Issuu on Google+

Alex de Jesus - 23.11.2014

Novembro/2014 R$ 10,00

o r i e z

u r C

o ĂŁ e p 14

0 m 2 o a r i c sile Bra


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

índice //

editorial //

Página 3.......................................................................O Brasil é azul Páginas 4 .......................................................Equipe reforçada para 2014 Páginas 5...........................................................Números do campeão Página 6 a 37..........................................Os jogos até a conquista do tetra Página 38 e 39.................................................................Pôster Página 40...........................................................................O técnico Páginas 41....................................................................O presidente Página 42........................................................ .As conquistas anteriores Páginas 43 a 61 ..........................................................Os jogadores Páginas 62............................................................Comissão técnica Páginas 63 a 74............................................................Galeria de fotos

FUNDADOR Vittorio Medioli PRESIDENTE Laura Medioli VICE-PRESIDENTE Luiz Alberto de Castro Tito

ADJUNTO DA SECRETARIA DE REDAÇÃO Murilo Rocha CHEFE DE REPORTAGEM Renata Nunes GERENTE CoMERCIAL Fabiano Guerra

DIRETOR EXECUTIVO Heron Guimarães

GERENTE DE TECNOLOGIA Fábio A. Santos

DIRETOR FINANCEIRO Marcos de Oliveira e Souza

GERENTE INDUSTRIAL Guilherme Reis

EDITORA EXECUTIVA Lúcia Castro SECRETÁRIA DE REDAÇÃO Michele Borges da Costa

GERENTE ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO Walmir Prado GERENTE DE MARKETING Alessandra Soares

Revista cruzeiro Campeão brasileiro 2013 Edição: Denner Taylor

2

Infografia: Denver Oliveira

reportagem: Bruno Trindade, Guilherme Guimarães

Edição de fotografia: Rejane Araújo

Projeto gráfico e diagramação: Anderson Carvalho

Tratamento de imagem: Sabrina Guedes

Sempre Editora - Av. Babita Camargos, 1645 Cid. Industrial - Contagem- MG - Fone: (31) 2101-0000

Tetra da competência

G

anhar o Campeonato Brasileiro não é tarefa fácil. Ganhar duas vezes consecutivas, então, é um desafio ainda maior. Mas o Cruzeiro conquistou tal façanha de forma irretocável no biênio 2013-2014. Dois títulos que se somam aos de 1966 e de 2003 para compor o tetracampeonato celeste, gritado a plenos pulmões pela China Azul no dia 23 de novembro de 2014, após a vitória por 2 a 1 sobre o Goiás, no Mineirão, pela 36ª rodada. A conquista de 2014, a exemplo das de 2003 e 2013, também veio com uma campanha que não deixou nenhuma dúvida sobre qual era o melhor time do país. Até a partida que consolidou o título, a Raposa tinha o melhor ataque, maior saldo de gols e maior número de vitórias, além ser o melhor mandante e o melhor visitante do campeonato. Se, na temporada anterior, a equipe já havia causado espanto ao liderar a competição desde a 16ª rodada, em 2014 o time comandado por Marcelo Oliveira se superou ao assumir a ponta logo na sexta rodada. A partir daí, não viu mais ninguém à sua frente. E também a exemplo do ano anterior, o restante do Brasil perguntava qual é o “segredo” do Cruzeiro. Como o técnico Marcelo Oliveira e o presidente Gilvan de Pinho Tavares já responderam diversas vezes, não existe segredo, existe trabalho, seriedade, dedicação e, principalmente, planejamento. Esse foi o grande trunfo da Raposa em 2013, e que foi mantido em 2014, com manutenção da comissão técnica e da base campeã. A chegada de reforços só fez o time crescer de produção. Em um ano ruim para o futebol brasileiro, em que a seleção foi humilhada pela Alemanha na Copa do Mundo – por ironia do destino, em pleno Mineirão –, talvez o Cruzeiro deixe alguns ensinamentos para comandantes do esporte no país e até para dirigentes de outros clubes. Com cotas menores de patrocínio e de televisão, a equipe mineira vem conseguindo resultados mais expressivos do que as do chamado eixo Rio/São Paulo. Além da organização do clube, a força veio também das arquibancadas, com um dos programas de sócios-torcedores de maior sucesso do país e que também poderia servir de exemplo para a maioria quase falida dos times brasileiros. O programa Sócios do Futebol atingiu em 2014 a marca de 66 mil adeptos, com todos os recursos arrecadados sendo destinados ao departamento de futebol. A China Azul contribui, o time cinco estrelas corresponde em campo, e todos comemoram.


Cruzeiro supera as expectativas, conquista o quarto título, o segundo de forma consecutiva, e mantém a hegemonia no Campeonato Brasileiro

BRASIL É AZUL, DE NOVO

A

o contrário de 2013, quando a equipe ainda estava sendo formada e as expectativas eram baixas, o Cruzeiro de 2014 iniciou o Campeonato Brasileiro como grande favorito. A manutenção da comissão técnica e da base do time campeão no ano anterior e a chegada de reforços davam à torcida a certeza de que o time lutaria pelo tetracampeonato, com o feito até então inédito para o futebol mineiro de duas conquistas consecutivas. E, a exemplo de 2013, a Raposa superou as expectativas. Naquele ano, nem os mais otimistas poderiam prever que o título viria, ainda mais de forma tão avassaladora, com liderança desde a 16ª rodada. Pois, em 2014, o Cruzeiro se superou: assumiu a ponta na sexta rodada e não mais largou o lugar mais alto da tabela de classificação. A equipe vinha embalada pelo título de campeão mineiro, para variar, conquistado sobre o maior rival. E, logo na primeira rodada do Brasileirão, os comandados do técnico Marcelo Oliveira mostraram que não estavam acomodados com o emblema de atual campeão brasileiro estampado na camisa celeste. A vitória sobre o Bahia, por 2 a 1, em Salvador, foi uma demonstração do que seria a campanha celeste, com ótimo aproveitamento tanto dentro como fora de casa. Por outro lado, na segunda rodada o Cruzeiro recebeu uma amostra de um obstáculo que o acompanharia por quase todo o campeonato, os erros de arbitragem. No jogo contra o São Paulo no Parque do Sabiá, em Uberlândia - por conta da perda de mando de campo -, o time mineiro vencia por 1 a 0 até o fim do tempo regulamentar, quando o árbitro Wagner Nascimento Magalhães, do Rio de Janeiro, inventou uma falta para o

tricolor na intermediária do campo celeste. O lance originou o gol de empate dos paulistas. E outros erros ocorreram. Os mais graves, talvez, na partida contra o maior rival, marcada pela atuação desastrosa de Héber Roberto Lopes e da bandeirinha Fernanda Colombo, “musa” da arbitragem brasileira, e no empate contra o Criciúma no primeiro turno, quando o Cruzeiro teve nada menos do que dois gols legítimos anulados. Mas a tradição no Cruzeiro nunca foi de deixar se abater pelos problemas no apito. Em vez disso, a Raposa tentava dar a resposta dentro de campo. E assim foi até a 17ª rodada, quando time conquistou o título simbólico de campeão do primeiro turno. Um bom presságio, já que, na história dos pontos corridos, na maioria das vezes, o campeão da primeira etapa assegurou o título ao fim da competição. Mas isso não quer dizer que a conquista tenha sido fácil. Se o Cruzeiro “sobrou” no primeiro turno, no segundo a campanha foi mais complicada. Reclamando do desgaste físico devido ao calendário e ainda com desfalques por causa de lesões, o time oscilou, e jogos que pareciam fáceis se tornaram complicados. Na metade do segundo turno, um perseguidor tradicional e insistente colocou pressão sobre a Raposa: o São Paulo. Mas o Cruzeiro soube resistir e buscou a superação, apesar do cansaço. Na reta final, os jogadores azuis reuniram todas as suas forças e deram uma aula de competitividade e dedicação, buscando as vitórias necessárias para não deixar o título escapar, até a consolidação diante do Goiás, no mineirão. Festa nas ruas de Belo Horizonte e de Minas Gerais. Pela quarta vez, e pelo segundo ano seguido, o Brasil se pinta de azul.

apresentação

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

Uarlen Valerio- 23.11.2014

3


reforços

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

Elenco celeste, que já era forte, ganhou novas peças importantes para as conquistas nesta temporada

Equipe reforçada para 2014

uem disse que não se mexe em time que está ganhando? Depois da conquista do Brasileiro de 2013, a diretoria do Cruzeiro não se acomodou e foi às compras. Nada de errado com o elenco campeão, cuja base foi mantida para a temporada de 2014, mas, na concepção celeste, sempre é possível melhorar, ainda mais para um time com ambições. E a decisão se mostrou acertada, pois quase todas as apostas feitas pelo presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, pelo diretor de futebol, Alexandre Mattos, e pelo técnico Marcelo Oliveira corresponderam e foram decisivas para os títulos de 2014. Para reforçar o sistema defensivo, o Cruzeiro foi buscar Manoel, um dos zagueiros da

4

Neilton é uma aposta para o futuro

seleção do Brasileiro de 2013 eleita pela CBF, que estava no Atlético-PR. Só para constar, o outro zagueiro da seleção daquele ano foi o cruzeirense Dedé. Ou seja, o time azul passava a contar com os dois melhores da posição. E Manoel não decepcionou. Sempre que entrou, fez partidas seguras e ainda se arriscou com sucesso ao ataque. Só não foi titular absoluto porque o time contava com outros grandes nomes para o setor, que se revezavam diante de tantos jogos. Também para o setor defensivo, a Raposa contratou o lateral-esquerdo paraguaio Miguel Samudio, já que contava apenas com Egídio para a posição. Se não chegou a fazer grandes partidas, também não comprometeu. Foi muito prejudicado por

Samudio tem qualidades, mas sofreu com lesões

lesões, mas foi importante e ajudou o time nos títulos de 2014. O volante Willian Farias também chegou para compor o grupo, credenciado pelas ligações com o técnico Marcelo Oliveira nos tempos de Coritiba. Se não brilhou, foi um guerreiro em campo nas vezes em que foi chamado. No meio-campo, destaque para a chegada de Marlone, um dos poucos jogadores que se salvaram no Vasco, que foi rebaixado em 2013. O armador chamou a atenção da diretoria do Cruzeiro, que não perdeu tempo e o levou para a Toca II. Alterna bons e maus momentos, mas não teve em 2014 uma sequência de jogos para ganhar ritmo e se firmar. Mas os grandes destaques nos reforços estão no ataque celeste, o melhor do Brasileiro. Ídolo da China Azul, Marcelo

Moreno voltou ao clube por empréstimo, pois estava “encostado” no Grêmio. O clube gaúcho deve ter se arrependido amargamente, pois o “Flecheiro Azul” desandou a marcar gols e foi um dos artilheiros do Brasil na temporada. Outra aposta de Mattos foi no jovem atacante Neilton, ex-Santos, considerado uma “joia” a ser lapidada para o futuro. Entrou em algumas partidas e demonstrou muita habilidade, mas, é claro, ainda precisa amadurecer. Por último, o velocista Marquinhos, que, a princípio, nem estava nos planos de Marcelo Oliveira. Mas o ex-jogador do Vitória chegou e agradou, tanto que foi titular em diversas partidas. Seu ponto forte é a assistência, mas também marcou gols importantes.

Marcelo Moreno se diz “em casa” no Cruzeiro

Willian Farias é opção quando o treinador quer “fechar” o time


5

nĂşmeros


BAHIA 1 X 2 CRUZEIRO

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

Eduardo Martins/AE - 20.4.2014

No jogo de estreia no Brasileirão de 2014, equipe mostra que manutenção da fórmula do ano anterior seria o melhor caminho

6

No embalo do título de 2013 S

e no ano de 2013 o Cruzeiro era uma verdadeira incógnita por ter reformulado todo o elenco e a comissão técnica, em 2014, como atual campeão, o time celeste chegou como o adversário a ser batido. Na estreia contra o Bahia, pelo fato de também estar disputando a Copa Libertadores, o técnico Marcelo Oliveira escalou um time reserva, que mostrou toda a força do elenco estrelado montado no ano anterior e reforçado para a atual temporada. O triunfo foi construído com uma das principais armas da equipe: a bola aérea. Logo aos 17

min do primeiro tempo, o volante Nilton subiu mais alto do que os adversários para abrir o placar. Aos 35 min, a Raposa levou um susto com o gol marcado por Anderson Talisca. Quando o jogo caminhava para o seu fim e para terminar empatado, veio do banco a solução para a primeira vitória celeste no Brasileiro deste ano. Substituindo Borges, Marcelo Moreno entrou e, também de cabeça, marcou aos 41 min do segundo tempo e deu a vitória para o Cruzeiro. O triunfo já mostrava que seria difícil enfrentar a Raposa e tirar pontos do time montado por Marcelo Oliveira

1ª RODADA

BAHIA CRUZEIRO

1 2

DATA: 20/04/2014 LOCAL: Estádio da Fonte Nova,

em Salvador-BA

ÁRBITRO: Luiz Flávio de

Oliveira (SP) PÚBLICO: 9.348 pagantes RENDA: R$ 271.678,50 GOLS: Nilton e Marcelo Moreno (C); Anderson Talisca (B)

ESCALAÇÃO Fábio; Mayke, Léo, Wallace e Egídio; Nilton, Souza, Tinga (Willian Farias) e Marlone; Willian (Alisson) e Borges (Marcelo Moreno) TÉCNICO: Marcelo Oliveira


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

Empate com sabor amargo

Igor Coelho/Agência I7

3ª RODADA

ATLÉTICO-PR CRUZEIRO

2 3

DATA: 03/05/2014 LOCAL: Estádio Mané Garrincha,

em Brasília (DF)

ÁRBITRO: Elmo Alves Resende

Cunha-GO PÚBLICO: 11.877 pagantes RENDA: R$ 863.335,00 GOLS: Ederson e Marcelo (A); Nilton, Souza e Marcelo Moreno (C)

ESCALAÇÃO Fábio; Mayke, Wallace, Bruno Rodrigo e Egídio (Dagoberto); Nilton, Souza, Tinga (Alisson) e Marlone; Borges e Luan (Marcelo Moreno) TÉCNICO: Marcelo Oliveira

CRUZEIRO SÃO PAULO

1 1

DATA: 27/04/2014 LOCAL: Estádio Parque do

Sabiá, em Uberlândia-MG

ÁRBITRO: Wagner do

Nascimento Magalhães (RJ) PÚBLICO: 17.530 pagantes RENDA: R$ 635.780,00 GOLS: Júlio Baptista (C); Antônio Carlos (S)

ESCALAÇÃO

o canto de Rogério Ceni, que apenas assistiu à bola entrar. Quando o jogo caminhava para a segunda vitória celeste, um erro de arbitragem acabou beneficiando os paulistas. Em uma disputa de bola no meio de campo, o árbitro marcou uma falta de Bruno Rodrigo em Luís Fabiano.

Osvaldo levantou na área e o zagueiro Antônio Carlos deixou tudo igual, aos 46 min do segundo tempo, no último lance da partida. A marcação da falta que resultou no gol deixou os cruzeirenses revoltados.

Fábio; Ceará (Mayke), Dedé, Bruno Rodrigo e Samudio; Henrique, Lucas Silva, Everton Ribeiro e Ricardo Goulart; Willian (Nilton) e Júlio Baptista (Borges) TÉCNICO: Marcelo Oliveira

Em Brasília, o mando era do Furacão, mas a China Azul invadiu o Mané Garrincha

Como se estivesse em casa

A

ssim como na primeira rodada, o técnico Marcelo Oliveira decidiu mandar a campo um time reserva, para preservar os principais atletas para a primeira partida das quartas de final da Copa Libertadores. Fora de casa, o Cruzeiro enfrentou o Atlético-PR, que também tinha no campeonato uma vitória e um empate. O confronto ocorreu em Brasília, no estádio Mané Garrincha, pelo fato de o rubro-negro ter sido punido com a perda de mando de campo. Mesmo em um campo neutro, os mineiros se sentiram em casa. Como tem muitos torcedores em Brasília, a China Azul ocupou a maior parte dos assentos nas

Franco Rithele/AE - 3.5.2014

arquibancadas e empurrou a equipe para mais uma vitória. Os paranaenses saíram na frente com Ederson. Nilton, de cabeça, empatou para o Cruzeiro, que acabou tomando o segundo gol do atacante Marcelo. Na etapa final, a Raposa foi só

pressão. E ficou difícil para o Atlético-PR segurar. Souza empatou em cobrança de pênalti, que foi sofrido por Alisson. Assim como na estreia, Moreno entrou no decorrer da partida e, de cabeça, aos 38 min do segundo tempo, decretou o triunfo celeste.

ATLÉTICO-PR 2 X 3 CRUZEIRO

P

or causa das confusões promovidas por duas torcidas organizadas do Cruzeiro no Brasileiro de 2013, o clube acabou punido com a perda de mando de campo. Por isso, a partida contra o São Paulo, válida pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro, foi disputada em Uberlândia.Nodueloentredoisdostimes apontados como postulantes ao título, a equipe celeste, desta vez com os titulares em campo, dominou o embate, com um futebol mais consistente e levando mais perigo para a meta adversária. De tanto insistir, a Raposa abriu o marcador aos 5 min do segundo tempo. Júlio Baptista, de falta, acertou

2ª RODADA

CRUZEIRO 1 X 1 SÃO PAULO

A vitória estava nas mãos celestes até os 46 min do segundo tempo, mas o gol paulista, após erro de arbitragem, foi uma ducha e água fria

7


ATLÉTICO 2 X 1 CRUZEIRO

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

8

Raposa é derrotada por maior rival, em partida marcada por erro grosseiro da bandeirinha e musa Fernanda Colombo

Bom para os olhos, ruim para o coração

O

s clássicos entre Cruzeiro e Atlético sempre representam um campeonato à parte. Mesmo com um time reserva por causa dos duelos decisivos na Copa Libertadores, a Raposa foi ao Independência buscar sua primeira vitória no local contra o maior rival desde que o estádio do Horto foi reaberto. Por isso, por causa de alguns lances polêmicos e por erros do apito, os

cruzeirenses ficaram tão insatisfeitos no fim da partida com a atuação de Héber Roberto Lopes e, principalmente, da auxiliar Fernanda Colombo Uliana, considerada a musa da arbitragem brasileira. O time azul até conseguiu sair na frente. Souza recebeu a bola, passou pela defesa alvinegra e bateu cruzado. Victor espalmou e Marcelo Moreno mandou para o fundo das redes. Porém, o Galo acabou virando. Marion

pegou rebote da defesa celeste e empatou. André, cobrando pênalti, virou o marcador. A revolta do time celeste veio no decorrer do jogo. O Cruzeiro reclamou muito do pênalti marcado em Leonardo Silva, da expulsão do atacante Luan, que acertou uma cotovelada em Leandro Donizete e, também, de um impedimento de Alisson, mal marcado por Fernanda. O atacante sairia cara a cara com o goleiro Victor, em uma chance clara de gol. Douglas Magno - 11.5.2014


Douglas Magno - 11.5.2014

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

4ª RODADA

ATLÉTICO CRUZEIRO

2 1

DATA: 11/05/2014 LOCAL: Estádio Independência,

em Belo Horizonte-MG

ÁRBITRO: Héber Roberto

Lopes (SC)

PÚBLICO: 9.048 pagantes RENDA: R$ 228.485,00 GOLS: Marcelo Moreno (C); Marion e André (A)

ESCALAÇÃO Fábio; Mayke, Léo, Wallace e Egídio; Nilton, Souza (Willian Farias), Tinga (Martinuccio) e Marlone (Alisson); Luan e Marcelo Moreno TÉCNICO: Marcelo Oliveira

9 9


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

5ª RODADA

CRUZEIRO 3 X 2 CORITIBA

CRUZEIRO CORITIBA DATA: 17/05/2014

LOCAL: Estádio Mineirão, em

Belo Horizonte-MG

ÁRBITRO: André Luiz de Freitas

Castro (GO)

PÚBLICO: 11.663 pagantes RENDA: R$ 378.245,00 GOLS: Ricardo Goulart (2) e Borges (CRU); Alex e Norberto (COR)

ESCALAÇÃO Fábio; Ceará (Mayke), Dedé, Bruno Rodrigo e Egídio; Nilton, Henrique (Willian), Everton Ribeiro e Ricardo Goulart; Dagoberto (Souza) e Borges TÉCNICO: Marcelo Oliveira

N

10

3 2

o reencontro com o meia Alex, que jogou pela primeira vez no Mineirão contra o Cruzeiro após deixar o clube dez anos antes, a Raposa conseguiu mostrar o seu poder de reação. Após perder o clássico para o Atlético e ser eliminado na Copa Libertadores pelo San Lorenzo, o técnico Marcelo Oliveira escalou o que tinha de melhor, e o time conseguiu vencer o Coritiba. A partida também marcou a estreia oficial do uniforme número três do clube celeste, feito na cor amarela em alusão à Copa do Mundo no Brasil. Apesar de tomar alguns sustos, os mineiros sempre estiveram à frente do placar. Logo aos 10 min do primeiro tempo, Egídio fez um cruzamento certeiro para Ricardo Goulart cabecear e inaugurar o marcador. Aos 22 min, Alex, de cabeça, deixou tudo igual. Em uma noite inspirada, Goulart voltou a deixar a Raposa em vantagem, após receber passe de Everton Ribeiro e mandar uma bomba. No segundo tempo, o Coxa mostrou reação e empatou com Norberto, aos 9 min. Porém, o centroavante Borges mostrou a sua marca de artilheiro. Willian cruzou e o camisa nove deu números finais ao jogo e garantiu a reabilitação cruzeirense.

Depois de perder o clássico e ser eliminado na Libertadores, equipe precisava da vitória para manter a estabilidade no Brasileirão

Para sacudir a poeira

Fernanda Carvalho - 17.5.2014


Comandados de Marcelo Oliveira assumem a liderança nesta rodada, posição que seguram até a confirmação do tetra 6ª RODADA

CRUZEIRO SPORT

2 0

DATA: 21/05/2014 LOCAL: Estádio Mineirão, em

Belo Horizonte-MG

ÁRBITRO: Felipe Gomes da

Silva (PR)

PÚBLICO: 13.679 pagantes RENDA: R$ 403.720,00 GOLS: Ricardo Goulart e Marcelo Moreno (C)

ESCALAÇÃO Fábio; Mayke, Léo, Bruno Rodrigo e Egídio; Willian Farias, Henrique, Everton Ribeiro (Willian) e Ricardo Goulart (Souza); Dagoberto (Luan) e Marcelo Moreno TÉCNICO: Marcelo Oliveira

N

A chegada ao topo

o dia de uma marca história para o goleiro Magrão do Sport, que completou 500 jogos com a camisa do Leão, quem teve motivos mesmo para comemorar foi o Cruzeiro. Jogando em casa, a Raposa conquistou a sua segunda vitória seguida no Campeonato Brasileiro, fato que simplesmente levou o time celeste para a ponta da tabela de classificação. A liderança veio em uma partida difícil, com o time nordestino dificultando a vida celeste, principalmente no primeiro tempo. Porém,

CRUZEIRO 2 X 0 SPORT

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

no segundo tempo, os pernambucanos não resistiram à pressão. Logo aos 5 min, Dagoberto bateu falta e Ricardo Goulart, de joelho, mandou para o fundo das redes, inaugurando o marcador no Mineirão. Aos 32 min, foi a vez de Willian acertar um belo cruzamento e encontrar o centroavante Marcelo Moreno que, de cabeça, mandou para o gol e sacramentou a vitória estrelada. Desde então, o time celeste se apoderou da liderança e não largou mais, fazendo com que os rivais tivessem que sempre correr atrás da Raposa na Série A. Douglas Magno - 21.5.2014

11


INTERNACIONAL 1 X 3 CRUZEIRO

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

Edu Andrade/AE - 25.9.2014

7ª RODADA

INTERNACIONAL CRUZEIRO

1 3

DATA: 25/05/2014 LOCAL: Estádio Centenário, em

Caxias do Sul-RS

ÁRBITRO: Paulo Henrique de

Godoy Bezerra (SC)

PÚBLICO: 7.541 pagantes RENDA: R$ 213.880,00 GOLS: Wellington (I); Ricardo Goulart, Willian e Marcelo Moreno (C)

ESCALAÇÃO

12

Fábio; Ceará, Léo, Bruno Rodrigo e Egídio; Henrique e Willian Farias, Everton Ribeiro (Tinga) e Ricardo Goulart; Dagoberto (Willian) e Marcelo Moreno (Borges) TÉCNICO: Marcelo Oliveira

Raposa vence Colorado, até então apontado como forte candidato ao título, fora de casa e de virada

Placar para impor respeito

M

uito se comentou sobre o duelo entre Internacional e Cruzeiro, em Caxias do Sul, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. Com ambos na parte de cima da tabela, muitos apontavam que mineiros e gaúchos estariam até o fim da disputa brigando pelo título da competição. Se muito se falou sobre o confronto, mais ainda repercutiu a boa vitória celeste, de virada, por 3 a 1, derrubando o último invicto que restava ainda no Brasileirão. Mesmo fora de casa, a Raposa dominou o Colorado e se consolidou ainda mais na ponta da tabela. Os

donos da casa até saíram na frente. Diogo cruzou rasteiro e Wellington empurrou para as redes, aos 38 min. O Inter, no entanto, não teve nem tempo de comemorar. Ricardo Goulart pegou rebote da zaga adversária, cabeceou a bola, que pegou um efeito e entrou. Na segunda etapa, os gaúchos pressionaram, mas o time mineiro se mostrou mais eficiente. Everton Ribeiro lançou para Willian, que bateu na saída do goleiro e ampliou. Quando o Colorado buscava o empate, o Cruzeiro fechou o caixão. Marcelo Moreno chutou duas vezes para marcar e dar números finais à partida.


Derrota veio em azar de Fábio, que escorregou e não alcançou a bola após chute despretensioso de Guerrero

Escorregada à paulista A

vitória contra o Internacional, fora de casa, encheu o time celeste de moral para enfrentar o Corinthians, no Canindé, e seguir ampliando a diferença de pontos para os seus concorrentes. Porém, os paulistas também pretendiam alçar o topo da tabela e tentaram surpreender os mineiros desde o início do jogo. Com o equilíbrio entre os times, o resultado foi definido apenas nos detalhes e já no segundo tempo. Aos 22 min, o atacante Paolo Guerrero recebeu de fora da

área e resolver arriscar. A bola era defensável. Porém, o goleiro Fábio escorregou e não conseguiu evitar o tento do Timão, que definiu o triunfo alvinegro. Os mineiros ainda buscaram uma reação, mas esbarraram na boa marcação corintiana e na falta de inspiração de seu setor ofensivo. Com o resultado, o Corinthians ficou apenas a um ponto da Raposa. O time celeste, apesar do revés, seguiu como o líder da competição ao fim da oitava rodada, com os rivais na sua cola.

CORINTHIANS 1 X 0 CRUZEIRO

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

Levi Biano/AE - 28.5.2014

8ª RODADA

CORINTHIANS CRUZEIRO

1 0

DATA: 28/05/2014 LOCAL: Estádio Canindé, em

São Paulo-SP

ÁRBITRO: Dewson Fernando

Freitas da Silva (PA)

PÚBLICO: 17.696 pagantes RENDA: R$ 546.413 GOL: Guerrero (COR)

ESCALAÇÃO Fábio; Ceará (Mayke), Léo, Bruno Rodrigo e Egídio; Willian Farias, Henrique (Júlio Baptista), Éverton Ribeiro e Ricardo Goulart; Willian (Dagoberto) e Borges TÉCNICO: Marcelo Oliveira

13


CRUZEIRO 3 X 0 FLAMENGO

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

Célio Messias/AE - 1.6.2014

Já sem o Mineirão por causa da Copa do Mundo, equipe celeste não tomou conhecimento dos rubro-negros em Uberlândia

Urubu atropelado no Parque do Sabiá

14

S

em poder utilizar o Mineirão, entregue à Fifa para realizar os preparativos para a Copa do Mundo do Brasil, o Cruzeiro resolveu mandar o seu último jogo pelo Campeonato Brasileiro antes do Mundial em Uberlândia, onde a equipe sempre costuma fazer bons jogos. E desta vez não foi diferente. Superior na partida do começo ao fim, a Raposa atropelou o Flamengo. Com toques rápidos e velocidade, o time celeste precisou apenas de um tempo para construir a goleada. Aos 16 min da etapa inicial, após bela triangulação, Everton

Ribeiro toca de cabeça e Ricardo Goulart enche o pé para abrir o marcador. Dois minutos depois, Henrique roubou a bola e lançou para Everton Ribeiro. Ele entrou na área e bateu na saída do goleiro Paulo Victor para ampliar. Aos 45 min, após o goleiro rubro-negro defender a finalização de Ricardo Goulart, Borges mostrou oportunismo, pegou o rebote e marcou o terceiro gol cruzeirense. A bela atuação e a goleada sobre os cariocas deixaram a certeza de que o Cruzeiro era um dos grandes favoritos para conquistar o título nacional em 2014.

9ª RODADA

CRUZEIRO FLAMENGO

3 0

DATA: 01/06/2014 LOCAL: Estádio Parque do

Sabiá, em Uberlândia-MG

ÁRBITRO: Luiz Flavio de

Oliveira (SP)

PÚBLICO: 10.283 pagantes RENDA: R$ 323.060,00 GOLS: Ricardo Goulart, Everton Ribeiro e Borges (C)

ESCALAÇÃO Fábio; Mayke, Léo, Bruno Rodrigo e Egídio; Nilton, Henrique, Marlone (Elber) e Éverton Ribeiro; Ricardo Goulart (Luan) e Borges (Júlio Baptista) TÉCNICO: Marcelo Oliveira


10ª RODADA

CRUZEIRO VITÓRIA

3 1

DATA: 17/07/2014 LOCAL: Estádio Mineirão, em

Belo Horizonte-MG

ÁRBITRO: Pericles Bassols

Pegado Cortez (RJ)

PÚBLICO: 24.156 pagantes RENDA: R$ 970.604,00 GOLS: Alemão (contra), Ricardo Goulart e Everton Ribeiro (C); Ayrton (V)

ESCALAÇÃO Fábio; Ceará, Manoel, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Everton Ribeiro (Tinga) e Ricardo Goulart; Marquinhos (Dagoberto) e Marcelo Moreno (Júlio Baptista) TÉCNICO: Marcelo Oliveira

Apesar da grande pressão, celestes não conseguiam furar a defesa baiana, mas um gol contra "abriu a porteira"

Alívio com ajuda do adversário

CRUZEIRO 3 X 1 VITÓRIA

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

Douglas Magno - 17.7.2014

N

o primeiro jogo após a parada para a disputa da Copa do Mundo no Brasil, o Cruzeiro mostrou que seguia firme na caminhada rumo ao tetracampeonato. Mas o reinício do Brasileirão para os celestes teve uma forte resistência do adversário. Mesmo diante de um Vitória então integrante do Z-4, o gol cruzeirense foi difícil de sair. Durante os primeiros 45 minutos, os mineiros comandaram o jogo e tiveram muitas chances para marcar. Destaque para a boa atuação do goleiro baiano Wilson e para o desperdício de oportunidades dos atacantes azuis. O panorama no segundo tempo permaneceu o mesmo. Quando parecia que a partida caminharia para um final dramático, o zagueiro Alemão, do rubro-negro, apareceu para dar uma ajudinha. Após cruzamento de Everton Ribeiro, o defensor tentou cortar e acabou mandando para o gol. Se a defesa dos visitantes parecia intransponível, o tento celeste parece ter desestabilizado o setor, e o líder aproveitou para ampliar. Ricardo Goulart, de cabeça, fez o segundo tento celeste, e Everton Ribeiro marcou o terceiro. No fim do jogo, Ayrton ainda marcou de falta, mas nada que atrapalhasse mais uma vitória cruzeirense na competição.

15


PALMEIRAS 1 X 2 CRUZEIRO

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

Time de Marcelo Oliveira só precisou de dez minutos para construir a vitória sobre o Porco no Pacaembu

C

Passeio fora de casa

om um Cruzeiro vivendo uma grande fase e com um Palmeiras em crise, vindo de quatro jogos sem vitória, os mineiros tiveram um início arrasador. A Raposa precisou de apenas dez minutos para sufocar o Porco, marcar dois gols e garantir mais três pontos na tabela de classificação. Com um domínio quase que absoluto, o time celeste abriu o

11ª RODADA

PALMEIRAS CRUZEIRO

1 2

DATA: 20/07/2014 LOCAL: Estádio Pacaembu, em

São Paulo

ÁRBITRO: Wilton Pereira

Sampaio (GO)

PÚBLICO: 14.970 pagantes RENDA: R$ 627.637,50 GOLS: Ricardo Goulart e Manoel (C); Tobio (P)

ESCALAÇÃO

16

Fábio; Ceará, Manoel, Léo e Egídio (Samudio); Henrique, Lucas Silva (Willian Farias), Everton Ribeiro e Ricardo Goulart; Marquinhos (Tinga) e Marcelo Moreno TÉCNICO: Marcelo Oliveira

placar logo aos 7 min do primeiro tempo. Marquinhos deu uma excelente arrancada pela direita, passou por dois marcadores e rolou para trás. Ricardo Goulart, então artilheiro do Brasileiro com sete gols, mandou para o fundo das redes. Aos 9 min, o inspirado Marquinhos bateu falta na cabeça de Manoel, que desviou e marcou o segundo tento celeste. Os donos da casa demoraram a acordar.

Quando chegaram com perigo real, Fábio salvou, e Henrique desperdiçou o rebote. Na segunda etapa, com os cruzeirenses mais recuados, o Palmeiras aumentou a pressão e até conseguiu diminuir com o zagueiro argentino Tobio. Mas a reação parou por aí. As ótimas defesas do goleiro Fábio e os erros do time paulista fizeram a Raposa segurar o resultado e sair vitoriosa do Pacaembu. Ale Cabral/AE - 20.7.2014


12ª RODADA

CRUZEIRO FIGUEIRENSE

5 0

DATA: 26/07/2014 LOCAL: Estádio Mineirão, em

Belo Horizonte - MG

ÁRBITRO: Gilberto Rodrigues

Castro Júnior (PE)

PÚBLICO: 21.190 pagantes RENDA: R$ 926.038,00 GOLS: Lucas Silva, Marquinhos, Dedé, Ricardo Goulart e Dagoberto (C)

CRUZEIRO 5 X O FIGUEIRENSE

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

ESCALAÇÃO

Douglas Magno - 26.7.2014

Figueira arma retranca e segura o quanto pode, mas acaba sendo goleado pelo líder do Brasileirão

Fábio; Ceará (Mayke), Dedé, Léo e Egídio; Henrique e Lucas Silva; Everton Ribeiro, Ricardo Goulart e Marquinhos (Dagoberto); Marcelo Moreno (Marlone) TÉCNICO: Marcelo Oliveira

Mais uma vítima no Mineirão C

ontra o líder Cruzeiro, que jogava em casa e com o apoio da torcida, o Figueirense não via muita saída para enfrentar o time celeste e sair com o resultado positivo. Em crise e com o recém-chegado técnico Argel Fucks, o Figueirense se fechou na defesa e suportou, até quando pôde, a pressão do líder do Brasileirão. O alvinegro até jogava bem e, aliado ao gramado pesado e encharcado por causa da chuva, o que dificultava o

jogo técnico da Raposa, conseguia criar algumas chances, mas pecava nas finalizações. Porém, um pênalti marcado em cima de Ricardo Goulart, aos 38 min, e convertido por Lucas Silva, desestabilizou os catarinenses, que nem tiveram tempo para reagir no segundo tempo. Logo a 1 min da etapa complementar, Moreno tocou de calcanhar para Marquinhos, que bateu de primeira e marcou um belo gol. Três minutos depois, Everton Ribeiro bateu falta

e Dedé, de cabeça, tirou do goleiro para fazer 3 a 0. Já entregue e sem reação, o Figueirense ainda levou mais dois. Aos 27 min, Ricardo Goulart, em grande fase, marcou, de cabeça, seu oitavo gol na competição. Para fechar o marcador, Dagoberto aproveitou bom cruzamento de Mayke para dar números finais ao jogo. O time celeste chegava à quarta vitória seguida e abria oito pontos de vantagem para Corinthians e Santos, que dividiam a segunda colocação.

17


BOTAFOGO 1 X 1 CRUZEIRO

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

Mesmo em fase ruim, Fogão equilibra o jogo, e Raposa traz só um ponto do Rio de Janeiro

De igual para igual

P

elas fases vividas por Cruzeiro e Botafogo, acreditava-se em mais um triunfo do líder, que seriaoquintoseguido,eoutro revés do alvinegro. Porém, os donos da casa conseguiram fazer um bom primeiro tempo. Com uma marcação forte e sem dar espaços para jogadores como Everton Ribeiro e Ricardo Goulart, os cariocas equilibraram as ações no início e até saíram na frente. Aos 25 min, Lucas cruzou da direita e Edilson cabeceou no canto. Fábio escorregou e não conseguiu evitar o gol do Botafogo. No fim da primeira etapa, os

CRICIÚMA 0 X 0 CRUZEIRO

14ª RODADA

18

CRiciúma CRUZEIRO

0 0

DATA: 9/8/2014 LOCAL: Estádio Heriberto Hulse,

em Criciúma-SC

ÁRBITRO: Jaílson Macedo

Freitas (BA)

PÚBLICO: 9.521 pagantes RENDA: R$ 136.390,00 GOLS: Nenhum

ESCALAÇÃO Fábio; Mayke, Dedé, Léo e Egídio; Nilton, Lucas Silva (Dagoberto), Everton Ribeiro e Ricardo Goulart; Marquinhos (Willian) e Marcelo Moreno (Alisson) TÉCNICO: Marcelo Oliveira

cruzeirenses já começavam a ditar o ritmo que iria prevalecer no restante do embate: a pressão do líder. No segundo tempo, os mineiros controlaram o jogo, dominaram a posse de bola e finalizaram o dobro de vezes do que o alvinegro. A insistência foi recompensada aos 14 min. Dedé escorou de cabeça. Léo dominou e chutou no ângulo para empatar. O Cruzeiro seguiu em busca do gol da vitória, mas a trave e o goleiro Jefferson impediram a virada. Mesmo com o empate, o time celeste se manteve tranquilo na ponta da tabela.

Dhavid Normando/AE - 2.8.2014

13ª RODADA

botafogo CRUZEIRO

1 1

DATA: 2/8/2014 LOCAL: Estádio Maracanã, no

Rio de Janeiro - RJ

ÁRBITRO: Luiz Flávio de Oliveira

(SP)

PÚBLICO: 13.535 pagantes RENDA: R$ 419.650,00 GOLS: Edílson (B); Léo (C)

ESCALAÇÃO Fábio; Mayke, Dedé, Léo e Egídio; Henrique (Willian), Lucas Silva, Everton Ribeiro e Ricardo Goulart; Marquinhos (Dagoberto) e Marcelo Moreno (Nilton) TÉCNICO: Marcelo Oliveira

Arbitragem invalida dois gols legítimos da Raposa, e placar não sai do zero em Santa Catarina

Dois pontos perdidos na conta do apito

O

Cruzeiro encontrou um Criciúma fechado, com muita marcação e com saídas rápidas no contraataque. Porém, com mais qualidade técnica, a Raposa se mostrou superior e só não saiu com o resultado positivo por ter tido dois gols legítimos anulados pela arbitragem. Os atletas reclamaram muito e lamentaram os dois pontos que deixaram de somar na tabela de classificação. No primeiro tempo do confronto, enquanto os donos da casa insistiam nas bolas levantadas na área, os mineiros arriscavam chutes de

longa distância, já que os catarinenses estavam muito fechados. Na melhor chance, o líder chegou a marcar. Nilton cabeceou para a área, Goulart disputou a bola com o zagueiro e Marquinhos mandou para o gol. O árbitro, porém, marcou falta de ataque do camisa 28 e anulou o tento. Na segunda etapa, com o Criciúma saindo mais para o ataque, os cruzeirenses encontraram espaços e passaram a levar

mais perigo. Everton Ribeiro acertou a trave. No rebote, Moreno chutou cruzado e Willian marcou. O árbitro marcou impedimento, causando a revolta dos jogadores cruzeirenses.


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

CRUZEIRO 3 X 0 SANTOS

Equipe estrelada goleia o Peixe no centésimo jogo de Marcelo Oliveira à frente da equipe

Alex de Jesus - 17.8.2014

Vitória em data especial O

jogo contra o Santos foi especial para os cruzeirenses. O embate marcou a partida de número 100 do técnico Marcelo Oliveira no comando do time. A Raposa voltou a vencer depois de dois empates seguidos, contra Botafogo e Criciúma, e se consolidou ainda mais como favorita a ficar com o titulo. Além de golear o Peixe, a equipe estrelada mostrou muita qualidade técnica e tática, com um grande futebol de Everton Ribeiro. Jogando em casa, o Cruzeiro partiu para cima e levava muito perigo para os paulistas. A pressão foi recompensada aos 24 min. Everton Ribeiro cobrou falta, Moreno desviou e o goleiro Aranha não conseguiu segurar. Os santistas reclamaram muito de um impedimento de Ricardo Goulart, que tentou encostar na bola antes dela quicar na frente do arqueiro paulista. No segundo tempo, antes que o Santos esboçasse uma reação, o time celeste ampliou. Logo aos 2 min, recebeu de Willian, cortou o zagueiro e bateu cruzado, de esquerda, para vencer o goleiro adversário. Com o alvinegro se mandando à frente para tentar diminuir, os celestes ampliaram. Everton Ribeiro deu uma grande arrancada, rolou para Júlio Baptista, que tirou Dracena da jogada e bateu na saída do goleiro, sacramentando a goleada cruzeirense.

15ª RODADA

CRUZEIRO SANTOS

3 0

DATA: 17/8/2014 LOCAL: Estádio Mineirão, em

Belo Horizonte - MG

ÁRBITRO: Leandro Pedro

Vuaden (RS)

PÚBLICO: 39.215 pagantes RENDA: R$ 2.047.658,00 GOLS: Marcelo Moreno, Ricardo Goulart e Júlio Baptista (C)

ESCALAÇÃO Fábio; Mayke (Ceará), Dedé, Léo e Egídio; Henrique e Lucas Silva; Everton Ribeiro, Ricardo Goulart (Dagoberto) e Willian; Marcelo Moreno (Júlio Baptista) TÉCNICO: Marcelo Oliveira

19


CRUZEIRO 1 X 0 GRÊMIO

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

Na volta de Felipão ao Mineirão depois da Copa, líder só consegue a vitória com gol quase no f im

A

Triunfo na raça em jogo aberto

Douglas Magno - 21.8.2013

pesar de toda técnica do time estrelado, a vitória contra o Grêmio de Felipão, que voltou ao Mineirão pela primeira vez após a goleada de 7 a 1 para a Alemanha, na Copa do Mundo, teve que vir na raça e com um gol no fim do jogo. A costumeira pressão implantada pela Raposa quando atua no Gigante da Pampulha não surtiu efeito na primeira etapa. O tricolor gaúcho entrou em campo com Dudu e Luan pelas pontas, o que impedia as investidas ofensivas de Mayke e Egídio. Pelo meio, Everton Ribeiro tentava criar as jogadas, mas faltava espaço e inspiração para o camisa 17. Tanto que as melhores chances no primeiro tempo foram gaúchas. Felizmente para o Cruzeiro, Fábio seguia operando

GOIÁS 0 X 1 CRUZEIRO

17ª RODADA

20

GOIÁS CRUZEIRO

0 1

DATA: 24/08/2014 LOCAL: Estádio Serra Dourada,

em Goiânia-GO

ÁRBITRO: Francisco Carlos do

Nascimento (AL)

PÚBLICO: 5.163 pagantes RENDA: R$ 207.470,00 GOL: Marcelo Moreno (C)

ESCALAÇÃO Fábio; Ceará, Léo, Dedé e Egídio (Samudio); Lucas Silva, Nilton, Everton Ribeiro e Alisson (Dagoberto); Willian (Henrique) e Marcelo Moreno TÉCNICO: Marcelo Oliveira

milagres e salvou a equipe por duas vezes. Na etapa derradeira, Marcelo Oliveira e Felipão optaram por esquemas mais ofensivos, com ambos criando boas chances de vencer a partida. Com a marcação gaúcha ajustada, o zagueiro Dedé saiu de trás e conseguiu surpreender. Quando parecia que a partida se encaminharia paraum0a0,odefensortabelou com Mayke, fez o cruzamento para Dagoberto, que cabeceou no ângulo e garantiu o triunfo estrelado. O resultado fez o Cruzeiro abrir cinco pontos de vantagem para Internacional e Corinthians, que dividiam a segunda colocação.

16ª RODADA

CRUZEIRO GRÊMIO

1 0

DATA: 21/8/2014 LOCAL: Estádio Mineirão, em

Belo Horizonte - MG

ÁRBITRO: Flávio Rodrigues

Guerra (SP)

PÚBLICO: 32.294 pagantes RENDA: R$ 1.413.807,00 GOL: Dagoberto (C)

ESCALAÇÃO Fábio; Mayke, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva (Nilton), Everton Ribeiro e Ricardo Goulart; Willian (Alisson) e Júlio Baptista (Dagoberto) TÉCNICO: Marcelo Oliveira

Time celeste garante o título simbólico no Serra Dourada, com direito a pênalti perdido pelos donos da casa

Campeão do primeiro turno

U

m jogo duro, suado, mas que no final acabou dando tudo certo para o Cruzeiro. Com essas palavras pode-se resumir o que foi o confronto da Raposa com o Goiás, no Serra Dourada. O time do técnico Marcelo Oliveira venceu por 1 a 0, mas o resultado só foi confirmado mesmo na última volta do relógio. Quase 50 minutos de partida e o zagueiro Dedé fez o coração do torcedor quase sair pela boca. O beque cometeu um pênalti no meio-campista esmeraldino Esquerdinha, aos 49 da etapa complementar. Para a sorte da equipe e de toda a china azul, não era mesmo o dia do time goiano. David foi para bola e chutou pela linha de

Bruno Spada/AE - 24.8.2014

fundo no último lance do confronto. Sorte de campeão? O gol cruzeirense foi anotado por Marcelo Moreno, que após receber passe de Everton Ribeiro, bateu cruzado, sem chances para o goleiro Renan. Com a vitória, além de somar três pontos, a Raposa chegou ao recorde de pontuação até a 17ª rodada (39 pontos) e conquistou o título simbólico do primeiro turno do Brasileiro com duas rodadas de antecedência.


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

João Godinho - 30.8.2014

e no fim da partida contra o Goiás o Cruzeiro levou susto, no começo do jogo contra a modesta equipe da Chapecoense não foi diferente. Para os que pensavam que a Raposa teria facilidades por enfrentar um time de menor expressão em casa, todos se enganaram. Um time que já havia vencido o São Paulo no Morumbi não podia ser tão bobo. O placar de 4 a 2, elástico, foi construído com bastante suor cruzeirense. Os catarinenses vieram ao Mineirão dispostos a jogar por uma bola. E logo no começo saíram na frente com Zezinho. Parecia que o dia não seria azul, e que o fator Gigante da Pampulha não faria

19ª RODADA

FLUMINENSE CRUZEIRO

3 3

DATA: 07/09/2014 LOCAL: Estádio Maracanã, no

Rio de Janeiro

ÁRBITRO: Anderson Daronco

(RS)

PÚBLICO: 27.194 pagantes RENDA: R$ 617.385,00 GOLS: Júlio Baptista (2) e Marcelo Moreno (C), Wagner, Cícero e Kenedy (F)

ESCALAÇÃO Fábio; Mayke, Dedé, Léo e Samudio (Ceará); Nilton, Henrique, Marlone e Júlio Baptista (Marquinhos); Willian (Willian Farias) e Marcelo Moreno TÉCNICO: Marcelo Oliveira

CRUZEIRO CHAPECOENSE

4 2

DATA: 30/08/2014 LOCAL: Estádio Mineirão, em

Belo Horizonte-MG

ÁRBITRO: Dewson Fernando

Freitas da Silva (PA)

PÚBLICO: 26.682 pagantes RENDA: R$ 1.203.320,00 GOLS: Marcelo Moreno (2), Léo e Alisson (CRU), Zezinho e Bruno Rangel (CHA)

ESCALAÇÃO

diferença para os celestes, como fez em várias oportunidades. Entretanto, quem tem o atacante Marcelo Moreno com faro de artilheiro apurado possui uma ótima arma ofensiva. O boliviano fez dois gols, o zagueiro Léo e o jovem meia-atacante Alisson completaram a goleada, que manteve, mesmo com sustos, a Raposa na ponta da tabela. Bruno Rangel descontou para a Chapecoense

Fábio; Mayke, Dedé, Léo e Samudio; Lucas Silva (Nílton), Henrique, Everton Ribeiro e Ricardo Goulart; Willian (Alisson) e Marcelo Moreno (Dagoberto) TÉCNICO: Marcelo Oliveira

Em uma partida emocionante, Raposa quase quebra o tabu do novo Maracanã

Chuva de gols no Maraca

O

último jogo do returno aconteceu em um dos mais magistrais palcos do futebol mundial, o Maracanã. O adversário foi o Fluminense e o duelo terminou empatado em 3 a 3. No estádio, o Cruzeiro segue com o estigma de nunca ter vencido após a reforma para a Copa do Mundo. Mas isso, pelo menos por agora, pouco importa, já que o time é tetracampeão nacional. Foi por pouco que a Raposa não saiu com um triunfo do Maraca e quebrou tal tabu. O time celeste vencia o tricolor carioca, mas levou o empate no fim. Mesmo sem seus principais jogadores - Everton Ribeiro e Ricardo Goulart -, a Raposa seguiu forte no

Dhavid Normando/AE - 7.9.2014

ataque. Júlio Baptista abriu o marcador de pênalti. Wagner e Cícero viraram o placar a favor do Flu ainda no primeiro tempo, mas Júlio “La Bestia” Baptista empatou no fim da etapa inicial. Marcelo Moreno, de voleio, anotou uma pintura

e virou o placar em uma belíssima conclusão, o que deixou os cruzeirenses que invadiram o Rio de Janeiro em êxtase. Entretanto, se no primeiro tempo o golpe de misericórdia foi azul, no segundo foi tricolor. Kennedy deixou tudo igual.

FLUMINENSE 3 X 3 CRUZEIRO

S

Susto, virada e goleada

18ª RODADA

CRUZEIRO 4 X 2 CHAPECOENSE

Placar final esconde o que foi o jogo, pois o time catarinense deu muito trabalho aos cruzeirenses

21


CRUZEIRO 2 X 1 BAHIA

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

22

Na abertura do returno, nova vitória sobre o Bahia, equipe que “atrapalhou” festa no ano anterior

Gostinho de revanche O Cruzeiro abriu o segundo turno da mesma forma que começou o primeiro: vencendo. E a vítima, o Bahia, assim como na primeira partida da competição, perdeu por 2 a 1. Se no ano passado o time baiano “temperou” a comemoração do tricampeonato cruzeirense, dando ao time celeste um sabor de derrota em casa - baianos venceram por 2 a 1 na penúltima rodada -, dessa vez não teve dendê ou acarajé que impedisse o triunfo estrelado também por 2 a 1. Mas, novamente, houve

sustos da Raposa no Mineirão. “Xodó da Vovó”, o volante Rafael Miranda, revelado pelo Atlético, sentiu novamente a sensação de marcar um gol no Cruzeiro. Foi dele o primeiro tento do placar. Apesar de sair em desvantagem, o Cruzeiro tinha duas poderosas e valiosas armas: Everton Ribeiro e Ricardo Goulart. A dupla, que retornava após defender a seleção brasileira, virou o jogo para a Raposa e garantiu mais três importantes pontos para a equipe de Marcelo Oliveira

20ª RODADA

CRUZEIRO BAHIA

2 1

DATA: 11/09/2014 LOCAL: Estádio Mineirão, em

Belo Horizonte-MG

ÁRBITRO: Marcos Mateus

Pereira (MS)

PÚBLICO: 20.861 pagantes RENDA: R$ 767.253,00 GOLS: Rafael Miranda (B) Everton Ribeiro e Ricardo Goulart (C)

ESCALAÇÃO Fábio; Mayke, Léo, Manoel e Ceará; Henrique (Dagoberto), Lucas Silva, Everton Ribeiro e Ricardo Goulart (Nílton); Marquinhos (Alisson) e Marcelo Moreno TÉCNICO: Marcelo Oliveira Uarlen Valério - 11.9.2014


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

Rodrigo Cazzanel - 14.9.2014

m jogo bastante esperado por todos, torcida e crítica esportiva. Um tirateima que, na visão de muitos, poderia decidir os rumos do campeonato. O Cruzeiro visitou o São Paulo no Morumbi disposto a repetir a dose do ano passado, quando venceu jogando contra o tricolor paulista fora de casa. Entretanto, a história na temporada 2014 foi diferente. O time de Marcelo Oliveira segurava bem o ímpeto ofensivo do adversário e assustava o rival. Com isso, controlava o jogo, apesar da dificuldade. Mas acabou perdendo por 2 a 0, muito pelo pênalti cometido por Dedé. O zagueiro celeste, que até

22ª RODADA

CRUZEIRO ATLÉTICO-PR

2 0

DATA: 17/09/2014 LOCAL: Mineirão, em Belo

Horizonte-MG

ÁRBITRO: Marcelo Aparecido

Ribeiro de Souza (SP)

PÚBLICO: 17.850 pagantes RENDA: R$ 631.678,00 GOLS: Alisson e Marcelo Moreno (C)

ESCALAÇÃO Fábio; Mayke, Dedé, Léo e Egídio; Lucas Silva, Henrique, Everton Ribeiro (Nilton) e Júlio Baptista (Willian); Alisson (Marlone) e Marcelo Moreno TÉCNICO: Marcelo Oliveira

SÃO PAULO CRUZEIRO

2 0

DATA: 14/09/2014 LOCAL: Estádio Morumbi, em

São Paulo-SP

ÁRBITRO: Leandro Pedro

Vuaden (RS)

PÚBLICO: 58.627 pagantes RENDA: R$ 2.542.370,00 GOLS: Rogério Ceni e Alan Kardec (S)

ESCALAÇÃO

poderia ter sido expulso, derrubou Paulo Henrique Ganso na área e Rogério Ceni abriu o placar. Alan Kardec definiu o marcador e colocou, principalmente na imprensa paulista, o grito de “o campeão será o São Paulo”. Jornais paulistas estamparam manchetes “agressivas” e fortes, apostando no time de Muricy Ramalho, que acabou ficando pelo caminho. O tetra é azul!

Fábio; Mayke, Léo, Dedé e Egídio (Ceará); Nilton, Lucas Silva, Everton Ribeiro e Ricardo Goulart; Willian (Alisson) e Marcelo Moreno TÉCNICO: Marcelo Oliveira

Raposa mostra que não se abateu com derrota para o São Paulo

Resposta rápida e folga na tabela

D

epois de perder para o São Paulo e deixar alguns torcedores com certa desconfiança, o Cruzeiro não demorou muito para se recuperar na classificação. Jogando em casa e mostrando sua melhores característica, a ofensividade, a Raposa não deu qualquer chance para o Atlético-PR. E se o Furacão mostra força no apelido, dentro de campo mostrou que não era mais do que uma leve brisa. O time celeste venceu por 2 a 0 e, de quebra, viu o tricolor paulista tropeçar diante do Coritiba. O Garoto Alisson foi o grande

Douglas Magno - 17.9.2014

destaque da partida, com um gol marcado e futebol de encher os olhos. Outro personagem importante foi o lateralesquerdo Egídio, um dos responsáveis por levar os azuis ao ataque. Marcelo

Moreno, referência ofensiva e um dos artilheiros da equipe no Brasileirão , fechou o marcador. Alegria estrelada Brasil afora, liderança consolidada e mais festa nas arquibancadas do Gigante da Pampulha.

CRUZEIRO 2 X 0 ATLÉTICO-PR

U

Placar só para enganar

21ª RODADA

SÃO PAULO 2 X 0 CRUZEIRO

Tricolor chegou a se animar com a vitória no Morumbi, mas teve que assistir ao tetra do Cruzeiro

23


CRUZEIRO 2 X 3 ATLÉTICO

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

J

Em um grande jogo, dupla mostra porque Minas domina o futebol brasileiro. Apesar da derrota, atuação celeste deixa torcida confiante

Clássico decidido nos detalhes

ogo eletrizante, gols e mais gols, e a certeza de um ótimo espetáculo do futebol. O Cruzeiro não venceu o arquirrival, mas saiu de campo mostrando ótimo rendimento e deixando bem claro o significado de um velho ditado do mundo da bola: “Clássico é decidido nos detalhes”. A Raposa caiu por 3 a 2 diante do Atlético, mas viu o jovem Alisson, mais uma vez, encher os olhos de todo o país. A revelação estrelada marcou um golaço de voleio e

24

deixou o torcedor feliz pela nova joia que o time celeste começou a lapidar. Ricardo Goulart marcou o outro tento azul e branco. Carlos, duas vezes, e Diego Tardelli fizeram os gols do time visitante. A derrota para o rival não alterou a posição cruzeirense na classificação. A Raposa voltou a ser beneficiada pelo tropeço do São Paulo, que caiu diante do Corinthians também, por 3 a 2. Os celestes se mantiveram com 49 pontos, sete a mais do que o vice-líder, o próprio tricolor paulista.


João Godinho - 21.9.2014

CRUZEIRO 2 X 3 ATLÉTICO

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

23ª RODADA

CRUZEIRO ATLÉTICO

2 3

DATA: 21/09/2014 LOCAL: Mineirão, em Belo

Horizonte-MG

ÁRBITRO: Marcelo de Lima

Henrique (RJ)

PÚBLICO: 49.534 pagantes RENDA: R$ 3.036.936,00 GOLS: Carlos (2) e Diego Tardelli (A); Ricardo Goulart e Alisson (C)

ESCALAÇÃO Fábio; Mayke, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Everton Ribeiro (Willian) e Ricardo Goulart; Alisson (Dagoberto) e Marcelo Moreno (Borges) TÉCNICO: Marcelo Oliveira

25


CORITIBA 1 X 2 CRUZEIRO

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

Vitória fora de casa sobre o Coxa deixa claro que tropeços não abalam a o elenco celeste

De volta à normalidade

U

Geraldo Bubniak/Ligth Press

m grande guerreiro tropeça, se recupera da queda e se levanta. Assim se mostrou o Cruzeiro, rodada após rodada do Campeonato Brasileiro. Se o time não conseguia emplacar um bom resultado em determinada jornada, na sequência voltava a pontuar. Depois de a Raposa perder para o Atlético, quem pagou o pato foi o Coritiba. Jogando fora de casa, o time celeste venceu por 2 a 1 e seguiu firme rumo à taça. Everton Ribeiro e Marcelo Moreno garantiram o resultado favorável para a equipe mineira. O ex-cruzeirense Martinuccio diminuiu para o Coxa, responsável por proporcionar a um jogador em especial o gostinho de enfrentar o time azul pela última vez. O jogo marcou a última partida do craque Alex contra o Cruzeiro. Conhecido como “Talento Azul” por sua brilhante passagem na Toca II, em 2003 - ano da Tríplice Coroa -, o meia do Coritiba se aposentará no ano que vem. Assim, não terá outra oportunidade de duelar com a equipe que o tornou campeão de tudo no Brasil.

25ª RODADA

SPORT 0 X 0 CRUZEIRO

SPORT

26

CRUZEIRO

0 0

DATA: 27/09/2014 LOCAL: Arena Pernambuco,

em Recife

ÁRBITRO: Marielson Alves

Silva (BA)

PÚBLICO: 22.248 pagantes RENDA: R$ 629.325,00 GOLS: Nenhum

ESCALAÇÃO Fábio; Mayke, Dedé, Manoel e Egídio; Lucas Silva, Henrique (Nilton), Everton Ribeiro (Marlone) e Ricardo Goulart; Marquinhos e Marcelo Moreno (Dagoberto) TÉCNICO: Marcelo Oliveira

24ª RODADA

CORITIBA CRUZEIRO

1 2

DATA: 24/09/2014 LOCAL: Estádio Couto Pereira,

em Curitiba

ÁRBITRO: Vinicius Furlan (SP) PÚBLICO: 9.521 pagantes RENDA: R$ 171.099,00 GOLS: Marcelo Moreno e Everton Ribeiro (CRU); Martinuccio (COR)

ESCALAÇÃO Fábio; Ceará, Dedé, Manoel e Egídio; Henrique, Nilton, Everton Ribeiro (Lucas Silva) e Ricardo Goulart (Marlone); Willian (Marquinhos) e Marcelo Moreno TÉCNICO: Marcelo Oliveira

Diante da forte retranca do Leão, celestes voltam da Arena Pernambuco com um empate sem gols

Um raro placar em jogos da Raposa

M

elhor ataque da competição, o Cruzeiro passou em branco diante do Sport, mas nem assim viu sua liderança ser ameaçada. Mesmo tendo um forte poderio ofensivo, o time estrelado não conseguiu ultrapassar a defesa dos pernambucanos, que tiveram nas mãos do goleiro Magrão sua salvação. Jogando no Recife, na Arena Pernambuco, a Raposa ficou no 0 a 0 com o Leão, que mostrou excesso de respeito aos cruzeirenses,

Aldo Carneiro/AE - 27.9.2014

que, por sua vez, mostraram muita disposição. Por tanto esforço, Everton Ribeiro e Marcelo Moreno, dois dos grandes destaques do time mineiro, não estiveram em uma tarde inspirada e foram substituídos. A justificativa pela queda de rendimento destes e de outros atletas foi o desgaste físico pela quantidade de jogos na temporada. A partida marcou o reencontro do Cruzeiro com um ex-jogador do clube: o meia Diego Souza, vendido pelos mineiros ao ex-camisa 10 azul foi contratado Metalist na negociação que a peso de ouro pelo Sport na trouxe Willian para a Toca. O temporada 2014. 


26ª RODADA

2 INTERNACIONAL 1 CRUZEIRO

DATA: 04/10/2014 LOCAL: Estádio Mineirão, em

Belo Horizonte-MG

ÁRBITRO: Marcelo de Lima

Henrique (RJ)

PÚBLICO: 49.915 pagantes RENDA: R$ 2.948.985,00 GOLS: Marcelo Moreno e Marquinhos (C); Alex (I)

ESCALAÇÃO Fábio; Mayke, edé, Manoel e Egídio; Henrique, Lucas Silva e Everton Ribeiro (Nilton); Willian (Dagoberto), Marquinhos; Marcelo Moreno (Borges) TÉCNICO: Marcelo Oliveira

Triunfo sobre o Colorado foi marcado pelas muitas chances de gols desperdiçadas pelos comandados de Marcelo Oliveira

No duelo de gigantes,  domínio celeste Leo Fontes - 4.10.2014

CRUZEIRO 2 X 1 INTERNACIONAL

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

C

hoque de poder e técnica. Duas das mais importantes equipes do futebol brasileiro entraram em campo e mostraram o quanto são importantes para o esporte nacional. Cruzeiro e Inter, clubes que decidiram ao longo da história vários campeonatos importantes, ficaram frente a frente no Mineirão, e a Raposa levou a melhor. O time de Marcelo Oliveira despachou o Colorado por 2 a 1, gols de Marcelo Moreno e Marquinhos, e poderia ter feito mais, não fosse o pênalti desperdiçado por Willian. Alex descontou para os gaúchos, que têm um dos times de maior oscilação no Brasileirão. A produção ofensiva estrelada foi tão grande diante do Inter, que a equipe de Abel Braga, além de contar com a sorte do pênalti desperdiçado pela Raposa, viu os celestes acertarem a trave duas vezes. O que terminou ruim para o Inter poderia ter sido pior, caso todas as bolas que passaram perto tivessem terminado nas redes de Dida, que mais uma vez enfrentou o time que o colocou em evidência no cenário internacional.

27


CRUZEIRO 0 X 1 CORINTHIANS

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

Melhor ataque do Brasileiro esbarra na retranca corintiana e no goleiro Cássio

Parado pelas "muralhas" paulistas

O

líder isolado do Campeonato Brasileiro tropeçou diante do Corinthians e viu o time paulista repetir um feito que só o arquirrival Atlético, até a rodada de número 26, havia conseguido: vencer a Raposa nos dois turnos da competição. O resultado de 1 a 0, escrito pelo atacante corintiano Luciano, fez a equipe estrelada estacionar nos 56 pontos e o São Paulo, vicelíder, ficava a sete tentos de distância na classificação. O Cruzeiro começou bem o jogo, abafando muito o Corinthians nos primeiros 15 minutos do confronto. O Timão jogou “por uma bola”, todo defensivo, bem ao estilo que gosta Mano Menezes, um dos melhores armadores de retrancas do futebol nacional. A partida era um ataque contra defesa, e como a Raposa tinha dificuldades de penetrar na zaga paulista, acabou perdendo o jogo, mas não as esperanças de se redimir. Willian e Marcelo Moreno tiveram boas chances de dar ao Cruzeiro o gol, mas pararam na muralha Cássio e nos defensores corintianos.

FLAMENGO 3 X 0 CRUZEIRO

28ª RODADA

28

FLAMENGO CRUZEIRO

3 0

DATA: 12/10/2014 LOCAL: Maracanã, no Rio de

Janeiro - RJ

ÁRBITRO: Francisco Carlos do

Nascimento (AL)

PÚBLICO: 42.171 pagantes RENDA: R$ 1.408.615,00 GOLS: Dedé (contra), Canteros e Gabriel (F)

ESCALAÇÃO Fábio; Mayke, Dedé, Manoel e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Nilton (Willian) e Alisson; Marquinhos (Marlone) e Marcelo Moreno (Borges) TÉCNICO: Marcelo Oliveira

Douglas Magno - 8.10.2014

27ª RODADA

CRUZEIRO corinthians

0 1

DATA: 08/10/2014 LOCAL: Estádio Mineirão, em

Belo Horizonte-MG

ÁRBITRO: Leandro Pedro

Vuaden (RS)

PÚBLICO: 32.958 pagantes RENDA: R$ 1.509.747,00 GOL: Luciano (COR)

ESCALAÇÃO Fábio; Mayke, Léo, Manoel e Egídio (Ceará); Henrique, Lucas Silva e Marlone (Dagoberto); Willian (Alisson), Marquinhos e Marcelo Moreno TÉCNICO: Marcelo Oliveira

Com um gol contra de Dedé e vacilos do setor defensivo, Raposa cai no Maracanã, mas mantém a ponta na tabela

Tarde infeliz da defesa celeste

M

ais uma vez, o Cruzeiro sentiu falta da dupla dinâmica: Ricardo Goulart e Everton Ribeiro. Diante do Flamengo, em dia de homenagens ao ex-goleiro Raul Plassmann, que atuou nos dois clubes quando jogador e completava 70 anos de idade no dia, a Raposa perdeu por 3 a 0. O dia não era da defesa, que foi um dos pontos cruciais para a derrota. Dedé marcou contra, Manoel e Fábio bateram cabeça e o rubro-negro, que não tinha nada a ver com isso, “lavou a alma” sobre o líder e respirou melhor na luta contra o rebaixamento. O volante argentino Canteros e o meia-atacante Gabriel definiram o placar a favor do

Dhavid Normando/AE - 12.10.2013

time carioca. Pela derrota, seria um dia para ser esquecido, uma vez que o São Paulo estava doido para chegar ainda mais perto na classificação. Mas, por ironia do destino, o arquirrival dos azuis acabou dando uma ajuda providencial. Se no Rio de Janeiro o Cruzeiro tropeçou, em Belo Horizonte o Atlético bateu o tricolor paulista por 1 a 0 e segurou o adversário direto dos celestes.


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

Redenção em um momento  difícil

30ª RODADA

CRUZEIRO PALMEIRAS

1 1

DATA: 22/10/2014 LOCAL: Estádio Mineirão, em

Belo Horizonte

ÁRBITRO: Péricles Bassols

Cortez (RJ)

PÚBLICO: 26.944 pagantes RENDA: R$ 1.122.208,00 GOLS: Mouche (P); Dagoberto (C)

ESCALAÇÃO Fábio; Mayke, Dedé, Léo e Egídio; Henrique (Dagoberto), Lucas Silva, Everton Ribeiro e Alisson (Ricardo Goulart); Marquinhos (Willian) e Marcelo Moreno TÉCNICO: Marcelo Oliveira

VITÓTIA CRUZEIRO

0 1

DATA: 19/10/2014 LOCAL: Estádio do Barradão, em

Vitória

ÁRBITRO: Raphael Claus (SP) PÚBLICO: 18.366 pagantes RENDA: R$ 176.436,00 GOL: Dedé (C)

ESCALAÇÃO

naquela tarde. O 1 a 0 para os celestes foi importantíssimo e recolocou a equipe azul com sete pontos de diferença para o São Paulo, “carrapato” da Raposa no Brasileirão e vice-líder da competição. Talvez se a arbitragem tivesse sido melhor, o Cruzeiro não passaria tanto sufoco. Aos 34 min do primeiro tempo, o árbitro Rodrigo Claus ignorou um pênalti a favor dos celestes. Segue o jogo!

Fábio; Mayke, Dedé, Manoel e Egidio; Henrique, Lucas Silva (Willian Farias), Everton Ribeiro (Eurico) e Alisson (Willian); Marquinhos e Marcelo Moreno TÉCNICO: Marcelo Oliveira

Verdão repete a receita usada pelos times que vêm ao Mineirão e quase leva a melhor

Empate ruim, mas heroico

O

s altos e baixos do Cruzeiro no campeonato transformaram cada partida do clube em jogos de pura emoção. O bom futebol da equipe de Marcelo Oliveira apareceu apenas em alguns momentos dos confrontos. Mas uma certeza: derrubar a Raposa não era tão fácil assim. O Palmeiras quase conseguiu vencer os azuis e já comemoravam a vitória. Mas, nos acréscimos, Dagoberto aproveitou rebote do goleiro Fernando Prass e garantiu o empate em 1 a 1 no Mineirão. O argentino Pablo Mouche fez o gol palmeirense. Mostrando

Denilton Dias - 22.10.2014

toda força ofensiva contra um retranca fortíssima, o Cruzeiro parava nas mãos do arqueiro do Verdão, um dos nomes mais importantes do time paulista. Já havia virado receita dos adversários no Gigante da Pampulha o antijogo, vir em

busca de uma bola ao jogar no contra-ataque. Mas, o feitiço palmeirense acabou virando contra o próprio feiticeiro. Se Prass salvou até a última volta do relógio, falhou nos minutos finais e proporcionou ao líder uma redenção. Empate heroico.

CRUZEIRO 1 X 1 PALMEIRAS

D

epois de dois jogos sem vitória e muita pressão pelo resultado positivo, o Cruzeiro foi abençoado por todos os santos e, em Salvador, terra dos orixás, se recuperou dos tropeços diante do Corinthians e Flamengo. E se a característica primordial da partida entre baianos e mineiros era a redenção, nada melhor do que o personagem principal ser um contestado. O zagueiro Dedé, que não vinha de boas atuações e ainda havia feito um gol contra no jogo com o Flamengo, foi o salvador. Ele foi o responsável por balançar as redes do quase intransponível Wilson, que pegava até pensamento

Edson Ruiz/Ligth Press

29ª RODADA

VITÓRIA 0 X 1 CRUZEIRO

Com time pressionado por duas derrotas seguidas, zagueiro Dedé dá a volta por cima

29


FIGUEIRENSE 1 X 1 CRUZEIRO

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

Raposa é castigada por recuar muito e sofre empate aos 46 min do segundo tempo

O

Poderia ter  sido melhor

futebol é incrível e cria capítulos que mais se parecem déjà vu, aquela situação em que você pensa que já viu acontecer alguma vez. Se no embate contra o Palmeiras o Cruzeiro conseguiu a igualdade no fim da partida, diante do Figueirense aconteceu o inverso. A Raposa vencia a partida por 1 a 0 até os 46 min da etapa complementar, mas levou o castigo praticamente na última volta do ponteiro. Marquinhos, aproveitando bobeira da zaga catarinense, fez 1 a 0 aos 35 min do primeiro tempo.

O gol celeste fez o time recuar cedo demais, e, na segunda etapa, o Figueira empatou com Pablo. O time da casa foi premiado pelo empenho, enquanto o visitante foi penalizado por abrir mão cedo demais dos ataques fulminantes. O empate amargo para a Raposa teve um gosto importante para o Figueirense e proporcionou ao São Paulo encostar um pouco mais na tabela de classificação. Com 61 pontos, o time celeste viu o vice-líder tricolor paulista vencer o Goiás na rodada de número 31 e diminuir a distância, que era de sete pontos, para cinco. Petra Mafalda/Ligth Press

31ª RODADA

FIGUEIRENSE CRUZEIRO

1 1

DATA: 25/10/2014 LOCAL: Estádio Orlando

Scarpelli, em Florianópolis

ÁRBITRO: Pablo dos Santos

Alves (ES)

PÚBLICO: 7.943 pagantes RENDA: R$ 137.310,00 GOLS: Marquinhos (C); Pablo (F)

ESCALAÇÃO Fábio; Ceará, Dedé, Léo e Egídio; Henrique (Willian Farias), Nilton, Everton Ribeiro (Willian) e Ricardo Goulart (Lucas Silva); Marquinhos e Marcelo Moreno TÉCNICO: Marcelo Oliveira

30


No Dia de Finados, time azul volta a vencer e ainda "enterra" o alvinegro carioca Denilton Dias - 2.11.2014

32ª RODADA

CRUZEIRO BOTAFOGO

2 1

DATA: 02/11/2014 LOCAL: Estádio Mineirão, em

Belo Horizonte

ÁRBITRO: Elmo Alves Resende

Cunha (GO)

PÚBLICO: 36.006 pagantes RENDA: R$ 1.807.922,00

CRUZEIRO 2 X 1 BOTAFOGO

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

GOLS: Marquinhos e Egídio (C); Léo (contra) (B)

ESCALAÇÃO Fábio; Mayke, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva (Nilton), Everton Ribeiro (Willian Farias) e Júlio Baptista (Dagoberto); Marquinhos e Marcelo Moreno TÉCNICO: Marcelo Oliveira

U

Mais vivo do que nunca

ma data triste, 2 de novembro, Dia de Finados, uma homenagem aos mortos. Mesmo em uma data com esse peso, o Cruzeiro mostrou que estava muito vivo em busca do título nacional. E, para isso, enterrou mais ainda o Botafogo, que visitou o Mineirão, sentiu o poderio ofensivo da Raposa e ficou

barato apenas os dois gols sofridos no Gigante da Pampulha. O zagueiro cruzeirense Léo ainda colaborou e, com um gol contra, deu números finais ao placar: 2 a 1 a favor dos celestes. Peça importante na ligação defesa e ataque, o lateral Egídio marcou um golaço de falta e virou alvo de inúmeras brincadeiras nas redes sociais. Com um

chute certeiro no ângulo de Jefferson, o goleiro botafoguense, que havia defendido um pênalti do argentino Messi no clássico Brasil e Argentina, ficou estático e não segurou a bola do ala estrelado. Seria Egídio, então, melhor que Messi? Brincadeiras a parte, mais três pontos na conta do Cruzeiro.

31


CRUZEIRO 3 X 1 CRICIÚMA

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

Poderio ofensivo celeste mostra serviço na rodada em que o São Paulo podia encurtar a diferença

F

Virada em momento-chave do campeonato

orça, determinação, recuperação e uma arma especial vinda da Bolívia. Nada ilícito, mas de imenso poder de finalização: Marcelo Moreno. O atacante foi um dos personagens principais na vitória de virada do Cruzeiro sobre o Criciúma por 3 a 1 no Mineirão. Depois de sentir o poder da “lei do ex” no futebol, com o gol catarinense marcado pelo ex-cruzeirense Lucca, a Raposa foi em busca do empate e, mostrando todo o seu cacoete ofensivo, definiu o placar em seu favor e garantiu mais três pontos. E se teve

um jogo importante para os celestes na competição foi esse. Além de Moreno, Fábio e Ricardo Goulart tiveram muito o que comemorar. O goleiro chegava ao seu jogo de numero 600 pelo clube, enquanto o meia-atacante fazia sua centésima partida com o uniforme azul e branco. A vitória de virada foi importante, já que o São Paulo havia jogado antes contra o Vitória e, mesmo fora de casa, venceu. Faltando cinco rodadas o time estrelado ainda mantinha cinco pontos de vantagem para os paulistas.

Alex de Jesus - 9.11.2014

33ª RODADA

CRUZEIRO CRICIÚMA

3 1

DATA: 09/11/2014 LOCAL: Estádio Mineirão, em

Belo Horizonte

ÁRBITRO: Marcos André Gomes

da Penha (ES)

PÚBLICO: Não divulgado RENDA: Não divulgada GOLS: Lucca (CRI); Marcelo Moreno, Ricardo Goulart e Willian (CRU)

ESCALAÇÃO

32

Fábio; Mayke, Léo, Bruno Rodrigo e Egídio (Marcelo Moreno); Henrique (Samudio), Nilton, Everton Ribeiro e Ricardo Goulart; Willian e Júlio Baptista (Willian Farias) TÉCNICO: Marcelo Oliveira


SANTOS 0 X 1 CRUZEIRO

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

Marcello Zambrana/Light Press - 16.11.2014

Raposa volta à Vila Belmiro e, novamente, vence o Santos, que já começa a ganhar fama de freguês

Reencontro de boas recordações

O

Santos traz boas recordações para o Cruzeiro. Foi em cima do time da Vila Belmiro que a Raposa conquistou, em 1966, seu primeiro campeonato nacional. Em 2003, o Peixe também era o principal concorrente ao título. No ano passado, foi justamente uma vitória sobre o Santos que deu ao Cruzeiro a chance de ser campeão na rodada seguinte (o que acabou não ocorrendo). Neste ano, o time paulista já tinha sido vitima dos mineiros na semifinal da Copa do Brasil. Pois, na 34ª rodada do

Brasileiro 2014, a história não foi diferente. Depois de um primeiro tempo ruim na Vila Famosa, a Raposa voltou com outro espírito na segunda etapa e, logo aos 7 min, em grande triangulação, digna de um verdadeiro líder do Brasileirão, Ricardo Goulart completou para as redes. Com o triunfo, o time ficava a duas vitórias da confirmação do título, ou apenas uma, caso o concorrente direto, o São Paulo, perdesse seu próximo compromisso. O caminho estava aberto, a Raposa só precisava de paciência para percorrê-lo.

34ª RODADA

SANTOS CRUZEIRO

0 1

DATA: 16/11/2014 LOCAL: Estádio Vila Belmiro, em

Santos-SP

ÁRBITRO: Alinor Silva da Paixão

(MT)

PÚBLICO: Não informado RENDA: Não informada GOL: Ricardo Goulart (C)

ESCALAÇÃO Fábio; Ceará, Manoel, Bruno Rodrigo e Samudio; Nilton, Lucas Silva (Henrique) e Ricardo Goulart (Willian Farias); Marquinhos; Willian (Everton Ribeiro) e Marcelo Moreno TÉCNICO: Marcelo Oliveira

33


GRÊMIO 1 X 2 CRUZEIRO

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

Jefferson Bernardes/Light Press - 20.11.2014

Virada épica em plena Arena Grêmio deixa equipe celeste a uma vitória o título

Raposa coloca as duas mãos na taça

34

P

ensando em duelos mais adiante, e com boa vantagem no Brasileiro, Marcelo Oliveira decide poupar algumas peças para o jogo contra o Grêmio, que prometia ser muito duro. E foi, sobretudo no primeiro tempo, em que os gaúchos pressionaram o time azul e saíram na frente no placar. Empurrado pela torcida, o tricolor se atirou ao ataque e teve chances de ampliar, mas o Cruzeiro soube se segurar até o intervalo. A exemplo da partida anterior, a Raposa voltou melhor no segundo tempo e passou a marcar no campo do adversário. O Grêmio encolheu e o futebol de líder apareceu, com o time criando boas chances de gol, até que o empate saiu. Após cruzamento da esquerda, Willian chutou forte da entrada

da pequena área, o goleiro defendeu, mas Ricardo Goulart pegou o rebote e calou a Arena Grêmio. O empate fora de casa já seria um ótimo resultado, mas a tradição do Cruzeiro não deixa o time se contentar com pouco. O golpe de misericórdia foi bem ao estilo do Cruzeiro quando joga fora de casa: em um contra-ataque perfeito, como mandam os manuais do futebol. Depois da cobrança de escanteio do Grêmio, a defesa celeste rebateu e a bola sobrou para Mayke na lateral direita. Ele avançou e tocou para Everton Ribeiro invadir a área e fuzilar o gol gremista, virando o jogo para 2 a 1. A Raposa só precisava de uma vitória em três jogos para levantar o caneco.


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

Jefferson Bernardes/Light Press - 20.11.2014

35ª RODADA

grêmio CRUZEIRO

1 2

DATA: 20/11/2014 LOCAL: Arena do Grêmio, em

Porto Alegre -RS

ÁRBITRO: Vinicius Furlan (SP) PÚBLICO: Não informado RENDA: Não informada GOLS: Riveros (G); Ricardo Goulart e Everton Ribeiro (C)

ESCALAÇÃO Fábio; Ceará (Mayke), Léo, Bruno Rodrigo e Samudio (Egidio); Nilton, Willian Farias, Everton Ribeiro e Ricardo Goulart; Marquinhos (Willian) e Júlio Baptista TÉCNICO: Marcelo Oliveira

35


CRUZEIRO 2 X 1 GOIÁS

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

Debaixo de muita chuva e com Mineirão lotado, Raposa bate time goiano e confirma o que todos sabiam

TETRACAMPEÃO ENLOUQUECE A CHINA AZUL 36ª RODADA

CRUZEIRO GOIÁS

2 1

DATA: 23/11/2014 LOCAL: Estádio Mineirão, em

Belo Horizonte - MG

ÁRBITRO: Paulo Henrique de

Godoy Bezerra (SC)

PÚBLICO: Não informado RENDA: Não informada GOLS: Ricardo Goular e Everton Ribeiro (C); Samuel (G)

ESCALAÇÃO Fábio; Mayke (Eurico), Léo, Bruno Rodrigo e Egídio; Henrique, Lucas Silva (Nilton), Everton Ribeiro e Ricardo Goulart; Willian e Marcelo Moreno (Júlio Baptista) TÉCNICO: Marcelo Oliveira

36

O

roteiro era perfeito. Precisando de apenas mais uma vitória para confirmar o tetracampeonato brasileiro, o Cruzeiro tinha pela frente o Goiás, que já não disputava mais nada e não corria risco de ser rebaixado. Além disso, o jogo seria em casa, diante de quase 60 mil cruzeirenses. Como mandante, o Cruzeiro tinha vencido 13 de seus 17 jogos. Era fácil apostar em quem seria o vecedor. Mas a partida não foi fácil. Primeiro, porque niguém contava com um adversário que cairia do céu: a chuva, que deixou o gramado do Mineirão alagado. Depois, porque o Goiás mostrouse disposto a atrapalhar a festa celeste. Mas, mesmo com dificuldades para tocar a bola, o líder disparado do Brasileirão criava boas chances, até que o talento fez diferença. Everton Ribeiro fez grande jogada pela direita e lançou para Mayke,

que fez um cruzamento primoroso para Ricardo Goulart, de cabeça, estufar as redes goianas. O gol fez a China Azul explodir no Mineirão. Mas, pouco depois, o Goiás empatou, com Samuel, em um vacilo da defesa celeste. Recobrada do susto, a torcida voltou a empurrar o time. No segundo tempo, o gramado melhorou um pouco e o Cruzeiro foi para cima do adversário. A notícia do gol do São Paulo sobre o Santos, na Arena Pantanal, deu novo ânimo aos jogadores, já que, naquele momento, a combinação dos resultados adiava a conquista. E a insistência foi premiada. Pela esquerda, Willian pedalou, foi à linha de fundo e cruzou para o gol de cabeça de Everton Ribeiro. Novamente, a China Azul delirou nas arquibancadas. O título estava nas mãos, a alegria no rosto, e os nomes dos atletas, para sempre marcados na história do Cruzeiro.

fotos Denilton Dias - 23.11.2014


Especial Cruzeiro CampeĂŁo Brasileiro 2014 | O TEMPO

37


CRUZEIRO tetraca

brasileiro 1966-2

Em pé: Henrique, Lucas Silva, Bruno Rodrigo, Nilton, Léo, Alex, El Agachados: Ricardo Goulart, Mayke, Egídio, Everton Ribeiro, Willian, Marcel


ampeão BRASILEIRO

2003-2013-2014

lisson, Júlio Baptista, Manoel, Fábio e Dagoberto elo Moreno, Marlone, Neilton, Breno Lopes, Judivan e Eurico

denilton dias

Marcelo Oliveira


Em 2013, Marcelo Oliveira teve que vencer a desconfiança, mas em 2014 recebeu apoio total da China Azul

Um técnico consolidado e vencedor

O

técnico Marcelo Oliveira teve que superar muitos desafios para se consolidar como um dos técnicos mais vitoriosos dessa nova geração de treinadores. E foi com muito trabalho que o comandante celeste escreveu novas e belas histórias pessoais no futebol mineiro. A caminhada dele como técnico da Raposa está sendo marcada, antes mesmo da sua chegada ao clube, por extremidades. A incógnita e a desconfiança sobre um treinador com um passado no maior rival começaram a se dissipar logo no primeiro jogo sob seu comando, quando venceu o Atlético por 2 a 1, no confronto que marcou a reabertura do Mineirão. A aposta em um dos técnicos da nova geração se transformou em uma receita de sucesso já na primeira temporada, com a formação de um grupo qualificado e com a conquista do Campeonato Brasileiro. A surpresa

40

pela campanha avassaladora de um time recém-formado no ano passado se transformou em supremacia na atual temporada, pois dois anos se passaram e ninguém consegue parar o eficiente escrete cruzeirense. Marcelo Oliveira acredita que uma série de fatores contribuíram para que a Raposa voltasse a ser uma das principais forças do futebol brasileiro. “Não tem um segredo único. O segredo é o planejamento do elenco, é a estrutura física do clube, a tradição, a participação de uma torcida grande, muito fiel e muito presente, e trabalho do dia a dia. Criamos um bom ambiente e trabalhamos muito com lealdade, tentando ser coerente e com o comprometimento de todos. Esse trabalho de equipe do Cruzeiro é muito bom e é por isso que disputamos todas as competições com condição de vencê-las”, declarou Marcelo Oliveira.

“Não tem um segredo único. O segredo é o planejamento do elenco, é a estrutura física do clube, a tradição, a participação de uma torcida grande, muito fiel e muito presente, e trabalho do dia a dia. Criamos um bom ambiente e trabalhamos muito com lealdade, tentando ser coerente e com o comprometimento de todos.” Marcelo Oliveira

JOãO GODINHO - 31.10.2014

palavra do técnico

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO


palavra do presidente

“Em 2011, passamos o maior aperto da história do clube, quando escapamos do rebaixamento na última rodada do Campeonato Brasileiro. Prometi que não deixaria mais o clube passar por uma situação daquelas.”

Pedro Vilela/VIPCOMM - 15.9.2014

Responsável por tirar o Cruzeiro do fundo do poço, Gilvan de Pinho Tavares é reeleito presidente

Competência premiada com mais um mandato

E

xiste um ditado no turfe que diz o seguinte: “Se o cavalo ganhou a primeira, sorte. Se ganhou a segunda, coincidência. Se ganhou a terceira, aposte no cavalo”. É possível fazer uma analogia da corrida de cavalos com o momento do Cruzeiro. Sob o comando de Gilvan de Pinho Tavares, a Raposa chegou ao tetracampeonato brasileiro, sendo dois títulos em sequência. Depois de sofrer com um período de muita desconfiança, o cartola celeste deu provas de que não há como deixar de apostar fichas na presidência azul. De desacreditado pela torcida e até por jogadores, que chegaram a fazer reunião temendo pelo pior com o Cruzeiro sob o comando de Gilvan, o então coadjuvante deu a volta por cima. Mostrou serviço nos três primeiros anos de mandato e, em pouco tempo, caiu nas graças dos próprios atletas e dos torcedores. Com várias décadas de dedicação ao clube cinco estrelas, o atual presidente tirou a Raposa do vermelho e a transformou em uma das maiores potências do futebol nacional. Depois de pegar o time pós-dinastia Perrella com R$ 30

milhões em dívidas e sem dinheiro no caixa, Gilvan mostrou pulso firme para recuperar as contas cruzeirenses. Tudo depois do ano ruim de 2011, quando o Cruzeiro quase foi ao fundo do poço com o rebaixamento. “Em 2011, passamos o maior aperto da história do clube, quando escapamos do rebaixamento na última rodada do Campeonato Brasileiro. Prometi que não deixaria mais o clube passar por uma situação daquelas”, disse Tavares. Reeleito para mais um triênio à frente do Cruzeiro, sem precisar superar chapa adversária, Gilvan amadureceu muito desde os seus primeiros atos como chefe maior do clube. De discurso longo e mais manso, o presidente mostrou força para segurar grandes atletas e vendê-los no momento que considerou ideal. Caso, principalmente, do argentino Montillo. Naquela época, faltava dinheiro até para o papel higiênico na Toca. Apresentou ainda neste ano um lado combativo, quando defendeu a agremiação azul em várias polêmicas com Alexandre Kalil, presidente do arquirrival Atlético. Fato que fez a torcida também chamar Tavares de “Mito”.


História

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

AS CONQUISTAS ANTERIORES Relembre os outros três títulos da Raposa

Campeonato Brasileiro 2003

Campeonato Brasileiro 2013

Em 2003, o Cruzeiro fez, simplesmente, uma das melhores temporadas de toda a sua história. O time formado por Vanderlei Luxemburgo e sob a batuta do craque Alex encantou o Brasil e conquistou a inédita Tríplice Coroa, feito não alcançado por nenhum clube do país. Depois de faturar o Campeonato Mineiro e a Copa do Brasil, a Raposa ganhou com muita superioridade o Brasileirão. O clube atingiu a marca de 100 pontos, feito inédito na era dos pontos corridos. O grande adversário celeste, assim como em 1966, era o Santos. E para não deixar dúvidas, a Raposa venceu novamente os dois jogos, dentro e fora de casa, e deixou o Peixe para trás, alcançando a sua segunda conquista.

Em 2013, o clube mineiro comemorou os dez anos de sua Tríplice Coroa com um novo título nacional. Depois de passar por duas temporadas difíceis, com muitas dívidas e com um elenco limitado tecnicamente, a diretoria reformulou atletas e comissão técnica, começando praticamente do zero. Por isso, o pensamento da diretoria era formar uma base e colher os frutos na temporada seguinte. Porém, o encaixe foi perfeito. A equipe foi ganhando forma, entrosamento e se tornou praticamente imbatível. A seqüência de 12 jogos sem perder isolou os celestes na ponta da tabela, não dando a menor chance para seus adversários. Com domínio absoluto, a China Azul festejou o tricampeonato de forma incontestável.

Resumo

Resumo

Resumo

Número de jogos: 8 7 vitórias 1 empate

Jogos: 46 31 vitórias 7 empates 8 derrotas

Jogos: 38 23 vitórias 7 empates 8 derrotas

Gols marcados: 102 Gols sofridos: 47 Aproveitamento: 72,5%

Gols marcados: 77 Gols sofridos: 37 Aproveitamento: 66,7%

Taça Brasil 1966 A história celeste com as conquistas nacionais teve início em 1966, quando o maior torneio de futebol do país se chamava Taça Brasil. A década era dominada pelo então considerado melhor time do mundo: o Santos de Pelé. O quase imbatível time santista conheceu a sua pior derrota quando teve a equipe celeste pela frente. Na decisão da competição, os mineiros venceram os dois jogos, emplacando uma sonora e histórica goleada de 6 a 2, no Mineirão, sobre um dos melhores times já vistos em campo. Os cruzeirenses venceram ainda em São Paulo para coroar e valorizar ainda mais esse grande feito. Em 2010, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) igualou o título ao Campeonato Brasileiro, que teve início em 1971, e o clube cinco estrelas passou a ter mais uma conquista do Brasileiro em sua coleção.

Gols marcados: 25 Gols sofridos: 7 Decisão: Cruzeiro 6 x 2 Santos – Mineirão Santos 2 x 3 Cruzeiro – Pacamebu reprodução internet

42

élcio Paraíso - 7.12.2003

Denilton Dias- 23.11.2014


FÁBIO

1

WASHINGTON ALVES

O recordista

IDADE POSIÇÃO ALTURA NO CLUBE

34 anos Goleiro 1,88 m Desde 2005

A cada dia, a cada jogo, a cada ano e a cada conquista, o goleiro e capitão Fábio se torna mais importante para o Cruzeiro. Ele caminha a passos largos para se tornar um dos atletas que mais vezes entrou em campo com a camisa estrelada. Até o fim do ano, ele ultrapassará a marca de 600 jogos. Além disso, Fábio vem colecionando defesas difíceis e, assim como em 2013, foi peça fundamental para fechar a meta celeste e contribuir para o quarto título nacional do clube mineiro.

43


MAYKE

22

A realidade

IDADE POSIÇÃO

GUALTER NAVES/LIGHT PRESS

ALTURA

44

NO CLUBE

22 anos Lateral-direito 1,78 m Desde 2010

Lançado no elenco profissional do Cruzeiro em 2013 pelo técnico Marcelo Oliveira, o lateral-direito Mayke segue correspondendo às expectativas e mostrando que tem um futuro promissor pela frente. De aposta e jovem revelação, o ano de 2014 mostrou que o garoto é uma realidade. A sua qualidade tem agradado à comissão técnica e à torcida cruzeirense, o que o fez assumir a titularidade da posição. A sua entrada na equipe garantiu mobilidade, velocidade, habilidade e bons cruzamentos para os atacantes celestes.


DEDÉ

26

A Fênix

IDADE POSIÇÃO ALTURA

JORGE SAENZ/AP

NO CLUBE

26 anos Zagueiro 1,92 m Desde 2013

O zagueiro Dedé segue reforçando o seu status de mito na temporada 2014. Sempre que criticado por algumas falhas individuais, o zagueiro consegue dar a volta por cima e uma resposta aos críticos. Com os momentos de instabilidades superados, o defensor se manteve como titular e integrou uma das melhores defesas do Campeonato Brasileiro. O seu vigor físico, sua velocidade, sua impulsão e o seu posicionamento na bola aérea foram atributos para a conquista do título.

45


LÉO

3

O mineirinho IDADE POSIÇÃO ALTURA NO CLUBE

26 anos Zagueiro 1,84 m Desde 2010

WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO

O torcedor e zagueiro do Cruzeiro Léo, desde que chegou ao Cruzeiro em 2010, nunca foi considerado como a solução para a defesa e nunca teve status de titular absoluto. Porém, com muita dedicação, trabalho e amor ao clube, o defensor vem conquistando seu espaço em meio aos renomados zagueiros do elenco celeste. Com as lesões de Bruno Rodrigo, Dedé, e Manoel, Léo entrou no time, ganhou a confiança do treinador, mostrou um futebol seguro e não saiu mais, sendo um dos responsáveis pelo êxito da campanha celeste no Brasileirão.

46


EGÍDIO

6

O essencial

IDADE POSIÇÃO ALTURA NO CLUBE

28 anos Lateral-esquerdo 1,77 m Desde 2012

DENILTON DIAS / O TEMPO

O lateral-esquerdo Egídio segue contrariando as críticas com a camisa do Cruzeiro. Se antes ele era questionado por algumas atuações, agora, quando não joga, os torcedores sentem a sua falta em campo. Mesmo com a contratação do paraguaio Samudio, o camisa 6 assumiu a titularidade, segue como um dos atletas mais ativos do time, destacando-se nos rankings de desarmes e cruzamentos certos da Série A. Egídio considera a sua passagem pela Raposa como o melhor momento de toda a sua carreira. Ele já ultrapassou a marca de 100 jogos com a camisa cruzeirense.

47


HENRIQUE

8

DOUGLAS MAGNO/O TEMP

O PERSEVERANTE

IDADE POSIÇÃO ALTURA NO CLUBE

29 anos Volante 1,80 m Desde 2013

O problema no púbis e a boa atuação da dupla Nilton/Lucas Silva fizeram o volante Henrique ser um mero coadjuvante na temporada 2013, atuando em poucos jogos. Porém, as lesões e a instabilidade do camisa 8 deram a oportunidade para Henrique atuar em uma nova função: primeiro volante. Apesar de características mais defensivas, o jogador não decepcionou, muito pelo contrário. Os passes certos e a alta quantidade de desarmes, além de uma marcação firme, destacam o jogador como um dos melhores do campeonato e deixa o meio-campo celeste mais técnico.

48


16

LUCAS SILVA O COBIÇADO

IDADE POSIÇÃO ALTURA

DENILTON DIAS / O TEMPO

NO CLUBE

21 anos Volante 1,82 m Desde 2012

O volante Lucas Silva segue chamando muita atenção com a camisa do Cruzeiro em 2014. Em campo, atuações seguras, com muita técnica e qualidade, o que o torna figura recorrente nas convocações da seleção sub-23 e desperta o interesse de grandes clubes europeus em contar com o seu futebol. Fora das quatro linhas, o jogador segue com a alcunha de príncipe, dado pelas fãs do jogador, que suspiram por onde ele passa. Mais experiente pelas conquistas de 2013, Lucas Silva foi um dos responsáveis por fazer o time jogar em 2014 e manter o alto nível de atuações no caminho do tetra.

49


Everton Ribeiro

17

O craque

POSIÇÃO ALTURA NO CLUBE

25 anos Armador 1,74 m Desde 2013

Se em 2013 o meia-atacante Everton Ribeiro se tornou o craque do Brasileiro e era considerado uma das peças importantes de Marcelo Oliveira, em 2014 ele se tornou imprescindível para a equipe estrelada. Quando não joga, o time celeste não consegue ter a mesma criatividade ofensiva, o que ficou claro quando ele se ausentou pelas convocações para a seleção brasileira. Everton Ribeiro segue assinando gols bonitos e colocando seus companheiros na cara do gol. Além, é claro, da velocidade e dos dribles, marca do maestro celeste.

50

DOUGLAS MAGNO / O TEMPO

IDADE


RICARDO GOULART

28

O DEFINIDOR

POSIÇÃO ALTURA NO CLUBE

23 anos Armador 1,78 m Desde 2013

Todo o elenco celeste foi importante na conquista do tetracampeonato, mas Ricardo Goulart merece uma menção especial. O meiaatacante foi um dos principais artilheiros do Cruzeiro na temporada, foi convocado para a seleção brasileira, mas sofreu com uma grave lesão no meio do campeonato. No retorno aos gramados, sentiu a falta de ritmo, mas nunca "amoleceu", continuou correndo e demonstrando muita obediência tática. O esforço foi recompensado com gols importantes na arrancada final para o título contra Criciúma, Santos, Grêmio e Goiás.

ALEX DE JESUS/O TEMPO

IDADE

51


Willian

25

O bigode

IDADE POSIÇÃO ALTURA

IGOR COELHO/ESTADÃO CONTEÚDO

NO CLUBE

27 anos Atacante 1,71 m Desde 2013

Nem o período de instabilidade vivido na temporada, coincidentemente após o Cruzeiro não medir esforços para contratá-lo em definitivo junto ao Metalist-UCR, tirou de Willian o prestígio com o torcedor da Raposa. O Bigode, como carinhosamente é chamado pelos cruzeirenses, voltou a ser peça importante no ataque estrelado, fez gols e deu assistências importantes aos companheiros durante o ano.

52


MARCELO MORENO

18

O Flecheiro POSIÇÃO ALTURA NO CLUBE

27 anos Atacante 1,87 m Desde 2014

Depois de sete anos longe da Toca, Marcelo Moreno retornou ao clube com status de grande contratação. Emprestado pelo Grêmio, o atacante mostrou que seu faro de artilheiro continuava o mesmo de outros tempos. E rodada a rodada, o Flecheiro encheu o torcedor de esperança e euforia. Os gols do centroavante boliviano, tanto dentro quanto fora do Mineirão, fizeram a alegria da China Azul.

ALEX DE JESUS/O TEMPO

IDADE

53


MANOEL

33

O XERIFÃO

POSIÇÃO ALTURA NO CLUBE

24 anos Zagueiro 1,81 m Desde 2014

Cobiçado por equipes brasileiras e do exterior, Manoel acabou desembarcando na Toca no meio do ano, o que mostrou mais uma vez a força da diretoria quando o assunto é reforçar o elenco. O zagueiro chegou e logo agregou valor ao sistema defensivo estrelado, pelo seu estilo forte de marcação e bom desarme. O beque, praticamente um “tanque de combate”, deu mostras de que a Raposa está muito bem servida na zaga.

54

DOUGLAS MAGNO / O TEMPO

IDADE


CEARÁ

2

O PROTETOR

POSIÇÃO ALTURA NO CLUBE

34 anos Lateral-direito 1,75 m Desde 2012

Veterano, o lateral-direito Ceará usou toda a sua experiência para, quando acionado por Marcelo Oliveira, proteger a defesa cruzeirense dos fortes adversários. Bem religioso, usou toda sua fé para motivar o grupo e ajudar os companheiros no controle psicológico durante o campeonato. Mesmo no banco em algumas oportunidades, mostrou profissionalismo e apoio ao jovem titular Mayke.

JASON SILVA/ELEVEN/ESTADÃO CONTEÚDO

IDADE

55


MARQUINHOS

34

DENILTON DIAS / O TEMPO

O VOADOR

IDADE POSIÇÃO ALTURA NO CLUBE

25 anos Atacante 1,75 m Desde 6/2014

Marquinhos foi uma das boas contratações feitas pelo Cruzeiro na temporada. Baiano de nascimento, o atacante acrescentou um tempero bem arretado ao setor ofensivo celeste, considerado um dos mais fortes do país. Rápido, o jogador foi mais uma peça tática de Marcelo Oliveira, ocupando bem as laterais do campo e revezando posição com Willian. Prova de que o elenco da Raposa é mesmo diferenciado.

56


DAGOBERTO

11

O GUERREIRO POSIÇÃO ALTURA NO CLUBE

31 anos Atacante 1,75 m Desde 2013

De temperamento forte, Dagoberto mostrou competitividade durante toda a temporada. Mesmo com seguidas lesões, o atacante mostrou incômodo por ficar no banco de reservas, sempre respeitando as decisões do treinador. Quando acionado, mostrava seu espírito combativo e lutava por todas as bolas que disputava. Realmente, um guerreiro vestindo a camisa azul.

DENILTON DIAS / O TEMPO

IDADE

57


ALISSON

29

IDADE POSIÇÃO ALTURA NO CLUBE

21 anos Meia-atacante 1,74 m Revelado nas categorias de base

Muito se esperava do jogador, já que, desde a base, o meiaatacante chamava a atenção por ter habilidade, velocidade e condução de bola. Seu aspecto franzino engana, pois Alisson se mostra um gigante quando entra em campo. O futebol do jovem impressionou tanto que medalhões ficaram no banco para que ele fizesse parte dos "11 iniciais" de Marcelo Oliveira. É uma das grandes joias do atual elenco 58 estrelado e dará muitas outras alegrias ao torcedor.

TROY TAORMINA / DIVULGAÇÃO

A JOIA


JÚLIO BAPTISTA DENILTON DIAS/OTEMPO

O SUPLENTE DE LUXO

10

IDADE POSIÇÃO ALTURA NO CLUBE

33 anos Armador 1,83 m Desde 2013

O meia-atacante Júlio Baptista ainda não rendeu tudo o que se esperava dele e segue como opção do técnico Marcelo Oliveira. Entretanto, o camisa 10, sempre que chamado, costuma corresponder. Ele foi decisivo na goleada contra o Santos por 3 a 0, pela 15ª rodada, quando fechou o placar, e no empate por 3 a 3 com o Fluminense, no Maracanã, na última rodada do primeiro turno, quando marcou dois gols e ajudou o time celeste a se manter tranquilo na ponta da tabela na primeira metade da disputa.

O TANQUE IDADE POSIÇÃO ALTURA NO CLUBE

27 anos Volante 1,85 m Desde 2013

O volante Nilton não conseguiu repetir as grandes atuações e a regularidade apresentadas em 2013. Porém, mesmo passando a maior parte da atual temporada no banco de reservas, o jogador tem se mostrado importante para a equipe de Marcelo Oliveira. Nas primeiras partidas do Brasileirão, quando o Cruzeiro apostou no time misto, já que também disputava a Copa Libertadores, Nilton foi decisivo, marcando gols importantes e ajudando na arrancada celeste até a ponta da tabela. Na sequência, seguiu correspondendo quando era requisitado para dar mais força física ao meiocampo e melhorar a potência da bola aérea.

19 EDUARDO MARTINS/ESTADÃO CONTEÚDO

NILTON

59


4

BRUNO RODRIGO O “CABEÇA DE MÍSSIL” IDADE POSIÇÃO ALTURA

MARCELLO ZAMBRANA/LIGHT PRESS

NO CLUBE

29 anos Zagueiro 1,74 m Desde 2013

Seu apelido engraçado se mostrou bem efetivo: “Cabeça de Míssil”. A alcunha justifica a importância do zagueiro para o setor defensivo da Raposa. Bruno Rodrigo mostrou nas primeiras rodadas do campeonato que sabe usar a cabeça tanto para defender quanto para atacar. Beque artilheiro, defendeu bem quando acionado pelo treinador celeste e também balançou as redes adversárias, ajudando o ataque. Lesionado acabou perdendo espaço e a titularidade.

23

MARLONE O PROMISSOR

IDADE POSIÇÃO

NUNO GUIMARAES / LIGHT PRESS

ALTURA

60

NO CLUBE

22 anos Meia-atacante 1,80 m Desde 2014

Jovem promissor, Marlone oscilou bons e maus momentos na temporada, chegou a ser vaiado pela torcida cruzeirense, mas mostrou personalidade para encarar as críticas e dar a volta por cima. Dono de velocidade e habilidade, o meiaatacante, com toda sua tranquilidade e humildade, trabalhou firme para conquistar, sempre que possível, um espaço na equipe titular. E mostrou que pode ser fundamental no ano que vem.


RAFAEL

ELISSON

ALAN

ALEX

GOLEIRO

GOLEIRO

GOLEIRO

ZAGUEIRO

IDADE / ALTURA: 25 anos / 1,92 m

IDADE / ALTURA: 27 anos / 1,87 m

IDADE / ALTURA: 20 anos / 2, 01 m

IDADE / ALTURA: 21 anos / 1,86 m

NO CLUBE: Revelado nas

NO CLUBE: Voltou ao Cruzeiro em

NO CLUBE: Desde novembro de

NO CLUBE: Revelado nas categorias de base

categorias de base

SAMUDIO LATERAL ESQUERDO

2013

TINGA IDADE / ALTURA: 36 anos / 1,70 m

NO CLUBE: Desde janeiro de 2014

NO CLUBE: Desde marรงo de 2012

ATACANTE

WILLIAN FARIAS

MEIA

IDADE / ALTURA: 28 anos / 1,74 m

BORGES

2013

VOLANTE

EURICO VOLANTE

IDADE / ALTURA: 25 anos / 1,76 m

IDADE / ALTURA: 20 anos / 1,82 m

NO CLUBE: Desde fevereiro de

NO CLUBE: Revelado nas categorias de base

2012

NEILTON ATACANTE

IDADE / ALTURA: 34 anos /1,76 m

IDADE / ALTURA: 20 anos / 1,66 m

NO CLUBE: Desde julho de 2012

NO CLUBE: Desde junho de 2014

61


Comissão técnica

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

NOS BASTIDORES DA CONQUISTA Comissão técnica é fundamental para o sucesso de uma equipe. Conheça os profissionais que estão por trás dos triunfos celestes na temporada

P

ara a temporada 2014, o Cruzeiro manteve a equipe que dá suporte para que os atletas façam sua parte dentro de campo. Do roupeiro ao diretor de futebol, passado por massagistas e profissionais da saúde, a Raposa conta atualmente com um time afinado. O bom ambiente de trabalho, tão elogiado pelos jogadores nas duas últimas temporadas, tem a ver com a dedicação da comissão técnica. Uns aparecem mais do que outros, mas o objetivo comum

- títulos - está acima das vaidades pessoais. Em 2014, o departamento de fisiologia teve “trabalho extra”, já que o grande desafio dos clubes brasileiros foi o calendário, que normalmente já é complicado, mas que neste ano ficou ainda mais apertado por conta da Copa do Mundo. No embalo das dificuldades físicas, médicos e massagistas também acabaram ganhando importância redobrada. Tudo para deixar os atletas à disposição do técnico Marcelo Oliveira e seus auxiliares.

Comissão técnica

Diretor de futebol: Alexandre Mattos

Preparador de goleiros: Robertinho

Estagiário site oficial: Gustavo Aleixo

Gerente de futebol: Valdir Barbosa

Fisiologista: Eduardo Pimenta

Auxiliar de Tecnologia Esportiva: André Batista

Fisiologista: Rodrigo Morandi Supervisor de futebol: Benecy Queiroz

Nutricionista: Flávia Almeida Médico: Sérgio Freire Júnior Massagista: Barjão

Diretor de comunicação: Guilherme Mendes

Médico: Walace Espada Massagista: Alisson Lima da Silva Médico: Leonardo Corradi Roupeiro: Geraldo Barros

Auxiliar técnico: Tico dos Santos Fisioterapeuta: André Rocha

Roupeiro: José Eduardo Gil

Auxiliar técnico: Ageu Gonçalves Fisioterapeuta: Charles Costa Preparador físico: Juvenilson de Souza Preparador físico: Quintiliano Lemos

62

Preparador físico: Eduardo Freitas

Fisioterapeuta: Ronner Bolognani

Auxiliar de campo: Vagner Gonçalves

Fisioterapeuta: Jomar Ottoni

Almoxarife: Carlos Roberto

Enfermeiro: Marco Antônio

Administrador da Toca II : Otávio Coutinho

Assessor de imprensa: Bruno Faleiro


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

Páginas

hEroicas ao longo do brasileirão, o cruzeiro deixou imagens marcantes, que ficarão para sempre na memória da china azul

ALE CABRAL/ESTADÃO CONTEÚDO - 14.9.2014

63


Douglas Magno -26.7.2014

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

PEDRO MARTINS/ESTADÃO CONTEÚDO- 7.09.2014

DHAVID NORMANDO - ESTADÃO CONTEÚDO

AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO - 25.10.2014

64


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO Denilton Dias - 23.11.2014

Marcelo Regua / Light Press - 7.9.2014

Marcelo Regua / Light Press - 16.6.2014

IDE GOMES/FRAME/ESTADÃO CONTEÚDO - 7.9.2014

Douglas Magno - 8.10.2014

65


Denilton Dias / O Tempo - 23.11.2014

Especial Cruzeiro CampeĂŁo Brasileiro 2014| O TEMPO

66


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

denilton dias - 23.11.2014

UARLEN VALERIO - 23.11.2014

UARLEN VALERIO - 23.11.2014

67


ALEX DE JESUS - 21.9.2014 ALEX DE JESUS - 9.11.2014

ALEX DE JESUS - 9.11.2014

DENILTON DIAS - 2.11.2014

DOUGLAS MAGNO - 8.10.2014

68


DENILTON DIAS - 2.11.2014 DENILTON DIAS - 29.11.2014

ALEX DE JESUS - 9.11.2014

ALEX DE JESUS - 9.11.2014

ALEX DE JESUS - 9.11.2014

69


UARLEN VALERIO - 29.11.2014

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

70


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO ALEX DE JESUS - 9.11.2014

ALEX DE JESUS - 9.11.2014

71


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

DENILTON DIAS - 23.11.2014 LEO FONTES - 23.11.2014

72

DENILTON DIAS - 23.11.2014


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

UARLEN VALERIO - 23.11.2014

LEO FONTES - 23.11.2014

UARLEN VALERIO - 23.11.2014

73


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014| O TEMPO

UARLEN VALERIO - 23.11.2014 DENILTON DIAS - 23.11.2014

UARLEN VALERIO - 23.11.2014

UARLEN VALERIO - 23.11.2014

74


UARLEN VALERIO - 23.11.2014

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2014 | O TEMPO

UARLEN VALERIO - 23.11.2014

alex douglas - 23.11.2014

75



17 revista cruzeiro brasileirao 2014