Page 1

www.revistanegocios.net.br

11 anos da revista negócios.net empresas & empresários do RN

Natal - RN | Ano X | Março e abril de 2018 | R$ 6,00

Arena dos

negócios

aprendendo a empreender com camila farani

Incubadoras empresas e startups se desenvolvem em ambiente favorável

Cláudio Alvarez diretor da cabo telecom destaca setor de atendimento


Editorial

startups

Empreendedorismo, inovação e o ecossistemas das

“A inovação tecnológica é uma vocação do Rio Grande do Norte”. Esta frase de Carlos Von Soshten, coordenador do SebraeLabs (um projeto inovador que será lançado pelo SEBRAE-RN), só reforça a crença da revista NEGÓCIOS, que aposta no potencial ‘Jerimum’ para se transformar num pólo do empreendedorismo digital no país. Segundo dados da Endeavor, enviados à redação da revista por Marcelo Bandiera, coordenador do Empreende (centro de empreendedorismo da UnP), Natal foi reconhecida pelo terceiro ano consecutivo como cidade empreendedora. Esta edição se dedicou em apurar as informações que confirmam o potencial potiguar nas áreas de empreendedorismo, tecnologia e inovação. A Campus Party, maior evento de tecnologia do mundo, desembarca em Natal e já tem quem afirme que a história do empreendedorismo digital no Estado poderá ser contada antes e depois do evento, que será realizado entre os dias 11 e 15 de abril, no Centro de Convenções de Natal. Contamos tudo o que estar por vir, como as simulações de Marte, lançamento de foguetes, corridas de ciborgue, realidade virtual, inteligência artificial e muito mais. A Revista NEGÓCIOS também revela algumas empresas incubadas no Inova, incubadora do Metrópole Digital (UFRN), que vão marcar presença no evento. Por falar em

expediente Direção Executiva Jean Valério

Diagramação - Terceirize www.terceirize.com

Comercial (84) 98856-1662 (84) 99451-4577 Email: jeanvalerio@gmail.com

E-mail jeanvalerio@gmail.com jeanny.damasceno@gmail.com

6>

> março/abril de 2018

Unigráfica Tiragem 5 mil exemplares

As matérias assinadas não expressam necessariamente a opinião da Revista Negócios.Net

14

8

Negócios em pauta

Destaques da coluna são os presidenciáveis empresários: Flávio Rocha e João Amoêdo.

ENTREVISTA

10

Cláudio Alvarez revela como a CABO superou a concorrência na pesquisa de satisfação.

40

Uma boa leitura! Jean Valério Diretor Executivo

Reportagem e edição George Fernandes

demis roussos

Summit Empreendedora e investidora-anjo, a carioca Camila Farani será uma das atrações do evento corporativo, dia 2 de abril, na Arena das Dunas.

incubadoras, visitamos e fizemos um breve, mas completo relato de como funcionam as incubadoras do IFRN (Incubadora Tecnológica Natal Central) – ITNC e da UnP (Empreende). O ecossistema das startups é outro tema explorado nesta edição da revista, com direito a conceitos, casos de sucesso e dicas para quem deseja se lançar nesse desafiador, mas atrativo, mundo de negócios digitais. Para facilitar, a gente publica um dicionário com termos utilizados no universo das startups. Tem também uma entrevista com o presidente da CABO TELECOM, Cláudio Alvarez, sobre como a empresa potiguar tem se mantido na vanguarda, concorrendo com gigantes do setor de telefonia, TV e internet. E um bate-papo enriquecedor com Camila Farani. Investidora-anjo, empreendedora e integrante do time de ‘tubarões’ do programa Shark Tank Brasil, do canal de TV por Assinatura Sony, Camila empresta a sua beleza carioca para ilustrar a capa desta edição da revista NEGÓCIOS. Ela é uma das atrações principais do Summit Negócios Empreendedorismo, evento da revista que será realizado na Arena das Dunas, dia 2 de abril, com apoio do Sebrae/RN e da Acarta Comunicação.

Fotografia

Índice

Campus PARTY Maior evento de tecnologia do mundo desembarca em Natal com grandes atrações, como lançamento de foguetes e competição de drones e ciborgues; será realizado entre os dias 11 e 15 de abril, no Centro de Convenções.

Incubadoras Ambientes de incubação de empresas ganham cada vez mais destaques no mercado.

Startups

22

O Rio Grande do Norte já conta com empresas inovadoras de destaque no cenário nacional.

Dicionário Endereço Av. Romualdo Galvão, 773, Sala 806 8º andar Edifício Sfax - Tirol - Natal-RN Fone: 84-3302-7212 - 988561662 Site: www.revistanegocios.net.br

17

30

Esta edição presenteia o leitor com os significados de termos do ecossistema das startups. março/abril de 2018 <

<7


Negócios em Pauta< jeanvalerio@gmail.com

Chapéu

Chapéu

Nomes novos no RN

Flávio Rocha para presidente

João Amoêdo para presidente

Flávio Rocha foi destaque na capa da ÉPOCA. Nada de novo, além do desejo de ser candidato a presidente da República respaldado pela publicação e reverberado pelas redes sociais. O Brasil 200 é a retórica de conquistar adeptos ao seu projeto. Rocha sabe que há um vácuo. Há espaço para uma candidatura “nova” que defenda o que as pessoas querem ouvir: Economia aquecida (bolso), segurança (punição aos criminosos), honestidade (corrupção zero), redução da máquina pública e defesa dos “bons costumes” (valores morais). É nesse oceano que ele tenta navegar. Viaja o país todo. E espera ver seu nome nas pesquisas. Tenta “ser” a “nova direita”, superliberal na economia mas ultraconservador nos costumes. Acredito na viabilidade da candidatura do herdeiro da Riachuelo, desde que ele consiga ter um olhar atento às causas sociais (universo “esquecido” no seu discurso até agora). O candidato precisa despertar paixões. Menos agressividade, mais assertividade.

Outro outsider pré-candidato a presidente que agrada o empresariado brasileiro e também tem fortes ligações familiares com o Rio Grande do Norte é João Amoêdo. Filho da administradora de empresas potiguar Maria Elisa Filgueira Barreto, João Amoêdo tem uma história de vida vencedora. Já completou 6 ironmans e mais de 10 maratonas. Em 2010, suportou doloroso tratamento de um Linfoma e conseguiu sair vitorioso. João Amoêdo é um executivo desconhecido para grande parte da população. Ele deixou o mercado financeiro para ajudar na criação do Partido Novo, com o objetivo de reconstruir a política brasileira no longo prazo. Com 55 anos, engenheiro e administrador de empresas, passou pelo Citibank, BBA, Creditansalt, Fináustria, foi vice-presidente do Unibanco e membro do conselho de administração do Itaú-BBA. Entre suas propostas, destaca-se a redução do papel do Estado, equilibrar contas públicas e realizar reformas estruturais.

MAIS RN será entregue de novo

O MAIS RN, plano estratégico para a retomada do desenvolvimento do Estado será entregue, mais uma vez, pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte - FIERN, aos candidatos a governador nas eleições de 2018. O documento aponta caminhos para um crescimento sustentável, destacando potencialidades e um mapeamento que norteia ações e investimentos em quatro grandes setores: empreendedorismo, qualidade da educação, infraestrutura e políticas públicas. O plano tem cerca de 400 oportunidades de negócios e investimentos em 15 segmentos com potencial de crescimento, desde o campo da energia até o de serviços públicos. Só lembrando: o MAIS RN foi lançado em 2014 e entregue aos candidatos da época. Mas parece que não foi utilizado. Passará agora por revisão de dados antes de ser entregue novamente aos candidatos deste ano. 8>

> março/abril de 2018

No Rio Grande do Norte, o segmento empresarial continua na expectativa da viabilidade de novas candidaturas, seja ao Governo do Estado ou ao Senado. Há dois nomes fortes no momento para a majoritária: Itamar Rocha, presidente da Associação Brasileira de Criadores de Camarão (ABCC) que já foi deputado federal pelo RN; e o empresário Luiz Roberto Barcellos, produtor de melão de Mossoró que recentemente fez uma negociação milionária da sua empresa agrícola com um grupo internacional e está capitalizado e decidido a entrar na política.

Aeroporto Mossoró A liberação para o Aeroporto de Mossoró receber voos comerciais, após investimento de R$ 2 milhões do Governo do RN na reforma e recuperação, repercute positivamente entre a classe empresarial e turística da região Oeste do RN. A liberação pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) foi publicada no Diário Oficial da União.

Eleições SISTEMA FIERN A costura para o consenso na eleição do SINDUSCON envolveu gestos que devem repercutir na sucessão mais cobiçada que é a da presidência e diretorias do SISTEMA FIERN – Federação das Indústrias do Estado do RN. A força tarefa maior é para aprovar a possibilidade de um terceiro mandato para o atual presidente Amaro Sales. Algumas lideranças manifestaram discordância. Mas já estão sendo convencidas a mudar de ideia hipotecar apoio a Amaro.

Eleições SINDUSCON-RN Sessenta construtores que compõem o Sindicato da Indústria da Construção Civil do RN (Sinduscon-RN) decidiram se unir em torno de uma chapa consensual para a sucessão do comando na entidade hoje presidida pelo engenheiro Arnaldo Gaspar Junior. Silvio Bezerra será o presidente e terá como vices Sérgio Azevedo (obras públicas) e Marcus Aguiar (mercado imobiliário).

Investimento no Turismo Um dos principais destinos turísticos no RN, a praia de Pipa terá totalmente recuperada a sua estrada de acesso. São 27 quilômetros que ligam a BR–101, em Goianinha, ao município de Tibau do Sul. A ordem de serviço para o início das obras foi assinada pelo governador Robinson Faria, o prefeito de Tibau Antônio Modesto e o deputado estadual Dison Lisboa. O investimento é de R$ 6,8 milhões.

Novo comprador para a ALE A Alesat, distribuidora de combustíveis dona da rede de postos ALE, está em nova negociação para vender sua operação. Desta vez para o grupo holandês Vitol. Foi o que noticiou o Valor Econômico. A negociação envolveria a participação total dos acionistas (o fundo Darby; o grupo mineiro Asamar e o empresário Marcelo Alecrim). As negociações foram retomadas após o Cade negar, em agosto do ano passado, a compra da Alesat pelo grupo Ultra, que administra a rede dos postos Ipiranga.

Cosern melhor do Brasil

A Ouvidoria da Cosern foi reconhecida como a melhor do Brasil na categoria empresas de grande porte na 1ª edição do prêmio criado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que destaca melhores Ouvidorias das Distribuidoras de Energia Elétrica do Brasil. Para atingir a nota de 100 pontos no resultado final, a Cosern teve vários indicadores de qualidade avaliados com a nota máxima pela Aneel. março/abril de 2018 <

<9


Entrevista

Cláudio Alvarez | Cabo Telecom

Chapéu

Chapéu NEGOCIOS.NET - Ao que o senhor atribui tanto tempo na liderança desta pesquisa de satisfação realizada pela ANATEL (a Cabo Telecom lidera o ranking pelo sexto ano consecutivo)? Ao atendimento de excelência para o nosso cliente. E é justamente isso que a pesquisa quer saber. Atendimento é essencial. Quando o cliente liga, ele encontra funcionários dedicados e preparados para fazer o atendimento da melhor forma possível. Esse feedback do nosso cliente é uma prova de que estamos no caminho certo. É um reconhecimento.

“Fomos reconhecidos como a empresa que tem o cliente mais satisfeito” por george fernandes

Eleita pelo sexto ano consecutivo como a empresa dos clientes mais satisfeitos do Brasil, a Cabo Telecom obteve o melhor desempenho entre as demais empresas de telecomunicações do país, liderando nas duas principais categorias. No quesito banda larga fixa, a empresa genuinamente potiguar alcançou a maior nota de todas, ficando com média de 7,64. Para o diretor Cláudio Alvarez, esse é o resultado de um alto investimento em atendimento. “Investimos um esforço muito grande em atendimento. E contamos com funcionários bem preparados para atender nossos clientes e dedicados ao trabalho que fazem”, destacou Cláudio. Com 560 funcionários, todos de Natal, a Cabo Telecom oferece serviço de internet 10 >

> março/abril de 2018

banda larga, TV por Assinatura e telefonia fixa em Natal, Parnamirim e São Gonçalo. Para 2018, a empresa planeja trabalhar em duas frentes: fazer novos cabeamentos em áreas como os bairros das Rocas e Quintas e trocar o cabeamento coaxial pelo de fibra, aumentando substancialmente a velocidade da internet, serviço mais ofertado pela empresa, com cerca de 120 mil clientes registrados (os serviços de assinatura de TV conta com 55 mil clientes contra 36 mil de telefonia fixa). Nessa entrevista, Cláudio Alvarez ratifica estes números e investimentos e revela os planos de expansão para praias do litoral sul e outras cidades da Grande Natal, como Macaíba, Extremoz e Ceará-Mirim. Confira:

A Cabo Telecom sentiu a crise que assolou o país nos últimos anos? Não tivemos muito problema com a crise. Eu acho que porque o serviço que a gente presta é um serviço que passou a ser essencial na vida das pessoas. Hoje, ninguém vive mais sem internet. E também porque abrimos mão de pacotes e vendas casadas, que a maioria das empresas fazem. Contamos com 121 ou 122 mil clientes de internet, 56 mil clientes de TV por Assinatura e 36 mil de telefonia fixa.

São números robustos, se comparamos com o O atendimento da Cabo Telecom é humanizado e número de habitantes das três cidades onde a Cabo Telecom presta serviço, certo? não robotizado, como já acontece Verdade. Estamos acima da com a maioria das empresas namédia do Brasil, proporcionalmencionais e internacionais. É isso? te falando, se compararmos o núExatamente. É um diferencial mero de clientes por habitantes na nosso. Fomos reconhecidos como Contamos com 560 região que fornecemos serviços. a empresa que tem o cliente mais satisfeito. Isso significa que o Como está o plano de expannível de satisfação do nosso clien- funcionários, todos são da empresa? Vocês têm intete é maior do que o de qualquer resse em investir em outras cidaoutro assinante em todo Brasil. E do Estado? o atendimento é esse diferencial. de natal, dedicados desTodo ano crescemos um pouquinho. Não deixamos de fazer O investimento em recursos investimentos em áreas novas. humanos, então, é um ponto forte e preparados. Mas, para poder prestar o serviço, da empresa? tenho que investir em infraestruTrabalhamos aqui, em Natal, há tura, fazer o cabeamento, para 18 anos e sabemos nossas forças e contamos, também, depois ir buscar novos assinantes. fraquezas, pois somos uma emprePara este ano de 2018, estamos sa pequena, basicamente de capitrabalhando em mais uma área tal e sócio potiguares. E, sim, como com uma parceria na Zona Norte, em mais duas o atendimento é um diferencial áreas em São Gonçalo, Jardim precisamos ter uma equipe bem Lola e Amarante, e estamos expreparada e qualificada. Contamos com o ifrn, de onde pandindo, também, para as praias, com 560 funcionários, todos de como Pirangi e Cotovelo, a partir Natal. E contamos, também, com do segundo semestre deste ano. uma parceria com o IFRN, de onde já vieram muitos dos nossos pro- já vieram muitos dos Estamos trabalhando, também, em duas frentes: cabeamento de fissionais, todos bem preparados áreas novas e recabeamento de na instituição de ensino. nossos profissionais. áreas onde já estamos instalados. Estamos fazendo cabeamento de A Cabo Telecom é uma emprefibra, substituindo aos cabos cosa genuinamente potiguar? axial que já existem. A fibra é Sim. Parte dela foi vendida a um uma nova tecnologia que permifundo de investimentos americano, te uma velocidade muito maior mas a empresa não perdeu a sua de internet. Já estamos oferecenessência e continua sendo 100% do do este serviço em algumas áreas, Rio Grande do Norte. março/abril de 2018 <

< 11


Cláudio Alvarez | Cabo Telecom

Chapéu com velocidade de 100, 200 e 300 MB, parecido com as de cabo coaxial, um serviço de excelência, já reconhecido por nossos clientes, mas com velocidade bem maior.

esperamos crescer esse ano pelo menos

outras empresas. E financeiramente é inviável. Qual a previsão de crescimento para este ano? Esperamos crescer, este ano, pelo menos mais 8 mil clientes em Natal, Parnamirim e São Gonçalo. E a partir de 2019, deveremos já oferecer os serviços em Macaíba. A tecnologia de fibra permite expandir para distâncias maiores, como Ceará-Mirim, Extremoz, outra meta nossa para um futuro breve.

Então, os veranistas e moradores de Pirangi e Cotovelo já vão poder mais 8 mil clientes em optar pelos serviços da Cabo Telecom no próximo verão? Natal, Parnamirim e Sim, mas essa região do litoral é um tanto quanto complicada, comercialmente falando. Isso porque tem muita gente que tem casa, mas não são gonçalo. E a fica lá permanentemente, ou seja, não consome o serviço, o que acaba inviaE qual a possibilidade de inbilizando o cabeamento na região. E partir de 2019 cluir os canais da Globosat na não seria vantagem para o cliente grade de programação da Cabo pagar uma assinatura anual, se só vai à praia uma vez ou outra no ano. Por deveremos chegar Telecom, uma reclamação de clientes de outras operadoras isso, vamos fazer um pacote diferenque teriam o interesse de miciado, onde o cliente vai pagar apenas grar para a Cabo, caso incluísse pelos dias de uso. Pelo site mesmo, o em macaíba os canais da Globosat na procliente pode adquirir o serviço. Por gramação? exemplo, se vai passar um fim de Não há a possibilidade de insemana e autoriza o serviço, na seserir os canais da Globosat. O gunda-feira, cancela. Simples assim. custo é muito alto e aumenta, É o justo, porque não se justifica assinar um pacote por mês, usando apenas dois ou três consequentemente, a assinatura em 30%, 40%. Se colocarmos a Globosat, passaremos a ser apenas mais dias por semana ou por mês. um no mercado. Não perdemos clientes, justamente, Há a possibilidade de cobrir novas áreas, em ou- pelo valor que cobramos. Se colocarmos os canais da Globosat, seremos obrigados a aumentar o valor da tras cidades do Estado? Tem algumas áreas que ainda não estão cabeadas, assinatura. Inviabiliza uma expansão. Hoje em dia, o como os bairros das Rocas, Quintas, Felipe Camarão e cliente não quer mais pagar R$ 200,00 por uma TV alguns locais na Zona Norte. Acredito que a partir de por Assinatura. A tendência, cada vez maior, é de pagar 2019, faremos o cabeamento nestas áreas. O problema menos e ter menos canais. Por essa carência de canais, é que quando chegou a concorrência nacional, eles nós abrimos mão há muito tempo da venda do combo fizeram um cabeamento em toda a cidade. Então, completo. Ou seja, deixamos o cliente livre, à vontade, fomos cabeando nos lugares que não havia cabeamen- para assinar qualquer um dos serviços. Nós, hoje, to da concorrência. Agora, vamos cabear aonde tem temos mais clientes de internet do que TV, porque a cabeamento da concorrência, também. Internet e TV procura hoje é mais pelo serviço de internet. por Assinatura estão se popularizando cada vez mais. Qual é a sua história na Cabo Telecom? O senhor Hoje, todas as classes sociais já podem ter acesso, é argentino? principalmente, aos serviços de internet. Sim, sou argentino. Eu cheguei em Natal no ano de E em outras regiões, como a Seridó ou até mesmo 2.000. Trabalhei sempre na empresa, mas só faz quatro anos que assumi a direção da empresa. No Brasil, ainda Mossoró? Descartamos chegar a outras cidades do Seridó ou trabalhei pouco tempo em Brasília, depois voltei para Mossoró, que já contam com os mesmos serviços de a Argentina, até chegar a Cabo Telecom, em 2000. 12 >

> março/abril de 2018

março/abril de 2018 <

< 13


Summit

Summit Incubadoras alimentam sonhos e criam oportunidades

Aprendendo a empreender

com investidora-anjo do Shark Tank Brasil

Camila Farani, integrante do programa exibido no canal Sony, vem a Natal ajudar a empreendedores locais a transformar ideias em negócios; ela palestra dia 2 de abril na Arena das Dunas

14 >

> Março/Abril de 2018

Integrante do programa Shark Tank Brasil, exibido no canal de TV por Assinatura Sony, presidente da G2 Capital, empreendedora serial, maior e mais admirada investidora-anjo do Brasil. Este é apenas um breve currículo de Camila Farani, que vem a Natal no dia 2 de abril ministrar uma palestra para um seleto grupo de empreendedores locais, na Arena das Dunas. ‘O que você pode aprender com os cases do Shark Tank Brasil’ é o tema da palestra da convidada especial durante o Summit Negócios, evento corporativo promovido pela agência Acarta Comunicação e Revista Negócios (www. portalnegocios.com.br), com apoio da Arena das Dunas e Sebrae-RN. Aprender a empreender com inteligência ou transformar ideias em negócios, entender os tipos de investimentos mais rentáveis e como alavancar resultados ou, simplesmente, fazer o network. Estas são algumas propostas do Summit Negócios, que conta ainda com mais duas palestras. Uma com os empreendedores natalenses que receberam R$ 150

mil de investimento dos ‘tubarões’ no reality show Shark Tank, André Jimmy e Parizot Magalhães, da Greenpaletts, e outra com o Master Coach potiguar, Rodrigo Peixoto. Os donos da Greenpaletts narram as suas experiências discorrendo sobre o tema ‘Como vender para tubarões e conquistar investimentos. Tenha o sócio ideal para alavancar o negócio’. Já o coach, que completa a tríade de palestrantes, fala sobre ‘Desperte o seu Gigante Empreendedor e alcance grandes desempenhos na vida profissional e nos negócios’. Responsável pela organização do evento, o jornalista Jean Valério diz ser oportunidade para empreendedores e interessados no tema. “Oferecemos aos participantes a chance de beber na fonte do conhecimento com quem faz a diferença no cenário de empreendedorismo nacional. Será um evento memorável. Quem for sairá mais maduro, rico de insights e network, podendo ainda conquistar um mentor ou investidor anjo para o seu negócio”, revelou Jean Valério.

Inovação e tecnologia são as palavras de ordem do mundo corporativo moderno. E neste início do século 21 as micro e pequenas empresas com propostas de serviços ou produtos inovadores ganharam novos ecossistemas para tocar o negócio em sua origem. As incubadoras surgiram com o propósito de alimentar sonhos de empreendedores e modelar empreendimentos. Associadas, geralmente, à Instituições de Ensino, as incubadoras oferecem suporte técnico, gerencial e formação complementar ao empreendedor e facilitam o processo de inovação e acesso a novas tecnologias para micro e pequenos negócios. As empresas que buscam as incubadoras, além de receberem suporte gerencial, administrativo e mercadológico, recebem apoio técnico para o desenvolvimento do seu produto ou serviço. Com isso, o empreendimento pode ser acompanhado desde a fase de planejamento até a consolidação de suas atividades com a consultoria de especialistas. Geralmente, ofertam ainda espaço físico especialmente construído ou adaptado para alojar temporariamente os empreendedores – chamados neste momento de empresas incubadas – e promovem acesso a serviços que as empresas dificilmente encontrariam agindo sozinhas e sem orientação adequada no mercado. O tempo de incubação gira em média 30 meses. Além deste espaço individualizado para a instalação de escritórios ou laboratórios, as incubadoras oferecem sala de reunião, auditórios, área para demonstração dos produtos, secretaria, bibliotecas e uma série de outros benefícios por meio de instituições de ensino e pesquisa, órgãos governamentais e iniciativas privadas. março/abril de 2018 <

< 15


Incubação

Incubação Incubadora do IFRN prepara empresas há duas décadas em Natal

Suporte técnico e operacional As incubadoras de empresas do ITNC fornecem suporte técnico e operacional nas seguintes áreas: Gestão empresarial, Gestão tecnológica, Comercialização de produtos e serviços, Contabilidade, Marketing, Assistência jurídica, Captação de recursos, Contratos com financiadores, Engenharia de produção, Propriedade intelectual. Pode participar de incubadoras de empresas qualquer pessoa que tenha um projeto inovador e deseja abrir sua própria empresa. As já existentes também podem participar do programa e receber o apoio da incubadora. Para tanto, é preciso ter um projeto para melhoria ou desenvolvimento de novos produtos e serviços.

Três modalidades de incubação Pessoa Física Oportunidade para pesquisador/profissional que tem uma tecnologia e quer constituir sua própria empresa com um produto/processo inovador.

Empresa existente Empresa consolidada que pretende desenvolver um produto dentro da incubadora.

Nova empresa instituída por Pessoa Jurídica Empresa ou grupo empresarial que deseja criar nova empresa de base tecnológica.

OBS: em todos os casos, o empresário deve se dirigir à incubadora de sua escolha com o intuito de identificar as informações solicitadas que farão parte da análise de sua entrada. Estas informações são geralmente analisadas pelo Conselho da Incubadora e buscam identificar as perspectivas técnicas e econômicas do negócio que, se considerado viável e exista vaga disponível, o participante poderá iniciar suas atividades como empresa incubada. Casona ainda não exista vaga disponível, o projeto entrará em uma lista de espeConstrutoras apostam retomada das vendas a partir deste ano ra e será convidado a iniciar suas atividades assim que houver disponibilidade. 16 >

> Março/Abril de 2018

FONTE: Sebrae

O Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) criou há duas décadas a Incubadora Tecnológica IFRN Natal Central - Ambiente de Inovação para Empreendedores. Desde a sua fundação, segundo Claudine Carrilho, coordenadora da incubadora, já foram graduadas 30 empresas. "Aqui, atendemos empresas e empreendedores com ideias inovadoras, não necessariamente startups", revelou Claudine. Como os modelos de startups originados em Natal ainda são insipientes, o ITNC abre às portas, via edital, para micro e pequenos negócios que não necessariamente tenham características de startups – modelo empresarial que busca a inovação em qualquer área ou ramo de atividade, procurando desenvolver um negócio escalável e que seja repetível. E para ser uma empresa incubada no ITNC, além de ficar atento aos editais lançados pela incubadora, a empresa candidata deve apresentar produtos, processos e/ou serviços inovadores com diferenciais de mercado em variadas áreas da economia. Veja mais informações sobre a incubação no http://www2.ifrn.edu.br/ itnc/itnc2/processos-seletivos/.

Confira as áreas prioritárias para incubação de empresas no ITNC: > Administração > Controle Ambiental > Edificações > Eletrotécnica > Engenharia de Energia > Estradas > Geologia > Geologia e Mineração > Informática

> Informática para Internet > Licenciatura em Espanhol > Licenciatura em Física > Licenciatura em Geografia > Licenciatura em Matemática > Manutenção e Suporte em

Informática > Mecânica > Mineração > Petróleo e Gás > Segurança do Trabalho > Tecnologia em Gestão Pública > Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

> Tecnologia em Comércio Exterior > Tecnologia em Automação Industrial > Tecnologia em Construção de Edifícios > Tecnologia em Gestão Ambiental > Tecnologia em Redes de Computadores

FONTE: ITNC/IFRN Março/Abril de 2018 <

< 17


Incubação pequenas Empresas criam asas com orientação profissional Breno Fontes, CEO da Outgo Tecnologia, uma das empresas incubadas no pelo ITNC, disse que conseguiu dobrar o faturamento, depois do suporte recebido no IFRN. "Depois do período de incubação na ITNC (Incubadora Tecnológica Natal Central), nossa empresa mudou completamente. Nós chegamos com uma ideia e saímos com um negócio", afirmou Breno. "E eu saí um empreendedor muito muito mais confiante e focado. Aprendi como desenvolver uma empresa, quais são meus pontos fortes e fracos, e o que preciso melhorar como pessoa e empreendedor". Felipe Neves, CEO da Fix It, chegou a dizer que a incubadora é um processo vital para um negócio sair do papel. "A incubação da ITNC me serviu para sair da fase de 'brincadeira' e começar a levar, realmente, o negócio a sério. A incubadora foi como uma mãe pra gente, mais uma mãe que criou o filho para o mundo. Nós saímos de lá amadurecidos e fortalecidos para poder encarar o mundão aqui fora", comentou Felipe.

Claudine Carrilho e Pablo Fernandes, do ITNC/UFRN Atualmente, o ITNC conta com nove empresas incubadas dos 13 espaços disponíveis. A maioria, de acordo com Pablo Fernandes, gestor financeiro da incubadora, são pequenas empre-

sas com propostas inovadoras. "No momento, contamos com poucas startups. Recebemos mais pequenas empresas, que precisam de um suporte para crescer".

BusinessLab e Hotel de Projetos O ITNC conta ainda com outros dois serviços, o 'BusinessLab' Capacitações Empreendedoras e o HdP Hotel de Projetos. O primeiro, disponibiliza para o público geral cursos sobre temas ligados ao mundo dos negócios, todos com rápida duração e baixo custo. Já o segundo, possibilita a oportunidade das vivências da cultura empreendedora e inovadora para os estudantes do IFRN Campus Natal Central, através de um programa de pré-incubação. O ITNC é a primeira incubadora potiguar com certificação CERNE (modelo nacional de gestão desenvolvido pelo Sebrae e Anprotec, que garante a qualidade na gestão das incubadoras). 18 >

> março/abril de 2018

março/abril de 2018 <

< 19


Entrevista

Camila RN precisa inserir temática de investimento anjo na agenda prioritária Camila Farani é empreendedora serial e investidora-anjo. Reconhecida no Brasil como uma das mais atuantes no segmento de startups e empreendedorismo, é um dos “tubarões” do Shark Tank Brasil que todo navegador sonha em esbarrar nos oceanos empresariais da vida. Sócia da G2 Capital e de uma série de empresas investidas por ela e sua teia de co-investidores, Camila Farani dedica seu tempo aos seus negócios mas também a ajudar empresas e empresários com orientações. Desde 2016 integra o time de investidores do Shark Tank Brasil, franquia de sucesso mundial Shark Tank - que entra em sua terceira temporada no Brasil em 2018. Atuando com mais de 100 investidores realizando investimentos, Camila é apaixonada por Natal e enxerga também na capital potiguar oportunidades. Nesta entrevista, exclusiva à Revista Negocios, ela compartilha um pouco da sua experiência.

20 >

> março/abril de 2018

Entrevista

Farani

Como surgiu essa sua capacidade de enxergar potencial em negócios? Começou na primeira operação fundada pela minha mãe, no centro do Rio de Janeiro, que se chama Tabaco Café, onde comecei a trabalhar aos 16 anos. Depois entrei para a faculdade, mas não parava de pensar em como poderia inovar na loja, aumentar o faturamento, e ter sempre um diferencial competitivo. Fiz uma pesquisa nas redondezas e descobri que cafeterias estavam criando novos produtos e então decidi implantá-los. Combinei com minha mãe que se eu batesse a meta de 30% de aumento de vendas eu trocaria por participação no negócio. Em 30 dias atingi 28%. Não bati os 30%, porém ela me disse: “Você demonstrou atitude e coragem, características essenciais para quem quer prosperar na vida, então merece um %”. Naquele momento eu entendi que poderia fazer a diferença desde que tivesse coragem. Desde quando é investidora-anjo e em quais empresas já investiu? Entrei em 2011 no Gavea Angels, um dos primeiros grupos de investimento anjo do Brasil, e comecei então a fazer parte desse universo de investimento. Sou sócia de startups como Green Pallets, B Pass, Hotelli entre outras. Além de aceleradoras como a ACE. Atualmente sou presidente da G2 Capital, uma butique de investimento anjo para continuar investindo através de um veículo mais eficiente e com outros investidores. Qual a faixa de recursos financeiros que está disposta a investir? A G2 Capital investe até 800 mil em empresas nascentes de tecnologia. Quais os parâmetros que considera e quanto tempo demora para avaliar um negócio?

Via de regra, primeiramente, avalio o modelo de negócio se tem escalabilidade, um mercado grande e potencial de retorno. Depois o time de fundadores e equipe. Quais suas experiencias e se têm founder market/fit, ou seja, se são aderentes e apaixonados pelo que fazem. Em média avalio em dois meses. Você tem investidores parceiros? Como se faz para co-investir com você? Basta entrar em contato pelo meu site ou site da G2 Capital ou ser conectado via pessoas ligadas a mim. Qual o caminho mais sustentável para que uma ideia se transforme em negócio? Primeiramente execução e validação de premissas, escutar possíveis clientes, fazer customer development e começar a vender. Vejo muitas ideias que levam meses de planejamento e não se sustentam no primeiro contato com o cliente. Ter um time complementar, saber suas fraquezas e ser ótimo em seu ponto forte, delegando suas fraquezas para um possível sócio que tenha isso como ponto forte. Que conselho dá para as mulheres sobre conciliar vida de casa, família com esta vida agitada profissional? Faça o que gosta, com isso terá sempre folego para continuar e encarar essa vida agitada com mais tranquilidade. Buscar o equilíbrio em alguma força maior, seja ela a natureza, ou qualquer forma que você acredite lhe trocar a melhor energia para reenergizar a alma. Estar presente de quem lhe faz sorrir e lhe dê conforto. Não consigo ficar sem meus cachorros, ao menos uma vez por semana separo um dia para ir vê-los e abraçá-los, amo fucinhos :).

O que é maior no mundo do empreendedorismo: risco ou a oportunidade? Os dois. O Shark Tank Brasil é um divisor de águas na sua trajetória? Sem dúvida está sendo. Apurou meu olhar enquanto investidora além de me fazer conhecer empreendedores (as) incríveis Brasil afora como a Green Pallets de Natal, que é um lugar que eu sempre tive uma imensa afinidade. O programa cresceu da primeira para a segunda temporada mais de 110% na audiência e isso mostra o potencial de sucesso do formato. Acho o programa um momento em que eu possa, além de ser eu mesma, fazer o que gosto, analisar empresas e investir. Posso também colaborar com a criação de conteúdo e passar informação para os empreendedores e investidores do nosso país. Sendo essa mais uma vertente do meu propósito. A Camila Farani é acessível e está sempre aberta a receber qualquer proposta de empresas que desejam investimentos? Sim, tenho uma ótima equipe que trabalha para mim, eles recebem diariamente solicitações e propostas que respeitados uma linha de processo possuem devida destinação. Consigo atender dentro da minha limitação de tempo e atividades. O Rio Grande do Norte tem uma atmosfera ativa de empreendedorismo e startups. Qual o caminho para buscar atenção nacional de grandes investimentos? Creio que já chama, mas algumas coisas podem fazer sentido como eventos para unir empreendedores, investidores. Colocar isso na agenda prioritária e envolver pessoas que façam acontecer, sem rodeios e com força de execução.

março/abril de 2018 <

< 21


Inovação

Inovação

E o que as startups podem ter em comum, que as diferenciam de uma empresa? Os especialistas afirmam que a resposta pode ser resumida em três pontos: contexto de incertezas, escalabilidade e modelo replicável. "Uma startup, na verdade, é um modelo de negócio, que pode virar uma empresa, como o Facebook e a Uber, por exemplo. E pode, também, ser um negócio inovador dentro de uma empresa", reforça Marcelo Bandiera, coordenador do centro de empreendimento da Universidade Potiguar - UnP. A empresa cria um plano de negócios, enquanto a startup desenvolve um modelo de negócio. Uma lição do aplicativo educativo ‘Google Primer’ aponta mais uma forma de conceituar startup: “a cultura de startup pode ajudar qualquer empresa (ou negócio) a ser mais inovadora, aumentar o lucro, expandir os negócios e lidar melhor com o fracasso”. O empreendedor pensa como startup quando faz várias perguntas, foca em um objetivo, aprende o tempo todo e aceita a possibilidade de errar, resume a lição do app ‘Google Primer’.

Startup

modelo de negócio ou empresa? De acordo com o dicionário Merrian-Webster, STARTUP é 'o ato ou instância de dar início a uma operação. Já para Neil Blumenthal, co-fundador da Warby Parker, empresa americana que já foi considerada uma Startup, a definição poderia ser: "uma empresa trabalhando para solucionar um problema cuja respos-

22 >

> março/abril de 2018

ta não é óbvia e cujo sucesso não é garantido". Ser STARTUP significa ter um produto inovador e atuar em uma área de risco, sem a certeza de que a empresa terá sucesso, segundo a Rock Content e o Saia do Lugar, empresas brasileiras do segmento de marketing digital, que elaboraram um e-book sobre o tema.

segue uma definição mais conceitual, descrita no e-book DA ROCK CONTENT: “Uma Startup é feita para criar uma solução para um problema. A partir do momento que essa solução é criada, a Startup deixa de ser uma Startup e passa a ser uma empresa que operaciona a produção ou execução de produtos e serviços. Pode parecer, então, que as Startups não passam muito tempo sendo Startups. Mas não podemos esquecer que achar uma solução viável para um problema pode demorar muitos anos. Afinal, é preciso encontrar um produto ou serviço que resolva as dores dos seus clientes, que eles estejam dispostos a pagar e que gere receita para a empresa. Assim, uma empresa deixa de ser uma Startup quando cria uma solução viável para um problema e para de inovar. Mas existem também empresas estabelecidas que seguem sendo Startups (as chamadas Large Company Startups). A inovação nessas empresas pode vir na forma de melhoria de um produto existente, oferta de novo produto para os clientes existentes ou oferta de um novo produto para novos clientes”. março/abril de 2018 <

< 23


Inovação

Inovação Natal conta com um ecossistema de startups promissor

Carlos Von Soshten, do Sebrae/RN: o 'mago das startups', 24 >

> março/abril de 2018

“A inovação tecnológica é uma vocação do Rio Grande do Norte”, costuma afirmar Carlos Von Soshten, mais conhecido como em Natal como ‘o mago das startups’. Segundo ele, junto com a Paraíba, que conta com o Parque Tecnológico de Campina Grande, e Pernambuco, cuja excelência do Porto Digital/CESAR é reconhecida internacionalmente, o RN tem tudo para se tornar um pólo de tecnologia e inovação na região Nordeste. “A região é promissora e tem um potencial fantástico. Que venha a primeira startup unicórnio do Brasil, concebida e gerada no ecossistema do Rio Grande do Norte”, torce Von Soshten. O termo unicórnio no universo das startups e empresas de tecnologia é atribuído ao negócio que ultrapassou a barreira de R$ 1 bilhão de dólares em valor. No Brasil, existem apenas três unicórnios: o aplicativo de transporte 99, a plataforma de pagamentos PagSeguro e a operadora de cartões Nubank. Entusiasta e incentivador do empreendedorismo em Natal, o consultor do Sebrae/RN diz que a capital potiguar tem muito a se desenvolver no que ele costuma chamar de 'ecossistema de startups'. "Por aqui, começamos a 'surfar nessa onda' por volta de 2012", ratifica o 'mago das startups', responsável pelo projeto SebraeLab, um ambiente de estímulo à criatividade, à inovação, ao consumo de informações, à geração de novos conhecimentos, ao aprendizado contínuo e às múltiplas conexões nos negócios, que está sendo construído no coração do prédio do Sebrae/RN, localizado em frente a Arena das Dunas. A expectativa é para que o espaço seja inaugurado até agosto. Estrutura semelhante já foi inaugurada nos Sebrae de Brasília e Belo Horizonte. “Até agosto, o Sebraelab deve estar pronto para atender empreendedores ávidos para estabelecer novos negócios”, aposta Von Soshten.

Seis anos depois das iniciativas empreendedoras (as primeiras iniciativas começaram em 2012, como lembrou Carlos Von Soshten), a comunidade de startups no RN, segundo Carlos, já uma referência para o ecossistema nacional. "Já temos startups do RN expandido suas operações para todo o Brasil, outras estão sendo aceleradas por investidores do eixo Sudeste, e já tivemos até um pro-

jeto brilhando no Shark Tank, programa do canal Sony", destaca. Ainda segundo o especialista do Sebrae/RN, Natal conta atualmente com um Parque Tecnológico em franco estágio de implantação, instituições acadêmicas, como IFRN (ITNC), UFRN (Metrópole Digital) e UnP (Empreende), intensificando suas atuações através de importantes incubado-

ras e centros de empreendimento; conta ainda com organizações de mobilização e fomento (Sebrae, Senac, Senai e Anjos do Brasil/RN), desenvolvendo ações para os diversos estágios de maturidade das startups: curiosidade, ideação, operação e tração. "Tudo isso nos coloca numa posição bastante favorável de fortalecimento e avanço", comenta Von Soshten.

SebraeLab será um ambiente inovador e colaborativo, construído dentro do prédio do Sebrae-RN

SebraeLab O ambiente multifuncional, com pegada sustentável, do SebraeLab deve impulsionar ainda mais as ideias dos empreendedores potiguares. “Será um lugar para viver, conviver e se apropriar. Um lugar onde os clientes e os próprios colaboradores do Sebrae possam se permitir experimentar novas práticas e processos não induzidos e sempre com um

espírito mais tolerante ao erro”, define Von Soshten, fazendo questão de enfatizar que não se trata de uma incubadora. “O SebraeLab não é uma incubadora. O espaço foi idealizado para ser flexível e adaptável a cada necessidade. Assim como as nossas soluções devem ser nos dias de hoje”. O novo ambiente de inovação e

empreendedorismo do Sebrae/RN foi baseado no conceito de serendipity: um ambiente onde as descobertas ao acaso fazem toda a diferença. O sebraeLab foi pensado, também, para se transformar em uma versão pocket para eventos e instalações em ambientes de parceiros, podendo acompanhá-lo através de um aplicativo.

março/abril de 2018 <

< 25


Inovação

Inovação Incubadora CRIADA NA uNp estimula ideias inovadoras Um dos pilares de sustentação do centro de empreendedorismo, a Incubadora Empreende foi criada com o propósito de estimular o ambiente empreendedor na UnP. No espaço, o aluno interessado vai encontrar orientação para a criação e desenvolvimento de empreendimentos inovadores nas seguintes áreas do conhecimento: ciências exatas, comunicação, direito, educação, engenharias, gestão e negócios, hospitalidade e saúde. O programa dispõe do espaço físico e recursos tecnológicos, de uso individual e coletivo para o desenvolvimento das atividades empresariais, como também apoio gerencial e consultorias nas mais diversas áreas do empreendimento. “Através dos programas pré-incubação e incubação, oferecemos assessoria específica para todas as fases do negócio, tais como concepção, implementação, consolidação e manutenção”, informa

Marcelo Bandiera. Antes da incubação propriamente dita, existe o período de pré-Incubação, que possui duração de seis meses. Nesta fase, encontram-se empreendimentos no processo de idealização ou concepção. Já aos incubados, são oferecidas vagas para duas empresas residentes, ocupando um espaço dentro do prédio da incubadora e duas vagas para não residentes, caso em que a empresa possui sede própria, mas recebe suporte da incubadora. “A equipe da Incubadora está sempre à disposição dos alunos e egressos de graduação e pós-graduação, que tenham ideias de negócio inovador e viável e que precisam de orientações para implementá-las. Além disso, a Incubadora oferece cursos de capacitação, treinamentos e palestras voltadas para empreendedores (ou futuros empreendedores)”, explica Marcelo.

O Empreende funciona no prédio da UnP da Estrada de Ponta Negra

Natal ganha título de ‘cidade empreendedora’ PELA ENDEAVOR

Projeto 'Empreende' ensina OS estudantes da UnP a empreender Um advogado que não sabe como montar o seu escritório, um dentista que não faz ideia de como iniciar um negócio com uma clínica ou um publicitário que quer ter a sua própria agência, mas não sabe nem como começar a criar. A ausência de uma cultura empreendedora no ambiente acadêmico foi o combustível para a criação, no início desta década, do Empreende, o projeto de centro de empreendedorismo da Universidade Potiguar (UnP). O Empreende tem como objetivo estimular a capacidade empreendedora dos alunos e egressos, fornecendo fer26 >

> março/abril de 2018

ramentas, experiências e serviços. “Nós temos como missão inspirar a comunidade acadêmica no desenvolvimento de competências que permitam práticas inovadoras”, esclarece Marcelo Bandiera, coordenador do centro de empreendedorismo. Ainda segundo ele, o ambiente moderno, inovador e inspirador, convida o estudante a enxergar várias possibilidades de inserção no mercado de trabalho. E para que ideias possam se transformar em negócios, o Empreende trabalha com quatro pilares: teoria empreendedora, com o objetivo de inspirar o

aluno, através de eventos e cursos; prática empreendedora, desenvolvendo experiências com a colaboração de pré-consultores; carreira empreendedora e incubadoras. “Prover ao aluno a experiência prática faz parte do processo de desenvolvimento”, ensina Marcelo. “Já ajudamos a ‘formar’ cerca de oito mil alunos e a criarmos duas mil empresas”, revela o coordenador. O Empreende – Centro de Empreendedorismo - foi montado no prédio da UnP da Estrada de Ponta Negra e tem parceria com entidades corporativas, como o Sebrae/RN e a Endeavor.

O coordenador do Empreende Centro de Empreendedorismo da UnP -, Marcelo Bandiera, diz acreditar que este é o momento de investir em empreendedorismo. “Poucas cidades no Brasil podem se gabar de poder ter alcançado o título de ‘cidade empreendedora’, designado pela Endeavor (organização de apoio ao empreendedorismo)”, comenta Marcelo. Em 2017, pelo terceiro ano consecutivo, Natal recebeu o título de ‘cidade empreendedora’, pela Endeavor. Carlos Von Soshten, diretor do SebraeLab, novo ambiente criado pelo Sebrae/RN, corrobora com a infor-

mação revelada por Marcelo Bandiera e vai mais além: “o estado do Rio Grande do Norte tem vocação para a inovação tecnológica”. Segundo ele, junto com a Paraíba, que possui um Parque Tecnológico em Campina Grande, e Pernambuco, cuja excelência do Porto Digital/CESAR é reconhecido internacionalmente, o RN tem um grande potencial para abrigar negócios criativos e inovadores. “Que venha a primeira startup unicórnio do Brasil, concebida e gerada no Ecossistema do Rio Grande do Norte”, torce o ‘mago das startups’, como também é conhecido.

Mais sobre o Índice de Cidades Empreendedoras A construção do Índice de Cidades Empreendedoras da Endeavor representa um grande esforço para mapear e diagnosticar as forças e fraquezas das cidades com relação ao ambiente de negócios. Isso é feito de forma muito abrangente, com 60 indicadores compondo o índice final. O Índice de Cidades Empreendedoras analisa diversos desafios municipais – como tempo de abertura de empresas ou de regularização de imóveis, por exemplo. É um esforço da Endeavor em ajudar governos e sociedade civil a definir prioridades e acompanhar resultados na melhoria do ambiente de negócios. A Endeavor acredita na força do empreendedorismo e trabalha diariamente para multiplicar o poder de transformação do empreendedor brasileiro.

março/abril de 2018 <

< 27


Inovação

Inovação SURFMAPPERS

Casos de Sucesso

startups de Natal para o mundo Plataforma de gestão inteligente de equipes de segurança, a Findme está fazendo barulho no mercado de segurança privada do Brasil. Marca de móveis e decoração com diferenciais criativos e conceituais, a Greenpallets

conquistou os tubarões do programa Shark Tank Brasil, do canal de TV por Assinatura Sony, novos sócios da empresa. A SurfMappers foi criada para intermediar a comunicação entre surfistas e fotógrafos. Em comum, as

três startups têm origem no Rio Grande do Norte. E ratificam o que Carlos Von Soshten, o ‘mago das startups’ do Sebrae/RN, costuma afirmar: “a inovação tecnológica é uma vocação do RN”.

A Surfmappers é uma startup inovadora que criou e botou para funcionar uma plataforma online segura para compra e venda de fotos de surf de forma transparente, ágil e segura. O portal surfmappers.com já conta com mais de 40 mil surfistas e fotógrafos cadastrados. São usuários do mundo inteiro, principalmente, do Brasil, países da América Latina e Estados Unidos. CEO fundador da Surfmappers.com, o programador e surfista Victor Hugo faz planos ousados para o futuro. Fechou parceria com grandes nomes do surf e da fotografia esportiva. A ideia é construir uma grande rede de surfistas e profissionais de imagens. “Seremos a maior ferramenta para unir e compartilhar momentos maravilhosos”, vaticina Victor Hugo, que não cansa de comemorar o crescimento do faturamento e a procura de investidores.

Programador e surfista, Victor Hugo aposta na nova ferramenta

FINDME

GREENPALLETS

A FindMe o tradicional mercado de segurança privada, carente de novas tecnologias. O aplicativo criado pela FindMe faz o monitoramento em tempo real via smartphone, geolocalização e utilização de beacons. A startup ingressou no programa de aceleração ACE Growth – melhor aceleradora da América latina – em outubro de 2006 e seis meses depois obteve excelentes resultados. A empresa cresceu dez vezes durante o período e hoje já tem operações em 12 estados do país. “A FindMe veio para revolucionar o mercado de segurança no Brasil. Nossa meta é gerenciar pela plataforma FindMe 20% das operações de ronda e supervisão das empresas de segurança no Brasil até o final de 2018”, revelou Diogo Vinícius, CEO da FindMe, em sua nova sede, no coração da Avenida Paulista.

André Jimmy e Parizot Magalhães nunca duvidaram do potencial do negócio criado por eles. A confirmação veio no reality Show do canal de TV por Assinatura Sony, Shark Tank Brasil. A apresentação da Greenpallets convenceu os ‘tubarões’ do programa. A investidora-anjo Camila Farani, que vai palestrar no Summit Negócios, na Arena das Dunas, dia 2/04, e Caito Maia, fundador da marca Chille Beans, investiram R$ 150 mil e se tornaram sócios da startup de móveis criativos, com 10% cada um, num total de 20%. O insumo para produção dos produtos vem do descarte de outras empresas, em pallets e caixas que seriam jogadas no lixo. A matéria-prima, também, é comprada de fornecedores especiais. A empresa já possui uma loja física em Ponta Negra e a linha de produção funciona numa fábrica na Cidade da Esperança. “C0nstruímos designs e compartilhamos conceitos”, define Parizot Magalhães.

28 >

> março/abril de 2018

Diogo Vinícius,, CEO da FindMe, pretende conquistar o Brasil

André Jimmy e Parizot Magalhães, da Greeenpallets

março/abril de 2018 <

< 29


Chapéu

30 >

> março/abril de 2018

Chapéu

março/abril de 2018 <

< 31


Consultoria

Lições

Shark Tank

para a sua entrevista de emprego

Consultoria Mostre a sua personalidade

"O Shark Tank é um programa de televisão, por isso, é interessante que seja uma ideia de negócio, a performance do concorrente também vai fazer a diferença. Assim como o concorrente que quer se destacar dos outros e mostrar que tem uma ideia de negócio vencedora, perceba como é que você pode destacar a sua personalidade na sala da entrevista. Ajude o entrevistador a perceber como é que a sua personalidade vai integrar na empresa. Tal como no Lago dos Tubarões, não confunda confiança com arrogância – utilize a dose certa".

Faça uma exaustiva pesquisa

"Alguns dos concorrentes do Shark Tank preparam produtos específicos para mostrar aos potenciais investidores completamente adaptados aos seus gostos e personalidade de cada um. Isto demonstra preparação, perspicácia e genuíno interesse. Quando você entra para uma entrevista deve ter uma noção clara de quais as necessidades do empregador e levar na ponta da língua a sua solução, perfeitamente alinhada com a empresa e as suas necessidades".

Conte uma história pessoal cativante

"O cenário altamente stressante de estar em frente a um painel de poderosas e influentes pessoas no mundo dos negócios, deixa-nos algumas lições importantes que podemos aplicar em vários contextos da vida profissional". Esta é uma afirmação da portuguesa Cristina Correia, coach e consultora de carreiras em Coimbra/Portugal. Tendo o reality show Shark Tank, do canal de TV por Assinatura Sony como pano de fundo, ela dá algumas dicas que podem ser aplicadas numa entrevista de emprego: 32 >

> março/abril de 2018

"Os 'tubarões' gostam de conhecer os antecedentes de uma empresa ou de uma ideia. Além de adicionar um pouco de tempero à apresentação, confere também alguma credibilidade à ideia e ao seu autor. Por exemplo, um produto para mães será muito mais credível se for da autoria de uma mãe de 5 filhos, pois esta terá certamente profundo conhecimento das necessidades do público-alvo. Se adicionar uma história pessoal cativante à sua entrevista, não só estará fornecendo elementos que ajudarão a distingui-lo dos outros candidatos, mas também ficará na memória mais facilmente. Faça-o apenas se for a propósito e se enquadrar no momento. Pior do que não ter uma história diferente e interessante para contar, é forçar o momento".

Explique como é que se diferencia da competição

"Se há uma coisa que os 'tubarões' não fazem é investir em ideias batidas e indistintas do que já existe no mercado. Aliás, nem perdem muito tempo com essas ideias e pessoas. O concorrente tem de investir muito engenho e requinte para mostrar o que tem de diferente dos outros. Não se trata de não admitir que há competidores, mas sim de mostrar as diferenças do seu produto que são uma mais-valia. Também na entrevista tem de fazer valer os seus argumentos de diferenciação, muitas vezes, nem conhecendo verdadeiramente a 'concorrência'. Em que se diferencia: tem mais experiência? Tem determinadas competências específicas? Conseguiu resultados fora de série no seu emprego anterior? O que é que lhe confere vantagem?".

Compartilhe fatos

"Um concorrente bem documentado, que prova por A + B que o seu produto é fidedigno, que os seus clientes acreditam no produto e que está faturando, tem a tarefa facilitada. Consolida confiança e aumenta o interesse dos potenciais investidores. Uma boa forma de mostrar como é que você se diferencia dos restantes dos candidatos, tornando a sua candidatura mais robusta, é evidenciar a sua experiência com fatos e resultados alcançados nos seus empregos anteriores. Quantifique, quantifique e quantifique!".

"

"Não se deixe devorar pelos 'tubarões'. Lembre-se destas

"

dicas!"

Use o silêncio e capacidade de escuta

"Quantas vezes o concorrente arrasa as suas possibilidades se não sabe ouvir alguns conselhos, ouvir sugestões, ouvir outras formas de abordar o negócio, ou, simplesmente, ouvir uma pergunta? Ouvir! A incapacidade de escutar denota pouca flexibilidade e prediz muitas dificuldades de comunicação. E muitos problemas. Na entrevista, na ânsia de mostrar mais de si, não caia na tentação de preencher todos os silêncios e, claro, escute ativamente".

março/abril de 2018 <

< 33


Dicas Foto divulgação/Sectur/Canindé Soares

Sabe quais os riscos do seu empreendimento e as estratégias para contorná-los? Tem conhecimento sobre o mercado em que pretende atuar?

Muitos empreendedores chegam ao investidor para apresentar uma ideia que consideram revolucionária apenas para descobrir que alguém já fez antes e melhor. Faça uma boa análise do mercado em que você pretende atuar mapeanod tendências e possibilidades de crescimento ou declínio. Conhecer o potencial dos concorrentes, diretos e indiretos, também é indispensável.

Prepare-se para encarar o investidor e

vender uma ideia

Defender uma ideia de negócios diante de um investidor (ou investidores), como acontece no reality show Shark Tank, do canal de TV por Assinatura Sony, não é nada fácil. Mas, também,

não há segredo. Ou você está preparado ou você está preparado. Confira algumas perguntas que você deve estar pronto para responder numa apresentação de negócio a um investidor:

Como você vai ganhar dinheiro com a sua ideia?

Está disposto a ceder quanto da sua empresa e por quanto?

É importante ter em mente um modelo de negócios, ou seja, saber como você vai faturar com o seu produto ou serviço. Se você tem um site sobre dietas, por exemplo, você pode faturar vendendo assinaturas (só entra quem pagar), ou pode optar por faturar apenas com anúncios, deixando o conteúdo livre para todos os usuários, ou ainda vender planos personalizados de dietas, mantendo o conteúdo mais geral aberto. Você pode até combinar todos essas alternativas, o importante é mostrar ao investidor que você sabe como pode faturar com a sua ideia.

O investidor entrará com o dinheiro, mas exigirá participação no seu negócio. Você já calculou o quanto está disposto a ceder? Faça uma avaliação realista para identificar os limites de negociação – qual o mínimo de dinheiro que você precisa e o máximo que está disposto a ceder. A avaliação de uma startup se dá nesta negociação, portanto vá muito bem preparado para defender cada porcentual da sua participação no negócio, mas mantenha os pés no chão – achar que o seu negócio é o mais valioso do mundo pode atrapalhar o processo.

34 >

> março/abril de 2018

Está disposto a prestar informações, se reunir periodicamente e acatar as orientações para o seu negócio?

Ter um investidor na sua startup é uma via de mão dupla. O interesse e esforço pelo desenvolvimento da empresa são mútuos, já que o objetivo é o mesmo: o lucro. O nível de participação varia em cada caso, mas você terá que entregar relatórios e ouvir as dicas de quem está apostando na sua ideia. Os investidores valorizam a capacidade de aprendizado do empreendedor, portanto, você deve se mostrar aberto ao diálogo.

Quem faz parte da sua equipe?

Demonstre que quem está com você nesta ideia tem disposição para crescer e capacidade de aprendizado. Equipes mistas – com um sócio mais técnico e outro com visão de negócios, ganham pontos com alguns investidores, como Edson Rigonatti, sócio da Astella Investimento. Ter pessoas que já passaram por outras startups em atividade no mercado também é interessante para os investidores.

Quando seu negócio vai dar lucro?

Planeje em quanto tempo o seu empreendimento deve começar a gerar retorno. É claro que o que está no papel não necessariamente acontecerá exatamente como previsto, mas é importante ter uma noção de como a receita deverá crescer e em quanto tempo será possível atingir o lucro.

Subestimar os potenciais obstáculos – ou até mesmo desconhecê-los – é um erro frequente de quem começa um negócio. Mostre aos investidores que você está ciente dos riscos e que você tem um plano para contorná-los.

Quanto você conhece sobre o setor que o investidor aplica?

Não é qualquer investidor que vai aceitar ajudar sua startup. Os investidores normalmente têm experiência e interesse em determinados setores específicos, portanto é importante avaliar o histórico de empresas nas quais ele já investiu para entender por quais ramos ele se interessa. Assim, você aumenta suas chances de conquistar sua atenção e confiança.

Para que você quer esse dinheiro?

Descubra a necessidade financeira para você dar o grande passo na sua startup. Calcule custos para aumentar a base de clientes, contratar pessoal e desenvolver a plataforma.

Qual problema sua ideia resolve?

Seu produto ou serviço pode parecer revolucionário à primeira vista, mas se ele não responder a uma necessidade do consumidor, dificilmente vai pegar. Você pode achar que criar um site para vender margaridas online é uma ideia incrível, mas se as pessoas não tiverem interesse em comprar margaridas pela internet, seu site dificilmente vingará.

O que você já fez para a sua empresa sair do papel?

Ganha pontos com os investidores quem mostra que já começou a trabalhar no projeto, mesmo recorrendo ao apoio de familiares e tendo pouco, ou nenhum, retorno financeiro inicial. Se esforce para fazer o que já estiver ao seu alcance. Aos olhos de quem tem o dinheiro, é uma prova de que você acredita na sua ideia. “Ideia boa qualquer um pode ter”, comenta o sócio da Performa Investimentos, Humberto Matsuda.

Qual o potencial de crescimento da sua empresa?

Qual o valor da sua ideia para o cliente?

A startup pode ter um diferencial atualmente, mas vale analisar até quando ele deve se sustentar e quais as possibilidades de atuação futuras, visando a expansão da empresa.

Identifique o que o cliente irá considerar para querer adquirir seu serviço ou produto: qualidade, conveniência, lazer, economia de tempo ou relações sociais, por exemplo.

março/abril de 2018 <

< 35


Giro da NEGÓCIOS

Giro da NEGÓCIOS

Facebook x Cambridge

Startups no Judiciário Robôs no trabalho Robôs ocupam postos de trabalho por falta de profissionais. A conclusão é de um estudo conduzido pelo Departamento de Pesquisa Econômica dos Estados Unidos, que correlaciona o aumento da automação industrial com o envelhecimentos dos operários. Com base em dados demográficos sobre a força de trabalho em diversos países, os pesquisadores observaram uma maior probabilidade do uso de máquinas nos lugares onde a população está envelhecendo mais rápido, como Estados Unidos, Alemanha e Coreia do Sul. Fonte: Linkedin.

Smartphones dobráveis É muito provável que estejamos diante da próxima febre entre os smartphones: os celulares dobráveis. Grandes empresas, como a Samsung e a Lenovo, já se mostraram favoráveis a desenvolverem aparelhos que podem ter telas que se dobram, dando um espaço maior de visor para os usuários sem aumentar o tamanho do dispositivo, mas nada ainda é muito concreto. Porém, o que vemos é o aumento do interesse das marcas em desenvolver algo desse tipo e a mais nova a entrar nessa onda pode ser ninguém menos que a Apple. Fonte: Tecmundo.

36 >

> março/abril de 2018

A morosidade do sistema jurídico brasileiro não é obra do acaso. Entre as principais causas da ineficiência, estão a complexidade burocrática e o volume avassalador de processos que tramita pelos tribunais — segundo o último levantamento realizado pelo Conselho Nacional de Justiça, são mais de 100 milhões de ações registradas por ano. A demanda por soluções que facilitem o fluxo de informações entre advogados, clientes e juízes abriu novas oportunidades para as lawtechs, nome dado às startups especializadas em tecnologias para o setor jurídico. A ascensão desses negócios despertou o interesse de aceleradoras e fundos de investimento, que intensificaram suas apostas em soluções como plataformas de big data e sistemas de automação para agentes públicos e privados. Fundada em 2006, a upLexis é uma das empresas que vêm se destacando no segmento. Com uma solução baseada no uso de ferramentas de buscas e tecnologias de varredura de dados, a startup paulistana mantém seus usuários atualizados sobre o andamento de processos, anúncios no Diário Oficial e despachos de juízes. A solução já é usada por mais de 2.000 clientes. Fonte: PEGN.

Alexandr Kogan, o cientista da Universidade de Cambridge que conseguiu no Facebook os 50 milhões de perfis usados pela consultoria eleitoral Cambridge Analytica, acusa a rede social de elegê-lo como bode expiatório. Ele teve seu perfil pessoal suspenso, esta semana, por ter ferido a confiança da empresa. Segundo o Facebook, o cientista não poderia ter compartilhado os dados com terceiros. Mas, argumenta Kogan, faz pelo menos dois anos que a empresa da Califórnia tem conhecimento do ocorrido. Antes do escândalo, nada fez. Além do que, ele apresenta outros detalhes. Em 2015, conseguiu com o Facebook

dados sobre 57 bilhões de amizades — todas as feitas no ano de 2011 na plataforma. O cientista publicou um estudo a partir destes dados, co-assinado por dois empregados do Facebook. Não para aí: o aplicativo que coletou os perfis utilizados pela CA foi criado por uma empresa que Kogan tinha em sociedade com outro professor da universidade, Joseph Chancellor. Que, atualmente, é funcionário do próprio Facebook. A relação de Kogan com a turma da Califórnia, ele diz, era antiga e de profunda confiança. A única coisa que mudou foi a necessidade de ter alguém externo a quem culpar. Fonte: MEIO

Nubank x Bancos Fala Síndico Com baixo custo operacional, uma média de R$ 5 mil, o FALA SÍNDICO, que funciona no modelo franchising, já é uma das startups mais promissoras do Brasil em seu segmento. A empresa não cobra taxa de royalties e tem meta de chegar aos 27 Estados brasileiros nos próximos três anos. O funcionamento é simples. Por meio do Gerenciador Web, o síndico publica informações nos murais digitais do lobby e dos elevadores sociais do condomínio. Em tempo real, as mensagens chegam também nos smartphones. Outra novidade são os modelos personalizados, no qual o síndico pode

publicar comunicados, informativos e normas. A ferramenta é ainda um eficiente canal de comunicação, veiculando nas telas notícias, informações, conteúdos diversos sobre a cidade, o Estado, o Brasil e o Mundo; também veicula mensagens publicitárias. O investimento de licença e manutenção ficam por conta dos parceiros institucionais que veiculam mídias no aplicativo e nos murais digitais instalados. O sistema está disponível, gratuitamente, para smartphone Android e iOS. O Investimento total é de R$ 50 mil (mais investimento de R$ 700,00 por tela). Fonte: Portal Negócios.

A Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) decidiu abrir um inquérito para investigar os bancos Itaú, Santander, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Bradesco, com base na denúncia feita pelo Nubank de que os bancos estariam prejudicando a concorrência livre no mercado de cartões de crédito do País. Segundo apurou a reportagem do portal da revista EXAME, a representação da fintech alega que os cinco bancos estariam impedindo, por exemplo, que os usuários do cartão de crédito da companhia colocassem o pagamento de suas faturas em débito automático. Fonte: exame.com.

março/abril de 2018 <

< 37


Dicionário

Dicionário

Dicionário da Aceleradora O próprio nome sugere o propósito principal das aceleradoras. Basicamente, elas visam dar toda a mentoria necessária durante certo período para que startups cresçam mais rapidamente. Esse processo pode ser governamental ou financiado por empresas privadas e não necessariamente inclui investimento financeiro, mas também mentorias e empréstimo de infra-estrutura.

nas com investimentos próprios. Geralmente essa é uma opção tomada por empreendedores que possuem certa experiência e querem aproveitar o máximo que podem de sua liberdade para modelar seu negócio. Além do mais, quando mais o empresário consegue caminhar pelas próprias pernas, maiores as chances de receber investimentos mais significativos quando for necessário algum aporte.

Angels Os chamados “angels” nada mais são do que investidores que apostam em grandes ideias que ainda não são negócios formados. Muitas das vezes elas nem foram tiradas do papel. É difícil generalizar suas intenções, mas essa estratégia funciona como uma aplicação financeira de alto risco, que se der certo, pode valer muito mais.

Break-even A tradução em português quer dizer ponto de equilíbrio. Ele é um dos principais indicadores financeiros de um negócio. Na prática, indica que as receitas e as despesas correspondem ao mesmo valor. Em um planejamento, o break-even aponta a partir de que etapa sua startup vai começar a dar lucro.

Angel Round Esse é o momento, como a própria tradução sugere, em que ocorre a captação de recursos do investidor pela startup. Aporte Diz respeito a qualquer apoio dado às startups e pode ser tanto financeiro como um mentoria e compartilhamento de experiência. Bootstrapping É o período que uma empresa iniciante consegue caminhar e gerar valor ape-

38 >

> Março/Abril de 2018

Burn Rate Com os recursos dispostos em caixa, quanto tempo sua empresa pode sobreviver? A resposta a essa pergunta corresponde ao burn rate da sua empresa. Ela é importante para calcular a sustentabilidade de seu negócio. Business Model Canvas Método criado por Alexander Osterwalder como uma alternativa para realizar e gerenciar um plano estratégico de forma mais direta e ilustrativa. O Canvas é um quadro que

pode ser desenhado em um papel apenas e que resume de forma objetiva todas as etapas necessárias para se fechar o ciclo criativo de uma ideia de negócio. Business Plan Na tradução literal significa “plano de negócios“. Esse documento por muitas vezes se tornou obrigatório no momento de buscar investidores. Isto porque ele descreve detalhadamente a ideia de negócio, contento pontos como objetivos da empresa, análise de recursos, plano financeiro etc. Cap Table Uma cap table é uma tabela em que são listados todos os acionistas de uma empresa. Essa ferramenta é muito importante, pois contribui para a organização da participação de cada sócio. Capital de Giro Uma boa gestão do capital de giro pode definir a longevidade de seu negócio. Ele nada mais é do que o dinheiro necessário para que se reinicie um ciclo de compra e venda. Toda produção precisa conseguir retorno suficiente para pagar as despesas e reinvestir em novos produtos. Captação de Recursos Para manter um negócio, é necessário haver captação de recursos, isto é, levantar investimento. Isso pode ser feito em bancos, investidores, fundos de investimentos etc. Core Business Na tradução, “core business” significa “negócio principal” e essa expressão é usada para se referir à razão de existir de um empreendimento.

Coworking Espaço criado para que trabalhadores diversos possam dividir uma área para execução de suas tarefas, além de trocar experiências e interagir com outros empreendedores. Também é chamado de “escritório compartilhado”. Crowdfunding É uma forma de levantar recursos para um projeto baseada em financiamento coletivo, normalmente feito por uma plataforma especializada. Em sua maioria, os contribuintes são pessoas físicas que acreditam no sucesso daquela ideia de negócio.

Customer Development Essa cultura acredita que a validação de uma ideia deve ser feita pelos consumidores o quanto antes. Ela está bastante alinhada com o conceito de Lean Startup, que acredita que o erro é inerente ao desenvolvimento e por isso se torna mais vantajoso errar cedo para corrigir rapidamente. Design Thinking É uma técnica que tem sido bastante aplicada no processo de inovação. O principal objetivo é entender os problemas de forma mais ampla, sendo capaz de construir soluções que integram diferentes áreas. Early Stage Early Stage (estágio inicial) são empresas novas, de até três anos. Elevator Pitch É uma técnica que propõe a apresentação de uma ideia de forma objetiva e direta. Ela geralmente deve durar cerca de 30 segundos, o tempo suficiente para contá-la em um elevador. Empreendedorismo Social Empreender sem fins lucrativos, mas em prol de causas sociais e/ou ambientais. O empreendedorismo social é uma saída sustentável para impactar pessoas e mobilizar causas que realmente transformam a sociedade. Equity Quando sua startup alcançar a “equity“, significa que ela alcançou estabilidade e pode ter o capital aberto.

Março/Abril de 2018 <

< 39


Dicionário

Dicionário Intraempreendedorismo Também chamado de empreendedorismo corporativo, se refere aos empreendedores que trabalham dentro de uma companhia. Eles ajudam na identificação dos problemas cotidianos e propõem soluções inovadoras. O intraempreendedorismo é muito saudável para grandes e tradicionais empresas, pois ajudam a trazer a atualização de forma sistêmica.

Escalabilidade Essa é uma das características principais do conceito de startup. Dizer que ela tem escalabilidade é o mesmo que possuir capacidade de entregar o mesmo produto para um grande público. Fluxo de Caixa O Fluxo de caixa determina quanto de dinheiro entrou e saiu da empresa em determinado período. Ele é um importante indicador para a gestão financeira. Founder Criador de uma negócio. Growth Hacking Segundo seu criador, Sean Ellis, é um “marketing voltado para experimentos”. Isto é, uma prática com foco em achar saídas inovadoras (gatilhos) para um rápido crescimento da empresa. Hackaton São eventos com propósito de unir criadores de produtos em competições que possam agregar a todos. São formados grupos que devem trabalhar para alcançar uma solução para o problema levantado e ao final, um é premiado.

40 >

> Março/Abril de 2018

Incubadora É uma versão mais tradicional do processo de aceleração. A incubadora geralmente tem foco em apoiar empresas a desenvolver suas ideias de negócio por determinado período de tempo e buscam áreas mais tradicionais, muitas vezes devido a uma resolução estadual de fomento de um setor.

Landing Page Faz parte da estratégia de marketing digital, para captar leads (potenciais clientes) para um negócio. Uma landing page é uma página simples, com um formulário de cadastro, que oferece algum conteúdo ou experiência em troca da captação de seus dados. Lean Startup Conceito desenvolvido por Eric Ries em seu livro “Startup Enxuta” e que propõe uma melhor gestão dos recursos disponíveis. Ele disseminou a cultura de errar rápido para aprender e poder crescer o quanto antes. Meetup Encontro realizado para debates e troca de contatos (networking) promovido por startups para aquecer o ecossistema empreendedor. Mentor É um empreendedor de sucesso que ajuda outros por meio de aconselhamentos e direcionamentos. Eles auxiliam as startups para terem sucesso de forma mais assertiva, devido a sua larga experiência.

MEI É a sigla para micro empreendedor individual e se tornou uma categoria muito difundida no brasil, por ser um lugar em que as pessoas encontram na abertura do própria negócio uma alternativa à dificuldade de obter um emprego formal. Modelo de Negócios Como explicado no “Business Model Canvas”, o modelo de negócios é uma ferramenta mais simples e dinâmica para transformar uma ideia em um um produto viável. MVP (Minimum Viable Product) Na tradução, significa “mínimo produto viável”. Esse conceito está incluído na proposta do Lean Startup e na prática propõe que, ao ter uma ideia de mercado, você deve criar um produto rudimentar que represente sua proposta central e que possa ser testado o quanto antes. Networking Algo essencial no mundo das startups: possuir uma rede de contatos. Ter uma networking é encurtar caminhos, pois ela ajuda empreendedores a ter acesso a pessoas que possam colaborar para o desenvolvimento de seu negócio. Pitch E o ato de apresentar sua ideia para investidores e/ou mentores que podem comprá-las e agregar com aconselhamentos e geralmente duram cerca de 30 minutos. PME PME ou Pequenas e Médias empresas é usada para catalogar o porte de um negócio. Esse valor está relacionado ao número de funcionários.

ROI (Retorno de Investimento) É um cálculo que demonstra a taxa de lucro obtido em determinado investimento. Ele é importante para medir se determinado processo está dando retorno e por isso, se está sendo vantajoso.

SEO (Search Engine Optimization) Padrão criado pelo google para classificar a posição das buscas. Ao realizar o que o buscador considera relevante, você conseguirá aparecer nas primeiras páginas — algo essencial para negócios digitais.

Seed Money É o dinheiro investido no início de um negócio até que ele consiga gerar lucro. É essencial em startups, que muitas vezes não possuem capital para colocar a ideia em prática.

Spin-off Processo de nascimento de um negócio derivado de outro já existente. O google, por exemplo, nasceu como buscador, mas várias outras empresas foram criadas a partir dele, como o google Ads. SoftWare-as-a-service (SaaS) É a contratação de um software através de uma assinatura ou taxa de utilização. Stakeholders Os tomadores de decisão de uma empresa. Ou seja, todos os públicos relacionados a ela sejam clientes, funcionários, sócios etc. Startup O conceito mais atual para uma startup considera que ela seja uma empresa rentável, escalável e possua um alto grau de inovação. Na maioria das vezes, ela é um negócio iniciado na web devido aos baixos custos exigidos para isso, mas não necessariamente. Valuation Qual o valor do seu negócio? Esse é um conceito necessário caso você pretenda vender ou mesmo saber o grau de grandeza de determinado ativo. ______________________________ Fonte: Rock Content

Março/Abril de 2018 <

< 41


Chapéu

Chapéu

Cabo telecom é a

melhor do país em atendimento Estudo realizado pela ANATEL atestou a eficiência da empresa potiguar em atendimento A ANATEL divulgou no dia 13 de março de 2018 a Pesquisa de Satisfação e Qualidade Percebida da banda larga fixa referente ao ano de 2017. O estudo é feito com os próprios clientes e mostrou que as telecons regionais prestam um serviço melhor do que as empresas a nível nacional. A melhor operadora é a Cabo Telecom, que atua no Nordeste, com 7,64 de média em uma escala que vai de 0 a 10. Já a pior é a Sky, com 5,38 pontos. A Cabo Telecom foi eleita pelo sexto ano consecutivo como a empresa dos clientes mais satisfeitos do Brasil. A empresa genuinamente potiguar foi a que obteve o melhor desempenho entre

as demais empresas de telecomunicações do país, liderando nas duas principais categorias. No quesito banda larga fixa a Cabo Telecom alcançou a maior nota de todas, com nota média de 7,64. O estudo realizado pela Anatel levou em consideração a opinião de vários usuários, distribuídos entre 26 estados brasileiros. O período analisado é referente a prestação dos serviços pelas empresas atuantes no mercado. A pesquisa levou em consideração os seguintes itens: oferta e contratação, funcionamento, capacidade de resolução, canais de atendimento e atendimento telefônico, cobrança, instalação e suporte técnico.

Como a pesquisa é realizada? O estudo é feito em todos os estados brasileiros com os clientes de operadoras que tenham no mínimo 10 mil assinantes. Ao todo, foram 22.742 entrevistados por telefone entre agosto e dezembro de 2017. Serviram de amostra usuários da Oi, Vivo e Net (atuantes em quase todo o território nacional), TIM Live (RJ e SP), Sky (AM, CE, DF, GO, MA, MG, PA, RN e SP), Algar Telecom (MG e SP), Cabo 42 >

> março/abril de 2018

Telecom (RN), Sercomtel (PR) e Brisanet (CE e RN). Os clientes são convidados a responderem um questionário que avalia uma série de indicadores, desde a velocidade e estabilidade da conexão, até questões relacionadas ao atendimento, soluções de problemas e cobrança. Não é levado em consideração questões técnicas – apenas a opinião dos usuários entrevistados.

As melhores operadoras do Brasil As operadoras que atuam em muitos estados tiveram notas mais baixas em relação aos provedores regionais. A Cabo Telecom que atua apenas no Rio Grande do Norte ficou na primeira posição no ranking. A Tim Live, presente apenas no Rio de Janeiro e São Paulo, ficou na segunda colocação, com 7,54 de média. A medalha de bronze ficou com a Brisanet, presentes apenas em dois estados do nordeste (CE e RN).

RANKING 1. Cabo Telecom: 7,64 2. TIM Live: 7,54 3. Brisanet: 7,28 4. Sercomtel: 6,87 5. NET: 6,43 6. Algar: 6,39 7. Vivo: 6,38 8. Oi: 5,67 9. Sky: 5,38 março/abril de 2018 <

< 43


Evento

Evento

natal recebe o maior evento de tecnologia do mundo Considerada a maior experiência tecnológica do mundo, a Campus Party desembarca em Natal pela primeira vez no mês de abril. O evento será realizado no Centro de Convenções, entre os dias 11 e 15, com expectativa de reunir dois mil amantes da tecnologia na arena e 50 mil visitantes na Open Campus (área aberta ao público). O site http://brasil.campus-party. org/ disponibiliza todas as informações para que quer participar ou visitar o evento que tem o apoio do Governo do Estado do Rio Grande do Norte. O leque de atrações é vasto, mas uma que promete chamar muita atenção, segundo a organização, será o primeiro campeonato mundial de protótipos e foguetes. Realizado em parceria com o Centro deLançamento da Barreira do Inferno e Simuladores de Marte, a competição acabou batizando a Campus Party Natal como a edição aeroespacial do evento. Nas redes sociais, a Campus Party Natal será facilmente encontrada através da hashtags #CPJerimum, em alusão à expressão 'papa-jerimum', utilizada para quem nasceu em Natal. Realidade Virtual e Inteligência Artifical, temas que estão impactanto o universo da tecnologia neste início de século 21, serão um dos mais abordados durante a Campus Party Natal. De acordo com

44 >

> março/abril de 2018

Tonico Novaes, diretor geral do evento na capital potiguar, a intenção é de reunir o que há de melhor no empreendedorismo digital para atender as exigências da cidade que ele acredita ser um dos principais pólos do empreendedorismo digital do Brasil. "Buscamos palestrantes de diversas área da tecnologia e reunimos diversas referências locais, também", revelou o Tonico. Além de Inteligência Artificial, Realidade Virtual e aeroespacial, temas que impactam a sociedade e que tenham a tecnologia como pano de fundo, como educação, mobilidade e segurança, estão na programação, segundo ele. Serão mais de 250 horas de conteúdo, com workshops para troca de experiências, programação, robótica, startups, entre outros. Os compulseiros, como são conhecidos os participantes da Campus Party, vão ter à disposição internet de alta velocidade: 20 GB. A estrutura da arena, segundo a organização do evento, conta

com quatro palcos: 'Feel the Future', 'Creativity/Games', 'STEAM' e 'Coders/ Makers'. Palestras especiais, como a do engenheiro e educador Gabe Gabrielle, que vai contar a tragetória do programa especial da NASA, ou a de Jon 'Maddog' Hall, membro do Linux Professional Institute, que vai falar sobre o sistema linux para computadores, estão na programação oficial. Entre as atrações aa área aberta ao público, haverá um palco chamado 'Entrepreneurship' e o visitante poderá se divertir com simuladores de realidade virtual e aumentada, competição de games, apresentação de projetos acadêmicos, startups com ideias inovadoras e oficinas de robótica e de linguagem de programação. A grande atração, no entanto, deve ficar por conta da corrida de drones com pilotos profissionais. A programação ainda conta com corrida de ciborgues, palestras e workshops com temas espaciais e simulações à Marte. março/abril de 2018 <

< 45


Evento Empresas incubadas na Inova Metrópole participam da Campus Party natal 2018 De 11 a 15 de abril, Natal recebe, pela primeira vez, uma edição especial de um dos maiores eventos do ramo da ciência e tecnologia do mundo, a Campus Party. E o Instituto Metrópole Digital fará parte da programação do evento, através das empresas incubadas da Inova Metrópole, selecionadas para participar do espaço Startup&Makers, que é destinado aos projetos inovadores de startups em estágio inicial ou avançado. Dentre as empresas selecionadas, estão: a Agro Meteoro, a BlinDog, a Goo Drink, a Mix Internet, a Natal Makers, a Surfmappers e a Void 3D. A Campus Party é uma das maiores experiências tecnológicas do mundo, pois permite uma imersão do jovem em um festival de inovação, criatividade, ciências, empreendedorismo e universo digital, sua estrutura inovadora proporciona interação total com o evento, os participantes podem até mesmo dormir em um dos espaços do evento, o camping. Criada na Espanha em 1997, o evento é organizado pelo Instituto Campus Party, uma associação sem fins lucrativos, que tem como objetivo, incentivar e promover atividades e projetos nas áreas, cultural, educacional gratuita, de inclusão digital, do desenvolvimento tecnológico e econômico, dos direitos estabelecidos, da assistência social e da cidadania. Atualmente a Campus Party é promovida em 20 países, entre eles o Brasil, onde acontece desde 2008 na cidade de São Paulo. Incubadas Dentre as empresas selecionadas para participar da Campus Party, estão os mais diversos produtos e serviços, todas foram escolhidas pela organização do evento através de submissão de proposta ao edital de participação. Conheça algumas delas abaixo: A Start Up Agro Meteoro, trabalha com meteorologia para o setor agrícola e 46 >

> março/abril de 2018

Jovens empreendedores do Inova vão participar da Campus Party apresentará seus produtos para o segmento agrícola e também pretende demonstrar o quanto a Meteorologia pode ser útil para otimização dos processos, desde a aplicação de ibceticidas ao planejamento de safra. Outra empresa que participará da feira, no espaço Startup&Makers é a BlinDog, que é uma empresa que visa dar qualidade de vida aos cães cegos, através de coleiras que guiam o animal, para que ele não bata em obstáculos. Ela identifica o obstáculo e emite alertas vibratórios para o momento que ele deve desviar para que não sofra maiores traumas com as batidas. Na Campus Party eles apresentarão o protótipo da coleira, que já tem uma lista de pré-venda com 130 interessados. Focada no desenvolvimento de dispositivos embarcados e suporte tecnológico nas diversas fases do projeto de um projeto ou ideia, desde a elaboração até a sua implementação, a Natal Makers apresentará seu trabalho na Campus Party, além de ministrar o workshop “Oficina de Robótica utilizando arduíno e plataforma PiBook” no espaço Coders & Makers. A inscrição para o workshop pode ser

feito através do link: https://campuse.ro/ events/campus-par ty-natal-2018/ workshop/oficina-de-robotica-utilizando-arduino-e-plataforma-pibook-cpnatal/ A Surfmappers também estará no evento, surpreendendo com seu serviço que conecta surfistas e videomakers. A incubada é um marketplace para venda de vídeos e fotografias de Surf que tem se destacado em todo país, obtendo 65 mil usuários ativos nos últimos 6 meses e formando uma comunidade conectada por um vasto público em todo o Brasil. A Void 3D é uma empresa que fabrica maquinas 3D e também presta serviços na parte mecânica ou software de embarcados, ao qual eles chamam de “materializando ideias” ou fábrica de Start Up. Na Campus Party apresentarão a evolução de suas maquinas de impressão 3D no decorrer do tempo, além de serviços de prototipagem eletrônica e mecânica. Mais informações sobre o evento, neste link: http://brasil.campus-party.org/ cpnatal/ *Com informações de Vinicius Castro, da assessoria de comunicação do IMD.


Negócios 73  
Negócios 73  
Advertisement