Page 1


CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC – CAMPUS SANTO AMARO FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO

FLAT PARA IDOSOS

“A MAIS NOVA OPÇÃO DE MORADIA EM MOEMA, ZONA SUL DE SÃO PAULO”

SÂO PAULO 2017 Benedicto Antonio Ponce Junior 1


Trabalho de conclusão de Curso, apresentado ao programa de Graduação, Centro Universitário SENAC – Campus Santo Amaro, como exigência para obtenção do Título de Bacharel em Arquitetura e Urbanismo

Orientação: Prof. Ricardo W. Alves Martins

SÃO PAULO

2017 2


LISTA DE FIGURAS:

Figura 1: Pirâmide etária absoluta .....................................................................................................................................................................................................21 https://www.google.com.br/search?biw=1366&bih=662&site=webhp&tbm=isch&sa=1&q=expectativa+de+vida+no+brasil&oq=expectativa+de+vida+no+brasil&gs_l=p sy-ab.12...1271109.1 .acessado em 31/05/2017

Figura 2: Taxa de natalidade no Brasil...............................................................................................................................................................................................22 https://www.google.com.br/search?q=numero+de+filhos+por+casal&site=webhp&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwiBu4u4nprUAhUMEZAKHX_GDPIQ_A UIDSgE&biw=1366&bih.acessado em 31/05 2017

Figura 3: Taxa de mortalidade por cada 1000 nascidos.....................................................................................................................................................................23 https://www.google.com.br/search?q=mortalidade+infantil+no+brasil&site=webhp&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwiyyveroprUAhVEiJAK HW65DnQQ_AUICigB&biw=1366&bih.acessado em 31/05/2017 Figura 4: Domicílios com saneamento adequado..............................................................................................................................................................................24 https://www.google.com.br/search?q=acesso+saneamento+basico+brasil&site=webhp&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwilu8vCqprUAhXJv ZAKHZfiDA4Q_AUICigB&biw=1366&b. acessado em 31/05/2017 Figura 5: Local do terreno.................................................................................................................................................................................................................46 Google Earth Pro, acessado em 31/05 2017 Figura 6: Local do terreno 3D............................................................................................................................................................................................................47 Google Earth Pro, acessado em 31/05 2017 Figura 7: Local do terreno 3D...........................................................................................................................................................................................................48 Google Earth Pro, acessado em 31/05 2017 3


Figura 8: Mapa de uso....................................................................................................................................................................................................................49 Autoria própria Figura 9: Mapa de zoneamento.....................................................................................................................................................................................................50 http://www.habitasampa.inf.br/theke/documentos/pmh/pmh_versao_outubro_2011_pdf/PMH_outubro_2011.pdf, acessado em 31/05 2017

Figura 10: Mapa de transporte púbico..........................................................................................................................................................................................52 https://www.google.com.br/maps/@-23.6043322,-46.6630494,16z?hl=pt-BR, acessado em 31/05 2017

Figura 11: Proximidade com hospitais..........................................................................................................................................................................................59 https://www.google.com.br/maps/@-23.6033783,-46.6524596,15.5z?hl=pt-BR.acessodo

acessado em 31/05 2017

Figura 12: esquema de construção de estacas..............................................................................................................................................................61 Autoria própria Figura 13: esquema de parede ventilada.................................................................................................................................................................68 http://techne17.pini.com.br/engenharia-civil/144/imagens/i101887.jpg

Figura 14: implantação ................................................................................................................................................................................................................69 Autoria própria

4


LISTA DE FOTOS:

Foto 1: Residencial santa catarina..................................................................................................................................................................................................30 https://www.google.com.br/search?q=residencial+santa+catarina+sp&site=webhp&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwjLs9770prUAhUSlpAKHdBQD MMQ_AUICygC&biw=1366&bih=662. Acessado em 31/05/2017 Foto 2: Cora residencial sênior........................................................................................................................................................................................................32 https://www.google.com.br/search?biw=1366&bih=662&site=webhp&tbm=isch&sa=1&q=residencial+cora&oq=residencial+cora&gs_l=psyab.3...292396.298198.0.301281.0.0.0.0.0.0.0.0..0.0....0...1.1.64.psy-ab..0.0.0.hsvmmuBpXQE#imgrc=7fUvin_96rxWPM: Acessado em 31/05/2017 Foto 3: Cooperativa Convivir.......................................................................................................................................................................................................33 https://www.google.com.br/search?biw=1366&bih=662&site=webhp&tbm=isch&sa=1&q=Cooperativa+Convivir+&oq=Cooperativa+Convivir+&gs_l=psyab.12...377723.380654.0.384139.0.0.0.0.0.0.0.0..0.0....0...1.1.64.psy-ab..0.0.0.Z1rP_vmI53M#imgrc=94pIX1jc4E0GRM: Acessado em 31/05/2017 Foto 4: Hotel Bourbon convention Ibirapuera ................................................................................................................................................................................36

https://www.google.com.br/search?biw=1366&bih=662&site=webhp&tbm=isch&sa=1&q=Hotel+Bourbon+Convention+Ibirapuera&oq=Hotel+Bourb on+Convention+Ibirapuera&gs_l=psy-ab.12...136565.138152.0.142066.0.0.0.0.0.0.0.0..0.0....0...1.1.64.psy-ab..0.0.0.5cQC03aTqXU. Acessado em 31/05/2017 Foto 5: Hotel Bourbon convention Ibirapuera ...............................................................................................................................................................................37

https://www.google.com.br/search?biw=1366&bih=662&site=webhp&tbm=isch&sa=1&q=Hotel+Bourbon+Convention+Ibirapuera&oq=Hotel+Bourbon+Conve ntion+Ibirapuera&gs_l=psy-ab.12...136565.138152.0.142066.0.0.0.0.0.0.0.0..0.0....0...1.1.64.psy-ab..0.0.0.5cQC03aTqXU. Acessado em 31/05/2017

5


Foto 6: Edifício Hiléa fachada ......................................................................................................................................................................................................39 http://www.rfm.com.br/wp-content/uploads/2013/07/hilea-stan-web-375x270.jpg Acessado em 31/05/2017

Foto 7: Edifício Hiléa perspectiva.................................................................................................................................................................................................39 http://aflalogasperini.com.br/wpcontent/uploads/2015/08/img_fotos_hilea_06.jpg

Acessado em 31/05/2017

Foto 8: Restaurante do SESC Interlagos.....................................................................................................................................................................................41

https://www.google.com.br/search?biw=1366&bih=662&site=webhp&tbm=isch&sa=1&q=+restaurante+SESC+INTERLAGOS&oq=+restaurante+SESC+INTERLAG OS&gs_l=psy-ab.12...278383.294555.0.297177.0.0.0.0.0.0.0.0..0.0....0...1.1.64.psy-ab..0.0.0.pxxsZKlMgJU#imgrc=wL_G97WK-4ZJRM: Acessado em 31/05/2017 Foto 9 a 13: Cozinha profissional do SESC Interlagos................................................................................................................................................................42 Autoria própria Foto 14: Cozinha profissional .......................................................................................................................................................................................................57

https://www.foodnewsfeed.com/sites/foodnewsfeed.com/files/sponsored_content/clean-your-restaurant-or-shut-it-down-restaurantcleaning-checklist.jpeg Acessado em 31/05/2017 Foto 15: Parede cortina: .............................................................................................................................................................................................................62

https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSwEjhNWUc2ZGEl_Ku6f32u3yyFIkoiPaxRaGnzHe7zXWW1_arf1g Acessado em out/2017 Foto 16: Elemento pré-moldado para parede cortina .................................................................................................................................................................63

https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRV_2OShOlKy_36VBZYSKllmJXcqdpzue6vc7x3ORIMuxbH2lAfGA Acessado em out/2017 Foto 17: Estrutura da laje protendida .........................................................................................................................................................................................64

https://assets.ntcbrasil.com.br/wp-content/uploads/2015/08/concreto-protendido-1.jpg Acessado em out/2017 Foto 18 : Placa cerâmica extrudada ...........................................................................................................................................................................................68 http://techne17.pini.com.br/engenharia-civil/176/imagens/i304330.jpg

6


TABELAS:

Tabela 1: Programa do flat...............................................................................................................................................................55 Autoria própria Tabela 2: Capacidade das salas de convenção: ............................................................................................................................58 Autoria própria Tabela 3: Áreas: ............................................................................................................................. ................................................59 Autoria própria Tabela 4: Outorga onerosa: ...........................................................................................................................................................59 Autoria própria Tabela 5: Tabela outorga onerosa: ................................................................................................................................................66 Autoria própria

7


DESENHOS:

Desenho 1: Perspectiva do entorno: ...................................................................................................................................................70 Autoria própria Desenho 2: Perspectiva realista: .........................................................................................................................................................71 Autoria própria Desenho 3: Implantação: ..................................................................................................................................................... ..............72 Autoria própria Desenho 4: Térreo ..............................................................................................................................................................................73 Autoria própria Desenho 5: Subsolo 1 ........................................................................................................................................................................74 Autoria própria Desenho 6: Subsolo 2 ........................................................................................................................................................................75 Autoria própria 8


Desenho 7: Subsolo 3 ........................................................................................................................................................................76 Autoria própria

Desenho 8: Mezanino ........................................................................................................................................................................77 Autoria própria Desenho 9: Andar tipo .......................................................................................................................................................................78 Autoria própria Desenho 10: Apartamento tipo ..........................................................................................................................................................79 Autoria própria Desenho 11: Andar superior ........................................................................................................... ...................................................80 Autoria própria Desenho 12: Cobertura ................................................................................................................... ...................................................81 Autoria própria Desenho 13: Cortes ............................................................................................................................... ............................................82 Autoria própria Desenho 14: Corte A-A ............................................................................................................................. .........................................83 Autoria própria Desenho 15: Corte B-B ......................................................................................................................................................................84 Autoria própria 9


Desenho 16: Corte C-C ......................................................................................................................................................................85 Autoria própria Desenho 17: Corte D-D ......................................................................................................................................................................86 Autoria própria Desenho 18: Vista frontal ...................................................................................................................................................................87 Autoria própria Desenho 19: Vista posterior ............................................................................................................................. ..................................88 Autoria própria Desenho 20: Vista lateral direita ........................................................................................................................................................89 Autoria própria Desenho 21: Vista lateral esquerda ...................................................................................................................................................90 Autoria própria

10


RESUMO

O projeto deste FLAT PARA IDOSOS está sendo elaborado, a partir da percepção da transição da estrutura etária no Brasil, um aumento significativo na expectativa de vida, na faixa etária de 65 anos, passará segundo o IBGE, de 7,4% (em 2013) para 25% (em 2060) do total da população, ocasionado pelo aumento do saneamento básico, pelo acesso à medicina com novas tecnologias, pela educação e pelo poder da escolha do tamanho família desejada. No Brasil há poucos projetos destinados a moradia de idosos, que proporcione um envelhecimento tranquilo, saudável, ativo e principalmente independente. Os hospedes não idosos tambem serão benvindos neste flat, principalmente pela excelente localização e a possibilidade de interação entre todos. Na concepção de ambientes apropriados e convidativos às atividades coletivas, qualidade de vida, o laser, o bem estar físico e psicológico, serão as diretrizes para moradores deste novo flat. Elaborado com fachada ativa, terá o restaurante, o centro de convenção e as lojas como elementos de ligação com o público externo, além de fonte de receita. Localizado no bairro de Moema, com grande diversidade de uso, estará servida de completa infraestrutura quanto ao transporte público, hospitais, parques, equipamentos culturais, comércio e serviços.

Palavras-chave: Flat; Melhor idade; Moradia. 11


ABSTRACT

The project of this FLAT FOR ELDERLY is being elaborated, based on the perception of the transition of the age structure in Brazil, a significant increase in the life expectancy, in the age group of 65, will pass according to IBGE, of 7.4% (in 2013 ) to 25% (in 2060) of the total population, due to the increase in basic sanitation, access to medicine with new technologies, education and the power to choose the desired family size. In Brazil, there are few projects for elderly people that provide a quiet, healthy, active and mainly independent aging. Non-elderly guests will also be welcome at this flat, mainly due to the excellent location and the possibility of interaction between all. In the design of appropriate environments and inviting collective activities, quality of life, laser, physical and psychological well-being, will be the guidelines for residents of this new flat. Elaborated with active facade, it will have the restaurant, the convention center and the stores as elements of connection with the external public, besides source of revenue. Located in the district of Moema, with great diversity of use, will be served full infrastructure regarding public transportation, hospitals, parks, cultural equipment, commerce and services.

12


SUMÁRIO

Sumário 1.

INTRODUÇÂO ........................................................................................................................ 14

2.

OBJETIVOS............................................................................................................................ 16

3.

O ENVELHECIMENTO NO SECULO XXI ............................................................................. 17

4.

FUNDAMENTAÇÂO O IDOSO E A FAMÍLIA: ...................................................................... 18

5.

JUSTIFICATIVA ..................................................................................................................... 21

6.

HOSPEDAGEM: ..................................................................................................................... 26

7.

METODOLOGIA ..................................................................................................................... 29

8.

ESTUDO DE CASO ................................................................................................................ 30

9.

LUGAR.................................................................................................................................... 47

10. PROGRAMA DO FLAT: ......................................................................................................... 56 11. MEMORIAL DESCRITIVO....................................................................................................56 12. PROJETO: .............................................................................................................................. 70 13. CONSIDERAÇÔES FINAIS..................................................................................................91 14. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA: ......................................................................................... 93

13


1.

INTRODUÇÃO

Ao passar dos anos, com o aumento do saneamento básico, dos recursos na medicina e conscientização da população com nescessidades da prática de atividades físicas, houve um aumento significativo na expectativa de vida do brasileiro. Aliado a isto, o tamanho médio da família brasileira está diminuindo, com as mulheres cada vez mais inseridas no mercado de trabalho, determinou uma mudança radical na estrutura familiar. Nesta nova configuração o idoso, ainda completamente ativo, começa a necessitar de atenção diferenciada, pois já estão se aposentando, com mais tempo livre para desfrutar esta nova fase. O idoso, na terceira idade, no século XX, marcou a importância de se estudar o processo de envelhecimento, que já se manifestava no século anterior. Dois fatores se destacam como fundamentais e determinantes para o surgimento da velhice. O primeiro consiste na formação de novos saberes médicos que investiam sobre o corpo envelhecido, se consolidando com o campo da geriatria e gerontologia. O segundo fator se refere ao surgimento das aposentadorias, uma vez que, a partir de meados do século XIX, a velhice começou a ser objeto do discurso de legisladores sociais, contribuindo para a criação de instituições específicas, como as caixas de aposentadoria para a velhice e a criação de instituições para acolher o idoso menos favorecido. Alguns idosos menos pobres eram mantidos pelas próprias famílias com algum auxílio do governo e outros considerados incapazes eram confinados em asilos, paróquia ou outras modalidades da administração pública que serviam ao mesmo tempo de hospitais, de asilo psiquiátrico, casas para velhos, etc. Durante muito tempo, o termo asilo associou-se à imagem de idosos pobres, da velhice carente, se configurando um elemento importante na construção da imagem da velhice. Entretanto, a generalização das aposentadorias em idades cada vez mais reduzidas e o aumento da expectativa de vida nos países desenvolvidos, fez surgir um grupo cada vez maior de aposentados, contribuindo para a desconstrução da imagem da velhice associada à velhice doentia, marginalizada e dependente. Outros fatores se destacam como fundamentais para o surgimento da categoria terceira idade: o discurso da gerontologia e a cultura do consumo. 14


A gerontologia se mostrou engajada na criação de uma nova identidade para a velhice, passando a estimular a adoção de um novo estilo de vida da terceira idade, divulgando os benefícios que seriam decorrentes do engajamento dos sujeitos nesse ‘novo modo de envelhecer’ (SILVA, 2008). Desse modo, essa categoria foi criada para dar lugar a uma nova identidade da velhice, para justificar a crise da sociedade com o envelhecimento populacional, que éra considerado como “fração improdutiva”, sendo ressignificada como grandes consumidores, portanto, “de melhor idade”. Os interesses da cultura do consumo e da indústria do envelhecimento também se constituíram como uma força importante por trás da emergência da noção de terceira idade. É nessa perspectiva que se insere o termo terceira idade, que extrapola os aspectos biológicos (FEATHERSTONE; HEPWORTH,1995, apud SILVA, 2008). Análise de políticas sociais para idosos no Brasil: um estudo bibliográfico p. 50 www.unifoa.edu.br/cadernos/ojs. Esta situação contribuiu para o surgimento do que convencionamos denominar de terceira idade, substituindo os termos de tratamento da velhice, o discurso da gerontologia social e os interesses da cultura do consumo (SILVA, 2008). O termo Terceira Idade surge na França, no final dos anos de 1960, com o objetivo de expressar uma nova realidade de velhice, não mais associada a tempo de vida marcado pela miséria, doença e decadência, mas um tempo de atividades desligadas da vida profissional e família, um tempo específico de lazer, em que novos valores coletivos são elaborados (PEIXOTO, 1998). A partir da década de 1970, a velhice começa a se tornar uma questão de maior visibilidade social, a partir do próprio discurso do campo da gerontologia e pelas mudanças no perfil demográfico com aumento do número de idosos.

15


2.

OBJETIVOS

Elaborar um projeto de um flat para idosos, porque a “casa” que viveu a vida inteira já não serve mais: grande, trabalhosa e na maior parte do tempo, vazia, já que filhos e netos andam ocupados demais para se demorar em visitas. Um lar feito especialmente para quem tem mais de 60 anos, é uma alternativa de moradia adequada para esta faixa etária, com projeto totalmente acessivel. Promover a conveniência do viver em comunidade; quando se está em idade avançada, são muitas. Uma delas é evitar o aparecimento da depressão, um transtorno mental que afeta a autoestima de ambos os sexos e faz com que a pessoa se sinta triste e desmotivada. A oportunidade de conhecer novas pessoas é mais um benefício A operacionalização deste empreendimento, será feito através da criação de uma cooperativa, onde seus membros serão os proprietários das unidades habitacionais. Caberá a esta cooperativa o investimento inicial, bem como sua gestão administrativa. Com a renda proveniente do restaurante, salas de convenções, lojas e estacionamento será utilizada na composição dos lucros / custos operacionais do flat. 16


3.

O ENVELHECIMENTO NO SECULO XXI

O envelhecimento é um tema que durante toda a história da humanidade apresentou grandes desafios e está adquirindo cada vez mais importância pelo aumento do percentual populacional que se encontra na faixa etária designada “idosa”. O Brasil deve estar preparado para as transformações do envelhecimento que serão enfrentadas pelas famílias e pela sociedade por trazer consequências na organização social, econômica e política do Brasil. A definição contemporânea, em que os idosos percebem o seu potencial para o bem-estar físico, social e mental ao longo do curso da vida; buscando alternativas no seu dia a dia; com independência e plena capacidade funcional, trabalhando, estudando, divertindo, viajando, buscando novas culturas e participando da sociedade. A realidade demográfica atual exige do poder público uma reestruturação construindo pontes para ultrapassar essa etapa, aliada ao avanço da medicina e ações preventivas para a promoção de um envelhecimento bem-sucedido e participativo na sociedade. Acredita-se que neste século serão rompidos barreiras e paradigmas, com novas conquistas de idosos empreendedores e ativos nos principais cargos de poder. Planejamento estratégico e operacional das políticas públicas que proporciona à população um envelhecimento com qualidade no presente e no futuro XXI este século traz mudança de paradigmas com relação ao envelhecer, as pessoas serão idosas por um período cada vez maior de suas vidas, e, portanto, terão condições de produzir até uma idade bem mais avançada.

17


4.

FUNDAMENTAÇÂO O IDOSO E A FAMÍLIA:

O instrumental jurídico brasileiro se atém na família nuclear (unidade constituída pelo par heterossexual e seus filhos dependentes), ao estabelecer, na Constituição, que os filhos maiores têm o dever de ajudar e amparar os pais na velhice e que os programas de apoio aos idosos devem se dar, de preferência dentro de seus domicílios. É dos filhos que todos esperam cuidados e amparo na velhice, garantindo sobrevivência e bem estar. O ambiente familiar pode determinar as características e o comportamento do idoso, assim, na família suficientemente sadia, onde se predomina uma atmosfera saudável e harmoniosa entre as pessoas, possibilita o crescimento de todos, incluindo o idoso, pois todos possuem funções, papéis, lugares e posições e as diferenças de cada um são respeitadas e levadas em consideração. Em famílias onde há desarmonia, falta de respeito e não reconhecimento de limites, o relacionamento é carregado de frustrações, com indivíduos deprimidos e agressivos. Essas características promovem retrocesso na vida das pessoas, o idoso torna-se isolado socialmente e com medo de cometer erros e ser punido (ZIMERMAN, 2000). A família representa para esses idosos, um fator que influencia significativamente a sua segurança emocional (MENDES, et al, 2005). A solidariedade entre gerações na família, longe de ser dada, envolve um processo de construção de formas de relacionamento e trocas afetivas. 18


Até pouco tempo, tratar da velhice na sociedade industrializada, era traçar um quadro onde os idosos, antes vistos como membros respeitados na família e comunidade com sua sabedoria e experiência, se transformou em um peso para a família e o Estado. O preconceito na sociedade moderna condenou os idosos a uma existência sem significado. Nesse contexto fundou-se a gerontologia. A interação entre os idosos é capaz de minimizar ou mesmo negar os inconvenientes trazidos pela velhice. O ideal de autonomia representado pela recusa dos pais idosos em morar com o filhos, quando estão bem de saúde e independentes financeiramente é algo que já acontece a muito tempo. E essa tendência dos idosos morarem sós não tem que ser percebida como reflexo de um abandono por parte de seus familiares, isso pode significar um novo tipo de arranjo, a “intimidade a distância”. A intimidade a distância não impede que as relações familiares sejam fundamentais na assistência ao idoso e nas expectativas em relação ao processo de envelhecimento. Em estudo realizado com idosos em domicílio, foi constatado que quando a qualidade afetiva em relação à família foi ótima (14 idosos) e boa (46 idosos), os idosos tiveram um menor grau de dependência emocional e atividades de lazer, em contraposição aos idosos que avaliaram como regular (16 idosos) e péssima (1 idoso) a qualidade afetiva em relação à família, os quais tiveram aumento substancial no grau de dependência emocional (MENDES, et al, 2005). O convívio em sociedade permite a troca de carinho, experiências, idéias, sentimentos, conhecimentos, dúvidas, além de uma troca permanente de afeto. O idoso necessita estar engajado em atividades que o façam sentir-se útil. Mesmo quando possui boas condições financeiras, o idoso deve estar envolvido em atividades ou ocupações que lhe proporcionem prazer e felicidade. A atividade em grupo é uma forma de manter o indivíduo engajado socialmente, onde a relação com outras pessoas contribui de forma significativa em sua qualidade de vida (MENDES, et al, 2005). A segregação espacial do idoso é defendida como a solução mais adequada para um envelhecimento bem sucedido, permitindo uma ampliação na sua rede de relações sociais , o aumento do número de atividades desenvolvidas e da satisfação na velhice. Redes de solidariedade, de troca de afeto são desenvolvidas de maneira intensa e gratificante, promovendo uma

19


experiência de envelhecimento positiva, mesmo para aqueles que não tem vinculo com seus filhos e parentes. Uns ajudam os outros mantendo a independência de cada um, evitando assim a institucionalização. Com frequência os meios de comunicação exibem cenas dramáticas de desrespeito à dignidade humana nas instituições para idosos, em sua grande maioria são precários abrigando no mesmo espaço doentes mentais e idosos com graus distintos de dependência funcional. As novas formas de sociabilidade na velhice não deveriam ser pensadas como substitutas das relações familiares, mas sim como um novo tipo de relação. O fato de os idosos viverem com os filhos não é garantia de presença de respeito e prestigio nem da ausência de maus-tratos. As denuncias de violência contra idosos aparecem em grande escala na própria residência, na maioria dos casos pelos próprios filhos e outros parentes. Um modo de evitar a dependência em relação aos filhos, a perda da estima na família, o desprezo e a solidão é uma aposentadoria digna. Considerar a família a garantia “natural” da sobrevivência e bem estar do idoso é obrigá-la a assumir um leque enorme de deveres, ao mesmo tempo, impedir que investimentos financeiros sejam acionados na construção de outros formatos institucionais capazes de tratar a velhice com dignidade.

20


5.

JUSTIFICATIVA

Os fatores determinantes do envelhecimento, a nível da população de um país, são, fundamentalmente, ditados pelo comportamento de suas taxas de fertilidade e, de modo menos importante, de suas taxas de mortalidade. Para que uma população envelheça, é necessário, primeiro, que haja uma queda da fertilidade; um menor ingresso de crianças na população faz com que a proporção de jovens, na mesma, diminua. Se, simultânea ou posteriormente, há também uma redução das taxas de mortalidade (fazendo com que a expectativa de vida da população, como um todo, torne-se maior), o processo de envelhecimento de tal população torna-se ainda mais acentuado. Tal processo é dinâmico, estabelece-se em etapas sucessivas e é, comumente, conhecido como "transição epidemiológica”. Assim na projeção estimada para a faixa etária de 65 anos, passará de 7,8% para 25% do total da população.Com esta configuração etária, os idosos percebem seu potencial para o bem estar fisico, social e mental ao longo do curso de sua vida, buscando alternativa no seu dia a dia, com independencia e plena capacidade individual, trabalhando, estudando, divertindo, viajando, buscando novas culturas e participando da sociedade. 21


Figura 1 https://www.google.com.br/search?biw=1366&bih=662&site=webhp&tbm=isch&sa=1&q=expectativa+de+vida+no+brasil&oq=expectativa+de+vida+no+brasil&gs_l=psyab.12...1271109.1 .acessado em 31/05/2017

22


Figura 2 https://www.google.com.br/search?q=numero+de+filhos+por+casal&site=webhp&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwiBu4u4nprUAhUMEZAKHX_GDPIQ_AUIDSgE& biw=1366&bih.acessado em 31/05 2017

23


Figura 3 https://www.google.com.br/search?q=mortalidade+infantil+no+brasil&site=webhp&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwiyyveroprUAhVEiJAKHW65D nQQ_AUICigB&biw=1366&bih.acessado em 31/05/2017

24


Figura 4 https://www.google.com.br/search?q=acesso+saneamento+basico+brasil&site=webhp&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwilu8vCqprUAhXJvZAKHZfi DA4Q_AUICigB&biw=1366&b. acessado em 31/05/2017 25


6.

HOSPEDAGEM:

Hotel: 1 a 5 estrelas

Estabelecimento com serviço de recepção, alojamento temporário, com ou sem alimentação, ofertado em unidades individuais e de uso exclusive dos hospedes, mediante cobrança de diárias. Resort: 4 a 5 estrelas

Hotel com infraestrutura de laser e entretenimento que disponha de serviço de estética, atividades físicas, recreação, e conviveo com a natureza no proprio enpreendimento. Hotel fazenda: 1 a 5 estrelas

Localizado em ambiente rural, dotado de exploração agropecuaria, que ofereça entretenimento e vivência do campo. 26


Cama e café: 1 a 4 estrelas

Hospedagem em residência com no máximo tres unidades habitacionais para uso turístico, com serviço de café da manha e limpeza, na qual o possuidor do estabelecimento resida. Hotel histórico: 3 a 5 estrelas

Instalado em edificação preservada em sua forma original ou restaurada, ou ainda que tenha sido palco de fatos históricosculturais de importância reconhecida. Pousada: 1 a 5 estrelas

Empeendimento de característica horizontal composto por no máximo 30 unidades habitacionais e 90 leitos, com serviço de recepção, alimentação, alojamento temporário, podendo ser um prédio único de até tres pavimentos ou contar com chales ou bangolôs. Flat / Apart-hotel: 3 a 5 estrelas

Construido por unidades habitacionais que disponham de dormitório, banheiro, sala e cozinha equipada, em edifício com admistração e comercialização integrada, que possua serviço de recepção, limpeza e arrumação. Os hotéis residência tambem, conhecidos como apart-hotéis e flats tem como clientes-alvo pessoas que, tendo que permanecer em um determinado local relativamente longo, embora insuficiente para estabelecer domicílio, necessitam de acomodações com dimenções e outras condições que o hotéis normalmente não conseguem proporcionar a preços que possam 27


pagar. Outros clientes em potencial

são moradores permanentes da cidade (casais idosos ou sem filhos, por exemplo ) que

podem pagar pelas acomodações e pelos serviços e preferem ficar liberados das responsabilidades e rotinas domésticas. Os hotéis residência oferecem apartamentos com área total pouco maior do que os apartamentos standart dos hotéis e tem característica que os aproximam dos apartamentos residênciais comum. Em vez do vestíbulo de entrada com armários, quarto de dormir e banheiro, os apartamentos dos hotéis residência costumam apresentar pequenas salas de estar com quitinete, hall de distribuição, banheiro e quarto. Outra característica que os distingue dos demais hotéis é a oferta de alguns serviços restritos: recepção limpeza, troca e lavagem de roupas de cama e café da manhã, servido no proprio apartamentos com tarifa diferenciada ou no restaurante em funcionamento no prédio. Essas características originais dos hotéis residência vem se alterando nos últimos anos, e alguns dos novos empreendimentos do gênero vem adquirindo grau de sofisticação e complexidade que os tornam cada vez mais semelhantes aos demais hotéis. Seus apartamentos resumem-se ao conjunto vestíbulo-quarto-banheiro, em nada difernciado dos apartamentos de hotéis. Isso porque muitos desses flats constituem uma nova forma de fazer um hotel. Se muitos ( ou quase todos os ) hotéis residência surgiram da convergência de dois fatores existência de um público-alvo necessitado de moradias temporário com alguns serviços

a preços razoáveis e investidores desejosos de alternativas para escapar da lei do inquilinato, mais

recentemente, um terceiro fator veio a se juntar aos dois primeiros. Tendo em vista as dificuldades para a obtenção de financiamentos a fim de atender ao aumento da demanda por meio de hospedagens, muitos dos empreendimentos imobiliários lançados como flats, são na verdade hotéis, porque são operados como tais, todas as unidades reunidas em um pool de locação. A diferença está na composição acionária pulverizada entre os varios pequenos e médios investidores, que adquirem unidades e as colocam à serviço de uma admistração centralizada. 28


7.

METODOLOGIA

Com o envelhecimento da população, torna-se necessário uma moradia mais adequada nesta fase . A busca pelo prazer da convivência com pessoas nas mesmas condições e vontades, foram o ´´norte``, na procura de repertório com proposição dos melhores exemplos que em um ambiente urbano, altamente adensado, como São Paulo, poderia oferecer para as pessoas, na terceira idade, que gostariam da manutenção do poder da livre escolha, em todos os aspecto de sua vida, inclusive onde, com quem e quando morar. Com a finalidade de levantar informações para a elaboração do Projeto do Flat para Idosos foram feitos estudos de casos funcionais, com visita ao Cora Residencial Sênior, edifício Hiléa, ao Residencial Santa Catarina e pesquisa sobre a Cooperativa Convivir (Espanha). No intuito de verificar, que tipo de moradia esta sendo ofertada, para melhorar e adequar à população mais idosa. Para o lado projetual, foram feitas visitas no Bourbon Convention Flat Hotel e as instalações do restaurante (cozinhas) do SESC Interlagos, para verificar o melhor layout na relação do habitáculo com o complexo construido. Foi utilizada vasta referência bibliográfica para aquisição de conhecimento necessário, mais adequado para esta faixa etária, com as devidas adaptações.

29


8.

ESTUDO DE CASO

Residencial Santa Catarina

Inaugurado em 04 de julho de 2000 e pertencente à Associação Congregação de Santa Catarina, presente no Brasil há 100 anos, o residencial possui privilegiada localização na região da avenida Paulista, polo de maior concentração de clinicas, hospitais, centros de laser e cultura da cidade. Sendo o primeiro flat planejado para a terceira idade, o residencial conta com serviço profissional de alto nível, exigida por esta categoria. Um mix completo de residencial e hotelaria com infraestrutura de atendimento de clientes em tratamento médico. Este residencial mostrou que, quando bem equalizada a localização, o serviço prestado e o cuidado desprendido nos detalhes da edificação, garantiu o sucesso deste empreendimento.

30


Foto 1 Fachada do residencial Sta Catarina https://www.google.com.br/search?q=residencial+santa+catarina+sp&site=webhp&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwjLs9770prUAh USlpAKHdBQDMMQ_AUICygC&biw=1366&bih=662. Acessado em 31/05/2017

31


Cora Residencial Senior

Instituição criada por um grupo de investidores, conta hoje com seis unidades localizadas em bairros bem estruturados em São Paulo. Todas as unidades contam com suites abrigando um, dois, tres ou quatro clientes por quarto, tem serviço de alimentação terceirizado, lavanderia terceirizada, área de convivencia e integração entre os hospedes, os hospedes são mantidos na unidade sob cuidados médicos, cuidadores, nutricionistas, fisioterapeutas, etc. Neste residencial, minha percepção durante a visita, foi como uma familia munida de posses, poderia dar um destino confortável a seus parentes, mas com clara falta de afetividade no dia a dia. Para o grupo de investidores mais um negócio adequado, mas apenas um negócio, aproximando-se de um hospital, munido somente de serviços básicos.

32


Foto 2 espaรงo de convivencia do Cora residencial https://www.google.com.br/search?biw=1366&bih=662&site=webhp&tbm=isch&sa=1&q=residencial+cora&oq=residencial+cora&gs_l=psyab.3...292396.298198.0.301281.0.0.0.0.0.0.0.0..0.0....0...1.1.64.psy-ab..0.0.0.hsvmmuBpXQE#imgrc=7fUvin_96rxWPM: Acessado em 31/05/2017

33


Cooperativa Convivir (Espanha)

São moradias criadas e administrada pelos próprios idosos, que decidem entre amigos como e onde querem viver sua aposentadoria. Os apartamentos pertencem a uma cooperativa, mas podem ser deixados de herança para os filhos. Na Espanha, há oito projetos construídos e vários em gestação. Esta percepção que os anos estão passando, com a manutenção do poder de escolha, faz toda a diferença na vida . Poder juntar um grupo de amigos, escolher um lugar para morar (o FLAT), provido de toda infraestrutura necessária, com total acessibilidade, com atividades e facilidades que ajudem na manutenção do bem estar.

34


Foto 3 fachada da cooperativa Convivir https://www.google.com.br/search?biw=1366&bih=662&site=webhp&tbm=isch&sa=1&q=Cooperativa+Convivir+&oq=Cooperativa+Convivir+&gs_l=psyab.12...377723.380654.0.384139.0.0.0.0.0.0.0.0..0.0....0...1.1.64.psy-ab..0.0.0.Z1rP_vmI53M#imgrc=94pIX1jc4E0GRM: Acessado em 31/05/2017

35


Hotel Bourbon Convention Ibirapuera:

Estudo de caso para aquisição de conhecimento quanto a tipologia e disposição dos quartos e sua distribuição no andar tipo. Pode-se analisar toda a área operacional, incluindo governança, lavanderia e cozinha que servirá o restaurante e salas de convenção. No lobby de entrada que se dá a segregação do hospede do hotel, do usuário do restaurante e café bar (hospede ou não hospede) e salas de convenção (hospede ou não hospede). Houve a oportunidade de conhecer o sistema de divisórias moveis, operado por apenas um funcionário, utilizadas nas salas de convenção, que garante a flexibilidade de uso, ora um grande salão, ora várias salas de diferentes dimensões, conforme a conveniência das locações.

36


Fotos 4 Hotel Bourbon convention Ibirapuera https://www.google.com.br/search?biw=1366&bih=662&site=webhp&tbm=isch&sa=1&q=Hotel+Bourbon+Convention+Ibirapuera&oq=Hotel+Bour bon+Convention+Ibirapuera&gs_l=psy-ab.12...136565.138152.0.142066.0.0.0.0.0.0.0.0..0.0....0...1.1.64.psy-ab..0.0.0.5cQC03aTqXU. Acessado em 31/05/2017

37


Fotos 5

sentido horรกrio Restaurante, Piscina coberta, Suite do hotel Bourbon, Academia. https://www.google.com.br/search?biw=1366&bih=662&site=webhp&tbm=isch&sa=1&q=Hotel+Bourbon+Convention+Ibirapuera&oq=Hotel+Bourbon+Conv ention+Ibirapuera&gs_l=psy-ab.12...136565.138152.0.142066.0.0.0.0.0.0.0.0..0.0....0...1.1.64.psy-ab..0.0.0.5cQC03aTqXU. Acessado em 31/05/2017

38


Edifício Hiléa:

Premissas iniciais: Localizado no bairro residencial do Morumbi, próximo ao eixo da Av. Giovanni Gronchi e do Shopping Jardim Sul, o Hiléa foi projetado para ser um complexo dirigido a pessoas da terceira idade, integrando as funções de residencial com serviços, clínica médica e clube, com especialização em pessoas com mal de Alzheimer. O projeto explora uma combinação de volumes sobrepostos, em que o grande volume horizontal é reservado para os espaços de convivência e um volume vertical, sobreposto a esse, é destinado aos quartos privados. Na cobertura, uma proposta de espaço diferenciado para a UTI, com grandes janelas voltadas para um jardim, permite que o paciente internado tenha contato com o exterior. Em 2009: O único centro de vivência para idosos da capital com qualidade de hotel cinco estrelas e acompanhamento médico permanente deve fechar as portas. O Hiléa, na zona sul de São Paulo, cobrava mensalidades a partir de R$ 6 mil e, em abril, passou a incentivar os moradores a procurar outros centros. As famílias pretendem entrar com ação em órgãos de defesa do consumidor contra os proprietários, que dizem não ter mais dinheiro para manter o local. Hoje, há 17 idosos no centro (a instituição tem 119 quartos). Por nota, os proprietários informaram que o projeto "está em tratativas comerciais avançadas visando à venda do empreendimento". Eles alegam que a necessidade de investimento foi maior do que a prevista, inviabilizando o negócio. Para sustentar a instituição, seria preciso gastar mensalmente R$ 500 mil. O Hiléa surgiu em dezembro de 2007, por meio de uma parceria entre seus idealizadores uma equipe de médicos e administradores - e um grupo de investidores - Stan Desenvolvimento Imobiliário, Illan Participações, RFM Construtora, Partage, ligada ao grupo Aché, e dois fundos de private equity. 39


Foto 6

foto 7

http://www.rfm.com.br/wp-content/uploads/2013/07/hilea-stan-web-375x270.jpg

http://aflalogasperini.com.br/wpcontent/uploads/2015/08/img_fotos_hilea_06.jpg

acessado em 29/10/2017

acessado em 29/10/2017

Hoje:

Um dos mais sólidos exemplos de acessibilidade e conforto voltado à terceira idade é o Hiléa, um condomínio de alto padrão que ofereceu entre 2007 e 2009 condições de moradia permanente, com serviços que iam da recreação a uma UTI de última geração. Hoje, as instalações do Hiléa abrigam o Hospital Lucy Montoro para o atendimento de pacientes com necessidade de tratamento intensivo e sequencial. O empreendimento comprado em 2010 pelo Governo do Estado de São Paulo 40


SESC INTERLAGOS:

Visita ao restaurante e cozinha do sesc interlagos, onde pode-se observar toda a rotina e procedimentos adotados desde o recebimento de gêneros alimentícios, verificação, conferencia, separação, armazenagem e limpeza. Os controles fito sanitários, de acordo com as normas municipais, estaduais e federais e as boas práticas de nutrição, em ambiente totalmente equipado para o fornecimento de até 2200 refeições por dia. Quando comparado com o livro “Cozinhas profissionais” da professora arquiteta Renata Zambon Monteiro, pode-se verificar na prática, a aplicação da teoria, do melhor layout na montagem de cozinha neste porte, com os fluxos mais racionais, evitando contaminação cruzada e com uso de equipamentos de última geração permitindo grande produção, com excelente produtividade, na entrega das refeições.

41


Foto 8 Restaurante do SESC Interlagos https://www.google.com.br/search?biw=1366&bih=662&site=webhp&tbm=isch&sa=1&q=+restaurante+SESC+INTERLAGOS&oq=+restaurante+SESC+INTERLA GOS&gs_l=psy-ab.12...278383.294555.0.297177.0.0.0.0.0.0.0.0..0.0....0...1.1.64.psy-ab..0.0.0.pxxsZKlMgJU#imgrc=wL_G97WK-4ZJRM: Acessado em 31/05/2017

42


Foto9

foto 10

Foto 12

foto 11

foto 13

Foto 9 a 13: Cozinha profissional do SESC Interlagos Autoria prรณpria

43


Destaques observados dos estudos de caso, absorvidos no meu projeto:

Residencial Santa Catarina: Localização (proximidade com redes de assistência médica, e boa infraestrutura no transporte público)

Cora Residencial Sênior:

Arranjo na área de convivencia, estimulando a integração entre os hóspedes

Cooperativa Convivir (Espanha):

Sistema cooperativista, tem a finalidade de somar esforços para atingir objetivos comuns, que beneficiem a todos. Nestas condições reúne-se um grupo de pessoas interessadas na construção do flat para idosos, como investimento, ou para seu proprio uso, onde cada proprietário (cooperado), participará das diretrizes e gestão deste empreendimento, visando o custo operacional baixo, com excelência na prestação dos serviços propostos, aos seus moradores e tambem ao público externo flutuante. Pela sua localização e infraestrutura existente na proximidade, este flat não será exclusivo para idosos, mas terá em suas instalações tudo o que o público da melhor idade almeja nesta fase de sua vida. 44


Hotel Bourbon Convention Ibirapuera:

Localizado na mesma região, pode-se observar o potencial de exploração de salões de convenção, pela proximidade de aeroporto e sistemas de transporte público, assim como a hospedagem no proprio flat. Nesta condição o mezanino será reservado para este uso, contribuindo como uma das fontes de receita para o empreendimento. Outro quesito observado esta no adensamento dos habitáculos, procurando a melhor relação entre área construída, facilidade de serviços, custo operacional, etc..

Edifício Hiléa: Pude observar a importância da concepção de um edifício / espaço para este público específico, quanto a hospedagem, mas o conceito da inclusão de serviços hospitalares neste empreendimento inviabilizou sua continuidade. Neste contexto vi a importância da localização do FLAT próximo de vasta rede hospitalar, a ser utilizada quando necessário.

Sesc Interlagos:

Como o restaurante no térreo, será mais um elemento de renda para o empreendimento, tornei o restaurante da unidade do sesc Interlagos, recentemente modernizado, como inspiração na busca da excelência com as melhores práticas da boa alimentação, no sentido nutricional, bem como produtivo, que será utilizado pelos hóspedes quando desejarem, à preços convidativos, e ainda pelo público externo à preços de mercado. 45


46


9.

LUGAR

Terreno localizado em Moema, na av. Ibirapuera x rua Chibaras, prรณximo da igreja de nossa senhora Aparecida e shopping Ibirapuera

Figura 5 Local do terreno Google Earth Pro, acessado em 31/05 2017 47


Figura 6 Local do terreno 3D Google Earth Pro, acessado em 31/05 2017 48


Figura 7 Local do terreno curvas de nĂ­vel Google Earth Pro, acessado em 31/05 2017

49


Diversidade de uso Bairro diversificado em relação ao uso, onde se encontra comércio, serviços, centros culturais, shopping center, parques, junto a moradias verticalizadas.

Figura 8: Mapa de uso

autoria própria 50


Figura 9 Mapa de zoneamento PMSP 51


52


Proximidade de transporte público

Bairro bem servido com transporte público, sendo 32 linhas do ônibus e 2 futuras estações do metro

Figura10 linhas de ônibus na av. Ibirapuera https://www.google.com.br/maps/@-23.6043322,-46.6630494,16z?hl=pt-BR 53


Proximidade com hospitais

Figura 11 Proximidade com hospitais. https://www.google.com.br/maps/@-23.6033783,-46.6524596,15.5z?hl=pt-BR.acessodo

acessado em 31/05 2017

54


Topografia favorável à caminhada

Bairro propício a deixar de lado o transporte motorizado, permitindo novas sensações e descobertas, possíveis somente no andar á pé, desfrutando a diversidade presente.

Proximidade à parques

A proximidade com o parque das bicicletas e o parque do Ibirapuera traz uma enorme qualidade de vida , a arborização nas ruas e avenidas, colaboram com a diminuição da temperatura e poluição nesta região da cidade.

55


10.

PROGRAMA DO FLAT:

Tabela 1: Programa do flat Autoria prรณpria

56


11.

MEMORIAL DESCRITIVO:

Funcionalidade: Neste projeto, foi colocado como premissa básica a facilidade e estimulo da convivencia entre seus ocupantes, com a elaboração da sala de convivência em todos os andares, junto ao átrio, elemento que faz a ligação física e visual de todos os andares,

Pavimento superior: Um salão multiuso, apropriado para cursos de artesanatos, gastronômicos, e até festas promovidas pelo próprios hospedes/moradores, além de uma academia devidamente equipada, solarium com piscina, horta orgânica e tambem um orquidário localizado sob o pergolado.

Pavimento térreo: No lobby localiza-se um café bar, sala de informática, restaurante, salão de beleza, agencia de turismo e uma farmácia, todos pertencentes e administrado pela própria cooperativa.

O restaurante: Criado para servir os hospedes, com preço diferenciado, e tambem o público externo. Com capacidade para servir até 500 refeições por período, instalado em grande salão, no muro na divisa será instalado um jardim vertical sob um pergolado criando assim a 57


ambientação deste espaço. Para a preparação de todas as refeições será criado uma cozinha profissional com o melhor da técnica do preparo, com grande produtividade no máximo de cuidados com higiene alimentares evitando assim a contaminação cruzada.

Foto 14 cozinha profissional https://www.foodnewsfeed.com/sites/foodnewsfeed.com/files/sponsored_content/clean-your-restaurant-or-shut-it-down-restaurantcleaning-checklist.jpeg acessado em 20/10/2017 58


Pavimento mezanino:

Tres salões (M1, M2, M3) para convenções com possibilidade de diversos arranjos, com equipamentos áudio visuais e serviços pertinentes a estes eventos.Com acesso pelo lobby principal, do térreo, através da escada monumental, confeccionada em vidro, ou por elevadores panorâmicos. Capacidade e arranjos nas salas de convenção ( mezanino ) M1 M2 M3 foyer

ÁREA PÉ DIREITO AUDITÓRIO m² m pessoas 294,00 3,70 368 212,00 3,70 265 59,78 3,70 75 166,4 3,70

ESCOLA pessoas 184 133 37

U COQUETEL BANQUETE pessoas pessoas pessoas 245 235 133 177 170 96 50 48 27 133

Tabela 2: capacidade das salas de convenção (Autoria própria) Localização Av, Ibirapuera x av, Chibaras, moema São Paulo

Parâmetros de ocupação do terreno: ZEU zona eixo de estruturação e transformação urbana Coeficiente de aproveitamento C.A.= 4,0 Taxa de ocupação Recuo lateral Área do terreno

T.O.= 0,7 = 3,0 m A= 1.977 m² 59


Térreo Mezanino Andar tipo Apto tipo Andar superior Sub-solo TOTAIS

Tabela de áreas ( m² ) TOTAL área computável área não computável 999,00 fachada ativa 999,00 999,00 898,30 898,30 898,30 899,00 x10 pavimentos 8990,00 8990,00 32,20 346,33 346,33 346,33 1288,50 x3 pavimentos 3865,50 3865,50 15099,13 10234,63 4864,50

Tabela 3: áreas (Autoria própria)

A Outorga onerosa do direito de construir é um dispositivo que reconhece a separação entre o direito de propriedade e o direito construtivo, e atribui ao poder público a propriedade sobre os direitos construtivos e a faculdade de vendê-los àqueles que desejarem exercê-la na propriedade urbana.

Outorga onerosa ( O.O. ) coef. De aproveitamento C.A.

4

área do terreno (m²)

1977,00

direito de construir (m²)

7908,00

área computável construída (m²)

área a ser paga via O.O. (m²)

10234,63

2326,63

Tabela 4: outorga onerosa (Autoria própria) 60


Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano Departamento Técnico de Uso de Solo - DEUSO Outorga Onerosa do Direito de Construir

Subprefeitura Distrito

PI

MB IQ G LA SE CV ST PA VM MO BT PA MO IQ AD PE LA PR PI PJ EM BT

Situação do Estoque Total de Comprometido estoque m² m²

JD PAULISTA JD SÃO LUIS JOSE BONIFACIO LAJEADO LAPA LIBERDADE LIMÃO MANDAQUI MARSILAC MOEMA MOOCA MORUNBI PARELHEIROS PARI PARQUE DO CARMO PEDREIRA PENHA PERDIZES PERUS PINHEIROS PIRITUBA PONTE RASA RAPOSO TAVARES

60.000,00 80.000,00

47.642,74 11.172,66

Disponível m²

12.357,26 68.827,34

80.000,00 3.128,00 76.872,00 5.000,00 0,00 5.000,00 75.000,00 74.999,76 0,24 25.000,00 24.951,06 48,94 15.000,00 14.998,59 1,41 90.000,00 44.759,07 45.240,93 0,00 0,00 0,00 190.000,00 78.018,77 111.981,23 160.000,00 159.997,97 2,03 30.000,00 29.998,48 1,52 0,00 0,00 0,00 80.000,00 10.116,42 69.883,58 10.000,00 0,00 10.000,00 10.000,00 197,12 9.802,88 150.000,00 10.611,82 139.388,18 230.000,00 141.236,92 88.763,08 10.000,00 320,70 9.679,30 120.000,00 39.610,59 80.389,41 60.000,00 52.282,88 7.717,12 15.000,00 4.711,37 10.288,63 0,00

0,00

0,00

Tabela 5: estoque de outorga onerosa do direito de construir PMSP acessado em 20/10/2017 61


Proprietário: Cooperativa dos proprietários do Flat

Preliminares: Aprovação do projeto legal junto a PMSP, limpeza do terreno, colocação de tapume, contratar empresa para análise do solo, escavação do sub solo.

Fundação: Estaca de concreto moldado in loco, hélice continua.

Figura12: esquema de construção das estacas http://www.construplena.com.br/sistemas/geral/noticia/fotos/001022012084201.jpg acessado em 20/10/2017 62


Parede cortina pré moldada é alternativa para obras de contenção de escavações profundas.

Foto 15: parede cortina de contenção https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSwEjhNWUc2ZGEl_Ku6f32u3yyFIkoiPaxRaGnzHe7zXWW1_arf1g acessado em 20/10/2017 63


Elemento pré moldado para contenção: 15,0 cm

Foto 16: elemento pré- moldado para parede cortina

acessado em 20/10/2017

https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRV_2OShOlKy_36VBZYSKllmJXcqdpzue6vc7x3ORIMuxbH2lAfGA 64


Estrutura:

Paredes estruturais e colunas circulares no subsolo. A partir do térreo até o mezanino, colunas circulares. Laje de transição em concreto protendido, entre mezanino e andar tipo.

Foto 17: estrutura da laje protendida https://assets.ntcbrasil.com.br/wp-content/uploads/2015/08/concreto-protendido-1.jpg acessado em 20/10/2017 65


No andar tipo sistemas de colunas coincidentes com projeção das paredes divisórias entre habitáculos.

Paredes: Parede em alvenaria no fechamento exterior e instalações sanitárias. Para fechamentos internos usar dry wall com lã de vidro para melhor eficiência térmica e acústica.

Esquadrias: Esquadrias em alumínio em todo o empreendimento

Vidros: Vidros duplos as faces externas, visando eficiência energética e acústica. Face de fechamento do átrio vitral decorativo. Nos guarda-corpos utilizar vidro temperado e laminado, assim como na escada do lobby

Cobertura: Laje impermeabilizada em todo o pavimento superior, nas áreas cobertas utilizar telha metálica sanduiche termoacústica.

Tratamento e impermeabilizações: Impermeabilização em toda área externa , nas instalações sanitárias e cozinhas, utilizar manta asfáltica à maçarico. 66


Revestimentos (internos e externos): Revestimento conforme ABNT NBR 15575/2013 - Edificações Habitacionais - Desempenho

Forro: Forro em gesso cartonado liso, camuflando elementos estruturais e da infraestrutura.

Pintura: Pintura acetinada lisa em todos os ambientes em cores claras, de acordo com especificações técnicas para cada uso.

Pavimentação: Pavimentação de acordo com a NBR 9050 em porcelanato fosco.

Louças e metais: Louças e metais de acordo com normas de sustentabilidades e acessibilidade

67


Instalações hidrossanitárias e pluviais: Aproveitamento das aguas pluviais reservada em sistema de cisterna subterrânea de 210 m³ com de descarte da 1ª agua após chuva e pré filtragem, instalado no sistema um dosador automático de cloro. Esta agua não potável será utilizada nas bacias sanitárias, lavagem das instalações sanitárias, áreas externas e irrigação dos jardins e reserva técnica dos bombeiros. Os demais usos, será feito com agua fornecida pela concessionaria. Para pré aquecimento de agua, será utilizado placas de aquecimento solar e acumuladores de agua aquecida (boiler) com sistema auxiliar de aquecimento a gás .

Instalações elétricas: Instalação segundo norma NBR vigente, utilização de lâmpadas de LED em todos os ambientes, de acordo com projeto luminotécnico.

Deslocamento vertical: O sistema de deslocamento vertical será composto por 3 elevadores sociais panorâmicos junto ao átrio, um elevador de serviço com capacidade para transportar uma maca e ainda 2 elevadores veiculares pantográficos acionados por sistema hidráulico localizado no subsolo.

68


Controle de incidência solar: Para o controle solar será criado um sistema de brises vertical, em alumínio, fixo protegendo todos os habitáculos do excesso de luminosidade diminuindo a carga térmica. Para as empenas cegas será utilizada um sistema de parede ventilada com placas cerâmicas estrudadas instalada com distanciadores de 15cm em relação a parede base.

Figura 13: esquema functional da parede ventilada http://techne17.pini.com.br/engenharia-civil/144/imagens/i101887.jpg acessado em 17/11/2017

Foto 18: Placa extrudada cerâmica para fechamento http://techne17.pini.com.br/engenharia-civil/176/imagens/i304330.jpg acessado em 17/11/2017 69


12.

PROJETO:

Implantação:

Figura 14 Implantação (Autoria própria) 70


Desenho 1 autoria prรณpria

PERSPECTIVA DO ENTORNO

71


Perspectiva realista do flat Desenho 2 autoria prรณpria

72


Desenho 3 autoria prรณpria

73


Desenho 4: autoria prรณpria

74


Desenho 5: autoria prรณpria

75


Desenho 6: autoria prรณpria

76


Desenho 7: autoria prรณpria

77


Desenho 8: autoria prรณpria

78


Desenho 9: autoria prรณpria

79


Desenho 10: autoria prรณpria

80


Desenho 11: autoria prรณpria

81


Desenho 12 autoria prรณpria

82


Desenho 13 autoria prรณpria

83


Desenho 14 autoria prรณpria

84


CORTE B-B Desenho 15 autoria prรณpria

85


CORTE C_C Desenho 16 autoria prรณpria

86


CORTE D-D Desenho 17 autoria prรณpria

87


Desenho 18 autoria prรณpria

88


Desenho 19 autoria prรณpria

89


Desenho 20 autoria prรณpria

90


Desenho 21 autoria prรณpria

91


13.

CONSIDERAÇÔES FINAIS:

O projeto do flat para idosos, é uma extensão do lar, quer seja para hospedagem de alguns dias ou de longa duração. Este fato gera grande demanda de cuidados e considerações a serem observado para este público, que ao mesmo tempo requer atenção diferenciada e despeja vasta experiência adquirida através dos anos vividos. Assim no momento do projeto verifiquei ser fundamental seguir as orientações de conforto com acessibilidade plena. O conhecimento detalhado da necessidade individualizada e coletiva, dos hóspedes, desta faixa etária. A busca pelo bem estar, não se faz simplesmente com a devida locação dos espaços arquitetônico, a procura pela harmonia de elementos essenciais ao relacionamento, se torna um fator preponderante na criação dos espaços de convivencia. As lembranças das experiências vividas serão aliadas aos sonhos das novas que ainda virão.

92


14.

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:

Tese de doutorado de Maria Luisa Trindade Bestetti Habitação para Idosos, o trabalho do arquiteto, arquitetura e cidade FAU-USP São Paulo, julho 2006

Hotel Planejamento e Projeto 7º edição, Editora Senac São Paulo, 2004 Nelson Andrade Paulo Lucio de Brito Wilson Edson Jorge

Cozinhas profissionais 2º edição, Editora Senac São Paulo, 2017 Renata Zambon Monteiro 93


Neufert, Arte de projetar em arquitetura 18º edição, editora G. Gili ltda , 2013 Tradução Benelisa Franco Título original Bauentwurfslehre, 39º edição, 2009

Norma Brasileira ABNT-NBR 9050 Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaço e equipamentos urbanos 3ª edição, editora ABNT, 2015

ZIMERMAN GI. VELHICE: aspectos biopsicossociais. Porto Alegre: Artes Médicas Sul; 2000.

PAPALÉO NETTO M. Tratado de gerontologia. São Paulo 2ª. Edição. Editora Atheneu, 2006

Mendes, M.R.S.S.B.; Gusmão, J.L.; Faro, A.C.M.; Leite, R.C.B.O. A situação social do idoso no Brasil: uma breve consideração. Acta Paul Enferm.; vol.18, no.4, 2005

94


95

Profile for SENACBAU2013_2017

FLAT PARA IDOSOS  

O projeto deste FLAT PARA IDOSOS está sendo elaborado, a partir da percepção da transição da estrutura etária no Brasil, um aumento signific...

FLAT PARA IDOSOS  

O projeto deste FLAT PARA IDOSOS está sendo elaborado, a partir da percepção da transição da estrutura etária no Brasil, um aumento signific...

Advertisement