Page 1

INFORMATIVO DA FEDERAÇÃO DAS UNIMEDS DOS ESTADOS DE GOIÁS E TOCANTINS (FEGOTO)

NÚMERO 45 - ANO X / JUNHO/JULHO 2006

Bom começo Fegoto inicia suas atividades como operadora de planos de saúde duplicando a carteira de usuários das cooperativas absorvidas e visando a ampliação de participação no mercado goiano


2.

JUNHO/JULHO /2006

E C I D N Í

DR. JOSÉ ABEL XIMENES Presidente da Federação Goiás/Tocantins

EDITORIAL

Federação em ação A

Federação das Unimeds dos Estados de Goiás e Tocantins passa por um momento de profundas transformações e de grande atividade, que seguramente trarão importantes mudanças para melhor no cenário de nossas cooperativas associadas, de seus (suas) cooperantes, colaboradores e, em especial, para nossos clientes. Estamos passando por importante reestruturação organizacional orientada por um planejamento estratégico elaborado de forma participativa pelos nossos dirigentes e colaboradores. Todo este processo visa tornar a Federação ainda mais atuante no atendimento das demandas de nossas 18 Singulares, bem como nos qualificarmos ainda mais para exercermos com eficiência a nova tarefa de operadora de planos de saúde recentemente assumida por deliberação do nosso Conselho de Administração. As atividades de operadora da Fegoto têm até aqui sido coroadas de sucesso. Prova disso é que já conseguimos, em pouco mais de um ano, conquistar uma carteira de mais de 20.000 usuários. Estamos convencidos que, em breve, nos constituiremos na segunda operadora na nossa área de ação. O processo de reunificação do Sistema Unimed também tem exigido da atual diretoria muito esforço não apenas no campo político, mas principalmente nos ajustes operacionais de nossa estrutura para uma perfeita e harmônica integração com a Unimed do Brasil dentro desta nova realidade. O Sistema Unimed carece, há muito, de um diploma legal que possa garantir a harmonia nas

FEGOTO

As atividades de operadora da Fegoto têm sido coroadas de sucesso. Em pouco mais de um ano, conquistamos uma carteira de mais de 20 mil usuários relações entre as cooperativas que o compõem em todos os seus níveis: singulares, federações e confederações. Existe uma Constituinte elaborada há 12 anos que nunca conseguimos que fosse acatada e respeitada na grande maioria das vezes em que isto se fez necessário. Neste momento, está sendo reelaborada e adequada às inúmeras transformações que ocorreram nos cenários e estruturas onde está inserido o nosso cooperativismo de saúde Unimed. Temos procurado contribuir de forma crítica e propositiva neste importante trabalho da Unimed do Brasil. As nossas associadas também estão, cada qual a seu tempo, buscando se adequar e acompanhar estas e outras transformações que lhe dizem respeito dentro de suas especificidades. Na última reunião do Conselho de Administração, três delas tiveram oportunidade de mostrar o trabalho que cada uma está desenvolvendo dentro de sua área de ação. Nas matérias desenvolvidas no corpo de nosso jornal, todos (as) poderão se inteirar com mais profundidade deste trabalho. Como vocês podem ver são inúmeras as frentes de trabalho em que temos que atuar. Saudações cooperativistas

(Federação das Unimeds dos Estados de Goiás e Tocantins)

Rua 8-A, número 111, Setor Aeroporto, Goiânia - Goiás CEP 74075-240 - Fonefax (62) 3212 5100 - www.fegoto.com.br

DIRETORIA - FEGOTO Diretor Presidente „ Dr. José Abel Ximenes Diretor Administrativo-Financeiro „ Dr. Luiz Antônio Fregonesi Diretor de Mercado „ Dr. Jonas Ubirajara Husni

CARTEIRA AMPLIADA Em pouco mais de um ano de atuação como operadora de planos de saúde, a Fegoto já duplicou o número de usuários das cooperativas que passou a representar. O presidente José Abel Ximenes aborda as vantagens dessa nova função da Federação para os cooperados e usuários. 3

„

EXEMPLOS DE SUCESSO

„

Unimeds de Palmas, Catalão e Rio Verde relatam experiências e ações de sucesso que estão contribuindo para o fortalecimento de cada uma. Cases apresentados na reunião do Conselho de Administração servem de exemplo para as outras Singulares. 4

LEIA AINDA NESTA EDIÇÃO

Planejamento estratégico . . . . . . . .5 Cursos e eventos . . . . . . . . . . . . . . .6 Entrevista . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7

JORNAL DA FEDERAÇÃO Órgão informativo da Fegoto

As matérias assinadas são de responsabilidade de seus autores e não refletem, necessariamente, a opinião do Jornal da Federação

(Número 45 Ano X - Junho/Julho 2006)

„ Jornalista Responsável: Rosane Rodrigues da Cunha MTb 764/JP Fone (62) 9975 4316 rosane.cunha@terra.com.br „ Diagramação e arte: Fábio Salazar „ Tiragem: 5 mil exemplares „ Periodicidade: Bimestral


3.

JUNHO/JULHO /2006

OPERADORA

Carteira da Fegoto já conta com 20 mil usuários Desde que passou a atuar como operadora de planos de saúde, há cerca de um ano, a Fegoto já duplicou a carteira de usuários das Singulares absorvidas

A

provado pelo Conselho de Administração da Fegoto, o processo de transformação da Federação em operadora de planos de saúde teve início há cerca de um ano. O primeiro passo da nova operadora foi a absorção das carteiras das Unimeds do Vale do São Patrício, Porangatu, Goianésia e Norte Goiano, que passaram a atuar como prestadoras de serviços de saúde.

Ximenes: contratos regionais possibilitam ampliação da carteira

A Fegoto assumiu essas carteiras com aproximadamente 9 mil usuários. Em julho, esse número já estava em torno de 20 mil. O aumento, segundo o presidente da Federação, José Abel Ximenes, revela que a nova operadora está no rumo certo e caminha para ocupar o segundo lugar entre as operadoras de sua área de ação. A possibilidade de negociação com empresas de grande porte, que têm filiais em várias cidades goianas, é apontada pelo presidente da Fegoto como um dos instrumentos que permitiu a ampliação da carteira. "Ao negociar com a Federação, a empresa pode assinar um contrato beneficiando seus empregados em várias cidades", exemplifica Ximenes. Ele explica que negociação com as

pequenas cooperativas não permitia esse tipo de acordo. Segundo o presidente da Fegoto, o contrato regional é mais vantajoso para os cooperados e para a empresa contratante, que consegue negociar descontos e coberturas maiores. Assumindo o papel de operadora no lugar de cooperativas de menor porte, a Fegoto, de acordo com Ximenes, também ganha know-how e se qualifica melhor para assessorar as Singulares. Ele observa que a tendência atual do mercado é a redução do número de operadoras de planos de saúde e uma alternativa para as cooperativas com menos de 20 mil usuários continuarem atuando e ganharem competitividade é transferir a operação de seus planos para a Federação, que já demonstra ter capacidade para desempenhar bem a nova função.

as dificuldades por elas enfrentadas. Também ouviu críticas e sugestões sobre o trabalho da Federação. Com essas visitas, que vão se estender a todas as 18 federadas de Goiás e do Tocantins, Ximenes quer aproximar mais a Federação das cooperativas, conhecer a realidade de cada uma e saber o que elas esperam da Fegoto. Com base nessas informações, segundo ele, a Fegoto pretende ampliar suas ações de apoio logístico e operacional às federadas e de fortalecimento do cooperativismo médico

em Goiás e no Tocantins. "Queremos reforçar o princípio básico do cooperativismo de que a união faz a força", declara Ximenes. Entre os assuntos discutidos nas reuniões já realizadas e previstos na pauta dos próximos encontros está a volta da Federação à Unimed Brasil . Em solenidade realizada na sede da Unimed do Brasil, o presidente da Fegoto, representando as Unimeds filiadas, assinou o retorna da Federação.

VISITA

Presidente visita Singulares

O presidente da Fegoto, José Abel Ximenes, iniciou em julho pelo Sudoeste do Estado uma série de visitas técnicas às cooperativas federadas. No dia 14, acompanhado do gerente Administrativo e Financeiro da Federação, Fábio Oliveira, Ximenes esteve nas Unimeds de Jataí e Rio Verde, onde foi recebido pelos presidentes Carlos

Eduardo Cintra e Martúlio Nunes Gomes, respectivamente. No dia anterior, Ximenes reuniu-se na sede da Fegoto, em Goiânia, com o presidente da Unimed de Mineiros, Célio Rezende Machado. Em todos os encontros, Ximenes conversou com os diretores das cooperativas, ouviu relatos sobre os trabalhos desenvolvidos pelas Singulares e

NOVA SEDE

Unimed Anápolis está de casa nova A Unimed Anápolis, que completou 16 anos em março, está de casa nova e própria. Inaugurada no dia 7 de julho, a nova sede é considerada uma das mais modernas e completas do Sistema Unimed. O prédio, que ocupa um área de 2 mil metros quadrados no Centro da cidade, abriga toda a administração da Unimed Anápolis, a Unicred e a Univendas. Iniciada em maio de 2002, na

Unimed Anápolis: nova sede tem projeto arrojado e evidencia a força do cooperativismo gestão de Jonas Ubirajara Husni, a construção da sede própria tem um gosto de vitória para seus idealizadores.

É que, de acordo com o presidente Danúbio Antônio de Oliveira, todos os recursos para execução da obra vieram

da contribuição mensal dos cooperados. Ao todo foram gastos R$ 2,6 milhões na execução de um projeto arrojado e voltado para os interesses dos usuários, cooperados e colaboradores. Já na fachada, os painéis de vidro espelhado dão um ar futurista à sede que possui três pavimentos e conta com estacionamento e um anfiteatro com 200 lugares. Com a nova sede em pleno funcionamento, a Unimed Anápolis que conta atualmente com cerca de 25 mil usuários e 290 médicos cooperados, além de serviços credenciados de diagnóstico e terapia - espera intensificar suas atividades de assistência médico-hospitalar, serviço de medicina preventiva e responsabilidade social.


4.

JUNHO/JULHO /2006

CASES

Cooperativas apresentam casos de sucesso

A

última reunião do Conselho de Administração da Fegoto, realizada no dia 8 de julho, em Goiânia, teve um espaço dedicado a apresentações e relatos de experiências adotadas pelas federadas. Os presidentes das Unimeds de Catalão, Palmas e Rio Verde destacaram

resultados positivos de ações desenvolvidas em suas cooperativas nos últimos anos. Segundo o presidente da Fegoto, José Abel Ximenes, com essas apresentações, que passam a fazer parte de pautas de reuniões do conselho, a Federação quer

melhorar a troca de experiências entre as federadas, possibilitando que umas aprendam com os acertos e, também, com os erros das outras e estimulando a multiplicação de ações de sucesso entre elas. Confira um pouco dos cases das três Singulares:

Catalão muda para crescer

Palmas aceita desafio e amplia atendimento Em 2002, a Unimed Palmas, fundada em 1992 e na época com menos de 20 mil usuários, viu-se diante da possibilidade de ampliar sua carteira com a prestação de serviços aos funcionários do Governo do Tocantins. A cooperativa, que já atendia pequenos grupos de servidores estaduais, tinha a chance de estender essa assistência a todos os funcionários da capital e outros municípios de sua área de abrangência. O desafio era ousado, mas a Unimed Palmas decidiu enfrentá-lo. Em parceria com a Confederação Unimed Centro Oeste e Tocantins, iniciou as negociações com o governo tocantinense para a elaboração do PlanSaúde. O contrato para o atendimento aos funcionários públicos estaduais e a seus dependentes foi assinado em 2004, abrangendo também a prestação de serviços pelas Unimeds Gurupi e Araguaína. Juntas, as três cooperativas passaram a contar com mais 85 mil usuários. Só a Unimed Palmas teve um aumento de 43 mil vidas em sua carteira. "Não tínhamos condições para arcarmos sozinhos com o atendimento a todos os funcionários estaduais, mas com o apoio da Confederação, que venceu a licitação feita pelo Governo de Tocantins, assumimos essa assistência", explica o

SAU: serviço supriu carência de hospitais e melhorou atendimento presidente da Unimed Palmas, Léo Antônio Godinho. Na apresentação desse case na Fegoto, ele destacou que para a concretização de um empreendimento do porte do PlanSaúde foi necessária muita coragem, esforço e dedicação, uma vez que estava em jogo a credibilidade do Sistema Unimed no Estado do Tocantins. Dois anos depois, Godinho comemora o sucesso do projeto, que aumentou a oferta de trabalho aos 260 cooperados de Palmas. A implantação do Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU) de Palmas foi outra experiência positiva destacada por Godinho e que vem ajudando a suprir a carência de hospitais na capital tocantinense e a melhorar o atendimento aos clientes da cooperativa. O SAU funciona em um prédio alugado, com consultórios, salas de observação, farmácia, salas de atendimento de urgência e um laboratório terceirizado. No local, são realizados, em média, 2,5 mil atendimentos por mês. "O SAU tem como objetivos principais a triagem, avaliação médica, observação e consultas dos pacientes, tendo como conseqüência uma redução da sobrecarga do sistema público e privado de saúde", diz, acrescentando que a próxima meta da Unimed Palmas é construir seu hospital.

As cooperativas de trabalho médico, assim como qualquer empresa prestadora de serviços de saúde, precisam buscar sua eficiência e se adaptar às exigências do mercado para não serem superadas. Foi a partir deste conceito que o presidente da Unimed Catalão, José Egídio de Assis Brasil Júnior, decidiu fazer uma verdadeira revolução na cooperativa para torná-la mais ágil, eficiente e capaz de competir no mercado em condições de igualdade com outras operadoras. As mudanças tiveram início com a definição do Planejamento Estratégico da cooperativa, que começou a ser posto em prática há dois anos. As ações voltadas para a busca do equilíbrio financeiro, organização interna, melhoria da qualidade dos serviços e definição de metas de crescimento mexeram com toda a estrutura da Unimed Catalão. "Foi um processo doloroso, mudamos paradigmas, reorganizamos a cooperativa e eliminamos o que não servia mais", diz José Egídio, responsável pela apresentação do case de Catalão. Ele compara o trabalho realizado na cooperativa à arrumação de um armário. "Tiramos

tudo do lugar para depois organizar as coisas", diz, acrescentando que os funcionários também foram atingidos por esse processo de mudança. A cooperativa passou a exigir mais dinamismo, participação e melhor desempenho de seu quadro de pessoal. Em contrapartida, concedeu incentivos salariais e outras vantagens trabalhistas. A Unimed Catalão também está implantando um projeto de estímulo à criatividade do funcionário. Por meio de incentivos, premiações, palestras motivacionais e de um trabalho de conscientização permanente, a Unimed Catalão quer que seus funcionários assumam uma postura de vencedores. A diretoria da Singular também está envolvida neste processo de profissionalização e melhoria do funcionamento da Unimed Catalão, que conta com 60 funcionários, 84 cooperados e cerca de 18,5 mil usuários. "Todos os nossos diretores têm pósgraduação em gestão", diz José Egídio, que acredita que o modelo adotado com sucesso pela Unimed Catalão pode ser seguido por outras cooperativas.

Diferenciais da Unimed Rio Verde conquistam usuários Partindo do princípio que o usuário está cada vez mais exigente, a Unimed Rio Verde, desde sua fundação em 1992, tem procurado oferecer o melhor a seus clientes. A Unimed Lar (um serviço de acompanhamento domiciliar por uma equipe multiprofissional), a Usimed (farmácia que oferece produtos e serviços a preços mais acessíveis) e o Aeromed (um completo atendimento aeromédico com apoio em todas as regiões do País) são alguns diferenciais dos planos oferecidos pela Unimed Rio Verde a seus quase 20 mil usuários. O resultado positivo desse trabalho traduz-se no crescimento constante da carteira da cooperativa. Um aumento que

tem estimulado a Unimed a buscar seu desenvolvimento sustentável, criando novos produtos, agregando valores aos existentes e identificando rendimento em outros. O case, apresentado pelo presidente Martúlio Nunes Gomes, também abordou uma das principais políticas internas da Unimed Rio Verde: a busca por aprimoramento e capacitação de seu corpo de colaboradores. Ele citou ainda a importância das ações de responsabilidade social da cooperativa, que desenvolve projetos voltados para entidades, como Associação de Apoio ao Menor Joana de Angelis, o Grupo de Apoio a Dependentes Químicos Nova Vida e o Projeto Berço de Luz.


5.

JUNHO/JULHO /2006

RECURSOS HUMANOS

Planejamento estratégico vai definir funções do quadro de pessoal Com o organograma reorganizado, o momento agora é de definição das funções de cada setor e do perfil dos profissionais que vão executá-las

O

planejamento estratégico da Fegoto entrou em uma nova fase com relação ao quadro de pessoal da instituição. Após a reorganização do organograma da Federação, que descentralizou a gestão e deu maior autonomia ao desenvolvimento das áreas, o trabalho agora está voltado para a descrição das atividades, definição das funções e identificação dos requisitos necessários para o exercício de cada uma delas. Ou seja, o momento é de definir os papéis de cada setor e o perfil e formação dos profissionais que vão executá-los. Como todas as etapas do planejamento estratégico já desenvolvidas, essa também está sendo executada de forma democrática, com

Professor Moacir: planejamento adota metodologia democrática a participação dos diretores e funcionários da Fegoto. Com 17 anos de experiência no Sistema Unimed, o consultor organizacional responsável pelo planejamento estratégico da Federação, professor Moacir Martins Júnior, diz que poderia simplesmente definir as funções de cada área e

apresentar esse quadro aos trabalhadores para que se adequassem às exigências. "Mas, optamos pela metodologia que prevê a participação de todos na construção desse quadro", diz o professor, certo de que o envolvimento dos funcionários no processo, reforça o comprometimento de todos com o sucesso e o crescimento da Fegoto. O planejamento estratégico inclui, também a elaboração do Plano de Cargos, Salários e Carreira da Fegoto. O professor ressalta que não se trata de um trabalho simples, principalmente a definição do Plano de Carreira. "Em uma cooperativa, esse é um tema complexo, pois os cargos da diretoria só podem ser ocupados por cooperados, o que limita o crescimento do funcionário", declara o consultor, que junto com os diretores e funcionários da Fegoto vai buscar a melhor estratégia para garantir o bemestar e crescimento dos trabalhadores da Federação e a participação de todos no desenvolvimento da entidade, cumprindo, assim, um dos objetivos do planejamento estratégico.

Pesquisa avalia o que Singulares esperam da Federação O que as cooperativas representadas pela Fegoto esperam da Federação em termos de desenvolvimento profissional e de capacitação? Essa pergunta foi feita a todas as Singulares federadas por meio de um questionário enviado em julho. As respostas já estão sendo avaliadas e vão embasar novas ações do Centro de Desenvolvimento Profissional (Cedep) da Fegoto, cuja criação faz parte do planejamento estratégico da Federação, que foi concluído em dezembro de 2005 e começou a ser colocado em prática em janeiro deste ano.

A criação do Cedep visa a atender à missão da Fegoto de promover e apoiar a integração e o desenvolvimento das Singulares. Segundo o professor Moacir Martins Júnior, responsável pelo planejamento estratégico, a análise dos questionários deve ser concluída até setembro, quando as respostas serão enviadas às Singulares. Mas o resultado dessa análise chegará às federadas não apenas em forma de palavras, mas também de ações. A partir das respostas recebidas, o Cedep vai elaborar seu plano anual de capacitação

profissional para as Singulares. O professor adianta que esse plano deve incluir cursos em várias áreas do conhecimento administrativo, priorizando o atendimento às carências apontadas pelas Singulares no questionário. O plano de capacitação será voltado para os diretores, cooperados e funcionários da Fegoto e das Singulares. "Todos devem estar envolvidos neste projeto de integração do sistema", diz Moacir Martins Júnior.

PERSONAGEM

Eliomar Rocha é o novo consultor da Fegoto Formado em Ciências Contábeis pela Faculdade Anhanguera - atual Unigoiás Eliomar Rocha passou a integrar o grupo de colaboradores da Fegoto em 1995. Durante 11 anos, atuou nas áreas de contabilidade e consultoria, dando uma importante contribuição à Federação. Em junho deste ano, Eliomar, que é pós-graduado em Gestão de Cooperativas e Direito Cooperativo, passou a atuar na Fegoto exclusivamente na prestação de consultoria. Bastante dedicado ao trabalho, ele revela que está sempre em busca do aperfeiçoamento profissional, inclusive na área de cooperativismo. Mas, quem vê a dedicação de Eliomar a seu trabalho como consultor, não imagina que ele tem na sala de aula outra grande paixão profissional. Há 16 anos, Eliomar é professor dos cursos de Ciências Contábeis e Administração de Empresas. Atualmente, ele é professor na Universidade Estadual de Goiás (UEG) e na Universidade Paulista (Unip), onde ministra as disciplinas de Contabilidade, Análise de Balanços, Perícia Contábil e Ética Profissional. Tantos anos dedicados a cálculos ajudam Eliomar a administrar bem o seu tempo. "Às vezes, o dia para mim parece ter muito mais que 24 horas", diz ele, que mesmo com tantos afazeres, não abre mão do lazer. O tempo livre é dividido entre a mulher Helena e as filhas Carolina, de 24 anos, e Cristiane, 21, ambas estudantes universitárias.

Eliomar Rocha: 11 anos de dedicação à Fegoto


6.

JUNHO/JULHO /2006

XV SUECO

Goiás vai sediar o XV Sueco

A décima quinta edição do Simpósio das Unimeds do Centro-Oeste e Tocantins (Sueco) será realizada em novembro, em Caldas Novas, e vai abordar temas atuais sobre o cooperativismo

C

erca de 400 pessoas devem participar do XV Sueco (Simpósio das Unimeds do Centro-Oeste e Tocantins), que será realizado entre os dias 2 e 4 de novembro em Caldas Novas - famosa estância hidrotermal goiana, distante 165 quilômetros de Goiânia. No primeiro dia do evento, que acontecerá

no Centro de Convenções Di Roma, serão ministrados quatro cursos sobre temas atuais relacionados ao cooperativismo. À noite, às 20 horas, o ex-ministro da Agricultura e ex-presidente da Organização Internacional de Cooperativas Agrícolas, Roberto Rodrigues, fará a conferência magna de abertura oficial do simpósio. Paralelamente, acontecerá a abertura de uma feira de produtos e serviços das áreas de saúde e cooperativismo, que também será realizada no Centro de Convenções Di Roma. No segundo dia do evento, serão

ministradas duas palestras no período da manhã. À tarde, será destinada à realização de mesas redondas e debates e à noite haverá um jantar dançante, já tradicional nos Simpósio das Unimeds do Centro Oeste e Tocantins, que acontecem anualmente. A última edição, em 2005, foi realizada em Bonito (MS). Uma palestra com enfoque motivacional vai marcar o encerramento do XV Sueco no dia 4, quando também acontecerá o almoço de confraternização dos participantes. A programação completa do XV Sueco será divulgada nas próximas edições do Jornal da Federação. A expectativa da Fegoto, responsável pela organização do evento, é que o XV Sueco proporcione aos participantes a oportunidade de debater temas atuais de interesse do setor e de se preparar para enfrentar os desafios do próximo ano.

36ª Convenção Nacional vai enfocar a liderança da Unimed Tendo como tema central "Unimed, liderar é a nossa atitude", a 36ª Convenção Nacional Unimed será realizada em Campos do Jordão (SP) entre os dias 30 de agosto e 2 de setembro. Nestes três dias, cooperados unimedianos de todo o País vão debater temas relacionados à posição da Unimed como campeã da preferência do consumidor e líder do mercado brasileiro de operadoras de serviços de saúde. A partir de um roteiro similar ao de um programa televisivo, com debates,

reportagens e entrevistas, os convencionais vão discutir os desafios enfrentados pela Unimed para assumir esta liderança, fidelizar clientes e manter-se neste patamar. Um dos

assuntos que será abordado é a gestão de custos assistenciais. Temas políticos, jurídicos, estratégias de mercado, marketing e relacionados à tecnologia da informação, entre outros, também serão enfocados na 36ª Convenção Nacional, que contará ainda com cursos, encontros, apresentações de experiências de sucesso no Sistema Unimed, a entrega de prêmios e uma feira de negócios. Para obter mais informações sobre a convenção, acesse o site www.unimed.com.br/convencao2006.

Juiz nega liminar e mantém resultado da eleição na Fegoto O juiz Sérgio Mendonça de Araújo, da 12ª Vara Cível de Goiânia, concedeu despacho negando a concessão da tutela cautelar pleiteada pela Unimed Goiânia, que tinha protocolado

uma ação pedindo a anulação da eleição que escolheu a nova diretoria da Fegoto. O juiz entendeu que a concessão da liminar - e, conseqüentemente, a realização de outro pleito eleitoral

- acarretaria graves prejuízos à Federação. A decisão do juiz garantiu integralmente os efeitos da última eleição. O mérito da causa será julgado em outro momento processual.

ANOTE NA AGENDA Fegoto promove encontro e workshops A Fegoto vai promover no dia 16 de „ setembro, em sua sede em Goiânia, o 1º Encontro de Auditores de Goiás e Tocantins. Nos dias 2 e 3 de novembro, durante o XV Sueco, em Caldas Novas (GO), a Federação promoverá, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado de Goiás (Sescoop/GO), dois novos workshops nas áreas jurídica e administrativa. Confira as programações dos workshops e faça já sua inscrição:

Workshop Jurídico CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

zGerenciamento e mediação de conflitos zConceito de conflito z Cenários de conflitos zMediação z Apredizado com o conflito PÚBLICO ALVO:

Dirigentes, gerentes, supervisores, assessores jurídicos, advogados e encarregados NÚMERO DE VAGAS: 30

Workshop para Executivos CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

zGerência de Risco Saúde z Métodos numéricos para gestão de riscos z Módulos de sistema de gerenciamento de riscos z Análise econômica em saúde z Promoção da saúde como ferramenta de gestão PÚBLICO ALVO:

Dirigentes, gerentes, supervisores NÚMERO DE VAGAS: 30 MAIS INFORMAÇÕES:

falar com Irene pelo telefone (62) 3212 5000 ou pelo e-mail irene@fegoto.com.br INSCRIÇÕES: www.fegoto.com.br

PROAGE róxima edição do Jornal Na p nfira a o, co da Federaçã Programa „ do io íc in o cobertura d presarial

e Gestão Em Avançado d movido pela Fegoto pro (PROAGE), profissionais da área ra a p o d e volta e. d ú da sa


7.

JUNHO/JULHO /2006

Entrevista

CELSO BARROS

“Constituição deve organizar a atual estrutura do Sistema Unimed” Iniciado em fevereiro deste ano, o processo de revisão da Constituição Unimed encontra-se em fase final. Fruto de uma ampla e democrática consulta às cooperativas de todo o Brasil e de uma análise detalhada que está sendo realizado por uma comissão nomeada pelo Conselho Confederativo, a proposta final deve ser votada na 36ª Convenção Nacional Unimed. A expectativa do Como está o processo de revisão da Constituição Unimed? „ O processo de revisão da Constituição Unimed, iniciado em fevereiro de 2006, encontra-se agora na fase final. O trabalho começou com uma vasta troca de comunicações entre a Unimed do Brasil e as cooperativas, que resultou no envio de diversas propostas. Para analisá-las e também para estudar com profundidade a atual Constituição, o Conselho Confederativo nomeou uma comissão formada pela drª. Climênia Z. Del Fraro Rabelo, da Federação Intraf. Regional Sul de Minas; dr. Dalmo Claro de Oliveira, da Federação Santa Catarina; dr. Eudes de Freitas Aquino, da Federação São Paulo; dr. Gerson Thomé Marino, da Federação Espírito Santo; e dr. Joaquim Martins Spadoni, da Federação Mato Grosso, e coordenada pelo diretor de Administração e Estratégia da Unimed do Brasil, Luiz Carlos M. Palmquist. Essa Comissão trabalha sozinha? „ O trabalho é em conjunto com o Grupo de Estudos Estratégicos da Confederação (Getest) composto pelo dr. Manoel de Almeida Neto, da Federação Paraná; dr. Carlos A. Cardim de Oliveira, do Portal Unimed; Alfredo B. Martini Neto, da Fundação Unimed; dr José Cláudio R. Oliveira, José Bento de Oliveira, Luiz Eduardo Barreto Perez e Mauro Back , da Unimed do Brasil; e Virginio Sanches, da Unimed do Brasil/Unimed Rio. Com o apoio desse grupo, a Comissão formatou um ante-projeto com diversas propostas e considerações, que foi levado à discussão do Conselho Confederativo, em sua última reunião realizada em 19 de junho. Depois, o grupo voltou a se reunir para debater ajustes nos termos da Constituição e indicar os destaques a serem submetidos novamente ao Conselho

presidente da Unimed do Brasil, Celso Barros, é que essa revisão contribua para a organização da atual estrutura do Sistema Unimed. Nesta entrevista ao Jornal da Federação, Celso Barros fala sobre o processo de revisão da Constituição, sobre a reunificação do Sistema e o fortalecimento da marca Unimed.

“A Unimed do Brasil, por meio das Federações e dos seus órgãos consultivos, deve intensificar o acompanhamento das Unimeds e, eventualmente, promover intervenções para auxiliar a correção de erros e deficiências, buscando impedir que a ANS o faça.” Confederativo e, posteriormente, à Plenária da 36ª Convenção Nacional Unimed, agendada para o período de 30 de agosto a 2 de setembro, em Campos do Jordão. Quais são as principais mudanças que o senhor espera dessa revisão? „ Com 72 artigos, a Constituição Unimed teve sua última alteração em 1998, quando foi revista para atender as exigências surgidas com a regulamentação dos planos de saúde. Desta vez, as alterações visam principalmente adequar seu conteúdo ao novo momento vivido pelo Sistema Unimed a partir da reintegração política. O foco principal da mudança é a organização da atual estrutura do Sistema Unimed. Uma das teses, entre outras, é ofertar um melhor acompanhamento às cooperativas, não apenas reforçando esse acompanhamento, mas aprofundandoo e tornando-o mais freqüente para que se possa manter o Sistema no atual nível de desenvolvimento. A proposta, portanto, é que a Unimed do Brasil, por meio das Federações e dos seus órgãos consultivos, intensifique o acompanhamento das Unimeds e, eventualmente, promova intervenções no sentido de auxiliar a correção de erros e deficiências, buscando impedir que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) o faça. Que benefícios essas mudanças

Celso Barros: presidente da Unimed do Brasil devem trazer para o Sistema? „ Como principal benefício, pode-se apontar a criação da Câmara Arbitral, que será responsável por atuar em qualquer tipo de "pendência" entre um cooperado e uma determinada singular; ou entre uma singular e outra; ou ainda, entre uma singular e Federação. Esta Câmara será formada por dirigentes e técnicos das Singulares e Federações indicados por elas mesmas e eleitos pelo Conselho Confederativo da Unimed do Brasil. A reunificação do Sistema Unimed já é um fato concreto? „ Os retornos das Federações Goiás Tocantins, Paraíba, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal e Região Metropolitana, além da Confederação Centro-Oeste Tocantins, que aconteceram no primeiro semestre deste

ano, praticamente encerraram o processo de reunificação total do Sistema Unimed. Para que esse compromisso - assumido desde meu primeiro mandato à frente da Confederação, em 2001 - seja cumprido faltam apenas cerca de 9 mil médicos cooperados e 800 mil usuários. Que avaliação o senhor faz do atual momento vivido pelo Sistema Unimed? „ O momento que vivemos hoje é de quem acreditou que ter uma marca forte era importante. Estamos caminhando para a possibilidade de um direcionamento único às diversas ações que vêm sendo empregadas em todo o Brasil para manter o Sistema Unimed competitivo no mercado de saúde suplementar, tanto nos aspectos operacionais, como de comunicação, marketing, responsabilidade social, jurídico e político.


Venha com a sua família sentir este clima de paz e natureza A mata é linda,

INFORMAÇÕES E VENDAS: Veneza Imóveis (3533 9900); Visão 2000 (3212 8048); e Imobiliáária Parthenon (3259 8404).

INFORME PUBLICITÁRIO

RI:7829

uma vegetação virgem de cerrado e mata original, com cajuzinhos, pequizeiros, jatobás, gabirobas e araçás, e cortada pelos caminhos do silêncio e da paz: trilhas com placas onde aparece a poesia de Drummond, Vinícius de Morais, Cecília Meireles, Cora Coralina e tantos outros. São caminhos que provocam o prazer e a reflexão, onde se pode andar livremente, respirando ar puro e sentindo o clima de sossego. Essas são algumas das marcas do Condomínio Ecológico Mansões Morumbi, no caminho dos principais condomínios horizontais da grande Paz e natureza no seu quintal Goiânia, na saída para Bela Vista. O Condomínio Ecológico Mansões Murumbi fica a 15 minutos do Shopping Flamboyant, Carrefour e Wall Mart, pela GO-020, ou passando pelo Parque Atheneu, com 4 opções de trajeto. Trata-se de um condomínio especial, com 13 alqueires de reserva ecológica permanente, onde serão construídas 5 represas, quadras esportivas e um playground para diversão de crianças e adultos. A infra-estrutura, incluindo o asfalto, que já foi iniciado, será toda implantada, com água e energia. A segurança é garantida por um muro com 3 metros de altura, mais cerca elétrica em todo perímetro e portaria 24 horas com câmeras de vídeo. Haverá ronda permanente com duas motos e dois carros. Em breve, começa a construção da portaria. A estas condições de segurança e à natureza exuberante se juntam as condições facilitadas para comprar e construir a sua morada, ou a sua casa de campo, a 5 minutos do conjunto comercial do Parque Atheneu, onde se encontram mercadinhos, farmácias, borracharias e outros serviços. São lotes que variam de 1.320 a 4.047 m2, com a menor área mínima construída exigida entre condomínios fechados: 75 m2. Um terreno neste paraíso protegido pode ser seu por apenas R$ 315,56 por mês. Vale a pena conhecer. Este lugar de paz e natureza poderá ser o seu quintal.


Jornal da Federação - n.45 (2006)  

Jornal n.45, jun./jul. 2006

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you