7Partilhas nº35 - janeiro

Page 1

Na nossa escola, existem duas turmas de Português Língua de Acolhimento (P.L.A.), A1+A2 e B1+B2, com enorme expressividade de adultos estrangeiros, com cerca de 20 nacionalidades - americanos, belgas, canadianos, chineses, colombianos, espanhóis, um escocês, franceses, neerlandeses, ingleses, italianos, um letão, uma marroquina, moldavos, romenos, russos, suíços, ucranianos, sul-africanos e venezuelanos.

O acolhimento faz-se em língua e em cultura, e, especialmente, através da interligação entre estas duas vertentes da aprendizagem sobre a vida noutro país. Na planificação de atividades para estas turmas, entendeu-se que o fado deveria ser abordado, dada a curiosidade que quase todos os estrangeiros demonstravam acerca desta canção tradicional portuguesa, declarada Património Cultural e Imaterial da Humanidade pela UNESCO.

Agrupamento de Escolas de Azeitão

Assim, no dia 24 de novembro de 2022, decorreu na nossa escola a “Noite de Fado”, atividade integrada no Plano Anual de Atividades (PAA). O fado foi cantado pela fadista Ana Pacheco, acompanhada à viola por Albano Almeida e à guitarra tradicional portuguesa por Jorge Pimentel. A noite foi muito agradável para todos, que puderam apreciar de perto o fado e algumas explicações por parte dos artistas. Houve ainda a possibilidade de, em alguns casos, experimentarem acompanhar as melodias mais fáceis. A alegria foi contagiante como se pôde ver pela afluência e pelo entusiasmo com que seguiram o espetáculo e aplaudiram os intervenientes.

20221209_142506_212809935690669.mp4 (Clicar para visualizar)
A Professora de Português, Guilhermina Duarte
Nº35

Agrupamento de Escolas de Azeitão

Ler é viajar

As atividades dos nossos adultos de Português Língua de Acolhimento

A viagem em língua portuguesa, para os dois grupos de adultos que temos na nossa escola, nas duas turmas de Português Língua de Acolhimento, começou em setembro de 2022. São pessoas determinadas em aprender a falar e a conhecer a nossa cultura, pelo que aceitam com boa vontade as propostas de atividades que se lhes fazem. Desta vez foi a participação numa Maratona de Leitura, integrada nas atividades da biblioteca da escola.

No dia 24 de outubro, os adultos da turma PLA, da turma B1+B2, associaram-se às atividades da Biblioteca Escolar, numa minimaratona - das 19.30 às 22h –lendo a “Saga” de Sophia de Mello Breyner Andresen.

Nº35

Agrupamento de Escolas de Azeitão

Foi pela mão de Hans, o protagonista, que os formandos conheceram as aventuras de um jovem sonhador que encetou uma viagem de vida cheia de surpresas. O seu itinerário passou surpreendentemente por Portugal, nomeadamente pela cidade do Porto, uma cidade de luz e cor, feérica, que se descobre através do conto.

Desvendaram assim múltiplos sentidos de uma saga num jogo de “caça ao tesouro” em Língua Portuguesa – esse código maravilhoso que ajuda a compreender mensagens codificadas como são as que acolhem em qualquer língua.

No dia 25 de outubro, foi a vez dos adultos da turma PLA, nível A1+A2, que leram consecutivamente pequenos textos de conteúdo simples (dado o nível ser de iniciação): lengalengas, poemas e histórias relacionados com animais. Os autores foram Eugénio de Andrade e Ilse Losa. Foi com persistência que leram, das 19.30 às 22h, os textos sugeridos. Concluíram que foi um ótimo exercício para fixar alguns sons mais difíceis.

Foi uma viagem maravilhosa que, na avaliação, disseram querer repetir.

Nº35

Agrupamento de Escolas de Azeitão

Clube de Robótica

Nº35

Agrupamento de Escolas de Azeitão

Alerta Fusão Nuclear

No dia 5 de dezembro de 2022, os cientistas do Laboratório Nacional Lawrence Livermore (LNLL), na Califórnia, produziram "mais energia de fusão do que a energia laser” usada para causar a reação. Os cientistas fizeram incidir 193 lasers do comprimento de 3 estádios de futebol num mesmo ponto - um cilindro com dois átomos leves de hidrogénio a serem fundidos. Esta fusão liberta mais energia do que aquela utilizada pelos lasers. Os cientistas do mundo inteiro estão a tentar reproduzir este feito, uma vez que a fusão nuclear é altamente promissora como fonte intermitente, atuando na descarbonização, que tem como objetivo diminuir emissões de carbono, evitando a libertação de gases com efeito estufa.

Na fusão nuclear fundem-se dois tipos de átomos do elemento químico hidrogénio, o deutério e o trítio, para formar um átomo do elemento químico hélio. O deutério e o trítio têm ambos um protão e um eletrão, mas têm um diferente número de neutrões (deutério tem 1 e o trítio tem 2 neutrões). E essa fusão liberta uma grande quantidade de energia. Este processo de fusão é idêntico às reações que ocorrem nas estrelas e leva à produção de energia.

Nº35

Agrupamento de Escolas de Azeitão

Com a evolução deste processo, pode começar a utilizar-se a energia libertada para produzir eletricidade. Se utilizarmos uma turbina, por exemplo, a energia libertada na reação pode ser utilizada para aquecer um fluido, gerando vapor que faz girar a turbina e produz eletricidade.

Esta descoberta revolucionária apresenta uma alternativa renovável na produção de energia e eletricidade.

O Aluno Pedro Afonso, do 8ºC

Nº35

Agrupamento de Escolas de Azeitão

Centro de Ciência Viva do Lousal

No dia 21 de novembro, fui a uma visita de estudo, ao Centro de Ciência Viva do Lousal.

O Lousal fica ao pé de Grândola (região do Alentejo) e demoramos cerca de 2h e 10min para lá chegar.

Se quiserem ir com a vossa família, é simples, é só seguir pela A2 até à saída para o IP8. Em seguida, vira-se em direção ao IC1 (Algarve), sendo que a partir daí é só seguir as placas com destino ao Lousal.

Assim que chegamos, vimos um edifício que parece abandonado (e realmente assim o é), que era uma antiga Central Elétrica.

Mais adiante temos duas lagoas, mas são duas lagoas fora do comum pela cor dessas águas, pois uma é verde e a outra é vermelha. Isso deixou-me um pouco a pensar “Porque será que são assim? A explicação deve-se aos minerais que as compõem.

Durante esta caminhada, vimos também uma rocha, a que se dá o nome de Pirite. Esta é a rocha mais explorada nestas minas.

Assim que terminamos a visita ao exterior desta zona, fomos para a Galeria Mineira Waldemar. Esta mina tem cerca de 232m de extensão. Ao percorremos a mina, falaram-nos e mostraram através de fotografias os quatro tipos de morcegos que lá existem: o morcego ferradura-pequeno, o morcego rato-grande, o morcego ferradura-de-ouriço e o morcego peluche.

Ao longo da mina pudemos encontrar 4 paióis (mas o que seria isto? Nunca ouvi falar de tal palavra, pensei eu). Descobri que o paiol era um sítio onde se armazenava explosivos, mas nestes encontramos picaretas, martelos pneumáticos, cal e pirite.

Nº35

Agrupamento de Escolas de Azeitão

Após esta aventura da mina, tivemos oportunidade e fomos a um sítio que achei muito engraçado, onde o tema era “Sem terra, não há carochas “. Uma vez mais, esta frase fez-me ficar a pensar…

O que queriam dizer é que a terra nos dá vida, produtos que fazem com que o ser humano consiga não só sobreviver, como construir coisas, por exemplo os carochas (carros).

Foi uma visita de estudo onde não só observamos, como aprendemos muitas coisas, sendo que o principal foi dar-nos a conhecer a pirite.

É uma visita muito interessante, pois chegamos a casa e queremos pesquisar mais sobre ela, principalmente sobre a pirite e isso fez com que eu fizesse uma pesquisa na internet e aí também fiquei a saber que esta rocha é conhecida como o “ouro–dos–tolos“, devido à sua cor dourada.

Desejo que tenhamos mais visitas de estudo ao longo do ano, para podemos aprender ainda mais, não só através dos manuais.

Nº35

Agrupamento de Escolas de Azeitão

As aventuras no Lousal

Em novembro fui visitar Uma mina fenomenal Fui com os meus colegas À localidade do Lousal

Entrámos na escuridão Protegidos com capacetes Fomos descobrir um outro mundo E não tivemos de pagar bilhetes

Uma colónia de morcegos Estivemos a procurar Estávamos com muito medo Quase não conseguimos respirar

Lá encontrámos um mineral Que se chama Pirite Com cores muito brilhantes E eram retiradas com dinamite

Por fim fomos ao museu Mineiro Ver uma exposição Aprendemos que se não existissem minérios A vida era uma grande confusão

A Aluna Maria Ferrão,

5ºF
do
Nº35

Agrupamento de Escolas de Azeitão

SERRA@MAR

No ano de 2021, o Agrupamento de Escolas de Azeitão, passou a integrar a rede nacional de clubes Ciência Viva com o projeto “SERRA@MAR”.

Articulando aprendizagens, em oficinas de Educação Visual, Oficina de Artes, Cidadania e Desenvolvimento e Tecnologias de Informação e Comunicação, os alunos do 9ºano criaram logotipos que foram a concurso para apuramento daquele que doravante irá figurar nos documentos oficiais do Clube Ciência Viva “SERRA@MAR”.

Nesta atividade foram mobilizadas competências digitais com recurso à aplicação CANVA.

Os trabalhos foram expostos no átrio do bloco A, tendo sido selecionado o logotipo elaborado pelos alunos Afonso Farinha e David Duarte do 9ºC.

Nº35

Agrupamento de Escolas de Azeitão

Ficam aqui as propostas que foram a concurso:

Nº35

Agrupamento de Escolas de Azeitão

A Coordenadora da Equipa Educativa de 9º Ano Professora Ana Morais Neves

Nº35

Agrupamento de Escolas de Azeitão

Nº35
Paulo