Issuu on Google+

denilton dias

Dezembro/2013 R$ 10

o r i e z

u r C

o ĂŁ e p 13

0 m 2 o a r i c sile Bra


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

índice //

editorial //

Página 4.........................................................Uma campanha impecável Páginas 6 a 37 ....................................................Trajetória do campeão Páginas 38 e 39.......................................................................Pôster Página 40...............................................................A construção do time Página 42.....................................................................A Tríplice Coroa Página 44.......................................................................O presidente Página 45...........................................................................O técnico Páginas 46 a 63..............................................................Os jogadores Página 64..................................................................Comissão técnica Páginas 66 e 67..........................................................A casa do campeão Páginas 68 e 69...................................................................Onda azul Páginas 70 a 74............................................................Galeria de fotos

FUNDADOR Vittorio Medioli PRESIDENTE Laura Medioli VICE-PRESIDENTE Luiz Alberto de Castro Tito

ADJUNTO DA SECRETARIA DE REDAÇÃO Murilo Rocha CHEFE DE REPORTAGEM Renata Nunes GERENTE CoMERCIAL Fabiano Guerra

DIRETOR EXECUTIVO Heron Guimarães

GERENTE DE TECNOLOGIA Fábio A. Santos

DIRETOR FINANCEIRO Marcos de Oliveira e Souza

GERENTE INDUSTRIAL Guilherme Reis

EDITORA EXECUTIVA Lúcia Castro SECRETÁRIA DE REDAÇÃO Michele Borges da Costa

GERENTE ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO Walmir Prado GERENTE DE MARKETING Alessandra Soares

Revista cruzeiro Campeão brasileiro 2013 Coordenação: Denner Taylor Renata Nunes Redação e reportagem: Ricardo Plotek, Raphael Ramos, Bruno Trindade, Débora Ferreira Fernando Almeida, Guilherme Guimarães Projeto gráfico e diagramação: Anderson Carvalho

2

Infografia: Denver Oliveira Revisão: Pauliane Coelho Edição de fotografia: Rejane Araújo, João Godinho Tratamento de imagem: Sabrina Guedes

Sempre Editora - Av. Babita Camargos, 1645 Cid. Industrial - Contagem- MG - Fone: (31) 2101-0000

O melhor do Brasil

A

palavra mais usada ao fim do Campeonato Brasileiro de 2013 para descrever o título do Cruzeiro foi “incontestável”. De fato, a campanha não deixou dúvidas sobre qual foi o grande time da competição: melhor ataque, um saldo de gols “monstruoso”, excelente mandante, melhor visitante, maior média de público, alguns recordes pulverizados ao longo do torneio, enfim, campeão – ou melhor, tricampeão – com quatro rodadas de antecedência. Quando se inicia um campeonato, todos torcem para que seu time seja campeão. Muitos acreditam e poucos têm certeza. Mas, no caso do Cruzeiro de 2013, nem o mais otimista torcedor celeste poderia imaginar que tudo daria tão certo, que aquele time montado no início da temporada desse resultado tão rápido e muito menos que o título viesse com tamanha facilidade. Fácil, sim. A verdade é que a Raposa fez jus à fama, foi mais esperta do que os concorrentes e brilhou no Brasileirão de 2013. Há quem diga que o campeonato foi sem graça e sem emoção, que o nível foi baixo. Os cruzeirenses têm a resposta pronta: “Sem graça, só se for para os perdedores”. Porque a China Azul curtiu, e muito, mais essa conquista para a galeria de troféus do clube. E não foi apenas uma comemoração. A festa celeste começou na vitória por 3 a 0 sobre o Grêmio, na 33ª rodada. O time ainda não era matematicamente campeão. Mas, diz a sabedoria dos boleiros, “a matemática não entende nada de futebol”. Por isso, Dagoberto já escancarava: “Traz a taça”. A multidão azul foi para as ruas, naquele que foi o primeiro ensaio. A segunda festa do título – agora oficialmente – aconteceu na rodada seguinte: Cruzeiro 3 a 1 sobre o Vitória. Carnaval celeste em Salvador, loucura madrugada adentro nas ruas e avenidas de Belo Horizonte, seguidos de um tsunami azul na recepção e no desfile dos campeões pelos principais pontos da capital mineira. Mas faltava ainda “ela”, o objeto de desejo, a cobiçada, a taça de campeão brasileiro. Esta chegou no dia do último jogo em casa, no Mineirão – a Toca da Raposa III – diante do Bahia. Volta olímpica, festa nos arredores do Gigante da Pampulha, milhares de pontos azuis, brancos e muitas, muitas estrelas. Como a China Azul festejou. Exatos dez anos depois da Tríplice Coroa – da também memorável campanha celeste no primeiro Campeonato Brasileiro por pontos corridos – , os cruzeirenses, pouco acostumados a ficar tanto tempo sem um título de expressão, puderam soltar o grito de “tricampeão”, embalados pela trilha que tomou conta do Mineirão: “Nós somos loucos! Nós somos Cruzeiro!”.


INFINITY DO CRUZEIRO NOTÍCIAS GRÁTIS DO CRUZEIRO com todas as vantagens do INFINITY.

COMPRE JÁ O SEU TIMCHIP UNIFORMIZADO. Se você já é TIM, ative grátis ligando *222.

Sabemos da importância desses números, por isso estamos aqui. Para você levar seu time no coração e também no celular.

Consulte o regulamento em tim.com.br

SP, RJ, ES, MG, PR, SC, DF, GO, MT, TO, MS, AC, RO, BA (DDDs 71, 73 e 74), SE, PE (DDD 81), AL, PB, RN, CE (DDD 85), PI (DDD 86), PA (DDD 91), RR, AP, AM (DDD 92) e MA (DDD 98): preço de R$ 0,25 por chamada para TIM local e DDD via 41 e preço de R$ 0,60 por chamada para números fixos locais de qualquer operadora, sem a necessidade de cadastro nem de pagamento de taxa de adesão. BA (DDDs 75 e 77), PE (DDD 87), CE (DDD 88), PI (DDD 89), PA (DDDs 93 e 94), AM (DDD 97) e MA (DDD 99): preço de R$ 0,25 por chamada para TIM local e DDD via 41 e preço de R$ 0,50 por chamada para números fixos locais de qualquer operadora mediante o cadastro da promoção pelo *223. Existem duas opções de validade do benefício: 3 meses ou 6 meses, a partir da data de adesão. Taxa de adesão para a opção de 3 meses para novos e atuais clientes - R$ 3,90. Taxa de adesão para a opção de 6 meses para novos e atuais clientes - R$ 5,90. Os benefícios são válidos até 31/12/2013, podendo ser prorrogados a critério da TIM com aviso prévio. O conteúdo de futebol contido no chip é gratuito. Para mais informações, consulte o regulamento em www.tim.com.br.


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Cruzeiro conquista o Brasileirão de 2013 com vitórias sobre todos os adversários

T

UMA CAMPANHA IMPECÁVEL

ítulo garantido com quatro rodadas de antecedência e uma marca histórica: o Cruzeiro é o único campeão brasileiro a vencer todos os seus adversários pelo menos uma vez ao longo da disputa. No Campeonato Brasileiro de 2013, torcedores das demais 19 equipes da Série A sentiram o “gosto amargo” da derrota diante do ataque celeste, o melhor da competição. A equipe contrariou todas as previsões por ter montado o elenco no início do ano, desbancou os mais cotados ao título e, da 16ª rodada para frente, não teve um concorrente por perto, aumentando cada vez mais a vantagem na ponta da tabela até assegurar a conquista. O momento esperado de oscilação veio, mas durou pouco e não abalou a estrutura nem a confiança do tricampeão nacional. Mas, apesar da superioridade demonstrada ao longo do Brasileirão, o início foi de incertezas. Com um time formado no começo da temporada, o Cruzeiro começou a disputa, como todo ano, candidato ao título, porém, ainda sem saber se teria força para brigar pelas primeiras posições. O começo foi arrasador. Na primeira partida, contra o Goiás, uma sonora goleada por 5 a 0, no estádio Independência. Na sequência, a Raposa deu uma oscilada, venceu uma partida, empatou duas e perdeu uma antes do recesso do campeonato para a disputa da Copa das Confederações, deixando a equipe

4

em quinto lugar, com apenas três pontos a menos do que o então líder Coritiba. No retorno do Brasileirão, após um empate contra a Portuguesa, a Raposa começou a disputar, rodada a rodada, a liderança com Coritiba e Botafogo. O alviverde acabou ficando para trás, e a situação permaneceu equilibrada com o alvinegro carioca até a 16ª rodada. Porém, depois da derrota para o Grêmio, no Olímpico, o Cruzeiro, além de contar com o tropeço dos rivais, emplacou uma sequência de 12 jogos sem perder, com 11 vitórias e um empate, incluindo um triunfo arrasador contra o então vicelíder Botafogo, por 3 a 0, resultados que lhe garantiram a ponta da tabela e com vantagem aumentada a cada rodada. Após a sequência sem derrota, a Raposa oscilou novamente. No entanto, mesmo com três tropeços em quatro jogos, os mineiros continuaram líderes graças à enorme vantagem construída e aos resultados ruins de seus principais concorrentes. E, depois da 31ª rodada, uma sequência de quatro vitórias (sobre Criciúma, Santos, Grêmio e Vitória) sacramentou o tricampeonato. A taça de 2013 se junta à de 2003, quando o Cruzeiro, também de forma brilhante, conquistou o primeiro Brasileirão por pontos corridos, e ao troféu da Taça Brasil de 1966, reconhecido pela CBF como primeiro título brasileiro da Raposa.

douglas magno


O Banco BMG parabeniza o Cruzeiro pelo tricampeonato brasileiro.


Cruzeiro 5x0 Goiás

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Rodrigo Lima - 26.5.2013

1ª rodada | 26/5/2013

Logo no primeiro jogo do campeonato, Raposa apresenta a força de seu ataque e a solidez de sua defesa

6

Começo arrasador A primeira impressão do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro não deixou dúvidas de que a equipe do técnico Marcelo Oliveira seria um dos times a ser batido na competição nacional. A sonora goleada contra o Goiás, no Independência, contou com boa atuação do atacante Dagoberto, que, mesmo sem anotar nenhum gol sequer, infernizou a defesa adversária e deu duas assistências. O placar começou a ser moldado logo aos 5 min de partida, com Diego Souza inaugurando o marcador em um lance de oportunismo

dentro da área alviverde. Ainda no primeiro tempo, Bruno Rodrigo e Nilton fizeram seus gols de cabeça e Borges guardou seu tento após ótimo passe de Egídio. Coube ao volante-artilheiro Nilton fechar a goleada já no segundo tempo em nova jogada pelo alto. O triunfo imponente no Gigante do Horto serviu para, no mínimo, começar a convencer aqueles cruzeirenses mais descrentes de que a não conquista do Campeonato Mineiro havia sido apenas um erro calculado de percurso e que a força daquele grupo ainda iria encantar muitos.

CRUZEIRO

GOIÁS

5

LOCAL

0

Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)

ÁRBITRO Ronan Marques da Rosa (SC) PÚBLICO

12.018 pagantes

RENDA

R$ 327.680,00

GOLS

Diego Souza, Bruno Rodrigo, Nilton (2) e Borges (C)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ CEARÁ

BRUNO RODRIGO EGÍDIO

LEANDRO GUERREIRO NILTON DIEGO SOUZA (ELBER)

EVERTON RIBEIRO (LUCCA)

BORGES

DAGOBERTO (RICARDO GOULART) TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA


2ª rodada | 29/5/2013

ATLÉTICO-PR

CRUZEIRO

2

LOCAL

2

Estádio Erton Queiroz, em Curitiba (PR)

ÁRBITRO André Luiz de Freitas Castro (GO) PÚBLICO

3.366 pagantes

RENDA

R$ 41.700,00

GOLS

Pedro Botelho e Manoel (A); Dedé e Luan (C)

Em campo de várzea, Cruzeiro mostra poder de reação depois de levar 2 a 0

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ CEARÁ

Empate na raça Joka Madruga/AE - 19.5.2013

BRUNO RODRIGO

Atlético-PR 2 x 2 Cruzeiro

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

EGÍDIO

LEANDRO GUERREIRO NILTON

EVERTON RIBEIRO (RICARDO GOULART)

DIEGO SOUZA

DAGOBERTO (LUAN)

BORGES (ANSELMO TÉCNICO: RAMON) MARCELO OLIVEIRA

O

complexo duelo diante do Atlético-PR, na acanhada Vila Olímpica do Boqueirão, acabou tendo um fim satisfatório para o Cruzeiro. Para chegar ao empate em 2 a 2 com o Furacão, os comandados de Marcelo Oliveira tiveram de recuperar-se de um placar de 2 a 0, atuando em um campo digno de futebol de várzea. Os celestes viram os atleticanos construírem a vantagem antes dos 30 minutos do primeiro tempo em erros da defesa, com Fábio conseguindo impedir uma tragédia ainda maior. No tento inaugural, Dedé se chocou com o goleiro cruzeirense, Guerreiro não conseguiu cortar na sobra e Pedro Botelho aproveitou a deixa. Já no segundo gol, Manoel subiu entre Dedé e Bruno Rodrigo para ampliar. Ainda na etapa inicial, Dedé se redimiu aproveitando escanteio cobrado por Everton Ribeiro e diminuiu. O espírito confuso do jogo marcou o empate celeste, após Borges se embolar com dois adversários e a bola sobrar para Luan marcar em seu primeiro toque na partida – o primeiro lance do segundo tempo.

7


Botafogo 2 x 1 Cruzeiro

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Derrota fora de casa é para um dos times que começaram muito bem a disputa

Tropeço natural

Márcio Mercante/AE - 1.6.2013

3ª rodada | 1/6/2013

BOTAFOGO

CRUZEIRO

2

LOCAL

1

Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ)

ÁRBITRO Wilton Pereira Sampaio (GO)

8

A

chance de retomar a liderança do Campeonato Brasileiro escapou do Cruzeiro diante do Botafogo liderado pelo ainda alvinegro Vitinho, além de Lodeiro – com o holandês Seedorf orquestrando tudo no meio campo. Para sacramentar o revés por 2 a 1 dos celestes em Volta Redonda, o atacante Anselmo Ramon não vivia a melhor de suas noites. O camisa 99 da Raposa falhou em inaugurar o marcador do confronto no interior carioca logo aos 2 min e viu Lodeiro abrir o placar pouco tempo depois após

Vitinho aproveitar uma falha do volante CRUZEIRO 0 CORINTHIANS Leandro Guerreiro. A insistência de1 XAnselmo Ramon lhe rendeu mais chances claras de 4ª rodada gols, mas a bola se recusava a entrar nas Data: 05/06/2013 redes botafoguenses. Local: Arena dosaindo Jacaré, em Contudo, o empate celeste acabou Sete Lagoas (MG) dos pés do avante, que contou com a sorte Árbitro: Jailson Macedo ao chutar e ver a bola batendo nas costas Freitas (BA) do goleiro Renan antes dePúblico: entrar no gol 15.082 pagantes adversário. A derrota, porém, veio em um Renda: R$ 326.035,00 pênalti feito por Nilton – eleGol: tentou dar uma Dagoberto (C) bicicleta e acertou o lateral Lucas. O gol foi convertido novamente por Lodeiro. CRUZEIRO Fábio

Ceará

PÚBLICO

4.469 pagantes

RENDA

R$ 89.875,00

GOLS

Lodeiro (2) (B); Anselmo Ramon (C)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ CEARÁ

BRUNO RODRIGO EGÍDIO

LEANDRO GUERREIRO (LUCAS SILVA) NILTON

EVERTON RIBEIRO (RICARDO GOULART)

DIEGO SOUZA ANSELMO RAMON

DAGOBERTO (LUAN) TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA


Triunfo acontece sobre o campeão do mundo e, até então, um dos candidatos ao título

Parada dura

U

m título também é construído com vitórias suadas e heróis inusitados. Sem a pompa de Everton Ribeiro, Diego Souza ou Dagoberto, coube a Élber mostrar superação no embate disputado na Arena do Jacaré para se tornar peça-chave do magro triunfo do Cruzeiro diante do Corinthians. O jovem meia-atacante, porém, não foi o único responsável pelo resultado celeste. Como de costume na trajetória vitoriosa da Raposa, o goleiro Fábio foi testado pelo adversário e deixou claro o motivo de ser um dos heróis cruzeirenses no torneio nacional.

Com a defesa azul ainda ganhando corpo, coube ao arqueiro mostrar serviço e parar os arremates de Alexandre Pato. O segundo tempo reservou menos trabalho para Fábio, que viu o tormento da China Azul só ter fim aos 39 min do segundo tempo. Quatro minutos depois de perder uma boa chance, Élber se redimiu e sofreu o pênalti cobrado por Dagoberto. O chute sacramentou o triunfo estrelado. No lance da penalidade máxima, Fábio Santos ainda foi expulso, facilitando o fim do jogo para o Cruzeiro.

Cruzeiro 1 x 0 Corinthians

João Godinho - 5.6.2013

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

4ª rodada | 5/6/2013

CRUZEIRO

CORINTHIANS

1

LOCAL

0

Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG)

ÁRBITRO Jailson Macedo Freitas (BA) PÚBLICO

15.082 pagantes

RENDA

R$ 326.035,00

GOL

Dagoberto (C)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

BRUNO RODRIGO

CEARÁ (MAYKE) LEANDRO GUERREIRO (LUCAS SILVA)

EGÍDIO

NILTON EVERTON RIBEIRO (RICARDO GOULART)

DIEGO SOUZA ANSELMO RAMON

DAGOBERTO (LUAN) TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

9


Cruzeiro 2 x 2 Internacional

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Duelo de gigantes

Portuguesa 1 x 1 Cruzeiro

/2013 o Mineirão, em Belo G) io Chagas da Silva (RS) 28 pagantes 9.980,00 Goulart e Vinícius

o

o

CRUZEIRO

PORTUGUESA

LOCAL

LOCAL

1

Estádio Canindé, em São Paulo (SP)

ÁRBITRO Paulo Henrique G. Bezerra (SC) PÚBLICO

2.769 pagantes

RENDA

R$ 76.860,00

GOLS

Valdomiro (P); Bruno Rodrigo (C)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

BRUNO RODRIGO

MAYKE

EGÍDIO NILTON SOUZA (TINGA) DIEGO SOUZA (LUCCA) LUAN

VINÍCIUS ARAÚJO (ANSELMO RAMON)

2

Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG)

ÁRBITRO Guilherme Ceretta de Lima (SP) PÚBLICO

15.513 pagantes

RENDA

R$ 335.370,00

GOLS

Otávio e Gabriel (I); Elber e Everton Ribeiro (C)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ MAYKE

BRUNO RODRIGO EGÍDIO

LEANDRO GUERREIRO NILTON

EVERTON RIBEIRO

DIEGO SOUZA

ANSELMO RAMON (RICARDO GOULART)

DAGOBERTO (ELBER)(LUAN) TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

Primeiro jogo após pausa para copa das confederações foi o 500º de Fábio pelo clube

CRUZEIRO

1

INTERNACIONAL

2

O

EVERTON RIBEIRO

10

Leo Fontes - 8.6.2013

empate em 2 a 2 com o Internacional marcou a despedida do Cruzeiro da Arena do Jacaré, na última rodada antes da paralisação no Campeonato Brasileiro para a Copa das Confederações. A equipe celeste não contou com a inspiração de Diego Souza na armação do ataque, mas soube aproveitar os bons momentos de Everton Ribeiro no duelo para marcar seus gols. Mas quem saiu à frente no placar foi o Colorado com o veloz Otávio, que ganhou na corrida de Bruno Rodrigo para, em seguida, deslocar Fábio. O Cruzeiro mexeu no marcador com Élber após passe de Ribeiro, que anotou, de pênalti, o gol da virada já no segundo tempo. Com um homem a menos após expulsão de Goulart, a Raposa não segurou a pressão adversária e viu o ex-celeste Gabriel igualar o placar. 6ª rodada | 6/7/2013

0 NÁUTICO

5ª rodada | 8/6/2013

Com um a menos na despedida da Arena do Jacaré

TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

Mauro Horita/AE - 6.7.2013

Marca histórica

D

epois do importante descanso/treino na Disney, em Orlando, o Cruzeiro voltou ao Campeonato Brasileiro e amargou o empate em 1 a 1 com a Portuguesa, no Canindé, na partida de número 500 da história de Fábio com a camisa celeste. Mesmo com Diego Souza novamente sem mostrar seu melhor futebol, o ataque do Cruzeiro revelou-se estar em evolução e obrigou o goleiro Lauro a fazer boas intervenções. Enquanto o setor ofensivo estava em alta, a defesa indicava falhas pontuais, com Egídio tendo imensas dificuldades para impedir os avanços da Lusa. Os gols acabaram saindo pelo alto, com os mandantes abrindo o placar aos 4 min em cabeçada do zagueiro Valdomiro e o Cruzeiro devolvendo na mesma maneira com Bruno Rodrigo também nos minutos iniciais de partida.


7ª rodada | 14/7/2013

CRUZEIRO

NÁUTICO

3

LOCAL

Vitória sobre o time que, desde o começo, se apresentou como o mais fraco da disputa

0

Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

ÁRBITRO Márcio Chagas da Silva (RS) PÚBLICO

15.528 pagantes

RENDA

R$ 639.980,00

GOLS

Ricardo Goulart e Vinícius Araújo (2) (C)

ESCALAÇÃO

EIRO

mbi, em São

Denilton Dias - 14.7.2013

FÁBIO

Lopes (SC) es

DEDÉ

BRUNO RODRIGO

MAYKE

EGÍDIO NILTON SOUZA

EVERTON RIBEIRO

RICARDO GOULART (TINGA) LUCCA (MARTINUCCIO) VINÍCIUS ARAÚJO TÉCNICO: (ANSELMO RAMON) MARCELO OLIVEIRA

A

vitória por 3 a 0 do Cruzeiro sobre o Náutico no meio de julho não ficou O marcada apenas pelos acontecimentos no campo. Fora dos , em Belo gramados, uma mudança importante foi acionada pela diretoria celeste antes meida Ferreira mesmo do apito inicial no Mineirão: Diego Souza deixou a Toca II e acertou es 0 sua mudança para o Metalist, da verton Ribeiro, ilton (C) Ucrânia, venda que resultou no acerto com o atacante Willian – importante peça para a conquista do título. E o Cruzeiro tratou de mostrar dentro das quatro linhas que não sentiria saudades do então camisa 10 cruzeirense. Apesar dos erros pontuais da defesa celeste, a Raposa contou com os lapsos de genialidade de Everton Ribeiro e o bom momento vivido por Vinícius Araújo para afundar o já lanterna Timbu. Antes de o jovem atacante marcar duas vezes no segundo tempo, Ricardo Goulart tranquilizou o torcedor mais aflito com um gol logo aos 9 min de jogo. Coube ao Cruzeiro controlar sua instabilidade defensiva e construir o resultado na etapa final do confronto no Gigante da Pampulha.

ra

Mais que obrigação

Cruzeiro 3 x 0 Náutico

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

11


são paulo 0 x 3 Cruzeiro

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Ale Cabral/AE - 20.7.2013

8ª rodada | 20/7/2013

Placar folgado contra o tricolor volta a mostrar a força do time celeste

Rolo compressor C CRUZEIRO 4 X 1 ATLÉTICO

12

om Luan no comando, o Cruzeiro finalizou um longo jejum celeste construído pelo São Paulo na história do Campeonato Brasileiro. A Raposa não vencia os paulistas havia quase nove anos, período que compreendeu 17 partidas sem nem sequer uma vitória mineira. O primeiro tempo da partida serviu de teste para Fábio e Rogério Ceni, e os goleiros não tiveram grandes problemas para garantir o placar sem alterações. A etapa final começou com o arqueiro celeste tendo mais trabalho e levando a melhor contra a dupla Jadson e Osvaldo.

SÃO PAULO

0

Ricardo Goulart Luan (Martinuccio) Vinícius Araújo

3

Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)

LOCAL

ÁRBITRO Heber Roberto Lopes (SC) PÚBLICO

11.675 pagantes

RENDA

R$ 325.545,00

GOLS

Luan (3) (C)

9ª rodada Data: 28/07/2013

Diante da ineficiência tricolor Local: Estádio Mineirão, em Belo foi a vez de Luan Horizonte entrar(MG)em ação e de Almeida Ferreira deixar f luir o seu Árbitro: ladoEmerson goleador. O (MG) gol inaugural serviu para o Público: 35.301levantar pagantes Renda: R$ 1.815.900,00 cruzeirense mais desanimado e fazer Gols: Alecsandro (A); Everton Ribeiro, a China Azul gritarRicardo empolgada com(C) a Goulart (2) e Nilton bela finalização encaixada pelo atacante Cruzeiro após cruzamento deFábio Mayke. Restou ao Mayke Cruzeiro se fechar na defesa e matar o (Ceará) duelo em dois contra-ataques. Dedé A força do grupo Bruno celeste Rodrigofoi acionada Egídio o responsável com Martinuccio sendo Nilton pelas duas jogadas Souza que acabaram se Everton Ribeiro concretizando em dois gols de Luan.

CRUZEIRO

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

BRUNO RODRIGO

MAYKE (LEANDRINHO)

EGÍDIO NILTON SOUZA

EVERTON RIBEIRO (MARTINUCCIO) RICARDO GOULART (LUCCA) VINÍCIUS ARAÚJO

LUAN

TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA


Cruzeiro 4 x 1 Atlético

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

14

Goleada sobre o maior rival empolga e conquista de vez a torcida

R

Campeonato à parte

etorno à liderança, vitória maiúscula no clássico e chegada de uma importante peça no grupo celeste. Diante de sua inflamada torcida, o Cruzeiro não teve dificuldades para bater o Atlético por 4 a 1 e carimbar a faixa de campeão da Copa Libertadores do arquirrival. O susto aos 18 min de partida com o gol atleticano, de pênalti, anotado por Alecsandro, não abalou o Cruzeiro, que fazia valer o rótulo de favorito do confronto diante da equipe mista do Atlético. O entrosamento dos amigos

Everton Ribeiro e Ricardo Goulart ditava o ritmo no meio-campo, e os mais de 30 mil cruzeirenses presentes no Mineirão sabiam que o empate e a sequente vitória eram apenas questão de tempo. O maior ímpeto ofensivo celeste deu resultado com a virada sendo construída ainda no primeiro tempo, com gols de Ribeiro e Goulart. No intervalo, Marcelo Oliveira conseguiu manter a empolgação cruzeirense no auge e Nilton ampliou aos 7 min da etapa final para Goulart apenas completar a goleada cinco minutos

depois. Bastou ao Atlético apenas recuar seus homens e evitar um novo vexame frente ao rival cinco estrelas. Patrimônio. Todo o espetáculo dentro e fora de campo foi observado de perto por Júlio Baptista, que havia sido apresentado à China Azul no Mineirão antes do início do confronto após sair de um carro-forte no gramado do Gigante da Pampulha. O veterano meio-campista de 32 anos chegou com a pompa de grande contratação e provou seu valor quando foi acionado por Marcelo Oliveira durante a competição.

Douglas Magno - 28.7.2013


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Douglas Magno - 28.7.2013

João Godinho - 28.7.2013

9ª rodada | 28/7/2013

CRUZEIRO

ATLÉTICO

4

LOCAL

1

Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

ÁRBITRO Emerson de A. Ferreira (MG) PÚBLICO

35.301 pagantes

RENDA

R$ 1.815.900,00

GOLS

Alecsandro (A); Everton Ribeiro, Ricardo Goulart (2) e Nilton (C)

FLUMINENSE 1 X 0 CRUZEIRO

ESCALAÇÃO

10ª rodada Data : 31/07/2013 Local : Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ) Árbitro : Wilton Pereira Sampaio (GO) Público: 18.042 pagantes Renda: R$ 397.505,00 Gol : Fred (F) Cruzeiro Fábio Mayke Dedé Bruno Rodrigo Egídio Nilton Souza Everton Ribeiro Ricardo Goulart Luan (Willian) Vinícius Araújo (Lucca)

FÁBIO DEDÉ

BRUNO RODRIGO

MAYKE (CEARÁ)

EGÍDIO NILTON SOUZA

EVERTON RIBEIRO

RICARDO GOULART

VINÍCIUS ARAÚJO (WILLIAN)

LUAN (MARTINUCCIO) TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

15


Fluminense 1 x 0 Cruzeiro

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Acidente de percurso 1

FLUMINENSE

N

em mesmo a empolgação com a vitória no clássico, a ótima atuação do goleiro Fábio e a má fase vivida pelo Fluminense puderam impedir que o Cruzeiro fosse derrotado no Maracanã e perdesse a liderança do Campeonato Brasileiro para o Botafogo. E mais uma vez, o algoz celeste foi o atacante Fred, exjogador da Raposa. A partida também marcou a estreia do técnico Vanderlei Luxemburgo, outro carrasco cruzeirense, no comando da equipe tricolor. Os torcedores se deliciaram ao ver Luxa lamentando a defesa de Fábio em pênalti cobrado pelo camisa 9 do Fluminense no fim do primeiro tempo, mas foram

Cruzeiro 1 x 0 Coritiba

11ª rodada | 3/8/2013

CRUZEIRO

1

LOCAL

0

Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

ÁRBITRO Francisco Carlos Nascimento (AL) PÚBLICO

25.108 pagantes

RENDA

R$ 1.298.444,00

GOL

Luan (C)

ESCALAÇÃO

FÁBIO BRUNO RODRIGO

MAYKE

EGÍDIO NILTON (LEANDRO GUERREIRO)

EVERTON RIBEIRO

SOUZA

RICARDO GOULART (TINGA)

VINÍCIUS ARAÚJO (BORGES)

Márcio Mercante - 31.7.2013

LOCAL

CRUZEIRO

0

Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

ÁRBITRO Wilton Pereira Sampaio (GO) PÚBLICO

18.042 pagantes

RENDA

R$ 397.505,00

GOL

Fred (F)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

BRUNO RODRIGO

MAYKE

EGÍDIO NILTON SOUZA

obrigados a se deparar com o comemorou o tento de treinador dos “eternos projetos” Fred e o triunfo tricolor finalizando o confronto. Ele em solo carioca.

EVERTON RIBEIRO

RICARDO GOULART

VINÍCIUS ARAÚJO (LUCCA)

LUAN (WILLIAN) TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

Com quase 1/3 do campeonato decorrido, time seguia invicto em casa

CORITIBA

DEDÉ

16

10ª rodada | 31/7/2013

Derrota no Rio de Janeiro tira o time do topo, mas seria por pouco tempo

LUAN

TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

Leo Fontes - 3.8.2013

Volta aos trilhos

D

uas rodadas depois de golear o São Paulo com três gols de Luan, o Cruzeiro voltou a contar com o faro de gol do atacante para vencer mais uma importante partida. O duelo marcava um confronto direto pelas primeiras colocações na tabela. E a missão de manter os 100% em casa diante de um até então invencível Coritiba acabou sendo concluída com êxito. A seu favor, o Cruzeiro ainda tinha os mais de 25 mil torcedores presentes no Mineirão e a ausência de Alex na equipe paranaense. Mesmo assim, os comandados de Marcelo Oliveira não encontraram vida fácil e tiveram de superar a inconstância de seu ataque para sair de campo com a vitória. A boa notícia ficou com a evolução da defesa, que conseguiu segurar o ímpeto adversário, principalmente nos minutos finais de partida.


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Três pontos importantíssimos com golaço no fim do jogo

A

Talento e sorte

luta pela liderança com o Coritiba e o Botafogo continuou ferrenha e, mais uma vez, garra e talento do Cruzeiro fizeram toda diferença para a equipe celeste sair de campo, longe de seus domínios, com a vitória. O jovem goleador Vinícius Araújo aproveitou outra chance de atuar com a camisa cinco estrelas e abriu o placar aos 24 min do primeiro tempo. Contudo, o grande nome da partida acabou sendo Ricardo Goulart, que cravou a vitória mineira com um toque de mestre.

A partida se encaminhava para um melancólico empate, já que o Cruzeiro cansou de desperdiçar boas chances de gol nas duas etapas do embate e ainda viu Bruno Lopes igualar o duelo, mas Goulart resolveu entrar em ação. Aos 37 min, após bate-rebate na área do Tigre, Martinuccio recebe na entrada da área, puxa rapidamente para a direita e cruza na medida para Goulart, de letra, finalizar e observar a bola tocar, caprichosamente, na trave e estufar as redes adversárias. Triunfo em Santa Catarina e retorno à ponta da tabela do Brasileirão.

CRICIÚMA

CRUZEIRO

1

LOCAL

2

Estádio Heriberto Hulse, em Criciúma (SC)

ÁRBITRO Marcos André G. da Penha (ES) PÚBLICO

11.057 pagantes

RENDA

R$ 135.330,00

GOLS

Vinícius Araújo e Ricardo Goulrt (C); Bruno Lopes (Cri)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

Criciúma 1 x 2 Cruzeiro

12ª rodada | 7/8/2013

BRUNO RODRIGO

MAYKE

EGÍDIO LEANDRO GUERREIRO SOUZA

EVERTON RIBEIRO (MARTINUCCIO)

RICARDO GOULART

VINÍCIUS ARAÚJO (BORGES)

LUAN (WILLIAN) TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

Eduardo Valente/AE - 7.8.2013

17


Cruzeiro 0 x 0 Santos

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO 13ª rodada | 11/8/2013

Santos segura o Cruzeiro no Mineirão em raro jogo sem gols da Raposa

Fim dos 100%

A

pressão do Cruzeiro em manter os 100% no Mineirão foi rompida no empate sem gols com o Santos. Antes disso, os pupilos de Marcelo Oliveira haviam disputado 14 jogos no novo Gigante da Pampulha e só conheceram vitórias. Esse duelo também marcou o primeiro encontro entre Montillo – venda que ajudou a Raposa a montar o seu elenco em 2013 – e o time celeste. Sem o suspenso Everton Ribeiro, coube a Martinuccio e Ricardo Goulart articularem a armação do ataque, mas o arremate final não foi efetivo como em outras partidas. Luan e Vinícius Araújo pareciam ter perdido o encanto e nem mesmo

CRUZEIRO

Denilton Dias - 11.8.2013

SANTOS

0

LOCAL

0

Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

ÁRBITRO Paulo Henrique G. Bezerra (SC) PÚBLICO

27.444 pagantes

RENDA

R$ 1.332.553,65

GOLS

Nenhum

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

BRUNO RODRIGO

MAYKE

EGÍDIO NILTON

a entrada de Borges conseguiu corrigir o problema. Mesmo com o empate, o Cruzeiro se manteve na

liderança aproveitando a igualdade de Botafogo e Goiás e a derrota do Coxa para o Vasco.

MARTINUCCIO (ELBER)

SOUZA RICARDO GOULART

VINÍCIUS ARAÚJO (BORGES)

LUAN (LUCCA) TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

Grêmio 3 x 1 Cruzeiro

14ª rodada | 14/8/2013

Pênalti perdido e expulsão foram decisivos para derrota celeste GRÊMIO

CRUZEIRO

3

LOCAL

1

Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)

ÁRBITRO Paulo César Oliveira (SP) PÚBLICO

16.529 pagantes

RENDA

R$ 508.415,00

GOLS

Werley, Barcos e Kleber (G); Nilton (C)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

BRUNO RODRIGO

CEARÁ

EGÍDIO NILTON (LUCAS SILVA)

EVERTON RIBEIRO (WILLIAN)

18

SOUZA RICARDO GOULART

VINÍCIUS ARAÚJO (LEANDRO GUERREIRO)

LUAN TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

Daniel Boucinha/AE - 14.8.2013

Derrota para rival ao título

D

esastre no Sul em dois atos. A partida contra o Grêmio em Porto Alegre parecia que não seria tão complexa para o Cruzeiro, levando-se em conta os 30 primeiros minutos de domínio mineiro. A catástrofe começou a ser desenhada aos 33 min com o goleiro Dida mostrando sua especialidade. Everton Ribeiro assumiu a cobrança de pênalti e teve de ouvir o grito da torcida tricolor com a defesa do veterano arqueiro. O segundo fato decisivo aconteceu pouco tempo depois com a expulsão do volante Souza após receber o segundo cartão amarelo. Com um homem a menos, a etapa final teve um Grêmio mais incisivo e o placar foi construído com gol do zagueiro Werley e outro de Barcos em seguida. Nilton descontou rapidamente, mas Kleber fechou o placar sem deixar o Cruzeiro respirar.


Cruzeiro 5 x 1 Vitória

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Alex de Jesus - 17.8.2013

15ª rodada | 17/8/2013

Pela primeira vez, atacante Willian sai jogando como titular

S

Mais um massacre

em os suspensos Souza e Luan, foi a hora de o grupo do Cruzeiro entrar em ação na goleada sobre o Vitória e mostrar as boas peças que Marcelo Oliveira tinha à disposição. Lucas Silva e Willian foram acionados pela primeira vez no Brasileirão como titulares e deram conta do recado, deixando claro que poderiam ser muito importantes na caminhada celeste rumo ao título. Outra mudança importante foi a titularidade de Borges, que acabou tomando o lugar de Vinícius Araújo após recuperar-se completamente de lesão na coxa esquerda. O

triunfo também marcou o início da arrancada celeste, que conseguiu 12 partidas em sequência sem derrotas – 11 triunfos. O primeiro tempo contou apenas com o gol do zagueiro Léo, mas o maior volume de jogo do Cruzeiro sinalizava a vitória celeste. A etapa final reservou a explosão de euforia da China Azul, que viu Mayke aumentar o placar após finalização e desvio na zaga adversária. Dinei ainda diminuiu em pênalti cometido por Dedé, mas a noite era mesmo azul. Borges, Goulart e Vinícius Araújo marcaram e sacramentaram o triunfo.

CRUZEIRO

VITÓRIA

5

LOCAL

1

Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

ÁRBITRO Marcelo de Lima Henrique (RJ) PÚBLICO

14.369 pagantes

RENDA

R$ 670.185,00

GOLS

Léo, Mayke, Borges, Vinícius Araújo e Ricardo Goulart (C); Dinei (V)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

LÉO

MAYKE

EGÍDIO NILTON LUCAS SILVA

EVERTON RIBEIRO (ELBER) BORGES (VINÍCIUS ARAÚJO)

RICARDO GOULART

WILLIAN (MARTINUCCIO) TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

19


Ponte Preta 0 x 2 Cruzeiro

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Triunfo coloca o Cruzeiro na ponta para não mais sair

A

no lugar definitivo

vitória contra a Ponte Preta por 2 a 0, em Campinas, marcou a redenção do zagueiro Dedé e a retomada da liderança, posição que o Cruzeiro nunca mais largou até o fim do Campeonato Brasileiro. Além do tento do defensor celeste, o atacante Borges mostrou novamente seu faro de gol e completou o placar. Dedé vinha sendo questionado pela torcida cruzeirense por conta de falhas pontuais nas partidas anteriores, como na que resultou no gol do Flamengo, na vitória da Raposa por 2 a 1, pela Copa do Brasil – um jogo antes. Mas o

zagueiro deixou claro que ainda ajudaria muito a time azul na temporada. O domínio celeste no estádio Moisés Lucarelli foi poucas vezes incomodado pelos jogadores da Macaca, e o triunfo não parecia ser ameaçado após gol de Dedé aos 13 min do primeiro tempo. O ataque cruzeirense infernizava a defesa adversária com Ricardo Goulart, Everton Ribeiro e Borges, que deu números finais à partida em uma boa jogada no mesmo estilo pivô, girando em cima da marcação e chutando firme para vencer o goleiro Roberto.

Mauro Horita/AE - 24.8.2013

16ª rodada | 24/8/2013

PONTE PRETA

CRUZEIRO

0

LOCAL

2

Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)

ÁRBITRO Wilton Pereira Sampaio (GO) PÚBLICO

5.974 pagantes

RENDA

R$ 103.735,00

GOLS

Dedé e Borges (C)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

BRUNO RODRIGO

CEARÁ

EVERTON (EGÍDIO)

NILTON

SOUZA (LUCAS SILVA)

ÉVERTON RIBEIRO

RICARDO GOULART (HENRIQUE) WILLIAN BORGES

20

TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

deixar a Copa do Brasil não afetou o time azul

empolgante vitória do Cruzeiro contra o Vasco por 5 a 3 no Mineirão serviu para o time começar a cicatrizar a ferida aberta pela eliminação na Copa do Brasil, ocorrida quatro dias antes. O jogo também marcou a estreia de Júlio Baptista como titular e sacramentou a titularidade do garoto Lucas Silva. O jovem volante começou entre os 11 principais pela segunda vez no Brasileirão e foi o grande nome da partida com dois golaços em chutes de fora da área em momentos cruciais – ambos quando o Cruzeiro havia levado o empate do Vasco. Para completar o placar, a China Azul ainda viu gols de 18ª rodada | 4/9/2013

BAHIA

LOCAL

3

Estádio da Fonte Nova, em Salvador (BA)

ÁRBITRO Paulo César Oliveira (SP) PÚBLICO

9.120 pagantes

RENDA

R$ 228.487,00

GOLS

Borges, Everton Ribeiro e Júlio Baptista (C), Fahel (B)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

BRUNO RODRIGO

CEARÁ

EGÍDIO (MAYKE)

LUCAS SILVA HENRIQUE

EVERTON RIBEIRO (MARTINUCCIO)

JÚLIO BAPTISTA

BORGES (RICARDO GOULART)

5

Denilton Dias - 1.9.2013

3

Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

LOCAL

ÁRBITRO Flávio Rodrigues Guerra (SP) PÚBLICO

17.098 pagantes

RENDA

R$ 808.607,00

GOLS

Willian, Lucas Silva (2), Júlio Baptista e Vinícius Araújo (C); Wiilie (2) e André (V)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

BRUNO RODRIGO

CEARÁ

EGÍDIO LUCAS SILVA HENRIQUE

Willian, Júlio Baptista em bela duas vezes, e André cobrança de falta e da joia descontaram para o celeste Vinícius Araújo; Willie, Gigante da Colina.

JÚLIO BAPTISTA (VINÍCIUS ARAÚJO) EVERTON RIBEIRO (DAGOBERTO) RICARDO GOULART

WILLIAN (ALISSON)

TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

Vitória em Salvador dá título simbólico ao Cruzeiro

CRUZEIRO

1

VASCO

WILLIAN TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

Campeão do 1º turno

C

om uma rodada de antecedência, o Cruzeiro garantia o título simbólico do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. Era mais uma vitória fora de casa. E, desta vez, o alvo foi o Bahia, na Arena Fonte Nova. Para bater o tricolor em solo baiano, a Raposa contou com a precisão de seu ataque, com mais um belo gol de Everton Ribeiro – o meia já havia anotado o golaço contra o Flamengo, seu tento mais bonito na temporada. Borges foi o responsável pelo primeiro gol cruzeirense aos 25 min da etapa inicial, com Ribeiro aumentando a vantagem antes mesmo do

Felipe Oliveira/AGIF - 4.9.2013

intervalo de jogo. Na volta do vestiário, o Cruzeiro levou um susto com o tento anotado por Fahel de cabeça em vacilo

da defesa azul. Contudo, Júlio Baptista mostrou oportunismo e fechou a conta já praticamente nos acréscimos da partida.

Bahia 1 x 3 Cruzeiro

A

Volta por cima

CRUZEIRO

Cruzeiro 5 x 3 Vasco

17ª rodada | 1/9/2013

21


Cruzeiro 1 x 0 Flamengo

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO 19ª rodada | 8/9/2013

Raposa derrota seu algoz na Copa do Brasil e segue em frente

Revanche e três pontos 1

CRUZEIRO

A

oportunidade de revanche do Cruzeiro veio menos de 15 dias após a eliminação para o Flamengo na Copa do Brasil, e a cicatriz foi finalmente fechada, deixando no passado apenas marcas do revés. O único gol da partida foi anotado por Ricardo Goulart, substituto de Júlio Baptista, que alegou cansaço muscular para ficar fora de combate. Diante de um Flamengo apático, o Cruzeiro esboçou a sua força como mandante – um dos trunfos cruzeirenses no torneio – e o triunfo foi moldado no segundo tempo. Goulart recebeu lançamento de Mayke aos 8 min e desviou para o gol; a bola ainda tocou na trave e voltou para Goulart completar.

Leo Fontes - 8.9.2013

LOCAL

FLAMENGO

0

Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

ÁRBITRO Anderson Daronco (RS) PÚBLICO

35.797 pagantes

RENDA

R$ 2.137.575,00

GOL

Ricardo Goulart (C)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

BRUNO RODRIGO

CEARÁ

EGÍDIO (MAYKE)

NILTON LUCAS SILVA

O Cruzeiro venceu o rubro- número marcava o negro sob os olhares de pouco maior público celeste no mais de 35 mil pagantes. O Brasileiro até então.

EVERTON RICARDO GOULART RIBEIRO BORGES (DAGOBERTO)

WILLIAN (ALISSON) TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

Goiás 1 x 2 Cruzeiro

20ª rodada | 11/9/2013

Com seu bigode, que virou moda na torcida, atacante brilha GOIÁS

CRUZEIRO

1

LOCAL

2

Estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO)

ÁRBITRO Péricles Bassols P. Cortez (RJ) PÚBLICO

10.786 pagantes

RENDA

R$ 230.580,00

GOLS

Renan Oliveira (G); Willian (2)(C)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ CEARÁ (MAYKE)

BRUNO RODRIGO EGÍDIO NILTON LUCAS SILVA

EVERTON RIBEIRO

22

RICARDO GOULART (DAGOBERTO)

ALISSON (ANSELMO RAMON)

WILLIAN TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

O jogo de Willian André Costa/AE - 11.9.2013

W

illian com seu famoso bigode já vinha fazendo sucesso com a camisa do Cruzeiro, mas sua grande noite de destaque acabou sendo na virada contra o Goiás em pleno estádio Serra Dourada. Sem um atacante de referência entre os titulares, coube ao camisa 41 aproveitar os ataques em velocidade da Raposa e anotar os dois gols celestes do jogo. O Esmeraldino saiu na frente com Renan Oliveira, de cabeça, mas o Cruzeiro soube aproveitar seus bons momentos e construir a vitória longe de casa. O primeiro tento de Willian saiu após lindo passe de Alisson em profundidade. No meio da etapa final de partida, o segundo gol, que decretou o triunfo, veio em assistência de Mayke, outra joia celeste bem-aproveitada pelo técnico Marcelo Oliveira na temporada.


Mesmo sem jogar tão bem, time vence em casa e segue firme

Toda vitória vale 3 pontos 21ª rodada | 14/9/2013

CRUZEIRO

ATLÉTICO-PR

1

LOCAL

0

Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

ÁRBITRO Raphael Claus (SP) PÚBLICO

30.339 pagantes

RENDA

R$ 1.320.320

GOL

Nilton (C)

O

Cruzeiro precisou superar a falta de pontaria, o azar nos arremates e um erro grosseiro da arbitragem para vencer o Atlético-PR pelo placar mínimo e manter a importante vantagem na liderança do Campeonato Brasileiro. Mais uma vez, o torcedor celeste compareceu em bom número no Mineirão – mais de 30 mil pagantes – e sofreu junto com o técnico Marcelo Oliveira fora de campo. O retorno de Borges ao ataque aumentou o ímpeto no setor ofensivo, mas ora o Cruzeiro

esbarrava na falta de capricho no arremate final, ora contava com a sorte adversária para não conseguir transpor o gol defendido por Weverton. O único gol da partida foi anotado por Nilton, aos 35 min, dois minutos antes de a confusão ser instalada pela assistente de arbitragem Katiuscia Berger. A bandeira assinalou impedimento de Borges, mas o atacante não participou do lance no gol anulado e nem sequer estava irregular. O Cruzeiro acabou com o 1 a 0 no marcador e mais uma importante vitória no Campeonato Brasileiro.

Cruzeiro 1 x 0 Atlético-PR

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Douglas Magno - 14.9.2013

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

BRUNO RODRIGO

MAYKE

EGÍDIO NILTON LUCAS SILVA

EVERTON RIBEIRO (ALISSON)

RICARDO GOULART

BORGES (JÚLIO BAPTISTA)

WILLIAN (LUCCA) TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

23


Cruzeiro 3 x 0 Botafogo

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Vitória sobre um dos rivais ao título começa a dar forma à conquista

Atestado de competência A

primeira “final” do Cruzeiro no Brasileiro teve show nas cadeiras do Mineirão e também dentro das quatro linhas com uma sonora goleada, resultado de uma atuação de gala contra o Botafogo. O 3 a 0 no placar sacramentou a boa fase celeste, que atingiu a oitava vitória seguida e abriu sete pontos de diferença para o segundo colocado, a própria equipe carioca. Mesmo apresentando um volume de jogo superior ao do rival, o Cruzeiro só conseguiu tirar o zero do marcador nos acréscimos do primeiro tempo. E a pintura foi digna do

espetáculo desempenhado pelos cruzeirenses. Cobrança de escanteio feita por Willian e Nilton conectou uma bela finalização de primeira, estufando as redes de Jefferson. O segundo lance que tirou o grito da garganta do torcedor cinco estrelas foi proporcionado pelo craque Seedorf, que desperdiçou uma cobrança de pênalti. Com o ímpeto ofensivo caindo de produção, foi a vez de Marcelo Oliveira entrar em ação e acionar Júlio Baptista. O camisa 10 converteu pênalti sofrido por Everton Ribeiro e também fez o terceiro do Cruzeiro. Douglas Magno - 18.9.2013

22ª rodada | 18/9/2013

CRUZEIRO

BOTAFOGO

3

LOCAL

0

Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

ÁRBITRO Luiz Flávio de Oliveira (SP) PÚBLICO

43.361 pagantes

RENDA

R$ 2.337.530,00

GOLS

Nilton e Júlio Baptista (2) (C)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

BRUNO RODRIGO

MAYKE

EGÍDIO NILTON (HENRIQUE)

EVERTON RIBEIRO

24

LUCAS SILVA

RICARDO GOULART (DAGOBERTO)

BORGES (JÚLIO BAPTISTA)

WILLIAN TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Empate fora de casa leva a mais um ponto

Dentro das contas 0 INTERNACIONAL 1 X 2 CRUZEIRO

E

24ª rodada Felipe Rau - 22.9.2013 Data: 29/09/2013 Local: Estádio do Vale, em Novo Hamburgo (RS) Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO) Público: 5.434 pagantes Renda: R$ 161.600,00 Gols: Nilton e Willian (C); Otávio (I)

mpolgado com o importante triunfo contra o Botafogo na rodada anterior do Brasileirão, o Cruzeiro seguiu viagem para São Paulo, mas não conseguiu sair do 0 a 0 com o Corinthians. O placar, porém, acabou não refletindo a movimentada partida vista no Pacaembu, mas sim as boas atuações dos goleiros Fábio e, principalmente, Cássio, que salvaram seus times em diversas oportunidades. Nem mesmo as alterações de Marcelo Oliveira no setor ofensivo – colocando Anselmo Ramon, Dagoberto e Júlio Baptista nas vagas de Goulart, Willian e Borges – conseguiram mudar o panorama do jogo em solo paulista. Mesmo assim, o resultado serviu para o Cruzeiro aumentar para oito pontos a vantagem na liderança diante do Botafogo, o segundo colocado do Campeonato Brasileiro.

INTERNACIONAL

LOCAL

2

Estádio do Vale, em Novo Hamburgo (RS)

ÁRBITRO Wilton Pereira Sampaio (GO) PÚBLICO

5.434 pagantes

RENDA

R$ 161.600,00

GOLS

Nilton e Willian (C); Otávio (I)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

BRUNO RODRIGO

CEARÁ

EGÍDIO (MAYKE) NILTON

EVERTON RIBEIRO (TINGA)

HENRIQUE

DAGOBERTO (ALISSON) BORGES

0

Estádio Pacaembu, em São Paulo (SP)

ÁRBITRO Felipe Gomes da Silva (PR) PÚBLICO

27.053 pagantes

RENDA

R$ 846.011,00

GOLS

Nenhum

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

BRUNO RODRIGO

CEARÁ

EGÍDIO NILTON LUCAS SILVA

RICARDO GOULART EVERTON (ANSELMO RAMON) WILLIAN RIBEIRO (DAGOBERTO) BORGES (JÚLIO BAPTISTA)

TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

Sempre difícil, jogo no Sul mostra toda a solidez da equipe celeste

CRUZEIRO

1

LOCAL

CRUZEIRO

WILLIAN TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

Mais um gigante superado

E

m boa fase, Nilton voltou a estufar as redes adversárias e o Cruzeiro encaixou mais uma vitória longe de seus domínios para aumentar a sua alucinante sequência no Campeonato Brasileiro e atingir os 11 pontos de vantagem para o segundo colocado do torneio nacional, posição ocupada pelo Grêmio. A partida contra o Inter teve um início estonteante com dois gols em cinco minutos. O volante-goleador Nilton abriu o marcador aos 4 min de partida, ficando na artilharia isolada do Cruzeiro no Brasileiro. O empate veio no minuto seguinte com Otávio.

Edu Andrade/AE - 29.9.2013

O segundo e definitivo tento aconteceu no começo da etapa final após triangulação de Mayke,

Dagoberto e Willian, que finalizou o trabalho sem dar chances para o goleiro do Internacional Muriel.

Internacional 1 x 2 Cruzeiro

24ª rodada | 29/9/2013

Cruzeiro Fábio Ceará Dedé Bruno Rodrigo Egídio (Mayke) Nilton Henrique Everton Ribeiro (Tinga) Dagoberto (Alisson) Willian Borges

CORINTHIANS

Corinthians 0 x 0 Cruzeiro

23ª rodada | 22/9/2013

25


Cruzeiro 4 x 0 Portuguesa

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

João Godinho - 2.10.2013

25ª rodada | 2/10/2013

CRUZEIRO

PORTUGUESA

4

LOCAL

Em 30 minutos, Cruzeiro atropela a Portuguesa, que joga a toalha ainda no primeiro tempo

0

Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

ÁRBITRO Jean Pierre Gonçalves Lima (RS) PÚBLICO

31.705 pagantes

RENDA

R$ 1.346.630,00

GOLS

Everton Ribeiro, Borges (2) e Willian (C)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

BRUNO RODRIGO

CEARÁ

EGÍDIO NILTON

26

LUCAS SILVA

EVERTON RICARDO GOULART RIBEIRO (LUCCA) BORGES (DAGOBERTO)

WILLIAN (VINÍCIUS ARAÚJO) TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

Nocaute no 1º round C

om extrema facilidade, o Cruzeiro atropelou a Portuguesa sob os olhares de mais de 32 mil pagantes no Mineirão, que já vislumbravam o título cada vez mais próximo. Em menos de 30 minutos, o placar do Gigante da Pampulha indicava 4 a 0 e bastou aos comandados do técnico Marcelo Oliveira administrarem a vantagem para chegar à 11ª partida seguida sem derrota – 10 vitórias e um empate. Antes do começo do massacre celeste, o arqueiro Fábio entrou em ação para impedir

o gol da Lusa. Após isso, o que a torcida celeste viu foi a equipe paulista desesperada diante do bombardeio cruzeirense. Everton Ribeiro abriu o placar, e Borges ampliou em lances semelhantes. Em ambos os tentos anotados, a bola sobrou após tocar na trave e ficou fácil para o grito do torcedor aparecer. E a noite era mesmo de Borges. O atacante ainda acionou Willian, que fez o terceiro gol, e fechou a goleada com o quarto tento. No segundo tempo, Fábio voltou a mostrar serviço, evitando o gol de honra da equipe paulista no Mineirão.


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

mesmo jogando em casa, lanterna é adversário fácil para o quase campeão

pesar de contar com algumas boas intervenções do goleiro Fábio, o Cruzeiro controlou a partida contra o lanterna Náutico e não teve dificuldades para sair da Arena Pernambuco com a goleada já esperada. O destaque da partida foi Ricardo Goulart, autor de dois gols, um em cada tempo, e o inferno da defesa adversária. O Timbu tentava assustar com a velocidade de Maikon Leite, mas o arqueiro celeste mantinha a boa fase, sendo transposto apenas aos 28 min de jogo, quando o Cruzeiro já vencia por 1 a 0 com gol de Goulart. Na etapa final, a Raposa 27ª rodada | 9/10/2013

CRUZEIRO

Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

ÁRBITRO Jailson Macedo Freitas (BA)

40.743 pagantes

RENDA

R$ 1.899.595,00

GOLS

Douglas e Reinaldo (SP)

ESCALAÇÃO

FÁBIO LÉO

BRUNO RODRIGO

CEARÁ

EGÍDIO (MAYKE) NILTON

LUCAS SILVA (ALISSON)

EVERTON RICARDO GOULART RIBEIRO (DAGOBERTO) WILLIAN BORGES

LOCAL

4

Arena Pernambuco, São Lourenço da Mata (PE)

PÚBLICO

20.661 pagantes

RENDA

R$ 528.715,00

GOLS

Ricardo Goulart (2), Everton Ribeiro e Mayke (C); Maykon Leite (N)

ESCALAÇÃO

FÁBIO LÉO

BRUNO RODRIGO

MAYKE

teve mais calma para chegar ao gol de Ricardo Berna e mais um gol de Goulart e tentos de Everton Ribeiro e Mayke fluíram

normalmente. Nova vitória e vantagem de 11 pontos na liderança do Brasileirão mantida.

CEARÁ NILTON

LUCAS SILVA

EVERTON RICARDO GOULART RIBEIRO (TINGA) BORGES (DAGOBERTO)

WILLIAN (ALISSON) TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

Derrota para time que vinha muito mal quebra sequência invicta

2

PÚBLICO

1

ÁRBITRO Dewson Fernando F. da Silva (PA)

SÃO PAULO

0

LOCAL

Guga Matos/AE - 6.10.2013

CRUZEIRO

TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

M

Tropeço inesperado

Denilton Dias - 9.10.2013

ais de 40 mil torcedores do Cruzeiro

compareceram ao Mineirão ansiosos em ver a sequência de invencibilidade, que já durava 12 jogos, aumentar e a vantagem na liderança atingir os 14 pontos. Contudo, o São Paulo provou ser o carrasco celeste e, mesmo brigando contra o rebaixamento, venceu a Raposa por 2 a 0. De quebra, o Tricolor finalizou a invencibilidade de 21 partidas – 20 vitórias – mantida pelo Cruzeiro no Gigante da Pampulha desde a reabertura do estádio no início de 2013.

Os gols acabaram saindo perto do fim do jogo, com Douglas abrindo o placar aos 30 min da etapa final após um forte chute, e Reinaldo aos 34

min em nova assistência de Ademílson. Mesmo assim, o Cruzeiro já havia visto a derrota do Grêmio e a larga vantagem na liderança no Brasileiro continuou.

Cruzeiro 0 x 2 São Paulo

Vitória esperada

NÁUTICO

Náutico 1 x 4 Cruzeiro

26ª rodada | 6/10/2013

27


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Atlético 1 x 0 Cruzeiro

28ª rodada | 13/10/2013

ATLÉTICO

CRUZEIRO

1

LOCAL

0

Arena Independência, em Belo Horizonte (MG)

ÁRBITRO Luiz Flávio de Oliveira (SP) PÚBLICO

15.368 pagantes

RENDA

R$ 574.655,00

GOL

Fernandinho (A)

Sempre desagradável

Alex de Jesus - 13.10.2013

ESCALAÇÃO

FÁBIO LÉO

BRUNO RODRIGO

CEARÁ

EGÍDIO NILTON

EVERTON RIBEIRO

C

LUCAS SILVA (HENRIQUE)

RICARDO GOULART BORGES (ALISSON)

28

apesar de não atrapalhar o caminho rumo à taça, derrota para o rival incomoda

WILLIAN (DAGOBERTO) TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

om folga na liderança do Campeonato Brasileiro e o título cada vez mais palpável, o Cruzeiro foi surpreendido pelo ímpeto do Atlético na Arena Independência e acabou derrotado pelo placar mínimo, resultado de um bonito gol de Fernandinho. O revés no Horto marcou um fato inédito na temporada celeste até a concretização do título: o Cruzeiro nunca havia perdido duas partidas seguidas na temporada 2013. O Cruzeiro demorou para entender adinâmicadoclássicoeerapressionado pelo ataque adversário, com os laterais e volantes presos na defesa e Fábio sendo obrigado a trabalhar bastante. Foi apenas no início do segundo tempo que a equipe celeste saiu do seu casulo e assustou os atleticanos. Primeiro Everton Ribeiro e depois Ricardo Goulart conseguiram ficar cara a cara com o goleiro Giovanni, mas o arremate acabou não surtindo o efeito esperado e o zero não saiu do placar. Perto do fim da partida, nem mesmo Fábio foi capaz de impedir o forte chute de Fernandinho, que definiu a derrota celeste no domínio adversário.


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Borges dá a volta por cima, e Raposa continua inalcançável

Vantagem mantida 1

CRUZEIRO

30ª rodada | 20/10/2013

CORITIBA

CRUZEIRO

2

LOCAL

1

Estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR)

ÁRBITRO Jailson Macedo Freitas (BA) PÚBLICO

14.402 pagantes

RENDA

R$ 283.752,50

GOLS

Carlinhos e Keirrison (Cor); Dagoberto (C)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

BRUNO RODRIGO (LÉO)

CEARÁ

EGÍDIO (LUAN) NILTON

EVERTON RIBEIRO

RICARDO GOULART

BORGES (DAGOBERTO)

HENRIQUE

WILLIAN TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

0

Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

LOCAL

ÁRBITRO Paulo Henrique G. Bezerra (SC) PÚBLICO

31.564 pagantes

RENDA

R$ 1.270.930,00

GOL

Borges (C)

ESCALAÇÃO

FÁBIO LÉO

BRUNO RODRIGO

MAYKE

EGÍDIO (CEARÁ) NILTON

EVERTON RIBEIRO

LUCAS SILVA

RICARDO GOULART

BORGES (DAGOBERTO)

WILLIAN (ELBER) TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

Outro raro tropeço não abala confiança do time nem da torcida

Na hora certa

O

torcedor do C r u z e i r o tentava conter a euforia com a aproximação do título, mas dentro de campo havia trabalho a ser feito e as boas atuações da equipe celeste longe de casa não foram repetidas no Couto Pereira. A partida acabou sendo definida com gol do excruzeirense Keirrison em dia muito pouco inspirado de Alex. Antes de a bola rolar, homenagens da torcida do Coxa para o técnico Marcelo Oliveira, ex-comandante dos paranaenses, e da China Azul para Alex, o camisa 10

Joka Madruga/AE - 20.10.2013

do time mandante. Depois do apito inicial, o Cruzeiro demorou para se encontrar na partida. Aos 40 min, Dedé teve um gol anulado e, em

seguida, o Coritiba mexeu no placar com Carlinhos. A Raposa ainda chegou a empatar com pênalti convertido por Dagoberto, mas Keirrison sacramentou a vitória alviverde.

Coritiba 2 x 1 Cruzeiro

T

Uarlen Valério - 16.10.2013

riunfo magro, nervoso e com atuação de destaque de Fábio e redenção de Borges. O Cruzeiro voltou a vencer no Campeonato Brasileiro e impediu que o torcedor mais pessimista começasse a projetar o pior. O triunfo manteve a vantagem de dez pontos para o vice-líder Grêmio, e a confirmação do título era cada vez mais uma questão de tempo. A vitória por 1 a 0 contou novamente com um bom público – mais de 30 mil pagantes – no Mineirão e foi desenhada pelo gol de Borges, que chegou a ser vaiado por parte da torcida cruzeirense antes do apito inicial. As boas defesas de Fábio no segundo tempo, mesmo quando o Fluminense atuava com um homem a menos, também foram primordiais para que Marcelo Oliveira pudesse ter calma para encaminhar sua equipe ao título nacional.

FLUMINENSE

Cruzeiro 1 x 0 Fluminense

29ª rodada | 16/10/2013

29


Cruzeiro 5 x 3 Criciúma

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO 31ª rodada | 26/10/2013

Virada espetacular aponta que o título é uma questão de tempo

A

O campeão voltou

ssim como no primeiro turno, o Cruzeiro não teve vida fácil contra o Criciúma apesar da má campanha dos catarinenses. A partida no Mineirão foi recheada de surpresas, mas imperou a qualidade celeste e o triunfo foi concretizado para o alívio da China Azul. Após 20 minutos de partida, a pressão cruzeirense deu resultado e Everton Ribeiro abriu o placar aos 12 min para, pouco depois, dar bonito passe para Dagoberto ampliar. O Tigre reagiu e virou o marcador ainda na etapa inicial da partida com gols de João Vitor, Lins e Ricardinho. Marcelo Oliveira tirou seus comandados do estado de torpor

Douglas Magno - 26.10.2013

CRUZEIRO

CRICIÚMA

5

3

Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

LOCAL

ÁRBITRO Wilton Pereira Sampaio (GO) PÚBLICO

40.729 pagantes

RENDA

R$ 1.769.440,00

GOLS

Everton Ribeiro, Dagoberto (2) e Borges (2) (C); João Vitor, Lins e Ricardinho (Cri)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ CEARÁ (MAYKE)

acionado no primeiro tempo, e de Sueliton. Dagoberto Borges foi o primeiro a agir com completou o placar com dois gols após expulsão duvidosa um tento de pênalti.

EVERTON RIBEIRO

LÉO EGÍDIO

HENRIQUE (JÚLIO BAPTISTA)

LUCAS SILVA

WILLIAN (ELBER) DAGOBERTO BORGES

TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

Santos 0 x 1 Cruzeiro

32ª rodada | 3/11/2013

Golaço do destaque do time faz equipe por uma das mãos na taça SANTOS

CRUZEIRO

0

Estádio Vila Belmiro, em Santos (SP)

LOCAL

ÁRBITRO Marcelo de Lima Henrique (RJ) PÚBLICO

9.460 pagantes

RENDA

R$ 278.156,00

GOL

Everton Ribeiro (C)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

LÉO

CEARÁ

EGÍDIO NILTON

30

1 Contagem regressiva

EVERTON RIBEIRO (TINGA)

RICARDO GOULART

BORGES (JÚLIO BAPTISTA)

LUCAS SILVA

DAGOBERTO (ELBER) TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

U

m dos pilares do Cruzeiro na conquista do Campeonato Brasileiro, o meio-campista Everton Ribeiro foi fundamental para decretar a vitória celeste diante do Santos. O craque cruzeirense foi o autor do único gol da partida e, mais uma vez, premiou o torcedor com uma pintura. O camisa 17 saiu de três marcadores em jogada individual pela direita, conduziu para o meio e chutou firme, sem chances para Aranha. Everton Ribeiro ainda teve uma chance de ampliar no meio do segundo tempo, mas o arremate final acabou indo para fora. O Santos teve dificuldades para chegar ao gol celeste, e quando atingia o alvo, Fábio mostrava por que recebeu

Daniel Teixeira/AE - 3.11.2013

tantos elogios durante o Brasileirão. Nova vitória fora de casa da Raposa, e a ansiedade da China Azul atingia seu auge.


Cruzeiro 3 x 0 Grêmio

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

32

Torcida e jogadores esquecem a matemática e comemoram o tri após atuação de gala

“J

Título em casa

á está ganho; entrega logo a taça.” O clima de festa moldado pelo torcedor do Cruzeiro para o duelo diante do Grêmio contagiou os jogadores celestes, e a contundente vitória por 3 a 0 selou o título nacional. Para isso, a matemática precisou ser contrariada já que o Atlético-PR venceu o São Paulo por 3 a 0 e adiou o título matemático da Raposa. Após o apito final, Dagoberto não se conteve e queria levantar a taça para completar a festa do campeão do Campeonato Brasileiro 2013.

A partida teve início apenas às 17h, mas a folia cruzeirense começou antes mesmo de os primeiros raios de sol do domingo aparecerem no horizonte. Ao redor do Mineirão, a multidão azul marcava presença e a alegria estava estampada em todo rosto cruzeirense. Dentro de campo, a concentração e a entrega dos jogadores se converteram em gol após o voleio de Borges aos 33 min, fazendo o Gigante da Pampulha, literalmente, tremer. Apesar da ponta de frustração com a vitória do Furacão no Paraná, a torcida gritava tricampeão enquanto

Willian anotava o segundo tento celeste e Ricardo Goulart, aos 40 min, sacramentava o triunfo com o terceiro gol cinco estrelas. A explosão de euforia da torcida contagiou os jogadores, que chegaram a fazer uma volta olímpica para comemorar o título de campeão brasileiro. Comemoração. Depois da vitória no Mineirão, os cruzeirenses tomaram as ruas de Belo Horizonte e de várias outras cidades. O centro da capital mineira, por exemplo, teve o trânsito interrompido em vários trechos para o mar celeste passar.

Alex de Jesus - 10.11.2013


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Alex de Jesus - 10.11.2013

Denilton Dias - 10.11.2013

33ª rodada | 10/11/2013

CRUZEIRO

GRÊMIO

3

0

Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

LOCAL

ÁRBITRO Wilson Luiz Seneme (SP) PÚBLICO

56.864 pagantes

RENDA

R$ 5.231.711,00

GOLS

Borges, Willian e Ricardo Goulart (C)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

LÉO

CEARÁ

EGÍDIO NILTON

EVERTON RIBEIRO (LUAN)

RICARDO GOULART

BORGES (JÚLIO BAPTISTA)

LUCAS SILVA

DAGOBERTO (WILLIAN) TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

33


Vitória 1 x 3 Cruzeiro

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

34

Triunfo em Salvador confirma o que todo mundo sabia

A

Agora já é

confirmação matemática do título do Cruzeiro acabou sendo em pleno Barradão, com direito a um novo triunfo sobre o Vitória e mais festa na Bahia. Muitos torcedores celestes rumaram a Salvador a fim de acompanhar de perto o jogo que iria marcar a chegada de mais um troféu para o time celeste; e eles não se decepcionaram. Mesmo com a derrota do Atlético-PR para o Criciúma e o consequente título confirmados no intervalo do duelo no Barradão, a equipe cinco estrelas manteve a concentração na partida e a vitória foi construída sem maiores percalços. O primeiro gol foi anotado pela equipe campeã ainda no primeiro tempo: Willian recebeu o passe de Dagoberto e

finalizou deslocando o goleiro Wilson. Com a informação do título garantido, os celestes viram Dinei empatar o embate, mas conseguiram reagir com gols de Júlio Baptista e Ricardo Goulart, para a conquista da taça do Campeonato Brasileiro 2013 ficar marcada com mais uma vitória para o lado azul. Após o apito final, Marcelo Oliveira, até então um pouco contido em sua comemoração pôde, enfim, mostrar toda a sua alegria e festejar com o restante do grupo celeste. Mais festa. Enquanto a delegação do Cruzeiro comemorava em Salvador após o triunfo diante do Vitória por 3 a 1, a China Azul voltava a ocupar as ruas de Belo Horizonte e de outras cidades. As buzinas dos carros e o grito de tricampeão ditavam o ritmo da festa celeste, que não teve hora para acabar.

34ª rodada | 13/11/2013

VITÓRIA

CRUZEIRO

1

3

Estádio Barradão, em Salvador (BA)

LOCAL

ÁRBITRO Paulo Henrique G. Bezerra (SC) PÚBLICO

25.002 pagantes

RENDA

R$ 361.440,00

GOLS

Willian, Júlio Baptista e Ricardo Goulart (C); Dinei (V)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

LÉO

MAYKE LEANDRO GUERREIRO

RICARDO GOULART

EGÍDIO (EVERTON) LUCAS SILVA

WILLIAN

BORGES (JÚLIO BAPTISTA)

DAGOBERTO (TINGA) TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

Douglas Magno - 13.11.2013


Especial Cruzeiro CampeĂŁo Brasileiro 2013 | O TEMPO Douglas Magno - 13.11.2013

Douglas Magno - 13.11.2013

Pedro Gontijo - 13.11.2013

35


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

vasco 2 x 1 Cruzeiro

Cruzeiro 2 x 2 Ponte Preta

35ª rodada | 17/11/2013

36

No primeiro jogo "em casa" depois da taça garantida, placar foi o que menos importou

C

Festa sem fim

om o título do Brasileiro 2013 garantido, o técnico Marcelo Oliveira fez questão de pedir hombridade ao grupo do Cruzeiro nos compromissos restantes na competição nacional. Com isso, o comandante celeste acionou a maioria de seus principais jogadores; contudo, também aproveitou o momento para testar na equipe titular alguns reservas – como o zagueiro Paulão, o lateral Everton e o volante Souza – para já pensar na temporada de 2014. O duelo foi disputado em Uberlândia como punição por incidentes no último clássico, e pouco mais de 13 mil pagantes puderam ver a Ponte abrindo o

João Godinho - 17.11.2013

CRUZEIRO

PONTE PRETA

2

2

Estádio Parque do Sabiá, em Uberlândia (MG)

LOCAL

ÁRBITRO Claudio Francisco L. e Silva (SE) PÚBLICO

não divulgado

RENDA

não divulgada

GOLS

Leonardo (2) (P); Souza e Vinícius Araújo (C)

ESCALAÇÃO

FÁBIO PAULÃO

LÉO

CEARÁ

placar com Leonardo. A reação celeste veio na etapa final com gols de Souza e Vinícius Araújo, mas a

Macaca ainda conseguiu o empate nos acréscimos finais novamente com Leonardo.

EVERTON (LUAN) HENRIQUE (VINÍCIUS ARAÚJO)

SOUZA

JÚLIO BAPTISTA (ELBER)

ÉVERTON RIBEIRO

WILLIAN

36ª rodada | 23/11/2013

Flagra de conversa entre Júlio Baptista e Cris cria enorme celeuma

O jogo da polêmica 2

VASCO

C

om a taça garantida, o Cruzeiro buscava motivação para seguir em alto nível. Já o Vasco, ameaçadíssimo pelo rebaixamento, precisava da vitória. Dias antes, o ex-vascaíno Dedé deixou o profissionalismo de lado ao declarar que não queria jogar contra o clube que o revelou, mas nada que despertasse desconfiança. Em partida equilibrada, os cariocas venceram, mas a polêmica veio depois. Quando o jogo estava 2 a 0 para o Vasco, Júlio Baptista disse para Cris que o cruzmaltino fizesse logo o terceiro gol. Segundo o cruzeirense, que teve a versão confirmada pelo vascaíno, ele respondeu, em tom irônico, a uma provocação de Cris, que pedira para que a Raposa aliviasse a pressão.

TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

RICARDO GOULART

LOCAL

Marcelo Moreira/Futura Press

CRUZEIRO

1

Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

ÁRBITRO Marcos André G. da Penha (ES) PÚBLICO

32.988 pagantes

RENDA

R$ 667.340,00

GOLS

Thalles e Edmilson (V); Paulão (C)

ESCALAÇÃO

RAFAEL PAULÃO

LÉO

CEARÁ

EVERTON (LUAN) NILTON (ALISSON)

ÉVERTON RIBEIRO

LUCAS SILVA

RICARDO GOULART (ELBER)

VINICIUS ARAÚJO (JÚLIO BAPTISTA)

WILLIAN TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA


Cruzeiro recebe a taça e Bahia fica na Primeira Divisão 37ª rodada | 1/12/2013

CRUZEIRO

BAHIA

1

LOCAL

2

Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

ÁRBITRO André Luiz de Freitas Castro-GO PÚBLICO

47.999

RENDA

R$ 2.224.495,00

GOLS

Marquinhos e Anderson Talisca (B); Vinícius Araújo (C)

ESCALAÇÃO

FÁBIO DEDÉ

BRUNO RODRIGO

CEARÁ

EGÍDIO LUCAS SILVA

RICARDO EVERTON GOULART RIBEIRO (WILLIAN) (JÚLIO BAPTISTA) BORGES (VINÍCIUS ARAÚJO)

SOUZA

DAGOBERTO

Festejo duplo e pela metade É claro que a torcida queria uma vitória no dia da entrega do troféu de campeão brasileiro, mas ela não veio. Nem por isso, a festa depois do jogo, dentro do estádio, foi menor. Ao contrário, foi dupla. O triunfo do Bahia, com um gol nos descontos, fez o time da Boa Terra se livrar do rebaixamento. A

lamentar, só o cancelamento do evento promovido pelo clube que aconteceria fora do Mineirão após a partida, com trio elétrico e cerveja para os celestes que não puderam entrar no Mineirão. Duas organizadas, as mesmas que haviam entrado em confronto no clássico com Atlético, brigaram e estragaram tudo.

Cruzeiro 1 x 2 bahia

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

DENILTON DIAS - 01.12.2013

TÉCNICO: MARCELO OLIVEIRA

37


CRUZEIRO campeã

Em pé: Fábio, Nilton, Henrique, Léo, Ricardo Goulart, Lucas Silva, Bruno Rodrigo, Souza, Dedé, Borges, Júlio Baptista, Rafael e Dagoberto;


ão BRASILEIRO 2013

Douglas Magno

Agachados: Leandro Guerreiro, Tinga, Éverton, Vinícius Araújo, Élber, Egídio, Luan, Lucca, Everton Ribeiro, Willian e Ceará Detalhes: Marcelo Oliveira, Mayke, Martinuccio, Alisson, Anselmo Ramon e paulão


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

UM TIME EM EVOLUÇÃO Apesar de manter uma espinha dorsal, equipe titular do Cruzeiro sofreu alterações ao longo da temporada O Cruzeiro renovou praticamente todo o seu elenco para a temporada 2013. Foram mais de 14 atletas contratados. Entre eles, o zagueiro Dedé, a mais cara aquisição da história do clube – R$ 14 milhões. Além disso, todo um projeto era iniciado por uma nova comissão técnica. O trabalho, que começou sob o olhar desconfiado da torcida celeste e de boa parte da mídia esportiva, logo começou a se consolidar. Já em seu primeiro grande confronto, o Cruzeiro venceu o Atlético -MG por 2 a 1, no dia 3 de fevereiro, na reabertura do Mineirão. Apesar de não ter conquistado o Campeonato Mineiro, perdido para o rival alvinegro, o time, há pouco tempo junto, já apresentava

um futebol envolvente e de toque de bola, fazendo jus à escola cruzeirense. Ao longo da temporada, o entrosamento foi sendo aperfeiçoado e o técnico Marcelo Oliveira manteve uma espinha dorsal para o time. Ainda assim, mudanças ocorreram. E as escolhas feitas pelo treinador celeste foram bem-sucedidas. O meio-campo Lucas Silva, jovem revelação da base do Cruzeiro, ganhou a titularidade e se consolidou na equipe. Diego Souza foi negociado, e como uma luva, Willian chegou para entrar no time e ajudar o ataque celeste a superar a marca de cem gols na temporada. Além do encaixe perfeito e da qualidade do elenco, a confiança, segundo o atacan-

te, foi fundamental para a evolução da equipe. “A gente foi ganhando confiança em cada jogo e não perdemos o foco. O time não se acomodou em nenhum momento. Foi no jogo contra o Grêmio que vimos que o título era nosso”, afirmou o jogador, que no fim da temporada também alternou a titularidade do time com o atacante Dagoberto. O zagueiro Bruno Rodrigo, que dividiu com Dedé um dos destaques na conquista do tricampeonato, ressaltou o ano positivo da Raposa em 2013. “Foi um ano maravilhoso, muito bom, com a equipe toda crescendo de produção e apresentando um grande futebol”, declarou.

40

EQUIPE DA FINAL DO BRASILEIRO 2013

EQUIPE DA ESTREIA DO BRASILEIRO 2013

EQUIPE DA FINAL DO CAMPEONATO MINEIRO

EQUIPE QUE INICIOU A TEMPORADA

CONFIRA AS MUDANÇAS

Fábio

Ceará

Paulão

Bruno Rodrigo

Egídio

Leandro Guerreiro

Nilton

Everton Ribeiro

Ricardo Goulart

Everton Anselmo Ramon

Fábio

Ceará

Paulão

Léo

Egídio

Leandro Guerreiro

Nilton

Everton Ribeiro

Diego Souza

Dagoberto

Borges

Fábio

Ceará

Dedé

Bruno Rodrigo

Egídio

Leandro Guerreiro

Nilton

Everton Ribeiro

Diego Souza

Dagoberto

Borges

Fábio

Ceará

Dedé

Bruno Rodrigo

Egídio

Nilton

Lucas Silva

Everton Ribeiro

Ricardo Goulart

Dagoberto

Borges


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Campanha de time que dominou o Brasil e encantou o mundo completa 10 anos com números até hoje imbatíveis

10 anos da Tríplice Coroa O ano de 2013 é para ser comemorado pelos cruzeirenses não “somente” pelo tricampeonato brasileiro. Há uma década, o Cruzeiro conquistava de forma brilhante a Tríplice Coroa. Os títulos do Campeonato Mineiro e da Copa do Brasil, de forma invicta, e do Campeonato Brasileiro coroaram um time vencedor, que dominou o Brasil, e com o talento do meia Alex, encantou o mundo, conquistando três dos quatro torneios que disputou. A equipe comandada por Vanderlei Luxemburgo não venceu apenas a Copa Sul-Americana, quando saiu na primeira fase, mesmo sem perder nenhuma partida. A avassaladora superioridade celeste sobre os adversários em 2003 pode ser comprovada pelos números do time na temporada. Foram 73 jogos, com 52 vitórias, 13 empates e apenas oito derrotas, um aproveitamento de 77,16%. A Raposa marcou 168 gols e sofreu 67. Dez anos depois, a campanha impecável enche de orgulho os torcedores cruzeirenses e os próprios atletas, que escreveram a temporada mais vitoriosa da história azul-estrelada. O goleiro Gomes classifica 2003 como um ano perfeito para um time fora do comum. “E como foi perfeito. Acho que nenhum cruzeirense

Elcio Paraiso - 7/12/2003

se esquecerá daquele ano. Nenhum clube repetiu essa façanha porque é muito difícil de se conquistar. Não é para qualquer time. Tem que ter algo especial, algo diferente. Algo que só aquele time tinha”, afirma. O arqueiro fez questão de ressaltar o planejamento

feito pelo clube para se alcançar as conquistas. “O planejamento foi determinante para as conquistas. Passo a passo, fomos conquistando os títulos sem querer abraçar o mundo. O (Vanderlei) Luxemburgo foi muito feliz”, concluiu.


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Comando sem pompa, mas eficaz Gilvan de Pinho Tavares

“A principal marca desse título foi o fato de a gente trabalhar com organização, com planejamento e com o grupo competente que temos. Vimos que, dessa forma, dá para ganhar título muito rápido.”

O

Pedro Vilela/VIPCOMM

s erros do passado são valiosos ensinamentos para a construção do sucesso de amanhã. A frase resume bem a história recente construída pelo presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, dentro do clube. Depois de um 2012 desastroso, quando a Raposa lutou para não cair no Brasileirão, o dirigente reformulou ideais e fez apostas certeiras com a chancela do diretor de futebol, Alexandre Mattos. A ânsia de se chegar às conquistas de forma rápida e desordenada deu lugar ao planejamento elaborado minuciosamente, com alguns desvios não programados, mas igualmente importantes. O jeito prolixo mas ativo de Gilvan provou estar na medida para comandar um clube e saber extrair o melhor de seus subordinados. Como consequência disso, além de uma equipe campeã, o Cruzeiro de Gilvan vai se tornando, aos poucos, exemplo de competência. Com um tipo de trabalho sem grandes pompas, mas eficaz e que, principalmente, tenta pensar no molde do amanhã sempre de olho na constante evolução.

suco de uva

Aliança

O melhor suco de uva do Brasil

44

Contato com Wanderley (31)9978-2751


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

um líder sereno e contagiante “No futebol, você vive de conquistas. Eu não ouvi o que as pessoas falavam e vim porque confiava no meu trabalho. Estou muito feliz pelos jogadores, pelo trabalho, pela entrega”

T

odo início de caminhada é recheado de incertezas, desafios e descobertas. Com Marcelo Oliveira não foi diferente. Em sua chegada ao Cruzeiro, o técnico foi obrigado a ser paciente e confiante para superar a rejeição da maioria dos torcedores celestes devido ao seu passado no arquirrival Atlético. Contudo, essas virtudes tão necessárias para o treinador enfrentar os primeiros percalços já faziam parte da base de valores que moldam Marcelo, que o faz ser um líder que vale a pena ser seguido. E foi com esse jeito sincero e trabalhador que ele conseguiu fascinar o mais carrancudo torcedor cruzeirense e, principalmente, os jogadores que acreditaram em suas palavras para superar o revés no Mineiro e a eliminação na Copa do Brasil, e conquistar, de maneira incontestável, o Campeonato Brasileiro.

Marcelo Oliveira MARIELA GUIMARãES - 28.5.2013

45


O ÍDOLO

FÁBIO O dono da camisa 1 azul não precisou de títulos nacionais e internacionais para entrar para o rol dos maiores ídolos do Cruzeiro, mas foi presenteado com o troféu bem no ano de comemoração dos dez anos da Tríplice Coroa. Homem abençoado, de fé, como ele mesmo diz, Fábio ocupa o posto há nove anos, período em que nem sempre foi unanimidade. Mas manteve o espírito guerreiro e mostrou porque é o xodó da torcida. Sem muito trabalho na maior parte de 2013 por conta da sólida defesa, o goleiro fechou o gol, sem se importar com o sacrifício que fazia, e voltou a levantar os questionamentos de sua ausência na seleção brasileira. POSIÇÃO

Goleiro IDADE

33 anos ALTURA

1,88 m NO CLUBE

Desde 2005

46

1

FERNANDA CARVALHO / O TEMPO

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

O REGULAR

Se um dos trunfos da Raposa foi a rapidez, Ceará teve que correr muito para vencer a disputa por sua posição. Usou a experiência para driblar os incidentes e contusões e fez da direita do time um ótimo corredor para fornecer bolas que terminaram em gols. Com muita simplicidade, o cearense ajudou os companheiros de equipe Everton Ribeiro e Nilton a brilharem, dividindo seu lado do campo.

WASHINGTON ALVES/ VIPCOMM

CEARÁ

POSIÇÃO

Lateral-direito IDADE

33 anos ALTURA

1,75 m NO CLUBE

Desde julho de 2012

2

47


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

BRUNO RODRIGO Bruno Rodrigo se tornou uma parede para os adversários do Cruzeiro. Enquanto Marcelo Oliveira realizava testes na zaga no início do ano, o jogador se destacou e garantiu sua posição entre os titulares. Ao lado de Dedé, o eficiente zagueiro fez com que Fábio tivesse pouco trabalho. Com espírito de equipe bastante aguçado, Bruno Rodrigo defendeu os companheiros em momentos difíceis e nunca deixou de dividir o mérito de seu bom momento. No Santos, era reserva. POSIÇÃO

Zagueiro IDADE

28 anos ALTURA

1,86 m NO CLUBE

Desde janeiro de 2013

48

33

RODRIGO LIMA / O TEMPO

A SURPRESA


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

O EMOTIVO

Mesmo sem ganhar títulos importantes no Vasco, o zagueiro foi apelidado de mito e chegou ao Cruzeiro com status de craque. Ainda no aeroporto, foi recepcionado por centenas de cruzeirenses. Tropeçou no começo, mas usou o talento para provar que não havia dúvidas: é atleta de seleção sim e titular incontestável. Ao falar de problemas de saúde da irmã, não conteve as lágrimas, mas mostrou pouco profissionalismo ao se recusar a jogar contra seu ex-clube, ameaçado de rebaixamento.

MARIELA GUIMARAES / O TEMPO

DEDÉ

POSIÇÃO

Zagueiro IDADE

25 anos ALTURA

1,92 m NO CLUBE

Desde abril de 2013

26

49


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

O PERSEVERANTE

EGÍDIO Foram muitas as reclamações sobre a lateral esquerda celeste, mas as cobranças não abalaram Egídio, que entrou para substituir Everton, ainda no Mineiro. O jogador, que se sagrou campeão da série B no ano anterior com o Goiás, se encaixou bem no esquema mais ofensivo da Raposa e colocou também um título da elite em seu currículo. Egídio acabou por garantir sua titularidade e, com forte marcação, terminou com os problemas que haviam na esquerda do time estrelado. POSIÇÃO

Lateral-esquerdo IDADE

27 anos ALTURA

1,77 m Desde dezembro de 2012

50

6

DENILTON DIAS/ VIPCOMM

NO CLUBE


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

O EX-BRUCUTU

NILTON Nilton foi um dos que não chegaram badalados ao time, mas trazia boas expectativas. Muito carismático, o jogador encarnou o espírito da torcida e vestiu mesmo a camisa. No meio-campo, foi um verdadeiro carregador de piano, como sempre fez, mas surpreendeu a não se limitar apenas na marcação. Foi ao ataque e marcou belos gols, chegando até mesmo a assumir a artilharia celeste na campanha do Brasileirão por algumas rodadas.

POSIÇÃO

Volante IDADE

25 anos ALTURA

1,85 m NO CLUBE

19

WASHINGTON ALVES / TEXTUAL

Desde janeiro de 2013

51


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

O GALÃ

LUCAS SILVA

O príncipe da equipe, como passou a ser chamado pela parte feminina da torcida e até pelos companheiros de time, agarrou com unhas e dentes a oportunidade que recebeu na equipe titular. Se destacou pela disciplina em campo e pelos fortes chutes de fora da área. Quando estreou as redes adversárias, marcou logo dois golaços, para delírio da China Azul e de seu já criado fã-clube. POSIÇÃO

Volante IDADE

20 anos ALTURA

1,82 m NO CLUBE

52

16

WASHINGTON ALVES/VIPCOMM

Revelado nas categorias de base.


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

O CRAQUE

Ele foi, sem dúvida, o grande maestro da campanha do título. Retribuiu a confiança de Marcelo Oliveira, que o trouxe do Coritiba, com gols históricos e assistências que facilitaram a vida dos atacantes. O jogador atraiu as atenções da mídia nacional e internacional, e já é observado pelos olheiros dos times de fora. Nem o presidente Gilvan de Pinho Tavares deixou passar o talento do badalado atleta e entregou uma placa pelo gol mais bonito no novo Mineirão: um belo tiro de placa, anotado contra o Flamengo, pela Copa do Brasil.

DENILTON DIAS/ VIPCOMM

EVERTON RIBEIRO

POSIÇÃO

Meia-atacante IDADE

24 anos ALTURA

1,74 m NO CLUBE

Desde janeiro de 2013

17

53


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

A APOSTA

Entre as apostas que o clube trouxe, Ricardo Goulart foi uma das maiores surpresas. Disputado por Atlético e Cruzeiro no começo de 2013, o jogador escolheu a Toca II e fez muito sucesso na temporada. Com fama de apaixonado fora das quatro linhas, Goulart mostrou também sua paixão pela bola e sede por balançar as redes adversárias quando ainda era reserva. E foi com a mesma determinação que conquistou a condição de titular e a artilharia do time. POSIÇÃO

Meia-atacante IDADE

22 anos ALTURA

1,78 m NO CLUBE

Desde janeiro de 2013

54

31

WASHINGTON ALVES/VIPCOMM

RICARDO GOULART


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

O BIGODE

Símbolo de raça, o atacante do bigode foi um dos últimos a chegar, mas se tornou o xodó da torcida. Willian foi uma troca acertada com Diego Souza, que foi para o Metalist-UCR. E ninguém duvida. Sem muito espaço no meio de campo, o jogador precisou cavar uma vaga no time de Marcelo Oliveira. Imprimiu velocidade ao lado direito e, na raça, fez o papel de garçom e de atacante. Resultado: a torcida aprovou sua ousadia e usou o bigode de Willian como amuleto. A moda pegou até nos jogadores, numa forma de homenagear e encorajar o atleta.

DENILTON DIAS/ VIPCOMM

WILLIAN

POSIÇÃO

Atacante IDADE

27 anos ALTURA

1,71 m NO CLUBE

Desde julho de 2013

41

55


O PERSEGUIDO

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

O experiente atacante chegou ao Cruzeiro com a expectativa de repetir a campanha que realizou no Santos, quando se sagrou artilheiro do Brasileirão, em 2011. E fez mesmo a diferença no ataque celeste. Foram mais de 26 gols anotados somente nesta temporada, sendo dez deles apenas no Brasileirão. Titular absoluto, Borges não teve trabalho para conquistar a torcida e se tornou a referência na frente do time. Porém, foi muito "cornetado" por boa parte da torcida e por um bom tempo.

POSIÇÃO

Atacante IDADE

33 anos ALTURA

1,76 m NO CLUBE

Desde janeiro de 2013

9 56

MARIELA GUIMARAES / O TEMPO

BORGES


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

O SUPERCAMPEÃO

Papa-Brasileirões. É assim que se resume o habilidoso Dagoberto. Com passes refinados e muita intimidade com a bola, o jogador já tinha três Brasileiros no currículo e queria conquistar o tetra. E conseguiu. Sem vida fácil por conta da forte concorrência no ataque, Dagol passou longo tempo no departamento médico e retornou quando o Cruzeiro já ocupava a liderança e caminhava para o título. Fez a diferença e reconquistou sua vaga, fazendo sua estrela brilhar ainda mais nos duelos decisivos contra o Grêmio e contra o Vitória.

JOAO GODINHO / O TEMPO

DAGOBERTO

POSIÇÃO

Atacante IDADE

30 anos ALTURA

1,75 m NO CLUBE

Desde janeiro de 2013

11

57


JÚLIO BAPTISTA Último reforço celeste, o rodado Júlio Baptista veio para dar peso ao jovem meio-campo estrelado. La Bestia, como ficou conhecido fora do Brasil, teve pouco tempo para mostrar serviço em campo por causa de uma lesão sofrida na panturrilha, mas honrou seu status de estrela quando pôde. Atuando como meia, o armador com espírito de atacante também escreveu seus gols na história do time.

POSIÇÃO

Meia IDADE

32 anos ALTURA

1,83 m NO CLUBE

Desde julho de 2013

58

10

DENILTON DIAS / O TEMPO

O EXPERIENTE

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

A REVELAÇÃO

Mayke fez da juventude um aspecto a seu favor. Depois de muita cobrança da torcida por um novo lateral-direito, o jogador foi promovido da base e estreou sob os olhares atentos de quem estava na arquibancada. E não decepcionou. Poder ofensivo e marcação foram pontos fortes do jovem, que precisava mostrar serviço e ganhar a confiança de todos. Plantou uma dúvida na cabeça do treinador e, sem ser um dos titulares absolutos, virou um reserva de luxo.

WASHINGTON ALVES/VIPCOMM

MAYKE POSIÇÃO

Lateral-direito IDADE

20 anos ALTURA

1,78 m NO CLUBE

Revelado nas categorias de base

32 59


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

O ILUMINADO

O FERRUGEM

LUAN

SOUZA

Desde que chegou, recomendado pelo técnico Felipão, deixou claro que brigaria pela titularidade. O jogador se encaixa no perfil de atletas que se entregam com muita vontade. Luan não se importou com a possibilidade de ganhar fama de carrasco e fez até hat-trick diante do São Paulo. Ambicioso, Luan já havia afirmado que disputaria a artilharia, e ajudou mesmo o Cruzeiro a aumentar seu astronômico saldo de gols no Brasileirão.

No grupo dos celestes que chegaram sem muito glamour, veio Souza. Envolvido numa troca do Palmeiras com Ananias, o ruivo chegou de maneira discreta, mas não demorou a ganhar chances de estrear. Apelidado de Salmão, o jogador desempenhou um bom papel de garçom e também se tornou opção nas bolas paradas.

POSIÇÃO

25 anos ALTURA

1,86 m NO CLUBE

fotos cruzeiro/divulgação

Desde fevereiro de 2013

60

Volante IDADE

Atacante IDADE

POSIÇÃO

88

25 anos ALTURA

1,83 m NO CLUBE

Desde junho de 2013

78


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

O TORCEDOR

O zagueiro Léo já começou o ano com o desafio de se recuperar totalmente de uma cirurgia realizada no joelho em 2012. Apesar de seus esforços, demorou a conseguir voltar, principalmente com a chegada de Dedé. Mas, na primeira oportunidade, Marcelo colocou Léo na zaga, e o jogador, torcedor fanático da Raposa, correspondeu. Sua forte presença foi essencial para que saísse na frente na disputa pela vaga na reta final da competição.

MARIELA GUIMARAES / O TEMPO

LÉO

POSIÇÃO

zagueiro IDADE

25 anos ALTURA

1,84 m NO CLUBE

Desde agosto de 2010

3

61 61


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

O GAROTO DA BASE

VINÍCIUS ARAÚJO

Aos 20 anos de idade, Vinícius Araújo já virou uma referência para os pequenos torcedores que querem ser jogadores de futebol. Inspirado em Kléber, o Gladiador, o atacante realmente demonstrou similaridade com o ídolo quando a bola rolava. Na raça, Vinícius não acreditava em jogada perdida, se empenhava muito, e sabia bem chegar à área adversária. Estourou ainda no Campeonato Mineiro e, apesar de ter tido poucas oportunidades no Brasileirão, foi um dos destaques da conquista. POSIÇÃO

Atacante fotos cruzeiro/divulgação

IDADE

20 anos ALTURA

1,76 m NO CLUBE

Revelado nas categorias de base.

30 62 62

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

O ATLETA

LEANDRO GUERREIRO Valorizado por Marcelo Oliveira, Guerreiro teve papel importante nos primeiros jogos do Brasileirão. Com a responsabilidade de acabar com as cobranças da torcida, teve que ser um verdadeiro guerreiro para dar conta do recado. Usava a experiência fora de campo para dar tranquilidade aos mais jovens do elenco, e chamou a atenção novamente pelo bom condicionamento físico. POSIÇÃO

Volante

55

IDADE

35 anos ALTURA

1,83 m NO CLUBE

Desde janeiro de 2011


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

12

22

RAFAEL

4

ELISSON

VICTORINO

POSIÇÃO: Goleiro

POSIÇÃO: Goleiro

POSIÇÃO: Zagueiro

24 anos / 1,92 m NO CLUBE: Revelado nas categorias de base

IDADE / ALTURA:

26 anos / 1,87 m NO CLUBE: Voltou ao Cruzeiro em 2013

IDADE / ALTURA:

IDADE / ALTURA:

86

23

PAULÃO CAVEIRÃO

7

EVERTON

TINGA

POSIÇÃO: Zagueiro

POSIÇÃO: Volante

POSIÇÃO: Meia

27 anos / 1,87 m NO CLUBE: Desde janeiro de 2013

IDADE / ALTURA:

29 anos / 1,71 m NO CLUBE: Desde julho de 2010

IDADE / ALTURA:

IDADE / ALTURA:

31 anos / 1,82 m fevereiro de 2011

NO CLUBE: Desde

8

35 anos / 1,70 m março de 2012

NO CLUBE: Desde

40

HENRIQUE

27

ALISSON

ELBER

POSIÇÃO: Volante

POSIÇÃO: Meia

POSIÇÃO: Meia

28 anos / 1,80 m NO CLUBE: Voltou em janeiro de 2013

IDADE / ALTURA:

20 anos / 1,74 m NO CLUBE: Revelado nas categorias de base

IDADE / ALTURA:

IDADE / ALTURA:

21 LUCCA

22 anos / 1,70 m

NO CLUBE: Revelado nas categorias de base

99 ANSELMO RAMON

20 MARTINUCCIO

POSIÇÃO: Atacante

POSIÇÃO: Atacante

POSIÇÃO: Atacante

23 anos / 1,78 m NO CLUBE: Desde janeiro de 2013

IDADE / ALTURA:

25 anos / 1,82 m NO CLUBE: Desde maio de 2011

IDADE / ALTURA:

IDADE / ALTURA:

26 anos / 1,77 m setembro de 2012

NO CLUBE: Desde

63


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

UM TRABAlHO EM EQUIPE Conheça os integrantes da comissão técnica cruzeirense que trabalharam, diariamente, para criar um ambiente familiar e determinar o sucesso do esquadrão estrelado

P

ara se alcançar uma conquista é preciso uma grande estrutura. Por trás do título de campeão do Brasileiro de 2013, a comissão técnica do Cruzeiro demonstrou a importância de um trabalho em equipe. Desde a formação técnica e tática do time com o técnico Marcelo Oliveira e seus auxiliares, passando pela preparação física, que fez com que o time voasse em campo; pelo setor de

fisiologia, que administrou o cansaço dos atletas para evitar lesões; pelo departamento médico, recuperando os lesionados e os colocando em condições clínicas ideais para realizar o melhor trabalho possível, e por todos os outros profissionais que prepararam todo o cenário para que a equipe celeste pudesse ser a estrela principal dessa campanha e conquistar o tricampeonato brasileiro.

Comissão técnica

Diretor de futebol: Alexandre Mattos

Preparador de goleiros: Robertinho

Estagiário site oficial: Gustavo Aleixo

Gerente de futebol: Valdir Barbosa

Fisiologista: Eduardo Pimenta

Auxiliar de Tecnologia Esportiva: André Batista

Fisiologista: Rodrigo Morandi Supervisor de futebol: Benecy Queiroz

Nutricionista: Flávia Almeida Médico: Sérgio Freire Júnior Massagista: Barjão

Diretor de comunicação: Guilherme Mendes

Médico: Walace Espada Massagista: Edmar Antônio Silva Médico: Leonardo Corradi Roupeiro: Geraldo Barros

Auxiliar técnico: Tico dos Santos Fisioterapeuta: André Rocha

Roupeiro: José Eduardo Gil

Auxiliar técnico: Ageu Gonçalves Fisioterapeuta: Charles Costa Preparador físico: Juvenilson de Souza Preparador físico: Quintiliano Lemos

64

Preparador físico: Eduardo Freitas

Fisioterapeuta: Ronner Bolognani

Auxiliar de campo: Vagner Gonçalves

Fisioterapeuta: Jomar Ottoni

Almoxarife: Carlos Roberto

Enfermeiro: Marco Antônio

Administrador da Toca II : Otávio Coutinho

Assessor de imprensa: Bruno Faleiro


HÁ MAIS DE 35 ANOS ATUANDO NO MERCADO IMOBILIÁRIO. Estruturado sobre pilares fortemente erguidos, o grupo se destaca cada vez mais em seu segmento. Admirada como um grande case de sucesso, essa história demonstra a importância da técnica, do know how e a eficácia de sua gestão. Critérios estes que, trabalhados em fina sintonia, levaram o grupo ao patamar de hoje: a melhor empresa loteadora do estado de Minas Gerais. Desenvolvendo um ambiente de negócios inspirador, o Grupo Vitória da União aposta na criatividade para inovação de seus projetos e no potencial de seu capital humano, reforçando a imagem de uma empresa em constante crescimento e credibilidade. Sempre superando limites, valoriza o indivíduo, o bem-estar, renova parcerias e recicla ideias de sustentabilidade em um conceito ambientalmente correto e de máxima transparência.

OS MELHORES LOTES EM CONDOMÍNIO DE LUXO!


TOCA III

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Desde a reabertura, no dia 3 de fevereiro de 2013, o Cruzeiro tornou-se praticamente imbatível no Mineirão

CASA DO CAMPEÃO O Cruzeiro sentiu muito a sua falta e mostrou que não sabe viver sem ele. O estádio Mineirão é um dos grandes responsáveis por mais uma das inúmeras histórias de glórias do clube. Depois de dois anos fechado para reforma e, coincidentemente, período em que a equipe celeste realizou campanhas ruins e até brigou contra o rebaixamento, o Gigante da Pampulha parece ter renovado as forças cruzeirenses. O reencontro foi perfeito. Com um campo de jogo remodelado, com a torcida empolgada e com um grande

time que sufocava os rivais e marcava muitos gols, a Raposa passou por cima da maior parte dos adversários. Dos 25 jogos realizados no estádio em 2013, o Cruzeiro venceu 23, empatou um e perdeu apenas um, com o aproveitamento espetacular de 93,3%. Pelo Brasileirão, foram 14 jogos, com 12 vitórias, um empate e uma derrota. Assim como a torcida, os jogadores reconheceram e exaltaram o retorno do clube ao local que muitos chamam de Toca da Raposa III. “O torcedor estava sentindo muita falta do Mineirão. É um estádio que agregou muito ao

nosso grupo e soubemos usufruir disso. Usamos o fator casa para contar com o apoio da nossa torcida e conquistar grandes vitórias. Essa foi uma engrenagem que deu muito certo”, declarou o volante Nilton, um dos principais destaques do Cruzeiro na temporada. Eleito por muitos como o grande maestro do time, o armador Everton Ribeiro também destacou a força da equipe no Gigante da Pampulha. “O Mineirão, com o apoio da nossa torcida, fez a diferença a nosso favor durante todo o campeonato brasileiro”, afirmou o jogador. Lúcia Sebe/Imprensa MG


show da torcida

NÚMEROS JOGOS

VITÓRIAS

EMPATES

DERROTAS

GOLS MARCADOS

GOLS SOFRIDOS

15 12 1 2 37 12 douglas magno

Além das grandes vitórias e de um futebol envolvente, o Mineirão também trouxe de volta para a equipe do Cruzeiro um título importante. Dez anos depois de registrar a melhor campanha de sua história, a Raposa volta ao cenário do futebol nacional como a melhor equipe do país. Apesar de a conquista do caneco de 2013 ter ocorrido fora de casa, no jogo contra o Vitória, no Barradão, o Gigante da Pampulha foi um dos grandes responsáveis pelo sucesso da equipe, tanto pelos resultados obtidos quanto pela adesão dos torcedores ao programa Sócio do Futebol, que angariou mais fundos para a diretoria celeste montar uma equipe forte. Com toda essa importância, a Toca III só poderia receber, com milhares de cruzeirenses nas arquibancadas, a festa de campeão e a taça oficial do Brasileirão, entregue no duelo com o Bahia. “Deu muito certo a nossa relação com o Mineirão, desde o primeiro jogo. Essa volta para o Mineirão foi muito importante, fez muita diferença. Os adversários sentiam a atmosfera que se criava. Conseguimos fazer grandes jogos em casa”, avaliou o maestro Everton Ribeiro. Assim como ao longo de sua história, os cruzeirenses esperam que o Mineirão, após o título do Brasileiro de 2013, volte a registrar muitos títulos da Raposa.

TOCA III

Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Em êxtase com a ótima fase do Cruzeiro, torcedores criam campanhas e ditam moda na internet

ONDA AZUL INVADE AS REDES SOCIAIS

Douglas Magno

68

F

oi a boa campanha que puxou a torcida, ou a torcida que empurrou para uma boa campanha? A pergunta nunca terá uma resposta exata. O certo é que, se dentro do Mineirão a China Azul mostrou sua força com recordes de público e um apoio incondicional aos guerreiros celestes, fora dele os torcedores também empurraram o clube e ditaram moda nas redes sociais. Assim como o time, que fazia grandes apresentações em seus jogos, a torcida criava formas de incentivar e demonstrar seu apoio. No

Twitter e no Facebook todos estavam #FechadosComOCruzeiro. A hashtag caiu no gosto dos torcedores celestes, que, em dias de jogos, bombardeavam as páginas da internet com a expressão, que virou slogan de publicidade para o clube. Nas partidas mais badaladas, #FechadoComOCruzeiro estava entre os termos mais usados no microblog no Brasil. “Eu usava a tag assim que ela começou. Depois da derrota do Campeonato Mineiro, vários vídeos foram feitos, e terminavam em #FechadoComOCruzeiro. Isso se

estendeu para estádio, Facebook, Twitter, internet. Eu sempre usava, principalmente quando acabava os jogos. Eu a colocava junto com a hashtag #sigaolíder e, para mim, foi isso que deu sorte” , afirmou o inspetor de qualidade Thiago Monteiro, 26. Para o estudante de engenharia Gustavo Martins, 23, a euforia na internet foi uma mostra de que a torcida reconhecia o trabalho da equipe, e teve um impacto positivo para os jogadores. “Participei da campanha postando vídeos, fotos, frases de incentivo e principalmente convidando outros da


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO Joao Godinho - 13.10.2013

China Azul a estar sempre no campo. Para o elenco, teve o melhor impacto possível. Quando o time está bem e a torcida reconhece, a tendência é o grupo continuar bem”, explicou. À medida que o time evoluía dentro de campo, grandes personagens da campanha campeã se destacavam. Um deles foi o atacante Willian. Com seu bigode, ele caiu rapidamente no gosto popular. Em alusão ao funk “Bigode Grosso”, a China Azul lançou a “Respeita o Bigode”, em homenagem ao jogador. A admiração pelo ídolo era tanta que os torcedores também passaram a usar bigodes. Aqueles que não tinham por natureza pintavam à caneta ou até mesmo forjavam o adereço com os dedos para tirar fotos e publicá-las nas redes sociais. Em alguns casos os cruzeirenses compravam o enfeite. Até mesmo na casa do maior rival azul, o Atlético, em dia de clássico, os bigodes foram z vendidos. O sucesso pegou Willian de surpresa. “Não, eu não imaginava (o sucesso que ia fazer). Fico feliz com o carinho do torcedor, da brincadeira de deixar o bigode. A gente sabe que é uma brincadeira sadia”, declarou o jogador. A diferença da Raposa para os adversários foi tamanha, que a conquista se configurou com bastante antecedência. E, com o título praticamente encaminhado, a China Azul não conteve a euforia e, antes mesmo do fim da competição, resolveu colocar a #BandeiraNaJanela. A hashtag rapidamente se espalhou pelo Twitter e ganhou Minas. Belo Horizonte foi pintada de azul e, por onde se passava, era possível ver a bandeira cruzeirense tremulando. As imagens eram compartilhadas pelos torcedores no Instagram e no Facebook, numa forma de afirmar a crença de que o tri estava perto de vir.

JOAO GODINHO-7.11.2013

“A torcida viu que os jogadores estavam com o time. Por outro lado, o time sentiu que, nas arquibancadas, a torcida estava unida. Isso acabou sendo a motivação para o restante da temporada. A China Azul foi junto, apoiou, empurrou, e o grupo percebeu e foi campeão” (Thiago Monteiro, 26)

DOUGLAS MAGNO -10/11/2013..

69


Especial Cruzeiro Campeão Brasileiro 2013 | O TEMPO

Páginas

hEroicas ao longo do brasileirão, o cruzeiro deixou imagens marcantes, que ficarão para sempre na memória da china azul denilton dias

70


RICARDO MALLACO - 10.11.13

Andréa moroni/divulgação washington alves/ vipcomm

leo fontes - 08.09.2013

MAURO HORITA/ESTADÃO CONTEÚDO

Douglas Magno

71


Especial Cruzeiro CampeĂŁo Brasileiro 2013 | O TEMPO

leo fontes - 08.09.2013

douglas magno

douglas magno

72

denilton dias


Especial Cruzeiro CampeĂŁo Brasileiro 2013 | O TEMPO

douglas magno denilton dias

leo fontes

74

denilton dias



16 revista cruzeiro brasileirao 2013