Page 1

Ano XI - Edição 131 - Catalão/GO - Junho/1- 2015

Paralisação na Mitsubishi dá resultados

Pág.

4

SIMECAT participa de vigília pela aposentadoria, em Brasília

Pág.

3 Expediente/Editorial Para evitar demissões, Governo lança PPE Mudanças no seguro desemprego prejudicam o trabalhador SIMECAT prestigia posse da Femetalminas Trabalhadores concluem curso de solda Trinca ferro Adiantamento da PLR da MMC será em novembro

Pág. 02 Pág. 02 Pág. 03 Pág. 03 Pág. 03 Pág. 04 Pág. 04


2

Editorial

Companheiro, tivemos uma árdua missão nos dias passados. Foi um dos momentos mais delicados e apreensivos da história do Sindicato e da minha vida. Não foi fácil deitar no travesseiro e pensar que talvez no dia seguinte teríamos mais de 400 pais de família na rua. Foi muito triste ver companheiro chorando porque perdeu o emprego. A preocupação de todos do Sindicato era imensa. A cidade inteira compartilhou conosco deste sentimento de apreensão que sofremos. Infelizmente conseguimos solucionar somente parte do problemão, mas de qualquer maneira foi uma super conquista. Mas, a vida segue. Digamos que o pior já passou. Agora é olhar pra frente e esperar por dias melhores, porque a reação do mercado é essencial para evitarmos futuras demissões. Também é bom lembrar que nossa campanha salarial já está quase aí. O cenário precisa melhorar, senão você já sabe como será nossa negociação: dificílima. Ah, a campanha salarial da John Deere continua. Ela foi lançada em março, mas desde então a empresa não sentou com o Sindicato. E não foi por falta de chamar. De imediato protocolamos a pauta de reivindicação e tentamos negociar, mas só agora a empresa marcou uma reunião. A primeira rodada de negociação acontece dia 21 de julho. Portanto, a partir do dia 22 de julho estaremos na porta da fábrica, ou para colocar proposta em votação ou intensificar a mobilização. Fica duro, companheiro!

Governo lança Programa de Proteção ao Emprego

O diretor do SIMECAT Rherman de Souza participou do lançamento do programa

O Governo Federal lançou no começo do mês um Programa de Proteção ao Emprego (PPE) que permite que empresas com dificuldades financeiras temporárias reduzam a jornada de trabalho dos funcionários em até 30%, com redução proporcional do salário pago pelo empregador. As

empresas terão até o final do ano para aderir ao programa. O diretor do SIMECAT e secretário geral da Força Sindical-GO, Rherman de Souza, participou do lançamento oficial feito pela presidenta Dilma Rousseff, em Brasília. A diferença do salário será parcialmente compensa-

da pelo governo, que vai pagar ao trabalhador 50% da perda, com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) – fundo que já está deficitário. Essa compensação está limitada a R$ 900,84. EXEMPLO: Pelas regras, um trabalhador que receba R$ 5 mil por mês e entre no PPE passará a receber R$ 4,25 mil com a redução de 30% da jornada, sendo que R$ 3,5 mil serão pagos pelo empregador e R$ 750 pagos com recursos FAT. A medida precisa ser aprovada pelo Congresso em 60 dias (prorrogáveis por mais 60) para não perder a validade. Com informações do G1

O que o SIMECAT pensa sobre o PPE?

O Programa de Proteção ao Emprego – PPE não é tão visto com ‘bons olhos’ por conta da redução de salário, sobretudo, a medida é aceitável por ser temporária e seu objetivo principal é inibir as demissões que assolam alguns setores, principalmente o automotivo. Diante do cenário atual, é preferível manter o emprego. Caso necessário, o PPE só pode ser implementado na empresa através de acordo coletivo, sendo assim, os rumos da negociação passam diretamente pelos trabalhadores durante as assembleias.


3 Mesmo sob protestos, Governo veta fórmula da aposentadoria Dirigentes do Sindicato dos Metalúrgicos de Catalão (SIMECAT) participaram de uma vigília na madrugada do dia 17 de junho, em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília. Juntamente com outros militantes, a tentativa era de sensibilizar

se aposentar quando a soma da idade e tempo de contribuição for 85, no caso das mulheres, e 95, no caso dos homens. O tempo mínimo de contribuição para elas é de 30 anos e, para eles, de 35 anos. Com a nova medi-

a pontuação mínima obtém a aposentadoria integral. Portanto, essa pontuação varia progressivamente, acompanhando o aumento na expectativa de vida da população – serão somados mais pontos conforme

o ano da aposentadoria.A marca de 90 (mulheres)/100 (homens) atingida em 2022 deve permanecer assim nos anos seguintes. Com informações do G1

Veja como fica a aposentadoria Pontuação para receber 100% do benefício aumenta com o passar dos anos

a presidenta Dilma para não vetar a fórmula da aposentadoria 85/95. Porém, a medida foi vetada e o governo apresentou outra alternativa ao fator previdenciário (que já existe e continua valendo). A fórmula 85/95 significa que o trabalhador pode

da do governo, a partir de 2017, entra mais um valor nesse cálculo, que aumenta com o passar dos anos. Em 2017, por exemplo, mulheres precisarão de 86 pontos e homens, de 96 – ou seja, há a soma de um ponto. Em 2022, serão 5 pontos a mais. Quem atinge

Mudanças no seguro-desemprego

Desde o dia 17 de junho, está em vigor as mudanças no seguro-desemprego. Mais uma vez, as alterações propostas prejudicam o trabalhador. Entenda:

LEGISLAÇÃO ANTERIOR 1º acesso: exigência de seis meses consecutivos de trabalho Demais acessos: 6 meses trabalhados nos últimos 36 meses Carência: 16 meses entre dois pedidos, segundo resolução do Codefat • Não diferencia trabalhador urbano de rural

PROJETO APROVADO NO SENADO 1° acesso: 12 meses de trabalho nos 18 meses anteriores à demissão 2° acesso: 9 meses de trabalho nos 12 meses anteriores à demissão Demais acessos: 6 meses ininterruptos de trabalho antes da demissão Carência: Codefat irá definir carência entre dois pedidos • Para pedir o benefício, o desempregado terá de comprovar matrícula e freqüência em curso de qualificação com carga horária mínima de 160 horas • Trabalhador rural passa a ter regras próprias, como ter trabalhado pelo menos 15 meses nos últimos 24 meses para pedir quatro parcelas do seguro • Proíbe trabalhador rural sem emprego de receber o seguro caso já receba outro benefício previdenciário ou assistencial

Posse em MG

Curso de Solda

No dia 19 de junho, o presidente Carlos Albino e o diretor André Felício prestigiaram a solenidade de posse da nova diretoria da Federação dos Metalúrgicos de Minas (Femetalminas). O companheiro Ernane Geraldo Dias foi empossado na presidência da entidade pelos próximos quatro anos. Ernane também é presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Sete Lagoas-MG. Parabéns, companheiro. Muito sucesso na nova empreitada!

No dia 26 de junho, 17 trabalhadores concluíram o curso de Solda Eletrodo Revestido com carga horária de 160 horas. A turma do Professor Antônio teve 100% de aproveitamento, sem nenhuma desistência. O responsável por formar as turmas é o secretário de Educação e Cultura do SIMECAT, Urismar Gonzaga, através de uma parceria com o Senai Catalão. Parabéns pela persistência, companheiros!


4

Luta dos metalúrgicos impede demissão de 243

Em assembleia durante a manhã do dia 02 de julho, os trabalhadores da Mitsubishi aprovaram uma proposta que deu fim à paralisação, que durou 24 horas. O movimento foi iniciado pelos metalúrgicos após o anúncio de 403 demissões para adequação de mercado. Os metalúrgicos percorreram as principais ruas da cidade em uma marcha de protesto. Além das verbas rescisórias, o acordo garantiu abono indenizatório aos demitidos e a suspensão de demissão em massa. A proposta foi firmada entre o Sindicato dos Metalúrgicos de Catalão (SIMECAT) e Mitsubishi, com aval do poder público. O acordo garantiu a reintegração de 10 trabalhadores (portadores de deficiência, cipeiro e um membro do casal desligado); R$ 3 mil de abono e dois meses de cesta para os demitidos; estabilidade de 90 dias na fábrica, prorrogado por mais 30 dias para casos de substituição, ou seja, serão 120 dias de manutenção dos postos de trabalho, impedindo, portanto, a demissão de 243 trabalhadores. O SIMECAT também conseguiu estender o abono de R$ 3 mil e a cesta por dois meses aos 29 companheiros que se desligaram via Programa de Demissão Voluntária (PDV). Pelas regras do programa, eles receberiam somente R$ 1 mil e as verbas rescisórias. Foram efetivadas 160 demissões e 29 desligamentos pelo PDV na montadora, que representam 6% do efetivo. Entre os dias 6 e 15 de julho os trabalhadores ativos entraram de férias coletivas na fábrica. Negociação A negociação ocorreu no prédio da Justiça do Trabalho, com a mediação do Procurador

do Ministério Público do Trabalho Regional Goiânia (MPT), Sr. Januário Justino Ferrreira, e do Juiz da Vara do Trabalho, Armando Benedito Bianki. “Sem dúvida, a participação deles foi decisiva para a formulação de uma proposta que podemos considerar muito boa, diante da situação que o setor automotivo vem enfrentando nacionalmente. É uma grande conquista para os trabalhadores e para a cidade em geral”, comemora o presidente do SIMECAT, Carlos Albino de Rezende Júnior. Parcerias Com a interrupção das demissões, agora, o Sindicato busca alternativas, através de parcerias, para ajudar os metalúrgicos que se encontram desempregados. Até o momento, o SIMECAT já conseguiu junto ao Ministério Público do Trabalho verbas para custeamento de cursos de formação e qualificação no Senai para todos os demitidos que tiverem interesse. “O Procurador se solidarizou à nossa causa e se comprometeu a arcar com estes custos.Vamos definir quais são as melhores opções conversando com os trabalhadores”, esclarece o presidente. O Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) estará à disposição para atender àqueles que desejam empreender. A instituição irá orientar e acompanhar na abertura do negócio próprio. Já o SESI (Serviço Social da Indústria) ministrou a palestra “Administre seu dinheiro de forma consciente”, abordando temas como educação financeira; planejamento financeiro e familiar; poupança e investimento; negociação; direitos do consumidor e consumo consciente.

Queremos agradecer o apoio dos trabalhadores e da sociedade em geral. Nosso agradecimento especial também vai para os companheiros que se colocaram à disposição dos Metalúrgicos de Catalão - Metalúrgicos de Guarulhos (SP), São Paulo (SP), Goiânia (GO), Piracicaba (SP), Curitiba (PR), Volta Redonda (RJ), Itumbiara (GO), Anápolis (GO), e Vigilantes, Transportes e Construção Civil de Uberlândia (MG) - e também os sindicatos locais Metabase, SindCom e Sindtransporte. Obrigado, companheiros de luta!

Adiantamento de PLR será feito em novembro

Durante a negociação para intervir nas demissões em massa que estavam ocorrendo na Mitsubishi, o SIMECAT conseguiu já incluir na pauta a discussão sobre a Participação nos Lucros e Resultados (PLR). Pelo acordo, os trabalhadores ativos receberão um adiantamento de R$ 4 mil a ser pago no dia 13 de novembro. A segunda parcela será quitada no dia 18 de março de 2016. Para o cálculo, serão usadas as mesmas regras de 2014, mas com as metas de 2015. Os desligados receberão o valor proporcional.

Na Fórmula R Indústria tem um ‘Gigante da Esperteza’. É um dedo-duro de primeira. Qualquer X9 fica no ‘chinelo’ com ele por perto. Toda vez que o sindicato conversa com os trabalhadores, o bonitão vai levar conversinha pro patrão. Vê se pode uma coisa dessa! Estamos de olho hein, língua solta!

Jornal O Ferramenta - Junho 2015/1  

Publicação do Sindicato dos Metalúrgicos de Catalão/GO

Advertisement