Page 1

mais

acao

Boletim informativo das Associações de Moradores SABABV e SAJAPE

ANO 1 – NÚMERO 3 – OUTUBRO DE 2008

A SAJAPE completa dez anos!!! O Parque do Cordeiro, uma das conquistas mais emblemáticas de nossa associação, será o palco das comemorações de dez anos de atividades da SAJAPE.

Venha festejar com sua comunidade!!! Domingo, dia 9 de novembro, das 9h00 às 13h00. Apresentações musicais, fanfarra, exposição e muitas atividades com o Grupo Escoteiro 9 de julho, o grupo de clowns XXXX e Carlos, o contador de histórias. Coleta de óleo para reciclagem. Não perca esta festa, traga seus filhos, chame seus vizinhos!!!

Nesta edição: Usos irregulares....................... p. 2 Metrô: Linha 5......................... p. 3 Rotatórias da Marechal Deodoro................... p. 4

Parada do Dia das Crianças p. 8

Despoluição dos córregos, uma ação urgente.................... p. 5 Parque do Cordeiro faz aniversário......................... p. 7 Nova seção: Cartas dos moradores............ p. 11

Parque Alto da Boa Vista: obras paralisadas revoltam moradores p. 4


2

Você ocupa vagas reservadas? As vagas de estacionamentos reservadas para deficientes e idosos são freqüentemente desrespeitadas. Sob a alegação de que “é só por um instantinho” ou  “não há nenhum cadeirante agora”, motoristas pouco civilizados ocupam essas vagas, impondo ainda mais transtornos para pessoas que já carregam dificuldades inevitáveis. O respeito pelos direitos do idoso e da pessoa com deficiência é sinal de educação e civilidade. Pense nisso!

Falta sangue em nossos hospitais Doar sangue é simples, seguro e rápido. Reúna um grupo de amigos e vá a um posto de coleta. Doar sangue faz bem para a saúde de quem precisa e para a auto-estima de quem doa.

Segurança também depende de participação O Conseg de Santo Amaro reúne-se sempre na última 4a. feira do mês, das 19h30 às 22h00. Provisoriamente, as reuniões acontecem na Subprefeitura de Santo Amaro.

As ruas do bairro Envie-nos a história de sua rua. Pode ser alguma peculiaridade, um acontecimento marcante ou a origem do nome. Participe!

Expediente Associação de Moradores dos Jardins Petrópolis e dos Estados – SAJAPE Associação de Moradores do Bairro Alto da Boa Vista – SABABV Contato Endereço para correspondência R. das Sempre-vivas, 77 – 04704-030 – São Paulo – SP SAJAPE: Fone/Fax: (11) 3854.7372 Endereço eletrônico: www.sajape.org.br e-mail: sajape@sajape.org.br SABABV Fone/Fax: (11) 5532.1367 Endereço eletrônico: www.altodaboavista.org.br e-mail: sababv@altodaboavista.org.br Redação Conselho editorial: Cristina Antunes, Cecília Carneiro de Oliveira, Olga Saias, Cida Teixeira e Mônica Hamada. Tiragem: 4.000 exemplares Jornalista responsável Rose de Almeira (MTb 21.807) e-mail: rose@silabacomunicacao.com.br Atendimento Sílaba Comunicação Marina Ciaramello Projeto gráfico e diagramação Ampel Produções Editoriais Tel.: (11) 5535.2589 e-mail: ampel@ampel.com.br

Balanço de usos irregulares Após diversas manifestações a respeito da ineficácia das reuniões abertas na subprefeitura de Santo Amaro para tratar dos problemas de uso e ocupação de solo, o coordenador de Planejamento e Desenvolvimento Urbano da Subprefeitura de Santo Amaro, responsável pela Supervisão de Fiscalização, se dispôs a atender mensalmente as duas associações, SAJAPE e SABABV, para tratar de alguns casos pontuais e outros crônicos de nossa região. Na reunião de outubro, algumas questões foram encaminhadas e outras estão à espera de providências.

Encaminhadas: • Igreja Luterana: regularizada; • Condomínio Rua Miranda Guerra, 572: sendo adequado à altura máxima permitida; • Bares na Avenida Vicente Rao: foram abertas ações fiscais; • Escola Travessia: implementando ações para adequar-se ao zoneamento; • Torre de celular ilegal na Rua Phillipe Lobauer: ações junto à Anatel.

Aguardam providências: • Muro rachado com perigo de queda e excesso de entulho e sujeira em terreno da Rua Marechal Deodoro; • Comércio ilegalmente instalado em Rua São Benedito (lados ímpar e par); • Obra paralisada na Rua Vigário João de Pontes esquina com Washington Luís; • Ambulantes; • Obra em início na Rua João Pimenta, onde há vegetação relevante: verificação de licenças. Algumas outras questões estão listadas e serão verificadas na próxima reunião.

Se você suspeita de alguma irregularidade de edificação ou de uso e ocupação de solo, como obras de casas ou condomínios, comércio em áreas residenciais, ambulantes, ou alguma outra questão, não deixe de entrar em contato com sua associação. É a sociedade civil trabalhando em conjunto com órgãos públicos. Exerça sua cidadania, participe!!!!!

Prefeitura proíbe ambulantes em carros e caminhões Publicada no diário oficial de setembro, uma portaria da Prefeitura de São Paulo passa a proibir a venda de produtos e de alimentos em carros e caminhões pelas ruas da cidade, incluindo o comércio de frutas, queijos, produtos de limpeza e até a tradicional pamonha de Piracicaba. Também são incluídas na restrição a venda de outros materiais, como CDs, e conserto de panelas, por exemplo. Ficam de fora da restrição os carrinhos de cachorro-quente, que independentemente da nova decisão, já seguem regras próprias. De acordo com a portaria, quem desrespeitar a norma terá o veículo recolhido. Se o motorista for pego vendendo com o carro estacionado ou mesmo em trânsito, ele será abordado e seu veículo será levado ao pátio da subprefeitura mais próxima. Toda a mercadoria será apreendida. Além da apreensão, o vendedor fica sujeito a multa, que varia de R$ 87,20 a R$ 436,00, de acordo com a infração e a avaliação do fiscal. Embora a fiscalização seja feita pelas subprefeituras, e embora o controle do trânsito seja um encargo dos agentes da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), de guardas-civis metropolitanos e de policiais militares, cabe a nós, moradores e membros da comunidade, fazer a nossa parte, não estimulando este tipo de consumo.

Compareça às reuniões da SABABV e da SAJAPE sempre na 2ª segunda-feira do mês, das 20h às 22h.


3

Metrô, Linha 5 Diante de inúmeras informações imprecisas a respeito do projeto da Linha 5 do Metrô, representantes da SABABV e da SAJAPE participaram de uma série de reuniões junto às equipes técnicas do Metrô, ao lado de outras entidades que fazem parte da Ciranda. Dois problemas principais foram abordados: o remanejamento do projeto para atender aos comerciantes que serão desapropriados para a construção da estação Adolfo Pinheiro e a localização da estação preliminarmente identificada como Campo Belo. Tendo em vista a “generosidade” da Cia do Metrô com relação aos comerciantes afetados pelas desapropriações para a estação Adolfo Pinheiros, as entidades consideram que a proposta final fere o interesse coletivo, uma vez que inviabiliza a implantação do parque solicitado para a área a pós a conclusão das obras dessa estação. Diante da situação criada, que favorece ostensivamente um grupo de comerciantes, em detrimento de toda a comunidade, a SAJAPE e a SABABV são signatárias da representação encaminhada pela Ciranda ao Ministéerio Público, solicitando a revisão dessa proposta. Com relação à polêmica sobre a localização da estação Campo Belo, que vem causando profunda inquietação entre os moradores dessa região, transcrevemos no box, ao lado, parte da nota de esclarecimento encaminhada pela Cia do Metrô no último dia 14 de outubro. Por outro lado, a par dos expressivos benefícios trazidos por uma linha de metrô, a fase de implantação pode vir a acarretar transtornos, que são estudados exaustivamente a fim de que sejam minimizados, como está sendo nesta fase de implantação da Linha 5 – Lilás.

Nota de esclarecimento do Metrô Definida a necessidade de uma linha, o primeiro passo é a elaboração do projeto funcional, que determina entre outros, os seguintes parâmetros: ➤➤

➤➤ ➤➤

➤➤

➤➤

macrolocalização das estações e poços de ventilação diretriz preliminar de traçado estimativa da frota de trens necessários para a operação necessidade de pátio de manutenção e estacionamento de trens locais de integração modal.

A partir do projeto funcional, os passos seguintes são: ➤➤

➤➤ ➤➤

elaboração do Estudo de Impacto Ambiental/ Relatório de Impacto de Meio Ambiente (EIA/ RIMA) elaboração do Projeto Básico definição das áreas necessárias para implantação da linha.

Atualmente, a implantação da Linha 5 (Lilás) encontra-se neste estágio. A Linha 5 (Lilás) é fundamental para a reestruturação do transporte coletivo em uma das regiões mais carentes da cidade de São Paulo, na configuração da rede de transporte coletivo de alta capacidade e na distribuição da demanda de passageiros, ao se integrar com as demais linhas da rede metroviária. No caso específico do atendimento aos bairros do distrito de Campo Belo, como Brooklin, Brooklin Novo e Brooklin Paulista, o projeto funcional indicou a necessidade de atendimento à demanda comercial e residencial em dois pontos: A SABABV e a SAJAPE continuam atentas aos desdobramentos do projeto da Linha 5, e pede a todos os interessados que participem das reuniões quinzenais de suas entidades, para manter-se informados so-

1. na franja do Campo Belo, no Brooklin Paulista, nas proximidades do cruzamento da Av. Vicente Rao, com integração do corredor metropolitano de ônibus Diadema-Brooklin; 2. na região que se estende da avenida Roberto Marinho (antiga Água Espraiada) à rua Jesuino Maciel. Embora estudos preliminares anteriores indicassem o melhor atendimento local com a estação localizada nas proximidades da avenida Vieira de Morais, a consolidação da avenida Roberto Marinho como um corredor de tráfego intenso, inclusive com a futura implantação do corredor de transporte de média capacidade ligando a Linha 1 – Azul do Metrô ao Aeroporto de Congonhas e à Linha 9 – Esmeralda da CPTM, fez com que os novos estudos do Metrô levassem à definição da estação nas proximidades da Av. Roberto Marinho , permitindo assim a integração multimodal. Além disso, a construção de um viaduto, pela Prefeitura de São Paulo, no leito da avenida Santo Amaro sobre a avenida Roberto Marinho implicará em desapropriações no local, e estas poderão ser utilizadas para a implantação da futura estação Água Espraiada, no cruzamento das avenidas Santo Amaro e Roberto Marinho, de tal modo a diminuir os impactos na região. Neste sentido, o Metrô e a EMURB acertaram a elaboração de um convênio pelo qual o Metrô se responsabilizará pela adequação dos dois projetos – viaduto e estação- e pelas obras de ambos os empreendimentos. O Metrô faz questão de ressaltar que cumpre todas as normas e obrigações técnicas legais que se referem ao meio ambiente e a projetos de engenharia. bre o assunto e para trazer suas próprias sugestões e críticas, que serão discutidas coletivamente. A participação é a melhor forma de evitar problemas no futuro.

espaço publicitário

Feira de produtos biodinâmicos e orgânicos no Alto da Boa Vista Se você quer alimentos saudáveis, biodinâmicos e orgânicos, sem agrotóxicos, vá à Feira da Rua São Benedito, em frente ao Convento da Santíssima Trindade, entre as ruas Américo Brasiliense e Alexandre Dumas. Acontece toda 5ª feira de manhã e começa às 7:00 horas. Todos os produtos são orgânicos e biodinâmicos, e vendidos por agricultores familiares, do interior de Minas Gerais e de São Paulo. Nessa feira não há intermediários, todo produto in natura vem direto

Uma iniciativa ambiental do sítio. Por isso os bonssocial preços.eAlém disso, você protege a saúde da sua família e cuida do meio ambiente.

Tem mais: parte do que não é vendido no dia, é doado à Casa da Criança e do Adolescente de Santo Amaro. É uma feira oficializada e fiscalizada pela Prefeitura de São Paulo, e apoiada pela Associação Biodinâmica. É uma feira limpa, que não gera lixo nem custos para o município. A preocupação ambiental é clara, pois a feira aboliu

as sacolas plásticas e recebe dos consumidores óleo usado, que é repassado a instituições filantrópicas, para fabricarem sabão. É um ótimo lugar para encontros e bate-papos, enquanto se degusta um bom cafezinho e bolos biodinâmicos. Mais informações: www.biodinamica.org.br tel.: (14) 3815-7862


4

Rotatórias da Marechal Deodoro Comunidade Protegida, um projeto insatisfatório

Após cinco anos de muitas reuniões entre a CET e uma comissão formada por membros da SABABV e da SAJAPE, os técnicos da prefeitura apresentaram um projeto de Comunidade Protegida (traffic calming) cujo principal objetivo deveria ser a redução do trânsito de passagem em nossa região. Como foi mencionado em edições anteriores de nosso jornal, esse projeto deveria envolver, entre outros aspectos, mudanças de mão de direção, sonorizadores, rotatórias, piso diferenciado, alargamento de calçadas, estreitamento de vias junto a cruzamentos, ampliação de áreas verdes e áreas drenantes, faixa elevada para travessia de pedestres e deflexões horizontais. Embora o projeto apresentado tenha contemplado exclusivamente dois desses aspectos – rotatórias e estreitamento de vias junto a cruzamentos –, as associações decidiram colocar em prática o que já está aprovado, para não retardar ainda mais as obras que poderiam ter início imediato: as rotatórias na rua Marechal Deodoro, um dos locais de principal acesso a esse trânsito de passagem. Nessa via, a execução das intervenções de Comunidade Protegida, assumida pela Subprefeitura de Santo Amaro, ficou atrelada à complementação do projeto do corredor vereador José Diniz.

Rotatórias na Marechal Deodoro: execução põe em risco proposta da CET Hoje, quem passa pela Marechal Deodoro não entende que efeito as tais rotatórias poderão ter para conter o tráfego de pas-

sagem. De fato, o estudo preliminar dessas rotatórias, que foi elaborado por técnicos da CET, deveria ter sido desenvolvido em um projeto executivo, que teria ficado a cargo da Subprefeitura de Santo Amaro. No entanto, esse projeto executivo jamais foi realizado e, em meio a discussões entre CET e Subprefeitura, as rotatórias que estão sendo construídas não correspondem àquelas que foram idealizadas: trata-se de “pilotos”, projetos experimentais que levam em conta principalmente o aspecto de maior absorção da água das chuvas. O resultado desse descompasso na administração pública é o que vemos nas ilustrações: obras paralisadas, colocando em risco os veículos, que continuam a percorrer a rua em alta velocidade, pois não há sinalização de obras nem sinalização

da presença das rotatórias e buracos se formam nos pontos inacabados.

O embate continua: associações cobram correções A equipe de moradores que se dedica há anos a esse projeto mantém constante pressão sobre a CET e a Subprefeitura para que a execução das rotatórias seja corrigida, e para que o projeto incorpore os outros elementos previstos no programa Comunidade Protegida. Em nossa próxima edição, esperamos poder mostrar um verdadeiro cartão postal do que será esse projeto, assim como um balanço dos efeitos iniciais dessa intervenção. É fundamental que os moradores se manifestem, mandando e-mails para registrar sua própria avaliação.


Despoluição dos córregos, uma ação urgente No último dia 10, a SABESP, apresentou à comunidade seus Programas de Saneamento para a região da Subprefeitura de Santo Amaro e arredores, abordando os seguintes itens: a) Os Programas integrados de Despoluição do Tietê e seus impactos sobre a melhoria da qualidade ambiental; b) As diversas etapas de obras, atuais e seguintes, do Programa Córrego Limpo e como irão beneficiar, progressivamente, os nossos fundos de vale, corpos d’água e mananciais; c) Os projetos e respectivos alcances de atendimento às ruas e vielas hoje desprovidas de rede coletora de esgotos, e como tais obras irão eliminar os lançamentos de esgoto nos córregos e galerias de águas pluviais, que produzem mau cheiro, obstruções, transbordamentos e muitos outros problemas ao meio ambiente; d) Interface de cooperação da Prefeitura com a Sabesp para os programas de despoluição de áreas ocupadas irregularmente; A apresentação cobriu a região de Santo Amaro em especial, abordando principalmente o sistema de esgoto e limpeza dos córregos e rios, com foco na eliminação

de despejo de esgoto clandestino. Existem vários projetos em execução, com término previsto até final de 2009. Portanto, qualquer execução só começará no primeiro semestre de 2010. Também foram apresentadas todas as obras hoje em andamento e os resultados já alcançados. Um exemplo é a execução de tronco de coleta de esgoto na região da Chácara Flora e da Chácara  Monte Alegre, que permitiu a execução do lago no Parque do Cordeiro, com água corrente in natura (embora, incompreensivelmente, alguns imóveis da região ainda não tenham feito a ligação a essa rede de esgoto, e continuem despejando no córrego). Todos os córregos e rios da área da Subprefeitura de Santo Amaro foram cobertos, incluindo o Aeroporto de Congonhas (por exemplo, a VARIG joga esgoto na rede de águas pluviais, havendo um empurraempurra entre as companhias aéreas e a INFRAERO quanto à responsabilidade pelo saneamento). Fica fora desse levantamento a área do Jabaquara. Na seqüência desse encontro, SABABV e SAJAPE solicitaram reunião com a equipe da SABESP, para avançar outros esclarecimentos e coordenar as ações do projeto aprovado pelo CONFEMA.

Projeto CONFEMA

5

O CONFEMA – Conselho do Fundo Especial de Meio Ambiente, da Secretaria do Verde e Meio Ambiente – aprovou o projeto “Áreas Públicas: buscando novos espaços verdes e de lazer para a comunidade”, apresentado pela equipe de projeto da SAJAPE, em nome da CIRANDA. Este projeto, que será desenvolvido nas áreas da SAJAPE e da SABABV, associará várias ações, entre as quais o inventário da perda de vegetação da massa arbórea destes bairros e a identificação das áreas públicas ocupadas indevidamente. O objetivo final é a recuperação dessa áreas para que sejam utilizadas pela comunidade como áreas permeáveis e de lazer. O projeto terá a duração de uma ano, e recebeu o financiamento de R$89.000, com R$11.000 de contrapartida pela entidade. Veja o projeto completo no site da sua associação.

Subprefeitura recupera bocas-de-lobo Em conseqüência do projeto FEHIDRO, da SAJAPE, a Subprefeitura de Santo Amaro começou o trabalho de recuperação das bocasde-lobo em nossa região. O trabalho teve início pela rua Canumã, que concentra o maior número de bocas-de-lobo, e cuja galeria de águas pluviais deságua no córrego Canumã na altura da rua Job Lane.


6

Parque Alto da Boa Vista: obras paralisadas revoltam moradores

No dia 12 de setembro de 2008, representantes da SABABV compareceram a reunião no DEPAVE para apresentação do projeto de implantação do Parque do Alto da Boa Vista, e foram surpreendidos pela comunicação de que a obra, já em andamento, havia sido embargada por uma liminar concedida pelo juiz Antonio Carlos Malheiros à Tecelagem Unidas, que alega ser proprietária da área do Parque. Veja no site o documento encaminhado pela CIRANDA a autoridades do executivo e do judiciário, com o histórico completo dos processos já tramitados.

Associação Pedagógica Rudolf Steiner Rua Job Lane, 900 CEP 04639-001 Alto da Boa Vista – São Paulo Tel.: 11 5523.6655 Fax: 5686.9861 e-mail: escola@ewrudolfsteiner.com.br

O pedido de liminar tem como base um mesmo título já contestado anteriormente, através de processo instaurado pela Prefeitura do Município de São Paulo por INVASÃO DE ÁREA MUNICIPAL. À época, os desembargadores da 8a. Câmara do 1o. Tribunal de Alçada Civil, em votação unânime, julgaram procedente o pedido de reintegração de posse. É incompreensível que uma matrícula já considerada inválida pelo judiciário volte a ser analisada, com gravíssimos prejuízos para toda a cidade. A propriedade da prefeitura de São Paulo sobre este terreno já foi definida em várias ações desde a década de 1930, e por Santo Amaro desde a década de 1910. Além do desgaste de anos de trabalho realizado pela SABABV para conseguir a construção desse parque, que já consumiu energia, tempo e recursos financeiros, caberá mais uma vez à comunidade o ônus das ações junto ao procuradores do município que deverão cassar esta liminar. Adicionalmente, essa liminar injustificável contribui para sobrecarregar ainda mais, e desnecessariamente, o próprio judiciário, que tem seu tempo tomado com tentativas espúrias de apropriação fraudulenta de áreas públicas. O prejuízo dessas ações é significativo em termos de tempo e novos riscos. É

importante lembrar que o Parque Alto da Boa Vista, aguardado pela comunidade a cerca de 10 anos, consta em documentos e propagandas desta administração como “Parque em execução”. Vale lembrar ainda que o Alto da Boa Vista não dispõe de nenhuma área pública de uso comum, como praças ou parques. Se o parque não for implantando imediatamente, essa área pública tão valiosa para toda a cidade, compreensivelmente cobiçada por pessoas e empresas inescrupulosas, que historicamente se vêm beneficiando das confusões de nosso judiciário, continuará sob constante ameaça de invasão, tal como já ocorreu anteriormente, e a população, privada indefinidamente do uso desse patrimônio, continuará pagando pelos intermináveis processos que se repetem injustificadamente em nossos tribunais.

A história se repete Há oito anos, em sentença do Primeiro Tribunal de Alçada, os juízes fazem a seguinte observação: “A área objeto da ação vem sendo discutida através de diversas ações, tendo a Municipalidade saído vencedora em todas.” Depois disto, a própria sentença inclui um histórico dessas ações, desde 1929.


Parque do Cordeiro comemora seu primeiro aniversário

O

tempo não ajudou, mas a proposta de comemorar o primeiro aniversário do Parque do Cordeiro conseguiu reunir aproximadamente 300 pessoas no sábado e domingo, dias 27 e 28 de setembro.

Uma apresentação do grupo de música popular brasileira, o Pequiá e o violonista Flávio Sampaio aqueceram o dia com canções suaves e tranqüilas, enquanto alguns lobinhos do Agrupamento de escoteiros 9 de Julho circulavam em meio à platéia. “A falta de uma área coberta no Parque inviabiliza alguns eventos, mas já estamos providenciando junto à Sabesp uma tenda para esses dias”, afirma Ana Beatriz Gozuen, administradora do parque. Durante o evento, a Sabesp apresentou uma exposição sobre a Operação Córrego Limpo, mostrando as fases de recuperação do Ribeirão do Cordeiro, já 70% despoluído, liberado para regas e viveiro de peixes. Quem esteve presente pôde ver, inclusive, uma belíssima foto aérea da Bacia do Córrego do Cordeiro.

7

Adote uma praça: adoção casada A grande novidade do programa São Paulo Mais Verde é a adoção casada de áreas de conservação. Para espalhar o verde pela cidade, a Prefeitura criou um sistema compensatório: a empresa ou associação que quiser expor sua marca em um espaço de localização privilegiada também terá a chance de deixar a periferia mais bonita, já que os colaboradores deverão escolher uma segunda área para tomar conta. Ao fazer sua proposta, os pretendentes têm à disposição uma lista de praças e logradouros em diferentes regiões da cidade (veja detalhes no site de sua associação). As empresas que quiserem aderir ao programa podem receber, inclusive, sugestões de áreas que tenham apelo comercial mais apropriado ao seu perfil de mercado. O termo de cooperação dura três anos, podendo ser renovado. Em contrapartida, quem adota uma praça pode utilizar o espaço para fazer publicidade institucional. Criadas a partir dos parâmetros definidos pela Lei Cidade Limpa, o São Paulo Mais Verde já tem os modelos de placas que poderão ser colocadas em cada uma das áreas adotadas.

Conselho Gestor atende aos pedidos dos usuários Em reunião extraordinária, o Conselho Gestor do Parque do Cordeiro elaborou ofício a ser encaminhado à Secretaria do Verde e Meio Ambiente (SVMA), solicitando a abertura da parte superior do parque, que, embora sem ter seu projeto executado, já poderia ser utilizada pelos moradores. O teatro de arena está aberto para todos aos moradores que quiserem promover apresentações no Parque, basta entrar em contato com a administradora. A SACMA – Associação de Moradores da Chácara Monte Alegre – tem promovido apresentações musicais de alto nível. E no terceiro domingo de

cada mês, às 9h00, há dança circular, e estão todos convidados! O parque também já recebeu um trocador de fraldas, instalado junto aos sanitários. Além disso, o Conselho Gestor está realizando um levantamento para mapear o perfil dos freqüentadores e controlar sua freqüência, a fim de indicar equipamentos e atividades de aceitação popular. Participe e diga como é o Parque que você quer. O parque já tem e-mail para receber comentários e sugestões: parquedocordeiro@gmail.com.


8

Parada do Dia das Crianças nasce uma tradição em Santo Amaro

A Parada do Dia das Crianças, que teve o apoio da Ciranda, reuniu mais de 5.000 espectadores, com a participação de mil pessoas em 30 alas, 130 escoteiros, 61 voluntários e 194 profissionais de diversas empresas. O evento contou com o apoio da Subprefeitura de Santo Amaro, envolvendo ainda SPTuris, Emurb, Polícia Militar, CET, Eletropaulo e limpeza urbana. Os patrocinadores da Parada do Dia das Crianças foram Guaraná Caçulinha, Gatorade, Nesquik, Bombardier, Fonte Cristalina, Chapel School, Warner Bros e Maurício de Sousa Produções que, ao lado de outros colaboradores, viabilizaram este evento alegre e descontraído, que deverá tornar-se uma tradição em Santo Amaro. Essa grande festa permitiu que fossem arrecadados mais de dois mil brinquedos nas tendas das três associações presentes (Agente Cidadão, Ação Criança e Ação Comunitária), para alegria das crianças de mais de 54 entidades carentes neste Dia das Crianças.


Comunidade conversa com candidatos à Câmara Sababv e Sajape participaram do encontro com candidatos à Câmara Municipal, para discutir e propor políticas públicas de interesse da comunidade, com o intuito de debater princípios e valores que devem ser assegurados na prática do cargo no Poder Legislativo. Promovido pela Ciranda, entidade formada por associações de moradores que atuam na área da subprefeitura de Santo Amaro, o evento contou com a presença dos candidatos Luiz Nusbaum, Marcelo Lobo e Heraldo Correa, e com representantes do ex-vereador Nabil Bonduki e dos vereadores Mara Gabrilli e Gilberto Natalini. Segundo Cristina Antunes, diretora de relações institucionais da SAJAPE, a participação dos candidatos neste encontro foi mais produtiva do que em eventos anteriores. “Percebemos uma disposição para ouvir mais a comunidade, e não apenas

a preocupação de apresentar propostas”, atesta. Apos a apresentação de cada candidato, todas as entidades participantes tiveram a oportunidade de colocar suas principais reivindicações. Da parte das associações de moradores, as questões mais marcantes abordaram procedimentos de fiscalização, segurança, gestão pública e, como era de esperar, Plano Diretor e lei de Zoneamento. Representando o Conseg Campo Grande, Sérgio Berti fez um pronunciamento contundente com relação ao envolvimento da sociedade civil na gestão pública. Fica nossa disposição de cobrar atuação consistente dos eleitos em relação aos bairros da zona sul. Registramos também um agradecimento especial à Sociedade Antroposófica do Brasil, que gentilmente cedeu seu auditório para que fosse realizado o encontro.

Seu candidato tem ficha limpa?

9

Preocupado com a transparência na vida pública dos candidatos, o Movimento Nossa São Paulo criou uma grande mobilização pela alteração no texto da Lei de Inelegibilidades (Lei Complementar n° 64/1990). A Campanha Ficha Limpa propõe tornar inelegíveis parlamentares que tenham renunciado para fugir de cassações e pessoas condenadas em primeira instância por crimes como racismo, homicídio, estupro, tráfico de drogas e desvio de verbas públicas. Por meio da Ciranda, a Sababv e a Sajape participam do projeto e convidam as pessoas interessadas a assinar a lista de apoio que está à disposição na sede das associações. O projeto de lei na íntegra, os materiais de divulgação da Campanha Ficha Limpa e a relação de postos para coleta de assinaturas estão disponíveis no site www.mcce.org.br, e no blog da Campanha Ficha Limpa em São Paulo http://campanhafichalimpasp.blogspot. com.

Mais saúde e vitalidade com os orgânicos! Já não é mais segredo para ninguém que a nossa saúde e qualidade de vida depende, em grande parte, do que comemos. Porém precisamos enxergar que, muito além daquele prato que está na nossa frente, estão todos os agrotóxicos, fertilizantes e aditivos utilizados no cultivo ou no preparo daquele alimento. Há muito tempo estamos ingerindo alguns “veneninhos” junto com nossa comida, o que pode ser a explicação para muitos dos problemas de saúde que vêm aumentando nas últimas décadas. Ao mesmo tempo, os alimentos orgânicos vêm ganhando espaço cada vez maior no dia a dia do brasileiro, o que é muito bom, pois quanto maior o consumo, mais baratos eles ficam e mais pessoas têm acesso a eles. Sendo um alimento puro, por ser naturalmente cultivado, o alimento orgânico é ideal para compor nossa alimentação diária. Os produtos orgânicos possuem infinitamente mais nutrientes (vitaminas, minerais, fibras, carboidratos, proteínas e gorduras benéficas), matérias-primas essenciais para as nossas células! Possui ainda aproximadamente 20% a menos de água em sua composição, concentrando mais seus nutrientes sendo, portanto, muito mais saudáveis e nutritivos. Além disso, livre das toxinas, nosso organismo funciona melhor e consegue aproveitar muito mais estes nutrientes! Existem órgãos que certificam as produções orgânicas para assegurar aos consumidores de que estão realmente adquirindo alimentos orgânicos isentos de resíduos tóxicos. Verifique sempre o selo de certificação, que garante sua procedência e qualidade e nutra-se com o melhor que a natureza pode oferecer! Nutricionista Vanessa Fenyves Ary http://vanessaary.blogspot.com


Como é bom morar em um bairro arborizado! Em tempo de primavera, as árvores que florescem nos nossos bairros, além de embelezar os lugares onde estão plantadas, ajudam a amenizar os efeitos das mudanças climáticas. Sibipirunas, primaveras, paineiras, jacarandás, ipês de diferentes cores compõem o cenário especial da nossa região, tão singular dentro de uma cidade cinzenta. Temos o privilégio de viver em uma área em que a vegetação inspira tranqüilidade e onde os moradores acordam ao som do canto dos pássaros. Esta seção abre espaço para fotos enviadas pelos moradores com imagens pitorescas dos bairros, árvores especiais, personagens típicos, curiosidades, enfim, tudo que seja considerado importante contribuição para a memória do bairro. Mande a foto por email, em alta resolução, para sajape@sajape.org.br ou falecom@altodaboavista.org.br. As fotos deste edição foram enviadas pelos moradores Cecília Carneiro de Oliveira e Guilherme Rodrigues Alves.

CAPS: nossas entidades presentes mais uma vez Um novo Conselho Gestor formado por membros da sociedade civil foi eleito em reunião realizada na sede do CAPS – Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas. A CIRANDA será representada nesta gestão pela Sra. Lucila Maria de Souza e Castro, professora aposentada, associada da SAJAPE. A CIRANDA parabeniza a Sra. Lucila e lhe deseja muito sucesso neste novo desafio. E agradece à psicóloga Carol Joerges, associada da SABABV, que teve brilhante desempenho nesse cargo por duas gestões consecutivas.

Entenda o que é o CAPS O CAPS – Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas – é um serviço da Prefeitura da Cidade de São Paulo especializado em saúde mental, que atende pessoas com transtornos decorrentes do uso ou abuso de álcool e outras drogas. É um serviço ambulatorial que integra uma rede de atenção substitutiva à internação psiquiátrica, cujo princípio básico é a inserção social. Compreende ações de assistência (medicação, terapias, oficinas terapêuticas, atenção familiar) na perspectiva da reinserção social, além de realizar ações de prevenção e capacitação de recursos humanos na rede básica. O CAPs da região de Santo Amaro fica na Rua São Benedito, 2400, fones 5522-4823 e 5523- 3566.


Cartas do morador Este espaço de cartas está aberto às diversas manifestações dos moradores. Ajude sua associação a fazer eco das mudanças e atitudes de benfeitoria para todos. Se tem um assunto que você deseja que seja conhecido da comunidade, algum alerta, uma reclamação específica que ainda não teve solução ou problemas imediatos que a associação pode ajudar a resolver, escreva para nós: • cartas@sajape.org.br • cartas@altodaboavista.org.br Este espaço é seu, utilize-o bem! Caminhão de Abacaxis Tenho dúvidas se realmente moramos em zona 1 e o que é permitido ou não nesta zona. Atualmente um caminhão de abacaxis estaciona quase na esquina da Elias Zarzur com Marechal Deodoro. O que  fazer? Moradora  Resposta da Subprefeitura: Ainda hoje realizamos ações contra este tipo de comércio na região. Eles insistem, mas nós repudiamos diariamente. Já faz parte da rotina. Os produtos são apreendidos e destruídos. Engº Luis Antonio Rocha Juvenal CPDU  /  SP - SA Resposta da SABABV à Subprefeitura: Segundo denúncias, o   caminhão em questão nem se dá ao trabalho de trocar de lugar. Não há nada mais eficaz que se possa fazer para resolver o problema? A SABABV e a SAJAPE lembram os moradores que não devem comprar produtos dos ambulantes que se instalam irregularmente em qualquer via da cidade. Essa é uma forma eficaz de combatermos esse tipo de infração.

Marcação de faixas divisórias na Miranda Guerra Parabéns pelo trabalho que desenvolvem. E mais parabéns pelo Boletim Mais Ação. Contudo,notei que há uma área que não tem recebido atenção da Prefeitura: a marcação de faixas para o trânsito em nossas ruas. Por exemplo, a rua Miranda Guerra, que tinha sinais claros e demarcados, está  caótica, sem delimitação nenhuma. Também  quando se vem pela Rua Vicente Leporace, na altura da rotatória com a mesma Vicente Rao, não se sabe para que

lado ir. Ali, na hora do rush, motoristas entram na contramão para subir a Leporace, não há separação para quem contorna em direção à Miranda Guerra vindo da Washington Luís, na pracinha não há demarcação para quem quer ir em direção à Washington Luis e para quem vai para a Miranda Guerra. Este é só um exemplo. O restante do bairro está mais ou menos por aí também. Marilene Ayalla Resposta da SAJAPE: Sua solicitação será repassada à CET. Esta semana mesmo eles refizeram a demarcação na Ademar Queirós de Morás e no cruzamento da Vicente Rao, vamos ver se eles avançam um pouco mais e cuidam pelo menos dos pontos que vc mencionou. A CET executou a demarcação no trecho solicitado. Aguardamos o mesmo trabalho junto ao cruzamento da Santo Amaro com a Vicente Rao. Terreno da João Pimenta Sou morador do Alto da Boa Vista, próximo ao clube Banespa. Há alguns meses eu e alguns moradores do prédio onde moro estamos percebendo um movimento no terreno ao lado do prédio. Primeiro tiraram todo o entulho de dentro do casarão construído lá. Esta semana quebraram parte do muro do portão de entrada e retiraram o medidor de eletricidade. O problema é que esse terreno tem muitas árvores grandes, com raízes profundas que avançam inclusive sobre os terrenos dos prédios ao lado. O terreno é um oásis no meio de um quarteirão que fica entre a Vereador José Diniz e a Adolfo Pinheiro. Alguns moradores do prédio já fizeram denúncias em alguns órgãos. Descobrimos recentemente que já possuem o alvará para construir no local, e não consta que existem árvores no terreno. Eu não entendo muito sobre todo este processo, sou designer, tenho 27 anos, e há 2 dias construí um site-blog onde vamos pôr informações e faremos um abaixo-assinado para que o terreno não seja limpo para a construção de mais um prédio. Neste site disponibilizaremos informações sobre o terreno, fotos atuais e antigas, telefones e sites para denúncia, também faremos textos na página inicial atualizando sobre todo o processo. Soube do jornal de vocês através de uma amiga e soube até mesmo de algumas causas ganhas pela associação. Quem tem feito grande parte das denúncias e se informado na Secre-

11

taria do Meio Ambiente e Polícia Ambiental é a sub-síndica do prédio onde moro, a arquiteta Helena Saia. Gostaria de saber se vocês tem alguma forma de nos ajudar nessa causa. O link para o site é http://joaopimenta.wordpress.com. Agradeço antecipadamente pela atenção. Ian Herman Resposta da SAJAPE Que bom que ainda tem gente que se mexe pra evitar esses descalabros!!! A Helena já participou de várias empreitadas conosco, é uma ajuda preciosa. Se você nos der o endereço do imóvel (rua e número), podemos acionar a Subprefeitura e a Secretaria de Meio Ambiente para ver em que pé está o processo. Mas mesmo que a gente não consiga evitar (se o empreendedor estiver dentro da lei, não temos muito espaço pra evitar a construção, e pode ser difícil evitar até mesmo o corte de árvores), é importante que a prefeitura saiba que os moradores estão insatisfeitos com a autorização, e que esse alvará só atende aos interesses de um setor da sociedade, em detrimento dos demais. Calçadas Estou reformando minha casa e ouvi falar sobre calçadas verdes e permeáveis. Sabe onde posso encontrar mais informações a respeito? Maria C. Oliveira Resposta O arquiteto José Roberto Amaral publicou recentemente um manual que dá todas as orientações para a execução de calçadas dentro das normas de mobilidade e permeabilidade (Calçadas verdes e acessíveis). A publicação traz toda a legislação relacionada a passeios públicos em São Paulo com fotos e esquemas que facilitam a compreensão. Você pode consultar também o site http://portal.prefeitura.sp.gov.br/subprefeituras/spjt/calcadas/0001

Cuidado! Há pessoas em nossos bairros envenenando nossos bichinhos de estimação!

Pratique a posse responsável e não deixe seu animal na rua

Mais Ação 4  

Mais Ação n. 4

Mais Ação 4  

Mais Ação n. 4

Advertisement