Page 1

abril/2013

1

Jornal do Agrupamento de Escolas de Almeida

Editorial “APRENDER E ENSINAR A CRESCER “ é a grande missão do Agrupamento de Escolas de Almeida (AEA). Este objetivo é conseguido quando, as capacidades cognitivas e emocionais dos alunos são ampla e harmoniosamente desenvolvidas, através de experiências de aprendizagem aprofundadas sob diversas formas definidas no Projeto Educativo do AEA. Com esta visão, o AEA pretende que cada aluno contribua para uma intervenção inovadora, eficaz e eficiente no desenvolvimento sustentável do seu meio, trazendo a si a formação integral de todos os seus alunos. A aposta no DESPORTO ESCOLAR visa essencialmente o desenvolvimento das capacidades corporal-cinestésica e interpessoal, e integra-se, de forma articulada e continuada, no conjunto das capacidades, dos objetivos e das metas do Plano Anual de Atividades do AEA, fazendo igualmente parte do Projeto Educativo do agrupamento. Assume-se como uma primazia que interessa valorizar por forma a incentivar nos alunos o espírito desportivo e de competição. Trata-se de uma aposta ganha pelos excelentes resultados alcançados, sobretudo na modalidade de atletismo, através de três equipas que se sagraram campeãs distritais e uma nacional. Um trabalho que premeia a entrega dos alunos e dos professores, bem como a complementaridade entre a escola e os clubes locais, nomeadamente os Leões da Fronteira. Aos nossos CAMPEÕES, motivo de orgulho e de exemplo para toda a comunidade educativa, o nosso bem-haja pela sua determinação, entrega e espírito de sacrifício. Com o projeto ETNOCONHECIMENTO, norteado pela exploração e investigação de saberes, tradições e costumes locais, o AEA visa uma cultura de crescimento etno, com acompanhamento didático, pedagógico e científico. Trata-se de um continua na pág. seguinte...

N.º 5

abril de 2013

Campeãs Nacionais de Corta Mato Escolar

As brincadeiras do Carnaval

págs. 5 e 6


abril/2013

Editorial

cont. da pág anterior...

desafio que tem vindo a ser perseguido através de projetos que se assumem estratégicos para o desenvolvimento dos alunos e do nosso concelho. Neste trimestre letivo partilhámos saberes e construímos conhecimento. Participámos na “Matança do Marrano” com a Confraria Gastronómica dos Sabores Raianos no enraizamento da gastronomia e das tradições locais. Com o projeto “Do Solo ao Sol” e a Associação Rio Vivo pretendemos criar e difundir o interesse dos nossos alunos pela defesa do ambiente e da sustentabilidade, bem como expandir o espírito empreendedor, numa época em que as oportunidades de empregabilidade escasseiam, não só a nível local, mas também a nível nacional e internacional – pelo que, o empreendedorismo é uma prioridade do AEA. Com o projeto “Fardas e Fardos do Contrabando”, no âmbito do Projeto Ler + Jovem, queremos por um lado reavivar a memória dos mais velhos e por outro lado valorizar o espírito criativo e trabalhador, das gentes raianas unidas por fortes laços de solidariedade. O final do 2.º período aproxima-se e com ele impõe-se mais um momento de avaliação. Os resultados querem-se de sucesso. O trabalho desenvolvido nas diversas disciplinas, e no âmbito dos diferentes projetos do AEA, objetivou esse propósito. O que importa é que continue a haver empenho e dedicação por parte de todos, para que diariamente se alcance a missão de “APRENDER E ENSINAR A CRESCER”. Ficha Técnica:

O dia a dia na Escola

Os nossos Finalistas

2

Realizaram-se mais um ano os Bailes de Finalistas nas duas Escolas Secundárias do nosso Agrupamento. O Picadeiro d’el Rey em Almeida e o Pavilhão Multiusos em Vilar Formoso acolheram finalistas, familiares e todos os que quiseram estar presentes num momento que ficará marcado no percurso académico de todos os envolvidos. Deixamos aqui as “fotos de família” dos Finalistas das duas escolas.

Finalistas da Escola Básica e Secundária Dr. José Casimiro Matias - Almeida

Finalistas da Escola Básica e Secundária de Vilar Formoso

“dialogus” - Jornal do Agrupamento de Escolas de Almeida

Propriedade e edição: Agrupamento de Escolas de Almeida Av.ª Prof. Dr. José Pinto Peixoto 6350-228 ALMEIDA www.agrupamentodealmeida.net // agrupamentodeescolasde.almeida@gmail.com Diretor: Joaquim Ribeiro Pedroso Paginação e design gráfico: Armindo Pereira // Textos e fotos: comunidade educativa do Agrupamento Impressão: LITORRAIA - Parque Industrial, Lt. 36 6320-317 SABUGAL


3

Bilbioteca Escolar

abril/2013

“Encontro de poesia” na Semana da leitura

“Ler azul” foi o mote escolhido para a “Semana da leitura” no agrupamento. O “Encontro de poesia” dinamizado pelo núcleo de estágio de espanhol da UBI, em articulação com a Biblioteca Escolar e a disciplina de música, invadiu os corações de todos com verdadeira magia.

Os talentos da Maria João e da Marina não deixaram ninguém indiferente. Ah, fadistas! No cenário não faltou o mar, a areia, os peixes, os poemas, os livros subordinados ao tema da “Semana da leitura”- “o mar”. Quando todos trabalham para o mesmo objetivo as coisas acontecem...

Os aventais contadores de histórias no pré-escolar

Os aventais contadores de histórias também já cumpriram a sua missão no pré-escolar. A Rede de Bibliotecas do Concelho, em articulação com as educadoras do agrupamento, levou a magia da leitura aos meninos da Miuzela e Nave de Haver. A avaliação da atividade foi feita pelos alunos do pré-escolar através de um lindo smile desenhado no quadro. Obrigada pelo sorriso. Voltaremos… Obrigada a todos os que ajudaram a construir, com tanta paixão,os aventais contadores de histórias. Desta forma, foi possível dinamizar a leitura de alguns livros junto dos alunos do pré-escolar, primeiro ciclo e 10º ano. Brevemente será a vez dos alunos do ensino secundário partilharem as suas leituras em torno do conto “Fronteira”, de Miguel Torga, junto do público sénior dos lares de idosos. Continuaremos a caminhar...!


Pré-escolar

abril/2013

4

OS AFETOS

Na semana dos afetos, trabalhamos, juntamente com os meninos do jardim-de-infância, a importância dos sentimentos e a capacidade de os conseguirmos expressar. Lemos uma história que se chamava «Adivinha Quanto Eu Gosto De Ti», da escritora Sam Mc Bratney que tratava os sentimentos entre uma lebre e um lebrão que gostavam muito um do outro. E ouvimos uma música do André Sardet e um dos versos era assim: Gosto de ti desde aqui até à Lua Gosto de ti desde a Lua até aqui Gosto de ti simplesmente porque gosto É tão bom viver assim! Fizemos ainda alguns trabalhos de investigação sobre poetas que escreveram sobre o amor: Luís de Camões e Florbela Espanca. Não esquecemos a lenda de São Valentim. Fizemos corações para lá escrever o que é o amor, e as nossas professoras também escreveram a sua opinião. Sabem lá que coisas lindas apareceram!? Com estas ideias a educadora Adosinda organizou um poema que depois os meninos do jardim ilustraram.

Jardim de Infância de Almeida

Semana dos Afetos

Na semana dos afetos as crianças realizaram vária atividades alusivas ao tema. No decorrer do desenvolvimento do tema surgiu, através de uma criança do grupo, o convite para o seu aniversário a todo os colegas.

A Ciência a brincar

No jardim de infância de Almeida também privilegiamos o momento da ciência, com a realização de diversas experiências, em que as crianças assistem e participam com grande entusiasmo e recetividade.

Os anos do “Carlitos”

No dia 20 de janeiro, o Carlos Manuel, o “nosso Carlitos”, fez 20 anos. Na sala do 1.º ano, os colegas cantaram-lhe os parabéns e houve bolo de aniversário. Parabéns “Carlitos”.


5

Carnaval

abril/2013

O Carnaval no Jardim de Infância de Nave de Haver

No Jardim-de-Infância de Nave de Haver, este ano, para dar continuidade ao PAA na realização das actividades o Carnaval teve um “sabor” especial, foi em “dose dupla”. No dia 7 de Fevereiro fizemos um desfile pelas ruas da aldeia juntamente com os “velhinhos” do Lar de Santo António (Lar de Nave de Haver). Foi bastante divertido e todos estávamos muito contentes. Vestimo-nos todos de Flor, pois foi o tema que escolhemos em conjunto. Gostamos muito deste convívio e esperamos poder repetir mais vezes. Já no dia 8 o tema era livre, cada uma das crianças vinha vestida para a escola ao seu gosto. O gato, o elefante, o macaco, os Índios, os Chinêses, a Árabe e o Pastor voltaram a desfilar por Nave de Haver.

Carnaval na Miuzela

Assim esta época do ano foi vivida tal como pertence e com a maior das folias. Tivemos sorte com os dias, pois podemos percorrer as ruas e mostrar-nos a toda a aldeia. E porque “a vida são dois dias, e o Carnaval são três…” as crianças, as educadoras e as animadoras do Jardim de Nave de Haver tiveram dois dias em grande, que ficará sempre nas nossas recordações!

Dia 8 de fevereiro os meninos da escola e os meninos do jardim-de-infância foram anunciar o carnaval pelas ruas da nossa terra, a Miuzela. As fardas dos meninos grandes foram nabos e dos meninos do jardim-de-infância foram de cenourinhas! Nós pensamos em ir assim vestidos, porque andamos a estudar o tema sobre a alimentação saudável, que pertence a um projeto da nossa escola que chamamos NEPSO. Estamos a estudar uma história «O nabo gigante» Fomos todos para a rua e estava muito frio, havia muito vento! Fomos a várias casas e instituições: centro-de-dia, a G.N.R, a casa da Fabiana, do Micael, do Eric. Que grande animação! Cantávamos, dançávamos e fazíamos muito barulho. Até se fez uma canção para esse dia: Nabo e cenoura Que sopa divinal Vamos para a rua Brincar ao Carnaval As professoras vestiram-se de tratadoras da horta, dos nabinhos e das cenourinhas. A professora Maria tiro-nos muitas fotografias, que giros que ficamos, os nabinhos e as cenourinhas! Chegamos à escola e tiramos os disfarces. Fomos almoçar. Depois do almoço fomos ver um filme que se chamava «Chovem Hambúrgueres» gostamos muito desse filme principalmente a parte em que caía comida do céu! Que engraçado! A meio do filme a Fátima foi muito simpática em dar-nos uns doces muito bons, que tinham uma pastilha no fundo! Que bom! E foi assim o dia de carnaval! Leonor, 4.º ano

Carnaval em Almeida

No dia 8 de fevereiro as crianças do jardim-de-infância de Almeida, disfarçaram-se de personagens de histórias e participaram no desfile de carnaval da Escola com os colegas do 1CEB. Cantaram canções alusivas ao carnaval e deitaram papelinhos e serpentinas aos familiares, amigos que assistiram à sua passagem.


abril/2013

Carnaval

Baile de Carnaval - Vilar Formoso

No dia 8 de Fevereiro de 2013, sexta-feira, comemorou-se na Escola EB 2,3/S de Vilar Formoso e de Almeida o tradicional Baile de Máscaras.

6

Para o dia, a Oficina de História e Arqueologia e o grupo de docência de Espanhol dinamizaram um Baile de Carnaval nas salas de convívio das duas escolas, entre as 14h30 e as 17h20. A comunidade escolar foi convidada a aparecer com disfarces alusivos à História e personagens espanholas. A decoração da sala de convívio de Almeida foi da responsabilidade dos alunos do 10ºA/B e em Vilar Formoso das professoras estagiárias de Espanhol. A animação musical ficou a cargo dos alunos do 12º C, em Vilar For-

moso, e do Nuno Martins, em Almeida. Assim que se abriu o baile, vários alunos, professores e funcionários disfarçados invadiram as salas. Foi uma tarde bem passada como ilustram as fotografias!

Rir faz bem Professor: O que Professor:- Joaquim, diga o predevo fazer para repartir sente do indicativo do verbo cami11 batatas por 7 pessoas? nhar. Aluno:- Eu caminho... tu camiAluno: Purê de batata, nhas.... ele caminha.... senhor professor! Professor:- Mais depressa! (Faz sentido!) Aluno:- Nós corremos, vós correis, eles correm! Professor: “Chovia” (E não é verdade?) que tempo é? Professora: Maria, aponte no Aluno: É tempo muimapa onde fica a América do Norte.. to mau, senhor professor. Maria: Aqui está. (alguma dúvida?) Professora: Correto. Agora turProfessor: Quantos corações nós temos? Aluno: Dois, senhor professor. Professor: Dois!? Aluno: Sim, o meu e o seu! (a lógica explica... certinho!)

ma, quem descobriu a América? Turma: A Maria. (Uauuuuu) Professor: Bruno, que nome se dá a uma pessoa que continua a falar, mesmo quando os outros não estão interessados? Bruno: Professor. (a melhor de todas sem dúvida!!)


7

História

abril/2013

Património Arquitectónico e Artístico/século XX

O edifício da Delegação Aduaneira de Vilar Formoso (fig. 1), sito no Largo 25 de Abril é um excelente exemplo da arquitectura portuguesa do século XX, exibindo tanto no exterior como no seu interior painéis de grande valor artístico. O edifício data de 1959 (fim da obra) é um projecto de raiz da autoria do arquitecto Leonardo Castro Freire. Este equipamento público veio enquadrar a praça da fronteira, segundo o programa das obras do regime do “Estado Novo”, apresentando algumas estilizações decorativas características da arquitectura nacionalista, como a esfera armilar em destaque na fachada principal. No exterior, a embelezar as fachadas laterais, temos quatro painéis de baixo-relevo (fig.2), em granito fig. 2 rosa, obra do mestre escultor Lagoa Henriques, quais ícones das paisagens e gentes portuguesas. No interior, o espaço do antigo átrio principal é ladeado de dois painéis de azulejos policromos, de grandes dimensões (fig. 3), do pintor Júlio Resende. Outros painéis de azulejos distribuem-se pelo espaço, evocando o imaginário português, num conjunto coerente e de rara beleza. A azulejaria assinada pelo autor, foi produzida pela Fábrica de Santana de Lisboa e está datada de 1958. O património arquitectónico e artístico aqui em destaque representa por si um legado importante, de uma geração que marcou

fig. 1

fig. 3

a Arquitectura e as Artes Plásticas em Portugal no período que se seguiu à II Guerra. Carlos Teles e Isabel Magalhães (docentes grupo 400)

Notas: Este texto foi originalmente publicado em 2007 pelos seus autores.

SEGURANET 2013 no Agrupamento A Internet é um lugar fantástico onde se pode falar com gente de todo o mundo e fazer novos amigos, aprender e passar momentos divertidos. Mas, para poder beneficiar de todas as vantagens da Internet, é fundamental que a utilizemos em segurança. De 4 a 8 de fevereiro assinalou-se no Agrupamento de Escolas de Almeida a “Semana da Internet Mais Segura”, que teve como objetivo alertar consciências para os perigos da Internet e para a necessidade de um acompanhamento parental, no acesso ao conteúdo online.

Ao longo da semana foram dinamizadas pela equipa PTE, grupo de informática e equipa das bibliotecas, nas bibliotecas do agrupamento, duas sessões de formação, junto dos alunos do 2º ciclo, subordinadas ao tema: “Direitos das crianças na internet”. Também foi planificada uma atividade em articulação com os docentes que lecionam cidadania com o intuito de alertar os jovens dos 2º e 3º ciclos para os perigos da internet. Continuaremos a navegar em segurança..


abril/2013

Divulgação

8

Visite o nosso site. Conheça o dia a dia do Agrupamento e consulte online as notas dos seus filhos.

Agrupamento de Escolas de Almeida

www.agrupamentodealmeida.net

Mega Sprinter Distrital

Alunos do Agrupamento de Escolas de Almeida dominam o Mega Sprinter Distrital e asseguram a participação na Fase Nacional, que se realiza nos dias 5 e 6 de Abril, em Vila Nova de Gaia – Porto Dos dezassete medalhados, apenas seis estarão presentes na Fase Nacional, o apuramento deste projeto, apenas contempla os dois primeiros classificados do mega sprinter, o primeiro do mega salto e o primeiro do Mega Km, em cada escalão etário/sexo. Infelizmente o programa Nacional não contempla o mega lançamento, senão seria o aluno Jonathan Jimenes, 7º D - da Escola de Vilar Formoso que estaria presente. Os alunos que representarão o distrito do nosso agrupamento são: Mega Km – Inf. A Fem. – Maria Francisca Fonseca – 5º B Escola de Vilar Formoso Juvenis Fem. – Ana Raquel Augusto – 11º B – Escola de Vilar Formoso Juvenis Mas. – Hugo Silva – 10º A - Escola Almeida Mega Salto - Iniciados Fem. – Eva Araújo – 9º C - Escola de Vilar Formoso Juvenis Fem – Inês Marques -11º B – Escola de Vilar Formoso Mega Sprinter - Juvenis Fem – Vera Nunes - 11º B – Escola de Vilar formoso

Parabéns a todos os premiados, desejamos aos campeões, boa sorte e uma excelente prestação também na Fase Nacional. Felicitamos e deixamos uma palavra de apreço aos restantes alunos da comitiva, pelo esforço e empenho durante toda a competição, apesar de não terem subido ao pódio, a maioria obteve bons resultados. As fotos podem ser vistas no Blog do Desporto Escolar do Agrupamento.


9

Espaço dos Pais

abril/2013

Quando os Pais não conseguem ajudar os Filhos...

Os pais não devem procurar assumir o papel de enciclopédias. Não sabemos tudo e somos conscientes disso. O problema é, sendo figuras de referência, explicar isso aos nossos filhos. À medida que as temáticas vão ficando mais complexas, a resposta pode tornar-se impossível. Se calhar, ainda bem. Os nossos filhos necessitam procurar respostas às dificuldades que lhes vão aparecendo pela frente. Não ficarão em risco se a solução não se apresentar de imediato ou, se só surgir no dia seguinte. Não devem estar dependentes da ajuda permanente dos pais porque a sua AUTONOMIA académica deve ser um reforço da autonomia pessoal. Há um ditado que diz: “ O único modo de evitar erros é adquirindo experiências mas, a única maneira de adquirir experiências é cometendo erros...” Atualmente existem mais recursos: internet, enciclopédias, dicionários, livros na biblioteca e, não esquecer, o professor. E, porque não, procurar ajuda nos familiares, partilhar experiências? Um exercício engraçado é pedir ao filho mais velho que tente explicar a dúvida ao mais novo ou até inverter os papéis. É uma ótima ferramenta para detetar fragilidades e ajudar a consolidar conhecimentos, transmitindo-lhes segurança e auto-confiança. Incutir desde cedo a utilidade da revisão é outra estratégia interessante. Voltar a ler os textos que escreveu, as contas que fez, as respostas que deu são muitas vezes formas de eles próprios detetarem as suas falhas, sem penalizações. Será interessante perceber, junto do professor, se a consciência das dificuldades é a mesma pois pode dar-se o caso de “dificuldades falsas” ou chamadas de atenção camufladas. E o inverso, ao tentar esconder dificuldades pedindo ajuda a colegas, copiando, não participando ativamente nas aulas para não ser detetado. Tomar consciência das nossas limitações e vontade de aprender são ingredientes para o sucesso!

Quando os filhos estão cansados (e os pais também)...

Muitas são as situações em que a angústia do cansaço acumulado se torna um entrave à ajuda que poderemos querer prestar. Nos finais de período encontramos as nossas crianças mais frequentemente irritadas e impacientes. A acumulação do trabalho em curto espaço de tempo provoca um maior desgaste. Incentivar a realização de trabalhos e estudo atempados leva a uma eficiente gestão do tempo, o que só trará vantagens a nível de brio, responsabilidade e qualidade. Alternar entre a ajuda materna e paterna é uma boa solução, para que não haja sobrecarga e para transmitir um exemplo de preocupação e de atuação conjuntas. É difícil chegar a um ponto de equilíbrio mas, o alívio da sobrecarga de um dos pais resultará em benefício para todos. Cansaço gera cansaço e será uma bola de neve que pertubará, com certeza, o relacionamento criança/adulto assim como a relação pai/mãe. Evite os períodos de maior cansaço quando pretende manifestar mais disponibilidade para uma possível ajuda. Evite que o seu filho estude durante longos períodos de tempo seguidos e em momentos de maior cansaço físico e mental. Não sobrecarregue o seu filho com muitas atividades a menos que elas tenham uma componente de lazer (brincadeira).

Aproveite pequenos momentos de trabalho ao fim de semana para aliviar a carga da semana. Não esqueça: • ajude q.b. • tenha muita paciência • elogie mais • exemplifique mais • critique menos “ Quando a árvore é pequena, o jardineiro orienta-a como quer. Mas, quando ela é crescida, já não consegue reorientar as suas curvas e sinuosidades...” Abu Shakur (poeta persa, séc. X)

“Aos Finalistas”

A pedido e em nome dos pais dos finalistas queremos dirigir-vos algumas palavrinhas. Vocês, finalistas, fizeram um percurso cheio de dificuldades; Com muito esforço e trabalho chegaram até aqui! Deveis, afinal, sentir-vos satisfeitos. Soubestes ultrapassar todas as contrariedades, com muita persistência e dedicação. Por isso, nós também estamos contentes! Olhando para vós, vemos um pequeno grupo (outrora maior) cheio de vida e garra. Estivestes, quase todos, sempre juntos, desde a creche, a escola primária,… até aqui. Nota-se bem a vossa união e a vossa amizade e isso é muito reconfortante para nós. Estamos-vos gratos pelos bons momentos que nos fizestes passar! Hoje estais lindos! Bem, vós sois lindas e lindos! Sois o mais importante das nossas vidas! Estamos muito orgulhosos de vós e confiamos em que o futuro nos proporcione ainda mais orgulho. Afinal, esta não é uma estação terminal. É uma chegada, mas é também uma nova partida. Estais numa rampa de lançamento, rumo ao vosso futuro! De momento, há tempestades no horizonte. Deveis contar com alguns obstáculos e solavancos na viagem. Tereis que encher-vos de coragem e otimismo para alcançar os vossos objetivos e não se esqueçam, nunca, que estaremos sempre cá para ajudar. Sem medos; Sem vergonhas; Sem tabus…Para cada um de nós vocês serão sempre “a minha menina/ o meu menino”! Aqui estaremos como firmes e decididas sentinelas prontas a responder às vossas solicitações. Contem connosco! Esta etapa que agora termina trouxe-vos uma pequena e merecida recompensa: - O descanso do guerreiro! A tal viagem!! Não vos pedimos que vos porteis bem! Isso diz-se aos mais pequeninos. Nós, só queremos que sejais vós próprios; Alegres, felizes e… responsáveis! Desejamos-vos muitas felicidades e fazemos votos para que esta festa seja um incentivo para a grande festa de final de curso, que será sinal de sucesso e êxito. Obrigado por existirdes!!!! Um brinde e uma salva de palmas aos FINALISTAS! Pais do 12º ano C


abril/2013

No passado dia 2 de março realizou-se aquela que tem vindo a ser a mais emblemática e tradicional das atividades da Confraria dos Aromas e Sabores Raianos – a Matança do Marrano. O Agrupamento de Escolas de Almeida (AEA), enquanto parceiro da confraria, esteve presente, através da Oficina de História e Arqueologia, pela importância que o evento tem na promoção das tradições e da gastronomia local. No entanto, o AEA também marcou a sua presença neste evento, fomentando o desenvolvimento da exploração e investigação de saberes, costumes e conhe-

Parcerias

A Matança do Marrano

cimentos locais, no âmbito de um dos seus mais inovadores e recentes projetos – o Etnoconhecimento. Trata-se de uma iniciativa original do AEA que procura o desenvolvimento de uma cultura etno, com acompanhamento didático, pedagógico e científico. Compareceram em Almeida 6 confrarias que foram convidadas para o evento, acompanhadas pelos alunos do agrupamento, que se dirigiram em cortejo, do Quartel das Esquadras até ao Museu Militar, onde teve lugar uma cerimónia protocolar. Ao mesmo tempo, o Marrano, acompanhado por

cavaleiros locais, era abatido e preparado conforme a tradição ancestral da nossa região. Em seguida, realizou-se a

Projeto ZHETHOVEN

No dia 22 de Fevereiro tivemos oportunidade de assistir ao concerto de encerramento do projeto Zethoven, no auditório do Convento dos Frades em Trancoso. O concerto antecedeu a entrega oficial dos CD’s a todos os participantes no projeto e respetivos agrupamentos escolares. O tão aguardado CD já foi divulgado junto do público, intitula-

10

entronização dos novos confrades no pavilhão multiusos de Vilar Formoso, seguindo-se o almoço entre todos.

-se “Zéthoven e a Europa” e foi gravado com crianças portuguesas e francesas em março de 2012. Os promotores deste trabalho foram a Raia Histórica, Pró-Raia, Douro Superior e Pays-sud-Charente, a quem agradecemos esta fantástica experiência.


11

Parcerias

abril/2013

Prémios para melhores alunos do Agrupamento, em Almeida e Vilar Formoso

A Junta de Freguesia de Vilar Formoso voltou a distinguir o melhor aluno do 10º, 11º e 12º ano com um prémio no valor de 200 euros para cada um. Os alunos galardoados confessaram à Rádio Fronteira que o segredo para ser bom aluno, está em estudar frequentemente mas também em saber conciliar os estudos com outras actividades. Para Domingos Cerqueira, presidente da Junta de Freguesia de Vilar Formoso, estes prémios são um compro-

misso do executivo local e o reconhecimento do mérito aos alunos. O autarca lamenta a fuga de muitos alunos para o litoral e salienta que é um processo irreversível. Foram assim distinguidos pela Junta de Freguesia de Vilar Formoso, como melhores alunos do Ensino Secundário de 2012, Vânia Pereira, Paulo Seixas e Ema Ribeiro. Mais uma vez, a abertura da Feira do Fumeiro de Almeida, serviu para entregar os prémios que distinguiram os melhores alunos do 1.º Ciclo e do 12.º ano, da Freguesia de Almeida. O prémio, instituído há já alguns anos pela Junta de Freguesia de Almeida, além da distinção e do ato público, consta da compra dos manuais escolares do 5.º ano, no caso do(s) aluno(s) que mais se distinguiram no 1.º Ciclo. No ano lectivo 2011/2012, foram a Rita Pacheco e o Fábio Maio os vencedores do prémio, que o receberam das mãos da Professora Graça Vieira. Já quanto ao 12.º ano, que contempla o pagamento das propinas do 1.º ano do ensino superior, foi o aluno Gabriel Pires, quem melhores notas obteve no ano lectivo transacto. Para entregar o prémio, esteve presente o diretor do Agrupamento de Escolas de Almeida, Professor Joaquim Pedroso.


abril/2013

Investigação

12

APRENDER A EMPREENDER De acordo com o relatório da comissão internacional sobre educação para o século XXI, da UNESCO, a educação deve organizar-se em torno de aprendizagens fundamentais que, ao longo de toda a vida, serão de algum modo para cada indivíduo, os pilares do conhecimento. Tais aprendizagens são: APRENDER A CONHECER, adquirindo os instrumentos da compreensão; APRENDER A FAZER, para poder agir sobre o meio envolvente; APRENDER A VIVER JUNTOS, participando e cooperando com os outros em todas as atividades humanas; e APRENDER A SER, vertente essencial que integra as aprendizagens precedentes. A aprendizagem equitativa e equilibrada traz coerência à sociedade. A equidade na educação reforça a coesão social e a confiança. Nesta conjuntura, são muitos os desafios que se colocam contínua e sistematicamente à educação, e no nosso caso em particular, ao Agrupamento de Escolas de Almeida (AEA). Desafios que conduzem a questões que têm como resposta a ação persistente de toda a comunidade educativa na procura de soluções construtivas e sustentadas. De facto, o querer conhecer gera conhecimento e o questionamento gera resposta. Nesta perspetiva, questões como as seguintes são verdadeiros desafios ao Agrupamento de Escolas de Almeida (AEA): Como melhorar continuamente o ensino e a aprendizagem salvaguardando a equidade na ação educativa? Como melhorar as práticas de ensino e aprendizagem dentro e fora da sala de aula? Como aperfeiçoar a mobilização de recursos, materiais e humanos, na procura de equidade em educação? Em 2008, a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico) definiu medidas concretas que ajudariam a reduzir o insucesso escolar, a tornar as sociedades mais justas, evitando os altos custos sociais de jovens e adultos marginalizados, sem emprego e com poucas competências básicas. Segundo a OCDE, a equidade na educação tem duas dimensões. A primeira é a justiça, o que basicamente significa certificar-se de que as circunstâncias pessoais e sociais – por exemplo, o sexo, as condições socioeconómicas ou a origem étnica – não devem ser um obstáculo para atingir potencial educativo. A segunda é a inclusão, que por outras palavras, significa garantir um padrão mínimo básico de educação para todos – por exemplo, todos devem ser capazes de ler, escrever, raciocinar e fazer contas e cálculos simples. Estas duas dimensões estão intimamente ligadas, porque combater o insucesso escolar ajuda no trabalho de minimização dos efeitos da privação social associados ao desemprego, às baixas oportunidades de vida e à marginalização. Sob este prisma, há que ressalvar o seguinte: apesar de haver cada vez mais alunos a seguir uma via de ensino universitária ou profissional, há também muitos jovens e adultos que ficam para trás, que não obtêm na escola a formação, o saber e as competências básicas exigidas na sociedade

atual – o que se traduz numa desvantagem real em termos de oportunidades de emprego e de vida. Uma forma de melhorar o desempenho escolar e prevenir o insucesso é, segundo a OCDE, identificar precocemente os alunos em risco e tomar medidas rapidamente. Isto é, quanto mais informações e maior a monitorização sobre o desempenho do aluno, e quanto maior for a sua frequência e participação nas atividades escolares, maior é a probabilidade de melhorar os seus resultados e evitar o fracasso. De acordo com esta organização mundial, é possível melhorar as práticas em sala de aula com métodos diversificados, principalmente com os alunos em risco, e com estratégias de curto prazo, com intervenções intensivas como as tutorias, clubes pós escolares, entre outras. E para que isso funcione, as escolas precisam de direcionar os seus esforços na melhoria da comunicação com os pais, com as famílias mais desfavorecidas e pouco estruturadas, bem como ajudar a desenvolver ambientes domésticos conducentes à aprendizagem – que levem à diminuição do insucesso e à consequente redução das taxas de repetição de ano letivo (medida da qual há pouca evidência de que o aluno beneficie).

Nesta conjuntura, o que é que o AEA tem feito? O Agrupamento de Escolas de Almeida (AEA) tem vindo a definir os seus referenciais de organização e gestão escolar, assumindo três princípios que fundamentam a toda a tomada de decisões: a equidade (expetativas elevadas, diferentes adaptações e oportunidades significativas para todos), a transparência (criar e usar uma organização eficiente) e a participação (reflexão, comunicação e articulação entre todos, sobre as questões mais relevantes do agrupamento). Assim, o AEA definiu a sua estrutura pedagógica em instrumentos fundamentais de gestão – o seu Projeto Educativo, o seu Plano de Desenvolvimento Curricular, o seu Plano Anual e Plurianual de Atividades e o seu Regulamento Interno. Na concretização da sua estrutura pedagógica, o AEA organizou Estruturas de Acompanhamento do Aluno – que consta de projetos de desenvolvimento pedagógico, tais como clubes, oficinas, desporto escolar, que funcionam principalmente às 4.ªfeiras no período da tarde; de centros de aprendizagem e apoio ao estudo, que funcionam no final de cada dia letivo (2ª, 3ª, 5ª e 6ª feira) com o intuito de acompanhar os alunos na consolidação das aprendizagens que foram feitas ao longo do dia e da semana, nas diversas disciplinas; apoio pedagógico acrescido e atendimento a alunos do secundário, que visam o esclarecimento de dúvidas após a aula, aos alunos do secundário, pelos seus professores das várias disciplinas; medidas de promoção do sucesso escolar na sala de aula, tais como a coadjuvação em várias áreas no 1.ºCEB e nas disciplinas sujeitas a avaliação externa no final de cada ciclo, como é o caso do português e da matemática em que os alunos têm dentro da sala de aula dois professores em pelo menos uma aula por semana; tutorias


Investigação

13

abril/2013

DENTRO E FORA DA ESCOLA (continuação da página anteiror)

sem saída” e maximizando eficazmente ligações efetivas ao mundo do trabalho, oferecendo orientação aos jovens em risco, oferecendo um bom aconselhamento e trabalhando os currículos vigentes de modo flexível e diversificado. Ainda segundo esta organização mundial, o apoio à aprendizagem adicional no final do ensino secundário pode também ajudar a incentivar os alunos a permanecerem na escola e a continuarem a sua formação ao longo da vida.

semanais, para superação das dificuldades cognitivas e ou emocionais do aluno, tais como, as dificuldades que o aluno manifesta nalguma disciplina em particular ou no modo de se organizar na escola e em sala de aula; gabinete de apoio ao aluno, serviços de psicologia e orientação escolar e equipas de acompanhamento, tal como a equipa educativa da biblioteca. Estas estruturas são constituídas por membros escolhidos em função dos recursos humanos disponíveis, do E nesta perspetiva, qual é a atuação do AEA? perfil, da competência técnica, sentido de liderança e motiO AEA sugere aos professores e à comunidade educativação para o exercício da missão e são coordenadas por um dos seus elementos, em condições de assegurar a referida va em geral, o desenvolvimento de novas propostas pedacoordenação com caráter de permanência, continuidade e gógicas, relacionadas com o ETNOCONHECIMENTO eficiência. O funcionamento destas estruturas prevê a imple- do concelho de Almeida, em que se utilizem metodologias mentação de metodologias baseadas nas experiências e prá- diferenciadas em sala de aula, que valorizem não somente ticas individuais e colaborativas dos docentes e técnicos que os saberes disciplinares, mas que procurem vincular a esses as constituem, integrando, sempre que possível e quando a saberes os saberes oriundos da cultura, das práticas produtisituação o justifique, diretores de turma, professores-tutores, vas, das tradições históricas e que possam contribuir para a psicólogos e/ou outros técnicos e serviços especializados, formação do aluno-cidadão. Com a incorporação destas temédicos escolares ou que prestem apoio à escola, serviços máticas em sala de aula, o AEA não está apenas a contribuir de ação social escolar, responsáveis pelas diferentes áreas e para a formação da cidadania dos alunos, mas está também a projetos de natureza extracur- Recursos de suporte à formação e ao dePotenciais áreas de formaricular, equipas ou gabinetes senvolvimento técnico e científico dos ção profissional e pósescolares de promoção para a -secundária saúde, bem como voluntários jovens e adultos do concelho de Almeida cujo contributo seja relevante * Património histórico e arquitetónico * Turismo e lazer face aos objetivos a seguir. Neste âmbito, todos os * Picadeiro * Hotelaria e restauração parceiros da comunidade educativa devem compreender * Termas da Fonte Santa * Saúde quais os objetivos e priorida* Museu Histórico – Militar des do AEA e como estão definidas as suas estratégias de * CEAMA * Desporto atuação. Para além dos docen* Piscinas municipais tes, as famílias, os assistentes * Trabalho social operacionais, os técnicos ad- * Equipamentos desportivos ministrativos, os parceiros e * Comércio * Pavilhão multiusos a restante comunidade escolar devem tornar-se defenso- * Equipamentos de apoio social * Transportes res das normas da educação * Parque industrial de Vilar Formoso definidas pelo AEA, quando * Indústria alimentar compreendem a importância * Estabelecimentos comerciais e industriais de uma educação de elevada * Produção agrícola e animal * Unidades agropecuárias qualidade no crescimento integral das crianças e jovens do * Explorações agrícolas * Materiais (madeira e pedra) concelho de Almeida. No que concerne ao ensi- * Explorações cinegéticas * Silvicultura e caça no secundário, a OCDE re- * Património natural fere que, este precisa de ser * Proteção do ambiente atraente, não apenas para uma * Vale do rio Côa elite académica, mas visando * Área da Rede Natura oferecer caminhos de qualidade, desviando os “becos * Estabelecimentos de ensino


abril/2013

Investigação

14

APRENDER A EMPREENDER DENTRO E FORA DA ESCOLA (continuação da página anteiror)

protagonizar um novo ensino, focado não somente na aprendizagem, mas na ação pedagógica inovadora e reflexiva, no conhecimento multi, inter e transdisciplinar de documentação, de estudos e de outros modos e formas de valorização dos conhecimentos e das práticas resultantes de um grupo cultural e transmitidos por meios não convencionais. Acresce, ainda, que o concelho de Almeida assume uma importância estratégica pertinente no desenvolvimento económico e social da região raiana do distrito da Guarda. Os investimentos dos últimos anos na criação de infraestruturas, os fatores endógenos, a raia luso-espanhola e os excelentes acessos rodo e ferroviários, oferecem oportunidades que os diversos parceiros devem potenciar, através de uma aposta sistemática na qualificação humana. Nesse sentido, o AEA identificou recursos que servem de alicerce e ou complemento às potenciais áreas de formação em que é urgente apostar, quer ao nível do ensino profissional, quer ao nível do ensino pós-secundário, necessárias para o desenvolvimento do concelho. A este propósito importa salientar que o ensino pós-secundário está em funcionamento no AEA desde o ano letivo 2012/2013, em parceria com o ensino politécnico – Instituto Politécnico da Guarda, com perspetiva acentuada de continuar a servir o concelho, alargando a formação continua qualificada de jovens e adultos. A estes recursos acresce a excelente localização geográfica que assume um papel determinante. A proximidade com Espanha, a principal fronteira terrestre do país, e a centralidade face a outros concelhos limítrofes com características e necessidades semelhantes (Pinhel, Guarda, Figueira de Castelo Rodrigo e Sabugal), bem como as boas vias de comunicação (as portuguesas A25, N332, N324 e linha da Beira Alta e as espanholas E-80/A-62, N620 e a linha Fuentes de Onõro – Tordesilhas), permitem que o concelho possa oferecer: * Excelente posicionamento para instalação de

empresas de exportação; * Capacidade de atrair turistas dos dois lados da fronteira; * Serviços de prestação de apoio à atividade (trans) fronteiriça; * Boas acessibilidades; * Proximidade com instituições de ensino superior (RH’s: estágios e cursos, e recursos científicos); * Possibilidade de atrair formandos dos concelhos vizinhos.

Importa salientar que o concelho de Almeida é constituído por uma população com fortes laços de solidariedade, determinada, capaz de inovar e agarrar oportunidades, possuidora de saberes vários, e que pode contribuir para o enriquecimento da formação a propor ao agrupamento. É

também importante frisar que o Agrupamento de Escolas de Almeida (AEA) visa a eficiência do desenvolvimento tecnológico e científico, garantindo a atratividade e a relevância do ensino e da formação profissionalizante, profissional e de especialização tecnológica. A formação profissionalizante e profissional visa a aquisição de aptidões cognitivas e práticas, necessárias para a aplicação da informação adequada à realização de tarefas e à resolução de problemas, desde a utilização de regras e instrumentos simples, passando pela seleção e aplicação de métodos, instrumentos e materiais, até à aquisição de uma gama de aptidões cognitivas para conceber soluções para problemas específicos numa área de estudo ou de trabalho. A formação pós-secundária não superior – cursos de especialização tecnológica (CET) – visa conferir qualificação profissional através da conjugação de uma formação secundária, geral ou profissional, com uma formação técnica pós-secundária, direcionada quer para o ingresso no mercado de trabalho, quer para o ingresso no ensino superior. A especialização tecnológica pós secundária não superior é uma formação técnica de alto nível, que resulta numa qualificação que inclui conhecimentos e capacidades de nível superior, não exige, em geral, o domínio dos fundamentos científicos de áreas disciplinares específicas e tem como finalidade a aquisição de capacidades e conhecimentos que permitam, de forma autónoma ou independente, o compromisso com responsabilidades de conceção, de direção, de gestão e de empreendedorismo. O Agrupamento de Escolas de Almeida rege-se por sentimentos de competitividade, de empreendedorismo e de ambição de levar a cabo um propósito – retirar o concelho de Almeida do seu espaço físico e expandi-lo a uma realidade global, ambiental, social e financeiramente sustentável – estabelecendo parcerias com empresas e entidades com vista à integração dos jovens no mercado de trabalho da região, dotando-os da formação necessária para esse mercado de trabalho. A direção do Agrupamento de Escolas de Almeida (AEA)


15

Divulgação

abril/2013


abril/2013

Espaço dos alunos

Retrospetiva...de uma VITÓRIA Foi no 5º ano que participamos pela primeira vez no Corta Mato Escolar, foi também nesta altura que a professora Deolinda, nos explicou como funcionava o Desporto Escolar e nos lançou o seguinte desafio, vamos tentar vencer as diversas etapas distritais, porque os campeonatos para os alunos mais novos, escalão de Infantis, só têm competições a este nível e quando chegarem ao escalão de iniciadas, vamos lutar por um lugar no Pódio a nível Regional ou Nacional, e quando chegarem a Juvenis até podem ir aos Internacionais. Na altura, não compreendíamos muito bem o que nos estava a dizer, mas, como as nossas colegas mais velhas andavam todas entusiasmadas com os treinos e quando regressavam das competições vinham cheias de medalhas, pensámos que também conseguiríamos. Participávamos nos treinos e nos torneios com empenho e dedicação e quando chegava a altura de preparar o corta mato, lá estávamos nós, prontas para mais umas voltas. Consultámos a página da Escola e os Jornais em arquivo, de alguns anos atrás, e fizemos um levantamento da nossa participação no CORTA MATO DO DESPORTO ESCOLAR: CAMPEÃS DISTRITAIS 2009 - 17/02 - Parque Polis – 1º Lugar INF. A FEM - (Rita Fernandes, Ana Fernandes, Andreia Fernandes, Beatriz Morgado, Mª Beatriz, Inês Baptista)           VICE-CAMPEÃS DISTRITAIS 2010 - 9/02 – Parque Pólis – 2º Lugar INF. B FEM - (Rita Fernandes, Ana Fernandes, Andreia Fernandes, Inês Baptista, Beatriz Henriques, Bárbara Milão) CAMPEÃS DISTRITAIS 2011 -10/02 – Parque Polis – 1º Lugar INF. B FEM - (Rita Fernandes, Ana Fernandes, Maria Bernardo, Andreia Fernandes, Ana Luísa) CAMPEÃS DISTRITAIS 2012 - 15/02 – Parque Polis - 1º Lugar Iniciados Femininos - (Rita Fernandes, Ana Fernandes, Andreia Fernandes, Laura Valente, Maria Henriques, Inês Baptista) Após esta brilhante vitória, estávamos radiantes, este ano já íamos participar no Corta Mato Nacional, que se realizaria em Guimarães, Capital Europeia de Cultura. Mas que decepção quando o Coordenador Regional do Desporto Escolar nos disse que este ano, o Corta Mato Nacional seria apenas para o escalão de Juvenis. Ainda não era desta. Mas nós lá chegaríamos… Depois da realização do corta mato fase escola, recebemos com alegria a informação de que este ano o escalão de iniciados voltou a estar incluído no programa do nacional, será que conseguimos? Tem que ser desta vez. Confiantes e com vista a participação no Nacional, lá vamos nós para a fase distrital. Correu muito bem e a vitória foi folgada, as quatro alunas que pontuaram entraram nos primeiros dez lugares. CAMPEÃS DISTRITAIS 2013 – 1/02 - Parque Polis – 1º Lugar Iniciadas Femininas -  (Maria Bernardo, Rita, Ana e Andreia Fernandes, Rita Amador, Catarina Martins). Que alegria e que euforia, daqui a um mês lá iremos nós a caminho de Coimbra, mas temos que continuar a treinar… Entrámos no autocarro e começamos a ouvir as veteranas a combinar a praxe aos caloiros… mas que raio, o que será desta vez? Até nem correu mal, ficámos giras. Quando chegámos a Coimbra, pudemos conviver com colegas de outras escolas, jogámos basquetebol, futebol e até ouve quem fizesse escalada e slide. Depois os professores reuniram-nos, distribuíram os lanches e entregaram-nos as sweatshirts alusivas ao Nacional, eram bonitas e quentinhas. Depois do jantar, mais uma surpresa, íamos todos para uma discoteca, EL DIVINO, que fixe, tão grande e tão gira…. pudemos dançar e conversar até que os professores nos disseram que estava na da hora do regresso.

16

Quando chegamos à escola estávamos cansadas, mas ansiosas e excitadas com aquele borburinho todo, custou um bocadinho a dormir. No sábado, às 7:30 da manhã, tudo acordar, temos que nos despachar e dirigir para o local da competição, éramos logo as primeiras a correr. Enquanto os colegas mais velhos se dirigiam para o desfile, nós iniciamos o aquecimento. Que raio, nunca mais dão início à prova, será que ainda posso ir a casa de banho? Eis que se houve ao microfone “iniciadas femininas para a câmara de chamada”. A espera do tiro de partida foi um pouco longa, o frio começava a criar algum desconforto, mas assim que começamos a correr tudo passou, a concentração agora era nos 2000 m que tínhamos que percorre e na quantidade de atletas que estavam a participar, todo o cuidado era pouco para evitar os empurrões e as queda. Colegas e professores, gritavam-nos palavras de incentivo e motivação, e, assim, íamos ultrapassando uma, depois outra...até que chegámos a meta. Estávamos cansadas e ansiosas por saber os resultados, a prova tinha corrido bem, mas com tanta gente, era um pouco difícil conseguirmos um lugar no Pódio. Quando a professora Deolinda chegou ao pé de nós, eufórica e ofegante e nos disse, parabéns, conseguimos, ficámos em 1º lugar. Nem queríamos acreditar. - A sério professora, onde estão os resultados? Corremos a informar as restantes colegas de equipa, ligámos aos nossos pais e fomos consultar as listas. Lá estava, 1º Lugar AE Almeida com 277 pontos, mais um do que a segunda classificada e dois da terceira, afinal era verdade, que sorte... tínhamos alcançado um objetivo à tanto idealizado. Contentes, mas ainda um pouco confusas, respondíamos sorridentes aos parabéns e palavras de carinho que os professores, colegas e algumas pessoas ali presentes nos dirigiam. A alegria era geral, tudo parecia mágico, as bandeiras do desporto escolar esvoaçavam ao sabor do vento, e os craques do atletismo, Rui Silva, Aurora Cunha e Fernanda Ribeiro, circulavam por ali com toda a naturalidade, distribuíam autógrafos e poses fotográficas. Quando finalmente chamaram o Agrupamento de Escolas de Almeida para ir ao Pódio receber o troféu de 1º lugar no escalão de Iniciados Femininos, caímos na realidade, o título de Campeãs era nosso. CAMPEÃS NACIONAIS 2013 – 2/03 – Parque Canção em Coimbra - 1º Lugar Iniciados Femininos - (Maria Bernardo, Rita Fernandes, Ana Fernandes, Andreia Fernandes, Rita Amador e Catarina Martins.) Agradecemos a todas as colegas que nos ajudaram a conquistar estas vitórias, aos professores de Educação Física, que sempre nos incentivaram e acompanharam e aos restantes professores, porque sem a colaboração e a compreensão deles não seria possível chegar até aqui. As alunas - Ana, Andreia e Rita Fernandes do 9º D


Desporto Escolar

17

abril/2013

XADREZ - Campeões distritais de juvenis e iniciados Realizou-se no passado, dia 8 de março de 2013, o encontro final das distritais na modalidade de xadrez na escola da Sequeira, Guarda. Mais uma vez os nossos atletas estiveram em grande nível e os resultados alcançados são o reflexo do seu excelente desempenho ao longo das três jornadas. Tendo sido uma competição bastante renhida, verificaram-se dois empates nos dois primeiros lugares de cada escalão, mas após decisão de desempate, os alunos José Rolim e Renato Bispo, sagraram-se Campeões Distritais, no escalão de iniciados e juvenis,

respetivamente. Finalmente, na classificação por equipas, o agrupamento alcançou o segundo lugar no pódio em ambos os escalões em que compete, iniciados (José Rolim, André Rico e João Rico) e juvenis (Renato Bispo, Marco Pinto e Daniel Fareleira). De realçar a excelente prestação de todos os nossos xadrezistas, que pelo facto de terem ficado nos primeiros dez lugares da prova, deverão ficar apurados para a competição regional. Parabéns a todos! O professor do grupo equipa, Emanuel Nova

Renato Bispo (ao centro)

José Paulo Rolim (ao centro)

COMPAL AIR 3x3

O Compal Air é uma competição que incentiva os alunos a praticar exercício físico, para além disso, obriga-os a saber trabalhar em equipa, a desenvolver o companheirismo e a por em pratica, de forma rápida e correta, todas as técnicas aprendidas durante as aulas de Educação Física, sobre o desporto Basquetebol. Deve ser uma competição amigável e justa e os alunos devem estra preparados, não só física, mas também, psicologicamente, pois, como acontece em todas as competições, existe uma grande pressão durante os jogos. Deve haver, também, espírito de competitividade e esforço, até ao último segundo de cada de jogo, da parte de cada equipa e de cada jogador, individualmente, sendo preciso cooperação entre uns e outros para conseguir chegar à conquista sem grandes dificuldades. No final, os jogadores devem estar preparados para ganhar ou perder. Por vezes pode ser uma questão de sorte ou de azar. No caso de uma derrota, os jogadores não se devem sentir derrotados, mas sim realizados por terem chegado até ali, de forma a que, da próxima vez se preparem, melhor para experimentar a vitória. No caso de uma vitória, os jogadores devem ficar orgulhosos e devem preparar-se, de novo, para a próxima fase tendo em conta que o grau de dificuldade e de competitividade será cada vez maior. Na nossa opinião esta competição é construtiva e apelativa para os alunos participarem no desporto escolar, já que participamos à vários anos e podemos afirmar isso com confiança. A nossa próxima etapa será o campeonato regional, que se realiza no próximo dia 14 de Maio, onde lutaremos pelo primeiro lugar, para que possamos passar a fase nacional. Alunas do 11º B - Ana Raquel Augusto, Filipa Pereira, Inês Marques,Vera Nunes

Ténis de Mesa

No dia 8 de março (sexta-feira) decorreu o distrital de ténis de mesa, em Trancoso, que contou com a participação de 11 alunos do Agrupamento. Destacamos o apuramento para o regional da equipa juvenil feminino composta pelas alunas Luísa Rocha (9ºB) e Lourdes Iglésias (10ºB). Também apurada está a aluna Daniela Mendes (11ºB), que foi a grande vencedora da competição individual do escalão juvenil feminino. O regional decorrerá nos dias 27 e 28 de abril, em Castelo Branco. Os alunos Carlos Ribeiro (10ºC), Tiago Monteiro (11ºB) e Bruno Filipe (11ºB) classificaram-se em 3º lugar na competição por equipas no escalão juvenil. Também estiveram presentes na competição individual os alunos: Ângelo Fernandes (8ºA), Marco Costa (8ºA), Pedro Ferreira (8ºB), Ruben Pereira (8ºD) e Luís Fernandes (8ºD). Parabéns mais uma vez a todos pelo vosso esforço e empenho demonstrado ao longo da competição. As professoras do grupo equipa, Ana Sá e Vanessa Fernandes


abril/2013

Corta Mato Distrital

Parque POLIS na Guarda - 1 de fevereiro de 2103

18

Com a realização das atividades do Plano Anual de Atividades do Agrupamento, os alunos, empenhadamente com muito trabalho e esforço, vão assegurando a sua presença nas fases distritais das diversas competições e alcançando bons resultados desportivos. Congratulamos e felicitamos a participação de todos, encorajamo-los a continuarem a treinar e a praticar desporto, para que brevemente sejam também eles a merecer este destaque. Excelente prestação dos alunos do Agrupamento de Escolas de Almeida no Corta Mato Distrital do Desporto Escolar, realizado no passado dia 1 de fevereiro no Parque Polis na Guarda. Deixamos aqui referência aos títulos alcançados pelos alunos:

Campeã Distrital de Infantis A femininos - Francisca Fonseca

2º Lugar - Infantis A femininos Francisca Fonseca, Inês Monteiro, Bárbara Esteves, Lara Martinho, Marisa Morgado e Maria Branquinho

Campeãs Distritais de Infantis B femininos Flávia Logrado, Joana Matos, Júlia Teles, Micaela Monteiro, Inês Dias

Campeões Distritais Infantis A Masculinos Duarte Santos, António Saraiva, Marco Gomes, Tiago Baltazar, Rodrigo Antunes e Rafael Valentim

3º Lugar Iniciadas Femininas Maria Bernardo

CAMPEAS DISTRITAIS INICIADAS FEMININAS Maria Bernardo, Rita, Ana e Andreia Fernandes, Rita Amador e Catarina Martins


19

Corta Mato Distrital

abril/2013

Parque POLIS na Guarda - 1 de fevereiro de 2103

2º e 3º Lugar Juvenis Femininas - Ana Augusto e Vera Nunes

CAMPEÕES DISTRITAIS JUVENIS MASCULINOS Hugo Silva, Sandro Prata, Tiago Monteiro, Manuel Marcos, Marco Marques e Marco Costa

CAMPEAS DISTRITAIS JUVENIS FEMININAS Ana Augusto, Vera Nunes, Inês Marques, Marta Pinto, Helena Oliveira e Laura Valente

2º e 3º Lugar Juvenis Masculinos - Hugo Silva e Sandro Prata

Concretização de um sonho…

Depois de ter vencido a fase escola, no corta-mato que se realizou nos terrenos envolventes das Piscinas Municipais de Vilar Formoso, no dia 28 de Novembro de 2012, fui apurada para representar o Agrupamento na Fase Distrital, que se realizaria no dia no dia 1 de Fevereiro de 2013 no parque Polis da cidade da Guarda. Aguardava a partida com alguma ansiedade e nervosismo, mas depois participei empenhadamente e sem grande esforço, nesta atividade de grande importância para mim. Este dia proporcionou-me

uma experiência única, não só pela conquista do título de Campeã Distrital, mas também, porque coletivamente obtive-

mos o 2º lugar, no escalão de Infantis A Femininos. Tudo isto só foi possível com a ajuda imprescindível dos meus cole-

gas, professores e o incentivo e apoio que a minha família diariamente me transmite. Agradeço também o apoio e força das minhas amiguinhas trigémeas. Com estas vitórias concretizei um sonho que há muito ambicionava, por isso valeu a pena o muito trabalho e esforço que dedico a esta modalidade de que tanto gosto. Agradeço a todos os que ajudaram alcançar este êxito, pois sozinha não seria possível.  Maria Francisca Fernandes Fonseca Aluna do 5º B da Escola de Vilar Formoso


Corta Mato Nacional

abril/2013

20

Campeãs nacionais Pelo segundo ano consecutivo, o Agrupamento de Almeida, foi o grande representante do Distrito da Guarda, na Fase Nacional, que se realizou em Coimbra, no passado dia 2 de março, com a participação de três equipas, das quatro possíveis, nos escalões de Iniciados Femininos, alunas nascidos em1998/99 e Juvenis Femininos e Masculinos, alunos nascidos em 1996/97. Estão de parabéns os alunos, os professores e o Agrupamento, a forma exemplar com que esta comitiva se empenhou e os resultados alcançados são bem evidentes. PARABÉNS, CONSEGUIMOS …. Foi com estas palavras que transmitimos a vitória às alunas que compunham a equipa de Iniciadas Femininas, assim que foram afixadas as classificações, elas nem queriam acreditar, a espectativa era grande, tinham feito uma prova excelente, mas com a participação de cerca de duzentas alunas oriundas de todo o país, tudo podia acontecer… Foi com muito orgulho e satisfação que ouvimos, ao som do microfone, O contentamento foi geral, rapidamente começámos a receber felicitações quer através do telemóvel/mensagens, o nome do Agrupamento de Escolas de Almeida, para ir ao Pódio receber quer presencialmente, por professores de outras comitivas o prémio de 1º CLASSIFICADO NO ESCALÃO DE INICIADAS FEMININAS. e familiares de alunos pertencentes a outras escolas.

Resultados e pontuações

1º LUGAR - INICIADOS FEMININOS

Pontuação

Maria Bernardo, Rita Fernandes, Ana Fernandes, Andreia Fernandes, Rita Amador (146) e Catarina Martins (150)

47 + 51 + 85 + 94 = 277

Pontuação Ana Augusto, Vera Nunes, Laura Va23 + 66 + 90 + 147 = lente, Maria Oliveira, Inês Marques 326 (153º) e Marta Pinto (163º) 7º LUGAR - JUVENIS FEMININOS

16º LUGAR - JUVENIS MASCULINOS

COMITIVA DO AGRUPAMENTO PRESENTE NO CORTA MATO NACIONAL

Alunos: Inês Marques, Tiago Monteiro, Marco Costa, Manuel Marcos, David Matos, Hugo Silva, Marco Marques, Sandro Prata, Marta Pinto, Ana Fernandes, Rita Fernandes, Andreia Fernandes, Maria Bernardo, Catarina Martins, Rita Amador, Helena Oliveira, Ana Augusto, Laura Valente e Vera Nunes. Professores: Deolinda Pina, Jorge Morais, Emanuel Nova e Ana Sá

Pontuação

Sandro Prata, Hugo Silva, Marco Mar74 + 86+ 127 + 158 = ques, Manuel Marcos, Tiago Monteiro 445 (163º) e Marco Costa (180º) Uma repescagem de última hora possibilitou a participação do aluno David Matos, tendo obtido a 164ª posição no escalão de Iniciados Masculinos. As equipas são constituídas por um minino de quatro e máximo de seis elementos, sendo a classificação coletiva obtida através do somatório da ordem de chegada dos quatro primeiros alunos.

SABIAS QUE: os teus colegas conviveram com alguns campeões do atletismo nacional?

Com Aurora Cunha...

...Rui Silva...

... e Dulce Félix.

Dialogus5  

Jornal Escolar do AEA

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you