Page 1


Conteúdo CAPA

44

ENCONTRO Recheado de lançamentos, o 10º Encontro propicia negócios e mostra a diversidade do setor

82

Rafael Fernandes Maciel A importância das redes sociais nas empresas

36

EMPRESA Produzir com qualidade,disputar mercado com ética e a consciência social e ecológica

Seções

10 12 16 24 32

Editorial

Correio

Notas

Rápidas

Lançamentos


Editorial Diretoria Osmar Silva José Haroldo G. Santos

motomagazine Edição 61 - Abril 2012

Editor Osmar Silva osmar@luanda.com.br

Diretor José Haroldo G. Santos haroldo@luanda.com.br

Redação Hylario Guerrero (MTB 13468) Rosangela Hilário (MTB 46219) Edison Rafael (Estagiário) redacao@luanda.com.br

Design Editorial Bruno R. Mello dos Santos Diego Igor de Oliveira midia@luanda.com.br arte@luanda.com.br

Publicidade: Luanda Brasil Serviços de Publicidade Ana Paula Lima José Rubens Bizarro Ronaldo Paiva Michele Silva vendas@luanda.com.br

Assessoria gráfica Pavagraph Impressão Northgraph Administração Juici Monteiro Fernanda Oliveira Jhonnatan da Silva André luanda@luanda.com.br R. Joaquim de Almeida Moraes, 273 Jd. Magali - CEP 02844-000 - São Paulo/SP Tel.: +55 (11) 3461-8400 / 3461-8401 Fax + 55 (11) 3923-5374

motomagazine aceita matérias técnicas como colaboração. Os artigos deverão vir acompanhados de fotos ilustrativas com as respectivas legendas e curriculum do autor. A revista não se reponsabiliza por opiniões e artigos assinados que podem ou não expressar a mesma opinião do editor. As opiniões emitidas em artigos assinados são de responsabilidade do autor. A revista não se responsabiliza pelo conteúdo dos anúncios veiculados, nem por aquisições em função destes. Todos os direitos reservados, sendo proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio, sob pena de procedimentos legais. A revista motomagazine é uma publicação bimestral da Luanda Editores Associados LTDA., e tem sua marca registrada no INPI sob o número 830.025.693

A quem interessa as notícias, divulgadas de forma sistemática, enfatizando os acidentes com motociclistas nas cidades brasileiras? Este é realmente um problema, e necessita ser analisado não pela ótica de quem o causa ou é vitima, mas de forma ampla, avaliando os motivos que levaram ao desenlace. Muitos dos acidentados não tinham a menor condição de pilotar uma moto, fosse ela de alta ou baixa cilindrada. A trabalho ou lazer, muitos deles, sequer estavam habilitados para conduzir o veiculo. Em casos semelhantes, o culpado não é somente quem estava ao guidão. Primeiro: quem entregou a ele o veiculo? Nós fomos informados de casos de pessoas que adquirem o veiculo, com as facilidades que o financiamento proporciona, e imediatamente, saem da loja conduzindo a moto, mesmo não sendo habilitado. Alguns, analfabetos. Este comerciante não seria também responsável por prováveis acidentes que este individuo pode causar? Tá, a função do comerciante é vender, não verificar se o comprador está devidamente preparado para a condução da moto. Mas um mínimo de responsabilidade deveria haver. Pelo menos, não permitindo que um cidadão, nestas condições, saia de seu estabelecimento a bordo daquela moto recém-comprada. Parentes ou amigos que cedem motos tendo o conhecimento da inabilitação da pessoa. Muitos, menores de idade. “Ah, permito que meu filho passeie com moto apenas nos limites do condomínio. Não sabia que ele se arriscava no transito das ruas”. Frequentemente, esta é a justificativa utilizada por pais que não acompanham os passos de seus filhos, e mostram-se surpresos quando ocorrem acidentes. Formação e educação começam em casa. Os pais precisam dar limites aos seus filhos e verificar a conduta desses quando ausentes do lar e principalmente quando estão com a ‘galera’. A necessidade de afirmação perante o circulo de amizades, os levam a cometer erros. Isto é normal na

Foto da capa: Arquivo Luanda

adolescência. Eles devem ser orientados e avisados dos possíveis riscos e possibilidades de acidentes. Não serão os amigos que irão tomar esta atitude. Pelo menos normalmente. E os responsáveis pela orientação no trânsito, onde estão em suas atividades preventivas? Os agentes de transito passam a impressão de estarem mais preocupados em simplesmente multar. Jamais em orientar, agir preventivamente e desta maneira, colaborar para evitar acidentes e situações de dificuldades para motoristas, motociclistas, caronas ou pedestres. As sinalizações das vias então, uma calamidade. Quando nos perímetros urbanos, estão mal posicionadas, de forma que sua visualização nem sempre é das mais fáceis. Nas estradas, estão sumidas no meio do matagal que invade as suas beiradas, ou servem de placas para a pratica de tiro ao alvo. Existem também os motociclistas de fins de semana. Pouco afeitos aos problemas de trafego diário, costumam abusar e pilotar de forma periclitante. Neste grupo pode-se acrescentar aqueles que acreditam piamente que alcoolizados pilotam melhor. Diz a lenda que “bêbados tem bom anjo da guarda”. Mas são tantos os bêbados que eles devem estar superatarefados, sem condições de guardar a todos. Quanto à fiscalização com os aparelhos de bafômetros, isto ainda é coisa dos grandes centros. Não chegou a todo os recantos do país. São muitos os motivos que deságuam em acidentes, em noticias tristes. Em profissionais que ficam impossibilitados de exercer seu trabalho por longo tempo, causando prejuízos para a previdência que alem de arcar com os seus vencimentos, também arca com os custos de seu tratamento. Noticiar os números de acidentes, exibir gráficos com a elevação percentual e etc. Alardear estes resultados, criticar, marginalizar o motociclista e as motos, simplesmente apresenta-los como causadores de um quadro caótico, não ajuda solucionar a questão. Tem que haver por parte dos veículos de comunicação, engajamento para se encontrar alternativas e soluções. Divulgar noticia ruim, apenas, não é o suficiente. É necessário, combater firmemente o descaso com a manutenção das vias e sua estrutura. A negligencia dos setores que deveriam orientar e fiscalizar o tráfego e trânsito e, principalmente, a, leniência de nossas leis. Todos nós


Interaja com a redação

CORREIO

Email: redacao@luanda.com.br Site: www.luanda.com.br Endereço: R. Joaquim de Almeida Morais, 273 - CEP: 02844-040, São Paulo - SP

com o máximo de respeito, com grande dose de expectativa e qualidade. Evento recheado de bandas residentes com muita experiência, tocando o bom e velho rock'h'roll, missa campal com benção das chaves e motos, e um delicioso churrasco no domingo após a passeata pelas ruas e avenidas da maravilhosa Ibitinga-SP "Capital Nacional do Bordado". David Locutor Ibitinga-SP Por e-mail

Resp.: Agradecemos o atencioso convite e faremos o possível para comparecer.

GUIA MOTOMAGAZINE

Recebi o Guia MOtomagazine.....legal o trabalho. Infelizmente não encontrei a Kasinski no guia, nem como CR Zonsghen nem como Kasinski. Você me confirma se a fabricante saiu ou não no guia? Maristela Ramos Max Midia Comunicação São Paulo-SP Por e-mail

Resp.: Por um lapso nosso, deixamos de citar a CR Zonsghen/Kasinski no Guia. Lamentável. Aliás, na edição de 2011, consta as informações.

CONVITE

Mais um ano estarei na locução e animação do 7º Encontro de Motociclistas de Ibitinga - SP. Este é o evento com a cara do PAPA MILHAS MC tudo em cima da hora e

10 motomagazine

X ENCONTRO MOTOMAGAZINE

Queremos agradecer a ótima hospitalidade a qual na X Feira Motomagazine. Estamos a disposição para outros eventos, pode contar com nossa presença e amizade. Foi um momento único de muito aprendizado e dinamismo na presença de vocês nos receberam. Festa bonita e com sucesso total, parabéns.

Rosana Costa Campo Grande-MS

Resp.: A Luanda e Case Eventos agradecem a participação e o carinho de todos.

INTERNACIONAL

FARMINGDALE, NJ A Bel-Ray tem o prazer de anunciar a expansão do seu conselheiro em lubrificantes inovadores, uma ferramenta que permite aos clientes da Bel-Ray identificar uma solução em lubrificantes que seja ideal para qualquer uso. Localizado no website da empresa www.bel-ray.com, o conselheiro oferece serviços para o segmento motocicletas. A Bel-Ray é a primeira a oferecer este tipo de tecnologia no mercado. Nosso objetivo com mais desenvolvimento de nossa funcionalidade de conselheiro em lubrificantes é remover o mistério em nossa indústria que compele os usuários a oferecer informação antes de receber informações. Somos uma empresa cuja orientação é prover soluções, focada em fazer com que o processo de originar um lubrificante seja fácil para o usuário. O conselheiro visa dar poder aos clientes com informações que lhes permita tomar boas decisões. Nossa esperança é que este nível de transparência vá estabelecer credibilidade com os clientes, que podem nos requisitar a tecnologia do produto. Para motocicletas, compila informações que incluem quase todas as motocicletas produzidas no mundo, cruciais em relação a lubrificação estão inclusas em cada




CORREIO interface do conselheiro de lubrificantes. Eliminando o trabalho de advinhação e os erros associados às complexas decisões, tais como a quantidade de preenchimento, intervalos de serviço e produtos recomendados. Estes aspectos são todos facilmente acessíveis via um simples menu "drop-down. Jennifer Liquori, chefe de operações Bel-Ray Co Farmingdale, NJ por email

Jackson Hara Efex - Eventos, feiras e exposições Curitiba - PR por e-mail

Resp.: Excelente iniciativa para o mercado Paranaense. Desejamos sucesso.

RETORNO PROFISSIONAL

EVENTOS

O Campina Grande Motofest fará uma grande homenagem ao nosso Tio Bel, ano em que ele completará seus 95 anos de vida, praticamente todos estes anos dentro do motociclismo. Em breve anunciaremos toda programação e hospedagem. Álvaro Lucena Org CG Motofest Campina Grande – PB por email

Resp.: Parabéns ao Tio Bel e a organização do MOtofest pela merecida homenagem. É com grande satisfação que em nome da promotora do evento - Efex empresa do Grupo Positivo - comunicamos a realização da Moto Bike Paraná - Salão de Motocicletas, Bicicletas, Peças e Acessórios no período de 8 a 11 de novembro de 2012, no mais novo centro de

10 motomagazine

exposições de feiras em Curitiba, o Expobirigui, localizado na principal área de lazer da capital paranaense – o Parque Barigui.

Deus conserva os bons! Estou muito feliz por estar com a revista Motomagazine em mãos. Aqui percebo quanto vale o trabalho árduo e perseverante. Abraços do amigo Nascimento, Rio de Janeiro. Estou voltando para o mercado, em forma e pronto para as lutas que o mercado nos proporcionam. Ozeias Nascimento Omega Representações Rio de Janeiro-RJ (21) 37643620 (com) 78984238 ( Nextel) ID 98*65858 Por e-mail

Resp.: Receber notícias de um amigo, sempre é uma grande satisfação. Saber de seu retorno aos segmentos motopeças e bicipeças, maior ainda. Quanto a nossa atuação, a fazemos sempre na intenção de realizar o melhor, sem medir esforços.


NOTAS BRAMMO E A VERSÃO FINAL DA MOTO ELÉTRICA

A fabricante Brammo apresenta a versão definitiva da Empulse. Esta moto elétrica que, até então, era apenas um conceito, chega ao mercado dos Estados Unidos em 2013. Seu motor elétrico gera até 54 cavalos de potência máxima e conta com refrigeração líquida, permitindo alcançar velocidade máxima de 160 km/h. Além disso, o propulsor faz uso de câmbio de 6 marchas - a maioria das motos elétricas não têm marchas. nuará com o planejamento de aquisição de veículos.

JUROS X INADIMPLÊNCIA

A Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras (Anef), informa que a inadimplência em financiamentos aumentou 0,2 pontos percentuais no primeiro trimestre. No ano passado o saldo era de 3%. Por outro lado, a taxa de juros ficou em 1,98% ao mês no primeiro trimestre, ante 2,20% do mesmo período de 2011. Para a entidade, a tendência ainda é de uma diminuição maior em relação aos débitos. Dessa forma, a população conti-

16 motomagazine

MAIS UMA LOJA HARLEY

A marca inaugurou oficialmente suas instalações definitivas de sua segunda concessionária em São Paulo, a Aba Harley-Davidson, localizada no bairro da Barra Funda, na zona oeste da cidade, de São Paulo. A concessionária possui cerca de 3 mil m² de área construída, dividida em dois andares e composta por escritórios, showroom

de novas motocicletas, espaço dedicado para venda de seminovas, loja de MotorClothes e acessórios, oficina, área de lavagem e para estoque, tudo dentro dos padrões mundiais da empresa. Os clientes poderão realizar reparos, revisões e customizações em suas motocicletas na oficina, por meio de seus 20 boxes de serviços.

MOTOS PREMIUM DESPERTA INTERESSE DE FABRICANTES ESTRANGEIRAS

O brasileiro está comprando mais. Segundo pesquisa Datafolha divulgada, para 41% dos entrevistados o poder de compra irá aumentar nos próximos meses,

número maior do que os 33%. Com a economia favorável e muitos brasileiros ascendendo em classes sociais, pode-se dizer que o nosso mercado se tornou uma viável para as chamadas marcas premium. Com as motos não poderia ser diferente. De acordo com dados dos emplacamentos de motocicletas, em 2005 foram 15.087 unidades vendidas com motorização acima de 500cc. Atualmente esse número saltou para 45.767. Desta forma, marcas do mundo todo iniciaram suas movimentações para firmar o pé por aqui e garantir a sua fatia do bolo.


NOTAS

A INVASÃO CHINESA NO MERCADO BRASILEIRO DE MOTOS

De cada 5 pessoas no mundo, uma é chinesa. De cada dez motos vendidas no Brasil, uma já é chinesa (segundo a ABRACICLO). E os orientais do país de Mao Tsé-tung só estão atuando no mercado brasileiro de motos há poucos anos. Certamente, com inovações em design e preços atraentes, em poucos anos a indústria chinesa conquistará uma fatia ainda maior do mercado brasileiro de motos, ao menos as de baixa cilindrada. Vale lembrar que apenas 1% das motos no Brasil tem motorização acima de 500cc.

sendo preparada para o retorno à sua terra natal.

III WORKSHOP ABRACICLO 1º LABORATÓRIO DE MOTOCICLETAS

A Delphi recebeu a certificação do INMETRO para a realização de ensaios de veículos de duas rodas em seu laboratório de testes de emissões. Dessa forma, a empresa é a única do país a possuir um laboratório acreditado para testes de gases poluentes para motos. O laboratório, que existe desde janeiro de 2000, está localizado no Centro Tecnológico da empresa em Piracicaba e recebeu a primeira certificação do INMETRO em 2005.

18 motomagazine

MOTOFAIR CHEGA AO FIM ENCONTRADA MOTO COM RECORDE DE PÚBLICO LEVADA POR TSUNAMI

Terminou a terceira edição do Salão das Motos de Minas, o Motofair 2012. Depois de quatro dias de muitas atrações e mais de 70 estandes – entre fabricantes de motos, peças, roupas, acessórios, a Motofair se consolida como o importante evento de motos do Estado, e um dos principais do país. Ao todo, 25 mil pessoas visitaram o Expominas. Além do sucesso de público, a feira foi aclamada pelos expositores.

Motocicleta arrastada pelo tsunami do Japão, foi encontrada no Canadá e será devolvida para seu dono. Trata-se de um modelo Harley-Davidson Night Train de 2004. O veículo estava com o conjunto de peças nas mesmas posições, sem torções ou muito quebradas, porém com bastante ferrugem. Foi encontrada em 18 de abril em uma praia separada da costa japonesa por 7 mil quilômetros e está

Durante o 3º workshop Abraciclo, especialistas discutiram temas como a implantação de novas avaliações práticas; qualificação dos instrutores, e padronização dos circuitos de exame a nível nacional. Os debates focados na necessidade de uma avaliação mais rigorosa e prática dos candidatos à habilitação para conduzir motocicletas estarão entre os principais atrativos do evento que a entidade promoveu na Câmara Americana de Comércio – Amcham, em São Paulo (SP).


LANร‡AMENTOSCapaGIVIde2012 chuva Fabricada em PVC

info@givi.com.br www.givi.com.br

Possui malha interna para maior conforto Bolso externo Jaqueta e calรงa possuem refletivos

calรงa possui costura reforรงada e elรกstico na cintura.


NOTAS

A MOTO MAIS ECONÔMICA NA FEIRA “MAIÔ MODA MULHER”

produtos e lança uma moto destinada às mulheres. O modelo não ultrapassa os 50 km/h, por isso é barata e econômica, com baixo consumo de combustível, seu principal atrativo. Segundo a assessoria de imprensa da marca sino-brasileira, esta “mini CUB” faz mais de 50 km com um litro de gasolina. E o preço público sugerido é de R$ 3.750.

crédito, segmento apresenta retração nos dados dos primeiros três meses. Segundo dados divulgados pela ABRACICLO, foram comercializadas no primeiro trimestre, 468.493 motocicletas, uma baixa de 7% em relação ao mesmo período de 2011 que foi de 503.646. A produção nacional também apontou queda, registrando a fabricação de 509.545 unidades nos primeiros três meses, ante 533.082 no ano passado – baixa de 4%. Na análise mensal, março registrou a comercialização de 164.688 veículos, baixa de 5% sobre o ano passado, e alta de 11% em comparação com fevereiro. Apesar do aparente crescimento sobre o mês passado, as vendas diárias no período (7.486 unidades) ficaram

abaixo das do período anterior (7.844 unidades).

Programada para acontecer em Teresina - PI, a Feira dedicada à Mulher com produtos e serviços estritamente femininos, estará apresentando a cinquentinha da Kasinski. Para se consolidar no mercado brasileiro, a Kasinski irá ampliar seu mix de

PRO TORK FABRICARÁ MOTOS

MV AGUSTA REGISTRA CRESCIMENTO

A marca já é a 5ª mais vendida, alcançando 4,3% de participação na categoria acima de 1 mil cc, o que representou um aumento de 38% em relação a janeiro de 2012 e de 234% sobre dezembro de 2011, primeiro mês completo de vendas. Brutale é a 4ª naked mais emplacada, enquanto F4 é a 6ª mais vendida entre as superesportivas. A expectativa é ultrapassar os 5% de mercado com novas concessionárias e condições diferenciadas de vendas.

20 motomagazine

A Pro Tork agora também é fabricante de motocicletas. O anúncio foi feito oficialmente em Siqueira Campos - PR, cidade onde estão situadas suas sete unidades. A entrada se dá através da produção inicial de três modelos de baixa cilindradas. A TR 100F conta com motor quatro tempos, refrigeração a ar, câmbio de quatro marchas semiautomático e freios à disco em ambas as rodas. O veículo pode ser encontrado no mercado nas versões aro 10 e 12.

PRODUÇÃO E VENDAS DE MOTOS

Impactado desde meados de outubro de 2011, pelas medidas de restrição ao

110 CC NA ÍNDIA

Fabricantes de motocicletas estão comercializando um lançamento com pretensão de expandir o mercado. O modelo em questão é de baixa cilindrada (110cc), voltado para o segmento popular, a motocicleta custa a partir de 44.642 rúpias no mercado indiano, um valor equivalente a R$ 1,642,00. A ideia é que todos tenham condições de obter um veículo como meio de transporte.


RÁPIDAS DO ESPORTE

Campano chega em quinto

MTB 24 horas solo campeonato mundial

O espanhol Carlos Campano, da equipe Yamaha terminou na quinta posição da categoria MX Pró durante a quarta etapa da Superliga Brasil de Motocross 2012, disputada em Chapecó, SC. O resultado mantém o piloto espanhol na liderança da classificação com 188 pontos e vantagem de 29 pontos para o vice-líder, Adam Chatfield. Na primeira bateria da classe 450cc, Campano largou entre os primeiros e assumiu a terceira posição.

Mais de 150 motociclistas de todo o mundo desceram em Finale Ligure (Ligúria, Itália), para o primeiro Mundial de Endurance de Mountain Bike Championship (WEMBO). Os pilotos da Europa, Austrália e América competiram sobre 18 quilômetros de trilhas perfeitas, contornando as falésias, bem acima do mar da Ligúria. Entre os favoritos estavam o campeão nacional australiano e vencedor das 24 Horas de Finale Ligure corrida nos últimos dois anos, Jason Inglês.

Eric Granado estreia na Moto2 Depois de três testes de pré-temporada no Mundial de Motovelocidade, muito treino físico e técnico, no Brasil e na Europa, Eric Granado, participou da primeira corrida, no circuito de Jerez de La Frontera, na Espanha, onde começou o Campeonato Espanhol de Motovelocidade (CEV). Além de ser a primeira prova de Granado na Europa em 2012, foi sua estreia na Moto2 (motores Honda 600cc) e na nova equipe – a JiR Team Junior.

24 motomagazine

Interlagos recebe SBK Series Brasil

As motos de série mais rápidas do mundo, somado ao público alucinado por ‘pegas’ emocionantes, voltaram à cena durante o SuperBike Series, temporada 2012, no autódromo José Carlos Pace (Interlagos), em São Paulo (SP). O campeonato está de volta. Sucesso de público, a competição começa com expectativa de quebras de recordes dentro e fora das pistas. Mais de 150 pilotos em oito categorias.


trespontozero.com.br

Ofereça o que o seu cliente precisa e veja o seu estoque girar muito mais com a STIFF Nem precisa ser técnico para mostrar a melhor RELAÇÃO custo x benefício

• Coroa

diferenciada Têmpera nos dentes Tê Reduz o desgaste prematuro e aumenta a performance

• Aço

1045 de verdade

0,45% de carbono. Maior resistência

• Corrente

- SAE 1050

Máxima resistência e durabilidade

Uma empresa do Grupo JOALMI

industria metalúrgica


RÁPIDAS

Mobil Pirelli SuperBike

Piloto da Honda Racing, vence no Elf SuperBike

Ainda no autódromo de Interlagos marcaram presença os grandes nomes do motociclismo. Evento composto por seis etapas, durante o ano, onde também estão previstas mais oito etapas do Elf SBK, juntos serão 14 provas. O SBK Series é um evento que está tirando pilotos amadores das ruas e atraindo para o autódromo, lugar certo e seguro para a prática de competições.

Em Santa Cruz do Sul, RS, Maico Teixeira largou em 3º lugar, superando dois dos pilotos que obtiveram os melhores tempos nos treinos, Danilo Andric, da equipe Limited Motor Sports, (pole position), e Bruno Corano, da equipe Gillette/ Kawasaki, que largou em segundo. Faltando cinco voltas para o final, o piloto ultrapassou, obtendo a primeira colocação.

Team Brazil no Mundial de STK

Estrela do Motocross paralisa praia

A primeira equipe brasileira em um mundial de motovelocidade estreou na etapa de abertura do Mundial de SuperStock 1 mil cc Fim Cup, em Ímola, na Itália. O Team Brazil somou seus primeiros dois pontos da temporada 2012, com Philippe Thiriet. O outro brasileiro da equipe, Heber Peros, que fazia sua primeira corrida internacional, caiu na sexta volta da prova, quando estava na 17ª posição.

26 motomagazine

Californianas de bíquini, levantadores de peso, e jogadores de basquete pararam tudo o que estavam fazendo ao verem Danny Torres mostrar, em Venice Beach, alguns dos truques que fizeram dele o atual campeão mundial de motocross freestyle. O espanhol realizou manobras enquanto se prepara para a segunda etapa do Red Bull X-Fighters.


RÁPIDAS

Grid de sem SuperPole

Lawanteam no Brasileiro de Supermoto Realizado no autódromo de Goiânia - GO. O brasiliense Rafael Fonseca mostrou porque é o atual pentacampeão nacional e sobrou na SM1, vencendo as duas corridas. O evento foi válido ainda pelo Campeonato Goiano da modalidade.

O primeiro treino classificatório na SuperPole do Mobil Pirelli, em São Paulo, foi interrompido por fortes chuvas. Este evento abriu a temporada do SuperBike Series. Antes da tempestade dois treinos cronometrados foram realizados. O terceiro treino do dia e a SuperPole foram cancelados por causa do excesso de água na pista. Com isso, o grid de largada para a categoria SuperBike Pró foi definido com base nos melhores tempos dos dois primeiros treinos .

GP Gaúcho com seis etapas em 2012 Sucesso de público, o GP Gaúcho de Motovelocidade promete ainda mais emoções na temporada . Ao todo a competição terá seis etapas, reunindo pilotos consagrados e promessas da modalidade nos principais autódromos do Estado. A disputa terá competidores de nove categorias. A principal delas é a Superbike Pro, para motocicletas com preparação livre.

28 motomagazine


• Pinhão temperado • Coroa zincada a • Corrente reforçad 20.000km • Durabilidade de • Produto nacional do • 20 anos de merca os de • + de 2.000 pont venda no Brasil


ARTIGO Remendar, nem sempre é a melhor alternativa Executivo comercial e de marketing, orienta os motociclistas sobre a calibragem, o momento correto para a troca e substituição da câmara de ar, entre outras informações, visando ainda mais segurança para o condutor e o garupa

Fuja das soluções temporárias. Essa é a principal orientação de Caio Fontana, diretor comercial e marketing da IRA, quando o assunto é a troca de pneus para veículos de duas rodas. Apesar de ser uma alternativa mais econômica, os chamados equipamentos “quebra-galhos” servem apenas como uma opção temporária até o condutor se deslocar a uma oficina e fazer a substituição do pneu, garantindo assim a sua própria segurança e a do garupa. No mercado, a maioria das motocicletas está equipada com pneus com câmaras de ar. Quando este tipo de item furar, a orientação de melhor procedimento aos motociclistas é fazer a troca da câmara por uma nova, garantindo uma melhor performance para o pneu. É aconselhável também o consumidor solicitar a inspeção dos aros da roda em busca de possíveis danos que possam furar novamente a câmara de ar ou o pneu. Além disso, é importante evitar a utilização de ferramentas pontiagudas ou cortantes para retirar o pneu. “O pneu é o principal componente da moto. Por este motivo, além da sua performance, o motociclista deve preocupar-se com a manutenção correta deste item e evitar reparos temporários, garantindo assim a sua própria segurança”, explica Caio Fontana, diretor Comercial e de Marketing da empresa.

Qual é o momento ideal para trocar o pneu?

“A substituição do pneu está diretamente relacionada à qualidade do produto, ou seja, quanto melhor mais durabilidade. Além disso, alguns fatores, como tipo do desenho do pneu, condições atmosféricas, trajeto percorrido diariamente, características da motocicleta, estilo de pilotagem e desalinhamento da banda de rodagem, podem

30 motomagazine

aumentar ou diminuir a vida útil do modelo”, conta Fontana. O consumidor também deve estar atento à profundidade do friso na faixa central. Outra dica é caso o motociclista perceba que a motocicleta está um pouco instável especialmente em curvas, deve-se examinar primeiro a calibragem. Se estiver correta, é recomendável analisar o desgaste dos pneus. Para saber o limite em que se pode rodar com segurança é indicado procurar a seta ou a sigla TWI (Tread Wear Indicator), marca indicadora de desgaste dos sulcos na lateral do pneu. O TWI mostra onde estão as saliências de borracha, que servem como referência do limite de utilização, ou seja, quando a banda de rodagem coincidir com o marcador TWI é hora de trocar o pneu. Outro indicador é a profundidade dos sulcos, que segundo a legislação brasileira para motos não pode ser inferior a 1,0 mm.

Dica de calibragem

Pneus com a calibragem correta duram mais e possuem melhor performance. Por isso, esse item deve ser conferido sempre. A principal dica é fazer a verificação com os pneus frios, já que pode haver variações de acordo com o peso e estilo de pilotagem do motociclista e, ainda, pelo tipo de terreno, de modelo de pneu e da moto. É importante fazer a avaliação da calibragem do pneu pelo menos uma vez por semana e estar atento aos valores indicados pelo manual do proprietário ou em alguma etiqueta de advertência colada na motocicleta. Outra dica é em caso de levar garupa ou bagagem pesada, o motociclista deve calibrar o pneu para essa situação de uso, garantindo um menor desgaste para o componente.


LANÇAMENTOS Pneu Soho Para quem busca pneus com alta durabilidade e qualidade, a IRA conta com o IRA Soho ideal para rodar na cidade, já que possui bom desempenho em pista molhada, estabilidade e design. As medidas 80/100-14, 2.75-18 e 90/90-18 possuem estrutura REINF, que garante até 35 quilos a mais de capacidade de carga para a moto. Além disso, o IRA Soho possui frisos para expulsão de água, que propiciam um melhor controle em aquaplanagem, desenho único responsável pela redução da deformação do pneu durante as curvas, ângulos diferenciados para melhor frenagem e tração, maior estabilidade em alta velocidade e menor ruído.

Jaqueta Detroit A jaqueta IRA Detroit tem design esportivo com sistema impermeável Zipshut. Fabricada em Poliéster 600D, é super-resistente e oferece mais flexibilidade ao motociclista. O produto conta com tratamento Waterdry_T e costuras seladas, o que garantem 100% de impermeabilidade. Além disso, possui proteções removíveis localizadas nas costas, ombros e cotovelos. O produto está disponível nas cores preto/lime, preto/ rosa e somente preto, nos tamanhos P, M, G e GG.

Jaqueta Jakarta Confeccionada em Poliamida, o produto é sinônimo de alta durabilidade. A Jaqueta IRA Jakarta também conta com o moderno fechamento diagonal e o zíper impermeável Zipshut. Os protetores removíveis localizados nas costas, ombros e cotovelos, além dos refletivos noturnos presentes na peça, garantem mais segurança ao conduzir. O modelo está disponível na cor vermelha/ preta, nos tamanhos P, M, G e GG.

Jaqueta Shangai A jaqueta IRA Shangai possui estilo urbano e casual. A peça oferece segurança e proteção à motociclista por meio dos protetores removíveis localizados estrategicamente nas costas, ombros e cotovelos. Por ser fabricada em Poliamida é mais leve que as jaquetas de cordura, mantendo a resistência e flexibilidade no corpo da motociclista. Possui tratamento impermeável Waterdry_T e costuras seladas. Está disponível na cor preta e nos tamanhos P, M, G e GG. www.ira.com.br

32 motomagazine


LANÇAMENTOS Nova linha de lubrificantes A Ipiranga lança nova linha de lubrificantes, a Moto Expert: Moto Expert Garfo - fluido hidráulico para lubrificação de garfos telescópicos e dos amortecedores hidráulicos para motocicletas. Moto Expert Graxa – oferece proteção contra o desgaste, corrosão e a ferrugem, mesmo na presença de umidade ou temperaturas elevadas. Moto Expert Freio – 100% sintético, para freios a disco ou a tambor . estavel mesmo em variações de temperatura. Possui compatibilidade com as borrachas que compõe o sistema. Moto Expert Corrente – ação penetrante e forte aderência ao metal, protegendo a corrente contra corrosão, desgaste, poeira e impurezas, evitando o acúmulo de poeira e respingos

Kit Super Top A Riffel apresenta o kit Super Top, coroa, pinhão e corrente, projetado especialmente para atender o segmento de motos de alta cilindrada.Cada kit vem com coroa produzida em aço 1045, pinhão temperado e corrente com oring. Peças usinadas em máquina CNC. As peças do kit Super Top contam com a garantia da qualidade e tecnologia Riffel . www.riffel.com.br

Botas SIDI Vortice As Botas SIDI Vortice possuem um visual moderno e agressivo, fabricada em Couro sintético Lorica muito resistente e leve sem perder suas propriedades de proteção. A Laquila estará disponibilizando no mercado além do modelo Vortice mais 4 modelos da marca, incluindo 01 modelo feminino. www.laquila.com.br

Nova BMW S 1000 RR Exibe o motor de quatro cilindros em linha refrigerado a água com apenas 59,8 kg, e potência de 142 kW (193 hp) a 13.000 rpm com rotação máxima de 14.200 rpm. Torque máximo de 112 Nm é alcançado a 9.750 rpm. Maior sensibilidade de resposta no acelerador, diminui o ângulo de abertura e reduz o esforço de rotação do punho, hardware de segurança garantido pelo sistema de freios BMW Motorrad Race ABS, permite o apoio do Controle Dinâmico de Tração DTC ao acelerar. O painel de instrumento traz novidades: a luz do display pode ser reduzida e também oferece mais funções.

34 motomagazine


EMPRESA

PRODUZIR COM QUALIDADE,DISPUTAR MERCADO COM ÉTICA E A CONSCIÊNCIA SOCIAL E ECOLÓGICA Com personalidade marcante, intensa capacidade de monopolizar atenções, portadora de vibrante verbalização, Gislene Gianetti Bezerra dirige as operações das áreas comercial e marketing da Krater. O nome foi inspirado em uma estrela da constelação de Orion. Feliz escolha que tem influenciado a empresa em seus caminhos

Reportagem Hylario Guerrero Texto e fotos Osmar Silva

A empresa nasceu na cidade Guarulhos, na Grande São Paulo, em 1991 e atuava apenas no segmento automobilístico. Plantou imagem de excelência no mercado nacional e exporta autopeças para 17 países desde 1996, sendo o Paquistão o destino mais recente. Desde 97 a empresa está instalada na cidade de Mogi Guaçu, região de influência de Campinas, no interior de São Paulo. “Recebemos diversos convites de várias prefeituras, para instalarmos a Krater em seus Distritos Industriais. Optamos por Mogi Guaçu em função da viabilidade de seus incentivos fiscais, suas facilidades de logística; estamos localizados próximos de importantes rodovias, com fácil acesso a muitos mercados e fluxo para os portos de Santos, Rio e Sul do país. Em Campinas, temos o aeroporto de Viracopos,

36 motomagazine

um polo estratégico muito interessante e estamos a 160 quilômetros de São Paulo, onde podemos chegar em duas horas, caso ocorra um sério problema, relata Gislene. São 3.600 m2 de área onde foi construído um galpão de mil m² que abriga a produção e administração. Isto temporariamente, pois o projeto original prevê maior ocupação do terreno, que irá proporcionar melhor acomodação das áreas de projetos, fabricação e administração. A entrada no segmento de motopeças é fruto de muito estudo e longa análise, passando pela não utilização de amianto nos produtos. “Analisamos o mercado de motopeças e a viabilidade de produzirmos juntas para atender a sua demanda, durante cinco anos e, a quase um ano iniciamos as vendas.Em junho de 2012 iremos completar nosso primeiro ano no segmento. Pensamos bastante se deveríamos entrar ou não no mercado de motocicletas, e só resolvemos

entrar quando uma lei federal baniu as empresas de utilizarem o amianto, por ser um produto mineral extremamente nocivo à saúde. Não era possível competir com outras empresas devido o fator preço, pois os produtos que contém amianto tem o seu preço cinco vezes menor. Apesar que ainda existem empresas que importam o produto, e nestes ainda está presente o amianto, mas isso vai de acordo com a consciência, com a ética de cada empresário”, conta a diretora. Na Krater o produto empregado para a produção das juntas é papelão hidráulico e chapa de aço. Gislene nos ensina que os motores têm que ter uma altíssima compressão e o bloco do motor deve ser pequeno. Fazer juntas de cabeçote para motos, em sua opinião, é muito mais simples, devido ao maquinário que possuem. Centro de usinagem, que permite maior precisão. Não necessitam mão humana para executar o processo, a máquina faz tudo. Na Krater o ferramenteiro


hoje é apenas um ajustador, ele só finaliza a peça. Mostrando alguma surpresa com o desempenho atingido em pequeno período de atuação no setor de duas rodas, Gislene afirma que em onze meses, o segmento de motocicleta já representa 20% do faturamento da empresa. “É preciso, saber trabalhar, porque vender juntas de motocicleta não é fácil. O vendedor não pode apenas tirar pedidos, tem que ser um solucionador de problemas, um consultor técnico de vendas, porque se ele não souber explicar adequadamente, o que é o seu produto, para que serve, qual é a sua curva ABC, no primeiro instante o cliente até compra, talvez, num impulso, porque ele é amigo, conhecido. Mas, a longo prazo para este cliente, não se vende mais, principalmente se o produto ficar preso na prateleira. O representante deve ser lapidado dentro das regras da Krater, pois a carteira de clientes pertence a ele”, explica.

Composição da empresa A empresa conta com um corpo de 23 representantes espalhados pelo Brasil, que são seus prestadores de serviço. Gislene Gianetti Bezerra, é responsável pela área comercial e marketing. Joel Bezerra, engenheiro mecânico, formado em Bologna na Itália, atua na área técnica, e Stefano Augusto Gianetti Bezerra, engenheiro de produção, e advogado, é responsável pela área administrativa e financeira da empresa. “Temos hoje uma pequena empresa, mas com estrutura de grande. Procuramos trabalhar com estratégia, preço e qualidade. Temos 68 funcionários internos e vendemos para todo o Brasil”, diz Gislene. O diferencial que os evidencia é a estratégia de vendas e o respeito ao cliente, ou seja, um pós venda adequado.A diretora afirma ser importante entregar o produto de qualidade, com bom preço.”É um conjunto de coisas que propicia a venda, contando com bons profissionais e

bons relacionamentos. Se não houver este profissional que faça a ligação entre cliente e fábrica, não vai acontecer, é preciso uma parceria que vá compartilhar as coisas boas e não tão boas. Embora sejamos ainda muito novos no mercado, eu vislumbro o Nordeste, como melhor mercado para a nossa empresa”, constata.

Empresa oferece os restos de sua produção para reciclagem e entidades beneficentes Esta é uma questão da qual a Krater, e os seus diretores, não abrem mão. Fazendo parte de suas convicções de comportamento com atenção a preservação ambiental e forte amparo na área social. Todo o produto de descarte, restos da matéria- prima utilizada, são encaminhados para ONGs da cidade, que se encarregam de distribuir para entidades de pessoas carentes que delas fazem uso, reciclando, transformando aquilo que seria lixo em produtos cujas vendas auxiliam em sua sobrevivência.

motomagazine 37


EMPRESA

“Nossa empresa é totalmente preocupada com o terceiro setor, e com o meio ambiente, o nosso descarte é encaminhado para doação. Doamos para empresas filantrópicas, igrejas, prefeitura, para o SESI, para que aproveitem estes subprodutos, e façam artesanatos. Sou diretora na FIESP- Federação das Indústria; e conselheira no CIESP, Centro das Indústrias do Estado de São Paulo, região de Campinas. Em abril, tivemos em São Paulo, quanto em Campinas. Ribeirão Preto, o “Seminário Internacional de Economia Criativa”, exatamente comentando essas questões de sustentabilidade e do terceiro setor. Então, as empresas fazem doação em dinheiro ou em produtos, como é o nosso caso. Voluntários ensinam essas pessoas a fazer objetos, e para vender. Também orientam pessoas com problemas mentais ou de outro tipo de problema, funcionando até como terapia ocupacional”, detalha, com flagrante entusiasmo, Gislene. Em autopeças a empresa não utiliza produtos que contenham amianto, procedimento que se iniciou em 2001, em função da necessidade de adequação às exigências dos clientes, grandes fornecedores de montadoras. “Eles nos conscientizaram na prática de usarmos produtos que não agredissem a natureza, ou fizessem mal a saúde humana, e mantemos este conceito desde então. Algumas empresas ainda continuam com produtos que contém amianto, eles podem ser 5% vezes mais baratos. No entanto, prejudicam de tal forma a saúde humana, mesmo de maneira imperceptível, sendo acumulativo. O

38 motomagazine

funcionário que manipula uma junta que contém amianto, principalmente o aplicador, coça o nariz, põe a mão na boca, no cabelo, e sem perceber está introduzindo isso em seu organismo. Ele respira todo esse processo, que vai se acumulando em seu corpo, o que ocasiona problemas cancerígenos, respiratórios, que aparece com mais efeito depois dos cinquenta anos de idade. As pessoas não têm consciência do mal que faz. Afeta desde o responsável que está na indústria, produzindo a placa de amianto até o embalador e, toda a cadeia produtiva, até o mecânico, que manipula o produto...” explica, sem esconder sua indignação. No município existe uma creche, onde o cidadão que não pode pagar um asilo, ou não quer deixar o seu idoso internado, o leva às 7h da manhã e vai buscá-lo às 19h. A Prefeitura disponibiliza funcionários que o assiste, ministram aulas de artesanato e marcenaria. Os idosos ocupam o tempo e aprendem a fazer trabalhos artesanais. A Krater entra com a matéria-prima. Outra situação muito interessante e diferenciada, relatada por Gislene: "conseguimos uma artista plástica com a missão de realizar um projeto onde professores dariam aulas de biologia para deficientes visuais. Ela teria que elaborar produtos com materiais recicláveis, a valores baixíssimos ou a custo zero. Ela conseguiu fazer uma série de quadros, tipo: o olho de um tucano, galinha, peixe ou cobra com a sua técnica e os descartes da Krater. Isto foi bastante divulgado tanto na FIESP, quanto na CIESP. Tanto que ganhamos uma reportagem, como a

‘Pequena Empresa que Trabalha com Consciência de forma Ecologicamente Correta’, que ao invés de jogar estes descartes no meio ambiente, ou em algum aterro sanitário, doamos dando um destino diferenciado, ajudando o terceiro setor, e o meio ambiente.” Esta consciência ambiental e social, não veio por acaso. Ao sabor do conhecimento das novidades, foram os anos de sua própria vida e os exemplos armazenados que resultaram nesta postura ética. “Venho de uma geração onde muitas coisas eram jogadas fora. Morava onde havia grande acúmulo de lixo e tinha uma vizinha alemã que vivenciou as agruras da Segunda Guerra Mundial. Ela nos ensinou a utilizar a casca da banana, a casca da batata como reaproveitamento.Ela dizia que não era possível haver tanto desperdício num país tão rico e com tantas pessoas passando fome. Desta forma, há mais de 20 anos eu obtive esta consciência de separar as coisas”, lembra, afirmando o caráter quase que histórico destas suas decisões. Gislene continua discorrendo sobre as atitudes tomadas na empresa e relativas à necessária preservação da natureza, algo que deveria ser comum a todas as empresas e empresários. “Na verdade, o lixo orgânico que nós produzimos é muito pouco, o grande volume está em separar os resíduos que utilizamos, e, de alguma forma separá-los, e tentar reaproveitá-los para reutilização. Há quatro anos somamos o descarte industrial com o descarte caseiro. Como pequena empresa que produzia pouco, era fácil colocar o lixo, e o lixeiro levar. Só que nossa


EMPRESA

produção foi aumentado, viemos para o Distrito Industrial, onde se pode jogar por dia seis sacos de lixo, com até quinze quilos cada saco, noventa quilos diários. Mas é preciso ter autorização da Secretaria do Meio Ambiente, que trabalha de forma bastante ativa, pois estamos às margens da rede da bacia hidrográfica do Rio Mogi Guaçu, Mogi Mirim, Atibaia, Sorocaba. Toda esta região tem monitoramento forte, por conta das nascentes destes rios. Num dado momento começamos a alugar caçambas que levavam os dejetos para o aterro sanitário residencial e industrial. Depois, houve uma separação, em que a Secretaria do Meio Ambiente não autorizou mais o descarte. Ficamos sem saber o que fazer, se nossa produção aumentava e o nosso lixo também. Foi necessário tomar outra atitude, alugar container de uma empresa focada em meio ambiente.” Num trabalho com pessoas carentes e da terceira idade também são alvo desta ação da Krater através do Sesi. Até mesmo as escolas de samba locais recebem descartes para que empreguem em sua fantasias. Os funcionários da empresa recebem informações que os alertam quanto às necessidades e benefícios do comportamento cor-

Stefano Augusto Gianetti Bezerra

48 motomagazine

reto na destinação do lixo e detritos no ambiente. Eles separam o lixo para ser levado de acordo com sua característica, transformando a vida de cada um. “Toda esta conscientização foi amplamente debatida nos Seminários Ecológicos. Fazem parte das minhas palestras, e foram muito bem aceitas por ONGs americanas e europeias. E se estamos doando para a terceira idade, ou crianças, não vamos doar produtos que tenham elementos químicos perniciosos, nocivos, é preciso ter consciência” coloca enfaticamente. Além de suas muitas atividades na empresa, como a maioria das mulheres, Gislene Gianetti Bezerra, tem um turno em casa para cuidar do esposo e dos dois filhos após suas atividades profissionais. Porém, ainda encontra espaço em sua agenda para desenvolver atividades como diretora regional adjunta da Fiesp para Mogi Guaçu e Mogi Mirim. “A Fiesp tem uma capilaridade para toda região do Estado de São Paulo, e em todas estas regiões existem diretores que participam do Sesi e do Senai, enquanto atividades culturais e educacionais. Por exemplo, se houver um problema no Sesi, a primeira pessoa da Fiesp a quem eles vão pedir alguma ajuda, ou se reportar

será a mim. E lá no Ciesp, que fica em Campinas, que é uma outra entidade, outro órgão, é onde exerço a função de conselheira. Há um organograma, com três diretores, e abaixo deles vem os conselheiros. Quando existe um projeto, ou uma decisão muito importante todas as pessoas são convocadas, diretores e conselheiros. Esse é um trabalho voluntário voltado às pessoas da sociedade”, explica. A filosofia da empresaria e sua aplicação na prática Nós fomos extremamente ajudados por amigos. Tínhamos o projeto de fazer uma empresa, os amigos não nos deram dinheiro, sim inestimável apoio moral. Ombro, orientação, boas palavras e atitudes. Viemos de família que sempre procurou ajudar os outrosEste é nosso trabalho, e nossa filosofia de vida. E esperamos que a Krater seja reconhecida no mercado como multiplicadora de boas ações. Damos palestras. Participamos de encontros de negócios, visitamos asilos. Propomos que as pessoas que assistem nossas palestras, doem mantimentos para determinada entidades, e que o coordenador, desta entidade esteja presente para que tudo isso seja documentado. Que as pessoas que estejam presentes nestas palestras se apresentem e estejam preparadas para interagir, participar ativamente. Reunimos profissionais de serviços, como contadores, médicos, professores, advogados, gerente de banco. Pessoas que possam cruzar seus interesses, seus relacionamentos, e daí sim realizarem negócios. E esses negócios dentro da comunidade são muito interessantes porque, essa economia vai girar, a economia da região vai crescer como um todo. •


ENCONTRO

10º ENCONTRO PROPICIA NEGÓCIOS E MOSTRA A DIVERSIDADE DO SETOR Chegamos ao 10º Encontro de Negócios da Motomagazine, realizado em Campina Grande – PB, que se solidificou perante o setor. Aprovado pelos participantes, muitos deles, presentes desde a primeira edição - cada vez mais o evento itinerante tem atraído novos expositores, com novidades e lançamentos, mostrando a diversidade em motopeças, acessórios e vestuários

44 motomagazine


Por Hylario Guerrero Fotos: equipe Luanda

O

10º Encontro reafirmou a força do mercado nordestino, haja vista que, o número de motos emplacadas no último exercício superou as demais regiões brasileiras. Fabricantes, representantes, distribuidores, importadores e lojistas, que participaram do evento, constataram a diversidade de peças, acessórios, tendências e a modernidade do segmento aquecido. Novamente o cenário escolhido para acolher o 10º Encontro, foi o

Garden Hotel, na cidade paraibana, e culminou na união de cerca de 600 profissionais do segmento. Sem esquecer que muitos dos participantes se instalaram nos arredores da cidade, nos hotéis Village Confort e do Vale. Ao todo foram 80 expositores que mostraram as tendências do mercado, alguns expuseram seus produtos de linha, o que não deixou de ser novidade, e mesmo assim foi bastante apreciado, tendo seus estandes constantemente visitados.

A IMPORTÂNCIA DO EVENTO SEGUNDO OS EXPOSITORES

“A expectativa quanto ao evento são sempre as melhores, cada vez que participamos, nós realizamos bons negócios, como no ano passado em que o retorno foi muito bom para a Proos, para se ter uma ideia decidimos não participar de mais nenhum outro tipo de feira, somente estas da Motomagazine, que é um projeto bom, focado, que atende a todas as nossas necessidades”, afirmou Wellington Lopes, da Proos.

motomagazine 45


ENCONTRO

Executiva fala sobre mercado e o evento Jana Brun Nalin RINALDI A Rinaldi está sendo representada através de alguns parceiros que já comercializam nossos produtos aqui na região, e no Brasil também. A Rinaldi trabalha no sistema de distribuição através dos atacados. E como fabricante, fica complicado, porque estes atacadistas já representam nossa marca de uma forma diferenciada, então viemos patrocinar o evento diante da credibilidade da Motomagazine, e também por estarmos apostando no mercado nordestino, que a cada dia cresce muito, temos total interesse em investir e fazer um trabalho efetivo na região. Este é um mercado muito importante que vem crescendo social e economicamente, Sempre ouvi falar muito bem dos Encontros promovidos pela Motomagazine, que são bastante organizados, onde se faz muitos negócios, onde se alcança os objetivos, um custo baixo que possibilita várias empresas participarem. Acredito que todos os expositores estão com ótimas expectativas, haja vista o número de estandes, o pessoal prestigia e faz bons negócios.

46 motomagazine

Segundo Marco Antonio Gelatti, da EBF, o evento aproxima tantos os fornecedores, quanto os clientes e lojistas. “É a oportunidade de se confraternizar e participar de uma feira totalmente diferente, que gera novas oportunidades de negócios em conjunto. E quando se junta o setor, qualificado como este, as chances de se fazer negócios é muito maior. O segmento todo cresce, e não é só uma empresa isoladamente, mas todas que estão presentes”, reiterou. “A feira foi maior e mais movimentada que esperávamos. Tivemos muita procura de clientes, novos representantes, e também dos lojistas”, disse Leonardo Antunes, da Filtran. João Guilherme Rodrigues, da GOLD, comenta que participaram do evento a pedido do seu representante, da Paraíba, “que nos falou da envergadura deste Encontro. Temos a prospecção de aquilatar novos representantes, e fazer bons negócios. Este evento é importante por vir até o lojista, que conhece nosso produto muitas vezes através de catálogos, o que é bom num primeiro momento, mas, poder trazer o material, e ser manuseado, explicar como funciona, como é fabricado, é bem mais importante para o lojista”, explicou. “Motocicleta no Nordeste é um mercado vertiginoso, que cresce absurdamente, sem parâmetros, comparado ao do Sudeste. O camarada está trocando o jegue pela moto”, disse


ENCONTRO

Lojistas presentes no evento também dão o seu parecer Agostinho Gomes Neto – Moto Show Acessórios Somos de Sousa – PB. Há dez anos fabrico acessórios para moto e bicicleta, como guidão, protetor de perna, ou mata-cachorro, estribo, bagageiro, fornecemos nossos produtos para o Nordeste inteiro. Temos nossos distribuidores, os produtos saem da fábrica e nós também distribuímos a mercadoria. Não dá pra se atender a todas as reivindicações, todo dia é preciso estar criando um produto novo para se adequar, porque, antigamente só o Sul é que distribuía para o Nordeste, e hoje estamos criando coisas novas para atender ao nosso mercado. Acho que temos qualidade para exportar. Porque não se baixa os impostos para todo mundo sobreviver? Hoje o País tem uma demanda com o exterior, de monopólio, que o produto vai pra lá pra se vender mais barato, temos o aço, temos o ferro, tudo aqui dentro do nosso país, toda a matéria-prima que é exportada é beneficiada lá fora, e depois volta com o preço lá em cima. Alguma coisa está totalmente errada. Mikael Rodrigo - EVEREST PEÇAS Somos de Arapiraca, AL. Já conhecia a maioria dos fabricantes, mas sempre é bom travar conhecimento com aqueles que ainda não conhecemos. Damos sugestões, ideias, fazemos críticas. Lá em Alagoas, a clientela está sempre em busca de tecnologia. De um ano pra cá existe o incentivo de se fazer trilha, virou moda, uma verdadeira febre, mas, todos os modelos de motos, de alta e baixa cilindrada.

48 motomagazine

André Coimbra, da Michelin. “Creio que quem investir e souber trabalhar, vai obter grandes resultados. É um mercado evolutivo. E essa evolução rápida faz com que fabricantes e distribuidores se adaptem a esta dinamização. O número de competidores, de concorrentes, o nível de comercialização também aumenta muito rápido, e acho que tanto a indústria quanto o distribuidor que leva a proposta do produto do segmento, devem estar bem estruturados, porque o mercado é potencial, onde se tem grandes ‘players’ e novos jogadores, onde o nível só aumenta, e aquele que não inovar vai estar num patamar complicado. Acho que o grande diferencial do modelo de negócios da nossa empresa, do nosso grupo, é trabalhar com ‘foco’. Trabalhamos somente com marcas premium. Aí se tem forte argumentação, atributos, e benefícios a dar. O consumidor hoje está bem mais esclarecido, e o poder aquisitivo tem aumentado. Este segmento está crescendo tanto justamente devido o poder de compra do povo nordestino, esses planos de governo, e outros têm atingido públicos diversos, jogando-os no mercado, na cadeia de consumo, embora seja preciso respeitar suas limitações, mas, o camarada que troca a bicicleta pela moto, muitos trocam a moto por um carro, numa progressão geométrica, é preciso estar bem atento para tudo isso, além de ter os produtos, ter uma estratégia e muitos nem se desfazem da moto, somando com um carro. É importante enfatizar as facilidades que se tem hoje para se comprar uma moto.


Como os créditos mais abundantes. Então, trata-se de um caminho sem volta. De uma fatia constituída de um público consumidor enorme”. Para Wilson Repeke, os eventos da Motomagazine, dentre as feiras itinerantes esta é que julga a melhor. “Se consegue atingir o público da mesma forma que se atinge com as feiras grandes a um custo bem menor, é mais focado e direcionado o trabalho do expositor”, comentou Repeke.

“CARGA TRIBUTÁRIA, O MAL QUE CONTINUA ASSOMBRANDO O SETOR”

S

egundo André Coimbra, da Michelin a questão tributária é o que mais incomoda. “É claro que nesta cascata quem paga, quem absorve é o consumidor final. O fabricante e o distribuidor também recolhem, mas, em várias etapas, e dependendo do tipo de tributação do produto, a própria indústria retém este imposto, quando a indústria não retém, é o Estado que retém na entrada. Então se houver um aumento na parte de alíquota de imposto, ou recolhimento de imposto, evidentemente deverá chegar até o consumidor. É custo..., é certo que será repassado. As margens hoje são pequenas, pode-se estrategicamente segurar, mas na verdade este ciclo de tributação vai afetar o consumidor sim, em determinado momento. E nós não temos uma margem de lucro para fugir desta equação”, expôs André Coimba. “Carga tributária, continua complicado falar sobre esse assunto, tantas

Marcio Saraiva – O BOM DO CICLISTA Somos de Macaíba, Natal, RN. Íamos casar no final do mês, mas antecipamos o casamento para aproveitar a feira, e estamos em lua-de-mel. Temos uma matriz e uma filial, somos fortes no segmento de bike, mas agora estamos atuando tambem no setor de motos. Esta é uma tendência, trabalhar com os dois setores. O mercado de motos é aquecido, o veículo é utilizado o ano inteiro. Não temos inverno. Se não vendemos mais é devido ao nosso estoque, a falta de variedade de produtos. É difícil ter tudo quanto nos pedem. Jaden Carlos – Djean Motos Somos de Licínio de Almeida – BA. O principal atrativo do segmento é a economia. Os modelos que mais fazem sucesso no Nordeste são a Honda CG 125, e FAN150, também a Twister e a Today, por terem o preço mais em conta. Cada dia mais as motos estão ganhando espaço nas ruas devido as facilidades para se comprar um veículo como este, que flui mais, é econômico e dá ao usuário um ar de aventureiro. As motos estão atravessando avenidas, conquistando fronteiras, indo cada vez mais para o interior, substituindo os animais de campo, é mais fácil conter o gado com a moto, do que com o jegue, ou burro. Participo de todos os eventos que fico sabendo, seja onde for, principalmente em São Paulo, que cita as tendências, e temos que satisfazer suas exigências.

motomagazine 49


ENCONTRO

Sidney Torres Pinto – MOTOARTE Somos de Caruaru – PE. Embora nosso foco principal seja a moto, estamos diversificando nossa loja também para bikes devido a grande procura em nossa região. Devido o tráfego nas grandes cidades, a moto se torna o veículo predileto, mais procurado, graças à fluidez no trânsito. O mercado por lá está melhorando muito, alguns já estão procurando por motos mais caras, de alta cilindrada. Já estamos visualizando este cliente potencial, e esta feira está nos propiciando identificar produtos de maior valor agregado.

AD MOTOS – Ademício Araújo (lojista) Várzea da Roça – BA, a duzentos quilômetros de Feira de Santana. Somos distribuidores, estamos com projeto para importar. Atualmente compramos de importadores e da indústria nacional. A nossa empresa tem investido bastante em tecnologia, trabalhamos com sistema de HPC, este sistema permite ao vendedor que visualize o preço, a quantidade em estoque, e nos dá um respaldo que nossas entregas são hoje 100% atendidas imediatamente, vendemos em uma semana e entregamos na outra. Contamos com muitos fornecedores, e temos também a nossa marca própria ADM, são capas de banco, vulcanizadas, não são costuradas, com material similar ao original. Nossa tabela hoje é composta de 4.200 itens.

50 motomagazine

vezes já falado, e rebatido”, comentou Luis Honório, da Viper. “Há quanto tempo repetimos sobre esse mesmo tema? Mas, não criamos ações para se rever isso. Todos sabemos que os tributos são muito altos..., inviável disputar com o produto chinês..., mas não vejo nenhuma ação conjunta das empresas. É necessário a união do setor, isso inclui fabricantes, representantes, importadores, até os comerciantes, ou seja, todos os envolvidos no setor, pois todos são prejudicados. E levar uma proposta para o Governo para se diminuir tantos impostos elevados, pois, já sabemos que com ações isoladas não vamos chegar a lugar nenhum”. “Os importados entram sem nenhuma inspeção ou critério, e custo muito baixo”, diz Nikolas de Cicco, da Spider. “O mercado ainda vai em busca de preço baixo, para se fazer um capacete nos moldes que o mercado pede, a preço que se pagar, fica inviável, a fabricação do produto, como procurar fornecedores, importar a matéria prima. O usuário ainda opta por preço, a carga tributária é bastante alta. O capacete sofre a marginalização no mercado porque o consumidor é quem dá o preço, mais baixo para o seu produto. Como um item de segurança e um agravante vai ter aumento da Substituição Tributária, de 7.2% para 14%. Para se vender o capacete em São Paulo, o lojista terá um custo ainda maior”, reiterou Nikolas.


ENCONTRO

AQUARIUS

ARBYN

AWA

BRANDY

CACHORRO LOUCO

CAPAS PIONEIRA

CASTROL

52 motomagazine

AQUARIUS – Luciana Nogueira Fabricamos faróis, bloco óptico e aros para motos. Nossa presença se deveu ao fato da maioria de nossa carteira de clientes estar localizada no Nordeste. Os produtos que trouxemos compõem a linha 2012, considerados lançamentos na região, lembrando que a matéria-prima que empregamos em nossos produtos são o ferro, chapas de aço e o plástico ABS. ARBYN – Cleyton Moysés Apresentamos nova linha de manetes e mini manetes de alumínio. Manoplas; mini manoplas; varão adaptáveis a Bros; varão com uso na POP 100 - cromados; pedaleiras de alumínio e de aço, e, manicotos injetados em alumínio. Trouxemos também nossa linha de molas: da bengala (que funciona como a mola do amortecedor da moto); mola lateral e mola do descanso central. Devido a moto Shinerai ser bastante usada no Nordeste, estamos lançando as molas específicas para este modelo de moto. Também, bucha da coroa em nylon virgem (original, não é reciclado). Estamos aumentando este mix para ter um valor agregado maior. AWA – Marcos Bardi Estamos modernizando nossa capacitação na elaboração de diferenciais em retrovisores utilizando a tecnologia que já é usada em outros países, como a injeção do material injetado na parede interna e externa do retrovisor, proporcionando visual diferente do que tínhamos no passado. São mudanças visíveis, buscando levar esta qualidade para o cliente. Atendemos a um público A, que possui motos de 1000 cc, onde se utiliza retrovisores com led, e componente eletrônico. Viabilizamos um projeto que é de criar mais uma família: os manufaturados em aço, que são guidões; protetores do motor (chamados de mata cachorro); antenas corta-pipa, que passa a ser uma exigência; bagageiros e escapamentos.

BRANDY – Emerson da Silva Trouxemos o óleo de motor, com embalagem transparente. Aumentamos nossa linha de vela de ignição; kits de transmissão para modelos Shineray, Traxx, e motos grandes. Lançamos a linha completa de baterias para CG em gel, e, gradativamente estamos lançando outros modelos em gel, continuando também com a linha das convencionais. Trouxemos velas de ignição; lâmpadas; kit de transmissão e baterias em geral. CACHORRO LOCCO – Antonio Augusto Em nossa fabricação inicial, o carro chefe da empresa ainda são as mochilas. Como novidade, lançamos capas de chuva, em nylon emborrachado, e jaquetas em lona encerada, e no material nylon paraquedas. Nossos produtos têm o perfil do consumidor custon, ou seja, o usuário de uma Harley, com a qual viaja no final de semana (esta é a ideia, não que nosso consumidor tenha, obrigatoriamente, de possuir uma Harley). Somos detentores também da marca TLC que é para outro tipo de público, com preços mais acessíveis. CAPAS PIONEIRA – Jonathan Fagundes Apresentamos o conjunto F1. Ele é quadriculado semelhante a fibra de carbono, com textura 0,30. Embora seja um tecido grosso, é mais maleável que os similares do mercado. Desenvolvemos a matéria-prima junto ao fornecedor, por isso garantimos mais qualidade e resistência nesta linha em PVC, por ser diferenciado. Possui etiquetas de composição emborrachadas no punho que dão maior destaque e valor, e, o próprio material quadriculado agrega valores, uma vez que dá ao motoboy maior visibilidade à noite, aliando beleza e segurança. Temos tanto a linha masculina, quanto feminina, nos tamanhos: do ‘P’ ao ‘Extra G’. CASTROL – Charley Weber Trouxemos nossos produtos de linha.


ENCONTRO

CHIPTRONIC

Atuamos neste mercado cerca de 17 anos, lembrando que o Nordeste é nosso maior mercado em vendas de produtos no segmento de moto. Aqui temos o maior número de distribuidores, bem como, maior participação de shering de mercado. A Castrol é uma empresa inglesa, com mais de 100 anos de existência, só fabrica lubrificantes, não trabalha com combustível. Temos fábrica no Brasil que foi inaugurada na década de 50, atualmente no Complexo do Alemão, no Rio.

CONTROLFLEX

CHIPTRONIC – Thiago Cesar Jardim Expusemos nossa tecnologia que é bem avançada, voltada para injeção eletrônica em motos. Trata-se de um scanner que faz diagnóstico da moto, mostrando como ela está no presente, e no passado, totalmente adaptável, sendo possível trabalhar em todos os tipos de motos, nacionais e importadas. Aparelho que facilita a vida do mecânico, diminuindo o tempo empregado num conserto, consequentemente, aumentando o lucro da empresa.

COSER

CICLO CAIRU – Ricardo Silva Trabalhamos com a marca própria Max Líber da qual temos a patente. Acreditamos que a região Nordeste, é promissora e iniciamos um trabalho intensivo de penetração. Importamos e distribuímos produtos dos países asiáticos, mas na maioria da indústria nacional. Reiteramos que,

CICLO CAIRU

trabalhar com produtos sem qualidade denigre a imagem da empresa em pouco tempo. Possuímos produtos de altos e de baixos valores agregados. Trouxemos o kit biela Sungo, e o pneu Max Líber. Para o segmento, temos um mix de vinte mil produtos. CONTROLFLEX – Flavio Bajon Viemos com diversos itens adaptáveis em motos de baixa cilindrada - 50cc, linhas Shinerai; Traxx; Jonny e da Kasinski. Outro produto que tem gerado bastante interesse em nossos clientes no evento, é o cilindro completo com anel e pistão, utilizada na FAN 2009. Temos boa penetração em outras regiões do país, e a forma que encontramos para penetrar neste mercado nordestino foi através das marcas de motos de baixa cilindrada, pois, não há respaldo do mercado de reposição para estas peças. A marca Vini é uma joint venture da Controlflex, somos responsáveis pela marca. COSER – Derli Gularte Estamos trazendo coroas diferenciadas para a linha cross SRS 230, 51 dentes, com pinhão três. Começamos com a fabricação de mais de 30 modelos de eixos: da roda, do cubo da roda e do quadro para a principais motos como Titan 2000, Bros, Twister, e também o eixo da balança para estas mesmas motos. Alongadores de extensão,

Peças e acessórios para Motocicletas.

Especializada em Motocross, Speed, Bike Street e Custom. Fabricante de qualidade e Exportador. Você pode confiar.

LIGHT YEAR PRECISION INDUSTRIAL CO., LTD.

62 motomagazine

1Fl., No.5-1, Alley 26, Ln.123, Ren Ai Rd., Sec.3, Daan Dist., Taipei City 10656, Taiwan Tel: 886-2-27211228 Fax: 886-2-27215440 E-mail: lyp1227@ms13.hinet.net


ENCONTRO

DANIDREA

buchas de chassis, (por enquanto para linha de baixa cilindrada), e vamos ampliando à medida em que vamos tomando proporção no mercado. Nosso objetivo é mostrar nossa qualidade, que se traduz em segurança, para quem ainda não nos conhece. Atuamos em todo Brasil, e já estamos exportando para alguns países.

DIAFRAG

DANIDREA – Luciene de Almeida Expusemos a bucha do garfo traseiro, e o kit do quadro elástico que servem na Bros. Estamos trazendo produtos para esta moto que tem giro bastante grande na região, onde temos resultados excelentes. O mercado é crescente para quem sabe trabalhar de forma correta, o diferencial do fabricante é trabalhar com qualidade saber que seu produto não vai dar dor de cabeça, entrega rápida, e no pós venda, verificar se o cliente foi bem atendido, recebeu a mercadoria em ordem, se tem alguma sugestão ou crítica a fazer. É importante estar sempre interagindo com o cliente.

D.I.D

DEMTEC - José Roberto Medeiros Trouxemos a borracha deslizadora da corrente utilizada na Bros, (não lubrifica, só faz conter o impacto da corrente onde ela corre, no bloco da moto). Sem esta peça a corrente fica batendo no bloco da moto constantemente e rapidamente se danifica. É a primeira feira que partici-

DEMTEC

62 motomagazine

pamos em Campina Grande, com muitas expectativas de gerar negócios - nosso intuito inicial. Temos muito trabalho a realizar na região. DIA-FRAG – Alexandre Salgado Consolidamos nosso mix de produtos profissionais. A ideia do mecânico legal, projeto de credibilidade, onde as oficinas contam com nossa assistência, e têm inscrito seus mecânicos fazendo o cadastramento dos mesmos. Eles recebem jalecos, informação técnicas e matérias específicas. A ideia é trabalhar com este profissional, formador de opinião, que põe, literalmente, a mão na massa. DID – Viviane de Brito Apresentamos a corrente de transmissão 520 DP2. Possui resistência 5% maior que as correntes comuns, serve basicamente para motocicleta Yamaha XT660, ou seja, alta cilindrada. Trouxemos também correntes para off road, motocross, ou seja, para competição, independente da cilindrada. Ano passado o Estado de Pernambuco foi de grande destaque em vendas, para nós, isso mostra a força do Nordeste. Hoje temos duas plantas, uma em Taubaté, onde são produzidas as correntes de transmissão, e a fábrica de Manaus que atende diretamente às montadoras, com produtos originais de fábrica, das marcas Honda, Yamaha e Suzuki.


ENCONTRO

DUQUE

EBF

ERBS

EUROPEÇAS

FABRECK

FILTRAN

GIVI

58 motomagazine

DUQUE – Dejair Micheluti Trouxemos os Kits de transmissão, no aço 1045, que segue toda a característica da peça original. Este aço é utilizado pelas principais montadoras do mercado. São kits que saem nas motos, direto da linha de montagem. Este é mercado que mais cresce no país, e, dados das principais associações comprovam isto. EBF - Marco Antonio Gelatti Estamos lançando a linha de capacetes Route 66, licenciados. Temos autorização para uso da marca, com selo de autenticidade e direitos autorais constituídos. Firmamos parceria com a Kraft na produção de capacetes mais esportivos - para o pessoal das custon. O mercado de capacetes continua aquecido, o que requer muito mais trabalho das fábricas. Os usuários da região, como em todo o resto do Brasil já entenderam que uso do capacete é necessário e obrigatório. Para o usuário do nosso produto, achamos importante ele não apenas utilizar o capacete, mas saber como se deve utilizar este equipamento. Queremos que o usuário se sinta seguro, elegante através dos nossos modelos. ERBS – Alaércio Erbs Fabricamos baterias para o segmento, como a bateria fria, que é livre de manutenção, regulada por válvulas, e não requer o adicionamento de ácido (solução), sendo auto suficiente. Possui seis meses de garantia, enquanto outras baterias têm no máximo quatro meses. Temos o mix, de todos os modelos. Elas são específicas, para cada tipo de moto, pois, cada uma delas possui uma amperagem, variando de acordo com a cilindrada da moto. Atuamos neste mercado há dois anos, estamos participando deste evento para ver se consigamos aumentar nosso volume de vendas na região. Temos representante na Paraíba, em Fortaleza e em Maceió, e estamos aumentando este leque.

EUROPEÇAS – Katia Martins Viemos com a intenção de mostrar nossos produtos de linha, firmando o respeito ao cliente, bem como nossa qualidade, e preços adequados. Fomos bem recebidos, bem visitados durante o evento, e fizemos bons negócios. Estamos em busca de representantes novos, que preencham o perfil da Europeças, trabalhamos com catálogo e mostruário para que o produto seja manuseado pelo cliente. Trouxemos travas anti furto, rolamentos, rolamentos de caixa de direção, capas de chuva. FABRECK – Leandro Silva Apresentamos as rodas e cubos adaptáveis nas novas motos no mercado, como a FAN, a CG que apresentaram mudanças. Estamos atendendo as linhas 2011 e 2012. Aros de alumínio, linha completa de manetes, para as motos nacionais de alta e baixa cilindradas. Nossos discos de freio são cortados a laser, e servem para as motos nacionais e importadas. Trouxemos também os cubos para as motos mais novas, como a FAN 150, 2012. Nosso intuito é aumentarmos nossa participação no Nordeste, fortalecendo a marca. FILTRAN – Leonardo Antunes Toda linha de filtros de ar, para motos de combustível e óleo, é nosso lançamento. São os filtros de ar para as motos Burgman; CB 300R; CG 150 Mix, injeção eletrônica; Yamaha Mel; e Led. Fabricamos os filtros de ar de acordo com a necessidade do mercado, fazemos uma varredura com o cliente e os distribuidores para saber o que é necessário. É um mercado aquecido. Temos poucos representantes para uma região tão grande, precisamos aumentar o número de profissionais. GIVI – Cleber Máximo Estamos atuando agora na área de capas de chuva, pretas e vermelhas. Produzidas no Vietnan, vendidas na Malásia, e agora


ENCONTRO

GOLD

GVS

HP

ICI

IKS

JOJAFER

60 motomagazine

estamos fabricando e comercializando aqui mesmo no Brasil. Além dos bauletos de 30 lts, de fibra polipropileno, e os para-brisas também de polipropileno, transparentes. Lembrando que após a separação da Circuit, a Givi passa a ser totalmente italiana. GOLD – João Guilherme Rodrigues Somos importadores de diversos produtos voltados para este segmento: travas de segurança e componentes para o motor das motos. Trouxemos também capas de chuva; linha de kit relação; kit de amortecedores; discos de embreagem, e outros itens. Temos representante em cada estado do Nordeste, para nós é uma região de suma importância. GVS – Hélio Tenório Trouxemos o lançamento definitivo da linha de retrovisores com lente. Trata-se de uma linha diferenciada, disponível para venda. Com design moderno, que valoriza a moto, trazendo conforto e segurança para o usuário. É de criação nossa, mas já existente na linha automotiva. Apesar de existir alguns modelos importados, criamos, adaptamos em cima da ideia, do conceito, e desenvolvemos o modelo nacional. Com acabamento bonito, pisca em led, que tem longa duração. Hoje o mercado nordestino se apresenta como o mais promissor. Há muitas facilidades em se conseguir comprar uma moto, através de financiamentos, crediários, consórcios e todas estas facilidades resultam no crescimento do setor. HP – Sueli Gomes Apresentamos as lâmpadas de Led, e platôs. São produtos importados da China. Temos profissionais responsáveis que trabalham e selecionam os produtos com qualidade, o que para HP é muito importante. Estamos sempre em contato com nossos fornecedores. Atuamos em todo Brasil, em todas as regiões, rece-

bemos toda mercadoria pelo Porto de Paranaguá, e a partir de agora vamos começar a receber através do Porto de Itajaí, com o objetivo de agilizar ainda mais para nossos clientes. ICI CAPACETES – Eduardo Saad Trouxemos designs novos de adesivagem e viseiras metalizadas, que até então não faziam parte de nossa linha, além das cores novas que o mercado começou a exigir como o branco, por exemplo, são diversos carros e motos desta cor..., isso é tendência. E voltou a ser moda, algumas cores femininas que andavam meio esquecidas, como o lilás e o rosa. Todo o projeto, ferramental e moldes dos nossos capacetes são italianos. Importamos todo o conjunto. Injetamos, pintamos e montamos aqui no Brasil, quanto as viseiras, temos os moldes e fazemos a injeção de todas elas que acaba sendo um produto nosso. Por enquanto estamos com os modelos Roman e Milan. IKS – Edmarcos Moreira Trouxemos nossos cabos, linha 2011, que embora não sejam lançamentos, ainda é possível se trabalhar na região como sendo novidade. Os clientes e os lojistas passam pelo nosso estande e sempre procuram pela nossa linha. Temos uma boa representação aqui no Nordeste, e estamos batalhando para crescer e fortalecer nossa marca na região. JOJAFER – Viviane Fernandes As antenas coloridas é a nova ideia no mercado, que pode tanto ser da cor da moto, como uma cor que destoe totalmente da cor do veículo, como uma moto preta com antena rosa, ou dourada, e este foi nosso lançamento. Além das antenas de 6 estágios, que já possuem boa aceitação do usuário. Estamos fazendo a divulgação da lei federal que entra em vigor a partir de agosto, uso obrigatório


ENCONTRO da antena corta pipas e do colete reflexivo, que também temos em linha.

KIP

KRATER

LM MOTO

LÁQUILA

LEVORIN

LM MOTO

MA ACESSÓRIOS

62 motomagazine

KIP – Ronaldo Silveira Pedaleira traseira e dianteira adaptáveis a CG 125cc, a Twister e a CB300R, além do soquete de ignição que servem para as motos CG 150 e Falcon, e ainda a s pedaleiras, manoplas e relés de partida, foram os itens que trouxemos para esta feira, que está muito bem organizada. Fomos bem prestigiados pelo pessoal da região, nosso produto tem tido boa aceitação. Trata-se de uma região forte, boa de se trabalhar, este evento está projetando bastante nossos produtos. KRATER - Gislene Gianetti Nossa empresa é genuinamente brasileira, desde 1991, antes éramos uma empresa de autopeças, nos lançamos no mercado de duas rodas em maio de 2011. Este projeto vem desde 2001, se desenvolvendo a longo prazo. Em 2008 demos uma parada porque tínhamos a questão do amianto. Outras empresas similares a nossa trabalham com o amianto, o que não fazemos desde 2001. Esse produto é 5% vezes mais nocivo à saúde, o que o torna mais barato que os produtos que não contém amianto. E como foi proibido o uso de amianto pelas indústrias brasileiras em 2008, aí sim pudemos dar continuidade ao projeto e desta forma em 2010 – pós-crise mundial que nos afetou - só agora lançamos um pacote de 28 modelos de kits de motor, de juntas para motocicletas. LAGOA MOTOPARTS – Eugênio M.Malta Estamos trabalhando com uma linha mais esportiva, com acessórios da marca X11, como as jaquetas femininas em quatro cores. Três modelos de jaquetas masculinas impermeáveis; esticadores com slicks (catracas); óculos MX Pull; a linha de cadeados esportivos, além da calça Hank. E nossa linha completa de luvas, modelos nitro-x e spirit, com reforço em sua costura, nas emendas.

L’AQUILA – Marcos Venâncio Estamos investindo pesadamente na linha de acessórios como vestuário e capacetes, e, em material específico para as motos de alta cilindrada. Atualmente trabalhamos aqui no Nordeste, com as motos de baixa performance, e a tendência é ir para a de alta, ou seja, migrar para outro tipo de público consumidor. A linha Moto Sky é uma marca própria nossa, assim como os capacetes da marca Texx, e o Carbon, com 100% fibra de carbono. Nossos produtos são oriundos da China e vestuário do Paquistão. Estamos nos preparando para o inverno, com jaquetas, calças, luvas. LEVORIN – Margareth Lixtentein Estamos apresentando os pneus Matrix 140 x 70 x 17; e o 110 x 60 x 17, dianteiro e traseiro, que servem na CB 300R. Produto original, de qualidade, tendência de mercado. Os representantes passam para nós a necessidade do que o mercado está procurando, além do que temos uma linha aberta com o consumidor final, que nos explica as suas precisões. Somos equipamento original da Honda, e estamos fechando com outras montadoras. LM MOTO – Eugênio M.Malta Estamos trazendo as nossas linhas Scud, Velocid, Power Racing, Max Trava, e outros lançamentos como kits de pistão e anel; kits de pistão, anel e cilindro para motor. Correntes com retentor; manoplas, manetes e toda nossa gama completa de produtos. M.A. ACESSÓRIOS – Marcos Antonio Buffon Apresentamos o guidão adaptável na Biz 2011 e 2012, que são dois modelos totalmente diferentes. Nossos produtos têm a mesma qualidade do original, porém com preço inferior, por se tratar de peça de reposição. Trouxemos uma linha de protetores de bagageiros diferenciados


c贸d. 05

640

Pro

teto

r da

Cor

ren

te T

WIS

TER


ENCONTRO no design, criados e desenvolvidos por nós mesmos. Estamos procurando cobrir todas as áreas de atuação, há algumas que ainda não são satisfatórias, há cinco estados meio que descobertos. Nossos produtos são polidos, o que protege da anti corrosão, e o deixa mais bonito, melhorando o seu visual.

MASTER VISOR

MAXINE

MBR

MELC

MGO MOLAS

62 motomagazine

MASTER VISOR – Sidinei Santos (conferir texto c/ o e-mail) Trouxemos a lateral do capacete Zarref novo, e fixação do Vaz V 10, último modelo, e viseira 2 mm injetada Vaz, também modelo inédito. Fabricamos somente as linhas de reposição, com preço muito mais barato que o produto original, e dependendo do fabricante, com melhor qualidade, mas, não há conflito mesmo porque não utilizamos o nome de ninguém. Nossas peças não são das montadoras de capacetes, são peças adaptadas para uso das marcas, só mencionamos a marca da viseira para identificar o modelo. MAXINE – Enevalcir Carvalho Temos uma linha completa de capas térmicas e capas de plástico, para cobrir motos. Além de capas ou conjuntos de chuva, femininas, que são o carro chefe da empresa, campeão de vendas. Somos fortes nas regiões Sul e Sudeste, com boa penetração no interior paulista. Estamos nos expandindo, procurando atingir novos mercados como o Norte e o Nordeste. Acreditamos que com esta feira, que consideramos bem objetiva na feitura de negócios, penetraremos com facilidade nestas regiões. MBR – Carla Miorim Desta vez, trouxemos a linha colorida de manetes, alças e pedaleiras com trava de segurança. Antes trabalhávamos somente com a linha de cromados e pretos,

já o colorido combina com todas as motos. O Nordeste é o nosso principal foco, mesmo estando situados no Sudeste, este mercado é mais abrangente, mais representativo para nós. Marcel Miorim Trouxemos uma trava de punho, que é mais relevante que uma trava de disco, porque quando o usuário dá a partida, muitas vezes ele esquece desta trava e acontece algum tipo de acidente. A proposta da trava de punho é travar o freio e não permitir a aceleração da moto, sem contar que o design é outro diferencial. A fabricante se chama Set Lock, a trava tem um processo de fabricação feita numa barra de 6m de alumínio, de alta qualidade, laminado, depois ela é toda usinada e por último é pintada. Este processo dá mais segurança ao condutor. É adaptável na manopla de até 35 mm. Em breve teremos outros modelos para ser adaptado em motos maiores. MELC – Walter Hélio Trouxemos bauletos de 45 lts, com capacidade para dois capacetes. Em polipropileno na base e na tampa, e com lente de acrílico, bateu a luz na lente, ela brilha e reflete, e isso dá segurança ao motociclista. O motociclista nordestino quase não usa bauleto, estamos implementando esta cultura aqui na região. Mostrar a ele que com o bauleto não precisa carregar nada na mão, e eles estão começando a se adaptar a este processo. Pretendemos, em breve, lançar a versão com led. MGO MOLAS - Tania Mara Pelisser Varão de freio para utilização na CB300R, e da Bros foram os nossos lançamentos. São produtos essenciais, que freia a roda traseira. Feito em aço, não há nada de alumínio. Estamos mostrando produtos de nossa fabricação: alongado-


res, molas, varões, etc. É a primeira vez que estamos participando deste evento, e está valendo a pena, em pouco tempo, já realizamos bons negócios.

MICHELIN

MIXS

MOFARDINI

MOTOBOR

MOTOCICLO

MOTOVISÃO

MICHELIN – André Coimbra Somos representantes da Michelin e da Castrol, na região. Nossos produtos têm grande força no mercado, e é mundialmente conhecido. A grande diferença da Michelin é a qualidade, o custo x benefício dos seus produtos, preço adequado e durabilidade. Trouxemos também o pneu Fire Road III, de excelente performance, tanto no asfalto quanto na chuva, possui um índice de durabilidade maior do que o anterior, o Fire Road II. O Fire Road III teve lançamento mundial na Europa, simultaneamente no Brasil. MIXS CAPACETES – Sebastião Leite Aguiar Trouxemos vários kits capacetes, em diversos formatos. É preciso entender que o formato de um capacete varia de acordo com a sua aerodinâmica. Há os de casco mais arredondado que prende mais o ar. Já os modelos mais oblíquos, mais afinante distribui melhor o ar. Quebram mais o vento, e tem um ar mais esportivo. Todo o grafismo é desenvolvido dentro da empresa por um departamento de design. Trouxemos também um modelo fosco que tende ao estilo das motos ‘custon’, mais discreto. E tem a linha feminina que tem crescido muito. MOFARDINI – José Luis Chimello Trouxemos toda a nossa linha de produtos, como quadros elásticos, alças laterais, aro de farol, quadros, tensores de corrente, cavalete central, e muitos outros. Balança da suspensão traseira que serve para a CG Titan 150, da F e EF, balanço da suspensão traseira utilizada na FAN 2009, suporte do farol da YBR nova, e em breve teremos muitas peças adaptáveis à POP, que é uma moto bastante usada na região Nordeste, que nos consome de 35% a 40% de tudo quanto produzimos,

o restante é pulverizado por todo Brasil. MOTOBOR – Rodrigo Carvalho Apresentamos o coxin e coroa que servem na Titan 125cc; Titan 150cc da BIZ 100cc e da BIZ 125cc, lembrando que este é um material alternativo. Acreditamos que este evento é a forma mais efetiva de estar em contato direto com nossos clientes do Nordeste. Esta feira sempre nos traz muitos frutos, e nesta região especificamente ainda mais. Não tem como não estar aqui. MOTOCICLO – Eli Pereira Trouxemos a linha completa de capacetes Helt, que já é um sucesso absoluto de vendas, e também a linha de pneus importados Kenda. Somos os maiores distribuidores de pneus Pirelli do Brasil. O mercado como um todo está bem aquecido, desde o início do ano, apesar do carnaval ter sido em fevereiro, este ano, vendemos bem mais que em fevereiro do ano passado. O mercado do Nordeste vem se posicionando como um dos mais influentes na economia do País. Hoje temos dois centros de distribuição, em São Paulo, que atende todo o Estado de São Paulo, e outro situado em Vitória, que é a matriz, e que atende ao resto do país. Existe planos de instalarmos um centro de distribuição, no Nordeste, apenas não definimos ainda onde será. MOTOVISÃO – Juliano Varela Apresentamos nossos produtos de linha atualizados, são viseiras e acessórios para capacetes nacionais. Foi nossa primeira participação nesta feira, fizemos bons contatos comerciais, pois o diferencial do evento é ser voltado para negócios, e realmente funciona. Valeu muito a pena.

motomagazine 65


ENCONTRO

PANTANERO

PIRACAPAS

PLASMOTO

POLIMET

PPARDAL

PROOS

PROTECTOR

66 motomagazine

PANTANERO – Heron Guma Apresentamos uma nova linha de capas de chuva transparentes. Somos a única empresa no Brasil que possui este produto, mais leve, fácil de lavar, porque não tem a malha interna que as capas de PVC possuem, e é possível usá-la, sem esconder por baixo da capa, pode ser usado por empresas de vigilância. O logo da empresa aparece devido a transparência, onde o motoboy, ou mototaxi trabalham despertando maior segurança, e confiabilidade. Por ser uma peça só, é mais maleável, dá maior flexibilidade nos movimentos do motociclista, e mais conforto ao pilotar. Temos todos os tamanhos, até o extra G, PIRACAPAS – Giovanni Ferrari Trouxemos o banco com a base plástica, antes era de lata. Agora são mais resistentes. Modelos originais são com a base plástica. Trouxemos também o conjunto de capa de chuva feminino. Totalmente soldado com solda eletrônica, com pouca costura, totalmente impermeável. Em PVC e em nylon emborrachado (que é a tendência de mercado). PLASMOTO – Carlos A. Fioroti Expusemos o bloco óptico Biz 2012, modelo novo também que serve na Bros e na POP e carenagem do farol adaptável na Bros, que vem completa com o bloco óptico e suporte traseiro, é o kit da carenagem. Além de protetores de escapamento da Bros, tanto na cor prata que são os modelos 2008,2009, 2010 e o modelo preto que são pra 2011 e 2012. Carcaças do painel utilizadas na Today, fizemos um sistema em que a carcaça fica mais leve, portanto mais econômica. Lançar um produto num evento como este é primordial, são produtos em que já estamos trabalhando a quase um ano, preparando o ferramental. E a feira é a grande oportunidade de apresentar o produto à clientela.

POLIMET – Divino Jorge Trouxemos nossos produtos de linha: escapamentos originais, esportivos e estraladores; bagageiros, guidões, guidões com peso, estribos , pedais de freio, alças, protetores e cavaletes. PPARDAL – Valdir Mariano Trouxemos condutores de ar, guarda pó da bengala úteis na Titan 150, e o kit de reparo do capacete San Marino, são produtos já conhecidos no mercado de forma geral, e são lançamentos da PPardal, para este evento. Há outras marcas, mas para a PPardal, estes produtos são lançamentos. Somos relativamente conhecidos no mercado nordestino, temos representantes e clientes bastante antigos, ou seja, fidelizados. O mercado nordestino sempre foi pungente e atualmente deve representar mais que 50% do mercado nacional. E estamos sempre prospectando novos clientes, para tornar nossa carteira sempre maior. PROOS – Wellington Lopes Para-brisas injetados em policarbonato, modelos fumê e cristal. E o baú customizado de 29 lts, são as novidades que estamos divulgando neste evento. O baú é revestido em couro, possui lâmpadas de led na tampa, que ficam sinalizando o veículo. E o mesmo baú na versão frontal cromado. São dois modelos que se diferenciam quanto à apresentação. PROTECTOR – Nivaldo Gutierrez Trouxemos novas tendências de cores e grafismos de nossos adesivos e protetores. Luvas meio dedo. Polainas, e detalhes do conjunto ‘Free’ com frisos reflexivos nas mangas. E novo aplicador de friso refletivo, antes o guia era em acrílico, e agora é em pp (polipropileno), tornando-se mais flexível proporcionando menor atrito na roda, quando aplicado. O de acrílico tinha maior atrito e podia arrebentar na hora da aplicação, o que não acontece


ENCONTRO

PROTERCAPAS

PROVISION

RALLY

RCC

REMOTO

RP

68 motomagazine

com este material ‘pp’ por ser mais flexível. Novo apara-barro, maior com 29 cm de comprimento, por 16 cm de largura, e 5 mm de espessura, todo em PVC, material nobre, acabamento com parafusos e porcas para dar melhor acoplagem na moto, feito para atender principalmente os mercados do Nordeste e Centro Oeste. Estamos procurando seguir as tendências das cores mais vibrantes, que o mercado pede, principalmente o nordestino, que gosta muito da variação de cores, como o roxo, amarelo, florescente, laranja, dourado, vermelho e o chumbo que é muito usado aqui. PROTERCAPAS – Herlanio Machado Como lançamento trouxemos as capas de bancos, representando os clubes de futebol, através dos seus distintivos, e capas de bancos plástico transparentes, com detalhes em cristal, siliconizado, pintado, com desenhos de figuras da moda seguindo a onda da garotada. Linha completa de roupas de chuva, conjuntos protetores impermeáveis, linhas protercapas; copercine e serrana, com diferentes produtos. São capas resistentes atendendo as necessidades dos motoboys, e de todo tipo de usuário, com requintes de detalhes. Embalagens personalizadas. PROVISION – Dagoberto Filho Trouxemos o que há de mais moderno em tecnologia na fabricação de viseiras injetadas em policarbonato, com espessura de 2 mm, em cristal e fumê. As viseiras são diferenciadas de capacete para capacete, e traz encaixes específicos para cada modelo. Temos uma linha completa, atendemos 100% da linha nacional, além de muitos importados, ou seja, possuímos mais de duzentas viseiras diferentes de capacetes. As viseiras injetadas têm dupla curvatura, a diferença que existe entre uma viseira e outra é o encaixe, que vai acoplar a viseira no capacete. A curvatura é muito similar no capacete, às vezes até iguais, porém o que vai diferenciar uma

da outra é exatamente o encaixe. E há as viseiras planas também. RALLY – Antônio Caetano Somos detentores da marca W Stand, e estamos divulgando esta marca no evento, juntamente com a linha de chave de luz, jogo de tração, farol, carcaça de farol. Na parte de plástico temos a Rally Max. Importamos da China uma linha completa de lâmpadas, também marca própria, garantimos bom preço, procurando inovar e agradar o público nordestino. Por enquanto atendemos três estados: Paraíba, R.G. do Norte, Pernambuco. Representamos MCK, velas NGK e outras. Acho que faltam mais fábricas aqui no Nordeste, nem que fossem filiais, mas, ter mais fábricas baratearia o frete. RCC – Carlos Roberto Cunha Estamos fazendo um trabalho institucional, e diferenciado, mostrando nossos produtos aos clientes da região, ou seja a possibilidade de um novo contato. É importante conhecer nosso cliente de perto, uma vez que ele só é conhecido por telefone, como o caso de clientes com quem trabalho há 15 anos. Aqui temos o prazer de conhece-los pessoalmente, e ter um relacionamento melhor ainda. Não trouxemos lançamentos, mas a nossa linha completa de rolamentos, correntes, coroa e pinhão. REMOTO – Aparecido Faria Continuamos com nossa linha de retrovisores coloridos, que embora não seja lançamento, é importante marcar presença neste evento e mostrar mais uma vez estes produtos. São os retrovisores Core mini, Core médio e Core normal. E específico para CB300R. O mercado está reagindo, ainda um pouco lento. Para nós o evento foi muito bom. Logo no primeiro dia de feira já se superou nossas expectativas. O retorno foi muito positivo.


ENCONTRO

RTO

RONCAR

SIVERST

SPIDER

70 motomagazine

RP – (RESIBOX) – Luiz Raposo Nosso trabalho está sendo institucional, ou seja, não trouxemos nenhum lançamento, porém alguns dos nossos produtos de linha ainda são novidades neste mercado, que consideramos fraco. Aqui não existe a cultura do uso do bauleto, e cada vez que participamos de um evento como este, procuramos trazer esta cultura, mostrar a necessidade e a praticidade do bauleto. O conceito de motofrete, motocargo ainda é pequeno, mas temos que desenvolver esta mentalidade. É um trabalho passo a passo. Trouxemos o baú cargo 90lts, baú Max 90 lts, baú de água, e o utilizado em trios elétricos. RTO – Ivan Augusto Apresentamos os Kits de carburadores adaptáveis na CB 400; BIZ, YBR e Fazer. E a válvula compensadora, Viton, (ou diafragma menor) que serve na XT 225, é o melhor vedador que existe, com qualidade, pois se tiver má qualidade a moto não deverá funcionar, é uma peça de reposição. RONCAR/ SHAD – Carlos Henrique Silva Como lançamento, trouxemos o painel digital para motos carburadas. E agora estamos desenvolvendo para as motos injetadas. A Shad é uma empresa espanhola, principal fornecedora para algumas montadoras, como BMW, Ducatti, na Europa, e vindo para o Brasil, ela não tinha força de vendas, com isso ela procurou a Roncar para desenvolver algumas partes metálicas de alguns produtos para ela, e foi se desenvolvendo a parceria, começamos a produzir os bauletos de

alumínio para a Shad, em contrapartida eles começaram a produzir para a Roncar os bauletos de 29lts e 39lts. Diante da força de vendas de nossa equipe, eles centralizaram a logística deles dentro da fábrica da Roncar. A unidade da Shad que era em Barueri foi transferida para Ribeirão Preto, interior de São Paulo. Nós os representamos no Brasil e eles representam a Roncar na Europa. Em nosso material de propaganda a Shad virou mais um produto de nossa linha. Temos a linha coyote, escapamento coxim de alta performance. A linha Scorpion, que são escapamentos e acessórios para a linha custon. Em alumínio para motos de baixa cilindrada, com preços mais acessíveis, linha mais popular. SIVERST – Fabio Mendes Trouxemos uma linha mais completa de baterias em gel, o diferencial deste produto é a qualidade e longevidade. E outros itens que já faz parte do nosso portfólio, que acreditamos, o mercado nordestino ainda não tem conhecimento de boa parte de nossos produtos. É uma linha bastante extensa. A amperagem das baterias em geral, obedece a cilindrada da moto, mas há especificações mais técnicas, o que depende da engenharia. Distribuímos as baterias Yuasa, da qual somos importadores e distribuidores exclusivos. Amortecedores monoshock, e trouxemos outros produtos como kit de biela, pedais de câmbio, pedal de partida, cubo interno, que são produtos de linha. SPIDER – Nikolas de Cicco Estamos preparando novos lançamentos futuros, como viseiras e adesivos.


ENCONTRO

SPORTIVE

Maior diversificação na linha de capacetes. Outro tipo de embalagem. Todas essas novidades vão ocorrer durante o ano. Estamos em constante atualização. A concorrência é saudável, isto faz com que o mercado não pare.

TAURUS

SPORTIVE – Wilson Repeke Lateraladaptáveis na Titan CG 150cc, 2012; carenagem que serve na FAN 150, 2012; tampa da Twister, tampa da BIS, e alguns outros produtos como tampas, rabetas, piscas, lanternas, foram os lançamentos que trouxemos, lembrando que são peças adaptáveis a estes modelos de motos. A região Nordeste é a que mais cresce no País hoje, e tem um significado muito importante para a empresa.

TECHNIC

STLU – Edmur de Lucca Trouxemos a sanfona de bengala 24 dentes; lanternas e lentes para a MIX 150cc; emblema frontal diferenciado do antigo. E mais outros itens, o total de nossa lista de fabricação é composta por mais de 600 itens.

STLU

TECHNOPLAST

T FORCE

72 motomagazine

TAURUS – Gianfranco Milani Trouxemos os capacetes San Marino 62, para atender as pessoas que possuem altura maior. As novas linhas T5, o capacete cross, e os novos grafismos do San Marino. Antes tínhamos nesta linha os números 56, 58 e 60. Trata-se de uma necessidade de mercado. Buscamos saber as tendências de mercado e enviamos para uma empresa desenvolver os grafismos. Deu pra perceber que os lojistas da região têm a necessidade das fábricas virem até eles, e muitos não têm condições de fechar suas lojas e irem até São Paulo num evento. Daí a importância deste evento itinerante.

TECHNICK – Alexandre Cavinato Recém lançados os pneus para uso da CG (linha Titan) com desenho dos pneus da Bros. Esta linha de pneus tem feito grande sucesso no Nordeste, tornou-se campeão de vendas na região. Dentro da nossa política de vendas definida, estamos fechando a região, com alguns distribuidores, já fechamos Pernambuco, e aqui na feira estamos fechando a Paraíba. Para nós, este mercado é o segundo após São Paulo. Atualmente os Estados do Rio Grande do Norte, Piauí, e Ceará tem se destacado fortemente em vendas. Lembrando que nossa fábrica de borracha é nacional, não importamos nenhum produto. TECNO PLAST – Sidnei Batista Apesar de nossa empresa ser nova, temos apenas nove meses de mercado, nossa intenção é divulgar a marca. Temos preço competitivo, entrega rápida, qualidade em nossos produtos. Estamos lançando o bloco adaptável na Factor, e até o meio do ano estaremos com o bloco útil na CB300R. O carro chefe da empresa hoje é a carcaça de painel, faróis completos, linhas de bloco óptico, lanternas e outros produtos de linha, para apresentar para o mercado. A importância de um evento itinerante é ir até o cliente e ouvi-lo, cada região tem a sua característica, e vê o produto de uma forma diferente, e nos passa uma informação diferenciada, abrindo um leque de ideias para a execução do nosso trabalho e criação de novos produtos. T FORCE – Gustavo Molinaro O “T” da marca está relacionado à tração de transmissão que é o nosso produto principal. E “Force” é o funcionamento


Alpha Factor

Krater


ENCONTRO

TOTAL MAXPARTS

VALFLEX

VAZ

VEDAMOTORS

VEDOX

VIPER

74 motomagazine

da tração motor, ou seja, desempenha o papel de dar força ao motor para a moto andar. Iniciamos nossas importações com kit de transmissão, aço 1045’ que possui uma resistência maior e agora estamos trazendo a linha de aço 1023’, que é mais acessível no preço, e para este evento estamos aumentando nosso mix lançando cabos de comando, caixa de direção, pedal de partida, buzina e embreagem. TOTAL MAX PARTS - Rodrigo Rodarte Trouxemos mais um leque de novidades, começamos com nova linha de retrovisores asa cromado, asa preto, retrovisores utilizados na BIS, e na YBR. Baterias em gel, que ainda há poucos importadores. Linha própria de coroa e pinhão, corrente com retentor. Antes trabalhávamos com a corrente reforçada. Agora resolvemos fazer o kit completo com retentor. Também uma nova linha de óleos. Inclusive o óleo novo da Honda 10w30, semi sintético, bem diferenciado no mercado. E o óleo de suspensão Fort Oil, que serve para todas as motos. Deixa o motor mais limpo e dá maior rendimento. E a linha mais completa de painéis do mercado, onde agregamos mais modelos que antes não tínhamos. VALFLEX – Valdenir Galvão Expusemos o pisca universal da Titan 2000. O pisca Asa, que tem sido um grande sucesso. Desenvolvemos um novo material nas juntas, com qualidade superior. A importância da junta é fazer a vedação entre duas partes lisas do motor, pode parecer irrelevante, mas se der um vazamento, dá uma grande dor de cabeça. Estamos lançando nossa linha de retrovisores, vamos reinvestir neste segmento. O mercado nordestino se expandiu muito, haja vista o número de motos emplacadas.

VAZ – George Almeida Apresentamos nova linha de capacetes Motard 222, e grafismo em decal. Adesivos, com duplo verniz. Os capacetes ‘Austrália’ e o Sound Plus, também com grafismo e decal renovados. Na linha de transmissão o super kit, que tem o trabalho interno de fixação maior, encaixa melhor no cubo, diminuiu-se a altura dos dentes, e agora a corrente se encaixa como uma luva. Um tratamento térmico a mais nos dentes, para dar um rendimento cerca de 30 mil quilômetros, garantindo muito mais durabilidade com menos custo para a CG 150, e para a FAN 2008 e 2009. VEDAMOTORS – Eziel Maciel Expusemos o Kit de reparo da injeção eletrônica adaptável na XR300, CB300R, CG150cc e na Biz 125cc. Estamos fazendo grande sucesso com o kit reparo do carburador de alta qualidade. Nossos reparos são borrachas de garantia. Também com uma linha completa de pistões para as Titans. O mercado está sedento de produtos de alto valor agregado e é isso que propomos fornecendo para a Yamaha e outras montadoras. VEDOX – Maria Liciete Trouxemos as manoplas, agora mais aperfeiçoadas com melhor qualidade. Ela é praticamente original. Toda feita em borracha. Muitas manoplas do mercado são feitas de plástico, material reciclado. O mercado nordestino é praticamente o quintal da nossa casa, então não podemos deixar de prestigiá-lo. VIPER – Luis Honório Trouxemos as pedaleiras de alumínio que servem para quase todos os tipos de motos. E mais quatro cores novas, metálicas, totalizando vinte e duas cores para


ENCONTRO

motos. Para agregar aos nossos produtos: guidões, aros, manetes. Primeiro fazemos uma pesquisa de mercado para saber o quem tem no mercado, e o que ele está pedindo como novidade. Aí então lançamos as cores, como tendência.

WESTER

WLS

X MOTOS

ZERO GRAU

76 motomagazine

WESTER – Marlise Milchert Apresentamos a manopla adaptável para Biz 125cc - 2006/2012 com roldana de acelerador - preto; manopla adaptável para YBR 125cc – com roldana de acelerador - preto; carcaça farol 99; paralama dianteiro adaptável para mix Fan 150cc - 2009/2012 - pintado; paralama dianteiro adaptável para NXR 150cc Bros 2009/2012 - pintado. Em relação a feira, como sempre correspondeu a nossa expectativa. WLS – Wagner Luiz Viemos com a intenção de fortalecer nossa marca, através do kit de transmissão da marca Vulcan Bor, aço 1035 temperado, esta têmpera é na peça toda e faz com que o produto seja muito mais resistente que o dos concorrentes. É um aço especial, temperado, que dura 45 minutos em torno de 800 graus , havendo uma potencialização da dureza do produto fazendo com que ele tenha maior resistência. E celebrar nossa grande performance na venda de câmaras de ar e pneus. Através da marca Vulcan Bor, temos o maior mix de câmaras de ar do Brasil, são 84 medidas diferentes de marcas de linha que servem para todo tipo de veículos.

X MOTOS do BRASIL – Reginaldo Bento Estamos trazendo para o Nordeste as motos Yamazuki, já havíamos trazido no ano passado, a receptividade foi muito boa, 50cc para a garotada e a 125cc. Temos feitos muitos negócios, há grande procura de nossos produtos, de forma que temos tido problemas com as entregas. De janeiro pra cá, recebemos grande remessa, e estamos com novidades que são os quadriciclos elétricos, para crianças até 12 anos de idade. Além da linha de motos 250cc, para cross, trilha, com a marca X Motos. E trouxemos nossa linha de baterias em gel, as únicas com chip teste no mercado. Câmaras de ar com a marca BR101. Temos mais de 800 em nossa tabela. ZERO GRAU – José Fernando Trouxemos o protetor de carona’. É uma ideia totalmente nova. O slogan deste produto é: queimadura nunca mais. Ele vai acoplado ao escapamento, justamente onde vai a perna do carona. É feito de fibra de carbono, com duas passadeiras, e muito fácil de instalar. Em todas as cores, combinando com a cor de sua moto, e o cromado, combinando com a cor do escapamento. É uma forma de customizar sua moto.


Cadastre-se sua loja no Cota Comigo Já são mais de 2 mil motopeças em 12 estados Onde mais é possivel uma loja cotar, comparar e comprar com mais de 70 fornecedores e distribuidores de uma só vez?

Comprador

Acompanhar suas cotações, escolher Site exclusivo para lojistas de o melhor preço e gerar o pedido on-line. motopeças de todo o país, presente E tudo com apenas um CLICK? No 24 horas por dia 7 dias por semana COTA COMIGO tudo isso é possível. na sua loja.

+

=

Livre-se do trabalho de ligar e passar fax para cada fonecedor.

Cote e escolha o menor preço, melhor prazo e entrega.

Tenha acesso direto a mais de 70 distribuidores e fabricantes.

Obtenha reduções comprovadas de até 30% nos preços.

As melhores empresas de motopeças utilizam o cota comigo.

Aumente seus lucros pagando menos ao comprar pelo site.

Acesse o site e cadastre-se é Grátis.

Saia na frente da concorrência, faça parte deste sucesso.

CADASTRE-SE GRÁTIS - WWW.COTACOMIGO.COM.BR

Alpha Factor


ARTIGO Rafael Fernandes Maciel Advogado, sócio do escritório Murilo Maciel & Rafael Maciel Advogados Associados S/S (www.murilomaciel.com.br) e Especialista em Direito Eletrônico/Direito Digital. É autor do blog www. direitonaeradasredes.com

82 motomagazine

A IMPORTÂNCIA DAS REDES SOCIAIS NAS EMPRESAS Um levantamento realizado pela Deloitte em 2009 (1) sobre os riscos de reputação envolvidos no uso das redes sociais pelos colaboradores da empresa retrata que 74% dos funcionários acreditam ser fácil causar dano à reputação da companhia pelas mídias sociais. Na mesma pesquisa, embora 58% dos executivos consideram necessária a formalização de políticas internas para o uso das mídias sociais, apenas 15% naquela época efetivamente instituíram. De lá pra cá, o uso das redes sociais cresceu exponencialmente e esse risco hoje certamente é ainda maior, embora a adoção de códigos internos pelas corporações ainda seja tímida. As políticas que se preocupam em orientar e tratar adequadamente os riscos oriundos do uso da tecnologia da informação não raramente apenas relacionam proibições vinculadas à segurança de dados, deixando de tratar as mídias sociais e seus impactos à reputação do negócio. Não basta à corporação definir regras ou proibições para uso das redes sociais durante o horário de trabalho. Proibir seu uso é ir contra as tendências mais modernas de networking empresarial, além de pouco efetivo. Isso porque o acesso às redes sociais é cada vez mais originado de dispositivos móveis (2), nada adiantando o bloqueio via desktops ou redes wireless da companhia. Além desse impedimento técnico, o bloqueio total gera antipatia com os colaboradores e pode ser fator relevante no incremento dos negócios. Por exemplo: como os vendedores da sua empresa podem ficar sem interagir nas redes sociais? Eles precisam explorar ao máximo esses relacionamentos, incrementando a rede de contatos e, consequentemente, aumentando as vendas. Na mesma proporção, ou bem próximo a isso,

em que o networking é fomentado os riscos à reputação do negócio também o são. Daí são geradas consequências jurídicas desagradáveis e que tiram do empresário o foco do seu negócio, tendo que administrar situações que seriam facilmente minimizadas pela adoção de um regulamento, uma verdadeira política de uso das redes sociais. Essa política pode estar no próprio regulamento interno da empresa ou em documento separado, mas precisa ser instituída o quanto antes. Não há fórmula mágica ou formulários padrões. Cada negócio deve adotar uma política alinhada com sua realidade e seus valores internos. Entretanto, uma boa política de uso não pode se omitir em tratar algumas questões fundamentais. Vejamos:

1) Recrutamento: a empresa faz buscas pelas redes sociais e blogs, analisa o conteúdo das postagens dos entrevistados? Isso deve ficar claro aos candidatos. 2) Base de clientes: o que acontece quando o funcionário deixa a empresa? E os inúmeros seguidores de sua conta no Twitter que era utilizada para fins comerciais? Pertencerão à empresa ou ao funcionário? Poderá utilizar esse meio no seu novo emprego? A conta permitida para esses contatos é pessoal ou corporativa? 3) Difamação/calúnia/injúria/assédio/discriminação: Tais condutas em qualquer meio devem ser repreendidas pela empresa. Importante ressaltar que o meio virtual também causa consequências no físico, fornecendo treinamento e orientação adequada aos funcionários sobre os limites à liberdade de expressão. As postagens indevidas geram consequências e deixam rastro! 4) Segurança da informação: Embora seja política mais frequente e adotada pelas empresas,


a mesma deve ser alinhada com o uso das redes sociais, porquanto o envio de dados pelas redes é facilitado e dependendo da segurança em TI adotada pode ser mais fácil vazar informações sigilosas da empresa por essa via do que por e-mail. 5) Divulgação indevida de marca, nome e imagem: A vinculação da marca, nome ou imagem da empresa vinculada a situações constrangedoras na rede deve ser causa para rescisão do contrato de trabalho e os funcionários precisam estar cientes disso. Ex: Funcionário com a camisa da empresa em situação de embriaguez vexatória publicada em sua conta do Facebook: constrangimento desnecessário – prejuízo à reputação da empresa. 6) Amizade com colegas de trabalho: Como sua empresa vê isso nas redes sociais? Deseja vedar ou orientar? Os valores da corporação devem estar alinhados aqui, mas deve haver muito cuidado em qualquer tipo de proibição, para não ferir direitos fundamentais dos funcionários. 7) Postagens sobre clientes, comentários políticos ou sobre os negócios da empresa: Não precisa muito esforço para perceber o problema que um funcionário, mal orientado e sem treinamento, pode gerar para o negócio ao postar comentários inapropriados nas redes sociais. 8) Monitoramento e privacidade: Se sua empresa irá monitorar os funcionários no ambiente de trabalho, é preciso quebrar a expectativa de privacidade. Havendo interesse da empresa em fazer constantes pesquisas, embora isso tome bastante tempo, na vida online de seus funcionários fora do ambiente de trabalho, é importante que os mesmos saibam disso, embora publicações sem restrições de privacidade são, pela essência, de acesso público. 9) Uso da imagem dos colaboradores: a empresa não pode utilizar a imagem de seus funcionários sem sua autorização. Esse consentimento pode

84 motomagazine

ser colhido já na adesão à política da empresa pelo trabalhador. 10) Email corporativo x email privado: Estabelecer as diferenças e os limites aos funcionários no uso do email corporativo para fins pessoais. Não é nada agradável circular pela rede material com conteúdo, por exemplo, pornográfico originado de email com o nome da sua empresa. Esses são alguns elementos básicos que não podem faltar, mas outros poderão ser necessários, dependendo das particularidades de cada negócio. Ainda, a política deve estar alinhada com as características próprias de cada rede social. Por exemplo: mais rigor para as redes profissionais, como o Linkedin; um pouco mais de rigidez para o Twitter (sem controle de privacidade) e moderação com constante orientação e transparência para o leque de riscos oriundos da maior rede social do momento: o Facebook. Necessário ressaltar que os cuidados ora mencionados não servem tão somente para se proteger a reputação da empresa, embora esse argumento seja por si só, a meu ver, suficiente. Há também claro risco jurídico, considerando que a pessoa jurídica poderá responder civil e criminalmente por atos de seus funcionários. Afinal, a elaboração de um código de conduta minimizará esses riscos? Certamente. Isso porque além de tais regulamentos deixarem claro o que é ou não tolerado pela corporação, podendo embasar dispensas por justa causa, a mesma pesquisa elaborada pela Deloitte, dava conta que 51% dos entrevistados concordavam que a definição de uma política interna e orientativa sobre o devido uso das redes sociais motivariam eles a rever suas postagens. Uma política bem desenhada, alinhada com os aspectos jurídicos e tecnológicos aliada a um bom treinamento para sua adoção não é mais diferencial, mas medida absolutamente necessária à sustentabilidade do negócio na era da informação digital. 


Respeite a sinalização de trânsito


Revista Motomagazine 61  

Revista Motomagazine 61

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you