Page 1

capa.indd 1

9 772236 033602

08 ISSN 2236-0336

Ano 01 - Edição 08 - outubro/201 1

Hitachi Kokusai Linear

comunicação integrada

Das câmeras aos transmissores

15/10/11 00:34


Conectados com o Brasil Broadcasters do Brasil, e de toda América do Sul, são extremamente bem informados sobre a arte e a ciência da radiodifusão – desde a criação de conteúdo até a captura e transmissão. Os produtos e marcas do Grupo Vitec foram amplamente usados por muitos anos e nosso novo escritório no Brasil nos deixa mais próximo dos nossos distribuidores e clientes. ■ Oferecendo recursos globais com suporte local ■ Apoiando nossos parceiros para melhor atender nossos clientes ■ Fornecendo os melhores produtos para complementar as necessidades da sua câmera

Anton/Bauer

Autoscript

Litepanels

Nucomm

OConnor

Lider em baterias, carregadores, luminárias e outros sistemas de energia

Premiado fornecedor de soluções completas em prompters, com

Premiado fabricante de luminárias de LED

Fornecedor premium de sistemas de microondas em video

Especializado em

uma grande rede de distribuidores, agentes e parceiros tecnológicos ao

still e produções

para os mercados de Broadcast, Militar, Policial, Telecom e TV a cabo em

tripés e acessórios

móvel para o video e cinema.

redor do mundo.

2_capa_pagina3.indd 12

de cinema.

de câmera.

todo mundo.

14/10/11 19:07


www.vitecbrasil.com.br

Petrol Bags

RF Central

Sachtler

Vinten

Vinten Radamec

Malas para transporte professional, cases para proteção e

Fornecedor de wireless digital de video para o Mercado de

Lider mundial na produção de suporte de câmeras tais

Fornecedor de uma grande gama de suporte de câmera,

Lider no fornecimento de sistemas de suportes de câmera

acessórios para malas para cameras HD a DV, iluminação, audio, tripés e outros

broadcast, esportes, entretenimento e aplicações governamentais.

leves, estudios e externas do mercado de broadcast, o que permite ao operador

robóticos, incluindo cabeças robóticas, pedestais e controles adequados a estúdios,

de câmera trabalhar da forma que ele escolher sem comprometer o resultado.

OB e ambientes legislativos.

equipamentos de produção.

2_capa_pagina3.indd 13

tripés, pedestais, e sistemas estabilizadores de câmera.

14/10/11 19:07


w

Editorial

A visão de Brasília

No Brasil, os meios de comunicação sempre foram dependentes dos governos, em todas as suas esferas. Seja por questões políticas ou de financiamento, em geral as emissoras dependem de Brasília para entrar ou continuar no ar. O processo nunca é simples. Com a decisão sobre a televisão digital, a capital federal passou a receber dois tipos de solicitação: as de outorga e concessões de novas frequências e de “estímulos financeiros” para iniciar a migração. Por um dos motivos ou pelos dois, centenas de emissoras ainda não têm planos claros para deixar o mundo analógico e estão à espera de uma decisão superior. Em Brasília, o assunto não é exatamente uma prioridade, mas Dilma Roussef, que esteve envolvida na decisão do ISDB-T e conhece o assunto, sabe que a expansão das transmissões digitais passa pela “exportação” do padrão para outros países. A expectativa é beneficiar os fabricantes brasileiros do segmento de transmissão e baratear os custos para os radiodifusores. Sobre o processo de decisão pelo qual passam alguns países africanos e da América Latina, o governo avalia que os serviços oferecidos por cada padrão pesam na escolha entre o DVB-T e ISDB-T. No caso do padrão nipo-brasileiro, as possibilidades de interatividade contam muito para algumas nações, pois elas permitem levar informações de interesse público a toda população, inclusive para os celulares, de maneira gratuita. Não depender de uma empresa de telecomunicações é sempre uma vantagem a considerar, lembrou André Barbosa, assessor da Casa Civil da Presidência da República, durante o Congresso SET 2011. Outros itens que têm influenciado os países interessados no ISDB-T são a robustez do sinal, incluindo a solução dos problemas de multipercurso (origem dos fantasmas) e de outras interferências que sempre comprometeram a televisão analógica. Naturalmente, a possibilidade de seguir assistindo TV em ônibus ou a pé também é um ponto positivo.

Edição: Ano 1 • N° 8 • Outubro de 2011 Presidência & CEO Victor Hugo Piiroja e. victor.piiroja@vpgroup.com.br

Segundo Barbosa, no início do governo Dilma, muitas pessoas disseram que a presidente tinha se afastado do processo de TV digital em razão do programa de banda larga. Para ele, isso foi uma maldade, porque o prédio da TV digital já estava construído, mesmo sem as questões relacionadas à popularização da TV digital e da interatividade, estarem finalizadas. “As diretrizes já haviam sido lançadas por Dilma, em reuniões nos anos de 2005, 2006 e 2007”. O secretário defende que nos primeiros meses de 2011, a missão foi trabalhar para promover o acesso da banda larga, com preços mais acessíveis, “mas a presidente sabe que quem vai transmitir a Copa do Mundo e as Olimpíadas será a televisão e não um site da internet. Não existe infraestrutura de streaming para bilhões de pessoas. Diante disto, a popularização da TV digital se torna um imperativo e o processo para garantir a cobertura digital até 2014 já está em curso”. Por outro lado, um dos maiores empecilhos para o avanço da TV digital tem sido a falta de capacidade do ministério das Comunicações em liberar outorga e concessões para frequências digitais. Segundo fontes do mercado, centenas de processos estão travados, atrasando a expansão em todo o país, mas André Barbosa afirma que após algumas reuniões com os envolvidos, essa capacidade será ampliada. Ele também reconhece a necessidade de financiamento para a migração e diz que o caso ainda está sendo estudado. Finalmente, sobre a entrada das empresas de telecomunicações no mercado de TV paga em 2012, alterando o modelo de negócio consolidado nas últimas duas décadas, Barbosa lançou a visão do governo sobre o assunto: “Nós queremos a convergência de plataforma, queremos que a TV digital aberta, o broadband e a banda larga existam, para haver competição. Esta convergência é para melhorar a qualidade de vida do cidadão brasileiro. Esta é a intenção do governo, sem privilegiar um ou prejudicar outro”. Fernando Gaio

Gerência Geral Marcela Petty e. marcela.petty@vpgroup.com.br Departamento Financeiro Rodrigo Oliveira e. rodrigo.oliveira@vpgroup.com.br Bruna Oliveira e. bruna.oliveira@vpgroup.com.br Departamento de Arte Débora Becker e. debora.becker@vpgroup.com.br Departamento de TI Wander Martins e. wander.martins@vpgroup.com.br Diretor de Redação Fernando Gaio (MTb: 32.960) e. fernando.gaio@vpgroup.com.br Editor Eduardo Boni e. eduardo.boni@vpgroup.com.br Editor Internacional Antonio Castillo e. acastillo@panoramaaudiovisual.com Colaboradores Cintia Furtado . Felipe Goulart Fouad Mattuck . Patrick Silva . Valdecir Becker Publicidade – Gerente de Contas Alexandre Oliveira e. alexandre.oliveira@vpgroup.com.br Christian Visval e. christian.visval@vpgroup.com.br Publicidade – Gerente de Contas Internacional Roberta Petty e. roberta.petty@vpgroup.com.br

Panorama Audiovisual Online s. www.panoramaaudiovisual.com.br Tiragem: 16.000 exemplares Impressão - HR Gráfica

comunicação integrada

Alameda Amazonas, 686, G1, Alphaville Industrial 06454-070 - Barueri – SP – Brasil t. + 55 (11) 4197 - 7500 s. www.vpgroup.com.br Alameda Amazonas, 686, G1, Alphaville Industrial

PanoramaAV

PanoramaAVBR

Página 4

04a05_(editorial).indd 4

15/10/11 02:41

SON_0


w w w. s o n y p ro . c o m . b r

Profissionais de verdade não filmam com câmeras de mentira.

NEX-FS100

Profissionais de verdade usam a NEX-FS100. A mais nova câmera de 35 mm da Sony com a qualidade de imagem que a sua produção merece. • NXCAM • Gravação em Memory Stick PRO Duo • Lentes intercambiáveis E-mount • Gravação 1920x1080p Slow and Quick Motion.

Sony é um Patrocinador Oficial da FIFA

(21) 2210-2787

(11) 3467-3353

(19) 3741-4488

(11) 3875-3239

(11) 3877-4000

A garantia oficial Sony Brasil só é garantida pelos revendedores autorizados. Sony é uma marca comercial registrada da Sony Corporation. Todos os pesos e as medidas não-métricas são aproximados. As imagens visualizadas neste anúncio são simuladas. Fotos, gráficos e ilustrações podem não corresponder a uma representação fiel da realidade.

SON_0020_11AB_Out 5An Rev Panorama Audio Visual Sony 23x31.indd 1 04a05_(editorial).indd

9/30/11 PM 15/10/112:43 02:41


SUMÁRIO

0808 Hitachi Kokusai Linear

Além do mercado de transmissões e micro-ondas, a nova empresa também comercializará câmeras HDTV para estúdio e externa.

1616 EPTV

A afiliada da Rede Globo expandiu a sua capacidade de produção em estúdio e esportes ao vivo, com a compra de câmeras, switchers, roteadores, controles mestre e modulares Grass Valley

2626 Miranda

A Academia de Artes e Ciências da Televisão reconheceu com prêmio Emmy o trabalho da Miranda no desenvolvimento e padronização da tecnologia para controle da relação de aspecto, Active Format Description

3232 Broadcast Pix Mica

O switch er econômico apresentado no IBC 2011 usa os painéis de controle padrão da empresa e é opção intermediária entre as linhas Slate e Granite.

4242 Panasonic

A empresa tem vendido um volume considerável de switchers e começa a trabalhar com maior intensidade câmeras como a AK-HC3500 no Brasil

4848 Harman Group 5454 Roland 6060 JVC

Para garantir a participação no mercado broadcast, a Harman se aliou à Libor, que passará a distribuir com exclusividade marcas como JBL Pro, AKG, Studer e Soundcraft

Takao Shirahata, presidente da empresa no País, descreve as tecnologias oferecidas pela empresa para os mercados de vídeo profissional e broadcast

Kirk Hirota, presidente e CEO da JVC no continente Americano, não hesita ao defender o desejo da companhia de acelerar a chegada do 3D aos produtores e às residências.

Página 6

sumario.indd 6

15/10/11 00:54


sumario.indd 7

15/10/11 00:54


News > Mercado

Nasce a Hitachi Kokusai Linear Após anunciar a aquisição da Linear Equipamentos Eletrônicos na Broadcast & Cable, a Hitachi convidou o mercado broadcast para formalizar a criação de uma nova companhia. Em um almoço promovido em Santa Rita do Sapucaí (MG), Shigueru Kimura foi apresentado como novo presidente e Yasutoshi Miyoshi como diretor comercial.

Evento que reuniu as equipes da Linear e da Hitachi para o anúncio da Hitachi Kokusai Linear. Além de transmissores, a nova companhia deverá comercializar novos modelos de micro-ondas e câmeras HDTV. Em quase 35 anos, a Linear produziu, instalou e configurou mais de 30 mil equipamentos em mais de 40 países

P

ouco mais de um mês depois de surpreender o mercado com o anúncio de que havia vendido o seu controle para a japonesa Hitachi, começam a surgir as primeiras indicações de qual será o futuro da Linear. Segundo apurado em Santa Rita do Sapucaí (MG), onde está a sede da empresa, os quatro diretores e fundadores continuarão na direção e as atividades de pesquisa e desenvolvimento devem continuar firmes. A Linear chamou a atenção dos japoneses pela capacidade de conceber e fabricar produtos de ponta a um custo muito interessante. Também foi considerada a sua atuação no exterior, pois a fabricante também vende na América do Norte, África e Ásia, além de ter uma fábrica nos Estados Unidos. A Hitachi Kokusai Linear deverá exportar mais de 50% da sua produção e também comercializar as câmeras HDTV da Hitachi no Brasil.

História A Linear Equipamentos Eletrônicos foi criada em 1977 por um grupo de professores de engenharia de Santa Rita do Sapucaí (MG) e em 1978 já produzia o seu primeiro transmissor para TV de baixa potência, destinado ao mercado brasileiro e latino-americano. Os anos seguintes foram de crescimento contínuo e logo começou a fabricação de receptores, marcando o início da cobertura via satélite em todo o Brasil. Essa fase de expansão chegou ao final dos anos 90 com o lançamento de soluções para micro-ondas, consolidando a

posição da Linear no mercado de radiodifusão. Ainda no final daquela década a empresa construiu uma unidade fabril em Ilhéus (BA). Os investimentos em pesquisa e desenvolvimento são a marca desta empresa nascida na incubadora do Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel). Isto foi provado nas pesquisas feitas durante a primeira metade dos anos 2000, que culminaram no lançamento de produtos para atender o padrão de transmissão digital ATSC, utilizado nos Estados Unidos. Estas pesquisas colocaram a Linear em uma posição privilegiada para atender o mercado de transmissão digital, que também nascia no Brasil e na América Latina. O sucesso com os transmissores para o padrão norte-americano foi tão positivo, que em 2006 a empresa instalou um escritório de montagens, vendas e serviços na área metropolitana de Chicago. Seu primeiro excitador digital foi vendido em 2007 e já trazia a pré-correção automática. Em 2010, a empresa comprou uma nova fábrica em Santa Rita do Sapucaí, aumentando a sua capacidade de produção em 300%. Além da base em Chicago, a empresa tem um escritório de vendas em Dubai, operando desde 2009. Hoje o time formado por mais de 300 funcionários, entre engenheiros, montadores e equipe de suporte, desenvolve e produz sistemas e serviços de RF para todas as necessidades de transmissão, retransmissão, reforço de sinal, codificação, multiplexação, micro-ondas e rádio digital usados em uma emissora.

Página 8

8a41_news_REVISADA_final.indd 8

14/10/11 23:54


Apresentando interface de transporte HyperDeck, Apresentando Apresentando aa a interface interface de de transporte transporte HyperDeck, HyperDeck, oo o perfeito gravador SSD sem compressão para SDI HDMI perfeito perfeito gravador gravador SSD SSD sem sem compressão compressão para para SDI SDI ee e HDMI HDMI Agora você pode ter a incrível qualidade na captura e reprodução de vídeo SDI sem Agora você ter qualidade na captura e ereprodução de SDI Agora vocêpode pode teradiscos aincrível incrível qualidade captura reprodução devídeo vídeo SDIsem sem compressão usando removíveis denaestado sólido! A interface de transporte compressão usando discos removíveis de estado sólido! AAinterface de transporte compressão usando discos removíveis de estado sólido! interface de transporte HyperDeck é um deck perfeito, de qualidade broadcast, que você pode segurar HyperDeck é éum deck de broadcast, que você HyperDeck um deckperfeito, perfeito, dequalidade qualidade broadcast, vocêpode podesegurar segurar em suas mãos. O HyperDeck permite à você deixar de ladoque a compressão de sinais em suas mãos. OOHyperDeck permite à àvocê deixar de lado a acompressão de em suas mãos. HyperDeck permite você deixar de lado compressão desinais sinais da câmera por um sistema de gravação de altíssima qualidade, sendo perfeito para da câmera por um sistema de gravação de altíssima qualidade, sendo perfeito para da câmera por um sistema de gravação de altíssima qualidade, sendo perfeito para digital signage, instant replay e gravação de programas, operando com produções digital signage, instant replay e egravação de operando produções digital replay gravação deprogramas, programas, operandocom com produções ao vivosignage, junto ao instant switcher. O vídeo é gravado em arquivos QuickTime de forma a que ao vivo junto ao OOvídeo é égravado em QuickTime de forma ao vivo juntomontar aoswitcher. switcher. vídeo gravado emarquivos arquivos QuickTime formaa aque que você possa e editar diretamente do SSD eliminando o tempode desperdiçado você possa montar e eeditar diretamente do SSD eliminando o tempo desperdiçado você possa na cópia demontar arquivos.editar diretamente do SSD eliminando o tempo desperdiçado nanacópia cópiade dearquivos. arquivos.

Gravação em disco de memória de estado solido (SSD) Gravação Gravaçãoem emdisco discode dememória memóriade deestado estadosolido solido(SSD) (SSD) Simplesmente encaixe rapidamente um disco de estado Simplesmente encaixe rapidamente um disco de estado Simplesmente encaixe rapidamente uma disco estado sólido dentro do HyperDeck e comece gravar!deOs SSDs sólido dentro do HyperDeck a gravar! sólido dentro HyperDecke ecomece comece gravar!Os OsSSDs SSDs são usados emdo computadores de mesa ealaptops, portanto são usados de mesa são usadosem emcomputadores computadores mesae elaptops, laptops,portanto portanto os preços estão decrescendode constantemente enquanto osospreços estão constantemente enquanto estãodecrescendo decrescendo constantemente enquanto quepreços a capacidade de armazenagem fica cada vez maior! que de armazenagem fica vez quea acapacidade capacidade ficacada cada vezmaior! maior! Conecte o SSD em seu computador e o disco de seráarmazenagem usado direto em seu computador Conecte o SSD em e eoodisco será usado direto computador Conecte emseu seucomputador computador disco usado diretoem emseu seu10 computador de mesa!o SSD Os arquivos são armazenados no será formato QuickTime de bits, então de mesa! Os arquivos são armazenados no formato de 1010bits, de mesa! armazenados formatoQuickTime QuickTime bits,então então você pode Os usararquivos a mídia são em softwares Macno e Windows para ediçãode de vídeo. você vocêpode podeusar usara amídia mídiaem emsoftwares softwaresMac Mace eWindows Windowspara paraedição ediçãode devídeo. vídeo.

Qualidade absolutamente perfeita Qualidade Qualidadeabsolutamente absolutamenteperfeita perfeita O HyperDeck lhe permite fugir de toda a compressão de OOHyperDeck lhe fugir de toda de HyperDeck lhepermite permite todaa acompressão compressão de vídeo da câmera, para um fugir vídeode perfeito sem compressão vídeo da câmera, para um vídeo perfeito sem compressão vídeo da câmera, para um vídeo perfeito sem compressão 10-bits SD/HD. Tenha uma variação real na dinâmica das 10-bits SD/HD. Tenha variação real nanadinâmica das 10-bits SD/HD. Tenhauma uma variação real dinâmica das cores para uma correção de cor perfeita e um chaveamento cores para uma correção de cor perfeita e eum chaveamento cores para uma correção de cor perfeita um chaveamento de vídeo muito preciso nos processos de color keying. Somente a gravação de vídeo de vídeo muito nos de color a agravação de de muitopreciso preciso nosprocessos processos colorkeying. keying.Somente Somente gravação devídeo vídeo semvídeo compressão dá à você um “clone”de matematicamente perfeito na gravação entre sem compressão dá à àvocê um “clone” matematicamente perfeito nanagravação entre sem compressão dá você um “clone” matematicamente perfeito gravação entre os processos de captura e reprodução. Só a não compressão lhe dá uma gravação ososprocessos de e ereprodução. Só lhe processos decaptura captura reprodução.qualidade Sóa anão nãocompressão compressão lhedá dáuma umagravação gravação confi ável e não existe absolutamente superior à esta. confi ável confi ávele enão nãoexiste existeabsolutamente absolutamentequalidade qualidadesuperior superiorà àesta. esta.

Use Câmeras, Switchers e Monitores Use UseCâmeras, Câmeras,Switchers SwitcherseeMonitores Monitores Com entradas e saídas SDI e HDMI, o HyperDeck trabalha Com entradas e esaídas SDI trabalha Com entradas saídas SDIe eHDMI, HDMI,ooHyperDeck HyperDeck trabalha com praticamente qualquer câmera, switcher ou monitor! com praticamente qualquer câmera, switcher ou monitor! com praticamente qualquer câmera, switcher ou monitor! Encaixe em televisores ou projetores de vídeo para uma Encaixe em ou de para Encaixe emtelevisores televisores ouprojetores projetores devídeo vídeo parauma uma revisão prévia e instantânea ou tenha uma reprodução ao revisão prévia e einstantânea ou tenha uma reprodução ao revisão prévia instantânea ou tenha uma reprodução ao vivo excitante com os switchers de produção ATEM. Até mesmo use para distribuição vivo excitante com ososswitchers de ATEM. mesmo para vivo excitante com switchers deprodução produção ATEM.Até Até mesmouse use paradistribuição distribuição digital. Aperte “play” duas vezes para reprodução em “loop”! Imagine-se usando digital. Aperte “play” duas reprodução em Imagine-se digital. Aperte duasvezes vezespara para reprodução em“loop”! “loop”! Imagine-seusando usando gravação nativa“play” sem compressão no seu próximo evento ao vivo. gravação gravaçãonativa nativasem semcompressão compressãono noseu seupróximo próximoevento eventoao aovivo. vivo.

Grave e reproduza em qualquer lugar! Grave Graveeereproduza reproduzaem emqualquer qualquerlugar! lugar! O HyperDeck é montado em um bloco sólido de alumínio de OOHyperDeck é émontado em um bloco sólido de HyperDeck montado em um bloco sólidode dealumínio alumínio de aviação, o que lhe confere uma incrível resistência mecânica! aviação, ooque lhe uma incrível mecânica! aviação, que lheconfere confere incrívelresistência resistência mecânica! Leve o seu HyperDeck parauma o campo, para o estúdio e para Leve ooseu para o estúdio e epara Leve seuHyperDeck HyperDeck paraorecarregue ocampo, campo,para para para eventos ao vivo. Com uma bateria interna, somente e vá!oSóestúdio o HyperDeck eventos ao uma interna, somente recarregue e vá! HyperDeck eventos aovivo. vivo.Com umabateria bateria interna, somente recarregue vá!Só Sóooem HyperDeck lhe dá gravação eCom reprodução em uma solução compacta que seeencaixa sua mão! lhe lhedá dágravação gravaçãoe ereprodução reproduçãoem emuma umasolução soluçãocompacta compactaque queseseencaixa encaixaem emsua suamão! mão!

HyperDeckShuttle Shuttle HyperDeck HyperDeck Shuttle US$

345 345 345

US$ US$

Aprendamais mais hojeem em www.blackmagic-design.com/hyperdeckshuttle Aprenda Aprenda maishoje hoje emwww.blackmagic-design.com/hyperdeckshuttle www.blackmagic-design.com/hyperdeckshuttle

8a41_news_REVISADA_final.indd 9

14/10/11 23:54


News > Interface

AJA Hi5-3D dá uma filme de Coppola A produtora American Zoetrope usou o miniconversor durante as visualizações prévias do filme “Twixt”, lançado em setembro no Toronto Film Festival.

O

filmeTwixt, do diretor Francis Ford Coppola é essencialmente 2D, mas tem seis minutos de sequências em 3D distribuídas pelo longa. Durante a pós-produção foram usados projetores digitais SIM2 e foi necessário converter os sinais para garantir a exibição em 3D. “Nós ouvimos falar da Hi5-3D e era exatamente o que precisávamos”, disse o supervisor de pós-produção James Mockoski. O conversor combina as entradas SDI relativas ao olho esquerdo e direito para criar uma saída S3D que pode ser visualizada rapidamente em monitores e projetores 3D. “A nossa equipe de efeitos especiais envia os materiais L/R separados e nós geramos uma saída side-by-side. Isso facilita muito a checagem dos materiais em 3D”, acrescentou Sin Cohen, gerente de pós-produção da empresa. O filme Twixt foi gravado com câmeras Sony e RED e editado em sete estações Apple Final Cut Pro equipadas com placas AJA Kona, além de uma interface de entrada e saída AJA Io HD.

News > Áudio

EuControl tem disponível A Avid liberou a versão 2.6.1 do pacote EuControl, usado na linha de controladores Artist Series, MC Pro e System 5-MC.

E

ssa atualização de software e firmware garante compatibilidade com o sistema operacional Lion, da Apple, assim como melhorias nas funcionalidades e correções de problemas. O download da versão 2.6.1 para os usuários da linha de controladores Artist Series, MC Pro e System 5-MC, que são usadas para controlar softwares como Pro Tools, Nuendo, Logic Pro, Pyramix, Digital Performer, entre outros, liberando o operador do mouse e do teclado. Essa linha emprega o protocolo aberto EUCON de controle via Ethernet. http://euphonix.avid.com/artist/ux/euphonix/artist-support.html http://euphonix.avid.com/artist/ux/euphonix/mc_support.html Página 10

Untitle

8a41_news_REVISADA_final.indd 10

14/10/11 23:54

Untitle


Untitled-1 1

Untitled-1 1 8a41_news_REVISADA_final.indd 11

30/09/11 10:40

30/09/11 10:40 14/10/11 23:54


News > Iluminação

Litepanels traz iluminação de alta potência A empresa do Grupo Vitec anunciou no IBC o Hilio High Output LED, um modelo que produz luminosidade suave de 5600 K numa área de até 7,5 metros, usando 72 LEDs.

O

equipamento usa a tecnologia de LEDs patenteada pela LitePanel, que proporciona um consumo eficiente de energia. Com 125 W, o Hilio cria a mesma luminosidade de uma lâmpada de tungstênio de 1000 W ou HMI de 650 W. Segundo a empresa, usando o controle manual ou remoto com protocolo DMX, o Hilio pode ser ajustado de 0 a 100% de luminosidade sem alterações na temperatura de cor. Ele também não precisa ficar desligado por alguns instantes para ser religado e está sendo apresentado como substituto dos modelos HMI.

8a41_news_REVISADA_final.indd 12

Com 125 W, o Hilio cria a mesma luminosidade de uma lâmpada de tungstênio de 1000 W ou HMI de 650 W

O lançamento pesa 5,9 quilos, mede 254 mm x 356 mm x 102 mm e vem com um sistema para montagem suportes ou fixação em grides de iluminação. Ele pode operar com correntes de 120 até 240 VAC e vem com um adaptador de AC 24 VDC. www.litepanels.com www.vitecbrasil.com.br

14/10/11 23:54

Adv11-N


Playout inteligente baseado em TI, fluxo de trabalho rápido de ponta a ponta.

JUNTE-SE A NÓS. Ao combinar a transmissão automatizada “iTX IT-based” com a Infra-estrutura e os sistemas inteligentes de monitoração, a Miranda trouxe um novo nível de integração aos fluxos de trabalho no seu playout multiformato, simplificando assim todos os processos de reprodução da sua emissora. Desde a captura até a monitoração, nossa solução de integração permite trabalhar com mais canais e uma maior qualidade de serviços diminuindo a quantidade de operação individual. É uma abordagem mais inteligente, mais simples e muito mais segura.

www.miranda.com/playout

JUNTE-SE A NÓS.

Adv11-NewiTX-PanoramaBrazil.indd 1 8a41_news_REVISADA_final.indd 13

11-03-23 10:20 AM 14/10/11 23:54


News > Novas mídias

IPTV deve chegar a 60 milhões de europeus Com o avanço das novas plataformas para consumo de mídia, até 2020 o faturamento das operadoras europeias deverá crescer de US$ 5,3 bilhões para US$ 14,8 bilhões

S

egundo o estudo publicado, até lá existirão 160 milhões de assinantes de banda larga no continente e mais de um terço deles assinará serviços de IPTV. Oliver Johnson, CEO da Point Topic, comentou este crescimento. Para ele, o sucesso da IPTV depende do acesso estar disponível não apenas na rede física, mas também a um preço que o consumidor possa pagar. Um exemplo positivo disso é a França. No entanto, em muitos mercados há barreiras de custo e disponibilidade de serviço. No Leste Europeu existe uma barreira a mais. Lá, pequenas organizações sem fins lucrativos desenvolveram as suas próprias estruturas de distribuição, sem fins lucrativos, para atingir pequenos mercados. Estes operadores podem não ter musculatura para disputar espaço com os grandes concorrentes, mas já provaram ter uma base de assinantes muito fiel.

As assinaturas de banda larga continuam a crescer nos 27 estados membros da União Europeia. A consultoria Point Topic diz que o mercado de IPTV deverá triplicar até 2020.

“Os operadores e ISPs estão tentando lidar com essas barreiras. Às vezes, uma assinatura de banda larga vai ser mais cara que um serviço de IPTV completo, uma tática clássica para tentar ganhar mercado”, diz Johnson. A Point Topic analisou mais de duas mil tarifas cobradas no mundo em 2011 e estima que um serviço tradicional de internet banda larga irá cobrar US$ 66 por mês pelo pacote de IPTV (incluindo o acesso a banda larga). “Isso significa que em 2020 o faturamento das operadoras europeias saltará de US$ 5,3 bilhões para US$ 14,8 bilhões”, conta Johnson. O executivo finaliza dizendo que a entrada do Google, Netflix e Hulu neste jogo deverá aumentar a concorrência e baixar os preços para o consumidor final. point-topic.com

News > Slow motion

PCO.Dimax+: a arte de captar altas velocidades A câmera Dimax +, resultado de um projeto cuidadoso da PCO, abre espaço para inúmeras possibilidades criativas. Ela pode trabalhar a uma velocidade de 1.469 fps em Full HD 1920 x 1080 pixels e em 1920 x 1440, no modo “HD +”.

A

sensibilidade oferecida pelo equipamento impressiona pela qualidade da imagem (que pode ser observada no site da empresa), alta definição, desempenho em altas velocidades de gravação e pela possibilidade de trabalhar em diversos formatos. Ela é adequada para produção de vídeo, testes de segurança feitos pela indústria automotiva, análise de imagens em movimento, imagens científicas e análise 3D, entre outras possibilidades. A PCO.Dimax+ usa um sistema CMOS de 12 bit e as imagens são transferidas por uma interface GigE Vision (que pode chegar a 1000Mbit/s) ou por USB2.0. www.pco.de

A câmera usa a interface proprietária interface GigE Vision, para dar vazão ao fluxo de dados gerado

Página 14

8a41_news_REVISADA_final.indd 14

14/10/11 23:54


8a41_news_REVISADA_final.indd 15

14/10/11 23:54


News > Emissora

Grass Valley expande presença na EPTV A afiliada da Rede Globo no interior paulista e Sul de Minas Gerais expandiu a sua capacidade de produção em estúdio e nos esportes ao vivo, com a compra novos equipamentos e um contrato de longo prazo para suporte técnico.

A EPTV incorporou doze câmeras LDK 8000 Elite HD (foto), duas LDK 8300 Super SloMo e doze LDK 3000 HD e quatro sistemas de replay K2 Dyno (foto)

N

ovos estúdios HDTV de notícias, uma Unidade Móvel HD e um pacote de câmera ENG para UMJ, incluindo varias câmeras HD Grass Valley, switchers de produção, roteadores, controle mestre, bem como uma linha completa de módulos para processamento de sinal, estão previstos para estarem totalmente em funcionamento até o inicio do próximo ano na EPTV (Emissoras Pioneiras de Televisão). Dentre os produtos selecionados estão doze câmeras LDK 8000 Elite HD, duas LDK 8300 Super SloMo e doze LDK 3000 HD; um switcher de produção (4.5 M/E) Kayak e dois switchers de produção (1.5 M/E) Kayak HD; quatro sistemas de replay K2 Dyno; dois roteadores Concerto Series e um roteador Trinix NXT HD com um Trinix Multiviewer – controlados pelo sistema Jupiter; dois controles mestres Maestro; e uma linha completa de modulares GeckoFlex. “Continuamos trabalhando com a Grass Valley porque eles são uma das poucas empresas que podem fornecer e dar suporte a um pacote completo de produção e distribuição, totalmente integrado e capaz de atender nossas necessidades individuais, que mudam constantemente”, diz José Francisco Valência, Diretor Técnico da EPTV. “Depois de anos tendo boas experiências com a tecnolo-

gia Grass Valley, e com a ótima equipe de suporte que eles possuem, acreditamos que não há melhor opção ou parceiro tecnológico para nós”, conclui. A EPTV usará a nova Unidade Móvel HD para cobrir eventos de esportes ao vivo (principalmente futebol) na região, para seus parceiros. A emissora usará seus novos estúdios de produção HD para produzir novos segmentos e programas, com ênfase em esportes e jornalismo. Ela também aumentará a capacidade de seu controle mestre existente com a instalação de dois novos sistemas Maestro, que vão lhe permitir uma gama completa de programas, que incluem tanto HDTV digital, como canais analógicos com uma solução end-to-end da Grass Valley. “Compreendendo que qualidade de imagem e eficiência na produção são fundamentais, a EPTV é uma das emissoras pioneiras na região e sempre nos desafiou a desenvolver sistemas que eles podem usar de diversas maneiras, a EPTV sempre retorna à Grass Valley para suprir suas necessidades tecnológicas. E isso é prova do nosso sucesso. Estamos muito felizes em apoiar o crescimento desta emissora e esperamos continuar nossa parceria de sucesso”, diz Jess Rosica, Vice-Presidente Executivo da Grass Valley. A EPTV é um cliente de longa data da Grass Valley, tendo já adquirido e instalado diversas câmeras LDK, incluindo as câmeras SD LDK 300, LDK 400 e câmeras HD LDK 3000 e LDK 4000, switchers KAYAK DD/ HD, roteadores Concerto e produtos modulares Gecko Flex. Além disso, possui mais de 80 estações de edição EDIUS, Sistemas de Replay K2 Dyno, servidores K2 e controle mestre Maestro.

A emissora ampliará a sua capacidade de exibição com dois sistemas de controle mestre Maestro, para coordenar a distribuição de sinais SDTV e HDTV Página 16

PABraz 8a41_news_REVISADA_final.indd 16

14/10/11 23:54


NOVO! MAIS DO QUE APENAS UM MINI CONVERSOR DE SDI PARA HDMI MONITORE • DISTRIBUA • COMUTE • MULTIPLEX • CONVIRJA

Mini Conversor Dual, de SDI para HDMI, para 3G/3D/HD/SD

Como engenheiro broadcast ou profissional de A/V você provavelmente tem necessidades diversas quando o assunto é o gerenciamento de sinais SDI dentro do seu ambiente – para monitoração, distribuição, comutação, multiplexação e processamento em 3D em tempo real. Até agora você era obrigado a adquirir diversos dispositivos para realizar essas tarefas. O novo Matrox MC-100 resolve todos esses desafios em um único dispositivo econômico e de fácil utilização. Matrox MC-100 é um mini conversor dual, de SDI para HDMI, que suporta uma ampla gama de resoluções de exibição em 3D, Dual Link, HD e SD SDI. Essa unidade portátil única pode ser utilizada como um comutador HD-SDI, um distribuidor, um multiplexador e uma unidade de processamento em 3D, fazendo assim do MC-100 o mini conversor mais versátil do mercado. O Matrox MC-100 deveria fazer parte do kit de ferramentas de todo profissional de vídeo.

Revendedores autorizados no Brasil: BCTV (11) 3373-3077 ProTV (11) 3168-7332

Magics Video (19) 3756-4800 SEEGMA (11) 5082-2302

Merlin Video (19) 3741-4488 RT Technology (11) 5083-6720

Pinnacle Broadcast (11) 2533-2465 Videomart (21) 2142-1300

www.matrox.com/video/en Matrox is a registered trademark and Matrox Convert is a trademark of Matrox Electronic Systems Ltd. All other trademarks are the property of their respective owners.

PABraz_MC100_ad_Braz_0911.indd 1 8a41_news_REVISADA_final.indd 17

9/15/2011 3:15:48 PM 14/10/11 23:54


News > Comunicação

RTS tem novo intercom wireless O BTR-240 garante comunicação full duplex para até oito beltpacks TR-240. Este modelo multicanal opera na faixa de 2.4 GHz e usa a tecnologia ClearScan, para seleção do melhor canal disponível (RF) ao toque de um botão.

O

BTR-240 pode usar diversas configurações de segurança, típicas dos equipamentos que seguem o protocolo 802.11, incluindo encriptação de dados e áudio de 64-bit, além de filtro de endereço. O sistema permite ao operador selecionar entre dois canais de áudio, para falar e ouvir ou apenas ouvir um determinado canal. Ele é indicado para trabalhar sozinho, mas também pode ser conectado a sistemas com fio da própria RTS ou da TELEX, Audiocom e Clear-Com. As interfaces têm ainda uma entrada de áudio balanceada (XLR) e uma saída para monitoração.

8a41_news_REVISADA_final.indd 18

O BTR-240 pode usar diversas configurações de segurança, típicas dos equipamentos que seguem o protocolo 802.11, incluindo encriptação de dados e áudio de 64-bit. Já os beltpacks TR-240 podem ser configurados em três modos: sem fio, com fio ou como master Já os beltpacks TR-240 podem ser configurados em três modos: sem fio, com fio ou como master. No primeiro modo, os aparelhos se comunicam usando a base do sistema como ponte. Para o modo com fio, é usada a porta Ethernet do aparelho, enquanto na função master wireless, o beltpack atua como ponto de acesso para que outros beltpacks se comuniquem sem o uso da base BTR-240. Estes comunicadores usam baterias de íons de lítio removíveis, quem rendem até oito horas de operação. O recarregamento pode ser feito diretamente neles ou em um carregador auxiliar. www.rtsintercoms.com

14/10/11 23:54

Corp_8.5x


nós estamos lá! Esta é uma afirmação audaciosa, mas verdadeira. Como um das maiores fornecedoras do mundo, a Grass Valley tem mais de 3 mil consumidores ativos de broadcast e dezenas de milhares de usuários profissionais gerando conteúdo com a utilização de ferramentas da Grass Valley. Por mais de 50 anos a Grass Valley tem estado na vanguarda de inovações para o mercado de transmissões ao-vivo, criando alguns dos mais brilhantes produtos e serviços disponíveis. Quando você está assistindo ao noticiário, programas de esporte ou entretenimento, tanto na TV, quanto na web ou celular, assiste a Grass Valley trabalhando.

Para mais informações, visite: www.grassvalley.com

Corp_8.5x11_08.01.11_NoBooth.indd 1 8a41_news_REVISADA_final.indd 19

05/08/11 17:35

14/10/11 23:54


News > Produção

Extreme Tour A Newtek reuniu produtores e distribuidores em São Paulo para apresentar alguns dos seus mais recentes lançamentos, como o Tricaster 450 Extreme.

O

encontro aconteceu no Hotel Sheraton, onde Ralph Messana, responsável pela empresa na América Latina, defendeu o uso intensivo de cenários virtuais e de streaming em produções de todos os níveis, para reduzir custos e aumentar o número de espectadores. Messana afirmou que a empresa pretende crescer mais de 85% em toda a América Latina no próximo ano e que os segmentos mais rentáveis serão os de streaming e das emissoras que estão migrando para HD. Durante a apresentação foram exibidas as funcionalidades do Tricaster 850 Extreme em várias situações, como a importação de RSS para geração de gráficos, o controle de dezenas de arquivos previamente armazenados para exibição e a mixagem de imagens em diversos formatos. Também estava em destaque o TriCaster 450 EXTREME, uma versão mais econômica, que ocupa duas unidades de rack (12,7 kg) e conta com 14 canais de vídeo HD. Seu primeiro destaque é a tecnologia IsoCorder, que permite capturar até quatro canais de vídeo ao mesmo tempo, além de gravar em uma resolução e fazer stream em outra. Essas entradas podem ser combinadas de várias maneiras: HD-SDI, HD

8a41_news_REVISADA_final.indd 20

Componente, SD-SDI, SD Componente, Y/C (BNC) ou Composto. Também existem duas saídas simultâneas: HD-SDI, HD Componente, SD-SDI, SD Componente,Y/C (BNC), Composto, além de HDMI, DVI e VGA. O stream pode ser feito para Adobe Flash ou Microsoft Windows Media. A solução pode ser usada em conjunto com o aplicativo Apple AirPlay para transferir, sem fio, arquivos dos dispositivos iPod, iPad e iPhone. O TriCaster 450 EXTREME e a superfície de controle opcional TriCaster 450 CS podem trabalhar em pequenas produções, unidades móveis e evento, com todas as funções acessíveis ao toque dos botões (transições animadas usado o canal alpha, por exemplo). Adicionando a superfície TriCaster 850 TW, também é possível controlar todos os arquivos de mídia armazenados nos DDRs do equipamento, facilitando a seleção e exibição dos arquivos. São suportadas até 40 horas de gravação. www.newtek.com www.pinnaclebroadcast.com.br www.seegma.com.br www.bctv.com.br www.cadtec.com.br

14/10/11 23:54


venceroojogo, jogo,você você Para Paravencer precisade deapenas apenasuma umapeça peça precisa

o apoio Estúdios Quanta, qualquer produção é vencedora. Com Com o apoio dosdos Estúdios Quanta, qualquer produção é vencedora. Atuando segmentos cinema, broadcast, publicidade e eventos, Atuando nosnos segmentos de de cinema, broadcast, publicidade e eventos, o maior complexo locações Brasil, oferecendo toda é oémaior complexo de de locações do do Brasil, oferecendo toda a a infraestrutura estúdios, iluminação, câmeras e movimento. infraestrutura emem estúdios, iluminação, câmeras e movimento.

8a41_news_REVISADA_final.indd 21

MARKETING - QUANTA - 190511

• www.estudiosquanta.com.br • São Paulo de Janeiro • Paulínia • Recife • Salvador • Belo Horizonte • www.estudiosquanta.com.br • São Paulo • Rio• Rio de Janeiro • Paulínia • Recife • Salvador • Belo Horizonte

MARKETING - QUANTA - 190511

você quer sucesso nesse jogo, conte a peça fundamental. Se Se você quer terter sucesso nesse jogo, conte comcom a peça fundamental.

14/10/11 23:55


News > Integração

Glookast embarca o 25° sistema Com a compra de mais dois sistemas Gloobox pelo Canal 13 do Chile, já foram entregues 25 sistemas para a América Latina. A solução começou a ser comercializada em outubro de 2010 e os principais mercados atendidos são Brasil e Chile.

A modularidade da linha Gloobox, tanto para aplicações banda-base (Capturer), como para workflows “file-based” (Ingester) e de contribuição por IP (Contributor) tem sido importante na decisão dos clientes

E

ntre os usuários do Gloobox se destacam grandes empresas de comunicação como a RBSTV,TV Gazeta de São Paulo, SBT eTerra Networks, além do mercado norte-americano, com empresas como o Miami Heat/NBA. “A modularidade da linha Gloobox, tanto para aplicações banda-base (Capturer), como para workflows “file-based” (Ingester) e de contribuição por IP (Contributor), tem sido fator relevante na decisão de nossos clientes. Todos os projetos em que tivemos a oportunidade de participar, nos confirmaram de forma clara o desejo dos produtores de conteúdo: escolher as ferramentas desejadas, dos fabricantes que melhores condições e tecnologia oferecem, sem o risco de ter que conviver com incompatibilidades de formatos e entre plataformas. Continuaremos dedicados a esse objetivo e atentos, cada vez mais, às necessidades de nossos clientes”, declarou Guilherme Ramalho da Silva, CEO da Glookast. Alguns dos workflows viabilizados pela tecnologia permitiram a utilização, em sistemas de produção e jornalismo, de equipamentos de múltiplos fabricantes como Avid, Grass Valley, Harris, DVS e Assimilate Scratch. A utilização de dispositivos e software como o Glookast Moover permitem o a troca bidirecional de mídia e metadados entre sistemas que até então tinham restrições de compatibilidade. A empresa esteve presente na Broadcast & Cable (no estande da CIS) e no IBC 2011, onde demonstrou vários workflows, de ingest a distribuição, para aplicações de edição, finalização, color grading e contribuição por IP e 3G. A Glookast tem bases nos Estados Unidos (Flórida) e Portugal (Porto) e dedica-se exclusivamente ao desenvolvimento de aplicações baseadas em tecnologia, MXF, GXF, IMF e FIMS, que visam otimizar e implementar fluxos de trabalho digitais para produção de conteúdo. www.glookast.com Página 22

8a41_news_REVISADA_final.indd 22

14/10/11 23:55


8a41_news_REVISADA_final.indd 23

14/10/11 23:55


M N D

News > Pós-produção

Cores respeitadas na finalização Com a nova atualização anunciada pela Assimilate, as soluções para gerenciamento de cores THX cineSpace passam a ser suportadas pelo Scratch Six e o Scratch Lab em sistemas de 64 bits.

O

s plug-ins da THX são usados por coloristas que operam os sistemas de pós-produção Scratch em processos de intermediação digital e efeitos visuais, para garantir que o padrão de cores estabelecido no filme seja respeitado. A suite THX cineSpace já está disponível há muitos anos para os profissionais que trabalham com o Scratch e reúne aplicações que trabalham para dar consistência ao gerenciamento de cores no fluxo de produção. As ferramentas cineProfiler, equalEyes, cinePlugins e cineCube Visual garantem que os artistas da pós-produção saibam exatamente como a imagem será exibida em cada janela: projeção com película ou di-

A suite THX cineSpace reúne aplicações que facilitam o gerenciamento de cores no fluxo de produção

gital, monitores de plasma e LCD, ou outras formas de visualização. “Os coloristas devem ter segurança ao tomar as suas decisões e o THX cineSpace é uma referência entre as tabelas de LUT usadas para seleção e calibragem de monitores”, disse Miguel Ferros, diretor de produtos da Assimilate. www.assimilateinc.com www.cisgroup.tv/scratch www.drivesys.com.br

C

O HS-2000 simplifica o fluxo de trabalho de qualquer local de produção HD-SDI usando até cinco entradas através da combinação de um ou dois conectores DVI-D e três ou quatro fontes de HD-SDI. Em questão de segundos, você pode transmitir e fazer webcast de onde está ocorrendo a ação.

C e

B

A w

8a41_news_REVISADA_final.indd 24

14/10/11 23:55


B R A VBAR -AAVGA. -CAOGM. C O M

MotoLink Brasvideo MotoLink Brasvideo Notícias sempre quentes em HD. Notícias sempre quentes em HD. De qualquer lugar e a qualquer hora. De qualquer lugar e a qualquer hora.

Captação de imagens externas para jornalismo com conexão móvel 3G ou 4G. Captação de imagens externas para jornalismo com conexão móvel 3G ou 4G. Startup rapidíssimo para garantir a notícia no momento em que ela acontece. Startup rapidíssimo para garantir a notícia no momento em que ela acontece. Fácil de usar e produzida com material robusto e durável. Fácil de usar e produzida com material robusto e durável. Transmite sem falhas e com total controle remoto dos modens. Transmite sem falhas e com total controle remoto dos modens. Qualidade de imagem com padrão de broadcast Qualidade de imagem com padrão de broadcast Latência de vídeo muito baixa. Latência de vídeo muito baixa. Grande capacidade de gravação local, garantindo maximização total das matérias. Grande capacidade de gravação local, garantindo maximização total das matérias. Contate a Brasvideo hoje mesmo e adicione a qualidade e rapidez da solução TVUPackTM em suasacoberturas esporte.a qualidade e rapidez da solução TVUPackTM Contate Brasvideo de hojejornalismo mesmo eeadicione em suas coberturas de jornalismo e esporte. Brasvideo, sempre a melhor tecnologia em broadcast. Brasvideo, sempre a melhor tecnologia em broadcast. Av. Angélica, 2.466 -18º andar - cj.181- São Paulo - SP - 01228 200 - Tel.: 11 3151 5093 www.brasvideo.com Av. Angélica, 2.466 -18º andar - cj.181- São Paulo - SP - 01228 200 - Tel.: 11 3151 5093 www.brasvideo.com

8a41_news_REVISADA_final.indd 25

MotoLink Brasvideo powered by MotoLink Brasvideo powered by

b r o a d c a s t

i n t e l l i g e n c e

b r o a d c a s t

i n t e l l i g e n c e

14/10/11 23:55


News > Infra-estrutura

Tecnologia AFD da Miranda conquista Emmy técnico A Academia de Artes e Ciências da Televisão reconheceu o trabalho da empresa no desenvolvimento e padronização da tecnologia para controle da relação de aspecto, chamada Active Format Description (AFD).

O

Emmy de Tecnologia e Engenharia será entregue à Miranda na CES 2012, que acontece em Las Vegas, em janeiro. “Estamos muito contentes pelo reconhecimento do AFD pela Academia de Televisão e Artes”, disse Strath Goodship, CEO da Miranda. “Nós trabalhamos junto dos nossos clientes e de outras empresas neste projeto, por isso compartilhamos esta honra com uma grande equipe que contribuiu muito com os nossos esforços.” A tecnologia AFD foi criada para simplificar e automatizar as conversões de aspecto entre 4:3 e 16:9, garantindo que o resultado final, na exibição, seja excelente. Ela reduz muito a necessidade de uma complexa coordenação entre a automação de exibição e o tráfego de mídias para gerenciar a relação de aspectos dos programas. Hoje, a AFD está sendo adotada e padronizada pela SMPTE. Outro prêmio Emmy foi recebido a pouco tempo pelo gerente de projetos da empresa, Alex Gallico, pelo suporte técnico dado durante os Jogos de Olímpicos de Vancouver, em 2010. Ele recebeu o prêmio Emmy para esportes pelo trabalho técnico realizado.

Para entender Essa nova tecnologia foi uma iniciativa das emissoras de televisão norte-americanas para assegurar que os programas continuassem a ser exibidos com alta qualidade e sem distorções após a chegada das transmissões digitais e das imagens widescreen.

A tecnologia AFD foi criada para simplificar e automatizar as conversões de aspecto entre 4:3 e 16:9. Isso é necessário porque as residências que têm telas “convencionais”, não podem ser prejudicadas pelo uso do formato widesecreen O AFD é um método para descrever a relação de aspecto e as características dos sinais de vídeo, de forma que as imagens produzidas em 16:9 sejam adaptadas dinamicamente para 4:3, quando for necessário. Isso é necessário porque as residências que têm telas “convencionais”, não podem ser prejudicadas pela digitalização. O primeiro objetivo da iniciativa foi justamente garantir que os sinais convertidos de HD para SD fossem exibidos da maneira idealizada pelos seus produtores. Empresas como EVS, Harmonic, Harris, Evertz, Tektronix, Leader e Snell também participam desse trabalho. www.miranda.com www.brasvideo.com

Página 26

8a41_news_REVISADA_final.indd 26

14/10/11 23:55


8a41_news_REVISADA_final.indd 27

14/10/11 23:55


News > Datavideo

Portátil ao extremo A Datavideo não economiza nos lançamentos que facilitam a vida de quem produz eventos. Os seus conjuntos de “switcher-gravador-intercom-monitor-mixer” podem ser configurados em minutos e garantem a compatibilidade com fontes de sinal mais antigas.

Mais próximo dos switchers de produção, o SE-3000 tem 8 ou 16 entradas SD/HD-SDI

N

a convenção do IBC, a Datavideo explorou todas as possibilidades de três switcher recém-lançados. Estavam lá o SE-600, um modelo de baixo custo com 8 entradas SD também disponível em formato transporte em rack (versão HS-600); o SE-2800 HD/SD, com 12 entradas (4:2:2 10 bit); e modelo de grande porte SE-3000, que tem 3D DVEs, chroma-key, picture in picture duplo, painel de controle completo e interface para PC. Todos os modelos têm montagem e desmontagem rápida e por isso são bastante usados em eventos de pequeno e médio porte. Eles também são requisitados porque usam entradas compostas para manter a compatibilidade com fontes de vídeo mais antigas. Sem conhecimentos profundos sobre a marca, um técnico pode configurar este switcher em poucos minutos. No caso do SE-3000, a apresentação se assemelha mais a um switcher de produção, com conexões HD/SD-SDI, painel ergonômico e funções com acesso direto. Ele tem 40 padroes de wipe, 4 keyers, bordas de wipe com cores variáveis, suporte para chroma-key e um DVE embutido com 88 transições e dois bancos de imagens disponíveis.

O HS-2000 leva a portabilidade ao extremo. Num pequeno rack está quase tudo o que necessário para um evento corporativo ou corte de imagens para telões

Mobilidade Se o argumento da Datavideo é estar pronta para os eventos, nada mais interessante do que as soluções integradas que a empresa desenvolve. Alguns dos seus racks reúnem switcher, monitoração, gravador e sistema de comunicação. É só abrir a tampa e está tudo lá. O “estúdio móvel” HS-2000, por exemplo, é um kit com cinco entradas para câmeras HD sincronizadas (4 HD-SDI e 1 DVI-D ou 3 HD-SDI e 2 DVI-D), cinco canais de intercom (incluindo 4 beltpacks e headsets), indicação de tally e mixer de áudio. Todos os sinais produzidos podem ser gravados em um HD de 250 GB (HDR-40). Numa única tela LCD de 17 polegadas são distribuídos todos os sinais de vídeo para monitoração (fontes, picture-in-picture preview, preview e programa)e os gráficos podem ser gerados pelo software da própria empresa, o Datavideo CG-350. Neste caso, os caracteres são criados em um PC adicional e enviados para o switcher por uma conexão DVI-D. s. www.datavideo.us

Página 28

8a41_news_REVISADA_final.indd 28

14/10/11 23:55


8a41_news_REVISADA_final.indd 29

14/10/11 23:55


News > Áudio

Audio-Technica tem novos gerentes na Alexandre Algranti e Mary Eisaman foram nomeados para comandar as áreas de vendas e marketing da fabricante de microfones e fones de ouvido no Brasil e na América Latina.

P

ara atender as necessidades dos diversos mercados desta região, Eisaman será Gerente de Vendas e Marketing para a América Latina, com exceção do Brasil, que será atendido por Alexandre Algranti, Diretor de Vendas e Marketing para o País. O anúncio foi feito por Phil Cajka, CEO da subsidiária norte-americana da Audio-Technica. Mary Eisaman se juntou a equipe da Audio-Technica em 2008 e desde então ocupou diversos cargos, mais recentemente como Gerente de Suporte as Vendas. Ela está envolvida com os esforços de vendas e marketing na América Latina desde Abril de 2010 e desenvolveu relações sólidas com os distribuidores da região. Alexandre Algranti foi responsável por vendas e marketing na América Latina das empresas Beyerdynamic e Sennheiser. Em seu novo cargo, Algranti será responsável pelo crescimento da distribuição de

produtos, além do desenvolvimento da marca. Ele estará baseado em São Paulo. Phil Cajka comentou que, “a empresa está fortemente comprometida em atender as necessidades do mercado da América Latina. Estou confiante de que Alexandre Algranti e Mary Eisaman irão colaborar para que continuemos a construir relações mais sólidas e melhor atender aos nossos clientes por toda esta região. Alexandre e Mary irão trabalhar em equipe na coordenação e provimento de treinamento, suporte e outras atividades.” Com mais de 45 anos no mercado de áudio, a Audio-Technica é uma empresa inovadora na tecnologia de transdutores, com renome internacional pelo projeto e fabricação de microfones, sistemas sem fio, fones de ouvido, mixers e eletrônica. www.audio-technica.com

Página 30

8a41_news_REVISADA_final.indd 30

14/10/11 23:55


News > IBC 2011

Pรกgina 31

8a41_news_REVISADA_final.indd 31

14/10/11 23:55


News > Produção

Broadcast Pix Mica Live já está disponível O switcher econômico apresentado no IBC 2011 usa os painéis de controle padrão da empresa e é opção intermediária entre as linhas Slate e Granite.

O Mica pode comutar 8 entradas HD/SD-SDI e sete canais internos de clipes, animações e gráficos (30 horas de capacidade), além de ter seis keyers e DVEs, seis saídas HD/SD-SDI e duas DVI, e integração nativa com os geradores de caracteres Harris (Inscriber) ou Chyron (Lyric PRO 8)

A

Broadcast Pix já está aceitando encomendas deste modelo que usa a tecnologia nativa para processamento de imagens em alta definição da família Granite, incluindo o software Pix Fluent para integração de mídia baseada em arquivo. Seguindo os conceitos da empresa, o Mica usa a estratégia de colocar um único operador no controle de uma produção ao vivo, com destaque para o mercado corporativo, igrejas e eventos em geral. “Você paga por um switcher e leva uma sala de controle HD. Um operador controla câmeras (robóticas), dispara clipes e cria gráficos”, diz Ken Swanton, presidente da empresa. Montado em um case de 4 RU, o Mica pode comutar 8 entradas HD/ SD-SDI e sete canais internos de clipes, além de animações e gráficos (30 horas de capacidade). Também há suporte para seis keyers e DVEs, seis saídas HD/SD-SDI e duas saídas DVI, além de integração nativa com os geradores de caracteres da Harris ou da Chyron. O novo switcher está disponível em quatro apresentações: Mica Desktop, controlado por uma tela sensível ao toque ou com um mouse; Mica 500, com um controle de pequeno porte; Mica 1000 e Mica 2000, com mesas de controle maiores, equipadas com funções macros e acesso a efeitos mais complexos.

A família Granite Num nível acima do Mica, está a família Granite, cuja proposta é combinar as funcionalidades de um fluxo de trabalho sem fitas com

uma operação que exija poucos profissionais. Ela é uma empresa dedicada a criar sistemas que favoreçam a produção de conteúdos ao vivo, de maneira fluida e sem procedimentos complexos. Entre as suas estrelas estão os switchers da família Granite, com 11 ou 22 entradas e 6 ou 12 saídas SDI, um canal de clipe, dois canais de animação, quatro canais para gráficos e 1 M/E – com exceção do modelo 5000, que tem 2 M/Es. Na base da família está o Granite 100, uma das soluções mais econômicas do mercado para produção em múltiplas definições e com operação bastante simplificada. Ele pode ser controlado com um mouse ou em uma tela sensível ao toque, o que inclui o iPad (basta baixar o aplicativo Broadcast Pix iPixPanel na Apple app store). Em qualquer uma das maneiras de controle, o usuário tem acesso direto à comutação de imagens, ao banco de imagens e animações (120 horas em formato H.264 ou ProRes), ao gerador de caracteres (Harris Inscriber GS CG ou Chyron Lyric PRO) e à gestão dos periféricos. Basta clicar ou arrastar, de maneira intuitiva, para ter as imagens prontas para ir ao ar. São 11 ou 22 entradas e 6 ou 12 saídas SDI disponíveis no Granite 100, todas com suporte a resoluções 1080i, 720p ou SD e sincronização interna. Os seis keys e DVEs compõe camadas e montagens picture-in-picture, gráficos e animações, enquanto as funções macro memorizam as preferências e cenas previamente configuradas de clipes, arquivos, keys e movimentos de câmeras robóticas ao toque de um botão. Tudo com um atraso mínimo.

Granite 500 e 1000 Em outro patamar, o Granite 500 atende produções ao vivo com painel de controle pequeno que abriga 1 M/E, nove botões na linha de entradas - duplicáveis ao toque da função Shift (11 ou 22 entradas SDI), 3 ou 6 keys, joystick 2D ou 3D, controles clássicos de PGM, PVW e transição, além do controle de clipes, CG, gráficos e câmeras robóticas.

A central de produção Granite 5000 é único switcher com 2 M/E a acessar mídias baseadas em arquivo a partir do painel de controle. Com os dois M/Es, ele é capaz de administrar produções para duas programações distintas – uma para broadcast e outra para internet

Página 32

8a41_news_REVISADA_final.indd 32

14/10/11 23:55

Untitle


News > IBC 2011

Pรกgina 33

8a41_news_REVISADA_final.indd 33 Untitled-1 1

14/10/11 23:55 16/09/11 15:19


News > IBC 2011

O Granite 100 pode ser controlado através do iPad com o aplicativo iPixPanel

Seguindo a lógica dos modelos de entrada, a superfície de controle Granite 1000 também dá acesso a todas as funções de forma muito simples, sem a necessidade de configurações adicionais em outros dispositivos. As teclas “PixButtons” exibem o nome das fontes de sinal e dos arquivos, enquanto o operador pode comandar clipes, animações, imagens estáticas, camadas e câmeras sem tirar as mãos do painel. Isso sem falar que todo o sistema pode ser controlado a partir de um laptop, iPad ou Android.

Além dos modelos 100, 500, 1000 e 5000, o Granite 2000 posiciona-se numa faixa intermediária, com 16 botões (PixButtons) por linha de inputs, que podem ser duplicados com a função shift

Granite 5000 HD No topo da família está o Granite 5000, um modelo com 2 M/E que acessa mídias baseadas em arquivo a partir do painel de controle e é capaz de administrar duas programações (para audiências diferentes, como broadcast e internet) com o controle completo de cada uma. www.broadcastpix.com www.videosystems.com.br

Página 34

8a41_news_REVISADA_final.indd 34

14/10/11 23:56


News > IBC 2011

Pรกgina 35

8a41_news_REVISADA_final.indd 35

14/10/11 23:56


News > Pós-produção

Adobe compra Iridas Technology Conhecida por ter as suas tecnologias usadas em filmes como “Crônicas de Nárnia” ou na produção “Carmen 3D”, a Iridas ampliará os recursos da Adobe para correção de cores e pós-produção 3D.

E

ssa compra foi um dos movimentos estratégicos comuns neste mercado, em que uma grande companhia vai ao mercado procurar o que não tem em casa e absorve conhecimentos e produtos já existentes. Ela atendeu as necessidade da Adobe de aprimorar a sua oferta de soluções para correção e manipulação de cores e luzes, cada vez mais utilizadas intensamente na televisão e no cinema. Estas ferramentas - SpeedGrade NX e FrameCycler, por exemplo - serão incluídas nos pacotes Adobe Creative Suite Production Premium e Adobe Creative Suite Master Collection. Para a Iridas, o negócio parece ter sido positivo. “Juntar forças com a Adobe é uma incrível oportunidade de levar essa tecnologia a mais pessoas”, disse Lin Sebastian Kayser, CEO da Iridas. A empresa alemã chamou a atenção do mercado pela sua crescente

Lin Kayser, CEO da Iridas, recebeu em 2010 o Gold Award da International 3D Society, pelo impacto que a tecnologia criada pela empresa causou na produção em estéreo 3D participação em grandes produções 3D e por concorrer com as propostas da DaVinci e da Autodesk, por exemplo. Entre outros aplicativos, serão incluídos o premiado SpeedGrade, usado para finalização em S3D e processamento de materiais em RAW, e funções para corrigir cores primárias e secundárias de maneira não destrutiva, usando plataformas com multiprocessamento. Ainda é cedo para dizer se o nome Iridas manterá a sua “personalidade” nos pacotes da Adobe, ou desaparecerá para sempre. www.adobe.com

News > Áudio

Lawo mc²66 no Video Music Awards Equipe de engenheiros responsável pelo áudio do Video Music Awards à frente da mc²66. A fabricante alemã já tem mais de 10 mesas instaladas no Brasil

C

omo acontece desde 1984, a MTV produziu o Video Music Awards (VMA) para homenagear os melhores videoclipes e os músicos do ano. Realizado no Teatro Nokia, em Los Angeles, no dia 28 de agosto, o evento foi mixado com o console de produção Lawo mc²66. Na área externa, a unidade 8 da MTV era o coração do áudio no VMA. Estavam ali duas mesas mc²66. A mixagem principal do show usou duas mesas com 48 faders e mais 8 faders adicionais para o segmento de master, além do Plug-in Server para facilitar a integração com os processadores de sinal.

A segunda mesa mc²66 estava configurada com 16 faders principais, 8 adicionais e 3 placas DSPs para mixar o som da banda da casa e outras músicas que eram executadas ao vivo na entrada e saída dos intervalos comerciais. Os engenheiros de áudio da MTV, Marc Repp e Browning McCollum, junto com Jay Vicari e Paul Sandweiss, foram os responsáveis pela mixagem. Marc Repp afirmou que as mesas estão entre as mais intuitivas e “amigáveis” do mercado. “Elas têm todas as funções necessárias e os engenheiros convidados aprendem rápido a usá-las”. www.lawo.de www.lineup.com.br

Página 36

8a41_news_REVISADA_final.indd 36

14/10/11 23:56


News > IBC 2011

Pรกgina 37

8a41_news_REVISADA_final.indd 37

14/10/11 23:56


PANO

News > Captação

MK1: um passo a mais para a captação 3D A Meduza Systems anunciou no IBC uma versão da curiosa MK1. O modelo estereoscópico estará disponível apenas no ano que vem, mas já chama a atenção por prometer imagens com resoluções superiores a 4K para cada olho.

Por enquanto, só foram divulgadas imagens do protótipo da MK1. Os primeiros pedidos poderão ser feitos a partir de novembro e ela estará disponível em 2012 C

C

M

C M

Y

C M Y

CM

M Y CM

MY

Y CM MY

CY

CM MY CY

CMY

MY CY CMY

K

CY CMY K

CMY K

K

Aum A A Como Co A aumen au Co

O

modelo visto em Amsterdã foi projetado para uso com as objetivas Delta 4K S3D Meduza, também anunciadas no evento, e usa o argumento da mobilidade real, sem rigs ou adaptações que atrapalhem a movimentação do equipamento. Esta câmera é baseada no protótipo que foi apresentado na NAB deste ano. “Desde o início, a Meduza foi projetada para ser uma ferramenta profissional de imagens S3D”, disse Chris Cary, presidente da Tech 3D. “A MK1 é o primeiro grande passo para dar flexibilidade às filmagens S3D. O seu aspecto robusto mostra que ela pode ser usada em qualquer condição.” Outras melhorias foram incorporadas na versão mais recente, como um sistema mecânico mais firme e preciso, projetado para permitir ajustes de 1/2 micron entre eixos, 38 mm a 110 mm, sem a necessidade de um rig com espelho. “Normalmente, tal precisão está presente apenas em equipamentos militares e de laboratórioa. No entanto, fomos capazes de minia-

turizar o controle de convergência. Nosso objetivo tem sido garantir o mínimo de distorção mecânica, eletrônica e óptica”, explica Jon Kitzen, COO da Meduz Outras mudanças puderam ser vistas no mattebox, que permite a um único filtro atender as duas lentes. O mattebox também foi projetado para minimizar os impactos na ótica e mecânica, quando o equipamento entra em contato com a poeira. “Em um rig típico, existe uma grande quantidade de equipamentos - engrenagens, cabos, câmeras e lentes - todos pendurados e esperando para serem batidos, molhados e sujos. Tentamos minimizar tudo isso fechando e protegendo a câmera”, acrescentou Kitzen A câmera usa um par de lentes Delta 4K S3D, criadas por Kenji Suematsu para produções 3D e 4K, com controle motorizado de foco e íris. Segundo a empresa, o que as distingue das demais é o controle dos eixos focais que dão a sensação tridimensional. www.meduzasales.com

Página 38

8a41_news_REVISADA_final.indd 38

14/10/11 23:57

estabe est au Co eficiên efi est au utilizáv uti efi est acessív ace uti efi ace uti O ISIS O ace compa co O Cut Cu Pro co O AirSpe Air Cu co parapa um Air Cu pa Air pa

© 2011©Av2 comercia com ©2 com ©2 com


PANORAMA_ISIS_2011_cis_print.pdf PANORAMA_ISIS_2011_cis_print.pdf PANORAMA_ISIS_2011_cis_print.pdf 1 7/28/11 1 7/28/11 6:10 1 6:10 PM 7/28/11 PM 6:10 PM PANORAMA_ISIS_2011_cis_print.pdf 1 7/28/11 6:10 PM PANORAMA_ISIS_2011_cis_print.pdf 1 7/28/11 6:10 PM 6:10 PM PANORAMA_ISIS_2011_cis_print.pdf 1 7/28/11 PANORAMA_ISIS_2011_cis_print.pdf

1

7/28/11

6:10 PM

News > IBC 2011

C

C C

C M

C

M M

C M Y

M

Y Y

M Y CM

Y

CM CM

Y CM MY

CM

MY MY

CM MY CY

MY

CY CY

MY CY CMY

CY

CMY CMY

CY CMY K

CMY

K K

CMY K

K

K

Aumente Aumente Aumente a sua a sua produtividade a produtividade sua produtividade e seja e seja e mais seja mais competitivo. mais competitivo. competitivo. Aumente a sua produtividade e seja mais competitivo. Aumente a sua produtividade e seja mais competitivo. Aumente a sua produtividade e seja mais competitivo. Como Como profissional profissional Comoda profissional área daa área desua pós-produção de dapós-produção área de pós-produção ou broadcast, ou broadcast, ouvocê broadcast, você sabesabe como você como é sabe importante é importante como éuma importante uma rederede de uma mídias de mídias rede real-time dereal-time mídias confiável real-time confiável para confiável para para Aumente produtividade e seja competitivo. Como profissional da área de pós-produção ou broadcast, você sabe mais como é importante uma rede de mídias real-time confiável para aumentar aumentar a produtividade aumentar a produtividade a produtividade e assim, e assim, responder e responder assim, às responder oportunidades às oportunidades às oportunidades e maximizar e maximizar a e lucratividade. maximizar a lucratividade. a lucratividade. O Storage O Storage compartilhado O compartilhado Storage compartilhado Avid Avid ISIS 5000 ISIS Avid 5000 ISIS 5000 Como profissional da área de pós-produção ou broadcast, você sabe como é importante uma rede de mídias real-time confiável para

Como profissional da área deepós-produção ou broadcast, você sabe como é importante uma rede de mídias real-time confiável para aumentar a produtividade assim, responder às oportunidades e maximizar a lucratividade. O Storage compartilhado Avid ISIS 5000 estabelece estabelece um estabelece novo um novo marco um marco novo para para o marco acesso o acesso para rápido o rápido acesso ao material ao rápido material gravado ao material gravado de maneira gravado de maneira confiável de maneira confiável e flexível, confiável e flexível, permitindo e permitindo flexível, um permitindo novo um novo nível um nível de novo de nível aumentar a produtividade e assim, responder às oportunidades e maximizar a lucratividade. O Storage compartilhado Avid ISIS 5000 aumentar a produtividade e assim, responder às oportunidades e maximizar a lucratividade. O Storage compartilhado Avid ISIS 5000 Como profissional área de pós-produção ou broadcast, sabe como é importante uma rede deemídias real-time confiável para nível de estabelecedaum novo marco para o acesso rápido você ao material gravado de maneira confiável flexível, permitindo um novo de eficiência eficiência no eficiência fluxo no fluxo de trabalho no de trabalho fluxo trabalho que incide incide diretamente que incide diretamente no material seu noao lucro seu lucro líquido. noe seu líquido. lucro Com Com líquido. mais mais de confiável 90 Com deconexões 90 mais conexões deflexível, para 90 conexões clientes, clientes, 144 para TB 144 clientes, de TBcapacidade de 144 capacidade TB de capacidade estabelece novo para opara acesso rápido ao gravado de maneira eO permitindo um novo nível de estabelece um novoque marco o diretamente acesso material gravado maneira confiável epara flexível, permitindo um novo nível de aumentar aum produtividade ede assim, responder às rápido oportunidades maximizar adelucratividade. compartilhado Avid ISIS 5000 eficiência no marco fluxo de trabalho que incide diretamente no seu lucro líquido. Com mais deStorage 90 conexões para clientes, 144 TB de capacidade utilizável utilizável eeficiência outilizável desempenho enoum o fluxo desempenho omarco desempenho confiável do confiável ISIS, do ISIS, odiretamente poder odopoder ISIS, de material aumentar ode poder aumentar de a sua aumentar a produtividade sua produtividade a sua produtividade emais se see90 tornar mais e para semais competitivo tornar competitivo mais competitivo nunca nunca foi nível tão foinunca tão tão eficiência que seu lucro líquido. Com mais de 90etornar conexões clientes, 144um TB 144 de capacidade noe fluxo de confiável trabalho que incide no seu lucro Com de conexões para clientes, TB de capacidade estabelece novo para o incide acesso rápido ao gravado delíquido. maneira confiável flexível, permitindo novo de foi utilizável ede o trabalho desempenho confiável dodiretamente ISIS, onopoder de aumentar a sua produtividade e se tornar mais competitivo nunca foi tão acessível. acessível. acessível. utilizável enoo fluxo desempenho confiável do ISIS, poder de aumentar a sua produtividade se tornar mais competitivo nunca foi tãofoi tão utilizável e odedesempenho doo ISIS, o poder de aumentar aCom sua mais produtividade e separa tornar mais144 competitivo nunca eficiência trabalho queconfiável incide diretamente no seu lucro líquido. de 90econexões clientes, TB de capacidade acessível. acessível. acessível. utilizável e o desempenho confiável do ISIS, o poder de aumentar a sua produtividade e se tornar mais competitivo nunca foi tão O ISIS O ISIS 50005000 Ose ISIS adapta se 5000 adapta facilmente se facilmente adaptaa facilmente uma a uma variedade variedade a umadevariedade ambientes de ambientes dede ambientes fluxo de fluxo de de trabalho defluxo trabalho de e étrabalho e é e é acessível. O ISIS 5000 se adapta facilmente a uma variedade de ambientes de fluxo de trabalho e é compatível compatível com compatível com Avid Avid Media com Media Composer, Avid Composer, Media NewsCutter, Composer, NewsCutter, Symphony NewsCutter, Symphony e Symphony editores e editores DS, e assim editores DS, assim como DS, como o assim Final o Final como o Final O ISISO5000 se adapta facilmente a uma variedade de ambientes de fluxo de trabalho e é ISIS 5000 se adapta facilmente a umaNewsCutter, variedade Symphony de ambientes de fluxo trabalho é compatível com Avid Media Composer, e editores DS, de assim como oeFinal Cut Cut Pro.ISIS Pro. Acompatível compatibilidade Cut A compatibilidade Pro. Acom compatibilidade com com o sistema oComposer, com deo variedade gestão de sistema gestão de dede material de gestão material de material Avid Interplay Avid eDS, servidores Interplay e servidores ee servidores compatível Media Composer, NewsCutter, Symphony e Avid editores DS, assim como o Final Avid Media NewsCutter, Symphony eInterplay editores assim como O 5000 se Avid adapta facilmente asistema uma ambientes de fluxo de trabalho éo Final Cutcom Pro. A compatibilidade com o sistema de gestão de material Avid Interplay e servidores AirSpeed AirSpeed Multi Stream Stream Multi traz traz todo Stream todo o poder traz oopoder todo e capacidade capacidade poder ede do capacidade fluxo do dede trabalho de fluxo trabalho de trabalho Avid ponto-a-ponto ponto-a-ponto Cut Pro. AMulti compatibilidade com sistema de gestão de fluxo material AvidAvid Interplay eAvid servidores CutAirSpeed Pro. compatibilidade com oeo gestão material Avid Interplay e Final servidores compatível comA Avid Media Composer, NewsCutter, Symphony edo editores DS, assim como oponto-a-ponto AirSpeed Multi Stream traz todo osistema poder e capacidade do fluxo de trabalho Avid ponto-a-ponto parapara uma uma ampla para ampla gama uma gama ampla de ambientes de gama ambientes de como ambientes como broadcast, broadcast, como pós-produção broadcast, pós-produção pós-produção e educacional. e educacional. e educacional. AirSpeed Multi Stream traz todo o poder e capacidade do fluxo de trabalho Avid ponto-a-ponto AirSpeed Multi Stream traz o poder egestão capacidade do fluxo de trabalho Avid ponto-a-ponto Cut Pro. A compatibilidade com oambientes sistema de de material Avid Interplay e servidores para uma ampla gama detodo como broadcast, pós-produção e educacional. para uma ampla gama de comoe broadcast, pós-produção e educacional. paraMulti umaStream ampla gama de ambientes como broadcast, pós-produção e Avid educacional. AirSpeed trazambientes todo o poder capacidade do fluxo de trabalho ponto-a-ponto para uma ampla gama de ambientes como broadcast, pós-produção e educacional.

ParaPara obter obter mais Para mais informações obter informações mais / Info@cisbrasil.tv / Info@cisbrasil.tv // Info@cisbrasil.tv / RJ:/(21)3094.4156 RJ: (21)3094.4156 // RJ: / SP:/ (11)3253.5237 SP: (11)3253.5237 // SP: ou visite ou visite www.avid.com/mmm ou www.avid.com/mmm visite Para obter mais informações informações Info@cisbrasil.tv RJ: (21)3094.4156 (21)3094.4156 SP: (11)3253.5237 (11)3253.5237 ou visite www.avid.com/mmm www.avid.com/mmm Para obter mais informações / Info@cisbrasil.tv / RJ: (21)3094.4156 / SP: (11)3253.5237 ou visite www.avid.com/mmm Para obter mais informações / Info@cisbrasil.tv / RJ: (21)3094.4156 / SP: (11)3253.5237 ou visite www.avid.com/mmm Para obter mais informações / Info@cisbrasil.tv /deRJ: (21)3094.4156 / SP:a alteração (11)3253.5237 ouLogo, visite www.avid.com/mmm © 2011©Avid 2011Technology, Avid Technology, © 2011Inc. Avid Todos Technology, Inc. Todos os direitos osInc. direitos reservados. Todos reservados. os direitos Características, Características, reservados. especificações, Características, especificações, requisitos especificações, requisitos de sistema requisitos sistema e disponibilidade ede disponibilidade sistemaestão e disponibilidade sujeitos estão sujeitos estão a alteração sujeitos sem aviso sem a alteração prévio. aviso prévio. sem aviso Avid Logo,eprévio. Avid ISIS são e ISIS Logo, marcas são Avid marcas e ISIS são marcas © 2011 Avid Technology, Inc. os direitos reservados. especificações, requisitos sistema disponibilidade estão sujeitos alteração aviso prévio. Logo, Avid e ISIS são marcas comerciais comerciais ou marcas ou comerciais marcas registradas registradas ou marcas da Avidda registradas Technology, AvidTodos Technology, da Inc. Avid ouTechnology, Inc. suas ousubsidiárias suas subsidiárias Inc.Características, ounos suas Estados nos subsidiárias Estados Unidos nos Unidos e outros Estados e outros países. Unidos países. Todas ede outros Todas as outras países. as eoutras marcas Todas marcas são as outras desão propriedade de marcas propriedade são dea de seus propriedade derespectivos seus sem respectivos de proprietários. seus proprietários. respectivos proprietários. comerciais ou registradas da Avid Technology, Inc. ouespecificações, suas subsidiárias nos Estados Unidos outros países. Todas outras são de propriedade de seusAvid respectivos © 2011 Avid Technology, Inc.marcas TodosInc. os direitososreservados. Características, requisitos de sistema disponibilidade estãoas sujeitos alteração sem avisosem prévio. Logo, e ISISAvid sãoproprietários. © 2011 Avid Technology, Todos direitos reservados. Características, especificações, requisitos deesistema e disponibilidade estãoamarcas sujeitos a alteração aviso prévio. Logo, emarcas ISIS são marcas Página 39 comerciais ou marcas da Avid Technology, Inc. ou suas nos Estados e outros Todas as Todas outrasas marcas de propriedade de seus respectivos proprietários. comerciais ouregistradas marcas registradas da Avid Technology, Inc.subsidiárias ou suas subsidiárias nosUnidos Estados Unidospaíses. e outros países. outrassão marcas são de propriedade de seus respectivos proprietários. © 2011 Avid Technology, Inc. Todos os direitos reservados. Características, especificações, requisitos de sistema e disponibilidade estão sujeitos a alteração sem aviso prévio. Logo, Avid e ISIS são marcas comerciais ou marcas registradas da Avid Technology, Inc. ou suas subsidiárias nos Estados Unidos e outros países. Todas as outras marcas são de propriedade de seus respectivos proprietários.

8a41_news_REVISADA_final.indd 39

14/10/11 23:57


News > Transmissão

Serviços de RTV e contribuições O Ministério das Comunicações recebeu 552 contribuições na consulta pública sobre mudanças nas regras de autorização dos serviços de retransmissoras (RTV) e repetidoras (RpTV) de sinais de televisão, também chamados serviços ancilares de radiodifusão.

E

ntre as mudanças propostas pelo MiniCom está a realização de avisos de habilitação por localidades, abertos às entidades interessadas em operar as estações de RTV ou RpTV. Outra atualização está no sistema de pesos para escolha das entidades que vão operar o serviço. “A grande diferença desse regulamento para as versões anteriores é o estabelecimento de critérios objetivos para definição de uma concorrência entre as entidades. O Ministério das Comunicações, assim como fez com a radiodifusão educativa, propôs critérios e

uma pontuação para eles”, afirma o coordenador-geral de Radiodifusão Comunitária do MiniCom, Octávio Pieranti. As sugestões recebidas serão analisadas pela Secretaria de Comunicação Eletrônica do MiniCom e em breve a portaria com o novo regulamento será publicada no Diário Oficial da União. As RTVs e RpTVs são estações usadas para que o sinal das emissoras geradoras possa chegar mais longe. A principal diferença é que as retransmissoras levam o sinal diretamente ao público, enquanto as repetidoras reforçam o sinal entre geradoras ou retransmissoras.

Axon e Civolution usarão marca distribuição de mídia A solução será usada na medição de audiência, controle da distribuição e sincronia da linha de produtos Synapse com a exibição de mídia na segunda tela, como em celulares e PCs.

Com as novas plataformas disponíveis para distribuição de mídia é necessário criar ferramentas para controlar o consumo e cobrar por ele

O

consumo de mídia através da internet tomou proporções incontroláveis. O problema é que boa parte destes conteúdos foram criados para TV e Cinema, assim os detentores dos direitos autorais procuram maneiras de lucrar – ou pelo menos perder menos dinheiro – com esse movimento. Uma das hipóteses é estabelecer acordos com portais que hospedam e comercializam filmes e séries, e com as empresas que medem o tráfego e o consumo de mídia na Web. Com isso é possível estabelecer canais oficiais de distribuição e aferição. Para exemplificar, eventos como o Rock in Rio podem alcançar mais de 100 mil visitantes únicos por dia na internet. Através de modelos

VoD ou publicidade, este público certamente pode render um lucro adicional aos produtores do evento. A solução Synapse DAW88, desenvolvida pela Axon, em parceria com a Civolution, aplica uma marca d’água a qualquer mídia distribuída pela TV convencional ou em outras plataformas. Através dos serviços de medição de audiência, é possível saber quantas vezes e onde essa mídia foi assistida. A placa de codificação DAW88 pode ser integrada a qualquer módulo da família Synapse e aos produtos da linha Civolution VideoSync - 2nd Screen, que permitem a identificação automática de um canal deTV que está sendo assistido ou de um conteúdo que está sendo reproduzido. A partir dessa integração também é possível sincronizar mídias em múltiplas plataformas, assim, um espectador pode começar a ver um programa no celular e continuar no seu computador, do ponto onde parou. www.axon.tv www.libor.com.br/axon

Página 40

8a41_news_REVISADA_final.indd 40

14/10/11 23:57


News > IBC 2011

Pรกgina 41

8a41_news_REVISADA_final.indd 41

14/10/11 23:57


Reportagem > Broadcast & Cable 2011

Panasonic aposta unidades móveis A empresa tem vendido um volume considerável de switchers e começa a trabalhar com maior intensidade câmeras como a AK-HC3500. Para 2012 são esperados os novos monitores para visualização e presença de sinal.

“O switcher HS-450 se tornou uma referência no Brasil, tanto para uso em estúdios, quanto em unidades móveis. No primeiro ano, vendemos 16 unidades”, conta Sérgio Constantino, Gerente Comercial da Panasonic do Brasil

A

Panasonic levou a Broadcast & Cable as novidades e lançamentos feitos na NAB 2011, como a câmera HPX 3100, que substitui a HPX 3000. “Fizemos demonstrações para alguns clientes e pelo nível de qualidade e operacionalidade, já fechamos negócios com emissoras como a TV Centro América/ TV Morena, onde vendemos um pacote de 16 câmeras, em substituição ao sistema que eles têm hoje”, comentou Sérgio Constantino, Gerente Comercial da Panasonic do Brasil. A empresa também exibiu câmeras para estúdio como a AK-HC3500, que antes só era comercializada na Ásia e América do Norte. “A Panasonic está promovendo oficialmente o lançamento destes modelos no Brasil. Temos um suporte muito grande da fábrica, visando não apenas a parte de estúdio, pois existem alternativas para unidades móveis e nós visamos este tipo de projeto”, conta. Página 42

panasonic_REVISADA.indd 42

15/10/11 00:03


Reportagem > Broadcast & Cable 2011

Segundo Constantino, o mercado de TV vai demorar a absorver o 3D. Neste momento, os maiores interessados são os segmentos de produção e corporativo Panorama Audiovisual: Quais são as perspectivas da Panasonic para o mercado de unidades móveis? Sérgio Constantino: Esperamos que a cobertura de esportes ganhe mais projeção até a Copa do Mundo. As emissoras estão dando mais atenção aos eventos esportivos e esta maior demanda exige que as produtoras ou empresas terceirizadas tenham uma estrutura pronta para produzir em HD. Por isso, muitas empresas que tinham apenas unidades móveis em SD, estão migrando para HD de forma definitiva. Caso contrário, vão ficar fora do mercado. Panorama: Algumas unidades já incorporaram os switchers da Panasonic. Qual é a importância deste item nas vendas da empresa? Constantino: Um produto que realmente complementa o nosso pacote é o switcher. No ano passado, começamos a trabalhar com HS-450, que se tornou uma referência no Brasil, tanto para uso em estúdios HD, quanto em unidades móveis HD. No primeiro ano, vendemos 16 unidades, um número elevado para uma empresa que não tinha expressão na produção de switchers. Todos os nossos usuários estão bastante satisfeitos, porque entregamos um produto de qualidade, com várias funções e preço competitivo. Isto tornou o produto um hit na nossa linha. Panorama: O mesmo pode acontecer com a linha de monitores? Constantino: O segmento de monitoração está em processo de mudança e devemos anunciar uma nova linha, com um custo mais atrativo, para entrar no mercado de visualização. Hoje a Panasonic tem basicamente monitores de referência. O BT-LH1760, por exemplo, tem sido usado como monitor de referência em produção e o BT-LH2550 em ilhas de edição, mas não temos monitores para combater no dia a dia, que são aqueles para viewing, para presença de sinal. Devemos começar a trabalhar este mercado a partir de fevereiro ou março do próximo ano. Panorama: A demanda por soluções para 3D ainda engatinha? Os visitantes têm demonstrado interesse pelos produtos do gênero? Constantino: Por incrível que pareça, apesar de não ser um formato do dia a dia, nós notamos que muita gente procura por ele. Há uns dois anos foi uma febre, agora parece uma coisa mais normal, mas existe muita procura. O mercado deTV vai demorar a absorver este tipo de tecnologia, mas para a parte de produção e, principalmente, o setor corporativo estão liderando o 3D. Por exemplo, nós fizemos em 3D, em colaboração com a Casablanca, o DVD do grupo musical Palavra Cantada. Alguns eventos corporativos acabaram gerando a venda de câmeras 3D. A Casablanca fez um trabalho bem interessante, pois eles têm participação em salas de cinema e geram conteúdos 3D para o público do corporativo no período em que as salas estão ociosas. Com isto, descobriram um novo nicho de mercado. Panorama: Existem exemplos além da Casablanca? Constantino: Muito poucos. O 3D ainda está sendo utilizado em produtos alternativos, mas a tendência é que essa cultura passe para as agências, aumentando a demanda pelos produtos da Panasonic. s. www.panasonic.com.br Página 43

panasonic_REVISADA.indd 43

15/10/11 00:03


anuncio_86_310_panorama_visual_setembro.pdf

1

22/09/11

19:04

Reportagem > Novidades Sony

Resolução sem limites A câmera HDC-2500 é preparada para transmissão 3G por fibra óptica e pode gerar um fluxo de imagens 1080/120i, ideal para jogos com muito movimento.

C

D

epois de anunciar sua visão “Believe Beyond HD” na NAB 2011, a Sony aproveitou a feira e congresso IBC, realizados em Amsterdam, para mostrar como usa as tecnologias 4K, 35 mm, 3D e OLED para ajudar a indústria da criação a provocar impactos ainda maiores no público. Simbolizando a visão Believe Beyond HD, a empresa recriou o logotipo da CineAlta, um marco para a companhia e a expressão de que ela quer ir muito além do HD. A empresa também promoveu na Holanda o seu compromisso com o desenvolvimento de um fluxo de trabalho completo 4K, desde a aquisição até a edição e produção. A fim de facilitar a adoção de workflows ponta a ponta, ela lançou soluções como a unidade de transferência de dados SR-PC4. Outra novidade foi o fornecimento de kits de desenvolvimento para os parceiros integrarem o formato F65 RAW aos seus fluxos de trabalho e ferramentas de pós-produção.

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

Aliada da produção ao vivo No segmento de estúdio e externas de alta qualidade, o destaque foi a câmera HDC2500. Desenvolvida após 30 anos de avanços técnicos, ela é a primeira câmera profissional com chassi em fibra de carbono, mais forte do que o plástico ou o magnésio, um aperfeiçoamento que beneficia o meio-ambiente, devido à sustentabilidade da fibra de carbono, e o operador de câmera, nas gravações externas. A câmera utiliza um avançado processamento de sinal digital HD, com conversores A/D de 16 bits, e também dispõe de sensores CCD e DSPs que garantem imagens de excelente qualidade. A série HDC já é reconhecida por sua qualidade e confiabilidade na indústria e a HDC2500 é compatível com todos os periféricos da HDC-1500, incluindo o adaptador de aumento de lente HDLA e o adaptador T para a produção ao vivo em 3D. Além disso, por padrão, a câmera é equipada com um sistema de transmissão 3G por fibra ótica e tem capacidade de produção em 1080/60p. Segundo a companhia, estas melhorias, bem como a interface de rede embutida TRUNK, garantem longevidade tecnológica para a câmera. Um dos benefícios da transmissão 3G por fibra ótica é a capacidade de saída 1080/120i, que pode ser combinada com o deck de armazenamento SR-R1000 da Sony, numa solução já testada em grandes eventos ao vivo, como jogos de tênis e futebol. Graças à funcionalidade embutida 2Xspeed, as imagens podem ser reproduzidas a uma velocidade significativamente menor sem comprometer a qualidade final. Finalmente, a HDC-2500 oferece a capacidade de transmissão em 12 bit (4:4:4), podendo alcançar quatro quilômetros com uso da fibra. Página 44

panasonic_REVISADA.indd 44

15/10/11 00:03


Reportagem > Broadcast & Cable 2011 Reportagem > Broadcast & Cable 2011

Produção de jornalismo e 3D

Entre os destaques da Avid no estande da CIS estava o Interplay Central, uma solução para jornalismo que compartilha as ferramentas normais de uma redação com qualquer computador ligado à internet

E

del Garcia, diretor de vendas da Avid, destacou o Media Composer, que chega agora com novas ferramentas para facilitar o processo de edição estereoscópica. “Esse upgrade vai mudar a forma como as pessoas editam 3D e as modificações surgem para facilitar esse trabalho de edição. Há uma série de problemas nesse tipo de edição e nossa ideia é eliminar alguns processos, principalmente na TV, onde o formato começa a ganhar força”, explicou. Outro produto apresentado pela empresa foi o Interplay Central, que permite ao jornalista acessar as ferramentas tradicionais de redação e também à edição e locução. “Esse produto não fica restrito à emissora de TV, ele pode estar em qualquer parte do mundo, pois o acesso é feito através de um web browser e, a partir daí, estão disponíveis todas as ferramentas que teríamos dentro do canal de TV. Queremos disponibilizar o ambiente clouding, mas com as mesmas ferramentas de um ambiente convencional”.

No estande da CIS também era possível conhecer a solução para envio de imagens de celular para o sistema da Glookast

Página 45

panasonic_REVISADA.indd 45

15/10/11 00:03


Reportagem > Broadcast & Cable 2011

Vizrt e o estereoscópico

Eduardo Mancz, da Brasvideo, e Isaac Hersly, presidente da Vizrt, ao lado de algumas das soluções da empresa para transmissões esportivas ao vivo

A

Brasvideo destacou as ferramentas gráficas da Vizrt para produções em 3D. “Temos um algoritmo sofisticado e o efeito 3D é muito real. Podemos trabalhar ao vivo, como numa partida de futebol”, explicou Martin Bonato, diretor comercial da empresa. Outra companhia representada pela Brasvideo é a Miranda, que teve como lançamento o Kaleido IP. “Esse produto tem todas as características que tornaram o Kaleido conhecido no mercado, só que agora ele vem com entradas em IP. É o tipo de solução que os broadcasters procuravam há bastante tempo”, ressaltou. Na área dedicada à Ross Video, o destaque era o switcher Carbonite. “É um equipamento compacto, porém muito poderoso, com dois M/Es e até 24 entradas. Ele ganhou vários prêmios durante a última NAB por conta da funcionalidade, das praticidades e da sua relação custo-benefício”, lembrou. Página 46

panasonic_REVISADA.indd 46

15/10/11 00:03


Reportagem > Broadcast & Cable 2011

Emissoras integradas

Sergio Bourguignon e Mauro Rodrigues, diretores da Video Company, que tinha áreas dedicadas às soluções da Snell, Editshare, TSL, Linear Acoustic e Orad (no destaque)

A

utomação foi a palavra de ordem no estande da Video Company. Por isso, o grupo destacou os produtos da Snell voltados para esse fim, como a solução Ice. “Esse é um equipamento que está sendo usado no mundo todo e vai ser muito importante para o Brasil”, destacou o diretor da empresa, Mauro Rodrigues. Além deles, o empresário demonstrou os conversores e modulares da Snell, bem como as propostas de outras empresas representadas. “Nós estamos trazendo para o evento os monitores de áudio da TSL e a linha de loudness control da Linear Acoustic. Temos ainda as soluções para compartilhamento de mídia, da Edit Share, e os produtos da Orad, como os geradores de gráficos e o PlayMaker”, contou.

Vista 9: a serviço do áudio

A

novidade da Libor foi o lançamento da console Studer Vista 9, que incorpora as melhores características de todos os consoles Vista, com base no feedback de seus clientes. “A tela Vistonics está um pouco mais próxima e melhor posicionada, o que ajuda na visualização. Todo o conceito mecânico também é novo e foi projetado para uma boa aparência”, explicou o assessor técnico da empresa, José Luiz Pereira. Entre as funcionalidades está o meter bridge totalmente funcional para a área operacional de TV e cinema, com informações precisas para o gerenciamento de áudio através de gráficos. Em relação aos canais 5.1, a novidade é a possibilidade de trocar cores nos faders, o que elimina a antiga prática de nomear os grupos de canais com etiquetas. “O Vistonics oferece a praticidade de deixar à mão todos os parâmetros do áudio com apenas um toque na tela. Eles podem ser usados de uma forma orientada, de modo que o engenheiro possa atribuir tiras canal com determinadas cores”, exemplificou. O Vista 9 tem um formato aberto e pode incluir upgrades no futuro. Pereira ressaltou a importância da Broadcast & Cable. “Nesse tipo de evento, nós conseguimos oferecer aos profissionais de engenharia, rádio, TV e cinema, os equipamentos com os melhores recursos para resolver os problemas do dia a dia”. Página 47

panasonic_REVISADA.indd 47

15/10/11 00:03


Entrevista > Scott Robbins

Áudio profissional em expansão Após a compra da brasileira Selenium, em 2010, a Harman Group segue em expansão e promete fabricar aqui equipamentos que atendam as demandas locais. Para garantir a participação no mercado broadcast, a empresa se aliou à Libor, que passará a distribuir com exclusividade as marcas JBL Pro, AKG, Studer Soundcraft, Crown e Lexicon. por Fernando Gaio

Scott Robbins, vice-presidente de vendas da Harman Professional, Ivone Spong, diretora da Libor, Rodrigo Rihl Kniest, presidente da Harman do Brasil, e Henry Spong, diretor da Libor, reunidos após o anúncio da parceria para atender ao mercado broadcast

A

Harman é uma das gigantes do mercado mundial de áudio e concentra marcas adquiridas ao longo dos últimos 20 anos. A sua atuação se estende dos sistemas de som para veículos de passeio a consoles usados em transmissões ao vivo e grandes eventos. Em abril de 2010, a fabricante de alto-falantes Selenium também foi adquirida para fortalecer a presença da Harman na América Latina. A necessidade de expansão em mercados emergentes, o momento vivido pela economia brasileira e as oportunidades que devem surgir nos próximos anos foram um grande estímulo para o negócio, mas também contou a experiência da Selenium na fabricação de componentes para áudio, que facilita a criação de novos produtos. Durante a última Expomusic, o estande da companhia reuniu profissionais do áudio para espetáculo e instalações, além marcar o início da parceria com a Libor no mercado broadcast. Na entrevista a seguir, Scott Robbins, vice-presidente de vendas da Harman Professional, explica os planos da empresa.

Panorama Audiovisual: O que motivou a Harman a investir na compra da Selenium? Scott Robbins: Há duas razões. A primeira relaciona-se com as sinergias que as duas empresas podem ter com a parceria. Sempre que Harman faz uma parceria ou aquisição, o resultado precisa ser um “ganha ganha”. Neste caso, o nosso ganho foi conquistar uma grande presença no Brasil, com grande estrutura de representação e distribuição. Foi muito positivo. Por outro lado, podemos expandir a marca Selenium pelo mundo, pois somos fortes em muitos países. Panorama: Essa aquisição já deu resultado? Robbins: Os resultados são fantásticos. Nós estabelecemos metas muito agressivas e superamos todas elas. Está sendo excelente. Panorama: Das marcas que estão sob o guarda-chuva da Harman, quais estão mais alinhadas com o mercado brasileiro?

Página 48

entrevista_harman_REVISADA_final.indd 48

15/10/11 00:04


Extremamente Frio Extremamente Frio e Eficiente. e Eficiente.

APRESENTANDO O IS8001™ EXCITADOR DIGITAL APRESENTANDO O IS8001™ EXCITADOR DIGITAL APRESENTANDO O IS8001™ EXCITADOR DIGITAL

Linear Linear IS701HA IS701HA Linear IS701HA

™ 250W Transmissor ™ 250W Transmissor ™ 250W Transmissor

A linha de transmissores de 19” LINEAR A linha de transmissores de 19” LINEAR A linha de transmissores de 19” LINEAR leva o cliente à entrar em novos níveis leva o cliente à entrar em novos níveis leva o cliente à entrar em novos níveis de tamanho e estrutura. de de tamanho tamanho e e estrutura. estrutura.

Entrevista > Scott Robbins

De fato, você pode chamar isto de um “re-empacotamento”. Com o tamanho da gaveta em 4RU De fato, você pode chamar isto de um “re-empacotamento”. Com o tamanho da gaveta em 4RU de altura x 19”pode de largura 26” de de um profundidade, a sua dimensão a ocupação de espaço De fato, você chamarx isto “re-empacotamento”. Com reduz o tamanho da gaveta em 4RUna de altura x 19” de largura x 26” de profundidade, a sua dimensão reduz a ocupação de espaço na instalação e com as nove ventoinhas controladas por temperatura você podedecontar com de altura x –19” de largura x 26” de profundidade, a sua dimensão reduz a ocupação espaço na instalação – e com as nove ventoinhas controladas por temperatura você pode contar com oinstalação melhor consumo elétrica e aumento da vidapor útiltemperatura de componentes – e comde as energia nove ventoinhas controladas vocêcríticos. pode contar com o melhor consumo de energia elétrica e aumento da vida útil de componentes críticos. o melhor consumo de energia elétrica e aumento da vida útil de componentes críticos. A Linear está liderando o caminho com uma eficiência de RF na razão de 27% e uma eficiência A Linear está liderando o caminho com uma eficiência de RF na razão de 27% e uma eficiência de energia naliderando razão de 95%. Juntamente com estas especificações, redução Fator de Crista A Linear está o caminho com uma eficiência de RF na razãoade 27% edo uma eficiência de energia na razão de 95%. Juntamente com estas especificações, a redução do Fator de Crista e um dos melhores eficientes excitadores no mercado atualmente, a Linear se destaca na de energia na razãoedemais 95%. Juntamente com estas especificações, a redução do Fator de Crista e um dos melhores e mais eficientes excitadores no mercado atualmente, a Linear se destaca na em qualquer lugar. emultidão um dos –melhores e mais eficientes excitadores no mercado atualmente, a Linear se destaca na multidão – em qualquer lugar. multidão – em qualquer lugar.

RE C U RS OS E O P C ION A I S D E D E S TA Q U E RE C U RS OS E O P C ION A I S D E D E S TA Q U E RE C U RS OS E O P C ION A I S D E D E S TA Q U E Receptor de satélite com re-multiplexador interno Receptor de satélite com re-multiplexador interno com filtragem/re-mapeamento de PIDs e inserção Receptor de satélite com re-multiplexador interno com filtragem/re-mapeamento de PIDs e inserção de tabelas locais com filtragem/re-mapeamento de PIDs e inserção de tabelas locais de tabelasGPS locais Receptor interno Receptor GPS interno Receptor GPS interno Base de tempo selecionável: OCXO interno, Base de tempo GPS interno, 10selecionável: MHz externo,OCXO 1 PPSinterno, externo Base de tempo selecionável: OCXO GPS interno, Stream 10 MHz de externo, 1 PPSinterno, externo ou Transport entrada GPS interno, Stream 10 MHz de externo, 1 PPS externo ou Transport entrada ou Transport Stream de entrada Pré-Correção Linear com capacidade de correção Pré-Correção Linear com correção de atraso de grupo de atécapacidade 4 µs pico ade pico Pré-Correção Linearde com correção de atraso de grupo atécapacidade 4 µs pico ade pico de atraso de grupo de atécom 4 µsRedução pico a pico Pré-Correção Não-Linear do Pré-Correção Fator de CristaNão-Linear com Redução do Pré-Correção Fator de CristaNão-Linear com Redução do Fator de Crista Software de programação de correções/medidas Software de programação de correções/medidas a ser executado em horas agendadas Software de programação de correções/medidas a ser executado em horas agendadas a ser executado em+-50 horas agendadas OCXO interno com ppb de estabilidade OCXO interno com +-50 ppb de estabilidade em frequência OCXO interno com +-50 ppb de estabilidade em frequência em frequência Opera em VHF (BI-BIII) & UHF Opera em VHF (BI-BIII) & UHF Opera em VHF (BI-BIII) & UHF

Para ser Digital tem que ser LINEAR. Para ser Digital tem que ser Para ser Digital tem que ser LINEAR. LINEAR.

TM TM TM

Praça Linear, 100 37540-000 Santa Rita do Sapucai Minas Gerais Hitachi Kokusai Linear Equipamentos Eletronicos, S.A. Praça Linear, 100 37540-000 Santa Rita do Sapucai Minas Gerais Hitachi Kokusai Linear Equipamentos Eletronicos, S.A. Jardim Paulista, Edifício Barão do Serro Azul 01311-200 São Paulo SP (11) 3541.3244 Av Paulista, 1159 – 3° Andar Linear, 37540-000 Minas Gerais Kokusai Equipamentos Eletronicos, S.A.BarãoPra , 1159 –Linear 3° Andar Jardim Paulista, Edifício doçaSerro Azul100 01311-200 SãoSanta PauloRita do SPSapucai (11) 3541.3244 AvHitachi Paulista www.linear-tv.com 30140-061 Belo Horizonte Minas Gerais (31) 3212.4899 Rua Timbiras, 1940 / Sala 608 , 1159 Andar Paulista, Barão doMinas Serro Gerais Azul 01311-200 São Paulo www.linear-tv.com SP (11) 3541.3244 Av Paulista 1940– /3°Sala 608 Jardim 30140-061 BeloEdifício Horizonte (31) 3212.4899 Rua Timbiras, www.linear-tv.com 1940 / Sala 608 30140-061 Belo Horizonte Minas Gerais (31) 3212.4899 Rua Timbiras, ©2011 Linear Equipamentos Eletronicos, S.A. All rights reserved.

LINEAR LINEAR LINEAR

(35) 3473.3473 (35) 3473.3473 (35) 3473.3473

©2011 Linear Equipamentos Eletronicos, S.A. All rights reserved. ©2011 Linear Equipamentos Eletronicos, S.A. All rights reserved.

entrevista_harman_REVISADA_final.indd 49

15/10/11 00:04


Entrevista > Scott Robbins

Pรกgina 50

entrevista_harman_REVISADA_final.indd 50

15/10/11 00:05


Entrevista > Scott Robbins

Pรกgina 51

entrevista_harman_REVISADA_final.indd 51

15/10/11 00:05


Entrevista > Scott Robbins

Pouco antes da Expomusic, no IBC 2011, realizado em Amsterdam, a Studer anunciou a nova OnAir 1500, um modelo compacto para pequenos estúdios com 12 canais e 6 faders (expansíveis para 12) Robbins: Todas têm potencial. Nós atuamos em vários mercados verticais, como instalação, cinema, shows, eventos e broadcast. Temos produtos que são o número um ou número dois em cada um desses mercados e estamos nos concentrando para atingi-los com todo o nosso portfólio. A Harman considera que a sua maior oportunidade no Brasil está em grandes instalações e espaços. Estamos investindo bastante energia e recursos nesta área. O fato de participarmos deste evento também é simbólico e demonstra as expectativas com este mercado.

Panorama: A empresa dispõe de um grande conjunto de marcas para atender o mercado broadcast. Como elas serão trabalhadas no Brasil? Robbins: Nós atuamos em parceria com a Libor, que é um parceiro muito bom para a Harman. Eles têm sido muito bem sucedidos com produtos da Studer e agora, com a forte presença da Harman no Brasil, nós trabalharemos para ampliar essa presença. Vamos identificar as áreas em que podemos trabalhar juntos e reunir grandes marcas como AKG, JBL e Crown para aproveitar as sinergias desta parceria. O nosso relacionamento irá gerar muitos benefícios. Panorama: Eles trabalharão o mercado broadcast com exclusividade? Robbins: Sim. Será um trabalho exclusivo e eles têm todas as conexões para aproveitarmos as oportunidades deste mercado. Queremos servir o mercado broadcast de maneira ainda mais profunda. Panorama: A Harman tem uma estratégia específica para disputar as oportunidades que serão geradas pela Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos? Robbins: Estamos trabalhando em contato direto com as empresas mais importantes do setor e com as pessoas que conduzem os projetos. Nós temos conversado com consultores, designers, tomadores de decisão e parceiros locais para capitalizar o maior

Página 52

entrevista_harman_REVISADA_final.indd 52

15/10/11 00:05


Entrevista > Scott Robbins

Também no IBC 2011, a Studer ampliou o popular console Vista 5, que agora tem uma opção com 22 faders e um Stagebox compacto. Assim como os irmãos maiores de 32 e 42 faders, a Vista 5 M2 tem medição em tela TFT que apresenta os níveis, de mono a 5.1, em cada entrada de sinal número de oportunidades que pudermos. Sabemos que estamos trabalhando em uma posição muito boa, porque fortalecemos a marca Harman, assim como os projetos e o trabalho de pré-venda e pós-venda. Panorama: A Harman tem planos de desenvolver e fabricar novos produtos no Brasil?

O histórico de sucesso da Libor com a linha Studer criou o caminho natural para que ela passasse a representar outras marcas do grupo Harman, como JBL Pro, AKG, Soundcraft, Crown e Lexicon Robbins: Sim, nós já temos uma fábrica em Manaus. O mercado brasileiro possui diversas características únicas, que são muito diferentes de outras partes do mundo. Por isso estamos trabalhando no desenvolvimento e fornecimento de produtos específicos para este mercado. Também temos demandas de outras partes do mundo e podemos usar os recursos que temos no Brasil para criar produtos rapidamente.

Página 53

entrevista_harman_REVISADA_final.indd 53

15/10/11 00:05


Entrevista > Takao Shirahata

Roland apresenta portfólio diversificado Fundada em 1972, no Japão, a Roland comemora o seu vigésimo ano no Brasil destacando soluções simples e intuitivas como o switcher “tudo em um” VR-5 ou o conversor VC-30HD para distribuição de vídeo pela internet e arquivamento. por Fernando Gaio

O

estande da Roland na B&C foi disputado por profissionais que precisam de soluções simples e funcionais para eventos e produções. Em entrevista à Panorama Audiovisual, Takao Shirahata, presidente da empresa no País, se mostrou satisfeito com o modelo de feira usado pela Broadcast & Cable, onde os visitantes estão efetivamente interessados em tecnologias para produção e criação. “A nossa proposta é estar presente onde os profissionais da área estão e esta é a oportunidade de mostrar produtos diferenciados e inovadores”, afirmou. O executivo lembra que muitas pessoas ainda acreditam que a empresa faz apenas instrumentos musicais e sintetizadores. “Alguns chegam sem saber que temos equipamentos de vídeo e que fabricamos sistemas para Chroma-key, por exemplo”. Panorama Audiovisual: Quais características dos produtos Roland permitem que eles sejam usados por um público tão diversificado? Takao Shirahata: Para começar, nós enxergamos que ainda há espaço para a resolução SD dentro do conceito de vídeo streaming, principalmente no Brasil, por causa da largura da banda de transmissão. Com câmeras de qualidade e um setup que exige pouco investimento é possível fazer uma transmissão ou gravação de boa qualidade. Nossos equipamentos também podem servir a diversos segmentos com a vantagem de primarem pela simplicidade e por serem intuitivos. Não temos comandos escondidos e uma única pessoa consegue operar o sistema, sem a necessidade de um curso extenso. Se você tem uma conexão e um computador, pode fazer uma transmissão por streaming com ar profissional. Panorama: Como os produtos da Roland têm sido recebidos pelos profissionais de televisão? Takao: Estamos bem consolidados, especialmente no segmento de áudio digital, com o Digital Snake, uma solução sem ruídos, sem interferências e sem as complicações de usar um multicabo. Ele pode ser utilizado em um reality show, em eventos ao vivo e apresentação de bandas. Ele usa um cabo Cat5, um cabo de rede normal, e há um conversor para fibra ótica, mas nada é dedicado. Utilizamos materiais de uso profissional que existem no mercado. Com a fibra óptica podemos estender múltiplos canais por vários quilômetros. SBT, TV Globo, ESPN e TVA, entre outras emissoras, já adotaram o sistema e também fizemos eventos como a virada de ano, a visita do Papa ao Brasil e o Carnaval, através de locadoras importantes. Também é importante

O presidente da Roland no Brasil, Takao Shirahata, destacou a participação da empresa em múltiplos mercados, com tecnologias que atendem de pequenos eventos a grandes emissoras de televisão lembrar a tecnologia REAC, que viabiliza o multicabo, a mesa digital e uma gravadora de 48 canais. Panorama: Este protocolo permite o controle de áudio e vídeo em uma única superfície. Takao: Sim e também é possível integrar a plataforma Sonar (PC), para gravação via software. Nós lançamos no ano passado a interface para ligar o Digital Snake com as mesas padrão S-MADI (com comunicação bidirecional). Com isto, ampliamos as possibilidades e se o cliente tiver uma mesa padrão S-MADI, poderá conversar com todos os sistemas da Roland. Panorama: Além das emissoras, quais são os outros públicos atendidos? Takao: Temos uma atuação forte nas igrejas, são clientes importantes para a Roland. Como elas não têm condições de

Página 54

entrevista_roland_REVISADA.indd 54

15/10/11 00:22


Entrevista > Takao Shirahata

No estande da companhia na Broadcast & Cable 2011 havia muito espaço para o conceito de webcasting, baseado em equipamentos como “tudo em um” VR-5 ter um engenheiro de som operando a mesa e como o nosso sistema é simples, intuitivo, fácil de aprender e de instalar, temos sido bem sucedidos neste mercado. E, pouco a pouco, as bandas têm comprado equipamentos para controlar o sistema de mixagem. Este público aluga alguns equipamentos, mas acha viável transportar uma mesa M-480. Com

Página 55

entrevista_roland_REVISADA.indd 55

15/10/11 00:23


Entrevista > Takao Shirahata

Versatilidade em lugar

O VR-5 tem cinco canais de vídeo, dois canais de áudio mono, cinco canais de áudio estéreo e dois monitores LCD sensível ao toque para selecionar as fontes de vídeo

O

argumento “tudo em um” não é exagerado quando se fala no switcher de vídeo e mixer de áudio VR-5, afinal ele reúne em uma única superfície de controle as aplicações mais exigidas em um evento. Na mesma unidade também estão presentes as funções de gravação e reprodução de vídeo, e monitores de visualização para transmissão na web. Através da ligação com um computador é possível iniciar o streaming de um evento. Estão disponíveis no VR-5 cinco canais de vídeo (3 fontes de vídeo, entrada para PC e reprodução de vídeo), dois canais de áudio mono, cinco canais de áudio estéreo, conversão para entrada de PC, dois monitores LCD sensíveis ao toque para facilitar a seleção das fontes de vídeo, três camadas de vídeo criadas com duas fontes de vídeo e DSK, leitor e gravador de MPEG-4, e uma conexão USB para transmissão pela Web. Somadas, as entradas mono e estéreo reúnem 12 canais que podem ser mixados com processamento digital e receber efeitos

O VC-30HD combina sinais analógicos de áudio e vídeo, convertendo-os para MPEG-2, e enviando-os para streaming web ou armazenamento

Um dos destaques da Roland no IBC 2011 foi o gravador de campo R-26. O modelo reúne dois tipos de microfones estéreo embutidos (omnidirecional e direcional), que podem ser usados em várias combinações. Também estão disponíveis duas entradas XLR/TRS com phantom power (48V)

como “Noise Gate” para reduzir os ruídos de fundo. Já a função “Audio Follow” faz com que os faders de áudio vinculados a uma fonte de vídeo acompanhem as suas alterações. Todas as imagens e áudios da saída principal podem ser gravados em um cartão de memória SD no gravador embutido do VR-5, sendo que um cartão de 4 GB pode armazenar até 4 horas em formato MPEG-4. Os vídeos, fotos e áudios da memória SD também podem ser mixados com as demais fontes de sinal.

Atualização do VC-30HD Durante o IBC, realizado em Amsterdam, a Roland anunciou a atualização do firmware usado no conversor VC-30HD, que passa a suportar três fluxos simultâneos de saída através das portas IEEE 1394 e USB. Este modelo combina sinais analógicos de áudio e vídeo, convertendo-os para MPEG-2, quando então seguem para streaming web ou armazenamento. Agora, o suporte simultâneo para três saídas abre novas opções para os usuários, como a conexão com dois equipamentos diferentes, um para transmissão e outro para gravação de Blu-ray, por exemplo. O VC-30HD aceita sinais HDMI, componente, composto, S-Video, firewire, além de áudio digital ou analógico, através de conectores RCA, XLR e AES-EBU, e no seu painel frontal podemos selecionar entre conversões para DV, HDV ou MPEG-2. Entre outras aplicações ainda temos captura e importação de mídia para a edição não linear em Mac e PC ou como ligação direta das estações com fontes de mídia (discos rígidos e ópticos, sem depender de uma rede). Essa atuação pode ocorrer durante uma operação ao vivo, na pós-produção e no streaming.

Página 56

entrevista_roland_REVISADA.indd 56

15/10/11 00:23


Alcance todo o potencial de sua Mídia Front Porch Digital oferece o DIVASolutions, líder mundial em soluções integradas de migração e gerenciamento de vídeo e publicações online. Com uma equipe de especialistas em vídeo, dedicada 24 horas por dia ao desenvolvimento, entrega e implementação de soluções modulares e escaláveis para garantir seu sucesso. Soluções que funcionam do jeito que você precisa. Simples assim.

fpdigital.com sales@fpdigital.com

entrevista_roland_REVISADA.indd 57

15/10/11 00:23


Entrevista > Takao Shirahata

As possibilidades de conexão em rede criadas pela solução Digital Snake e a tecnologia REAC permitem transportar sinais a longas distâncias usando um único cabo duas delas é possível gerar 96 canais, sem ser uma mesa com 2 metros de comprimento, o que é uma grande vantagem. Hoje estes clientes começam a considerar não apenas o preço, mas também o que o sistema REAC (Roland Ethernet Audio Communication) e a assistência pós-venda podem agregar.

Panorama: Qual é a estrutura de pós-venda disponível no Brasil? Takao: Nós temos 45 assistências técnicas treinadas para prestar pronto atendimento ao cliente. Temos uma área para o estoque de peças e procuramos ter equipamentos reservas para uma troca rápida, caso não existam peças disponíveis. Levamos muito a sério o pós-venda, para dar confiança ao cliente.

Página 58

entrevista_roland_REVISADA.indd 58

15/10/11 00:23


trafficsim_setembro.pdf

1

21/09/11

10:44

Entrevista > Takao Shirahata

para ISDB-Tb ISDB-Tb+(DVB-C)

Gravador e analisador portátil de TS “HACOBE”

Árvore PID É mostrada a árvore de PID baseada na descrição de PAT e PMT. Sob a árvore, é mostrado o PID que está fora, para facilmente verificar o TS.

Analise da seção Ele analisa a composição da seção. Para cada conteúdo há informações de ajuda que propiciam as analises. Na parte de baixo da tela, o arranjo de bits das partes selecionadas é mostrado.

Ajustes para vigilância da imagem.

Informação sobre o modo de vídeo.

•Cada limiar pode ser ajustado de forma flexível. •Ajuste do limite de tempo do limiar da seção. •Ajuste do limite de variação em fase do PCR.

Somente pressione o botão “Vídeo” para chavear o magnificação da imagem e alterar entre os modos de tempo-real e reprodução.

Monitor de RF BER(A), BER(B) e C/N convertido podem ser vistos graficamente. A fonte de sinal de entrada pode ser chaveada.

Especificações:

Opção GPS

Versão normal (Acomoda 3 entradas)

TSA-1000P

Classificação do Produto Nome do Produto Modelo Entrada TS Entrada

A conexão do módulo GPS permite a gravação de longitude e latitude obtidos a partir da entrada de dados TS, C/N, BER, e a modulação por minuto. Os dados gravados pode ser carregados em formato GPX para a função de relatório.

Por exemplo: exibir o resultado de teste de campo no Google Earth (em cooperação com emissoras de televisão em Curitiba, no Brasil) *O Google Earth é uma marca registrada da Google Inc.

Saída

Versão QAM (Acomoda 4 entradas)

TSA-1000PQ

Analisador de Transport Stream Gravador analisador portátil de Gravador analisador portátil de TS “HACOBE” TS “HACOBE” 64QAM TSA-1000P TSA-1000PQ DVB x 1 Max; 200Mbps * A função é limitada na parte do bit rate da entrada. Quando fornecendo cerca de 200Mbps – Gravação desligada. Quando fornecendo cerca de 60Mbps – Gravação ligada.

Entrada Digital Terminal F (75ohm x 1) VHF: entre os canais 1 e 12. UHF: entre os canais 23 e 62. de RF Terrestre Clock de Byte / Clock de Modulação Entrada de clock Entrada de clock: 50ohms/75ohms/Alta Impedância, com uma chave. DVB-ASI x 2 É possível alternadamente monitorar entre a saída do TS em tempo Saída TS real e a saída do TS gravado. Saída de alarme Conector D-sub 9 fêmea Relê fotoelétrico MOS na saída – quatro pontos de contato.

Página 59

entrevista_roland_REVISADA.indd 59

15/10/11 00:23


Entrevista > Kirk Hirota

JVC dá as ferramentas para o 3D acessível A empresa tem desenvolvido conversores, câmeras e monitores para atender um segmento intermediário de produção que deseja criar em 3D, mas não dispõe de grandes orçamentos. por Fernando Gaio

“Com a conversão, em vez de criar 3D a partir do zero, muitos estúdios podem explorar os seus antigos programas, incluindo filmes, dando-lhes um visual mais atraente”, afirma o CEO da JVC, Kirk Hirota

K

irk Hirota, presidente e CEO da JVC no continente Americano, não hesita ao defender o desejo da companhia de acelerar a chegada do 3D aos produtores e às residências. A JVC tem uma estratégia global, que contempla todos os pontos da cadeia, incluindo a conversão de produções em 2D para 3D. No estande da Tecnovideo, durante a Broadcast & Cable, nós pudemos conhecer detalhes deste planejamento.

aplicada a filmes de altíssimo nível. Ela pode ser inclusive usada para fazer filmes em Blu-ray. Panorama: A conversão de 2D para 3D é um negócio a parte no mercado das produções estereográficas? Hirota: A nossa expectativa é de que será um novo negócio para a indústria. Esse é o próximo passo, assim como a captação em 3D. A

Panorama Audiovisual: Com quais tecnologias a JVC atende o segmento 3D? Kirk Hirota: Os nossos monitores para 3D foram bem aceitos pelos profissionais de criação e casas de produção, incluindo os produtores do filme Avatar. O passo seguinte é disseminar a tecnologia de conversão 2D-3D. Essa é uma boa ferramenta para os profissionais de criação gerarem conteúdos 3D. Em vez de criar 3D a partir do zero, muitos estúdios podem explorar os seus antigos programas, incluindo filmes. Panorama: Quais são as vantagens para os produtores? Hirota: Esse é um negócio para os produtores e programadores, que podem desfrutar do 3D, recriando ou renovando o conteúdo existente, através da experiência de visualização 3D. Ela torna os programas mais atraentes e leva aos telespectadores as antigas produções com um novo visual. A nossa tecnologia de conversão oferece realmente uma solução suave e que provavelmente será

O conversor IF-2D3D1 trabalha em tempo real e pode tanto converter conteúdos completos, quanto trabalhar em paralelo com autênticas câmeras S3D, para atenuar as diferenças entre o 3D e o 2D numa produção ao vivo

Página 60

entrevista_jvc_REVISADA_final.indd 60

15/10/11 00:23


Entrevista > Kirk Hirota

As câmeras da linha 700 têm feito sucesso na produção de jornalismo pela facilidade de operação e integração dos arquivos com as estações Apple Final Cut Pro nossa abordagem não é a captação em 3D de altíssimo nível; queremos começar com uma faixa mais acessível como, por exemplo, adicionando gráficos que podem ser vistos na TV de casa. Mais cedo ou mais tarde, toda a produção de vídeo será em 3D, pois os televisores 3D ficarão mais baratos, como os atuais modelos HDTV 2D já são.

Esta câmera pode fazer filmagens comuns, mas também é capaz de fazer ótimas filmagens em 3D. Os filmes em 3D podem ser feitos por câmeras minúsculas. Nossa percepção é que, enquanto a programação em 3D não se torna comum, existem outras maneiras de desfrutar essa tecnologia, e queremos estimular isso.

Panorama: Além dos conversores e telas, a JVC tem outras propostas para levar o 3D até os telespectadores, usando as câmeras de baixo custo. É isso mesmo? Hirota: O usuário doméstico também poderá gerar suas próprias captações, adquirindo uma câmera de vídeo. Será possível produzir o vídeo de um casamento com imagens 3D realmente atraentes, por exemplo. Pela primeira vez, nós trouxemos uma camcorder 3D - a GY-HMZ1U, com preço muito acessível a um país da América Latina. Começamos com um preço muito semelhante àquele das linhas de entrada das camcorders HD 2D profissionais.

Panorama: E quanto à captação de alto nível? Hirota: Ela está sendo explorada por outras empresas, com câmeras 3D de grande porte. De fato, é possível explorar este mercado sem abandonar as camcorders, mas a nossa abordagem para a captação em 3D prevê o desenvolvimento para uma ampla gama de soluções para produtores com um orçamento limitado.

Modelos como a GY-HMZ1U fazem parte da estratégia da JVC para disputar o mercado de entrada no segmento de produções em 3D

Panorama: Na captação 2D, como tem sido a aceitação da linha 700? Hirota: Estas câmeras são muito bem aceitas para aplicações do tipo ENG (jornalismo). Naturalmente, elas não são apenas para ENG, mas os clientes que as utilizam em jornalismo apreciam muito a linha 700. Uma das razões é que a câmera é apoiada nos ombros, por isso é mais estável do que aquelas seguradas apenas na mão. Para a captação de notícias, o cinegrafista precisa estar em ambientes não propícios para a filmagem, e o fato da câmera ser apoiada nos ombros torna o manuseio mais fácil. A outra razão é que esta linha tem a vantagem de suportar o formato de arquivo nativo *.MOV. Panorama: Isso acelera o processo de edição. Hirota: Uma vez realizada a filmagem, como os arquivos estão no formato nativo do Apple Final Cut Pro, a edição pode começar de imediato, o que torna o processo de edição muito mais curto. As agências competem umas com as outras para serem as primeiras a divulgar as notícias de última hora, por isto este benefício é muito apreciado por elas. A utilização de arquivos *.MOV também permite transmitir com menos de 20 Mbits/s, o que é atraente para o uso de microondas. s. pro.jvc.com s. www.tecnovideo.com Página 61

entrevista_jvc_REVISADA_final.indd 61

15/10/11 00:24


Entrevista > Kirk Hirota

Pรกgina 62

entrevista_jvc_REVISADA_final.indd 62

15/10/11 00:24


Entrevista > Kirk Hirota

Pรกgina 63

entrevista_jvc_REVISADA_final.indd 63

15/10/11 00:24


Reportagem > Congresso SET 2011 Broadcast & Cable

Crescimento exponencial A equipe da Harris destacou a plataforma Selenium e o crescimento da empresa no Brasil, que hoje tem atenção especial da matriz norte-americana

H

oje a plataforma Selenio é um dos principais produtos da Harris e pode ser usada para serviços de compressão, processamento e codificação, por exemplo, ocupando muito pouco espaço e consumindo pouca energia, explicou Nahuel Villegas, vice-presidente da Harris Corporation para a América Latina e Caribe, na coletiva de imprensa da empresa feita na Broadcast & Cable. Esta plataforma converge vários tipos de aplicação em uma unidade. “No Selenio temos o tráfico de sinais de banda base, de vídeo HD e 3G, e toda a parte de codificação e multiplexação de sinais. Ele faz o processamento de áudio e vídeo, e a compressão e multiplexação de sinais. Ou seja, várias linhas de equipamentos da Harris estão agregadas em um único equipamento, fazendo todas estas aplicações de acordo com o gosto do cliente”, contou diretor-regional da Harris no Brasil. O produto já tem alguns clientes no país, entre os quais a EPTV de Campinas, além de outros que estão sendo consolidados. “Fechamos recentemente um cliente fora do mercado broadcast,

que é a Anhanguera Educacional, com 4 uplinks utilizando um head-end formado com o Selenio. É um produto que está realmente fazendo muito sucesso e oferece uma relação custo-benefício muito grande para todos os clientes”, diz Felipe. Em termos de negócios relacionados com as Olimpíadas e a Copa do Mundo, a empresa vai trabalhar com a integração de TI e telecomunicações nas arenas esportivas. “Temos uma solução completa para as arenas, tanto da parte de digital signage, como TI, e a parte broadcast, que vai rodar dentro da arena. Vamos utilizar a plataforma Selênio para fazer a interconexão entre os estádios e o IBC na Copa do Mundo”. Sobre a presença da Harris no Brasil, Nahuel conta que hoje a empresa tem cerca de 150 funcionários, sendo que mais de 40 são da área de broadcast e mídia. “É uma presença muito importante e o Brasil é um dos dois ou três países onde enxergamos crescimento acelerado nos próximos seis anos. No último ano a região cresceu 25% e a projeção para este ano é similar, uns 25% ou mais.

Comunicação

N

o estande da Riedel, o engenheiro Hugo Caviedes apresentou o Acrobat, uma das soluções da empresa para intercomunicação digital wireless, trabalhando com o sistema DECT. O Acrobat tem arquitetura celular com transferência inteligente entre células, permitindo a cada beltpack sem fio monitorar a rede de forma contínua e selecionar a melhor conexão. Segundo Caviedes, com a ajuda de antenas para assegurar a cobertura, é possível se deslocar de um estúdio para outro ou em grandes áreas, sem notar qualquer alteração no sinal. Essa qualidade também é percebida porque o transporte dessa comunicação é feito sobre IP. Todos os equipamentos da Riedel trabalham com a tecnologia DECT, porque ela tem licença livre em dezenas de países, sem a necessidade de uma autorização especial do governo. No próximo ano, a empresa alemã comemorará 25 anos no mercado.

A Riedel, que em 2012 comemora 25 anos, ampliou muito a sua base no Brasil, especialmente como sistemas de comunicação para produção e unidades de externa

Página 64

broadcast&cable_REVISADA_final.indd 64

15/10/11 00:19


Reportagem > Congresso SET 2011 Broadcast & Cable

Pรกgina 65

broadcast&cable_REVISADA_final.indd 65

15/10/11 00:19


Reportagem > Congresso SET 2011 Broadcast & Cable

Portfólio para produção e exibição A mesa de controle mestre híbrida Flexion, desenvolvida pela Floripa, tem gerador de logos e DSKs internos

U

m dos lançamentos da Floripa na feira foi a solução para atraso de programação, que serve para gravar uma programa em HD, por exemplo, e depois reprogramá-lo, alterar a posição dos blocos, retirar partes e replicá-lo no momento adequado. Ele é utilizado por quem faz ajuste de programações em rede, como contou Claudio Raso, Gerente de Contas da empresa. “Temos também alguns modulares novos da fabricante Cobalt, para fazer processamento de loudness, e modulares da linha Fusion, para inserção de logo e keyer”. No estande também estavam algumas soluções da NewTek, como o TriCaster 850 Extreme e o 3Play 820, usados na produção de vídeo ao vivo e para internet. “O TriCaster é um produto completo, que consegue gravar até 8 câmeras simultaneamente, permite usar edição multicâmera, cenário virtual, gerador de caracteres, streaming de vídeo e DDRs, entre outras funcionalidades.” Raso ainda comenta que a empresa tem a nova versão da mesa BrandMaster, um controle mestre HD com controle de branding, in-

A Floripa Tecnologia apresentou alguns modulares da Cobalt, que são dedicados ao processamento de loudness. Também estavam ali algumas soluções da NewTek para produção e streaming serção de gráficos e DVEs. “Também temos aqui a nova versão do sistema de arquivamento, que integra ainda mais a produção, com a criação e acompanhamento de projetos e exportação de arquivos para multiformatos usados em telefone celular e internet. Temos exibição, edição e arquivamento integrados”. Entre os grandes clientes estão a Rede Record e Rede Globo, bem como algumas das suas afiliadas e outras emissoras pelo interior do país. “Nós conseguimos atender todos os segmentos do mercado broadcast, desde a produção, passando pelo controle mestre, modulares e engenharia. Como também somos integradores, em alguns projetos podemos fornecer o storage centralizado”, explica Raso.

Prospectando negócios

A

pesar de ser a primeira vez da empresa na feira, a Trilogy Communications Limited já tem alguns negócios no Brasil, explica Ian Blake, engenheiro de vendas de produtos da divisão de broadcast. “A intenção na Broadcast & Cable foi usar o espaço como uma plataforma para aprender mais sobre o mercado e claro, aproveitar para conhecer alguns novos clientes”. Ian acredita que, pelo volume de negócios da empresa no Brasil, ainda é cedo ter um escritório de representação. A Trilogy tem dois segmentos principais: Broadcast e Defesa. Em broadcast, o foco é a área de intercomunicação, desenvolvendo e fabricando essa tecnologia para estúdios, playouts, pós-produção, unidades móveis e teatros.

A Trilogy participou do Pavilhão Britânico para prospectar negócios na área de intercomunicadores usados em estúdios, playouts, pós-produção, unidades móveis e teatros

Página 66

broadcast&cable_REVISADA_final.indd 66

15/10/11 00:19


Reportagem > Congresso SET 2011 Broadcast & Cable

Pรกgina 67

broadcast&cable_REVISADA_final.indd 67

15/10/11 00:19


Reportagem > Congresso SET 2011 Broadcast & Cable

Áudio perfeito

Aspa/Stagetec destacou o console Crescendo, que tem uma superfície de controle similar à do Auratus, mais simples, e o poder de processamento do top de linha, Aurus

A

alemã Stagetec ainda é uma empresa nova no Brasil, mas na Europa trabalha há muitos anos como uma provedora de soluções e projetos em regime turn key. Por aqui, a Aspa/Stagetec é a responsável pela

A companhia alemã também aposta no On Air 24, um console com módulos de 4 faders voltado para programas ao vivo

representação da marca, como explicou o engenheiro de vendas Augusto Oliveira. “A Stagetec Mediagroup reúne um grupo de empresas que desenvolvem soluções de áudio digital, para os mercados de Teatros, Live, Broadcast e Comunicação. Temos clientes como o Teatro Bolshoi, a Filarmônica de Berlim, o Auditorium 1200 de Roma, teatros em Viena, Amsterdã e Luxemburgo, entre outros”, conta. Um dos destaques da companhia na feira foi o console Crescendo, que fica entre o console principal da empresa, Aurus, e o inicial, Auratus. O Crescendo tem uma superfície de controle similar à do Auratus, mas com o poder de processamento da linha top. O seu sistema Nexus de roteamento e o processamento DSP também vem do Aurus, enquanto o comando vem do Auratus. “Além deles, temos outro modelo lançado recentemente, o On Air 24, um console com módulos de 4 faders e operação voltada para programas ao vivo e sonoplastia”, finaliza Oliveira.

MAM e

A

novidade este ano na SNEWS foi o News Media Browser, um sistema MAM (Media Asset Management). “É um sistema de armazenamento e gerenciamento de arquivos de todas as mídias digitais da emissora. Acabou aquele processo de gravação analógico, com fitas, então todas as emissoras de televisão, produtoras, estão seguindo para o processo de armazenamento digital. No News Media Browser é possível controlar todos os arquivos de mídia de um sistema, o nível de acesso dos usuários e as mídias que estão dentro do storage automaticamente. O sistema é um banco de dados muito poderoso, com a gestão de arquivo digital”, explicou Dino Maia, diretor da empresa. O executivo destacou ainda o Master Playout, um sistema de exibição de arquivos de qualquer formato, para programação e comerciais em HD ou SD. “A grande diferença desse playout é que ele foi desenvolvido em plataforma nativa Apple, funcionando com qualquer sistema operacional Mac. Na mesma playlist é possível tocar arquivos em SD e HD, atendendo tanto uma emissora cabeça de rede, quanto uma empresa menor”.

Um dos destaques da Snews foi o Master Playout, um sistema de exibição de arquivos de qualquer formato, para programação e comerciais em HD ou SD

Página 68

broadcast&cable_REVISADA_final.indd 68

15/10/11 00:19


Estava pensando em comprar uma câmera fotográfica DSLR para fazer meu novo filme, mas preferia usar uma câmera profissional. Será que existe alguma boa opção com sensor de 35mm e preço acessível?

Reportagem > Congresso SET 2011 Broadcast & Cable Claro que sim. Você precisa conhecer a nova SONY NEX-FS100, com sensor Super 35mm, entradas de audio balanceado, lentes cambiáveis, gravação em cartão de memória SDHC e memory stick. E tem mais, com o AJA Ki-Pro você grava direto da saída HDMI da câmera em 4:2:2 com codec Apple ProRes em até 220Mbps.

Fantástico!!! Com um sensor Super 35mm mais o dispositivo de gravação da AJA, vou conseguir uma incrível qualidade de imagem. Mas depois aonde descarrego o material e o mantenho seguro?

Você faz o ingest garantido diretamente no MatrixStore. Além de proteção Raid, os arquivos são gravados automaticamente com dual copy em locais diferentes do sistema, o que o torna extremamente seguro. O material fica então disponível para você editar nas suas ilhas.

Isso está bom demais para ser verdade. Aposto que o preço é muito alto. Que nada, a Multisale é representante da SONY, AJA e da Object Matrix e está fazendo uma super promoção nesses produtos. Você consegue comprar lá por um preço muito mais em conta e tudo com garantia no Brasil. Maravilha, vou correr lá...

PROMOÇÃO IMPERDÍVEL

A Multisale é representante oficial da Sony, AJA e Object Matrix. Os produtos possuem garantia no Brasil.

Revendedor Autorizado

Sony Broadcast Production

NEX-FS100NK

Ki-PRO Family

Rio de Janeiro 21 2210.2787 São Paulo 11 2914.3252 Brasília 61 3248.5429

MatrixStore

www.multisale.com.br Página 69

broadcast&cable_REVISADA_final.indd 69

15/10/11 00:19


Reportagem > Congresso SET 2011 Broadcast & Cable

Foco no software Felisberto Silva, diretor de produto da Step Software, apresentou soluções baseadas em software, como o gravador com entrada para SD e HD, capacidade de gravação e reprodução simultânea, slow motion, posicionamento para programas ao vivo e acertos de time zone

F

elisberto Silva, diretor de produto da Step Software, destacou na linha de hardware, um exibidor de teleprompter com entrada de vídeo composto, inversão, vertical e horizontal. Na linha de softwares, a companhia tem um sistema de gestão para a área comercial e musica de rádio e televisão. Também estava em exposição um gravador com entrada SD e HD, capacidade de gravação e reprodução simultânea, slow motion, posicionamento para programas ao vivo e acertos de time zone. Outros destaques eram o sistema de jornalismo AV News, um software desenvolvido para jor-

broadcast&cable_REVISADA_final.indd 70

nalismo sem fitas, em HD e SD; o Videologger, um gravador em SDI, HD e SD, com capacidade de geração de streaming e um multivisualizador de streaming com até 16 canais. “No mercado de televisão e rádio, temos como clientes RBS, Sky, Net e GloboSat. Hoje, 95% da empresa é software e só temos 2 hardwares, um storage de alta performance para alta demanda de vídeo e os exibidores de teleprompter. Nós estamos preparando dois produtos de hardware que focam a Copa do Mundo, mas ainda é segredo, não podemos revelar”, finalizou o empresário.

15/10/11 00:19


Conheça a solução Turn Key TELEM

Suas produções merecem o melhor e mais bem equipado estúdio

EBC Estúdios - São Paulo

www.telem.com.br - telem@telem.com.br - Tel.: +55 11 2714-9750

MKTSET2011

Operando no sistema Turn Key, a TELEM oferece a infraestrutura necessária para equipar estúdios e unidades de externas, de isolamento e tratamento acústico à grides e iluminação, incluindo os mais avançados equipamentos de LED. Além disso, oferece toda a assessoria técnica necessária para seu perfeito funcionamento.

TELEM • BARCO • COEMAR • ETC • FEELING STRUCTURES • LEE FILTERS • MTS • SACHTLER • HIGH END • DEDOLIGHT REFLETORES • CONTROL ADORES • HOISTS • ACESSÓRIOS • PISOS FLUTUANTES • REVESTIMENTOS ACÚSTICOS • PORTAS ACÚSTICAS • GRIDS • INSTAL AÇÕES ELÉTRICAS

broadcast&cable_REVISADA_final.indd 71

15/10/11 00:19


Reportagem > Congresso SET 2011 Broadcast & Cable

Transmissão de qualidade Henrique Latarullo, gerente da Rohde & Schwarz, com algumas das soluções apresentadas

A

Rohde & Schwarz marcou presença levando diversas soluções para transmissão. Entre elas o Gap Filler com potência variável de 2 até 100 watts, com cancelador de eco. De acordo com Henrique Latarullo, gerente da empresa, este é um equipamento de banda larga que trabalha em toda a linha UHF. “Com esse ele é possível fazer cancelamento de ecos até 18 decibéis acima da portadora principal, o que configura um Gap Filler muito poderoso”, explicou. Além dele, a empresa levou ao evento dois analisadores deTV Digital: o ETH e o ETL. O modelo ETH é um equipamento que faz todas as análises de constelação, BER, MER e tem saída SI. “Isso é especialmente útil se o cliente precisar ligar o sinal num analisador de TS. Além disso, ele conta com um analisador de rede e de espectro de até 8 GHz. No caso do ETL, além de todas as funções do outro analisador, a diferença é que ele está equipado com um analisador de Transport Stream interno, além de fazer toda a demodulação de vídeo na própria tela do equipamento em tempo real”, detalhou. Outra novidade da empresa alemã foi o software Broadcast Drive Test, com o qual a emissora pode fazer a análise da cobertura de sinal que está transmitindo. “Para isso, basta colocar esse equipamento com GPS num carro, andar com o veículo num trajeto específico e fazer a análise da qualidade do sinal nesses pontos, fazendo aquisição de um ponto a cada 50 metros. É uma solução muito interessante para quem precisa fazer análise de cobertura de sinal”, afirmou Latarullo.

Modelos compactos e eficientes Na linha de transmissores, a Rohde & Schwarz levou modelos como o NV-8300, de alta potência com 1,8 KHz. “Esse equipamento pode ser configurado para 1 KHz ou 1,5 KHz, possui dois excitadores, refrigeração a ar e redundância nos amplificadores, sendo que cada amplificador é alimentado por fontes individuais e a distribuição de energia estão localizadas no próprio rack, com eficiência próxima a 20%, o que é considerado muito boa nessa classe de potência. Esse equipamento pode ser tanto analógico como digital. No caso de ser analógico, sua potência pode chegar a 2,8 KHz” Na linha portátil, a empresa destacou o transmissor SCX-8300, de banda larga, que pode ser utilizado em qualquer canal UHF. “Essa família alcança até 600 Watts digital em ISDB-T e 1400 Watts em analógico. Todos os transmissores da Rohde & Schwarz possuem controle via web, o que permite ao cliente o acesso remoto aos equipamentos, subindo e baixando as potências de acordo com a sua necessidade. Também é possível reconhecer qualquer tipo de

erro no equipamento e especificá-lo”, comentou. O executivo lembrou que os equipamentos portáteis têm encontrado um grande mercado junto a retransmissoras, enquanto que os maiores são preferidos pelas geradoras de sinal. “O nosso foco com os equipamentos portáteis é ganhar mercado no que se refere a interiorização do sinal digital. Nós já comercializamos algumas unidades”. O analisador de transport stream, modelo DBM S1 foi outro destaque da empresa. Esse equipamento pode fazer toda a análise do sinal ISDB-T, abrindo todas as tabelas e fazendo análises de PCR, PTS e EPG. “É voltado para quem precisa fazer a análise do que está dentro do sinal deTV. Ele trabalha tanto em ISDB-T como em DVB-S e DVB-S2. É um equipamento de baixo custo”. O osciloscópio RTO de 2 GHhz era outra novidade. Trata-se de um equipamento com 10 Gigasamples de taxa de amostragem, que tem maior aplicação nas áreas de pesquisa por causa de sua qualidade técnica. Seus quatro canais podem ser operados simultaneamente em tela touch screen. Havia ainda o ZVH-8, um analisador de antenas e cabos portátil de até 8 Ghz . “Esse equipamento é muito prático na instalação de uma antena ou de um cabo para medir o sistema irradiante. Entre os recursos que ele tem estão o cartão de memória, para salvar as fórmulas de onda, e as funções Spectrum Analyzer e Power Meter integradas”, finalizou.

Página 72

broadcast&cable_REVISADA_final.indd 72

15/10/11 00:19


Reportagem > Congresso SET 2011 Broadcast & Cable

MAIS SEGURANÇA PARA O SEU TRABALHO MAIS TRANQUILIDADE PARA SUA VIDA. Mídias Profissionais HD da Sony, A melhor opção para gravação profissional em alta definição.

www.sony-rela.com www.sonypro.com.br 4003 SONY (7669) para capitais e regiões metropolitanas • 0800 880 SONY (7669) demais localidades

broadcast&cable_REVISADA_final.indd 73

Página 73

15/10/11 00:19


Reportagem > Congresso SET 2011 Broadcast & Cable

Medições para e transmissão Samuel Kobayashi apresentou soluções para medição e análise de sinal da Leader aplicáveis à produção, pós-produção e transmissão

A

japonesa Leader produz geradores de sinais para vídeo e RF, e instrumentos para checagem de sinais de vídeo, com destaque para as soluções Cinelite e Cinezone, explicou Samuel Kobayashi, representante técnico da empresa na América do Sul. “Com o Cinelite você checa níveis de vídeo em percentuais, em F-Stop para o pessoal de cinema e níveis RGB, pixel a pixel, em coordenadas XY até 3 pontos, simultaneamente. Já no Cinezone, a Leader - em parceria com a Panavision, desenvolveu um aplicativo para calcular a exposição, checando a saturação”,

O estande também tinha as baterias e luminárias da IDX, muito utilizadas por equipes de reportagem

explica. “Muitos fotógrafos alegam que a câmera aguenta até 12 Stops, mas é bom lembrar que a latitude do sinal de vídeo é muito estreita (dynamic range), então, inevitavelmente, você terá que trabalhar essa luz dentro de um espaço para poder utilizá-la corretamente na pós-produção. Com o Cinezone é possível saber como está sua exposição e como você deve trabalhar a luz”. Outra novidade da Leader no evento foi o waveform de baixo custo, o LV5770, um hardware para aferir pelo diagrama de olho, exibindo o jitter para 3G/HD/SD-SDI. Há ainda um waveform de 16 polegadas de tela, desenvolvido de acordo com os requerimentos dos engenheiros da TV Globo, no Projac. “Também temos o analisador de rádio frequência LF990, para sinal analógico e digital. Dentro do sinal digital, ele analisa todos os parâmetros básicos necessários para leitura de campo, como MER, BER, delay, constelação, leitura da largura de banda, inclusive do sinal ISDB-Tb, e a checagem dos canais adjacentes - até 3 canais para um lado ou para o outro”, conta Kobayashi. No campo da iluminação, o estande da empresa abrigava luminárias de LED da IDX, usando baterias de 12 volts com V-mount. ”O cliente pode utilizar a mesma bateria da câmera e obter luminosidade de 100 W com foco variável, com consumo baixo”.

Medição e teste

Esse é o primeiro ano da Farnell na Broadcast & Cable”, revela Ricardo Milani, Gerente de Negócios da empresa. “A nossa intenção é mostrar ao mercado que nós temos pronto atendimento e estoque no Brasil. A Farnell tem um perfil de warehouse, de pronto atendimento, e trouxemos diferentes linhas de produtos do nosso estoque”. A empresa é distribuidora de cabos Belden, conectores Neutrik, Kings e Amphenol, além de ferramentas Fluke. “Na parte de instrumentação, estamos divididos em três áreas: a análise de espectro, em vídeo, com medição de waveform e gerador de sinais, e temos ainda a área de osciloscópios”, conta Milani Um dos destaques na Broadcast & Cable é o analisador ISDB-T RFM220, da Tektronix, além de alguns osciloscópios de baixo custo da BK Precision Hoje a empresa atende as principais emissoras e portais de internet do país, que também compram cabos e conectores.

A Farnell Newark reforçou a sua posição como provedora de soluções para medição e teste, além de cabos, conectores e ferramentas usadas na radiodifusão

Página 74

broadcast&cable_REVISADA_final.indd 74

15/10/11 00:19


broadcast&cable_REVISADA_final.indd 75

15/10/11 00:19


Reportagem > Congresso SET 2011 Broadcast & Cable

Chave para transmissão

Rondinei Silva e Guillermo Alvarez, da Sppiner, exibem um dos filtros que a empresa passou a fabricar em São José dos Campos (SP)

O

gerente de contas da Spinner no Brasil, Rondinei Silva, lembra que durante a Broadcast & Cable, a empresa inaugurou a nova sede no Brasil, além da fábrica em São José dos Campos que já existia. “A Spinner é uma empresa alemã de 65 anos, que resolveu dar mais suporte e apoio para todos os clientes que estão no processo de digitalização das transmissões”, explica Rondinei. “Já atendíamos o mercado-latino americano através de distribuidores. Agora, com a fábrica no Brasil focada no mercado de broadcast, vamos atender diretamente,

A Spinner já atendia o mercado latino-americano através de distribuidores e agora, com fábrica no Brasil, passará a atender diretamente os fabricantes de transmissores e clientes finais

dando suporte para todos esses clientes. Iremos atender as emissoras e também os fabricantes de transmissores analógicos e digitais”. A Spinner possui quatro pilares de negócios. A empresa do Brasil será voltada para broadcast, com uma pequena parte de negócios em telecomunicações móveis, com linhas, conectores, cabos, filtros e combinadores. Nessa linha, um dos destaques foi o filtro de 300 Watts, criado numa concepção diferente dos demais, pois é totalmente usinado, o que garante baixa taxa de dispersão de calor e ajuste simplificado.

Captação perfeita

A Trevisan’s é representante oficial da Fujifilm North America e da sua divisão de Optical Devices (antes conhecida como Fujinon), que distribui lentes objetivas e fixas para televisão e cinema”, explicou o diretor Fúlvio Trevisan. “Nesse ano nós lançamos a nossa série Xceed de lentes com a tecnologia HD Professional, com 2/3, 1/3 e meia polegada para câmeras HD de baixo custo. Nossas lentes HD estão divididas em três linhas: a HD Premier, linha high-end; HD Select, que é intermediária; e a Xceed, para o mercado profissional”. No estande, a empresa havia quatro modelos de lentes zoom PL,

A oferta da Fujifilm/ Fujinon estava voltada para a produção em alta definição, com lentes, adaptadores e conversores ópticos, para usuários de vários níveis

Stefano Trevisan, presidente da Trevisan’s, e Yukio Ito, gerente da Fujifilm/Fujinon, no estande da empresa durante a Broadcast & Cable

cuja principal característica é não perder luminosidade quando o zoom se fecha. Havia também uma solução para sincronismo de lentes 3D e toda a linha de adaptadores, de 1/2 para 2/3, de 1/3 para 2/3, conversores óticos, tele converter, wide converter, filtros de proteção, filtros UV e de efeito. “Nesse ano estamos lançando um novo servo-motor mais ergonômico, que diminui o esforço do cinegrafista, reduzindo em 40% o consumo, o que facilita até o acionamento dos dispositivos. E temos ainda uma lente de meia polegada, usada principalmente em câmeras Sony PMW 320, que já vem com uma lente Fujinon/Fujifilm”.

Página 76

broadcast&cable_REVISADA_final.indd 76

15/10/11 00:20

anuncio anuncio

anuncio


Estou derretendo. Estou derretendo. Estou derretendo. Estou derretendo. Estou derretendo. Alguém pode me Alguém pode me Alguém pode me Alguém pode me Alguém pode me trazer um Prolite trazer um Prolite trazer umum Prolite trazer Prolite trazer um Prolite

tetn gs nn ete un sesn TT g n s u gntg nu TuT n e t Tungs

Lâmpada de tungstênio gera Lâmpada de tungstênio gera Lâmpada de tungstênio gera Lâmpada de tungstênio gera altíssimo calor eeradiação UV Lâmpada de tungstênio gera altíssimo calor radiação UV altíssimo calor e radiação UV altíssimo calor e radiação UV altíssimo calor e radiação UV

Prolite Panel Prolite Panel Prolite Panel Prolite Panel Prolite LED Fresnel Prolite Panel Prolite LED Fresnel Prolite LED Fresnel Prolite LED Fresnel Prolite LED Fresnel R R R

R

R

21 3344-5555 www.energia.tv 21 3344-5555 www.energia.tv 21 3344-5555 21 3344-5555www.energia.tv www.energia.tv 21 3344-5555 www.energia.tv anuncio_energia_panorama_outubro_2011.indd 1 anuncio_energia_panorama_outubro_2011.indd 1 anuncio_energia_panorama_outubro_2011.indd 1 anuncio_energia_panorama_outubro_2011.indd 1 broadcast&cable_REVISADA_final.indd 77 anuncio_energia_panorama_outubro_2011.indd 1

30/09/11 9:49 AM 30/09/11 9:49 AM 30/09/11 9:49 AM 30/09/11 9:49 AM 15/10/11 00:20 30/09/11 9:49 AM


Reportagem > Congresso SET 2011 Broadcast & Cable

A força do LED

O

principal produto apresentado pela Energia em 2011 foram as novas luminárias para estúdio Prolite de LED, tipo Fresnel, que já estão em uso em emissoras brasileiras, como na série “Tapas & Beijos”, da TV Globo. A empresa também apresentou uma ampla gama com tubos de LED (LT-T8), que substituem os tubos fluorescentes, luminárias para câmeras (Prolite Turbo com 3100 lux) e baterias recarregáveis BP-L9V-500 de 9V. Segundo Ricardo Kaufmann (foto), diretor geral da empresa, o evento foi importante para a estratégia da empresa, porque reuniu todos os broadcasters do Brasil, em uma oportunidade única.

As novas luminárias para estúdio Prolite de LED já estão em uso em minisséries e novelas, conta Ricardo Kaufmann, diretor geral da Energia

Gráficos e Soluções para cenários virtuais interatividade

Wlad Farias, responsável pela WASP 3D no Brasil, comemorou o primeiro contrato da empresa no País, celebrado com a Rede Record. A emissora adquiriu o sistema WASPi Mimosa de gráficos controlados por tela touch screen, que serão usados na cobertura dos Jogos Pan-americanos de Guadalajara e nos Jogos Olímpicos de 2012

A

Wasp 3D é uma empresa indiana presente em mais de 40 países, com mais de 450 instalações, que levou ao evento a tecnologia de gráficos interativos, através de uma tela sensível ao toque. O sistema já foi usado pela Televisa (México) na cobertura da Copa do Mundo de 2010 e roda sobre uma plataforma aberta, usando a tecnologia Microsoft DirectX. As soluções tudo em um da empresa foram apresentadas como opções de excelente relação custo benefício para aplicações como coberturas eleitorais, telejornais, previsão do tempo, programas esportivos e cenários virtuais em geral.

Liderada por David Britto, a TQTVD/ TOTV exibiu a solução para interatividade ByYouTV e os aplicativos Stickers que rodam nos televisores conectados

D

avid Britto, da TQTVD/TOTV, contou a Panorama Audiovisual que vários fabricantes já estão embarcando a tecnologia de interatividade da empresa, ByYouTV, que é baseada no middleware Ginga. Sony, Panasonic, Philips e LG, por exemplo, já adotaram a tecnologia. Outra atração foi a demonstração do StickerCenter, que dá suporte ao vídeo sob demanda, a partir de um televisor conectado à internet. Nessa plataforma baseada no padrão DTVi, os aplicativos - ou Stickers - são enviados para a casa do telespectador junto com o sinal digital, trazendo informações de última hora, previsão do tempo, promoções e jogos. Alguns aplicativos são gratuitos e outros podem ser baixados, ligando a TV à internet.

Página 78

broadcast&cable_REVISADA_final.indd 78

15/10/11 00:20


broadcast&cable_REVISADA_final.indd 79

15/10/11 00:20


Reportagem > Congresso SET 2011 Broadcast & Cable

Salto dimensional

E

ssa foi a primeira vez que a Teranex expôs com um estande próprio na Broadcast & Cable, como contou o seu gerente geral Mike Poirier. “A razão por estarmos aqui, é mostrar aos clientes que trabalham com televisão e pós-produção, que a Teranex dá muita importância a este mercado. Estou bastante impressionado com o tamanho da feira e a qualidade do público que a frequenta”, revelou. Uma das motivações principais da empresa foi mostrar em primeira mão as suas novas tecnologias relacionadas ao 3D, como o modular VC100. “Temos um kit de ferramentas 3D, que permite um 3D viável, com equipamentos de baixo custo, como simples câmeras de vídeo amadoras, que podem ser alinhadas para criar um vídeo 3D”, contou. Outro destaque foi o modular VC300, um processador escalonável que realiza milhões de operações por segundo para converter, comprimir arquivos e mudar as taxas de frame de arquivos, trabalhando com diferentes formatos. Também foi possível conhecer o recém-lançado VC400, um modelo que atua em ambientes baseados em arquivos, fazendo conversões de vídeos em banda base para servidores. “Se o volume de negócios justificar um escritório no Brasil, com certeza viremos para cá. Só como exemplo, há dois anos a China

A Teranex apresentou um conjunto de soluções para processamento e conversão de vídeos de 2D para 3D não tinha um volume de vendas significativo, mas depois que inauguramos um escritório em Pequim, o mercado chinês passou a responder por 35% de nossas vendas”, finaliza Poirier.

Para facilitar de sinais

A

Advantech está no Brasil desde 1999 e tem quase 100 clientes em todos os segmentos verticais, seja na área de broadcast, de defesa (tem equipamentos de banda X, para atender o Exército, a Marinha e a Aeronáutica), universidades, operadoras telecom, provedores de serviços, ISPs, indústria e governo. Mas é a área de broadcast que realmente concentra o maior número de clientes da empresa. Claudio Frugis, diretor de marketing e vendas, revela que a empresa está trazendo para o Brasil o Transcend T800, um rádio voltado para a transmissão de broadcast para redes SFN, por exemplo. Ele permite transportar streaming de vídeo em HD ou SD, de até 240 Mbits/s nas portas ASI, e até 100 Mbits/s nas portas IP. Esse rádio não precisa de equipamento externo e transporta nativamente o sinal para modulação em RF.

A Advantech apresentou o Transcend T800, um rádio voltado para a transmissão em redes SFN, que permite transportar vídeo a taxas de até 240 Mbits/s

Página 80

m broadcast&cable_REVISADA_final.indd 80

15/10/11 00:20

m


Pรกgina 81

molde.indd 1 broadcast&cable_REVISADA_final.indd 81 molde.indd 1

04/10/2011 17:09:09 15/10/11 00:20 04/10/2011 17:09:09


Reportagem > Congresso SET 2011 Broadcast & Cable

Tudo para esportes e infraestrutura

E

ntres os destaques da Video Systems estava a câmera I-Movix SprintCam Vvs HD, que grava imagens para reprodução em câmera super lenta – são 2700 quadros por segundo, em HD. “Esse equipamento permite usar CCU e controle remoto a até mil metros de distância, com a conexão por fibra óptica”, conta. Ele também lembra que o equipamento é especial para captar detalhes. “Por isso é preciso trabalhar com ela sempre fechada e dessa forma e possível ver coisas que seriam impossíveis em condições normais”, explica Gustavo Fernandes. Os recursos da SprintCam Vvs HD incluem ainda memória segmentada, alteração de velocidade durante o replay, saída dupla para mesclar as imagens ao vivo com as sequências de replay, além da possibilidade de integração das duas imagens no visor da câmera. Ele também é 100% compatível com os servidores EVS no modo ultra-motion, tem uma interface digital para o controle preciso das lentes, aperfeiçoamento dos comandos de replay, joystick no painel de controle e suporte para sincronia de duas câmeras usadas na captação 3D em ultra-slow-motion. Além da I-Movix, foi possível conhecer as soluções XT[2] +, IP Director, XEdio Clean Edit e XStore[2] da EVS, o controle mestre e modulares da Utah Scientific (foto), e a solução Chyron BlueNet para uso de ferramentas gráficas em ambiente colaborativo, entre outras empresas representadas pela Video Systems

Foco no público brasileiro

A

Vitec Group aproveitou a Broadcast & Cable para reforçar os lançamentos anunciados pelas marcas que estão sob o seu guarda-chuva durante a NAB 2011, como a Sachtler, OConnor, Vinten, Clear-Com, Anton/Bauer, Litepanels, Microwave Service Company, Nucomm, RF Central, Autoscript (teleprompoters), Manfrotto, OConnor, Sachtler, Vinten e Vinten Radamec, sendo que em muitos casos os equipamentos estavam expostos nos estandes de integradores parceiros. A empresa também aproveitou para reforçar a presença no Brasil com um escritório para manutenção e suporte local. No segmento de iluminação, as novidades eram os fresnéis LED Litepanels Sola 6 e Sola ENG. Uma das grandes vantagens da luminária Sola 6 e a economia. Ele consome cerca da um décimo do habitual em modelos de tungstênio com a mesma luminosidade, gerando pouquíssimo calor. “Temos uma linha com diversos tamanhos e potências para atender as necessidades de cada público”, explicou a diretora de marketing da empresa, Cristina Delboni. Já o Sola ENG foi projetado para a câmera ou suporte de montagem e tem um controle de feixe que varia de 70º a 10 º. Outra vantagem é o foco manual e o controle de escurecimento, que pode ser feito tanto no próprio equipamento como através de controles ergonômicos. No segmento de tripés, o destaque era o Sachtler Ace, um modelo leve que pode ser usado para câmeras menores e destinado aos usuários finais.

broadcast&cable_REVISADA_final.indd 82

O estande da Vitec expôs um pouco de cada empresa que está sob o seu guarda-chuva, especialmente as soluções para produção e transmissão por micro-ondas. Durante a Broadcast & Cable, a empresa também reuniu seus clientes e distribuidores em um jantar de confraternização

15/10/11 00:20


broadcast&cable_REVISADA_final.indd 83

15/10/11 00:20


Reportagem > Congresso SET 2011 Broadcast & Cable

Codificação Mais Mais Mais de dede 25.000 25.000 25.000 Antenas Antenas Antenas Instaladas Instaladas Instaladas

níveis

Variedade Variedade Variedade de dede Produtos Produtos Produtos

Tradição, Tradição, Tradição, Excelência Excelência Excelência e eResponsabilidade. Responsabilidade. e Responsabilidade. Este Este Este é éooNosso é Nosso o Nosso Negócio! Negócio! Negócio! Conte Conte Conte com com com aagente! gente! a gente!

E

m entrevista à Panorama Audiovisual, Diogo Dotta, engenheiro de pré-vendas da Thomson, destacou o ViBE VS 7000, uma plataforma de transcodificação integrada, com soluções para IPTV, Over The Top e dispositivos móveis que rodam em 3G e 4G. O novo membro da família ViBE entra no nicho de mercado reservado às tecnologias que permitem distribuir um mesmo conteúdo (ao vivo ou gravado) sobre diversas plataformas, sem gastar muito tempo com processamentos e adaptações de formato. Ele suporta resoluções tão baixas quanto 64x64 pixels a 1 fps, mas pode chegar a 1920x1080i, a 60fps, codificando para H.264, MPEG-2 e H.263, em todas as suas variáveis. Paulo Brittes, supervisor de engenharia da Thomson, também destacou as soluções para codificação MPEG-2/4 e SD ViBE EM3000 HD Encoder e ViBE EM2000 SD Encoder. Ele ressaltou que alguns dos principais clientes da empresa neste momento são a Sky e Telefônica.

tel: tel: (55) tel: (55) 11 (55) 11 3609-1022 3609-1022 11 3609-1022 fax: fax: (55) fax: (55) 11 (55) 11 3609-2660 3609-2660 11 3609-2660 sac@mectronica.com.br sac@mectronica.com.br sac@mectronica.com.br

www.mectronica.com.br www.mectronica.com.br www.mectronica.com.br broadcast&cable_REVISADA_final.indd 84

15/10/11 00:20


Apoiando a indústria mineira

O

Sindvel (Sindicato das Indústrias de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares do Vale da Eletrônica) é uma associação das empresas de eletroeletrônica da cidade de Santa Rita do Sapucaí (MG), hoje conhecida como o Vale da Eletrônica. Esse sindicato foi fundado com a intenção de promover a integração das empresas, mesmo porque, na cidade, muitas delas são fornecedoras e compradoras umas das outras. “Costumamos fazer uma analogia dizendo que Santa Rita é uma grande fábrica e cada empresa é um departamento, ou seja, uma complementa a outra. Com essa estrutura criada naturalmente, desde a fundação da primeira escola técnica de eletrônica e da Faculdade de Engenharia, alguns alunos montaram os seus negócios ali mesmo, há mais de 25 anos. Dessa semente surgiram empresas como Linear, Teletronix, Teclar, Ativa, Ideal Antenas, entre tantas outras”, explica Rennó. “O sindicato surgiu da necessidade de organização dessas empresas, para saber o que cada uma está precisando, seja a ação pontual de uma consultoria empresarial e de marketing ou prospecção de promoção de negócios internacionais. O Sindvel, juntamente com parceiros institucionais como Sebrae, FAPEMIG e o Governo do Estado de Minas Gerais, consegue trazer ações que atende diretamente estas empresas. Por isso, a nossa presença na Broadcast & Cable é justamente para divulgar essas companhias e seus lançamentos, além de prospectar novos negócios e projetá-las no mercado nacional e internacional”. O Sindvel estava na feira com oito empresas representando um parque de 150 outras. “Só para termos uma ideia, cada empresa usa no mínimo outras 20 para formar o seu produto. Por exemplo, enquanto uma monta a placa, o vizinho

O Sindvel deu suporte a várias empresas da região de Santa Rita do Sapucaí que atendem o mercado de radiodifusão, como a Linear, Teletronix, Teclar, Ativa e Ideal Antenas, entre outras faz o gabinete, o outro pinta o gabinete e o seguinte faz a embalagem. E por estarem todas na mesma cidade, isso facilita a logística, traz velocidade ao negócio e promove sempre a atualização dos parceiros”, finaliza Rennó.

Energia segura

O

diretor da Beta Eletronic, Eudelio Carvalho, destacou na Broadcast & Cable o desenvolvimento de no-breaks paralelos e redundantes, que já vem sendo feito há algum tempo pela empresa. Nesta configuração, o índice de ausência de energia elétrica cai muito, pois se um sistema falhar, o outro assume. “As emissoras de Rádio e TV não podem trabalhar com queda de energia e variação de rede, então a Beta dá a garantia da estabilidade, a garantia da manutenção da energia elétrica, coisa que um gerador a diesel não supriria”, conta Carvalho. Para o segmento de radiodifusão, a empresa trabalha com no-breaks grandes, trifásicos, da linha Sigma, que vão de 20 a 500 KVA.

Página 85

broadcast&cable_REVISADA_final.indd 85

15/10/11 00:20


broadcast&cable_REVISADA_final.indd 86

15/10/11 00:20


broadcast&cable_REVISADA_final.indd 87

15/10/11 00:20


Reportagem > Congresso SET 2011 Broadcast & Cable

Anritsu mostra novidades da linha Cell Master

A

Anritsu está no segmento da TV Digital há muitos anos e levou ao evento equipamentos portáteis para mapeamento de cobertura, avaliação do sinal, entre outras medições. “Antigamente esses equipamentos ficavam na bancada, mas hoje eles precisam ser levados a campo. Por isso, a necessidade de eles serem portáteis”, explica Alexandre Almeida (foto), um dos gerentes da Anritsu. Entre os equipamentos apresentados, está a linha Cell Master, com os modelos MTU-8212 e MTU-8213, que estão entre os mais utilizados. “Também temos equipamentos mais acessíveis, para pequenas emissoras. Esse tipo de solução compreende não apenas a emissão do sinal de TV digital, mas tudo o que está relacio-

nado a ele, como teste de cabos e antenas, de interferência e de análise de espectro”, enumera. Outro equipamento demonstrado na Broadcast & Cable foi o Analisador de Espectro Portátil até 43 GHz. “Esse equipamento é único no mundo. Ele é indicado para quem trabalha no segmento eletrônico e precisa fazer medição com altas frequências”, ressalta. Conforme lembra o engenheiro, a família Cell Master possui várias subfaixas de frequência para atender múltiplas necessidades. “Eles podem ser usados por emissoras de TV, que utilizam uma faixa de frequência menor, como também para quem faz link de satélite e utiliza faixa de banda Ku. Temos equipamentos de até 20 Ghz para atender a esse público”.

Estreia promissora

A

empresa portuguesa GSoft, que estava no estande da Line Up, participou pela primeira vez da Broadcast & Cable apresentando o GMedia Plan – um sistema de gestão para todo o processo de produção televisiva, desde o planejamento dos equipamentos alocados em cada produção até o melhor aproveitamento dos recursos humanos, proporcionando um controle de custos para emissoras e produtoras. “Com o sistema, é possível ter nas mãos um mapa detalhado do funcionamento da emissora, o que vai facilitar muito a tomada de decisão por parte dos gestores”, explica José Soares, da empresa portuguesa. A grande inovação do GSoft, segundo o empresário, é permitir a comunicação entre as diversas áreas de uma emissora. “O que o nosso sistema faz é integrar todos os setores num mesmo aplicativo. Isso gera muitos benefícios operacionais, que se traduzem, no final de tudo, em economia para a emissora”. Apesar de ser a primeira participação do grupo no evento, João lembrou que o resultado foi muito bom. “Está acima das nossas

Para José Soares, a participação na Broadcast & Cable é essencial para a entrada da GSoft no país. “O evento é o ponto de partida de nossa empresa no Brasil e foi muito proveitoso” expectativas, pois temos atendido clientes que já haviam feito contato conosco. A surpresa é que eles estão trazendo parceiros de outras emissoras, que chegam por indicação e vem conhecer o GSoft. Para nós o evento é o ponto de partida de nossa empresa no Brasil e está sendo muito proveitoso”, finalizou.

Página 88

broadcast&cable_REVISADA_final.indd 88

15/10/11 00:21


broadcast&cable_REVISADA_final.indd 89

15/10/11 00:21


Reportagem > Congresso SET 2011 Broadcast & Cable

Conectando há mais de um século

P

resente no Brasil desde 1996, a Belden oferece soluções de cabeamento que cobrem as aplicações do mercado industrial, de entretenimento, de cabeamento estruturado para redes (LAN) e de fibras ópticas. Entre as novidades apresentadas estavam os conectores BNC para HD 3 Ghz usados nos cabos que também são fabricados pela empresa. “Esse conector tem como mercado os caminhões de externa, viaturas que fazem tomadas de informações esportivas e noticiários externos”, explica Walber Mascarenhas, diretor do grupo. “Hoje a Belden domina o mercado de cabos e conectores por causa da qualidade de seus produtos e da confiabilidade que oferecemos aos nossos clientes”, completa. Além dos produtos fabricados pela empresa, havia um espaço dedicado à Telecast, adquirida pela Belden em janeiro de 2010. Estavam ali os componentes para conversão de sinal elétrico para ótico, ótico para elétrico e o CopperHead. “É um dispositivo acoplado à câmera para transmitir os sinais de uma camcorder, com benefícios que a aproxima de uma câmera de estúdio”, ressaltou Mascarenhas. Outro item fabricado pela Telecast são os

“Hoje a Belden domina o mercado de cabos e conectores por causa da qualidade de seus produtos e a confiabilidade que oferecemos aos nossos clientes”, explica Walber Mascarenhas, diretor do grupo dispositivos para tráfego de sinais que chegam através de fibra ótica. “Também trouxemos os produtos já tradicionais da Belden, como os cabos para áudio, vídeo e para 50 Ohms – dirigido para transmissão, além de cabos UTP para transmissão de vídeo sem atraso”, detalhou. A Belden adquiriu, em abril deste ano, a empresa Poliron, que há mais de 60 anos fabrica cabos de instrumentação analógica. “Essa empresa passou a ser parte do grupo, como as outras marcas, e é a nossa filial no Brasil”, contou o empresário. Ocupando posição de destaque entre os maiores fabricantes mundiais do setor, a Belden possui 11 fábricas e sua matriz está nos Estados Unidos. A empresa mantém operações na América do Norte, América Latina, Europa, Oriente Médio, África e Ásia.

Parceria transmissões

N

o estande da Mectrônica, a grande novidade era a joint-venture da empresa com o grupo norte-americano Jampro. O objetivo, segundo Junior Avela, gerente geral da Mectrônica, é trazer para o mercado brasileiro mais conhecimento no que se refere a transmissão digital. “Com essa parceria nós queremos desenvolver produtos como filtros, combinadores, antenas digitais para rádio e televisão. Eu acredito que em cerca de dois meses comecem a surgir os primeiros produtos, que serão antenas digitais de UHF. De início, a produção será feita nos Estados Unidos e a montagem aqui no Brasil”, antecipa. Para Alex Perchevitch, presidente Jampro, as expectativas são as melhores possíveis porque a empresa vai trazer toda a sua experiência em termos de antenas, sistemas de banda larga e sistemas combinados. “Nós vamos usar a nossa experiência, mas também vamos trabalhar em conjunto com a Mectrônica para atender o mercado brasileiro e da América Latina. A Mectrônica tem uma longa tradição na criação de produtos muito conhecidos pelo mercado e isso já é uma referência de qualidade. Nós vamos auxiliá-los na produção de sistemas de transmissão que necessitam de profissionais altamente capacitados”, enfatiza.

As equipes da Mectrônica e da Jampro celebraram o sucesso da joint-venture durante a Broadcast & Cable 2011. No detalhe, Alex Perchevitch, presidente da Jampro, e Junior Avela, gerente geral do grupo brasileiro

Após a parceria, a Mectrônica deverá começar a produzir novos filtros, combinadores e antenas digitais para rádio e televisão

Página 90

broadcast&cable_REVISADA_final.indd 90

15/10/11 00:21


broadcast&cable_REVISADA_final.indd 91

15/10/11 00:21


Reportagem > Congresso SET 2011 Broadcast & Cable

Funcionalidade acima de tudo

Eduardo Soares, da DMS, e o Travelling de Palco com controle dos movimentos de pan, tilt e travelling, além zoom e foco

A

DMS levou seis lançamentos à Broadcast & Cable. Entre eles estava o Travelling de Palco, que pode ser usado em altares de igreja. “Este equipamento fica posicionado no chão e um operador, ao lado dele, faz os movimentos de pan, tilt e travelling, além zoom e foco. Tudo é controlado remotamente por um joystick”, explicou Eduardo Soares, diretor da DMS. O empresário falou também sobre as outras novidades da empresa, como um sistema de nivelamento rápido de trilhos, que faz o posicionamento na altura que for preciso – para travellings ou ligeirinhos. “Esse equipamento tem como objetivo nivelar o trilho de uma forma rápida e segura”, afirmou. O travelling sobre tripé Slider DMS era outra das novidades. Com ela é possível movimentar câmeras de até 13 quilos de forma bastante suave. “Para fazer isso, basta utilizar dois tripés de iluminação para dar apoio”. Para câmeras de menor porte – até 3 quilos, a DMS lançou um travelling motorizado. Este equipamento permite que o operador controle a velocidade em que deseja trabalhar e a distância desejada para que ele pare. Entre as principais aplicações deste equipamento está o processo cinematográfico onde cada fotograma ou quadro (frame) é tomado a uma velocidade muito mais lenta do que aquela em que o filme será reproduzido. “Esse tipo de recurso, usado em cinema, pode ser feito de maneira muito satisfatória com este equipamento”, comenta Eduardo. Na linha de produtos de baixo custo, a DMS apresentou um travelling flexível, ou seja, com uma borracha que, ao ser colocado no chão do set de filmagem, permite as mais variadas movimentações da câmera. “É possível fazer curvas, retas, Travellings e gruas também mudar de um ambiente para outro”. eram atrações do estande Página 92

broadcast&cable_REVISADA_final.indd 92

15/10/11 00:21


Lider mundial em Broadcast cinema e novas mídias • reportagens técnicas • cases de sucesso • novas tecnologias • making of completo de vídeos • produções cinematográficas e publicitárias • testes de produtos e análises técnicas dos mais renomados profissionais do mercado.

www.panoramaaudiovisual.com.br broadcast&cable_REVISADA_final.indd 93

15/10/11 00:21


Reportagem > Congresso SET 2011 Broadcast & Cable

Canon: do cinema até a fotografia

O estande da Debetec também tinha espaço para os tripés Libec e as objetivas da Canon, como o modelo da série HDgc, para captação em alta definição

A

lém das tradicionais objetivas para estúdio e externas, no estande da Debetec, distribuidora da Canon no Brasil, os destaques eram as câmeras DLSR 5D e 7D, que deixaram de ser utilizadas exclusivamente para fotografia e hoje estão presentes em sets de gravação e agências publicitárias de todo o mundo. As câmeras estavam dispostas em tripés e os visitantes podiam testar os equipamentos tanto para fazer fotos como filmagens. “As câmeras DSLR são uma opção de bom custo benefício para produtoras que não querem gastar com uma filmadora digital, mas precisam de filmes de qualidade”, explicou Victor Hugo, um dos responsáveis pela demonstração. O empresário lembra que a Canon 5D é um equipamento fullframe, com sensor de alta qualidade e flexibilidade que permite produções mais criativas. “A única diferença entre os modelos 5D e 7D é o tamanho do sensor da primeira, que é maior”, detalhou. No que diz respeito às objetivas para estas câmeras, o estande da Debetec destacava os modelos com distância focal fixa, com uma abertura maior. Entre os modelos tele, foi mostrado o EF 85mm f/1.2L. “Com essa lente é possível obter um grande desfoque, por causa da abertura e grande nitidez devido ao cristal que esse equipamento utiliza. É uma ótima opção para fazer fotos sem precisar de muita luz”, destacou. Entre as lentes zoom estava o modelo, a olho de peixe EF 8-15mm, com larga aplicação tanto para fotografia como para cinema, conforme lembra Victor Hugo. “Esta é uma lente que fotógrafos e cineastas procuram pela variedade de resultados. Com a lente de 8 mm é possível obter um resultado e com a de 15 mm outro totalmente diferente. Muitos profissionais buscam esse equipamento para filmar esportes radicais ou usar efeitos em partidas de futebol”, contou.

Detalhe da câmera Canon 5D, equipada com a lente Fish Eye 8mm-15mm: uma combinação muito procurada para esportes radicais

Página 94

broadcast&cable_REVISADA_final.indd 94

15/10/11 00:21


broadcast&cable_REVISADA_final.indd 95

15/10/11 00:21


Reportagem > Congresso CongressoSET SET2011 2011Broadcast Broadcast&&Cable Cable

TV digital além das capitais Depois dos grandes centros urbanos, a expansão da televisão digital enfrenta desafio de chegar a cidades menores. No debate coordenado por Paulo Canno, diretor técnico da TV Gazeta de Vitória (ES), foram apresentados projetos e ferramentas de planejamento para a cobertura usando reforçadores de sinal. por Fouad Mattuck e Fernando Gaio

O

primeiro a falar nesta sessão foi o engenheiro José Maria Martins, da TV Tribuna de Santos (SP), afiliada da Rede Globo. Ele apresentou os projetos de implantação do sinal DTV desenvolvidos pela emissora, que são baseados principalmente no uso de gap fillers (reforçadores de sinal). Partindo das primeiras etapas até a monitoração das áreas cobertas pela emissora, o engenheiro detalhou, por exemplo, o uso de softwares para predição da cobertura em variadas condições, para avaliar a recepção fixa (antena no telhado) e portátil (dentro e fora de casa). Também foram feitas simulações para escolha entre os sistemas de frequência única (SFN) sincronizada e não sincronizada (gap fillers), assim como soluções para isolamento de antenas (recepção/ transmissão) e medições de campo, entre outros quesitos. Estas simulações foram realizadas nas cidades de Praia Grande, Guarujá e Santos e a opção por gap filler ou reforçador de sinal deu-se primordialmente pelo relevo, pelos custos de implantação e pelo resultado obtido. Gap filler é a tecnologia que permite complementar uma área de cobertura com o preenchimento das áreas onde os sinais são fra-

cos por conta de algum tipo de obstáculo. Ele tem muitas vantagens, mas também limitações, conforme aponta o executivo da TV Tribuna. “Esta solução é perfeita em situações onde a antena de recepção é totalmente desacoplada da antena de transmissão, pois se uma parte significativa do sinal transmitido for recebida pela antena de recepção, podem ocorrer graves interferências no sinal recebido. Em sistemas COFDM com ISDB-Tb , isto pode facilmente ser identificado como um eco e medido por instrumentos”, detalhou Martins.

Recepção móvel Em outra fase da implantação, foram feitas medições massivas para verificar os parâmetros que garantem a sintonia de canais digitais por um receptor OneSeg. Nestas medições foram confrontadas as situações de cobertura projetada com a situação de cobertura real, para conhecer com precisão as localidades que necessitam do reforço de sinal. Estas medições foram feitas com equipamentos de medição instalados em um veículo simples, que substituíram os altos custos

Página 96

congressoSET2011_final.indd 96

15/10/11 00:27


congressoSET2011_final.indd 97

15/10/11 00:27


Reportagem > Congresso SET 2011 Broadcast & Cable

José Maria Martins, da TV Tribuna de Santos (SP) ressaltou a importância de avaliar a qualidade da recepção fixa e móvel e toda a área de cobertura exigidos por mapas detalhados sobre a ocupação do solo. O resultado destas medições foi exportado para o software GoogleEarth, onde foi possível ter a visão real da cobertura.

Análise da recepção Valderez Donzelli, da Adthec, apresentou um estudo sobre modelos de propagação e trouxe uma avaliação de cada tipo de recepção. O seu trabalho apresentou os parâmetros para cada tipo de recepção: Erx≥ 51 dBμV/m na recepção fixa externa; Erx≥ 79 dBμV/m na recepção fixa interna; Erx≥ 60 dBμV/m na recepção portátil externa; Erx≥ 83 dBμV/m na recepção portátil interna; Erx≥ 82 dBμV/m na recepção dentro de um veículo com antena integrada; e Erx≥ 96 dBμV/m na recepção dentro de um veículo com a antena interna. Donzelli realizou um estudo comparativo entre antenas para os diversos tipos de recepção, concluindo que, quanto à recepção externa, todas as antenas tiveram desempenho equivalente, ou seja, os sinais foram recebidos na totalidade dos pontos analisados. Com relação à recepção interna, ela constatou que as antenas de polarização elíptica tiveram melhor resultado que as de polarizações horizontal e vertical, individualmente. Sobre a recepção dentro de veículo o resultado foi parecido, concluindo que as antenas de polarização elíptica também obtiveram melhor resultados que as verticais e horizontais.

Para Paulo Feres, da TV Integração, a opção por micro-ondas terrestres tem a vantagem de apresentar o menor custo fixo dentre as opções disponíveis, permitindo que a manutenção do sistema fique a cargo da equipe de engenharia da TV

Os modelos de propagação foram apresentados por Valderez Donzelli, da Adthec

Opção pelas micro-ondas O último participante da discussão foi Paulo Feres, da TV Integração, afiliada da Rede Globo de Juiz de Fora (MG). Feres explicou como foi implantação da nova estrutura elétrica na sua emissora, que usa o conceito de dutovias, com calhas instaladas nos racks que evitam interferências do operador durante eventuais manutenções, além da dupla alimentação trifásica por rack, com duas réguas independentes em cada rack que alimentam equipamentos com fontes redundantes. Também compõem essa infraestrutura uma nova sala de quadros elétricos adequada à norma NR 10, dois no-breaks de grande porte, sendo um de 160kVA, para cargas essenciais e outro 80kVA, adequação da malha de aterramento, 2 grupos motogeradores de 375 kVA em paralelo, bem como uma nova subestação. Feres ainda apresentou em seu case, um estudo comparativo entre as opções de transmissão via satélite e por micro-ondas terrestres. No seu relato, entre as vantagens do satélite estão a abrangência de 100% de área de cobertura e a manutenção simplificada da distribuição de sinais. Já as desvantagens dos satélites apresentam uma lista maior. Entre elas estão a possibilidade de quebra do acesso condicional, necessidade de manutenção da rota analógica, colocar o sistema na mão de terceiros, depender da disponibilidade de segmento espacial na data da contratação e apresentar custo fixo mensal elevado com segmento espacial. Essa escolha também traz um custo fixo mensal com contratação de fibra ótica para o tráfego de sinais de contribuição, voz, dados, rede de edição e rede de engenharia entre as principais praças, segundo o engenheiro da TV Integração. Feres defende que a opção por micro-ondas terrestres tem a vantagem de apresentar o menor custo fixo dentre as opções disponíveis, permitindo que a manutenção do sistema fique a cargo da equipe de engenharia da TV, com possibilidade de terceirização e também disponibiliza tráfego de dados bidirecional no backbone, VoIP, videoconferência, rede corporativa, rede de edição, contribuição jornalísticas e controle. Mas a escolha pelas micro-ondas não traz apenas vantagens. As principais desvantagens dessa opção são eventuais indisponibilidades de espaço físico para montagem de sistemas digitais, principalmente em áreas alugadas de terceiros, e a alta ocupação de espectro na faixa de 7GHz, além de requerer prazo de implantação extenso. Ao final, Feres mostrou-se favorável às micro-ondas, pois embora tenha uma implantação mais cara (quase o dobro), o seu custo anual de manutenção é uma pequena fração dos gastos com satélites.

Página 98

congressoSET2011_final.indd 98

15/10/11 00:27


3_capa.indd 12 1 3_capa.indd 12

05/05/11 30/03/11 16:32 07:06 14/10/11 19:07


4_capa.indd 12

14/10/11 19:08

Profile for VP Group

Panorama Audiovisual Ed.08 - Outubro de 2011  

A revista Panorama Audiovisual e o site - www.panoramaaudiovisual.com.br - são dedicados aos técnicos, engenheiros, gerentes e diretores de...

Panorama Audiovisual Ed.08 - Outubro de 2011  

A revista Panorama Audiovisual e o site - www.panoramaaudiovisual.com.br - são dedicados aos técnicos, engenheiros, gerentes e diretores de...

Profile for vp_group
Advertisement