Page 1


Orientação nos Estágios Estágio 1: Prof. Dr. Celso Vitelli. Estágios 2, 3 e 4: Prof. Ma. Ana Lúcia Beck.


Prática de Ensino Escola: Estadual de Ensino Médio Santa Clara Localizada no município de Santa Clara do Sul, próximo a cidade de Lajeado. Observações silenciosas: Março e abril de 2011. Turma: 101 - 1º ano do Ensino Médio. Período da prática de estágio: Terças-feiras, no turno da noite, entre agosto e outubro de 2011. 8 encontros de 2h\a (21h30min às 23h)


Tema de pesquisa nas Artes Visuais O tema de pesquisa procurou contemplar a representação do mosaico, que é uma técnica utilizada para representar temas dos mais variados. Abordando o mosaico nos diferentes períodos históricos, ou seja, do bizantino à contemporaneidade. Os trabalhos são construídos a partir de pequenos fragmentos de cerâmica, pastilhas de vidro, mármore ou qualquer outro material. Foram utilizadas imagens de diferentes artistas destes períodos em linguagens como o desenho e o mosaico. Pesquisando detalhes e informações desde o seu surgimento até os dias atuais. Também trazendo o processo de construção, as técnicas utilizadas, os materiais adequados para elaboração e execução dos trabalhos de mosaico.


Autores e Artistas abordados na pesquisa: ● Como embasamento teórico, foram consultados os autores Philippa Beveridge, Eva Pascual, com o livro MOSAICO – Técnicas decorativas. Afirmam que a arte dos mosaicos surgiu na pré-história e até os dias de hoje podemos apreciar trabalhos desenvolvidos a partir da técnica de criar mosaicos, utilizadas pelos artistas e também nas decorações de construções da contemporaneidade. ● Os artistas abordados foram: o carioca Di Cavalcanti, o holandês Maurits Cornelis Escher e os gaúchos Leonardo Posenato e Cláudia Sperb.


Tema do Projeto de Ensino O tema do Projeto de Ensino foi embasado no tema de pesquisa, enfatizando o mosaico na contemporaneidade, levando em consideração os artistas, através de seus trabalhos. Procurou-se explicar como o mosaico sofreu inúmeras transformações no decorrer da história e enfatizou-se que os alunos pudessem trazer em suas produções, aspectos, situações, momentos vivenciados da vida de cada educando e retratando particularidades de seu meio social e cultural.


Justificativa O projeto justifica-se por buscar desenvolver nos alunos a auto-expressão, o autoconhecimento, a criação e a crítica, assim como a percepção, valorização da arte de criar mosaicos e busca mostrar a história da arte bizantina até a contemporaneidade.


Objetivo Geral Proporcionar situações de aprendizagens reflexivas, críticas e desafiadoras que contemplem o mosaico do bizantino à contemporaneidade, despertando o interesse e aprimorando o conhecimento dos educandos no mundo artístico, levando em consideração e valorizando os conhecimentos prévios. Conhecendo a si mesmos através da arte de mosaico, os alunos trabalharão com subjetividade, personalidade e identidades próprias, expressando-se por meio da arte.


Objetivos Específicos - Conhecer a história do mosaico bizantino à contemporaneidade. - Explorar a criatividade e organização dos elementos no mosaico. - Despertar no educando o interesse e o fazer artístico através das atividades propostas. - Conhecer a vida e obras do artista Leonardo Posenato e Cláudia Sperb. - Propor um momento de reflexão crítica e construtiva através da apreciação e análise dos trabalhos expostos. - Incentivar os alunos a freqüentar ambientes culturais, ricos de informações e conhecimentos diversos.


Conteúdos ●

História

do

Mosaico

(Bizantino

à

Contemporaneidade). ● Vida e obra de Maurits Cornelis Escher (artista holandês). ● Vida e obra dos mosaístas Leonardo Posenato e Cláudia Sperb (artistas gaúchos). ● Desenho.


1º Encontro – Aulas 1 e 2 ● Explosão de ideias a partir da palavra: “MOSAICO”. ● Apresentação em Power Point, história do mosaico.

sobre a

● Apresentação de três vídeos de curta duração sobre mosaico. ● Construção de um mosaico em grupos com recortes de papel.


As ondas do Calçadão de Copacabana é Imperatriz Tereza Cristina Trono já depredado e precisando reparos. provavelmente o projeto mais famoso assinado por Burle Marx (Déc. 70) Palácio de S. Cristóvão (1800) Fonte: Disponível em http://mosaicosdobrasil.tripod.com/id9.html. Acesso em 21 de maio de 2011.

Fonte: Disponível em http://www.pco.org.br/conoticias/ler_materia.html. Acesso em 21 de maio de 2011.


2º Encontro: Aulas 3 e 4 ● Vida e obras do artista Maurits Cornelis Escher. ● Concluir os trabalhos iniciados na aula anterior.


Maurits Cornelis Escher Os mosaicos árabes serviram de inspiração para várias de suas obras construídas a partir de mosaicos geométricos. No entanto, a característica marcante dessas obras é a substituição das figuras geométricas, normalmente por imagens de animais.

Dois Peixes (1942)

Pombos (1938)

Disponível em http://4portasnamesa.blogspot.com/2008/08/m-c-escher-1898-1972.html. Acesso em 24 de maio de 2011.


Trabalho das alunas Camila e Bruna.

Trabalho dos alunos Gabriel, Lucas e Rodrigo.

(Fonte: WICKERT, 2011).

(Fonte: WICKERT, 2011).


3º Encontro: Aulas 5 e 6 ● Apreciação dos trabalhos do 2º encontro e concluídos como tarefa extracurricular pelos alunos. ● Construir um mosaico individualmente levando em consideração alguns aspectos das obras do artista Escher e dos trabalhos de recorte e colagem do professor Wickert.


Mosaicos produzidos com papel color7.

“Mundo moderno”

“Um lugar do além”

Trabalho das alunas Letícia e Andressa. (Fonte: WICKERT, 2011)

Trabalho das alunas Camila e Bruna. (Fonte: WICKERT, 2011)


Mosaicos produzidos com papel color7.

Trabalho dos alunos GĂŠferson, Rodrigo e Rafael. (Fonte: WICKERT, 2011)

Trabalho dos alunos Gustavo e Augusto. (Fonte: WICKERT, 2011)


Trabalhos desenvolvidos na disciplina de Introdução ao Bidimensional

Wickert, 2008.

Wickert, 2008.

(Fonte: WICKERT, 2008)

(Fonte: WICKERT, 2008)


Recorte direto sobre folha A4 dobrada 2 vezes. FORMA INICIAL

Recorte direto da aluna Bruna.

Recorte direto do aluno Rafael.

Recorte direto da aluna Camila.

(Fonte: WICKERT, 2011)

(Fonte: WICKERT, 2011)

(Fonte: WICKERT, 2011)


4º Encontro: Aulas 7 e 8 ● Power point sobre a vida e obras dos artistas Leonardo Posenato e Cláudia Sperb. ● Concluir os trabalhos iniciados na aula passada. ● Iniciar um desenho que será transformado futuramente em um mosaico.


Leonardo Posenato

Vaca de テ行is

Dragテ」o Verde

Disponテュvel em http://mosaicosdobrasil.tripod.com/id157.html. Acesso em 24 de maio 2011.

Disponテュvel em http://www.mosaico.arq.br/. Acesso em 24 de maio 2011.


Clá Cláudia Sperb

Serpente (MORRO REUTER)

Construção coletiva (MORRO REUTER)

Fonte: Disponível em http://mosaicosdobrasil.tripod.com/id133.html. Acesso em 07 de agosto de 2011.

Fonte: Disponível em http://mosaicosdobrasil.tripod.com/id133.html. Acesso em 07 de agosto de 2011.


Trabalhos de recorte e colagem.

Trabalho de recorte e colagem do aluno Geferson.

Trabalho de recorte e colagem do aluno Rodrigo.

(Fonte: WICKERT, 2011)

(Fonte: WICKERT, 2011)


Trabalhos de recorte e colagem.

Trabalho de recorte e colagem da aluna LetĂ­cia.

Trabalho de recorte e colagem do aluno Lucas.

(Fonte: WICKERT, 2011)

(Fonte: WICKERT, 2011)


5º, 6º , 7º e 8º Encontro – Aulas 9 à 16 ● Apreciação dos desenhos que serão transformados em mosaicos. ● Desenho nas tesselas. ● Início da colagem das pastilhas e azulejos na construção dos mosaicos.


Desenhos Futuros mosaicos

Trabalho do aluno Rodrigo. (Fonte: WICKERT, 2011)

Trabalho do aluno GĂŠferson. (Fonte: WICKERT, 2011)


Desenhos Futuros mosaicos

Trabalho do aluno Rafael. (Fonte: WICKERT, 2011)

Trabalho da aluna Bruna. (Fonte: WICKERT, 2011)


Processo de construção dos MOSAICOS Colagem de fragmentos de cerâmica e pastilhas.

Grupo de alunos realizando a colagem das cerâmicas e pastilhas de vidro. (Fonte: WICKERT, 2011)


Mosaicos ganhando forma.

Trabalho do aluno Rodrigo. (Fonte: WICKERT, 2011)

Trabalho da aluna Bruna. (Fonte: WICKERT, 2011)


Mosaicos ganhando forma.

Trabalho do aluno Lucas. (Fonte: WICKERT, 2011)

Trabalho do aluno GĂŠferson. (Fonte: WICKERT, 2011)


Trabalhos finalizados. Mosaicos com pastilhas de vidro.

Trabalho com pastilhas do aluno GĂŠferson. (Fonte: WICKERT, 2011)

Trabalho com pastilhas do aluno Rafael. (Fonte: WICKERT, 2011)


Trabalhos finalizados. Mosaicos com fragmentos de cer창mica.

Trabalho com fragmentos de cer창mica do aluno Lucas. (Fonte: WICKERT, 2011) Trabalho do aluno Daniel. (Fonte: WICKERT, 2011)


Exposição dos trabalhos na Biblioteca e Museu Municipal Pe. Alberto Träsel - Santa Clara do Sul.


Conclusão Após a finalização de minha prática de ensino, pude perceber o quanto ela foi significativa para minha vida profissional e pessoal. Nela pude constatar e conhecer melhor a vivência que um educador possui a frente dos educandos.


METODOLOGIA A metodologia foi um fator imprescindível e decisivo no desenvolvimento das aulas. Por isso, afirmo que a metodologia é um paradigma que está em constante evolução.


DIÁLOGO Durante a minha prática o diálogo foi levado em consideração como ferramenta básica, fundamental e de extrema importância no processo de desenvolvimento artístico dos alunos.


SIGNIFICAÇÃO APROPRIAÇÃO

e

Significação e Apropriação são palavras ou aspectos que devem estar presentes quando pensamos no fazer artístico. O indivíduo deve se apropriar do artista, das imagens, dos materiais para dar significação ao seu processo artístico até atingir os resultados finais.


AVALIAÇÃO MEDIADORA A avaliação, inicialmente, foi uma etapa da prática de ensino que me deixou inseguro e preocupado, pois eu não conseguia definir muito bem como avaliaria os meus alunos, quais seriam os critérios de avaliação a serem utilizados e quais os objetivos que almejava alcançar. O estudo do livro Avaliação Mediadora - Uma prática em construção da pré-escola à universidade da autora Jussara Hoffmann e os diálogos com a minha orientadora me levaram a enxergar a avaliação com um novo olhar. Olhar focado no indivíduo de maneira singular e constante durante todo o processo da prática de ensino.


REFLEXÃO Como formando do Curso de Artes Visuais, habilitado para ministrar aulas de Artes, concluo esta etapa acadêmica ciente dos obstáculos e dos desafios que enfrentei. Adquiri novos conhecimentos com meus mestres, colegas, amigos, durante a caminhada acadêmica e com a experiência das práticas de estágio. É interessante perceber a necessidade de estarmos constantemente aprendendo, pois jamais estaremos prontos. Novos caminhos e desafios sempre serão imprescindíveis.


Portanto, ensinar é uma arte. O universo em que todos nós estamos inseridos é um enorme mosaico de encaixes: o todo sem a parte não é todo, e a parte sem o todo não é parte.


REFERÊNCIAS BARBOSA, Ana Mae; COUTINHO, Rejane Galvão (Orgs.) Arte/Educação como mediação cultural e social. São Paulo: UNESP, 2009. BEVERIDGE, Philippa; PASCUAL, Eva., Mosaico: Técnicas decorativas. Lisboa: Editorial Estampa, 2005. Cadernos Universitários – Didática do Trabalho Pedagógico. Ana Jamila Acosta – nº427. ULBRA. 2007. FERRAZ, Maria Heloísa C. de T., FUSARI, Maria F. de Rezende e Fusari, Metodologia do Ensino de Arte – fundamentos e proposições. São Paulo: Cortez Editora, 2009. GOMBRICH, Ernst H., Breve História do Mundo, 1ª Edição, Editora Martins Fontes, São Paulo, 2001. HERNÁNDEZ, Fernando. Cultura Visual, Mudança Educativa e Projeto de Trabalho. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.


HOFFMANN, Jussara, Avaliar: respeitar primeiro, educar depois. Porto Alegre: Editora Mediação, 2002. IAVELBERG, Rosa. Para aprender a gostar de aprender arte: sala de aula e formação de professores. Porto Alegre: Artmed, 2003. MAGALHÃES, Roberto Carvalho De, O grande livro da Arte; tradução de Gilson B. Soares – Rio de Janeiro: Ediouro, 2005. MARTINS, Mirian Celeste F. Dias; PICOSQUE, Gisa; GUERRA, Maria T. Didática do ensino da arte: a língua do mundo: poetizar, fruir e conhecer arte. São Paulo: FTD, 1998. PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS: ARTE (ENSINO FUNDAMENTAL). Secretaria de Educ. Fundamental. Rio de Janeiro: DP&A, 2001. PERRENOUD, Philippe. Construir as competências desde a escola. Porto Alegre: ARTMED. 1999. PILLAR, Analice. Leitura e Releitura. In: A Educação do olhar. Porto Alegre: Mediação, 1999. TOYNBEE, J. M. C., A Arte dos Romanos. Lisboa: Cacém, 1972.


Sites consultados CAMPETTI, Carmen. REMOR, Cynthia. ROTA, Lúcia e AMARAL, Marah. Tesselas, Arte em Mosaicos. Disponível em http://www.tesselasmosaico.com/site/quemsomos.html. Acesso em 01 de maio. GOUGON, Henrique. Mosaicos do Brasil. O primeiro mosaico em terras brasileiras: a obra da Imperatriz. Disponível em http://mosaicosdobrasil.tripod.com/id9.html. Acesso em 14 de maio de 2011. HOUDELIER, Claudia. A Arte Romana. Disponível em http://houdelier.com/paginas/mosaicoromano.html. Acesso em 21 de maio de 2011. LANCHA, Janine. O mosaico das Musas e as suas histórias. Disponível em http://algarvivo.com/arqueo/romano/mosaico-romano.html. Acesso em 30 de abril de 2011. MACÁRIO, Herbert. M. C. Escher (1898 – 1972). Disponível em http://4portasnamesa.blogspot.com. Acesso em 24 de maio de 2011. POMBO, Olga. A Vida de M. C. Escher. Disponível em http://www.educ.fc.ul.pt/docentes/opombo/seminario/escher. Acesso em 24 de maio de 2011. POSENATO, Leonardo M.. Biografia e obras de Leonardo Posenato. Disponível em http://www.mosaico.arq.br. Acesso em 07 de agosto de 2011. SPERB, Cláudia. Caminho das serpentes. Disponível em http://www.artecaminhodasserpentes.com/. Acesso em 07 de agosto de 2011. VICTORINO, Paulo. Arte Bizantina. Disponível em http://www.pitoresco.com.br/art_data/arte_bizantina/. Acesso em 01 de maio de 2011.


OBRIGADO PELA ATENÇÃO!


Apresentação Arte de Criar Mosaicos  

Apresentação do Trabalho de Curso defendido por Lucas Wickert.

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you