a product message image
{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade

Page 1


FICHA TÉCNICA

PROPRIEDADE PROPERTY PORTUGAL FASHION

COORDENAÇÃO BLOOM BLOOM COORDINATION PAULO CRAVO

COORDENAÇÃO EDITORIAL EDITORIAL COORDINATION ANDRÉ ATAYDE

GESTÃO DE CONTEÚDOS CONTENT MANAGEMENT SARA PEREIRA OLIVEIRA

DESIGN T.I.N.A. — THIS IS NOT AMERICA

PERIODICIDADE PERIODICITY SEMESTRAL SEMI-ANNUAL

ANO YEAR 2020


EDITORIAL BLOOMIN Há uma energia no ar que é pegajosa. Uma nuvem que parece açúcar caramelizado, sufocante de tão doce que é. Risos aqui e ali, conversas trocadas em vozes meio roucas, e risos fáceis de gargalhadas contagiantes. Há coisas a acontecer no meio de salas que se espalham num só corredor. Há tarefas a serem distribuídas. Há a Maria Meira, as Unflower, a Rita Sá, o 0.9 Virus, o João Sousa, a Carolina Sobral e o Arieiv. Há pessoas. E a importância que elas têm. As pessoas também se medem pelo tempo, pela história que criaram e pelo mundo que absorveram, não é? As coisas também. Os eventos mais ainda. Em ano de aniversário de BLOOM e de Portugal Fashion, dez e vinte cinco anos, respetivamente, há motivos mais do que suficientes de amadurecimento, de cultura, de fazer acontecer e, também, de respeito. Há pessoas que estão ou estiveram, que passaram e que ainda vão passar. Houve risos, lágrimas, discussões e, até, ameaças. Tudo acontece quando se sonha. Os nervos aceleram o coração, levantam os poros da pele inquieta e dão balanço ao sangue. O BLOOM é talento em estado selvagem. Raízes que ainda são frágeis, mas que querem ter força. É uma criatividade quase viral e mágica, que às vezes está programada para gerar algum desconforto. O talento mete medo quando não se percebe de que lado vem porque a perceção só está ao alcance de alguns. E é assim que deve ser. Se o talento fosse democracia perderia força, e sem força não há raízes com vontade suficiente para perfurar a terra e montar arraiais.

2-3

O BLOOM é nascer, florescer e acreditar. É querer ir mais longe, nem sempre mais depressa. É mandar alguém à merda enquanto se chora e se ri de tanto abraçar. O BLOOM é assim. Ou também é assim. Chato de tão talentoso e viciante de tão irritante que é. E a culpa é da Maria Meira. E das Unflower, da Rita Sá, do 0.9 Virus, do João Sousa, da Carolina Sobral e do Arieiv.


BLOOMIN EDITORIAL The air is atmosphere filled with a contagious energy. A cloud that looks like candy floss, as overpoweringly sweet as it is. Laughter here and there, talking in hoarse voices, and easy, contagious peals of laughter. Things are happening in the middle of rooms that adjoin a single corridor. Tasks are being assigned. We have Maria Meira, Unflower, Rita Sá, 0.9 Virus, João Sousa, Carolina Sobral and Arieiv. We have the people. And how important they are. People are also measured by time, by the history they create and by the world they absorbed, aren’t they? And things too. Events even more so. In the year of the tenth and twenty-fifth anniversaries of BLOOM and of Portugal Fashion, respectively, there are more than enough reasons for maturing, culture, making things happen and, also, respect. There are people who are or were, who have come here and who have yet to come. There were tears, laughter, arguments and even threats. Anything can happen when you dare to dream. Nerves speed up the heart, they raise the pores on restless skin and give balance to the blood. BLOOM is talent in the raw. Roots that are still fragile, but that want to become strong. Such creativity is almost viral and magical, sometimes planned to create some discomfort. Talent is frightening if you don’t understand where it comes from because perception is at the reach of only a few. And that’s how it should be. If talent were democratic, it would lose strength and, without strength, there are no roots strong enough to pierce the earth and stake their claim. BLOOM means to flourish, blossom and believe. It’s wanting to go further, but not always faster. It’s cursing at someone when you’re laughing and crying from so much hugging. BLOOM’s like that. Or it’s like that too. Annoyingly talented and addictively irritating, it’s all Maria Meira’s fault. And the fault of Unflower, of Rita Sá, of 0.9 Virus, of João Sousa, of Carolina Sobral and of Arieiv.


4-5

12MAR 14H — MARIA MEIRA UNFLOWER BRAND 15H — RITA SÁ 16H — PFN WINNERS 17H — 0.9 VIRUS JOÃO SOUSA 18H — CAROLINA SOBRAL ARIEIV


14MAR 14H — CONCURSO BLOOM POWERED BY SONAE FASHION AHCOR HUARTE KENSAL LUIS BISANTI MARCELO ALMISCARADO MARIA CARLOS BAPTISTA RITA IBS VAA BARROS


LIGHTS AND SHADOWS

— PT Além da ausência de luz, a sombra é também a forma que um corpo desenha numa superfície quando este se interpõe entre ela e uma fonte de luz. Apesar de se apresentar habitualmente como um reflexo negro daquilo que representa, nem sempre a sombra provém de uma forma igual à sua. É a procura das formas possíveis, por detrás de uma projeção, que acaba por revelar o processo criativo, gerando as premissas através do qual este se desenvolve, traduzindo uma visão ambígua de um universo onde a luz e a sombra se confundem e se transformam numa representação pictórica de si mesmos.

6-7

— EN Apart from the absence of light, shadow is also the shape a body makes on a surface when it comes between that surface and a light source. Despite usually been presented as a dark reflection of what it represents, shadows don’t always come from a shape identical to their own. The creative process is revealed by the quest for possible shapes behind a projection; this generates the assumptions through which it develops, translating an ambiguous vision of a universe where light and shadow become one and turn into a pictorial representation of themselves. characteristic of the UNFLOWER universe. I T E

@ by.mariameira/ 914 866 676 by.mariameira@gmail.com


THE INTIMATE LOVE — PT Na tela, Lucian Freud retratou Celia Paul com um enorme poder afetivo, com insistência e insensibilidade pela sua vulnerabilidade. Quando Freud faleceu, Celia Paul expressou a sua própria história. Coberta de tinta, num apartamento comprado por ele, desenvolve camadas de afecto e vingança transcritas na tela. Essa dinâmica - a força e a fragilidade - inspiram a coleção, alternando sarjas e peças em pele sobrepostas a malhas justas e estruturadas, remendadas com pespontos e costuras sobrepostas, e cetins que denunciam a fragilidade e o envolvimento amoroso. Sobre as malhas, manchas e prints de tie dye, retratam o trabalho de Celia. Os prints inspirados na estética de trabalho de Jonathan Lasker, apresentam uma abordagem divertida e colorida, com formas e ideias de espaço preenchido/vazio. A mensagem chega-nos de uma forma subtil, inspirando não só os grafismos dos estampados mas também a forma como aparecem ao longo da coleção - interrompida mas forte, quase como manchas de informação visual, característica do universo UNFLOWER.

— EN Lucian Freud portrayed Celia Paul on canvas with great emotional power, insistently and cold-heartedly for her vulnerability. After Freud died, Celia Paul told her own story. Covered in paint, in a flat he’d bought, she developed layers of affection and revenge, transferring them to the canvas. The collection is inspire by these dynamics - strength and weakness -, alternating serge and leather parts overlaid on tight, structured knits, patched with overlapping stitching and seams, and satin showing frailty and the romantic involvement. Patches and tie-dye prints on the knits depict Celia’s work. These prints, inspired by Jonathan Lasker’s work aesthetic, present a fun, colourful approach, with shapes and ideas of full/empty spaces. The message comes to us subtly, inspired not only by the graphics of the prints, but also by the way they appear throughout the collection - broken, yet strong, almost like patches of visual information, so characteristic of the UNFLOWER universe.

T T E

915 215 921 912 734 474 unflowerbrand@gmail.com


STILL SUN — PT Ponto de partida – Luanda, Angola, a terra em tons de terra. Lugar onde a música, as cores e a humidade se misturam num sufoco. Lá, onde o inverno é quente e o sorriso é fácil. A inspiração surge de uma série de memórias preservadas em fotografias de crianças de rua na roda de uma dança que nunca acaba e sorriem quando vêem uma câmara. Misturas explosivas de peças de universos distintos resultam em combinações aleatórias e descoordenadas. A indiferença em relação ao vestuário, que representa metaforicamente a indiferença a muitos outros aspetos do quotidiano, quando percepcionada por alguém que “vem lá de longe” transforma, inevitavelmente, todo o conceito que tem sobre o que é, ou não, prioritário. Com forte influência do universo do vestuário desportivo, esta coleção explora diferentes referências de vestuário, materializado no contraste de materiais, cor e acabamentos, tal como em peças divididas entre o direito e o avesso, reflexo dum estado de descontração e desembaraço. Há sempre um olhar pequenino de pé descalço que nos faz entender que nem sempre os sapatos estão bem calçados. Às vezes, na dança, atrapalham.

8-9

— EN Starting point – Luanda, Angola, the land in earth shades. A place where music, colours and humidity come together overpoweringly. There, where winters are warm and smiles come easily. The inspiration came from a series of memories preserved in photos of children dancing a never-ending dance on the street and who smile whenever they see a camera. Explosive mixtures of parts of different universes result in random, uncoordinated combinations. Indifference in relation to clothing, which metaphorically speaking represents indifference to other aspects of daily life, when seen by somebody who “comes from afar” inevitably transforms the entire concept they have about what is, or isn’t, a priority. Strongly influenced by sportswear, this collection explores different clothing references, coming to life in the contrasts between materials, colours and finishes, like in the clothes divided between right way around and inside out, a reflection of a relaxed, carefree state of mind. There’s always a glimpse of a bare foot, which shows that shoes aren’t always put on properly. Sometimes they get in the way of the dance.

I F T E

@ritasa.brand @ritasa.brand 960 302 377 ritasabrand@gmail.com


— PT Indivíduo mergulha num mar cristalino, até que emerge e se depara com a mancha negra que bloqueia a comunicação de luz e calor. Inspirado na água, recurso passível de findar- um monstruoso desgaste da fonte do ser e nas capacidades do magma derretido em recuperar. O Homem como responsável pelas alterações daquilo que o rodeia e em si mesmo. O magma derretido, a sua capacidade de tornar o solo fértil - A natureza motivada para se recuperar. Uma possível mudança rumo à sustentabilidade e consciencialização do indivíduo. As peças, de formas e silhuetas distintas, conferem à coleção um aspeto descontraído e juvenil. Destacam-se as camadas que retratam ondulações referentes à fluidez, ao efémero e ao esmorecer. Estrutura através de cortes - a interação do Homem. Utilização de matérias maioritariamente orgânicas e recicláveis felpa, sarja e o denim em preto e tons de azul, alusivos ao poder e à exuberância perante os recursos. Prints a negro, que caracterizam as ondulações de óleo sobre a água cristalina. — EN A person dives into a crystalline sea and then emerges and sees a dark stain blocking the communication of light and heat. Inspired by water, a finite resource - a terrible waste of the source of being - and the ability of molten magma to recover. Man as the one responsible for the changes in what surrounds us and in ourselves. Molten magma, its ability to make soil fertile - Nature motivated to recover. A possible change in the direction of sustainability and raising awareness in individuals. The clothing, with different shapes and silhouettes, gives the collection a relaxed, youthful look. Of note are the layers that depict ripples referring to fluidity, the ephemeral and fading away. Structure through cuts - the interaction of Man. Use of mainly organic and recyclable materials - terry cloth, serge and denim in black and shades of blue, alluding to the power and exuberance of the resources. Black prints that distinguish the oil ripples on the crystalline water.

DISSEMINATION T E

911 068 970 filipeferreira09v@gmail.com


BELLAMIRA FW20 — PT Por vezes é complicado dizer às pessoas o quanto gostamos delas, principalmente quando essa pessoa é um familiar. Esta coleção é uma homenagem à minha avó Belmira, daí a analogia Bella (por crescer com ela e fantasiar todas as coisas belas da imaginação) e Mira (nome pelo qual a chamo). Esta é uma coleção que reflete todos os problemas na vida dela, o cancro da mama, por consequente a perda do peito esquerdo, e a perda das pernas devido à diabetes. As manipulações das peças e as assimetrias simbolizam esses obstáculos, que aparecem quando menos esperamos. Escolhi materiais inspirados nos tecidos que a minha avó utilizava para fazer as roupas da minha mãe e as peças para a missa de domingo. Os brilhos e as formas representam a sua vaidade e pomposidade. Esta coleção é representativa da luta entre o claro e o escuro, assente no mote “depois da chuva vem sempre o sol”. Se acreditarmos, todos os obstáculos podem ser vencidos e a vida pode voltar a brilhar!

10-11

— EN Sometimes it´s hard to tell someone how much we like them, much more difficult if the person is a relative. This collection is a tribute to my grandmother Belmira, the name “Bellamira” analogy is Bella (because I was raised with her and we always play fantasy and all of that imaginary things) and Mira (the name that I call her). It’s a collection that represents all of her struggles in life, the breast cancer and the loss of her left breast, and both legs because of the diabetes. The fabric manipulation and the asymmetries symbolize the obstacles that rise when no one is expecting. The choice of the fabrics was based on the choices that my grandmother pick to the Sunday church moment and to do the garments to my mom. The sparkle and the design was inspired in her pomposity and vanity. This collection presents a fight between the light and the dark, with the mote “after rain there´s always sun” that reveals that if we believe all the struggles can be beaten and life can shine again.

I F T E

@joaosousabrand @joaosousabrand 916 075 043 joaosousabrand@gmail.com


SHIFT — PT Inspirada por peças intemporais e uma atitude “work wear”, esta coleção pretende criar um “guarda-roupa completo” para a mulher atual. É constituída por linhas clássicas, casuais e versáteis, que refletem a criatividade e a confiança da mulher moderna. Cores como bege, verde e preto são predominantes destacando-se ainda apontamentos de azul e amarelo. Mantendo a estética da marca, “SHIFT” pretende apresentar uma coleção funcional e prática para uma mulher sofisticada e contemporânea. — EN Inspired by timeless pieces and a work wear approach, this collection is designed to create a “complete wardrobe” for the modern day woman. It consists of classic, casual and versatile lines, reflecting the creativity and the confidence of the modern day woman. Colours such as beige, green and black predominate, with touches of blue and yellow standing out. While keeping to the aesthetics of label, “SHIFT” intends to present a functional, practical collection for sophisticated, contemporary women.

I F T E

_carolinasobral carolinasobral.cs 916 462 122 carolinasobralbrand@gmail.com


ENSAYO 21 X LO SIENTO

— PT A dor de não conseguir respirar esse ar que sempre respiraste. A ausência de Força para resistir ao medo de querer ficar, o mais intenso adeus. A despedida que sempre te acompanhou. Há um vazio, mas quando algo acontece a dor que sentes no peito perdura 25 segundos até que deixas de sentir, paras de sentir o que quer que seja. Acrescentas os momentos que precisas para a informação circular do coração ao cérebro, do cérebro até aos pulmões. Sim estão a morrer. O corpo, a matéria, ascende ou chega… depende do ponto de vista. A realidade paradigmática faz-te sentir outra pessoa. Mas, na verdade, és apenas a visita de uma alma que te deixou experimentar a sensação de morrer. Em vez de sentir tudo isto, inconscientemente, vês o teu corpo a ser invadido e levado por alguém que te quer testar o que sentes em 25 minutos, até que o teu corpo, inerte, esteja completamente morto. Eu sei que não disse Adeus…

12-13

— EN Pain of not being able to breathe that air you have always breathed, the lack of strength to resist the fear of fighting to stay, the most intense farewell and the farewell that has always accompanied you. There is a void that sometimes when it is happening, the pain that your chest feels for 25 seconds until you stop feeling yes, stop feeling everything. Plus the moments it takes for information to circulate from the heart to the brain and from the brain to the lungs, yes they are dying, you feel the body fleeing or arriving depends on the point of view. Feel a paradigmatic reality where you can feel that you are someone else but in truth you are just the visit of a soul that let you experience the sensation of dying, but rather feel all that, unconsciously you are watching your body being invaded and taken by someone who came to test you to feel what you felt in the 25 minutes until the dead body was completely dead. I know I didn’t say goodbye...

I T E

@_arieiv_ 910 860 226 josepintovieira63@gmail.com


TRASH REFUSE — PT Trash Refuse é um manifesto. Um projeto que tem como inspiração a poluição marítima e pretende sensibilizar o ser humano para esta situação. As formas resultantes de elementos flutuantes visíveis em meio aquático, resultam em sobreposições estruturadas por dobragens, camadas assimétricas que definem as estruturas. Cromaticamente, as formas são segmentadas em blocos de cor, em contraste com o interior, criando o desejável desconforto visual e permitindo uma visão macro das manchas de cor existentes nas "ilhas flutuantes". — EN Trash Refuse is a manifesto. A project that is inspired by maritime pollution and intends to raise awareness of this situation. The forms obtained through floating elements visible in the aquatic environment, result in overlaps structured by folds, asymmetric layers that define the structures. Chromatically, the shapes are segmented into blocks of colour, in contrast to the interior, creating the desirable visual discomfort and allowing a macro view of the colour spots existing on the "floating islands".

T E

913 105 135 Anacampos1448@gmail.com


COULTER SOUND OF COLOUR

— PT A coleção começou com a exploração, revisão e desconstrução do trabalho abstrato de Jack Coulter. Na coleção, cada look nasce tendo como base uma pintura individual como referência, tentando recriar a técnica e o acabamento dos materiais. As formas surgem do desenho e drapeado, mas sem esquecer o ritmo das pinturas, o fluxo da tinta, a textura dos materiais assim como as cores usadas. As pinturas são criadas em tecido com uma mistura de cola branca, silicone e pigmento. Esta mistura é aplicada ao tecido e, ao aplicar calor de diferentes formas, é possível gerar diferentes texturas.

14-15

— EN The Collection began with the exploration, review and deconstruction of the abstract work of Jack Coulter. In the collection, each look is created with an individual painting as a reference, trying to recreate the technique as well as the finishing of the materials. The shapes for the collection are created by sketching and draping, but not forgetting rhythm of the paintings, the flow of the paint, the texture of the materials, as well the colours used. The paintings are created in fabric with a mixture of white glue, silicone and pigment, this mixture is applied to the fabric and by appling heat in different ways it’s able to create different textures.

I T E

@diogo.vandersandt 912 112 268 diogo.vandersandt@gmail.com


— PT Uma coleção “materica” direcionada à ênfase de uma silhueta sofisticada, elegante, confiante, com peças descontraídas, confortáveis, facilmente manipuláveis. “Materica” porque a procura das características de cada matéria, dos seus detalhes, das potenciais qualidades/defeitos e da sua usual utilização foi, para mim, fundamental para a libertação do processo criativo. Queria que a matéria predominasse e que fosse a origem desta minha primeira coleção. Proponho assim, uma coleção onde ressaltam diversas matérias de texturas, profundidades, cores e contrastes, num intencional contraste à simplicidade formal “naturalmente” adaptável a uma silhueta.

— EN This "materica" collection emphasises a sophisticated, elegant, confident silhouette with relaxed, comfortable and easily manipulated pieces. “Materica” due to the search for the characteristics of each material, its details, potential qualities/ defects and its usual use was fundamental for me to free creative process. I wanted the material to predominate and define my first collection. Therefore, I propose a collection of numerous materials with textures, shades, colors and contrasts, in an intentional contrast to the formal simplicity "naturally" adaptable to a silhouette.

T E

915 846 892 gaudencio.fd@gmail.com


COULTER SOUND OF COLOUR

— PT A coleção começou com a exploração, revisão e desconstrução do trabalho abstrato de Jack Coulter. Na coleção, cada look nasce tendo como base uma pintura individual como referência, tentando recriar a técnica e o acabamento dos materiais. As formas surgem do desenho e drapeado, mas sem esquecer o ritmo das pinturas, o fluxo da tinta, a textura dos materiais assim como as cores usadas. As pinturas são criadas em tecido com uma mistura de cola branca, silicone e pigmento. Esta mistura é aplicada ao tecido e, ao aplicar calor de diferentes formas, é possível gerar diferentes texturas.

— EN The Collection began with the exploration, review and deconstruction of the abstract work of Jack Coulter. In the collection, each look is created with an individual painting as a reference, trying to recreate the technique as well as the finishing of the materials. The shapes for the collection are created by sketching and draping, but not forgetting rhythm of the paintings, the flow of the paint, the texture of the materials, as well the colours used. The paintings are created in fabric with a mixture of white glue, silicone and pigment, this mixture is applied to the fabric and by appling heat in different ways it’s able to create different textures.

I T E

@diogo.vandersandt 912 112 268 diogo.vandersandt@gmail.com


— PT Uma coleção “materica” direcionada à ênfase de uma silhueta sofisticada, elegante, confiante, com peças descontraídas, confortáveis, facilmente manipuláveis. “Materica” porque a procura das características de cada matéria, dos seus detalhes, das potenciais qualidades/defeitos e da sua usual utilização foi, para mim, fundamental para a libertação do processo criativo. Queria que a matéria predominasse e que fosse a origem desta minha primeira coleção. Proponho assim, uma coleção onde ressaltam diversas matérias de texturas, profundidades, cores e contrastes, num intencional contraste à simplicidade formal “naturalmente” adaptável a uma silhueta.

— EN This "materica" collection emphasises a sophisticated, elegant, confident silhouette with relaxed, comfortable and easily manipulated pieces. “Materica” due to the search for the characteristics of each material, its details, potential qualities/ defects and its usual use was fundamental for me to free creative process. I wanted the material to predominate and define my first collection. Therefore, I propose a collection of numerous materials with textures, shades, colors and contrasts, in an intentional contrast to the formal simplicity "naturally" adaptable to a silhouette.

T E

915 846 892 gaudencio.fd@gmail.com


BLOOMERS

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13

[UN] T 0.9 VIRUS- Filipe Ferreira Alexandre Marrafeiro Amorphous Ana Catarina Santos Ana Segurado Ana Vicente Andreana Buest Andreia Lexim António Vaz Soares ARIEIV- João Vieira Ashma Karki Bárbara Francisco

14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26

Beatriz Bettencourt Carla Pontes Carlos Couto Carolina Sobral Celsus Cláudia Garrido D\Backyard Daniela Barros Daniela Pereira David Catalan Diana Matias Eduardo Amorim Elionai Santos

N° DE ALUNOS EM ESCOLAS N° DE CONCURSOS JOVENS CRIADORES (PROGRAMA ALIANÇA)

16-17

N° DE ANOS DA PLATAFORMA BLOOM

27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39

Estelita Mendonça Fernando Domingues Fii Filipe Lima Ferreira Gonçalo Páscoa Hibu Horácio Vilela Hugo Costa Inês Marques Inês Torcato Iuri Coelho Joana Braga Joana Ferreira


40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52

João Melo Costa João Rõla João Sousa Jordann Santos Juliana Cunha Kdi Klar Less Luís Sandão Mafalda Fonseca Mara Flora Margarida Gentil Maria Kobrock

53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65

Maria Martins Maria Meira Mariana Almeida Martinho Gonçalves Nycole Olimpia Davide Patrícia Augusta Patricia Shim Pedro Jorge Pedro Neto Pedro Pinto Pilar Pastor Priscila Franco

66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78

Rita Carvalho Rita Gilman Rita Sá Sara Cruz Sara Maia Sara Marques Sofia Silva Sónia Alves Stefano Ficetola Susana Bettencourt Teresa Abrunhosa Teresa Carvalheira Unflower

N° DE CONCURSOS JÁ PROMOVIDOS PELA NOVA PLATAFORMA BLOOM

N° DE ESCOLAS

N° DE DESIGNERS BLOOM


— PT

E BLOOM! JÁ SÃO 10 ANOS A LANÇAR JOVENS DESIGNERS DE MODA. Os 10 anos de Bloom vão estar em alta nas Bodas de Prata do Portugal Fashion. São duas datas para comemorar em dois eventos de referência no panorama da moda nacional. Este ano, o Bloom regressa em força com os desfiles dos Bloomers residentes. Vamos ainda ficar a conhecer os dois vencedores do Concurso Bloom Powered by Sonae Fashion! Convidamos os nossos bloomers para apresentarem as suas coleções Outono/Inverno logo no primeiro dia de Portugal Fashion, a 12 de Março. Maria Meira, Rita Sá, Unflower, Arieiv, Carolina Sobral, João Sousa e 0.9 Virus estão na linha da frente para começarem a integrar os maiores nomes da fileira da moda nacional. São afinal 10 anos a sentir o pulsar do talento e originalidade, naquela que é a plataforma privilegiada de divulgação e projeção de propostas inovadoras de jovens criadores made in Portugal. O sangue novo dos nossos bloomers tem dado frutos e hoje conseguimos, com orgulho, ver singrar dentro e fora de portas nomes como Hugo Costa, Susana Bettencourt, Inês Torcato; David Catalán ou Nycole. E já temos números redondos! Passaram por esta plataforma de divulgação de novos talentos de design de moda 78 bloomers. Se isto não é obra….

18-19

C O NC U R S O B LO O M 2 0 2 0 No 46.º Portugal Fashion, que se realiza entre 12 e 14 de março na Alfândega do Porto, vão ser conhecidos os dois vencedores do Concurso Bloom powered by Sonae Fashion, competição disputada por jovens designers de moda. A decisão do júri é revelada após o desfile com os oito candidatos finalistas, agendado para sábado, 14 de março, às 14h00. Para esta edição do Portugal Fashion, estão ainda previstos desfiles com mais 10 jovens criadores e marcas no âmbito do Bloom, projeto dedicado aos novos talentos da moda que comemora este ano o seu 10.º aniversário. Pela 1.ª vez com o apoio da Sonae Fashion, o Concurso Bloom é uma competição aberta a jovens designers de moda, tendo em vista a sua formação profissional, a sua promoção pública e a sua integração no mercado de trabalho. Aos oito finalistas do concurso é dada a oportunidade de apresentarem criações suas no Portugal Fashion, como acontecerá nesta 46.º edição do evento. Já os dois vencedores recebem, cada um, 4.000 euros para desenvolverem coleções para as próximas estações primavera/verão e outono/inverno. Coleções, essas, que serão apresentadas nas 47 e 48.ªs edições do Portugal Fashion, em outubro de 2020 e março de 2021. Os vencedores do Concurso Bloom vão ainda realizar um estágio remunerado de nove meses (no valor global aproximado de 6 mil euros) nas marcas do portefólio da Sonae Fashion (Salsa, Zippy, MO e Losan) e podem apresentar à incubadora da empresa, o Fashion Lab, um projeto de lançamento de uma nova marca.

A Sonae Fashion atribui também uma menção honrosa, com um prémio pecuniário de 1.000 euros, ao melhor coordenado. Além disso, uma das marcas da Sonae Fashion poderá adaptar e comercializar esse mesmo coordenado vencedor. “É, sem dúvida, uma experiência formativa e profissional bastante enriquecedora para os jovens finalistas. O Concurso Bloom dá-lhes acesso a um grande evento de moda, onde não só ganham visibilidade pública como ficam a conhecer toda a dinâmica dos bastidores e da produção de desfiles”, salienta a project leader do Portugal Fashion, Mónica Neto. “A experiência é ainda mais enriquecedora para os vencedores, a quem são atribuídos recursos para desenvolverem novas coleções e poderem apresentá-las em desfile em próximas edições do Portugal Fashion”, diz ainda a mesma responsável. “Mas o Concurso Bloom não é só um instrumento de descoberta de novos talentos, o que já seria extraordinário. Graças ao apoio da Sonae Fashion, o certame é também uma via para a integração profissional de jovens designers. A parceria do Portugal Fashion com a Sonae Fashion facilita o acesso dos criadores concorrentes ao mercado de trabalho, através das marcas de retalho que grupo Sonae tem no sector nacional do vestuário”, acrescenta Mónica Neto. Importa referir que, durante o desfile do Concurso Bloom powered by Sonae Fashion, os oito finalistas vão ser sujeitos à apreciação de um júri presidido pelo empresário Manuel Serrão e que é ainda composto pelos criadores Marques’Almeida (designer/marca internacional), Pedro Pedro (designer moda feminina) e Hugo Costa (designer moda masculina), pelo fashion stylist Fernando Bastos, pela coordenadora de moda do Portugal Fashion, Isabel Branco, e pelo Chief Product Officer da Salsa, em representação da Sonae Fashion, You Nguyen. Deve acrescentar-se ainda que, no âmbito do concurso, os designers concorrentes são acompanhados e orientados pela equipa de coordenação da plataforma Bloom. Este apoio é válido quer para o desenvolvimento das coleções, quer para a organização dos desfiles. Além disso, a ANJE garante acompanhamento jurídico e business mentoring para início da atividade comercial/empresarial e registo da marca.


— EN

AND BLOOM! 10 YEARS LAUNCHING YOUNG FASHION DESIGNERS. Bloom’s 10 years will be highlighted at Portugal Fashion’s Silver Anniversary. These two dates are to be remembered in two important events in the national fashion panorama. This year, Bloom is back in full force with its resident Bloomers’ fashion shows. We’ll also find out who the two winners of the Bloom Competition Powered by Sonae Fashion are! We’ll be inviting our resident Bloomers to present their Fall/Winter collections on the very first day of Portugal Fashion, on 12 March. Maria Meira, Rita Sá, Unflower, Arieiv, Carolina Sobral, João Sousa and 0.9 Virus are on the frontline for joining the biggest names in the national fashion sector. After all, for 10 years now this privileged platform for publicising and projecting innovative proposals from young designers Made in Portugal has been feeling the beat of talent and originality. The new blood of our Bloomers has brought results and we are proud to witness the success of Hugo Costa, Susana Bettencourt, Inês Torcato, David Catalán and Nycole, both at home and abroad. And we have the final figures! This new talent promotion platform has played host to the new fashion design talents of 78 Bloomers. If that’s not an achievement... B LO O M C O M P E T I T I O N 2 0 2 0 At the 46th Portugal Fashion, to be held from 12 to 14 March at the Alfândega do Porto Congress Centre, the two winners of the Bloom Competition powered by Sonae Fashion, a competition to find the best young fashion designers, will be announced. The decision of the judges will be revealed after the fashion show with the eight finalists, scheduled for Saturday, 14 March at 2 pm. This Portugal Fashion will also have fashion shows by some 10 young designers and labels under the scope of Bloom, a project dedicated to new talents in fashion, celebrating its 10th anniversary. Sponsored by Sonae Fashion for the first time, the Bloom Competition is open to young fashion designers, with a view to their professional training, public promotion and integration into the

labour market. The eight finalists will be given the opportunity to present their own creations at Portugal Fashion, as will be the case at this 46th event. The two winners will receive ¤4,000 each to develop collections for the coming seasons, spring/summer and fall/winter. These collections will be presented at the 47th and 48th Portugal Fashion events, in October 2020 and March 2021. The winners of the Bloom Competition will also be able to attend a paid 9-month internship (with an approximate overall value of ¤6,000) at the Sonae Fashion portfolio labels (Salsa, Zippy, MO and Losan) and present a new brand launch project to the company's incubator, Fashion Lab. Sonae Fashion will also be awarding an honourable mention, with ¤1,000 going to the best coordinate. In addition, one of the Sonae Fashion brands will adapt and market that same winning coordinate. "This is, without a doubt, a very enriching vocational training experience for the young finalists. The Bloom Competition is a gateway to a major fashion event, where they can gain public exposure and get to know the backstage atmosphere as well as the dynamics of fashion show production”, pointed out Portugal Fashion's project leader, Mónica Neto. “The experience is even more enriching for the winners, who will receive resources to develop new collections that they will be able to present at fashion shows in upcoming Portugal Fashion events”, she added. “But the Bloom Competition is not just an instrument for discovering new talents, which in itself would be extraordinary. Thanks to the support of Sonae Fashion, the event is also a pathway towards professional integration for young designers. The partnership between Portugal Fashion and Sonae Fashion facilitates access to the labour market by the competing designers, through the Sonae group's retail labels in the national clothing sector”, according to Mónica Neto. It is important to mention that, during the fashion show for the Bloom Competition powered by Sonae Fashion, the eight finalists will be assessed by a panel of judges, presided over by businessman Manuel Serrão and also including designers Marques’Almeida (international designer/label), Pedro (women's fashion designer) and Hugo Costa (men's fashion designer), fashion stylist Fernando Bastos, the fashion coordinator at Portugal Fashion, Isabel Branco and the Chief Product Officer at Salsa, representing Sonae Fashion, You Nguyen. It should also be noted that, under the scope of the competition, the competing designers are monitored and mentored by the Bloom coordination team. This support is valid both for the development of the collections and for the organisation of the fashion shows. In addition, ANJE assures legal support and business mentoring for starting up a corporate/business enterprise and trademark registration.


AFTERLOVE HIBÉRBOLE FW2020/21 — PT Ainda não chegamos a um consenso. Ser menos ou mais ou até diferente dos parâmetros impostos pela sociedade ainda não é completamente aceite. Ser livre (ou “a ideia de”) na sua plenitude da expressão parece ser um conceito inacessível. A maquilhagem, tipo, cor e tamanho do vestuário, as modificações corporais, as crenças religiosas e políticas, a orientação sexual são constantemente motivo de reprovação social. Hipérbole dá nome à coleção FW20, vai além das convenções. Surge como crítica a um franja da sociedade que vive com preconceito. Querer um mundo livre de estigmas será uma utopia? Ou será uma utopia querer a aceitação total?

— PT Afterlove, nome de um local escuro no centro da cidade, de aparência decadente, pouco ornamentado e com muito fumo no ar. Um lugar onde se respira uma atmosfera de nostalgia e onde, de uma forma divertida, as pessoas de séculos anteriores começam a interagir umas com as outras. Sorriem, divertem-se enquanto dançam ao ritmo da música do DJ no final da sala. Aos poucos, as horas passam, a sala começa a iluminar-se e as luzes neon definem a aparência dos convidados. — EN Afterlove, the name of a dark decadent looking, barely ornamented place and with lots of smoke in the air located downtown. A place where you breathe nostalgia and where people from earlier centuries started interacting with each other in fun ways. Smiling and having fun while dancing to the rhythm of the music played by the DJ at the back of the room. Little by little, the hours go by, the room begins to brighten and the neon lights define how guests look like.

20-21

— EN A consensus is yet to be reached. Being less, or more, or even different from the parameters imposed by society is yet to be accepted in full. The concept of being free (or “the idea of”) in the true sense of the expression seems to be unreachable. Makeup, the type, colour and size of clothing, body changes, religious and political beliefs and sexual orientation are a constant reason for social condemnation. Hipérbole is the name of the FW20 collection that goes beyond conventions. It comes as a criticism of a minority of society that lives with prejudice. Is it utopian to wish for a world free of stigma? Or is it utopian to wish for full acceptance?

I T E

@ahcor_lab 918 737 959 ahcor.lab@gmail.com

T E

34 677 448 005 huartevictor@gmail.com


HÍBRIDOS

— PT Híbridos relata a história de um amor incessante entre duas tribos - a Nyaneka Humbi e os Punk. Ambos mostram-se como referenciais primários, dando lugar a manifestações de um novo ser. Por si só, os HÍBRIDOS fazem-se de opostos, desintegram-se de qualquer estilo único, porém resgatam pequenos traços de ADN - do clássico ao street wear. Esta materialização ergue-se em vários contrastes de matéria prima, texturas, comprimentos, volumetrias e pormenores estéticos trabalhados em monocromo.

— EN Híbridos tells the story of an unrelenting love between two tribes - the Nyaneka Humbi and the Punk. Both appear as primary references, giving way to manifestations of a new being. In itself, HÍBRIDOS is made of opposites; separated from any unique style, although retaining small DNA traces - from the classic to street wear. This materialisation is seen in several contrasts in raw materials, textures, lengths and volumes and monochrome aesthetic details.

I T E

@kllaukenzo 964 222 043 kllau1928studio@gmail.com

— PT Esta coleção nasce da busca interna pelo momento em que comecei a desenhar. Uma etapa que se funde num projeto familiar que envolvia eu e a minha irmã. Este momento marcou-me de tal maneira que cedo decidi que a minha primeira coleção teria de aludir a este primeiro momento de contacto que tive com o desenho e a relação que nasceu com a minha família depois disso. Esta coleção apresenta uma figura totalmente idílica de uma vencedora e vincula elementos extravagantes e abstratos. A feminilidade tem importância cimeira, é a génese da criação das peças que representam a mulher. Nesta coleção conto a história em que as personagens vivem de exageros, de excentricidade e de estilos nas peças e na forma de vestir. Formam uma subcultura de valores diferenciados. É uma fantasia que nos transporta para um mundo diferente. Um mundo de celebração do exagero, onde não há medo aos extremos.

— EN This collection comes from the internal quest for the time when I began designing. A stage that began with a family project involving my sister and me. This time had such an effect on me that I soon decided that my first collection would have to include references to when I was first involved in design and the relationship that grew with my family after that. This collection presents an absolutely idyllic figure of a winner and includes extravagant and abstract elements. Femininity is of prime importance; it is the genesis of the creation of the clothes that represent women. In this collection, I tell a story where the characters live on exaggeration, eccentricity, clothing styles and the way they dress. They form a subculture of different values. It’s a fantasy that takes us to a different world. A world where the exaggerated is celebrated, where there is no fear of extremes.

T E

968 965 517 luisgbisanti@gmail.com


PASMO

ARQUÉTIPO

— PT Pasmo começa com Helena da Presa, a minha avó, que ao decorar a casa com flores campestres no dia de Páscoa acaba por aliená-las inocentemente do seu ambiente natural. Partindo da descontextualização dos elementos naturais, o foco é direcionado a elementos específicos, que aparecem associados a técnicas de produção manual como tecelagem artesanal, tricot e crochet. Paralelamente são exploradas perspetivas retrofuturistas, a presença de aliens como elemento exterior à norma e a reação do ser humano à sua presença desconhecida. Paradoxalmente são postas em prática referências religiosas, nomeadamente às vestes de Francisco de Assis e Santa Clara, de “Cântico das Criaturas” de Miguel Gomes. O termo Pasmo remete para o poema “O meu olhar é nítido como um girassol” de Alberto Caeiro, e é empregue para descrever a sensação do autor em relação aos elementos naturais que descobre num processo contínuo, larger than life.

22-23

— EN Pasmo begins with Helena da Presa, my grandmother, who, when decorating the house with wild flowers on Easter Sunday, ends up innocently removing them from their natural environment. The starting point is taking natural elements out of context, the focus is aimed at specific elements, which appear associated with manual production techniques such as traditional weaving, knitting and crochet. At the same time, retro-futuristic perspectives are explored, the presence of aliens as an element outside the norm and the reaction of human beings to their unknown presence. Paradoxically, religious references are put into practice, particularly the robes of Saint Francis of Assisi and Saint Clare in “Cântico das Criaturas” by Miguel Gomes. The word Pasmo (“astonishment”) refers to the poem “O meu olhar é nítido como um girassol” by Alberto Caeiro, and is used to describe the author’s feelings about the natural elements he discovers in a continuous, larger than life process.

I T E

@marceloalmiscarado 916 441 590 marceloalmiscarado@gmail.com

— PT A coleção ‘Arquétipo’ passa pela subversão de códigos de vestuário através de uma nova proposta de coordenação (que não a sua função primária). Recorre-se à valorização de artigos masculinos usados pelo sexo feminino. É a redefinição de novos essenciais num guarda-roupa, numa nova dimensão entre o que é privado e íntimo, através de acumulação de camadas associada ao encapsulamento. Pretende-se aqui criar um equilíbrio do universo masculino, revigorando artigos clássicos. Gerar uma harmonia nas oposições e um espaço intermediário de possibilidade e disponibilidade, de materialidade através de acumulação. As proporções são alteradas criando dimensões exageradas que contrastam com camadas justas e colantes; e faz-se a hiperbolização de todos estes fatores através da paleta e dos materiais utilizados.

— EN The ‘Arquétipo’ collection features the subversion of dress codes through a new proposal for coordination (other than its primary function). It enhances men’s clothing worn by women. It redefines new essentials in wardrobes in a new dimension between what is private and intimate, by collecting layers associated with encapsulation. In this case, the idea is to create a balance in the male world, breathing new life into classics. Generating harmony through oppositions and an intermediary space of possibility and availability, or materiality through accumulation. The proportions are changed, creating exaggerated sizes that contrast with tight, clinging layers; all of these factors are exaggerated through the colours and the materials used.

I T E

mariacarlosbaptista 916 329 653 mariacarlosbaptista@hotmail.com


ARCANA — PT ARCANA é inspirada na carta “The High Priestess”, 2º Arcano Maior do Tarot. Alude ao esotérico, desconhecido, que intriga a Humanidade desde sempre - o instinto feminino. Vemos retratada uma figura feminina, serena e confiante, com a lua a seus pés (símbolo de medos e inseguranças) e uma a “tora” nas mãos (símbolo de conhecimento e sabedoria). É alguém que tudo vê e nada revela. Representa o equilíbrio das forças opostas através da presença de dois pilares: um preto (com a letra B de Boaz) e um branco (com a letra J de Jachin). ARCANA foi criada a partir do equilíbrio de contrastes: Feminino/Masculino; Estética/Conforto; Racional/Intuição; Riqueza/Carência . Peças únicas, com materiais de qualidade, linhas e formas contemporâneas que balançam entre o orgânico e o arquitetónico. É o despertar do lado místico feminino.

— EN ARCANA is inspired by the “The High Priestess”, the 2nd Major Arcane in Tarot. It refers to the esoteric, the unknown, which has intrigued mankind since time immemorial - female intuition. A serene, confident female figure is portrayed, with the moon at her feet (symbol of fear and insecurity) and a book in her hands (symbol of knowledge and wisdom). She is someone who sees all but reveals nothing. She represents the balance between opposing forces through the presence of two pillars: one black (with the letter B for Boaz) and one white (with the letter J for Jachin). ARCANA was created from the balance of contrasts: Feminine/Masculine; Aesthetics/Comfort; Rationality/ Intuition; Wealth/Neediness. Unique items made from quality materials, with contemporary lines and shapes that are balanced between the organic and the architectural. It is the awakening of the feminine, mystic side.

T E

916 627 704 info@ritaibs.com

TXABETA — PT Coleção outono/inverno de 20/21. Uma Coleção que nos transporta para a história de Cabo-Verde e do seu povo, uma história de violência marcada pela escravidão e o estupro. Não obstante este passado, os cabo-verdianos têm uma enorme alegria de viver e são humildes. As silhuetas, as volumetrias e as misturas de padrões foram inspiradas nas indumentárias antigas de Cabo-Verde. Algumas peças contêm “panu di terra”, um tecido que é considerado património nacional de Cabo-Verde. Os estampados de várias tonalidades simbolizam as misturas no povo cabo-verdiano e os com rostos de quem muito fez pelo país são a homenagem merecida a este país.

— EN Fall/winter 20/21 collection. A collection that takes us to the history of Cape Verde and its people, a history of violence marked by slavery and rape. Notwithstanding this past, Cape Verdeans are humble people with amazing joie-de-vivre. The silhouettes, the volumes and the mixtures of patterns were inspired by traditional clothing in Cape Verde. Some of the items contain “panu di terra”, a fabric that is considered to be national heritage in Cape Verde. The prints in different shades represent the mixtures featured in the Cape Verdean people and the faces of those who did much for their country and are a deserved homage to the country.It is the awakening of the feminine, mystic side.

T E B

960 211 307 barrosvania31@gmail.com behance.net/vaniabarros


24-25


ENTREVISTA INTERVIEW


26-27

Conselhos é algo que não sei dar e nem sei se concordo ....e também não está no meu adn, mas sei que a grande nova dificuldade do momento para estes novos designers é conseguir trabalhar nesta Indústria da Moda – tida como a segunda indústria mais poluente e terem que prometer ao mundo que vamos ter um futuro e um planeta para viver . Este vai ser o grande desafio de futuro.

PEDEM-SE SEMPRE OS CONSELHOS MAS NÃO VAI SER O CASO. QUAIS SERÃO AS DIFICULDADES QUE OS NOVOS DESIGNERS VÃO TER E PORQUE É QUE AS VÃO TER?

Os Designers mais novos têm a garra própria da juventude... que é única e tem prazo de validade. Têm a coragem de tentar Ser e o querer de Existir. Reconheço-lhes uma força e uma vontade que me é quase comovente...

OS DESIGNERS MAIS NOVOS DEVIAM TER METADE DA GARRA QUE A ISABEL TEM?

Qualquer futuro passa pelo que há-de vir.... mas para se ter alguma ideia do que aí vem é bom saber viver o aqui e agora ... o presente. Há que saber o que se faz, porque se faz e para quem se faz. O BLOOM é bem o reflexo desta ideia, é um movimento de jovens que desenham e desempenham, que cortam e executam e que ao apresentarem as suas próprias coleções tem a esperança que, num qualquer futuro próximo, algo aconteça que os ajude a ser aquilo que eles querem ser. É sem dúvida no BLOOM, no presente, onde esse momento de exposição é importante, onde o talento pode ou não ser reconhecido, e é aí no presente que o futuro existe ....

SÃO 10 ANOS DE BLOOM. O FUTURO DA MODA PORTUGUESA PASSA PELO QUE HÁ-DE VIR?

É pior ficar sem falar.

NA COORDENAÇÃO DE UM DESFILE É PIOR FICAR SEM VER OU SEM OUVIR?

Quem vive na Lapa é feliz...

QUEM VIVE NA LAPA É BETO?

Digam vocês.

UM DIA, DAQUI A 100 ANOS, QUEM É QUE PODE SUBSTITUIR A ISABEL COMO DDT?

Não sei...

O QUE É A ESSÊNCIA ROMÂNTICA DA MODA?

Quando uma planta floresce, abre e dá flor... esta é a essência do BLOOM.

O BLOOM, COMO PLATAFORMA PARA ARRISCAR, AINDA MANTÉM A ESSÊNCIA ROMÂNTICA DO QUE A MODA DEVE SER?

Reconheço-lhes talento, força para andar em frente, são viajantes que fazem o seu caminho caminhando num país conformista ao fundo da Europa, têm a coragem e determinação dos que querem... não lhes falta nada.

HÁ SEMPRE QUALQUER COISA QUE FALTA AOS DESIGNERS PORTUGUESES E A ISABEL SABE O QUE É. É O QUÊ?

A próxima geração vai ser uma geração sacrificada à sustentabilidade e trabalhar em moda vai ser um caminho difícil. Os que nos precedem vão ter que pagar pelos nossos erros.

A ISABEL FOI CASADA COM UM MÚSICO E É MÃE DE UM ESCRITOR. SERÁ QUE ALGUÉM DA GERAÇÃO SEGUINTE VAI SER DESIGNER DE MODA, OU É MAIS FÁCIL SER CIENTISTA E DESCOBRIR UMA NOVA TEORIA DA MATEMÁTICA DA QUANTIZAÇÃO?

Muiiiitooo. Não me via a fazer outra coisa. Adoro mesmo.

AINDA DÁ GOZO TRABALHAR EM MODA?

Li o livro, gostei muito, mas não me revi em nenhuma das personagens.

QUANTO DE ISABEL EXISTE NA PERSONAGEM TERESA, DO LIVRO “BIOGRAFIA INVOLUNTÁRIA DOS AMANTES” DE JOÃO TORDO?

Acho que de alguma maneira já respondi em cima a esta pergunta, mas este é o momento para usarem a vossa juventude , o vosso talento, a vossa paixão por esta incrível industria que é a moda para repensar, refazer e recriar o futuro.

FALA-SE MUITO DO FUTURO DOS JOVENS DESIGNERS. O FUTURO NÃO É O QUE SE FAZ NO PRESENTE?

A moda inventa-se e reinventa-se por si própria... ou não fosse moda. Reinventa-se com talento, paixão, cultura e espírito revolucionário.

COMO É QUE SE CONSEGUE REINVENTAR A MODA EM PORTUGAL?

O Futuro da moda passa pela mudança. O planeta assim o obriga. A moda vai ter que ser sustentável e a mensagem não pode ser só uma simples estratégia de marketing do momento, temos que passar de uma economia do usar e deitar fora para o reutilizar. Isto sem dúvida que vai mexer em toda a estrutura tal como a conhecemos até aos dias de hoje. Nada mais vai ser como era. Timings diferentes, com novas maneiras de estar de fazer e de olhar. As atitudes por mais pequenas que possam parecer vão contar e citando Vivienne Westwood na sua revolução pelo clima ‘comprem menos.... não é preciso sair de um grande armazém com um saco cheio de t-shirts mais vale comprar um único vestido mesmo mais caro de um bom designer que se usa e re-usa’. Outro grande desafio se adivinha.

QUAL É O FUTURO DA MODA PORTUGUESA, E DA MODA EM GERAL?


28-29


IT’S BEEN 10 YEARS OF BLOOM. DOES THE FUTURE OF PORTUGUESE FASHION INCLUDE WHAT’S YET TO COME? Any future includes what’s yet to come.... but to give you an idea of what’s around the corner, it’s good to know how to experience the here and now ... the present. You have to know what’s done, why it’s done and who it’s done for. This idea is well reflected by BLOOM. It is a movement of young people who design and perform, who cut and execute and, by presenting their own collections, hope that, in the near future, something will happen that will help them to be what they want to be. And it is now, without a doubt, that such moment of exposure becomes important, where talent may or may not be recognised, and it is then that future exists, at Bloom...

ISABEL WAS MARRIED TO A MUSICIAN AND IS THE MOTHER OF A WRITER. WILL ANYBODY IN THE NEXT GENERATION BE A FASHION DESIGNER, OR WILL IT BE EASIER TO BE A SCIENTIST AND DISCOVER A NEW THEORY OF QUANTUM MATHEMATICS? The next generation will be fully dedicated to sustainability issues and working in fashion will be very hard. Future generations will have to pay for our mistakes. PORTUGUESE DESIGNERS ALWAYS LACK SOMETHING AND ISABEL KNOWS WHAT IT IS. WHAT IS IT? I admit they have talent, the strength to move forward; they’re travellers who set out on the pathway in a conformist country at the edges of Europe. They are brave and determined... they lack nothing.

WHAT DOES THE FUTURE HAVE IN STORE FOR PORTUGUESE FASHION? AND FOR FASHION IN GENERAL? The future of fashion lies in change. The planet demands it. Fashion will have to be sustainable and the message cannot be just a simple temporary marketing strategy. We will have to move from a throwaway society and start reusing. This, without a doubt, will affect the entire structure as we know it today. Nothing will be as it was. Different timings, new ways of living, of doing and of seeing. Behaviours, no matter how small they appear to be, will be counting on and quoting Vivienne Westwood in her climate revolution ‘buy less... you don’t need to leave a big shopping centre with a bag full of t-shirts. You’re better off buying one dress, a more expensive one, by a good designer, that you can wear and wear again’. Another major challenge is on the horizon.

HOW CAN YOU REINVENT FASHION IN PORTUGAL? Fashion invents and reinvents itself... it’s fashion after all. It’s reinvented with talent, passion, culture and a revolutionary spirit.

WHAT IS THE ROMANTIC ESSENCE OF FASHION? I don’t know...

HOW MUCH OF ISABEL IS IN THE CHARACTER OF TERESA IN THE BOOK “BIOGRAFIA INVOLUNTÁRIA DOS AMANTES” BY JOÃO TORDO? I’ve read the book and I really like it, but I don’t see myself in any of the characters.

DOES BLOOM, AS A PLATFORM FOR TAKING RISKS, STILL HAVE THE ROMANTIC ESSENCE THAT FASHION SHOULD HAVE? When a plant flourishes, opens and blooms... that is the essence of BLOOM.

ARE PEOPLE WHO LIVE IN LAPA POSH? The people who live in Lapa are happy...

DO YOU STILL ENJOY WORKING IN FASHION? I love it. I can’t see myself doing anything else. I really love it.

MUCH IS SAID ABOUT THE FUTURE OF YOUNG DESIGNERS. ISN’T THE FUTURE MADE OF WHAT’S DONE IN THE PRESENT? Somehow, I believe I’ve already answered this question, but the time has come for you to use your youth, your talent, and your passion for this incredible fashion industry to rethink, remake and recreate the future.

SHOULD YOUNGER DESIGNERS HAVE EVEN HALF THE DETERMINATION THAT ISABEL HAS? Younger designers have the determination of youth... which is unique and has an expiry date. They have the courage to try Being e wanting to Be. I see in them gstrength and desire that moves me...

WHEN COORDINATING A FASHION SHOW, WHICH IS WORSE? NOT SEEING OR NOT HEARING? The worst is not talking.

ONE DAY, 100 YEARS FROM NOW, WHO WILL BE ABLE TO REPLACE ISABEL AS DDT? You tell me.

THEY ALWAYS ASK FOR ADVICE, BUT THAT WON’T BE THE CASE. WHAT DIFFICULTIES DO NEW DESIGNERS FACE AND WHY WILL THEY HAVE THEM? I don’t know how to give advice nor do I know if I agree with it... and it’s not in my DNA either; however I do know that the major new challenge is being able to work in this Fashion Industry – known as the second most polluting industry, and having to promise the world that we’ll have a future and a planet to live on. This will be the great challenge of the future.


Profile for portugalfashion

BLOOMIN FW 2021  

Revista Digital da plataforma de jovens talentos Bloom - Portugal Fashion. O BLOOM é talento em estado selvagem. Raízes que ainda são frágei...

BLOOMIN FW 2021  

Revista Digital da plataforma de jovens talentos Bloom - Portugal Fashion. O BLOOM é talento em estado selvagem. Raízes que ainda são frágei...

Advertisement