Page 1

arr

R

Edição nr 30 - Março 2017

EDITORIAL Vivemos antes!

tempos

angusti-

Na escola debatemos o conceito de cidadania. O respeito, a solidariedade, a interajuda. Lá fora constroem-se muros, fecham-se fronteiras… Para que mundo estamos a

Jornal Trimestral

ivar

Agrupamento de Escolas de Arraiolos

formar e educar os nossos jovens? Cá dentro continuamos a nossa luta pelo direito à diferença, igualdade de oportunidades… pela construção de seres completos. O currículo que não se fica pelo saber livresco apela ao desenvolvimento e à promoção de comportamentos

se só se aprendem se partilharmos uns com os outros projetos, espaços, atividades, tarefas, momentos… Os nossos jovens assim o demonstram através dos trabalhos aqui expostos e partilhados com a comunidade educativa. A educação é responsabilidades de todos.

Começa em casa, passa pela escola, pela comunidade que nos circunda e pelos próprios. Atitude responsáveis como se verificam na atividade “Cata-Lixo” são de louvar! Atividades de participação na vida da sociedade como “O Parlamento do Jovens” são de saudar! Felizmente que

ainda temos alunos que se preocupam! Parabéns aos nossos alunos que revelam ser pessoas ativas, construtivas neste mundo em mudança! A equipa do ArrRivar

O “Cantinho” mais quentinho No passado 21 de janeiro de 2017, alguns elementos da Associação de Estudantes, alunos e encarregados de educação deslocaram-se a Évora, ao Cantinho dos Animais, para doar alguns bens necessários ao bem-estar dos animais residentes. Pudemos contar com a amável contribuição das professoras Sandra Quaresma e Ana Paula Carvalho e dos alunos Adriana Roma do 11ºB, Ana Pintado do 11ºB, Cláudia Barreto do 9ºC, Guilherme Rosa e Ana Santos do 6ºA. Ao todo foram recolhidos os seguintes bens: - 10 mantas, 9 toalhas, 7 cobertores, 2 camisolas de malha e 1 cama. Esta iniciativa realizou-se no âmbito da disciplina de Ciências Naturais, com o intuito de tornar o dia a dia dos animais abandonados mais quente e feliz. Esta notícia foi elaborada pela turma A do 6ºano, no âmbito da disciplina de Português.

Notícia enviada por Ana Isabel Carvalho

Responsáveis: Ângela Rodrigues e Paula Gaspar


R

Março 2017 Os autores leram a sua história e deram autógrafos a quem adquiriu os livros. O evento decorreu com a presença do vereador da cultura, representantes do Bombeiros Voluntários e Centro de saúde, Diretora do Agrupamento, vice-diretor, professora bibliotecária e a equipa da Biblioteca Municipal que generosamente nos recebeu! Obrigada pela vossa presença!!! A exposição manteve-se até 3 de março e o livros foram sendo adquiridos.

Histórias da Ajudaris é um projeto que decorre já há alguns anos. Em 2016 o Agrupamento de Escolas de Arraiolos concorreu com a história elaborada pela turma do professor Fernando Afonso. O livro e as suas ilustrações têm vindo a percorrer o país nos locais onde os alunos concorreram e cuja história foi selecionada. Em Arraiolos a exposição esteve patente na BMA durante o mês de fevereiro até 3 de março. Obrigada a todos pelo apoio!

Problematizando Realizou-se no dia 2 de fevereiro a 1ª fase do Problematizando, XXII Concurso Distrital de Resolução de Problemas de Matemática, organizado pelo Núcleo de Évora da Associação de Professores de Matemática. Os alunos do 3º ciclo do ensino básico da Escola E.B. 2,3/S Cunha Rivara responderam ao convite dos professores de Matemática e, todas as turmas estiveram representadas, perfazendo um total de 36 alunos. Destes, alguns serão apurados para a 2ª fase, que se realizará também na nossa escola. Posteriormente, será apurado um ou mais finalista(s) que se deslocará(ão) ao Agrupamento de Escolas de Portel onde decorrerá a final deste concurso. A delegada de Matemática (grupo 500)

pág. 2


R

Março 2017

No passado mês de janeiro comemorou-se no âmbito do projeto Eco-Escolas com o hastear da bandeira e com o início das Brigadas Cata-Lixo. O 8ºA a Português escreveu reportagens e aqui ficam algumas: Brigadas cata-lixo Os alunos do 8ºA juntaram-se junto aos laboratórios no dia 17 de janeiro pela 10:05. Reuniram-se em grupos formando assim brigadas cata-lixo, sendo-lhes atribuído um colete refletor e um par de luvas a cada membro dos grupos, ficando cada grupo responsável por apanhar lixo nos arredores da escola com um membro da associação de estudantes. Esta atividade prolongou-se durante a manhã e terminou com o hastear da bandeira e os alunos e associação de estudantes todos reunidos à entrada da escola. Esta atividade realizou-se com o intuito de:  Alertar os alunos para a poluição;  Fazer a reciclagem;  Tendo em conta a falta de assistentes operacionais na escola; Estiveram presentes o presidente da câmara, a presidente do Conselho Geral, a diretora da escola, a representante da associação de estudantes e a coordenadora do projeto eco-escolas. Trabalho elaborado por: André Patricia Sara

Brigadas Cata-Lixo Os alunos do 8ºA juntaram-se junto aos laboratórios no dia 17 de janeiro pela 10:05. Reuniram-se em grupos formando assim brigadas cata-lixo, sendo-lhes atribuído um colete refletor e um par de luvas a cada membro dos grupos, ficando cada grupo responsável por apanhar lixo nos arredores da escola com um membro da associação de estudantes. Esta atividade prolongou-se durante a manhã e terminou com o hastear da bandeira e os alunos e associação de estudantes todos reunidos à entrada da escola. Esta atividade realizou-se com o intuito de:  Alertar os alunos para a poluição;  Fazer a reciclagem;  Tendo em conta a falta de assistentes operacionais na escola; Estiveram presentes o presidente da Câmara Municipal, a presidente do Conselho Geral, a Diretora da escola, a representante da Associação de Estudantes e a coordenadora do projeto EcoEscolas. Trabalho elaborado por: André, Patricia, Sara

Muestra de dulces típicos españoles El día 3 de abril los alumnos de 9ºB y C participaron en la actividad, integrada en la Semana Cultural del instituto, “Muestra de dulces típicos españoles”. En este día todos pudieron probar la magnífica Tarta de Santiago, Los Polvorones, El famoso Flan y las dulces Arenas. Fue una muestra muy rica de la repostería de nuestros “hermanos”. ¡Y porque a nadie le amarga un dulce, nuestra muestra fue un éxito! Os esperamos el próximo año. pág. 3


Março 2017

R

Carta escrita em contexto de sala de aula por sugestão da professora Paula Gaspar, 8º A. Tu por mim, eu por ti Querida Teresa, 8 de Fevereiro de 2017 Estás melhor? Eu estou bem, mas a morrer de saudades tuas. Lembras-te quando os dias pareciam não ter fim? Quando as noites demoravam séculos a passar? Lembras-te de quando me abraçavas para parar de chorar? E quando transformávamos aquele quarto de hospital em um típico concerto de música POP? Espero que te lembres, pois eu nunca me esquecerei. Hoje sinto-me em baixo, não sei explicar o porquê de me sentir assim, triste, fria, distante, sem ninguém a quem decorrer, mas obviamente lembreime de ti e de todas as tuas palavras, que tudo ficará bem, pois apesar das dificuldades que passaste, tu vias sempre o lado bom das coisas. Sempre admirei a tua força, a tua coragem e a tua determinação. Nunca conheci uma história de vida que me marcasse tanto como aquela com qual tens de lidar todos os dias, dia após dia. Mas sabes que mais? Depois da tempestade passar, aparecerá o arco-íris. E acredito que o teu será cheio de coisas maravilhosas, tal como assim o mereces. Lembro-me tão bem do dia em que me tiraste da Floresta Mágica e me instalaste no teu quarto, que passou a ser nosso. Lembro-me de quando a Carolina vinha animar os nossos dias. E quando a Matilde chorava e chorava. Lembro-me muito bem, assim como se tivesse sido ontem, do dia em que os médicos disseram que terias alta, é claro que fiquei feliz por ti, mas triste por já não ter ninguém para desabafar. Lembro-me da nossa última conversa que demonstrou a tua enorme bondade. És a rapariga mais forte que já conheci e não poderia ter maior orgulho por ser tua amiga. Obrigada por tudo. Beijinhos, Da tua antiga colega de quarto. Joana

Reportagem da Visita de Estudo a Alcáçovas No dia 21 de fevereiro de 2017, nós, alunos da EB2/3 de Arraiolos e os alunos de Évora, realizámos uma visita de estudo ao Paço dos Henriques e Jardim das Conchas em Alcáçovas. A viagem realizou-se de autocarro. Partimos de Arraiolos pelas 9 horas e ao passar à cidade de Évora juntaram-se a nós o grupo de alunos do 8ºano da escola da Malagueira. A visita de estudo foi organizada no âmbito das disciplinas de Português e História tendo como pano de fundo o projeto da turma “Património(s)?” e tinha como finalidade a descoberta do património cultural e histórico desta vila alentejana sita no concelho de Viana do Alentejo. Tudo começou com o projeto desenvolvido no ano passado em que foi elaborado o livro “O mar passou por aqui”, obra dos alunos das escolas de Arraiolos, Alcáçovas, Portel e Évora. Ao chegarmos a Alcáçovas, visitámos o Paço dos Henriques, espaço público recentemente recuperado, que serviu de residência real de Portugal no Século XIV, onde foi assinado, o Tratado de Alcáçovas (04 de setembro de 1479). Fizemos uma visita guiada ao Paço, o que tornou a visita muito interessante e esclarecedora. Passámos ainda pelo Jardim das Conchas, onde foi possível entrar através de uma torre com o interior coberto de conchas e restos de porcelana antiga. Ainda no Paço antes de almoço teve lugar uma aula de Yoga. Fomos convidados a participar numa aula de Yoga. O almoço decorreu na escola de Alcáçovas e foi um momento de convívio entre os alunos, assim como o jogo de futebol que fizemos. Foi muito divertido e deu para conhecer muitos jovens. Foi no pavilhão da escola que fomos ouvir o Cante Alentejano. Foi recentemente reconhecido como património cultural imaterial da humanidade pela UNESCO, é algo que ainda está presente na nossa memória e que ouvimos e gostámos, embora não seja das nossas preferências é bom conhecer e dar a conhecer a nossa história. No final da atuação do cante, regressámos à escola. A viagem foi agradável e sem mais surpresas. Sebastião

pág. 4


R

Março 2017

Texto de opinião elaborado no âmbito da disciplina de Português Os pais podem contribuir para a orientação do percurso educativo e profissional dos filhos Na minha opinião a educação dos filhos é um grande projeto para todos os pais porque os acompanham em todas as fase de crescimento. Segundo a minha opinião os pais devem contribuir para a orientação do percurso educativo dos filhos, dado que os seus filhos têm que fazer escolhas ainda muito jovens e por vezes estão confusos e indecisos. Acho que os pais devem orientar, mas as escolhas têm que ser feitas pelos filhos porque são os filhos que estão a construir o seu percurso e como tal têm que gostar das suas àreas de estudo. Quanto ao percurso profissional, acho que os pais devem apoiar as escolhas dos filhos sem interferir ou manipular as suas escolhas. Dado que nem todos têm as mesma opinião e porque se trata de uma questão muito discutível, deixo aqui a minha modesta opinião e espero que possa ajudar alguns dos leitores a refletir sobre o tema e alertar para que não se deixem influenciar nas suas escolhas. Não te esqueças: A vida é tua, a escolha pertence-te! Sebastião

Até onde os pais devem intervir na vida profissional dos filhos Neste texto vou dar a minha opinião sobre até onde os pais devem intervir na vida profissional dos filhos. Na minha opinião Soren agiu incorretamente quando obrigou o filho Hans escolher entre a sua família ou o seu sonho de ser marinheiro. Acho que os pais deveriam não só apoiar mas também incentivar os filhos a seguir os seus sonhos mas também mostrar-lhes a realidade do mercado de trabalho. Há uma maior possibilidade de conquistar a satisfação profissional quando escolhemos por nós mesmos. Podemos até seguir um caminho para agradar a alguém, mas de uma forma ou de outra a vida sempre nos conduz para o que realmente queremos. Pais, aconselhem, apenas! Filhos, pensem e decidam por vocês próprios! Joana

Na minha opinião acho que os pais devem conversar com os filhos para os aconselharem, mas não para os obrigarem a escolher um curso que eles não gostem, só porque os pais gostariam, por exemplo, que eles fossem médicos. Imaginemos que o filho gostaria de seguir artes e os pais o obrigavam a ir para ciências. Será que o seu desempenho seria bom? Será que viria a ser um bom profissional? No meu caso, a minha mãe seguiu ciências e é professora de físico-química; eu também quero seguir ciências, não por a minha mãe ter escolhido essa área, mas sim porque eu quero ter uma profissão que envolva a área de ciências. Ass: Sara

Na minha opinião os pais não só podem como devem contribuir para a educação dos filhos. Nem todas as crianças têm bons resultados escolares, mas tendo uma boa ajuda em casa tudo se torna mais fácil mas ao mesmo tempo existem aquelas crianças que se interessam pelos estudos mas que não tem um bom suporte familiar, tanto em termos financeiros como em termos sentimentais. No meu caso, o apoio dos meus pais é fundamental para o meu sucesso escolar porque todas as vezes que estou desinteressado pela escola são eles que me dão apoio e conselhos para conseguir. Concluindo, espero que todos os pais deem todo o apoio aos seus filhos assim como os meus me dão a mim. Paulo

“Será que os pais tem influência no futuro dos filhos?” Na minha opinião os pais têm alguma influência na vida dos filhos. Primeiro porque são eles que nos dão a Educação e Orientação para o futuro. Mas por vezes eles deviam deixar-nos decidir o que queremos fazer. Por vezes há casos em que os pais desde pequenos que já têm o futuro dos filhos traçado em termos de emprego, mas há outros, que pelo contrário dão liberdade aos filhos para escolherem o que fazer e no que trabalhar. Com isto chego à conclusão que os pais podem ter ou não influência na vida dos filhos e que isso já vai de cada um. Mas acima de tudo temos de perceber que todos têm o direito de errar e de corrigir isso as vezes que forem necessárias. Raquel

pág. 5


R

Março 2017 Atividade do GSBE em parceria com o Centro de Saúde. No dia do “Obrigada” os alunos e vários outros elementos da comunidade educativa redigiram mensagens de agradecimento.

"Realizou-se no âmbito do Dia do Obrigado,uma ação de sensibilização para a dádiva de sangue, traduzida num "Obrigado dadores". A atividade incluiu ao longo do dia a construção de um Mural de gratidão, pela comunidade escolar; o esclarecimento presencial e distribuição de folhetos sobre dádiva de sangue;e uma palestra/ sensibilização com o responsável pelo Banco de sangue do HESE dirigida aos alunos de 11º e 12º ano (70 alunos). A atividade, do Gabinete de Saúde e Bem Estar, contou com o apoio da UCC de Arraiolos e do Núcleo de Dadores dos BVA."

" Torna-se cada mais mais evidente que desenvolver projetos e participar neles é premente para a aquisição de uma identidade como agrupamento e como elemento desse mesmo agrupamento. Estabelecer parcerias e mantê-las é um outro objetivo que deve estar sempre nas nossas

grande metas.

Por tudo isso o GSBE está de parabéns. Há muito que promove parcerias e os seus projetos são sempre muito importantes para a comunidade educativa. A equipa do jornal

pág. 6


R

Março 2017

A sessão na Biblioteca Cunha Rivara, com António Júlio Rebelo, autor do livro A Maldade no Cinema de Ingmar Bergman, teve como objectivos propor uma reflexão sobre a utilidade do cinema como linguagem ou meio de comunicação e exemplificar a distinção entre “cinema de entretenimento” e “cinema de autor”. A sessão teve como público os alunos do secundário e alguns docentes. Foi muito interessante e agradecemos ao professor a disponibilidade para se deslocar ao nosso agrupamento. A equipa da BE

pág. 7


Marรงo 2017

pรกg. 8

R


R

Março 2017

O plano de ação das BE integra-se no PAA do agrupamento e temos como objetivos desenvolver as diferentes literacias. Assim, temos atividades como a Hora do Conto, Encontro com autores, Dia da poesia (para comemoração de efemérides), exposições...

pág. 9


R

Março 2017 [8 de março] tiveram lugar as duas sessões Pordata com os alunos do 11º e 12º de Humanidades. Muito gratos pela informação!

A formação, a cargo de José Pedro Silva, também responsável pela Pordata Kids, foi excelente e tivemos uns bons 90 minutos de informação e exercícios. As fotos estão no blog da biblioteca da nossa escola, o BiblioBlog.

Ao longo do período os alunos vão desenvolvendo vários projetos. Vão estudando, pesquisando, escrevendo

pág. 10

sobre o que aprendem nessas informação, tendo sempre por pesquisas. O resultado é com base a da leitura que vos damos alguma frequência exposto conta aqui com estas fotos. na BE. É essa literacia da


R

Março 2017

21/Mar é o Dia Mundial da Árvore e da Poesia. As efemérides foram assinaladas com os seguintes eventos da RBA que tiveram lugar na Biblioteca Municipal: - 21/Mar/2017 - Encontro com Carlos Canhoto para apresentação do livro "Serei uma plantinha daninha?" a turmas do Pré-escolar; - 23/Mar/2017 - "Aleatório - Concerto de Palavras ao Acaso" - Poesia pela Andante Associação Artística dirigida a turmas do 12ºano (14h30) e ao público em geral (21h).

No âmbito da Semana Cultural, o grupo de matemática levou a cabo, mais um ano, uma sessão de jogos matemáticos, realizada na Biblioteca da escola. Os alunos puderam assim explorar a componente lúdica da matemática nos vários jogos

disponíveis, sendo que o jogo do Quarto, foi o mais procurado entre os participantes. O grupo de matemática

pág. 11


R

Março 2017

Dia três de abril deu-se início aos dias culturais. As turmas dos oitavos A e B apresentaram um trabalho desenvolvido em articulação entre Inglês, Espanhol, Oficina de Teatro e Português. “do velho se faz novo” foi o título escolhido para a chamada de atenção de que é importante a reutilização, neste caso de roupas que ainda

estão

capazes

de

serem

usadas. e final. O desfile propriamente dito foi ensaiado na disciplina de Oficina de Arte. O tema do ambiente sutentável é algo que nos é a todos muito caro e este alunos Obrigada a todos por estes demonstraram que são capazes de o fazer. momentos tão agradáveis. Prepararam um desfile com músicas e com um texto descritivo de cada roupa A equipa do Jornal quer em Inglês, quer em Espanhol. Português preparou os discursos: inicial

Desfile de moda/ Fashion Show/ Desfile de moda Neste final de período, lançámos o desafio aos alunos das turmas 8º A e B de organizar um desfile de moda integrado no projeto “Património(s)?”, com o tema “Do velho se faz novo” que pretendeu motivar os alunos para as questões da reutilização de materiais. Este projeto de articulação das disciplinas de Espanhol, Inglês, Português e Oficina de Teatro conjugou o desenvolvimento de competências de escrita e de oralidade nas diversas disciplinas de língua com técnicas de expressão corporal. Após alguns percalços e muita agitação lá se conseguiu levar a cabo esta atividade. Logo pela manhã já se tratava dos cabelos e da maquilhagem (agradecemos a colaboração das alunas Adriana Roma, Iolanda Oliveira e Mariana Severino), já se sentia no ar a excitação do espetáculo eminente: a música, as luzes, as roupas. No ensaio geral, os nervos já se faziam sentir e a risota e conversa eram mais que muitas. Os lugares na assistência foram sendo preenchidos pelos convidados que incluíam alunos de diferentes anos, professores e alguns pais dos alunos envolvidos no projeto. A não abertura do espetáculo a toda a comunidade educativa deveu-se sobretudo à tentativa de salvaguardar os alunos participantes de uma exposição a um ambiente muito amplo que pudesse revelar-se constrangedor. Finally, estava na hora de dar início ao espetáculo! Qué guapos! O público vibrou com a passagem dos diversos outfits que iam sendo descritos em Espanhol e Inglês e aplaudiu copiosamente os modelos que desfilaram como verdadeiros profissionais. No final todos estavam satisfeitos com a experiencia que apesar de exigir muito trabalho até foi (nas suas palavras) fixe! As professoras

pág. 12


R “De geração em geração, através de anedotas que teriam mais graça se não fossem o retrato da nossa ignorância, vamos crescendo a ouvir estas piadas sem nos apercebermos que a verdade é que a nossa estupidez vai evoluindo.”

Março 2017

Nas BE desnvolvemos projetos e atividades para promover as diferentes literacias. comprovamos isso através de “O Livro do Mês” - janeiro - Literacia científica - fevereiro- Literacia da leitura (Educação Literária) - março - Literacia numérica

Texto enviado pelo docente de filosofia, Luís Serra, de um aluno da sua disciplina, Tomás P.

Rincón del Español Una vez más, este periodo, los alumnos del colegio contaron con la exposición de trabajos realizados por alumnos de español. El Rincón del Español señaló fechas tan importantes como el día de los Reyes, con cartas a los Reyes Magos, el día de San Valentín, con corazones donde se escribieron palabras/expresiones/ frases, subordinadas al tema y la cuestión de la Familia Real, con imágenes de árboles genealógicos que la representan. Continuamos creyendo que el Rincón forma parte de estrategias de divulgación de la lengua y de la cultura españolas y que refleja el trabajo que los alumnos realizan en clase. Seguiremos trabajando en él. ¡Esperad por más! Os lo daremos.

pág. 13


Março 2017

R

Foi sob o lema “Depressão? Vamos Jogar!” que se comemorou o Dia Mundial da Saúde integrado na semana cultural do Agrupamento de Escolas de Arraiolos. Durante a manhã do dia 4 de abril foram promovidas atividades lúdicas com o objetivo de sensibilizar os alunos para a prevenção da depressão através da promoção de estilos de vida saudáveis. - “Ser obeso por um dia”. - “Álcool: o que muda em nós?” - Jogo sobre “Violência no Namoro”. As referidas atividades foram dinamizadas pela UCC de Arraiolos, alunas de enfermagem Joana Pisco e Patrícia Fialho, Gabinete de Saúde e Bem Estar do Agrupamento de Escolas de Arraiolos e alunos do 11.º A. GSBE

Na semana passada, sexta-feira (24 de março),a avó da minha colega de turma, a Jessica, foi ler um poema à turma. O poema falava sobre um menino que tinha um caracol no alto da cabeça dentro e um chapéu. Ele andava sempre muito depressa para ver se chegava a casa e tirava o caracol do chapéu, mas tal era impossível porque o caracol era do cabelo. Depois da senhora acabar de ler o poema, cada aluno foi ler o mesmo de uma forma diferente. Eu gostei deste dia porque foi divertido e muito interessante. Foi um dia espetacular. Arraiolos, 27 de março 2017, Manuel Maria Prego Sobral Trigueiro Santos Leitura do poema "Havia um menino" No dia 23 de março de 2017, tivemos uma sessão de leitura com a Dona Beatriz que é a avó emprestada da Jessica. Ela leu-nos um poema da autoria de Fernando Pessoa, chamado "Havia um menino". Eu acho que é um poema infantil, pois fala da imaginação de uma criança. Tem sons que nos ficam no ouvido, assim é muito engraçado e divertido. O poema junta a realidade e a imaginação do menino, pois o caracol que vivia dentro do seu chapéu era apenas um caracol do seu cabelo. No final da leitura o professor Francisco pediu a alguns alunos para lerem o poema de formas diferentes: em tom zangado, alegre, a rir, triste, com soluços, ... foi muito engraçado ouvir a mesma coisa, mas de formas diferentes. Catarina Courela, 4ºD1

pág. 14


R

Março 2017

Fotos do dia da degustação dos cinco batidos vencedores, no concurso realizado no âmbito da fruta escolar, de uma prima a ler uma poesia na turma do 2º B1 e da atividade realizada no dia 4, em Santana do Campo, pelos alunos da EB1/JI de Arraiolos: "Confeção de bolos fintos no forno comunitário de Santana do Campo".

A 21 de março comemorou-se o dia da poesia com declamações de poemas nas diferentes línguas: português, francês e inglês. Obrigada aos alunos que participaram. Inicitiva de Luís Serra, elemento da equipa da BE Cunha Rivara.

pág. 15


R

Março 2017 Exercício de Evacuação na Escola sede do Agrupamento

de evacuação; equipa de 1º intervenção; equipa de primeiros socorros; equipa de cortes de energia e gás Mais uma vez, na escola e comunicações e receção; sede do nosso agrupamento, equipa de concentração e se realizou, no dia 17/02/ controle). 2017, o exercício anual de simulacro de incêndio. Tendo Este simulacro teve como em conta a importância que a objetivo treinar/avaliar os segurança de todos deve ter, procedimentos a observar por a realização deste exercício todos os intervenientes no de evacuação, reveste-se que diz respeito à articulação de especial relevância uma das operações destinadas vez que permite rever os a garantir a evacuação procedimentos e otimizar os total ordenada de todos os recursos. ocupantes para o ponto de concentração, no caso de se Este simulacro contou com verificar efetivamente uma a participação de todos os situação de emergência. docentes e alunos (á exceção das turmas 10º A e B que se O simulacro foi realizado encontravam numa atividade seguindo os procedimentos na Biblioteca Municipal e a determinados pelo Plano turma 12º C, cujos alunos se de Segurança da Escola encontravam em estágio) e (elaborado pela Parque de todas as equipas de apoio Escolar) e foi precedido de constituídas na escola (equipa sessões de sensibilização

dos alunos promovidas pelos diretores de turma e de contatos individuais com todos os elementos das equipas constituídas na escola.

Todos Somos Agentes de Proteção Civil

comentário. Seguidamente os alunos foram levados até ao local da exposição de meios onde puderam contactar com algumas das ferramentas usadas no terreno e ouvir as explicações dos especialistas sobre situações concretas de acidentes ou desastres naturais. Em termos globais a atividade decorreu de forma bastante positiva sendo que os alunos se mostraram interessados e participativos.

Realizou-se no dia 27 de março pelas 14:30 uma sessão promovida pela Autoridade Nacional de Proteção Civil – Comando Distrital de Operações de Socorro de Évora e as Infraestuturas de Portugal, em colaboração com a DGEstE-DSRAlentejo, com a designação “Todos somos Agentes de Proteção Civil”. Esta sessão teve como

pág. 16

objetivo trazer aos alunos do 7.º ano até ao 12.º ano de escolaridade uma ação de formação/sensibilização sobre este tema. As turmas foram representadas, maioritariamente, pelos delegados e subdelegados, uma vez que esta ação não abrangia todos os alunos. Durante a sessão (partes teórica) foram tratadas diversas temáticas, sendo que os alunos assistiram a alguns vídeos seguidos de debate/

Após aplicação dos questionários a uma amostragem de alunos, professores, assistentes operacionais e assistentes técnicos (cujos resultados estão disponíveis na página da escola) verificou-se que a evacuação se realizou de forma rápida e ordeira, cumprindo os procedimentos previstos no Plano de Segurança. A evacuação efetuou-se num tempo total de oito minutos. A grande maioria considerou que a evacuação decorreu de forma ordeira e eficiente e o retorno às atividades letivas foi melhorado.


R

Março 2017

O dia Mundial do Consumidor, 15 de março, foi trabalhado pelos alunos do Curso vocacional Técnico de Comércio. O grupo expôs os trabalhos à comunidade educativa na BE Cunha Rivara, explicitando os direitos e os deveres do consumidor.

PARLAMENTO DOS JOVENS (ENSINO BÁSICO) A equipa responsável pela dinamização do programa Parlamento dos Jovens (Ensino Básico), docentes Ângela Rodrigues e Carla Lopes, informou que o tema em debate este ano letivo foi “Os Jovens e a Constituição: tens uma palavra a dizer!” Participaram cinquenta alunos, dos sétimos (turmas A e B) e oitavos (turmas A e B), e um aluno do nono A. Neste âmbito e devido à complexidade do tema, implementaram-se várias iniciativas: No dia treze de dezembro decorreu uma sessão de sensibilização e esclarecimento, promovida pelo advogado Doutor Rui Sampaio, sobre a Constituição portuguesa; No dia doze de janeiro realizou-se uma sessão de esclarecimento sobre a Constituição portuguesa, dinamizada pelo ex-presidente da Câmara Municipal de Arraiolos, senhor Jerónimo Lóios; No dia vinte de janeiro concretizou-se uma sessão de esclarecimento/ debate, dinamizada pelo senhor deputado João Oliveira, a propósito das medidas propostas pelas várias listas candidatas à sessão escolar; No dia vinte e cinco de janeiro realizou-se a sessão escolar, na qual foram eleitos os alunos a representar a nossa escola na sessão distrital; - No dia treze de março, decorreu a sessão distrital do Parlamento dos Jovens (Ensino Básico), em Évora, na qual participaram os alunos Alice Mota, 8º B

(deputada efetiva); Matilde Lóios, 7º A (deputada efetiva); António Garcia, 7º B (deputado efetivo); Raquel Madeira, 8º A (deputada suplente); Margarida Ramalhinho, 7ºA (presidente da mesa distrital). Nesta sessão a nossa escola, juntamente com a Escola Manuel Ferreira Patrício, Malagueira, foi uma das duas escolas eleitas para representar o círculo eleitoral de Évora na sessão nacional; três de abril realizou-se a eleição da mesa para a sessão nacional , na qual participou a aluna Margarida Ramalhinho, do 7º A, com o apoio técnico dos professores de informática, docentes Rui Rebocho e Pedro Felício. Nos dias vinte e dois e vinte e três de maio de dois mil e dezassete, irá decorrer na Assembleia da República, a sessão nacional, na qual participarão, na qualidade de deputadas, as alunas Alice Mota e Matilde Lóios e o aluno António Garcia, na qualidade de repórter. Resta agradecer a compreensão e colaboração de todos no sentido de ter tornado viável a concretização das várias etapas deste programa, que envolveu vários anos e turmas e cujas datas foram definidas a nível nacional, não dependendo por isso das nossas vontades ou decisões. Texto da autoria da equipa do jornal

pág. 17


R

Março 2017

Após estudos realizados na Escola Cunha Rivara de Arraiolos, as alunas Margarida Ramalhinho, Maria Gamas e Matilde Lóios do 7ºA chegaram à conclusão que a democracia ateniense do século V a. C. deu origem a muitas outras democracias, como por exemplo a democracia portuguesa dos séculos XX e XXI. A democracia ateniense era constituída pela Eclésia, composta por todos os cidadãos, que discutia e aprovava as leis; pela Bulé que aconselhava e preparava o trabalho da Eclésia; pela Helieia, tribunal que aplicava a justiça na maior parte dos casos, pelo Areópago, que julgava casos de assassínio, incêndios e envenenamento e pelos Magistrados que se subdividiam em 10 Arcontes, que presidiam aos tribunais, e exerciam funções religiosas e 10 Estrategos, que tinham funções militares. A democracia portuguesa é constituída pelo Presidente da República que promulga e manda publicar as leis da Assembleia da República e nomeia e demite o primeiro-ministro; pela Assembleia da República que faz as leis, aprova e fiscaliza a atividade do governo; pelo Governo que é responsável pela administração publica e pela execução das leis e pelos Tribunais que aplicam a justiça. Estas apresentavam algumas diferenças, como: • A democracia ateniense é uma democracia direta, pois as decisões eram tomadas diretamente pelos cidadãos. Pelo contrário, a democracia portuguesa é uma democracia representativa, pois os cidadãos não participam diretamente nas decisões, mas elegem os seus representantes para o fazer; • Na democracia ateniense só participavam na vida política os cidadãos, que eram os homens com mais de 18 anos, filhos de pais atenienses e com o serviço militar cumprido, enquanto na democracia portuguesa os deputados podem ser homens e mulheres maiores de dezoito anos e representam todos os portugueses. Alguns órgãos da democracia ateniense correspondem a outros da actual democracia portuguesa, como: • A Eclésia corresponde à Assembleia da República; • A Helieia e o Areópago correspondem aos Tribunais; Margarida Ramalhinho • Os Magistrados e a Bulé correspondem ao Governo. Maria Gamas Matilde Lóios

Lisboa no séc. XXI (Portugal)

pág. 18

Atenas séc. V AC (Grécia)


R PARLAMENTO DOS JOVENS 2017SECUNDÁRIO Mais uma vez, pelo nono ano consecutivo, o nosso Agrupamento participou no programa Parlamento dos Jovens- Secundário, este ano subordinado ao tema A Constituição que temos. A Constituição que queremos – desafios ao poder local. Assim, à semelhança dos anos anteriores e de acordo com as regras, entre os dias 16 e 19 de janeiro realizou-se a campanha eleitoral combativa e bem disputada, na qual participaram as listas A, constituída por alunos do 12ºB e a lista B formada por alunos das turmas do 10ºA, 10ºB e 11ºB. Quatro dias depois realizou-se o ato eleitoral para a escolha dos deputados à Sessão Escolar na sequência da qual foram eleitos os deputados Leandro Recharto, Rúben Faúlha, Alexandre Recharto, Iolanda Oliveira, Luís Vieira e Marcelo de Jesus, pela lista A e Sara Castelos, Marta Ramalho, Pedro Figueiras, Isabel Galvão, Adriana Mendes, Mariana Beja, Sofia Chaveiro, Ana Domingues e Laura Borralho, pela lista B. No

Março 2017 dia 24 de janeiro de 2017, pelas 10h00, realizou-se a Sessão Escolar, no Polivalente, sob a presidência do João Lóios, apoiado pelos vice-presidente Sara Severino e secretário José Matos. Nesta sessão, que decorreu com combatividade e elevado civismo foram debatidas as propostas e foram votadas as medidas que constaram do Projeto de Recomendação a ser debatido, juntamente com projetos de outras escolas na Sessão Distrital, no dia 14 de março. Do referido Projeto de Recomendação constaram as seguintes medidas:

suplente. O presidente da mesa, João Lóios foi eleito candidato à mesa da Sessão Distrital. Por fim foi escolhido o tema a ser proposto para o Parlamento dos Jovens 2017: Os Refugiados na Europa: Que desafios? A Sessão Distrital, realizou-se nas instalações da Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares – Direção de Serviços da Região Alentejo, no dia 14 de março. Nos trabalhos, em cuja condução esteve o João Lóios como vice-presidente da mesa, os nossos deputados tiveram uma postura interventiva e combativa, tendo contribuído de forma I – Reforço da autonomia do poder local decisiva para o aperfeiçoamento das medidas que foram depois enviadas para a Assembleia da RepúII - Reposição das freguesias e consequentemente blica, onde serão debatidas nos dias 8 e 9 de maio. inscrição na Constituição de limites à sua extinção. No que respeita ao projecto Euroescola, pelo terceiro ano consecutivo o Distrito de Évora será repIII - Criação do orçamento participativo local resentado na final nacional pelo nosso Agrupamento, na Constituição. este ano a cargo do Pedro Figueiras e da Sara Castelos. Foram depois eleitos para a Sessão Distrital Alexandre Recharto, Leandro Recharto, Pedro Figueiras e Sara Castelos, como deputados efectivos e a Isabel Galvão, como deputada

pág. 19


R

Março 2017 Projeto

“A

Minha

Lancheira”

Encontra-se no presente ano lectivo implementado nas turmas A1 e I do Agrupamento de Escolas de Arraiolos o Projeto “A minha lancheira” numa parceria entre o Agrupamento de Escolas e a Administração Regional de Saúde IP, como forma de promover a qualidade nutricional dos lanches dos alunos que frequentam o 1º ciclo do ensino básico.

Tem como principal objetivo sensibilizar as crianças e os pais/ encarregados de educação para a importância dos lanches, na medida em que a alimentação saudável contribui para a saúde em geral, melhora a concentração e o rendimento escolar. Este projeto enquadra-se no âmbito do Programa Nacional de Promoção da Alimentação Saudável, Programa Nacional de Saúde Escolar e integra também os objetivos do Programa

Nacional de Educação para a Saúde, Literacia e Autocuidado, sendo desenvolvido no âmbito de Programa Regional do Alentejo de Promoção da Alimentação Saudável. Paula Pimpão Enfermeira Unidade de Cuidados na Comunidade de Arraiolos

Muitas foram as atividades desenvolvidas no 1 ciclo e pré-escolar. Ficam aqui plasmados alguns exemplos do trabalho das colegas do Inglês e do dia 21 de amrço com a plantação de tomateiros e morangueiros. Um muito obrigada pelo embelezamento do espaço e pela promoção de preservação do ambiente.

pág. 20

Arrrivar 2 período 11 maio  

Jornal escolar ArrRivar 2ª edição

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you