Page 1

Índice: 1º ciclo ………………….2 e 3 CNO ……….……...………....4 Desporto Escolar ………….6 2º ciclo ……………………..10 Bibliotecas …….………..7/10 Textos 7º C ………....12 e 13 Parlamento Jovens ….16/17 Número: 19| Mês: março | ano: 2013 | Jornal Trimestral | Agrupamento de escolas de Arraiolos

M

EDITORIAL

ais do que conhecer o funcionamento de um software ou de um equipamento, é necessário perceber o potencial que estes meios tecnológicos digitais trazem à aprendizagem, pois só enquanto recursos e ferramentas cognitivas, as TIC podem fazer sentido no contexto da aprendizagem dos alunos. E as potencialidades são muitas. As TIC promovem a autonomia, as relações e as interacções, capacidades de investigação, selecção e análise, a reflexão e a consciência crítica, a participação e produção, a inovação e a criatividade,… o desenvolvimento de processos cognitivos e metacognitivos…a colaboração e a construção do conhecimento. O desenvolvimento do currículo faz-se de saberes transversais e as TIC promovem a sua articulação na medida em que constituem em si mesmo o espaço e os recursos para esta integração. Explicitam e concretizam a aprendizagem através da sua utilização, definem objectivos e consequentemente revelam-se nas metas de chegada. Através delas constatam-se os conhecimentos, os saberes, e os processos utilizados. Cruz & Costa (2011) referem como um dos pressupostos para a sua utilização que “as TIC assumem não apenas um papel instrumental ao serviço dos outros saberes disciplinares, mas sobretudo uma oportunidade enquanto estratégia de desenvolvimento intelectual e social dos indivíduos, tomando como factor de motivação e indução desse desenvolvimento a relação natural que os mais jovens têm com as tecnologias digitais”. E a BE, coração da escola, possibilita e oferece os meios e o espaço: espaço interdisciplinar, espaço de promoção das diferentes literacias, espaço de formação e concretização de projetos, espaço de partilha e colaboração.

TEXTO LIVRE MUITAS AULAS JÁ LÁ VÃO

C

om as professoras, E com outros tantos meninos belos e saltitantes Lemos convictamente algumas partes, Dos grandes Lusíadas. Desde a Invocação à trágica Inês de Castro, Passando pela Dedicatória e pelo Consílio dos Deuses, Muitos foram os amores e descobertas De Vénus a Marte, de Pedro a Inês, De Vasco à Índia. Histórias de deuses, Portugal e paixões Tudo resumido para não esquecer, Esta bela obra de Camões! Erica Calça nº10, 9ºA 4/0/2013

A equipa do ArrRivar

Educadora Florbela Caroço Redação e montagem: Agrupamento de Escolas de Arraiolos: Ângela Rodrigues e Paula Gaspar

Patrocínios:


2

Destaque

março ‘13

A PREPARAÇÃO DO NOSSO NATAL

D

epois de terminarmos as fichas de avaliação foi hora de começar os preparativos para o natal . Enfeitámos a sala de aula, fizemos fatos para o musical, que ensaiámos com o professor de musica (João Machorrinho) .O musical chamava-se “À procura de um pinheiro de Natal” .Estivemos a fazer os fatos para os pinheiros, as bolas, as fitas, as luzes e a estrela . Construímos, também, as coroas para o teatro - “Os três reis magos”- que ensaiámos na nossa escola . Para os nossos pais, fizemos um belo presente de Natal - um centro de mesa, para a grande noite! Foi construí-do com madeira ,frutos secos, folhas de plátano (pintadas por nós) e barro, gentilmente oferecido pelos senhores da Aldeia da Terra. Construímos, ainda, velas para aplicar no centro de mesa. E o Natal já foi...agora é trabalhar para termos um ano em Grande!!! A escola de Ilhas deseja a todos a um próspero ano novo!

2

Sandra Ribeiro, EB1 de Ilhas – turma única


Destaque

março ‘13

3

PROJETO RAÍZES DE ÁGUA

F

oi com grande prazer que, no dia 6 de dezembro, recebemos na nossa escola, Sónia Butes, a apresentar o

projeto Raízes de Água. Foi uma cortesia da nossa junta de Freguesia, à qual agradecemos imenso, pois foi uma experiência muito gira! Ouvimos quatro histórias, maravilhosas, todas em torno do assunto da proteção ambiental e em especial água, acompanhadas de um cenário fantástico. Depois fizemos bolinhas de sabão e brincámos com elas! No final ainda nos deram um livro com todas as histórias que ouvimos, para mais recordar! Foi uma tarde em cheio! Obrigada Sónia, gostámos muito de a receber!!!

Sandra Ribeiro, Ilhas turma única, EB1 de Ilhas

3


4

Destaque

março ‘13

CENTRO NOVAS OPORTUNIDADES DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ARRAIOLOS

O

s Centros Novas Oportunidades (CNO) foram criados em Maio de 2008 e sucederam aos Centros de Reconhe-

cimento Validação e Certificação de Conhecimentos (CRVCC) como mais uma valência da educação de adultos. Constituíram-se como um serviço público, cujo objetivo primordial era o aumento das qualificações escolares e profissionais da população adulta residente no país, através de processos de reconhecimento de competências adquiridas ao longo da vida, ou de processos de natureza formativa. O CNO do Agrupamento de Escolas de Arraiolos sucedeu ao CRVCC criado em Outubro de 2006 tendo, desde então, contribuído para qualificar a população do concelho, essencialmente, mas também de concelhos vizinhos. Através de parcerias estabelecidas entre o Agrupamento e outras entidades, e de um trabalho de itinerância promovido pela equipa técnico pedagógica, criaram-se condições para o desenvolvimento de processos de reconhecimento e validação de competências junto da população adulta, em muitos casos população com dificuldades de mobilidade e fraco acesso a estruturas educativas e formativas que, de outra forma, não teriam oportunidade de aumentar as suas qualificações. Pelo Centro passaram centenas de adultos que demonstraram, através de uma metodologia própria, ter competências pessoais, sociais e profissionais que mereciam ser reconhecidas, validadas e certificadas, provando que a chamada “escola da vida” continua a ser fundamental na formação daquilo que somos enquanto pessoas, cidadãos e profissionais. Da mesma forma, a equipa técnico pedagógica na sua maioria manteve-se estável, tendo tido algumas alterações resultantes de circunstâncias pessoais e/ou profissionais, deu o seu melhor, com elevado sentido de responsabilidade, profissionalismo e humanismo no sentido da prossecução dos objetivos de uma iniciativa desta natureza, não perdendo a noção de que um trabalho direto com adultos é um trabalho em que se dá e se recebe, em que, a equipa transmite e ensina algo, mas o que recebe, muitas vezes, a faz crescer enquanto do ponto de vista pessoal e profissional. Por dificuldades de financiamento o CNO do Agrupamento de Escolas de Arraiolos, encerrou antes da existência de outra estrutura equivalente, tendo esgotado até ao limite todas as possibilidades de continuidade. O CNO envolveu mais de dois mil adultos, considerando que a população ativa do concelho é de 3484 pessoas e que a atividade do centro se destinava a maiores de dezoito anos, pode dizer-se que o grau de desempenho das funções que estiveram na base da sua criação foi elevado. Foram certificados 720 adultos e muitos foram encaminhados para outras ofertas formativas. É necessário e importante que as políticas educativas continuem a encarar a educação de adultos como uma prioridade e que se continue a investir nas diversas modalidades de Educação de Adultos, de forma a responder às necessidades formativas de acordo com o perfil de cada adulto. A existência de uma estrutura que assegure estas funções justifica-se, pois muito trabalho há ainda para fazer, as aprendizagens formais, não formais e informais permanecem ao longo da vida, não devendo ser desprezadas numa lógica de desenvolvimento pessoal, local, regional e nacional. A todos os adultos com quem tivemos a honra e gosto de trabalhar, o nosso Obrigada por terem confiado em nós e nos terem permitido participar nas vossas vidas. Arraiolos, 27 de fevereiro de 2013 Pela Equipa do CNO A Coordenadora Josefa da Vinha

4


Destaque

março ‘13

5

VISITA DE ESTUDO DOS 9º A E B A LISBOA

N

o dia 9 de janeiro, as duas turmas, com as professoras Ângela Rodrigues, Dina Costa, Maria do Céu Morcela e

Paula Gaspar ,deslocaram-se à capital para assistir ao teatro relativo à obra de Gil Vicente que irão estudar, Auto da Barca do Inferno, no Mosteiro dos Jerónimos. Após o almoço que decorreu nos jardins situados à frente do monumento nacional, o grupo deslocou-se para a Fundação do Oriente onde visitou, em dois grupos uma exposição sobre o chá. Temática que tem vindo a ser estudada pelos alunos através do projeto Coménius e coordenado pela docente Dina Costa e com a qual alguns alunos já se deslocaram ao estrangeiro.

Pesquisa de Bruno Matilde, 9º A: “Embora o Auto da Barca do Inferno não integre todos os componentes do processo dramático, Gil Vicente consegue tornar o Auto numa peça teatral, dar unidade de acção através de um único espaço e de duas personagens fixas "diabo e anjo". A peça inicia-se num porto imaginário, onde se encontram as duas barcas (escadotes), a Barca do Inferno. Personagens da Alta Barca do Inferno: Fidalgo, D. Anrique, Onzeneiro (homem que vivia de emprestar dinheiro a juros muito elevados, um agiota), Sapateiro, Um parvo, tolo, vivia simples e inconscientemente, Frade cortesão, com a sua freira, Juiz e um Procurador, Enforcado; Quatro Cavaleiros que morreram a combater pela fé. Cada personagem discute com o Diabo e com o Anjo para qual das barcas entrará. No final, só para a barca da glória os Quatro Cavaleiros e o Parvo, todos os outros rumam ao Inferno.” “O museu do Oriente aposta em dar a conhecer as culturas asiáticas e a relação secular que se estabeleceu entre Oriente e o Ocidente. Além das exposições temporárias o museu apresenta duas grandes exposições permanentes, “A presença portuguesa na Ásia” onde o guia deu uma breve introdução e depois fomos ao verdadeiro tema que nos tinha levado ao museu que era os “Deuses da Asia” onde está o “Chá Do Oriente para o Ocidente”. O chá prova como uma simples planta e a infusão daí resultante desempenham um papel importante no desenvolvimento de uma determinada civilização e nas trocas culturais informais entre as diferentes civilizações. Vimos também porcelana da China .

5


6

Destaque

março ‘13

DESPORTO ESCOLAR 2012/13 BTT – XCO Ponte de Sor – 20 de fevereiro de 2013 – 15h

E

INFANTIS B (00/01) – 3 Km (6 Circuitos)

ste ano, como no distrito não havia mais nenhum grupo de BTT, da mesma forma que se passou no ano lectivo anterior, fizemos competição com a Escola Secundária de Ponte de Sôr. A única prova que se realizou até ao momento, foi no dia 20 de Fevereiro, num circuito bastante técnico no interior da referida escola. Os nossos alunos tiveram uma excelente prestação. Os melhores classificados do escalão de Infantis B (3Km) foram os alunos João Peixoto, seguido pelo Ricardo Russo, em 3º e 4º lugar ficaram Rodrigo Nogueira e André Esteves, respetivamente. Nos Iniciados (6Km), Gonçalo Campaniço superiorizou-se aos restantes 4 alunos de Ponte de Sôr, ficou em 1º lugar numa prova disputadíssima até final e decidida por poucos centímetros em sprint. No que diz respeito ao Juvenis, Rui Rodrigues ficou em 3º lugar. Ficam aqui algumas fotos da competição

– CORTA MATO DISTRITAL –

R

ealizou-se nos terrenos do Hipódromo de Évora, mais uma edição do Corta Mato Distrital do Alentejo Central, no passado dia 6 de Fevereiro. A comitiva da Escola Eb2,3/S de Cunha Rivara foi constituída por 30 alunos e 3 professores que os acompanharam. Decorreu com grande entusiasmo por parte de todos os intervenientes, mas sobretudo com grande brilhantismo por parte de dois alunos que obtiveram dois excelentes segundo lugares. Foram eles a Patrícia Carrasqueira no escalão de Infantis A Femininos e o Daniel Santos no escalão de Juniores Masculinos. Todos tiveram de PARABÉNS!!

6


Destaque

março ‘12

E

7

CARNAVAL 2013 DOS ALUNOS DO JARDIM DE INFÂNCIA E EB1 DE IGREJINHA

ste ano a localidade da Igrejinha teve o Carnaval um pouco mais alegre… Pela manhã de dia 7 de fevereiro desfilaram pelas ruas da aldeia alunos, auxiliares e professores…  Alegrámos as ruas com a nossa alegria carnavalesca…!

- Depois tivemos no Centro Social Recreativo de Cultura e Desporto de Igrejinha um Concurso de Máscaras e um baile… - Até tivemos direito a júri e a prémios…

Foi muito divertido!

Educadora Adelaide Oliveira

7


8

Destaque

março ‘13

TEXTOS LIVRES Dia 1 Hoje é o primeiro dia que estou fora daquele lugar horrível. Saí de lá e vi que estava sozinha, sem amigos e família. A minha família nunca me visitou enquanto lá estive, talvez tenham ficado chateados comigo por aquilo que fiz. Os meus amigos ainda me foram visitando ao início, mas depressa se fartaram daquele sítio (tal como eu). Hoje tentei procurar alguém conhecido, mas não consegui encontrar, ou talvez não tenha tido coragem para procurar muito. Ir para casa dos meus pais estava fora de questão, não os conseguia enfrentar, por isso decidi passar esta noite numa pensão, com o pouco dinheiro que tenho. Dentro daquele ligar, fiz um amigo muito especial. Ele era fantástico! Tinha o cabelo moreno e encaracolado e tinha os olhos de um azul lindo. Ele usava um anel com um nome de uma mulher, nunca lhe perguntei o porquê de usar oje em dia é muito importante proteger e educar os aquilo, tal como a mim, nunca ninguém o ia visitar. Passávamos a maior parte do tempo juntos. Ele compreendia- jovens sobre como utilizar a internet. A internet é um ótimo me! Custou-me despedir dele, mas amanhã espero ir visitálugar que permite falar com pessoas de todo o mundo, falo e já lhe disse que quando ele saísse, eu estaria aqui fora à espera dele. zer novos amigos, aprender muitas coisas e passar moEspero não cometer o mesmo erro outra vez… mentos divertidos. Mas, é fundamental que se utilize em

H

segurança. Dia 2 Hoje é o segundo dia que estou fora daquele lugar horrível. Esta noite senti-me sozinha! Sentia a falta dele… Nas noites em que eu tinha medo, ele estava lá sempre, bem ao meu lado. E esta noite, não estava! Tentei ganhar coragem para o ir visitar. Voltar aquele sítio é assustador e arrepiante, mas não o podia deixar sozinho. No caminho, encontrei amigos, já com os seus filhos. Esperava que eles fossem ter comigo, mas simplesmente fingiram que não me conheciam. Olharam para mim com nojo e repugnância. Custou-me! Porque foram eles que me deixaram chegar àquele ponto e nem se importaram. Espero que tenham deixado de consumir, não quero que lhes aconteça o mesmo que a mim. Por fim lá cheguei… Ele ficou todo contente por me ver. Ficámos muito tempo a conversar, contei-lhe tudo o que aconteceu e perdi a noção do tempo. Anoiteceu e já não tive tempo para ir procurar um apartamento e trabalho, vou ter de passar mais uma noite mal dormida. Espero não cometer o mesmo erro outra vez…

A melhor maneira de estar seguro é estar informado. Descubra as últimas novidades sobre o mundo virtual e a segurança on-line. O site www.seguranet.pt é um local onde pode consultar informação sobre esse assunto. Neste espaço pode-se ainda aprender jogando. Existem alguns jogos que nos dão dicas de segurança e que são bastante divertidos. Há também um espaço dedicado aos pais e encarregados de educação, para que consigam orientar os seus educandos no sentido da segurança. Os professores e educadores também não foram esquecidos, existe um espaço que disponibiliza diversas Atividades Seguranet, um manual de literacia digital e ainda um espaço de apoio com conteúdos e recursos sobre a Segurança na Internet. Grupo 550 - Informática

Aluna do 9º ano

8


Destaque

março ‘12

9

JANTAR DE NATAL DO 9º B

N

o mês de dezembro os alunos do 9º B, organizaram cooperativamente um jantar convívio. Convidaram todos os professores da turma e o professor Bernardino Mira. Estiveram presentes os docentes Céu Morcela, Paula Gaspar, Lurdes Farinha, Dina Costa, António Monteiro, Rui Rebocho, Bernardino Mira, Carla Lopes e Ângela Rodrigues. Os alunos fizeram-se acompanhar pela família (pais e irmãos). Face à prontidão do Diretor do Agrupamento em permitir a utilização do espaço do Refeitório (utilização da loiça, talheres e máquina de lavar), o delegado de turma convidou-o para partilhar connosco este espaço de confraternização. Foi um momento muito agradável.

A Diretora de Turma do 9º B

9


10

Destaque

março ‘12

NO TEMPO DOS CASTELOS

N

o âmbito da disciplina de História e Geografia de Portugal, a turma D do quinto ano fez um trabalho sobre castelos. A professora solicitou que os alunos fizessem um trabalho de pesquisa sobre uma das construções mais importantes do século XIII em Portugal e sugeriu a realização de um castelo em papel. Os resultados desta solicitação foram surpreendentes. Surgiram trabalhos incríveis, feitos em esferovite, cartão e até cápsulas de café. Seguem as imagens destas verdadeiras obras medievais!!!! Docente Ana Rita Forte , alunos do 5º ano

10


março ‘12

Destaque

11

AINDA RELATIVAMENTE AO PROJETO RE-PLANTA…

N

este âmbito, e para que toda a comunidade educativa do Agrupamento de escolas de Arraiolos estivesse envolvi-

da, foi proposta a atividade aos alunos do 1º ciclo desta escola. Uma das turmas da escola do 1º ciclo, a turma do 3º ano, turma D, ficou particularmente sensibilizada tendo passado “o bichinho” para os encarregados de educação”. Assim o pai de 3 dos alunos desta turma construiu o compostor que foi colocado junto à horta e jardim destes alunos. A esses alunos é passado um desafio semanal sobre com agir em determinadas situações problemáticas que poderão ocorrer em hortas e árvores de fruto, e a resposta é enviada para os responsáveis do projeto. Até agora os alunos acertaram em todos os desafios… Assim diariamente os restos da alimentação destes alunos é lá colocado. Também as crianças da educação pré-escolar do jardim-de-infância de Arraiolos estão envolvidas, participando também com o lixo orgânico produzido por eles, fazendo também a recolha das folhas secas que caiem das árvores. Fica o registo da chegada do compostor à escola; O pai dos alunos foi presenteado com um diploma, como agradecimento do apoio prestado. Ana Luísa Barreiros

11


12

Destaque

março ‘13

EXPERIÊNCIAS POÉTICAS & ROTINAS DIÁRIAS Apesar de estas serem criações do primeiro período, estão sempre atuais… Alguns dos poemas parecem repetir-se. Isso acontece porque são variações inspiradas no poema “Escola”, de Armindo Rodrigues. Desejamos que tanto os seus autores como os leitores continuem a avançar para novas aventuras de escrita, que são também maneiras de sentir a vida… As professoras Graça Amante e Elisa Vasconcelos

Poesia

Escola

Noite

Poesia eu sei fazer Poesia posso criar Poesia está na mente Poesia está no ar.

Os colegas estão sentados, com um ar desconfiado, à espera que a professora dite, o tão esperado ditado.

Criar é fácil É só ter imaginação Olhe para dentro de si E para o seu coração.

A professora abriu o livro, e começou a ditar, um ditado emocionante, que nos pôs a chorar.

Os meninos estão deitados A olhar para o céu estrelado E entre os meninos eu “Que estrela linda… Dá vontade de a ir apanhar! É a maior e mais bela Estrela do céu.

Tocou para sair, fomos todos a correr, havia trabalhos de casa, ninguém os conseguiu fazer.

Adolescência

Rebeldia e desobediência. Não aguento mais a escola. Alexandra Duarte, 7ºC Aquilo é um teste de sobrevivência, Por mais que tentem não cola. Escola

Outra noite a olhar para o céu Mas a estrela Já lá não estava Só a lua a espreitar E os meninos ali deitados A olhar!” Ana Filipa Domingues, 7.º C Escola

Os meus pais não sabem o que dizem Acham que não tenho consciência Neste mundo todo errado Onde eu vivo a minha adolescência.

Cunha Rivara É a minha escola Acabada de estrear, Ali circulam professores Alunos e também auxiliares

A Festa

Temos um espaço De lazer Onde podemos descansar, Matraquilhos e ping-pong Para nos animar.

Os meninos estão a cantar Com um ar contente Estão a festejar Um dia diferente

O bar e o refeitório Também foram arranjados, As velhas instalações Pertencem ao passado.

Com os pais e os amigos Todos juntos vão estar Na festa de fim de ano Que para sempre irão recordar

A biblioteca é um espaço De cultura e lazer, Podemos viajar no tempo E com ela aprender.

Daniela Boa Fé, 7.º C

Os meninos estão desatentos Com um ar de desanimados Apetece-lhes ir Brincar, comer e saltar. Quando chega a hora do recreio Ficam todos animados. Saem da sala a correr Tropeçam uns nos outros São desastrados. Mariana Beja, 7.º C

Tatiana Manteigas, 7ºC

Desde a matemática ao francês, Entre história e geografia São algumas disciplinas Que estudamos todos os dias. Francisco Esperança, 7.º C

12

Férias Os meninos estão sentados Com ar muito feliz A escola está a acabar Já se podem divertir! As férias começaram Estamos todos a sorrir Já ouvimos dizer Que podemos sair. Jéssica Pinto, 7.º C


Destaque

março ‘13

13

Escola Ilusão Os meninos estão sentados Com um ar de felicidade E entre os meninos eu Que estava lembrando Mas já distante da realidade Outra vez cá estava a sonhar Sempre com honestidade Com uma mão sobre a minha Para me fazer lembrar O caminho da felicidade Mas imaginariamente Perco a certeza Ao longo dos passeios E com os olhos sobre o chão Caminho com a minha tristeza.

Os meninos estão em pé, Com um ar baço de tédio, E entre os meninos eu, Eu de mim, menino, esquecido, Mas já distante com remédio. Outra vez, menino, conto Com voz vagarosa e mole Da funcionária a repetir, A repetir como um sobe e desce, A mesma pergunta fria. Outra vez, menino, fujo, Embora imaginariamente, Da aula monótona e inquieta, E me perco no pó da terra À minha própria procura. Francisco Carapinha, 7.º C

Ana Teresa Vieira, 7.º C A música Escola Os meninos estão preparados Com ar de suspense e cansaço E entre os meninos eu, Eu de mim cansado Mas já preparado para arrumar. Esperava sentado a ouvir, À espera do som para sair. Mas o professor a repetir, a repetir a mesma frase. Não arrumai, meninos, Pois eu não disse para arrumar! Acabámos de arrumar as coisas E eu da campainha ouço o som, Som suave mas que faz levantar E sair todos da sala, e eu. Margarida Caraça, 7.º C

Escola

P’rá música nasci Gosto muito de tocar Quase que a aprendi Antes mesmo de falar. Toco mais do que um instrumento Tive mais que um professor Todos eles me marcaram Cada um tem o seu valor. Mas a minha preferida Foi sempre a percussão É muito barulhenta Mas é a minha paixão. Claro que sei perfeitamente E não posso esquecer Que as letras e os números Me ajudam a crescer. Não vou deixar nenhuma Ambas são importantes Espero que me ajudem A ser um bom estudante. António Arimateia, 7.º C

Eu gosto da minha escola Sempre gostei de estudar. Procuro ter boas notas Para assim poder passar! Não se pode ter tudo na vida Sempre isto ouvi dizer. Mas uma das grandes riquezas É saber ler e escrever! Francisco Carapinha, 7.º C

13


16

Destaque

março ‘13

Rotinas— Textos do 7º C REFLEXÕES DE SHISPY, O CÃO, NA SUA ROTINA DIÁRIA

H

oje é sexta-feira. Como sempre, acordo com o meu dono a ressonar que nem um velho e ferrugento trator… De seguida, lá vou eu comer uma comida que mais parece ter saído da validade há anos! E como forma de vingança, acordo o meu dono com gases perturbantes. Mas isto não chega, eu quero é brincar com ele, mas ele não me dá trela! Rasgo-lhe a roupa em troca!! Consegui o que queria! Vou ao parque dos cães!!! Mas não é só para ir brincar com os outros cães, também é para admirar as cadelas jeitosas… Depois do passeio, voltamos para casa e eu imploro, com uma cara fofa, o meu almoço. Contudo, o dono apenas me dá a horrível e viscosa comida de cão. Finalizado o almoço, observo o meu dono a abalar para o seu trabalho, ele é bombeiro. Eu não queria que ele abalasse, por isso mijei nos seus lençóis e na sua almofada favoritos! Agora, à tarde, que o dono abalou, já posso fazer o que eu quiser… Em primeiro lugar, vou ver o programa das cadelas bonitas, que eu adoro ver! De seguida, vou navegar na Internet, vou ver alguns concursos caninos, para me entreter. E depois, uma bela soneca…Embora eu não goste de tomar banho, o meu sítio favorito para dormir a sesta é a banheira! Ui! Ui! O dono está a chegar e eu estou muito aflito! Mas como o dono fechou a porta do quintal, vou ter de fazer as minhas necessidades noutro sítio! Ups! O dono chegou e pisou as minhas necessidades! É melhor fugir antes que leve com uma chinelada valente no rabo! Mas como eu fiz uma cara de santinho, vou enfardar comida da boa, e não da horrível e viscosa comida de cão, se é que se pode chamar-lhe comida. Aí vem ela! Mnham nham nham … Ai! Acho que já não vou conseguir comer mais! Como o dono chegou, vamos dar o nosso segundo passeio, o meu preferido, porque passo pela casa da cadela mais linda do mundo, a Charlote Pinoca. Ela tem o pelo macio e creme, e um lacinho cor-de-rosa, pequeno, na testa! A raça dela é labrador retriever. Embora ela seja maior que eu, gosto muito dela <3 <3! O jantar é um pouco melhor do que o pequeno-almoço. Como os restos do jantar do dono, embora pareça que já foram roídos por outro cão… O dono aluga sempre um filme à sexta-feira, por isso hoje é dia de filme. Hoje calhou a ser um filme romântico. O meu dono começou logo a ressonar, mas eu fiquei a ver o filme e a imaginar que os protagonistas eram eu e a Charlote… Amanhã é sábado, por isso o dono vai ficar em casa comigo, espero eu. É melhor não voltar fazer necessidades em cima da cama dele nem à porta de casa! Por agora, devem ser para aí cinco da manhã. Tive um sonho excelente! Com a Charlote, claro. Eu e ela fomos os dois ao parque e vamos ter filhotes!... Foi um sonho lindo! E por aqui acaba o melhor, o inesquecível e fantástico dia da semana. Daniel Freixa, Laura Borralho 7.º B

U

RECILAGEM E COMPOSTAGEM

m grupo de professores da nossa escola está a realizar uma formação no Centro de formação Serpa Beatriz Branco, desenvolvida pelo projecto “Re-planta” e promovida pela Gesamb. Para além da formação, estão a desenvolver trabalho com algumas turmas da escola do 1º, 2º e 3º ciclos. São os desafios semanais que consistem numa horta virtual onde surgem problemas nas culturas e é necessário encontrar soluções biológicas. A compostagem permite aproveitar os restos da cozinha (cascas de vegetais, frutas e outros resíduos) para produzir um composto que vai alimentar as plantas que podemos produzir nas nossas casas, e também nas nossas flores. Assim a nossa escola vai desenvolver um projecto que consiste em três áreas: Implementação de um circuito de recolha de resíduos biodegradáveis, montagem de um Centro de Compostagem e Criação de uma horta biológica. Já deves ter visto um compostor na escola do 1º ciclo! Esperamos em breve ter outro na escola sede. Até lá vamos levar os resíduos do bufete e do refeitório para o compostor do 1º ciclo. E já reparaste que já se deram início aos trabalhos para a preparação da nossa horta (ver zona atrás do pavilhão gimnodesportivo). Precisamos da tua ajuda para o tratamento dos resíduos, para a divulgação das actividades e finalmente aguardamos a vossa colaboração Podes contactar os profs. Bernardino Mira, Ana Luísa Barreiros, Aurora Sá, António Rosmaninho, Madalena Silva, Inácia Ramos e Ermelinda Chambel. 14


Destaque

março ‘13

Rotinas—continuação

D

17

UMA SEGUNDA-FEIRA PREENCHIDA

epois de um belo fim-de-semana a descansar, chega novamente a tortura, também chamada segundafeira! É o pior dia da semana para os miúdos, e também para mim, uma mochila tão velha como um velho trapo todo esburacado. Hoje de manhã acordei com o despertador barulhento do meu dono. Aquele triiim, triiim, triiim é tão irritante como o ladrar do cão do vizinho. De seguida o meu dono vestiu-me com livros, porque se esquecera na noite anterior. Seguidamente, enquanto ele comia, a sua mãe alimentou-me com o lanche do Bernardo (o meu dono). Quando íamos para a paragem de autocarros começou a chover e eu fiquei tão ensopada como aquela poça que ele acabara de pisar. E assim seguimos para a escola. Quando dei por mim, estava parada numa fila enorme do almoço. Apercebi-me que me deixara dormir nas aulas da manhã. Assim que saímos da fila, fui atirada para um monte de outras mochilas que estavam junto da mesa, onde se encontravam os amigos do Bernardo. Em vez de ficar a olhar para eles, aproveitei para pôr a conversa em dia. À tarde, a turma do Bernardo teve educação física e eu fiquei 90 minutos à espera deles para irmos para casa. Quando finalmente a educação física terminou, o Bernardo puxou-me por uma alça, muito bruscamente, e seguimos para a velha e ferrugenta paragem de autocarro que ficava na direção da escola. Sempre a mesma corrida para entrar no autocarro… Todos querem os melhores lugares, mas só os mais velhos os conseguem. Depois de uma longa e barulhenta viagem, chegámos finalmente à nossa casa. Monotonamente, o Bernardo via televisão enquanto a mãe lhe buzinava aos ouvidos a mesma frase “Vai fazer os trabalhos de casa!”, e ele lá ia, contrariado. E, enquanto fingia estudar, vestia-me novamente com livros. Finalmente acabou o dia mais tortuoso da semana, apesar de que a terça-feira também não costuma ser muito melhor! Mas não interessa, pois amanhã pode haver uma nova emoção na minha vida … Ana Varela e Regina Cartaxo, 7.º B

A ROTINA DO MIGUEL

A

h, a segunda-feira!!! O pior dia da semana e o melhor para haver seca! Logo que acordo, sinto-me mal disposto e com dores de barriga imensuráveis como se tivesse comido uma feijoada. Depois, quando vou tomar banho, a água gelada mergulha-me em gelo líquido e a água a ferver quase me derrete… Na hora de tomar o pequeno-almoço, sinto-me bem, com um ódio incandescente nas minhas entranhas. A seguir, vou jogar PS3 para aliviar o stress. No momento em que entro na escola, sinto-me morto por dentro. E as aulas são uma infinita e inverosímil seca, excepto as de português e de inglês, claro. Ao chegar a casa, vou lanchar a melhor comida que um miúdo podia querer. De seguida, vou jogar PS3, ao meu jogo novo: "Assassin's Creed 3". Estudo muito raramente, pois é tudo um aborrecimento para mim. À noite, mudo de casa para ir dormir em casa do meu avô António. Depois vou jantar um jantar maravilhoso, magnífico. Seguidamente, vou disparar a minha Shotgun e Walter P-99 aos ratos e ao alvo, para aliviar a minha raiva pela escola. Pouco depois, vou ver TV para descontrair. E finalmente vou dormir, com as minhas armas de Airsoft ao meu lado, sabendo que amanhã vai ser outro dia de seca. No final de contas, o meu dia é muito secante e divertido ao mesmo tempo. Diogo Vieira, Miguel Mira, 7.º B

UMA ROTINA DIÁRIA

A

minha vida é feita de rotinas… Ao sábado de manhã, acordo com a minha dona a abrir a porta pesada e barulhenta do quintal, que me deixa mal-humorado durante grande parte do dia, e de seguida espreguiço-me. A seguir a ficar um pouco na cama sem fazer nada, vou lavar-me para ver se acordo bem e ficar desperto até bem tarde e, logo de seguida, vou tomar o meu pequeno-almoço. Depois de estar de barriga cheia, a minha dona faz-me festinhas, pelo menos para ela são festinhas, para mim são cócegas, e vou passar o resto da manhã a dormir. Ao almoço, como um peixinho com batatas, como a sobremesa e tomo um cafezinho. A seguir, a minha dona chama-me: “Chocolate, anda cá à da dona!”. À tarde vou lanchar com os meus amigos gatos e, quando eles se vão embora, brinco com o meu amigo Kiko. Depois de dormir, vou ter com a minha dona, que me trata muito bem. À noite, depois de jantar, sento-me à lareira e durmo uma bela soneca. Esta é a minha rotina de sábado. Por tudo o que contei é que é o meu dia da semana preferido. Joana Piteira, Mafalda Gomes, 7.º B

15


18

Destaque

março ‘13

PARLAMENTO DOS JOVENS—ENSINO BÁSICO—ULTRAPASSAR A CRISE 7 DE JANEIRO 2013 DEBATE DINAMIZADO PELO DEPUTADO JOÃO OLIVEIRA

No dia 7 de janeiro, da parte da manhã, no polivalente da Escola Cunha Rivara de Arraiolos teve lugar um debate, cujo público-alvo foram todos os alunos do 9º ano, dinamizado pelo deputado João Oliveira. Na sua intervenção começou por informar todos os presentes sobre o funcionamento da Assembleia da República, a sua composição, a distribuição dos deputados pelas bancadas, a organização da assembleia (plenário, comissões e grupos parlamentares), as funções da presidente da Assembleia da República, as competências da Assembleia da República, os procedimentos a adotar na elaboração e aprovação de uma lei, etc. De seguida, prontamente foi respondendo às variadíssimas questões colocadas pelos alunos em torno da temática “Ultrapassar a crise”. Entre as questões colocadas ao Sr. Deputado encontravam-se as seguintes: “Como poderemos ser mais produtivos?”; “O que deveremos fazer para evitar uma saída forçada do país dos jovens portugueses qualificados?”; “O que poderemos fazer para desenvolver a agricultura em Portugal?”; “Onde e como poderemos poupar?”. Esta sessão foi determinante para um maior envolvimento dos alunos nesta iniciativa e forneceu pistas para a elaboração de medidas a apresentar e a debater pelas várias listas na sessão escolar (22 de janeiro de 2013).

ELEIÇÕES PARA A SESSÃO ESCOLAR—21 DE JANEIRO DE 2013

N

o dia 21 de janeiro das 10:00 às 16:10 h decorreram as eleições para a sessão escolar do Parlamento dos

Jovens (Ensino Básico), agendada para o dia 22 de janeiro. Os eleitores foram alunos do 5º ao 9º ano de escolaridade. Na mesa estiveram , para além dos representantes de cada lista, os alunos Filipe Espingardeiro e Inês Correia, dos 9º A e B respetivamente.

16


Destaque

março ‘13

19

PARLAMENTO DOS JOVENS—ENSINO BÁSICO—SESSÃO ESCOLAR—22 /01/13

N

o dia 22 de janeiro, entre as 10:00 e as

13:00 h (+/-) decorreu a sessão escolar do Parlamento dos Jovens do Ensino Básico, cuja mesa foi presidida pela professora Ângela Rodrigues, coadjuvada por um vice-presidente, o aluno Filipe Espingardeiro, do 9º A e por uma secretária, a aluna Inês Correia do 9º B. Compareceram à sessão os 31 deputados eleitos no dia anterior: 9 deputados da lista A, 9 deputados da lista B, 9 deputados da lista C e 4 deputados da lista W.

PARLAMENTO DOS JOVENS—ENSINO BÁSICO—SESSÃO DISTRITAL—25/02/13

N

o dia 25 de fevereiro de 2013 teve lugar a sessão distrital do círculo de Évora na qual participaram, pela Escola EB2,3 com Secundário de Cunha de Rivara de Arraiolos, como deputados efetivos, os alunos Érica Calça, Mariana Martins, Gonçalo Parreira, Tatiana Serra e, como deputada suplente, a aluna Margarida Maneta. Participaram como apoiantes os alunos Rita Raimundo, João Piteira, Bruno Matilde e Andrea Thyssen. Foram acompanhados pelas professoras Ângela Rodrigues e Paula Gaspar. O almoço decorreu na Escola Conde de Vilalva, na qual o grupo foi pessoal e gentilmente recebido pela Diretora do Agrupamento número 4, Lurdes Brito que fez uma visita guiada pela escola. Para representar o círculo de Évora na sessão nacional, nos dias 6 e 7 de maio, foi eleita a Escola Secundária de Montemor-O-Novo, com as deputadas Mariana Cruz e Raquel Ramos e a Escola EB 2,3 com Ensino Secundário de Cunha Rivara de Arraiolos, com as deputadas Érica Calça e Mariana Martins. Sendo a porta-voz deste círculo a deputada Mariana Cruz. A Coordenadora do Projeto—Ângela Rodrigues

17


Destaque

março ‘13

20

VISITA DE ESTUDO A MAFRA

D

ia 3 de janeiro, as duas turmas do 12º ano deslocaram-se a Mafra com as professoras Ângela Rodrigues, Paula Gaspar e Sandra Quaresma. O grupo assistiu a uma peça de teatro relativa à obra que terão que estudar Memorial do Convento, José saramago. Após o almoço que decorreu num jardim nas imediações do Palácio Nacional, o grupo visitou o Palácio. A peça de teatro permitiu o esclarecimento de alguns aspetos que teriam ficado menos percebidos com a leitura e na visita efetuada por um excelente guia, os alunos ouviram um resumo fantástico das partes essenciais da obra fazendo a analogia com a nossa contemporaneidade.

18


março ‘12

Destaque

21

VISITA DE ESTUDO A MAFRA

19

Profile for Angela  Rodrigues

ArrRivar - 2ª edição- 2012-13  

Jornal escolar

ArrRivar - 2ª edição- 2012-13  

Jornal escolar

Profile for arrrivar
Advertisement