Page 1

mais

acao

Boletim informativo das Associações de Moradores SABABV e SAJAPE

Segurança: o medo nosso de cada dia! Nos últimos meses, aumentou sensivelmente o número de furtos e roubos em nossos bairros. Há quem diga que a causa é a crise financeira, que resulta em uma crise econômica; há quem diga que o problema é a insuficiência de nossas polícias, que não conseguem fazer ações preventivas; há quem diga, ainda, que é a impunidade que estimula o crime, uma vez que os inquéritos ficam sem conclusão e nossa legislação é demasiadamente tolerante com os criminosos. Possivelmente, todas essas causas estão por trás do recrudescimento da violência que abala nossa segurança e acentua nossa angústia. Mas, embora não possamos interferir diretamente em nenhuma dessas condições, há ações importantes que estão ao nosso alcance e que cabem a cada um de nós para reduzir os riscos. E essas ações terão maior efeito se praticadas coletivamente.

Conseg apoia cadastramento de vigias de rua Essas ações têm sido discutidas nas reuniões mensais do nosso Conseg (Conselho de Segurança), cuja nova diretoria foi confirmada no último dia 12 de maio e que conta com representantes da SAJAPE e SABABV. Entre as principais propostas práticas e promissoras está o cadastramento dos vigias de rua, uma ação encampada com determinação pelo novo delegado da 11ª DP, Dr. Bélio. O jornal Mais Ação reservará em todas as suas edições um espaço para o Conseg, para manter os moradores informados sobre a atuação de nossas polícias e a participação da comunidade. Veja nas páginas 4 e 5 como colaborar para aumentar a sua segurança e a de seus vizinhos.

ANO 2 – NÚMERO 7 – Junho DE 2009

Mudanças na Subprefeitura Santo Amaro tem novo subprefeito, o tenente coronel Manoel de Araújo p.3

Segurança Nossa segurança em nossas mãos

p. 4

Infraestrutura verde Projeto piloto será implantado nos bairros

p. 6

Entidades de bairro se unem em defesa do PDE Saiba mais sobre os planos p. 9 de bairro

Parque Alto da Boa Vista Descaso e abandono

p. 12

Linha 5 do Metrô, agora em maior detalhe Atendendo à solicitação da Ciranda, a Cia. do Metrô realizou, no último dia 3 de junho, mais uma apresentação do projeto da Linha 5, agora com imagens que mostram o desenho das plataformas, com ênfase nas estações entre o Largo 13 e a Av. dos Bandeirantes. Além de dar conhecimento à comunidade de como será o projeto de cada estação, identificando com clareza sua localização ao longo do trecho na área da Subprefeitura de Santo Amaro, os técnicos abordaram também aspectos do cronograma das obras e dos benefícios previstos em função da racionalização do sistema de transportes que decorrerá da operação dessa linha. Um exemplo é a redução do tempo de espera para os usuários dos transportes públicos, tendo em vista que os trens do Metrô chegarão a cada estação a intervalos

menores do que a frequência dos ônibus, o que, consequentemente, eliminará o acúmulo de pessoas esperando condução nas calçadas. Contudo, haverá também uma redução do número de linhas de ônibus, uma vez que a demanda será distribuída entre o transporte de superfície e o metrô. Foram discutidos ainda aspectos relacionados aos desvios do trânsito para a execução das obras e os problemas que certamente serão criados pela falta de estacionamento na área das estações. Os representantes das associações solicitaram que este aspecto e o estudo dos desvios sejam discutidos com a participação dos moradores. Uma nova reunião será agendada para tratar exclusivamente desse tema. Cabe também à Ciranda encaminhar ofício à presidência da Cia. do Metrô solicitando alteração do nome de algumas das estações, de modo a permitir uma associação mais clara com os bairros de referência, especialmente nos casos de Chácara Santo Antonio, Brooklin Novo e Campo Belo.


2 • Mais Ação

Santos Dumont Alberto Santos Dumont (1873-1932) foi o primeiro a decolar a bordo de um avião impulsionado por um motor aeronáutico e o primeiro a cumprir um circuito pré-estabelecido sob testemunho oficial de especialistas, jornalistas e populares. Em 23 de outubro de 1906, ele voou cerca de 60 metros a uma altura de dois a três metros com seu 14 Bis, no Campo de Bagatelle, em Paris. Menos de um mês depois, em 12 de novembro, repetiu o feito e, diante de uma multidão de testemunhas, percorreu 220 metros a uma altura de seis metros. Apesar de a maioria dos países do mundo considerar os Irmãos Wright como os inventores do avião, por uma decolagem ocorrida em 17 de dezembro de 1903, com o uso de uma catapulta, o 14-Bis teve uma decolagem auto-propulsada, e, por isso, Santos Dumont é considerado em seu país de origem, o Brasil, e em alguns países, por exemplo, a França, como o “Pai da Aviação”. Herdeiro de uma família de cafeicultores prósperos na cidade de Ribeirão Preto; pôde se dedicar aos estudos da ciência e da mecânica vivendo em Paris. Ao contrário de outros aeronautas da época, não registrava patentes, deixando suas invenções para o domínio público. A casa onde nasceu Alberto Santos Dumont situa-se no atual município de Santos Dumont, zona da mata mineira, a 240 quilômetros de Belo Horizonte. O local foi transformado no Museu de Cabangu. Também em Petrópolis existe o Museu Casa de Santos Dumont.

Abraço Guarapiranga 2009 Em sua quarta edição, o Abraço Guarapiranga em torno da represa pretendeu aumentar a pressão por investimentos em ações de recuperação e preservação do manancial e analisar o que o poder público vem fazendo. Da mesma forma que em anos anteriores, o Abraço Guarapiranga 2009 pretendeu reunir os moradores da região e consumidores de água como forma de expressar o carinho com a centenária represa, protestar pela situação de degradação em que se encontra e pressionar por mudanças que garantam a preservação das fontes de água. A Represa de Guarapiranga abastece 3,8 milhões de pessoas na Grande São Paulo. Apesar da importância para o abastecimento público, sua situação é preocupante pois é o mais ameaçado entre os mananciais que fornecem água para a maior metrópole do país. Sua bacia hidrográfica está ocupada de forma desordenada e apresenta em muitas áreas alta densidade populacional. A população que vive ao redor da represa é estimada em 800 mil pessoas, e apenas metade dela conta com algum sistema de coleta de esgotos. Além disso, a maioria do esgoto coletado continua sendo despejado

Endereço para correspondência R. das Sempre-vivas, 77 – 04704-030 – São Paulo – SP

Contato SAJAPE: Fone/Fax: (11) 3854.7372 Endereço eletrônico: www.sajape.org.br e-mail: sajape@sajape.org.br SABABV Fone/Fax: (11) 5532.1367 Endereço eletrônico: www.altodaboavista.org.br e-mail: sababv@altodaboavista.org.br Redação Conselho editorial: Cecília Carneiro de Oliveira, Cida Teixeira, Cristina Antunes, Olga Saias e Mônica Hamada. Tiragem: 4.000 exemplares Jornalista responsável Cida Teixeira (MTb 12.571) e-mail: cida.teixeira@uol.com.br Projeto gráfico e diagramação Ampel Produções Editoriais Tel.: (11) 5535.2589 e-mail: ampel@ampel.com.br

Eleição da diretoria SAJAPE Em cumprimento ao estatuto, a SAJAPE elegeu sua nova diretoria para o biênio 2009-2011, no dia 11 de maio.

Balancete SAJAPE

Expediente Associação de Moradores dos Jardins Petrópolis e dos Estados – SAJAPE Associação de Moradores do Bairro Alto da Boa Vista – SABABV

na represa, fazendo com que a qualidade das águas dos rios e a da própria represa piorem ano a ano. A Guarapiranga sofre ainda com o assoreamento de suas margens, diminuição do espelho d'água, desmatamento e uso intensivo do solo, além dos impactos gerados pela construção do Trecho Sul do Rodoanel. A reversão do quadro de degradação da represa, portanto, não é uma tarefa de fácil ou rápida solução. Para tanto, é necessário o envolvimento permanente de diferentes segmentos do governo e da sociedade em ações integradas e efetivas, que valorizem e protejam a produção de água para abastecimento público. Neste processo, cada setor da sociedade tem sua respectiva parcela de responsabilidade. O papel do cidadão, consumidor de água, passa por usar o recurso de forma racional e pressionar o poder público para que assuma responsabilidades e invista em ações de recuperação e proteção do manancial.

Dezembro de 2008 Conta analítica Saldo atual

Conta analítica Saldo atual

Ativo

Passivo

Ativo Circulante

Passivo circulante Fornecedores

Disponível Bancos conta movimento Aplicações de liquidez imediata Disponível

350,05 7.669,03 8.019,08

Realizável a curto prazo Contas a receber Realizável a curto prazo Ativo circulante

Fornecedores

723,80 723,80

Outras obrigações Contas a pagar

10,20

Outras obrigações

10,20

Passivo circulante

8.029,28

Patrimônio líquido

Ativo permanente

56,55 56,55 780,35

Superávit/déficit acumulados

Imobilizado Bens móveis

1.378,00

(-) Depreciação acumulada

(323,29)

Imobilizado

Fornecedores nacionais

Superávit acumulados

15.645,09

(-) Déficit acumulados

(7.341,45)

Superávit/Déficit acumulados

8.303,64

1.054,71

Patrimônio líquido

8.303,64

Ativo permanente

1.054,71

Passivo

9.083,99

Ativo

9.083,99


Junho de 2009 • 3

Subprefeitura de Santo Amaro sob nova direção Tomou posse, no último dia 15, o novo Subprefeito de Santo Amaro, Tenente-Coronel Manoel Antônio da Silva Araújo, completando o time de militares da reserva que responderam à “convocação” do Prefeito Gilberto Kassab, que pretende dar uma nova feição à administração local na cidade. Ex-comandante geral do Corpo de Bombeiros de São Paulo, nosso novo Subprefeito tem formação acadêmica como engenheiro civil e pós-gradução em Segurança do Trabalho, com óbvia experiência em liderança de equipes. Os militares vêm para a administração municipal com a incumbência específica de garantir o cumprimento das leis, como afirmou o Subprefeito da Mooca, Coronel Casado: “Meu trabalho é fazer cumprir a legislação. As coisas começam a mudar quando conseguimos dar pronta resposta às irregularidades”. A SABABV e a SAJAPE veem com otimismo qualquer mudança que possa favorecer a melhoria de atendimento e a eficácia da gestão municipal. Representantes das associações estiveram na Subprefeitura para dar as boas vindas ao Coronel Manoel, destacando que a atuação das entidades tem por objetivo contribuir para a eficácia da gestão pública, e colocando-se à disposição para contribuir em todas as ações em que a sociedade civil seja chamada a participar.

Compareça às reuniões

Plano de metas para 2012 Em cumprimento ao que determina a Lei Orgânica do Município, o Prefeito Kassab apresentou, aos 100 dias desta nova gestão, seu Plano de Metas para 2012. As associações participaram da Audiência Pública que apresentou esse novo instrumento de controle que foi introduzido em 2008 por meio de aditivo à Lei Orgânica proposto pelo Movimento Nossa São Paulo e aprovado por unanimidade pela Câmara dos Vereadores. A íntegra do documento, apresentado em audiências públicas realizadas em cada uma das 31 subprefeituras no final do mês de abril, pode ser consultada no site da prefeitura. As propostas estão organizadas por áreas e incluem parte dos compromissos assumidos durante a campanha eleitoral. Sendo um plano abrangente, não chega a detalhar ações locais que gostaríamos de ver realizadas neste mandato em nossa região e tampouco determina prazos intermediários que permitam acompanhar o andamento dos projetos. Outra deficiência grave é a ausência de identificação do montante e da origem dos recursos que serão alocados para cada uma das metas, o que torna o Plano uma manifestação de boas intenções, porém não demonstra a viabilidade de sua execução. Questionados sobre esses aspectos pelas associações, os representantes da Secretaria de Planejamento, responsável pelo documento, reconheceram as falhas e asseguraram que tais dados estão em estudo e serão divulgados oportunamente.

Todas as segundas segundas-feiras, às 20 horas, à rua das Sempre-vivas, 77

Prefeitura desenvolve o Programa 5S Os 5S, programa de gestão já aplicado por muitas empresas, vem sendo implementado para “modernizar” a gestão municipal, tentando mudar a cultura de morosidade e os vícios da administração pública. Desenvolvido no Japão, o programa ensina bons hábitos e eliminação de desperdícios e perdas. O objetivo é manter a empresa limpa e zelar pelo local de trabalho para alcançar motivação, segurança, qualidade e produtividade com base no pensamento enxuto: fazer cada vez mais com cada vez menos — menos esforço humano, menos equipamento, menos tempo e menos espaço — e, ao mesmo tempo, aproximar-se cada vez mais dos clientes, oferecendo exatamente o que eles desejam. Os servidores serão capacitados e será deles a responsabilidade de disseminar os conceitos do Programa 5S a todos os colegas.

Sensos São 5 conceitos simples (Seiri, Seiton, Seiso, Seiketsu e Shitsuke): 1º S - Seiri – Senso de Liberação de Áreas Lema: “Só tenha as coisas realmente necessárias” 2º S - Seiton – Senso de Organização Lema: “Um lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar” 3º S - Seiso – Senso de Higiene e Limpeza Lema: “O desafio é não sujar para não precisar limpar” 4º S - Seiketsu – Senso de Saúde Lema: “A saúde é a ponte que liga todos os sensos ao da disciplina” 5º S - Shitsuke – Senso da Disciplina Lema: “Manter e praticar de forma correta e contínua tudo aquilo que está determinado, transformando o 5S num modo de vida”. As conseqüências do programa são mudanças profundas nas relações das pessoas com os outros e com a natureza. É importante lembrar que, para implantar o Programa 5S, não basta apenas traduzir os termos e estudar sua teoria e aplicar seus conceitos. Sua essência é mudar atitudes, pensamento e comportamento pessoal, visando melhorar o ambiente de trabalho, a saúde física e mental dos funcionários e o sistema da qualidade.

Associação Pedagógica Rudolf Steiner Rua Job Lane, 900 CEP 04639-001 Alto da Boa Vista – São Paulo Tel.: 11 5523.6655 Fax: 5686.9863 e-mail: escola@ewrs.com.br site: www.ewrs.com.br

Procura-se Alguém sabe informar por que motivo as ruas do Jardim dos Estados não têm mais nomes de estados? Responda pelo e-mail: cartas@sajape.org.br


4 • Mais Ação

Participe das reuniões do Conseg - SA Conscientize-se e conscientize! Em uma cidade como São Paulo, a sensação de segurança é cada vez menor, não há local ou hora que alguém possa estar livre de um assalto. Ele acontece por oportunidade (baixa de nossa guarda, como um vidro de carro ou portão abertos) ou por determinação e planejamento dos fora-da-lei (neste caso, optam, em geral, por vítimas que ofereçam maior oportunidade de sucesso). Os assaltos praticados em residências ocorrem, na maioria das vezes, em momentos de entrada ou saída, quando devemos sempre ser breves e estar atentos aos movimentos na rua, evitando abrir a porta ou o portão quando houver alguma situação suspeita, sejam pessoas a pé ou em veículos de qualquer tipo, principalmente motos. Hoje a aparência não é critério de julgamento para distinguir pessoas. Ultimamente os bairros sofrem uma série de ocorrências nas quais um carro de luxo segue a vítima e entra na garagem com ela, dificultando o fechamento do portão. Os pseudo-funcionários e pedintes também representam outra situação que nos deixa vulneráveis: uma quadrilha disfarçada de

agentes dos Correios foi afastada de nossas ruas recentemente. Por isso, não atenda visitas não agendadas e de procedência não confirmada, nunca abra porta ou portão para estranhos, e compartilhe esses cuidados com seus funcionários, parentes e amigos. Desconfie sempre, é seu direito e dever mais que justificado. Em caso de suspeita, chame a Polícia Militar pelo telefones 190 ou 5522-9479, ou acesse o disque-denúncia: 181. Devemos fazer a nossa parte, qualquer que seja a ocorrência: crime, seqüestro, furto, roubo. A ida até a Delegacia mais próxima para fazer o B.O (Boletim de Ocorrência) é de extrema importância. As pessoas não devem ter receio, a Polícia Civil existe para cumprir sua obrigação. Lembre-se: se você não quer se expor, existem vários meios de comunicação que podem ser utilizados sem a identificação da pessoa, como, por exemplo, enviar e-mail, comparecer às reuniões das Associações de Bairro, levando o problema enfrentado; comparecer ao Conseg, levando e pedindo soluções diretamente aos envolvidos nas questões de segurança.

Telefones Úteis O número para socorro que temos em mente é o 190, Polícia Militar. Porém como é utilizado para absolutamente todo tipo de ocorrência, causa, num momento de urgência, a sensação de que não seremos atendidos ou de que a demora será grande, pois estarão encaminhando a chamada para a viatura mais próxima, que também poderá estar em diligência e não terá a rapidez que se espera em questões que envolvem segurança. Seguem, portanto, outros números de atendimento que poderão ser acionados: XX

11ª Delegacia de Polícia Civil: Delegado Titular: Dr. Armando Roberto Bélio Tels.: 3341-3843/5687-4004 e 147 Rua Padre José de Anchieta, 138.

XX

Delegacia da Mulher (na 99º D.P.) Delegada: Dra. Izilda C. Vidoeira Tels.: 5521-6068 e 5686-8567

XX

3ª Cia. do 1º Batalhão da Polícia Militar: Tels.: 5522-9479 e 190

XX

3º e 4º Batalhões da Polícia Militar Capitão Fernando Tel.: 5522-4493

XX Guarda Civil Metropolitana (GCM): Inspetor Carlos Viana Tels.: 5687-2258/5687-2524 XX

Promotoria Criminal de Santo Amaro Dr. Rossini e Dra. Jaqueline Tel.: 3119-9924

XX

Disque denúncia (anônimo): 181

XX

Pronto Socorro: 192

XX

Bombeiros: 193

XX

CET - Malú - 3871-8602 - 1188

XX

Acidentes de trânsito (CET): 1188

Vigilância de Rua Projeto de cadastramento vai até final de junho Em algumas ruas de nossos bairros há vigias contratados por grupo de moradores. Esta prática, de eficácia duvidosa, pode ter um final feliz se realizada com o relacionamento correto entre moradores e vigias. Há casos em que, na verdade, o morador é coagido a aceitar os serviços desses vigias. A melhor garantia do morador é verificar se o vigia está cadastrado na Polícia Civil para exercer essa função, o que garante a averiguação de antecedentes criminais e abre a possibilidade de participação em um dos cursos de qualificação para essa atividade.

Como você pode colaborar? Muitos vigias ainda não sabem que o cadastramento é obrigatório para o exercício dessa atividade. O controle pela Polícia Civil é uma garantia para a comunidade e

representa uma credencial de seriedade para os próprios vigias. No controle feito pela Polícia Civil no Campo Grande e na Granja Julieta, foram identificadas pessoas foragidas de outros estados e fugitivos já condenados. Para que esse projeto tenha eficácia, é fundamental que TODOS os moradores que usam esses serviços concordem em suspender os pagamentos caso o vigia não tenha apresentado seu cartão de atualização de cadastramento até o final de junho. A partir dessa data, a Polícia Civil realizará blitze em nossos bairros para levar à delegacia os vigias não cadastrados, para que cumpram com essa exigência. Para evitar esse constrangimento, os moradores devem reunir-se e orientar seus vigias — diurno, noturno e folguista — para

que procurem a 11ª DP levando seu documento de identidade. Nosso delegado titular, Dr. Bélio, garante que o cadastramento será feito sem nenhum custo para o vigia.

Programa de capacitação Após a conclusão do cadastramento, a SABABV e a SAJAPE, em parceira com o Conseg - SA, promoverão cursos de capacitação para os vigias, visando melhorar seu desempenho e aumentar sua própria segurança nessa atividade que, até hoje, vem sendo exercida de maneira absolutamente informal. Já treinados, os vigias poderão contar com equipamentos de rádio-comunicação, que lhes permitirão contato ágil com os moradores e a polícia.


Junho de 2009 • 5

Calendário de reuniões Conseg - SA

Boletim de Ocorrência As lembranças que a maioria das pessoas tem em relação aos Boletins de Ocorrência, além do trauma do sinistro, é a lentidão, a sensação de inutilidade em seu resultado prático e a insatisfação com o tratamento recebido nas Delegacias. Porém, as Secretarias de Segurança têm-se aparelhado e melhorado o atendimento. Fazer o BO é a única forma de a Polícia Civil trabalhar com inteligência e de obter estatísticas das ocorrências da região, mapeando as localidades que possuem histórico registrado, é possível atuar para erradicar os culpados antes de executarem seu próximo golpe.

26 de junho, sexta-feira 28 de julho, terça-feira 25 de agosto, terça-feira

Horário: 19h30 Local: OAB - Santo Amaro Rua Alexandre Dumas, 224

Bloqueio de telemarketing Para bloquear o seu número de telefone para recebimento de telemarketing, acesse o site: www.procon.sp.gov.br/bloqueiotelef

29 de setembro, terça-feira 27 de outubro, terça-feira 24 de novembro, terça-feira

Levantamento estatístico das atividades policiais SSP/SP - ESTATÍSTICA TRIMESTRAL

Disque-Denúncia da SABESP

6ª Seccional - 11º DP

A Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) oficializou parceria com o Instituto São Paulo Contra a Violência para tornar mais eficaz o combate às fraudes em ligações de água em todo o Estado. A partir dessa parceria, as denúncias de fraudes, que hoje são feitas pelo 195 da Sabesp, poderão ser feitas diretamente ao DisqueDenúncia (181), serviço mantido pelo Instituto em convênio com a Secretaria de Segurança Pública do Estado.

Homicídio doloso

2

4

2

Latrocínio

0

0

0

Estupro

0

4

4

Roubos outros

806

908

102

Roubo a banco

0

4

4

Roubo de carga

9

7

-2

Roubo de veículos

141

156

15

Furtos outros

963

926

-37

Furto de veículos

202

161

O disque-denúncia É um serviço gratuito que existe desde 2000. Sua principal característica é a garantia de sigilo absoluto. Pode ser acessado pelo número 181 em todo o Estado de São Paulo e pelo telefone (11) 3188-4130, caso a ligação seja de outro Estado e se refira a denúncias no território paulista.

Formulário do Conseg

1º Trim 2008

1º Trim 2009

Variação

Atividades Policiais na Àrea da 6ª Seccional Tráfico de entorpecentes

191

140

-51

Prisões efetuadas

765

714

-51

Armas apreendidas

224

228

4

159.206

5.073

O formulário para denúncias, reclamações ou sugestões do Conseg-SA pode ser adquirido no site:

Estatística de Todo o Estado de São Paulo

http://www.altodaboavista.org.br/Formulario%20Conseg.pdf

População Carcerária

154.133


6 • Mais Ação

Infraestrutura verde para uma cidade saudável

O

por Renier Marcos Rotermund, biólogo, Coordenador do DEPAVE-Sul — Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente

Mas o que é Infraestrutura Verde?

desenvolvimento das cidades contemporâneas trouxe consigo uma série de problemas ambientais indesejáveis e que são fruto de uma forma equivocada de lidar com a natureza e os processos naturais. O homem acreditou por muito tempo ser possível dominá-los e manter sob controle, isto tudo ao custo de muita energia e concreto. Assim, a natureza praticamente desapareceu do nosso meio, ficando confinada a pequenos espaços ou escondida debaixo da terra ou mesmo embaçada por uma densa camada de poluição. Mas o custo pago por isto está ficando alto demais e nós precisamos aprender a repensar a cidade para torná-la um lugar agradavelmente habitável.

Basicamente, é uma rede de estruturas que recupera e valoriza a natureza e os benefícios que ela nos traz de uma maneira integradora na cidade. Embora as estruturas sejam individuais, quanto mais na forma de sistemas elas trabalharem, tanto mais elas se potencializam. Também têm a pretensão de serem mais baratas que a infraestrutura convencional; são ainda simples, úteis e bonitas. Mas, sempre há um senão, precisamos aprender a lidar com elas, mudar alguns de nossos hábitos e a nossa maneira de encarar a cidade, o que pode ser o maior desafio.

Biovaletas

A implantação da Infraestrutura Verde tem sido vista por muitos como uma saída para este beco em que as cidades se meteram, por apresentar soluções que recuperam o papel da natureza na cidade trazendo os seus benefícios à população. Canteiro pluvial

Teto verde

Conheça os elementos da Infraestrutura Verde As Biovaletas são valetas vegetadas sobre um solo especialmente preparado para absorver a água da chuva. Elas conduzem a água de um ponto ao outro de maneira mais lenta que uma sarjeta ou de uma galeria, permitindo que parte desta água infiltre no solo. Os Jardins de Chuva são depressões no solo que acumulam a água da chuva por alguns minutos após o seu término, permitindo que parte dela se infiltre no solo e retardando a chegada do restante nas galerias e córregos. Assim como as biovaletas, elas são cobertas por vegetação e têm também como benefícios o aumento da umidade do ar nos dias secos e a diminuição da temperatura do ar no seu entorno nos dias mais quentes. Os tetos verdes são jardins sobre lajes e coberturas que vêm ganhando enorme expressão em grandes cidades européias e americanas por conta dos enormes benefícios que trazem, bastante semelhantes aos Jardins de Chuva e Biovaletas. Embora não permitam a infiltração de água no solo, significam a substituição de muitos metros quadrados de lajes e telhados que esquentam muito durante o dia, por jardins que amenizam o clima. Por isso, cidades como Londres e Berlim oferecem incentivos a quem quiser implantá-los.

A arborização é outro elemento importantíssimo da infra-estrutura verde, contribuindo principalmente para o melhoramento do clima, mas também ajudando na gestão da água e do controle de poluição. Podemos ainda citar muitas outras formas de se trabalhar com a infra-estrutura verde, como a implantação de cisternas, ciclovias, pavimentos drenantes, horta urbana e os parques entre outros. Como um quebra-cabeça, cada estrutura vai-se encaixando na cidade, no espaço que lhe for mais adequado, mas de maneira objetiva e determinada. É preciso lembrar que a cidade é dinâmica e está o tempo todo se reconstruindo, de maneira que cada obra se torna uma oportunidade para a implantação destas estruturas. A escala em que se trabalha pode ser a mais variada possível, desde um jardim de residência ao desenho de um bairro ou de uma região. O desafio, como já foi dito, é aprender a pensar sobre a nossa maneira de uso dos recursos e sobre como construímos a nossa cidade, os nossos espaços, a nossa casa. Uma simples cisterna em casa para aproveitar a água da chuva já é um bom começo. Uma árvore? Melhor ainda.


Junho de 2009 • 7

Praça ecológica vai drenar água da chuva A Vila Madalena, na zona oeste, vai ganhar uma praça ecológica com sistema que vai drenar as águas da chuva para facilitar a absorção pelo solo e devolver o excedente limpo a um córrego. Valetas, construídas com piso drenante, vão escorrer a chuva que cair sobre a praça e em ruas próximas para os jardins de chuva, piscinas de pequena profundidade, que vão drenar a água para o subsolo e lançar o excedente no córrego das Corujas. A praça Dolores Ibarruri, conhecida como praça das Corujas, está em reforma desde dezembro e será entregue até 30 de junho. Será construído um deck para contemplação desses jardins. Além disso, a praça vai ganhar passeio de caminhada com piso intertravado, um campo de futebol, playground com brinquedos feitos com madeira certificada e escadarias. O novo sistema de drenagem foi inspirado em um projeto realizado na cidade de Seattle, nos Estados Unidos, e adaptado pela arquiteta e paisagista Elza Niero.

Projeto FEMA já aponta resultados O projeto “Áreas públicas – buscando novos espaços verdes e de lazer para a comunidade”, financiado pelo FEMA – Fundo Especial de Meio Ambiente –, da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente, que vem sendo desenvolvido pela Ciranda, já levantou indícios suficientes de áreas públicas que poderão ser oferecidas à comunidade como espaços verdes e de lazer. Contando com a participação de membros da SABABV e da SAJAPE, a equipe desenvolve basicamente três linhas de pesquisa: identificação de áreas desapropriadas, localização de vias públicas não utilizadas no sistema viário local e inventário do desmatamento promovido por empreendimentos de condomínios horizontais. O projeto tem dois objetivos principais: o primeiro, de grande importância para a região, é a recomposição, ao menos parcial, da grande área de vegetação perdida

desde 1996 para a implantação de condomínios; o segundo, igualmente relevante, é a conscientização das pessoas que moram ou trabalham em nossos bairros com relação à necessidade de preservar as características ambientais como condição indispensável para a qualidade habitacional da região. Para alcançar tais objetivos, uma vez sistematizadas as informações documentais, fotográficas e cartoriais já levantadas, a equipe do FEMA realizará aferições em campo e encontros com moradores, além de atividades de educação ambiental com estudantes, buscando o maior envolvimento possível da comunidade neste projeto, que foi aprovado com o apoio pessoal do Secretário Eduardo Jorge, da Secretaria do Verde e Meio Ambiente. A próxima edição do jornal Mais Ação trará um encarte com detalhes desse projeto. Aguarde!!!

Bons motivos para ir de bicicleta Já que falamos em mudanças de hábitos, que tal adotar um meio de transporte que não polui? Usando a bicicleta em vez do carro, você: XX XX XX XX XX XX

XX

XX

faz exercícios e tem um desempenho melhor no trabalho; não polui o ar e respira menos poluição que alguém preso no trânsito; não faz barulho, o que é benéfico para o meio ambiente; não paga estacionamento; não gasta com gasolina, seguro, licenciamento; desenvolve outra relação com a cidade e suas rotas, pois vai preferir caminhos sem muitas subidas e vai evitar avenidas; contribui para a diminuição de congestionamentos, porque a bicicleta ocupa menos espaço nas vias; é mais ágil em horários de pico: pedalando até 7 km/h, você chega no

XX

Pegada ecológica “A Pegada Ecológica não é uma medida exata e sim uma estimativa. Ela nos mostra até que ponto a nossa forma de viver está de acordo com a capacidade do planeta de oferecer, renovar seus recursos naturais e absorver os resíduos que geramos por muitos e muitos anos.” (WWF-Brasil) E você? Contribui para uma cidade sustentável? O seu consumo é sustentável em uma cidade de 11 milhões de habitantes? Responda ao questionário no site do World Wide Fund for Nature (WWF) e obtenha a sua pegada ecológica: www.wwf.org.br

Ganhar, trocar, reciclar? É só acessar o freecycle.org O Freecycle é uma rede internacional de trocas. De minhocas a cestas de frutas passando por sofás, roupas, talheres, até o que você puder imaginar. Os endereços dos que dão e dos que recebem variam, mas o centro nervoso da comunidade é o mesmo sempre: www.freecycle.org. Criado nos Estados Unidos em 2003, hoje já está em centenas de cidades em dezenas de países, inclusive no Brasil.

mesmo tempo que um veículo motorizado, ou até antes dele; pode consertar a sua própria bicicleta e pode empurrá-la até uma bicicletaria se o conserto não for possível.

Vá de bicicleta, mas lembre-se XX XX

XX XX XX XX XX XX XX

sua bicicleta é um veículo e você está sujeito às leis de trânsito; pedale pelo lado direito da via e não se deixe espremer na guia. Ocupe o seu espaço; nunca pedale na contramão; respeite os pedestres e nunca pedale na calçada; pare no semáforo, liberando a faixa de pedestres; sinalize com o braço quando for mudar de direção; cuidado com portas de carros estacionados; para ser visto à noite, use luzinhas e refletores; compartilhe a via.


8 • Mais Ação

Descontos no IPTU para áreas revestidas de vegetação O contribuinte pode requerer até 50% de desconto no Imposto Territorial Urbano incidente sobre o seu imóvel se a sua área for revestida de vegetação arbórea declarada de preservação permanente ou perpetuada de acordo com o determinado na Lei 10.365/1987.

Outros descontos garantidos por lei Para quem preserva a história e o meio ambiente, também há descontos: 1. 50% no Imposto Predial relativo a imóveis que forem restaurados, desde que localizados no perímetro especificado em lei, assim como os imóveis de caráter histórico ou de excepcional valor artístico, cultural ou paisagístico, preservados por lei municipal (Lei 10.598/1988). 2. 50% no Imposto Territorial Urbano incidente sobre os terrenos localizados na Área de Proteção aos Manan-

ciais, nos termos da legislação própria (Lei 11.338/1992). Esse desconto é automaticamente calculado e concedido no lançamento, e não precisa ser requerido. A concessão de desconto no IPTU deve ser requerida através de formulário próprio, fornecido gratuitamente pela Prefeitura, e entregue no Ed. Andraus, localizado na Rua Pedro Américo, nº 32, 6º andar, de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h. Todos os requerimentos devem ser instruídos com cópia da notificação de lançamento do IPTU, RG e CPF do contribuinte ou do procurador, além dos documentos específicos exigidos para cada caso. Apresentar o original de cada documento para conferência. Quando o requerimento for apresentado por procurador, deve ser anexado o competente instrumento de mandato, com firma reconhecida.

Apenas a lei de zoneamento não basta para proteger os bairros Falta de fiscalização e de informação favorecem o descumprimento da legislação O conceito de zona estritamente residencial não foi criado sem razão. Seu princípio é a proteção dos moradores contra o tráfego, o aumento da incidência de acidentes, ruídos, poluição, enfim, todos os problemas provocados pelo aumento de movimentação trazido pelas atividades de outros usos que não o residencial, todos estes fatores contribuindo ainda para a violência. Algumas ocorrências de irregularidades vêm ameaçando a estabilidade urbana de nossos bairros. A rua S. Benedito, que tem gerado acaloradas discussões entre moradores e comerciantes, é um exemplo claro. Na esteira de ações injustificáveis da própria Prefeitura, fomos surpreendidos

pela ampliação de uma unidade da Fundação Casa (ex-Febem), qua já mantém um escritório (sem licença de funcionamento)

Moradores do Alto da Boa Vista unem-se contra empreendimento imobiliário irregular A Sociedade Amigos do Bairro do Alto da Boa Vista denunciou ao Ministério Público a construção irregular de um conjunto de prédios na Rua Belterra (esquina com a Av. Washington Luis), Zona 1, de ocupação estritamente residencial. A lei proíbe a construção de prédios com mais de dois andares na região, mas a comunidade foi surpreendida no ano passado com a aprovação pela Secretaria da Habitação de um empreendimento da Arizona Investimentos Imobiliários que engloba 8 edifícios de 12 andares. Inconformados, os moradores do bairro recorreram à Justiça e desde o ano passado reuniram a documentação necessária para solicitar o embargo da obra. Uma liminar favorável ao pedido foi expedida no dia 15 de abril, mas os moradores temem que a construtora pressione para a continuidade do empreendimento. Mesmo porque a empresa mantém o Plantão de Vendas e, segundo os moradores, eventuais interessados podem estar sendo ludibriados. A SABABV estranha que uma obra embargada continue a ser comercializada normalmente e questiona também como o projeto conseguiu aprovação da Prefeitura, contrariando a lei de zoneamento. “Somente a mobilização da sociedade pode impedir abusos como este. Além das irregularidades, o empreendimento está colado à Praça da Chácara das Paineiras, que possui espécies da Mata Atlântica. Os prédios formariam um verdadeiro paredão ao lado da pracinha”, informa Eliza Fernandes, moradora vizinha ao empreendimento. Segundo ela, além da liminar concedida pela Justiça, a associação quer ter total segurança de que as obras, que haviam sido iniciadas, não continuem deixando o bairro sujeito à ação predatória das grandes construtoras.

no nº 93 da Rua Nundiaú. Este escritório está sendo reformado para servir de Unidade Semi-liberdade (tipo detenção albergue) para menores infratores (dos 14 até 21 anos incompletos) em regime de semi-liberdade. Isto já acontece em nosso bairro, sem a mudança de zoneamento desejada por alguns comerciantes. Podemos imaginar o que virá depois. A SABABV reagiu prontamente a mais este desrespeito à legislação de Uso e Ocupação do Solo.

Leis sobre Uso e Ocupação do Solo estão disponíveis no site da Câmara dos Vereadores de SP e no site da Prefeitura em “Plantas On-line”: www2.prefeitura.sp.gov.br/arquivos/secretarias/planejamento/ zoneamento

De olho na obra Para manter a cidade organizada, é necessário que o proprietário do imóvel tenha uma licença para construir ou reformar. É por isso que a Prefeitura de São Paulo acaba de lançar o DE OLHO NA OBRA, um serviço que permite que o cidadão saiba pela internet o que está sendo construído ou reformado na cidade de São Paulo. É só acessar o site www.prefeitura. sp.gov.br/deolhonaobra com o endereço da obra em mãos. Se a construção for irregular, você pode ajudar na fiscalização, denunciando a obra para a Prefeitura.


Junho de 2009 • 9

Frente em Defesa do PDE Em uma ampla mobilização, mais de 150 entidades da sociedade civil manifestaram-se pedindo que o Prefeito Kassab retire da Câmara Municipal o projeto de revisão do Plano Diretor Estratégico. O objetivo é que, dentro da legalidade e do mais alto espírito democrático e cidadão, um novo PL reformule as concepções e os procedimentos da revisão do Plano Diretor Estratégico, objetivando o desenvolvimento de uma cidade justa e socialmente includente, planejada de forma participativa e alicerçada no interesse público.

Entenda os argumentos A SEMPLA não cumpriu o determinado no art. 293 do Plano Diretor Estratégico vigente, que estabelece os limites legais de sua própria revisão, restrita apenas à adequação das ações estratégicas do Plano Diretor, com possíveis acréscimos de áreas do território da cidade para aplicação dos instrumentos previstos no Estatuto da Cidade. u A Prefeitura da Cidade de São Paulo, extrapolando os limites legais da revisão do Plano Diretor Estratégico, propôs, na verdade, um novo plano que suprimiu importantes elementos do desenvolvimento urbano já conquistados, com significativos retrocessos nos aspectos sociais e culturais do plano vigente. u Este novo plano libera praticamente todo o território urbano para edificações, em área total superior a atualmente permitida, liberando sem controle a verticalização e o adensamento ao sabor do interesse puramente imobiliário, desconsiderando seus reflexos na sustentabilidade ambiental de nossa cidade. u A Prefeitura não apresentou nenhum Plano de Habitação, de Transportes e Circulação Viária, dispositivos interdependentes e subordinados às diretrizes do Plano Diretor Estratégico vigente, cuja concepção e aplicação integradas são fundamentais para a sua revisão e para a futura elaboração de adequadas Normas de Uso e Ocupação do Solo, como legalmente previsto e não cumprido pelo Executivo, o que por si só invalida o projeto encaminhado à Câmara. u A Prefeitura da Cidade de São Paulo procedeu de forma pouco democrática, desde a apresentação do projeto até o encaminhamento para a Câmara Municipal, retrocedendo no processo

de discussão e na gestão participativa em audiências públicas absolutamente carentes de informação, de tempo para qualquer manifestação pública consistente, em grosseiro arremedo mal disfarçado de democracia. u A sociedade civil paulistana não aceita mais este tipo de menosprezo para com as Leis e os Direitos constitucionais dos cidadãos de participar de concepção, implementação e monitoramento das intervenções relativas ao desenvolvimento urbano de sua cidade, posto que prejuízos são suportados pela imensa maioria da sociedade, enquanto uns poucos se beneficiam.

Planos de Bairro voltam à cena

u

Em meio aos intensos debates que cercam a revisão do Plano Diretor Estratégico (PDE) da cidade de São Paulo, as entidades associadas à Ciranda decidiram retomar o trabalho de elaboração dos Planos de Bairro. SABABV e SAJAPE já iniciaram em 2003 esse trabalho, produzindo subsídios para a formulação do Plano Regional de Santo Amaro, em vigor desde 2004. O Plano de Bairro é um instrumento de planejamento local previsto no PDE, que permite que a comunidade determine o tipo de desenvolvimento que deseja para a localidade em que vive. A elaboração desse plano local envolve levantamento de dados censitários, mapeamento de usos e ocupação do solo, sistema de trânsito e transporte, equipamentos públicos, infra-estrutura, meio ambiente, segurança e uma série de aspectos relacionados, todos relevantes para a qualidade de vida da população que vive e trabalha em cada bairro. Assim sendo, uma condição fundamental para a legitimidade dos Planos de Bairro é a participação dos moradores e prestadores de serviço locais, que têm nesse projeto a oportunidade de debater questões ligadas a seu dia a dia e de apresentar propostas de interesse geral, que serão submetidas à avaliação da comunidade em reuniões, seminários e oficinas temáticas. Sob a coordenação de suas equipes técnicas, a SABABV e a SAJAPE submeterão a todos os moradores uma pesquisa preliminar, com perguntas sobre inúmeros aspectos de interesse local e regional. As respostas serão tabuladas e orientarão a organização das oficinas temáticas que terão lugar na seqüência. A agenda desse trabalho será divulgada em nossos jornais e por e-mail, de modo que todos possam organizar-se para participar dos debates. Não deixe de colaborar com esse projeto: seu envolvimento é essencial para garantir a qualidade de vida em nossos bairros..


10 • Mais Ação

Faltam passarinhos, sobram pernilongos perversas no quesito “jardim”: as casas estão cada vez mais impermeabilizadas. Progressivamente lugares onde existiam plantas (grama, jardim, árvores, etc.) estão sendo cimentados, diminuindo os espaços onde os passarinhos podem encontrar abrigo e alimento;

u

nas poucas áreas públicas existentes quase não há árvores nativas. Os passarinhos estão adaptados a comer frutos de árvores nativas;

u

a estética preferida nos jardins atualmente gera um deserto verde: coqueirinhos, coqueirinhos, mais coqueirinhos. Para quebrar um pouco a monocultura de coqueiros, colocam-se outras plantas que não produzem frutos nem flores e que nem dão abrigo aos animais. Ou seja, um deserto verde.

u

Quem mora em São Paulo está convivendo com milhões de pernilongos. Seca? Efeito estufa? Lixo? Falta de passarinho? Um passarinho come até 150 pernilongos/dia. Com a falta deles, os pernilongos fazem a festa em nossas casas. Faltam passarinhos por causa de desmatamento, por causa dos venenos que se colocam nas plantações. Faltam passarinhos porque a casa de cada um de nós está cada vez mais antiecológica com mudanças

Corte de árvores, como proceder Para solicitar o corte de árvores corretamente, ligue para o número 156, registre sua solicitação e mande o número do protocolo para a secretaria das associações (3854-7372). Com esse número, podemos acompanhar a fiscalização.

Esporte Clube Banespa renova contrato de comodato com o Santander O edital de privatização do Banespa, quando da compra pelo Banco Santander, previa a renovação do contrato de comodato em 2009 com nova vigência até 2025. Após entendimento entre a diretoria do Banco Santander e a Diretoria Executiva do ECB, foi finalmente assinado o aditivo ao contrato de comodato. Essa é uma ótima notícia para a comunidade, que estava preocupada que a área fosse mais um alvo da especulação imobiliária desmedida que vem invadindo nossos bairros.

Tudo isto diminui a quantidade de alimentos e abrigo para os passarinhos. Diminui a quantidade deles que se alimentam de pernilongos, que irão à sua casa picá-lo, e que atormentarão suas noites. Para contornar tal incômodo, você coloca veneno nos quartos para você e sua família se intoxicarem. Está na hora de cada um assumir a responsabilidade e transformar sua própria casa em uma área onde a ecologia seja respeitada. Fonte: Portal Meio Ambiente por Duva L. Steck Brunelli


Junho de 2009 • 11

Cartas Este espaço de cartas está aberto às diversas manifestações dos moradores. Ajude sua associação a conhecer melhor os problemas de interesse de todos. Se tiver um assunto que você deseja que seja conhecido da comunidade, algum alerta, uma reclamação específica que ainda não teve solução ou problemas imediatos que a associação pode ajudar a resolver, escreva para nós: • cartas@sajape.org.br • cartas@altodaboavista.org.br Este espaço é seu, utilize-o bem! Uma casa de chá No último boletim Mais Ação, li sobre uma casa de chá no Alto da Boa Vista. Fiquei curiosa e, no final de uma tarde chuvosa de abril, fui lá para conferir. Foi uma surpresa! É uma loja de chás pequenininha, charmosa, muito bem decorada. Quem veio nos atender foi a dona da loja, a Silvia, que é farmacêutica e herborista. Comecei a observar mais atentamente os produtos nas prateleiras: chás e mais chás, louças [...] até bules, chaleiras e chávenas apropriadas para uma cerimônia do chá. [...] Delicadamente, a Silvia nos convidou para um chá. Degustamos dois tipos de chás maravilhosos. Valeu a pena conhecer! Cecília Vella, moradora do Broklin Resposta da SABABV Ficamos muito felizes em saber que nossas dicas são bem recebidas pelos moradores. Com o coração partido I Queria informar que estão cortando as árvores do terreno que faz esquina da Rua Jose Gamberini com a Miranda Guerra. Alguns meses atrás, já

Nós tentamos paralisar o corte para analisar o projeto, que tem indícios de irregularidade, mas o alvará prevaleceu. De qualquer forma, a Subprefeitura e a Secretaria do Meio Ambiente foram acionadas, e vamos acompanhar os procedimentos. E o mato no Jardim Alfomares continua... Gostaríamos de ter a autorização de corte de vegetação do lado de fora do gradil do Terreno Alfomares por escrito. Acho que isso evitará problemas para os moradores e também para a Escola Suíço-Brasileira que gentilmente se ofereceram para fazer o serviço de manutenção naquela área. A SABABV responde: Não conseguimos confirmar se é possível obter esta declaração por escrito, ou se poderia ser firmado um Termo de Cooperação Técnica. No entanto, de acordo com informações da Supervisão de Fiscalização, o dono do terreno já foi notificado para executar muro nas divisas do lote e realizar a limpeza do terreno. O arquiteto Douglas Gamero, da CPDU – Subprefeitura de Santo Amaro – informa que o sistema aplica multas no caso do não atendimento da notificação. Demolição na Rua Leopoldo Sydow Prezados Senhores, Volto a insistir no problema causado pela demolição do imóvel na rua Leopoldo Sidow, que continua sendo utilizado como depósito de entulho, com todos os muros destruídos e os restos abandonados no local. A minha residência, na Rua Vigário João de Pontes é praticamente vizinha desse local e a falta de segurança, que já era problemática, agora se tornou crônica [...]. Pela informação da Subprefeitura, o proprietário já teria sido notificado e multado, mas até agora nenhuma providência efetiva ocorreu no terreno. Contudo, e agravando mais o problema dessa rua, a obra da Farmácia Droga Raia está paralisada, na esquina com a Av. Washington Luiz, que pelas informações estaria embargada pela Justiça. Não sei até que ponto a SABABV está participando da paralisação dessa obra, mas o que posso afirmar e testemunhar é que a liberação e inauguração dessa farmácia (que está praticamente pronta) possibilitaria a melhoria no aspecto e na segurança de toda essa área, que estaria, no mínimo, melhor iluminada e com a segurança 24 horas do próprio estabelecimento. A SABABV responde A SABABV já está ciente dos dois empreendimentos e está tentando, junto às autoridades, resolver os problemas. Assim que a associação tiver uma resposta, a moradora será notificada.

Gatinha procura lar Essa gatinha linda chegou à minha casa muito machucada. Sua cauda teve de ser amputada e, durante a cirurgia, ela quase morreu. Com muito amor e carinho, ela conseguiu se recuperar e está ótima, mas, sem a cauda, o seu equilíbrio ficou um pouco comprometido. havíamos denunciado a medição dessas árvores e a prefeitura verificou que não havia nada autorizando. Por favor, o que podemos fazer? Com o coração partido II Gostaria de saber sobre a legislação de derrubada de árvores. Moro na Miranda Guerra, bem defronte ao terreno da mesma rua na esquina com a José Gamberini. Parece que a Basile finalmente conseguiu autorização para cortar as árvores do terreno, concordo que eram muitas e não era possível construir, achei que seriam apenas algumas, hoje percebi que serão todas, aliás, perguntei ao pessoal que está trabalhando nisso. Eles não teriam de deixar algumas das árvores? A SAJAPE responde: Eles têm, sim, autorização para cortar 34 árvores, e, pelo Termo de Compensação Ambiental, terão que plantar outras 34 no mesmo local.

Ela é muito carinhosa, mas não posso ficar com ela. Estou procurando, portanto, alguém que queira adotar essa criaturinha linda. Dou preferência para quem a crie dentro de casa, sem acesso à rua. Quem se interessar, por favor, entre em contato com Mônica: e-mail: fronteira-final@uol.com.br cel.: (11) 9871.9141.


12 • Mais Ação

Parque Alto da Boa Vista Processo judicial segue a passos lentos

Sem manutenção, já não é possível usar a calçada, e a cerca, instalada no ano passado, corre o risco de ser danificada pelo avanço das árvores

Escola de Música Unidade II Alto da Boa Vista R. Pe. José de Anchieta, 1260

• Piano • Baixo • Teclado • Bateria • Violão • Canto • Guitarra • Violino • Cavaquinho • Saxofone

• Flauta • Clarinete • Musicalização Infantil • Prática de Grupo

Cursos e Coral para Melhor Idade Fazemos parcerias com escolas e condomínios A Artlivre é uma escola fundada em 1983 pela pianista Mercêdes Máttar Sciotti. É dirigida por Sérgio Sciotti (pianista e tecladista, com formação erudita e popular) e Derico Sciotti (saxofonista do Programa do Jô). “Há 26 anos revelando talentos”

Tel.: 2619-2021 www.artlivre.com.br

O início da construção de nosso parque trouxe a expectativa de que finalmente esse longo processo chegaria ao fim em poucos meses. Os primeiros elementos instalados pareciam o início da materialização de um projeto sonhado por todos os moradores, e que seria viabilizado pela execução de um Termo de Compensação Ambiental (TCA) alinhavado com o apoio da comunidade e com o empenho da equipe da Secretaria do Verde e Meio Ambiente. Lamentavelmente, desde o momento em que as obras foram paralisadas devido a uma liminar absurda concedida a uma empresa que alega ter direito de propriedade sobre a área, nem a SABABV nem a SVMA têm meios para agilizar as ações, que cabem agora exclusivamente à Procuradoria Municipal. Mais uma vez, e com o apoio de todas as associações que fazem parte da Ciranda, a SABABV manifesta sua indignação pela morosidade dos procedimentos, e espera que a Procuradoria Municipal seja sensível aos apelos dos moradores, que há tantos anos aguardam por esse parque de valor inestimável para toda a região.

Gari Invisível Você conhece algum de seus vizinhos? Sabe o nome de seu carteiro? Já cumprimentou os varredores que trabalham semanalmente sem sua rua? O psicólogo Fernando Braga da Costa vestiu uniforme e trabalhou oito anos como gari, varrendo ruas da Universidade de São Paulo. Ali, constatou que, ao olhar da maioria, os trabalhadores braçais são ‘seres invisíveis, sem nome’. Em sua tese de mestrado, pela USP, conseguiu comprovar a existência da ‘invisibilidade pública’, ou seja, uma percepção humana totalmente prejudicada e condicionada à divisão social do trabalho, na qual se enxerga somente a função social do outro e não a pessoa. O pesquisador sentiu na pele o que é ser tratado como um objeto e não como um ser humano. ‘Descobri que um simples bom dia, que nunca recebi como gari, pode significar um sopro de vida, um sinal da própria existência. Professores que me abraçavam nos corredores da USP passavam por mim, não me reconheciam por causa do uniforme. Às vezes, esbarravam no meu ombro e, sem ao menos pedir desculpas, seguiam me ignorando, como se tivessem encostado em um poste, ou em um orelhão’, diz. Aos poucos e ao longo desse tempo, o psicólogo foi-se habituando com a rotina e as situações pouco saudáveis. “Acredito que essa experiência me deixou curado da minha doença burguesa. Esses homens hoje são meus amigos. Conheço a família deles, frequento a casa deles nas periferias. Mudei. Nunca deixo de cumprimentar um trabalhador. Faço questão de o trabalhador saber que eu sei que ele existe. Extraído da reportagem de Plínio Delphino, para Diário de São Paulo.

Mais Ação 7  

Mais Ação n. 7

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you