Page 1

8

www.aespdf.com.br

ESCRIBA

O www.aespdf.com.br é a sua página na internet

5ª Edição - Novembro 2007

Apenas cinco meses depois de termos implantado nossa página na internet, promovemos uma total repaginação em nosso site, que agora está mais dinâmico, mais gostoso de navegar e bem mais interativo.

FILIE-SE JÁ, A AESP É A VOZ DA ESCRIVANIA DA POLÍCIA CÍVIL

Escrivão que Faz

Clique no www.aespdf.com.br, sua página na rede, e conheça nossa Diretoria e nossa história. Você pode ainda navegar pelos links que temos, inclusive com o SIAPENET, bem como pode se utilizar de nossos serviços, como mix de convênios e classificados. Para quem gosta de se atualizar temos um item LEGISLAÇÃO onde o internauta tem acesso ao código penal, NGA e vários outros documentos de interesse geral.

No último dia 05 de novembro foi comemorado o Dia do Escrivão de Polícia, profissional de inconteste importância para a estrutura da Polícia Civil, ainda com reconhecimento aquém da sua importância, mas que aos poucos busca resgatar sua alto estima. A AESP/DF dedica este espaço reservado a um profissional destacado durante o mês e o dedica a todos os Escrivães de Polícia da PCDF, pois com seu afinco, dedicação, abnegação e até com o sacrifício da própria saúde, esses Policiais, algumas vezes desprovidos de recursos materiais e com absoluta carência de pessoal, têm contrariado a lógica e mantido um padrão de qualidade na execução de seu mister, mantendo o Inquérito Policial da Polícia Civil do DF como um dos melhores do País.

Através do nosso site você verá nosso álbum e principalmente ficará a par das notícias e informativos de interesse do Escrivão de Polícia, além de ter a possibilidade de conversar conosco on-line.

Assim, a Associação dos Escrivães do DF parabeniza e deixa claro a toda Polícia Civil e a todo Escrivanato da PCDF que cada um dos nossos quatrocentos e quinze Escrivães ativos, por merecimento, É UM ESCRIVÃO QUE FAZ. CRISOFT - Designer Gráfico / Webdesign / Sistemas WEB - (61) 8498-1180

Coloque o www.aespdf.com.br entre os seus favoritos e navegue conosco pelo mundo da Escrivania. Venha e tecle com a gente.

UM JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS ESCRIVÃES DE POLÍCIA DA PCDF (AESPDF)

"PARTICIPAÇÃO” AESP/DF Encaminha sugestão de Projeto de Lei ao Deputado Federal Laerte Bessa

Página 3

“CUIDE-SE, SUA SAÚDE É O SEU MAIOR PATRIMÔNIO” Equipe de fisioterapia da PCDF realiza estudo com os servidores de todas as carreiras da instituição no período de abril/2001 a junho/2007. confira os resultados e comentários. Página 5

“ACONTECEU” ENFIM O RECONHECIMENTO – Escrivães de Polícia da PCDF recebem homenagem da Corregedoria Geral de Polícia Página 7


2

www.aespdf.com.br

www.aespdf.com.br

Editorial Profissionais desesperançados, desconfiados, céticos e descrentes de que possam vir a serem alvos de alguma sorte de melhoria e reconhecimento, foi o que encontrei nas visitas que tenho feito as Unidades Policiais. De Planaltina a Brazlândia, os problemas enfrentados pelo Escrivanato vão desde a evidente e gritante falta de pessoal a inexistência de cartórios para abrigar os Escrivães de Polícia. Constatadamente de vital importância para a atual estrutura desenhada para as Polícias Civis, o Escrivão de Polícia não encontra eco para seus mais básicos pleitos. É fato que com todas as agruras enfrentadas pelo profissional da Escrivania, Brasília ainda tem uma situação privilegiada se comparada aos demais Estados do País. Além da questão salarial, o Escrivão da PCDF ainda pode contar com uma Polícia informatizada e com recursos de natureza utópica para outras Polícias da Federação.

U Tudo em um só lugar. É só clicar!

O sonho de todo agricultor ou industrial é produzir mais com menos. E não seria diferente no serviço público. No entanto não lidamos com vacas ou com linhas de montagem. Do nosso trabalho resultará a liberdade ou prisão de uma pessoa, a retirada ou permanência de um malfeitor do seio da sociedade, a materialização dos subsídios necessários a Justiça agir ou não. Então não é questão de continuar a dar andamento ao trabalho, mesmo com recursos humanos cada vez mais parcos e que fazem Inquéritos que apuram um simples furto levarem três, quatro, cinco anos até serem relatados a Justiça. Mas é sim, a necessidade de se ter condições de manter o trabalho de excelência que sempre foi feito pela Escrivania da PCDF. Sem querer subestimar a capacidade humana de assimilar e tornar possível toda e qualquer missão que lhe seja imposta, ainda acredito que quem faz tudo acaba por não fazer nada com cem por cento de qualidade. Querem nos jogar na vala comum da facilidade de que todos fazem tudo. O mundo caminha cada vez mais para especializações e mais uma vez seguindo a contramão da história acreditam e querem nos fazer acreditar ser mais fácil extinguir o título de uma profissão, porque na prática ela continuará existindo, a tratá-la com o respeito e a dignidade devidos. Não devemos nos render aos argumentos fáceis de que nunca nos olharão como a uma peça sem a qual o motor não funciona e que por isso somos descartáveis. Então tire o Escrivão de dentro das Delegacias e veja o que acontece. Ninguém respeita alguém porque ele pede ou determina. Quando se tem essa sensação de respeito por imposição, o que se obteve de fato foi medo, porque o verdadeiro respeito se conquista. A nossa importância e imprescindibilidade já estão mais que comprovadas, e a despeito de sermos negligenciados, fazemos um trabalho de excelência. Seguindo essa direção de competência e criatividade, acreditando no nosso potencial e na necessidade de nosso trabalho, certamente nos respeitaremos, e quem se respeita com certeza é respeitado. Com organização, união e com consciência do que se objetiva, certamente teremos uma carreira única e invejável. Um forte abraço e até a próxima.

DF

Mas é certo também que estamos na sede da República e além da missão Constitucional de Segurança Pública a sociedade, ainda abrigamos as Embaixadas e Representações de outros Países, bem como os Poderes Constituídos. Assim é evidente a necessidade de se ter um olhar especial para os organismos e carreiras integrantes ao Sistema de Segurança Pública do Distrito Federal, no qual indubitavelmente se enquadra o Escrivão de Polícia. Essa situação de abandono não raramente leva alguns integrantes da categoria a sonhar com a extinção da nobre e dignificante carreira que abraçamos. De fato, se revermos o histórico de abandono e descaso sofrido ao longo dos anos, não é difícil entender a descrença, desesperança e ceticismo de alguns. Enquanto Escrivão de Polícia de carreira e sabedor da importância e necessidade desse profissional dentro do contexto da Polícia Judiciária, sou a favor de um servidor cada vez mais especializado, autônomo, conhecedor de seu mister e participante efetivo do processo investigativo. Rotinas e padrões devem ser seguidos por todos, assim o discurso e até o conjunto de pleitos terá um único som. A organização em torno de suas reais, porém vitais atribuições têm que ser a bíblia do profissional, cujos mandamentos legais não ensejarão favores , nem tão pouco brechas para ameaças. Respeito se conquista com competência, com organização e com o fato de se respeitar primeiro. Difícil respeitar alguém que desdenha de si mesmo. Acredito que a nossa luta não deva ser pela extinção da nossa carreira, cujas funções, no entanto continuarão existindo, caso essa possibilidade torne-se verdade. Mas creio que nossa meta deva ser primeiro o respeito de cada um dos profissionais pela carreira que abraçou, o conhecimento efetivo do seu labor e atribuições, a organização e unidade da categoria e a partir daí começaremos a mudar essa história. Por que será que os nossos dirigentes nunca deram a devida importância à questão do aumento do quadro de Escrivães de Polícia ou por que será que se inauguram Delegacias, uma atrás da outra, mesmo sem terem condições humanas de equipá-las?

Informações e Serviços

SCS Bl. “O” Sala 525 - Ed.Venâncio VI - Brasília/DF - (61) 3322-5328

EXPEDIENTE Diretoria da AESP

AGNALDO MACHADO CRUZ PRESIDENTE BIOMAR RIBEIRO DA SILVA VICE-PRESIDENTE LINDOMAR DE SOUSA ROCHA SECRETÁRIO-GERAL EDVALDO VIEIRA DINIZ SECRÉTARIO-ADJUNTO VANCERLAN FERREIRA GUEDES DIRETOR FINANCEIRO ARNALDO DIAS BARROS DIRETOR FINANCEIRO-ADJUNTO FRANCISCO GOMES DE SOUSA DIRETOR-JURÍDICO ROBERTO ANTÔNIO RODRIGUES INÁCIO DIRETOR JURÍDICO-ADJUNTO LUCIANA DE OLIVEIRA RIBEIRO DIRETORA-SOCIAL ANTONIO MARINHO NETO SOCIAL-ADJUNTO JEZIEL DA SILVA NASCIMENTO PRESIDENTE DO CONSELHO FISCAL OSNI ATAÍDE CAVALCANTE VICE-PRESIDENTE DO CONSELHO FISCAL JADIVÂNIA DA SILVA MOREIRA VOGAL DO CONSELHO FISCAL MARIA CONCEIÇÃO FALCÃO N. LEÓDIDO SUPLENTE DO CONSELHO FISCAL

7

ENFIM O RECONHECIMENTO No último dia 05 de novembro de 2007, às 17h30min, no auditório do SEBRAE, por iniciativa da Corregedora Geral de Polícia, Drª NÉLIA MAURÍCIO, a Polícia Civil do Distrito Federal prestou uma justa homenagem aos seus Escrivães de Polícia. Além do Diretor Geral, Dr. CLÉBER MONTEIRO, também prestigiaram a solenidade os Deputados Distritais ALÍRIO NETO e MILTON BARBOSA, o Diretor da Academia de Polícia, Dr. , o Diretor do DPE, Dr. , o Diretor do DPC, Dr. , o Diretor do DPT, Dr. , o Presidente do SINPOL, WELLINGTON LUIZ, o Presidente da AESP/DF, AGNALDO MACHADO CRUZ, a Diretora de Comunicação Social da Associação dos Escrivães, LUCIANA RIBEIRO, a Presidente da Associação dos Aposentados, SANDRA LOBO e vários Delegados de Polícia. A data da solenidade se deu em decorrência de ser 05 de novembro o Dia do Escrivão. Logo na abertura, o Escrivão de Polícia LUIS CLÁUDIO, mestre de cerimônia, fez um histórico da profissão, desde a antiguidade até os dias atuais, destacando, em todas as épocas, o trabalho e a importância do profissional da Escrivania. Emocionada, a Drª NÉLIA, organizadora do evento, disse da sua preocupação com os Escrivães e de seu trabalho no intuito de tentar fazer justiça a todo Escrivanato, dizendo-se aberta a sugestões e críticas construtivas, que de fato venham ajudar na luta diária do Escrivão de Polícia. Em sua fala o Diretor Geral, Dr. CLÉBER MONTEIRO, reconheceu a importância do Escrivão dentro da estrutura da Polícia Civil, apesar de muitas vezes não lhe ser dispensado o reconhecimento devido. Vaticinou, no entanto, uma nova realidade a Escrivania a partir da realização do concurso no início de 2008, que preencherá cento e dezessete vagas, (sessenta e três mais cinqüenta e quatro de quadro de reserva), bem como do aumento do quadro em no mínimo o dobro de profissionais, haja vista gestões por parte do Governo do Distrito Federal nesse sentido já estarem em andamento junto ao Governo Federal. Finalizou enaltecendo todo o Escrivanato da PCDF, que mesmo sem recursos humanos necessários a grande demanda de trabalho, entrega um Inquérito de excelência ao Judiciário, servindo de exemplo a outras Polícias do País. Escrivães aposentados e em vias de se aposentarem foram lembrados e tiveram uma homenagem particular durante o evento, que também dedicou um espaço aos Escrivães Chefes. E como o dia era do Escrivão, a Corregedora não deixou ninguém de fora, e estendendo a homenagem a todos os Escrivães de Polícia da PCDF, presenteou todos os integrantes da Escrivania com uma placa com seu nome e função. Como já dissemos em outros artigos, a luz no fim do túnel já se torna visível e em pouco tempo poderemos ver o trem inteiro. Esse reconhecimento fo i um marco na história dos Escrivães de Polícia e da própria Polícia Civil do Distrito Federal. Mas para que isso seja a regra e não a exceção, a mudança de olhar sobre o Escrivão se dará a partir da sua mudança de atitude, unindo forças e se organizando, mas principalmente através do resgate do seu respeito próprio.

Agnaldo Machado Cruz Escrivão de Polícia Presidente da AESP/DF

MESA DE AUTORIDADES E PERSONALIDADES QUE PRESTIGIARAM SOLENIDADE EM COMEMORAÇÃO AO DIA DO ESCRIVÃO

SEJA NOSSO COLUNISTA FILIE-SE JÁ, A AESPDF Telefax: (61) 3965-5960/3965-5959 SCS Qd.01 Bl. L Edifício Márcia Sala 801 - Brasília-DF CEP:70307-900 www.aespdf.com.br

Insistimos que O ESCRIBA é um espaço democrático pertencente ao Escrivão de Polícia, participe desse projeto enviando sugestão de matéria ou escreva você mesmo artigos, reclamações, sugestões, opiniões, pontos de vista, desabafo, enfim, faça do ESCRIBA mais um meio de manifestação. Você pode passar o que deseja ver publicado em nosso jornal por meio de telefax(61) 3965-5960 ou pelos e-mails falecom@aespdf.com.br aespdf@hotmail.com

Imóveis - Na Planta - 3964-0770 - Prontos - 3201-7777 - Locação 3201-7777 Consultoria Imobiliária Excelência em Atendimento Na compra do imóvel conosco, apresente este cupom e ganhe o Registro do Imóvel! Av. das Castanheiras Lt.1250 - Mall Estação XVI Ljs. 13/14 Águas Claras - DF - www.cleidsimobiliaria.com.br

ESCRIVÃS HOMENAGEADAS DURANTE SOLENIDADE EM COMEMORAÇÃO AO DIA DO ESCRIVÃO


6

www.aespdf.com.br

www.aespdf.com.br Você sabia que o dia 05 de novembro foi a data escolhida para se comemorar o Dia do Escrivão a fim de se prestar uma homenagem ao grande RUY BARBOSA? Pois é, o nosso grande Jurista e Senador da República RUY BARBOSA, nasceu em 05 de novembro de 1849. De uma eloqüência rara, esse causídico era um senhor das Leis e das Letras e pela ligação evidente com o mister do Escrivão de Polícia é que se comemora o Dia do Escrivão na mesma data de seu natalício. Em alguns Estados da Federação já existe Lei específica institucionalizando o dia. Aqui em Brasília, a Deputada JAQUELINE RORIZ, depois de pedido do Presidente da AESP/DF para a confecção de um Projeto de Lei nesse sentido, encampou a idéia e já elaborou o PL que deverá seguir os tramites devidos pelas comissões até sua aprovação. Brevemente deixaremos de comemorar nosso dia apenas por analogia. Coloque essa data em seu calendário e se ligue no nosso quadro para ficar sempre bem informado.

ASSOCIAÇÃO DOS ESCRIVÃES DE POLÍCIA ENVIA SUGESTÃO DE PROJETO DE LEI AO DEPUTADO FEDERAL LAERTE BESSA O Presidente da AESP/DF protocolou junto ao Gabinete do Deputado Federal Laerte Bessa, o ofício nº 150/2007-AESP/DF de 17 de setembro de 2007, sugerindo ao referido Parlamentar a elaboração de um Projeto de Lei, a exemplo do que é feito em outros Estados da Federação, que vincule a criação de uma nova Delegacia de Polícia a necessidade de recursos humanos e materiais. Assim, por meio de uma legislação específica, o Executivo estaria autorizado a realizar concurso público para provimento dos cargos existentes em uma Unidade Policial todas as vezes que fosse criada uma nova DP sem estar dilapidando o contingente das Unidades hoje existentes. Veja a seguir o inteiro teor do documento encaminhado ao Deputado Laerte Bessa:

Utilidades

PARCERIAS Nossa razão de existir é e sempre será as bandeiras encampadas pelo Escrivanato no que diz respeito as suas condições de trabalho, a sua dignidade laboral e ao respeito pelo profissional. Contudo, seguindo critérios éticos e que não onerem a Associação, também temos procurado disponibilizar ao nosso filiado um mix de convênios de seu interesse e que de alguma forma ofereça produtos e/ou serviços que facilitem o seu dia-a-dia. Essas parcerias são compostas de financiamentos de automóveis, venda de apartamentos em diversos empreendimentos de Águas Claras e outras cidades do DF, empréstimo pessoal, fisioterapia, plano odontológico, exames laboratoriais, pós-graduação, turismo, perfumaria, vestuário masculino, drogaria, etc. Acesse agora mesmo o www.aespdf.com.br ou fale conosco no 3965.5959/3965.5960 e desfrute desses benefícios conseguidos por sua Associação.

Telefones Úteis Polícia Civil Polícia Militar Corpo de Bombeiros Defesa Civil Polícia Federal SSP CIADE CIR SAMU Pronto-Socorro Belacap Novacap Na Hora(Rodoviária) BRB Telebanco Caesb Detran GDF - Serv. Atend.Cidadão Metrô Procon - Defesa Consumidor SOS Idoso Rodoferroviária Jardim Zoológico

197 190 193 3363-1350 3311-8000 3901-5050 3901-5282 3901-6024 192 3321-0107 3233-8099 3218-8612 3322-1515 115 154 156 3353-7373 151 3346-1407 3363-2281 3345-3622

Aniversariantes de Novembro Felicidades e realizações de todos os anseios e sonhos é o que deseja a AESP/DF aos aniversariantes, que além das felicitações pela passagem de seu natalício, merecem o nosso parabéns pela honradez e presteza com que, mesmo desprovidos de material humano e recursos tecnológicos suficientes, executam seu mister com uma qualidade invejável por outras Polícias. Àqueles que em muitos casos pagam com a própria saúde o afinco e a dedicação à profissão de exercício quase que sacerdotal, uma singela e honesta homenagem desta que é a voz da escrivania. Que no decorrer de mais esse ano, dos incontáveis que lhes desejamos, suas lutas cotidianas tornem-se vitórias perpétuas.

ANIVERSARIANTES

DIA

ANIVERSARIANTES

DIA

FRANCISCO BARBOSA DOS SANTOS

02

JAME QUEIROZ DE LIMA

20

JOSIAS MANOEL DE SOUSA JUNIOR

03

KIYOSHI SAKURAI KUDO

20

MARCELO EDUARDO SANTOS LOPES

06

ROSEMARY DA SILVA LOBATO

20

ANTONIO MORAIS CARVALHO NETO

09

ELIENE RABELO DA SILVA

23

LUCIANE GOMES ROBIN

10

DENISE DE ALMEIDA NERY ABOUD

24

ANA CRISTINA FERREIRA COUTO

12

VILMA TAVARES DA SILVA ALVES

25

GILSON BOMTEMPO DE LIMA

13

JAIME MARTINS DE MOURA

26

JADIVANIA DA SILVA MOREIRA

14

NELSON FRANCISCO DOS SANTOS

26

LUIZ ALFREDO FERNANDES JALES

14

JAIR ROSA PORTELLA

27

SILVANO MARTINS PINTO

16

ARISTEU PEREIRA DA SILVA

28

CLEUTON BATISTA DA SILVA

17

RUBENS JOSE DA SILVA

29

"O Deputado Laerte Bessa respondeu a sugestão encaminhada pela AESP/DF por meio do ofício 212/2007GAB.583, de 26 de setembro de 2007, onde se revelou impossibilitado de atender a sugestão da Associação dos Escrivães, uma vez que a iniciativa de lei para criação de cargos da estrutura da Polícia Civil é privativa do Poder Executivo da União. Contudo, afirmando c o m u n g a r integralmente com o pleito, encaminhou a sugestão ao senhor Governador do Distrito Federal, conforme ofício 210/2007GAB.583 de 26 de setembro de 2007, a quem, segundo o Deputado, compete primeiramente conhecê-las". Agnaldo M. Cruz Escrivão de Polícia Presidente da AESP/DF

ASSOCIAÇÃO DOS ESCRIVÃES DE POLÍCIA DA POLÍCIA CIVIL DO DISTRITO FEDERAL - AESP/DF Ofício nº 150/2007-AESP/DF

Brasília-DF, 17 de setembro de 2007.

Excelentíssimo Senhor Deputado Federal, Cumprimentando-o cordialmente, sirvo-me do presente expediente para trazer a lume as questões que passo a expor: Vossa Excelência enquanto dirigente maior da nossa Polícia Civil, estabelecendo, via portaria, jornada de trabalho de seis horas corridas para o Escrivão de Polícia, a despeito, inclusive, das possíveis sanções de que poderia ser vítima, mostrou, à época, toda sua preocupação e consideração para com nossa categoria, demonstrando em uma de suas justificativas para tal ato, que se nada fosse feito com relação ao aumento de efetivo e condições adequadas de trabalho, mormente no tocante à carga horária, em pouco tempo a Instituição ficaria sem esse profissional. Assim, sendo explícito o profundo conhecimento que Vossa Excelência tem da realidade do Escrivanato da PCDF, profissional desesperançado por conta do abandono de seus dirigentes e constantemente sujeito a doenças laborais resultantes do excesso de trabalho e da falta de equipamentos adequados para o seu mister, agora exercendo um mandato parlamentar de Deputado Federal, certamente irá trabalhar em prol da Segurança Pública de toda população brasileira, mas também tenho certeza de que não desviará o olhar das categorias que compõem a Instituição de sua origem, entre as quais orgulhosamente incluo o Escrivão de Polícia. Nesse sentido e humildemente tentando contribuir de alguma forma com vossa ação parlamentar, vou ousar fazer a seguinte sugestão: Várias Delegacias de Polícia têm sido criadas no Distrito Federal ao longo dos anos, a despeito de haver ou não recurso humano para fazer referida Unidade Policial funcionar de maneira satisfatória para a sociedade. Contudo, uma vez inaugurado o prédio, a Direção da Polícia se vê obrigada a desfalcar outras Delegacias, as quais, em sua maioria já estão com um quadro de pessoal muito aquém do razoável, para dar início aos trabalhos da DP recém inaugurada. Esse ciclo vicioso, que poderia muito bem ser virtuoso, haja vista a real necessidade da maioria dessas novas Delegacias de Polícia, vem se repetindo e Circunscricionais que em 1995 possuíam cento e dezesseis servidores, hoje, doze anos depois, com a tipificação de novos crimes e o aumento visível da criminalidade, fazem o caminho inverso dessas novas realidades, pois o número de Policiais existentes nessas Unidades, nesse mesmo período sofreu uma diminuição, chegando a apenas cinqüenta servidores e em alguns casos os números ainda são menores. Com base nessa estatística, a exemplo de outros Estados da Federação, seria razoável que a criação de uma nova Delegacia estivesse vinculada a disponibilidade de pessoal. Ou seja, pegando como exemplo a Polícia Militar, é sabido que um Batalhão é composto de um número determinado de PMS e só passa a funcionar como Batalhão se tiver esse quantitativo de Policiais, se não, funciona apenas como Companhia ou Pelotão, conforme o caso. A proposta então seria de se permitir de forma automática a realização de concurso para as várias carreiras que compõem a Polícia Civil todas as vezes que uma nova Unidade tivesse sua criação autorizada pelo Poder competente. Assim não se prejudicaria uma ou várias DPs em detrimento de uma outra recém criada, que seria mais uma a também funcionar de forma precária, já que mesmo com as remoções para que seu funcionamento fosse efetivado, não teria o número suficiente de Policiais para o perfeito desenvolvimento de sua tarefa investigativa. Mais recentemente foi criada a 5ª DP, Unidade Policial de existência claramente necessária, porém sem nenhuma previsão de recursos humanos. Então a pergunta é de onde se tirará pessoal para fazer uma Delegacia de real importância como essa funcionar de modo a atender os anseios da sociedade? E a situação ainda é mais grave quando se trata do profissional Escrivão de Polícia. Praticamente não se tem mais regime de plantão para esse servidor e o expediente tem que dividir uma carga imensa de Inquéritos para dois ou três Escrivães por Unidade. A continuar nessa proporção, brevemente as Delegacias serão providas de um ou dois desses profissionais, os quais não terão mais nada a fazer que não apenas certificar a impossibilidade de realização das diligências determinadas pela Autoridade Policial. Para finalizar, quero ressaltar que um trabalho de excelência poderia ser feito pela Polícia Civil do Distrito Federal se tivéssemos Delegados, Escrivães e Agentes de Polícia em número compatível com a realidade da demanda de ações cabíveis a Polícia Judiciária em nossas cidades, já que mesmo com toda essa defasagem de pessoal, ainda somos reconhecidos como a melhor Polícia do Brasil. E esse reconhecimento se dá à dedicação e a qualificação do nosso Policial Civil, que certamente merece ter condições de oferecer a sociedade uma Segurança Pública de qualidade.

AGENDA 2008

ADE Conj 11 Lt 4 - Águas Claras

3

O Presidente da AESP/DF informa a seus associados que a agenda do Escrivão está de volta. O Projeto foi retomado pelo atual Presidente, que no decorrer do mês de dezembro estará indo pessoalmente às Unidades Policiais entregar a cada filiado a AESP/DF sua agenda. Apesar de não haver um desejo unânime, a maioria dos associados quer utilizar em seu dia-a-dia ao longo de 2008 a agenda da sua associação. então se você é associado, aguarde que sua agenda brevemente estará em suas mãos

Tendo Vossa Excelência sido eleito um dos parlamentares mais atuantes do Congresso, quem sabe não seria essa sugestão mais um Projeto de Lei de vossa autoria? Certo de vossa atenção, enquanto Presidente da AESP/DF deixo esta Entidade a sua disposição para questões relacionadas à Polícia Civil e principalmente ao Escrivão de Polícia. Sem mais para o momento, renovo meus protestos de elevada estima e distinta consideração. Respeitosamente, Agnaldo Machado Cruz Escrivão de Polícia Presidente da AESP/DF Exmº Senhor Dr. LAERTE RODRIGUES DE BESSA MD. Deputado Federal – PMDB/DF Brasília/DF


4

www.aespdf.com.br

www.aespdf.com.br

AESP nas Delegacias O Presidente da AESP/DF continua com sua peregrinação pelas Delegacias de Polícia, tendo optado por ir primeiro às Unidades mais afastadas e assim sendo já visitou os Cartórios da 4ª DP, 12ª DP, 13ª DP, 14ª DP, 15ª DP, 16ª DP, 17ª DP, 18ª DP, 20ª DP, 21ª DP, 26ª DP, 31ª, ª, 35ª DP e DCA. O objetivo desse projeto é o estreitamento das relações da Associação com o profissional da Escrivania, Associado ou não, onde, num bate papo com os Escrivães, é debatida a situação do Escrivanato da PCDF, seus pleitos, queixas e reivindicações. Também são apontadas possíveis soluções e formas de se viabilizar uma nova realidade Cartorária dentro da PCDF. Além disso, o Presidente da AESP/DF leva a todos os Cartórios um resumo do trabalho realizado pela Associação, fazendo uma espécie de prestação de contas aos seus filiados. As visitas são agendadas previamente com os Escrivães Chefes que se encarregam de divulgá-las. Se a sua Delegacia ainda não recebeu a visita da AESP/DF, prepare sua lista do que deseja colocar ao Presidente da Associação, porque brevemente estaremos em sua Unidade.

Agnaldo Machado Cruz Escrivão de Polícia Presidente da AESP/DF

ESCRIVÃES DE POLÍCIA BUSCAM ORGANIZAÇÃO E CONSTANTE MOBILIZAÇÃO PERMANENTE Por iniciativa da Escrivã Cláudia Valéria da DRS e do Escrivão Franklin da 20ª DP, no último dia 31 de outubro de 2007, às 09h00min, aconteceu na sede do SINPOL uma reunião histórica para o Escrivanato da PCDF. A sugestão da reunião foi super bem recebida pelo Presidente da AESP/DF, Agnaldo Machado Cruz, e pelo Presidente do SINPOL, Wellington Luiz, que ouviram cerca de trinta Escrivães de Polícia se manifestarem acerca da situação caótica porque passa o Escrivanato da Polícia Civil do DF. Mostrando consciência e espírito coletivo, os profissionais que se fizeram presentes à reunião não se detiveram em prantear situações pontuais ou que dissessem respeito ao próprio umbigo, mas de forma madura abordaram, com um olhar macro, todas as mazelas da categoria. As eventuais soluções também foram apontadas, sendo trazido a baila desde a premente e mais que evidente necessidade de se aumentar o quadro hoje existente em no mínimo cem por cento, a questões do dia-a-dia, como a redistribuição de tarefas entre os Policiais, investimento num sistema de informática que de fato atenda a necessidade do Escrivão, trabalho de readaptação para os impossibilitados de exercer o seu mister, passando pelo resultado do trabalho da Comissão Presidida pela Drª NÉLIA e o que de fato dali pode ser implementado emergencialmente, escala de serviço, sobreaviso, até o cumprimento da NGA como obediência a um mandamento jurídico. Mas a palavra que norteou a reunião foi RESPEITO. Mesmo com opiniões e sugestões divergentes, todos consensaram em que primeiro a que haver postura por parte do profissional. Quem não se respeita não se faz respeitar. Acreditamos que como start conseguimos atingir mais do que o planejado. Primeiro devemos nos organizar e a partir de um discurso único, termos respaldo da categoria como um todo para nos fazer e de fato sermos ouvidos em nossos pleitos. Uma nova reunião foi marcada para o dia 21 de novembro, também as 09h00min, na sede do SINPOL, onde esperamos pelo ao menos ter o dobro do número de participantes e começarmos a mostrar a nossa cara e principalmente, que somos imprescindíveis para a Polícia Civil. A máxima continua valendo, NENHUM DE NÓS É MELHOR OU MAIS FORTE QUE TODOS NÓS JUNTOS.

Agnaldo Machado Cruz Escrivão de Polícia Presidente da AESP/DF

5

Estudo realizado pela equipe de fisioterapia da PCDF com os servidores de todas as carreiras da instituição no período de abril/2001 a junho/2007 mostram resultados alarmantes e uma das soluções para o problema é a prevenção confira o resultado e os comentários do estudo: Nós do Núcleo de Fisioterapia da Polícia Civil do DF estamos preocupados com o grande número de servidores acometidos pela LER/DORT. Acreditamos que é preciso uma ação conjunta para que este quadro mude. O Núcleo de Fisioterapia, após levantamento feito em seu arquivo, com todos os servidores que já realizaram tratamento fisioterápico, com diagnóstico de LER/DORT ou algias posturais, no período de abril/2001 a junho/2007, obteve os seguintes dados:

Diante desta realidade este Núcleo se deparou com a necessidade de se implantar em toda PCDF o projeto de ginástica laboral. A Ginástica Laboral é o conjunto de atividades destinadas a trabalhadores, partindo de uma análise e avaliação laboral que estabelece um programa de atividade física de grupo. O objetivo é possibilitar ao trabalhador executar suas atividades laborais com mais qualidade e disposição, visando também a prevenção de LER/DORT. Este programa físico inclui: exercícios de compensação muscular, exercícios de flexibilidade, técnicas de relaxamento e alongamento. A Ginástica Laboral visa dar a oportunidade aos trabalhadores de executarem uma série de exercícios em aproximadamente quinze minutos diários, com o objetivo de prepará-lo para a jornada de trabalho, relaxar após a jornada de trabalho e/ou compensar a musculatura antagonista exigida. Este tipo de exercício previne a fadiga muscular, reduz o número de acidentes de trabalho e corrige vícios posturais. Após os exercícios os trabalhadores se sentem mais dispostos ao iniciar a jornada de trabalho (com os exercícios preparatórios) e ao retornar ao trabalho (com exercícios compensatórios), prevenindo as doenças causadas por traumas cumulativos. Além disso, contribui para uma postura mais adequada, promovendo maior integração no ambiente de trabalho, visto que desperta a noção do trabalho em equipe. Juntamente com a ergonomia, atua na prevenção de doenças ocupacionais e acidentes de trabalho. Reduz efetivamente os distúrbios osteomusculares. O Núcleo de Fisioterapia, como parte

do PASS-PCDF, implantará a Ginástica Laboral, inicialmente na Corregedoria. Primeiramente, foi realizada uma palestra e a identificação dos multiplicadores. Atualmente estamos na fase de montagem dos grupos e início das aulas. O Núcleo tem o objetivo de implantar o programa aos demais servidores da PCDF em breve. É importante esclarecer que durante muito tempo o DORT foi considerado uma doença invisível, cercada de mistério e preconceito, no entanto, hoje, temos consciência de que a doença realmente existe e não deve ser subestimada. Na Instituição Policial Civil do DF, os servidores que trabalham com digitação são os que mais freqüentemente são atingidos, porém, todo servidor que trabalha com movimentos repetitivos excessivos pode desenvolver o DORT. Dentro da Polícia Civil do DF, não apenas os escrivães apresentam a doença, mas todos os outros cargos em um maior ou menor grau dependendo do setor em que trabalha e da atividade que exerce. Para deter o crescimento da doença é necessária uma mudança de hábitos. A escrivania trabalha digitando, e é dentro desta realidade que precisamos nos concentrar. O escrivão precisa ser bem orientado para lidar com a doença quando e se ela se apresentar. É muito importante que o servidor acometido receba apoio da instituição, família e amigos. Se você tem algum colega de trabalho nesta situação, não discrimine, colabore para que ele se recupere. Enfim, a prevenção ainda é o melhor remédio. É necessária uma prática desportiva que lhe seja prazerosa, um tempo reservado para família e amigos, uma correção postural no ambiente de

trabalho, uma dieta saudável que evite o sobrepeso, a hipertensão e o colesterol alto. O acompanhamento de uma nutricionista para a melhora de hábitos alimentares é de grande valor. É extremamente importante que após cada cinqüenta minutos de trabalho haja pelo menos cinco minutos de descanso e alongamento. É preciso lembrar que o DORT causa conseqüências psicossociais. O estresse, a cobrança no trabalho e em casa, as expectativas maiores que a possibilidade de realização, a auto exigência, levam a um quadro de profunda insatisfação. Neste momento, seria bom um acompanhamento psicológico para dividir toda esta carga. Como você deve ter notado, uma equipe interdisciplinar poderá tratar de todas as áreas que são afetadas pela doença. A fisioterapia ocupa grande parte deste tratamento, já que pode oferecer prevenção através de orientações e minimizar as dores e inflamação quando a doença já está instalada. Há uma equipe na Policlínica da PCDF c h e f i a d a p e l a D r ª S A M A N TA RODRIGUES ALVES, que todos os dias, das 08h00 às 08h10min e das 14h00 às 14h10min, ministra ginástica laboral aos profissionais interessados. Compareça, participe, previna-se, sua saúde é se não o maior, um de seus maiores patrimônios.

Agnaldo Machado Cruz Escrivão de Polícia Presidente da AESP/DF

Escriba Edição 05  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you