Page 1


agenda .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

6

notícias . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7 opinião .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

8

capa

•mais harmonia no seu lar

. . . .

12

. . . . . . . . . . . . . . . . . .

16

1ºplano

•psicodrama ambiente

•Cimeira de Copenhaga

. . . . . . . .

18

saúde

•Proteja-se dos plásticos •noni •Articulações saudáveis

. . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

20 26

. . . . .

28

. . . . . . . . . . . . .

34

bem-estar

•anticelulíticos vivências

•Uma vida mais

descontraída . . . . . . . . . . . . . . . . . 36

Novos produtos . . . . . . . . 42 Cultura

. . . . . . . . . . . . . . . . . . .

48

Tendências . . . . . . . . . . . . . . . 50

4

NATURAL


NATURAL

5


»» »»

»»

»»

»» »»

»»

»»

»»

»»

»»

»»

»»

»» »»

6

NATURAL


n tícias 





NATURAL

7


8

NATURAL


opinião por carlos campos ventura*

10

NATURAL


capa

FengShui

Especial

Mais harmonia no seu lar

12

�

NATURAL


capa

A harmonia depende de oito aspectos da vida, tal como o trabalho, família, relacionamentos, entre outros. O Feng Shui, através da sua figura geométrica representativa – Baguá – relaciona estes aspectos com o ambiente da nossa casa. Nesta edição deixamos-lhe algumas ideias de como deve criar uma melhor energia no seu lar. Texto Rita estêvão ritaestevao@gmail.com » Fotos D.R

No antigo conhecimento do estudo do meio ambiente e na forma como o meio ambiente afecta o ser humano em termos de “harmonia e prosperidade”, Feng shui significa vento e água. Desde há 6000 anos que o conhecimento original começou a ser acumulado através da experiência e da observação dos povos primitivos em encontrarem um bom local para viver, caçar, se abrigarem etc. Este conhecimento levou à compreensão em termos de forma da paisagem e rapidamente foram incluídos conhecimentos abstractos como a influência das estrelas, das direcções, cosmologia, das horas de mudança e das várias forças da natureza invisíveis. Por isso, o Feng Shui é a disciplina que nos permite reorganizar os ambientes tirando partido da energia das direcções, da configuração do espaço, da posição dos objectos, das cores e dos materiais que utilizamos na decoração de interiores do nosso espaço. Baseando-se na metafísica oriental, na influência cósmica, na energia do yin/ yang e na energia do ciclo dos 5 elementos, o Feng Shui, no Ocidente, só funciona se conseguirmos estabelecer uma harmonia entre os princípios dessa disciplina milenar e a nossa realidade cultural.

diagnostica os bloqueios na circulação de energia de um paciente e aplica agulhas na zona do corpo para curar uma outra parte ou órgão, o consultor de Feng Shui detecta as supostas influências visíveis e invisíveis num determinado ambiente e recomenda “curas” numa área particular da casa, que poderão alterar as características da circulação da energia em toda a casa. O conhecimento destas “influências” pode explicar muitos fenómenos que percebemos apenas de forma intuitiva: o que nos faz

tende a ser positiva e feliz. Mas com o tempo, o acúmulo de objectos sem uso acaba por se traduzir em energia estagnada, enchendo o lar de energia yin – que pode significar exaustão e desânimo para os residentes. Para revitalizar a sua casa, o primeiro passo é uma limpeza geral, eliminando não só as teias de aranha, mas também as revistas e jornais antigos, roupas gastas e objectos sem uso – inclusive aqueles guardados apenas pelo valor sentimental. Além de desbloquear a energia estagnada, este

sentir confortáveis ou não num determinado ambiente; porque certas áreas de um edifício são pouco ou nunca ocupadas; porque alguns dos seus moradores estão com frequência doentes, entre outros factores.

“processo terapêutico” leva-nos a reflectir sobre o que queremos manter e o que queremos que se vá embora em 2010. Assim, o primeiro objectivo do Feng Shui é guardar e preservar as boas influências disponíveis no lugar de modo a permitir que permaneçam e se distribuam suavemente pela edificação. O segundo objectivo é reduzir os efeitos negativos das diversas influências nocivas ao local, presentes na sua construção.

As energias A sabedoria chinesa revela que a harmonia depende de oito aspectos da vida: trabalho, espiritualidade, família, prosperidade, sucesso, relacionamentos, criatividade e amigos. Todos eles fazem parte do Baguá, figura geométrica de oito lados que relaciona os ambientes às várias áreas da vida, e que é a base do Feng Shui. Alguns teóricos revelam que os chineses comparam os benefícios que o tratamento que o Feng Shui pode proporcionar a um espaço com os resultados que a Acupunctura pode oferecer a um paciente. Ou seja, da mesma forma que o Acupunctor

Limpeza física e emocional Segundo o Feng Shui, quando a força vital de uma casa é dominada por energia yang vibrante, a disposição dos seus habitantes

NATURAL

13


capa

O terceiro objectivo é implementar “curas” que possam produzir resultados em termos de saúde, bem-estar e harmonia para os moradores. A sabedoria chinesa revela que a harmonia depende de oito aspectos da vida: trabalho, espiritualidade, família, prosperidade, sucesso, relacionamentos, criatividade e amigos. Todos eles fazem parte do ba-guá, figura geométrica de oito lados que é a base do Feng Shui.

promover a harmonia familiar, é o espaço onde os moradores se reúnem para conversar e relaxar. Deve inspirar os convidados a sentirem-se bem. Sobrepondo-se o ba-guá à planta da casa, é possível localizar a sala e activar a energia correspondente. Há cores, objectos e formas específicas para estimular a energia de trabalho, família, prosperidade e assim por diante.

Harmonia na sala

A energia das escadas

Quanto mais aconchegante e confortável, melhor. Assim deve ser a sala, que, além de

Segundo o Feng Shui, a escada representa movimento. E, dependendo da forma e do

14

NATURAL

local, faz o chi fluir muito rápido ou devagar demais, o que traz desarmonia para a casa. Uma escada de estilo caracol, por exemplo, pode gerar instabilidade emocional.

O ponto forte da casa Ao avaliar a planta de qualquer casa, os especialistas de Feng Shui prestam muita atenção ao local onde fica o centro da construção. A força vital da casa se ancora-se exactamente nesse ponto, e um desequilíbrio nessa área pode afectar todos os ambientes. Do centro partem todos os oito guás que pertencem ao ba-guá, o


capa frente à porta do quarto devemos ter cuidado, pois a energia entra no quarto com muita velocidade, o que pode provocar alguma instabilidade durante o sono Solução: O mais aconselhável será colocar um pequeno móvel ou um biombo de forma a mudar a direcção da energia protegendo a cama.

Contudo, a ordem pode ser mantida sem obsessão e a limpeza ajudada por um ambiente composto de poucos móveis e objectos, além de revestimentos fáceis de limpar. A criança precisa de sentir o quarto (ou uma área dele, caso divida com um ou mais irmãos) como exclusivamente seu. O território pode ser marcado com peluches ou outros brinquedos, o importante é o respeito pelo gosto dos mais pequenos. E também ao seu tamanho: as estantes devem estar ao alcance das suas mãos e quadros ao nível do seu olhar”.

O seu quarto E porque o quarto representa um espaço de descanso e de sossego, a consultora em Feng Shui Alexandra Morgado diz-nos como devemos localizar os objectos fulcrais do mesmo. Cama em frente a porta Escolher a posição da cama é um acto muito importante. Se tivermos de colocar a cama em

diagrama que relaciona os cantos da casa às diversas áreas de interesse da vida. No ba-guá, o centro da casa é assinalado com o Tai Chi, o símbolo do Tao, que mostra o equilíbrio das forças que compõem o universo: yin (feminina e passiva) e yang (masculina e activa), ou seja, o centro de uma casa é uma zona energética vital.

O quarto das crianças

As técnicas de harmonização de ambientes pedem ordem e limpeza absoluta, o que poderá ser difícil de concretizar no quarto dos mais pequenos.

Os espelhos O uso de espelhos no quarto nem sempre é recomendável sobretudo se estiverem colocados em frente à cama, o que pode provocar um sono instável. A posição correcta do espelho é ser colocado numa parede que não reflicta a cama de uma forma directa Sempre que num quarto tivermos uma janela em frente à porta devemos evitar colocar a cama, para que o movimento de energia não perturbe o sono. O ideal será colocarmos a cama na parede oposta. As divisões Quando escolhemos a localização da cama no quarto devemos de ter atenção ao que se passa na divisão ao lado, se for uma cozinha ou casa de banho devemos evitar encostar a cama a essa parede caso tenha canos ou electrodomésticos instalados que podem produzir energia electromagnética desfavorável. Sobretudo no caso das crianças devemos de ter muito cuidado, porque elas são muito sensíveis a essas energias desfavoráveis. Melhor a Norte A escolha da melhor direcção da cama é feita sempre em função da direcção em que está a cabeceira da cama, neste caso podemos dizer que temos a cama virada para norte, ou seja colocamo-nos aos pés da cama e com uma bússola verificamos que ponto cardeal marca a bússola.


Psicodrama 1º plano

A cura da sociedade

16

NATURAL


1º plano

Uma terapia das relações entre os indivíduos de um grupo. É assim que se caracteriza o psicodrama, ao tratar situações clínicas através da representação de cenas e formas de acção que utilizem o corpo. Texto Rita estêvão ritaestevao@gmail.com » Fotos D.R

“Trazer a verdade da alma através da acção”. Foi assim que o psiquiatra Jacobb Levy Moreno, criador do psicodrama, definiu este método, que pretende facilitar a descoberta e o fortalecimento no ser humano de um estado de corpo-menteespírito chamado de “espontaneidade - criatividade”, estado que possibilita a transformação no indivíduo e no grupo. O psicodrama é assim um método terapêutico dirigido ao indivíduo, ao grupo, à organização e à sociedade – “É uma psicoterapia individual feita em grupo; a acção utilizada é não só a representação de cenas, mas também todas as técnicas e formas de acção, que implicam a utilização e a focalização no corpo, movimento, dança, estátuas, o corpo em quietude”, explica a sociodramatista Maria Margarida Barros.

O psicodrama é um método terapêutico dirigido ao indivíduo, ao grupo, à organização e à sociedade

...

No desenvolvimento deste processo são utilizadas as ferramentas do método psicodramático num conjunto de práticas e fórmulas necessárias para concretizar a visão social de J.L. Moreno, aquilo a que chamou de “sociatria”, a “cura da sociedade”. A sociatria utiliza assim o Psicodrama e o sociodrama, e é uma metodologia que trata as relações entre os vários sistemas sociais, e faz o diagnóstico e o tratamento da espécie humana, das relações grupais e intergrupais.

Terapia para a sociedade O sociodrama, por si só, é uma terapia das relações entre os indivíduos de um grupo – “O grupo pode ser, por exemplo, um casal, uma família, um grupo organizacional, empresarial ou institucional, um grupo social, ou um grupo com características específicas, por exemplo, um grupo de pessoas com determinada doença, um grupo profissional, um grupo de pessoas com determinadas circunstâncias de vida, ou um grupo de pessoas que necessitam de ultrapassar obstáculos e criar dinâmicas de inovação e criatividade”, explica Margarida Barros. Através do método psicodramático podem tratar-se situações clínicas individuais (psicoterapia de grupo) ou conflitos de grupo (sociodrama). As sessões seguem o procedimento em três etapas - aquecimento, dramatização e comentários, e os seus instrumentos são o palco, o protagonista, o director, os egos auxiliares e o auditório.

O centro de nós mesmos Quando Jacobb Levy Moreno criou o Psicodrama, a sua inspiração foi o chamado “teatro de espontaneidade” em que os actores representavam em palco eventos do quotidiano ou notícias da imprensa sem um texto prévio. Moreno descobriu que a representação de uma personagem tem reflexos na própria experiência do indivíduo. Nas sessões, dirigidas por um director de psicodrama ou sociodrama, que orienta o grupo, a espontaneidade, a criatividade e o encontro são as linhas de orientação e de actuação, focando a atenção no “aqui e agora”. Os processos do psicodrama, do sociodrama e da sociatria permitem aceder ao centro autónomo de cura de cada indivíduo, permitindo destruir velhos padrões, registos celulares, e favorecer e criar novos padrões. Para Margarida, o psicodrama, o sociodrama e a sociatria “são métodos terapêuticos e de desenvolvimento integrais, uma vez que todas

as funções psíquicas são usadas - a sensação, o sentimento e emoções, o pensamento e a intuição”. Medos, bloqueios, ou outros problemas são “explorados e tratados”.

Psicodrama em Portugal Por cá, o psicodrama tem sido difundido pela Sociedade Portuguesa de Psicodrama, associação fundada em 1986. A Sociedade Portuguesa de Psicodrama organiza congressos nacionais bienais, já publicou uma revista – “Psicodrama”, e promove cursos

Através do método ”psicodramático podem

tratar-se situações clínicas individuais (psicoterapia de grupo) ou conflitos de grupo (sociodrama)

...

de Director de Psicodrama (abertos a Médicos e Psicólogos com experiência em Saúde Mental), de Director de Sociodrama (abertos a outros profissionais) e de Ego-Auxiliar. “Todos os psicodramatistas e sociodramatistas fizeram a sua psicoterapia com psicodrama e são supervisionados, na formação, que é reconhecida e segue as normais estabelecidas pelos organismos internacionais”, sublinha Margarida Barros. O sociodrama é aplicado em organizações privadas e públicas e como método pedagógico, e existem vários grupos terapêuticos semanais de Psicodrama, sobretudo em Lisboa, Porto e Coimbra. Em 2007 realizou-se o primeiro Congresso Internacional de Sociodrama em Portugal, o segundo em 2009 na Suécia e Finlândia, e o terceiro realiza-se em Setembro de 2010 na Patagónia Argentina.

NATURAL

17


ambiente

Porta entreaberta para um novo clima

Cimeira de Copenhaga

Depois de 13 dias de negociações, a cimeira de Copenhaga passou a positivo, mas com um acordo muito longe do que se ambicionava. Da cimeira de Copenhaga apenas emergiu um acordo voluntário, subscrito por algumas nações. Texto Rita estêvão ritaestevao@gmail.com » Fotos D.R.

Inicialmente, a conferência adoptou um texto que tinha sido negociado no último dia do encontro por um grupo de países desenvolvidos e emergentes, contendo algumas bases para um novo passo na luta contra o aquecimento global. Segundo o acordo, os países que o adoptarem prometem fazer mais esforços para combater as alterações climáticas, mas sem qualquer compromisso legal.

18

NATURAL

Um grupo representativo de 28 dos 119 líderes mundiais presentes na conferência tinha discutido até ao princípio da noite de sexta-feira os termos do acordo – que emergiu de um consenso entre os EUA, China, Índia, Brasil e África do Sul - uma tentativa de última hora para salvar a cimeira de Copenhaga, até então bloqueada devido a desacordos entre países desenvolvidos e em desenvolvimento. Até ao último minuto vários países em desenvolvimento contestaram o processo que deu origem ao acordo. Contudo, no final, aceitaram aprovar uma decisão que apenas “toma nota” do acordo.

Pontos essenciais O texto fala do limite máximo de 2ºC para o aumento da temperatura média da Terra no futuro. Prevê a constituição, até Fevereiro do próximo ano, de uma lista de promessas dos países desenvolvidos e em desenvolvimento para reduzir as suas emissões de dióxido de carbono ou para conter o seu crescimento. E aponta um mecanismo para o reporte e verificação dos esforços dos países em desenvolvimento. O acordo pretende criar ainda o Fundo Climático de Copenhaga, com 30 mil


AmbieNTe

milhões de dólares (21 mil milhões de euros) para os países pobres nos próximos três anos. e promete mais 100 mil milhões de dólares (70 mil milhões de euros) anuais a partir de 2020. para o secretário-geral da onu, Ban Ki-moon, o acordo de copenhaga é “apenas um começo”, mas “é um passo na direcção certa”. Yvo de Boer também saudou como positivo o resultado da conferência, embora salientando que o acordo não foi tão longe quanto se desejava. De Boer reconheceu ainda que não era aquilo que se esperava quando, há dois anos, a comunidade internacional lançou, na conferência de Bali, as negociações para um novo tratado climático. o resultado da conferência originou reacções mistas – entre um completo desastre e um primeiro passo positivo para um novo tratado que de facto comprometa todos os principais emissores mundiais de co2. as negociações para este eventual tratado prosseguirão agora, com uma nova ronda em Bona, Alemanha, em Junho, e a próxima conferência climática na Cidade do México, no final de 2010.

para Francisco Ferreira, vice-presidente da Quercus, na cimeira de copenhaga deveriam ter discutido os seguintes pontos que a organização considerava essenciais para um acordo climático justo, ambicioso e vinculativo. - Um comprometimento para manter o aquecimento global abaixo dos 2ºc, com o pico de emissões entre 2013 e 2017 e as concentrações de co2 abaixo de 350 ppm. - os países industrializados, em conjunto, devem-se comprometer com uma meta de redução das suas emissões de gases de efeito de estufa superior a 40% até 2020 em relação aos valores de 1990. este objectivo deve ser alcançado maioritariamente por reduções internas. - os países em desenvolvimento devem ser apoiados no esforço de limitar as suas emissões industriais e reduzir substancialmente as suas emissões em relação à tendência actual. - As emissões da desflorestação de degradação florestal devem ser reduzidas para zero, até 2020, com apoio financeiro dos países desenvolvidos de pelo menos 35 mil milhões de dólares por ano. - os países desenvolvidos devem providenciar pelo menos 195 mil milhões de dólares em financiamento público anual até 2020 e em adição à já existente ajuda pública ao desenvolvimento, para acções nos países em desenvolvimento. para a Quercus, os resultados de copenhaga deveriam ter sido juridicamente vinculativos e viáveis: um segundo período de cumprimento do protocolo de Quioto; um acordo complementar que preveja metas exequíveis para os eUA comparáveis às dos demais países desenvolvidos; acções pelos países em desenvolvimento.


SAúde

prOTEJa-sE dOs

plÁsTicOs Os plásticos são seguros para a saúde e para o meio ambiente? A indústria diz que sim, mas há cada vez mais investigações independentes que provam a sua relação com problemas de saúde. texto m. nuÑeZ e c.navarro » Fotos d.r.

Os egípcios legaram para a posteridade as pirâmides e outras arquitecturas incríveis. À sociedade industrial sobreviverá o plástico, material que dá corpo a computadores, telefones, revestimentos, esferográficas, brinquedos, persianas, carros, aviões, e outros objectos que não acabam mais. o inventário de todas as formas que podem tomar os derivados plásticos do petróleo não tem fim. Quando os arqueólogos do futuro os encontrarem - alguns permanecerão inalterados milhares de anos - dirão que sem eles o ser humano do século XX não poderia viver, que em algumas ocasiões prestaram um grande serviço mas em muitas mais provocaram enormes consequências ambientais e para a saúde que se arrastaram durante gerações. os plásticos eram resistentes, versáteis, leves, e sobretudo baratos, mas terá valido a pena não prestar atenção e não ver que prejudicavam a saúde?

Alterações do desenvolvimento 4% do petróleo extraído é utilizado para fabricar plásticos, que não são os materiais inalteráveis que os incautos julgam: alguns dos seus compostos químicos lixiviam-se desde o engarrafamento aos alimentos e às bebidas. um facto demonstrado que os cientistas discutem é até que ponto afecta a saúde humana. nos últimos meses têm aparecido estudos que confirmam as suspeitas e resta-nos esperar que em breve se proíbam alguns compostos que actualmente são de uso comum. Por exemplo em maio passado foi publicado o primeiro estudo que demonstrava uma relação entre exposição ambiental de mulheres grávidas aos ftalatos e

20

NATURAL

os efeitos prejudiciais para o desenvolvimento genital dos seus filhos. estudos anteriores já tinham mostrado os efeitos em ratos. este trabalho realizado por investigadores da Universidade de Rochester nos laboratórios do centro nacional para a saúde ambiental e o Centro para a Prevenção e Controlo de Doenças dos eua, determinou que quanto maior a presença de ftalatos no sangue da mãe, maior correspondência há com mais anormalidades

Em Maio passado ”foi publicado o

primeiro estudo que demonstrava uma relação entre exposição ambiental de mulheres grávidas aos ftalatos e os efeitos prejudiciais para o desenvolvimento genital dos seus filhos

...

no desenvolvimento genital, com uma distância menor entre o ânus e os genitais, o pénis e o escroto mais pequenos e maior tendência dos testículos a não descerem. os ftalatos, que se juntam aos plásticos para os tornar mais macios, utilizam-se numa ampla variedade de produtos: esmalte de unhas, laca

para o cabelo, champôs, maquilhagens e muitos outros cosméticos, brinquedos, revestimentos e tapetes sintéticos, sacos de soro, sondas e outros materiais médicos… segundo os investigadores, os ftalatos passam dos plásticos e convertem-se em “contaminantes globais”: em cada ano produzem-se 3,5 milhões de toneladas no mundo. os ftalatos protagonizam o debate acerca da salubridade dos plásticos. os “cientistas tradicionais” e a indústria do plástico insistem em que as análises toxicológicas habituais não indicam que sejam perigosos. pelo contrário, os “cientistas críticos” asseguram que estas provas não são as adequadas para valorar as acções dos ftalatos, que em doses mínimas são capazes de interferir no funcionamento do complexo e sensível sistema hormonal humano e provocar danos permanentes sobre a saúde, sobretudo quando se produzem durante a gestação. Os impactos podem ser graves e imediatos, ou subtis e revelarem-se muito depois. uma das agressões dos plásticos à saúde está a dar-se todos os dias diante dos olhos dos médicos que tratam os doentes. o dethylhexylphthalato (DEHP) é um ftalato presente nos sacos de soro e nos catéteres, onde pode misturar-se com os medicamentos e introduzir-se no corpo. outras substâncias químicas que se juntam normalmente aos plásticos estão associadas a um maior risco de asma, rinite alérgica e eczema, de acordo com estudos recentes. a descoberta, publicada pela revista oficial americana environmental Health Perspectives (EHP), foi realizada por investigadores do Instituto nacional sueco de Investigação e Análises, onde levaram a cabo diversos estudos a 200 crianças com sintomas alérgicos e outras tantas sem doenças.


SAúde

Mais asma e alergias Os investigadores comprovaram a reacção imunitária aos alergénicos comuns como certos pólenes, pêlos de gato, ácaros e fungos, e comprovaram que as amostras que estavam mais contaminadas com ftalatos estavam associadas aos sintomas de alergia. Os revestimentos de chão em pvc em habitações das crianças estavam também associados com os sintomas. o estudo centrou-se em três ftalatos comuns, BBzP, DEHP, e di-n-butyl ftalato, mostrou que o primeiro se relaciona com a rinite e o eczema, enquanto que o segundo aumenta o risco de asma. Não pode ser demonstrado que o di-n-butyl ftalato não cause nenhum problema alérgico. tendo em conta que no final da II Guerra mundial se fabricava uma pequena quantidade, conclui-se que a expansão dos ftalatos coincidiu com o aumento espectacular da incidência das alergias, especialmente nas últimas três décadas. “apesar de múltiplos factores poderem ser responsáveis pelos aumentos de alergias e asma nos últimos 30 anos, é surpreendente que tenham ocorrido durante o período em que os plásticos se tornaram omnipresentes nos lugares de trabalho e nas escolas”, conclui a investigação.

Problemas neurológicos um estudo da universidade de missuri, centrado na revisão de 115 trabalhos sobre o bisfenol-A, concluiu que existem provas suficientes para afirmar que a inclusão de quantidades mínimas deste agente químico utilizado no fabrico de plásticos pode provocar uma variedade de problemas de saúde. se os ftalatos se utilizam para amaciar o plástico, o bisfenol-a emprega-se para o endurecer no fabrico de recipientes transparentes – biberões, garrafas de água, de bebidas

e de alimentos, de onde se libertam para o conteúdo. no corpo humano funciona como se se tratasse da hormona feminina estradiol – a mesma das pílulas contraceptivas – e causa uma variedade de efeitos indesejáveis. Os mais notados são os seguintes: - Início prematuro da puberdade e estimulação do desenvolvimento das glândulas mamárias nas mulheres - alterações no sistema hormonal, inclusivamente baixa da hormona masculina testosterona. - Aumento do tamanho da próstata. - alterações no funcionamento do funcionamento do sistema imunitário. - Menor produção de esperma. - efeitos sobre a conduta, inclusivamente hiperactividade, agressividade, dificuldades de aprendizagem e outras alterações perceptíveis no comportamento. “Existe uma forte evidência de que quantidades mínimas de bisfenol-A, a que a maioria das pessoas está exposta no dia-a-dia, podem danificar a capacidade reprodutora e o desenvolvimento cerebral”, afirmam os investigadores no artigo publicado na primavera passado no eHp.

Risco de aborto mas os efeitos prejudiciais podem ser até piores. segundo um estudo japonês publicado em setembro na prestigiada revista Human reproduction, mulheres com historial de abortos repetidos possuíam no sangue quantidades de bisfenol-a que triplicavam a média das mulheres que não tinham sofrido nenhum aborto. aparentemente, quando a contaminação com doses baixas de bisfenol-A tem lugar em etapas jovens da vida, pode causar danos nos cromossomas que conduzam a abortos espontâneos e a defeitos no feto.

Como reduzir a plástico-dependência pode não ser realista que se tente eliminar os plásticos das nossas vidas, mas podem-se fazer muitas coisas para reduzir a sua presença e os seus efeitos negativos tanto para a saúde humana como para o meio ambiente. - ir com um saco às compras e recusar os de plástico nas lojas. - preferir os alimentos sem embalagens ou que não estão embrulhados com outro material. - mudá-lo de embalagem ao chegar a casa quando o alimento está em plástico. - Utilizar as alternativas: papel vegetal em vez de filme, recipientes de vidro, aço inoxidável, cartão ou madeira… - Não guardar alimentos gordurosos nem quentes em embrulhos ou recipientes de plástico. - Tirar os embrulhos de plástico velho, enrugado ou deteriorado dos alimentos. - Não deixar ao sol alimentos em plástico. - Não meter plásticos no microondas. É melhor recorrer ao vidro e à cerâmica. - Não utilizar detergentes agressivos nos objectos de plástico. - evitar as tampas, pratos, frascos e utensílios de plástico.

NATURAL

21


SAúde

os biberões devem ser de vidro os biberões em policarbonato podem libertar para o alimento do bebé agentes químicos nocivos para a saúde como o bisfenol-A. este aditivo endurecedor pode alterar o desenvolvimento da criança. o risco é maior se o bebé for rapaz, porque o bisfenol-A pode entorpecer o desenvolvimento das características sexuais masculinas. estudos realizados com animais indicam que o bisfenol-A incentiva o aumento e o cancro da próstata. Ao AQUeceR o bibeRÃo liberta-se a substância hormonal no leite e especialmente quando se aquece no microondas. As chávenas adaptadas para bebés também costumam ser fabricadas com o mesmo material. Um eSTUdo dA GReeNpeAce realizado com o Hospital Universitário de Gröningen (Holanda) demonstrou que o bisfenol-A pode encontrar-se em amostras de sangue tiradas de cordões umbilicais. portanto a exposição ao aditivo começa antes do nascimento, na fase de desenvolvimento mais delicada, e continua com os seus primeiros alimentos. oS bibeRÕeS de vidRo ou, se o plástico é inevitável, de polipropileno, são a alternativa. mas convém livrar-se do plástico sempre que se mostre com aspecto muito usado, raiado ou gretado. FRedRiK vAm cAAL, biÓLoGo da Universidade do missuri (eU) e especialista em bisfenol-A pediu às autoridades que se proíba nos biberões e nos brinquedos para crianças menores de três anos.

A intoxicação com bisfenol-A não é pouco comum, antes pelo contrário. análises realizadas na Europa e no Japão mostraram níveis semelhantes nas amostras de sangue e urina em concentrações superiores às que produzem maus efeitos nos ratos. provas realizadas nos eua revelam que 95% das pessoas tem bisfenol-A na urina.também se encontra no sangue das grávidas, na placenta e no cordão umbilical. Os dados

22

NATURAL


indicam uma ”exposição universal”, apesar das autoridades sanitárias ainda não terem tomado decisões sobre este componente plástico. Outra descoberta da revisão de estudos realizada naquela universidade refere-se à qualidade da ciência sobre o plástico: quando os trabalhos científicos foram financiados pela indústria, os resultados retiram as culpas do bisfenol-A, que as tem quando as investigações foram suportadas por uma universidade ou um departamento governamental, segundo o biólogo Frederick vom Saal.

Cancro da mama A acção hormonal dos aditivos presentes nos plásticos faz pensar que também possuem um efeito cancerígeno, dado que alguns tumores são incentivados pelos desequilíbrios endócrinos. O relatório anual de 2004 da Fundação Cancro da Mama dos EUA faz notar que os ftalatos, o Bisfenol-A e outros compostos químicos empregues no fabrico dos plásticos, ao funcionar como hormonas femininas no corpo humano, contribuem sem dúvida para o crescimento do

Os “cientistas tradicionais” insistem em que as análises toxicológicas habituais não indicam que sejam perigosos. Os “cientistas críticos” asseguram que estas provas não são as adequadas para valorar as acções dos ftalatos, que em doses mínimas são capazes de interferir no funcionamento do sistema hormonal humano

...

cancro da mama, do ovário e da próstata. O efeito hormonal do bisfenol-A também poderia situá-lo na origem de alguns casos de resistência à insulina e de diabetes de tipo 2. Ftalatos e bisfenol-A são os compostos plásticos mais estudados, mas existem muitos outros que poderiam ter efeitos prejudiciais para a saúde e meio ambiente iguais ou maiores. Só falta investigá-los. O nonilfenol, por exemplo, actua de maneira semelhante ao bisfenol-A e converteu-se num contaminante habitual dos rios devido aos resíduos industriais. Outra substância perigosa é o estireno, que se pode libertar do poliestireno, plástico muito comum que é utilizado nos revestimentos de edifícios, em embalagens de todo o tipo de objectos (são aquelas bolinhas ou com outras formas brancas ou poliestireno expandido) ou na confecção de recipientes para venda de alimentos processados, embalados ou a comum fast-food. O perigoso estireno encontra-se também no fumo dos automóveis e dos cigarros e na água potável, e é uma substância tóxica para o cérebro e o sistema nervoso, podendo ser


Saúde saúde

Conhecê-los é afastá-los

Código

Nome

PETE

Polietileno

HDPE

Uso

Emissão de tóxicos se se queima.

Polietileno de alta densidade

É facilmente reciclável. Embalagens opacas e resistentes para bebidas.

Emissão de tóxicos se se queima.

LDPE

Polietileno de baixa densidade

Dificilmente reciclável. Embalagens macias (garrafas, sacos…)

Emissão de tóxicos se se queima.

PP

Polipropileno

Dificilmente reciclável. Utiliza-se em recipientes rígidos.

Emissão de tóxicos se se queima.

PVC

Cloruro de polivinilo

Não reciclável. Filme plástico, garrafas, recipientes…

Emissão de tóxicos se se queima. Evitar contacto com alimentos.

PS

Poliextireno

Não reciclável. Tabuleiros de alimentos, pratos descartáveis…

Emissão de tóxicos se se queima. Pode libertar estireno e nonilfnol. Evitar contacto com alimentos.

7*

*frequentemente policarbonato

Não reciclável. Biberões, garrafas de água…

Emissão de tóxicos se se queima. Liberta Bisfenol-A. Evitar o contacto com os alimentos.

PU

Poliuretano

Como isolante na construção de edifícios, em tapetes e em alcatifa.

Gera sub-produtos que afectam a camada de ozono. A produção está associada a problemas de saúde como a asma.

ABS

Acrinolitrilobutadieno-estireno

Em tubagens, para choques e brinquedos (Blocos duros de construção).

O ABS utiliza grande quantidade de substâncias químicas perigosas como o acrilonitrilo, provável cancerígeno humano.

Não consumir

prejudicial para o fígado, os glóbulos vermelhos, os rins e o estômago. Outros riscos para a saúde têm a ver com o uso que se dá aos plásticos e com o final da sua vida útil. Toneladas de PVC (cloro de polivinil) e polioretano acabam nas incineradoras onde, ao serem queimadas, libertam bifenilos policlorinados (PCB), dioxinas e furanos,

24

Risco

É facilmente reciclável. Para embalagens transparentes de bebidas.

Evitar

Preferir

Nem todos são igualmente perigosos, apesar de todos terem algum efeito nocivo em alguma fase da sua vida. O melhor é conhecê-los para afastar os mais problemáticos e procurar alternativas.

NATURAL

compostos tóxicos que também alteram a fertilidade humana e que são cancerígenos. O investigador inglês Yang Danes relacionou estes agentes poluentes com a quebra, por exemplo, da contagem de espermatozóides nos homens ao longo das três ultimas décadas no País de Gales, com o aumento da incidência no cancro nos testículos e com a diminuição de nasci-

mentos de rapazes em relação às raparigas em lugares onde a poluição é extraordinária como em Seveso (Itália).

Perigos gerais Mal formações de nascimento, cancro, doenças respiratórias e sistémicas têm sido associadas à exposição a fumos plásticos. Quando contêm


SAúde chumbo e cádmio, metais pesados que se usam como aditivos no fabrico de plásticos, estes agentes tóxicos contaminam o ar e as águas e portanto os alimentos, acabando por se introduzir no corpo humano. O chumbo prejudica os neurónios e o cádmio é muito perigoso para os rins. no interior das casas podem produzir-se também algumas alterações nos plásticos que facilitem a poluição. É muito frequente que se utilizem no microondas invólucros de policarbonato (um biberão por exemplo) ou alimentos envolvidos com filme de pvc que, ao aquecer, libertam muito mais facilmente os ftalatos e o bisfenol-A tóxicos. O Sistema de Informação Integrada (IRIS) da Agência de Protecção Ambiental dos EUA (EPA) enumera os riscos relacionados com uma variedade de ftalato, a DEHA –di(2-etilhexyl) adipate – que se liberta assim das embalagens alimentares de pvc. os efeitos podem ser graves no fígado, rins e bexiga, alterações na formação dos ossos e no peso corporal. É também um possível cancerígeno humano. Fonte: Integral

os bioplásticos, uma alternativa saudável o desenvolvimento das indústrias que fabricam plástico vegetal a partir de celulose de cereais e de outras plantas e materiais orgânicos é uma alternativa para eliminar a maior parte das aplicações do plástico derivado do petróleo. Já existe, por exemplo, o ácido poliláctico (pLA), obtido do milho. outros bioplásticos obtêm-se das batatas, do arroz ou da tapioca. biodeGRAdÁveiS É oUTRA coiSA os bioplásticos são interessantes para substituir embalagens de alimentos para os plásticos que se utilizam na agricultura e para produtos descartáveis. Não emitem substâncias prejudiciais para a saúde e degradam-se a 100% num composto normal. Além disto, ao degradarem-se emitem metanol e metano, gases que podem utilizarse como fonte de energia renovável. o resto é biomassa que pode transformar-se em carbono para nutrir o solo. por outro lado, a indústria automóvel investiga desde há anos a substituição dos plásticos actuais por outros de fibras vegetais. mas não há que confundir bioplásticos com plásticos biodegradáveis. estes são definidos pela iSo (international Standard organization) como plásticos que se degradam pela acção de microorganismos como bactérias, fungos e algas. isto não impede que possam proceder do petróleo (apesar de a degradação nunca ser completa). Apesar disto, os bioplásticos não estão livres de inconvenientes. o principal é que podem ser obtidos de processos biotecnológicos e organismos transgénicos. por isso no futuro será necessário que se estabeleçam normas de etiquetagem claras sobre a respectiva origem.


noni

SAúde

a fruta

única A sua fama tem-lhe valido um lugar de destaque entre as frutas, sumos e suplementos com nutrientes essenciais. O noni é detentor de um alcalóide raro mas poderoso. texto rita estêvão ritaestevao@gmail.com » Fotos d.r.

pensa-se que o noni tenha chegado às Ilhas Polinésias desde o sudeste da Ásia (Índia), há cerca de 2000 anos. os viajantes levavam consigo unicamente artigos essenciais para sobreviver num novo território: alimentos, roupa, ferramentas de construção e plantas medicinais: o taro, o inhame, os cambures, a cana-de-açúcar, e as sementes de noni. Textos ayurvédicos antigos chamavam o noni de Ashyuka, sânscrito para “longevidade”, explicando que esta fruta equilibra o corpo, estabilizando-o em estado de perfeita harmonia. Morinda citrifolia é assim uma pequena árvore da família das rubiaceae. conhecida por noni, esta é uma fruta com um sabor não muito agradável, cujo cheiro não é convidativo.

26

NATURAL

contudo, a sua fama tem-lhe valido um lugar de destaque entre as frutas, sumos e suplementos com nutrientes essenciais. sendo muito popular nos eua e em alguns países da Europa, o noni é vendido principalmente sob a forma de cápsulas, chás (feitos das folhas) ou sumos.

Nutrientes e organismo apesar da dificuldade em encontrá-la ao natural, o que tem reforçado a sua popularidade são as suas propriedades terapêuticas. E ainda que, na opinião de alguns, não existam provas consistentes do ponto de vista científico de que realmente cure ou previna males, o noni contém Ómega 6 e óxido nítrico, melhorando a oxigenação e, consequentemente, a memória, Nos anos 50, o Dr. Ralph Heinicke descobriu elementos no abacaxi que aumentam a absorção dos nutrientes pelo organismo.

Após muitos anos de pesquisa, identificou e patenteou este ingrediente como um alcalóide novo. No entanto, a proxeronina, precursora da xerenina, é ainda mais abundante no noni, do que no abacaxi. Segundo Heinicke, a xeronina pode ajudar a que os nutrientes sejam mais facilmente assimilados pelo organismo. o noni contém também betacaroteno, precursor da vitamina a, acubina, que agrega propriedades antibióticas, escopoletina, substância antibacteriana, antifúngica e antiinflamatória, que também ajuda a dilatar os vasos sanguíneos, e é rica em vitamina C. os nutrientes do noni intervêm assim em todos os sistemas do organismo, tais como o sistema cardiovascular, circulatório, endócrino, gastrointestinal, imunitário, nervoso central e periférico, ósseo-esquelético, renal e respiratório.


Art iculações saúde

saudáveis Uma alimentação equilibrada e a prática de exercício físico são as grandes chaves para manter as articulações saudáveis. Saiba quais os melhores alimentos, suplementos e actividades para um envelhecimento feliz. Texto Rita estêvão ritaestevao@gmail.com » Fotos D.R.

Ainda que o envelhecimento não seja sinónimo de articulações fracas, é na terceira idade que tais problemas surgem com mais frequência.

28

NATURAL

Como consequência do atrito ósseo e da diminuição da capacidade regeneradora, existe uma perda progressiva da cartilagem e uma reacção inflamatória que acelera a destruição da própria cartilagem e osso. Existem assim alguns cuidados que se devem ter para prevenir o aparecimento

de patologias: evitar a sobrecarga articular é fundamental – o peso tem aqui uma grande influência, e é por isso importante perder algum, diminuindo as forças de compressão sobre as articulações. Também os exercícios de flexibilidade são indispensáveis para a manutenção das


saúde passando por aulas de grupo ou exercícios específicos, estas actividades obrigam também a sair de casa e a conviver com pessoas, estimulando não só o físico como também a saúde psicológica, algo fundamental para um envelhecimento saudável e feliz. Eis algumas actividades que melhoram o corpo e a mente: Ioga: Esta arte milenar, recomendada para pessoas de todas as idades, tem benefícios na melhoria da flexibilidade, postura, equilíbrio e estabilidade física e mental.

condroitina tem ”um Apapel importante na atracção do fluído que lubrifica as articulações, assegurando a elasticidade

...

Tai Chi: O Tai Chi tem um sistema de exercícios que ajudam a melhorar a percepção do corpo. Uma série de movimentos suaves e leves melhoram a postura, flexibilidade, estabilidade e revitalização da mente. Pilates: Método concebido para melhorar a postura e a flexibilidade através do fortalecimento dos músculos abdominais e lombares. Previne e alivia problemas nas costas, aumenta a consciência corporal e a coordenação. Hidroginástica: Exercício praticado em água. A água facilita a execução dos movimentos e protege as articulações, aumentando a flexibilidade.

Os problemas mais comuns

articulações, permitindo a realização de movimentos mais amplos. Neste ponto, o exercício físico melhora a flexibilidade articular e a resistência mecânica, facilitando a difusão dos elementos nutritivos às articulações.

Longe de envelhecer É possível ajudar o corpo a viver a terceira idade sem grande “dores de cabeça”. Exercício físico e alimentação saudável são as grandes duas chaves para uma velhice longa e activa. Da simples caminhada,

A base da ”prevenção está

essencialmente na alimentação, por isso deve comer bastantes alimentos ricos em cálcio e vitamina D

...

Cerca de uma em cada quatro mulheres com mais de 50 anos, e um em cada doze homens com mais de 70 anos são afectados pela osteoporose, que representa ossos quebradiços. A base da prevenção está essencialmente na alimentação, por isso deve comer bastantes alimentos ricos em cálcio e vitamina D, mas quantidades moderadas de alimentos proteicos, como carne, peixe ou leguminosas. Quando combinadas com elevados níveis de sal, as proteínas retiram o cálcio dos ossos, aumentando o risco de osteoporose. A osteoartrite, doença degenerativa que provoca a inflamação das articulações, atinge a maioria das pessoas com mais de 60 anos, embora algumas não apresentem sintomas.

NATURAL

29


SAúde

Suplementos naturais que ajudam a melhorar a agilidade física e mental Glucosamina: presente naturalmente no nosso organismo e na natureza, nas carapaças dos crustáceos. É fundamental na regeneração dos tecidos envolvidos nas articulações, como os tendões, ligamentos e cartilagem, e dos tecidos que ligam os músculos. condroitina: elemento natural da constituição da cartilagem, a condroitina tem um papel importante na atracção do fluído que lubrifica as articulações, assegurando a elasticidade. como a glucosamina, pode ser encontrada na natureza, nas cartilagens de vários animais. existe em pequena quantidade nos alimentos, daí a importância dos suplementos. vitaminas d e K: A vitamina d ajuda ao bom funcionamento dos músculos e melhora a absorção de cálcio. Juntamente com a vitamina K, promove a construção e manutenção de ossos fortes e saudáveis. vitamina c: importante na produção de colagénio, substância que actua no fortalecimento dos tecidos, ossos e cartilagens. A vitamina c tem também um papel fundamental no funcionamento do sistema imunitário. Graças às propriedades anti-envelhecimento, ajuda a proteger a memória e as capacidades mentais. pode ser encontrada nos mais variados alimentos, nomeadamente nos citrinos.

os superalimentos Sardinhas: esta é uma excelente fonte de cálcio. Uma lata de sardinhas tem tanto ou mais cálcio do que um copo de leite. para além disso os óleos ómega 3 são benéficos para a saúde dos ossos. couve chinesa: este vegetal é rico em cálcio, e meia chávena desta couve equivale a um copo de leite. Salmão: para lá do cálcio, este peixe proporciona vitamina d que regula a absorção do cálcio e a sua fixação nos ossos. Nozes e sementes: As amêndoas, os pistácios e as sementes de girassol são ricas em cálcio, e em potássio, mineral que previne a perda de cálcio pela urina. São também ricos em proteínas, o tecido de suporte dos ossos. Soja: o consumo de soja retarda a osteoporose, como também reduz significativamente a perda óssea total.

30

NATURAL

costuma afectar as articulações do joelho e da anca e pode provocar dor e perda de mobilidade. a obesidade agrava estes sintomas, por isso deve evitar o excesso de peso. Neste caso, o peixe gordo e os óleos de peixe têm propriedades anti-inflamatórias que reduzem a dor e permitem maior flexibilidade nas articulações artríticas. Para prevenir e controlar a artrite, coma peixe gordo (cavala, atum, sardinha, salmão, arenque ou sarda), no mínimo, duas vezes por semana. Caso não coma peixe, deve tomar suplementos de óleo de peixe, como óleo de fígado de bacalhau. Para optimizar a sua acção, prefira as cápsulas de óleo de peixe que têm uma maior concentração de ingredientes, mas consulte sempre primeiro o seu terapeuta.


pUbLiRepoRTAGem

PROBLEMAS NAS ARTICULAÇÕES? Desconforto articular, articulações sensíveis às mudanças de temperatura e de humidade, diminuição da flexibilidade articular e prática desportiva intensa… Estudos mostram que estes problemas afectam mais de 10% da população nos países ocidentais. Este tipo de desconforto pode ocorrer devido à idade, excesso de peso ou em consequência de acidentes ou prática desportiva intensa. A origem destes problemas está normalmente associada à destruição da cartilagem, que funciona como amortecedor entre os ossos e permite os movimentos articulares. estes distúrbios podem provocar rigidez, dificuldades de movimentos e maior sensibilidade. As partes do corpo mais afectadas por este problema são as costas, os joelhos, o pescoço, as ancas e as mãos.

UMA SOLUÇÃO ANCESTRAL! a curcuma longa é uma planta utilizada no ocidente desde a antiguidade. É geralmente utilizada para problemas relacionados com a digestão e problemas anti-inflamatórios. Infelizmente a Curcumina é muito pouco absorvida pelo nosso organismo… Foi neste sentido que os Laboratórios Ortis tentaram uma vez mais desenvolver um suplemento indicado para o conforto articular. A Curcumin OR 100 é um complexo exclusivo que associa um extracto de Curcuma à β-ciclodextrina, uma molécula de origem natural, utilizada para fins alimentares. Esta associação única permite que as curcuminas (princípios activos da Curcuma) sejam melhor assimiladas pelo organismo. Este complexo garante eficácia e rapidez de acção (assimilação a 100% das curcuminas) com apenas uma pequena dose diária (1 a 3 comprimidos). A primeira solução para inflamações e dores (rápido e eficaz) que ajuda a diminuir a deterioração/degradação da cartilagem, sendo 100% segura, sem efeitos secundários.

FLEXICUR - EFICÁCIA COMPROVADA! Três anos de pesquisa permitiram o desenvolvimento de uma fórmula única para a protecção da cartilagem. Em comparação com outros anti-inflamatórios, Flexicur ajuda a reduzir inflamação em cerca de 84% dos consumidores em apenas 6 dias. tem dupla actividade sobre desconforto e rigidez articulares, preservando simultaneamente a cartilagem, efeito contro-protector). Flexicur está disponível em embalagens de 18 e 54 comprimidos. Em caso de rigidez articular mais severa recomenda-se a toma de três comprimidos por dia. para manutenção do conforto articular, aconselha-se a toma apenas de um comprimido por dia.

32

NATURAL


CURCUMIN OR 100 ®

- aumenta a biodisponibilidade da curcumina - tem uma eficácia e uma segurança cientificamente comprovadas - não causa problemas gastrointestinaismesmo em caso de utilização frequente

A SOLUÇÃO NATURAL PARA: . manter a flexibilidade das articulações . proteger a cartilagem UTILIZAÇÃO RECOMENDADA EM CASO DE: . desconfortos articulares . articulações sensíveis às mudanças de temperatura e de humidade . diminuição da flexibilidade articular . prática desportiva intensa APRESENTAÇÃO: . caixas de 18 e de 54 comprimidos

BIODISPONIBILIDADE: É importante lembrar que a biodisponibilidade da curcumina pura, simples, é muito fraca, ou seja: 1%. Por essa razão os Laboratórios ORTIS optaram por “CURCUMIN OR 100 ®”. Este complexo é constituído por

MODO DE TOMAR: . como suplemento alimentar, tomar 1 a 3 comprimidos por dia, com um grande copo de água . dose inicial: 1 comprimido, 3 vezes por dia . dose de manutenção: 1 comprimido por dia

um extracto de Curcuma longa, por betaciclodextrina e por polisorbato 80. A toma diária de um único comprimido de Flexicur fornece o equivalente a 1200 mg de curcumina e substitui vantajosamente uma toma de 30 g de Curcuma longa.

NATURAL

33


bem-eSTAR

anTicElUlÍTicOs que enfraquecem a pele As promessas das empresas de cosmética não conduzem a produtos mais eficazes. texto manuel nuÑeZ e claudina navarro » Foto d.r

a publicidade, a moda e o cinema empenham-se em desenhar um ideal de mulher com pernas longas e delgadas, rabo arrebitado e firme, barriga plana e ancas estreitas. o problema é que mulheres assim não existem. As fotos das revistas e até os anúncios da televisão e as fotografias são informaticamente retocados plano a plano para que não vejamos as supostas imperfeições das modelos e actrizes. contudo, muitas mulheres perseguem esse sonho de pele lisa. A realidade é diferente. 90% das mulheres, e não só as cheiinhas, tem celulite. De facto, alguns dermatologistas consideram a celulite como

34

NATURAL

uma característica sexual secundária, quer dizer, algo inerente ao sexo feminino e contra o qual não faz sentido lutar. a celulite está determinada hormonalmente e o seu desenvolvimento é ajudado pela debilidade do tecido conjuntivo. as células gordas acumulam-se até serem visíveis quando a pele adquire um característico aspecto de pele de laranja. Os produtos anticelulíticos têm o êxito comercial assegurado, apesar do seu preço e de não conterem nenhum princípio activo


bem-eSTAR capaz de actuar sobre o problema. com frequência pretendem avaliar a sua eficácia com estudos. Utilizam uma linguagem científica, mas não respeitam o método: em lugar de avaliações objectivas das mudanças, recorre-se à percepção subjectiva. Quem aplica o creme quer acreditar que o produto funciona.

Ingredientes perigosos encontram-se uma série de ingredientes potencialmente perigosos e que seria melhor que não entrassem em contacto com a pele. A maioria contém polietilenglicóis ou derivados (PEG) que se usam para que a água e os ingredientes gordos se misturem, mas que aumentam a vulnerabilidade da pele a outros ingredientes mais agressivos, como os perfumes sintéticos que podem acumular-se no tecido gordo. Algumas substâncias aromatizantes são alergénicos potentes. alguns cremes anticelulíticos que se encontram no mercado contêm ftalatos, e em quantidades elevadas. estas substâncias podem actuar no corpo como se se tratasse de hormonas femininas. São portanto um risco para o equilíbrio do delicado sistema endócrino. Então, não serve de nada usar um creme?

Não se podem esperar milagres. O que faz sentido é empregar um bom produto natural e ao mesmo tempo seguir uma dieta equilibrada e fazer muito exercício.

Os produtos anticelulíticos têm o êxito comercial assegurado, apesar do seu preço e de não conterem nenhum princípio activo capaz de actuar sobre o problema

...

tudo isto é positivo para a saúde e para o aspecto. as mulheres que cuidam da pele e da alimentação desde jovens têm menos probabilidades de ganhar celulite exageradamente. Sobretudo é importante não aumentar e diminuir de peso constantemente. Fonte: Integral

ALIMENTAÇÃo E EXERCÍCIo fÍSICo A única solução realmente eficaz contra a celulite é realizar exercício físico de forma constante e alimentar-se de forma saudável. A dieta diária não deve conter gorduras em mais de 40% das nossas necessidades energéticas. São muito recomendáveis exercícios como o ciclismo, a natação e a patinagem. É crucial beber água em abundância, para que se mantenham hidratadas as camadas profundas da pele e o tecido conjuntivo. Há determinados alimentos que ajudam o bom estado do tecido conjuntivo, como os que são ricos em lecitina (ovo e soja), ómega-3 (como as sementes de linhaça ou as nozes), vitamina A (cenoura, alperce) e vitamina c (kiwi, laranja).


Uma vida Mais dEscOnTraÍda vivêNciAS

A tensão física e emocional bloqueia-nos e leva-nos à doença. Conseguimos a calma se reconciliarmos o corpo e a mente mediante técnicas que recorrem às sabedorias orientais e à natureza como fonte de bem-estar. O mais importante é praticá-las com persistência para alcançar os seus benefícios. texto amador cernuda/andrea donoso » Fotos d.r.

A descontracção integral na qual o corpo e a mente são inundados de calma e placidez, não é nada de extraordinário só ao alcance de poucos, apesar de poder parecê-lo numa sociedade cheia de pressões e stress. na realidade está ao alcance

36

NATURAL

de todos se realmente utilizarmos os meios para a alcançar. e para isso, há que conhecer e fomentar as acções que exercem acção positiva integral sobre o organismo. É o primeiro passo que conduz a uma vida mais descontraída. O termo “relaxação” utiliza-se habitualmente de duas maneiras. em sentido geral, designa um estado global de repouso e, especificamente, é o nome de uma técnica que quer alcançar

esse estado de bem-estar. em linguagem médica, a relaxação parece uma salganhada, mas é bom conhecê-lo para ter em conta os muitos processos orgânicos que se activam ou desactivam quando nos descontraímos. Quando se alcança este estado, reduz-se a estimulação do eixo ipotalâmico-ipofisário-suprarrenal, diminui o tónus muscular e a actividade do sistema nervoso simpático, aumenta a actividade


vivêNciAS amadurecimento, as capacidades mentais globais e específicas e uma melhoria das possibilidades de auto-controlo e auto-regulação emocional. “Descansar” o organismo e a mente é tão importante para a nossa sobrevivência que é uma condição que alcançamos sem esforço quando vivemos com naturalidade. mas estamos muito longe do estado natural. até as facilidades que soubemos criar nos converteram em pessoas insatisfeitas e aceleradas que sofrem de cada vez mais transtornos psicossomáticos provocados por esse desajuste permanente em que vivemos. um desajuste que pode ter muitas causas, relacionadas com palavras como stress, ansiedade, insatisfação… o stress é seguramente o termo mais conhecido; o mais científico. Desde que Hans Sayle começou em 1926 a desenvolver as teorias que conduziram a conceptualizar o stress, este converteu-se num dos temas mais relevantes e utilizados, tanto na linguagem científica como na coloquial. este investigador define o stress como a resposta geral do organismo perante qualquer estímulo ou situação. Considera-se que uma pessoa está numa situação stressante quando tem que enfrentar situações que implicam exigências que são difíceis de satisfazer. o stress depende das discrepâncias entre estas exigências do meio exterior e interior e a maneira como o indivíduo apercebe e pode dar resposta a elas.

O corpo em tensão

do sistema nervoso parasimpático e do sistema de neurotransmissão, o nosso cérebro liberta opiáceos endógenos - as conhecidas endorfinas - produz-se uma mudança electroencefalográfica de ritmos de beta a alfa, há uma maior circulação sanguínea cerebral e um menor consumo metabólico de oxigénio.

O peso do stress todas estas modificações acarretam respostas físicas, psicológicas e transpessoais que ajudam a integração mente-corpo e potenciam a nossa saúde. O relaxamento facilita a recuperação fisiológica do organismo, a capacidade de reacção do sistema imunitário, a reflexão pessoal e o

mas nem todo o stress é prejudicial. o estímulo pontual empurra-nos para a acção: é um “eustress ou stress bom”, uma reacção adaptativa que permite ao indivíduo descobrir recursos excepcionais próprios. Mas uma exposição sustentada e intensa a situações stressantes - o que alguns especialistas chamam “destress” – pode trazer consequências negativas. De facto, o “destress” é um dos responsáveis directos das doenças psíquicas e físicas mais comuns. o stress produz um aumento da produção de hormonas como a adrenalina, a noradrenalina e os cortico-esteróides, que a curto prazo aumentam a frequência cardíaca e respiratória, afectam o estômago e criam tensão nos músculos. a longo prazo, o stress pode levar-nos a sofrer de uma ampla gama de doenças e a agravar perigosamente o processo de outras. causa problemas tão extensos hoje na sociedade como hipertensão, perda de cabelo, alterações na pele, asma, gastrite, úlceras, problemas pulmonares, sindroma de cólon irritável, problemas de bexiga, cardiovasculares, ginecológicos, diversas doenças mentais, acidentes, atitudes suicidas, cancro, diabetes, problemas de personalidade, baixo rendimento.

Gerir o stress de uma forma positiva seria o primeiro passo para se libertar efectivamente dele. Depois, é conveniente aprender métodos de relaxação.

Para uma gestão positiva a resposta do stress prepara o nosso organismo para a acção iminente, mas pode provocar problemas se o stress se prolongar.vigiar o aparecimento dos primeiros sinais de alarme (respiração difícil, palpitações, sudação, dores e doenças musculares) e saber controlá-las com actividades preventivas melhora a nossa qualidade de vida: . Desenvolva hábitos saudáveis de alimentação, fazendo pausas, mastigando correctamente, comendo devagar, saboreando o alimento. É preferível deixar de comer antes de se sentir cheio. . reduza, ou melhor, evite o consumo de substâncias tóxicas como álcool, tabaco ou estimulantes (cafeína…) e beba muita água durante o dia. . Pratique exercício com regularidade e insista em aumentar a resistência, a força e a flexibilidade. . corte com a monotonia: seja criativo, aproxime-se da natureza, caminhe, respire e desfrute, ria-se com franqueza e com frequência, pense positivo e trate os outros como gostaria como o tratassem a si. . Descanse e repouse o necessário para o seu corpo e a sua mente (ver a caixa “Deixe os seus sentidos respirar”).

O que é relaxar? Estar relaxado equivale a reconhecer-se a si mesmo. A tensão impede-nos de desfrutar de clareza mental e altera o bom funcionamento do nosso organismo. um erro comum é associar a relaxação a um estado de passividade e imobilidade absoluta. Ao relaxar, produz-se um estímulo dos nossos centros sensitivos, que são os que determinam o movimento físico. Desse ponto de vista, relaxar seria um “recomeçar” verdadeiro. Reeducar o movimento através da relaxação é um bom ponto de partida para nos libertarmos da negatividade emocional. Em conclusão, falamos de uma união (ou “reconciliação”) do corpo e da mente cheia de vantagens porque: . ajuda a harmonia. . Potencia a acção e a comunicação entre o sistema nervoso, endócrino e imunitário, de modo a que é mais fácil prevenir doenças psicossomáticas. . propicia as inter-relações das duas metades do cérebro, o que melhora o potencial criativo e a concentração. . liberta tensões e emoções que nos bloqueiam. . Desenvolve as nossas possibilidades de rendimento físico e mental.

NATURAL

37


vivências

. Permite desenvolver progressivamente o

acesso a um estado profundo de paz interior que conduz à auto-cura. . Revitaliza, rejuvenesce. . É uma ferramenta preventiva, já que melhora a saúde geral e a capacidade de superar o stress. Quando se inicia a prática de alguma técnica de relaxação descobrem-se sensações agradáveis, o descanso passa a ser profundo, dispomos de mais energia. Pensamos que a nossa consciência evoluiu. Contudo, para não entrar em grandes altos e baixos de tensão e distensão é fundamental ser constante no treino. Mas antes de chegar a isto não teremos que nos perguntar que técnica fazer?

38

NATURAL

Nas caixas damos exemplos de exercícios simples que induzem à calma e a uma vida mais descontraída. Entre outras coisas procuram descobrir o nosso corpo, reconciliar-nos com ele e levá-lo em conta. Quer dizer, são para reduzir ou acabar com o divórcio mente e corpo em que vivemos. Mas além destes exercícios e conselhos podemos ver também técnicas orientais milenares, chinesas, japonesas ou indianas, como o tai chi, chi kung, shiatsu, do-in ou yoga cuja prática regular desencadeia maior consciência de si mesmo, maior flexibilidade e harmonia e maior resistência ao desgaste da vida diária. Há centros onde podemos ser introduzidos nestas

práticas até adquirir capacidade suficiente para as praticar autonomamente.

Os cinco níveis Os benefícios da relaxação supõem aceitar as suas características reais, ou seja, que é uma actividade individual e auto-dirigida conscientemente e que é uma capacidade aprendida com efeitos acumulativos e sistémicos. Muitas pessoas pensam que sair com amigos ou um pouco de leitura é relaxar e, apesar de serem actividades de prazer, não se aproximam da perspectiva holística da relaxação. Para relaxar há que ter a intenção de mudar um estado interior, mas trata-se de uma “intenção


vivêNciAS

DEIXE oS TEUS SENTIDoS RESPIRAR os nossos sentidos são janelas para o exterior, mas nunca estiveram submetidos a um desgaste permanente como agora. processamos, sem parar, informação que em muitos casos é irrelevante. o repouso dos sentidos, mesmo que seja com acções subtis, que podem não ter importância tem na realidade uma grande capacidade transformadora para a nossa vida e para o nosso bem-estar geral. descanse a vista. vivermos rodeados de luzes artificiais e usufruímos menos do que seria conveniente de luz natural ou da necessária escuridão. Além de sair para a natureza a respirar ar limpo e a ver paisagens e horizontes amplos que nos relaxem, é importante começar a ter o costume de fechar os olhos e colocar uma mão sobre eles alguns segundos várias vezes por dia. este simples gesto pode solucionar muitas dores de cabeça e fadiga pelo trabalho. Respeite o seu ouvido. o ruído é uma ameaça para a saúde, aumenta o ritmo cardíaco e estimula a agressividade. precisamos de estar longe dele pelo menos um ou dois dias por semana, e devemos orientar parte do nosso ócio com esse fim. Recupere o gosto. o gosto é um dos sentidos mais degenerados: os hábitos alimentares industriais manipularam o nosso gosto, com sabores doces e sem subtileza. por isso, descansar de aditivos periodicamente, evitar qualquer condimentação e saborear o alimento tal qual é, é muito reconfortante. Sinta com toda a pele. o tacto é outro sentido que precisamos que descanse. praticamente só sentimos com as mãos e o resto da pele não experimenta mais do que calor ou frio. É importante descansar de materiais como tecidos, anéis, pulseiras… e, livre de adereços, recuperar em todo o corpo as sensações do ar, da água, da terra… odores naturais. o olfacto está submetido a demasiados odores artificiais, contaminantes que o afectam e que em alguns casos até lhe causam alergias, dores de cabeça, sinusite. É muito importante descansar dos odores sintéticos e deixar-nos seduzir por fragrâncias leves e naturais.

passiva”, sem esforço, apoiada num método adequado a cada individuo segundo a sua tensão muscular e nervosa, o seu temperamento – mais emocional ou mais lógico - e se a aprendizagem é auditiva (repetir e escutar as instruções de relaxação), visual ou táctil. A pessoa deve experimentar e eleger o enfoque que funcione melhor para ela, tanto quanto ao seu corpo como quanto ao seu espírito. John R. Harvey descreve no seu livro Relajación Total (Edições Oniro) cinco dimensões distintas da relaxação: a muscular, a autónoma, a emocional, a mental e a espiritual. Estes cinco níveis não estão separados, e actuam de maneira recíproca. Esta interacção pode ser negativa (a tensão

TÉcNicAS SimpLeS pARA deSLiGAR TodoS oS diAS A sociedade em que vivemos converteu o repouso e o ócio em actividades que vão desgastando o nosso organismo e que, sem nos darmos conta, nos levam à fadiga, à ansiedade e a numerosas doenças. duas técnicas simples ajudam-nos a desligar. Repouso orgânico global. consegue-se adoptando a postura fetal. pomos a coluna vertebral com a maior convexidade, e assim conseguimos uma maior separação entre as vértebras. Seria importante adoptar esta postura quando estamos a adormecer, dobrar os joelhos levando-os para o peito, mantendo a cabeça inclinada para a frente. exercícios de Gravitação. Ao longo da vida somamos muitas horas em pé, resultando numa excessiva pressão na metade inferior do corpo, que afecta especialmente as vísceras abdominais e as vértebras que suportam rodo o peso. por isso é muito saudável fazer exercícios de gravitação. Juntar os pés. existem dispositivos para permanecer nesta postura, mas é suficiente deitar-se num tabuleiro de costas, com uma diferença – inclinação – entre a cabeça, na parte baixa, e os pés na parte alta, de meio metro. É conveniente começar durante cinco minutos, e com o tempo pode aumentar-se o tempo e a inclinação. Agachado. para repousar o sistema nervoso simpático é excelente a postura de cócoras, com os calcanhares bem apoiados no chão separados entre si cerca de 24cm. dobram-se os joelhos quase até se ficar sentado nos calcanhares, os braços entre os joelhos, as mãos apoiadas no chão com a segunda ou terceira falange dos dedos, a cabeça descaída para a frente contra o peito. permanecer entre três a cinco minutos várias vezes ao dia evita muitos problemas de saúde e descontrai.

NATURAL

39


vivêNciAS

REMéDIoS NATURAIS PARA o STRESS estes são alguns recursos para acalmar os nervos e o cansaço: • vitaminas: as do complexo b esgotam-se por causa do stress, por isso é importante repô-las com suplementos, além de comer alimentos que as contenham. A vitamina c também alivia. • Óleos essenciais: São excelentes para reduzir o cansaço e os nervos e ajudar a descontrair, sejam utilizados em massagem como através de gotas no banho. os mais recomendáveis são a alfavaca, o gerânio, a lavanda, a camomila e a rosa. em caso de muita tensão são muito úteis os óleos de gengibre e de alecrim. • plantas medicinais: Toma camomila, lavanda e aveia em infusão de duas colheres de chá, deixando quinze minutos em água. o ginseng (panax ginseng) e o eleuterococo (eleutherococus senticosus) ajudam; as doses dependem da apresentação (100 mg de raiz em pó ou 300 mg de raiz cortada, 20 gotas de tintura por dia são suficientes). • Homeopatia: Se o stress é físico tomemos cinco grânulos alternados de Rhus Toxicodendron 9cH e Arnica 9cH, três vezes por dia. Se o stress é mental, cinco grânulos de Kalium phosphoricum 9cH também três vezes por dia.

40

NATURAL

a um nível tem repercussões noutro, como a raiva emocional, que deriva em mal-estar estomacal ou ranger de dentes, por exemplo) mas também pode ser positiva. Quando soltamos os músculos o nosso sistema nervoso acalma-se, o nosso ritmo cardíaco suaviza-se e a respiração e a nossa mente tranquilizam-se. assim, uma mente tranquila vai a par com um estado de leveza muscular. Os cinco níveis de relaxação combinados configuram a experiência de relaxação integral. 1.O nível muscular. A contracção dos músculos esqueléticos produz dor do pescoço, rigidez de ombros e costas e dor de cabeça. Os exercícios de relaxação, como os praticados nas técnicas orientais, ou estiramentos libertam o corpo dessa prisão. Na prática a descontracção é alcançada por técnicas directas e indirectas. ao realizar uma sessão de exercício vigoroso e sentirmo-nos cansados mas “soltos” entramos de maneira indirecta num estado de relaxação muscular. As formas directas incluem exercícios sistemáticos


vivêNciAS de prender e soltar, de contrair e relaxar de maneira selectiva zonas musculares determinadas. 2.O nível autónomo. Controlar a tensão instalada no sistema nervoso autónomo é mais difícil. Este dirige o funcionamento dos órgãos internos e dos sistemas cardiovascular, digestivo e respiratório através do sistema simpático – de activação – e o parasimpático – de inibição -. A actividade ou a passividade prolongadas implicam tensão, desde palpitações e taquicardia até energia baixa e digestão lenta e pesada. assim, a chave está em conseguir o equilíbrio dos dois sistemas com a relaxação. contudo, como estabilizar conscientemente um sistema involuntário? se considerarmos que o cérebro controla a resposta autónoma do organismo veremos como as nossas emoções e pensamentos podem induzir uma resposta concreta do sistema nervoso autónomo. Estas directrizes mentais devem ser acompanhadas por exercícios de respiração, uma excelente forma de activar este sistema. 3.O nível emocional. as emoções negativas converteram-se num dos piores inimigos nossos no que diz respeito ao stress. uma negatividade crónica conduz a estados de depressão, isolamento, além de afectar a evolução óptima dos outros níveis. Desfazer-se de todas as emoções negativas, inclusivamente dos resíduos do passado, dá lugar a emoções que nos enchem de energia e criatividade; soltar este tipo de cargas supõe trabalhar de novo com os pensamentos e realizar actividade física. O bloqueio emocional requer uma correcção da conduta que advém de auto-exigências injustas e pouco realistas, da negação, o exagero e a auto-punição. Falar e escutar, com o controlo mais positivo dos nossos desejos básicos (comida, sexo, sono e conhecimento para a sobrevivência) relativizam e aliviam as más sensações. também devemos mover-nos para expressar emoções acumuladas: correr, andar de bicicleta, nadar e outros exercícios aeróbicos ajudam muito. Em suma, todos os enfoques da relaxação emocional estão baseados na auto-consciência. 4. O nível mental. A tensão nesta dimensão associa-se a uma percepção dispersa, unívoca e obsessiva da realidade. As preocupações não nos deixam viver com normalidade, projectando-se como um círculo vicioso. O princípio de relaxação neste nível tem a ver com a concentração e a abertura. Entrar numa actividade que nos distraia mas que também nos mantenha a mente aberta combate a tensão. A pintura, a bricolage, passear num espaço natural… rompem esta cadeia de pensamentos sem solução, ao mesmo nível da meditação correcta. 5.O nível espiritual. Para muitos indivíduos, a meditação com raízes espirituais é muito útil. A

ESCUTE CoM ATENÇÃo A VoZ Do SEU CoRPo o corpo é sábio. Se aprendermos a compreender a sua linguagem, podemos utilizar a informação que nos der para relaxarmos e mantermo-nos em harmonia. A ausência de contacto com o corpo e com as sensações é o ponto de partida de muitos mal-estares: a doença é o caminho que o organismo encontra para nos obrigar a descansar ou a interromper algum tipo de ritmo desadequado da nossa vida. • Reprimir constantemente emoções como a ira ou a tristeza gera um stress que acaba por afectar a nível somático e que se manifesta com ligeiros malestares que podem evoluir para doenças mais graves. • Tomar consciência do corpo é uma das vias mais directas para a relaxação total. com o tempo acaba-se a dialogar tão directamente com ele que é muito fácil conhecer que alimentos nos convêm ou quais são as situações que produzem um elevado stress. para aumentar a consciência do corpo é imprescindível o exercício físico, mas não qualquer um. os competitivos podem aumentar o divórcio do corpo e da mente. os melhores são os de tradição chinesa, japonesa ou indiana: yoga, thai chi, chi kung, do-in… o podeR dAS eNeRGiAS dA NATUReZA A monotonia apodera-se muitas vezes de nós, insensibilizando-nos. por isso devemos rompê-la sempre que possamos, e nada melhor para isso do que ir para lá de onde vivemos. viajar por montanhas, rios, mares ou paisagens vizinhas ou longínquas que nos liguem com as nossas origens e nos encham de energia anti-stress. captação da energia solar. Ao amanhecer e ao entardecer viremo-nos para o sol em posição erguida e atitude descontraída, mantendo os braços soltos ao lado e as palmas das mãos dirigidas para o sol. enquanto o sol emerge ou cai começa-se a andar suavemente sem se deslocar. o ritmo cresce se amanhece e vice-versa. Levantemos os braços até colocar as mãos frente ao sol para absorver a energia. Uma sensação de calor invade-nos e ficamos descontraídos naquele lugar até que se normalizem as nossas funções vitais. energia através do espaço. Levantados e olhando o norte, descalços e as pernas entre-abertas, os braços abertos direitos sobre a cabeça e as palmas para o céu, imaginemos que somos o laço de união entre as energias do centro da terra e as da atmosfera. Juntemos as mãos por cima da cabeça e esfreguemo-las rapidamente para transmitir essas energias a todo o corpo. depuração ao ar livre. olhando para o norte, façamos três distensões da caixa torácica com os braços levantados, os dedos entrecruzados e as palmas para cima. estiremos o pescoço com suaves rotações para a direita e para a esquerda. deitados com a cabeça ao norte elevemos três vezes pés, ombros e cabeça respirando devagar e contraindo o abdómen. percorramos mentalmente todo o corpo para transmitir harmonia a cada zona. o exercício não deve ir além dos quinze minutos. tensão espiritual quebra-se quando aprendemos a conhecer-nos e a aceitar-nos e ao definirmos o sentido da nossa vida.

Para toda a vida Integrar a relaxação na vida do dia-a-dia é um processo que pode durar a vida toda. Isto não significa que só obtenhamos os frutos da sua prática no final da aprendizagem. ao desenvolver e avançar no seu conhecimento, experimentaremos vários estados de relaxação,

descobriremos técnicas novas e melhoraremos as básicas. Todos os recursos que a relaxação nos oferece são ferramentas perfeitas para nos mantermos saudáveis e cheios de energia, independentemente da idade. Portanto, a relaxação total está ao nosso alcance. Só precisamos de nos manter capazes de nos reconciliarmos com o nosso corpo e as nossas emoções. Fonte: Integral

NATURAL

41


Frutos & Fibras Regule o seu Trânsito Intestinal

O cubo Frutos & Fibras existe há mais de 50 anos para ajudar a regular o trânsito intestinal. De sabor agradável e fácil de transportar, basta tomar ao deitar para que sinta o efeito pela manhã! É composto por figos, tâmaras, tamarindos e ruibarbo, naturalmente ricos em fibras. Disponível em cubos, comprimidos e xarope. Um produto suave, sem sene e com eficácia comprovada, à venda em lojas de produtos naturais, farmácias e parafármácias. saiba mais em www. frutosefibras.com

ecobola azul

extrammune

Lavagem sem detergente DISTRIBUIDOR: GLOBAL SANTÉ, LDA WWW.GLOBALSANTEPT.COM GERAL@GLOBALSANTEPT.COM

Constrói o próprio mecanismo de defesa do organismo DISTRIBUIDOR: ZURC E ETRAUD, LDA TEL: 217 156 614 FAX: 217 156 795 GERAL@ZURCETRAUD.COM

ecobola azul é um sistema de lavagem ecológico, que permite lavar a roupa sem adição de detergentes. Hipoalergénico, elimina sujidade e odores, branqueia, suaviza e desinfecta a roupa. 100% ecológica, a Ecobola dá para mil lavagens e funciona com água fria e quente. pode colocá-la no tambor da máquina ou pode ser utilizada na lavagem manual. À venda em farmácias e parafarmácias.

42

NATURAL

produto indicado para aumentar as defesas do organismo e manter o equilíbrio do sistema imunitário. Exerce uma poderosa acção antioxidante e aumenta a resistência às agressões debilitantes do quotidiano.


C

ASSOCIAÇÕES

C

C

N atura

ALTER

CLÍNICAS

1

Anuncie aqui!

N atura

ALTER

Telef.: 309 867 369 - E-mail: geral@beijaflornatural.com


N atura

ALTER

PRODUTOS NATURAIS (Lojas e Supermercados)

Botica Homeopรกtica Espaรงo de Produtos Naturais Rua Dr. Manuel Rodrigues, 11 3000-258 COIMBRA - Tel.: 239 853 930

PRODUTOS NATURAIS (Distribuidores e Produtos)

2


N atura

ALTER

TERAPIAS

3


cULTURA

LIVRO FeNG SHUi dA cASA e do JARdim

Chao-Hsiu Chen EDITORA PERGAMINHO a casa não é apenas um lugar onde se mora, é também um lugar onde recebemos e irradiamos energia. Feng shui da casa e do Jardim é um livro abundantemente ilustrado, que nos apresenta, de um modo acessível e agradável, a teoria e a prática do Feng shui. com o Feng shui poderá descobrir por que razão convém evitar determinadas decorações e certos objectos e como melhorar as energias da habitação, aprendendo a reconhecer a natureza boa ou má das influências provenientes do meio ambiente.

DOCUMENTÁRIO EARTHLINGS texto rita estêvão » Foto d.r

Feng shui nos negócios

top 100 sugestões saudáveis

Feng Shui Simplificado

AUToR: Siska von Saxenburg

AUToR: Janet Wright

EDIToRA PERGAMINHo

Editora Pergaminho Os princípios do Feng Shui também podem ser aplicados ao seu espaço de trabalho. atendendo a aspectos como a estrutura e a localização de um escritório, dos móveis em cada sala, as características da energia típica de cada colaborador e o local ideal de realizar negociações importantes, Feng Shui nos Negócios é um manual que ajuda a aumentar as energias positivas e a harmonia da sua empresa, estabelecendo as bases de uma prosperidade mais autêntica.

EDIToRA SINAIS DE foGo

este livro torna simples aquilo que é complicado no Feng shui, de forma que até o leitor menos familiarizado com esta prática possa compreender os seus aspectos mais difíceis. Aplicando os princípios do Feng Shui aos diversos espaços que habitamos e aos objectos que os preenchem, e complementado por um glossário e uma lista de obras recomendadas, Feng shui simplificado é uma leitura útil para todos aqueles que anseiem pela simplicidade do equilíbrio.

48

NATURAL

recheado de 100 alimentos, bebidas, ervas aromáticas e especiarias, este livro revela os segredos para se sentir e ter um aspecto radiante e saudável. a autora mostra-nos como escolher os alimentos certos que irão reforçar o sistema imunitário e os níveis de energia, aliviar o stress e a depressão, desintoxicar o organismo e fazernos perder peso, combater os efeitos do envelhecimento e da depressão.

AUToR: Clear Englebert

este é um trabalho de alerta sobre o sofrimento dos animais, e sobre a sua dependência da humanidade para produção alimentar, moda, entretenimento e investigação científica. Mais do que uma divulgação, este documentário representa um alerta para a crueldade cometida com os animais do nosso planeta, fazendo uma passagem atenta e profunda pelos mais diversos locais onde se praticam muitos dos crimes, como quintas, circos, laboratórios, abrigos, comércio de peles, entre outros. O filme, narrado pelo actor premiado Joaquin Phoenix, usa câmaras escondidas e imagens nunca antes vistas para demonstrar as práticas quotidianas de uma das maiores indústrias do mundo. earthlings torna-se assim no documentário mais forte jamais feito, que relaciona a natureza, os animais e os interesses económicos.


CICLO CINEMA & AMBIENTE texto rita estêvão » Foto d.r

Em colaboração com a Cinemateca Portuguesa, o Programa Gulbenkian Ambiente vai apresentar, até Julho de 2010, sessões do ciclo Cinema & ambiente. Motivar uma discussão alargada com o público sobre a temática ambiental, contando para isso com o contributo de personalidades públicas de áreas diversas, convidadas para comentar os filmes, é o objectivo deste projecto que decorre desde Setembro de 2009. O primeiro filme exibido – Safe - conta a história de Carol White, que desenvolve uma doença ambiental inexplicável, criando alergias a todo o tipo de químicos do quotidiano, acabando por lhe ser diagnosticada a “doença do século xx”. o filme levanta assim questões sobre o ambiente artificial em que vivemos. As sessões do ciclo Cinema & Ambiente são todas de entrada livre. 10 Nov, 21h30: Medicine Man (“Os Últimos Dias do Paraíso”), de John McTiernan, 1992. Comentado por Susana Fonseca 15 Dez, 21h30: The Trigger Effect (“Efeitos na Escuridão”), de David Koepp, 1996. Convidado a anunciar 12 Jan, 21h30: Five, de Arch Oboler, 1951. Convidado a anunciar 9 Fev, 21h30: Soylent Green (“À Beira do Fim”), de Richard Fleischer, 1973. Convidado a anunciar 9 Março, 21h30: Into the Wild (“O Lado Selvagem”), de Sean Penn, 2007. comentado por paula moura pinheiro 13 Abril, 21h30: Les Glaneurs et la Glaneuse (“Os Respigadores e a Respigadora”), de Agnès Varda, 2001. Comentado por Helena Roseta 11 Maio, 21h30: Wind across the Everglades (“A Floresta Interdita”), de Nicholas Ray, 1958. Convidado a anunciar 8 Junho, 21h30: Le Monde du Silence, de Jacques-Yves Cousteau e Louis Malle, 1956. Convidado a anunciar O ciclo Cinema & Ambiente termina no dia 13 de Julho com o filme The Happening (“O Acontecimento”), realizado por M. Night Shyamalan em 2008, numa sessão comentada por Viriato Soromenho-Marques, Coordenador Científico do Programa Gulbenkian Ambiente.


casa não casa a fachada é a pele que envolve a casa. o projecto Casa não Casa tem no módulo da fachada a pretensão de criar a relação com o exterior, criar a composição e criar energia. Através de superfícies espelhadas, a fachada reflecte o ambiente, e com a introdução de painéis fotovoltaicos resolve o problema da energia. Actualmente, a utilização de painéis fotovoltaicos em edifícios não só é viável, como tem tempos de recuperação de investimento muito positivos.

designer FaZ mÓveis com materiais do liXo A porta de entrada impressiona pelo puxador ligeiramente curvo que foi o encosto de uma velha cadeira. no hall, um bar feito com metade de uma cama redonda, um aparador arredondado e dois bancos forrados com esteira de praia complementam o bar. Detalhes como esses dão personalidade à casa de Rodolfo Grabauskas Malmesi, designer que tem como referências o mar e o céu azuis, a areia da praia, as esteiras, o vidro e o espelho. para este designer, mudar, renovar, transformar é a verdadeira reciclagem sem argumentos.

tijolos para reciclar água Projectado por Jin-young Yoon para ser feito de plástico reciclado e folhas em decomposição, o tijolo é verde de baixo para cima (por assim dizer). Mais do que pelos materiais que o compõem, mas pelos sulcos incorporados que são projectados para canalizar a água para jardinagem ou mesmo para armazenamento subterrâneo. num mundo onde a água é um bem prestes a tornar-se escasso, parece um bom momento para começar a pensar sobre os mais básicos materiais de construção, tornando-os funcionais para uma necessidade crescente.

liXo electrÓnico transFormado em árvore de natal e presÉpio monitores, teclados, ratos, cD’s, DvD’s, cartuchos, fitas, baterias e carcaças de aparelhos celulares e de computadores, chips, disquetes e ventiladores, entre outras sucatas electrónicas, voltaram a ter utilidade numa exposição aberta no centro de Curitiba, Brasil. Nas mãos de dois artesãos e 40 alunos, o que era lixo electrónico deu origem a uma grande árvore de Natal e a um presépio. o objectivo é desenvolver um projecto educativo e dar um destino útil e interessante ao lixo electrónico.

50

NATURAL

leggins Bio e Fraldas reutiliZáveis A Calzedonia apresenta na colecção Outono/Inverno uma inovação: leggins bio, produzidas em celulose de bambu. suave, flexível e resistente aos vincos, esta peça não só está na moda, como é amiga do ambiente. para os mais pequenos, uma outra novidade na piri-piri, em lisboa: Fraldas reutilizáveis. Coloridas e modernas, estas fraldas são constituídas pela parte exterior e uma lingueta absorvente, sendo uma forma de poupar e de zelar pela saúde dos seus filhos. Reduzem o lixo produzido, diminuem a frequência de dermatites e evitam a constante ida às compras.


Natural98  

Revista Natural