Page 1


Orientação nos Estágios Estágio 1: Prof. Dr. Celso Vitelli. Estágios 2, 3 e 4: Prof. Ma. Ana Lúcia Beck.


Prática de Ensino Escola: Estadual de Ensino Médio Santa Clara Localizada no município de Santa Clara do Sul, próximo a cidade de Lajeado. Observações silenciosas: Março e abril de 2011. Turma: 101 - 1º ano do Ensino Médio. Período da prática de estágio: Terças-feiras, no turno da noite, entre agosto e outubro de 2011. 8 encontros de 2h\a (21h30min às 23h)


Tema de pesquisa nas Artes Visuais O tema de pesquisa procurou contemplar a representação do mosaico, que é uma técnica utilizada para representar temas dos mais variados. Abordando o mosaico nos diferentes períodos históricos, ou seja, do bizantino à contemporaneidade. Os trabalhos são construídos a partir de pequenos fragmentos de cerâmica, pastilhas de vidro, mármore ou qualquer outro material. Foram utilizadas imagens de diferentes artistas destes períodos em linguagens como o desenho e o mosaico. Pesquisando detalhes e informações desde o seu surgimento até os dias atuais. Também trazendo o processo de construção, as técnicas utilizadas, os materiais adequados para elaboração e execução dos trabalhos de mosaico.


Autores e Artistas abordados na pesquisa: ● Como embasamento teórico, foram consultados os autores Philippa Beveridge, Eva Pascual, com o livro MOSAICO – Técnicas decorativas. Afirmam que a arte dos mosaicos surgiu na pré-história e até os dias de hoje podemos apreciar trabalhos desenvolvidos a partir da técnica de criar mosaicos, utilizadas pelos artistas e também nas decorações de construções da contemporaneidade. ● Os artistas abordados foram: o carioca Di Cavalcanti, o holandês Maurits Cornelis Escher e os gaúchos Leonardo Posenato e Cláudia Sperb.


Tema do Projeto de Ensino O tema do Projeto de Ensino foi embasado no tema de pesquisa, enfatizando o mosaico na contemporaneidade, levando em consideração os artistas, através de seus trabalhos. Procurou-se explicar como o mosaico sofreu inúmeras transformações no decorrer da história e enfatizou-se que os alunos pudessem trazer em suas produções, aspectos, situações, momentos vivenciados da vida de cada educando e retratando particularidades de seu meio social e cultural.


Justificativa O projeto justifica-se por buscar desenvolver nos alunos a auto-expressão, o autoconhecimento, a criação e a crítica, assim como a percepção, valorização da arte de criar mosaicos e busca mostrar a história da arte bizantina até a contemporaneidade.


Objetivo Geral Proporcionar situações de aprendizagens reflexivas, críticas e desafiadoras que contemplem o mosaico do bizantino à contemporaneidade, despertando o interesse e aprimorando o conhecimento dos educandos no mundo artístico, levando em consideração e valorizando os conhecimentos prévios. Conhecendo a si mesmos através da arte de mosaico, os alunos trabalharão com subjetividade, personalidade e identidades próprias, expressando-se por meio da arte.


Objetivos Específicos - Conhecer a história do mosaico bizantino à contemporaneidade. - Explorar a criatividade e organização dos elementos no mosaico. - Despertar no educando o interesse e o fazer artístico através das atividades propostas. - Conhecer a vida e obras do artista Leonardo Posenato e Cláudia Sperb. - Propor um momento de reflexão crítica e construtiva através da apreciação e análise dos trabalhos expostos. - Incentivar os alunos a freqüentar ambientes culturais, ricos de informações e conhecimentos diversos.


Conteúdos ●

História

do

Mosaico

(Bizantino

à

Contemporaneidade). ● Vida e obra de Maurits Cornelis Escher (artista holandês). ● Vida e obra dos mosaístas Leonardo Posenato e Cláudia Sperb (artistas gaúchos). ● Desenho.


1º Encontro – Aulas 1 e 2 ● Explosão de ideias a partir da palavra: “MOSAICO”. ● Apresentação em Power Point, história do mosaico.

sobre a

● Apresentação de três vídeos de curta duração sobre mosaico. ● Construção de um mosaico em grupos com recortes de papel.


As ondas do Calçadão de Copacabana é Imperatriz Tereza Cristina Trono já depredado e precisando reparos. provavelmente o projeto mais famoso assinado por Burle Marx (Déc. 70) Palácio de S. Cristóvão (1800) Fonte: Disponível em http://mosaicosdobrasil.tripod.com/id9.html. Acesso em 21 de maio de 2011.

Fonte: Disponível em http://www.pco.org.br/conoticias/ler_materia.html. Acesso em 21 de maio de 2011.


2º Encontro: Aulas 3 e 4 ● Vida e obras do artista Maurits Cornelis Escher. ● Concluir os trabalhos iniciados na aula anterior.


Maurits Cornelis Escher Os mosaicos árabes serviram de inspiração para várias de suas obras construídas a partir de mosaicos geométricos. No entanto, a característica marcante dessas obras é a substituição das figuras geométricas, normalmente por imagens de animais.

Dois Peixes (1942)

Pombos (1938)

Disponível em http://4portasnamesa.blogspot.com/2008/08/m-c-escher-1898-1972.html. Acesso em 24 de maio de 2011.


Trabalho das alunas Camila e Bruna.

Trabalho dos alunos Gabriel, Lucas e Rodrigo.

(Fonte: WICKERT, 2011).

(Fonte: WICKERT, 2011).


3º Encontro: Aulas 5 e 6 ● Apreciação dos trabalhos do 2º encontro e concluídos como tarefa extracurricular pelos alunos. ● Construir um mosaico individualmente levando em consideração alguns aspectos das obras do artista Escher e dos trabalhos de recorte e colagem do professor Wickert.


Mosaicos produzidos com papel color7.

“Mundo moderno”

“Um lugar do além”

Trabalho das alunas Letícia e Andressa. (Fonte: WICKERT, 2011)

Trabalho das alunas Camila e Bruna. (Fonte: WICKERT, 2011)


Mosaicos produzidos com papel color7.

Trabalho dos alunos GĂŠferson, Rodrigo e Rafael. (Fonte: WICKERT, 2011)

Trabalho dos alunos Gustavo e Augusto. (Fonte: WICKERT, 2011)


Trabalhos desenvolvidos na disciplina de Introdução ao Bidimensional

Wickert, 2008.

Wickert, 2008.

(Fonte: WICKERT, 2008)

(Fonte: WICKERT, 2008)


Recorte direto sobre folha A4 dobrada 2 vezes. FORMA INICIAL

Recorte direto da aluna Bruna.

Recorte direto do aluno Rafael.

Recorte direto da aluna Camila.

(Fonte: WICKERT, 2011)

(Fonte: WICKERT, 2011)

(Fonte: WICKERT, 2011)


4º Encontro: Aulas 7 e 8 ● Power point sobre a vida e obras dos artistas Leonardo Posenato e Cláudia Sperb. ● Concluir os trabalhos iniciados na aula passada. ● Iniciar um desenho que será transformado futuramente em um mosaico.


Leonardo Posenato

Vaca de テ行is

Dragテ」o Verde

Disponテュvel em http://mosaicosdobrasil.tripod.com/id157.html. Acesso em 24 de maio 2011.

Disponテュvel em http://www.mosaico.arq.br/. Acesso em 24 de maio 2011.


Clá Cláudia Sperb

Serpente (MORRO REUTER)

Construção coletiva (MORRO REUTER)

Fonte: Disponível em http://mosaicosdobrasil.tripod.com/id133.html. Acesso em 07 de agosto de 2011.

Fonte: Disponível em http://mosaicosdobrasil.tripod.com/id133.html. Acesso em 07 de agosto de 2011.


Trabalhos de recorte e colagem.

Trabalho de recorte e colagem do aluno Geferson.

Trabalho de recorte e colagem do aluno Rodrigo.

(Fonte: WICKERT, 2011)

(Fonte: WICKERT, 2011)


Trabalhos de recorte e colagem.

Trabalho de recorte e colagem da aluna LetĂ­cia.

Trabalho de recorte e colagem do aluno Lucas.

(Fonte: WICKERT, 2011)

(Fonte: WICKERT, 2011)


5º, 6º , 7º e 8º Encontro – Aulas 9 à 16 ● Apreciação dos desenhos que serão transformados em mosaicos. ● Desenho nas tesselas. ● Início da colagem das pastilhas e azulejos na construção dos mosaicos.


Desenhos Futuros mosaicos

Trabalho do aluno Rodrigo. (Fonte: WICKERT, 2011)

Trabalho do aluno GĂŠferson. (Fonte: WICKERT, 2011)


Desenhos Futuros mosaicos

Trabalho do aluno Rafael. (Fonte: WICKERT, 2011)

Trabalho da aluna Bruna. (Fonte: WICKERT, 2011)


Processo de construção dos MOSAICOS Colagem de fragmentos de cerâmica e pastilhas.

Grupo de alunos realizando a colagem das cerâmicas e pastilhas de vidro. (Fonte: WICKERT, 2011)


Mosaicos ganhando forma.

Trabalho do aluno Rodrigo. (Fonte: WICKERT, 2011)

Trabalho da aluna Bruna. (Fonte: WICKERT, 2011)


Mosaicos ganhando forma.

Trabalho do aluno Lucas. (Fonte: WICKERT, 2011)

Trabalho do aluno GĂŠferson. (Fonte: WICKERT, 2011)


Trabalhos finalizados. Mosaicos com pastilhas de vidro.

Trabalho com pastilhas do aluno GĂŠferson. (Fonte: WICKERT, 2011)

Trabalho com pastilhas do aluno Rafael. (Fonte: WICKERT, 2011)


Trabalhos finalizados. Mosaicos com fragmentos de cer창mica.

Trabalho com fragmentos de cer창mica do aluno Lucas. (Fonte: WICKERT, 2011) Trabalho do aluno Daniel. (Fonte: WICKERT, 2011)


Exposição dos trabalhos na Biblioteca e Museu Municipal Pe. Alberto Träsel - Santa Clara do Sul.


Conclusão Após a finalização de minha prática de ensino, pude perceber o quanto ela foi significativa para minha vida profissional e pessoal. Nela pude constatar e conhecer melhor a vivência que um educador possui a frente dos educandos.


METODOLOGIA A metodologia foi um fator imprescindível e decisivo no desenvolvimento das aulas. Por isso, afirmo que a metodologia é um paradigma que está em constante evolução.


DIÁLOGO Durante a minha prática o diálogo foi levado em consideração como ferramenta básica, fundamental e de extrema importância no processo de desenvolvimento artístico dos alunos.


SIGNIFICAÇÃO APROPRIAÇÃO

e

Significação e Apropriação são palavras ou aspectos que devem estar presentes quando pensamos no fazer artístico. O indivíduo deve se apropriar do artista, das imagens, dos materiais para dar significação ao seu processo artístico até atingir os resultados finais.


AVALIAÇÃO MEDIADORA A avaliação, inicialmente, foi uma etapa da prática de ensino que me deixou inseguro e preocupado, pois eu não conseguia definir muito bem como avaliaria os meus alunos, quais seriam os critérios de avaliação a serem utilizados e quais os objetivos que almejava alcançar. O estudo do livro Avaliação Mediadora - Uma prática em construção da pré-escola à universidade da autora Jussara Hoffmann e os diálogos com a minha orientadora me levaram a enxergar a avaliação com um novo olhar. Olhar focado no indivíduo de maneira singular e constante durante todo o processo da prática de ensino.


REFLEXÃO Como formando do Curso de Artes Visuais, habilitado para ministrar aulas de Artes, concluo esta etapa acadêmica ciente dos obstáculos e dos desafios que enfrentei. Adquiri novos conhecimentos com meus mestres, colegas, amigos, durante a caminhada acadêmica e com a experiência das práticas de estágio. É interessante perceber a necessidade de estarmos constantemente aprendendo, pois jamais estaremos prontos. Novos caminhos e desafios sempre serão imprescindíveis.


Portanto, ensinar é uma arte. O universo em que todos nós estamos inseridos é um enorme mosaico de encaixes: o todo sem a parte não é todo, e a parte sem o todo não é parte.


REFERÊNCIAS BARBOSA, Ana Mae; COUTINHO, Rejane Galvão (Orgs.) Arte/Educação como mediação cultural e social. São Paulo: UNESP, 2009. BEVERIDGE, Philippa; PASCUAL, Eva., Mosaico: Técnicas decorativas. Lisboa: Editorial Estampa, 2005. Cadernos Universitários – Didática do Trabalho Pedagógico. Ana Jamila Acosta – nº427. ULBRA. 2007. FERRAZ, Maria Heloísa C. de T., FUSARI, Maria F. de Rezende e Fusari, Metodologia do Ensino de Arte – fundamentos e proposições. São Paulo: Cortez Editora, 2009. GOMBRICH, Ernst H., Breve História do Mundo, 1ª Edição, Editora Martins Fontes, São Paulo, 2001. HERNÁNDEZ, Fernando. Cultura Visual, Mudança Educativa e Projeto de Trabalho. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.


HOFFMANN, Jussara, Avaliar: respeitar primeiro, educar depois. Porto Alegre: Editora Mediação, 2002. IAVELBERG, Rosa. Para aprender a gostar de aprender arte: sala de aula e formação de professores. Porto Alegre: Artmed, 2003. MAGALHÃES, Roberto Carvalho De, O grande livro da Arte; tradução de Gilson B. Soares – Rio de Janeiro: Ediouro, 2005. MARTINS, Mirian Celeste F. Dias; PICOSQUE, Gisa; GUERRA, Maria T. Didática do ensino da arte: a língua do mundo: poetizar, fruir e conhecer arte. São Paulo: FTD, 1998. PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS: ARTE (ENSINO FUNDAMENTAL). Secretaria de Educ. Fundamental. Rio de Janeiro: DP&A, 2001. PERRENOUD, Philippe. Construir as competências desde a escola. Porto Alegre: ARTMED. 1999. PILLAR, Analice. Leitura e Releitura. In: A Educação do olhar. Porto Alegre: Mediação, 1999. TOYNBEE, J. M. C., A Arte dos Romanos. Lisboa: Cacém, 1972.


Sites consultados CAMPETTI, Carmen. REMOR, Cynthia. ROTA, Lúcia e AMARAL, Marah. Tesselas, Arte em Mosaicos. Disponível em http://www.tesselasmosaico.com/site/quemsomos.html. Acesso em 01 de maio. GOUGON, Henrique. Mosaicos do Brasil. O primeiro mosaico em terras brasileiras: a obra da Imperatriz. Disponível em http://mosaicosdobrasil.tripod.com/id9.html. Acesso em 14 de maio de 2011. HOUDELIER, Claudia. A Arte Romana. Disponível em http://houdelier.com/paginas/mosaicoromano.html. Acesso em 21 de maio de 2011. LANCHA, Janine. O mosaico das Musas e as suas histórias. Disponível em http://algarvivo.com/arqueo/romano/mosaico-romano.html. Acesso em 30 de abril de 2011. MACÁRIO, Herbert. M. C. Escher (1898 – 1972). Disponível em http://4portasnamesa.blogspot.com. Acesso em 24 de maio de 2011. POMBO, Olga. A Vida de M. C. Escher. Disponível em http://www.educ.fc.ul.pt/docentes/opombo/seminario/escher. Acesso em 24 de maio de 2011. POSENATO, Leonardo M.. Biografia e obras de Leonardo Posenato. Disponível em http://www.mosaico.arq.br. Acesso em 07 de agosto de 2011. SPERB, Cláudia. Caminho das serpentes. Disponível em http://www.artecaminhodasserpentes.com/. Acesso em 07 de agosto de 2011. VICTORINO, Paulo. Arte Bizantina. Disponível em http://www.pitoresco.com.br/art_data/arte_bizantina/. Acesso em 01 de maio de 2011.


OBRIGADO PELA ATENÇÃO!

Apresentação Arte de Criar Mosaicos  
Apresentação Arte de Criar Mosaicos  

Apresentação do Trabalho de Curso defendido por Lucas Wickert.

Advertisement