Issuu on Google+

Edição n. 019 2014 n Fevereiro 39 fevereiro 2016 o

APCEF/SE entrevista Antônio Luiz Fermino do Conselho Deliberativo da FUNCEF Com 26 anos de trabalho na Caixa Econômica Federal e 49 anos de idade, Antônio Luiz Fermino, representante eleito para integrar o Conselho Deliberativo da FUNCEF, veio a Aracaju nesta segunda-feira, dia 15/02, para proferir palestra sobre ‘Déficit, Contencioso e Equalização’, atendendo a convite da APCEF/ SE, AGECEF e Sindicato dos Bancários. Militante do movimento associativo desde o ano de 1991, Fermino disse ter consciência da importância de sua atuação para todos os bancários Caixa. “Ser representante eleito para o Conselho Deliberativo da FUNCEF é uma grande honra e responsabilidade, pois represento 137.000 participantes e qualquer posição a ser tomada deve ser precedida de muita reflexão. Participo do movimento associativo por entender que as soluções são coletivas e não individuais, por isso a organização e mobilização são essenciais”. Confira a entrevista concedida para o Boletim Apcef Informa. 1-Desde o princípio, bancários Caixa acompanham com preocupação as notícias sobre déficit nos fundos de pensão. De forma geral, há uma crítica que acusa má gestão de recursos. Está é uma acusação injusta? Antônio Luiz Fermino - É injusta, porque a principal causa do déficit é o impacto do desempenho da renda variável e da CIA Vale, no caso da FUNCEF. Não existe, na FUNCEF, ninguém com poder de “caneta” que possa determinar sozinho algum investimento. As instâncias de governança da fundação não permitem isto. 2- Qual informação ou argumento o senhor apresenta para mostrar que a taxativa de má gestão de recursos não se sustenta? ALF - Esta situação não é exclusividade da FUNCEF, todos os fundos de pensão estão sofrendo com o desempenho das Bolsas de Valores do mundo todo. Exceção à regra é a Postalis, que teve erros de gestão. Algumas pessoas com outros interesses estão tentando colocar o problema da Postalis como regra geral dos fundos de pensão e isso não é verdade.

3 - Na sua avaliação, qual responsabilidade a Caixa tem no acúmulo da dívida do contencioso jurídico que pesa sob a FUNCEF? ALF - O contencioso judicial é todo de responsabilidade da patrocinadora, pois foi sua política de recursos humanos que causou perdas aos participantes, e a ela cabe a solução e não à FUNCEF. Os objetos das ações são de características trabalhistas e não previdenciárias. 4- O bancário agora é chamado a pagar a conta por um problema na relação de autonomia e independência entre Caixa e FUNCEF? ALF - O associado hoje é chamado a aportar recursos por deliberação da legislação que, de forma previdente, busca minimizar um impacto maior no futuro. 5- A maioria dos conselheiros da FUNCEF é contrária à sua proposta de ajuizamento de ação de regresso da FUNCEF contra o banco para o ressarcimento de valores provisionados para pagamento de contencioso judicial. Existe algo que justifique na sua avaliação este posicionamento? ALF - O voto da ação de regresso ainda não foi avaliado, porque a Caixa tem usado a tática de pedir vistas ao voto, atrasando a sua apre-

ciação. Por isso ainda não houve manifestação dos conselheiros. 6- A forma como foi decidida a nova regra de equacionamento do déficit do RegReplan saldado fere o sentido democrático e co-participativo de gestão da FUNCEF? ALF - Em minha opinião, sim, porque solicitei ainda em dezembro a realização de um plebiscito para debatermos com os participantes e foi negado pela FUNCEF e Conselho Deliberativo com a alegação de não haver tempo hábil. 7- Quais as implicações deste equacionamento no bolso dos Aposentados e pensionistas do RegReplan saldado? ALF - O impacto será de 2,78% do seu benefício, até que o plano volte a se equilibrar. Também os ativos do plano irão aportar o mesmo percentual sobre a sua expectativa futura de benefício. 8- Diante da situação atual da FUNCEF, qual a saída de curto ou longo prazo para o desgaste e dificuldades para superar o déficit? ALF - Primeiro uma revisão de política de investimento que venha privilegiar as questões de risco X retorno. Pois temos que aguardar a melhoria da economia mundial e nacional para que nossos investimentos em renda variável venham a recuperar valor, assim, reequilibrando os planos de benefício. Para conferir fotos e a reportagem de cobertura da palestra “Déficit, Contencioso e Equalização”, acesse o site da APCEF/SE: www.apcefse.org.br


Arte Carnavalesca, frevo e folia no Clube da APCEF/SE Em três dias de Carnaval, a APCEF/SE reuniu tudo de bom para o seu associado: Oficina de Zumba, Frevo, Máscara Carnavalesca, Show com Bia Moraes & Banda, Gil Castro e os Reis da Balada, Gugu Brasil & Banda, Desfile de Fantasia, Concurso de Máscaras... Ao longo do domingo, segunda e terça-feira de Carnaval, mais de 2 mil pessoas vieram ao Clube da Caixa. Colegas associados e diretores da associação trouxeram sua família, assim como a presidente da APCEF/

End. Av. Melício Machado n. 800 bairro Aeroporto - Aracaju - Sergipe CEP - 49038-443 Fone: (79) 3243 3279

2.

SE, Adelaide Santos, a diretora administrativa financeira Cely Nascimento e o diretor de interior Luciano Encarnação. “Preparamos este carnaval da paz, a festa da família, todos os anos. Com muita alegria recebemos os associados da APCEF/SE e convidamos a continuar participando neste ano inteiro da programação de esporte, cultura e lazer que preparamos especialmente para vocês”, agradeceu o diretor de esportes Diogo Melo, que também aproveitou o Carnaval 2016 da APCEF/SE.

- DIRETORIA EXECUTIVA Maria Adelaide Santos - Diretora-Presidente

- CONSELHO FISCAL

Evilásio Pereira Felix - Vice-Presidente

Francisco Gomes, Josefa Djamira de Mendonça, Geraldo Santos. Suplentes: Carlos Eduardo Santos, Adriano Filgueiras Costa e Luiz Antônio Silva

Cely Nascimento - Diretora Administrativa e Financeira Diogo Melo - Diretor de Esportes Luciano Encarnação - Diretor de Interior Ana Lavínia Lima - Diretora Sociocultural Hildeci Vilar Sales de Jesus - Diretora de Aposentados

Mauro de Araújo (DRT/SE - 1197)


Mobilização nos dias 25/2 e 2/3 cobra da Caixa respeito aos acordos firmados Está claro que a ‘negociação’ passa longe da chamada Mesa Permanente de Negociação que estabelece o diálogo entre a administração do banco e a Comissão Executiva dos Empregados da Caixa. A sequência de reuniões completamente improdutivas desde o início do ano só reafirmam o desrespeito e descaso da Caixa Econômica Federal às demandas dos bancários.

des sociais para cobrar da Caixa o cumprimento dos acordos firmados. Para o dia 2 de março está previsto o retardamento na abertura das agências da Caixa de todo País. A agenda de mobilização e luta deve se estender para mais atividades até que o diálogo melhore em favor dos bancários e demais brasileiros que dependem dos serviços da Caixa.

Luta e mobilização é a resposta dos bancários à intransigência e desrespeito da Caixa. A Construção do Dia Nacional de Luta contra o desrespeito da Caixa será no dia 25 de fevereiro. Nesta data bancários de todo Brasil devem ocupar as re-

NEGATIVAS DA CAIXA A contratação de mais 2 mil funcionários até o fim de 2015 consta na clausura 50 do acordo aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) de 2014. Contrariando o acordo firmado,

a administração do banco garante que não haverá contratações, apesar das sucessivas reduções de quadro elevando a sobrecarga e adoecimento entre os trabalhadores. Além da negativa à contratação de mais bancários, a Caixa se recusa a cumprir a destinação do superávit do Saúde Caixa, a promoção por mérito, itens do ACT 2014/2015; negase a cumprir itens acordados na campanha salarial 2015, a exemplo do Adiantamento Assistencial Odontológico; e impede o avanço em discussões como a reestruturação das GIRETs e o incêndio da agência barco em Curralinho (PA).

Bancários de todo Brasil repudiam votação do PLS 555

No dia 16 de fevereiro, terça-feira, bancários de todo o País ocuparam as redes sociais para manifestar seu repúdio ao PLS 555 que põe em risco o futuro de todas as estatais do

Brasil, entre elas a Caixa Econômica Federal. A previsão de votação do Projeto de Lei nesta data deixou trabalhadores em prontidão para ocupar o Congresso Nacional.

.3


Nas águas do Litoral Norte de Sergipe, APCEF comemorou Dia dos Aposentados 2016 Três dias de passeio pelas paisagens paradisíacas do Pontal do Peba, Ponta dos Mangues e Passeio de Catamarã pelo Rio São Francisco festejaram a passagem do Dia dos Aposentados, comemorado pela Associação do Pessoal da Caixa (APCEF/SE) em 22, 23 e 24 de janeiro de 2016.

Sinfônico da ORSE, a colega aposentada Gildete, que trabalhou 27 anos na Caixa, participou pela primeira vez da programação da APCEF/SE para comemorar o Dia do Aposentado. “Minha agenda estava vazia, fui convidada e vim para experimentar novas emoções”.

Banho de rio, de mar, de maré, de lagoa e de piscina tornaram o passeio leve e agradável. Com o envolvente repertório musical de Gil Castro, o passeio ocasionou o reencontro de vários colegas a exemplo de Alcione Munduruca, Salma, Ana Maria, Eurípedes, Arnaldo, Carlos, Maria Antonieta, Correia, Irene, José Vilela, Zilah, Marcos, Doralice, Rita de Cássia, Nelson, Sandra, Boaventura, Laize, Kátia Ramos, Fátima, Lara, Mira, Magna, Margarida, Lícia e Zuleide.

Diretora de aposentados da APCEF/SE, Hildeci Vilar acompanhou o grupo em muitos passeios, desta vez ela participou da organização. “Sintome muito realizada e feliz. Não houve qualquer problema na viagem. O grupo ajudou demais. A cada comemoração do Dia dos Aposentados é maior a adesão e o congraçamento”.

Hermenegildo e a esposa Sônia, por exemplo, é um casal com acento reservado em todas as celebrações da APCEF/SE em homenagem ao Dia do Aposentado. “Sempre revemos amigos de longa data e também conhecemos novos colegas”. Cantora do Madrigal Polifônico e do Coro 4.

Presidente da APCEF/ SE, Adelaide Santos propôs que a confraternização se estenda até a programação de carnaval do Clube da Caixa. “Já existe um grupo formado, pretendemos continuar fortalecendo laços através da nossa programação para 2016. Queremos este povo animado na nossa APCEF/SE participando das atividades esportivas, culturais e de lazer que realizamos o ano inteiro”.

Jogos Nacionais da FENAE 2016, em Blumenau Os atletas bancários da Caixa que estão se preparando para os Jogos FENAE 2016 – em Blumenau, de 20 a 27 de agosto – devem redobrar atenção ao prazo de associação à APCEF/SE que se esgota no dia 31 de março. A inscrição das modalidades pode ser feita até o dia 30 de maio. A diretoria da APCEF/SE vem se reunindo para debater o assunto. Em breve, mais informações...

VAMOS TORCER! As inscrições já se encerraram e a delegação de Sergipe que vai participar dos VII Jogos dos Aposentados – FENACEF já prepara os últimos detalhes da viagem. Os jogos acontecem de 14 a 18 de maio na cidade de Vitória-ES.


Apcef fevereiro 2016