__MAIN_TEXT__

Page 1

WWW.ABLAC.COM.BR

EDIÇÃO #34 JANEIRO | JUNHO 2020

Como gerar experiência e reter consumidores Conheça as ações da Francal Ablac Show em 2020 Base de clientes da sua loja está atualizada? Tudo na sua loja é importante


Diretoria Executiva 2019-2020 Presidente Marcone Tavares (Aby’s - Maceió/AL) Vice-presidente Bruno Constantino (Oscar Calçados - São José dos Campos/SP) Conselho Superior Vitalício Antonio Espolador Neto (Planeta Pé/Scarpinni - Curitiba/PR) Marconi Matias dos Santos (Itapuã Calçados - Vila Velha/ES) Carlos Mamoru Ajita (Casas Ajita - Maringá/PR) Antoniel Marrachine Lordelo (Azul Calçados - Itu/SP) Imad Esper (Savan Calçados - Goiânia/GO) 1º Secretário Lara Esper Esper (Franqueda Usaflex - Goiânia/GO) 2º Secretário Artur Tchilian (Di Santinni - São Paulo/SP) 1º Tesoureiro Imad Esper (Savan Calçados - Goiânia/GO) 2º Tesoureiro Antoniel Marrachine Lordelo (Azul Calçados - Itu/SP) Diretor de Marketing Rafael Sachete Pereira (Arezzo - Campo Bom/RS) Diretor Jurídico Rocine Milet Moraes Filho (Sapataria Nova - Recife/PE) Diretor de Desenvolvimento Profissional e Cursos Marcos Vinicius Finokiet (Igrejinha/RS) Diretor Social Nordeste Eduardo Smaniotto (Campo Bom/RS) Diretor Social Sul e Sudeste Mario Zanatta (Studio Z - Palhoça/SC) Conselho Deliberativo Presidente Pedro Paulo de Abreu (Carioca Calçados - Florianópolis/SC) 1º Conselheiro Paulo Roberto Damasceno (Talent Franquia - Salvador/BA) 2º Conselheiro Eduardo Rodrigues Espolador (Pague Menos - Curitiba/PR) 3º Conselheiro Leonardo Annicchino (Esporte Total - Capivari/SP) 1º Suplente Luiz Gustavo Kherlakian (Pontal - São Paulo/SP) 2º Suplente Raul Viega da Rocha (Lojas Radan - São Leopoldo/RS) 3º Suplente Claudir José Dullius (Dullius - Cruzeiro do Sul/RS) Conselho Fiscal 1º Conselheiro Nelo Ballesteros (Elmo Calçados - Belo Horizonte/MG) 2º Conselheiro Florêncio H. de Rezende Júnior (Flávio´s Calçados - Goiânia/GO) 3º Conselheiro Vanoil da Rocha Pereira (Passarela - Jundiaí/SP) Diretor Executivo Wesley Barbosa

4

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

Publicação da Associação Brasileira de Lojistas de Artefatos e Calçados (Ablac). Revista de distribuição gratuita, com circulação nacional e periodicidade semestral, dirigida a lojistas de artefatos e calçados. Visite o portal da Ablac (www.ablac.com.br) e associe-se! *Os artigos assinados são de exclusiva responsabilidade de seus autores

Sede social/administrativa Avenida Paulista, 726, 17o andar Edifício Comercial 5ª avenida São Paulo/SP Fone (11) 4506.3023 CEP 01310-910 Secretaria executiva Fone (62) 99907.1141 Goiânia/GO www.ablac.com.br secretaria@ablac.com.br Diretor responsável Marcone Tavares Jornalista responsável Milton Grabin - DRT/RS 6520 Planejamento gráfico e execução GBM Comunicação (51) 3593.2669 www.gbmcomunicacao.com.br milton@gbmcomunicacao.com.br


P O R

U M

C A M I N H A R

SAUDÁVEL

Pular corda, brincar de pegapega, jogar bola ou descobrir o mundo. Criançar exige muito dos pezinhos e para garantir o desenvolvimento saudável, os modelos Klin contam com tecnologias exclusivas para cada fase da criança. Para o caminhar saudável dos bebês aos mais crescidinhos com muita diversão!


EDITORIAL

Foco na evolução do varejo Parceria entre Ablac e Francal busca trazer as tendências do varejo mundial às lojas brasileiras

A

Ablac inicia este ano uma nova etapa em sua trajetória com foco na evolução do varejo calçadista brasileiro. Em parceria com a Francal, desenvolverá uma série de ações, durante todo o ano, para beneficiar tanto os associados quanto outros lojistas e a cadeia produtiva.

Uma das primeiras iniciativas em conjunto é a participação de um grupo de diretores, associados

e parceiros na NRF 2020, em Nova Iorque, nos Estados Unidos, em janeiro. O evento é o maior do varejo no planeta e recebe aproximadamente 40 mil visitantes, de 100 países, a cada edição. Na NRF, sobem ao palco representantes de grandes marcas internacionais, líderes de varejo e personalidades políticas, cujas apresentações revelam novidades acerca de suas respectivas áreas de atuação. A qualificação dos palestrantes e as iniciativas bem-sucedidas a que teremos acesso durante as visitas técnicas a lojas, nos dias seguintes, permitirão ao grupo brasileiro conhecer as tendências do varejo mundial em conceito, gestão, tecnologias e atendimento, entre outras. Em fevereiro, serão realizados em São Paulo dois eventos pós-NRF customizados, um para o va-

NOSSA CAPA

rejo em geral e outro para o setor de calçados, com a participação dos lojistas integrantes da missão

Especial aborda o futuro do vendedor no varejo calçadista brasileiro

internacional, para apresentação dos principais insights obtidos na feira e nas visitas feitas em Nova Iorque, os quais poderão ser incorporados às lojas associadas ao longo dos próximos meses.

Ciclo de desenvolvimento progressivo Com isso, o varejo brasileiro de calçados deverá iniciar um ciclo de desenvolvimento progressivo, alterando seu perfil e passando a oferecer aos consumidores novidades no atendimento, na exposição de produtos e no ambiente de vendas e, principalmente, experiências positivas de compra, como já

.COM.BR

WWW.ABLAC

#34 EDIÇÃO | JUNHO 2020 JANEIRO

ocorre nos Estados Unidos, na Europa e em outros mercados mais desenvolvidos. Muitas lojas brasileiras já estão investindo na modernização de suas operações e, com as novas informações que a NRF deverá nos proporcionar, somadas à melhoria no ambiente econômico do país, em que acreditamos, poderemos ter uma evolução significativa nos próximos anos. A Ablac e a Francal

ncia ar experiê es Como ger consumidor e reter es a as açõ Conheç l Ablac da Franca 2020 Show em s da sua cliente ada? Base de atualiz loja está sua loja Tudo na ortante é imp

6

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

não medirão esforços para que o futuro seja cada vez mais o presente do varejo calçadista brasileiro. Marcone Tavares Presidente da Ablac | 2019-2020


janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

7


SUMÁRIO

EDITORIAL

06

12

VAREJO

16

VAREJO

20

Parceria entre Francal e Ablac tem foco na evolução do varejo

Como gerar boas experiências e reter consumidores

Cliente tem razão e voz, que quase sempre utiliza para reclamar

Como fazer uma gestão eficiente de pessoas

VAREJO

CAPACITAÇÃO

FEIRAS

FEIRAS

A base de clientes da sua loja está atualizada?

O futuro do vendedor no comércio calçadista brasileiro

Francal Ablac Show une entidades e fabricantes para desenvolver o setor

Showroom Franquias é uma das atrações da Francal Ablac Show 2020

EMPRESAS

EMPRESAS

EMPRESAS

EMPRESAS

24

26

32

36

38

40

42

44

Piccadilly acelera projeto de expansão por meio de franquias

BusinessShop é o software preferido de diversas franquias de calçados

Blu Pagamentos inova com solução para recebíveis de cartão de crédito

Criatividade marca a campanha outono-inverno de Calçados Pegada

EMPRESAS

EMPRESAS

EVENTOS

MARKETING

45

46

48

50

Klin valoriza o caminhar saudável na coleção outono-inverno 2020

Patrus Transportes tem posicionamento e logomarca novos

Fórum Fimec 2020, em março, terá programação de interesse do varejo

Os 7 Ps do marketing e como utilizá-los com sucesso em sua loja

GESTÃO

GESTÃO

GESTÃO

CONTATOS

Plataforma digital apresenta sapatos do sul a lojistas de todo o Brasil

Empresas, anunciantes e profissionais citados na edição

54

Tudo na sua loja é importante. Saiba como otimizar todas as operações e vender mais 8

VAREJO

56

Como a tecnologia pode ajudar a acelerar o giro de estoque nas lojas

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

57

58


UMA NOVA MARCA.

UMA ENTREGA AINDA MELHOR.

Para inovar, é preciso evoluir. E com o compromisso de encontrar os melhores caminhos que conectam pessoas e encurtam distâncias, a Patrus Transportes resolveu modernizar sua marca e suas entregas. Porque aqui o futuro já começou e, na corrida pelo desenvolvimento sustentável, a tecnologia é o combustível que nos mantém sempre em movimento.

Patrus - Sua entrega. Nosso caminho.

www.patrus.com.br


VAREJO

Como gerar boas experiências no varejo Consultora ensina como inovar e criar conexão com os consumidores

Q

ue tipo de experiência os consumidores estão tendo com a sua marca? A pergunta é feita com frequência pela consultora Tatiane Alves, pós-graduada em moda, comunicação e consumo, em palestras a industriais e varejistas de calçados. Conforme ela, proporcionar experiências positivas aos clientes é um dos gran-

des desafios que as marcas enfrentam, e muitas não conseguem alcançá-lo por diversas razões, entre elas o desconhecimento das novas motivações de compras, principalmente da nova geração de consumidores, que exigem das marcas posicionamento e transparência, e a falta de disposição para enfrentá-los. “São fatores essenciais para que as pessoas decidam comprar ou não uma marca”, enfatiza.

12

junho/dezembro 2019 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS


VAREJO

Tatiane destaca que atualmente, para a

Criou uma campanha com um senhor de bar-

maioria das pessoas, é indiferente comprar

ba e cabelos brancos, fazendo alusão ao Papai

diretamente da indústria ou do varejo. Mais do

Noel, bem diferente das campanhas normais.

que de quem comprar, elas querem agilidade e tudo imediatamente. Então, é preciso ter bons

Sem atritos & muita assistência

produtos, ambiente atrativo e atendimento ágil

Há alguns anos, o conceito no-friction– ex-

transparência no processo.‘‘Todo mundo quer

para corresponder às expectativas”, destaca.

pressão inglesa que pode ser traduzida como

Quando esses fatores se somam, a ex-

sem fricção ou sem atritos – está em alta no

periência é positiva, isto é, o conjunto de per-

varejo mundial. Busca simplificar a vida do

cepções que o consumidor constrói quando

consumidor retirando obstáculos, oferecendo

interage com a marca, antes,durante e após a

acesso à informação e disponibilizando canais

compra, agradou-lhe.Para que a experiência

para que ele tenha autonomia. Além da facilida-

seja boa, é preciso oferecer-lhe, além de bons

de de compra, retiradas e trocas, o pagamento

produtos, pontos de contato, isto é, espaços, fí-

com segurança e agilidade é outra vantagem

sicos ou digitais, que possibilitem uma conexão

oferecida. Agora, surge outra tendência: a assis-

com a marca. “São pontos em que o cliente e a

tência. Os clientes esperam que as marcas os

marca se encontram e a experiência é gerada”,

auxiliem de alguma forma, tenham tecnologia

explica Tatiane.

para facilitar a sua vida e que ela seja utilizada

Pontos de contato

para resolver problemas quando necessário.

são as mídias sociais. Tanto elas quanto o site

Humanização das marcas

da marca precisam ter conteúdo relevante.

Outro desafio das marcas na atualidade é

Além de fotos e informações sobre os produtos

definir e praticar valores que vão além do apelo

e os valores da marca, a publicação de vídeos

comercial. Consiste em oferecer, além de produ-

é essencial para atrair o público-alvo. Outros

tos, informações relevantes com transparência,

pontos de contato são as pop-ups (lojas com

honestidade e sentimentos. As que agem desta

data para abrir e fechar) e as guide shops (lojas

forma conquistam consumidores, consolidam-

onde pode-se provar o produto, comprar online

-se no mercado e atendem às exigências das

e recebê-lo em casa). Mais recentemente, um

diferentes classes socioeconômicas.

O mais conhecido dos pontos de contato

novo ponto de contato vem ganhando impor-

Reciclar A nova geração de consumidores tem noção de sua responsabilidade para com o meio ambiente, por isso exige das marcas o reaproveitamento de materiais. “Reciclar é uma tendência com foco no consumo consciente”, afirma Tatiane, destacando o crescimento de sites e lojas que vendem os chamados produtos de segundo mão.

Público 60 ou + ganha atenção Embora a nova geração seja o centro das atividades das marcas, as pessoas que têm 60 anos ou mais passam a receber maior atenção. Este público possui dinheiro e tempo para consumir, mas não recebia o tratamento devido por parte do varejo. Nos últimos anos, vem aumentando o número de marcas, lojas e produtos destinados a essa faixa de consumidores. Na outra ponta da pirâmide social, o segmento kids também passa a ser visto com outros olhos pelas marcas. As crianças têm influência sobre os pais e poder de decisão de compra, para o que tanto a indústria quanto o varejo precisam estar atentos. “Também é preciso trabalhar bem o segmento plus size, pois pesquisas indicam que mais da metade dos brasileiros está acima do peso”, alerta Tatiane.

tância. Trata-se da hashtag própria da marca, que facilita a interação com os consumidores e os leva a reforçar os laços com ela.

Comunicação através das redes sociais As ações desenvolvidas pela marca/loja devem ser criativas e comunicadas através das redes sociais. “É preciso fugir do lugar comum”, afirma Tatiane, citando o case do shopping canadense Yorkdale, que atraiu a atenção dos clientes no Natal de 2018 de forma criativa. SEGUE >>

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

13


VAREJO

Atrativos que devem ser valorizados pelos lojistas As marcas e seus valores têm papel relevante para o consumidor, mas é na loja que ele materializa a experiência de consumo,

01

fatores como ambiente de compras, produtos e atendimento adequados. Veja a seguir como oferecer uma experiência positiva ao consumidor:

14

Isso ajuda a atrair até mesmo o público desconhecido à loja, mas é importante ser objetivo e simples na linguagem.

02

e para isso são importantes

05

Criar conteúdo no site e nas mídias sociais

Informação de moda e comunicação Em tempo de consumidores altamente informados, as lojas e suas equipes precisam ter conhecimento profundo sobre os produtos e a moda. Para isso, há ferramentas disponíveis, como a WeWearCulture, do Google, que oferece acesso a mais de 3 mil anos de conteúdo de moda.Tanto na indústria quanto no varejo, a informação sobre os produtos precisa ser clara ao consumidor. Como ele está sendo informado determina não apenas o sucesso da venda, mas toda a experiência com a marca. Para isso, mais do que conhecer os produtos em si, é necessário conhecer o lifestyle do consumidor, isto é, seu estilo de vida, hábitos, preferências e valores. “A venda compreende muito além do produto em si”, afirma Tatiane Alves.

Ambientação sonora Os elementos visuais são a cara da loja e a música é a sua voz. Conforme Tatiane, são muito mais do que apenas entretenimento para os clientes. São o tom e a alma da marca e fazem que os consumidores saibam de quem estão comprando. Portanto, a trilha sonora perfeita leva o consumidor a fazer o que a loja gostaria que ele fizesse, ou seja, comprar num ambiente que lhe provoca sensação de bem-estar.

06

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

03

Linguagem corporal

Identidade olfativa O objetivo é criar uma memória afetiva com os produtos, para as pessoas sempre lembrarem, com carinho, do local onde estiveram.

04

07

A expressão o corpo fala é verdadeira. Segundo Tatiane, isso indica que o posicionamento do corpo dos atendentes transmite informações aos clientes que entram na loja, as quais interferem diretamente na reação deles, como o interesse em ver os produtos expostos, efetuar a compra ou sair sem comprar.Por isso, Tatiane sugere aos atendentes manter uma postura ereta, que indica atenção e interesse pelo cliente. Punhos fechados denotam comportamento defensivo. Braços cruzados não são indicados, pois sugerem postura defensiva. Da mesma forma, o olhar deve ser dirigido aos olhos do interlocutor e mantido nesta posição, pois também indica interesse por ele.

Aroma de caracterização Marcas com personalidade clara e fortemente construída também podem utilizar o aroma para se comunicar com o mercado. Esse aroma é disperso ao redor da loja, em áreas específicas, com a intenção de atrair clientes.

Atendimento adequado Conhecer os principais tipos de clientes ajuda a ter a postura correta e ser bem-sucedido no atendimento a cada um deles. O cliente auditivo presta atenção em cada informação recebida do vendedor e valoriza-a. O cliente sinestésico, por sua vez, quer interagir com o atendente, pois julga-se conhecedor dos produtos, e por vezes atrapalha. Já o cliente visual observa a loja e todos os produtos para escolher o que mais lhe agrada. “Cada um tem características que devem ser conhecidas e observadas para o sucesso da venda”, finaliza.


VAREJO

Por MARÍLIA CARDOSO Consultora e professora de inovação

Cliente tem razão e voz

O

com as empresas usando as mídias sociais. E raramente faz isso para elogiar

cliente sempre tem razão? Você

próximo passo seria ir até o ponto de venda para

vez, já não era mais o primeiro momento da

pode acreditar que sim ou até dis-

conhecer melhor e tirar dúvidas sobre aquela

verdade.

cordar dessa afirmação tão popu-

oferta. Esse era chamado o primeiro momento

E o mais interessante é que, quando deci-

lar no mundo dos negócios. Mas,

da verdade. Era ali, no ponto de venda, que a em-

dem comprar, seja pela internet ou em uma loja

se tem uma coisa de que hoje não há mais a me-

presa tinha a sua única chance de convencer o

física, os consumidores passam para o segundo

nor dúvida, é a de que o cliente sempre tem voz.

cliente, incentivando-o a comprar. Caso tivesse

momento da verdade, o da experiência, e, nesse

Esteja ele certo ou não, a era digital poten-

êxito, era chegado o segundo momento da ver-

momento, eles não mais se limitam a simples-

cializou a autonomia das pessoas e, atualmente,

dade. A hora do cliente experimentar e validar se

mente dizer aos seus amigos e parentes se gos-

elas querem falar com as empresas de forma

realmente a compra tinha compensado ou não.

taram ou não daquela aquisição. Eles também

mais rápida e direta, usando as mídias sociais.

Com o advento da internet, o Google reali-

vão colocar as suas impressões na internet,

E raramente fazem

zou estudos e chegou à conclusão de que esse

retroalimentando essa jornada de decisão de

isso para elogiar.

ciclo de compra mudou. O consumidor continua

compra.

Melhor informa-

recebendo estímulos da mesma forma, pelos

O ZMOT ocorre porque os consumidores

dos, consumidores

anúncios ou pelas reportagens. No entanto,

querem informações vindas de fontes con-

de várias classes so-

antes de ir até o ponto venda obter mais infor-

fiáveis antes de decidir o que comprar. Essas

ciais estão mais exi-

mações com a própria empresa, ele vai para

informações são opiniões de outras pessoas

gentes e pressionam

a internet e é lá que, na maioria das vezes, ele

em sites especializados, discussões em fóruns,

as empresas em ge-

toma a decisão de comprar ou não. Segundo

postagens em redes sociais, vídeos com avalia-

ral para resolverem

as pesquisas do Google, no caso de compra de

ção do produto e tantos outros meios.

seus problemas de

carro, o consumidor só vai até à concessionária

forma rápida - muitas vezes deixando de lado os canais tradicionais, como é o caso do SAC.

quando já está com 97% da compra decidida.

Ao chegar no momento de efetivar a compra, o consumidor já está com boa parte da deci-

E, muitas vezes, quando chega lá, ele está

são tomada. É durante o ZMOT que ele escolhe

Em outros casos, cansados de promessas

até mais bem-informado que o próprio vende-

quais produtos entrarão na lista de compras, o

não cumpridas e da má vontade das empre-

dor. Isso porque ele entrou em fóruns de dis-

local onde irá comprar e onde ele recomendará

sas, em especial no pós-venda, clientes vão a

cussão e pesquisou exaustivamente sobre as

o produto depois da experiência.

situações extremas. Nesse contexto, vemos

impressões que os clientes que já compraram

Isso muda a lógica do marketing, onde o

consumidores excessivamente empoderados

tiveram sobre aquele produto. Dessa forma, sur-

consumidor era passivo e apenas recebia as

e empresas despreparadas. Mas, por que será

ge o que o Google batizou como ZMOT - Zero

mensagens das marcas. O consumidor está

que a relação entre empresas e consumidores

Moment of Truth, o momento zero da verdade.

cada vez mais ativo e vai atrás das informações

mudou tanto?

16

Consumidor 4.0 quer falar

Esse estudo realizado em 2012, com mais

que quer, nos canais em que confia. Com isso,

Antigamente, o processo de compra se

de 5 mil consumidores, revelou uma importan-

cabe às empresas tomarem atitudes para esta-

dava em três etapas. Primeiro, tínhamos um

te alteração na jornada de decisão de compra.

rem presentes e dialogando com o consumidor

estímulo. Anúncios ou reportagens trazendo

Os pesquisadores do Google perceberam que

durante esse momento zero da verdade. Com o

as novidades de uma empresa. Se tivéssemos

o momento em que os consumidores estavam

empoderado consumidor 4.0, elas se adequam

interesse naquele produto ou serviço, o nosso

dentro da loja, diante do produto pela primeira

ou perdem o cliente para a concorrência.

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS


VAREJO

Por CLAUDIA BITTENCOURT Diretora-geral da Bittencourt Consultoria

Aprenda com os outros Como evoluir seu negócio a partir da experiência de outras empresas

S

abemos que alguns elementos ajudam na forma-

analisarem as mudanças que estão ocorrendo, comparadas

ção do caráter e da personalidade do ser humano.

à sua capacidade de acompanhar e de realizar transforma-

Fazem parte disso os bons exemplos, os erros e

ções no seu negócio. O que não adianta muito. O momento é

acertos, as dores e o sofrimento enfrentados no

de reflexão, para desenvolver um plano de ação e atacar por

dia a dia e ao longo da vida, além de espiritualidade, fé e me-

partes, sabendo o que está se fazendo e onde quer chegar.

ditação. Tais elementos também acabam influenciando no

Neste ponto, a ajuda externa pode ser importante.

desenvolvimento das empresas, uma vez que são lideradas por seres humanos.

Essa é mais dolorosa porque pode haver perdas, desmotiva-

As empresas têm condições de evoluir ou desenvolver

ção e desaceleração dos negócios. A falta de atuação nos

seus negócios a partir dos bons exemplos e cases de suces-

dois fatores citados leva a esta situação. Quantas empresas

sos existentes no mercado.

acordaram para a realidade e a necessidade de mudar radi-

No passado, se ouvia muito que faltavam novas ideias, de

calmente ao passarem por um processo de perda de rele-

produtos, negócios e serviços. Quando surgia algo novo em

vância no mercado, gerado por falta de estratégia e de olhar

um mercado, o mundo todo copiava. Hoje, o que não faltam

para o novo, por excesso de conservadorismo ou por terem

são novas ideias, novos produtos, novos formatos e novos

estruturas rígidas e liderança desalinhada da nova realidade

modelos de negócios. Todos os dias surge algo inovador e dis-

do mundo dos negócios.

ruptivo, impulsionado pela evolução da internet, da tecnolo-

Atuar nos dois primeiros fatores é muito melhor e exis-

gia, do digital e da nova geração. E tudo absolutamente visível

tem formas para obter ajuda externa para tal, o que blindará

e disponível para todos. Se é bom e pode alavancar o negócio,

a empresa para a evolução pela experiência.

por que não se espelhar e fazer igual ou melhor? Com os aspectos ligados à espiritualidade, à fé e à meditação, podemos fazer uma analogia em relação às reflexões profundas sobre o momento do negócio, onde a empresa está, para onde vai, como vai e de que forma vai. As empresas mais do que nunca estão precisando desse momento de reflexão. Todo o seu ambiente de negócio mudou, o mercado, os clientes, os fornecedores e os colaboradores, enfim, a necessidade de entender como a empresa está em relação às grandes transformações que estão ocorrendo à sua volta é vital. De repente, precisará mudar tudo, cultura, liderança, jeito de pensar, agir e de atender o seu cliente. Muitos empresários entram num estágio de ansiedade ao

18

Outro fator de evolução é o de passar pela experiência.

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS


...............

SOLADO ANTIDERRAPANTE

TECNOLOGIA GEL TECH

...................................

.............

........................

................

ESPUMA NO CALCANHAR

FORRO ANTIBACTERIANO

PALMILHA ULTRACOMFY


VAREJO

Por ANDERSON OZAWA Diretor Vogal do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado do Consumo (IBEVAR)

Gestão eficiente de PESSOAS

E

m uma palestra que proferi em uma importante feira de automação para o varejo, uma pergunta surgiu ao final: “Como obter o máximo das pessoas em meu negócio?” Este é um questionamento que sempre

recebo em palestras ou trabalhos. Pensando em responder a este

O varejo que ainda vê as pessoas apenas como um número será tratado da mesma forma, diz especialista

questionamento, separei sete passos que utilizo nas empresas: 1 – INVISTA EM SELEÇÃO E RECRUTAMENTO - Ter as pessoas certas

sentem-se valorizados e, consequentemente, os resultados são me-

significa selecionar aquelas que estão alinhadas e acreditam na missão

lhores. Desde capacitações técnicas a interpessoais, o importante é

da loja. Defina bem quais perfis você deseja para o seu negócio, quais ex-

investir no colaborador e registrar estes momentos através de fotos,

periências e técnicas devem possuir, e então comece a buscar. Contratar

certificados e outras ações.

por necessidade sai muito caro. Contrate por alinhamento. 2 – DÊ AS BOAS-VINDAS - Vai além de um kit com um informativo. É

para que as pessoas sintam-se em um ambiente participativo e colaborati-

nessa hora que você deixa claros as regras da empresa, quais os papéis

vo. Estabelecer programas de ideias fomenta o envolvimento das pessoas

e as responsabilidades e insere a pessoa no time. Quando isso acontece,

no negócio e nos processos, e quem está na operação tem, na maioria das

ela inicia um processo único de aceitação da organização que irá marcar

vezes, uma solução ou um jeito simples que vá de encontro com o produto

sua trajetória na vida profissional.

ou serviço e, principalmente, com o cliente.

3 – CAPACITAÇÃO INICIAL - Antes de colocar a pessoa em atividade,

O varejo que ainda vê as pessoas apenas como um número será tratado

forneça capacitação para a função que ela irá exercer, seja em sala de

da mesma forma. Os colaboradores são a espinha dorsal e parte viva do

aula ou na prática. Essa ação valoriza o colaborador e faz com que ele

negócio que tem interação constante com os clientes, fornecedores, so-

aprenda os processos corretos sem vícios. A empresa tem a oportunida-

ciedade e acionistas. Sua ação sincronizada leva a um resultado contínuo

de de manter a homogeneidade das rotinas e garantir que a execução será

de satisfação e alinhamento de propósitos, que hoje são um diferencial

realizada da maneira correta.

competitivo. Enquanto uns cortam despesas através das pessoas, outros

4 – AVALIE COM FREQUÊNCIA - De acordo com a política de avaliação, sempre forneça o feedback aos colaboradores, orientando-os e reconhecendo seus resultados. Ter indicadores de desempenho é fundamental para que o funcionário saiba onde está posicionado e onde pode chegar. 5 – TENHA UM PLANO DE CARREIRA - Todos devem vislumbrar onde e como podem chegar dentro de uma empresa. O plano de carreira dá visibilidade à política de crescimento e remuneração, estimula e engaja as pessoas por saberem as regras claras do negócio. 6 – CAPACITAÇÃO CONSTANTE - Quanto mais horas de capacitação os colaboradores têm, melhor é o desempenho da empresa, mais

20

7 – OUÇA AS PESSOAS - Ter um canal aberto de comunicação é vital

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

investem em pessoas. Quem terá o melhor resultado?


Preto Server Sapato 100,00 Feminino R$


11 A 13 JANEIRO 2021 EXPO CENTER NORTE | SÃO PAULO

22

CO U R O M O DA .CO M

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

@couromoda

/c o u r o m o d a


QUEM ESTÁ NO MERCADO, ESTÁ NA COUROMODA

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS com e rci al @couromod a.co m .br | (11) 3897.6178 • (11) 3199.6100

23


VAREJO

Sua base de dados está ATUALIZADA? Se estiver, ela pode se transformar em conhecimento para aumentar a receita da sua loja

P

esquisas indicam que 80% das pessoas que fazem

das atualmente, Patrícia enfatiza que cadastrar clientes é como

compras numa loja não voltam mais por diversas

escovar os dentes: tem que ser um hábito diário e feito de forma

razões, como atendimento ruim, opção por outras

correta. Ela sugere começar pela inclusão do CPF do cliente na

lojas e falta de contato posterior dos vendedores

nota fiscal e pedir outras informações sempre que a oportunidade

convidando-as a retornarem (geralmente ocasionada pela inexis-

permitir, como nome, telefone, e-mail, data de nascimento e ta-

tência de informações básicas sobre elas).

manho do pé, que são essenciais para uma abordagem posterior

Isso significa que a loja que não possui uma base atualizada

“Perguntar o nome da pessoa já muda completamente a di-

menos uma parte dos que compram perde vendas. Mas não pre-

nâmica do atendimento na loja. Com outras informações essen-

cisa necessariamente ser assim. Patrícia Barizon, sócia-diretora

ciais, o pós-venda também pode ser diferenciado”, alerta. Confor-

da Guru CRM & Database Marketing, do Rio de Janeiro, enfatiza

me a sócia-diretora da Guru, não se deve começar do zero todos

que o cadastro de clientes deve estar sempre atualizado justa-

os dias, isto é, solicitar informações aos clientes e não inseri-las

mente para permitir conhecê-los e desenvolver estratégias para

no CRM da loja. Ao contrário, é preciso construir aos poucos o

que eles retornem à loja para a segunda compra. “Se pelo menos

cadastro, organizar as informações, conduzir a equipe para que

10% voltarem, já terá sido um ganho importante”, afirma.

faça uso delas diariamente e, sobretudo, criar estratégias para

Com 15 anos de experiência no varejo e 35 marcas atendi-

24

diferenciada.

de clientes e um programa pós-venda estruturado para reter pelo

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

estimular uma nova compra. “Isso fica mais fácil quando se sabe


VAREJO

o que o cliente comprou na primeira vez, pois pode-se apresentar-lhe algo semelhante”, justifica.

na os contatos mais produtivos. Para isso, disponibiliza, entre outros dados, um histórico do

Desafio da segunda compra

cliente, especialmente as informações sobre a última compra, nome, número do pé e sexo, que são essenciais para que o vende-

Para Patrícia, a segunda compra é um verdadeiro desafio

dor possa despertar o interesse do consumidor em voltar à loja.

para as lojas, que geralmente fracassam na tentativa de atingi-lo

“Não acredito em cliente difícil. O que há são vendedores pregui-

pela inexistência ou mau uso das informações. Por isso, finalizada

çosos ou mal conduzidos no desafio de reter clientes”, enfatiza a

a primeira compra, os vendedores devem inserir as informações

sócia-diretora da Guru CRM & Database Marketing.

no sistema e ter como meta a segunda compra, que fica mais fácil quando as informações sobre o cliente estão atualizadas. Na atualidade, diz Patrícia, todas as lojas brigam pelos mes-

INFORMAÇÕES ESSENCIAS SOBRE CLIENTES

mos clientes, e ter informações atualizadas sobre eles permite

> Nome

oferecer-lhes uma experiência positiva e facilita a vitória sobre as

> Endereço

concorrentes.

> Celular

Para ajudar o varejo nessa disputa, há ferramentas no mer-

> Número que calça/usa

cado que organizam as informações e facilitam a ‘condução’ dos

> Data de nascimento

vendedores por parte da gerência da loja. Uma delas é a Ferra-

> Produtos adquiridos na última compra

menta de Ativação Comercial do Vendedor, desenvolvida pela Guru. Ela controla a meta diária de ligações para clientes de cada vendedor, permite usar melhor o tempo disponível e também tor-

“A data de nascimento é um gatilho interessante para surpreender o consumidor e motivá-lo a voltar à loja”, afirma.

Reter um cliente é mais fácil do que conquistar um novo Ter informações atualizadas é importante, assim como fazer bom uso delas. Para isso, é preciso que haja cobrança da gerência à equipe, estabelecendo metas diárias de ligações ou contatos com clientes que não têm ido ou ido pouco à loja. Além disso, a habilidade de relacionamento interpessoal também é um ativo importante. “Varejo é um negócio de pessoas que vendem e pessaos que compram. Quanto mais dedicação houver das que vendem às que compram, melhores serão os resultados da loja e maior a satisfação dos clientes”, argumenta. Reter cliente é mais fácil do que conquistar um novo. Um cliente retido vale mais, compra melhor, confia mais na marca/loja e tem um tíquete médio maior. Por isso, o ideal é que 20% dos clientes sejam novos, 50% sejam retidos e 30% sejam resgatados, isto é, que voltaram a comprar devido a um pós-venda eficaz. DISTRIBUIÇÃO IDEAL DE CLIENTES 20% > novos 50% > retidos 30% > resgatados “A aquisição de clientes alimenta o ego, mas a retenção melhora o resultado”, explica Patrícia. Porém, a retenção de clientes somente

acontece com captura, gestão e uso correto de dados. Quando a base de clientes é organizada, fica mais barato e fácil comunicar-se com eles. Por isso, mantenha atualizado o cadastro de clientes da loja e trabalhe bem a retenção. Os resultados vão lhe surpreender. A IMPORTÂNCIA DA BASE DE DADOS Com uma boa base de dados, é possível também realizar a segmentação, que é trabalhar cada grupo de clientes ou produtos de maneira específica. “Não se pode falar a mesma coisa para todo mundo, ou seja, todos os clientes”, alerta Patrícia, que sugere agrupar os clientes de acordo com sua importância para a loja, como supervips, vips e assim por diante. Os grupos superiores têm que ter vantagens, tais como descontos, horário exclusivo de atendimento e um gerente à disposição. Outro grupo, que ela chamada de inativos com grande potencial, pode ser chamado para um café na loja e ser recebido com um volume de calçados conforme as suas preferências indicadas no cadastro de clientes. “Iniciativas com esta apresentam bons resultados no que diz respeito à satisfação dos clientes e, sobretudo, às vendas da loja, mas somente podem ser feitas com uma base atualizada e utilizada corretamente”, finaliza.

> Outras informações estão disponíveis em www.dataguru.com.br janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

25


CAPACITAÇÃO

O futuro do vendedor no varejo calçadista Especialista em vendas Rodrigo Ribeiro destaca a necessidade de o profissional acompanhar a transformação digital

O

avanço da tecnologia tem pro-

Essa é exatamente uma das motivações

tender que as pessoas formam um dos prin-

vocado mudanças cada vez

no ensino de Rodrigo Ribeiro, professor de

cipais pilares de um negócio. Muitas vezes,

mais rápidas e profundas no

gestão comercial e especialista em vendas

esse pilar se torna enfraquecido por falta de

comportamento do ser huma-

há mais de 25 anos. Em seu trabalho de trei-

investimento e qualificação. E é esse mesmo

no. No trabalho, não é diferente, principalmen-

namento por todo o Brasil, Rodrigo Ribeiro

pilar que faz as coisas funcionarem, ou não,

te em profissões que exigem contato com as

constantemente aborda temas importantes

em um negócio”, comenta Ribeiro.

pessoas, como é o caso do vendedor. Se, de

sobre os desafios da profissão, ressaltando

Empresas de todo o país - conforme ele

um lado, os consumidores estão conectados,

o uso da tecnologia a favor das vendas no

tem comprovado - estão colhendo frutos im-

do outro é preciso os profissionais acompa-

varejo calçadista.

portantes ao investirem no principal pilar de

nhem mais diretamente a tendência digital.

26

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

“Antes de tudo, é muito importante en-

uma empresa, as pessoas, e, mesmo diante


CAPACITAÇÃO

de cenários desfavoráveis, estão crescendo

fez com que ele, a partir de muito estudo, de-

organizacional e, sem vendas, não existe em-

de 10% a 15% ao ano através do compromis-

senvolvesse métodos eficazes para enfren-

presa. Eu sei, parece um clichê, mas é a pura

so e do engajamento de suas equipes.

tar esse desafio.

verdade”, ressalta Ribeiro.

Era digital

Rotatividade

Liderança

Cada vez mais, a tecnologia está pre-

Rodrigo Ribeiro fala sobre como com-

O que está sendo feito para desenvolver

sente em nossas vidas. Diante desse cená-

bater a rotatividade do varejo calçadista

novos líderes, gerentes e subgerentes nas

rio, como integrar os vendedores do varejo

que, segundo a Fundação Getúlio Vargas

empresas? Esse assunto é de grande interes-

calçadista à era digital? Atualmente, há um

(FGV), atualmente atinge 40% do setor têxtil

se para Ribeiro, que costuma utilizar muito

choque de gerações entre os profissionais

nacional. “É muito comum às pessoas irem

uma frase de Gandhi relacionada ao tema:

que atuam nesse setor.

para a área de vendas por uma necessidade

“Palavras convencem, exemplos arrastam”.

“O varejo, por exemplo, é 50% composto

momentânea ou como um trampolim para

A falta de liderança é uma questão que

pela geração Z (18 a 25 anos), que são na-

outras profissões. Algumas empresas per-

precisa ser levada muito a sério. Cada vez

tivos digitais. Isso torna mais fácil inserir a

cebem isso tarde demais e, quando se dão

mais, as empresas precisam estar atentas a

tecnologia na rotina de trabalho deles. Por

conta, enchem seus setores comerciais com

seus líderes. “Liderar é obter resultados com

outro lado, a outra metade dos profissionais

pessoas sem capacitação, sem propósito e,

o desempenho dos outros e isso não é uma

do varejo precisou, ou ainda precisa, apren-

principalmente, sem compromisso com a

tarefa fácil no mundo moderno. É preciso

der a utilizar a tecnologia a seu favor tam-

principal meta que toda organização possui:

saber lidar com pessoas cada vez mais dife-

bém no trabalho”, explica Ribeiro.

o faturamento com lucratividade”, enfatiza.

rentes, preparadas e ao mesmo tempo preci-

Outra questão levantada pelo especialis-

Outro tema que costuma ser muito abor-

sando de líderes eficazes que possam saber

ta é o fato de que essas duas gerações estão

dado no treinamento ministrado por Rodrigo

dizer qual o melhor caminho a ser percorrido

disputando as mesmas vagas de trabalho.

Ribeiro é o método utilizado para capacitar e

pela equipe, por exemplo”, afirma.

“Há um choque cultural muito grande. E

treinar os vendedores das empresas, algo de

Rodrigo Ribeiro criou um curso específi-

como resolver essa questão dentro da em-

enorme importância ao considerar o fato de

co para treinamento de lideranças do varejo

presa? Como lidar? Como liderar esses dois

que a falta de preparação é um dos maiores

calçadista, que já foi realizado em redes de

perfis totalmente diferentes?”, questiona Ri-

fatores na perda de vendas. “Poucos em-

lojas como Pontal (São Paulo), Katuxa (Mi-

beiro. Esse é o tipo de questionamento que

presários se dão conta que as vendas são

nas Gerais), Flávio’s (Goiás) e Aby´s (Alagoas

costuma receber entre aqueles que ainda

o coração da empresa. São elas que impul-

e Sergipe) e em faculdades de tecnologia do

não aprenderam a lidar com isso, algo que

sionam todo o sangue que percorre o corpo

interior paulista.

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

27


CAPACITAÇÃO

Como professor de gestão comercial e especialista em vendas, Rodrigo Ribeiro conta com mais de 25 anos de experiência e mais de 10 anos na liderança e gestão de pessoas em uma das principais empresas do setor calçadista brasileiro. O número de pessoas treinadas por ele já ultrapassou os 30 mil. Além disso, o profissional também já visitou mais de 5 mil lojas no mundo. Rodrigo Ribeiro é graduado em administração de empresas com aperfeiçoamento profissional em liderança metanoica, gestão de negócios com propósito em pessoas e empreendedorismo pelo Sebrae/Empretec/ ONU. Ele também é autor, sendo que suas maiores paixões são a leitura e a dedicação à escrita de livros com temas definidos para o mundo corporativo moderno. Os livros do autor são dois. A Meta - Por que algumas pessoas crescem na vida e outras não? comprova que as pessoas que crescem na vida são aquelas que possuem metas muito claras e bem definidas em busca da realização dos seus propósitos. A Ponte - Construa uma ponte entre você e seu cliente e faça-o atravessar para o seu lado mostra que o mundo está mudando e a cada segundo uma novidade surge e muda o rumo de todas as coisas.

Nos últimos dois anos, sempre presente nas principais feiras do setor calçadista nacional, associações comerciais, CDL ´s e, principalmente in company, Rodrigo Ribeiro esteve em mais de 100 cidades, nas quais ministrou mais de 200 treinamentos, que alcançaram mais de 30 mil pessoas. Ao todo, foram feitas atividades em 22 estados e no Distrito Federal

28

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS


Mais de 10.000 lojistas e de 1.000 fabricantes já aproveitam os benefícios da nossa plataforma.

Vem pra Blu!

Fabricante elimine totalmente a inadimplência do seu negócio

Lojista economize até 15% na compra com seus fornecedores

Blu. A solução financeira que liga o seu negócio.

0800 326 0966 useblu.com.br

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

29


30

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS


janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

31


FEIRAS

Parceria para unir e impulsionar Francal Ablac Show 2020 – que une Francal e Ablac – compreende um conjunto de ações estratégicas em benefício de todo o setor

A

Francal Ablac Show, lançada pela Francal e

sões acerca dos principais desafios para o desenvolvimento

pela Ablac em agosto de 2019, vai movimentar

do setor. O mapeamento dos temas surgidos servirá de base

o setor calçadista durante todo o ano de 2020

para as próximas reuniões bimestrais. Confira a seguir as ati-

com uma série de eventos e ações coordena-

vidades previstas para 2020:

da pelo Conselho Consultivo da Cadeia do Calçado. O órgão é composto por 23 membros, representantes das principais

Missão NRF 2020 em janeiro

entidades do setor – Associação Brasileira de Lojistas de Ar-

Um grupo de 20 lojistas, em sua maioria ligados a gran-

tefatos e Calçados (Ablac), Associação Brasileira das Indús-

des redes do varejo calçadista nacional, integra a Missão

trias de Calçados (Abicalçados), Associação Brasileira das

Ablac NRF, iniciativa pioneira e exclusiva para lojistas de

Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos

calçados. Além de conhecer as últimas tendências mundiais

(Assintecal), Associação Brasileira dos Representantes de

para o varejo e participar da extensa programação da NRF

Calçados, Confecções, Bolsas e Acessórios (Abrecal) e Cen-

2020 durante três dias, nos dois seguintes (15 e 16), os mem-

tro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB) –, fabricantes,

bros da missão farão um circuito de visitas técnicas, desen-

lojistas, fornecedores e diretoria da Francal.

volvido especialmente com enfoque em calçados e bolsas, ao

O conselho realizou sua primeira reunião em 25 de novembro, em São Paulo, com o objetivo de dar início às discus-

32

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

varejo de ponta de Nova Iorque. A curadoria é da Fundação Getúlio Vargas, através do Centro de Excelência em Varejo.


FEIRAS

Pós-NRF em São Paulo em fevereiro O pós-NRF da Missão Ablac será em São Paulo, no mês de fevereiro, ministrado pelo Centro de Excelência em Varejo da Fundaão Getúlio Vargas e composto por duas etapas: um dia com conteúdo amplo e diversificado com o resumo das principais tendências de varejo apontadas na NRF 2020 e outro da mesma forma, porém específico para o varejo de calçados e bolsas. O objetivo dos encontros posteriores à NRF 2020 é sintetizar o conhecimento adquirido em linhas práticas e aplicáveis e proporcionar a troca de experiências entre os convidados e os integrantes da Missão Ablac NRF. Com isso, espera-se promover um ciclo progressivo de desenvolvimento do varejo nacional em sintonia com o que já ocorre nos Estados Unidos, na Europa e em outros mercados mais desenvolvidos.

Rodadas de negócios Em Franca/SP, a rodada de negócios ocorrerá de 14 a 16 de abril, no Comfort Hotel. Em Novo Hamburgo/RS, será de 15 a 17 de setembro, no Swan Tower Hotel. Com nova metodologia, ambas vão pôr frente à frente lojistas selecionados e indústrias lo-

cais durante três dias. O objetivo é aproximar as redes de lojas dos polos calçadistas e gerar oportunidades de negócios em sintonia com as novas tendências de mercado, que valorizam a reposição periódica de produtos, a cooperação e a redução de custos.

Presença em feiras regionais A presença da Francal Ablac Show, em parceria com algumas feiras regionais, consiste em levar conteúdo de alta qualidade, com especialistas em diferentes áreas, tais como tecnologia, gerenciamento de categoria e visual merchandising, aos lojistas das regiões de abrangência dos eventos. Desta forma, a Francal Ablac Show amplia o acesso dos lojistas a informações relevantes para a gestão de seus negócios, permitindo a obtenção de novos conhecimentos em suas próprias cidades ou regiões de localização, e também colabora para a profissionalização das feiras regionais, que têm ganhado importância na política de compras do varejo nos últimos anos. “Vamos promover o debate em torno de temas de interesse do varejo e oferecer soluções consagradas em outros mercados em que atuamos e que podem ser incorporadas ao setor calçadista”, explica Fernando Ruas, diretor de negócios da Francal.

Lançamento das coleções de verão em junho Em junho de 2020, de 1º a 3, será realizada a 52ª edição

nas lojas no fim de ano até os primeiros meses de 2021. Com

da Francal, agora Francal Ablac Show, no Expo Center Norte,

layout inovador, o Francal Ablac Show – Alto Verão ocorrerá

para os lançamentos da principal temporada de vendas do

no Expo Center Norte, na capital paulista, com o formato de

ano – primavera-verão. Em sua edição realizada em junho de

salão de negócios e estandes padronizados, além de work-

2019, a Francal, com seu novo posicionamento 100% Varejo,

shop com conteúdo diverso e relevante.

proporcionou a lojistas uma imersão completa no grande uni-

Inédito no Brasil e baseado em iniciativas do gênero

verso do consumo, apresentando novas tecnologias, soluções

consagradas no exterior, o Francal Ablac Show é uma nova

e serviços para o varejo de calçados e acessórios de moda.

oportunidade de negócios que se inseare no calendário anual

Salão Alto Verão

do setor. Embora relevante em termos de vendas, tanto para fabricantes quanto para lojistas, o alto verão não dispunha até

Outro destaque da parceria é a realização de um novo

então de um evento que reunisse os dois segmentos e aten-

evento, na segunda quinzena de agosto, para promover negó-

desse às demandas específicas do varejo para o período que

cios das coleções de alto verão, que impulsionam as vendas

vai de outubro a março.

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

33


34

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS


janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

35


FEIRAS

Showroom de franquias de calçados Iniciativa pioneira ocorrerá na Francal Ablac Show 2020, de 1° a 3 de junho

P

ela primeira vez, um evento de negócios do setor de calçados abrirá espaço para fabricantes que trabalham com o modelo de

franchising. Esta ação pioneira é mais uma das inovações que a Francal Ablac Show 2020, de 1° a 3 de junho, vai oferecer para o mercado calçadista. Localizado numa área privilegiada e com grande visibilidade, logo na entrada da feira, o Showroom Franquias será uma oportunidade única para as indústrias que querem expandir

aumentar os lucros. “O mais comum é o em-

hoje um dos principais valores buscados pelos

seu modelo de franchising e fortalecer sua es-

presário manter sua loja multimarca e investir

consumidores”, ressalta.

tratégia de crescimento, tendo em vista o gran-

numa franqueada”, destaca. De acordo com estudo da Associação

court, especializado em franchising, aponta

acessórios de moda que visita o evento anual-

Brasileira de Franchising (ABF), o segmento de

as 25 maiores franqueadoras em termos

mente, principalmente aqueles que trabalham

moda (em que estão inseridos os calçados) foi

de cultura organizacional forte e liderança

com multimarcas.

o que apresentou segundo maior crescimento

transformadora, fatores considerados cru-

“Existe uma tendência à segmentação

relativo em número de unidades em 2018, na

ciais para a melhoria dos resultados. Destas,

nos dias de hoje no varejo de calçados”, ex-

comparação com o ano anterior (7,6%), che-

três são do segmento de calçados: Arezzo,

plica Wesley Barbosa, consultor de varejo da

gando a 22.931 unidades em todo o País. Até

Bibi e Jorge Bischoff.

Francal Ablac Show. Segundo ele, muitos lo-

o segundo trimestre de 2019, o aumento do nú-

“O Showroom Franquias abre para que

jistas estão buscando no modelo de franquia

mero de unidades deste segmento sobre igual

estas empresas, em número cada vez maior,

uma forma de diversificar seus negócios e

período anterior já tinha alcançado 4%.

possam expor sua marca e seu modelo de

. 36

Pesquisa divulgada pelo Grupo Bitten-

de número de lojistas de calçados, bolsas e

Wesley explica que os lojistas de calçados

franquia a milhares de lojistas interessados

que optam por este modelo se beneficiam da

em diversificar seu negócio”, explica o presi-

expertise que os franqueadores

dente da Francal, Abdala Jamil Abdala. “Mui-

 De acordo com estudo da ABF, o segmento em que estão

têm em gestão da marca, de

tas delas já são expositoras da feira e podem

inseridos os calçados foi o que apresentou segundo maior

produto e até de ambientação.

continuar mantendo seu estande na Francal

crescimento em número de unidades em 2018: 7,6%, che-

“É correto afirmar que lojas fran-

Ablac Show para comercializar as coleções e

gando a 22.931 unidades. Até o segundo trimestre de 2019,

queadas entregam uma melhor

outro estande no novo showroom para expan-

o aumento já tinha alcançado 4%.

experiência de compra, e este é

dir suas franquias”, conclui.

Segmento de moda em alta

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS


janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

37


EMPRESAS

PICCADILLY investe em franquias

U

já possui unidades no RS, no PI e em PE e projeta abertura de outras em 2020

ma das mais conceituadas marcas brasileiras

ampliar e estreitar o relacionamento com nossas consumido-

de calçados femininos de moda e conforto, a

ras, além de saber mais sobre seus hábitos de consumo e suas

Piccadilly está acelerando o ritmo de seu projeto

preferências de compra. A franquia nos possibilita oferecer um

de expansão por meio de franquias. Em novem-

amplo mix de produto e destacar nossos diferenciais e bene-

bro de 2019, inaugurou sua terceira loja em Porto Alegre/RS e

fícios, como calçados com tecnologias exclusivas que unem

a primeira em Recife/PE, cujos resultados vêm sendo positi-

moda e conforto. Nossa loja foi pensada para receber e atender

vos, tanto em vendas quanto em experiência de compra das

aos diferentes tipos de mulheres e às suas mais variadas ne-

consumidoras. No dia 12 de dezembro, a calçadista chegou ao

cessidades’’, destaca.

Teresina Shopping, em Teresina/PI.

38

Marca de calçados femininos

O projeto de franquias teve início no segundo semestre de

Marcos Finokiet, executivo de franquias da marca, enfatiza

2018 e visa entregar cada vez mais valor ao público feminino.

que, com o processo de expansão, a Piccadilly dá um impor-

Naquele ano, duas unidades foram instaladas em shoppings na

tante passo para se aproximar das consumidoras. “Queremos

capital gaúcha. Com o sucesso de ambas, o projeto ingressou

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS


EMPRESAS

em nova fase e foram abertas as novas franquias em Porto Alegre, Recife e Teresina. “A Piccadilly está sempre atenta a novos formatos e possibilidades de negócios. A indústria da moda é extremamente dinâmica, o que nos exige constante atualização para acompanharmos este importante mercado”, afirma o executivo de franquias da marca gaúcha. Dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF) indicam que, no último trimestre de 2019, o segmento de moda cresceu 8,6% em relação a igual período de 2018. Depois de casa e decoração, foi o que registrou a melhor performance. Ainda de acordo com a ABF, o desempenho positivo foi impulsionado, entre outros fatores, pelo redesign de produtos por parte de marcas tradicionais, em sintonia com os novos hábitos de consumo.

FRANQUIAS ATUAIS PORTO ALEGRE/RS > Shopping Iguatemi > Praia de Belas Shopping

Novas unidades em 2020

> Shopping Total

Em breve, a Piccadilly anunciará a abertura de novas lojas, tanto no Nordeste, quanto em outras localidades do país.Muitos dos

RECIFE/PE > Shopping Riomar TERESINA/PI

novos franqueados serão lojistas com quem há muitos anos a empresa mantém relaciona-

> Teresinha Shopping

mento no segmento multimarcas ou através das suas 28 lojas exclusivas. Mas também há

atuou no varejo piauiense anteriormente,

no mercado calçadista e que traz os diferen-

investidores que estão ingressando agora no

está reingressando no mercado, mas dessa

ciais de beleza, tecnologia e conforto para

varejo de calçados.

vez em um universo que ama, o de calçados.

os produtos. Com a franquia, Teresina tem

“Escolhi a Piccadilly para vivenciar este novo

acesso a um novo conceito de calçado’’, des-

momento, pois é uma marca que se destaca

taca Giovanna.

Segurança para investir Para a franqueada da nova unidade de Porto Alegre, Taís do Amaral, a Piccadilly acompanha o momento atual da moda feminina e, por isso, a entrada no franchising tem tudo para dar certo. “Sempre quis abrir meu próprio negócio e encontrei na Piccadilly toda a segurança necessária para investir no mundo das franquias. É uma marca com grande potencial, que acompanha as tendências e preza por valores atuais, como o empoderamento feminino’’, conta. A franqueada Giovanna Paulo, que já

 NÚMEROS DA PICCADILLY > 64 anos de atividades > 4 unidades fabris no RS > 3 mil colaboradores > 35 mil pares produzidos ao dia > 8 milhões de pares vendidos ao ano > Uma das cinco principais marcas de calçados femininos do país > 14 mil pontos de vendas multimarcas em todo o Brasil e outros 7 mil em mais de 100 países > 28 lojas exclusivas no Brasil e no mundo > 5 franquias em operação: RS, PE e PI

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

39


EMPRESAS

O preferido das FRANQUIAS BusinessShop Mobile é utilizado por franquias, mas também por multimarcas de calçados

V

arejo, tecnologia e conecti-

de referência no segmento de franquias,

so da venda, sem a necessidade de utilizar o

vidade. Estas três palavras

como Bibi, Usaflex, Luz da Lua, Piccadilly e

caixa tradicional e enfrentar filas para o pa-

definem a atuação da Server

Jorge Bischoff, além de multimarcas como

gamento, o PDV Mobile”, acrescenta.

Softwares para Varejo, de

Talismã Calçados e Lojas Paludo.

Novo Hamburgo/RS, que atua no mercado há mais de três décadas e tem como missão usar a tecnologia para criar um varejo 100%

40

Parceria com a Bibi desde 2008

Um dado, em especial, mostra o quanto a solução trouxe benefícios à rede de lojas. A Bibi tem operações em que o uso do dispositivo móvel já representa mais de 90% das

conectado, romper paradigmas nos modelos

Juliano Müller de Souza, gerente de

vendas efetuadas. O mobile check out, con-

de gestão eficiente e entregar novas expe-

transformação digital da Bibi (Parobé/RS),

forme Juliano, já é uma realidade do varejo

riências de compra ao consumidor final.

enfatiza que a empresa é parceira da Server

e deverá ficar ainda mais evidente nos pró-

O software BussinessShop reúne todas

desde o início do projeto de lojas físicas com

ximos anos. Por isso, a empresa tem novos

as soluções que o lojista sempre desejou

marca própria, em 2008. “Optamos pela Ser-

planos para o futuro em termos de proces-

e outras nunca antes imaginadas. PDV, re-

ver por ser um fornecedor com anos de mer-

sos no varejo e experiência de compra dos

taguarda, estoques integrados, relatórios

cado e também pela proximidade”, afirma.

consumidores.

para o controle do negócio, vendas mobile e

A Bibi possui a maior rede de lojas de

“Além da busca constante por novas

gestão dos vendedores e representantes. As

calçados infantis do país, com 121 unidades,

tecnologias para melhorar a experiência dos

tecnologias imersivas permitem um varejo

sete das quais no exterior. A solução utiliza-

nossos consumidores, a Bibi tem um foco

100% conectado e entregam uma experiên-

da são ferramentas para procedimentos de

muito forte no engajamento e atendimento

cia de compra diferenciada ao consumidor.

vendas e outras rotinas no varejo físico e são

das equipes, pois entende que este será um

“Com o BusinessShop, definimos uma

diversos os ganhos e as facilidades de ope-

grande diferencial para o sucesso das nos-

nova era de conectividade na gestão do va-

ração e gestão que ela proporciona à Bibi,

sas operações”, enfatiza.

rejo. Não criamos apenas tecnologia. Investi-

que tem buscado melhorar a experiência do

Marcos Zanelatto, da Server, enfatiza

mos em inovação segura, efetiva e funcional,

consumidor em suas lojas através de novas

que fazer parte do crescimento da marca

fundamental para a evolução dos negócios”,

tecnologias. “Entendemos que o consumidor

Bibi em nível internacional orgulha muito a

afirma o diretor comercial Marcos Zanelatto.

está mudando o seu comportamento e não

sempre. “São dez anos de uma parceria que

As diversas soluções integradas da

tolera mais atritos, principalmente no pro-

rende cada vez mais conhecimento para

empresa – Relacionadas na página ao lado

cesso de compra e pagamento. Com isto,

ambas as empresas. Caminhamos juntos

– são utilizadas por cerca de 3 mil clientes,

buscamos desenvolver tecnologias para

focando sempre na melhor forma de atender

desde pequenas lojas até grandes redes va-

eliminar estes atritos, sendo um deles um

às operações de varejo e sempre buscando

rejistas, entre as quais destacam-se nomes

dispositivo móvel que realiza todo o proces-

inovações”, destaca.

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS


EMPRESAS

SOLUÇÕES INTEGRADAS SERVER:

BusinessShop Representantes Permite liberar o Departamento Comercial das frequentes ligações dos representantes e dar autonomia a eles ou às franquias.Com essa ferra-

BusinessShop Software para gestão comercial no varejo conta com todas as rotinas necessárias para o funcionamento de redes de lojas ou franquias. Permite

menta, é possível consultar estoque de produtos, realizar pedidos, verificar preço e posição de entrega e fazer devoluções, tudo online e em tempo real, mesmo sem acesso à internet.

Solução mobile disponível para o sistema Android, o app, ideal para lojas de departamento, funciona como uma comanda digital que realiza a pré-venda, facilitando a interação

acesso em tempo real, de qualquer lugar, ao que acontece na loja, do es-

BusinessShop Pedidos

toque, à emissão de notas, ao CRM e

Smart List

ao demonstrativo de resultado.

Torna os vendedores mais eficientes

entre atendimento e cliente enquanto este circula pela loja.

e permite acompanhar a ordem de atendimento aos clientes, gerando

BusinessShop Mobile Permite deixar a loja sem um computador de caixa e liberar mais espaço para exibir produtos. Transforma os vendedores em consultores de moda, que podem realizar pesquisas de es-

uma taxa de conversão real e fidedigna à movimentação da loja, bem como ter acesso a intervalos, pausas e ausências por vendedor.Além disso, é possível permitir que os próprios vendedores visualizem suas metas, conversões e efetividade.

toque, preços e produtos similares e finalizar a venda no atendimento, sem necessidade de passar o cliente à fila do caixa.

Smart Mirror Digital Mirror O cliente chega à loja, escolhe a peça de roupa e vai até o provador para experimentá-la. Nesse momento, o espelho reconhece a peça que ele escolheu e exibe informações sobre o produto, como composição, materiais e origem. Além disso, sugere

Treinamento e certificação EAD

looks que compõem a peça e produtos similares.

Os colaboradores da loja possuem acesso a todos os conteúdos do EAD para treinamento e atualização a

BusinessShop Gestão

qualquer momento.

Com o App para celulares IOS e An-

Para lojas de departamento realiza-

droid, o lojista pode acompanhar tudo que acontece na loja através de

Coletor Virtual

relatórios em tempo real. Estatísticas,

Permite realizar coletas e inventá-

projeções e dados que levam à maior segurança na tomada de decisões estratégicas e até mesmo no pedido de compras de produtos.

BusinessShop Assistente de vendas rem consultas de estoque rápidas, práticas e em tempo real.

rios diretamente de celular, sem necessidade de leitores a laser caros e ultrapassados. Criado para reduzir custos de operação no varejo, é uma aplicação grátis para realizar coletas e inventários de lojas.

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

41


EMPRESAS

BLU conecta a indústria ao varejo Plataforma oferece soluções financeiras através da gestão dos recebíveis de cartão de crédito

O

varejo vem se transformando nas últimas décadas, impactado por fatores diversos de ordem econômica, tecnológica e social. O fim da inflação, a consolidação dos bancos, a evolução da tecnologia e

o consumidor mais informado e consciente são apenas alguns deles. O hábito de compra se transformou e, consequentemente, a forma com que lojistas lidam com seus negócios no dia a dia. Os consumidores, por sua vez, cada vez mais informados e empoderados, passam a demandar mais do que produtos de qualidade. Estão interessados em entender o que há por trás de cada negócio. A competitividade aumenta. Mais do que se

Para fornecedores, a solução da Blu significa a possibilidade

diferenciar, tende a se destacar quem for capaz de ler a nova

de eliminar completamente a inadimplência, uma vez que o paga-

cultura, oferecer produtos com um propósito e inspirar e gerar

mento está garantido. Desta forma, é ampliar o número de clien-

identificação nas pessoas.

tes, ampliar o volume de vendas, eliminar o processo de análise de

Do lado da cadeia produtiva, a transformação digital também traz excelentes oportunidades. Hoje é possível estabelecer uma

Atualmente a Blu atua com foco em seis segmentos - cal-

estrutura que promova confiança e credibilidade para o processo

çados, vestuário, óticas, móveis, colchões e entretenimento - e

de compra, beneficiando tanto fornecedores quanto lojistas.

planeja a expansão para mais cinco novos setores. Os varejistas

Dentro deste cenário, nasceu a Blu, uma fintech (finanças

cadastrados estarão isentos de taxas adicionais ou valores per-

e tecnologia) que tem trabalhado para inovar e otimizar servi-

centuais fixos a serem cobrados para compras pagas através da

ços do sistema financeiro. A Blu é uma plataforma que oferece

conta digital Blu.

soluções financeiras através da gestão eficiente dos recebíveis

A plataforma possibilita que o varejista elimine o seu custo

de cartão de crédito, beneficiando toda a cadeira produtiva, do

financeiro com a antecipação de recebíveis. A agenda das ven-

varejo à Indústria.

das parceladas que o varejista realiza é domiciliada na conta

Através da Blu, varejistas de todo o Brasil podem usar suas

digital que esse varejista tem na Blu, tornando possível a sua

vendas parceladas em até dez vezes no cartão de crédito para

utilização para a compra junto a fornecedores de maneira sim-

comprar de seus fornecedores, sem taxas de antecipação. O

ples, rápida e segura.

benefício financeiro neste processo é de até 15% e significa um grande suporte na gestão do fluxo de caixa.

42

crédito e a falta de previsibilidade de pagamento.

“A Blu, hoje, representa uma segurança muito boa para os nossos fornecedores, nos dando uma tranquilidade para fazer-

A solução da Blu já beneficia mais de 1 mil fornecedores e

mos o que sabemos melhor, que é vender calçados. Compramos

mais de 10 mil lojistas em todo o Brasil. Hoje são transacionados

com qualidade e vendemos com qualidade”, afirma Rodrigo Bal-

através da plataforma cerca de R$ 2,5 bilhões ao ano.

lesteros Falci, CEO da rede de lojas Elmo (Belo Horizonte/MG).

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS


EMPRESAS

Em resumo... Antecipação de pagamentos

Com a solução oferecida pela Blu, é possível pagar fornecedores com o saldo a receber de uma venda parcelada, sem pagar por antecipações. Neste formato, o varejista não incorre em taxas e tem uma redução de até 15% na compra de mercadorias. Esta fórmula permite melhorar o fluxo de caixa e maior capacidade de organização e gerenciamento de contas para empreendedores. Assim, o que antes era custo financeiro a ser contabilizado agora é dinheiro para o bolso do cliente Blu. E, através da conta digital Blu, é possível ainda antecipar o fluxo não utilizado na compra, realizar transferências para qualquer conta bancária, utilizar o valor para o pagamento de boletos bancários e outras transações.

Saldo a receber da venda parcelada

As vendas do varejo podem ser parceladas em até 10x e o saldo utilizado para compras com os fornecedores, sem a necessidade de negociação de prazo. Em resumo, o varejista passa a comprar dos seus fornecedores no mesmo prazo que vende para os seus clientes. Com a Blu, a taxa de antecipação é zero para a compra com fornecedores, pois os varejistas utilizam como pagamento o saldo em sua conta digital Blu, sem qualquer custo nesta transação.

MAIS INFORMAÇÕES >> WWW.USEBLU.COM.BR

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

43


EMPRESAS

CONQUISTAR vem de dentro Nova campanha da Pegada, feita em Portugal, destaca as conquistas pessoais

A

Calçados Pegada viajou para um dos destinos favoritos do brasileiro para desenvolver sua nova campanha: Portugal. A capital Lisboa e a linda região do Algarve serviram de cartão postal para fotos, filmes e conteúdos que a marca lança em primeira mão na Couromoda 2020.

Com o conceito ‘Conquistar vem de Dentro’, a campanha aborda um tom mais reflexivo.

Um discurso voltado para as conquistas pessoais, em que o primeiro passo é se descobrir. Três modelos estão à frente da produção: o brasileiro radicado na Croácia Pedro Soltz, a brasileira Laura Dellagnese e o português João Alberto. Combinando com o cenário, a Pegada desenvolveu uma coleção igualmente surpreendente. São modelos masculinos, femininos e infantis feitos com matérias-primas de qualidade, design moderno e tecnologias de conforto já reconhecidas da marca. As principais tendências da temporada são os abotinados baixos e os sneakers com solado alto e branco, além de releituras dos clássicos da marca.

44

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS


EMPRESAS

Coleção completa Lançamentos outono-inverno 2020 da Klin unem inovação, estilo, conforto, maciez e segurança

R

eferência no caminhar saudável dos pequenos, a Klin chega à temporada outono-inver-

que envolvem esse momento inesquecível!

Praticidade e pluralidade

anti-hidrólise, são primordiais em todas as coleções. Com design exclusivo, a matéria-prima da palmilha, exclusiva da Klin, possui grande

no 2020 com uma coleção

Os modelos Calce Fácil chegam em novos

capacidade de resiliência. Ou seja, mesmo após

completa. Como cada fase da

formatos para facilitar o encaixe perfeito dos

brincar, correr ou pular, quando acontece a de-

vida da criança requer produtos específicos, os

sapatos nos pezinhos. Seja com puxador ou

formação elástica pelo calor e suor, a palmilha

lançamentos foram cuidadosamente desenvol-

tipo envelope, com abertura frontal ou elástico,

retorna à forma original, aceitando a anatomia

vidos para unir inovação, estilo, conforto, ma-

a ideia é praticidade com a segurança, o con-

natural dos pés e mantendo a estabilidade.

ciez, segurança e outros atributos necessários

forto e a proteção Klin.

para garantir calçados de alta qualidade.

Looks temáticos e lúdicos aparecem no

Clássicos

Botinhas, tênis, sapatilhas, sandálias e pa-

outono-inverno, como os modelos que reve-

Os clássicos da marca estão sempre pre-

petes surgem nas mais variadas versões, cores,

renciam a Princesa do Gelo ou um gatinho em

sentes em todas as coleções, ganhando ino-

estampas e materiais. A Klin traduziu as tendên-

glitter, bem como Unicórnio, que veio para ficar.

vação e informação de moda. A linha Comfort,

cias de moda das passarelas do mundo inteiro

Estampas florais estão remixadas para colorir

com calçados flexíveis e macios, a linha em

em modelos encantadores, fiel ao seu propó-

as temperaturas mais fresquinhas e os tênis

EVA, deixando os sapatos com uma leveza

sito de cuidar da saúde dos pés da criançada.

com LED agora são multicoloridos e brilham

surpreendente, os sapatinhos New Comfort,

As macrotendências desta coleção são: glitter,

na sola inteira. Sapatos, bolsas e mochilas ain-

para brincar como estivesse só de meia, e os

flyknit, neoprene, militar, animal print, sola cai-

da recebem o estilo militar, as camuflagens, o

tênis esportivos, desejados por crianças (e até

xa, coturno, mule e corte a fio. Além do visual

visual street, o metalizado, as aplicações de co-

mesmo por adultos!) de todas as idades, estão

supermoderno, os sapatos ganham o charme

ração, as estrelas e o lettering. Os acessórios

imbatíveis no outono-inverno 2020.

das solas estilizadas, sempre renovadas pela

complementam as novidades e surgem em

Klin e adoradas por mamães e papais.

bolsinhas tipo nécessaire, multifuncionais para

A EMPRESA

levar a qualquer lugar.

 Mais de 36 anos

Entre os ícones da marca, os modelinhos “Meu Primeiro Klin” aparecem em kits especiais, recheando caixas fofíssimas, com mimos sur-

Palmilha Klin Anatômico Ultra

presa! Presente para a chegada do bebê, bati-

Os materiais nobres, como a Palmilha Klin

zados, chá de revelação e todas as celebrações

Anatômico Ultra, produzida em poliuretano (PU)

 4 unidades fabris  8,5 mil pontos de venda em todo Brasil, lojas de fábrica, lojas conceito e e-commerce  Atuação em cerca de 40 países

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

45


EMPRESAS

PATRUS renovada Empresa de transportes apresenta novo posicionamento de comunicação e marca revitalizada

A

Patrus Transportes, uma das maiores transpor-

da marca e o posicionamento, impulsionando o desejo da em-

tadoras de carga fracionada no Brasil, adotou

presa de ser percebida pelo mercado como uma parceira das

um novo posicionamento de comunicação

melhores decisões logísticas. “Este momento é de grande im-

acompanhado de uma marca renovada. O novo

portância para os próximos passos do crescimento da Patrus;

visual é inspirado pelas transformações que a empresa pas-

é uma nova etapa da história da empresa e a nova marca é

sou ao longo de 46 anos de atividades e se apoia nos moder-

um símbolo dessa transformação”, avalia a diretora presidente

nos conceitos de gestão que hoje a colocam numa posição

da Look + Feel Consultoria, Priscilla Duarte, que coordenou o

destacada no segmento de transportes e logística.

desenvolvimento do novo posicionamento da Patrus.

Segundo o presidente Marcelo Patrus, a antiga identidade visual não expressava mais a cultura da empresa e não materializava todo o investimento em tecnologia e inovação

O trabalho da Interbrand contou com um estudo de mer-

aportado no negócio, daí a importância da mudança. Para a

cado e entrevistas com colaboradores e clientes, para cons-

nova identidade visual, a Patrus encomendou um estudo à

truir uma identidade que expressasse o novo momento que

Interbrand — consultoria líder de marcas no mundo – e con-

a empresa está vivendo. Esse trabalho apontou que a Patrus

tratou a agência Plan B para o desenvolvimento da campa-

Transportes possui um Net Promoter Score (NPS) de 82%,

nha de divulgação.

metodologia que tem o objetivo de mensurar o grau de satis-

Segundo a diretora de estratégia da Interbrand, Laura Gar-

fação e fidelidade dos consumidores. “Sabemos que nossos

cia, a nova assinatura busca refletir a cultura atual da empresa

clientes são pressionados por resultados. Eles monitoram a

e reforça o papel de conectar indústrias e pessoas. “As linhas

nossa performance constantemente e buscam parceiros que

paralelas presentes na nova marca refletem a parceria e a co-

entendam às particularidades do seu negócio, que tragam

nexão com os clientes. O laranja foi incorporado para mostrar

inovação ao processo de transporte e que sejam flexíveis,

o vanguardismo e a inovação da empresa e o vermelho repre-

para tornar as decisões mais rápidas, sem impactar nas en-

senta continuidade da história da Patrus”, explica.

tregas. Nossas inovações permitem atender a essas expec-

Além da logo, foram revisitados os pilares estratégicos

Atuação da empresa  Sede > Contagem/MG  História > 46 anos de atividades  Unidades > 79  Atuação > Sul, Sudeste, Sergipe, Bahia e Ceará, conectando indústrias, lojas e pessoas todos os dias, dia e noite

46

Identidade expressa novo momento

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

tativas”, explica Marcelo Patrus.


EMPRESAS

Tipos de transportes e diferenciais B2B -

Realiza o transporte de bens

de consumo, desde a coleta na fábrica e tracking da carga até a entrega aos pontos de venda.

B2C - Operações contemplam a entrega de cargas até 20kg, como calçados, material esportivo e artigos de vestuário, em mais de 2,3 mil municípios e distritos de MG, BA, ES e SE.

Entrega Porta a Porta - Ope-

Diferenciais Roteirizador – Recalcula as rotas para encontrar a melhor solução para a entrega Aplicativo – APP fornece informações rápidas e precisas de frete Lean – Atenção a cada detalhe para que atender às expectativas dos clientes Segurança - Cumpre o que promete e cuida das cargas como se fossem dela Atendimento - Valoriza o atendimento ágil e a confiança

rações de entrega de cargas de até 20kg des-

Média anual

tinadas a pessoas físicas, inclusive calçados,

432 milhões de Kg transportados

material esportivo e artigos de vestuário, nos

41 milhões de volumes transportados

estados de MG, BA, ES e SE, totalizando mais

42 milhões de km percorridos

de 2,3 mil municípios e distritos atendidos.

6,9 mil entregas realizadas

Atende tanto o mercado B2B quanto B2C.

1% PIB nacional transportado

Marcelo Patrus, presidente da Patrus Transportes

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

47


EVENTOS

Conhecimento para indústria e varejo Fórum Fimec ocorre dia 11 de março, em Novo Hamburgo/RS, com programação qualificada

D

ia 11 de março, das 9h às 14h,

mais ao público”, explica Humberto Petry, ge-

sentará novidades em couros e peles, produtos

ocorre em Novo Hamburgo/RS

rente de produção da Calçados Bebecê.

químicos, componentes, máquinas, tecnologia

o Fórum Fimec 2020, evento cujo

Cláudia Narciso, consultora de moda e es-

e inovação para o setor calçadista.

objetivo é potencializar o desen-

tratégia da Arezzo&Co, que palestrou na última

Maior feira do setor da América Latina,

volvimento do setor através de debates sobre

edição, também compartilha desta opinião.

reunirá centenas de expositores de produtos,

temas relevantes, troca de experiências com

“Eventos como esse dentro de uma feira como

tecnologias e serviços, além de milhares de

profissionais de referência nacional e interna-

a Fimec permitem uma conectividade com o

visitantes qualificados de todo o mundo, cons-

cional, networking, construção de conhecimen-

público. Você cria uma oportunidade de troca

tituindo um ambiente ideal para prospecção e

to e atualização para gerar grandes oportunida-

e compartilhamento de experiências. O Fórum

fechamento de negócios. Terá atrações como

des de negócios.

Fimec só tem a somar dentro da feira”, avalia.

a Fábrica Conceito, que produzirá calçados em

Tal como nas edições anteriores, o fórum acontece no segundo dia da 44ª Fimec (Feira Internacional de Couros, Produtos Químicos,

Fimec reúne toda a operação do setor

Componentes, Máquinas e Equipamentos para

Única feira do mundo que tem tudo, a Fi-

Calçados e Curtumes) e conta com palestran-

mec reúne toda a operação do setor coureiro-

tes nacionais e internacionais.

tempo real e apresentará a aplicabilidade dos processos tecnológicos e produtos expostos. Os lojistas, por sua vez, poderão conhecer o processo produtivo e transmitir as informações às suas equipes.

-calçadista em um mesmo local. A 44ª edição

A Fimec é realizada pela Fenac S/A com

O diretor-presidente da Fenac, Marcio Jung,

está marcada para os dias 10, 11 e 12 de março,

o patrocínio de empresas e o apoio da Pre-

destaca a importância em trazer conteúdo

das 13h às 20h, nos pavilhões da Fenac, em

feitura Municipal de Novo Hamburgo e de

relevante e diferenciado para a cadeia. “Nos-

Novo Hamburgo. Da produção à logística, apre-

entidades setoriais.

so propósito é trazer histórias inspiradoras e transformadoras para o público, buscando gerar conhecimento sobre novas oportunidades e tecnologias a partir de profissionais renomados em nível nacional e internacional”, afirma. A relevância do Fórum Fimec também é

 44ª FIMEC > Dias 10, 11 e 12 de março, das 13h às 20h > Pavilhões da Fenac, em Novo Hamburgo/RS

destacada por participantes e palestrantes da

> Mais informações em www.fimec.com.br e nas redes sociais @feirafimec

última edição. “É a única forma de reunir todos

 FÓRUM FIMEC

os técnicos e profissionais que têm interesses em comum. Acho que a feira é o local ideal para esse tipo de evento, oferecendo uma atração a

48

OS EVENTOS

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

> Dia 11 de março, das 9h às 14h > Centro de Eventos da Fenac, em Novo Hamburgo/RS > Mais informações em www.fimec.com.br/forum


janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

49


MARKETING

Por RUBIA FERNANDA VITT Gerente de Expansão da Data System

7 P´s do marketing Como usá-los na sua loja e como a Renner os utilizou com sucesso há 30 anos

D

urante muitos anos, escutamos e aprendemos sobre 4 P´ s do marketing: produto, preço, ponto de venda e promoção. Eles são uma base sólida para a permanência de qualquer loja no mer-

P de posicionamento: o segredo do sucesso

cado e devem ser pensados e repensados com frequência.

O posicionamento é um conceito que vem transforman-

Afinal, incontáveis mudanças no varejo ocorrem a todo mo-

do a publicidade. É a dificuldade de se fazer ouvir em uma era

mento devido à transformação digital, que dá origem a con-

supercomunicativa e tem como definição a forma com que as

sumidores superconectados, conscientes e mais exigentes.

marcas criam uma posição na mente do potencial consumidor.

P de pesquisa: o começo de tudo Todo bom planejamento de marketing deve começar com

50

portante para o seu cliente quando o assunto é o seu mercado.

É o posicionamento que dá consistência aos demais P´s porque pode afetar o produto, o preço do produto, o local em que o produto é vendido e ainda a promoção.

o P de pesquisa. Clientes têm preferências, percepções e ne-

P de pessoas

cessidades individuais. Por isso, dentro da pesquisa, existe o

Algumas das grandes marcas do varejo ainda existem por-

S de segmento. Até mesmo os grandes magazines têm dificul-

que, lá atrás, passaram por um reposicionamento de mercado,

dades em atender a todos os segmentos com excelência. Isso

liderado por pessoas, justamente o sétimo P do marketing. A

significa que as lojas precisam cuidar do F de foco, devem fazer

Renner é uma destas empresas, e a seguir discorremos sobre a

escolhas e precisam dar o seu melhor para serem reconheci-

história da rede de lojas para facilitar o entendimento da aplica-

das. De forma simples e objetiva, identifique o que é mais im-

ção dos P´s do marketing.

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS


MARKETING

Reposicionamento de Lojas Renner Nos anos de 1980, com o início do processo de democra-

total desposicionamento em relação ao que estava aconte-

tização, houve uma desvalorização do real em cerca de 30%.

cendo no mercado na época. Ficou clara a necessidade de

Com a economia desacelerada, era necessário um reposicio-

trabalhar os 7 P’s de marketing: pesquisa, posicionamento,

namento de mercado, que a Renner não fez e, em pouco tem-

preço, produto, praça, promoção e pessoas. Por meio de pes-

po, passou a ser percebida como cara pelos consumidores,

quisas, descobriu-se que os produtos e os preços da época

cujo poder aquisitivo havia diminuído.

não estavam mais de acordo com o cliente médio que a rede

Em 1986, no Plano Cruzado, houve uma grande perda de patrimônio da Renner. O então presidente da República, José

de lojas atendia, devido à diminuição de seu poder de consumo.

Sarney, reduziu artificialmente a inflação e acelerou a econo-

No início da implementação do planejamento realizado

mia e, consequentemente, o consumo. Como na época havia

pela consultoria, as compras para a primavera-verão de 1991

só duas coleções por ano, as compras foram feitas para um

e 1992 já haviam sido feitas. Portanto, os produtos que es-

cenário otimista, que não aconteceu e grandes promoções

tariam nas lojas tinham sido adquiridos com base no posi-

precisaram ser feitas, gerando grandes prejuízos.

cionamento anterior e os anos seguintes seriam difíceis. Não

Nos anos de 1990, já em situação crítica, a Renner contra-

havia muito o que fazer, a não ser se preparar para o futuro. A

tou uma consultoria para fazer um planejamento estratégico

melhora nos resultados viria com a compra da coleção para

e, logo no início, por meio de uma análise SWOT, identificou-se

1992 e 1993. A diretoria sabia que, somente com os produSEGUE >>

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

51


MARKETING

tos certos, poderia aumentar as vendas e a receita. Esse foi o

ela responde por 80% da decisão de compra da família. An-

primeiro passo do reposicionamento. Em paralelo, começou

tes disso, a Renner era reconhecida por basicamente vender

uma redução de custos e enxugamento de despesas.

ternos masculinos.

Pesquisa revelou uma dura realidade Uma pesquisa foi encomendada para entender por que as

Vencida a primeira etapa

mulheres (homens também) compravam em lojas de depar-

em 1992, cujo foco era o repo-

tamentos. Uma das perguntas era onde o consumidor queria

sicionamento do produto e do

ter comprado no último ano (a Renner apareceu com 24%) e

preço, era chegada a hora de,

outra era onde efetivamente havia comprado (A Renner apa-

no ano seguinte,voltar a aten-

receu somente com 12%). Em razão do produto certo, preço

ção à praça.

ou outro fator da concorrência, as mulheres deixavam de comprar na Renner.

Algumas lojas da Renner estavam desgastadas e não

A pesquisa reforçou a percepção de que a marca era

havia padronização, o que le-

muito forte, mas não estava conseguindo entregar o que os

vou a direção a providenciar

clientes queriam. Tinha que ajustar os produtos. A principal

uma série de melhorias. Em

concorrente na época era a C&A, preferida das mulheres de

1994, a rede de lojas começou

moda, elegantes e estilosas. A Renner era preferida por mu-

a se dedicar mais a propagan-

lheres de mais idade, que buscavam cores mais discretas.

da e promoção. Naquela épo-

O superintendente da Renner na época teve a ideia de

ca, fez uma pré-seleção com

sentar em bancos em corredores de shoppings em Porto

quatro agências de marketing

Alegre/RS e contar as sacolas do concorrente para comparar

e para escolher uma. A Renner

com as da Renner. Em um determinado ponto, constatou que,

queria estabelecer uma iden-

para cada quatro sacolas da Renner, existiam dez do principal

tidade, uma linguagem que

concorrente. Apesar de não ser uma metodologia estatística,

fosse claramente percebida

trouxe contribuições interessantes e a Renner a usa até hoje

desde as primeiras peças e

para medir sua participação no mercado.

duradoura. Depois de um cer-

Naquele Natal, o concorrente festejava com filas nos cai-

to tempo, sentiu-se confiável

xas, enquanto as lojas da Renner estavam vazias. Era preciso

em convidar o público para

esperar até o próximo ano, quando teria os novos produtos. E,

conhecer a ‘nova Renner’, que

mesmo assim, não seria uma mudança rápida, pois o consu-

passara a trabalhar com moda

midor demora a constatar que houve uma efetiva transforma-

e preços competitivos para toda a família.

ção dentro da loja.

52

Nova estratégia de comunicação

A estratégia de comunicação associou a nova identida-

Também foi realizada na época uma pesquisa relaciona-

de visual, concebida para ser duradoura, à construção de um

da à quantidade de salários mínimos dos clientes para enten-

prédio: colocando-se tijolo sobre tijolo, tem-se um edifício

der seu poder aquisitivo. Isso gerou uma mudança em relação

consistente, feito sempre com tijolo da mesma qualidade e

aos produtos vendidos: uma camisa de grife internacional,

formato. Nada de um dia usar um tijolo quadrado e, no outro,

por exemplo, foi substituída por outra nacional 30% mais ba-

um tijolo triangular. Hoje, quando a Renner mede o significa-

rata e com a mesma qualidade. Os royalties eram uma des-

do da marca comparado à concorrência, percebe que possui

pesa a menos na conta final. O reposicionamento deu maior

grande proximidade emotiva e efetiva com o consumidor.

foco à mulher, uma vez que, por pesquisa, concluiu-se que

Esse trabalho se iniciou em meados dos anos de 1990.

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS


MARKETING

Treinar e encantar Quando é feito o reposicionamento de uma marca, existe uma ansiedade muito grande de

alimentando um círculo virtuoso, porque, afinal de contas, quem encanta é encantado.

comunicar isso ao público para que conheça

A diretora de gente e desenvolvimento das

a nova loja. A Renner se conteve e somente

lojas Renner comentou, na época, que a em-

depois de alinhar preço produto e o ponto de

presa era muito hierarquizada, as pessoas não

venda começou a trabalhar com a promoção.

tinham autonomia e havia muitos problemas de

Somente depois disso, voltou a se comunicar de

comunicação. Para incentivar os colaborado-

maneira mais enfática com seu público, que até

res, foi lançado um concurso sobre as melhores

hoje se mantem em 80% de mulheres.

histórias de encantamento, que continua até

Naquele momento, também dedicou maior

hoje.

atenção aos recursos humanos. Fez programas

Algum tempo depois de implantar a filoso-

de trainee e iniciou, em 1994, uma estratégia

fia do encantamento, a Renner percebeu que

que ficou conhecida como treinar, treinar e

faltava uma ferramenta para medir a efetivida-

treinar. Ainda naquele ano, lançou o programa

de da nova postura junto aos clientes. Foi assim

Magia Renner, cujo objetivo era levar a visão do

que decidiu instalar, em 1996, os primeiros en-

encantamento a toda a empresa (o programa

cantômetros, equipamento onde, ao deixarem a

segue em funcionamento até hoje).

loja, os clientes podem registrar como foram o

A direção estava convencida de que toda

atendimento e a experiência de compra.

equipe deveria se sentir dona do negócio e cada

Avaliar e criar um plano para os P´s do mar-

um deveria encarar suas tarefas como essen-

keting pode não ser uma tarefa fácil, porém é

ciais para atingir o resultado principal, que era

essencial para garantir o sucesso de uma mar-

o encantamento dos clientes, em especial as

ca, como podemos observar na história das

mulheres, que passaram a ser o centro duas

Renner, gigante do varejo brasileiro.

atenções.

As informações sobre a história de reposi-

Além disso, o programa tinha um papel de

cionamento de Lojas Renner são baseadas no

encantar também os colegas, os superiores

livro “O Poder do Encantamento”, escrito por

hierárquicos, os fornecedores e os acionistas,

José Galló, ex-presidente do grupo.

E agora? O que fazer? Hoje há produtos demais no varejo, empresas demais e ‘barulho’ de

mações do seu sistema de gestão para entender o comportamento de

marketing demais. O consumidor já não reage mais às estratégias que

compra de produtos dos seus clientes e relacionar o resultado com os

deram certo no passado e as lojas devem considerar a necessidade de

P´s do marketing para evoluir seu negócio.

um bom planejamento estratégico para se diferenciarem da concorrência.

A Data System não é uma empresa de pesquisa ou marketing, mas

O posicionamento de uma marca, somado a tecnologia, processos

respira o varejo. É especialista em software para lojas de calçados e rou-

e pessoas, é poderosa ferramenta para criar e manter uma diferenciação

pas e se preocupa com o desenvolvimento desse mercado, por isso quer

no negócio. Reflita sobre o que tratamos aqui e avalie como extrair infor-

contribuir compartilhando conhecimento para todas as áreas da sua loja.

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

53


GESTÃO

Por ARTUR XIMENES Palestrante

Tudo na loja é 1 IMPORTANTE

Visibilidade

Na sua loja, marcas, vitrines, produtos, serviços e vendedores estão disponíveis, visíveis e identificados aos olhos e aos clicks de clientes e potenciais clientes? Na rua, o letrei-

Saiba como diferenciar-se da concorrência, atrair melhores clientes e alavancar as vendas

I

ro e as vitrines estão iluminados e são atrativos? Sites e redes sociais são informativos? O que os olhos não veem o cérebro não registra, o

ndependentemente do momento eco-

fazendo com que, da senhora da limpeza ao

nômico que o país vive, a competiti-

diretor, todos ‘ajudem a vender’.

vidade imposta pelos concorrentes,

Não acredito em receitas infalíveis ou

cada vez mais ousados e inovadores,

mágicas, mas existem alguns caminhos que

a evolução social e os avanços da tecnolo-

podem contribuir para a alavancagem das

gia exigem dos gestores de varejo uma dose

vendas das lojas neste período de dificulda-

extra de atenção, determinação, percepção,

des. Os gestores devem focar nas variáveis

esperança, renúncia e trabalho.

que dominam, naquilo em que são bons e que

Para acompanhar a evolução no merca-

sabem fazer bem e, muito importante, no que

do, eles precisam ajustar seus pontos de vis-

é relevante na visão dos clientes e proporcio-

ta com frequência, para que os concorrentes

na benefícios ao negócio (rentabilidade). Sem

não os atropelem, medir todas as variáveis e

esquecer, dentro do possível, de minimizar os

os números do negócio, analisar o que agre-

pontos fracos, que, aliás, todos têm.

ga ou não valor nos processos diários da

Confira a seguir e em detalhes os oito

loja, até o pós-venda ao cliente, otimizar os

pontos determinantes para o sucesso do va-

recursos humanos, financeiros, físicos e vir-

rejo neste período de alta competitividade e

tuais disponíveis e ainda engajar as pessoas,

baixo consumo.

coração não deseja e, consequentemente, perde-se vendas por impulso e abre-se espaço aos concorrentes. > Quem não é visto, não é lembrado, diz um ditado muito conhecido e válido nestes tempos em que é preciso, mais do que nunca, mostrar-se de diferentes formas ao público-alvo para atraí-lo.

2

Atratividade

No interior da loja, marcas, vitrines, produtos e equipe são atrativos aos olhos e aos cliques de clientes e potenciais clientes? Tudo está organizado, bem-exposto, limpo, precificado e identificado? Lembre-se que as palavras desconto, oferta, liquidação e promoção, apesar de batidas, ainda são importantes para o consumidor, se utilizadas com criatividade, ética e coerência. > Clientes pagam mais pelo que desejam, e tudo que é atrativo aos seus olhos (design) pode provocar mais desejo de compra e consumo.

54

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS


GESTÃO

3

Comodidade

Que tipo de comodidade você oferece para facilitar a visita, a escolha, a navegação e as compras de seus produtos pelos clientes? No interior da loja, é fácil andar? O estacionamento é próximo e funcional. É fácil comprar e pagar? A entrega dos produtos no pacote é rápida? Sua loja atende na casa do cliente, se for necessário? > Tudo o que se faz para facilitar a vida do cliente ele valoriza e nos dá em troca a sua preferência.

6

4

Hospitalidade

O que você está fazendo a mais e melhor que seus concorrentes para receber e atender quem visita sua loja, telefona, acessa o seu site ou acessa as suas redes sociais? Quanta atenção você está dando a cada cliente? Empatia é uma grande aliada. ‘Que bom que o senhor, a senhora ou você veio à nossa loja’. ‘Ficamos muito gratos por sua visita’. ‘Que ótimo receber seu telefonema’, ‘volte sempre’ e ‘ligue-nos sempre que precisar’. Frases como essas, quando verdadeiras e usuais, demonstram ao cliente um grande respeito por ele e diferenciam sua loja das demais. > Respeito, atenção e educação sem-

Experiência

pre serão percebidos e valorizados pelos consumidores.

O que seus clientes conseguem perceber que estão levando a mais e melhor ao adquirir os produtos em sua loja, ao navegar no seu site, no atendimento ao telefone ou no atendimento de seus vendedores? O que

7

5

Personalização

De que forma você mostra seus clientes que eles são tratados como únicos quando entram na sua loja, quando visitam seu site ou quando ligam, no atendimento, no caixa e na entrega dos produtos? > Apesar de vivermos em grupos e seguirmos padrões de consumo, gostamos de nos sentir únicos. Por isso, faça seu cliente sentir-se único.

8

Engajamento

Sua equipe está capacitada, atualizada, focada e motivada para fazer o melhor possível em cada atendimento? Servir está no DNA da sua loja e de sua equipe? Você investe em ações com a finalidade de manter a sua equipe preparada e motiva-

Compromisso

Compromisso – O que você está fa-

sua equipe aprendeu de especial e

zendo para mostrar aos clientes que

pratica diariamente? O que o cliente

sua loja, suas marcas, seus produtos

provou de diferente, criativo e inusi-

e seus vendedores estão 100% foca-

tado?

dos em atender às expectativas e às

> Toda experiência positiva ou sur-

necessidades deles e que a venda

preendente gera novas compras,

será uma mera consequência?

mais propaganda espontânea e indi-

> Confiança e credibilidade são valo-

cações de clientes.

res caros, que podem nos diferenciar

da? Preparo e motivação são como banho: precisamos constantemente dele. Em tempos de vacas magras, imagina o estrago que uma pessoa despreparada, insatisfeita, mal contratada ou desmotivada pode provocar diariamente no seu faturamento. > Treine e valoriza sua equipe sempre. Quem faz isso costuma surpreender-se positivamente com os resultados.

de maneira significativa na definição de compra de nossos clientes.

Prosperar nunca será fácil em nosso país e momentos difíceis sempre

nas pessoas e em seus pontos fortes (relevância). Acredite que é capaz de

surgirão, com maior ou menor intensidade. Cabe a cada um enfrentar as

ir além no que faz e diferenciar seus produtos e serviços. Queira mais que

situações e seguir em frente, na certeza de que dias melhores virão. Em

seus concorrentes e aja com inteligência e velocidade. Determinação e for-

vez de lamentar as dificuldades, invista na sua loja. Foque nos detalhes,

ça de vontade produzem resultados expressivos. Bons negócios a todos!

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

55


GESTÃO

Por RAFAEL REOLON Diretor para o segmento de calçados da Linx SetaDigital e co-fundador da SapatoShow.com

Giro de ESTOQUE Como a tecnologia pode ajudar a acelerar a venda de calçados nas lojas

A

gestão de estoque é um grande

CADASTRO CORRETO DE PRODUTOS

ou até mesmo datas comemorativas podem ter

desafio para todos os varejistas.

O primeiro passo para que o varejista tenha

estimulado esse resultado. Além disso, fatores

No setor calçadista, é ainda

sucesso no gerenciamento do seu estoque é o

como estampa ou cor também podem estar

maior, já que é preciso admi-

cadastro correto de mercadorias e suas variá-

ligados ao desempenho do produto. Tudo isso

nistrar uma extensa grade de numeração e

veis. Fazer isso ajuda o gestor a avaliar qual é o

precisa estar visível para que as decisões sejam

modelos. Desde a chegada de um produto ao

perfil de produtos preferido do público consumi-

apoiadas em dados confiáveis.

estoque, cada minuto em que ele permanece

dor, analisar as características da temporada de

Reunir informações e ter uma visão ampla

na loja transforma-se em custos – seja como

vendas e perceber como diferentes itens se com-

em relação às compras anteriores pode ajudar

despesas operacionais, seja como esforços de

portam quando muda cada uma das variáveis.

a acertar nos próximos pedidos. Outra dica im-

marketing para vendê-lo. No entanto, quando

portante é comparar o potencial de vendas com

nos aliamos à tecnologia e temos as informa-

AVALIAR O DESEMPENHO

o tamanho do estoque. A partir desta análise,

ções corretas em mãos, podemos melhorar, e

PERIODICAMENTE

é gerado o indicador cobertura de estoque, que

Fazer o acompanhamento da chegada até

vai nortear seu fluxo de caixa, fluxo de reposi-

muito, a gestão do estoque.

a liquidação total de coleção e avaliar o desem-

ção ou promoção.

penho de determinados produtos e grades é importante para identificar quais são as peças

PROMOÇÕES: OFERECER O

mais valiosas da loja e quais estão em situação

PRODUTO CERTO NA HORA CERTA

crítica. Assim, identificam-se os produtos que

Saber quanto tempo que um produto de-

precisam ser remanejados ou promocionados

mora para sair do estoque e a hora certa para

para que não fiquem esquecidos no estoque.

liquidá-lo é essencial para não ter prejuízos. Re-

Com a tecnologia, esses dados estão à dispo-

duzir o tempo para que o estoque gire na sua

sição em segundos.

totalidade e se renove é uma tarefa árdua que demanda atenção a muitos indicadores. Esses

56

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

REFINAR O PLANEJAMENTO

desafios são, muitas vezes, atrelados também a

DE COMPRAS

análises subjetivas, como tendências, clima ou

Acertar nas compras é a maneira mais

acontecimentos. Contudo, é possível vencê-los

eficaz de reduzir os custos com estoque. Às

com a ajuda das ferramentas corretas. O segre-

vezes, um produto ou marca apresenta um de-

do para comprar melhor e vender mais pode

sempenho excelente, porém a estação do ano

estar no seu sistema de gestão empresarial.


GESTÃO

Sapatos do RS NA WEB Plataforma virtual aproxima fabricantes do Rio Grande do Sul e lojistas de todo o Brasil

A

s relações comerciais entre

produtos, com destaque a informações como

todo destinado à manutenção e divulgação da

fabricantes de calçados do Rio

materiais utilizados, cores disponíveis e refe-

plataforma, que foi a vencedora de um edital

Grande do Sul e lojistas de todo

rência. Além disso, o catálogo virtual da marca

nacional de inovação do qual participaram 117

o Brasil devem ser facilitadas e,

está disponível para download.

projetos e pretende, na segunda etapa, contar

possivelmente, ampliadas com a plataforma

com marcas de outros polos calçadistas do Rio

digital recem lançada pelo Sindicato das Indús-

LANÇAMENTO OFICIAL EM MARÇO

Grande do Sul, como Igrejinha e Três Coroas,

trias de Calçados de Novo Hamburgo (SIC-NH),

Empresas como Kildare, Tchocco e Cris-

cujos sindicatos das indústrias de calçados são

com o apoio de outras entidades calçadistas do

tófoli já aderiram à plataforma, que pretende

Vale do Rio dos Sinos, da Confederação Nacio-

chegar a 50 marcas nos próximos meses,

Conforme o presidente do SIC-NH, a entida-

nal da Indústria (CNI) e da Federação das Indús-

número que, na avaliação dos organizadores,

de recebe diariamente ligações de lojistas e ou-

trias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs).

a torna relevante aos lojistas. Em março, será

tros interessados em comprar calçados no Vale

apoiadores.

Sapatos do Sul – www.sapatosdosul.com

feito o lançamento oficial para lojistas de todo o

do Sinos. Com o lançamento da plataforma Sa-

– é uma ferramenta de apresentação online de

Brasil, que poderão acessar a plataforma, verifi-

patos do Sul, estes compradores terão acesso

empresas calçadistas gaúchas e visa aproximá-

car os produtos de seu interesse e deixar uma

a informações online sobre um grande número

-las de lojistas de todas as regiões brasileiras. A

mensagem para que os respectivos fabricantes

de empresas e poderão fazer suas escolhas a

proposta é oferecer aos compradores a possibi-

entrem em contato.

qualquer momento. A expectativa da entidade é

lidade de visualizar diversos modelos de uma só

“Já temos 4 mil lojistas cadastrados, no-

vez, simplificar o processo de compra e permitir

mes que nos foram fornecidos por um parceiro

às marcas participantes expor seus produtos

informal do projeto e que passarão a receber

de maneira mais competitiva.

que os acessos resultem em negócios crescentes às empresas participantes.

informações para acessar a plataforma e veri-

 SAPATOSDOSUL.COM

Os produtos são divididos em quatro cate-

ficar os fornecedores que melhor atendam às

> Idealizado pelo Sindicato das Indústrias de

gorias – feminino, masculino, infantil e bolsas –,

suas exigências”, afirma o presidente do SIC-

Calçados de Novo Hamburgo

sendo que as duas primeiras exibem as subca-

-NH, Paulo Ricardo da Silva.

> Apoio de outras entidades calçadistas

tegorias casual, social e esportivo, o que facilita

As marcas participantes pagam um valor

o acesso dos lojistas, inclusive via mobile. Cada

mensal para fazerem parte da plataforma e

> 50 marcas é meta para os próximos meses

categoria/subcategoria exibe a logomarca da

recebem, ao final de cada mês, um relatório

> 4 mil lojistas inscritos na fase inicial

empresa, dez fotos e um breve descritivo dos

de acessos a sua página. O valor arrecadado é

> 4 categorias e 3 subcategorias de produtos

> 5 marcas participantes inicialmente

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

57


CONTATOS

Anunciantes, empresas, feiras, profissionais e entidades citados nesta edição ABLAC 62 99907.1141 www.ablac.com.br Páginas 4, 6 e 8

FIMEC 51 3594.7200 www.fimec.com.br Página 60

PATRUS TRANSPORTES 31 2191.1000 www.patrus.com.br Páginas 9 e 46-47

ARTUR XIMENES 47 3232-2488 e 47 98849-4810 arturximenes.com.br Páginas 54-55

FÓRUM FIMEC 51 3584.7200 www.fimec.com.br Página 48

PEGADA 51 3393.2700 www.pegada.com.br Páginas 2-3 e 44

BEIRA RIO 51 3584.2200 www.beirario.com.br Página 7

FRANCAL 11 2226.3100 www.francal.com.br Páginas 29-30, 32-33 e 36

PIMPOLHO 27 2104.0555 www.pimpolho.com.br Página 17

BIBI 51 3512.3344 www.bibi.com.br Página 40

GRUPO RAMARIM 51 3565.8100 www.ramarim.com.br Páginas 10-11

RAMARIM 51 3565.8100 www.ramarim.com.br Páginas 10-11

BOTTERO 51 3543.5400 www.bottero.net Página 15

GURU CRM & DATABASE MARKETING 21 4101.2897 www.dataguru.com.br Páginas 24-25

RODRIGO RIBEIRO 18 99712.9122 www.rodrigoribeiro.adm.br Páginas 01 e 26-28

BLU PAGAMENTOS 21 3003.0807 www.useblu.com.br Páginas 29 e 42-43

KIDY 18 3643.2500 www.kidy.com.br Páginas 34-35

SERVER INFORMÁTICA 51 3594.2957 www.serverinfo.com.br Páginas 21 e 40-41

COUROMODA 11 3897.6100 www.couromoda.com Páginas 22-23

KLIN 18 3643.7000 www.klin.com.br Páginas 5 e 45

SETA DIGITAL 45 3222.7511 www.setadigital.com.br Páginas 37, 56 e 59

CLÁUDIA BITTENCOURT 11 3660-2201 www.bittencourtconsultoria.com.br Página 18

LOJAS RENNER 51 3272.2450 www.lojasrenner.com.br Páginas 51-53

TATIANE ALVES 51 99388.6573 www.facebook.com/tati.alves01 www.sebraers.com.br Páginas 12-14

DATA SYSTEM 19 3701.6600 www.datasystem.com.br Páginas 49-53

58

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

MARCONE TAVARES 82 2121.0824 www.abys.com.br www.ablac.com.br Páginas 4 e 6

USEBLU 21 3003.0807 www.useblu.com.br Páginas 29 e 42-43


Seta App Mobile Empodere sua equipe de vendas, surpreenda seu cliente.

Do cliente ao pagamento, sua loja na palma da mão!

o software que move o varejo se apaixonou por lojas de calçados

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

59


60

janeiro/junho 2020 | REVISTA DO LOJISTA DE CALÇADOS

Profile for Mauro Moraes

Revista da Ablac 34  

Revista da Ablac 34  

Advertisement