Page 1

JAYME CANET NETO “O GRANDE PROBLEMA É QUE AS DIÁRIAS MÉDIAS NÃO TIVERAM RECUPERAÇÃO. NÓS AINDA ESTAMOS COM AS MESMAS DIÁRIAS MÉDIAS, EM TERMOS NOMINAIS, DAS PRATICADAS EM 2012.”

JORNAL

Pág. 10 e 11

SEHA

68 ANOS

Curitiba, junho de 2018 | Edição 59

Darci Piana leva Ratinho Júnior para falar de turismo no SEHA Encontro reuniu o trade turístico paranaense. Piana e Ratinho foram recebidos no Sindicato pelo presidente do Sindicato, João Jacob Mehl (à dir.) e o vice-presidente da FBHA, Marco Antonio Fatuch Página 13

NOVA ATRAÇÃO

FORMALIZAÇÃO

Parada de Natal em Curitiba

Agenda de proposta aos candidatos Pág. 10

Pág. 09

PALESTRA

Patrick Mendes, empresário e CEO da AccorHotels Pág. 07


2

Curitiba, junho de 2018

EDITORIAL

DEDUÇÃO FISCAL

UM JORNAL A SERVIÇO DO BRASIL Este nosso contato deveria ser para divulgar as nossas atividades sindicais. Todavia a nossa preocupação maior; é com a situação política, financeira e principalmente moral que estamos presenciando. Nosso povo não tem sangue de barata; mas também está muito longe de ser um povo belicoso. Acredito que em outros países, já estaríamos em estado de revolução social. Falta-nos esta força interior de fiscalização e cobrança; exigindo austeridade e honestidade de nossos governantes. Este nosso comportamento permitiu a libertinagem e a corrupção que tomou conta de nosso país. Precisamos de atitudes mais radicais, nosso patrimônio está sendo dilapidado por governantes, com a complacência de um judiciário comprometido. Sobre este judiciário fazemos uma análise muito justa. Um advogado do PT, um professor universitário de viés partidário, outros amigos de presidente, e assim por diante. É inaceitável que a suprema corte de nosso país seja composta de apadrinhados, políticos tendenciosos e íntimos amigos de governantes. Os ministros do supremo deveriam conquistar sua cadeira por meritocracia; provindos dos diversos tribunais de nosso país. Formação na magistratura. Este é o governo que liberta um dos maiores responsáveis pela corrupção brasileira, José Dirceu. Este é o governo que faz vistas grossas a compra absurda de usina de Pasadena; que não se interessa pelo enriquecimento astronômico do filho do Lula, que não relaciona os crimes dos assessores do Presidente com este; neste e nos governos anteriores. Este governo que evita a abertura da caixa preta do BNDES, onde realizamos obras faraônicas em diversos países, quando aqui, pessoas morrem nos corredores de hospitais lotados. Nossa revolta apenas nas redes sociais é insignificante. Alguém está antevendo a mudança de comando do Supremo

em setembro? É possível prever sem dúvida, a bandidagem toda em liberdade, a lava-jato desmoralizada e o Brasil parecido com a Venezuela. E mais, as eleições estão aí, com urnas comprovadamente frágeis. Não posso imaginar a paralização das ações da Petrobras, do BNDS, da Eletrobrás, dos Correios, do Banco do Brasil, da Caixa Econômica, dos Fundos de Pensões, dos vários ministérios. Não podemos aceitar passivamente todos os dias, denúncias, malas e caixas com dinheiro, sem nenhuma punição. E, a expectativa de ficar pior se não agirmos urgentemente. O momento é muito difícil, muitos ainda não se deram conta, temo que seja tarde demais.A crise econômica obriga empresários diminuírem seu quadro de funcionários; fecham-se filiais, vendem-se propriedades, enxugam-se despesas em todos os departamentos. Temos responsabilidade fiscal, social e moral. Pergunto: porque aceitamos comportamento diferente de nossos governantes. O atual Presidente, quando assumiu, prometeu diminuir o número de ministérios, mas na verdade aumentou com a criminalidade, para atender o Rio de Janeiro. O Brasil está endividado, várias propostas são enviadas ao Congresso Nacional. Reformas: política, trabalhista, previdenciária, tributária, etc. Todas iniciativas com a intenção de cobrar mais impostos de empresários e do coitado trabalhador brasileiro. Não ouço falar em reduzir o custo Brasil. Custo este que é conhecido por todos nós. Número de ministros, de deputados e vereadores e suas benesses. Como nós somos obrigados, devemos exigir o mesmo da República, enxugar a máquina. Será que não tem homem para exigir isto? Antes que nos arrependamos de tanta omissão, proponho uma reunião das lideranças empresariais, para avaliar consequências, e tomar atitudes pelo bem de nosso Brasil.

EXPEDIENTE Jornalista Responsável: Pierpaolo Nota Edição: Eliseu Tisato

Rua Júlia da Costa, 64 - São Francisco Curitiba - Paraná Fone 41 3323 8900 www.seha.com.br

GESTÃO 2018-2022

Câmara aprova lista com tipos de eventos que terão ISS reduzido A falta de clareza no texto gerava discordância entre as secretarias municipais quanto à aplicabilidade da lei Em votação unânime, a Câmara Municipal aprovou dia 20 de junho o projeto de lei complementar do prefeito que altera o Código Tributário de Curitiba (lei municipal 40/2001) para especificar quais os eventos têm direito à redução da alíquota do ISS (Imposto Sobre Serviços), que passou de 5% para 2% para algumas atividades, de acordo com a norma aprovada pela Casa em dezembro passado. Conforme a proposta, a lei atualizada em 2017 dava como beneficiárias da alíquota reduzida atividades como feiras, exposições, shows, congressos e eventos. Agora o texto especifica que, por eventos, são entendidos os espetáculos teatrais e circenses; programas de auditório; shows (ballet, danças, desfiles, bailes etc.); feiras, exposições, congressos e congêneres; corridas e competições de animais; com-

petições esportivas; produção de eventos, espetáculos, entrevistas, entre outros. Segundo o líder do prefeito no Legislativo, Pier Petruzziello (PTB), a falta de clareza no texto gerava discordância entre as secretarias municipais quanto à aplicabilidade da lei. “Dar aos eventos uma redução de imposto é um grande gesto do prefeito e das secretarias de Governo e de Finanças”, falou. O vereador acredita que a medida irá fomentar o setor turístico da cidade. A mesma opinião foi manifestada por Bruno Pessuti e Professor Euler, ambos do PSD. “Quando reduz imposto na área de eventos, estamos trazendo mais recursos para a cidade”, disse Pessuti. “A cidade não perde em arrecadação. A redução aparente vai gerar valor absoluto maior de arrecadação”, completou Euler.

Segundo o vereador Professor Euler, “a redução aparente vai gerar valor absoluto maior de arrecadação”

Parabéns aos associados que completaram nova idade em junho. Felicidades! 01.06

Luiz Procópio, do Hotel Estrela do Sul e Parati

01.06

Gustavo Trevisan Socahewski, do Kaakupe Praia Hotel

02.06

Lilian Ozekim, da América Grill

03.06

Gil Carlos Souto, do Hotel Campo Largo

04.06

Jair Jos Mussio, da Churrascaria Costela Santa Cândida

05.06

Elizeth Gomes, do Motel Tarot

06.06

Alice Cracco Galiotto, do Hotel Cracco

09.06

Ricardo Andraus, do Domino’s

09.06

Karla Sottomaior, do Hotel Blumenau

10.06

Carlos Madalosso Filho, do Restaurante & Forneria Copacabana

10.06

Eloi Procópio, do Hotel Parati

11.06

Isolde da Maia, do Hotel Exclusivo Ltda

João Jacob Mehl Presidente

Julio Cesar Hezel Diretor de Marketing

Jonel Chede Filho Vice-Presidente

Henrique Lenz César Filho Diretor para Assuntos Nacionais

12.06

Gentil Oliboni, do Motel Sigen

Lincolin T. Isahias Tarquinio Diretor Financeiro

Orlando Kubo Diretor para Assuntos Estaduais

13.06

Ricardo Zachowst, do Hotel Centro Europeu

Karla Lemos Sottomaior Diretora Secretária

Marco Antonio Fatuch Diretor vice-presid.da FBHA

15.06

Alexsander Kalinowski, da Petiscaria Germânia

Zelir Tadeu Massuchin Vice Presidente para Assuntos de Hotelaria e Hospedagem

Paulo Sérgio Gralak Diretor de Patrimônio

15.06

Marilda Lorenzon, do Hotel Lizon Curitiba

16.06

Adelardo Telles Neto, da Pizzaria Boca De Forno

17.06

Cristiane Costa Telles, da Pizzaria Boca De Forno

18.06

João Strapasson, do Restaurante A Pamphylia

18.06

Silvia Leão Gamar, do Hotel San Martin

19.06

Edson Palmonari, do Lanchonete Palmover

24.06

Janet Borsato Silva, da Lanchonete Jatinho

25.06

Lindasir Freitas, da Costelas e Cia Buffet & Grill

Mauricio Laffitte Vice Presidente para Assuntos de Alimentos e Bebidas/Buffet Francisco Noronha Filho Vice Presidente para Assuntos de Motéis Marilisa Bigarella Vice Presidente para Área de Lazer e Entretenimento

Sidney Blinder Diretor Conselho Fiscal Alceu Antimo Vezozzo Filho Luiz Procopiak de Aguiar Michele Seleme Conselho Fiscal Suplente Jayme Canet Neto Joel Malucelli Marcos Gamper


Curitiba, junho de 2018

3

LEVANTAMENTO

Primeiro trimestre teve queda na demanda no setor hoteleiro Pesquisa realizada pelo Ministério do Turismo aponta ainda que houve estabilidade no número de empregados nas empresas do setor

A

pesquisa sondagem com empresários do Setor Hoteleiro de Turismo no Brasil, realizada trimestralmente pelo Diretoria de Estudos Econômicos e Pesquisas (Depes), do Ministério do Turismo (MTur) aponta que 43% das empresas do setor notaram queda (acentuada ou moderada) na demanda pelos serviços ofertados no primeiro trimestre de 2018. Para 28,1%, houve crescimento (moderado ou acentuado). Os resultados da pesquisa indicam que houve estabilidade no número de empregados (55,1%) nas empresas do setor. Resultado semelhante pode ser observado para o faturamento, com 47,3% das empresas indicando queda (acentuada ou moderada) e 26,5% indicando aumento (moderado ou acentuado). Sobre a perspectiva para os próximos seis meses, nota-se uma certa estabilidade para o número de empregados (de 55,1% para 57,4%), e uma leve redução da perspectiva de queda (acentuada ou moderada) com relação ao desempenho do trimestre observado (de 31,0% para 25,5%). Quanto à demanda pelos serviços e o faturamento da empresa, nota-se perspectivas mais positivas (acentuada ou moderada) com 39,7% e 40,8% respectivamente. Ao analisar o

Para apenas 28,1% das empresas do setor houve crescimento moderado ou acentuado desempenho dos destinos no primeiro trimestre de 2018 com relação ao mesmo período de anos anteriores, nota-se uma perspectiva eminentemente negativa, com indicativos de queda de desempenho nas três

variáveis analisadas. Ao analisar a perspectiva dos empresários para os próximos seis meses, pode-se observar uma inversão na percepção. Para as três variáveis analisadas, há um predomínio de percepções

Trabalhando forte Dia 19 de junho o SEHA reuniu associados de Curitiba, RMC e Litoral para a Assembleia Geral Ordinária. Durante o encontro, foram deliberados temas como as contas relativas ao exercício de 2017 e os pareceres da Auditoria Externa e do Conselho Fiscal, sobre prestação de contas do exercício de 2017. Foram discutidos também assuntos gerais de interesse das categorias.

positivas. A perspectiva positiva dos empresários é também observada quando questionados sobre a pretensão de realização de investimentos nos próximos seis meses. A maioria dos empresários se manifestou positi-

vamente quanto a realização de investimentos, sendo que 47,2% dos empresários indicaram que provavelmente realizarão investimentos, enquanto que outros 17% informaram que definitivamente realizarão investimentos.


4

Curitiba, junho de 2018

EM FOZ DO IGUAÇU

SEHA marca presença no 13ª Festival das Cataratas Evento é consolidado como um dos mais completos do turismo latino-americano e reuniu mais de oito mil participantes nesta edição

A

conteceu entre os dias 20 e 22 de junho o Festival das Cataratas, em Foz do Iguaçu. A feira, considerada uma das maiores do ramo, teve sua cerimônia de abertura no dia 20, quarta-feira, com a presença de autoridades, patrocinadores e convidados. O evento é consolidado como um dos mais completos do turismo latino-americano e reuniu mais de oito mil participantes nesta edição. O Sistema Fecomércio Sesc Senac-PR e a Confederação Nacional do Comércio (CNC) são patrocinadores do evento e estiveram representados pelo vice-presidente da Fecomércio PR, Carlos Nascimento, pelo vice-presidente do Conselho de Turismo da CNC, Eraldo Alves da Cruz e pelo diretor do Senac PR, Vitor Monastier. Para Eraldo Alves Cruz, o potencial turístico da região é incrível e os investimentos na área trarão resultados. “Foz do Iguaçu impressiona a primeira vez, impressiona a segunda e vai impressionar tantas quantas forem as vezes que eu visitar essa cidade. O desenvolvimento do Paraná na área de turismo é um ativo que nosso país tem de

suma importância. Comércio e turismo viajam juntos quando o turismo vai bem o comércio se beneficia também”. O vice-presidente da-Fecomércio PR e presidente do Sindilojas de Foz do Iguaçu, Carlos Nascimento, destacou que o festival aumenta a cada ano e é importante para o fomento turístico da região. “O evento reúne trades turísticos de todo o Brasil e países vizinhos. Essa integração é saudável para todos os envolvidos”. O coordenador do Festival, Paulo de Angeli, ressaltou que esse é o momento de expor a potencialidade de cada ponto turístico e fazer negócios. “Nesta edição ampliamos a feira e esperamos um público ainda maior. Desejo a todos bons negócios”. No estande do Sistema Fecomércio Sesc Senac-PR e da CNC a Editora Senac esteve presente com mais de 200 títulos de livros na área de gastronomia, gestão e turismo. O Sesc PR divulgou as atividades socioculturais e o Senac PR participou com a degustação da cerveja artesanal produzida na unidade de Foz do Iguaçu e com a palestra sobre cerveja, ministrada pelo instrutor

No estande do Sistema Fecomércio Sesc Senac, o presidente do SEHA, João Jacob Mehl, o presidente licenciado do Sistema Fecomércio Sesc Senac-PR, empresário Darci Piana e o gerente da unidade do Senac de Foz do Iguaçu, Lúcio Chrestenezen da unidade, Willian Kelm. Também estiveram presentes no evento o empresário Darci Piana, presidente licenciado do

Sistema Fecomércio Sesc Senac-PR; o presidente do SEHA, João Jacob Mehl; o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro; o diretor

da Itaipu Binacional, Marcos Stan; o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz e a governadora do Paraná, Cida Borghetti.

Você sabia? Em cinco anos o número de pizzarias cresceu 44,5% em Curitiba. Atualmente a capital paranaense conta com 568 estabelecimentos, contra os 393 existentes em 2013


Curitiba, junho de 2018

5

FINANCIAMENTO

Programa Nacional de Desenvolvimento e Estruturação do Turismo Novo canal de atendimento servirá para tirar dúvidas de quem deseja pleitear financiamento para projetos

C

omeçou a funcionar dia dois de julho o Call Center destinado para aqueles que desejam tirar dúvidas ou se informar a respeito do Programa Nacional de Desenvolvimento e Estruturação do Turismo (Prodetur+Turismo). A ação pretende agilizar o atendimento às demandas de gestores municipais e estaduais, bem como empresários interessados em investir no setor, que terão à sua disposição o número 0800 200 8484, além do endereço de e-mail atendimento.prodetur@turismo.gov.br e um chat online, funcionando das 8h às 20h, de segunda a sexta-feira. Lançado em abril pelo Ministério do Turismo, o Programa tem como objetivo apoiar projetos na obtenção de recursos para a estruturação dos destinos turísticos brasileiros, oferecendo oportunidade de fomento ao desenvolvimento local e regional por meio de parcerias com estados, municípios e entes privados. Para o programa, estão sendo

disponibilizados R$ 5 bilhões. Paralelamente, o MTur tem realizado missões técnicas chamadas de Prodetur Itinerante, em que oferece consultoria especializada de projetos a governos e empresários interessados em investir no setor. O objetivo é prepará-los para acessar os recursos que são destinados a financiar infraestrutura pública e privada de turismo no Brasil, bem como ações de promoção dos destinos, informação ao turista e estudos de planejamento e diagnósticos de mercado. “A procura por esse financiamento tem sido grande e estamos comprometidos a realmente prestar uma consultoria especializada aos interessados, garantindo que os recursos disponíveis sejam utilizados para mudar a cara do turismo brasileiro e elevar essa atividade a um novo patamar”, afirmou o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz. PROJETOS As propostas que estiverem

Para o programa, estão sendo disponibilizados R$ 5 bilhões alinhadas às diretrizes da política nacional de turismo receberão o Selo Oficial +Turismo. O carimbo identifica que os planos ou projetos foram previamente

analisados pelo MTur e receberão prioridade de tramitação junto ao banco contratado na operação de crédito. As propostas de financiamento devem ser encaminhadas

diretamente ao MTur, por meio do preenchimento de um formulário eletrônico disponível no site do Programa: www.prodetur. turismo.gov.br.

TRADE REUNIDO

Confraria do Turismo reúne trade mais uma vez Encontro aconteceu no restaurante A Caiçara, localizado no Largo da Ordem. Cardápio foi litorâneo

C

om organização da ABIH-PR - Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Paraná, aconteceu dia 13 de junho o jantar da Confraria do Turismo do Paraná. Dessa vez, o trade turístico se reuniu para trocar ideias e degustar do cardápio litorâneo do restaurante A Caiçara, localizado no Largo da Ordem, no setor histórico de Curitiba. O presidente da entidade organizadora, Orlando Kubo, agradeceu a presença de todos e chamou à frente a gerente de Negócios da

Interbio Tecnologia Ambiental, Niece Thiesen, que falou sobre o tema Sustentabilidade empresarial - vantagens e desafios de se implementar uma política sustentável nos negócios. Para o presidente do SEHA, João Jacob Mehl, as confrarias tem se mostrado bastante uteis. “Além de pôr o papo em dia, atualizamos temas e debatemos questões importantes do dia-a-dia do turismo curitibano e do Estado”, afirmou Jacob Mehl. Cerca de 40 pessoas participaram do evento.


6

Curitiba, junho de 2018

ENTREVISTA JAYME CANET NETO

Entre ciclos bons e ciclos ruins Presidente da rede de hotéis Deville acredita que anos bons “só a partir de 2021”

O Álvaro é um bom nome. Fora ele ser capacitado para o cargo, eu acho que entre os candidatos de centro, ele é o que tem melhor condições de mídia, de que suba.”

Sabe que eu não estou muito a par. Se hoje você me perguntasse em quem eu votaria, não saberia dizer” (sobre a política no Paraná)

Por Pierpaolo Nota

Por mais uma vez o Jornal do SEHA teve oportunidade do conversar com Jayme Canet Neto, presidente da Rede de Hotéis Deville. Em um agradável papo de 30 minutos, o hoteleiro explicou porque acredita que a crise hoteleira foi pior que a crise geral. Contou planos para novos investimentos da Rede na Grande São Paulo e disse que torce por Álvaro Dias para presidente, opondo-se aos extremismos, tanto da direita, quanto da esquerda. É conferir e tirar suas próprias conclusões. Boa leitura! Jornal do Seha - Sua última entrevista ao jornal do SEHA foi em março de 2016. Já era um tempo de crise. Jayme Canet Neto - Dá para se dizer que 2016 foi o auge da crise. Desse tempo para cá, o que mudou? JCN - Houve uma recuperação pequena nas próprias ocupações, tanto em Curitiba como no âmbito nacional. O grande problema é que as diárias médias não tiveram recuperação. Nós ainda estamos com as mesmas diárias médias, em termos nominais, das praticadas em 2012. Faz, basicamente, seis anos que as nossas diárias estão as mesmas. Considerando que tudo aumentou isso é desastroso... JCN - É, isso é desastroso, pois aí come margem. Se não me engano, a inflação desse período foi em torno de 29%. E ainda estamos com as diárias que seis anos atrás. E o pior ano foi 2016. Estamos perto do fim da crise, vai se estender ou é um momento econômico que irá se perpetuar? JCN - Eu acho que dentro do ramo hoteleiro são duas coisas que afetam. Uma é o cenário econômico e político. A outra é a própria oferta de apartamentos que existe em cada cidade. Por exemplo: teve cidades que a crise foi muito pior ou é muito pior, como Belo Horizonte ou Rio, pois teve uma certa enxurrada de novos apartamentos. Curitiba também teve novos hotéis, mas o crescimento de oferta nova foi normal, que seria naturalmente absorvido se não estivéssemos vivenciando este cenário atual. Então, se o país voltar a crescer, dois e meio, três, três e meio por cento, ao longo dos próximos dois ou três anos, absorve e volta ao normal. Este ciclo, este movimento que tem com uma crise ou com novos hotéis, antes cai a ocupação e depois caem os preços. Quando volta, sobe antes

a ocupação e depois recupera os preços. Só que, falando sobre o nosso mercado especificamente em Curitiba, nós já tivemos no ano passado ocupações maiores e não tivemos recuperação de preços. Esta certa recuperação de preços está demorando um pouco mais do que era devido. Temos notado que o trade tem trabalhado mais unido. O Instituto Municipal de Turismo tem feito um trabalho ativo, a Paraná Turismo também tem desenvolvido um trabalho bastante competente. Existem inclusive dados que Curitiba está mudando o perfil do turista: de negócios para um de lazer. Confere essa informação? JCN - Sim. Para nós, o sinal mais evidente são as próprias ocupações nos finais de semana. Houve uma recuperação importante nisso no ano passado. Neste ano este crescimento não continuou. Mas houve nestes últimos dois anos um certo progresso. O turismo de lazer cresceu mais que o de negócios. Só que, como a participação dele é menor, o todo cresce menos. Tem um contrassenso a ser analisado. A Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA) anunciou um estudo da CNC informando que o turismo fechou o primeiro quadrimestre com um saldo positivo de vagas de trabalho. Outro estudo do Ministério do Turismo mostra que o primeiro trimestre teve queda na demanda no setor hoteleiro. JCN - Eu tenho dados do FOHB (Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil) que de janeiro a maio as taxas de ocupação no Brasil cresceram 6,3% em relação aos cinco primeiros meses do ano passado. Mas aquilo que eu lhe falei: a diária média ficou praticamente a mesma, 0,8% somente de aumento. Esses números são de hotéis do FOHB, basicamente Hotéis de Rede. E a Região Sul, como se comportou? JCN - Foi a que menos cresceu. Se formos observar Curitiba houve um crescimento na taxa de ocupação de 4,1% em relação ao mesmo período de 2017. Mesmo com esses números, lembro que em 2016 existia a previsão de construir um hotel em Campinas. Ela se concretizou? JCN - Não. Nós ainda temos o terreno lá, mas nós não levamos à frente. Foram duas causas: uma que houve uma mudança no próprio zoneamento lá da cidade que dificultou a construção. E outro, que avaliamos que o mercado teve uma oferta nova muito grande, e essa é a principal razão. Então, pusemos o “pé no freio”. Nós hoje temos

um projeto em São Paulo capital, que está em fase de aprovação na prefeitura. Onde que se localiza? JCN - Itaim. Como avalia o atual momento político? Lembro que o senhor era um dos poucos empresários que não queria ver o Lula preso, achava que não era necessário. Acabou indo muita gente presa que nem imaginávamos. JCN - Eu acho que nós corremos o risco de que ganhe um candidato fora do “centro”, podemos dizer um “não convencional”. Veja que nestas últimas eleições no mundo, o próprio Trump é um exemplo, um cara fora do sistema. O Macron na França é outro. Agora, domingo, o México que, desde 1914 só teve presidente de centro-direita, ganhou um de centro-esquerda. Tanto para um lado como para o outro, tanto esquerda como direita, é um risco muito grande. Um dos principais medos observados no empresariado é o Bolsonaro. Mas será que ele não teria, para conseguir governar, que se adequar a algumas condições, como o próprio Lula fez? JCN - Isso é padrão. Tanto Ciro como Bolsonaro são pessoas que, caso sejam eleitos, eu não gostaria, pessoalmente que ganhassem. Vai ser difícil para eles governarem. Entre o “querer” e o “possível” tem uma diferença grande. E o Álvaro Dias? Como é que corre nesta disputa? JCN - Acho o Álvaro Dias um bom nome para presidente. O duro é fazer ele decolar. Nestes próximos meses há uma certa esperança do centro de que haja uma aglutinação dele e que possa viabilizar uma certa coalizão. O Álvaro é um bom nome. Fora ele ser capacitado para o cargo, eu acho que entre os candidatos de centro, ele é o que tem melhor condições de mídia, de que suba. Faltam menos de dez semanas para a eleição, é difícil imaginar que ele tenha todo esse consenso e ganhe essa projeção toda. Para o Paraná isso seria sensacional. JCN - Acho que mesmo para o Brasil isso seria bom. Quando começar a TV, pode ter alguma mudança. Mas hoje acho um pouco difícil viabilizar, infelizmente. E a política do Paraná? JCN - Sabe que eu não estou muito a par. Se hoje você perguntasse em quem eu votaria, não saberia dizer.


Curitiba, junho de 2018

7

Jonas Oliveira

O turismo de lazer cresceu mais que o de negócios (em Curitiba). Só que, como a participação dele é menor, o todo cresce menos.”

Temos a Cida Borghetti, Osmar Dias e Ratinho Junior, que seriam os principais candidatos. JCN - Acho que quando acabar a Copa do Mundo vai ter um foco maior nas eleições, na parte política (risos). Hoje o povo só pensa em Copa! O que fazer com o Judiciário? É um dos problemas do Brasil? JCN - Tanto o Judiciário como o Legislativo e o Executivo. Os Três Poderes estão mal, não é?! Com um novo líder, um novo Presidente, e ele tendo apoio popular, vai ter que começar a se fazer reformas e esse novo líder pode canalizar uma certa pressão popular para que haja mudanças, senão não vamos sair disso. O Ministério do Trabalho acertou no fim da contribuição sindical? JCN - Em tese eu acho que sim, só

que isso deveria ser feito de forma mais gradual. Deveria ser dado um prazo, por exemplo: “em três anos irá acabar”. Como foi feito não achei bom. O que tem que ser posto é que a visão dos sindicatos patronais é diferente dos laborais, que possuem outras receitas. Os patronais acabam esvaziados e sem condições de “brigar” de igual para igual em defesa de seus interesses. JCN - Me passaram um número na semana passada de que o Brasil possui aproximadamente 17 mil sindicatos e um número bem mais reduzido em outros países. É óbvio que tinha um abuso, tinha algo errado. Foi aberta uma investigação recente, inclusive, sobre liberação de autorização de funcionamento de novos sindicatos. JCN - Existe até o Sindicato dos Líderes de Sindicatos (risos). É uma paranoia esse negócio!

Palestra com Patrick Mendes, empresário e CEO da AccorHotels na América do Sul

Mais informações no 41 3323 8900

Dia 09 de agosto, 10h30

Acredita que 2018 vai fechar com bons números e 2019 vai ser um ano de recomposição? JCN - Eu acho que é a questão cíclica que nós já falamos. Tivemos bem claro este último ciclo. Entre 2010 e 2013 a economia estava bem, os hotéis estavam bem e isso estimula que sejam feitos novos hotéis. Mas, entre você resolver fazer o hotel, projeto, terreno, aprovar, construir, demora quatro a cinco anos. Uma boa parte desses novos hotéis ficaram prontos a partir de 2015, quando o mercado já estava ruim. Então houve este descasamento entre os hotéis novos com a própria crise econômica. Por isso, que a nossa crise hoteleira foi até pior que a crise geral. Agora estamos no ciclo que é a própria demanda absorvendo esses novos hotéis, só que essa velocidade de absorção dependo do cenário macroeconômico. Dessa forma, eu acho que nossos anos

bons serão a partir de 2021, iniciando-se de novo o ciclo. Quer dizer, o hoteleiro ainda tem um “rojão” para segurar... JCN - O pior ano foi o de 2016. Nós já tivemos uma certa recuperação, tímida, poderia ter sido muito mais rápida caso o cenário estivesse melhor. E é uma situação estranha, pois no último trimestre do ano passado e no primeiro trimestre deste ano quando houve um certo alento na economia, as pessoas mais animadas, “agora vai”, foram trimestres bons para a hotelaria. Assim, qualquer sinal de melhora na economia, repercute no nosso negócio. Agora, maio e junho foram meses fracos. Maio já tinha começado fraco, tivemos a greve dos caminhoneiros, junho e julho parado por causa da Copa. Temos sinais de que agosto será um mês melhor, mas ainda está muito inconstante.

O francês é um entusiasta pelo país e sempre que se pronuncia ressalta que a simpatia dos brasileiros os torna diferentes como funcionários, que são mais dispostos a melhorar os serviços. Em palestra exclusiva para hoteleiros e gestores da área, Mendes vai poder ser indagado sobre a disputa com empresas de aluguel privado, como o Airbnb, do excesso de ofertas de quartos no país, da carga tributária enfrentada e de outros assuntos de interesse geral dos meios de hospedagem.


8

Curitiba, junho de 2018

O SEHA oferece diversos convênios em diferentes áreas para apoiar o desenvolvimento e crescimento da sua empresa.

Confira! JURÍDICO

SAÚDE, SEGURANÇA, SEGURO, CONSULTORIA E OUTROS

DR. FRANCISCO NORONHA NETO – CRIMINAL

POLICLÍNICA SANTIAGO

Assessoria jurídica criminal preventiva e contenciosa e elaboração de pareceres jurídicos criminais. A primeira consulta é gratuita e as cobranças seguem os valores mínimos da Tabela da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional do Estado do Paraná.

Exames admissionais, periódicos e demissionais gratuitos. Além disso, é possível fazer PPRA, PCMSO e PPP a preços muito abaixo do mercado.

DRA. ANA LIRIA AMBONATTI - ASSESSORIA JURÍDICA Serviços de assessoria jurídica na área cível, previdenciária e família – indenizações, reparação de danos, direito do consumidor, entre outras. Valores baseados na Tabela da Ordem dos Advogados do Brasil; primeira consulta gratuita. AMAZONAS DE ALMEIDA PIMENTA & BUENO ADVOGADOS ASSOCIADOS Especializada no ramo tributário e empresarial, realiza, entre outras atividades, um procedimento no quesito suspensão, recuperação e compensação de créditos relativos ao INSS patronal. ANDRÉ FATUCH NETO ADVOCACIA Escritório especializado conveniado. Consultoria, assessoria, defesa e acompanhamento jurídico em ações trabalhistas gratuito para associados SEHA. ANDRAUS TOMKIW PETRY GRANDINETTI ADVOGADOS ASSOCIADOS Consultoria trabalhista e comercial, assessoria, defesa e acompanhamento jurídico gratuito para associados SEHA.

ESPECIALIZAÇÃO CURSOS E PÓS-GRADUAÇÕES Descontos em cursos e e pós-graduações em instituições como Universidade Positivo, Facinter, OPET e Spei.

TRANSRESÍDUOS Desconto especial para associados SEHA na coleta de resíduos e também na elaboração de plano gerenciamento de resíduos e sólidos. IFASEG - PROGRAMA DE SEGUROS DE RISCOS E RESPONSABILIDADE Proteção de seguros que abrange muitos dos riscos que seu estabelecimento esta exposto. PROTECTA CORRETORA DE SEGUROS CONSULTORIA E ANÁLISE DE SEGUROS Ampla linha de seguros com condições especiais e exclusivas. Tipos de seguros: Patrimonial, Frota de Veículos, Responsabilidade Civil, Seguro de Vida, Seguro Saúde, Planos Odontológicos, Acidentes Pessoais para Hóspedes, Responsabilidade Civil Hoteleira. JR CONSULTORIA – EMPRESA JUNIOR UFPR Consultoria especializada em Gestão e Administração com preços especiais.

CERTIFICADO DIGITAL - CONVÊNIO SEHA E ACP ������������������������������������������������������ �����������������������������������������������������.��� ���������������.���������������������������.


Curitiba, junho de 2018

PLANEJANDO FUTURO

Associados do SEHA tem desconto em publicidade O

Aeroporto Internacional Afonso Pena foi eleito o melhor do Brasil na Pesquisa de Satisfação do Passageiro e de Desempenho Aeroportuário, divulgada pelo Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. E quem circula no Afonso Pena é a revista Now Boarding, com edição mensal de 10 mil exemplares. A publicação tem distribuição gratuita, com seis expositores, cinco no Terminal de Passageiros e um no Desembarque. A Now Boarding é a nova versão do “Aeroporto Jornal”, que circulou por 21 anos no aeroporto. A nova revista, que está na décima edição, tem diagramação moderna e linguagem textual estrategicamente pensada para trazer uma leitura agradável. As páginas têm conteúdo inteiramente autoral e pautas que se relacionam com os interesses e desejos dos leitores e anunciantes. Fala sobre viagens, moda, personalidades, carros, vinhos, literatura, gastronomia e atualidades, apresenta coluna de Estilo Pessoal e crônicas de Roberto Gomes. E, através de uma parceria com o SEHA, associados têm direito a um desconto de 35% sobre a tabela para veicular anúncios na única revista que circula no Afonso Pena e é leitura de quem embarca e desembarca em Curitiba. Para mais informações só passar um e-mail para carlos@ nowboarding.online ou ligar (41)3205-4385.

MAIS UMA ATRAÇÃO

Agenda de propostas aos candidatos ao Governo do Paraná 12 entidades dão início a formalização de documento com reivindicações dos setores ligados ao turismo No começo de julho o trade turístico se reuniu no SEHA para desenvolver uma agenda de propostas aos candidatos ao Governo do Paraná. Depois de entregues, a intenção dos participantes é saber qual será o comprometimento de cada um deles, caso eleito, com as reivindicações do setor. É o turismo no Paraná planejando seu futuro.

ENTIDADES ENVOLVIDAS ABAV-PR ABEOC-PR ABGTUR ABIH-PR ABRAJET-PR ABRASEL-PR ADETUR-PR APARFESTAS FECOMÉRCIO-PR PRCVB SEHA SINDETUR-PR

Associação Brasileira de Agências de Viagem – Seccional Paraná Associação Brasileira de Empresas de Eventos – Seccional Paraná Associação Brasileira dos Guias de Turismo – Seccional Paraná Associação Brasileira da Indústria Hoteleiro – Seccional Paraná Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo – Seccional Paraná Associação Brasileira de Bares e Restaurantes- Seccional Paraná Agencia de Desenvolvimento Sustentável de Turismo Paraná Associação Paranaense de Festas – Bufetts e Caterings Federação do Comércio do Paraná Paraná Convention & Visitors Bureau Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação Sindicato de Empresas de Turismo Seccional Paraná

9


10

Curitiba, junho de 2018

MAIS UMA ATRAÇÃO

Parada de Natal inspirada em NY é confirmada em Curitiba As apresentações gratuitas ocorrerão na Avenida Batel, toda terça-feira, no início da noite, a partir do final de novembro Curitiba vai ganhar um novo espetáculo natalino, que promete arrebatar o público pelo ineditismo e grandiosidade. Uma “Parada de Natal” em plena rua, com direito a carros alegóricos e personagens reais encenando a fábula natalina. A iniciativa, inspirada nas paradas de Nova York e da Disney, é do Shopping Pátio Batel e vem sendo planejada há dois anos, segundo revelou a gerente de Marketing e Relacionamento, Mariane Caponi. A ideia, de acordo com ela, é que o espetáculo seja incorporado pela cidade e passe a fazer parte do calendário de eventos de final de ano, a exemplo do que ocorre com o Natal do Palácio Avenida,. O evento será realizado na Avenida Batel, com largada ao lado do Castelo do Batel, em direção ao shopping, num percurso de 750 metros. O trajeto equivale ao do sambódromo carioca, a Avenida Marquês de Sapucaí. A relação não é mera coincidência. Foi uma sugestão do coreógrafo e dançarino Carlinhos de Jesus, contratado para materializar o desfile, que terá muita fantasia e luxo, como nos desfiles do Carnaval do Rio de Janeiro. As apresentações, gratuitas, ocorrerão toda terça-feira, no início da noite, a partir do final de novembro até a véspera do Natal. No dia 18 de junho, o projeto foi apresentado oficialmente ao prefeito Rafael Greca durante um almoço no Pátio Batel oferecido pela direção do shopping, com a participação de Carlinhos de Jesus. Após, o coreógrafo e sua equipe fizeram uma visita técnica ao local da Parada e às escolas de dança de Curitiba que participarão do evento.

Nilton Russo

Equipe técnica comemora a apresentação oficial da Parada de Natal

PARA SABER MAIS LIGUE 41 3323 8900

SEHA OFERECE NOVO CONVÊNIO JURÍDICO AOS ASSOCIADOS PENSANDO SEMPRE EM OFERTAR MAIS SERVIÇOS E BENEFÍCIOS PARA OS ASSOCIADOS O SINDICATO AMPLIOU SEU LEQUE DE PARCERIAS JURÍDICAS. DESTA VEZ, COM O ADVOGADO DA ÁREA CRIMINAL PREVENTIVA E CONTENCIOSA FRANCISCO AUGUSTO NORONHA NETO. COM O NOVO CONVÊNIO, ASSOCIADOS SEHA TÊM DIREITO À PRIMEIRA CONSULTA GRATUITA E AS COBRANÇAS SEGUINTES OBEDECEM A TABELA DA OAB-PR.


Curitiba, junho de 2018

11

CÂMARA MUNICIPAL

Dúvidas sobre exigência de guia local em excursões Parlamentares julgaram mais adequado consultar o setor antes de dar o aval da comissão à matéria

F

oram avaliadas 38 proposições, dia 20 de junho, na Comissão de Educação, Cultura e Turismo da Câmara de Vereadores. Na reunião, presidida por Professor Euler (PSD), ele, Geovane Fernandes (PTB), Maria Manfron (PP) e Marcos Vieira (PDT) decidiram consultar entidades ligadas ao turismo antes de liberar a tramitação de projeto que muda as regras do setor. Único projeto de lei na pauta, a proposta de Helio Wirbiski (PPS) obriga a contratação de guias locais por grupos e excursões que visitem Curitiba. Vieira apresentou parecer favorável à tramitação, mas durante o debate os parlamentares julgaram mais adequado consultar o setor antes de

dar o aval da comissão à matéria. “Há um posicionamento da prefeitura, no qual ela diz que a iniciativa é boa, mas não teria condições de fiscalizar integralmente o cumprimento da norma, caso aprovada”, indicou o relator. “Não há no nosso quadro funcional a carreira de fiscal”, diz o Instituto Municipal de Turismo, em ofício enviado ao Legislativo. Para dar tempo de se consultar preliminarmente ao setor, Euler pediu vistas da iniciativa, que volta à análise do colegiado. A matéria é semelhante ao texto que já tramitou em 2016 na Câmara de Curitiba, mas que não chegou à votação em plenário e foi arquivado com o fim da legislatura 2013/2016.


12

Curitiba, junho de 2018

TURISMO

Trem para Morretes ganha maior frequência em outubro Depois, entre dezembro e fevereiro, passeio passa a ser diário

A

pós muita polêmica e discussão, o passeio de trem entre Curitiba e Morretes vai ganhar mais uma frequência a partir do dia 1º de outubro, e passa a ser diário entre dezembro e fevereiro. É o que ficou estabelecido em uma reunião realizada no começo de julho com representantes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Serra Verde Express (operadora do passeio) e concessionária Rumo Logística, que administra a ferrovia. A decisão ocorreu seis meses depois de a agência reguladora reduzir a frequência da Litorina para apenas os fins de semana na baixa temporada. Com a reunião, o passeio passará a ser realizado de quinta a domingo nos meses de outubro e novembro, e diariamente até o final da temporada de verão. De acordo com o superintendente de serviços de transportes de passageiros da ANTT, João Paulo de Souza, estes primeiros dois meses da nova frequência servirão como teste para analisar se há fluxo suficiente para mais saídas do trem de passageiros. “Se for constatado o aumento da demanda e da viabilidade, este acréscimo será definitivo e passará a ser referência para o próximo ano”, explica. Além disso, a ANTT afirma que

também poderá autorizar frequências extraordinárias na média e baixa temporada, dependendo de como for o desempenho em outubro e novembro. “Tudo isso está sendo feito ponderando o desenvolvimento do turismo no litoral do Paraná e a necessidade de escoamento da produção agrícola pelo Porto de Paranaguá”, completa o superintendente. A limitação do passeio entre Curitiba e Morretes se dá também por conta do transporte de cargas, já que há apenas uma ferrovia para descer a serra. A Rumo Logística informou, através de um comunicado recente, que “contabilizou o maior volume de cargas mensal já transportado até o Porto de Paranaguá, totalizando mais de 1 milhão de toneladas”. Segundo o diretor presidente da Serra Verde Express, Adonai Aires de Arruda, a empresa disse na reunião que não poderia abrir mão de mais dias de uso da ferrovia pelo menos até o final de setembro. “Nós pedimos também uma frequência às segundas-feiras, e a Rumo deve se posicionar rapidamente sobre isso, sendo que essas seriam inicialmente com as Litorinas”, explica. Se a demanda for representativa, a composição será substituída por vagões com locomotivas, com capacidade maior de passageiros. A reunião também estabe-

O passeio será realizado de quinta a domingo nos meses de outubro e novembro leceu que uma nova audiência pública será realizada na Comissão de Turismo da Assembleia Legislativa do Paraná, para apresentar os resultados do encontro. No entanto, ainda não há uma data definida. As mudanças no passeio entre Curitiba e Morretes, com seus 110 quilômetros de extensão, são decorrentes de uma orientação da

ANTT no regime de permissão da operação do trem de turismo. A alteração provocou uma perda de mais de 100 dias no número de viagens, e uma queda de até 50% no movimento de turistas. Atualmente, as saídas diárias ocorrem apenas nos meses de alta temporada (janeiro, fevereiro, dezembro) e no mês de julho. No restante do ano, o passeio

é realizado às sextas, sábados, domingos e feriados. As saídas de trem partindo de Curitiba para Morretes acontecem às 8h30 e de Litorina às 9h30, a partir de R$ 93,50 por pessoa, com pacotes especiais turísticos que chegam a R$ 297,00 (com serviço de bordo, almoço típico, tour por Antonina e retorno rodoviário).

Folga pode coincidir com o domingo a cada 7 semanas Dois acórdãos da Justiça do Trabalho do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 3ª Região, em Juiz de Fora, confirmam o entendimento de que a folga semanal do trabalhador do segmento de alimentação pode coincidir com o domingo no prazo máximo de sete semanas e não de três semanas, como sustenta a Inspeção do Trabalho, do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). As decisões abrem precedentes para novos julgamentos sobre o tema. Na primeira delas, de 17 de abril, o TRT deu provimento a um recurso interposto pela Prime Alimentos contra a Advocacia Geral

da União (AGU), declarando a nulidade do auto de infração. No entendimento do relator do processo, Vitor Salino de Moura Eça , “a aplicação de multa pelo descumprimento da concessão de folga em um domingo a cada três semanas não pode prevalecer, porquanto a fiscalização deixou de observar a existência de norma coletiva válida e vigente no período dos fatos analisados na autuação”. Na segunda, foi negado provimento a um recurso inerposto pela AGU contra a declaração de nulidade de auto de infração lavrado pelo MTE contra a Babbo Giabba Pizze-

ria. No entendimento do relator Delane Marcolino Ferreira, “não há que falar em afronta aos princípios constitucionais invocados pela recorrente, pois a estipulação de normas coletivas também é manifestação do princípio de liberdade de iniciativa e é inegavelmente incentivada pela Constituição Federal, que em seu artigo 170 propugna por uma ordem econômica fundada na valorização do trabalho humano e na função social da propriedade”. As decisões estão de acordo com a Reforma Trabalhista que, em relação às folgas, estabelece que o negociado prevalece sobre o legislado.


Curitiba, junho de 2018

13

PARANÁ

Ratinho Júnior almoça e fala de turismo no SEHA Para o pré-candidato ao governo do Paraná Ratinho Júnior, “é necessário desenvolver o turismo de forma profissional” Rodrigo Félix Leal

D

ia 19 de junho, em mais um almoço que reuniu o trade turístico no SEHA, logo após assembleia ordinária, foi debatido o futuro do Paraná. Dessa vez com presença do deputado estadual e pré-candidato ao governo do Estado, Carlos Massa (PSD), o Ratinho Júnior, que veio acompanhado do fiel escudeiro, presidente licenciado da Fecomércio-PR, Darci Piana. O primeiro a falar foi o presidente do SEHA, João Jacob Mehl, ressaltou a relevância de Darci Piana no contexto do turismo paranaense. “Desconheço algum evento de âmbito estadual ou alguma entidade da área sem apoio da Fecomércio-PR, instituição da qual ele, presidente, está licenciado para a campanha”, afirmou. Segundo Jacob Mehl, Piana é a melhor opção para ser vice de Ratinho Júnior, “o único que une todos os empresários do Paraná em torno de uma candidatura”, explicou o presidente do SEHA. Falando na sequência, Darci Piana reafirmou seu compromisso com o segmento e prometeu, caso seja vice de Carlos Massa,

Encontro contou com a presença de empresários, hoteleiros, profissionais liberais e lideranças do segmento turístico

Darci Piana, Ratinho Júnior e João Jacob Mehl

vai direcionar energias a ações favoráveis ao turismo paranaense. Ratinho, de sua parte, lembrou as potencialidades existentes no Paraná para atrair turistas e foi enfático: “Precisamos desenvolver nosso turismo de forma profissional”. O candidato ao governo defendeu campanhas de marketing para incrementar fluxos de visitantes, citando como foco prioritário dessas iniciativas polos emissores próximos, a exemplo de São Paulo. Também falou da expansão de pista e infraestrutura do aeroporto de Foz do Iguaçu, do incremento ao turismo de Vila Velha e apoio ao empresariado da área, entre outros itens. Ao final foi aplaudido com entusiasmo. A reunião contou com a presença de diversos empresários, profissionais e lideranças do segmento turístico. Entre eles: Orlando Kubo, presidente da ABIH-PR; Antonio Azevedo, presidente da ABAV-PR; Jean Feder, presidente da Abrajet-PR; Marcos Gamper, presidente da Adetur Litoral; Vitor Tioqueta, Superintendente do Sebrae-PR; Daniel Wagner,

presidente do Sindhotel Ponta Grossa; Marco Antonio Fatuch, vice-presidente da FBHA e os vereadores curitibanos professor Euler e Sabino Picolo.

Piana é a melhor opção para ser vice de Ratinho Júnior, “o único que une todos os empresários do Paraná em torno de uma candidatura”, Jacob Mehl, presidente do SEHA


14

Curitiba, junho de 2018

www.seha.com.br Notícias

Convênios

Fique informado, entre em nosso site para ter acesso as informações do nosso setor.

Precisa de convênio médico, odontológico, medicina ocupacional, entre outros? Se houver algum convênio que queira nos sugerir, fique a vontade!

Precisa de funcionários? Publique as suas vagas gratuitamente em nosso site, e se tivermos em nosso banco de dados candidatos que preencham os seus requisitos, os currículos serão encaminhados para sua empresa.

Assessoria Jurídica

Tem dúvidas? Precisa de informação? Sugestões? Entre no nosso canal Fale Conosco, e mande para nós o que precisa.

Está com alguma notificação trabalhista? Ou dúvidas na área trabalhista, comercial, tributária e/ou civil? Possuímos duas assessorias contratadas especialmente para auxiliar nas suas questões. Se houver uma reclamação trabalhista, terá o acompanhamento gratuito de nossos advogados para a sua defesa. E suas dúvidas jurídicas poderão ser também esclarecidas gratuitamente.

Qualifique sua equipe

Questões Administrativas

O associado tem direito a duas vagas gratuitas por curso na grade disponibilizada em nosso site, e a sua inscrição é feita no próprio site.

Questões como o ECAD, Vigilância Sanitária, Fiscalização Ambiental, NFCe, consulta a Legislação em Vigor fica fácil quando se tem aonde recorrer e tirar informações. Pertencemos ao Conselho Municipal de Urbanismo, caso tenha alguma questão a ser resolvida sobre urbanismo, traga a sua questão para nós.

Contato permanente!

O espaço é seu! Está vendendo algum mobilizado de sua empresa de hospedagem ou alimentação? Anuncie sua venda, mandando as características, preço e fotos do objeto a ser vendido e será publicado em nosso Banco de Negócios, além de enviarmos através de nosso mailing. Basta acessar www.seha.com.br

Informações Legais Tenha acesso às Convenções Coletivas firmadas, sempre que seja necessário.

Basta ligar para: 41 3323-8900


Curitiba, junho de 2018

15

APÓS OPERAÇÃO VERÃO LEGAL

Notificações fizeram efeito Regularização dos meios de hospedagem tem alta de 88% no Paraná

O

Paraná aumentou em 88% a taxa de regularização dos meios de hospedagem. O crescimento aconteceu após a realização da Operação Verão Legal, do Ministério do Turismo. Até maio, o projeto fiscalizou, em 24 capitais brasileiras, estabelecimentos que estavam sem registro no Cadastur, o que contraria a Lei do Turismo. Em Curitiba, 51 dos 62 locais visitados foram notificados por conta das irregularidades encontradas. Em todo o País, dos 1,3 mil estabelecimentos fiscalizados, 940 foram notificados. Atualmente, o número total de registros no Cadastur já passa de 71,4 mil, o que representa um aumento de 23% em relação aos dados do início da operação. O resultado foi celebrado pela coordenadora-geral

de cadastramento e fiscalização de prestadores de serviços turísticos, Tamara Galvão. “Os altos índices de regularização confirmam que o trabalho em parceria entre governo federal e governos estaduais é altamente benéfico para o setor e gera resultados positivos para todos aqueles que trabalham com a atividade turística”, ressalta. Lançada em março, a nova versão do Cadastur permite que a inscrição seja feita inteiramente de forma eletrônica. De acordo com a Lei do Turismo, sete atividades turísticas são de registro obrigatório: guias de turismo, agências de turismo, meios de hospedagem, transportadoras turísticas, empresas organizadoras de eventos, acampamentos turísticos e parques temáticos.

CONEXÃO CENTRO HISTÓRICO

6ª edição do Festival de Inverno, no Centro Histórico De 19 a 29 de Julho, curitibanos e turistas podem aproveitar programação especial nessa charmosa região da cidade

Q

uando os empresários do Centro Histórico de Curitiba se reuniram para formar a “Rede”, mal sabiam que construiriam uma bonita história de cuidado, ocupação e transformação dessa importante região de Curitiba. Com o tema “Conexão Centro Histórico” a 6ª edição do Festival de Inverno é a prova viva disso. O evento, que já se tornou um marco da estação mais fria do ano, chega trazendo cultura, música, gastronomia e serviços no Centro Histórico. O tema escolhido este ano reflete todas as frentes de integração unidas para que Curitiba tenha cada vez mais turistas, programação relevante e ocupação das ruas.

“Pelo sexto ano temos o poder público e empresários juntos, unindo esforços para melhorar os atrativos do Centro Histórico. E na outra ponta curitibanos e turistas interagindo e se conectando mais com essa importante região de Curitiba”, comenta a presidente da Rede Empresarial, Maria Bonamigo. Na prática muita gastronomia e atrações culturais marcam o Festival de Inverno do Centro Histórico de Curitiba, que acontece de 19 a 29 de julho, sendo que muitas delas gratuitas. A abertura oficial será na Capela Santa Maria, com show musical de Bernardo Manita e trio com Quarteto de metais e ainda DJ Branco. O

evento, só para convidados, marca o início de uma série de atrações. Vinte empresas fazem parte da Rede Empresarial. São elas: A Caiçara, Artemísia Produções, Barbearia Rei Trajano, Bar do Alemão, Bella Vivenda, Brasileirinho, Café Catedral, Casa do Fumo, Espaço Carmela, Jeito Mineiro, Jokers, Nonna Giovanna, Pizza, Oriente Árabe, Quintal do Monge, Restaurante Mikado, Hotel Blumenau, Hotel Brasília, Hostel Roma, Hotel Miller Flat. Algumas delas prepararam atrações musicais e eventos específicos durante o Festival. Além disso, os hotéis associados serão os meios de hospedagem oficiais do evento.


16

Curitiba, junho de 2018

INFORMATIVO

B O L E T I M I N F O R M AT I V O D O S I S T E M A F E C O M É R C I O S E S C S E N A C P R

|

2018

S I ST E M A F E C O M É R C I O S E S C S E N AC P R N C M - N Ú C L E O D E C O M U N I CAÇÃO E M A R K E T I N G 4 1 . 3 8 8 3 - 4 5 3 0 | j o r n a l i s m o @ f e c o m e rc i o p r. c o m . b r w w w. f e c o m e rc i o p r. c o m . b r | w w w. s e s c p r. c o m . b r | w w w. p r. s e n a c . b r

CURITIBA, ANO 4, EDIÇÃO N. 65

Jornal Seha ed 59  
Jornal Seha ed 59  
Advertisement