Page 1

junho/2013

1

Jornal do Agrupamento de Escolas de Almeida

Editorial O final do ano letivo está a chegar. Aproxima-se uma nova época de exames que nos devolverá uma nova avaliação externa dos nossos alunos, um novo retorno do trabalho desenvolvido, não só ao longo de um ano letivo, mas de todo um ciclo de ensino. A nova época de exames visa certificar a aprendizagem dos alunos, resultante do trabalho desenvolvido por todos – incluindo os professores, os assistentes operacionais, os técnicos administrativos, todos os parceiros educativos e, numa função de relevo, os pais e os encarregados de educação – na sua missão de Ensinar e Aprender a CRESCER. Esta é, sem dúvida, uma fase marcante, em que a todos somos chamados à responsabilidade e que requer o máximo empenho de todos. Pese embora a sua importância, seria redutor apontar os exames como os únicos aferidores do trabalho desenvolvido dentro e fora da escola. Ensinar e Aprender a CRESCER implica também Crescer e Aprender a CONSTRUIR, através de um trabalho colaborativo que proporcione contextos de ensino-aprendizagem enriquecedores e consistentes. O Agrupamento de Escolas de Almeida (AEA) quer continuar a apostar nas experiências de aprendizagem que melhor o identificam enquanto instituição de ensino, apostando no dinamismo, na qualidade e na referência. No processo de crescimento os alunos assumem gradualmente responsabilidades na gestão da sua vida, que vão desde os aspetos mais básicos até à tomada de decisões que se revelarão determinantes para a sua vida futura. Nas várias etapas do seu percurso escolar, os alunos são confrontados com opções – sendo de destacar o final do ensino básico (9.º ano) e o final do ensino secundário (12.º ano). Compete à escola, nomeadamente através dos serviços especializados, assim como aos pais e encarregados de (continua na pág. seguinte...)

N.º 6

junho de 2013

Visita ao Jardim Zoológico

Os bons resultados no Desporto Escolar continuam


junho/2013

Editorial

(...continuação da pág. anterior)

educação, orientar o melhor possível cada aluno nas suas opções, ajudando-o a CONSTRUIR um percurso de vida em que desenvolva e maximize as suas capacidades. CRESCER implica assumir responsabilidades ao longo da vida. E se esta premissa é válida para cada um de nós também o é para as organizações, seja qual for a sua natureza. Há momentos em que é pertinente refletir para (re)definir problemas, (re)definir estratégias e implementá-las, tendo em conta os meios e os recursos que temos disponíveis – para a seguir analisar os resultados e refletir novamente. O AEA, consciente do seu papel enquanto gerador de dinâmicas próprias, estabelece momentos de reflexão que o fazem crescer, assumir responsabilidades e ganhar autonomia. O final do presente ano letivo é um período que requer uma reflexão acrescida sobre todos os constrangimentos resultantes das alterações que se perspetivam no ensino em Portugal, exigindo a (re)definição de caminhos tendo em conta as nossas oportunidades e os nossos pontos fortes, com o intuito de CRESCER e CONSTRUIR um agrupamento de escolas mais dinâmico, de qualidade e de referência, entre as escolas da beira interior raiana. Entre outros aspetos da vida escolar importa analisar e refletir sobre os instrumentos que o Ministério da Educação e Ciência proporciona ao AEA e que garantam mais AUTONOMIA, para uma resposta mais eficaz aos problemas, bem como implementar projetos que respondam às necessidades dos alunos e do meio envolvente. Consciente da responsabilidade acrescida que a autonomia confere, o AEA lança o desafio da AUTONOMIA para CRESCER e CONSTRUIR.

O dia a dia na Escola

Encontro com Pedro Seromenho

2

Integrado na “Semana da leitura”, decorreu, no dia 16 de Abril, nas bibliotecas do agrupamento, o encontro com o escritor e ilustrador Pedro Seromenho. Mais uma vez, o escritor espalhou magia entre a pequenada nas duas escolas do agrupamento ao viajar pelos seus livros. Os pequenos e os maiores entraram nas histórias de tal forma que até conduziram um foguetão. Depois foi a vez de autografar os livros e, como não podia deixar de ser, a tão esperada ilustração. Princesas, castelos, luas e tubarões fizeram as delícias dos petizes. Todos os dias devíamos ser presenteados com tamanha magia! Obrigada a todos os que tornaram possível esta atividade.

Ficha Técnica:

“dialogus” - Jornal do Agrupamento de Escolas de Almeida

Propriedade e edição: Agrupamento de Escolas de Almeida Av.ª Prof. Dr. José Pinto Peixoto 6350-228 ALMEIDA www.agrupamentodealmeida.net // agrupamentodeescolasde.almeida@gmail.com Diretor: Joaquim Ribeiro Pedroso Paginação e design gráfico: Armindo Pereira // Textos e fotos: comunidade educativa do Agrupamento Impressão: LITORRAIA - Parque Industrial, Lt. 36 6320-317 SABUGAL


História

3

junho/2013

Olaria Tradicional na Malhada Sorda Dizia o povo com malícia da rapariga que tardava em arranjar noivo: “ Manda-se fazer um na Malhada! “. Malhada Sorda foi terra de oleiras (os) e loiceiros desde as últimas décadas do séc.XIX até aos anos 80 do século passado. Na tradição oral a olaria não é uma actividade autóctone, pois, os mais velhos têm memória da chegada à aldeia de gente oriunda dos lados de Vila Nova de Foz Côa e Meda (Barreira), portadora desse saber. Instalaram-se estes forasteiros fora dos limites da aldeia, nas imediações do Campo Santo, perto da Capela do Santo António, cujo culto acarinharam. Nasceu assim o Arrabalde. O arrabalde é, pois, o espaço urbano habitado desde sempre por famílias de oleiras (os) e louceiros, constituindo um espaço marginal, já que estas viveram apartadas da vida social e religiosa da aldeia ao longo de muito tempo.

Porém, a olaria foi praticada por várias famílias do Povo, o que nos leva a pensar na generalização da actividade desde bem cedo, isto é, início do séc. XX. Alguma bibliografia publicada dá conta da Olaria na Malhada Sorda e, de certo modo, da evolução negativa que a mesma sofreu. Na verdade, Fortunato A. F. Themudo, em 1905, dava notícia de 20 oficinas, sendo 16 femininas e 4 masculinas, empregando cerca de 80 pessoas no total. Em 1982, Emili Sempere, assinala apenas uma oleira. Facto interessante é a predominância de oleiras, que trabalhavam com a roda baixa, engenho muito primitivo e, escassamente, documentado noutros locais da Península Ibérica. Os homens ocupavam-se dos Roda e cerâmica comum tradicionais da Malhada Sorda

Talha produzida no centro oleiro da Malhada Sorda

poucos tornos que foram sinalizados e acima de tudo de certas etapas do processo de fabrico. A actividade desenvolvia-se no círculo da família, desde a obtenção e amassar do barro, à moldagem, cozedura e venda das peças, além do acarretar giestas/mato para cada fornada. A transmissão da arte era regra geral, também, no seio da família. As famílias de oleiros da Malhada Sorda eram os “ Balus “, os “ Vermelhos ”, os “Palões “, os “ Poiadas “, os “ Cegonhos “, os “ Zarelhos “, os “ Povelhas “, os “ Batateiros “, as “Borges”, as “Coelhas”. O arcaísmo da olaria da Malhada não reside tão só na técnica mais comum, a roda, da qual se ocupavam exclusivamente as mulheres, mas também nas formas, decoração e aspecto tosco das peças produzidas. Neste centro oleiro produzia-se cerâmica comum

utilitária, destinada a transportar e conservar água, cozinhar e servir alimentos, preparar e conservar o enchido, entre outras funções, nomeadamente, Cântaros, Bilhas, Barris, Púcaros, Tigelas ou Malgas ou “ Caços ”, Barranhas, Barranhões ou Alguidares, Talhas ou Potes, Tapadouras ou Testos, Vasos. A actividade está hoje extinta, a arte não foi perpetuada, para o que contribuiu, inexoravelmente, a emigração dos anos 50 e 60. A Arte foi definhando enquanto o número de emigrantes cresceu. Poucos ficaram a trabalhar na olaria. A última oleira foi a Ti Virgínia “ Balua “, que nunca emigrou. Isabel Magalhães (docente grupo 400) [texto da autora em versão integral publicado em 2003 e na presente versão em março 2008]


junho/2013

Pré-escolar / 1.º CEB

4

DIA DA MÃE

Uma vez mais se celebrou o DIA DA MÃE no 1º domingo de Maio. Também os alunos da Miuzela deram asas à imaginação e criatividade par fazerem a prendinha para a mãe. Pintaram um

vaso e plantaram flores que já vinham cuidando há algum tempo. Finalmente todos em conjunto, pré-escolar e 1º CEB fizeram e memorizaram o seguinte poema para dizer à mãe.

Dia da Mãe Peguei no pincel Escolhi as cores E pintei um vaso Onde plantei flores. Cuidei com carinho E reguei com amor Fiquei tão contente Já tenho um presente Para dar a mãe Que é a mais linda flor Que o mundo tem!

Pequenos cientistas

“Vamos começar com o tema das experiências” - disse a nossa professora. Todos nós ficamos muito contentes, pois é um tema que nós gostamos muito. É bonito, aprendemos e podemo-nos divertir. Nós investigamos, experimentamos e compreendemos o «como» e o «porquê» de certos fenómenos. As descobertas sucederam-se... A nossa primeira experiência foi com água. Já vimos em vários livros que o homem procurou viver perto da água, porque percebeu que ela é indispensável à vida. Por isso, aprendeu a conduzi-la até as suas casas criando reservatórios como o da Miuzela, regar campos utilizando as águas dos poços, alindar jardins com repuxos, a utiliza-la na alimentação, fazendo gelados... Que nós gostamos tanto! Então vamos começar. Cortamos as garrafas com cerca de 2 cm da base. Encaixamos o tubo de borracha no gargalo das garrafas. Colocamos água numa das garrafas e movimentamos uma das garrafas lentamente para cima e para baixo, e verificamos o que aconteceu. Concluímos que nos recipientes que comunicavam entre si, o nível do líquido ficava igual. Gostámos muito de fazer experiências! Aprendemos como fazer um repuxo, como obter sal a partir da água do mar...e muitas coisas mais. Estamos cá na Miuzela três cientistas!!! Duarte/ Leonor / Micael - 4ºano

Horta pedagógica

Assim que o tempo o permitiu, os meninos do jardim-de-infância e 1º CEB de Miuzela, juntaram-se e apoiados pelas suas professoras e auxiliares, foram plantar e semear par fazer uma hortinha. Semearam abóbora, curgete, grão e feijão. Plantaram batatas, tomate, alface, alho francês, cebola e repolho. As plantações tiveram que ser bem regadas. Claro que cada plantação foi identificada, para que não haja duvida... Agora é só “tratar” e esperar que o tempo dê o seu contributo. Quem sabe se lá para Junho já temos legumes para fazer uma sopa deliciosa.


Pré-escolar / 1.º CEB

5

Uma ida aos bombeiros No dia 10 de maio, de manhã, fomos visitar os Bombeiros Voluntários de Almeida. Fomos com os colegas do 2º ano e dois colegas do 4º ano. O Rui saudou-nos e mostrou-nos as viaturas que lá havia e os equipamentos. Havia carros de comando, carros para combater incêndios, ambulâncias,… Vimos a Gina, a cadela dos bombeiros, e fizemos-lhe festinhas, ela é muito mansinha! O Rui mostrou-nos um equipamento que serve para cortar ou juntar a chapa de um carro, para tirar as pessoas que

ficam lá presas, quando há um acidente. Vimos também uma máquina que serve para reanimar alguém que entrou em paragem cardíaca. Visitámos as instalações dos bombeiros: as camaratas, a sala de reuniões, a cantina, o bar,… Os bombeiros são muito corajosos e amigos. São heróis porque salvam pessoas e apagam incêndios! Gostámos muito desta visita aos Bombeiros Voluntários de Almeida. Os alunos do 1º Ano de Almeida

OS PEQUENITOS NO “SEU PORTUGAL” No passado dia 18 de maio todos os meninos do pré-escolar, deste agrupamento, foram em visita de estudo a Coimbra para visitar “Portugal dos pequenitos”. Foram de barco ao Brasil, exploraram, Açores, Madeira, Angola, Moçambique Macau.... Visitaram os vários museus (traje, marinha e mobiliário). Tudo no tamanho certo! Deu gosto vê-los correr e entrar em todas as casinhas das várias regiões de Portugal. De forma lúdica e dinâmica as crianças, elucidadas pelas suas educadoras, puderam observar elementos importantes da nossa arquitectura e história. Foi um dia muito bem passado e proveitoso e até são Pedro esteve connosco pois nos momentos necessários fechou a torneira da chuva e mandou o sol para nos aquecer.

junho/2013


Nos caminhos da História

junho/2013

6

Feira Medieval de Castelo Mendo Mais um ano de regresso ao passado vivido pelos alunos do Agrupamento de Escolas de Almeida. A Oficina de História e Arqueologia, coadjuvada pela equipa do CEAMA, participou nos dias 13 e 14 de Abril de 2013, a convite da Câmara Municipal de Almeida, na Feira Medieval de Castelo Mendo. Quarenta e quatro alunos participaram na recriação da Feira Medieval da bonita e antiga aldeia do concelho de Almeida, vivendo uma época da história como se fizessem parte dela. Durante a ceia medieval, os alunos do Agrupamento viveram de forma intensa, o clima que que pairava na igreja de S. Vicente. Foram aí pequenos mas grandes atores, durante a dramatização da lenda “ O monstro e o Ermitão”. O ambiente era perfeito e convidava qualquer um a fazer parte daquele grande puzzle que, só era completo porque cada aluno era uma peça importante desse puzzle. Vestidos a rigor, os alunos assistiram e participaram, entusiasmados, nas animações que decorreram no interior da igreja e também,

nas ruas daquela vila medieval. Mas foi no dia 14 que os alunos, abençoados pelo sol que não os esqueceu, e trajando como se fizessem parte da sociedade daquela época, contactaram mais de perto com o ambiente do período medieval. Não tardou que todos se esquecessem da atualidade e passassem a fazer parte de uma época tão remota. A azafama era muita… aquelas ruas estavam repletas de gente… a animação era muita e todos, mesmo todos, animavam aque-

las ruas onde as actividades da época estavam bem representadas, não faltando os jograis e a animação musical. Os visitantes eram muitos e o assalto ao castelo juntou centenas de pessoas! E nós lá estávamos … sim nós, os alunos da Oficina de

História e Arqueologia que contamos participar no próximo ano. E já agora, não te esqueças de também tu participares, basta que faças parte desta grande família que é a Oficina de História e Arqueologia. Boas férias!!


Atividades

7

No âmbito das disciplinas de História e Geografia de Portugal, História do 3º Ciclo e Português do 2º e 3º ciclos, os alunos dos 6º e 9º anos do Agrupamento de Escolas de Almeida deslocaram-se à Guarda, no passado dia 12 de Abril para assistir às representações das peças “O Rapaz de Bronze” e “Os Lusíadas ao mar largo”. Após as representações

junho/2013

NÓS E O TEATRO….

teatrais, onde os alunos mostraram muito entusiasmo, fez-se uma visita guiada à Torre de Menagem onde descobrimos alguns aspectos históricos de interesse sobre a cidade e outras localidades do distrito. Todos os participantes consideraram o balanço da atividade positivo e prometem voltar…

“HISTÓRIAS CRIATIVAS – EU CONHEÇO A MINHA ALDEIA”

No 25 de abril Todos deram a mão Todos agitaram cravos Começou a revolução.

No âmbito do concurso “Histórias criativas – Eu Conheço a minha Aldeia”, promovido pela Associação das Aldeias Históricas de Portugal, em parceria estratégica com o Grupo Leya e ByCom e com o apoio dos agrupamentos de escolas e dos municípios do território de intervenção das Aldeia Históricas, alguns alunos dos 3.º e 4.º anos do nosso agrupamento dedicaram-se à escrita e criaram uma história relacionada com uma lenda conhecida que se relacionasse com a sua aldeia histórica. Apareceram trabalhos criativos e com alguma originalidade. Desses, um júri formado por três elementos (dois professores e um encarregado de

educação), escolhe dois pequenos autores/escritores que irão participar na elaboração de um livro que conterá uma história que, de forma articulada, ilustrará as doze Aldeias Históricas de Portugal. Este trabalho final será coordenado pelo escritor José Fanha e o livro será editado pela Leya, prevendo-se a sua integração no Plano Nacional de Leitura. Haverá uma história com um fio condutor que passa pelas doze Aldeias Históricas. Já no mês de junho, alguns alunos dos anos envolvidos no concurso irão participar em filmagens a decorrer em Almeida e em Castelo Bom, uma vez que o Canal Panda se propõe realizar uma série de doze episódios muito curtos sobre cada

Os soldados vieram à rua Para a grande revolução E no cano das espingardas Havia cravos em botão.

Para que este projeto se concretize na sua plenitude, e como nada é feito gratuitamente, solicita-se a todos uma colaboração com algum pequeno donativo através da plataforma crowdfunding Portugal com o endereço http://ppl.com.pt/. Orgulhamo-nos de ter alunos que vão colaborar na edição de um livro que terá projeção nacional. Temos de os ajudar. O dia da Liberdade Foi de Paz e alegria Acabou-se a ditadura Implantou-se a democracia. O povo português Ganhou a igualdade Acabou-se a ditadura Implantou-se a liberdade.  

Texto coletivo do 4º C

Soluções da pág. 12 1- Revista; 2- Nuclear; 3- Porque é salgada; 4- Águas Residuais; 5- Papel; 6- Sim (poluição luminosa e sonora, respetivamente); 7- Areia; 8- Híbridos.

uma das Aldeias. Em julho, haverá um dia em que o Panda vem a Almeida e a Castelo Mendo, para se gravar a parte final de cada episódio e, nesta altura, com o apoio da Câmara Municipal de Almeida, contamos com todos os alunos do 1.º CEB para terem um dia de interação com o Panda e terem a oportunidade de aparecer na televisão.


Atividades

junho/2013

Visita ao Jardim Zoológico No dia 29 de maio de 2013, os alunos, professores e assistentes do Agrupamento de Escolas de Almeida, as crianças da creche e os utentes da ASTA foram de comboio visitar o Jardim Zoológico de Lisboa. A visita foi uma oferta da Câmara Municipal de Almeida para celebrar o Dia Mundial da Criança. Saímos de Vilar Formoso às 7h e chegámos à estação de Sete Rios, em Lisboa, às 12h20. Almoçámos no comboio. Entrámos no Zoo e começou a nossa aventura. Vimos animais de diferentes espécies e de vários continentes, tais como: macacos, gorilas, orangotangos, chimpanzés, búfalos, elefantes, girafas, hipopótamos, rinocerontes, zebras, lémures, pinguins, chitas, palancas, leões, tigres, leopardos, pavões, flamingos, avestruzes, suricatas, koalas, tartarugas, cangurus, leões-marinhos, papa-formigas, okapi,

bisontes, crocodilos, o aligator, o caimão, veados, panteras, gazelas, ursos, pombas, etc. Visitámos o reptilário onde vimos piranhas bebés à entrada, a cobra boa, tartarugas, pitão, tarântulas, iguanas, dragão, serpentes, e muitos outros animais. Na quintinha vimos alguns póneis, cabras-anãs, um porco, uma ovelha, algumas galinhas e galos e uma vaca. Assistimos ao espetáculo dos golfinhos e leões-marinhos. Cantámos e dançámos. Foi um momento bastante engraçado. Como nos portámos bem, andámos de teleférico e ficámos com uma vista aérea do Zoo. Ainda vimos o camelo lá de cima. Comprámos lembranças para recordarmos este dia fantástico. Chegámos tardíssimo a casa, cansados mas muito felizes! Texto coletivo do 3º B

8


9

Programada para o dia 17 de maio, a atividade “Petisco ao Sol”, desenvolvida no âmbito do projeto “Dias Europeus do Sol”, não contou com a colaboração da meteorologia e o Sol necessário para que os fornos solares funcionassem em pleno foi substituído pelo vento e chuva que não se desejavam. Na atividade estava prevista uma exposição de fornos solares e o desenvolvimento de diversas atividades solares para todas as idades, com a elaboração e confeção de refeições

Atividades

junho/2013

“Petisco ao Sol” nos fornos solares, que serão a refeição dos “Mestres da culinária solar”. Com a ausência não esperada do Sol, a atividade aue estava prevista realizar-se no Largo 25 de abril, em Almeida, mudou-se para o interior do Pavilhão Gimnodesportivo, onde os elementos participantes puderam, mesmo com os condicionamentos do tempo, aprender muita coisa sobre a construção e funxcionamento dos vários “modelos” de fornos solares em exposição.

Encontra-se já à venda no Agrupamento de Escolas de Almeida, o livro de poesia “A poesia acontece”, que nasceu do projeto “À Descoberta dos Nossos Escritores”, sob a orientação das professoras Júlia Castelo e Paula Santos, contando também com a colaboração dos professores Luís Silva e Urbana Rosa. Os cerca de quatro dezenas de poemas e as ilustrações que acomnpanham muitos deles, são da autoria dos alunos. Para esta edição do livro, foi fundamental a colaboração da Câmara Municipal de Almeida, que assim e mais uma vez se associou a um evento importante na área da educação.

Visita à V Feira do Livro em Vilar Formoso


Espaço de Poesia

junho/2013 A vida

A amizade é uma coisa eterna Pois sem ela estás sozinho Sem ninguém para te apoiar Sem ninguém para te ajudar E no fim verás Que a amizade é uma coisa bela E que ninguém é capaz de viver sem ela.

zem sonhar, as que me fa is co s ia ár v Há u esquecer. ue nunca vo q s to en m o M cordar, não é para re e u q as tr u o Há a viver. s quero voltar ai m ca n u n E ria entos de aleg Nesses mom a. bro de nad Não me lem tou a viver, es Parece que e fadas. Num conto d tos de tristeza Nos momen co horror É um autênti dentro Estou quase de terror. e De um film a, É assim a vid a dar está sempre e u q Um filme de entrar. todos temos No qual nós

orgado

Carolina M

Não desistas Não desistas nem tenhas medo de sonhar, O sonho é o primeiro passo a concretizar.

Mas nunca ganharás uma batalha sem luta, Por isso, escuta, disputa sempre até ao fim. Para mim foi assim até chegar aqui, Há uma força interior que só depende de ti. E não te esqueças, a vida é feita de metas E há várias maneiras de as veres completas. Tipo RPG mas com algumas diferenças. Estamos no jogo da vida desde a nossa nascença Aqui o tempo voa e não tens tutorial. Por isso, foca-te na missão principal. Diogo Torres

Porque a vida é a vida É a vida que dá vida a toda a vida E a vida pode não ser curta Mas poucas vezes é comprida E a mim perguntam-me : quanto tempo o tempo tem ? O tempo tem o tempo da vida

Na On

da das

Leitur

Na on da das le o mar me ins ituras pirou e com be Uma m las partitura s úsica c antou Sobre a um po minha mão ema co locou E num s O amor é uma coisa saudável Que u onho imagin m nav Faz melhor à saúde do que os vegetais io nau ou fragou Quando conseguir o teu amor Uma b r i s Vou viver até não haver mais. Um po a passou, ema v oou E de n o vo em , A solidão é como a tristeza mim to cou. Estar sozinho neste mundo grande Tocou u m Sem encontrar a pessoa especial Com m a melodia u É como viver sem a cara metade. E num ita alegria a gran de Tornou -se mi magia David Carmo tologia E na o nd A força Perdur a das leitura am mi s l aven t u r as. Quando fores dormir, Maria Fecha os teus olhos, João T eles G omes Sonha com pequenas borboletas. Deita-te sobre o teu corpo, Fala nos teus pensamentos, Como se fosses só tu e ele.

Nem tudo será fácil neste amanhecer, Pois o difícil serve para nos fortalecer.

Sou sonhador E vendo sonhos Sonho com a vida e a vida é sonho

10

Sorri para a lua, Ela sorrirá de volta. Mantém-te longe daquilo que te assombra, Concentra-te em pequenas coisas, Que te façam realmente feliz. Quando acordares, Olha à tua volta, E dá um suspiro de alívio, Agora és mais forte, Agora estás contigo. Lauanda Hernandez

É o tempo que determina o tempo da tua estadia Ou o tempo da tua partida E há vida para além da vida? Quem é que há-de saber Se calhar há mais que vida E lá é que é viver

Mas por enquanto eu fico no mundo dos reais Naquele onde crescemos mais e mais Mais a viver e a respirar

as

Páginas da vida Há coisas Que nos estragam a vid a… E quando nos vemos aflitos Reparamos que já nã o há saída. Mas para isso existem amigos, Que se forem verdad eiros Irão ajudar a superar Todos os perigos… Por favor!!! Nunca deixem de pe dir ajuda. Não é por isso que vã o ficar mais fracos… Porque mais vale isso que uma voz muda. Jéssica Castellani

Para onde vamos? Será que vamos parar?

Será que haverá um fim? Uns dizem que não, outros que sim Mas por enquanto eu fico assim E deixo que se riam de mim Porque posso não ser artista Mas o palco é meu É a minha pista É um sonho meu

Rodrigo Teles - 12ºC


Notícias

11

junho/2013

À Escola Básica e Secundária de Vilar Formoso O nosso trabalho enquanto professoras estagiárias nesta Escola está a chegar ao fim. Este ano letivo marca o nosso afastamento da vida académica e a nossa entrada na vida docente. O sucesso desta transição, devemo-lo em primeiro lugar à Direção da Escola, que nos permitiu realizar o nosso Estágio Pedagógico aqui, à comunidade escolar de Vilar Formoso que nos acolheu carinhosamente desde o primeiro dia. Às funcionárias da secretaria que nos ajudaram a encontrar uma residência, à Dona Lídia e à Dona Floriana, pelo aconchego do estômago e do coração, ao Senhor Chico, pela paciência e boa disposição, às funcionárias do Bloco C, pela disponibilidade e a todos os funcionários, professores e alunos. Fundamentais na nossa formação, foram as nossas orientadoras de Espanhol e Português (cujos nomes não nos foi autorizado divulgar sob pena

de censura desta publicação), com as quais aprendemos muito quer ao nível pedagógico, quer ao nível humano. Sem elas seria impossível enfrentar todos os desafios profissionais e pessoais próprios de um ano de estágio. De uma maneira diferente, os alunos das turmas 9ºD e 12ºC também se mostraram imprescindíveis pela sua colaboração em todas as atividades que propusemos. Com eles fomos aprendendo a ensinar, desde um começo atrapalhado até hoje, em que a segurança já se consegue sobrepor ao nervosismo. Com os alunos mais velhos, unimos a Escola à Vila na organização de eventos de angariação de fundos para a sua viagem de finalistas: o desfile de moda WVFashion e o Baile de Finalistas. Com os alunos mais novos, dinamizamos o Día de la Hispanidad, o Baile de Carnaval e celebrámos o Día de la Mujer. Aos primei-

ros, desejamos que cresçam fora da Escola e que consigam manter-se firmes aos seus princípios e valores. Aos segundos, esperamos que encontrem o seu caminho nesta que também é

uma fase decisiva para eles. Obrigadas por este ano! As estagiárias, Verónica Marôco, Sandra Santos, Inês Machado

A UNIÃO FAMILIAR A coesão familiar é um fator de influência determinante para o sucesso pessoal e profissional de todos os membros de uma família. É importante que cada um seja diferente mas, que seja incentivado a fazer cada vez melhor na diferença. Incentive e valorize os seus filhos não demonstrando dúvidas nas suas capacidades. É natural que quando existe mais do que um filho, repare nas diferenças entre eles. Há crianças que gostam mais de ler e outras de escrever. Umas gostam de jogar futebol e outras de nadar... Não tente impingir gostos nem sucessos respeitando a sua individualidade. Por vezes, em algumas famílias, existem esforços enormes para que um dos elemen-

tos seja bem-sucedido. Se um filho seu se prepara para ser, por exemplo, um atleta de alta competição, com imensos treinos e competições, a azáfama poderá levar a um descuido dos aspetos pessoais e sociais. As vitórias devem sempre acompanhar-se do reconhecimento do mérito individual e familiar porque o contributo é de todos. Os fracassos devem ser analisados, corrigidos, melhorados, de modo a aprender com o erro. Devemos acompanhar os nossos filhos tanto nas vitórias como nos insucessos. Existindo união familiar, é mais fácil reconhecer momentos de fraqueza de qualquer elemento. Um olhar atento a pequenos sinais (uma cara triste,

um evitar a troca de olhares, um silêncio fora do habitual, o cansaço, o isolamento) e o diálogo diário, sem ser muito inquisidor, pode levar à deteção de problemas e dúvidas que se podem resolver no mais breve tempo possível, sem arrastamentos desnecessários. É um ditado antigo mas, sempre atual: “ A união faz a força!” Agora que estamos na reta final, das aulas e dos testes, antes do merecido descanso para os nossos filhos, não devemos esquecer de continuar a fazer os TPC de pais: * brincar diariamente; * praticar os elogios, pelas pequenas e pelas grandes vitórias;

* identificar os comportamentos que queremos promover; * procurar esses comportamentos; * elogiá-los sistematicamente com sorrisos e abraços; * aumentar o número de elogios e observar o efeito; * elogiar os filhos em frente a outras pessoas (e criticar quando estiverem sós); * ser um modelo de auto-elogio...

BOA SORTE PARA AS FÉRIAS!!! Façam muitos TPC´s.


junho/2013

Desporto Escolar

12

BADMINTON No passado dia 26 e 27 de Abril, decorreram na Sertã os campeonatos regionais de Badmínton para o escalão de iniciados e juvenis. A nossa escola fez-se representar com 4 jogadoras, um arbitro (Rodrigo Teles 12ºC) e o professor responsável pela modalidade. Depois de na fase de grupos e na final distrital terem ganho tudo o que havia para ganhar, as alunas Ana Augusto 11ºB e Jéssica Vital 9ºC conseguiram o apuramento individual para o campeonato regional da modalidade. Na competição por equipas, após um desempenho brilhante ao longo do ano letivo as alunas: Ana Augusto 11ºB, Marta Pinto 11ºB,  Jéssica Vital 9ºC e Núria Oliveira 9ºD, conseguiram também garantir a presença na final regional da modalidade. Na sexta-feira dia 26, reali-

zou-se a competição por equipas. A equipa que representava o nosso agrupamento teve um brilhante desempenho ficando classificada em 4º Lugar. No sábado dia 27 (bem cedinho) começou a competição individual. As nossas alunas ficaram distribuídas em grupos diferentes. Depois de efetuados os jogos de apuramento, a aluna Jéssica Vital, que ficou em 3º lugar do grupo, não conseguiu classificar-se para as finais. Por outro lado, a aluna Ana Augusto ganhou o grupo do qual fazia parte, classificando-se assim para as finais que decorreram nessa tarde. Numa altura em que o nível de jogo era bastante elevado, e que todas as presentes eram federadas, a Ana acabou por perder, acabando num honroso 5º lugar da competição. A todos os alunos que fize-

Campeã e vice-campeã distritais

Quiz GeoAmbiente 1

Descobre o intruso: Garrafa de plástico / Revista / Lata de conserva

2

Que tipo de energia não é uma energia renovável? Eólica / Solar / Nuclear / Marés

3

Por que motivo a água do mar não congela a 0 graus celsius?

4

A sigla ETAR significa Estação de Tratamento de …

5

A partir da celulose das plantas obtemos…

6

A iluminação pública e o forte ruído emitido pelos veículos a motor são fontes de poluição?

7

Qual o principal material usado no fabrico de vidro? Petróleo / Areia / Água

8

Os carros que possuem o sistema de fornecimento de energia através de combustível e de eletricidade chamam-se… Renováveis / Híbridos

Procura as soluções noutra página deste jornal.

1.º lugar Juvenis

ram parte do grupo de equipa de Badmínton no escalão de iniciados e juvenis, que não conseguiram o apuramento para os  Campeonatos Regionais, também deixo aqui os meus sinceros parabéns, pelo esforço e dedicação demonstrado ao longo do ano letivo.

Para o ano à mais... Nunca se esqueçam: AS MEDALHAS GANHAM-SE NOS TREINOS... NAS COMPETIÇÕES APENAS VAMOS LÁ BUSCA-LAS! O Professor Responsável Jorge Morais

3.º lugar Iniciadas


13

Desporto Escolar

junho/2013

CAMPEÃS REGIONAIS DO COMPAL AIR 3X3

Depois de efetuada a Fase Escola e a Fase Distrital, no dia 14 de Maio os Professores Jorge Morais e Luís Silva, acompanharam à Escola Secundária da Sé, as duas equipas que ficaram em primeiro lugar no campeonato Distrital do Compal, a fim de disputarem o Campeonato Regional do Compal Air 3x3. A equipa de Iniciadas Femininas era composta pelas alunas, Ana Fernandes, Andreia

Fernandes, Catarina Graça e Rita Fernandes todas do 9º C e a equipa de Juvenis Femininas era composta pelas alunas Ana Augusto, Filipa Pereira, Inês Marques e Vera Nunes todas do 11º B. A aluna Filipa Pereira, não pode estar presente devido a doença, portanto daqui lhe desejamos as rápidas melhoras... Depois de uma viagem cheia de espectativa e algum receio por parte de todas (afinal tratava-se de um campeonato

regional), as competições decorreram muito bem com ambas as equipas a darem o seu máximo e a disputar o resultado sempre até ao fim. No final a equipa de iniciadas femininas que esteve este ano pela primeira vez nesta fase, alcançou um honroso 4º Lugar e a equipa de juvenis femininas sagrou-se Campeã Regional. Esta foi uma proeza inédita quer na Escola de Vilar Formo-

Finais Distritais de Badmínton - Infantis Muitos parabéns à aluna Joana Dias do 7º D pelo 3º Lugar. No passado dia 7 de Maio decorreu na Escola Sacadura Cabral, Celorico da Beira, a final distrital de Badmínton, para o escalão de Infantis. Após efetuados os encontros ao longo do ano letivo, ficaram apuradas para a final distrital as alunas: Joana Dias, Adriana Alcaso e Fabiana Oliveira todas do 7º D. Durante a viagem os nervos eram muitos e a ansiedade tomava conta delas. Afinal iam pela primeira vez estar presentes numa final distrital de Badmínton. A competição decorreu muito bem e as alunas estiveram à altura das espectativas.

De realçar o 3º Lugar alcançado pela Joana e o excelente desempenho que as outras alunas tiveram, embora não tivessem conseguido um lugar no pódio. O professor responsável pela modalidade, quer deixar aqui uma mensagem de parabéns a todos os alunos que fizeram parte do grupo de equipa de Badmínton - Infantis, pelo seu esforço, dedicação e empenho que sempre tiveram. Para aqueles que este ano não conseguiram chegar a uma final distrital, proponho um desafio... Para o ano treinem ainda mais que vocês conseguem. O Professor Responsável Jorge Morais

so, quer no Agrupamento de Escolas, mas que esperamos que se possa repetir já para o próximo ano. Com esta vitória, estas meninas garantiram o lugar no Campeonato Nacional, que se vai realizar nos dias 31 de Maio, 1 e 2 de Junho na Cidade de Guimarães. Muitos parabéns a todas e continuem a treinar.


Desporto Escolar

junho/2013

“O que é nosso por direito e se conquista com trabalho, dedicação e mérito, pode tardar a chegar, mas chega...” Dedico este pensamento aos alunos/as do Grupo/Equipa de atletismo que me tem acompanhado nestes últimos anos. Aos mais pequeninos, pelo gosto e vontade com que aparecem sempre para treinar. Quando em 2006 cheguei à Escola de Vilar Formoso, fui informada pelos colegas de Educação Física, que seria a Coordenadora do Desporto Escolar e a responsável pelo atletismo, ultrapassada a fase de constituição da equipa, foram definidos os objetivos e informados os alunos/as do que se pretendia, a curto/médio e longo prazo. Ano após ano, o nome da Escola de Vilar Formoso, ia sendo anunciado ao som do microfone, repetidas vezes, nas mais diversas com-

Atletismo

petições, Corta Mato Distrital, Campeonatos Distritais de Pista, Regionais a até Nacionais. Todas estas conquistas foram sempre muito acarinhadas e divulgadas, na página da Escola, no Jornal Escolar e nalguns órgãos de comunicação social. Então o porquê deste artigo neste jornal? Porquê este ano? Segundo informações da DGIDC, é o términus deste modelo no Programa do Desporto Escolar. Por outro lado, este é também um ano de concurso para mobilidade docente… Os títulos alcançados este ano, por estas alunas, levam-nos afirmar que fechamos com chave de ouro, no entanto, o pensamento que lhes deixo é bem real e tem aplicação prática. Foram Campeãs Nacionais de Corta Mato Escolar, mas poderiam tê-lo sido pelo segundo ano consecutivo, o ano anterior, infelizmente, não houve

Xadrez Depois de terem triunfado na competição distrital de xadrez, os alunos do nosso Agrupamento, José Rolim, André Rico e João Rico no escalão de iniciados e Marco Pinto e Renato Bispo, no escalão de juvenis, foram apurados e marcaram presença no passado dia 27 de Abril, no campeonato regional da modalidade na cidade de Coimbra.

A competição não foi fácil, mas os resultados alcançados deixaram-nos bastante satisfeitos, face à qualidade dos adversários, já que os campeões nacionais se encontravam em prova. Parabéns pelo vosso esforço, que apesar de não terem alcançado vitórias nos deixou bastante orgulhosos. O professor do grupo equipa Emanuel Nova

fase Nacional para o escalão de iniciados. No que respeita ao 3º lugar conquistado no Campeonato Regional de Pista, este é também o segundo ano consecutivo desta vitória, o ano passado, o distrito de Aveiro participou com duas Escolas e relegou-as para o quarto lugar. Lá está, a conquista foi delas,

14

os troféus demoraram um ano a chegar, mas chegaram... Parabéns pelo trabalho desenvolvido, pelos êxitos alcançados e por terem acreditado em mim! Professora Responsável Deolinda Pina


15

Desporto Escolar - “o balanço”

junho/2013

EDUCAÇÃO FÍSICA / DESPORTO ESCOLAR PONTO DA SITUAÇÃO

Eis que estamos no fim de mais um ano escolar, e, apesar de ainda estar por realizar uma das atividades mais mediáticas, no que se refere à Educação Física, ou seja, a atividade de BTT/CAMINHADA, a realizar no próximo dia 7 de junho, e tendo alunos ainda em competição nos Nacionais de Ténis de Mesa e do Compal Air 3 x 3, é altura de fazermos o balanço e o ponto da situação. No que se refere à Educação Física, o balanço que fazemos das atividades realizadas é extremamente positivo e enriquecedor. No caso concreto do Desporto Escolar, este, é também, o términus de um ciclo que se iniciou em 2009/2013. Sendo os benefícios do desenvolvimento do Desporto Escolar no Agrupamento de Escolas de Almeida uma realidade que ninguém pode negar, o empenho, o esforço e a dedicação que os alunos e professores, de ambas as Escolas, dispensaram a este Projeto, ao longo destes anos, possibilitaram a presença e os êxitos alcançados em diversas modalidades quer a nível Interescolar, Distrital, Regional e

Nacional. Por outro lado, conhecendo todos nós, a realidade/interioridade em que vivemos, sabemos, que tem sido também, a única possibilidade de grande parte dos nossos jovens terem acesso à prática desportiva. A complementaridade Desporto Escolar/Desporto Federado tem vindo a crescer de ano para ano. Vários alunos foram convidados a integrar clubes de diversas modalidades. Fazendo uma breve resenha às saídas dos alunos nas competições do Desporto Escolar, quero, enquanto coordenadora deste projeto, enaltecer e agradecer aos colegas de Educação Física, toda a colaboração e apoio prestado, quer na realização das atividades quer na consecução dos objetivos e resultados alcançados. E porque, grande partes das vezes, alguns colegas comentavam; - Vocês também andam sempre em saídas! Aqui fica a explicação: O Desporto Escolar é um Projeto do Ministério da Educação, e desenvolve-se por etapas, ao longo do ano, da seguinte forma; 1º - Realização de atividades a nível de turma/Escola destinada à maioria dos alunos. 2º - Campeonatos distritais onde participam só os alunos

Foto de arquivo

Foto de arquivo

vencedores da fase escola, inscritos nos grupos/Equipas. 3º - Campeonatos Regionais, onde participam os alunos e as equipas vencedoras da fase distrital. 4º - Campeonatos Nacionais, com a participação dos vencedores, individuais e coletivos, da fase Regional. 5º - Campeonatos Internacionais (FISEC e ISF) de um modo geral, são também, os vencedores da fase Nacional. A vitória ou a classificação dos nossos alunos, nos três primeiros lugares, permitiu, que ao longo destes anos, as saídas fossem aumentando e a presença do agrupamento fosse assegurada em diversas competições; Corta Mato Escolar, Mega Sprinter, Compal Air 3x3, Campeonatos de Atletismo, Badmínton, Futsal, Ténis de Mesa, Voleibol e Xadrez.

Algumas das vitórias alcançadas, foram já referenciadas em anteriores edições deste jornal, no entanto, a convicção mantém-se, tudo isto só é possível, porque efetivamente os alunos são excelentes desportistas, os professores responsáveis (Ana Sá, Deolinda Pina, Emanuel Nova, Jorge Morais e Vanessa Fernandes), acreditaram desde a primeira hora no seu valor, planearam/orientaram e acompanharam todo o processo e, por outro lado, nunca faltou o apoio de retaguarda que é necessário em projetos desta dimensão: colaboração da direção, dos restantes professores, funcionários e pais. A todos o meu Bem-haja. Por tudo isto consideramos, integralmente cumprida, a NOSSA MISSÃO!!! A Coordenadora do Desporto Escolar - Deolinda Pina

Foto de arquivo


junho/2013

“De pequenino... se aprende a poupar.”

Projeto NEPSO 1.º CEB - Visita à KIDZANIA No dia 10 de maio de 2013, os alunos do 3º ano do Agrupamento de Escolas de Almeida visitaram a Kidzania de Lisboa. Esta visita faz parte do projeto NEPSO “De pequenino se aprende a poupar”. Saímos de Vilar Formoso às 6h30 e, depois de uma longa e ansiosa viagem, chegámos à Kidzania às 11h30. Antes de entrar na Kidzania efetuámos o cheK-in, colocaram-nos as pulseiras, deram-nos um cheque no valor de 50 kidzos e começou a nossa aventura. A primeira etapa foi trocar o cheque por notas na Caixa Geral de Depósitos. Como já era meio-dia, dirigimo-nos ao estádio para almoçar. A seguir ao almoço, divertimo-nos desempenhando diferentes profissões nos diversos espaços comerciais, de servi-

ços e cultura e lazer: piloto de avião, segurança, hospedeira, piloto de fórmula 1, escalador, PSP, modelo, locutor de rádio, apresentador de TV, médico, enfermeira, dentista, bombeiro, carteiro dos CTT, cozinheiro, ator, fotógrafo, cantor, juiz, advogado, distribuidor de bebi-

das, funcionário da EDP, entre outras. Passámos pelo aeroporto, CTT, PSP, escola de condução ACP, Mac’Donald, Telepizza, fábrica de sumos Compal, hospital, maternidade, clínica dentária, estúdio de fotografia Sony, circuito de fórmula 1,

16

teatro, gelataria, rádio RFM, televisão SIC, estádio, sala de magia, salão de estética, sala de modelos, construção civil, INEM, etc. Foi uma aventura divertida, educativa e inesquecível! Texto colectivo Os alunos do 3º B

No dia 10 de maio, eu e os alunos do 3.º ano de Almeida e Vilar Formoso, fomos à Kidzania. Fomos de autocarro, saímos de Almeida às 6.00h e passámos em Vilar Formoso a buscar a minha professora e a professora dos meninos de lá. A viagem foi muito demorada e eu já estava farta, até que por fim chegámos à Kidzania. À entrada colocaram-nos uma pulseira e deram-me um cheque para ir levantar à Caixa Geral de Depósitos para me darem 50 kidzos (que é a moeda que se usa dentro da Kidzania). Trabalhei no continente, nos correios, no teatro, fui hospedeira, bombeira e fui locutora na rádio. Com estes trabalhos ganhei muitos kidzos, mas apenas gastei na carta de condução. Antes de virmos embora, ainda visitámos algumas lojas da Kidzania. A viajem de regresso a Almeida foi muito longa e cansativa, mas mesmo assim eu adorei. Mariana Amaral Pinto, 3.º A

Dialogus6  

Jornal Escolar do AEA

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you