Issuu on Google+

EDIÇÃO N.º 10

O Vilãozinho: o jornal que realmente interessa, por apenas 1 vilãozinho!

O JORNAL DO ESTABELECIMENTO VILA MAR

De Abril a Julho de 2011

VIAGEM DE FINALISTAS 2011— CANÁRIAS FORAM, sem dúvida, os dias mais curtos do ano. Não só porque a viagem não chegou a durar uma semana, mas mesmo que tivesse, pareceria sempre que a chegada tinha sido no dia da partida! p. 8 e sgts. Com mais dois Cursos de Educação e Formação – Cozinha e Marcenaria – a terminarem o seu percurso e a concluírem o 9.º ano de escolaridade, aqui fica um cheirinho das suas habilidades, demonstradas nas respectivas Provas de Avaliação Final. p. 14 e sgts.

O Concurso Escolar "Energia Sustentável" 2010/2011 teve lugar na Praça da Inovação do Madeira Tecnopólo, a 30 de Maio. p. 22 A Escola do Vila Mar participou novamente na festa do Desporto Escolar. Verifique na p. 24 e sgts.


AO LEITOR... Tempo de férias, tempo de outras aprendizagens!! Lá foi mais um ano lectivo, assim chegamos à 10.ª edição deste jornal, O Vilãozinho. Parabéns Vilãozinho! Parabéns a toda a equipa que tem trabalhado neste projecto! Agradeço a persistência, o esforço e a vossa habilidade em nos pôr a escrever! Obrigada! Nesta edição, despedimonos dos alunos do CEF 2, de todos aqueles que atingiram o objectivo, do grupo que sai com um "canudo" de 9.º ano e com competências comprovadas para a cozinha ou para a marcenaria!

com o Vila Mar! Mais propriamente com as pessoas que fazem equipa no Vila Mar que reúnem criatividade e descontracção, num qb de vencedores!

Boas Férias! Divirtam-se e sejam felizes! Patrícia Silva Branco Directora do Estabelecimento Vila Mar

Trazemos notícias de visitas de estudo, de desporto escolar e de actividades de Verão! Mas, para finalizar, convido-vos a reflectir sobre a simplicidade complexa da mensagem do poema que aqui vos deixo, pois nada melhor como o tempo de Verão para arejar e arrumar as ideias! Diz assim:

"Congratulations" Finalistas! Relembro-vos que este é o início de um caminho que vos vai exigir muito trabalho e muita persistência! Relembro que todos os caminhos são feitos de obstáculos, que nos exigem esforço, dedicação e responsabilidade! O importante é continuar, desistir nunca!

Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algu-

Despedimo-nos também dos alunos que desistiram de se interessar e de se esforçar! Relembro-vos a necessidade de retomar, procurar novos percursos e explorar novas alternativas! O importante é continuar, desistir nunca!

um oásis no recôndito da sua alma.

Temos notícias de prémios: artes e jardins é Página 2

mas vezes, mas não esqueço de que a minha vida é a maior empresa do mundo e que posso evitar que ela vá à falência. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem de ouvir um "não". É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta. Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vão construir um castelo...


REFLECTINDO... QUEM se lembra, de repente, do que estava a fazer em Setembro de 2007? Quem consegue dizer, rapidamente, cinco nomes de educandos que estudavam nesse ano na escola do Vila Mar?

Nem sempre é fácil lembrarmo-nos de tudo, mesmo que sejam factos importantes, porque a memória vai-nos pregando as suas partidas e, um dia, apercebemo-nos de que aquela capacidade que outrora tínhamos para nos recordarmos dos aniversários de familiares e amigos, dos números de telefone das pessoas mais chegadas (hoje em dia, quem sabe o seu próprio?) ou até de afazeres quotidianos já não é a mesma. No entanto, talvez fruto destes tempos que não nos deixam ter tempo para o que é mais relevante — como conviver com os nossos entes queridos ou simplesmente passarmos uma parte do dia numa esplanada a apanhar sol e a pôr a leitura (ou qualquer outra coisa que nos dê

Sobre a 10.ª edição de O Vilãozinho prazer) em dia — acabamos por ir perdendo essa capacidade de manter presente os momentos que nos marcaram. Foi nesse sentido que nasceu O Vilãozinho, jornal que, na sua 1.ª edição, serviu de ‘anuário’, mas que depois, nas edições subsequentes, passou a ter uma ‘tiragem’ trimestral, assente naquilo que era feito, quer na escola, como na Instituição em geral, ao longo de cada período escolar. Todas as participações foram sempre bem-vindas (desejadas, inclusivamente), para que este pudesse ser um veículo o mais abrangente possível de todo o Estabelecimento Vila Mar. Porém, como jornal escolar que é, na medida em que é feito na escola, por alunos e professores, o seu conteúdo, como será fácil de compreender, é mais virado para essa faceta. Serve, então, para que cada um que frequente este estabelecimento de ensino possa deixar a sua ’marca’, nem que seja apenas numa fotografia no jornal, eternizando a sua passagem por cá. Todavia, não fica por aqui a sua função: é nestas páginas que vamos dando conta dos nossos sucessos, dos progressos da nossa escola (somos orgulhosamente uma publicação positiva, virada para o êxito, que isso de desgraças já basta a tele-

visão e a ‘restante’ imprensa!). Essa 1.ª edição marcou, exactamente, o arranque de uma nova etapa nesta escola: a leccionação dos Cursos de Educação e Formação, que obtiveram uma reacção tão favorável por parte de alunos, encarregados de educação e entidades públicas (nomeadamente, EMAT’S e Comissões de Protecção de Crianças e Jovens), que fomos sendo gradativamente mais ambiciosos, ajudando a construir um mundo de possíveis futuros risonhos a todos esses jovens que nos procuram e que vêem no Vila Mar a sua última hipótese escolar. A presente edição não podia, por isso mesmo, deixar de felicitar os finalistas que nos dão a alegria de terem concluído o 9.º ano e que constituem o destaque deste número 10. A todos, as nossas felicidades! Rosário Antunes Resposta ao pedido de autorização para a realização do jornal. Uma espécie de carta de foral :)

Página 3


PARTILHANDO! EM jeito de balanço e ao mesmo tempo de despedida, aqui ficam as entrevistas realizadas aos alunos finalistas. O guião está à direita.

1. Do que mais gostaste no Vila Mar durante estes dois anos? 2. Do que menos gostaste no Vila Mar durante estes dois anos? 3. O que pensaste quando vieste para o Vila Mar? 4. Quantas vezes foste chamado pelo professor Banganho? Quais as razões? 5. Que diferenças encontras em ti desde que entraste para esta escola até agora que estás quase a sair? 6. O que mais te ajudou a melhorar a tua atitude? 7. Quais os teus sonhos para o futuro? 8. Qual / quais as melhores recordações que guardas do tempo que passaste no Vila Mar? 9. Que mensagens gostarias de transmitir aos novos alunos da escola do Vila Mar? 10. Quais foram as pessoas que mais te marcaram no Vila Mar? Porquê? 11. Sugestões…

1. Do que gostei mais foi de quase tudo :) 2. Do estágio e de algumas regras. 3. Mas isto é o quê?? 4. Não sei propriamente quantas, mas acho que foram poucas, por me estar a portar pior nas aulas. 5. Passei a estar mais atento nas aulas e a interessar-me mais. 6. Os professores :) 7. Ainda não sei bem o que quero fazer no futuro. 8. As melhores recordações? O convívio com os meus colegas e com os professores e a viagem às Canárias! 9. Aproveitem! 10. A Jéssica, claro! Porquê? Porque é aquela cena!!! E a minha querida directora de turma, porque é simplesmente fantástica.

MIGUEL ALVES

Página 4

1. Gostei de tudo, mas principalmente das ajudas do Professor Banganho. 2. Do que menos gostei foi dos castigos da fazenda. 3. Pensei que era a pior escola que podia haver, mas é uma das melhores. 4. Perdi a noção… Por mau comportamento na sala de aula. 5. Sou a mesma pessoa. 6. Os ‘raspanetes’ do Prof. Banganho. 7. O meu sonho é ser arquitecto. 8. Um pouco de tudo, lá existe pessoas que ajudam até o impossível. 9. Aproveitem que vão gostar. 10. Ricardo Pita, porque ensina-nos a ver o outro lado da vida noutras palavras e o Prof. Marco, porque é um professor que sabe ver bem o nosso lado. MARCO CÂMARA


PARTILHANDO! 1. Do que mais gostei foi do convívio e da viagem. 2. Do que não gostei foi das regras e também de termos de andar todos juntos. 3. Pensei que o Vila Mar era outra coisa, pensava que fosse uma escola normal. 4. O professor Banganho falou comigo duas ou três vezes, por causa das faltas. 5. Acho que não notei muitas diferenças em mim desde que entrei até agora. 6. O que mais me ajudou a melhorar a minha atitude foi ter mais calma. 7. Ainda não sei quais os meus sonhos para o futuro. 8. As melhores recordações são os professores. 9. Uma mensagem para os novos alunos da escola do Vila Mar? Mesmo que não gostem do curso, levemno até ao fim. 10. Simplesmente os professores. JOANA COR-

1. De ir à fazenda cavar. 2. De ir ao gabinete do professor Banganho. 3. Pensei chegar ao fim com o 9.º ano tirado. 4. Umas seis vezes, mas não gostei de nenhuma. Chamou-me porque me portava mal nas aulas. 5. Sou uma pessoa diferente, cresci muito com estes dois anos. 6. Falar com o professor Banganho no gabinete dele. 7. Sonhos para o futuro? Ainda não pensei nisso. 8. De fazer a viagem de finalistas. 9. Não façam ‘porcaria’ na escola. 10. Pita, porque ele só ‘manda pra cabeça’, mas é um porreiro. PEDRO TELES

1. Gostei de concluir o 7.º, 8.º e 9.º anos em apenas 2 anos. 2. Das aulas acabarem mais tarde do que nas outras escolas! 3. O que pensei foi: esta escola parece fixe, não tem muita gente. 4. Fui chamado duas vezes, uma para conversar sobre o estágio e outra por uma confusão na sala. 5. Já tenho mais ‘pachorra’ para as aulas. 6. Foi a facilidade de aprender coisas nesta escola: a forma como as matérias foram dadas tornou-as mais fáceis e assim melhorei a minha atitude. 7. Ter um emprego para me sustentar! 8. O convívio com os professores. 9. Aproveitem a oportunidade! 10. Ninguém em especial, vou ter saudades de todos! 11. Sugiro que a escola continue assim, ou melhor! RÚBEN CAETANO

1. Do que mais gostei foi das visitas de estudo e da viagem de finalistas. 2. Não houve nada de que tenha gostado menos. 3. Pensei que ia enfrentar uma nova etapa. 4. O professor Banganho falou comigo umas poucas de vezes, por mau comportamento… 5. Encontro muitas diferenças… estou principalmente mais calmo. 6. Falar com os professores. 7. O meu sonho é entrar na Marinha. 8. Tenho tantas recordações!! 9. APROVEITEM muito bem a oportunidade que estão a ter e vão do principio ao fim! 10. Quem mais me marcou foi o professor Banganho e o Ricardo Pita, porque são pessoas com quem podia contar e confiar para desabafar. LEANDRO CÔRTE Página 5


PARTILHANDO! 1. Gostei da professora Helena. 2. De ser chamado ao gabinete do professor Banganho. 3. Pensei que vinha para aqui para fazer o 9.º ano. 4. Não faço ideia… Porque me portava mal… 5. Porto-me melhor aqui do que nas outras escolas. 6. Os ‘sermões’ dos professores. 7. Ir a Amesterdão, ser rico e ir ao melhor festival de trance do mundo. 8. As melhores recordações? Tudo! 9. Tenham cuidado com o senhor Pita, que ele é ‘manhoso’ (matreiro!!!). Agora a sério: portem-se bem e acabem o curso! 10. O professor Banganho, porque era bom e mau ao mesmo tempo, porque ao mesmo tempo que me ‘puxava’ as orelhas, também sabia ouvir -me. O ‘Feiticeiro’, o Marquinho e o Marco Câmara, porque são os mais parecidos comigo. MIGUEL MIRANDA

1.Do que mais gostei foi das visitas de estudo. 2.Do que menos gostei foi de algumas aulas e de alguns colegas. 3. «Fogo, isto está tudo a cair aos pedaços.» 4. Duas ou três, mas não me recordo porquê… 5. Aprendi a ser mais responsável e a não fazer tanta ‘porcaria’… 6. O que mais me ajudou foi o controlo e as regras (embora muitas vezes não gostasse). 7. Tenho muitos, mas o principal é ser feliz, o que já inclui tudo o resto. xD 8. As visitas de estudo e, sem dúvida, a viagem de finalistas. 9. Sei que, às vezes, isto farta, mas no fim vão ver que valeu a pena. 10. O professor Marco, por ser tão "diferente"; o professor Martim, por ser um multifunções; e a professora Rosário, por ser tão atenciosa com a sua turma (tinha de elogiá-la senão ela ia ficar zangada comigo). xD 11. Melhorem as instalações é a principal sugestão. ZÉ RODRIGUES

1. Do que mais gostei foi de estar na Cozinha. 2. Do que menos gostei foi de não termos tido aulas de Artes no 2.º ano. 3. Era fixe vir para aqui, pois já conhecia o Vila Mar. 4. Nenhuma. 5. Sou o mesmo dentro e fora das aulas. 6. Os professores. 7. Sonho ser chefe de cozinha e ter um curso superior. 8. Quando fomos à praia e ao Campo do União com o professor Filipe. 9. Que passem de ano com notas boas. 10. Quase todos da minha turma. 11. Que a escola fique melhor quando eu vier visitá-la. DUARTE PINTO

1. Do que mais gostei foi dos professores. 2. Não gostei de algumas aulas. 3. Pensei que ia ser ‘foleiro’ e chato. 4. Algumas vezes, por ter chegado atrasado. 5. Era mal educado, mas aprendi a respeitar os outros sem ter de resmungar. 6. A ajuda dos professores. 7. Sonho ser cozinheiro e ter um curso de superior. 8. A melhor recordação foi a viagem às Canárias com os professores Marco, Marta e Rosário. 9. Aprendam o máximo como eu aprendi. 10. Letícia, porque é a melhor amiga que já tive e posso contar sempre com ela para o que der e vier. 11. Mudava os horários das turmas. MARCO WILSON

Página 6


PARTILHANDO! 1. Do que mais gostei? Da viagem :b 2. Do que menos gostei foi de termos que guardar as nossas coisas e de só podermos usar o telemóvel na hora de almoço. 3. Sinceramente, já nem me lembro. 4. Não muitas vezes, mas era pelo comportamento. 6. Melhorei bastante o meu comportamento :) 7. Acho que foi a saída da minha irmã (brigávamos muito xDD) 8. Sonhos para o futuro? Ainda não sei. 9. Tenho imensas recordações. 10. Que consigam acabar o curso. 11. Miguel Alves, porque foi a pessoa que eu mais simpatizei.

Diferenças? Quando terão sido tiradas estas fotografias?

JÉSSICA AFONSO

Página 7


PARTILHANDO!

Se é certo que o dia 2 de Maio ficará na memória de alguns como o início de uma grande aventura ao longo do Atlântico, também o é que o dia 6 que se lhe seguiu não traz boas lembranças a essas mesmas pessoas. Porquê? Simplesmente porque quando se está bem, rodeado por pessoas com as quais é bom conviver, o tempo teima em voar (navegar?). Este é o resumo da viagem de finalistas da Escola do Estabelecimento Vila Mar: quem nos dera ficar mais tempo!!

… DO QUE MAIS GOSTEI foi do bar ‘Scandic’ e de ir ao ‘Aqualand’. foi de não poder ficar mais tempo e também do restaurante chinês. DO QUE MENOS GOSTEI

O QUE MAIS ME IMPRESSIONOU NA CIDADE

foi a

quantidade de lojas de chineses. era estar mais tempo lá com os professores e a minha turma. O QUE MUDAVA NESTA VIAGEM

Gostei muito de estar em Grand Canaria com a professora Rosário. OPINIÃO

GERAL:

DUARTE Página 8


PARTILHANDO!

DO QUE MAIS GOSTEI? Sem contar com o restaurante chinês, gostei de tudo :) DO QUE MENOS GOSTEI foi do restaurante chinês xDD , drink , drink :) O QUE MAIS ME IMPRESSIONOU foi a quantidade de lojas de ciganos que havia. O QUE MUDAVA NESTA VIAGEM era o pouco tempo que estivemos lá. JÉSSICA

DO QUE MAIS GOSTEI? De tudo! DO QUE MENOS GOSTEI? Nada. O QUE ME IMPRESSIONOU foi que Canárias praia e noite! O QUE MUDAVA NESTA VIAGEM era o transporte: em vez de termos ido de barco, era bom que tivéssemos ido de avião (mas até foi giro).

OPINIÃO GERAL: é um bom lugar para passar férias! MIGUEL DO QUE MAIS GOSTEI? Só pelo facto de estar noutra ilha já gostei! DO QUE MENOS GOSTEI foi de andar tanto de barco e de ter ficado lá poucos dias. O QUE ME IMPRESSIONOU foi a quantidade de ciganas que havia por todo o lado. O QUE MUDAVA NESTA VIAGEM era a altura em que fomos para Agosto. OPINIÃO GERAL: no geral, gostei de tudo, e repetia a viagem! RÚBEN

DO QUE MAIS GOSTEI foi das ‘chicas’ do Scandic. DO QUE MENOS GOSTEI foi de uma certa senhora idosa… E de ter ‘desterrado’ o meu dinheiro ao 3.º dia! O QUE MAIS ME IMPRESSIONOU foi o à-vontade das pessoas. O QUE MUDAVA NESTA VIAGEM? Ficava mais três meses!!! OPINIÃO GERAL: Foi ‘buéda fixe’. Foi uma experiência diferente que tenciono repetir em breve. MIGUEL MIRANDA

DO QUE MAIS GOSTEI foi de ter feito a viagem. DO QUE MENOS GOSTEI foi de ter sido pouco tempo. O QUE MAIS ME IMPRESSIONOU NA CIDADE foi as noites. O QUE MUDAVA NESTA VIAGEM era a maneira como gastei tanto dinheiro. OPINIÃO GERAL: melhor não podia ter sido ;) MARCO CÂMARA Página 9


PARTILHANDO!

DO QUE MAIS GOSTEI foi do convívio, de ver os alunos a divertirem -se e das noites de Canárias.

DO QUE MAIS GOSTEI foi da viagem em si. DO QUE MENOS GOSTEI foi do Armas.

DO QUE MENOS GOSTEI foi da viagem de ida, por ser muito demorada.

O QUE MAIS ME IMPRESSIONOU NA CIDADE? O deserto do dia e a multidão na noite.

O QUE MAIS ME IMPRESSIONOU foram as noites no Scandic, Maspalomas e o Farol, o Parque Aquático e a praia, etc.

O QUE MUDAVA NESTA VIAGEM? Mudava o tempo que lá ficámos (ficava mais uma ou duas semanas).

O QUE MUDAVA NESTA VIAGEM? Aumentava a estadia em mais uma semana, para dar tempo de explorar a cidade e ver alguns monumentos. PROF. MARTA

OPINIÃO GERAL: Foi bom, em geral, valeu a pena… ZÉ

DO QUE MAIS GOSTEI foi de ver o Careta a vomitar e das meninas. DO QUE MENOS GOSTEI? Gostei de tudo um pouco, não houve nada que eu não tenha gostado. O QUE MAIS ME IMPRESSIONOU NA CIDADE foi haver muitos travestis. O QUE MUDAVA NESTA VIAGEM? Ficava lá mais duas semanas. LEANDRO DO QUE MAIS GOSTEI foi… de tudo. DO QUE MENOS GOSTEI? Nada, gostei de tudo. O QUE MAIS ME IMPRESSIONOU NA CIDADE foi a quantidade de vendedores ciganos e chineses. O QUE MUDAVA NESTA VIAGEM? Devia ter durado mais dias. Página 10

JOANA

DO QUE MAIS GOSTEI foi de sair à noite. DO QUE MENOS GOSTEI? De nada. O QUE MAIS ME IMPRESSIONOU foi o Scandic, o bar da noite. O QUE MUDAVA NESTA VIAGEM? Ficava mais duas semanas! PEDRO


PARTILHANDO!

DO QUE MAIS GOSTEI foi do Scandic. DO QUE MENOS GOSTEI foi do restaurante chinês. O QUE MAIS ME IMPRESSIONOU NA CIDADE foi a Praia do Inglês, pois era bastante grande. O QUE MUDAVA NESTA VIAGEM? Ficava muito mais tempo. OPINIÃO GERAL: Gostei muito e queria ir lá outra vez com os mesmos professores e com a minha turma. MARCO WILSON DO QUE MAIS GOSTEI foi da companhia. DO QUE MENOS GOSTEI foi de não haver nada parecido com a Sagrada Família… O QUE MAIS ME IMPRESSIONOU foi o cuidado que os habitantes têm para com os turistas, sempre a quererem-nos hidratados: drink, drink, drink… O QUE MUDAVA NESTA VIAGEM? Fazia a vontade aos alunos… :) OPINIÃO GERAL: os cursos também deviam começar com uma viagem. Seria uma espécie de viagem de iniciantes. O que se aprende!!! PROF. ROSÁRIO DO QUE MAIS GOSTEI foi do sofá! DO QUE MENOS GOSTEI foi das sandes de chouriço frescas logo de manhã! O QUE MAIS ME IMPRESSIONOU foi a arquitectura da cidade e as lojas de design! MUDAVA o trajecto para Marrocos, subia até aos camarotes durante toda a viagem, calava os animadores e afundava o barco para reserva de peixes exóticos! OPINIÃO GERAL: elas eram giras, e ainda aparecem nos quartos dos pupilos do Vila Mar... por isso andam sempre cansados, e já falam Espanhol. PROF. MARCO Página 11


PARTILHANDO!

Pรกgina 12


PARTILHANDO!

Pรกgina 13


RECORDANDO!

º Os meses de Maio e Junho foram também marcados pela realização das Provas de Aptidão Final (PAF’s), pelos finalistas dos cursos de Cozinha e de Marcenaria. Para estes alunos, o 9.º ano de escolaridade só será alcançado depois de serem aprovados ao nível da Nota da PAF: 11 formação teórica, da componente tecnológica e da formação em contexto de trabalho, que inclui a realização da PAF.

Nota da PAF: 13

Nota da PAF: 15

O objectivo desta prova é que cada formando consiga mostrar aquilo que aprendeu ao longo dos dois anos que compõem o curso. No que respeita à Cozinha, as provas foram realizadas no Hotel Four Views e no Hotel Jardins da Ajuda e consistiram, no primeiro caso,

Nota da PAF: 14

na elaboração de um ‘mini buffet de frios’ — constituído por quatro entradas —, um prato de fruta trabalhada e estagiários q

u

e

fizeram

a

s

a

u

formação nos hotéis do Grupo Q u a t r o Página 14

um

prato

principal.

Como

são

quatro

os


RECORDANDO!

º Vistas (Duarte, Jéssica, Leandro e Miguel), foram apresentados vinte e quatro pratos no total. No segundo caso, a prova incidiu na secção em que cada aluno mais trabalhou, sendo que a Joana apresentou um prato frio e o Marco um prato quente.

Nota da PAF: 18

Nota da PAF: 15 Página 15


RECORDANDO!

º

No que toca aos formandos d e M a r c en a r ia , a s p r o v a s passaram pela construção de um banco típico madeirense (Marco), um banco torneado (Ruben), de uma moldura para porta (Zé), um banco com gaveta (Miguel) e pelo restauro de uma cadeira (Pedro). Os nervos acompanharam todos os testes, apesar de estes não terem constituído novidade, pois as tarefas

Nota da PAF: 13

pedidas foram sendo realizadas ao longo de todo o estágio. A todos os finalistas os nossos parabéns e votos de sucesso! Nota da PAF: 17

Página 16


RECORDANDO!

ยบ Nota da PAF: 17

Nota da PAF: 14

Nota da PAF: 13

Pรกgina 17


RECORDANDO!

À

ÇÃ

No passado dia 29 de Abril, a turma do Curso de Educação e Formação tipo I visitou a Estação do SANAS, situada em Água de Pena, Santa Cruz, no âmbito da disciplina de Cidadania e Mundo Actual, com o intuito de sensibilizar os alunos para esta actividade de grande valor. Os alunos tiveram a oportunidade de conhecer as instalações, obter esclarecimentos acerca do funcionamento dos diversos meios tecnológicos disponíveis para obter informações acerca de possíveis acidentes, sua situação geográfica e intervenção rápida em casos de emergência. Durante a visita guiada por alguns operacionais do SANAS, os alunos conheceram os diversos meios de busca e salvamento em terra e mar, tais como: botes, barcos a jacto, um barco de maior porte, vestuário e calçado apropriados à função e os diversos objectos usados nas intervenções de salvamento e modo de utilização e manutenção dos mesmos. Além de terem conhecido a mascote do SANAS, “Milhas”, um cão muito amistoso que os acompanhou durante algum tempo, os alunos percorreram as diversas áreas, receberam informações, esclarecimentos, e puderam ainda dar uma voltinha no bote, experimentar descer no varão de descida de emergência e deram um mergulho. A turma adorou a experiência e alguns referiram até que gostariam de um dia vir a integrar a corporação do SANAS. Gostaríamos de agradecer ao educador e operacional do SANAS, Ricardo Pita, que estabeleceu os contactos que possibilitaram a nossa visita à estação, assim como aos restantes operacionais da corporação pela simpatia e disponibilidade demonstradas. Texto elaborado nas aulas de Cidadania e Mundo Actual.

Página 18


RECORDANDO! VISITA AOS BOMBEIROS MUNICIPAIS DO FUNCHAL

No dia 10 de Maio de 2011, pelas 10 horas, os alunos da turma do CEF 1 visitaram os Bombeiros Municipais do Funchal, acompanhados pelo educador Ricardo Pita e pela professora Rosário Antunes.

A visita serviu para conhecer os vários meios de salvamento dos bombeiros, nomeadamente a viatura de desencarceramento; a viatura de resgate de animais e que transporta farelo, que serve para colocar na estrada quando ocorre um acidente com derramamento de óleo; e as ambulâncias, que servem para serviços de urgência e / ou acidente. Aproveitámos também para conhecer melhor o novo carro, com uma escada com 55 metros de alcance, que serve para o serviço urbano. Foi uma parte da visita particularmente interessante, pois pudemos desfrutar da vista espectacular que a escada proporciona.

Posteriormente, o bombeiro que conduziu a visita mostrou o equipamento pessoal dos bombeiros, designadamente o capacete, o casaco e as botas, que são revestidos por um material especial que ajuda a suportar o calor e a proteger o corpo de queimaduras. Tivemos ainda a oportunidade de conhecer o interior das instalações e a escola de treino, mais conhecida pelo nome de ‘esqueleto’, que é um edifício preparado para fazer escalada. Foi uma visita bastante produtiva, ficando aqui o nosso agradecimento ao educador Pita, que providenciou esta actividade, e corporação. Uma nota: ainda que haja cerca de vinte bombeiras, não encontrámos nenhuma. :)

Texto elaborado nas aulas de Língua Portuguesa. Página 19


RECORDANDO!

No dia 27 de Maio, o Estabelecimento Vila Mar foi mais uma vez palco das comemorações do Dia da Segurança Social. A festa iniciou-se com um conjunto de jogos de futebol (com

equipas

femininas

e

equipas masculinas, em que participaram alunos da escola do Vila Mar), ao que se seguiu um almoçoconvívio, coadjuvado pelos alunos do Curso de Educação e Formação da área de Cozinha Débora, Danilo e João Cláudio. Neste dia, estiveram presentes a Dra. Bernardete Vieira, conselho directivo do Centro de Segurança Social da Madeira, e a Dra. Fernanda Gomes, vogal desse mesmo conselho.

Página 20



presidente do


RECORDANDO!

Pรกgina 21


SENSIBILIZANDO!

ECO-ESCOLAS ACTIVIDADES 2010 / 2011 No 3.º período, foi trabalhado o tema “Energias”. Assim, foi realizada uma visita de estudo às Centrais Fotovoltaica e Térmica do Parque Industrial da Madeira. Dos trabalhos constou também uma acção de sensibilização promovida pela AREAM.

No âmbito do concurso sobre energias renováveis, o Prof. Martim Velosa orientou alguns alunos na construção de um cande-

eiro com materiais reutilizados, alimentado a energia solar.

http://ecoescolavilamar.blogspot.com

Página 22


SENSIBILIZANDO!

ECO-ESCOLAS

No tema Mar, a turma do Curso de Educação e Formação Tipo I teve oportunidade de visitar a Estação de Maricultura da Calheta. Neste Centro são criadas, monitorizadas e tratadas várias espécies de peixes. Página a cargo dos responsáveis pelo Projecto Eco-Escolas, professor Rogério Barros e bióloga Olga Lucas.

O ECO-CÓDIGO foi elaborado pelos alunos ao longo do ano lectivo. Com a colaboração dos professores de L í n g u a Portuguesa e de Artes Plásticas. Página 23


PARA RECORDAR... DESPORTO ESCOLAR!

O VILA MAR NO DESPORTO ESCOLAR 2010_2011 A Secretaria Regional de Educação e Cultura da Região Autónoma da Madeira, através do seu Gabinete Coordenador do Desporto Escolar, organizou a Festa do Desporto Escolar da Região Autónoma da Madeira 2011, na cidade do Funchal, no passado dia 17 de Maio. Os 25 anos da entrada de Portugal na União Europeia: "Rumo a uma família maior" foi o tema da Cerimónia de Abertura. O momento alto estava agendado para o início da noite, depois do desfile de todas as escolas participantes, onde o Vila Mar também esteve presente, com a Cerimónia de Abertura, no Está-

Página 24

dio dos Barreiros, um grandioso espectáculo gímnico, em pleno relvado do “Caldeirão”, com alusões Manager da equipa do Vila Mar, prof. Filipe ao tema Nogueira, com alguns principal e elementos da equipa e o que, este padrinho, Ruben Andrade. ano, se associou às bodas de s o s de J o rg e Roque prata da entrada de Portugal, (vencedor), de Diogo Leite e claro da Região, na União (2.º classificado) e do madeiEuropeia. rense Filipe Abreu, natural do Outros momentos altos Campanário. A este trio junforam o acender da “Chama tou-se a também madeirense Olímpica”, a cargo do nada- Vânia Fernandes, que nos dor internacional Paulo Fran- representou no Festival Euroco; o já referido desfile de visão da Canção de 2008 e todas as escolas participan- que, uma vez mais, interpretes nos diversos torneios, tou o tema “Senhora do acompanhadas pelos respec- Mar”. Mais uma noite memotivos “padrinhos/madrinhas” rável, para mais tarde recore uma componente musical dar... bastante forte. Para além das O Vila Mar teve o privilégio músicas que acompanharam de ter como padrinho o jogaa apresentação do espectá- dor e capitão da União SAD, culo gímnico, subiram ao pal- Ruben Andrade. co do Estádio dos Barreiros Professor Luís Rocha jovens que, este ano, ganharam a ribalta com as suas actuações no programa televis i v o “Operação T r i u n fo” (OT), transmitido pela RTP1, ca-


PARA PRATICAR... DESPORTO E AMIZADE! CRÓNICAS DOS JOGOS DO DESPORTO ESCOLAR JOGO 1 VILA MAR vs. E. B. 2/3 de São Roque RESULTADO VILA MAR 5 x 0 E. B. 2/3 de São Roque Havia algumas dúvidas sobre a forma como iria correr este jogo, pois a equipa de São Roque tinha nas suas fileiras muitos jogadores de boa qualidade, mas nada disso fazia desanimar os jogadores da nossa “laranja mecânica”, pois a confiança estava em alta. Com o passar dos minutos, já depois da hora agendada para o encontro (9 horas), chega a primeira má notícia, um dos nossos joga-

dores lesiona-se no aquecimento: o Roberto, ao cair no chão para agarrar a bola, fez uma luxação num dedo da mão direita, resultando na primeira baixa da equipa, mas logo de seguida chegam os primeiros pontos. Vitória por cinco a zero, por falta de comparência da equipa adversária. A equipa, algo abalada pela lesão do Roberto, celebra comedidamente. JOGO 2 VILA MAR vs. E. B. S. Pe. Manuel Álvares (Ribeira Brava) RESULTADO VILA MAR 1 x 2 E. B. S. Pe. Manuel Álvares (Ribeira Brava) Os jogadores estavam um pouco nervosos, a pressão de ser efectivamente o primeiro jogo da competição fazia-se sentir. A equipa entrou algo intranquila, a falhar alguns passes e a mostrar pouca dinâmica, enquanto a equipa adversária, sempre na defensiva e à espera dos erros dos nossos jogadores, foi explorando o contraataque. É de referir as extraordinárias defesas do nosso guarda-redes, que foi um autêntico herói ao negar uma mão-cheia de oportunidades de golo. A equipa, com o passar dos minutos, foi-se ‘soltando’ e mostrando também argumentos para marcar, equilibrando o jogo. Entretanto, chega o intervalo e

o resultado era ainda o mesmo do início da partida (0-0). A segunda parte começa, com uma alternância no domínio de jogo, mas os adversários conseguem chegar à vantagem face a um contraataque eficaz. A partir daí, só uma equipa se fez notar no relvado, a equipa laranja do Vila Mar, fez pela vida e foi atrás do prejuízo, mas a equipa da Ribeira Brava, com bons executantes, foi adiando o golo do Vila Mar e, através de contra-ataques sucessivos, foi pondo em alerta o guardião João Carlos que sempre se mostrou à altura dos acontecimentos. Os jogadores do Vila Mar continuavam a lutar e foi com inteiro mérito que chegaram ao empate, através de um remate rasteiro e forte de João Cláudio. Um golo muito festejado pelos nossos jogadores e adeptos, um golo que trazia justiça ao que se ia passando no relvado. Parece ser legítimo dizer que qualquer equipa podia vencer, mas o resultado mais merecido seria o empate. Mas é com o chegar do último minuto de jogo que a Ribeira Brava chega à vantagem, numa jogada muito confusa a meio-campo, após a bola ter batido na mão de um jogador, em que o árbitro manda seguir, ainda que metade dos jogadores da noss

Página 25


PARA RECORDAR... DESPORTO ESCOLAR! nossa equipa ficam parados na expectativa de ser assinalada falta. Bola ao centro e final do encontro. JOGO 3 VILA MAR vs. E. S. Francisco Franco – Funchal RESULTADO VILA MAR 6 x 4 E. S. Francisco Franco - Funchal Neste jogo crucial para as aspirações da nossa equipa, havia algumas dúvidas, pois o último não tinha deixado muitas saudades. No entanto, a resposta da nossa equipa foi excelente e logo no primeiro minuto o Vila Mar chega à vantagem, com golo de Daniel. Esta vantagem trouxe consigo a tranquilidade e a dinâmica de equipa que até aqui ainda não se tinha visto na equipa e, com

Página 26

o controlo da partida e com mais uma excelente exibição do nosso guardaredes, o resultado foi-se avolumando, chegando facilmente A equipa da Escola Vila Mar, da esquerda para a aos 4-1, direita, começando pela fila superior: João Carlos, resultado João Cláudio, Leandro, Daniel, Eduardo; na fila com o inferior: Pedro, Miguel, Danilo, Roberto e Tiago. qual atingimos o intervalo. dos e menos os golos sofriTroca de campo, mas não dos, se a concentração e a houve troca quanto à equipa responsabilidade da equipa que mandava no jogo e, se tivessem mantido inaltesempre em superioridade, foi radas ao longo da partida, fácil encontrar a equipa ven- mas acabam por ser coisas cedora desta partida. Co- naturais para uma equipa jomum resultado final de 6-4, vem e guerreira que queria há ainda a referir que poderi- vencer e mostrar que deveria am ser mais os golos marca- ser ela a qualificar-se para as


PARA PRATICAR... DESPORTO E AMIZADE! JOGO 2 Vila Mar vs. E.B.S. Pe. Manuel Álvares – Ribeira Brava N.º

JOGADOR

1 2 9 10 11

João Carlos “Rato” Danilo Leandro Rui Pedro Miguel “Ronaldinho” Daniel Eduardo “Edu” João Cláudio Tiago “Gasolina”

17 20 23

CARTÕES AMARELOS

A EQUIPA…

GOLOS

meias-finais. Deve enaltecer-se mais uma participação do Vila Mar no Desporto Escolar, pois ficou uma vez mais patente que a equipa soube perder e soube ganhar, mostrando sempre uma atitude responsável, tendo os jogadores/alunos dignificado as camisolas que envergaram. Muito bem Campeões! Professor Luís Rocha

X X

JOGO 3 VILA MAR vs. E. S. Francisco Franco – Funchal CARTÕES GON.º JOGADOR AMARELOS LOS 1 João Carlos “Rato” 2 Danilo 9 Leandro 10 Rui Pedro X/X 11 Miguel “Ronaldinho” X X/X Daniel X 17 Eduardo “Edu” Lesionado 20 João Cláudio X 23 Tiago “Gasolina”

Página 27


SENSIBILIZANDO! CONCURSO “Património da Cidade em 3D”

A 3.ª edição deste Concurso foi dedicada ao Mercado dos Lavradores e contou com a participação de alunos de vários níveis de ensino, Instituições Particulares de Solidariedade utentes

Social dos

(IPSS)

espaços

e da

C.M.F., num total de 17 trabalhos (maqueta e modelo 3D em computador). Decorreu no dia 25 de Maio de 2011, pelas 11h30, no Átrio da Câmara Municipal do Funchal, a abertura da exposição dos trabalhos a concurso. Em simultâneo, teve lugar a entrega de prémios aos concorrentes res.

vencedo-

O Concurso “Património da Cidade em 3D”, tem como principais objectivos:  Divulgar aspectos históricos da cidade do Funchal através do seu património arquitectónico e natural;  Sensibilizar para a preservação do Património como meio de melhorar a qualidade de vida e construção da identidade pessoal;  Estimular a criatividade e o interesse pela Arte. retirado de: http://www1.cm-funchal.pt/educacao/

Página 28


PARA CONHECER MELHOR...

… o Acordo Ortográfico. O Acordo Ortográfico é uma realidade e vai entrar em vigor nas escolas já a partir do próximo mês de Setembro. A nossa escola não será excepção, pelo que fica aqui um esquema-resumo das alterações mais importantes, já redigidas com a nova grafia. Adaptação de atual, o novo acordo ortográfico, de João Malaca Casteleiro e Pedro Dinis Correia, Texto Editora, 2007 ALTERAÇÕES As letras k, w e y foram incorporadas ao alfabeto. O alfabeto passa a ter 26 letras: a, b, c, d, e, f, g, h, i, j,k, l, m, n, o, p, q, r, s, t, u, v, w, x, y, z. Maiúsculas/Minúsculas Dias da Semana (segunda-feira…) Meses do Ano (janeiro, fevereiro…) Pontos Cardeais e colaterais (norte, este…) Pode usar-se indiferentemente Títulos de livros ou obras Formas de tratamento Nomes que designam domínios do saber, cursos, disciplinas, logradouros públicos, templos ou edifícios Supressão gráfica de consoantes mudas ou não articuladas Sequências consonânticas CC – ex: abstracionismo, colecionador, lecionar, protecional CÇ – ex: ação, coleção, contração, distração, proteção CT – ex: ata (nome), ativar, ator, diretor, letivo, objetivo, projeto PC – ex: anticoncecional, dececionante, excecional,rececionista PÇ – ex: aceção, adoção, conceção, deceção, receção PT – ex: Egito, adotar, batismo, ótimo, otimismo Coexistência de duas grafias, devido à variação de pronúncia nas duas normas cultas Exemplos: característica/caraterística; dáctilo/dátilo; dactilografia/datilografia; infecção/infeção; intersecção/interseção; sector/setor… ALTERAÇÕES Supressão de acentos gráficos em palavras graves Creem, deem, leem, veem, descreem, desdem, releem, reveem para(á), flexão de parar e para preposição pela(s) (é), substantivo e flexão de pelar e pela(s), combinação de per e la(s) polo(s) (ó), substantivo e polo(s), combinação antiga e popular de por e lo(s) Exeções: pôde, 3ª pessoa do singular do pretérito perfeilto do indicativo e pode presente do indicativo pôr, forma verbal e por, preposição Supressão de acentos gráficos em palavras em palavras graves com ditongo oi: asteroide, carcinoide, heroico, esfenoide, espermatozoide, etmoide, ictitoide, jiboia, joia ALTERAÇÕES Hifenização antirreligioso, autorrádio, autosserviço, contrarreação, contrarrelógio, cosseno, microssistema, minissaia, emisselvagem, semirreta, ultrassónico Agroindustrial, antiaéreo, autoestrada, coautor, codireção, extraescolar, hidroelétrico, plurianual anti-ibérico, contra-almirante, coobrigação, coocorrente, infra-axilar, intra-arterial, micro-ondas, semi-interno Abóbora-menina, couve-flor, erva-doce, feijão-verde, bênção-de-deus, erva-de-rato, erva-de-chá, ervilha-de-cheiro, fava-de-santo-inácio, bem-me-quer, andorinhagrande, cobra-capelo, forminga-branca hei de, hás de, há de, heis de, hão de Página 29


PARA CONHECER MELHOR...

No

passado

mês

de

Abril 2011, nas férias escolares da Páscoa, as Educadoras Margarida (R.1) e Marta (R.2) organizaram e participaram nalgumas actividades com as crianças e jovens das duas residências, com o objectivo de conviverem e divertirem-se em conjunto, para um

ambi-

ente mais saudável. Ora vejam o que andámos

a

fazer!! Com este Sol tão radiante no céu, só poderíamos ter ido à

pr aia.

acham?

Página 30

Não


PARA CONHECER MELHOR...

E para terminarmos esta semana com grande alegria, e tambĂŠm com algum conhecimento acerca do ambiente terrestre, fomos com sorrisos radiantes Ă  Quinta Berardo (Monte).

PĂĄgina 31


PARA CONHECER MELHOR...

Acantonamento da R1 nas Queimadas - Férias da Páscoa Num cenário deslumbrante, rodeados quase unicamente pela natureza, esta foi uma actividade que agradou a todos, tanto educandos, como educadores. Apesar de uma ou outra crispação própria

de

quatro

dias consecutivos de convivência, o acantonamento correu na sua generalidade bastante bem. A partilha de experiências e histórias pessoais foi uma

constante

e as actividades realizadas foram do agrado de todos. A animação não faltou, principalmente quando jogávamos ao pictionary à luz da lareira e nos fartávamos de rir, especialmente por causa da fantástica coreografia que o Edu-

cador Marcelino, a Ed. Isabel e a Ed. Magaly tão bem desempenharam. Já nos doía a barriga e os maxilares de tanto rir! Só temos pena de não vos podermos transmitir o que os nossos olhos viram e as nossas memórias, provavelmente, para sempre recordarão. Esta será, sem dúvida, uma experiência a repetir.

Página 32


PARA CONHECER MELHOR...

Os meus 18 anos… Na festa de comemoração dos meus 18 anos, reuni as pessoas mais importantes da minha vida. Foi uma festa que superou as minhas expectativas. Gostei imenso da peça de teatro sobre a toxicodependência, na qual a minha colega de residência Ana Isabel e o meu amigo da R3 Roberto participaram. Ana Maria

Página 33


PARA CONHECER MELHOR...

INGREDIENTES:

- 1 Embalagem de Delícias do Mar - 1 Lata de Cogumelos - Milho Doce - Pimentos - Cebola - Pepino - Azeite, sal, salsa, orégãos.

Modo de Fazer:

Cozer as batatas e o milho em água, azeite e orégãos; Cortar as cebolas e pimentos em meia lua com um corte muito fino; Temperar as delícias do mar com vinagre e limão; Refogar os cogumelos e deitar uma

pitadinha

de

canela

moída. Após

os

ingredientes

confeccionados,

disponha-os

no

ter

prato

a

seu

gosto

e

criatividade. Bom Apetite!!!!! Página 34

Fábio


RINDO!

Pรกgina 35


O VILÃOZI NHO o jornal do ESTABELECIMENTO VILA MAR Largo do Lazareto 9060-157 Funchal TEL.: 291 224 888 FAX: 291 233 259 CORREIO ELECTRÓNICO: http://escolas.madeiraedu.pt/evmar/ COMENTÁRIOS / SUGESTÕES para a Coordenadora do Jornal, professora Rosário Antunes: profarosarioantunes@ hotmail.com

Um mundo ao contrário?

As saudades… Ai, as saudades… E assim se passaram os últimos momentos do 2.º ano do CEF 2: um convívio entre alunos e professores, no Montado do Pereiro, onde não faltou a boa disposição e o contacto com a natureza. A todos desejamos uma VIDA MUITO FELIZ!


Vilãozinho_10_2010_2011