Page 1


Categorias de base do hipismo brasileiro competem nos EUA

Estrangeiros já podem tirar CPF no exterior na hora Equipes reunidas com o medalhista olímpico Doda Miranda, após o treino

Está tudo pronto para a participação do Brasil na Copa das Nações da Juventude de Wellington, nos Estados Unidos. As equipes das categorias de base do hipismo brasileiro já entram em pista nesta quartafeira (26), mas as provas da Copa das Nações só acontecem no sábado (1º), na pista principal do Palm Beach International Equestrian Center. Desde que chegaram à Wellington, os jovens cumpriram uma série de atividades de integração. A primeira reunião de equipe aconteceu no dia 19, no hotel onde estão concentrados, e teve a presença de toda a delegação brasileira. Técnico da equipe, Caio Sergio de Carvalho abordou a estratégia de treinamento a ser adotada, as normas e o regulamento da competição. Já Constantino Scampini, diretor das categorias de base da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH), esclareceu as regras de conduta, distribuição de tarefas para cada integrante e ressaltou a importância da necessidade de espírito de equipe, solidariedade e muito trabalho. “Tem um tempo que já temos trabalhado duro em cima da preparação para os campeonatos interna-

cionais. Eu vejo a Copa das Nações como mais uma chance de mostrarmos todo esse esforço e garra que está por trás, toda a união da equipe, seja de treinadores, atletas, tratadores, veterinários e também da CBH. A vitória é muito importante, até como reconhecimento deste esforço. Porém, o que mais importa agora é ter uma boa atuação e manter essa união de equipe para defender as cores do Brasil da melhor forma possível!”, declarou Giulia Scampini, da categoria Young Riders. Na segunda feira (25), as equipes realizaram um treinamento especial no manège do medalhista olímpico Doda Miranda. A supervisão do treino foi feita pelo técnico da equipe Caio Sérgio de Carvalho, com participação de Doda e dos treinadores particulares dos atletas, além do veterinário da equipe Dr. Rogério Saito. “O treino foi muito produtivo, pois tanto Doda quanto os treinadores dos atletas e o Caio puderam discutir e auxiliar nos detalhes e ajustes finais, levando em conta as características de cada conjunto”, contou Constantino Scampini, diretor das categorias de base da Confederação Brasileira de Hipismo.

As equipes que irão defender o Brasil são: Paulo Miranda / Larissa, Pedro Egoroff / Anton 640, Thales Marino / Balla Doze e Vittorio Burger / Cheese Z, na categoria Mirim. Alberto Sinimbu / Sharapova, Bianca Rodrigues / Abernante, Giulia Scampini / Keep on Fighting e João Victor Aguiar / Wamira, na categoria Junior; e Guilherme Saraiva / Utah, Luis Antonio Piva / Zaterdag Cooper, Carolina Drummond / Opium du Breau e Anna Paula Noronha / Unique Times, na categoria Young Riders. Ao todo 14 países e 90 conjuntos disputam as provas das categorias de base. Somente Brasil, Estados Unidos, Argentina e México participam em todas as categorias. Alemanha, Canadá, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, República Dominicana, Uruguai e Venezuela são os outros participantes. Em 2013, na primeira edição da Copa das Nações da Juventude no Festival Equestre de Inverno, os jovens atletas brasileiros deram um show e conquistaram a medalha de ouro nas categorias Mirim (12 a 14 anos) e Junior (14 a 16 anos), além do bronze na Young Riders (16 a 21

anos). Para 2014, esperam manter o excelente desempenho e, para isso, contam com todo o apoio da Confederação Brasileira de Hipismo. “Minha expectativa para a Copa das Nações é muito grande. Foi feita uma ótima preparação no Brasil e tanto os atletas como os animais estão muito bem. Após excelentes resultados no Sul-Americano na Argentina estamos bastante confiantes e sabendo que é um campeonato muito difícil vamos fazer o máximo para levar a medalha para o nosso País”, disse Alberto Sinimbu, categoria Junior. A disputa em Wellington é a primeira do calendário 2014 e dá início a uma série de competições que servirão como preparação para os Campeonatos Americanos de Mirim, Pré-Junior e Junior, e Sul-Americano de Young Rider. As provas, que acontecerão entre 7 e 12 de outubro, em Santiago, no Chile, são os principais eventos das categorias no ano. Acompanhe a cobertura completa e fotos das categorias de base no site da Confederação Brasileira de Hipismo: www.cbh.org.br

O investidor estrangeiro já pode obter a inscrição no Cadastro da Pessoa Física (CPF) de forma instantânea em uma representação diplomática brasileira no exterior. O processo que levava, no mínimo, 20 dias, agora é concluído na hora. Para agilizar, o interessado pode preencher um formulário, disponível em inglês, espanhol e português, que se encontra no site da Receita Federal e procurar uma representação do Ministério das Relações Exteriores (Itamaraty) com os documentos pessoais necessários. Anteriormente, a representação diplomática precisava encaminhar ao Brasil, por meio de malote, os documentos e os formulários preenchidos pelo estrangeiro. Aqui, a documentação seguia para a delegacia da Receita Federal, em Brasília, onde era feita a inscrição no CPF. Depois, o processo fazia todo o caminho inverso. “Você imagine todo o trâmite entre a ida do cidadão à representação diplomática e a entrega do documento. Desenvolvemos com o Ministério das Relações Exteriores aplicativos que permitem ao funcionário do Itamaraty realizar a inscrição do cidadão brasileiro e estrangeiro no exterior online”, explica o subsecretário de Atendimento e Arrecadação da Receita Federal, Carlos Roberto Occaso. Por enquanto, ainda não é possível resolver outras pendências como a regularização do CPF. A novidade não interessa apenas a investidores estrangeiros ou brasileiros residentes no exterior. Uma mulher de origem espanhola que seja casada com um brasileiro pode precisar de um CPF mesmo que nunca tenha vindo ao país. Em um processo de inventário, por exemplo, em que o processo corra no Brasil, é necessário ter o CPF, mesmo que a pessoa tenha outra nacionalidade. “São várias situações

que obrigam a pessoa a ter um CPF aqui. Mesmo que ela nunca tenha colocado o pé no país. É um sistema 24 horas no ar e todos dos dias”, disse Occaso. Qualquer cidadão brasileiro pode fazer a inscrição no CPF por meio do site da Receita Federal. Basta apenas ter o número do título de eleitor, que é uma das fontes de verificação de dados da Receita. Para o estrangeiro, entretanto, que não tem o título, isso era um problema. “Para ele [estrangeiro] investir aqui, qualquer tipo de investimento, renda fixa, bolsa de valores, mercado de capitais, é preciso ter o CPF. A mudança vai agilizar muito o processo. E claro deverá facilitar a ampliação de captação de recursos para o Brasil, já que desburocratiza”, destaca o coordenador-geral de Gestão de Cadastro da Receita, Flávio Vilela Campos. Occaso lembra que o investidor que lida com o mercado financeiro gosta de decidir pelo investimento na hora em que a oportunidade aparece, principalmente, em um mundo globalizado e conectado. “Se ele ficar esperando, o momento já passou e a opção de investimento também. Assim, quebramos mais uma barreira. Temos a expectativa de aumentar muito esse fluxo de recursos para o Brasil. Agora, tudo é na hora”, disse. To d o o p r o c e s s o d e solicitação do CPF pode ser acompanhado online. No cadastro da Receita Federal, existem hoje mais de 1,5 milhão de CPFs de estrangeiros, fora os brasileiros que moram no exterior. São 672 mil na Europa, 513 mil na América, 202 mil na Ásia, 52 mil, na África e 4 mil na Oceania. Portugal lidera o ranking com o maior número de CPFs (304.452), seguido da Itália, com 105.822 e da Bolívia, com 91.367.


SPORTIMES


Bt virtual 43  

edição apenas online

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you