Page 1


Países

2S a Bienal de São Paulo

[Countries]

I


SaoA Pa'ülo

LEI DE INCENTIVO À CULTURA

~

GOVERNO DA RECONSTRUÇÃO

Apoio Institucional da Prefeitura do Município de São Paulo - Lei 10.923/90

MINISTÉRIO

MINISTÉRIO

DA CULTURA

DA CULTURA


Países

2S a Bienal de São Paulo

[Countries]

23 de março a 2 de junho de 2002 Pavilhão Ciccillo Matarazzo

Fundação Bienal de São Paulo

Parque Ibirapuera

Brasil


Fundação Bienal de São Paulo Membros [Members]

Conselho [Council] Francisco Matarazzo Sobrinho

(1898-1977)

Presidente Perpétuo do Conselho [Perpetuai President of the Council]

Adolpho Leirner Alex Periscinoto Álvaro Augusto Vidigal Andrea Sandro Calabi

Conselho de Honra [Honorary Council]

Angelo Andrea Matarazzo

Oscar P. Landmann

Antonio Bias Bueno Guillon Antonio Henrique Cunha Bueno

Presidente [Chairman]

Áureo Bonilha

Alex Periscinoto

Beatriz Pimenta Camargo

Celso Neves

Beno Suchodolski

Edemar Cid Ferreira

Caio de Alcântara Machado

Jorge Eduardo Stockler

Carlos Bratke

Jorge Wilheim

Carlos Francisco Bandeira Lins

Julio Landmann

Cesar Giobbi

Luiz Diederichsen Villares Luiz Fernando Rodrigues Alves Maria Rodrigues Alves

David Feffer t

t

Roberto Muylaert

David Zylbersztajn Diná Lopes Coelho Edemar Cid Ferreira Fábio Magalhães

Conselho de Administração [Board of Directors]

Fernando Roberto Moreira Salles Gilberto Chateaubriand

Jorge Wilheim

Horácio Lafer Piva

Presidente [Chairman]

Jens Olesen

Mendel Aronis Vice-Presidente [Vice-President]

Jorge Wilheim Julio Landmann Manoel Ferraz Whitaker Salles Manoel Francisco Pires da Costa

Membros Vitalícios [Lifetime Members]

Marcos Arbaitman Marcos Moraes

Benedito José Soares de Mello Pati Celso Neves Ernst Guenther Lipkau Giannandrea Matarazzo Hélene Matarazzo João de Scantimburgo Oscar P. Landmann Oswaldo Corrêa Gonçalves Otto Heller Roberto Maluf Roberto Pinto de Souza Rubens José Mattos Cunha Lima Sábato Antonio Magaldi Sebastião de Almeida Prado Sampaio Wladimir Murtinho

Mendel Aronis Miguel Alves Pereira Miguel Reale Jr. Pedro Aranha Corrêa do Lago Pedro Franco Piva Pedro Paulo de Sena Madureira René Parrini Roberto Civita Roberto Duailibi Roberto Muylaert Rubens Ricúpero Saio Davi Sei bel Thomaz Farkas Wolfgang Sauer


Diretoria Executiva [Executive Directors]

Diretores Representantes [Representative Directors]

Carlos Bratke

Marcos Mendonça

Presidente [President]

Secretário de Estado da Cultura [State Secretary of Culture]

Luiz Sales 1° Vice-Presidente [1 ° Vice-President]

Secretário Municipal de Cultura [City Secretary of Culture]

Marco Aurélio de Almeida Garcia

Wolfgang Sauer

Embaixador Celso Lafer

r

Ministro das Relações Exteriores [Minister of Foreign Affairs]

Vice-Presidente [2° Vice-President]

Edson Jorge Elito

Octávio Elísio Alves de Brito

Diretor [Director]

Ministério da Cultura [Ministry of Cultural Affairs]

Marcelo Magalhães Diretor [Director]

Curadoria [Curators] René Parrini Diretor [Director]

Alfons Hug Curador Geral [Chief Curator]

Mariah Villas Boas Assessora da Presidência [Consultant to the President]

Agnaldo Farias

Gloria Bayeux

[Curator of the Brazilian Section]

Curador do Núcleo Brasileiro Assessora Cultural [Cultural Consultant]

Luiz Carlos Roberto Assessor Jurídico [Legal Consultant]

Humberto Alves Mendes Assessor de Marketing [Marketing Consultant]

Flávio Camargo Bartalotti Assessor Financeiro [Financiai Consultant]

Paulo Roberto V. Olivé Engenharia [Facilities]

Edison Paes de Melo Assessor de Imprensa [Press Consultant]

Pieter Th. Tjabbes Gerente de Eventos Internacionais [International Events Management]

Maurício Marques Netto Gerente Financeiro [Finance Management]

Maria Rita Marinho Gerente Geral [General Management]

Dalton Sala Supervisor do Arquivo Wanda Svevo [Supervisor of the Wanda Svevo Archives]


Apoio [Support]

Apoio Institucional [Institutional Support]

Apoio Cultural/Imprensa [Cultural Support/Media]

Ministério da Cultura

Carta Editorial

Ministério das Relações Exteriores

Diário de S. Paulo

Governo do Estado de São Paulo

Editora Abril

Secretaria de Estado da Cultura

Editora Globo

Prefeitura do Município de São Paulo

Editora Três

Secretaria Municipal de Cultura

Folha de S. Paulo Gazeta Mercantil O Estado de S. Paulo

Apoio [Support]

Revista Bravo

Z+ Comunicação

Revista Época

Receita Federal

Rede Bandeirantes

MAC-USP - Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo

Rede Globo de Televisão SBT - Sistema Brasileiro de Televisão TV Cultura Rádio 89 FM Rádio Bandeirantes FM Rádio CBN Rádio Cultura FM Rádio Eldorado Rádio Transamérica Central de Outdoor


Patrocínio [Sponsors]

Banco do Brasil Banco Itaú Banco Santos BM&F - Bolsa de Mercadorias & Futuros BOVESPA - Bolsa de Valores de São Paulo Bradesco Seguros Caixa Econômica Federal ECT - Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos Embratur - Empresa Brasileira de Turismo Gtech Brasil Icatu Hartford Imprensa Oficial do Estado de São Paulo Ripasa S/A Celulose e Papel Unisys Votorantim


Francisco Weffort Ministro da Cultura

2S a Bienal de São Paulo

Se hoje diferentes museus e espaços culturais do país estão montando exposições de grande porte, atraindo milhares de visitantes, é porque existe uma interação consistente, uma relação amadurecida entre o público e as artes. A Bienal de São Paulo exerceu, durante os seus 50 anos de atividades, um papel fundamental na formação artística da população. Foi esse esforço pioneiro, esse empenho em trazer o que se faz de mais atual lá fora, para somar à produção brasileira, em cada edição da mostra, que possibilitou ao público o contato com o processo de criação artística, em todas as suas formas de expressão. As Bienais possibilitaram, de forma didática, o despertar do visitante para a obra de arte, para a sua compreensão e apreciação. Essa mega-exposição bi-anual colaborou, e continua colaborando, no crescimento do interesse pelas artes plásticas no país. São inúmeros os méritos da Bienal de São Paulo mas, só para citar mais um, devemos lembrar que esse evento possibilita ao grande público, de todas as faixas etárias e condições sócio-econômicas, o contato com obras e o conhecimento de artistas de renome internacional, sobretudo para pessoas que não teriam essa oportunidade de outra forma, pois esse contato fica sempre restrito àqueles que viajam e visitam grandes museus no exterior.

É, portanto, com grande entusiasmo, que se acompanha a montagem de cada edição da mostra, quando os curadores nos propõem, sempre com a mesma indispensável dose de ousadia e idealismo, novos temas e novas descobertas. Através das obras e artistas selecionados, os curadores nos trazem todo o universo da criação contemporânea, nacional e internacional. São 50 anos de atividades marcados pela competência e sucesso. O Ministério da Cultura se sente orgulhoso de participar dessa iniciativa.


Francisco Weffort Minister of Culture

lhe 25th Bienal de São 'Paulo

Nowadays many museums and art centers around Brazil are holding large-scale exhibitions, attracting thousands of visitors every year. This is the natural outcome of a consistent integration and a mature relationship between the Brazilian public and the arts. Now in its 50th year running, throughout its history the Bienal de São Paulo has played a fundamental role in the art education of the Brazilian population. The pioneering initiative and unflagging efforts of the Bienal's organizers in bringing the latest of the Brazilian and international art scene to every exhibition have created a close bond between the public and the creative artistic process across its entire range of expression. The successive editions of the Bienal de São Paulo have always been instructive, operating through the Brazilian visitor's curiosity to promote understanding and appreciation of the work of art. Over the years, this mega biennial event has catalyzed the growing interest in fine arts throughout Brazil. Among the Bienal de São Paulo's many contributions, we call special attention to its role of enlightening the general public, allowing people of ali ages and walks of life access to works by renowned international artists that would otherwise remain unknown to a large part of the Brazilian society who cannot afford international travei to visit museums overseas. Therefore, it is always with great enthusiasm that we anticipate each and every Bienal exhibition, produced by curators who elaborate on new themes and work on new findings with their characteristic boldness and idealism. Through carefully selected works and artists, the curators of the Bienal de São Paulo afford us a whole world of contemporary creation from both home and abroad. Fifty years of artistic activities distinguished by competence and success. The Brazilian Ministry of Culture is very proud indeed to take part in such an outstanding initiative as the Bienal de São Paulo.


Carlos Bratke Presidente da Fundação Bienal de São Paulo

Um Compromisso com o Futuro Quel Avenir Pour Notre Art?

o início de um novo milênio fez que nosso olhar se projetasse naturalmente em um futuro que, até pouco tempo atrás, parecia uma distante ficção. O problema é que esse futuro foi detonado com a tragédia de 11 de setembro de 2001, por uma ficção que virou realidade, atingindo direta e indiretamente todas as nações do mundo. Agora, o futuro parece não estar apenas na simples promessa de uma civilização planetária, mas no comprometimento maior com a necessária superação de conflitos de toda ordem, gerados pelas disparidades econômicas, pelas diferenças étnicas, religiosas e culturais. Historicamente, quando uma época era marcada pela crise, quando o medo do futuro predominava, a tendência era a volta ao passado, ao não desconhecido. Mas diante do passado recente, não dá mais para fugir do futuro, portanto, mais do que em qualquer outro momento, a realização da 2S a Bienal de São Paulo adquire um significado maior. Como no desafio colocado pelo artista congolês Chéri Samba, em sua obra Quel Avenir

Pour Notre Art?, o compromisso da Fundação Bienal de São Paulo está em assumir um papel como agente desse processo de transformação, naquilo que lhe diz respeito: a união dos países por meio da arte contemporânea como linguagem universal. Reservando aos artistas a tarefa de identificar a dinâmica e o quotidiano das grandes metrópoles, para delas se apropriar criticamente como forma de expressão artística, a 2S a Bienal de São Paulo coloca em questão a arte como instrumento transformador, como a expressão mais legítima de liberdade, que permite antever e transcender o futuro e seus desígnios. São artistas de 70 países, representantes da América, da Europa, da África, da Ásia e do Pacífico, cujas contribuições se manifestam além do plano artístico, para adquirir, ante a busca pela paz, uma dimensão simbólica no plano político. Portanto, manifestamos aqui nossos agradecimentos não só aos artistas, mas também aos curadores, aos governos dos países participantes e suas representações no Brasil. Nesta oportunidade, é importante deixar registrado o tradicional e valioso apoio do Governo Federal brasileiro, por meio de seus ministérios da Cultura e das Relações Exteriores, dos governos do Estado de São Paulo e da prefeitura do município de São Paulo, que, cientes da importância da Bienal tanto no âmbito nacional como internacional, têm participado, com grande interesse, das realizações deste evento. Finalmente, aos patrocinadores, expressamos, além de agradecimentos, o nosso reconhecimento pelo fato de tornarem possível a viabilização da 2S a Bienal de São Paulo, assumindo conosco um compromisso com o futuro.


Carlos Bratke President of the Fundação Bienal de São Paulo

Fully Committed to the Future Que! Avenir Pour Notre Art?

The beginning of the new millennium cast our eyes right into the future, a future that until recently seemed to be a distant work of fiction. Trouble is, this future fell apart with the September 11 terrorist attacks, when fiction turned into reality, sending shock waves throughout the globe. Now the future is not simply the promise of a planetary civilization, but rather a commitment to resolving ali sorts of conflicts aggravated by appalling economic disparities, as well as ethnic, religious and cultural differences high and low on Earth. Historically, when a crisis would hit the world, when fears for the future would mount, there was a tendency for people to look back onto the past, onto the not unknown. The recent past, however, shows there is no escape from the future that unfolds, and in this respect the 25th Bienal de São Paulo takes on a wider significance and is very timely. Just like in the challenge posed by Congolese artist Chéri Samba in his work Que! Avenír Pour Notre Art?, the Fundação Bienal de São Paulo is fully committed to its role as a transforming agent in what it concerns, namely, uniting countries through contemporary art as a universal language. Each artist participating in the 25th Bienal de São Paulo was assigned the task of depicting the dynamics and everyday life of big cities

50

as to appropriate them critically as a means of artistic expression. This year's Bienal tackles the issue of art as a transforming tool, the most legitimate expression of freedom which will ultimately lead to a future that can be foreseen as well as transcended. The 25th Bienal de São Paulo brings artists from 70 countries, representing the Americas, Europe, Africa, Asia and Australasia. The contributions of these artists go beyond the artistic levei, and in their quest for peace they take on a symbolic dimension on the political levei. Therefore, we would like to express our deepest gratitude not only to these countries' artists, but also to their curators, governments, and local representations in Brazil, who contributed

50

wholeheartedly to this Bienal.

We would also like to take the opportunity to stressthe unwavering and enthusiastic support provided by the Brazilian Government, through the Ministries of Culture and Foreign Affairs, the São Paulo State Government and the São Paulo City Council, who acknowledge the importance of the Bienal de São Paulo both domestically and internationally by actively participating in the event. Finally, we would like to give our sponsors our warmest thanks for making the 25th Bienal de São Paulo feasible and forming a solid partnership for the future.


índice [Contents]

A/fons Hug

Iconografias Metropolitanas ..................................... ..

16

[Metropolitan Iconography]

Wo/e Soyinka

Tolerância: a Lição dos Orixás .................................... .

24

[Tolerance: the Lesson from the Orisa]

Hans U/rich Reck

Ruína e Utopia ou o Deserto do Real ...................... ..

31

[Ruin and Utopia or the Desert of the Real]

África do Sul [South Africa]

Pitso Chinzima ............................................................. .

42

Albânia/França [Albania/France]

Anri Sala ....................................................................... .

44

Alemanha [Germany]

Rupprecht Geiger ........................................................ .

48

Argentina [Argentina]

Dino Bruzzone ............................................................. .

52

Armênia [Armenia]

Azat Sargsyan .............................................................. .

56

Austrália [Austral ia]

Robert MacPherson ..................................................... .

58

Áustria [Austria]

Georg Paul Thomann .................................................. .

60

Bélgica [Belgium]

Richard Venlet ............................................................. .

64

Bolívia [Bolivia]

Raquel Schwartz .......................................................... .

68

Bulgária [Bulgaria]

Marran Gosov .............................................................. .

70

Camarões [Cameroon]

Pascale Marthine Tayou .............................................. .

72

Canadá [Canada]

Stan Douglas ............................................................... .

74

Chile [Chile]

Pablo Rivera ................................................................. .

78

China [China]

Wang Jian Wei ............................................................ ..

82

Chipre [Cyprus]

Yioula Hadjigeorghiou ............................................... .

84

Cingapura [Singapore]

Hong Sek Chern .......................................................... .

86

Colômbia [Colombia]

Luis Fernando Peláez .................................................. .

90

Congo (República Democrática) [Democratic Republic of the Congo]

Chéri Samba ................................................................ ..

94

Coréia do Sul [South Korea]

Atta Kim ....................................................................... .

98

Costa Rica [Costa Rica]

Andres Carranza Mora ................................................ .

102

Croácia [Croatia]

Ivan Faktor ................................................................... .

104

Dinamarca [Denmark]

Michael Elmgreenllngar Dragset .............................. ..

108

Egito [Egypt]

Abd EI Saiam Eid ........................................................ ..

112

EI Salvador [EI Salvador]

Rodolfo Molina ........................................................... ..

114

Equador [Ecuador]

Manuel Amaru Cholango ........................................... .

116

Eslovênia [Slovenia]

Art Center Metelkova Mesto .................................... ..

118

Espanha [Spain]

Rogelio López Cuenca ................................................ ..

122

Estados Unidos [United States]

Kara Walker ................................................................. .

126

Finlândia [Finland]

Seppo Renvall ............................................................. ..

130

França [France]

Jean-Luc Moulene ....................................................... .

134


Grã-Bretanha

[Great Britain]

Grécia

[Greece]

Willie Doherty ............................................................. .

138

Maria Papadimitriou .................................................. ..

142

Guatemala

[Guatemala]

Melanie Rios ............................................................... ..

146

Holanda

[Netherlands]

Atelier van Lieshout .................................................. ..

148

[Honduras]

Johanna Montero Matamoros .................................. ..

152

[Hungary]

Tamás Komoróczky ...................................................... .

154

[Indonesia]

Arahmaiani .................................................................. .

158

Clare Langan ................................................................ .

160

[Israel]

Gal Weinstein .............................................................. .

164

[Italy]

Margherita Manzelli ................................................... .

166

[Yugoslavia]

Hond uras Hungria Indonésia

Irlanda

[Ireland]

Israel Itália

Mrdjan Bajic ................................................................. .

170

Ja pão

[Japan]

Kimio Tsuchiya ............................................................. .

172

Letônia

[Latvia]

Famous Five/Liga Marcinkevica ................................ ..

176

[Lebanon]

Nabil Nahas ................................................................. ..

180

Iugoslávia

Líba no

[Mexico]

Abraham Cruzvillegas ................................................. .

184

[Nicaragua]

Patricia Belli ................................................................. .

188

[Norway]

Ole Jorgen Ness/Nesstudio ........................................ .

190

[New Zealand]

Gavin Hipkins .............................................................. .

194

[Palestine]

Sliman Mansour ... ........................................................ .

196

[Panama]

Gustavo Araujo ... ........................................................ .

198

[paraguay]

Jesús Ruiz Nestosa ...................................................... .

200

México Nica rág ua

Noruega Nova Zelândia

Pa lesti na Panamá Pa rag ua i

[Peru]

Philippe Gruenberg/Pablo Hare ................................ ..

202

[Poland]

Katarzyna Kozyra ........................................................ .

206

[Puerto Rico]

Charles Juhasz-Alvarado ............................................ .

208

Portuga I [Portugal]

João Tabarra ............................................................... ..

212

Peru Polônia Porto Rico

[Russia]

Sergey Bratkov ............................................................ .

216

[Sweden]

Annika Eriksson ........................................................... .

220

[Switzerland]

Fabrice Gygi ................................................................ ..

224

Taipei Fine Arts Museum, Taiwan

Chien-Chi Chang ......................................................... ..

226

Rússia Suécia Suíça Trinidad e Tobago

Edward Bowen ............................................................ .

230

[Turkey]

Canan Beykal .............................................................. ..

234

Ucrânia

[Ukraine]

Taras Polataiko ............................................................ .

236

Uruguai

[Uruguay]

Marco Maggi ................................................................ .

240

[Venezuela]

Carlos Cruz-Diez ......................................................... ..

242

Jun Nguyen-Hatsushiba ............................................. ..

246

[Trinidad and Tobago]

Turquia

Venezuela

Vietnã Videoarte Africana

Biografias dos Artistas

[African Video-Art]

Mawuli Afatsiawo, Moshekwa Langa, Goddy Leye, Zwelethu Mthethwa, Ingrid Mwangi, Papisthione ........................................

250

[Artists' Biographies] ....................................................................................................

258

Curadores Créditos e Agradecimentos

[Vietnam]

[Curators] ....................................................................................................

276

[Credits and Acknowledgments] ....................................................................................................

278

Funcionários Edição

[Staff] ....................................................................................................

282

[Edition] ....................................................................................................

284


Alfons Hug

Iconografias Metropolitanas [Metropolitan lconography]

o tema da 2S a Bienal de São Paulo, "Iconografias Metro-

The theme /IMetropolitan lconography/l of the 25th Bienal

politanas", não se refere apenas à imagem da metrópole na arte

de São Paulo does not simply refer to the image of the metropolis

contemporânea mas também à maneira pela qual correntes de

in contemporary art, but also to the manner in which currents of

energia urbana influem nos artistas contemporâneos. Partimos

urban energy influence contemporary artists. We start from the

nesse tocante da premissa de que também nos dias atuais, como

premise that nowadays, as in Paris, Berlin and Moscow a hundred

já há 100 anos nos casos de Paris, Berlim e Moscou, as metrópo-

years ago, metropolises to a large degree determine the profile of

les definem substancialmente o perfil da criação artística. Eago-

artistic creation. The new metropolises, which in the last decades

ra as novas megalópoles, que nas últimas décadas cresceram quase

have mushroomed throughout Asia, Africa and Latin America, are

que explosivamente na Ásia, África e América Latina, despertam

now increasingly becoming the focus of attention, forming the

cada vez mais atenção. Nelas transcorrem os grandes dramas ur-

backdrop to great urban dramas. Here new forms of communalliving

banos, são testadas novas formas de convívio humano e desen-

are tested and new survival strategies developed. It is in the great

volvidas novas estratégias de sobrevivência. No laboratório das

laboratory of the metropolis then, that the criticai mass transforming

metrópoles surge, por fim, também a massa crítica que transfor-

the Zeitgeist in art, comes into being. However, faced with the sheer

ma o Zeitgeist (espírito da época) em arte. Mas diante do simples

size of mega-cities, including São Paulo itsel( the question arises

tamanho de muitas megacidades, dentre elas a própria São Pau-

of how artists deal with the problem of scale. How does the work

lo, coloca-se também a pergunta de como os artistas lidam com

of art compete with metropolitan dimensions? Given the speed and

o problema da escala. Como a obra de arte concorre com as di-

the complexity of urban processes, art runs the risk of trailing be-

mensões metropolitanas? Diante da velocidade e complexidade

hind the city, as opposed to being in its vanguard. Could it be that

dos processos urbanos existe o risco de a arte ficar" a reboque"

art is tamed by the city?

da cidade, ao invés de correr à sua frente e indicar-lhe a direção. Será que a arte é domesticada pela cidade?

With the participation of 190 artists from seventy countries, the Bienal de São Paulo, which completed its 50th anniversary in

Com 190 artistas de 70 países de todos os continentes, a

2001, with its exhibitions spread over an area of thirty thousand

Bienal de São Paulo, cujas exposições ocupam uma área de 30.000

square metres, drawing hundreds of thousands of people, is one

metros quadrados e atrai centenas de milhares de visitantes, for-

of truly global proportions. In a multi polar artistic universe there

mula pretensões globais. Num universo artístico multi polar não

is no longer any room for hegemonic thinking of the Eurocentric

há mais espaço para o pensamento hegemônico, eurocêntrico,

or North Atlantic variety. The Bienal de São Paulo, held in one of

voltado apenas para a região do Atlântico Norte. Ao lado de uma

the largest and most multi cultural cities on the planet with its pro-

intensificação do diálogo Norte-Sul, a Bienal de São Paulo, que

ductive mingling of European, African, indigenous and Asiatic el-

opera a partir de uma das maiores e mais pluriculturais cidades

ements, has, in addition to enhancing North-South dialogue, set

do planeta, na qual se mesclam elementos europeus, africanos,

itself the objective of creating a stronger link between non-Euro-

indígenas e asiáticos em associações fecundas, estabeleceu como

pean cultures, this time based on a South-South axis.

objetivo também uma interligação mais forte das culturas não-

The system of national participation has been preserved

européias, num diálogo entre diferentes regiões do Hemisfério Sul.

along the lines of the Venetian model, but with only one artist per

O sistema das participações nacionais foi mantido, simi-

country. The Bienal has initiated a constructive dialogue with na-

larmente ao modelo de Veneza, mas com apenas um artista por

tional curators in order to harmonise the contributions from different

país. Nesse sentido, a Bienal iniciou um diálogo construtivo com

countries with the overall theme of the Exhibition, so broadly con-

os comissários nacionais, objetivando harmonizar as contribuições

ceived that ali artistic proposals concerning the urban experience

dos diferentes países com o tema geral da exposição, concebido

will be represented. During the course of last year, the Chief Cu-

em termos tão amplos que todas as propostas artísticas que se

rator of the 25th Bienal de São Paulo visited no less thqn 25 countries

ocupam com a experiência urbana sentir-se-ão contempladas. No

of ali continents in order to stimulate interest in the concept of the

curso do último ano, o curador-geral da 2S a Bienal de São Paulo

Bienal. Conversely, 20 national representatives, for the most part

16


percorreu nada menos que 25 países de todos os continentes, a

accompanied by artists, visited the Bienal in arder to render their

fim de mobilizar o interesse pelo tema. Inversamente, 20 comis-

work as closely compatible with the general theme as possible. In

sários nacionais, quase sempre acompanhados pelos seus artistas,

arder to emphasise the thematic unity of the exhibition, the city artists

visitaram a Bienal, no intuito de compatibilizar, na medida do pos-

and those representing the countries were kept together within the

sível, a sua contribuição com o conceito da Bienal. Para enfatizar

same space.

a unidade temática da exposição, os artistas das cidades e dos países não foram separados no prédio da Bienal.

In addition to the national contributions which were curated and financed by the countries of origin, the Bienal has organized

Adicionalmente às contribuições nacionais, a Bienal orga-

under the title "Metropolitan Iconography" an international exhi-

niza, no âmbito das "Iconografias Metropolitanas", uma exposi-

bition highlighting the present state of global art production based

ção internacional que apresenta o estado da produção artística

upon the example of the following eleven metropolises: São Paulo,

mundial com base no exemplo das seguintes 11 metrópoles: São

Caracas, New York, Johannesburg, Istanbul, Beijing, Tokyo, Sydney,

Paulo, Caracas, Nova Iorque, Joanesburgo, Istambul, Pequim, Tó-

London, Berlin and Moscow, each city being represented by five

quio, Sidney, Londres, Berlim e Moscou. Cada cidade é represen-

artists whose nationality, however, is irrelevant. Renowned curators,

tada por cinco artistas, sem que se considere a nacionalidade dos

especially familiar with the art of their cities took part in the se-

mesmos. Curadores de renome, especialmente familiarizados com

lection. Although choosing the eleven metropolises was invariably

a arte de suas cidades, participaram da seleção.

subjective, the selected works can claim to be consistent with the

Embora a escolha das 11 metrópoles tenha sido necessa-

adopted concept. The criteria favoured not only a global geographical

riamente subjetiva, ela reivindica uma certa plausibilidade no

and culturally pluralistic distribution, taking into account the Southern

quadro da concepção adotada. Os critérios foram o potencial ar-

Hemisphere and other regions outside Europe, but also the artis-

tístico da cidade e sua "massa crítica", ao lado de uma distribui-

tic potential of the city and its "criticai mass".

ção global geográfica e geocultural que considere também adequadamente o Hemisfério Sul e outras regiões extra-européias. Um olhar para os focos da criação artística global coloca

A look at the cutting edge of global art raises a series of crucial questions: - What creative forces does the metropolis unleash? What fears

uma série de perguntas de importância central:

and abysses does it engender?

- Que forças criativas a metrópole libera? Que temores e abis-

- In what way does metropolitan art react in face of dramatic

mos ela engendra?

cultural and social transformations in many parts of the world?

- Como a arte das metrópoles reage às dramáticas transforma-

- How does art respond to poverty, violence and social exclusion

ções culturais e sociais em muitas partes do mundo?

in the metropolises?

- Que respostas a arte dá à pobreza, à violência e à exclusão social

- What idiosyncrasies does the new metropolis bring to light?

nas metrópoles?

- Where is the nerve centre of world art located?

- Que idiossincrasias a nova metrópole dá à luz?

- Where does the art of the future originate?

- Onde se localizam os pontos nevrálgicos na cartografia da arte

- To what degree does present day art depend on the cultural

mundial?

heritage of its place of origin?

- Onde surge a arte do futuro?

- Can the criteria associated with western art critique and cura-

- Até que grau a arte do presente depende da herança cultural

torship be considered universally applicable?

de suas regiões de origem?

-15 it possible to consider the western canon of modernity as still being operational? - Are there such things as universal themes? - 15 there a harmonisation of conditions taking place in terms' of production and distribution of art on a world scale? - How does global art relate to the injunction expressed at the last Venice Architecture Biennial: "Iess aesthetics, more ethics"?

- Será que os critérios ocidentais da crítica de arte e da curadoria valem para todos os lugares? - Será que o cânone ocidental da modernidade ainda está em vigor? - Existem temas universais? - Está ocorrendo uma harmonização das condições da produção e da distribuição artísticas em escala mundial? - Como a arte global se relaciona com a exigência da última Bienal de Arquitetura de Veneza: "Menos estética, mais ética?"

São Paulo as a point of reference

São Paulo como ponto de referência da Bienal

Northern Hemisphere, São Paulo can surely lay claim to being the

If New York is considered to be the capital city of the centre of the Tropics and the Southern Hemisphere. This classical Se Nova Iorque é considerada a metrópole do Hemisfé-

megalopolis on the Tropic of Capricorn is not simply the biggest

rio Norte, São Paulo pode reivindicar a condição de centro dos

South American Metropolis, but with regard to its inhabitants, is

17


trópicos e do Hemisfério Sul. A clássica megalópole no Trópico de

at the same time one of the largest African, Italian and Japanese

Capricórnio não é apenas a maior metrópole sul-americana, mas,

cities. São Paulo can't afford to stop, say the Brazilians, referring

quanto à composição dos seus habitantes, simultaneamente uma

to the city's raw energy and vertiginous pulse, from the vortex of

das maiores cidades da África, da Itália e do Japão. Além disso,

which not only new massacres and acts of violence are born, but

ela abriga mais empresas alemãs do que Berlim. "São Paulo não

also an equal number of new and surprising social contexts and

pode parar", dizem os brasileiros, referindo-se à energia bruta e

astounding cultural clusters. The one hundred thousand streets of

pulsação vertiginosa da cidade que não produz apenas drama-

São Paulo pour forth an abundance of readymades of every imag-

turgias sempre renovadas em termos de massacres e atos de vio-

inable type, in such a way that the artisfs work in many cases is

lência mas também um número igual de novos contextos sociais

reduced to the appropriation of objets trouvés, even if this sim-

e surpreendentes constelações culturais. Nas 100 mil ruas de São

ply refers to wooden dog kennels made by immigrants from the

Paulo surgem constantemente tantos readymades dos tipos mais

Northeast of Brazil under the overpasses, which re-appear in the

distintos imagináveis, o que faz que o trabalho do artista possa

installations of a young artist in the form of miniature cities. A con-

restringir-se, em muitos casos, à apropriação dos objetos encon-

siderable number of artists participating in the current Biennial

trados, ainda que estes sejam apenas casinhas para cachorro mon-

have been focussing their energies on the city, creating works

tadas por migrantes nordestinos debaixo dos viadutos das auto-

which relate directly to São Paulo. What we see here, however,

estradas e reaparecem nas instalações de uma jovem artista na

is not art in public space, which in São Paulo always runs the risk

forma de cidades em miniatura.

of disappearing unnoticed in the maelstrom of the urban sprawl,

Um número considerável de artistas da presente edição

but a more sensible decision to withdraw to the protected space

da Bienal ocupou-se intensamente com o tema da cidade e criou

of the Bienal, which allows for a more concentrated and undis-

obras que se referem diretamente a São Paulo. Mas não se tra-

turbed contemplation of the works. The city is not transformed

ta, aqui, de arte no espaço público, que, no caso de São Paulo,

by topical artistic interventions, but rather by the positive compact

sempre corre o risco de desaparecer no vórtice do urban sprawl

energy, produced bya huge collective effort on the part of the art-

sem chamar a atenção. Faz mais sentido recuar para o espaço

ists and carried over to those visiting the event.

protegido do pavilhão da Bienal, que permite uma contemplação

In metropolitan conditions, art does not only vie with archi-

das obras, concentrada e sem perturbações. A cidade não é trans-

tecture, but also with ali forms of cacophony and visual pollution.

formada por meio de intervenções artísticas tópicas, mas pela

It competes primarily with ali means of mass communication which

energia positiva compacta, produzida num grande esforço cole-

have the advantage of rapid reproduction and ubiquity, such as

tivo dos artistas e transmitida aos visitantes da exposição.

cinema, television, advertising, desigrí and fashion. Ali forms of

Sob as condições da metrópole, a arte não concorre ape-

popular culture, from rap to techno, from rock concerts to carnival,

nas com a arquitetura, mas também com todas as formas de caco-

also reach their audiences more quickly. Furthermore, art is con-

fonia e contaminação visual. Concorre sobretudo com todos os

fronted with the excesses of everyday living, that hold in store

meios de comunicação de massa dimensionados com vistas à rá-

more misery than happiness for most people, more violence than

pida reprodutibilidade técnica e ubiqüidade, isto é, com o cine-

peace.

ma, a televisão, a publicidade, o design e a moda. Todas as for-

How can the proverbial spark of Art still be ignited? Seen

mas da cultura popular, do rap à música tecno, do concerto de rock

from this perspective, biennials in smaller towns in which art is less

ao Carnaval, também atingem seu público mais rapidamente. Além

exposed to other competitive elements, have a structural advan-

disso, a arte se defronta com os excessos da vida quotidiana, que

tage while at the same time experiencing a disadvantage in terms

reservam para a maioria das pessoas mais miséria do que felici-

of energy.

dade, mais violência do que paz.

Fortunately, the Bienal de São Paulo has at its disposal a

Como a proverbial faísca da arte ainda consegue asse-

venue the size of six football fields, appearing as an aircraft car-

gurar a ignição? Vistas sob essa perspectiva, bienais em cidades

rier in the middle of the city seascape. Built by Oscar Niemeyer in

menores, nas quais a arte se vê menos exposta à concorrência, têm

the mid-fifties out of reinforced concrete, steel and glass, the in-

uma vantagem estrutural, embora também uma desvantagem

dustrial pavilion involuntarily provides a modernist setting for ali

energética.

works of art. In addition to its location in Ibirapuera Park, one of

Felizmente, a Bienal de São Paulo dispõe de uma área do tamanho de seis campos de futebol, que se afigura como um porta-

the few islands of peace and tranquility in the city, it offers an opportunity for an exciting dialogue with nature.

aviões em meio à cidade oceânica. Projetado em concreto arma-

Like Brasilia, built during the same period, the Biennial has

do, aço e vidro por Oscar Niemeyer em meados dos anos 50, o

paved the way for Brazil's entry into the modern age, critically

pavilhão industrial situa toda e qualquer obra de arte involun-

marking each step along the country's path to progresso It is thanks

tariamente no contexto da modernidade. Além disso, sua locali-

to the Bienal that Brazilian art currently plays a leading role in

zação no Parque do Ibirapuera, uma das poucas ilhas de tranqüili-

Latin America and that an important newspaper published some

18


dade e descanso na cidade, enseja um diálogo excitante com a natureza.

years ago a special six-page supplement in commemoration of the 25 years since the death of Marcel Duchamp, something that

Assim como a construção de Brasília, ocorrida na mesma

would not have been possible, even in Europe. The Bienal has

época, a Bienal preparou o caminho do Brasil rumo à modernidade

confronted severa I generations of young artists and critics with

e acompanhou criticamente o progresso do país. Se a arte brasi-

global developments, thereby creating a conducive environ-

leira ocupa atualmente um papel de liderança na América Lati-

ment for museums, galleries and collectors. Due to this cultural

na e se, por exemplo, um importante jornal paulista publicou há

enrichment, the Bienal de São Paulo is indebted to ali participat-

poucos anos, por ocasião do 25° aniversário da morte de Marcel

ing countries.

Duchamp, um caderno especial de seis páginas - o que não se-

It has once again invited artists from ali over the world to

ria possível nem na Europa - isso certamente se deve, e não em

create works, which are singled out by their density, intensity and

último lugar, à irradiação da Bienal de São Paulo, que confron-

radicalism, so that art may once again outgrow the city. After ali,

tou várias gerações de jovens artistas e críticos com tendências

if art today is still to have a function, this is to reduce the bound-

evolutivas globais e criou um ambiente favorável para museus,

less nature of the urban drama and build spaces free of domina-

galerias e colecionàdores. Devido a esse enriquecimento cultural,

tion. Herein therefore lies the great challenge to artists, curators

a Bienal de São Paulo tem uma dívida de gratidão para com to-

and Biennial exhibitions alike.

dos os países participantes. Convidou, mais uma vez, os artistas do mundo para criarem obras que se distinguissem por sua densidade, intensidade e radicalismo, a fim de que a arte se torne

The Bienal as an international project

novamente maior do que a cidade. Afinal de contas, se a arte hoje ainda possui uma função, esta consiste em reduzir o caráter des-

Since its inception the Bienal de São Paulo has been an

medido do drama urbano e construir espaços isentos de domina-

international project in which ali leading nations represented by

ção. Aqui reside, portanto, o grande desafio para os artistas, os

their best-known artists have taken part. Picasso, Jackson Pollock,

curadores e as bienais.

Francis Bacon and Joseph Beuys are but a few of those eminent names which contributed towards shaping the Biennial. Beyond its aesthetic importance, the Biennial also possesses an element

A Bienal como projeto internacional

of cultural policy which should not be underestimated and which has earned the country a great deal of goodwill. It therefore fol-

Desde o seu início a Bienal de São Paulo foi um projeto

lows that the Biennial should maintain its contact with a large num-

internacional do qual participaram todas as nações importantes

ber of diplomatic representatives as well as being promoted by the

do mundo das artes e seus principais artistas. Picasso, Jackson

Brazilian government. In this sense the Bienalliterally belongs to

Pollock, Francis Bacon e Joseph Beuys são apenas alguns dos no-

the world.

mes proeminentes que contribuíram para definir a fisionomia da

The international claim of the Bienal also raises the issue

Bienal. Ao lado do seu peso estético, a Bienal possui também um

of the so-called "national representations" which came up in Ve-

componente em termos de política cultural, que não deve ser

nice, the home of ali Biennials, as national pavilions. Among the

subestimado, e propiciou ao Brasil, no mundo inteiro, um amplo

more than fifty art Biennials which take place in the world, only

crédito de simpatia. Por essa razão, é apenas uma questão de

Venice and São Paulo, the two oldest, adhere to this model, which

coerência que a Bienal esteja em contato com muitas represen-

at first may appear slightly antiquated and which was harshly crit-

tações diplomáticas e seja fomentada pelo governo brasileiro. Nesse

. icised only a few years ago, and is now experiencing a triumphant

sentido, pode-se dizer que a Bienal de São Paulo pertence lite-

comeback as was demonstrated by the success of the Venice Bien-

ralmente ao mundo.

nia!. The number of naticina.1 pavilions both in Venice and São Paulo

A pretensão internacional da Bienal levanta também a

has been growing year by year, and countries which until recently,

questão das assim chamadas "representações nacionais" que apa-

had been relegated to the sidelines are now vying for one of the

recem em Veneza, a mãe de todas as bienais, em pavilhões nacio-

coveted positions on the list of nations. It is only the "national

nais. Entre as mais de 50 bienais de arte do mundo atual, só Veneza

pavilion" model which allows exceptional large-scale projects,

e São Paulo, as duas mais antigas, praticam esse modelo, que à

which a free curatorship could only permit in exceptional circum-

primeira vista,de acordo com críticas recentes, pode-se afigurar

stances like the Documenta in Kassel which enjoys excellent fund-

um pouco antiquado mas experimenta agora, conforme demonstra

ing. Today, as in the past, nations which lead in the arts, invest

o êxito de Veneza, um retorno triunfal. O número dos pavilhões

considerably in Venice and São Paulo. Here one can easily accept

nacionais, em ambas as bienais, cresce a cada biênio, e países que

the disadvantage of a certain lack of thematic clarity arising from

até recentemente estavam posicionados à margem se candidatam

the multiplicity of national positions. The national pavilion enables

agora a um dos cobiçados lugares na lista das nações convidadas.

one to continuously keep up with the evolution of a particular

19


Somente o sistema do "pavilhão nacional" permite pro-

country's art. This is especially significant in the case of nations

jetos destacados de grande porte, que uma exposição com cura-

which have until now been considered peripheral being off the

doria livre poderia permitir-se apenas em casos excepcionais, como,

flight itinerary of most critics and who were only noticed thanks

por exemplo, na Documenta de Kassel, especialmente bem-dotada

to their contributions on display in national pavilions. Both Venice

de recursos financeiros. Hoje, como no passado, as nações que

and São Paulo show that here it is always possible to make sur-

exercem a liderança nas artes investem meios consideráveis em

prising discoveries. This is especially true in the case of Vietnam,

Veneza e São Paulo e estarão bem aconselhadas se continuarem

where the video-maker Jun Nguyen-Hatsushiba organises a race

a fazer uso dessa possibilidade de auto-apresentação no plano da

of rickshaw drivers under water, or for Taiwan, where the photog-

cultura. Aceita-se aqui, sem dificuldade, a desvantagem de uma

rapher Chien-Chi Chang restores dignity to mentally sick people

certa falta de nitidez temática, fundamentada na pluralidade das

who are chained to one another.

posições nacionais. O pavilhão nacional permite também acom-

By and large, what is brought to one's notice is that even

panhar continuamente a evolução da arte de um país. Isso é espe-

smaller countries, which have not stood out in the past have suc-

cialmente significativo no caso das nações até agora classificadas

ceeded in becoming more visible. Where previously one-dimensional

mais entre os países periféricos, não incluídas nas rotas habituais

"political design" would impose itself upon art, we now find complex

das viagens dos críticos e só percebidas graças às suas contribui-

artistic solutions in terms of both conception and formo However,

ções nos pavilhões nacionais. Tanto Veneza quanto São Paulo

it is inevitable that from time to time a large number of national

demonstram que aqui sempre é possível fazer descobertas surpre-

contributions should lead to qualitative disparities. Nevertheless, it

endentes. Isso vale, por exemplo, para o Vietnã, onde o videomaker

is precisely such imbalances, which enable cultural differences to

Jun Nguyen-Hatsushiba organiza uma corrida de condutores de

be perceived. Despite ali talk of the globalisation of contemporary

riquixás debaixo d'água, ou para Taiwan, onde o fotógrafo Chien-

art it is always the same artists who are chosen by exactly the same

Chi Chang devolve a dignidade a doentes mentais acorrentados

curators. The artistic universe is based on the phenomenon of dif-

uns aos outros.

ferent cultural backgrounds existing contemporaneously and of

Genericamente, chama a atenção que mesmo países me-

differing concepts regarding what is moderno This is especially true

nores, que pouco se manifestaram no passado, tenham conseguido

in the Arab/Islamic sphere in which pressing social and political

ocupar posições mais visíveis. Onde antes o "design político" uni-

problems are given a different treatment by most established art-

dimensional se sobrepunha à arte, encontramos agora soluções

ists than they would be in the West.

artísticas complexas em termos de concepção e forma. No entanto,

What began in São Paulo initially as a dialogue between

é inevitável que o grande número de contribuições nacionais cause

Europe and the two Americas has over the past few years evolved

de vez em quando desníveis de qualidade. Por outro lado, é jus-

into an undertaking of global proportions. For this reason, the 25th

tamente esse desequilíbrio qualitativo que permite perceber as

Bienal de São Paulo is committed to inviting countries, which un-

diferenças culturais. Apesar de todos os discursos sobre a globa-

til now had been outside the mainstream. Rarely in the past have

lização da arte contemporânea, que se expressam, não em último

so many African and Asian artists taken part. The emphasis of the

lugar, no fato de que sempre os mesmos artistas são escolhidos

African contribution will be on video-art under the curatorship of

por curadores sempre idênticos, o universo da arte se baseia na

Marcel Odenbach, thus discrediting the low-tech label which is usually

contemporaneidade de tempos históricos diferentes e numa com-

applied to it.

preensão distinta de modernidade. Isso vale especialmente para

As a result, the Bienal de São Paulo is also a kind of Pla-

o espaço cultural arábico-islâmico, no qual problemas sociais e

tea dell' Umanità as the last Venice Biennial was called. It is, in

políticos urgentes recebem, por parte da maioria dos artistas es-

fact, a stage for humankind seen from the perspective of the

tabelecidos, um tratamento distinto do praticado no Ocidente.

Southern Hemisphere. For the visual arts, the Bienal de São Paulo

O que começou em São Paulo, inicialmente como um diá-

represents the polar opposite of Eurocentrism, whose tone is set

logo entre a Europa e as duas Américas, evoluiu nos últimos anos

by an axis extending from New York to Cologne. This northern field

em direção a um projeto de alcance global. Por isso, a 2S a Bienal

may even be referred to as NATO art, since running parallel to

de São Paulo se empenhou muito em convidar também países que

political alliances, a cultural distinction between "allies" and "non-

até agora estiveram fora do mainstream. Raramente no passado

allies" was also being made. It is not therefore by chance that until

foi registrada a participação de tantos artistas africanos e asiáti-

recently NATO countries accounted for 80% to 90% of the art-

cos. A África se faz representar até com uma seção temática de

ists represented at Documenta; which is even more astounding

vídeo, a cargo do curador Marcel Odenbach, desacreditando o

considering that in the other arts the so-called periphery has al-

preconceito segundo o qual esse continente genericamente deve

ready overtaken the metropolises. It is enough to think of the role

ser subsumido à categoria low tech. Por essa razão a Bienal de São Paulo se compreende, assim como o seu pendant italiano, como Platea deI/' Umanità -

20

of cinema in the Far East, of African, Caribbean or Brazilian music, or of the success of Latin American literature. Five of the last six English-speaking Nobel Prize winners in Literature originated


eis a denominação da última Bienal de Veneza. Trata-se, contu-

from so-called peripheral nations. In popular music it is Africa,

do, de uma platéia da humanidade a partir da perspectiva do

which has for quite some time indirectly taken over Europe with

Hemisfério Sul. Eassim, a Bienal de São Paulo é a grande antípoda

the blues.

do eurocentrismo nas artes plásticas, para as quais, durante muito

In visual arts the Biennials of Havana and São Paulo had,

tempo o eixo formado por Nova Iorque e Colônia forneceu o dia-

until a short time ago, been alone in representing the "rest of the

pasão. Poder-'se-ia até falar de uma arte da Otan. Paralelamente

world". Now however, the new Biennials of the Southern Hemi-

à evolução das alianças políticas, praticava-se também na arte uma

sphere, which have emerged in the last ten years, based on the

distinção estrita entre "aliados" e "não-aliados". Assim certamente

São Paulo model, are a testimony to the consciousness and self-

não é por acaso que até os tempos mais recentes os países da Otan

esteem acquired by regions of the world which, until recently, had

responderam por 80% a 90% dos artistas presentes na Documenta.

been neglected. They are also relevant in the sense that many Third

Isso causa tanto mais espécie quanto mais considerarmos que nas

World countries still possess only a handful of modem ar contem-

outras artes a assim chamada periferia já ultrapassou as metró-

porary art museums. Today most of the fifty ar more Biennials are

poles. Pensemos apenas no papel do cinema do Extremo Orien-

being held outside Europe and Narth America. The very fact that

te, da música africana, caribenha ou brasileira ou no sucesso da

the second last Venice Biennial had invited twenty Chinese artists,

literatura latino-americana. Cinco dos seis últimos ganhadores do

in itself, suggests that a North-South dialogue in the field of art

Prêmio Nobel da literatura de língua inglesa são oriundos dos assim

has already begun. A greater opening up is expected in Documenta

chamados países periféricos. Na música popular, a África já co-

11. Ten years ago the exhibition of works by Congolese sculptor

lonizou a Europa há muito tempo, pela via indireta do blues.

Bodys Isek Kingelez at the House of World Cultures in Berlin was

Nas artes plásticas, as Bienais de Havana e de São Paulo

still regarded as "exotic". Since then, the Artist has been invited

foram, até pouco tempo atrás, as únicas que representavam o "res-

to participate in severa I Biennials, which now naturally include that

to do mundo". Mas agora, as novas bienais do Hemisfério Sul,

of São Paulo. In addition, international art critics who until now

surgidas nos últimos dez anos com base no modelo da de São Paulo,

had limited themselves to visit Kassel, Venice and the Whitney Bien-

testemunham a consciência e a auto-estima adquiridas por regiões

nial in New Yark, have now begun to undertake the long journeys

do mundo negligenciadas até o presente. Elas são relevantes tam-

to São Paulo, Havana and Kwangju in South Korea,

bém na medida em que muitos países do Terceiro Mundo ainda

in step with the age.

50

as to keep

possuem poucos museus de arte moderna ou contemporânea. Hoje

The Bienal de São Paulo allows, in exemplary fashion, a

a maioria das mais de 50 bienais de arte do mundo está sediada

comparison of the conditions of art production and distribution

fora da Europa e da América do Norte. O fato de a penúltima

in different countries throughout the world. That which expresses

Bienal de Veneza ter convidado 20 artistas chineses sugere que

itself as a sophisticated mega-production in the case of the USA

o diálogo Norte-Sul já se iniciou no campo da arte. Esperamos uma

and certain western European countries, carried out at consider-

abertura ainda maior na Documenta 11. Há dez anos, a exposi-

able cost and logistical effort, in the case of Central America ar

ção de obras do escultor congolês Bodys Isek Kingelez na Casa das

Africa can take the form of a video tape sent by post and shown

Culturas do Mundo, em Berlim, ainda foi registrada como exotismo.

on a TV screen. This confers an almost guerrilla-type status on the

De lá para cá esse artista foi convidado a participar de várias bienais

work of art.

e, naturalmente agora, também desta de São Paulo. E a crítica

As always, Brazilian contemporary art is represented by its

internacional, que se restringiu até recentemente a Kassel, Veneza

own nucleus, this time under the curatorship of Agnaldo Farias.

e à Bienal do Museu Whitney de Nova Iorque, para estar à altu-

There are thirty artists from ten states, the majority of which are

ra da sua época, enfrenta também os longos caminhos que levam

exhibiting for the first time at the Biennial. It should be pointed

a São Paulo, Havana e Kwangju, na Coréia do Sul.

out that art production outside of the Rio-São Paulo axis has with

A Bienal de São Paulo permite, paradigmaticamente, uma

great brio, come into its own. It is of a quality and kind that can

comparação entre as condições da produção e a distribuição da

be exhibited anywhere in the world. The so-called "salas espe-

arte em escala internacional. O que no caso dos EUA e de alguns

ciais", reserved for outstanding artists have been maintained. While

países da Europa Ocidental e do Extremo Oriente se viabiliza como

Andreas Gursky and Thomas Ruff have produced excellent ex-

consideráv~1

dispêndio

amples of photo art, deeply influenced by the theme of this Bienal,

de recursos financeiros e logísticos, pode materializar-se, no caso

Jeff Koons, Sean Scully, Julião Sarmento and Karin Lambrecht show

da América Central ou da África, em uma fita de vídeo enviada

that in the field of painting, extraordinary works are still being cre-

pelo correio, que é mostrada no monitor de TV e confere um

ated and that the distinction between old and new "media" does

caráter quase guerrilheiro ao trabalho artístico.

not exist.

megaprodução sofisticada, realizada com

Como sempre, a arte brasileira contemporânea está re-

The historical component was excluded this time, ,the task

presentada por um núcleo próprio, sob responsabilidade de Agnal-

having been taken over by several Brazilian museums and cultural

do Farias. Trata-se de 30 artistas de dez Estados, dos quais a maioria

institutions such as BrasilConnects which have organized a series

21


expõe pela primeira vez na Bienal. É digno de menção o surgi-

of grand exhibitions from the Louvre, the Centre Pompidou and the

mento, também fora do eixo Rio/São Paulo, de uma produção ar-

Museo Reina Sofía in Madrid. This frees the Bienal de São Paulo to

tística de grande vitalidade, que pode ser apresentada em qual-

devote itself to its true mission - the presentation of contempo-

quer país do mundo. Da mesma forma, foram mantidas as cha-

rary art, including its most modern forms such as Web Art for which

madas "salas especiais", reservadas a artistas exponenciais da

the current show has created its own forum curated by Rudolf Frieling

atualidade. Se, por um lado, Andreas Gursky e Thomas Ruff con-

from the Media Centre for Art and Technology (ZKM) in Karlsruhe,

tribuem com exemplos de excelente arte fotográfica, fortemen-

Germany, and by Christine Mello from São Paulo.

te orientados segundo o tema desta Bienal, por outro, Jeff Koons, Sean Scully, Julião Sarmento e Karin Lambrecht demonstram que, no campo da pintura, continuam sendo criados quadros extraor-

The Hand of Kafka

dinários e que os suportes "antigos" simplesmente inexistem. Desta vez, abriu-se mão do já quase tradicional "núcleo

"He who is unable to vigorously conquer the challenge of life needs

histórico", pois vários museus e várias instituições culturais do Bra-

just one of his hands to brush away - albeit with limited success

sil, como BrasilConnects, já assumiram essa tarefa, conforme de-

- some of the despair occasioned by Fate; and with the other to

monstra uma série de grandes exposições do Louvre, do Centre

feel what lies beneath the rubble, since he perceives things both

Pompidou e do Museo Reina Sofía. Assim a Bienal de São Paulo

greater in quantity and kind than other people. After ali, he is dead

pode dedicar-se à sua missão propriamente dita, à apresentação

in the land of the living, which makes him a survivor in the true

da arte contemporânea, inclusive na sua forma mais atual da Web

sense of the word."

Art, para a qual esta Bienal criou um fórum próprio, com a aju-

[Franz Kafka, Diaries, 1921]

da de Rudolf Frieling, do Centro de Arte e Tecnologia de Mídia (ZKM) de Karlsruhe/Alemanha e de Christine Mello, de São Paulo.

How resistant is a work of art when faced with the dimensions of reality, and what force can it muster in order to stand up to the horror? The events of September 11 and their consequences

A mão de Kafka

shook the art world no less than other sectors of society. For a long while artists and curators alike stopped to reflect on their positions.

"Quem não consegue vencer o desafio da vida vivo necessita de

Several subjects considered interesting under normal circumstances

uma das mãos para afastar - com êxito assaz reduzido - o de-

were set aside. On an artistic levei there was a re-think and radi-

sespero diante do seu destino; mas com a outra mão ele pode

cai shake-up regarding the content of several projects. Ali consid-

registrar o que vê sob os escombros, pois vê outras e mais coi-

ered the Biennial is now faced with a different set of expectations,

sas do que os outros, afinal de contas ele está morto em vida e

being regarded in a different, more rigorous fashion by both pub-

é o verdadeiro sobrevivente."

lic and critics alike.

[Franz Kafka, Diário, 1921]

While those pulling the levers of international political power wrack their brains thinking of ways, both military and other, to

Quão grandes podem ser as obras de arte diante das di-

combat evil, artists are busying themselves with the fundamentais

mensões da realidade, e que força possui a arte para resistir ao

of cultural differences, without which such a negative outcome could

horror? Os acontecimentos de 11 de setembro e as suas conse-

never have occurred. From the point of view of art, for which the

qüências abalaram o universo da arte não menos do que outros

apocalypse has always been of central importance, 9/11 is noth-

setores da sociedade. Por um longo instante, artistas e curadores

ing new. The ruin which appears as both an area covered in rubble

detiveram-se para reexaminar as suas posições. Vários temas ti-

and one of human wrecks, as both a disaster in terms of interper-

dos como interessantes em outras circunstâncias serão agora dei-

sonal relationships or a failure of entire social models, is a constant

xados de lado. No plano artístico ocorreu uma revisão ou radica-

in the art of ali civilisations. However, cries of protest and a call for

lização dos conteúdos de vários projetos. Afinal de contas, a Bienal

examinations of conscience also recur with equal frequency. Art-

enfrenta agora expectativas distintas, é lida diferentemente, com

ists are seismologists of the Zeitgeist, observers of mental break-

um olhar mais rigoroso, pelo público e pela crítica.

downs and chroniclers of historical fault-lines. Some of them even

Enquanto os responsáveis, nas centrais de comando da

possess the gift of prophecy. There was no shortage of gloomy pre-

política internacional, dão tratos à imaginação para descobrir com

monitions, especially among artists operating at a remove from the

que meios militares e não-militares podem enfrentar o mal, os

fashionable culture industry. There was no way that the signs could

artistas se ocupam com os fundamentos das diferenças culturais,

be ignored; a good illustration of this was the series of photographs

sem as quais tais excrescências nem teriam surgido. Sob a ótica

taken by Nancy Davenport of terrorist attacks carried out on cit-

da arte, para a qual o apocalipse sempre foi um tema importan-

ies. Her works were produced before the catastrophe, as a sort of

te, o dia 11 de setembro não configura uma novidade. A ruína

"writing on the wall" or final warning.

22


que se revela ora como campo de escombros arquitetônicos, ora

Nobody should expect art to come up with recipes for day-

como destroços de existências humanas, ora como desastre nas

to-day politics, but there is something that can be done at a time

relações interpessoais ou como fracasso de modelos sociais inteiros,

in which political, economic and social divergences are increasing

é uma constante na arte de todas as civilizações. Mas o grito de

in different parts of the world; the artist's mission is now to reunite

protesto e a convocação para um exame de consciência são um

once more the two hemispheres and defend the cause of an indi-

outro momento que retorna com igual freqüência. Os artistas são

visible community of mankind.

sempre também sismógrafos do Zeitgeist, observadores de abalos mentais e cronistas das "falhas" da história. E alguns deles possuem dons proféticos. Não faltaram pressentimentos obscuros, especialmente entre os artistas que operam longe da indústria cultural, freqüentemente superficial e orientada pelos estímulos da moda. Não havia como ignorar os sinais, assim, por exemplo, numa série de fotografias de Nancy Davenport sobre atentados terroristas em cidades. As obras foram feitas antes da catástrofe, como writing on the wall e advertência final. Ninguém haverá de esperar da arte receitas para a política quotidiana. Mas uma coisa ela poderá fazer: numa época em que as disparidades políticas, econômicas e sociais entre as diferentes regiões do mundo estão em via de crescimento, fica reservada aos artistas a missão de unir novamente os dois hemisférios e defender a bandeira da comunidade humana indivisível.

23


Wole Soyinka

Tolerância: a Lição dos Orixás [Tolerance: the Lesson of the Orisa]

As Nações Unidas têm a louvabilíssima tradição de de-

The United Nations has a most laudable tradition of des-

signar cada ano, às vezes até uma década, como o Ano (ou a Dé-

ignating every year, sometimes even the decade, a Year (ar Decade)

cada) Internacional de alguma questão específica, indicando que

of some specific global concern, indicating that there is an area of

há uma área problemática para a qual a Organização deseja mo-

concern for which that organisation desires to mobilise the concerted

bilizar os esforços conjuntos de todas as nações, de órgãos de

efforts of ali nations, voluntary agencies and individual opinion

voluntariado e de indivíduos formadores de opinião. O objetivo

moulders. The overall purpose is to bring about increased harmony

geral é ensejar maior harmonia entre os povos e as nações, ou

among nations and peoples, ar instigate a general amelioration of

estimular uma melhoria geral da condição humana. Assim, tive-

the human condition. Thus, we have had the Year of the Child, the

mos o Ano Internacional da Criança, o Ano Internacional dos De-

Year of Shelter, the Year of Minority ar Indigenous Peoples, the Year

sabrigados, o Ano Internacional dos Povos Indígenas do Mundo,

of Tolerance, Dialogue of Civilisations, etc., etc. Ali these specificities

o Ano da Tolerância, do Diálogo das Civilizações etc. etc. Todas

are focussed, quite rightly, on different aspects of humanity.

essas especificidades focalizam, apropriadamente, diferentes aspectos da humanidade. Se dependesse de mim, porém - caso alguém fosse su-

Left to me, however - were anyone sufficiently reckless as to make me secretary-general of the United Nations - I would have ensured that the year 2000, ar 2001, was declared the Year

ficientemente imprudente para nomear-me secretário-geral das

of the Secular Deities. A blasphemous oxymoron? Not in the least,

Nações Unidas -, garanto que teria declarado o ano 2000, ou o

as we shall come to understand. Let me simply state for now that

2001, como o Ano Internacional das Divindades Seculares. Oxímoro

I do not exaggerate when I say that the world has great need of

blasfemo? De modo algum, como haveremos de ver. Permitam-

the promotion of the secular gods, to reinforce those other Years

me simplesmente afirmar, por ora, que não exagero ao dizer que

of global concerns - the Year of the Child, the Year against Tor-

o mundo tem grande necessidade da promoção dos deuses secu-

ture, Year of the Woman - and, most crucial of ali, the Year of

lares, em parte para reforçar aqueles outros Anos Internacionais

Tolerance. The adoption of the Judaeo-Christian calendar in this

- o Ano da Criança, o Ano contra a Tortura, o Ano da Mulher

respect already has its problems of course, but the world appears

etc. e, como o mais crucial de todos, o Ano da Tolerância. A ado-

resolved to live with that - in itself a most commendable act of

ção do calendário judaico-cristão, nesse aspecto, já apresenta lá

tolerance! In any case, I join others in accepting that any phase of

seus problemas, claro, mas o mundo parece resolvido a conviver

human history, and even a mere calendar notation, deserves to be

com isso - o que é, em si, um elogiável ato de tolerância! Em todo

seized upon and ma de to serve even those peoples whose mores

caso, uno-me a outros no reconhecimento de que qualquer fase

and cultures maintain their suspicious distance from the genesis,

da história humana, e até uma mera anotação de calendário, me-

history and cultural claims of whatever part of the world is in cel-

rece ser assumida e utilizada, mesmo por aqueles povos cujos

ebration. As one who, as a child, was raised in a Christian family

costumes e culturas se mantenham numa distância suspeita em

- never mind that I have long abandoned that faith - I still re-

relação à gênese, à história e às propostas culturais de qualquer

call the great excitement of anticipating, then celebrating, the Ram-

parte do mundo onde haja alguma comemoração. Como alguém

adan with our Moslem neighbours while they in turn joined in the

que, na infância, foi criado numa família cristã - não importa que,

festivities of the Christians, be it Easter ar Christmas. Something

há muito, eu tenha abandonado esse credo -, ainda me lembro

dispiriting has happened in the past half-century, however. Divi-

da grande emoção dos preparativos seguidos das comemorações

sions, sometimes murderous divisions, have sprung up within such

do ramadã com nossos vizinhos muçulmanos, enquanto eles, por

a natural community of faiths since those colonial and immediate

sua vez, participavam das festividades cristãs, fossem elas a Pás-

postcolonial times.

coa ou o Natal. Entretanto, ocorreu algo deprimente no último

Those of us who hold on to a belief in the unity, indeed

meio século. Surgiram dissensões, às vezes homicidas, no seio de

the indivisibility, of the human community - no matter how buf-

uma comunidade tão natural de credos desde os tempos coloniais

feted such a concept has been during the last century, especially

e pós-coloniais imediatos.

by the antihuman excesses of ideology, religion, and doctrines of

24


Nós, que nos mantemos fiéis à crença na unidade, na ver-

separatism such as racism, social Darwinism ar apartheid - must

dade da indivisibilidade da comunidade humana, por mais casti-

consider ourselves fortunate if we happen to be heirs to certain

gado que tal conceito tenha sido durante o último século, sobre-

systems of beliefs that have survived those overweening themes;

tudo pelos excessos anti-humanitários das ideologias, religiões e

themes that appear to have successfully divided up, ar still contest,

doutrinas separatistas, como o racismo, o darwinismo social ou

the world among themselves. We can treat them ali within a frame-

o apartheid, devemos considerar-nos felizardos se formos herdeiros

work of binaries, sometimes intersecting, and often self-replacing:

de certos sistemas de crenças que sobreviveram a esses temas

communism and capitalism, Buddhism and Hinduism, Judaism and

arrogantes, temas que parecem ter alcançado sucesso na divisão

Christianity, Christianity and Islam, Roman Catholicism and Protes-

do mundo, ou que ainda estejam competindo por ele. Podemos

tantism, the Crusade and the Jihad, fascism and democracy, the

tratá-los todos dentro de um esquema de dualismos que, às ve-

Judaeo-Christian/Euramerican world and the Arab-Islamic, etc., etc.,

zes, intersectam-se e amiúde se revezam: comunismo e capitalis-

plus ali their extended families, aggressive offshoots and client

mo, budismo e hinduísmo, judaísmo e cristianismo, cristianismo

relations. Ali these, to varying degrees, and despite their demon-

e islamismo, catolicismo e protestantismo, Cruzada e Jihad, fascismo

strable and glaring errors of doctrine and conduct that prove so costly

e democracia, mundo judaico-cristão/euro-americano e mundo

to humanity itself and disorganise swathes of living communities,

arábico-islâmico etc. etc., mais suas extensões de família, ramifi-

continue to arrogate to themselves the monopoly of Truth, Perfection

cações agressivas e relações de clientela. Todos eles, em variados

and/or Dominance. This mentality of binary organisation makes it

graus e apesar de seus erros demonstráveis e patentes de doutrina

easy, on the one hand, to simplify "the Other", demonise it and

e conduta, que custam tão caro para a humanidade em si e desor-

focus on it as the sole obstacle to one's own survival. On the other

ganizam faixas inteiras de comunidades humanas, continuam a

hand, they do tacitly - and tactically - acknowledge it as an equal

reivindicar, com arrogância, o monopólio da Verdade, da Perfei-

contender for the stakes of hegemonic dominance. Tough luck on

ção e/ou da Dominação. Essa mentalidade da organização dualística

the other inhabitants of the real world - which happens to be a

facilita, por um lado, a simplificação do "outro", demoniza-o e

pluralistic one! They simply disappear through a mere wave of the

focaliza-o como único obstáculo à própria sobrevivência. Por outro

hand ar aversion of the eyes by the Super-Duo, who thus conserve

lado, o outro é reconhecido de maneira tácita - e tática - como

their energy for the final onslaught between only two monoliths.

um adversário à altura quando está em jogo o domínio hegemô-

As the African proverb goes, however, when two elephants

nico. Azar dos outros habitantes do mundo real- que, por acaso,

fight, it is the grass beneath their hooves that suffers. In fact, the

é pluralístico! Eles simplesmente desaparecem, caso o Super-Duo

grass simply vanishes! Ralph Ellison captured the predicament of

faça um mero aceno de mão ou lhe vire a cara, guardando assim

the black man in the United States in his acclaimed classic The In-

energias para a arremetida final entre dois monólitos apenas. -

vísíble Man, providing the world a bitter portrayal of the plight of

Como diz o provérbio africano, quando dois elefantes

millions of humanity who were rendered invisible by the arrogance

brigam, quem padece é o capim. Na verdade, o capim simples-

of race within their own nation. I believe that it is time to draw

mente desaparece! Ralph Ellison captou a situação difícil do ne-

attention to The Invisible Faiths, especially those instructive faiths

gro nos Estados Unidos, em seu aclamado clássico O Homem In-

of the 'secular' - that is, humanistic - tem per, and to highlight

visível, oferecendo ao mundo um retrato amargo do transe vivi-

the many subtle tactics that are utilised to render them invisible.

do por milhões de seres humanos invisibilizados pela arrogância

Against these has been ranged the devastating armoury

racial em sua própria pátria. Creio que está na hora de chamar a

of the 'binary' conspiracy. Traverse human history at any moment

atenção para Os Credos Invisíveis, especialmente os credos instru-

from antiquity to the present; with negligible exceptions, you will

tivos de cunho "secular" - ou seja, humanístico -, e ressaltar as

encounter this pattern of collaboration between the most pow-

muitas táticas sutis usadas para torná-los invisíveis.

erful contending systems. They say, in effect: Let us join hands to

Contra eles foi assestado o devastador arsenal da cons-

take care of these minnows so we can roam the ocean at will, not

piração "dualista". Que o leitor percorra a história humana em

bothered by minar irritants - you take the West, we take the East.

qualquer de seus momentos, da Antiguidade à atualidade, e verá

This has been the pragmatic motivation of numerous historic pacts

que, com exceções pouco importantes, é fácil encontrar esse tipo

and treaties in both major and minar keys, from the European wars

de colaboração entre os mais poderosos sistemas em confronto.

of possession of the 16th and 17th centuries and the opening up

Na verdade, eles dizem: "vamos nos dar as mãos para nos preca-

of the New World, to the life-and-death struggle of capitalism and

ver contra essa arraia miúda; assim poderemos vogar pelo ocea-

communism that ended in a Pyrrhic victory for one. In the process,

no à vontade, sem sermos aborrecidos por coisinhas irritantes-

alternative models and options in the creation of a true commu-

vocês ficam com o Oeste, nós ficamos com o Leste". Essa tem sido

nity of man are ridiculed, vilified, crushed ar simply driven under-

a motivação pragmática de numerosos pactos e tratados históri-

ground.

cos, em escala maior e menor, desde as guerras européias de pos-

The religious sector provides us today with the most bla-

sessão dos séculos XVI e XVII e o desbravamento do Novo Mun-

tant examples. Respect between two 'world religions' but contempt,

25


do, até a luta de vida e morte entre capitalismo e comunismo, que

or invisibility for ali others. One example: the religion of Islam ac-

terminou numa vitória de Pirro. No processo, as opções e os mo-

cepts one other, Judaism, (and its gigantesque offspring, Christianity)

delos alternativos de criação de uma verdadeira comunidade hu-

as a partner-rival- the absolute limits of its tolerance - since ali

mana são ridicularizados, vilipendiados, esmagados ou simples-

others are regarded as offences against the Supreme Deity. Pros-

mente marginalizados.

elytisation by its arch-rival is, however, strictly forbidden, punish-

O setor religioso oferece-nos hoje exemplos gritantes.

able by death in some nations - Afghanistan is merely the most

Respeito entre duas "religiões mundiais", mas desprezo ou invisi-

extreme example of this familiar doctrine. To submit to conversion

bilidade para todas as outras. Um exemplo: o islamismo aceita outra

is equally fatal, since conversion is regarded as the capital crime of

religião, o judaísmo (e sua gigantesca progênie, o cristianismo),

apostasy. As for the followers of ali other faiths, they are obliged

como parceiro-rival - limite absoluto de sua tolerância -, uma

to convert or face permanent social exclusion, harassment and even

vez que todas as outras são vistas como ofensas à Divindade Su-

- as in the case of members of the Ba'hai - death. It is small con-

prema. O proselitismo por parte de seu arqui-rival, porém, é es-

solation that, despite this hegemonic pattern and its historic ram-

tritamente proibido, punível com a morte em algumas nações-

pages of destructiveness, a number of little-known systems of beliefs

o Afeganistão é apenas o exemplo mais extremo dessa conhe-

- in Asia, Africa, the Americas or Australasia - have survived and

cidíssima doutrina. Converter-se também é fatal, uma vez que a

continue to thrive. Our destination is one of such worlds, that of

conversão é vista como o crime capital da apostasia. Quanto aos

the Yoruba, where we shall arrive in a moment.

seguidores de todos os outros credos, são obrigados a se conver-

Nigeria, the nation which is home to the Yoruba, offers

ter ou a enfrentar a exclusão social permanente, a perseguição

us a contemporary model of the effect of binary conditioning, since

e até - como no caso dos membros do ba'hai - a morte. Resta

it was within that nation, secular in its governance from the co-

o pequeno consolo de que, apesar desse modelo hegemônico, de

lonial period, that a state within the nation recently declared it-

seu furor e de sua destrutividade histórica, certo número de crenças

self a Moslem state! The immediate effect of the Islamisation of

pouco conhecidas - na Ásia, na África, nas Américas e na Austra-

that state has been to create just such an arena between two

lásia - sobreviveu e continua florescente. Nosso destino é um

assertive faiths, thus sucking the anterior faiths - orisa, ances-

desses mundos, o dos iorubas, onde chegaremos num instante.

tor or Nature worship, etc., etc. - even deeper into the black hole

A Nigéria, terra natal dos iorubas, constitui um modelo

of invisibility. It is a good instance of that theocratic binary con-

contemporâneo do efeito do condicionamento dualista, uma vez

trick, the elision of spiritual verities that can be elicited from other

que nessa nação, que tem governo secular desde operíodo co-

religious worldviews, especially of the antecedent autochthonous

lonial, um Estado, dentro da nação, declarou-se recentemente

faiths over which these two foreign contenders have spread their

muçulmano! O efeito imediato da islamização desse Estado foi a

imperial cloak. Predictably, the arguments have gone back and forth

criação da tal liça entre dois credos dogmáticos, tragando assim

between the two: the legal system being practised is based on

os credos anteriores - dos orixás, o culto dos ancestrais ou da

Christian law, hence we must oppose it with ours, claims the Council

natureza etc. etc. - no mais profundo buraco negro da invisibi-

of Imams and their surrogates. The other, the Christian Associa-

lidade. É um bom exemplo desse conluio teocrático dualístico o

tion of Nigeria, replies in kind, determined to defend its own es-

da elisão das verdades espirituais, que podem ser sonegadas a

tablished turf on similar grounds, both aided and abetted by the

outras mundividências religiosas, especialmente as dos credos

international media whose binary conditioning is

50

endemic that

autóctones antecedentes, sobre os quais esses dois contendores

it cannot even refer to Nigeria except in such terms as the Mos-

estrangeiros estenderam seu manto imperial. Como era de se pre-

lem North and the Christian South. Occasionally, in fairness, we

ver, há troca de argumentos entre os dois: "o sistema legal em

must state that we do encounter the informed qualification of the

prática baseia-se na lei cristã, por isso, devemos opô-lo ao nos-

predominant/y Mos/em north and the /arge/y Christian south or other

so", afirma o Conselho dos Imames e seus representantes. O ou-

grudging variations.

tro, representado pela Associação Cristã da Nigéria, responde na

The neglected truth, however, is that this state, Zamfara,

mesma moeda, determinado a defender, em termos semelhantes,

like many other parts af the so-called Moslem ar Christian parts of

seu território, conquistado com a ajuda e a conivência da mídia

Nigeria, also consists of other religious faiths, those pre-Christian

internacional, cujo condicionamento dualístico é tão endêmico que

and pre-Islamic faiths that are

não consegue referir-se à Nigéria senão em termos de Norte Mu-

tigial and inconsequential paganismo The Jukums, the Tivs, the Bornos

çulmano e Sul Cristão. Eventualmente, para sermos justos, deve-

of Northern Nigeria continue to follow (sometimes side by side with

50

wishfully dismissed as mere ves-

mos confessar que encontramos a qualificação bem informada de

Islam or Christianity) the religions of their ancestors. So the moment

Norte predominantemente muçulmano e Sul em grande parte

a state opts to become a theocracy, no one bothers to ask: What

cristão, ou outras variações mais ressentidas.

are the pronouncements of existing traditional religions - not now

A verdade que se deixa de lado, porém, é que esse Esta-

of the opposing member of the binary catechism - what is the

do, Zamfara, assim como muitas outras partes das chamadas fra-

teaching of such religions an the imposition of a theocratic man-

26


ções muçulmana ou cristã da Nigéria, também é constituído por

date on community, society ar state? To such a question, the an-

outros credos religiosos, pré-cristãos e pré-islâmicos, que, com

swer is clear: Abomination!

muita afoiteza, são rejeitados como mero paganismo vestigial e

To address one such world, that of the Yoruba, let us be-

irrelevante. Os jukums, os tivs, os bornos do norte da Nigéria con-

gin where it ali begins, within human consciousness - that world

tinuam seguindo (às vezes, ao lado do islamismo ou do cristianismo)

repudiates the hegemonic tendency, as is demonstrable in its most

as religiões de seus antepassados. Assim, no momento em que um

fundamental aspect: the induction of a new living entity into the

Estado opta por se transformar em teocracia, ninguém se preo-

world and its dedication to the spiritual custody of unseen forces.

cupa em perguntar quais são as opiniões das religiões tradicio-

A child is born, Quite early in its life, when the parents discern in

nais existentes - não, no caso, do catecismo do membro oposto

this new organism traces of personality, later to become known as

ao seu par -, qual é o ensinamento de tais religiões acerca da

character (iwa), this newcomer is taken to the babalawo, the priest

imposição de um governo teocrático à comunidade, à sociedade

of divination, who adds his tutored observations to the signs that

ou ao Estado. A tal pergunta, a resposta é clara: abominação!

have already been noted by the parents. Sometimes, the babalawo

Para tratarmos de um mundo desses, o dos iorubas, co-

takes the child through the actual divination process, Mostly however,

mecemos por onde tudo começa: a consciência humana - esse

it is his shrewd eyes, extensive experience and honed intuition that

mundo repudia a tendência hegemônica, como é demonstrável

decide for him: this, he observes, is a child of Osun, ar this is a child

em seu aspecto mais fundamental-, a introdução de uma nova

of Sango, ar Obatala. It does not matter that neither parent is a

entidade viva no mundo e sua consagração à custódia espiritual

follower of any such deity, ar that no one in the entire household

de forças invisíveis. Nasce uma criança. Bem no começo de sua vida,

ar in the history of the family has ever been an initiate of this gad,

quando os pais discernem traços da personalidade que mais tar-

The child, it is accepted, brings his ar her own ori, destiny, into the

de passará a ser conhecida como personagem (iwa), o recém-che-

warld, It is futile to attempt to change it ar to impose a different

gado é levado ao baba/aô, sacerdote adivinho, que soma suas

one on him.

observações compatíveis aos sinais já notados pelos pais. Às ve-

Yet even this allotment of the child's spiritual aura is not

zes, o baba/aô submete a criança a um verdadeiro processo de

definitive, nor is it exclusive. Some other incidents in its life pas-

adivinhação. É mais freqüente, porém, que seu olhar sagaz, sua

sage - a series of setbacks, a display of talent, creative ar leader-

enorme experiência e sua intuição aguçada decidam por ele: esta

ship precocity, ar indeed some further revelation of earlier hidden

criança - observa - é filha de Oxum, ou aquela é de Xangô, ou

traits such as a tendency towards clairvoyance, or simply the child's

de Obatalá. Não importa se nenhum dos pais for seguidor de

habit of enigmatic utterances - any of these may lead the babalawo

qualquer dessas divindades, ou que ninguém na casa o seja, ou

to conclude that a different guardian deity is indicated for the child,

que na história da família nunca tenha havido nenhum iniciado

ar an additional one. And thus, a new deity is admitted into the

ligado a esse deus. A criança - todos aceitam - traz seu próprio

household, There is no friction, no hostility. Ali gods, the Yoruba

ori, destino, para o mundo. É inútil tentar mudá-lo ou impor-lhe

understand, are manifestations of universal phenomena of which

um diferente.

humanity is also a part. Ifa is replete with odu - those verses that

No entanto, nem mesmo esse quinhão da aura espiritual

are at once morality tales, historic vignettes, as they are filled with

da criança é definitivo ou exclusivo. Alguns outros incidentes de

curative prescriptions, They narrate at the same time the experiences

sua trajetória de vida - uma série de contratempos, a exibição

of both mortais and immartals for whom Ifa divined, advised, and

de um talento, a criatividade ou a liderança precoce, ou então

who either chose to obey ar ignore Ifa. The sceptics are neither

alguma revelação de traços antes ocultos, como uma tendência

penalised nor hounded by any supernatural forces, The narratives

à clarividência, ou simplesmente o hábito de dizer palavras enig-

indicate that they simply go their way,

máticas - pode levar o baba/aô à conclusão de que é indicada

Some definitions are probably needed here, Ifa is the cor-

para aquela criança al,guma divindade guardiã diferente ou adi-

pus of prognostic verses that interpret the future and prescribe

cionaI. Assim, admite-se uma nova divindade na família. Sem atri-

options and directions for the seeker. These narratives have been

tos, sem hostilidade. Todos os deuses, entendem os iorubas, são

transcribed and translated by such anthropologists as Herskovits,

manifestações de fenômenos universais, de que a humanidade

Bascomb, Gleason, etc., and quite recently by Epega. The deities

também faz parte. O Ifá está repleto de odus - versos que são,

have themselves been the subject of a large body of traditional

ao mesmo tempo, contos morais, episódios históricos e estão cheios

drama, very much in the manner o( but owing nothing to, Greek

de prescrições curativas. Narram simultaneamente as experiências

classic drama: Oba Koso and Oba Waja by Duro Ladipo, The Im-

dos mortais e dos imortais para os quais o Ifá adivinhou, deu

prisonment of abata/a, by Obotunde Ijimere, Esu Elegbara by Wale

conselhos, e que optaram por obedecê-lo ou ignorá-lo. Os cépticos

Ogunyemi, and in numerous epic narratives and the usual adven-

não são penalizados nem perseguidos por nenhuma força sobre-

ture tales, My own long poem Ogun Abibiman merely ·follows an

natural. As narrativas indicam que eles simplesmente seguem seu

ancient tradition, albeit turned to a contemporary political use. Ali

próprio caminho.

in addition, of course, to the medium of representation that has

27


Aqui, algumas definições provavelmente se fazem neces-

become famous ali over the world, and which even altered the

sárias. /fá é o corpus de versos prognósticos que interpretam o

perception habits of European painting and sculpture towards the

futuro e prescrevem opções e direções para o consulente. Essas

end of the 19th century. In more recent times, painting and deco-

narrativas já foram transcritas e traduzidas por antropólogos como

rative motifs from architecture to fabrics have joined in the celebra-

Herskovits, Bascomb, Gleason etc. e, bem recentemente, por Epega.

tion (or maybe simply the exploitation) of the limitless bounty of

As próprias divindades foram objeto de um vasto corpo drama-

Yoruba mythology. These reminders are not offered as validation

túrgico tradicional, mais ou menos à maneira do drama clássico

- the Yoruba deities and their world need no validation. Our in-

grego, sem lhe dever nada - Obá Koso, Obá Waja, de Duro Ladipo,

tention here is simply to emphasise that these seemingly exotic

OAprisionamento de Obata/á, de Obotunde Ijimere, Exu E/egbara,

figures have been with the externai world for a very long time, albeit

de Wale Ogunyemi -, bem como de numerosas narrativas épi-

as artistic resources, but also, as in the case of Latin America, as

cas e dos habituais contos de aventuras. Meu longo poema Ogun

palpable spaces of spirituality, manifested in their own right, and

Abibiman não faz mais que seguir uma antiga tradição, ainda que

in their syncretic transformations with the Roman Catholic religion

voltado para uma utilização política contemporânea. E, é claro,

that was the religion of their enslavers.

o meio de representação que se tornou famoso em todo o mun-

Ifa, like the orisa, does not proselytise. Ifa does not anath-

do e até alterou os hábitos de percepção da pintura e da escul-

emise non-believers; on the contrary, there are verses in Ifa which

tura européias em fins do século XIX. Em épocas mais recentes,

warn against disrespect to other religions. Of course, Ifa is not

a pintura e os motivos decorativos, da arquitetura aos tecidos,

without its own tendency towards a little self-promotion, and

somaram-se à celebração (ou talvez simplesmente à exploração)

we find that Ifa is also filled with narratives of the headstrong and

da ilimitada generosidade da mitologia ioruba. Esses lembretes

cynics who disobey the injunctions of Ifa and thus fali deeper and

não são feitos a título de validação - as divindades iorubas e seu

deeper into misfortunes, until they return to the original path mapped

mundo não precisam de validação. Nossa intenção aqui é apenas

out by Orunmila. There is a crucial difference, however, in this process

ressaltar que essas figuras, aparentemente exóticas, estão presentes

of cause and effect that differs from what I call the jealous religions.

no mundo externo há muito tempo, ainda que como recursos

It is never Orunmila, the divination god of Ifa, or any agent of his

artísticos, mas também, como no caso da América Latina, como

who is responsible fortheir misfortunes. No, it is their ori, destiny,

espaços palpáveis de espiritualidade, manifestados em seu pró-

the portion that they brought with them into the world, the very

prio nome e nas formas de sincretismo religioso com o catolicis-

definition of their being, that Ifa merely diagnosed before leaving

mo romano, que era a religião de seus escravizadores.

them to their own devices, to their own choices. Nor is it, for in-

50

O Ifá, assim como os orixás, não faz proselitismo. O /fá não

stance, the resentment or vengeance of one rejected deity that

anatematiza os incrédulos; ao contrário, contém versos que ad-

proceeds to take up his or her own cause by assailing the luckless

vertem contra o desrespeito a outras religiões. Evidentemente, o

head of the unwilling acolyte; the gods remain totally indifferent

Ifá não deixa de ter sua própria tendência a uma pequena auto-

to who does or does not follow them or acknowledge their place

promoção, e assim descobrimos que ele também está cheio de

in mortal decisions.

narrativas sobre teimosos e cínicos, que desobedecem às suas in-

The Yoruba understanding of the nature of Truth is indeed

junções e, por isso, afundam cada vez mais no infortúnio, até que

echoed by the Vedic texts from yet another ancient world, the In-

voltem ao caminho original traçado por Orumila. Há uma diferença

dian, which declares:

crucial, porém, nesse processo de causa e efeito, em relação àquilo que chamo de religiões ciumentas. Nunca é Orumila, deus da adi-

"Wise is he who recognises that Truth is One and one only, but

vinhação do Ifá, nem qualquer agente dele, o responsável pelo

wiser still the one who accepts that Truth is called by many names,

infortúnio dessas pessoas. Não, é seu ori, seu destino, a porção

and approached from myriad routes."

que elas trouxeram consigo para o mundo, exatamente a definição de seu ser que o Ifá apenas diagnosticou antes de deixá-Ias

The accommodative spirit of the Yoruba gods remains the

à sua própria mercê, fazendo suas próprias escolhas. Tampouco

eternal bequest to a world that is riven by the spirit of intolerance,

é, por exemplo, o ressentimento ou a vingança de alguma divin-

of xenophobia and suspicion.

dade rejeitada, que resolva defender sua causa assaltando a in-

The dominant religions of the world and their theologies

feliz cabeça de algum relutante acólito; os deuses permanecem

as received in the present day have meant not the search for, or

totalmente indiferentes a quem os siga ou deixe de seguir ou a

the love of, but the veneration and consolidation - at whatever

quem reconheça ou não o lugar deles nas decisões dos mortais.

cost, including tortures and massacres - of mere propositions of

O entendimento dos iorubas sobre a natureza da Verda-

Truth, declared Revelation. It has meant the manipulation of truth,

de encontra eco nos textos védicos de outro mundo antigo, o

the elevation of mere texts to dogma and absolutes, be those texts

indiano, que declara:

named scriptures or catechisms. This failure to see transmitted texts, with their all-too-human adumbrations, as no more than signposts,

28


"Sábio é quem reconhece que a Verdade é Uma e uma apenas,

as parables that may lead the mind towards a deeper quarrying into

porém, mais sábio é quem aceita que a Verdade é chamada por

the human condition, its contradictions and bouts of illumination,

muitos nomes e atingida por uma miríade de caminhos."

a re-examination of the phenomena of nature, of human history

o espírito acomodatício dos deuses iorubas permanece

that has led to the substitution of dogma for a living, dynamic

como legado eterno para um mundo dilacerado pelo espírito de

spirituality. And this is where the Yoruba deities have an urgent and

intolerância, xenofobia e suspeição.

profound message to transmit to the rest of the world,

and human strivings, of the building of community - it is this failure

As religiões dominantes do mundo e as suas respectivas

There is an urgency about this, as the world is increasingly

teologias, hoje, não têm significado a busca ou o amor pela Ver-

taken over by the most virulent manifestations of dogmatic adhe-

dade, pela Revelação declarada, mas sua veneração e sua conso-

sion, the nurturing terrain of which expands every day, and aggres-

lidação a qualquer preço, inclusive lançando mão da tortura e do

sively. In the twelve months since the introduction of the theocratic

massacre, se for o caso. Têm significado a manipulação da verdade,

state in Nigeria, and as a direct consequence of this action and the

a elevação de meros textos ao status de dogma absoluto, sejam

escalation of intolerance in tastes, private relationships, social habits

esses textos chamados Escrituras ou Catecismos. É essa incapaci-

and even public associations, at least fifteen thousand lives have

dade de encarar os textos transmitidos, com suas representações

been lost, often in the most ghoulish manner. Hundreds of mosques

simbólicas totalmente humanas, apenas como sinalizadores, pa-

and churches have been destroyed, hotels and social meeting places

rábolas que podem conduzir a mente a um maior aprofundamento

torched. The labour and achievements of generations have been

na condição humana, em suas contradições e acessos de iluminação,

wiped out in orchestrated mayhems, often instigated by those who

a um reexame dos fenômenos da natureza, da história do homem

claim to serve one supreme deity ar the other. Neighbourliness, the

e de suas lutas, da construção da comunidade; é essa incapacidade

sense of community, has suffered nearly irreparable harm, But the

que tem levado a substituir por dogma o que é espiritual idade

orisa continue to insist: Leave the gods to fight their own wars. This

viva e dinâmica. Eé aí que as divindades iorubas têm uma mensa-

brief voyage into the world of the orisa, hopefully, may challenge

gem urgente e profunda para transmitir ao restante do mundo.

a few ears and eyes into embarking on a serious, sobering critique

Há certa urgência nisso, uma vez que o mundo está sendo tomado pelas mais virulentas manifestações de adesão dog-

of their world. It has become necessary to reiterate that, before Islam or

mática, cujo solo nutrício tem-se expandido a cada dia, de maneira

Christianity invaded and subverted our worldviews, before the

agressiva. Nos 12 meses que se passaram desde a instalação do

experience of enslavement at the hands of both Arabs and Euro-

Estado teocrático na Nigéria, e como conseqüência direta dessa

peans, the African world did evolve its own spiritual accommoda-

ação e da escalada da intolerância em termos de gostos, relações

tion with the unknown, did evolve its own socio-economic systems,

pessoais, hábitos sociais e até associações públicas, pelo menos 15

its cohering systems of social relationships, and reproduced its own

mil vidas se perderam, freqüentemente da maneira mais hedionda.

material existence within an integrated worldview. It is necessary

Centenas de mesquitas e igrejas foram destruídas, hotéis e locais

to reiterate that those systems are still very much with us and have

de encontros sociais foram incendiados. A labuta e os feitos de

indeed affected both liturgy and practice of alien religions even to

gerações inteiras foram varridos em agressões orquestradas, muitas

the extent of rendering them in some instances docile and domes-

vezes instigadas por aqueles que afirmam servir a uma ou a ou-

ticated, Thus, whenever in contemporary times the aggressive face

tra divindade suprema. O espírito de urbanidade, o sentido de

of one or the other of these world religions is manifested, our re-

comunidade, sofreu um dano quase irreparável. Mas os orixás

course is primarily to the strengths of those unextinguished virtues

c'ontinuam insistindo: deixem que os deuses travem suas próprias

of our antecedent faiths, the loftiest of which will be found in such

guerras. Tomara que esta breve viagem ao mundo dos orixás possa

attitudes as tolerance. I refer of course to genuine tolerance, not

incitar certos olhos e ouvidos a encetar uma crítica séria e paci-

the nominal, rhetorical or selective kind, not tolerance as an aca-

ficadora do mundo em que vivem. Tornou-se necessário reiterar que, antes que o islamismo

demic exercise of comparisons, but one that is demonstrable by the very histories of the deities - their travails, errors and acts of repa-

ou o cristianismo invadissem e subvertessem nossa visão de mundo,

ration, as recorded in their mythologies - and their adaptability

antes da experiência da escravização em mãos de árabes e euro-

to the dynamic changes of the world.

peus, o mundo africano desenvolvera seu próprio ajuste espiritual

Orisa is the voice, the very embodiment of tolerance, Not

com o desconhecido, desenvolvera seus próprios sistemas socioeco-

for one moment do I suggest that the faith that is orisa claims a

nômicos, seus sistemas coerentes de relações sociais, e reprodu-

monopoly on the virtues of tolerance - on the contrary. But the

zira sua própria existência material dentro de uma mundividência

tenets of Ifa are governed bya frank acknowledgement of the fact

integrada. Énecessário reiterar que esses sistemas ainda estão vivos

that the definition of truth is a goal that is constantly beiog sought

em nós e, de fato, afetaram tanto a liturgia quanto a prática das

byhumanity, that existence itself is a passage to ultimate truth, and

religiões estrangeiras, mesmo a ponto de torná-Ias, em alguns

that claimants to. possession of the definitiveness of knowledge are,

29


casos, dóceis e domesticadas. Portanto, sempre que, nos tempos

in fact, the greatest obstacles to its attainment. Acceptance of the

de hoje, se manifeste a face agressiva de uma ou outra dessas

elastic nature of knowledge remains Ifa's abiding virtue, and the

religiões mundiais, recorremos, sobretudo, à força das virtudes

spirit of tolerance is captured in this defining odu of ffa:

inextintas de nossos credos antigos, das quais a mais sublime se encontra em atitudes como a tolerância. Refiro-me, claro, à to-

"B'omode ba nsawo ogboju, bi o ba ko ogbo awo lona, kio o gba

lerância genúína, não à nominal, retórica ou seletiva, não à to-

a I'oju. Bi o ba ko agba isegun, ki o je e n'iya lopolopo. Bi o ba

lerância como exercício acadêmico de comparações, mas a que é

burinburin ti o ri agba alufa nibiti o nfi ori k'ale, ki o d'oju re de

demonstrável exatamente pelas histórias das divindades - seus

'be. A da a f'awon alaigboran tii wipe: Ko si eniti o le mu won.

trabalhos, seus erros e os atos de reparação, registrados em suas

Ee ti ri? Eyin ko mo pe: Ajepe aiye ko si f'omo ti o na Ogbo awo.

mitologias - e pela sua adaptabilidade às transformações dinâ-

Atelepe ko wa fun awon ti nna agba isegun. Orno ti nna agba alufa

micas do mundo.

nibi ti o gbe nkirun, iku ara re lo nwa. Warawara ma ni iku idin,

Orixá é a voz, a própria personificação da tolerância. Em

warawara."

nenhum momento sequer sugiro que o credo dos orixás reivindique

["The brash youth meets an ancient babalawo and strikes him.

o monopólio das virtudes da tolerância; ao contrário. Mas os prin-

He meets an old herbalist and humiliates him. He runs into a ven-

cípios do ffá são regidos pelo franco reconhecimento de que a

erable Moslem priest kneeling in prayer and knocks him to the

definição de verdade é um objetivo constantemente buscado pela

ground. Ifa divined for such insolent ones who boasted that they

humanidade, que a própria existência é uma passagem para a

were beyond correction.

verdade definitiva e que quem afirma ter a posse do conhecimento

a youth who strikes a priest of Ifa will not partake of this world

definitivo é, de fato, o maior obstáculo à sua consecução. A acei-

for long? Premature is the death of the youth who strikes the

tação da natureza flexível do conhecimento continua sendo a

devout imam at his devotions. Speedily comes the death of mag-

virtude perdurável do /fá, e o espírito de tolerância é percebido

gots, speedily."]

15

that

50

indeed? Don't you know that

neste odu definidor do ffá: /lB'omode ba nsawo ogboju, bi o ba ko ogbo awo lona, kio o gba a I'oju. Bi o ba ko agba isegun, ki o je e n'iya lopolopo. Bi o ba burinburin ti o ri agba alufa nibiti o nfi ori k'ale, ki o d'oju re de 'be. A da a f'awon alaigboran tii wipe: Ko si eniti o le mu won. Ee ti ri? Eyin ko mo pe: Ajepe aiye ko si fomo ti o na Ogbo awo. Atelepe ko wa fun awon ti nna agba isegun. Orno ti nna agba alufa nibi ti o gbe nkirun, iku ara re lo nwa. Warawara ma ni iku idin, warawara./I [/Ia jovem estouvado encontra um antigo babalaô e o agride.

Encontra um velho herbolário e o humilha. Depara com um venerável sacerdote muçulmano ajoelhado em orações e derrubao com um empurrão. Ifá adivinha para tais INSOLENTES, que se gabam de estar acima da correção. Será mesmo? Não saberão que um jovem que agride um sacerdote de Ifá não vai participar deste mundo por muito tempo? Prematura é a morte do jovem que agride o imã devoto em suas devoções. Depressa chega a morte para os vermes, depressa./I]

Wole Soyinka é escritor nigeriano, prêmio Nobel de Literatura em 1986.

Wole Soyinka is a Nigerian writer and Nobel Prize winner, 1986.

[Cortesia: Alfred Herrhausen Society for International Dialogue]

[Courtesy: Alfred Herrhausen Society for International Dialogue]

30


Hans Ulrich Reck

Ruína e Utopia ou o Deserto do Real Da Loucura das Imagens à Perturbação da Imaginação [Ruin and Utopia ar the Desert of the Real: From the Vanity of Pictures to the Distress of the Imagination]

Seja o que for que se pense a respeito das utopias, ou o

Whatever one may think of utopias, whatever their purpose

que se considere como sua finalidade e seu objetivo, elas apre-

ar aims may be - they invariably seem naive. Which should not

sentam-se sempre como ingênuas. Digo isto com base na filosofia

be taken as a lack of appreciation ar respect for Ernst Bloch's phi-

ll

do lIainda não de Ernst Bloch e em respeito a ela. Pois, no seu

losophy of "Not Yet" , For in his writings - and only in his writ-

caso - e só nele -, o ingênuo se abre como algo insistentemente

ings - the naive has an urgent complexity, the irresistible magic

complexo, como magia incondicional do desejo, que sabe que a

of desires accompanied by the knowledge that their intensity is also

sua intensidade sempre o impulsiona em direção ao abismo.

driving towards the abyss. By way of a cada to this essay, we will

No final das presentes reflexões, à maneira de uma coda,

return to the laudable complexity and radicalism of Bloch's philoso-

deveremos retomar a admirável complexidade e o radicalismo, até

phy of utopianism, of the Not Yet, and of hope which - for ali the

agora não devidamente reverenciado, não obstante toda a sua

impact it has ma de - has never been fully recognised. His philosophy

ressonância, da filosofia do utópico de Bloch, do ainda não e da

has its roots in a mythic apprehension of the ungraspability of the

esperança. Ela se fundamenta numa mítica afinação com o que

immeasurable, dynamic natural world, which - as Giordano Bruno

há de inconcebível numa natureza incomensurável, dinâmica, que,

also sees it - is the vehement energy that sets ali things in mo-

de modo semelhante ao que ocorre em Giordano Bruno, tudo move

tion, suffusing human beings with and as passion. Whatever the

com veemência e se entretece pela paixão ao ser humano. Em todo

case, the searching, insistent, open naiveté on the horizon of Bloch's

caso, a ingenuidade que busca, insistente, aberta, é para Bloch,

edifying hope for the utopian is the salt of life, a last niche in the

no horizonte da esperança mentora do utópico, o sal da vida, um

quest for that human quality which is not identity but which is it-

último nicho da busca daquela humanidade que não é identida-

self on a quest, that is to say, operates at one remove from itself.

de, mas que se move na busca, ou seja, na diferença para consi-

If one tries to relate this to the dimensions of the actual world, it

go mesma. Se quisermos adaptar a este projeto a dimensão de algo

seems at once both despairing and presumptuous. Thus, in their

real, teremos de vê-lo como tendo um viés de desespero e, simultaneamente, de arrogância. Por isso, as utopias, à procura do real,

quest for the real f utopias gladly have others share forcibly and forcefully in this tacit despair of the self.

gostam de deixar outros participarem, violenta e consideravelmen-

The real is always limitless, it's true, the only limits being

te, deste desespero geralmente inconfesso do eu.

the aspects that prevent it from achieving its ideal formo For a long

Embora o real seja sempre desmedido, o que nele há de

time the view has been that, time after time, it was only the incom-

arrogante é apenas o que não o ajuda a atingir a sua realização

plete nature of life as it actually is that hindered the fulfilment of

ideal. Durante muito tempo, considerou-se que apenas uma rea-

the imagination. More recently - bearing in mind psychotic and

lidade imperfeita era aquilo que impedia, conforme o caso, a

numerous other illnesses - we know, or may at least presume, that

satisfação da imaginação. Há bastante tempo, sob o signo do

fthe imaginary' as such shares the blame here. For the imaginary

agravo psicanalítico e de numerosos outros agravos, nós sabemos,

turns out to be lacking in the face of reality. And it shows itself to

ou podemos pelo menos presumir, que é o próprio imaginário como

be lacking in that it is determined to dominate reality. Likewise

tal quem tem sua culpa nisso. Porque é o imaginário quem de-

utopias can do nothing in their own eyes if they cannot transform

monstra ser aquilo que se contrapõe ao real enquanto carência.

actuality to fit their own image. Utopias always in effect have a fatal

Mostra ser carência à medida que quer submeter incondicional-

stake in eschatologically distorted and instrumentalised Platonism:

mente o real ao seu domínio. Também as utopias não são capa-

ultimate secularisation that ignores Plato's superior insight which

zes do que quer que seja, pelo menos perante a si mesmas, se não .

tells us that ideas live in their own world and beyond this one and

puderem modificar a realidade de acordo com a sua imagem. Em

have nothing to do with phenomenal actuality, with the palpable

última instância, portanto, as utopias são sempre ações fatais no

here and now of existence. The notion of turning ideas into actu-

reino de um platonismo apocalipticamente distorcido e instru-

ality is simply aberrant in Platonic terms. And yet precisely this

mentalizado; secularização final e irrevogável, que se afirma me-

approach seems inevitable to anyone working away at this one,

nosprezando o juízo superior de Platão, de que as idéias vivem

existing, empirical world and who does not wish to abandon it for

31


no além e num mundo próprio, e nada têm a ver com o real fe-

another. It is 'the imaginart and its language that subordinate

nomenal, com a palpabilidade da essência e da existência. Para

actuality to the dictates of masterly concepts. The real always seeks

Platão, levar idéias para o real é um completo descaminho. Con-

to elude it. In the realms of the imaginary this elusive withdrawal

tudo, é exatamente isto que se apresenta como inevitável para

lingers on as a permanent lack. The general assumption is that this

aquele entendimento que se esfalfa neste mundo presente e em-

necessarily detracts from the imaginary that is subject to this pro-

pírico e não se quer transferir para um outro mundo. É o imagi-

cess in order to exist at ali as an entity. But what if the imaginary

nário e a sua linguagem que submetem o real ao ditame de con-

consists in none other than this very detraction and the experience

ceitos magistrais. O real sempre se priva disso. No imaginário, esta

of it, and does not just consist of it? What if the radical Romanti-

privação perdura enquanto carência permanente. Aceita-se comu-

cism - for it is not without reason that this has constituted the

mente que disso resulte sempre um prejuízo do imaginário, que

basis of ali contemporary art for the last 200 years - is right to

se contrapõe a este processo para só nele ser posto como obje-

ascribe this experience to the unattainability of Nature which pre-

to. Mas o que aconteceria, contudo, se o imaginário não consis-

dominantly operates in a state of withdrawal, making demands,

tisse em nada além deste dano e da sua experiência, e não ape-

tempting and bewitching mortais? It thus fulfilled itself in the real

nas nela? O que aconteceria se o romantismo radical que, não por

as precisely that which eludes the symbolic, texts and descriptions,

acaso, conforma a base de toda a arte contemporânea dos últi-

and only lives as an image - always shot through with the spell

mos 200 anos, tivesse razão em transferir esta experiência para

of reality, but not providing an actuality able to accommodate this

a inatingibilidade da natureza, que se move predominantemen-

spell. For the actual is not the real, since the latter is beholden to

te na privação e nela reivindica, seduz e fascina? A arte se satis-

the imaginary and not to the existent.

faria no real, privando-se do simbólico, dos textos e das descri-

It is easy to see how the imaginary would push aside the

ções, daquilo que vive apenas como imagem - constantemente

actual if the latter resisted being taken over by the depictions of a

atravessada pelo fascínio do real-, sem oferecer mais nenhuma

better or pure life. And it is of no consequence where these de-

realidade apropriada para este fascínio, na medida em que este

pictions originate. Nor is the manner of their individual execution

conceito de realidade está ligado ao factual. No entanto, dando

of significance. As in religion, hopeful hope would appear, aestheti-

seqüência ao nosso raciocínio, nós precisamos de um conceito de

cally and socially, to be self-contained or exclusive when it regards

realidade que se associe ao imaginário.

its own concrete attributes as a 'totum', whole and unconditional,

Seria possível perceber, com facilidade, como o imaginá-

in short: as a generality. People, as we know, always see the ac-

rio deslocaria a realidade se esta se rebelasse contra a sua apro-

tual through spectacles that are furthermore very differently made,

priação pelas imagens pintadas de uma vida melhor ou mais pura.

but - through the insight born of familiarity - no longer admit

E nisto a origem das imagens é indiferente. A sua configuração

that their vision is coloured by the characteristics of the spectacles,

individual não tem nenhuma relevância. Como no caso das reli-

i.e., by another medium. By contrast the hatred of the media, the

giões, a esperança apresenta-se também estética ou socialmen-

struggle against the characteristics and internallaws of communi-

te como auto-suficiente ou exclusiva, quando considera o que há

cation (as in rhetorics, dramatisation, staging, but also in the press,

de concreto no que lhe é próprio como totalidade, como soma e

in reportage, and in reproducible images), is a certain indication that

absoluto, breve, como algo geral. Embora, como sabemos, os seres

we are dealing here with fundamental ontologies, on the basis of

humanos vejam a realidade através de lentes muito diferentes

which, as we know, the great intellectual fanatics and revolution-

entre si, graças ao conhecimento e ao hábito, eles não mais ad-

aries - denying the heterogeneous - recruit brutal functicinaries

mitem que a sua ótica seja colorida pelas peculiaridades dessas

to implement supreme order. Thus utopias always inhabit the realm

lentes, isto é, da mídia. Inversamente, o ódio contra a mídia, a luta

of individual and specific presumption. That they may well have some

contra as peculiaridades e as regras próprias da mediação (por

function cannot basically be denied. There is just no general agree-

exemplo, a retórica, a teatralização, a encenação, ao lado da im-

ment as to what this is. We may naively suppose that they are about

prensa, do noticiário, das imagens reproduzíveis) são um indício

turning actuality into something ideal. But utopias, as practical

seguro de que se trata de ontologias fundamentalistas, em cuja

instructions, would negate the actual. They have to despise it, re-

base se recrutam os intelectuais fanáticos, os revolucionários con-

ject it, deny it precisely and unconditionally in its actuality. From this

trários ao heterogêneo, os violentadores em prol da grande or-

point of view the actual is specifically not actual, but, measured

dem. Assim sendo, as utopias ficam sempre no reino da arrogân-

against the ideal, it is simply the inadequate and not actual, the

cia individual e específica. O fato de elas terem alguma função é

inconsequential and misplaced. There are astonishingly many - not

fundamentalmente inegável. Mas não há certeza a respeito de que

only Western - variants of such metaphysical bifurcation of the

função seja esta. Suponhamos, sob o signo da ingenuidade, que

real, based on an ideology of despising actuality.

se trate da transformação do real em ideal. As utopias, enquan-

A rather different view of the function of the utopian is as

to instruções para a ação, contestam o real. Elas têm de desdenhá-

a means to open up room for experiments and virtualities, for ac-

lo, rejeitá-lo, negá-lo, precisa e incondicionalmente, em sua rea-

tion in rehearsal- along the lines of Sigmund Freud's dictum that

32


lidade. A partir deste ponto de vista, o real não é o real, mas, se

thinking was simply weak action in rehearsal" in the mind - and

comparado ao ideal, é o insuficiente e o irreal, irrelevante e disfar-

for games. Utopias then become correctives whose function is not

çado por excelência. Há uma quantidade surpreendente de va-

only - for amusement ar as a yardstick - about destroying the

11

riantes, não apenas ocidentais, de uma tal dicotomia metafísica

actual in arder to finally break out ar set free the really and truly,

do real, que se baseia numa ideologia do desprezo pela realidade.

ultimately valid actuality. This utopian function operated in the midst

Uma visão totalmente diferente do utópico consiste em

of the differences in a world that is largely untouched and accepted

abrir espaços para experimentos e virtualizações, para jogos e para

in its imperfection. And precisely this is the point: the utopian cri-

a ação experimental- conforme o ditado de Freud, de que pensar

tique of actuality - which urges the unconditional realisation of

é uma "ação experimental fraca", retrotraída à cabeça. Assim, as

the normative in the name of utopianly cleansed ideais - is a func-

utopias configuram corretivos cuja função não se esgota, não se

tion that not only pursues the destruction of the actual but also

obstina nem se mede ao destruir o real, para dele extrair, à for-

perceives and accepts this in the context of necessary destruction:

ça, do real verdadeiro e legítimo, o único normativo e absoluta-

as an expression of paradoxical actuality. Evidently the normal prag-

mente válido. Uma tal função utópica move-se em meio às dife-

matism that proudly considers itself utopia-immune and has per-

renças de um mundo poupado como um todo e aceito em sua

suaded itself that there is a solution for everything is in no sense

imperfeição. E é este exatamente o ponto central da questão: a

free from this idealisation. Only it simply declares the status quo

crítica utopista da realidade, que exige a realização incondicio-

to be an ideal which it regards as basically already realised, whereas

nal do normativo em nome dos ideais utopisticamente purifica-

millennial hope ruthlessly devalues the actual and casts it in a negative

dos, é uma função que não apenas opera a destruição do real, mas

light. This last variant is particularly attractive to violent energies

sempre e somente o percebe e admite a sua existência no contexto

because the actual, viewed thus, becomes increasingly synonymous

da necessidade de sua destruição, enquanto expressão da reali-

with that which must, as a matter of principie, simply be destroyed,

dade paradoxal. Evidentemente, o pragmatismo normal, que se

immediately and apodictically. It is now only the actual that stands

mantém orgulhosamente imune à utopia e procura convencer-se

in the way of the 'in fact actual' and prevents its entry into the world.

de que para tudo há solução, não está livre, de modo algum, deste

The act of despising actuality fundamentally lives by a notion of the

intuito de idealização. Só que ele transfigura o existente, sem

real that annihilates this one existing world to the extent that it resorts

qualquer acanhamento, em algo ideal, que em seu cerne é visto

to a different, normative, true world which appears as the only real

como realizado desde sempre, enquanto que, ao contrário, a es-

world - 'real' not in the sense of empirical concreteness, but of

perança milenarista oblitera e nega integralmente a realidade. Esta

normative justification of an ultimately true, that is to say, godly

última alternativa é especialmente atraente para as energias vio-

and divinely guided life. What happens in this connection in dif-

lentas, pelo fato de, à luz de tal consideração, o real se tornar

ferent religions has always presented a model for the annihilation

gradativamente sinônimo daquilo que, por excelência e por prin-

of actuality and will always remain so. And ali the more so, beca use

cípio, pela sua evidência e imediatismo, deva ser destruído. En-

religions do not set themselves up as principies, but as the outcome

tão é apenas o real que está à frente do "propriamente real" e

of real energies, dogmatically legitimised figures of transparent

impede o seu ingresso no mundo. O desprezo pela realidade ali-

life. Thus it is the concern of these religions unconditionally to pro-

menta-se fundamentalmente de um conceito do real que aniquila

duce what they view as the conditioning premise. They propose the

este único mundo existente, na mesma medida em que recorre a

nothingness of the world simply by asserting it, arbitrarily. What,

um outro mundo, normativo e verdadeiro, que se apresenta como

then, is more obvious than to test the fundamental nothingness of

o único mundo real- "real" não no sentido da concretude em-

the world against its practical destructibility, to transfer the norma-

pírica, mas no sentido da justificativa normativa de uma vida ver-

tivity of its critique into the reality of its destruction, in arder to break

dadeira; em última instância, a saber, uma vida divina e divinal-

it down into its constituent parts, rendering it ineffective and non-

mente guiada. O que sucede nas religiões, neste sentido, sempre

existent? The intervention here seems to be purely a question of

foi um modelo de aniquilação da realidade; e continuará a sê-lo.

mastery of the means. Generally, albeit falsely, this is described as

Tudo isto, reforçado ainda mais pelo fato de as religiões não se

fanaticism. But that is not entirely appropriate. For, in the cause of

colocarem como princípios, mas como realizações surgidas de ener-

an ultimately transcendentally proven self-motivation and centred

gias reais, figuras dogmaticamente legitimadas pela vida trans-

self-conviction, one's own convictions mobilise those energies that

parente. Portanto, o que lhes importa é produzir incondicional-

- arising out of the end of the destroyed world through a successful

mente o que elas colocam como pressuposto condicionante. Elas

transcendental mission - not only correspond ex post with the

afirmam a nulidade do mundo exclusivamente por imposição, por

intervention but indeed derive from it in the first place. Thus ideo-

arbítrio. O que seria mais lógico do que provar o princípio da

logical critique of such actions is powerless and helpless. The fact

nulidade do mundo através de sua aniquilabilidade prática, do que

that the most devastating annihilation in fact appears as a positive

transferir a normatividade de sua crítica para a realidade de sua

act of liberation need not be a cause for amazement. One can only

destruição, para decompô-lo em seus elementos, para torná-lo sem

be amazed at a world which believes that in arder to implement

33


efeito e inexistente? A intervenção apresenta-se, aqui, como uma

such effects on the basis of unchained self-assertion as world an-

questão de mero domínio dos meios. Comumente, mas mesmo

nihilation we still need the religiously loaded figure of the martyr.

assim de maneira disfarçada, isso é descrito como sendo fanatis-

Those days are long gone. While the technical armament of the

mo. Mas essa denominação não é suficiente, posto que a própria

global (self-)annihilation scenarios during the epoch of nuclear

convicção se mobiliza no sentido de uma autocatequese valida-

weapons still needed an apocalyptic aíde-mémoíre in the shape of

da, em última instância, pela transcendência; e de uma autocon-

a controversial assessment of this annihilation, now in our own times

vicção centrada naquelas energias que não apenas correspondem

with our present-day variety of armament it is enough to point to

à intervenção ex post, a partir do fim do mundo aniquilado no

the normal progress of actions and events. The problem of the

sentido do êxito de uma missão transcendental, mas que antes

movements, described by outsiders as 'fanatical' concentrations of

surgem, em primeira instância, dele mesmo.

energy, is simply that they intrinsically, that is to say seen from within

Por estes motivos, a crítica ideológica de tais ações é im-

and looking within them, specifically get by without any such fa-

potente e desvalida. Não causará surpresa, portanto, que a maior

naticism. In the context of rituais - decisive and liberating - the

das destruições seja vista como uma libertação positiva. O que

event itself becomes purely functional in that it forcibly instigates

deveria, sim, causar surpresa é um mundo que acredite que, para

the operations that it intends. It is not necessary to justify its means

a realização de tais efeitos, com base em energias próprias, desen-

beca use the ritual, in principie and consistently, dispenses with any

cadeadas enquanto energias para a destruição, seja necessária

such need.

ainda a figura religiosamente carregada do mártir. Estes tempos

Thus as far as our discussion here is concerned: at every

passaram. Se para o armamento tecnológico dos cenários de (au-

turn the utopian appropriation of the world - under the guise of

to)destruição do mundo na época das armas atômicas ainda era

a supposed need for change - results in a desert of the real, gen-

necessária uma figura apocalíptica de pensamento, na forma de

erated by the implementation of the means assembled for the radical

uma avaliação controvertida dessa destruição, no tempo da atual

enforcement of the utopia. Of course artists play their part in this,

corrida armamentista, basta a referência à continuidade das ações

if one persists in crediting or lumbering them with redemptive powers

e dos acontecimentos. O problema desses movimentos, vistos do

or a mission to liberate the world from its lacks - or accusing them

lado de fora como uma concentração "fanatizada" de energia,

of the same. In other words: artistic utopias also involve the destruc-

está em que eles, intrinsecamente, isto é, observados por dentro

tion of actuality, when they reduce the actual to an expression of

e para o seu interior, conseguem existir justamente sem uma tal

an ideal, thereby turning it into a monster of negativity of itself. It

fanatização. No contexto dos rituais que tudo decidem e que tudo

is ali toa obvious that the positive light cast on utopian notions after

desoneram, os acontecimentos tornam-se puramente funcionais,

Thomas Morus, and particularly the positive turn things utopian took

à medida que forçam às ações que pretendem. Não é necessário

after Romanticism, made the utopias of certain artists look like a

julgar os seus fins, porque o ritual dispensa integralmente, e por

means for positive clarification for a distorted, 'fallen' world.

princípio, qualquer julgamento.

It must be very clear to any unbiased observer that the

Portanto, para aquilo que nos interessa, pode valer o se-

Renaissance utopias with their humanist leanings both with respect

guinte: de todos os pontos de vista, a posse utópica do mundo,

to their originators - Leonardo da Vinci, Leon Battista Alberti,

na figura de sua presumida necessidade de mudança, apresenta-

Vincenzo Scamozzi, Antonio Averlino Filarete, to name but a few

se como um deserto do real, após a imposição dos meios postos

- and with respect to the ideas and functions they proposed, were

à disposição para a expugnação radical da utopia. Evidentemen-

always implicated in a belligerent desire for decorum. It cannot be

te, também os artistas tomam parte nisso, à medida que se lhes

by chance that the ruthlessly centralising utopias of the Renaissance,

continua a imputar, impingir ou conceder a salvífica capacidade

the mania for centralised structures and geometric order, have only

ou tarefa de uma libertação estética das carências do mundo. Dito

been empirically realised twice during the course of history. Once

de outra forma: também as utopias artísticas conduzem para a

in the military fortifications in Palmanova - now a place of unsur-

aniquilação da realidade, quando degradam o real em razão da

passed boredom. And again as the panoptic prison on the basis of

expressão de um ideal e, com isso, estilizam-no, como um mons-

the transformation of the utopia into surveillance, through an ar-

tro, pela sua própria negatividade. É óbvio que a positivação do

chitectural version of Jeremy Bentham's discourse of total observation

pensamento utópico segundo Thomas Morus, sobretudo na sua

and perfect control, which served as the model for many 19th-century

vertente positivista após o Romantismo, mostrou as utopias dos

prisons, particularly in the USA. One telling detail: until the end of

artistas como uma instância de esclarecimento positivo para um

the 19th century when it was demolished, the English prison that

mundo contrafeito, "decaído".

owed most to Bentham's philosophy of surveillance was to be found

Deve chamar claramente a atenção de todo observador

in London on the very site where the Tate Gallery now stands.

imparcial o fato de que as utopias humanisticamente transfigu-

Hoping for a utopia of this kind is at its core an act of

radas do Renascimento, tanto no que se refere aos seus criado-

desperation. This applies equally to artists' utopias and artistic uto-

res - mencionarei apenas os seguintes: Leonardo da Vinci, Leon

pias. The main problem for art is this: actuality, which is not fin-

34


Battista Alberti, Vincenzo Scamozzi, Antonio Averlino Filarete-

ished and not yet a fact, counts little for an artist with outspokenly

quanto às idéias e funções propostas, estiveram sempre inseridas

utopian impulses, at times it may mean nothing at ali. Moreover,

na técnica bélica do decoro. Não se pode tratar de uma casuali-

the reference to artistic aspirations is striking in areas where one

dade que a utopia compulsoriamente centralizadora do Renasci-

would not wish to come upon the notion ar the interests of art.

mento, assim como as edificações e as ordenações geométricas

There is no conceivable argument for a mission, carried out in the

maniacamente conjuradas, só foram realizadas empiricamente na

na me of art, to realise the 'true world' by annihilating the real world,

história em duas oportunidades: elas podem ser encontradas na

ar at least to set its foundations free. The recourse to art does not

forma das fortificações militares de Palmanova - hoje um local

help the utopian cause. Witness the example of Baron de Haussmann

de inexcedível tédio - e foram realizadas como prisão pan-óptica,

who, during the reign of Napoleon 111, redesigned Paris, the lead-

com base na transformação da utopia em vigilância, segundo a

ing city of the 19th century. And he did

50

in a manner that did

versão arquitetônica do discurso de Jeremy Bentham sobre a ob-

not serve liberation, but the destruction of the uncontrollable ele-

servação permanente e o controle perfeito. Com base neste mo-

ments of old Paris with its innate hostility to any form of author-

delo foram construídas, durante o século XIX, sobretudo nos Es-

ity. In his memoirs Haussmann proudly describes himself as an art-

tados Unidos, numerosas edificações carcerárias. Uma minúcia

ist of destruction, as an artiste démolisseur". But his name has only

eloqüente pode ser observada no fato de que a edificação carce-

been associated by posterity with the glorious beginning of the

rária mais importante da Inglaterra, referente à filosofia da vi-

cultural modernisation of Paris beca use what he in fact achieved

gilância de Bentham, situava-se, até o fim do século XIX, exata-

was very different to what he had originally intended. His sights were

11

mente no mesmo local em que, após a sua demolição, foi erguida

set on massed military dominance and control. Boulevards were

a Tate Gallery.

created to this end but never used in this way, for in the age of

Depositar as esperanças numa utopia deste tipo é, em seu

motorised civilisation they beca me the stage for a very different

cerne, um programa desesperador. Isto vale também para as uto-

version of social interaction. Every plan, one might conclude from

pias dos artistas ou para as utopias artísticas. Um problema essencial

this, deserves to fail. But not at the price of destroying the actual-

para a arte é o seguinte: a realidade, que é inacabada e impró-

ity that it would

pria, vale pouco e, às vezes, a bem dizer, não vale propriamente

ants of the same notion are no different. Since there is no remedy

nada para um artista veementemente inspirado pela utopia. O

for naiveté, and specifically, for that of artistic utopias, it may be

recurso às reivindicações artísticas é evidente aqui também em

of use to take a glance at the real that still outstrips any utopia ar

âmbitos nos quais não gostaríamos de nos defrontar nem com a

imagination. Which also means that utopias may become a func-

50

gladly sacrifice to its own fiction. Naive vari-

palavra nem com o objetivo da arte. Não há nenhum argumen-

tion of the relentless scrutiny of actuality, but will never give way

to imaginável para uma missão que, em nome da arte, pretenda

to invented, arbitrary images.

realizar o "mundo" verdadeiro através da aniquilação do mun-

In the search for an exemplary instance of such a utopianly

do real, ou, pelo menos, liberar os seus motivos primordiais. Esta

deregulated function of utopian totalitarianism, at first it was only

atitude estética não pode ser levada adiante neste contexto, so-

clear to me that it had to be something that has survived ali attempts

bretudo do ponto de vista utópico. Épossível encontrar um exem-

at destruction and has hence remained independent of the usual

plo disto no Barão Hausmann, que remodelou a cidade de Paris,

plans and time-flows in the cycle of growth and decay, as some-

a capital do século XIX, sob o reinado de Napoleão 111, tendo em

thing that has constantly been subjected to major upheaval. This

vista não a libertação, mas a destruição daquilo que era incontro-

largely intuitive search soon took me to Rome - historically and

lável na velha Paris anti-autoritária. Nas suas memórias, o próprio

imaginatively, empirically and notionally, specifically and generally.

Hausmann descreve-se orgulhosamente como artiste démolisseur,

For Rome has always been a distinctly theoretical construct, not just

ou seja, artista demolidor. Contudo, Hausmann é, para a poste-

a matrix for ali later worldly metropolises. It has lived and grown

ridade, sinônimo do início brilhante de uma Paris culturalmente

in the midst of drastic destruction. It has survived ali these beca use

modernizada, apenas porque o que ele provocou foi algo total-

it was always at their mercy. Ultimately it has become a model of

mente diferente daquilo que originalmente tencionava. O que lhe

permanent realignment going against the grain of unifying plans

interessava era a conquista e o controle militar maciço. Os bule-

that have constantly been implemented and, more ar less obviously,

vares, por exemplo, criados mas não utilizados para essa finali-

have left at least some perceptible traces.

dade, tornaram-se palco de uma encenação socialmente modifi-

If the argument appears to have been narrowed down to

cadora na era da civilização motorizada. Daí poder-se concluir que

Rome, then this is not with reference to the historical place, but

todo plano é passível de fracasso. Mas não a ponto de arruinar a

to an imaginary one. Rome is not exclusively a city belonging to Italy

realidade que ele levianamente gostaria de sacrificar ante sua pró-

ar Europe, for, on a much larger scale and distinct from that, it is

pria ficção. As variantes ingênuas dessa mesma visão não mudam

also a model, unparalleled anywhere in history. To pin Rome down

este fato. Como não há nada favorável à ingenuidade, tendo em

to one continent would be to rob it at a stroke of more than half

vista mais propriamente as utopias artísticas, a única coisa que pode

its existential energies. It is not a matter of the usual socio-urban

35


ser de ajuda é o olhar para o real, que ainda excede qualquer

discourse on the cities of the first, second, third and fourth world

utopia ou imaginação. Isto também significa que a utopia se torna

that one increasingly comes across in the first, which in itself makes

função da percepção inexorável da realidade, sem contudo sub-

such numbering absurd, not to mention the generally applied val-

meter-se às imagens arbitrariamente criadas.

ues. Rome is ubiquitous. That has been its nature from its earliest

À busca daquilo que poderia ser uma função desregula-

beginnings. Therefore any deliberations on an artistic, not yet realised

dora do totalitarismo utópico, num exemplo adequado para fi-

city are always also about Rome and the imaginative model estab-

xar escalas de medida, ficou inicialmente claro para mim que de-

lished through Rome. For the Rome that we know is not in the least

veria tratar-se de algo que tivesse sobrevivido a todas as destruições

the same as the actuality of the pictures ma de of it and for it. This

e que, portanto, tivesse se conservado independentemente dos

imaginary, yet real, Rome is largely a creation of Giovanni Battista

usuais planos e ritmos temporais da mudança entre florescimento

Piranesi. His Rome consists of a collection of ali things heteroge-

e decadência, algo que sempre estivera submetido aos mais inten-

neous, of non-simultaneity, of monuments and relics, deposits and

sos movimentos. Esta busca, iniciada de modo intuitivo, levou-me

transformations. It was in the midst of destruction that it emerged

inicialmente para Roma - histórica e imaginativa, empírica e ima-

as a living being. Let us pursue the keyword 'Piranesi' a little fur-

ginária, específica e generalizante - porque Roma sempre foi,

ther - in brief, but still with ali due respect.

justamente, um constructo decididamente teórico, não apenas

Giovanni Battista Piranesi (1720-1780) is a remarkable fig-

matriz para todas as futuras metrópoles mundiais. Viveu e cresceu

ure in the 18th century, in his pictures early on anticipating the my-

em meio a drásticas destruições. Sobreviveu a todas elas, porque

thologies of Romanticism. A native of Venice, a trained draughtsman

esteve à mercê de todas elas. Por último, tornou-se dispositivo dos

and copper engraver, curious about Ancient Rome, the young Piranesi

permanentes remanejamentos, pelo viés dos planos unificadores,

travels to the capital of the lost empire whose splendour has now

que foram todos eles realizados e que ainda são perceptíveis de

long been reduced to ruins and fragments. Having also trained in

forma mais ou menos marcante, pelo menos em seus traços.

architecture as a young man, and an admirer of Palladio, in spring

Ao se fazerem aqui observaçõe~ centradas em Roma, não

1740, barely twenty years old, he arrives in Rome in the entourage

se trata apenas do local histórico, mas de um local imaginário. Ro-

of the newly-appointed Venetian envoy Marco Foscarini. Disap-

ma não é exclusivamente uma cidade da Itália ou da Europa, mas

pointed by the decay and desolation in Rome, where everything was

vai muito além disso: é um modelo como até agora praticamente

but a pale echo of the picture he had in his mind's eye of this gi-

nunca existiu outro igual. Se a definirmos como sendo continental,

gantic cosmos, he created an image of the true Rome in a waking

estaremos despojando-a, de um só golpe, de mais da metade de

dream of its historical grandeur. At a stroke this in effect program-

suas energias existenciais. Não se trata do habitual discurso urbanís-

matic dream replaced the disappointment that, had he regarded it

tico e sociológico sobre as cidades do primeiro, segundo, tercei-

as the actuality of Rome, would have compelled him to leave the

ro e quarto mundos, com que nos defrontamos freqüentemente,

city, immediately, resolutely and never to returno

sobretudo em meio ao primeiro mundo. Uma visão meramente voltada para uma tal numeração deve ser vista como absurda. Roma é ubíqua. Este foi o seu programa desde os primór-

Throughout his life he remains true to his early insight that utopia only makes sense in the setting of these ruins; presenting it as an actuality and supposed positive totality would be a distor-

dios. Por isso, toda reflexão sobre a cidade artística deve sempre

tion and a deviation. A realised utopia as its own deficit - this has

tomá-Ia como modelo imaginário. Porque a Roma que nós conhe-

a radicalism about it that does not mourn farewells beca use it pre-

cemos não é minimamente uma realidade das imagens criadas para

sumes their existence, not regarding them as inevitable but only

e sobre ela. Esta Roma imaginária, mas assim mesmo real, é es-

perceiving actuality in the light of their existence. Piranesi dreams

sencialmente uma criação de Giovanni Battista Piranesi. A sua Roma

of the grandeur of human ingenuity, of a power of invention that

consiste numa coleção do que há de mais heterogêneo, do não-

is cosmological outrage of a Promethean kind at ali forms of limi-

concomitante, dos monumentos e das relíquias, sedimentos e trans-

tation. And he dreams the dream of the city of Rome - returned

formações. Apenas em meio às destruições ela se desenvolveu, aliás,

to stone and living out its own myths - that embodiment of the

como algo vivente. Acompanhemos um pouco mais o verbete "Pi-

highest-minded functionalism, always and unconditionally superior

ranesi", resumidamente mas com o devido respeito.

to the Greek cult of beauty which architectural historians have 50

Giovanni Battista Piranesi (1720-1780), figura exemplar do

often admired since the Renaissance. Piranesi's preference for sub-

século XVIII, precursor das mitologias românticas. Originário de

structures, channels, underground halls, supports, prisons, domes,

Veneza, formou-se como desenhista e gravador em cobre. Leva-

the Villa Hadriana in Tivoli, the house of Maecenas, the founda-

do pela curiosidade em relação à Roma antiga, o jovem Piranesi

tions of Hadrian's mausoleum, the present-day Castel Sant' Angelo

viajou para a capital do império sucumbido, cuja magnificência

- these preferences find their vanishing point in the resurrection

há tempos consistia apenas em ruínas e fragmentos. Tendo-se for-

of the true Rome as an image, of Rome as the true image of it-

mado também como arquiteto enquanto jovem, entusiasmado por

self. In the midst of the ruined city this image conjures up the un-

Palladio, Piranesi chegou a Roma na primavera de 1740, com ape-

graspable as a hybrid vision of supra-human buildings. Piranesi

36


nas 20 anos de idade, fazendo parte do séquito do recém-nomeado

overwrites his fantasy 50 that it can do justice to the intended task,

legado veneziano em Roma Marco Foscarini. Decepcionado diante

utterly committed to invoking the incomparable. And the exces-

da destruição e decadência da cidade, cuja imagem de gigantes-

sive grandeur here, ar rather, its natural and mathematical im-

co cosmo ele carregava consigo e que, na realidade, já tinha es-

measurability, is indeed incomparable. Only this immeasurability,

maecido havia muito tempo, Piranesi projetou a verdadeira Roma

evoked through fantasy, makes it possible for the incomparability

sonhando acordado com a sua grandeza histórica. Se no lugar do

of the individual Piranesi to be reflected in the incomparability of

sonho ele tivesse considerado a realidade da cidade, tê-la-ia aban-

Rome which, contrary to expectation, emerges from the decay of

donado imediata e irrevogavelmente. Entretanto, logo percebeu

his historical grandeur.

- e fixou-se nisso durante a vida toda - que só em meio às ru-

The power of the imagination deems itself immeasurable.

ínas a utopia faz sentido, enquanto a sua realização e a sua alegada

It is built of the spirit of Rome - Rome as the epitome of human

totalidade positiva seriam fingimento e descaminho. A utopia

creation, a whole cosmos and nobler, greater, more sublime than

realizada como déficit de si mesma implica um radicalismo que

anything conceivable on this Earth. The imagination is outraged by

não se lamenta das despedidas, porque sempre partiu delas, não

constraint, in immeasurable self-overestimation it revolts against

as considera inevitáveis, mas experimenta o real, aliás, apenas à

the divine relativity imposed on the human world. But it, toa, nec-

sua luz.

essarily comes up against limits, limits that arise in it of their own Piranesi sonha com a grandeza da invenção humana, uma

accord. No matter how far it reaches out, the principie that forms

força inventiva que é feita da indignação cosmológica movida pelo

it is limitlessness. Paradoxically, however, it retains its power in this

espírito prometéico contra toda espécie de limitação. E volta a

movement of unstoppable expansion precisely through the fact that

sonhar o sonho feito pedra, que desliza pelos seus próprios mi-

the call for immeasurable grandeur can only come from outside,

tos, da metrópole romana, da encarnação do mais soberano pen-

which presumably constitutes an ultimate measure. The imagina-

samento utilitário, incondicionalmente superior, em qualquer tem-

tion is always inside and thinks of the outside as the permanently

po, ao culto grego da beleza, que fora louvado repetidamente

unattainable - from inside. At the same time the artist in his/her

pelas teorias arquitetônicas a partir do Renascimento. A predileção

imagination grows into a Titan, denying that he/she is imitating

de Piranesi por construções e salões subterrâneos, duetos, esco-

Nature, him/herself the creator of a world according to the laws

ras, prisões, cúpulas, a Vila Adriana em Tivoli, a residência de

of fantasy. The achievement of the impossible becomes the pro-

Mecenas, as fundações do Mausoléu de Adriano, o hodierno Castel

gramme for artistic self-design. In this light, it now seems to the

Sant' Angelo encontra o seu ponto de fuga na ressurreição da

human being that only that which goes beyond every possibility

verdadeira Roma enquanto imagem verdadeira de si mesma. Esta

of realisation is worthy. And

imagem ainda traz, das ruínas para a luz do dia, o inconcebível,

50

it is that the imagination always looks decisively

como visão híbrida de construções sobre-humanas. Piranesi trans-

inwards. Just as the dream - in a minimal variation of an idea from

fere integralmente a sua fantasia, a fim de que ela possa fazer

Walter Benjamin's Passagenwerk - has no edges and no exterior,

jus à tarefa de que foi incumbida, para a invocação do incompa-

50,

rável. Incomparável é o excesso de grandiosidade, ou, mais pre-

into each other - but in Piranesi's series of engravings, Carceri, in

toa, is the imagination. The externai and the internai view grow

cisamente, o que nela há de matemática e naturalmente incomen-

the end there are only interiors. The world of the imagination is also

surável. Somente esta incomensurabilidade invocada pela fanta-

its prison. And not only in the failure of its powers, but also as the

sia torna possível o espelhamento da incomparabilidade do indi-

realisation of its dream. Its world is its own prison. Only within that

víduo Piranesi na incomparabilidade de Roma, a qual, inversamen-

prison is it truly great. Or more precisely: only in that prison does

te, pôde surgir justamente da decadência de sua grandeza histórica.

it have its existence. It is therefore not about an opposition between

A força da imaginação presume-se a si mesma como sendo

the imprisoned and the limited, but about incessant and insoluble

incomensurável. Ela é construída a partir do espírito de Roma -

interpenetration. The unlimited is the prison, the prison is the un-

Roma como quintessência de uma criação humana, que é um cos-

limited. The visionary and at the same time realistic prisons of Piranesi

mo, e mais nobre, mais sublime do que qualquer coisa humana-

are instances of the immeasurability and the self-imprisonment of

mente imaginável. A imaginação insurge-se contra qualquer limi-

the imagination. That is readily apparent in the two cycles of Carceri

tação, revolta-se em incomensurável presunção contra a relativi-

by Piranesi and above ali in the reworkings of these made between

zação divina do mundo humano. E chega necessariamente aos

1749 and 1761 - from the Invenzioni Capric di Carceri to the Carceri

limites, que se produzem sozinhos nela mesma. Por mais longe que

d' Invenzione: the transformation of transcendence into immanence.

queira chegar, o princípio de que ela se constitui é a falta de li-

For the first time - perhaps marking the birth of modern subjec-

mites. Paradoxalmente, porém, ela comprova o seu poderio nes-

tivity - the subject perceives its unresolvable entanglement in its

te movimento de extensão impossível de ser encerrado, justamente

own internai world.

pelo fato de que o chamado pela grandeza incomensurável só é

Let us return in our final remarks to Piranesi's picture of

possível graças à existência de um exterior, o qual determina uma

Rome. In and through Piranesi's imagination the permanently lost

37


suposta última medida. A imaginação é sempre um interior e pensa

city of Rome becomes visible in its absence. It is therefore as out-

o exterior como algo permanentemente inatingível- a partir do

standing a subject for dreams as it is for archaeology. The most highly

interior. Ao mesmo tempo, o artista, graças à sua imaginação, cresce

developed contemporary model of a utopian confirmation of the

até se transformar num titã, que nega a imitação da natureza e

kingdom of the living thus returns with a profit to the imagination

se torna ele próprio criador de um mundo que obedece às leis da

of this visibly invisible Rome. But that is only possible in the dream

fantasia. Assim sendo, a realização do impossível torna-se programa

that the imagination dreams of itself. This dream cannot be sepa-

do projeto pessoal do artista. A partir de um tal ponto de vista,

rated from the insight into the failure of the imagination.

o ser humano só considera digno aquilo que é potencializado para além de toda possibilidade de realização. Portanto, a imaginação tem sempre um decidido olhar

Let us attempt to draw some conclusions against this background. It seems that only the true, the black, the hard and so hard to live, challengingly darkened and ardently despairing spirit of

interior. Tal como o sonho - modificando levemente uma idéia

Romanticism offers any protection against said temptations. We are

do livro de Walter Benjamin sobre as passagens - que não tem

not dealing here with utopia in the sense of longing but with its

beiras nem exterior, também a imaginação não os tem. Visão ex-

empathy for the distortions of Nature and history as a whole. Nothing

terna e interna crescem uma para dentro da outra - mas na sé-

will or can or should liberate us from this evident impossibility. Praise

rie de águas-fortes de Piranesi, intitulada Carceri, no fim só há

to this black Romanticism and the determined rejection of that

espaços internos. O império da imaginação é, ao mesmo tempo,

dogmatically enforced, however positively meant, change to the

o cárcere de si mesmo - a saber, não o é no fracasso de seu po-

world - which persistently and at every turn pursues the purity of

der, mas enquanto realização de seu sonho. Só dentro deste cár-

its own thoughts by annihilating everything that stands in opposi-

cere ela adquire a verdadeira grandeza. Para sermos mais estri-

tion - as they are crucial, inevitable and needed at one and the

tos, só dentro dele ela tem a sua existência. Não se trata, pois,

same time. Without this rejection there will be no future life. What

de um antagonismo entre o aprisionado e o limitado, mas de

protects one against utopian demands or requirements is generally

interpenetrações infindas e indissolúveis. O ilimitado é o cárce-

none other than the whole, bad, actual actuality. The love of the

re, o cárcere é o ilimitado. As prisões visionárias e simultaneamente

actual is one that does not unify it but moves and acts in its disin-

realistas de Piranesi são realizações da incomensurabilidade e do

tegration, marked by ali the potential surprises that only a broken,

auto-aprisionamento da imaginação. Isto é comprovado pelos dois

divided and unfinished actuality make possible. Only in this unfin-

ciclos dos Carceri de Piranesi e sobretudo pela sua reelaboração

ishedness - as Novalis, Kleist and Goya saw more clearly than any

entre 1749 e 1761 - das Invenzioni Capric di Carceri às Carceri

others - is there hope, it is only here that the utopian illuminates

d'lnvenzione: a transformação de transcendência em imanência.

the self-difference of the unfinished. But the unfinished cannot be

Pela primeira vez, talvez indicando a hora do nascimento da sub-

fought or set aside, transformed or dissolved without it turning into

jetividade moderna, o sujeito se apercebe de seu inextricável en-

the desert of the real, into actual devastation.

redamento com o seu mundo interior.

Artists definitely build in the imaginary. This is confirmed

Voltemos à imagem que Piranesi fez de Roma, para uma

by the fact that of the utopias of the 20th century - most no-

última observação. A Roma permanentemente sucumbida torna-

tably those of the Russian Constructivists - only those remain

se visível em sua ausência na e através da imaginação de Piranesi.

vital and important that never beca me reality. This rarely had pro-

É por isso um objeto sobressalente do sonho, tal como o é da arqueologia. Por causa disso é que o modelo contemporâneo mais desenvolvido de uma certificação utópica da riqueza da vida retorna permanentemente com lucro à imaginação desta visivelmente invisível Roma. Mas isto só é possível no sonho, que a própria imaginação sonha de si mesma. Este sonho não pode separar-se do entendimento do fracasso da imaginação. Diante deste pano de fundo, tentemos tirar algumas conclusões. Pareceria que é apenas o verdadeiro, o negro, o grave e tão dificilmente vivenciável, desafiadoramente obscurecido e veementemente desesperado espírito do Romantismo quem protege das nomeadas seduções. Aqui não se trata de utopia no sentido da nostalgia, mas de sua empatia com uma história e uma natureza disfarçadas como um todo. Nada irá nem poderá nem deverá libertar da assim verificada impossibilidade. Hoje em dia, são decisivos, inevitáveis e simultaneamente reivindicados tanto um elogio desse Romantismo negro como a veemente renúncia a toda modificação

38

grammatic reasons; the causes were generally situative, coincidental. But the only chance for a utopia should not consist in being banned and persecuted by a naive, terrorist regime (instead of being elevated to the ranks of state art). The torn actuality thread of the utopian is no argument for or against the actuality of the visions, but the necessary pledge of their lasting seriousness. The world that opposes them is not only rejected in the name of their ideais. If it appears lacking, deficient, in decline, in short incapable of operating on the same levei as the ideais, then it quickly becomes something whose basis of existence consists only in being annihilated and in waiting for that annihilation. The artists who limit their radicalism to the visionary in order to produce differences - these are the true utopians and hence the constructors of the proposed 'twelfth city', combative creators of a heterogeneously enriched metropolitan iconography. Thus, once again, we see the superiority of the true philosophy of the utopian which, for ali its naiveté, represents the most intense philosophical- not


dogmaticamente forçada do mundo, por mais positivamente que

just psychological -Ionging. It combines vision with the constantly

ela tenha sido pensada e por mais que ela sempre persiga, em todos

growing complexity of the symbolic differences that, from the his-

os sentidos, a pureza dos próprios pensamentos, através da ani-

tory of hopes, again and again demonstrate one thing: namely that

quilação de tudo aquilo que se lhe opõe. Sem uma tal renúncia

their vitality urgently seeks actuality, but that nane falls easily and

não haverá vida no futuro. Aquilo que se protege contra o que

as a matter of course into its lap, since nane belongs to it and it

é utopicamente reivindicado ou ordenado é, em geral, nada mais

has no right to own any. And it certainly does not go in for in-

do que a realidade inteira, ruim, real. O amor pelo real é tal que

tentional ar enforced subjugation.

não o unifica, mas se move, provoca e o designa em sua dilaceração

If, to return at last to our opening remarks, Bloch's phi-

de todas as possíveis surpresas que tornam plausível uma reali-

losophy were only a set of instructions for prosecuting hope, a phi-

dade rompida, fendida e inacabada. Só nessa incompletude - tal

losophy of reconciliation ar even a technique for arguing for the

como foi vista, com a máxima clareza por Novalis, Kleist e Goya

as yet unfulfilled, then it would be of no further consequence. But

- movimenta-se a esperança, resplandece a utopia como diferença

it is a philosophy that relentlessly describes the inevitable step out-

própria do inacabado. Mas o inacabado não pode ser combatido

wards into the open after having bade farewell to ali certainties.

nem remediado, metamorfoseado nem dissolvido, sem que se

5trange that the radical close to Bloch's main work, the PrincipIe

transforme no deserto do real, em verdadeira devastação.

af Hape, with its emphatic final celebration of the inevitable No-

Os artistas constroem decididamente no imaginário. Isto

where and Not of Heimat should never have been seriously recogni-

é comprovado também pelo fato de que, das utopias do século

sed in this way. The fact that certainty and return are no longer

XX - de forma mais proeminente no construtivismo russo -, só

to be had is the least of it. The most radical and modern aspect

restou, de vital e de importante, aquilo que nunca se tornou rea-

of this is that it makes absolutely no provision for regaining these

lidade. Isto raramente teve motivos programáticos mas, em ge-

in light of the fact and the knowledge that the farewell has al-

rai, circunstanciais, casuais. Mas a chance da utopia não pode estar

ways already happened. In the face of such imagination, expos-

ligada apenas a uma proibição e à conseqüente perseguição de

ing itself to the pain of withdrawal, these differences live on -

um regime terrorista ingênuo e perigoso (em lugar de ser entro-

in the full sharpened radicalism of the irreconcilable and of en-

nizada como arte oficial). O fato de a trama da realidade utópi-

during pain. In this movement, one of actual abstraction, we see

ca ter sido rasgada não é argumento a favor nem contra a reali-

the fulfilment of the imagination of the as yet unbuilt city, the last

dade das visões, mas é o penhor necessário de sua duradoura

true utopia that has nothing to do with the small-mindedness of

seriedade. O mundo com que se defronta não é apenas repudia-

New Harmony, the garden city and Phalanstére, the glass crown

do em nome de seus ideais. Se ele se apresentar como insuficiente,

of Bruno Taut, the utopianisms of Hermann Finsterlin and Co. 50

deficitário, decadente, breve, como incapaz de se mover à altu-

far only the 5ituationist bricolage of Constant's New Babylan oper-

ra dos ideais, rapidamente torna-se algo cuja razão de existir

ates on the required levei. Why? Because it understands the ac-

consiste apenas em ser aniquilado e em esperar por essa aniqui-

tual, the empirical and the real, the ungraspable facticity af the

lação. Os artistas que limitam o seu radicalismo ao visionário para

existing as something that has to elude each and every descrip-

produzir diferenças são os verdadeiros utopistas e, com isso, os

tion, every picture, every symbol and every imagination. And beca use

construtores da programaticamente aludida duodécima cidade,

it does not annihilate this, but deeply recognises it, in an almost

configuradores contestatários de uma iconografia metropolitana

mystical manner, which completely counteracts the long history

heterogeneamente enriquecida. Fica assim, mais uma vez, demons-

af despising actuality and of the hatred of facts on the basis of

trada a superioridade da verdadeira filosofia do utópico como

an ideality that erroneously sees itself as superior. Only in this New

eficaz, no sentido de uma ingenuidade, no mais alto grau de inten-

Babylan does the imagination live in ali its splendour. And with

sidade, da nostalgia filosófica e não apenas psicológica. A filosofia

it the utopia that no longer presents itself as an anti-image of the

do utópico combina as variadas visões com a sempre crescente

world, but as a means to recognise the actual, in the words of Ernst

complexidade das diferenças simbólicas, que constantemente tra-

Bloch: as a tendency ar latent quality of the actual, which does

zem algo da história das esperanças à luz do dia: o fato de que

not ultimately exist in the form of a component ar by virtue of

a sua vitalidade clama pela realidade, mas nenhuma lhe recai sem

incorporating ideas but - as in Piranesi's work - as the epitome

mais nem facilmente, pois nenhuma lhe pertence, e porque ela,

of the unrecognisable, the despised, the dirty, disturbing and dis-

sobre nenhuma, tem direito de posse. E menos ainda porque ela

tressing. An imagination that does not make the most radical dis-

não pratica qualquer submissão, proposital ou instrumentalizada.

turbance of itself possible in itself and through itself is not wor-

Se, para finalmente voltarmos a ela, a filosofia de Ernst

thy of the name. The heteronomy and the heterotopology, the Other

810ch fosse apenas uma instrução para reclamar a esperança, uma

of places and times, the insoluble contradictoriness, the fact that

filosofia da reconciliação ou mesmo uma técnica de reivindicação

the manifold only exists in the shape of the disturbing and despised,

argumentativa de tudo que até agora não se cumpriu, ela seria

in the form of rejections and the rejected, makes the utopian con-

irrelevante. Mas ela é uma filosofia que descreve, sem reservas,

ceivable and vital.

39


a irremediável saída para o aberto após a despedida de todas as

Thus only this 'twelfth city', as the constructive focal point

seguranças. Écurioso que o final radical da obra principal de Bloch,

of the 'metropolitan iconographies', would truly be the historical

O Princípio Esperança, com sua enfática celebração de encerra-

place of the artistic imagination, of the movement of utopia and

mento do irremediável nenhures e o não da "pátria", nunca foi

of visions cutting through the phantasms and the traumas. Like New

seriamente lido deste modo. O fato de aqui não se ter mais à

Babylon it goes through the battlefields and devastation of the actual,

disposição nenhuma certeza nem retorno ainda é de somenos

of the imagination and the body alike, of the massacre of the bodies

importância. O mais radical, o mais moderno é que ela não per-

and of the wars of the signs. Free, light of heart, and at ease.

mita nenhuma recuperação do fato e da noção de que, sempre, a despedida já se iniciou. Contra uma tal imaginação, que se entrega à dor da privação, essas diferenças continuam a conviver, com todo o aguçado radicalismo do irreconciliável e de uma dor contínua. Neste movimento, na verdade, uma abstração, completase a imaginação de uma cidade ainda não construída, da última utopia verdadeira, que nada tem a ver com a mesquinhez de uma

New Harmony, de uma Cidade Jardim ou de um falanstério, com a coroa cristalina de Bruno Taut, com os utopismos de Hermann Finsterlin &Cia. Apenas a bricolagem situacionista da New Babylon de Constant encontra-se até agora no nível necessário. Por quê? Porque entende o real, o empírico e o existente, a facticidade incompreensível de que é como algo que tem de se furtar a toda descrição, a toda imagem, a todo símbolo e a toda imaginação. E porque ela não aniquila nada disto, mas o reconhece profundamente. De um modo quase místico, que, por causa de uma idealidade que presume ser superior, opõe-se diametralmente à longa história do desprezo pela realidade e do ódio pelos fatos. Só nesta New Babylon vive a imaginação em sua magnificência. Ecom ela a utopia, que não mais se projeta como imagem contrária ao mundo, mas como uma maneira de reconhecimento da realidade, para empregarmos as palavras de Ernst Bloch. Como tendência e como latência do real, que, em última instância, não existe na forma da pertença ou por força da incorporação das idéias, mas - como no caso de Piranesi - conforme a quintessência do incognoscível, do proscrito, sujo, perturbador e transtornador. Uma imaginação que não torna possível o mais radical transtorno de si mesma, em si mesma e por si mesma não merece ser nomeada. A heteronímia e a heterotopologia, a alteridade dos espaços e dos tempos, a insolúvel contradição, o fato de que a diversidade só existe na figura do perturbador e do proscrito, do repudiável e do repudiado, torna a utopia pensável e indispensável para a vida. Desse modo, unicamente esta duodécima cidade, enquanto foco construtivo das iconografias metropolitanas, seria realmente o local histórico da imaginação artística, do movimento da utopia e das visões, transversalmente aos fantasmas e aos traumas. Tal como New Babylon, ela se movimenta atravessando os campos de batalha e as devastações da realidade, a imaginação e a materialidade, o massacre dos corpos, tal como as guerras dos signos. Livre, feliz e serena.

Hans Ulrich Reck é professor de história da arte

Hans Ulrich Reck is professor for art history

na Academia de Mídia de Colônia.

at the Media Academy in Cologne.

40


PaĂ­ses [Countries]


África do Sul

[SouthAfrica]

Pitso Chinzima Curadoria [Curator] Prince Dube

Jozi in Transit (Jazi em Trânsito)

Jozi in Transit

A obra de Pitso Chinzima não só evidencia a estrutura

The work by Pitso Chinzima does not only showcase the

social das grandes metrópoles, como também promove um debate

social structure of the metropolitans, but also sparks an intellec-

sobre o que chamamos de capitalismo dinâmico, em oposição ao

tual debate on what could be called dynamic capitalism which chal-

capitalismo de monopólio. Como qualquer indústria do mercado

lenges monopoly capitalism. The taxi industry is indeed a free-market

aberto, o táxi é um ramo de atividade movido a geração de lucros,

industry that is driven by the will to make profit, but based on the

mas baseado no sistema econômico dos povos nativos africanos.

indigenous African economic system.

A instalação de Pitso Chinzima é calcada em quatro tá-

The exhibit is made out of four minibus taxis. These vehicles

xis microônibus. Nos veículos foram instalados quatro projetores

are fitted with two video projectors and two slide projectors. These

de vídeo e dois projetores de s/ides, que exibem imagens das ati-

projectors are showing images of events and activities that affect

vidades que influenciam a indústria, o comércio e os eventos cul-

the industry and cultural events around the city. Each vehicle rep-

turais de uma cidade. Três dos veículos foram adquiridos direta-

resents what the industry is known for. Three vehicles were purchased

mente de taxistas, e o quarto foi comprado num ferro-velho, um

directly from the streets. The forth vehicle was purchased from the

táxi que virou sucata.

scrap-yard. This was a taxi, which was wrecked by an accident.

A instalação compõe-se de dois veículos colocados na fren-

Two vehicles are placed one at the back of the other, near

te um do outro, perpendiculares à parede de fundo. O veículo da

the background wall. They are exhibited side by side. The one at

frente é novo (táxi A) e o de trás é aquele recuperado da sucata

the front (vehicle A) is a new vehicle with the wreck (vehicle B) at

(táxi B). O táxi A projeta o vídeo numa das paredes laterais, en-

the back of it. Vehicle A projects a video anta the sidewall in front

quanto que o B projeta os s/ides na outra parede lateral.

of it. Vehicle B projects slides anta the other sidewall.

Os outros dois veículos ficam de frente aos veículos A e

The other two vehicles face the two along the wall, vehicle

B. O táxi C, posicionado em frente ao táxi A, projeta slides sobre

A and vehicle B. The one facing vehicle A (vehicle C) projects slides

esse último, e a imagem é refletida sobre uma das paredes late-

over vehicle A anta the wall. The second vehicle (vehide D) will

rais. O táxi D projeta o vídeo sobre o táxi B, que reflete as ima-

project the video over vehicle B anta the wall. Viewers are allowed

gens sobre a outra parede. Os visitantes podem entrar nos veí-

to enter vehicles A, B and C. Vehicle A has a sound system, and

culos A, B e C. O táxi A possui um sistema de som, através do qual

viewers will be allowed to play back music.

as pessoas podem tocar música em p/ayback.

This work provides viewers ataste of what influences South

A instalação de Pitso Chinzima transporta o visitante para

African metropolitan cultures, and highlights new theories. Psycho-

o centro das influências culturais urbanas da África do Sul e coloca

analyses of those involved successfully address the question of the

em discussão novas teorias acerca da psicanálise, envolvendo os

social behaviour.

habitantes das grandes metrópoles e seu comportamento social.

[Prince Dube]

[Prince Dube]

42


GYNAECOLOGIST CHEMIST,..-..dIIIIIII!!~~

Pitso Chinzima Jazi in Transit, vídeo-insta lação em 4 veículos,

registrando imagens da cidade, 2001

43


AI bâ nia/F rança

[Albania/France]

Anri Sala Curadoria [Curator] Corinne Diserens

Despite ali evidence, they do not care. No comments about the

"Evidentemente, isso não os atinge. Nenhum comentário sobre

11

a eterna e inevitável monotonia, quando entram na cidade. Eles

eternal unavoidable gray scenery, when they come back to the

estão voltando da praia, os guarda-sóis, fechados sobre seus om-

city. They are returning from the beach, parasols folded upon the

bros queimados. A multidão sai da estação, abre um caminho so-

sunburned shoulders. The crowd leaves the station, making way

bre o chão molhado até a primeira linha de prédios e de guindas-

through the wet ground until the first line of buildings and cranes,

tes entre o lixo e os caminhões que exalam vapores. O ruído de

among garbage and exhaling carts. The sound of their steps fades

seus passos se dilui no ambiente familiar. O ruído ambiente só é

away in the familiar environment. The surrounding noise is only

interrompido pelas raras palavras que trocam: 'choveu por aqui'."

interrupted by the few words they exchange: 'It has rained here'.

[Anri Sala, Galerie Chantal Crousel, 2001]

[Anri Sala, Chantal Crousel Galerie, 2001]

Anri Sala propõe duas obras para a Bienal, entre as quais

Anri Sala proposes two works for this Bienal, one of them

uma nova produção que ele realizará durante este inverno na

a new production he will realize during this winter in Albania and

Albânia e durante sua permanência em São Paulo, de janeiro a

11

in the course of a residence in São Paulo from January until March

março de 2002 Tem um papel importante em seu trabalho a

2002. 1 The conscience of what is happening around us plays an

consciência do que acontece ao nosso redor: "você tem de sair do

important role in his work: "You must get off from everyday somnambulism."2

1 •

sonambulismo de todos os dias"2. Em seu vídeo surpreendente, Intervista, que foi apresen-

In his stunning video Intervista presented in the 1999 Venice

tado em 1999 no pavilhão albanês da Bienal de Veneza, a mãe

Biennial's Albanian pavilion, Anri Sala's mother (re)views an old

de Anri Sala (re)examina um filme de arquivos ao qual falta o som

archive film without sound showing her being interviewed in a

e que a mostra sendo entrevistada num congresso de jovens co-

communist youth congress under Enver Hoxha's dictatorship, and

munistas sob a ditadura de Enver Hoxha e, em seguida, se vê fil-

afterwards filmed at his side. Confronted with the transcription of

mada ao lado deste. Confrontada com a transcrição de suas pa-

the words spoken by her in the past, which words have been, at

lavras de então, que por iniciativa do artista, foram lidas em seus

the artist's election, read on the lips and then reconstituted by a

lábios e, portanto, recuperadas por um instituto de surdos-mu-

deaf-mute institute, she refuses to believe in what she said - such

dos, ela se recusa a acreditar no que ela própria dizia - essa adesão

adherence to the party's dogmas and, above ali, the way in which

aos dogmas do partido e, principalmente, na maneira como ela

she spoke it.

dizia as coisas. Para o artista, o que torna a situação complexa, hoje em

According to the artist, what makes the situation complex nowadays is "to find a personal responsibility within the collective

dia, "é encontrar uma responsabilidade pessoal na responsabili-

responsibility. I do not have a solution; I just try to grasp things when

dade coletiva. Não tenho solução, tento simplesmente apagar as

I feel that I succumb to the immorality of mentalities and that I accept

coisas quando sinto que sucumbo à imoralidade das mentalida-

reality in a passive way."3

des e que aceito a realidade de maneira passiva".3 A outra proposta para a 2S a Bienal de São Paulo, ARENA, foi rodada em 2001, em sua cidade natal, Tirana (Albânia):

44

The other work proposed for the 25th Bienal de São Paulo, ARENA, was shot in 2001 in his native village, Tirana (Albania). In

the artist's own words:

"O zoológico de Tirana. A paisagem circundante mudou nos úl-

"Tirana's Zoo. The surrounding landscape has changed during the

timos anos. O parque modesto que cinge o pavilhão está perdendo

last years. The modest park around the pavilion is about to lose

terreno. A presença urbana começa a invadir a paisagem rural.

land. The urban landscape begins invading the rurallandscape. The

A cidade, que antes não era visível daqui, aproxima-se rapida-

city, which was not before visible from here, is getting ,quickly near.

mente. Cachorros se espalham por toda parte ao redor das vi-

Dogs are everywhere around the windows of the passage. The

trines do corredor. O corredor: uma cinta transparente dá uma

passage: a transparent circuit offers a 360 0 view keeping apart the


Anri Sala

Arena (sti ll), filme em vĂ­deo de 4:38 minutos, 2001 [Foto F. Kleinefenn . Cortesia Galerie Chantal Crousel, Paris]

45


visão de 360 0 que separa os dois mundos animais , A maior par-

two animal worlds. Most of the noise comes from behind the cam-

te dos ruídos vem de trás da câmara, do círculo interno do co r- .

era, from the passage's internai circle. The pavilion: approximately

redor, O pavilhão: cerca de dez quartos-gaiolas representam uma

ten cage-chambers offer a poor sample of national ar exotic ani-

amostra pobre de animais nacionais ou exóticos que sobrevive-

mais, those who have survived the mutations, the unstable tran-

ram às mutações, à transição instável da cidade ,

sition of the city.

""A câmara traça a ansiedade do presente,"

.... The camera describes the present-day's anxiety."

[Corinne Diserens]

1

Permanência organizada pela Cidade de Paris, Consulado Geral da França,

São Paulo, 2

Massimiliano Gioni and Michele Robecchi, "Anri Sala, unfinished histo-

[Corinne Diserens]

1

Residence organized by Le Ville de Paris, French General Consulate, São

Paulo. 2

Massimiliano Gioni and Michele Robecchi, "Anri Sala, Unfinished Histo-

ries", Flash Art, n° 219, july-sept. 2001,

ries", FlashArt, n. 219, July-Sept, 2001.

3 ibid,

3lbid.

Anri Sala Arena (stills), filme em vídeo de 4:38 minutos, 2001 [Foto F. Kl einefenn . Cortesia Galerie Chantal Crousel, Paris]

46


47


Alemanha

[Germany]

Rupprecht Geiger Curadoria [Curator] Helmut Friedel

A contribuição alemã à 25 a Bienal de São Paulo concen-

The German contribution to the 25th Bienal de São Paulo

tra-se na pintura, mormente num diálogo entre a pintura e a ar-

focuses on painting, in particular on a dialogue between painting

quitetura. Pretende-se mostrar, com isso, que o meio imagético

and architecture. One intention is to demonstrate the continued rel-

tradicional continua sendo relevante. Ao mesmo tempo, preten-

evance of the picture as a traditional medium, another is to reflect

de-se refletir sobre a situação sociocultural específica da megaló-

on the specific sacio-cultural situation of the Brazilian megapolis

pole brasileira São Paulo, no tocante a um possível statement ar-

São Paulo with a view to the possibility of making an artistic state-

tístico. Na resposta artística, o contexto urbano e suas múltiplas

ment. The urban context, with its great variety of sensations, re-

sensações exigem evitar quaisquer representações redundantes.

quires that the artist avoid ali redundant depictions. Furthermore,

Além disso, as evoluções mais recentes fazem que a imagem do

in view of the recent events, the real-life image of chaos and the

caos e da destruição progressiva da vida urbana se afigure tão pre-

growing destruction of urban life is 50 dominant that it is seems

sente e dominante na realidade que a arte praticamente não con-

virtually impossible to react suitably with the means of artistic por-

segue reagir adequadamente com os recursos da reprodução. Por

trayal. Renouncing a depiction of externai phenomena in arder to

isso, a desistência de uma reprodução de fenômenos exteriores,

be able to grasp reality better, i.e., the decision in favor of abstract

na expectativa de poder apreender melhor a realidade, e a deci-

renderings, is not a purely formal consideration. On the contrary:

são em favor de transposições abstratas não decorrem de refle-

the enormous systems of the megacities mean a life within archi-

xões puramente formais. Muito pelo contrário, os gigantescos

tectural conglomerates. Their growth and arder develop according

sistemas das megalópoles são sinônimos de uma vida em conglo-

to rules and plans that are difficult to understand but are driven

merados arquitetônicos, cujo crescimento e ordem funcionam

by an enormous amount of vital strength. This raises the question

segundo regras e planos dificilmente compreensíveis, embora

of how art and architecture function - ar rather how they inter-

impulsionados por uma imensa força vital. Aqui a pergunta pe-

act. The relation between architecture and painting is particularly

los modos de funcionamento da arte e da arquitetura ou pela sua

exciting in this context. The direct intervention of sprayed signs, the

interação adquire um significado maior. Em se tratando de São

designation and occupation of places as an act of identification,

Paulo, o tema da relação entre arquitetura e pintura torna-se

becomes visible in the graffiti on the walls of São Paulo's apartment

especialmente empolgante. Nos grafites das paredes dos conjuntos

houses.

residenciais de São Paulo, a intervenção direta dos signos aplicados

Rupprecht Geiger began to examine the relationship be-

com spray, a "de-signação" e ocupação dos lugares são visíveis

tween painting and walls in the late 19405. Trained as an architect

enquanto ato de identificação.

himself, he has been working for over 50 years on the interaction

Jáno fim dos anos 40, Rupprecht Geiger começou a en-

between pictures, wall surfaces and space. To what extent does the

frentar a questão da relação entre pintura e parede. Estudou

shape of the picture surface and the area it covers determine the

arquitetura e trabalha há mais de 50 anos no dimensionamento

appearance of colar and its effect? And what influence does the

da combinação de imagem, superfície da parede e espaço. Até que

surrounding wall surface have on the result? These are Geiger's

ponto a forma da superfície da tela e a expansão nela contida

fundamental concerns in his painting. Geiger has been working with

determinam o fenômeno da cor e o seu efeito, e que influência

"shaped

canvases" since 1947, since, in his view, every colar de-

a superfície da parede circundante produz, além disso, sobre o

mands a suitable form and size. The wall with which his paintings

resultado? Eis as reflexões de princípio que Geiger desenvolve na

interact can itself turn into colar surfaces, i.e., Geiger immerses it

sua pintura. Desde 1947 ele trabalha com shaped canvases, pois, )

in colors other than the conventional white. In some cases he has

de acordo com a sua concepção, cada cor pede uma forma e um

developed space-like containers in which -the viewer, completely

tamanho adequados. As próprias paredes, nas quais seus quadros

surrounded by colar, has been able to experience them as though

atuam, podem-se tornar superfícies de cores. Isso quer dizer que

s/he were immersed in it.

Geiger as imerge em tons de cores distintos do branco conven-

Franz Ackermann starts his work at the point where the aim

cionaI. Em alguns casos, ele desenvolveu receptáculos em forma

is to use painting to overcome the exclusive domination of archi-

48


Rupprecht Geiger

BrasĂ­lia, tinta acrĂ­lica sobre tela, 285 x 460 cm, 2001 [Cortesia Walter Storms Galerie, Munique]

49


de espaço, nos quais o observador se vê inteiramente rodeado de

tecture. His net-like structures in black on a white background

cores, podendo experimentá-Ias como se nelas tivesse mergulhado.

overcome the actual spatial conditions and create lIan illusionary ll space that serves as a backdrop for his colorful images. In the

O trabalho de Franz Ackermann começa no ponto em que se trata de atingir, pela via da pintura, a superação da arquite-

paintings themselves, spaces of architectural visions open up, with

tura enquanto única grandeza determinante. As suas estruturas

elements in front of and behind each other, permeating the opti-

reticulares em preto sobre fundo branco superam as definições dadas pelas condições reais do espaço e criam um "espaço de ilu-

cal focal plane. In this way Ackermann incorporates into his painting specific urban structures, pursues the IInetwork ll of their inner forces

são", que serve de fundo de contraste para seus quadros colori-

and presents them to us in succinct forms, avoiding ali clear-cut

dos. Nos próprios quadros abrem-se espaços de visões arquite-

comprehensibility in the processo Ackermann creates for his pictures

tônicas, como num antes e num depois, com as quais o plano vi-

the IIlocation ll where the painting can appear and leads our eyes

sual da imagem é trespassado. Ackermann apreende assim, na sua

into a spatio-temporal dimension that is located beyond the Euclidean

pintura, estruturas urbanas específicas, explora a "rede" das suas

cube-shaped space.

forças interiores e as apresenta a nós em formas bem nítidas, em-

Both painters mark a central aspect of painting in Germany

bora evite toda e qualquer apreensibilidade unívoca. Ele cria para

in the second half of the 20th century: Geiger from the first post-

seus quadros o "lugar" no qual a pintura pode-se expor e con-

war years until today, Ackermann from the 19905 into the begin-

duz o olhar a uma dimensão espaço-temporal localizada além do

nings of this century. The painting of the late 19605 and 19705,

espaço cúbico euclidiano.

represented by George Baselitz, Anselm Kiefer and Gerhard Rich-

Ambos os pintores assinalam um aspecto central da pin-

ter, have already been shown at earlier editions of the Bienal de São

tura alemã da segunda metade do séc. XX. Apontam para o nos-

Paulo; this choice of Rupprecht Geiger seeks to give another view

so século: Geiger, desde os primeiros anos do pós-guerra até a atualidade; Ackermann, desde os anos 90. Como a pintura do fim

of German painting which demands more than reference to only expressive ll aspects. The rational aspect has always been - and

dos anos 60 e dos anos 70, representada por Georg Baselitz, Anselm

still is - virulent in German painting, although no one would dis-

11

Kiefer e Gerhard Richter, já pôde ser apreciada em bienais ante-

pute that either Geiger ar Ackermann has a romantic basic posi-

riores em São Paulo, essa decisão em favor de Rupprecht Geiger

tion. After ali, the lIyoungll aspect in art also seems to me not

ensaia um outro olhar sobre a pintura alemã, que não pode ser

uninteresting in view of the contribution ofa 94-year-old artist.

catalogada apenas com o rótulo da "expressividade". Embora não

Because of these preliminaries it was necessary to design

queiramos negar nem a Geiger nem a Ackermann uma postura

a shaped space as a IIstage ll for the dialogue between the two

fundamentalmente romântica, o aspecto racional sempre foi e é

artists. It was therefore obvious that Rupprecht Geiger would de-

virulento na pintura alemã. Por fim, a pergunta pela dimensão

fine the unambiguously cubic interior with his pictures, while Franz

"jovem" na arte também não me parece desinteressante, diante

Ackermann would work on the exterior surfaces and could thus take

da contribuição de um artista de 94 anos.

on the task of inverting volumes and space in his painting. Whereas

Essas preliminares exigiram o desenvolvimento de uma

the interior is ma de up of clearly determined wall surfaces, the aim

forma de espaço que confere univocidade ao diálogo entre os dois

outside is to achieve a continuum that is as uninterrupted as pos-

artistas. Por isso, está claro que Rupprecht Geiger definirá com seus

sible. The architect, Ms. Mic Schütz, has come up with a compel-

quadros o espaço interno, o lugar cubicamente caracterizado de

ling solution that does full justice to the painting of Rupprecht Geiger

modo unívoco, ao passo que Franz Ackermann deverá trabalhar

and Franz Ackermann.

as superfícies externas, efetuando assim uma virada pelo avesso

[Helmut Friedel]

do volume e do espaço na sua pintura. Enquanto no interior estão em jogo superfícies de paredes claramente definidas, o exterior deve ser regido por um continuum tão ininterrupto quanto possível. Mic Schütz encontrou uma solução arquitetônica convincente, que está inteiramente à altura dos quadros de Rupprecht Geiger e Franz Ackermann. [Helmut Friedel]

50


Rupprecht Geiger

São Paulo, tinta acrílica sobre tela, 290 x 355 cm, 2001 [Cortesia Walter Storms Galerie, Munique]

51


Arg ent ina [Argentina]

Dino Bruzzone Curadoria [Curator] Jorge Glusberg

o Jogo como Realidade Virtual É célebre a observação lúcida de Walter Benjamin: toda a perspicácia empregada no século XIX para decidir se a fotografia

é uma arte não serviu para perceber que a primeira modificava totalmente o caráter da segunda. Benjamin escrevia assim por volta de 1936. À época, não eram poucos os que ainda duvidavam de que a fotografia fosse uma arte ou que se negavam a outorgar-lhe um estatuto. Hoje, com certeza, tais dúvidas e negativas desapareceram totalmente. A fotografia, falando do ponto de vista histórico, é o primeiro invento humano que possibilitou uma aliança entre a arte e a tecnologia. Ao fim de mais de um século e meio, essa aliança se perfila hoje no ciberespaço, âmbito de desenvolvimento e prática da Realidad Virtual, em que, graças à informática, o artista pode liquidar o velho antagonismo entre o real e o virtual por meio da imaginação, criando seu próprio mundo, seu próprio entorno. Em suas maquetes de lugares desaparecidos, os climas fantasmagóricos criados por Dino Bruzzone evidenciam seus estudos de arquitetura e cenografia, anteriores à sua estada em Paris, com a bolsa do Prêmio Braque. Em Italpark, Bruzzone realizou uma verdadeira substituição arquitetônica do parque de diversões que funcionou no centro de Buenos Aires durante três décadas (1960-1990), e aonde levei meus filhos, durante anos, todos os domingos pela manhã. Localizado em Retiro, perto das estações de trens e ônibus, e oferecendo como perspectiva a entrada da cidade, converteu-se em um símbolo mítico para várias gerações de argentinos. Foi Schiller, o grande poeta alemão, que, em fins do século XVIII, fez uma observação sobre a decisiva função do impulso lúdico na vida do homem e em suas obras de arte. Se esse postulado estético aparece na arte, nesta obra de Bruzzone convertese em eixo e paradigma. Quando falamos do elemento lúdico da arte, referimonos a um movimento de vaivém que se repete, a uma auto-representação do movimento de jogo, segundo o filósofo de Marburgo, Hans Georg Gadamer. Ele também salientou que "0 impulso para transformar o distanciamento do espectador em sua implicação como co-jogador pode ser visto em todas as formas da arte moderna". Bruzzone vai e vem: suas fotografias duplicam a realidade pela segunda vez. Depois de documentar-se e selecionar ima-

52

The Game As Virtual Reality By now the lucid observation by Walter Benjamín has become well-known: ali the intellectual acuity that in the 19th century went into deciding whether photography could be considered as art, ar not, failed to alert people to the fact that the former was already totally transforming the character of the latter. This was what Benjamín wrote at around 1936. There were many at the time who still doubted that photography was an art, or who refused to grant it this status. It is certain that such doubts and misgivings have today almost entirely disappeared. Photography is, in historical terms, the first human invention to create a bridge between art and technology. At the end of more than a century and a half, this bridge may be perceived in the realm of cyberspace and the development and use of virtual reality, where, thanks to information technology, the artist is able to resolve the erstwhile antagonism between the real and the virtual through the imagination; creating his own world, his own environment. In Bruzzone's scale models of places that have long since disappeared, the ghostly atmosphere created by the artist testifies to his studies in architecture and stage design, prior to his stay in Paris, which was financed by a Braque Prize scholarship .. In Italpark, Bruzzone created an architectural reproduction of an amusement park that was in operation in downtown Buenos Aires for three decades (1960-1990), and where for years I would take my children almost every Sunday morning. Situated in Retiro, near the train and bus stations, and looking out onto the front part of the town, it has become a myth for several generations of Argentines. It was Schiller, the great German poet, who at the end of the 18th century pointed out the decisive function of the game impulse in the life and works of mankind. While this aesthetic postulate may apply to ali art in varying degree, in this wQrk by Bruzzone it is pivotal and paradigmatic. When we speak of the game component in art we refer to a repetitive to-and-fro movement, to a self-representation of a gametype movement, according to the Marburg philosopher Hans Georg Gadamer. He toa demonstrated that "the impulse to transform the distancing of the spectator into his or her involvement as a co-player in the game can be found in ali forms of modern art.'~ Bruzzone comes and goes: his photographs once again duplicate reality. Soon after documenting and selecting images from


Dino Bruzzone

/taipa,}, maquete, 2001

53


gens de arquivos dos brinquedos no parque, determina quais ele-

the files of games that are played in the park, he determines which

mentos descartará e qu ais manterá (reflexos, sombras, pessoas,

elements to discard and which to retain (reflections, shadows, peo-

cores, árvores), com os quais constrói um modelo em escala. Por

pie, co lours and trees), and which are to be used in building a scale

último, finaliza a fotografia quando faz a tomada da maquete em

model. The last stage is represented by the fina l photographing of

seu estúdio. Algumas tomadas são frontais, do ponto de vista de

the model, which is done in his studio . Some are frontal shots,

quem está-se decidindo por um brinquedo; outras, como se a

suggestive of the point of view of someone deliberating on a move;

pessoa estivesse esperando que o brinquedo volte a funcionar para

others, as if the person was waiting for the game to be re-started

poder entrar.

in order to join in.

Mas Italpark é apenas um meio. Bruzzone exibe seus me-

But Italpark is only a means to an end . Bruzzone exhibits

canismos de produção, não em razão da representação de um es-

his production mechanisms, not in terms of the representation of

paço real, mas interpretando as sensações que esse espaço gera.

an actual space, but rather for interpreting the fee lings generated

No equilíbrio do artificial, o limite entre o real e o irreal,

by the space in questiono

representa o que se propõe exteriorizar: uma sensação, a inquie-

In the equilibrium of the artificial, the boundary separat-

tude. Em Italpark, uma série de contrastes entre a estética da

ing the real from the unreal, his work represents that whic h is to

imagem e o conteúdo reforçam o clima de tragédia para um es-

be exteriorised: a feeling, disquiet. In Italpark a series of contrasts

paço fechado, depois de vários acidentes reais: o último, mortal.

between the aesthetic of image and content reinforce the atmo-

[Jorge Glusberg]

sphere of tragedy evoked by an enclosed space, followed by a number of real-life accidents: the last of which is fatal. [Jorge Glusberg]

54


Dino Bruzzone

Italpark, maquete, 2001

55


Armênia

[Armenia]

Azat Sargsyan Curadoria [Curator] Garo Keheyan

Azatapolitanas

Azatapolitanas

O desempenho tripartite de Azat Sargsyan, nas Azatapolitanas, é um apelo para procurar a Duodécima Cidade (Twelfth City) em nosso interior e, como indica o artista, "com uma ico-

Azat Sargsyan's three-part performance entitled Azatapolitanas is a call to search for the "Twelfth City" within our-

nografia de um metropolitano". Sargsyan começa com sua própria procura numa peça chamada Welcome ("Bem-Vindo"), na qual as fronteiras entre arte, artista e objeto comum se misturam e se esgarçam, colocando-se como porteiro na entrada da galeria. Com essa ousada mostra de vulnerabilidade, faz-nos questionar as práticas institucionais que fixam objetos-sujeitos culturais em suas categorias hierárquicas. Em vez de procurar defeitos nos outros, Sargsyan nos recorda que podemos nos reconhecer através do espelho. Na segunda parte de sua peça, intitulada Without Masks ("Sem Máscaras"), o artista, de terno preto e pés atados, invade o espaço da exibição com um espelho nas costas. Desapontado com o que vê - sua própria imagem - atira o espelho no chão, estilhaçando-o. Com essa tentativa desesperadamente fragmentada de auto-reconhecimento, Sargsyan, mais uma vez, encontra-se à mercê de forças externas que o definem. A demonstração está em sua peça final, Help Me (" Ajude-me"), em que o artista fica nu, em pé, no meio da galeria, com gazes coladas e saindo de várias partes de seu corpo, esperando que o venham libertar. Relatos de sofrimento e resistência a este intercalam-se na iconografia de Sargsyan, descrevendo um metropolitano. Como os ensinamentos iniciais de Buda, Cristo e Maomé, suas peças são como exercícios de autoconhecimento; daí a viabilidade de uma liberdade última, mediante um nível mais elevado de consciência. Mesmo assim, essa geografia pessoal, que Sargsyan nos traça em seu próprio corpo, não exclui o aspecto político. Uma vez que o primeiro nome do artista significa liberdade em vários idiomas antigos do Oriente Próximo, Azatapolitanas pode igualmente simbolizar a resistência ao sofrimento associada ao predicamento geopolítico pendente - a história turbulenta e o frágil destino - da terra natal de Sargsyan, a Armênia. [Neery Melkonian]

56

selves and, as the artist states, "with an iconography of a personal metropolitan. " Sargsyan begins his own search with a piece called "Welcome" where the boundaries between art, artist and the common object are blurred by placing himself as a doormat at the entrance of the gallery space. Through this bold re-enactment of vulnerability Sargsyan makes us question the effects of institutional practices that fix cultural objects/subjects into hierarchical categories. Before looking for mistakes in others, however, Sargsyan reminds us to recognize ourselves by looking in the mirrar. In the second part of his performance called "Without Masks" the artist, dressed in a black suit and with bandaged feet, crawls through the exhibition space carrying a mirror on his back. Disappointed by what he sees - his own image - he then forcefully hits the mirror on the ground and shatters it to pieces. With the desperate attempt at self-recognition disrupted/ fragmented, Sargsyan, once again, finds himself at the mercy of externai forces that define him. This is demonstrated in his final piece, "Help Me", where the artist stands naked in the midst of the gallery space, with pinned bandages stretching out from different parts of his body, waiting for others to set him free. Narratives of suffering and endurance are interwoven into Sargsyan's iconography of a personal metropolitan. Like the early teachings of Buddha, Christ and Muhammad, Sargsyan's performance pieces pose as exercises to knowing oneself, hence ultimate freedom becomes attainable, through a higher levei of consciousness. Yet the personal geography that Sargsyan maps out for us through his own body does not exclude the political. Considering that the artist's first na me means freedom in several ancient Near Eastern languages, Azatapolitanas may also symbolize the endurance that is associated with the pending geopolitical predicament - the turbulent history and the fragile destiny - of Sargsyan's native land, Armenia. [Neery Melkonian]


Azat Sargsyan

Azatapolitanas, performance em trĂŞs partes, 2001

57


Austrá Iia

[Austral ia]

Robert MacPherson Curadoria [Curator] Trevor Smith

Nos últimos 25 anos, Robert MacPherson desenvolveu uma

Over the last twenty-five years Robert MacPherson has

obra que em realidade constitui uma análise profunda da pintu-

built up a body of work that constitutes a thoroughgoing analy-

ra modernista, ainda que seus trabalhos deliberadamente não

sis of modernist painting - even as his work often deliberately

pareçam modernos. Seu olhar perspicaz e sua espirituosidade sub-

evades a modern look. His acute observations and playful wit twist

vertem as estruturas do dogma modernista, quando este é con-

the structures of modernist dogma, confronting it with what it is

frontado com o que supostamente deveria excluir, ou seja, o tema,

said to inherently exclude - local subject matter, narrative, senti-

a narrativa, o sentimento, e o texto de sabor local. Nas mãos hábeis

ment, text. In MacPherson's hands, modernism's concerns with

de MacPherson, a estética do modernismo, com sua especificidade

form and media specificity do not end in a blank canvas. Instead

em relação à forma e ao meio, não cai no vazio, pelo contrário,

he has pursued a conceptual and poetic agenda through an analy-

o artista busca constantemente um estilo conceitual e poético por

sis of painting, its means and its histories.

meio da análise da pintura, incluindo aí métodos e histórias. Uma das séries em andamento de MacPherson, desde o

One of MacPherson's ongoing series since the early 1990's is Mayfair which takes as its common point of reference, hand-

início da década de 90, é a instalação denominada Mayfair, que

made roadside signs. Chitters: A Wheelbarrow for Richard, 1999-

toma como referência, placas de estrada feitas à mão. Chitters:

2000 comprising 156 panels is thelargest of these. Like many of

A Wheelbarrow for Richard, 1999-2000, é a maior das séries do

MacPherson's works, Chitters is a collection of language; in this

artista e traz 156 painéis. Como muitas obras de MacPherson,

case it is names of products and services used by the suburban

Chitters é um exercício de linguagem que neste caso, trata-se basicamente de marcas de produtos e serviços usados por jardinei-

landscape gardener. Even to many English reading viewers the terms' precise meanings are elusive. The work however, does not

ros paisagistas do subúrbio. Mesmo para o público que lê inglês,

hinge on meaning. When I asked MacPherson what "Chitters"

o sentido exato dos termos é um tanto indefinível, embora o tra-

meant he said "I didn't want to know. I liked the way it looked

balho não dependa de significados. Ao perguntar a MacPherson

and I liked the way it sounded. It is the imagistic quality of lan-

o que significa a palavra "Chitters", respondeu-me o seguinte:

guage that interests MacPherson. In the case of Chitters it is its

"Não quis saber o significado; simplesmente gostei do som e da

capacity to evoke landscape even as it mocks the hubris of those

palavra em si". Para o artista, é a qualidade imagética da pala-

who believe they can compete with nature.

vra que o interessa, e em Chitters, o termo tem força para evo-

MacPherson wrote about his interest in signage in 1993

car paisagens, até quando fere o orgulho daqueles que acreditam que podem competir com a Natureza.

saying: "As long as I can remember I've been aware of and found vernacular roadside signage, country fresh grown produce signs,

Em 1993, MacPherson descreveu da seguinte forma o seu

roadside gas, food etc. signs, protest signs et ai, accumulations of

interesse por placas de sinalização: "Faz muito tempo que me

these signs, misspellings, strange syntax the unusual truncattory of

interesso por placas, e já encontrei de diversos tipos: a placa exi-

words, where the writer/painter has run out of board and restarted

bindo um vernáculo esmerado, de venda de produtos frescos da

below, I find beautiful poetry in this [... ] a wonderful directness of

fazenda, de postos de gasolina, restaurantes etc. Também observo

means and unselfconsciousness in the use of paint often lost in so-

um amontoado de placas em alguns lugares, com erros de orto-

called 'high art"'.

grafia e de sintaxe estranha, contendo uma combinação incomum

[Trevor Smith]

de palavras, em que o autor/pintor parece não ter tido mais espaço para escrever e acaba escrevendo em outras placas. Já encontrei poesias belíssimas em placas de sinalização, o que demonstra uma utilização maravilhosa do meio e um despojamento em relação ao uso da tinta, quase sempre ausente na chamada high art (arte elitizada)". [Trevo r Smith]

58


Robert MacPherson

Chitters, a Wheelbarrow for Richard, acrĂ­lico Dulux Weathershield sobre compensado de madeira, 156 unidades de 122 x 91,5 cm cada, 1999-2000 [Cortesia Yuill lCrowley, Sidney]

59


Áust ria [Austria]

Georg Paul Thomann Curadoria [Curator] Zdenka Badovinac

Georg Paul Thomann (em colaboração com monochrom, Tonki Gebauer, 320x200, Richard Wientzek)

Georg Paul Thomann (in cooperation with monochrom, Tonki Gebauer, 320x200, Richard Wientzek)

"Sim, Senhor, posso transmitir sem problemas, S.enhor!"

"Yes, Sir, I can network it out, Sir!"

"Isto cheira a espírito de equipe, Senhor!"

"Smells like team-spirit, Sir!"

"Somos o Mundo, somos as crianças, Senhor!"

"We are the World, we are the Children, Sir!"

o centro da instalação é Selfportrait As Austria's Highest

The center of the installation is Thomann's Selfportrait As

Mountain (I'm Winning My Religion) [Auto-retrato como a Montanha mais alta da Áustria (Estou conquistando minha religião)]

Austria's Highest Mountaín (/'m Winning My Religion): four paintings of side-views of GroBglockner Mountain. Four panoramic maps

de Thomann: quatro pinturas de vistas laterais da Montanha Grossglockner. Quatro mapas panorâmicos visualizam sua topografia. Este retângulo forma uma "sacristia" com um tabernáculo con-

visualize their topography. This rectangle forms a "sacristy" with a tabernacle containing the artist's soul. "Mount Thomann" is connected with four "villages" by means of a road network. Each vil-

tendo a alma do artista. O "Monte Thomann" está conectado com quatro "vilarejos" por meio de uma rede de estradas. Cada vilarejo

lage is a representation of one of the four young Austrian artists/ artist groups Thomann has curated. The villages are each a center

é a representação de um dos quatro jovens artistas austríacos/ quatro grupos de artistas que Thomann organizou. Os vilarejos são, cada um, um centro de turismo: Sankt monochrom, Sankt Tonki

of tourism: Sankt monochrom, Sankt Tonki Gebauer, Sankt 320x200 and Sankt Ríchard Wíentzek. The four villages are meant to provide common cultural services and give the impression of being

Gebauer, Sankt 320x200, Sankt Richard Wientzek. Os quatro vilarejos foram criados para promover serviços culturais em comum

"modern" and "urban". They burst with cultural anabolisms such as: video installations, paintings, music and politics. The solo ex-

e dar a impressão de ser "modernos" e "urbanos". Eles explodem com anabolismos culturais tais como: vídeo-instalações, pinturas, música e política. Assim, as exposições individuais existem por elas

hibitions therefore stand for themselves as well as in the shadow of the enormous GroBglockner-Thomann. And I lave it, Siri

mesmas, bem como à sombra do enorme Grossglockner-Thomann. E eu adoro isto, Senhor!

About Georg Paul Thomann Since the early 19605, Georg Paul Thomann has worked in

Sobre Georg Paul Thomann Desde o começo dos anos 60, Georg Paul Thomann trabalha no limiar dos sistemas que englobam as artes, a política, a economia, a linguagem pop. Georg Paul Thomann, festa, vaidade, puro fanatismo, crise, idioma, cultura, autocontentamento, identidade, utopia, mania e desespero. A técnica que permeia seu trabalho é o ser, a criação nos campos da pintura/artes plásticas, pop/ avant-garde, teoria/reflexão, intervencionismo/política, alegria/desejo/tragédia e (auto)configuração/mistificação, cidade/lugarejo. "As zonas rural e urbana são como uma bomba de sucção que puxa água de um laguinho de jardim imundo e fétido. Ambos se retroalimentam, sugam um ao outro e esborrifam felizes para sempre" (entrevista com Thomann in de:bug, Berlim, 1999). O projeto de Paul Thomann inclui uma rede de eventos em que se misturam pessoas, possibilidades, material, ímpetos e

60

the field of intersections of the systems: the art (scene), politics, economics, pop, gaiety, vanity, good-clean fanatism, crisis, language, culture, self-content, identity, utopia, Georg Paul Thomann, mania and despair. The technique underlying his work is that of being and working in the fields of painting/the fine arts, pop/avantgarde, theory/ reflection, interventionism/politics, gaiety/lusVtragedy, (self-)configuration/mystification, and city/village. "Urban and rural zones are like a circulator pump in a brown and stinking little garden pondo They're feeding each other, they're sucking and spitting happily ever after" (interview with Thomann, in de:bug, Berlin, 1999). The project he pushes into and through these fields is "networking" events, people, possibilities, material, impetus and identities. However, "networking" here does not aim at constructing a transcendental network, but rather an ever-expanding and self-decentralizing field of immanence taking into account the phenomenon of rampancy as its determinate form of motion.


Georg Paul Thomann Em colaboração com monochrom, Tonki Gebauer, 320x200, Richard Wientzek

Yes, Sir, I can network it out, SirI, Smells like team-spirit, SirI, We are the World, we are the Children, SirI Esquema da vídeo-instalação, 2001

61


identidades. Essa rede de eventos não é de natureza transcen-

Rampancy here does not only mean prospering and thriv-

dental, mas antes, um campo de imanência descentralizado em

ing, growing beyond inherent boundaries - as suggested by a

constante expansão, tendo o fenômeno da transgressão como

popular misreading of theories - but sheer growth, growth in and

forma determinante de movimento.

on and through ali leveis; a movement of redundancy and contin-

A transgressão, segundo o artista, não deve ser entendi-

gency that genuinely implies its own counter-tendencies: splitting

da apenas como o sobreviver e prosperar para além das barrei-

and implosion, even self-termination, self-sublimation, and re-cy-

ras impostas, conforme várias interpretações teóricas errôneas

cling, several segments getting horny, putrefaction, cartilagina-

sugerem. Significa, antes de tudo, o crescimento puro e simples,

tion, hunchbackedness, fermentation, and repulsiveness ... Just like

em todos os níveis, um movimento de redundância e contingên-

Thomann himself announces in his manifesto" Maschinist Thomann":

cia, que verdadeiramente leve a um paradoxismo: ruptura e im-

"If you use postmodernist clichés, at least do it inflationary, please!"

plosão, auto-sublimação e reciclagem, até mesmo autodestruição,

His strategic approach to interacting with and facing the

em que várias partes se encham de tesão, apodrecimento, carti-

"outside" turns Thomann's "networking" into a non-dialectic dia-

lagens, deformidade, fermentação e repulsa. Como Thomann mes-

lectics of distance and nearness, presence and absence, hostile

mo descreveu em seu manifesto "Maschinist Thomann": "Se for

takeover and friendly splitting, particularization and formation of

para usar clichês pós-modernistas, pelo amor de Deus, ao menos

fractions and, of course, the everlasting readiness for alliance. Tho-

faça-o de maneira inflacionária!" A estratégia de Thomann, de interagir e encarar o "mundo

mann calls it "die and let live" (Georg Paul Thomann, "The 1OOth birthday of the 1980ies", Majuskeln, Vienna, 1992.)

exterior", faz que a sua "rede de eventos" se torne uma dialética

In this context, Thomann's oeuvre is manifested as his per-

não-dialética da distância e da proximidade, presença e ausência,

sonal way through and in the countercultures of the post-war era.

a invasão hostil e o rompimento amigável, a particularização e a

Little of his oeuvre is qualified to be memorized, kept, historicized

formação de fragmentos, além de uma óbvia predisposição para

ar by any means exhibited in a museum. A good deal of it is just

formar alianças, o que Thomann chama de "morra e deixe viver"

left behind in the gutters of a so-called society.

("Georg Paul Thomann: o centenário dos anos 80" in Majuskeln, Viena, 1992).

The paintings, the music, public appearances and other visual forms of the "enfant terrassé of the Austrian art scene" (Thomann

Nesse contexto, a obra de Thomann se manifesta de uma

about Thomann) are to be consumed and processed quickly, since

forma deveras pessoal, nos estertores das contraculturas do pós-

they -like secret messages in old spy-movies - having come into

guerra.

contact with the sociophysical conditions of a perceiving surrounding, Ela não se presta à memorização, não podemos mantê-

la trancada, não pode ser inventariada e tampouco exibida num museu. Grande parte dos trabalhos de Thomann são simplesmente esquecidos no esgoto do que chamamos sociedade. Pintura, música, aparições públicas e outras extravagâncias visuais do enfant terrassé do mundo das artes austríaco ("Thomann por ele mesmo") devem ser consumidas e digeridas rapidamente, já que elas são como mensagens codificadas em velhos filmes de espionagem, que acabaram de entrar em contato com as condições sociofísicas de um ambiente perceptivo, começam a se dissolver e nele desaparecem. [Zdenka Badovinac]

62

start to dissolve and vanish in them. [Zdenka Badovinac]


Georg Paul Thomann Selbstportraet ais ein Haufen Tusche

monochrom

Richard Wientzek

Tonki Gebauer

320 x 200

63


BéI9ica

[Belgium]

Richard Venlet Curadoria [Curator] Moritz Küng

Paramount Basics Os trabalhos de Richard Venlet têm sido relacionados, em vários ensaios e reflexões, com o chamado "Ponto Zero". Dirk Snauwaert, por exemplo, identifica, nos trabalhos de Venlet, uma "redução ao ponto zero"; José Luis Brea fala sobre o "valor zero" do mesmo; enquanto Michael Tarantino menciona o "retorno ao ponto zero". Estas referências são preciosas e válidas na medida em que revelam uma tendência ao minimalismo na obra de Richard Venlet. No entanto, vale a pena mencionar que as suas obras pouco têm a ver com essa tendência estética, mesmo que o artista tenha utilizado formalmente a linguagem minimalista. Para Richard Venlet, o "ponto zero" não constitui uma referência como meta, mas, pelo contrário, um ponto de partida para as suas intervenções e instalações, freqüentemente relativas ao local. Em outras palavras, o referido "ponto zero" não é o tema do seu trabalho, mas sim a realidade que serve à orientação e ao "não-lugar". Éesta tendência que, no nível do posicionamento da obra de Richard Venlet, legitima a comparação com Robert Ryman. Este alega que sua pintura não é "representativa" (logo, ilusória) nem "abstrata" (logo, susceptível de abstração), mas sim "realista": "No

Paramount Basics

In several essays and discussions, Richard Venlet's works have been repeatedly linked to the so-called 'zero degree'. Dirk Snauwaert, for example, refers to Venlet's work as being 'reduced to the zero degree'; José Luis Brea mentions 'its zero degree value'; Michael Tarantino sees in these works a 'return to zero'. These references are of course helpful insofar as they reveal a tendency towards minimalism in Richard Venlet's oeuvre. In the end, however, the works have little to do with this artistic genre, even though the artist makes formal use of the genre's vocabulary. For Richard Venlet, 'zero degree' does not represent a reference as aim, but is instead the starting point for his often location-based interventions and installations. In other words, the 'zero degree' in question is not the subject of his work but the reality that provides guidance and location. This tendency in Richard Venlet's work allows for a comparison with Robert Ryman. Ryman says that his painting is neither 'visual' (and therefore illusionary) nor 'abstract' (and therefore abstracting), but 'realistic': "With realism there is no portrayal. The aesthetic is directed outwards, not inwards. And because there is no portrayal, there is no narration. Nor is there any myth. Above ali, however, there is no illusion. The lines are real, the space is real,

realismo não há imagem. A estética é algo orientado para fora e não para dentro. E como não há imagem, não há narrativa. Também não há mito. Acima de tudo, não há ilusão. O traço é real,

the surface is real, and there is an interaction between the painting and the surface of the wall - in contrast to abstraction and portrayal" (On Painting, Guggenheim Salon Series, New York, 1991).

o espaço é real, a superfície é real, criando uma interação entre a pintura e a superfície, a parede - em contraste com aquela

Like Ryman, Richard Venlet positions, concretises and legitimates a 'zero degree' through externai conditions and influences such as light, surface, boundary, technique, etc. If Ryman juxtaposes

relação que existe entre a abstração e a representação" (Sobre a Pintura [On Paintingl, New York, Guggenheim Salon Series, 1991).

Tal como Ryman, Richard Venlet também posiciona, concretiza e legitima um "ponto zero" através de condições e influências exteriores, como a luz, a superfície, os limites, a técnica etc. Ryman justapõe uma "contra-imagem realista" à "imagem ilusó-

a 'realistic counter-image' to the 'illusionary image', one could say that Venlet expands 'space' through the creation of a 'counterspace'. Venlet's most three-dimensional interventions are based on an analysis of architectonic prerequisites and circumstances. In a certain respect, Richard Venlet makes the subconscious of a space or

ria"; podemos dizer que Venlet cria ou estende o "espaço" através do "contra espaço". As suas intervenções, na maior parte das vezes tridimensionais, baseiam-se numa análise das condições e

place visible through his strategic interventions. His interventions displace the observer's fixed ideas based on expectation and experience without overturning them. The artist lends a new status to

realidades arquitetônicas. De certo modo, com as suas intervenções estratégicas, torna visível o subconsciente de um determinado

the existing volumes, contents, textures and_functions already there: he creates compelling prerequisites that stand above existing objects; put differently, he creates 'paramount basics'.

espaço. As suas intervenções deslocam as idéias preconcebidas dos espectadores: assustam as expectativas quotidianas, sem causar uma total derrocada - muito como a ocasional entrada do subconsciente no consciente. O artista confere outro status ao volu-

64

For the 25th Bienal de São Paulo, Richard Venlet created a mobile and hermetic exhibition-structure within which various exhibits can be presented at will. It is a sculpturally precise but open


Richard Venlet Sem título/Arquivo São Paulo, fichário com envelopes

plásticos que contém: fotografias, desenhos e outros documentos, 32 x 26 x 3 cm, 2001

65


me, ao conteúdo, à textura e às funções; ele cria condições obri-

structure that establishes a relationship between the observer and

gatórias, que se sobrepõem aos elementos já dados. Em outras

the exhibit through its particular materialisation. In the case of the

palavras, o artista cria um Paramount Basics. Para a 2S a Bienal de São Paulo, Richard Venlet criou uma estrutura de exposição móvel e hermética, em cujo interior diferen-

Belgian representation, the exhibit within the structure refers to the direct cultural environment of the artist. [Moritz Küng]

tes exibições podem ser representadas à vontade. Trata-se de uma estrutura aberta, do ponto de vista do conteúdo, embora precisa, do ponto de vista escultural que, através da materialização específica, estabelece uma relação entre o observador e a mostra. No caso das representações belgas na estrutura de exposição, a mostra refere-se ao âmbito cultural do artista. [Moritz Küng]

liln --=-=---=-===.-==-=--=-==--=-===.!!

Richard Venlet Sem título/Arquivo São Paulo, fichário com envelopes plásticos que contém: fotografias, desenhos e outros documentos, 32 x 26 x 3 cm, 2001

66


67


Boi ívia

[Bolivia]

Raquel Schwartz Curadoria [Curator] Pedro Querejazu

Cárcere de Ilusões

The Prison of Illusions a

A artista Raquel Schwartz participa da 2S Bienal de São

The artist Raquel Schwartz is to take part in the 25th Bienal

Paulo com uma proposta de caráter aparentemente minimalista,

de São Paulo with a proposal that on the surface appears to be

mas com uma morfologia que possibilita leituras ricas e variadas.

minimalist, but which possesses a morphology allowing for rich and

Metáfora objetai, que nasce de reflexões acerca das realidades

varied interpretations. She presents metaphor as an object, arising

extremamente contrastantes que se percebem na Bolívia, onde

from reflections on contrasting realities in her native Bolivia, a country

mora a artista, país possuidor de uma área rural dramaticamen-

of dramatic rural impoverishment and one wh ich seeks, in its small-

te empobrecida e que busca, nas pequenas urbes, soluções ilusórias

town backwaters, a way out of its predicament.

para a sua situação.

Ironically, this situation repeats itself at another leve i, with

Ironicamente, essa situação se repete, em outra escala, com

the small-town inhabitant migrating to larger urban centres in search

o habitante nascido nesses vilarejos e que migra para centros

of the same or similar illusions proffered by the big cities and their

maiores em busca das ilusões que as cidades luminosas oferecem

bright lights, but where, instead, only false solutions and realities

e nas quais encontra soluções e realidades artificiais.

lie in wa it.

A artista articula essa metáfora por meio de uma jaula ou

The artist expresses this metaphor by means of a cage stuffed

cárcere forrado de pelúcia cor-de-rosa, cujas grades, por serem

with pink felt. The cage has flexible bars that allow easy access and

flexíveis, permitem tanto um fácil acesso como a saída de pessoas

exit to those wishing to physically interact with the object. The neon

ilu~

light, which is also pink, accentuates the non-literal character of

minação com néon, de luz igualmente rosa, acentua o caráter não-

the work, reinforcing the semiotic angle suggested by the felt, which

literal da obra e corrobora o padrão semiótico que a pelúcia ofe-

creates an alluring kind of kitsch environment.

que desejem interagir de maneira tangível com o objeto. A

rece, criando um ambiente kitsch de atrativo especial. A jaula aca-

The cage ends up being an illusion since it does not func-

ba sendo um engano, já que não funciona como tal. No entan-

tion as a cage. This, however, does not mean that it is easy to leave ...

to, não é fácil sair dela. A prisão-cidade parece estar mais em nossa

The prison-city functions in our minds more than in what is taken

mente (ou nas aparências) e não tanto na suposta realidade física .

to be physical reality.

Desde o início de sua carreira, e através de várias expo-

Since the beginning of her career and in the course of nu-

sições, intervenções urbanas e participações em encontros artís-

merous exhibitions, city appearances and participations in interna-

ticos internacionais, Schwartz tem demonstrado, com o seu olhar

tional gatherings of artists, Schwartz has been using her own vision

particular das coisas, pessoas e situações, que a arte pode ser algo

of things, people and situations to demonstrate to us that art can

ao mesmo tempo familiar, inquietante e comovente.

be something familiar, disquieting and moving ali at the same time.

[Cecilia Bayá]

[Cecilia Bayá ]

Raquel Schwartz Ribon dei AIDS, instalação, cones de cimento e

pintura acríl ica, 300 m2 aproximadamente, 2000, Taller la Llama, Venezuela

68


BuIgá ria

[Bul garia]

Marran Gosov Curadoria [Curator] Bozhidar Boyadzhiev

Vídeoconceito IV1 O Vídeoconceíto IV incorpora-se no amplo tema da 2S a Bienal de São Paulo, utilizando a experiência urbana e buscando suas dimensões em terreno local. O que significa isso? Sugiro um filme em vídeo de 240 minutos feito por Marran Gosov, um brilhante intelectual e artista búlgaro, com trabalhos especiais tanto em cinema como em vídeo. O vídeo mostra um homem nu, totalmente apertado dentro de uma caixa de vidro, do menor tamanho possível que lhe permita existir na condição claustrofóbica, estando "dobrado em quatro". Esta posição, extremamente impossível, faz que ele se movimente e procure alguma solução, tentando mudar sua atitude. Para evitar morrer por falta de suprimento de sangue nas extremidades, nosso herói move-se desesperadamente, "suspirando" e "gemendo" contra o aperto, que o esgota vagarosamente. O espectador torna-se testemunha desse martírio, sendo imediatamente capaz de entender a mensagem da obra de arte e se ele gostaria de acompanhar a psicologia desse esforço. O herói do vídeo está predestinado e não tem chance alguma durante toda a projeção ininterrupta da ação. Eu poderia generalizar, alegando que a escassez de espaço e ar, que o aperto e a restrição têm muito em comum com a chamada experiência urbana, baseada nos temas da Bienal; mas eu também poderia esperar uma repentina interpretação dessa metáfora, muito clara e poética. O martírio do homem desamparado e nu não provoca apenas compaixão, mas também origina algumas questões essenciais relac ionadas ao passado e à origem. Dessa maneira, o Vídeoconceíto IV oferece sua contribuição no âmbito da programação da 2S a Bienal de São Paulo a partir ( da posição de um país como a Bulgária, que não é uma metrópole mas está em consonância com os impulsos da "massa crítica" das metrópoles. O filme, em sua multiplicação, não conta uma história curiosa, mas expressa a condição de dinamismo e desamparo típica das pequenas sociedades; e é muito possível que, após a data fatal de 11 de setembro de 2001, possa também preocupar as poderosas e autoconfiantes metrópoles. [Bozhidar Boyadzhiev] 1

Agradecimento especial ao sr. Ruen Ruenov.

70

Vídeoconcept IV1 Videoconcept IV incorporates within the wide subject-matter

of the 25th Bienal de São Paulo, using the urban experience and searching its dimensions on a local ground. What does that mean? Here is a 240-minute video film, made by Marran Gosov, an outstanding Bulgarian intellectual and artist with special works both in cinema and video . It displays a naked man, stuck by force in a glass box, with an optimum sma ll size, which allows him to exist in the condition of claustrophobia being "folded in four". This extremely impossible position makes him move and look for some solution, trying to change his attitude. To avoid perishing from shortage of blood supply to the extremities our hero moves desperately, "sighing" and "groa ning" against the narrowness, which slowly exhausts him. The spectator becomes a wi tness of this martyrdom, and is immediately able to understand the message ofthe artwork and to decide if he or she wou ld like to follow up on the psychology of this effort. The hero of the video is predestinated and does not have any chance during the who le nonstop projection of the play. I could generalize that the shortage of space and air, the narrowness and restriction, have very much in common with the so-called urban experience based on the themes of the Bienal, but I could also expect a sudden interpretation of this very clear and poetic metaphor. The martyrdom of the helpless and undressed man does not only provoke compassion, it raises a couple of essential questions related to the background and origino In that way Videoconcept IV offers its contribution in the extension of the programming axis of the 25th Bienal de São Paulo from the position of a country like Bulgaria, which is not metropolitan but is concordant to the impulses of the "criticai mass" of the metropolises. The film in its multiplication does not tell a curious story, it expresses the dynamic and helpless conditions that are typical for the small societies, but it is veryposs ible that after the fatal 11th of September 2001 this may concern also the powerful and selfconfident metropolises. [Bozhidar Boyadzhiev]

1

With special thanks to Mr. Ruen Ruenov.


Marran Gosov Videoconcept IV (stil ls), vídeo-instalação, 1979-2000 [Foto Bozhidar Boyadzhiev]

71


Ca marões [Cameroon]

Pascale Marthine Tayou

Ao mesmo tempo que transforma os espaços de exposi-

While transforming exhibition halls ta ken up by his works

ção ocupados por suas obras em uma espécie de arena, para onde

into a sort of arena to where people's energies converge, Pascale

convergem as energias do público, Pascale Marthine Tayou, artista

Marthine Tayou, born in 1966 in Cameroon, gives a new reading

nascido em 1966 em Camarões, consegue fazer uma releitura de

to certain objects that fi ll our everyday life in such an in vasive way

certos objetos que nos invadem o quotidiano, a ponto de nele

that those objects seem to vanish in the maze of life.

desapa recerem. Quer esteja o artista, que mora e trabalha em Bruxelas,

Whether the artist is covering the fence surrounding the soccer pitch in San Gimignano with thousands of plastic bags from

a recobrir o alambrado que rodeia o campo de futebol de San

ali over the world, or whether he is in Lyon setting up his installa-

Gimignano com milhares de sacos plásticos do mundo inteiro, quer

tion made up of an old ca r and a VCR that travels around the world,

a apresentar em Lyon uma instalação composta de um carro ve-

Marth ine Tayou 's works are confronted with the experience of dis-

lho e um vídeo que viaja ao redor do mundo, o trabalho de Pascale

placement and migration. The speed at which people and things

Marthine Tayou confronta-se com a experiência do deslocamen-

circulate in an attempt to keep up with globa lization is epitom ized

to e da migração. A aceleração da circulação de pessoas e be~s,

by the artist's efforts to create insta llations composed of everyday

a qual acompanha o fenômeno da globalização, vê-se ilustrada

urban objects col lected in his trave ls. Marthine Tayou's works re-

pelos esforços do artista, cujas instalações se compõem geralmente

flect a new cultural form of mi xed background containing myriad

de objetos do quotidiano urbano, colecionados por ocasião de

hybrids. His art is profound ly emotional, and expresses above al i a

viagens, e refletem uma forma cultural nova, feita de hib,ridações

wish to get people in touch with each other, in other words,con-

múltiplas. Profundamente sentimental, sua arte veicu la, antes de

necting people .

tudo, um desejo de pôr as pessoas em contacto: connecting people.

[Jérôme Sans]

[Jérôme Sans]

Pasca le Marthine Tayou

Vai/à, instal ação

72


Ca na dá [Canada]

Stan Douglas Curadoria [Curator] Daina Augaitis

Jornada do Pavor

Journey into Fear

O vídeo Jornada do Pavor do artista canadense Stan Dou-

Stan Doug las' Journey into Fear explores the many dimen-

glas explora as diversas facetas do capital e seu movimento glo-

sions of capital and its global movement. Based on a fi lm of the

bal. Baseado em fi lme homônimo, rodado em Vancouver em 1975,

same na me that was shot in Vancouver in 1975, th is repeating loop

a repetição das seqüências de formas variadas remete a um ou-

(with hundreds of hours worth of variations) refers to a film that

tro filme feito em duas versões, cuja história vai da Segunda Guerra

has a history spanning from WWII (the first version was set in 1942

Mundial (a primeira versão, de 1942, tratava do comércio de ar-

and was about internationa l arms negotiation) to the oil crisis of

mamentos) à crise do petróleo dos anos 70 (a segunda versão

the 1970s (its second versi on adjusts the plot to focus on interna-

adaptava o roteiro para a questão petrolífera internaciona l). A

tional oi l surveyin g) . The re-making of Journey into Fear by Doug-

versão pessoal de Douglas para Jornada do Pavor retrata a pas-

las marks a transition from internationalism to globalism, from politics

sagem da internacionalização para a global ização, da política para

to cap italism, and highlights the complexity of these shifts by looki ng

o cap ital ismo, e traz à tona a complexidade dessas transições, ao

back at events from the new millennium . A two-monitor installation as we ll as a broadcast piece,

lançar um olhar sobre os eventos que marcam o novo milênio. O filme Jornada do Pavor é exibido numa instalação que

Journey into Fear has been translated into Portuguese for Brazil-

conta com dois mon itores e aparelhagem de transmissão. Fo i du-

ian television and 25th Bienal de São Paulo audiences . The visible

blado em português para a televisão brasil eira e para o público

dubbing of language in the translation references the manner in

da 25 a Bienal de São Paulo. A dublagem evidencia a forma pela

which Hollywood films are globally disseminated, emphasizing a dis-

qua l os f il mes de Hollywood são disseminados globa lmente, dando

locatio n rather than a seam lessness. The layering of history in the

ênfase à ruptura, em vez da infa libi li dade. A perspectiva históri-

multipie manifestations of Journey into Fear not on ly points to

ca das várias versões de Jornada do Pavor não apenas comprova

Vancouver's notoriety as Hollywood North, a city that can stand in

a notoriedade de Vancouver como a Hollywood do Norte, uma ci-

for" anywhere," but also to the permeation of the U.S. motion

dade que pode ser qualificada de "qualquer lugar", mas também

picture industry throughout the world, from Canada to Bra zil and

demonstra a influência da indústria cinematográfica norte-ame-

beyond .

ricana nas culturas do planeta, do Canadá ao Brasil e a outros

Journey into Fear expands on ideas that Douglas has ex-

plored in previous works, including pivotal social and political de-

países. Jornada do Pavor expande as idéias difund idas por Dou-

velopments of the modern world and how they have come to be

glas em traba lhos anteriores, inclu indo o desenvolvimento social

historically represented. Doug las not only addresses historical memory

e político do mundo contemporâneo, e como esse desenvolvimento

but his precise use of the language of television and cinema reveals

pode ser representado historicamente. Além de evocar a memó-

conventions operating with in mass media in its shaping of memory.

ria histórica, o uso da li nguagem do cinema e da televisão na obra

In particular, Douglas' layered works stress the importance of re-

de Douglas revela os cânones dos meios de comunicação de massa

covering local histories and presenting counter narratives as a means

na formação dessa memória. Os trabalhos multifacetados do ar-

to discuss the legacies of modernism and to question utopian ide-

tista enfatizam a importância do resgate de culturas locais e pro-

ais of progresso

põem anti narrativas para discutir o legado do modernismo e questionar os ideais utópicos de progresso. Este projeto foi organizado pela Galeria de Arte de Van-

This project has been generousl y supported by Canada 's Department of Foreign Affa irs and International Trade, the Canada Council for the Arts and the British Columbia Arts Council, and has

couver e contou com a generosa colaboração do Ministério de

been organized by the Vancouver Art Ga ll ery.

Relações Exteriores e Comércio Internacional do Canadá, do Con-

[Daina Augaitis/Melan ie Q'Brian]

selho Canadense para a Arte e Cultura e da Secretaria de Arte e Cultura da província de British Columbia. [Daina Augaitis/Melanie O'Brian]

74


Stan Douglas

Journey into Fear, vídeo-DVD, 15:22 minutos por rotação, variações de 30 sessões de diálogo, tempo total de 7 horas e 40 minutos, edição de 10, 2001

75


Stan Doug las Journey into Fear, vídeo-DVD , 15:22 minutos por rotação, variações de 30 sessões de diá logo, tempo tota l de 7 horas e 40 minutos, edição de 10, 2001

76


77


Ch ile [Chile]

Pablo Rivera Curadoria [Curators] Justo Pastor Mellado/Luisa Ulibarri

Habitar: A Necessidade de Imaginar

Inhabiting: The Need to Imagine

A redução espacial do humano a condições básicas ou

The reduction of human space to the basic or minimum

mínimas de existência, evidencia o fato de que existe algo como

conditions of existence high lights the presence of something like

uma arquitetônica que é inerente à vida humana. É óbvio que a

an architectonics that is inherent in human lives . It is clear that the

relação principal e fundamental de um ser vivo com a natureza

human being's most primary and basic relationship with nature

tem origem no corpo e, conseqüentemente, no desejo de man-

orig inates in the body, and, therefore, in the quest for survival. Where

ter-se vivo. No caso do ser humano, esse desejo é o desejo de viver

humans are concerned, this desire is to tive more. How is this de-

mais. Como é o que o desejo se torna desejo de construir? Como

sire transformed into the urge to build? How is it that desire, need

é que se complicam, numa mesma espiral, desejo, necessidade e

and imagination find themselves intertwined on the same spira l?

imaginação? Parte importante da obra de Pablo Rivera desenvol-

It is in the context suggested by questions such as these that a sig-

ve-se no horizonte aberto por essas perguntas.

nificant part of Pablo Rivera's works develops.

De modo geral, a moradia básica e, particu larmente, a

The basic dwel ling, generally, and particularly what has

denominada moradia de "autoconstrução" exibem, precisamen-

become known as autoconstrucción [self -bui lt construction ] exhibit,

te por sua tendência a um grau zero de retórica na construção

precisely by their tendency for the zero-degree of rhetoric in their

(grau zero de estilo, moda, "gosto"), o excessoque implica vi-

construction (zero degree in style, fashion and "taste"), the excess

ver. Um excesso que flui a partir do corpo, mas que não mantém

inherent in livi ng. This excess emanates from the body, but does

com o meio (a "natureza") uma relação imediata: a relação hu-

not maintain a direct link with the environment (" na ture"): the

mana com a natureza não é natural nem um simples efeito da

relationship that humans have with nature is neither natural nor born

necessidade, mas é sempre, em algum grau, obra da imaginação.

simply out of necessity, but is always, to some degree, a product

Talvez seja a obra de uma necessidade de imaginar que resulte

of the imag ination in cases where such a product derives from a

do fato de se ter um corpo, como se viver humanamente já fosse

need to imagine resulting from the fact of having a body. It is as if

uma sofisticação, um artifício. O ser humano constrói seu espaço como uma projeção de seu corpo, porque não se limita a "estar" em meio às coisas,

living in human terms were, in itself, a form of sophistication an artifice. The human being bu ilds his dwelling as a projection of his

mas necessita habitar, criar ambientes internos. Talvez seja a úni-

body, since it is not restricted to "being" in the centre of things,

ca criatura que sabe da exterioridade e que, mais ainda, se de-

but the need to inhabit, to create interior spaces. Perhaps he is the

fine em suas formas de sentir, de saber e de crer por esse saber

only creature aware of that which lies outside of himself, and who

sobre o exterior, com o qual mantém uma re lação de sedução e

moreover defines himself according to ways of feeling, knowing,

temor. É precisamente essa re lação complexa e contínua com o

and believing based on this awareness of the outside with which

exterior que se manifesta na arquitetura do habitar, espec ial-

he maintai ns a relationship characte rised by all urement and fear.

mente quando esta é mínima.

It is precisely this complex and sustained relationship with the outside

[Sergio Rojas]

which reveals itself in the architecture of inhabitable space, particularly when such space is min imal. [Sergio Rojas]

78


Pablo Rivera

Minima! n° 2 (ARS 01), intervenção urbana, 2001

79


Pab lo Rivera Observaciones acerca dei gusto y el poder (Gal. Animal), pintura em prato, 2000

80


Pab lo Rivera

Minimal (Gal. Animal), escultura, 2000

81


Ch ina [China]

Wang Jian Wei Curadoria [Curator] Fan Di An

Nunca mais abraçaremos este tipo de experiência, isto é,

We will never embrace this kind of experience again, that

a crença de que o conhecimento da realidade possa ser alcança-

is, the belief that a knowledge of reality can be arrived at via one

do por meio de uma filosofia, uma teoria ou uma ideologia. Sua

philosophy, one theory or one ideology. Its legitimacy is finished.

legitimidade está terminada. Qualquer forma de compreensão

Any form of linear understanding, of believing that progress is built

linear, de acreditar que o progresso é construído no processo de

on the process of endless production and reproduction denies the

interminável produção e reprodução, nega a variedade eviden-

variety apparent to those who are willing to see. We will need to

te para aqueles que querem ver. Necessitaremos ser amparados

be sustained by an ambiguous, non-fixed and multi-Iayered real-

por uma realidade ambígua, instável e com múltiplas camadas. O

ity. The world will have no essence but more possibilities.

mundo não terá uma essência mas mais possibilidades.

[Wang Jian Wei]

[Wang Jian Wei]

Wang Jian Wei Ping Feng, vídeo-instalação com performance, 2000

82


83


Chipre [Cyprus]

Yioula Hadjigeorghiou Curadoria [Curator] Nicos Nicolaou

Traps (Armadilhas)

Traps

O espírito inovador, por trás do conceito da instalação

The innovative spirit that governs the concept of the work

Traps, da jovem artista cipriota Yioula Hadjigeorghiou, manifes-

Traps of the young Cypriot artist Yioula Hadjigeorghiou is prima facie

ta-se prima facie na escolha do material e na organização da forma.

manifested through the choice of the material and the organisation

Yioula recorre ao acrílico e material fotográfico (imagens em ne-

of the form: the artist uses Plexiglas, processed photographic ma-

gativo de corpos de mulheres decapitadas impressos sobre filmes

terial (negative images of decapitated female bodies printed on X-

de raio X) sob o efeito de luzes giratórias, dispostos como se fossem

ray films) and mechanically rotating light sources. She assembles

partes integrantes de uma forma imaterial e sintética. A mistura

them so that they function as integral parts of a synthetic, imma-

absolutamente cativante e genial desses materiais leva à construção

terial formo The utterly appealing and ingenious combination of the

de algo translúcido.

materiais results in the construction of a translucent formo

O espaço e a apresentação visual são também aspectos

Also pertaining to the formal understanding of the work

importantes para melhor compreender o trabalho de Yioula. O

is the arrangement of the space for its visual presentation: the work

conjunto da obra é exibido em espaços de baixa iluminação, com

is placed in a dark roam in arder to intensify the contrast between

o intuito de intensificar o contraste entre a lucidez da presença

the lucidity of its presence and the obscurity of its surroundings.

dos objetos e a obscuridade do ambiente.

Certainly, these formal elements and scenic effects do not

Os elementos formais e os efeitos cênicos da obra não são

determine the semantic analysis in an absolute way. Being themselves

fatores determinantes de análise semântica absoluta. Na verdade,

suggestive rather than indicative, the "traps" are open to various

as "armadilhas" são mais sugestivas do que indicativas, e estão aber-

possible interpretative approaches, and possess their own inner

tas a múltiplas interpretações que, embora nem sempre consistentes,

logical coherence. They validate and support the idea that the work

possuem uma coerência interna toda própria. As várias abordagens

itself has a hermeneutically inexhaustible communicative potential.

interpretativas validam a tese de que a obra de Yioula é dotada

There is, for example, the interpretation arising from the

de um potencial comunicativo hermeneuticamente inesgotável.

experience of entering the dark roam where the installation is placed:

Uma das interpretações advém da experiência de entrar

due to the illusory effect which is generated by the rotating light,

na sala escura, onde está localizada a instalação. O efeito ilusó-

we view decapitated female bodies seemingly floating, immersed

rio gerado pela luz giratória nos leva a ver os corpos decapita-

in water tanks and performing acts of balance in their tranquil

dos das mulheres flutuando no ar, submersos em tanques de água

solitude. The impression of entering the realm of Hades, the World

ou equilibrando-se tranqüilamente no espaço. Temos a nítida

of the Dead, emerges. The view of the decapitated female bodies

impressão de estarmos entrando no Mundo dos Mortos de Hades.

instantly evokes notions of alienation, deprivation of identity and

Os corpos decapitados nos fazem sentir alienados, como se tivés-

loss of the Self. Thus, a possible "reading" is to understand it as

semos perdido a identidade e/ou sido privados do nosso eu. Uma

an allegorical description of the human condition in the metropo-

leitura possível para a instalação de Yioula é compreendê-Ia como

lis. The metropolitan space is being conceived as a construction in

uma descrição alegórica da condição humana nas metrópoles, em

which the anonymous human being is held captive.

que o espaço urbano é concebido como se fosse um lugar de se-

Yet, the gaiety with which the voluptuous, acephalous bodies

res humanos anônimos e cativos. Ainda assim, a leveza com que

are floating in their aquatic environment and the obvious eroticism

aqueles corpos voluptuosos e acéfalos flutuam num ambiente

of their movements can also support the idea that the work demands

aquático, bem como o erotismo exalando de seus movimentos,

to be perceived and described in terms of a different aesthetical

reforçam a idéia de que a obra de Yioula requer uma percepção

rhetoric. Its intention, according to this new "reading", lies in the

maior e não pode ser meramente descrita como retórica estéti-

presentation of the metropolis (the metropolitan space) as a refuge.

ca. Uma leitura mais detalhada revela que a intenção da artista

[Nicos Nicolaou]

é apresentar a metrópole, o espaço urbano, como um refúgio. [Nicos Nicolaou]

84


Yioula Hadjigeorghiou Traps, instalação, 2001

85


Ci nga pu ra

[Singapore]

Hong Sek Chern Curadoria [Curator] Bridget Tracy Tan

Metropolitan Iconographies in the Work of Hong Sek Chern

Iconografias Metropolitanas na Obra de Hong Sek Chern Livre do caos presente no bojo da civilização moderna, Hong Sek Chern exibe obras que contêm uma série de estruturas

Sek Chern presents a series of obviously urban structures in her art.

Free from the clutter that modern civilisation affords, Hong

urbanas óbvias. Com precisão matemática, a artista utiliza grades

With mathematical precision, she uses perspectiva I organisation and

e organizações em perspectiva, para definir áreas construídas ar-

grids to define architecturally built-up areas in the cultivation of space

quitetonicamente no cultivo de um espaço sobre superfície bi-

on a two-dimensional surface. With a background in the mathemati-

dimensional. Formada em ciências matemáticas, a metodologia

cal sciences, her methodology is two-fold: it creates a sense of the

aplicada por Sek Chern à sua obra é feita em duas vias. Por um

uniformly measured while begging of questions concerning the

lado, traços lineares uniformemente criados e, por outro, ques-

infinite. Hong Sek Chern's work contains investigations of art in three

tões prementes relativas à infinitude. O trabalho da artista inves-

areas: firstly in cultural difference (in her use of Chinese ink and

tiga a arte sob três perspectivas distintas. Primeiramente, sob a

paper), practical usage (in the capricious qualities of media, use of

ótica da diversificação da cultura, refletida no uso do nanquim

solid ink, water and rice paper) and finally, in aesthetic contemplation

em papel; em segundo lugar, no manuseio dinâmico de diversos

(imagining and imaging an alternate space for appreciation).

tipos de mídia e no uso de tinta sólida, água e papel de arroz; por

In her deliberate exclusion of the figurai, the artist professes,

último, na contemplação estética, imaginando e criando imagens

"The paintings are obviously constructed by a human for a human,

de um espaço alternado para a reflexão.

the inclusion of a human figure would be superfluous." In this, she

Ao excluir deliberadamente temas figurativos, a artista

diagnoses the spirituallacking in contemporary urban-scapes. Hong

professa: "As pinturas são obviamente criadas por e para seres

Sek Chern's paintings illustrate ideas of the sublime, consistent with

humanos. Creio que a inclusão de uma figura humana em minha

humans attempting to organise and understand nature, an ideol-

obra seria redundante". Com esta proposta, a artista expõe a

ogy that has perpetuated Western and Eastern art throughout history.

carência espiritual na paisagem urbana contemporânea. As pin-

Through her renderings, the artist presents a sometimes rapt futil-

turas de Hong Sek Chern captam imagens do sublime, consonante

ity disclosing possibilities, yet simultaneously providing the calcu-

com a tentativa dos seres humanos de organizar e compreender

lated passageways in which we continue to seek the same.

a natureza, um padrão histórico muito disseminado na arte oci-

Definitely inspired and challenged by her urban surround-

dental e também na oriental. As percepções da artista, por vezes,

ings, Hong Sek Chern masters varying techniques of traditional Chi-

expressam uma futilidade extática revelando possibilidades, ao

nese ink on rice paper, emulating physical as well as metaphysical

mesmo tempo que nos mostram caminhos pelos quais buscamos

journeys, given the scale and profundity of her work. Her final paint-

sempre o imutável. Totalmente instigada e envolvida pelo espaço urbano ao

ings seamlessly meld gestures fueled by rigours of science as well as creative energy, a root principie easily transferred from the disci-

seu redor, Hong Sek Chern domina com maestria as várias técni-

pline of traditional Chinese ink painting into her contemporary art.

cas do nanquim sobre papel de arroz, como se fossem verdadei-

[Bridget Tracy Tan]

ras jornadas espirituais e metafísicas, dada a abrangência e profundidade da sua obra. Suas últimas pinturas mesclam, indefectivelmente, gestos comandados pelos rigores da ciência e da energia criativa, um princípi"o básico traspassado a partir da tradicional arte chinesa da pintura em nanquim para a arte contemporânea de Hong Sek Chern. [Bridget Tracy Tan]

86


Hong Sek (hern Shopping Heaven, nanquim sobre papel, 172 x 200 cm, 2000, coleção particular

87


Hong Sek Chern Tower A, nanquim sobre papel, 172 x 240 em, 2000 Tower 8, nanquim sobre papel, 138 x 240 em, 2000

88


Hong Sek (hern

Thomson F/yover, nanquim sobre papel, 138 x 200 em, 2000

89


Colômbia

[Colombia]

Luis Fernando Peláez Curadoria [Curators] Maria Belén Saéz de Ibarra

Chuva

Rain Numa época em que a massificação e a anomalia se tra-

At a time when mass consumption and anonymity trans-

duzem na cidade diluída, em que a ruptura do contrato social e

late into urban disintegration, where the breaking of the social

a descomposição do entorno urbano constituem a banalização do

contract and the degradation of urban space constitute the triv-

mal" a instalação Chuva, de Luis Fernando Peláez, fascina e sus-

ialisation of evil,l the installation entitled Rain by Fernando Peláez

cita múltiplas reflexões.

is both fascinating and thought-provoking.

Em uma planície aquática escura e vasta, Peláez situa edi-

Over a vast, dark, aquatic plane Peláez places buildings ei-

fícios em grupos ou isolados. Entre eles, espaços vazios com pi-

ther separately ar in groups. Among them, empty spaces with oc-

lares ocasionais, elementos de ancoragem. Serão casas? Poderiam

casional mooring poles. Could they be houses? They might also be

também ser antigas fábricas ou granjas. Uma série de demarca-

old factories ar farms. A series of demarcations, limits, dividing lines,

ções, de limites, de linhas divisórias denotam um sentido de pro-

denote a sense of propriety, a fundamental fact, and to a greater

priedade, um feito institucional, e, além disso, são rachaduras,

extent, fissures, artificial accidents which speak of separation. Some

acidentes artificiais que falam de separação. Algumas casas con-

houses are still situated at right angles, while others seem to sink

servam uma organização ortogonal, ao passo que outras parecem

irrevocably into still waters. Feelings of disquiet are aroused by the

submergir irremediavelmente em águas mansas. Uma perturba-

ordering - moving, sinking, closing off - of these archetypal el-

ção torna-se aparente pelo ordenamento-deslocamento-submer-

ements that are either fixed ar adrift in amniotic fluid, rainwater,

são-fechamento desses elementos arquetípicos, fixos ou à deriva

abandoned to the forces of destiny.

em um líquido amniótico, águas de chuva, abandonados a seu destino.

We do not know what currents run beneath the surface. The house is the primai family foyer, familiar and homely, evoking

Não sabemos que correntes passam sob a superfície. A casa

an atmosphere of seclusion and intimacy. The house of the flood

é a antiga sede do que é familiar, reconhecível e caseira, atmos-

plains is shut off, withdrawn, and left to wander in the rain ar the

fera de recolhimento e intimidade. A casa da planície de água,

flood, revealing the secret presence of its occupant. It is the con-

cega, recolhe-se em si mesma. A casa errante na chuva ou no dilúvio

tainer, and the man, its contents. The man in search of his port of

revela a presença secreta do habitante. A casa é continente, e o

call, like the lion, its lair.

homem, seu conteúdo. Aquele homem que busca seu porto, como o touro, a querência:

"Chewing over lamentations, eternal/y swal/owing up distances, making a noise of sour waters upon sour waters. "2

" ... mastigando lamentos, engolindo e engolindo distâncias,

In Paradise - a garden. When waters playfully ran and man

fazendo um ruído de águas acres sobre as águas acres ... "2

was at one with nature; when he had no need of the protection of a No paraíso - um jardim - corriam alegremente as águas,

home. And so it is that Paradise will have to define itself negatively: fi

e o homem e a natureza eram uma e a mesma coisa. Ele não pre-

it will always be the place where one is not, the time which one

cisava da proteção do lar. "E eis que o paraíso terá de se definir

does not inhabit," for, in the words of Rimbaud, true lite is absent. 3

de forma negativa: será sempre o lugar onde não se está, o tem-

The house, feminine, that which contains, falls silent. The

po em que não se vive", pois nas palavras de Rimbaud, a verdadeira

water, a purifying essence, also conceals sinister creatures like the

vida está ausente 3•

snake (knowledge) which gave us suspicion, INhile to the other, who

A casa, feminina, continente, emudece. A água, essen-

lives in each one of us, it gave fear. Perhaps within there is a more

cialmente purificadora, também oculta bestas como a serpente (o

humane and welcoming landscape, and the clear waters augur

conhecimento), que nos legou a desconfiança e o medo do "ou-

dreams. In the work of Peláez a macro-simplicity is a formidable

tro", do outro que habita dentro de nós. Quem sabe no interior

instrument with which to explore the world of the occult.

haja uma paisagem mais humana e acolhedora, e as águas claras

[Patrícia Gómez]

90


Luis Fernando Peláez Chuva (detalhe), instalação com ferro, bronze, alumínio, madeira e resinas, 0,21 x 4 x 10m, 2001

91


auspiciem sonhos. Na obra de Peláez, uma macrossimplicidade é

1

ferramenta tenaz para explorar um mundo oculto.

Ed. Duque, Félix. Colección Delos, Universidad de Murcia y Ediciones dei

[Patricia Gómez]

Serbal, Spain, 1993. 2

1

Pardo, José Luis. "EI Mal de la Banalidad", EI Mal, Irradiación y Fascinación.

Pardo, José Luis. " EI Mal de la Banalidad ", fI Mal, Irradiación y Fascinación.

Neruda, Pablo. Residencia en la Tierra, EI Fantasma dei Buque de Carga.

Quoted by the artist in a conversatio n abou t his work. López Castellón, Enrique. Colección Delos, Universidad de Murcia y Ediciones

Ed. Duque, Félix. Colección Delos, Universidad de Murcia y Ediciones dei

l

Serbal, Espanha, 1993.

dei Serbal, Spain, 1993.

2

Neruda, Pablo. Residencia en la Tierra, EI Fantasma dei Buque de Car-

ga. Citado pelo artista em conversa sobre sua obra. l

López Castellón, Enrique. Colección Delos, Universidad de Murcia y

Ediciones dei Serbal, Espanha, 1993.

Luis Fernando Peláez Chuva (deta lhes), instalação com ferro, bronze, alumínio, madeira e resinas, 0,21 x 4 x 10m, 2001

92


93


Co n9o(República Democrática) [Democratic Republic of the Congo]

Chéri Samba Curadoria [Curator] André Magnin

Chéri Samba nasceu em 1956, em Kinto M'Vuila, aldeia

Chéri Samba was born in 1956 in Kinto M'Vuila, a tradi-

tradicional do Baixo Zaire. Termina os estudos secundários em

tional Low-Zaire village. He completed high school in 1972, con-

1972, com a classificação "100% melhor desenhista". Sai de sua

sidered a "100% great designer". He left his village for Kinshasa,

aldeia rumo à capital, Kinshasa, e vai morar na Avenida Kasa Vu-

the capital city, settling in Kasa Vubu Avenue, where he still has

bu, onde ainda hoje tem ateliê.

his atelier today.

Começa a ganhar a vida como pintor de letreiros publi-

He started making his living as an advertisement board

citários e faz as primeiras histórias em quadrinhos para sua re-

painter and produced his first comic strips for his magazine Bílenge

vista Bílenge Info . A partir de 1975, começa a transpor os qua-

Info. In 1975, he began transposing his comic strips onto canvas,

drinhos para a tela e inaugura assim a pintura com "balões": "Eu

thus inaugurating the bubble painting : "I define myself as a popu-

me defino como artista popular e produzo uma arte dirigida pa-

lar artist who produces an art addressed to the public at large, from

ra o grande público, iniciados e não-iniciados. Do jornalismo ao

initiates to non-initiates; involving everything from journalistic to

quotidiano". Pinta o universo social, político, econômico e cul-

quotidian issues." He painted the social, political, economic and

tural do Zaire (hoje República Democrática do Congo). Logo co-

cultural universe of Zaire (today Democratic Republic of Congo).

nhece grande popularidade local e passa a ser chamado de "Chéri

He quickly achieved a great popularity, making himself known as

Samba: Artista Popular". "Fui eu quem quis essas palavras, pois

"Chéri Samba: A Popular Artist". Concerning this, he observes :

o que pinto se destina a todo o mundo. Minhas raízes estão no

"It was I who decided to use this description because what I paint

povo, não quero me afastar dele, meus quadros sempre contêm

is addressed to everybody. My roots are the people, I do not want

mensagens, uma moral." Ele põe em cena fatos sociais, costumes, sexualidade, doenças, desigualdades sociais, corrupção. Teve a idéia de expor

to be away from them, my paintings al ways car ry some message, some moral." He represents the facts of society, customs, sexuality, dis-

regularmente seus quadros na fachada do ateliê para transmitir

eases, social inequalities, corruption . He had the idea of regularly

suas mensagens à população de Kinshasa, que adquiriu o hábito

exhibiting his paintings in front of his atelier in order to transmit

de ir lá comentar a atualidade. "No começo eu queria que meus

his messages to the Kinoi population who used to come and make

quadros interpelassem a população de Kinshasa, e depois a de todo

comments about current events. "At first, I wished that my paint-

o mundo, do mundo inteiro. Minha obra mantém relação com a

ings would question the Kino i population and from then on ev-

tradição, com meu ambiente, com a memória, as raízes, a famí-

erybody, everywhere . My work maintains a relationship with tra-

lia e a coletividade. Minha obra é o quotidiano na arte."

dition, with my environment, memory, roots, family and collectivity.

Sai pela primeira vez de Kinshasa para ir a Paris em 1982 e aproveita essa estada para lançar um olhar surpreso e interro-

My work is the quotidian inside art." In 1982, he left Kinshasa for the first time to come to Paris,

gador sobre a vida e os costumes parisienses. Sua participação

making the most of this travei to place an astonished and ques-

na exposição Magícíens de la Terre, em 1989, granjeia-lhe suces-

tioning look upon the Parisian life and customs . His pa rticipation

so internacional. Nas palavras do artista:

in the exhibition Magiciens de la Terre in 1989 turned him into an international success. In the artist's words:

"Sem deixar de lado o trabalho e o espírito dos artistas ociden-

tais, minha obra quer falar diretamente às pessoas a respeito de

94

"Without disregard ing th e work and the spirit of Western artists,

coisas que elas parecem ignorar ou esquecer. Eu me interesso pela

my work wishes to speak to people straightforwardl y about thing s

atualidade, mas gosto de virá-Ia, comentá-Ia, moralizar em tor-

that they seem to ignore or fo rget. I am interested in actuality but

no dela, usá-Ia como me convém. Esse é um compromisso comi-

I love to divert it, to comm ent about it, to moral ize it, to use it as

go mesmo.

it suits me. Thi s com mits no one but me.

Como eu gostava de caricaturar minhas personagens, diziam que

Because Iloved to caricature my characters, I heard that it was said

eu era incapaz de pintar fielmente a realidade. Na verdade, vi-

that I was unab le to pa int reali ty faithfully. In fa ct, Ilived for a long


Chéri Samba Que! Avenir Pour Notre Art?, óleo sobre tela, 130 x 194 cm, 1997 [CAAC. - The Pigozzi Collection, Genebra]

95


vi muito tempo de encomenda de retratos; mas os críticos não

time thanks to portrait orders; but erities did not know that sinee

sabiam disso, porque nunca viam esses quadros."

they never saw sueh paintings."

No começo, ele queria "fazer nome, simplesmente". A

In the beginning, he wanted to "make his name known,

partir do fim dos anos 80, resolveu tomar-se como modelo e se

nothing else." As from the end of the '80s, he elected to make

pôr em cena nos seus próprios quadros para ficar conhecido "não

a model of himself and to be represented in his paintings

50

that

só de nome mas também de rosto. Como um apresentador de

everybody could know him, "not just a na me but a face also. Like

jornal da televisão".

a TV anchorman."

Embora o meio e o quotidiano de Chéri Samba estejam

Even if Chéri Samba's environment and quotidian are om-

onipresentes em seus quadros, ele pretende ser um "artista uni-

nipresent in his paintings, he sees himself as a "universal artist"

versal", no sentido de que a realidade de Kinshasa não é diferente

in the sense that Kinshasa's reality is not different from the other

da realidade das outras capitais que conhece. "0 que há é pobreza,

capital cities he knows. "There is a universal poverty, stupidity,

ignorância, corrupção, caos, decadência universais. Não existem,

corruption, chaos, decadence. There is no difference, after ali, be-

afinal de contas, diferenças entre negros, brancos e amarelos."

tween Black, White, Yellow."

Num quadro recente, Que! Avenir Pour Notre Art? (Que

In a recent painting, Que! Avenír Pour Notre Art?, Chéri

Futuro Tem Nossa Arte?), Chéri Samba escreve: "Que futuro tem

Samba inscribed: "What's the future for our art in a world where

nossa arte num mundo em que a maioria dos artistas africanos é

most African artists are oppressed? The only solution is to be ac-

oprimida? A única solução é ser aceito no resto do mundo, por-

cepted everywhere in the world, to therefore make exhibitions in

tanto, expor nos Museus de Arte Moderna. Sim, mas ... o Museu

Modern Art Museums. Yes, but. .. isn't the Modern Art Museum

de Arte Moderna não é racista? Que futuro tem nossa arte?"

racist?? What's the future for our art?"

Esse quadro, em que ele aparece com Picasso, é uma ma-

This painting, where he is represented with Picasso, is a

neira de homenagear todos os artistas africanos pretensamente

manner of paying tribute to ali supposedly anonymous African art-

anônimos que, fazendo máscaras tradicionais, inspiraram o cubis-

ists who have executed traditional masks and who have inspired

mo. "É uma maneira de dizer que há artistas em todo o mundo

Cubism, as he states: "It is a way of saying that there are artists

e que o Ocidente, que não considerava artísticas as nossas más-

everywhere in the world and that the West, which does not con-

caras, é hipócrita. Eu denuncio essa hipocrisia. A arte não tem

si der our masks as an art, is hypocritical. I denounce such hypocrisy.

fronteiras. Meu reconhecimento no Ocidente é motivo de orgu-

Art has no borders. My acknowledgement in the West makes my

lho para o meu povo. Mesmo sem ter freqüentado as academias

people proud. Without having attended your academies, I do not

de vocês, eu acho que não estou distante dos Michelangelos."

believe I am

50

far from Michelangelo."

His paintings always show a political dimensiono "Paint-

Há sempre em seus quadros uma dimensão política. "A pintura deve intervir na vida. O que me preocupa é mudar nos-

ing must intervene upon life. My concern is to change our men-

sas mentalidades. Eu interpelo as consciências. Artista precisa fazer

talities. I interrogate consciences. Artists should make people re-

pensar. Na minha opinião, a Arte Popular de Kinshasa, que já existia

flect. In my opinion, the Kinoi popular art that already existed be-

antes de mim, está inserida da Arte Contemporânea mundial. Mas

fore me is inscribed in the world's contemporary art. But we add

nós juntamos muito tempero, que é um jeito melhor de escapar

a lot of taste in order to better escape and pour our hearts OUt..."1

e descontrair"1.

[André Magnin]

[André Magnin] 1

1

Interview by André Magnin, Kinshasa, 2001.

Entrevista concedida a André Magnin, Kinshasa, 2001.

Chéri Samba Que! Avenir Paur Natre Art?, óleo sobre tela, 130 x 194 qn, 1997 Que! Avenir Paur Natre Art?, óleo sobre tela, 130 x 194 em, 1997-98 [eAAc. - The Pigozzi eollection, Genebra]

96


97


Coréia do Su I [South Korea]

Atta Kim Curadoria [Curator] Jin Sup Yoon

o Projeto Museu O Projeto Museu é uma série de trabalhos que venho

The Museum Project The Museum project is the series of works that I have been

desenvolvendo desde 1994 e é a continuação de um movimento

working on since 1994. It is a continuation of the deconstruction

de desconstrução que iniciei em 1988. Todos os trabalhos par-

work that I have been engaging in since 1988. Ali the works be-

tem de uma locação específica, para então tomar a forma de uma

gin with finding a location and take the form of installation and

instalação performática. O resultado é sempre documentado em

performance. Finally, the result is recorded in photographs.

fotografias. Para mim, tudo que existe na face da terra tem uma his-

For me, ali the existing things have their own historicity and value as a relic for which the human being is the subject. In the

tória própria e um valor intrínseco, no qual o ser humano é um

Museum Project, the museum as defined in a dictionary is decon-

mero sujeito. O museu convencional, na acepção da palavra, é

structed and my own private museum is constructed. The background

desconstruído no Projeto Museu, para dar lugar a um museu par-

for this project is any and ali the settings in natural and urban spaces.

ticular, construído por mim. Os espaços urbanos e os cenários

In spite of their specificity as individual places, when glass boxes

naturais servem como pano de fundo para este projeto e, embo-

are set in, ali the places become my stage, my museum. Glass boxes

ra sejam locais bastante específicos, quando acrescento uma cai-

in this project are formal in that turns human beings into stuffed

xa de vidro a esses lugares, por exemplo, eles se tornam o meu

specimens and a method that puts distance between the object and

palco, o meu museu. Nesta obra, as caixas de vidro adquirem um

the viewer.

papel importante, à medida que transformam os seres humanos

One series, War Memorial, tells a story about the brute

em espécimes dissimulados, um método que distancia o objeto do

violence seen in the bodies injured in the Korean War and the Viet-

observador.

nam War. The Sex series is about the instincts of the human being

Uma das séries, Memorial da Guerra, conta a história das

which are not so very different from those of animais. The Whore

atrocidades cometidas contra os combatentes das guerras da Coréia

series is about the evolution of people who buy and sell sexuality

e do Vietnã, visíveis nos corpos destroçados. A série Sexo mostra

while displayed in the show window like a commodity. By putting

os instintos a que os seres humanos estão sujeitos e que não di-

diverse kinds of people in glass boxes, I detach them from reality

ferem muito dos animais. A série Prostituta acompanha a evolu-

and display them, and at the same time deconstruct my own con-

ção das pessoas que compram e vendem sexo, dispostas na caixa

cept about the world.

de vidro como se fossem uma mercadoria. Ao colocar vários tipos

The Nirvana series is the most recent within the Museum

de pessoas na vitrine, eu as afasto da realidade, para mostrar e

project. In this series, the glass box works as another ideology that

também desconstruir meu conceito de mundo. A série mais recente

should be deconstructed in turno Here, the religious ideology is taken

do Projeto Museu é a Nirvana, em que a caixa de vidro funciona

down to the levei of the space of everyday life. The models are monks

como uma ideologia diferente a ser desconstruída. Neste caso, a

and ordinary people. Buddha said, "1 am exactly the same as ali the

ideologia religiosa é reduzida no nível do espaço do quotidiano.

people. Anybody can become a Buddha, including very miscellaneous

Os modelos na vitrine são monges e pessoas comuns. Buda dizia:

beings." I sympathize with this remark. However, the Nirvana se-

"Sou exatamente como todas as pessoas e, portanto, todos os seres

ries is not simply about Buddhism. In #142, Buddha and Christ are

vivos podem-se tornar budas". Em #142, Buda e Cristo são repre-

in the same figure. This means that once ali the ideologies are

sentados pela mesma figura. Uma vez eliminadas as ideologias,

annihilated, ali the ideas can become concrete things that are vi-

todas as idéias podem se tornar algo visual, tátil, concreto, e par-

sual and tactile and can be shared in the ~ctual space.

tilhar do mesmo espaço. Não sou budista nem cristão, mas antes

Iam neither a Buddhist nor a Christian but an existential-

um existencialista procurando compreender um novo mundo es-

ist seeking to grasp a new world of spirit through my work.

piritual que se descortina, a partir do meu trabalho.

[Atta Kim]

[Atta Kim]

98


Atta Kim Museum Praject # 135 (Series af Nirvana), baeklight, 120 x 160 em, 2000

99


Atta Kim Museum Project # 139 (Series of Nirvana), baeklight, 120 x 160 em, 2001

100


Atta Kim

Museum Project # 132 (Series of Nirvana), baeklight, 120 x 160 em, 2001

101


Costa Rica

[Costa Rica]

Andres Carranza Mora Curadoria [Curator] Joaquin Rodríguez dei Paso

Digitalmente Teu Desde seu advento ao mundo contemporâneo, a digita-

Digitally Yours From the moment it came onto the scene, digitisation was

lização foi imediatamente utilizada por artistas de todo o mun-

immediately taken up by artists from ali over the world; this of course,

do (isto é, onde a tecnologia e os pressupostos econômicos per-

wherever technology and budgets have permitted, erasing bound-

mitem), suprimindo, quase desde sua inserção, toda uma série de

aries between traditional forms of communication.

fronteiras entre os "meios" tradicionais.

Quite ironically, therefore, while it is understood that dig-

De uma maneira muito irônica - pois entende-se que o

itisation enjoys a wide presence, the whole new wave of digital art

digital tenha uma onipresença muito grande -, toda a nova onda

carries with it the seeds of its own obsolescence: almost ali such

de arte digital traz consigo as marcas da obsolescência: quase toda

art comes armed" with a series of elements doomed to become

ela vem "armada" com uma série de elementos que se tornam

obsolete once it leaves the artist's studio: operational systems, display

11

obsoletos, uma vez que abandonam o "estudo" do artista. Siste-

hardware, software, sound, etc., ali generally tend to succumb to

mas operativos, hardware de display, software etc. são geralmen-

the passage of time. This takes place against the backdrop of ex-

te propensos a ficar obsoletos e a ser afetados com o passar do

tremely rapid changes in the computer industry itself and the market,

tempo.Tudo isso acompanhado do ritmo de uma indústria, a do

which, by their very nature, have vested economic interests in ren-

computador, que dita um passo muito rápido e que, por sua própria

dering programs and computers obsolete almost at once.

natureza econômica e de mercado, torna obsoletos os programas e os computadores quase imediatamente.

Andres Carranza, a young artist (born in 1975) who has staked his career on the use of digitisation both in the sphere of

É nesse novo" espaço mediático" que se insere a proposta

painting as well as sculpture and occasionally music, has chosen this

de Andres Carranza, um artista jovem (nascido em 1975), que

novel" media space" to present his proposal. His works, centred

apostou no uso do digital para dar vida às suas propostas, tanto

for the most part on his own body, also explore ways in which these

do ponto de vista pictórico quanto escultórico e, às vezes, musi-

new digital media may, metaphorically speaking, give a more ac-

caI. Suas obras, centradas, na maior parte, em seu próprio corpo,

curate representation of the chaotic world of hyper information in

também exploram a possibilidade de que esses novos meios di-

which we live. Also in some of his works the deliberate use of printing

gitais representem metaforicamente, de uma maneira mais pre-

serves to remind the viewers of how potentially ephemeral new art

cisa, o mundo caótico de hiperinformação em que vivemos. Além

forms can be: printing made on adhesive paper, which is stuck on

disso, algumas delas utilizam deliberadamente suportes de im-

the wall and subsequently removed at the end of the exhibition,

pressão que lembram quanto essas novas formas artísticas podem

is thus lost.

ser efêmeras: impressões feitas sobre papel engomado que logo

[Joaquin Rodríguez dei Paso]

adere à parede, por exemplo, e que, uma vez terminada a mostra, perdem-se ao ser removidas. [Joaquin Rodríguez dei Paso]

102


Andres Carranza Mora

EI Juicio Final (detalhe), impressĂŁo digital, 8 x 6 m, 2001

103


Croácia

[Croatia]

Ivan Faktor Curadoria [Curator] Leonida Kovac

São Paulo-Osijek: fine Stadt sueht einen Mõrder Ao falar sobre o seu processo criativo, a afirmação de que Ivan Faktor, durante uma vintena de anos, recicla o material ci-

São Paulo-Osijek: fine Stadt sueht einen Morder

nematográfico de Fritz Lang, assim como de que o faz com os

film material, as well as that about him doing the same thing with

próprios trabalhos, seria verídica. Mas, mais que a discussão so-

his own works, is true. However, rather than becoming involved in

While on the subject of a working procedure, it should be said that the claim that Ivan Faktor has been recycling the Fritz Lang

bre "a reciclagem", "a citação" etc., como métodos legítimos de

a discussion about "recyc/ing", "quotation", and similar things as

práticas artísticas contemporâneas, interessa-me o segmento do

legitimate methods of contemporary artistic practices, I am more

trabalho de Faktor, para o qual utilizarei o termo de significado,

interested in the segment of Faktor's works which - with complete

consciente do peso do vocábulo escolhido ou de seu caráter es-

cognisance of the seriousness of the word used, ar rather of the

corregadio. Uma vez que o significado não existe como uma ca-

slippery quality of the concept - I shall call the meaníng. Bearing

tegoria previamente dada, cristalizando-se apenas em contexto

in mind that the meaníng does not exist as a predetermined cat-

determinado, torna-se essencial identificar o(s) contexto(s) que o

egory, but rather that it is crystallised within a specific context, I

autor freqüentemente exprime, até literalmente, que torna(m)

feel it to be essential to identify the very context(s) which the au-

possível o performativo dessa obra: o filme experimental, como

thor frequently and explicitly defines, and which make the per-

possibilidade de abandono de estruturas narrativas que induzem

formative aspects of the artwork function.

um significado indubitável; Fritz Lang como área mítica e simul-

Namely, experimental film as an opportunity for a break-

taneamente um tópico de referência que abre a possibilidade de

through out of narrative structures which induce a single, indisputable

desmitificação; performance como presença e testemunho; foto-

meaning; Fritz Lang as a mythical space, but at the same time a place

grafia como ausência e sua negação; e, por fim, a pessoal, croata

of reference opening up a possibility for demythologisation; per-

e universal realidade contemporânea. O projeto multimídia, de fato work in progress, fine Stadt sueht einen Morder, é desta vez determinado pela relação/distância

formance as a presence and testimony; a photography as absence and its denial, and finally, the personal, Croatian and global reality of the everyday.

espaço-cultural entre Osijek, pequena cidade onde o artista vive

On this particular occasion the multi-media project, that is

e cria, e São Paulo, uma das metrópoles mundiais. Utilizando os

to say the work in progress entitled fine Stadt sueht einen Morder,

elementos da sintaxe das apresentações anteriores da obra, por

is determined by the spatial and cultural relation/distance of Osijek,

exemplo, Berlim-Osijek, ou Dubrovnik-Osijek, fine Stadt sueht

a small city in which the artist lives and works, and São Paulo, one

einen Morder, introduz uma dimensão mnemônica, que contes-

of the world's metropolises. Making use of the syntax elements of

ta a concepção linear de tempo e anula os contornos que sepa-

earlier work layouts, for instance, Berlin-Osijek ar Dubrovnik-Osijek,

ram o passado do presente ou do futuro. A função das legendas,

fine Stadt sueht eínen Morder introduces a mnemonic dimension

discretamente alusivas, ou, talvez mais precisamente, conotativas

that challenges the linear concept of time, and deletes the contours

do filme de Lang, projetadas sobre imagens móveis, refletem-se

which separate the past from the present ar the future. The func-

exatamente na focalização do estado de presença daquilo que na

tion of discreetly allusive, ar, to put it more precisely, connotative,

experiência existe como inexprimível. O que é - e onde - que

inter-subtitles from Lang's movie projected onto moving images is

a cidade inteira procura?

manifested in the very focussing on the state of presence of that

[Leonida Kovac]

which in experience exists as unutterable. What is it, and indeed where is it, that an entire city seeks? [Leonida Kovac]

104


Ivan Faktor 15 Minutes for Nada Lang 1997/2000, vídeo -instalação, 1997-2000 [Foto Ana Opalie]

105


106


Ivan Faktor 15 minutes for Nada Lang 1997/2000, vídeo-insta lação, 1997-2000 [Fotos Ivan Faktor]

107


Di na marca

[Denmark]

Michael Elmgreen/lngar Dragset Curadoria [Curator] Dorthe Abildgaard

"O dispositivo panóptico organiza unidades espaciais que per-

"The panoptic mechanism arranges spatial unities that make it

mitem ver sem parar e reconhecer imediatamente."

possible to see constantly and to recognize immediately."

[Michel Foucault, Vigiar e Punir, Petrópolis, Vozes, 1987, p. 177]

[Michel Foucault, Discipline and Punish, trans. Alan Sheridan, Harmondsworth, Midd lesex: Penguin Books, 1991 , p. 200]

"Sem sombras, branco, limpo, artificial - o espaço é devotado

à tecnologia da estética."

" Unshadowed, white, clean, artificial - the space is devoted to

[Brian O'Doherty, Inside the White Cube: The Ideology af the

the technology of esthetics."

Gallery Space, Berkeley: University of California Press, 1981, p.

[Brian O'Doherty, Inside the White Cube: The Idealogy of the Gallery

42]

Space, Berkeley: University of California Press, 1981, p. 42]

Michael Elmgreen e Ingar Dragset pertencem a uma ge-

Michael Elmgreen and Ingar Dragset belong to a recent

ração recente de artistas cujo trabalho estabelece relações dinâ-

generation of artists whose works establish dynamic relationships

micas com os campos vizinhos da arte. Écomo se, de algum modo

with art's neighboring fields . It's as if somehow frustrated with fine

frustrados com a autonomia e o distanciamento do mundo real,

art's autonomy and detachment from the real world, artists have

os artistas buscassem abrir seus ateliês e contaminar seu traba-

sought to open up their studios and contaminate their work with

lho com a vida quotidiana e com outras disciplinas mais munda-

everyday life, as well as other, more mundane disciplines such as

nas, como a arquitetura e o designo Mediante sua série Powerless

architecture and designo Through their "Powerless Structures" se-

Structures [Estruturas sem Poder], Elmgreen e Dragset vêm con-

ries, Elmgreen and Dragset have been critically and creatively con-

frontando, de maneira crítica e criativa, o aparato mais refinado

fronting modern art's most refined structural apparatus, the ulti-

da arte moderna, a moldura última de sua economia - o cubo

mate framing device of its economy - the white cube. Foucault

branco. Foucault é uma referência-chave para eles: "Nenhuma

is a key reference for them : "No structure can impose any power

estrutura é capaz de impor nenhum poder por si mesma - o po-

in itself - power derives only from the way we deal with these

der deriva apenas da maneira pela qual tratamos essas estrutu-

structures." The issue at stake is that of context, and Elmgreen and

ras". O que está em questão é o contexto e, nesse sentido, Elm-

Dragset are thus indebted to sixties and seventies conceptual art

green e Dragset são tributários da arte conceitual e da crítica

and institutional critique. Yet beyond pure and complex conceptual

institucional dos anos 60 e 70. Entretanto, para além da pura e

critique, the artists' reassessment of the white cube has also been

complexa crítica conceitual, a confrontação do cubo branco ope-

pervaded with sex and humor.

rada pelos artistas é também permeada por sexo e humor. Para a 2S a Bienal de São Paulo, Elmgreen e Dragset sobre-

For the 25th Bienal de São Paulo, Elmgreen and Drag set have superimposed the white cube against another, deeply com-

puseram' o cubo branco a outra estrutura arquitetônica profun-

plex, refined and emblematic architectural structure of the mod-

damente complexa, refinada e emblemática da era moderna -

ern era - Jeremy Bentham's panopticon. The similarities are strik-

o panóptico, de Jeremy Bentham. As semelhanças são surpreen-

ing and telling: both the panopticon and the white cube are ideal,

dentes e eloqüentes: tanto o panóptico quanto o cubo branco são

utopian architectural configurations which reflect and respond to

configurações arquitetônicas que refletem e respondem aos nossos

our heavily scopic regimes of existence. Both of them render naked

carregados regimes escópicos de existência. Ambas desnudam e

and transparent, under the bright light, the objects or subjects

deixam transparentes, sob a clara luz, os objetos e os sujeitos que

whi ch inhabit them, through precise and authoritarian isolating

as habitam, mediante precisos e autoritários aparelhos estrutu-

and framing structural devices. The eye is the privileged organ in

rais de emolduramento. O olho é o órgão privilegiado deste mo-

this spectacular model. In São Paulo, the white cube has perversely

delo espetacular. Em São Pau lo, o cubo branco se desenvolveu

developed into a prison and has been broken into two pieces . At

perversamente numa prisão e foi quebrado em dois. Ao centro

the center of the Oscar Niemeyer-designed pavilion, context has

do pavilhão desenhado por Oscar Niemeyer, o contexto se trans-

transformed itself into object, and the wh ite-cubish-prison has

108


Michael Elmgreen/lngar Dragset Elevated Gallery/Powerless Structures, instalação no Statens

Museum for Kunst, Copenhagen, 530 x 575 x 340 em, 2001 [Foto Andreas Szlavik]

109


formou em objeto, e a prisão em cubo branco foi ela mesma "pa-

itself been panopticized for the exhibition spectators' clinicai and

nopticizada" para o deleite crítico e clínico dos espectadores da

criticai delight. Foucault's lesson should not be forgotten: "Visibility

exposição. A lição de Foucault não deve ser esquecida: "A visibi-

is a trap."

lidade é uma armadilha".

[Adriano Pedrosa]

[Adriano Pedrosa]

Michael Elmgreenllngar Dragset Prison Breaking/Powerless Structures, projeto de instalação para a 25 a Bienal de São Paulo, 375

x 550 x 750 cm, 2002

[à direita] Dug Down Gallery/Powerless Structures de dia e

à noite, instalação no Reykjavik Art Museum/Galleri i8, Reykjavik, 220 x 320 x 500 cm, 1998 [Foto Borkur Arnarson. Cortesia Galleri Nicolai Wallner, Copenhagen/ Klosterfelde, BerlimfTanya Bonakdar Gallery, Nova Iorque]

110


111


Egito [Egypt]

Abd EI Saiam Eid Curadoria [Curator] Mohamed Ghoneim

a trabalho que apresento na 2S a Bienal de São Paulo é

The work which 1present at the 25th Bienal de São Paulo

o resultado da interação entre várias idéias vigentes na filosofia

is the result of the interaction among groups of ideas which are in-

e no espírito da Bienal, em seu contexto mais amplo, isto é, o de

spired by the philosophy of the Bienal in its wide meaning that em-

respeitar a expressão de artistas como criadores, que gozam de

phasizes the freedom of expression, freedom of selecting topics for

total liberdade para escolher o tema de suaS obras. A idéia de uma

ali creators. The idea of a civilized view in modern art worked as a

visão civilizada da arte moderna é uma grande fonte de inspira-

powerful inspiration that influenced and added an international

ção, que influencia positivamente e traz uma dimensão interna-

dimension to ali who worked with this subject. For me, the above

cional a todos os que trabalham com o assunto. Para mim, esta

view has been transformed into a powerful push. Bya great amount

visão significou um importante estímulo, pois a reflexão e o contato

of thinking and contracting in the same subject for many years the

com o mesmo tema por anos a fio, bem como as lembranças e os

amount of memories and elements kept in my mind when 1par-

elementos que ainda registro na memória, desde a minha parti-

ticipated in the international Biennial of Venice in 1984, is still

cipação na Bienal de Veneza em 1984, são fatores de motivação

encouraging me to communicate again.

para voltar a me comunicar.

The topic which 1represented in the Tony Garine museum

a tema que apresentei no Museu Tony Garine em Lyon,

in Lyon in France in 1991 was also entitled Utopia. 1could not re-

na França, em 1991, era intitulado Utopia. Não consigo resistir,

sist revisiting the same subject. This time it is entitled The City. It

e aqui visito-o mais uma vez, só que agora com o título de A Cidade. Éa cidade perdida, a cidade sonhadora, que conta com um

of human traces which are filled with conflict and worries. When

sem-número de tipos humanos, cheios de conflitos e preocupa-

1started everything changed into shapes and colors which turned

ções. Quando comecei, tudo se transformou em formas e cores,

into visions and times that man had lived and is still living.

que, por sua vez, transformaram-se em visões e momentos que um homem viveu e continua a viver.

is the lost city, the dreaming city which has an unlimited number

The vision kept coming beyond the truth, and the imagination kept forming the materiais, the elements, and the colors to

A visão continuou a se descortinar para além da verda-

express and reveal meaning and enable others to discover mean-

de e da imaginação, formando materiais, elementos e cores que

ing among the clear cities, the lost cities, the optimistic cities and

expressam e revelam significados e permitem ao outro descobrir

the pessimistic cities on the land and under the sky of the big city

significados entre as cidades límpidas, perdidas, otimistas e pes-

of São Paulo.

simistas sobre a superfície e sob o céu de São Paulo, essa grande

[Abd EI Saiam Eid]

metrópole. [Abd EI Saiam Eid]

112


Abd EI Saiam Eid

EI Medina, instalação com materiais diversos: vidro, cerâmica, plástico, madeira etc., 280 x 600 x 600 cm, 2001

113


EI Sa Ivador [EI Salvador]

Rodolfo Molina Curadoria [Curator] Astrid Bahamond

Como pode o centro da capital de EI Salvador, San Salva-

How is it possible for the centre of San Salvador, the capi-

dor, na qualidade de corrente de energia urbana, consternar a

tal of EI Salvador, to act as a current of energy in astounding the

sensibilidade de um artista?

sensibilities of the artist?

O Centro de San Salvador sofreu vários tremores sísmicos

The centre of San Salvador has suffered numerous earth-

ao longo de mais de 100 anos, acompanhados de políticas anár-

quakes over the last hundred years, accompanied by anarchic ur-

quicas nas áreas urbanísticas e antropológicas físicas, como con-

ban planning as consequence of its conversion to a large informal

seqüência de sua conversão em um grande mercado informal e

market and hang-out for outsiders. Ali the marks of symmetry,

recinto de outsiders. Todas as características de simetria, angu-

angularity, coherence, sequencing, unity, organisation and conti-

laridade, coerência, seqüencial idade, unidade, organização e con-

nuity are shaken by a degeneration of different settings and fea-

tinuidade são tomadas por uma "descomposição" nos diferentes

tures, which give the city an inconclusive and incomprehensible

âmbitos e aspectos que dão à cidade uma fisionomia inconclusa

physiognomy when seen from the logical perspective of the spec-

e incompreensível diante de uma lógica da perspectiva do espec-

tator, the inhabitant, the transient ar the tourist.

tador, do habitante, do transeunte ou do turista.

For a long time, Rodolfo Molina has drawn visually, psycho-

Tanto do ponto de vista visual quanto psicológico, Rodol-

logically and physically on this chaotic state of affairs, as a painter

fo Molina, num longo período de trabalho, vivenciou esse esta-

and architect. Over what has been almost ten years he has devoted

do caótico; como arquiteto e pintor, em quase dez anos, dedicou-

himself to themes regarding the urban landscape, which has dane

se à temática paisagística urbana, contribuindo, por meio dessa

much to maintain a sense of the contemporary within the theme

proposta, para trazer o tema à contemporaneidade. Seu aporte

itself. His contribution and aesthetic credo are influenced by sev-

e credo estético alimentam-se de vários referentes: sua formação

eral references: his training as an architect enables him to estab-

como arquiteto lhe permite estabelecer associações com referentes

lish connections with references associated with the field of archi-

estruturais arquitetônicos; e, como pintor, ele se vale do compo-

tecture. From his skills as a painter he draws upon the psychoana-

nente psicanalítico implícito na concepção de "transformância".

Iytic component implicit in the concept of transformation. The as-

Aassociação entre a dimensão psíquica e o interior analítico o leva

sociation between the psychic and inner analytical dimensions has

a utilizar a colagem como confronto extremo de linguagens, para

led him to employ collage as an extreme form of confrontation of

acentuar a dicotomia entre o informal, o elaborado, o quase ca-

language in arder to accentuate the dichotomy between chance,

ótico e uma superfície lisa, plana, impessoal. A dialética existen-

the elaborate, the quasi-chaotic and a smooth, flat, impersonal

te na vida quotidiana, nas formas de conduta e no confronto de

surface. The dialectic existing in everyday life and the forms of

pensamentos da contemporaneidade, é exprimida pelo autor como

behaviour, as well as the confrontation between ways of thinking

uma interpretação de seu entorno, recorrendo a soluções de alto

about what is contemporary, are ali expressed by the author as he

e baixo relevos, que se configuram no âmbito interno, para se inter-

interprets his surroundings, resorting to solutions involving high and

relacionarem de maneira com positiva a outras formas e objetos,

low relief which come together within the environment to interre-

de modo que se constituam significados específicos de dualidade.

late in a composite fashion with other forms and objects in such a

A perspectiva e a textura transgridem o bidimensional e, combi-

way as to form specific meanings of duality. Perspective and tex-

nadas a tonalidades fracas, projetam-nos uma obra grave e fecha-

ture transgress the two-dimensional joined together in low tonali-

da, como metáfora de um sistema que nos captura.

ties, ali of which give us a grave work, closed-in like the metaphor

[Astrid Bahamond]

of the system in which we are trapped. [Astrid Bahamond]

Rodolfo Molina

Urbania 1 (detalhe), colagem em laminado, 54 x 61,S cm, 2001

114


115


Eq uador [Ecuadorl

Manuel Amaru Cholango Curadoria [Curatorl Lenin Ona

EI Pu ente Manuel Cholango é um artista quíchua-equatoriano. Seu povo, o mais numeroso de todos os povos indígenas da América, herdou importantes traços culturais daquilo que, na época, foi o maior império indo-americano: o Tahuantinsuyo inca. Além da língua, os quíchuas conservam uma série de tradições e mitos específicos. Um deles se refere à ponte tecida de cabelos humanos (chakcha chaca) que os defuntos devem atravessar para chegar ao além. Essa crença mitológica serve de base para a instalação com que Cholango representa o Equador na 2S a Bienal de São Paulo. Trata-se de uma transposição que implica a vida e a morte, o mundo do visível e do invisível, o material e o espiritual. A obra dá continuidade à saga dos trabalhos que Cholango executou para expor a visão indígena andina sobre temas ancestrais, da conquista espanhola e do presente que, nos últimos anos, se mostra promissor para os quíchuas e os outros povos indígenas do Equador, graças à reivindicação de seus direitos históricos e culturais, consagrados na constituição política do país. A trajetória do artista completou-se antes de tudo na Alemanha. Sua formação iniciou-se na Inglaterra, onde descobriu a vocação pela arte. Deixou de lado uma pós-graduação em geologia, sua profissão inicial, e dedicou-se inteiramente à poesia e às artes plásticas. Sua obra deve ser vista como uma ponte, que comunica a cultura quíchua com a cultura ocidental contemporânea. Da primeira, tomou certos aspectos espirituais e mitológicos, e da outra, as linguagens que lhe permitem potencializar sua cosmovisão indígena. Mais ainda, a própria vida de Cholango deve ser apreciada como uma ponte entre o indígena e o ocidental, como uma demonstração palpável do que pode ser a coexistência harmoniosa de dois mundos defrontados pela história. A ponte de nosso artista permite perceber uma era de concórdia e mútuo enriquecimento dos povos nativos e mestiços, não somente no Equador, mas em toda a região andina onde vivem os quíchuas. [Lenin Onal

The Bridge Manuel Cholango is an Ecuadoran artist of indigenous Quechua descent. His people, the most numerous of ali indigenous peoples in America, have inherited an important cultural legacy from what was once the greatest Indo-American empire: the Tahuantinsuyo Incaico. In addition to the language, the Quechuas have preserved a number of specific traditions and myths, one of which involves a bridge woven from human hair [chakcha chacal that has to be crossed by the dead in order for them to reach the hereafter. This myth forms the basis of the installation by Cholango representing Ecuador at the 25th Bienal de São Paulo. The work deals with a transposition involving life and death, the visible and invisible, the material and spiritual worlds. The piece is a sequei in the saga represented by the artist's works, the purpose of which is to express the native Andean perspective on ancestral themes, of the Spanish conquest and of the present, which in recent years has begun to look more promising for the Quechuas and other indigenous peoples of Ecuador, thanks to their demands for their historical and cultural rights as enshrined in the country's constitution. It was for the most part in Germany that Cholango fully realised his artistic ambitions. He began his education in England where he was to discover his vocati.on for art. He abandoned his postgraduate studies in geology, his original profession, to devote himself entirely to poetry and the visual arts. His work should be seen as a bridge joining Quechua culture with its modern Western counterpart. From the former he has taken certain spiritual and mythological aspects, from the latter, languages, which enable him to reinforce his indigenous cosmic vision. More importantly, Cholango's life itself should be seen as a bridge spanning indigenous and Western cultures, as a tangible demonstration of what could be a harmonious co-existence between worlds confronted with history. The bridge represented by the artist enables us to envisage an era of harmony and mutual enrichment of the native peoples and of those of mixed backgrounds, not only in Ecuador but in the entire Andean region, wherever the Quechuas live. [Lenin Onal

116


Manuel Amaru Cholango

Fluidum exelsus, insta lação, vasi lhas com diversos materiais em processo de decomposição, 600 x 100 x 100 cm, 2001

117


Eslovên ia

[Slovenia]

Art Center Metelkova Mesto Curadoria [Curator] Aleksander Bassin

Metelkova Mesto na Cidade de Liubliana

Metelkova Mesto in the City of Ljubljana

Quando, em 10 de setembro de 1993, grupos organiza-

When on September 10th, 1993, organized groups non-

dos tomaram sem violência o antigo quartel do Exército Popular

violently took over the former barracks of the Yugoslavian People's

Iugoslavo, na rua Metelkova, em Liubliana, e o transformaram em

Army on Metelkova Street in Ljubljana and turned it into a cultural

centro cultural, muitos observadores entenderam este episódio

center, many observers understood this event as a decisive action

como uma ação decisiva que reinstaurou a sociedade civil na Eslo-

which reinstated civil society in Slovenia. Along with democracy, this

vênia. Junto com a democracia, a sociedade civil angariou, à parte

civil society was to get, apart from the old enemy of managerial

da velha inimizade com o socialismo administrativo, um novo

socialism, a new enemy in the form of managerial nationalism, and

inimigo na forma de nacionalismo administrativo; e, com a tomada

with the seizing of the Metelkova Street premises yet another, quite

do edifício da rua Metelkova, ainda um outro, um tanto inespe-

unexpected one - the commissars and actual managers of the civil

rado - os comissários e verdadeiros gerenciadores da sociedade

society. This is what a foreign visitor, Nikolaj D. Jeffs, said at the

civil. Foi o que afirmou um visitante estrangeiro, Nikolaj D. Jeffs,

4th anniversary of taking over the premises on Metelkova Street,

no quarto aniversário da tomada do edifício da rua Metelkova,

the anniversary which the editor of the Metelkova Street File, Slo-

evento que o editor do Metelkova Street File, o jornalista esloveno

venian journalist Miha Zadnikar, called the ultimate defeat of the

Miha Zadnikar, chamou de a última derrota da cultura alternati-

alternative culture of the '80s and the unfortunate first victory of

va dos anos 80 e lamentável primeira vitória de seus arrogantes,

its arrogant, compromising and ignorant/omniscient descendants.

transigentes e ignorantes/oniscientes descendentes.

The facts of the matter were the following: on that night

A realidade dos fatos é a seguinte: naquela noite, entre

some 150 to 200 very young people scaled the walls enclosing the

150 e 200 jovens escalaram os muros que cercavam as instalações

premises of the former army barracks complex on Metelkova Street

do antigo quartel do exército na rua Metelkova, em Liubliana, e

in Ljubljana and established informally their activities in the partially

estabeleceram informalmente suas atividades nos prédios par-

pulled-down buildings, where the electric and water mains had been

cialmente demolidos, onde os sistemas de eletricidade e água ti-

turned off a week before. These young people, the 'Metelkova Street

nham sido desligados uma semana antes. Esses jovens, os "garo-

kids', bonded on emotional, social and solidarity leveis, though the

tos da rua Metelkova", estavam ligados por laços emocionais,

problems they had brought with them remained - problems like

sociais e de solidariedade, ainda que os problemas que traziam

mutual distrust, individualism, ethnic and class hierarchies. What

consigo - como, por exemplo, desconfiança mútua, individualis-

was far worse and more crucial, however, was the system which

mo, hierarquias étnicas e de classe - persistissem. O que era mui-

opposed them from without - the economic, big-capital interests

to pior e mais crucial, contudo, era o sistema que os opunha de

to have the buildings torn down. The only way the group from

fora para dentro - os grandes interesses econômicos e de capi-

Metelkova Street could achieve unity was by remaining an amor-

tal, que pediam a derrubada dos prédios. A única maneira pela

phous mass, without visible individual representatives who could

qual o grupo da rua Metelkova poderia conseguir unidade era

grow estranged through talks with municipal authorities; the bright-

permanecendo como uma massa amorfa, sem representantes in-

est experience of the Metelkova Street phenomenon is its ephem-

dividuais visíveis e sujeitos a se alienar em decorrência de conversas

erality and fragmentariness, the two qualities so often denounced

com autoridades municipais. A mais brilhante experiência do fe-

by others, which make it rather unclear who is what and where-

nômeno da rua Metelkova é seu caráter efêmero e fragmentário,

wrote Miha Zadnikar.

duas qualidades muito freqüentemente condenadas por outros,

In the words of Andrej Morovic, hea.d of the Theatre group,

que tornam bastante obscuro quem é o quê e onde - escreveu

in the opening speech at the 4th anniversary celebration in 1997:

Miha Zadnikar. Nas palavras de Andrej Morovic, líder de grupo teatral, no discurso de abertura em comemoração ao 4° aniver-

"Metelkova Mesto would like to point out to the city.Qf Ljubljana

sário, em 1997:

that without high-quality cultural events there is no tourism; that without a creative ambiance one cannot live but just vegetate

118


"Metelkova Mesto gostaria de mostrar à cidade de Liubliana que,

miserably; that without some creative cultural experiments not even

sem eventos culturais de alta qualidade, não há turismo; sem um

the easily digestible products of the cultural establishment can exist;

ambiente criativo, não se pode viver, apenas vegetar miseravel-

that even the most backwater village requires something resem-

mente; sem alguns experimentos culturais imaginativos, nem os

bling Metelkova Mesto, or else our hopes for the future, our youth

produtos mais facilmente digeríveis do establishment cultural

will be driven into debauchery, adultery and violence. And we

podem existir; mesmo o vilarejo mais provinciano requer algo

wouldn't want that, now, would we? Metelkova Mesto therefore

parecido com Metelkova Mesto. Do contrário, nossas esperanças

suggests to the city of Ljubljana that the municipality proclaim our

para o futuro, nossa juventude será levada para a devassidão,

little island of solid chaos a national reserve of urban culture, and

adultério e violência. E não é isso o que queremos, correto? Por-

list the buildings as monuments."

tanto, Metelkova Mesto sugere à cidade de Liubliana que a municipalidade proclame nossa pequena ilha, de sólido caos, uma reserva nacional de cultura urbana e providencie o tombamento dos edifícios".

Metelkova Mesto is now a member of Trans Europa Halles, which includes 24 multicultural centres throughout Europe. The concept employed in staging the Slovene exhibition within the available space at the 25th Bienal de São Paulo is based

Hoje o Metelkova Mesto faz parte da rede Trans-Europa

on the structure of city streets and squares, i.e., public space de-

Halles, que compreende 24 centros culturais em toda a Europa.

signed for movement, socializing and satisfying various common

O conceito empregado na apresentação da mostra eslo-

needs and the interests of artists and other social groups. The open

vena no espaço a ela designado na 2S a Bienal de São Paulo toma

structure symbolizes the transience and openness of Metelkova

por base a estrutura das ruas e quarteirões de uma cidade, isto

Mesto, both in terms of motion and the social aspect. The inner

é, espaço público designado para movimento e sociabilização, sa-

area of the exhibition space presents a Metelkova-inspired vision

tisfazendo várias necessidades comuns além dos interesses de ar-

of urban-planning iconography, while the four open corner spaces

tistas e outros grupos sociais. A estrutura aberta simboliza a tran-

are designed as an info roam, a documentation roam, a gallery with

sitoriedade e abertura do Metelkova Mesto, tanto em termos de

view cards and a gallery with art objects.

dinâmica quanto no aspecto social. A área interna do espaço da mostra apresenta uma visão de iconografia de planejamento urbano inspirado em Metelkova, enquanto os quatro cantos abertos foram projetados como setor de informações, setor de documentação, uma galeria com cartões-postais e outra, com objetos de arte.

Art Center Metelkova Mesto [página anterior] Antigo estábulo militar com o trabalho Pearl of Revier Soca, de Damijan Kracina, 2001 [Foto Robert Ograjensekl

120


Art Center Metelkova Mesto Membros do grupo alemão Axl und Kelle com as pessoas de Metelkova Mesto numa ação de reconstrução, 2001 [Foto Miha Fras]

121


Espanha [Spain]

Rogelio López Cuenca Curadoria [Curator] Alicia Chillida

ESTILHÃOGRAFOI Astillágrafo (Do latim, astella, astuta) Má-

SPLlNTERGRAPH. From splinter + graph (from Gk. graphein, to

quina de escrever com estilhas f. Estilhal Astilla f. Estilhãogra-

write):a device for writing using splinters. Splinterography (n).

fiai Astillografía.

Since the eighties Rogelio López Cuenca has been workA partir dos anos 80, Rogelio López Cuenca desenvolve

ing on a linguistic/poetic project, which is both ironic and subver-

uma obra lingüístico-poética irônica e subversiva, uma viagem

sive; a journey into meanings, in wh ich the mechanisms of com-

ao interior dos significados, em que os mesmos dispositivos dos

munications, once deconstructed, reveal their poetic possibilities.

meios de comunicação, desconstruídos, mostram suas possibilida-

The reality is that the ultra-modern and global city overflows with

des poéticas. A realidade é que a cidade supermodernista e glo-

signs, each of which can be decoded and recoded ar "assembled"

bal esbanja signos, e todo signo pode ser decodificado e reco-

after the fashion of the first avant-garde artists. The function of public

dificado, "montado" tal qual fizeram as primeiras vanguardas. A

art is, for López Cuenca, to render visib le the wounds/sp linters

função da arte pública, para López Cuenca, é tornar visíveis as

produced by dissonant rhetoric between the real and the imaginary,

feridas/estilhas da dissonância retórica entre o real e sua imagem;

to allow it, obliquely, to seep in through the cracks and, in

obliquamente, infiltrar-se em suas fissuras, para introduzir a in-

ing, to supply information, suppressed, by what Chomsky refers to

formação suprimida naquilo que Chomsky chama "a construção

as "the construct of consensus" .

do consenso".

50

do-

The city as a polyphonic space, as a collection/dialogue of

A cidade como espaço polifônico, como conjunto/diálo-

narratives, a poem made of echoes, a splintered wri ting ma de with

go de narração(ões), um poema feito de ecos, uma escritura de

shards, with the debris of a permanent shipwreck: that of failed social

estilhas, estilhada, de restos de um naufrágio permanente: o do

utopias and of the private lives of their inhabitants, each with his

fracasso das utopias sociais e o das vidas pessoas de seus habitantes,

own way of interpreting and updating the languages - pertain-

cada um com uma forma de interpretar-atualizar as línguas - que

ing to each individual as well as to each utopia - the ways of

lhe pertencem e às quais pertencem -, as linguagens, os modos

speaking, the ways of life (Wittgenstein). "Poetry created for ali"

de vida (Wittgenstein). A "Poesia feita por todos", que queria

was that which Mallarmé sought when faced wi th the insidious

Mallarmé, diante da insidiosa debilitação da idéia do público (o

weakening of the idea of community (the collective, the shared),

coletivo, o compartilhado), diante da obsessão pela segregação,

the obsession for segregation, security; the canstruction of consecu-

pela segurança, pela construção de guetos consecutivos e suces-

tive and successive ghettoes of solipsism, in face of the former multi-

sivos de ensimesmamento, diante dos antigos espaços de usos

purpose space. Here the purpose is not to try to explain the glo-

múltiplos. Não se trata de explicar a evolução global da cidade,

bal evolution of the city, but to propose an impromptu incursion,

mas da proposta de um percurso imprevisto, uma travessia, uma

a crossing, a series of fleeting forays leaving nothing but transience

série de traços temporais, de pegadas transitórias, passageiras; de

in their wa ke; to zoam up on a fragment of the construction/planning

aplicar um zoom em determinados cortes no processo de constru-

process of the city through wh ich to ponder the more abstruse

ção/ideação da cidade, que nos permitam nos perguntar por as-

elements of its global image.

pectos evitados de sua imagem global por meio do fragmento.

The political, aesthetic and intellectua l stance taken by

A posição política, estética e intelectual de Rogelio López

Rogelio López Cuenca is cansonant with the theme of the 25th Bienal

Cuenca responde à convocação "Iconografias Metropolitanas" da

de São Paulo, "Metropolitan Iconog raphy", presenting a project

2S a Bienal de São Paulo com um projeto em que a cidade apare-

where the city appears as the sum of a fictitious documentary of

ce como uma soma de alusões fictício-documentais, de acidentes,

allusions, accidents, chaos and fate. The space to be occupied within

de caos e de acaso. O espaço a ocupar dentro do pavilhão do

the pavilion at Ibirapuera is located within an area with the maxi-

Ibirapuera situa-se numa zona de fluxo máximo e trânsito cons-

mum flow of traffie. The porous nature of the area is transposed

tante. O caráter permeável da área traduz-se numa montagem em

anta a montage on which the line of cammunication is assimilated

que a linha de comunicação é comparada à idéia de fio (o da

into the idea of a thread, similar to that of a story and of a can-

122


Rogelio López Cuenca

Que surja, intervenção urbana com outdoor, 1998

123


história e o da conversação), à corda (da roupa e a dos presos),

versation; rape, like that used for clotheslines or for prisoners, the

ao pavio ... e à explosão. Para o transeunte, tal como ocorre na

fuse ... and the explosion . For passers-by, as is common in a city,

cidade, a publicidade irrompe na paisagem e configura/desfigu-

publicity bursts forth into the landscape, shaping or disfiguring its

ra os limites, a visão é fragmentada e interrompida em virtude

borders, vision is fragmented and interrupted by the juxtaposition

da justaposição de imagens públicas e privadas. A circulação ma-

of images both private and publie. Traffic emerges from between

terializa-se entre esses espaços partidos e abertos; nessa "deriva

these clefts. In this continuous drift", the act of negotiating these

contínua", o fato de atravessar esses obstáculos constitui uma

obstacles constitutes an experience, which combines and assimi-

11

experiência que conjuga e assimila os contrários: a quietude e

lates its opposites: stillness and movement, inside and outside, the

o movimento, o interior e o exterior, a casa e a cidade, o abrigo

house and the city, shelter and homelessness.

e o desamparo. Cidade colagem, cidade de narrações, Poema circulatório

City collage, city of narratives, circulatory poem for the citizen's disorientation (Octavio Paz). Narration-collage. Multilingual

para desorientação do cidadão (Octavio Paz). Narração-colagem.

totality, dynamic, urbane: Rapid thoraughfares, beltways, under-

Totalidade multilíngüe, dinâmica, urbana: vias rápidas, circun-

graund trains and air traffie. Cities, cosmopolitan and hybrid, un-

voluções, trens subterrâneos e tráfego aéreo. Cidades cosmopo-

just and foreign. Violence, dream: City-of-rubble, cities-to-be .

litas e mestiças, injustas e estrangeiras. Violência, sonho: cidade-

[Alicia Chillida]

escombros, cidades do futuro. [Alicia Chillida]

Rogelio López Cuenca

Regards orientalistes, outdoor, 2000

124


Rogelio López Cuenca Icarus, intervenção urbana com placa de sinalização, 1994 Tais toi, outdoor, 2000

125


Estados Unidos [UnitedStates]

Kara Walker Curadoria [Curator] Robert Hobbs

Alguns meses após concluir seu mestrado em Artes Plás-

Only months after receiving in 1994 an M.FA degree at the

ticas na Rhode Island School of Design, em 1994, a artista afro-

Rhode Island School of Design, African-American artist Kara Walker

americana Kara Walker, nascida em 1969, surpreendeu a todos os

(b. 1969) impressed members of the New York art world with an

habitués do cenário artístico de Nova Iorque com um imponente

imposing fifty-foot mural at the Drawing Center. A send-up of Mar-

mural de 15 metros de altura, exibido no Drawing Center. Como

garet Mitchell's famous novel, the piece is titled Gone: An Histori-

uma paródia do famoso romance de Margaret Mitchell, a obra foi

cal Romance of a Civil War As It Occurred Between the Ousky Thighs

intitulada Consumado: Um Romance Histórico de uma Guerra Civil

of One Young Negress and Her Heart. Since that time Walker has

Ocorrida Entre as Coxas Escurecidas de uma Jovem Negra e Seu

created over twenty monumental panoramas of precisely drawn black-

Coração. Desde então, Walker já criou mais de 20 murais gran-

paper silhouettes that represent stereotypes taken from mass-media

diosos feitos a partir de silhuetas recortadas sobre papel preto,

historical pornographic noveis about the antebellum American South.

revelando os estereótipos por trás das novelas pornográficas an-

Regarding stereotypes as a form of culturally sanctioned paranoia,

tigas do período anterior à Guerra de Secessão, no sul dos Esta-

Walker fantasizes in her art about what types of events can occur

dos Unidos. A artista considera esses estereótipos uma forma de

when this form of insanity moves into the world.

paranóia culturalmente assumida, e sua obra transita pela fantasia

Originally made for the Walker Art Center exhibition No Place

de acontecimentos passíveis de ocorrer, à medida que esta insa-

Like Home, the full title of Slavery! Slavery! reads like a piece of

nidade generalizada toma conta do mundo.

nineteenth-century theatrical flummery. With its idiosyncratic style

Concebida originalmente como parte de uma exposição

of capitalization recalling 19th-century populist forms of advertising

No Place Uke Home no Walker Art Center, a instalação da artis-

and their often rudimentarily educated typesetters, it takes the fol-

ta, intitulada Slavery! Slavery!, é uma espécie de "besteirol" do

lowing form: Slavery! Slavery! presenting a GRANO and L/FEL/KE

século XIX. A obra de Walker tem um estilo idiossincrático e com-

Panoramic )ourney into Picturesque Southern Slavery or "Lde at 'O/'

posição tipográfica rudimentarmente organizada, bem à moda das

Virginny's Hole' (sketches from Plantation Lde)" See the Peculiar

propagandas populistas do século XIX. Éexibida da seguinte ma-

Institution as never before! Ali cut from black paper by the able hand

neira: Slavery! Slavery! apresenta uma Viagem Panorâmica FAN-

of Kara Elizabeth Walker, an Emancipated Negress and leader in her

TÁSTICA e REALISTA pelo Mundo Pitoresco da Escravidão Sulista

Cause.

ou 'Ufe at OI' Virginny's Hole' - "A Vida no Buraco de Virgínia"

The artist has revealed two sources for this piece. The first

(trechos de 'Plantation Lífe' - liA Vida nas Plantações"). Veja esta

is the cyclorama depicting the Civil War-era Battle of Atlanta, which

Instituição Excêntrica como jamais vista! Recortes de papel pre-

is the focus for a small museum that houses it in this same city. In

to pelas mãos hábeis de Kara Elizabeth Walker, uma Negra Eman-

Walker's reworking of the cyclorama's populist view of history, whites

cipada liderando uma Causa.

and blacks alike are encumbered by the same night scene, making

A artista resgata parte da história dos EUA por meio de

them both slaves of darkness and captives of their shadowy/stereo-

duas fontes distintas. A primeira é um ciclorama retratando a

typical selves.

Batalha de Atlanta, durante a Guerra de Secessão, que deu ori-

[Robert Hobbs]

gem a um pequeno museu na cidade de Atlanta, onde a obra está exposta. Em seu trabalho de recriação do ciclorama, Walker traz sua própria visão populista da história, em que brancos e negros se sentem oprimidos pelo mesmo cenário noturno, o que os torna, ambos, escravos da escuridão, cativos de seu próprio eu obscuro e estereotipado. [Robert Hobbs]

Kara Walker

Cut, papel recortado e colado sobre parede, 223,5 x 137,1 cm, 1998, coleção Donna and Cargill MacMillan

126


127


Kara Walker Slavery! Slavery! (detalhes), papel recortado e colado sobre parede,

335,2 x 259 x 2.590 cm, 1997, coleção Peter Norton Family Foundation

128


129


Finlândia [Finland]

Seppo Renva II Curadoria [Curator] Paula Toppila

Contrapontos a Generalizações:

Counterexamples to Generalisations:

Os Filmes de Seppo Renvall

On the Films of Seppo Renva/l

A imagem que fazemos de metrópoles distantes é, na

When we think of distant metropolises as visual images, we

maioria das vezes, a de imponentes monumentos arquitetônicos

largely view them through their major architectural sites and street-

ou grandes avenidas - os cartões-postais quase nunca retratam

scapes - postcards rarely depict the local food, peop/e, or a typi-

pessoas, uma comida local, ou mesmo uma casa típica. Quando

cal home. But once we have a persona/ contact with a particular

efetivamente visitamos uma metrópole, os detalhes e ambientes

metropolis, such details and atmospheres can take on greater im-

com os quais nos deparamos assumem uma importância maior do

portance for us than prominent works of architecture. The Finnish

que qualquer obra arquitetônica de porte. Como bem colocou o

philosopher and cultural critic Tuomas Nevanlinna put it well in one

filósofo e promotor cultural finlandês Tuomas Nevanlinna: "Uma

of his columns: "Fortunately, the definition of a metropolis is that

metrópole serve de contraponto a generalizações e essa é a me-

it consists of counterexamp/es to generalisations." This also accu-

lhor definição que podemos lhe dar". A afirmação reflete preci-

rately describes the attitude of Finnish photographer and short-film-

samente o estado de espírito do fotógrafo, cineasta e vídeomaker

maker Seppo Renvall as a depicter of the urban scene. He does not

finlandês Seppo Renva/l, como observador atento do cenário ur-

concentrate on major 'Iarger-than-life' sights and scenes, but on

bano. Renva/l não apenas retrata imagens "retocadas" da cida-

marginal, everyday, g/impsed views and moods.

de como também mostra o seu quotidiano realista e marginal.

In this respect, Renvall's short film Planet Earth - Ency-

O curta-metragem Planet Earth - EncycJopaedía ("Enci-

cJopaedia (1995) constitutes both an interesting exception to and

clopédia do Planeta Terra"), rodado em 1995, é ao mesmo tem-

a reinforcement of what was said above, It is a 'poor man's' jour-

po um testemunho e uma exceção ao estilo de Renvall. Trata-se

ney around the world, a poetic, visual narrative, The images in the

da jornada de um "homem pobre" pelo mundo, em narrativa vi-

film are taken from a Finnish-Ianguage geography textbook pub-

sual e poética. As imagens do filme foram extraídas de um livro

lished at the beginning of the last century, its brown pages evidently

de geografia finlandês, publicado no início do século passado, e

worn by the ravages of time - images of architectural sites, natural

exibem as folhas amareladas pelo tempo, contendo cenas de mo-

landscapes and primitive peoples from various parts of the world.

numentos arquitetônicos, paisagens naturais e povos primitivos

The book was one of the artist's favourites for browsing as a child.

de várias partes da Terra. Quando criança, o artista costumava

The illustrations in the book purvey a stereotyped image of various

folhear o livro, cujas ilustrações no filme dão uma visão estereo-

corners of the world, but from the time perspective formed by the

tipada de vários cantos do planeta. Com a passagem do tempo

gap between the book and the present we can see that the ster-

entre a publicação do livro e o presente, percebemos também

eotypes change, too. Geography textbooks produced nowadays no

uma mudança nítida dos estereótipos. Os livros de geografia mo-

longer include pictures of American Indians in feathered head-dresses,

dernos não trazem fotografias de índios americanos usando co-

Ita/ian peasant women or 'Bulgarian beauties'.

cares volumosos ou de camponesas italianas ou, ainda, de "beldades búlgaras".

In Planet Earth the camera shifts from one picture to another 50 quickly that the previous one remains dimly visible beneath

A câmara sobre o livro em Planet Earth é tão rápida que

its successor, thus generating an animated, /iving series of images,

mal se distingue uma ilustração da outra, gerando uma série de

The film's soundtrack uses found musical scores composed at the

imagens de animação. A trilha sonora do filme utiliza peças mu-

beginning of the last century, i,e., from the same period as the

sicais do início do século passado, a mesma época em que o livro

textbook that provided the images, The composition is p/ayed with

foi publicado. As composições foram recriadas por meio de com-

the aid of a computer, 50 that the mix of instruments can be al-

putação gráfica, de forma a permitir que o som dos instrumen-

tered part-way through the piece to generate a beautiful, unique

tos fosse modificado durante' a execução da música, produzindo

melody that simp/y could not be produced with a live orchestra,

uma melodia singular, belíssima, que não poderia ser reproduzida por uma orquestra ao vivo.

130

Seppo Renvall has made numerous experimental short films that use found clips of film, slides and photographs, home videos,


13 1


Renvall realizou vários curtas experimentais com trechos

and film footage that he has shot himself on trips abroad and in

de filmes, s/ides, fotografias, vídeos caseiros e películas rodadas

his home city of Helsinki . Right from the start, he has been more

pelo próprio artista em viagens ao exterior e em Helsinki, sua

interested in film as a way of creating atmosphere and rhythm than

cidade natal. Desde o início de sua carreira, o interesse de Revall

as a medium for carrying a story. Shaky footage shot with a hand-

é fazer filmes que tenham clima e ritmo, e que não sejam simples-

held camera, repetition and radically speeded-up film, in which real

mente um meio de contar uma história. A marca registrada dos

time is condensed into sets of consecutive images, are hallmarks

filmes de Renvall são imagens tremidas, rodadas com câmara de

of several of Renvall's works, and suggest the idea of musical ac-

mão, cenas repetidas, radicalmente aceleradas, em que o tempo

companiment. Thus, right from the beginning, one obvious move

se comprime numa sucessão frenética de quadros, sugerindo um

has been to collaborate with musicians, DJs and sound specialists,

acompanhamento musical. É por esse motivo que Revall sempre

50

trabalha em conjunto com DJs e engenheiros de som, para que

cian's work.

as imagens sirvam de trampolim a um trabalho mais livre e reflexivo com músicos.

that the images serve as a free, reflective surface for the musiRenvall's hallmark traits are taken to an extreme in his first

feature-Iength work, FlLM7 999, completed in 2000 . Here, too, the

O estilo único de Renvall foi levado a extremos em seu

importance of the soundtrack is emphasised in the attempt to pro-

primeiro longa-metragem, FILM1999, completado no ano 2000.

duce a new soundtrack that is the work of local musicians and DJs

A trilha sonora foi realçada para dar espaço a músicos e DJs dos

in each place where the film is shown, from Norway to Lithuania

vários lugares onde o filme foi rodado, da Noruega a Helsinki,

to Helsinki . In the eventlike live performance, the soundtrack em-

passando pela Lituânia. Nas apresentações ao vivo, a ambientação

phasises the film's performative quality and, on each occasion, the

musical exalta a qualidade performática do filme, as imagens de

diverse imagery of urban individuais takes on new accents - re-

tipos urbanos adquirem nova tonalidade, revelando não apenas

vealing ever-more counterexamples to generalisations, but also new

contrapontos a generalizações, mas a novas generalizações.

generalisations.

[Paula Toppila]

[Paula Toppila]

Seppo Renvall FILM 1999 (wallpaper) (stills), instalação com som e vídeo, 3 projetores de dados, 3 aparelhos DVD, 6 canais de som, 2002 [Am bi entação sonora Aslak Christiansson ]

132


133


França [France]

Jean-Luc Moulene Curadoria [Curator] Corinne Diserens

Jean-Luc Moulene nasceu em 1955. Vive em Paris e tra-

Born in 1955, Jean-Luc Mouléne lives in Paris and works

balha com situações específicas. Pratica a fotografia como uma

on specific situations. He practices photography as a tool·for studying

ferramenta de estudo dos fenômenos naturais e culturais, tais

the natural and cultura l phenomena as they have been defined by

como foram redefinidos pelo desenvolvimento da indústria, da

the industry, media and market development. He places photog-

mídia e do comércio. Ele situa a fotografia entre Belas-Artes, tex-

raphy among Fine Arts, texts and media. Away from a communi-

tos e mídia. Distante de um modelo de comunicação (uma po-

cation model (a strong functionalist utopia dreaming of infallible

tente utopia funcionalista, que sonha com ferramentas infalíveis

tools for appropriation of the imaginary and socia l practices), he

de apropriação do imaginário e das práticas sociais), ele salien-

underlines the difference between the tool and the imaginary in arder

ta a distância entre ferramenta e imaginário para produzir al-

to produce real poetical alternatives. For the 25th Bienal de São Paulo, he presents La víe, /'amour,

ternativas poéticas reais. Para a 25 a Bienal de São Paulo de 2002, ele apresenta: La

la morto

It is about competition and equivalence: inside a first roam

víe, I'amour, la mort.

Trata-se de concorrência e equivalência entre, numa primeira sala, acontecimentos/obras e, externamente, informações/produtos versus uma identidade funcional entre ícones e

there are facts/works, outside, information/products vers us a functional identity between icons and economies. It is never about a return to the original, but about updating and incarnation as Art essentia l work .

economias. Não se trata jamais de um retorno ao original, mas de atualização e de encarnação como trabalho essencial da Arte.

The desire of transforming society: I am annoyin g to my heirs. If the dead do not belong to anybody, let alone me and what

o desejo de transformar a sociedade:

importuno meus

could have produced it. I understand my death . I am annoying to

herdeiros. Se os mortos não pertencem a ninguém, nem eu nem

my heirs and I am not dane wit h it: here, extract of "Anthropo-

nada produziremos a morte. A minha, quero dizer. Importuno meus

phographie li". Gearges Bataille . Le Bleu du ciel, pages 41-42. Writ-

herdeiros e ainda não terminei: eis aqui um excerto de "Anthro-

ten in 1935. Published in its entirety in 1957, Jean-Jacques Pauvert

pophographie li", Georges Bataille, Le Bleu du cíel, p. 41-42. Es-

publisher. Edition temporarily retained, L'lmag inaire/Gallimard . Au-

crito em 1935, texto integral publicado em 1957, Jean-Jacques

gust 1994. Definitive edition to be released . "[" .] his solid and fluid

Pauvert, editor. Edição temporariamente retida, L'lmaginaire/Galli-

silhouette at the entrance, in this hallway devoted to fi lthiness and

mard. Agosto' de 1994. Edição definitiva em preparação. "[ ... ] sua

misery, was a stupid appearance of joy - I stood up, I led him to

silhueta sólida e fluida à entrada, nesse corredor destinado à sujeira

my bedroom. He wo re wh ite, we ll-cut and freshly ironed clothes.

e ao infortúnio, era uma aparição estúpida da felicidade - eu me

He seemed to see behind him, wheneve r I knocked down things

levantava e o levava para meu quarto. Ele vestia roupas brancas,

as I moved on. Wi thout a hat, his long, unweaving and trimmed

bem-feitas e passadas recentemente. Dava ares de ver o que se

sideburns gave him crow wings in each side of his face. He had

passava atrás de si, quando eu desordenava os objetos, tirando-

a slim regular disquiet nose, and the pink flesh com ing out from

os do lugar. Sem chapéu, suas costeletas longas, afiladas e apa-

its wings under gray shadows made him cross over the space. He

radas, conferiam-lhe asas de corvo de cada lado do rosto. Tinha

made you feel comfortable: he talked gently ,with the mastered

um nariz fino de cristão inquieto, a carne rósea, que despontava

feverishness of a spirit concerned about everything: disease, fa-

de suas asas sob olheiras cinzentas, o fazia atravessar o espaço.

tigue, destitution ar death mattered to him . What he expected be-

Deixava-me à vonta de: falava calmamente com o controle do ca-

forehand, at my home, was the most sharpened lucidity. He ex-

ráter febril de um espírito·preocupado com tudo; em seus olhos

ercised a fascination, as much for his clearness as for his .plain hal-

se viam a doença, a fadiga, a miséria ou a morte. O que ele su-

lucinate thought. I granted to him the attention required to write

punha antecipadamente, em mim, era a mais aguda lucidez. Ele

a very small text to which he gave a lot of importance. He de-

134


Dienstag. 2J. Januàr 1997

~:~;:~:n ·1 1-I"'~I$:\fl;CNG~f>;'C:S-;!fl

I

Ca.soc"Q'!'\ot V~áoan;s. dés !fs e.-:..f.i"IllemOff.l<t:"tf~a!.fI:"",.aerJ(kar-91

St-9"

scftOfl ml d<em

""Jcrre-s

&as

Spe~~.od:ukJ.Qf) Ar:.

O.c

'l'!:'r~: f!I

cod't NllNÍ'la::cs iJf.(!

jrÃf'J>~NY.di

nw

.:r>~_

Oür~.

Oetn gtlcll.gtm

Kn~

:=; :·~~,:;~U~,=:; h!t\I'l'!'~

V-'"~

a .......n,

\~!a,f(!'oh<rl5(.n:Jttlel

... er.rr s.-c ~rnab ...'"lO ~etrt Gona-

_

11:l!;.$ torO t~~'t!o1 ....")(1 z.e!~ aclsCf1l&';t Tats.1(I"ti"'" Snd f.!.e gra6ett ~ m

I t'

4 'HollgkOl1g tSllur dle Z\lkUllft 9U1 gerüs1el ·Oarum .st es

I

,h1&n .IJ)J~deM-!"JIl J-~!!fffi s:') e: ... a~ 'A--:e' • ":.o íCmneurà5eo d(:1' ,..'!.p-it;;'/f"...ow:.h-3tt. ~ AA,:Uc Ct..'S

('tt:1

KaPtta~~

~i.u.~nq-ut

G~n

aro Rl1ein

gtmJ..olc!,Q'-

SlIWr

n,"t~·

aasr.

p.1l 'U'f';t

Scnuld sina <111m., die anceta" Kunsl '(ir dre Clty

-C\;tC".rre-

s..rn uOO We"'"co frel ~~t

Ij;nem ganz ~I'!'.n UChI btauchr ên Pa.'lr /'l.ê'..>e ~05átre

ur:.a

Zúdem 'S: d e t•..I~lE'! e:-ne

crer

!l'\

z~

6 O!e In esb IOnen in den Slaoaort Lelpzog

Qp!ef, Um hH"l,•.'\.Ik.D."nm-en. op.~ mar. CG-n F"t'o-l"Gt1t'C(\ ÔCf Bahr. Mo/. cet\ ,lA;ftffIDcl-

!ohneo Srch tereilS

7 Anlhll!f AnaersaflÍ9ke<l

O'~t'I.1lr.i!n. Um , éôftll~~ CP~e!1 cem PíofaSS;Qfllt.~ und "Soemprctes~

rt'.ar)

UX~~t'l. ae~l'Jetgo/'l9~:ne

sel.ost

lU

t!a!"'..:'\tJr.sumn".en.·....enrt""J!'\$od?(,t~:J.­ 6eSt,."1"itamrtle' ,rn;i B.E4eue.~

t<J m.t&d"lef t~ng

l1-escne~t

l~"'f',..en

\"~"omrrterl

8

U--ro liOf"aoz,,:'itomml!m.

~i ftI'.3J''! VO(T'tNacr~C'J.,d

lcp!J.b:e:'l

M zum

fasz a:ie$. Una

seMn

ooer

IN'i..Of "lCMetfer.·

H3f1!"C.(tf

Y.l

5 McsscsUriden

a,,-cn -cem cnttS~;.cr~t1

:I

F'u8c$ fr"JNm.a.":l: talJ<" ~~ Mos.."'.i?

<r-'àr.c~ w;t!

'$CM"'I

'

H.cf "";:0 ntCrn

~/al'Vmcn.

Cem SÚ'r-«Xl'n

r.;<f:f eJ fT",dO t1á

alo;~

erkc-nnen

.B'e.~a

Imita' una das Messewesel1

m

op!e.-t man s:hl,eBf.c~

das. ",,-as Bn Nel"/fHl riich'

Ot'l;~hrl '!.CÍ"rO-li.

cem Mes.setre be." zum Op!er ~tauen 1St. fn.

\-er...."Qhnten

Ipn{'f

:s.çr.aft

kOM~) ~J

fT'.eN" ur.

Wohls[ilnc~

~

wm.

Op!~Tal.SCna;1 Ausna..~fà; 'h~r·

d;:::n...s,o,; e ~.an me.nen - une: cer )..tesse er.e alfs.~~1'l liP.:..r.ft '1C(3"4S5agtm Ha~

=r!::eV:'~~,u~~~~~;;;;~'

r

11 So"y - !hiS Slle is SI'!!

~~~~=~r~~~::~~~~ I &<:;"'1$

e.~

Fú1te

t~-er ~';oi,rtrQnl"

sct:a KO(r,ft'"~\o..aÍlcnst!'oC'9X~tl t'l(X1"; a..e !tt'SI!~raçazen. Oas-lt.'tt:-&1etn"$ vQn

eM

P"..at..'"a1'lgS: ui1C B:ast-n an

F~een'

!

under COflSlruClion

I !.

von der $o!le er.e ç.,1Ple ~~.,1t:J6. ~

rl"e-!.~..s:&nt".i:lt)(,(t.sd'w;rl~-n-!l tru:"e ;,:tJ<l

Ktct',e

-~e. Prot:e:r.f3

mt

or",-,,'le"

!

Aus'S"I:'~ .'On ?H.J~~\fÍP.

"tI.)

I

:=Àusg=';,"r==.~ aus4ern U!L~~ ~ ... t:taS f1'iO.-'

IJêfr'le KontP.p(

!

=:dV=-;a~~~::~ i ~

de !a.>lJ6";l

~~d:e~ ncoi!.!af-

W' l·e Sl·e wurden, was SlOe smOd

~,:~:,.:':ss.:;-::,;;=

sa;: 1.., Qen Begr.~St~/~;St'i?fn ~., ~.!.

Z"~~; u:;,~<:;,~.~."

ale Well?

13 SpJeI onlle Greozen

Ocd'i '...-oh! ail!en~a.b- Mascr....'1i:s:en na a~b im.lJr.tat><.e1. ACe.t er':NOOe: g-..:o.: ~

~ostet

Was

sno

W6t~er a,~1 m.:m~

í Cl".e!'iel G~t;;n" Das traql ~h: ;mrtier lU Oo?-..It$d'""J:C

mua:e sch de d'êUt5Cr.e Vt.nscna.1 50

t !Cflne:3

h~;e

cr..ógXh :.n cen

\"~har~ ,

Der Qe1

I

~;(3..:S:t-lê- uoo Vf1tschafl~ f

de ""-13 f:rNéne

tJr.temet~r•. mo:t

Cf.:!

50 ...."t90en.

~m!tiona?e F~

:::~ te~!"~::.:;;~

Die Mcssewirt.schaft auf dem Weg ins drillC lahrtauseod f Von Ju,liane Sliege

w~

~=:~---=~~~~

'ó'OIem Wlet..

~ mt a.:r r.iJ~ , 'J"id ~,V(:(.- ~ 211. O..:: ~A bes::ét~ lftt"~~ 2,"

~~~~Iª~ª~!ª?~I~~~.~~~I~~ ._&~ W~" ~ Jw--~~

""',. "'.,,-., ....,,;,,"''''' s:,apaz"'f·"'.· l s.:;,-,::c..m ....n e;;r

:;r::<'...... H3<Ce<sw •.

j ae

S...!ZU!'.çsmãCl1l< ,jOO·

i cIlen GM"'"flll

voo

"-=fi1e<".,-"3ten. ! és

i$<

"r<l

'u""

r '''lO P<Na""'

<lem

Iin<! U4>SS!!<\(:

~~~f1?:Ei~~~~I@~~~!ª,==õE-~~Iª~E?~I~~ I .'-~r4"'-'" ~"" I I ~-"'" >I'.,"'·"''''l , ~. , ~""'!ga-

,. U<..-"",.a""";'1e...-re

.H_C!' Gc.""?

t""

E""... '.'.'

gaf","",ett

"""Lan""','"

Das dcU!sche Erfo!eskonzept

""'50

Cet Fa"lâ r.a:

,"""",

Il'J, ç'<>C~ ~" ". .t:-«- i G,';, , ji~l , , ç~ ~-"- " " '9 if~l i1!l_ll~!~ ev~-""", ~ ~ 1~~.:.z"ém'SCI,"'~.., ,,".,

,."..'....".,

au<

.• ais

"''''

"-"'!"

I.'IX"",.,,,,, C"", "0

",","a<Jn,a",,,,

i ''''-''''''''''''anr..'9'''.l'''ll'''''"''"",

0",,,,,,,·1·" "'"

..", '·...

·1

~~~ I.IE{~E~~i ~ ;g~l i L.llI. <"~ ~_ ""'~

a,,, ''''''Co

..,

ooc-"

"""'""'9olo$ j

h"" ........, b<-k"<da '''-r'

II

l

~ii _c._.·__=_~ I ~ _"~_'~~i '""~=.~ IIl I!

D"""" l<;ot\Zep! """ta. d",el><feGro".

I "'''IJ ""'SlIl:l(j"",,, .Slar1<l'1l<'

,I~ii:~ __ ...__ J.~ m_".

__

___

::iE:i.:;'~~E::i;t::;:;: !~~=1~~?~:;:

II ""'MWr''='''''<i'<!O :-~=:~~=:: I:::::~;r:= ;:.. '.JáJ"'. U~

""''"''''''''''" o.., "'~'" """e'",. ...",',,,, f ""~ Sc""'XJ< Me<' ""- ""o,c;,'",,,,,,,,,,,, j !

"",,,,..a!l.-g'6' OO!

I

der

ih"" 0,":0(.!;C""",

!

os ,""""""'"

,-,",dien ".,

"'" ,,..,.

~~~~~:W~~~I I =.~=-~!s:=~~ I~~I~~~ r.a~" ~ ~"'" :::..:"i.". .':. ~~::::=:-:: I::-:::.!.. . ""'''

..

-<;;

.0.'-""9'''''" ,.·,.n

I

cO< "" NO' <u /"<:e'\ "'''W"

a,""" v",.,

::::~",';~.S::::"-G" &d.a<> , ':er "~' I ~~ ,~o~;;~::f,~;-'::~!.,:

11

i!

UI}<! ;;,;hu7'Cf'J.r;g "'" I;":_-n;; , Das ele

em

AI=ev,...,,,,

Im

=' l<JCWV &"atC1

""Ct>'c~ I Ser_ Fun",(1$.<rw-"'9l~l

31Jf

rJé'

j'll

Fr3nld.,n ';1'00

r_

~

c-" 0eui5ChÓ!n

c<! fá<

=d;~~~.

13 5


exercia um fascínio, tanto por sua clareza quanto por seu pensa-

fended therein the principies of an art that was very different from

mento de alucinado sereno. Eu lhe dava a atenção necessária para

the official art known to us oMost of the time, I thought that I was

a redação de um texto minúsculo ao qual ele dava importância.

positively mad, that it was a wicked joke for me to play his game .

Defendia ali os princípios de uma arte bem diferente de nossa arte

I did not see him, I imagine, beca use he saw across me, he knew

oficial. Com freqüência eu pensava que estava decididamente

that my agitation was

louco, que, na minha opinião, era uma brincadeira maldosa me

private life, at the same time secured by this loathed job . What I

prestar ao seu jogo. Não o via, imagino eu, porque ele via atra-

was most interested in was the sick avidity thrusting him forward

vés de mim, porque sabia que minha agitação era tão desequili-

to give his art and his work to a worthless cause. I thought: it will

50

much unsteady,

50

much sterile as my

brada, tão estéril quanto minha vida privada, ao mesmo tempo

be an art deprived of a petrified whore." I have not sent such Ba-

assegurada por essa ocupação odiosa. O que mais me interessa-

taille's extract to Mouléne after Cologne, since it does not exist

va era a avidez mórbida que o impulsionava a entregar sua arte

under such form, Bataille's extract in which he describes my en-

e sua obra a causa nenhuma. Eu refletia: essa será uma arte po-

counter with Mouléne without the accuracy of the encounter's

bre de puta petrificada." Não enviei este excerto de Bataille a

descri ption.

Moulêne de Colônia, porque não existe sob essa forma o excerto de Bataille, que descreve meu encontro com Moulêne sem a exa-

AM/LKA A/ME PESSOA, (excerpt) from Manuel Joseph in La gueule de I'emploi, ERBA, Va lence, 1999.

tidão da discrição/descrição do encontro. AMILKA A/ME PESSOA, (excerto) de Manuel Joseph in La gueule de I'emploi, ERBA, Valence, 1999.

===================== ~M~==============~D~ i..d~.g~17m~.i~1~7

Economie

Jean-Luc Moulêne

Documents/Mains, 09-04-1998, Paris [pág ina anterior] Produits/O 1-05-1996, in Frankfurter AlIgemeine Zeitung,

Jean -Luc Moulêne

21 janvier 1997

Produits/16-07-1996, in De Morgen, 27 mai 1997

136


Jean-Luc Moulene Documents/Boites, 18 fĂŠvrier 1991, Paris

137


Grã-Bretanha

[GreatBritain]

Willie Doherty Curadoria [Curator] Richard Riley

o que mais há para se ver ou olhar num momento em que

What's left oflooking (what's left to look at) when the

o significado da imagem se tornou tão incerto? O que resta da

meaning of the image is rendered uncertain? What's left of history

história no desenrolar da narrativa? Questões como essas torna-

when narrative unravels? These questions have been asked repeat-

ram-se lugares-comuns no cenário artístico nos últimos anos. Em

edly, if often obliquely, over recent years. The photographs and videos

seus trabalhos de fotografia e vídeo, Willie Doherty nos força a

of Willie Doherty, by forcing us to look again at images we can no

olhar mais atentamente para imagens nas quais já não confiamos

longer trust, suggest new ways both of posing these questions and

e sugere novas alternativas para analisar e eventualmente respon-

of beginning to answer them. Doherty's work defines new impera-

der a essas questões. O trabalho do artista britânico desafia os

tives in art, not derived from simple visual pleasure. Instead of in-

padrões preestabelecidos da arte, não apenas pelo simples pra-

dulging the solipsistic viewer with immersive, illusionistic spaces,

zer visual que proporciona, mas antes por satisfazer os espectadores

in which the fantasy of self-construction continues uninterrupted,

com espaços ilusionísticos e imersivos, nos quais a fantasia de

he invites that viewer to consider their own implication in his sub-

autoconstrução permanece intacta, incitando as pessoas a refle-

ject matter, in his narratives.

tir sobre seu envolvimento nos temas e nas narrativas propostos.

Postmodernism, the deconstruction of prior subjectivities,

O pós-modernismo e a conseqüente desconstrução de sub-

narratives and spaces, is sometimes characterised as leading us to

jetividades, narrativas e espaços, muitas vezes nos levam a um beco

a cul de sac, particularly with regard to representation. Doherty,

sem saída, principalmente no que tange à representação. O tra-

however, confronts us not with a dead end, but with an opportu-

balho de Doherty, contudo, nos confronta não apenas com o beco

nity; the opportunity to think through our own roles as viewers, as

sem saída, mas também com a oportunidade de pensar o papel

readers, as manufacturers of meaning, anew. He strives to avoid

inusitado que desempenhamos como espectadores, leitores e cons-

'constructing' the viewer through his work, except as engaged, self-

trutores do significado. O artista evita ao máximo a "construção"

aware, and thus criticaI. In reconsidering our own agency as active

do espectador, mas busca engajá-lo de forma crítica e autocons-

readers of his work, furthermore, we must necessarily reconfigure

ciente. Ao analisarmos nossa função enquanto leitores ativos do

every aspect of the 'ethical relationship' between artist, work and

trabalho de Doherty, somos levados a rever cada aspecto da " re-

viewer, as well as the nature of its mediation through the technol-

lação ética" entre artista, trabalho e espectador, e ainda seu as-

ogy that Doherty employs.

pecto conciliatório, através da tecnologia empregada pelo artista.

Doherty's subject matter, as is well known, is violence, but

O tema preferido de Doherty, como se sabe, é a violên-

it should not be imagined as the violence of a single, aberrant society;

cia, que deve ser imaginada como aquela proveniente de uma

and whilst he continues to make work that draws specifically on

sociedade unilateral e aberrante. Com freqüência; os trabalhos do

the political situation in Ireland, his approach to it is never paro-

artista enfocam a situação política na Irlanda, mas sua abordagem

chiaI. Rather, he locates the political violence there within a more

nunca é provinciana, pelo contrário, a violência política é retra-

general, more mundane violence, the petty, casual violence of ali

tada num contexto mais amplo e mundano, a violência em pequena

society, the violence of socialisation. As viewers of his work, we begin

escala e ocasional que permeia a sociedade como um todo, em

to notice our own part in that violence. As surely as the characters

suma, a violência da socialização. Como espectadores do traba-

in his video installations seem to lose their way somewhere between

lho de Doherty, observamos nossa própria atitude nesse contex-

the roles of victim and perpetrator, we toa beco me uncertain of our

to de violência, e assim como as personagens em suas vídeo-ins-

own presumed innocence.

talações, que parecem sempre divididas entre os papéis de vítima

[Daniel Jewesbury]

e algoz, não estamos muito certos de nossa alegada inocência. [Daniel Jewesbury]

138


Willie Doherty True Nature, cinco projeções de vídeo com som, instalação, 1999, coleção Bohen Foundation (vista da instalação em The Renaissance Society at the University of Chicago) [Cortesia Matt's Gall ery, Londres/Alexan der & Bonin, Nova Iorque]

139


Willie Doherty Same Old Story, duas projeções de vídeo com som, instalação, 1997 [Cortesia Matt's Gallery, Londres/Alexander & Bonin, Nova Iorque]

140


Willie Doherty Somewhere E/se, quatro projeções de vídeo com som , ,instalação, 1998, coleção Carnegie Museum, Pittsburgh [Cortesia Matt's Gallery, Londres/Alexander & Bonin, Nova Iorque]

141


Gréci a [Greece]

Maria Papadimitriou Curadoria [Curator] Efi Strousa

IA.M.A. (Museu Autônomo Temporário para Todos)

lA.M.A. (Temporary Autonomous Museum for Ali)

lA.M.A. é um projeto de ação social efetivado em uma

lA.MA is the proposal for a project of social action within

comunidade de ciganos de Avliza, Menidi - uma área decadente,

a specific community of Gypsies in Avliza, Menidi - a run-down

a cerca de 10 quilômetros do centro da capital grega, Atenas. A

area about ten kilometers from the center of the Greek capital,

concepção e a coordenação deste projeto, iniciado em 1998, visan-

Athens. The concept and coordination of this collective action around

do a uma ação coletiva para trazer o bem-estar a uma área orgânica

a living but forsaken part of the urban periphery belongs to Maria

e esquecida da periferia urbana, está a cargo da artista Maria Papa-

Papadimitriou. The project began in 1998 and evolves at the pace

dimitriou. O ritmo com que os trabalhos são desenvolvidos é de-

at which the proposal is adopted by the community itself. It con-

terminado pela própria comunidade. As ações consistem em buscar

sists in exploring ways to provide services and infrastructure to

alternativas de atendimento e infra-estrutura às populações ca-

populations of nomadic origin, in such a way as not to distort the

rentes de origem nômade, sem interferir em seus padrões cultu-

special patterns of cultural behavior of the inhabitants. The project

rais e costumes. O projeto é desenvolvido gradativamente, em um

takes shape gradually, in collaboration between the local people and

trabalho conjunto com a comunidade de Avliza e um grupo de

an open circle of artists, architects, writers, sociologists, musicians

artistas, arquitetos, escritores, sociólogos e músicos gregos.

and people of the arts.

A metodologia adotada por Maria Papadimitriou não se-

Maria Papadimitriou's approach did not follow a predeter-

gue um planejamento preestabelecido, como, por exemplo, a

mined plan for upgrading or beautifying the externai or built en-

melhoria das condições de moradia ou do aspecto exterior das

vironment of this occupied zone. Instead, it was based on estab-

edificações do bairro. As ações visam, antes, à participação ativa

lishing contact on a human levei and developing interaction among

dos membros da comunidade ateniense no projeto, por meio da

fellow citizens who accept different backgrounds a,nd cultures as

integração e aceitação de culturas com históricos e padrões de

the cornerstones of equality and freedom of expression. Her first

comportamento diferentes, como forma de igualdade e liberda-

concern was to legitimize her presence amidst this large Roma family

de de expressão. A preocupação inicial de Papadimitriou era le-

of Vlach-Rumanians who use this part of the Athens area as a base

gitimar sua presença no bairro entre os membros do clã de ciga-

for their constant travels throughout Greece and the Balkans. The

nos moldovo-romenos, que usam aquela área de Atenas como base

apparently random layout of their shacks was treated not as a prob-

para suas viagens pela Grécia e região dos Bálcãs. A ocupação

lem but as an inspiration for showcasing the value of being differ-

caótica do solo e a disposição desordenada dos casebres da co-

ent; the opposition against deadly neutralization, against the rigid,

munidade não foram tratadas como um problema, e sim como

depressing uniformity of contemporary urban planning, against the

fonte de inspiração para valorizar as diferenças, isto é, promover

identical methods used to assimilate the specific into the generic.

um debate sobre a ausência de ações concretas, a rigidez, a uni-

The foremost matter for Papadimitriou was to preserve and promote

formidade deprimente da paisagem urbana contemporânea, a uti-

the wild imagination and unbridled vitality of this race whose cul-

lização de métodos idênticos de planejamento, sem levar em conta

tural roots are deeply associated with a sense of freedom and jus-

as diferenças culturais. A premência da proposta de Papadimitriou

tice. Instead of assuming a corrective role, her own identity as an

reflete-se na preservação e incentivo ao dinamismo, criatividade

artist acted as a mediator for the acknowledgement of the genu-

e vitalidade da cultura cigana, cujas raízes estão intrinsecamen-

ine traits of a special community, which increasingly fade before the

te ligadas a princípios de liberdade e justiça. Em vez de impor algo

unthinking expansion of the metropolis into heterogeneous areas

pronto, o papel de Papadimitriou, como artista e articuladora do

of cultural and creative behavior.

projeto, é o de reconhecer as características particulares dessa

[Efi Strousa]

comunidade, que se encontram enfraquecidas diante da expansão desordenada da metrópole, para se transformarem em áreas heterogêneas de comportamento criativo e cultural. [Efi Strousa]

142


Maria Papadimitriou TA.M.A. (Temporary Autonomous Museum for AlI) (Project of social facilities for itinerant populations in Greece - Case I: The location of Avliza, Menidi, Attica) , instalação multi-mídia, dimensões variáveis, 1998-2002

143


145


Guatemala

[Guatemala]

Melanie Ríos Curadoria [Curator] Rosina Cazali

Poblado Próximo Poblado Próximo foi inicialmente concebido por Melanie

Poblado Próximo Pablada Próximo was initially conceived by Melanie Ríos and

Ríos e Estéban Cárdenas como um projeto de dança que se basea-

Estéban Cárdenas as a dance project based on improvisation rou-

va no exercício da improvisação. No entanto, ofereceu algo mais.

tines. It had, however, something more to offer. It was subsequently

Isso ocorreu quando se apresentaram pela primeira vez na Gua-

performed for the first time in Guatemala to a public that found

temala, ante a reação do público a uma obra cujas encenação e

itself responding to a work whose stage setting and aesthetics did

estética não correspondiam aos modelos já clássicos da dança

not conform to the already classic models of contemporary dance.

contemporânea. O que se esperava como interpretação da pai-

Expectations in terms of a typical Guatemalan landscape disinte-

sagem guatemalteca se destruía diante de qualquer evocação li-

grated with any literal attempt at its portrayal. In this way Pablado

teral. Assim, Poblado Próximo começava a história de algo mais

Próximo initiated a new phase of something more abstract, liber-

abstrato. Desencadeava uma inesperada projeção no corpo huma-

ating an unexpected projection in the human body, one associated

no, relacionada aos estímulos externos e a uma participação in-

with externai stimuli and a more active intellectual participation.

telectual mais ativa. Desde então, os projetos de Melanie Ríos tomaram um

Since then, the projects of Melanie Ríos have followed a different course. The traditionallogic of the dance space has changed

caminho diferente. A lógica tradicional do espaço da dança a que

in terms of its former constraints. The artist is currently working on

estava submetida se transformou. Atualmente, a artista desenvolve

presentations which explore movement-for-its-own-sake, working

apresentações que investigam o movimento - por si mesmo-,

them into her performance together with her naturally permissive

aliando-o ao movimento das performances e a seu caráter natu-

and provocative character, leading to an end product with strong

ral de provocação e permissividade. O todo resulta em algo que

hybrid elements.

tem muito de híbrido.

In the course of this process the artist has discovered an

Nessa revolução, a artista encontrou uma liberdade interior

inner freedom which grows through improvisation and suggests an

que adquire uma "supradimensão", por meio da improvisação, e

autonomous and inorganic whole, making it appear as something

sugere uma totalidade autônoma e inorgânica, que a faz pare-

other than pure movement. As if by experimenting with possible

cer como uma coisa diferente de um mero rastro de movimentos.

positions there begins to take shape in the body the kind of topo-

Como um jogo de posições possíveis; começa a encontrar no cor-

graphical figure as referred to by E. Bonnier, which translates into

po essa figura topográfica de que falou E. Bonnier e que se tra-

a register of chain reactions set off by time and space.

duz em um espaço capaz de registrar as excitações e reações em cadeia que o entorno e o tempo estimulam. A experiência acumulada na disciplina da dança não é

Experience acquired through the discipline of dance is not entirely abandoned, but simply changes its purpose with regard to the scenography in arder to focus more on the search for the stan-

abandonada totalmente, só transmuta sua finalidade cenográfica

dards of variability applying to human movement in cities; migra-

para se concentrar em algo que tem muito da busca dos padrões

tory movements, particular gestures adopted when walking along

de variabilidade em que se desenvolve o movimento humano nas

dangerous streets, those which hint at the fears that help to pro-

cidades, nos movimentos migratórios, nos gestos particulares que

tect uso In short, the work represents a kind of code of unpredict-

se adotam quando caminhamos em ruas extremamente perigo-

able movement, which is, however, internalised in each individual

sas, os medos que ajudam a nos proteger. Em suma, é uma espé-

enabling him ar her to define the urban chaos which we have built

cie de elaboração de um código gestual imprevisível que, no en-

to live in.

tanto, está internalizado em cada indivíduo e que permite ca-

[Rosina Cazali]

racterizar a urbe caótica que construímos para habitar. [Rosi na Caza Ii]

146


Melanie Ríos

Poblado Próximo, performance, 2002 [Foto Kevin Casey]

147


HoIanda [Netherlands]

Atelier van Lieshout Curadoria [Curator] Lilyvan Ginneken

Atelier van Lieshout

Atelier van Lieshout

O que Niccolà Machiavelli e Catherine Millet têm em co-

What do Niccolo Machiavelli and Catherine Millet have in

mum? Machiavelli foi consultor oficial do governo de Florença por

common? Machiavelli was a senior government official in Florence

volta de 1500 e autor de /I Príncipe, um dos mais famosos manuais

in around 1500 and author of 11 Príncipe, the renowned instruction

de instrução sobre os meandros do poder já publicados. Millet é

manual for obtaining and maintaining political power. Millet is our

nossa contemporânea 5 séculos depois, editora da revista de arte

contemporary five centuries later. She is the editor of the French

francesa Art Press e conhecida por sua autobiografia, La Víe Se-

art journal, Art Press, and is known for her autobiographical account

xuelle de Catheríne M, que traz um relato sobre suas experiên-

of her own experiences, La víe sexuelle de Catheríne M.

cias sexuais. O trabalho do escultor holandês Joep van Lieshout (1963)

The link lies in the work of the Dutch sculptor Joep van Lieshout (b. 1963). The subjects they discuss are his inspiration.

faz a ponte entre as duas personalidades, buscando inspiração nos

Machiavelli is a source beca use of his exceptionally realistic obser-

relatos de ambas. Machiavelli é uma fonte importante para o tra-

vation of human activity and his merciless analysis of the ability of

balho do artista, pela observação excepcionalmente realista da

those in power to manipulate groups of people. In an almost equally

atividade humana e a análise cruel que faz das pessoas em posi-

clinicai fashion, Catherine Millet presents herself as a model of

ção de poder e sua habilidade em manipular diversos grupos.

addictive sexual behaviour. 80th of them dissect the situations they

Igualmente impiedosa em seu livro, Catherine Millet se apresen-

describe without any resort to morality, religion ar eroticism.

ta como um modelo de comportamento sexual compulsivo. Am-

In his artistic practice Van Lieshout likewise totally ignores

bos discorrem sobre as situações que descrevem, sem fazer nenhu-

what is and is not considered appropriate. As a sculptor he had

ma concessão a preceitos morais, religiosos ou sexuais.

already consumed and absorbed 20th-century art history, includ-

Em sua prática artística, Van Lieshout também ignora com-

ing movements such as Surrealism, Minimalism, Fluxus and Con-

pletamente os padrões do que seja certo e errado. Como escul-

ceptualism, by the time he founded Atelier van Lieshout (AVL) in

tor, o artista mergulhou na história da arte do século XX e, ao

1995. At that moment he downgraded the notion of artistic au-

fundar o Atelier van Lieshout (AVL) em 1995, já havia flertado com

tonomy that has had taboo status ever since the Romantic move-

movimentos como o Surrealismo, Minimalismo, Fluxo e Conceptua-

ment, even going a step further with the production of his AVL

lismo. Naquele momento, desprezava os conceitos de autonomia

projects, by treating 'autonomous' art on the same levei as applied

artística, transformados em tabu a partir do Romantismo, e os

disciplines.

projetos desenvolvidos pelo AVL colocavam a arte "autônoma" no mesmo nível das disciplinas aplicadas.

There can be no doubt that Van Lieshout operates as an artist, even if he expands and stretches the artist's function quite

Não há dúvida de que Van Lieshout atua como artista,

shamelessly. Separately ar in combination, he is artist, entrepreneur,

embora suas obras extrapolem descaradamente esta função. Van

inventor, manipulator, strategist, farmer, butcher ar racing driver.

Lieshout é sem dúvida um artista, mas também um empreende-

It is ali the same to him.

dor, inventor, manipulador, estrategista, agricultor, açougueiro ou piloto de corrida, tanto faz para ele.

In his recent project, AVL-Vílle, he investigates the border between individual and society as well as that between different

Em seu mais recente projeto, AVL-Vílle, Van Lieshout ex-

individuais. In an increasingly regulated, controlled and ever-expand-

plora o limiar entre indivíduo e sociedade, bem como a diferen-

ing social arder, how can you remain independent and self-support-

ça entre as pessoas. Numa ordem social cada vez mais normativa,

ing, free to come and go as you will?

controladora e expansiva, como podemos nos manter independentes e auto-suficientes, livres para ir e vir? Nas docas de Roterdã, foi proclamado o Estado livre de

In Rotterdam's docklands the free state of AVL-Vílle has been proclaimed, with its own constitution, flag and money and a site where the AVL staff can live and which is open to visitors. The Van

AVL-Vílle, aberto ao público, com bandeira, moeda corrente e até

Lieshout objects that figure in exhibitions and other events as au-

uma Constituição própria, onde o staff da AVL vive. As esculturas

tonomous sculptures - the mobile homes, the brightly coloured

148


Ate lie r van Lieshout Sportopia, instalação com ferramentas, pesos

de concreto e andaimes, 18 x 5 x 5 m, 2001

149


autônomas de Van Lieshout, exibidas em exposições e outros even-

polyester furniture, the bar and bathrooms, the showers and campost

tos, tais como casas pré-fabricadas, a mobília colorida de poliéster,

toilets and the hospital- function here as everyday useful objects.

o bar e os banheiros, os chuveiros com toaletes e o hospital fun-

On the self-supporting farm, animais are reared for cansumption.

cionam como objetos quotidianos úteis. Na fazenda auto-susten-

IlIegal alcahol is distilled and processed to make herbal remedies.

tável, animais são criados para o consumo. O álcool ilegal é des-

In the laboratory bombs are produced; rifles and handguns have

tilado para a produção de remédios naturais. Muitas vezes, o labo-

been manufactured already.

ratório é usado para a confecção de bombas, rifles e revólveres.

Those who think in terms of logic will be baffled by the

Pessoas muito racionais se sentirão constrangidas pelas

cantradictions in AVL. How is one supposed to reconcile ecalogy

contradições encontradas na AVL-Vil/e. Como harmonizar ecolo-

and armaments? ButAVL-Ville is not some idealistic cammune where

gia e armamentos num mesmo espaço? Não se trata de uma co-

an alternative morality ar politically carrect set of principies is put

munidade idealista, onde uma nova moralidade e princípios po-

into practice. On the cantrary a hybrid reality is presented here

liticamente corretos são colocados em prática. Pelo contrário,

pragmatically, with 19th-century codes of art being adapted to those

uma realidade de natureza híbrida é apresentada na AVL-Vil/e

of the 21 st centu ry.

de forma pragmática, com códigos de arte do século XIX adaptados aos do século XXI. Joep van Lieshout declarou: "Se você vive numa pequena

Joep van Lieshout: "If you have a smaller cammunity, you can govern and decide things using cammon sense: clean your tools, don't kill each other. Those are the basics." (Artforum, ApriI2001).

comunidade, você pode governar e decidir coisas de maneira prática: limpem suas ferramentas, não se matem. Essas coisas são básicas". (Artforum, abril de 2001)

Sportopia Sportopia, built with crude standard materiais such as iron scaffolding, clamps and cancrete weights, cansists of a sport studio

Sportopia

A obra Sportopia, construída com materiais-padrão rústicos como andaimes de ferro, ferramentas e pesos de concreto,

and a pleasure centre. They are assembled back to back. On one side is a stair leading to a platform with mattresses with sleeping space for 30 people; a shower and a campost toilet are also available.

consiste numa academia de ginástica e num centro de lazer. As

Van Lieshout is facinated with peolple's obsession with the

duas partes são rejuntadas de costas uma para a outra. De um lado,

body, their infinite exertions on the one hand and their excessive

há uma escada que dá acesso a uma plataforma com colchões com

concern with relaxation on the other. Sportopía gives the oppor-

espaço de descanso para 30 pessoas; um chuveiro e um toalete

tunity to go beyond one's limits.

composto estão à disposição. Van Lieshout é fascinado pela obsessão das pessoas com

AVL-Ville

o corpo, com o esforço infinito, de um lado, e sua excessiva pre-

In 2001 AVL-Vílle, Atelier van Lieshout's biggest art work

ocupação com o relaxamento, de outro. Sportopia nos dá a opor-

was opened in the Rotterdam harbour area. It is a free state where

tunidade de ir além de nossos limites.

everything is possible; where people can live and work and where the objects from the exhibitions and events, such as the mobile

AVL-Ville

homes, ar the sanitary furniture acquire a function.

Em 2001, AVL-Vil/e, a maior obra de arte do Atelier van

AVL-Víl/e is open to the public. One can eat in the Hall of

Lieshout abriu ao público no porto de Roterdã. Trata-se de um

Delights and the hospital is fully operational. There is also a distillery,

espaço livre onde tudo é possível, no qual as pessoas podem vi-

an AVL energy plant that runs on waste and biogas, a biological

ver e trabalhar e onde os objetos de exposições e eventos, como

effluent water purification plant and campost toilets. The biologi-

casas móveis ou mobília sanitária, adquirem uma função.

cal city farm provides produce for AVL-Víl/e and, from stable to

AVL-Vil/e é aberta ao público. Pode-se comer no Hall das Delícias e o hospital é inteiram~nte operável. Há também uma

orchard ali its sections are mobile. In AVL-Vil/e art and life merge in one beca use its motto is,

destilaria, uma usina de energia que funciona com a reciclagem

if it is called art, almost anything is possible.

de lixo e biogás, uma usina de tratamento de água e toaletes

[Lily van Ginneken]

compostos. A fazenda orgânica fornece produtos para AVL-Vil/e e, do estábulo ao pomar, todas as suas seções são móveis. Em AVL-Ville arte e vida fundem-se porque seu mote é: se isso pode ser chamado de arte, quase tudo é possível. [Lily van Ginneken]

150


Atelier van LieShout para instalação A . m colagem, proj eto ) VL -Vil/e, deslgn e . Floor Houben no porto de Roter d-a, 2001 (deslgn

151


Honduras [Honduras]

Johanna Montero Matamoros Curadoria [Curator] Bayardo Blandino

Uma Olhada para os Sinais: Rotas e Rupturas Urbanas

A Look at the Signs: Urban Routes and Ruptures

Em princípio, as imagens que quotidianamente nos deno-

In principie the images that on a daily basis set off in us

tam o sentido contextual em nosso entorno imediato, provêm da

the contextual meaning of our immediate environment have their

mediatização voyeuse da mídia ou do que hoje conhecemos como

origin in the voyeurism of the mass media ar what today is known

o espetáculo da informação. Também deparamos com a recipro-

as the "spectacle of information". We also find ourselves involved

cidade dessas relações dentro dos espaços de representação mi-

in the reciprocity of these relations within the spaces of media rep-

diáticos, que denotam um evidente ressurgimento da multiplicação

resentation, which denote an evident resurgence in the multiplication

de imagens com base na mensagem intertextual.

of images rooted in the intertextual message.

Na obra de Johanna Montero, deparamos com sinais que

In Johanna Montero's project we come up against signs

nos entrelaçam dois aspectos que revelam essa relação de conjunto

which combine two aspects revealing the overall relationship be-

entre a transcrição dos sinais emitidos pelos sistemas anteriormente

tween the transcription of signs emitted by the previously men-

mencionados.

tioned systems.

"0 primeiro aspecto é recriado em torno do efeito do distancia-

"The first aspect is re-created based on a distancing effect pro-

mento que nos produz o desenho dos sinais vitais humanos alheios

duced by the drawing of vital human signs considered in their

à sua forma mais pura. Esses conjugam uma série de elementos

purest form, which brings together a series of symbolic elements

simbólicos inseridos no entorno, com a intenção de recriar um

inserted in the environment, with the intention of re-creating a state

estado de confusão e questionamento no espectador. O segundo

of confusion while questioning the spectator. The second element

elemento é constituído das letras e dos sinais de pontuação (sím-

consists of letters and punctuation marks (symbols already assimi-

bolos já assimilados e aprendidos); esses configuram um conjunto

lated and learnt), this latter element forming a combination of dis-

de discursos que são próprios ou particulares; são uma codificação

courses that are personal and private; they are a codification of

de vozes das diferentes linguagens ou expressões que as pessoas

voices in different forms of language or expression used by ali of

utilizam nos diferentes espaços mencionados anteriormente."

us in the different spaces already mentioned."

Na instalação da série Niveles de Tolerancia, a imagem e

In the installation of the series Niveles de Tolerancia [Lev-

a escritura se encaixam num espaço que traduz os contextos nar-

eis of ToleranceJ, the image and the writing link up inside a space

rativos do deslocamento e os estilos comunicativos com que os

which conveys the narrative contexts of displacement and the com-

indivíduos se vêem cpnfrontados freqüentemente em seu diálo-

municative styles by which individuais are frequently confronted in

go. Com isso, articulam códigos que descrevem a localização ime-

their dialog; using it to articulate codes that locate the immediate

diata do contexto em que se encontra seu interlocutor, precedi-

context of the interlocutor preceded by his way of speaking and

do de sua forma de falar e interagir, remarcando, assim, os limi-

interacting, thus redrawing the boundaries delimiting an aesthetic

tes de uma estética de caracteres gráficos fortes, criada pela ar-

of strong graphic characters created by the artist as synonyms which

tista como sinônimos que expressam as mensagens captadas pela

express messages captured by the intervention of an urban expres-

intervenção de uma expressão urbana. Interrogaciones, da série

sion. The work Interrogaciones [Interrogations] of the series Niveles

Niveles de Tolerancia, transita e intervém, assim, dentro de codi-

de Tolerancia therefore moves and intervenes within codes that

ficações inseridas em frase que nos interroga de maneira gene-

question us in a generously open manner as in the expression used:

rosamente aberta, como a expressão utilizada: "First of ali why do I have to talk to you people". "Em primeiro lugar, porque hei de falar com vocês".

[Bayardo Blandino] [Bayardo Blandino]

152


En primer lugar,

ar eGn ustedes?

Johanna Montero Matamoros Interrogaciones - Proyecto Publicitario. En Primer Lugar,

~PorquĂŠ

He de Hablar con

Ustedes?, da sĂŠrie Niveles de Tolerancia, serigrafia sobre tela, 100 x 300 em, 2001

153


Hung ria

[Hungary]

Tamás Komoróczky Curadoria [Curator] Julia Fabényi

Tamás Komoróczky é o artista urbano por excelência dos

Tamás Komoróczky is the par excellence artist of the nineties,

anos 90. É uma extensão da metrópole, um vanguardista com

a product of the metropolis. He is an avant-gardist who has social

preocupações de cunho social, que se opõe a torres de marfim e

concerns, who is against ivory towers and copyright, who, like the

direitos autorais; e, como a maioria dos artistas de sua geração,

majority of his generation, is unbounded by geographical and eco-

não está amarrado a imposições de ordem geográfica e econô-

nomic limitations, who is neither romantic nor utopian, but radi-

mica. Também não é nenhum romântico nem utópico, mas antes

cai and intensive. His artistic idiom is free from ali polemics and any

radical e intenso. Sua linguagem artística não causa polêmicas e

means of manipulating the emotions. The only form of emotional

não é manipuladora de emoções. A única forma cabível de con-

content allowed is humour, the base of his chosen environment,

teúdo emocional na obra do artista húngaro é a via do humor,

club culture.

que é a base do ambiente escolhido para o seu trabalho: a cultura c/ubber das discotecas.

The past ten years of a career that started in the late eighties have been extremely interesting and consistent. A career whose

A carreira artística de Komoróczky, extremamente inte-

inception coincided with the beginning of social and economic

ressante e coerente, iniciou-se no final dos anos 80, coincidindo

changes, processes of social emancipation. It was at this time that

com várias mudanças socioeconômicas nos países do Leste da Eu-

Komoróczky joined up with fellow graduates and self-taught art-

ropa, além de seu próprio processo de emancipação. Foi nessa

ists to form the radical Újlak Group, which gained its na me from

época que se juntou a um grupo de estudantes universitários e

the run-down cinema it took up residence in. Their movement in

artistas autodidatas e, juntos, formaram o Grupo Újlak, nome

the city in search of newer and newer venues of a similar charac-

tirado de um cinema decadente onde o grupo inicialmente se

ter became a valid model of creating post-conceptual art by the mid-

instalou. As andanças pela cidade à procura de locações cada vez

nineties. If the anti-academic nature of the locale was important,

mais modernas, mas com características similares às do Cine Újlak,

so was the retaining of individual styles. By this time Komoróczky

tornaram-se uma maneira original de criar uma arte pós-conceitual

had gained full mastery of the idiom of the city and techno-culture.

em meados da década de 90. O antiacademicismo do local esco-

He directed popular science shows for television, produced com-

lhido era tão importante quanto o estilo individual dos membros

puter-aided video animations, made films and photo-series in which

do grupo. Foi então que Komoróczky começou a dominar a lin-

he starred, choosing for his themes vulgar psychological and social

guagem urbana e a cultura tecno com maestria. O artista dirigiu

interpretations of identity.

programas de ciência popular para a televisão, produziu anima-

Komoróczky was featured in the Hungarian Pavilion of the

ções em vídeo, fez várias séries fotográficas e filmes protagonizados

49th Venice Biennial. His wallpapers shown there could be called

por ele mesmo, cujos temas eram interpretações psicológicas e

exercises in fantasy. Several dozens of loops formed 65 sets, while

sociais vulgares da identidade.

there were also 24 video shorts shown. The narrative levei was

A obra de Komoróczky foi exibida na 49 a Bienal de Veneza,

created by the vulgar psychologist, the visual analysis by the pro-

com a apresentação de vários tipos de papel de parede, um exer-

fessional picture composer. His theme was OCD, obsessive compulsive

cício de imaginação. Centenas de laços adornavam 65 aparelhos,

disorders. The wallpapers he has made for the 25th Bienal de São

enquanto 24 curtas diferentes eram mostrados em vídeo. A nar-

Paulo are also based upon OCD, but appropriating, with a charac-

rativa era feita pelo psicólogo vulgar e a produção visual, mon-

teristic twist, the truelfalse images of collective stereotypes, resolving

tada por um fotógrafo profissional. O tema da instalação foi DOC

the acronym as Oscillatory Compensation Dream.

(Distúrbios Obsessivos Compulsivos). Os vários tipos de papel de

[Julia Fabényi]

parede exibidos na 25 a Bienal de São Paulo também são calcados em DOC, mas foram apropriados de maneira inteligente, com imagens verdadeiras/falsas de estereótipos coletivos, modificando o conteúdo do acróstico para Devaneios Oscilatórios de Compensação. [Julia Fabényi] 154


Tamás Komoróezky

Sem título (Then nothing else but the buzzing of the bees ..), impressão digital, 250 x 160 em, 2001, coleção Wallpaper

155


Tamás Komoróczky

Sem título (detalhe), impressão digital, 100 x 130 em, 2001, coleção Wallpaper Sem título (detalhe), impressão digital, 100 x 160 em, 2001, coleção Wallpaper

156


Tamás Komoróczky

Videostills, filme em vídeo de 20 minutos, 2001-02

157


In donés ia [Indonesia]

Arahmaiani

Nos últimos cinco anos, a artista de instalação-performan-

In the last five years, Arahmaiani has become one of the

ce Arahmaiani tornou-se um dos maiores nomes da Indonésia a

Indonesian performance-and-installation artists most frequently

projetar-se internacionalmente. A contradição reside no fato de

invited to show internationally. Contrast: Indonesia's best-known

que a artista indonésia mais reconhecida no exterior é boicota-

female artist abroad, at home shunned in circles identified by mor-

da em seu país de origem por grupos de pessoas com valores mora-

alistic and/or Islamic values. Even within the established circles of

listas ou islâmicos. Até mesmo no cenário artístico da Indonésia

Indonesian theatre, performance, music, and art, Arahmaiani's work

o trabalho de Arahmaiani suscita reações que vão do total desin-

raises reactions ranging from disinterest to opposition: this artist

teresse a protestos veementes, pois a artista ousa cruzar várias fron-

dares to cut across too many boundaries in ways that render the

teiras que desafiam as convenções sociais e suas zonas de conforto.

comfort zones of social and conceptual categories meaningless.

Os desenhos de Arahmaiani são pueris e ao mesmo tem-

Arahmaiani makes childlike and nightmarish drawings, ir-

po apavorantes, o que irrita as pessoas que pensam a arte como

ritating people who want art that demonstrates clever mastery of

uma forma óbvia de demonstrar maestria de cunho decorativo,

skill, whether decorative, romantic-realist or modernist. She messes

romântico-realista ou modernista. A artista mexe com os ícones

with too many people's icons. Yani stands crucified in free space

de muita gente e, por isso, permanece confinada ao espaço li-

against a wall on which anti-violence messages are scribbled. Yani

vre de um muro onde mensagens antiviolência são apenas rabis-

lies immobile on a tomb surrounded by erotic imagery. Yani invites

cadas; permanece imóvel num sarcófago rodeado de imagens

people to come up and write messages on her arms, neck and face.

eróticas. Em suas instalações, Arahmaiani, ou Yani, como é cha-

Yani shows skin and acts in ways women shouldn't, wearing tra-

mada, instiga as pessoas a se aproximar e escrever mensagens em

ditional dress. Yani runs in place, carrying a plastic machine gun,

seus braços, pescoço e rosto, desnudando assim o corpo feminino

eyes empty, mind vacant.

e revelando um comportamento proibido às mulheres indonésias

In a society where the artwork and its message are rarely

que usam trajes tradicionais. A artista caminha pelo local com

separated from the person, Arahmaiani has ruffled up judgements

uma metralhadora de plástico em punho, olhar distante, a mente

on sexist, aesthetic, moral or religious grounds. She has found her

esvaziada.

freedom to express herself by becoming a nomad, globally and locally

Numa sociedade onde o trabalho artístico e suas eventuais

- the path and fate of prophets and visionaries in societies where

mensagens raramente se desassociam do artista, a obra de Arah-

shamanic roles have been eliminated and the recognition of the truth-

maiani tece várias críticas de natureza estética, moral, religiosa

power in a person's ability to 'cross over' boundaries of ali kinds

e sexista. Yani encontrou liberdade de expressão, tornando-se uma

has disappeared.

nômade em nível global e local, que são o destino e o caminho

Arahmaiani steps into that most sensitive area of human

traçados por profetas e visionários, cujos papéis xamânicos foram

rights - women's rights to control their minds and bodies. As Indo-

extirpados da sociedade em que vivem; e o reconhecimento de

nesia's most prominent female playwright, Ratna Sarumpaet, says:

pessoas que conseguem ir além de suas fronteiras e ousar, sim-

"When a woman dares to speak, there seems to be a great force

plesmente, não existe.

or desire to silence her." But Arahmaiani's work goes beyond gender;

Arahmaiani toca numa das áreas mais sensíveis dos valo-

giving voice and body to women's politics, she also speaks for a

res humanos atuais - o direito das mulheres a seu próprio cor-

nation of bodies.

po e mente. Como afirmou a mais famosa dramaturga da Indo-

[Astri Wright]

nésia, Ratna Sarumpaet: "Quando uma mulher se atreve a falar neste país, parece haver uma força e um desejo muito grandes de silenciá-Ia". O trabalho de Arahmaiani, contudo, vai além das diferenças entre os sexos. Ao dar voz e corpo à política feminina, a artista está também dirigindo-se a uma nação de corpos. [Astri Wright]

158


Arahmaiani

His-story, performance no Kid Aillack Hall, Tรณquio, 2000 [Foto Shibata Ayano]

159


Irlanda

[Ireland]

(Iare Langan Curadoria [Curator] Patrick Murphy

Mais Escuro que a Noite

.,

Too Dark for Night

A visão um tanto sombria, mas esplendorosa, de Clare

Clare Langan's bleak but beautiful vision proposes the fra-

Langan expõe a fragilidade da civilização diante da força indife-

gility of civilisation in the face of the indifferent might of nature.

rente da natureza. O sublime, o isolamento e a memória enrique-

Issues of sublimity, memory and aloneness enrich her pieces, but

cem sua obra, mas esse engajamento intelectual só ocorreu após

this intellectual engagement is only the aftershock to the affective

os desatinos afetivos do nosso primeiro encontro.

tremors of our first encounter.

A escuridão permeia o novo filme de Clare Langan, e a

Darkness frames this new film from Clare Langan and sand

areia do deserto interpõe-se a cada fotograma. Os cenários cap-

pervades its every frame. Her location has moved from eerie greens

tam os fascinantes tons verde-azulados da água misturada ao gelo

and blues of water and ice in the previous Forty Below to the browns

do seu filme anterior, Forty Below, para encher a tela com o cin-

and sepia of the desert. The opening sequence plays the graininess

zento-acastanhado que caracteriza o deserto. A seqüência inicial,

of the medium against the graininess of sand; subject and method

uma perfeita harmonia entre objeto e método, mostra a granu-

beco me one. Langan's mise-en-scene is not the creation of post-

lação da película sobre os grânulos de areia. A cenografia de Lan-

production manipulations but of self-made filtersattached to the

gan não é o resultado de uma edição elaborada, mas de simples

camera lens during actual filming . Prisms and.gels contour the subject

filtros acoplados à câmara durante a filmagem, em que prismas

into a vision distinct from, and equal to, the high-tech enhance-

e géis distorcem o objeto para proporcionar uma visão distinta

ments of special effects in commercial cinema . The soundtrack, which

e, ao mesmo tempo, idêntica aos efeitos especiais high tech do

moulds the emotional shape of a film scehe, is predominantly the

cinema comercial. Presente em apenas uma cena de forte apelo

wind, the agent that also forms the shapeliness of the desert dunes.

emocional do filme, a trilha sonora é composta essencialmente

Langan sets out with this sympathetic relationship of me-

de sons do vento, que delineiam as formas das dunas do deserto.

dium and subject to offer a simple narrative structure that medi-

Langan inicia o filme estabelecendo uma relação atávica

tates on memory and earth. The figure in this film is a cypher, a device

entre o meio e o objeto, com uma estrutura narrativa simples, que

to provide scale to the immensity of the location and deliver us its

se debruça sobre a memória e a Terra. A figura humana, neste

poignant centre. The exterior scenes set the severity and isolation

filme, é uma mensagem cifrada, um mecanismo secreto em pers-

of the individual in relation to this hostile environment. Sky and sun

pectiva na vastidão dos cenários naturais, que nos arrebatam. As

and heat are not permitted and only wind and sand are featured.

tomadas exteriores expõem as dificuldades e o isolamento do

We are familiar with this scene, the lost protagonist wandering in

indivíduo diante de um ambiente hostil, onde o céu, o sol e o calor

the desert. But this desert is not a confined entity, it is a moving

não aparecem, apenas o vento e a areia são onipresentes e açoi-

and encompassing organism as suffocating and as deadly as the ice

tam o protagonista errante pelo deserto. Este não é uma entidade

and water of its predecessor. We are first introduced to its indif-

de confinamento, mas antes um organismo vivo, envolvente, tão

ferent malevolence when our guide encounters the petrified for-

sufocante e letal como o gelo e a água no filme anterior de Lan-

est, black trees submerged in arid sand, the weaker flora succumbing

gano Nas primeiras cenas, somos conduzidos à inclemência e à

to a stronger adversary. Then onwards through buried railway tracks

insensibilidade do deserto, quando o protagonista depara com uma

to urban devastation, the central post-apocalyptic scene of domes-

floresta petrificada e suas árvores chamuscadas submersas na areia

ticity engulfed by the sands of time over time. A meditation on the

escaldante, sinais da flora moribunda sucumbindo a um adversário

frailty of our human existence, the transitory character of memory

mais forte. Ao longo do filme, entre restos de trilhos de estrada

and the ephemeral nature of beauty itselL

de ferro e cenários de devastação urbana, há a visão pós-apo-

This is Langa n's second film in a trilogy, and the tones struck

calíptica da civilidade sendo tragada pelas areias do deserto com

may be described as Romantic Though it keeps the components

o passar do tempo. Uma reflexão sobre a fragilidade da existên-

of its 19th-century antecedents it reverses them in a terrifying way.

cia humana, a transitoriedade da memória e o caráter efêmero

Frederich's Alps and Bierstadt's Rockies provided the grand vistas

da beleza.

for the thrill of the sublime. The artists chose them as perceptual

160


( Iare Langan Toa Dark for Night (sti lls), fi lme em super 16 mm transferido para DVD, 2001

161


Os tons captados pela câmara de Langan, no seu segun-

vehic les in wh ich to convey the sense of awe. Langan's nature is

do filme de uma trilogia, remetem-nos ao estilo romântico. Em-

in an altogether different category. It is ma levolent and active, the

bora apresentando elementos de obras do século XIX, Langan as

Ga ia goddess that revenges the neglect and exp loitation wielded

subverte de uma maneira assustadora - os Alpes de Frederich e

upon her over the past century. She is indifferent to our percep-

as Montanhas Rochosas de Bierstadt são pretextos para resgatar

tion and invades the very platforms from which we once so safely

a emoção do sublime. Os artistas escolhem seus cenários como

appreciated her might.

veículos perceptuais para causar uma sensação de estranheza. A

[Patrick Murphy]

natureza, na obra de Langan, é de uma categoria distinta, pois ela é, ao mesmo tempo, malévola e atuante. A deusa Gaia vinga-se da negligência e da exploração a que foi submetida no último século e, indiferente à nossa percepção, invade os simulacros de onde um dia contemplamos toda a sua pujança. [Patrick Murphy]

(Iare Langan

Toa Oark for Night (stil ls), filme em super 16 mm transferido para DVD, 2001

162


163


Israel

[Israel]

Gal Weinstein Curadoria [Curator] Tali Tamir

Gag (Teto)

Gag (Roof)

Uma palavra monossílaba em hebraico, gag (teto), engloba

A monosyllabic word, gag (roof) denotes in Hebrew an entire

todo um conceito referente ao habitat humano: demarcação de

conceptual set pertaining to a human habitat: delineation of terri-

território, proteção, privacidade, intimidade. Dentro do espaço

tory, protection, privacy, intimacy. Within the chaotic space of the

caótico da metrópole, o significado do teto é equivalente ao de

metropolis the roof delineation is tantamount to casting a net into

uma rede de pesca atirada ao mar: o que vier é seu, estabelecendo

the ocean: whatever it catches is yours, thus establishing a sense

assim um sentido de posse e propriedade, a diferença fundamen-

of ownership and belonging - a basic identity that distinguishes

tai que separa um indivíduo sem teto, que mora na rua, à mar-

between the wandering homeless person who lives out in the open,

gem de qualquer sistema social, de uma pessoa que tem onde

outside of any social system, and the one who is attached to a place

morar e encontra abrigo sob um teto, como forma de expressão

and finds shelter under its roof, as a civilizational manifestation. The

civilizacional. A qualidade do telhado e o material usado para

quality of the roof and its material - whether tiles, concrete, or

construí-lo - telhas, concreto ou folhas de zinco - determinam

corrugated tin sheets - determines the status of the individual it

a posição social do indivíduo que ali habita. Um telhado pastoril

shelters: the pastoral, idyllic tiled roof represents a bourgeois fan-

e idílico, coberto de telhas, representa a fantasia burguesa que

tasy which implies isolation and alienatio~, whereas the tin roof

leva ao isolamento e à alienação, enquanto que o telhado de zinco

signifies the minimal, most inferior framework of human territory.

constitui a estrutura mais inferior e exígua do território humano.

Gal Weinstein addresses these links between the architec-

Gal Weinstein estabelece uma correlação entre o arquite-

tural and the human, creating a correspondence between the "or-

tônico e o humano, entre os "órgãos da casa" e os do corpo: uma

gans of the house" and those of the body. Reddish-brown like the

habitação marrom-avermelhada, como as cores do corpo e da

color of body and flesh, dwelling, with ali its organs, in a specific,

carne, com todos os seus órgãos, num espaço exclusivo, demar-

delineated and identified space, the internally-branching, organic

cado e conhecido. O telhado feito de material orgânico, interna-

tiled roof which he constructed at the 25th Bienal de São Paulo os-

mente ramificado, que o artista construiu para a 2S a Bienal de São

cillates between two conditions: the idyllic-utopian and the alien-

Paulo oscila entre duas vertentes: a idílica-utópica e a burguesa-

ated-bourgeois. In between these, ironic and criticai, emerges the

alienada. Dessas duas possibilidades, surge o clichê bucólico de

pastoral cliché of a suburban, country-style tiled roof that repre-

um telhado em estilo rural, representando a narrativa escapista

sents an escapist narrative of leaving the city.

da fuga da cidade para o campo.

As an architectural element recognized and endlessly em-

Como elemento arquitetônico reconhecido e usado em

ployed by ali cities, Weinstein's roof traces the densification of the

todas as cidades do mundo, o telhado de Weinstein delineia a

inhabited city space, offering an antithesis to the experience of urban

densidade demográfica do espaço urbano, formando uma antí-

noise, pollution and decay. Weinstein lends the roof a surreal di-

tese ao barulho, à poluição e à degradação das grandes cidades.

mension; Iying directly on the ground, devoid of walls, this roof

Assentado diretamente sobre o chão, sem paredes, o telhado cons-

emerges as a ramified growth with a total presence, striving to take

truído pelo artista adquire uma dimensão surrealista, surgindo

under its wihgs ali those who seek shelter - the refugees of hu-

como uma presença altiva e protegendo todas as pessoas que ali

man civilization.

buscam abrigo - os refugiados da civilização humana .

[Tali Tamir]

[Tali Tamir]

Gal Weinstein Close to the Ground, instalação eom madeira e telhas, 150 x 625 x 810 em, 1999 (Kibbutz Art Gallery, Tel Aviv)

164


165


Itá Iia [Italy]

Margherita Manzelli Curadoria [Curator] Paolo Colombo

Uma figura deformada sempre suscita perguntas a res-

A deformed figure often invites specu lation as to when

peito de quando a deformação ocorreu, se foi antes do nascimen-

such deformation occurred: was it before birth - because of a

to, devido a problemas genéticos, ou depois, devido a um movi-

biological condition - or after, due to an internai torque deter-

mento interno determinado por um sensibilidade aflorada ou uma

mined by an inspired sensitivity and a fluid emotional existence?

existência emocional fluida. As pinturas de Margherita Manzelli

Margherita Manzelli's paintings typically depict young women, who

geralmente retratam mulheres jovens, cujos aspecto físico e fisio-

have been slightly altered in their proportions and complexions,

nomia demonstram algum tipo de degeneração, muitas vezes sinais

often bearing signs of premature aging in their hands and in their

de envelhecimento prematuro nas mãos e nos pés. A perplexidade

feet. Inquisitive expressions on their faces emphasize thin and ema-

expressa no rosto dessas jovens revela, com freqüência, corpos

ciated bodies.

magros e emaciados.

The artist described these portraits, painted from memory,

Pintados a partir da memória, Manzelli descreveu seus

as those of women she has met or seen and onto whom she has

retratos como mulheres que conheceu ou viu alguma vez em sua

superimposed features of her own. Although they hint at a physical

vida, às quais sobrepôs características físicas segundo seu próprio

resemblance with the artist, they are not self-portraits but rath-

estilo. Embora algumas figuras se pareçam com a artista, suas

er imaginary render ings of young women whose psychological

pinturas não são auto-retratos, mas sim uma interpretação ima-

and physical existence she has subsumed during the course of the

ginária de mulheres cuja existência física e psicológica ficou su-

painting .

bordinada a uma idéia durante o ato de pintar. As pinturas de Manzelli são claras e objetivas, mas não

The structure of her paintings is straightforward, albeit not facile: it is composed of a foreground, occupied by one single fig-

simplistas. Os retratos são feitos em primeiro plano, com uma única

ure, and a background, which acts as the objective correlation to

personagem, e o fundo geralmente permite uma correlação di-

the person depicted (as do the few objects accompanying each

reta com o objeto da pintura e também com os acessórios que

model, for example an afghan, a dress, or a bow in the hair).

acompanham a modelo, invariavelmente um xale colorido, um vestido ou uma fita no cabelo. A iluminação tem um papel fundamental na obra de Man-

Light plays a central role. Its source, wh ich traditionally defines the context of what is portrayed - the atmosphere of a scene - cannot easily be determined . It seems to be positioned a

zelli, visto que a forma como as luzes são posicionadas definem

few yards away, in the viewer's gaze, wh ich illuminates the depicted

o contexto do que é retratado e trazem a ambientação correta

scene at the precise moment the eyes turn towards it. The dark areas,

à cena. Nas pinturas da artista, a luz parece estar sempre coloca-

on the contrary, are not uniquely determined by such selective light-

da a alguns metros de distância do objeto, de forma a iluminar

ing, but are rather the result of a system of effondrement (sinking/

o rosto da modelo no exato momento em que seus olhos se fi-

disappearance) with in the canvas itself: a metaphoricalladder that

xam na cena. As áreas mais escuras, por outro lado, não são de-

descends into obscurity and a paragon of the possible emotive and

terminadas por iluminação específica, mas são o resultado de um

psychological fate of the model.

sistema de effondrement (afundament%cultamento) dentro da

Although her subjects are rendered according to the physi-

própria tela, isto é, uma escala metafórica, que mergulha na obs-

ology of the eye (volumetric definition of the anatomy, use of the

curidade, formando um padrão a partir do universo psicológico

single source of light and ensuing chiaroscuro), they lea n towards

e emotivo da modelo.

abstraction, partly due to the starkness of the depiction, and partly

Embora os objetos na obra de Manzelli sejam traduzidos

to the artist's selective memory. A simi la r process was suggested in

pela fisiologia dos olhos (definição volumétrica da anatomia, uti-

a letter written by Paul Gauguin to Vincent van Gogh in Septem-

lização de uma única fonte de luz e chiaroscuro decorrente), eles

ber, 1888, where Gauguin complained of his inability to complete

tendem à abstração, em parte devido à aridez da pintura e em

a portrait of Emile Bernard: "1 am observing young Bernard," he

parte pela memória seletiva da artista. Um processo semelhante

wrote, "but I do not yet get him. Maybe I shal l do him from memory,

foi sugerido numa das cartas que Paul Gauguin escreveu a Vincent

but in any case it will be an abstraction." 1

166


)

'"'I

Margherita Manzelli programma, Disciplina, Maestro (t.m.h.S), óleo sobre linho, 195 x 400 cm, 2000, coleção Centro per le Arti Contemporanee, Roma

167


van Gogh em setembro de 1888, em que se queixava da incapa-

Margherita Manzelli's powerful mixture of memary and the

cidade de terminar um retrato de Emile Bernard. "Estou aqui

projection of an inner life anta her subjects is tempered by a third

observando o jovem Bernard, mas não consigo captá-lo. Talvez o

element, a distancing facto r - the visual equivalent of a knight's

faça de memória, mas de qualquer forma será uma abstração",

gambit - that undermines and amplifies the psychological impli-

escreveu o pintor francês'.

cations of her figures : a subtle and dark sense of humor. Her models

A combinação efetiva de memória e projeção de uma vi-

exude inner anguish, albeit infused with an airy, ambivalent sense

da interior, que Margherita Manzelli confere a seus objetos, é

of perplexity. They do this with the highest degree of intensity,

entremeada por um terceiro componente, um fator de distancia-

appearing as prototypes of individuais, as specimens of specific stages

mento, cuja imagem visual lembra um cavalo no tabuleiro de

in the course of a woman's life; ar, as contemparary equiva lents of

xadrez. Esse elemento solapa e, ao mesmo tempo, aumenta as

what a platonic idea of young women might be if separated from

implicações psicológicas das figuras retratadas pela artista, por

ali social history - and therefore ali patriarchal protection - thus

meio de um senso de humor sutil e tenebroso. As modelos exa-

able to take on the load of their own psychological states. They exude

lam uma angústia impregnada de uma perplexidade etérea e am-

an active interior life, but one that seems to rely on emotional

bígua. Elas posam com uma intensidade ímpar, mostrando-se como

uncertainty, on doubt, and on the doubt of doubt itself.

protótipos de indivíduos, espécimes advindos de diferentes estágios

[Paolo Colombo]

da vida de uma mulher ou, ainda, similares contemporâneos do questionamento platônico, de como as jovens se desenvolveriam

1

se fossem separadas do seu contexto histórico-social - e, por

sity Press, Cambridge, 1991 ).

conseguinte, da proteção patriarcal -, capazes de suportar o fardo de sua própria condição psicológica. As modelos de Manzelli possuem uma vida interior muito ativa, mas que parece se sustentar nas suas incertezas emocionais, na dúvida e na dúvida da dúvida. [Paolo Colombo] 1

Citado em The Rhetaric af Purity, de Mark Cheetham (Cambridge Uni-

versity Press, Cambridge, 1991).

Margherita Manzelli

5, óleo sobre linho, 150 x 220 cm, 2000, coleção particular [Cortesia Studio Guenzani]

168

Quoted in The Rhetoric af Purity, by Mark Cheetham (Cambridge Univer-


Margherita Manzelli Nattem, รณlea sobre linho, 250 x 200 cm, 2000 [Cortesia Studio Guenzani]

169


lu 9os Iávia [Yugoslavia]

Mrdjan Bajic Curadoria [Curator] Vesna Milic

A herança cultural legada à Iugoslávia nos quase 40 anos

Tito's Yugoslavia lasted for almost 40 years. Today, there

de governo Tito foi tão marcante que ainda hoje não há lugar

is no place where one can see and get acquainted with its com-

no país onde não se possa observá-Ia ou senti-Ia. O projeto do

mon cultural heritage. Mrdjan Bajic's project YugoMuseum is pos-

YugoMuseum, de Mrdjan Bajic, evidencia dois problemas que afli-

ing both problems that developing artists in former Yugoslavia might

gem os artistas formados na ex-Iugoslávia: o artista em relação

have been facing: artist in relation to the State and artist in rela-

ao Estado e o artista em relação ao público, aqui representado

tion to the spectator represented through the ultimate state insti-

pelo museu, a instituição cultural-mor de uma nação. Bajic traz

tution - the Museum. He is pointing at both processes of artistic

à tona a produção artística iugoslava vista sob o ângulo estrita-

production in the given political framework as well as politics of

mente político e também sob o aspecto da política de curadoria

display and curatorship in changed circumstances. Who is to interpret

e exposição da arte em um ambiente de constante transforma-

this ex/country's history of art and who is to decide on the Museum's

ção. A quem cabe interpretar a história da arte deste (ex) país e

formative collection? This is where Bajic is opening his initial con-

quem decide o acervo formativo de um museu? Éa partir dessas

cept for questions of remembrance and affirmation of memories.

premissas que Bajic expande o conceito subjacente à sua obra,

In an interview he states:

para discutir a questão da memória e sua afirmação. Em uma entrevista, ele declarou:

Many people asked me if I am really going to build the YugoMuseum. This question only prolongs the obvious answer such

"Muitas pessoas me perguntam se pretendo realmente construir

a Museum really exists. I have only tried to inform both myself

o YugoMuseum, o que suscita uma resposta óbvia: esse museu

and others of its existence. This Museum does not need exhibi-

já existe. Procuro apenas convencer a mim mesmo e aos outros

tion halls and walls and you do not have to pay an entrance fee

da sua existência. Um museu desse tipo não precisa de salas es-

in order to visit it. Vou are in there, every day of your life, for free ...

peciais nem de paredes. Também não é necessário pagar para visitá-lo . A gente o visita todos os dias, de graça".

The YugoMuseum project, as we have seen it in Belgrade's CKZD gallery, is one of the most complex set of works in Mrdjan

O projeto do YugoMuseum, em exposição na Galeria CKZD

Bajic's oeuvre. Objects, historical documents, symbols, photo ma-

de Belgrado, é uma da obras mais complexas de Mrdjan Bajie.

terial, readymades, were ali juxtaposed during the terrible '90s and

Objetos, documentos históricos, símbolos, material fotográfico,

are directly linked to the 80-year-long history of all'types' of Yugoslav

readymades, sobrepostos durante os terríveis anos 90, e que fo-

states (constitutional ar unconstitutional monarchies, quisling re-

ram interligados ao longo dos 80 anos dos vários "tipos" de Es-

gimes, Titolst and post-Titoist socialism, etc.). In the YugoMuseum

tados iugoslavos (constitucional, inconstitucional, monarquias, re-

project ali of this material relates to Bajic's own sculpted forms that

gimes corruptos, socialismo titoísta e pós-titoísta ete.). Esse ma-

are now merged into an overwhelming context of YugoMuseum.

terial está contido nas formas esculpidas de Bajic, ora fundidas no

[Branislava Andjelkovic]

contexto irresistível do projeto do YugoMuseum. [Branislava Andjelkovic]

170


Mrdjan Bajic Yugomuseum, instalação mu ltimídia, 224 m2, 2001

171


Japã o [Japan]

Ki mio Tsuchiya Curadoria [Curator] Kazuo Yamawaki

Depois do Dilúvio

After the Deluge

Assim que a idéia do Dilúvio abrandara,

As soon as the idea of the Deluge had subsided,

Uma lebre se déteve entre o trevo e as flores oscilantes,

A hare stopped in the clover and swaying flowerbells, and said a prayer

e rezou para o arco-íris através da teia de aranha.

to the rainbow, through the spider's web.

[Arthur Rimbaud, Depois do Dilúvio]

[Arthur Rimbaud, After the Deluge]

Em menos de uma década, presenciamos uma série de

In less than a decade we have experienced a series of great

catástrofes urbanas de grandes proporções, entre elas o terremoto

catastrophes inurban areas, including the Great Hanshin Earthquake,

de Hanshin, o incidente com o gás sarin em Tóquio e a destruição

the Tokyo subway sarin-gas incident, and, most recently, the de-

das torres do World Trade Center em Nova Iorque, fato que ainda

struction of the World Trade Center towers in New York, wh ich is

reverbera em nossas mentes. Além desses desastres, as grandes

still fresh in everyone's memory. In addition to these major disas-

cidades enfrentam muitos outros problemas, tais como poluição

ters, cities are faced with many other serious problems: air pollu-

do ar, superpopulação, imensas disparidades sociais, proliferação

tion from automobile emissions, the concentration of population

de favelas e dos sem-teto, aumento da violência e da criminali-

in cities, the increasing gap between rich and poor, as well as the

dade, e ainda o problema da coleta e do destino do lixo urbano.

rapid expansion of slums, spiraling crime rates, growing numbers

O artista Kimio Tsuchiya se concentra num aspecto da vida

of homeless people, and the mounting difficulty of garbage disposal.

nas grandes cidades que, à primeira vista, não é tão óbvio como

Kimio Tsuchiya focuses on an aspect of city life that is not

os problemas que as afligem - a sensação de ociosidade e vazio

as obvious as these highlyvisible crises - the sense of vacancy and

que, de uma forma ou de outra, se abate sobre as pessoas que

emptiness that we come to feel sooner or later whi le enjoying the

dispõem de todo o conforto e as conveniências de uma metrópole.

convenience and comfort of the city. Tsuchiya refers to this prob-

Tsuchiya refere-se a essa questão como falta de shozai (orienta-

lem as a lack of shozai (Iocation, whereabouts), and his work deals

ção, rumo), e sua obra enfoca basicamente a sensação do não-

with this lack of a sense of belonging that afflicts the souls of city

pertencer, que angustia a alma dos habitantes das grandes cida-

dwellers, the rootless wanderers of the modern age. His artistic

des, verdadeiros errantes desenraizados da era moderna. A prin-

endeavor was initially inspired by the words of the great Japanese

cípio, a arte de Tsuchiya buscou inspiração nas palavras da gran-

novelist Natsume Soseki, "The saddest man is the man without a

de romancista japonesa Natsume Soseki: "O mais triste dos ho-

place of his own."

mens é aquele sem um lugar próprio".

Tsuchiya started out making artworks with the materiais and

Os primeiros trabalhos de Tsuchiya eram feitos de mate-

debris from a demolished house, resurrecting the memory of an aban-

riais e entulho de casas demolidas, idéia que suscitava a memó-

doned house as well as the forgotten memories of the people who

ria de uma casa abandonada, paralelamente à memória das pes-

lived in it. He also burnt these materiais to create ashes and spread

soas que nela habitaram. O artista queimava os materiais, junta-

the ashes over an area of floor or sprinkled them on the pages of

va as cinzas e as espalhava por uma área delimitada ou as espar-

diaries. Ashes are the final form of a material object and the es-

gia sobre as páginas de um diário. As cinzas representam tanto

sence of memory; they also serve as a symbol of resurrection. Ex-

a forma acabada do objeto material como a essência da memó-

amples of this symbolism include the Christian Ash Wednesday, the

ria; e também simbolizam a ressurreição. Entre os exemplos des-

coating of bodies with ash in Hindu rituais in Bali, and the Japa-

se simbolismo estão a Quarta-Feira de Cinzas, do calendário cris-

nese folk téile of the old man who made flowers bloom on a dead

tão, os cadáveres cobertos de cinza nos rituais hindus de Bali e o

tree by using ashes .

conto do folclore japonês sobre o ancião que utilizava cinzas para

[Kazuo Yamawaki]

fazer as flores crescerem a partir de uma árvore morta. [Kazuo Yamawaki]

172


Kimio Tsuchiya Remembrance, madeira recuperada e vapor, 250 x 300 x 400 cm,

2000, instalação, Kanaz Forest of Creation, Fukui

173


Kimio Tsuchiya Resurrection of Myth, restos de concreto e cinzas, 350 x 500 x 2000 cm, 1996, instalação, The Museum of Modern Art, Saitama [Foto Matai Okumura]

[à direita] Reco/lection Field, restos de concreto e vasos de begônia, 370 x 1320 x 2000 cm,

1999, instalação, Th e Hakone Open-Air Museum [Foto Shohei Matsufuji]

174


Letônia

[Latvia]

Famous Five/Liga Marcinkevica Curadoria [Curator] Ojars Petersons

Conhecendo os Sentimentos de Riga

Accustomising Riga Feelings

Desta vez, trazemos à distante São Paulo três jovens ar-

This time there are three who are bringing their feel ings

tistas que expressam seus sentimentos em relação a uma cidade

about an abstract city (and yet it is their own Riga) to the viewers

abstrata, que nada mais é que sua própria cidade natal. Liga

of far-offSão Paulo, The young Riga artists Liga Marcinkevica, leva

Marcinkevica, leva Rubeze e Martins Ratniks são de Riga, Repú-

Rubeze and Martins Ratniks are part of the we ll-known group on

blica da Letônia, e fazem parte de um grupo muito conhecido no

the Latvian art scene F5 that means Famous Five, Various sizeable

cenário artístico letão, o F5 (Famous Five - 5 Famosos). Os tra-

projects connected with new technologies and digital aesthetics we re

balhos deste grupo estão calcados em novas tecnologias e na es-

created together with two other F5 artists - Ervins Broks and Renars

tética digital, e são criados com os dois outros artistas do F5, Er-

Krumins,

vins Broks and Renars Krumins.

They ali developed into professional media artists in the

Todos os membros do grupo se formaram em Comuni-

Visual Communications Depa rtment of the Latvian Academy of Art

cação Visual na Academia Letã de Arte, onde as técnicas aplicadas

where technical methods are only a means of expressing the con-

são apenas uma maneira de expressar conceitos e sentimentos

cept and feelings of the contemporary world, Their projects have

do mundo contemporâneo. Os projetos desenvolvidos pelo F5 es-

up to now been associated with digital video, computer animation

tão sempre associados a imagens digitais em vídeo e animação/

and sound, One of the F5 artists once said in an interview: "I see

som por computação gráfica. Referindo-se a seu método de tra-

video more as an installation " I think sound has primary signifi-

balho, um dos membros do grupo afirmou: "Percebo o vídeo mais

cance", hearing sounds and not seeing an image, more real asso-

como uma instalação, e acho que o som tem uma função bási-

ciations are created than showing a picture without sound ."

ca. Ao ouvirmos um som e não vermos uma imagem, fazemos as-

I wo uld like to claim that their challenge to the general

sociações mais próximas e reais do que quando vemos uma ima-

concept of this 25th Bienal de São Paulo is the opportunity to civilise

gem sem som".

the bigcity through searching for (a nd finding) contemporary beauty,

Gostaria de' enfatizar que o grande desafio do grupo à

The ir work entitled The Enticer shows the possibility of beauty in

proposta da 25 a Bienal de São Paulo é a oportunidade de "civi-

an apparently shrill industrial environment. (It is appropriate to

lizar" a cidade grande por meio da busca (e do encontro) de uma

remember here that youth cultures - in which these artists are

beleza contemporânea. A obra que o grupo traz a São Paulo,

included ---:- are tied not only to techno and hip-hop, but also with

intitulada The Enticer (O Sedutor), mostra a possibilidade de be-

noise.) The tunnel principie, achieved through digital video trick-

leza num ambiente industrializado aparentemente descomedido

ery, pulls us into an environment that, through submission to its

(devemos lembrar que as culturas jovens, nas quais estes artis-

physical rhythm, opens up the possibilities of classical (not Holly-

tas estão inseridos, estão ligadas não apenas ao tecno e ao hip

wood) beauty. Although the visua lisation of the sounds created by

hop, mas também ao barulho). O princípio do túnel, obtido com

the artists is self-constructed, it demonstrates the contemporary

técnicas de videodigitalização, transporta-nos para um ambiente

attractive aesthetic of the technological jungle, It demonstrates the

onde a sLJbmissão ao ritmo físico imposto nos traz a possibilidade

appropriateness of its feelings to the freedom of anonymity and

do belo clássico (não hollywoodiano). Apesar de a visualização

abstraction, which, with a strong will to live, can be found in the

dos sons criados pelos artistas construir-se por si só, ela eviden-

most extreme conditions of the metropolis,

cia toda a beleza contemporânea da selva tecnológica. Demons-

[Ojars Petersons]

tra, também, a natureza dos sentimentos que emanam da liberdade do anonimato e da abstração, encontrada nas condições mais adversas de uma metrópole e consubstanciada por uma ferrenha vontade de viver. [Ojars Petersons]

176


Famous Five/Liga Marcinkevica

Sound Graffiti (de Martins Ratniks) (still ), vídeo-instalação digital, 2001

177


Famous Five/Liga Marcinkevica

Bloody TV (still), instalação com vídeo digital, 2000

178


Famous Five/Liga Marcinkevica Bloody TV (still), instalação com vídeo digital, 2000

179


Líbano [Lebanon]

Nabil Nahas Curadoria [Curator] David Leiber

Trazer nova inspiração à arte da pintura, nos dias de hoje,

It must be hard to give painterliness a new twist these days,

é uma árdua tarefa, mas os trabalhos abstratos recentes de Na-

but Nabil Nahas's recent abstract works manage to do so. Literally

bil Nahas têm um influxo todo próprio. O artista nos transporta

building up the painterly surface, shaping a mixture of ground pumice

a uma dimensão importante do gestual em seus murais, nos quais

and acrylic into what looks like organic forms, which he then re-

a combinação de púmice moído com acrílico toma formas orgâ-

paints, the artist gives gesture fresh resonance. His richly textured

nicas, que são usadas em sucessivas repinturas. As superfícies mag-

surfaces, teeming with life and often even extending beyond the

nificamente texturizadas de Nahas não são apenas adornos, es-

limits of the support, resemble lush coral reefs. Other works appear

tão cheias de vida e lembram um recife de corais exuberantes.

as though strewn with luridly colored dried petals [... ]

Outras obras do artista nos remetem a um jardim repleto de pétalas secas multicoloridas [... ]

[... ] Nahas's abstract paintings are technically allover, but clear patterns - decorative, yet peculiarly unsettled - emerge. On

[... ] a pintura abstrata de Nahas ocupa todos os cantos da

the one hand, Nahas takes what Clement Greenberg called "Medi-

tela, mas dali emergem padrões definidos, ao mesmo tempo de-

terranean painting" (with polyphonic allover painting its grand climax)

corativos e desordenados. De um lado, Nahas leva sua arte ao que

to a luxurious new extreme, perhaps even to what Greenberg de-

Clement Greenberg chamava "pintura mediterrânea", cujo clímax

plored as the decadent hedonism of luxury painting. On the other

é a policromia, para então transformá-Ia em extremos de cores

hand, Nahas restores sensual and emotional density to allover paint-

luxuriantes, que o próprio Greenberg desprezava como uma forma

ing, rejecting the flatness that eventually drained it of life. Thus he

de hedonismo decadente da pintura de luxo. Por outro lado, Nahas

gives what art historian Anton Ehrenzweig called non-gestalt ges-

resgata a densidade da pintura clássica e rejeita a mesmice a ela

ture - the vehicle of inchoate unconscious emotion (the form in

atribuída nos últimos anos, o que o historiador da arte Anton

which influential but forgotten experience survives) - a new lease

Ehrenzweig chamou de gesto não-gestáltico, o veículo das emo-

on expressive life [... ]

ções primitivas inconscientes, a forma pela qual uma experiência

[... ] Nahas's paintings are not simply beautiful, but morbidly

marcante - mas esquecida - sobrevive, o recomeço de uma vida

so. Trauma is built into their surface, suggesting that their look of

plena [... ]

luxury is ironic, the result of pestilence, and their rich colors those

[... ] a pintura de Nahas é bonita, mas de uma maneira

of putrescence. One can't help wondering if the tragedy of his native

mórbida. O trauma está presente na superfície de seus trabalhos,

Lebanon informs his work. Their uncanny beauty, tense with emo-

sugerindo uma sofisticação cheia de ironia, resultante da pesti-

tional turbulence and passive fatalism, makes Nahas one of the more

lência, e cores que evocam podridão, talvez refletindo as tragé-

intriguing painters working today [ .. ]1

dias vividas por seu país de origem, o Líbano. A estranha beleza

[Donald Kuspit]

de sua obra, tensa, de uma turbulência passional e de um fatalismo indiferente, faz de Nahas um dos artistas mais intrigantes

1

da atualidade [... ]1

1999, p. 154.

[Donald Kuspit]

1

Extraído de: Kuspit, Donald, "Nabil Nahas", Artforum, XXXVII, n° 10, verão

de 1999, p. 154.

180

From: Kuspit, Donald, "Nabil Nahas", Artforum, XXXVII, n. 10, Summer


Nabil Nahas

Echo, acrĂ­lica e pedra pome sobre tela, 244 x 450 cm, 1996 [Cortesia Sperone Westwater, Nova lorquel

181


Nabil Nahas Time Reversal, acrĂ­lica sobre tela, 1 dos 4 painĂŠis, 305 x 244 cm, 2001 [Cortesia Sperone Westwater, Nova Iorque]

182


Nabil Nahas Mars and Venus, acrĂ­lica e pedra pome sobre tela, 244 x 458 cm, 1996 [Cortesia Sperone Westwater, Nova Iorque]

183


México [Mexico]

Abraham Cruzvillegas Curadoria [Curator] Luis Gallardo

o trabalho de Abraham Cruzvillegas se caracteriza por

The work of Abraham Cruzvillegas is marked by ongoing

uma reflexão constante e recorrente acerca de problemas pró-

reflection on the very problems of communication, i.e., those ac-

prios da comunicação, isto é, de atividades humanas em que há

tivities where there is an exchange of information and experience.

o intercâmbio da informação e de experiências. Isso lhe permitiu

This has enabled him to find and demarcate actions or

encontrar e delimitar ações e objetos que implicam constantemente

objects which constantly involve metaphors, irony and parody as

metáforas, ironias e paradoxos como limite e fronteira, sempre

a limit and boundary, always porous and mobile. Thus, although

permeável e móvel. Dessa forma, não podemos encontrar na obra

we are unable to find in the work of Cruzvillegas solutions or pro-

de Cruzvillegas soluções ou propostas que isolem ou fragmentem

posais which isolate or fracture their own essence, yet they are

sua própria natureza, já que estão inevitavelmente vinculados a

there, ineluctably linked to a pointed and aggressive criticism of

uma crítica pontual e ferrenha de seu contexto.

their context.

Essa análise de objetos e circunstâncias o leva, num mes-

This analysis of objects and circumstances leads him in the

mo sentido, a definir e redefinir de maneira constante os mesmos

same direction to constantly define and redefine "agreements" which

princípios e "acordos" que circundam e dão corpo a uma obra,

surround and give body to the work, conferring upon it its distinct-

aquilo que proporciona sua particularidade e diferença. Essa ins-

ness and particularity. This rigorous and forceful scrutiny leads to

peção rigorosa e veemente o faz formular peças específicas, de

the creation of specific works of a marked autonomy and a scru-

uma autonomia marcada e uma presença escrupulosa e asséptica.

pulous, ascetic presence. The austerity and neatness found in his

A austeridade e a beleza em montagens e objetos nos obrigam

montages and objects give the impression of an artist who is deeply

a pensar em um artista que é um profundo conhecedor das pos-

aware of the possibilities offered by each medium. His art is thus

sibilidades que cada meio oferece. Sua obra projeta-se, dessa for-

presented as a systematic adhesion of experiences with criticai and

ma, como uma adesão sistemática a experiências e possibilidades

creative possibilities. Cruzvillegas contemplates and works within

críticas e criativas. Cruzvillegas contempla e atua no âmbito das

the sphere of visual art, like an actor effectively and incisively act-

artes visuais como um ator efetivo e mordaz de uma circunstân-

ing out a complex and elusive spatio-temporal event.

cia espaço-temporal complexa e evasiva. Tem exposto sua obra, individual e coletivamente, a partir de 1987, na Alemanha, Estados Unidos, Cuba, Canadá, Bélgica, Argentina, Espanha e México.

He has exhibited his art individually and collectively since 1987 in Germany, the United States, Cuba, Canada, Belgium, Argentina, Spain and Mexico. In 1991 and 1992 he worked as a professor of Art Theory

Professor de Teoria e História da Arte na Escola Nacional

and History at the Escuela Nacional de Artes Plásticas, UNAM. He

de Artes Plásticas da Unam em 1991 e 1992. Professor de Teoria

went on to lecture in Art Theory at the National School of Paint-

da Arte na Escola Nacional de Pintura, Escultura e Gravura do Inba

ing, Sculpture and Engraving at the INBA in 1999. The artist also

a partir de 1999. Também foi coordenador do Seminário Eventos

coordinated the seminar entitled Eventos Espacíales: la escultura

Espacíales: la Escultura Contemporânea no Museo Rufino Tamayo

contemporânea (Spatial Events and Contemporary Sculpture) at the

em 1999. Crítico de arte na coluna "EI ojo breve", da seção cul-

Rufino Tamayo Museum in 1999. In addition, he is an art critic for

tural do jornal Reforma e da revista Curare.

a column in the cultural section of the publication Reforma entitled

[Luis Gallardo]

"EI ojo breve", and writes for the magazine Curare. [Luis Gallardo]

Abraham Cruzvillegas Nuevas Manías, pirâmide tubular, 1993, Fundación para el Arte Contemporáneo, Ciudad de México [Foto Rafael Ortega]

184


185


Abraham Cruzvi Ilegas Just Married (Para Pepe y Mónica), bombas de

flit e fio, 192 x 11 x 14 cm, 1994 Nuevas Manías, bombas de ar, 1993, Fundación

para el Arte Contemporáneo, Ciudad de México [Foto Rafael OrtegaJ

186


Abraham Cruzvillegas

Sem título, técnica mista, 150 x 80 x 42 cm, 1993

187


Nica rá9ua [Nicaragua]

Patricia Belli Curadoria [Curator] Rau l Quintanilla

Murmurs in the Invisible City

Murmúrios na Cidade Invisível "Quem sabe se os caminhos que queremos indicar à cidade não

" Perhaps the alternative paths we wish to show the city - the

são, ao mesmo tempo, cam inhos e metas? O jogo, o sonho, o ócio,

game, the dream, the ritual and leisure - serve as both means

versus o circo . A maneira legítima de

and ends . The inner carnival ve rsus the circus; the legitimate way

o rito. O carnaval interior

sermos nós mesmos, de nos virarmos do avesso, em busca do

of being ourselves, turning ourselves inside out in the quest for

autêntico e não da representação de papéis controlados e imper-

authenticity as opposed to the forced performance of absurd and

meáveis, ainda que absurdos. Mu itos de nós, artistas, estamos

impervious roles. Many of us artists are establishing codes com-

estabelecendo códigos com base na responsabi lidade de indicar

mitted to pointing the city in a direction without running ahead

uma direção à cidade. Isto sim, mas não correndo à frente de la

of it, but rather proceeding slowly fro m pockets of intimacy wh ich

e, sim, devagar e a partir dos redutos de uma intimidade que nos

seem lost among the anxious streets and eager avenues."

parece perd ida entre as ruas ansiosas e os ávidos trajetos ."

[Patricia Belli]

[Patric ia Be lli]

On the 22nd of December 1972, a few days before ChristEm 22 de dezembro de 1972, às vésperas do Natal, a ca-

mas, the capital, Managua, was totally devastated by an earth-

pital, Manágua, é tota lmente devastada por um terremoto de grau

quake which registered 7 on the Richter sca le. Since then, the city

7 na escala Richter. Desde então, a cidade permanece em escom-

has remained in ruins, cowered . It has never recovered. Ours is

bros, curvada. Nunca mais voltou a se levantar. Nossa cidade, por-

therefore a city wi thout a centre, the eccentric product of the in-

tanto, não tem centro. Produto excêntrico da incapacidade e da

eptness and corruption of successive governments and municipali-

corrupção de cada um dos sucessivos governos e prefe ituras. Ci-

ties. It is an invisible city which houses a quarter of the country's

dade invisível que alberga 1/4 da miserável população naciona l.

total population. A lakeside city wit h its back facing the lake; a

Cidade lacustre, de costas para o lago. Cidade sem muitas expecta-

city without expectations, with toa many used cars -

tivas e com mu itos automóveis de segunda. Cidade sem cidadãos.

out citizens.

O que faz o artista diante dessa dimensão da metrópo-

a city with-

Faced with this dimension of the "Metropolis", what is the

li s? Patricia Bell i, a ma is sól ida artista da nova geração nicaragüen-

artist to do? Patricia Belli, the most established of the new genera-

se, serve de mediadora. Toda a sua obra, de uma aparente inti-

tion of Nicaraguan artists, serves as mediator. Ali her work, with

midade, está imersa em um constante processo de reconstrução

a visible intimacy, is immersed in a constant process of reconstruc-

e cura . Mas seu discurso não pára aí. Também descortina calada

tion and renewal. Her discourse, however, does not end there. I~

e lentamente a crua real idade de dominação e opressão patriar-

alsosilently and slowly reveals the harsh reality of the domination

cal de nossa sociedade. E diante da impotência e da alienação

and patriarcha l oppression of our society. In face of the impotence

geradas por esse circo de caciques, propõe outro terremoto igual-

and alienation generated by this circus of chieftains, her work pro-

mente devastador. Hoje em dia, sua arte é uma esperança si len-

poses another earthquake, equally as devastating . Her art repre-

ciosa e densamente ética para nossa cidade imaginária.

sents today a silent and densely ethical hope for our imaginary city.

[Raul Quintanilla]

[Raul Quintanilla]

188


Patricia Belli

Contorsionista, escultura em madeira e estofamento, 2001

189


Noruega

[Norway]

Ole Jorgen Ness/Nesstudio Curadoria [Curator] NOART

Ole Jorgen Ness trabalha com a questão da identidade

For several years, Ole Jorgen Ness has been working with

e da autenticidade artística há muitos anos. Outra área de inte-

the question of artistic identity, authenticity and the possibility of

resse do artista é a possibilidade de determinar e promover a di-

locating and developing a high degree of formal diversity within one

versidade num só organismo, o que, na sua obra, adquire um for-

and the same body. This has gradually taken the form of a com-

mato complexo, separado em dez tradições artísticas distintas,

plex system, where Ness has divided his artistic activity into ten

partindo das pinturas surrealista e romântica, passando pelo for-

separate identities. These work in different artistic traditions, from

malismo bi e tridimensional à arte conceitual em instalações. Na

surrealistic and romantic painting, through two- and three-dimen-

performance Opus Osiris, de 1994, Ness convocou um debate tele-

sional formalism, to installation-based conceptual art. In the 1994

visivo em que várias personagens do cenário artístico discutiam

work Opus Osiris, Ness staged a television debate whe re the dif-

teoria da arte, sendo que as obras dos artistas eram destacadas

ferent personas discussed aspects of artistic theory. They appear as

e exibidas individualmente.

distinct artists, and have received attention on their own merits,

Ness definiu esquematicamente o seu "palco" de opera-

exhibiting independently of each other.

ções como uma estrutura aberta, formada por três esferas inter-

Ness has schematically defined his operational "space" as

ligadas. A primeira, Psycho-sphere (Nexo), artistas trabalham no

an open structure consisting of three interconnected spheres. In the

espaço imaginário do ilusionismo, ora com representações iden-

first, Psycho-sphere (Nexus), the artists wo rk in the imaginary space

tificáveis, ora entregando-se à fantasia. Na segunda, Physio-sphere

of illusionism, with somewhat recognisable figurations, and indulge

(Matriz), os artistas investigam mais formalmente a possibilida-

in dreamscapes. In the second, Physio-sphere (Matrix), the more

de de abstração concreta bi e tridimensional. Na terceira, 50 cio-

formal artist investigates the possibilities of concrete two- and three-

sphere (Ambientação), envolve todo o centro do espaço, deno-

dimensional abstraction . The third, the Socio-sphere (Ambient),

minado "N.N.". Os trabalhos na instalação são calcados em mo-

surrounds a centre that is labelled "N.N.". The installation works

delos, pinturas, esculturas e objetos em escala relativa, revelan-

consist of relative-scale models, painting, sculpture and readymade

do uma narrativa contínua. Elementos de uma apresentação sem-

objects, and manifest an ongoing narrative. Elements from one pre-

pre se repetem na seguinte, seja por meio de recic lagem de idéias

sentation often recur in the next, either by recycling ideas or ma-

ou materiais, seja por meio de registros audiovisuais da versão

teriais, or by including documentation (audio or visual) from the

anterior. Dessa forma, o trabalho adquire uma memória, expan-

previous version . In this way, the work carries a memory, and opens

dindo as possibilidades de criar um movimento contínuo relati-

the possibilities for conceiving a relati ve time-space continuum.

vo de tempo-espaço. Várias personalidades convergem ao Nesstudio. O corpo

The personalities have recently merged into Nesstudio: now, his body is his studio. As various elements drift into its hands,

do artista transforma-se em seu próprio ateliê, à medida que ativa

it activates the space in which it is present, and the mental pro-

o espaço no qual se faz presente e múltiplos elementos emergem.

cesses evolve and move in response to the changing surroundings.

Os processos mentais se intensificam e reagem ao ambiente em

Not necessarily knowing what is going on at the moment, it en-

transformação. O corpo nem sempre sabe o que acontece à sua

joys the flow and takes pleasure in discovering the infinite creative

volta, mas desfruta desse movimento e sente imenso prazer na

potential of being.

descoberta do potencia l criativo infinito do ser.

[NOART]

[NOART]

Ole Jorgen Ness/Nesstudio Atopian Fera!, Nesstudio, Attn. Askeir, 2000, vista da instalação, técnica mista, dimensões va riá veis, Momentum, Oslo

190


I

~I

191


ale Jorgen Ness/Nesstudio This Is It for Me, 2001, técnica mista, dimensões variáveis, Galleri Riis, Oslo [à direita] The Grave is no Bar to My Call, vista da instalação, técnica mista,

dimensões variáveis, Kunstnernes Hus, Oslo

192


• .

,


Nova Zelândia

[NewZealand]

Gavin Hipkins Curadoria [Curator] Robert Leonard

Gavin Hipkins é fascinado por utopias inacabadas. O ar-

Gavin Hipkins is fascinated by botched utopias. He is known

tista neozelandês é conhecido pelo trabalho que desenvolve com

for creating massive works from dozens upon dozens of identical

fotografias idênticas ou quase idênticas. Os objetos das imagens

or nearly identical photographs. The subjects of the images are often

por ele captadas são quase sempre banais e inconseqüentes, como

pointedly banal and inconsequential- strips of plasticine, le ngths

pedaços de massa para modelar, bastões de anis ou bolinhas de

of liquorice or polystyrene balls - but repeated, massed and mar-

isopor, mas esses elementos repetidos, mesclados e organizados

shalled, the cumulative effect is monumental and pulsing. Mimicking

produzem um efeito extraordinário e surpreendente. Imitando a

the rhetoric of state engineering projects, Hipkins gives these works

retórica utilizada em concorrências públicas de obras de engenha-

suggestive, portentous titles: The Tunnel, The Field, The Circuit,. The

ria, Hipkins dá a seus trabalhos nomes sugestivos e portentosos,

Coil, The Track.

tais como O Túnel, O Campo, O Circuito, A Bobina, O Trilho etc.

Hipkins' retro-modernist style harks back to a time wh en

O estilo retromodernista de Hipkins evoca um tempo em

photography's new ways-of-seeing were optimistically lin ked to a

que a maneira de entender a fotografia estava ligada, muito in-

new vision of the modern world aligned with both progressive social

genuamente, a uma visão de mundo que adotava modelos so-

programmes (Rodchenko and Moholy-Nagy) and fascist ones (Rie-

ciais progressistas (Rodchenko e Moholy-Nagy) e fascistas (Rie-

fenstah l). Equall y it looks to the present, to our current penchant

fenstahl) . O artista também se volta para o presente, ao estilo

for a modernist style evacuated of political aspirations; social con-

modernista atual desprovido de aspirações políticas, preocupa-

cern and specificity; the style of Wa llpaper magazine. In such matters,

ções sociais e especificidade, como na revist a Wallpaper. Nesse

Hipkins' work takes us to the heart of photography's complicity, its

caso, a obra de Hipkins nos transporta para a questão crucial da

role in spectacu larising and obscuring the world in the na me of

fotografia, que transforma o mundo num espetácu lo, ofuscan-

delivering it. He works the space between photography's eviden -

do-o em nome da imagem . Ele trabalha o espaço entre a força

tial force and its potential for abstraction, its ability to make the

evidente da fotografia e seu potencial para a abstração, sua ha-

world beautiful - its propaganda power.

bilidade em fazer o mundo belo - seu poder de propaganda.

Hipkins characterises his latest work, The Colony, as science-

O trabalho mais recente de Hipkins, The Colony (A Co-

fiction. As a genre, science-fiction looks back and forth, framing

lônia), é uma espécie de ficção científica que, como gênero, vai

retro-politics as brave new worlds. Hipkins shot a hundred photo-

e volta no tempo, tratando as retropolíticas como "admiráveis

graphs of hemispherical polystyrene blobs against makeshift paper

mundos novos". A obra consiste de mais de 100 fotos que o ar-

backdrops. The indi vidual images are cru de, slipping in and out of

tista tirou de bolhas circulares de isopor, usando papel como pa-

focus . The models are geometric yet organic, resembling at once

no de fundo. As imagens ora focadas, ora mal facadas têm um

alien pods, igloos, pup tents, breasts and the curva ceous hills and

efeito cruel, contendo formas geométricas e orgânicas que lem-

mud pools of his native New Zealand. The psychedelic colour scheme

bram casulos alienígenas, iglus, barracas, peitos e as montanhas

is both candied and toxic; we could be staring into a lava lam p,

curvilíneas e lagoas barrentas da Nova Zelândia. As cores psico-

furthering an erotic subtext. There's no reference for scale: the work

délicas são ao mesmo tempo enjoativas e intoxicantes, e o obser-

cou ld imply a social experiment or a microscopic experiment. And

vador pode estar vendo algo parecido com um abajur incandes-

if it is a human colony, it cou ld be an imperialist force (as with 19th-

cente, de subtom erótico. Não há um padrão definido: o traba-

century New Zea land), a commune of hippie "dropouts" with their

lho de Hipkins tanto pode ser um experimento em nível social

geodesic domes, or a high-tech, off-world encampment on a weirdly

como algo em menor escala. Se for um agrupamento humano,

hued planet.

pode tratar-se de uma força imperialista, como na história da

[Robert Leonard]

Nova Zelândia do século XIX, ou de uma comunidade de hippies malucos em suas redomas geodésicas, ou ainda um acampamento em um planeta de tons estranhos, numa galáxia qualquer. [Robert Leonard]

194


Gavin Hipkins The Colony (detalhe), instalação com

100 fotografias coloridas, 2002

195


Palestina

[Palestine]

Sliman Mansour Curadoria [Curator] Khaled Hourani

A Lógica do Barro A obra do artista palestino Mansour foi sempre concebida com extrema dedicação e cuidado na escolha dos materiais. Após dominar a técnica utilizada em seus trabalhos, começou a produzir formas aleatórias, tais como utensílios domésticos simples, objetos do dia-a-dia, ou estátuas, que se encontravam latentes no material e que trazem símbolos e formatos antigos, remetendo mais à cultura dos assírios, faraós e canaanitas do que propriamente aos dias de hoje. Antenas de TV parabólicas ou caixas-d'água encontradas em telhados modernos não têm lugar na obra de Mansour, mesmo quando o artista pinta paisagens. Em seus trabalhos mais recentes, contudo, foram incluídos carros feitos de argila. Mansour cruzou com sucesso a fronteira entre a arte contemporânea e o clamor da vida moderna. O apego a raízes culturais, o uso de cores, formas, sons, e novos métodos não foram embotados por seu sentimento patente de alienação. As vozes interiores e secretas, bem como a dignidade ecoando das vilas e

The Logic of Mud Whilst gradually overcoming the problems associated with technique, Mansour started to shape his material with lave and great care, often producing, unintentionally, forms that were latent in the material itself - simple open-air-house utensils for daily use, ar statues - ali of them carrying ancient shapes and symbols that relate more to the Assyrians, Pharaons and Canaanites than to modernday times. TV antennas, satellite dishes, and water tanks found on modern rooftops have not yet found their way into Mansour's works even when he paints a landscape, though one of his more modern works includes cars of clay. Mansour has succeeded in crossing the borders of both contemporary art and the clamor of modern life. His attempts to cling to his cultural roots, the use of colors, shapes and sounds, and newly learned methods were not obstructed by his feeling of alienation. Rather, the intimate and obscure echoes and dignity of villages and towns that he experienced constantly called him from the depths, begging him to search for a soul for his restless self amongst

cidades que o artista visitou em sua vida, chamaram-no das profundezas, implorando que encontrasse alento para sua inquietude entre as formas da realidade e suas cores intrínsecas.

the shapes of traditional reality and its colors. Whilst working with clay, Mansour refrains from departing

Em seu trabalho com argila, Mansour evita buscar inspiração no legado de seu povo e, portanto, não cria formas imagi-

but modestly presents a testimony to the reality and the traditions of the past that have succeeded in surviving in contemporary life. He seeks out the energy and essence inherent in that legacy but

nárias. Acima de tudo, apresenta modestamente um testemunho da realidade e tradições do passado, que perdura na vida contemporânea. O artista vale-se da energia e da essência inerentes a seu legado, sem fazer concessões ao folclore, manuseando a argila com muito vigor e um arrebatamento de natureza profundamente espiritual, na sua busca incessante pelo simples e pelo comum. Tudo que a argila representa na passagem da vida das pessoas, animais e árvores é também representativo de uma vida futura, uma vida emergindo da água e da luz do sol, uma vida prestes a se manifestar novamente com uma promessa de reconciliação entre o homem e sua essência. É como se Mansour quisesse acender um incenso por essa vida que está por vir. [Khaled Hourani]

196

from the heritage of his people. He does not create imaginary shapes,

without conceding to folklorism, and he empowers the simple clay material with a substance and high spiritual momentum, constantly searching for the essence behind the simple and the ordinary. The clay, with ali the passing of life it presents - of people, birds, beasts, and trees - also speaks of a life to come, a life coming through water and sunshine, a Iife that is waiting to manifest itself once again through a promise of reconciliation between man and his essence. It's as if Mansour wants to say that he will burn incense for that future life when it arrives. [Khaled Hourani]


Sliman Mansour

d .

. Mud , lama sobre ma eira, Grave Stone In

120 x 100 em, 2000

197


Panamá

[panama]

Gustavo Araujo Curadoria [Curator] Adrienne Samos

Castings Adentramos uma espécie de sala modesta. Um sofá nos

Castings We enter a modest roam. A safa invites us to sit down and

convida a sentar para ver, em duas televisões, uma seqüência de

watch twin television screens where an unspecified number of

vários segmentos: homens e mulheres posando com gestos pré-

segments are being shown, in sequence, of men and women me-

fabricados em um mesmo lugar, sujo e descuidado. Se a única coisa

chanically performing a series of contrived gestures in a single dingy

que varia é o número no canto superior que identifica cada pes-

and neglected location. If the only difference is the number in the

soa, por que essas cenas nos prendem? Por que continuamos sen-

top corner identifying each person, then why are we drawn into

tados no sofá?

these scenes? Why is it that we remain seated on the safa?

Esses readymades de mídia expõem, com clareza paté-

These readymade media props poignantly express the suc-

tica, as estratégias bem-sucedidas de dominação instauradas pe-

cessful strategies of domination created by the entertainment indus-

la indústria do entretenimento. Além disso, sentimo-nos como

try. Furthermore, we experience a voyeur-type sensation since we are

voyeurs porque olhamos o que não estava destinado a nós. As

watching something that is not meant for uso The people are deeply

pessoas estão muito conscientes de que serão vistas por um pú-

aware of the fact that they have an audience, albeit only one com-

blico, mas apenas pelo grupo dos responsáveis pela pré-produ-

prising those in charge of preparing ads and television programs.

ção de anúncios e programas televisivos. Gustavo Araujo quebrou

Gustavo Araujo has broken this closed circle by moving the video-

esse circuito fechado ao colocar as fitas no espaço da Bienal, ou

tapes into the halls of the Bienal, that is, to within the realm of art.

seja, no âmbito da arte.

Clearly, there is more to this than meets the eye. Perhaps

Porém, há mais coisas. A chave talvez esteja em dois re-

the key is to be found in the two methods used for distancing. The

cursos de distanciamento. O artista serve-se de fitas que foram fil-

artist uses tapes which were filmed ten years previously. During the

madas há dez anos. Ao longo desse período, as agências paname-

intervening period, the Panamanian publicity agencies have beco me

nhas foram se "modernizando": o grosseiro número foi substituído

more moderno The coarseness of the number has been replaced by

pelo nome da pessoa e é provável que agora se faça um melhor

the na me of the person and it is likely now that better use is be-

uso do espaço para castings. Além disso, nesses tempos acelera-

ing made of casting space. Furthermore, in rushed times such as

dos dez anos são dez anos. A moda não é tão tirânica como em

the present, ten years ago seems a long way away. Fashion may not

outra época, mas com certeza reflete padrões culturais que mu-

exercise the same tyranny as it used to, however it does reflect

dam continuamente com fins consumistas. A defasagem tempo-

cultural patterns that are constantly changing in accordance with

ral nos permite refletir com mais desapego sobre vários temas,

consumer trends. This time lag enables us to reflect with greater

entre eles a freqüência com que nós, latino-americanos, insisti-

detachment on the different themes, among them the frequency

mos em ser uma cópia malfeita do modelo norte-americano.

with which we Latin Americans are making ourselves into a poor

Sua outra tática de distanciamento é a falta de áudio.

copy of the North American model.

Sabemos que as pessoas respondem a perguntas porque seus lá-

Another distancing tactic employed is the absence of sound.

bios se movimentam com certa freqüência. Araujo, porém, que

We know that the people are answering questions beca use their

trabalhou durante muitos anos como fotógrafo publicitário, sabe

lips move at steady intervals. Araujo, however, who worked for years

que a voz e a linguagem devem ser administradas com grande

as a publicity photographer, knows thatvoice and language must

cuidado, porque sua contundência faz com que seja muito mais

be handled with extreme care beca use their pQwer makes it much

difícil atingir a ambigüidade sedutora do gesto. O áudio teria

more difficult for the seductive ambiguity of the gesture to succeed.

transmitido uma sobrecarga de clichês, ofuscando, assim, as for-

Sound would have transmitted a cliché overload, overshadowing

mas sutis em que cada pessoa se fragmenta ou faz o jogo da ideo-

the subtle ways in which each person breaks down ar plays with

logia dominante. No final, são essas sutilezas que nos mantêm

the prevailing ideology. It is therefore subtleties of this nature that

ancorados no sofá.

keep us anchored to the safa.

[Adrienne Samos]

[Adrienne Samos]

198


Gustavo Araujo

Castings (stills), vídeo-instalação, 2001

199


Pa rag ua i [paraguay]

Jesús Ruiz Nestosa Curadoria [Curator] Margarita Morselli

Minhas fotografias são tiradas em preto-e-branco e re-

The photographs I am presenting are black-and-white and

tratam a cidade de Assunção, no Paraguai. Elas pretendem cap-

deal with the urban landscape of Asunción. The intention is to

tar o espaço urbano que se vai deteriorando, em razão do cres-

capture the deterioration of urban space in the wake of the un-

cimento desordenado da cidade, da abertura de avenidas e da cri-

checked growth of the city, the widening of avenues and the building

ação de postos de gasolina, que contribuem para que esse espa-

of petrolstations, ali of which have increasingly led to the blurring

ço vá apagando seus limites, ao mesmo tempo que o lugar se pre-

of city limits at a time when the place is awash with giant -size bill-

enche de painéis publicitários de proporções gigantescas. Dessa

boards. It is in this way that the sense of human scale is lost.

forma, perde-se o sentido normal da escala humana. Além disso, procuro captar a ambigüidade que esponta-

In addition, I try to capture the ambiguity which spontaneously appears in such spaces if only through the intersection of

neamente surge na cidade, seja pelo encontro de diferentes ruas,

different streets and the factitious spaces created by posters and

seja pelos espaços fictícios que se criam por meio dos painéis e

traffic lights.

das placas de trânsito.

As a rule, the photos are taken on Sunday mornings in arder

As fotografias são feitas habitualmente aos domingos pela

to be free of people, since it is in this way that the solitude and

manhã, de modo que não apareçam pessoas, o que revela um

desolation resulting from the loss of human scale can best be con-

ambiente de solidão e abandono como resultado dessa perda de

veyed. Generally speaking, I start work at nine in the morning when

escala humana. Geralmente, começo a trabalhar depois das 9 horas,

the sun is high beca use it islight which characterizes our city: a strong

de forma que o sol esteja bem alto, porque essa é a luz que carac-

and blinding light during most of the year. Furthermore, strong white

teriza nossa cidade: uma luminosidade muito forte e cegante du-

dazzling light forestalls ali attempts to poeticize things.

rante a maior parte do ano. Além disso, a luz branca, forte, des-

[Jesús Ruiz Nestosa]

lumbrante, priva a realidade de toda a intenção de poetizá-Ia. [Jesús Ruiz Nestosal

200


JesĂşs Ruiz Nestosa

CelebraciĂłn de la Ciudad, 30 fotografias em preto-e-branco, 43 x 51 em cada, 1998-2001

201


Peru

[Peru]

Philippe Gruenberg/Pablo Hare Comissário [Commissioner] Frederick Cooper Llosa

Na recente história da cidade de Lima, foram as ruas e não

In Lima's recent history it was the streets and not the build-

os edifícios que passaram a ser protagonistas da vida diária ou,

ings that came to play a prominent role in daily life; or at least it

pelo menos, foram as pessoas maciçamente extraviadas nesse mapa

was the people, lost on the map of this sprawling city, and not the

e não os elegantes templos residenciais e comerciais de outrora,

once elegant residential and commercial temples, which are today

hoje signos vazios de um moderno horizonte urbano nunca con-

empty signs of a never-consolidated modern skyline. The work by

solidado. Talvez por isso, o olhar do trabalho de Philippe Gruen-

Philippe Gruenberg and Pablo Hare currently penetrates into the

berg e Pablo Hare, que penetra hoje a cavidade desses recintos,

hollowness of these areas, providing insight into the projection of

deixa-nos ver a projeção desse perfil perdido como wallpaper vir-

this lost profile, one resembling a virtual wallpaper of neglect,

tual do abandono, em que esses entornos privados, ainda que va-

where these private enclaves, deserted though they may be, are

zios, acham-se literalmente impregnados de um sky/ine inverti-

steeped in an inverted skyline, almost as foreign as it is remote. Empty

do, quase tão alheio quanto remoto/distante. Espaços vazios em

spaces in which the scarceness of fixtures and debris are the path

que o escasso mobiliário ou o desperdício são as pegadas/marcas

to rapid oblivion, and, above ali, the unequalled image of how a

do esquecimento/esquecido veloz, claro, mas sobretudo a imagem

piece of city together with its history managed to slip through the

inigualável de como um pedaço de cidade e de sua grave histó-

eye of a needle. Indeed, beyond the delicate exercise involved in

ria consegue realmente passar pelo buraco de uma agulha. Pois,

registering a pinhole shot, these images are the unnoticed record-

antes de ser o delicado exercício do registro de uma tomada em

ing of a series of events in the life of a city, in which, similar to a

pinho/e, essas imagens são, mais do que tudo, ou também, o registro inadvertido de uma série de sucessos na vida urbana, naqueles em que, de maneira parecida com o b/ow-up de Cortázar,

the details. Similarly, where antiquity says that Aristotle conceived

Cortazarian photographic blow-up, everything is to be found in a camera obscura with which to see an eclipse, here the authors

tudo está nos detalhes. De uma maneira análoga, também, no

have conceived of one in which what is really perceived is the his-

ponto em que a antiguidade nos disse que Aristóteles concebeu

tory of a sunset.

uma câmara escura para poder ver um eclipse, aqui os autores

[Rodrigo Quijano]

conceberam uma em que aquilo que vemos realmente é a história de um ocaso. [Rodrigo Quijano]

202


Philippe Gruenberg/pablo Hare Camera Obscura 07, instalação com projeção por câmara escura (Edificio Reynaldo, Lima)

203


Philippe Gruenberg/Pablo Hare Camera Obscura 01, instalação com projeção por câmara escura (Edificio Maison de France #2, Lima)

204


Philippe Gruenberg/Pablo Hare Camera Obscura 01, instalação com projeção por câmara escura (Edificio Carabaya, Lima)

205


Polôn ia

[Poland]

Katarzyna Kozyra Curadoria [Curatar] Anda Rottenberg

o Corpo como Indumentária

The Body As a Costume

O lado oculto e secreto da existência humana geralmen-

The hidden side of human existence seems to attract our

te chama mais a atenção e desperta nossa curiosidade de uma

attention and curiosity on a bigger scale than the regular peep show,

forma mais intensa do que as cenas de um peep show, pois esse

for the latter beca me toa obvious as soon as we could see naked

se torna óbvio e repetitivo à medida que nos acostumamos a ver

human bodies everywhere - from ordinary newspapers to com-

corpos desnudos exibidos ostensivamente em todos os lugares:

mercials in glossy magazines.

outdoors, comerciais de TV, revistas e jornais.

One could say no taboo exists in this field anymore. Espe-

Podemos afirmar que não existem mais tabus em rela-

cially in art. There is, however, a noticeable difference between the

ção à nudez, principalmente no campo da arte. Contudo, há uma

two-dimensional message produced by the media and considered

diferença marcante entre a mensagem bidimensional divulgada

as "artificial" and the three-dimensional, fleshy reality identified with

pela mídia e a realidade tridimensional e crua identificada com

life and known as "Iive". The "Iive" transmission, when made from

o quotidiano, o que chamamos de notícia "ao vivo". Uma trans-

a real place and showing a real activity is not easily comprehended.

missão "ao vivo", feita a partir de um lugar real, mostrando um

The strong division between fiction and reality still mark the bor-

fato real, nem sempre é facilmente assimilada. A dicotomia en-

derline of the taboo values. There is constant public objection against

tre ficção e realidade constitui a fronteira que delimita os tabus.

revealing the part of sociallife which is usually left behind the closed

Há um repúdio generalizado quanto à exposição de aspectos da

doar - be it the process of slaughtering animais, cleaning the body

vida social, que geralmente é mantida entre quatro paredes, co-

in public baths ar exposing any kind of human disability ar sickness.

mo, por exemplo, qualquer forma de deficiência física, corpos

The notion of esthetics, however large nowadays, is still closed for

fétidos em banhos públicos ou animais sendo abatidos. A noção

uncompleted, exploited, old human bodies ar to the brutal proce-

de estética, por mais ampla que seja atualmente, ainda é cercada

dures of slaughter.

de preconceitos quando se trata de corpos humanos decrépitos,

Here we

come to another common concern, ar - to put

deformados ou vilipendiados, ou mesmo do cruel processo de

it better - a superstition that regards the terms of gender iden-

abate de animais.

tity. The most obvious recognition of the difference between mas-

Outra questão pertinente ao tema são as crenças rela-

culine and feminine is given bya brief look at the nude body. The

cionadas à identidade sexual. A diferença típica entre o mas-

so-called second- and third-order gender distinguishíng features (Iike

culino e feminino é geralmente reconhecida olhando-se o cor-

breasts, penis, beard, vagina) give immediate evidence of a person's

po desnudo. As características principais que distinguem um ho-

sexo Therefore, it becomes very easy to put on artificial sex features,

mem e uma mulher são o pênis, a barba, os seios e a vagina. Hoje

to intrude and examine that part of the world which used to be

em dia, é fácil implantar algumas dessas características físicas

inaccessible to the opposite sexo Thus, it occurs that even the na-

artificialmente, para explorar e examinar o universo não mais tão

ked body may serve as a costume in the same way as in the past

inacessível do sexo oposto. Nesse contexto, até mesmo o corpo

masks and different clothes used to function.

nu pode servir de indumentária, da mesma forma que, no passado, as máscaras e os trajes especiais cumpriam essa função.

The works of Katarzyna Kozyra lead us to reconsider both the taboos of intimacy and the superficiality of the common un-

A obra da artista polonesa Katarzyna Kozyra vem des-

derstanding of sexo

nudar os tabus da intimidade e da superficialidade relacionados

[Anda Rottenberg]

à questão do sexo. [Anda Rottenberg]

206


Katarzyna Kozyra

Dance Lesson (stills), vídeo-instalação, 200 1

207


Porto Rico

[Puerto Rico]

Charles Juhasz-Alvarado Curadoria [Curator] Marimar Benítez

Entropia Tropical O aeroporto foi símbolo do progresso, estandarte da globalização e da migração que caracterizaram o mundo contemporâneo, o emblema, por excelência, da metrópole, palavra que sempre nos remete ao clássico Fritz Lang. Em seu aeroporto inventado, Jardín de Frutos Prohibidos Charles Juhasz-Alvarado apresenta uma visão alternativa do templo da mobilidade. Faz uma caricatura dos inspetores do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, que se dedicam a confiscar e proibir a entrada dos frutos tropicais naquele país. A obra tem como loeus imaginário o Aeroporto Luis Munoz Marín de San Juan e as personagens correspondem à fauna exótica que o povoa. As histórias truculentas narradas pelo artista evidenciam as veleidades dos burocratas de sempre. O humor, elemento que não costuma abundar na arte contemporânea, anima a peça - os colares de quiabo, a artista pornô que não tem "problemas", aconteça o que acontecer, ou a história do suco de graviola, cada narração ridiculariza o grande aparato do sistema de vigilância montado para evitar o "tráfico ilícito" de limões, papaias e mangas ... A política de imigração vegetal e frugal quer, evidentemente, evitar a entrada de pragas que contaminem a agricultura norte-americana. Esse objetivo poderia ser alcançado com serviços de descontam inação, mas isso deixaria os inspetores sem o "bônus" dos alimentos que eles confiscam no aeroporto. As histórias ressaltam a glutonaria e a cobiça, a luxúria e a estultice, o universo dos sete pecados capitais. A política de imigração, vetada a frutas e legumes, faz lembrar as fronteiras dos Estados Unidos fechadas à nossa gente. f

Charles Juhasz-Alvarado converte o aeroporto em um jar-

Tropical Entropy Airports have always stood for progress, symbols of globalisation and migration which typify todais world, the emblem par excellence of the metropolis, a word reminiscent of Fritz Lang. In his own version of the airport, Jardín de Frutos Prohibidos (Garden of the Forbidden Fruit), Charles Juhasz-Alvarado presents an alternative vision of this shrine to mobility. He caricatures the inspectors of the United States Department of Agriculture, who devote their lives to confiscating and prohibiting the entry of tropical fruit into their country. The locus of the work's imaginary power is the Luis Munoz Marín Airport of San Juan, with its denizens, the exotic fauna that populate it. The feisty stories narrated by the artist lay bear the whims of the bureaucrats concerned. Humour, which does not ordinarily abound in contemporary art, is pivotal to the work - the strings of quimbombo,1 the porn actress who has no problem bringing through anything at ali, or the champola de guanábana 2 episode; each narrative ridiculing the top-heavy security systems set up in order to prevent the "illegal traffic" in lemons, papayas and mangos. Policies relating to bringing fruit and vegetables into the country are, ostensibly, measures to prevent diseases from entering the country and contaminating North American crops. The same objective could be achieved by the provision of decontamination services, however, this would deprive the inspectors of their "bonus consisting of the food they confiscate at the airport. The stories 11

highlight gluttony, greed, lust and stupidity - the universe of the seven deadly sins. The vetoing of fruit and vegetables entering the country are reminders of the United States' borders, which are closed to our peoples.

dim utópico dos frutos proibidos e das espécies que esses susten-

Charles Juhasz-Alvarado converts the airport into a utopian

tam na cadeia alimentar. Esse jardim não tem nenhuma relação

garden of forbidden fruit and the species sustained by it in the food

com o ambiente grosseiro e estéril dos aeroportos das metrópo-

chain. This garden bears no relation to the grim, sterile atmosphere

les, com sua arquitetura fria de metal e cristal, com as filas, a

of metropolitan airports with their cold architecture of glass and

revista, os cães farejadores, a ausência de amenidades, a espera.

metal, their queues, body searches, sniffer dogs, inadequate ameni-

A perseguição bem treinada àqueles que tentam o "contraban-

ties and waiting. The sadistic persecution of those who attempt to

do" de goiabas contrasta com o fracasso em deter o narcotráfico.

smuggle guavas into the country is contrasted with the failure to

E, enquanto a burocracia norte-americana faz uma busca nas ba-

prevent the trafficking of drugs. While North American officialdom

gagens, para ver se há acerolas, um pequeno grupo de extremis-

goes through the baggage of those suspected of carrying acero-

tas pôs em xeque a economia mundial e a imagem do aeroporto

las [a small, berry-like fruitl, a small group of extremists hold the

como símbolo da tecnologia das comunicações, do imenso poderio

world economy for ransom, while jeopardising the image of the

dos Estados Unidos. A metáfora do jardim (do Éden?) se choca es-

United States as a world power and that of the airport as a symbol

208


Charles Juhasz-Alvarado

Jardín de Frutos Prohibidos (detalhe), técnica mista, construção, áudio, fotografias, 4,90 x 14 x 7 m, 2001-02

209


trondosamente com a lembrança das imagens da Operação 11/9,

of communications technology. The metaphor of the Garden (of

nome que se deu aos ataques às duas torres gêmeas em Nova

Eden?) stands in stark contrast to the images of Operation 9/11,

Iorque e ao Pentágono.

the na me subsequently given to the attacks on the twin towers in

O que nos propõe Charles Juhasz-Alvarado como imagem

New York and on the Pentagon .

alternativa do aeroporto? A música e os sons da peça nos ambien-

What is it that Charles Juhasz-Alvarado proposes as an

tam no Caribe pós-moderno, aquela mescla inconfundível dos

alternative image of the airport? The music and sonority of the work

ritmos tropicais e da surdez agridoce das torpes sociedades que

takes us to the postmodern Caribbean with its tropical rhythm and

criamos. Jardín de Frutos Prohíbídos celebra essas contradições;

the bittersweet sordidness of the indolent societies that have been

Juhasz-Alvarado se regozija no absurdo para projetar esse nosso

created. The Garden of the Forbidden Fruit delights in these con -

outro aeroporto, pós-Operação 11/9. Nem a tecnologia esmaga-

tradictions, indulging humorously in the absurd as a projection of

dora nem a ante-sala para o terror; sua proposta estranha e exu-

this other, post-Operation 9/11 airport of ours . Neither the over-

berante antecipa outra leitura: o surrealismo como produto na-

whe lming technology, nor terror's antechamber, his strange and

tural do choque entre a cegueira dos burocratas e a picardia.

exuberant proposal suggests another interpretation: surrealism as

O tráfico ilícito de abacaxis e frutas-do-conde nos remete a sociedades que têm um vínculo estreito com a terra, a pesso-

a natural product of the clash between blind bureaucracy and the picaresque.

as que não podem prescindir dos sabores inigualáveis das fru -

The illegal traffic in pineapples and custard apples brings

tas tropica is. A perseguição aos apaixonados pelos frutos proi-

to mind a society with strong ties to the land, a people who can-

bidos faz com que as autoridades percam de vista o amplo pa-

not live without the unparalleled flavour of tropical fruit. The per-

norama do bosque - os narcotraficantes, os desprovidos, que

secution of those who love forbidden fruits makes the authorities

explodem em ondas de terror. Charles Juhasz-Alvarado empre-

lose sight of the larger perspective of the jungle - the drug traf-

ga a imagem do cupim em suas ambiciosas instalações, Susur-

fickers, the dispossessed who burst forth in waves of terror. In his

ránea y el Astronauta (2000) e Punto de Fuga (1999), como sím-

ambitious pieces Susurránea y el Astronauta (2000) and Punto de

bolo de nossa silenciosa força coletiva que carcome a tecnologia

Fuga (1999) Charles Juhasz-Alvarado uses the image of the termite

do império. Que agora não comecem com proibições (ridículas?)

as a symbol of our si lent collective strength which is slowly being

ao nosso empenho de carregar nos ombros, como um caracol, o

sapped by the empire's technology. And now, our determination to

sabor tropical. Éóbvio que Fritz Lang nunca esteve nos trópicos,

carry with us the flavour of the tropics, like a snail carrying its shell,

que sua visão macabra da metrópole é o produto de céus eter-

is not prevented by (ridiculous? ) prohibitions. It is obvious that Fritz

namente cinzentos. A versão tropical da entropia proposta por

Lang had never vis ited the tropics and that his macabre vision of

Charles Juhasz-Alvarado talvez seja igualmente terrível, mas seu

the metropolis is the product of eternally grey skies. The tropical

caminho para o inferno está minado com os sabores deliciosos

var iation of entropy advanced by Charles Juhasz-Alvarado is per-

dos frutos proibidos.

haps equally as horrifying, however, his path to hei I is paved with

[Ma rima r Benítez]

the exquisite flavours of forbidden fruit. [Marimar Benítez] 1

Roselle (type of hibiscus) flower, the calyx of wh ich is used for making jams

and jellies. 2

210

Oval, spiny, green-skinned trop ical fruit.


Charles Juhasz-Alvarado

Jardín de Frutos Prohibidos (detalhe), técnica mista, construção, áudio, fotografias, 4,90 x 14 x 7 m, 2001-02

211


Port u9aI [Portugal]

João Tabarra Curadoria [Curator] Miguel von Hafe Pérez

Poço dos Murmúrios

Well Df Murmurs

A importância de um artista pode ser medida de inúme-

An artist's importance may be measured in many ways, with

ras formas, sendo que o tempo se encarrega de estabelecer uma

time being in charge of establishing a web of criteria, often dispar-

teia de critérios, por vezes díspares, para esse tipo de juízo. Em

ate, for this type of judgment. On a more personallevel, I believe

um nível mais pessoal, creio podermos afirmar que essa impor-

we can state that this importance should be measured in the fol-

tância se deverá medir nos seguintes termos: até que ponto as

lowing terms: Up to what point do we need an artist's works in

obras de um autor nos fazem falta, para completar o modo como

order to complete the way in which we apprehend the world , so

nós apreendemos o mundo, o modo como a construção de um

that there is the raising of a criticai edifice in relation to that which

edifício crítico daquilo que nos rodeia possa se erigir?

surrounds us?

João Tabarra tem vindo a demonstrar, ao longo de uma

Throughout a consistent decade of work, João Tabarra has

consistente década de trabalho, uma invulgar capacidade de nos

shown an unusual capacity to confront us with that type of image.

confrontar com esse tipo de imagens. Permeadas por um humor

Permeated by a corrosive humour, his images clearly point towards

corrosivo, elas apontam claramente para uma visão da socieda-

a vision of contemporary society inhabited by ambiguous charac-

de contemporânea habitada por personagens e situações ambí-

ters and situations which, while on the edge of plausibility, are

guas, no limite da plausibilidade, mas que se ancoram na reali-

nevertheless anchored in the reality of the deviations and the margins

dade dos desvios e das margens de um mundo em suposto cres-

of a world undergoing supposed sustained growth.

cimento sustentado.

Operating from a creative strategy that is criticai and ex-

Operando a partir de uma estratégia criativa crítica e ex-

panded from the photographic medium - consubstantiated by the

pandida do meio fotográfico - consubstanciada pelo fato de ter

fact that he worked for several years as photographic editor for the

trabalhado durante vários anos como editor de fotografia no

weekly newspaper O Independente and, as such, he travelled to,

semanário O Independente e, como tal, ter percorrido, fotogra-

photographed and lived through some of the most dramatic sce-

fado e vivido alguns dos cenários de convulsão social e de guer-

narios of social convulsion and war of the nineties - the self-im-

ra mais dramáticos dos anos 90 -, a distância que se auto-impõe

posed distance of a commiserate realism is translated into the ca-

de um realismo comiserativo traduz-se na capacidade de criar

pacity to create images that instil a fissuring perception of reality.

imagens que inculca,m uma percepção fissurante da realidade.

Starting from the intuition that, in general, great causes have

A partir da intuição de que, em geral, as grandes causas

become exhausted, Tabarra proposes the spectator at this Bienal

se têm vindo a desgastar, Tabarra propõe ao espectador desta

with immersion within a poetic space, in which the intimate is crossed

Bienal a imersão num espaço poético, em que o íntimo se cruza

with the political: indeed, on entering the tubular area of the video-

com o político: na verdade, ao entrar no área tubular da vídeo-

installation Well of Murmurs, we are referred back to a position of

instalação Poço dos Murmúrios, somos remetidos para uma posição

inadvertent observers of moments of singular introspection: plac-

de observadores inadvertidos de momentos de introspecção sin-

ing us at the bottom of a well into which passers-by throw coins

gular: colocando-nos no fundo de um poço para o qual transeuntes

and make wis hes, Tabarra turns us into witnesses of gestures that

atiram moedas e exprimem os seus desejos, Tabarra nos torna tes-

are entwined starting from a trust and a belief, albeit absurd, in

temunhas de gestos que se entretecem a partir de uma confian-

the granting of individual wishes. As if, after ali the great narra-

ça e de uma crença, ainda que absurda, na realização de desejos

tives of the last two centuries, despite everything run through by

individuais. Como se depois de todas as grandes narrativas dos

acute political and social incongruities, we were to enter the new

últimos dois séculos, apesar de tudo perpassados por incongruên-

millennium thrust into the fluid space of untellable individual nar-

cias políticas e sociais agudas, entrássemos no novo milênio atira-

ratives. Disenchantment? Perhaps. But. .. what if that wish were to

dos para o espaço fluido de indizíveis narrativas individuais. De-

come true?

sencanto? Talvez. Mas ... e se aquele desejo se vier a concretizar?

[Miguel von Hafe Pérez]

[Miguel von Hafe Pérez]

212


João Tabarra

True Lies and Alibis - Graffiti, fotografia, 120 x 120 cm, 1998-99, coleção particular

213


JoĂŁo Tabarra deira e vĂ­deo, La Chute, estrutura em ma

160 x 70 x 350 em, 1999

214


João Tabarra No Pain No Gain, fotograf ia, 180 x 330 cm, 1999,

coleção Museu do Chiado, Lisboa

215


Rússia

[Russia]

Sergey Bratkov Curadoria [Curator] Joseph Backstein

Entre a Humilhação e o Cinismo:

Between Humiliation and Cynicism:

Crianças do Período de Transição

Children of the Transitional Period

O modo de vida na Rússia soviética pressupôs o controle

The way of life in Soviet Russia presupposed the control and

e a disciplina das crianças e seu comportamento dentro da estru-

discipline of children and their behaviour in the framework of the

tura da Organização Pioneira (jovens comunistas). Logo após a Re-

Pioneer (young Communist) Organisation. Following the October

volução de Outubro, o regime soviético produziu formas novas

Revolution the Soviet regime produced new and settled forms of

e estabelecidas de uma existência alternativa entre as crianças, por

alternative existence amongst children, for example, infantile crime

exemplo, o crime infantil entre moleques de rua e órfãos desa-

amongst street urchins and homeless orphans beca me organised

brigados tornou-se organizado por rituais bastante complicados,

by quite complicated rituais, an imitation of official Soviet codes

uma imitação dos códigos soviéticos oficiais e um modo de vida

and a specific urban way of life.

urbano específico.

Sergey Bratkov reflects these two sides of children's exist-

Sergey Bratkov retrata estes dois lados da existência das

ence in his two projects. In Bad Time Stories the Pioneer organisation

crianças em seus dois projetos. Em Bad Time Stories (Histórias de

becomes a metaphor of urban folklore. The black humour and un-

uma Época Triste, trocadilho com "bedtime stories"), a Organi-

precedented cynicism, peculiar to Soviet underground conscious-

zação Pioneira torna-se uma metáfora do folclore urbano. O hu-

ness, colour Bratkov's illustrated stories. These stories are a varia-

mor negro e o cinismo sem precedentes, peculiares à consciência

tion on the theme of malicious insults and torments, felt by a "laser"

soviética oculta, colorem as histórias ilustradas de Bratkov. Estas

and inflicted by the "high and mighty" in a totalitarian social habitat.

histórias são uma variação do tema de insultos e suplícios maldo-

The project Kids demonstrates another form of infantile

sos, sentidos por um "perdedor" e infligidos pelos "arrogantes"

suffering. The photographs appear to represent children from mar-

em um habitat social totalitário.

ginal families ar even homeless children, who have taken the parts

O projeto Kids (Garotos) mostra uma outra forma de so-

of adults in terms of their poses and clothes . Bratkov successfully

frimento infantil. As fotografias parecem representar crianças

reproduces a child's open and unprotected look and their alertness

desabrigadas ou mesmo de famílias marginais, que tomaram os

towards the next humiliation. In their eyes, there is an (almost)

papéis dos adultos em termos de pose e vestimenta. Bratkov re-

traditional Russian expression of absolute crucifixion, perfect hope-

produz, com sucesso, o olhar franco e desprotegido da criança e

lessness, senselessness and the lack of prospects for the future.

sua prontidão quanto à humilhação seguinte. Em seus olhos, há

We consider Bratkov's works to be representative for met-

uma (quase) tradicional expressão russa de crucificação absolu-

ropolitan art, beca use they reflect not only the ideological contra-

ta, uma total desesperança, insensibilidade e falta de perspecti-

diction peculiar to Russia in the 20th century, but the contradictions

vas para

6 futuro.

Consideramos as obras de Bratkov representativas da ar-

of an urban way of life in the country. The Russia population consisted of 80% peasants for 70 years, who were forced by the Com-

te metropolitana, pois elas refletem não somente a contradição

munists to move to the cities, where they were supposed to build

ideológica peculiar à Rússia do século XX, mas também as con-

the New Society.

tradições de um modo de vida urbano no interior do país. Por

[Joseph Backstein]

70 anos, a população russa era formada de 80% de camponeses, que foram forçados pelos comunistas a se mudar para as cidades, onde eles deveriam construir a Nova Sociedade. [Joseph Backstein]

216


Sergey Bratkov

Da sĂŠrie Bad Time Stories, fotografias montadas em placas de alumĂ­nio, 2000

217


Sergey Bratkov Da sĂŠrie Kids, fotografias montadas em placas de alumĂ­nio, 40 x 30 x 5 cm cada, 2000

218


219


Suécia [Sweden]

Annika Eriksson Curadoria [Curator] Maria Lind

Início com a câmara movendo-se rapidamente, como se

It begins with the camera moving swiftly, as if flying, through

estivesse voando, através de um museu com pinturas, esculturas,

a museum with paintings, sculpture, furniture and handicraft from

móveis e artesanato de diferentes épocas, expostos todos juntos.

different periods àll exhibited together. Then they enter, one after

Então eles entram, um após o outro, apresentam-se na frente da

another, present themselves in front of the camera, giving their name

câmara, dando seus nomes e cargos, e aí acham um lugar na sala,

and their position, and then find a place in the room, precisely where

exatamente onde se deteve o movimento da câmara. Uma mu-

the camera movement has halted. One older woman who has worked

lher mais velha, que trabalhou com história natural e educação

with natural history and education since the 19605 has brought a

desde os anos 60, trouxe um porco-espinho empalhado e um dos

stuffed hedgehog with her, and one of the men says that, in addition

homens diz que, além de ser o chefe, ele é também um sujeito

to being the boss, he is also a nice guy. A smiling, well-dressed, mid-

legal. Um homem de meia-idade, sorridente, bem-vestido, com um

dle-aged man with a well-groomed mustache finds a seat in the front,

bigode bem aparado, acha um lugar na frente e a mulher, que

and the woman who has presented herself as the restaurant manag-

se apresentou como a esposa do gerente do restaurante, move-

er's wife moves to one side. Most choose a seat on the benches and

se para o lado. A maioria escolhe seu lugar nos bancos e cadei-

chairs that are spread out in the room, while some remain standing.

ras espalhados pela sala, enquanto alguns permanecem de pé. Desta maneira, o retrato grupal dos funcionários dos mu-

In this way, Annika Eriksson's 20-minute-long, softly directed group portrait of museum employees in the city of Malmô in the

seus de Malmô, no sul da Suécia (Malmô Museer), com 20 minu-

south of Sweden (Malmô Museer) develops in front of the video

tos de duração, suavemente dirigido por Annika Eriksson, revela-

camera.' The social dynamics and hierarchies emerge discreetly, as

se na frente da câmara de vídeo.' A dinâmica social e a hierarquia

the people are present both as individuais and as a collective.

emergem discretamente, à medida que as pessoas estão presen-

Questions are raised, for instance about what goes on behind the

tes tanto como indivíduos como coletivo. São feitas perguntas, por

scenes: what are no less than four photographers doing at a place

exemplo, sobre o que acontece atrás das cenas: o que fazem nada

like this and why is there no cleaning staff? This turning an insti-

menos que quatro fotógrafos num lugar como esse e por que não

tution inside out resembles a school photo, at the same time as the

há equipe de limpeza? Virar uma instituição de dentro para fora

frontal positions and the presentations of the individual names and

lembra uma foto escolar, ao mesmo tempo que as posições fron-

their job titles conjure up thoughts of police mug shots. Shared

tais e as apresentações de cada nome com seus cargos evocam a

affinity and control at the same time.

idéia de instantâneos para arquivos policiais. Afinidade e controle compartilhados ao mesmo tempo. Como em muitas outras vezes, Annika Eriksson trabalha

As she has done often before, Annika Eriksson works here with a group that is used to doing things together, and has asked them to do something over and above their ordinary activities. She

aqui com um grupo que está acostumado a desenvolver ações em

has done this with temporary creative communities such as the postal

conjunto e pediu-lhes que fizessem algo além de suas atividades

orchestras in Copenhagen and Stockholm and the Connecticut

normais. Ela fez isso com comunidades criativas temporárias, tais

Firefighters Pipes and Drums Orchestra who have ali, at her request,

como as orquestras dos correios de Copenhague e Estocolmo e a

played the emotional pop song Sour Times by Portishead, a piece

Connecticut Firefighters Pipes and Drums Orchestra (Orquestra dos

not ordinarily in their repertoires. She has worked with the Bremen-

Bombeiros de Connecticut), que tocaram, a seu pedido, a como-

based amateur theatre group, Die Silberlocken, with female pen-

vente canção popular Sour Times (Épocas Amargas) do Portishead,

sioners who performed a play of the artist's choice, The Musicians

um peça que não faz parte do repertório rotineiro da orquestra.

of Bremen, and with members of the Mooms Theatre in Malmô,

Ela trabalhou com o grupo teatral amador baseado em Bremen,

who performed a swinging choreography based on and including

Die Silberlocken, formado de mulheres pensionistas, que encena-

a sentence that the artist had selected. Like a visual echo, the unedit-

ram uma peça escolhida pela artista, The Musicians of Bremen (Os

ed videos - usually filmed in one go and with a fixed camera -

Músicos de Bremen), e com membros do Teatro Mooms de Malmô,

that document and accompany each project are often shown ei-

que representaram uma coreografia animada baseada - e in-

ther in the vicinity of or in the place where they were filmed.

220


I

Annika Eriksson Staff at Ma/mo Museum, 2001, fotografia da produção do vídeo [Cortesia Malmõ Konstmuseum]

221


Seeming simplicity is one of the characteristics of Annika

cluindo - em uma sentença que a artista havia selecionado. Como um eco visual, os vídeos sem edição - geralmente filmados

Eriksson's art, both in terms of content and form, but the stress is

em uma só tomada e com a câmara fixa -, que documentam e

on "seeming". She is interested in the almost invisible bonds and

acompanham cada projeto, são freqüentemente mostrados quer

contexts, which, for better or worse, work to glue society: a table

na vizinhança, quer no local onde foram filmados.

mat with a photograph of a plain yellow wooden house in the

A aparente simplicidade é uma das características da arte

Swedish countryside, with an even more ordinary but very telling

de Annika Eriksson, tanto em termos de conteúdo como de for-

sign saying "Men's Aid". And the small stickers with the text "a

ma, mas a ênfase está em "aparência". Ela está interessada nos

terrible conspiracy", which cropped up with stubborn consistency

quase invisíveis vínculos e contextos que, para melhor ou pior,

on cash dispensers, shop counters and subway train doors for severa I

atuam a fim de aglutinar a sociedade: um pano de mesa com uma

years in Stockholm, hinting that somewhere there is a group that

fotografia de uma casa simples de madeira amarela nos campos

has a "terrible" plan for uso With her twisting of these seemingly

da Suécia, com um letreiro ainda mais comum mas notável, dizendo "Men's Aid". E os pequenos adesivos escritos: "uma terrível cons-

ordinary situations and things, Annika Eriksson prompts us to observe with both skepticism and warmth what is deemed normal,

piração", que apareceu com uma consistência teimosa em caixas

and in extension, what is called abnormal.

automáticos, balcões de lojas e portas do metrô por diversos anos

[Maria Lind]

em Estocolmo, insinuando que em algum lugar havia um grupo com um plano "terrível" para nós. Torcendo estas situações e coi-

1

sas aparentemente corriqueiras, Annika Eriksson incita-nos nos a

Stockholm,.in 2000. Annika Eriksson is making another "personnel por-

observar, tanto com ceticismo como com entusiasmo, o que é con-

trait" of the Bienal staff especially for the 25th Bienal de São Paulo.

siderado normal e, por extensão, o que é chamado de anormal. [Maria LindJ 1

A primeira obra desta série retratou a equipe do Moderna Museet de Es-

tocolmo no ano 2000. Annika Eriksson está fazendo um outro "retrato grupal" da equipe da Bienal especialmente para a 2S a Bienal de São Paulo.

222

The first work in this series featured the staff at Moderna Museet in


Annika Eriksson Anagram with Mooms Teatem, fotografia da produção do vídeo, 2001

223


5uíça

[Switzerland]

Fabrice Gygi Curadoria [C urator] Pierre-André Lienhard

[... ] por meio de atividades performáticas, instalações ou

[ ... ] Fabrice Gygi attempts, through performances, instal-

esculturas, Fabrice Gygi tenta desmascarar a hipocrisia advinda

lations or sculptures, to uncoyer the different guises of authority

do autoritarismo presente em nosso quotidiano. [... ] Isto se faz

that inhabits our everyday environment. [ ... ] This is visible, for ex-

visível na segurança por trás dos ambientes que o artista cria, por

ample, in the security environments he constructs - erecting bar-

exemplo, barreiras erguidas com malas, apropriação do equipa-

ricades with travei bags, appropriating police equipment for dem-

mento usado pela polícia em greves, ou a reprodução de estru-

onstrations, or recreating such a heavily connoted structure as a

turas de segurança óbvias, como um abrigo de sentinelas. A obra

sentry booth. While [this piece, entitled Guarita], recalls panoptic

de Gygi, intitulada Guarita, lembra os sistemas pan-ópticos de

systems of surveillance, the numerous tents he has made and in-

vigilância, expondo simultaneamente a presença insidiosa desses

stalled in art spaces evoke visions of nomadic activity and precari-

sistemas na realidade e o autoritarismo inerente à instituição que

ous existence. Gygi's work always simultaneously ex poses the in-

os utiliza. As várias tendas que o artista instala em espaços artís-

sidious presence and usage of these elements in reality, and the

ticos evocam uma atividade nômade e, ao mesmo tempo, uma

inherent authority of the institution they are displayed in.

precária existência.

More recently, by showing bars, podiums, spaces reminis-

Recentemente, com a exibição de pódios, cavaletes e es-

cent of community centers, or unlikely playgrounds, the artist has

truturas reminescentes [ou remanescentes?] de centros comuni-

developed a new orientation to his work. Ali these installations

tários ou playgrounds improváveis, o artista desenvolveu um novo

are structures enabling the organization of public events (official,

método de trabalho. As instalações de Gygi nada mais são que

sports or party related), shows - in short, "spectacles". What the

espaços onde podem ser organizados eventos públicos, esporti-

artist brings to light in this process is the fact that in order to be

vos ou festas e shows, em suma, Ifespetáculoslf. O que o artista,

the alienating operator described by [Guy] Debord, the spectacle

na verdade, revela é o fato de que um espetáculo, para ser o agente

must possess structures of constraints. A podium, for example, is

alienante, conforme descrito por Guy Debord, deve possuir estru-

necessary to hierarchically situate the subjects of a representation,

turas de coerção. Um pódio, por exemplo, é necessário para que

in the same way that a bar helps to distribute social roles. [... ]In

o objeto de uma representação se situe hierarquicamente, da

this sense, his work shows that the spectacle is no less than the

mesma maneira que um cavalete define papéis sociais. [... ] Nes-

ultimate figure of authority, wielding as many devices as neces-

te sentido, a obra de Gygi mostra que o espetáculo é, em última

sary to prevent any event from shifting toward what George Ba-

instância, uma forma de autoridade, que exerce seu poder utili-

taille called expenditure. Rather than calling to direct action, Fabrice

zando-se de expedientes para evitar que um evento caminhe para

Gygi organizes subversion by appropriating the very instruments of

o que George Bataille denominou consumo. Em vez de invocar a

order. [... ]1

ação direta, Fabrice Gygi estrutura a subversão, de forma a se

[Lionel Bovier]

apropriar dos instrumentos que compõem a ordem [... ).1 [Lionel Bovier]

1

From: Bovier, Lionel, Across/ArtlSuisse/1975-2000 (Geneva/Milano: Ski-

ra/Le Seuil, 2001), pp. 129-130 (translated by Mai-Thu Perret). 1

Extraído de: Bovier, Lionel, Across/Art/Suisse/1975-2000 (Genebra/Mi-

lão: Skira/Le Seuil, 2001), pp. 129-130 (tradução de Mai-Thu Perret).

Fabrice Gygi Vigie, instalação com torre motorizada e cabine de aço, dimensões variáveis, 2002

224


225


Taipei Fine Arts Museum, Taiwan

Chien-Chi Chang Curadoria [Curator] Fang-Wei Chang

The Chain (A Corrente)

The Chain

"No momento em que disparo o obturador da minha câmara,

"At the moment I press the shutter, I (the photographer) am in

eu, o fotógrafo, tenho o controle da situação, assim como ele,

control of the situation, but so are they (the subjects)."

o objeto de minha foto."

[Chien-Chi Chang]

[Chien-Chi Chang]

The Chaín, a documentary photography project by ChienThe Chain (A Corrente) é um documentário fotográfico

Chi Chang, contains 40 black-and-white, 42-by-62-inch photos taken

idealizado pelo artista chinês Chien-Chi Chang, contendo 40 fo-

between 1993 and 1999 at Lung Fa Tang, a private mental insti-

tos em preto e branco, tamanho 1,07 m x 1,58 m, tiradas entre

tution in Kaohsiung, Taiwan. In this series, mental patients chained

1993 e 1999 no Instituto Lung Fa Tang, uma instituição mental

in pairs are photographed from the same head-on vantage point.

particular localizada em Kaohsiung, Taiwan. A série mostra os

Placed one photo next to another, 60 cm above the floor, they appear

pacientes mentais acorrentados em pares, fotografados a partir

slightly larger than life. ·Surrounded on ali sides by the photos, viewers

de um mesmo ângulo frontal. As fotos, colocadas uma ao lado da

are confronted by the powerful black-and-white images of people

outra, 60 em acima do chão, parecem um pouco maior que o ta-

and chains in such a way that both the audience and the photos

manho natural. Os visitantes à exposição são completamente cer-

together construct a metaphorical place. Valuing them as an im-

cados por fortes imagens em preto e branco de indivíduos e cor-

portant treatment technique, Lung Fa Tang calls the chains that bind

rentes, dispostos de tal maneira que os observadores e as fotos,

pairs of patients together the "Chain of Feeling."

juntos, formam um lugar metafórico. O Instituto Lung Fa Tang

In this series, Chien-Chi Chang aims to explore the relation-

utiliza correntes em seu método de tratamento com os pacientes

ship between the individuais in each pairo Although the chains take

.e as chama de "Corrente do Sentimento".

away the patients' freedom, each conveys a strong and individual

A obra de Chien-Chi Chang pretende explorar a relação

presence in front of the lens, and many display almost optimistic

entre os indivíduos que formam os pares. Embora as correntes

expressions. One can say Chang offers a platform for free interac-

restrinjam a liberdade dos pacientes, estes têm uma presença

tion with his subjects. The sharp contrast between their individual

individual marcante frente à câmara, e muitos exibem traços faciais

expressions and the constriction of the chains gives the series height-

quase otimistas. Pode-se dizer que o trabalho de Chang é um

ened interest and greater room for interpretation. It can also be said

trampolim para uma maior integração entre os objetos de suas

that the series probes beneath the surface of the complicated dia-

fotos. O contraste evidente entre as expressões faciais e a contra-

lectical relationship among viewers, the viewed, and the photog-

dição expressa pelas correntes torna a exposição do artista mais

rapher: viewers as subjects, the artist as an observer, the subjects

interessante e dá margem a múltiplas interpretações. A série de

as artists. These overlapping identities thereby stir the viewer's

fotografias vai muito além da superfície da complexa relação dia-

consciousness of the issues and images. The Chaín exists as a

lética entre o observador, o observado e o fotógrafo: os obser-

metaphor on ali leveis in life. Often, the line between sanity and

vadores como objetos das fotos, o artista como observador, os

insanity is nebulous indeed. As photographer and subjects are

objetos como artistas. As identidades sobrepostas chamam a aten-

"chained" together, that line is open for viewers to explore.

ção do observador para os problemas e as imagens sendo exibi-

[Fang-Wei Chang]

dos. The Chain foi concebida para ser uma metáfora em todos os níveis da vida. A linha divisória entre a sanidade e a loucura é geralmente tênue e, à medida que o fotógrafo e seu objeto são "acorrentados", essa linha fica em aberto para que os observa-

Chien-Chi Chang

dores a explorem.

The Chain (detalhes), instalação com fotografias em gelatina de prata,

[Fang-Wei Chang]

157 x 106 x 2,5 cm cada, 1998, coleção Taipei Fine Arts Museum, Taiwan

226


227


229


Tri nidad e Tobago [Trinidad and Tobago]

Edward Bowen Curadoria [Curator] Charlotte Elias

o Arquiteto da física Impossível

The Architect of Impossible Physics

Física impossível é, na realidade, um estado de otimismo,

Impossible physics is really a state of optimism, a personal

uma tentativa pessoal de trabalhar e reconfigurar uma paisagem

attempt at dealing with and reconfiguring a landscape of contra-

de contradições. A melhor alternativa é uma gradual descida a um

dictions, the alternative being a gradual descent into a regurgita-

estado de regurgitação de narrativas transmitidas de geração para

tion of handed-down narratives from outdated historical precedents.

geração, a partir de precedentes históricos datados. Este "estu-

This IIstudyll has gone virtually hand in hand with a study of yoga,

do" foi realizado à luz da ioga segundo Patânjali, e envolve vá-

patanjali, the way of many paths.

rias possibilidades e caminhos. A metodologia aplicada foi tecer, sublimar e canalizar im-

The methodology is as though to weave, to sublimate and to channel imaginative impulses solely by means of an externai

pulsos criativos unicamente pela via externa, rompendo com ações

process, to break down the actions of drawing to its ultimate ab-

que levam a um estado abstrato extremado, como se fossem tra-

stract state as linear marks representative of internai biases, dispo-

çados lineares representativos do viés, disposições e energias in-

sitions and energies, as if then to allow reconstruction and redefi-

ternas, permitindo a reconstrução e redefinição. Descrever esse

nition. To try to describe it would be to say that there is an absence

processo seria como admitir a ausência do pensamento literal e

of literal thought, then a surrender to a new, perhaps hidden logic

submeter-se a uma lógica e memória incipientes, talvez ocultas,

and memory, beneath or aside from conscious modes of action and

sob a superfície ou à margem dos modelos conscientes de ação

perception. To take many lines for an hyperextended and unplanned

e percepção. Traçar muitas direções para uma longa e repentina

walk within the confines of the actual and present material picto-

caminhada rumo aos confins do real e presente espaço pictórico

rial space, as if to weld unconscious impulses with conscious intent

material, como se consolidassem impulsos inconscientes com a

to construct and eventually arrive at a new balance, to act in faith

intenção consciente de construir e eventualmente alcançar um

trusting an idea of skill.

novo equilíbrio, agir de boa-fé para confiar na possibilidade da arte manual. Em 1987, descobri uma nova maneira de desenhar e trabalhar meus desenhos, por curiosidade ou geometria intuitiva, não sei ao certo. Trata-se de um método muito pessoal de defi-

In 1987 I set out to find a new way of drawing or dealing with my actions of drawing - call it intuitive curiosity, call it intuitive geometry - a personal method of defining imaginative spaces within the picture plane, to extend the idea of a IIdoodle ll and to

nir espaços criativos no plano pictórico, expandindo a idéia de

allow another part of the mind to make sense of seemingly haphazard marks. I had heard the term IIdesigning in the void ll , and

"rabiscar" e permitindo que o outro lado do cérebro decifre de-

at the time thought that this was more about exploration and find-

senhos similares feitos a esmo. Quando ouvi o termo "desenhar

ing, as opposed to specifically defining the known worlds of my

no vazio" pela primeira vez, achei que se relacionasse ao ato de

experience.

explorar e descobrir, e não à definição precisa dos mundos co-

[Edward Bowen]

nhecidos de minha experiência. [Edward Bowen]

Edward Bowen The Architect of Impossible Physics (detalhes), instalação com desenho na parede, 2002 [Foto Matthew McHugh]

230


231


Turquia

[Turkey]

Canan Beykal Curadoria [Curator] Hüsamettin Koçan

Diga-me de Onde Vens

Te" Me Where You Come From

O artista é hoje um nômade. Acumulando experiências de

The artist today is a nomad. Accumulating the experience

tempo e espaço, ele cria um mundo dentro de outro mundo, onde

of time and place, s/he creates a world within a world where mean-

os significados estão em constante mudança, para desvendar uma

ings are constantly shifting to reveal a journey which we ali travei,

viagem que todos nós fazemos desesperadamente, com o propó-

trying desperately to hold on to some fixed entity. In this sense,

sito de nos apegarmos a alguma entidade imutável. Nesse contexto,

Canan Beykal's Tell Me Where You Come From 2 works on two

a instalação Tell Me Where You Come From 2 (Diga-Me de Onde

leveis of meaning: one is that she brings stories of real journeys

Vens 2) se processa em dois níveis distintos de significado. De um

and shifts in place and time through people who have left their

lado, Canan Beykal apresenta histórias de jornadas reais, viajan-

homes, the other is her own journey of discovery through the ex-

do no tempo e no espaço por meio de pessoas que deixaram seus

periences of others.

lares. Num segundo momento, a artista conta a história de sua

The story of Tell Me Where You Come From started in the

própria jornada de descoberta, vista pela experiência de outros.

mid-nineties when the artist interviewed foreigners living in Istanbul

A instalação foi inicialmente concebida em meados da

and exhibited their response using text, sound and visual material.

década de 90, com entrevistas que a artista realizou com vários

The personal turned into a story of nomadic culture as the polyphony

estrangeiros vivendo em Istambul. As perguntas eram respondi-

of sounds mixed with the sounds of the city. The second version

das por meio de textos e material audiovisual. As histórias pes-

of Tell Me Where You Come From is again based on the idea of the

soais que se sucediam eram percebidas como parte de uma cul-

city as a cultural meeting point of different identities, where iden-

tura nômade, na qual a polifonia de sons misturava-se aos sons

tity is seen as an ever-forming reflection of the experience of the

da cidade. A segunda versão de Tell Me Where You Come From

modern metropolis. The constant flux of migration to Istanbul from

também está calcada na noção de cidade como um caldeirão cul-

various parts of Turkey is one aspect of this experience, the foreigners

tural de identidades distintas, onde a identidade é entendida como

who have made Istanbul their home is another. The picture looks

um reflexo determinado pela experiência das metrópoles mo-

blurred beyond recognition: the speed of the city leaves no roam

dernas. O contínuo fluxo de migrantes de várias partes da Turquia

for fixed, framed, static terms of "I am". That is why the question

para Istambul constitui um dos aspectos dessa experiência, en-

is "tell me where you come from": for many who have responded

quanto que os estrangeiros que lá se instalaram constituem ou-

to the artist's video, where they come from is not where they liter-

tro núcleo. A paisagem urbana torna-se um tanto indistinta, pois

ally come from anymore - where does a Chinese man who comes

o ritmo frenético da cidade grande não abre espaço para que o

from Berlin but lives in Istanbul really come from? Beykal also plays

"eu sou" aconteça de forma fixa, estruturada, estática. Daí, a ques-

with the spectator's seemingly natural habit of linking physical traits

tão crucial de "diga-me de onde vens": para muitas pessoas que

with identity, thus breaking the codes of cultural discrimination.

responderam à pergunta da artista em vídeo, o lugar de origem

The narrow corridors through which the spectator will pass

não é exatamente aquele de onde vieram. Por exemplo, qual a

to enter the space are like a metaphor for the difficulties faced in

verdadeira origem de um chinês que veio de Berlim e reside em

cultural transition, but the space itself is a comfortable 'Iiving roam'

Istambul? Rompendo com os códigos da discriminação cultural,

for ali to share and enjoy.

Beykal, em sua obra, brinca com o costume das pessoas de asso-

[Hüsamettin Koçan]

ciar características físicas à identidade. Os corredores estreitos pelos quais o visitante passa para chegar à instalação de Beykal servem de metáfora às dificuldades enfrentadas durante uma transição cultural. Ao entrar no espaço, o ambiente da instalação torna-se uma confortável "sala de estar", em que as pessoas partilham experiências e se divertem. [Hüsamettin Koçan]

232


Canan Beykal School, fotografia, 1997

233


Ucrâ nia

[Ukraine]

Taras Polataiko Curadoria [Curator] Jerzy Onuch

Minha instalação-performance é intitulada Bird's Eye View (Vista Aérea) e minha intenção é criar imagens estetica-

mente arrojadas com tecnologia de última geração. Fotos em infravermelho, tiradas das grandes cidades do mundo a partir de satélites, serão baixadas da internet, impressas, montadas sobre vinil reforçado e cortadas no tamanho-padrão de uma peça de

My show is titled Bird's Eye View. My intention is to create formally engaging images appropriated from super-high technology. Images of infrared satellite photos of major world cities will be downloaded from the Internet, printed, mounted on reinforced vinyl and cut into the standard commercial jigsaw puzzle patterns. Divorced from their content, these images will be remi-

quebra-cabeça. Fora de contexto, essas imagens remetem às pinturas abstratas de Gerhard Richter, como, por exemplo, a série

niscent of Gerhard Richter's abstract paintings (i.e., the Squeegee series). Contentwise, they will allude to his series based on aero-

Squeegee. Contextualizadas, aludem à sua série de fotos aéreas

plane shots of cities. The show will open as an empty space with 11 mirrors mounted on the walls of the space (11 being the number of the

de cidades, tiradas de avião. Minha instalação começa em um espaço vazio, com apenas 11 espelhos pendurados na parede (11 é o número de cidades em exposição escolhidas pela curadoria da 2S a Bienal de São

cities in the curatorial concept for the 25th Bienal de São Paulo). At the commencement of the Bienal, 11 labourers will gradually cover

Paulo). No início da Bienal, 11 pedreiros irão colar as peças do quebra-cabeça aleatoriamente sobre os espelhos. Cada visitante

the mirrors by piecing together the jigsaw puzzles. Each piece will be assigned to a local person who will come in everyday until the

da instalação receberá uma peça, que colará em qualquer lugar do espelho até que o quebra-cabeça seja formado. Ao final da Bienal, haverá 11 abstrações no espaço.

puzzles are completed. By the close of the Bienal there will be 11 abstractions in the space. Through the images, the materiais, and the process, I want

As imagens, os materiais e o processo adotados são uma

to draw attention to the marginalised population created by world-

maneira que encontrei de chamar a atenção das pessoas para a população marginalizada, que se forma com o progresso dos grandes centros urbanos do mundo. Minha instalação-performance

wide urban progresso The relationship between the content of the image and its formal properties has been my interest for some time. The show is going to be as much about the nature of the image

trata tanto da natureza da imagem nas culturas contemporâneas como da abstração e do relacionamento do artista com o contexto, a narrativa e os eventos do mundo artístico. [Taras Polataiko]

in contemporary culture as it's going to be about abstraction and the artist's relationship with the context, narrative, and agendas of the art world. [Taras Polataiko]

Taras polataiko Bird's Eye View, fotos via satélite sobre vinil reforçado sobre espelho, 11 espelhos montados de 120 x 120 em, 2002

234


Berlim

Caracas

Istambu l

Joanesburgo

235


Londres

Moscou

Nova York

Taras Polataiko Bird's Eye View, fotos via satÊlite sobre vinil reforçado sobre espelho, 11 espelhos montados de 120 x 120 em, 2002

236


Pequim

Sรฃo Paulo

Sidney

Tรณquio

237


Urug ua i [Uruguay]

Marco Maggi Curadoria [Curator] Clever Lara

Global Myopia A miopia é um convite para se reduzir a distância e a velocidade. Nossa proposta é focalizar uma placa de trânsito: STOP. Os escombros estão na moda, e a linguagem está caindo aos pedaços. O mundo se inundou de papéis e de signos que não se entendem. Um total de 90% da descrição atual do universo é ilegível: metáforas matemáticas impossíveis de se traduzir em expressão oral ou escrita. Assumir a condição de novos analfabetos nos exigirá paciência e simpatia pelo insignificante. A intimidade substituirá a ideologia, e um novo protocolo substituirá as ligações de longa distância. Genes e planetas estão demasiadamente próximos e demasiadamente distantes. Um cenário tão extremista estimula a união dos contrários: o micro se torna macro, quando as artes visuais se deslocam para o limiar da cegueira. Mapas ou circuitos? Pré-colombianos ou pós-clintonianos? Textos ou têxteis? Cidades ou maquetes? Um observador apressado pode confundir a antropologia com a robótica e a arqueologia com a ciência "ficção". Global Myopia apresenta arquivos imperceptíveis sobre materiais prosaicos: folhas de papel, azulejos de cerâmica, molduras de slides, maçãs ou papel de cozinha. Um diálogo digital, baseado em deslocamentos mínimos do indicador e do polegar, registra, sobre várias superfícies, uma trama a ser lida, sem a menor esperança de informação. Na última década, marginalizamos três sentidos (tato, olfato e paladar) e oito dígitos (2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9). Não precisamos mais do que "zeros" e "uns" para reproduzir a história universal do texto, a imagem e o som. Essa vitória do reducionismo confirma que o observador, e não a obra, é o responsável pelos níveis de diversidade. (Nem o McDonald's pôde um dia preparar dois hambúrgueres com a mesma forma, textura, cor, sabor e temperatura.) Atualmente a delicadeza é uma atividade subversiva, e prestar atenção é algo realmente escandaloso. Estamos condenados a conhecer mais e a nos entender menos. Vírus implícitos em explosões recentes confirmam a miopia como a resposta mais adequada à globalização. [Marco Maggi]

238

Global Myopia Myopia is an invitation to reduce both distance and speed. We propose to focus on the traffic signal: STOP. Rubble is ali the rage and language is falling to pieces. The world has been inundated with incomprehensible papers and signs. Ninety percent of the current description of the universe is illegible: mathematical metaphors that are impossible to translate into oral ar written language. To assume the status of neo-illiterate will require patience and an affinity towards the insignificant. Intimacy will substitute ideology, a new protocol and long-distance calls. Genes and planets are at the same time toa near and toa faro Such a radical scenario sets off a union of contrasts: the micro becomes macro when visual arts move to the threshold of blindness. Maps ar circuits? Pre-Colombian ar post-Clintonian? Texts ar textiles? Cities ar scale models? A hurried observer might confuse anthropology with robotics, and archaeology with science fiction. Global Myopia presents imperceptible archives on prosaic materiais: sheets of paper, ceramic tiles, frames of slides, apples ar kitchen paper. A digital dialogue, based on minimum movements of the forefinger and thumb, represents on different surfaces a storyline to be read without the slightest hope of becoming informed. In the last decade we have marginalized three of the senses (touch, smell and taste) and 8 digits (2,3,4,5,6,7,8,9). We need no more than zeroes and ones to reproduce the universal history of the text, the image and the sound. This triumph of reductionism confirms that the observer, and not the work, is responsible for the levei of diversity; not even McDonald's could ever cook two hamburgers which have exactly the same shape, texture, colour, flavour and temperature. At present, delicacy is a subversive activity, and being attentive is something truly scandalous. We are condemned to knowing more and understanding less. The virus implicit in recent explosions confirms myopia as the most appropriate response to globalisation. [Marco Maggi]


Marco Maggi Hotbed, instalação com 50.000 folhas de

papel com incisões, 5 x 325 x 261 cm, 2001 [Cortesia Hosfelt Gallery, San Francisco]

239


Venezuela

[Venezuela]

Carlos Cruz-Diez Curadoria [Curator] Elida Salazar

Carlos Cruz-Diez, entre Caracas e Paris,desde 1955, incorpora-se, na Cidade-Luz, ao Movimento Cinético, no qual desen-

Carlos Cruz-Diez, a Venezuelan artist, has lived between Caracas and Paris since 1955. In the City of Light he beca me part

volve uma pesquisa sistemática da cor. Evidencia que a cor é uma situação efêmera e autônoma, o que se constitui em núcleo pri-

of the Kinetic Movement, carrying out systematic research on color. His work evidences colar as a fleeting yet autonomous situation,

mordial que anima a sua longa e frutífera trajetória. São culminantes as Cromo-Saturações, parte de uma obra sensorial par-

which has constituted the driving force of his long and fruitful career. This approach culminated in his Chromosaturations, which were part of a participative sensorial work conceived in Paris in 1965 entitled

ticipativa, concebida em Paris, em 1965, sob o título Labirinto de Descondicionamento, exibida inicialmente na Place Odéon, em Paris, em 1969, e depois em outras cidades. Para Carlos Cruz-Diez,

The Deconditioning Maze, first exhibited at Place Odéon in Paris

in 1969, and later in other cities around the world. For Carlos CruzDiez, Chromosaturations are artworks linked to the idea that ev-

as Cromo-Saturações são obras ligadas à idéia de que toda "cultura" sempre teve como ponto de partida um "acontecimento pri-

ery 'culture' often has a 'primary event' as a starting point, a sim pie

mário", uma situação simples que logo se transforma e desata um sistema de pensamento, age sobre a sensibilidade, criando mitos.

situation that is soon transformed and establishes a system of thinking, acting on our sensitivity and creating myths. Since our cultural

Como durante séculos não modificamos as convenções culturais da noção cromática, é possível que, mudando o suporte - colo-

conventions of the chromatic notion have not changed for centuries, it is likely that by changing the base, that is, by coloring the space and not the shape, we can find out that colar is an evolu-

rindo o espaço e não a forma -, seja possível detectar que a cor é uma situação evolutiva no tempo e no espaço e não necessariamente a anedota colorida de uma forma. A perturbação que produz o viver a experiência de uma situação monocromática age na retina do espectador como um detonador que desperta a noção de que a cor é uma situação física, que evolui no espaço sem ajuda da forma, inclusive sem suporte algum. Desta maneira, o mestre Carlos Cruz-Diez consegue cumprir a sua proposta, ao "estabelecer um sistema simples e direto de comunicação através da cor, onde o espectador descobrirá e constatará suas possibilidades e limitações, e sua relação com a obra não se reduzirá a interpretar códigos e símbolos. Quero implicá-lo na vivência de uma situação mutante, que lhe permitirá descobrir a cor se fazendo, e a possibilidade de encontrar sua própria ressonância afetiva". [Elida Salazar]

240

/I

tionary situation in time and space, and not necessarily the colorfui anecdote of a shape. The disturbance caused by experiencing a monochromatic situation acts on the viewer's retina like a detonator giving rise to the notion of colar as a physical situation that evolves in space without the aid and support of shape./1 In this way, master artist Carlos Cruz-Diez fulfils his proposal of /Idevising a simple and straightforward communication system through colar, whereby the viewer can discover his or her own possibilities and limitations, relating to the work in ways that are not limited to the interpretation of codes and symbols. I wish to involve the viewers in this everchanging situation, which might eventually lead them to discover colar unraveling before their eyes, and the possibility of finding their own affective resonant sound./1 [Elida Salazar]


Carlos Cruz-Diez

Cromosaturación (maquete do projeto), instalação com acrílico e luzes coloridas de néon

241


Carlos Cruz-Diez Cromosaturación (maquete do projeto), instalação com acrílico e luzes coloridas de néon [à direita, vista interna]

242


243


Vi et nã [Vietnam]

Jun Nguyen-Hatsushiba

Nos últimos cinco anos, as obras de Jun Nguyen-Hatsu-

For the past half a decade, Jun Nguyen-Hatsushiba's works

shiba têm tratado de questões referentes ao refugo social, aos

have dealt with issues of the social debris, the unwanted sectors

setores indesejados da sociedade e ao conceito de "identidade

of society, and the concept of "in between" identity. These issues

intersticial" (in-between identity). Tais questões levaram-no a

have led him to excavate the legacy of the Vietnamese boatpeople,

desenterrar o legado do boat people vietnamita, experiência si-

an event concurrent to his youth growing up in Japan, Vietnam and

multânea à sua juventude passada no Japão, no Vietnã e nos Es-

in the United States .

tados Unidos.

Born into the two distinct nations (Japan and Vietnam)

Surgida a partir de duas nações distintas (Japão e Viet-

bearing two of the 20th century's vividly reridered human atroci-

nã), palcos de duas atrocidades humanas do século XX vigorosa-

ties, and their antagonist as the third home for the artist, the idea

mente representadas, e em sua adversária, que serviu de terceiro

of hovering in between becomes more and more apparent.

lar do artista, a idéia de pairar num espaço "intersticial" tornase cada vez mais aparente. Tendo abandonado a pintura, seu vocabulário expressi-

Discontinuing to paint, his vocabulary of expression has gane through a variety of experiments using the materiais readily available at his location of residence . For the past several years in Viet-

vo enveredou por uma variada gama de experimentos, nos quais

nam where he presently resides, he has exp lored the use of mos-

usa materiais de fácil acesso no seu local de residência. Nos últimos

quito nets, bamboo curtains, three-wheeled man-powered taxis-

anos que passou no Vietnã, onde reside hoje, o artista explorou

cyclos - as well as working with cyclo drivers, and most recently

o uso de mosquiteiros, de cortinas de bambu e de cyelos (triciclos

with a group of fishermen for the underwater video project.

movidos por força humana, usados como táxis), além de trabalhar

The recent video work reveals a pilgrimage of the "Ieftover"

com os condutores destes últimos e, mais recentemente, com um

class from the Vietnam War in search for a location ar, in essence,

grupo de pescadores para um projeto de vídeo subaquático.

their struggle for identity. The artist, unseen behind the camera,

O recente trabalho de vídeo revela uma peregrinação da

"hovers" to examine, and captures the hunt reflected in his own

classe "que sobrou" da Guerra do Vietnã, em busca de um lugar

life. The ir struggles lead to a "complex" of 30 stretched mosquito

de fixação ou, na essência, sua luta por uma identidade. Escon-

nets about 6 to 8 meters deep underwater. The randomness of each

dido por trás da câmara, o artista "paira no espaço", a examinar

net evokes the helpless victims of boatpeople who had drowned.

e capturar a busca refletida em sua própria vida. Seus esforços

The courageous, the curious, and the cowards are symbolic

levaram a um "complexo" de 30 mosquiteiros esticados, numa

of fundamental types of individuais who had attempted to flee . They

profundidade de 6 a 8 metros debaixo da água. O caráter alea-

are also the fundamental types we may encounter in our society.

tório da instalação de cada rede evoca os boat people, em suas

They may ali be symbolic of every individual at various given situ-

indefesas vítimas de afogamento.

ations and circumstances.

Os corajosos, os curiosos e os covardes são tipos simbóli-

The continuing saga of the up and down motions (ascending

cos fundamentais de pessoas que tentaram fugir. São também

to breathe and descending to continue) added to the slow forward

tipos fundamentais que encontramos em nossa sociedade. Todos

movement of the cyclo depicts their progress in the society. Each

podem simbolizar cada indivíduo em determinadas situações e

momentum created while holding their breath to advance is dimin-

circunstâncias. A saga contínua dos movimentos de ascensão e descenso (subir para respirar e descer em seguida), somada ao lento avanço do triciclo, retrata o progresso desses indivíduos na sociedade. Cada momentum criado, em que tomam fôlego para avançar, diminui quando o ar se esgota. Apenas a distância acumulada permanece como indício de sua existência de luta.

244

ished once the air runs out. Only the accumu lated distance remains as the evidence of their struggling existence.


Jun Nguyen-Hatsushiba Memorial Project Nha Trang, Vietnam. Towards the Complex. For the Courageous, the Curious, and the Co wa rds , sti ll do vídeo, 2001 [Cortesia Mizuma Art Gallery, Tóquio]

245


Jun Nguyen-Hatsushiba Memorial Project Nha Trang, Vietnam. Towards the Complex. For the Courageous, the Curious, and the Co wards, stills do vídeo, 2001 [Cortesia Mizuma Art Gallery, Tóquio]

246


247


Videoarte Africana

Mawuli Afatsiawo, Gana [Ghana]

[African Video-Art]

Goddy Leye, Camarões [Cameroon]

Moshekwa Langa, África do Sul [South Africa] Ingrid Mwangi, Quênia [Kenya] Zwelethu Mthethwa, África do Sul [South Africa]

Curadoria [Curator] Marcel Odenbach

Papisthione, Senegal [Senegal]

A videoarte oferece aos artistas africanos a possibilidade

Video-art offers African Artists/l an art form that is largely

de uma forma de expressão, em larga escala, isenta do peso das

free from the burden of Western or colonialist influence. The camera

/I

tradições artísticas coloniais ou ocidentais. A câmara permite uma

lends an immediacy to a multiplicity of fundamental art forms, such

referência estreita a formas africanas de expressão vivas, mul-

as body language, oral tradition, performance, dance and ritual. As

tiformes e fundamentais, como a linguagem do corpo, a tradição

in the case of many Western artists, the choice of video as an ar-

oral, a performance, a dança e o ritual. Assim como no caso de

tistic means had to be seen initially in terms of its independence

muitos artistas ocidentais, a escolha do vídeo como meio artísti-

from contexts of museum-type exhibitions. Since any effective in-

co teve de ser compreendida inicialmente em razão da larga in-

stitutional presentation and mediation of art history is largely alien

dependência desse meio com relação a contextos de exposições

to African culture, excepting those belonging to pre-existing colo-

em museus. Como a África praticamente desconhece a apresen-

nial structures or to a passive elite, video cameras, Internet and

tação e a mediação institucional efetiva da história e da arte fora

television present idealloci for the diffusion of various and novel

das velhas estruturas coloniais ou das elites passivas da socieda-

concepts of art and culture. Video also allows for work to be done

de, a filmadora de vídeo, a internet ou a televisão são os "luga-

collectively, away from costly and hidebound institutions for higher

res" ideais para a difusão de outras e novas concepções de arte

education (in cases where these actually do exist). Tape may be used

e cultura. O meio "vídeo" permite também trabalhar em regime

and re-used with the additional advantage of the camera in ali its

coletivo, além das escolas superiores caras e conservadoras (quan-

spontaneity and simplicity as well as its potential for experimenta-

do estas realmente existem). A fita pode ser utilizada muitas vezes

tion. The rapid circulation and exchange of international culture as

e a filmadora se presta, adicionalmente, à espontaneidade, à sim-

well as the ease of distribution are themselves premises of multi-

plicidade e ao experimentalismo. A circulação rápida, o intercâm-

faceted artistic and social efficiency. A glance through the camera

bio internacional e a facilidade de distribuição são os pressupos-

lens and at the screen often reflects a limited and therefore deeper

tos de uma eficácia artística e social multiforme. O olhar através

slice of reality, which might well alter the awareness of the subject

da câmara e para o monitor, que reproduz um recorte limitado

that is being recorded. This fresh look acts indirectly upon social

e, dessarte, freqüentemente aprofundado da "realidade", pode

and political circles and might alter the perceptions of the viewers

alterar a consciência do tema registrado. Esse "olhar novo" atua

in both African and Western cultural contexts. The direct handling

indiretamente sobre as constelações sociais e políticas das pessoas

of the medium has created the desire to transform its contents, while

e poderia, em seus países, assim como em suas respectivas culturas,

presenting them in a whole new light. There has been no shortage

alterar maneiras de ver e sensibilizar os espectadores. A manipula-

of proposals for homegrown alternatives, more in step with the age.

ção direta do meio fez nascer o desejo de uma transformação dos

It is precisely in societies that stilllack a democratic and in-

conteúdos, bem como do modo de apresentação. Não faltaram

dependent system that the search for an art that serves to mirror

propostas de alternativas próprias, mais conformes à nossa época.

current reality plays such an important role and has become a source

Justamente em sociedades que muitas vezes ainda care-

of hope. The new means of communication support the creative

cem de um sistema democrático e independente, a missão de uma

and active search for a new or regained authenticity. It says more

arte refletida desempenha um papel importante e se torna um

about modern African life in ali its cultural complexity than does a

fator de esperança. Os novos meios de comunicação apóiam a bus-

Western perspective steeped as it is folklore.

ca criativa e viva de uma autenticidade nova ou reconquistada.

[Marcel Odenbach]

Dizem mais respeito à vida africana moderna e à sua complexidade cultural do que um olhar ocidental, marcado pelo folclore. [Marcel Odenbach]

249


Mawu li Afatsiawo

Identification (still), vĂ­deo de 3:38 minutos, 1999 8ehind the Mask (still), vĂ­deo de 24:06 minutos, 1999

250


Moshekwa Langa Sperm Stain (sti lls), vĂ­deo de 2:32 minutos, 1998

251


Goddy Leye The '68 Victim (still), vĂ­deo de 2:39 minutos, 1997

252


Ingrid Mwangi Neger (detalhe), vídeo-instalação, vídeo de 5:45 minutos, 1999

253


Zwelethu Mthethwa Untitled 6 (sti ll de Crossings), fotografia em giclĂŠe sobre papel, 117,60 x 84 cm, 2001 [Cortesia lhe Goodman Gallery, Joanesburgo]

254


Papisthione Et Comment Vont les Enfants? (stills), filme preto-e-branco de 57 minutos

255


ApĂŞndices [Appendix]


Biografias dos Artistas [Artists' Biographies]

Afatsiawo, Mawuli (Gana)

Bibliografia Selecionada

1974

Apinan Poshyananda, Fresh Cream, London, Phaidon Press, 2000, pp.

Vive e trabalha em Kumasi Exposições Individuais

82-87. Apinan Poshyananda, "Roaring Tigers, Desperate Dragons in Transition

2000 The Now Generation, revista em quadrinhos, Gana

- Contemporary Art in Asia" IN: Traditions/Tensions, Asian

1999 8 Semesters, College of Art, Kumasi, Gana 1998 A Handbook of Eweland e Perspectives on Mythology, livro de

Society, New York, 1996. Astri Wright, "Red and White Refigured, Indonesian activist Artist in

ilustrações, Acra, Gana 1997 Tradtech, Univesity of Science and Technology, Kumasi, Gana

Progress", Art Asia Pacific, n. 26, 2000, pp. 60-65. Barbara Pollack, "The New Look of Feminism", Art News, September

Exposições Coletivas 2000 EXPO 2000, Pavilhão Africano, Hannover, Alemanha

2001, pp. 132-136. Dwi Marianto, "Artistic Praxis of an Indonesian Nomadic Artist" IN: cat.

1997 Panafest (Panafrikanisches Th ea terfestival), Cape Coast, Gana

exp. 2nd Asia-Pacific Trienniale, Queensland Art Gallery,

Bibliografia Selecionada

Brisbane, 1996.

Marcel Odenbach, cat. exp. B/ick Wechsel, Afrikanische Videokunst, IFA (lnstitüt für Auslandsbeziehungen), 2000.

Araujo, Gustavo (Panamá) Cidade do Panamá, 1965

Arahmaiani (Indonésia)

Vive e trabalha na Cidade do Panamá

Bandung, 1961

Exposições Individuais

Vive e trabalha em Bandung

2000 Para Desarmar el Tiempo, Sede de la Organización de Estados

Exposições Individuais 1999 Dayang Sumbi Refuses Status Quo, CCF Bandung, Indonésia

Americanos, Washington, D.e., Estados Unidos 1999 Tan Cerca, Tan Lejos, Galería dei Instituto Nacional de Cultura,

Rape & Rob, Millennium Gallery, Jacarta, Indonésia

Panamá

1994 Sex, Religion, and Coca-Cola, Oncor Studio, Jacarta, Indonésia

Exposições Coletivas

1992 From Pieces to Become One - Homage to Joseph Beuys, AKI,

2001

Intrusiones Urbanas en el Arte Joven Panamefío, Centro Cultural

Enschede, Holanda

Convenio Andrés Bello de Bogotá, Colombia

1987 My Dig is Dead and then He Flew, CCF Bandung, Indonésia

Secreciones, Galería Jacobo Carpio, San José, Costa Rica

Exposições Coletivas

Arquetipos, Museo de Arte y Diseno Contemporáneo de San

2000 Biennale de Lyon, Lyon, França 1998 Cities on the Move, Museum of Contemporary Art, Vienna

José, Costa Rica 2000 Fotoseptiembre, Museo de Arte Contemporáneo, Panamá

Secession, Áustria; Musée pour I' Art Contemporain, Bordeaux,

Bibliografia Selecionada

França; P.S.I., Nova Iorque, EUA; Losiana Museum of

Kupfer, Monica, De Realidades y Ausencias. Tres Artistas de Panamá, VII

Contemporary Art, Copenhagen, Dinamarca; Hayward Gallery, Londres, Grã-Bretanha 1997 VI Havana Biennale, Wilfredo Lam Center, Havana, Cuba

Bienal de Cuenca,2001. Samos, Adrienne, Para Desarmar el Tiempo, Panamá, 2000. Samos, Adrienne, "Arte Panameno de los 90" IN: Kevin Power (ed.),

1996 Traditions/Tensions Contemporary Art from Asia, Asian Society

Políticas de la Diferencia, Generalitat Valenciana, 2001.

Gallery, Nova Iorque, EUA; Vancouver Museum of Contemporary Art, Canadá; Museum of Contemporary Art,

Art Center Metelkova Mesto (Eslovênia)

Western Australia; Museum of Contemporary Art, Taipé,

Artistas

Taiwan

Borut Korosec, Robert Ograjensek, Bostjan Drinovec, Tobias Putrih, Ziga

2nd Asia-Pacific Trienniale, Queensland Art Gallery, Brisbane, Austrália

258

Kariz, K\Luka Drinovec, Matej Bizovicar, Bostjan Novak, Damjan Kocjancic, Marko Kovacic, Jiri Kocica, Ziga Okorn, Streepcore, Ilija


Terrah, Joze Barsi, Miran Pesic, Dejan-Uros Sujdovic, Axt und Kelle, Ursa

1993 Galerie Ingrid Dacic, Tübingen, Alemanha

Toman, Edvin Dobrilovic, Karmen Jazbec, Gorazd Krnc, Urska Nina Cigler,

1989 Galerija suvremene umjetnosti, Zagreb, Croácia

Martina Kikelj, Goran Medjugorac, Barbara Abram, Bostjan Franc

1988 Salon Muzeja savremene umetnosti, Belgrado, Iugoslávia

Augustin, Mirc Matek, Matic Golja, Andrej Morovic, Mojca Ogrizek,

Exposições Coletivas

Gregor Lorenci, Marica Grintal, Viktor Bitenc, Rok, Sieberer Kuri

2000 Aspekte/Positionen, 50 Jahre Kunst aus Mitteleuropa 1949-1999,

Grupos Sociais

Museum Moderner Kunst Stiftung Ludvig Wien, Viena, Áustria

Galerija Alkatraz, Teater Gromki, Dejmo stisnt teater, Lubadar, Gej in

1998 Matiere en Émoi, Centre Gildo Pastor, Mônaco

Lezbicna sekcija SKUC, Yhd-drustvo za teorijo in kulturo hendikepa,

1990 Aperto, 44 a Biennale Internazionale di Venezia, Veneza, Itália

DZAC -drustvo za zascito ateisticnih custev, Drustvo Kapa, Deca debilane,

1990 The Ready Made Boomerang, VIII Biennale of Sydney, Sidney,

Eroticni, Pulz, KUD Channel Zero, Mizzart, Skirocore, KUD Mreza,

Austrália

Skratova citalnica, Urad za intervencije, Sestava

1989 Metaphysical Visions - Middle Europe, Artists Space, Nova

Atelier van lieshout (Holanda)

Bibliografia Selecionada

Iorque, EUA Joep van Lieshout

Branka Arsic, Dictionary, 8elgrade, Dental/Dragan Djokovic, 1995.

Ravenstein, 1963

Henri-François Debailleux, Mrdjan Bajic, Saint-Fons, Centre d'Arts

Vive e trabalha em Roterdã Exposições Individuais 2001

Plastiques, 1996. Lidija Merenik, "Mrdjan Bajic" IN: Metaphysical Vision - Middle East

PS 1, Nova Iorque, EUA

Europe, Artists Writings and Supplementary Texts, New York,

Walker Art Center, Minneapolis, EUA 2000 Galerie Fons Welters, Amsterdã, Holanda

Artists Space, 1989. Michel Nuridsany, "Les Métamorphoses de Mrdjan Bajic", Le Figaro, 23

1999 Museum für Gegenwartskunst, Zurique, Suíça 1997 Museum Boijmans van Beuningen, Roterdã, Holanda

mars 1996. Renato Barilli, "Towards Cold Baroque" IN: cat. exp. 44 a Biennale

Exposições Coletivas 2001

Internazionale di Venezia, Milano, Fratelli Fabbri Editore, 1990.

Sonsbeek 9: Locus/Focus, Arnhem, Holanda 49 a Biennale Internazionale di Venezia, Veneza, Itália

Belli, Patricia (Nicarágua)

2000 LKW, Kunsthaus Bregenz, Suíça

Manágua, 1964

1999 Le Fou Dedoublé, Moscou, Rússia

Vive e trabalha em Manágua

1998 Artranspennine 98, The Henry Moore Institute, Leeds, GrãBretanha

Exposições Individuais 2001

Bibliografia Selecionada Joep van Lieshout, Bart Lootsma, Piet de Jonge, Atelier van Lieshout, A

Francisco, EUA 2000 Mufiecas de Trapo, Galería Diego Rivera, Art Institute of San

Manual, Kalnischer Kunstverein, Cologne (Germ.); Museum Boijmans van Beuningen, Rotterdam (NL), 1997 P.J. Hoefnagels, M.J. Noordervliet, B.O. Lootsma, BelBin Associates, Atelier van Lieshout, The Good, The Bad, The Ugly (Eng./Germ./

Parejas de Carne, Galería Diego Rivera, Art Institute of San

Francisco, EUA 1999 Obras, Museo Nacional, Manágua, Nicarágua 1997 Punciones, Museo Nacional, Manágua, Nicarágua 1996 Veios y Cicatrices, Galería Epikentro, Manágua, Nicarágua

Fr. ed.), NAI Publishers, Rotterdam (NL); Atelier van Lieshout,

Exposições Coletivas

Rotterdam (NL), 1998.

2001

Jennifer Allen, Rudi Fuchs, Atelier van Lieshout, Schwarzes und graues Wasser (Germ./Eng. ed.), Bawag Foundation, Vienna (Austria), 2001. Jennifer Allen, "Up the Organization: Atelier van Lieshout, Jennifer Allen talks with Joep van Lieshout", Artforum, April 2001, p. 104111. M. Milgrom, Target: AVL, Metropolis (NL); Utrecht (NL), May 2000.

III Bienal de Artes Visuales Ortiz Gurdián, Fundación Ortiz Gurdián, Manágua, Nicarágua Arquetipos, Museo de Arte y Diseiio Contemporáneo de Costa Rica, San José, Costa Rica

2000 VII Bienal de La Habana, Centro Wifredo Lam, Havana, Cuba II Bienal Centroamericana de Pintura, San José, Costa Rica 1999 Arte Contemporâneo de Centro América, Taipei Museum of Fine Arts, Taipei, Taiwan 1997 Feria de Arte ARCO, Madri, Espanha

Bajic, Mrdjan (Iugoslávia) Belgrado, 1957

Beykal, Canan (Turquia)

Vive e trabalha em Belgrado

Merzifon, 1948

Exposições Individuais

Vive e trabalha em Istambul

2001

Exposições Individuais

Yugomuzej, CZKD, Belgrado, Iugoslávia

1996 Galerie Rabouan-Moussion, Paris, França

1997 Ataturk Cultural Center, Istambul, Turquia

259


1995 Kare Gallery, Istambul, Turquia

Exposições Coletivas 2001

Santiye Gallery, Izmir, Turquia

1981

State Fine Arts Gallery, Istambul, Turquia

1999 After The Wall, Moderna Museet, Estocolmo, Suécia Regards sur Ukraine, Passage du Retz, Paris, França

Exposições Coletivas 2001

New Collection, Moscow House of Photography, Moscou, Rússia

2000 Dreamcatcher, Videofestival, Kiev, Ucrânia

1994 Ataturk Library, Istambul, Turquia

Tirana Biennale, Albânia

Bibliografia Selecionada

Frauen Museum, Bonn, Alemanha

Cat. exp. Alchemic Surrender, Soros Center for Contemporary Art in Ukraine, Kiev, 1998.

Kommunale Galerie, Berlim, Alemanha 1999 Kunst Pavillon, Munique, Alemanha

Cat. exp. Public Domain, 3. Osterreichische Triennale zur Fotografie, Graz, Austria, 2000.

1998 Aula Carolina, Aachen, Alemanha

Bibliografia Selecionada

Irina Tchmyreva, Imago #11,2001, Bratislava, Slovakia, 2001.

Ali Akay, "Utopias of Art", Milliyet Sanat, Istambul, 1998. Nancy Atakan, "Explorations in Art", Yky, Istambul, 1998.

Bruzzone, Dino (Argentina)

Ahu Antmen, "There was a Little Lion", Cumhuriyet, Istambul, 1997.

Paraná, província de Entre Rios, 1965

Beral Madra, "Art-Techne", Arrademento, Istambul, 1992.

Vive e trabalha em Buenos Aires

Nilgün Ozayten, "Canan Beykal", And Magazine, Londres, 1991.

Exposições Individuais 2000 Obras Recientes, KravetslWehby Gallery, Nova Iorque, EUA 1998 Instituto de Cooperación Iberoamericana (I.CI.), Buenos Aires,

Bowen, Edward (Trinidad e Tobago) Exposições Individuais

Argentina

1997 Edward Bowen Paintings Drawings 1985-1997, Gallery 1234

1997 Alliance Française, Buenos Aires, Santa Fé, Bahía Blanca, Córdoba

e Mar dei Plata, Argentina

hosted by Caribbean Contemporary Arts, 5t. Ann's, Trinidad Small Works 1993-1997, Art Creators, Port of Spain, Trinidad 1996 Four Contemporary Artists from Trinidad, Trinidad Art Society,

Exposições Coletivas 2000 Feria de Arte ARCO, Madri, Espanha 1999 48 a Biennale Internazionale di Venezia, Veneza, Itália

Port of Spain, Trinidad

Otra Fotografía, Galería Ruth Benzacar, Buenos Aires, Argentina

1994 The Architect of Impossible Physics, Frevd's, London, United Kingdom

1995 Instalação Envolturas na exposição 70-80-90, Museo Nacional de

Exposições Coletivas 2001

Bellas Artes, Buenos Aires, Argentina

Politicas de la Diferencia, Recife, Brazil

1994 Prêmio Braque de Pintura, Fundación Banco Patricios, Buenos

1994 III Santo Domingo Biennial, Museo de Arte Moderno, Santo

Aires, Argentina

Domingo, Dominican Republic

1992

Caribbean Art Today, Documenta Hall, Kassel, Germany

Carranza Mora, Andres (Costa Rica)

Un Noveau Regard sur Les Caraibes, France, Guadeloupe and

San José, 1975

Trinidad

Vive e trabalha em San José

1989 7 Trinidad Artists, Ifa Gallery, Bonn, Germany

Exposições Coletivas

Bibliografia Selecionada

2001

Vídeo-instalação na Exposición de Arquitectura y Diseno Casa y

2000

Bienal dei Istmo Centroamericano, San José, Costa Rica

Cozier,

c.,

"Outside the Boundaries of Relevance, Bowen's Wizards of

the Forest", Trinidad Guardian, 1991. Dr. Ulric Fiedler & Bowen, E., Cozier,

c.,

Ouditt, S., Shaw, 1., Four

Oficina, San José, Costa Rica

1999 La Naturaleza Muerta Vista Através de los Objetos, Galería

Contemporary Trinidad Artists, Port of Spain, 1996.

Nacional, Centro Costarricense de Ciencia y Cultura, San José,

Bowen, E., Small Axe, The Pyramid Series, New York, 2000.

Costa Rica 1999 IV Bienal Nacional de Escultura, San José, Costa Rica

Bratkov, Sergey (Rússia)

1997 III Bienal Nacional de Escultura, Cervecería Costa Rica, Galería

Rússia, 1960

Nacional, Centro Costarricense de Ciencia y Cultura, San José,

Vive e trabalha em Moscou

Costa Rica

Exposições Individuais 2001

Men and Woman, Milwaukee Center of Contemporary Art, Milwaukee, EUA

Chang, Chien-Chi (Taipei Fine Arts Museum, Taiwan) Taichung, 1961

2000 Kids, Regina Gallery, Moscou, Rússia

Vive e trabalha em Taipei

1999 Alien, German Embassy, Kiev, Ucrânia

Exposições Jndividuais

1996 There is no Paradise, MIXt Gallery, Kiev, Ucrânia

2001

1995 In the Haystack, BrotFabrik, Berlim, Alemanha

1994 Made in China, Southstreet Seaport Museum, Nova Iorque

260

The Chain, Taipei Fine Arts Museum, Taiwan


Exposições Coletivas

Exposições Coletivas

2001

a

Living Cel!, 49 Biennale Internazionale di Venezia, Veneza, Itália

2000 Magnum - Our Tuming World, Barbican Centre, Londres

1999 Kunstverein, Colônia, Alemanha 1997 48 a Biennale Internazionale di Venezia, Veneza, Itália Projeto Innenseite, Documenta X, Kassel, Alemanha

1999 The Pursuit of Happiness, A Global Documentary on Human Rights, Alternative Museum, Nova Iorque 1992 Small Town USA, International Center of Photography, Nova Iorque Bibliografia Selecionada

1996 Bienal Internacional de Esbjerg, Dinamarca 1994 Bienal Internacional de Pintura, Cuenca, Equador Bibliografia Selecionada Edwin Madrid, La Noche dei Poeta, Ministerio de Educación y Cultura, 1996.

Cheryl Lai, "I Do, I Do, I Do", Premier Foundation, Taiwan, 2001. Claudia Doling, The Chain: Photographs by Chien-Chi Chang, Taipei Fine Arts Museum, Taiwan, 2001.

Jan Barbian, René Colecta Magritte, Treves, 1988. Joachim Hempel, Espejo de Otras Culturas, Joachim Hempel, 1990.

Abigail Foerstner, "The W. Eugene Smith Grant in Humanistic Photography: Chien-Chi Chang", Camera Arts, 2000. Patricia Brown, "Chien-Chi Chang's Cultural Journey", Photo District

News, 1999. Kent Kobersteen, "Chien-Chi Chang", Photographers Intemational, 1998.

Cruz-Diez, Carlos (Venezuela) Caracas, 1923 Vive e trabalha em Caracas Exposições Individuais

1998 Retrospectiva 1954-1998, Museo de Arte Moderno Jesús Soto, Ciudad Bolívar, Venezuela

Chern, Hong Sek (Cingapura)

1986 Convidado Especial, Biennale Internazionale di Venezia, Veneza, Itália

Cingapura, 1967 Vive e trabalha em Cingapura

1970 35 a Biennale Internazionale di Venezia, Pavilhão da Venezuela, Veneza, Itália

Exposições Individuais

2000 Modem Monuments, Telok Kurau Studios Gallery, Cingapura

1966 Signals Gallery, Londres, Grã-Bretanha

Exposições Coletivas

1956 Galería Buchholz, Madri, Espanha

2000

Exposições Coletivas

15th Asian International Arts Exhibition, Taiwan Country Cultural Affairs Bureau, Taipei, Taiwan

1993 Latin American Art of the Twentieth Century, Kunsthalle, Colônia, Alemanha

1999 Asian International Arts Exhibition, Fukuoka Art Museum, Japão 1998 Philip Morris Group Companies ASEAN Art Awards 98, Opera

1985 Forty Years of Modem Art 1945-1985, Tate Gallery, Londres, GrãBretanha

House, Hanoi, Vietnã 1997 9 Men Show, Goldsmith College, Londres, Grã-Bretanha

1967

9a

1996 7th International Biennial Print and Drawing Exhibit 1995 ROC,

1961

Le Mouvement, Stedelijk Museum, Amsterdã, Holanda

Taipei Fine Arts Museum, Taipei, Taiwan

Bienal de São Paulo, São Paulo, Brasil

1953 2a Bienal de São Paulo, São Paulo, Brasil

Bibliografia Selecionada Ahmad Mashadi, Lindy Poh & Salleh Japar (eds.), The President's Young

Talents Exhibition, Singapore, Singapore Art Museum, 2001. Philip Morris Group Companies, Philip Morris Group Companies ASEAN

Cruzvillegas, Abraham (México) Exposições Individuais

2001

Abraham Cruzvillegas, MUCA, Cidade do México, México EI Curriculum Oculto, La Esmeralda, Cidade do México, México

Art Awards 1998, Singapore, PMGC, 1998.

EI Silencio de la Borregada, Cholula, México Chinzima, Pitso (África do Sul)

1997 Indio, Galería Art & Idea, Cidade do México, México

Diepkloof, 1972

1990 Recie/aje, Galería dei Departamento, Cidade do México, México

Vive e trabalha em Johannesburgo

Exposições Coletivas

2001 Cholango, Manuel Amaru (Equador) Quinchucajas, 1951 Vive e trabalha no Equador e na Alemanha Exposições Individuais 1998 BBK, Berufsverband bildender Künstler, Colônia, Alemanha

Escultura Mexicana - De la Academia a la Instalación, Palacio de Bellas Artes, Cidade do México, México

Actos de Fé - Imagenes Transfiguradas, Laboratorio Arte Alameda, Cidade do México, México

Mutations - La Video Mexicaine Actuelle, Palais des Arts, Toulouse; Iconoscope, Montpellier, França

1994 Casa de la Cultura, Quito, Equador Museo Municipal de Guayaquil, Equador

Cuenca, Rogelio López (Espanha)

1990 Überseemuseum, Bremen, Alemanha

Málaga, 1959

1984 Galerie Cimaise Ventadour, Paris, França

Vive e trabalha em Málaga

261


Exposições Individuais 2001

1997 Wounds: Between Democracy and Redemption in Contemporary

EI Paraíso es de los Extraflos, Galería Juana de Aizpuru, Madri, Espanha

1997 Read & Made, Contemporary Art Museum, University of South

Art, Moderna Museet, Stockholm, Sweden

Bibliografia Selecionada Daniel Jewesbury, "Walter's Garage (A Set of Tools)" IN: How /t Was,

Florida, Tampa, EUA 1990 Do Not Cross the Art Scene, Kunsthalle Basel, Basiléia, Suíça

Ormeau Baths Gallery, Belfast, 2001. Katrina Brown, Wíllie Doherty, text for Trauma, Hayward Gallery,

1990 Real Zone, Marta Cervera Gallery, Nova Iorque, EUA 1990 Powertry, Graeme Murray Gallery, Edimburgo, Escócia

London, 2001. Hans-Joachim Neubauer, "Die Katze Der Geschichte: Willie Doherty

Exposições Coletivas 2001

Berliner Fotos" IN: Extracts from a File, DAAD/Berliner

Ofelias y Ulises, 49 a Biennale Internazionale di Venezia, Veneza, Itália

Künstlerprogramm und Steidl Verlag, Góttingen, 2000. lan Hunt, "Familiar and Unknowable: Works by Willie Doherty" IN: Willie

1996 Manifesta 1, Maritim Museum, Roterdã, Holanda 1995 Black Looks, White Myths, I Africus Biennale, Joanesburgo, África

Doherty: Somewhere Else, Tate Gallery, Liverpool, 1998. Martin McLoone, "The Commitments", "What Kind of Peace"; Jeffrey Kastner, "Nothing Personal" IN: Willie Doherty: Same Old Story,

do Sul

Die Rote Burg, Haus der Kulturen der Welt, Berlim, Alemanha

Matt's Gallery, London, The Orchard Gallery, Derry, and firstsite,

1994 Cocído y Crudo, Centro de Arte Reina Sofía, Madri, Espanha

Colchester, 1998.

Bibliografia Selecionada Bernstein, Charles. "Rogelio López Cuenca and the Ordinary".

M.E.A.N./.N.G. Magazine # 13. New York, 1995. Cameron, Dan. "Signs and Wonders: R.L.Cs Postmodern Semantics".

Arts Magazine. New York; November 1990.

Douglas, Stan (Canadá) Vancouver, 1960 Vive e trabalha em Vancouver

Exposições Individuais

Kellein, Thomas. Leben im Quartier Tatlin. Zur Kunst von R. L. Cuenca.

2001

Catalogue "Do Not Cross the Art Scene". Kunsthalle Basel. Basel, 1990.

2000 Le Detroit, Art Institute of Chicago, Chicago, EUA

Pujals Gesalí, Esteban. "La Tela dei Juicio: Las Artes de R. L. Cuenca.

Revista de Occídente # 129. Madrid, febrero 1992.

1998 Detroit Photos, David Zwirner, Nova Iorque, EUA 1995 Stan Douglas Monodramas, Neueraachenerkunstverein, Aachen,

Torres, Francesc. "Conversación con Rogelio López Cuenca". Lápiz # 100. Madrid, febrero 1994.

Stan Douglas, David Zwirner, Nova Iorque, EUA

Alemanha

1994 Stan Douglas, Musée National d' Art Moderne (Centre Georges Pompidou), Paris, França

Doherty, Willie (Grã-Bretanha)

Exposições Coletivas

Derry, Irlanda do Norte, 1959

2001

Vive e trabalha em Derry

2000 Between Cinema and a Hard Place, Tate Modern, Londres, Grã-

Exposições Individuais 2001

Wíllie Doherty: Double Take, Ormeau Baths Gallery, Belfast, Northern Ireland

2000 Extracts from a File, Daadgalerie, Berlin; Gesellschaft für Aktuelle Kunst, Bremen, Germany

1999 True Nature, Renaissance Society at the University of Chicago, Chicago, USA

Dark Stains, Koldo Mitexelena Kulturunea, San Sebastian, Spain 1998 Willie Doherty: Somewhere Else, Tate Gallery, Liverpool, England

Exposições Coletivas 2001

Double Vision, Galerie für Zeitgenóssische Kunst, Leipzig, Germany

Trauma, National Touring Exhibition organized by the Hayward Gallery, London; Dundee Contemporary Arts; firstsite, Colchester; Museum of Modern Art, Oxford

2000 Hitchcock and Art: Fatal Coincídences, Musée des Beaux-Arts de

49 a Biennale Internazionale di Venezia, Veneza, Itália

Bretanha 1999 Liverpool Biennial of Contemporary Art, Liverpool, Grã-Bretanha 1998 Berlin Biennale, Berlim, Alemanha 1997 Documenta X, Kassel, Alemanha

Bibliografia Selecionada Daina Augaitis, George Wagner & William Wood, Stan Douglas, Vancouver, Vancouver Art Gallery, 1999. Daniel Bimbaum, "Daily Double: The Art of Stan Douglas", Artforum, January 2000, pp. 90-95. Diana Thater, Scott Waltson & Carol J. Clover, Stan Douglas, London, Phaidon Press, 1998. Noemi Smolik, "Stan Douglas", Kunstforum /nternational, FebruaryMarch 1997, pp. 404-405. Stan Douglas, "Television Talk" IN: Gabriele Detterer (ed.), Art

Recollection: Artists' /nterviews and Statements in the Nineties, Danilo Montanari & Exit & Zona Archives Edition, 1997.

Montreal, Montreal, Canada

1999 Carnegie /nternational 99/00, Carnegie Museum of Art, Pittsburgh, USA

Eid, Abd EI Saiam (Egito) Alexandria, 1943 Vive e trabalha em Alexandria

262


Exposições Individuais

2000 Democracy, Royal College of Art Galleries, Londres, Grã-Bretanha

1996 Le Centre Francis d'Alexandria, Cairo, Egito Rochan Gallery, Jeddah, Arábia Saudita

Dak'Art Biennale of Dakar, Dakar, Senegal 1998 Do Ali Oceans Have Walls?, Geshellschaft für Aktuelle Kunst,

1994 Saudi Art Center, Jeddah, Arábia Saudita

Bremen, Alemanha

1993 Art Gallery, Jeddah, Arábia Saudita

1997 Letter and Event, Apex Art, Nova Iorque, EUA

1992 Accademia d'Egitto a Roma, Roma, Itália

Bibliografia Selecionada

Exposições Coletivas

David Elliot, "Annika Eriksson" IN: cat. exp. Organising Freedom,

1991

Cairo International Biennale, Cairo, Egito

1989 Havana International Biennale, Havana, Cuba 1987

Moderna Museet, Stockholm, 2000. Karl Holmqvist, "Tools for Contacting the Unknown ... One-Two, Helio?",

17 a Bienal de São Paulo, São Paulo, Brasil

1984 Biennale Internazionale di Venezia, Veneza; Itália

SIKSI, n. 4, Helsinki, 1996. Iwona Blazwick, "Conversation with Annika Eriksson" IN: cat. exp.

1979 International Festival for Painting, Cannes, França

Collectors, Moderna Museet Projekt, Stockholm, 1998.

Bibliografia Selecionada

Maria Lind, "Annika Eriksson", Fresh Cream, London, Phaidon, 2000.

Cat. exp. Abd EI Saiam Eid, Jeddah, Saudi Art Center, 1994.

Mats Stjernstedt, "This Moment and These People" IN: cat. exp. Retake, NAK Neuer Aachener Kunstverein, Aachen, 2001.

Elmgreen, Michael/Dragset, Ingar (Dinamarca) Copenhagem, 1961 ffronheim, Noruega, 1969

Faktor, Ivan (Croácia)

Vivem e trabalham em Berlim

Crnac, 1953

Exposições Individuais

Vive e trabalha em Osijek

2001

Taking Place, Kun$thalle, Zurique, Suíça

Exposições Individuais

Powerless Structures, Fig. 111, Portikus, Frankfurt, Alemanha

2001

2000 Zwischen anderen Ereignissen, Galerie für Zeitgenossische Kunst, Leipzig, Alemanha

Gallery "Art Aorta", Chisinau

1999 Modern Art Gallery, Studio Josip Racic, Zagreb 1995 Art Gallery Osijek

1999 Galleri Nicolai Wallner, Copenhagem, Dinamarca

1994 Museum of Contemporary Art, project Room, Zagreb

1998 Powerless Structures, Fig. 45, Reykjavik Art Museum; Galleri i8,

1993 The Old Buli Gallery, London

Reykjavik, Islândia

1983 SKUC Gallery, Ljubljana

Exposições Coletivas

Exposições Coletivas

2001

1998 Millennium Film Workshop, New York, EUA

Egofugal, 7th Internationallstanbul Biennial, Istambul, Turquia

2000 Manifesta 3, European Biennial of Contemporary Art, Ljubljana

1996 Sonambiente, Brand, Berlin, Alemanha

1998 Berlin/Berlin, 1st Berlin Biennial, Berlim, Alemanha

1995 A Casa/At Home, Biennale Internazionale di Venezia, Veneza,

Bibliografia Selecionada Jens Hoffmann, "Small Twists - Bigger Splashes", Trans n. 9/10, Nova Iorque, 2001. Alison Gingeras, "Querring the Cube", Hugo Boss Prize 2000, Guggenheim, Nova Iorque, 2000.

Itália

1994 TRIPLE X, Corridor, Amsterdam, Holanda 1983 Festival International de Jeune Cinema, Hyeres Bibliografia Selecionada Dimitrije Basicevic, "Magija i eksperiment", Studentski list n. 775,

Lars Bang Larsen, "White Out", Frieze n. 53, Londres, 2000.

Zagreb, 1980.

Bill Arning, "Powerless Structures", Honcho, Agosto, Nova lorqúe, 1999.

Vlastimir Kusik, "Ivan Faktor", Zivot umjetnosti n. 33/34, Zagreb, 1982.

Hans Obrist, Olsen Ulirch, Kofod Sanne & Mark Kremer, IN: cat. exp.

Hrvoje Turkovic, "Radoznali minimalizam Ivana Faktora", in the catalogue Ivan Faktor: Film ovi, Zagreb, 1984.

"Powerless Structures", Reykjavik, 1998.

Ronald Berg, "Bomben, Blut und Ballermanner", Der Tages Spiegl,

Eriksson, Annika (Suécia) Malmb, 1956

Berlin, 17.08.1996. Delimir Resicki, "Ivan Faktor", Quorum n. 6, Zagreb, 1996.

Vive e trabalha em Estocolmo Exposições Individuais

2001

Staff at Malmó Museum, Malmb Konstmuseum, Malmb, Suécia

Famous Five/Liga Marcinkevica (Letônia) Skrunda, 1975

1998 Collectors, Moderna Museet Projekt, Estocolmo, Suécia

Vive e trabalha em Riga

1996 Stockholm Postmen's Orchestra, Andréhn Schiptjenko, Estocolmo

Exposições Selecionadas

Exposições Coletivas

2001

Pop-Puve, F5 videoarte digital e instalações, Riga, Letônia

2001

2000

Loop, F5 videoarte digital e instalações, Riga, Letônia

Everything Can Be Different, ICI, Independent Curators International, Nova Iorque, EUA VI International Communities, Rooseum, Malmb, Suécia

1999 F5-de Lux, Liepaja, Letônia 1999 FET, F5 videoarte digital e instalações, Riga, Letônia

263


1998 Bipolar Screen, F5-DMD projeto de apresentação de vídeo no

Gruenberg, Philippe/Hare, Pablo (Peru)

New Media Art Festival, Art+ Communications 3 Exchange

1972/1972

Unlimited, abertura em Riga, Letônia

Vivem e trabalham em Lima

Bibliografia Selecionada

Exposições

Helena Demakova, "The Expansion of the Nations of Art in Latvia with

2001

Regard to the Social and Political Changes of the 1990s", The

Continuación de la Ciudad I, Centro Cultural de Espana, Lima Peru

Baltic Times, Croatia, 2001.

Peru: Resistencias, Casa de América, Madri, Espanha Artistas Peruanos en la Cumbre Iberoamericana, Club Empresarial,

leva Auzina, IN: cat. exp. Loops of the Loops, Latvia, 2001. leva Auzina, IN: cat. exp. Fet//Fet, Latvia, 1999.

Lima, Peru

leva Kalnina, "Fascination of the Loop", Studija, Latvia, n. 5 (14), 2000.

Bibliografia Selecionada

Mara Traumane, "Anti-Advertising ArtlNU", The Nordic Art Review, vol.

Cat. exp. Peru: Resistencias, Madri, Casa de América, 2001.

11, n. 3-4, 2000.

Gygi, Fabrice (Suíça) Geiger, Rupprecht (Alemanha)

Genebra, 1965

Munique, 1908

Vive e trabalha em Genebra

Vive e trabalha em Munique

Exposições Individuais

Exposições Individuais

2001

1998 Kunstbau-Lenbachhaus, München

Cabinet des Estampes du Musée d'Art et d'Histoire, Geneva Büro Friedrich, Berlin

1995 Russisches Museum, St. Petersburg

Swiss Institute Contemporary Art, New York

1986 Seiji Togo Kunstmuseum, Tokyo

2000 Le Magasin, Centre National d'Art Contemporain, Grenoble

1978 Stadtische Galerie im Lenbachhaus, München

Exposições Coletivas

1967 Kestner-Gesellschaft, Hannover

2001

1957 Galerie Schmela, Düsseldorf

2000 XnOO: Hétérotopies, Espace des Arts, Chalon-sur-Saône

Exposições Coletivas 1997 Magie der Zahl in der Kunst des 20. Jahrhunderts, Staatsgalerie Stuttgart

Over the Edges, Stedelijk Museum voor Actuele Kunst, Gent 1999 Power, Galerie für Zeitgenossische Kunst, Leipzig, Alemanha 1998 The Edge of Awareness, Organisation Mondiale de la Santé,

1988 Stationen der Moderne, Berlinische Galerie im Gropiusbau, Berlin 1959 Documenta 11, Kassel (Documenta 111, 1964; Documenta IV, 1968; Documenta VI, 1977)

Frankfurter Kunstverein, Frankfurt, Alemanha

Geneva; PS 1 Contemporary Art Center, Nova Iorque Bibliografia Selecionada Fabrice Gygi: Self-Tatoos, Cabinet des Estampes du Musée d'Art et

German Artists Today, 5a Bienal de São Paulo, São Paulo

d'Histoire, Geneva, 2001.

1948 Réalités Nouvelles 1948, Salon des Réalités Nouvelles, Paris

"Fabrice Gygi", Le Magasin, Grenoble, 2000.

Bibliografia Selecionada

Lionel Bovier & Mai-Thu Perret (eds.), Hétérotopies/Heterotopias, JRP

Rupprecht Geiger; Farbe ist Element, Concept Verlag, Düsseldorf, 1975. Helmut Friedel, Rupprecht Geiger, Gemalde und Zeichnungen, Lenbachhaus München, 1978.

Editions, Geneva, 2000. Over the Edges, Stedelijk Museum voor Actuele Kunst, Gent, 2000. "Fabrice Gygi: 6th Biennale of Cairo", Swiss Federal Office of Culture,

Peter-Klaus Schuster, Rupprecht Geiger, Prestei Verlag, München, 1988.

Bern, 1996.

Ernst-Gerhard Güse, Geiger; Zeichnung aIs Licht, Bruckmann, München, 1990. Petra Giloy-Hirtz, Rupprecht Geiger, Cantz Verlag, Stuttgart, 1994.

Hadjigeorghiou, Yioula (Chipre) Paphos, 1968 Vive e trabalha em Atenas, Grécia

Gosov, Marran (Bulgária)

Exposições Individuais

Sofia, 1933

2001

Vive e trabalha em Sofia e Munique, Alemanha

Gallery Alekton, Atenas, Grécia Art Athina, Atenas, Grécia

Marran Gosov trabalha como compositor, roteirista, diretor, poeta,

Exposições Coletivas

romancista e artista de vídeo na Alemanha e na Bulgária. Suas várias

2000 Route 49, Visuallntervention, Atenas, Grécia

atividades já foram apresentadas em inúmeras edições. O artista tem envolvimento com videoarte desde os anos 70 na Alemanha, quando trabalhou com Joseph Beuys. Seu trabalho foi mostrado durante o Festival Underground de Sofia em junho de 2000.

EKO Festival, National Garden, Atenas, Grécia 1998 Future Park, Amsterdã, Holanda International Festival of Art and Technology, lIeana Tounta Gallery, Atenas, Grécia Extrajudicial (instalação), Zaimi Gallery, Atenas, Grécia

264


Bibliografia Selecionada

Hou Hanru, "Towards an Un-Unotticial Art: De-Ideologicalisation of

Lina Tsikouta, "Intended Traps in a Watery Environment" IN: Traps, Athens, 2001.

China's Contemporary Art in the '90s", Third Text, n. 34, 1996. Johan Pijanppel, "Yin Bi: Screen" IN: World Wide Video Festival, Amsterdam, 2000.

Hipkins, Gavin (Nova Zelândia) Exposições Individuais

2001

Juhasz-Alvarado, Charles (Porto Rico)

The Homely, City Gallery, Wellington, New Zealand

Clark Air Base, Filipinas, 1965

The Stall, Waikato Museum of Art and History, Hamilton, New

Vive e trabalha em San Juan

Zealand

The Gulf, Hamish McKay Gallery, Wellington, New Zealand 2000

The Habitat, Artspace, Auckland, New Zealand

1999

The Pack, Artspace, Sydney, Australia

Exposições Individuais

2001

Califórnia

Constructions, Liga de Estudiantes de Arte de San Juan, San

Exposições Coletivas 2002

+64, Kunstlerhaus Bethanien, Berlin, Germany

Juan, Porto Rico

1999 Tu-tran. Espai 13, Fundación Miró, Barcelona, Espanha

How Extraordinary That the World Exists, California College of Arts and Crafts, San Francisco, EUA

E= cm2. Tal/er Boricua, Nova Iorque 1998 Punto de FugalVanishing point A+B, Museo de Arte em Ponce,

2000 Flight Patterns, Museum of Contemporary Art, Los Angeles, USA

Arte 2000, Palazzo Re Rebaudengo, Guarene d'Alba, Italy 1998 Every Day: Eleventh Biennale of Sydney, Museum of

Ponce, Porto Rico Exposições Coletivas

2001

2000 Ambiguo. Interferencia Cultural #7, Fortaleza 202, San Juan

Christine Frisinghelli, BLlNK, London, Phaidon Press, 2002.

Puerto Rico Hoy, Instituto de América Santa Fé, Granada,

Cornelia Butler, Flight Patterns, Museum of Contemporary Art, Los Angeles, 2000.

Espanha

1999 Canal de la Mona/Zona de Turbulencia, Heterotopías, Project-

Anna Miles, "Auckland Review: Gavin Hipkins, Artspace", Artforum

International, Vol XXXVIII, n. 10, New York, Summer 2000. Robert Leonard, The Guide, Art and Text, n. 65, Sydney, 1999.

room at Interarte Bibliografia Selecionada Debora Cullen, "Against Architectures", publicação para a exposição

Giovanni Intra, Photogenic. Signs of the Times: Sampling New Directions

in New Zealand Art, City Gallery, Wellington, 1997.

Políticas de la Diferencia, exposição itinerante para o Brasil Here and There/Aquí y Aliá, Museo dei Barrio, Nova Iorque

Contemporary Art, Sydney, Australia Bibliografia Selecionada

Recent Sculptures. Intersection for the Arts, San Francisco,

Here and There, Nova Iorque, 2001. Holland Cotter, "Tourists. Jungle Sprites and the Logic of Dreams on Fantasy Island", caderno "Art and Leisure", The New York

Jian Wei, Wang (China) Província de Sichuan, 1958

Times, March 9, 2001. Laura Roulet, Contemporary Puerto Rican Installation Art, Editorial de la

Vive e trabalha em Pequim Exposições Individuais

UPR, 2000. Kevin Power, "Puerto Rico/Rico Puerto/Que Puerto", cat. exp. Puerto

1994 Circulation-Sowing and Harvesting, Sichuan, China 1993 Accident-Process and State, Hong Kong Arts Center, Hong Kong 1992

Hong Kong Arts Center, Hong Kong

1991

Cultural Palace of Nationalities, Pequim, China

Exposições Coletivas 2000

Kunsten Festival des Arts, Bruxelas, Bélgica

1998 Cities on the Move, Secession, Viena, Áustria; Musée d'Art Contemporain, Bordeaux, França 1997

Documenta X, Kassel, Alemanha

Rico Hoy, Granada, 2000. Fernand Castro-Floréz (ed.), cat. exp. Heterotopías, Cambres d'Art, Valencia, 1999.

Kim, Atta (Coréia do Sul) Busan, 1956 Vive e trabalha em Busan Exposições Individuais

2001

1996 The Second Asia-Pacific Triennial of Contemporary Art, Brisbane, Austrália 1995

Kwangju Bienniale - InfoArt, Kwangju, Coréia do Sul

Bibliografia Selecionada

Museum Project, Society for Contemporary Photography, Kansas City, EUA

1996 Museum Project, Samsung Photo Gallery, Seoul, Coréia do Sul 1995 Gaia in 2005 Years (performance), Busan, Coréia do Sul 1994 Deconstruction, Space Saemter Gallery, Seoul, Coréia do Sul

Christopher Phillips, "Factual Fictions", Art in America, March 2001.

Exposições Coletivas

Haus Ulrich Obrist & Barbara Vanderlinden, Laboratorium, Antwerpe,

2001

Dumont Antwerpen Open Roomade, 2001.

Queens Museum of Art, Nova Iorque, EUA Australian Center for Photography, Sidney, Austrália Haus der Kulturen der Welt, Berlim, Alemanha

265


2000 Contemporary Photographers from Korea, Williams Tower Gallery, Houston, EUA

Bibliografia Selecionada Cat. exp. Katarzyna Kozyra, Museum of Contemporary Art, Zagreb,

Odense Foto Triennale Festival of Light, Dinamarca

2001.

Bibliografia Selecionada

Cat. exp. Katarzyna Kozyra, Zacheta Gallery, Warsaw, 1999.

Insook Kang, Father, Busan, View Point Publishing, 1990.

"Katarzyna Kozyra, Men's Bathhouse" IN: cat. exp. 48 a Biennale

Kim Atta, Poems, Busan, Jipyuong Publishing, 1994.

Internazionale di Venezia, Veneza, Itália, 1999.

Younggil Kim, Psychopath, Seoul, Sunyoung Publishing, 1987.

Hamza Walker IN: cat. exp. Katarzyna Kozyra, Rite of Spring, The

Komoróczky, Tamás (Hungria)

Michael Huebl, "Offene Kriegsspuren", Kunstforum, bd. 147,

Renaissance Society, Chicago, 2001.

Béckéscsaba, 1963

September-November, 1999.

Vive e trabalha em Budapeste Exposições

Langa, Moshekwa (África do Sul)

2001

Compatibility, Gallery Zoo, Nantes, França

Bakenberg, 1975

Historie d'Hongroise, Villeneuve d'Asque, Musée d'Art Moderne

Vive e trabalha em Joanesburgo e Amsterdã

de Lille Metropole, França Berlin Artforum, Berlim, Alemanha

Exposições Individuais 2000 Galerie Bernier, Eliades, Atenas, Grécia

49 a Biennale Internazionale di Venezia, Veneza, Itália

2000 Art Narrative - Contemporary Hungarian Photography, Knoll

The Goodman Gallery, Joanesburgo, África do Sul 1999 Centre d'Art Contemporain, Genf, Suíça

Gallery, Budapeste, Hungria; Viena, Áustria

Live and in Person, The Renaissance Society, Chicago, EUA

Crosstalk, Mucsarnok/Kunsthalle, Budapeste, Hungria

1998 DOR, Museum Boijmans van Beuningen, Roterdã, Holanda

T-Dugó, De Fabriek, Eindhoven, Alemanha

Exposições Coletivas

1999 It's Jazzy, Palais Jalta, Frankfurt, Alemanha

2000

Try Again Later, Gasworks Gallery, Londres, Grã-Bretanha

Translations, Center for Curatorial Studies Museum, Bard College,

Bibliografia Selecionada

Annandale on Hudson, Nova Iorque, EUA

Keiko Sei, "Monosodium Effect - On Tamás Komoróczky's Works" IN:

Out of Space, K61nischer Kunstverein, Colônia, Alemanha

cat. exp. 49 a Biennale Internazionale di Venezia, Veneza, Itália,

Das Lied von der Erde - Biennalen im Dialog, Museum

2001.

Fridericianum, Kassel, Alemanha

János Szoboszlai, "I'm Not that Innocent" IN: cat. exp. Toyotomi 444, Budapeste, 2000. Orsolya Merhan, "Art Appreciation - Erotica and Sexuality in Hungarian

Kwangju Biennale, Kwangju, Coréia do Sul

Fun Five Fun Story, The Gallery of New South Wales, Austrália Bibliografia Selecionada Mareei Odenbach, cat. exp. Blick Wechsel, Afrikanische Videokunst, IFA

Art" IN: cat. exp. LIGA, Budapeste, 1999.

(Institüt für Auslandsbeziehungen), 2000.

Cat. exp. Bel Tempo (Nice Time), Comitato Trieste Contemporanea, Trieste, 1998. Cat. exp. Beyond Belief, Museum of Contemporary Art, Chicago, 1995.

Langan, Clare (Irlanda) Dublin, 1967 Vive e trabalha em Dublin

Kozyra, Katarzyna (Polônia)

Exposições Individuais

Varsóvia, 1963

2001

Vive e trabalha em Varsóvia Exposições Individuais 2001

Museum of Contemporary Art, Zagreb, Croácia

Vedanta Gallery, Chicago, EUA; Fenton Gallery, Cork 1999 Forty Below, Green on Red Gallery, Dublin, Irlanda 1997

Rite of Spring, The Renaissance Society, Chicago, EUA a

1999 48 Biennale Internazionale di Venezia, Veneza, Itália 1997

Women's Bathhouse, Zacheta Gallery, Varsóvia, Polônia

1996 Olympia, Center for Contemporary Art, Ujazdowski Castle,

Varsóvia, Polônia Exposições Coletivas 2001

Collection, Museum Moderner Kunst, Viena, Áustria

1999 Zeitwende, Kunstmuseum, Bonn, Alemanha

Fireworks, DE APPEL, Amsterdã, Holanda After the Wall, Moderna Museet, Estocolmo, Suécia 1998 Body and East, Moderna Galerija, Liubliana, Iugoslávia

266

Too Dark for Night, Green on Red Gallery, Dublin, Irlanda;

Track, Gallery of Photography, Dublin, Irlanda; Universidade de Salamanca, Espanha; Hafnaborg Cultural Center, Islândia

Exposições Coletivas 2001

At Sea, Tate Liverpool, Grã-Bretanha

2000

Glen Dimplex Artists Award 2000, Irish Museum of Modern Art, Dublin, Irlanda

1999 Recent Acquisitions, Irish Museum of Modern Art, Dublin, Irlanda

Utopias, Douglas Hyde Gallery, Dublin, Irlanda Bibliografia Selecionada Medb Ruane, "Silent Witness to the Devouring Forces of Nature", Sunday Times, 2001. Niamh Ann Kelly, "Relentless Landscapes", SOURCE 26,2001.


Patrick Murphy, "Too Dark for Night", Green on Red Gallery, Dublin; Vedanta Gallery, Chicago, 2001. Sarah Glennie IN: Glen Dimplex Awards Catalogue, Irish Museum of Modern Art, 2000. Patrick Murphy, Forty Below, Green on Red Gallery, Dublin, 1999.

Mansour, Sliman (Palestina) Birzeit, 1947 Vive e trabalha em Jerusalém Exposições Individuais

2001

Ten Years in Mud, Ramallah, Nazareth e Gaza, Palestina

1998 Cairo Biennial, Cairo, Egito

Leye, Goddy (Camarões)

1996 Prefeitura de Stavanger, Noruega

Mbouda, 1965

1995 AI Sharja Biennial, AI Sharja, Emirados Árabes

Vive e trabalha em Yaoundé

1993 The Ritz Carlton Hotel, Washington, EUA

Exposições Individuais

Exposições Coletivas

2000 Sankofa Blues, Espace Doual' Art, Douala, Camarões

1999 Fragments, AI-Wasiti Art Center, Jerusalém, Israel

1999 Behind the Scenes, Electronic Cafe International, Santa Monica (e na internet), EUA

1998 Sankofa River, Espace Doual'Art, Douala, Camarões 1997 Sankofa Vide Ooh, Goethe Institut, Yaoundé, Camarões Sankofa, Centre Culturel Français, Douala, Camarões Exposições Coletivas

1998 50 Years of Nakbah, Nazareth, Palestina

1997 Palestinian Spring, Institut du Monde Arabe, Paris, França 1996 Ministério da Cultura, Luxembourg, Bélgica 1994 French Cultural Centre, Jerusalém, Jericó, Israel Bibliografia Selecionada Cat. exp. Ten Years in Mud, Jerusalem, AI-Wasiti Art Center, 2001.

2000 Bulev'Art, Cotonou, Benim South Meets West, Kunsthalle, Berna, Suíça Dak'Art 2000, Dakar, Senegal

Manzelli, Margherita (Itália) Ravenna, 1968

1999 South Meets West, National Museum of Ghana, Acra, Gana

Vive e trabalha em Milão

1998 FENAC 98 (Festival National d'Art et de la Culture), Ebolowa,

Exposições Individuais

Camarões

2000

Studio Guenzani, Milão, Itália

Bibliografia Selecionada

1998 Greengrass, Londres, Grã-Bretanha

Mareei Odenbach, cat. exp. Blick Wechsel, Afrikanische Videokunst, IFA

1996 Studio Guenzani, Milão, Itália

(Institüt für Auslandsbeziehungen), 2000.

Studio Guenzani, Milão, Itália 1993 Via Farini, Milão, Itália

Maggi, Marco (Uruguai)

Exposições Coletivas

Montevidéu, 1957

2001

Vive e trabalha em New Platz, NY, EUA

Painting at the Edge of the World, Walker Art Gallery, Minneapolis, EUA

Exposições Individuais

2000 Migrazioni, Centro per le Arti Contemporanee, Roma, Itália

2001

1999 6th Istanbul Biennial, Istambul, Turquia

BITnik, Hosfelt Gallery, San Francisco, USA Global Myopia, Kemper Museum of Contemporary Art, Kansas City, USA

2000 The Peneil Monologues, 123 Watts Gallery, New York, USA

Londres, Grã-Bretanha

Hardware vs. Software, Miller & Block Gallery, Boston, USA

Bibliografia Selecionada

Micro/Macro/Marco, Project Room, Arco Fair, Madrid, Spain

Helena Kontova, "Margherita Manzelli: Giving a Sense to the Senseless",

Exposições Coletivas 2001

Examining Pictures, Whitechapel, Londres, Grã-Bretanha

1997 Fatto in Italia, Centre d' Art Contemporain, Genebra, Suíça; ICA,

Flashart International, January, 2001.

Mercosur Biennial, Porto Alegre, Brazil

Michelle Grabner, "Painting at the Edge of the World", Frieze, June, 2001.

By Hand, University Art Museum California State University, Long

Francesco Bonami & Judith Nesbitt, Examining Pictures, Whitechapel,

Beach, USA

2000 Mapping, Territory, Connections, Galerie Anne de Villepoix, Paris, France

Londres, 1999. Giorgio Verzotti, "Made in Italy", Artforum, February, 1999. Jennifer Higgie, "Women on the Verge", Frieze, April, 1999.

Horror Vacuui, Mark Moore Gallery, Los Angeles, USA Prints 2000, Bard College, Annandale on Hudson, NY, USA

Matamoros, Johanna Montero (Honduras)

Bibliografia Selecionada

Tegucigalpa, 1980

Barbara A. MacAdam, "The Micro Wave", Art News, New York, 2001.

Vive e trabalha em Tegucigalpa

Julie Caniglia, "Marco Maggi, 123 Watts", Artforum, New York, 2001.

Exposições Individuais

Andrea K. Scott, "Marco Maggi", The New Yorker, New York, 2001.

2000 Remembranzas de los/mis Tiempos ... Proyecto expositivo para

Maria Porges, "Marco Maggi, Hosfelt Gallery", Artforum, New York, 2000.

exhibición de ARTERíA, CAVC Mujeres en las Artes, Galería

Kim Levin, "Short List", Village Voice, 1999.

Nacional de Arte, Tegucigalpa, Honduras

267


1999 Soy ese Signo ... !!?!! EI Enigma y la Respuesta ... Instalación,

lan Still, "Robert MacPherson", Art and Australia, vol. 15, n. 4, Winter

Invitada Sala MAC, MUA Instala'99, Mujeres en las Artes, Galería Nacional de Arte, Tegucigalpa, Honduras

1978. Ingrid Periz, The Described the Undescribed, Sydney, Art Gallery of New

1998 GENESIS 111: 16. Instalación dei proyecto "En sus Manos Encomiendo mi Cuerpo", Sala MAC, Mujeres en las Artes,

South Wales, 1994. Robert MacPherson, 184 Frog Poems 184 Boss Drovers, Brisbane,

Tegucigalpa, Honduras

Exposições Coletivas 2001

Institute of Modern Art, 2001. Trevor Smith (ed.) & John O'Brian, Robert MacPherson, Perth, Art Gallery

A-01, Proyecto ARTERíA, Casa de la Ciudad, Instituto Tecnológico

of Western Australia, 2001.

de Costa Rica, Ciudad de Cartago, Costa Rica

Niveles de Tolerancia: Recorridos Urbanos, Proyecto Curatorial Un

Molina, Rodolfo (EI Salvador)

Espacio Sin Limites: Intervenciones In Situ de Tres Artistas, Taller

San Salvador, 1959

de Producción Artística para Jóvenes, CAVC Mujeres en las

Vive e trabalha em San Salvador

Artes, Tegucigalpa, Honduras 2000 Proyecto ~Jiveles de Tolerancia, Exhibición Curva Logística, ARTERíA, Artefactoría, Managua, Nicaragua Proyecto Niveles de Tolerancia, Exhibición Curva de Erro r,

Exposições Individuais 2000 Alliance Française, San Salvador, EI Salvador 1999 DOeS Gallery, New Orleans, EUA 1994 Galería Estípite, Antigua Guatemala, Guatemala

ARTERíA, Antología de las Artes Plasticas Montes de Oca 2000,

1989 Galería EI Laberinto, San Salvador, EI Salvador

Fundación para el Museo dei Hombre Hondureno, Tegucigalpa

1988 Galería EI Laberinto, San Salvador, EI Salvador

Honduras

1999 Soy ese Signo . . !!?!! EI Enigma y la Respuesta ... Instalación, Encuentro de Mujeres en las Artes, San José, Costa Rica

Exposições Coletivas 2001

DOeS Gallery, New Orleans, EUA

2000 Vilanova Fine Arts, San Salvador, EI Salvador 1999 Museo dei Nino, San José, Costa Rica

MaePherson, Robert (Austrália)

1998 Galería 1-2-3, San Salvador, EI Salvador

Brisbane, 1937

1997 Mesótica 11, Casa de la Américas, Madri, Espanha

Vive e trabalha em Brisbane

Exposições Individuais 2001

Moulêne, Jean-Lue (França)

Robert MacPherson, Institute of Modern Art, Brisbane, Austrália

1955

Robert MacPherson, Art Gallery of Western Australia, Perth,

Vive e trabalha em Paris

Austrália (itinerância para o Museum of Contemporary Art,

Exposições Individuais

Sidney)

2001

Jean-Luc Moulene, Présentation/Collection, Musée d'Art Moderne

1999

Vingt Quatre Objets de Greve Présentés par Jean-Luc Moulene, La

1998 Murranji, Artspace, Sydney, Austrália (itinerância para Melbourne, Brisbane, Adelaide e Perth)

et Contemporain, Strasbourg, França

1995 Robert MacPherson 1975-1995, National Gallery of Victoria, Melbourne, Austrália

1993 A Proposition to Draw 1973-1978, The University of Queensland

Galerie, Noisy-Le-Sec, França

1998 Unplugged in Kitakyushu, CCA, Kitakyushu, Japão 1997 Déposition, ARC, Musée d'Art Moderne de la Ville de Paris, Paris,

Art Gallery, Brisbane, Austrália (itinerância para Melbourne e Canberra)

Exposições Coletivas

França

1996 Disjunktions, DAAD Galerie, Berlim, Alemanha

Exposições Coletivas

2000 Das Lied von der Erde, Museum Fridericianum, Kassel, Alemanha

2002 Attachment+, Normal School, Brugge, Bélgica

1998 Every Day, 11th Biennale of Sydney, Art Gallery of New South

2000

Wales, Sidney, Austrália

1993

Wit's End, Museum of Contemporary Art, Sidney, Austrália

1990 The Readymade Boomerang: Certain Relations in 20th-Century

Voilà - Le Monde dans la Tête, Musée d'Art Moderne de la Ville de Paris, Paris, França

1999 Laboratorium, Provinciaal Museum voor Fotografie et divers lieux dans la ville, Anvers, Bélgica

Art, 8th Biennale of Sydney, Art Gallery of New South Wales,

1997 Documenta X, Kassel, Alemanha

Sidney, Austrália

1990 De Afstand, Witte de With, Centre d'Art Contemporain,

1978 European Dialogue, 3rd Biennale of Sydney, Art Gallery of New South Wales, Sidney, Austrália

Bibliografia Selecionada Daniel Thomas, "Everybody Sing: The Art of Robert MacPherson", Art

and Australia, vol. 33, n. 4, Winter 1996.

Rotterdam, Hollanda

Bibliografia Selecionada Manuel Joseph (Documents Jean-Luc Moulene), Ca m'a Même Pas Fait

Mal, Editions AI Dante, Paris, 2001. Jean-Luc Moulene, Pages Images, Excideuil, Editions Jean-Michel Place, Paris, 2000.

268


Manuel Joseph, Noelle Gérome, Jean-Pierre Rehm, Vincent Labaume,

Nahas, Nabil (Líbano)

Viviane de Tapia, Trente-Neuf Objets de Greve Présentés par

Beirute, 1949

Jean-Luc Moulene, Edition Forbach 2000-Le Carreau, 2000.

Vive e trabalha em Nova Iorque, EUA

Jean-Luc Moulene, BERLlN, Steidl/DAAD Verlag, Góttingen, 2000.

Exposições Individuais

Memo: Jean-Luc Mouléne, Korinsha Press & CCA Kitakyushu, 1999

1999 Sperone Westwater, Nova Iorque, EUA

Mthethwa, Zwelethu (África do Sul)

1997 Sperone Westwater, Nova Iorque, EUA

1998 Milleventi, Milão, Itália

Durban, 1960

1988 Galerie Montenay, Paris, França

Vive e trabalha em Durban

Exposições Coletivas

Exposições Individuais

2001

2001

The Museum of Contemporary Photography, Chicago, EUA

2000 Jack Shainman Gallery, Nova Iorque, EUA

EUA

2000 Arte Americana: Ultimo Decennio, Museu d'Arte della Città di

1999 Project Room, Art Koln, Marco Noire Contemporary Art, Colônia,

Ravenna, Itália

Le Temps Fractal, Galerie Xippas, Paris, França

Alemanha 1998 Goodman Gallery, Joanesburgo, África do Sul 1997

Kohn Turner Gallery, Los Angeles, EUA

Painting Abstraction 11, New York Studio School, Nova Iorque,

1999 FIAC, Paris, França 1997

Galerie Tanit, Munique, Alemanha

Exposições Coletivas

Bibliografia Selecionada

2001

Susan Conde, La Fractalité dans l'Art Contemporain, Paris, La Différence,

Africa 2000: The Artist and the City, Barcelona Center for Contemporary Culture, Barcelona, Espanha

2000 South Meets West, Kunsthalle, Berna, Suíça

2001, pp. 108-112. Donald Kuspit, "Nabil Nahas", Artforum, XXXVII, n. 10, Summer 1999,

1999 South Meets West, Ghana National Museum, Gana 1998 Africa by Africa, Barbican Art Gallery, Londres, Grã-Bretanha

p. 154. Carter Ratcliff, cat. exp. Nabil Nahas, Sperone Westwater, New York,

Dakar Biennale, Dakar, Senegal 1997

Kohn Turner Gallery, Los Angeles, EUA

1997. Roberta Smith, "Art in Review: Nabil Nahas", The New York Times, 17

Bibliografia Selecionada Cat. exp. Project Conflux, Luxembourg, The Association for Visual Arts,

January 1997, p. C27. Vincent Katz, "Nabil Nahas at Sperone Westwater", Art in America, n. 5,

South Africa, 1999.

May 1997, pp. 125-126.

"Places of Art", Art in America, December 1999, pp. 46-51. Daniela Palazzoli (org.), II Sentimento dei 2000, Arte e Foto: 7960/2000, La Triennale di Milano, 1999.

Ness, Ole Jorgen/Nesstudio (Noruega) Bergen, 1961

Marco Noire Editore (org.), Sacred Homes - Mother & Child, 2000.

Vive e trabalha em Oslo

Octavia Zaya, Teresa Macri & Michael Godby, Monographic Books,

Exposições Individuais

Torino, Marco Noire, 1998.

2001

Meanwhile Back on Earth. .. Recent Readings of the Martian Chronicles, Ocular Lab, Melbourne, Austrália

Mwangi, Ingrid (Quênia)

2000 Flat Acrylic, Tower Studio, Queens College, Melbourne, Austrália Cryptomnesia, Nesstudio, Amsterdã, Holanda

Nairóbi, 1975 Vive e trabalha em Saarbrücken, Alemanha

1999 Neo Mobile, Galleri Riis, Oslo, Noruega The Grave is no Bar to my Call, Kunstnernes Hus, 0150,

Exposições

2000 Transmediale, Berlim, Alemanha

Noruega

Skulpturenmuseum Glaskasten, Marl, Alemanha

Exposições Coletivas

7O. Heidelberg Film + Videotage, Heidelberg, Alemanha

2001

1999 Landesinstitüt für Padagogik und Medien, Saarbrücken, Alemanha

3. Festival junger experimenteller Kunst, Berlim European Media Art Festival 7999, Osnabrück, Alemanha Télé(o) Festival, Nantes, França Up and Coming, Hannover, Alemanha 1998 9. SaarLorLux Film und Videofestival, Saarbrücken, Alemanha

XIX Video Art Festival, Locarno, Suíça Bibliografia Selecionada Mareei Odenbach, cat. exp. Blick Wechsel, Afrikanische Videokunst, IFA

200 Gertrud Street, UKS-Biennalen, Melbourne, Austrália Project Space, Kunstnernes Hus, Oslo, Noruega

2000 Atopian Bliss, Nesstudio, Nordic House, Reykjavik, Islândia Atopial Feral, Nesstudio, The Nordic Festival of Contemporary Art, Moss

Used and Amused, Jan Baum Gallery, Los Angeles, EUA Bibliografia Selecionada Ina Blom, "Opus Osiris", Terskel Museum of Contemporary Art Journal. Svu Spade, "The Sukmis Greater than the Parts", ArtlText, vol. 60, 1998.

(lnstitüt für Auslandsbeziehungen), 2000.

269


Nestosa, Jesús Ruiz (Paraguai)

1999-2000

Cosmotel (o motel para o artista nos Balcãs)

Assunção, 1941

1998-2000

Kiss from Greece (exposição itinerante de 12 mulheres

Vive e trabalha em Assunção

artistas em capitais européias), N.O.MAD.E. Gallery,

Exposições Individuais

Paris; Stalzer Gallery, Viena; Wohnmachine Gallery,

1999 Centro Cultural San Martín, Buenos Aires, Argentina

Berlim

1992 Retrospectiva, Museo dei Barro, Assunção, Paraguai

Exposições Coletivas

1985 Ciclos, Centro Cultural paraguayo Americano, Assunção, Paraguai

2001

Exposições Coletivas 2001

Tirana Biennale, Tirana, Albânia The Overexcited Boby, SESC Pompéia, São Paulo, Brasil

1978 Piedras, Centro Cultural Juan de Salazar, Assunção, Paraguai

2000 Playground & Toys for Refugee Children, Musée de Croix Rouge, Genebra, Suiça

AI Sur deI Lugar, Museo de América, Madri, Espanha

51° Premio Michetti, Fondazioni Michetti, Pescara, Itália

2000 EI Ultimo Decenio, Museo de Arte Contemporáneo, Uruguai 1999 Bienal de Arte do Mercosul, Porto Alegre, Brasil

1999 Objectohood, Hellenic American Union, Atenas, Grécia

1998 Siete Fotógrafos dela Paraguay, Dahau, Alemanha

Bibliografia Selecionada

1990 EI Lenguaje de la Luz, Museo de Bellas Artes, Assunção, Paraguai

Artigo na revista Atlantica, February, 2001. Artigo na revista Camera Austria International, n. 74, 2001.

Nguyen-Hatsushiba, Jun (Vietnã)

Artigo na revista Der Architekt, n. 10, Ocotber, 2001.

Tóquio, Japão, 1968

Cat. exp. The Overexcited Body - Art for the World, São Paulo, SESC, 2001.

Vive e trabalha em Ho Chi Minh, Vietnã

Exposições Individuais

Cat. exp. Tirana Biennale I, Giancarlo Politi Editore, Milano, 2001.

2000 Xich Lo 2001 - The Making of Alterna tive History, Mizuma Art Gallery, Tóquio, Japão

Papisthione (Senegal)

1998 In Between, Shiseido Ginza Art Space, Tóquio, Japão

Dakar

1997 Dream, 29 Hang Bai Exhibition House, Hanoi, Vietnã

Vive e trabalha em Dakar

1996 The Mosaic Series Exhibition, Dallas Visual Art Center, Dallas, EUA

Exposições

1995 Photographs from Vietnam, SGI-USA Dallas Culture Center,

2001

Wide Video Festival, Holanda

Dallas, EUA

Exposições Coletivas 2001

Video Lisboa, Lisboa, Portugal

2000 Dak'Art (Dakar Biennale), Dakar, Senegal Bienal de Arquitetura de Veneza, Veneza, Itália

International Triennale of Contemporary Art, Japão

Festival Saint Brieuc, St. Brieuc, França

2000 Invisible Boundary: Metamorphosed Asian Art, Utsunomiya Museum of Art, Japão 1999 Gap Vietnam, The House of World Cultures, Berlim, Alemanha

Peláez, Luis Fernando (Colômbia)

1996 Critic's Choice, Dallas Visual Art Center, Dallas, EUA

Jerico, 1945

1995

Vive e trabalha em Medellín

1995 Members Invitational, The McKinney Avenue Contemporary,

Dallas, EUA

Exposições Individuais

Bibliografia Selecionada

1999 Convidado especial, 11 Bienal Iberoamericana de Lima, Peru

Nanjo Fumio (org.), cat. exp. International Triennale of Contemporary

1997 Convidado especial, Festival Internacional de Artes Ciudad de

Art, Nanjo Associates, 2001. Cat. exp. Invisible Boundary: Metamorphosed Asian Art, Utsunomiya

Medellín, Medellín, Colômbia 1987 Prêmio, XXXI Salón Nacional de Artistas Colombianos, Medellín,

Museum of Art, 2000.

Colômbia

Cat. exp. Gap Vietnam, The House of World Cultures, Berlim, 1999.

1986 Prêmio, V Bienal Americana de Artes Gráficas, Cali, Colômbia

Cat. exp. In Between, ShiseidoGinza Art Space, Tóquio, 1998.

Exposições Coletivas

Cat. exp. Critic's Choice, Dallas Visual Art Center, 1996.

1998 Ecos, Galeria Ruta Correa, Freiburg, Alemanha 1998 La Casa Amaril/a (escultura pública), Festival Internacional de Arte

Papadimitriou, Maria (Grécia)

Ciudad de Medellín, Colômbia 1997 Ciudad, Ciudad. Premio Luis Cabal/ero, Planeta rio Distrital,

Atenas, 1957 Vive e trabalha em Atenas

Bogotá, Colômbia

Exposições Individuais

1996 Lluvia, Museo de Antioquia, Medellín, Colômbia

1996 Living Spaces I, Studio Barbieri, Veneza, Itália

1992

Living Spaces 11, Eleni Koroneou Gallery, Atenas, Grécia

Projetos Especiais 1998-2001

270

Balonismo sobre o Monte Athos

Ciudad, Museo de Arte Moderno La Tertulia, Cali, Colômbia

Bibliografia Selecionada Colección el Arte en Antioquia, "Peláez, Memoriay Paisaje", Fondo Editorial Universidad Eafit, Medellín, 2000.


Marta Rodriguez, "Luis Fernando Peláez. Las Improntas de un Lugar

2000

"park", Momentum, Nordic Festival of Contemporary Art, Moss,

Llamado Memoria" IN: cat. exp. Arte en Colombia Internacional

Noruega Norden, Kunsthalle Wien, Viena, Áustria

No 84, Bogotá, outubro-dezembro, 2000. Peré Salabert, "Luis Fernando Peláez: Los Lugares de la Desolación o el

1999

Moderno La Tertulia, Cali, 1992.

11

Trienniale de Finnische Kunst, Haus am Waldsee, Berlim, Alemanha

Tiempo Suspendido" IN: cat. exp. Ciudad, Museo de Arte

Bibliografia Selecionada Glen Garner, "The Ball Show Review", Katalog Journal of Photography,

Polataiko, Taras (Ucrânia) Chernivtsi, 1966

2000, pp. 57-58. Jouni Hokkanen, "Resenha do filme FlLM1999 de Seppo Renvall", TVWorld Magazine, 2000, p. 27.

Vive e trabalha no Canadá e na Ucrânia Exposições Individuais 2001

Paula Toppila, "Film as Wallpaper, Film as Ambience" IN: cat. exp. Momentum, Nordic Biennial of Contemporary Art, Noruega,

Sable-Castelli Gallery, Toronto, Canadá

2000.

1999 Centre for Contemporary Art "Ujazdowski Castle", Varsóvia, Polônia

Paula Toppila, "The Ball Show - The Sum of Happy Coincidences" IN: cat. exp. Norden, Kunsthalle Wien, Viena, 2000.

Soros International Centre for Contemporary Art, Kyiv, Ucrânia 1997 Museum of Contemporary Canadian Art, Toronto, Canadá

Mika Hannula, "Stop Making Sense", Nu: Nordic Art Review 1/99.

Exposições Coletivas 2000 Slippage: Taras Polataiko, Gerhard Richter, Lucia Fontana, Art Gallery of Greater Victoria, Victoria, Canadá Intrigue - Provocation, National Museum of Churlionis, Kaunas, Lituânia 1999 Translinear, organizada pela MacMaster Art Gallery, Hamilton, Canadá (exposição itinerante dentro do Canadá) 1996 London Life Young Contemporaries 96, organ izada pela London Regional Art and Historical Museums, Londres, Grã-Bretanha (exposição itinerante no Canadá)

Ríos, Melanie (Guatemala) Guatemala, 1970 Vive e trabalha em Guatemala Seu trabalho já foi apresentado em Nova Iorque no Murlberry Street Theater, no Alice Tully Hall, no Walter Reade Theater e no Dixon Place. Criou uma obra para o Ballet de Cali, Colômbia e duas peças para o Saint Joseph Ballet com temporadas no Irvine Barkley Theater de Los Angeles. Suas últimas obras Mi Casa No Amarilla e Poblado Próximo para sua própria companhia internacional EI Mosquito Dance Company,

Bibliografia Selecionada

estrearam na Guatemala nos anos de 2000 e 2001, respectivamente.

Catharine Osborne, "Malevitch's Ghost", World Art, n. 12, Spring, 1997,

Poblado Próximo também estreou em EI Salvador em julho de 2001.

pp. 62-66. Robert Enright, "Truth or Glare: The Formal Deceptions of Taras

Já se apresentou em diversos lugares da América Central, em Nova Iorque, em 1999 no Festival da Celebração Mundial da Dança em

Polataiko", BorderCrossings, Winnipeg, Spring 1996, pp. 18-27

Filadélfia, no Festival de Montpellier, França e em 2001 no Museo de EX

(reprodução capa).

Teresa Arte Actual, México, como parte do Festival Internacional de

Konstantin Akinsha, "Ten Artists to Watch World-Wide", ARTnews, New

Performance.

York, January 1995, pp. 140-142.

Rivera, Pablo (Chile) Renvall, Seppo (Finlândia)

Santiago, 1961

Helsinki, 1963

Vive e trabalha em Santiago

Vive e trabalha em Helsinki

Exposições Individuais

Exposições Individuais

2000 Menos es Más, Galeria Animal, Santiago, Chile

2001

Anthology Film Archives, Nova Iorque, EUA

1999 Purgatorio (Decoralia), Feria Persa Bio-Bio, Santiago, Chile

The Ball Show, In Between Time Festival, Arnolfini Galleries,

1998 Purgatorio (1995- *), Cementerio General de Santiago, Santiago, Chile

Bristol, Grã-Bretanha Seppo Renvall, Kunsthalle Lophem, Bruxelas, Bélgica 1997 Seppo Renvall, Museum of Contemporary Art, Helsinki,

1994 Digalbondiga, Museo Nacional de Bellas Artes, Santiago, Chile 1990 Fragilidad de Zona, instalação com Alvaro Oyarzún, Instituto Cultural de las Condes, Santiago, Chile

Finlândia Galleri Leena Kuumola, Helsinki, Finlândia Exposições Coletivas 2001

Rock The Campo! Finnish Contemporary Film and Video Works, Campo di Santa Margherita, Veneza, Itália Surface and Whirlpools, Boras Konstmuseum, Boras, Suécia

Exposições Coletivas 2001

ARS 01, Unfolding Perspectives, Museum of Contemporary Art Kiasma, Helsinki, Finlândia

2000 Chile: 100 Afias Artes Visuales. Tercer Periodo 1973-2000, Museo Nacional de Bellas Artes, Santiago, Chile

271


1999 Blow Up, Centro de Extensión Universidad Católica, Santiago, Chile 1997 I Bienal do Mercosul, Porto Alegre, Brasil

Exposições Individuais 1995 Arndt und Partner, Berlim, Alemanha 1994 Centre Art et Plaisanterie, Scene Nationale de Montbéliard,

1997 Prospect & Perspective: Recent Art from Chile, San Antonio Museum of Art, San Antonio, EUA Bibliografia Selecionada Ann Wilson Loyd, Pablo Rivera: The Articulation of Space, Materiais and

Bodies, Sculpture, March 1997. Ann Wilson Loyd, "Report from Chile: In Recovery", Art in America,

França 1993 Galerie Apunto, Amsterdã, Holanda 1992 Galerie N.O.MAD.E., Jean-Marc Patras, Paris, França 1991

1995 Afrikanische Kunst aus der Sammlung Han Koray,

October 1996. Cheryl Hartup, "Expectativa y Perspectiva: Arte Reciente de Chile",

V61kerkundemuseum der Universiti:it Zürich, Zurique, Suíça

1993 Africa Explores: 20th Century African Art, Fundación Antoni

ArtNexus, Mayo 1998. Mauricio Bravo, Digalbondiga. EI Sitio de las Cosas, Santiago, MNBA,

Annina Nosei Gallery, Nova Iorque, EUA

Exposições Coletivas

Tapies, Barcelona, Espanha

1992 Pour la Suite du Monde, Musée d'Art Contemporain de

1994.

Montréal, Canadá

Paul Riverside, Purgatorio: La Forma como Cadaver, 1999.

1991

Altrove/Fra Imagine e Indentità, Fra Identitá e Tradizione, Museo

Sala, Anri (Albânia/França)

1989 Magiciens de la Terre, Centre Georges Pompidou, Paris, França

d' Arte Moderno, Prato, Itália

Tirana, 1974 Vive e trabalha em Paris

Sargsyan, Azat (Armênia)

Exposições Individuais

Yerevan, 1965

2001

It Has Been Raining Here, Galerie Chantal Crousel, Paris, França

Vive e trabalha em Yerevan

Anri Sala, Nocturnes, Delphina Project Space, Londres, Grã-

Exposições Individuais

Bretanha

2000 Anri Sala, Stichting De Appel, Amsterdã, Holanda

2000 Armenia Context, ACCEA, Yerevan, Armênia 1995 Literature Is Decadence, Literature Verk Stet, Berlim

Intervista, Galerie Rüdiger Sch6ttle, Munique, Alemanha

1994 Person and Situation, FEMIS, Paris, França

Nocturnes, MAMCO, Genebra, Suíça

1992

Words and Questions, Triechprudni, Moscou, Rússia

Exposições Coletivas

1989 Landscapes, Tallinn Art Hall, Estônia

2001

Biennale Internazionale di Venezia, Veneza, Itália

Exposições Coletivas

Yokohama 2001: International Triennale of Contemporary Art,

2001

Armenian National Gallery, Yerevan, Armênia

2000

Uppsala International Biennale, Suécia

Yokohama, Japão

The Gift, Generous Offerings, Threatening Hospitality, Palazzo

1999 After the Wall, Modern Art Museum, Estocolmo, Suécia

Mixed Technique, Moscou, Rússia

delle Papesse, Sienna; Centro Culturale Candiani, Mestre, Italy (coproduced with Independant Curators International, NY,

1997 47 a Biennale Internazionale di Venezia, Veneza, Itália

USA)

Bibliografia Selecionada

Unpacking Europe, Haus der Kulturen der Welt, Berlin; Musée

Orlando Brito, NUR - Nature, Utopia and Realities, Gran Canária,

Boijmans, Rotterdam/Amsterdam, Holland Bibliografia Selecionada

Espanha, 2001. Emre Zeytunoglu & Ali Akai, Gumru Biennal Gundem Sanat Ankara,

"Uniform: Order and Disorder", PS1 Contemporary Art Center, New York, USA.

Turquia, 2000. Ronald Jones, Art Forum - A fter the Wall- Art and Culture in Post

Communist Europe, Estados Unidos, 2000.

"Anri Sala", De Appel, Amsterdam, Netherlands, 2001. Massimo Gioni & Michele Robecchi, "Anri Sala - Unfinished Histories",

Flash Art, n. 219, NY, July-September.

Mattias Flugge, New Bildende Kunst, Alemanha, 1999. Thomas McEvilley,

"Hans-Ulrich Obrist on Anri Sala", Artforum, NY, Jan. 2000.

4r Biennale Internazionale di Venezia,

general

catalogue, 1997.

Edi Muka, "Anri Sala", Manifesta 3, European Biennial of Contemporary Art, Ljubljana, Slovenia, 2000. Vincent Ostria, "Anri SalaNladimir Perisic", Voilà - Le Monde dans la

Tête, Musée d' Art Moderne de la Ville de Paris, Paris, 2000.

Schwartz, Raquel (Bolívia) La Paz, 1963 Vive e trabalha em Santa Cruz Exposições Individuais

Samba, Chéri (República Democrática do Congo)

2001

Kinto-Mvuila, 1956

2000 De Piei y de Vestido, Museo de Arte Moderno, Santa Cruz,

Vive e trabalha em Kinshasa

272

Insideout, Galería Nota, La Paz, Bolívia

Bolívia


1999 Recolecciones, Galería EsArt, La Paz, Bolívia; Casa de la Cultura,

Pedro Lapa, "A Vida das Imagens de João Tabarra", cat. exp. No Pain No

Santa Cruz, Bolívia

Gain, Museu do Chiado, Lisboa, 2000.

1998 Pinturas, Galería Hotel Los Tajibos, Santa Cruz, Bolívia

Sarah Lowndes, "João Tabarra and Inês Pais", Metro Life, Glasgow, 22

1997 Bajo el Cielo Mas Puro de América, Fundación BHN, La Paz, Bolívia

de Setembro, 2000. Filipa Oliveira, "João Tabarra", cat. exp. In itiare , Centro Cultural de

Exposições Coletivas 2001

Belém, Lisboa, 2000.

Arte Contemporáneo Boliviano: Una Selección, Centro de Arte Contemporáneo dei Centro Pedagógico y Cultural Simón Patino, Museo Nacional de Bellas Artes, Santiago, Chile Muestra Plástica Boliviana, Dresdner Bank Latinamerika AG, Hamburgo, Alemanha

Tayou, Pascale Marthine (Camarões) Camarões, 1967 Vive e trabalha em Yaoundé e Bruxelas Exposições Individuais

Políticas de la Diferencia. Arte Iberoamericano de Fin de Sigla

2000-2001 Fun Five Fun Story, Art Gallery of New South Wales, Sidney,

(exp. itinerante), Generalitat de Valencia, Espanha Bienal dei Barro Americano, Árboles, Fundación Museo de Bellas Artes, Caracas, Venezuela

Austrália 2000 Syndrome, IASPIS, Estocolmo, Suécia 1999 Crazy Nomad, Lombard Freid Gallery, Nova Iorque, EUA; Galerie

2000 Arte Contemporáneo y Espada Publico, Iquique, Chile Bibliografia Selecionada Pedro Querejazu, EI Arte Durante la Década de

Peter Hermann, Stuttgart, Alemanha 1998 Galerie Bernard Dulon, Paris, França

105

Novents en Bolivia/

Políticas de la Diferencia, Valencia, Espana, 2001. Lisbeth Rebollo Gonçalves, "SIART 99, La Paz Abre un Salón

1997 Le Déballage Yahoundé, Goethe Institut, Camarões Exposições Coletivas 2000 Paris pour Escale, Musée d'Art Moderne de la Ville de Paris,

Internacional de Arte", Artnexus, Bogotá, Colombia, 2000.

França

Rosina Cazali, "11 Bienallberoamericana de Lima, Antesala ai 2000",

Voilà, Musée d' Art Moderne de la Ville de Paris, França

Artnexus, Bogotá, Colombia, 2000.

South Meets West, Kunsthalle, Berna, Suíça 1999 Liverpool Biennial, Liverpool, Grã-Bretanha

Tabarra, João (Portugal)

1998 Looobhy, filme com Jean Loup Pivin & Simon Njami, RN

Lisboa, 1966

Production-Arte-Berlin, 40 min., Paris, França

Vive e trabalha em Lisboa Exposições Individuais

Thomann, Georg Paul (Áustria)

2001

Boedele, 1945

(. ..) Good Fences Make Good Neighbours, Galeria Cristina Guerra, Lisboa, Portugal

2000 No Pain No Gain, Museu do Chiado, Lisboa, Portugal Mute Control, Museu de Arte Contemporânea de Serralves, Porto, Portugal

Vive e trabalha em Viena Exposições Individuais 2001

1997 Keine Macht fur jemand!, Stadelsches Kulturinstitut, Frankfurt,

1999 Lave Streams, Galerie Georges Verney-Carron, Villeurbanne, França

Alemanha 1985 Mude, aber ehrlich, exposição de fotografias, Centro La Capei la,

1997 What Type of Contestation are We Asking For, Galeria Graça Fonseca, Lisboa, Portugal

Galerie Knollchen, Wiesbaden

Trieste, Itália 1974 Telly, Galerie Bonino, Nova Iorque, EUA

Exposições Coletivas

1971

2001

Urbanlab, Bienal da Maia, Maia, Portugal

Exposições Coletivas

Mistura+Confronto, Central Eléctrica do Freixo, Porto, Portugal

2000 Demontage der Superheroes, XL Galerie, Moscou, Rússia

Espelho Negativo, Galeria do Teatro do Campo Alegre, Porto,

1997 It's a Better World. Russischer Aktionismus und sein Kontext,

Portugal 2000 Plano XXI, Portuguese Contemporary Art, Streetlevel, Glasgow, Escócia 1999 Côté Sud. . Entschuldigung, Institut d' Art Contemporain, Villeurbanne, França Bibliografia Selecionada

Positronengehirn, Experimenta 4, Frankfurt, Alemanha

Sessesion, Viena, Áustria 1987

U'LL c// (bi), Ars Eletronica, Linz, Áustria

1980 Vortwarts in die 80er mit Nostalgie durch Grilltomaten, exposição em várias estações de trem, Viena, Hamburgo, Wuppertal, Munique, Berlim, Alemanha/Áustria 1964 Herbstausstellung, Akademie der bildenden Kunste, Viena,

Miguel von Hafe Pérez, "Toca-me. Notas sobre o Trabalho de João

Áustria

Tabarra", Número, Lisboa, n. 5, Primavera 2000.

Bibliografia Selecionada

Miguel von Hafe Pérez, "João Tabarra", Arte Ibérica, Lisboa, n. 40, Out.! Nov.2000.

Mariele Schrader, IN: Diskurskorrektur. Hefte zur Kunst, 2000. Frank Thaler, "Sanfte Revolutionen Revisited" IN: de:bug, 1999.

273


Georg Schollhammer, "Leben heisst Leben" IN: Springerin, 1999. "Uber ein ewiges Rudern", Artforum, 1997.

1997 Openstelling the Frame of Time, Provinciaal Museum Hassel 1996 Mirades' sobre el Museu', MACBA, Barcelona, Espanha Bibliografia Selecionada

Tsuchiya, Kimio (Japão)

Ingrid Swenson, "Richard Venlet" IN: cat. exp. Every Day, 11th Biennial

Fukui, 1955 Vive e trabalha em Matsudo

of Sydney, Sydney, 1998 Filip Luyckx, Waarneming vorcbij transparante grenzen Kunst Nu,

Exposições Individuais 2001

Undeveloped Memory, GalleryGAN, Tóquio, Japão

Vereniging Ghent, Ghent, 1996. Michael Tarrantino, "A Game of Interference" IN: cat. exp. Ann

1998 Three Circles, Sherman Galleries, Sydney, Austrália

Veronica Janssens & Richard Venlet, Chissenhale Gallery,

1996 IIlusion and Remembrance: Installation by Kimio Tsuchiya, Hara Museum of Contemporary Art, Tóquio, Japão

London, 1993. Jonathan Watkins, "Installation is Everything and Everything is

1994 Provenance, Saito Memorial Kawaguchi Museum of

Installation" IN: cat. exp. You Are Here, Royal College of Art,

Contemporary Art, Kawaguchi, Japão 1990 Eternity, Centre d' Art Contemporain de Vassivi'ere, Limoges,

London. Jose Luis Brea, "No lo Indicible in Richard Venlet Criticai Distance" IN:

França

cat. exp. Ado Gallery.

Exposições Coletivas 2001

Ikiro! - Be Alive! Contemporary Art from Japan: 1980 Until Now, Króller-Müller Museum, Otterlo, Holanda

Walker, Kara (Estados Unidos) Stockton, CA, 1969

2000 The 3rd Kwangju Biennale, Kwangju, Coréia do Sul

Vive em Nova Iorque e trabalha em Portland

1996 The 2nd Asia-Pacific Triennial of Contemporary Art, Queensland

Exposições Individuais

Art Gallery, Brisbane, Austrália 1995 Art in Japan Today 1985-95, Museum of Contemporary Art, Tóquio, Japão

2001

1999 Kara Walker, UCLA Hammer Museum of Art and Cultural Center,

1992 My Home Sweet Home in Ruins: The Urban Environment and Art in Japan, Setagaya Art Museum, Tóquio, Japão

Los Angeles, EUA 1998 Kara Walker, The Renaissance Society, University of Chicago,

Bibliografia Selecionada Jaap Bremer, cat. exp. Ikiro! - Be Alive! Contemporary Art from Japan:

Chicago, EUA 1997 Kara Walker, The Henry Art Gallery, University of Washington,

1980 Until Now, Króller-Müller Museum, Otterlo, 2001. Pierre Restany, Mont-de-Marsan Sculptures, Mont-de-Marsan, 1997. Toshio Matsumura, cat. exp. Forms in Nature, Hakone Open-Air Museum, 1999. Toshio Shimizu, Sur Everyday-Life, Shanghai Art Museum, Shanghai, 1998. Cat. exp. The 2nd Asian-Pacific Trienniale of Contemporary Art, Queensland Art Gallery, Brisbane, 1996.

American Primitive, Brent Sikkema Gallery, Nova Iorque, EUA

2000 Fantasies of Disbelief, Des Moines Art Center, Des Moines, EUA

Seattle, EUA Exposições Coletivas 2001

Schaten Risse, Kunstbau Lenbachhaus, Alemanha

2000 Drawing on the Figure: Works on Paper of the 1900's from the Manilow Collection, Museum of Contemporary Art, Chicago, EUA Das Gedaechtnis der Kunst, Museu Histórico de Frankfurt, Alemanha 1999 Selections from the Permanent Collection, Walker Art Center,

Venlet, Richard (Bélgica) Hamilton, Austrália, 1964 Vive e trabalha em Bruxelas

Minneapolis, EUA 1997 No Place Like Home, Whitney Biennial, Whitney Museum of Art, Nova Iorque, EUA

Exposições Individuais

Bibliografia Selecionada

2001

James Hannaham, "Pea, Ball, Bounce: Interview with Kara Walker",

Hyper SpaeieMarie Puck Broodthaers, Bruxelas, Bélgica Klang!raum-bewegung * 18-*45', Kunstraum Düsseldorf, Alemanha

1996 Museum voor Hedendaagse Kunst, Ghent, Bélgica 1993 Chissenhale Gallery, Londres, Grã-Bretanha 1990 Palais des Beaux-Arts, Bruxelas, Bélgica Exposições Coletivas 2000 Metro/polis Bruxelles, Brussels 2000 City of Culture, Bruxelas, Bélgica 1998 Every Day, 11th Biennal of Sydney, Sidney, Austrália Genius Loei, Kunsthalle Bern, Suíça

274

Interview, Novemb.er 1998, pp. 114-119. Gary Garrels, cat. exp. Kara Walker: Upon my Many Masters - An Outline, San Francisco Museum of Modern Art, 1997. Lynn Gumbert, "On the Edge: Kara Walker, Anything but Black and White", Artnews, 96, n. 1, January 1997, p. 136. Kara Walker, cat. exp. Kara Walker, Renaissance Society at the University of Chicago, Chicago, 1997. Thelma Golde, "Oral Mores: A Postbellum Shadow Play", Artforum, 35, n. 1, September 1996, pp. 92-93.


Weinstein, Gal (Israel)

Ramat Gan, 1970 Vive e trabalha em Tel Aviv

Exposições Individuais 2001

San Francisco Art Institute, San Francisco, EUA Barbara Davis Gallery, Houston, EUA

2000 Passage 5, colaboração com Pedro Cabrita Reis, Chelouche

Gallery, Tel Aviv, Israel 1999 Close to the Ground, Kibbutz Art Gallery, Tel Aviv, Israel

1988 3 Artists, 3 Solo Shows, The Artist's Studios' Gallery, Tel Aviv, Israel

Exposições Coletivas 2001

The Vera, Silvia and Arturo Schwartz Collection of Contemporary Art, Tel Aviv Museum of Art, Israel

2000 Havana Nagila, Cuba-Israel: Dialog, Chelouche Gallery, Tel Aviv,

Israel 1999 4 Men, Art Focus 3, The Teddy Kollek Stadium, Jerusalém, Israel Hiria in the Museum, Tel Aviv Museum of Art, Tel Aviv, Israel 1998

Young Artists Fellow's Exhibit, Tel Aviv, Israel

Bibliografia Selecionada Tali Tamir, "Wall, Skin and Psiche in Gal Weinstein's Work", Passage International, Project n. 5, Chelouche Gallery of Contemporary

Art, Tel Aviv, 2000.

275


Curadores [Curatorsl

África do Sul [South Africa]

Congo (República Democrática) [Democratic Republic of the Congo]

Prince Dube

André Magnin

Albânia/França [AI bania/F rance]

Coréia do Sul [South Korea]

Corinne Diserens

Jin SUp Yoon

Alemanha [Germany]

Costa Rica [Costa Rica]

Helmut Friedel

Joaquin Rodríguez dei Paso

Argentina [Argentina]

Croácia [Croatia]

Jorge Glusberg

Leonida Kovac

Armênia [Armenia]

Dinamarca [Denmark]

Garo Keheyan

Dorthe Abildgaard

Austrália [Austral ia]

Egito [Egypt]

Trevor Smith

Mohamed Ghoneim

Áustria [Austria]

EI Salvador [EI Salvador]

Zdenka Badovinac

Astrid Bahamond

Bélgica [Belgium]

Equador [Ecuador]

Moritz Küng

Lenin Qfia

Bolívia [Bolivia]

Eslovênia [Slovenia]

Pedro Querejazu

Aleksander Bassin

Bulgária [Bulgaria]

Espanha [Spain]

Bozhidar Boyadzhiev

Alicia Chillida

Canadá [Canada]

Estados Unidos [United States]

Daina Augaitis

Robert Hobbs

Chile [Chile]

Finlândia [Finland]

Justo Pastor Mellado/Luisa Ulibarri

Paula Toppila

China [China]

França [France]

Fan Di An

Corinne Diserens

Chipre [Cyprus]

Grã-Bretanha [Great Britain]

Nicos Nicolaou

Richard Riley

Cingapura [Singapore]

Grécia [Greece]

Bridget Tracy Tan

Efi Strousa

Colômbia [Colombia]

Guatemala [Guatemala]

Maria Belén Saéz de Ibarra

Rosina Cazali

276


Holanda [Netherlands]

Portugal [Portugal]

Lily van Ginneken

Miguel von Hafe Pérez

Honduras [Honduras]

Rússia [Russia]

Bayardo Blandino

Joseph Baekstei n

Hungria [Hungary]

Suécia [Sweden]

Julia Fabényi

Maria Lind

Irlanda [Ireland]

Suíça [Switzerland]

Patrick Murphy

Pierre-André Lienhard

Israel [Israel]

Taipei Fine Arts Museum, Taiwan

Tali Tamir

Fang-Wei Chang

Itál.ia [Italy]

Trinidad e Tobago [Trinidad and Tobago]

Paolo Colombo

Charlotte Elias

Iugoslávia [Yugoslavia]

Turquia [Turkey]

Vesna Milie

Hüsamettin Koçan

Japão [Japan]

Ucrânia [Ukraine]

Kazuo Yamawaki

Jerzy Onueh

Letônia [Latvia]

Uruguai [Uruguay]

Ojars Petersons

Clever Lara

Líbano [Lebanon]

Venezuela [Venezuela]

David Leiber

Elida Salazar

México [Mexico]

Videoarte Africana [African Video-Art]

Luis Gallardo

Mareei Odenbaeh

Nicarágua [Nicaragua]

Raul Quintanilla Noruega [Norway]

NOART Nova Zelândia [New Zealand]

Robert Leonard Palestina [Palestine]

Khaled Hourani Panamá [Panama]

Adrienne Samos Paraguai [paraguay]

Margarita Morselli Peru [Peru]

Frederiek Cooper Llosa

(Comissário [Commissioner])

Polônia [Poland]

Anda Rott,enberg Porto Rico [Puerto Rico]

Marimar Benítez

277


Créditos e Agradecimentos [Credits and Acknowledgments]

Patrocínio para a transcodificação de vídeos: ANTEL

África do Sul

Áustria

Pitso Chinzima

Georg Paul Thomann

Apoio: National Arts Council of South Africa

Apoio: Bundeskanzleramt, Wien

Department of Arts, Culture, Science and Technology Johannesburg Art Gallery South African National Gallery

Bélgica Richard Venlet Cortesia do artista

Albânia/França

Apoio: Ministério da Cultura da Comunidade Flamenga

Anri Sala

Agradecimentos: Museum van Hedendaagse Kunst, Antuérpia; Bart de

Patrocínio: AFAA - Ministere des Affaires Étrangeres, França

Baere; Liliane Dewachter; Carine van Dyck; Bart Baes; Koen

Cortesia: Galerie Chantal Crousel, Paris

Thiessen; publiganda (Ghent); Art & Exhibition Services

Apoio: Ministere de la Culture, Delegation aux Arts Plastiques, França

(Antuérpia); Emiliano Battista; Pieter Blondé; Julie Bryden; Patrick

Consulat General de France à São Paulo

van Caelenbergh; Marc Huysmans; Paul Casaer; Herman Daled;

Direction des Affaires Culturelles de la Ville de Paris

Wouter Davidts; Luc Derycke; Sabine De Vijlder; Danny Deweerdt;

Itaú Cultural

Dora Garcia; Christian Kieckens; Kate Mayne; Hans Theys; Koen

FNAC

T'Seijnen; Jan Verlinden

Carta Blanca Editions, Marselha

Bulgária

Alemanha

Marran Gosov

Ruppreeht Geiger

Apoio: Union of Bulgarian Artists

Patrocínio: IFA - Institut für Auslandsbeziehungen e.v., Auswartiges Amt

National Culture Fund

Cortesia: Walter Storms Galerie, Munique

Sts. Cyril and Methodius Foundation

Apoio: Rolf Becker

Agradecimentos: Ruen Ruenov (crítico e curador); Victor Melamed,

Jan Ahlers

Balkan Airlines; Radosvet Radev (Presidente da National Daric

Pro Arte GmbH

Radio)

Mic Schütz Agradecimento: Stadtische Galerie im Lenbachhaus, Munique

Argentina

Camarões Pasquale Marthine Tayou Patrocínio: AFAA - Ministere des Affaires Étrangeres, Afrique en

Dino Bruzzone Apoio: Ministerio de Relaciones Exteriores Museo Nacional de Bellas Artes

Création

Canadá Stan Douglas

Armênia

Cortesia do artista

Azat Sargsyan

Apoio: The Vancouver Art Gallery

Agradecimento: The Pharo Trust

Canada Council for the Arts British Columbia Arts Council

Austrália

Department of Foreign Affairs and International Trade

Robert MaePherson Cortesia: YuilllCrowley Gallery Apoio: Australia Council for the Arts Arts Queensland

278

Chile Pablo Rivera Apoio: Ministerio de Relaciones Exteriores


China

Espanha

Wang Jian Wei

Rogelio López Cuenca

Apoio: Ministry of Culture

Apoio: Ministerio de Asuntos Exteriores

China International Exhibition Agency Chipre

Estados Unidos Kara Walker

Yioula Hadjigeorghiou

Cortesia: Donna and Cargill MacMillan; Brent Sikkema Gallery, Nova Iorque

Apoio: Ministério de Educação e Cultura do Chipre

Apoio: Associação Alumni

Cingapura

Agradecimentos: Fund for U.S. Artists at International Festivais and Exhibitions; National Endowment for the Arts; Rockefeller

Hong Sek Chern

Foundation; Pew Charitable Trusts; Peter Norton and the Peter

Apoio: National Arts Council

Norton Family Foundation; Consulate General of the United

Singapore Art Museum Colômbia Luis Fernando Peláez Agradecimento: Maria Belén Saez de Ibarra (Coordenadora de Artes Visuales), Ministério da Cultura

States, São Paulo Finlândia Seppo Renvall Apoio: Veli Grana, AVEK Promotion Centre for Audiovisual Art, Helsinki Kirsi Tykkylainen, Finnish Film Foundation, Helsinki

Congo (República Democrática) Chéri Samba Copyright do artista Cortesia: The Pigozzi Collection, Genebra

Marketta Seppc':ila, FRAME Finnish Fund for Art Exchange, Helsinki França Jean-Luc Moulêne Patrocínio: AFAA - Ministêre des Affaires Étrangêres

Costa Rica

Cortesia: Galerie Anne de Villepoix, Paris; Carlier/Gebauer, Berlim

Rodolfo Molina

Apoio: Ministêre de la Culture/Delegation aux Arts Plastiques Consulat General de France à São Paulo

Apoio: Teoré/tica, Costa Rica

Jornal Valor Econômico

Croácia Ivan Faktor Apoio: Museum of Contemporary Art, Zagreb Embaixada da República da Croácia Dinamarca Michael Elmgreen/lngar Dragset Cortesia: Danish Contemporary Art Foundation

Agradecimento: Jean-Charles Masséra Grã-Bretanha Willie Doherty Cortesia do artista; Matt's Gallery, Londres; Alexander & Bonin, Nova Iorque Apoio: British Council Grécia

Egito Abd EI Saiam Eid Apoio: Ministério da Cultura do Egito Agradecimentos: Farok Husni (Ministro da Cultura); Ahmed Nawor

Maria Papadimitriou Apoio: Hellenic Ministry of Culture Departamento de Artes Visuais

(Coordenador do Setor de Belas Artes); Gamal Tawfix

Guatemala

(Conselheiro da Embaixada Egípcia no Brasil)

Melanie Ríos

Equador Manuel Amaru Cholango Apoio: Casa de la Cultura Ecuatoriana Fundación Pueblo Indio dei Ecuador Eslovênia Art Center Metelkova Mesto Apoio: Ministério da Cultura da República da Eslovênia Agradecimento: Janez Hlebanja (Cônsul Honorário da República da Eslovênia no Brasil)

Apoio: Christian Aid Foundation Agradecimentos: Daniel Hernández; Thelma Alvarez Holanda Atelier van Lieshout Apoio: Atelier van Lieshout, Roterdã Consulado-Geral da Holanda em São Paulo, Hans Glaubitz (Cônsul-Geral em São Paulo) Ministério da Educação, Cultura e Ciências da Holanda, Rick van der Ploeg (Ministro) Mondriaan Stichting, Gitta Luiten (Diretor), Amsterdã Stroom, The Hague Center for Visual Arts, Haia

279


Hungria

Noruega

Tamás Komoróczky

Ole Jorgen Ness/Nesstudio

Cortesia: Wallpaper Collection

Apoio: NOART

Apoio: Ministério da Herança Cultural da República Húngara Kunsthalle, Budapeste Europapier

Galleri Riis, Oslo Nova Zelândia Gavin Hipkins

Irlanda

Cortesia: Hamish McKay Gallery, Wellington

Clare Langan

Apoio: Creative New Zealand

Cortesia: Green on Red Gallery, Dublin

Palestina

Israel

Sliman Mansour

Gal Weinstein

Agradecimento: AI Wasiti Art Centre, Jerusalém

Apoio: Ministério de Ciência, Cultura e Esportes Administração de Cultura Departamento de Artes Visuais Ministério de Relações Exteriores

Paraguai Jesús Ruiz Nestosa Apoio: Ministério de Educação e Cultura do Paraguai

Departamento de Relações Culturais e Científicas

Peru

Consulado Geral de Israel, São Paulo

Philippe Gruenberg/Pablo Hare

Agradecimentos: Casa Caucaia Arquitetura; Telhados Paiva

Apoio: Instituto de Arte Contemporáneo Luis Cieza de León, CECOSAMI

Itália

Banco Sudamericano

Margherita Manzelli

Agencia de Viajes Nuevo Mundo

Cortesia: Studio Guenzani, Milão

TEKNOQUIMICA SA

Apoio: Ministério para os Bens e as Atividades Culturais

Galeria Lucia de la Puente

Direção Geral para a Arquitetura e a Arte Contemporânea

Galeria dei Excusado

Centro Nazionale per le Arti Contemporanee, Roma

Martin Ugaz

Istituto Italiano di Cultura, São Paulo

Flavia Gandolfo

Agradecimento: Claudio Guenzani Iugoslávia Mrdjan Bajic Apoio: Ministério das Relações Exteriores da República Federal da Iugoslávia

Polônia Katarzyna Kozyra Apoio: Ministério da Cultura da Polônia Agradecimentos: Institute for the Promotion of Art Foundation; Zacheta Gallery, Varsóvia

Ministério da Cultura da República da Sérvia Museu de Arte Contemporânea, Belgrado

Porto Rico Charles Juhasz-Alvarado

Japão Kimio Tsuchiya Apoio: The Japan Foundation Fundação Japão de São Paulo Letônia Famous Five/Liga Marcinkevica

Apoio: Instituto de Cultura Puertorriquena, San Juan Portugal João Tabarra Cortesia: Museu do Chiado, Lisboa Apoio: Ministério da Cultura de Portugal Instituto de Arte Contemporânea, Lisboa

Apoio: Ministério da Cultura, Letônia Academy of Art, Letônia Líbano Nabil Nahas Cortesia do artista; Sperone Westwater, Nova Iorque México Abraham Cruzvillegas Apoio: Instituto Nacional de Bellas Artes, Conacultura

280

Rússia Sergey Bratkov Apoio: ICA, Moscou


Suécia

Videoarte Africana

Annika Eriksson

Mawuli Afatsiawo

Apoio: Moderna Museet International Programme, Estocolmo

Moshekwa Langa

Agradecimentos: Mikael Adsenius & Lena Essling; Funcionários da

Goddy Leye

Fundação Bienal de São Paulo; Laércio Redondo; Ana Paula

Zwelethu Mthethwa

Cohen; Jens Hoffmann; Superflex; Rasmus Koch; Adrian

Ingrid Mwangi

Tackman; Roberto Elisabetsky/Videoimagem; Marcelo Soubhia/

Papisthione

Fotosite; Timo Menke; Lesley Ann Ford; Caira Sogl

Patrocínio: IFA - Institut für Auslandsbeziehungen e.v., Auswartiges Amt, Alemanha

Suíça Fabrice Gygi

Cortesia: The Goodman Gallery, Joanesburgo (Zwelethu Mthethwa)

Apoio: Bundesamt für Kultur, Berna Consulado-Geral da Suíça em São Paulo La Manufacture, Niort, França

Taipei Fine Arts Museum, Taiwan Chien-Chi Chang Cortesia do artista; Taipei Fine Arts Museum

Trinidad e Tobago Edward Bowen Apoio: The Ministry of Human Development and Culture of Trinidad and Tobago Caribbean Contemporary Arts, Trinidad

Turquia Canan Beykal Apoio: Ministério da Cultura, Turquia

Ucrânia Taras Polataiko Agradecimentos: Center for Contemporary Art, Kiev; Saskatchewan Arts Board; The Canada Council; Kodak Ukraine; Wayne Baerwaldt; Gilles Hebert; George Hawrylyshyn; Adhemar Altieri

Uruguai Marco Maggi Cortesia: Hosfelt Gallery, San Francisco; Museo Nacional de Bellas Artes, Uruguay

Venezuela Carlos Cruz-Diez Apoio: Consejo Nacional de la Cultura

Vietnã Jun Nguyen-Hatsushiba Cortesia: Mizuma Art Gallery, Tóquio, Japão Apoio: Nanjo & Associates, Tóquio, Japão

Agradecimentos Gerais [General Acknowledgmentsl Akzo Nobel Cromus Embalagens Elevadores Atlas Schindler Fotoline Serviços Gráficos Gold Quality Paulo's Comunicação e Artes Gráficas Rohr S/A Estruturas Tubulares Satipel Industrial

281


Funcionários [Staff]

Engenharia [Facilities]

Núcleo de Projetos e Publicações [projects and Publication Department]

Luiz Augusto De Biasi

Ana Elisa de Carvalho Silva Marize de Almeida Nóbrega Martins

Secretaria da Diretoria [Director's Officel

Lucia Aparecida Rizzardi

Gerência de Administração e Financeiro [Financiai Department]

Anderson de Andrade

Kátia Marli Silveira

Maria da Glória de Araújo

Mario Rodrigues da Silva

Roberto Alvarenga

Amarildo Firmino Gomes Adriana Cristina de Lima Pereira

Assistentes da Curadoria [Curator's Office]

Cleise Pereira Araújo

Denana Jovanovic

Lisania Praxedes dos Santos

Melina Valente

Bruna Nogueira Azevedo

Yara Kerstin Richter

Thiago Macedo Vinícius Robson da Silva Araújo

Arquitetura [Architecture Department]

Mário Biselli & Artur Katchborian - Arquitetos Sérgio Matera

(projeto expográfico)

Valdomiro Rodrigues da Silva

(coordenador do projeto) Arquivo Wanda Svevo [Wanda Svevo Archivesl

Leandro Alegria Pereira

Heloísa Liberalli Bellotto

Samuel Pinheiro Guimarães Lucila Monteiro de Barros Martens

(estagiária)

(consultora Arquivologia)

Maria Cristina Vendrameto Rogério Xavier

(coordenação Arquivologia)

(coordenação Biblioteconomia)

Gerência de Eventos [Events Department]

Dalton Delfim Mazieiro

Liliane Fratto Calazans Salim

Jorge Lody

Mônica Shiroma de Carvalho

Iraci Cristina Bredariol Palmieri

Tânia Mills

Tatiana Sampaio Ferraz

Vânia Mamede C. Shiroma

Elaine Regina Lanzoni

Claudia Fernanda de Souza

Juliana Nascimento da Silva

Edouard Fraipont

Giovana do Carmo Nogueira

Jacopo Crivelli

Juliana Camachi

Lúcia Gouvêa

Maíra Fernands Bittencourt

Camila Belchior

Sabrina Freschi

(estagiária) (estagiária)

(estagiária)

Margareth Tavares

Verônica Sala

Efistathia Vourakis

Priscila Leopoldo Rodrigues

Ãngela Ivanovici

Veronice Barros Paixão

Nicácio Pereira de Souza

Marcos Antônio de Araújo

282

(estagiária)

(estagiária) (estagiária)

(estagiária) (estagiário)


Manutenção e Montagem [Maintenance and Mounting]

José Geraldo Faria Eder Santos Emerson Áureo Horst Grimário Lira da Silva

Ação Educativa [Guided Tours] Coordenação Geral [Coordination]

Mirian Celeste Martins Gisa Picosque

Iraildo Brito Silva

Assistentes de Coordenação [Coordination Assistants]

José Pereira Costa

Maria Silvia C. Mastrocolla de Almeida

Josué Alves

Maria Ercília Fama de Castro

Marcelo de Souza Chrispim Lindomar Raimundo de S. Freitas Luiz Carlos Estevanin Serviços Gerais [General Services]

Josefa Gomes da Silva Enoque Alves dos Santos Josenita Vitor dos Santos Souza

Supervisão de Monitoria [Guided Tours Supervisors]

Daniella Puliti Laert Machado Junior Richard Calhabéu Coordenação do Projeto de Educação Especial [Special Education Project Coordination]

Nuria Kello

Idelvanda Rosa de Jesus Maria José Sousa Severina Ferreira da Motta

Assistente de Coordenação do Projeto de Educação Especial [Special Education Project Assistants]

Valquiria Prates

Portaria [Doormen]

Antônio Milton de Araújo Evilazio Pereira Sampaio Gilberto Pereira da Silva Isaias de Jesus Siqueira José Leite da Silva José Antônio dos Santos Nivaldo Francisco da Costa

Assessoria de Imprensa [press Office] Alexandre Ribeiro Justine atondo Pedro Bayeux Regis Motisuki

Tabajara de Souza Macieira

283


Edição [Edition]

Editor [Editor]

Projeto Gráfico [Graphic Design]

Alfons Hug

Bracher & Malta

Editora Assistente [Editorial Assistant]

Pré-Impressão [Prepress]

Ana Gonçalves Magalhães

Ponto & Meio

Coordenadora de Produção Gráfica [Coordinator of Print Production]

Impressão [Printing]

Mari Pini

Imprensa Oficial do Estado de São Paulo

Tradução [Translation]

Papel [Paper]

Christopher J. Ainsbury

Patrocínio RIPASA

Elaine Balotin

Cartão Royal 300 g/m 2 (capa)

Georg Sperber

Couché Image Mate 145 g/m 2 (miolo)

Ivone C. Benedetti Izabel Murat Burbridge João Moris Jo Takahashi Nina Hokka Peter Naumann Robert Culverhouse Rosiléa Carnelós Revisão [Revision]

John Norman Mary Pereira Ferrarini Regina Stocklen Vera Toledo Piza

284

Endereço [Address]

Fundação Bienal de São Paulo Parque Ibirapuera - Portão 3 04098-900 São Paulo - SP Brasil Tel. (5511) 5574-5922 Fax (5511) 5549-0230 bienalsp@uol.com.br www.bienalsaopaulo.org.br


Imagem da Capa [Cover ImageJ

© Getty Images do Brasil Ltda. (Global City Ughts, image by Craig Mayhew and Robert Simmon,

NASA Goddard Space Flight Center, based on data from the Defense Meteorological Satellite program) Imagens do Verso da Capa e p. 1-3 [Images trom Cover Backside and p. 1-3J

Bandeiras dos 70 países integrantes da 2S a Bienal de São Paulo (África do Sul, Albânia, Alemanha, Argentina, Armênia, Austrália, Áustria, Bélgica, Bolívia, Brasil, Bulgária, Camarões, Canadá, Chile, China, Chipre, Cingapura, Colômbia, Congo (República Democrática), Coréia do Sul, Costa Rica, Croácia, Cuba, Dinamarca, Egito, EI Salvador, Equador, Eslovênia, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Gana, Grã-Bretanha, Grécia, Guatemala, Holanda, Honduras, Hungria, Indonésia, Irlanda, Israel, Itália, Iugoslávia, Japão, Letônia, Líbano, México, Nicarágua, Noruega, Nova Zelândia, Palestina, Panamá, Paraguai, Peru, Polônia, Porto Rico, Portugal, Quênia, Rússia, Senegal, Suécia, Suíça, Taiwan, Trinidad e Tobago, Turquia, Ucrânia, Uruguai, Venezuela, Vietnã) Imagem das p. 6-7 [Image trom p. 6-7J

Juan Guerra

285


~ ~. ww~

--

~

GOVERNO DO ESTADO DE

SÁOPAULO Firme e presente,

cuidando de gente. ,

MRE SECRETARIA DE ESTADO m - DA CULTURA

*

SECRETARIA MUNICIPAL DA

Cultura


67JECH BRASIL

B R A S I L

-I-caiu

HARTFORD Decisões para toda a vida.

IMPRENSAOFICIAL SP

Qualidade gráfica com conteúdo.

SOVESPA Bolsa de Valores de São Paulo

1 1(ftripasa •

U·NISYS

CAIX A

Aqui seu dia-o-dia acontece

GOVERNO

FEDERAL Traba lhand o em todo o Bra sil


Este livro foi impresso em Capa: Cartão Royal 300 g/m 2 Miolo: Papel Couché Image Mate 145 g/m 2 Produzidos pela Ripasa SIA Celulose e Papel a partir de eucaliptos plantados em seus parques florestais

1 1r-ripasa Printed on: Cover: Cartão Royal 300 g/m 2 Body: Papel Couché Image Mate 145 g/m 2 Produced by Ripasa SIA Celulose e Papel from eucalyptus trees grown at their own plantation


Profile for Bienal São Paulo

25ª Bienal de São Paulo (2002) - Cidades  

Catálogo da 25ª Bienal de São Paulo (2002), livro Cidades idiomas: português / inglês

25ª Bienal de São Paulo (2002) - Cidades  

Catálogo da 25ª Bienal de São Paulo (2002), livro Cidades idiomas: português / inglês

Profile for bienal