Issuu on Google+


Editorial Olá Sanzeros e Sanzeras, Depois de um longo período por motivos de trabalho e motivos pessoais, “coisas da vida”, voltamos com mais uma edição de nossa revista, porém, uma edição mais “ligth”, ou seja, mais curtinha e esperamos que vocês gostem. 9 Edição Agosto 2012

Idealización/Creación de la Revista: Lu Casemiro Renisse Ordine Sany Oliveira Redacción: Carolina Cavieres Renata Mar Edición Carolina Cavieres Traducción Renata Mar RP&Marketing Carolina Cavieres Renata Mar

Claro que destacaremos o sucesso em diversos países de “No me compares”, o primeiro single de trabalho do tão esperado álbum La música no se toca, do nosso querido poeta Alejandro. A Seção Atualidades com as novidades do mundo da música: como o novo álbum de nossa bela fada madrinha, Lya Córdoba, que se chama De colores, e o seu primeiro single de trabalho, “Mi verdad”; as recentes apresentações de Sara Vega; e o sucesso de “En mi mente”, de Salvador Beltrán, el Nuevo Chico del Barrio, que Alejandro mencionou na “Entrevista a la carta” de Rtve. Um jóven cantor que foi descuberto por Alejandro, e que também tem como produtor o Capi, e a brilhante colaboração do genial Antonio López Herreros. Inclusive, temos a colaboração de uma querida amiga que adota no twitter o nome de @Jukebox25, que de novo nos conta um pouco mais sobre Salvador Beltrán. Muito obrigada!!!!


Na Seção Música, não poderíamos deixar de mencionar um dos grandes nomes do Flamenco, o violonista Paco de Lucía. Já na Seção Cultura, falaremos um pouco sobre Pablo Neruda, este incrível poeta chileno que conquistou todo o mundo com a sua belíssima obra. Sanzareando eu vou, na qual uma vez mais contamos com a colaboração de nossas migas do Fã-Clube Oficial Ticas Sanz, que nos contam como foi o “Festejo Mundial” do lançamento do single “No em compares”, em Costa Rica. Agradecemos o carinho!!!! N Seção 20 anos de Sanz com as lembranças do álbum El Tren de los Momentos. Por último, aproveitamos para lembrar duas frases do Alejandro sobre El Tren de los Momentos que a gente adora: “el tren solo existe porque existen pasajeros… .”logo, agradecemos a todos os nosso leitores por nos acompanhar nesta encantadora viagem que é dedicar uma revista digital ao nosso querido poeta Alejandro Sanz que tanto nos dá nesses mais de 20 anos de sua brilhante música. E “Mis queridos pasajeros…El tren de los momentos, buen viaje”.


No dia 24 de junho Alejandro através do seu twitter deu a espetacular notícia que restavam poucos minutos para a estréia do primeiro single de seu novo álbum: No me compares, e que estava agradecido de que a HT NoMeCompares já era TT (trending topic) Mundial

Passaram alguns minutos e o single já estava disponível no ITunes, os fãs comeraçaram a comprá-lo e a desfrutar do maravilhoso trabalho. Bastou tão somente algumas horas para chegar a ser número 1 em “vendas digitais”, em mais de 16 países.


E no passar dos dias, entre os fãs começou a companha de pedir “No me compares” nas rádios de cada país, conseguindo ser número 1 também em tais rádio. E Alejandro como sempre se mostrou super agradecido por todo esse carinho.


NÃO ME COMPARE Agora que rangem as pernas Da cadeira de balanço e há neve no televisor Agora que chove na sala e se apagam As velas de um céu que me iluminou. Agora que correm os lentos Derramando trova e o mundo, ring, ring, despertou

Agora podemos olhar-nos Sem medo do reflexo no retrovisor Agora te mostro de onde venho E as feridas que me deixou o amor. Agora não quero barulhos Tão só uma conversa tranquila entre nós Se você quer te conto por que te amo E se você quer te conto porque não.

Agora que troveja um silêncio feroz Agora ficamos com tosse. Agora que achamos o tempo Podemos nos olhar atrás do rancor Agora lhe mostro de onde venho E as partes quebradas do motor. Agora que encontro meu porto Agora encontro a sua dúvida feroz Agora lhe mostro de onde venho E do que é feito o meu coração.

Refrão: Venho do ar que lhe secava a pele, meu amor Eu sou a rua, Onde você o encontrou Não me compare, Desci à terra em um pincel por você Imperdoável, que eu não me pareça com ele, nem com ele, nem com ninguém. Que alguém me seque da sua pele, meu amor

Refrão: Venho do ar Que secava a sua pele, meu amor Eu sou a rua, onde você o encontrou Não me compare Desci à terra em um pincel por você Imperdoável, que eu não me pareça com ele, nem com ele, nem com ninguém. Agora que os gatos pulam Buscando as sobras, você uiva a triste canção Agora que você ficou sem palavras Compara, Compara, com tanta paixão.

Que nos despreguem E que apaguem você de minha têmpora Que você não me fale Que alguém me seque da sua pele, meu amor, que nos despreguem Eu sou a sua alma, você é meu ar. Que nos separem, se é que podem Que nos separem, que tentem Que nos separem, que tentem Eu sou sua alma e você minha sorte Que nos separem, se é que podem Que nos despreguem, que o tentem Que nos separem, que tentem Eu sou sua alma e você minha sorte.


Para fanàticos @Alejandrosanz churrito como siempre y estrenando àlbum con mi amiga Claudia Cano;) besos!! // via: @PAOOVALLE (periodista)

Mi encuentro ayer con Ale!!! / via; @ soniberth (Directora d la revista OK! (edición Venezuela)

Miami día 2 .un regalo para los fans de Alejandro Sanz / via: @PANCHOSAAVEDRA

Pronto “la música no se toca” nuevo álbum de @AlejandroSanz // via @tatasolarte


El año de 2012 está siendo un año de pura magia por los tantos lanzamientos musicales que están a punto, de ser lanzados.

Lya Cordoba O ano de 2012 está sendo mágico por tantos lançamentos musicais super aguardados. Começamos com a nossa querida “hada madrina” Lya Córdoba, que recentemente estreiou “Mi verdad”, o primeiro single de seu segundo álbum que se titula De colores, produzido por Javier Catalá, além de contar uma vez mais com a colaboração de seu padrinho, Alejandro Sanz. Vale destacar a apresentação de Lya com Farru, no último 12 de julho na Sala Apolo, entre tantas outras apresentações por toda Espanha, assim como o inicio da divulgação de seu novo álbum, concedendo entrevistas a diversos meios de comunicação.

Álbum este que já é um suecesso super merecido pela incrível qualidade vocal de Lya que nos emociona com sua encantadora música. Por isso adoramos tanto Lya Córdoba!!!


Videoclip “Mi verdad“

link do videoclipe “Mi Verdad”

i verdad“

amaras “M tras de las c

De

n á r t l e B r o d a Salv E um dos lançamentos mais esperados, “En mi mente” de #ElNuevoChicoDelBairro. Salvador Beltrán, que é um sucesso no Itunes e principalmente no Youtube, pois o seu videoclipe já ultrapassa as 280.000 visitas) Um Ole a este joven e talentoso cantor!

videoclipe Videoclip de “En mi mente”


Sara Vega

A linda Sara Vega atuou em diversos palcos nesses últimos meses. Começamos com a sua apresentação na Sala Búho Real, em Madrid, no dia 29 de maio de 2012, e devido o sucesso, foi convidada para mais um show, que aconteceu no dia 10 de julho. Neste show, Sara fez uma espécie de acústico com novos temas, além de ter repassado o seu primeiro trabalho discográfico, Sangre Revuelta, álbum que contou com a produção de Alejandro Sanz e Rafa Medina. Assim como, vale destacar a sua atuação no Music Love Festival, no dia 12 de junho, e mencionar que Sara também continua na preparação do seu novo álbum. Desde Brasil, seguimos torcendo muito por esta jovem e talentosa cantora que tanto amamos. E no último 16 de julho, Sara cantou na Gala da Fundación SOS ( da qual é madrinha), ao lado do famoso violonista Daniel Casares.Uma belíssima e inesquecível apresentação.


Elcano El buque escuela Juan SebastiĂ n ante... en el puerto de Cadiz, que emocion

alguien me pidio un a foto de los tatuaj es y que dijera que foto.. Lo segundo es significan. Ahi va la pa mi na mas. Buen as noches. Dormir ta mbien es vivir.


Salvador Beltrán O novo garoto do bairro

Com tão somente 19 anos, Salvador Beltrán já tinha experimentado essa viciante sensação que te envolve quando se coloca os pés em um palco com “Cambio de planes”, grupo do qual pertencia junto ao seu amigo Amador Sánchez. Miguel Ángel Arenas, Capi, em uma ocasião teve a oportunidade de vê-los, e embora não tenha ficado satisfeito com tudo o que viu, chamou-lhe muito a atenção a voz de Salvador. Salvador tinha tudo muito claro, e ele não se conformaria em passar pelos seus sonhos sem conseguir realizar por um detalhe. Sua entrega pela música era tanta, que não hesitou em recluir-se em uma estúdio durante cinco dias para trabalhar algumas gravações. Por esses dias de confinamento, e sem descansar, sua saúde foi debilitándose de tal maneira,que teve que ser internado em um hospital. Depois de um difícil tratamento e posteriomente processo de recuperação, seu estado de ânimo caiu, fruto da tristeza que se encontrava, e nasceu “Imagínate”, tema que gravou em sua casa e que, posteriormente, colocou em sua conta do Twitter para mostrá-lo a uma de las personas que mais admira, Alejandro Sanz.

O que não sabia este jovem compositor é que todo esse esforço, desencadearia em uma mais que gratificante surpresa. Tudo pelo que havia lutado começava a tomar forma, já que Alejandro não somente manifestou grande surpresa ao escutar a arte que destila este jovem compositor por cada um de seus poros, senão que além disso, mostrou um notável interesse em apoiar a sua música.


Qual seria o próximo passo? Buscar o seu descubridor. Alejandro entrou em contato com Capi, com que comentou sobre como tinha ficado fascinado com a música deste menino, pedindo para que Capi trabalhasse com Salvador, pois oferecia umas quadlidades que prometidia grandes expectativas ao panoramo da música atual.

“Todo va muy deprisa pero disfruto de todo” comenta Salvador. E não é para menos, pois, a partir de aquí não parou mais. Depois de uma minuciosa seleção entre mais de 90 temas de sua própria autoria, vieram: o contrato com a gravadora Sony Music, promoções, ensaios, videclipe, seções fotográficas.... “Cambio de Planes” será o título do álbum que será lançado em Setembro; um disco no qual Salvador, despe a sua alama, transformando em poesia suas próprias experiências pessoais, acariciando cada uma de suas notas com a suavidade uma voz limpa, versátil e com grande variedade de matizes que não nãos deixaram indiferentes, fazendo gala de uma grande maturidade que, a pesar de sua pouca idade, fica demonstrada em cada uma das estrofes que brotaram dos cantinhos mais profundos do seu coração. “En mi mente”, primeiro single de este novo trabalho, que já toca no iTunes, spotify e youtube, teve uma grande recepção do público, que deixou opiniões favoráveis através do Twitter, rede social que que já contamos com os fãs-clubes e@Suenocambios e @FCmxSalvaBeltra, localizadosem Barcelona e México respectivamente. E é que Salvador, já ultrapassa fronteiras, inclusive, antes de sair o seu disco no mercado.

@jukebox25


Sanzereando voy Lançamento do novo single de Alejandro Sanz “No Me Compares” Celebração Mundial: Costa Rica O dia 25 de junho foi um dia de festa para toda a comunidade sanzera, e embora deste lado do mundo tenhamos escutado a proposta de Alejandro Sanz no dia 24 (12:00pm hora espanhola), no dia 25 de junho celebramos o lançamento nas radios de Costa Rica de “No Me Compares”, o primeiro single extraído do novo álbum de Alejandro que será lançado dentro de alguns meses, e cujo título se revelou no mesmo dia : “La Música No Se Toca”. Depois de 2 anos de espera, este dia merecia ser muito celebrado, e foi através da Comunidade Internacional de FãClubes Oficiais de Alejandro Sanz e alguns fã-clubes amigos, que se organizou o “Festejo Mundial”, em que se planejou reunir fãs das principais cidades, de España, Argentina,

Chile, Colombia, México, Ecuador, Perú, Venezuela, Republica Dominicana, USA e claro que Costa Rica, com o apoio da Universal Music. Por sorte, os festejos foram acolhidos com grande entusiasmo, tanto pelos fãs quanto pelo próprio Alejandro e os meios de comunicação. Finalmente se conseguiu cumprir com o objetivo desta atividade: Transmitir a alegria que sentimos diante do inicio desta nova etapa.


No caso de Ticas Sanz, o dia iniciou muito cedo já que primeiro devíamos realizar um importante trabalho: a entrega do novo single em algumas das principais emissoras de rádio e meios de comunicação do país. Felizes, compartilhamos a manhã entre amigas e jornalistas, entregamos o material e participamos do programa “La Micro”, que se transmite através de “Los 40 principales”, onde apresentamos o single e conversamos um pouco sobre Alejandro Sanz, sobre“No me compares”, e sobre a atividade desse dia e o Fã-Clube. E por fim chegou o momento da celebração. A atividade tinha sido anunciada previamente em alguns jornais nacionais e teve inicio na Plaza de la Cultura a las 12:30md. Pasamos a tarde entre amigas, balões, material promocional do single e as típicas pombas que caracterizam a Praça. Compartilhamos um lindo momento com as fãs do artista e as convidamos a solicitar “No Me Compares” em todas as emisoras do país. Além disso, contamos com a presença dos meios de comunicação escrita.


Um dia com excelente resultado, já que entre todas as fãs costarriquences conseguimos que Alejandro Sanz e seu novo material fossem a canção mais pedida no dia do seu lançamento em território nacional. E desde esse dia, o single continua subindo como “a espuma” nas rádios “ticas”. Queremos agradecer a Comunidade Internacional, Universal Music Latin Entertainment e Universal Music Centroamérica por todo o apoio en esta atividade, assim como (o incomparável ) Alejandro Sanz e sua equipe de trabalho pelo respaldo; a todos os fãs que estiveram com a gente neste Festejo Mundial e que se unirão em todas as atividades que estão por vir.


As fotografias do Festejo Mundial estão disponíveis na web oficial www.alejandrosanz.com e nas páginas do Facebook de Alejandro Sanz Oficial, na Comunidade Internacional e os Fãs-Clubes que a integram. Fan Club Oficial Ticas Sanz Costa Rica Ticas_Sanz@hotmail.com https://twitter.com/Ticas_Sanz https://www.facebook.com/ticas.sanz http://ticassanz.blogspot.com/ http://www.comunidadinternacional. org/


a i c u L e d o c a P Um dos grandes mestres do Flamenco Falar de Paco de Lucía e de qualquer outro nome do Flamenco, como Camarón, Moraíto, Enrique Morente, entre tantos outros, torna-se dificil, pois se tem a impressão de que nunca será o bastante, nunca será possível expressar o quanto é preciosa e importante a sua obra, mas eu tentarei.... A primeira vez que escutei o nome de Paco de Lucía foi na minha infância, durante as inúmeras conversas com o meu querido avô, um apaixonado pela música, seja pelos boleros de Agustín Lara, seja pela música de Paco de Lucía. A segunda, através do filme Don juan de Marco, en que la canción “Have you ever really loved a woman?” contou com a colaboração de este grande mestre do Flamenco, e anos depois, através da música de Alejandro Sanz, meu ídolo. Assim, era inevitável não me tornar uma grande apaixonada pelo Flamenco e seus grandes nomes, e por isso, a necessidade de em cada edição da Revista Sanz, dedicar um espaço a esta Arte que é tão cativante e super importante para o nosso querido Alejandro Sanz. E depois dessa breve introdução sigo com alguns apotamentos sobre a brilhante carreira de de Paco de Lucía. Francisco Sánchez Gómez, de nome artístico Paco de Lucía nombre (Algeciras, Cádiz de dezembro de 1947), é um violonista flamenco considerado um dos maiores mestres do violão e por que não dizer do Flamenco. Por isso recebeu muitos prêmios, como a Medalla de Oro al Mérito en las Bellas Artes (1992), o Premio Príncipe de Asturias de las Artes (2004), entre tantos outros.


Os seus pais, Lucía Gomes “La Portuguesa” e Antonio Sánchez influenciaram muito em sua vocação, já que foi de seu pai e de seu irmão Ramón que teve as primeiras aulas de violão, nas quais passava muitas horas praticando. Paco têm dois irmãos que também são grandes nomes do Flamenco: Pepe de Lucía, cantaor profissional desde criança, e o falhecido Ramón de Algeciras, violonista também profissional. Ambos foram membros de sua banda. Durante anos Pepe e Ramón acompanhou Paco nas gravações dos discos e turnês, sendo que ambos irmãos também tiveram suas próprias carreiras como solistas e trabalharam com outros artistas. No final dos anos 60 conhece Camarón de la Isla, com quem cria uma fabulosa união musical, fruto este, que se encontra nos seus primeiros álbums. De inicio se mostraram excelentes intérpretes de um

flamenco mais ortodoxo, gravando dez álbums entre 1968 e 1977, e da mesma maneiras se tornariam precursores de um flamenco mais popular e mestiço, entrando no terreno do pop, rock e jazz. Em destaque o CD: “Al verte las flores lloran” de 1969, com as seguintes faixas:

Al verte las flores lloran Que un toro bravo en su muerte Si acaso muero En una piedra me acosté Ande y no presumas más Camina y dime Detrás del tuyo se va Y tú no me respondías Llorando me lo pedía Una estrella chiquitita Con la varita en la mano Barrio de Santa Maria


A melhor aportação de Paco de Lucía ao Flamenco, segundo os estudiosos e críticos desta Arte, era o fato dele ter conseguido popularizá-lo e internacionalizá-lo, sendo considerado um esplêndido intérpete por seu virtuosismo e seu personalíssimo estilo que se pode definir como vigoroso e rítmico. Este estilo se manifesta na qualidade de numerosas obras, como: “Entre dos aguas” (rumba), “La Barrosa” (alegrías), “Barrio la Viña”, “Homenaje al Niño Ricardo” (soleá), “Almoraima” (bulerías), “Guajiras de Lucía” e “Río Ancho” (rumba). É evidente além do esforço que ele realizou para dar a conhecer o Flamenco ao público fora da espanha e de ter se atrevido a “dar outro ar” misturando com outros estilos, que embora de estruturas melódicas e rítimicas diferentes podem conviver bem com ele. Paco de Lucía abriu caminho para este tipo de experimentações e fusões do Flamenco com diversas músicas. Outro aporte de Paco para a arte do Flamenco Contemporâneo, foi a inclusão do “cajón”. Este instrumento de música afroperuana é conhecido por Paco em Peru, nos finais dos anos 70, nas mãos de Carlos “Caitro” Soto de la Colina, “cajonero” e compositor peruano. Paco entende que este instrumento peruano pode ser a solução para a permanente necessidade de percussão que requer o Flamenco, e o acrescenta, em cumplicidade com Rubem Dantas, aos elementos de percussão utilizados em seu

sexteto, tornando o “cajón” desde então e com o passo do tempo um instrumento essencial para arte flamenca contemporânea e, logo, de outras correntes musicais internacionais. Paco de Lucía também compôs trilhas sonoras para os seguintes filmes: “La Sabina” de José Luis Borau; “The Hit” de Stephen Frears; “Carmen” de Carlos Saura (em que também atuou); “Montoyas y Tarantos” de Vicente Escrivá; “Sevillanas” de Carlos Saura actuó);


“Montoyas y Tarantos” de Vicente Escrivá; “Sevillanas” de Carlos Saura e “Vicky Cristina Barcelona” de Woody Alle. E apesar de quase toda a sua obra se desenvolver no Flamenco, Paco gravou alguns trabalhos em outros estilos, como a música clássica, a fusãoi do flamenco com o jazz e outros estilos musicais. O que demonstra uma incrível versatilidade e engrandece ainda mais a sua obra, transformándo-o em um dos grandes mestres do Flamenco. Compartilho ainda, o fragmento de uma entrevista realizada em 2003 a Alejandro Sanz, a motivo de sua colaboração ao lado de demais artistas, no então álbum “Cositas buenas” de Paco de Lucía, que além de ser um dos seus grandes mestres na música (Paco colaborou em “El escaparate”, “Mi primera canción” do disco 3 de Alejandro, e em 2004, no álbum No es lo mismo, na faixa “Regálame la silla donte te esperé”) é seu amigo pessoal de longa data: Primer agradecimiento, para mí Paco ha significado mucho, creo que es lo más grande que ha ocurrido en la música de este país y para mi cultura musical lo es todo. Dije, por fin voy a poder meter un zarpazo en un disco de Paco, luego pensé ¿de qué manera?, y se me ocurrió el tres cubano, que lo había descubierto en el disco anterior. Le hablé de incluir este instrumento, más que cantar, estaba falto de la voz, a Javier Limón le gustó la idea, un instrumento que no se ha utilizado nunca para el flamenco y tiene una sonoridad muy particular y creo que se puede sacar mucho provecho para el flamenco, de hecho, no he escuchado el resultado final, pero creo que ha quedado bonito. Siempre trabajar con él es un gusto, es el maestro, cada disco de Paco es una nueva forma de ver la guitarra, es el único que es capaz de seguir innovando en cada uno de sus discos de manera contundente, hay muy buenos guitarristas, pero Paco inventó eso. Vamos a ver que hace ahora.


Hay que destacar su último disco En vivo Conciertos, Live in España 2010 y sus siguientes temas: Disco 1: Variaciones de Minera (Minera) Mi Antonia (Bulería por Solea) Tangos con cositas buenas (Tangos) Moraíto siempre (Bulería) Disco 2: El Cafetal (Rumba) Lagartijo (Siguirilla) Zyryab en vivo Vámnos (Rumba)

Cositas buenas ainda contou com a colaboração de Diego El Cigala, La Tana e Tomatito. En abril de 2012, Alejandro Sanz y Antonio Carmona compartilho esta bela apresentação con Paco de Lucía y su banda, en Filmore Miami Beach.

Clic para ver el video


Seção 20 anos Sanz

El Tren de los momentos O CD El tren de los Momentos (2006) ,foi produzido pelo próprio Alejandro em colaboração com o produtor Lulo Pérez (parceria que teve inicio em seu disco anterior, No es lo mismo) e foi gravado em: La Habana, Miami, Bahamas e Madrid. E segundo o próprio Alejandro (2006) foi produzido de maneira não convencional No escribí ni una sola palabra, solo improvisé sobre una base que yo mismo la creé, una base rítmica con bajo y batería programada, sobre eso improvisé con piano y/o guitarra, fui improvisando las letras al mismo tiempo que improvisaba las letras. Al mismo tiempo que iba creando la música, iba creando las letras, de tal forma que las frases que salen ya encajadas en la música quedan perfectas, porque no tienes que pasarla al papel, adornarlas y devolverlas a las canciones, ya lo salen directo. Es un proceso más complicado sobre todo tiene que estar en un momento de inspiración bueno, que te salgan fácilmente las melodías, que tenga una predisposición a las canciones, Si tienes que estar esperando, entonces es mejor trabajar de la forma convencional. Pero así como te has dicho, es un disco muy poco convencional.

(Transcripción de la entrevista de Alejandro Sanz concedida a Univisión, sobre el lanzamiento del disco El tren de los momentos, en 2006. Disponible en: < http://www.youtube.com/ watch?v=L-0cv3YL9SM > y <http://www.youtube.com/watch?v=ueZrptF93M0>


Notamos uma certa improvisação no que confere a estrutura da composição do álbum, porém, podemos observar letras que evocam a um embarque a este “el tren de los momentos”, um trem que apresenta, talvez pela primeira vez, uma postura mais direta do artista frente à injustiça, à desigualdade social, ao terrorismo, entre tantos outros temas que pertencem a essa modernidade líquida (BAUMAN, 1998) ou a pósmodernidade, em que despimos identidades de acordo com as circunstâncias. Tais considerações são possíveis, pois, no encarte de El tren de los momentos, encontramos algo recorrente nos discos de Sanz (um longo agradecimento) só que desta vez, algo a mais que esse agradecimento: indícios de uma postura mais comprometida em causas sociais, culturais, que anos mais tarde lhe renderia prêmios como Save the Children, e muitas homenagens frente a importância

da difusão da cultura hispana no mundo: La raza de las razas. Somos la raza de las razas. En lo cruel del universo. El tren podría ser perfectamente: la vida. De hecho […] Míranos desde donde quiera que estés, a través de tu ventanilla, somos un ejército de motivos con una misma razón. Y ese silbato suena como un basta de crueldad y de dolor, basta de injusticias, basta de palabras y de abusos y de que pierdan siempre los mismos…Y de que nos cuelen palabras como colaterales, o terrorismo o “lo sentimos si matamos a sus niños pero es que las bombas inteligentes no distinguen a un soldado de un viejo o de un niño”…[…]Esas armas y esos seres son despreciables y las palabras libertad, democracia o justicia suenan obscenas en sus bocas devoradoras insaciables de dientes.[…] A los que van a escuchar este tren silbando viene a lo lejos, solo escojan muy bien el vagón y tómense su tiempo para escoger asiento. Tiempo y para bajarse…Tiempo. Recuerden que el


tren sólo existe porque existen pasajeros. (SANZ, Alejandro. “Agradecimientos”. In: CD El tren de los momentos, Warner, 2006.).

Desta maneira, e levando em consideração os estudos do teórico Bauman (1998) sobre a pós-modernidade, podemos entender a proposta deste CD como uma metáfora a uma “eterna viagem” pós-moderna, em que não há mais um lugar fixo, uma ordem pré-estabelecida, uma única verdade, senão verdades, e identidades em constante mobilidade. Cabe-nos embarcar neste trem e disfrutar da maravilhosa música de Alejandro, repleta de “jogos de palavras”, metáforas, que sempre se “pierde en los detalles” que muitas vezes não percebemos pelo “corre –corre” do nosso dia a dia. Neste disco ainda temos mais uma vez um dueto de Sanz com Shakira (Em 2005 eles lançaram o single “La tortuna” de éxito internacional e que pertenceu ao CD Fijación Oral 1 da cantora), na canção “Te lo agradezco pero no”. Cabe mencionar, que o videoclipe de seu primeiro single “A la primera persona” demonstra indicios de um cortometragem que aborda questões do desamor, e da solidão, pois inicia uma história, que se segue em “Te lo agradezco pero no” e termina em “Enseñame las manos”. Videoclipes estes, que foram dirigidos pelo diretor de arte Jaume de Laiguana, repetindo a parceria iniciada em No es lo mismo. Em destaque para o videoclipe de “A la primera persona” que foi filmado em Nova York e contou com a participação da atriz espanhola Paz Veja (irmã da cantora Sara Vega).


Ainda sobre El tren de los momentos, ele contou com a participação do grupo portorriquenho e de sucesso internacional, o Residente Calle 13, na música “La peleíta”, como uma melodia que relembra o estilo do grupo, assim como teve a colaboração nas guitarras, de Juanes. “Se lo dices tú” teve a participação de Antonio Carmona, através do “cajón”. Também foi lançado uma Edição Especial, com uma longa entrevista e um mini-show de promoção desde CD, os videoclipes de “A la primera persona” e “Te lo agradezco pero”, e ainda algumas músicas inéditas, como “Cariño a mares”, “No te lo digo por nada”, com a colaboração do guitarrista Álex González, do grupo Maná, e “Enseñame a querer”. E em 2007 foi lançado o DVD El tren de los momentos, gravado em Buenos Aires (Argentina), e com conteúdos extras, como o show de Santiago de Compostela (Espanha), que contou com a participação de Shakira, na música “Te lo agradezco pero no”.


O seu verdadeiro nome é Ricardo Eliecer Neftalí Reyes Basoalto, e nasceu no dia 12 de julho de 1904, em Parral (Chile). Foi um poeta considerado entre os melhores e mais influentes artistas do seu século, “el más grande poeta del siglo XX en cualquier idioma”, segundo Gabriel García Márquez. Também foi um destacado ativista político, senador, membro do Comité Central do Partido Comunista, pré-candidato a presidência do seu país e embaixador na França. Entre os seus diversos reconhecimentos se destacam o Prêmio Nobel de Literatura em 1971 e um Doutorado Honoris Causa por la Universidad de Oxford. Os seus pais foram: Rosa Neftalí Basoalto Opazo, professora de um liceu de meninas; e seu pai, José Ángel Reyes, ajudante de obras e depois maquinista. Em 1919 Neftalí ingressou no Liceu de Hombres de Temuco, onde adotou o pseudónimo de Pablo Neruda. Começou a escrever poesia desde muito jovem em diversos jornais e revistas. Os seus primeiros prêmios foram literários, e Neruda os recebeu nos anos de 1919 e 1929 em Maule e Temuco, respectivamente. O primeiro poema seu a ganhar um concurso literário foi Canción de Fiesta (1921).

Dentro de sua atividade pública destacam –se os cargos diplomáticos em diferentes países, participação ativa em organizações literárias e sua eleição em 1945 como Senador da República pelo Partido Comunista, do qual também é em 1979 pré-candidato a Presidência da República. Sua última aparição pública foi no dia 5 de dezembro de 1972, onde o povo chileno realizou uma homenagem ao poeta no Estádio Nacional. Neruda faleceu de cáncer no dia 23 de setembro de 1973, doze dias depois do Golpe Militar que derrubou o governo de Salvador Allende.


Suas Inspirações Sua obra poética abrange uma ampla temática amor, natureza, história, personagens históricos e é traduzida a todos os idiomas e vários dialetos Suas Inspirações foram a história do seu país (Chile) na qual se encontra plasmada em Canto General (1950) O clima chuvoso, foi assim como, anos depois, em sua casa na Isla Negra, instalou em um dos cômodos um teto de zinc para escutar o som da chuva. Essas frias e úmidas terras,próximas do oceano Pacífico emergem em uma poética de desesperança, de solidão do ser humano e do amor, como em Veinte poemas de amor y una canción desesperada, livro que levou o seu autor aos circuitos internacionais e lhe deu mais fama. O Mar: é reconhecio em vários poemas . A Guerra Civil Espanhola, comovido por ela e pelo assassinato do seu amigo García Lorca, Neruda se compromete com o movimento republicado, primeiro na Espanha e logo na França, onde começa a escrever España en el corazón (1937).


Algumas de suas obras: Entre as suas principais obras podemos destacar: •Crepusculario (1923), •Veinte Poemas de Amor y una Canción Desesperada (1924) •Tentativa del Hombre Infinito (1925), •Residencia en la Tierra (1933), •La serie España en el Corazón (1937), •Las Furias y las Penas (1936), •Tercera Residencia (1942), •Canto General (1950), •Himno y Regreso (1947), •Que Despierte el Leñador (1948), •Odas Elementales (1954-1957), •Todo el Amor (1953), •Extravagario (1958), •Memorial de Isla Negra (1964) •Confieso que He Vivido (1974), su autobiografía.

Entre os prêmios e distinções obtidos se destacam: Premio Nacional de Literatura (1945). Premio Nóbel de Literatura (1971). Premio Lenín de la Paz (1972). Además recibe diversos homenajes, premios y títulos honoríficos.


Curiosidades “Tuve larga paciencia para buscarlos, placeres indescriptibles al descubrirlos, y me sirvieron con su sabiduría y su belleza”. Pablo Neruda Foi um grande colecionador de diversas coisas, pois ganhava presentes em suas visitas por vários países do mundo Caracóis: Neruda tinha mais de nove mil diferentes caracóis; provenientes do Chile, da América do Sul e do resto do mundo. Uma das espécies mais estranhas são originárias dos mares da China, Filipinas, do Japão e do Báltico. “… Lo mejor que coleccioné en mi vida fueron mis caracoles. Estos me dieron el placer de su prodigiosa estructura: la pureza lunar de una porcelana misteriosa, agregada a la multiplicidad deformas, táctiles, góticas, funcionales”. Garrafas: Pablo Neruda foi um grande colecionador de garrafas. Tinha de todo o tipo, grandes, coloridades, em formas de mulher, e inclusive muitas delas com barquinhos dentro. Era tão organizado que as garrafas não ficavam em um lugar qualquer, mas todas em ordem. Assim, por exemplo, as garrafas azuis estavam na janela que davam para o mar e as de cor terra, ficavam “olhando a areia”, perto do jardim.

“Deja que tus caderas impongan en el agua una medida nueva de cisne o de nenúfar y navegue tu estatua por el cristal eterno”.

Borboletas: Neruda em sua casa tinha uma belíssima coleção de borboletas. Tinha muitas e de todas as cores que se pode imaginar. Trazidas de muitos lugares tais como a África e Ásia, das quais eram muito grandes e belas. Neruda gostava muito e tinha coleções delas em sua casa da Isla Negra.


Alejandro e sua admiração por Neruda Já é conhecido que Alejandro admira a vários poetas, e um deles é Pablo Neruda, por twitter reconheceu que em uma de suas viagens a Chile visitou uma das casas de Pablo Neruda, localizada em Santiago, e chamada de “La Chascona”; e reconheceu que várias pessoas tinham recomendado que ele visitasse também a casa da Isla Negra. O Poema XV, é o que Sanz declama em um álbum com textos escolhidos de Neruda

qual podemos escutar aqui Além de Alejandro, neste álbum, participaram artistas como: Miguel Bosé, Joaquín Sabina, Andrés Calamaro, Aterciopelados, Mikel Erentxun e El Tri.


Sanzeros e sanzeras, visitem o site oficial do Alejandro Sanz, pois hรก dois novos concursos sobre o seu novo รกlbum.



Revista Sanz / Portugues