Page 1

Análise descritiva ao website e aplicação do Jornal Público Licenciatura em Ciências da Comunicação Unidade Curricular: Jornalismo Digital Andreia Neves N.º 217864 | Tantelisoa Lima N.º 219784 Ano Letivo de 2017/2018

O presente relatório visa a análise descritiva ao website e aplicação do jornal Público que surge na década de 90, “afirmando-se com um estilo próprio, inovador no contexto português” (Abrantes, 2009, p.128). A seguinte análise foi elaborada a partir de uma grelha que inclui os critérios de arquitetura de construção, navegabilidade, interatividade e multimédia, estudados à luz dos pressupostos de comunicação digital. No que diz respeito ao website e a App do diário, mais concretamente à arquitetura de análise, foi possível concluir que o logótipo do jornal se sobressai nas páginas, todas elas em consonância com as cores branco e vermelho. Embora o menu esteja visível e o website seja apropriado por dar resposta à necessidade de informação do público, a página encontra-se um pouco sobrecarregada de informação. Entretanto, a app do diário sobrecarrega menos o utilizador pois há uma melhor organização das informações de modo a adaptar a qualquer dispositivo móvel. Em termos da navegabilidade, verificou-se que a informação se encontra facilmente à mão do leitor que em apenas três cliques consegue chegar à informação desejada, sendo a publicidade o único obstáculo que se interpõe entre o rápido acesso à informação e o utilizador. Ao abrirmos a aplicação, somos logo direcionados para a página inicial, onde podemos encontrar as informações mais importantes logo disponíveis. Por sua vez, o website oferece alguns canais de interação com o público, estimulando a participação do leitor. Destacam-se as seleções de partilha em redes sociais que auxilia a difusão dos artigos, bem como a opção de “corrigir” e “comentar” os vários artigos. A par destas ferramentas, relativamente à multimédia destacam-se tanto no website do jornal como na aplicação, a presença de vídeos, fotografia, podcast e animações. Tendo em conta o fenómeno da convergência, explicado por Scott (2005) como “uma nova estratégia na gestão económica da informação, produção e distribuição”


(p.101), podemos entender que o acesso à informação é facilitado na aplicação pois apresenta uma interface muito mais simples e clara para o leitor. Este fenómeno designa também a tendência dos meios de comunicação na adaptação à internet e na utilização do meio digital como canal de distribuição, que pode ou não ser benéfico para o mundo jornalístico. Contudo, é importante referir ainda o facto de que atualmente um leitor tem acesso a apenas um número limitado de artigos diários, o que significa que a edição impressa em PDF, bem como como o acesso ilimitado a artigos estão reservados apenas a assinantes ou subscritores do diário. Por conseguinte e tendo em conta o que foi disposto no presente relatório, é necessário que o jornalismo online se deva adaptar às características da internet, sendo o grande desafio para os media a integração de todas as características aqui assinaladas num só website ou aplicação. A convergência tecnológica obrigou a várias mudanças abrutas no mundo jornalístico e tornou-se num paradigma no qual por vezes a coexistência não existe, tornando os jornais dominados por publicidade e notícias que dão cada vez mais resposta ao imediato em vez do rigor. Este cenário obriga a que “de forma voluntária ou involuntária, as funções de muitos jornalistas se alterem gradualmente ou esperam mudar-se com a convergência dos meios de comunicação” (Huang, 2006, p.86). Com isto, é possível concluir que embora o papel seja mais relevante e caro, é nas edições online que os jornalistas têm a oportunidade de desenvolver mais o conteúdo que se faz acompanhar da utilização de imagens, multimédia e com um maior destaque dado ao aspeto interativo. No online não se encontra a limitação que existe nas edições impressas, o que significa que há uma maior liberdade de exploração, que no caso do jornal Público resulta em artigos bastante desenvolvidos e extensos, característicos de um jornalismo de referência.

Referências Bibliográficas: — Abrantes, P. (2009). Os guardiões do templo: a imprensa generalista e a imposição de uma agenda educativa. Educação, Sociedade e Culturas, 28, 127-144.4 — Huang E. (2006). Facing the Challenges of Convergence: Media Professionals’ Concerns of Working Across Media Platforms. Convergence: The International Journal of Research into New Media Technologies. February 2006 12: 83-98 — Scott, B. (2005). A Contemporary History of Digital Journalism. Television & New Media, February 20056: 89-126


Apêndices: 1. Critérios para a análise descritiva do website/aplicação do Jornal Público: Arquitetura de

Navegabilidade

Interatividade

Multimédia

Acessibilidade (fácil, útil e funcional) Número de cliques até chegar à informação (facilidade em encontrar o conteúdo) Ordem cronológica

Caixas de Comentários

Vídeos

Hiperligações

Fotografia/ fotogalerias

Links para as redes sociais Newsletter Dá ou não para mudar cores, tamanho (qual o nível de influência que o leitor tem no website) Opções de partilha

Infografias

Construção Marca é ou não identificável Tem ou não página única

Estrutura Estética e Funcional Menu visível

Sequência lógica e intuitiva

Design e aparência

Texto legível

Página simples, clara, concisa, apropriada e apelativa

Eye Tracking

Áudio (som, podcast) Animação (ilustrações, cartoons)

Embed

2. Website: 2.1. Arquitetura de construção Arquitetura de Construção

Marca é ou não identificável no website

Website tem ou não página única

Estrutura Estética e Funcional

Menu visível

Design e aparência

Website simples, claro, conciso, apropriado e apelativo

Predominância da cor vermelha que identifica a marca do Jornal Público, bem como o logotipo que se encontra presente em todas as páginas que se abrem do jornal (topo e fundo da página) Tem outras páginas que incluem o Inimigo Público, Ípsilon, Guia do Lazer, etc. A estrutura da página está organizada de forma a que o utilizador obtenha facilmente a informação desejada, a partir de um esquema de navegação não perde de vista o objetivo de obter um equilíbrio entre o especto estético, a funcionalidade e o conteúdo informativo inerente à página. Menu pouco visível no canto superior esquerdo da página do jornal onde se encontram as várias secções nas quais o diário se divide A página do jornal público apresenta o vermelho que se sobressai no website e corresponde à marca do diário (cores baseadas no logo de sua companhia). O espaço sobrecarrega o utilizador com publicidade e demasiada informação. O website está um pouco carregado de informação para o usuário, com destaque à publicidade que tem um espaço central na página do público. O website é, contudo, apropriado pois dá resposta ao objetivo de informar as pessoas.


2.2. Navegabilidade: Navegabilidade

Acessibilidade (fácil, útil e funcional)

Número de cliques até chegar à informação (facilidade em encontrar o conteúdo) Ordem cronológica

Sequência lógica e intuitiva

Texto legível

Eye Tracking

Estamos perante um site simples e amigo do utilizador. As secções são claras e com apenas 3 cliques conseguimos chegar à informação que desejamos. Entretanto, passamos constantemente por imagens publicitárias até chegar à informação, o que aborrece o leitor. Simples e rápido, com apenas 3 cliques conseguimos chegar até a informação. O Website apresenta uma ordem cronológica clara, onde as notícias mais recentes são destacadas. Sequência de informações respeita a hipótese de “agenda setting” e mantém as notícias de maior destaque na página inicial. Conteúdo claro e conciso Ao entrar na homepage do site, podemos destacar que o primeiro relance converge para a zona central da página apresentada devido ao logotipo apresentado em grande no centro, que acaba por encaminhar-nos para a esquerda onde encontramos o motor de busca e as secções. O Website apresenta os títulos das notícias com fontes grandes, de maneira a atrair a atenção do usuário e um Layout eficaz que permite uma experiência de navegação fluída.

2.3. Interatividade: Interatividade Caixas de Comentários

✓ ✓

Presente em todos os artigos Redireciona para a página da RTP notícias

Facebook, Twitter, Google+, LinkedIn, Instagram, YouTube, RSS É possível ao leitor subscrever à newsletter

Hiperligações

Links para as redes sociais ✓ Newsletter Dá ou não para mudar cores, tamanho (qual o nível de influência que o leitor tem no website) Opções de partilha Sugerir correções Chatbot

Dentro do website o leitor tem a opção de esconder alguns blocos ✓ Presente em cada artigo (topo e fundo) e disponível para o Facebook, Twitter, Linkedin, Google + e e-mail ✓ Presente em cada artigo Não existe


2.4. Multimédia: Multimédia (Há uma página apenas de Multimédia dentro do website) ✓ ✓ ✓ ✓

Vídeos Fotografias/Fotogalerias Infografias

Áudio (som, podcast)

Animação (ilustração/cartoons) Sistema Embed Gifs

No website do jornal é possível encontrar uma página (p24) em que é possível ouvir as notícias diárias, bem como um podcast às 17h Apenas na página do Inimigo Público ✓ Não existe

3. Aplicação: 3.1. Arquitetura de construção Arquitetura de Construção

Marca é ou não identificável

Estrutura Estética e Funcional

Menu visível

Design e aparência

Aplicação simples, clara, concisa, apropriada e apelativa

Ao abrir a aplicação, o leitor encontra o logotipo em destaque com as características cores vermelha e branca, bem como ao centro da parte superior da página home. Estrutura estética e funcional na medida em que o utilizador tem a capacidade de encontrar a informação que quer com relativa facilidade, já que a aplicação se encontra bem organizada e é simples de entender Menu bastante visível na parte superior esquerda da aplicação (o olhar passa logo para lá) e com as secções bem organizadas. Em termos de design e aparência, a aplicação mantém-se fiel às cores do website (vermelho e branco) e ao contrário do website o utilizador não se sobrecarrega de informação. A aplicação apresenta os destaques e os artigos recomendados com a opção de pesquisar aquilo que o utilizador entende. Mais uma vez, existe espaço para a publicidade, no entanto o utilizador não se encontra tão sobrecarregado como no website. É apelativo na medida em que a aplicação garante uma experiência de informação ao utilizador, que encontra facilmente aquilo que procura.


3.2. Navegabilidade Navegabilidade

Acessibilidade (fácil, útil e funcional)

Número de cliques até chegar à informação (facilidade em encontrar o conteúdo) Ordem cronológica Sequência lógica e intuitiva

Texto legível Eye Tracking

Quanto a acessibilidade, é possível concluir que estamos perante uma aplicação simples. Ao acedermos a aplicação, somos logo encaminhados para a página das notícias de destaque. Chega a ser mais funcional comparado com o website visto que é mais simples e fácil. Basta tocar na imagem representativa que nos encaminha logo a notícia pretendida. As notícias não respeitam uma ordem cronológica no que toca a sua organização. Apresenta uma sequencia lógica, mais simples pois a aplicação tem menor dimensão que o Website, entretanto só as notícias de destaque estão na home page. Conteúdo claro e conciso Ao entrarmos na home page, o nosso olhar converge para a zona central onde está o logótipo do Jornal em ponto grande. Somos logos encaminhados para a esquerda onde encontramos o menu subscrições e também sermos encaminhados para outras secções.

3.3. Interatividade Interatividade Caixas de Comentários Hiperligações

Não existe ✓ Dentro das hiperligações é possível partilhar os artigos em várias redes sociais, bem como mail, mensagem, entre outros.

Links para as redes sociais

✓ Newsletter Dá ou não para mudar cores, tamanho (qual o nível de influência que o leitor tem na aplicação)

Opções de partilha Sugerir correções Chatbot

É possível ao leitor subscrever à newsletter

A aplicação não apresenta tanta possibilidade de escolha como o website, o que significa que o nível de interatividade do leitor se encontra um pouco condicionada. Os artigos podem ser partilhados a partir das hiperligações Não existe Não existe


3.4. Multimédia Multimédia Vídeos Fotografias/Fotogalerias Infografias Áudio (som, podcast) Animação (ilustração/cartoons) Sistema Embed Gifs

✓ ✓ Não existe ✓ ✓ Não existe Não existe

Jornalismo Digital: Análise descritiva ao website/app do público  
Jornalismo Digital: Análise descritiva ao website/app do público  
Advertisement