__MAIN_TEXT__

Page 1

informa INFORMATIVO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO • 22/set a 09/out de 2016 | nº 515

Biodiversidade é o tema central do 67º Congresso Nacional de Botânica Esta é a primeira vez que o Espírito Santo vai sedia o evento, considerado um dos mais importantes do País Foto: André Paviotti Fontana

Ufes e a Sociedade Botânica do Brasil (SBB) realizam entre os dias 25 e 30 de setembro, no Centro de Convenções de Vitória, o 67º Congresso Nacional de Botânica (CNBot). O evento tem o objetivo de proporcionar discussões científicas sobre os temas relacionados à botânica no cenário nacional e internacional, além de estimular a produção de conhecimento. Essa será a primeira vez que o Estado sedia o Congresso Nacional de Botânica, considerado um dois mais importantes eventos científicos do País. Com o tema “Conectando diversidade, revelando o desconhecido”, o Congresso contará com uma programação diversificada, enfatizando temas que afetam diretamente a população, como o uso da vegetação para o controle da erosão, avanços e perspectivas de estudo em biologia floral e reprodutiva, e mudanças climáticas, entre outros. “Esperamos que haja produtivos debates em torno da biodiversidade nacional, com ênfase na diversidade botânica do Espírito Santo. Também esperamos trazer novos modelos e técnicas de conservação e manejo da flora

A

brasileira, especialmente no que diz respeito à conscientização da população para a preservação dos poucos remanescentes florestais que ainda restam no País”, destaca a professora do

Departamento de Ciências Biológicas da Ufes e presidente do 67º Congresso, Luciana Dias Thomaz. A programação completa está disponível no site www.67cnbot.com.br .

Ufes melhora de posição no Ranking Universitário Folha A Ufes subiu três posições no Ranking Universitário Folha (RUF-2016), um estudo organizado pelo jornal Folha de S. Paulo desde 2012. No resultado, publicado no dia 19 de setembro, a Ufes ficou na 27ª posição entre as 195 universidades do país; uma evolução em relação aos anos anteriores, que foram da 32ª, em 2012; 34ª, em 2013; 31ª, em 2014; e 30ª, em 2015. Entre as instituições federais, a Uni-

versidade ficou na 19ª posição. A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) foi a primeira colocada. A lista completa das 195 universidades pode ser acessada no site http://ruf.folha.uol.com.br/2016/ A nota geral da Ufes foi de 78,35, e os cursos que mais se destacaram este ano foram Educação Física, que passou da 65ª posição em 2015 para a 17ª em 2016; e Agronomia, passando da 20ª para a 17ª posição entre os cursos da área no país.

Segundo o reitor Reinaldo Centoducatte, o resultado é reflexo dos avanços implementados. “A perspectiva é que nos próximos rankings melhoremos de posição, pois este último utiliza dados de 2012 a 2014, e tivemos um bom aumento de contratações e publicações de doutores/ pesquisadores nos últimos anos”, afirma.


agenda acadêmica fes, do Departamento de Física Informações: site@cosmo-ufes.org ou www.cosmo-ufes.org/jpbcosmo

I Encontro de Profissionais da Área da Educação de Surdos Data/hora: 23 de setembro, às 8h Local: Auditório Aílton Pedreira da Silva, no Centro de Ciências Exatas (CCE) - campus de Goiabeiras Realização: Núcleo de Acessibilidade da Ufes (Naufes) Informações: 3335-2197 ou naufes. ufes@gmail.com IV Seminário pela Prevenção do Suicídio Data/hora: 23 e 24 de setembro Local: Dia 23 no Cineteatro da Universidade de Vila Velha (UVV) e dia 24 no auditório Manoel Vereza, no Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE) campus de Goiabeiras Realização: Núcleo de Estudos em Ciência e Espiritualidade da Ufes (Nece/ Ufes), Associação de Terapia Familiar do Espírito Santo (Atefes) e Centro de Valorização da Vida (CVV)

Encontro The Dark Sector of the Universe (O Setor Escuro do Universo) - Escola de Cosmologia José Plínio Baptista Data/hora: 25 a 30 de setembro, às 8h30 Local: Aroso Paço Hotel - Pedra Azul (haverá transporte de ida e volta, com saída da Ufes) Realização: Grupo de Pesquisa Cosmo-U-

XLVIII Simpósio Brasileiro de Pesquisa Operacional (SBPO 2016) Data/hora: 27 a 30 de setembro, às 16h30 Local: Auditório Manoel Vereza, no Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE) e Teatro Universitário – campus de Goiabeiras Realização: Ufes, Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) e Sociedade Brasileira Pesquisa Operacional (Sobrapo) Informações: 4009-2122 ou sbpo2016ufes@gmail.com

Local: Auditório Ieda Aboumrad - prédio IC-IV do Centro de Educação - campus de Goiabeiras Informações: www.filosofia.ufes.br

V Ciclo de Palestras do Laboratório de Estudos sobre o Império Romano (Leir -Ufes) – Religião, Magia e Poder no Mediterrâneo Antigo Data/hora: 03 e 07 de outubro Local: Centro de Ciências Humanas e Naturais - campus de Goiabeiras Realização: Leir-Ufes, Programa de PósGraduação em História e Programa de Pós-Graduação em Letras Informações: es-leir@gmail.com ou 4009-7641

Semana Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes Data/hora: 28 e 30 de setembro, às 10h Local: Auditório Rosa Maria Paranhos, no Centro de Ciências da Saúde - campus de Maruípe Realização: Hospital Universitário Cassiano Antonio Moraes (Hucam) Informações: 3335-7222 ou www.ebserh. gov.br/web/hucam-ufes Palestra Estudar e Pesquisar na Alemanha Data/hora: 03 de outubro, às 10h30 Local: a ser definido Realização: Secretaria de Relações Internacionais (SRI) Informações: 4009-2046 II Congresso Internacional do Programa de Pós-Graduação em Filosofia/UFES Data/hora: de 3 a 5 de outubro, às 18h Realização: Programa de Pós-Graduação em Filosofia

XXI Congresso Brasileiro de Automática – CBA 2016 Data/hora: 03 a 07 de outubro, às 8h Local: Centro Tecnológico - campus de Goiabeiras Realização: Sociedade Brasileira de Automática, Departamento de Engenharia Elétrica e Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Informações: http://cba2016.org.br/

Sugestões de pauta: 4009-2383, 4009-2203, 4009-2204 ou jornalismo.supecc@ufes.br / Edição digital disponível em: comunicacao.ufes.br/edições-2016 UFES - Universidade Federal do Espírito Santo Reitor: Reinaldo Centoducatte Vice-Reitora: Ethel Maciel Informa - Superintendente de Cultura e Comunicação: Edgard Rebouças Secretária de Comunicação e jornalista responsável: Thereza Marinho Jornalistas: Ana Paula Vieira, Camila Fregona, Hélio Marchioni, Jorge Medina, Letícia Nassar, Luiz Vital e Patrícia Garcia Bolsistas: Daniella Camilo e Matheus Andreatta Revisão: Márcia Rocha Programação Visual: Juliana Braga e Leonardo Paiva Apoio: Aurenice Cruz, Eliza Gobira, Marcos de Alarcão Endereço: Av. Fernando Ferrari - nº 514 - Goiabeiras - Vitória - ES - CEP: 29075-910 Tiragem: 4 mil exemplares Impressão: Scribo

2

22/set a 09/out de 2016


A situação da

Encarte especial

O

UFES na atual conjuntura ORÇAMENTÁRIA

momento de crise e instabilidade econômica e política por que passa o País está afetando a sociedade como um todo. No setor da Educação, os reflexos já estão sendo sentidos no dia a dia, e há uma grande incerteza quanto às universidades públicas na atual conjuntura. Para compartilhar tais dificuldades, a Administração Central da Ufes convidou a comunidade acadêmica para uma ampla conversa, onde foram mostradas as dificuldades orçamentárias nos últimos anos e a proposta do Ministério do Planejamento para o orçamento de 2017, e como a Universidade tem buscado alternativas a partir das experiências dos anos anteriores. A direção da Associação Nacional dos Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) havia se reunido com o ministro da Educação, Mendonça Filho no mês de agosto solicitando que - já que fora anunciada manutenção do orçamento do ano anterior- ao menos fosse aplicado o reajuste da inflação e o percentual relativo ao crescimento do sistema. Em relação à Ufes, não ocorreu nem um nem outro. Comparando com o orçamento de 2016, sofreremos uma redução de 35,15% nos valores destinados a investimentos, e 10,28% nos recursos a serem gastos com despesas correntes no próximo ano; mesmo que, no geral, possa ser dito que tenhamos recebido um acréscimo de 9,39%, no entanto,

são recursos que não passam pela gestão da Universidade, pois são relativos a salários, aposentadorias e pensões. Esses dados são valores nominais, sem considerar a inflação no período. Neste encarte do jornal Informa, mostramos como a gestão tem direcionado os recursos nos diversos setores essenciais para o funcionamento da Ufes, dando prioridade às demandas sociais, tais como assistência estudantil e manutenção de bolsas. Nas próximas páginas será possível ver o que temos recebido e onde temos alocado os recursos destinados à Ufes nos últimos três anos, assim como o que foi destinado à instituição no orçamento de 2017. Para exemplificar, selecionamos alguns tipos de despesas comparáveis com o que cada um de nós gasta em nossas casas. São valores relativos a contas de energia, água e telefone, serviços de limpeza e de segurança, gastos com material de consumo, compra de equipamentos, investimentos em obras e também recursos destinados à assistência estudantil. Os cortes previstos poderão afetar não apenas a vida acadêmica nos quatro campi da Ufes, mas todo um conjunto de ações de ensino, pesquisa e extensão, bem como atividades sociais e culturais que realizamos voltadas para a sociedade capixaba. Escolhas difíceis terão que ser tomadas, e esperamos contar com a colaboração de todos e to-

das no enfrentamento de tais desafios. Um documento assinado recentemente por todos os reitores, destaca que “o conjunto das universidades federais constitui um patrimônio de valor imensurável para o povo brasileiro, pois congrega o que há de melhor na educação superior”. Portanto, mesmo com todas as adversidades, devemos sempre lutar pela defesa de um sistema de ensino superior público, gratuito, autônomo e de qualidade. Queremos manter um canal de diálogo aberto constantemente com a comunidade acadêmica, e com toda a sociedade de nosso estado. Todos podem colaborar com a sugestão de alternativas e soluções que, em conjunto com medidas que estamos aplicando com base na experiência dos últimos anos, ajudem na busca de caminhos. Somente assim teremos condições de compreender melhor os desafios que estão por vir, e de nos prepararmos para a manutenção de uma Universidade de qualidade, inclusiva e voltada exclusivamente para o interesse público.

Reinaldo Centoducatte Reitor de Ufes


Encarte especial

Veja a distribuição dos recursos desde 2014 O Governo Federal enviou o Projeto de Lei Orçamentária Anual de 2017 (PLOA) para o Congresso Nacional no último dia 31 de agosto. Dentro das medidas de redução de gastos para o setor público, o documento indica que o limite de despesas no próximo ano deverá ser de R$ 1,28 trilhão. O Ministério da Educação teve um orçamento previsto de R$ 105.652.897.486,00, representando 5,9% a mais do que está na Lei Orçamentária (LOA) de 2016, para uma

O grupo de despesas indicados no Orçamento da União para o custeio de atividades correntes da Universidade em 2017 projeta uma queda de 22,4% em relação ao que foi previsto nas contas do ano passado. Se os valores demonstrados levassem em conta a inflação no período, a queda seria ainda maior, ficando abaixo do que a Ufes recebeu em 2014. Pela indicação, há uma ilusão de que todos estes recursos podem ser aplicados em atividades de funcionamento da universidade e fomento em ações de graduação, pós-graduação e extensão. Mas, dos R$ 142.112.423,00 previstos, 20,2% são de recursos obrigatoriamente direcionados a assistências de alimenta-

1. Auxílio a estudantes

inflação dos últimos 12 meses de 9,1%. No caso da Ufes, o orçamento previsto para 2017 é de R$ 865.497.467,00, em valores nominais, sendo que a Universidade tem gestão apenas sobre 14,8% deste total (cerca de R$ 128 mi), a serem utilizados para todas as despesas correntes e investimentos ao longo do ano. O restante é destinado diretamente pelo Ministério do Planejamento para salários, aposentadorias, pensões e auxílios de pessoal.

Os quadros abaixo dão exemplos de como a Universidade distribuiu recursos dos dois grupos de despesas que lhes cabe - despesas e investimentos - ao longo de 2014, 2015 e 2016. A título de ilustração, a partir de demandas das representações estudantis e de servidores, foram destacados conjuntos de rubricas mais visíveis no dia-a-dia da instituição. Os gastos relativos a 2016 são projeções até dezembro, com base no que já foi empenhado até 31 de agosto.

Orçamento da Ufes- Despesas correntes 182.992.549 158.398.261 146.845.486

142.112.423

LOA 2014

LOA 2015

ção, transporte, médica e odontológica, capacitação, funeral, natalidade e pré-escolar para dependentes de servidores.

2. Energia, Água/esgoto, e Telefonia/internet

LOA 2016

PLOA 2017

Do restante, as maiores despesas são aplicadas nas áreas demonstradas nos quadros a seguir.

3. Vigilância e videomonitoramento

18.971.792

25.944.073

14.412.622 14.062.687 17.810.941

13.446.495

18.360.573 8.411.681

2014

2015

2016

1. O maior conjunto de recursos do grupo de despesas correntes sob a responsabilidade da Reitoria é destinado a bolsas e assistências estudantis. O gráfico mostra a evolução nos últimos três anos, refletindo a política adotada pela administração de privilegiar as ações de permanência.

2014

13.084.430

2015

2016

2. A grande elevação nos custos de energia nos últimos anos por causa das bandeiras tarifárias impactou a Ufes. Apesar das medidas de economia adotadas, como redução dos horários de funcionamento nas férias, o contrato de energia representará 83,3% das contas com concessionárias em 2016.

2014

2015

2016

3. O terceiro conjunto de gastos da Ufes em custeio envolve os contratos terceirizados de vigilância e videomonitoramento. A mudança de metodologia nos procedimentos de segurança dos quatro campi, com a instalação de mais câmeras de monitoramento, levou a uma adequação dos valores em 2016.


Encarte especial

4. Material de consumo 13.133.119

8.842.038

2014

2015

8.322.037

2016

O grupo de despesas caracterizado como Investimentos foi o que mais sofreu com as medidas de contingenciamento dos últimos anos. Do que estava previsto no orçamento de 2015, por exemplo, houve um corte de 47% nos repasses para a Ufes. O gráfico ao lado representa os valores nominais previstos em cada ano, sem considerar a inflação no período nem os contingenciamentos. Segundo a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), tais despesas devem ser realizadas na aquisição de bens e em benfeitorias realizadas em bens da União. Desta forma, são apresentados a seguir os gastos executados pela Ufes com a compra de equipamentos e materiais permanentes, bem como no pagamento de contratos relativos

4. Esta categoria envolve as despesas mais variadas, que vão de materiais de escritório a complexos reagentes químicos para pesquisas. Os contingenciamentos determinados nos últimos anos fizeram com que este grupo de despesas fosse diretamente afetado. 5.O quinto grupo de despesas mais expressivo nos gastos com custeio é o que reúne os serviços terceirizados de limpeza e conservação. Para reduzir gastos, foi modificada a metodologia da prestação de serviços, como passar do modelo de horas trabalhadas para o de metro quadrado coberto.

5. Limpeza e conservação 11.924.462

8.436.063

2014

7.653.404

2015

2016

Orçamento da Ufes- Investimentos 62.129.570 54.386.046

22.850.781 14.818.676

LOA 2014

LOA 2015

a obras e instalações. Em caso de necessidade, a Reitoria pode realocar parte desses recursos para

6. Equipamento e material permanente

LOA 2016

PLOA 2017

despesas de custeio, o que teve que ser feito em alguns momentos para garantir o funcionamento da Universidade.

7. Obras e instalações

15.776.080 2.456.893 1.986.793

1.953.310

2014

2015

4.549.717 1.008.179 2014

2015

2016

6. Os cortes e contingenciamentos afetaram a compra de equipamentos e materiais permanentes para a Ufes, o que obrigou a Reitoria a fazer um corte de 93% nesse tipo de gastos nos últimos três anos. O desafio constante é garantir o funcionamento das atividades de ensino, pesquisa e extensão com qualidade. Para isso, estão sendo criadas alternativas de gestão de materiais e investindo mais em manutenção de equipamentos.

2016

7. Os investimentos em obras e instalações nos quatro campi mantiveram uma constante nos último anos, com um relativo aumento em 2016. No entanto, mesmo com os cortes de investimentos no orçamento, a Administração Central tentará ao máximo garantir que prédios e laboratórios sejam concluídos, como forma de não prejudicar as atividades previstas com o crescimento da Universidade nos últimos anos.


Encarte especial

O impacto nas principais áreas da Ufes e outros. A diminuição de investimentos em obras e instalações, limpeza e conservação, vigilância e monitoramento, impactam diretamente as condições estruturais necessárias ao bom desenvolvimento do ensino. Trata-se de um cenário bastante turbulento para as instituições federais de ensino superior e, na Ufes, o cenário deve impulsionar a comunidade universitária para a necessidade de rmanutenção de nossos ideais, trabalho coletivo e reponsabilidade compartilhada.

Graduação: cortes atingem a qualidade A crise política e econômica que se intensificou no país nos últimos anos causa danos efetivos

para diversos setores da sociedade. Há retrocesso na democracia e nos direitos sociais, com cortes financeiros em áreas básicas como saúde e educação. Na educação superior, o corte compromete a formação de profissionais qualificados e afeta o ensino de graduação na Ufes. Todas as reduções efetivadas de 2014 a 2016, com previsão de decréscimos para 2017, impactam diretamente o ensino e, consequentemente, a sua qualidade. Os cortes em material de consumo representam a diminuição ou impossibilidade de compra de material didático, esportivo, de expediente, de laboratório, material permanente, equipamentos

a Ufes arcasse integralmente com as despesas. As verbas para a manutenção de equipamentos, realização de eventos, tradução de artigos e taxas de publicação, entre outras foram restringidos. Também está afetada a captação de recursos em editais, e houve uma significativa redução orçamentária nos órgãos de fomento. Apesar disso, temos conseguido manter a qualidade da pesquisa e na pós-graduação, sendo referência em várias áreas do conhecimento.

Pesquisa e pós-graduação atingidas Os efeitos das restrições orçamentárias sobre a pesquisa e a pós-graduação na Ufes se concen-

tram em três grandes áreas. A mais afetada é a pós-graduação, com redução de 75% do valor de custeio repassado pela  Capes, que afeta as atividades de pesquisa, participação em eventos, visitas técnicas, além de material de consumo. Os programas de pós-graduação tiveram que se adaptar com medidas como a realização de defesas por videoconferência. Além do corte, a Capes liberou os recursos com quatro meses de atraso em 2016, levando a Ufes a destinar recursos próprios, previstos para outras ações. A Capes também não repassou recursos para nenhum dos novos cursos, o que fez com que

Brasileira (FORProex) debateu recentemente o agravamento da crise política e econômica no país e suas consequências para os direitos civis, políticos e sociais. As possibilidades apontadas pelo fórum são: reiniciar a negociação junto ao MEC para a liberação do Edital Proext 2017 – importante fonte de financiamento da extensão – e desenvolver estratégias para a geração de fontes alternativas de financiamento, por meio de parcerias com instituições governamentais e não governamentais.

Extensão busca alternativas A Ufes, assim como as demais universidades públicas, está sendo diretamente afetada pelas

dificuldades financeiras enfrentadas pelo país. As repercussões da crise econômica nas atividades de extensão universitária são preocupantes e geram um clima de incerteza e instabilidade na comunidade acadêmica. A extensão está procurando se adequar ao contingenciamento dos recursos para compra de material permanente e de consumo, transporte para a mobilização dos projetos, passagens e diárias. Há dificuldades para atender as demandas e as liberações de recursos são para manter as atividades essenciais. O Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Instituições Públicas de Educação Superior

31 membros. O fórum é a alternativa encontrada pela gestão da Ufes para tornar transparente os recursos disponíveis para a assistência estudantil. É preocupante a redução dos recursos financeiros para 2017, porque se refletem diretamente no acesso e na permanência dos estudantes da Ufes em situação de vulnerabilidade socioeconômica. Atualmente, a assistência estudantil contempla cerca de 30% do total de estudantes matriculados em cursos presenciais na Ufes.

Assistência estudantil comprometida O Programa de Assistência Estudantil da Ufes atende a 5.200 estudantes com renda per capita

de até 1,5 salários mínimos, por meio de auxílios para moradia, transporte, material didático, alimentação e línguas estrangeiras. Em 2016, o valor disponibilizado pelo governo federal para o programa totalizou R$ 16,4 milhões. Para 2017 estão previstos R$ 15,8 milhões. Essa redução nominal de recursos orçamentários para o próximo ano vai impactar diretamente a capacidade de atendimento aos estudantes assistidos. Considerando esta nova realidade orçamentária, a Proaeci instituiu o Fórum Extraordinário para Estudos e Propostas de Revisão do Plano de Assistência Estudantil da Ufes, composto por

Zenólia Christina Campos Figueiredo Pró-Reitora de Graduação

Neyval Costa Reis Junior Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação

Angélica Espinosa Barbosa Miranda Pró-Reitora de Extensão

Gelson Junquilho Pró-Reitor de Assuntos Estudantis e Cidadania


Foto: Arquivo Supecc

Acontece na Ufes

Editais de pós-graduação A Ufes está lançando novos editais de pós-graduação nas áreas de Ensino, Educação Básica de Formação de Professores, Biotecnologia, Linguística e Administração. Confira as oportunidades:

Biblioteca Central adota sistema de identificação universal digital de autores O Orcid padroniza a busca e evita confusão de nomes homônimos, por exemplo rofessores, gestores e pesquisadores, entre outros profissionais da Ufes, contam com mais uma ferramenta na busca para identificação, integração e atualização de seus dados em sistemas de informação que envolvem as áreas acadêmicas e científicas. A Biblioteca Central (BC) da Ufes está adotando um identificador universal digital para autores de conteúdos científicos e acadêmicos, o Open Researcher and Contributor ID (Orcid), um código alfanumérico composto de 16 caracteres que tem a finalidade de diferenciar um autor de qualquer outro. O Orcid identifica um único autor fazendo conexão automática com toda a sua produção científica, onde quer que tenha sido publicada. Para obter o número de identificação, os interessados deverão se cadastrar no sistema por meio do site www. orcid.org, onde também estão disponí-

P

veis outras informações sobre o sistema. Com o cadastramento, cada pesquisador terá um número de identificação única, assim como já acontece com livros, periódicos e artigos científicos. Solução - “Várias revistas estão solicitando que os autores incluam o número do Orcid no momento da submissão de artigos. Adotar o Orcid evita risco de confusão de nomes homônimos ou que possuem formas diferentes de citação”, explica a bibliotecária e documentalista da Biblioteca Central, Morgana Andrade. Esse novo sistema também facilita e padroniza a busca, já que há diferenças culturais de cada país na identificação de seus pesquisadores. Outras informações sobre o Orcid podem ser obtidas na Biblioteca Central por meio do telefone 4009-2401 ou do e-mail riufes@ufes.br

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO

Artes – mestrado (22 vagas): inscrições até o dia 30 de setembro, na Secretaria de Pós-Graduação em Artes, no Centro de Artes (CAr), campus de Goiabeiras. Saúde Coletiva – mestrado (28 vagas): inscrições até o dia 30 de setembro, na Secretaria do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (PPGSC), no Centro de Ciências da Saúde (CCS), campus de Maruípe. Geografia – mestrado (30 vagas) e doutorado (28 vagas): inscrições até o dia 3 de outubro, na Secretaria do Programa de Pós-Graduação em Geografia, no Centro de Ciências Humanas e Naturais (CCHN), campus de Goiabeiras. Arquitetura e Urbanismo – mestrado (16 vagas): inscrições até o dia 10 de outubro, na Secretaria do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo (PPGAU), localizada no Centro de Artes (CAr), campus de Goiabeiras. História – doutorado (23 vagas): inscrições do dia 14 de setembro a 11 de outubro. Mestrado (32 vagas): inscrições do dia 28 de setembro a 27 de outubro. As inscrições para ambos os cursos devem ser feitas na Secretaria de Pós-Graduação em História, localizada no Centro de Ciências Humanas e Naturais (CCHN), campus de Goiabeiras. Direito – mestrado (29 vagas): inscrições do dia 19 de setembro a 31 de outubro, na Secretaria do Programa de Pós-Graduação em Direito Processual (PPGDIR), localizada no Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE), campus de Goiabeiras. Os editais com informações específicas de cada curso e orientações sobre inscrição pelos Correios estão disponíveis no site da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação www.prppg.ufes.br. Mais informações também podem ser obtidas pelo telefone (27) 4009-2434.

3


Cultura

agenda cultural Exposições Na Galeria de Arte Espaço Universitário, a exposição Experiências Secundárias, da artista visual Andreia Falqueto, está aberta até o dia 7 de outubro. Já a Biblioteca Central, no campus de Goiabeiras, abriga até 23 de setembro a exposição Gemologia: da Ciência à Arte, com trabalhos de 53 “gemoartistas”, entre desenhos, pinturas, fotografias, vídeos, joias, gemas lapidadas e minerais brutos. E na Biblioteca Setorial do Centro de Ciências da Saúde, no campus de Maruípe, está a mostra Panorama da Pintura, com produções de estudantes do Centro de Artes da Ufes. A visitação também está aberta até 23 de setembro. Teatro Universitário A banda de forró capixaba Trio Mafuá apresenta no dia 23 de setembro um apanhado da obra de Dominguinhos. O grupo é referência na música regional. Já no dia 24, Fernanda Vasconcelos e Cássio Reis protagonizam a comédia Enfim, nós. Eles interpretam um casal que acaba passando a noite preso no banheiro, no Dia dos Namorados. No dia 29, será realizada mais uma edição do Projeto Sócio de Carteirinha do Clube Big Beatles, com a participação do músico Armandinho. Os ingressos podem ser comprados na bilheteria do Teatro, das 15 às 20 horas, ou pelo site www.ingresso.com. Cine Metrópolis Estão em cartaz o suspense nacional Mate-me por favor, um dos principais lançamentos brasileiros da temporada, e Francofonia – Louvre Sob Ocupação. A programação completa está no site www.cinema.ufes.br. Os ingressos custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia), e estudantes da Ufes têm entrada gratuita.

4

22/set a 09/out de 2016

Profile for Universidade Federal do Espírito Santo

Jornal Informa | Ufes | n° 515 | 22/09/2016  

Jornal da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) destinado à divulgação das atividades desenvolvidas pelas áreas de ensino, pesquisa...

Jornal Informa | Ufes | n° 515 | 22/09/2016  

Jornal da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) destinado à divulgação das atividades desenvolvidas pelas áreas de ensino, pesquisa...

Profile for ufes
Advertisement