Agosto/2022

Page 1

informativo

BASÍLICA SANTUÁRIO NOSSO SENHOR DO BONFIM

ANO 7 AGOSTO-2022


PALAVRA DO REITOR

PERGUNTE AO REITOR

VOCAÇÃO CHAMADO NOSSA SENHORA DA BOA MORTE, ROGAI POR NÓS!

MISSÃO

QUAL O VALOR DE UMA VOCAÇÃO?

No dia 15 de agosto, faremos memória à Assunção de Nossa Senhora. A celebração litúrgica foi instituída a partir da motivação de recordar o momento em que, ao final de sua vida terrestre, a Virgem Maria foi elevada aos céus. Esta festa mariana é considerada um Dogma de Fé e a mais antiga do Catolicismo. Neste contexto, a Mãe de Jesus também recebe o título de “Nossa Senhora da Boa Morte”. De acordo com a tradição da Igreja Católica, os discípulos sepultaram a Mãe de Jesus, em Jerusalém, num túmulo que nunca havia sido usado. Quando foi sepultada, nem todos os apóstolos de seu Filho estavam presentes e após três dias um dos ausentes queria vê-la pela última vez. O local foi aberto e para surpresa de todos, o corpo da Virgem Maria não estava lá, apenas um forte odor de flores. Nisto, foi compreendido que Nossa Senhora foi assunta aos céus de corpo e alma. Possuímos na Basílica Santuário Nosso Senhor do Bonfim uma imagem que representa Nossa Senhora da Boa Morte, e para mim, como reitor desta secular Igreja, é uma preciosidade poder apreciar os mistérios Divinos refletidos na Mãe de Jesus, que após o Redentor, foi a primeira pessoa a ser elevada aos céus de tal forma. Que a partir da Assunção da Virgem Maria, você possa compreender o que acontecerá com todos nós no fim dos tempos por meio do que professamos na oração do Credo: “Creio na ressurreição da carne”. Nossa Senhora da Boa Morte interceda por cada um de nós ao Nosso Senhor do Bonfim.

Estamos no mês de agosto e ao longo destes 31 dias a Santa Igreja nos convida a meditar sobre a Vocação, palavra proveniente do latim “Vocare”, que significa “chamar ou chamamento”. Nisto, somos motivados a compreender a ação vocacional a partir do reconhecimento da entrega total que o (a) cristão (ã) faz mediante uma resposta positiva ao convite pessoal de Deus para ele (a). Nesta doação incondicional de si mesmo, entende-se que a redescoberta do valor vocacional é urgente, a fim de que todos experimentem o que Cristo tem a oferecer, pois, “aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas aquele que tiver sacrificado a sua vida por minha causa, recobrála-á” (Mt 16, 25). Quem se dedica a uma vocação — seja ao sacerdócio ou à vida religiosa, matrimônio ou ao celibato laical —, dedica-se a um chamado interior. Não se trata de uma escolha arbitrária, pautada em interesses econômicos ou sentimentais. Por isso, no exercício de sua vocação, ele (a) não procurará o sucesso pessoal — embora isso também possa existir —, mas a perfeita realização de seu chamado. Em suma, a pessoa que vive sua vocação, encontra o seu valor mediante a contemplação da face de Cristo em todas as circunstâncias, mesmo que venha a padecer sofrimentos, “dores de cabeças”, perseguições e desprezo.

Pe. Edson Menezes da Silva

Pe. Edson Menezes da Silva

Reitor da Basílica Santuário Nosso Senhor do Bonfim

(Com informações de Irmãs Paulinas e Christo Nihil Præponere)

Reitor da Basílica Santuário Nosso Senhor do Bonfim


CAMPANHA

MENSAGEM DO JUIZ

O SER JUIZ DA DEVOÇÃO DO SENHOR BOM JESUS DO BONFIM COMO VOCAÇÃO

CONTINUE SENDO FIEL EM SUAS CONTRIBUIÇÕES! A Basílica Santuário Nosso Senhor do Bonfim é a casa de todos. Aqui, acolhemos pessoas que buscam conforto espiritual, uma palavra de incentivo, uma bênção do Senhor do Bonfim, que fazem pedidos ou agradecem uma graça alcançada, e ainda que nos visitam para conhecer a história da Basílica Santuário. É para todas essas pessoas que a Igreja do Bonfim abre diariamente. Para manter este espaço em funcionamento, precisamos sempre de ajuda. E é com a Campanha Devotos do Senhor do Bonfim que essa colaboração chega. É com os devotos unidos que a Devoção do Senhor do Bonfim, Mantenedora da nossa Basílica Santuário, consegue cuidar da estrutura desse local acolhedor. Você que participa da Campanha, continue sendo fiel em suas contribuições. Dessa forma, seguiremos sempre zelando por tudo o que envolve esse nosso patrimônio. Gratidão a todos que colaboram!

A partir da nossa caminhada como cristãos, compreendemos que a vocação é o chamado que Deus realiza a cada um de nós, a fim de contribuirmos, mediante os nossos dons, com a sua messe. Na ocasião, é preciso que aconteça uma resposta a esta convocação vez que, diariamente, ressoa em nossos ouvidos a proposta de Jesus Cristo: “Segue-me” (Cf. Mt 9, 9). No início deste ano, ao tomar posse como Juiz da Devoção do Nosso Senhor Bom Jesus do Bonfim para o triênio 2022/2025, atendi à voz de Deus que me convidou a mergulhar em águas mais profundas por meio da sua Divina condução. Motivado a ser uma extensão da Misericórdia e com total entendimento de que a missão assumida não seria fácil, confiei e disse “sim” ao meu novo chamado, como forma concreta de gratidão por tudo o que Ele fez e faz por mim e por minha família. Assim, entendo que o ser Juiz da Devoção do Senhor Bom Jesus do Bonfim como vocação, destina-se em dar continuidade aos objetivos propostos pelo capitão-demar-e-guerra Theodózio Rodrigues de Faria, fundador da nossa Irmandade, dando atenção à evangelização e à propagação do culto ao Nosso Senhor do Bonfim e à Nossa Senhora da Guia, sem esquecer de também continuar cuidando e preservando a nossa Basílica Santuário Nosso Senhor do Bonfim, como vem sendo feito há quase três séculos. Ao vivenciar este mês das vocações, que possamos acolher em nosso coração a seguinte exortação do Papa Francisco, “Não sejam surdos ao chamado do Senhor! Se Ele te chama, não se oponha e confie n’Ele”. Que Nosso Senhor do Bonfim e Nossa Senhora da Guia nos conduzam a respondermos de maneira positiva ao chamado de Deus.

Christovão Rios de Britto

Juiz da Devoção do Nosso Senhor Bom Jesus do Bonfim

A FORÇA DO TESTEMUNHO PATERNO No segundo domingo do mês de agosto, que também é o mês das vocações, celebramos o dia daqueles que têm um papel importante na formação do caráter e no decorrer da vida dos filhos: os pais. Assim como foi São José na Sagrada Família, nós pais, devemos ser para nossos filhos o apoio, o amparo e a proteção. Devemos ser os educadores e transmissores da fé, dando nosso testemunho de discípulo de Jesus. Ser pai é uma vocação, mas precisamos orar pedindo a sabedoria que vem Dele, para respondermos ao chamado que Deus nos faz com nosso testemunho, sendo um colo firme com a sustentação que nossos filhos precisam, mas deixando-os caminhar e aprender também com seus erros. Filhos são bênçãos de Deus. Que o Nosso Senhor do Bonfim continue a nos envolver com seu amor, motivando-nos sempre a respondermos bem ao chamado de Deus, na missão de SER PAI.

Rosalvo Augusto Vieira da Silva

Devoto Estatutário e Membro da Mesa Administrativa triênio 2022/2025


Siga nossas redes sociais! santuariosenhordobonfim.com

@bonfimsantuario

@basilicasantuariodosenhordobonfim

bonfimsantuario