Page 1

MULTIPALCO |

ANEXO DO COMPLEXO CULTURAL THEATRO SÃO PEDRO

I.

ESTUDO DO PROJETO

 A CONCEPÇÃO DO PROJETO – “ Encaixado em um contexto urbano excepcional, o projeto para o Complexo Cultural do Theatro São Pedro propõe a inserção de um edifício num sítio conformado ao longo da própria história da cidade, cujos principais valores são oriundos dessa situação e da relação com pontos marcantes de Porto Alegre, como a Praça da Matriz, o Theatro São Pedro, a Assembleia Legislativa, o Arquivo Histórico e a Rua Riachuelo” Essa foi uma das razões pelas quais os arquitetos vencedores do concurso público (equipe dirigida por Dona Eva)MARCO PERES, DALTON BERNARDES E JULIO RAMOS COLLARES, optaram pelo partido que compõe a atual implantação do Multipalco. Através de uma articulação de requerimentos de ordem física (topografia, geometria do terreno, confrontações e limites com as vias e os espaços públicos), histórica, programática, simbólica, urbanística e paisagística, destacou- se no proeto as seguintes potencialidades -diferentes percursos urbanos de identificação de bens culturais valiosos -percursos que possibilitam a compreensão de uma conformação espacial rica e complexa -valorização do Theatro São Pedro com sua abertura para um lado não explorado -articulação entre as edificações préexistentes Dessa forma que a edificação relacionase com o entorno urbano, fundamentando- se no trinômio praçaedifício-caminho, definido pelos arquitetos.

DA III

implantação

entorno imediato – entrada pela Praça da Matriz

axonométrica – projeto vencedor do concurso

Sendo um edifício público que atende a funções culturais- de acordo com os vencedores do concurso- relaciona- se com o cotidiano da Riachuelo e respeita a tipologia de construções junto ao alinhamento, ou seja, não gera uma hierarquia comparada com o entorno imediato. Ao mesmo tempo, busca uma compatibilização com as alturas do muro do Theatro e o prédio do Arquivo. Seus contornos são característicos por rasgos, com escadarias que conectam espaços próprios e do entorno, viabilizando percursos. Isso faz com que haja a possibilidade de inúmeros acessos, posicionados de forma a chamar o público para seu interior. O todo, portanto, classifica- se como um volume encravado no desnível do terreno, fugindo de qualquer ideia de monumentalidade, justamente por adaptar- se tão bem à topografia.

planta baixa nível 26,50

planta baixa nível 22,50

planta baixa nível 19,50

 DADOS GERAIS – endereçado na Praça Marechal Deodoro, sem número, o projeto consiste em uma ampliação do Theatro São Pedro, formando um complexo cultural, o MULTIPALCO THEATRO SÃO PEDRO. O espaço total ocupa uma área de 25 mil m², sendo 18 mil m² de área construída. Possui infraestrutura para artistas, técnicos e espectadores, configurando assim, uma variada rede de usuários. Os usos são voltados para oficinas, workshops, aulas de música, entre outros eventos, podendo ser pontuais ou cotidianos. Dentre seus objetivos, ressalta- se o de promover a inclusão sociocultural de jovens. Por exemplo, é sede do projeto ‘Sol Maior – mudando vidas, formando cidadãos’.

ETAPA II | ANÁLISE PROJETUAL ARQUITETÔNICA E MAQUETE LETÍCIA BETTIO E NATÁLIA BECKER | SEMESTRE 2016/2 PROFªs ANGELICA PONZIO E SILVANA STUMPFS | TURMA A/B

planta baixa nível 15,50

planta baixa nível 12,50


CONCHA ACÚSTICA

coroamento?/ aparência de textura metálica

madeira escura/ tons avermelhados

mármore preto madeira + clara - sofisticada

ECO TELHADO – o telhado verde objetiva amenizar o impacto visual causado pelo concreto maior conforto térmico e urbano; custo de manutenção ~ 0 restaurante = transparência

SALA DE revestimento de teto MÚSICA: e parede com apresentações madeira + clara camerísticas, ensaios, parede: simpósios e textura + conferências detalhada contraste repetitivo; tons de marrom/ preto

novamente, uso da madeira escura

DA III

 PROGRAMA | SISTEMA EXPOSITIVO – o espaço como um todo conta com praça multipalco, concha acústica, restaurante, eco telhado, área administrativa, sala de atendimento aos associados da AATSP, salas de reunião, sala da música, centro cultural refap, salas múltiplas, sala da dança, entrada principal, teatro italiano, cine teatro oficina, cafeteria e bar, sala da imprensa, lojas, estacionamento.  CONCEITO – a qualidade espacial é determinada pela grandeza/ amplidão do espaço aberto. Há uma integração dos estares pelas escadas, que exploram as diferenças de níveis do terreno, se destacando como elemento articulador do objeto arquitetônico. Nota- se o uso de tons neutros/ pastéis em concordância com a pré- existência (Theatro São Pedro). A predominância da massa/ volume fechado nos blocos da ampliação contrasta com o uso recorrente de vidro/ transparências. A parte aberta, no nível superior é aberta ao público, permitindo livre circulação.  MATERIALIDADE – o conceito de sustentabilidade apresenta-se pelo uso do teto verde, como agente minimizador dos impactos causados pelas diversas formas de poluição (sonora, visual, atmosférica). Esse fator influencia também na habitabilidade dos espaços, pois, mesmo sendo um edifício majoritariamente subsolo, não abre mão de estratégias que valorizem a iluminação natural; essas são zenitais nos primeiros níveis e grandes janelas na fachada da Riachuelo (que além de sua função essencial, propiciam a quem passa na rua, uma visual do interior, fazendo das salas de ensaio uma espécie de vitrine); a arte e a cultura se integram ao contexto urbano.

ETAPA II | ANÁLISE PROJETUAL E MAQUETE LETÍCIA BETTIO E NATÁLIA BECKER | SEMESTRE 2016/2 PROFªs ANGELICA PONZIO E SILVANA STUMPFS | TURMA A/B

VISTA GERAL DA RUA RIACHUELO| ESPACIALIDAE E INSERÇÃO NO CONTEXTO URBANO

 DIAGRAMAS: MASSA | TECTÕNICA Theatro São Pedro Recepção Concha Acústica Restaurante Bloco auxiliar Administração e acesso ao subsolo Bloco subsolo – abriga maioria dos usos

CIRCULAÇÃO | CONTORNOS Circulação na área externa Circulação no subsolo


II. ANÁLISES GRÁFICAS  RETÍCULA | GEOMETRIA DA GRELHA

 ZONEAMENTO

Theatro

recepção

estacionamento

adm concha palco camarins

rest.

acesso subsolo

salas | orquestra e ballet

mezanino

camarins

sala | ensaios

plateia

estacionamento

fosso orquestra

oficinas e lojas

estacionamento, fosso orquestra, apoio técnico

 CIRCULAÇÃO

escadas | elementos de articulação

planta baixa nível 26,50

DA III

planta baixa nível 22,50

planta baixa nível 19,50

ETAPA II | ANÁLISE PROJETUAL E MAQUETE LETÍCIA BETTIO E NATÁLIA BECKER | SEMESTRE 2016/2 PROFªs ANGELICA PONZIO E SILVANA STUMPFS | TURMA A/B

planta baixa nível 15,50

planta baixa nível 12,50

Profile for LETÍCIA BETTIO

Análise arquitetônica - Espaço Multipalco | Theatro São Pedro  

Análise de forma, função, espacialidade e tectônica para a disciplina de Desenho Arquitetônico 3, 4º semestre - FAU UFRGS.

Análise arquitetônica - Espaço Multipalco | Theatro São Pedro  

Análise de forma, função, espacialidade e tectônica para a disciplina de Desenho Arquitetônico 3, 4º semestre - FAU UFRGS.

Advertisement