Page 1

NESTA EDIÇÃO ESPECIAL EMPRESAS & NEGÓCIOS

[ MANUEL FIALHO 

Região PÁG. 08

Almada debate amanhã potencial económico da Arte-Xávega

TERÇA-FEIRA 08.MAIO.2018

N.º 72 | Ano II | 1.ª Série www. issuu.com/oseixalense

Preço € 0,01

Director: João Abreu

INVESTIDORES MOÇAMBICANOS QUEREM O AMORA ENTRE OS GRANDES DO FUTEBOL NACIONAL PÁG. 09

[ DR 

Seixal e Almada representam 30% dos casos de Desaparecidos a nível nacional PÁG. 03

Entre a fuga de instituições e a rebeldia, mais de 100 Desaparecidos por vontade própria no espaço de 2 anos

Desporto PÁG. 09 a 11

Voleibol feminino da PEL regressa à 1.ª Divisão Nacional

Seixal lidera isolado Torneio Complementar de Seniores

265 539 690 geral@tipografiarapida.pt www.tipografiarapida.pt


02

ACONTECEU

TERÇAFEIRA 08.MAIO.2018

Feira Medieval de Corroios voltou a animar a Quinta da Marialva [ FOTOS: MANUEL FIALHO 

A

pesar de ter recebido menos visitantes do que a edição do ano passado, a IV Feira Medieval em Terras de Corroios voltou a mexer com a população. Exibições de falcoaria de galanteio, desafios a cavalo e a pé (por uma suposta disputa de terras), tendas que evocavam profissões de então, como ferreiros, e apontamentos sobre sociedade da época entre cada uma das actuações, fizeram da Quinta da Marialva um centro de atenção sobre a história de Portugal.

Enquanto alguns visitantes gostaram de rever os golpes das lutas de torneios, e outras exibições, houve quem tivesse preferido que a feira deste ano tivesse um programa diferente relativamente ao do ano passado. “Foi um dia bem passado no Parque Urbano, mas não por causa da Feira Medieval”, comentava Alberto Fernandes, que trouxe a filha de 6 anos para ver os cavalos e os falcões. “Gostei”, dizia ela, e encolhia-se com a passagem de, lenta, de dois dromedários pela rua do recinto.

Um miúdo batia palmas ao cruzamento dos dois cavaleiros de lança entre o punho e o braço, enquanto protegiam o peito com um escudo. “Eles nunca caem, comentava”, e “no ano passado também não”. Para Diogo, “eles são bons”, e os “homens das espadas não têm medo de lutar”. Mas o que Diogo gostava mesmo de ver era “um torneio de arco e flechas”, talvez tipo Robin dos Bosques, um personagem que ele, aos sete anos, revela ainda não conhecer, sabe apenas que existiam estes desafios.

Com um sábado marcado pelo dérbi entre Sporting e Benfica, a Feira Medieval “não teve muitas pessoas”, comentava Eduardo Rosa. O presidente da Junta de Freguesia também admitia que a tarde de domingo deste ano “teve menos afluência que a do ano passado”, mas “na sexta-feira o recinto esteve sempre cheio”, o que “deu para compensar e atingir uma média de 18 mil visitantes” da Feira. “Queríamos chegar às 20 mil pessoas, mas ainda estamos a trabalhar para melhorar a feira”.

Para Eduardo Rosa é bom saber que há pessoas que esperavam que a Feira Medieval apresentasse algo diferente; “vamos melhorar, de certeza”, afirma. “Esta feira não é organizada pela Junta de Freguesia, nós apenas cedemos o espaço e a energia, tudo o resto está a cargo de um promotor”, o objectivo é levar esta organização a introduzir mais e diferentes espectáculos para o ano, porque “a Feira Medieval de Corroios é para continuar”, garante o autarca. Humberto Lameiras

Clube de Santa Marta manifestou desejo de lançar primeira pedra do complexo desportivo a 5 de junho

O

[ MANUEL FIALHO 

próximo 5 de junho poderá ser um marco para o Clube Associativo de Santa Marta do Pinhal (CASMP). Será o dia em que comemora 9 anos e poderá também ser nesta data o lançamento da primeira pedra que assinalará a construção do complexo desportivo da colectividade, que é já reconhecida como dinamizadora da comunidade local. A sugestão foi avançada pelo presidente do CASMP, Rogério Nogueira, durante a apresentação, por parte da Câmara do Seixal, do projecto do complexo desportivo que será construído entre a Avenida José Vieira da Silva e a Rua António Garibaldi, onde terá a entrada principal. Assumida pela autarquia, a obra já está adjudicada, terá um tempo de construção de 360 dias,

representa um investimento de quase 530 mil euros e irá ocupar uma área de 560 metros quadrados. O projecto prevê a construção de balneários, bar e esplanada, ginásio, espaço para a sede, requalificação dos campos e espaços verdes envolventes. “Mesmo sem a garantia bancária ter sido desbloqueada, a Câmara do Seixal decidiu avançar com verba direta para a obra deste complexo desportivo”, afirmou o vereador José Carlos Gomes, responsável pelos pelouros do Desporto e Empreitadas, entre outras funções. Durante a apresentação do futuro complexo desportivo, que decorreu na Escola Básica de Santa Marta do Pinhal, surgiram algumas questões entre os presentes na sala relacionadas com as op-

ções técnicas e construtivas deste edifício. Questões que para o vereador não são um obstáculo mas um contributo. “Em fase de obra poderão existir pormenores a acertar em acordo com a direcção do clube”. Com o presidente da Junta de Freguesia de Corroios, Eduardo Rosa, a lembrar que o CASMP começou pelas marchas populares e evoluiu com base em novas iniciativas, deixou já uma nota que, “depois da construção do complexo desportivo estão preparadas novas ideias”. Um comentário que caiu bem ao presidente da Câmara Municipal do Seixal que elogiou as colectividades que têm como perspectiva serem cada vez maiores, e nisto, o município tem impulsionado o movimento associativo. Este é um processo de for-

talecer as relações sociais e a democracia”, na sua opinião, “quantas mais instituições locais existirem, mais oportunidades as pessoas têm de se envolver na comunidade”. Por isso a Câmara “já investiu em novas infraestruturas ou re-

qualificações para o movimento associativo cerca de 2 milhões e meio de euros”, e com o complexo do CASMP, este investimento sobe para o patamar dos “3 milhões de euros”. Humberto Lameiras

Título registado na ERC sob o n.º 126891; Propriedade: Setupress - Soc. Editora, Lda; Director: João Abreu; N.º Registo Legal 414653/16; Jornalistas: (Cf. n.º 3 do art.º 14.º do Dec.-Lei n.º 56/2001 de 19/2); Redacção: Tel: 265 094 354; redaccao@oseixalense.pt - Editor: Humberto Lameiras - C.P.J. 2321A - humberto.lameiras@oseixalense.pt; Ana Martins Ventura - T.P. nº 2579 - ana.ventura@oseixalense.pt; José Pina - C.P.J. 1055 - jose.pina@oseixalense.pt; Departamento Comercial: Tel: 265 092 725; Filipe Tavares - filipe.tavares@oseixalense.pt; Paulo Maldonado - paulo.maldonado@setupress.pt; Logística: Luís Kaiseler; Departamento Administrativo: Tel: 265 094 354 • geral@ oseixalense.pt; Dulce Lança; Branca Belchior; Editor: Setupress - Soc. Editora, Lda. - Pessoa Colectiva com o n.º 510 965 423 com domicílio na Travessa Gaspar Agostinho n.º 1 - 1º Andar - 2900-389 Setúbal; Gerentes: Carlos BordalloPinheiro; Maria Luisa Bordallo-Pinheiro; Carlos Dinis Bordallo-Pinheiro; Sócios com mais de 5 % do capital social: Bordalo Pinheiro Holding, Lda, Carlos Dinis Bordallo-Pinheiro, Rafael Bordallo-Pinheiro; Tiragem: 5000 ex.; - Paginação: Tel: 265 098 405; Sónia Bordallo-Pinheiro; Marisa Batista; Maria João Besugo - paginacao@oseixalense.pt; Impressão: Tipografia Rápida de Setúbal, Lda - Travessa Jorge D'Aquino, 7 - 2900-427 Setubal - geral@tipografiarapida.pt

"O Seixalense" publica os trabalhos dos seus jornalistas e colaboradores de acordo com a ortografia por eles escolhida.


ABERTURA

TERÇAFEIRA 08.MAIO.2018

03

Seixal e Almada concentram cerca de um terço dos casos de Desaparecidos Lei & Responsabilidade Social Seixal e Almada concentram mais de 30% dos casos de Desaparecidos a nível nacional. Mas, “quem são estes Desaparecidos no enquadramento da lei? Não são crime. Mas, são uma responsabilidade social”, afirma Vitor Paiva, diretor do Departamento de Investigação Criminal de Setúbal. POR ANA MARTINS VENTURA

S ALMADA 135 17,67%

eixal e Almada concentram mais de 30% dos casos de Desaparecidos a nível nacional. Os dados cedidos pelo Departamento de Investigação Criminal de Setúbal a O Seixalense, revelam que nos últimos dois anos o Seixal contabilizou 96 casos e Almada 135. A par destes números, ambos os concelhos apresentam causas comuns no tipo de casos, são “desaparecidos voluntariamente, aqueles que não querem ser encontrados”, explica Vitor Paiva, diretor do Departamento de Investigação Criminal de Setúbal. Existe um grande número destes casos que está associado à faixa etária entre os 13 e os 18 anos, por parte de adolescentes que se encontram institucionalizados e utilizam a fuga/desaparecimento com um acto voluntário “e também temporário” afirma Vitor Paiva. “Depois de dois dias voltam a aparecer na instituição em que estão inseridos, ou porque o pouco dinheiro que levavam acabou e querem voltar para aquelas condições que ali dentro ainda conseguem ter como cama e alimentação. Outros acabam por ser encontrados pelas patrulhas em grupos que se concentram nas ruas”. Nesta faixa “dificilmente temos um desaparecimento associado a um crime”, comenta Vitor Paiva.

Contextos familiares

SEIXAL 96 12,57%

Outra causa associada a casos de desaparecimento voluntário está categorizada pelo DIC de Setúbal como Rebeldia. Perfaz um total de 60 casos entre os dois concelhos. Estes casos abrangem a mesma faixa etária, “mas um contexto social diferente”. Este são casos de jovens que vivem em contexto familiar instável e que muitas vezes conhecem alguém através das redes sociais. Ou simplesmente querem vincar um acto de rebeldia contra a família. “Contudo é nestes casos que surge a maior probabilidade de um crime associado ao Desaparecido”.

Mulheres representam grupo com maiores riscos No caso de um Desaparecido,

se for uma adolescente, “a preocupação pode ser diferente da que as OPC’s [Orgãos de Polícia Crminal] têm, por exemplo, no caso de um homem de 40 anos”. Os casos que envolvem o desaparecimento de mulheres estão, “na sua maioria”, associados a um crime de natureza sexual. “Seja no aliciamento de jovens através da Internet, para um encontro, seja nos casos de tráfico ou violência”, informa o DIC de Setúbal. Nos últimos 10 anos foram localizadas 42% das mulheres Desaparecidas a nível nacional, 46% regressaram e 6 mortes foram registadas.

Registos mais precisos na evolução da última década

N

a última década o registo de pessoas desaparecidas, a nível nacional, teve uma subida de 50 para 284, representando um crescimento acima dos 200%. Apesar destes valores, o Departamento de Investigação Criminal de Setúbal não garante que “existissem mais Desaparecidos em 2007 do que em 2017”. Alegadamente, uma das causas para a diferença de valores é “a evolução das plataformas de registo online” que, “ao longo da última década, permitiu um maior e melhor cruzamento de dados entre os vários OPC’s”. A par de uma maior articulação de registos entre a Polícia Judiciária, Guarda Nacional Republicana e Polícia de Segurança Pública, “existem outras causas com maior impacto na sociedade atual”. Metade do total de desaparecimentos “envolvem causas sociais e não propriamente crime. Questões comportamentais”.


04

SOCIEDADE

TERÇAFEIRA 08.MAIO.2018

Vítimas de violência não pedem ajuda ao sistema público de apoio Defesa A criminalidade grave e violenta desceu nos últimos 10 anos, de acordo com o último Relatório Anual de Segurança Interna (RASI). Os crimes violentos e graves representaram, em 2017, apenas 4,4% de toda a criminalidade participada. Mas os crimes de violência contra pessoas ainda representam 95% do total registado a nível nacional. [ DR 

Nove em cada dez vítimas de violência doméstica não pedem ajuda ao sistema público de apoio, por desconhecimento, isolamento ou dificuldades no acesso aos serviços” esclarece Elisabete Brasil, diretora da associação União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR). O silêncio das vítimas de violência doméstica foi denunciado em Bruxelas, pelo Instituto Europeu para a Igualdade de Género (EIGE). O instituto considera que a violência contra as mulheres “é um problema muito maior do que as estatísticas mos-

Perfil das vítimas de violência doméstica: ainda mulheres De acordo com os últimos dados da APAV – Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, “é possível caraterizar as vítimas que procuram os serviços da APAV, de acordo com um conjunto de variáveis, que possibilita a sua agregação em vários perfis”. Sendo, 82,5% das vítimas mulheres, em um universo de 9 176 ca-

sos de violência registados. “Mulheres com uma média de idades de 43 anos e casadas” a viver em contexto de vitimização continuada. O último relatório da APAV indica ainda que, registados, existem 5 0 36 casos de violência contra mulheres, 97 por semana, 14 por dia.

“Não é uma luta das vítimas e não é uma questão das mulheres” Elisabete Brasil da UMAR, União de Mulheres Alternativa e Resposta, avaliando o contexto nacional da violência doméstica contra as mulheres, em parti-

cular, comenta que “apesar de vivermos num sistema de muita informação, muitas vezes o isolamento a que as vítimas estão votadas e em que os agressores as colocam, impede que tenham acesso à informação". A par desta realidade social, “em termos geográficos, ain-

da não há respostas em todas as localidades, em todos os concelhos”, o que não permite um acesso fácil ao sistema de apoio. Elisabete Brasil considera que “ainda há um longo caminho a percorrer", embora exista a consciência de que muito do que foi feito, a dire-

tora da UAMR assume, “é ainda pouco. Esta não é uma luta das vítimas de violência doméstica e não é uma questão das mulheres. Existe um longo caminho a percorrer". Erradicar a violência contra as mulheres é “uma questão de cidadania, de dignidade humana, de direitos humanos".

OP/0015

POR ANA MARTINS VENTURA

tram". Lançando ainda outros dados, “47% das mulheres que sofreram violência nunca o disseram a ninguém: polícia, serviços de saúde, um amigo, vizinho ou colega”.


TERÇAFEIRA 08.MAIO.2018

05

C/0203

PUBLICIDADE


06

SOCIEDADE

TERÇAFEIRA 08.MAIO.2018

Câmara aprova reforço de 12 milhões de euros para investimento e comparticipações financeiras

A

Câmara Municipal do Seixal aprovou na última reunião pública a 2.ª revisão às Grandes Opções do Plano e Orçamento (GOP) para 2018, para contemplar a “necessidade de inscrever novos projetos, ao nível do Plano Plurianual de Investimento, das Atividades Mais Relevantes” e ainda “a necessidade de efetuar ajustamentos às dotações da despesa, de forma a garantir o desenvolvimento dos procedimentos”, refere nota da autarquia, que acrescenta ter sido “aprovada a incorporação de parte do saldo de gerência da execução orçamental de cerca de 12 milhões de euros, que será agora submetida à aprovação da assembleia municipal”. Referindo-se às GOP para o exercício deste ano, o presidente da Câmara do Seixal, Joaquim Santos, apontou que “com esta aprovação o município estará em condições de concretizar um conjunto vasto de obras em equipamentos, espaços públicos ou infraestruturas, reforçando a oferta de serviços e a qualidade de vida, o que irá ter reflexos na

[ CMS 

Joaquim Santos, apontou que com esta aprovação financeira o município estará em condições de concretizar um conjunto vasto de obras em equipamentos, espaços públicos ou infraestruturas Novo Quartel de Bombeiros de Amora

melhoria do serviço público que prestamos à população em todas as áreas em que o Município intervém”. Foram ainda aprovados contratos-programa e comparticipações financeiras, na casa dos 640 mil euros, a coletividades e associações do movimento associativo, o que “permitirá qualificar os seus equipamentos, potenciando também o desenvolvimento da

sua atividade em prol da população”. Entre estes foi aprovado um apoio financeiro para a construção do novo quartel da Associação Humanitária de Bombeiros Mistos de Amora, no valor de 200 mil euros, ao abrigo do protocolo de colaboração estabelecido com o município. Nesta reunião de câmara, foi também aprovada uma tomada de posição pela defesa da cultura

e do património, áreas que o município considera que têm de ser entendidas como de serviço público. “Apesar dos constrangimentos impostos ao Poder Local Democrático, a Câmara Municipal do Seixal tem assumido a construção participada de uma estratégia de intervenção cultural assente na democratização do acesso à criação e fruição das artes e cultura, com a participação dos agentes locais, na

preservação e valorização do património material e imaterial do concelho e na programação, consolidação e ampliação da oferta cultural do município, que garantem a qualidade e diversidade da mesma”, referiu o presidente da Câmara relembrando que “todo este trabalho foi recentemente reconhecido pela SPA com a atribuição do Prémio Melhor Programação Cultural Autárquica 2017”.

Opinião

Carta da Capital

Crónica do mosh pit

R

eencontrei há dias uma amiga dos tempos da juventude, que não via há mais de uma década. Como é normal nestas ocasiões, passámos aqueles momentos a recordar e a partilhar memórias e histórias dos nossos melhores anos. Estávamos no começo do século e aqueles foram tempos dourados do punk-rock desta Outra Banda. Foram os anos de ouro de um “movimento” intitulado Margem Sul Hardcore, de que ambos fi zemos parte. A esta distância, posso afi rmar que a música de que gostávamos não era particularmente boa. Tratava-se de

A esta distância, posso afirmar que a música de que gostávamos não era particularmente boa. Tratava-se de punk-hardcore, o de origem nova-iorquina, um género de execução não tão complexa quanto o metal, que não é tão reivindicativo quanto o punk punk-hardcore, o de origem nova-iorquina, um género de execução não tão complexa quanto o metal, que não é tão reivindicativo quanto o punk. De certa forma, estávamos ali porque queríamos, e conseguimos, pertencer a algo. Éramos poucos,

algumas centenas, mas fi zemos um movimento, um estilo, de uma contracultura. Vestíamos roupas largas, andávamos de mochila às costas, uns grafitavam paredes, outros tocavam em bandas, quase todos bebiam, outros eram abstémios.

Enfim, tal como na Londres do punk, no Bronx do hip-hop, na Chicago do jazz, na Seattle do grunge. Perdi a conta ao número de concertos a que assisti de bandas como Last Hope, Deadly Mind, Act of Anger, 69 Balls, Naked Soul, bandas de música pesada virtualmente desconhecidas fora do eixo Almada-Barreiro-Seixal. Eu gostava particularmente do estilo de hardcore nova-iorquino, herdeiro do punk, sem solos de guitarra, com versos rápidos, pesados e temas curtos, com os expoentes máximos Agnostic Front, Cro-Mags, Madball, Biohazard ou

Áureo Soares

Sick of it All. Vinte anos depois, à luz do processo de gentrificação em curso em que vivemos e das mudanças sociais que ocorreram em Portugal é fácil concluir que a morte daquele movimento, mais do que anunciada, foi uma consequência. Da evolução da Margem Sul do Tejo. Mas a festa foi bonita.


TERÇAFEIRA 08.MAIO.2018

Biblioteca recebe acção de formação sobre internet avançada

07

Gala de Jovens Intérpretes pretende revelar novos instrumentistas

[ DR 

[ CMS 

Aprender Mais numa Tarde Dia 12 de maio – Internet avançada: definições gerais do navegador, marcadores, definição de página inicial, navegação privada, privacidade e segurança na www.

A

té 11 de maio estão abertas as inscrições para a Oficina de Competências em Tecnologias da Informação – Aprender Mais numa Tarde. Trata-se de uma formação para aquisição de competências em literacia digital. Vai decorrer na Biblioteca Municipal do Seixal, nos dias 12, 19 e 26 de maio e 2 de junho, sábados, das 15 às 18 horas. A oficina que se realizada com o apoio técnico da R@to – Associação para a Divulgação Cul-

tural e Científica, é direccionada para utilizadores maiores de 16 anos, que já tenham alguns conhecimentos de informática, mas queiram saber mais sobre definições e funcionamento em Internet Avançada, Correio Eletrónico Avançado e Facebook. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas presencialmente no Serviço de Informação à Comunidade na Biblioteca Municipal do Seixal, através do telefone 210 976 100, do email sic@cm-seixal.pt ou presencialmente.

Dia 19 de maio – Correio eletrónico avançado: campo cc e bcc, marcadores, fi ltros, pesquisa de mensagens, definições da caixa de correio e definições de segurança. Dia 26 de maio – Rede social (facebook): definição de rede social, criar conta. Definições gerais da conta e funcionamento da rede social. Dia 2 de junho – Rede social (facebook): grupos, páginas, sistema de chat, definições de segurança e privacidade.

E

ncontram-se a decorrer até dia 9 de maio as inscrições para a Gala de Jovens Intérpretes, uma iniciativa que pretende dar a conhecer jovens instrumentistas do concelho. A gala vai realizar-se, pela primeira vez, no dia 2 de junho, no Cinema S. Vicente, em Aldeia de Paio Pires, não estando considerados prémios a concurso, uma vez que o objectivo da mesma é permitir a jovens entre os 8 e os 16 anos actuarem num espectáculo profi ssional com uma composição musical e instrumento à sua escolha, sozinhos ou em duo. A selecção dos intérpretes que vão actuar na gala será feita através de audição por um júri qualificado, tendo em conta

a sua identificação com a música e a produção musical. A duração de cada composição não pode exceder os dez minutos. Para concorrer, os interessados deverão preencher a ficha de inscrição disponível nos Serviços Online, e entregá-la juntamente com a fotocópia de documento de identificação com data de nascimento. As inscrições podem também ser realizadas presencialmente nos Serviços Centrais da Câmara Municipal do Seixal e Lojas do Munícipe ou enviadas pelo correio para Câmara Municipal do Seixal/Gala de Jovens Intérpretes, Divisão de Cultura e Património, Alameda dos Bombeiros Voluntários do Seixal, n.º 45, 2844-001 Seixal.

Opinião

Política

Património Inquieto do Seixal!

D

esde sempre e mesmo em tempos da Era Romana, este nosso território do Seixal foi ponto de paragem, de acostagem, de vivências e de grande tradição na construção náutica, onde através da referência marítima dos acessos pelo estuário do Tejo - e com provas arqueológicas já referenciadas e catalogadas - identificamos pré-existências em toda a orla da Baía do Seixal de rotas de comercialização de produtos. Sendo outrora uma bolsa de vida marítima a uma possível cota de margem inferior em todo o Estuário do Tejo, é necessário perceber a necessidade de ir ao encontro de um património cultural, industrial e naval primitivo destas paragens, desde as margens do centro da antiga Vila

do Seixal até às margens da Ponta dos Corvos, passando pelo extremo do Sapal de Corroios até à Quinta do Rouxinol. Ressalvo que estes locais não são casos isolados neste nosso território, estando estes “carregados de vestígios históricos”, onde o potencial nicho arqueológico romano, com características únicas no Mundo, e que foi vital para a economia regional e do Império, poderá estar à distância de uma visita. Nas envolventes das áreas já identificadas é natural que existam mais estruturas de combustão com características similares às existentes, bem como na zona de linha de água onde é muito provável a existência de estruturas de cais para as embarcações que outrora transportavam as ânforas ali produzidas. Toda esta

zona da Baía, com a presença das três mais importantes matérias-primas necessárias para o processo de fabrico das ânforas (a água, o barro e a madeira) associada às acessibilidades marítimas rápidas para todo o Império Romano, eram uma mais-valia para a sua produção, distribuição e comercialização. De facto, a necessidade de conhecer e sondar este museu subaquático não é vista de bom grado pela entidade municipal mas poderá ser uma das formas de enriquecer o “Projeto Baía Romana” com um enorme impacto histórico nacional considerando a possibilidade de todo o subsolo estar recheado de informação arqueológica. A relevância desta importante zona da Era Romana nunca

poderá ficar afastada de outras igualmente relevantes na Baía do Seixal, que se encontram abandonadas pela falta de interesse do executivo camarário, como são os casos da Villa Romana da Quinta de S. João (sita na Arrentela) e da Ponta dos Corvos. Uma está identificada mas sem qualquer intenção de ser divulgada e redescoberta. A outra, somente conhecida pelos técnicos arqueólogos, que por receio de ser tudo posto às claras, deixam que as marés de vários e revoltosos anos levem os indícios superficiais para outras margens de uma extensão de praia outrora única com vista para a capital. A disponibilização de meios e protocolos com universidades técnicas poderá permitir

Nuno Moreira PS

investigar, produzir conteúdos históricos, conservar e tornar visitáveis os locais de destaque e de interesse municipal, que com a implementação desta dinâmica universitária enriquecerá o Município, nomeadamente através da mobilização da componente técnica de Lisboa para a margem Sul do Tejo, tornando o Seixal num campo universitário arqueológico.


08

REGIÃO

TERÇAFEIRA 08.MAIO.2018

Comunidade debate Arte-Xávega como motor da economia Economia local A Costa da Caparica recebe, amanhã, um seminário onde vai ser debatido o potencial económico e cultural da Arte-Xávega. Um tipo de pesca de tradição na frente atlântica de Almada, que tem passado por momentos difíceis mas ganhou outra atenção depois de, no ano passado, ter sido incluída no inventário Nacional do Património Cultural Imaterial.

O

Posto Municipal de Turismo da Costa da Caparica e o Tryp Lisboa Caparica Mar Hotel recebem amanhã, 9 de maio, o Encontro Arte-Xávega – Lançar Redes para a Economia. Uma iniciativa que para além dos vários painéis, vai proporcionar um lance deste tipo de pesca, à 11h30, na Frente Urbana de Praias. Com este seminário, que vai na segunda-edição, a autarquia pretende “divulgar e promover a Costa da Caparica enquanto Museu Vivo da Arte Xávega” e “valorizar a cultura caparicana”. através da “revitalização das atividades tradicionais de pesca ar-

[ MANUEL FIALHO 

tesanal como vetores estruturantes da economia”. O encontro terá duas fases, sendo a manhã destinada a agentes económicos e outras entidades convidadas. A partir das 14h00 será para participantes previamente inscritos. Com início às 9h30, o encontro começa com a visita à exposição sobre Arte-Xávega no Centro de Arqueologia de Almada, no âmbito da candidatura a Património Cultural Imaterial, patente no Posto de Turismo da Costa da Caparica. A abertura dos trabalhos será às 10h00 com as intervenções de João Couvaneiro, vice-presidente da Câmara de Almada, José Ricardo,

A Arte Xávega praticada na Costa da Caparica faz parte do Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial desde fevereiro de 2017, na sequência de uma candidatura apresentada pela autarquia, em conjunto com o Centro de Arqueologia de Almada

presidente da Junta de Freguesia da Costa da Caparica, Inês de Medeiros, presidente da Câmara e José Apolinário, secretário de Estado das Pescas. Segue-se a apresentação de reflexões e propos-

tas para a Arte-Xávega, por Paulo Pardelha, diretor do Departamento de Planeamento Urbanístico e Económico da autarquia. Pelas 11h30, a Frente Urbana de Praias recebe um lance, ao vivo, desta forma de pesca. Cerca de meia-hora depois, no Tryp Lisboa Caparica Mar Hotel, está marcado um almoço de degustação com pescado liga-

do à Arte-Xávega. A reabertura será com o painel A Cavala deu à Costa. SEgue-se o tema Conservar a Arte-Xávega, que entre os vários intervenientes contará com a participação de representantes de associações de pesca. O encerramento está marcado para s as 17h30, pelo vice-presidente da Câmara de Almada. A Arte Xávega praticada na Costa da Caparica faz

parte do Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial desde fevereiro de 2017, na sequência de uma candidatura apresentada pela autarquia, em conjunto com o Centro de Arqueologia de Almada. Esta arte milenar esteve na origem do povoamento da Costa da Caparica, em 1770, e ainda hoje perdura, podendo ser acompanhada entre maio e setembro, nas praias da Costa e Fonte da Telha.

Concurso Sabores de Almada conta com a participação de 32 restaurantes do concelho

A

té 24 de junho, 32 restaurantes de todo o concelho de Almada vão participar na edição de 2018 do Concurso Gastronómico Sabores de Almada. Organizado pela Câmara Municipal, o Concurso Gastronómico Sabores de Almada “pretende promover a gastronomia local, enquanto património cultural e produto turístico, incentivando a qualidade e diversidade da oferta gastronómica no concelho”, refere nota de imprensa da autarquia. Os prémios vão ser atribuídos para as categorias Cozinha Tradicional Portuguesa, Cozinha de Autor e Cozinha Internacional. Para os melhores restaurantes, em cada categoria, serão atribuídos um primeiro, segundo e terceiro lugar. Além dos principais pré-

mios, há ainda distinções para a melhor entrada, o melhor prato principal, a melhor sobremesa, a melhor carta de vinhos, um prémio dedicado à qualidade no âmbito dos serviços e equipamento e, nesta edição, um prémio para o melhor prato de cavala. Os prémios serão atribuídos de acordo com a avaliação do júri do concurso, que será composto por um representante da Associação de Comércio, Indústria e Serviços e Turismo do Distrito de Setúbal – Delegação de Almada, que irá também representar a autarquia, um representante da Entidade Regional de Turismo – Região de Lisboa e um representante da Associação de Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal. Da Área da Cidade de Almada, vão estar a concur-

so os restaurantes, Amarra Ó Tejo, Arizé, Galeria, Kalamata, Espírito Mediterrâneo, Moinho Alentejano, Moinho de Maré, Paleta de Sabores, SoulSushi e Tasca do Bife. Pela Frente Ribeirinha de Cacilhas concorrem os restaurantes A Toca, Cabrinha, Cabrita, Cova Funda, Estaminé, Estrela do Sul, O Peralta e Taverna Tapas com Alma. Da Frente Ribeirinha da Trafaria apresentam-se a concurso A Taberna, Antiga Casa Marítima, Casa Ideal, O Fragateiro, Piri-Piri e Taberna Manuel da Gorda. Os concorrentes da zona da Frente Atlântica são os restaurantes BBQ Assador, Costa In, Horizonte – Tryp Lisboa, Caparica Mar, Oh Carlos, Os Loucos, Paraíso bar / Sushi’n Paradise, S. Pedro II, Sentido do Mar e Tarquínio.


DESPORTO

TERÇAFEIRA 08.MAIO.2018

09

“O Amora tem que ser a curto prazo o maior clube da Margem Sul” Ambição Depois de ter estado em coma profundo e em vias de extinção, o clube conseguiu dar a volta à situação e hoje já respira de forma saudável. A SAD recentemente criada, o novo estádio e a construção do centro de treinos abrem excelentes perspectivas para o futuro.  FOTOS: DR 

POR JOSÉ PINA

O

Amora Futebol Clube comemorou no dia 1 de Maio o seu 97.º aniversário tendo realizado, numa unidade de restauração de Fernão Ferro, no dia anterior, para assinalar a efeméride, uma gala que contou com a participação de 400 pessoas contando-se entre elas os mais altos representantes da autarquia, nomeadamente o presidente Joaquim Santos e vereadores Jorge Gonçalves e José Carlos Gomes. A AF Setúbal marcou presença através do presidente Francisco Cardoso, vice-presidente Carlos Sevilha e presidente do Conselho de Arbitragem José Manuel Esteves. De destacar será também a comparência de Domingos Almeida Lima, vice-presidente do Benfica; Virgílio Lopes, dirigente do Sporting e Rui Alves, presidente do Nacional (Madeira).

Lotação de 4500 lugares Durante a gala foram apesentados novos detalhes sobre o projecto do Estádio Municipal da Medideira que vai ter cinco pisos e uma lotação de 4500 lugares na bancada central. “O projecto já foi entregue na CM Seixal e no final do mês deverá ser lançado o concurso público para a sua construção”, referiu o arquitecto José Pequeno. Um dos momentos altos da noite foi a intervenção de um dos elementos da SAD, Zuneid Sidat, que a dado passo da sua intervenção recordou que “num passado recente o Amora correu riscos de acabar mas conseguiu dar a volta e agora precisa recuperar o estatuto de que já gozou para continuar a crescer de forma equilibrada e sustentada para que a sua equipa sénior possa atingir outros voos. É este o nosso compromisso, O Amora tem que ser a curto prazo o maior clube da margem sul e a médio prazo queremos que figure entre os grandes do futebol nacional”.

Benfica, Sporting e Nacional O vice-presidente do SL Benfica Domingos Almeida Lima começou por dizer que conhece bem a história do Amora porque é natural do concelho do Seixal e depois confessou que ficou encantado com este “magnífico projecto” e lançou um apelo à CM Seixal para que o possa “concluir rapidamente” porque é uma “obra de interesse municipal”. O antigo jogador do Sporting Virgílio falou de um protocolo assinado no âmbito do futebol de formação e recordou tempos passados. “Tive o privilégio de jogar no Estádio da Medideira quando o Amora esteve na 1.ª Divisão. Agora es-

pero um dia poder voltar não para jogar mas para ver também um jogo do Amora na 1.ª Divisão”. Francisco Cardoso, presidente da AF Setúbal, depois de dar os parabéns ao clube, disse que “o Amora é um dos históricos do distrito” e “por aquilo que se tem visto nos últimos cinco anos pode vir a ser de novo um baluarte do nosso futebol. Que a dinâmica desta direcção possa catapultar o clube para onde deseja, se assim for também o distrito de Setúbal fica mais forte”.

“Não foi necessário mudar de nome” Carlos Henriques, o homem que tem liderado com grande sucesso o clube nos últimos anos,

no seu discurso começou por lembrar os tempos difíceis por que passou: “Houve momentos em que o Amora esteve mesmo para acabar mas após o renascer do coma profundo foram dados passos seguros na recuperação e hoje a realidade é bem diferente”. “O Amora é hoje um bom exemplo de um clube que conseguiu, com a ajuda dos órgãos autárquicos, ressuscitar de forma sustentada. Não foi necessário mudar de nome, continuamos a dizer que 1921 foi o ano da nossa fundação e continuamos a designarmo-nos por Amora Futebol Clube e não por outro qualquer”.

250 mil euros para o centro de treinos A encerrar a gala o presiden-

te da CM Seixal, Joaquim Santos um disse ser “um privilégio para o concelho, ter um clube com a pujança que demonstra”. Na sua intervenção anunciou também uma proposta para a atribuição de “uma verba de 250 mil euros”, a levar a uma das próximas sessões de Câmara, “para que o Amora possa dar início à construção de um Centro de Treinos”, no Parque do Serrado. Sobre o projecto no novo estádio Joaquim Santos chamou a atenção para o facto de o concurso público ter “um conjunto de processos burocráticos que normalmente demoram mais de seis meses. Vamos tentar fazer com que o tempo seja mais curto mas isso não depende de nós”.


10

DESPORTO

TERÇAFEIRA 08.MAIO.2018

Amora volta a ceder pontos mas ainda tem quatro de vantagem 1.ª Divisão Distrital A equipa orientada por Élio Santos realizou uma exibição descolorida e não conseguiu melhor que um empate, em Alfarim. O ponto conquistado foi demasiado curto para as suas pretensões e a vantagem sobre o Barreirense ficou agora reduzida a quatro pontos.  O SEIXALENSE 

POR JOSÉ PINA

O

Amora registou em Alfarim o seu segundo empate consecutivo e em consequência disso viu a sua vantagem em relação ao Barreirense, segundo classificado, reduzida para quatro pontos, numa altura em que faltam disputar ainda cinco jornadas. A equipa amorense, que chegou a ter oito pontos a mais que o Barreirense, tem vindo ultimamente a registar alguns empates e isso tem feito encurtar a distância em relação ao seu principal adversário deixando assim em aberto alguma incerteza quanto ao vencedor final que muitos chegaram a pensar estar já encontrado. Nesta partida disputada em Alfarim a exibição não foi a melhor sobretudo na segunda parte e no final o resultado até se pode considerar justo porque o Alfarim, com uma exibição muito consistente e, com as suas armas, conseguiu contrariar o favoritismo que recaía naturalmente na equipa amorense. O Amora entrou bem no jogo mas depois perdeu um pouco a sua clarividência inicial e acabou por ficar em desvantagem aos 17 minutos sofrendo um golo na sequência de um erro defensivo que permitiu o cabeceamento certeiro de David Mata. A reacção foi imediata e Bruninho, que já tinha visto um golo seu ter sido anulado quando o marcador estava ainda em 0-0, fez o empate quando estavam decorridos 30 minutos. Na segunda parte o Alfarim viu Tiago Dias ser expulso por acu-

Centro Desportivo, em Alfarim 06 de Maio, 16 horas 1.ª Divisão AF Setúbal – 25.ª jornada Cerca de 250 espectadores

RESULTADO

1 1

ALFARIM: Sérgio; Alex, Tiago Dias A 19’e 58’ V 58’, Fernando, Toni; Paulo Vítor A 30’ (Bruno Correia, 45’), Marco Dias (Rafa, 70’), Borralho, Bailão; David Mata (Quissem, 60’) e Gonçalo QuintaFeira A 41’. Treinador: Ricardo Dias

ALFARIM

AMORA

AMORA: Madureira; Adérito, Ruben Nunes, Balela A 90’, Tiago Penha (Peter, 72’); França, Pedro Pereira A 73’ , Edson A 29’ (Hugo Rosa, 79’); Lacão (Jessy, 60’), Joca e Bruninho A 31’. Treinador: Élio Santos Árbitro: Jonathan Babo (Almada / Seixal) Golos: 1-0, David Mata (17’); 1-1, Bruninho (30’)

mulação de cartões amarelos e o Amora ficou a jogar em superioridade numérica. Pensava-se en-

Declarações do mister Élio Santos - Amora

tão que os homens da Medideira tomassem conta do jogo para tentarem tirar partido disso mas

não foi nada disso que aconteceu por mérito da equipa da casa que procurou impor um ritmo de jogo

“Foi um jogo que nos deu um ponto mas não foi um resultado agradável. A equipa entrou bem e nos primeiros minutos até marcou um golo que seria anulado. Depois, o Alfarim também tem uma excelente ocasião defendida pelo Madureira e logo a seguir num erro da nossa parte colocou-se em vantagem. A equipa reagiu bem e acabou por empatar com um golo do Bruninho”. “Na segunda parte ficámos com mais um jogador em

campo mas o jogo acabou de forma inexplicável por entrar num período de grande sonolência. Não consigo perceber a postura da equipa. Perdemos dois pontos, tenho essa consciência, diminuímos a vantagem para o segundo classificado e aumentámos a motivação dos adversários”. “Não tivemos mentalidade ganhadora e a ambição de uma equipa que quer ser campeã. A atitude não foi a mais correcta

mais baixo. O Amora deixou-se embalar pela lentidão e até ao final nunca conseguiu impor verdadeiramente o seu futebol saindo do encontro com apenas um ponto que foi demasiado curto para as suas pretensões.

porque fomos uma equipa sem aquela energia que normalmente costumamos ter”. “Agora vamos pensar no jogo com o Banheirense e trabalhar bem durante a semana, limar algumas arestas e afastar eventuais fantasmas que possa existir na cabeça de alguns jogadores. Acredito que este tenha sido um jogo que nos vai dar o estímulo necessário para esta ponta final do campeonato”.

Torneio Complementar de Seniores

Seixal é cada vez mais líder no Torneio Complementar de Seniores

O

Seixal Clube 1925 venceu o Desportivo Portugal (2-0) em jogo realizado no Vale da Amoreira relativo à 8.ª jornada do Torneio Complementar de Seniores, competição que lidera com cinco pontos de vantagem sobre o La-

gameças. A vitória da equipa seixalense foi obtida no decorrer da primeira parte com golos marcados por Nivaldo (25’) e Luís Fernandes, mesmo à beira do intervalo (42’). No Vale da Abelha, Paio Pi-

res e Ginásio de Corroios [que se encontravam igualados na tabela classificativa] defrontavam-se em mais um dérbi do concelho que terminou empatado a zero. O jogo decorreu sempre de forma equilibrada e não foram muitos os motivos

de interesse. O lance de maior perigo pertenceu à equipa de Paio Pires que aos quatro minutos viu uma bola ser devolvida pelo poste da baliza do Ginásio de Corroios. Na classificação geral o Seixal é o primeiro classificado

com 17 pontos. Paio Pires e Corroios repartem o 3.º lugar com 9 pontos. Na próxima jornada o Corroios recebe o Águas de Moura e o Seixal será anfitrião do Paio Pires, no Estádio do Bravo. Os jogos começam às 17 horas.


TERÇAFEIRA 08.MAIO.2018

Vitória sobre o Mafra coloca Torrense no segundo lugar

O

Torrense derrotou o Mafra (27-24) em jogo relativo à 9.ª jornada da segunda fase do Campeonato Nacional da 3.ª Divisão, realizado no pavilhão da Escola Pedro Eanes Lobato (Amora), em virtude do municipal da Torre da Marinha se encontrar ocupado com outras actividades. Esta foi uma vitória extremamente importante porque colocou a equipa no segundo lugar da tabela classificativa com 24 pontos, menos um que o líder, Lagoa. O jogo, que decorreu de forma bastante equilibrada, registava ao intervalo o resultado de 14-12 e no segundo período um parcial de 1312. Jorge Colaço com oito golos foi o melhor marcador da equipa logo seguido de Vladimiro Bonaparte, com cinco. Na próxima jornada a equipa da Torre da Marinha desloca-se ao Pavilhão dos Loios, nas Olaias, onde defronta o Oriental, pelas 18h30m.

Escola Pedro Eanes Lobato volta a fazer história no voleibol feminino Brilharete O voleibol feminino da PEL está de parabéns pelo regresso da sua equipa sénior ao Campeonato Nacional da 1.ª Divisão. O brilharete foi conseguido no play-off de apuramento disputado com o Gueifães.  DR 

A

POR JOSÉ PINA

equipa sénior de voleibol feminino da Escola Pedro Eanes Lobato voltou a fazer história com o regresso ao escalão principal do voleibol nacional conseguido no play-off de apuramento disputado com o Gueifães. Depois de uma época brilhante no campeonato da 2.ª divisão a equipa da cidade de Amora que se classificou em primeiro lugar na fase regular e terminou a série dos primeiros em segundo lugar, ganhou o direito desportivo de disputar a subida à divisão superior com o penúltimo classificado da 1.ª divisão nacional, que, neste caso, foi o Gueifães (Maia), num confronto à melhor de três jogos. No primeiro jogo disputado no Pavilhão da Escola António Augusto Louro (em Arrentela) a PEL venceu por 3-1 e, no passado sá-

bado, em Gueifães, voltou a vencer pelo mesmo resultado, evitando assim o terceiro jogo.

Torneio Indoor 4X4 do Fogueteiro

Mais uma jornada repleta de golos

O

s craques de palmo e meio que participam no Torneio Indoor 4x4 do Fogueteiro continuam com a pontaria bem afinada. Na 16.ª jornada realizada no passado fim-de-semana foram marcados 292 golos nos 24 jogos realizados, sendo de destacar os 21 golos marcados num só jogo pelos benjamins do Benfica Almada. Diogo Resende (Belenenses do Barreiro) foi o marcador do

11

golo 3500. RESULTADOS: PETIZES A (Série A): Charneca Caparica 2 Seixal 9; GD Sesimbra 2 CDR Fogueteiro 19; (Série C): SL Benfica 17 Benfica Estádio Seixal 7; SL Benfica 4 CR Instrução 3; SL Benfica 1 Palmense 3; Costa Caparica 0 Belenenses do Barreiro 6; Corroios 0 Belenenses Margem Sul 6.  DR 

PETIZES B (Série Única): Pinhalnovense 1 G. Benfica de Almada 7; Pinhalnovense 11 Quintajense 0; Acad. Sp. Corroios 5 C. Atlântico 4.

Com esta vitória, a equipa da Escola Pedro Eanes Lobato garantiu a subida ao campeonato

nacional da 1.ª divisão, onde vai voltar a competir com as melhores equipas nacionais.

Alto do Moinho comemorou 43.º aniversário  DR 

TRAQUINAS A (Série A): SL Benfica 3 Beira Mar Lavradio 6; SL Benfica 3 St.ª Marta do Pinhal 9; Amora 10 Benfica E. Seixal 4; (Série D): Acad. Fusco 4 Leão Altivo 15. TRAQUINAS B (Série A): Seixal 3 Alfarim 1; Colégio Atlântico 6 Acad. Fusco 8; (Série B): Belenenses Barreiro 7 Leão Altivo 3. BENJAMINS A (Série A): N. Sportinguista C. Caparica 3 Acad. Sporting Corroios 13; Belenenses Barreiro 6 CDR Fogueteiro 7; (Série B): Qt.ª da Princesa 2 Belenenses Margem Sul 6; MH Academia 1 1.º de Maio Sarilhos 16. BENJAMINS B (Série Única): C. Caparica 1 Belenenses Barreiro 17; Seixal 3 CDR Fogueteiro 6; Benfica Almada 21 Acad. Sp. Corroios 1.

O

Centro Cultural e Recreativo do Alto do Moinho comemorou no dia 29 de Abril, 43 anos de vida ao serviço da comunidade, tendo realizado para o efeito uma sessão solene que incluiu um programa cultural, durante o qual foram distinguidos sócios com 10 e 25 anos de filiação, atribuídas faixas de campeões e homenageada uma classe de dança da colectividade.

Na festa de aniversário que decorreu no Pavilhão Municipal do Alto do Moinho marcaram presença o vice-presidente da Câmara Municipal do Seixal, Jorge Gonçalves e o presidente da Junta de Freguesia de Corroios, Eduardo Rosa, para além de sócios, atletas, dirigentes, professores, alunos, técnicos, colaboradores, parceiros, voluntários, classes e equipas.


12

l especia EMPRESAS & NEGÓCIOS

TERÇAFEIRA 08.MAIO.2018

 DR 

N

esta edição o jornal O Seixalense publica o Especial “Empresas e Negócios” em colaboração com a ACISTDS - Delegação do Seixal. Organiza-

ção bem representativa do concelho e do distrito, sendo agora até a nível nacional onde ocupa a vice-presidência na Confederação de Comércio Português. Este especial é um es-

paço onde a associação se pode promover e dar a conhecer as acções que realiza junto do comércio e indústria local e da comunidade, para além de se apresentar aos seus sócios.

Esta semana apresentam a iniciativa que realizaram no dia da Mãe no Concelho do Seixal com um programa de algum entretimento com artistas de rua e alguma gulosei-

ma para adoçar a boca das nossas queridas mães que muito o merecem. Fala-se também de acções de formação que são muito necessárias a todos os seus sócios. Relembre-

-se que a redacção deste Especial é da inteira responsabilidade da Associação do Comércio Industria Serviços e Turismo do Distrito de Setúbal - Delegação do Seixal.

KINESIO TAPE CRIOTERAPIA ACUPUNTURA NATUROPATIA MESOTERAPIA MASSAGEM DE RECUPERAÇÃO

Rua Santiago Kastner, nº13-A (Rua dos Bancos) Santa Marta do Pinhal Tlm 965503119 | email: paulaantunes_30@hotmail.com

C/0231

C/0234

MÉDICA, ESTÉTICA E DESPORTIVA


13

C/155

TERÇAFEIRA 08.MAIO.2018

C/210

PUBLICIDADE


14

especial

TERÇAFEIRA 08.MAIO.2018

EMPRESAS & NEGÓCIOS

Oferta formativa ACISTDS | Seixal O ferta formativa ACISTDS – Associação do Comércio, Indústria, Serviços e Turismo do Distrito de Setúbal, no âmbito da Formação Modular Certificada para Empregados e Desempregados, disponível para o concelho do Seixal, designadamente em “Higiene e Segurança Alimentar” e “Pri-

meiros Socorros”, ações de formação de nível 2, com uma duração de 25 horas, a decorrerem na Delegação do Seixal da ACISTDS, sita na Praça Luís de Camões, n.º 11/13, Seixal, com uma frequência de dois dias por semana, das 20h00 às 23h00. Para além de totalmente gratuita, a frequência nas ações de forma-

ção contempla, ainda, a atribuição de um subsídio de alimentação de 4,77€/ dia, bem como do respetivo Certificado de Qualificações. Para inscrições ou informações adicionais, queira contatar a Delegação do Seixal da ACISTDS – Praça Luís de Camões, n.º 11/13, Seixal | 212 277 455 | seixal@acistds.pt.


TERÇAFEIRA 08.MAIO.2018

15

Associação celebrou Dia da Mãe com animação no Comércio Local

O

comércio local do concelho do Seixal foi brindado, no passado sábado, dia 5 de Maio, com uma animação de rua que percorreu as principais artérias da Cruz de Pau/Amora, durante o período da manhã, com o propósito de assinalar o Dia da Mãe, que se comemorou no domingo, dia 6 de Maio. A manhã ficou mais colorida, com a distribuição de flores e doces pelos transeuntes, visitantes e clientes do comércio de rua, nomeadamente, pelas mulheres, como forma de evocar a celebração da data. A campanha, que teve como objetivo promover a dinamização das ruas com maior concentração de estabelecimentos comerciais, apelando-se, simultaneamente, ao consumo no comércio local, envolveu, ainda, a entrega de um postal, alusivo ao Dia da Mãe, oferecido pela Delegação do Seixal da ACISTDS – Associação do Comércio, Indústria, Serviços e Turismo do Distrito de Setúbal e Câmara Municipal do Seixal, entidades promotoras da iniciativa. A próxima ação de rua decorrerá a 16 de Junho, sábado, e será dedicada à celebração dos “Santos Populares”. Estes foram os programas de animação conquistados no âmbito do passatempo

“O Natal é na Minha Rua”, promovido pela Delegação do Seixal da ACISTDS e Câmara Municipal local, com o apoio da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa. A iniciativa teve como intuito apelar à participação conjunta dos empresários, inscritos por rua, na decoração das artérias onde se encontram fixados os seus espaços comerciais, com motivos alusivos à quadra natalícia, durante o mês de Dezembro de 2017 e até ao Dia de Reis, ou seja, 6 de Janeiro de 2018. As ruas participantes foram submetidas à avaliação de um júri, composto por um elemento representante de cada uma das três entidades envolvidas, que fez a sua apreciação tendo em conta vários parâmetros, entre os quais a utilização de materiais reciclados ou recicláveis, a criatividade e originalidade, a envolvência e a adaptação ao tema. A ação permitiu, assim, premiar as ruas com a decoração mais apelativa, fomentando, igualmente, a dinamização do comércio local, bem como a revitalização e animação das próprias micro, pequenas e médias empresas do concelho. A iniciativa estendeu-se a todos os empresários do concelho com manifesto interesse em aderir ao passatempo, independentemente do seu ramo de atividade.


C/0233

16

TERÇAFEIRA 08.MAIO.2018

PUBLICIDADE

Telefone 265094354 geral@oseixalense.pt  

Edição nº 72 dia 08 de Maio de 2018

Telefone 265094354 geral@oseixalense.pt  

Edição nº 72 dia 08 de Maio de 2018

Advertisement