Page 1

Clipping Vendas no setor automotivo crescem 6,69% no primeiro bimestre do ano 4228085 - O DIA SÃO PAULO - ECONOMIA - SÃO PAULO - SP - 07/03/2014 - Pág 03 http://iportal.oficinadeclipping.com.br/Login.aspx?id=dITf7IQ3OP8duUGkzRjkZ8NpL6URowCDjzNG6hVyf1bbhjRCx8N+1A==

Ficha Técnica Empresa: FENABRAVE Categoria: Fenabrave Autor: Cidade: SÃO PAULO Estado: SP País: BRASIL Disponibilização: 14/03/2014 Tipo Veículo: JORNAL Palavra Chave: FENABRAVE Arquivo Interno: I:\FENABRAVE\enviados_cliente\2014\03\14\4228085.pdf

Análise Referência: Classificação: Tipo de Publicação: Menções à Marca: Favorabilidade: Exclusiva: Assunto: Palavra-chave: Valor cm/col(fs): 83,00 Fechamento: 03/14 Tiragem: 10000,00 Centimetragem Medida: 0,00 Valor: 83,00 Total: 0,0000


Clipping Aposentadoria de versões antigas faz vendas de líderes despencarem 4227577 - DIÁRIO REGIONAL DO ABCD - ECONOMIA - DIADEMA - SP - 09/03/2014 - Pág 08 http://iportal.oficinadeclipping.com.br/Login.aspx?id=PgohTbA0rDXBlh6Q/vMpHsNpL6URowCDjzNG6hVyf1bbhjRCx8N+1A==

Ficha Técnica Empresa: FENABRAVE Categoria: Fenabrave Autor: Cidade: DIADEMA Estado: SP País: BRASIL Disponibilização: 14/03/2014 Tipo Veículo: JORNAL Palavra Chave: FENABRAVE Arquivo Interno: I:\FENABRAVE\enviados_cliente\2014\03\14\4227577.pdf

Análise Referência: Classificação: Tipo de Publicação: Menções à Marca: Favorabilidade: Exclusiva: Assunto: Palavra-chave: Valor cm/col(fs): 140,84 Fechamento: 03/14 Tiragem: 35000,00 Centimetragem Medida: 0,00 Valor: 140,84 Total: 0,0000


Clipping MT emplaca menos em fevereiro, mas segue positivo em relação a 2013 4228255 - PLANTÃO NEWS - WEB - WEB - 13/03/2014 http://iportal.oficinadeclipping.com.br/Login.aspx?id=Lrm/pQkqq4bN75pXyWX6rMNpL6URowCDjzNG6hVyf1bbhjRCx8N+1A==

http://www.plantaonews.com.br/conteudo/show/secao/36/materia/98686/t/MT+emplaca+men os+em+fevereiro,+mas+segue+positivo+em+relação+a+2013 Ficha Técnica Empresa: FENABRAVE Categoria: Fenabrave Autor: Redação Cidade: WEB Estado: WEB País: BRASIL Disponibilização: 14/03/2014 Tipo Veículo: SITE Palavra Chave: FENABRAVE Arquivo Interno: I:\FENABRAVE\enviados_cliente\2014\03\14\4228255.pdf

Análise Referência: Classificação: Tipo de Publicação: Menções à Marca: Favorabilidade: Exclusiva: Assunto: Palavra-chave: Valor cm/col(fs): 0,00 Fechamento: 03/14 Tiragem: 0,00 Centimetragem Medida: 0,00 Valor: 50,00 Total: 0,0000


14/3/2014

MT emplaca menos em fevereiro, mas segue positivo em relação a 2013 | PlantaoNews

» Quem Somos

» Fale Conosco

Busca

Página Inicial

OK

Últimas Agronegócio Cidade Economia

Comentar

Enviar por email

Imprimir

Economia Quinta, 13 de março de 2014, 21h10

MT emplaca menos em fevereiro, mas segue positivo em relação a 2013

Esporte

Compartilhar

0

Tw eetar

Enquete Os trilhos do VLT no elevado da UFMT servem pra quê? Enganar os gringos? Achar que todos são idiotas?

Geral

Burrice do marketeiro?

Horóscopo

Silval pirou o cabeção!

Interior de MT

Votar Resultado

Justiça/Segurança Mundo Nacional Política Cuiabá - MT

Saúde

Sexta

33

Tecnologia

24 Nublado e Pancadas de Chuv a

Turismo Variedades Vídeos Né ! Roseli em Sampa; André também ! » Wilson arrependido » Culpa da imprensa » Bideco x Polícia » » mais

Artigos Estágio no primeiro ano Luiz Gonzaga Bertelli

Acorda PSDB! Gabriel Novis Neves

Salve a Ítala Raoni Ricci

14/03/2014

Sabado

15/03/2014

34 Em fevereiro, Mato Grosso emplacou 8.757 novos veículos, segundo o balanço mensal da Federação 23 Nacional dos Distribuidores de Veículos Automotores de Mato Grosso (Fenabrave-MT). Em relação ao mês Pancadas de Chuv a a Tarde anterior, as vendas diminuíram 11,9%, porém na comparação com o mesmo período de 2013, o setor cresceu Domingo 16/03/2014 12,9%. Segundo o presidente da Fenabrave-MT, Manoel Guedes, os baixos índices registrados em fevereiro são comuns, principalmente por ser um mês mais curto. Porém, não é motivo para preocupação por parte dos concessionários. “As vendas de janeiro foram impulsionadas pelo restante do estoque com baixo IPI. O menor resultado de fevereiro reflete essa antecipação de compra, mas as marcas sempre inovam com condições, campanhas, bônus, entre outros benefícios que contribuem para o aumento das vendas”, comentou o presidente.

33 23 Poss. de Panc. de Chuv a a Tarde

CPTEC/INPE

O segmento de automóveis apresentou grande retração de 27,1% em relação ao mês de janeiro. Foram 2.865 emplacamentos em fevereiro contra 3.934 em janeiro. Já em relação ao mesmo período de 2013, a alta foi de 2,1%. Manoel Guedes explica que o baixo desempenho do segmento em Mato Grosso foi maior do que no Brasil, que apresentou queda de 19,8%. Ele atribui tal índice a algumas dificuldades enfrentadas, principalmente no estado. “A grande quantidade de chuvas, as obras para a realização da Copa em Cuiabá, que continuam prejudicando o acesso aos concessionários, são algumas dos problemas enfrentados pelo segmento”, afirmou. Já o segmento de caminhões seguiu a tendência dos meses anteriores e cresceu mais 4% em relação a janeiro. “Além do escoamento da safra de soja, o segmento está sendo beneficiado pelos financiamentos bastante atrativos do BNDES, facilitando não só a substituição, mas o aumento da frota em alguns casos”, disse Guedes. O segmento de motos registrou 4.002 unidades emplacadas em fevereiro e manteve-se praticamente estável em relação a janeiro. Mas comparado ao mesmo período de 2013, o aumento foi de 21,6%. “Mesmo com inadimplência e as financeiras sendo mais rígidas na análise de crédito, a moto ainda é para boa parte da população, o meio de transporte mais acessível e econômico”, completou Manoel Guedes. Nacional

Barbárie na nossa esquina Eduarti Matos Carrijo Fraga

Em todo o país, 393.159 veículos foram comercializados, número 14,5% menor do que em janeiro, quando 459.928 unidades foram emplacadas. Em um comparativo com o mesmo período do ano passado, o país registrou um crescimento de 12,7%.

http://www.plantaonews.com.br/conteudo/show/secao/36/materia/98686/t/MT+emplaca+menos+em+fevereiro,+mas+segue+positivo+em+rela%C3%A7%C…

1/2


Clipping MT emplaca menos em fevereiro, mas segue positivo em relação a 2013 4228256 - O NORTÃO - WEB - WEB - 13/03/2014 http://iportal.oficinadeclipping.com.br/Login.aspx?id=Lrm/pQkqq4YrDptNvo35jsNpL6URowCDjzNG6hVyf1bbhjRCx8N+1A==

http://www.onortao.com.br/noticias/mt-emplaca-menos-em-fevereiro-mas-segue-positivo-emrelacao-a-2013,12910.php Ficha Técnica Empresa: FENABRAVE Categoria: Fenabrave Autor: Redação Cidade: WEB Estado: WEB País: BRASIL Disponibilização: 14/03/2014 Tipo Veículo: SITE Palavra Chave: FENABRAVE Arquivo Interno: I:\FENABRAVE\enviados_cliente\2014\03\14\4228256.pdf

Análise Referência: Classificação: Tipo de Publicação: Menções à Marca: Favorabilidade: Exclusiva: Assunto: Palavra-chave: Valor cm/col(fs): 0,00 Fechamento: 03/14 Tiragem: 0,00 Centimetragem Medida: 0,00 Valor: 50,00 Total: 0,0000


14/3/2014

MT emplaca menos em fevereiro, mas segue positivo em relação a 2013 - Jornal O NORTÃO

Não foi possível carregar o plug-in.

CAPA

NOTÍCIAS

POLÍTICA

ARTIGOS & COLUNAS

NACIONAL

RELIGIÃO

DIVERSÃO

CONCURSOS

Sexta - Feira, 14 de Março

POLÍCIA

VÍDEO

Buscar Notícias

Publicada em 13/03/2014 às 15:59

MT emplaca menos em fevereiro, mas segue positivo em relação a 2013 Em fevereiro, Mato Grosso emplacou 8.757 novos veículos, segundo o b alanço mensal da Federação Nacional dos Distrib uidores de Veículos Automotores de Mato Grosso (Fenab rave-MT).

Em fevereiro, Mato Grosso emplacou 8.757 novos veículos, segundo o balanço mensal da Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos Automotores de Mato Grosso (Fenabrave-MT). Em relação ao mês anterior, as vendas diminuíram 11,9%, porém na comparação com o mesmo período de 2013, o setor cresceu 12,9%. Segundo o presidente da Fenabrave-MT, Manoel Guedes, os baixos índices registrados em fevereiro são comuns, principalmente por ser um mês mais curto. Porém, não é motivo para preocupação por parte dos concessionários. “As vendas de janeiro foram impulsionadas pelo restante do estoque com baixo IPI. O menor resultado de fevereiro reflete essa antecipação de compra, mas as marcas sempre inovam com condições, campanhas, bônus, entre outros benefícios que contribuem para o aumento das vendas”, comentou o presidente. O segmento de automóveis apresentou grande retração de 27,1% em relação ao mês de janeiro. Foram 2.865 emplacamentos em fevereiro contra 3.934 em janeiro. Já em relação ao mesmo período de 2013, a alta foi de 2,1%. Manoel Guedes explica que o baixo desempenho do segmento em Mato Grosso foi maior do que no Brasil, que apresentou queda de 19,8%. Ele atribui tal índice a algumas dificuldades enfrentadas, principalmente no estado. “A grande quantidade de chuvas, as obras para a realização da Copa em Cuiabá, que continuam prejudicando o acesso aos concessionários, são algumas dos problemas enfrentados pelo segmento”, afirmou. Já o segmento de caminhões seguiu a tendência dos meses anteriores e cresceu mais 4% em relação a janeiro. “Além do escoamento da safra de soja, o segmento está sendo beneficiado pelos financiamentos bastante atrativos do BNDES, facilitando não só a substituição, mas o aumento da frota em alguns casos”, disse Guedes. O segmento de motos registrou 4.002 unidades emplacadas em fevereiro e manteve-se praticamente estável em relação a janeiro. Mas comparado ao mesmo período de 2013, o aumento foi de 21,6%. “Mesmo com inadimplência e as financeiras sendo mais rígidas na análise de crédito, a moto ainda é para boa parte da população, o meio de transporte mais acessível e econômico”, completou Manoel Guedes. NACIONAL Em todo o país, 393.159 veículos foram comercializados, número 14,5% menor do que em janeiro, quando 459.928 unidades foram emplacadas. Em um comparativo com o mesmo período do ano passado, o país registrou um crescimento de 12,7%.

http://www.onortao.com.br/noticias/mt-emplaca-menos-em-fevereiro-mas-segue-positivo-em-relacao-a-2013,12910.php

1/1


Clipping GM Meriva acompanha a rotina do reparador desde 2003. Versão Easytronic dá trabalho! 4228257 - OFICINA BRASIL - WEB - WEB - 13/03/2014 http://iportal.oficinadeclipping.com.br/Login.aspx?id=Lrm/pQkqq4bg3FveF1DG+MNpL6URowCDjzNG6hVyf1bbhjRCx8N+1A==

http://oficinabrasil.com.br/avalicao-do-reparador/3448-gm-meriva-acompanha-a-rotina-doreparador-desde-2003-versao-easytronic-da-trabalho Ficha Técnica Empresa: FENABRAVE Categoria: Fenabrave Autor: Redação Cidade: WEB Estado: WEB País: BRASIL Disponibilização: 14/03/2014 Tipo Veículo: SITE Palavra Chave: FENABRAVE Arquivo Interno: I:\FENABRAVE\enviados_cliente\2014\03\14\4228257.pdf

Análise Referência: Classificação: Tipo de Publicação: Menções à Marca: Favorabilidade: Exclusiva: Assunto: Palavra-chave: Valor cm/col(fs): 0,00 Fechamento: 03/14 Tiragem: 0,00 Centimetragem Medida: 0,00 Valor: 0,00 Total: 0,0000


14/3/2014

GM Meriva acompanha a rotina do reparador desde 2003. Versão Easytronic dá trabalho!

03

14

2014

Últim a atualização 11:26:24 PM GMT

PESQUISAR PU BLIC ID AD E

HOME

FÓRUM

ASSINE O JORNAL

VÍDEOS

LINHA DIRETA OFICINA BRASIL

CONTATO

Login

GM Meriva acompanha a rotina do reparador desde 2003. Versão Easytronic dá trabalho!

Registrar

QUI, 13 DE MARÇO DE 2014 13:55 FERNANDO NACCARI E PAULO HANDA SEÇÃO: GERAL

Usuário

Avaliação do Usuário:

Jornal Oficina Brasil

Pior

/1 Melhor AVALIAR

Avaliação do Reparador Em breve, na sua oficina Caderno Premium Consultor OB Entrevistas 2 Rodas M ercado/Cinau Editorial Evento M atéria Exclusiva Direto do Fórum

Com problemas recorrentes no sistema de transmissão automatizado, componente ainda requer reparos específicos e criteriosos. Mas falhas não se resumem a isso O Chevrolet Meriva foi um dos últimos modelos da marca a apresentar grande sucesso em nosso país. Lançado no Brasil em 2002 já como modelo 2003, era equipado com os motores 1.8 8V de 102cv e o 1.8 16V de 122cv com coletor variável, produzido através de uma extinta parceria entre GM e Fiat, onde na montadora italiana, este propulsor equipava o Fiat Stilo.

Lançamentos

O Meriva logo de cara encontrou uma legião de

Reparador Diesel

apaixonados pelo veículo onde, apesar de ser lançado em agosto, ao fim daquele ano atingiu, segundo a Fenabrave,

Técnicas

a marca de 6019 emplacamentos.

Especial Oficina é um Bom negócio Fundo do Baú

Reparador Diesel Notícias

Tv Oficina Brasil Produtos Tecnologia

Guia de Oficinas Brasil O que é o Guia de Oficinas Brasil Cadastre sua oficina

ANTERIOR

1 of 1 6

PRÓXIMO

Já em novembro do ano seguinte, a GM trouxe o modelo com motor 1.8 8V Flex já como versão 2014. Este possuía 112cv de potência quando abastecido com gasolina e 114cv quando com etanol. A partir deste, já não havia a opção pelo motor de 16V. Em agosto de 2004 a GM fez mudanças nos pacotes de itens para a Meriva. Nesta época, surgiram as denominações Joy, Maxx e Premium. Em 2005 veio a versão SS que, de esportivo, pouco trazia, sendo suas mudanças apenas apliques em tom cinza nas capas dos retrovisores e no borrachão de vedação que une as laterais ao teto, lanternas traseiras com máscara negra, nova grade com nomenclatura SS e estofados, acabamentos do painel e forros de portas em tom vermelho. Outra mudança significativa ocorreu em 2007, com o lançamento da Meriva Easytronic. Essa tecnologia permite que o motorista dirija o veículo com a opção de trocas de marcha automaticamente ou de forma manual e, mecanicamente, não usa uma transmissão automática, apenas uma caixa simples com diversos atuadores que são os responsáveis por trocarem as marchas da maneira a qual foi selecionada. No final de 2008 foi lançada a Meriva 1.4 Econo.Flex nas versões Joy e Maxx, apenas com a opção de câmbio manual, mas nas versões Expression, Premium e SS, os motores eram os 1.8 8V Flex e tinham a opção do câmbio Easytronic. Mas a história do Meriva teve fim em 2012, quando o modelo foi substituído, juntamente com a Zafira pela Spin, que agora tem a missão de suprir a lacuna deixada por ambas em um mercado bastante exigente. NAS OFICINAS Para sabermos como é o comportamento e a rotina de manutenção do GM Meriva, visitamos a Auto Elétrica e mecânica JR Fabiano, onde entrevistamos o proprietário e reparador José Rosa Da Silva que, com 53 anos de idade, 30 anos são dedicados à reparação automotiva. Juntamente a ele, conversamos com o seu filho George Fabiano que auxilia seu pai na gestão da oficina localizada em Santo André-SP. Conversamos também com o reparador Alessandro Laino da Costa de 35 anos de idade, dos quais 22 são dedicados à profissão, que trabalha na oficina Fecar de São Paulo há mais de 10 anos, onde informou que dos 200 veículos que atende na oficina, pelo menos 5% são Meriva: “Temos uma frequência boa destes veículos em nossa oficina, no mês passado tivemos uma passagem de 15 destes veículos”. Outro reparador que colaborou conosco nesta matéria foi Anderson de Lima Souza de 32 anos, onde há 3 anos montou sua oficina própria, a Auto Center Trindade, também de São Paulo-SP. “Só no mês passado, atendi 8 Merivas, portanto é um carro de alta recorrência em minha oficina”, comentou Anderson. A escolha do ramo em que a oficina irá trabalhar nem sempre segue o rumo do planejamento inicial: “Começamos apenas como autoelétrica, mas sempre pegávamos veículos com falhas mecânicas as quais outras oficinas culpavam nossos serviços pelo defeito do veículo, mas quando verificávamos a real causa, constatávamos que as falhas eram de ordem mecânica e não elétrica. Por conta disso, efetuei diversos treinamentos na área mecânica e outros no ramo de injeção eletrônica, onde a partir de então, começamos a trabalhar com mecânica e os reparos bem feitos fizeram sucesso”, contou José.

http://oficinabrasil.com.br/avalicao-do-reparador/3448-gm-meriva-acompanha-a-rotina-do-reparador-desde-2003-versao-easytronic-da-trabalho

1/5


14/3/2014

GM Meriva acompanha a rotina do reparador desde 2003. Versão Easytronic dá trabalho! “Com o passar dos anos, isso nos ajudou muito, pois com a evolução dos veículos, o mecânico que não sabia elétrica ficou fora do mercado, assim ocorreu também com os eletricistas automotivos”, completou José. Em relação ao tempo que a Meriva começou a fazer parte da sua rotina na oficina, Alessandro comentou: “Tenho atendido Meriva desde 2003 com quilometragem já a partir dos 20.000km. Inclusive, um dos modelos que atendi mês passado estava com mais de 250.000km e o motor ainda não havia passado por nenhuma intervenção. O segredo foi a troca de óleo a cada 5.000km, fora isso, somente correias e bomba d’água haviam sido trocadas no veículo. O que acho mais interessante neste modelo é que a maioria dos proprietários abastecem o carro com metade do tanque de gasolina e a outra metade de etanol, onde dizem ser essa a forma mais econômica em que o veículo se comporta”. Anderson também comentou sobre sua experiência com o modelo: “Tenho atendido veículos desde os 30.000km. Em minha região, estes modelos vêm para as manutenções preventivas como, consertos nos freios e troca da correia sincronizadora. Esses serviços são os mais frequentes”. Encontramos nesta oficina uma GM Meriva Easytronic 2011 (Foto 1) que estava com 45.000km, José explicou o motivo pelo qual o veículo foi trazido à oficina: “Primeiramente, fizemos a substituição da embreagem deste carro para o cliente fazer uma viagem para o Mato Grosso. Durante a viagem, este disse ter abastecido o veículo com um etanol de tom amarelado, mas como não tinha conhecimento, não questionou e prosseguiu viagem. Porém, após alguns quilômetros, este percebeu que o motor começou a apresentar falhas, o que levou ao proprietário a levar o veículo a uma concessionária da GM, onde esta disse que o defeito estava na embreagem que havíamos montado e que isso era um problema comum de ocorrer”. José acrescentou: “Sendo assim, o cliente conseguiu trazer o veículo até nossa oficina para cobrar a garantia do serviço e, em nosso diagnóstico, notamos que o catalisador estava entupido. Isso ocorreu devido ao superaquecimento do componente gerado pela péssima qualidade do combustível, onde houve o derretimento da cerâmica catalítica. Foi necessária a sua substituição, onde, após o serviço, voltou a funcionar normalmente”. Mas o problema ainda estava longe de ser resolvido. Segundo José, após alguns dias o mesmo cliente retornou à oficina reclamando que o motor estava apresentando um barulho estranho e falhava em demasia. Sua percepção foi de que o problema fosse decorrência ainda do combustível, mas o diagnóstico foi ainda mais grave: “Acreditava que o combustível tivesse causado travamento das hastes de válvulas, ou que houvesse algum componente quebrado dentro da câmara de combustão. Quando retiramos as velas (Foto 2), estas estavam com os eletrodos amassados (Foto 3), assim, decidimos retirar o cabeçote para avaliar melhor a intensidade do dano. Foi aí que notamos que no pistão haviam diversas marcas (Foto 4), como se um dos eletrodos tivesse quebrado e danificando a região”. Como isso é muito difícil de ocorrer, George continuou o diagnóstico: “Após algumas horas de análise, observamos que o corpo estranho dentro da câmara (Foto 5) de combustão se assemelhava muito com os respingos da solda do catalisador, os quais deveriam ser retirados no momento de uma inspeção de qualidade. Como isso não ocorreu, este se desprendeu e, como este veículo possui um cruzamento de válvulas (Foto 6), pode ter retornado à câmara de combustão causando este inconveniente”. George ainda acrescentou surpreso: “Esta foi a primeira vez que peguei um carro com este tipo de problema”. DEFEIT OS RECORRENT ES O Meriva é um veículo que, por possuir longos anos de mercado, carrega consigo alguns defeitos recorrentes que permeiam a sua passagem nas oficinas de reparação independente. Um dos defeitos comuns nos modelos equipados com acelerador eletrônico Delphi está na baixa vida útil das engrenagens internas deste, causando assim ineficiência na aceleração. Este defeito foi reconhecido inclusive pela própria GM, a qual passou a disponibilizar em sua rede de concessionárias um kit de reparo para este, de forma a não ser necessária a troca do corpo completo. Outro defeito característico dava-se devido à difícil localização da caixa de fusíveis (BCM), que fica posicionada logo abaixo da grelha de acabamento onde ficam os limpadores de para-brisas. Devido à esta exposição, há acúmulo de impurezas e umidades nos contatos elétricos da região. Isso pode ser facilmente detectado quando no scanner são apontadas falhas inconsistentes onde, durante o processo de diagnóstico, poderá se certificar da presença de mau contato e oxidação nestes, onde refazer os isolamentos, em grande parte dos casos resolverá o problema. Pode ser verificada também a presença de falhas nas bobinas de ignição dos motores 1.8 8V, onde essas costumam trincar a torre e apresentar fugas de corrente, gerando falhas no motor. O câmbio Easytronic foi outro item que deu dor de cabeça para os engenheiros da GM e da Magnetti Marelli (desenvolvedora do produto). Mas não só eles, os reparadores sofreram por consequência: “No início nos deparávamos com muitos problemas nesta transmissão, onde nem o pessoal da concessionária sabia resolver. Com o passar do tempo, foram esclarecendo muitas dúvidas e hoje é uma manutenção até que tranquila. Os defeitos mais comuns de ocorrerem era o câmbio perder a referência e não trocar nenhuma marcha automaticamente ou então, ficar totalmente bloqueado, onde nem manualmente as marchas engatavam e os proprietários ficaram ‘na mão’ e, quando isso ocorre, basta reprogramarmos o módulo do câmbio para que tudo volte ao normal”, disse José. Mas nem só de defeitos vive o Meriva. Por possui mecânica simples e conhecida de décadas, repará-lo não é um segredo: “Este carro tem manutenções que se assemelham a muitas outras de veículos da GM, pois seu motor, por exemplo, é o velho conhecido dos anos 80 que equipava o Monza, mas com algumas evoluções que o tempo trouxe. Essa simplicidade se aplica também a outros sistemas, como o de freio e de suspensão. É um veículo que não dá trabalho”, disse George. Alessandro também opinou: “Tenho uma boa percepção para o modelo como um todo, pois não é um carro que quebra muito, embora possua alguns defeitos recorrentes. No motor, por exemplo, há ótimos espaços para trabalhar e reparabilidade bem simples. Apenas coloco ao reparador que tenha atenção no momento de fasar a correia dentada, pois se

http://oficinabrasil.com.br/avalicao-do-reparador/3448-gm-meriva-acompanha-a-rotina-do-reparador-desde-2003-versao-easytronic-da-trabalho

2/5


14/3/2014

GM Meriva acompanha a rotina do reparador desde 2003. Versão Easytronic dá trabalho! tirarmos como base a polia, esta em alguns Meriva possui damper (uma polia sobre outra prensada em um anel de borracha), onde esse anel se desgasta fazendo com que esta saia de seu eixo, fazendo assim que sua referência para o ponto seja alterada. Desta forma, se levarmos em consideração esta marca, fatalmente colocaremos o motor fora de ponto, portanto, baseie-se então sempre nas referências das engrenagens”. Ainda falando sobre o motor, Alessandro acrescentou: “Há um reparo que constantemente efetuamos que parece ser na suspensão dianteira, faz um ‘tututu’ como se fosse folga de buchas e pivô, mas na verdade, se analisarmos melhor, verificamos que se trata de folga nos coxins do motopropulsor (Motor e Transmissão). Esses quando desgastam, provocam ruídos muito semelhantes aos da suspensão, onde o reparador troca os componentes da suspensão equivocadamente. Este barulho é o que mais incomoda o cliente”. Já Anderson comentou sobre uma falha que presenciou em um modelo que, para ele, foi de difícil solução: “Um reparo que me deixou um pouco intrigado e estou pesquisando é o por quê uma Meriva que estava com aproximadamente 80.000Km rodados apresentava falhas no motor e este não pegava. Trocamos a bomba de combustível por duas vezes, regulador de pressão e nada do defeito cessar. O mais interessante era que quando medíamos a pressão de linha, esta estava normal, mas quando verifiquei a tampa do suporte de fixação da bomba, percebi que esta estava trincada, mas não atribuí este fato ao inconveniente. Após horas de diagnóstico sem solução, resolvi trocar esta tampa onde fica a trava de fixação e, por incrível que pareça, o defeito sumiu”. Alessandro também comentou que faz reparo frequentemente no alternador do modelo: “Em modelos a partir dos 40.000km, fatalmente preciso trocar os rolamentos do eixo, pois estes costumam apresentar ruídos. Atribuo isso a uma provável má vedação nos retentores”. “Outro problema que encontro é nos bornes da bobina de ignição. O motor chega a morrer e não pegar mais. Você passa o scanner e este aponta falha na bobina, onde você troca e depois de algum tempo o cliente retorna com o mesmo inconveniente. Após ‘bater cabeça’, verifiquei que nos conectores da bobina de ignição cria-se uma folga nos terminais, fazendo com que haja resistência muito grande ao ponto da bobina não funcionar. Para solucionar é necessário trocar os terminais ou fazer com que os contatos fiquem mais firmes”, acrescentou Alessandro. Segundo Alessandro, a transmissão da Meriva não costuma dar muitos problemas, a não ser a Easytronic: “Nas transmissões mecânicas tenho efetuado a troca apenas da embreagem, mas na Easytronic não posso dizer o mesmo. A embreagem da transmissão convencional e da Esaytronic são muito parecidas, mas não são intercambiáveis! Se o reparador colocar principalmente a convencional na transmissão Esaytronic, ela encaixa normalmente e é bem mais barata, mas no momento de se efetuar o aprendizado das marchas com o scanner, este não consegue cumprir a função e apresenta erro. Se insistirmos com o processo, podem ocorrer danos ao software da central Esaytronic e, para reprogramá-la, custa em torno de R$ 800,00 nas concessionárias. Portanto, para as transmissões com Easytronic, utilize somente a embreagem específica para tal e, se o cliente trouxer outra porque encontrou uma mais barata, não coloque, pois vai perder a mão de obra e ganhar um problemão”. Alessandro ainda deu outra dica importante: “O fluido que vai na bomba da transmissão Easytronic é um DOT 4. É importante lembrar que este não é o mesmo utilizado dentro do câmbio. Temos notados aqui na oficina que muitos veículos chegam com danos internos ao sistema Easytronic por ter sido colocado fluido de transmissão em seu sistema, portanto é importante nos atentarmos para esta situação”. “Outro inconveniente que reparamos bastante é a troca dos retentores laterais dos semieixos. Eles não suportam muito tempo e vazam com frequência. Novamente recomendo muita atenção na colocação do fluído da transmissão mecânica convencional do Meriva. Este óleo tem coloração avermelhada e os reparadores costumam colocar o Dexrom III, mas o correto é o óleo 80W de cor vermelha. Se houver qualquer dúvida, aconselho a consultar o manual do veículo”, acrescentou Alessandro. O Meriva também costuma apresentar outra falha recorrente: “Muitas vezes precisamos trocar os braços axiais do sistema de direção, pois eles não suportam muito tempo às ruas esburacadas”. AR CONDICIONADO O sistema de ar condicionado da Meriva é equipado com um compressor CVC DELPHI de 125cm³ de fluxo variável, com 6 pistões e sistema de embreagem eletromagnética. Este modelo de compressor variável permite que o sistema não tenha um sensor anticongelamento no evaporador. A carga recomendada de fluido refrigerante é de 700g de R134a e cerca de 150 a 180 ml de óleo P.A.G. 46. Os vazamentos mais comuns de fluido refrigerante são no Lip Seal do compressor, nas válvulas de serviço das linhas de alta e baixa pressão, eventualmente pode vazar no evaporador dentro do painel. Mas um vazamento que marcou esse modelo desde o seu lançamento até 2005, foi a mangueira de alta pressão que saía do compressor e ia para o condensador. Esta possuía um raio em uma tubulação de alumínio que com a solicitação mecânica de torção, acabava trincando o tubo de alumínio e vazava o fluido refrigerante. Finalmente nos modelos 2006 em diante houve uma mudança no ângulo de saída do tubo e este problema foi sanado. Nos primeiros anos de fabricação o acionamento do eletroventilador do radiador e condensador era controlado por um módulo eletrônico de variação de velocidades, depois o sistema ficou mais simples com acionamento por relés e resistor para a primeira velocidade. A válvula de serviço de alta fica na saída do filtro secador, junto ao flange do condensador. A válvula de serviço de baixa fica logo atrás do farol do passageiro. O monitoramento de pressões do fluido refrigerante é feito por um transdutor de pressões que fica na saída do filtro secador, na linha de alta pressão. Este transdutor se comunica com o módulo de injeção que determina se e quando é possível ligar ou

http://oficinabrasil.com.br/avalicao-do-reparador/3448-gm-meriva-acompanha-a-rotina-do-reparador-desde-2003-versao-easytronic-da-trabalho

3/5


14/3/2014

GM Meriva acompanha a rotina do reparador desde 2003. Versão Easytronic dá trabalho! desligar o compressor e o eletroventilador. Por exemplo, em caso de falta de fluido refrigerante o módulo de injeção não deixa o compressor ligar e manda o eletroventilador funcionar na 2ª velocidade. Outro problema que caracterizou a Meriva nas oficinas de ar condicionado, além da mangueira de alta, foi a válvula de ar quente. Esta válvula podia apresentar vazamentos de fluido de arrefecimento do radiador para dentro do veículo. Esta mesma válvula de ar quente também costumava trancar, fazendo com que o botão de comando e o cabo de acionamento não fechassem corretamente a portinhola de controle do ar quente, que mesmo fechado permitia a passagem de ar quente para os difusores. Este problema foi eliminado em 2006, quando a montadora eliminou a válvula de ar quente e colocou em seu lugar tubos de alumínio, deixando o comando de ar quente somente com portinhola dentro do painel. Para trocar o radiador de ar quente não é necessário remover o painel, apenas se remove o console central. O acesso ao filtro de cabine é pelo compartimento do motor, do lado do passageiro, sendo necessário ou remover a carenagem corta fogo do motor ou remover os limpadores de para-brisas, o tanquinho das Meriva Flex também atrapalha no acesso ao filtro de cabine. Há versão deste filtro em carvão ativado, que reduz muito os odores provenientes da rua para o interior do veículo. Colaborou: Mario Meier Ishiguro ISHI Ar Condicionado Automotivo - Treinamento e Serviços Tel.: (47) 3264 9677 www.ishi.com.br PEÇAS E INFORMAÇÕES Peças e informações, como sabemos, são o grande ‘calcanhar de Aquiles’ das oficinas de reparação independente. Todos, de alguma forma, sofreram, sofrem ou sofrerão com estes dois itens com algum veículo em sua rotina de oficina. Sobre estes temas voltados a GM e a Meriva, os profissionais comentaram, como veremos à seguir: “Com relação às peças de reposição para este modelo sou abastecido sem problemas, mas percebo uma mudança de comportamento dentro deste segmento. Anteriormente comprava muito em autopeças, pois o preço era mais atrativo e as peças eram de boa qualidade e de fabricantes renomados, mas hoje tenho comprado mais peças originais em concessionárias da marca, pois os preços ficaram mais competitivos e a qualidade não se discute! Vejo que as autopeças migraram para o menor preço e não para qualidade. Ainda há opção de comprar peças originais nas autopeças, mas pagamos mais caro nelas do que se comprarmos direto da concessionária. Infelizmente algumas revendas não possuem o serviço de entrega, o que nos atrapalha um pouco, mas isso deve ser levado em consideração, pois em algumas ocasiões, busca-la aumenta o custo da peça, fora o tempo que se perde. Então é questão de ‘pôr na balança’ o que é mais vantajoso em cada momento”, disse George. “Com todas essas variáveis, posso afirmar que 60% das peças compro nas concessionárias, 25% nas autopeças e 15% em importadores e distribuidores”, acrescentou George. O reparador Alessandro tem a mesma visão sobre o mercado: “De uns anos para cá, o cenário está mudando um pouco. Anteriormente comprávamos muitas peças de fornecedores independentes e de marcas renomadas, mas hoje a nossa prática tem se invertido, pois as peças originais além da qualidade têm preço e prazos às vezes mais atrativos que a do mercado independente. Temos algumas dificuldades com transporte, pois o mercado independente até para continuar a ter nós reparadores como clientes, efetuam o serviço de entrega, situação esta que a maioria das concessionárias não têm, e quando possuem, não efetuam com eficiência. Mas os preços e a qualidade compensam muito. Assim, hoje 75% de nossas peças para este modelo são originas adquiridas em concessionárias e o restante em autopeças”. Já no caso do reparador Anderson, a realidade é um pouco diferente: “Compro mais em autopeças, pois eles me fornecem como facilidade um preço melhor, mesmo em peças originais. Assim, posso afirmar que 40% das peças que compro são originais em autopeças e, os outros 60%, de fabricantes independentes. As concessionárias em minha região não têm uma boa política de vendas e os clientes daqui cobram o prazo mais curto possível, assim acabo repassando o custo para o prazo que eles me cobram, o que financeiramente me ajuda muito”. Sobre as informações técnicas, George comentou: “Não tenho problemas com isso! Vejo que a GM junto com parceiros disponibiliza as informações e, como no caso deste motor que já é um velho conhecido, não temos problemas. Vejo o seguinte, as montadoras que ficarem segurando muitas informações vão ficar para traz em nosso mercado, pois não indico um veículo ao meu cliente onde o reparo é muito complexo e que o torne caro. É lógico que levo em consideração o poder aquisitivo do meu cliente, mas sempre peço que ele me fale 3 alternativas e pretensões de compra e dou meu veredicto baseado no melhor para ele e para o meu trabalho”. Alessandro também opinou: “A Meriva, como é um veículo com uma plataforma conhecida, ou seja, a GM neste carro aproveitou as mecânicas de veículos anteriores, então no meu caso não tive nenhum problema com relação a informações técnicas. Apesar de a internet ser uma grande aliada, ainda sinto falta de cooperativismo entre os reparadores, com exceção ao fórum do Jornal Oficina Brasil. A montadora passa algumas informações, mas o que precisamos saber mesmo ela não passa. Assim, ficamos ‘reféns’ de amigos que trabalham nestas para nos ajudar. Isso não é uma particularidade da GM, isso ocorre com todas as marcas. Com as importadas coreanas então piorou, esse pessoal só quer vender carro. Dessa forma, tenho efetuado a minha própria biblioteca com a ajuda de amigos, pelo fórum, dentre outros, mas hoje informação boa é muito cara e dá um trabalho enorme para tê-las. Somente conseguimos algo com pesquisas e muitas vezes ‘ralando’ debaixo do capô do carro. Tweet

0

Você precisa ser registrado para comentar - Login

http://oficinabrasil.com.br/avalicao-do-reparador/3448-gm-meriva-acompanha-a-rotina-do-reparador-desde-2003-versao-easytronic-da-trabalho

4/5


Clipping Paraná emplaca 58.443 novos veículos no primeiro bimestre 4228259 - JORNAL O PARANÁ - WEB - WEB - 13/03/2014 http://iportal.oficinadeclipping.com.br/Login.aspx?id=Lrm/pQkqq4auPW8+us5NqsNpL6URowCDjzNG6hVyf1bbhjRCx8N+1A==

http://www.oparana.com.br/geral/parana-emplaca-58443-novos-veiculos-no-primeirobimestre-46584/ Ficha Técnica Empresa: FENABRAVE Categoria: Fenabrave Autor: Redação Cidade: WEB Estado: WEB País: BRASIL Disponibilização: 14/03/2014 Tipo Veículo: SITE Palavra Chave: FENABRAVE Arquivo Interno: I:\FENABRAVE\enviados_cliente\2014\03\14\4228259.pdf

Análise Referência: Classificação: Tipo de Publicação: Menções à Marca: Favorabilidade: Exclusiva: Assunto: Palavra-chave: Valor cm/col(fs): 0,00 Fechamento: 03/14 Tiragem: 0,00 Centimetragem Medida: 0,00 Valor: 0,00 Total: 0,0000


14/3/2014

Paraná emplaca 58.443 novos veículos no primeiro bimestre - O Paraná

Fale Conosco

Geral

Cidades

Política

Economia

Polícia

New sletter

Esportes

RSS

Edição PDF

Rose Bracht

Já possui uma conta?

Variedades

Cadernos Especiais

Geral Imprimir

RSS

Enviar

Corrigir

Paraná emplaca 58.443 novos veículos no primeiro bimestre 13/03/2014 - 00:00 | atualizado em: 14/03/2014 - 06:15

Dados da Fenabrave-PR (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automores do Paraná) e do Sincodiv–PR (Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos no Estado do Paraná), entidades representam mais de 720 concessionárias de automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motos e implementos rodoviários em todo o Estado, informam que o desempenho do setor da distribuição de veículos no Paraná teve alta de 4,13% no bimestre. O total comercializado foi de 58.443 unidades nos dois primeiros meses do ano, contra 56.127 no mesmo período do ano passado. Os destaques foram os automóveis, os comerciais leves e os implementos rodoviários. De acordo com o presidente do Sincodiv-PR e diretor-geral da Fenabrave-PR, Luís Antônio Sebben, apesar de ter havido antecipação das compras em janeiro devido a corrida dos clientes às lojas para garantir unidades ainda com IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) reduzido, o mês de fevereiro isolado também foi melhor que no ano passado. “Houve crescimento de 4,16% de fevereiro de 2013 para o mesmo mês de 2014, passando de 24.872 unidades vendidas para 25.906”, explica Sebben. Entretanto, se comparados os meses de janeiro e fevereiro desse ano, o segundo mês do ano teve queda nas vendas. Foram emplacados 32.537 veículos em janeiro contra 25.906 em fevereiro, o equivalente a uma queda de 20,38%.

http://www.oparana.com.br/geral/parana-emplaca-58443-novos-veiculos-no-primeiro-bimestre-46584/#

1/1


Clipping MT emplaca menos em fevereiro, mas segue positivo em relação a 2013 4228262 - EXPRESSOMT - WEB - WEB - 13/03/2014 http://iportal.oficinadeclipping.com.br/Login.aspx?id=Lrm/pQkqq4bsDavP3s9uv8NpL6URowCDjzNG6hVyf1bbhjRCx8N+1A==

http://www.expressomt.com.br/economia-agronegocio/mt-emplaca-menos-em-fevereiro-massegue-positivo-em-relacao-a-2013-96560.html Ficha Técnica Empresa: FENABRAVE Categoria: Fenabrave Autor: Redação Cidade: WEB Estado: WEB País: BRASIL Disponibilização: 14/03/2014 Tipo Veículo: SITE Palavra Chave: FENABRAVE Arquivo Interno: I:\FENABRAVE\enviados_cliente\2014\03\14\4228262.pdf

Análise Referência: Classificação: Tipo de Publicação: Menções à Marca: Favorabilidade: Exclusiva: Assunto: Palavra-chave: Valor cm/col(fs): 0,00 Fechamento: 03/14 Tiragem: 0,00 Centimetragem Medida: 0,00 Valor: 1,00 Total: 0,0000


14/3/2014

EXPRESSOMT - MT emplaca menos em fevereiro, mas segue positivo em relação a 2013

economia

MT emplaca menos em fevereiro, mas segue positivo em relação a 2013 EM 13 DE MARÇO DE 2014 AS 16H48

Em relação ao mês anterior, as vendas diminuíram 11,9%, porém na comparação com o mesmo período de 2013, o setor cresceu 12,9%. Fonte: Assessoria AA

0

A C ré dito: Divulgação

Tweet Em fevereiro, Mato Grosso

emplacou 8.757 novos veículos, segundo o balanço mensal da Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos Automotores de Mato Grosso (Fenabrave-MT). Em relação ao mês anterior, as vendas diminuíram 11,9%, porém na comparação com o mesmo período de 2013, o setor cresceu 12,9%. Segundo o presidente da Fenabrave-MT, Manoel Guedes, os baixos índices registrados em fevereiro são comuns, principalmente por ser um mês mais curto. Porém, não é motivo para preocupação por parte dos concessionários. “As vendas de janeiro foram impulsionadas pelo restante do estoque com baixo IPI. O menor resultado de fevereiro reflete essa antecipação de compra, mas as marcas sempre inovam com condições, campanhas, bônus, entre outros benefícios que contribuem para o aumento das vendas”, comentou o presidente. O segmento de automóveis apresentou grande retração de 27,1% em relação ao mês de janeiro. Foram 2.865 emplacamentos em fevereiro contra 3.934 em janeiro. Já em relação ao mesmo período de 2013, a alta foi de 2,1%. Manoel Guedes explica que o baixo desempenho do segmento em Mato Grosso foi maior do que no Brasil, que apresentou queda de 19,8%. Ele atribui tal índice a algumas dificuldades enfrentadas, principalmente no estado. “A grande quantidade de chuvas, as obras para a realização da Copa em Cuiabá, que continuam prejudicando o acesso aos concessionários, são algumas dos problemas enfrentados pelo segmento”, afirmou. Já o segmento de caminhões seguiu a tendência dos meses anteriores e cresceu mais 4% em http://www.expressomt.com.br/economia-agronegocio/mt-emplaca-menos-em-fevereiro-mas-segue-positivo-em-relacao-a-2013-96560.html

1/2


14/3/2014

EXPRESSOMT - MT emplaca menos em fevereiro, mas segue positivo em relação a 2013

relação a janeiro. “Além do escoamento da safra de soja, o segmento está sendo beneficiado pelos financiamentos bastante atrativos do BNDES, facilitando não só a substituição, mas o aumento da frota em alguns casos”, disse Guedes. O segmento de motos registrou 4.002 unidades emplacadas em fevereiro e manteve-se praticamente estável em relação a janeiro. Mas comparado ao mesmo período de 2013, o aumento foi de 21,6%. “Mesmo com inadimplência e as financeiras sendo mais rígidas na análise de crédito, a moto ainda é para boa parte da população, o meio de transporte mais acessível e econômico”, completou Manoel Guedes. Nacional Em todo o país, 393.159 veículos foram comercializados, número 14,5% menor do que em janeiro, quando 459.928 unidades foram emplacadas. Em um comparativo com o mesmo período do ano passado, o país registrou um crescimento de 12,7%.

http://www.expressomt.com.br/economia-agronegocio/mt-emplaca-menos-em-fevereiro-mas-segue-positivo-em-relacao-a-2013-96560.html

2/2


Clipping O segmento dos sedãs grandes produzidos por marcas generalistas (aquelas que fazem de compactos populares a utilitários de luxo) tornou-se alternativa 4228258 - FENABRAVE - WEB - WEB - 13/03/2014 http://iportal.oficinadeclipping.com.br/Login.aspx?id=Lrm/pQkqq4bcNDl0pXD7xMNpL6URowCDjzNG6hVyf1bbhjRCx8N+1A==

http://www3.fenabrave.org.br:8082/plus/modulos/noticias/ler.php?cdnoticia=2943&cdcategori a=1&layout=noticias Ficha Técnica Empresa: FENABRAVE Categoria: Fenabrave Autor: Redação Cidade: WEB Estado: WEB País: BRASIL Disponibilização: 14/03/2014 Tipo Veículo: SITE Palavra Chave: FENABRAVE Arquivo Interno: I:\FENABRAVE\enviados_cliente\2014\03\14\4228258.pdf

Análise Referência: Classificação: Tipo de Publicação: Menções à Marca: Favorabilidade: Exclusiva: Assunto: Palavra-chave: Valor cm/col(fs): 0,00 Fechamento: 03/14 Tiragem: 0,00 Centimetragem Medida: 0,00 Valor: 50,00 Total: 0,0000


14/3/2014

Notícias - versão para impressão

Publicado em 13/03/2014

O segmento dos sedãs grandes produzidos por marcas generalistas (aquelas que fazem de compactos populares a utilitários de luxo) tornouse alternativa O segmento dos sedãs grandes produzidos por marcas generalistas (aquelas que fazem de compactos populares a utilitários de luxo) tornou-se alternativa para quem deseja mais conforto do que o oferecido pelos médios.

Isso não significa que o Ford Fusion e o Nissan Altima deste teste Folha-Mauá sejam pechinchas. Ambos custam cerca de R$ 100 mil, mas oferecem comodidades só vistas em modelos mais caros, como o Toyota Camry (R$ 150,6 mil) e o Honda Accord (a partir de R$ 119,9 mil).

PRESTÍGIO

A Ford domina o segmento com o mexicano Fusion, e as cotas de importação com isenção de tributos garante uma boa margem de lucro à marca. De acordo com a Fenabrave (federação das distribuidoras de veículos), teve 2.364 emplacamentos no primeiro bimestre deste ano.

O objetivo da Nissan com o Altima é conferir prestígio à marca. Importado dos EUA, o carro chega ao país em pequenos lotes. A soma das vendas em janeiro e fevereiro chega a 115 unidades.

Porém, o sedã produzido pela marca japonesa mostra que tem potencial para mais. Na pista, ele foi mais rápido e econômico que o Ford.

Para compensar a diferença de desempenho, o Fusion oferece motorização flex e mais itens tecnológicos. O painel de instrumentos conta com tela configurável, que possibilita escolher quais informações serão exibidas. Os sistemas de ar-condicionado, GPS e som podem ser comandados por voz.

Outros itens disponíveis são rodas de liga leve aro 17, transmissão automática de seis marchas e controle de estabilidade. O preço parte de R$ 97.990 e chega a R$ 101.990 http://www3.fenabrave.org.br:8082/plus/modulos/noticias/imprimir.php?cdnoticia=2943

1/2


14/3/2014

Notícias - versão para impressão

quando equipado com teto solar elétrico.

CÂMBIO CVT

Vendido em versão única, o Nissan Altima tem preço sugerido em R$ 106.990. O pacote de itens é semelhante ao do rival, com destaque para o câmbio CVT de trocas (muito) suaves.

Em comum, os carros oferecem espaço interno abundante, silêncio e ajuste que privilegia o conforto. A razão manda escolher o Fusion, que tem ótimo mercado e motor flex, mas o Altima merece um olhar atento pela eficiência mecânica e diferenciação --você não verá muitos por aí.

Folha de S.Paulo – Veículo – 13/03/2014 – Pág. 01

http://www3.fenabrave.org.br:8082/plus/modulos/noticias/imprimir.php?cdnoticia=2943

2/2


Clipping MT emplaca menos em fevereiro, mas segue positivo em relação a 2013 4228261 - OLHAR DIRETO - WEB - WEB - 13/03/2014 http://iportal.oficinadeclipping.com.br/Login.aspx?id=Lrm/pQkqq4bZnF6Mu7ZQE8NpL6URowCDjzNG6hVyf1bbhjRCx8N+1A==

http://www.olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp?noticia=MT_emplaca_menos_em_fevereiro _mas_segue_positivo_em_relacao_a_2013&edt=28&id=361625 Ficha Técnica Empresa: FENABRAVE Categoria: Fenabrave Autor: Redação Cidade: WEB Estado: WEB País: BRASIL Disponibilização: 14/03/2014 Tipo Veículo: SITE Palavra Chave: FENABRAVE Arquivo Interno: I:\FENABRAVE\enviados_cliente\2014\03\14\4228261.pdf

Análise Referência: Classificação: Tipo de Publicação: Menções à Marca: Favorabilidade: Exclusiva: Assunto: Palavra-chave: Valor cm/col(fs): 0,00 Fechamento: 03/14 Tiragem: 0,00 Centimetragem Medida: 0,00 Valor: 60,00 Total: 0,0000


14/3/2014

MT emplaca menos em fevereiro, mas segue positivo em relação a 2013 :: Notícias de MT | Olhar Direto

Notícias / Economia

MT emplaca menos em fevereiro, mas segue positivo em relação a 2013 Da A ssessoria

Em fevereiro, Mato Grosso emplacou 8.757 novos veículos, segundo o balanço mensal da Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos Automotores de Mato Grosso (Fenabrave-MT). Em relação ao mês anterior, as vendas diminuíram 11,9%, porém na comparação com o mesmo período de 2013, o setor cresceu 12,9%. Segundo o presidente da Fenabrave-MT, Manoel Guedes, os baixos índices registrados em fevereiro são comuns, principalmente por ser um mês mais curto. Porém, não é motivo para preocupação por parte dos concessionários. “As vendas de janeiro foram impulsionadas pelo restante do estoque com baixo IPI. O menor resultado de fevereiro reflete essa antecipação de compra, mas as marcas sempre inovam com condições, campanhas, bônus, entre outros benefícios que contribuem para o aumento das vendas”, comentou o presidente. O segmento de automóveis apresentou grande retração de 27,1% em relação ao mês de janeiro. Foram 2.865 emplacamentos em fevereiro contra 3.934 em janeiro. Já em relação ao mesmo período de 2013, a alta foi de 2,1%. Manoel Guedes explica que o baixo desempenho do segmento em Mato Grosso foi maior do que no Brasil, que apresentou queda de 19,8%. Ele atribui tal índice a algumas dificuldades enfrentadas, principalmente no estado. “A grande quantidade de chuvas, as obras para a realização da Copa em Cuiabá, que continuam prejudicando o acesso aos concessionários, são algumas dos problemas enfrentados pelo segmento”, afirmou. Já o segmento de caminhões seguiu a tendência dos meses anteriores e cresceu mais 4% em relação a janeiro. “Além do escoamento da safra de soja, o segmento está sendo beneficiado pelos financiamentos bastante atrativos do BNDES, facilitando não só a substituição, mas o aumento da frota em alguns casos”, disse Guedes. O segmento de motos registrou 4.002 unidades emplacadas em fevereiro e manteve-se praticamente estável em relação a janeiro. Mas comparado ao mesmo período de 2013, o aumento foi de 21,6%. “Mesmo com inadimplência e as financeiras sendo mais rígidas na análise de crédito, a moto ainda é para boa parte da população, o meio de transporte mais acessível e econômico”, completou Manoel Guedes. NACIONAL Em todo o país, 393.159 veículos foram comercializados, número 14,5% menor do que em janeiro, quando 459.928 unidades foram emplacadas. Em um comparativo com o mesmo período do ano passado, o país registrou um crescimento de 12,7%.

http://www.olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp?noticia=MT_emplaca_menos_em_fevereiro_mas_segue_positivo_em_relacao_a_2013&edt=28&id=361625…

1/1


Clipping Apesar de motor flex, Ford Fusion fica atrás do Nissan Altima em desempenho 4228263 - FOLHA DE S.PAULO ONLINE - WEB - WEB - 13/03/2014 http://iportal.oficinadeclipping.com.br/Login.aspx?id=Lrm/pQkqq4aYoAsU2r8K08NpL6URowCDjzNG6hVyf1bbhjRCx8N+1A==

http://classificados.folha.uol.com.br/veiculos/2014/03/1424835-apesar-de-motor-flex-fordfusion-fica-atras-do-nissan-altima-em-desempenho.shtml Ficha Técnica Empresa: FENABRAVE Categoria: Fenabrave Autor: Redação Cidade: WEB Estado: WEB País: BRASIL Disponibilização: 14/03/2014 Tipo Veículo: SITE Palavra Chave: FENABRAVE Arquivo Interno: I:\FENABRAVE\enviados_cliente\2014\03\14\4228263.pdf

Análise Referência: Classificação: Tipo de Publicação: Menções à Marca: Favorabilidade: Exclusiva: Assunto: Palavra-chave: Valor cm/col(fs): 122,00 Fechamento: 03/14 Tiragem: 17000000,00 Centimetragem Medida: 0,00 Valor: 122,00 Total: 0,0000


14/3/2014

Folha de S.Paulo - Classificados - Veículos - Apesar de motor flex, Ford Fusion fica atrás do Nissan Altima em desempenho - 13/03/2014 Assine 0800 703 3000SAC Bate-papo E-mail BOL Notícias Esporte Notícias

Poder

Entretenimento Mulher Rádio TV UOL Shopping

ASSINE A FOLHA

Busca

Site

PUBLICIDADE

imóveis

empregos

Maior | Menor

negócios

Enviar por e-mail

fale conosco

+ regionais

Comunicar erros

PUBLICIDADE

anuncie

Link http://www.folha.com.br/no1424835

PUBLICIDADE

Apesar de motor flex, Ford Fusion fica atrás do Nissan Altima em desempenho 13/03/2014 - 13h15 | EDUARDO SODRÉ EDITOR-ADJUNTO DE "VEÍCULOS"

0

O segmento dos sedãs grandes produzidos por marcas generalistas (aquelas que fazem de compactos populares a utilitários de luxo) tornou-se alternativa para quem deseja mais conforto do que o oferecido pelos médios. Isso não significa que o Ford Fusion e o Nissan Altima deste teste Folha-Mauá sejam pechinchas. Ambos custam cerca de R$ 100 mil, mas oferecem comodidades só vistas em modelos mais caros, como o Toyota Camry (R$ 150,6 mil) e o Honda Accord (a partir de R$ 119,9 mil).

Tipo

PRESTÍGIO A Ford domina o segmento com o mexicano Fusion, e as cotas de importação com isenção de tributos garante uma boa margem de lucro à marca. De acordo com a Fenabrave (federação das distribuidoras de veículos), teve 2.364 emplacamentos no primeiro bimestre deste ano. O objetivo da Nissan com o Altima é conferir prestígio à marca. Importado dos EUA, o carro chega ao país em pequenos lotes. A soma das vendas em janeiro e fevereiro chega a 115 unidades.

Comparativo entre sedãs

Encontre um veículo Automóveis

Marca

Selecione

Modelo Selecionar mais de um modelo

Ano de

-

até

-

Preço de

0

até

908.990

buscar

Ver em tamanho maior »

busca avançada

veja todas as ofertas

itens salvos Vigorito Chevrolet

Buscar anúncio pelo código do jornal Leonardo Soares/Folhapress

Código

buscar O nix 0 km 1 .0 C ompleto c om mens ais de R$ 4 9 9 ! V em!

The requested UR PUBLICIDADE

Importado dos EUA, Nissan Altima tem como objetivo conferir o prestígio à marca

Porém, o sedã produzido pela marca japonesa mostra que tem potencial para mais. Na pista, ele foi mais rápido e econômico que o Ford. Para compensar a diferença de desempenho, o Fusion oferece motorização flex e mais itens tecnológicos. O painel de instrumentos conta com tela configurável, que possibilita escolher quais informações serão exibidas. Os sistemas de ar-condicionado, GPS e som podem ser comandados por voz.

O PODER DAS MULH Marcus Buckingham

Outros itens disponíveis são rodas de liga leve aro 17, transmissão automática de seis marchas e controle de estabilidade. O preço parte de R$ 97.990 e chega a R$ 101.990 quando equipado com

http://classificados.folha.uol.com.br/veiculos/2014/03/1424835-apesar-de-motor-flex-ford-fusion-fica-atras-do-nissan-altima-em-desempenho.shtml

1/3


14/3/2014

Folha de S.Paulo - Classificados - Veículos - Apesar de motor flex, Ford Fusion fica atrás do Nissan Altima em desempenho - 13/03/2014

teto solar elétrico. CÂMBIO CVT Vendido em versão única, o Nissan Altima tem preço sugerido em R$ 106.990. O pacote de itens é semelhante ao do rival, com destaque para o câmbio CVT de trocas (muito) suaves. Em comum, os carros oferecem espaço interno abundante, silêncio e ajuste que privilegia o conforto. A razão manda escolher o Fusion, que tem ótimo mercado e motor flex, mas o Altima merece um olhar atento pela eficiência mecânica e diferenciação -você não verá muitos por aí. editoria de arte/folhapress

editoria de arte/folhapress

+ LIVRARIA Schopenhauer ensina 38 estratégias para vencer qualquer debate Cerca de 80% dos fatos mais importantes da vida ocorrem até os 35 anos Autor inglês critica a 'indústria global do pensamento positivo' Em 'Ascensão e Queda do Império X', jornalista avalia a promessa Eike Batista No século 21, terá sucesso quem for capaz de manter a atenção, diz psicólogo

DA VI E GOLIA S

BLOCKBUSTERS

Malcolm Gladw ell

Anita Elberse

http://classificados.folha.uol.com.br/veiculos/2014/03/1424835-apesar-de-motor-flex-ford-fusion-fica-atras-do-nissan-altima-em-desempenho.shtml

2/3


Clipping Vendas de carros novos em Mato Grosso diminuem 4228264 - SÓ NOTÍCIAS - WEB - WEB - 13/03/2014 http://iportal.oficinadeclipping.com.br/Login.aspx?id=Lrm/pQkqq4ZgTNO5lv/9/cNpL6URowCDjzNG6hVyf1bbhjRCx8N+1A==

http://www.sonoticias.com.br/noticia/vendas-de-carros-novos-em-mato-grosso-diminuem Ficha Técnica Empresa: FENABRAVE Categoria: Fenabrave Autor: Redação Cidade: WEB Estado: WEB País: BRASIL Disponibilização: 14/03/2014 Tipo Veículo: SITE Palavra Chave: FENABRAVE Arquivo Interno: I:\FENABRAVE\enviados_cliente\2014\03\14\4228264.pdf

Análise Referência: Classificação: Tipo de Publicação: Menções à Marca: Favorabilidade: Exclusiva: Assunto: Palavra-chave: Valor cm/col(fs): 0,00 Fechamento: 03/14 Tiragem: 0,00 Centimetragem Medida: 0,00 Valor: 0,00 Total: 0,0000


14/3/2014

Sonoticias - O primeiro jornal virtual do interior de MT

Economia Economia Economia Economia Economia Economia Economia Economia Economia Economia

política polícia esportes economia opinião + editorias agronotícias socialnews

Encontre no Só Noticias

Buscar

Vendas de carros novos em Mato Grosso diminuem Fonte: Só Notícias

13 de Março de 2014 - 15h01 A-

A+

As concessionárias em Mato Grosso venceram 8.757 novos veículos, mês passado, constatou a Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos Automotores de Mato Grosso (Fenabrave). Em relação ao mês anterior, as vendas diminuíram 11,9%, porém na comparação com o mesmo período de 2013, cresceram 12,9%. O segmento de automóveis apresentou retração de 27,1% em relação ao mês de janeiro. Foram 2.865 emplacamentos em fevereiro antes 3.934 do primeiro ano. O setor de caminhões seguiu a tendência dos meses anteriores e cresceu mais 4% em relação a janeiro. Foram vendidas 4.002 motos em fevereiro e manteve-se praticamente estável em relação a janeiro. Mas comparado ao mesmo período de 2013, o aumento foi de 21,6%.

últimas notícias 22h25 Rondonópolis empata com CRBAL na estreia da Copa do Brasil 22h20 Grêmio perde muitos gols e fica no 0 a 0 com o Newell’s na Arena 21h53

Justiça decide que FGTS pode

O presidente Manoel Guedes analisa que os baixos índices em fevereiro são comuns, principalmente por ser usado para pagar pensão ser um mês mais curto. Porém, não é motivo para preocupação por parte dos concessionários. “As vendas

alimentícia

de janeiro foram impulsionadas pelo restante do estoque com baixo IPI. O menor resultado de fevereiro reflete essa antecipação de compra, mas as marcas sempre inovam com condições, campanhas, bônus, entre outros benefícios que contribuem para o aumento das vendas”, declarou, através da assessoria.

21h47 Santos terá camisa especial contra o racismo diante do Rio Claro 21h25 Justiça suspende certame milionário em Mato Grosso 21h06

Começa em Sorriso seminário

que integra produtores e o sistema

20h57 Jayme critica critério para cobrar pedágio na BR-163 do Nortão ao MS 20h45 Gêmeas moradoras de Cuiabá são presas em MS com maconha e haxixe 20h29 PM prende 3 com cocaína em quadra de organizada do Corinthians 20h11 Consumidor vai sentir em 2015 impacto da ajuda do governo a distribuidoras energia veja ade relação completa

http://www.sonoticias.com.br/noticia/vendas-de-carros-novos-em-mato-grosso-diminuem

1/2


Clipping FEVEREIRO Venda de veículos cai 11,9% em MT 4228266 - A TRIBUNA (MT) - WEB - WEB - 13/03/2014 http://iportal.oficinadeclipping.com.br/Login.aspx?id=Lrm/pQkqq4a7iPVW2G/UIMNpL6URowCDjzNG6hVyf1bbhjRCx8N+1A==

http://www.atribunamt.com.br/2014/03/venda-de-veiculos-cai-119-em-mt/ Ficha Técnica Empresa: FENABRAVE Categoria: Fenabrave Autor: Redação Cidade: WEB Estado: WEB País: BRASIL Disponibilização: 14/03/2014 Tipo Veículo: SITE Palavra Chave: FENABRAVE Arquivo Interno: I:\FENABRAVE\enviados_cliente\2014\03\14\4228266.pdf

Análise Referência: Classificação: Tipo de Publicação: Menções à Marca: Favorabilidade: Exclusiva: Assunto: Palavra-chave: Valor cm/col(fs): 0,00 Fechamento: 03/14 Tiragem: 0,00 Centimetragem Medida: 0,00 Valor: 0,00 Total: 0,0000


14/3/2014

Venda de veículos cai 11,9% em MT | A TRIBUNA – O melhor jornal da região

PÁGINA INICIAL

REPÓRTER CIDADÃO

AGROPECUÁRIA

BRASIL/MUNDO

FALE COM A REDAÇÃO

CLASSIFICADOS

ESPORTES

GERAL

POLÍTICA

POLÍCIA

MEDICINA E SAÚDE

Pesquisar

março 13, 2014

Tweet

FEVEREIRO

Venda de veículos cai 11,9% em MT A

A

A

Em fevereiro, Mato Grosso emplacou 8.757 novos veículos, segundo balanço mensal da Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos Automotores de Mato Grosso (Fenabrave-MT). Em relação ao mês anterior, as vendas diminuíram 11,9%, porém na comparação com o mesmo período de 2013, o setor cresceu 12,9%.

NEWSLETTER

Segundo o presidente da Fenabrave-MT, Manoel Guedes, os baixos índices registrados em fevereiro são comuns, principalmente por ser um mês mais curto. “As vendas de janeiro foram impulsionadas pelo restante do estoque com baixo IPI. O menor resultado de fevereiro reflete essa antecipação de compra, mas as marcas sempre inovam com condições, campanhas, bônus, entre outros benefícios

Assine nossa newsletter e recebe diariamente notícias do A TRIBUNA em seu email. Seu email:

que contribuem para o aumento das vendas”, comentou. O segmento de automóveis apresentou grande retração de 27,1% em relação ao mês de janeiro.

Assinar

Foram 2.865 emplacamentos em fevereiro contra 3.934 em janeiro. Já em relação ao mesmo período de 2013, a alta foi de 2,1%.

EDITORIAL

Já o segmento de caminhões seguiu a tendência dos meses anteriores e cresceu mais 4% em relação a janeiro. O segmento de motos registrou 4.002 unidades emplacadas em fevereiro e manteve-se

Um novo tempo?

praticamente estável em relação a janeiro. Mas comparado ao mesmo período de 2013, o aumento foi

publicado em março 14, 2014 / Comente

de 21,6%.

O Jornal A TRIBUNA publicou ontem, em sua reportagem de capa, mais uma constatação do caos que impera […]

OPINIÃO DO LEITOR Surpresa

RELACIONADAS

publicado em março 14, 2014 / Comente

A família rotária Carro fica prensado entre caminhões e ocupantes saem ilesos; fotos

Estado divulga novos números sobre incidência da dengue em MT

MPF oferece vagas para estágio em Rondonópolis

Policial rodoviário atesta situação caótica da BR-364

Neri Geller é o novo ministro da Agricultura

publicado em março 14, 2014 / Comente

Assinado o contrato de concessão da BR-163

O mundo tem sede publicado em março 13, 2014 / Comente

PESQUISE POR DATA março 2014

NEWSLETTER Assine nossa newsletter e recebe diariamente notícias do A TRIBUNA em seu email.

http://www.atribunamt.com.br/2014/03/venda-de-veiculos-cai-119-em-mt/

D

S

T

Q

Q

S

S

1/4


Clipping Venda de veículos caiu 17% segundo Associação dos Fabricantes 4228286 - G37 - WEB - WEB - 13/03/2014 http://iportal.oficinadeclipping.com.br/Login.aspx?id=Lrm/pQkqq4Ywstl0gp0EBsNpL6URowCDjzNG6hVyf1bbhjRCx8N+1A==

http://www.g37.com.br/index.asp?c=padrao&modulo=conteudo&url=029587&ss=5 Ficha Técnica Empresa: FENABRAVE Categoria: Fenabrave Autor: Redação Cidade: WEB Estado: WEB País: BRASIL Disponibilização: 14/03/2014 Tipo Veículo: SITE Palavra Chave: FENABRAVE Arquivo Interno: I:\FENABRAVE\enviados_cliente\2014\03\14\4228286.pdf

Análise Referência: Classificação: Tipo de Publicação: Menções à Marca: Favorabilidade: Exclusiva: Assunto: Palavra-chave: Valor cm/col(fs): 225,00 Fechamento: 03/14 Tiragem: 0,00 Centimetragem Medida: 0,00 Valor: 225,00 Total: 0,0000


14/3/2014

G37 | Gazeta do Oeste | Divinópolis – MG | Jornal de Notícias e Variedades do Centro-Oeste de Minas Gerais | Venda de veículos caiu 17% segun… DIVINÓPOLIS, 14 DE MARÇO DE 2014

Ok ASSINE O GAZETA DO OESTE | ACESSE SUA CONTA

Capa

Cidades

Editorial

Entrevista

Esportes

Estadual

Geral

Nacional

Policial

Política

CIDADES >

Colunas & Suplementos

Coberturas

DESTAQUES DA HORA

Venda de veículos caiu 17% segundo Associação dos Fabricantes Quinta-feira, 13 de março de 2014 às 4h 50 - Por: Liziane Ricardo

Mercado divinopolitano teve prejuízo de 11,58% nos emplacamentos.

Jaime Martins pronuncia sobre a importância de se votar o “Novo

DER/MG apresenta em audiência pública projeto executivo para ob Anel Rodoviário

Para o deputado é preciso que o atual código seja atualizado Os três primeiros trechos que sofrerão intervençõ para nova realidade econômica do mundo. ganharão alças, viadutos e marginais. Edital será

ARTICULISTAS & BLOGS Mateus Levi » Campeonato Mineiro força total... » Divinópolis aprova dois projet... Orlando Rosca » BUGRE: AGORA NÃO TEM JEITO VOC... » A DIVINA DECADÊNCIA DO IMPÉRIO... Marcos Fábio

O número de veículos novos licenciados no mês de fevereiro recuou 17% na comparação com o mês anterior, segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Conforme balanço da entidade, foram vendidos 259.328 veículos no mês passado. Em janeiro, a comercialização de carros novos chegou a 312.618. Em relação a fevereiro de 2013, houve alta de 10,3%. Já o mercado de concessionárias em Divinópolis aponta uma grande queda no número de veículos novos vendidos desde o ano passado. Em relação a 2012, quando foram vendidos 6.296 automóveis, o mercado teve prejuízo de 11,58% nos emplacamentos registrados em 2013, com 5.556 unidades. Os índices são preocupantes, já que estão acima do registrado no país de 0,9%. Os dados são da Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), que revelaram ainda ligeira alta em dezembro, em relação ao mês anterior e o mesmo período de 2012. A indústria brasileira começou 2014 com ritmo novo, mas o desempenho não anula as perdas acumuladas no fim de 2013. De acordo com a Coordenação de Indústria do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em novembro e dezembro, a produção acumulou perda de -4,3%; em janeiro, a alta alcançou 2,9%. Com esse resultado, a média móvel trimestral amenizou a perda: evoluiu de -1,2% para -0,5%. Ao todo, no país a produção de veículos teve alta de 18,7%. Foram produzidas, em fevereiro, 281.452 unidades, contra 237.186, em janeiro. Na comparação com fevereiro de 2013, houve alta de 16,9%. CARROS LEVES Carros comerciais leves tiveram uma queda nas vendas ainda maior de 15,04%. Em 2012 foram licenciados 3.059 veículos, contra 2.599 de 2013. As motos também acompanharam o declínio. Com 12,72% a menos de vendas, a cidade registrou em 2012, duas mil cento e vinte e duas motos emplacadas, 270 a menos que as 1.852 vendidas em 2013. O único seguimento que registrou alta foi o de caminhões e ônibus. O crescimento foi de 35,96% em 2013, em relação a 2012. LICENCIAMENTOS Em um ano a queda do volume de licenciamentos de veículos em todo o Brasil, foi de 34.605 carros a menos. Para especialistas, os indicadores refletem a limitação de crédito para http://www.g37.com.br/index.asp?c=padrao&modulo=conteudo&url=029587&ss=5#.UyLJ5fldWT8

» O POVO, OS POLÍTICOS E DEUS... » MAS, AQUI É ASSIM...... Turismo » Menos de 100 dias da Copa das ... » Turismo atrai recursos estrang... Tereza Lada » DIREITOS DO CONSUMIDOR: BAGAGE... » DIREITO DO CONSUMIDOR – NOVAS ...

LEIA NO GAZETA DO OESTE

1/2


14/3/2014

G37 | Gazeta do Oeste | Divinópolis – MG | Jornal de Notícias e Variedades do Centro-Oeste de Minas Gerais | Venda de veículos caiu 17% segun…

aquisição de carros, forte limitação para motos e o endividamento das famílias brasileiras. Em Divinópolis o volume de licenciamentos em dezembro foi de 462 veículos emplacados, contra 423 de novembro, ou seja, o crescimento foi apenas de 9,22%, conforme a Fenabrave. COMPARTILHES

Edição 2278 - Gazeta do Oeste - 13/03/2014

CAPA | VOLTAR

2 LISTAR TODAS AS EDIÇÕES

LEIA MAIS

MAIS LIDAS

Prazo para pagar IPTU encerra sexta Data é para pagamento à vista e também para vencimento da primeira parcela.

Unidades de saúde realizam ações preventivas em comemoração ao Dia da Mulher As unidades básicas de saúde do município de Divinópolis através da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) preparam uma programação especial para celebrar o Dia Internacional da Mulher (8).

UMA SIMPLES CIRURGIA VIRA DRAMA FAMILIAR EM DIVINÓPOLIS

ESTUDANTES DE MG CONSTROEM CARROS MAIS COMPETITIVOS PARA A BAJA

Open publication - Free publishing

ASFALTO COMEÇA A SER COLOCADO NA DUPLICAÇÃO DO ANEL RODOVIÁRIO

Hospital São João de Deus sob fiscalização

FESTAS E BALADAS

A polêmica e os problemas acerca das demissões dos funcionários do Hospital São João de Deus parece estar longe de acabar.

05/MAR | Abaeté

04/MAR | Abaeté

Abaeté Folia 2014 Abaeté Folia 2014 ABAETÉ FOLIA - ÁLBUM ABAETÉ FOLIA - ÁLBUM 1 2 MAIS CLICADA DA SEMANA

VEJA MAIS FOTOS DE BALADAS

Aquecedores Solar é Aqui solarmundi.com.br Economize 90% De Energia. Veja Como Conheça Aquecedores p/ Residência!

EXPEDIENTE FALE CONOSCO

http://www.g37.com.br/index.asp?c=padrao&modulo=conteudo&url=029587&ss=5#.UyLJ5fldWT8

2/2


Clipping Fenabrave 14.03.2014  

Clipping Fenabrave 14.03.2014

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you