Page 1

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 1


2 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL


ÍNDICE

Nota de boas-vindas...

Outubro 2021

9

64

57 LÍDERES

82

ESPECIAL SAÚDE

E EMPRESÁRIAS DE SUCESSO

TRANSFORMAÇÃO DIGITAL

Portugal tem sido distinguido por instituições internacionais pelo seu ecossistema empreendedor próspero e pela constante promoção ao desenvolvimento tecnológico e à inovação. O mundo empresarial, como o conhecemos hoje, não se define apenas como um mercado competitivo. É necessário ser, particularmente, inovador e primar pela diferença. E ser diferente e inovador, em tempos de pandemia, é o melhor e mais desejado cenário para alcançar o sucesso. A boa notícia é que o início do mês de outubro marca o regresso à normalidade com o levantamento de restrições, o fim da recomendação de teletrabalho e do uso de máscara, o que vai permitir potenciar o desenvolvimento das atividades e favorecer o empreendedorismo. E, seguindo a lógica de primar sempre pela diferença, a Revista Business Portugal tem vindo a afirmar a sua identidade e essência, apresentando em cada edição exemplos de empresas e empresários que são verdadeiros modelos a seguir pela performance, atitude, estilo de liderança, resiliência e capacidade de antecipar cenários futuros, isto porque a Revista Business Portugal é, e quer continuar a ser o parceiro de comunicação de eleição das empresas!

LIDERANÇA: NOVOS DESAFIOS Fernando R. Silva

FICHA TÉCNICA Editor/Propriedade: AFARS | Redação e Publicidade: Rua Raimundo de Carvalho, 64, 1º andar - Sala C, 4430 -184 V N Gaia | Diretor: Fernando R. Silva | E-mail: geral@ revistabusinessportugal.pt/Comercial: comercial@revistabusinessportugal.pt/Redação: redacao@revistabusinessportugal.pt | Telf: 223 700 510 | Distribuição: Gratuita com o jornal Diário de Notícias | Dec.regulamentar 8-99/9-6 artigo 12 N.ID Depósito Legal: 374969/14 Nº Registo ERC 126515 Impressão: YellowMaster | Avenida João Azevedo Coutinho nº643, 2755-101 Parede Estatuto Editorial: Disponível em www.revistabusinessportugal.pt/estatuto-editorial Periodicidade: Mensal Outubro 2021

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 3


AGÊNCIA NACIONAL ERASMUS+

UM PERCURSO ENRIQUECEDOR E UM FUTURO DESAFIANTE

Desde setembro de 2020 a desempenhar funções como Diretora da Agência Nacional Erasmus+ Educação e Formação (ANE+EF), Ana Cristina Perdigão assume a liderança como um “desafio muito aliciante”. Em entrevista à Revista Business Portugal, apresenta um programa que “alarga horizontes” e cria novas perspetivas na formação académica, profissional e pessoal dos jovens.

Ana Cristina Perdigão, Diretora

4 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL


AGÊNCIA NACIONAL ERASMUS+

Ana Cristina Perdigão é licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa e Mestre em Estudos Europeus – Dominante Jurídica pelo Instituto de Estudos Europeus, pela mesma instituição. Com um currículo de 30 anos ligado ao ensino, Ana Cristina perdigão apresenta um percurso relevante para as funções que desempenha atualmente. Anteriormente Vice-Presidente do Instituto Politécnico de Lisboa (IPL), no qual assumiu a responsabilidade pelas áreas da internacionalização, académica e de qualidade e acreditação, foi também, entre 2009 e 2012, Vice-Presidente do Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa (ISCAL), onde é Professora Coordenadora e foi responsável pelas unidades curriculares de Direito da União Europeia, Direito Europeu da Concorrência e Direito Processual Civil. Como Vice-Presidente do IPL, foi também responsável pela definição e implementação da estratégia conducente à execução do Programa Erasmus+, incluindo a supervisão da execução de ações de mobilidades e ao abrigo do Erasmus Mundus Joint Masters Degree. As competências adquiridas e o conhecimento profundo das instituições e dos seus diversos atores, desenvolvido ao longo de oito anos, permitiram-lhe o “atrevimento suficiente para aceitar o convite para Diretora da Agência Nacional Erasmus+ Educação e Formação (ANE+EF)”, em setembro de 2020. Nestas funções, Ana Perdigão enfrenta “um leque muito alargado de oportunidades e de realidades muitos distintas, mas muito enriquecedor pelo contacto que tem com os diferentes os beneficiários”. Encara o programa também como um “instrumento para a internacionalização das instituições de ensino e formação e uma experiência que, segundo os testemunhos de todos os sectores, abre horizontes, muda vidas, cria novas perspetivas, a nível académico mas também profissional e pessoal”.

“O novo Erasmus+ estabeleceu como prioridades transversais, para os próximos sete anos, a inclusão, a transição digital, a proteção ambiental e a participação democrática. É importante que a implentação do Programa Erasmus+ cresça de forma sustentada, mas sem descurar estas prioridades que devem acompanhar esse crescimento”

Erasmus+ 2021-2027 No arranque das suas funções, Ana Cristina Perdigão foi desafiada com a missão de “preparar a Agência Erasmus+ para uma nova fase de construção europeia e reforço da posição de Portugal nas redes europeias de ensino e formação”, promovendo a transição para o novo Programa Erasmus+, que vai vigorar entre 2021 e 2027. Há a preocupação de fazer chegar aos mais jovens a mensagem da necessidade de compatibilizar um período de mobilidade com os quatro valores essenciais que transversalmente atravessam o Erasmus+, “que estão interrelacionados e que se potenciam mutuamente”. O novo Erasmus+ estabeleceu como prioridades transversais, para os próximos sete anos, a inclusão, a transição digital, a proteção ambiental e a participação democrática. É importante que a implentação do Programa Erasmus+ cresça de forma sustentada, mas sem descurar estas prioridades que devem acompanhar esse crescimento. Pretende-se que estas prioridades estejam subjacentes a todas as atividades desenvolvidas no âmbito do Erasmus de modo que, para cada um dos que beneficiará do programa, além da experiência de internacionalização, seja também uma ocasião de formação nestes valores. A participação democrática constitui uma prioridade da União Europeia pois, apesar do programa ser um caso de sucesso, nomeadamente junto dos jovens que frequentam o ensino superior, “muitos estudantes, já com uma preparação académica muito significativa, não conhecem a origem e objetivos do programa e a origem e objetivos da União Europeia” e, por isso, o Programa Erasmus+ 2021-2027 vem criar essa oportunidade para que todo este projeto não seja dado por adquirido. Ao nível da sustentabilidade ambiental, pede-se aos jovens que neste novo Erasmus+ adotem comportamentos mais amigos do ambiente, como por exemplo, dar preferência a meios de transporte menos poluentes como é o caso do comboio, existindo até um pequeno acréscimo de bolsa se o estudante fizer a viagem até à instituição de destino num meio de transporte mais sustentável. Por seu lado, a transição digital, que já vinha sendo pensada para o novo programa, foi acelerada durante a pandemia que obrigou as instituições de ensino e formação a passar subitamente para o ensino on-line e agora, “urge refletir sobre a sua utilização complementar ao ensino presencial e sobre o interesse destes meios ao serviço do Erasmus+. Ao nível das mobilidades, por exemplo, vai ser possível usufruir de uma experiência “híbrida”, ou seja, poderá haver um período presencial obrigatório, mas poderá ser possível fazer um trabalho de preparação à distância, “compatibilizando as circunstâncias de cada estudante”, pois o programa pretende chegar a mais pessoas, mas sobretudo a pessoas com menos oportunidades por via do seu contexto socioeconómico ou circunstâncias pessoais o que cruza com a prioridade fundamental de inclusão. As parcerias para cooperação e os projetos que as instituições da União Europeia apresentarem em conjunto terão de ser avaliado, valorizando o foco nessas prioridades transversais.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 5


AGÊNCIA NACIONAL ERASMUS+

Um programa que abre horizontes A Agência Nacional Erasmus+ Educação e Formação (ANE+EF) tem como missão a gestão do Programa Erasmus+, em Portugal, nas áreas da Educação e Formação que englobam o Ensino Escolar, o Ensino e Formação Profissional, o Ensino Superior e a Educação de Adultos. Embora a mobilidade de estudantes do ensino superior seja a mais conhecida do público em geral, o programa Erasmus+ tem uma ampla implantação, também, nos outros sectores e vai muito além da mobilidade, financiando projetos de parceria internacionais que têm contribuído para o desenvolvimento das nossas instituições. O Erasmus é um programa que pretende “abrir mentes e alargar horizontes”, começando nos níveis mais básicos da educação. Na opinião de Ana Cristina Perdigão, as instituições devem ser incentivadas a utilizar este muito relevante instrumento de formação dos jovens estudantes e aprendentes, tratando-se simultaneamente de uma “grande oportunidade de partilha de boas práticas e experiências interinstitucionais”. Em todos os sectores, existe a possibilidade de conceber projetos que envolvem jovens de outras nacionalidades, de contextos diferentes do ponto de vista educativo e formação. A partir deste novo programa, ao nível do ensino escolar, será possível fazer mobilidades idênticas às que conhecemos no ensino superior. Os jovens, apesar de viverem uma realidade e contexto familiar diferente dos do ensino superior, já vinham demonstrando essa apetência. Também na educação de adultos é agora possível a realização de mobilidades, o que vai certamente constituir uma oportunidade de valorização da formação neste sector. O Roteiro Erasmus+ foi uma das ações criadas para chegar diretamente aos mais jovens", conta Ana Cristina Perdigão, explicando tratar-se de um projeto de "divulgação e partilha de informação, localmente, sobre as oportunidades do programa e que fomenta a partilha de experiências entre aqueles que já participaram e todos aqueles que gostariam de participar. Atualmente, em Portugal, é 6 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

muito elevado o número de alunos que adere ao programa, sendo a procura muito superior ao financiamento disponível para o nosso país, que tem em conta as características do estado membro e a sua capacidade de fazer boa utilização desses meios.

Um futuro que se avizinha desafiante A Diretora da Agência Nacional Erasmus+ Educação e Formação (ANE+EF) prevê seis anos muitos importantes e desafiantes, através de um programa que se apresenta catalisador da ligação de instituições de diversos estados-membros, promovendo o aumento da qualidade da educação e formação, nos mais diversos níveis. Os novos desafios são de vária ordem: apoiar o processo de internacionalização, com a identificação de pontos comuns às estratégias das diversas organizações e posterior dinamização de presença em eventos internacionais, que constituem excelentes oportunidades de constituir ou aderir a redes internacionais; apoiar medidas adequadas à captação de estudantes internacionais (principalmente do ensino superior) e com um enfoque especial nas comunidades de lusodescendentes; criar oportunidades de debate e reflexão sobre os temas do ensino e formação mais diretamente relacionados com o programa Erasmus+, como por exemplo, o reconhecimento académico ou a avaliação da qualidade da internacionalização. A Agência Erasmus+ irá também assumir a gestão de uma verba do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), destinada ao alojamento de estudantes. Ao nível do ensino superior, serão selecionados e acompanhados projetos para a construção e reabilitação de alojamento de estudantes. Para estudar ou investigar, Portugal é um valor seguro e os estudantes, docentes e investigadores sabem que vão encontrar aqui excelentes condições para progredir nos seus estudos ou investigação com qualidade. “Portugal tem condições para se posicionar como um dos principais países de destino”, conclui.


O Erasmus+ é uma poderosa experiência de aprendizagem que proporciona oportunidades de desenvolvimento, para todos, numa Europa mais inclusiva, mais digital e mais verde.

#erasmusmais

Tudo começa aqui.

+351 210 101 900 agencianacional@erasmusmais.pt www.erasmusmais.pt REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 7


ARTIGO DE OPINIÃO

PROJETANDO O FUTURO DAS EMPRESAS As crises são sempre oportunidade de renovação. Durante esta crise, testemunhámos já como a flexibilidade e capacidade de adaptação de muitas empresas foram trunfos para se transfigurarem e reconverterem a sua produção ou adotarem novas formas de chegarem aos mercados. Rapidamente, de uma situação de dependência externa de bens indispensáveis no quadro da crise sanitária, passámos a exportadores de alguns desses bens. O mundo, a economia, a sociedade não serão os mesmos após a experiência, traumática, mas rica em ensinamentos, por que estamos a passar. Estamos numa fase de mudança acelerada, de aprendizagens forçadas, de abertura a novas formas de comunicação e de trabalho, de quebra de paradigmas. A transformação tecnológica e digital ganhará uma nova dimensão. Haverá uma nova perceção e interiorização de riscos de excessivas dependências de determinados mercados ou de um número reduzido de fornecedores. Estas mudanças trarão oportunidades. Flexibilidade e adaptabilidade serão, uma vez mais, os trunfos para as empresas se reposicionarem, aproveitarem estas oportunidades e ocuparem o espaço deixado nos mercados, doméstico e internacional, por aquelas que se retraíram ou não sobreviveram. Destacaria a transformação tecnológica e digital como uma oportunidade ímpar para que as empresas nacionais otimizem os seus processos, reduzam custos, aumentem as receitas e, principalmente, para que ganhem competitividade nos mercados globais. Para que esta oportunidade seja, de facto, aproveitada, importa: • relançar o investimento empresarial, indispensável à incorporação de inovação tecnológica nos produtos e nos processos; • que as empresas se dotem de recursos humanos com as competências necessárias para se modernizarem e para permitir que essa transformação tecnológica e digital impulsione um salto significativo na sua produtividade: • promover um ambiente de negócios favorável à inovação e que permita às empresas concentrarem os seus recursos na criação de valor. Consequentemente, as linhas orientadoras para uma estratégia de desenvolvimento e competitividade devem passar por medidas específicas dirigidas à capitalização das empresas; por um sistema fiscal mais favorável ao investimento, tornando-o mais competitivo, mais previsível e simples; pela redução dos custos de contexto, começando por travar o contínuo surgimento de novas obrigações legais que implicam mais encargos para as empresas. E se, num “novo normal” ainda em aberto, flexibilidade e adaptabilidade são, de facto, vantagens competitivas cada vez mais relevantes nos mercados mundiais, o enquadramento sócio laboral deverá adequar-se, tornando-se mais favorável a estes trunfos das empresas portuguesas. António Saraiva, Presidente da CIP 8 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL


Especial Saúde

Farma1000 Paulo Santos Diretor-Geral

DIA MUNDIAL DO CORAÇÃO | DIA DO FARMACÊUTICO | DIA MUNDIAL DA VISÃO DIA MUNDIAL DO SORRISO | DIA INTERNACIONAL DO IDOSO REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 9


FARMA1000

“A QUALIDADE E INOVAÇÃO ESTÃO IMPRESSAS NO NOSSO ADN” senhor amigo, que tinha sido meu Diretor uns anos antes, que me convida para almoçar e me propõe a aquisição da Farma1000. Sorri ao ver essa possibilidade, mas economicamente seria muito difícil. Contudo, este senhor facilitou-me a vida e ajudou-me na sua compra, queria que a Farma1000 continuasse a existir e tinha a certeza de que eu seria capaz de continuar o seu sonho.

“A Farma1000 tem como visão ser uma empresa reconhecida no mercado nacional nas diferentes áreas onde está presente”

Paulo Santos, Diretor-Geral

A Farma1000 assume como desiderato ser reconhecida pela qualidade dos seus produtos e pela competência profissional dos seus colaboradores. Em entrevista à Revista Business Portugal, Paulo Santos, Diretor-Geral da Farma1000, dá a conhecer a visão da empresa, que assenta no reconhecimento do mercado nacional nas diferentes áreas onde está presente: dispositivos médicos, medicamentos e nutracêuticos. Como surgiu a Farma1000 e em que contexto? Que objetivos presidiram à sua criação? A Farma1000 Produtos Farmacêuticos é uma empresa nacional familiar, fundada em setembro de 2010. O percurso, que culminou na sua aquisição, tem uma história peculiar. Apesar de me ter formado na área de engenharia, nunca cheguei a exercer, visto que, em 1993, me foi dada a possibilidade de ingressar na Indústria Farmacêutica. Trabalhei em várias empresas nacionais e internacionais até atingir a idade dos 50, em que passei a ter como principal objetivo a minha própria empresa nesta área, mas sabia que não iria ser fácil. Um dia recebo uma chamada de um

10 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

Qual é a visão da Farma1000? Quais são os valores que norteiam a empresa e como é que esta se posiciona no mercado? Quais são as principais áreas de atuação? A Farma1000 tem como visão ser uma empresa reconhecida no mercado nacional nas diferentes áreas onde está presente, nos dispositivos médicos, nos medicamentos e nutracêuticos. Simultaneamente, quer consolidar a sua atuação junto da área Médica e Farmacêutica, com um propósito: QUALIDADE, SEGURANÇA e RESPONSABILIDADE. A vertente social sempre foi uma preocupação nossa, realizando pequenas ações na comunidade local. Com o crescimento da empresa, também pretendemos alargar ainda mais o nosso envolvimento, promovendo ações junto de algumas instituições, contribuindo para uma sociedade melhor e quiçá recolher alguns sorrisos. Produzir medicamentos de qualidade, segundo as melhores práticas de fabricação, proporcionando aos doentes mais e melhor vida, a um preço justo é a missão que a vossa empresa assume. Podemos então afirmar que a Qualidade e Inovação fazem parte do ADN da Farma1000? Podemos de facto afirmar que a qualidade e inovação estão impressas no nosso ADN, uma vez que tentamos sempre diferenciar-nos pela qualidade dos nossos produtos e procuramos sempre melhorar as fórmulas dos mesmos, no sentido de oferecer o melhor aos nossos clientes, ao melhor preço possível. As pessoas são o elemento mais importante na vossa organização. Trabalham em equipa, com determinação e competência profissional, sob o lema: “Máxima liberdade com a máxima responsabilidade”. Este tem sido também um dos pilares do vosso crescimento? O crescimento da empresa, nos últimos anos, deve-se em grande parte ao trabalho realizado pela equipa de vendas, à qual é sempre aplicada a regra de “máxima liberdade com a máxima responsabilidade”.


FARMA1000

Equipa Farma1000

Nesta empresa, procuramos dar a liberdade necessária aos profissionais para realizarem o seu trabalho da forma que acharem mais correta ou mais benéfica, sendo que estamos cá sempre para aconselhar e ajudar de todas as formas que nos sejam possíveis. A FARMA1000 - Produtos Farmacêuticos é uma empresa nacional que também comercializa suplementos alimentares. De que forma a marca TECNILOR® tem vindo a afirmar-se, em Portugal, no mercado dos suplementos alimentares? E quais os vossos desideratos neste segmento? A marca Tecnilor tem vindo a afirmar-se de uma forma sustentada. Ela já é sinónimo de qualidade, sendo cada vez mais comparada a outras nos seus constituintes, podendo verificar-se uma mais-valia nas suas formulações. O cliente procura segurança e eficácia avalizados por um profissional de saúde, o Suplemento Alimentar Tecnilor engloba tudo isto. O ritmo frenético das populações, o stress associado, a fraca qualidade das refeições e a esperança de vida a aumentar levam a uma necessidade crescente de suplementação para equilibrar a falta de nutrientes, cujas doses diárias recomendadas nem sempre conseguimos garantir com a alimentação. C

M

Y

MEGA Cápsulas

Reforço do sistema imunitário 9,5 biliões de UFC* por cápsula 8 estirpes de microorganismos cuidadosamente selecionadas: L. reuteri, L. acidophilus, B. longum, B. bifidum, B. lactis, L. rhamnosus, S. thermophilus, L. bulgaricus + Inulina + FOS + Vitaminas

CM

MY

CY

CMY

K

Qual a estratégia de crescimento da Farma1000 e quais as principais ambições em termos de futuro? A Farma1000 quer continuar a crescer, em quota de mercado e em portfólio, mas, também, no impacto positivo que podemos ter na sociedade. Queremos continuar a evoluir e ser os melhores naquilo que já demonstrámos saber fazer.

POSOLOGIA: 1 a 2 Cápsulas / Dia * U F C - Unidades Formadoras de Colónia SUPLEMENTO ALIMENTAR. MegaFlora Tecnilor® contém várias vitaminas, incluindo a vitamina B6, B12 e D, que contribuem para o normal funcionamento do sistema imunitário. Uma dose diária de MegaFlora Tecnilor® fornece a quantidade significativa da dose diária recomendada para se produzir o efeito benéfico alegado para as vitaminas B6, B12 e D. Não substitui um regime alimentar variado e equilibrado e um modo de vida saudável.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 11


12 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL


REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 13


DIA MUNDIAL DO CORAÇÃO 2021 Os Dias Mundiais e os Nacionais são ocasiões para informar o público sobre questões de preocupação geral, mas servem também para mobilizar a vontade política e os recursos para resolver essas questões globais, e para reforçar as conquistas conseguidas. O Dia Mundial do Coração, que se celebra a 29 de setembro, segue a mesma linha de orientação. Pretende-se informar o público de assuntos e matérias que já são do seu conhecimento, mas como são questões associadas a mudança de hábitos e de comportamentos, são geralmente adiadas para “melhores dias” e, muitas vezes, o dia do aparecimento súbito da doença chega primeiro. É do conhecimento geral que as doenças cardiovasculares são e continuam a ser a principal causa de morte em Portugal e no Mundo. São muitas as causas, desde o tabagismo, a diabetes, a hipertensão arterial e a obesidade, passando pela poluição atmosférica, e por situações menos comuns, como a doença de Chagas, doença bem conhecida pela comunidade brasileira em Portugal. A maioria destas causas estão associadas a hábitos e a comportamentos que em nada abonam a saúde das pessoas. A título de exemplo, 80% dos indivíduos que têm um enfarte agudo do miocárdio antes dos 45 anos são fumadores. A prática regular de uma atividade física diminui em cerca de 40% a probabilidade de ter uma complicação cardiovascular. As medidas não farmacológicas de prevenção das doenças não são para abandonar depois de instituída a medicação. Devem ser a primeira medida a tomar e devem passar a fazer parte das nossas rotinas e hábitos. Este ano o lema é “Use o Coração para Prevenir”. A ideia é a de usar o coração para tudo o que faz bem ao coração. Usar o coração para prevenir é também fazer com dedicação, com devoção e entrega, sabendo à partida que vale a pena mudar. Mudar hábitos e comportamentos não é fácil, mas não é impossível. Nos últimos 2 anos, a pandemia tem dificultado a ação dos serviços e dos profissionais de saúde e como se isso não bastasse ficámos mais isolados de amigos e familiares. Felizmente que a situação está a melhorar. Podemos, aos poucos, retomar rotinas e hábitos, mas aproveite a oportunidade para retomar os hábitos e as rotinas que são mais favoráveis à saúde do seu coração. Use o coração para se ligar aos seus amigos e familiares. A pandemia veio confirmar que vale a pena prevenir e se o fizer com o Coração, tanto melhor. Siga os nossos conselhos e use, com o Coração, o material que a Fundação e a World Heart Federation lhe disponibilizam. Comemore o Dia Mundial do Coração com o Coração! Luís Negrão 14 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

Prof. Doutor Manuel Oliveira Carrageta, Presidente da Fundação Portuguesa de Cardiologia Cardiologista

Fundação Portuguesa de Cardiologia A Fundação Portuguesa de Cardiologia é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, de âmbito nacional, criada em 1979, tendo como objetivo geral a promoção da saúde e a prevenção, tratamento e reabilitação das doenças cardiovasculares, que constituem a principal causa de morte da população portuguesa. De entre as causas específicas de morte, destacam-se os acidentes vasculares cerebrais, com mais de 13.250 óbitos anuais e o enfarte do miocárdio, com cerca de 6.970 óbitos anuais. A estes números impressionantes soma-se similar número de indivíduos atingidos por estas doenças, que sobrevivendo ficam muitos deles gravemente diminuídos. Nos seus 41 anos de atividade, a Fundação Portuguesa de Cardiologia tem contribuído para a luta com sucesso contra as doenças cardiovasculares, sendo certamente um dos parceiros responsáveis pela contenção do aumento da mortalidade por acidentes cardiovasculares cerebrais e enfartes do miocárdio observados nos últimos anos. À luz dos conhecimentos científicos atuais, sabe-se que tantos os acidentes vasculares cerebrais, como os enfartes do miocárdio são em grande medida evitáveis. Para isso é necessária a adoção de estilos de vida adequados e o controlo dos fatores de risco, que condicionam o aparecimento das doenças cardiovasculares, sendo os mais importantes a hipertensão arterial, a hipercolesterolémia, o tabagismo, a diabetes e a inatividade física. Colocar à disposição de todos os interessados este site, com diversa documentação, constitui para todos nós um instrumento fundamental para o sucesso desta luta que travamos na Fundação Portuguesa de Cardiologia pela promoção da saúde cardiovascular em Portugal. De facto, a população pode agora, de uma forma interativa, colocar perguntas e fazer comentários sobre os seus casos particulares. Quero terminar lembrando que é fundamental praticar atividade física, ter uma alimentação saudável e não fumar.


REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 15


16 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL


REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 17


DIA DO FARMACÊUTICO O dia 26 de setembro tem um significado especial para todos os farmacêuticos portugueses. Em Portugal, desde 1989, a data foi adotada como o Dia Nacional do Farmacêutico, que no calendário litúrgico romano, corresponde ao dia de São Cosme e São Damião, os santos padroeiros da profissão Farmacêutica. Desde então, a Ordem dos Farmacêuticos assinala a efeméride com a realização de várias atividades e iniciativas marcadas pelo convívio e confraternização entre colegas e pela valorização do papel destes profissionais de saúde na sociedade. As comemorações do Dia do Farmacêutico são organizadas todos os anos, de forma rotativa, pelas três Secções Regionais da OF e envolvem várias outras ações em diversos pontos do País, muitas das quais de farmacêuticos a título individual ou de outras organizações e associações setoriais. Este ano, o Dia Nacional do Farmacêutico coincidiu com a data das eleições autárquicas, pelo que a Direção Nacional da Ordem dos Farmacêuticos entendeu antecipar a realização da Sessão Solene Comemorativa para a véspera, dia 25 de setembro, data em que se assinala também o Dia Mundial do Farmacêutico e o aniversário da Federação Internacional Farmacêutica (FIP). Cumprindo assim uma tradição com mais de três décadas, a OF homenageou os farmacêuticos que completam 50 anos de licenciatura e de dedicação à profissão e também distinguiu os alunos que obtiveram classificações mais elevadas nos Mestrados Integrados em Ciências Farmacêuticas lecionados no nosso País. PROFISSÃO: FARMACÊUTICO(A) O farmacêutico é um profissional especializado no medicamento e desempenha as mais variadas funções dentro do circuito medicamentoso. Intervém enquanto especialista em análises clínicas, em áreas assistenciais e de prestação de cuidados de saúde diferenciados. A nível nacional, apresenta-se como uma profissão preferencialmente feminina e maioritariamente jovem

18 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

(41% dos farmacêuticos portugueses têm menos de 35 anos). Os farmacêuticos exercem a sua atividade em áreas clássicas como farmácia comunitária local onde os portugueses se deslocam quando têm um problema de saúde, sendo habitualmente os farmacêuticos comunitários o primeiro ponto de contacto entre o cidadão e o sistema de saúde. Nestes locais prestam serviços como a promoção da literacia em saúde, dispensa de medicamentos e transmissão de informações de utilização, ensino e avaliação da técnica de utilização de dispositivos médicos; administração de medicamentos injetáveis e vacinas fora do plano nacional de vacinação, aconselhamento, acompanhamento e encaminhamento da pessoa com doença para o médico de família ou especialidade, quando pertinente, entre outras. Na farmácia hospitalar asseguram a seleção, preparação, controlo, aquisição e dispensa de medicamentos, interpretação e validação da prescrição e o controlo de qualidade. O farmacêutico Analista Clínico, ligado ao diagnóstico laboratorial, intervém em atividades de análises clínicas e investigação biológica ou farmacêutica. Em Portugal existem mais de novecentos farmacêuticos especialistas em Análises Clínicas e vinte em Genética Humana. Desempenham as mais diversas funções associadas ao diagnóstico laboratorial como ações de prevenção da doença e promoção da saúde; a gestão e controlo da qualidade dos Laboratórios de Análises Clínicas, bem como informação clínica e comunicação com o prescritor e cidadão. A indústria farmacêutica absorve alguns profissionais que assumem responsabilidades ao nível dos processos de investigação e desenvolvimento de medicamentos até à sua produção e comercialização. Abrange as áreas da saúde humana e saúde animal, a biotecnologia, os meios de diagnóstico in vitro, entre outros. Na distribuição grossista, o farmacêutico garante a disponibilização dos medicamentos e produtos de saúde nas Farmácias, Hospitais e Unidades de Saúde. Assegurando a Direção Técnica das empresas de distribuição garante o armazenamento, conservação, controlo ambiental, transporte e distribuição por grosso de medicamentos, dispositivos médicos e produtos de saúde e a implementação de sistemas de combate à contrafação e falsificação de medicamentos, através da implementação de processos de distribuição eficazes e seguros. A evolução da profissão levou a que a intervenção farmacêutica tenha sido alargada a diferentes áreas no Sistema de Saúde. Áreas como a Investigação Científica, dos Dispositivos Médicos, das Análises Toxicológicas e Bromatológicas, da Administração Pública e do Ensino Farmacêutico fazem parte da intervenção profissional do farmacêutico.

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K


REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 19


DIA DO FARMACÊUTICO | ASSOCIAÇÃO DE FARMÁCIAS DE PORTUGAL

AS FARMÁCIAS MELHORARAM O ACESSO À SAÚDE EM PORTUGAL MANUELA PACHECO, PRESIDENTE DA AFP

MANUELA PACHECO DÁ A CONHECER O CONTRIBUTO DAS FARMÁCIAS COMUNITÁRIAS DURANTE A PANDEMIA PARA AUMENTAR AS RESPOSTAS EM SAÚDE À POPULAÇÃO. NO ANO EM QUE A ASSOCIAÇÃO COMEMORA O SEU 30º ANIVERSÁRIO, A RESPONSÁVEL SUBLINHA QUE OS SERVIÇOS DE PROXIMIDADE QUE TÊM SIDO PRESTADOS A TITULO EXCECIONAL PELAS FARMÁCIAS PERMITIRAM MELHORAR O ACESSO DOS UTENTES E DESCONGESTIONAR O SNS.

O

atual contexto de pandemia colocou o Setor da Saúde no centro da discussão e sublinhou a importância de Portugal melhorar o acesso e garantir a qualidade dos cuidados de saúde prestados aos cidadãos. Durante estes mais de 18 meses, as farmácias comunitárias reinventaram-se e assumiram um lugar na linha da frente no combate à pandemia, reforçando o serviço de proximidade e chegando onde muitas vezes o SNS ainda não chega.

O que pode ser feito para melhorar a prestação de cuidados de saúde da população portuguesa? A pandemia da Covid-19 colocou a descoberto um conjunto de dificuldades estruturais do Sistema de Saúde em Portugal e exigiu que o setor rapidamente se reorganizasse, criando soluções que permitissem dar resposta ao expectável aumento da procura de cuidados de saúde por parte dos cidadãos.

Qual a sua opinião sobre o sistema de saúde em Portugal? Eu tenho uma opinião positiva sobre o nosso Serviço Nacional de Saúde e é inegável que se assume como um valioso legado para todos os portugueses. No entanto, também é verdade que o SNS tem fragilidades estruturais, nomeadamente relacionadas com a sua sustentabilidade financeira e com a pressão sociodemográfica, e que foram muito expostas pela pandemia.

QUE O ESTADO SOZINHO

20 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

"A PANDEMIA DEMONSTROU NÃO TEM RECURSOS PARA ATENDER TODAS AS NECESSIDADES DA POPULAÇÃO” Assim, demonstrou que o Estado, sozinho, não tem os recursos financeiros, humanos e técnicos necessários para atender a todas as necessidades de saúde da população. A solução, no nosso entender, assenta na

criação de uma resposta conjunta, que integre os diversos agentes do setor da saúde, desde as entidades reguladoras, passando pelos médicos, enfermeiros e farmacêuticos, técnicos de saúde, indústria farmacêutica, distribuidores de medicamentos e farmácias comunitárias, pois todos são cruciais para melhorarmos o acesso aos cuidados de saúde da população. Em que medida a pandemia sublinhou a importância da colaboração entre as farmácias e o SNS? Durante a pandemia, os serviços de saúde, nomeadamente os hospitalares, estiveram sob uma enorme pressão assistencial devido à crescente procura de doentes. Por outro lado, também os cuidados primários não conseguiram responder a todas as solicitações dos utentes. Neste sentido, as farmácias têm estado, desde o início da pandemia, a disponibilizar um conjunto extraordinário de serviços por forma a dar resposta às necessidades da população que, face à situação pandémica, não encontra resposta nos centros de saúde. Nos últimos meses, os centros de saúde e hospitais têm estado focados no combate à pandemia, deixando para segundo plano a prevenção, a continuidade do tratamento e a estabilização de diversas outras doenças graves. Assim, os utentes encontram nas farmácias um serviço de proximidade que, no caso dos doentes crónicos, lhes permite viver a sua doença com mais segurança. Têm sido meses muito desafiantes também para os farmacêuticos comunitários que, demasiadas vezes, se têm assumido como primeiro e último contacto dos cidadãos com o


ASSOCIAÇÃO DE FARMÁCIAS DE PORTUGAL | DIA DO FARMACÊUTICO

"AS FARMÁCIAS TÊM CONTRIBUÍDO PARA O ACOMPANHAMENTO DA POPULAÇÃO E TAMBÉM PARA O DESCONGESTIONAMENTO DO SNS"

sistema de saúde. Informando, aconselhando, mas também ajudando os utentes a monitorizar e controlar a sua doença, fazendo a referenciação e reencaminhamento para os cuidados de saúde primários e hospitalares apenas quando necessário. Deste modo, as farmácias têm contribuído ativamente não só para o acompanhamento da população, mas também para o descongestionamento do SNS. Que serviços foram disponibilizados pelas farmácias durante a pandemia? Atualmente, as farmácias comunitárias já não são apenas naturais dispensadoras de medicamentos. Hoje, prestam um conjunto alargado de serviços, onde se incluem o aconselhamento prestado aos utentes; a preparação individualizada de medicação; a administração de vacinas; as consultas de acompanhamento de doenças crónicas ou a disponibilização de rastreios e de testes bioquímicos. Durante a pandemia, as farmácias comunitárias acrescentaram à lista de serviços prestados a disponibilização de medicamentos hospitalares, a entrega de medicamentos ao domicílio, a renovação de medicação crónica e a testagem da Covid-19, que contribui para a quebra de cadeias de transmissão e para a mitigação do novo coronavírus. Com este serviço em proximidade, todos os dias as farmácias acompanham os utentes, evitando deslocações desnecessárias aos hospitais, e contribuindo para melhorar as respostas em saúde aos nossos cidadãos.

PROJETO INOVADOR RECOLHE MAIS DE 300 MIL SERINGAS DOS DIABÉTICOS USADAS O projeto inovador “Seringas Só No Agulhão”, criado em 2019 pela Associação de Farmácias de Portugal, já recolheu gratuitamente mais de 300 mil seringas e agulhas usadas que seriam depositadas no lixo doméstico. O projeto, realizado em parceria com a empresa especializada na gestão de resíduos hospitalares, Stericycle, consiste na instalação de um contentor - o Agulhão - nas farmácias onde todos os cidadãos poderão colocar as suas seringas usadas. A iniciativa foi criada com o objetivo de encontrar uma resposta para a falta de soluções seguras e ecológicas de recolha das seringas usadas pelos doentes diabéticos, bem como de todos os doentes que necessitam de medicamentos injetáveis. “A AFP teve conhecimento das preocupações de alguns doentes diabéticos que se deparam com a inexistência de um sistema de recolha de seringas usadas. Sabemos que estes doentes têm muitas vezes de colocar as seringas dentro de garrafas de plástico que depois depositam no lixo comum. Este não é de todo o destino mais adequado para este tipo de resíduos”, explica a Presidente da AFP,

Manuela Pacheco. “Neste sentido, a AFP considera ser absolutamente fundamental a criação de soluções nas farmácias que permitam aos utilizadores de medicamentos injetáveis entregarem as suas seringas usadas”, adiantou a responsável. Recorde-se que até agora as farmácias faziam a recolha das seringas apenas no âmbito do PTS (Programa de Troca de Seringas) – um

programa especialmente dirigido às Pessoas que Utilizam Drogas Injetáveis (PUDI). No caso do PTS, as farmácias recolhem as seringas usadas (que depois são destruídas) e, em troca, devolvem aos cidadãos material esterilizado. Pode consultar a listagem das farmácias aderentes a este serviço gratuito através do site www.afp.com.pt

Trabalhamos com as Farmácias para melhor servir a comunidade

ANOS

www.afp.com.pt |

geral@afp.com.pt

Avenida Sidónio Pais, 331 4100-468 Porto | Tel. 222 089 160

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 21


22 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL


REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 23


DIA DO FARMACÊUTICO | DOR DE GARGANTA

DOR DE GARGANTA: CAUSAS E SINTOMAS

A dor de garganta é muito frequente, podendo ser o sintoma inicial de diversas doenças, como constipação, faringite e amigdalite. Também pode estar presente em situações mais graves, como é o caso de infeções de origem viral (mais frequentes), bacteriana e fúngica. Outras causas de origem não infeciosa podem igualmente agravar ou despoletar a dor de garganta, como fatores físico-químicos (fumar, ressonar, intubação traqueal, medicamentos, refluxo gastroesofágico) e ambientais (poluição exterior, temperatura, humidade, irritantes ocupacionais). A dor de garganta refere-se à dor, comichão ou irritação presente na garganta. No entanto, outros sintomas podem ocorrer: dificuldade em engolir alimentos e saliva, garganta seca, gânglios inchados no pescoço, manchas brancas nas amígdalas ou rouquidão. Pode afetar pessoas de todas as idades, mas o risco é superior em algumas pessoas, por exemplo, crianças, fumadores, pessoas com alergias, pessoas com compromisso do sistema imunitário, entre outros. Partilhar um espaço fechado também aumenta o risco de infeções respiratórias superiores que, inicialmente, pode apresentar-se como dor de garganta. Em média, durante um ano, um adulto poderá ter dois a três episódios de dores de garganta, enquanto as crianças, devido à fragilidade do seu sistema imunitário, têm por norma episódios mais frequentes. As dores de garganta têm um elevado impacto nas atividades normais diárias dos doentes, incluindo engolir, falar, comer, dormir e concentrar. Duração média dos sintomas: A maioria dos sintomas pode durar entre três a sete dias (e um máximo de duas semanas), habitualmente o tratamento é sintomático, não havendo necessidade de recorrer a tratamento anti-infecioso. Tratamento Farmacológico A maioria dos casos de dor de garganta pode ser tratada pelo doente, desde que não apresente sinais de complicações, como febre e dificuldade em respirar. O tratamento baseia-se no alívio dos sintomas (por exemplo, dor local, inflamação) e da remoção das causas de origem não infeciosa (por exemplo, fumar).

24 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

Para alívio dos sintomas, poderão ser tomados medicamentos de venda livre pertencentes ao grupo dos analgésicos, anestésicos locais, antissépticos e anti-inflamatórios. Os antibióticos apenas são indicados em situação de dor de garganta com origem bacteriana, pelo que deverão ser tomados apenas mediante prescrição médica. Os medicamentos com ação local, como as pastilhas, cuja ação é direta na mucosa da boca e garganta, apresentam a vantagem de proporcionarem um alívio mais rápido dos sintomas. As pastilhas têm uma ação prolongada, pois dissolvem-se lentamente na mucosa bucal irritada até à garganta. Pela sua ação local, apresentam ainda a vantagem de não interferirem, na sua maioria, com outros tratamentos por via oral. Quando Devo Consultar o Médico? Deverá contactar o médico nas seguintes situações: • Se tiver febre superior a 38,5º C; • Se sentir dificuldade em respirar; • Se sentir muita dificuldade em engolir e que impeça de beber água ou outros líquidos; • Se a dor é muito intensa e não alivia com os medicamentos analgésicos; • Se a rouquidão for superior a um mês.


REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 25


DIA DO FARMACÊUTICO | COMPREENDER E TRATAR A DOR

COMPREENDER E TRATAR A DOR

O

que é a dor? Perceba melhor a razão pela qual o nosso corpo sente dor e as várias causas da dor corporal.

Definir a dor corporal A dor é uma sensação desagradável que pode limitar a nossa capacidade de prosseguir a nossa rotina diária. Serve, muitas vezes, de aviso para nos alertar de que há algo errado com o nosso corpo. A definição, amplamente aceite, de dor foi desenvolvida pela Associação Internacional para o Estudo da Dor: “A dor é uma experiência sensorial e emocional desagradável que se encontra associada com danos efetivos ou potenciais ao nível dos tecidos ou descrita em termos de tais lesões.” A dor corporal pode ir de desconforto moderado e localizado a agonia. Pode ser aguda e breve, ou tornar-se um problema crónico de longo prazo. A dor aguda tem uma função protetora para os humanos, ensinando-nos a evitar danos corporais ou situações potencialmente causadoras de lesões e protegendo a parte do corpo lesionada enquanto esta se regenera. A dor corporal é uma ocorrência comum e pode por vezes afetar as nossas rotinas diárias. Se a dor não for tratada ou se for tratada incorretamente, poderá tornar-se crónica. Se isto acontecer, deverá consultar um médico. 26 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

Porque sentimos dor? A dor pode ser um sentimento desconfortável; algumas pessoas pesquisam muito para tentar compreender como aliviar a sua dor. Se não sentíssemos dor, seríamos incapazes de evitar lesões recorrentes ou danos permanentes ao nosso corpo. A dor evoluiu como um mecanismo de defesa que nos alerta para uma lesão, permitindo-nos assim proteger o nosso corpo. A dor é controlada pelo sistema nervoso e é um processo muito complexo. Ocorre quando perante um estímulo externo, por exemplo ao tocar numa frigideira quente, as células nervosas recetoras são ativadas para enviar mensagens através da nossa espinal medula até ao cérebro. Estes recetores podem sentir calor, frio, luz, toque, pressão e dor. A dor pode provocar outros sintomas físicos, como náusea, tontura e fraqueza. Muitas vezes, o primeiro impulso quando se sente dor é deixarmos de nos mover. Muitos acreditam que o descanso ajudará à recuperação, mas, de facto, por vezes o movimento moderado pode ajudar a uma recuperação mais rápida. 86% das pessoas sofrem de dores no corpo 71% das pessoas consideram que as dores as impedem de realizar as atividades físicas que gostam

Identificar e tratar a dor A dor alerta-nos para que nos protejamos contra mais danos. Contudo, a dor pode também tornar as atividades diárias difíceis e tornar mais lenta a recuperação do movimento. Acima de tudo, pode alterar o nosso estilo de vida e colocar em risco o nosso trabalho, relações e independência. A dor é sempre subjetiva e cada indivíduo sente a dor à sua maneira. A dor aguda aparece, normalmente, de repente e é um sinal de que o nosso corpo sofreu danos. Em princípio desaparece depois de a lesão ter sido debelada. A dor crónica dura mais tempo do que a dor aguda e, por vezes, é resistente a tratamentos. É, normalmente, associada com uma doença de longo prazo. Ao contrário da dor aguda, a dor crónica tende a estar relacionada com disfunções ou doenças que se prolongam. Se pensa sofrer de dor crónica, deverá consultar um médico. Os tratamentos para a dor variam muito por causa de todos os fatores envolvidos na experiência do indivíduo em relação à dor e às suas muitas causas. Os medicamentos para a dor incluem anti-inflamatórios não-esteróides, corticosteroides ou analgésicos. Antes de recorrer a um tratamento analgésico, é útil compreender a razão da ocorrência da dor e a melhor maneira de lidar com ela. Se tiver dúvidas, aconselhe-se junto do médico ou farmacêutico.


REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 27


DIA DO FARMACÊUTICO | OS SUPERPODERES DAS VITAMINAS

MULTIVITAMÍNICOS: OS SUPERPODERES DAS VITAMINAS

A procura de multivitamínicos é uma tendência em período de pandemia e cresceu versus 2019. Podemos afirmar que, de uma forma geral, a dieta da população não assegura o aporte recomendável de vitaminas, mas estas são essenciais para o correto funcionamento do organismo, pois reúnem os principais nutrientes que qualquer pessoa necessita. Foi no século XX que foram descobertas quase todas as vitaminas conhecidas e nele nasceu o próprio conceito de vitamina, ou seja, uma substância aminada indispensável à vida. As vitaminas - aminas da vida – foram assim denominadas por Casimir Funck, um bioquímico Norte Americano, de origem polaca, quando verificou que os alimentos possuíam fatores azotados indispensáveis à vida, tendo então criado o termo “Vitamina” para os designar. A palavra “vita”, em latim significa “vida”, a palavra “amina” corresponde a “compostos orgânicos com azoto”. Mais tarde, descobriu-se que, nem todas possuem azoto, mas o termo já estava vulgarizado, pelo que ainda hoje se usa. Poucas pessoas conseguem ingerir diariamente os níveis de nutrientes adequados. Comemos demasiados alimentos pré-preparados e congelados, com muitos conservantes e corantes; fazemos muitas refeições do tipo fast-food; abusamos dos fritos, dos alimentos ricos em açúcar e com elevado teor em gordura, em detrimento dos frutos, vegetais e cereais.

28 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

Parece, pois, plenamente justificado lembrar que as vitaminas são, de facto, essenciais à vida e à saúde e que muito frequentemente a dieta que as pessoas realmente fazem não assegura o aporte recomendável destes princípios ativos. Tal pode acontecer em qualquer idade, mas as crianças em fase de crescimento, as mulheres grávidas ou lactantes, os desportistas, os profissionais obrigados a esforço físico, os idosos com dietas monótonas ou pouco variadas, todas as pessoas que não comem quantidades suficientes de legumes e frutos beneficiam, certamente, da toma de suplementos vitamínicos equilibrados. A suplementação alimentar é uma ajuda preciosa na manutenção do nosso bem-estar, nomeadamente a título preventivo. O prémio Nobel da Medicina e Fisiologia, descobridor da vitamina C, Szent Gyorgi, foi autor de um livro, enaltecendo as qualidades das vitaminas, e na primeira página escreveu o seguinte: “Sem saúde não há felicidade; sem vitaminas não há saúde; logo, sem vitaminas não há felicidade.” A verdade é que as vitaminas podem contribuir para a nossa saúde, condição básica sobre a qual se constrói a vida feliz.


REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 29


30 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL


REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 31


DIA MUNDIAL DA VISÃO O Dia Mundial da Visão é considerado a data mais importante na área da Saúde da Visão. É uma iniciativa conjunta da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da International Agency for the Prevention of Blindness (Agência Internacional para a Prevenção da Cegueira). A OMS considera que 80% de todas as causas de deficiência visual são evitáveis ou podem ser tratáveis mediante prevenção adequada. Os dados apresentados pela OMS referem que 36 milhões têm cegueira e 217 milhões têm comprometimento moderado ou grave da visão, perfazendo um total de 253 milhões de pessoas com deficiência visual. Em Portugal, estima-se que as alterações da visão afetem cerca de metade da população e que perto de 20% das crianças, tal como 50% dos adultos, sofram de erros refrativos significativos. A retinopatia diabética e a ambliopia nas crianças são duas situações passiveis de prevenção e deteção precoce, bem como de tratamento oftalmológico e recuperação. Fonte: SNS

Programa Nacional da Saúde da Visão O Programa Nacional para a Saúde da Visão aplica-se, fundamentalmente, através da implementação de estratégias de intervenção e do desenvolvimento de planos a nível nacional integrados, os quais devem ser replicados e adequados regionalmente, tendo em conta as especificidades e os recursos locais existentes a fim de melhorar o acesso universal da população aos cuidados de saúde visual. Os défices visuais corrigíveis, quando não diagnosticados atempadamente, constituem um importante problema de saúde pública, claramente identificado no Plano Nacional de Saúde, e que fundamenta a necessidade do presente Programa Nacional para a Saúde da Visão. Este Programa vem na sequência do anterior que, foi elaborado por um conjunto de especialistas, nomeadamente da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia. O sentido da visão possui um elevado significado social, representando um meio de comunicação fundamental para a relação entre as pessoas e para a atividade profissional.

32 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

Sabe-se, hoje, que mais importante do que a acuidade visual em si mesma é o modo como cada pessoa utiliza a visão que possui, ou seja, a sua visão funcional, e que existem medidas suscetíveis de a melhorar. Sabe-se, ainda, que a visão deve ser preservada desde o nascimento, sendo imperativo prevenir e tratar a doença visual, a qual provoca, sempre, diminuição da qualidade de vida, com repercussão negativa a nível pessoal, familiar e profissional, para além de causar elevados custos sociais. No entanto, as doenças dos olhos e do sistema visual são extremamente frequentes na população em geral, sendo o envelhecimento progressivo da população portuguesa um dos fatores que mais contribuiu para esta situação. A evolução tecnológica em geral, e das ciências médicas em particular, permite num elevado número de pessoas melhorar a acuidade visual e evitar a cegueira. De facto, uma melhor informação da população, associada aos enormes avanços que se foram conquistando nos últimos anos em matéria de diagnóstico e tratamento das doenças oftalmológicas, possibilita, hoje, a prevenção e o tratamento de doenças consideradas incuráveis há alguns anos atrás. Embora a Oftalmologia, em Portugal, tenha tradições reconhecidas e se caracterize por elevado nível de qualidade científica, torna-se indispensável, para a potenciar, que se desenvolva o Programa Nacional para a Saúde da Visão e a Rede Nacional de Referenciação em Oftalmologia já existente, no sentido do melhor aproveitamento do que há, oferecendo condições apropriadas para o crescimento do que é excelente, preenchendo lacunas e reduzindo desigualdades, através da melhoria do acesso e equidade nesta área específica da prestação de cuidados de saúde. O Programa Nacional para a Saúde da Visão aplica-se, fundamentalmente, através da implementação de estratégias de intervenção do desenvolvimento de planos a nível nacional, os quais deverão sofrer replicação e adequação regional, tendo em conta as especificidades e os recursos locais existentes. Para concretizar estas estratégias, a Direção-Geral da Saúde constitui, no âmbito do Programa, um Comité Científico composto por representantes da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia, da Ordem dos Médicos, da Ordem dos Enfermeiros, do ensino universitário de Oftalmologia, sem prejuízo de fazer recurso das necessárias colaborações científicas e técnicas de outras instituições e entidades, como as associações de doentes. As estratégias de intervenção consignadas no Programa Nacional para a Saúde da Visão devem ser operacionalizadas em interceção e complementaridade com outros programas de saúde integrados no Plano Nacional de Saúde, nomeadamente, Programa Nacional de Educação para a Saúde, Literacia e Autocuidado e Programa Nacional de Prevenção e Gestão da Doença Crónica. Fonte: DGS


nada impeDE que vejas

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 33


DIA MUNDIAL DA VISÃO | 10 MANDAMENTOS PARA UNS OLHOS SAUDÁVEIS

10 MANDAMENTOS PARA UNS OLHOS SAUDÁVEIS 4 – Cuidados na infância Cerca de 20% das crianças em idade escolar têm algum défice da função visual capaz de interferir com o rendimento escolar. A deteção precoce dos problemas visuais das crianças através de rastreios deverá começar a partir dos 2/4 anos. Dores de cabeça, olhos vermelhos, inchados ou lacrimejantes, estrabismo e fotofobia (dificuldade em suportar a luz) são sintomas que não podem ser ignorados e devem levar os pais a procurar um oftalmologista. 5 – Alergias A conjuntivite alérgica, que atinge uma percentagem significativa da população portuguesa, em especial a camada mais jovem, é uma doença inflamatória da superfície ocular externa que se manifesta através de prurido, sensação de ardor nos olhos, lacrimejo, olhos vermelhos, fotofobia e edema (inchaço) da conjuntiva e das pálpebras. Para tratar a conjuntivite alérgica são utilizados anti-histamínicos e ou corticosteróides tópicos (sempre recomendados pelo oftalmologista). Mas, tal como acontece com outras manifestações alérgicas, deve prevenir-se o desencadear ou o agravamento evitando a exposição aos alergénios.

Sociedade Portuguesa de Oftalmologia deixa 10 conselhos para uma visão mais saudável: 1 – Alimentação equilibrada e exercício físico Uma alimentação equilibrada aliada à prática de exercício físico contribuem para a saúde dos olhos. Isto porque doenças relacionadas com a alimentação e o estilo de vida, como a hipertensão e a diabetes tipo II, podem comprometer seriamente a saúde dos nossos olhos. A retinopatia diabética, por exemplo, continua a ser uma importante causa de cegueira em Portugal. 2 – Repouso ocular Quando realizamos tarefas que exigem esforço visual ao perto, como a leitura ou a utilização de computadores e monitores, deveremos fazer intervalos regulares para que possa de novo haver um normal reflexo do pestanejo. Este está diminuído durante o estado de concentração aplicado à realização de tarefas de perto. A posição dos ecrãs do computador e da televisão deve ser corrigida de forma a evitar os reflexos. Os olhos devem estar num plano ligeiramente acima do centro do monitor do computador e a uma distância da televisão equivalente a cinco vezes a largura do ecrã. 3 - Óculos de Sol Os olhos devem ser protegidos com óculos de sol durante todo o ano. As lentes não precisam de ser escuras, mas devem conter filtros para os raios UV. Quem usa óculos escuros mas sem filtros para raios UV está tão exposto aos efeitos nocivos da luz solar como quem não os usa. É importante lembrar que a luz solar está na origem de patologias graves como sejam a catarata e degenerescência macular ligada à idade. 34 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

6 – Hidratação ocular A síndrome vulgarmente chamada de “olho seco”, é uma patologia inflamatória que atinge 10-20% da população adulta. Desconforto ocular, ardor, sensação de corpo estranho e olho vermelho são alguns dos sintomas de alerta para esta e outras formas de inflamação ocular. O tratamento é sintomático, devendo ser utilizadas substâncias lubrificantes denominadas lágrimas artificiais. 7 – Proteção ocular na prática desportiva As lesões oculares que ocorrem durante alguns tipos de desporto podem ser graves e comprometer a qualidade da visão. Tem sido demonstrado que o uso de protetores oculares atualmente disponíveis reduz o risco de lesão ocular em, pelo menos, 90 por cento. 8 – Cuidados depois dos 40 Depois dos 40 anos os cuidados com a visão devem redobrar-se e a visita ao oftalmologista deve ser feita pelo menos de dois em dois anos, numa consulta que deve incluir observação do cristalino e da retina, medição da tensão ocular (caso seja elevada podemos estar perante um caso de glaucoma), e verificar se há necessidade de correção de ametropias (uso de óculos com graduação). 9 – Cuidados redobrados com as lentes de contacto A SPO recomenda a quem usa lentes de contacto que cumpra de uma forma sistemática os cuidados de higiene aconselhados na manipulação e manutenção das mesmas. A SPO recomenda ainda evitar dormir com as lentes de contacto colocadas, evitar exposições ambientais agressivas e, caso surjam fenómenos de olho vermelho com desconforto associado, a sua imediata remoção. 10 – Em caso de dúvida consulte o seu oftalmologista Os oftalmologistas são os especialistas médicos mais habilitados para diagnosticar e tratar as doenças dos olhos. Se notar alguma alteração na sua visão, procure um oftalmologista.


TEM AS PÁLPEBRAS INFLAMADAS POR BLEFARITE?

NOVO Acalma e limpa as pálpebras e a zona periocular Amolece e remove os resíduos de descamação nas pálpebras durante processos inflamatórios, como a blefarite ou a blefaroconjuntivite a Adequado is. e peles sensív nos,

parabe Não contem is, silicones, ra e óleos min l, parafinas PEG*, álcoo ume rf e p u o

Formulação com múltiplas propriedades para a blefarite, com lipossomas: Lipossomas: distribuiem eficazmente os ingredientes ativos, têm propriedades suavizantes e emolientes

Vitamina A: antioxidante, fortalece e mantém a pele regulando a função epitelial Vitamina E, goma xantana e ácido ferúlico: antioxidantes Alfa bisabolol: suavizante, reduz a vermelhidão e a inflamação

Encontre Puralid na sua Farmácia! *Polientilenglicol

Para obter mais informações, pode contactar a Santen Pharmaceutical Spain. S.L. - medinfo@santen.pt - www.santen.pt BUSINESS PORTUGAL // 35 É aconselhada a leitura da rotulagem e instruções de utilizaçãoREVISTA antes de utilizar. Puralid® Lipogel é um dispositivo médico.

CPS.: 3951-PS-CM. Dezembro 2020

Óleo da árvore do chá: conhecido pelas suas propriedades antimicrobianas


DIA MUNDIAL DA VISÃO | ALM OFTALMOLASER

UMA REFERÊNCIA DA OFTALMOLOGIA PORTUGUESA No mês em que se comemora o Dia Mundial da Visão, a Revista Business Portugal esteve à conversa com Manuela Cidade, Administradora e Diretora Clínica da Unidade de Almada, que destacou a inauguração este ano de um novo Bloco de Cirurgia Ambulatória. Manuela Cidade, Administradora Diretora Clínica da Unidade de Almada

Receção Unidade de Almada

Receção Unidade de Lisboa

Sala Operatória Bloco Cirúrgico 36 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

A ALM Oftalmolaser assume-se como uma clínica de referência para o diagnóstico e tratamento da patologia do sistema visual, contando com mais de 25 anos de atividade. Qual a génese da clínica e como descreve o seu percurso? A ALM resultou de um encontro de vontades e necessidades. Ela é a “descendente” de uma primeira empresa, a Oftalmolaser, que se dedicava exclusivamente à cirurgia refractiva por LASER, pioneira em Lisboa deste tipo de tratamento da miopia, do astigmatismo, da hipermetropia e da presbiopia. A Oftalmolaser teve um crescimento rápido e o espaço onde exercíamos a nossa atividade foi-se tornando exíguo. Por outro lado, eram muitos os doentes que nos pediam um atendimento mais abrangente, que incluísse os vários tipos de consulta e a realização dos diferentes meios complementares de diagnóstico. Acresce que muitos tinham também necessidades cirúrgicas e que na época esta se fazia, essencialmente, com internamento e, frequentemente, com anestesia geral, o que tornava a sua realização nas clínicas privadas bastante onerosa. Este acumular de vontades levou-nos a encarar a possibilidade de criar uma clínica, dedicada exclusivamente à oftalmologia, em que o atendimento fosse diferenciado e da maior qualidade, realizado por profissionais de excelência e em que a cirurgia se fizesse exclusivamente em regime ambulatório e privilegiando a anestesia tópica. A nossa atividade nas atuais instalações iniciou-se em 1995 e é com orgulho que verificamos ter conseguido atingir os nossos objetivos: temos na ALM profissionais de extraordinária qualidade técnica e científica, estamos apetrechados com equipamentos topo de gama e inovadores, tendo a contínua satisfação dos nossos doentes permitido a expansão da empresa. A ALM tem como missão prestar serviços de oftalmologia de qualidade por uma equipa diferenciada, utilizando técnicas inovadoras. Quais as principais subespecialidades e patologias a que assegura tratamento? Como já referi a ALM tem agora uma dimensão completamente diferente da inicial, prestando cuidados altamente diferenciados em todas as áreas da patologia oftalmológica, tanto médica como cirúrgica. Temos doentes das mais diversas idades e patologias. É claro que entre as doenças das crianças se destacam as situações de ametropia e o estrabismo. Nos adultos, para além das situações refractivas e da sua correção com óculos, lentes de contacto ou com cirurgia, prevalecem a catarata, o glaucoma, as doenças vasculares, as doenças inflamatórias, a patologia do vítreo e da retina, nomeadamente a retinopatia diabética, os descolamentos de retina e as maculopatias. A Clínica também está habilitada para o tratamento das diversas patologias corneanas, nomeadamente para a realização dos vários tipos de transplantes de córnea. Felizmente tem havido uma constante evolução terapêutica, pelo que estamos cada vez melhor apetrechados para tratar todas estas doenças. Uma consequência da diversificação e intensificação da nossa atividade, incluindo da cirúrgica, tem sido a necessidade contínua de aumentar o espaço físico da clínica, assim como a modernização e requalificação do já existente. Foi com orgulho que inaugurámos este ano um novo Bloco de Cirurgia Ambulatória, totalmente independente das restantes instalações e construído, equipado e funcionando de acordo com os mais elevados padrões e práticas aplicáveis a este tipo de atividade.


Considera que a pandemia da Covid-19 teve repercussões na saúde visual dos portugueses? É óbvio que houve repercussões negativas. Durante a 1ª vaga ainda se sabia muito pouco sobre a doença e houve a necessidade de confinar. Deu-se, tanto no SNS como na clínica privada, um acumular de consultas e cirurgias dado que só as situações de urgência eram atendidas. Na ALM iniciámos, desde logo, um enorme esforço de adaptação da clínica, reorganizando o espaço físico de modo a instalar algumas barreiras e a permitir o distanciamento social recomendado. Foi adquirido numeroso e variado equipamento de proteção individual, tendo sido adotadas rigorosas medidas de higienização. Sustentados pela implementação de um programa de contingência baseado nas recomendações de várias instituições idóneas, nacionais e internacionais, mantivemos a clínica aberta durante o período de confinamento, para a realização de consultas e cirurgias urgentes. Também foi implementado um sistema de vídeo consulta. A partir da segunda quinzena de maio fomos aumentando gradualmente a nossa atividade mas é claro que será impossível, enquanto a situação atual se mantiver, retomá-la em pleno, dado que não podemos usar simultaneamente todos os nossos gabinetes, havendo também restrições no número de doentes que podem permanecer nas salas de espera. A organização tem resultado, os doentes apercebem-se do rigoroso cumprimento do plano de contingência e mostram confiança. Se replicarmos as condicionantes que referi a todos os locais de atendimento oftalmológico do país, é fácil de concluir que as repercussões foram inevitáveis e que elas serão tanto maiores quanto mais prolongada venha a ser esta crise. A oftalmologia está em contante evolução. Quais os avanços tecnológicos mais significativos que aponta nos últimos anos? De um modo geral, e como já referi, tem havido uma evolução muito positiva na deteção e no tratamento de quase todas as patologias oftalmológicas. Apraz-me salientar a cada vez maior eficácia e segurança do tratamento das situações oncológicas oftalmológicas, tanto do adulto como da criança e o tratamento de doenças degenerativas do nervo óptico e da retina, que classicamente conduziam inexoravelmente à cegueira e para as quais se abrem agora perspectivas bem diferentes. Mas mesmo as patologias mais comuns, muitas das quais já referi, têm tido evoluções muito positivas, graças à constante inovação técnica, que tem permitido diagnósticos mais precoces e precisos, feitos por métodos cada vez menos invasivos, e resultados cirúrgicos mais satisfactórios. Surgiram, por exemplo, novos métodos de caracterização e tratamento do Olho Seco, das

patologias corneanas, novas fórmulas e equipamentos para o cálculo das Lentes Intra oculares, que por sua vez evoluíram no sentido de permitir uma boa visão tanto para longe como para perto após a cirurgia de catarata, novas abordagens, inclusive cirúrgicas, no tratamento do Glaucoma, as vitrectomias comportam menos riscos e permitem melhores resultados e já é possível fazer vitriólise com Laser. O aparecimento de novos fármacos, nomeadamente os de aplicação através de injeção intravítrea, tem melhorado o resultado final de situações muito graves, infecciosas, inflamatórias e degenerativas, todas potencialmente indutoras de cegueira. O Dia Mundial da Visão é uma oportunidade para sensibilizar e motivar a população para a necessidade de verificar regularmente a saúde dos seus olhos. Que mensagem pode deixar para sensibilizar os nossos leitores? Neste momento, a nossa grande preocupação é que no contexto de pandemia em que vivemos, os doentes evitem fazer o controlo das suas doenças com receio de um eventual contágio. O Coronavírus continua entre nós e temos de aprender a conviver com ele. Mesmo situações consideradas bem controladas, nomeadamente as resultantes de doenças crónicas, como por exemplo a Retinopatia Diabética ou o Glaucoma, podem agravar-se sem que o doente se aperceba. As situações de Degenerescência Macular obrigam a uma vigilância apertada e, quando indicado, a tratamentos regularmente administrados. Do mesmo modo, perante situações agudas que se acompanhem de inflamação, dor ocular ou baixa de visão, devem os doentes procurar imediatamente uma observação especializada. De um modo mais geral penso que os doentes podem estar confiantes nos cuidados prestados pelos oftalmologistas nacionais e na contínua evolução desta especialidade.

Unidade de Lisboa Rua Dr. Nicolau Bettencourt, 39 1050-078 Lisboa 213 838 560 / alm.omc@alm.pt

Bloco Operatório Av. de Berna, 39 1067-001

Unidade de Almada Av. D. Nuno Álvares Pereira, 76A – 1º 2800-177 Almada 212 738 050 / alm.almada@alm.pt

Horários: Segunda a Sexta-feira das 8 às 20 horas Sábado das 9h às 13h (quinzenal) REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 37


DIA MUNDIAL DA VISÃO | UTILIZAÇÃO DE ÓCULOS

PODE A UTILIZAÇÃO DE ÓCULOS MELHORAR O DESEMPENHO DAS CRIANÇAS NA ESCOLA? Uma vez que uma criança começa a escola, começa também uma oportunidade crucial de detetar dificuldades na visão que podem não ter sido reconhecidas anteriormente. As crianças em idade escolar estão num ponto crucial do seu desenvolvimento em todos os aspetos, incluindo o desenvolvimento físico, social e na educação. Ter uma boa visão é importante para todos, mas nas crianças pode ter um efeito particularmente prejudicial se os problemas de visão não forem detetados atempadamente. Isto ocorre porque, entre os 6 e 12 anos as crianças podem começar a desenvolver miopia (dificuldade de ver ao longe). O que pode fazer com que muitas crianças tenham dificuldades em ver o quadro ou em ver o que o professor está a fazer. Muitas crianças nestas idades não reconhecem que está algo errado com a sua visão e é provável que continuem com dificuldades sem dizer nada. Isto pode ter um grande impacto no seu desempenho na escola. Como uma má visão pode afetar o desempenho na escola? Se o seu filho começou a desenvolver miopia, que pode começar a partir dos 6 anos, pode ter uma série de problemas na escola. As crianças podem ter dificuldade em ver para o quadro o que pode significar que podem estar a perder informação importante para o seu desenvolvimento escolar. Dificuldades na visão podem levar a problemas não diagnosticados relacionados com a leitura e com a contagem, havendo muitos professores a achar que são dificuldades escolares, quando na verdade eles simplesmente não conseguem ver claramente. Em alguns casos, problemas oculares não diagnosticados como miopia, astigmatismo ou a hipermetropia, podem realmente atrasar o desenvolvimento das habilidades de alfabetização. É muito mais difícil aprender a ler quando não se consegue ver as letras com definição ou quando não se consegue ver o que o professor está a fazer. Os problemas de visão em crianças podem até prejudicar a personalidade e habilidades sociais, o que pode afetar a adaptação à vida escolar. A que sinais deve estar atendo? Erros refrativos como a miopia e o astigmatismo, normalmente desenvolvem-se entre os 6 e os 12 anos de idade. As crianças nem sempre se apercebem que houve uma alteração na visão, cabe aos pais ou professores reconhecer se algo não está bem. Existem alguns sinais e sintomas que podem indicar que o seu filho tem um problema de visão. Se repara que se senta muito perto da TV, que segura num livro ou num tablet muito perto, que esfrega os olhos frequentemente ou que se queixa de dores de cabeça, pode querer dizer que desenvolveu um erro refrativo. 38 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

Como os óculos ajudam no problema? Usar óculos é uma das soluções mais simples e eficazes para compensar os erros refrativos e há armações específicas disponíveis para crianças pequenas. O seu profissional de saúde pode testar os olhos do seu filho e diagnosticar problemas de visão rapidamente. Uma das consultas oftalmológicas mais importantes é quando a criança entra na escola primária, antes que surjam problemas de desempenho. Aproximadamente 10-15% das crianças falham no teste de visão, e 1/3 das crianças não têm acesso a uma consulta com um profissional de saúde visual. Isto pode ter efeitos devastadores na visão à medida que crescem. Uma das principais causas da cegueira são os problemas de visão não corrigidos, incluindo erros de refração. As lentes certas para as suas necessidades visuais podem ajudar a restabelecer a diversão e desenvolvimento na escola graças a uma visão mais clara; quando antes podia ressentir-se de ir à escola por dificuldades de visão. Em alguns casos, usar óculos na escola pode ajudar a melhorar o desenvolvimento das habilidades literárias e numéricas. Também é importante que os professores estejam atentos aos possíveis problemas de visão dos seus alunos, para incentivarem as crianças ao uso dos seus óculos.


REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 39


DIA MUNDIAL DA VISÃO | AVANÇOS NA CIRURGIA DE CATARATA

AVANÇOS NA CIRURGIA DE CATARATA

Dr. Nuno Campos Coordenador de Oftalmologia da CUF Almada Oftalmologista do Hospital CUF Infante Santo, Coordenador Adjunto de Oftalmologia Diretor do Centro de Responsabilidade de Oftalmologia (CRO) do Hospital Garcia de Orta

Longe vão os tempos em que a cirurgia de catarata, era uma cirurgia realizada com anestesia geral, com um impacto significativo e desconfortável na vida de relação e profissional dos que a ela eram submetidos. Atualmente os métodos utilizados permitem realizá-la com anestesia tópica, em regime de ambulatório, e com uma perturbação mínima naquela que é a nossa vivência habitual. Para isso, contribuiu muito as avançadas técnicas cirúrgicas atualmente utilizadas, nomeadamente a técnica de Femtocatarata, ou catarata assistida por Laser. Esta tecnologia de avançada precisão, veio contribuir para melhorar a segurança e o rigor com que alguns dos passos da cirurgia são realizados, permitindo melhor predictibilidade no resultado final, assim como uma recuperação muito mais rápida. Também as lentes intra-oculares utilizadas, foram objeto de uma evolução significativa, uma quase revolução diria eu. No passado existia apenas um tipo de lente, a lente monofocal que permitia ver apenas para longe, impondo o uso obrigatório de óculos para ver ao perto. Atualmente existem, devido a um investimento relevante de investigação nesta área, outras famílias de lentes para além das monofocais, tal como as monofocais avançadas, as bifocais, as de foco alargado e as trifocais.

40 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

Estas lentes são no seu conjunto denominadas lentes Premium. Deste grande grupo, as lentes trifocais e as de foco alargado são atualmente as mais frequentemente utilizadas. Estas últimas, também chamadas EDoF, assumem um papel relevante no momento em que grande parte dos nossos desafios profissionais, assim como atividades lúdicas, se concentram em dispositivos electrónicos com ecrã colocados a cerca de 40-60 cm. Permitem igualmente uma óptima visão de longe, minorando alguns dos defeitos que as lentes trifocais apresentam, particularmente os halos noturnos e algum desfoque, obtendo eu na minha prática clínica, óptimos resultados com bons indices de satisfação utilizando este tipo de lente. A escolha da lente é assim um passo relevante na preparação da cirurgia, sendo incontornável a conversa e troca de impressões que o Oftalmologista e o seu doente têm antes da sua realização. É importante caraterizar o estilo de vida do doente, os seus objetivos, assim como quais as suas necessidades específicas e expectativas. A escolha da lente pode ser na atualidade quase “tailor made”, desde que as características anatómicas do globo ocular assim o permitam. Nesta fase preparatória, os exames complementares realizados são relevantes, pois permitem verificar se os objetivos de visão pretendidos são ou não possíveis, já que cada um de nós tem a sua singularidade biológica, e nem todos os os pacientes são elegíveis. A utilidade das lentes Premium é, no entanto, incontornável e o número de lentes implantadas tem vindo a aumentar a nível mundial, e Portugal não é excepção. Dentro destas, as trifocais e as EDoF, são as mais populares, de acordo com aquele que é o dinamismo da vida atual e a relação com os dispositivos electrónicos. Finalmente, é importante que todos aqueles que vão ser submetidos a cirurgia de catarata, tenham expectativas realmente ajustadas, já que independentemente dos enormes avanços tecnológicos nunca é possível ter uma visão igual aquele que tivemos em muito jovens, e existem sempre algumas cedências que temos de aceitar. O oftalmologista é o Especialista indicado para discutir as várias opcões existentes, e retirar todas as dúvidas. Tal como na música, seria muito bom que o Tempo voltasse para trás, mas já podemos ficar muito satisfeitos com as oportunidades que a avançada tecnologia existente na cirurgia de catarata, nos tem disponibilizado, melhorando significativamente a nossa qualidade de vida.


REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 41


DIA MUNDIAL DA VISÃO | OLHO SECO

OLHO SECO DOENÇA DA ATUALIDADE QUE AFETA MAIS DE UM MILHÃO DE PORTUGUESES J. Salgado-Borges, Médico e Cirurgião Oftalmologista Diretor da Clinsborges e Embaixador em Portugal do TFOS (Tear Film & Ocular Surface Society)

O “Olho Seco” é uma das principais doenças oftalmológicas da atualidade. Estima-se que afete entre 10% a 20% da população portuguesa e, apesar da grande maioria apresentar sinais ou sintomas caraterísticos de olho seco, apenas numa minoria é realizado o seu diagnóstico. A sua alta prevalência surge associada à idade e à exposição crescente a ambientes adversos. Também, na sequência do uso excessivo dos equipamentos digitais, com a consecutiva diminuição do pestanejo, prevemos que esta doença se venha a exacerbar muitíssimo nas próximas décadas. A lágrima forma uma película que recobre o globo ocular e a face interna das pálpebras, para que estas durante o pestanejo passem suavemente sobre o olho sem o “arranhar” ou danificar, funcionando como o óleo de uma máquina. O Olho Seco surge quando há um desajuste entre a quantidade e a qualidade da secreção lacrimal e as necessidades de lubrificação da superfície do olho. Manifesta-se por um conjunto de sinais e sintomas, tais como: ardência, sensação de picada ou de corpo estranho, lacrimejo constante e olhos vermelhos.

42 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

Segundo as orientações e diretrizes preconizadas por entidades e Sociedades Internacionais desta área, tais como o DEWSII e a TFOS, existem dois tipos de Olho Seco; por hipossecreção da lágrima ou devido a um aumento da sua evaporação, apontado como o mais frequente e causado por uma deficiência da camada lipídica. No diagnóstico é fundamental uma história clínica cuidada, procurando encontrar-se alguma relação entre as queixas e fatores ambientais, uso de lentes de contacto ou tomada de medicamentos, tais como antidepressivos, anti-hipertensores ou anti-histamínicos. Para a maioria das pessoas com sintomas ocasionais ou persistentes de olho seco, o tratamento geralmente é realizado com lágrimas artificiais tais como o ácido hialurónico e sem conservantes, uma vez que estes podem ter efeitos tóxicos e ser indutores de alergias, e por si só agravarem a situação de olho seco. Contudo, é importante que se aconselhe junto do seu oftalmologista sobre qual o produto mais adequado ao seu tipo de olho seco, uma vez que poderá estar indicada a necessidade dum aporte lipídico adicional para o tratamento das causas evaporativas ou mistas de Olho Seco. Hoje em dia possuímos outras armas terapêuticas como o uso de anti-inflamatórios não esteroides, corticoides ou ciclosporina. Novos tratamentos tais como a Luz Pulsada ou o Plasma Rico em Plaquetas (Endoret), são tecnologias recentes de que dispomos também para tratar situações de olho seco moderado ou grave. Por fim, não esquecer que para além da administração das lágrimas artificiais sem conservantes e adequadas ao seu tipo de olho seco, deve tratar as inflamações das margens das pálpebras, fazer pausas curtas em frente aos ecrãs e pestanejar para promover a lubrificação dos olhos. Deverá ainda evitar frequentar lugares secos ou onde estejam fumadores, utilizar óculos de sol para proteger os olhos da luz e do vento, evitar locais com ar-condicionado e não esquecer que é fundamental controlar o instinto de coçar os olhos com as mãos.


Ácido Hialurónico* a 0,24 % e Glicerol + Carbómero + Lípidos

SEM CONSERVANTES · SEM FOSFATOS

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 43


DIA MUNDIAL DA VISÃO | LENTES DE CONTACTO

LENTES DE CONTACTO

João Quadrado Gil Médico Oftalmologista no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e na Unidade de Oftalmologia de Coimbra, Hospital da Luz – Coimbra Investigador na Association for Innovation and Biomedical Research on Light and Image (AIBILI), Coimbra Doutorando na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra

Uma porção importante dos leitores está neste momento a depender de algum tipo de correção dos seus erros refrativos para conseguir ler estas palavras. Os erros refrativos englobam aqueles defeitos visuais em que o formato do olho impede a luz de focar corretamente na retina. Existem, genericamente, quatro tipos: miopia (dificuldade em ver ao longe), hipermetropia (dificuldade em ver ao perto), astigmatismo (distorção das imagens ao longe e ao perto) e presbiopia (dificuldade em focar para perto a partir da meia idade). Em todo o mundo, a combinação destes erros representa a principal causa de limitação e perda visual. Ainda pior, centenas de milhões de pessoas permanecem por tratar, ou porque não existe acesso à correção adequada, ou porque não têm um diagnóstico correto e desconhecem que poderiam ver melhor. Por outro lado, nas sociedades modernas, onde o acesso a cuidados de saúde visual está mais disseminado, a exigência e atenção das pessoas à qualidade da sua visão tem aumentado par a par com as crescentes solicitações colocadas aos nossos olhos. Seja para trabalhar ou para socializar, o mundo à nossa volta é cada vez mais exigente visualmente. Estamos rodeados de dispositivos digitais que requerem a nossa atenção todo o dia, todos os dias. Diferentes ecrãs implicam diferenças no tamanho, brilho e contraste que obrigam a um esforço variável para perceber a informação.

44 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

O nosso comportamento visual vai-se alterando porque o tamanho de letra é mais reduzido, obrigando os nossos olhos a um novo campo visual, adaptado à curta distância de leitura dos dispositivos digitais. Além disso, a multiplicação de diferentes dispositivos obriga os nossos olhos a, numa fração de segundos, alternarem entre diferentes distâncias e campos de visão. Para corresponder a estas novas necessidades, a medicina e a ciência têm investido no desenvolvimento de lentes de contacto e, fruto dos contínuos aperfeiçoamentos, cada vez mais pessoas escolhem lentes de contacto para obter a melhor visão possível. O fundamento por trás do funcionamento das lentes de contacto é simples mas engenhoso: a maioria do poder refrativo do olho é gerado na córnea, a parte anterior e transparente do olho, que foca e deixa passar a luz até à retina. As lentes de contacto funcionam como pequenos discos de plástico - finos e transparentes - que flutuam no filme lacrimal em frente à córnea, oferecendo ao olho uma nova superfície para deixar passar a luz, livre dos erros e irregularidades que desfocavam a imagem. Perante as dinâmicas da vida atual, o uso de lentes de contacto oferece múltiplas vantagens. Por um lado, elas movem-se com o olho, permitindo um campo de visão alargado, sem a intromissão das armações ou distorções causadas pelas lentes. Ao contrário dos óculos, não ficam molhadas com chuva, sujas com resíduos ou embaciadas pelo uso de máscaras. São ideais para quem privilegia um estilo de vida mais ativo e a prática de desporto e atividade física. Para grandes erros de graduação, oferecem uma visão mais natural e orgânica. E, para muitas pessoas, interferem menos com a cosmética da face, melhorando a autoestima e a autoconfiança. O conforto e versatilidade, que atualmente associamos ao uso de lentes, devem-se aos avanços conseguidos simultaneamente nos seus materiais e na sua geometria. Novos materiais permitem que as lentes se mantenham húmidas todo o dia, mesmo com o uso prolongado de dispositivos digitais. Lentes com maior capacidade de reter humidade e maior permeabilidade ao oxigénio significam mais conforto, por mais horas. Novas geometrias de lentes significam que praticamente todos os doentes têm a solução perfeita para o seu problema: lentes esféricas para miopia e hipermetropia, lentes tóricas para astigmatismo e lentes multifocais para presbiopia. Em todo o mundo, centenas de milhões de pessoas usam lentes de contacto diariamente. Esse sucesso começa numa relação próxima com o oftalmologista - que assegura um estudo prévio rigoroso, uma seleção da melhor opção de lente e uma vigilância regular - e permite a um número cada vez maior de doentes alcançar uma visão cristalina, confortável e livre de restrições.


REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 45


DIA MUNDIAL DA VISÃO | CCEV

CCECV: PROGRESSO DA INVESTIGAÇÃO NAS CIÊNCIAS DA VISÃO Cinco anos após a sua criação, o Centro Clínico e Experimental em Ciências da Visão (CCECV), uma unidade da Faculdade de Ciências da Saúde, constitui uma parte integrante de um processo de mudança da Optometria em Portugal, nomeadamente na região onde está inserida. Francisco Brardo, Diretor do 1º ciclo e Pedro Monteiro, Diretor do 2º ciclo em Optometria e Ciências da Visão, integram um projeto que promove o progresso da investigação na área das Ciências da Visão. O Centro Clínico e Experimental em Ciências da Visão (CCECV) assinala o seu quinto aniversário com um percurso, nas palavras de Francisco Brardo, “francamente positivo” na prevenção e deteção de problemas visuais. O Centro foi criado e desenvolvido como apoio ao ensino, investigação e à comunidade, através de prestação de cuidados primários da visão, e tem sido “um processo crescente”. Na formação dos alunos nota-se uma evolução significativa, uma vez que adquirem uma formação académica em contexto clínico real, sempre supervisionados pelo corpo clínico afeto ao centro. Como suporte às atividades desenvolvidas, o CCECV, possui um conjunto de valências técnicas e materiais, que lhe permite ser parte integrante do processo de mudança da Optometria em Portugal, nomeadamente na região onde se insere. Reforço da componente prática clínica e aproximação das vertentes pedagógica e científica

O CCECV surgiu, em 2016, com o objetivo de reforçar a componente da prática clínica e aproximar as vertentes pedagógica e científica, indo ao encontro do novo paradigma do ensino em Portugal. O aluno passou a ser parte mais ativa do processo de aprendizagem e investigação, complementando o padrão formativo anteriormente adotado. A formação dos alunos viu-se reforçada e o know-how adquirido ao longo do curso, é valorizado e reconhecido no contacto com o mundo profissional. “Houve um crescente de conhecimento e de competências clínicas maior do que havia antes do aparecimento da clínica”. Um enriquecimento

46 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

curricular que foi acompanhado, aquando da sua criação, com a adaptação da estrutura curricular, aos princípios do Diploma Europeu em Optometria. O Centro e a restruturação do curso, constituem-se dois elementos complementares de ensino e “um acréscimo de competências clínicas”, assegura Francisco Brardo, acrescentando que “o aluno experiência uma conceção real do que é o raciocínio clínico ou a decisão que tem de tomar relativamente ao paciente”. O paradigma do ensino assente na prática clínica sempre esteve enraizado na formação dos alunos, não com esta dimensão, mas o fluxo constante de pacientes, permitiu a abertura do centro, de uma forma mais profissionalizada, como nos explica Pedro Monteiro. Para além da componente da formação para alunos e docentes da universidade, o centro presta serviços de apoio à comunidade, uma simbiose que permite uma formação mais completa ao aluno e ao mesmo tempo a prestação de cuidados primários da visão. Ubimedical: articulação com o mundo empresarial

Assumindo-se como uma valência complementar, os Laboratórios de Ciências da Visão do Ubimedical, contribuem para a concretização dos objetivos do curso, assim como dos objetivos institucionais. Contabilizando um total de mais de 1300 rastreios a pacientes diabéticos, os laboratórios constituem-se uma mais-valia para a região e, numa colaboração intrínseca com o Centro de Saúde. Em cooperação com a administração regional de saúde e com os centros de saúde da região, o rastreio à retinopatia dia-


CCEV | DIA MUNDIAL DA VISÃO

bética constitui “uma vertente que colmata a falha que era significativa na região, para dar a resposta que a população necessitava”. As duas valências e a sua complementaridade permitem trabalhar nos três grandes eixos da universidade: ensino, produção científica e colocar o know-how ao serviço da população, com um conjunto de equipamentos muito vasto e um serviço diferenciador. Educação para a saúde visual

Ainda há muito por fazer no futuro da saúde visual, nomeadamente no que diz respeito ao papel do Optometrista e à sua valorização enquanto profissional. O Optometrista é um profissional da visão que está na linha da frente, mas que muitas vezes ocupa um papel secundário. Pela dificuldade ao acesso atempado aos serviços de Oftalmologia nos hospitais, o público procura em primeiro lugar um Optometrista, o que demonstra a sua importância no contexto da prestação de cuidados primários da visão. O papel deste profissional não é claro perante a sociedade em geral, o que demonstra uma “lacuna ao nível da educação para a saúde visual”. O CCECV tem vindo a evoluir, mas apresenta-se como um “processo lento” em virtude dessas lacunas de educação para a saúde visual. Para além da maior expressividade do Centro, Francisco Brardo e Pedro Monteiro consideram fundamental e obrigatório criar uma legislação específica para os profissionais de Optometria. O centro e os laboratórios têm contribuído para a mudança do paradigma, mas para além da população, os profissionais ligados ao ramo da óptica têm um papel fundamental nesta transição.

O Centro Clínico e Experimental em Ciências da Visão (CCECV) é uma unidade da Faculdade de Ciências da Saúde e tem como principal objetivo promover e fomentar linhas orientadoras para o desenvolvimento da investigação na área das Ciências da Visão, no âmbito do ensino pré e pós graduado, através da aplicação de metodologias e práticas clínicas que promovam os cuidados primários em saúde visual junto da comunidade.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 47


DIA MUNDIAL DA VISÃO | INSTITUTOPTICO

COMPROMISSO COM A MELHORIA DA SAÚDE VISUAL DOS PORTUGUESES Uma referência no panorama ótico nacional, o Institutoptico distingue-se pela carteira de marcas e produtos diferenciados no mercado, assim como pelas vantagens competitivas criadas para todo o grupo, mantendo a identidade de cada aderente. São atualmente 175 óticas presentes de norte a sul do país, que compõem um grupo que se compromete a melhorar a saúde ocular dos portugueses.

O Institutoptico, com uma experiência alicerçada em mais de três décadas de existência, conta atualmente com mais de 175 óticas presentes em mais de 100 concelhos do território nacional. Em termos gerais, tendo em conta o contexto em que vivemos, como considera que está a saúde visual dos portugueses? Quando se fala em saúde visual, temos de acrescentar o bem-estar, o conforto, a eficácia de visão e a qualidade da mesma. Toda esta fórmula assenta em bons profissionais dedicados e preocupados com a qualidade dos meios a utilizar para os objetivos pretendidos. As crianças são o futuro. Os tablets e os telemóveis a servirem como meio de aprendizagem são um novo desafio para os intervenientes no processo. Quando pensamos em evolução e progresso não podemos secundarizar a visão. Este é um dos princípios fundamentais do Institutoptico. (Jorge Gezaro – Institutoptico do Montijo)

Sendo uma referência no panorama ótico nacional, que compromisso tem o Institutoptico vindo a assumir com esta importante causa de uma progressiva melhoria da saúde ocular no nosso país? O Institutoptico logo no seu início, há 32 anos, teve o cuidado de selecionar os “melhores” óticos, muitos deles pioneiros da ótica em Portugal, com o objetivo de criar um conceito diferenciador assente na oferta de serviços personalizados que fossem ao encontro às necessidades de saúde visual de cada um. A saúde visual é sempre o nosso ponto de partida e por isso posicionamo-nos, tendo por base um lado, como prestadores de serviços na área de saúde e, por outro, como comércio tradicional com uma forte estratégia de proximidade com as comunidades locais onde procuramos divulgar, auscultar e resolver as questões de saúde visual. (Francisco Parente – Óptica Parente)

O Institutoptico tem uma relação de proximidade com os seus clientes. Para além da relação individual, com cada cliente, haverá também um trabalho de proximidade ao nível familiar? O Institutoptico é composto por óticas onde trabalham, muitas vezes, vários membros da mesma família, pois o negócio é continuado pelas gerações mais novas. Logo, a família é muito valorizada e os clientes sentem isso quando nos visitam. O ambiente de bairro, localização da maior parte das óticas do Institutoptico, onde a maior parte das pessoas se conhecem, também contribui para esse espírito. Até os membros das equipas se sentem como família! O resultado é um trabalho feito com motivação para melhorar sempre a qualidade do serviço e com foco no bem-estar do cliente. Por isso, também é muito frequente os clientes trazerem a sua família. Queremos sempre o melhor para as pessoas que mais amamos... (Inês Caçador – Centro Óptico Santa Luzia)

48 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL


INSTITUTOPTICO | DIA MUNDIAL DA VISÃO

Qual a principal preocupação do Institutoptico em relação à saúde visual dos Portugueses? A principal preocupação do Institutoptico relativamente à saúde visual dos portugueses, está relacionada com a forma sob a qual se cuidam os olhos, se previnem doenças oculares (que muitas vezes quando se manifestam são nesse momento irreversíveis) e também com a possibilidade de oferecer serviços e produtos que reúnam uma verdadeira simbiose entre qualidade e preço. Na verdade, queremos servir todos os portugueses e estar ao seu lado para resolver as questões relacionadas com a visão.

Em que pilares assenta a missão do Grupo Institutoptico? Proatividade: Prevenir e detetar questões relacionadas com a saúde visual. Perseverança: Consciente da sua missão na comunidade; jamais desistir, independentemente do contexto em que estejamos a viver. União: Como em família, acreditamos que este valor representa força, estabilidade e coerência. Partilha: Partilhar o melhor para resolver as questões de saúde visual, disponibilizando tecnologia, know-how, qualidade. Excelência: Oferecer mais e mais em tudo - relação com o cliente, parceiros, colaboradores. Pessoas: Sempre com as pessoas! Sustentabilidade: Impensável trabalhar e servir sem esta perspetiva. Sustentável é uma palavra imprescindível e de ordem clara no momento em que vivemos. (Vera Velosa – Sócia-Gerente)

Sendo um grupo de ótica nacional, como se posiciona o Institutoptico neste contexto económico social em que vivemos atualmente? O posicionamento do Institutoptico não se alterou, reforçou-se: ter a saúde visual sempre em primeiro lugar, privilegiar o serviço e a relação sustentável com os nossos clientes e com o meio em que estamos inseridos, em detrimento de uma visão meramente economicista do negócio. Ao sermos Micro e Pequenas Empresas Nacionais, temos o privilégio de conhecer os nossos clientes e conseguirmos manter uma relação que, em regra, continua no tempo. Tal só é real porque não comprometemos a relação de confiança. Pelo contrário, procuramos sempre entregar para além das expetativas de quem nos procura. O segredo do sucesso do grupo Institutoptico é conseguir aliar, de forma quase perfeita, o conhecimento e a proximidade ao cliente que uma Micro e Pequena Empresa permite, a uma gestão moderna e inovadora de uma empresa nacional, Institutoptico, que agrega mais de 175 óticas de Norte a Sul do País e ilhas. (Luís Góis – Sócio-Gerente)

C

M

Y

M

MY

Y

MY

K

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 49


DIA MUNDIAL DO SORRISO

DIA MUNDIAL DO SORRISO Frases do Dia Mundial do Sorriso • Quem sorri vive mais • Sorrir é ser feliz • Para acabar com o stress basta sorrir • Sorrir é gratuito e dá milhões • Sorrir é florir por dentro e brilhar por fora • Não sorrir é envelhecer aos poucos. O Dia Mundial do Sorriso é assinalado anualmente na primeira sexta-feira de outubro, pelo que neste ano de 2021 foi determinado o dia 1 de outubro. Conhecido em inglês como World Smile Day, foi criado em 1999, sendo celebrado desde então todos os anos na primeira sexta-feira do mês de outubro. A sua criação deve-se a Harvey Ball, um artista de Worcester, Massachussets. Ball é o criador da imagem do smiley, um círculo amarelo sorridente, que é reconhecida internacionalmente. Um belo sorriso tem realmente poder. Para além de dar autoestima e autoconfiança, é apreciado pelos que connosco se relacionam. Daí que algumas imperfeições, como os dentes amarelados, a ausência de um ou mais dentes, assim como a falta de alinhamento dos mesmos, saltam aos nossos olhos quando nos vemos no espelho. E esses defeitos acabam por nos incomodar física e psicologicamente, visto que atrapalham, e muito, a estética do sorriso. Mesmo que a saúde oral esteja em dia, através de boas práticas de uma higiene diária cuidada, não há nada mais agradável do que se olhar no espelho e ver dentes bonitos e bem alinhados. Como atualmente há uma preocupação cada vez maior com a aparência, o número de pessoas que procura soluções de estética dentária tem vindo a aumentar significativamente.

50 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

Benefícios de Sorrir • Diminui a ansiedade • Reduz a pressão arterial • Reforça o sistema imunitário • Tonifica os músculos do rosto; • Relaxa • Alivia dores • Aumenta a concentração. O que devíamos fazer mais vezes • Sorrir a toda a gente • Sorrir mais vezes sozinho • Sorrir ao espelho • Sorrir aos familiares • Sorrir a desconhecidos • Sorrir aos amigos • Rir • Ver uma comédia • Partilhar sorrisos nas redes sociais • Fazer alguém sorrir. “Faça um gesto de bondade. Ajude uma pessoa a sorrir”.


REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 51


DIA INTERNACIONAL DO IDOSO O Dia Internacional do Idoso é comemorado anualmente a 1 de outubro. Este dia foi instituído em 1991 pela ONU - Organização das Nações Unidas e tem como objetivo sensibilizar a sociedade para as questões do envelhecimento e da necessidade de proteger e cuidar a população mais idosa. A mensagem do dia do idoso é passar mais carinho aos idosos, muitas vezes esquecidos pela sociedade e pela família. No Dia Internacional do Idoso decorrem várias iniciativas para a população idosa, nomeadamente palestras, sessões de atividade física e workshops de artes manuais.

Aceitando o envelhecimento Uma conduta inadequada ao longo da vida quanto à socialização levará o idoso ao isolamento, a doenças e frustrações, seguindo a ideia de que ser velho representa um afastamento do mundo social. A colaboração do idoso nessa fase é importante, pois a aceitação da nova etapa da existência é relevante para compreender que as suas habilidades manuais e mentais já não são as mesmas, assim como a agilidade também se alterou. Ter uma postura modificada e adaptada à nova realidade é essencial para prolongar a sua existência e com qualidade de vida. O idoso também deve ser aquele que vê no amanhã a continuidade do trabalho do hoje, não ficando à espera do descanso eterno, e que acredite e demonstre que tem experiências a serem relatadas e transmitidas, sobretudo aos mais novos, e que, acima de tudo, é ainda capaz de grandes realizações. Envelhecer não significa exclusão da sociedade, envelhecer é a oportunidade de se renovar, de aprender, de reganhar ou reforçar o gosto pela leitura, fazer novos amigos, conhecer novos lugares e ter atividades que lhe dão prazer. Oferecer aos idosos várias opções de ocupações e de lazer, como se ainda fossem jovens, é afastá-los da consciência do envelhecimento e ajudá-los a ter prazer pela vida.

52 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

Respeitarmos e cuidarmos dos nossos É um dever da família, da comunidade e da sociedade assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à cultura, ao desporto, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária. Um dos fatores que estão ligados diretamente ao bom envelhecimento é o ambiente familiar, pois representa um importante papel na vida do idoso. Nela dão-se as interações, fundamentam-se os vínculos, onde cada membro busca exercer o seu papel respeitando a individualidade do outro.

População idosa em Portugal Existem 600 milhões de pessoas com mais de 60 anos no mundo. Em 2025 este número será o dobro. Segundo dados do Eurostat, Portugal será um dos países da União Europeia com maior percentagem de idosos e menor percentagem de população ativa em 2050. O Instituto Nacional de Estatística prevê igualmente que no ano de 2050, um terço da população portuguesa seja idosa e quase um milhão de pessoas tenha mais de 80 anos. Estes cálculos são feitos com base na tendência de envelhecimento da população, resultante do aumento da esperança de vida e da diminuição dos níveis de fecundidade.

Frases para o Dia Internacional do Idoso • Respeitar as pessoas idosas é tratar o próprio futuro com respeito, pois um dia seremos todos idosos; • Neste dia, alegria, emoção, paz e amor no coração; • Por mais rugas que o idoso tenha, nada esconde o amor que tem por nós; • Quanto maior a idade, maior a sabedoria, a paciência e o amor; • É com os idosos que podemos aprender mais sobre a vida.


CUIDAMOS DOS

CUIDADORES REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 53

NPS-PT-NP-00060 · 06/2021


DIA INTERNACIONAL DO IDOSO | SANTA BÁRBARA HEALTH CARE & VILLAS

UM PROJETO INOVADOR E ÚNICO EM PORTUGAL Aquele que é considerado um projeto único em Portugal, o complexo de Santa Bárbara - Health Care & Villas do grupo AMETIC, nasce em 2010 pela mão da Dr.ª Isabel Beltrão. Drª Isabel Beltrão, Fundadora do grupo AMETIC

O Complexo situado na Lourinhã, está inserido numa propriedade com cerca de 2.5 hectares num local apaixonante e tranquilo, com vastos jardins e com vista para a serra, mar e campo. No seu interior, tudo foi pensado para que este seja o seu novo lar, onde são múltiplas as estruturas de apoio na área de saúde e está equipado com os mais diversos equipamentos destinados ao lazer. A Dr.ª Isabel Beltrão, há cerca de 25 anos, viu-se confrontada com os graves problemas de saúde que os seus pais enfrentavam, originados por doenças crónicas e pelas suas idades avançadas e deparou-se com a inexistência de estruturas que respondessem às necessidades e aos cuidados que, para eles ambicionava. Tendo em mente o objetivo de criar uma Instituição que idealizava, onde as pessoas pudessem alcançar o maior bem-estar possível, sentindo-se em casa, independentemente da sua idade, da existência de doenças crónicas, ou de qualquer outra limitação física, nasce o Complexo de Santa Bárbara. Aqui, existem pessoas e espaços que os podem receber, tratar e cuidar com eficiência e tecnicidade, com o mesmo carinho e dedicação com que qualquer familiar o faria, aliados a cuidados de saúde de excelência, indispensáveis, nessas fases da vida. É com orgulho e sentido de dever cumprido que podemos hoje afirmar, que o Complexo de Santa Bárbara Healthcare & Villas é um sucesso e, sem dúvida, um desses locais! Neste Complexo destacam-se o edifício central composto por quartos individuais e duplos, áreas de restauração e convívio, ginásio, zonas para atividades ocupacionais e várias moradias T1 e T2, independentes, totalmente equipadas e rodeadas de espaçosos jardins, com uma equipa disponível 24 horas que garantem cuidados de saúde e restantes serviços, destinadas a seniores autónomos e ativos, que pretendem usufruir com independência e tranquilidade

54 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

dos prazeres da vida. Santa Bárbara - Healthcare & Villas, dispõe de uma vasta equipa multidisciplinar 24 horas por dia, composta por médicos e enfermeiros, farmacêutica, médico fisiatra, fisioterapeutas, terapeuta ocupacional e terapeuta da fala, nutricionista, auxiliares de ação médica, assistentes sociais, psicólogos e hidroterapeuta, sem esquecer as equipas de cozinha, limpeza, manutenção e jardinagem. Para além da elevada exigência com higiene e limpeza, disponibiliza também uma alimentação saudável, inspirada na dieta mediterrânica, confecionada na própria cozinha da unidade e com produtos regionais da zona Oeste. Consideramos nossa missão, disponibilizar infraestruturas adequadas num ambiente onde os residentes se sintam em sua casa e, simultaneamente, disponibilizar todos os cuidados necessários à respetiva situação clínica. Assim, esta Unidade oferece serviços de Residências Assistidas com Unidades de Reabilitação e Convalescença (a pensar em status pós-Acidentes Vasculares Cerebrais, Enfartes de Miocárdio, Fraturas, entre outros problemas de saúde), bem como uma Unidade de Cuidados Paliativos (vocacionada para doentes em estádio avançado de doenças crónicas incuráveis). Este conceito inovador é único no nosso país, pela ajuda na melhoria da qualidade de vida das pessoas, desmistificando por completo o conceito de velhice. São vários os reconhecimentos manifestos quer dos nossos utentes e familiares, quer pelas entidades que avaliam os nosso desempenho. O Complexo de Santa Bárbara está integrado na RNCCI (Rede Nacional de Cuidados Continuados integrados) e, neste âmbito, mereceu do Ministério da Saúde uma das melhores avaliações a nível nacional para este tipo de estruturas.


SANTA BÁRBARA HEALTH CARE & VILLAS | DIA INTERNACIONAL DO IDOSO

O prémio Saúde Sustentável, uma iniciativa do Jornal de Notícias e da Sanofi, orientada para a divulgação e incentivo dessas boas práticas em Portugal, foi-nos atríbuido em 2015 A preocupação com o meio envolvente faz parte de um dos cinco 'clusters' do programa SUSTIC (sustentabilidade + AMETIC) que serve de base ao funcionamento da empresa. Os restantes 'clusters' são: os recursos humanos, as instalações, a conformidade legal e a gestão económico-financeira. As preocupações com a sustentabilidade dos recursos levaram, por exemplo, a empresa a instalar painéis solares (aquecimento de águas e fotovoltaicos) no edifício e a utilizar a água de dois furos para as lavagens e autoclismos. Além disso, a gestão criteriosa dos recursos humanos evita desperdícios de tempo e de trabalho. As condições que a nossa infraestrutura oferece, conjugada com a nossa missão, permitem-nos ter toda a confiança no nosso novo passo. O Turismo de Saúde. Portugal é considerado um país seguro, com uma excelente luminosidade, com temperaturas amenas, que sabe receber bem, excelente gastronomia, e com ótimas ofertas de saúde. Como é sabido, ao longo dos tempos as pessoas estão a tomar cada vez mais consciência da importância da medicina preventiva, levan-

do a que as actividades de promoção da saúde ganhem cada vez mais preponderância. Por outro lado, vivemos numa era em que a globalização torna as distâncias entre países e regiões quase insignificantes, o que potencia , naturalmente, o desenvolvimento deste mercado turístico. O turismo de saúde desenvolve-se em duas vertentes que se complementam. Uma prende-se com razões médicas, vulgarmente conhecida como turismo médico, em que a cura ou a recuperação é o principal impulsionador e a outra com a prevenção e bem-estar. Tendo em vista este conceito, poderá ser aproveitada a viagem, através da vivência de experiências diferentes e estimulantes e em simultâneo realizar tratamentos que promovam a melhoria da saúde e qualidade de vida, contribuindo desta forma, para uma longevidade saudável. Neste sentido, estamos a estabelecer diversas parcerias com entidades nacionais e estrangeiras, bem como, convenções com seguradoras.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 55


®

S U P L E M E N T O

A L I M E N T A R

A IMPORTÂNCIA DA VITAMINA D: Saúde dos ossos e dentes Fortalecimento muscular Reforço do sistema imunitário VITA D Tecnilor® é um suplemento alimentar com alto teor em vitamina D. A vitamina D contribui para a normal absorção/utilização do cálcio e do fósforo no organismo, assim como para níveis normais de cálcio e para a manutenção de ossos saudáveis. A vitamina D reforça ainda o normal funcionamento do sistema imunitário e ajuda à manutenção de uma boa função muscular.

66%

dos adultos portugueses

têm carência em vitamina

D*

Duarte C, Carvalheiro H, Rodrigues AM, Dias SS, Marques A, Santiago T et al. *Prevalence of vitamin D deficiency and its predictors in the Portuguese population: a nationwide population-based study. Archives of Osteoporosis. 2020 Mar 2;15(1):36.

Sabor a laranja Sem conservantes

Embalagem

200 dias

(1puff/dia) Fácil ajuste da dose

Absorção eficaz

56 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL Farma 1000 - Produtos Farmacêuticos, Lda Avenida Mestre Cid, 8 - 1º Esq. 2070-012 Cartaxo Tel.: 243 759 807 • Fax: 243 719 553 • geral@tecnilor.pt • www.tecnilor.pt

Suplemento alimentar. Não substitui um regime alimentar variado e equilibrado e um modo de vida saudável. Uma dose diária de Vita D Tecnilor® fornece a quantidade significativa da dose diária recomendada para se produzirem os efeitos benéficos alegados para a vitamina D.


CANEVI: mais do que uma marca, uma família Patrícia Martins Empresária

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 57

Créditos Foto: Diana Mota


LÍDERES E EMPRESÁRIAS DE SUCESSO | CANEVI

CANEVI: MAIS DO QUE UMA MARCA, UMA FAMÍLIA Movida pela paixão pelo universo da moda e em especial pelo calçado, herdada pelo avô, Patrícia Martins, uma jovem empreendedora com uma forte ligação às suas origens fez nascer, em 2015, a CANEVI (Calçado Nelson Vilarinho), que mais do que uma marca, é uma família. Apesar dos desafios e obstáculos iniciais, pela sua jovialidade, conseguiu impor-se no mercado e, hoje, a marca alcança milhares de pessoas, fruto do seu trabalho e da equipa que a acompanha. A paixão pela moda e em especial pelo calçado foi algo que sempre lhe correu no sangue, mas também hereditário, passou de geração em geração. Como mulher, quais têm sido os principais de desafios no seu percurso? No início, foram muitos os desafios. Ninguém me levava a sério, principalmente quando comecei com a roupa, pois eu era uma miúda de 22 anos a entrar em grandes armazéns para comprar artigo. Hoje em dia, até me servem cafezinho à porta. Os fornecedores de calçado já conheciam os meus pais, e aí já era diferente. Com apenas 22 anos deu os primeiros passos no mundo digital, com a criação da loja on-line de venda de calçado com o nome “Calçado Patrícia Martins”. Quais eram os seus objetivos e expectativas iniciais? Eu sempre sonhei muito alto. Eu acreditava que conseguia conquistar o mundo, este sempre foi o meu pensamento. Claro que nem tudo é um mar de rosas, e como o meu pai me dizia, “és nova, tens tempo para arriscar, se correr mal levantas-te outra vez”. E foi o que aconteceu. Às vezes temos de cair para ficarmos mais fortes e amadurecermos no negócio. Hoje, o pensamento é outro. Os passos que dou como empresaria são muito bem estruturados antes de os concretizar.

Patrícia Martins, Empresária

A Patrícia Martins, uma jovem lutadora, ambiciosa e empreendedora, é rosto do projeto CANEVI. Desde cedo que definiu o caminho a seguir e decidiu ir à luta com o objetivo de um dia ser uma empresária de sucesso? Sim, desde sempre soube aquilo que queria. Não sabia que seria uma loja on-line. Inicialmente o objetivo era abrir uma loja física, mas devido a uma crise que o país atravessava, era muito arriscado o investimento. Desistir nunca fez parte dos meus planos, por isso tentei arranjar uma solução. Foi aí que surgiu a ideia do Facebook, que na altura ainda era uma novidade. Posso dizer que a Canevi foi uma das primeiras lojas do Facebook em Portugal.

58 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL


CANEVI | LÍDERES E EMPRESÁRIAS DE SUCESSO

A partilha da paixão pelo calçado com o avô Nelson Vilarinho e como forma de o homenagear, fez “nascer”, em 2015, a CANEVI (CAlçado NElson VIlarinho). Hoje, a marca tem uma loja on-line, com um website profissional. Era fundamental criar uma marca com significado, que a ligasse às suas origens e de certa forma a identificasse? Para mim sempre foi muito importante ter um nome em que houvesse uma ligação, acho que é fundamental, quando falo da CANEVI, falo com o coração. CANEVI não é só um nome, significa família. Tudo isto começou pelo meu avô, daí a homenagem. Depois o meu pai deu seguimento nas feiras com a minha mãe. Hoje, não estou nas feiras, mas sim num mundo bem maior. Sendo uma mulher com uma forte ligação à sua família e às suas origens, os seus pais foram uma grande influência no desenvolvimento e sucesso deste grande projeto, mas também no seu desenvolvimento pessoal? Sim foram, principalmente o meu pai. Foi com ele que comecei tudo. Hoje em dia, já não estão juntos e acho que a separação deles fez com que eu amadurecesse muito no negócio. Tive de começar a dar os primeiros passos sozinha. Foi muito difícil, foi nessa fase que quase deitava tudo a perder, mas tenho uma família linda, duas meninas e o melhor marido do mundo, que me ajudou muito.

“ Para mim sempre foi muito importante ter um nome em que houvesse uma ligação, acho que é fundamental, quando falo da CANEVI, falo com o coração. CANEVI não é só um nome, significa família”

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 59


LÍDERES E EMPRESÁRIAS DE SUCESSO | CANEVI

Apesar das dificuldades e contratempos, desistir nunca fez parte do seu vocabulário. Quais são as suas maiores ambições pessoais e profissionais? A minha maior ambição, neste momento, a nível profissional é conseguirmos manter a empresa no nível que está. Os nossos diretos têm sido um sucesso, conseguimos ter sempre um alcance de mais de 200 mil pessoas por direto e temos uma média de 1500 a 2000 mil pessoas. No pós-direto, o vídeo atinge mais de 100 mil visualizações. A nível nacional, ainda não encontrei uma loja que atinga estes números. Este era o meu objetivo, criar uma comunidade/ família on-line. E esse objetivo foi comprido! Agora é continuar a crescer. Claro que nada disto era possível sem a equipa que tenho, hoje somos cinco em armazém. Costumo dizer que não são minhas funcionárias e sim minhas colegas de trabalho/amigas. É muito importante mantermos uma boa relação com a equipa, e eu preservo muito isso.

www.canevi.com

60 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL


DIGMA

O DIGITAL, AS MARCAS E A ATUALIDADE A pandemia colocou tudo on-line. Aumentaram os consumos de internet e mudou-se a forma como a maioria das pessoas pensa e usa as redes sociais. O comércio social veio complementar o tradicional. Hoje, o tempo de visualização é mais relevante do que número de gostos. A internet proporciona uma grande oferta e variedade e aqui, só os que diferem é que alcançam o destaque. O conteúdo tem de ser único para despertar a atenção do espetador. Atualmente, o digital é o trunfo das marcas, dos serviços e produtos. Mas é necessário saber usá-lo! Como? Acompanhar a evolução da sociedade, acompanhar as mudanças e as circunstâncias é fundamental para que o trabalho seja bem concedido e traga resultados. Hoje, o conteúdo digital é efémero. O que é bom hoje, amanhã pode ser ruim. E a existir conteúdo, esse tem de ser inesquecível. Para o sucesso, é essencial existir a perfeita simbiose entre a Oferta (o produto ou serviço, a performance) e Marca (a proposta, o conceito, a identidade, a forma como se conta a história). A tomada de decisão já não está somente no preço, mas também na opinião do consumidor. Um estudo revelou que 9 em cada 10 consumidores, admite influenciar-se mais pela partilha de opinião de outros consumidores, do que pelas ações de marketing desenvolvidas pelas marcas. O objetivo desta deve ser, tornar os seus próprios clientes, nos seus melhores influencers. Eliana Costa, CEO

As agências criativas, de marketing e comunicação têm um papel muito importante. A criação de marca, a estratégia de comunicação, o plano de marketing digital, a criação de website e gestão de conteúdos e/ou produtos, a criação e gestão de comunidades ou ainda análise de desempenho, são as principais funções das agências. Este conjunto de estratégias encaminhará as marcas no melhor caminho, trazendo criatividade, originalidade e diferenciação. É esta diferenciação que define o sucesso da marca. Na hora de compra, o que diferenciará um produto de outro, é o posicionamento que este alcançou no digital, é a opinião do consumidor e toda a experiência de compra ter sido única e inesquecível. Tudo isto em perfeita sintonia levará à conversão. Este é novo digital!

Tiago Castro, Cristiana Armada, Eliana Costa e Bruna Gomes

Agência Criativa de Design, Comunicação e Marketing A Digma Digital procura soluções à medida de cada negócio, construindo +351 936 665 119 | geral@digmadigital.pt estratégias de comunicação sólidas, criativas e inovadoras. Praceta Dr. Artur Bivar nº 8 4970-440 Arcos de Valdevez REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 61


“NÃO BASTA TER O CONHECIMENTO, HÁ QUE INTEGRÁ-LO NO COMPORTAMENTO E FAZER A DIFERENÇA” Movida pela paixão da transformação e desenvolvimento humano e empresarial, Ana Gaspar não tem dúvidas de que para alcançar o sucesso não basta ter o conhecimento, há que integrá-lo no comportamento e fazer a diferença na vida dos outros. A Business Coach, que conta com uma carreira enquanto empresária e líder de 20 anos, salienta os progressos ao nível do mindset dos gestores, que estão mais recetivos às áreas do coaching e consultoria empresarial e de negócios. Mulher, coach, empresária e empreendedora, é também mãe de três filhos. Como consegue criar um equilíbrio entre a esfera pessoal, social e profissional? O que a inspira e motiva diariamente enquanto mulher e profissional? Sou uma empreendedora que se move pela paixão da transformação e desenvolvimento humano e empresarial, e acredita que o propósito de qualquer pessoa é o sucesso e abundância, independentemente do “meio” e do “como”! A minha missão é ajudar pessoas, empreendedores, gestores e líderes a alavancar a sua melhor versão para alcançar a prosperidade que desejam para os seus negócios e para as suas vidas! A sua missão enquanto Business Coach propõe tornar mais leve e harmoniosa a vida dos empresários, nomeadamente, através da metodologia Business Inner Strenght. Em que consiste e como funciona? E que outros programas providencia a Ana Gaspar Business Coach? Depois de 18 anos à frente de um Grupo empresarial familiar, decidi abraçar um novo projeto, e depois de uma breve passagem na direção da Fundação Graça Gonçalves, surgiu o convite para

62 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

integrar uma equipa de Business Coaches, com a qual havia trabalhado como Coachee nas empresas que administrativa. Conhecia as virtudes de um processo de business coaching nos meus negócios e na minha vida, e como tal não hesitei. Deste projeto surgiu a oportunidade de viajar até Inglaterra e certificar-me como Business Coach pela empresa nº1 do mundo de Business Coaching. A metodologia que desenvolvi assenta na minha experiência enquanto empresária, gestora e líder durante 20 anos por um lado, e enquanto business coach que trabalha diariamente com empresários, gestores e líderes, por outro, transversal a qualquer sector, e que pretende trazer um processo, uma estrutura e ferramentas, baseada nos princípios fundamentais da gestão e liderança e que garantem a alavancagem dos negócios rumo ao sucesso e abundância que estes empresários, gestores e líderes desejam para as suas empresas e para as suas vidas. O processo assenta no principio base de que “não gerimos o que não planeamos/controlamos”, e fundamentalmente trata-se de dar resposta às questões: “Onde estamos”, “Para onde vamos” e “Como lá chegamos”, nas suas dimensões estratégica e operacional, através da utilização eficiente dos seus meios e recursos


ANA GASPAR BUSINESS COACH | LÍDERES E EMPRESÁRIAS DE SUCESSO

(humanos, materiais e financeiros) e assegurando “accountability” (garantindo que estamos no caminho certo), servindo o nosso nicho de mercado com mestria e propósito, superando as suas expectativas, numa relação que vai além da relação comercial, mas assente na relação “human to human”! A Academia de Negócios oferece programas de acompanhamento à medida, nomeadamente destinados a startups e micro empresas – apoiando a organização, facilitando processos e reforçando o seu fator de diferenciação, através da sua proposta de valor, consolidando o seu lugar no mercado; e destinado a PME´s, que promove a motivação, produtividade e eficiência através do ambiente colaborativo que contempla três dimensões (Cultura, Comportamentos, Sistemas), e que geram dinâmicas e estímulos de partilha do conhecimento e experiência, favorecendo a criatividade e inovação, fundamentais ao desenvolvimento de novos processos, produtos e serviços, e promovendo a competitividade e crescimento da empresa no mercado.

“Se há evidência que a vida me deu é que toda e qualquer pessoa pode desenvolver qualquer competência ou habilidade, desde que o deseje verdadeiramente, e tome a ação e disciplina necessárias para tal” A liderança no feminino centra-se na capacidade de resolução de problemas de forma criativa e inovadora, autoconfiança, espírito de iniciativa, influência e resiliência, sem esquecer o poder da comunicação. Revê-se nestas palavras e características? Se há evidência que a vida me deu é que toda e qualquer pessoa pode desenvolver qualquer competência ou habilidade, desde que o deseje verdadeiramente, e tome a ação e disciplina necessárias para tal! A liderança não é exceção! Mais do que fatores inatos, podem existir contextos de “ambiente” em que crescemos ou estamos inseridos, que de alguma forma promovam essas características, mas isso não basta! Hoje para fazermos a diferença temos de desenvolver a “maestria”, e isto consegue-se com a prática (o conhecimento aplicado, integrado no comportamento), e devidamente alinhado com o nosso propósito. É isto que distingue as pessoas de sucesso! Não basta ter o conhecimento e inteligência, há que integrá-lo em comportamento e fazer a diferença na vida das pessoas! Não sinto que a chefia e liderança feminina sejam um paradigma, mas antes o estigma dos empresários em geral, relativamente ao Coaching e/ou Mentoring. Bem sabemos que a falta de regulação nesta área do Coaching não tem contribuído para a reputação dos profissionais do sector, mas temos feito progressos ao nível do mindset dos gestores e líderes, e de alguma forma o contexto recessivo e pandémico, na minha perspectiva, também contribui positivamente, pois ao ficarem abalados nas suas estruturas e no seu “saber fazer”, os empresários estarão mais recetivos em pedir e receber ajuda de especialistas nestas áreas do coaching e consultoria empresarial e de negócios.

Ana Gaspar, Business Coach

Em Portugal, existem cada vez mais, exemplos de liderança de sucesso, no feminino. Sendo uma inspiração para outras mulheres, que mensagem ou conselho gostaria de lhes deixar? Qualquer crise ou contexto disruptivo externo, tem a virtude de nos obrigar a sair da zona de conforto, a olhar o todo (de dentro para fora) e a resgatar a nossa melhor versão e criatividade, para fazer diferente e melhor! Existem inúmeros e bons profissionais no mercado para apoiar neste processo de transição que se impõe a todos! E quem fizer o seu próprio processo de crescimento e desenvolvimento pessoal e profissional que se impõe, vai sair reforçado, ao alavancar a sua melhor versão e alta performance rumo aos seus sonhos e objetivos! Já dizia Charles Darwin no século XIX: “Não é o mais forte ou inteligente que sobrevive, mas o que melhor se adapta à mudança”.

www.anagaspar.pt

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 63


TRANSFORMAÇÃO DIGITAL A transformação digital é, hoje, um potenciador de produtividade e competitividade das empresas, resultando na evolução das dinâmicas de trabalho e criação de soluções que respondam ao novo paradigma do trabalho híbrido. Para além disso, a pandemia fez-nos despertar para uma realidade que promove uma maior flexibilidade nas soluções, que se adaptam aos diferentes mercados. Não esquecendo também o compromisso futuro de uma tecnologia mais eficiente e sustentável, mais facilmente atingível estabelecendo parcerias que gerem um intercâmbio de conhecimentos e um maior alcance do progresso tecnológico A transformação digital é positiva, democrática e sustentável!

64 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL


REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 65


TRANSFORMAÇÃO DIGITAL | INFORMANTEM

TECNOLOGIA, SERVIÇOS E CONSULTORIA: PILARES DE 25 ANOS DE SOLUÇÕES DISTINTAS

Pedro Gil, CEO

Tecnologia, serviços e consultoria são, hoje, três pilares de um portfólio que tem vindo a crescer ao longo de 25 anos de paixão pela tecnologia, sustentados também pela agilidade de resposta, relacionamento humano com parceiros e cliente, flexibilidade de adaptação aos diferentes mercados e necessidades, que se constituem elementos diferenciadores face ao mercado. A transformação digital é para a Informantem uma oportunidade de fornecer tecnologia facilitadora de bem-estar e geradora de eficiência de recursos, segurança e rentabilidade, assume Pedro Gil, CEO.

A Informantem garante as melhores soluções de Tecnologias de Informação (TI) adequadas a cada cliente. A transformação digital é, hoje, um potenciador de produtividade e competitividade das empresas? Nos dias que correm, enquanto a transformação digital é uma preocupação constante para as organizações, para nós, este desafio é uma oportunidade de concretizar o nosso propósito em garantir que a tecnologia seja um facilitador de bem-estar através da mobilidade, assim como também para com a eficiência de recursos, segurança e rentabilidade dos nossos clientes. Foi a partir disto que investimos na criação da Direção de Inovação e Transformação Digital sob a responsabilidade de Augusto Lacerda, também Country Manager da Informantem Angola. Por sermos internacionais, percebemos a exata dimensão dos diferentes desafios e graus de necessidade que os nossos clientes têm pela frente. Guiá-los neste processo é uma honra e muito motivador. Desenvolvemos, a cada dia, serviços mais personalizados capazes de manter o cliente focado na sua principal atividade, enquanto nós solucionamos e gerimos o seu parque tecnológico, aumentando assim a sua competitividade, produtividade e longevidade. Desempenhar com grande entusiasmo este papel de mentor, integrador e gestor de um futuro próspero para os nossos clientes, só é possível, porque há 25 anos investimos no conhecimento dos nossos colaboradores e criámos, de forma contínua, um variado leque de soluções à medida das necessidades de cada cliente, que têm um grande foco nos desafios que estamos a viver e nas constantes alterações do mercado. Cada vez mais, as empresas procuram soluções que possibilitem voltar ao “normal” dos colaboradores e o tema da Cloud está presente nas novas dinâmicas de trabalho. Que outras soluções procuram com o novo paradigma do trabalho híbrido? A mobilidade no mundo das TI apresenta vários desafios para os quais nós (Grupo Informantem), aquando do início da pandemia, já disponibilizávamos no nosso portfólio serviços especializados de Datacenter - como os serviços de backup,

66 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

housing e hosting – além das mais diversas soluções nas variadas vertentes; seja como a entrega de aplicações, garantir o ambiente de trabalho, ferramentas de colaboração que permitem a interação entre os utilizadores, comunicações seguras e geridas, gestão de dispositivos e a sempre indispensável assistência remota. Todas essas soluções permitem às empresas uma transição segura e controlada, de forma a suportar e promover o trabalho híbrido, mantendo os seus ambientes ajustados em termos de recursos, mas também em termos de compliance e questões de segurança. Estas foram desenvolvidas com base numa análise de mercado que nos permitiu construir as ofertas mais indicadas


INFORMANTEM | TRANSFORMAÇÃO DIGITAL

e que melhor se ajustavam às necessidades e requisitos de cada cliente, sempre de forma a garantir uma melhor experiência de utilização. Conjuntamente com os maiores fabricantes de hardware e software, apresentam as mais sofisticadas soluções de TI. Quais os elementos diferenciadores da Informantem como fornecedor de soluções de TI? Durante todos os 25 anos de nossa existência, sempre considerámos diferenciador a nossa rede de parceiros. Apostámos na colaboração com os melhores fabricantes de hardware e software do mercado, traçando metas e objetivos, não apenas em volume de vendas, mas também na qualidade do serviço que prestamos, contando com equipas altamente especializadas e certificadas nas mais diversas áreas. Este percurso e a nossa paixão pela tecnologia legitima um portfólio baseado em três pilares: tecnologia, serviços e consultoria. Esta amplitude de oferta unida à nossa agilidade de resposta, relacionamento humano com os nossos parceiros e clientes e a flexibilidade para nos adaptarmos aos diferentes mercados, cenários e necessidades são os fatores-chave que nos caracterizam e nos permitem ser diferenciadores face ao mercado. A pandemia fez-nos despertar para uma realidade que promove uma maior importância sobre a personalização de soluções de TI. O objetivo, para além do volume de vendas, é prestar um serviço de qualidade e adaptado? Nunca a expressão “cada caso é um caso” fez tanto sentido. Com as constantes mudanças no mercado, a rapidez da inovação e a necessidade de uma adaptação

Pedro Gil (CEO) e Direção de Inovação e Transformação Digital: Catarina Teixeira, Lu Moreda e Augusto Lacerda

contínua, o processo consultivo torna-se um fator diferenciador na análise para aquisição de soluções. Desta forma, qualquer investimento que seja realizado, independentemente do seu valor, torna-se mais objetivo, assertivo e rentável ao cliente. Para esta nova realidade híbrida, por exemplo, prevê-se que 50% dos colaboradores irá trabalhar fora da rede corporativa, nos próximos anos, pelo que, os gestores de TI necessitam gerir, proteger e distribuir aplicações modernas, além de conseguir um forte controlo detalhado dos dispositivos dos colaboradores de todo o mundo. Face a isto, tivemos a especial preocupação em garantir que as organizações disponibilizavam aos seus utilizadores em casa, ferramentas de colaboração e de assistência remota, gestão de dispositivos, segurança e equipamentos capazes de manter a comunicação diária, a partilha de informação, a manutenção da produtividade e, de forma surpreendente, a satisfação dos colaboradores e a poupança de custos.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 67


TRANSFORMAÇÃO DIGITAL | CMAS SYSTEMS

SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS MOVIDAS PELA INOVAÇÃO Pensar, planear, projetar e construir soluções que impulsionam o crescimento dos negócios dos clientes é algo que está intrínseco no ADN da CMAS Systems, que desde 2021, desenvolve soluções tecnológicas inovadoras. Carlos Santana, Manager, em entrevista à Revista Business Portugal, reconhece que o salto internacional e a oferta de soluções inovadoras foram decisivos para o crescimento da empresa.

Desenvolvem aplicações escaláveis, feitas à medida usando as tecnologias mais recentes? O nosso percurso iniciou-se ligado à consultoria em sistemas de faturação de grandes empresas, que nos permitiu ir alavancando ao longo dos anos um grau de experiência bastante elevado, que permite que os nossos colaboradores sejam reconhecidos, que se criem bases para o desenvolvimento de produtos próprios ou de criação de soluções à medida para os nossos parceiros e clientes. O envolvimento quer interno, quer dos nossos parceiros nas soluções que desenvolvemos, juntamente com a utilização de metodologias de trabalho que seguem as melhores práticas do sector, suportada numa base de continuous development, permitem reduzir os tempos de disponibilização de funcionalidades nas soluções, traduzindo-se em tempos mais curtos de análise, de desenvolvimento, não negligenciando os testes integrados e automatizados. Procuramos ainda assim que as experiências possam ser partilhadas entre clientes de diferentes áreas de negócio. Procuramos que a nossa oferta cubra todo o ciclo de vida, desde o trabalho em conjunto com os clientes para o desenho de soluções até operacionalidade dos sistemas. A CMAS ampliou a sua oferta de produtos/serviços, oferecendo soluções inovadoras em termos de integração de módulos, a W2BILL (plataforma de integração de serviços de alta disponibilidade), que permite a implementação de baixo custo, tempo de comercialização e produção de receita mais rápido? Sem nunca nos afastarmos do nosso ‘core business’ e apostando numa continua evolução dos conhecimentos técnicos dos nossos colaboradores, procuramos oferecer constantemente soluções atrativas e verticais nas mais diversas áreas de negócio.

68 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

Para nós a aposta na implementação e oferta de soluções de infraestrutura, de automatismos de processos, a aplicação do digital e de soluções de IoT, direcionadas às necessidades dos nossos clientes, ocorreu muito antes destes termos serem chavões. Mais uma vez a experiência em diferentes áreas de negócio passou a ser aplicada de forma transversal. A nossa marca de soluções W2BILL é composta por um conjunto de plataformas direcionadas a facilitar e simplificar a sua utilização dentro de uma organização. Os diversos módulos foram construídos para poderem funcionar de forma integrada ou de forma isolada. Temos, nomeadamente, um sistema de faturação e de comunicação com o cliente (W2BILL Invoice), uma ‘gateway’ de pagamentos (W2BILL Payments), um módulo de análise e de recuperação de dívidas (W2BILL Dunn) e outro de monetização (W2BILL Rate). A abrangência geográfica da empresa atravessa fronteiras, com cerca de 90% dos consultores dedicados a projetos internacionais, numa perspetiva de near-shore. Desde a estratégia UX, arquitetura server side e desenvolvimento de front-end, criam e mantêm projetos para toda a Europa? Os valores da partilha, alinhamento, compromisso e resultados, de onde ressalta a palavra parceria como chave na nossa atuação, são alguns dos fatores distintivos pelos quais somos reconhecidos. O crescimento internacional faz parte dos nossos objetivos desde que, em 2010, começámos a desenvolver projetos para fora de Portugal. Os projetos desenvolvidos em empresas que são líderes de mercado internacional, desde o sector das telecomunicações, passando pelas utilities, onde reconhecem o valor do nosso fator humano. Este salto internacional tem sido crítico para o nosso crescimento.


CMAS SYSTEMS | TRANSFORMAÇÃO DIGITAL

“ A nossa marca de soluções W2BILL é composta por um conjunto de plataformas direcionadas a facilitar e simplificar a sua utilização dentro de uma organização. Os diversos módulos foram construídos para poderem funcionar de forma integrada ou de forma isolada”

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 69


TRANSFORMAÇÃO DIGITAL | SAMSUNG

A TECNOLOGIA DO FUTURO A Samsung continua na vanguarda do desenvolvimento de tecnologias que estão a transformar o mundo e a criar soluções que respondem às crescentes exigências do mercado, nomeadamente na construção de um futuro mais sustentável e, esta, é a tecnologia do futuro e para José Correia, Diretor de Produto, “o único caminho”. José Correia, Diretor de Produto

Ao fim de mais de 50 anos, a Samsung continua a inovar e a criar tecnologia que derruba velhas e novas barreiras tecnológicas. As pessoas são o motor da inovação e gerador de competitividade digital? Sem dúvida! Na Samsung orgulhamo-nos de produzir aquilo a que chamamos, tecnologia com propósito. Tecnologia que visa acima de tudo melhorar e facilitar a vida de milhões de pessoas em todo o mundo. O novo Galaxy Z Fold 3, foi desenhado com um grande foco na produtividade, enquanto o Z Flip3 foi feito a pensar num consumidor mais jovem, atento às novas tendências e que gosta de produzir os melhores conteúdos e partilhá-los de uma forma fácil e intuitiva. Ambos os equipamentos, ao serem dobráveis, respondem às necessidades atuais de quem procura ecrãs cada vez melhores e maiores, ao mesmo tempo que lhes garante a portabilidade e conveniência dos equipamentos mais compactos. Como uma empresa global, a Samsung empenha-se em ter um impacto positivo, com a criação, desenvolvimento e produção de produtos e serviços inovadores. As estratégias de conservação da natureza e soluções ecológicas abrem caminho para um futuro mais sustentável? Esse é o único caminho. Não temos outro. Julgo que esta consciência de que vivemos num planeta que é único e irrepetível é cada vez maior e atravessa toda a sociedade. Hoje, pessoas de diferentes idades, estratos sociais e diferente geografias estão unidas num desígnio comum, que é o de salvar o nosso planeta. A Samsung tem implementado várias medidas nesse sentido, que vão desde a eliminação do plástico em todas as nossas embalagens, incorporação de componentes reciclados nos nossos produtos, redução da energia gasta em períodos de stand-by e, por fim, a eliminação completa do envio de resíduos para aterros até 2025. A transformação digital permite que as empresas utilizem a tecnologia como ponto central da sua estratégia, conseguindo melhorar os processos, criar produtos mais eficientes e gerar mais satisfação dos clientes. O compromisso da Samsung é a transformação digital, mas segura e equilibrada? Claramente a segurança para nós não é negociável. Se há algo que esta pandemia nos trouxe, foi o acelerar de forma dramática a velocidade dessa transformação digital. Se antes, era um desígnio, hoje é algo bem real. A Samsung, como empresa líder fornecedora 70 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

de tecnologia, é hoje um dos principais parceiros para a transformação digital. O sucesso desta transformação dependerá da capacidade de garantir a segurança e integridade dos processos e acima de tudo dos fluxos de informação. No mundo atual, informação é poder e a Samsung dispõe de uma plataforma única e proprietária, o Samsung Knox, que garante a segurança dos nossos equipamentos bem como da informação neles tratada e processada, graças a várias camadas protetoras que vão desde o hardware ao software. Somos a única marca com vários equipamentos já certificados em Portugal pelo Gabinete Nacional de Segurança, como sendo passíveis de ser utilizados para o tratamento de informação classificada. A competitividade das empresas está, inevitavelmente, interligada com a adoção de práticas digitais, para uma maior proximidade com o público e continuidade da marca. Quais serão os maiores desafios para a Samsung no futuro? Ao longo dos últimos anos, temos reforçado de forma significativa a nossa aposta no digital, sendo a nossa loja on-line o exemplo mais visível disso mesmo. Para o futuro, além de continuarmos a melhorar a experiência de compra na nossa loja on-line, vemos como crítico o desenvolvimento das nossas capacidades de CRM, data analytics e marketing digital. Importa também referir que apesar de toda esta aposta no Digital, a Samsung continua empenhada em manter uma forte presença no mercado tradicional, que em Portugal ainda representa cerca de 80% das vendas. Iremos continuar a fazê-lo através das nossas lojas Samsung. bem como através da enorme rede de lojas dos nossos parceiros, que cobrem de forma ímpar todo o território nacional.


Out.

"Exclusividade e valorização dos projetos" Visionary Fragment Ricardo Oliveira, Administrador

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 71


DECORHOTEL 2021 | VISIONARY FRAGMENT

Ricardo Oliveira, Administrador

EXCLUSIVIDADE E VALORIZAÇÃO DOS PROJETOS A Visionary Fragment é uma empresa de gestão de investimentos imobiliários, direcionada para estudos de viabilidade de investimento, projetos de arquitetura, design de interiores e exteriores, compra venda e construção chave na mão e apoio ao investimento. Com ambições futuras bem demarcadas para a empresa, que se demarca pela exclusividade, Ricardo Oliveira, Administrador, perspetiva a criação de uma visita virtual no novo showroom com 100m2. Independentemente da natureza dos projetos, apresentam as melhores soluções que valorizem o património? Exatamente! Gostaria de salientar a vertente de apoio ao investimento, na qual o nosso objetivo é proporcionar a todo o tipo de investidores, ou proprietários de imóveis de menores dimensões, a possibilidade de gerarem valor, muitas vezes em imóveis que muitos não consideram ter valor comercial. Criamos, através do design, a aparência certa com a funcionalidade de uma arquitetura com base na praticidade e funcionalidade, sem nunca esquecer a valorização do património arquitetónico da região, em alguns casos ajudamos com ferramentas financeiras necessárias para a concretização do investimento, que depois pode ser comercializado ou colocado para um mercado cada vez em maior crescimento o arrendamento.

A arquitetura e o design exclusivo resultam da inovação e criatividade que salienta e valoriza a qualidade, o conforto e a sustentabilidade, com o objetivo de apoiar os clientes na criação de espaços e ambientes personalizados, funcionais e com inovação técnica? Todos os nossos clientes têm a garantia de um design exclusivo, quer quando desenhamos o seu lar, quer quando faz a aquisição de um imóvel num dos nossos empreendimentos, neste caso, após a aquisição, tem uma reunião com o arquiteto para possíveis mudanças apenas no interior, após fechar a arquitetura reúne com a design da empresa destacada para aquele empreendimento e caberá ao cliente a escolha do interior do seu lar, tendo sempre ao seu dispor a opinião de especialistas com vários anos na área para ajudar na decisão, estruturalmente a sustentabilidade é sempre a principal preocupação, não abdicamos disso. A opção pelo LFS – Light Steel Framing ou construção em aço leve – na construção, traz inúmeras vantagens na gestão de recursos e de conforto que proporciona e na redução de cerca de 70% dos custos de energia, uma vez que não utiliza materiais poluentes. A Visionary Fragment constrói para as gerações atuais, mas também futuras? A construção em aço leve está cada vez mais, em maior crescimento. É uma mais-valia em quase todos os aspetos: construtivos, sustentáveis e custo benefício. A sociedade procura cada vez mais ser “amiga do ambiente” com materiais que garantam a melhor qualidade, nos prós e contras de outros métodos de construção fica a ganhar em quase todos os aspetos, sendo um dos principais nas condições térmicas e acústicas, podemos alongar este tema numa próxima entrevista…

72 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL


Visionary Fragment Valorizamos a sua exclusividade!

www.visionaryfragment.com ESTUDO DE VIABILIDADE DE INVESTIMENTO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE ARQUITETURA,VENDA E CONSTRUÇÃO DESIGN DE INTERIORES E EXTERIORES APOIO AO INVESTIMENTO

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 73


DECORHOTEL 2021 | VISIONARY FRAGMENT

A especialização da Visionary Fragment vem da proximidade com o cliente e atenção ao detalhe. Com provas dadas no mercado, o vosso portfólio é constituído por projetos dos mais variados segmentos? Exatamente, o objetivo é através de uma estratégia consertada em todas as nossas áreas de intervenção, como os estudos de viabilidade, projetos de arquitetura, design de interiores e compra e venda de imóveis, através dos anos de experiência, atingir e gerar o maior valor para o investidor e o melhor produto para o cliente final. Podia dar como exemplo, o trabalho que está a ser efetuado em duas regiões do interior do país, para que o consumidor final possa obter o melhor da tecnologia em benefício de uma eficiência energética que proporciona uma poupança significativa no consumo de energia, quer seja pequenas torres eólicas, coletores de água da chuva de pequena e grande dimensão para zonas de floresta, entre outros.

A equipa de design, especializada em arquitetura e design exclusivo, está preparada para ir ao encontro dos sonhos dos clientes. Abraçando a transformação digital dos negócios, é possível agendar uma reunião virtual e ter um atendimento on-line completo? A transformação digital deu um grande impulso em quase todas as áreas e na nossa não foi exceção, não só nas reuniões virtuais, que em muito nos ajudou, porque temos clientes que normalmente não habitam em Portugal, quer as muitas técnicas de design que o cliente pode experienciar quase de imediato. Estamos também a preparar agora para o final de outubro, no nosso novo showroom com 100m2, a visita virtual ao seu novo lar através dos óculos VR, vai ser como estar já a entrar na sua nova casa. Quais são as principais ambições futuras? Contamos que as feiras do sector voltem em força e temos como objetivo, mais imediato, estar na que consideramos ser uma das melhores feiras do imobiliário, a MIPIM no sul de França, levando o trabalho que desenvolvemos, nomeadamente o trabalho efetuado no interior norte e interior centro do nosso espetacular país. A decisão foi tomada graças ao feedback de clientes internacionais, pois além do cliente tradicional, temos trabalho desenvolvido com fundos de investimento e grupos hoteleiros.

74 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL


REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 75


DECORHOTEL 2021 | MANFERCAN

QUALIDADE, INOVAÇÃO E DESIGN Com mais de 50 anos de história e experiência no mercado, a Manfercan assenta o seu negócio em valores como a confiança, inovação e a orientação para o cliente, trabalhando sempre proativamente para a satisfação das necessidades dos seus clientes, como conta Manuel Fernandes Canas, Sócio-Gerente, em entrevista à Revista Business Portugal.

Manuel Fernandes Canas, Sócio-Gerente

A Manfercan – Manuel Fernandes Canas, Lda é uma referência no mercado da decoração de interiores, com uma forte aposta na produção e comercialização de sistemas de cortinados como calhas, varões e acessórios e estores interiores. Há mais de 50 anos como gestor desta empresa, conte-nos um pouco acerca do seu percurso. Ainda muito jovem, comecei a trabalhar como ajudante de encarregado de produção numa empresa grande em Águeda ligada às ferragens. Passados uns anos, em 1967, com muita vontade de ter um negócio próprio, abri a minha empresa dedicada ao fabrico de ferragens para malas. Em 1977, com a sua evolução, a empresa passou a sociedade por quotas, nessa altura já com uma gama alargada de utilidades para casa, como artigos para estante, tubos para roupeiro e acessórios, calhas de sanefa, entre outros produtos diversos. O nosso mercado era sobretudo drogarias, com o passar do tempo, algumas destas passaram a dedicar-se mais à decoração e a Manfercan a alargar cada vez mais a sua oferta de sistemas para cortinados. Da produção de varões e acessórios em alumínio e madeira, passamos para o ferro forjado e mais tarde para o latão e inox. Há sensivelmente 10 anos, apostámos no desenvolvimento de modelos de calhas em alumínio para cortinados (técnicas e decorativas) com a opção de diversos acabamentos e na mesma altura a introdução no mercado das calhas motorizadas para cortinados. Em 2016, começamos a produzir estores interiores, sendo que temos vindo a aumentar consideravelmente a nossa oferta de tecidos. Nestes últimos anos, não só aumentámos a oferta de opções de motores para cortinados, como também passámos a ter outros sistemas motorizados, como estores de rolo, sistema oculto e painel japonês, reforçando a nossa oferta de soluções inteligentes de acordo com os projetos dos nossos clientes. Em 2020, adquirimos a marca Vivacor, dedicada aos complementos, espelhos e móveis para casa de banho e estamos a trabalhar para que, à semelhança da Manfercan, a Vivacor passe a ser uma referência no seu sector. A que atribui o posicionamento da Manfercan como uma marca forte no mercado de soluções para cortinados? A Manfercan é uma empresa sólida com capacidade de investir. O investimento contínuo em máquinas para a produção de artigos personalizados – à medida do cliente, diminuição dos custos de produção e alargamento da nossa gama de artigos tem sido de extrema importância. Para além disso, o uso de matérias-primas da melhor qualidade, aliado a um elevado stock e fornecimento rápido são características nossas bastante valorizadas pelos nossos clientes.

76 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL


MANFERCAN | DECORHOTEL 2021

O que levou em 2020 à vossa aposta no sector de complementos, espelhos e móveis para casa de banho? Aproveitando o nosso know-how de mais de 50 anos, as nossas infraestruturas e o facto da marca Manfercan já estar presente nas empresas ligadas às áreas da construção, arquitetura e decoração, apostámos na produção de complementos, espelhos e móveis para casa de banho, de forma a proporcionar aos nossos clientes mais oferta com qualidade. A Manuel Fernandes Canas, Lda, com as marcas Manfercan e Vivacor irá marcar presença na DecorHotel 4ª edição da feira profissional de projeto, construção, decoração, equipamentos, produtos e serviços para hotelaria, entre 21 e 23 de outubro 2021, na FIL – Lisboa. É um orgulho poder mostrar o que de melhor se faz no sector? É o 3º ano que estamos a participar nesta feira, nos dois anos anteriores com a marca Manfercan, este ano vamos apresentar presencialmente a marca Vivacor aos nossos clientes e potenciais novos clientes. Vai ser uma oportunidade única para os clientes da Manfercan e todos os outros visitantes da feira ficarem a conhecer a Vivacor, as nossas gamas de produtos e também para obtermos o feedback dos visitantes para que possamos continuar o nosso trabalho na melhoria contínua da nossa oferta.

“Este ano vamos apresentar presencialmente a marca Vivacor aos nossos clientes e potenciais novos clientes. Vai ser uma oportunidade única para os clientes da Manfercan e todos os outros visitantes da feira”

Zona Industrial de Assequins, Ap 103 | 3754-909 Águeda

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 77


DECORHOTEL 2021 | KARDHAM

PARCEIRO GLOBAL DO SEU PROJETO IMOBILIÁRIO Comprometido com uma abordagem de qualidade, Kardham é o primeiro grupo francês independente a integrar, simultaneamente, arquitetura, engenharia, design de interiores, consultoria e digital, como nos garante o Diretor Frédéric Rafael Fernandes. O Grupo instalou-se em Portugal para apoiar as empresas nos projetos de construção, reabilitação, desenvolvimento ou requalificação. Kardham Portugal, Frederic Rafael Fernandes Arquiteto – Sócio, Diretor da Kardham Portugal Foto : Cécile Lopes Photography ©

O grupo francês Kardham instalou-se este ano em Portugal e chega para apoiar grandes empresas nos projetos de construção, reabilitação, desenvolvimento ou requalificação. Qual a abrangência dos serviços do grupo e que mais-valias trazem para o mercado português? Kardham tem a particularidade de ser composta por várias profissões relacionadas com edifícios: arquitetura, engenharia, design de interiores, consultoria e digital. A integração destas atividades permite-nos oferecer aos nossos clientes uma resposta transversal ao seu pedido. Acreditamos muito na inteligência coletiva e que as intersecções de todas estas vertentes profissionais favorecem e estimulam a criatividade, uma sinergia que nos permite propor soluções com plena consciência das questões que compõem um projeto imobiliário. O teletrabalho tem resultado num reequilíbrio entre as áreas metropolitanas e o restante território. Projetar os edifícios de amanhã com soluções inovadoras envolve um know-how técnico de excelência? Hoje estamos cada vez mais numa lógica de “Smart-Building”. Enquanto 7,5% das pessoas faziam home-office antes da crise da Covid-19, agora mais de 80% quere manter esta flexibilidade. A ocupação do espaço de escritórios e a sua conectividade devem ser questionadas. Ser especialista em novas tecnologias e encher edifícios com elas, não é suficiente, pois as tecnologias “Prometheus” não chegam, para responder à mudança no espaço de trabalho. Desenhar os escritórios de amanhã requer uma compreensão clara dos escritórios hoje, dos seus contornos e da sua história. O escritório deve ser um local de intercâmbio, de estímulo criativo e já não um local de produção individual. Haverá uma diminuição dos espaços individuais para o aumento dos Bannière print 180x42.pdf 1 22/09/2021 17:03:21 espaços coletivos.

Este último ganhará em qualidade e será uma ressonância emocional para a estimulação coletiva gerada por estes novos espaços. O escritório tornar-se-á um local de encontro e de partilha, é importante que o espaço seja apelativo para criar a sensação de pertença, como se se tratasse de uma “tribo” empresarial. Nos mais diversos sectores que atuam, como a aeronáutica, saúde, desporto, cultura, habitação, para uma abordagem mais complexa e criativa recorrem a colaborações externas, como sociólogos, cientistas de dados e historiadores e, por isso, são hoje uma referência? Cada projeto é único e tem as suas particularidades, por isso contamos com a diversidade dos perfis dos nossos colaboradores. Dentro do nosso grupo, temos especialistas em ergonomia cognitiva, sociólogos, historiadores, urbanistas e especialista em sistemas de construção inovadores, entre outros. A nossa abordagem multidisciplinar permite-nos olhar para um projeto através de vários prismas. Mas não paramos por aí. Convidamos regularmente especialistas externos para os nossos projetos e trabalhos de investigação, que posteriormente são realizados pela nossa equipa de I&D. E também publicamos regularmente artigos na secção “A word from the experts” - www.kardham.com. Desde 2010, o grupo tem vindo a desenvolver um domínio de ferramentas de modelação (BIM – Building Information Modeling), uma oportunidade tecnológica para um design de edifícios mais eficiente. O vosso crescimento será sustentado pela adoção de ferramentas para o progresso? Kardham é um dos pioneiros do BIM em França! Esforçamo-nos, em cada projeto, por dar uma resposta holística às nossas equipas multidisciplinares. É por isso que o BIM é tão importante. Da génese de um edifício, à gestão, à manutenção, os consumos devem ser tidos em conta para aperfeiçoar o seu desenho. Estamos também a desenvolver ferramentas paramétricas para otimizar a nossa prática, isto permite-nos olhar para os desafios futuros.

C

M

Parceiro global para o seu projeto imobiliário

J

CM

MJ

> kardham.com/pt

CJ

CMJ

N

78 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL


Green Valley REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 79


DECORHOTEL 2021 | JPS GROUP

JPS GROUP:

UMA EMPRESA ÚNICA NO MERCADO A JPS GROUP veio mudar o paradigma do mercado com o desenvolvimento de projetos únicos, como revela em entrevista à Revista Business Portugal, João Sousa, CEO, evidenciando ainda “viemos dar resposta ao mercado, antecipamos tendências e oferecemos projetos contemporâneos, de luxo, com a melhor relação qualidade/preço”.

Dr. João Sousa, CEO

Na JPS Group, 2021 era esperado com otimismo e visto como um tempo de recuperação. Os objetivos traçados têm sido cumpridos? Temos de separar os objetivos de 2021 em duas partes: as vendas e as entregas. Relativamente às vendas, superou muito as expectativas, pois, por exemplo, em relação ao nosso último projeto, o Terraços de São Francisco, em Alcochete, vendemos 100% dos apartamentos em menos de um mês, e em relação às moradias, estão já muito perto dos 90% das vendas concluídas, o que de facto se revelou num estrondoso sucesso. Para além disso, fechámos as vendas do The Village, temos apenas duas penthouses para vender no Dream Living e temos também o Sea View Residence 100% vendido. Relativamente à entrega das casas, concluímos a construção do Sea View Residence e de uma parte grande do SkyCity, que é entregue por fases de construção, mas o sector ainda está a sofrer muitos atrasos, quer por falta de mão de obra qualificada, por atrasos de entrega de materiais, quer ainda por atrasos nos licenciamentos das entidades competentes, situações estas que já se vinham a sentir, mas que agravaram com a pandemia, e em relação às quais em 2021 ainda não se conseguiu retomar o ritmo normal. Tem sido um grave problema que o sector tem atravessado. Mas, num balanço geral, podemos dizer que 2021 tem sido um ano muito bom para o grupo e em que os objetivos estão, de uma forma geral, em vias de ser ultrapassados. Um dos vossos mais recentes projetos é o empreendimento “Terraços de S. Francisco, como tem sido “recebido” pelo público? O empreendimento de luxo “Terraços de São Francisco”, localizado em Alcochete com 160 frações entre moradias isoladas, em banda, geminadas, e apartamentos foi lançado em plena pandemia, mas numa altura em que a procura de casa superou a oferta. Conseguimos bater um novo recorde e vendemos a 1ª fase dos apartamentos, ainda antes do seu lançamento. Temos sempre uma grande procura quando lançamos novos empreen-

80 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

dimentos, mas esta foi uma situação completamente inesperada, pois em apenas quatro dias foram vendidas cerca de 90% das frações da 1ª fase e já tínhamos uma lista de clientes em espera para as fases seguintes. Razão pela qual, tivemos de antecipar em simultâneo a 2ª e 3ª fase de vendas e vendemos todos os apartamentos em menos de um mês, o que se revelou num dos nossos maiores sucessos de vendas. Acreditamos que esta procura se deveu ao facto de ser um empreendimento único, exclusivo, desenvolvido a pensar na qualidade de vida, com o objetivo de proporcionar tranquilidade, conforto e momento únicos, rodeado de uma beleza natural de excelência e de todas as comodidades, que proporcionam bem-estar e simplificam o dia a dia. É para isto que trabalhamos diariamente, criamos soluções de habitação, mas antecipamos tendências que consigam dar resposta às necessidades atuais dos clientes. A JPS Group realiza sonhos, a um preço justo e com condições únicas de aquisição. Este é o diferencial de uma das maiores empresas do sector? A JPS Group veio mudar o paradigma do mercado, pois começámos a fazer projetos únicos, considerados de luxo para clientes reais e que representam a maioria dos compradores do mercado nacional. Viemos dar resposta ao mercado, antecipamos tendências e oferecemos projetos contemporâneos, de luxo, com a melhor relação qualidade/preço, cuja valorização é grande e ultrapassa qualquer oferta semelhante, o que constitui uma excelente oportunidade de investimento para quem compra. O facto de termos todos os serviços integrados, e também construtora própria, faz com que consigamos produzir em escala, e conseguirmos desta forma preços imbatíveis sem descurar a qualidade. Todos os nossos projetos têm oferecido margens na ordem dos 40% entre o valor de aquisição e o valor de revenda, o que naturalmente são números muito interessantes para os investidores, assim como para os clientes particulares que vêm desta forma o seu património a valorizar.


JPS GROUP | DECORHOTEL 2021

O lançamento de um novo site, com um design apelativo e a criação de uma nova imagem da Real Estate by JPS Group, tem sido uma aposta com resultados positivos? A JPS Group está sempre atenta à evolução do mercado imobiliário e às necessidades atuais dos nossos clientes. Quando lançámos o site da JPS Real Estate foi para dar resposta à forte procura dos nossos clientes que registámos na altura da pandemia, e facilitar a procura de casa para comprar, mas também a possibilidade de vender a sua própria casa. Neste site, dispomos de um conjunto de imóveis para todos os gostos, desde apartamentos, moradias ou lojas, bem como uma equipa comercial interna especializada, que através de atendimento personalizado trata de todo o processo de compra ou venda de uma casa, desde o início até ao fecho do negócio. Em 2020, tivemos cerca de 10 mil contactos de novos clientes e chegámos a ter mais de 200 pedidos de contacto por dia. Este ano, e até ao mês de setembro atingimos os 10.214 contactos e 214 contactos por dia, e o ano ainda não acabou. Consideramos serem números que refletem, por parte do público, uma grande procura pela nossa marca e pelos nossos produtos, pelo que foi uma excelente aposta e com resultados muito positivos para o nosso negócio. SkyCity, Terraços de São Francisco, Green Valley Oeiras Residence, Dream Living, Sea View Residence, The Village e 137 Lux Residence são dos empreendimentos mais emblemáticos do vosso portfólio. Os projetos que desenvolvem têm todo o conforto necessário para que qualquer pessoa os considere verdadeiramente de sonho? O portfólio dos nossos empreendimentos, além de emblemáticos, são muito conhecidos e muito procurados pelos nossos clientes, totalizando mais de 300 mil m2 em projetos, o que reflete a grande dimensão dos mesmos. De momento, o SkyCity é um dos maiores empreendimentos em construção em Portugal e somos nós que construímos os nossos próprios projetos, através da nossa construtora própria. A JPS Group, é promotora de mais de 1.550 moradias e apartamentos, pelo que se posiciona como um dos maiores promotores de empreendimentos de grande dimensão

em Portugal. Os projetos que desenvolvemos com excelência são contemporâneos, minimalistas, com muita luz, com espaços exteriores, jardins, piscinas, conforto, segurança, excelentes localizações e rodeados de todas as comodidades, para que qualquer pessoa os deseje comprar e os considere verdadeiramente de sonho. É importante perceber o mercado imobiliário e olhar para as boas práticas do mesmo, porque o que hoje é fantástico, amanhã já está desatualizado? Estamos sempre atentos ao mercado imobiliário e às boas práticas do mesmo, tanto a nível nacional como internacional, para anteciparmos tendências e dar resposta às necessidades atuais dos clientes. É por esta razão que desenvolvemos os nossos projetos sempre com foco na excelência, apostamos na oferta de produtos com excelentes localizações que agradem aos compradores, quer pela facilidade de acesso, quer pelo cuidado que temos ao escolher projetos, em zonas agradáveis e com uma boa envolvente sempre com potencial de valorização, que ofereçam uma excelente relação qualidade/preço, com acabamentos de grande qualidade e considerados de luxo. A nossa missão é criar soluções de habitação nas quais nos antecipamos às tendências de mercado, procurando ir sempre ao encontro do que qualquer cliente procura: qualidade, conforto, preços justos, valorização dos imóveis, excelentes localizações, serviço de oferta de crédito à habitação, e equipas altamente profissionais nos mais variados departamentos. É tudo isto que faz com que a JPS Group seja, inquestionavelmente uma empresa única no mercado!

Terraços de São Francisco REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 81


LIDERANÇA: NOVOS DESAFIOS O acompanhamento das oscilações e tendências do mercado e a proximidade e relação de confiança com os clientes, são os desafios atuais do mundo empresarial. O investimento em novos produtos e soluções requer um conhecimento profundo do mercado e das necessidades do público-alvo. Num universo de grande competitividade a diferenciação assume-se uma estratégia central e necessária para os atuais consumidores que privilegiam a personalização dos produtos/serviços com valor acrescentado e que os potenciam no mercado. As mudanças sociais globais alteraram o exercício da liderança e trouxe novos desafios na gestão das empresas, que implicam assim a introdução de novas competências.

82 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL


QUALISTAMP | LIDERANÇA: NOVOS DESAFIOS

Romeu Vieira e Artur Marinho, Sócios-Gerentes

15 ANOS DE UM PRODUTO DIFERENCIADO Distinguida PME Líder há 8 anos consecutivos, a Qualistamp, estamparia têxtil especializada na estampagem localizada, comemora 15 anos de sucesso, fruto de uma constante aposta no produto diferenciado. Desde a sua génese dedicada ao mercado fast fashion, a empresa, situada em Fafe, tem vindo a desenvolver alguns modelos para um nicho específico, mas sempre com o mesmo objetivo: potenciar a venda do produto. A Qualistamp é uma empresa especializada na estampagem têxtil, que assume como fatores de diferenciação dos seus produtos, a mistura de produtos químicos, de forma a obter um produto de qualidade, e a gravação dos quadros, tendo a vista uma melhoria na definição dos desenhos. O objetivo do serviço é sempre acrescentar valor às peças de vestuário, sem nunca descurar a qualidade pretendida pelo cliente. Os Sócios-Gerentes Romeu Vieira, licenciado em Engenharia e Gestão Industrial e responsável pela área comercial e projetos, e Artur Marinho, responsável pela produção e qualidade e com uma experiência e know-how adquiridos ao longo de 34 anos, estão convictos de que os pontos chave para o crescimento, ao longo de 15 anos, têm sido o acompanhamento mais próximo com o cliente e a dedicação, aliados ao conhecimento e experiência de ambos, que se constituem “pilares fundamentais para tornar a Qualistamp uma empresa sólida e de referência”. As recentes instalações (2017) de 2460 metros quadrados são uma das marcas de crescimento da Qualistamp, uma empresa de referência, que tem apostado numa equipa mais jovem, pela

sua dinâmica e proatividade, fatores decisivos na garantia de eficiência e competitividade a nível mundial. No entanto, para além dos recursos humanos, a Qualistamp sempre apostou no investimento em tecnologia de última geração, como a aquisição da Computer To Screen (CTS), “um investimento recente que permite melhorar a definição do estampado”.

“A Qualistamp está habilitada para efetuar qualquer técnica de estampagem localizada, demonstrando a sua atitude vanguardista” Investimentos contínuos Reconhecida pela competência, excelência ao nível da estampagem, bem como pela relação de confiança com os seus clientes, a Qualistamp acompanha as tendências do mercado, através do acompanhamento de feiras internacionais ligadas ao sector, procura de novas e diferentes técnicas e investimentos em novas tecnologias. Esta procura incessante pela melhoria contínua, resulta do objetivo de apresentar as melhores soluções, uma vez que presta serviços para segmentos muito exigentes. Especialista nas técnicas de “burn out” com relevo (consiste na estampagem

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 83


LIDERANÇA: NOVOS DESAFIOS | QUALISTAMP

de uma pasta em malha de composição de poliéster e algodão, onde essa mesma pasta apenas destrói a fibra natural, sendo removida no processo de lavagem produzindo assim um efeito de renda. Além disso a empresa dispõe da técnica da flocagem em diversos tecidos incluído tulle. A Qualistamp está habilitada para efetuar qualquer técnica de estampagem localizada demonstrando a sua atitude vanguardista. Tudo o que é produzido pela empresa é para exportação, sendo que 87% do produto é de forma indireta, daí a necessidade de estar o mais próximo possível dos clientes. O principal cliente é representado pelo Grupo Inditex, uma organização detentora de várias marcas no mercado. “Trata-se de um segmento com quantidades de 20 a 50 mil peças por modelo”, revela Romeu Vieira, salientando a aposta em encomendas de grande volume, pela relação custo/benefício. “Apostamos na qualidade e na competitividade, por isso investimos na compra da matéria-prima de qualidade e na eficiência na produção, minimizando ao máximo os desperdícios”.

84 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

Como se processa a estampagem? De acordo com as tendências do mercado, os clientes desenvolvem os desenhos para o produto que pretendem criar, que são, posteriormente, enviados para a Qualistamp, responsável pela sua interpretação. O processo inicia-se com a separação das cores de acordo com a técnica pretendida pelo cliente, e aqui está a diferenciação, na mistura dos produtos químicos. Romeu Vieira explica que “ao invés de se comprar os produtos base standard, que são comercializados no mercado, compram os “ingredientes” e fazem a própria mistura, permitindo, desta forma, ajustar o produto de acordo com o pedido do cliente”. Uma distinção que se estende à gravação dos quadros, na qual são usadas telas e emulsões específicas, para que se possa apresentar um produto diferente ao cliente, com a conjugação de várias técnicas, asseguram. Feitas em máquinas manuais, mas com uma sequência automática, as amostras são enviadas ao cliente, que aprovando, envia para a Qualistamp os seus componentes e, de acordo com o planeamento, faz-se a alocação às máquinas nas diversas linhas de produção.


QUALISTAMP | LIDERANÇA: NOVOS DESAFIOS

Para garantir assegurar o cumprimento rigoroso e integral do caderno de encargos, a empresa dispõe de um laboratório interno, com todo o equipamento de controlo físico, no qual, em função do tipo de técnica, são realizados os testes de solidez à fricção, comparação de cores e testes de lavagem.

qualistamp

Futuro: aposta num processo híbrido Para chegar a este patamar de excelência Romeu Vieira e Artur Marinho não têm dúvidas de que é preciso “muita dedicação, porque o mercado é muito dinâmico, e é preciso ajustar os processos às necessidades do mercado”. Nesse sentido, a Qualistamp tem apostado, constantemente, no investimento em processos competitivos, de forma a reduzir tempos de ciclo, e na formação dos recursos humanos, para conseguir acompanhar de perto o cliente e o mercado, “fatores orientadores de investimento”. Num futuro próximo, o objetivo dos Sócios-Gerentes é apostar na robotização, tendo em vista a redução dos tempos, melhoria da qualidade, para colocar no mercado um produto diferenciado. A conjugação dos processos convencional e digital resultará num processo híbrido, que irá proporcionar desenhos com qualidade fotográfica igual ao papel e diferenciar com uma ou mais técnicas convencionais. Romeu Vieira sublinha três fatores-chave essenciais para o sucesso de um negócio e fundamentais para se estabelecer relações de confiança e duradouras com os seus clientes: a qualidade, o preço competitivo e o cumprimento de prazos. No segmento fast fashion, o mercado está sempre a reagir e, como tal trabalhamos just in time”, salienta.

www.qualistamp.pt

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 85


LIDERANÇA: NOVOS DESAFIOS | AEGON SANTANDER

Tiago do Couto Venâncio, CEO

“OS RECONHECIMENTOS SÃO RESULTADO DO COMPROMISSO E ENVOLVIMENTO DE TODOS” “Estamos no mercado português há apenas seis anos e receber o Prémio Cinco Estrelas é para nós um enorme orgulho”, afirma Tiago do Couto Venâncio, CEO da Aegon Santander, a propósito de mais uma conquista da marca, desta feita o Prémio Cinco Estrelas, salientando ainda que os resultados alcançados dependem do desempenho de um coletivo organizado em torno de um objetivo comum. Recentemente a Aegon Santander foi reconhecida na categoria “Seguros Bancários” na conhecida distinção do Prémio Cinco Estrelas, um prémio especial uma vez que é atribuído pela satisfação dos clientes. A confiança dá mais vontade de fazer mais e melhor? A Aegon Santander conquistou, pela primeira vez, o Prémio Cinco Estrelas, na categoria de Seguros Bancários, um feito que deu alento à companhia para os desafios de 2021. Estamos no mercado português há apenas seis anos e receber o Prémio Cinco Estrelas é para nós um enorme orgulho. Demonstra que o trabalho e dedicação de toda a equipa têm relevância na avaliação que os nossos clientes nos fazem e que o nosso esforço está bem orientado, cumprindo as necessidades dos nossos clientes. Apesar do feito, o caminho está sempre em construção e este prémio é um incentivo para continuar a cumprir a nossa missão

86 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

de proteger as pessoas, cuidar daquilo que lhes é mais precioso: a saúde, a família e os bens. Queremos exceder as expectativas dos nossos clientes, antecipando necessidades e estando sempre onde o cliente precise que estejamos. A união entre a experiência no mercado, a equipa coesa, a excelência dos serviços e o profundo conhecimento dos produtos e do mercado, permite à Aegon Santander proporcionar uma oferta diferenciada e personalizada, de acordo com as suas necessidades individuais? A orientação para o Cliente tem conduzido a nossa atuação, Isso manifesta-se no desenho das nossas soluções, que respondem a necessidades reais dos Clientes, na qualidade do serviço que prestamos, próximo do Cliente e sempre que possível, capaz de o surpreender, excedendo expectativas. Trabalhamos por nos diferenciarmos pela otimização de dois fatores: o podermos conhecer antecipadamente os Clientes a quem nos dirigimos, e, por outro lado, a construção e soluções, que queremos adequadas aos riscos da vida atual e com recurso a canais que permitam eficiência e proximidade com o Cliente. Ouvir os clientes é essencial para perceber as suas motivações e identificar formas de nos anteciparmos. É fundamental ter agilidade na concretização e flexibilidade para nos adaptarmos aos desafios, com a permanente reavaliação e ajuste. Por fim, é determinante poder contar com uma equipa coesa, con-


AEGON SANTANDER | LIDERANÇA: NOVOS DESAFIOS

fiante e com vontade de se superar, como a que temos na Aegon Santander. Adicionalmente, temos muito claro de que o aspeto que nos diferencia da concorrência, é o fator humano. E igualmente importante é a constituição de equipas inclusivas, nas quais ganhamos um aporte extraordinário na multiplicidade de visões e necessidades, que nos permitem antecipar os desejos dos nossos clientes.

“Fomos a primeira seguradora a dar cobertura a despesas de tratamento Covid-19 no Seguro SafeCare Saúde e fizemo-lo logo em março de 2020 quando tudo era muito incerto, esta decisão tangibiliza de forma clara a nossa preocupação e foco no cliente” A Aegon Santander tem nos seus recursos humanos um dos grandes pilares para o sucesso. Todos acrescentam valor à empresa e o sucesso de um profissional é o sucesso de todos? Reter talento é um grande desafio. Em Portugal, nunca tivemos tantas pessoas tão qualificadas como agora e cujo sonho é conseguirem realizar-se no que fazem, com autonomia e expetativa de um constante desenvolvimento. Conseguir potenciar esse talento, fazendo com que as pessoas se identifiquem com a marca, tenham sentido de pertença, sintam-se bem e com orgulho no que fazem, é um dos nossos principais objetivos. Acreditamos que os resultados que alcançamos dependem do desempenho de um coletivo organizado em torno de um objetivo comum, que não desiste nas dificuldades e é criativo nas soluções que constrói. A crescente exigência dos clientes, a maior dificuldade em superar as suas expectativas e as mudanças de consumo das novas gerações são os principais desafios atuais para o sector? Os desafios são vários, alguns transversais ao sector segurador. O inverno demográfico que Portugal atravessa, o crescente grau de exigência dos Clientes, a maior dificuldade em surpreender e exceder as suas expetativas, a mudança que as novas gerações de consumidores podem trazer para o sector são alguns dos desafios que identificamos. Mas continuaremos a orientar o nosso esforço para implementar a nossa estratégia que estou certo que responderá aos desafios futuros, construindo soluções adequadas, capazes de proporcionar uma proteção efetiva para os nossos

Clientes e suas famílias. Este compromisso permitiu-nos conquistar, em seis anos, mais de meio milhão de clientes que confiam na Aegon Santander para segurar o que lhes é mais precioso, vida, saúde e o lar o que no conjunto representa cerca de um milhão de Apólices. Estamos atentos às tendências e aos desafios que o mundo global nos coloca e encaramo-los como estímulos, e com o otimismo e a paixão com que nos posicionamos nos nossos objetivos. As novas tecnologias são também um desafio acentuado com a pandemia da Covid-19 e ao qual as empresas têm demonstrado uma resposta eficaz. Como tem sido a adaptação da Aegon Santander? A pandemia obrigou-nos a arranjar novas formas de nos organizarmos, a sermos criativos nos modelos organizacionais para mantermos o que tínhamos: uma equipa coesa, confiante e com grande proximidade entre as pessoas. Mas o desafio foi claramente superado, com a entrega por parte de todos. Só dessa forma conseguimos manter a atividade, bem como os projetos em curso, lançar novos serviços e dar mais proteção aos nossos Clientes. A pandemia criou desafios a todos. Contudo, a rapidez com que toda a equipa se adaptou, se comprometeu e assegurou a continuidade da atividade não nos podia deixar mais orgulhosos. Aliás, durante a pandemia fomos mais além, lançámos novos serviços e alargámos as garantias de alguns dos nossos seguros, de forma a melhor responder ao que seriam as necessidades que os nossos Clientes estariam a sentir. Fomos a primeira seguradora a dar cobertura a despesas de tratamento Covid19 no Seguro SafeCare Saúde e fizemo-lo logo em março de 2020 quando tudo era muito incerto, esta decisão tangibiliza de forma clara a nossa preocupação e foco no cliente. As práticas da Aegon Santander Portugal fazem-na uma das 100 melhores Empresas para Trabalhar em Portugal. Este reconhecimento irá refletir-se em clientes cada vez mais satisfeitos e seguros das suas escolhas? A Aegon Santander, tem sido distinguida consecutivamente, todos os anos, como uma das 100 Melhores Empresas para Trabalhar em Portugal. Este ano fomos também distinguidos com o Prémio do Índice da Excelência – O valor Humano na Era Digital. Estes reconhecimentos são resultado do compromisso e envolvimento de todos, que diariamente se superam, e traduzem a produtividade e inovação alcançadas. O melhor reconhecimento é quando ouvimos os nossos colaboradores, que também são nossos clientes, destacar e enaltecer as características que valorizam nos nossos produtos e que fazem a diferença nas suas vidas.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 87


LIDERANÇA: NOVOS DESAFIOS | INDAVER

20 ANOS DE LIDERANÇA NA GESTÃO SUSTENTÁVEL DE RESÍDUOS A comemorar 20 anos de atividade em Portugal, a Indaver é líder no mercado na gestão sustentável de resíduos perigosos e não perigosos e um parceiro ideal na diminuição da pegada ecológica. Como nos apresenta Sandra Freitas, Diretora-Geral, a empresa oferece serviços ambiental e economicamente sustentáveis, fruto do elevado know-how tecnológico e conhecimento de mercado e legislação.

Presente em Portugal desde 2001, a Indaver disponibiliza serviços de gestão de resíduos perigosos e não perigosos, nomeadamente para a indústrias dos sectores químico e farmacêutico, com os quais colabora na procura de um modelo de gestão de resíduos com um impacto ambiental mínimo na sociedade. Desde a gestão global de resíduos aos industriais perigosos, incineração com valorização energética, reutilização e reciclagem, logística, aluguer de equipamentos até à descontaminação de solos e consultoria, os serviços abrangem toda a cadeia de gestão, poupando tempo e energia aos clientes. Com uma abordagem flexível e estando direcionada para um nicho de mercado com necessidades específicas, a Indaver proporciona um serviço chave na mão, inclusive com a alocação de profissionais nas instalações dos clientes que efetuam um serviço completo, embora o valor acrescentado esteja nas fileiras dos resíduos mais complexos. Um balanço positivo em 20 anos de atividade em Portugal A Indaver Portugal foi criada em 2001, como uma sucursal comercial da empresa mãe, a Indaver NV (Bélgica). A escolha do território português derivou da existência de várias multinacionais do sector químico e farmacêutico, com as quais mantinha um relacionamento de longo prazo, e que a Indaver decidiu apoiar com maior proximidade. Em 2006, a Indaver Portugal construiu a estação de transferência de resíduos de Abrantes, concebida de acordo com rigorosos padrões de segurança no tratamento de produtos perigosos, em vigor na Europa do Norte, inovador e único em Portugal. Dois anos depois, ocorre a expansão da atividade para o mercado espanhol e, desde então, tem vindo a fortalecer a sua posição no mercado ibérico. A atividade direcionada para a indústria química e farmacêutica condicionou, a dado momento, o crescimento da atividade e, em 2017, resultado de uma decisão estratégica, foi criado o primeiro centro de serviços partilhados da Indaver com a casa-mãe Belga. Na escolha de Portugal pesou o facto de já existir uma estrutura estabelecida há vários anos. Em 2020, iniciam-se as operações diretamente em Espanha com uma estrutura de equipa local de trabalho. O grupo oferece serviços especializados de incineração de alta temperatura, em especial às indústrias química e farmacêutica, com soluções seguras, acessíveis e sustentáveis e a evolução destas indústrias, significa também o crescimento da Indaver, porque são sectores “extremamente exigentes a todos os níveis, mas parcerias de crescimento mútuo e fontes de confiança”.

88 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

Sandra Freitas, Diretora-Geral


INDAVER | LIDERANÇA: NOVOS DESAFIOS

A Indaver explora soluções inovadoras, que respondem ao mercado e à legislação cada vez mais rigorosa Ao longo dos anos, a Indaver tem investido em instalações de tratamento de resíduos de alta tecnologia e que estão entre as melhores em termos de escala e eficiência. Numa constante procura de novas e melhores tecnologias, para maximizar a valorização material e energética, fechar os ciclos dos materiais e processos, está em curso um novo projeto. “Trata-se de uma unidade de incineração especial que vai receber resíduos industriais perigosos e que serão transformados em matéria-prima (ácido clorídrico) e energia, que terá uma pureza e qualidade que permite, posteriormente, que seja consumido por empresas vizinhas, eliminando assim impactos posteriores de transporte e distribuição”. É uma sinergia entre empresas, respondendo a um modelo de economia circular, com partilha e cooperação efetiva entre cidadãos, empresas e instituições. Um exemplo de eficiência com uma taxa de aproveitamento muito elevada. “Não somos os únicos a ter este tipo de instalações, mas ainda são poucas as empresas que o conseguem”. Na opinião de Sandra Freitas, a reciclagem mais convencional está bem implementada, mas tem de haver um caminho que permita o aproveitamento de resíduos bem mais complexos e que hoje ainda não têm essa valorização. Enquanto fornecedor de um serviço global na área da gestão de resíduos, a Indaver responde aos desafios atuais e futuros Com a complexidade da gestão de resíduos e pelo facto de os requisitos legais serem cada vez mais rigorosos, existe um crescente número de empresas de diversos sectores que procuram a Indaver e privilegiam soluções mais seguras e sustentáveis. Este é, segundo a Diretora-Geral, um dos negócios mais regulados do mundo, com um elevado nível de controlo, mas ainda há aspetos que nem todas as empresas cumprem e, por isso, é importante que seja um sector extremamente regulamentado e fiscalizado. A legislação tem ajudado na regulação do sector e contribuiu para a evolução do mercado. Com as oscilações na economia, as empresas priorizam a redução de custos e o crescimento da população acentua a importância da sustentabilidade. Existe por parte da sociedade civil, comunidade empresarial e instituições públicas, a consciência da importância da gestão sustentável dos resíduos, mas ainda há muito para fazer. A sociedade ainda considera os resíduos como sendo um problema, mas para a Indaver os resíduos são uma oportunidade para reduzir o impacto extremamente negativo dos mesmos, quando não são devidamente tratados. Hoje, existe uma maior consciencialização, a nível global, por parte das empresas, da gestão de resíduos e cada vez mais é relevante. Quando iniciou atividade há 20 anos, a Indaver estava num patamar diferente, mas o nível de consciencialização aumentou,

assim como o cumprimento da legislação. Sandra Freitas reconhece que é preciso dar um passo na qualidade e pensar no impacto a nível global e olhar de uma forma integrada. O ambiente já não pode ser visto como uma despesa adicional, mas sim como um investimento, porque “quanto mais depressa as empresas perceberem isso, mais rápidamente se tornam eficientes”. A Indaver acompanha o mercado e está atenta a oportunidades de investimento e, nesse sentido, os projetos futuros centram-se na consolidação da posição em Espanha, porque existe mais margem de crescimento neste mercado; relativamente aos serviços partilhados, são para continuar a ser desenvolvidos, alargando o âmbito de atividade das equipas; e está sempre presente o objetivo de aquisição de novas oportunidades que façam sentido e se coadunem com o core business e forma de estar da empresa. Sandra Freitas está convicta de que “o caminho é a prevenção, valorização, maximização e aproveitamento material e energético”.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 89


LIDERANÇA: NOVOS DESAFIOS | TPMC

SOLUÇÕES DE GESTÃO INTERNACIONAL

Fundada em 1995, a TPMc atua nas áreas jurídica, tributária e de contabilidade, sempre com o foco na satisfação do cliente, assente num modelo de negócio que procura um acompanhamento constante, um ponto que, de acordo com Tânia Castro, Diretora-Geral, se revela uma mais-valia dada a constante atualização de informação. Tânia Castro Diretora-Geral

Desde 1995 que a TPMc prioriza a satisfação do cliente, o contacto direto e pessoal e uma relação de confiança. Há um percurso de suporte eficiente e eficaz na gestão de compromissos comerciais, fiscais, administrativos e jurídicos das empresas? Ao longo de 26 anos, o nosso foco sempre foi a fidelização e satisfação dos clientes. Portanto, temos clientes que estão connosco desde a criação da empresa e 95 por cento estão connosco desde que se começaram a estruturar em Portugal ou fora, utilizando os nossos serviços. O nosso objetivo final é sempre a satisfação dos clientes e garantir que é prestado o melhor serviço possível. A vossa área de atuação obriga a um conhecimento burocrático e legislativo exigente que, num mercado cada vez mais global e digital, realça a importância do contacto com outros mercados, troca de informação e atualização constante? Sim, na prática, apoiamos clientes que querem investir em Portugal em todos os sectores, como mercado principal a Madeira, mas não só, e assistimos todos os clientes portugueses que querem investir fora do país, em tudo o que esteja relacionado com burocracia, legalidade, estruturação fiscal, legislação. Portanto, todas as situações em que o cliente precisa de informação para poder tomar a melhor decisão possível. Na área fiscal, nacional e internacional, a informação muda quase diariamente e é preciso um acompanhamento constante e é neste ponto que nos consideramos uma mais-valia. Adicionalmente, Portugal é um país bastante burocrático, e nós tentamos suavizar a imagem burocrática que os investidores têm de Portugal, para que a legislação preencha o menos possível os dias do investidor, e se possa concentrar no desenvolvimento do negócio. Ao longo de 26 anos, além da assistência diária que damos aos clientes, a prioridade é sempre melhorar a relação com os mesmos e constituir uma rede de contactos com quase todos os países europeus e de outros continentes, para termos sempre o canal

90 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

aberto com os services providers desses países, caso precisemos de alguma informação atualizada, haja necessidade de constituir sociedades ou fazer investimentos nesses países, possamos, a qualquer momento, ter informação atualizada sobre o investimento local desses países. A TPMc caracteriza-se pelo contacto direto e pessoal com todos os clientes, que são na sua maioria empresários ou grupos empresariais internacionais que se dedicam às mais variadas áreas do trading, serviços e shipping. O cenário pandémico alterou a vossa carteira de clientes ou a dinâmica de trabalho? A pandemia apenas tornou mais moroso vários processos. Nós trabalhamos com vários processos burocráticos e legais junto das entidades, locais ou internacionais, nomeadamente finanças,


TPMC | LIDERANÇA: NOVOS DESAFIOS

segurança social, conservatórias, consulados, e efetivamente a pandemia tornou os procedimentos, que já são burocráticos, muito mais morosos. O que nos trouxe? Interesse renovado de vários países que ainda não tinham ainda olhado para Portugal, e em específico para a Madeira, como uma alternativa para viver ou investir. Começamos a ter mais clientes dos Estados Unidos, Índia, Rússia, África e América do Sul, portanto, que não são os tradicionais europeus. A pandemia fez com que os investidores olhassem para o nosso país como um lugar estratégico e consolidado, em várias áreas, para estabelecerem e desenvolverem um negócio. Ainda nesta perspetiva da transformação digital dos grupos empresariais, as parcerias estabelecidas com outras instituições complementam e enriquecem o vosso trabalho? Na prática, hoje, o serviço interno de pesquisa, contactos e reuniões, é possível fazer via on-line. Por isso, a comunicação constante com os clientes, parceiros e rede de contactos, é mantida a todo o momento e a pandemia não veio alterar esta dinâmica. Não há dúvida nenhuma de que um dos benefícios decorrentes da pandemia foi o reconhecimento e desenvolvimento das tecnologias. A persistência e a satisfação dos clientes são os pontos-chave para a continuidade e sucesso da vossa empresa, mas o contributo que podem dar à economia regional da ilha que responda às necessidades da população é também um fator decisivo? Há muitos investidores que já pensaram na Madeira, mas como não conhecem, não falam a mesma língua, tudo se torna um entrave. Portanto, nós atuamos nessas áreas: no contacto com os bancos, com as autoridades governamentais, com todos os processos burocráticos, com o acesso à informação europeia. Tentamos suavizar toda essa transição, para que todos os processos sejam o mais simples possível para os investidores que querem desenvolver na ilha um negócio, fixar residência ou solicitar um visto.

Trazendo um investimento para a Ilha da Madeira, não se traz apenas receita fiscal e emprego. Os empresários vão ficar em hotéis, vão utilizar transportes, restaurantes e vão consumir nas lojas. Tudo isto faz parte do circuito económico com consequências, diretas e indiretas, para a economia e, neste momento, já assume particular relevância no desenvolvimento da ilha e contribui para o orçamento económico da região. Atravessamos um momento de recuperação económica, o mundo mudou, a economia e a fiscalidade também e é preciso acompanhar e transmitir uma informação transparente, credível e compatível com os sistemas? É preciso uma informação que seja, sobretudo, clara. Efetivamente a informação existe, mas não é o mais o mais clara possível para que um cidadão comum possa perceber a 100 por cento, e nós tentamos fazer essa transição em termos de legislação. Tentamos também apostar na formação das pessoas, com equipas jovens. Aliás, durante a pandemia não tivemos necessidade de dispensar funcionários. O crescimento não foi tão acentuado como queríamos, mas conseguimos continuar a desenvolver o nosso negócio e a dar respostas em tempo útil aos nossos clientes. A partir de janeiro de 2022, os vistos gold deixam de ser possíveis solicitar com investimento realizado em Lisboa, Porto ou Algarve. Portanto, a Madeira e os Açores vão beneficiar com essa alteração legislativa e já estamos a sentir esse efeito, com um interesse cada vez mais renovado na Madeira.

www.tpmc.pt info@tpmc.pt Avenida Arriaga, n.º 30 – 1º A | 9000-064 Funchal Tel: + 351 291 201 980

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 91


LIDERANÇA: NOVOS DESAFIOS | MF MARTINS

NO CAMINHO PARA A INTERNACIONALIZAÇÃO Criada em 1980, a M.F. Martins cresceu apoiada em pressupostos de qualidade, bem como na visão empreendedora e espírito de trabalho de Manuel Martins. Volvidos 41 anos, a empresa é considerada uma referência no sector, reconhecimento que tem como factor primordial o desenvolvimento de competências, acompanhando o mercado, de forma a alcançar a satisfação dos seus clientes. Os próximos passos neste percurso de sucesso são a construção de novas instalações e seguir o caminho da internacionalização.

Manuel Martins, Administrador e Fundador

92 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

A M.F. MARTINS nasceu em 11 de junho de 1980 na Rua do Bonfim, na cidade do Porto, como uma pequena oficina de afiação de serras circulares com apenas dois funcionários. O seu crescimento exponencial sustentado no espíríto empreeendedor do seu administrador, Manuel Martins, levou à transferência das instalações para a freguesia de Pedroso, em Vila Nova de Gaia. De um pequeno espaço com apenas duas pessoas, a empresa passou para uma área total de 2700 metros quadrados e conta, atualmente, com 32 colaboradores, que constituem ativos importantes no crescimento e desenvolvimento desta empresa familiar. Com mais de 40 anos de experiência e presença no mercado, a M.F. Martins tem como core business a comercialização de soluções inovadoras, no âmbito das ferramentas de corte, vocacionadas para os mais diversos sectores de atividade, que vão desde a ourivesaria, passando pela metalomecâmica e construção civil, até à aeronáutica. Manuel Martins considera que a empresa tem vindo a evoluir progressivamente, mostrando-se orgulhoso pelo patamar alcançado, pela posição de vanguarda e “por ser uma referência no mercado português dentro do sector de atividade”, advoga, salientando que a missão da empresa assenta na disponibilização de soluções de corte inovadoras, que possam contribuir para potenciar os processos produtivos dos seus clientes, bem como a sua rentabilização. Para tal, a M. F. Martins conta com as melhores marcas especializadas em ferramentas de corte e acessórios para a indústria e dispõe de assistência técnica pós-venda em todo o país, assumindo a exclusividade nacional de todas as marcas que comercializa. O administrador e fundador da empresa destaca ainda neste percurso de sucesso a criação, em 2005, de uma marca própria, a Master-Prof Professional Tools, que se tem vindo a desenvolver e cujo objetivo é divulgar a nível internacional.


MF MARTINS | LIDERANÇA: NOVOS DESAFIOS

A exigência e a competitividade do mercado A exigência e competitividade do mercado é um desafio que tem sido superado pela empresa que, desde 1998, é distinguida com a atribuição da certificação PME Líder e PME Excelência, fruto do desenvolvimento estável, boa performance e qualidade do serviço. Estas credenciais levaram-na a estar mais preparada para enveredar por outros mercados e, hoje, está presente em Angola, Moçambique, Marrocos, mas também em Espanha. “Sentimo-nos preparados para conquistar novos mercados, encaramos a mudança e os novos desafios como sempre o fizemos, com confiança e com determinação, uma vez que temos objetivos claros e uma estratégia bem definida”, refere Manuel Martins, evidenciando a presença da empresa nas mais importantes feiras internacionais do sector (a próxima em Colónia, na Alemanha), no sentido de divulgar a marca Master-Prof Professional Tools, e seguir os trilhos da internacionalização. Para concretizar este forte objetivo, a empresa está a criar alicerces para poder responder, de forma cabal, ao mercado internacional, nomeadamente com a aquisição de um terreno com uma área de quatro mil metros quadrados, que albergará uma nova fábrica. Inovação e Tecnologia A transformação digital tem vindo a implementar-se em todos os sectores de negócio e a M.F. Martins não ficou indiferente, assumindo-se como “vanguardista” na adoção de ferramentas digitais. Os armazéns inteligentes – Kardex – são a materialização dessa adaptação, uma vez que permitem maior capacidade de armazenamento e organização, ao mesmo que possibilitam “termos um stock ativo com cerca de 70 mil referências, que assegura um serviço de entrega pronto a satisfazer as encomendas no máximo em 24 horas, em todo o país, o que é “muito importante nos negócios de hoje”. As vantagens são evidentes: maior organização e felixibilidade; economia de espaço; maior segurança; e uma resposta mais rápida para a satisfação do cliente. Todos os materiais apresentados em catálogo estão disponíveis para entrega garante o administrador, que reconhece que este conjunto de pormenores são da máxima importância e fazem a empresa crescer, dia após dia. “Neste momento, temos três armazéns e quando passarmos para as novas instalações , o objetivo é adquirir outro”, salienta.

Raquel Martins, a segunda geração da M.F. Martins, garante que a empresa tem vindo a ser equipada com ferramentas de topo, com programas de acesso rápido, que a todo o momento permitem ao profissional, através dos ipads, aceder ao stock da empresa, permitindo-lhe fazer um aconselhamento rápido e em tempo real ao cliente, bem como uma venda e um serviço mais profissional no pré e pós-venda. Formação como fator de distinção A M.F. Martins é também sobejamente conhecida pela assistência que presta ao cliente através de técnicos credenciados, de forma a garantir a máxima eficiência no serviço pós-venda prestado a todos os seus clientes. Com as inovações que vão surgindo e a constante atualização na indústria, é indispensável o aconselhamento para o correto manuseamento dos equipamentos, de forma a atingir os resultados pretendidos, refere Manuel Martins, salientando que “este é, indubitavelmente, um fator distintivo da empresa”.

www.mfmartins.pt Travessa do Barroco, 308 Apartado 140 | 4416-901 Pedroso - VNGaia +351 227 877 210 | +351 935 735 439 REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 93


LIDERANÇA: NOVOS DESAFIOS | DECANOR

DECANOR: DECAPAGEM DE METAIS A Decanor nasceu em 1998. Apareceu no mercado com o intuito de colmatar a ausência de soluções de limpeza das linhas de pintura industriais, assim como a recuperação de peças com defeitos de pintura. Cresceu sustentadamente, apresentando hoje diversas soluções no tratamento de superfícies metálicas. Químico - Todo e qualquer processo químico é, por norma, bastante complexo, pois depende muito da eficácia das matérias-primas usadas no seu fabrico. A complexidade tem a ver com as tintas que se pretende remover, ora de base epóxi-poliéster, poliéster ou mesmo poliuretano, mas sobretudo da camada de tinta que cada peça apresente. É o processo por excelência para decapagem de ligas leves como alumínio, zamac e outros, uma vez que esses materiais não poderão ser sujeitos a temperaturas elevadas como o do processo mecânico.

A Decanor está no mercado há 23 anos, exclusivamente dedicada à decapagem de metais nas suas diferentes formas e exigência, em função do tipo de tintas a remover em diferentes processos: Mecânico – Em cuba de leito fluidizado à temperatura de trabalho de cerca de 425º que por não trabalhar com chama direta, mas por agitação de areia calibrada e movimentação de ar e gás, não altera a dimensão das peças, ou seja, não provoca empenos nos materiais. Os materiais que são tratados neste sistema são metais ferrosos. - Por projeção de granalha esférica em linha automática contínua com controlo de velocidade da linha bem como da intensidade da projeção do abrasivo. Habitualmente, este processo é utilizado para limpeza superficial dos materiais que saem do processo de queima na areia, mas também para limpeza de superfícies com oxidação e/ou óleos e limpeza de rebarbas ou marcas de soldaduras de peças em ligas de alumínio ou aço. Após esta operação, habitualmente, e no caso de peças recuperadas, deverão passar por uma fase de proteção com um óleo aquoso que vai conferir aos materiais uma proteção temporária antes de nova pintura, principalmente no caso dos materiais ferrosos.

O segredo do sucesso A Decanor apresenta-se no mercado como um parceiro das linhas de pintura com uma grande capacidade de resposta de prazos muito curtos nas entregas devido às diversas soluções que foi desenvolvendo com os seus fornecedores, quer tecnologicamente com os últimos modelos de equipamentos existentes no mercado, quer pelas matérias-primas mais eficazes e económicas. A atividade da Decanor abrange, essencialmente, os sectores automóvel, bicicletas, lacagens de alumínio, eletrodomésticos, entre outros, tendo como seu principal cliente a empresa RTE que é, hoje, a maior produtora de bicicletas da Europa. No entanto, estamos igualmente nesse sector com clientes de Itália e diversos sectores na Galiza, no norte de Espanha. A Decanor em todos os processos que desenvolve tem soluções ambientais totalmente homologadas desde sistemas de despoeiramento individuais, Etari, lavador de gases, pós combustão de gases entre outros. Para além disso na parte energética tem instalados painéis fotovoltaicos que representam uma redução significativa no consumo elétrico. A Decanor conta hoje com uma equipa de 24 pessoas nos diferentes sectores da empresa, sendo que normalmente trabalha em dois turnos diários recorrendo ao terceiro turno sempre que assim o entendamos como necessário para garantir os prazos de entrega das encomendas dos clientes.

Quadros Alumínio Antes de Decapar

Puxadores liga alumínio com e sem tinta

94 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

Quadros Alumínio Decapados


DECANOR | LIDERANÇA: NOVOS DESAFIOS

O SEU PARCEIRO NA DECAPAGEM DAS SUAS SUSPENSÕES DE PINTURA E RECUPERAÇÃO DE PEÇAS COM DEFEITO, OXIDADAS, ETC . Consulte-nos www.decanor.pt

Jantes de bicicletas com e sem tinta

Bastidores Decapados /Granalhados

Cadeiras com e sem tinta (em processo)

Bastidores com Tinta

Cadeiras granalhadas + óleo ( fim de processo) REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 95


NUTRINOVA | LIDERANÇA: NOVOS DESAFIOS

“SOLUÇÕES INOVADORAS EM NUTRIÇÃO ANIMAL”

Sediada na Zona Industrial de Vilar de Besteiros, no concelho de Tondela, a Nutrinova - Nutrição Animal, SA. foi fundada em 2011, tendo iniciado a atividade comercial em 2012. A Revista Business Portugal foi conhecer os desafios por trás da empresa, bem como todo o crescimento sustentável e constante.

A

produção e a comercialização de pré-misturas e de alimentos complementares para animais (aves, suínos, ruminantes e equídeos), investigação, desenvolvimento nutricional e prestação de serviços relacionados com a nutrição e o bem-estar animal. A Nutrinova também comercializa leites de substituição, blocos minerais, adsorventes de micotoxinas, higienizantes, aditivos, entre outros. A Nutrinova está certificada pelas normas ISO 9001 e ISO 22000. A empresa dispõe de um laboratório dotado com equipamento tecnológico avançado, capaz de corresponder às necessidades de controlo analítico de clientes e fornecedores. Este serviço de apoio tem por base o controlo analítico de matérias-primas e de alimentos para animais, a avaliação do estado sanitário das explorações, o estudo de processos de maneio e gestão e serviços de formulação. O laboratório da Nutrinova está acreditado pela norma ISO 17025. Com uma gama de serviços alargados, a Nutrinova conquistou uma posição sólida no mercado português e tem como parceiros empresas de referência em várias áreas de produção. Por outro lado, a exportação de produtos e tecnologia faz parte da dinâmica empresarial. De olhos postos no futuro, a Nutrinova acompanha, diariamente, todo o desenvolvimento do sector animal, estando consciente dos desafios que lhe são propostos. Garantir a satisfação de todos os clientes com rigor e qualidade (de acordo com as normas internacionais e requisitos legais) é a principal missão da empresa, sempre aliada aos produtos e soluções inovadoras para o mundo animal.

Nutrinova surge no mercado como um projeto independente no sector da produção animal. Para garantir as soluções inovadores, dia após dia, colaboram com um grupo de técnicos com know-how e experiência em nutrição, sanidade animal e maneio de explorações. Especializada em nutrição animal, a Nutrinova tem como core business a

96 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

Instalações Zona Industrial Vilar de Besteiros Lote 10 · 3465-192 Vilar de Besteiros Tel. +351 232 853 072 Email: nutrinova@nutrinova.pt

www.nutrinova.pt


AMORLUX | LIDERANÇA: NOVOS DESAFIOS

27 ANOS A CRESCER Nesta edição da Revista Business Portugal, damos a conhecer o caso da Amorlux, empresa do sector de instalações especiais, sediada na Aldeia de Paio Pires, no concelho do Seixal. O empreendimento, que hoje emprega dezenas de pessoas, surgiu pela mão de Vítor Guisado e tem registado um crescimento notável.

Vítor Guisado, Proprietário

F

oi em 1994 que a Amorlux iniciou o seu percurso, através do experiente técnico de energia, Vítor Guisado. Passados 27 anos da abertura e, já com uma vasta e reconhecida experiência no sector das instalações especiais, em particular no segmento das instalações elétricas, a empresa viu 2019 como o melhor ano de sempre da sua história. Com um sucesso cobiçável, a Amorlux tem crescido de forma sustentada em todos os aspetos, tendo havido a necessidade de ir aumentando a equipa, que já conta com 30 colaboradores, a fim de conseguir dar resposta à procura de que é alvo. A maior parte dos negócios estão no sector da hotelaria, construção nova e remodelação, estando o mercado atual assente na construção civil associada ao turismo e a novos residentes de vários países. Em 2018, ano em que a Amorlux passou a contar com a certificação da Autoridade Nacional de Proteção Civil, foi distinguida com o prémio de PME Excelência, prova da qualidade do serviço prestado, prezando a qualidade na execução, o cumprimento de prazos, contas certas e estabilidade de quadros de pessoal. A Amorlux é ainda certificada, há 15 anos, com o Sistema de Gestão da Qualidade ISO 9001:2015. Serviço polivalente A atividade da Amorlux compreende o desenvolvimento, engenharia, instalação e assistência técnica de instalações especiais em empreendimentos habitacionais, escritórios, unidades industriais, unidades hoteleiras e infraestruturas públicas. São, assim, cinco áreas específicas de atuação: segurança, eletricidade, redes estruturadas, energias alternativas e gestão técnica. Na área de segurança, a Amorlux dedica-se ao desenvolvimento de sistemas de controlo de acessos, deteção de incêndio de gás e monóxido de carbono, com os quais se promove o bom funcionamento das instalações de uma empresa. Na vertente de eletricidade, a empresa fabrica e instala quadros elétricos e, ainda

concebe, desenvolve e implementa instalações elétricas de baixa tensão em condomínios, escritórios e unidades industriais. Nas redes estruturadas, a Amorlux é qualificada e está perfeitamente equipada para fazer instalações e certificação de redes estruturadas de computadores, de qualquer dimensão e para todos os fins. Já nas energias renováveis, a empresa foi pioneira na certificação: “Junto das entidades competentes, uma instalação de microgeração ao abrigo do Decreto-Lei nº 363/2007”, refere Vítor Guisado. Na gestão técnica, faz implementação de sistemas de controlo específicos para aplicações de climatização, iluminação, racionalização de energia, otimizando os consumos e a vida interna dos edifícios, sendo especialistas nesta área. O sucesso passa por estar atento aos mercados e tendências Segundo o mentor do projeto, é importante estar atento aos mercados e ir adaptando o negócio às novas tendências. A Amorlux começou no sector terciário (Gestão Técnica Centralizada), que estava em grande expansão na altura, tendo-se direcionado mais tarde para os condomínios de luxo. Em 2001, a empresa acaba por enveredar também pela renovação na hotelaria e, a partir de 2008, alargaram o trabalho às energias renováveis e certificaram a primeira microgeração, com ligação à rede em Portugal, tendo, até 2010, instalado e certificado cerca de 300 operações. Mas, apesar do sucesso alcançado, o caminho não tem sido fácil. Vítor Guisado refere que este mercado tem menos expressão, devido à mudança na lei e nos incentivos desde 2011, com a intervenção da Troika em Portugal. Perante as dificuldades, o que fez prevalecer a Amorlux foi a capacidade de inovação e adaptação a novas realidades. Para 2022, a expectativa é continuar a cimentar a posição da Amorlux nos sectores da hotelaria, condomínios de luxo e infraestruturas em loteamentos novos.

CONTACTOS: Rua Quinta das Rosas, nº17 Quinta da Galega, 2840-131 Aldeia de Paio Pires Telef: 212 267 600 (01 a 08) | Email: geral@amorlux.pt

www.amortlux.pt

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 97


BREVES

Certificado digital deixa de ser obrigatório em restaurantes, alojamento local e spas e termas A partir de 1 de outubro, a apresentação do documento deixará de ser necessária para acesso a restaurantes, espaços de alojamentos, spas, termas e ginásios com aulas de grupo, sendo obrigatória a sua apresentação em bares e discotecas, viagens aéreas e marítimas, visitas a lares e estabelecimentos de saúde e grandes eventos.

Governo reforça concurso para IPSS com 20 milhões de euros Depois de uma elevada procura, o governo decidiu reforçar em 20 milhões de euros o concurso para as IPSS, para a compra de carros elétricos. As instituições podem apresentar candidaturas até 30 de outubro.

Salas de aula do futuro estão a crescer em Portugal Inspiradas no projeto Future Classroom Lab, desenvolvido pela European Schoolnet, as salas de aula do futuro têm vindo a crescer em Portugal. Tecnologia e formação de docentes constituem os pilares dos novos ambientes de aprendizagem.

98 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

Investimento em inteligência artificial aumentou até 2020 De acordo com números atualizados do observatório de inteligência artificial da OCDE, os investimentos globais de capitais de risco em inteligência artificial excederam os 80 mil dólares em todos os sectores em 2020, mais 75.600 mil do que em 2013.

Ativos residenciais lideraram investimento imobiliário na Europa Os ativos residenciais totalizaram 24.100 milhões de euros dos investimentos imobiliários em 12 dos principais mercados europeus, na primeira metade do ano. Um valor que corresponde, em média, a um aumento de 16% nos últimos cinco anos.

“Rumo à COP26”: metas de desenvolvimento sustentável O manifesto “Rumo à COP26”, assinado por 82 empresas, traça 11 objetivos para travar as alterações climáticas. Entre eles, a investigação, desenvolvimento e inovação para apoiar a criação de novas tecnologias e alteração de métodos produtivos.


• GESTÃO DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS • GESTÃO GLOBAL DE RESÍDUOS • VALORIZAÇÃO MATERIAL E ENERGÉTICA • TRATAMENTO E ELIMINAÇÃO • PROJETOS E CONSULTORIA

WWW.INDAVER.COM REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 99


100 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.