Page 1


ÍNDICE FOTOGRAFIA 12 LUÍS S. TAVARES 28 EDITORIAL: BRING ME SOMETHING NEW

MÚSICA E CINEMA 22 EMMY CURL: MÚSICA COM ORIGENS 42 PARADISE LOST: ALBUM REVIEW 52 FILM REVIEW: THE BOURNE LEGACY

OPINIÃO 40 CANTIGAS DE ESCÁRNIO E MAL DIZER 41 TRETAS PARA ESQUECER

MODA E BELEZA 36 GET THE LOOK: COCO SUMNER 54 TENDÊNCIAS DE MAQUILHA- GEM 2013

E MAIS... 04 RADAR BLOGS: PUMPS 19 DESIGN: HOME SWEET HOME 46 XPERIMENTAL SHOES 58 RECEITAS MARMITA 64 SUGESTÕES RADAR 66 NO RADAR 2 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


EDITORIAL Caros leitores, já nos encontramos no ano 2013 e, como em qualquer inicio de ano, as expectativas são imensas, e obviamente que nem eu consigo fugir a esta tendência. DANIELA Salsa Enquanto editora da Radar, EDITORA as ambições para este ano são inúmeras e isso já se reflecte um pouco nesta edição. Apostamos em novos artigos, em novas áreas da Cultura e Lifestyle. E queremos que assim continue. O design de interiores conquistou um lugar nesta edição de Janeiro, as tendências de maquilhagem para a Primavera/Verão são também aqui apresentadas, e para se inspirarem no que diz respeito a moda, nada melhor do que conhecerem a talentosa Coco Sumner, uma das it girls do momento. Tivemos ainda tempo para conhecer Patrícia Silvério do blog Pumps, bem como o mais recente álbum de Emmy Curl e o fabuloso trabalho de fotografia do jovem Luís S. Tavares. E não deixando nunca o empreendorismo de lado, descubram nesta edição o trabalho que as gémeas Ana e Célia realizam na Xperimental Shoes. E mais não digo. Bom ano e Boa Leitura!

Editora Daniela Rodrigues

Fotografia / Edição / Paginação Daniela Rodrigues

Modelo (capa e editorial) Célia Esteves

Colaboradores Pedro Henrique Ribeiro Raúl Rodrigues Sandra Santos Sansão Gomes

Contacto radar-magazine@hotmail.com

Facebook. facebook.com/magazineradar

3 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


4 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


blogger interview

pumps-fashion.com por daniela salsa fotografias: marco claro

Quem possui o bichinho dos blogs certamente já ouviu falar de Patrícia Silvério. Natural de Guimarães, a sua viagem pela blogosfera iniciou-se em 2011, quando sentiu a necessidade de dar a conhecer a outras pessoas a sua perspectiva. Com uma abordagem muito própria, Pumps não é, certamente, apenas mais um fashion blog pois é nele que Patrícia partilha - entre outras coisas - o seu gosto por locais e pessoas. E mais não digo. Simplesmente fiquem a conhecê-la melhor nesta entrevista.

5 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

5


1- Em primeiro lugar, quem é a Patrícia

-soas a minha perspetiva. Foi muito

Silvério?

difícil escolher um nome para dar ao

Bom… Isso é uma pergunta difícil de

blogue. Pesquisei inúmeros nomes e na

responder (Risos!)! Sou uma miúda com

altura achei que soava bem: Pumps!

23 anos. Nasci na cidade mais linda de Portugal, que é Guimarães. Estou pre-

3- A tua paixão por moda é notória

stes a acabar o curso Tecnologias da

e isso reflete-se no teu blog que,

Comunicação no Instituto Politécnico de

ao contrário de muitos outros exis-

Bragança. Sou apaixonada pela minha

tentes na blogosfera portuguesa, não

vida e dou valor ás pequenas coisas que

se foca maioritariamente naquilo que

me comtemplam!

costumas vestir. Entre artigos sobre locais que visitaste, projectos, even-

2- Porque decidiste criar um blogue?

tos e entrevistas, diz-nos: quais os

E porquê Pumps?

posts que te dão mais gozo criar e

Já sigo blogues há cerca de quatro

quanto tempo perdes em média por

anos! Lembro-me que os primeiros

semana no blog?

Blogues que visitava e consumia diari-

Fico super contente de conhecer a tua

amente eram a Carmo (Avant Chanel),

perspetiva em relação ao meu blogue.

Last Minute Dreams, Stylista, Alfaiate

Adoro fazer publicações sobretudo de

Lisboeta e os internacionais Caroline’s

locais que visito e de lhes dar a devi-

Mode e a Pandora. Muito rapidamente

da importância e suscitar interesse nos

a minha lista estendeu-se e já tinha

meus leitores. Gosto de dar relevo a

um bloco de notas com centenas de

novos projetos de pessoas que querem

links para eu seguir. Este processo de

singrar e de outras personalidades que

visitar e descobrir novos diários online,

podem ser conhecidas, e outras que não

mais a minha paixão e gosto pela moda

o são e merecem ser. Adoro entrevistar

e o jornalismo influenciou-me de tal

e de me armar em “Daniel Oliveira”.

maneira, que me levou a criar o meu

Este é um formato que quero fomentar

próprio blogue. Foi algo que me fez

e implementar para a minha rubrica na

pensar muito porque o formato que eu

Betrand.pt. Aliás o convite surgiu após

queria criar tinha que ser algo diferente.

a equipa ter adorado e a entrevista que

O Pumps nasceu na necessidade de me

realizei ao Alfaiate Lisboeta, que pelos

expressar e dar a conhecer a outras pes-

vistos atingiu milhares de visitas. Foi

6 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


uma entrevista que me deu um gozo enorme e que me deu muito trabalho pois pesquisei muito, mas muito. Também gosto de fotografar pequenos detalhes. Por vezes gosto de publicar algumas fotos sobre o que visto mas é raro. Prefiro focar outros aspetos. Não porque não tenha atitude e imagem para isso. Porque sei que tenho. Mas prefiro me focar mais num formato jornalístico. Acabo por consumir muito tempo em frente ao blogue. Penso que é saudável todo o tempo aquele gasto com o Pumps.

Adoro fazer publicações de locais que visito e de dar relevo a novos projectos. Gosto de entrevistar e de me armar em Daniel Oliveira.

7 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

7


8 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


4- A Patrícia é uma jovem com bastantes ambições e a verdade é que não paras um segundo. Além do blog, estudas em Mirandela, colaboras com algumas revistas e ainda tens tempo para dedicar à loja Boneca. Fala-nos um pouco desta tua vida preenchida e de como consegues conciliar tudo isto. Sim isso é tudo verdade. Gosto daquilo

O Pumps trouxe-me muitas coisas boas­ [entre elas a oportunidade de] trabalhar na minha área.

que faço e “Quem corre por gosto, não se cansa”. Costumo dizer que “parar é

O Pumps trouxe-me coisas muito boas.

morrer” e eu adoro estar ocupada porque

Estou a trabalhar na minha área: sou asses-

sinto-me concretizada e eu lutei por tudo

sora de comunicação/ RP da Boneca. A

aquilo que eu sou. Durante a semana nor-

Gabriela de Azevedo foi uma pessoa que

malmente estou em Mirandela, frequento

acreditou em mim e o que sou agora tam-

as aulas e trabalho a partir da Internet, pois

bém se deve muito a ela. Colaboro com

o meu trabalho é feito quase todo feito a

algumas revistas online e surgiu o convite

partir daí. Durante o fim-de-semana estou

para escrever uma rubrica para o Jornal,

por Braga onde ocupo o meu tempo na

Expresso do Ave, em Guimarães. Surgiu-

loja a organizar as coisas para o resto da

-me um convite para trabalhar na mesma

semana. Colaboro com algumas revistas

área que exerço na Boneca, mas como

das quais sempre foram as minhas predil-

estou acabar o curso, foi um impasse

etas. A minha colaboração é um pouco na

forte para não aceitar a proposta. Tive a

base de reportagens de moda no Norte do

excelente oportunidade de ter sido entrevis-

País. Neste momento estou um pouco para-

tada para o Programa Moda Portugal RTP.

da mas tenciono voltar rapidamente com

Surgiram convites para fazer styling que foi

novas reportagens. Depois disto tudo ainda

uma experiência super enriquecedora que

tenho a família e o meu namorado. Quando

pretendo levar avante. Tudo isto surgiu na

a gente quer e gosta, existe espaço para

minha vida porque também sou uma pes-

tudo na nossa vida!

soa dinâmica que deseja e ambiciona abraçar novas experiências e projetos. E claro

5- Até ao momento, o que é que o PUMPS

tenho muita gente que acredita em mim e

te trouxe de melhor? E de pior?

me apoia. Isso é incondicional e gratificante.

9 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

9


Tenho um estilo muito próprio. Às vezes uso peças clássicas conjugadas com outras mais modernas. Sou muito coquette!! O que me trouxe de pior… não tenho

tras mais modernas. Sou muito coquette!!

nada apontar. Reparo que existe muita

Confesso que detesto copiar tendências.

rivalidade e acho que é desnecessário.

Uso o que gosto e adoro fundir peças

Pois neste mundo, existe um lugar para

básicas com outras mais arrojadas.

todos nós. Temos é de saber aproveitar o que nos rodeia e fazer magia.

7- Através do teu blog é percetível a tua paixão pela música. O que

6- Como classificarias o teu estilo?

podemos encontrar no teu mp3 neste

Tenho um estilo muito próprio. Às vezes

momento?

uso peças clássicas conjugadas com ou-

Arcade Fire – No cars Go.

10 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


8- O que é necessário para ter um

sas boas. Que 2013 seja tão bom que

blog de sucesso, na tua opinião?

2012. Se tudo correr bem terei imensos

Criatividade, dinamismo, distinção e

projetos e novidades!!

claro uma boa máquina fotográfica! 10- Por último, uma mensagem para 9- Estando já em 2013, o que esperas

os leitores da RADAR.

que este novo ano te traga de novo e

Que tenham um ótimo 2013 cheio

o que pretendes nele realizar?

de coisas boas. Muita Vida, Muita

Eu acho que 2013 vai ser promissor!

Felicidade, Muitos Projetos e Leiam a

Sou muito positiva e isso atrai-me coi-

RADAR Forever!

11 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

11


12 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


Novos Talentos / Fotografia

Luís S.Tavares por Daniela Rodrigues

www.facebook.com/luis.s.tavares

Luís Silva é um jovem de 20 anos natural de São João da Madeira. Com um talento natural para a fotografia, dá-nos a conhecer em cada imagem o seu olhar único sobre o mundo que nos rodeia, aliado sempre à fantasia, não fosse o Luís um eterno sonhador. Chama-se Luís Silva mas optou por ser conhecido por Luís S. Tavares no mundo da fotografia. Falar sobre si próprio parece ser complicado, mas este jovem de São João da Madeira dá a volta à questão, afirmando, de forma simples e direta, que se considera um autêntico sonhador.

“Considero-me um autêntico sonhador, o que nem sempre é bom. Sou um simples rapaz, tento descobrir-me a cada dia que passa, tento explorar o mundo que me rodeia e aquilo que me dá prazer fazer. Acho que no fundo ainda mal me conheço.” A paixão pela fotografia não é recente. Aliás, parece ter sido hereditária, uma vez que a sua grande influência foi a sua própria mãe. “Ela sempre gostou de pegar na máquina fotográfica e capturar todos os momentos e locais que observava. Eu um dia simplesmente despertei e quis experimentar, e assim foi.” Em 2008, comprou uma máquina fotográfica, que o tem acompanhado até aos dias de hoje. A partir desse momento foi brincando com ela, experimentando 13 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

13


sem cessar. Inicialmente, fotografava objetos do quotidiano, “coisas que encontrava pela casa”. Mais tarde, foram as paisagens que captaram a sua atenção, registando-as durante as inúmeras viagens com a família ou amigos, até que, no início de 2009, a vontade de arriscar falou mais alto e começou a fotografar pessoas.

“Pedi a uma ou duas amigas minhas e fomos fazendo experiências. Aí, soube qual era o assunto que mais gostava de fotografar: pessoas.” Em relação à vocação, Luís S. Tavares afirma que apenas um mês antes de ingressar no ensino superior é que tomou a decisão de seguir esta área, pois apesar de o gosto pela fotografia estar sempre presente, a instabilidade e a exigência deste mundo também estavam, e apesar de se encontrar a estudar na Escola Superior Artística do Porto, a forma como encara a situação do país não é a mais positiva:

“Já todos sabemos que o país actualmente não está propriamente numa condição favorável economicamente. Sejam jovens ou adultos, está complicado para todos. Não há cursos ideais, seja Direito ou Medicina, o desemprego é o destino final para muitos. Porém, também é sabido que o Estado português não é propriamente o maior apoiante das artes em Portugal. É uma área arriscada e o receio que tenho é, obviamente, enorme. Não há trabalho. Mas sei que se tivesse escolhido outra não teria melhor sorte. Poucos conseguem manter-se num curso/trabalho que não gostam, mais cedo ou mais tarde, o copo vai transbordar.” Ao observar o portefólio de Luís S. Tavares, a figura feminina é um elemento que está quase sempre presente. Questionado sobre esta tendência, o jovem fotógrafo afirma esta ocorre devido a dois factores: “em alguns conceitos é necessário que sejam modelos femininos, devido a certas poses ou adereços; a segunda razão é porque calhou. É natural que sejam as raparigas que tenham mais interesse em servir de modelo, então é natural que a maioria das pessoas 14 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


15 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


interessadas sejam do sexo feminino (se bem que tenho quase a certeza que muitos rapazes gostariam mas ou têm receio de o admitir, ou não têm a confiança para arriscar).” Também a Natureza é um elemento bastante explorado nas suas fotografias uma vez que não gosta - nem consegue - estar longe dela. “A Natureza para mim é essencial e eu não só gosto, como preciso de estar perto dela. Adoro fazer caminhadas pela serra da freita, descer rochas e montanhas, mergulhar num rio ou andar de bicicleta pelo parque da 16 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

cidade. É algo que me faz bem, é uma éspecie de terapia. E a natureza tem algo de místico, algo que associo ao meu trabalho. Gosto da magia que envolve o nosso mundo, a ligação que temos com ele. Às vezes prefiro enfiar-me no meio da serra em vez de ir para uma metrópole como Porto ou Lisboa. Gosto das sensações, o toque, a gratidão em estarmos cá, vivos, e podermos presenciar a beleza que nos rodeia. E tento passar isso um pouco para o meu trabalho.” Relativamente ao processo de pós-edição, Luís considera que este é tão ou mais importante que o próprio acto de fotografar. Uma vez


que não é adepto da fotografia que retrata o mundo do jeito que ele é, mas sim da fotografia enquanto meio de dar a conhecer um mundo de fantasia e ilusão, Luís recorre à pós-edição para conseguir partilhar um mundo alternativo. “A pós edição é como se fosse o pincél dos fotógrafos. Um pincél virtual, digamos. Gosto do imaginário, do místico, de alterar as coisas, criar o meu mundo alternativo. Às vezes são alterações de luz ou cor, outras vou mais longe e carrego bastante na edição, desde a remover partes do corpo a alterar a paisagem de fundo. É o momento que mais liberdade tenho para igualar a fotografia à imagem que criei na minha mente. As edições que considero imprescindíveis são a nível de luz, cor e contraste. Essas são, para mim, a base para chegar à fotografia final.” É de conhecimento geral que não basta ter bom material para se tirar boas fotografias, mas a verdade é que este contribui imenso para o resultado final. Contudo, Luís considera que o instinto e a imaginação são ainda mais cruciais, porque a máquina não faz o trabalho sozinha. “Eu so apenas a máquina fotográfica, nada mais. Só eu, a máquina e o modelo. E a maior dica para os leitores é a de não se sentirem deslocados ou inferiores só porque não têm a última novidade das máquinas fotográficas. É preciso lembrar que não é propriamente o equipamento que faz o fotógrafo. Ajuda, mas não é tudo. É crucial experimentarem com o material que têm à disposição, explorá-lo. Aconselho também a darem maior importância à objectiva que compram, e não ao corpo.”

Durante esta conversa, a faceta sonhadora de Luís Tavares sobressaiu quando o questionei sobre o que espera do futuro. Como qualquer jovem, os sonhos e as ambições são imensos. Os de Luís não se resumem, obviamente, à fotografia, mas a nível profissional, o que gostaria mesmo era de poder viver desta sua paixão. “Ainda não tenho um emprego em mente, algo definitivo. Quero trabalhar nas artes, se possível na fotografia. É a maior certeza que tenho. Mas um dos meus planos para o futuro é estudar e possívelmente trabalhar fora do país. É algo a tentar. Adorava ir para a Dinamarca, Suécia, Noruega ou até mesmo a Alemanha. A qualidade de vida desses países é fantástica e é sabido que os países nórdicos são espertos o suficiente para apoiarem a cultura. É um objectivo de vida.” Com a entrevista a chegar ao fim, pedi que deixasse uma pequena mensagem a todos os leitores da Radar, e gentilmente ele assim o fez: “Não desistam. É o mais importante. Não desistir e aprender a arriscar. Ás vezes compensa, não podemos recear o falhanço. É assim que aprendemos. E tentem sempre ser melhores do que vocês mesmos, o importante não é ser melhor que Y ou X pessoa, mas sim ser melhor que vocês mesmos. A comparação é a morte do artista. Em vez de se deixarem assolar pela inveja, depressão ou sensação de inferioridade, têm de se focar em vocês próprios. E, por fim, têm de gostar do que fazem e procurarem serem felizes e gratos com a vida. ”

17 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

17


Home Sweet Home minimalist decor

Menos é mais! Numa altura em que o estilo minimalista continua a ter destaque em diversas áreas, também na decoração ele se mantém. A simplicidade nunca foi tão apreciada e, na época de crise que atravessamos, acaba por se tornar numa excelente opção para quem quer decorar a sua casa com baixo orçamento. O branco é a cor chave e os espaços destinados à arrumação tornam-se cruciais para manter a harmonia. Aqui ficam algumas das nossas sugestões! Imagens:

Pinterest Love-aesthetics.blogspot.com

18 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


Dica: reutilizar / atribuir novas funções a alguns objectos é uma das nossas sugestões. Empilhar livros no chão, de forma organizada é uma excelente alternativa às estantes. Utilizar cai-xas de sapatos para guardar pequenos objectos ou até mesmo um galho para criar um cabide. As caixas de madeira destinadas ao transporte de mercadorias são uma opção criativa para quem quiser arriscar e criar uma pequena estante ou mesa de cabeceira.

19 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

19


20 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


21 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

21


22 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


Emmy Curl

Música com origens Texto: Daniela Salsa Fotografias: Luís S. Tavares

Emmy Curl é o alter-ego de Catarina Miranda, uma jovem oriunda de Vila Real que afirma que a sua paixão pela música nasceu consigo em 1990. Depois do sucesso de Birds Among the Lines, o seu primeiro EP, é a vez de Origins dar que falar.

23 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

23


Com apenas 22 anos, Catarina Miranda é, aparentemente, uma jovem como tantas outras. No entanto, o seu talento torna-a única. Emmy Curl é o seu alter-ego, uma personagem interiorizada de Catarina, mais terna e emocional, que em 2010 viu o seu primeiro EP ser editado pela Optimus Discos. Dois anos depois de Birds Among The Lines, surge o seu seguidor. Origins foi o título escolhido para este segundo trabalho que nos dá a conhecer uma Catarina igualmente doce, mas indubitavelmente mais madura musicalmente.

primeiro vídeo oficial deste novo EP

Radar: O nome Origins não foi escol-

quem gostamos. Eu tenho uma enorme

hido por acaso. A que se deve esta “necessidade” de destacar as tuas

ter Trás-os-Montes como plano de fundo. O facto de teres nascido e crescido na cidade de Vila Real reflete-se de que forma no teu trabalho enquanto artista? EC: Eu vivi durante vários anos num vale elevado da cidade. Então, tinha aquela paisagem belíssima como inspiração nos momentos em que tinha de apanhar o autocarro. No tempo de espera reflectia com o que via, por ser tão belo e tão ainda virgem aos olhos dos outros. Há uma vontade em mim inexplicável de mostrar estas terras ao mundo, tal como mostrarmos o nosso filme favorito a necessidade de partilhar o que faço e o que vejo. Então, neste ep, quis começar

origens?

por realçar a parte imagética de Trás-os-

Emmy Curl: Este novo EP espelha a

muito por mostrar.

minha situação pessoal e profissional. Estive dois anos à procura de um caminho e no fim apercebi--me de que tinha que começar com o que tinha, com a inspiração das minhas raízes, com as músicas já de anos anteriores que nunca

Montes, tendo a consciência de que há

R: Origins conta com algumas colaborações, entre elas o André Tentugal dos We Trust e o Eurico Amorim dos Ornatos Violeta. Como foi a experiência de trabalhar com alguns nomes

tinha publicado, feitas em Vila Real.

do panorama musical português?

R: Como foi dito anteriormente, este

foram cruciais para atingires o resul-

trabalho foca-se nas tuas raízes, daí o 24 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

Consideras que estas colaborações tado final pretendido?


25 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


EC: O André conheceu-me em Aveiro,

posso confundir as coisas. Quando subo

estava eu a tocar no bar em que trabal-

ao palco e sou a Emmy - ou nas foto-

hava. Ele entrou porque ouviu a minha

grafias ou em videos - há um espaço de

voz e, desde então, ficámos amigos

tempo que respiro ou que deixo respirar

e já partilhámos um palco juntos uma

quem sou no meu íntimo, o meu refugio

vez. Convidei-o mais tarde para gravar

pode finalmente ser partilhado com as

algumas guitarras, uma vez que estava

pessoas. Houve um período na minha

destinado que fosse tocar comigo ao

fase de adolescência que me fez focar-

vivo, como o fez em 2009/2010. Mas,

me neste universo. Eu sofri de bullying

como todo esse trabalho foi inconclu-

na escola, por me vestir e pensar de

sivo, só aproveitei no processo deste

forma diferente, mas não culpo ninguém.

novo ep uma música onde ele participou:

Hoje sou quem sou porque passei por

a Stream.

isso. Refugiei-me no meu quarto e com-

Quanto ao Eurico, posso com mais

ecei a compor canções em inglês para

certeza dizer que foi uma das colabora-

ninguém perceber o que desabafava, a

ções do disco mais importante, porque

desenhar e a fotografar. E assim nasceu

as camas sonoras de sintetizadores

a emmy.

deram outra vida às canções e levaramnas para o universo onde eu realmente

R: Como é que as pessoas podem

as tinha imaginado.

adquirir este teu novo EP?

R: A Emmy Curl é uma personagem

EC: Em formato físico ou digital por aqui:

bastante sonhadora e delicada que

emmycurlmusic.bandcamp.com, sendo

parece ter sido retirada de um mundo

que o formato digital é gratuíto!

de fantasia. O que te levou a criar um alter-ego assim?

R: Por último, uma mensagem que gostarias de deixar aos leitores da

EC: Eu, desde muito cedo, vivi num

RADAR.

mundo de fantasia. A emmy Curl é a menina que transmite uma parte do uni-

EC: Façam o favor de ser felizes e con-

verso onde vivo, no qual não me é pos-

tribuir para a felicidade do mundo, que

sível viver quotidianamente. Tenho um

ele bem precisa!

lado muito sóbrio em mim, por isso não 26 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


27 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

27


Bring me something new PHOTOGRAFIA / EDIÇÃO DANIELA RODRIGUES MODELO CÉLIA ESTEVES

28 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


29 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

29


30 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


31 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

31


32 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


33 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

33


34 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


35 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

35


36 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


Get the look

Coco Sumner por daniela salsa

Nasceu em 1991 em Pisa, Itália. Filha do músico Sting e da atriz e produtora Trudy Styler, Coco Sumner nasceu no ambiente perfeito para se tornar uma estrela. Aos 15 anos apenas, começou a escrever músicas a a trabalhar no seu álbum. Dois anos depois, assinou um contrato com a editora Island Records e passou seis meses na Suécia a gravar o seu álbum de estreia, The Constant. Com uma personalidade única e um cariz independente, Coco mostrou desde cedo ao mundo que o seu talento e sucesso em nada se apoia na imagem dos pais, tendo dedicado uma música à afirmação do seu eu, onde pede para ser julgada pela sua carreira e não por ser filha de Sting. Apesar de ser reconhecida pela sua carreira musical, a verdade é que também o seu estilo irreverente a destaca na multidão, sendo já considerada uma it girl. O seu estilo rebelde conquistou o mundo da moda e em 2008 foi escolhida por Mario Testino para ser o rosto da campanha de Primavera/Verão da Burberry. Em entrevista para a Vogue Inglesa, a artista afirmou que veste qualquer coisa que encontra no armário, não pensando demasiado sobre a maneira como vai sair à rua. Mas apesar de não compreender os motivos que levam o mundo a considerá-la um ícone da moda, a verdade é que o seu estilo descontraído e com um toque masculino - que não segue qualquer tendência a não ser as que a própria estipula - não passa despercebido. 37 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

37


Casaco de ganga HM, 34,95€

Tshirt Pull&bear, 7,99€

Botas Pull&bear, 45,99€

38 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


Sapatos Oxford HM, 34,95€

Jeans Stradivarius, 12,99€

Camisa Zara, 19,99€

Calções Zara, 15,99€

39 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

39


Cantigas de Escárnio E Mal Dizer Focused - reggae gregos, troianos e jamaicanos

para

Vegetarianos, consumidores de canabinóides, amantes da paz, e todos os outros fãs de regpor sansão gomes gae, Richie Campbell lançou o seu primeiro álbum Focused é o nome de um cd maduro que viaja pelo reggae sem perder a essência. Depois de um grande “buzz” nas redes sociais, participações em álbuns e festivais, as expectativas estavam altas (ou “high”, se calhar é o termo mais correcto). O cantor cumpriu com as expectativas e não veio estragar a moca a ninguém. Depois de um período na Jamaica que lhe terá dado inspiração (e talvez olhos vermelhos), Richie Campbell faz um trabalho que agrada a gregos e troianos. Do reggae mais clássico e romântico (em temas como Gonna Leave You ou Chill) até à colaboração com Anthony B em It Takes a Revolution, numa música mais próxima do hip hop. Não esquece ainda o dancehall em Don’t Panic, tendo tudo para pôr rabos a abanar, sem chegar a ser parolo como Sean Paul. O single That’s How We Roll e Sacrifice My Life são os pontos mais altos do cd, mostrando este último tema uma faceta mais interventiva. No fundo, sem chegar a ser comercial, este é um cd que passa bem na rádio, agrada a todas as massas e não estraga mocas. Numa altura em que grandes nomes do reggae são europeus (Patrice, Alborosie ou Gentleman) Richie Campbell quer marcar no mapa reggae o país do fado. As participações de Anthony B e Ikaya (mais um bónus, videoclip com miúdas) dão ainda mais credibilidade a este intuito! 40 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


opinião

Tretas para esquecer A palavra Lifestyle se traduzirmos à letra, significa estilo de vida, e, se repararmos bem, a cultura que consumimos, desfrutamos e apreciamos está intimamente ligada ao estilo de vida que temos. Não estou a falar de estilo de vida no sentido em que a Cultura ocupa horas nas nossas agendas, condicionado a forma como ocupamos o tempo, mas sim como a Cultura afeta a nossa forma de estar, pensar e de interagir com o mundo exterior.

por Raúl Rodrigues

Quantas vezes não fomos levados a usar artigos da moda que vimos num determinado filme? Quantas mulheres não sonham receber uma declaração de amor, semelhante a uma peça de teatro de um qualquer romancista? Quantos adolescentes não sonham ter um banda e um dia serem ouvidos no mundo inteiro? A cultura, nas suas diversas formas, está presente em todos dias da nossa vida, condicionando os espaços que frequentamos, as viagens que gostaríamos de fazer ou as conversas que temos. Mas acima de tudo, esta ajuda-nos a ter outra percepção do mundo que nos rodeia, tornando-o mais belo, mais interessante, mais fascinante, desenvolvendo em nós a nossas capacidades cognitivas, potencializando os nossos básicos cinco sentidos, levando ao aumento da nossa criatividade. Neste seguimento, e sendo eu como sou, não poderia deixar de fazer uma pequena critica social. A verdade é que, nos dias de hoje, e principalmente em Portugal, a cultura está claramente em declínio no nosso país. Fala-se tanto em empreendedorismo, em novas ideias e novas formas de negócio - entre tantas outras abordagens para mudar o mind set dos portugueses - e esquecemo-nos que, para criarmos novas oportunidades, é necessário CRIATIVIDADE! O ser humano só desenvolve a capacidade de criação se o seu intelecto for alimentado pelas diversas formas de cultura. E é por isso que Cultura não deve ser desprezada - nem menosprezada - por uma sociedade, pois a Cultura está intimamente ligada ao nosso estilo de vida.

41 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

41


42 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


Paradise Lost Um Paraíso Reencontrado por pedro henrique ribeiro

43 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

43


P

aradise Lost...esta banda é o

“Fear of Impending Hell” e a faixa homón-

sonho molhado de qualquer críti-

ima ao álbum, são o género de músicas

co, simplesmente em virtude de todas

em que os Paradise Lost tornaram-se

as coisas estranhas que eles fizeram

excelentes a escrever e compor: pesa-

ao longo dos anos. Começando como

das, mas com melodia e com uma con-

um dos pioneiros do death/doom metal

stante negatividade.

em 1990, a banda transformou-se numa

As letras escritas por Nick Holmes pare-

espécie de hard rock/metal gótico, quan-

cem agora mais fixadas na morte do que

do no final dessa década, transformam-

outrora era habitual, sendo a morte aqui

se de repente numa espécie de Depeche Mode. Eventualmente, eles viram o erro que esse caminho estava a tomar e desde 2005, com o lançamento do autointitulado álbum, têm sido lançando algumas das músicas mais pesadas de sua carreira. O seu trabalho mais recente - Tragic Idol - continua essa tendência, puxar a banda para caminhos doom e antigos, através do uso de toda a experiência acumulada nos diversos trajectos da sua carreira e no uso das suas

As letras parecem mais fixadas na morte, a morte com m maiúsculo, que assusta quaLquer homem robusto

habilidades actuais. Sem surpresa alguma, “Tragic Idol”

apresentada com um M maiúsculo,

começa onde o até outrora último álbum

aquela que assusta qualquer homem

“Faith Divides Us... Death Unites Us”

robusto, que provoca confissões e decla-

acaba. Como se numa tentativa deses-

rações de fé no último suspiro de vida. O

perada de recuperar o tempo perdido, a

tema não é bonito e Holmes emerge para

banda parece estar a tentar condensar

a ocasião com o seu desempenho vocal

todo o “crushing doom metal” que for

mais rasgado desde o lançamento de

possível num álbum. “Honesty in Death”,

“Icon”. O guitarrista Gregor Mackintosh

44 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


Paradise Lost

permanece como um David Gilmour do doom

-soalmente eu irei puxar sempre para a ver-

metal e o novo

são de “Draconian Times”).

baterista Adrian Erlandsson (ex-At The Gates)

Para aqueles que preferem o som mais vira-

embora não necessitando de todas as

do para ocrushing death/doom dos primeiros

suas capacidades neste género musical,

dois álbuns, “Tragic Idol” talvez seja o que

continua a soar muito bem.

procura. Para todos os outros, basta esperar

Naturalmente, qualquer veredicto sobre este

pelo próximo, pois nunca se sabe o que

álbum depende de qual versão de

dali irá sair. Mas não me entendam mal,

Paradise Lost o ouvinte esteja à espera (pes-

“Tragic Idol” está muito bom e recomenda-se.

45 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

45


46 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


TEXTO: DANIELA SALSA / FOTOS: XPERIMENTAL

ANA E CÉLIA SÃO IRMÃS GÉMEAS QUE ESCOLHERAM O DESIGN COMO ÁREA DE FORMAÇÃO. A PRIMEIRA OPTOU PELO DESIGN DO PRODUTO, ENQUANTO A SEGUNDA PREFERIU O DESIGN DE MODA. A Xperimental Shoes surge da paixão dESTAS duas jovens designers por moda e comunicação. CRIADOS A PARTIR DE IDEIAS COMO CONFORTO E LINHAS MINIMALISTAS, ESTES SAPATOS “MADE IN PORTUGAL” DESTACAM-SE NO MERCADO, PODENDO AINDA SER PERSONALIZADOS PELO CLIENTE.

47 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

47


48 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


1. Em primeiro lugar, falem um pouco sobre vocês. Somos duas irmã gémeas, nascemos na Póvoa de Varzim e temos 25 anos. A Ana é formada em Design do Produto e a Célia em Design de Moda. Neste momento para além de termos a Xperimental Shoes, trabalhamos para outras empresas: a Ana em design e comunicação de moda online e a Célia em design de calçado. 2. Como surgiu a ideia de criar a Xperimental Shoes? A Xperimental Shoes surgiu porque achámos que podíamos fundir o conhecimento e a experiência de ambas. Como temos uma forte paixão por moda, especialmente calçado, a decisão foi natural, não tivemos de planear muito para que a marca acontecesse.

3. O que é a Xperimental Shoes, o que a distingue no mercado e qual o seu objectivo? A Xperimental Shoes é uma marca de sapatos irreverente, que pretende quebrar fronteiras entre a criação e a produção sempre com o objectivo de agradar e conquistar novos públicos. 4. Como caracterizariam o processo de passar do papel para a acção? Descrever o processo de criação e produção não é fácil. A ideia surge e vai sempre melhorando em cada etapa. Na verdade este processo só acaba, quando entregamos os sapatos ao cliente e vemos a sua reacção.

5. A adesão do público a este projecto tem sido positiva? A Xperimental Shoes está neste momento apenas com vendas físicas em Portugal e na web que está ao alcance de todo o mundo. Obviamente que sendo um projecto recente, a venda tem-se focado muito dentro do nosso país (embora já tenhamos enviados alguns pares para fora). Tendo em conta o panorama nacional e mesmo europeu em geral, acho que não nos podemos queixar: a adesão do público tem sido muito positiva.

É verdade que o país não está num bom momento, mas é preciso aproveitar este aperto para ter boas ideias. 6. Como é que o público poderá adquirir os vossos produtos? Podem dirigir-se a uma das lojas que têm os nosso produtos (onde poderão encomendar outras cores, caso não exista o que quer) ou através do nosso site www.xperimentalshoes. com, que sofrerá uma boa remodelação já nesta próxima colecção.

49 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

49


7. Não é de todo novidade que o país se encontra numa situação bastante complicada. Tendo em conta que se lançaram nesta altura do campeonato com um projecto empreendedor, que conselhos gostariam de deixar aos portugueses que pretendam lançar-se numa aventura semelhante? 50 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


É verdade que o país não está num bom momento, mas é preciso aproveitar este aperto para ter boas ideias... e quando falamos em boas ideias, falamos de coisas diferentes e apetecíveis do ponto de vista comercial. O ideal é nunca desistirmos porque cada um de nós tem um cantinho onde trabalhar e se gostar mesmo do que faz, vai certamente alcançá-lo.

8. Por último, uma mensagem que queiram deixar aos nossos leitores? Estejam atentos à Xperimental Shoes, pois traremos muitas e agradáveis novidades em breve. Ah, Comprem produto português!

51 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

51


52 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


A

sequela Bourne,extre- mamente popular e contando já com mais de mil milhões de dólares de receitas, tem agora o seu mais recente capítulo – O Legado de Bourne. O escritor/realizador expande o universo da história Bourne com uma nova e original história que nos introduz um novo herói (Jeremy Renner) em que todas as situações de vida ou morte são provocadas por eventos ocorridos durante os três primeiros filmes. Neste filme vemos uma injecção de “sangue novo”, com as entradas do já referido Jeremy Renner, mas também de Rachel Weisz, Edward Norton, entre outros, aliando à continuidade dos veteranos do franchise Albert Finney, Joan Allen, David Strathairn e Scott Glenn.

Este filme apresenta uma série de inconsistências ou até buracos no enredo, principalmente no confronto final. Apesar disso, é-nos apresentado uma história com muita energia e acção, com o novo personagem Aaron Cross sendo melhor que o próprio Jason Bourne em alguns aspectos, tais como a aparência mais

film review

dura e um papel mais convincente como soldado profissional que se desilude aquando o seu serviço obrigatório no Médio Oriente. Seguindo este raciocínio, este filme é apenas uma nota de rodapé para a série Bourne. Tem algumas boas ideias, porventura tão boas ou melhores que dos filmes anteriores, como aquela cena em que Cross, rodeado por lobos num bosque do Alaska, descobre uma maneira engraçada de reposicionar o dispositivo de localização que permite ao governo mantê-lo debaixo de texto olho – e de mira também. pedro henrique ribeiro Outra ideia interessante é a de Aaron Cross ser um toxicodependente, que precisa de tomar uns misteriosos comprimidos para continuar com um nível de condição física quase super- humano e um coeficiente de inteligência de nível superior, mas com o encerrar do programa e o corte nos comprimidos, Cross é enfrentado com agonia física e o retrocesso do seu QI. Chegamos agora à parte vital quando falamos dum filme Bourne. Existe uma perseguição com parkour neste filme? A resposta é...sim, claro! Um filme de Bourne sem parkour era o mesmo que James Bond sem martini ou um Aston Martin. Concluindo, chegou definitivamente a altura de pôr fim a esta sequela, mas apesar das sua origem ser algo confuso, este quarto filme é muito mais “porreiro” do que qualquer expectativa prévia que se poderia ter e confirma Jeremy Renner como uma nova estrela de acção emergente, embora num estilo mais inteligente que o normal.

53 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

53


Tendências de Maquilhagem

Primavera-Verão 2013

Lábios Matte

Natural, metalizado, sombras terra ou coloridas. Batom vermelho ou rosa. Estas são apenas algumas das tendências de maquilhagem que prometem arrasar na Primavera e no Verão de 2013, de acordo com os desfiles das semanas de moda de todo o mundo. Fica a conhecê-las!

Rosa, Vermelho, Coral e Tons Vinhos são as apostas para os lábios nesta Primaver/Verão. O importante é serem matte, enquanto que o resto do rosto deverá permanecer neutro. 54 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


Sombra Terra

Verde Esmeralda Pele aveludada

A palete de tons terra é também uma das sugestões, aparecendo no verão em substituição do preto.

Quer nos olhos, quer nas unhas, este ano o verde esmeralda é uma forte aposta. o look perfeito? recriar a proposta da stella McCartney e utilizar esta cor na linha de água

Voltamos à máxima no menos é mais. A pele sedosa e ilumada alia-se aos lábios e olhos naturais. O destaque vai para o blush, sempre em tons suaves.

55 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

55


Anos 60 Lábios Neutros

A par da maquilhagem inspirada nos anos 90, onde predominam os tons mais fortes, os anos 60 ganham força nestas estações. Sobrancelhas bem definidas, lábios “sem cor” e eyeliner bem definido são as armas para seguir esta tendência.

56 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

A contrastar com a tendência dos lábios fortes e matte estão os lábios naturais. Foquem a vossa atenção nos olhos e usem um batom com uma cor aproximada ao vosso tom dos lábios, ou simplesmente um gloss transparente.


Sombra Azul Dos tons mais suaves aos mais exuberantes, o azul ganha o título da cor desta Primavera/Verão. Poderão usá-lo somente na sombra ou conjugá-lo com um eyeliner, também azul. O destaque vai para as sombras translúcidas neste tom, aplicadas desde a pálpebra móvel até à sobrancelha.

Pestanas Postiças Para os looks noturnos, a proposta para 2013 é usar e abusar das pestanas postiças. Esta tendência tem o nome de Spider Lashes e foi utilizada nos desfiles Gucci, Giorgio Armani e Moschino. O resto do rosto quer-se subtil, com lábios neutros.

57 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

57


58 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


Marmita

Receitas para quem cozinha por prazer

Texto e Fotografias: Sandra Santos

59 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

59


Tofu com cenoura e cebolinho

Ingredientes 1 embalagem de tofu 200grs 1 cenoura grande 1/2 tomate 1 cebola roxa 1 dente de alho cebolinho q.b. vinho branco q.b. 1 pitada de coentros em pó sal, pimenta rosa q.b. 60 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

Utilizei o processo para retirar o excesso de água do tofu (consultar link no final). De seguida, cortei-o em rectângulos com 5 mm de espessura e coloquei-os numa frigideira antiaderente com um fio de azeite aromatizado. Deixei alourar bem o tofu dos dois lado. No robot de cozinha ou na 123 colocar a cenoura, o alho e a cebola e picar tudo muito bem. Depois, colocar o tomate sem pele e picar novamente. Levar ao lume com um pouco de vinho ou água para não pegar, deixar refogar uns minutos e temperar a gosto. Eu temperei com sal, pimenta rosa e coentros em pó. Antes de servir, juntar o cebolinho fresco e deitar o preparado por cima das fatias do tofu. Eu acabei por não levar tudo junto ao lume porque gosto de sentir o tofu durinho, mas se quiserem podem levar que acaba por absorver mais o sabor do molho. Consultar: http://www.youtube.com/watch?v=a0yGAwez_Nc


Salada Para dias frios

Ingredientes Forno

Ingredientes FRescos

Ingredientes VinagreTE

1/2 batata doce

4 folhas de alface iceberg

4 colheres de sopa de azeite

10 couves de bruxelas

125grs de quinoa/bulgur (comprei a mistura já feita)

1 colher de sobremesa de mostarda l’ancienne

3 rabanetes

1/2 sumo de limão

4 cogumelos brancos 1 fio de azeite sal, mostarda em grão q.b.

sal, pimenta em grão q.b.

tomilho fresco q.b.

61 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

61


Descascar a batata-doce e cortar em fatias finas (como as da imagem), lavar as couves de bruxelas e cortar ao meio, fazer o mesmo aos cogumelos e dispor tudo num tabuleiro forrado com papel vegetal. Temperar com 1 fio de azeite, o sal, a mostarda moída na hora e o tomilho fresco. Levar ao forno aproximadamente 20 minutos a 180º. Durante o tempo que os legumes estão no forno pode cozer a quinoa/bulgur em água com uma pitada de sal. Pode lavar a salada e os rabanetes, cortar a gosto e reservar até os legumes estarem assados. Misturar tudo muito bem e acabar com o vinagrete Para o vinagrete basta misturar todos os ingredientes e misturar tudo bem com uma vara de arames e reservar até servir.

62 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


63 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

63


SUGESTões Radar

babel

Duets II

Mumford and Sons

Tonny Bennett

Babel é o segundo álbum de estúdio da banda britânica. Lançada em Setembro de 2012, rapidamente se tornou no álbum mais vendido no Reino Unido durante esse ano - 159 mil cópias vendidas somente na primeira semana. Tal como Sigh No More, o álbum anterior, Babel foi produzido por Markus Dravs.

O ícone norte-americano Tony Bennett celebrou o seu 85.º aniversário em 2011 com um novo CD, “Tony Bennett: Duets II”. Este foi produzido por Phil Ramone e sucede ao aclamado álbum “Tony Bennett Duets: An American Classic”, vencedor de três Grammy e o disco mais vendido de Tony Bennett até à data. Sozinho Tony Bennett é lendário. Em parceria com outro cantor, é extraordinário. Uma constelação de estrelas juntouse a Tony Bennett neste álbum: Amy Winehouse, Michael Bublé, Norah Jones, Lady Gaga, Alejandro Sanz, John Mayer, Josh Groban, Natalie Cole, Sheryl Crow, entre muitos outros.

64 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


AS AVENTURAS DE SHERLOCK HOLMES

Tanta roupa e nada para vestir

Arthur Conan Doyle

Maria Guedes

Publicado pela primeira vez em 1892, reúne doze contos publicados inicialmente entre 1891 e 1892 na revista The Strand. Nesta colectânea podemos encontrar, entre outros casos, Um Escândalo na Boémia, que gira à volta da astuta Irene Adler, Um Caso de Identidade, A Faixa Malhada ou O Mistério do Vale Boscombe. Sempre coadjuvado pelo inestimável Doutor Watson, Sherlock Holmes nunca deixa por resolver os casos que lhe são apresentados. Graças ao seu método lógico-dedutivo, Holmes consegue sempre surpreender os leitores com as suas deduções, recorrendo às coisas mais triviais para solucionar mistérios aparentemente insolvíveis, com a inteligência e a acutilância que o transformaram numa das mais brilhantes e fascinantes personagens da literatura policial.

Tudo o que precisa de saber para reformular o seu guardaroupa e o seu visual. Como, no meio de tanta roupa, encontrar peças práticas, confortáveis e elegantes? Como é possível sair de casa preparada para um dia que se divide em cenários de trabalho, de família, de amigas, de lazer, de crianças e de tarefas domésticas? Não parece fácil, mas, com as dicas certas, pode ser muito mais simples do que imagina. Neste “Tanta Roupa e Nada para Vestir” Maria Guedes conduz-nos através de todos os passos necessários para uma reorganização total de imagem, estilo e guarda-roupa. Um guia indispensável para gastar menos dinheiro em compras desnecessárias, perder menos tempo todas as manhãs e ainda assegurar um look sem falhas.

Fotoedição Joel Santos Este guia essencial oferece-lhe centenas de técnicas, dicas, exemplos e casos práticos estimulantes para edição digital de imagem com o Photoshop Lightroom e o Adobe Camera Raw. Esta obra de referência fornece ao leitor o conhecimento essencial para que possa extrair o máximo potencial das suas imagens na fase de pós-produção, aumentando a eficiência do seu fluxo de trabalho e potenciando a sua criatividade.

SINOPSES Wook.pt / Fnac.pt

65 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

65


No RADAR... Alguns dos espectáculos que não vais querer perder no mês de janeiro em todo o país!

Enter Shikari 7 janeiro - 21h00 Hard club, porto

Emmy Curl 12 janeiro - 21h30 Theatro Circo, braga

Patrick wolf 25 janeiro - 21h30 casa das artes, v. N. famalicão

richie campbell 25 janeiro - 21h30 fnac alfragide, amadora

66 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org


Capitão fausto 26 janeiro - 00h00 Café concerto - centro cultural vila flor

e tudo o casamento levou 25 janeiro - 21h30 theatro circo, braga

e ainda...

música

ermo 12 de janeiro, 22h00 arte à Parte, coimbra

rodrigo leão 17 de janeiro, 21:30 teatro josé lúcio da silva, leiria

ana moura 18 de janeiro, 21:30 cine-teatro avenida, castelo branco

Supernada 21 de janeiro, 22:00 centro de artes e espectáculos s. mamede guimarães

67 • Designfreebies Magazine • www.designfreebies.org

outros

O lago dos cisnes 6 de janeiro, 18h00 coliseu do porto “someone else ago” de bruno duarte 11 de janeiro, 21h00 centro cultural de belém


Profile for Radar Magazine

Radar #3  

edição de Janeiro de 2013

Radar #3  

edição de Janeiro de 2013

Advertisement