Issuu on Google+

PUB

MEGA AULA DE GINÁSTICA SÉNIOR

Sexta-feira,

17 de Fevereiro de 2012

Suplemento do jornal Nova Odivelas Nº 428

// N.º

25

RUBY ESCOLAR

II série Ano XII

www. j orn al .n ovaodi vel as .p t/d es porto Director: Henrique Ribeiro Coordenação: David Braga

RESULTADOS DAS 33 EQUIPAS DE FUTSAL DO CONCELHO ● N O A N IV ERSÁRIO DO TE NENTE VALDEZ

● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●

NUNO LOBO AFIRMA-SE DISPOSTO A MUDANÇAS RADICAIS NA AFL C ORTA-MATO ESC O LA R C OM E QUIPAS DO C O N C EL H O PUB

● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●


2

Nova Odivelas

17 Fevereiro 2012

ATUALIDADE ASSOCIATIVISMO

Tenente Valdez comemorou 101º aniversário O Centro Escolar Republicano Tenente Valdez, assinalou no sábado, 11 de fevereiro, a passagem do seu 101º aniversário com uma Sessão Solene Comemorativa que contou com a presença várias entidades convidadas e onde, além das intervenções foi entregue o emblema de cobre a um associado com 15 anos de clube. mesa da cerimónia foi composta por Hugo Martins, vereador do Desporto e em representação da presidente da Câmara Municipal de Odivelas, Susana Amador; Nuno Lobo, presidente da Associação de Futebol de Lisboa; José Guerreiro, presidente da Junta de Freguesia da Pontinha e Rui Teixeira, presidente do clube aniversariante. Para além destes convidados a sessão con-

A

tou ainda com a presença de José Carlos Loureiro, vice-presidente da AFL, Ângelo Santos, da Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto; Eugénio Marques e Ana Portela, do executivo da Junta de Freguesia da Pontinha, Marco Pina, presidente da Assembleia de Freguesia da Pontinha e Carolino Santos, em representação do vereador Mário Máximo. Depois das intervenções foi entregue o emblema de cobre pelos 15 anos de associado a Alfredo Almeida Francisco, após o que foram entregues lembranças à colectividade pelo seu aniversário e sopradas as velas ao som do parabéns a você cantado a muitas vozes. A presença do presidente da Junta de Freguesia da Pontinha, José Francisco Guerreiro, que nos últimos tempos tem estado ausente por motivos de doença, foi muito saudada por todos os oradores e aplau-

dida por todos os presentes com os desejos, que Nova Odivelas partilha, de rápidas melhoras.

É preciso criar a federação dos clubes e colectividades do concelho Hugo Martins, vereador do Desporto da Câmara Municipal de Odivelas, para além de saudar as entidades convidadas e aos associados presentes, dirigiu uma palavra especial à comunicação social local presente, entre a qual o

Fotografias: Henrique Ribeiro

Henrique Ribeiro henrique_ribeiro@simpruspress.pt

Nova Odivelas, porque «Prestam um excelente tributo e homenagem, todos os fins-de-semana, ao Desporto. Quer com reportagens escritas, quer com reportagens televisivas, sistemática e semanalmente, dão uma grande

visibilidade ao trabalho que é efetuado nos bastidores por tantas centenas de pessoas, dos dirigentes, aos técnicos, passando pelos atletas e pelas famílias». Os dirigentes, técnicos e atletas do


17 Fevereiro 2012

Nova Odivelas 3

ATUALIDADE ASSOCIATIVISMO

Tenente Valdez também mereceram uma palavra de apreço do vereador do Desporto por fazerem da centenária colectividade «Uma instituição de referência e de muita relevância distrital no futebol de formação». Hugo Martins considerou que o Tenente Valdez representa aquilo que de bem feito deve acontecer. «Muitas vezes há quem tenha oportunidades e não as consiga agarrar, desperdiçando-as, por perder o momento e não escolheu os melhores elementos». No Tenente Valdez, sobe a direção de Rui Teixeira tem sido feito um excelente trabalho aproveitando todas as condições que o relvado sintético proporcionou, afirmou o vereador, para quem hoje em dia as responsabilidades de direção de uma colectividade são maiores e exigem mais preparação, conhecimentos e dedicação aos dirigentes associativos. «Aqui, todos juntos, Câmara Municipal de Odivelas, Junta de Freguesia da Pontinha, Centro Escolar Republicano Tenente Valdez e Associação de Futebol de Lisboa, contribuímos para um Portugal mais coeso, para um território municipal mais solidário. Também defendo, como a senhora presidente da câmara repete várias vezes, que não é só com uma refeição, que

retiramos as pessoas das dificuldades. Quando investimos num clube, quando retiramos os miúdos de comportamentos desviantes, quando lhes damos oportunidades de partilha e de criação de valores, lhes incutimos responsabilidades e espirito de grupo e de sacrifício, estamos a dar-lhes ferramentas e a dotálos de caraterísticas muito importantes na sua formação integral enquanto homens e enquanto cidadãos e acima de tudo enquanto seres solidários». O vereador sublinhou ainda que as relações do município com o clube são fáceis «Porque sabemos que encontramos sempre, da parte do clube, soluções para os problemas diários que são colocados e o clube sabe que pode contar com a câmara naquilo que for possível». Para o vereador do Desporto é importante falar no futuro, sonhar e ousar, «Não desiludindo os que acreditam em nós e não colocar em causa protocolos e compromissos que assumimos» mas sublinhou que «Para ter futuro temos de garantir o presente» e foi por isso que, segundo Hugo Martins, na reunião de câmara da passada semana foram mantidos os apoios regulares aos clubes. Respondendo a um desafio que lhe foi dirigido pelo presidente da AFL, Nuno Lobo, para que pudessem reunir e pensar

no apoio da câmara nas inscrições de atletas dos clubes do concelho na associação, o vereador lembrou que desde a sua criação o concelho de Odivelas apoia os clubes e colectividades, no âmbito do PAADO (Programa de Apoio ao Associativismo Desportivo de Odivelas) que contempla apoios nos seguros e inscrições, na cedência de equipamentos desportivos, nos torneios, no fornecimento de equipamentos desportivos (que neste momento se encontra suspensa «Dadas as dificuldades financeiras») e na cedência regular de transportes. «Tenho muito gosto em recebê-lo e em conversar para tentarmos encontrar sinergias e juntar esforços e encontrar soluções para que os clubes, no seu todo, consigam chegar mais longe». Hugo Martins informou que numa recente reunião com os clubes que têm a modalidade de futsal lhes dirigiu o desafio para que «Conseguíssemos, de uma vez por todas, criar a nossa federação concelhia de clubes e colectividades para que se olhasse para os clubes no seu todo e se possam encontrar energias e simbioses no crescimento dos clubes». A AFL vai ajudar o Tenente a voltar a ter equipa sénior de futebol

Nuno Lobo, presidente da Associação de Futebol de Lisboa endereçou os seus parabéns ao Tenente Valdez pelo seu aniversário sublinhando a sua satisfação pelo facto de a

sua primeira presença num aniversário, nas funções de presidente da AFL, ser num clube centenário. Nuno Lobo expressou o reconhecimento da AFL ao tenente Valdez, que tem 256 atletas e 28 técnicos inscritos e oito equipas de futebol. «Queria agradecer em nome do futebol, deste desporto que nós amamos, o trabalho que fazem, com excelência, naquela que é uma das grandes paixões desta associação, a formação». O presidente da AFL sublinhou que neste mandado a formação será uma das principais preocupações da direcção recente-


4

Nova Odivelas

17 Fevereiro 2012

ATUALIDADES ASSOCIATIVISMO

mente empossada e considerou que «É neste tipo de clubes que se tiram as crianças da rua e dos problemas do quotidiano». Nuno Lobo dirigindo-se a Rui Teixeira, presidente do Tenente Valdez, pelo facto de ter sido um apoiante desde a primeira hora do movimento que levou à sua eleição para a presidência da AFL e as criticas e contribuições que deu para a feitura do programa apresentado aos clubes associados. «Não sei quando são as próximas eleições do tenente Valdez mas não te vou deixar sair do clube, porque tu fazes muita falta ao futebol».

O presidente da AFL dirigiu um desafio para que o Tenente Valdez trabalhe em conjunto dom a AFL para que para o ano, quando vier ao 102º aniversário do clube, Rui Teixeira anuncie a criação da equipa sénior de futebol do Tenente Valdez, com o apoio da associação, da câmara e de todas as entidades envolvidas. «A Associação de Futebol de Lisboa vai trabalhar contigo e com esta direcção para que assim seja». Nos poucos dias que têm de mandato a nova direcção da AFL começou a arrumar a casa e a pôr em prática alguns dos contributos recolhidos dos clubes e cumpriram três das

70 propostas que apresentaram para os 48 meses de mandato, disse Nuno Lobo, referindo a criação do director executivo, a retomada dos dois árbitros nos jogos dos escalões de formação porque «Não há problemas financeiros, não há problemas de árbitros que ponham em causa a dignidade de crianças que há quatro ou cinco meses andavam a fazer aquilo que nos compete a nós, órgãos associativos». O dirigente disse também a direcção da AFL vai sair da sua sede e estar presente nos clubes sempre que para tal seja convidada. Nuno Lobo anunciou ainda que assim que «A casa esteja arrumada» vai rever todos os contratos da AFL com entidades terceiras e considerou inadmissível que um cartão custe 2 euros à AFL e os clubes tenham de pagar por ele entre 6, 7 ou 8 euros e ainda que haja preços diferentes conforme o escalão, «Isso comigo vai acabar e vai começar a negociação brevemente, apesar de me terem artilhado com contratos com mais três ou quatro anos de vigência para que eu não pudesse mexer neles, mas estou disposto a renegociar os seguros e o sistema informático. Não preciso das empresas que estão na Associação de Futebol de Lisboa, não dependo delas, não devo favores a ninguém e por misso estou pronto, estamos prontos, para ir para as guerras judiciais, se for o caso, em nome dos clubes e apenas pelo futebol».

Esperemos que a 2ª fase das obras possa acontecer em breve José Guerreiro, presidente da Junta de Freguesia da Pontinha,

sublinhou a capacidade do presidente do Tenente Valdez e de todos os seus dirigentes de «Aumentar e dignificar este clube que é o único da freguesia de quem umas instalações que estão a melhorar dia a dia». O autarca manifestou o desejo de que seja possível, nos anos mais próximos, à Câmara Municipal de Odivelas cumprir os compromissos assumidos para a construção dos novos balneários e bancadas do campo do clube porque «Este clube merece ter umas instalações melhoradas que aproveitem o excelente relvado que já têm». O presidente da manifestou a disponibilidade da autarquia para colaborar com o Tenente Valdez em tudo o que seja possível «Porque também nos reduziram as verbas. AS verba que o estado nos dá este é menos que a que recebemos em 1998» apesar dos aumentos que todas as coisas sofreram. Fazer crescer o clube em quantidade e qualidade Rui Teixeira, sublinhou a importância da presença dos dirigentes da AFL nos vários eventos dos clubes. Em julho completam-se dois anos deste mandato de Rui Teixeira com presidente do Tenente Valdez, tendo feito parte de outros mandatos como vice-presidente e o seu objectivo, afirmou, «É fazer crescer a colectividade em termos de

número de atletas, de qualidade de treino e de treinadores». O presidente agradeceu o emprenhamento dos coordenadores do futebol, Bruno Gonçalo, coordenador do futebol 7 e a Luís Andrade, coordenador do futebol 11 e a todos os técnicos do clube pelo excelente trabalho que têm realizado. Rui Teixeira fez um balanço do trabalho desenvolvido em 2011 e que já referimos na entrevista que publicámos na edição anterior do Desportivamente. Nesta sessão usou ainda da palavra Ricardo Monsanto, da Associação de Futebol de Lisboa que mostrou um pouco do seu percurso enquanto treinador de futebol.

Pode ver os discursos integrais na NO TV em www.novaodivelas.tv


17 Fevereiro 2012 PUB

Nova Odivelas 5


6

Nova Odivelas

17 Fevereiro 2012

ANDEBOL GINÁSIO CLUBE DE ODIVELAS

Jogos de 11 e 12 de fevereiro Dos jogos realizados pelas equipas de Andebol do Ginásio Clube de Odivelas no passado fim-de-semana, deixamos cronicas dos respectivos treinadores.

Infantis Masculinos Campeonato Regional da 2ª Divisão GCO 29 X GM 1º Dezembro 11 A nossa equipa de infantis estreou-se no campeonato regional da 2ª Divisão no passado dia 11 em casa, contra a equipa do 1º de Dezembro. O objectivo principal continua a centrar-se na formação dos jovens atletas, consolidando todas as componentes técnico-táticas. Não conquistamos o apuramento para a 1ª Divisão, e por isso temos a pretensão de vencer esta 2ª Divisão. Após o desfecho da competição respeitante ao apuramento para a 1ª Divisão, foi inevitável incidir nos treinos as principais dificuldades observadas em jogos anteriores. Com duas semanas sem jogos foi possível consolidar a técnica de passe e recepção de todos os atletas, bem como todos os conteúdos da defesa individual (HxH). Assim, a equipa preparou-se de forma empenhada para este jogo contra o 1º de Dezembro para que conseguíssemos a vitória. Desde o início do jogo, estavam focados naquilo que lhes foi pedido quer no ataque, quer na defesa. Por esse motivo, conseguimos impor o nosso jogo e terminar os primeiros 25 minutos com uma vantagem considerável, verificando-se o resultado de 13-1. De acordo com o resultado, podemos concluir que existiram a nível defensivo poucas falhas. Por outro lado, no ataque não conseguimos concretizar várias oportunidades e já registávamos 13 remates falhados. Ao intervalo foi necessário corrigir os erros, onde foi

dado maior preponderância ao nosso ataque contra a defesa individual apresentada pela equipa adversária, salientando a importância das desmarcações sem bola para que conseguíssemos criar situações de superioridade numérica. Na segunda parte a equipa do 1º de Dezembro alterou a sua forma de defender para defesa à zona, o que originou alguma dificuldade dos nossos atletas. Assim, solicitou-se um time-out para que pudesse orientar e relembrar aos nossos atletas o que tinham que realizar para ultrapassar a defesa adversária. Esta segunda parte foi um pouco menos conseguida da nossa parte o que pode ser justificado por apresentarmos quatro atletas novos, que iniciaram a sua prática na modalidade à pouco tempo, mas que t ê m e v o luído significativamente. O desgaste físico dos atletas poderá ter sido um outro factor, pois só podemos contar com 8 atletas. Os restantes não puderam comparecer considerando por isso uma atitude lamentável. A gestão do tempo é muito importante com vista a alcançar o maior sucesso em todas as áreas das suas vidas (desporto, escola, família, etc). O Andebol tem assim como principal objectivo o desenvolvimento humano, especificamente em relação ao corpo e atividade física, à construção individual e colectiva e à integração na sociedade. Por fim, gostaria de apelar a todos os atletas e pais que acreditem no trabalho desen-

volvido com esta equipa e que continuem envolvidos ao máximo. Artur Rodrigues

Juvenis Femininos Campeonato Regional Assomada 54 X GCO 4

Neste domingo ,a nossa equipa deslocou-se ao reduto da Assomada para realizar o encontro relativo à 2ª jornada do campeonato regional. Num encontro que à partida se antevia difícil, devido ao poder físico e à agressividade defensiva da equipa adversária, a nossa equipa entrou muito mal no jogo, desperdiçando ataques sucessivamente e sofrendo golos em contra-ataque, situação em que a equipa adversária é extremamente letal, ainda por cima perante u m a inexistente recuperaç ã o defensiva, que mesmo podendo ser parcialmente justificada por falta de treino da mesma, não justifica tamanha falta de atitude defensiva. Para completar a pobre exibição defensiva e, como já foi previamente referido, no capítulo ofensivo, as nossas atletas estiveram demasiado perdulárias pois só marcaram o 1º golo por volta dos 20 minutos de jogo, altura em que a equipa adversária já tinha a seu favor um parcial de 20-0 e, quando finalmente fizeram aquilo que tinha sido trabalhado durante a semana e para que tinham sido alertadas antes do inicio do jogo. Ao intervalo, tentamos “des-

pertar” as atletas para ver se o rumo dos acontecimentos se alterava ligeiramente e se a nossa prestação melhorava, mas nada do que foi dito foi cumprido e, a juntar ao cansaço, ainda tivemos 2 “baixas” por lesão, o que dificultou ainda mais o nosso já muito sofrível desempenho, que acabaria por resultar numa derrota muito pesada mas também muito consentida pelas nossas meninas. Em suma, foi um jogo muito mau e que em nada dignificou as cores do GCO mas há que levantar a cabeça e alterar a postura dentro de campo para ser possível atingir resultados que sejam bem melhores do que este e realizar exibições bem melhores.

pelos nossos pontas no setor defensivo. As dificuldades sentidas no 1x1 nas pontas têm que ser ultrapassadas e também a noção de entreajuda tem que ser trabalhada. Como nota final, lamentar a expulsão do atleta Carlos Marques, por palavras dirigidas ao árbitro. Tem sido recorrentemente solicitado aos atletas para que não falem com os árbitros, de modo a evitar eventuais penalizações para toda a equipa. Os atletas estão cá para trabalhar no seu dia-a-dia nos treinos e jogar, dignificando a camisola que envergam, e acima de tudo para se divertirem. Só assim será possível a sua evolução nesta modalidade que todos gostamos que é o Andebol. João Monteiro e João Gameiro

David Gonçalves Juvenis Masculinos Campeonato Regional da 1ª Divisão Jogo: GCO 21 x GS Loures 31 No passado Sábado, dia 11 de Fevereiro a equipa de Juvenis masculinos do GCO recebeu o G.S. Loures, num sempre esperado derby regional. Á entrada para esta segunda jornada do Campeonato Regional da 1ª Divisão, ambas as equipas se encontravam em 1º lugar, fruto das vitórias obtidas na ronda inaugural. A equipa de Loures entrou muito bem no jogo, tendo-se distanciado no marcador logo nos primeiros minutos, fruto de alguma maturidade verificada no seu jogo contra a “ingenuidade” e erros infantis cometidos pela equipa da casa. O GCO teve algumas dificuldades no ataque organizado, devido essencialmente à defesa 6:0 utilizada pelo Loures. A limitada capacidade de finalizar com sucesso da 1ª linha, aliado a algumas boas intervenções do guarda-redes contrário, ditou o avolumar do resultado até ao intervalo. Na 2ª parte o jogo foi claramente mais equilibrado, no entanto, os erros iam sucedendo, nomeadamente no que respeita às dificuldades sentidas

Agenda Infantis Masculinos Campeonato Regional da 2ª Divisão 3ª Jornada: Oriental x GCO Sábado,18 Fevereiro às 14h00, Pavilhão dos Loios Iniciados Masculinos Campeonato Regional da 1ª Divisão 2ª Jornada: CDE Camões x GCO Domingo,19 Fevereiro às 15h30, Pavilhão Moniz Pereira Juvenis Femininos Campeonato Regional 3ª Jornada: GCO x Passos Manuel Domingo,19 Fevereiro às 15h30, Pavilhão Municipal de Odivelas Juvenis Masculinos Campeonato Regional da 1ª Divisão 3ª Jornada: CD Mafra x GCO Sábado,18 Fevereiro às 17h, Pavilhão Gimnodesportivo de Mafra


17 Fevereiro 2012

Nova Odivelas 7

FUTSAL ATLÉTICO CLUBE DE ODIVELAS

PÓVOA DE SANTO ADRIÃO ATLÉTICO CLUBE

Conquista de um ponto na visita a Porto Salvo

Fim-de-semana duplamente vitorioso

m jogo a contar para a 20ª jornada do campeonato distrital da 1º divisão organizado pela Associação de Futebol de Lisboa, o Atlético Clube de Odivelas foi até Porto Salvo, para defrontar os leões locais no pavilhão destes. Obrigada a fazer um resultado positivo nesta difícil deslocação, a equipa de Odivelas entrou em campo pressionando o seu adversário, e surpreendendo logo ao minuto 1, com uma rápida jogada de ataque fez o tento inaugural da partida. A equipa da casa de tudo fez para inverter o sentido de jogo, mas sempre com uma pressão alta sobre os atletas leoninos de Porto Salvo os jovens Odivelenses iam conseguindo controlar o jogo acabando por dilatar o resultado ao minuto 9, resultado com que se foi para intervalo. Na parte complementar a equipa de Odivelas entrou novamente a pressionar o adversário, mas foram os visitados a reduzir a desvantagem no marcador depois de uma infeliz acção do guarda-

s equipas de futsal do PSAAC obtiveram duas vitórias nos jogos disputados a contar para os respectivos campeonatos distritais. Iniciados: Vialonga 2 X PSAAC 4 No sábado, 11 de Fevereiro os iniciados deslocaram-se até Vialonga para defrontarem a equipa local que ainda não tinha conseguido qualquer ponto na presente época. O jogo não começou nada bem para a equipa povoense que sofreu dois golos a meio da primeira parte mercê de uma atitude menos concentrada dos seus atletas que facilitaram em demasia, aproveitando assim a aguerrida equipa visitada. Depois do desconte de tempo solicitado pelo treinador do PSAAC a equipa acalmou e conseguiu reduzir antes do intervalo.

E

divulgação

redes do ACO, que deixou entrar a bola na baliza num remate inofensivo de um jogador contrário. Este golo acabou por intranquilizar toda a equipa do Atlético Odivelas, galvanizando os da casa que acabaram por empatar o jogo à passagem do 12º minuto, num golo irregular dado que árbitro Hernâni Fernandes, não viu a bola ultrapassar na totalidade a linha lateral num dos seus poucos erros durante todo o encontro. A partir daqui o ACO fez pela vida tentando a todo o custo manter este empate que assegura um ponto que pode ser decisivo na luta pela manutenção na divisão maior do escalão de juvenis. Com este empate o ACO mantêm-se à tona de água somando 22 pontos mais um que o seu adversário directo UDC Forte. No próximo jogo sábado dia 18 pelas 17h00, o Atlético Clube Odivelas recebe no Pavilhão da Escola Secundária Pedro Alexandrino a sua congénere do Milharado em mais uma final para as hostes odivelense. PP

A

A perder por 1-2 o PSAAC teve de puxar pelos seus galões e partiu para cima do adversário, com os seus atletas a serem bem mais objectivos conseguindo com alguma naturalidade face à maior posse de bola dar a volta ao marcador alcançando uma vitória por 2-4. Os golos dos atletas da Póvoa foram marcados por Mauro, Diogo, Kiko e Ricardo Alcobia. De realçar a estreia pela equipa dos iniciados do infantil Kiko e da titularidade na baliza por parte de João Ribeiro. Com esta vitória o PSAAC acabou a 1ª fase da competição no 4º lugar indo agora disputar com o Aveiras, Caxienses e 18 de Maio o apuramento do 7º ao 10º lugar do campeonato distrital da 3ª divisão. Arbitragem fácil e sem deslizes de Carlos Santos.

Infantis: PSAAC 9 X A. Arroja 2 Os infantis jogando em casa diante da Associação da Arroja beneficiaram de uma primeira parte onde tudo lhes correu bem ao contrário da equipa adversária e ao intervalo já venciam por 7-0 resultado justificado por uma elevada percentagem de sucesso nos remates feitos à baliza contrária. A parte complementar foi bem mais equilibrada com o Arroja a conseguir inclusive marcar por duas ocasiões obrigando os povoenses abusar do jogo directo pouco consequente. A vitória por 9-2 é algo exagerada face à boa réplica dada pelos jovens atletas vindos do bairro da Arroja sobretudo na 2ª parte. Os golos dos povoenses foram obtidos por Kiko (2), Pedro Marques (2) e Bruno (4). O primeiro golo do PSAAC foi um auto-golo. O árbitro do encontro, Luís Pimentel não teve problemas de maior. DB


8

Nova Odivelas

17 Fevereiro 2012

FUTSAL DOZE CLUBES DO CONCELHO DE ODIVELAS

Resultados do passado fim-de-semana Mais uma vez aqui ficam os resultados de todas as equipas participantes nos campeonatos distritais de futsal organizados pela Associação de Futebol de Lisboa Atlético Clube de Odivelas

Clube Atlético das Patameiras

Grupo Desportivo e Recreativo dos Bons Dias

Grupo Recreativo e Cultural Presa/Casal do Rato

Juniores 2ª Divisão Maristas 6 x ACO 2 Juvenis – 1ª Divisão L Porto Salvo 2 x ACO 2 Iniciados 1ª Divisão S Julião Tojal 5 x ACO 1 Infantis 1ª Divisão S Julião Tojal 5 x ACO 0

Juvenis 3ª Divisão Onze Unidos 1 x Patameiras 11 Iniciados 2ª Divisão Casal do Rato 7 x Patameiras 2 Infantis –2ª Divisão Portela 7 x Patameiras 0 Benjamins Patameiras 1 x J Amoreira 10

Juniores 2º Divisão Bons Dias 0 x Vilafranquense 2 Juvenis 2ª Divisão Casal do Rato 1 x Bons Dias 2 Iniciados 2ª Divisão Bons Dias 5 x UDC Forte 0 Infantis – 1ª Divisão Valejas 1 x Bons Dias 4 Benjamins ACC x Bons Dias Adiado para dia 18 às 18:15

Juniores 2ª Divisão Casal do Rato 7 x B S João 3 Juvenis 2ª Divisão Casal do Rato 1 x Bons Dias 2 Iniciados 2ª Divisão Casal do Rato 7 x Patameiras 2 Infantis 1ª Divisão Casal do Rato 8 x Qta dos Lombos 2 Benjamins Casal do Rato 5 x A. Arroja 8

Clube de Desporto Jardim da Amoreira

Escola da Ramada

Iniciados 1ª Divisão SCP 14 x A. Arroja 1 Infantis – 2ª Divisão PSAAC 9 x A. Arroja 2 Benjamins Casal do Rato 5 x A. Arroja 8

Infantis – 2ª Divisão J Amoreira 1 x Olivais 2 Benjamins Patameiras 1 x J Amoreira 10

Juniores Femininos Qta dos Lombos 11 x Escola da Ramada 0

Grupo Recreativo do Olival Basto

Póvoa de Santo Adrião Atlético Clube

Sociedade musical e Desportiva de Caneças

Grupo Desportivo Quinta do Pinheiro

Juvenis – 3ª Divisão GROB 7 x Metralhas 3 Iniciados – 2ª Divisão GROB 2 x Via Rara 3 Infantis – 2ª Divisão GROB 8 x Corvos XXI 0 Benjamins Santa Engrácia 11 x GROB 1

Iniciados – 3ª Divisão Vialonga 2 x PSAAC 4 Infantis – 2ª Divisão PSAAC 9 x A. Arroja 2

Seniores Femininos – 2ª Divisão Bucelenses 2 x Caneças 1

Clube Desportivo e Recreativo Os Silveirenses

Juniores – 3ª Divisão Silveirenses 5 x Bairro dos Lóios 3

Associação da Arroja

Juniores 2ªDivisão Leões das Furnas x Quinta do Pinheiro 18 Fev 15:00


17 Fevereiro 2012

Nova Odivelas 9

MODALIDADES TRAMPOLINS

JUDO

GCO com bons resultados no distrital de Duplo Mini Trampolim Campeonato Nacional de Ginásio Clube de Odivelho do Cadaval, Grupo Desportivo las participou com 2 juíde Lousa, Gimnoanima, GimnoCadetes zes e 22 ginastas no crazy Ginásio Clube, Grupo

O

Campeonato Distrital de Duplo Mini Trampolim que se realizou no dia 11 de fevereiro em Mem-Martins. Nesta competição do quadro competitivo da Associação de Ginástica de Lisboa participaram ainda as seguintes equipas: Associação Desportiva do Carregado, Associação de Educação Física e Desportiva de Torres Vedras, Associação de Moradores de Ribamar, Casa do Povo do Conce-

Sportivo de Carcavelos, Lisboa Ginásio Clube, Mem Martins Sport Clube, Sporting Clube de Portuga, Sociedade Filarmónica Recreio Artístico da Amadora. Os medalhados das equipas do GCO foram: 3º David Almeida/Elite Júnior; 2ª Jéssica Tomás/Sénior; 3ª Vanessa Morgado/Sénior, com a mesma pontuação da Jéssica Tomás e efetuou a 2ª melhor série obrigatória da categoria; 2ª An-

Fotografias: GCO

O

dreia Inverno/Júnior, efetuou a melhor série facultativa da categoria; 1ª Equipa Seniores (Ricardo Mendonça, Ricardo Mesquita, João Vieira, Ricardo Trony) e 2ª Equipa Juniores (Andreia Inverno, Soraia Vale, Catarina Constâncio, Diana Godinho). De salientar que 19 19 ginastas do GCO garantiram o apuramento para a fase seguinte e que: Ricardo Mendonça/Sénior,

FUTEBOL

efetuou a 2ª melhor série obrigatória da categoria; Soraia Vale/Júnior, efetuou a 3ª melhor série obrigatória da categoria; Nuno Morgado/Juvenil, efetuou a série com maior dificuldade da categoria e a 3ª melhor série obrigatória e Diogo Estêvão/Iniciado, efetuou a 2ª série com maior dificuldade da categoria. Parabéns aos ginastas. Pedro Beato

FUTEBOL

Tenente Valdez 1 X Águias da Musgueira 4 m mais uma jornada do Campeonato Distrital de Juvenis da 1ª Divisão da Associação de Futebol de Lisboa o Centro Escolar Republicano tenente Valdez recebeu o Águias da Musgueira num jogo onde a equipa visitante averbou uma vitória por 1-4. Foi um espectáculo de fraca qualidade com o Águias a dominar a partida mostrando vontade de ganhar e a inaugurar o marcador ainda antes do intervalo. O Tenente ia jogando sem conseguir realizar uma jogada de perigo.

Pavilhão Multiusos de Odivelas recebeu no passado fim-desemana duas importantes provas do Judo nacional promovidas pela federação da modalidade. No sábado teve lugar o Campeonato Nacional de Cadetes e no domingo foi a vez do Torneio Nacional Federação Portuguesa de Judo, em Seniores Femininos e Masculinos. Paralelamente ao evento realizou-se uma homenagem à judoca Telma Monteiro prestada pela presidente da Câmara Municipal de Odivelas, Susana Amador, à «Atleta portuguesa que é já uma referência para o País e que brindou os portugueses com uma brilhante vitória na Taça do Mundo que teve lugar em Paris, no passado dia 4 de fevereiro».

E

Jogos da Sociedade M e Desportiva de Caneças eixamos os resultados com as equipas de futebol da Sociedade Musical e Desportiva de Caneças.

Fotografias: António Mota

D

No segundo tempo esperar-seia um reação da equipa da casa mas foi o Águias a aumentar a vantagem porque o Tenente

Valdez não conseguia chegar à área do adversário. Ainda consegui reduzir a vantagem adversária para 1-2 mas depois desse golo apenas o Águias existiu em campo tendo vindo a aumenta a vantagem para 1-4. Foi um futebol muito mal praticado pela equipa da casa apesar de alguns jovens jogadores terem qualidade individual mas revelando incapacidade de trabalhar em equipa. O Águias da Musgueira com boas jogadas de ligação, querer e vontade de ganhar conseguir mais uma vitória. Boa arbitragem. António Mota

Benjamins 9 anos, série 2: Camarate 2 X Caneças 2 10 anos, série 3: Caneças A 0 X Loures ‘A’ 17 10 anos, série 2: Tojal 4 X 5 Caneças B 5 10 anos, série 4: Colégio S. João Brito 3 X Caneças C 3 Infantis - Futebol 7 12 anos, série 2: Caneças 3 X Olivais e Moscavide 1 Juniores D 1.ª Divisão, série 1: Caneças 0 X Povoense 10 2.ª Divisão, série 2. Folga Juniores A 1.ª Divisão, série 1: Bucelenses 1 X Caneças 3

Juniores B 1.ª Divisão Honra: Lourel 2 X Caneças 1 Juniores C 2.ª Divisão, série 2: Caneças A 1 X Pinheiro de Loures 1 2.ª Divisão, série 3: Águias 1 X Caneças B 2


10

Nova Odivelas

17 Fevereiro 2012

MODALIDADES GINÁSTICA

RUGBY

Mega aula reuniu 400 seniores

Encontro juntou 60 alunos do concelho

o Dia dos Namorados, a Câmara Municipal de Odivelas (CMO) promoveu a 3ª edição da iniciativa Coração Activo, uma mega aula de ginástica que levou ao Pavilhão Multiusos de Odivelas mais de 400 seniores para participarem no evento. A aula durou pouco mais de uma hora e foi ministrada pelos professores do Clube do Movimento, programa da CMO que envolve no total cerca de 1.200 idosos do concelho.

N

PUB

ealizou-se no passado dia 10 de Fevereiro, no Campo de Jogos do Centro Escolar Republicano Tenente Valdez, na Pontinha, o 1º Encontro de Centros de Rugby do Concelho de Odivelas. Neste primeiro encontro, participaram as escolas EB1 Casal dos Apréstimos e EB1 Maria Lamas, num total de 60 alunos.

Além da ginástica de manutenção, houve ainda iniciação ao Karate, proporcionada pelo

Centro de Karate-Do Shotokan de Odivelas (CKSO). Susana Amador, presidente da câmara e o vereador do Desporto, Hugo Martins, assistiram à aula, assim como o presidente da Junta de Freguesia de Famões, António Rodrigues. A presidente da câmara considerou tratar-se de «Um dia especial, com um espetáculo bonito facultado pelos utentes do Clube do Movimento com uma energia contagiante que nos dá as vitaminas necessárias para o nosso trabalho do dia-a-dia».

Fotografia: CMO

Fotografias: CMO

R

Divididos em seis equipas, os alunos competiram entre si, numa manhã de alegre convívio desportivo. Integrado no Programa da Atividade Física e do Desporto nas Escolas da Câmara Municipal de Odivelas, este encontro contou com a parceria do Centro Escolar Republicano Tenente Valdez e da Associação de Rugby do Sul.


17 Fevereiro 2012

Nova Odivelas 11

FUTSAL ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE LISBOA

C D JARDIM DA AMOREIRA

Campeonato Distrital de Juniores da 2ª Divisão jornada 15 não trouxe grandes novidades no topo da classificação geral. O Casal do Rato continua na perseguição ao líder, Maristas de Lisboa. Com o Quinta do Pinheiro a ver o seu jogo adiado para este sábado de carnaval defrontando na condição de visitante os Leões das Furnas as restantes equipas do nosso município tiveram sortes diferentes. O ACO que defrontou o Colégio Maristas de Lisboa viu a sua serie de três vitórias consecutivas interrompidas com a derrota em Benfica por 2-6. Por sua vez o Grupo Desportivo dos Bons Dias também não conseguiu melhor ao sair derrotado por 0-2 num jogo disputado no Pavilhão da Escola Secundária da Ramada. Finalmente o Presa Casal do Rato levou de vencida no Susana Barroso a sua congénere do Bairro de São João por 7-3. Na próxima ronda os jogos envol-

A

PUB

vendo as 4 equipas do nosso município são os seguintes: AMSAC X Quinta do Pinheiro

ACO X Casal do Rato Bons Dias X Leões das Furnas

De seguida fica a tabela classificativa:

Sortes diferentes em Benjamins e Infantis As equipas de futsal do Clube de Desporto do Jardim da Amoreira tiveram sortes diferentes nos jogos disputados no passado fim-de-semana, com os infantis a perder e os benjamins a vencer. Infantis Jardim Amoreira 1 x 2 Olivais «A vencer quase toda a partida, mais uma vez ao cair do último minuto, os pupilos do Mister Bruno Varandas, acabaram por perder (injustamente!) a partida». Benjamins Patameiras 1 x 10 Jardim Amoreira «A dividir a mesma casa, foi o CDJA, equipa visitante, a levar a melhor sobre o adversário».

PUB


12

Nova Odivelas

17 Fevereiro 2012

Corta-mato escolar Na sexta-feira, 10 de fevereiro, realizou-se no Parque Urbano de Santa Iria de Azóia, no vizinho concelho de Loures, mais uma edição do Cortamato escolar que contou com a participação de 2030 alunos de 54 escolas dos concelhos de Loures, Odivelas e Vila Franca de Xira. O evento integra-se no Plano Anual de Atividades do Desporto Escolar da Direcção Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo. Do concelho de Odivelas participaram 15 estabelecimentos do ensino público e privado que foram as seguintes: EB António Gedeão, EM Pombais, Instituto de Odivelas, EB Vasco Santana, EB Moinhos da Arroja; EB Avelar Brotero e Secundária de Odivelas, da freguesia de Odivelas; EB Carlos Paredes e ES Pedro Alexandrino, da Póvoa de Santo Adrião; Instituto de Ciência Educativas e ES Ramada, da freguesia da Ramada; Agrupamento de Escolas de Caneças e EB Pontinha, ES Braamcamp Freire e EPA D. Dinis, na freguesia da Pontinha.


17 Fevereiro 2012

Nova Odivelas 13


Nova Odivelas PUB

PUB

17 Fevereiro 2012


17 Fevereiro 2012

Nova Odivelas 15

VAMOS JOGAR XADREZ ESPAÇO DA RESPONSABILIDADE DA SECÇÃO DE XADREZ DO GINÁSIO CLUBE DE ODIVELAS

Xadrez e Educação esde o final do século XIX que diversos investigadores têm vindo a desenvolver estudos que provam a influência positiva da prática deste deporto sobre os seus praticantes. Estudos mais recentes (últimos 30/40 anos) e mais consistentes têm demonstrado que o Xadrez inserido em ambiente escolar influencia positivamente a inteligência, a concentração, a imaginação e a memória, com reflexos óbvios no rendimento escolar, na conduta pessoal e na auto-estima. Com base nessas conclusões, alguns países têm investido na introdução do Xadrez nas escolas, nomeadamente no ensino básico, tanto em ambiente de sala de aula como ocupação de tempos livres ou actividade extracurricular. São mundialmente conhecidos os resultados da introdução do Xadrez no ensino escolarizado em países tão diversos como a Rússia (ex-União Soviética), França, Inglaterra, Cuba, México. Brasil, Venezuela, Espanha, e, mais recentemente, nos Estados Unidos, Índia e Turquia. Abordaremos, certamente, os êxitos de algumas destas boas práticas educativas, em artigos futuros. Podemos perguntar-nos quais são então as vantagens que o ensino do Xadrez tem ao ser introduzido na educação ao nível básico, isto é, a partir dos 7/8 anos, por exemplo. Sem querermos ser exaustivos, socorremonos do que escreveu Uvencio Blanco, venezuelano de renome e grande pedagogo do Xadrez no seu país que elencou 8 razões para que o Estado, as autarquias ou até, simplesmente, as associações de pais invistam no Xadrez Escolar: 1 – O Xadrez é cultura. É uma actividade lúdica, de origem milenar, que se difundiu praticamente por todo o planeta e encerra um conjunto de conhecimentos e experiências que se constituem como património cultural da humanidade; 2 – Tem uma base matemática. A matemática é utilizada, não só, como instrumento e linguagem deste desporto, mas também no pensamento organizado que se vai desenvolvendo à medida que se evolui para um melhor desempenho desportivo;

D

3 – Estimula o desenvolvimento das capacidades cognitivas, tais como atenção, memória, raciocínio lógico, inteligência, imaginação, …, que são capacidades fundamentais para a evolução futura de cada indivíduo, permitindo a sua incorporação, posteriormente, na vida activa com reflexos na sua vida quotidiana, pessoal e social; 4 – Estimula a auto-estima, a competitividade sã e o trabalho em equipa; 5 – O Xadrez pode ser utilizado como elemento estruturador do tempo livre do estudante; 6 – O seu estudo e prática proporcionam prazer; 7 – Por ser um jogo com regras, dá uma noção ética num momento propício para a aquisição de valores morais; 8 – Devido às suas múltiplas virtudes, o Xadrez contribui para a formação de melhores cidadãos. Em Portugal não há grande tradição na associação entre o ensino do Xadrez e o ambiente escolar. A nível ministerial, o desporto escolar, normalmente dinamizado pelos professores de educação física, nunca mobilizou muitos estudantes, teve uma fraca cobertura geográfica do território escolar e sobrevive pontualmente devido à carolice de alguns docentes. A nível autárquico já houve planos municipais com algum impacto e que chegaram a mobilizar no decurso de uma simples época, mais de uma dezena de milhar de estudantes. Estamos a lembrar os planos de ensino do Xadrez em ambiente escolar nos municípios de Lisboa, Loures, Porto, Barreiro e Região Autónoma dos Açores, entre outros. Tiveram duração variada e desapareceram com o declínio do investimento camarário. Sobrevivem, hoje, alguns planos municipais na região Centro, em municípios de média ou pequena dimensão que têm por isso menor visibilidade mediática. A nível de planos de ensino de Xadrez focados em escolas, colégios para sermos mais precisos, mais por iniciativa das respectivas direcções ou das associações de pais, existem bons exemplos, com sucesso, que já duram há mais de cinco anos, e dos quais voltaremos a

falar com mais detalhe em futuro artigo. Sabia que no território que hoje constitui o Município de Odive-

las existe, hoje, apenas um Clube com Xadrez - o Ginásio Clube de Odivelas - e que já existiram, há menos de 15 anos,

10 clubes que dinamizavam a actividade de mais 600 xadrezistas? Falaremos deste tema mais tarde…

Diagrama nº 4 Problema de T. M. Stott (Observer, 1921)

As Brancas jogam e dão mate em 2 lances (Solução do diagrama nº 3: O lance das Pretas é este: 1.Tg1+! A partir daqui as Brancas estão perdidas. Se 2. Dxg1 Df3+ 3. Rh3 Bf1+ 4. Rh4 Df6++ (Se 2. Rxg1 Df1++; Se 2.Rh3 Bf1++).

Passatempo O Melhor de Lá Féria Podem continuar a habilitar-se a um dos 5 convites duplos que temos para oferecer para o espetáculo de Filipe Lá Féria no Salão Preto e Prata do Casino Estoril. Para isso basta enviar a solução até ás 24h de quarta-feira para: passatempos@novaodivelas.pt.


16

CARTÃO VERMELHO Nova Odivelas

17 Fevereiro 2012

Transferências de jogadores amadores. Pagar ou não? Hoje, e para não voltar a ser o piegas das últimas duas crónicas semanais vou abordar um tema que é polémico mas que acontece amiúde sobretudo no início de cada época desportiva. A transferência de jovens atletas entre pequenos clubes. A mudança de cores de jogadores de clubes de génese bairrista para colectividades de dimensão nacional já por mim foi aflorado numa entrevista que tive a oportunidade de fazer a um treinador que já esteve nos dois lados da barricada. Mas entre clubes da mesma dimensão? Será justo pedir dinheiro ao clube receptor. Tentando ver os vários lados do problema começo pelo não. Não porque se um atleta paga uma determinada mensalidade durante a época contribuindo assim para ajudar a suportar as despesas inerentes à sua prática desportiva deverá ser livre de na seguinte escolher o clube para onde possa ir. Não, por-

que um jovem atleta não pode ser tratado como um profissional e ser equiparado a qualquer mercadoria que se transacciona a troco de meia dúzia de euros. Não, porque não sendo prática generalizada é injusto pedir a uns e depois deixar sair atletas livremente para outros. Passando aos argumentos do sim. Sim, porque o clube que o formou investiu na sua formação e mesmo que este pague regularmente a sua mensalidade, esta, na grande maioria das vezes, não paga todas as despesas tidas com o atleta. Sim, porque cada vez mais clubes pedem verbas para libertar o jogador e por isso deverá haver harmonização de tratamento entre todas as associações desportivas congéneres. Sim, porque é uma forma de responsabilizar e obrigar atletas e familiares a terem a consciência de que existe legislação desportiva que abrange esta matéria com regras claras e bem definidas, portanto, em último caso é

para cumprir goste-se ou não, concorde-se ou não com ela. E por fim, sim, porque assim combate-se a tentação de alguns clubes andarem ainda a meio da época a aliciar jogadores para que estes saiam de um determinado clube para ingressarem noutro apenas por que dá jeito a troco de um simples adeus e até à próxima. Enfim argumentos não faltam de um e de outro lado, espera-se por isso que esta questão mais do que resolvida pela força da lei desportiva, seja vista caso a caso e onde o bom senso prevaleça tomando em atenção verdades indesmentíveis. Um atleta seja para que clube for acarreta um custo. Inscrição, seguro desportivo, exame médico, pagamento a treinadores que agora, seja qual for a modalidade tem obrigatoriamente de ter curso homologado pela respectiva federação, transporte, material desportivo, entre outras despesas.

Para além disso cria na sua equipa expectativas quanto à sua permanência, pelo menos na época desportiva em que participa. Por isso, mais do que argumentos o que importa nestes casos é realmente que não se chegue ao estremo de impossibilitar a saída de um jogador nem que o clube deste acabe por ser sistematicamente prejudicado quando veja sair atletas que formou e neles apostou. Só para finalizar, e para quem lê esta crónica regularmente pode pensar que estou a escrever sobre este tema devido ao futsal e futebol. Também o é, até pelo conhecimento de causa que tenho sobre o assunto, mas o principal motivo que me levou a tocar neste tema tem sobretudo a ver com um jovem atleta de 16 anos, residente no concelho que está época desportiva se viu impossibilitado de continuar a sua prática desportiva pelo facto de não ter

davidbraga@simpruspress.pt

condições de pagar a taxa de transferência exigida pelo seu ex-clube. Não pratica futebol nem futsal nem nenhum dos clubes envolvidos felizmente é do nosso município. Independentemente disso é vergonhoso que se deixe as coisas chegar ao ponto de obrigar um jogador a ter der ficar na bancada a ver e não a jogar a modalidade de que mais gosta. Entretanto e como estamos em época de folia, bom Carnaval a todos com ou sem pieguices, com ou sem tolerância de ponto. Nota: Esta crónica foi propositadamente escrita sem ter em conta o novo acordo ortográfico que por mais que procure informações acabo sempre por ficar com mais duvidas do que com certezas.

David Braga

PUB

SIMPRUS PRESS, COMUNICAÇÃO LDA Av. de Lisboa, 103 B - 2605-002 Casal de Cambra TLF: 219 817 000 FAX: 219 817 009 || NIPC: 509 172 962 || DIRECTOR DE INFORMAÇÃO: Henrique Ribeiro [henrique_ribeiro@simpruspress.pt] TLM: 962 646 230 DIRECTORA FINANCEIRA: Manuela Escoval || PUBLICIDADE: Coisas.info, concessionária de publicidade. Av. da Liberdade, 11 - Presa - 1675 023 Pontinha - Telefone: 216 022 318 - Email: publicidade@coisas.info NOVA ODIVELAS - Semanário do Concelho de Odivelas Av. da Liberdade, 13 Presa - 1675 - 023 Pontinha TLF: 216 022 318 FAX: 216 022 318 || DIRECTOR: Henrique Ribeiro [henrique_ribeiro@simpruspress.pt] || PUBLICIDADE: Coisas.info, concessionária de publicidade. Av. da Liberdade, 11 - Presa - 1675 023 Pontinha || DESIGNER: Soraia Lopes DESPORTIVAMENTE - Suplemento Semanal do Nova Odivelas COORDENAÇÃO: David Braga || CORRESPONDENTES: (ACO) Paulo Pinto, (OBC) Diogo Ferreira, (GCO) Ivo Ramos, (Odivelas SAD) António Mota, (CKSO) João Cardiga, (ARCIP) Maurino Silva, (ALAMC) José Castro, (GDBD) Luis Horta || REGISTO NO ERC: 123252 || DEPÓSITO LEGAL N.º: 105904/9 || Interdita a reprodução de textos e imagens sem o devido consentimento. || As crónicas e artigos de opinião ou de leitores são da inteira responsabilidades dos seus autores e podem não corresponder à orientação editorial do jornal.


Desportivamente 25