Issuu on Google+

ESCOLA SECUNDÁRIA CAMPOS MELO

SUPLEMENTO

www.escmelo.web.pt

Fio Condutor PUBLICAÇÃO TRIMESTRAL * ANO 20 * JANEIRO 2011

ESCM: Porta Aberta ao Futuro

F O T O D E

06

2011

T I A G O

EDITORIAL

pág. 2

PREPARAR O FUTURO

pág. 2

ALUNOS PREMIADOS

pág. 3

REFLECTINDO...

págs. 4 e 5

JOVENS CIENTISTAS E INVESTIGADORES DA ESCM Págs. 6 e 7

HÁ MAIS VIDA PARA ALÉM DAS AULAS ... págs. 8 e 9 DIA DOS CLUBES

pág. 10

BIBLIOTECA

pág. 11

BREVES

pág. 12

Ficha Técnica: Propriedade da Escola Secundária Campos Melo Covilhã; Colaboração dos Membros da Comunidade Educativa; Redacção e Coordenação de Maria Cardoso e de Maria do Carmo Abrantes; Paginação de Sandra Gamboa; Fotos: do Clube do Jornal e de José Nuno Gaspar; Tiragem: 6.000 exemplares; Impressão/Distribuição: Diário do Minho e Notícias da Covilhã

M A R T I N S 11 º H


II

06 JANEIRO 2011

www.escmelo.web.pt

PREPARAR O FUTURO

Conselho Geral PRESIDENTE DO CONSELHO GERAL - JOAQUIM NAVE FIO CONDUTOR A produção do jornal escolar é uma prática com fortes e consolidadas tradições na nossa escola. A publicação do Fio Condutor é uma actividade muito importante do P.A.A., ao contribuir, entre outros aspectos, para divulgar a escola na comunidade escolar, estabelecer uma relação mais próxima entre a actualidade e a escola, ser um instrumento cívico para a discussão de temas relevantes para a comunidade escolar, promover relações entre a escola e o meio envolvente, desenvolver o espírito crítico das novas gerações, fomentar na comunidade escolar a leitura de jornais, apoiar uma aprendizagem mais viva da língua portuguesa e ser um instrumento de divulgação científica. Por todos estes motivos gostaria de agradecer a todas as pessoas que, ao longo dos anos, têm contribuído para que o Fio Condutor seja publicado. Actualmente, a equipa responsável pela produção do jornal é constituída pelas professoras Maria do Carmo Abrantes, Ana Moura (responsável pelo blogue Breves_online) e Maria Cardoso que veio “substituir” este ano a professora Elsa Duarte que, conjuntamente com as duas primeiras, foi também responsável, durante muitos anos, pela publicação do nosso jornal. De certeza que são necessárias muitas horas de trabalho (superiores muitas vezes às atribuídas) e de dedicação para recolher e tratar as imagens e os textos, seleccioná-los e editá-los, de modo a que, ano após ano, o Fio Condutor seja uma realidade.É com esta dedicação generosa que se constrói a Escola e por isso a minha palavra de muito apreço para todos os que se envolvem desta forma em projectos e clubes e a ajudam a construir. Nesta quadra natalícia destaco a actividade tradicional da Ceia de Natal por se ter tornado desde alguns anos a esta parte, para além de uma actividade festiva, um acto de solidariedade. A substituição da troca de prendas por um contributo para Cabazes de Natal Solidários, enquadra-se no verdadeiro espírito natalício e, no actual momento económico em que o país se encontra, é uma iniciativa que vai permitir tornar mais “doce” o Natal a algumas famílias da nossa comunidade escolar. Por isso, estamos todos de parabéns! Desejo a toda a comunidade escolar um Feliz Ano de 2011 o menos difícil possível.

clubedojornal@gmail.com http://brevescamposmelo.blogspot.com

Editorial A DIRECTORA - ISABEL FAEL A celebração do 127º aniversário da criação da Escola Campos Melo é, indubitavelmente, um excelente motivo para nos congratularmos com os caminhos percorridos em prol da educação no concelho da Covilhã. Cientes de que temos contribuído para o despertar de muitas vocações, os prémios que os nossos alunos têm vindo a obter, em concursos e projectos de âmbito local, regional, nacional e internacional, sobretudo nas áreas científica, tecnológica e artística confirmam a qualidade do trabalho desenvolvido e das condições de ensino/aprendizagem que a ESCM tem vindo a proporcionar a todos os que a procuram. Igualmente revelador da excelência do serviço que prestamos é o facto de 100% dos alunos que concluíram os Cursos Científico-Humanísticos em Julho de 2010 terem obtido colocação no ensino superior, tendo a percentagem dos que ficaram colocados em primeira opção, superando em 2% a média nacional. Continuamos a trabalhar para que todos e cada um dos nossos alunos encontrem o seu caminho, operando em rede articulada com as diversas instituições da região que connosco colaboram na disponibilização de uma oferta educativa diversificada, capaz de responder aos desafios que se colocam à sociedade actual. De acordo com o nosso Projecto Educativo, queremos formar “ cidadãos empreendedores, criativos, eticamente responsáveis, capazes de aprender ao longo da vida e de se realizar através da cultura, da ciência, da tecnologia e da estética”. Os 141 diplomas que entregámos no passado dia 12 de Setembro aos jovens que concluíram o 12º ano em 2009/10 e os 313 que entregaremos no dia 7 de Janeiro aos adultos dos Cursos EFA e RVCC são mais um pequeno contributo para elevar os níveis de qualificação da região, preparando-a melhor para o século XXI.

Associação de Pais NUNO GONÇALVES - PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E E.E. Um dos maiores problemas, que nós, as pessoas que colaboram com a Escola, sentimos é a falta de participação dos Pais e Encarregados de Educação nas actividades da mesma. Penso que deveríamos pensar no futuro dos nossos filhos e educandos e participar no desenvolvimento destes, sabendo desde já que, participando, estaremos com certeza mais atentos a todas as problemáticas que os nossos jovens vão enfrentar no seu crescimento. Depois de alguma pesquisa sobre o que seria razoável, em relação a este tema, penso ter conseguido destacar os pontos de maior importância, para que todos tenhamos conhecimento de quais são os nossos Direitos e Deveres. Lembro ainda que, por sermos parte integrante no desenvolvimento dos nossos educandos, deveremos participar em conjunto com a Escola, na aprendizagem e desenvolvimento destes, preparando-os para o futuro, por enquanto e nos próximos tempos algo cinzento, tentando educá-los de maneira a termos Homens e Mulheres bem preparados para a VIDA. Os Pais e Encarregados de Educação têm o direito a: 1 - Participar na vida da escola. 2 - Ser informado sobre a legislação e normas que lhes digam respeito. 3- Ser informado do cumprimento e aproveitamento do seu educando, após cada momento de avaliação e, entre estes, no dia e hora fixados para o efeito. 4 – Ter acesso às informações relacionadas com o processo educativo do seu educando, designadamente através da consulta do seu “dossier individual”. 4.1. – A consulta referida concretizar-se-á na presença do Professor Titular/ Director de Turma, após pedido formulado por escrito, em que o encarregado de educação assume o compromisso de confidencialidade. 5 - Ser avisado acerca das faltas dadas pelo seu educando. 6 - Ser bem recebido por toda a comunidade escolar. 7 - Recorrer à Direcção sempre que o assunto ultrapasse a competência do director de turma ou professor titular ou, na ausência destes, por motivo inadiável. 8 - Autorizar ou recusar a participação do seu educando em actividades de complemento curricular e em actividades de apoio educativo. 9 – Ser previamente ouvido relativamente aos períodos em que ele ou os seus representantes participam na vida da Escola; 10 – Ser ouvido em caso de segunda retenção do seu educando no mesmo ciclo. 10.1. – A audição referida processar-se-á como segue: O professor titular/director de turma convocará uma reunião com o encarregado de educação, reunião essa, que deve ocorrer até cinco dias úteis antes do momento da avaliação. (continua na pág. 12)

Centro Novas Oportunidades - Escola Secundária Campos Melo MARIA ROSA MACEDO - COORDENADORA PEDAGÓGICA DO CNO A ESCM orgulha-se de preservar as tradições, mas assegura a adaptação aos novos tempos ao serviço da educação na região e no país, tendo desde sempre trabalhado em parceria com a comunidade, nomeadamente com Instituições de ensino, empresas, autarquias e outras entidades. A partir de 2006 para além de toda a oferta formativa diversificada, Cursos Científico – Humanísticos; Cursos Tecnológicos; Cursos de Educação e Formação; Cursos Profissionais; Cursos de Educação e Formação de Adultos, aderimos ao sistema de Reconhecimento Validação e Certificação de Competências (RVCC), dando oportunidade aos adultos que por razões várias não concluíram a (agora) escolaridade obrigatória, 9º ano, ou o 12º ano de escolaridade, de o fazerem nesta modalidade. Os adultos são acompanhados no CNO, por uma Equipa Técnico - Pedagógica, com bastante experiência no trabalho com adultos, onde evidenciam as competências adquiridas ao longo da sua vida pessoal, social e profissional, muitas vezes bastante enriquecedoras e onde toda a sua experiência de vida é valorizada. Trata-se de um processo de formação que se tem revelado muito gratificante para toda a equipa pedagógica que acompanha estes adultos, que com muito agrado vêem reconhecido toda a experiência e saber acumulados ao longo da sua vida e simultaneamente revelam muito interesse na aquisição de novos conhecimentos. O RVCC tem de ser um processo exigente, rigoroso e credível, pois só assim os candidatos saem com a sua auto-estima renovada e com uma enorme satisfação e vontade de continuar a aperfeiçoar os seus conhecimentos. Através da Iniciativa Novas Oportunidades dirigida a adultos - Processo RVCC, Cursos de Educação e Formação de Adultos e Dec. Lei nº 357/2007, o CNO da Escola Secundária Campos Melo, já proporcionou a melhoria das habilitações académicas a 899 adultos. A ESCM é Entidade Certificadora de 15 Entidades Formadoras que também oferecem formação aos adultos no âmbito dos CEFA e Formações Modulares, contribuindo para o enriquecimento das competências pessoais e profissionais do tecido social desta região. Os adultos do CNO da ESCM, também têm frequentado Formações Modulares em várias áreas, nomeadamente de Línguas Estrangeiras, Informática e Higiene e Segurança no Trabalho. O CNO da Escola Secundária Campos Melo tem vindo a consolidar o seu trabalho na sede do Centro e através de itinerâncias que vão de encontro às necessidades da população das várias freguesias dos concelhos da Covilhã, Fundão e Belmonte, contribuindo assim para a melhoria das habilitações académicas e auto - estima destas populações, que de outra forma dificilmente o conseguiriam. Temos realizado itinerâncias nas Escola sede do Agrupamento Entre Ribeiras – Paúl, S. Domingos, Teixoso, Tortosendo e Belmonte, nas Juntas de Freguesia de Maçainhas, Ferro, Colmeal da Torre, Aldeia do Souto, Canhoso, Casegas, em várias empresas – Consequi, SA, Vidreira Ideal do Fundão, Grupos SONAE e INDETEX, MCDONALD’S, outras entidades – APPACDM- Covilhã, Beira Serra - Boidobra , ADERES - Cortes do Meio, Centro Hospitalar Cova da Beira, Associação Jovem Teixo -Teixoso, Beira Serra -Boidobra, Casa do Menino Jesus -Covilhã, Centro Paroquial Nossa Senhora dos Remédios - Paúl, Grupo Recreativo Refugiense - Refúgio, Estabelecimento Prisional da Covilhã, Quinta de S. Miguel (EP), Rancho Folclórico “As Andorinhas de Vale Formoso” e Casa Paroquial de Vale Formoso e Centro Social e Cultural de St. Aleixo -Unhais da Serra, Centro de Convívio e Apoio à Terceira Idade do Tortosendo, em ADERES -Cortes do Meio, no Centro Paroquial - Assistência Formação da Erada, Centro Cultural e Recreativo de Malpique, Centro de Dia Sta. Imaculada Conceição – Colmeal da Torre e Associação Desportiva do Fundão. O Processo RVCC é apenas uma das componentes de intervenção da Iniciativa Novas Oportunidades, trabalhamos todos os dias para a construção de um verdadeiro pólo educativo, agora alargado a uma camada da população até aqui afastada da escola tradicional. A Iniciativa Novas Oportunidades tem o mérito de fomentar a formação e a aprendizagem dos adultos ao longo da vida, contribuindo para uma melhor adaptação ao mercado de trabalho cada vez mais exigente e competitivo. Tem sido graças à disponibilidade, empenho e profissionalismo da equipa técnico - pedagógica do CNO que com muito agrado temos levado esta iniciativa a muitos adultos da NUT III - Cova da Beira.

Fio Condutor


www.escmelo.web.pt

06 JANEIRO 2011

ALUNOS

PREMIADOS

Prémio “Sons e Imagens Sem Preconceitos” TIAGO MARTINS, LEANDRO CUTELO, INÊS MINGOTE, JOÃO MENDES No âmbito do programa Violência Zero, a Coolabora e o Governo Civil de Castelo Branco lançaram o concurso “Sons e Imagens Sem Preconceitos”. O concurso tinha por objectivo facilitar a tomada de consciência das crianças e dos jovens sobre a temática da violência doméstica e proporcionar às escolas participantes ferramentas para a dinamização de actividades produzidas pelo mesmo público que se pretendeu alertar. Este concurso foi divulgado a todas as escolas do 3º ciclo e secundário do distrito. Na nossa escola participaram duas equipas com curtametragem e ficámos muito satisfeitos por receber a notícia de que uma das equipas, a nossa, ganhou o primeiro lugar na secção do secundário. No passado dia 10 de Dezembro deslocámo-nos ao salão nobre do Governo Civil de Castelo Branco, onde se procedeu ao anúncio oficial dos vencedores e foram apresentados os prémios. Nessa cerimónia os trabalhos vencedores foram exibidos e também foi entregue às escolas participantes o galardão de “Escola Amiga na Igualdade de Género”.

Jóvenes Artistas Cáceres 2010 PROFESSOR RUI DIAS A aluna Margarida Barbosa do 8ºA venceu o X Certamen Cultural Ibérico Jóvenes Artistas Cáceres 2010, na modalidade plástica de pintura, categoria A (dos 13 aos 17 anos). A Margarida concorreu com o trabalho “Sueño de chica” ao certame de âmbito ibérico, promovido pela Câmara Municipal de Cáceres, Espanha, onde foi receber o prémio.

III

Mais um vencedor! PROFESSORA SULAMITA LOPES Em Junho, decorreu, no Centro Hospitalar Cova da Beira, o “I Encontro de Neurodesenvolvimento da Cova da Beira”, um evento cuja organização esteve a cargo da Unidade de Desenvolvimento da Pediatria do CHCB, onde decorreu, também, a entrega do prémio do logotipo da Unidade de Desenvolvimento, feita pelo Dr. Carlos Rodrigues responsável por aquele serviço. O concurso foi dirigido aos alunos das Escolas Secundárias da cidade e tinha a vertente logótipo e / ou página internet. Assim que receberam a proposta, lançada pela Professora Sulamita Lopes, alguns alunos dedicaram-se ao trabalho e eis que o vencedor para o logótipo foi o Tiago Martins do 11º H. Parabéns Tiago!!

3º Lugar no Concurso “A Matemática e os Têxteis” PROFESSOR PAULO LOPES

Os nossos alunos do 7º Ano, a Andreia Pais, o Simão Silva, a Daniela Sousa, o Filipe Silva e a Inês Pinto, orientados pelo professor Paulo Lopes, obtiveram o 3º lugar no concurso “A Matemática e os Têxteis”. A cerimónia de atribuição dos prémios e da abertura da exposição, com trabalhos de todo o país, decorreu no dia 1 de Junho de 2010, de tarde, no Museu dos Têxteis, na Universidade da Beira Interior. Os trabalhos a concurso eram 63, provenientes de mais de uma vintena de escolas. O trabalho apresentado pelos nossos alunos envolve a proporcionalidade directa e a proporcionalidade inversa na determinação do título de um fio, isto é, o relacionamento do seu comprimento com a sua massa, abrangendo matérias de anos mais elevados e que eles tiveram que estudar como complemento. A organização do concurso esteve a cabo da Sociedade Portuguesa de Matemática com parcerias desenvolvidas com a Universidade da Beira Interior e com a Escola Secundária Campos Melo. A nossa escola colaborou com muitos grupos de outras partes do país que quiseram visitar o nosso museu. A exposição esteve aberta, no Museu da UBI, até dia 15 de Junho. Os nossos alunos estão de parabéns, pois apresentaram um trabalho rigoroso e exigente para o seu nível etário.

Um prémio com passaporte para os EUA PROFESSORA ROSA SIMÕES

Com o trabalho “Hologramas de Transmissão e Módulo de Young”, desenvolvido no âmbito do Clube de Holo-

grafia, três alunos da Escola Secundária Campos Melo alcançaram o 4º Prémio no 18º Concurso Jovens Cientistas e Investigadores 2010, promovido pela Fundação da Juventude. De entre as centenas de projectos apresentados por equipas de várias regiões de Portugal, o trabalho de investigação dos alunos da ESCM, Ana Luísa Rocha, André Fernandes e Vitória Esteves, do 11º A, chegou à fase final do concurso, sendo defendido na IV Mostra Nacional de Ciência no Museu da

Electricidade, em Lisboa. Acompanhados pela Drª Rosa Simões, coordenadora do Clube de Holografia, os três jovens hológrafos enfrentaram uma forte concorrência, uma vez que foram seleccionados para a final 101 projectos, abrangendo diversificadas áreas da ciência: Biologia (29), Ciências da Terra (2), Ciências do Ambiente (17), Ciências Médicas (4), Ciências Sociais (3), Economia (2), Engenharia (15), Economia (2), Física (15), Informática (7), Matemática (3) e Química (6).

Para além do prémio pecuniário de 500€, o trabalho dos alunos da Campos Melo foi seleccionado pelo júri para representar Portugal na INTEL - International Science and Engineering Fair - que se realizará em Los Angeles, EUA, em Maio de 2011. O clube de Holografia da Campos Melo tem já um longo historial de prémios de ciência - 2º lugar em 2000, 2º em 2004, 4º em 2005 - e de participações em certames nacionais e internacionais, sendo um dos primeiros a integrar o projecto Ciência Viva.

IV Encontro Regional da Área Projecto do 12º Ano PROFESSORA REGINA ALMEIDA No IV Encontro da Área de Projecto organizado pela UBI participaram 30 grupos de alunos do 12º A, B, C, D e E, distribuídos pelas seguintes áreas: Artes - 5 grupos; Ciências e Tecnologias - 13 grupos (8 de Biologia e Geologia e 5 de Física); Psicologia - 4 grupos; Sociologia - 8 grupos. Das apresentações de trabalhos foram premiados os seguintes grupos: 1º Lugar de Artes - “2000s: Rasgos Da Década” apresentado pelas alunas Adriana Isabel Gonçalves Pais, Ângela Marisa Matos Costa e Luciana Maria Teodózio. Um dos primeiros lugares de Ciência e Tecnologia – “Biopesticidas” apresentado pelos alunos Ana Tiago Macedo, Andreia Patrícia Varandas Afonso e Rui Jorge Pereira Lourenço. Menção honrosa para o grupo de Ciências Sociais e Humanas que apresentaram o tema “Comportamentos Pintados” – Ana Martins, Beatriz Antunes e Joana Tavares. Parabéns a todos os alunos participantes que mais uma vez dignificaram o trabalho desenvolvido na Escola.

Concurso Robô Bombeiro RÚBEN NASCIMENTO - 10ºC No passado dia 17 de Junho, a equipa ESCM Roboteam participou no Concurso Robô Bombeiro realizado na cidade da Guarda. Tal como já é costume, as coisas não começaram da melhor forma para a ESCM Roboteam pois viu-se privada de um dos seus elementos, o aluno André Rodrigues. Por isso, desta vez a equipa só foi representada pelos alunos Ricardo Santos e Rúben Nascimento e pelo professor José Barbosa. Tirando este pormenor as coisas até começaram bem para a equipa e, desde logo, deve-se sublinhar o facto de que o robô escolhido para o cartaz do concurso deste ano foi o da ESCM Roboteam. O objectivo do concurso é fazer andar o robô numa pista com quatro quartos onde há uma vela acesa num deles e o robô tem de a descobrir e apagá-la sem a deitar ao chão. A prova é constituída por três mangas sendo que o vencedor é o robô que conseguir descontar mais pontos à sua pontuação inicial no total das três prestações. Na primeira manga, o Robocov v2 robô da ESCM Roboteam, com uma prova quase perfeita, conseguiu o 2º lugar. Na segunda manga a ESCM Roboteam desceu para o sexto posto da tabela. Finalmente, na terceira manga, o robô começou bem mas acabou mal uma vez que, quando já estava no segundo quarto e tudo indicava que ia fazer bem o circuito todo e apagar a vela, ele detecta uma chama falsa acabando por ficar no segundo quarto. Por fim, saíram as tabelas e a ESCM Roboteam ficou em 5º lugar, ocupando o honroso Top 5 numa prova onde participaram 20 equipas.

Fio Condutor


IV

06 JANEIRO 2011

www.escmelo.web.pt

REFELECTINDO...

Felicidade, um ideal impossível de atingir

Memória - Vida em África

JOANA ROBERTO - 12º B

JOÃO CARLOS CALHEIROS DE BRITO MOURA - 12ºB Desde pequeno que aqui vivo. Cresci nesta fazenda com este cheiro intenso a terra molhada e o ar abafado que lhe é característico. Sempre tive grandes amigos: o Zézinho, a Glória e a Alcina, que eram os “meus pretos”, como lhes costumava chamar carinhosamente; eram filhos dos empregados do meu pai, mas tinha-os quase como irmãos. Infelizmente acabei por perder, aos vinte anos, a Alcina e o Zézinho para a guerra que assolou Angola. Pobres coitados… apanhados por minas quando estavam a ir para Nova Caimpemba, no distrito de Uige, por um atalho. Ainda hoje choro a partida deles. Mas, em contrapartida, ainda tenho a Glória, minha fiel amiga e companheira, para tudo. A minha infância, apesar de ter sido marcada pelos castigos severos do senhor António Borges, meu pai, foi muito feliz: não parava um minuto, estava sempre a subir às árvores, a correr, a jogar à bola, a andar de tractor, a meter-me com os empregados… enfim, traquinices de qualquer miúdo. Aqui sinto-me livre e nem sequer equaciono sair daqui, porque o pior já passou: a guerra. É sempre bom recordar o passado, para não cair no esquecimento, como se diz “recordar é viver”. Aqui nasci, cresci, estudei, me formei em Química e aqui hei-de ficar, com a minha família, com a minha Angola!

Paz Condicionada, Pobreza Descontrolada ELIZABETE ANDRADE - 12ºB

Paz, o que é a paz? Será que realmente existe ou apenas finge que se faz? Já se viu que a situação é de facto inacreditável Mas será que a solução é realmente incontestável? É bem visível a crueldade presente na sociedade Fala-se em democracia, mas a ditadura é que controla a verdade Não vai ser um acto único a alterar o mundo Não será fácil mudar ideias neste meio moribundo Cabe à geração actual controlar a situação Pegá-la com corpo e alma, melhorá-la com o coração Tentar ver a posição dos mais necessitados Fornecer algum apoio e melhorar os seus cuidados Compreender o sofrimento de dormir numa cama de cartão À chuva e à mercê do vazio da solidão Sonhar em céu aberto, sem uma parede protectora Situação na qual a tristeza sairá sempre vencedora Porque se desperdiçam tantos fundos em guerras e ilusões? E não se faculta uma chance aos que vivem por tostões? Batalhas sem propósito, crises a nível mundial Em que se luta para defender apenas o bem capital Onde se aplica o dinheiro do suposto apoio social? Onde está, que não se vê, a promessa ancestral? De dar à paz uma vitória por tanto tempo merecida E levar um sorriso a todo aquele que o necessita Onde estamos todos nós nas mais árduas ocasiões? Será que fazemos o impossível para findar complicações? Consciência, eu sei que tenho E Vontade em tudo empenho A esperança no entanto partiu Quando a vida me traiu Portanto fico e não desisto, embora me encontre triste Com coragem vou em frente numa esperança que persiste. Contra obstáculos fico firme, exerço uma força voraz Com uma certa expectativa de ainda em vida ver a Paz!

Fio Condutor

Cada um de nós vai, ao longo da vida, alterando a maneira como olha para a felicidade. Numa primeira fase, a inocência e a inconsciência própria da infância guiam-nos por sonhos, sem que se tome conta da verdadeira realidade. À medida que o tempo avança, vamo-nos debatendo com dificuldades que barram o nosso percurso deixando o caminho a percorrer um tanto mais difícil e condicionando a nossa felicidade. Segundo Laurinda Alves, a felicidade é algo frágil e efémero, pois, tal como na vida, existem factores que impedem a

nossa total liberdade, havendo sempre algo que se impõe aos nossos sonhos e ideais. É também definida como dependente das situações e circunstâncias que nos rodeiam, não sendo atingida por todos, pois a derradeira e crua verdade é que nem todos os seres humanos têm as mesmas oportunidades. A autora refere também, e neste ponto concordo plenamente, que tudo aquilo que nos conduz à felicidade, todos os nossos actos, acções, sentimentos, dependem de uma atitude interior que deve ser tomada conscientemente, sem

que esta nos cause qualquer remorso. Exemplificando o último argumento, poderá pensarse numa situação em que alguém, com a finalidade de atingir os seus objectivos, passa por cima das pessoas que o rodeiam, sem pensar nas dificuldades que pode causar às mesmas. Será que este ser poderá atingir a plena felicidade? Esta perspectiva é consciente e laboriosamente pensada, no entanto, em meu entender, é também necessário um pequeno desprendimento da realidade para que a vida nos venha a sorrir.

A irreflexão pode também ser benéfica e em algumas circunstância, essencial. No caso de uma pessoa que teve um passado traumatizante e difícil, a inconsciência é fundamental para que se consiga avançar. Por fim, no meu ponto de vista, a felicidade é um nível inatingível para o ser humano. A sua fugacidade torna-a momentânea e débil, não havendo deste modo uma felicidade completamente consciente ao longo da vida, esta constrói-se de momentos que de alguma forma nos fazem ter vontade de viver.

O Sentido da Vida CAROLINA MINHOTO DOS SANTOS - 11º C (2009/2010)

Buscar o sentido da vida é indagar a sua razão, a sua última instância, a sua finalidade e o “porquê” da nossa existência. O Homem tem necessidade de procurar um sentido para a sua existência face à sua impotência perante a morte, o sofrimento ou as injustiças. Vergílio Ferreira, no seu livro “Pensar”, recusa a necessidade de conhecer o sentido da vida, pois isso seria limitá-la, pô-la nas mãos de alguém, limitarnos a nós próprios e à nossa existência. O autor conclui dizendo que “o seu absurdo é a sua maior razão”. Esta perspectiva de que a vida é absurda e não tem sentido, é a de Sartre e Camus, o Existencialismo ateu caracteriza a vida como absurda, devido à desarmonia e impossibilidade de realização ilimitada que ela nos apresenta. Ora vejamos, o Homem aspira a uma sociedade

justa, mas nunca a alcançará, pois existirá sempre o mal e o sofrimento, estas impossibilidades levam ao sofrimentoangústia existencial que, por sua vez, conduzem à negação total do sentido da vida – niilismo. Há quem tome como sentido incondicionado da vida, Deus, pois tem necessidade de atribuir o sentido da sua existência a um ser maior que o Homem. Esta posição religiosa faz do Homem um crente, sentindo-se realizado quando toma parte em rituais e louvores a um ser divino que toma como modelo e sentido último da vida. O Homem atribui um sentido transcendente à vida, descartando a sua efemeridade e resolvendo o problema da morte como fim de tudo. Esta perspectiva pode levar a fundamentalismos radi-

cais, bem como a uma despreocupação face às suas acções, justificandose com motivos religiosos e ilibando-se de responsabilidades por alguns dos seus actos. Há ainda quem tome como sentido incondicionado da existência a Humanidade, e se dedique a cultivar as relações que mantém com os outros. Estas pessoas encontram a plenitude existencial no decurso da sua vida e da história dos Homens. Para elas a finalidade é viver a vida de forma consciente e a mais humana possível. Existe ainda quem eleve a Natureza a última instância e sentido da vida, fundamentando que a espécie humana nunca será completamente realizada enquanto não estiver em harmonia com a Natureza. Esta perspectiva defende a conservação da bio-

diversidade e a devoção do Homem ao meio que o rodeia, bem como a todos os seres que partilham esse mesmo meio com ele. A meu ver é da responsabilidade de cada um descobrir qual o sentido da sua vida, através de um processo de introspecção profunda, orientada por princípios humanistas e critérios valorativos universais, como os que estão previstos na Declaração Universal dos Direitos do Homem. Em conclusão, é de salientar a extrema importância da descoberta individual do sentido da vida para a tomada de decisões, bem como para a descoberta de valores e princípios orientadores das escolhas pessoais que justificarão e orientarão as acções de cada um de nós durante a nossa existência.

Jovens DIANA SANTOS - 11ºH Ser jovem é sinónimo de vitalidade, rebeldia, curiosidade e versatilidade. Deveria ser uma boa fase, de autoconhecimento e autocrescimento, mas há cada vez mais jovens em casas de correcção, cada vez mais droga a circular pelas suas mãos. Há, portanto, um erro tremendo de desenvolvimento. Os valores não são transmitidos ou não são captados. Todos se querem distinguir, mas muitos vão pelo caminho errado. Ter os holofotes apontados ao

rosto é o objectivo. Não há regras, usam-se todos os meios para atingir o fim, que pode ser, literalmente, o “fim”. Criam uma pseudo-superioridade que só intimida os mais fracos e são capazes de chegar ao desumanismo para serem “respeitados”. Esse respeito que eles julgam ter conquistado não é mais do que pena, repugnância. Vão ficando escravos de si próprios. Todavia, felizmente, também há jovens que o sabem realmente ser, com ideias próprias, com

objectivos bem claros, com cultura, com saber. Estes destacam-se realmente, não se sentem na obrigação de se moldar, pois o seu ser foi bem construído e vai sendo reforçado a cada livro que se devora, a cada desenho que se cria, a cada boa música que se ouve ou que se faz. Como também sou jovem e quebrando um pouco as regras, finalizo falando do intermédio. O “jovem comum” é aquele que também quer ser mas não o é. Querem ser artistas

mas a sua arte não é mais do que tentar imitar tudo o que já existe. É a diferença entre o ser e o parecer, pois para ser é necessário humildade, que por sinal, faz imensa falta nesta estranha sociedade.


www.escmelo.web.pt

06 JANEIRO 2011

V

REFLECTINDO...

RVCC: Um Processo a Desmistificar...

Confissões

AUGUSTA VILELA - EX-ALUNA DO RVCC SAMUEL REIS - 12º J Decidi escrever este artigo para desmistificar a ideia que se criou de que o RVCC é sinónimo de facilitismo. O ser humano tem o péssimo hábito de criar estereótipos e o desconhecimento leva a que sejam formulados juízos de valor préconcebidos. É muito comum cairmos em dois erros completamente opostos, no primeiro somos passivos e aceitamos tudo como se fossem dogmas, no segundo criticamos tudo demasiado cedo sem conhecimento prévio das situações. Para evitar que se cometa o segundo erro deveria haver mais humildade e principalmente sermos mais receptivos em relação às inovações que vão surgindo. Este parece ser o caso das Novas Oportunidades. Sem generalizar, e sabendo que cada Centro é singular, no meu caso pessoal, no CNO da Escola Secundária

Campos Melo, a realização do processo RVCC foi para mim sinónimo de qualidade, dedicação e trabalho pois todas as semanas, sem excepção, ia às sessões. O processo fezme sentir o poder mágico das palavras que brotaram da minha história de vida e, citando Eugénio de Andrade: São como um cristal as palavras. Algumas, um punhal, um incêndio. Outras, orvalho apenas. Secretas vêm, cheias de memória. Inseguras navegam: barcos ou beijos, as águas estremecem. Também considero que foi fundamental ter tido uma excelente Profissional como a Dr.ª Olga Filipe a orientar-me e a encorajarme ao longo deste processo. Senti-me bastante realizada por poder abordar temas culturais e sociais que sempre me fascinaram, especialmente a pintura, a literatura e os

problemas ambientais que estamos actualmente a enfrentar. A apresentação final em Júri foi muito importante porque me ajudou a vencer um pouco a timidez, além disso a simpatia e boa disposição dos membros do júri foram fundamentais para esse momento ser ainda mais especial. Para que um país possa avançar é necessário investir na educação e acreditar em todos aqueles que querem continuar a ampliar os seus conhecimentos e que querem seguir os seus planos de futuro, também para o Ensino Superior. Pois, se existissem mais alunos que se certificassem num CNO não só, a afirmar intenções de prosseguimento de estudos em cursos superiores mas, a frequentá-los e concluí-los com sucesso, isso contribuiria para desmistificar as tais ideias préconcebidas e a valorizar saberes adquiridos. Em relação aos meus projectos de entrar no Ensino Superior, apesar de

ser muito difícil conciliar vida pessoal, profissional e os estudos continuo a pensar que não existem metas impossíveis de alcançar e para tal, não resisto à tentação de citar um grande poeta português, Fernando Pessoa: Para ser grande, sê inteiro. Nada teu exagera ou exclui. Sê todo em cada coisa. Põe quanto és No mínimo que fazes. Não posso deixar de citar também T. H. Huxley: O conhecido é finito, o desconhecido infinito, intelectualmente estamos numa ilha no meio de um oceano ilimitado de inexplicabilidade. O nosso dever em cada geração é recuperar um pouco mais de terra. Deste modo, penso que prosseguir a minha valorização é essencial, ganhando pois, terra ao oceano.

O Mundo ao Contrário PROFESSOR PAULO LOPES

O A., no final de uma aula, entrou-me pela sala adentro, todo ufano, trazendo na mão um teste que tinha recebido. Mostrou-mo, todo orgulhoso, pois exibia um 14,8 a Matemática A, 10º ano. No ano anterior, o A. tinha sido meu aluno a Matemática A, no 10º ano e tinha reprovado com um 7. Não pense, o leitor, que ele vinha mostrar-me a nota que tinha obtido com intenções menos próprias, antes pelo contrário, pois sempre nos demos bem. O A. sempre tinha sido muito afável e, no ano seguinte, apesar de já não ser meu aluno, vinha sempre ter comigo e cumprimentar-me efusivamente. Quando lhe perguntei: “Então, percebe melhor as explicações da sua actual professora?”, respondeume: “Não é nada disso. O que se passa é que este ano comecei a estudar.”. Este episódio com o A., trouxe-me à memória a história do B. O B. tinha tido um percurso atribu-

lado, a Matemática, até ser meu aluno no 9º ano. Tinha muitas dificuldades de base e quando queria saber quanto era 2 x 3, automaticamente recorria à calculadora. Claro que não lhe permiti mais o uso da calculadora, embora ele, por vezes, a tivesse debaixo da mesa, às escondidas, para situações de aperto. Já não me lembro que notas conseguiu comigo no 9º ano, mas, no 10º ano, lá estava ele, a Matemática A, sempre com muitas dificuldades. Quando lhe entreguei o primeiro teste do segundo período, a nota que ele tinha era 2,5, numa escala de 0 a 20. A partir daí, começou a recuperar de forma segura, ao ponto de, no 12º ano, andar em compita com uma colega, a ver quem é que tirava melhor nota nos testes. No exame de Matemática A de 12º ano, tirou a melhor nota da turma, um 16, salvo erro. Durante o 11º ano, perguntei-lhe se a sua subida se devia a algum explicador, ao que me respondeu que não, que quando tinha tirado o 2,5 se tinha sentido tão

envergonhado que tinha começado a estudar. Permita-me, o leitor, que abra aqui um parêntesis e lhe fale de John Le Carré e do seu livro «O Nosso Jogo». John Le Carré celebrizou-se com a escrita de romances sobre a espionagem durante a Guerra Fria. Quando esta terminou, continuou a escrever sobre a situação política que se seguiu e sobre a aparente ausência de um inimigo necessário. No livro referido, procurando dizer que o mundo, tal como era conhecido, estava às avessas, tem esta passagem, páginas 359 e 360 da edição da D. Quixote, que passo a reproduzir: «Mas aqui em plena montanha, onde os ventos uivavam e as escarpas se projectavam sobre nós e cada ponto de apoio era mais pequeno que os nossos pés, estávamos num Hades celestial com o Paraíso a nossos pés.». Ao colocar o Céu em baixo e o Inferno em cima, John Le Carré mostra de forma simples e magistral o sentir da personagem que se via num mundo ao contrário.

Curiosamente, sentime retratado nessa situação, pois sendo professor há trinta anos sempre me senti num mundo ao contrário, num mundo em que as más notas dos alunos são responsabilidade dos professores. Já chega. Já é tempo de pormos o mundo da educação na sua real perspectiva. Já é tempo de alunos preguiçosos, que não estudam e que distraem os outros, os que querem estudar e tirar boas notas, sejam chamados a arcar com as consequências dos seus actos. Já é tempo de que alguns encarregados de educação sejam chamados a assumirem as responsabilidades das suas ausências e das suas incapacidades em educarem os seus educandos. Já é tempo de que alunos como C. que tinha muitas capacidades para a Matemática e que queria seguir Arquitectura, tivesse medo de, no 9º ano, tirar níveis cinco, porque tinha receio de represálias dos colegas, como me confidenciou a sua mãe. Já chega!

Já me iludi várias vezes, e já iludi alguém. Já me ri até doer a barriga e cair para o chão. Já nadei até perder o fôlego. Já gozei. Já falei mal dele e dela. Já passei a noite ao telemóvel. Já falei com o espelho. Já me escondi atrás das cortinas e esqueci-me dos pés de fora. Já tentei esquecer pessoas, mas descobri que essas são as mais dificeis de esquecer! Já me aconteceu de tudo... Já fiz de pequenos momentos coisas especiais. Já estraguei o dia a muita gente, mas também já fui a salvação dele. Já apanhei banhos de chuva. Já fiz confissões antes de adormecer. Já fiz loucuras que só eu sei. Já confundi sentimentos. Já andei pelo caminho errado e, continuo a andar pelo desconhecido. Já chorei a ouvir música e a ver fotografias. Já ri em alto e bom som. Já caí da escada de rabo. Já disse disparates. Já disse coisas da boca pra fora... Já chorei ao telefone. Já chorei com a web ligada. Já fui arrogante. Já julguei antes de conhecer. Já tive um melhor amigo. Já construi castelos de ilusão onde de seguida o arrependimento foi para lá morar. Já fiz juras eternas. Já olhei a cidade de cima e mesmo assim não encontrei o meu lugar. Já chorei por alguém e fiz alguém chorar por mim. Já gritei de felicidade. Já corri para não deixar alguém a chorar. Já ouvi elogios que não consegui aceitar. Já tremi de nervosismo. Já acordei a meio da noite e tive medo de me levantar. Já abracei mais que uma pessoa ao mesmo tempo. Já tive medo do escuro. Já senti a falta de alguém que foi embora. Já me levantei de madrugada e vi a Lua virar Sol... e fiquei acordado até tarde a olhar as estrelas. Já senti o sabor da felicidade em dois longos segundos. Já sofri, mas também já magoei. Já ouvi o que não queria, mas também já disse o que não devia. Já pensei que o sempre não tinha fim e que o nunca era para sempre!

Sinto saudades de mim TIAGO FERREIRA - TURMA EFA, TIPO C Ter saudade é humano. Mas o que é ter saudade? É a saudade da saudade, de tempos passados, da saudade que já passou. Feliz. Tenho saudades de ser criança. Saudade de ser livre de regras, responsabilidades e afins. Ser criança é bom, mas melhor ainda é sê-lo a seu tempo. Feliz. O tempo passa, e esse tempo nunca pára de contar, e se tal relógio se fosse? Finado. Óptimo seria, mas impossível o é. Feliz. Sinto-me cada vez mais eu. Maduro, adulto e … essa saudade nunca acaba, presente fica. Porém, a saudade do que o tempo levou. Feliz. No fundo, serei eu mesmo. Sempre! Feliz. A saudade, essa continua… E um dia, essa saudade será, a saudade que irão ter de mim.

Fio Condutor


VI

06 JANEIRO 2011

www.escmelo.web.pt

JOVENS CIENTISTAS E ...

Holografia na Campos Melo

Testemunhos

PROFESSORA ROSA SIMÕES Tudo começou em 1998 com o entusiasmo do professor Pedro Pombo. Foi com ele que a escola começou a fazer o “Dia das Ciências” e, apesar de ter deixado a Campos Melo para prosseguir a sua carreira académica na Universidade de Aveiro, foi com o seu apoio que nasceu o Clube de Holografia. Em parceria com a Universidade de Aveiro, envolvemo-nos nos projectos Ciência Viva praticamente desde o início da sua implementação. Com o primeiro projecto, fizemos o Laboratório de Holografia onde os alunos “fazem ciência”, experimentando, usando a sua imaginação, criatividade e espírito de iniciativa. Praticamente todos os anos os alunos do clube conseguem acabar um trabalho a tempo do Concurso Jovens Cientistas e Investigadores da Fundação da Juventude. É sempre uma azáfama por volta do final do mês de Abril, para acabar o trabalho a tempo do concurso. Foram muitos os jovens hológrafos que aprenderam ciência no Clube de Holografia. Na impossibilidade de nos referirmos a todos desculpar-nos-ão se referirmos apenas os premiados. A primeira grande emoção foi em 2000 quando o João Antunes, o André Batista e o Edgar Figueira ganharam o 2º Prémio com o trabalho “Holografia: Explorando as Maravilhas da Óptica”. Eles tinham apenas 15 anos, andavam no 9º ano, e o prémio foi representar Portugal na “ISEF 2001 – Feira Internacional de Ciência e Engenharia” em San José, Califórnia, EUA. Como contaram na entrevista que, na altura, deram ao Fio Condutor: «Tivemos aulas até às cinco. Às seis apanhámos o autocarro para Aveiro. Chegámos lá às nove e meia da noite e fomos logo para a Universidade trabalhar no nosso projecto com o Dr Pedro Pombo. Depois fomos para casa dele finalizar o trabalho. Jantámos já passava da uma da manhã… E apanhámos o avião para os EUA às cinco da manhã. Foi uma directa.». Foi um ano inesquecível! Já tinham estado no CERN, na Suíça, seleccionados pela Sociedade Portuguesa de Física para integrarem a delegação portuguesa ao Physics on Stage e foi com eles que foi organizado, aqui na Covilhã, o 9º Encontro de Jovens Cientistas e Investigadores, com participação de muitos jovens de todo o país e foi também com eles que o clube participou no Sarau Cultural, defendendo a Musa da Astronomia. Em 2004 foi a vez do Ângelo Arrifano ganhar também o 2º Prémio com o trabalho “Hologramas Gerados por Computador”. O trabalho era tão inovador que fez um sucesso nos jornais e até cá veio a televisão gravar um programa com o Ângelo. Em 2006, o Telmo Correia e o Samuel Chiquita ganharam o 4ºPrémio com o trabalho “Hologramas de Transmissão e Redes de Difracção”. Foi com eles que o clube se envolveu nas comemorações do Ano Internacional da Física em 2005, um ano em que nenhum físico teve sossego! Em 2010 mais um 4º Prémio! Desta vez foram os hológrafos Ana Luísa Rocha, André Fernandes e Vitória Esteves com o trabalho “Hologramas de Transmissão e Módulo de Young” que impressionaram o júri do concurso com os seus hologramas e com a apresentação que fizeram do trabalho. Entre todos os trabalhos premiados o júri escolheu o nosso para representar Portugal na Intel International Science and Engineering Fair que, este ano, acontecerá em Maio na cidade de Los Angeles, Califórnia, USA. Esta “feira de ciência” é a maior a nível mundial envolvendo 1 500 jovens investigadores de 59 países diferentes. Os participantes têm oportunidade de partilhar as suas ideias e interagir com profissionais de topo nas suas áreas de interesse. É um prémio que nos deixa muito orgulhosos e que nos permite levar o nome da Campos Melo além fronteiras.

Dia da Escola 7 de Janeiro de 2011 PROGRAMA 10.00h - Peddy Paper 15.30h - Sessão Comemorativa do 127º aniversário da ESCM (Auditório) 16.00h - Painel “Jovens Cientistas e Investigadores da ESCM em destaque” 18.15h - Visita ao Museu Educativo 19.00h - Entrega de Diplomas - Quadros de Mérito, Valor e Excelência; Cursos EFA e RVCC 20.00h - Porto de Honra

Fio Condutor

Concurso de Jovens Cientistas e Investigadores JOANA PINTO FERNANDES - EX-ALUNA DA ESCM 2003-2006

Já lá vão quase 5 anos, mas é com muito orgulho e alguma nostalgia que ainda hoje recordo os belos momentos que passei na nossa querida Campos Melo. Vivi

experiências extremamente importantes para a minha formação enquanto pessoa e futura investigadora. Será para mim impossível esquecer a participação num dos concursos de Jovens Cientistas e Investigadores, providenciados pela Fundação da Juventude. Após o desafio nos ter sido apresentado, pusemos mãos-à-obra e com a ajuda da Professora Regina Almeida, criámos algo inovador! Toda a dinâmica criada durante a preparação do protótipo,

mostrou-me como é importante saber trabalhar em equipa e lutar por um objectivo em comum. Para além do conhecimento adquirido durante este concurso, tive a oportunidade ainda de conhecer imensos estudantes de todo o país e com eles passar momentos que jamais deixarão a minha memória. É verdade que conseguimos um óptimo prémio a nível Nacional, mas a maior vitória para mim foi o reconhecimento pelo trabalho por nós desempenhado e todo o processo de aprendizagem que percorremos juntos.

Estou agora a terminar o Mestrado em Biotecno-logia na Universidade de Aveiro e posso afirmar que o envol-vimento neste tipo de actividades me ins-pirou e motivou para seguir o caminho da Investigação Cientifica. Obrigada Campos Melo por esta oportunidade tão enriquecedora! Espero que muitos mais alunos continuem a aceitar este tipo de desafios e muitos outros que vão surgindo. O futuro da Ciência depende de todos nós!

Campos Melo - Algures em 2003 ÂNGELO M. ARRIFANO - EX-ALUNO DA ESCM - MESTRE EM ENGENHARIA INFORMÁTICA / MESTRE EM VISÃO POR COMPUTADOR, IMAGEM E MULTIMÉDIA

Caminhava pelo “Hall” principal, quando algo me despertou a atenção - eram vários alunos do Clube de Holografia que, tal como em todos os outros anos, saíam do laboratório para dar a conhecer a sua ciência. Entre as diversas demonstrações encontrava-se uma múmia que, com a simples magia de um candeeiro eléctrico, emergia do vidro transparente. A fasc-nação começou… como pode ser possível? E daí nasceu o meu interesse em entrar para o Clube, queria descobrir o “truque”. Após várias sessões de Holografia no clube, aquilo que inicialmente parecia ser magia era de facto Ciência! Sob a orientação da Prof. Rosa Simões, os conhecimentos

científicos eram transmitidos de membros seniores para juniores, como se de pai para filho se tratasse, até que surgiu a necessidade de inovar. Era de facto fácil pôr à prova a nossa curiosidade científica no ambiente rico daquele laboratório. Um dia, conheci o Prof. Pedro Pombo, responsável pelo fomento do interesse pela holografia nas escolas secundárias do nosso país. Das várias conversas interessantes que tivemos houve uma, em particular, que me lançou no desafio de produzir Hologramas com o computador. Não demorou muito até eu ter desenvolvido um software experimental. Após vários meses de experimentação, um dia, à noite, no laboratório, onde todo o grupo estava

reunido, produzimos o primeiro holograma por computador! A este holograma digital, o grupo chamou-lhe “Yessss!”, devido a ser o holograma da letra “Y” e em tributo à ânsia em obter alguns resultados. Foi com este trabalho que concorremos ao concurso Nacional Jovens Cientistas e Investigadores 2004, no qual conquistámos o 2º lugar e a oportunidade de representar Portugal na final Europeia do “EU Contest for Young Scientists 2004” em Dublin Irlanda. Nos anos seguintes, apesar de ter iniciado uma licenciatura em Engenharia Informática, continuei ligado ao laboratório e continuei a trabalhar em Holografia digital com o Prof. Pedro Pombo. Desta cola-

boração, conseguimos produzir filmes holográficos a cores e a publicação de um artigo científico. Devo o despertar do meu interesse Científico ao Clube de Holografia da Escola Campos Melo, sem o qual não teria conseguido a minha carreira em Investigação Científica. Deixo os meus agradecimentos aos professores Rosa Simões, Pedro Pombo e Isabel Fael, assim como um grande abraço ao restante grupo de Holografia do ano de 2003 - o João Antunes, André Rabasquinho e Edgar Oliveira. Por último, desejo boa sorte ao actual grupo de Holografia que foi premiado com uma viajem aos EUA.

Clube de Holografia - Uma experiência para a vida SAMUEL CHIQUITA - EX-ALUNO DA ESCM A minha passagem pela Campos Melo foi altamente positiva. De particular importância para mim foi o tempo que estive no Clube de Holografia. Aí conheci excelentes pessoas, pessoas que estimulam o gosto pela ciência e nos dão o à vontade para a começar a tratar por tu. Durante três anos tive o privilégio de aprender algumas das bases

físicas que explicam o comportamento da luz, a possibilidade de aplicar esse conhecimento em laboratório. Fiz também parte de um grupo de alunos que começou o desenvolvimento de culturas de bactérias. Foi nesta Escola que foi lançada a semente que permitiu criar o gosto pela ciência que hoje possuo em várias áreas do conhecimento, nomea-

damente física, biologia, matemática e afins. A todas as pessoas que o fizeram – sem querer nomear porque me posso esquecer de alguém – agradeço o tempo, a atenção e as oportunidades que criaram. Penso que os clubes em geral são bastante importantes, uma vez que criam momentos de aprendizagem informal que permitem, a qualquer um

que esteja disponível, aumentar a quantidade da sua “terra cultivada” – entenda-se cultura - e começar a discernir aquilo que poderá fazer no futuro. Para além disso criamse amizades que perduram. Aconselho vivamente que aproveitem todas as oportunidades que a vossa Escola vos disponibiliza.


www.escmelo.web.pt

06 JANEIRO 2011

VII

... INVESTIGADORES DA ESCM

À conversa com os três jovens hológrafos premiados em 2010 A Ana Luísa, o André e a Vitória são alunos da Escola Campos Melo desde o 7º Ano, frequentando o 12º Ano do Curso Científico-Humanístico de Ciências e Tecnologias. Em Maio, irão apresentar o seu trabalho de investigação, nos Estados Unidos, em Los Angeles, na International Science and Engineering Fair, acompanhados pela sua professora, a Dra. Rosa Simões. Fio Condutor – Quando receberam a notícia? André – Recebemos a notícia quando estávamos na XVIII Edição do Concurso Jovens Cientistas e Investigadores, onde ganhámos o quarto lugar, com uma investigação em Holografia, sob a orientação da nossa professora de Física, Dra. Rosa Simões. FC – Ficaram surpresos? Alunos - Bastante! FC – Porque acham que foram convidados? Ana – Acho que nos escolheram devido ao nosso grau de insatisfação perante os resultados obtidos na investigação que fizemos. Vitória - E, consequentemente, devido à nossa postura crítica.

André – No estudo do Módulo de Young, chegámos a resultados muito inferiores aos que seriam expectáveis e, na investigação científica, os resultados negativos também contam. O Júri deu muito valor à nossa postura crítica. Ana – Temos é que saber de onde é que eles vêm. O que está por detrás do seu aparecimento. André – Outra razão foi o facto de o nosso trabalho ser de uma área pouco investigada a este nível. FC – O facto de serem alunos da Escola Campos Melo, desde o 7º Ano, teve alguma influência no vosso trabalho? Vitória – Sim, porque foi no 8º Ano que conhecemos o Clube de Holografia. André – No 10º Ano já tínhamos apresentado um projecto a concurso e também o facto de já termos experiência em Holografia, desde o 8º Ano, permitiunos estarmos preparados para esta investigação científica. Ana – E, na Covilhã, a Escola Campos Melo é a única escola que tem condições para se fazer investigação em Holografia. FC – Em que consistiu o vosso trabalho? Alunos - A Holografia, como área da Física, consiste na gravação de imagens a três dimensões, tendo várias aplicações. Nós fizemos medidas de alterações ao nível nanométrico, em diferentes materiais. FC – Os três sempre foram bons alunos. Durante o vosso percurso, alguma vez sentiram um olhar diferente por parte de colegas? Vitória – Uma vez ou outra, às vezes, alguns dão sinais de que pensam que não nos sabemos divertir. André – É importante que haja a noção de que se vamos aos Estados Unidos é também porque gastámos as nossas férias da Páscoa a fazer investigação. Ana – O que nos interessa é o nosso futuro, o que nos interessa é o que nos vai permitir que no futuro ganhemos experiências significativas. FC – Dois de vós fostes eleitos, pelos colegas, para órgãos de responsabilidade na Escola Campos Melo, a Ana Luísa para o Conselho Geral e o André para o Conselho Pedagógico. Como vêem esse voto de confiança dos vossos colegas? Ana – Eles sentem que somos responsáveis e que o facto de trabalharmos muito mostra o nosso interesse pela escola e pela comunidade educativa. André – Este projecto de investigação foi um ponto a favor da nossa eleição. Muitos colegas que votaram em mim e não me conheciam, por serem de outras turmas, terão votado como votaram por saberem do nosso empenho neste projecto. Ana – A maior parte dos nossos colegas está connosco. FC – Quando vão aos Estados Unidos? Vamos em Maio, acompanhados pela nossa professora, a Dra. Rosa Simões. FC – Vão fazer alguma preparação especial? Vamos rectificar algumas partes do trabalho, traduzi-lo para Inglês e preparar a apresentação, tentando obter uma maior fluência em Inglês Técnico. FC – E quanto ao vosso futuro? Vitória – Ainda estou a estudar várias hipóteses porque há várias áreas que me atraem e quero fazer uma escolha segura. André – Vou para Medicina, embora goste muito de Física. Tenciono fazer o curso cá, em Portugal. Ana – Tenciono licenciar-me em Engenharia Mecânica, em Portugal, e fazer mestrado no King’s College, em Londres. FC – Muito obrigado pelo vosso testemunho, parabéns pelo trabalho desenvolvido e felicidades para a vossa participação nos Estados Unidos.

Jovens Cientistas e Investigadores Trabalhos e Prémios PROFESSORA ROSA SIMÕES 1998 Trabalho: “Holografia no Ensino Secundário” Autores: Nuno Pinge, António Azevedo, Cristiano Geraldes, Carlos Alberto Professor: Rosa Simões 2000 Trabalho: “Holografia: Explorando as Maravilhas da Óptica” (2ºprémio) Autores: André Batista, Edgar Figueira, João Antunes Professor: Rosa Simões 2001 Trabalho: “Holografia Interferométrica” (Menção Honrosa) Autores: André Batista, Edgar Figueira, João Antunes Professor: Rosa Simões 2004 Trabalho: “Hologramas Gerados por Computador” (2ºPrémio) Autores: Ângelo Arrifano Professor: Rosa Simões 2005 Trabalho: “Água – Um bem para conhecer e preservar” Autores: Alexandre Espírito Santo, Bernardo Bordadágua, Guilherme Adriano, Joana Fernandes, Sara Meireles Professor: Regina Almeida Trabalho: “Robô Bombeiro” (Mensão Honrosa) Autores: João Lebre, nelson Figueira Professores: José Barbosa, Pedro Pimparel e Luís Lopes Trabalho: “Interferometria Holográfica e Módulo de Toung” Autores: Telmo Correia, Samuel Chiquita, Nelson Correia Professor: Rosa Simões 2006 Trabalho: “Holografia de Transmissão e Redes de Difracção”(4ºPrémio) Autores: Telmo Correia, Samuel Chiquita Professor: Rosa Simões 2007 Trabalho: “Reactor UASB” (1ºPrémio) Autores: Mariana Batista, Estela Santos Professor: Luís Lopes Trabalho: “Holografia de Reflexão de uma Imagem Real” Autores: Telmo Correia, Samuel Chiquita Professor: Rosa Simões Trabalho: “Radão, um inquilino indesejável” Autores: Inês Vicente, Ângela Francisco, Fabiana Carriço Professor: Regina Almeida 2008 Trabalho: “Comportamentos juvenis e Produção Artística” Autores: Rui Salcedas, Ivo Santos, Hugo Ferreira, Isa Oliveira Professor: José Augusto Espírito Santo Trabalho: “Determinantes Sociais do Enamoramento” Autores: Ana Moreira, Dércia Francisco, Guilherme Matos Professor: José Augusto Espírito Santo 2009 Trabalho: “Técnicas Holográficas” Autores: André Fernandes, Vitória Esteves Professor: Rosa Simões Trabalho: “Rendimento fotossintético – Como reflorestar a Serra da Estrela?” Autores: Ana Vitória Cassapo Dias, Guilherme Carvalho Monteiro, Tiago João Cassapo Dias Professor: Regina Almeida 2010 Trabalho: “Hologramas de Transmissão e Módulo de Young “ Autores: Ana Luísa Rocha, André Fernandes, Vitória Esteves Professor: Rosa Simões DESLOCAÇÕES AO ESTRANGEIRO 2001 – San Jose – California – (USA) International Science and Engineering Fair Trabalho: “Holografia: Explorando as Maravilhas da Óptica” Autores:André Batista, Edgar Figueira , João Antunes 2004 – Dublin – Irlanda EU Contest Young Scientists Trabalho: “Hologramas Gerados por Computador” Autor: Ângelo Arrifano 2007 – Valência – Espanha EU Contest for Young Scientists Trabalho: “Reactor UASB” Autores: Mariana Batista, Estela Santos 2011 – Los Angeles (USA) International Science and Engineering Fair Trabalho: “Hologramas de Transmissão e Módulo de Young” Autores: Ana Luísa Rocha, André Fernandes, Vitória Esteves

Fio Condutor


VIII 06

JANEIRO 2011

www.escmelo.web.pt

HÁ MAIS VIDA PARA ALÉM DAS AULAS...

Campanha de Solidariedade

À Descoberta da Biblioteca Escolar

TURMA 91K

A turma 91K - Técnico de Gestão Ambiental e a BE uniram-se para recolher bens essenciais.

Assim, deixaram uma mensagem a todos que quisessem colaborar nessa iniciativa, de carácter humanitário: “Se tiveres roupa, jogos, brinquedos, livros e alimentos que possas dar, entrega na biblioteca da escola. Estes serão entregues a quem realmente precisa. Participa nesta recolha e ajuda-nos a ajudar os outros!”

Dia de la Hispanidad NÚCLEO DE ESTÁGIO DE ESPANHOL El día 12 de octubre se celebró el Día de la Hispanidad y nuestro instituto lo señaló con actividades a lo largo del día. Entre el concurso cultural, la exposición y el

visionado de la película “La Lengua de las Mariposas”, de José Luís Cuerda, hubo tiempo para una comida española animada por un Flash Mob.

No início do ano lectivo, as turmas B e C do 10º Ano realizaram uma visita guiada à Biblioteca Escolar (BE). A iniciativa conjunta da disciplina de Português e da Coordenadora da BE teve como objectivos conhecer o espaço e testar a capacidade dos alunos na procura dos recursos existentes na Biblioteca. Antes da visita, na sala de aula, ouviram uma breve explicação da professora de Português, Elsa Duarte, sobre algumas regras da BE, que os alunos desconheciam – deixar as mochilas à entrada, ou pedir uma chave para guardá-las num cacifo – e receberam instruções para a realização do Bibliopaper. “ É importantíssimo para os alunos conhecerem a biblioteca, o seu horário e modo de funcionamento, uma vez que muitos são novos na escola e vão precisar da biblioteca ao longo do seu percurso

escolar” afirmou a professora Elsa Duarte. Ao chegar à BE as turmas foram recebidas pela sua coordenadora, Drª Isabel Lino, que explicou minuciosamente o funcionamento da biblioteca e o modo como se pode usufruir dela. Os livros estão organizados de acordo com a Classificação Decimal Universal, pelo que cada disciplina corresponde a um número: o 0 corresponde à Generalidade; o 1 à Filosofia; o 3 às Ciências Sociais; o 4 não existe para a eventualidade de se poder “encaixar” uma nova disciplina; o 5 corresponde à Matemática e às Ciências Naturais; o 6 às Ciências Aplicadas; o 7 às Artes e Desporto; o 8 à Língua. Linguística e à Literatura; e, por fim, o 9 à História, à Geografia e às Monografias. Esta classificação ajuda a encontrar melhor a obra que pretendemos. Na BE encontram-se livros com etiqueta verme-

lha, que não se podem levar para casa, por serem livros raros ou com um só exemplar, e outros com etiqueta amarela, que podem ser requisitados pelo prazo de cinco dias úteis. Oferece também uma grande variedade de obras, desde autobiografias, romance, comédia, aventura, livros técnicos, publicações periódicas, etc. Para além das obras em papel, a Biblioteca dispõe ainda de meios audiovisuais e computadores com acesso à internet, onde os alunos podem estudar, fazer pesquisas ou simplesmente passar momentos de lazer jogando, lendo revistas e jornais. Os DVDs, cassetes e CDs podem também ser requisitados durante três dias úteis. Por fim, os alunos realizaram um Bibliopaper, elaborado pela professora de Português. Os grupos, previamente

organizados na sala de aula, receberam o questionário, que consistia na descodificação de enigmas e na execução de tarefas, tendo em vista o conhecimento de temáticas variadas: conteúdos disciplinares, cultura geral, funcionamento e valências da BE, … A actividade decorreu em clima de entusiasmo e entreajuda, causando a menor perturbação possível. Pode-se afirmar que a visita foi um sucesso! Texto-Colagem elaborado com base nas notícias previamente redigidas pelos seguintes alunos: Ana Fonseca, Ângela Fonseca, Daniela Canário e Inês Varanda do 10º C e Adriana Estrela, Adriana Prata, Carina Tavares, Inês Duarte, Leonardo Viegas, Mariana Rebelo, Marina Paraíso, Micael Santos, Miguel Vaz, Miguel Ferreira, Pedro Abrantes e Susana Carvalho do 10º B

Palestra “Probabilidades” JOÃO CALHEIROS MOURA - 12ºB No passado dia 30 de Novembro, os alunos de várias turmas tiveram o prazer de assistir a uma palestra orquestrada pelo Doutor José Paulo Viana, subordinada ao tema “Probabilidades”. Entusiasta das matemáticas recreativas, principalmente nesta área, e autor da secção “Desafios” no jornal Público, tem sido um extraordinário divulgador de Matemática através de conferências e sessões em escolas, quer para alunos, quer para professores, um pouco por todo o país. Começámos por assistir a uma coincidência matemática a que todos estamos sujeitos, em que José Viana demonstrou que os nossos dados biográficos como a nossa data e hora de nascimento se relacionam irremediavelmente com o número ˜ (pi), um dos mais importantes no mundo da Matemática. Aquela que, para alguns se adivinhava uma dissertação densa e laboriosa, acabou por se mostrar, desde cedo uma palestra engraçada que todos nós podíamos ter com amigos num ambiente informal. Para além de conhecimentos e noções matemáticas nesta área tão importante da derradeira Ciência, vimos a aplicação da mesma em situações engraçadas e do quotidiano, que não associamos às probabilidades e, no entanto, à luz dos ensinamentos do professor, tornou-se claro tratar-se pura e simplesmente de Matemática. Foi visível, também a paixão do Senhor Doutor José Viana, não só pela Matemática em geral, mas principalmente neste ramo, uma vez que conseguiu cativar todo o auditório com todo o seu discurso e apresentação. Um matemático exímio com uma palestra que excedeu, no ponto de vista de todo os interessados, as expectativas. Sem dúvida um convite ao estudo da Matemática, uma experiência a repetir.

Olhares sobre a Leitura NÚCLEO DE ESTÁGIO DE PORTUGUÊS No âmbito do Dia dos Clubes, o núcleo de estágio de Português associouse à biblioteca da escola e dinamizaram a actividade Olhares sobre a Leitura, que se dividiu em duas partes. Numa primeira fase, decorreu um olhar sobre a poesia, com a dramatização do poema de Ricardo Reis, “Vem sentarte comigo, Lídia, à beira do rio”, pelos alunos do 12ºB, Inês Fonseca e Gabriel Gonçalves. Numa segunda etapa, a professora estagiária Andreia Carriço procedeu à leitura de um excerto do primeiro capítulo do livro 900, de Pedro Seromenho. Esta actividade teve como objectivo mostrar à comunidade escolar um momento promovido pela professora estagiária Nicole Esteves, numa das suas aulas ao 12ºB e, por outro lado, incentivar à leitura, utilizando um livro de um escritor em ascensão que havia estado na escola recentemente.

Fio Condutor


www.escmelo.web.pt

06 JANEIRO 2011

IX

HÁ MAIS VIDA PARA ALÉM DAS AULAS ...

Noite de Observação Astronómica BRÍGÍDA SANCHES REBELO - 7ºB No passado dia 18 de Novembro pelas 21horas, no Pavilhão Gimnodesportivo, desenvolveu-se uma actividade intitulada “Noite Astronómica” com o objectivo de consolidar as aprendizagens realizadas em sala de aula. Desenvolvida no âmbito das disciplinas de Ciências Naturais e Ciências Físico-Químicas que abordam o tema “Universo”, proporcionou a todos os alunos do 7º ano uma noite de observações astronómicas. A iniciativa apresentou um programa estruturado em termos de horários e acções a desenvolver até às 8h e 30 m do dia seguinte (19 de Novembro).

NÚCLEO DE ESTÁGIO DE FÍSICA E QUÍMICA

Alunos da Área Administrativa Visitam Campeonato Europeu das Profissões PROFESSORAS ANA PAULA FERNANDES E Mª DA LOURDES FARIA

Decorreu no passado dia 18 de Novembro a Noite de Observação Astronómica, dirigida aos nossos alunos do 7º ano, em que estiverem envolvidos diversos professores da nossa escola e na qual o Núcleo de Estágio de Física e Química participou com enorme prazer. Embora as condições atmosféricas não tenham sido as mais favoráveis, entre uma nuvem e outra foi possível fazer algumas observações astronómicas. Com o telescópio viram-se as crateras, os “mares” e os “continentes” da Lua e as quatro luas de Júpiter que Galileu foi o primeiro homem a ver: Io, Ganímedes, Calisto e Europa. Com a ajuda de um mapa do Céu Nocturno também se identificaram algumas constelações – Cassiopeia, Auriga, Pleiades e Orion – e as estrelas Polar da Ursa Menor, Vega de Lira e Betelgeuse e Rigel de Orion. Em conclusão, gostaríamos de referir que esta actividade teve uma enorme adesão por parte dos alunos e professores envolvidos neste projecto. Um muito obrigado a todos os que tornaram possível esta noite memorável.

CATARINA CRUZ - 7ºB Na noite de 18 para 19 de Novembro, as turmas de 7º ano realizaram, na Escola, a actividade: “Noite Astronómica”. Primeiro, preparámos o acampamento no Ginásio, no Pavilhão Desportivo. Em seguida, fomos para o pátio da cantina, onde observámos a Lua e Júpiter com as suas quatro luas com a ajuda dos telescópios. Vimos, também, como fazer um foguetão artesanal. Depois da observação fomos deliciar-nos com chocolate quente e bolos caseiros no bar dos alunos. Fomos novamente para o nosso acampamento: vestimos os pijamas, calçámos os chinelos, lavámos os dentes, fizemos exercícios de relaxamento, metemo-nos dentro dos sacos de cama e ouvimos um conto tradicional lido pela nossa professora de língua portuguesa, Maria do Carmo Abrantes, e depois fomos dormir. No dia seguinte foi a nossa “alvorada”: arrumámos o acampamento, fomos tomar banho, vestimonos e fomos para as aulas. Gostaríamos de repetir esta actividade!

No âmbito das disciplinas da área Administrativa, os alunos do 11º G “Curso Profissional de Técnico de Secretariado” e do 91C CEF “Assistente Administrativo” deslocaram-se, no dia 9 de Dezembro à FIL - Lisboa, onde puderam assistir ao Campeonato Europeu das Profissões –EuroSkills 2010. Os alunos foram acompanhados pelos professores José Manuel Rodrigues, Mª de Lourdes Faria, Ana Paula Fernandes e Sandra Gamboa e tiveram a oportunidade de observar o desempenho dos concorrentes de várias áreas profissionais de diversos países europeus. Esta actividade foi muito interessante e contribuiu para o enriquecimento profissional, cultural e social.

Visita de Estudo ao Porto NÚCLEO DE ESTÁGIO DE ARTES VISUAIS

Mais um ano - Novos desafios EQUIPA DE TRABALHO DO PES A equipa PES regressou ao trabalho no início do ano lectivo, com novos desafios, novos projectos e novos professores. A aplicação da legislação no âmbito da Educação Sexual trouxe a necessidade de reestruturar as sessões PES. Os professores do ensino básico aceitaram bem este desafio e são eles, sob a orientação da equipa PES, a dinamizar as sessões nas suas turmas. Graças à aprovação da candidatura ao programa “Cuida-te”, do IPJ, finalmente conseguimos concretizar um sonho antigo: o Projecto ESCM !!! esta Escola, pela Saúde, põe-te o Corpo em Movimento O lema do Projecto ESCM é então pôr o Corpo em Movimento para a promoção da Saúde. Como vai funcionar? Após uma avaliação inicial feita aos participantes, a nível da Composição Corporal, Hábitos Alimentares e Condição Física Geral, serão estabelecidos programas de exercício e, em parceria com a Faculdade de Ciências da Saúde, programas alimentares personalizados. Quem vai participar? Os alunos que se encontram fora da Zona Saudável de Aptidão Física e que, voluntariamente e com acordo dos seus Encarregados de Educação, desejem integrar o projecto e melhorar os seus índices de Condição Física. Onde e quando? - Na nossa Escola, num espaço-ginásio especialmente concebido para o Projecto, na galeria do Pavilhão GimnoDesportivo. - Em horário a combinar com os participantes. Para além dos novos projectos e desafios, a equipa PES continua a trabalhar na Educação para a Saúde, com as actividades já habituais (Lanche Saudável, no passado dia 29 de Outubro; Sessões PES para todas as turmas) e algumas novidades, já realizadas: - Participação de turmas do 10º e 11º de Cursos Profissionais na Peça de Teatro Participativo “16_Dezasseis”, no passado dia 11 de Novembro; - Colaboração com a Associação Beira-Serra na dinamização de Sessões para turmas do 12º ano; - Estabelecimento de uma parceria com o Grupo Instrução e Recreio Campos Melo, para realização de Sessões sobre a temática “Sexualidade na Adolescência”; - Participação no III Congresso Nacional de Educação para a Saúde, com a apresentação de uma comunicação sobre o trabalho da equipa PES na nossa escola. A mais recente actividade PES, em colaboração com o Departamento de Intervenção nas Toxicodependências de Cascais – Peça de Teatro “Sabes Dizer Não?”, para as turmas do 12º ano dos Cursos Profissionais, ocorreu no dia 16 de Dezembro no Auditório da nossa Escola.

No passado dia 4 de Novembro, os alunos de Artes da nossa Escola foram em visita de estudo ao Porto. Visitaram o Museu Soares dos Reis, onde puderam fazer um percurso cronológico pela pintura e escultura portuguesa do século XIX e primeira metade do século XX. Os alunos referiram que aprenderam a analisar quadros e a apreciar técnicas, tendo ficado com uma perspectiva mais abrangente dos vários estilos e respectivas épocas artísticas. Os alunos visitaram ainda a Casa da Música, primeiro edifício construído em Portugal exclusivamente dedicado à Música, seja no domínio da apresentação e fruição pública, seja no campo da formação artística e da criação. A visita guiada procurou promover e valorizar o património que é a Casa da Música enquanto equipamento cultural de relevância na cidade do Porto. Permitiu dar a conhecer as diversas componentes do edifício, assim como divulgar e interagir com os diversos equipamentos/instrumentos existentes nos espaços públicos, nomeadamente Sound=Space e Digitópia. O edifício foi analisado segundo várias perspectivas, entre elas a acústica e a estética. Os alunos puderam verificar a forma como a arquitectura do edifício conseguiu conciliar essas perspectivas num conjunto emblemático que cumpre as funções para as quais foi projectado.

Fio Condutor


X

06 JANEIRO 2011

www.escmelo.web.pt

DIA DOS CLUBES

Dia dos Clubes CAROLINA PINTO - 7ºA MARIA FAEL - 7ºA No dia 29 de Outubro de 2010, pelas 11 horas, o 7º A esteve presente no desfile de fatos alusivos ao Dia das Bruxas, organizado pelo 9ºA. De seguida fomos ao clube de Matemática onde jogámos alguns jogos, como o Rastros, o Ori, entre outros. Posteriormente visitamos o Clube de Fotografia, situado na Oficina de Artes. Depois da observação de fotografias, visitámos o Clube de Biotecnologia Ambiental, onde estava presente o senhor professor Luís Lopes, coordenador desse clube e onde vimos algum do material que iríamos utilizar nesse clube. Visitámos depois o Clube de Robótica, que é presidido pelo senhor professor José Barbosa, Lá, mostrou-nos um robô feito naquele clube, um robô bombeiro. Depois disso, fomos visitar o Clube do Jornal, onde nos mostraram o blog e o jornal da escola, o Fio Condutor e algumas funcionalidades dos mesmos. Às 13:20 fomos almoçar à cantina da escola que estava decorada de acordo com o tema do Dia das Bruxas. A seguir ao almoço teve início um torneio de voleibol onde participaram vários alunos. Às 16:45, houve um lanche saudável, promovido pelo PES, onde participaram vários alunos e professores, para finalizar este dia da melhor forma. Nós adorámos este dia diferente e esperamos que para o ano possamos ver novos clubes.

Dia dos Clubes

Clube do Jornal

NÚCLEO DE ESTÁGIO DE ESPANHOL Os grupos disciplinares de Inglês e de Espanhol quiseram assinalar este dia com o já habitual desfile de fatos e exposição de caveiras e abóboras, todos eles elaborados pelos alunos, e tendo sido premiados os melhores trabalhos de cada categoria. Desta forma, festejou-se o “Halloween” e o “Día de los Muertos” na ESCM.

Nanoclube MARINA SANTOS - COORDENADORA DO CLUBE

O Clube do Jornal também esteve presente no Dia dos Clubes, divulgando o Blogue BREVES ONLINE e o Jornal FIO CONDUTOR. Os alunos que visitaram a Sala 4 tiveram a oportunidade de ver o funcionamento do Blogue e aproveitaram para deixar os seus comentários sobre o decorrer do Dia dos Clubes. O FIO CONDUTOR circulou de mão em mão e cativou os alunos que manifestaram interesse em colaborar com o Clube. Contamos com a tua colaboração! Inscreve-te na Biblioteca!

Clube de Fotografia JOÃO BOLÉO - COORDENADOR DO CLUBE

Por convite do NanoClube, a Professora Doutora Amélia Rute dos Santos (docente da UBI) participou no Dia dos Clubes da ESCM proferindo uma palestra alusiva ao tema das Nanotecnologias. Com a participação do Dr. João Matos (Mestrando em Nanomateriais), foi apresentado “O Maravilhoso Mundo dos Nanomateriais” de forma informal, prática e enriquecedora de saberes que suscitou ampla participação dos alunos e professores que esgotavam a lotação do Auditório da escola. O Nanoclube congratula-se com o sucesso da actividade esperando que este se converta em inscrições no clube, para que possamos participar activamente neste mundo espantoso dos Nanomateriais. É imperativo agradecer a amabilidade dos palestrantes, por se disponibilizarem a deslocar-se à nossa escola e nos agraciarem com tão extraordinária tertúlia. O nosso Bem Hajam !!!!

Clube de Teatro ANA PAULA ROCHA - COORDENADORA DO CLUBE DE TEATRO Mais um ano se iniciou e mais uma vez o Clube de Teatro participou na comemoração do “Dia dos Clubes” com uma actividade de Animação de Halloween, realizada no refeitório. Além da ementa especial, que o clube propôs, estiveram presentes algumas personagens do género “morto-vivo” que, além de conviverem com os alunos da escola, acompanharam o desenvolvimento de alguns jogos e ofereceram algumas lembranças alusivas ao dia. Foi, mais uma vez, uma experiência agradável e que se realizou com entusiasmo. Finalmente, agradecer à Direcção, pelo apoio prestado, às cozinheiras da escola, por serem sempre tão prestáveis e dinâmicas e à Anabela Inácio, por todo o apoio prestado durante a preparação e realização da actividade.

Fio Condutor

No âmbito das comemorações do dia dos clubes, o Clube de Artes/Fotografia organizou uma exposição de trabalhos fotográficos e contou com a presença dos novos elementos que frequentam o Clube e que dinamizaram, no laboratório de fotografia, pequenas demonstrações de como se revelam fotografias. Contámos ainda com a colaboração do curso CEF de Operador de Fotografia e com os trabalhos realizados pelos alunos e que estiveram representados também em exposição, acompanhados do docente Fernando Santos.

Clube da Robótica RÚBEN NASCIMENTO - 10ºC No passado 29 de Outubro realizou-se aqui na ESCM o Dia dos Clubes. E como era de esperar o Clube de Robótica participou também neste dia com o objectivo de dar a conhecer à Comunidade Educativa alguns dos projectos realizados e recrutar mais elementos. O dia começou com os alunos e o professor a preparar o seu “estaminé”, na sala nº21, para as demonstrações e apresentações orais perante as turmas que iriam passar por lá ao longo da manhã. Tendo em conta que as turmas teriam alunos do 7º ano ao 10º ano, havia alguma expectativa por parte dos elementos do Clube: quem é que ia aderir ao Clube, se eram “putos” de 7º ano para começar tudo do zero e construir uma equipa de longa duração como é o caso da ESCMRoboteam ou se vinham já alunos de 10º ano que possuem muito mais conhecimentos que os de 7ºano. Posto isto, não há muito mais a dizer. O dia correu normalmente e na quarta-feira seguinte apareceram os resultados, dois novos alunos inscreveram-se no Clube, Luís Afonso e Guilherme Matos ambos do 10ºB, para se juntar aos dois novos que se tinham inscrito logo no inicio do ano, Artur Gama e Ricardo Correia do 11 I. Sendo assim, o Clube de Robótica além de ter a ESCMRoboteam com os alunos André Rodrigues e Ricardo Santos do 10ºA e Rúben Nascimento do 10ºC tem agora uma nova equipa composta pelos elementos novos. Por fim, já com o objectivo de arranjar novos elementos concluído, ambas as equipas vão arregaçar as mangas e começar a preparar-se para o Concurso Nacional de Robótica a realizar no próximo mês de Abril.

Clube da Holografia ROSA SIMÕES - COORDENADORA DO CLUBE

Com a colaboração dos Professores Estagiários do grupo de Física e Química, o Clube de Holografia convidou o Professor Doutor Paulo Parada, Presidente de Departamento de Física da UBI, para proferir uma palestra dirigida aos alunos dos 8º e 9º anos. O professor falou sobre a Natureza da Luz, um tema que permite uma melhor compreensão dos princípios fundamentais da holografia e que esperamos tenha motivado os alunos a inscreverem-se no Clube de Holografia.


www.escmelo.web.pt

06 JANEIRO 2011

XI

BIBLIOTECA

Os Dias da Biblioteca COORDENADORA DA BE - ISABEL LINO Já passaram 10 anos desde que se iniciou o 3º. Milénio!! Passaram 10 anos deste século XXI, no qual entrámos sob a égide de tantas confusões, a começar pela própria confusão na forma de contar o tempo. Na BE o tempo passa de forma diferente. Não é tão condicionado pelos toques de campainha, que alertam para a entrada e saída das aulas, mas segue um percurso marcado por actividades em que nos envolvemos e que pretendemos concluir a tempo e horas. É, pois, altura de se fazer um balanço do trabalho desenvolvido ao longo deste 1º. Período e divulgá-lo junto da comunidade escolar. Em Setembro, com o início do ano lectivo chegavam os novos alunos. Era importante integrá-los no funcionamento da BE e dar-lhes a conhecer o conjunto de normas de conduta, por que nos regemos. Foram feitas visitas guiadas às turmas novas (7.º e 10º anos), sendo estas acompanhadas pelos respectivos Directores de Turma, ou pelas Professoras de Português, que realizaram no final de cada visita um bibliopaper muito interessante. Pretendia-se com estas visitas familiarizar os novos alunos com a variedade de serviços que a BE oferece, mas sobretudo, dar-lhes a conhecer os recursos de que nela dispõem para desenvolver aprendizagens mais ricas e transversais. O mês de Outubro é dedicado às Bibliotecas Escolares, por decisão da RBE, da qual dependem todas elas. Nesse âmbito, procurou-se desenvolver actividades promotoras da leitura e outras relacionadas com o prazer de ler. ( É bom acentuar que isto não é uma frase feita, antes pelo contrário, aqueles que lêem , sabem bem o quanto isto é verdade… ). Assim convidámos dois escritores de áreas diferentes, para falarem da sua actividade para os diferentes públicos seleccionados. O escritor Lourenço Pereira Coutinho veio falar-nos da “Importância do Romance Histórico”, enquanto que o escritor e ilustrador Pedro Seromenho se dedicou à “Animação da Leitura”. Em ambas as sessões o público pôde interagir com os convidados, puderam ter algumas das suas respectivas obras autografadas, resultando qualquer delas em enriquecimento dos presentes. A par destas palestras, fomos divulgando, com o apoio de diferentes grupos disciplinares, figuras portuguesas que, nas diversas áreas do saber, se destacaram ao longo destes 100 Anos da República. Fez-se o destaque para o Escritor da Quinzena, de modo a que a sua vida e obra fossem sendo conhecidas ou lembradas pelo nosso público. Também se foram comemorando os Dias Internacionais e/ou Mundiais, procurando chamar a atenção para alguns dos enormes problemas que afectam a Humanidade, pretendendo com isso despertar os nossos alunos para a cidadania e a responsabilidade cívica. Em Novembro, realizámos uma grande Feira do Livro, que excedeu em muito as nossas expectativas. Foi mais uma oportunidade para todos contactarem com os livros, podendo escolher de acordo com os seus gostos e idades. Quase de seguida, realizámos outra Feira, esta mais virada para o livro estrangeiro e técnico. A ideia foi sugerida por dois grupos disciplinares, que assim pretendiam divulgar obras de interesse para a formação dos professores e alunos. Chegava, entretanto, Dezembro. Com ele, alguns dos nossos compromissos do ano lectivo anterior. Por isso aceitámos de bom grado uma parceria com a Cruz Vermelha, procedendo à recolha de brinquedos, jogos e livros infantis para posterior entrega a crianças carenciadas da nossa cidade. Quase em simultâneo, surgiu a ideia, lançada por uma professora do Curso de Gestão Ambiental, de recolha de outro tipo de produtos, que pudessem depois ser entregues a famílias necessitadas. Ambas as acções decorreram de forma organizada pelos alunos deste curso, que se envolveram activa e calorosamente nesta iniciativa. Ainda em Dezembro retomámos a actividade “Esta é a minha terra!”, com que pretendemos dar a conhecer o nosso património local, nas suas diversas facetas. A par disto, também pretendemos que os nossos alunos, provenientes das diferentes freguesias do concelho, reconheçam a importância da diversidade cultural e se orgulhem dela. Para o efeito, foi desta vez convidada a Junta de Freguesia de Verdelhos, que montou uma exposição alusiva na BE, entre 6 e 17 de Dezembro, tendo igualmente divulgado no átrio da escola no dia 15, alguns dos produtos típicos da sua gastronomia. Estas são algumas das actividades em que nos envolvemos, porque, ao longo do período, são feitas muitas outras coisas que fazem parte de um trabalho menos visível, mas nem por isso menos importantes da BE, como o tratamento e aquisição do fundo documental, o registo de novos utilizadores, o empréstimo de materiais, enfim, um sem número de pequenas coisas, que fazem com que o tempo passe. A BE deseja a toda a comunidade escolar um BOM ANO de 2011.

Palestra com o escritor Lourenço Pereira Coutinho PROFESSORA MARIA CARDOSO A palestra organizada pela Biblioteca da escola com o escritor Lourenço Pereira Coutinho sobre a “A importância do romance histórico”e que aconteceu no dia 13 de Outubro de 2010, foi um sucesso e viveu-se num ambiente de descontracção e de partilha de conhecimentos. Desde o início, o escritor cativou todos com a sua simpatia e disponibilidade para responder às questões que o público quisesse fazer. O Dr. Lourenço Pereira Coutinho referiuse à sua experiência enquanto escritor, ao seu processo criativo, ao intenso trabalho de pesquisa histórica que cada romance exige, e pronunciou-se também relativamente à sua faceta de historiador. Ficámos a saber que o seu fascínio pela história e pela escrita surgiu em tenra idade e foram vários os episódios engraçados que partilhou com o público. No fim, todos os que quiseram puderam comprar obras do escritor e este esteve disponível para autografá-las Enfim, foi uma experiência enriquecedora e uma conversa privilegiada que muitos souberam aproveitar.

Animação de Leitura com o escritor/ilustrador Pedro Seromenho PROFESSORA

MARIA CARDOSO

No âmbito do Mês Internacional das Bibliotecas Escolares esteve na nossa escola o escritor/ilustrador Pedro Seromenho que tem várias obras de literatura infanto-juvenil publicadas: Nascente de Tinta, O Reino do Silêncio, e 900 – História de Um Rei . O auditório encheu-se com os alunos do Ensino Básico que tiveram a oportunidade de ficar a conhecer o processo de criação inerente à escrita mas também à ilustração de livros infanto-juvenil. O escritor desvendou um pouco do seu percurso criativo e fez passar pelos alunos inúmeras das suas criações. Contou também o que o move no reino da fantasia e falou das emoções e do contacto com os mais jovens em escolas ou hospitais pediátricos. Já no final da sessão lançou um desafio aos nossos alunos: ele desenharia, ali, a história que eles queriam contar. Assim, a partir das várias sugestões dos alunos, Pedro Seromenho fez um desenho e ofereceu-o à biblioteca da escola. No fim, muitos livros foram vendidos e o autor autografou-os de uma forma original: além da usual dedicatória, todos tiveram direito a um original desenho.

100 anos de República na BE - Exposições PROFESSORA MARIA CARDOSO A Biblioteca tem assinalado os 100 anos da República com diversas exposições temáticas – Os Rostos da República - que relembram todos aqueles que pelo seu trabalho e talento têm contribuído para enaltecer Portugal. Pretendeu-se, assim, fazer uma síntese das “mentes brilhantes” destes 100 anos. Com a colaboração de vários departamentos e professores, (a quem se agradece toda a colaboração), estas exposições temporárias enriqueceram os dias da BE ao longo do 1ºperíodo. Por cá desfilaram: Os Nossos Presidentes / Símbolos da República Figuras do século XX Matemáticos da República Filósofos da República Físicos e Químicos da República Actores da República Pintores da República Escritores da República Pintores da República Atletas da República Biólogos e Geólogos da República Mas há mais “Rostos da República” a desvendar no 2ºperíodo. A BE CONTA COM A VOSSA VISITA ASSÍDUA!

Fio Condutor


XII

06 JANEIRO 2011

www.escmelo.web.pt

BREVES

Associação de Pais (continuação)

Valor, Mérito e Excelência

NUNO GONÇALVES - PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E E.E. Os Pais e Encarregados de Educação têm o dever de: 1 - Acompanhar todo o processo de aprendizagem do seu educando, colaborando com os professores no âmbito do referido processo. 2 - Contribuir por todas as formas para a formação integral do aluno. 3 - Comparecer na escola, sempre que tal lhe seja solicitado. 4 - Contactar regularmente o director de turma ou professor titular, no horário previamente estabelecido, para colher e prestar informações sobre o seu educando. 4.1 – Quando o encarregado de educação não puder deslocar-se à escola no horário estabelecido, deve combinar com o director de turma ou professor titular o dia e hora de contacto. 5 - Verificar a assiduidade e a pontualidade do seu educando e justificar as suas faltas nos termos estabelecidos pela legislação em vigor. 6 - Colaborar com o professor titular ou com o director de turma na solução de situações/problemas surgidas com o seu educando. 7 - Informar o director de turma ou o professor titular e a escola, pedindo reserva de divulgação se assim o entender, de todas as informações sobre as condições de saúde, e características de comportamento do seu educando que passam envolver riscos para o mesmo no exercício das suas actividades curriculares e de complemento curricular, ou que possam facilitar ou dificultar a sua integração e rendimento escolar. 8 – Pagar os danos causados pelos seus educandos nas instalações e materiais da escola, quando esses danos resultarem de utilização indevida ou de não cumprimento deste regulamento. Espero ter contribuído para elucidar o nosso papel como Pais e Encarregados de Educação, ainda lembrar que o amanhã dos nossos Educandos também depende de nós, sendo que seria muito bom para todos nós, Escola, Professores, Pais, Encarregados de Educação e Alunos, conhecermos os nossos direitos, mas acima de tudo os nossos deveres e obrigações, para que possamos preparar melhores Pessoas para enfrentar o futuro com um sorriso.

Projecto PC Melo Doc GRUPO DE INFORMÁTICA O Projecto PC Melo Doc, promovido pelos docentes do grupo 550 (Informática) e que teve início no ano lectivo 2009/2010, visa aproveitar os recursos existentes na escola para ajudar de forma gratuita todos os utilizadores ligados à comunidade escolar, na resolução de problemas existentes nos computadores que utilizam regularmente ou em computadores que possuíam e se encontravam avariados ou obsoletos. Para além de fornecer um serviço gratuito de diagnóstico, manutenção e reparação de equipamentos informáticos, o presente projecto veio possibilitar aos alunos do Curso Profissional de Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos e Curso de Educação e Formação de Instalador/Reparador de Computadores, o contacto com situações que correspondem à realidade do mercado de trabalho para o qual estes cursos foram planeados. Ao longo do ano lectivo foram várias as intervenções realizadas no âmbito deste projecto, não só a equipamentos de funcionários e de professores da escola, mas também a equipamento do Estabelecimento Prisional da Covilhã. Ao todo foram contabilizadas 31 intervenções. Das tarefas efectuadas durante as intervenções, destacam-se a reinstalação e configuração do sistema operativo, optimização do sistema, remoção de vírus, resolução de conflitos entre hardware e software, identificação de componentes defeituosos e limpeza de componentes. O PC Melo Doc é um projecto que tem continuidade para o presente ano lectivo, por isso se tiver problemas com o seu computador pode entrar em contacto directamente com os professores do grupo 550, com os alunos do Curso Profissional de Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos ou através do e-mail pcmelodoc@gmail.com.

Grupo de Danças e Cantares da ESCM PROFESSORA ANA PAULA FERNANDES No dia 5 de Dezembro, “Dia Internacional do Voluntário”, pelas 21h 30m no Restaurante “Quinta das Flores” o Grupo de Danças e Cantares da ESCM participou no I Encontro de Voluntários do Centro Hospitalar Cova da Beira. Mais uma vez, a nossa Escola esteve muito bem representada, este grupo actuou com grande profissionalismo e satisfação. No final da actuação pudemos saborear o apetitoso bolo do aniversário.

Desportivamente Falando ... JOÃO FERREIRA - COORDENADOR DO CLUBE DO DESPORTO ESCOLAR O Clube do Desporto Escolar apresenta este ano 3 grupos/equipa, todos eles com treinos agendados para as quartasfeiras no período da tarde. Dos grupos/equipa existentes este ano lectivo há a salientar o aparecimento de um grupo/ equipa de Basquetebol Feminino que já há alguns anos a esta parte não fazia parte da oferta da nossa escola. Este grupo é liderado pelo Prof. Ricardo Ferraz. Os outros dois grupos/equipas existentes na escola são, e por ordem de antiguidade, o de Natação que faz parte da oferta da nossa escola há 5 anos e que é liderado pelo Prof. João Ferreira e o de Basquetebol Masculino liderado pelo Prof. Marco Rodrigues. No presente ano lectivo, para além da regular actividade dos grupos/equipas que contam com cerca de 60 inscritos, o Clube organizou o Corta-Mato, a nível de escola em que participaram cerca de 70 alunos e que decorreu no Complexo Desportivo da Covilhã, e o Torneio de Voleibol que se realizou no “Dia dos Clubes”, e que teve a participação de 120 alunos distribuídos por 14 equipas. Estão ainda previstas outras actividades que irão ter lugar no 2º Período e das quais destacamos o “Compal 3x3”, com uma forte tradição na nossa escola e também o Projecto “Mega”. Mais uma vez o Clube do Desporto Escolar, tudo fará para elevar a prática desportiva dos nossos alunos e se possível, mudar mentalidades da comunidade educativa em relação ao desporto. Esta é uma tarefa muito mais árdua que a primeira. Junta-te ao Desporto Escolar! Visita-nos em http://desportoescolar-camposmelo.blogspot.com

Los Reyes Magos en Campos Melo NÚCLEO DE ESTÁGIO DE ESPANHOL Una vez más, los alumnos de enseñanza básica celebraron el Día de Reyes en el instituto. Los Reyes Magos visitaron Covilhã y regalaron turrón a los alumnos de Campos Melo. A continuación, los alumnos de español se animaron y cantaron unos villancicos a sus compañeros. La estrella guió a los Reyes Magos y a los alumnos del instituto a la “Casa do Menino Jesus” donde representaron el nacimiento del Niño Jesús y repartieron piruletas a los niños buenos presentes.

Fio Condutor

Dia do Diploma No dia 8 de Setembro, pelas 18.00h, a Directora, a Subdirectora, o Presidente do Conselho Geral e a Presidente da Associação de Pais e EEs da ESCM procederam à entrega de 141 diplomas aos alunos que concluíram o 12º ano em 2010. O Fábio Filipe Lopes Pais, finalista do Curso CientíficoHumanístico de Ciências e Tecnologias e o Ângelo Miguel de Oliveira Alves, finalista do Curso Profissional de Design de Equipamento, receberam ainda os Prémios de Mérito do Ministério da Educação. A ESCM deseja a todos as maiores felicidades, na certeza de que a passagem por esta Escola ficará para sempre nas suas memórias, pelo contributo que deu para o seu crescimento pessoal e social. Parabéns a todos e votos de muito sucesso na nova etapa das suas vidas!

Escola Secundária Francisco Rodrigues Lobo, de Leiria


2010-2011 Fio Condutor Nº1