Page 1

Ano XI - Edição 126 - Catalão/GO - Fevereiro/1- 2015

Sindicalistas protestam por melhorias no INSS Catalão

Pág.

SIMECAT e Dieese realizam audiência pública em Catalão

3

Pág.

4

Expediente / Editorial

Pág. 02

Novas regras do seguro-desemprego começam a valer dia 28

Pág. 02

Força Goiás lança TV na web

Pág. 02

Saúde em Foco

Pág. 03

Atenção! O projeto de terceirização foi desarquivado

Pág. 04

Mês de março será marcado pela Jornada de Luta das Centrais

Pág. 04


2

Editorial

Companheiro, você já está sentindo como será este ano né? 2015 será um ano de lutas intensas e incansáveis. Pode se preparar, arregaçar as mangas e ir à luta também. A corda está arrebentando para o nosso lado e se não ficarmos atentos e não nos unirmos, seremos massacrados pelo governo e os empresários. O ano mal começou e a presidenta nos passou uma rasteira violenta. Ela publicou duas medidas provisórias que ferem diversos benefícios trabalhistas e previdenciários. Não, não aceitamos! Desde então, o movimento sindical vem tentando conversar com o governo para tentar reverter o quadro e, ao mesmo tempo, tem unido forças para garantir uma mobilização capaz de amedrontar a dona Dilma. Ela teve a audácia de mentir em rede nacional quando disse que não ia mexer nos direitos dos trabalhadores e agora está aí na maior “cara lavada”. Como se já não bastasse essa bomba, vem mais outra. Lembra daquele projeto sobre terceirização que tanto falamos em anos passados? Aquele mesmo, do Sandro Mabel. Pois então, ele está de volta. Dizem que só precisa ir para mesa para ser votado no Congresso. Se aquilo lá passar, estamos ferrados! É um projeto que vem para destruir de vez com o trabalhador. É inadmissível. Precisamos nos preocupar e intensificar a luta contra. Não tape os olhos para estes tantos problemas que estão nos cercando. Precisamos de você!

Seguro-desemprego muda a partir do próximo dia 28

A partir do dia 28 fevereiro, os trabalhadores que recorrerem ao seguro-desemprego já serão enquadrados nas novas regras da medida provisória (MP) 665, que restringe o acesso ao benefício.O Ministério do Trabalho assegurou que o sistema da Dataprev já está pronto para as mudanças, ainda que a proposta não tenha sido aprovada pelo Congresso. O prazo de carência para requisitar o seguro-desemprego subiu para um ano e meio para os trabalhadores que solicitarem o benefício na primeira vez; na segunda, para 12 meses. Pelas regras anteriores, o prazo era de seis meses, o que agora só valerá a partir do terceiro pedido. Ou seja, para quem está no mercado há mais tempo. Trabalhadores mais jovens serão mais sacrificados.

Força Sindical Goiás lança TV na web

Mudanças As Medidas Provisórias (MPs) 664 e 665 foram publicadas pelo governo no final do ano e dificultam o acesso ao seguro-desemprego, auxílio-doença, abono salarial, pensão por morte, seguro-defeso e outros direitos. Apesar de terem efeitos práticos imediatos, as MPs precisam ser aprovadas pelo Congresso Nacional para que sejam transformadas definitivamente em lei.Para não perder a validade, elas devem ser aprovadas em até 120 dias. As Centrais Sindicais travaram uma batalha incansável para tentar revogar estas medidas que são extremamente prejudiciais para a classe trabalhadora.

O trabalhador goiano tem mais uma ferramenta de comunicação à sua disposição, é a TV Força, lançada no mês de fevereiro pela Força Sindical Goiás. O objetivo é tornar pública a voz dos trabalhadores. Os programas estarão disponíveis semanalmente no site da Central www. forcasindicalgo.org.br/ videos. Assista!

Com Informações O Globo

Assessoria Força-GO

Com informações


3

Sindicalistas protestam por melhorias no INSS Catalão

Na manhã do dia 04 de fevereiro, o Sindicato dos Metalúrgicos de Catalão (SIMECAT) e os demais sindicatos que representam os trabalhadores na cidade bloquearam a agência da Previdência Social para protestar. Eles exigiram melhorias nos serviços do órgão e cobraram agilidade das perícias médicas. Os trabalhadores afastados por motivo de saúde precisam esperar por quase dois meses pelo atendimento e durante este período ficam sem o salário e sem auxilio da previdência. “A pericia está demorando cerca de 45 dias para ser marcada. Depois vão mais alguns dias pra receber. Neste prazo, o trabalhador fica sem receber da empresa e do INSS. A situação dos companheiros realmente é crítica, infelizmente”, lamenta o secretário de Saúde do SIMECAT, André Felício. Além do problema com o agendamento das perícias médicas, há diversas denúnciasde trabalhador reabilitado pelo INSS mesmo sem ter condições de voltar ao trabalho. Outro fator que tem causado revolta é a dificuldade na concessão da aposentadoria especial, para os casos específicos dos trabalhadores das mineradoras. A mobilização no INSS Catalão foi encabeçada pelo SIMECAT, porém, contou com o apoio do Metabase, SindCom, Sintracom, Sindtransporte, de Catalão, SindBebidas e Sindicatos do Metalúrgicos de Anápolis, SindnapiGO e Força Sindical Goiás.

Resultados Após a manifestação, os sindicatos conseguiram se reunir com a Gerente Executivado INSS, Raildete Marques, e apresentar a pauta de reivindicação dos trabalhadores. As principais reivindicações foram: redução do prazo para perícias médicas para 20 dias; humanização do atendimento; maior clareza na transmissão de informações aos segurados; apuração da causa de a maioria das CATs (Comunicação de Acidente de Trabalho) abertas pelo sindicato serem indeferidas; agilizar a análise das aposentadorias especiais; abertura de diálogo com o movimento sindical. O INSS se comprometeu, na medida do possível, a atender as reivindicações.

Mais do que viver muito, as pessoas querem viver bem! Ainda estamos no começo do ano e devemos aproveitar a oportunidade para cuidar da nossa saúde fazendo aquele chek-up anual. Conheça alguns exames que são fundamentais: Mamografia. Deve ser realizado por mulheres acima dos 40 anos. Se houver indicação clínica, pacientes de alto risco, com histórico de câncer de mama na família, podem começar a realizar exames preventivos mesmo antes dos 35 anos. PSA (livre e total). O ‘antígeno prostático específico’ é bastante utilizado no diagnóstico precoce do câncer de próstata e no seguimento da doença, pós-tratamento. A avaliação do resultado deve levar em conta dados clínicos, como histórico do paciente, fatores hereditários, idade, volume da próstata e uso de medicamentos. Exame de glicemia em jejum. Ao analisar a taxa de

açúcar no sangue é possível diagnosticar portadores de diabetes, doença crônica que é tanto melhor administrada quanto mais precocemente diagnosticada. Exame colesterol e triglicerídeos. Principalmente depois dos 40 anos, o exame de sangue para checagem das taxas de colesterol e triglicerídeos devem ser anuais, a fim de contribuir para a prevenção do infarto. Verificação de Pressão. Verifique com frequência sua pressão arterial. A hipertensão é uma doença silenciosa. Qualquer alteração, procure um cardiologista. Com informações Revista Exame

André Felício (Andrezão) Secretário de Saúde do SIMECAT


4

Audiência pública promovida pelo SIMECAT intensifica debate sobre rotatividade e MPs 664 e 665 O Sindicato dos Metalúrgicos de Catalão (SIMECAT), em parceria com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), realizouno dia 11 de fevereiro,uma audiência pública para tratar sobre a rotatividade do emprego e as Medidas Provisórias (MPs) 664 e 665, que alteram as regras para concessão de benefícios previdenciários e trabalhistas. O economista do Dieese São Paulo, José Silvestre, explica que a rotatividade é um fenômeno do mercado de trabalho que tem a ver com a flexibilidade e informalidade do mercado e também com a ausência de mecanismos que inibem a rotatividade. Ele aponta dois pontos negativos, “o rompimento do contrato de trabalho, impedindo melhoria salarial na carreira, e o impacto na aposentadoria à medida que no intervalo o trabalhador fica sem vínculo empregatício, deixando de recolher INSS e FGTS”. “A rotatividade é muito danosa para o trabalhador”, enfatiza Silvestre. Diante das medidas antipopulares impostas pelo governo federal, o momento também foi oportuno para debater, se conscientizar e traçar estratégias para reverter o cenário desfavorável para os trabalhadores. Contrariando o que foi pregado em campanha eleitoral, as MPs 664 e 665 foram publicadas pelo governo no dia 30 de dezembro de 2014 e dificultam o acesso ao seguro-desemprego, auxílio-doença, abono salarial, pensão por morte, seguro-defeso e outros direitos. “Essas MPs são altamente prejudiciais e é preciso que haja reação”, ressalta Jose Geraldo Santana, advogado, professor, dirigente sindical e coordenador político do DIEESE em Goiás. “Essas medidas representam um retrocesso social”, completa. A discussão em Catalão foi importante porque a cidade é um polo industrial muito forte em Goiás e são temas que dizem respeito ao trabalhadores. A iniciativa é de fundamental importância, pois com debates de profundidade é possível apontar as alternativas para a sociedade e garantir a mobilização necessária para tentar revogar as medidas. “Foi bastante produtivo, sobretudo, pudemos discutir mais sobre as MPs e esclarecer as dúvidas. Agora é levar informação para o trabalhador e buscar reverter as consequências trágicas destas medidas para a classe trabalhadora. Não podemos aceitar que tenhamos redução do papel social do governo”, afirma Thiago Cândido, secretário geral do SIMECAT e organizador da audiência.

Centrais Sindicais preparam atos em defesa dos direitos e empregos Em defesa dos direitos e empregos, a Força Sindical e as demais centrais sindicais marcaram duas manifestações para o mês de março. O primeiro ato da Jornada Nacional de Luta será no dia 2, nas Superintendências Regionais do Ministério do Trabalho das principais capitais do País. O segundo protesto está previsto para o dia 18 de março, no Congresso Nacional, em Brasília. O objetivo é fortalecer as negociações para evitar que as MPs 664 e 665, que retiram direitos dos trabalhadores, sejam aprovadas no Congresso. AMarcha da Classe Trabalhadora, também em Brasília, deve acontecer no dia 09 de abril. Com informações Força Sindical

Mobilizações O debate sobre as MPs 664 e 665 está sendo intensificado pelo País. No dia 10 de fevereiro, por exemplo, o Dieese Seção Goiás realizou em Goiânia uma audiência pública para discutir a temática, onde contou com a participação de sindicalistas, representantes das centrais e economistas. O secretário geral do SIMECAT, Thiago Cândido, e o presidente da Força Goiás, Rodrigão, participaram das discussões. No mesmo dia, as centrais sindicais estiveram no Congresso Nacional, em Brasília, para pressionar os parlamentares e sensibilizá-los com relação às reivindicações da classe trabalhadora, contra a perda de direitos e contras as MPs 664 e 665. O presidente do SIMECAT Carlos Albino e o diretor Jeancarlo também estiveram presentes.

Vamos ficar de olho!

O PL 4.330/04, que expande a terceirização, foi desarquivado no dia 10 de fevereiro. De autoria do ex-deputado Sandro Mabel (PMDB-GO), o projeto está pronto para votação no plenário da Câmara dos Deputados, sóé preciso que a matéria seja incluída na ordem do dia. O movimento sindical precisa ficar atento, pois há forte tendência de o projeto ir à frente, tendo em vista a composição da Câmara empossada no dia 1º de fevereiro de 2015.Trata-se de uma composição mais conservadora, com uma bancada empresarial que manteve sua força e poder, com 220 representantes na Câmara. Enquanto a bancada sindical, que na legislatura passada tinha 83 representantes na Casa, agora tem 51. Os trabalhadores precisam se unir e impedir a aprovação deste projeto que só tem o intuito de precarizar as condições de trabalho e salário. Fiquem atentos ao chamado do seu sindicato! Com informações Diap

Jornal O Ferramenta - Fevereiro 2015/1  

Publicação do Sindicato dos Metalúrgicos de Catalão/GO

Advertisement