos”, disse o engenheiro da obra. Nesse sentido, os encarregados da obra asseguram que esta está adiantada em cerca de 60% da segunda etapa da obra, correspondente ao campo de jogo, onde se apresenta actualmente a dificuldade com o poste, enquanto a primeira etapa está concluída em cerca de 40%. “Ao não podermos continuar a completar o campo, decidimos iniciar a segunda etapa da obra porque o dinheiro cada dia vale menos, pelo que fizemos o saneamento na parte mais elevada do terreno, junto ao Cementerio del Este, fomos desflorestando, desenvolvendo os muros, entre outras coisas. Até que se resolva o caso do poste, não teremos uma data exacta para o fim da obra”, disse Marcano. “Para qualquer informação adicional podem vir aos fins-desemana, à visita guiada, ou pedir informação através dos meios que considerem necessários, porque estamos aqui para clarificar as dúvidas que se apresentem e também acolher algumas ideias”, concluiu o engenheiro Marcano.

CICPC capturou ‘El Portugués’ Carla Salcedo Leal

Na tarde do passado dia 26, agentes da Brigada Antiextorsão e Sequestro do Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalistas (Cicpc) capturaram o lusodescendente Victor Manuel Mujica Camejo, aliás ‘El Portugués’, que se tornou no delinquente mais procurado de Los Altos Mirandinos. O comissário Anixo Salaverría ficou encarregue de apresentar o delinquente, de 23 anos de idade, que era o quinto delinquente mais procurado a nível nacional. No momento da sua detenção, o jovem tinha uma identificação falsa com o nome de Emanuel Alexander Pereira Aguilar, com a qual havia adquirido um telemóvel com o qual conseguiram fazer a triangulação as chamadas. ‘El Portugués’ tem um amplo registo policial devido a delitos de tráfico de substâncias ilícitas em 2010, para além de estar implicado, como autor material de uns 20 sequestros e 10 homicídios.

Estado Carabobo homenageou três portugueses Carlos Balaguera cbalaguera@correiodevenezuela.com

Com a Ordem “Sol de Carabobo”, no grau de Primeira Classe “Grande Oficial”, o Governador do Estado de Carabobo, Henrique Fernando Salas Romer, homenageou o Cônsul Geral de Portugal em Valência, António Chrystêllo Tavares, o Vice-reitor Administrativo da Universidade de Carabobo, José Ángel Ferreira G, e a Presidente de Cavenport Carabobo, María Fátima de Pontes Loreto. O acto teve lugar no salão de Governadores do Capitólio, onde foram homenageados 24 cidadão com a Ordem de primeira classe e 16 com a segunda. Na sua alocução, o Governador felicitou a todos os homenageados pelos contributos na vertente Cultural, Social

Governador entregou a Ordem “Sol de Carabobo” a três personalidades lusas da região e Produtiva que têm dado ao Estado ao longo dos anos. Fátima De Pontes mostrouse orgulhosa pelo reconhecimento. “Sinto algo muito grande ao receber a ordem, a mais alta distinção que outorga o nosso Estado de Carabobo. Hoje o meu trabalho de formiguinha é reconhecido com esta ordem, são mais de 38 anos de trabalho. Graças ao facto de não ter deixado de estudar, pude alcançar metas como educadora num liceu, agora na universidade de Carabobo e na parte gremial como presidente de Cavenport, secção de Carabobo; com a minha voz tendo podido representar a Venezue-

la em Portugal e nível Nacional representando Carabobo, logrando um primeiro lugar e um contributo para o meu centro social Lar Lusitano, agora Casa Portuguesa de Valência, que ininterruptamente desde a minha infância, pude estar presente no seu crescimento como instituição Lusa”, declarou. Por seu turno, José Ángel Ferreira mostrou-se emocionado com a homenagem. “Receber a ordem Sol de Carabobo em primeiro grau, leva-me a recordar a todos aqueles lusos que foram chegando a esta Valência entre os anos 50 e 80, os quais, tal como o meu pai, vieram contribuir com essa força de

trabalho, logrando envolver-se no crescimento da Venezuela. Este processo sociológico, que hoje em dia recai na responsa-

bilidade dos luso-descendentes, vem crescendo já que nos encontramos em todas as aéreas do progresso na Venezuela”.


29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

publicidade 7


8 album familia

“Há gente que fica na história da história da gente e outras de quem nem o nome lembramos ouvir” Jorge Fernando

Família Vieira dos Santos Quando tomei a decisão de partilhar estas fotografias com o CORREIO, filo com o motivo de inspirar outros a fazerem o mesmo. A meia hora que passei com o meu pai a rever as suas fotografias, permitiu-me conhecer um homem que não posso ver todos os dias e reafirmar que é um herói anónimo.

Aqui pode-se observar o meu pai, com o seu companheiro “Carúpano, na sucursal da Central Madeirense, na zona de 23 de Enero, onde trabalhava como repositor, com 16 anos de idade. Recorda com um sorrido no seu rosto os dias na casa onde a CM albergava os seus trabalhadores imigrantes recém-chegados de Portugal. Nela dormiam, comiam e passavam momentos de lazer. Ali, Santos fez grandes amigos que viriam a oferecer-lhe ajuda ao longo da vida.

29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

Correio de Venezuela

Album Familia

“Hay gente que queda en la historia de la historia de nuestra gente y otras de quienes ni el nombre recordamos escuchar” Jorge Fernando

Esta foto foi tirada no Café Abasto Italia, que estaca situado em la Guaira e era propriedade de um português. Manuel Fernando Vieira dos Santos, mais conhecido por todos como “Santos”. Tinha 14 anos (1962) e aparece na foto com o seu irmão mais novo, Carlos, que desde a chegada à Venezuela, um anos depois de Santos, mantevese junto com o seu irmão de maneira incondicional. Estavam atendendo ao balcão do estabelecimento, apesar de serem ainda uns adolescentes em fase de adaptação.

Quem conhece o Sr. Santos sabe que não é precisamente da pessoas mais extrovertidas. Por isso, quando vi esta foto, a primeira coisa que lhe disse foi que parecia um actor de Hollywood. E é que o motivo da foto exigia a melhor a imagem; era a foto que mandou para Portugal para que vissem que estava passando bem. Por isso, foi tomada num estúdio profissional, que conseguiu o ângulo perfeito do Sr. Santos, que usava o seu melhor fato, demonstrando que aos seus 17 anos estava na Venezuela e a tornar-se num homem de sucesso, trabalhador e perfeitamente adaptado a um novo rumo traçou para a sua vida.

Não deixe que o tempo apague a história da sua família; as histórias da nossa gente. Se deseja partilhar estas recordações com os seus conterrâneos e fazer com que perdurem no tempo através desta iniciativa do CORREIO da Venezuela, deverá comunicar connosco para o número (0212)9932026 ou enviar o material por correio electrónico para correio.prensa@gmail.com.


29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

publicidade 9


10 diáspora

29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

Governo pede a luso-eleitos para defenderem imagem de um Portugal inovador

O I Encontro Mundial de Luso Eleitos decorreu em Cascais, entre 24 e 25 de Julho

FOTO: CORTESIA

Mas em troca, os luso-eleitos pediram mais comunicação e coordenação, bem como a profissionalização das estruturas representativas das CORREIO/LUSA

Dezenas de luso-eleitos foram desafiados a levar para os seus países de acolhimento a ideia de um Portugal inovador, mas em troca pediram mais comunicação e coordenação, bem como a profissionalização das estruturas representativas das comunidades. O segundo e último dia do I Encontro Mundial de Luso Eleitos, em Cascais, começou com uma intervenção do secretário de Estado do Empreendedorismo Competitividade e Inovação, Carlos Oliveira, que apelou à participação dos lusoeleitos. “A mensagem é que temos um país que, apesar das dificuldades, tem uma dinâmica nova, tem talento disponível, pessoas disponíveis com qualificações do melhor que há no mundo, infra-estruturas tecnológicas capazes de atrair investimento”, disse o governante aos jornalistas à margem do encontro, no passado 25 de Junho. Para Carlos Oliveira, “é fundamental dinamizar estas redes de contactos” entre Portugal e a diáspora, não só para que as empresas portuguesas tenham acesso aos mercados no exterior, mas também para que as

comunidades possam atrair a Portugal algumas oportunidades de cooperação. “É fundamental disseminar esta mensagem de um Portugal do século XXI, que acredita naqueles que partiram e que são,

eles próprios, empreendedores na diáspora”, sublinhou. O consultor Jorge Portugal apresentou “cinco sugestões de como a diáspora pode ajudar Portugal”: Mostrar ao mundo que Portugal foi um dos países

Aumento das remessas O secretário de Estado das Comunidades considerou “um sinal muito importante” o aumento das remessas dos emigrantes, afirmando que os números provam que os portugueses no estrangeiro “continuam a acreditar no país”, apesar das dificuldades. Segundo os dados do Banco de Portugal, noticiados pelo Diário Económico, as remessas de emigrantes portugueses aumentaram, nos primeiros quatro meses do ano, 17,6% face ao período homólogo de 2011, atingindo um total de 822,4 milhões de euros, o valor mais alto da última década. “Apesar de tudo, apesar de todos os problemas que nós temos, as pessoas continuam a acreditar no país e a mandar muito dinheiro para cá”, disse José Cesário, sublinhando que os números provam que as comunidades confiam no país: “Se não confiassem no país, não mandavam para cá o dinheiro”. O país de onde chega mais dinheiro é França, com 273,515 milhões de euros nos primeiros quatro meses do ano, seguido da Suíça, com 187,521 milhões. A Alemanha (55,213 milhões), o Reino Unido (36,841 milhões) e os EUA (42,723 milhões) completam os primeiros cinco lugares.

da Europa que nos últimos anos mais avançou em conhecimento e inovação; contribuir para a mobilidade entre universidades portuguesas e estrangeiras; atrair empresas portuguesas inovadoras para a diáspora; mobilizar investimento para Portugal e apoiar as empresas portuguesas que começam hoje a instalar-se nos mercados mais competitivos. “O vosso apoio é muito importante. É acelerador e pode desbloquear muitas barreiras”, disse o responsável perante dezenas de senadores, deputados e autarcas luso-descendentes na África do Sul, Estados Unidos, Canadá, França e Luxemburgo. Para o senador do Estado de Nova Iorque Jack Martins, a intenção já existe, mas falta coordenação e linhas de comunicação, exemplificando com o caso de uma empresa portuguesa que está a trabalhar no estado norte-americano onde é eleito, que até já tem alguns contratos, mas da qual soube “quase por acidente”. “Podia ter-lhes aberto portas, podia ter dado assistência. Mas não sabia, e eles também não sabiam (...) que podiam contactar o meu gabinete. Deve haver situações destas em toda a parte”, disse, defendendo que devia haver um mecanismo que facilitasse o contacto. Também Ana Bailão, vereadora na Câmara de Toronto, Canadá, referiu dificuldades, nomeadamente de falta de profissionalização entre as organizações da comunidade, que vivem sobretudo do voluntariado. “É muito importante profissionalizar as nossas organizações”, sublinhou a luso-eleita, exemplificando que enquanto a Câmara do Comércio portuguesa em Toronto não tem qualquer funcionário, a italiana tem nove, porque o governo italiano investe e apela às empresas que apoiem a instituição. O deputado sul-africano de origem portuguesa Manny de Freitas não tem dúvidas de que “há um bloqueio entre os lusoeleitos e as organizações portugueses” e que o encontro de

“Activo brutal” desperdiçado O promotor do Encontro Mundial de Luso-eleitos, Carlos Morais, disse que Portugal só se lembra dos emigrantes quando precisa deles, desperdiçando um “activo brutal” para o país. “A sociedade portuguesa esquece o emigrante no momento exacto em que ele sai, é menos um, mas quando mais precisamos, quando nos dá jeito servimo-nos deles. Esta é a prova mais profunda da falta de cultura portuguesa”, disse Carlos Morais. O também director do jornal “Mundo Português”, que em parceria com o Governo organiza a iniciativa, falava à agência Lusa no final do primeiro dia do encontro (24 de Junho) que trouxe a Portugal cerca de três dezenas de senadores, deputados e autarcas luso-descendentes na África do Sul, Estados Unidos, Canadá, França e Luxemburgo. Para Carlos Morais, é preciso tomar consciência de que somos 15 milhões e que um terço da nossa população, “a mais rica e mais independente está lá fora”. Só assim, prosseguiu, se evitam situações como a que aconteceu recentemente com a inscrição do autocarro da selecção portuguesa de futebol, que contabilizou como apoiantes apenas 10 milhões de portugueses. “A sociedade portuguesa rejeita brutalmente a diáspora”, reforçou Carlos Morais, adiantando que a emigração portuguesa é hoje feita de “gente ao mais alto nível”, numa alusão aos milhares de portugueses e luso-descendentes que ocupam cargos políticos e de governo em todo o mundo. “é um meio de começar a mudar isso”. “Mas o trabalho agora é nosso, não temos de estar à espera dos governos”, disse, afirmando que já está em curso a criação de uma rede de lusoeleitos espalhados pelo mundo. Para o secretário de Estado das Comunidades, que organizou o encontro de luso-eleitos juntamente com o jornal Mundo Português, o objectivo do governo é precisamente esse: “O que nós desejamos mais é que as próprias comunidades criem as suas dinâmicas (...). Estamos muito empenhados em que, por exemplo, as redes (de luso-eleitos) sejam criadas por eles”.


cámara municipal de funchal 11

29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

Vantagens e resultados da educação ambiental A Câmara Municipal do Funchal, na Região Autónoma da Madeira, tem sido apontada por entidades nacionais e internacionais, como um exemplo interessante da preservação ambiental e da organização de diversas iniciativas conducentes a uma maior sensibilização dos seus munícipes para as questões que afectam o planeta Terra. A análise das estatísticas e das iniciativas realizadas apontam para uma grande adesão da população funchalense para os novos hábitos de separação dos resíduos sólidos, uma grande ajuda para a recolha e gestão por parte do Município. Mas o destaque vai também para a forma como isso denota maior responsabilidade cívica e um grande apoio ao trabalho da autarquia. A gestão e a implantação de formas específicas de recolha, classificação e encaminhamento dos resíduos, tem despertado em alguns municípios portugueses e estrangeiros a curiosidade e o interesse de se constituírem protocolos com vista à formação de técnicos habilitados a lidarem com essas questões e, até mesmo, com vista à transposição destes processos para outros países. É o caso recente de dois Estados da Venezuela, cujos responsáveis já estiveram na Madeira, tendo, por sua vez, Miguel Albuquerque, presidente da CMF, se deslocado a Venezuela com técnicos do seu departamento municipal, para assim dar continuidade a projectos comuns, que resultam do sucesso dos sistemas de recolha que têm sido implantados no mu-

Jardim municipal da Ajuda. Um exemplo das novas áreas ajardinadas integradas em novos complexos habitacionais.

nicípio da capital da Região Autónoma da Madeira. O ano de 2011 revelou-se muito diferente dos anos da última década, no que se refere à temática dos resíduos sólidos

Horta municipal na freguesia de São Martinho. O terreno foi preparado e dividido em parcelas pela Câmara e depois atribuído aos moradores.

na cidade do Funchal. Em 2011 os serviços municipais deixaram de ter à sua responsabilidade os resíduos sólidos dos grandes produtores, pelo que houve uma redução das quantidades recolhidas, tendo-se obtido o valor conjunto de 70.621 toneladas, correspondendo a um decréscimo de 9 % relativamente ao ano de 2010. Para além de se notar uma diminuição das quantidades recolhidas, devido à operacionalidade de empresas na área da recolha de resíduos, observase também uma diminuição geral dos resíduos que, na opinião da CMF, resulta da retracção do poder de compra dos funchalenses. No que diz respeito aos resíduos indiferenciados foram recolhidas 44.400 toneladas, menos 14% do que em 2010. Os resíduos recicláveis diminuíram cerca de 17% passando de 20.209 toneladas em 2010 para 16.711 toneladas em 2011. Apesar do decréscimo da quantidade dos resíduos sólidos recolhidos, o Município do Funchal conseguiu manter a taxa de reciclagem nos 26%. A persistência da autarquia na área da gestão dos resíduos sólidos, quer em termos de Educação Ambiental, da recolha selectiva porta a porta, da aquisição de equipa-

mentos de deposição selectiva (vendidos a um valor simbólico) e da aplicação do Regulamento de Resíduos Sólidos e de Comportamentos Poluentes têm surtido efeito na taxa de reciclagem mantendo o valor constante de 26%. No ano passado 26% dos resíduos sólidos recolhidos pelos serviços municipais na cidade do Funchal tiveram como destino final a reciclagem, 73% a incineração e 1% a deposição em aterro, os mesmos valores do ano de 2010. Um outro aspecto relevante da actividade da Câmara Municipal do Funchal é o constante cuidado que dedica aos jardins municipais, sempre tratados e bonitos, e com novas áreas, como o exige o facto e a responsabilidade da Madeira ser conhecida como a Ilha das Flores. Além dos jardins públicos, a actual gestão de Miguel Albuquerque tem dinamizado as chamadas hortas municipais em diversas freguesias do município, um meio de ocupação da população nos seus momentos livres, uma ajuda à produção de produtos da terra, e, também, o despertar de uma consciência ecológica e ambiental, que tem despertado e consolidado com maior frequência nos últimos anos na cidade do Funchal.


12 portugal

29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

Deputado multado por furtar gravadores de jornalistas O deputado do PS Ricardo Rodrigues tirou gravadores a jornalistas. O tribunal puniu-o correio / lusa

O tribunal que condenou Ricardo Rodrigues a 4.950 euros de multa por atentado à liberdade de imprensa e de informação considerou que o deputado socialista agiu de “forma irreflectida” ao apropriar-se dos gravadores dos jornalistas da ‘Sábado’. O incidente remonta a Abril de 2010, quando, durante uma

Bastonário apela à greve dos médicos correio / lusa

O bastonário da Ordem dos Médicos, José Manuel Silva, apelou à greve dos médicos, nos dias 11 e 12 de Julho, em defesa do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e dos doentes. “Não podemos continuar a aceitar que o Ministério da Saúde seja mais um Ministério das Finanças na Saúde do que um Ministério da Saúde no Governo. Isso não é aceitável, porque são os doentes que vão sofrer as consequências”, alertou o bastonário, em declarações proferidas na passada segunda-feira, 25 de Junho. José Manuel Silva apelou à participação dos médicos na greve de dois dias. “Temos de ser todos mais exigentes e muito mais interventivos relativamente às medidas que estão a ser tomadas pelo Governo e que estão a pôr em causa o SNS. Está nas nossas mãos.” As organizações médicas estão “unidas no objectivo de lutar pela qualidade do SNS”.

entrevista, no Parlamento, Ricardo Rodrigues se levantou e abandonou a sala onde se encontrava, levando consigo os gravadores dos jornalistas Fernando Esteves e Maria Henriques Espada, depois de estes o terem interrogado sobre o seu alegado envolvimento num escândalo de pedofilia nos Açores - o chamado caso Farfalha. Ao condenar o deputado socialista a 110 dias de multa, a 45 euros cada, o que perfaz 4.950 euros, o 6º Juízo Criminal de Lisboa deu como provados os factos constantes na acusação e na pronúncia relativos à prática de um crime de atentado à liberdade de imprensa e de um crime de atentado à liberdade de informação.

A moção de censura ao Governo apresentada pelo PCP foi rejeitada pela Assembleia da República com os votos contra do PSD e do CDS, a abstenção do PS e os votos a favor do PCP, BE e Verdes. Um total de 124 deputados votaram contra a moção de censura, 105 PSD e 19 CDS. Todos os 68 deputados do PS que estavam no hemiciclo acompanharam, por seu turno, a decisão da direcção do grupo parlamentar e optaram pela abstenção, no plenário realizado na passada segunda-feira, 25. Já as bancadas do PCP, Bloco de Esquerda e Verdes votaram a favor da moção de censura ao Governo, num total de 23 deputados (13 comunistas, 2 ecologistas e 8 do Bloco). O líder parlamentar do PCP defendeu que no debate da moção de censura comunista ao Governo “ficou claro” que o Governo prepara “mais medidas contra os salários ou contra os direitos ou contra os serviços públicos”. “Neste debate ficou claro que o Governo se prepara para aplicar mais medidas contra os salários ou contra os direitos ou contra os serviços sociais. Não

Buraco de 1.050 milhões de euros só no IVA e IRC A execução orçamental tem um “buraco superior a 1050 milhões de euros” só nas receitas do IVA e do IRC, disse, terça-feira, 26 de Junho, o deputado do Bloco de Esquerda Pedro Filipe Soares. “Algo vai mal na execução orçamental. O debate já nem é sobre se há uma derrapagem - é sobre o montante da derrapagem”, disse o deputado bloquista eleito por Aveiro durante uma audiência ao ministro das Finanças, Vítor Gaspar, na comissão parlamentar do Orçamento.

Segunda assobiadela para Cavaco Silva O Tribunal disse não encontrar justificação para a conduta do deputado.

Chumbo à moção de censura não afasta mais austeridade correio / lusa

breves

PCP diz que no debate ficou claro que o governo prepara mais austeridade

Apenas as bancadas do PCP, Bloco de Esquerda e Verdes votaram a favor da moção.

chega a ser um tabu”, afirmou Bernardino Soares, no final de um debate marcado pelas questões ao executivo sobre eventuais medidas adicionais de austeridade. A este propósito, o primeiroministro, Pedro Passos Coelho, frisou que tomará todas as medidas que forem necessárias para atingir os objectivos do memorando e que manterá sempre essa posição, afirmando contudo que “neste momento não vê necessidade” de mais austeridade.

“Eu não tenho uma resposta para jornalistas e outra para deputados, de cada vez que quiserem fazer uma primeira página a dizer que o Governo não descarta a hipótese de adoptar novas medidas basta fazerem a mesma pergunta, todos os dias, todas as semanas, todos meses”, afirmou o chefe do Governo. No entanto, se “para atingir os objectivos” for preciso “adoptar outras medidas, de austeridade ou outras”, o Governo “não deixará de o fazer”, assegurou.

O Presidente da República foi recebido, no passado domingo, 24 de Junho, por entre aplausos e assobios de dezenas de pessoas que o aguardavam em Castro Daire para inaugurar o novo Parque Urbano da vila, que custou 833 mil euros. Na chegada de Cavaco Silva ao recinto prestes a ser inaugurado, dezenas de manifestantes apuparam o Chefe de Estado dos dois lados do Parque Urbano, enquanto os aplausos chegaram dos populares concentrados no interior do novo espaço urbano de Castro Daire, onde funcionará a feira quinzenal do concelho.

Fraude na Saúde atinge 100 milhões de euros

O ministro da Saúde afirmou, na terça-feira, 26 de Junho, que as fraudes no sector que actualmente estão a ser investigadas atingem os 100 milhões de euros. Paulo Macedo falava na Comissão Parlamentar de Saúde, onde está a decorrer um debate sobre política de saúde. De acordo com o ministro, o “aspecto mais negativo” da fraude que está a ser investigado pelo Ministério Público é que esta situação é “recorrente”.


29 de Junho a 5 de Julho 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

publicidade 13


14 portugal

29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

Cecília Meireles pede responsabilidade aos sindicatos correio / lusa

A secretária de Estado do Turismo, Cecília Meireles, apelou ao sentido de responsabilidade dos sindicatos para que as greves no sector da aviação não sejam levadas a cabo devido aos elevados impactos sobre o turismo, na terça-feira, 26 de Junho. Em declarações à Lusa, Cecília Meireles disse estar muito preocupada com a situação na aviação e alertou que “esta greve já está a ter consequências e pode ter consequências ainda mais graves”, quer pela “imagem que passa do país”, quer pelo prejuízo causado ao sector do turismo, que classificou como uma área de “esperança”. O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) entregou um pré-aviso para uma greve entre 5 e 8 de Julho e 1 e 5 de Agosto, enquanto os trabalhadores da NAV, empresa responsável pela gestão do espaço aéreo, vão parar nos dias 29 e 30 de Junho e 1, 2 e 3 de Julho. “Levando em conta estes sacrifícios que todos os portugueses estão a fazer, levando em conta que esta greve põe directamente em causa postos de trabalho, fazia um apelo ao sentido de responsabilidade e até de equidade destes sindicatos para que estas greves não fossem levadas adiante”, disse a secretária de Estado do Turismo. Na segunda-feira, o presidente da Associação Portuguesa de Agências de Viagem e Turismo (APAVT) disse que ia solicitar ao Governo que “tudo seja feito”,

Greves no sector da aviação têm elevados impactos sobre o turismo e economia dom país

Ana Luísa Correia DN MADEIRA

Um estudo da DECO- Proteste concluiu que o Funchal é a segunda melhor cidade do país para se viver. O estudo sobre qualidade de vida analisou 124 cidades de 5 países. Para tal trabalho, entre Setembro e Novembro de 2011, foram enviados questionários a uma amostra representativa da população de cada capital de distrito de Portugal conti-

nental. Foram ainda incluídos Funchal, Angra do Heroísmo e Ponta Delgada. A mesma investigação foi feita pelas associações de consumidores de Espanha, Itália, Bélgica e Brasil. Dos resultados obtidos, a DECO conclui que Bruges, na Bélgica, é a melhor cidade para viver, enquanto Salvador, no Brasil, é a pior. Em Portugal, Viseu está em primeiro lugar e Setúbal em último.

Cecília Meireles disse estar muito preocupada com a situação na aviação.

desde a requisição civil a uma intervenção militar, para evitar as consequências das greves na aviação. Em relação a este pedido das agências de viagem, a secretária de Estado não se quis pronunciar, salientando que o Governo está em conversações com os sindicatos. “Não podia deixar de lançar este apelo ao sentido de responsabilidade e equidade que é aquilo que me parece fazer sentido neste momento, chamando a atenção

de que a greve já está a ter consequências quer para a economia quer para a imagem do país e que pode ter consequências bastante mais graves, pondo em causa postos de trabalho”, acrescentou Cecília Meireles. Por seu lado, o secretário de Estado dos Transportes afirmou no mesmo dia ter “esperança” de que os trabalhadores da NAV e os pilotos da TAP não avancem para a greve, referindo que tem havido um diálogo “franco e aberto” entre as partes.

Reformas estruturais são força motriz O primeiro-ministro apontou as reformas estruturais como “principal justificação e força motriz” do Governo, definindo para o próximo ano prioridades como a transposição do tratado orçamental, reforçar o processo de privatizações ou a abertura da economia. Pedro Passos Coelho falava no domingo, 24 de Junho, no final de um Conselho de Ministros informal, que decorreu no

Funchal é a segunda melhor cidade do país para se viver

Palácio da Ajuda, numa declaração conjunta com o ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas. O chefe do Governo defendeu que o executivo deve “continuar a trilhar” o caminho para “criar condições duradouras para a prosperidade futura dos portugueses” e “prosseguir” uma agenda de reformas em vários sectores da economia e da sociedade.

Tudo tem a ver com as greves anunciadas dos pilotos e dos controladores aéreos

TAP não aceita reservas entre 29 Junho e 5 Julho correio / lusa

“Não foram encontrados resultados para a sua pesquisa. Por favor, modifique os seus critérios de selecção e tente novamente”. Esta é a mensagem que todos os que tentam marcar viagem entre Funchal e Lisboa e vice-versa encontram no portal ‘on-line’ da Transportadora Aérea Portuguesa (TAP) se o pedido for feito para o período entre 29 de Junho e 5 de

Julho. Fonte da companhia garante que os voos estão todos fechados e que só em breve é que a situação será eventualmente desbloqueada. Tudo tem a ver com as greves anunciadas dos pilotos e dos controladores aéreos, o que leva a que NAV a não revelar para já horários disponíveis para as operações. A TAP informa contudo que está a aceitar listas de espera para as referidas datas.


29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

publidade 15


História de Vida

18 HISTÓRIA DE VIDA

Arlindo Abreu considera-se mais outro filho da Venezuela

29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

Arlindo Abreu, o homem das ‘piñatas’ Saiu da Madeira para escapar à guerra e foi para Punto Fijo, onde tentou aprender diferentes ofícios, até que se fixou nas ‘piñatas’

Carla Salcedo Leal csalcedo@correiodevenezuela.com

A 29 de Novembro de 1947, nascia na Ribeira Brava, Madeira, Arlindo Abreu Faria, que anos mais tarde partiria da sua amada terra para um lugar onde o destino o levaria a criar raízes com uma conterrânea. Foi aos 14 anos que iniciou a viagem da sua vida. “O meu pai mandou-me buscar porque naqueles anos havia guerra em Angola, e havia muitos rapazes que tinham ido para a guerra e nunca mais tinham regressado, e ele não queria que isso acontecesse com um dos seus filhos. Trouxe-me para que eu não fosse para a guerra”, conta, recordando a primeira vez que viu o porto de La Guaira, a bordo do recordado navio Santa Maria. O pai esperava-o à saída do navio para continuar a viagem, pois tinha fixado residência a umas centenas de quilómetros de La Guaira, mais especificamente em Punto Fijo, Estado Falcón, a região mais a Norte da Venezuela. “Nós viemos para Punto Fijo e aqui fiquei. O meu pai tinha um supermercado, chamado La Competencia, onde comecei a trabalhar com ele durante alguns anos, e depois fui para Barquisimeto trabalhar sozinho, mas aí dei-me mal”, recorda, sobre o motivo do seu regresso a Falcón e o seu trajecto nos negócios. Num espanhol perfeito, modula cada uma das palavras que diz, poucos no seu negócio imaginariam que é português de nascimento, e o mesmo aconteceria se algum português o ouvisse falar na sua língua materna. “Foi o hábito que me ajudou. Sempre lidei com venezuelanos e ao trabalhar na rua, fui me acostumando e ‘agarrando’ o idioma. O pouquinho que aprendi foi quando ainda era rapaz, porque quando vim para a Venezuela, não quis estudar mais”, conta. Foi em 1973 que teve oportu-

Arlindo Abreu e os filhos partilham o negócio das ‘piñatas’.

nidade de regressar pela primeira vez à sua querida ilha, mas esta visita duraria pouco tempo, e ao regressar, Arlindo empreenderia um novo caminho na sua vida, um caminho chamado Maria Celeste dos Santos Gonçalves. “Quando regressei, casei-me, e já temos 36 anos de casamento. Conhecíamo-nos desde pequenos, porque ela também é da Ribeira Brava, e veio para cá três anos depois de eu ter chegado à Venezuela”, conta, notavelmente emocionado sobre o seu grande amor. O homem das ‘piñatas’ Depois de ter casado com Maria Celeste, a sua vida deu um grande salto, rumo ao negócio que hoje o mantém como homem bem sucedido. “Estive a trabalhar com o meu sogro e depois fui trabalhar

com o meu pai outra vez. Ele vendia bebidas alcoólicas e eu ‘piñatas’, até que depois comprei La Casa de las Piñatas. A pouco e pouco consegui reunir dinheiro e comprar o terreno onde tenho o negócio hoje em dia, e que agora se chama La Nueva Casa de las Piñatas”, relata Abreu, entre as conversas das pessoas que visitavam a loja em busca da decoração para as festas das suas crianças, pois não é por acaso que este é um dos negócios do ramo mais famosos da região. “É verdade, é raro encontrar um português a vender ‘piñatas’, mas eu nunca aprendi a trabalhar em padarias, restaurantes ou supermercados. Eu o que sei é de ‘piñatas’. Compro-as a pessoas que as fazem em casa, bem como centros de mesa ou ‘chupeteras’, e vendemos aqui”, diz, antes de confessar que “nunca fiz uma ´piñata’, ainda que saiba como fazê-las, mas não tenho tempo”. Depois de 30 anos no negócio, e três filhos que agora o acompanham, Abreu assegura que nunca se dedicou a contar quantas ‘piñatas’ vendeu ao longo deste tempo, num trajecto que espera que os filhos preservem. “A verdade é que os meus três filhos são licenciados, e os três quiseram ficar comigo. Não quiseram exercer as suas profissões”, comenta. Sagrada devoção Outra das actividades às quais

FOTO: C.S.L

Arlindo se dedica é uma das mais apreciadas pelos portugueses que vivem fora da sua terra. Desde há quase 35 anos que é um dos festeiros de Nossa Senhora de Fátima na região. “Antes havia substituição dos festeiros, mas quando nós chegámos (os do seu grupo), começámos a ficar, e enquanto eu puder ir, vou continuar todos os anos”, diz, orgulhoso. Apesar das coisas terem mudado, e de sentir saudades daquelas festas em que o Centro Português de Punto Fijo transbordava de visitantes para receber a Virgem, assegura que o orgulho que sente por ser um dor servidores de Nossa Senhora de Fátima não tem ponto de comparação. “O ano passado, para minha surpresa, entregaramme uma placa pelos anos que estou a colaborar com a festa. Tenho de dizer que aqui morreram muitos portugueses, e hoje em dia há muitos jovens que deveriam juntar-se a esta actividade”, adverte. Muitos portugueses têm como meta regressar a Portugal para viver os seus últimos anos de vida, mas Arlindo Abreu considera-se mais outro filho da Venezuela. “Acostumamo-nos aqui, e apesar de todos os problemas que existem, como a insegurança, este não é um país mau para viver. Fixámos as nossas raízes, e isso faz com que seja mais difícil sair. Mas uma coisa é certa: Podemos viver até na China, mas estaremos sempre atentos ao lugar onde nascemos”, conclui.


29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

publicidade 19


20 cultura

Entre cortinas Por Joel Melin Abreu

Teatro para todos os gostos ‘Yo y que queee’ / Teatrex

César Muñoz regressa com as rotinas de humor e todas as suas canções… desde o ‘GPS Carupanero’ até ao êxito internacional ‘YO Y QUE QUEEE!’ O stand up comedy está a invadir todas as salas de teatro do país. César Muñoz é um dos representantes mais importantes deste género. Conhece a verdadeira versão de Heidi, averigua quem era realmente a nossa querida Candy Candy e conhece o Dj Possi. ‘Como Dios manda’ Trasnocho Lounge

‘Como Dios Manda’ é uma peça que apresenta, através do humor, a realidade do homossexual venezuelano, que deve viver através de estereótipos socialmente aceites para não enfrentar os duros juízos de valor do arraigado machismo latino-americano. A sua protagonista, Sónia, é lésbica e decide casar-se com Alex, o seu melhor amigo de toda a vida, que também é gay. Reflexiones con 3 de ellos’ Teatrex

Quantas vezes tropeçamos em livros, análises, teses, filmes, peças de teatro e todas as telenovelas que contam uma história de amor a partir do ponto de vista delas? Por acaso os homens não sabem amar? Quão cruel pode ser um homem com a sua imagem forte e aparente frieza de sentimentos? Quão malvada pode ser uma mulher que julga a sua metade da laranja e a condena à infelicidade? Agora reflectem eles. Sexo e humor à italiana Celarg

A montagem leva ao palco seis dos contos mais picantes do texto original de Boccaccio, onde se fundem a avareza, o adultério, a luxúria e, de uma forma muito particular, a dupla moral da igreja católica, apostólica e romana do século XIV. As suas personagens são seres comuns, defeituosos e desprovidos de qualquer valor nobre, cavaleiresco ou cortês. Destacam-se a astúcia de todos para triunfar nas situações descritas de uma forma picante e divertida.

29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

Guatire acolhe IX Encontro de Folclore Português Joel Melin Abreu jmabreu@correiodevenezuela.com

No próximo mês de Julho, mais especificamente no 1.º dia do mês, leva-se a cabo o IX Encontro de Folclore Português Continental, que terá início pelas duas da tarde nas instalações do Santuário Virgem de Fátima, na urbanização Castillejo de Guatire, no Estado de Miranda. Graças a esta designação para acolher o evento, a localidade poderá desfrutar, pela primeira vez, de um evento de folclore. Nesta ocasião, o encontro é dedicado a Óbidos, mais conhecida como ‘A Cidade Fortificada’, que é uma das sete maravilhas de Portugal, e que conta com um pouco mais de nove séculos de história e cultura no país ibérico. O grupo organizador assegura que as pessoas que participam no evento poderão desfrutar de uma apresentação completa dos diferentes costumes e tradições da cultura lusa, como danças e vestimentas típicas da região, comida tradicional e um sem fim de surpresas que tornarão a iniciativa num momento do qual portugueses e venezuelanos desfrutarão ao máximo. “Convidamos a comunidade de Guarenas/Guatire/Araira a que participe neste encontro, onde poderão assistir à actuação de nove grupos que representam o folclore português continental”, lê-se num comunicado emitido pelo grupo anfitrião. Nesta oportunidade, o nono encontro continental da cultura portuguesa coincidiu com o nono aniversário do organizador, o G.F. Centro Sociocultural Virgem de Fátima. “A 27 de Junho do ano em curso, cumprimos 9 anos de fundação, dos quais nos sentimos orgulhosos, pois continuamos unidos e a fomentar o folclore português que aprendemos”, disseram os organizadores. O conjunto Virgem de Fátima conta com 40 membros nos grupos juvenil e infantil. Este último vai a caminho de cumprir dois anos de existência, com o objectivo de que as gerações mais jovens comecem a entender a beleza da cultura lusa. Um dos baluartes do grupo não só conta com luso-descendentes nas suas fileiras como também têm membros venezuelanos que, ainda que não tenham nenhuma herança portuguesa, sentem-se orgulhosos de representar o folclore de Portugal.

O grupo folclórico Centro Sociocultural Virgem de Fátima será o anfitrião do evento, que decorre no próximo mês

Grupos Integrantes do Encontro Folclórico Continental - G.F do Centro Luso Venezuelano de Los Valles del Tuy - G.F Os Lusíadas - G.F Amizade da Casa Portuguesa do Estado de Aragua. - Rancho Folclórico Costumes e Tradições de Portugal - G.F Renascer Lusitano - G.F Internacional Luso do Centro Marítimo de Venezuela - G.F de Danças Internacionais Dos Patrias - G.F Juvenil do Centro Português de Caracas - G.F Danças e Cantares de Portugal-Puerto la Cruz

Vencedores do VIII Encontro Folclórico Continental

Traje Típico 1. Costumes e tradições de Portugal (San Juan de los Morros) 689 2. Amizade de Maracay 631 Voz Masculina 1. Virgem de Fátima (Guatire) 654 2. Centro Marítimo 636 Voz Feminina 1. Centro Português e Centro Marítimo (Empate) 641 2. Virgem de Fátima 638 Grupo Musical 1. Costumes e Tradições de Portugal 667 2. Virgem de Fátima 649 Grupo Folclórico 1. Tradições de Portugal (execução, coreografia, sincronização) 1936 2. Virgem de Fátima (execução, coreografia, sincronização) 1910

Resenha Histórica de ÓBIDOS A“CIDADE FORTIFICADA”

Óbidos era um dos portos mais prósperos do Atlântico português. A cidade estava protegida pelas suas inquebráveis muralhas para defender-se das batalhas que se sucederam nos primeiros séculos de fundação. Hoje em dia é apenas uma referência histórica e uma bela localidade portuguesa que surpreende pelas suas muralhas e pelo seu imponente castelo, cuja função já nada tem a ver com o seu passado. Esta cidade encontra-se a cerca de 85 quilómetros a Norte de Lisboa. Não conta com aeroporto próprio, pelo que a opção mais cómoda e comum para chegar a esta localidade é alugar um carro na capital do pais luso e, a partir dali, fazer uma excursão de um dia para visitar esta cidade que se assemelha uma paragem medieval. Óbidos é também um bom lugar para desfrutar da gastronomia portuguesa, pois devemos ter em conta a sua proximidade ao mar, o que a torna particularmente rica do ponto de vista gastronómico.

pensa verde Ainda é possível uma Antárctida verde Carla Salcedo Leal

Muitas vezes os avós diziam que há que olhar para o passado para entender o que futuro nos depara, e essa foi a premissa de um grupo de cientistas que iniciaram a tarefa de estudar as alterações que o aquecimento global está a provocar na Terra, descobrindo que antes, já lá vão alguns períodos, até a Antárctida era totalmente diferente do que a se conhece hoje em dia. Um estudo dirigido pela professora Sara J. Feakins, da Universidade do Sul da Califórnia, com o apoio da NASA, revelou que a Antárctida era muito mais quente e húmida no período Miocénico, há uns 15 milhões de anos, quando os níveis de CO2 eram quase tão elevados como os que se registam agora no nosso Planeta. Com os resultados obtidos neste estudo, os cientistas advertem que a Terra poderá chegar a uma história semelhante nos finais do século, convertendo-se de novo numa área verde e quente. Os investigadores determinaram, com provas muito convincentes, que a temperatura de Verão nesta zona há 15 milhões de anos era de cerca de 7 graus Célsius (centígrados), acompanhados por elevados níveis de precipitações. Naquela época, os níveis de CO2 alcançaram níveis muito elevados, entre 400 a 600 partículas por milhão (ppm), similares aos da actualidade, quando se alcançou o nível mais elevado deste período, ao registar 393 ppm, pelo que se prevê que em finais do século, o Planeta poderá alcançar os níveis do Miocénico. O estudo estabelece então que as condições cálidas durante o período Miocénico médio estão associadas aos níveis de dióxido de carbono, daí esta estimativa de retrocesso da Antárctida, provando, assim, a teoria do descongelamento, o que acabaria com a maioria das espécies que vivem nesta zona.


cultura 21

29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

Recomendação de Cinema Joel Melin Abreu

I Curso de Culinária termina com sucesso em Valência O êxito foi tão retumbante que Chrystêllo Tavares viu-se já na necessidade de agendar uma segunda edição do mesmo curso. Correio da Venezuela

‘Esto es guerra’ (‘Isto é guerra’) ‘Esto es la guerra’ (‘Isto é guerra’, na versão portuguesa) é uma comédia romântica de acção que tem como principal atractivo o seu triângulo protagonista, uns estilizados e marcados Chris Pine (“Star Trek”, “Imparable”), Tom Hardy (“Origen”, “El topo”) e Reese Witherspoon (“¿Cómo sabes si…?”, “Agua para elefantes”), prestes a fazer disparar as hormonas do público de ambos os sexos. Os três colocam-se pela primeira vez às ordens de Joseph McGinty Nichol, director que durante todo o seu trajecto se moveu nos terrenos do videoclip, ficção televisiva e cinematográfica, onde assinou os filmes ‘Os Anjos de Charlie’, ‘Equipa Marshal’ (2006) e ‘Terminator Salvation’ (2009). Neste filme, Chris Pine e Tom Hardy encarnam dois agentes da CIA considerados os mais mortíferos do mundo, para além de inseparáveis camaradas e amigos. Toda a sua relação de amizade e profissional decorre sem inconvenientes até que ambos se apaixonam pela mesma mulher (Reese Witherspoon). Quem no passado contribuiu para aproximar nações inimigas e deter perigosos vilões recorre agora às suas incomparáveis habilidades e a uma colecção inacabável de equipamentos de alta tecnologia para travar o pior inimigo que cada um deles enfrentou em toda a sua carreira de espiões: O seu ex-amigo do peito.

Terminou na última semana, no Consulado-Geral em Valência, com a presença de meia centena de alunos, o I Curso de Culinária Portuguesa. O mesmo, iniciado a 26 de Abril, a pedido de muitos interessados, decorreu ao longo de dois meses, semanalmente, e contou com nove aulas de duas horas cada uma. Ministrado por diferentes chefes portugueses e luso-descendentes, a par de um transalpino e outro chinês, que combinaram a pasta italiana com o bacalhau e os vegetais tipicamente orientais com os sabores de Macau, o curso granjeou crescente popularidade e tornou-se, rapidamente, num ex-libris do Consulado-Geral em Valência. O êxito foi tão retumbante que Chrystêllo Tavares viu-se já na necessidade de agendar, para depois do período estival, uma segunda edição do mesmo curso. A necessidade de conter despesas, já que as refeições confeccionadas eram oferecidas a todos os presentes, a par da doçaria variada, levará a que o próximo curso seja aberto apenas a uma vintena de alunos.

Sergio Ferreira Soares Sferreira@correiodevenezuela.com

Tenha-se presente que todas as aulas contaram com um momento musical, de piano, e com outro literário, de poesia. Tais momentos, muito apreciados pelos presentes, que antecediam e sucediam às aulas de culinária, permitiram que cada um declamasse poemas portugueses por si estudados. Nesta perspectiva, foram apresentadas as biografias de diversos poetas nacionais e, também, declamados muitos dos seus poemas mais emblemáticos. Fernando Pessoa, David Mourão Ferreira, António Manuel Couto

Viana, Sophia de Mello Breyner e Eugénio de Andrade, entre tantos outros, passaram assim pelo Posto consular para gáudio de meia centena de entusiastas da culinária e da cultura portuguesas. No final, o Cônsul-Geral agradeceu a Mário Papel, comerciante aveirense há muito estabelecido em Valência, o empréstimo de todo o equipamento de cozinha e, também, dos ingredientes que permitiram fazer, na derradeira aula, uma paelha à portuguesa para 60 pessoas.

Fotografia ensinada na Casa Úslar Pietri Joel Melin Abreu jmabreu@correiodevenezuela.com

A Fundação Casa Úslar Pietri, em conjunto com o reconhecido fotógrafo Joaquín Pereira, organiza um workshop de Fotografia Criativa nível 1.0, no mês de Agosto, aos sábados, na sede da Fundação, em Caracas, na rua Los Pino, na urbanização La Florida. O workshop de fotografia criativa está dividido em três níveis de formação. No 1.0, clarificam-se as dúvidas e fixam-se os principais conceitos básicos, o nível 2.0 é mais exigente na prática, e o nível 3.0 serve para elaborar um projecto maior.

Jovens vão celebrar Dia do Design Industrial

O reconhecido e galardoado fotógrafo e jornalista Joaquín Pereira organiza um workshop de fotografia em Agosto Com este programa da Casa Úslar Pietri, procura gerar nos participantes a sensibilidade e o olho fotográfico, o que lhes servirá para criar fotografias cada vez mais elaboradas e atractivas, fomentando a criatividade tanto nos aspectos técnicos da matéria como no âmbito sociocultural da nossa sociedade, para além de ajudar aqueles que querem seguir esta arte. Entre um dos seus muitos percursos académicos, Joaquín

Pereira é jornalista, saído da Universidade Central de Venezuela, e formou-se como fotógrafo na escola de Roberto Mata. Desde 2009 que Pereira organiza workshops de escrita e de fotografia com muito êxito, tanto na Fundação Casa Úslar Pietri como noutras instituições. Também organiza a versão à distância do workshop de escrita com alunos da América e da Europa.

A ‘Agenda de Diseño’ e ‘Puro Diseño’, iniciativas dedicadas à promoção do design na Venezuela, uniram-se para celebrar, pela primeira vez na Venezuela, o Dia Mundial do Design Industrial. A actividade central planeada pelos organizadores consistiu em convocar os designers venezuelanos de qualquer especialidade para enviarem um vídeo de 10 segundos de duração respondendo à pergunta ‘O que é o design industrial?’. As melhores propostas farão parte de uma curta-metragem que será exibida a 29 de Junho em diferentes cidades. O Dia Mundial do Design Industrial é uma efeméride criada em 2007 pelo ICSID (‘International Council of Societies of Industrial Design’), no âmbito do seu 50.º aniversário, para ressaltar como esta disciplina contribui para melhorar as condições económicas, sociais, culturais e ambientais. A actividade central planeada pelos organizadores ‘Agenda de Diseño’ e ‘Puro Diseño’ este ano foi convocar os designers venezuelanos de qualquer especialidade para que enviaram um vídeo de 10 segundos de duração respondendo à pergunta ‘O que é o design industrial?’´. A curta-metragem é o estímulo para que as instituições educativas que ensinam design industrial na Venezuela se dêem a conhecer e participem activamente nesta e noutras actividades complementares, tais como palestras, fóruns e conversas que alimentarão a programação do Dia Mundial do Design Industrial.


22 CULTURA

saúde ao día Implantes rompem mas não são tóxicos Carla Salcedo Leal

A onda de problemas levantada pelo rompimento de um importante número de implantes ‘Poly Implant Prothese’, mais conhecidos no mundo como PIP, trouxe a preocupação a muitas mulheres em todo o mundo que, por diferentes razões, decidiram submeter-se a uma cirurgia para melhorar a sua figura. Apesar de os tribunais terem decidido que os implantes iam ser retirados gratuitamente em praticamente todos os países afectados, alguns governos investigaram a fundo se era certo que o rompimento das próteses provocava cancro ou outras doenças, como aconteceu em Inglaterra, onde o governo designou um perito médico para avaliar os implantes mamários defeituosos. O referido estudo deu resultados que as 47 mil mulheres britânicas afectadas não esperavam, pois concluía que mesmo depois de as próteses romperem, mantê-las não implicava problemas de saúde a longo prazo. O médico encarregue da investigação, Bruce Keogh, director médico do Serviço Nacional de Saúde, estudou aproximadamente 240.000 implantes de diferentes marcas. No mesmo relatório, o médico britânico mantém firme o seu conselho às mulheres que receberam próteses PIP de mantê-las sob observação e consultar um especialista em caso de dúvidas, para saber se é necessário retirá-las ou não. Em Janeiro, a Organização Mundial de Saúde assinalou que era necessário informar melhor a população sobre os riscos associados a estes implantes. No caso da Venezuela, nos próximos dias os juristas deverão dar a conhecer as condições para que as pacientes afectadas possam retirar gratuitamente os implantes desta marca francesa.

29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

Peça “Casamento” cativa 20.º Festival de Teatro Interclubes Sergio Ferreira Soares sferreira@correiodevenezuela.com

O grupo de teatro LusoScena, do Centro Português, de Caracas, demonstrou o seu talento no 20º Festival de Teatro Interclubes 2012, que arrancou no passado 15 de Junho e decorre até 1 de Julho. A peça “Casamento” encantou os jurados e o público que marcou presença no Salão Nobre da instituição, na noite da passada sexta-feira, 22 de Junho. O público foi levado para um ambiente típico de um casamento entre uma venezuelana e um português, com orquestra, arranjos florais, valsa e até um bolo d noivos, enquanto que os actores, ataviados com vestidos e trajes de gala, recriaram as situações próprias deste género de celebração. A visita de um cantor português, as diferenças entre os familiares dos cônjuges e a chegada de dois assaltantes em pleno desenvolvimento da festa,

Peça do Centro Português, de Caracas, foi aplaudida pelo público durante quase dez minutos

tores do CP durante quase 10 minutos, demonstrando assim a sua grande aceitação pelo espectáculo presenciado. Sobre o festival...

foram os pontos fortes e responsáveis pelas risadas e momentos de tensão que prenderam a aten-

ção dos presentes. No final da encenação, o público assistente aplaudiu os ac-

Os coordenadores do grupo Histrionis, do Centro Ítalo Venezuelano de Valência, têm a responsabilidade de organizar o evento, fruto da conquista do primeiro lugar no certame do ano passado. Neste festival participam Hermandad Gallega, Hogar Canario, El Asturiano, La Hebraica, la Lagunita Country Club, o Centro Português, Centro Ítalo Venezuelano de Valência, Maracay, Caracas e Puerto la Cruz, entre outros. O director geral do comité organizador, Nicole Francischiello, explicou que, dado que o grupo Histriones cresceu com os poemas de Aquiles Nazoa, o encontro será realizado em honra deste poeta. Os jurados pronunciam-se sobre o festival no próximo 1 de Julho.

“Pessoas” deleitou caraquenhos de novo

Roberto Leal regressa a Caracas

No âmbito do IX Festival Mundial da Poesia, a peça foi encenada em dois os mais importantes teatros da Venezuela

Sergio Ferreira Soares

nando Pessoa e pela história da sua amada. Gonzalo Mendoza e Carlos Rojas Zoccolo, foram os encarregados de dar o toque musical a esta peça dirigida por Katty Rubesz, com a assistência de Edisson Spinetti. Sobre a obra…

Sergio Ferreira Soares

A Gala inaugural do IX Festival Mundial da Poesia ofereceu, na passada segunda-feira, 18, um pequeno momento da peça “El fado de Pessoa”, que deleitou o público presente na sala Ríos Reyna do Teatro Teresa Carreño. O fragmento da obra foi tão só um aperitivo do que desfruta-

ram os caraquenhos no sábado, 23 de Junho pelas 17h00, quando os intérpretes da peça subiram ao estrado do Teatro Principal para a apresentação integral deste espectáculo de teatro musical. Alma Blanco, Norma Monasterios e Alexander Solórzano, foram, mais uma vez, os responsáveis por levar o público numa breve viagem pela vida de Fer-

Histórias de imigrantes carregadas de poesia e música lusitana mostram-se nesta peça. Trata-se de uma co-produção entre o grupo Encuadre Teatral e o Centro de Criação Artística TET, onde a música, o canto e a poesia são o elo mobilizador e condutor da história de duas mulheres imigrantes que chegam ao continente americano em busca de novos horizontes. A directora e dramaturga da obra, Katty Rubesz, diz que esta criação é uma homenagem à alma portuguesa e ao sentimento tornado canção, que se converteu em fado.

O reconhecido cantor de origem portuguesa Roberto Leal regressa a terras venezuelanas a 28 de Setembro para entreter os seus fãs crioulos no salão Río Manzanares do Hotel Gran Meliá Caracas. A iniciativa é de novo promovida pelas empresas ‘Producciones Nino Acosta’ e ‘Portugal ao vivo’, que nos últimos anos revitalizaram a comunidade lusovenezuelana com a apresentação dos mais variados artistas lusitanos. Os interessados em adquirir bilhetes deverão contactar a produtora através do correio electrónico portugalaovivo@hotmail.com ou pelos telefones (0414)321.37.20; (0414)315.16.89; ou (0414)030.74.96. Roberto Leal é o nome artístico de António Joaquim Fernandes, nascido em Vale da Porca a 27 de Novembro de 1951 e emigrado para o Brasil em 1962.


29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO DA VENEZUELA

publicidade 23


24 opiniaõ

29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

Finanças pessoais instantâneas

Algumas pessoas estão incomodadas com o que fazem com o seu dinheiro

Isabel Idarraga isabel.idarraga@gmail.com

Emília, jovem profissional, partilha impressões acerca da boa utilização do dinheiro com a sua amiga Marisol. Reconhece que teve problemas por gastar mais do que a conta e contrair dívidas que excediam a sua capacidade de pagar. O último susto foi tão grande que prometeu ser racional na gestão dos seus recursos, que são suficien-

tes para ter liberdade financeira, ou sejam permitem-lhe satisfazer todas as suas necessidades e guardar para as emergências, poupança, investimentos, protecção e reforma. Em todo o lado encontramos pessoas que admitem desconhecer o montante dos seus gastos e não poupam por acreditarem que não ganham o suficiente para isso. Inclusive, muitos, ao fazerem uma lista das suas contas mensais, surpreendem-se ao reparar que estas são inferiores, por uma boa distância, dos seus ganhos, e ignoram para onde foi o resto. E existem os que não querem falar do tema porque se consideram incapazes de corrigir a sua situação financeira por acreditar que não têm remédio. Sim, muitos estão incomodados, assusta-os avaliar a sua realidade ao supor que o procedimento é difícil e por temerem o

resultado. Não é assim tão complicado, se começar pelo princípio, fizer uma lista dos seus ganhos e das suas despesas. Com esta prova, saberão para onde vai o dinheiro, identificarão quanto é destinado a pagar dívidas, o contributo para as necessidades básicas, como alimentação, casa, transporte, saúde, educação, entretenimento, e muito importante, a soma das compras compulsivas. De seguida, há que fazer umas quantas perguntas: Onde quer ir? O que quer ter dentro de cinco anos? Em 20 anos? O que aconteceria se amanhã não pudesse continuar a trabalhar? De que viverá quando tiver 70 anos? Questões deste tipo obrigam a descer à terra, e, quando as respostas não são lisonjeiras, geram motivação para mudar. É a altura para fazer uma lista das metas que se deseja alcançar, que servirão de norte quando se trata de gerir os recursos. Emília sentiu a gratificação de quem decide optar pela mudança. Sabe que usar o dinheiro com seriedade é a diferença entre contar com poupanças e não poder assumir o gasto de uma emergência como um dente podre. Certamente vale a pena dedicar um momento a avaliar em que ponto está....

alta tribuna

Estabelecendo a distância Antonio López Villegas

Imaginemos, por um momento, que cada vez que aceitemos um desafio e alteremos o nosso comportamento reactivo, receberemos um milhão de dólares. Que faríamos em cada dia? Simplesmente despertaríamos cada manhã procurando todos os problemas que pudéssemos encontrar para de imediato os resolver. Será que o dinheiro é assim tão atractivo? Tanto que seríamos capazes de modificar uma conduta para a melhorar? Pelo contrario, fazemos quando se desata uma crise, quando alguém nos faz ver que temos feito asneira”? Quando alguém nos atira à cara que temos actuado de uma maneira desadequada? Queremos em seguida evitar a reclamação, fugindo e/ou escapando. E até com violência pelo meio. Claro é o mais fácil. É o que quase todo o mundo faz. “Esconder o lixo debaixo da almofada”. Temos sido programados para evitar e reagir. Mas é que ninguém disse que revisar-nos fosse fácil. É mui-

to difícil, mais ainda quando as pessoas são acompanhadas por um dos “pecados capitais”, a meu juízos dos mais feios, a soberbia. Quiçá ao alterar a conduta não recebamos esse milhão de dólares, mas em troca podemos receber algo que não pode ser comprado com dinheiro: entrega, confiança, solidariedade, amizade, amor, paixão. Poderíamos, se assim o relacionamos, começar uma campanha de revisão de condutas “animais” que provoca que se distanciem muitas das pessoas com quem queremos estar. E depois perguntamonos Que fiz para que Fulan@ se retirara? Por que Mengan@ se distanciou tanto? Por que é tão breve o tempo que Fulan@ me dedica? Mas afortunadamente há sempre um convite aberto a todos nós: sempre há tempo para mudar. Façamos um exercício e recordemos que não estaremos para sempre neste plano existencial e enquanto respiremos devemos seguir em frente. Desfrutemos da possibilidade de ser felizes, não o arruinemos com a nossa atitude.

Cartas dos Leitores Apoio nos bons momentos... e também nos maus

Um aumento desproporcional ao serviço prestado

Começa a batalha pela cadeira…

Por razões de segurança, escrevo sem dar o meu nome, mas sei que muitos membros da nossa comunidade entenderão a motivação que hoje me leva a escrever esta carta. Lamentavelmente, um grupo de pessoas que ajudou muitos de nós a resolver uma das piores situações da vida, como é o sequestro de um familiar, atravessam hoje uma situação deplorável, depois de, no passado dia 21 de Junho, um erro custou a vida a um companheiro de outra divisão do CICPC, quando os membros da Divisão Anti-extorsão e Sequestro se encontravam no meio de uma operação de entrega controlada do pagamento de um sequestro, ajudando uma família, tal como fizeram comigo certa ocasião. Infelizmente, alguns jornalistas (a maioria) decidiu pisar a ‘concha de mango’ que outros grupos interessados em denegrir a imagem desta valente e honrada divisão lhe puseram, sem sequer tentar (como eu fiz) ouvir a outra versão. Encontrei muitas outras pessoas como eu no BAE, que chegaram ao local para mostrar o seu apoio moral e material a estes polícias que durante o cativeiro dos nossos familiares, demonstraram que trabalham por amor ao que fazem, procurando combater este delito com todos os recursos. Agora ficamos desprotegidos perante o delito, muito mais vulneráveis do que já éramos. Agora nada mais nos resta senão continuar a rezar para que se faça justiça e a impunidade desapareça deste belo país.

Na última semana fomos alvo de um novo aumento nas tarifas de transporte público. Até quando os cidadãos terão que aceitar que isto aconteça quando o serviço que prestam nos transportes públicos não reflecte o preço que cobram? As viaturas encontram-se em péssimas condições, possuem bancos rotos, as portas não funcionam, sobrecarregam os veículos para poder fazer mais carreiras e isto sem falar no ambiente de insegurança que se vive no seu interior. Creio que já chegou a hora de o governo assumir as rédeas nesta matéria e começar a pensar nos cidadão em geral e não apenas nos donos dos transportes, que cada dia que passa só ganham mais dinheiro oferecendo um mau serviço ao mesmo tempo. Também os plebeus, que ganhamos um salário modesto para cobrir todos os gastos mensais, temos direito a que nossa voz seja escutada e os nossos pedidos sejam considerados na hora de tomar decisões, como o aumento da tarifas dos transporte público.

Para ninguém é um segredo que as próximas eleições presidenciais de 7 de Outubro vão converter-se num ringue de boxe ou num campo de batalha, onde duas tendências colocarão o melhor de si com a clara intenção de conquistar a cadeira presidencial. As duas marchas que presenciamos no domingo (Capriles) e na segunda-feira (Chávez), representaram, sem lugar a dúvidas, uma demonstração pura de extremismos: uns clamaram por uma Venezuela melhor e outros apoiaram o país em que estamos vivendo. O que me parece mais incrível é a diferença entre as marchas a nível de comportamento: uns apelaram à união e ao progresso, enquanto que outros promoveram o ódio e a desunião. Devemos preparar-nos para este momento histórico, assumindo com consciência o compromisso e pensando se esta é a Venezuela que queremos para os nossos filhos?

Juan Carlos Días

Sandra Abreu

Está tudo caro! Escrevo esta carta com grande indignação e por causa do aumento dos preços. Apesar do aumento dos salários e de alguns “benefícios” que só beneficiam um certo grupo, para qualquer cidadão comum com o salário mínimo resulta impossível ter uma vida estável. Com uma cesta básica que duplica o salário mínimo, todos nos perguntamos em que é que se apoia o governo para dizer que a Venezuela está a progredir … Sim, claro, em progressão para a insegurança e a pobreza! Não entendo como os cidadãos conseguem sobreviver com seguros tão elevados; com comida tão cara; com roupa tão dispendiosa; com aumentos nas tarifas de autocarros e estacionamentos; com centenas que é impossível aqui referir na sua totalidade… Chegou o momento de abrirmos os olhos e de levarmos o governo a tomar decisões que beneficiem o povo em todos os âmbitos; caso contrário, só conseguirão aumentar os bairros, aumentar os roubos e aumentar todo o que é mau! Maria de Lourdes Pereira


29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO DA VENEZUELA

publicidade 25


26 publicidade

29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

Banquetes

Gales

Salón Windsor Fabiana Carolina celebrou as 15 primaveras no Gales Sergio Ferreira Soares sferreira@correiodevenezuela.com

A sala Windsor do Salão de Banquetes Gales, a Este da capital venezuelana, no Centro Ciudad Comercial Tamanaco (CCCT), foi palco da majestosa festa de Fabiana Carolina de Andrade de Gouveia, que, junto com os pais, Elisa de

Gouveia e Egídio de Andrade, a avó, Georgina Rodrigues, familiares e amigos, celebrou as suas 15 Primaveras, na noite do passado sábado, dia 23 de Junho. O tema escolhido para a decoração foi o Cirque du Soleil, que deslumbrou os mais de 250 convidados numa noite cheia de magia e alegria. Os

seus irmãos, Angel e Katherine, e os cunhados, Félix e Valentina, tal como os restantes convidados, desfrutaram de boa música, comida, e da actuação da Orquestra Uepa Banda Show. A ‘hora loca’ levantou todos das suas cadeiras, e, com emoção, acompanharam Fabiana dançando até às cinco da manhã.


29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO DA VENEZUELA

publicidade 27


28 desporto

29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

Portugal falha final ao perder nos penáltis Correio/lusa

Arrancou animada a meiafinal ibérica no Donbass Arena, com Portugal a conquistar dois cantos ainda o relógio não marcava dois minutos de jogo. A primeira ocasião de perigo para a baliza de Rui Patrício surgiu numa jogada entre Iniesta e Busquets, aos nove minutos. O médio jogou a bola no centro e Busquets atirou por cima da barra. No minuto seguinte foi o mesmo Iniesta a tentar a sua sorte, mas sem perigo para Portugal. Pepe esteve em grande no seio da defesa portuguesa. Em jeito de contra-ataque em velocidade, Ronaldo subiu pelo flanco esquerdo cruzando para a área castelhana, mas Casillas apanhou o esférico no ar. Aos 16 minutos, repetindo o sprint pela esquerda, CR7 conquistou livre em cima da área contrária, mas na cobrança atirou à barreira. A pressão de Portugal era tremenda nos primeiros momentos, enquanto Espanha procurava focar-se na eficácia dos passes e no controlo da posse de bola, particularmente no meio campo. Aos 27 minutos, os portugueses ficaram de braços no ar a pedir penalti, após Sérgio Ramos ter cortado a bola na área com o peito (e o queixo), mas o árbitro Cüneyt Çakir mandou seguir. Depois foi Iniesta a rematar em força, sem a melhor finalização. Seguiu-se boa jogada de Moutinho, que protagonizou uma recuperação excelente, colocando ao centro em Ronaldo que, de pé esquerdo, quase “tirou tinta” ao poste direito de Casillas. Aos 40 minutos, Portugal arrancava em velocidade para um lance de contra-ataque, mas Sérgio Ramos trava Ronaldo ilegalmente e vê o primeiro cartão amarelo da partida. Antes do intervalo houve tempo para Fábio Coentrão ver cartolina amarela, por protestos (45 m). A selecção mostrava que estava organizada e unida, e Espanha parecia “encalhada”, com uma má prestação de Negredo, grande aposta de Del Bosque para a meia-final e única alteração no onze castelhano desde os quartos-de-final. No reatamento não

Reacções Por Portugal › Paulo Bento: “Algumas lágrimas (no balneário), mas não me parece que tenha de ir muito mais além de um momento em que naturalmente tínhamos a ambição e a ilusão muito grande de chegar à final. Parabéns à Espanha, foram mais eficazes, felizes. Resta-nos o nosso trabalho. Caímos como uma grande equipa, com honra e orgulho. Agora é descansar bem e a partir de Setembro lutar pelo mundial Brasil2014. › Pepe: “Fomos uma equipa bem organizada e tentámos fazer golos. Estamos de parabéns, pois fizemos tudo para ganhar. Infelizmente, não conseguimos fazê-lo nos penáltis. Queríamos ter dado uma alegria ao povo português. Fizemos um grande jogo, muito aguerrido. A Espanha não rematou à baliza na primeira parte. É triste perder assim”. › Varela: “Temos de estar orgulhos pelo trabalho que fizemos. Sentimos que os adversários passaram a respeitarnos mais. Agora temos de continuar a trabalhar. [Os portugueses] Devem estar orgulhosos do que fizemos. Tivemos infelicidade de não conseguir passar, mas isto é o futebol”.

Pela Espanha › Del Bosque: “Os nossos jogadores fizeram um esforço extraordinário e no prolongamento estivemos melhor. Foi um jogo muito controlado, um pouco lento, mas estamos muito contentes”

Penáltis › Xabi Alonso: falhou (defesa de Patrício) › João Moutinho: falhou (defesa de Casillas) › Iniesta: marcou › Pepe: marcou › Piqué: marcou › Nani: marcou › Sérgio Ramos: marcou › Bruno Alves: falhou (à barra) › Fabregàs: marcou

houve mudanças nos plantéis. O ímpeto ofensivo lusitano vigorava na segunda parte, encostando Espanha à sua área e multiplicando as ocasiões de perigo para as redes de Casillas. A fórmula espanhola parecia não estar a vingar, com a maioria das jogadas a “morrer na praia”. Hugo Almeida teve ocasião de apontar à baliza aos 57 minutos, mas não passou de uma ameaça. De seguida, Ronaldo corria pela direita com a bola à entrada na área e é travado, sem falta, por Busquets, que pede amarelo para o português e acaba ele próprio a ser castigado. Pepe (61) e João Pereira (64) também viram car-

tão amarelo por faltas sobre Xabi Alonso e Fàbregas, respectivamente. Aos 61 minutos, Vicente Del Bosque tirou David Silva por Jesús Navas. Depois foi Xabi Alonso a levar o perigo à área portuguesa. Rematou no sítio certo, mas foi à figura de Patrício. Aos 72 minutos é assinalado novo livre junto à área espanhola, após falta sobre o capitão português. Concentradíssimo na cobrança, Ronaldo atirou por cima. A primeira alteração na equipa de Paulo Bento chegou aos 81 minutos, saindo Hugo Almeida, em aplausos, para a entrada do benfiquista Nélson Oliveira. Em mais um livre que parecia assinalado à medida de Ronaldo, torna a desperdiçar-se um lance. O aproximar dos 90 minutos acarretava um aumento nos «nervos» dos jogadores, multiplicando-se as acções disciplinares. Bruno Alves viu amarelo após entrada proibida sobre Fábregas, depois de também Arbeloa ser castigado por falta sobre Ronaldo. A melhor ocasião de golo até à altura chegou aos 90 minutos,

num rápido contra-ataque conduzido por Meireles, Portugal tinha superioridade numérica, mas Ronaldo, descaído para a esquerda, rematou muito por cima. Aos 90+3 foi Miguel Veloso a ver o cartão amarelo, por entrada dura sobre Alba. Espanha mais forte no prolongamento

Já no prolongamento, Espanha apresentava alguns argumentos mas a defesa lusitana estava atenta e apertada, com Bruno Alves e Ronaldo a ajudar. Paulo Bento pedia aos escolhidos para subirem no campo. Espanha parecia ter acordado no prolongamento e apresentava mais perigo, valendo Rui Patrício para evitar os esforços de Iniesta. O palco parecia transferir-se para mais perto da área portuguesa, com os escolhidos de Paulo Bento a revelarem algum esgotamento físico. No fechar da primeira parte do prolongamento, Sérgio Ramos imitou Ronaldo, num remate que saiu com altura a mais, para alívio dos portugueses. No reatamento, Custódio, que esperava para entrar há alguns minu-

› Fabregas: “Tinha esta intuição. Ainda esta tarde, antes do jogo, estava a pensar que ia tudo ser decisivo nos penaltis. A vida deu-me esta oportunidade e foi fantástico marcar aquele penálti. Estou muito emocionado. Jogar em três finais em quatro anos é um feito extraordinário e não sei se alguém na história alcançou isso.” › Sergio Ramos: “Não tive medo nenhum de marcar aquela grande penalidade. Desde as meias-finais da Liga dos Campeões (falhou pelo Real Madrid, frente ao Bayern Munique), tinha esse desejo e sempre tive confiança.

tos, substitui Miguel Veloso. Era a vez de Coentrão avançar em velocidade, colocando no capitão que, na “hora H”, é travado por ‘La Roja’. Jesús Navas ia lançado para desfazer o nulo, mas novamente o ‘São Patrício’ estava lá. A última alteração do seleccionador português foi aos 112 minutos, fazendo sair Raul Meireles por Varela. Aos 114 Xabi Alonso vê amarelo por falta sobre Ronaldo. Ainda sem golos aos 120, o acesso à final vai ser discutido nos penáltis.


29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO DA VENEZUELA

publicidade 29


30 desporto

O Quadrilátero por: Carla Salcedo

Novos espaços para o desporto e diversão Muito foi o que se escreveu e se disse sobre a falta de parques e espaços disponíveis para o lazer da população em Caracas, a que se somou o desapego dos habitantes da cidade a estes espaços devido à deterioração e à insegurança. Existem quase tantas deficiências neste aspecto como promessas de projectos que foram feitas para a Base Aérea Generalíssimo Francisco de Miranda, conhecida como La Carlota, para onde volta a surgir um projecto que, a levar-se a cabo, sem dúvida alguma trará uma cara refrescante a esta cidade tão maltratada. Já não se trata de uma cimenteira nem de uma fábrica de telemóveis, muito menos de uma base militar, supõe-se que tudo isso ficou para trás e finalmente se começará a construir o Parque Bolívar, onde se substituirão o aviões por pássaros e animais selvagens, os hangares e armazéns por mais 50 mil árvores que ajudarão a refrescar a cidade, um grande centro de convenções e uma pista de Fórmula 1 com a qual se aspira a apoiar os atletas venezuelanos. Mas para além disso, este projecto prevê também uma ponte que ligue o Parque Bolívar ao Parque Francisco de Miranda (Parque del Este), com o qual se criaria um grande circuito, ao melhor estilo do Central Park (Nova Iorque), para caminhar, correr ou simplesmente passear. Sem dúvida alguma que este é um projecto ambicioso, que segundo fontes oficiais, estará terminado em 2016, e que não só melhoria o aspecto da cidade como abriria possibilidades para o desporto, que tantas necessidades tem nesta urbe, pois nunca é demais um novo espaço para caminhar, mais um bocadinho de relva para fazer ioga ou tai chi, ou simplesmente para um jogo de futebol ou de beisebol com os nossos filhos ou amigos. O anúncio da construção da pista de F1 coloca mais expectativas sobre a mesa, mais esperanças para os caraquenhos sobre a possibilidade de ter uma cidade menos hostil. Oxalá que desta vez o projecto não fique apenas pelas promessas.

29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO Da VENEZUELA

Centro de Guayana aposta no talento futebolístico Joel Melin Abreu jmabreu@correiodevenezuela.com

Os jovens futebolistas do Centro Português Venezuelano de Guayana, situado em Puerto Ordaz, Estado de Bolívar, vão participar numa oportunidade única ao viajarem para a cidade de Barcelona, Espanha, para a sua formação profissional como jogadores de futebol e com a oportunidade de triunfar no mercado espanhol e inglês, se cumprirem os perfis que as equipas dos mencionados países estão à procura. A delegação que vai estar em Barcelona de 20 de Julho a 20 de Agosto será composta por cerca de 100 jogadores das categorias Sub 9, 11, 13 e 15, que tenham nascido entre os anos de 97 e 2003, e cerca de mais 50 pessoas, entre representantes e corpo técnico. O professor de futebol e encarregue de seleccionar o talento na Venezuela a participar na Fundação Marcet, Manuel Paucar, assegura que o talento existe para triunfar no campo fu-

Fundação Marcet, num trabalho conjunto com o Centro Português Venezuelano de Guayana encontra-se à procura de jovens com talento para triunfar no campo futebolístico melhoria no futebol nacional está totalmente relacionada com o facto de que instituições estrangeiras estejam à procura de possíveis promessas do futebol em terras venezuelanas, pois a Venezuela está a começar a ser um exportador de jogadores. Em busca de uma oportunidade

tebolístico mas que a fundação se encontra à procura de muito mais do que técnica com a bola. “O nível latino, mais especificamente no campo táctico, é mui-

to melhor que o europeu, mas lá também é necessário triunfar no âmbito psicológico, físico, e equilíbrio entre todas.” O professor assegura que a

Como parte deste projecto, o Centro Português Venezuelano de Guayana, junto com o professor Paucar, asseguram que o clube tem três jovens talentos que cumprem com todos os requisitos que os agentes estrangeiros estejam à procura nestes pequenos futebolistas: Ángel Moreno e os ‘morochos’ Jerson e Alejandro Rondón, todos de 13 anos de idade, que têm não só a capacidade técnica, mas também física e mental necessária para triunfar como jogadores profissionais na Europa.

Gomes partilha experiências Ferreira e Gonçalves com as novas gerações cumprem o desafio em Iowa Carla Salcedo Leal csalcedo@correiodevenezuela.com

Carla Salcedo Leal

O jovem surfista Derek Gomes aproveitou a celebração da graduação no segundo módulo de Los Cocos Surf School, instituição que junta meninos de escassos recursos do Estado de Vargas, para partilhar com os graduandos um dia de treino físico, complementado com a sua experiência em competições internacionais. Durante a actividade, Gomes também aproveitou para levar uma mensagem ecológica e de conservação das praias às crianças, pelo que formaram grupos para limpar o local antes de entrar na água. A escola escolheu o aluno com melhor desempenho durante o período de treino do segundo módulo a quem Gomes ofereceu uma das suas pranchas favoritas, aquela com a qual venceu a primeira medalha num Campeonato Latino-Americano de Surf. O menino de 12 anos

O fim-de-semana de 22 a 24 de Junho tornou-se num marco importante para os pilotos lusovenezuelanos Diego Ferreira (Star Mazda Series) e Jorge Andrés Gonçalves (Indy Ligths), que brilharam no traçado do Iowa Speed Way. A chuva foi um dos imprevistos que mais complicou a corrida para os pilotos, pois apesar de os organizadores tentarem secar a pista, esta tornouse num terreno muito escorregadio. Ferreira, que representa a Team Viso e a casa Juncos Racing, teve um bom desempenho na corrida, apesar de ter tido alguns problemas com a parte da frente do carro, concluindo na oitava posição do encontro, mas mostrando-se contente com esta posição, pois permitelhe manter-se nos dez primeiros pilotos da sua categoria.

de idade foi um dos atingidos durante a última temporada de chuvas em Vargas, pelo que vive actualmente num refúgio junto com a sua família, enquanto que, com o apoio dos patrocinadores da escola de surf, o rapaz pode continuar os seus estudos, e agora, graças a Derek, poderá participar nas aulas de surf com a sua própria prancha.

Entretanto, Gonçalves, que não deixa de dar surpresas na Indy Ligths, iniciou a competição no domingo, 24, ocupando o lugar número 11, descendendo para o 13.º durante o trajecto, mas incrivelmente, mais à frente, protagonizou uma espectacular subida com a qual alcançou o sexto lugar da competição.


29 de Junho a 5 de Julho de 2012 // CORREIO DA VENEZUELA

publicidade 31


O jornal da comunidade luso-venezuelana Caracas, 29 de Junho a 5 de Julho de 2012

www.correiodevenezuela.com

Facebook: El Correio / Correio de Venezuela

Twitter: @correiodvzla

“Nada me caiu do céu”

Encontro com Sabrina Seara o homem bom do ‘sem vergonha’? Podem estar certos que ‘Yamilet’ é uma rapariga inteligente e astuta, ela vai deixar-se levar pelo seu coração, e como todos os seres humanos, cometerá erros.

CORTESIA vENEVISIÓN

Num curto espaço de tempo, Sabrina Seara conseguiu ser considerada uma das melhores actrizes existentes na Venezuela. Os seus primeiros passos foram dados no programa ‘Guayoyo Express’, transmitido pela Televen em 2005, onde demonstrou que tinha muito potencial para as artes histriónicas. O mesmo canal televisivo não a deixou escapar em 2007, dando-lhe a oportunidade de protagonizar o primeiro drama produzido pelo canal de Horizonte, ‘Gato Tuerto’. Em 2008m, Sabrina Seara entra como co-protagonista na bem sucedida série ‘ISA TKM’ da Nickelodeon, onde o seu impecável trabalho foi vista dentro e fora das nossas fronteiras. Em 2009, a Venevisión deu-lhe as boasvindas pela porta grande pois obteve o seu primeiro papel protagonista nesse canal na telenovela ‘Los Misterios del Amor’; e no ano seguinte, participou em ‘Harina de otro costal’. Actualmente, depois de vários meses de preparação, Sabrina Seara regressa ao protagonismo na telenovela ‘Válgame Dios’, onde dá vida a ‘Yamilet López’, uma jovem recém-licenciada em Psicologia que debate-se entre dois amores. Como foi o teu início no mundo do espectáculo? Desde pequena que a televisão e o mundo das telenovelas me chamava a atenção, e ser actriz foi algo que sempre quis. Desde muito cedo tive essa meta na minha vida e para alcançá-la, trabalhei muito. Faço tudo com dedicação e esforço, nada me caiu do céu. Claro, como todo o começo, não foi fácil, tive de aprender muitas coisas, e continuo a aprender.

Alguma vez te encontraste na situação de ter de escolher entre dois homens? Numa certa ocasião, fui cortejada por dois homens, cada um com as suas virtudes e os seus defeitos. Foi muito cómico porque estava indecisa e não sabia qual escolher, era muito inquietante mas também me divertia muito com as minhas amigas, decidindo o que me convinha mais. Acho que no final fiz a escolha correcta (risos). Consegues descrever o teu homem ideal? Espero que o homem que esteja a meu lado tenha bons princípios, valorize a importância da família e a amizade, que tenha sentido de humor e que seja seguro de si mesmo, que me ame, me respeite e me admire pelo que sou.

meta é a minha carreira, continuar a evoluir e a crescer na televisão venezuelana e, a ser possível, explorar no exterior. Mas claro que como ‘Yamilet’, sonho casar de véu e grinalda.

Que caminho estás a seguir para alcançar os teus sonhos? Espero estar na rota correcta. Os sonhos são alcançados trabalhando muito, crescendo profissional e pessoalmente, aprendendo todos os dias com as pessoas maravilhosas que me rodeiam, e o mais importante, com Quais são os sonhos, as metas a que boa energia, deixando a parte negaaspira Sabrina Seara? tiva de um lado, e ver o lado positivo Neste momento, a minha principal em todas as coisas.

O que faz a Sabrina quando não está a gravar? Quando não estou a gravar, gosto de descansar, sou muito dorminhoca, pelo que durmo até tarde. Faço exerEste é o teu segundo papel como pro- cícios com a Liz, a minha treinadora tagonista. Qual a tua opinião sobre a pessoal; reúno-me com as minhas amigas ou saio para comer. personagem ‘Yamilet’? Para mim é um prazer voltar a trabalhar na Venevisión, e ainda mais A não ser actriz, que caminho seguiinterpretando um personagem tão rias? belo como este. Cativou-me logo que Estudei Comunicação Social, é uma comecei a ler o guião. Ela é uma mu- carreira que está muito próxima do lher cheia de matizes, sonhadora, mas que faço, e se não tivesse a oportuniao mesmo tempo segura de si mesma, dade de ser actriz, estaria a exercer a gosta muito da sua família, e é muito minha carreira de qualquer maneira. bondosa com os demais. Cada vez que interpreto ‘Yamilet’, surpreendo-me Como defines o amor? com algo novo. Estou a desfrutar mui- O amor é um estado maravilhoso do ser humano; tudo muda quando estato da produção. mos apaixonados, vês as coisas difeO que fará ‘Yamilet’ para diferenciar rentes, tudo é música para o ouvido.

Correio da Venezuela 461  

Edición 461

Correio da Venezuela 461  

Edición 461

Advertisement