Page 1

1


2


3


editorial

Esta edição é dedicada, principalmente, à criança, a qual é pureza e nos dá força para continuar acreditando em um futuro melhor. Ela é sinal de mudança, renovação e “faz o coração crescer para a vida engrandecer”. Criança é coragem, a esperança de uma Nação digna. Vamos cuidar desta joia com amor, dedicação e respeito, acima de tudo. Há um texto na revista que me fez pensar muito na criação dos filhos, como faz diferença a qualidade dos momentos que estamos juntos, não somente deles, mas daqueles que nos são próximos. Como será que conciliamos o dia-a-dia corrido em que vivemos com os nossos relacionamentos mais íntimos? Pensando nisto e em todas as outras aflições por que passam os pais e educadores, na construção de um ser humano melhor e mais feliz, procuramos alguém especial, da maior competência e dedicação ao assunto, a neuropsicóloga Betânia Alves Veiga Dell’ Agli, que abriu suas portas com muito carinho e hospitalidade para nos receber em uma entrevista curiosa e gostosa de ser lida.

Ops... erramos! Em nossa última edição tivemos vários problemas com grafia de palavras. Pedimos desculpas a você leitor pelas nossas falhas. Estamos trabalhando para melhorar modus operandi e evitar que problemas como esse continuem a acontecer. Na página 92, na matéria Poluíção e água - a importância da proteção dos mananciais, o infográfico mostra erroneamente que 23% da água no mundo é usada para irrigação, quando na realidade, esse valor é de 70%.

Procuramos inovar a cada edição, sempre. Nesta, a capa vem com duas graciosas crianças: Gabriel do Nascimento Matos e Nayane Domingues Lemes; e a novidade de termos editorias de moda, inéditos na edição de setembro, que estão maravilhosos. O conteúdo da revista Atua sempre procura trazer temas interessantes e diversificados, elaborados, na sua maioria, por escritores e especialistas sanjoanenses. As publicidades estão de igual beleza e toda a equipe, em especial, está de parabéns pela dedicação. Agradecemos, também, os anunciantes que confiam sempre em nosso trabalho. Aprecie leitor(a) o nosso produto. Foi com muito prazer e primor que o fizemos para você!

A Revista Atua (ano 6, número 24, Setembro de 2013) é uma publicação sem fins lucrativos da ACE - Associação Comercial e Empresarial - Rua São João, 237, Centro - São João da Boa Vista-SP. Tel. (19) 3634-4300. Sua distribuição é gratuita e dirigida, não podendo ser comercializada. Colaborações e matérias assinadas são de responsabilidade exclusiva dos seus respectivos autores, não representando necessariamente a opinião dessa publicação. Tiragem: 4 mil exemplares Editora-chefe Ângela Loup Pessanha | angela@acesaojoao.com.br Gerente Executivo Anselmo Moreira | gerencia@acesaojoao.com.br Jornalista responsável Fernanda Goulardins - MTb. 73.172 | imprensa@acesaojoao.com.br

Ângela Loup Pessanha Editora-chefe

Matérias Fernanda Goulardins Revisão João Sérgio Januzelli de Souza | jscoaching@ig.com.br

4

Projeto gráfico Mateus Ferrari Ananias | mateus@acesaojoao.com.br

12 Primavera verão 2013/2014

70

Entrevista central

16 Guerra as olheiras

80

Culinária

Venda de espaços publicitários Patrícia Maria Rehder Coelho | patrehder11@ig.com.br

22 Vacinação dos pets

84

Agito

Publicidades Alexandre Pelegrino | alexandre@acesaojoao.com.br

24 Agito

86

Sua língua

Fotos publicitárias Juan Landiva - (19) 9371-4781

26 Galera

90

Seja o mestre de suas emoções

Fotos sociais Davis Carvalho - (19) 8210-9499

32 Reestruturação na Polícia Civil

94

Bueno...bueno, Buenos Aires!

Impressão GRASS (São Sebastião da Grama/SP) - (19) 3646-7070

38 Família

102 Editorial

42 Editorial de moda

108 Agito

48 Agito

110 Opinião

50 É dos carecas que elas gostam mais

112 Brasil, palco de música ‘gringa’

52 Quebrando tabus

114 O Grande Irmão

facebook.com/atuarevista

56 Dentes saudáveis e bonitos

118 O Brasil em Hollywood

@atuarevista

64 Editorial

122 Na mesa de um bar

Atua Revista

Capa Foto: Juan Landiva Produção: Patrícia Maria Rehder Coelho, Fernanda Goulardins Modelos: Nayane Rayara Domingo Lemes e Gabriel do Nascimento Matos Nayane veste Shemil. Gabriel veste Polo Men, jaqueta Clube V e bermuda Peep Agradecimentos: Trololó - (19) 3633-6343

Siga a Revista Atua nas principais redes sociais:


5


6


7


caixa de entrada

’ Fotos históricas “Eu gostaria de sugerir que vocês fizessem uma materia reunindo fotos históricas da cidade, com o propósito de mostra-las a toda população e criar com isso um registro para as gerações futuras” Carlos Plácido

“A entrevista central com o Alexandre Costa é um grande exemplo de que com trabalho, persistência e muita luta, podemos realizar todos os nossos sonhos (...) ” Capa da edição 23 - Junho de 2013

Gravatas “As dicas sobre como combinar gravatas, ternos e camisas foram muito boas. Acho que vocês poderiam fazer mais matérias sobre esse tipo de roupa. Acho que assim como eu, muitos homens tem dúvidas e principalmente dificuldades em combinar tudo. Além disso ainda tem a questão do nó na gravata, que é um desafio a parte para muita gente (...) Deixo aqui meus parabéns!” Lúcio Costa

Fábio Dias

Sobre o que dizem as ruas “O artigo publicado na última edição da Revista Atua, escrito por Vinicius Wu, é muito interessante. Ele nos lembra de quanto o processo de inclusão social é imperfeito, inconcluso e contraditório; e o quanto parece que os partidos políticos, tanto a direita e quanto a esquerda, ainda estão perdidos sem compreender a mensagem das ruas” Luiz Roberto Aspergami

Livros “Gostaria de parabenizar o colunista Francisco de Assis pelas recomendações de livros. A cada edição ele nos apresenta um novo título, sempre mais interessante que o anterior” Sebastião Silveira

Cartas para esta seção... Podem ser enviadas para o email falecom@atuarevista.com.br ou por carta à rua São João, 237, Centro, São João da Boa Vista/ SP. Por motivo de espaço, as cartas selecionadas para publicação poderão sofrer cortes.

De olho no seu bolso Para você que quer melhorar a administração do seu orçamento pessoal, uma boa dica é a página Finanças para a Vida. Ela oferece ideias sobre como organizar as finanças pessoais, e sugestões bem humoradas para você equilibrar sua vida financeira. Olhe lá depois: http://www.facebook.com/FinancasParaaVida

8


9


radar

10

’


PAOLLA OLIVEIRA

VERテグ 2014

11

Sテグ JOテグ DA BOA VISTA AV. DONA GERTRUDES, 38 窶「 19 3623-3503


moda

Primavera verão 2013/2014 Pede destalhes e elementos decorativos em grandes quantidades por Mafê Murad

A nova temporada é uma das mais bem servidas dos últimos tempos por uma ação aditiva da moda. Teremos tudo para todos os gostos, na tentativa de inclusão e de satisfazer ao máximo os consumidores em tempos economicamente incertos. Contudo, as novidades reais são poucas. As estéticas que já orbitam o mundo da moda há algumas temporadas ganham menor ou maior importância neste período.

A cartela de cores é generosa, contemplando as mais diferentes intensidades. Seleção de materiais é surpreendente e as estampas e formas estão variáveis. Os detalhes e elementos decorativos são mais abundantes. A palavra de ordem é usabilidade para uma saída comercial em tempos de crise. O uso da transparência é um dos pontos mais fortes da estação, tanto nas roupas, como em calçados e acessórios. Dê uma conferida no rápido resumo que preparamos para você:

A volta dos anos 60 e 70 Duas décadas mais lembradas pela moda são as de 60 e de 70, que vira e mexe tem seus sucessos, modelos e estampas revitalizados em novas coleções de roupas. A oposição formal e a atitude dos períodos são as referências mais marcantes nos desfiles.

Estampas étnicas Mais uma vez a padronagem étnica marca presença. E dessa vez as referências são das culturas dos povos da África, América Central e dos índios da América do Norte. Com desenhos geométricos e bem colorida, a estampa étnica da próxima temporada fica ótima com assessórios de impacto, como um maxi colar ou uma pulseira chamativa.

12

Fotos: Reprodução Internet


Girlish com tudo Girly significa mocinha, menininha, e seu significado traduz perfeitamente a essência do estilo: girly é a gíria para a mulher que escolhe vestir-se e comportar-se num estilo especialmente feminino e delicado, com um visual suave e carinha de boa moça; a girly gosta de ser uma menina e trabalha duro para isso, encarando o mundo com graça e sensibilidade.

Cores da moda Entre as cores mais vistas teremos pigmentos intensos, néon, pastel, neutros, invernais, preto, branco e os queridinhos marrons. Uma palheta de cores ampla e completa. Em um extremo e outro, a temporada mostra-se multifacetada e o prefixo “multi” talvez seja o que melhor define a moda primavera/verão 2013/2014.

13


moda

Moda para os pequenos Para o verão 2013/2014, a moda infantil se joga no fluorescente! por Mafê Murad

Depois de conquistar o mundo adulto nas temporadas passadas, estará presente com menor intensidade nesta temporada também o neon, que lembra as canetas marca texto. Com atitudes superdivertidas, promete colorir a vida de nossos anjinhos. Estas cores finalizadoras podem ser amarela, laranja, rosa, verde, azul e vermelha. Mas na hora de compor o look, neutralize os tons neons, pois o bacana é utilizar uma peça fluorescente na composição, podendo ser ela uma peça de roupa, um acessório ou um calçado. Para as meninas, as cores quentes e iluminadas com muito brilho são a pedida para um verão muito mais alegre e divertido, com muito abuso das cores solares tam-

bém em batons, esmaltes de unha e bolsas! Para os meninos, a predominância do verde e azul não é surpresa. Outra peça neon que veio para ficar são os tênis super coloridos e divertidos que as crianças adoram. Para aqueles que querem apostar nesta modernidade, o melhor é fazer um contraponto com as cores naturais e neutras, como preto e branco, para garantir um resultado atraente e harmonioso. Inspiração barroca - Outro tema que deve estar em alta no verão é o barroco. Lúdicos laços e florais

unem-se a efeitos ópticos de listras ritmadas, desenhos ondulados e sequenciais. Ornamentos se destacam entre aplicações douradas ou glitterizadas, tal como superfícies rendadas, brocados e bordados. Anos 50 - A década de 1950 também deve aparecer por ai. Formas delicadas, arredondadas e nostálgicas se incorporam à moda infantil. Entre florais e animais inspirados na década, poás, xadrezinhos e microestampas. Segundo o conceito sugerido, a combinação de cores neutras e suaves destaca-se neste verão.

Cores vivas - O espírito jovem e o colorido vibrante do mundo virtual, são retratados em tons fluorescentes. Outra peça neon que veio para ficar são os tênis super coloridos e divertidos que as crianças adoram.

Fotos: Divulgação

14


15


beleza

Guerra às olheiras Aprenda a combater esse mal que ataca tanto os homens quanto as mulheres Não tem sensação mais frustrante para alguém que cultua a beleza do que se olhar no espelho e se enxergar um urso panda. É... urso panda, é isso mesmo. É um pesadelo mesmo estando acordado. As olheiras incomodam, atrapalham a aparência e causam baixa autoestima nas pessoas. Poucas horas de sono, estresse, fumo, consumo de álcool e café. Todos esses fatores, mais a predisposição genética, são responsáveis pelo aparecimento das temidas olheiras. Elas pesam no rosto, envelhecem e deixam a pessoa com um ar cansado. Atacam tanto os homens quanto as mulheres, tendem a piorar com a idade e, muitas vezes, começam a aparecer ainda na adolescência, sendo mais comuns na fase adulta. Sua coloração varia do acastanhado ao azulado. Foto: Reprodução Internet

Olheiras - Especialistas dizem que trata-se de um problema genético, cujos sintomas aparecem quando os vasos da região próxima aos olhos contraem e relaxam de maneira diferente, fazendo com que o sangue caia na pele e vire um pigmento. Sendo assim, é preciso combater o componente vascular e o pigmentar. Para a esteticista Renata Santos, as olheiras são o aspecto criado pela concentração anormal de vasos sanguíneos ou melanina (pigmento) sob a pálpebra inferior, que resulta em um tom escurecido abaixo da região ocular: “Existem dois tipos de olheiras: as azuladas, de origem vascular, provocadas pelo abrandamento circulatório; e as castanhas ou marrons escuras, de origem pigmentar, causadas pela acumulação de pigmentos na pele. Mas existe também aquela que é decorrente de fa-

tores de hereditariedade e se caracteriza por olhos muito fundos”, explica ela. Sua formação é multifatorial. As principais causas são: Genética: esse é o fator mais comum entre os descendentes de árabes e latinos. As pessoas de pele morena tendem a apresentar mais pigmentação na região das pálpebras; Vascularização: alguns fatores estimulam o fluxo sanguíneo e dilatam os vasos da região, tais como fumo, bebida em excesso, privação de sono, estresse, alergia, período da menstruação, má alimentação etc.; Pele Fina: a pele ao redor dos olhos é vinte vezes mais fina que a do resto do corpo, o que justifica a maior transparência diante de algumas situações, como o avanço da idade, quando a pele fica mais fina, o que pode deixar transparecer os vasinhos da região. Se juntar com os aspectos descritos acima, quando há uma congestão dos vasos, a tonalidade arroxeada fica ainda mais aparente; >

Make - Maquiagem ajuda a disfarçar o problema, mas não oferece uma solução definitiva. Ao contrário do que muita gente pensa, o melhor tratamento antiolheira é aquele que ataca a causa do problema.

16


17


Dicas para melhorar as olheiras • Compressas geladas com água e chás diminuem a inflamação. Os chás anti-inflamatórios são os melhores: camomila, erva-doce, hortelã. Depois massageie de forma a reabsorver o edema; • Não use muita maquiagem a fim de disfarçar olheiras. Pode piorar. O corretivo no tom exato da pele é uma ótima solução; • Se você tem muita olheira, destaque outras áreas do rosto com a maquiagem. Quem tem uma olheira muito profunda pode usar pouca maquiagem nos olhos e caprichar nas maçãs e na boca para roubar a atenção; • Dormir bem é um truque de beleza infalível. Assim como ter bons hábitos: diminua o fumo e a ingestão de sal e de bebidas alcoólicas, que causam retenção de líquidos.

Deposição de pigmento: as manchas surgem pelo excesso de melanina na região. Tratamento – Ao contrário do que muita gente pensa, o melhor tratamento antiolheira não é o mais caro ou “high tech”, mas, sim, aquele que ataca a causa do problema. Conforme a esteticista, para cada tipo de olheira é indicado um tipo de tratamento. Para a olheira marrom ou castanha, é recomendado o uso de cremes clareadores e luz intensa pulsada: “É um procedimento a laser, de alta tecnologia, que remove manchas e melhora muito o aspecto escurecido”. Para a olheira azulada, indica-se a prática de exercícios físicos, que melhoram a oxigenação do sangue, associada ao uso de cremes e extratos vegetais. Há também o preenchimento à base de ácido sintético para corrigir depressões e produzir volume. Este procedimento é indicado para casos mais graves e é feito por profissionais da área médica. Outro método eficaz é a fitoterapia, que pode colaborar muito para os resultados finais. Nesta ciência, é recomendado o uso de algumas plantas 18

para cada tipo de olheira. “Para as olheiras azuis, recomenda-se o uso de plantas que podem ajudar a ativar a microcirculação, tais como arnica, tília, rosa, camomila e outras. Para as olheiras castanhas, recomenda-se o uso daquelas com poder antioxidante e clareador, tais como extratos marinhos originários de algas e das vitaminas C e K”, afirma a esteticista. Ela ainda complementa: “As plantas ricas em taninos e flavonoides, como a cavalinha e o pé-de-leão, também são boas indicações para aliviar a aparência das olheiras”. Procedimentos médicos - Para tratar olheiras arroxeadas, o atual queridinho dos especialistas é o laser ND:Yag Q Switched, presente nos aparelhos Spectra Laser Toning e Elektra. A justificativa é que a energia liberada pelo equipamento penetra na pele sem provocar dor ou qualquer dano e explode os pigmentos vermelhos do sangue responsáveis pela olheira. Com isso, eles se transformam em micropartículas que são absorvidas pelo organismo. Após duas sessões, nota-

-se uma melhora nas olheiras, mas, em média, são necessárias cinco, uma por mês. No caso das olheiras acastanhadas, o que existe de mais novo e eficiente para amenizá-las é a luz intensa pulsada. O mecanismo é idêntico ao do laser, a diferença é que essa luz atrai outro tipo de pigmento e ainda melhora o tônus da pele. O tratamento é feito em quatro sessões, com um intervalo de três semanas entre elas. Para as olheiras acastanhadas, que vêm acompanhadas de flacidez, o mais indicado é o laser de thulium. A mais recente novidade com essa tecnologia chama-se Fraxel Dual, que possui uma ponteira específica para as pálpebras que, além de fazer uma varredura no pigmento acastanhado, estimula a produção de colágeno. Ao todo, são feitas de três a cinco sessões, com intervalo de 40 dias entre elas. E para as olheiras fundas ou assombreadas, a novidade é o preenchimento com ácido hialurônico. A substância é a mesma usada para suavizar sulcos e rugas profundas, porém, na versão desenvolvida para as pálpebras as moléculas, são bem menores e a

>


19


textura mais fina e viscosa. A forma de aplicação também evoluiu. Agora, o ácido hialurônico é injetado do canal da lágrima em direção à bochecha com uma microcânula flexível e em uma única picada, contra cinco do método anterior. Com isso, o local tratado fica menos dolorido e

com menos hematomas. Outra vantagem da aplicação é que ela só precisa ser repetida a cada um ano e meio. Maquiagem - Aproveite alguns truques de maquiagem usando corretivos para disfarçar as indesejadas. Mas, todo cuidado é pouco na hora de

corrigir as olheiras, é preciso se atentar para não torná-las ainda mais visíveis ao invés de esconde-lás. Veja algumas dicas de corretivos, afinal eles são obrigatórios no nécessarie. Para conseguir um resultado perfeito, o segredo está na escolha da cor e no jeito certo de utilizar:

Comprando o corretivo Corretivos de texturas mais secas são bons para cobrir pequenas espinhas, mas não funiconam bem nas olheiras, pois são mais difíceis de espalhar e podem acabar ficando com um aspecto craquelado. Já os produtos muito líquidos saem com facilidade e não dão cobertura suficiente. Por isso, para regiões maiores, dê preferência aos mais cremosos, que espalham melhor e garantem um aspecto mais natural. Eles podem ser encontrados em bastão, potinho, bisnaga ou até mesmo em formato de caneta.

O tom certo O maior perigo na hora de comprar o corretivo é adquirir um produto claro demais, deixando a pele com um aspecto de manchada. O ideal é comprar um produto que seja, no máximo, dois tons mais claros que a cor da sua pele. E se joga na hora da compra! Nada de só conferir a cor da embalagem. Prove os tons mais parecidos com a sua pele, e fique com o que parecer mais natural possível.

Escondendo as olheiras Se as suas olheiras são avermelhadas, opte por corretivos em um tom mais claro do que a pele do rosto. Caso suas olheiras sejam mais escuras, escolha corretivos em tons de amarelo. Já no caso de olheiras esverdeadas ou arroxeadas, produtos em tons de bege, levemente avermelhados, dão conta do recado!

Fotos: Reprodução Internet

20


21


seu pet

Fique atento à vacinação dos pets Saiba a importância das vacinas e os tipos existentes Manter a carteirinha de vacinação do seu pet atualizada é fundamental para a saúde dele. Além disso, a vacinação ainda é o método de proteção mais eficaz contra as doenças infecciosas. Mas antes que as picadas comecem, o veterinário deve fazer um exame clínico e saber se o pet está saudável para receber a vacina, pois qualquer problema que o animal apresente, deve ser tratado antes da aplicação da injeção. Conforme afirma o veterinário Daniel Hornink, “Não é só vacinar. O animal tem que ser examinado por completo e com muito cuidado para se Foto: Reprodução Internet

22

ter a certeza de que está apto a receber a vacina, pois vacinar animais doentes ou convalescentes, pode trazer complicações como o risco de morte”. Os pets precisam desses cuidados já no início da vida. “Assim como os seres humanos, logo após o nascimento, já começa a vacinação preventiva para se evitar a profilaxia de doenças graves. Os filhotinhos caninos e felinos também necessitam de vacinas que previnem doenças que podem levá-los, na maioria das vezes, ao óbito”, comenta o especialista. Para criar anticorpos contra vírus e bactérias causadores de doenças gra-

ves e fatais, nos caninos as picadinhas já começam com 45 dias de vida do filhote, que recebe três doses da vacina com intervalos entre 20 e 30 dias, sendo que a última dose a ser aplicada é a antirrábica. Nos felinos, a vacinação começa a partir dos dois meses. Tipos de vacinas – As vacinas caninas mais usadas são: V8, V10 e antirrábica, que protegem os peludos contra as doenças, tais como: cinomose, coronavirose (transmitida por fezes contaminadas), hepatite infecciosa (doença viral com manifestação hepática e ocular), leptospirose, parvovirose (ví-


rus que causa diarreia e vômito), além da influenza e do adenovírus, que são patologias virais do sistema respiratório, tosse dos canis, giárdia, micrósporun canis e leishmania. Os felinos recebem inicialmente três doses da vacina polivalente (V3, V4 ou V5). A V3 protege os bichanos contra a panleucopenia (doença viral transmitida pelo contato com fezes e objetos contaminados), a calicivirose (infecção respiratória causada por vírus) e a rinotraqueíte (causadora de problemas respiratórios e alterações oculares). A V4 também previne a clamidiose, doença bacteriana causadora de lesões oculares. Já a V5, além das outras doenças, evita a leucemia viral felina (FeLV), sem cura e contraída pela saliva de animais contaminados. Além de todas essas doenças, gatos também devem ser imunizados con-

23

tra a raiva, com reforço anual. No Brasil, apenas a vacina antirrábica é distribuída gratuitamente. A próxima campanha acontece no 2º semestre de 2013 e as datas serão definidas pelas Secretarias Estaduais de Saúde de cada município. A vacinação é realizada pela prefeitura, o efeito de profilaxia é tão bom como as usadas em clínicas particulares. “Devido ao fato de a raiva ser uma zoonose, existe um controle grande pela vigilância sanitária, para que todos os animais recebam esta vacina, sejam caninos, felinos, bovinos, equinos, caprinos ou ovinos”, comenta Daniel. Reações – Os efeitos colaterais mais comuns das vacinas são dores locais e febre, além de sonolência e inchaço no local da aplicação. Alguns animais podem apresentar um quadro anafilá-

tico, reação alérgica mais forte e, neste caso, precisará ser examinado pelo veterinário. “Nos casos mais leves de dor, pode-se fazer uma compressa de água quente, quanto à prostração do animal, é necessário esperar até dois dias. Muitas pessoas têm medo de retornar ao consultório depois que os pets têm essas reações, o que é perigoso, pois alguns animais só adquirem a imunidade total quando recebem a terceira dose da vacina”, finaliza o veterinário. É preciso se atentar aos riscos causados pela vacinação sem a devida orientação ou supervisão de um médico veterinário. Todo processo de imunização em animais domésticos deve avaliar a condição básica de saúde do animal, analisar o nível de infestação parasitária, sua condição nutricional e elaborar um programa de vacinação adequada ao pet. A


agito

24

’


25


galera

Cássia Viera da Silva 25 anos, diagramadora O que você levaria para uma ilha deserta? Levaria para uma ilha deserta papéis e uma caneta. Qual a melhor coisa para se fazer em uma ilha deserta com essa pessoa? Não levaria uma pessoa. O que eu levaria é muito mais íntimo e pessoal, um papel e uma caneta para rascunhar experiências únicas e intransferíveis, tais quais sou... Quem você gostaria de ser, se não fosse você? Frida Khalo (intensa, excêntrica...) Qual é o lema da sua vida? Aponta para fé e rema!

O que é sagrado para você? Deus, família... Um sonho: ser mãe! Uma frustração: quando crio uma expectativa muito grande em cima das coisas (quaisquer que sejam elas) e essas não acontecem, realmente a frustração é fato! Mas logo passa. Nada que me prenda muito a esse sentimento. Um medo: da morte (gosto muito, muito, muito de viver!) rs Defina-se em uma palavra: espontânea O que você gostaria que eu lhe perguntasse, que eu não lhe perguntei? O que se leva da vida? rs

José Carlos Silva Júnior 36 anos, conselheiro tutelar O que você levaria para uma ilha deserta? As pessoas que amo. Qual a melhor coisa para se fazer em uma ilha deserta com essa pessoa? Tudo que é feito com pessoas que gostamos é a melhor coisa a se fazer.

O que é sagrado para você? Tudo no qual eu acredito e respeito. Defendo com todas as forças. Um sonho: estar mais perto do meu filhinho lindo. Uma frustração: não ter meu filho perto de mim.

Quem você gostaria de ser, se não fosse você? Não tenho inveja de ninguém não rs, sou bem meu fã mesmo. Qual é o lema da sua vida? Tenho dois lemas: “a mente que se abre a uma nova ideia jamais volta ao tamanho original”; e “sei que meu trabalho é uma gota no oceano, mas sem essa gota o oceano seria menor”.

26

Um medo: desencarnar sem ter evoluído espiritualmente. Defina-se em uma palavra: esperançoso. O que você gostaria que eu te perguntasse que eu não te perguntei? Tá bom assim, sou tímido com perguntas rs


Carla Gabriel 30 anos, supervisora de atendimento O que você levaria para uma ilha deserta? Eu levaria livros! Adoro ler. Qual a melhor coisa para se fazer em uma ilha deserta com essa pessoa? Acho que com todo o tempo livre na ilha deserta, dá pra fazer muitas coisas! Conversar, namorar, conhecer o lugar... Quem você gostaria de ser, se não fosse você? Angelina Jolie. Além de bonita e boa atriz, ela faz um trabalho humanitário muito legal. Qual é o lema da sua vida? Faça e se arrependa, mas não deixe de tentar. O que é sagrado para você? Minha família. Um sonho: tenho vários! Mas um deles é dar a volta ao mundo, conhecer pessoas, lugares e culturas diferentes. Uma frustração: ter voltado a fazer faculdade só agora. Deveria ter voltado antes. Um medo: chegar no fim da vida e ver que não fiz as coisas que sempre planejei. Defina-se em uma palavra: persistente. O que você gostaria que eu te perguntasse, que eu não te perguntei? Ah, acho que faltou perguntar se eu sou feliz! E a resposta é: muito feliz, graças a Deus!

José Antônio Júnior 28 anos, publicitário Especialista em marketing O que você levaria para uma ilha deserta? Minha esposa Quem você gostaria de ser, se não fosse você? Eu gostaria de ser um médico Qual é o lema da sua vida? Existem dois dias do ano em que não posso fazer nada; Um se chama “ontem” e o outro se chama “ amanhã” Portanto “hoje” é o dia de fazer tudo como se fosse o último! O que é sagrado para você? A família Um sonho: viajar o mundo Uma frustração: não ter feito outra faculdade Um medo: Não tenho medos “Não tenha medo da vida, tenha medo de não vivê-la.” (Augusto Cury) Defina-se em uma palavra: persistente O que você gostaria que eu te perguntasse que eu não te perguntei? Como você se vê daqui a 5 anos?

27


esporte

O prazer de pedalar O ciclismo não possui limites nem barreiras que suas pernas não possam alcançar por Udo Frederico Nali Matiello

Liberdade, beleza, natureza, compaixão, companheirismo, treinamento, esporte, saúde, integração, resgate, fé, esperança, persistência, união, amizade, conhecimento, técnica, família, ciclismo, pedalar, percorrer, andar, mobilidade. Seria uma ideia muito pretensiosa de minha parte, portanto, tentar descrever por simples palavras como substantivos um esporte que é a extensão de minha própria existência. Isso porque o esporte em si, como gênero, possui um significado muito mais abrangente para cada ser humano. E este está diretamente ligado a vários elementos que o sustentam, entre eles, o lugar em que é realizado e como pode ser realizado. Mas segue alguns passos. Primeiro passo - abra seus olhos para Foto: Udo Frederico Nali Matiello

São João. Será que todos realmente conhecem São João como ela realmente é? São João é privilegiada por estar rodeada, literalmente, pela natureza. Esteja onde estiver, seus olhos sempre verão um pedacinho natural do município: a Serra da Paulista. E ela é o motivo, o propósito, para muitos esportistas. Tratada como refúgio e carinho, é o portal de purificação e o contato direto com a natureza, servindo de elo entre o conhecimento de si mesmo e da transformação para um novo ser ainda a se descobrir. Pedalar pelas várias trilhas leva a uma outra perspectiva: a da visão limitada que os centros urbanos acabam cravando no coração humano. Use a bicicleta para conhecer a cidade por si mesmo: vasculhe as ruelas, visite as praças (existem inúmeras e belíssimas es-

palhadas por todo canto) e valorize os pontos turísticos, preservando os locais e incentivando a visita para seus amigos e companheiros de jornada. Segundo passo - terra, asfalto ou rodovia? Existem inúmeras opções que o ciclista pode e deve desfrutar em nossa cidade e arredores. Mas todas elas, indiscutivelmente, devem ter garantia mínima de segurança para o esportista. Independentemente de sua escolha, vá sempre acompanhado e em busca de seu bem estar. Procure o seu próprio objetivo, respeitando seus limites e servindo-se dos lugares não alcançados, como projetos para uma melhora pessoal. O ciclismo não possui limites nem barreiras que suas pernas não possam carregar. Os que gostam de Moutain Bike caminham por estradas rurais e por trilhas por meio da imensidão da natureza, seja por percursos longos ou curtos: Pedra Rachada, Pedregulho, Fazenda Barreiro, Santa Inês, Laginha, Águas da Prata (e seus inúmeros pontos

Belezas naturais - O ciclismo é um esporte que permite que seu praticante possa desfrutar de belas vistas oferecidas pelo relevo privilegiado que a região de São João da Boa Vista oferece.

28

>


29


Foto: Udo Frederico Nali Matiello

turísticos), estradas sentido Aguaí bem como Santo Antônio do Jardim, Pico do Gavião, voltas do Pouso Sul, Rota das Capelas e o tão sonhado Caminho da Fé. Já o pessoal que curte uma estrada e percorre caminhos mais longos, o principal percurso é a serra entre Prata e Poços. Segue também sentido oposto, com caminhos mais longos para Espírito Santo do Pinhal, Aguaí, Casa Branca ou mesmo fazendo voltas por Vargem Grande, São Roque da Fartura, Poços, Caldas, Andradas, com retorno para nossa cidade. Terceiro passo - Como começar? A sugestão é seguir grupos que já estão acostumados a andar aqui em São João. Mas algumas dicas podem ser seguidas para garantir um pedal mais seguro e confortável, servindo de motivação para nunca se ficar parado: faça revisões em sua bicicleta e leve consigo equipamentos de segurança básicos (capacete, óculos e luvas) e ferramentas de reparo (câmaras, bombas e remendos). Independentemente de sua modalidade, siga sempre pela direita e não use, de modo algum, fones 30

de ouvido. Lembre-se de que o motivo do ciclismo é motivar a sua sensibilidade em todos os sentidos. Procure um local calmo, sem muito movimento de carros, motos ou caminhões e, mesmo se isso for impossível, procure o seu espaço preservando e

respeitando o limite dos outros. Oriente as crianças e seus filhos para ficarem atentos aos cruzamentos e para não ‘ziguezaguearem’ de um lado a outro da pista, evitando eventuais surpresas. Caso nunca pedalou, comece com percursos curtos. O segredo do ciclismo é a periodicidade. Quanto mais pedalar, mais se sentirá motivado a seguir caminhos cada vez mais distantes. Leve consigo um saco de plástico, recolha o lixo que encontre nas trilhas e oriente as pessoas com que cruzar no caminho. Beba bastante água e coma alimentos nutritivos, sejam doces, salgados ou soro natural. Trace objetivos que possuem paradas com mirantes e paisagens, que o motivem sempre a retornar. Curta seu passeio com responsabilidade e seja sempre solidário com outros ciclistas. Permita-se ser ajudado e a aprender com os mais velhos. E passe essas mesmas dicas para crianças e adolescentes em seu círculo social. Bons pedais!

Segurança nas pedaladas Os equipamentos de segurança são muito importantes e devem fazer parte da pedalada. Por isso coloque na sua bicicleta iluminação branca na frente e vermelha piscante atrás. Também use sempre capacete e luvas. Andar na ciclovia ou ciclofaixa é obrigatório. Quando não existir, pedale no acostamento ou na faixa de rolamento, no mesmo sentido de circulação regulamentado para a via. Faça sinais de mão para alertar os motoristas sobre as mudanças de direção que você pretende fazer. E lembre-se sempre de que a bicicleta é um veículo, portanto, é preciso conhecer e obedecer a todos os sinais de trânsito.


31


segurança

Reestruturação na Polícia Civil A aspiração é chegar a uma Polícia Civil que conheça profundamente a Segurança Pública por José Gregório Barreto

Desde o final do ano de 2010, a população sanjoanense presenciou o agrupamento das seis delegacias de polícia (três distritos policiais e três delegacias de polícia especializadas) que atuavam na cidade, em uma única unidade denominada “Central de Polícia Judiciária de São João da Boa Vista”. O que grande parte da população desconhece é que esta medida integra o Módulo I, do Projeto de Reengenharia da Polícia Civil do Estado de São Paulo, que tem por finalidade implantar novo modelo de gestão na instituição, privilegiando a adoção de critérios técnicos e científicos.

Objetivos - São vários os objetivos, entre os quais, podem ser citados: 1) A recuperação do processo de coleta da informação: o principal instrumento de trabalho da Polícia Civil é a informação, e toda vez que se criam distritos policiais, ou delegacias especializadas, fraciona-se o processo de coleta, interpretação e comunhão da informação, simplesmente por causa da divisão e separação dos policiais. Além disto, em distritos policiais, por força de sua própria destinação, obriga-se o policial a atuar em apenas uma fração do ambiente operacional; ele passa a observar, interpretar e agir em apenas uma parcela do território, limitando, portanto, a sua visão estra-

tégica e a sua percepção de conjunto. Não se pode esquecer que a delinquência não atua de forma segmentada: ao contrário do policial, não existe o criminoso do primeiro distrito, ou o do segundo distrito, que restringe a sua atuação a perímetros estabelecidos. Hoje, mais do que nunca, espera-se que o policial seja dotado de concepção holística acerca do ambiente operacional, principalmente porque a atuação delitiva, e, em especial, a das organizações criminosas, passou a se caracterizar por uma série, um conjunto de infrações penais, todas desenvolvidas e perpetradas em locais diversos nesse ambiente. E o policial civil que é obrigado a se

A diferença entre as polícias Você sabe qual a diferença da Policia Judiciária (Polícia Civil) para a Polícia Militar? A polícia judiciária é um órgão do Estado que tem como principal função apurar as infrações penais e sua autoria por meio da investigação policial, que é um procedimento administrativo que serve de base para o Ministério Público iniciar a ação penal. No Brasil existem duas polícias judiciárias, a Civil e a Federal. Já a Polícia Militar têm por função a policiamento ostensivo e a preservação da ordem pública. Elas são 27 corporações estaduais e são comandadas diretamente pelos governadores, assim como as antigas Forças Públicas estaduais, de quem elas foram originadas. Com o fim do Golpe Militar, as polícias militares voltaram-se para o objetivo de se reaproximar da sociedade e recompor suas próprias identidades, fortemente marcadas pela imagem da repressão do regime de exceção.

32

Foto: Reprodução Internet

>


33


preocupar apenas com uma fração dele jamais vai dar enfrentamento adequado à criminalidade; 2) A recapacitação profissional: transformar substancialmente o policial civil, através do seu contínuo preparo e aperfeiçoamento profissional, ético e intelectual, promovendo a sua adequação às reais necessidades da sociedade, e preparando-o para o correto enfrentamento da criminalidade hodierna, com inarredável respeito aos princípios que norteiam o Estado Democrático de Direito; 3) A construção de um novo perfil institucional: construir uma nova Polícia Civil, mais cidadã, e preparada não apenas para atuar, efetiva e legalmente, na repressão, mas para agir focada, principalmente, na prevenção, através de comportamento proativo e do trabalho científico da informação. Reengenharia - O Projeto de Reengenharia tem vários aspectos que o distinguem, entre eles: 1) privilegia critérios técnicos e científicos, afastando-se de medidas que, embora tenham forte apelo social, em nada contribuem para o desempenho efetivo de uma polícia de estratégia; 2) participaram de sua elaboração e acompanham o seu desenvolvimento, além da Secretaria da Segurança Pública, também a Secretaria de Gestão Pública e a FIESP – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. Outras entidades, não governamentais, mas importantíssimas para o estudo da segurança e da violência no Estado de São Paulo e no Brasil, tais como o Instituto Brasileiro de Ciências Criminais e o Instituto 34

São Paulo Contra a Violência, também tiveram papel importante na condução do assunto. Portanto, trata-se de trabalho conduzido pela Polícia Civil, mas com o importantíssimo respaldo de todos estes órgãos; 3) possibilita as condições necessárias para que sejam efetuadas, pelas entidades que se mostrarem interessadas, pesquisas, estudos, programas, simpósios, e outras ações, que visem a contribuir com o aprimoramento do policial civil, e com o estudo da evolução do projeto e de seu impacto na sociedade e nos índices criminais. Divisão em módulos - O Projeto foi concebido para ser deflagrado em módulos justapostos, ganhando, assim, em flexibilidade, ao permitir ampla liberdade na sequência e momentos de implantação, além de admitir alterações na estrutura interna dos módulos. Entre eles, podem ser citados como principais: 1) o módulo relativo ao agrupamento de unidades policiais: por ele, não apenas se promove a aglutinação dos recursos físicos e materiais, hoje dispersos de forma deletéria, como se resgata o processo de coleta, comunhão e interpretação da informação, fundamental para uma polícia de inteligência; além disto, nele se fomenta a visão holística do policial civil e se desenvolve a concepção sistêmica que deve ter sobre o ambiente operacional; 2) o módulo relativo à capacitação do policial: por este módulo, capitaneado pela Academia de Polícia Civil, há aperfeiçoamento contínuo e diferenciado do profissional, familiarizando-o com os modernos conceitos que atualmente prevalecem

no campo da segurança pública – objetiva-se, com este módulo, dotar o policial civil de conhecimentos técnicos e científicos tais, que otimizem o desempenho de suas atribuições – há inclusive possibilidade de se estabelecer, sem custos para o Estado, parcerias com outras entidades, públicas ou privadas, que possam contribuir neste aperfeiçoamento; 3) o módulo relativo à retomada do perfil constitucional: é preciso que o policial civil não apenas seja dotado de conhecimentos profissionais, mas que também conheça, a fundo, qual o seu papel institucional, bem como o da instituição a que pertence, dentro da estrutura do sistema policial brasileiro e do modelo nacional de segurança pública. Pretensão - A aspiração maior, é chegar a uma Polícia Civil que conheça profundamente os conceitos e fundamentos de Segurança Pública, com integrantes que privilegiem especialmente a prevenção, através da coleta e do cruzamento inteligente de informações. Deseja-se uma Polícia Civil que trace normas conjuntas de atuação com as outras agências de controle social, e que construa novas e mais produtivas formas de interlocução com a sociedade. Deseja-se uma Polícia Civil proativa, que se dedique à dissolução dos conflitos, quando estes ainda se encontram aquém da violação da ordem pública. Estas são, em linhas gerais, as principais características do Projeto de Reengenharia, e os seus objetivos mais ingentes.


35


família

Quando o ‘não’ é uma forma de amor Dizer não aos filhos é um modo de demonstrar amor e carinho por Daniele Vilela Leite

Quando pensamos em educação dos filhos, parece que é uma coisa simples e fácil, que desenvolvemos na prática do dia-a-dia, mas infelizmente não é assim que funciona. A responsabilidade que temos em relação à educação de uma criança é um grande desafio. Ela tem início já na gestação e nos primeiros meses depois do nascimento. O cuidado com alimentação, higiene, saúde, sono e outros fatores fazem parte da educação, pois desde então estamos ensinando aos nossos filhos amor, ética, responsabilidades e valores. Conforme a criança cresce, além de todos os cuidados que devemos ter, é função dos pais e/ou responsáveis impor limites. Com isso, entra

em cena o temido “NÃO”. Uma palavra tão pequena, de apenas três letras, mas como é difícil dizê-la; mais difícil ainda é manter-se firme na decisão negativa! Em razão de trabalhos e afazeres diários, muitos pais não veem seus filhos praticamente o dia todo e, como forma de suprir essa ausência, permitem a eles fazer o que quiserem, pois se sentem culpados por não participar da rotina das crianças. Isso sem contar com o receio que muitos pais têm de serem tachados de “autoritários”, “conservadores”, com medo de reproduzir a educação repressiva que receberam. Com isso, acreditam que estão educando adequadamente. Portanto, o não às vezes é necessário, mas alguns cuidados são necessários. Pense bem antes de negar algo ao seu filho. Uma vez decidida, a imposição deve ser mantida. Ceder ao choro ou à chantagem fortalece ainda mais a criança, que cada vez mais irá insistir, chorar, fazer birra, pois ela sabe que, ao final, conseguirá o que deseja. Ela está te testando. Ceder é a fórmula para a criança crescer achando que as pessoas estão no

Foto: Reprodução Internet

36

mundo para realizar seus desejos. Outra coisa importante: pai e mãe devem sempre estar de acordo em relação às decisões sobre os filhos. Quando não houver consenso, o casal não deve discutir na frente da criança. Se ela perceber que os pais não estão se entendendo sobre determinada situação, ganha ainda mais força para aquilo que deseja, pois percebe a vulnerabilidade deles. A maior dificuldade nisso tudo é que fazer a criança entender que, enquanto ela ainda é pequena, pode ter (alguns) de seus desejos satisfeitos, mas que, na escola e, futuramente, no trabalho, as coisas não serão assim. Na escola, a criança se socializa mais rapidamente e acaba aprendendo que existem outras crianças no mesmo espaço e que regras e limites são necessários. Devemos lembrar que a escola é um aliado, e não uma substituição dos pais. Lembre-se: o “não” também é uma forma de amor! Dizer não aos filhos é um modo de demonstrar amor e carinho, além de ensiná-los que a vida impõe limites o tempo todo, querendo eles ou não. Com isso, eles serão poupados de maiores sofrimentos por serem “mimados” ou “imaturos” e, nos momentos de decepções e frustrações que surgirão ao longo de suas vidas, saberão como lidar e conduzir da melhor forma essas situações. E você, está sabendo impor limite aos seus filhos?


FELICIDADE QUE VAI E VOLTA. TODO DIA PODE SER ESSA COCA-COLA TODA. 37


família

O dia em que parei de mandar minha filha andar logo Texto de autoria de Rachel Macy Stafford, publicado no blog inglês ‘Hands Free Mama’ Quando se está vivendo uma vida distraída, dispersa, cada minuto precisa ser contabilizado. Você sente que precisa estar cumprindo alguma tarefa da lista, olhando para uma tela, ou correndo para o próximo compromisso. E não importa de quantas maneiras você divide o seu tempo e atenção, não importa quantas obrigações você cumpra em modo multitarefa, nunca há tempo suficiente em um dia. Essa foi minha vida por dois anos frenéticos. Meus pensamentos e ações foram controlados por notificações eletrônicas, toques de celular e uma agenda lotada. Cada fibra do meu sargento Foto: Reprodução Internet

38

interior queria cumprir com o tempo de cada atividade marcada na minha agenda superlotada, mas eu nunca conseguia estar à altura. Veja bem, seis anos atrás, eu fui abençoada com uma criança tranquila, sem preocupações, do tipo que para, para cheirar flores. Quando eu precisava sair de casa, ela estava levando seu doce tempo pegando uma bolsa e uma coroa brilhante. Quando eu precisava estar em algum lugar há cinco minutos, ela insistia em colocar o cinto de segurança em seu bichinho de pelúcia. Quando eu precisava pegar um almoço rá-

pido num fast-food, ela parava para conversar com uma senhora que parecia com sua avó. Quando eu tinha 30 minutos para caminhar, ela queria que eu parasse o carrinho e acariciasse todos os cachorros em nosso percurso. Quando eu tinha uma agenda cheia que começava às 6h da manhã, ela me pedia para quebrar os ovos e mexê-los gentilmente. Minha criança sem preocupações foi um presente para minha personalidade apressada e “tarefeira” – mas eu não pude perceber isso. Quando se vive uma vida dispersa, você tem uma visão em forma de túnel – sempre olhando para o próximo compromisso na agenda. E qualquer coisa que não possa ser ticada na lista é uma perda de tempo. Sempre que minha criança fazia com que desviasse da minha agenda principal, eu pensava comigo mesma: “Nós não temos tempo pra isso.” Consequentemente, as duas palavras que eu mais falava para minha pequena amante da vida eram: “anda logo”. Eu começava minhas frases com isso: Anda logo, nós vamos nos atrasar. Eu terminava frases com isso: Nós vamos perder tudo se você não andar logo. Eu terminava meu dia com isso. Anda logo e escove seus dentes. Anda logo e vai pra cama. Ainda que as palavras “anda logo” fizesse pouco ou nada para aumentar a velocidade de minha filha, eu as dizia de qualquer

>


39


maneira. Talvez até mais do que dizia “eu te amo”. A verdade machuca, mas a verdade cura… e me aproxima da mãe que quero ser. Até que em um dia fatídico, as coisas mudaram. Eu havia acabada de pegar minha filha mais velha na escola e estávamos saindo do carro. Não indo rápido o suficiente para o seu gosto, minha filha mais velha disse para sua irmã pequena, “você é lenta”. E quando, após isso, ela cruzou seus braços e soltou um suspiro exasperado, eu me vi – e foi uma visão de embrulhar as tripas. Eu cometia o bullying que empurrava, pressionava e apressava uma pequena criança que, simplesmente queria aproveitar a vida. Meus olhos foram abertos; eu vi com clareza o dano que minha existência apressada estava causando às minhas duas filhas. Com a voz trêmula, olhei para os olhos da minha filha mais nova e disse: “Me desculpe por ficar fazendo você se apressar, andar logo. Eu amo que você tome seu tempo e eu quero ser mais como você”. Ambas me olharam surpresas com a minha dolorosa confissão, mas a face da mais nova sustentava o inequívoco brilho da aceitação e do reconhecimento. “Eu prometo ser mais paciente daqui em diante”, disse enquanto abraçava minha filha de cabelos encaracolados. Ela estava radiante diante da promessa recém-descoberta de sua mãe. Foi bem fácil banir o “anda logo” do meu vocabulário. O que não foi tão fácil foi adquirir a paciência para esperar pela minha vagarosa criança. Para nos ajudar a lidar com isso, eu comecei a lhe dar um pouco mais de tempo para se preparar se nós tivéssemos que ir a algum lugar. Algumas vezes, ainda assim, nos atrasávamos. Foram tempos em que 40

eu tive que reafirmar que eu estaria atrasada, nem que se fosse por alguns anos, se tanto, enquanto ela ainda é jovem. Quando minha filha e eu saíamos para caminhar ou íamos até a loja, eu deixava que ela definisse o ritmo. Toda vez que ela parava para admirar algo, eu afastava os pensamentos de coisas do trabalho e simplesmente a observava as expressões de sua face que nunca havia visto antes. Estudava com o olhar as sardas em sua mão e o jeito que seus olhos se ondulavam e enrugavam quando ela sorria. Eu percebi que as pessoas respondiam quando ela parava para conversar. Eu reparei como ela encontrava insetos interessantes e flores bonitas. Ela é uma observadora, e eu rapidamente aprendi que os observadores do mundo são presentes raros e belos. Foi quando, finalmente, me dei conta de que ela era um presente para minha alma frenética. Minha promessa de ir mais devagar foi feita há quase três anos e ao mesmo tempo eu comecei minha jornada de abrir mão das distrações diárias e agarrar o que importa na vida. E viver num ritmo mais devagar demanda um esforço concentrado. Minha filha mais nova é meu lembrete vivo do por que eu preciso continuar tentando. E de fato, outro dia, ela me lembrou de novo. Nós duas estávamos fazendo um passeio de bicicleta, indo para uma barraquinha de sorvetes enquanto ela estava de férias. Após comprar uma gostosura gelada, ela sentou em uma mesa de piquenique e observou deliciada a torre gélida que tinha em suas mãos. De repente, um olhar de preocupação atravessou seu rosto. “Devo me apressar, mamãe?” Eu poderia ter chorado. Talvez as cicatrizes de uma vida apressada nunca

despareçam completamente, pensei, tristemente. Enquanto minha filha olhava para mim esperando para saber se ela poderia fazer as coisas em seu ritmo, eu sabia que eu tinha uma escolha. Poderia continuar sentada ali melancolicamente lembrando o número de vezes que eu apressei minha filha através da vida… ou eu poderia celebrar o fato de que hoje estou tentando fazer as coisas de outra forma. Eu escolhi viver o hoje. “Você não precisa se apressar. Tome ao seu tempo”, eu disse gentilmente. Toda sua cara instantaneamente abrilhantou-se e seus ombros relaxaram. Imaginei que ela fosse comer todo o sorvete, mas quando ela chegou à última mordida, ela levantou uma colherada repleta de cristais de gelo e suco para mim. “Eu guardei a última mordida pra você, mamãe”, disse orgulhosa. Enquanto aquela delícia gelada matava minha sede, eu percebi que consegui um negócio da China. Eu dei tempo para minha filha e em troca ela me deu sua última mordida de sorvete e, me lembrou de que as coisas têm um gosto mais doce e o amor vem mais dócil quando você para de correr apressada pela vida. Seja comendo sorvete, pegando flores, apertando o cinto de bichinhos de pelúcia, quebrando ovos, encontrando conchinhas, observando joaninhas ou andando na calçada. Nunca mais direi: “Não temos tempo pra isso”, pois é basicamente dizer que não se tem tempo para viver. Tomar seu tempo, pausar para deleitar-se com as alegrias simples da vida é o único jeito de viver de verdade, acredite em mim, aprendi da especialista mundial na arte de viver feliz.


41


Roupas e acessórios: Felucc - (19) 3623-3563 Sapatos: Cada Passinho - (19) 3631-2755 Modelos: Isadora Devito Beti Laura Casellato de Oliveira Mariana Barros A. Magalhães Produção de moda: Patrícia Rehder Fotos: Juan Landiva Locação: Espaço Jovem

42


Isadora, Laura e Mariana usam acessórios e roupas Fruto da Imaginação

43


Isadora, Laura e Mariana usam acessórios e roupas Fruto da Imaginação, além de sapatilhas Bottero.

44


Isadora usa acessórios e roupas Fruto da Imaginação

45


Mariana usa acessórios e roupas Fruto da Imaginação

46


47


agito

48

’


49


saúde

É dos carecas que elas gostam mais Pode ser que eles façam sucesso, mas com certeza a calvície é um mal para a autoestima Assunto delicado, a calvície é um tema bem atual que assombra mulheres e, principalmente, os homens mais jovens. Mas ela não ocorre por acaso, pois a estimativa é que atinja 10% deles, entre os 20 e os 30 anos, e que, de cada dez homens com menos de 70 anos, oito apresentem predisposição a isto, devido a fator hereditário. Segundo a Sociedade Brasileira para Estudo do Cabelo (SBEC), 42 milhões de cidadãos no Brasil sofrem deste problema. A OMS (Organização Mundial de Saúde) fecha a conta: metade da população masculina do planeta terá algum grau da disfunção até os 50 anos. E os principais culpados pelo processo de afinamento e queda dos fios capilares são os genes e o hormônio sexual masculino testosterona, que é o maior responsável pela calvície. As mulheres também o produzem, mas em quantidade muito menor. Por isso, a dermatologista Renata Lisi comenta que o problema acomete tantos os homens quanto as mulheres. “A calvície masculina pode ser de aparecimento precoce ou tardio e a feminina ocorre geralmente após os 40 anos”, explica ela. Também é preciso diferenciar calvície de queda de cabelo: a primeira tem origem genética, en-

Foto: Reprodução Internet

quanto a segunda é um problema multifatorial, ou seja, detonado por várias condições, como genética, hormônios, fumo, álcool, sono de baixa qualidade, estresse, excesso de processos químicos – tinturas, descolorantes, alisantes –, anemia e faltas nutricionais de ferro e até exagero na manipulação física do cabelo em penteados que causam tração. Porque ela aparece – Conforme a especialista, a queda de cabelo de causa genética, que é a mais comum nos homens, começa a se manifestar de forma lenta e gradual, e às vezes pode vir acompanhada de coceira e descamação. A queda se dá no topo e na região da coroa, sem perda na área frontal. “Além da causa genética, a doença também pode ser desencadeada por dietas radicais, estados estressantes prolongados, doenças sistêmicas como anemia, diabetes, hiper ou hipotireoidismo, entre outras”, esclarece a dermatologista. Ela ainda conta: “Existem também as alopecias cicatriciais, um tipo de calvície que segue a destruição dos folículos pilosos por processos inflamatórios, infecciosos, traumáticos ou tumorais que afetam diretamente os folículos ou pelos que os circunscrevem”. Embora as mulheres estejam mais protegidas contra esse mal, é bom considerar que, devido ao estresse e a outros fatores, médicos alertam para a perspectiva de aumento de 10% ao ano no número de casos de diminuição de fios nelas, não sendo chamado de calvície, pois se trata de uma rarefação

Doença - Segundo a Sociedade Brasileira para Estudo do Cabelo, 42 milhões de cidadãos no Brasil sofrem deste problema. Metade da população masculina do planeta terá algum grau a disfunção até os 50 anos.

50


capilar (no topo e na região da coroa, sem perda na área frontal), mas mostra que tal diminuição da cabeleira poder ser um fantasma futuro para o público feminino. Tratamento - Para reverter o quadro, advertem os especialistas, é bom procurar tratamento logo que os primeiros sinais de calvície aparecerem. Acredita-se que um quarto das pessoas começa a perder fios antes dos 25 anos e há casos prematuros de pacientes que sentem o problema já aos 15 anos ou no final da adolescência. Felizmente, por meio de uma análise do histórico familiar e outros exames, como o da taxa de hormônios masculinos, é possível diagnosticar o tipo de calvície e indicar a melhor conduta para frear a queda.

51

Conforme afirma Renata, há soluções: “O primeiro passo é procurar um especialista precocemente, assim dá para adiar ou até mesmo evitar a queda de cabelos com medicações orais, loções para uso tópico e injetáveis no couro cabeludo. Mas se a queda já deixou sequelas, há o transplante capilar, realizado com células tronco”. As células tronco são células semelhantes às progenitoras e devido as suas características estão sendo estudadas para uso terapêutico no combate a diversas doenças, incluindo o transplante capilar. O transplante de cabelo é uma técnica em que o especialista remove a célula de um indivíduo para transplantar no mesmo indivíduo. São raízes colhidas nas regiões da cabeça, que não foram afetadas pela calvície, e plantadas

nas regiões calvas. Esse cabelo transplantado nasce, cresce normalmente e dura a vida toda. Autoestima - Os cabelos são símbolo de autoestima para os homens. Eles odeiam a calvície, mas elas talvez nem se importam com a careca deles. Vários estudos revelam que a queda de cabelo faz com que homens e mulheres se sintam menos atraentes, mais vulneráveis e, em determinadas situações sociais, mais constrangidos, criando uma perceção negativa sobre a sua imagem e vivenciando um grande desconforto no convívio com terceiros. A calvície pode ser intimidante ou mesmo devastadora para quem sofre dela. Atualmente, existe resolução definitiva para a queda de cabelo. Cuidar do cabelo é cuidar de si. A


saúde

Quebrando tabus Crescimento vertiginoso do suicídio já o coloca como caso de saúde pública, afirma OMS Nestes primeiros meses de 2013, a cidade de São João da Boa Vista registrou sete casos de suicídio - quase um por mês. Se esse número já parece elevado, o cenário fica ainda mais preocupante se compararmos com os anos anteriores: em 2010 foram três casos; em 2011, esse número subiu para cinco; já, em 2012, foram sete casos. Questão de saúde - Não é somente em nossa cidade que o tema suicídio gera preocupação. A Organização Mundial da Saúde - OMS - o avalia como um problema de saúde pública, estando entre as dez causas mais frequentes de morte, além de oscilar entre a segunda e terceira maior causa de morte entre jovens de 15 a 34 anos de Foto: Reprodução Internet

idade. Estimativas mostram que, para cada suicídio, existem pelo menos dez tentativas suficientemente sérias, que exigem atenção médica. Já para cada tentativa registrada, existem quatro não conhecidas. Mas quais são as motivações desse fenômeno? Motivação - “Para entendermos as circunstâncias, os motivos, as razões pelas quais alguém tira a própria vida, devemos esclarecer que diferente de uma doença infecciosa, que tem uma etiologia conhecida, o suicídio é uma condição com multicausalidade. Ou seja, mais de um fator – ou mesmo vários deles – contribuem para sua ocorrência”, explica a psicóloga comportamental Priscilla Ferreira de Souza. Esses fatores são

muitos e vão desde uma rejeição, vergonha e conflitos familiares, até transtornos psiquiátricos, doenças físicas e produtos químicos. Estudos também apontam que a idade média da população, maiores níveis de educação e a fraca religiosidade também estão associados ao suicídio, por embutirem no indivíduo um sentimento maior de independência. Mas Priscilla explica que, embora a lista seja enorme, o suicídio nunca é o resultado somente de uma circunstância externa. Sua causa é uma interação complexa de vários fatores, como transtornos mentais e doenças físicas, abuso de substâncias, problemas familiares, conflitos interpessoais e situações de vida estressantes. “Muitas pessoas passam por mais de uma dessas situações e nunca viram como opção acabar com a própria vida. Pelo contrário, muitas vezes as situações adversas servem como estímulo, uma motivação para a busca de algo melhor”, explica.

Sintomas - Mudança de atitudes, falta de motivação, esperança e isolamento são alguns sintomas que podem apontar para o suicídio. “Esses sinais precisam ser encarados com respeito e preocupação pelos familiares e amigos”, explica a psicóloga, que ainda reforça que se o doente falar sobre a intenção de acabar com a própria vida, ele não deve ser desafiado ou desacreditado.

52


A situação de risco é agravada quando mais do que uma dessas condições combinam-se, como, por exemplo, depressão e alcoolismo; ou ainda, a coexistência de depressão, ansiedade e agitação. Não se trata de afirmar que todo suicídio relaciona-se a uma doença mental, nem que toda pessoa acometida por uma doença mental vá se suicidar, mas não se pode fugir da constatação de que uma doença mental é um importante fator de risco para o suicídio. Álcool e drogas – As drogas lícitas e ilícitas também possuem uma grande ligação com o suicídio. Indivíduos que abusam dessas substâncias apresentam um risco aumentado para o suicídio, como demonstram estudos de diferentes países. Nos dependentes de heroína, por exemplo, a taxa de suicídio é vinte vezes maior que na população em geral. Ela é maior ainda entre adolescentes que usam substâncias intravenosas. Sintomas - Mudança de atitudes, falta de motivação, esperança e isolamento são alguns sintomas que podem apontar para o suicídio. “Esses sinais precisam ser encarados com respeito e preocupação pelos familiares e amigos”, completa a psicóloga, que ainda explica que se o doente falar sobre a intenção de acabar com a própria vida, ele não deve ser desafiado ou desacreditado. Segundo ela, essa é a hora de procurar ajuda médica. “Procure a ajuda dos profissionais de saúde mental [psicólogos e psiquiatras] urgentemente para saber como lidar com o problema. Deve-se evitar deixar esta pessoa sozinha também”. Segundo Priscilla, um pequeno fator que também colabora para o suicídio é o preconceito que a sociedade tem para buscar ajuda psicológica ou 53

Simples ações trazem resultados positivos A Coreia do Sul é o país com a maior taxa de suicídio da OCDE. A ponte Mapo, na capital Seul, é o lugar de onde mais pessoas se jogam, tendo sido responsável por 108 mortes nos últimos cinco anos. Para reverter essa trágica situação e se promover como uma marca que salva vidas, o Seguro Samsung transformou em “Ponte da Vida” o local mais mortal do território sul-coreano, instalando mensagens inspiradoras e positivas em todo a ponte. A companhia apostou que elas fariam as pessoas pensarem duas vezes antes de tomarem uma medida extrema. E deu certo: a taxa de suicídio diminui 85% após ação da Samsung.

psiquiátrica. “Nós, seres humanos, temos limites, dores emocionais, não somos autossuficientes. E assumir isso, ainda hoje, é um privilégio para poucos. Pedir auxílio para se conhecer melhor e para poder ter uma vida mais satisfatória e feliz é uma atitude de inteligência e superioridade. A sociedade como um todo poderia ajudar muito se passasse a encarar com mais normalidade a busca por ajuda de psicólogos e psiquiatras”. Famílias – As consequências mais impactantes do suicídio acontecem nos grupos sociais mais próximos das pessoas que se matam, em especial nas famílias. Elas sofrem os efeitos de diversas naturezas, os quais se prolongam no curto, médio e longo prazo. “Lidar com qualquer tipo de perda é extremamente difícil para o ser humano. A sensação de impotência e frustração perante a morte é imensa. Além disso, o sentimento de culpa e responsabilidade dos familiares pelo ‘ato’ do individuo é um grande obstáculo a ser superado”, explica Priscilla. É um tema rodeado

de mitos, restrições e reservas por parte das famílias. Prevenção do suicídio no Brasil - Em nosso país, até pouco tempo, o suicídio não era visto como um problema de saúde pública. Entre as causas externas de mortalidade, o suicídio encontrava-se na sombra dos elevados índices de homicídio e de acidentes com veículos, 7 e 5 vezes maiores, em média e respectivamente. No entanto, a necessidade de se discutir a violência, de modo geral, trouxe à tona o problema do suicídio. Em final de 2005, o Ministério da Saúde montou um grupo de trabalho com a finalidade de elaborar um Plano Nacional de Prevenção com representantes do governo, de entidades da sociedade civil e das universidades. Segundo Priscila, nascem ai os Núcleos de Atenção Psicossocial (NAPS), os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e os Ambulatórios de Saúde Mental, que oferecem atendimento em saúde mental. A


saúde

Dentes saudáveis e bonitos Tratamento com aparelho nos dentes melhora a auto-estima e a saúde Foto: Reprodução Internet

fases. O ortopédico, durante o crescimento do paciente; e, após, com o aparelho fixo para tratar exclusivamente a posição dos dentes”. Tipos de aparelhos – Entre eles estão o fixo e o móvel. O primeiro é mais eficiente e indicado para corrigir problemas mais complexos, pois funciona 24 horas por dia, além de depender menos da colaboração do paciente. O segundo é usado para tratamento de pacientes em fase de crescimento ou para tratamento simples em jovens e adultos, além de possuir a vantagem de poder ser removido para atividades sociais, alimentação e para higiene bucal. Quando o sorriso não está bom, os dentes estão tortos, não tem jeito: A solução é aparelho fixo neles. Mesmo com toda a tecnologia atual que traz opções mais discretas e quase invisíveis, os modelos tradicionais ainda são mais acessíveis e procurados pela maioria das pessoas. Mas como é o funcionamento de tanto aparato dentro da boca? Será que dói? E como limpar tudo isso? O dentista especialista em Ortodontia, Giovani Manco, explica como funcionam os aparelhos ortodônticos e a reação do organismo para que tudo fique no seu devido lugar. O primeiro passo é a avaliação do dentista para saber se o paciente tem condições de usar o aparelho. “Qualquer pessoa que tenha dentes e tecidos 54

de sustentação como osso e gengiva saudáveis, sem cárie e ou infecção pode usar aparelho ortodôntico”, explica o especialista. O tratamento ortodôntico pode ser realizado em praticamente qualquer idade e para isso são usados aparelhos fixos ou removíveis, dependendo da indicação para casa caso. “Existem tipos de má oclusão em que o melhor resultado se dá na fase de crescimento do paciente, sendo usados aparelhos ortopédicos para redirecionar ou potencializar o crescimento ósseo. Em alguns casos, devem ser tratados o mais precocemente possível, sendo exemplo a mordida cruzada”, fala Giovani. Ele ainda comenta: “Existem tratamentos que são realizados em duas

Por que dói? - “Dói devido à movimentação causada pela força mecânica do aparelho. Nos dois casos são utilizados fios metálicos que pressionam essa movimentação, assim todos os tecidos relacionados com os dentes do paciente passam por esse processo”, comenta o especialista. E apesar dos incômodos de um tratamento ortodôntico, os benefícios sempre são maiores. Isso porque dentes mal posicionados podem facilitar o aparecimento de cáries, doenças gengivais, perda de osso ao redor dos dentes, alterações da fala e problemas funcionais. “É muito importante a correta higienização por parte do paciente, uma vez que a presença do aparelho provoca o acúmulo maior de placa bacteriana na superfície dos dentes, aumentando o

>


55


risco de cárie”, afirma o dentista. Após terminar o tratamento ortodôntico, para que não volte o problema, o especialista deve instalar um dispositivo de contenção. Ele pode ser feito com aparelhos removíveis ou fixos (os fixos são colados na face dos dentes que fica em contato com a língua). “Com o envelhecimento do paciente, toda sua estrutura facial, ossos e musculatura mudam na medida em que os anos passam, sendo natural pequenos movimentos acontecerem no futuro e poderá ser necessário outro tratamento ortodôntico, mas geralmente bem mais simples que da primeira vez”, esclarece. Apesar de terem sido desenvolvidos há muitos anos, os aparelhos fixos auto ligados são amplamente divulgados em congressos de ortodontia no Brasil e no mundo. Giovani diz que muitos pacientes optam por essa escolha por ter um tratamento mais rápido: “Esses aparelhos não usam

Fique atento desde cedo! Segundo especialistas, com dois anos e meio, a criança já tem todos os 20 dentes de leite. O nascimento desses dentes causa coceira, aumenta a produção de saliva e ainda pode causar febre e diarreia. Mordedores molinhos, sem nada dentro, são os melhores para aliviar a coceira porque não machucam a gengiva. A chupeta também alivia a vontade que a criança tem de colocar objetos na boca e cabe aos pais negociar e administrar o uso dela. Limpeza - Para limpá-los, a pediatra recomenda utilizar escovas macias, próprias para bebês e pastas sem flúor. É preciso também evitar que a criança corra e brinque com a chupeta na boca, e ter cuidado com meias e pisos lisos, que podem aumentar o risco de acidentes e traumas dentários. Caso isso aconteça, é importante procurar um cirurgião dentista em algum pronto-socorro mais próximo. Entre os 4 e 6 anos, surgem os dentes permanentes e é nessa época que os pais devem observar o crescimento e verificar se o posicionamento é adequado para, no caso, procurar um ortodontista.

56

Foto: Reprodução Internet


elásticos para prender o fio no aparelho (bracket), isso leva a um atrito reduzido, sendo que em alguns casos pode significar um tratamento mais rápido do que com o uso do aparelho convencional”. Ele ainda diz que com esse aparelho o paciente não precisa ir às consultas de manutenção todos os meses, e sim a cada 90 dias. “Muito importante, independente do aparelho usado, é que o tratamento seja realizado por especialista em Ortodontia, que é capacitado a escolher o melhor tratamento”, diz o especialista. Aparelhos estéticos - por questão estética ou funcional, o aparelho ortodôntico estético é, sim, uma possibilidade. Confeccionado com braquetes que imitam a cor do dente, ele segue os mesmos parâmetros do aparelho ortodôntico metá-

57

lico, tanto com relação à prescrição quanto com a funcionalidade, mas seus braquetes são confeccionados de materiais transparentes, como a porcelana e a safira. Mesmo assim, alguns profissionais ainda apresentam certa aversão ao aparelho estético pelos seguintes motivos: Fragilidade, pois braquetes de policarbonato por serem feitos com material resinoso, são muito frágeis, descolando ou fraturando com grande facilidade. Já os de porcelana e safira têm uma resistência maior, mas mesmo assim ainda um pouco inferior comparados com os braquetes metálicos; Atrito: todos os braquetes estéticos (policarbonato, porcelana e safira) têm um coeficiente de atrito maior do que os braquetes metálicos, isso pode implicar e um maior tempo ou

maior dificuldade para a realização de determinados movimentos com o aparelho ortodôntico. Existe também o aparelho ortodôntico Invisalign, que é a maneira quase invisível de se corrigir os dentes através de alinhadores feitos sob medida. É mais confortável , pois não utiliza fios metálicos ou braquetes. Pode ser removível, e assim não há problemas na alimentação e higiene bucal. Ainda, o aparelho ortodôntico Lingual, que é a colagem do aparelho fixo, mas pelo lado interno dos dentes. Os aparelhos ortodônticos estéticos evoluíram muito nos últimos anos, e certamente vão seguir evoluindo daqui pra frente, passando a ser uma boa alternativa para quem tem uma necessidade estética e precisa de tratamento ortodôntico. A


decoração

O ideal é criar um ambiente agradável e seguro para a criança O arquiteto dá a dica: o importante é ouvir sempre o que ela deseja O mundo infantil é mágico e cheio de surpresas. Cada história e personagem representam um sonho e uma vida para os pequenos. Pensando assim, na importância e no cuidado que se deve ter com a infância, então o local em que as crianças irão passar boa parte do tempo, onde irão brincar, ler histórias, descansar e dormir, deve ser bem pensado, planejado e adequado a elas. Parece futilidade, ou então exagero de alguns pais, mas estudar como será o quarto de um filho, além de ser muito prazeroso, é importante para os pequenos. Eles não precisam de um lugar luxuoso, com objetos de decoração caríssimos, mas necessitam de segurança, conforto, aconchego, ventilação, iluminação, cores e brinquedos que estimulem o seu desen-

Quarto do bebê- Neste quarto, foi utilizado piso de madeira, tipo demolição, com forro rebaixado para aproveitar melhor a iluminação, que formou um céu estrelado no teto com leds e fibra óptica. Em algumas paredes, há painéis de MDF de modo que integraram nichos para acessórios e equipamentos como ar condicionado. Optou-se por estabelecer uma ligação visual entre o quarto e o banheiro. Todo o mobiliário (berço, cômoda e armário) foi projetado para ser modificado e adaptado ao desenvolvimento da criança, por isso também foi feito na cor branca.

58

volvimento e ao mesmo tempo tornem o mundo deles mais feliz. Quarto de criança - Quando se trata de decoração de interiores, existe muita preocupação em relação à beleza e combinação das cores, porém fica um pouquinho mais complicado quando a decoração é para um quarto infantil. Foto: Fritz Foto

Decorar um quarto de criança não é uma tarefa fácil, principalmente se o espaço for pequeno. O importante é sempre ouvir o que cada criança quer. Diferente dos adultos, as crianças são muito exigentes e não conseguem esconder a sinceridade e, quando realmente não gostam, acabam demonstrando isto em seu semblante.

>


59


Foto: Divulgação

Brinquedoteca - No espaço denominado brinquedoteca, o piso é todo revestido com manta vinílica, com desenho diferenciado para criança, que ainda oferece segurança e conforto. No ambiente, há um paisagismo interno com árvores frutíferas para incentivar a ligação da criança com a natureza. As paredes e o piso são revestidos com piso cerâmico para permitir o uso de tintas, canetas e ser de fácil limpeza, incentivando assim o contato da criança com a arte.

Por isso, escolher as cores e a decoração é com certeza a melhor forma de manter a satisfação dos pequenos. Conforme o arquiteto Ricardo Ciaco, duas coisas são essenciais quando se trata de projetar para as crianças: “Primeira, toda vez que se projeta, é necessário pensar que se está criando um espaço para um ser humano, nesse caso, como se trata de criança, é preciso pensar como ela; e a segunda é conversar para saber o que ela quer, afinal as crianças têm personalidade”, explica o arquiteto. Por ser um lugar de descanso, estudos e, acima de tudo, de diversão, esse ambiente pode ser o mais bem-humorado da casa. Brinquedos, cores e móveis funcionais são fundamentais para os pequenos. “Quando somos crianças, vimos tudo muito grande, por isso o ideal é deixar a janela menor, o teto mais baixo, os móveis menores, nas dimensões exatas para as crianças, e o local mais seguro”, afirma Ricardo. Mobiliário - Designers e empresas de móveis pelo mundo têm lançado peças cheias de estilo, que podem transformar o território dos pequenos em um verdadeiro parque de diversões particular. O ideal, segundo o arquiteto, é que os móveis sejam de qualidade, 60

apropriados para as crianças, com as dimensões exatas para elas. “Quando planejamos o ambiente, desenhamos também o mobiliário como berço, cadeiras e todos os móveis na altura e tamanho corretos para elas”, conta. Para aqueles que moram em casa ou apartamento próprio(a), é interessante investir em móveis planejados, sob medida, assim os espaços disponíveis serão melhores utilizados e o local fica com aparência mais bonita. Decoração – Para que o espaço fique alegre e compatível com as crianças, ele necessita de peças com designs divertidos. Pode até não parecer, mas objetos do dia a dia, como as roupas de cama, tapetes, cortinas, almofadas e enfeites, são todos coringas na decoração. Por isso, vale a pena investir em peças mais bacanas. Para Ricardo, o quarto da criança não precisa ter muitas cores só porque é para criança. “Elas têm muita personalidade, por isso é fundamental conversar com a dona ou dono do quarto antes de começar o planejamento e

ver exatamente o que quer. Tenho um exemplo dessa situação. Estava em um projeto que desenvolvia para um quarto de menina. Foi quando ela chegou e disse para mim que gostaria de muitas caveiras em seu quarto”, lembra ele. Em casos como esse, a dica do arquiteto é usar e abusar dos adesivos. Eles podem ser usados e depois retirados sem causar danos às paredes, são divertidos e há uma grande variedade de opções. Outra dica, é como lidar com o número de brinquedos, livros e outros objetos que se multiplicam no quarto das crianças a cada aniversário, Natal e Dia das Crianças. O correto é lançar mão de acessórios simples, como caixas, nécessaires, potes, para guardar coisas e ainda decorar o ambiente. Bonecos preferidos, controle remoto e livros podem ser guardados nos porta-trecos confeccionados de tecidos, que deixam à mão o que são usados com mais frequência pela criança, e podem ficar presos nas laterais, na cabeceira ou no pé da cama por meio de velcros. A


Na hora de montar o canto da criança, o importante é garantir o seu aconchego Dicas: cortinas até o teto ampliam o ambiente, por isso prefira tecidos leves, vaporosos e transparentes para garantir uma boa iluminação; se a cama da babá for imprescindível, mas não couber no espaço, coloque-a no lugar da cadeira de amamentação e compre uma almofada que lhe dê suporte. Outra opção é comprar uma cama menor, de 75 cm por 1,85 m. Tapetes devem ser proporcionais ao tamanho do quarto, sendo que os de tear, feitos de algodão, em cor palha ou em dois tons, dão charme, sem poluir o visual do ambiente. Prefira pintar as paredes com cores claras e lisas, pinturas com desenhos ou com listras, por exemplo, roubam a cena e diminuem o ambiente. Caso queira, eleja uma parede e pinte-a com uma cor mais escura, para compor com o tom claro. Não abuse na decoração, ou escolha prateleiras na parede ou quadrinhos. Escolha móveis básicos, que agreguem mais de uma função. É ótima a ideia do trocador integrado ao guarda-roupa, pois é prático e economiza espaço, ou cômodas compactas podem ter sapateira e varão para cabide; dê prioridade à circulação.

61


Companhia do Esporte - (19) 3623-4238 Modelos: Mateus Ignácio Barbosa Heloisa Ferreira Produção de moda: Patrícia Rehder Fotos: Juan Landiva Locação: Sociedade Esportiva Sanjoanense Agradecimentos: Phoco Models - (19) 3661-4674

Mateus veste camiseta e bermuda Lupo, tênis e raquete Wilson. Heloisa veste blusa Nike, shorts-saia Trinys, tênis Olimpikus Soft e raquete Wilson.

62


63


Heloisa veste regata, short e porta Iphone Trinys. TĂŞnis Nike Pegassus. Mateus veste regata Nike, shorts Speedo, tĂŞnis Asics Nimbuns e garrafa Realtex.

64


Mateus veste sunga e 么culos Hammer Hed. Heloisa veste mai么 e 么culos Hammer Hed.

65


Heloisa veste calça legging Trinys estampada, blusa Trinys, viseira estampada e tênis Nike Shox + 13

66


67


entrevista

Crianças x tecnologia Até que ponto o uso da tecnologia é saudável?

por Fernanda Goulardins

A vida atual pede modernidade e tecnologia. E com as crianças não é diferente, elas já nascem conectadas e entendidas do assunto. Mas até que ponto a tecnologia traz benefícios para o desenvolvimento dos pequenos? Como os pais lidam com essa situação? Crianças também se tornam viciadas? Estas são questões que afligem as cabeças de muitos educadores e pais hoje em dia. Pensando nisso, a Revista Atua resolveu explanar o assunto em uma entrevista com a neuropsicóloga Betânia Alves Veiga Dell’ Agli. Ela é mestre e doutora em educação, neste momento faz pós-dou-

Quando você começou a se interessar pelo comportamento das crianças? Desde quando estava na faculdade eu já havia escolhido a área infantil. Depois tive a experiência de trabalhar na APAE e a maioria dos meus pacientes, em toda a minha trajetória, foi 90 % de crianças. Qual é a importância da fase infantil na formação de um adulto? Nossa, é quase tudo! Na verdade todas as etapas do desenvolvimento da criança são importantes para a constituição de um adulto. O bebê, até os dois anos de idade, é a base para todo o desenvolvimento posterior, por isso a estimulação nessa fase é muito importante, não o excesso, mas, propiciar à criança uma brincadeira em casa com os pais, ou na escola. Cada fase tem uma característica essencial, principal, e 68

torado na faculdade de Ciências Médicas, na Unicamp. Além disso, faz parte de dois grupos: Criança Casulo, de educadores ligados ao Grupo da Caridade André Luiz, entidade espírita, que atende crianças e adolescentes com problemas de aprendizagem e comportamento nas escolas; e um que atende crianças na Unicamp. “O meu trabalho é desenvolver o raciocínio, ajudar a criança a ter um bom desenvolvimento escolar. Trabalho também com os problemas de comportamento, que acontecem nas escolas, crianças hiperativas e transtorno de conduta”, comenta Betânia. Com muita experiência, ela tira muitas dúvidas nesta entrevista especial, em homenagem ao Dia das Crianças.

por isso devemos estimular o desenvolvimento da criança, dentre eles, a questão do desenvolvimento moral, que hoje é pouco falado dentro da educação familiar, mas é importantíssima, fundamental e deve ser concomitante com todas as outras. Como você vê essa educação familiar atualmente? Atualmente vejo como os pais estão perdidos na questão da educação dos filhos, são muito ansiosos e os filhos muito autoritários, querendo mandar. Essa educação precisa ensinar o respeito que se deve ter com os outros, com os amigos, com o próximo. Falta muito essa dimensão das regras, da autoridade do educador e professor. Hoje, há uma queixa muito frequente de professores quanto à relação de igual para igual com os alunos. Eu li uma reportagem em que uma pesquisa-

dora dizia que quem mais ganhou nas últimas décadas, na sociedade, foi a criança. Ela foi a que mais teve ganhos. Por exemplo, hoje os restaurantes já têm parquinhos, porque as crianças não ficam mais com você, elas precisam brincar até mesmo na hora do almoço ou jantar, e assim os pais sempre escolhem lugares que já tenham essa infraestrutura, de preferência que tenham monitores acompanhando. Elas nunca estão sozinhas, se não tem alguém cuidando, o pai ou a mãe saem da mesa e ficam com ela no parquinho. Então, hoje elas são o centro da família. Fico pensando neste tipo de educação que está sendo dada, muitas vezes pela dificuldade que os pais têm de compreender, pois não querem voltar ao passado, mas também não sabem muito bem pra onde ir. Não querem aquela educação repressora que só o

>


Foto: Juan Landiva

“Eles já nascem em uma cultura tecnológica, é uma situação que não tem volta”

69


Foto: Juan Landiva

olhar já bastava, e acabam colocando a criança como a razão de ser da família. Mudou o foco, hoje se faz tudo para os filhos. Como você vê os tempos atuais em relação às tecnologias relacionadas às crianças? Com a nova tecnologia tudo modificou, não temos mais o convívio com a família, quando estamos todos em casa. Cada um vai para o seu quarto, assistir a sua TV, fazer as suas coisas e assim não temos mais aquela reunião familiar, sentar e conversar. Acho que o ser humano nasceu para viver em grupo, e falando de tecnologia acho que as redes sociais cumprem esse papel. Com elas as pessoas estão sempre ligadas, conectadas. Agora todo mundo sabe muito mais das pessoas do que sabiam antes. Mas, na verdade, o que questiono muito é a qualidade dessas interações. Não se sabe muito bem os indícios de um diálogo, a expressão do outro, a forma de resposta que você vai receber, não dá para regular isso quando a conversa é feita por meio da máquina. Mas a tecnologia é importante para a vida das crianças, que já nascem nesse novo tempo. Até onde a criança deve ser conectada? Acho ótima a tecnologia, não podemos negar os benefícios que ela trouxe para a sociedade. Ela é essencial e irreversível, os pais e educadores que acham que isso vai acabar, 70

esqueçam, não existe mais volta. Estamos vivendo em um mundo diferente daquele que vivíamos antigamente. Então, querer privar a criança disso não é bom, ela precisa, porque é o mundo dela, as crianças nasceram neste contexto. Agora, como tudo na vida, o excesso atrapalha, e por isso os pais precisam tentar dividir o tempo da criança com outras tarefas, tão importantes quanto a tecnologia. Vejo em meu trabalho muitas crianças que passam madrugadas inteiras no computador, sem contar aquelas que estão acessando sites pornográficos. Fico muito atenta a isso, porque é um número grande de crianças usando a internet de forma errada. Então, o cuidado e a preocupação que os pais e educadores precisam ter é em relação ao controle dos sites acessados, porque esse tipo de conteúdo não é adequado ao desenvolvimento da criança. Devem se atentar ao tempo que se dedicam e à qualidade do conteúdo acessado na internet. Tanto porque a criança precisa correr, pular, brincar, mexer com o corpo, coisas que só fazemos na infância. Por isso deve existir o tempo para cada atividade, por exemplo, o tempo da tarefa, o tempo para se movimentar, de se exercitar e também usar o computador. A tecnologia é apenas uma das atividades da vida da criança, e não pode ser a totalidade. >


71


E em relação às crianças usarem a internet para pesquisar trabalhos escolares? Acho bom desde que o professor saiba questionar a respeito. Não é copiar e colar, mas como o educador vai fazer para direcionar a busca. Como ele vai cobrar o conteúdo aprendido, na pesquisa, em sala de aula. Acho que os pais devem ficar atentos aos filhos quando vão fazer o trabalho na internet, verificar o que realmente foi solicitado, fazer as perguntas corretas. Não é só conectar, fazer a pesquisa e depois copiar. Hoje, dizemos que estamos vivendo no mundo da informação e não do conhecimento, porque o mundo da informação é assim, está tudo no Google, o que você pergunta ele te responde, então a informação está disponível. Por isso a escola não é a única educadora, e nem a família, nós temos o computador que educa. Agora, isso não significa que todas essas informações serão transformadas em conhecimento, porque o conhecimento é de outra natureza, que é exatamente o que vai favorecer a evolução da criança. Assim, quando os professores solicitarem e os pais coferirem a tarefa feita via internet, precisam ficar atentos à quais são as perguntas que possibilitam que a criança tenha curiosidade para buscar outras coisas, a

partir daquilo. A informação está ali, mas ela precisa se transformar em um conhecimento para a criança. Até que ponto os pais devem incentivar o uso da tecnologia? Eu perguntaria pra você se precisa incentivar. Porque acredito que eles já nascem em uma cultura tecnológica, como já falei, é uma situação que não tem mais volta. Não temos mais livros para procurar, onde a criança vai pesquisar, não temos mais Barsa, então onde elas vão buscar as informações se não for através da tecnologia? Precisamos entender que o nosso mundo mudou, agora se nasce em um mundo tecnológico, da informação da tecnologia. Então qual é a idade ideal para a criança ganhar um tablet? Não sei se consigo estabelecer isso, mas acho que é um aparelho caro para uma criança pequena, acredito que eu daria apenas para um adolescente. Celular também, porque a criança não tem necessidade de ter um celular, ela vai para escola, para a casa de um amigo, de um parente, nunca está sozinha. Essa situação do celular se tornou tão complicada que os pais ligam nos celulares dos filhos durante as aulas na escola. É um ab-

Segurança na Internet Se no mundo real os pais devem ter cuidados com os filhos, saber por onde andam, quem são os amigos etc., no mundo virtual, essa preocupação não pode ser diferente. O problema é saber até que ponto ir, e quando o cuidado torna-se uma invasão da privacidade dos filhos. Para a educadora Betina von Staa, é importante a orientação dos pais e responsáveis, já que os nativos digitais veem a tecnologia como um fato normal. “Não é porque se relacionam pela internet que podem se xingar, não é porque estão nas redes sociais que devem oferecer informações pessoais excessivas para o mundo, não é porque pesquisam na internet que tudo o que encontram é bom”, diz. Betina alerta ainda para o fato de o Brasil ser um dos países em que os pais menos monitoram o comportamento virtual dos filhos. E ressalta: “os pais não precisam monitorar somente para controlar, mas sim, para conhecer melhor seus filhos, que passam uma parte considerável da sua vida online . E conversar com eles sobre esses assuntos, assim como falam sobre qualquer outro.”

Foto: Reprodução Internet

72

>


73


surdo! Isso tira a atenção do aluno. Os professores não devem, de jeito nenhum, permitir o uso do celular, isso atrapalha a aprendizagem. E como fica a auto-regulação? O celular toca no meio da aula? Mas a situação é diferente quando vão participar de uma atividade envolvendo tecnologia, aí precisam dos aparelhos para desenvolver aquela atividade. E o excesso, quais são os danos que eles causam? Bom, se for falar de excesso, como o exemplo de situação em que a criança usa o computador, tablet, ou celular na maior parte do tempo, como ao andar de carro, viajar, em uma reunião social, na hora de dormir, na hora de fazer as tarefas, se formos pensar do ponto de vista do tanto que a criança perde de olhar a rua, ver as placas, adquirir conhecimento, noção espacial que, são coisas da vivência do dia a dia, que causam danos intelectuais. Os danos são vários. Quando ela está no carro olhando apenas para seus joguinhos no tablet, não tem uma visão do mundo, não sabe se localizar espacialmente, ela terá perdas. Então, o excesso causa dano à criança desde que ela abra mão de outras coisas que também são importantes para o seu desenvolvimento. A criança tem que brincar, correr, conviver com os outros, tem que sentir ciúmes, competir com o outro. Ela não tem que ficar só no computador, ela tem que vivenciar outras coisas que são tão importantes quanto a tecnologia para o desenvolvimento dela.

Sem limite - O excesso de tecnologia causa dano à criança desde que ela abra mão de outras coisas que também são importantes para o seu desenvolvimento.

74

Se fica a maior parte da manhã ou da tarde, quando os pais estão trabalhando, no computador ela perdeu um monte de coisa. Tudo em excesso é prejudicial, vamos usar o computador para trazer benefícios, para aquilo que de fato melhora a qualidade de vida. Mas eu pergunto: pra que uma criança precisa de celular? Qual a necessidade? Para a criança de qual idade você vai dar um celular? A criança fica com o objeto para dar sossego aos adultos? Qual é o objetivo? Como os pais devem controlar o uso das tecnologias com as crianças? Para as crianças mais difíceis, menos obedientes, os pais podem estipular horários de uso. Para os mais obedientes, que aceitam muito bem e, automaticamente, quando falamos, já entendem e vão brincar com outras coisas, não tem necessidade. Isso é muito variável, depende muito da criança. Tem algumas com quem você fala: Vamos brincar de outra coisa? E na hora ela deixa o computador, ela sabe que tem que sair. Já outras dizem: só mais um pouquinho, só mais dez minutos, aí é necessário usar o controle Foto: Juan Landiva

>


75


do horário. Mas toda regra tem que ser legitimada e os pais não podem ceder. Qual a posição da escola neste sentido? Na minha opinião a escola vai ter que mudar. Ela já não dá conta de ser interessante para a criança e em vários pontos de vista. Não sei como, mas penso que algumas mudanças precisam ocorrer. Não dá mais para as crianças ficarem sentados em fileiras, ouvindo o professor discursar sobre determinados assuntos. O mundo está muito diferente desse padrão de modelo de escola que nós temos hoje. No entanto, penso que a tecnologia é um recurso, e não a totalidade. Quando trabalho com esses jogos que desenvolvem a aprendizagem, tomo muito cuidado, porque mesmo com os jogos pedagógicos, quem precisa estimular a criança sou eu. Preciso fazer boas perguntas, não adianta só colocar o jogo e deixar. A tecnologia é um excelente recurso, mas é preciso saber utilizá-la como aliada no processo educacional e não como a responsável pelo processo educacional. O que você acha do uso das Redes Sociais pelas crianças e adolescentes? Acho ótimas as redes sociais. Mas mais uma vez, precisamos educar as crianças sobre o que colocar, postar, o que eles falam para não magoar as pessoas, as fotos que postam, as fotos em que aparecem e que outras pessoas postam. A educação que nós precisamos dar às crianças é muito mais em relação de como usar as redes sociais, dar parâmetros a elas. A criança deve estar sempre monitorada, o monitoramento é tudo! Com os adolescentes, os pais precisam trabalhar o Facebook, com respeito ao conteúdo, ele deve ser controlado pelos pais. Não vejo condições, nem maturidade em uma criança de sete anos, por exemplo, para que tenha condições intelectuais e afetivas de lidar com uma situação como as redes sociais. Como podemos perceber que a criança ou o adolescente já se tornou dependente da tecnologia? Há tratamento? A tecnologia vicia, ela traz vício, a pessoa não consegue ficar sem ela, e por isso precisa ter o autocontrole. Não adianta também os pais controlarem as crianças, mas passarem o tempo todo em reuniões familiares, na mesa do jantar, usando o celular. Você percebe que uma criança já se tornou dependente quando ela não consegue ficar sem o computador, ela levanta da cama, e não se cuida, e a primeira coisa que ela quer fazer é ir para o computador. Há qualquer momento ela fica vidrada, e quando você nega o uso fica muito irritada. Falo 76

para os pais impedirem antes do vício, porque depois fica mais difícil. Aí a conduta para tirar o vício será muito mais difícil do que a de controlar, agora. As crianças querem ficar o tempo inteiro, elas brigam, argumentam, elas pedem só um pouquinho, mais dez minutos, e não conseguem ficar sem a tecnologia. Quando estão viciadas, precisam de uma ajuda psicológica. É uma dependência que ela tem, e que como qualquer outra é muito difícil de trabalhar. Outro fator importante é conscientização trabalhada com a criança, explicar pra ela porquê você está tirando a internet, e não só xingar. Trabalhar muito mais com o esclarecimento do porque e colocar pra ela que você está tomando essas atitudes de controle do horário, do tempo que permanecerá no computador, porque ela não está bem, porque está percebendo algumas atitudes que estão acontecendo, como a irritabilidade, a busca constante pelo computador, a ausência do contato familiar e de amigos. Tudo isso são indícios de que a criança está acima do limite que ela poderia estar conectada à tecnologia. E já não é mais saudável. E se a criança não tiver vício nenhum, ela vai saber usar como um recurso e não uma necessidade permanente da tecnologia. Como tudo na vida, a relação da criança com as tecnologias gera tanto aspectos positivos quanto negativos. Há de um lado, uma construção mais resistente da criança como inocente e vulnerável, que precisa da proteção dos adultos. De outro lado existe um pensamento mais contemporâneo: a construção como conhecedora das tecnologias, possuidora de uma sabedoria natural que orienta seu envolvimento com essas tecnologias. É claro que essas tecnologias, que podem proporcionar um avanço ou melhoria, oferecem benefícios principalmente na busca por informações, no crescimento intelectual e na aprendizagem. A criança é um ser em desenvolvimento e em formação, por isso, quando bem utilizadas, as tecnologias são vistas como aparatos auxiliadores do desenvolvimento, em especial, no ensino. Pesquisas recentes apontam que os brasileiros têm, em média, 9 anos quando acessam o mundo virtual pela primeira vez, por isso o grande medo dos pais está relacionado aos conteúdos impróprios ou até mesmo os riscos de envolvimento com pedófilos ou outras pessoas maliciosas através da net. Para tanto, se torna importante usar navegadores (programas para acesso à Internet) que possuem opções que ajudam a limitar os sites acessados. A


77


culinária

por Bento Experidião (Bento´s Restaurante) Foto: Juan Landiva

Gratin de maçã Ingredientes • 3 maças sem casca e cortada em rodelas; • pão amanhecido em fatias; • 1 lata de leite condensado; • 3 ovos; • ½ lata de leite; • Gotas de baunilha; • ½ xícara de chá de uva passa branca; • ½ xícara de chá de açúcar; • 1 colher de sopa de canela em pó; • Manteiga para untar. Modo de preparo Unte um refratário ou forminhas individuais com manteiga e polvilhe com o açúcar misturado com a canela para cobrir toda a superfície. Forre com as fatias de maça e polvilhe com o açúcar misturado com a canela. Leve ao forno pré-aquecido a 180 graus por cerca de 20minutos, ou até as maças murcharem. Enquanto isso, bata no liquidifica78

dor os ovos o leite condensado, o leite e a baunilha até obter uma mistura homogênea. Reserve. Retire a assadeira do forno, espalhe a uva passa sobre as maçãs, cubra com as fatias de pão e regue com a mistura reservada. Finalize com o restante da uva passa e um pouco mais do açúcar. Asse por uns 30 minutos ou até dourar. Sirva quente com sorvete de creme, decore com folhas de hortelã. Fique de olho! A maçã é uma das principais frutas que integram o grupo de superalimentos. Que ela faz bem para a saúde e para o corpo não é nenhum segredo, mas alguns benefícios dela ainda são menos conhecidos. Uma maçã média possui aproximadamente quatro gramas de fibra. Uma parte disso está na forma de pectina, um tipo de fibra solúvel que tem sido associada a redução dos níveis do colesterol ruim. Isso acontece pois ela bloqueia a absorção de colesterol, ajudando o corpo a usá-lo, em vez de armazená-lo.


Grandes Formatos & Preços esPeciais

0 to 60BXo6LD a n a L e Xt Porc 60x60 e r Bianco

arpoado

0 9 , 4 R$3 m e

d A PArtIr

Promoção válida para produtos identificados no interior da loja e enquanto durarem os estoques. Imagem meramente ilustrativa.

São João da Boa Vista - (19) 3633-5557 Av. Dr. Durval Nicolau, 944 Jardim Santarém portobelloshop.com.br 79

2


culinária

por Bento Experidião (Bento´s Restaurante)

Bouef Bourguignon Ingredientes • 3 Kg de carne de músculo, coxão mole ou alcatra; • Temperos - sal, pimenta do reino, folhas de louro, alho picado,ervas de Provance; • 4 cebolas grandes cortada em cubos; • Óleo de milho para refogar; • Farinha de trigo (o suficiente para engrossar o molho); • 1 garrafa de vinho tinto; • 1 litro de caldo de carne; • 300g de cebolinha miúda; • 4 colheres(sopa) de açúcar; • 250g bacon cortado em cubos; • 200g de champignons de Paris; • 3 cenouras torneadas; • 3 batatas torneadas; • 1 abobrinha brasileira torneada; • 3 mandioquinhas salsa torneadas; • Salsinha picada para decoração. Modo de preparo Limpe a peça de carne e corte em cubos, tempere com sal, pimenta do reino, ervas de Provance ou temperos de sua preferência e adicione vinho tinto seco até cobrir totalmente a carne. Deixe marinar de um dia para

80

Foto: Juan Landiva

outro na geladeira. Sele a carne em panela bem quente separe e acrescente a cebola picada , o alho e refogue. Acrescente o caldo do marinado, o restante do vinho tinto e o caldo de carne. Vede a panela com papel alumínio e tampe bem. Deixe cozinhar por aproximadamente 3 a 4 horas em fogo bem baixo, mexendo de vez em quando e verificando o ponto da carne. Depois de cozido separe os cubos de carne, coe o caldo e volte ele para o fogo. Se necessário acrescente mais vinho tinto seco, deixe reduzir e, se houver necessidade, engrosse com a farinha de trigo ou amido de milho. Preparo de legumes Descasque as cebolinhas, coloque-as em uma panela com o açúcar, cubra com água e deixe cozinhar até que a água evapore e as cebolinhas fiquem caramelizadas. Reserve. O restante dos legumes cozinhe separadamente no caldo de carne e reserve. Corte o bacon em cubos e afervente por alguns minutos, escorra e reserve. Montagem do prato Distribua a carne em pratos individuais, cubra com o molho bourguignon e acrescente os legumes e os cogumelos inteiros a gosto. Distribua usando sua criatividade.


81


agito

82

’


83


sua língua

“A crase não foi feita para humilhar ninguém” Ela não é um bicho de sete cabeças como todos pensam Por Maria José Gargantini Moreira

O emprego da crase costuma desconcertar muita gente, a ponto de gerar muitas frases espirituosas como a que encabeça o texto, cujo autor não é nada menos que o poeta Ferreira Gullar. Já o escritor Moacyr Scliar discorda deste ponto de vista, em sua deliciosa crônica Tropeçando nos acentos, ao afirmar que a crase, foi feita sim, para humilhar as pessoas; e o humorista Millôr Fernandes, de forma irônica e jocosa, é taxativo: “ela não existe no Brasil”. Nota que, com as novas “(des) orientações ortográficas” vigentes, muitos acham que a crase já está obsoleta, assim como aconteceu com o coitadinho do trema. A crase está aí firme e forte e não é bicho de sete cabeças como tantos pensam. Há que se entender a crase, não apenas como um simples sinal ortográfico que aparece por ve-

84

zes acima da vogal “a”, e que se coloca, aleatoriamente, quando se acha que assim fica “mais bonitinho”. A gramática tradicional define crase (do grego krasis) como a fusão, junção de dois “aas”, uma preposição a mais um artigo feminino. Esta forma “aas” não se admite em língua portuguesa, como se admite “aos” que, da mesma maneira, é a junção preposição a, só que, aqui, combinada ao artigo masculino. Aproveitando a visita do Papa Francisco, que a todos nos impressionou com seu carisma e simplicidade, assim deveríamos dizer: Assisti a (preposição pedida pelo verbo assistir) a (artigo admitido pela palavra missa) missa celebrada pelo Papa. Portanto: Assisti à missa celebrada pelo Papa. Da mesma forma que se, ao invés de missa, disséssemos : Assisti ao sermão do Papa pela TV. No entanto, o que precisamos observar com relação à crase é que este simples sinal é responsável,

muitas vezes, por provocar/evitar ambiguidade nas frases. Tenhamos em mente que crase é, antes de tudo, imperativo de “clareza”. É bem diferente dizer que “o jovem bateu a porta ao chegar em casa”, e que “o jovem bateu à porta ao chegar em casa”. A qual dos dois cabe uma reprimenda? Qual deles foi educado? É evidente que o jovem ao bater à porta agiu de forma correta. Imagine se lêssemos a seguinte manchete nos jornais “Dilma depôs a (à) CPI”. Sem a crase, a frase hipotética se revela ambígua: Dilma destituiu a comissão parlamentar de inquérito, ou apenas deu depoimento à comissão? Só o sinal da crase é que tiraria a dúvida. Tenhamos, portanto, sempre em mente que, sinalizar na escrita a contração de duas vogais idênticas, extrapola as fronteiras da gramática, vai muito além, pode até provocar um problema sério de (des)entendimento entre as pessoas.


85


86


87


psicologia

Seja o mestre de suas emoções Devemos reconfigurar as experiências e assim superar as fragilidades da vida cotidiana por Maryá Rehder Ambroso

Olhe para a sua experiência de vida. O que você tem feito para ser uma pessoa mais alegre, serena e segura? O que você realiza para superar seus sofrimentos, sua impaciência, ansiedade e irritabilidade? Afinal, você é mestre em administrar suas emoções? Por vezes a vida nos surpreende com suas realidades impactantes, pois no contexto mundial em que vivemos hoje, é impossível não passarmos por qualquer tipo de adversidade durante a nossa existência. São os acidentes, as tragédias que fogem ao nosso controle. São os fatos que não podem ser alterados. Muitos sofrimentos são oriundos dessas realidades que não passam por nossas escolhas. Há vezes em que somos vítimas das escolhas de outros, de descuidos que não foram cometidos por nós, mas há também escolhas que fazemos de forma consciente, cujos resultados , mais cedo ou mais tarde, teremos que enfrentar. É diante dessas adversidades da vida que temos que buscar um novo caminho, porque se não temos como mudar a vida, precisamos então descobrir uma maneira de sermos transformados por ela. E para que isso seja possível, é preciso possuir a habilidade de reconhecer a dor pela qual estamos passando, perceber qual é o sentido que ela tem e tolerá-la durante um tempo, até que sejamos capazes de resolver esse conflito de forma construtiva, ou seja, precisamos aprender que é através da alteração da atitude frente aos acontecimentos que conseguimos delinear o contexto de nossas escolhas. No entanto, alterar uma atitude não é tarefa fácil, pois exige disciplina, observância de como nos comportamos e tudo isso desperta, naturalmente, o sofrimento. Ninguém muda de atitude sem a experiência do esforço, porque se trata de um processo dinâmico, onde as influências do ambiente e do indivíduo relacionam-se de maneira recíproca. 88

É sábio que algumas pessoas passam por situações traumáticas e as superam saindo fortalecidas e outras não conseguem recuperar-se da situação ocorrida. Mas a Psicologia nos ensina que negar uma realidade cuja matéria é o sofrimento, tende a torná-la ainda mais torturante e opressiva. A negação é um recurso que não minimiza o sofrimento, ao contrário, ela o fortalece, potencializa-o. Por essa razão, devemos desenvolver o hábito de refletir sobre a vida e sobre os acontecimentos que vivenciamos. Assim reconfiguramos a experiência e superamos nossas fragilidades, diminuindo nossas angústias, ansiedades e questionamentos, tornando-nos pessoas mais serenas, seguras e alegres diante a vida. Deste modo, devemos nos conscientizar de que os obstáculos não devem ser causa para a desistência, mas devem, sim, figurar em nossas vidas como um sinal de que tudo aquilo ainda será melhor para nós, pois se quisermos frutos saborosos amanhã, não podemos abrir mão do cultivo e do empenho que são exigências do dia de hoje. Foto: Reprodução Internet


89


agito

90

’


91


viagem

Foto: Reprodução Internet

Bueno...bueno, Buenos Aires! Em poucos dias sua viagem se torna um tour cultural, arquitetônico e gastronômico Bienvenido a mi Buenos Aires querido... Entre tangos de Carlos Gardel, empanadas e uma linda arquitetura antiga, o destino da cidade de Buenos Aires, na Argentina, é ideal para casais e famílias que gostam de passeios culturaiss e boa comida. A curta distância, o preço convidativo da passagem aérea e o câmbio, que continua favorável, são fatores que contribuem para que Buenos Aires continue sendo um dos destinos mais procurados pelos brasileiros. O clima muito frio no inverno e muito quente no verão transforma a cidade em uma boa opção para qualquer época do ano. Tanto para 92

os turistas que curtem um friozinho bem gelado quanto para aqueles que querem conhecer a cidade, mas preferem dias mais quentes. Para chegar à cidade portenha de avião há dois aeroportos: Ezeiza (na sua passagem: EZE), o maior, a 50 minutos de táxi do centro, e Aeroparque (na sua passagem: AEP), o aeroporto central, a 10 minutos de táxi do centro ou de Palermo. Qual o melhor? Vantagem do Aeroparque: proximidade. Desvantagem: Free Shop pequeno. Vantagem de Ezeiza: Free Shop grande - muito bom. Desvantagem: a distância. Lembrando que a moeda da Ar-

gentina é o peso argentino, é necessário fazer o câmbio do dinheiro. Nos dois aeroportos tem agências do Banco Nación que fazem câmbio 24 horas por dia à cotação oficial. Há também caixas eletrônicos que funcionam com o cartão do seu banco, desde que esteja habilitado para saques internacionais e desbloqueado para a viagem. Mas, atualmente vale a pena levar dólares e reais. Você conseguirá usar dólares ou reais para ir do aeroporto ao hotel, e muitas lojas e restaurantes aceitam dólares e reais por uma cotação próxima a do mercado paralelo.


Onde ficar - São “infinitas” as opções para se hospedar, as mais conhecidas estão nos bairros da Recoleta, Palermo e Centro. Mas, dizem as boas línguas, que o lugar mais bonito para dormir e acordar em Buenos Aires é com certeza, a Recoleta. O preço é um pouco mais alto, mas vale a pena. Para os boêmios e consumidores, Palermo Soho é o bairro ideal. Tem muitos hotéis legais e fica localizado ao lado de Palermo Hollywood, onde a noite acontece e também há os polos gastronômicos do momento. Gastronomia – A gastronomia da cidade de Buenos Aires se destaca pela carne bovina, massas e pela qualidade dos seus vinhos. Pode-se considerar que a principal característica da comida argentina é a influência da gastronomia italiana e espanhola. >

93

Foto: Reprodução Internet

Tango - Originarialmente, o tango nasce no final do século XIX da mistura de vários ritmos provenientes dos subúrbios de Buenos Aires. A melodia vem do som do violino, violão, e “bandoneón” (espécie de sanfona). O trançar de pernas, mais a sensualidade da dança tornaram-se os elementos identificatórios da alma portenha.


Foto: Reprodução Internet

O assado à brasa ou “parrillada” é a comida típica. O churrasco é a melhor e mais usada desculpa para celebrar entre amigos ou familiares todo o tipo de acontecimento. Entre outros alimentos característicos estão: as empanadas, pasteizinhos recheados com carne e outros ingredientes: a “humita”, “tamales” e “locro”; e o sándwich de chouriço, o famoso “choripan”. O cozido, as massas e a pizza não podem faltar em nenhuma mesa argentina. Duas boas opções para almoçar um belo bife de chorizo: El Desnivel (Defensa 855, entre Estados Unidos e Independencia); o clássico La Brigada (Estados Unidos 465, entre Defensa e Bolivar). Outra boa opção é o bistrô francês Brasserie Pétanque (Defensa 596, entre México e Venezuela). Já o café da manhã clássico é o pão com manteiga e o doce de leite, acompanhados de café, leite e, eventualmente, o mate que substitui o café da manhã. 94

Teatro - O Teatro Colón é a principal casa de ópera de Buenos Aires. Acusticamente, é considerado um dos cinco melhores teatros do mundo. O atual Colón substituiu o teatro original, inaugurado em 1857. O teatro foi inaugurado em 25 de março de 1908 com a ópera Aida, de Giuseppe Verdi, após 20 anos de obras.

Passeios culturais – Entre os passeios culturais, que são imperdíveis está o Museo de MALBA – Fundación Costantini, Museo de Arte Latinoamericano de Buenos Aires que difunde a arte latinoamericano desde o início do século XX. Não deixe, em hipótese alguma, de fazer uma visita ao Teatro Colón. É simplesmente, ou “barrocamente” maravilhoso. Um palacete construído em 1857, com arquitetura no estilo barroco, com muito ouro, cristais, e um palco com a acústica perfeita para as apresentações de óperas. Ele foi inaugurado com a Ópera de Aida para servir de entretenimento aos portenhos ricos da sociedade da época. Assistir uma apresentação de ópera neste teatro, que é considerado

um dos cinco melhores do mundo, até mesmo para quem não é muito fã deste tipo de apresentação, é inesquecível, emocionante e obrigatório. Tango mio - A principal atração turística de Buenos Aires é o tango. São muitas opções de shows espalhados pela cidade e quase todos são jantar- show. São apresentações superproduzidas, e por isso não custam barato: espere pagar pelo menos 100 dólares com jantar. São lindos, sensuais e românticos. Entre eles estão: Rojo Tango, no hotel Faena; El Querandí; Centro Cultural Borges com apresentações menos produzidas, mas excelente; Café Tortoni em espaços alternativos; Bar Sur com shows intimistas durante toda à noite. >


95


City Tour - Claro, o centro é parada obrigatória. Lá se concentram as principais atrações turísticas como a famosa Casa Rosada, a disputada Calle Florida (onde fica o belíssimo shopping Galerías Pacífico) e o Obelisco. Em seguida vem o bairro da Recoleta, é perto suficiente de tudo e muito mais tranquilo, charmoso, arborizado que o centro e cheio de cafés. Com um pouco de disposição é possível ir a pé do centro até ele, de ônibus ou metrô até Palermo, ou mesmo de táxi para os famosos outlets próximos da Avenida Córdoba. Puerto Madero, outro poderoso ícone da Buenos Aires, é um maravilhoso projeto urbanístico: recuperou e incorporou à cidade uma antiga área de armazéns portuários. Passear pelo seu calçadão, à beira do canal, é um programa delicioso ao entar-

96

decer. O complexo se estende por quase quatro quilômetros: nas duas extremidades estão o terminal de barcos Buquebus (bem em frente à avenida Córdoba) e o Cassino Flutuante (já pertinho de La Boca). Depois vem o Caminito, que não pode ser considerado o lugar mais bonito de Buenos Aires, mas que é interessante conhecer e experimentar todo o colorido das casas construídas com zinco, como cortiços. As ruas são repletas de exposições abertas, com valor histórico e artístico. Outro lugar interessantíssimo, que deve ser conhecido principalmente pelos amantes dos animais, é o zoológico da cidade de Luján, que fica pouco mais que 60 km de Buenos Aires. É um zoológico diferente da maioria dos convencionais. Nele, é possível entrar nas jaulas e acariciar

leões, dar mamadeiras com leite a tigres e alimentar elefantes com pedaços de pera, estimulando esse tipo de contato devido a uma criação diferente de animais selvagens. E tem muito mais, universidades, palacetes com arquitetura antiga lindos, praças, muitas feirinhas como a famosa de “San Telmo” aos domingos, planetário, biblioteca nacional, vários lugares para passar em um belo city tour. Uma vez em Buenos Aires, não deixe de frequentar bons restaurantes, ir a um show de tango e aproveitar ao máximo toda a história e cultura que a cidade pode te proporcionar. Um feriadão à portenha, comendo muito, dormindo tarde, batendo perna, vale por umas férias. E se você já foi, volte. Buenos Aires fica bem mais interessante pela segunda vez. A


97


gourmet

Buteco Week : o sucesso das comidas de boteco Com 11 bares participantes, a primeira edição do evento gastronômico atraiu o público Depois do sucesso das edições nacionais de eventos como o Restaurant Week, esse tipo de ação virou uma espécie de febre nas grandes capitais brasileiras. De olho nisso, a Associação Comercial, em parceria com a Comissão de Turismo e o COMTUR, organizou aqui em São João a primeira edição do Buteco Week. O evento reúne uma seleção de bares e restaurantes, oferecendo combinações de petiscos e bebidas por um preço fixo pré-estabelecido (nesse ano serão duas faixas de preço, R$ 20 e R$ 40). As combinações contam com as comidas típicas de boteco, porções, petiscos e muito mais. O objetivo é movimentar o cenário gastronômico local, além de oferecer uma oportunidade para conhecer um bar ou aproveitar para beliscar um petisco diferente. “E parece que conseguimos atingir nosso objetivo”, afirma o presidente da Associação Comercial, Antonio Baesso Junior. Ele explica

Combos - Onze bares de São João participam da primeira edição do Buteco Week. No evento, o cliente pode escolher entre dois diferentes combinados (com porção e bebida) ao preço R$ 20 e R$ 40 cada.

98

que o Buteco Week teve uma ótima recepção por parte do público e dos estabelecimentos locais. “Essa primeira edição está superando nossas espectativas. Até o número de bares participantes foi bem expressivo”. Da estreia participam onze bares: Água Doce Cachaçaria, Bar do Russo, Barril Pizza Bar, Dom Caneco, Genki Culinária Oriental, O Brasiliano, Pakalolo´s Bar, Zucatus Choperia e Pizzaria, Paraki Lanches, Peixoto Bar e Restaurante e Vila do Zeca Valores - Esses valores de combos Foto: Dú Paparazzi

foram propostos porque favorecem o consumo das combinações por grupos, que é a maioria absoluta nas mesas dos botecos. Além disso, eles estão até 40% mais barato que seus valores normalmente cobrados. “Tudo isso para incentivar que o consumidor vá até os bares”, explica Baesso. Mais informações - É possível conferir as opções e todos os bares participantes na fanpage do evento no Facebook (www.facebook.com/butecoweek). O Buteco Week acontece entre os dias 16 e 27 de Setembro. A


99


Roupas: E.B. Kids - (19) 3633-7864 Sapatos: Cada Passinho - (19) 3631-2755 Modelos: Ana Paula B. Carnevalli Luis Felipe P. Vidal Enzo Daniel Abreu Ana Clara Rodrigues Pereira Produção de moda: Patrícia Rehder Fotos: Juan Landiva Locação: Sociedade Esportiva Sanjoanense Agradecimentos:

100


Ana Paula veste sobreposição camisa de folhas com regata básica, shorts verde cítrico Hering e sapatilha Pampili. Enzo veste camisa Joy com composição básica Hering, bermuda PUC e sapatênis Tip Toey Toey. Ana Clara veste conjunto meia manga com estampa de folhas e sapatilha Hobby. Luis Felipe veste camiseta polo listrada, bermuda de sarja PUC e acessórios, além de sapato VRK.

O colorido e a alegria da coleção primavera / verão tomam conta do ar. Looks vibrantes e confortáveis vão deixar a garotada muito mais feliz e sorridente!

101


Ana Clara veste conjunto meia manga Hering com estampa de folhas e sapatilha Hobby. Enzo veste camisa branca Joy, composição básica Hering, bermuda PUC e sapatênis Tip Toey Joey.

102


Luis Felipe veste sobreposição básica Hering, bermuda xadrez PUC e sapatênis Kea. Ana Paula veste short tai dai, blusa meia manga Vic S. Vicky e sapatilha Pampili.

103


Ana Clara veste vestido meia manga de estampa floral PUC e sapatilha Hobby. Enzo veste conjunto meia manga PUC e sandรกlia Tip Toey Joey.

104


105


agito

106

’


107


opinião

Foto: Reprodução Internet

Palavras Elas têm variados valores e diversos conceitos, principalmente ao longo do tempo por Clineida Junqueira Jacomini

Como elas têm significado! Já escrevi a respeito do valor delas, mas infelizmente perdi quase tudo numa pane do PC. E depois de alguns anos, perco de novo meus arquivos. Estou triste e desanimada com isso. Bem, mas em todas as línguas, as palavras têm variados valores e embutidos diversos conceitos, principalmente ao longo do espaço e tempo. Por exemplo: estava usando agora, na cozinha, para tirar os restinhos de bolo da tigela, uma pazi108

nha conhecida por “pão duro”. Mas o que mais significa esse termo? Para uma mocinha casada de novo é tão somente o pãozinho de ontem que ela esqueceu sobre a mesa, nesses nossos tempos secos; para uma mulher casada há mais de 30 anos, vivendo o dia a dia rotineiro com seu marido, ora aposentado e ranzinza, essa palavra lhe lembrará, com certeza, a sovinice do cônjuge. Lembrava-me da diferença, pelo menos relatada por quem conhece a terrinha de nossos antepassados, que há entre a língua-mãe-lusa e a nossa, mesclada, deturpada pelo

tempo e ingerências de outros povos. Não queiram que eu escreva que em Portugal fila é bicha; isso é anedótico e conhecido. Há coisas muito mais sutis. Por exemplo, um freguês pergunta ao garçom se ali tem adoçante, ao que ele responde prontamente: Temos. E nada de trazer nada! À nova pergunta, o guapo responde gentilmente: - O senhor perguntou se temos; não pediu! Também para a pergunta: Tens relógio? A resposta óbvia é: - Sim e mais nada. Aqui o inquirido responderia prontamente: - São duas horas.


E por aí vai uma série de observações sobre a variação de entendimento que as palavras originam. Mas hoje quero tão somente observar coisas que nunca vi. Sou aficionada das palavras cruzadas. E é por aí que enveredo. Nunca vi um pano fino como escumilha (???) chamado ló; nem uma pequena enseada sendo agra; muito menos um leite recentemente ordenhado chamar-se ado; nem desejo ardente chamado azo... E por aí vai; os cruzadistas sabem do que estou falando. Outro dia fiquei embaraçada (esse termo em espanhol quer dizer grávida, coisa que decidida e definitivamente Não estou!) procurando o significado de uma palavra, só me vinha à mente um de seus significados; nenhum outro. E era precisamente esse que a situação requeria. “Continente para café em

109

coco”: na hora me veio Ásia. E sabem o que era? Saca!! Gosto de batida (das bebidas docinhas; nunca as de carro!) e nunca vi ninguém chamar uma pinga ruim de aca. Será dizendo aca e franzindo a testa de tão ruim a dita cuja sendo? Aliás, ao tentar escrever aca, meu PC burro muitas vezes me corrigiu e saiu três vezes aça. Agora estou numa enrascada danada, pois com a nova ortografia que reputo absurdamente burra e sem nexo, o raio de corretor (de corrigir e não de intermediar negócios!) teima em acentuar palavras que já não têm

que pegam? Ou não? Agora tenho outro problema gerado e gerido pela modernidade: tenho usado um tipo de tablet, vindo dos EUA. Ele não acentua nada nem põe cedilha. Outro dia mandei às pressas para o jornal um texto todo ele sem til, cedilhas e acentos. Pedi a um amigo que, antes de publicar, lesse e desse os acertos necessários; não sei se foi a pressa, só sei que fiquei pra lá de mortificada, pois saiu horrivelmente mutilado e até agora, não sei o que meus queridos leitores, sempre fieis, pensaram a meu respeito: será que ela está esclerosada? Não sabe mais acentuar?

acento algum e de colocar o trema que faleceu, findou-se, decubitou-se, como dizia meu marido. Será preciso implantar um novo programa para que as novas regras se estabeleçam doravante. Mas será que essa seria uma daquelas leis

Desaprendeu nossa língua? Ou entenderam que vivemos num mundo global e, como têm dito nossos ministros acerca da espionagem internacional e cibernética: quem manda no pedaço são os ianques!


cultura

O Grande Irmão A personificação de um poder cínico e cruel, que tudo vê e a todos controla por Francisco de Assis Martins Bezerra

A questão da espionagem, em todas as suas possíveis modalidades, é um assunto sempre presente na história da humanidade. Quer seja por interesses comerciais, industriais ou estratégicos de guerra, ela é praticada descaradamente. Para sua prática, seus adeptos utilizam todos os meios ao alcance, desde embaixadas com seu corpo diplomático muito atuante, aos famosos agentes secretos, até os nativos locais devidamente subornados. Portanto, nada de novo, a espionagem é uma prática corriqueira. Mas diante das proporções alarFoto: Reprodução Internet

110

mantes tomadas pelas revelações do americano Edward Snowden de que o poder americano espiona em escala planetária e tem acesso também às informações e a dados pessoais dos usuários das redes de telefonia e de internet, achei oportuno relembrar, nesta breve resenha, o livro 1984, de George Orwell. Este livro foi publicado em 1949, e o ano de 1984 quando estava relativamente distante e 2013 mais distante ainda. A obra retrata uma sociedade oprimida por um Grande Irmão (Big Brother), personificação de um poder cínico e cruel, que tudo vê e a todos controla. Não há liberdade de pensamento e de privacidade.

No mundo imaginário de 1984, criado por George Orwell, o planeta é governado por três superestados ditatoriais: a Lestásia (China), a Eurásia (Europa Continental, incluindo Rússia) e a Oceania (Américas e Ilhas Britânicas), onde vive Winston Smith, o protagonista. O cenário é dominado pelas tele telas, uma combinação de telas com câmeras que transmitem as mensagens do Partido enquanto monitoram o comportamento de cada um. Neste cenário, surge o “traidor” Emmanuel Goldstein, que teria vazado segredos do Partido, uma clara alusão ao livro A Revolução Traída, de Leon Trotsky, que o Partido conclamava a odiar um mi-


nuto por dia. Winston Smith é um solitário, preso nas engrenagens do Estado, refém desta opressão absoluta e poder onipresente. E, em busca da verdade e da liberdade, ousa se rebelar contra o estado totalitário. O’Brien, líder do Partido em Oceania, explica a Winston: “Não estamos interessados no bem dos outros; só nos interessa o poder em si. Nem riqueza, nem luxo, nem vida longa, nem felicidade: só o poder pelo poder, poder puro.” Os leitores de 1984 o entenderam como uma crítica aos regimes nazifascistas da Europa, outros como referência ao extinto bloco socialista da União Soviética, sob o domínio de Stálin. Em nossos dias, 1984 impõe-se como poderosa reflexão, pois o domínio do Estado sem limites chegou às nossas pretensas democracias oci-

111

Não tão diferente da realidade... PRISM é um programa de vigilância eletrônica mantido pela Agência de Segurança Nacional (NSA) dos Estados Unidos desde 2007. O programa tem como objetivo o monitoramento de mídias eletrônicas, de maneira a possibilitar não apenas a recuperação de informações armazenadas sobre um alvo em específico, mas também a vigilância de comunicações em tempo real. E permite a escolha de qualquer cliente das empresas participantes. Documentos divulgados por Edward Snowden, citados pelo jornal britânico The Guardian, provam que a NSA pagou às gigantes empresas de Internet para que estas cooperassem com o programa de vigilância. No escândalo estão envolvidas empresas como Microsoft, Google, Facebook, Yahoo!, Apple, YouTube, AOL, Paltalk e Skype. >


dentais. As empresas de tecnologia se põem a serviço do Estado ao ponto de um Mark Zuckerberg (leia-se Facebook) dizer que “a privacidade está obsoleta” e “mais visibilidade nos transforma em pessoas melhores”. Justamente o contrário do que pensa o dissidente chinês Ai Weiwei, que ao comparar os EUA com a China nos seus métodos de intromissão da vida privada, alerta: “Quando pessoas têm medo e sentem

112

que tudo está exposto ao governo, censuram o próprio pensamento.” Mas, no mundo ocidental democrático, as pessoas não têm medo, expõem-se espontaneamente e com grande entusiasmo nas redes sociais e oferecem informações, conscientes ou não, muito mais que o Grande Irmão, ou o Grande Tio, ou Stalin, sonhou um dia obter. O conceito de Estado Democrático de Direito, sob controle da

sociedade, e o predomínio do Direito Internacional, que imporia limites aos desmandos e abusos dos estados nacionais, foram amplamente distorcidos, ignorados e jogados ao lixo. Não há qualquer órgão internacional capaz de controlar esta gana pelo poder. É só relembrar o caso do sequestro do avião do Presidente Evo Morales, da Bolívia, em pleno espaço aéreo europeu, berço das democracias ocidentais. Justifica-se esta invasão de privacidade pela necessidade de oferecer segurança ao cidadão e evitar ataques terroristas. São meros pretextos de ocasião. Quando estes envelhecerem, outros virão, até porque aprenderam a fazê-los com muita competência, contando com o cinismo dos Estados e com a complacência e subserviência de grande parte da sociedade. Edward Snowden é a versão moderna de Emmanuel Goldstein.


113


cinema

O Brasil em Hollywood Wagner Moura interpreta vilão; é o primeiro trabalho do ator no cinema internacional por Franco Junior

Setembro é o mês dos brasileiros verem um grande ator tupiniquim nas telonas com um olhar diferente. Isso porque Wagner Moura interpretará uma espécie de vilão na produção norte-americana Elysium. A oportunidade de Wagner em Hollywood surgiu após o sucesso do ator como o Capitão Nascimento nos filmes Tropa de Elite. Assim como o diretor desses longas - o brasileiro José Padilha, que é o responsável pela direção do novo Robocop -, o ator ganhou o olhar internacional e foi contratado para o papel. Elysium - O longa se passa em 2159, quando o mundo está dividido entre dois grupos: o primeiro, riquíssimo, que mora Foto: Reprodução Internet

114

na estação espacial Elysium. Enquanto o segundo, pobre, vive na Terra, repleta de pessoas e em grande decadência. Por um lado, a secretária do governo Rhodes (Jodie Foster) faz de tudo para preservar o estilo de vida luxuoso de Elysium, por outro, um pobre cidadão da Terra chamado Max (Matt Damon) tenta um plano ousado para trazer de volta a igualdade entre as pessoas. Em Elysium, Wagner Moura interpreta um revolucionário que entende muito de máquinas e será o responsável por criar uma espécie de armadura para Max. Além de Wagner, o filme tem a presença de uma brasileira em meio aos atores gringos. Trata-se da atriz Alice Braga, que viverá uma enfermeira que cuida dos doentes na Terra. Braga, ao contrário de Wagner Moura, já tem larga experiência no cinema in-

ternacional, tendo em Eu sou a lenda (I am legend – 2008) um dos principais papeis dela nas telonas mundiais.. Início - Baiano de 34 anos, Wagner começou a carreira artística no Teatro. Após grande sucesso, migrou para as telonas, mas a princípio atuava apenas em curtas-metragem. Fascinado por leitura, quando lia o livro de Dráuzio Varella, Carandiru, em 2003, soube de testes para a gravação do filme sobre o presídio e decidiu fazê-los. Aceito, Wagner Moura interpretou Zico, um presidiário que, além de traficante, era viciado em drogas. Devido ao sucesso de Carandiru e, consequentemente, de Wagner como Zico, o ator engrenou na carreira e passou a integrar o elenco da Rede Globo, onde atuou em mini-séries e novelas. Mesmo com o sucesso na emissora global, Wagner não deixou de lado seus papéis no cinema e foi em 2007 que “explodiu” de vez. Ao interpretar o Capitão Roberto Nascimento, em Tropa de Elite, ele e o longa ganharam vários prêmios nacionais e internacionais, como, por exemplo, o troféu de Melhor Filme no Festival de Cinema de Berlim, em 2008. Após mais um longa como o Capitão Nascimento em Tropa de Elite 2, o ator chamou a atenção dos cinemas internacionais e foi escalado para Elysium, do diretor sul-africano Neill Blomkamp - famoso pela direção do premiado Distrito 9 (District 9 - EUA, 2009).


115


dicas

por Hélinho Fonseca

Música - CDs Variada e interessante! Essa é a ideia de nossa página nesta edição da Revista Atua. Que nossos leitores possam escolher entre estilos bem diversificados sugestões que, com certeza, serão gostosas de assistir, ler ou apenas escutar, mas com o critério da boa qualidade, em primeiro lugar.

#AC Ana Carolina

Vanessa da Mata canta Tom Jobim

Dica especial para o CD/DVD de Yamandu Costa, que esteve na 2ª Semana Assad em nosso Theatro Municipal, gravado junto com Dominguinhos, falecido há dias, mas nos deixou um vasto e bonito trabalho que sempre norteou a sua carreira de sucessos.

Somos tão jovens Trilha sonora

Diogo Nogueira Mais amor

Yamandu Costa e Dominguinhos

A compra da emenda da reeleição Em 1997, o repórter Fernando Rodrigues produziu uma série de reportagens históricas publicadas pela Folha de S. Paulo: nelas, um certo senhor X apresentava gravações de reuniões em que deputados federais falavam abertamente sobre a venda de votos para aprovar a reeleição de Fernando Henrique. O preço do voto: 200 mil reais. Hoje, 16 anos depois, o senhor X aceitou ser entrevistado. Narciso Mendes, 67 anos, empresário, falou ao jornalista Palmério Dória e relembrou toda a história – incluindo a forma como a base do governo (no Congresso e na imprensa) conseguiu frear uma CPI para investigar a compra dos votos denunciada em 1997. O livro também volta às privatizações e debruça-se sobre meandros e transações tenebrosas no setor da telefonia. PALMÉRIO DÓRIA Geração Editorial - 400 Págs.

Filme / Música - DVDs

Yamandu Costa e Dominguinhos DVD

116

Box - Mad Max Coleção

Celebrando as cinco décadas de Bond


117


história

Na mesa de um bar É grande a lista dos bares que fazem parte da história de São João o bar foi vendido para a família Ciacco e passou a servir cafezinho, outra inovação para um bar daqueles tempos.

por Ana Lucia Finazzi

Os bares sempre foram pontos de encontro de amigos para um bate papo animado e descontraído. Em nossa cidade, muitos deles marcaram época e, portanto, contam um pouco de sua história. De bar em bar, São João cresceu, desenvolveu-se, criou preconceitos e tabus em torno dos mesmos, derrubou-os por outras vezes; e tornou alguns folclóricos e inesquecíveis. O bar já foi inspiração de poetas e músicos boêmios; amigo das horas de dor de cotovelo, reduto de estudantes e políticos, local onde nasceram romances e amizades. Numa autêntica conversa de botequim, levantamos um pouco destas lembranças sobre alguns destes bares memoráveis de nossa querida São João da Boa Vista: Bar Rubbo - Por volta de 1936, a família Rubbo montou um bar na Pça. Cel. Joaquim José (onde hoje se localiza o edifício Changai). Uma novidade para a cidade, pois, ao que parece, era um misto de bar, mercearia e quitanda. Com excelente localização, tinha seis mesas de sinuca e, no salão, vinte e cinco mesas de refeições. Além de sorveteria, havia o Chopp, na época, novidade na região. Posteriormente

Foto: Reprodução Internet

Bar Canecão - Lendário ambiente, ponto de encontro dos jovens daquela geração. Era o reduto do famoso “Reio Futebol e Samba” e um dos locais mais badalados da cidade durante muitos anos. Seu tradicional bauru, do “seu Jorge”, tornou-se uma espécie de lenda local, sendo considerado por muitos o melhor lanche feito na cidade.

118

Bar e Restaurante 9 de Julho - Em 1959, o Sr. Armando (Toti) Castilho comprou o Bar 9 de Julho, até então de propriedade do Sr. Agostinho Cenzi. Ficava localizado na Praça da Matriz ( hoje Pça. Gov. Armando Sales de Oliveira). Foi mantido por ele durante dez anos. Em 1969, o Bar e o local foram vendidos novamente, desta vez para o Sr. Cidalla Issac, que conservou o comércio durante outros dez anos nos mesmos padrões. Nesta década, o que marcou foi um incêndio nas dependências do estabelecimento e muito assustou os sanjoanenses. Jussara Bar e Bar do Clube - O Jussara Bar foi inaugurado no início da década de 50, pelo Sr. Abel Vicente e ficava na Praça Joaquim José. Posteriormente pertenceu aos Srs. Agostinho Cenzi e Tramonte. Em 1964, a família Poiano instalava-se em São João, já com prática em bares e comprou o estabelecimento, conservando-se à frente do mesmo até 1967. Com um excelente movimento, a procura por pizzas

>


119


era grande. De lá, os Poianos foram para o Bar do Clube, que também marcou época na cidade. Nosso Bar e Bar Canecão - Em 1962, Abdo Nicolau José comprou o Nosso Bar, de propriedade do Sr. Antonio Aulicínio. Jorge Nicolau José, irmão do Sr. Abdo, trabalhava com ele na época, assim como o funcionário Nelson, que tornou o bauru do Nosso Bar o mais famoso da cidade. Tempos mais tarde foi comprado por José Maria de Carvalho (Zezinho), que ainda é dono deste bar, embora tenha mudado de endereço. Em 1971, Jorge Nicolau José abriu o Bar Canecão, outro lendário ambiente, ponto de encontro dos jovens daquela geração. Era o reduto do famoso “Reio Futebol e Samba” e um dos locais mais badalados

120

da cidade, durante muito anos. Bar Teatro e Bar da Rodoviária - O Bar Teatro ocupava o espaço direito da entrada do Cine Teatro. Teve inúmeros proprietários, sendo que o último foi o Sr. Angelo Trevisan, que lá trabalhava com o filho Nivaldo e o genro José Jacob Parron. Entre 1974 e 1987 (quando foi iniciada a reforma do Theatro), ainda era grande o movimento de fregueses, sobretudo atendendo os passageiros do Circular, que ali aguardavam a condução, bem como os funcionários da Caixa Econômica, da Prefeitura e dos Bancos próximos. Na década de 60, quatro sócios abriram um bar na antiga rodoviária (hoje, Terminal Rodoviário Urbano). Eram eles: Felipe Morgabel, Hélio Lombardi Aguiar, Liberato

Trafani e Cândido Rezende Lopes. Foram os primeiros a manter um bar aberto durante a noite toda, atendendo às saídas dos bailes, servindo lanches e bistecas na chapa. Outra novidade foi a venda dos sorvetes da Kibon, ainda inéditos na cidade. Outros - É grande a lista dos bares que fazem parte da história de São João, cada qual com sua característica peculiar: Bar Sorveteria e Café São João ( um dos mais antigos), Bar do Palmeiras, Bar do Enéias, Bar do Evaristo ( pequeno no tamanho, mas grande na clientela), Bar do Bolinha e tantos outros. A estes se somam os bares da atualidade que, amanhã, serão também alvo de gratas lembranças, trazidas à tona, quem sabe, na mesa de um novo bar...


121


finanças

Eu gasto, tu gastas, ele gasta... Aprenda a fazer seu orçamento doméstico e fique mais tranquila na hora das compras Você também gasta mais do que ganha? E percebe que no meio do mês já não lhe resta mais nada do salário? Pois é, saiba que não é o único, muitas pessoas têm dificuldade de lidar com o orçamento doméstico. Realmente não é uma tarefa fácil, pois exige bastante disciplina. Mas a notícia boa é que esse problema tem solução. Para o economista e blogueiro, Luciano Decourt Ferrari, o primeiro ponto importante para uma gestão financeira familiar é exatamente esse: o orçamento. Ele conta que o orçamento é, de forma prática, a lista de tudo o que se ganha, confrontado com tudo o que se gasta, adicionado de uma soma de perspectiva futura (para um ano, seis meses e até mensalmente). “O orçamento é algo simples, que serve para administrar tudo o que a família recebe (em salários, pensões, mesadas, bonificações, extras etc) e tudo o que ela gasta para sobreviver (aluguel, contas domésticas, alimentação, transporte, entre muitos outros)”, explica Luciano.

Orçamento - Antes de tomar uma decisão sobre o que fazer, o ideal é que a primeira atitude seja organizar os números e fazer um orçamento detalhado.

122

Rotina – Essa disciplina de controlar tudo o que gasta precisa virar rotina na vida das pessoas, só assim, com as repetições, elas terão uma dimensão do orçamento familiar. “Assim compreenderão o que está havendo com seu dinheiro. E não há uma forma melhor de controlar, fica a critério de cada um, pode usar planilhas, cadernos, aplicativos, o que quiser. São todos bons mecanismos”, analisa o economista. Luciano ensina como fazer o controle orçamentário: “Um exemplo simples de controle orçamentário é você dividir sua vida em duas partes: 1-) Seus recebimentos; 2-) Suas despesas (gastos). Para isso você precisa listar tudo o que ganha e como gasta seu dinheiro, sem exceção e sem jeitinho. Tente ainda adicionar a ela o tipo de receita ou despesa (vestuário, moradia, Foto: Reprodução Internet

transporte, saúde, educação)” afirma. Gastar demais - De uma forma bem geral, ninguém quer gastar mais do que ganha, pois problemas financeiros causam desconfortos de todos os tipos. De acordo com o economista, a dica mais óbvia para o equilíbrio do orçamento seria cortar despesas, mas nem sempre isso é possível ou viável, então outra saída seria incrementar as receitas. Ao tomar uma decisão sobre o que fazer, ele sugere que a primeira atitude seja organizar os números antes de qualquer coisa (o orçamento detalhado). “Pode ser num caderno, em planilha, aplicativos para celular e tablets, existem diversas formas de organização do orçamento, as pessoas devem fazer aquela que se enquadre


mais ao seu modo de vida, com disciplina. Assim o cenário pode ficar mais claro e fácil de ser administrado”, conta. Ele ainda comenta: “Cortar despesas sem saber o que está cortando pode proporcionar outros tipos de dificuldades, portanto, recomendo que as famílias façam isso juntas, para que as decisões possam ser compartilhadas e racionalizadas”. Outra boa opção para equilibrar o orçamento é exercer alguma atividade adicional que eleve o padrão de receita da família. Além do trabalho já realizado no dia a dia (que pode contar com jornadas maiores por determinado período), existem outras possibilidades, os famosos “bicos”. “Minha recomendação é que cada um pense no que sabe e gosta de fazer. Tudo em nossa vida precisa

123

Fique atento: seu nome é seu maior patrimônio O ideal é que seus ganhos sejam sempre maiores que suas despesas. Assim, você pode guardar dinheiro todo mês para realizar seus sonhos. Mas às vezes perdemos o controle do orçamento e não conseguimos quitar as dívidas. Resultado: seu nome acaba indo parar no SCPC (Cadastro Negativo). E por causa disso, você tem dificuldades para comprar a prazo, pagar com cheque ou obter financiamento. Para regularizar sua situação, consulte o Associação Comercial, levando identidade com foto (RG ou carteira de motorista) e CPF originais. Lá você poderá consultar as pendências financeiras em seu nome e negociar suas dívidas sem dor de cabeça ou burocracia. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (19) 3634-4303 >


estar atrelado a um mínimo de satisfação, então, não dá para fazer só pelo dinheiro. A partir daí, pense em como isso se converteria em dinheiro, todos temos habilidades e podemos usar delas para nos trazer felicidade e algum dinheiro a mais em nosso orçamento”, diz Luciano. Investimento na educação – Ao falar do planejamento financeiro doméstico, é essencial que seja devidamente calculado e colocado na planilha o investimento na educação dos filhos. “É importante que os pais saibam quanto gastam exatamente com a educação de seus filhos, para que assim posam pedir um desconto na mensalidade da escola, por exemplo, pois o desconto sobre cada filho adicional varia de escola para escola, de cidade para cidade, logo não há um padrão estabelecido de cálculo”, explica ele. Mas, quando a família tem ideia do quanto se gasta com a chegada de um filho, fica um pouco mais fácil saber quanto será solicitado de desconto. “Imagine que seu

segundo filho custará algum valor em seu orçamento, talvez menor do que o primeiro, qual será a proporção de elevação dos seus custos? Essa questão pode responder a esse pedido, mas nunca sem uma negociação com a própria escola”, afirma o economista. Se o segundo filho aumenta a despesa familiar em 20%, não quer dizer que a escola permitirá desconto na mesma proporção em suas mensalidades. O importante é ter bom senso e conhecer seus custos para melhorar a argumentação com a escola, e observar a taxa de juros básica da economia (Selic), que dá padrão de remuneração aos investimentos mais tradicionais. Fluxo de caixa - O fluxo de caixa é definido como a quantidade de dinheiro que a pessoa recebe e gasta em determinado período de tempo. Funciona mais ou menos assim: se recebe o salário no dia 20 e ele é suficiente para as despesas de todo o mês seguinte, no entanto, quando chega o dia 15 do mês seguinte, o

aluguel vence e a pessoa fica “sem caixa” por cinco dias. Isso não quer dizer que ela “vive no vermelho”, mas que há um desajuste entre o dinheiro e o tempo. Por isso, fazer um fluxo de caixa, de acordo com Luciano, não é obrigatório, mas o orçamento familiar é um bom ponto de partida para a gestão financeira do lar. O fluxo de caixa acabará vindo naturalmente quando a pessoa encontra sua disciplina financeira. “Uma boa dica é concentrar as principais contas na mesma, ou muito próxima da data do seu salário. Se você recebe no dia 20, o ideal seria pagar as despesas em até cinco dias, pois sem essas obrigações você terá clareza sobre quanto sobrará para o restante do mês”, E a última dica: “Se, por um acaso, você perceber que assim que recebe seu salário ele já acaba, não será um problema de fluxo de caixa e sim da própria composição do seu orçamento (receitas e despesas), o que na prática é um pouco pior e o esforço deverá ser mais profundo”, finaliza o economista.

Estou devendo, o que fazer? • Se você tiver um débito, vá até a empresa para qual você está devendo, fale com a área de cobrança e regularize sua dívida. A própria empresa se encarregará de comunicar a quitação da dívida ao SCPC e solicitará a retirada do registro negativo em seu nome. Atenção: sempre exija um documento que comprove a regularização. Se preferir, vá também ao SCPC e apresente a cópia autenticada que comprova o pagamento ou o acordo com a empresa. Ou ainda, uma cópia simples junto com o documento original. • Se for um título protestado em cartório, faça o pagamento total do débito. Depois, para o cancelamento, dirija-se ao Cartório de Protestos onde a dívida estava registrada e solicite uma declaração de anuência.

124

• Se um cheque seu constar no Cadastro de Emitentes de Cheques Sem Fundos (CCF), recupere o cheque e vá à respectiva agência bancária em que você tem conta corrente e regularize a situação, comprovando o pagamento do mesmo. Se não souber para quem emitiu o cheque, solicite à agência na qual possui conta a microfilmagem do mesmo. Após essa regularização, peça ao gerente que retire seu nome do referido cadastro (CCF). Ao pedir a exclusão, lembre-se de solicitar ao banco que lhe dê o recibo que comprova que o cheque foi liquidado.

A


125


negócios

Comerciantes devem focar no marketing visual de sua loja O objetivo é tornar o ponto de venda mais atraente e alavancar o comércio na região Para os comerciantes, o ano começou bem, mas o segundo semestre nem tanto. O movimento do comércio avançou 1,5% no acumulado de janeiro a julho de 2013, comparado com mesmo período de 2012, mas o segundo semestre já apresenta baixas devido à desaceleração da economia. Analisando empresas do setor, a expectativa é que ele enfrente dificuldades daqui para frente. A inflação irá ditar o ritmo de crescimento do consumo, ao contrário do que ocorreu no ano passado, quando as medidas de estímulo promovidas pelo governo contribuíram para acelerar as vendas no comércio. A Confederação Nacional do Comércio (CNC) espera um crescimento do comércio de 4,5%, quase a metade da média registrada nos últimos dois anos e bem inferior aos dois dígitos (10,9%) de 2010. Mas a evolução da inflação, que aumenta o custo de vida, a manutenção de um nível ainda elevado de inadimplência e a maior dificuldade de aquisição de crédito levaram novamente a uma queda do otimismo das famílias em relação ao consumo, tanto na variação mensal quanto na anual. Sem contar que as famílias já começaram o ano endividadas e foram surpreendidas com o processo inflacionário. Comércio Varejista – Estudos recentes realizados pela Federação do Co126

Foto: Reprodução Internet

mércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP ), em parceria com a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo (Sefaz), mostraram que o faturamento do comércio varejista do Estado de São Paulo aumentou 4,4% em abril, na base anual, mas recuou 1,2% se comparado a março, alcançando R$ 38,4 bilhões. Uma nova pesquisa, mais abrangente, foi realizada com dados de 16 regiões paulistanas e em dez segmentos, totalizando 83% dos estabelecimentos comerciais paulistas. A PCCV (Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista no Estado de São Paulo) utiliza dados sobre valores mensais de receitas de

vendas, informados pelas empresas varejistas ao governo paulista. Em junho, o faturamento do Comércio Varejista foi de R$ 13,3 bilhões, ou R$ 1,13 bilhão a mais do que o registrado no mesmo mês do ano passado. Quase 63% desse faturamento adicional se devem ao desempenho dos setores de Comércio Automotivo e Supermercados, que faturaram, respectivamente, R$ 393,8 milhões e R$318,4 milhões a mais do que em junho de 2011. Estas informações, segmentadas em suas 16 Delegacias Regionais Tributárias, englobam todos os municípios paulistas e dez setores. Os


dados brutos são tratados tecnicamente de forma a se apurar o valor real das vendas em cada atividade e o seu volume total em cada região. Após a consolidação dessas informações, são obtidos os resultados de desempenho de todo o Estado. Inova Loja - Desenvolvido pelo Sebrae-SP, o Inova Loja Álbum é uma ferramenta criada para ajudar os empresários a adequarem todos os aspectos do visual merchandising de suas lojas e a trabalhá-los para melhorar a competitividade e os resultados da empresa, tornando o ponto de venda mais atraente, e assim alavancar o comércio através de técnicas de merchandising e marketing visual. Afinal fica bem mais fácil cativar a clientela quando se tem uma loja atraente, bonita, confortável e bem organizada.

127

O foco do trabalho é composto por micro e pequenas empresas dos segmentos do setor comércio. Entre elas, lojas de roupas, calçados, móveis e decoração, farmácias, mercearias, autopeças, casas de material de construção, entre outras. Pesquisas do Sebrae-SP, realizadas com participantes do Programa Comércio Varejista, que nos últimos cinco anos já atendeu 8 mil empresários em 157 cidades paulistas, mostram que melhorias nos aspectos de visual merchandising da loja (fachada, vitrines, iluminação, organização interna, entre outros itens) podem ampliar as vendas de 12% em até 40%, com medidas simples e baratas. “Entre os tópicos abordados pela ferramenta, destacamos aspectos de fachada, vitrine, precificação, acessibilidade, organização de produtos, entre ou-

tros pontos fundamentais para melhorar o visual e o alavancar as vendas”, explica o consultor especialista em Marketing, Sirlandei Mariano (Sebrae-SJ). Segundo o gerente do Escritório Regional, Carlos Eduardo Brandino, a região possui amplo potencial para a aplicação da ferramenta. “O Inova Loja é mais uma grande novidade que o Sebrae-SP traz para a região. Podemos dizer que é um produto inovador por ser prático, de fácil entendimento e que o empresário pode utilizar conforme sua disponibilidade de tempo. A aceitação do produto pelos clientes está sendo fantástica”, diz o gerente. Outras palestras sobre o Inova Loja serão definidas e serão realizadas em breve na região. Os interessados em participar deverão entrar em contato com o Sebrae SP através do telefone (19) 3622-3166. A


curioso

Quem lucra com a espionagem digital? Qual é o limite entre segurança e invasão da privacidade? por Bruno Fonseca, Jessica Mota, Luiza Bodenmüller e Natalia Viana

As revelações de que a presidenta Dilma Rousseff tornou-se um alvo direto da vigilância da NSA, a Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos, acenderam um alerta de emergência no alto escalão do governo. Documentos vazados por Edward Snowden, ex-analista da CIA (Agência Central de Inteligência), mostram que a espionagem tem como foco números de telefone e e-mails, além do rastreamento do IPs por meio de softwares como o “DNI selectors”, capazes de fazer uma varredura por todos os dados de navegação de um usuário na internet, incluindo seus e-mails. Mesmo depois de o vazamento de documentos secretos da NSA joFoto: Reprodução Internet

gar luz sobre a espionagem massiva realizada pela agência de segurança norte-americana, continuam nas sombras as empresas que fabricam e vendem essas tecnologias de vigilância e fazem lobby para o seu uso. Não há nenhuma estimativa que mostre o tamanho desse mercado. Sabe-se que apenas a área de spyware – um software-espião instalado sorrateiramente no computador – movimenta US$ 5 bilhões, e tem potencial para crescer cerca de 20% ao ano. Segundo levantamento do jornal The Washington Post, o “black budget”, o orçamento destinado aos serviços de inteligência do governo dos Estados Unidos, soma US$ 52,6 bilhões ao ano – mais de 68% disso vão para a CIA, a NSA e o NRO (Escritório Nacional de Reconhecimento,

órgão responsável por desenvolver, construir e operar satélites de reconhecimento). O valor reservado para as áreas de inteligência e vigilância dobrou em relação a 2001. A maior parcela de gastos é com coleta, exploração e análise de dados. Apenas a CIA tem um gasto previsto de US$ 11,5 bilhões para coleta de dados em 2013. As empresas contratadas são mantidas em segredo. Quem lucra - Mas quem são as empresas que fabricam e vendem a tecnologia que permite tamanha vigilância digital e fazem lobby para o seu uso? Algumas informações vêm à luz hoje, com a nova publicação do WikiLeaks, uma continuação do “Spy Files”, publicado em 2011. São 249 documentos de 92 empresas de vigilância, entre brochuras, contratos e metadados referentes a alguns dos principais empresários do ramo. “A publicação Spy Files 3 faz parte do nosso compromisso contínuo de

Espionagem - Criada em 1952, a mal afamada Agência Nacional de Segurança (no inglês, NSA) é responsável pela inteligência obtida a partir de sinais, incluindo interceptação e criptoanálise. Também é o principal órgão dedicado a proteger informações, sendo o maior núcleo de conhecimento em criptologia mundial.

128

>


129


O alerta de Eisenhower Em 17 de janeiro de 1961, o presidente americano Dwight Eisenhower deu aos Estados Unidos um terrível aviso sobre o que ele descreveu como uma “ameaça ao governo democrático americano”. Essa ameaça partia do que ele chamou de “complexo militar-industrial”, uma união formidável de empresas ligadas à defesa, segurança e as forças armadas. Eisenhower, que era um general reformado do exército de cinco estrelas e comandou os exércitos aliados no Dia D, fez as declarações em seu discurso de despedida da Casa Branca: “(...) Nos altos círculos do governo temos de nos proteger contra a aquisição de influência injustificada, seja procurada ou comprada, pelo complexo militar-industrial. O potencial para a ascensão desastrosa de um poder do mal existe e vai persistir. Nunca devemos deixar que o peso dessa combinação coloque em perigo nossas liberdades ou processos democráticos. (...) Devemos estar alertas. Somente uma cidadania alerta e bem informada pode obrigar o gigante complexo industrial e militar de defesa a cumprir nossos métodos e metas pacíficas, de modo que a segurança e a liberdade possam prosperar juntas (...)”

jogar luz nessa indústria obscura de vigilância. E a base de dados do Spy Files continuará a crescer, tornado-se um recurso para jornalistas e cidadãos, detalhando as condições orwellianas sob as quais levamos nossas vidas supostamente privadas”, diz Julian Assange. Os documentos mostram, por exemplo, que empresas como Glimmerglass e Net Optics oferecem tecnologia para “grampear” o tráfego de dados em cabos ultramarinos de fibra ótica. Outras empresas fornecem equipamentos sofisticados de gravação e reconhecimento de voz, além de softwares que analisam diversas gravações ao mesmo tempo; outras permitem analisar diversos materiais (vídeos, fotos, gravações) simultaneamente. Há ainda empresas que se especializam em descobrir falhas em sistemas operacionais e vendem es130

sas “dicas” a governos – eles podem, com essa informação, hackear um computador “alvo”. Outras empresas vendem tecnologias que permitem monitorar a atividade online de ativistas e manifestantes. Muitas delas vendem tecnologia para diversos órgãos do governo americano, como a Cyveillance, pertencente à empresa QinetiQ, usada pelo Serviço Secreto dos Estados Unidos para monitorar a rede 24 horas por dia. E muitas já têm forte presença no Brasil, seja vendendo tecnologia e serviços para empresas como Vale e Petrobras, seja abocanhando contratos de vigilância para a Copa do Mundo e a Olimpíada. Por conta dos megaeventos – e das manifestações de junho – o Brasil tem se tornado um mercado prioritário para essas empresas de vigilância.

Foto: Reprodução Internet

Indústria das sombras - “Confidencialidade é essencial para o negócio de segurança”, diz o site da empresa alemã Elaman, uma subsidiária do grupo Gamma Group, um dos mais famosos grupos que vendem tecnologias para vigilância digital na rede. Famoso não por iniciativa própria, mas por ter se envolvido em diversos escândalos recentes, o Gamma está sendo investigado pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) por ter tido alguns dos seus softwares espiões usados contra ativistas no Bahrein. Seu principal produto, o software-espião FinFisher, infecta computadores para capturar informações, enviadas a uma central interceptadora. Pesquisadores da Universidade de Toronto descobriram servidores de monitoramento do FinFisher em 36

>


131


países – incluindo Turquia, Paquistão, Panamá, Etiópia, Malásia, Qatar e Vietnã. Também encontraram o spyware “disfarçado” do navegador Mozilla Firefox, uma isca para levar “alvos” a fazer o download em seus computadores. O diretor da Gamma – que tem sedes na Alemanha e na Inglaterra –, Martin J. Muench, reafirmou que a empresa coopera com as agências reguladoras dos dois países e que o produto teria sido roubado durante uma apresentação. Segundo o executivo, uma cópia do software foi feita no evento e, depois, o spyware foi modificado e usado em outras partes do mundo. O vazamento do

WikiLeaks, porém, mostra que os executivos da Gamma teriam viajado recentemente para países com governos autoritários, como Guiné Equatorial, Turcomenistão, Malásia, Egito e Qatar. Contratos indicam ainda que a empresa negociou o fornecimento de componentes de software e hardware para Omã, num projeto que seria chamado de “sistema de monitoramento para i-proxy”, em parceria com a empresa alemã Dreamlab. A mesma Dreamlab chegou a negociar um sistema de monitoramento semelhante com o Turcomenistão. Outras empresas de peso do setor também fornecem softwa-

re para governos repressivos pelo mundo, como mostra um mapa desenvolvido pela agência de notícias Bloomberg em 2010. Mais de dois anos depois, o vazamento do WikiLeaks mostra que executivos dessas empresas continuam a visitar países do Oriente Médio, incluindo Emirados Árabes, Líbano, Qatar e Kuait. “A indústria de vigilância caminha de mãos dadas com governos de todo o mundo para permitir a espionagem ilegítima dos seus cidadãos. Com pouca fiscalização e nenhuma regulamentação, essa ampla rede de espionagem envolve a todos nós contra a nossa vontade e, geralmente, sem o nosso conhecimento”, explica Assange.

Gigantes da tecnologia também apostam na vigilância O mercado em torno da análise qualificada de grandes bases de dados, o chamado big data, está em franca expansão. Para se ter ideia, analistas estimam que, em 2015, cerca de 4,4 milhões de pessoas estarão trabalhando nessa área . E um dos ramos que mais se beneficia disso é a vigilância eletrônica. Atentas ao potencial lucrativo desse nicho de mercado, empresas como a IBM e a HP já investem na compra de empresas especializadas no desenvolvimento desse tipo de tecnologia. Em 2011, a HP anunciou a compra da Autonomy, uma empresa inglesa líder no campo de “desenvolvimento de softwares que ajudam organizações do mundo inteiro a entenderem o significado por trás da informação” . Como? Um time de analistas varre conteúdos de emails, documentos, fotos, redes sociais e outros tipos de mídia, atrás de informações relevantes, de acordo com a demanda do cliente. Segundo o site, organizações como KPMG, Philips, Oracle e T-Mobile já utilizaram os serviços da Autonomy, além de órgãos de governo, como o Parlamento inglês, o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos e também o Banco do Brasil, que adotou o uso do software IDOL, desenvolvido pela empresa inglesa, em 2010 . Fundada em 1996, a Autonomy está presente em três continentes, com uma lista de mais de 65 mil usuários mundo afora, além de 400 parceiros de produção e 400 parceiros de revenda de produtos, que incluem grandes empresas como Adobe e Novell. Há suspeitas de que a Autonomy tenha inflado dados de faturamento e receita para favorecer a compra pela HP . No Brasil, a Tempo Real Group, uma das distribuidoras da i2, presta serviços para diversos clientes, como Agência Nacional de Petróleo (ANP), Banco do Brasil, Bradesco, Controladoria-Geral da União, Ministério Público Federal, Ministérios Públicos do Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Paraná, Polícias Civis do Distrito Federal, Minas Gerais e São Paulo, Polícia Federal, Procuradoria-Geral da República e Receita Federal. O produto? Softwares de rastreamento e processamento de dados para fins diversos, que vão do combate à corrupção e investigação de fraudes à interceptação de crimes que coloquem em risco a segurança nacional.

132


133


empresas

Confira a lista das empresas que anunciaram nesta edição. Com isso, essa página serve como um guia rápido para consultas: 220v Rua Lucina R. Vasconcelos, 227 – Areão Fone: (19) 3631-2930

Doni Artesanato Praça Cel. José Pires, 28 – Centro Fone: (19) 3623-3109

Lusbra Tapeçaria Rua Floriano Peixoto, 767 – Centro Fone: (19) 3056-0220 / (19) 99173-8964

Purifc Rua Getúlio Vargas, 283 – Centro Fone: (19) 3633-2350 / (19) 98122-7577

Anhanguera Rua Getúlio Vargas, 552 - Centro Fone: (19) 3631-6565

Dr. Rodrigo Senise Rua Teófilo de Andrade, 229 – Centro Fone: (19) 3623-1063 www.odontologiarodrigosenise.com

Madeiras Tavares Rua Henrique Cabral de Vasconcelos, 1804 – DER Fone: (19) 3623-4777

Regina Presentes Praça Governador Armando S. Oliveira, 65 – Centro Fone: (19) 3623-3631

Dr. Rovilson Av Dr. Durval Nicolau, 3458 Recanto do Lago Fone: (19) 3631-8211 / (19) 3631-8211

Mais Saúde Rua Conselheiro A. Prado, 301 – Centro Fone: (19) 3634-4444

Renove Av. Dr. Oscar Pirajá Martins, 545 Santo André. Fone: (19) 3631-6245

Arezzo Av. Dona Gertrudes, 38 – Centro Fone: (19) 3623-3503 Site: www.arezzo.com.br Art’ Ervas Rua Cel. Ernesto de Oliveira, 99 –Centro Fone: (19) 3623-4112 Site: www.artervas.com.br Artes Insanes Fone: (19) 98422-6240 / (19) 99228-6240 Artimanha Rua Getúlio Vargas 183 – Centro Fone: (19) 3631-2800 Auto Beti Rod. SP -342 – São João/A. da Prata, 229 Fone: (19) 3622-3811 Site: www.autobeti.com.br Bar do Russo Rua 14 de Julho, 741 – Vila Conrado. Fone: (19) 3623-2107

Dr. Luis Ramos Rua Dr. Teófilo Ribeiro de Andrade, 308 Fone: (19) 3623-5021 Dr. Tomas de Aquino Av. Tereziano Valim, 300 – Centro Fone: (19) 3623-3482 Espaço Básico Kids Av. Dona Gertrudes, 247 - Centro Fone: (19) 3633-7864 Empório Porto Bello Av. Dr. Durval Nicolau, 944 Fone: (19) 3633-5557

Mariazinha Rua Saldanho Marinho, 541 – Centro Fone: (19) 3631-6163 Mazzi Kids Av. Dona Gertrudes, 147 – Centro Fone: (19) 3635-2163 Mecânica Romera Av. Brasília, 1505 – Vila Zanetti Fone: (19) 3622-2381 Sorveteria Milk Moni Rua Alan Kardec, 246 – Vila Fleming Fone: (19) 3623-2431 Mínimo Detalhe Rua Prudente de Moraes, 28 – Centro Fone: (19) 3633-4612 Misa – Arquitetura Rua Benedito Araújo, 411 – Centro Fone: (19) 99652-5848 / (19) 99309-2689

Box 14 Rua Quatorze de Julho, 584 Vila Conrado Fone: (19) 3623-4858

Estética Fortes Rua Carlos Chaga, 110 – Vila Loyola Fone: (19) 3633-3563 / (19) 99806-4909

Cada Passinho Rua Benedito Araújo, 155 – Centro Fone: (19) 3631-2755

Fabiano Sant’ Ana Rua Siviano Barbosa, 43 - Centro Fone: (19) 3622-3509 / (19) 99116-2270

Catléia Rua Gabriel Ferreira, 107 – Centro. Fone: (19) 3622-2745

Fazenda Capituva Estrada Municipal São João Glória - Capituva Fone: (19) 3604-9720 / (19) 98188-1460

Óticas Carol Rua Ademar de Barros, 87 – Centro Fone: (19) 3631-8441

Felucc Av. Dona Gertrudes, 21 – Centro Fone: (19) 3623-3563

Paruxa Rua Olaia, 18 – Centro Fone: (19) 3631-5902

Forguaçu Av. Senador Marcus Freire, 730 Fone: (19) 3623-3563 / (19) 3623-3563

Patydu Rua Cel. Ernesto de Oliveira, 153 Águas da Prata Fone: (19) 3634-1400

Chocopan Rua Ademar de Barros, 696 – Centro. Fone: (19) 3631-4429 Cine Ouro Branco Av. Dona Gertrudes, 66 - Centro Fone: (19) 3622-2577 Coca- Cola www.cocacola.com.br Companhia do Esporte Av. Dona Gertrudes, 66 - Centro Fone: (19) 3623-4238 Site: www.ciaesporte.com.br

134

Dr. Flávio Moratti Av. Dr. Oscar Pirajá Martins, 121 Fone: (19) 3623-2273 Site: www.drflaviomoratti.com.br

Fórmulas & Fórmulas Rua Oscar Janson, 201 – Centro Fone: (19) 3623-6251 Grá Bijoux e Acessórios Av. Dona Gertrudes, 83 – Centro Fone: (19) 3631-6460

Conforto com Classe Rua Benedito Araújo, 125 Centro Fone: (19) 3623-1801

Havaianas Av. Dona Gertrudes, 317 - Centro Fone: (19) 3623-1985

Dispral Rua Patrão Manoel da Costa, 30 Vila Fleming Fone: (19) 3623-1600

Love Brands Rua Getúlio Vargas, 199 Centro Fone: (19) 3635-1559

Nucai www.nucai.com.br Ótica Boa Vista Quatorze de Julho, 759 – Centro Fone: (19) 3631-7025

Perfect House Rua Getúlio Vargas, 321 – Centro Fone: (19) 3633-2385 Pet Empório da Serra Av. Durval Nicolau, 956 Fone: (19) 3631-5515 Piccola Societá Av. Dona Gertrudes, 182 – Centro Fone: (19) 3631-6873 Posto Brasil Rua Tiradentes, 224 – Rosário Fone: (19) 3622-2049

Deck Sushi Praça Cel. José Pires, 52 – Centro Fone: (19) 3633-7863 RJ Ar condicionado Rua Prudente de Moraes, 457 – Centro Fone: (19) 3056-2765/ (19) 3623-1006 Sequóia Av. João Batista Bernardes, 1150 Jd. Boa Vista Fone: (19) 3633-3197 Site: www.sequoia.imb.br Shopping Animal Rua General Osório, 591 – Centro Fone: (19) 3631-6858/ (19) 3056-1688 Sophie Rua Prudente de Moraes, 27 – Centro Fone: (19) 3633-1922 Studio B Rua Cel. Ernesto de Oliveira, 340 – Centro Fone: (19) 3056-5440/ (19) 99339-7888 Unifeob Rua Gal. Osório, 433 São Lázaro Av. Dr. Otávio Bastos, s/n° Jd. Nova São João Fone: (19) 3634-3300 / (19) 3634-3200 Site: www.unifeob.edu.br Univaci Av. Oscar Pirajá Martins, 951 Santo André Fone: (19) 3623-6677 Vidraçaria Tropical Rua Cel. Ernesto de Oliveira, 7 Centro Fone: (19) 3623-2954 / (19) 3623-6764 Visoaudio Eventos Rua Getúlio Vargas, 518 – Centro Fone: (19) 3633-8557 Site: www.visoaudio.com.br

Precisa de mais informações? Entre em contato com a Associação Comercial pelo telefone (19) 3634-4300


135


136

Revista Atua - Setembro 2013  

A Revista Atua é uma publicação da Associação Comercial de São João da Boa Vista. Sua distribuição é gratuita . Contato pelo telefone (19) 3...