Page 1

alex de jesus

Novembro/2014 - R$ 5,00

o ĂŁ pe

m a c l i o s c i a t ĂŠ r l b at o

d a p 4 Co 1 0

2


Especial Atlético Campeão da Copa do Brasil 2014 | O TEMPO

índice //

editorial //

Página 2................................................................. Editorial + Indice Página 3.............................................................................Abertura Página 4........................................... Oitavas de Final – Palmeiras 0 x 1 Atlético Página 5........................................ Oitavas de Final – Atlético 2 x 0 Palmeira s Página 6...................................... Quartas de Final – Corinthians 2 x 0 Atlético Página 7...................................... Quartas de Final – Atlético 4 x 1 Corinthians Página8................................................................................ Pôster Página 9................................................................................ Pôster Página 10.............................................. Semifinal – Flamengo 2 x 0 Atlético Página 11............................................. Semifinal– Atlético 4 x 1 Flamengo Página 12........................................................Final – Atlético x Cruzeiro Página 13......................................................... Final – Cruzeiro x Cruzeiro Página14.................................................................... Galeria de Fotos Página 15.............................................................. Caminho para o Título

ADJUNTO DA SECRETARIA DE REDAÇÃO Murilo Rocha

FUNDADOR Vittorio Medioli PRESIDENTE Laura Medioli

CHEFE DE REPORTAGEM Renata Nunes

VICE-PRESIDENTE Luiz Alberto de Castro Tito

GERENTE CoMERCIAL Fabiano Guerra

DIRETOR EXECUTIVO Heron Guimarães

GERENTE DE TECNOLOGIA Fábio A. Santos

DIRETOR FINANCEIRO Marcos de Oliveira e Souza

GERENTE INDUSTRIAL Guilherme Reis

EDITORA EXECUTIVA Lúcia Castro SECRETÁRIA DE REDAÇÃO Michele Borges da Costa

GERENTE ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO Walmir Prado GERENTE DE MARKETING Alessandra Soares

Revista Atlético Campeão da copa do brasil 2014

editorial

Coordenação: Renata Nunes

2

Edição e Textos: Felipe Ribeiro Projeto gráfico e diagramação: Anderson Carvalho Infografia: Denver Oliveira Tratamento de imagem: Anderson Carvalho

Sempre Editora - Av. Babita Camargos, 1645 Cid. Industrial - Contagem- MG - Fone: (31) 2101-3806 |

Acreditar sempre!

D

urante muitos e muitos anos, o Atlético foi tachado de azarado, amarelão, e muitos questionavam até mesmo a posição de clube grande em função dos poucos títulos de expressão. Embora muitas administrações ruins tenham feito de tudo para apequenar a instituição, a Massa nunca deixou que o gigante ficasse desamparado. Pelo contrário, estendeu a mão, bradou que acredita e mostrou que o impossível não existe. A recompensa por tanto amor e devoção veio nos últimos três anos, com títulos estaduais, internacionais e, para fechar com chave de ouro, uma conquista nacional. A Copa do Brasil, que a partir de agora será exposta na galeria de troféus da sede de Lourdes, acaba de uma vez por todas com os argumentos de quem um dia ousou duvidar do tamanho do Clube Atlético Mineiro. A conquista inédita enterrou mais alguns rótulos com que o Galo teve que conviver. Não existe mais essa história de ser freguês, de sentir o peso na hora das grandes decisões, de ser derrotado por arbitragens tendenciosas ou de ser apenas campeão moral. E não foi um título qualquer! Grandes rivais ficaram pelo caminho, injustiças históricas foram pagas ao eliminar o Flamengo, e o roteiro não poderia ter sido melhor com o grand finale justamente contra o Cruzeiro. Mas o atleticano nunca torceu por títulos. O atleticano sempre torceu e torcerá pelo ATLÉTICO. Se o sentimento fosse medido por taças, durante muitos anos apenas os jogadores de 1971 seriam ídolos. Não haveria espaço para monstros sagrados como Reinaldo, Cerezo, Éder, Taffarel, Marques, Guilherme e tantos outros que ficaram no quase e não ganharam os tais títulos de expressão. Que injusto seria! O amor incondicional ao clube, as incansáveis batalhas contra o vento em dias de tempestade e mesmo as decepções avassaladoras sempre valeram mais do que qualquer taça. O grande orgulho alvinegro sempre foi a sua legião de seguidores apaixonados. Para o atleticano, falar bem da Massa é o maior dos elogios, falar mal da Massa é a maior das ofensas. E, como bônus, o torcedor aprendeu também que ser campeão é bom demais! Mineiro, Libertadores, Recopa e Copa do Brasil. O clube vive uma nova era, repleta de conquistas e de responsabilidades para se manter no topo. A chave foi virada, e se a seriedade for mantida, não haverá volta nesse caminho de sucesso. O atleticano tomou gosto pela coisa, não quer parar de comemorar e já mira 2015 como mais um ano de glórias. Que venham mais títulos, mais emoções e mais festa. Parabéns, Galo! Parabéns, Massa!


Especial Atlético Campeão da Copa do Brasil 2014 | O TEMPO

inalmente a espera acabou. Em sua 25ª participação na Copa do Brasil–clube que mais disputou a competição ao lado do Vitória-BA –, o Atléticodesencantou e levantou pela primeira vez a taça. Foram anos e anos ouvindo piadinhas sobre nadar e morrer na praia, mas agora o Galo fincou seu nome de uma vez por todas na galeria dos clubes vencedores do torneio mata-mata. O alvinegro alcança ainda a marca de 100% em decisões, já que o máximo a que o clube havia chegado era na semifinal por duas vezes, em 2000 e 2002. A história é a mesma da Libertadores, já que o Atlético também não tinha uma final em seu currículo e, quando conseguiu, levou o título para casa. Ou seja, se deixar o Galo chegar, a vida dos adversários se complica. Mas, para conquistar a glória, foi preciso sofrer muito ao longo das outras 24 participações. Eliminações dolorosas para o Goiás em quatro ocasiões, Criciúma por duas vezes seguidas, além de tombos vexatórios diante, dos modestos Brasiliense, Santo André e Grêmio Prudente deram aos torcedores sentimentos de fúria e vergonha ao mesmo tempo. As quartas de final eram o grande pesadelo, com dez quedas nessa etapa. O clube chegava bem, eliminava adversários sem dificuldade nas primeiras fases, muitas vezes nem precisava do jogo da volta aproveitando-se do regulamento, mas pecava na hora de avançar entre os quatro melhores. Nas únicas vezes em que conseguiu, caiu diante do São Paulo (2000) e do Brasiliense (2002). Desta vez, não! Beneficiado pelo fato de ter disputado a Libertadores, o Atlético entrou nas oitavas de final e foi derrubando gigantes um a um. Primeiro caiu o Palmeiras. Nas quartas, parecia que o filme seria repetido, mas eliminou o Corinthians. Na semifinal, mais uma vez tudo caminhava para a queda, mas aniquilou

o Flamengo. E, finalmente, em sua primeira decisão, não deixou a oportunidade escapar e fez história ao derrotar seu maior rival: o Cruzeiro. Um título incontestável pelo nível dos adversários, emocionante pela dramaticidade dos jogos, histórico por ter uma final mineira e merecido pela sintonia perfeita entre jogadores, comissão técnica, diretoria e, principalmente, torcida. O atleticano deve festejar e vai olhar com muito orgulho para a galeria de troféus na sede de Lourdes e ver mais uma taça nacional exposta.

abertura

F

A espera acabou

3


Especial Atlético Campeão da Copa do Brasil 2014 | O TEMPO

| Palmeiras 0 x 1 Atlético - 27.8.2014 |

Talismã contra a maldição Luan sai do banco de reservas para usar a cabeça e colocar o Galo em vantagem na disputa por uma vaga nas quartas de final

A

primeira reação do atleticano frente ao sorteio que apontou um caminho cheio de pedras no sapato foi reclamar da sorte. Logo de cara, o adversário seria o Palmeiras, nas oitavas de final. Tudo bem que o Verdão já não era mais o mesmo de outros tempos, mas era um carrasco em mata-matas. Jamais o Atlético havia eliminado o time paulista em competições eliminatórias. Para quebrar essa maldição, nada melhor do que contar com um talismã no elenco. Luan foi decisivo no jogo de ida. Ele entrou no segundo tempo e já mostrou a estrela que brilharia durante toda a campanha na Copa do Brasil deste ano. Bola cruzada na área por Maicosuel, e o baixinho aproveitou para usar a cabeça e marcar o gol da vantagem alvinegra para o jogo de volta.

OITAVAS DE FINAL (IDA)

PALMEIRAS ATLÉTICO

0 1

DATA: 27/8/2014 LOCAL: Pacaembu, em São

Paulo (SP)

ÁRBITRO: Jean Pierre Gonçalves

Lima (Asp. Fifa/RS)

4

MARCOS BEZERRA/ESTADãO CONTEúDO

oitavas de final

PÚBLICO: 18.396 pagantes RENDA: R$406.000,00 GOL: Luan (A)

ESCALAÇÃO Victor; Alex Silva, Leonardo Silva, Jemerson e Pedro Botelho; Josué, Rafael Carioca (Luan), Dátolo e Maicosuel (Marion); Diego Tardelli e Jô (André) TÉCNICO: Levir Culpi


Especial Atlético Campeão da Copa do Brasil 2014 | O TEMPO

OITAVAS DE FINAL (VOLTA)

ATLÉTICO PALMEIRAS

2 0

DATA: 4/9/2014 LOCAL: Arena Independência,

em Belo Horizonte

ÁRBITRO: Paulo Henrique

Bezerra (SC)

PÚBLICO: 19.657 pagantes RENDA: R$ 261.010,00

ESCALAÇÃO Victor; Alex Silva, Leonardo Silva, Jemerson e Pedro Botelho (Emerson Conceição); Leandro Donizete, Rafael Carioca, Dátolo (Claudinei) e Luan (Dodô); Carlos e Jô TÉCNICO: Levir Culpi

Caiu no Horto, DENILTON DIAS

| Atlético 2 x 0 Palmeiras - 27.8.2014 |

GOLS: Jemerson e Luan (A)

Galo confirma a classificação com mais uma vitória em cima do alviverde paulista. Jemerson abre o placar, e Luan fecha a conta

A

confirmação da vaga e do fim do tabu de não eliminar o Palmeiras em mata-mata veio no Independência. Ali não há escrita que consiga resistir ao mantra “Caiu no Horto, tá morto!” O Galo até poderia empatar, mas é preciso matar o adversário para não dar a menor chance ao azar. Por isso, 2 a 0 para liquidar a fatura e avançar o primeiro degrau na Copa do Brasil.

anos apenas tem Jemerson, decisivo na vaga

O jogo também marcou o começo da escalada de um garoto que não parou de crescer dentro de campo. O zagueiro Jemerson abriu o caminho para o triunfo alvinegro e foi festejado pelos companheiros e pela Massa. Mas, para fechar com chave de ouro, faltava o “Menino Maluquinho” repetir a dose do jogo de ida e deixar sua marca. Luan sacramentou a classificação.

oitavas de final

tabu tá morto!

5


Especial Atlético Campeão da Copa do Brasil 2014 | O TEMPO

|Corinthians 2 x 0 Atlético - 1.10.2014 |

Dança no Itaquerão

Galo erra na marcação, se complica na Copa do Brasil e ainda tem que aturar dancinha de Mano Menezes na comemoração

M

ais uma pedreira pela frente. Mais um tabu no caminho. O Corinthians era mais um algoz do Atlético em mata-matas. Em seis “decisões” entre os clubes, o Timão havia levado a vantagem em todas. Para piorar, o jogo de ida terminaria com

QUARTAS DE FINAL (IDA)

CORINTHIANS ATLÉTICO

2 0

DATA: 1/10/2014 LOCAL: Arena Corinthians, em

São Paulo (SP)

ÁRBITRO: Pericles Bassols

Pegado Cortez (Fifa-RJ)

PÚBLICO: Não informado RENDA: Não informada

quartas de final

GOLS: Guerrero e Luciano (C)

6

ESCALAÇÃO Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva (Edcarlos), Jemerson e Douglas Santos; Josué, Leandro Donizete, Dátolo e Guilherme (André); Diego Tardelli e Carlos (Luan) TÉCNICO: Levir Culpi

a boa vantagem de 2 a 0 para os donos da casa, que poderiam até perder o jogo em Belo Horizonte por um gol de diferença. Tudo parecia conspirar contra o Galo, que logo de cara teve um chute de Guilherme tirado em cima da linha de gol do time paulista. Depois,

o alvinegro de Minas viu os gols de Guerrero e Luciano complicarem a vida. Mas a motivação para o jogo de volta veio com a dancinha provocativa de Mano Menezes após o segundo gol. Não se mexe com quem está quieto, Mano!

RODRIGO GAZZANEL/ESTADãO CONTEúDO


Especial Atlético Campeão da Copa do Brasil 2014 | O TEMPO

Com show de Guilherme, Galo alcança "milagre" no Mineirão, e jogadores festejam a vaga na semifinal dançando em campo

P

ara se classificar e avançar pela terceira vez a uma semifinal de Copa do Brasil, seria preciso quase um milagre. Fazer dois gols e não levar nenhum para ir aos pênaltis ou construir um saldo de três gols em cima de uma defesa quase intransponível como é a corintiana parecia ser uma missão impossível. Saindo perdendo por 1 a

0 em pleno Mineirão então, nem se fala. Mas o Galo teve em campo o jogador que foi decisivo na primeira vez em que o grito “Eu acredito” foi entoado. Assim como na Libertadores 2013, contra o Newell’s, Guilherme foi iluminado. Ele comandou a classificação. E, quem diria, Edcarlos marcou o tento salvador. No fim, todos os atleticanos dançaram e mostraram que com o Galo Vingador não se brinca. João Godinho

QUARTAS DE FINAL (VOLTA)

ATLÉTICO CORINTHIANS

4 1

DATA: 15/10/2014 LOCAL: Mineirão, em Belo

Horizonte

ÁRBITRO: Leandro Pedro

Vuaden (Fifa/RS)

PÚBLICO: 32.640 pagantes RENDA: R$ 1.704.425,00 GOLS: Guerrero (C); Luan, Guilherme (2) e Edcarlos (A)

ESCALAÇÃO Victor; Marcos Rocha, Edcarlos, Jemerson e Douglas Santos; Leandro Donizete (Josué), Dátolo, Guilherme e Diego Tardelli; Luan (Maicosuel) e Carlos TÉCNICO: Levir Culpi

quartas de final

Quem dança por último...

| Atlético 4 x 1 Corinthians - 15.10.2014 |

João Godinho

7


atlético campeão da

Em pé: Rafael Carioca, Victor, Maicosuel, Giovanni, Uils Agachados: Diego Tardelli, Marion, Eduardo, Dátolo, Luan, Levir culpi


a COPA DO BRASIL 2014 alex de jesus

son, Pedro Botelho, Leonardo Silva, Réver, Jemerson, Tiago e Alex Silva , Pierre, Dodô, Marcos Rocha, Douglas Santos, Carlos e Leandro Donizete


Especial Atlético Campeão da Copa do Brasil 2014 | O TEMPO

|Flamengo 2 x 0 Atlético - 29.10.2014|

Castigo para a Massa

Mesmo com invasão alvinegra no Maracanã, time vacila na defesa e deixa o Rio de Janeiro com grande prejuízo na bagagem

A

noite tinha tudo para ser memorável para os atleticanos no novo Maracanã. Seis mil alvinegros lotaram o espaço que lhes foi destinado e cantaram sem parar. O templo carioca parecia uma extensão do Independência ou do Mineirão. Mas todo o esforço dos torcedores não foi premiado diante de um time apático que cometia erros capitais que levaram ao revés.

Os gols de Cáceres e Chicão pareciam baldes de água fria, mas o “impossível” parece instigar os atleticanos. O 2 a 0 contra para inverter no jogo de volta não assustou, e a Massa deixou o Maraca evocando novamente o “Eu acredito” e cantando “O Galo é o time da virada”. Um espetáculo de apaixonados que guardarão para sempre aquela noite, mesmo com a derrota. JORGE RODRIGUES/ESTADãO CONTEúDO

SEMIFINAL (IDA)

FLAMENGO ATLÉTICO DATA: 29/10/2014 LOCAL: Maracanã, no Rio de

Janeiro (RJ)

ÁRBITRO: Luiz Flávio de Oliveira

(Asp. Fifa/SP)

PÚBLICO: 40.909 pagantes RENDA: Não informada GOLS: Cáceres e Chicão (F)

ESCALAÇÃO

Semifinal

Victor; Marcos Rocha, Jemerson, Edcarlos e Douglas Santos (Alex Silva); Josué, Pierre (Luan), Dátolo e Maicosuel; Diego Tardelli e Carlos (Marion) TÉCNICO: Levir Culpi

10

2 0


Especial Atlético Campeão da Copa do Brasil 2014 | O TEMPO

O impossível não existe

SEMIFINAL (VOLTA)

ATLÉTICO FLAMENGO

4 1

| Atlético 4 x 1 Flamengo- 5.11.2014|

A

imprensa carioca pintou e bordou em cima do Atlético. As manchetes estampavam a palavra “freguês” à vontade, e até ídolo do Flamengo, Nunes, carrasco na década de 80, entrou na onda e tirou foto saboreando um frango assado. Depois de tantos feitos alcançados, ainda tiveram a coragem de duvidar e tripudiar em cima do Galo. Um prato cheio para motivar o elenco. Mais uma vez o “Eu acredito” teve que trabalhar com intensidade. Mais uma vez o time saiu atrás no placar no Mineirão. Só que, desta vez, eram apenas 60 minutos de bola em jogo para alcançar o milagre. E ele veio. Na base da raça, da superação, o Atlético virou para 4 a 1 numa noite especial para Luan, personificação do Atlético em campo. Foi dele o gol da vaga na final.

DATA: 5/11/2014 LOCAL: Mineirão, em Belo

Horizonte

ÁRBITRO: Anderson Daronco

(Asp. Fifa/RS)

PÚBLICO: 41.352 pagantes RENDA: R$ 4. 615.660,00 GOLS: Carlos, Maicosuel, Dátolo e Luan (A); Everton (F)

ESCALAÇÃO Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Jemerson e Douglas Santos; Josué (Leandro Donizete), Dátolo, Maicosuel (Marion) e Luan; Diego Tardelli e Carlos (Dodô) TÉCNICO: Levir Culpi

Semifinal

DENILTON DIAS

Embalado pelo "Eu acredito", Galo consegue virada espetacular com quatro gols na reta final e vai pela primeira vez à decisão

11


O Horto faz a diferença |Atlético 2 x 0 Cruzeiro - 12.11.2014|

FINAL (IDA)

ATLÉTICO CRUZEIRO

2 0

DATA: 12/11/2014 LOCAL: Arena Independência,

em Belo Horizonte

ÁRBITRO: Marcelo de Lima

Henrique (Fifa/RJ)

PÚBLICO: 18.578 pagantes RENDA: R$4.741.300,00 GOLS: Luan e Dátolo (A)

ESCALAÇÃO Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Jemerson e Douglas Santos; Josué, Leandro Donizete, Dátolo e Luan (Marion); Diego Tardelli e Carlos TÉCNICO: Levir Culpi

final

No primeiro clássico da grande decisão entre mineiros, torcida faz o caldeirão do Horto ferver e ajuda a abrir vantagem de dois gols

12

D

epois de longos anos de espera, finalmene o rival estava no caminho em uma decisão nacional. Kalil bancou o jogo no Independência, mesmo com muitos torcedores e jogadores preferindo o Mineirão. O presidente queria fazer valer a máxima de “Caiu no Horto, tá morto!” e acabou tendo razão. O que se viu foi um Galo aguerrido e disposto a abrir vantagem na final.

O iluminado Luan fez o caldeirão ferver logo no começo, enquanto o argentino Dátolo sacramentou o triunfo por 2 a 0. Mas o Galo já estava velhaco com a vantagem e não quis comemorar antes da hora. Por tudo que passou, o clube sabia que era melhor ficar na dele, sem dar armas motivacionais ao rival, que jogaria o último jogo com maioria de torcida no Mineirão.

Leo Fontes

Especial Atlético Campeão da Copa do Brasil 2014 | O TEMPO


FINAL (VOLTA)

CRUZEIRO

O

fim da trajetória na Copa do Brasil e o começo de mais uma festa em preto e branco não poderia ser melhor. Mesmo com o Mineirão tendo maioria da torcida do Cruzeiro, foram os quase 2.000 atleticanos que comemoraram uma conquista inédita, épica, histórica. O Atlético se impôs como campeão, não deu brechas para o rival e encerrou o jejum de quase 43 anos sem título nacional. Entre tantos heróis, a vitória só poderia ser com a marca do ídolo. O gol na final eternizou Tardelli de uma vez por todas na galeria dos imortais alvinegros.

Alex de Jesus

DATA: 12/11/2014 LOCAL: Estádio Mineirão, em

Belo Horizonte

ÁRBITRO: Luiz Flávio de

Oliveira (SP)

PÚBLICO: Não informado RENDA: Não informada GOL: Diego Tardelli (A)

ESCALAÇÃO Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Jemerson e Douglas Santos; Leandro Donizete, Rafael Carioca (Pierre), Dátolo e Luan (Maicosuel); Diego Tardelli (Eduardo) e Carlos TÉCNICO: Levir Culpi

final

Atlético confirma o título inédito da Copa do Brasil em cima do rival para o delírio da Massa

ATLÉTICO

0 1

|Cruzeiro 0 x 0 Atlético- 26.11.2014|

Campeão com gostinho especial

Alex de Jesus

13


Imagens

Imortais

galeria de fotos

DENILTON DIAS - 5.11.2014

14

João Godinho - 5.11.2014

Especial Atlético Campeão da Copa do Brasil 2014 | O TEMPO

Fernanda Carvalho - 12 .11. 2014

Alex de Jesus

joão Godinho


O CAMINHO

EDITORIA DE ARTE / O TEMPO

Especial Atlético Campeão da Copa do Brasil 2014 | O TEMPO

ATÉ O TÍTULO

DEN

ILT ON

O I T AV

O Atlético entrou na Copa do Brasil já nas oitavas de final

AS

DE

0

/ 27

FI

/O

TEM

PO

N AL

1 as eir m l Pa ético AEMBU l At 8 - PAC

DIA S

2 co i t é l t A 0 eiras NCIA Palm DÊ

O UN

BR

EN INDEP 4/9 -

QUA

R TA

S DE FINA L

I

IN

NT

CA

SEMI

PO

TEM

FINAL

O/O

H DIN

GO JOAO

Corinthians 2 Atlético 0 1/10 - ARENA CORINTHIANS LEO

FO

NTE

S/

OT

EM

PO

Atlético 4 Corinthians 1 15/10 - MINEIRÃO

2 0

Flamengo Atlético

29/10 - MARACANÃ

Atlético Flamengo

4 1

5/11 - MINEIRÃO

2

IRÃ O

Cru z Atl eiro étic 0 26/ o 11 MIN 1 E

11 12/

AL

N

Trajetória

FI

0 co A éti Atl eiro NDÊNCI E z P Cru - INDE

15


18 revista galo copa do brasil 2014  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you